ATLAS DO PLANO NACIONAL DE SAÚDE

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ATLAS DO PLANO NACIONAL DE SAÚDE"

Transcrição

1 ATLAS DO PLANO NACIONAL DE SAÚDE ALTO COMISSARIADO DA SAÚDE

2 05 Determinantes e Estilos de Vida

3 Determinantes e Estilos de Vida Atlas do Plano Nacional de Saúde Determinantes e Estilos de Vida Considerações Gerais O valor percentual de Indivíduos com 15 e mais anos que Fumam Tabaco Diariamente tem vindo, globalmente, a diminuir. De acordo com o INS 2005/06, é nos grupos etários mais velhos, no sexo feminino (embora com tendência de aumento em quase todos os grupos de idade) e na Região Centro que se regista menor prevalência de fumadores. Entre o 3º e 4º INS, registou-se em Portugal Continental um aumento da proporção (de 50,4% para 53,8%) de Indivíduos com 12 e mais anos que Consumiram alguma bebida Alcoólica nos 12 meses anteriores à entrevista. Os menores consumos verificam-se nos indivíduos com idade 24 anos e nas Regiões de LVT e Alentejo. Entre 2004 e 2008, o Número de Mortes por Acidentes de Viação Atribuíveis ao Álcool diminuiu de 358 para 285. Também o valor percentual de Internamentos por Causas 100% Atribuíveis ao Álcool tem vindo a decrescer. Em 2003 representavam 2,5% do total de internamentos nos Hospitais públicos de Portugal Continental e em ,8%. Antecedido de anos de decréscimo, em 2006 o valor de primeiras consultas na rede pública de tratamento de toxicodependência por habitantes começou a aumentar, atingindo os 69,3 em De acordo com os dados do 4º INS, o pão, os farináceos (batatas/arroz/massa) e os lacticínios (leite/iogurte/queijo) são os Alimentos mais consumidos nas refeições principais pelos residentes portugueses. Entre o 3º e o 4º INS o valor percentual de Indivíduos com 18 e mais anos considerados Obesos (IMC 30) aumentou de 12,0% para 15,2%. As menores proporções verificam-se nos homens, nos grupos etários abaixo dos 34 anos e no Algarve.

4 05. Determinantes e Estilos de Vida Atlas do Plano Nacional de Saúde 077 A taxa de mortalidade padronizada por acidentes de trânsito com veículos a motor antes dos 65 anos é outro indicador muito utilizado na análise dos estilos de vida. Desde 2002 que, genericamente, esta taxa tem vindo a decrescer em todas as Regiões de Portugal Continental, acompanhando a tendência da média da UE. Os valores da taxa de mortalidade nos homens são muito superiores aos das mulheres. Entre 2004 e 2006, a taxa de mortalidade padronizada por acidentes laborais (/ habitantes) decresceu de 2,7 para 2,1, seguindo em 2007 um ligeiro aumento (2,3/ hab.) Os valores para o sexo masculino são muito superiores aos do sexo feminino (2007: 4,4/ para os homens e 0,1/ para as mulheres). A Região de Lisboa é a que regista a taxa mais baixa.

5 Determinantes e Estilos de Vida Atlas do Plano Nacional de Saúde Consumo de Tabaco Mulheres Homens < < / / Continente UE15 UE27 Norte Centro LVT Alentejo Algarve 1998/ /06

6 05. Determinantes e Estilos de Vida Atlas do Plano Nacional de Saúde 079 Consumo de Álcool Homens Mulheres < < / /06 Número de mortes por acidentes de viação atribuíveis ao álcool Continente Norte Centro Sul

7 Determinantes e Estilos de Vida Atlas do Plano Nacional de Saúde Internamentos por causas 100% atribuíveis ao consumo de álcool 3,0 2,5 2,0 1,5 Continente Norte Centro Lisboa e Vale do Tejo Alentejo Algarve 1,0 0,5 0, Limites administrativos: NUT III (D.L. de 2002) NUT II (D.L. de 1999) Internamentos por causas atribuíveis ao consumo de álcool (% em 2008) 1,1-1,5 1,6-1,8 1,9-2,1 2,2-2,5 2,6-3,6 ALTO COMISSARIADO DA SAÚDE Evolução de 2003 a 2008: Diminuiu Manteve Aumentou

8 05. Determinantes e Estilos de Vida Atlas do Plano Nacional de Saúde 081 Utentes na rede pública de tratamento da toxicodependência (1ªconsulta) 250,0 200,0 150,0 100,0 Continente Norte Centro Lisboa e Vale do Tejo Alentejo Algarve UE27 50,0 0, Limites administrativos: Limite de Distrito NUT II (D.L. de 1999) Utentes em primeiras consultas na rede pública de tratamento de toxicodependência (por hab. em 2008): 20,8-44,4 44,5-51,2 51,3-67,3 67,4-82,3 82,4-131,2 ALTO COMISSARIADO DA SAÚDE Evolução de 1998 a 2008: Diminuiu Aumentou Manteve

9 Determinantes e Estilos de Vida Atlas do Plano Nacional de Saúde Alimentação pão batata/ arroz/ massa leite/ iogurte/ queijo fruta carne salada/ legumes cozidos sopa peixe bolos/ chocolates/ sobremesa feijão/ grão outros alimentos Obesidade 18,0 16,0 14,0 12,0 10,0 8,0 6,0 4,0 2,0 0,0 Continente Norte Centro LVT Alentejo Algarve 1998/ /06

10 05. Determinantes e Estilos de Vida Atlas do Plano Nacional de Saúde 083 Mortalidade por acidentes de trânsito com veículos a motor (< 65 anos) 40,0 35,0 30,0 25,0 20,0 15,0 10,0 Continente Continente - H Continente - M Norte Centro Lisboa e Vale do Tejo Alentejo Algarve UE15 UE27 5,0 0, Limites administrativos: NUT III (D.L. de 2002) NUT II (D.L. de 1999) ALTO COMISSARIADO DA SAÚDE Taxa de mortalidade padronizada por acidente de trânsito antes dos 65 anos/ habitantes (2006): 2,8-5,9 6,0-9,0 9,1-11,3 11,4-13,7 13,8-27,3

11 Determinantes e Estilos de Vida Atlas do Plano Nacional de Saúde Mortalidade por acidentes laborais 6,0 4,0 2,0 0, Continente Continente - H Continente - M Norte Centro Lisboa e Vale do Tejo Alentejo Algarve Limites administrativos: Limite de Distrito NUT II (D.L. de 1999) Mortalidade por acidentes laborais (por trabalhadores em 2007): 0,0-5,9 6,0-9,9 10,0-14,0 14,1-15,8 15,9-17,1 ALTO COMISSARIADO DA SAÚDE Evolução de 2000 a 2007: Diminuiu Manteve Aumentou

12 05. Determinantes e Estilos de Vida Atlas do Plano Nacional de Saúde 085 Resumo

13 Determinantes e Estilos de Vida Atlas do Plano Nacional de Saúde

14

ATLAS DO PLANO NACIONAL DE SAÚDE

ATLAS DO PLANO NACIONAL DE SAÚDE ATLAS DO PLANO NACIONAL DE SAÚDE ALTO COMISSARIADO DA SAÚDE 04 Despesa em Saúde e Consumo de Medicamentos 062 04. Despesa em Saúde e Consumo de Medicamentos Atlas do Plano Nacional de Saúde Despesa em

Leia mais

ATLAS DO PLANO NACIONAL DE SAÚDE

ATLAS DO PLANO NACIONAL DE SAÚDE ATLAS DO PLANO NACIONAL DE SAÚDE 06 Como se Nasce, Vive e Morre 090 06. Como se Nasce, Vive e Morre? Atlas do Plano Nacional de Saúde Como se Nasce, Vive e Morre? Considerações Gerais A Esperança de Vida

Leia mais

A roda dos alimentos. A antiga roda dos alimentos

A roda dos alimentos. A antiga roda dos alimentos Ano: 2010/2011 Disciplina: Educação Física Professora: Rita Marques Trabalho realizado por: Andreia Cipriano Catarina Silva Jéssica Pereira Mónica Algares Patrícia Martinho A roda dos alimentos Para se

Leia mais

Plano Nacional de Saúde 2012-2016

Plano Nacional de Saúde 2012-2016 Plano Nacional de Saúde 2012-2016 Índice de Figuras, Quadros e Tabelas (Janeiro 2012) Plano Nacional de Saúde 2012-2016 ÍNDICE DE FIGURAS, QUADROS E TABELAS 1. Enquadramento do Plano Nacional de Saúde

Leia mais

Plano Nacional de Saúde 2012-2016. 2. Perfil de Saúde em Portugal

Plano Nacional de Saúde 2012-2016. 2. Perfil de Saúde em Portugal Plano Nacional de Saúde 2012-2016 2. Perfil de Saúde em Portugal Plano Nacional de Saúde 2012-2016 2. PERFIL DE SAÚDE EM PORTUGAL 2.1. ESTADO DE SAÚDE DA POPULAÇÃO... 2 2.1.1. DETERMINANTES DA SAÚDE...

Leia mais

Em 2013 perderam-se 4 683 anos potenciais de vida devido à diabetes mellitus

Em 2013 perderam-se 4 683 anos potenciais de vida devido à diabetes mellitus Dia Mundial da diabetes 14 de novembro 1983-2013 EMBARGO ATTÉ 13 DE NOVEMBRO DE 2014,, ÀS 11 HORAS Em 2013 perderam-se 4 683 anos potenciais de vida devido à diabetes mellitus Em 2013, as doenças endócrinas,

Leia mais

PESQUISA DE ORÇAMENTO FAMILIAR - POF. Prof. Dra. Aline Mota de Barros Marcellini

PESQUISA DE ORÇAMENTO FAMILIAR - POF. Prof. Dra. Aline Mota de Barros Marcellini PESQUISA DE ORÇAMENTO FAMILIAR - POF Prof. Dra. Aline Mota de Barros Marcellini As maiores médias de consumo diário per capita ocorreram para Feijão (182,9 g/ dia), arroz (160,3 g/ dia), carne bovina

Leia mais

Plano Nacional de Saúde 2004-2010 Avaliação de indicadores. Maio de 2010

Plano Nacional de Saúde 2004-2010 Avaliação de indicadores. Maio de 2010 Plano Nacional de Saúde -2010 Avaliação de indicadores Maio de 2010 0 das Regiões (NUT II do D.L. de 1999) em relação ao do... 2 Evolução dos indicadores em relação à Meta para 2010... 9 1 das Regiões

Leia mais

Portugal Prevenção e Controlo do Tabagismo em números 2013

Portugal Prevenção e Controlo do Tabagismo em números 2013 ISSN: 2183-0762 Portugal Prevenção e Controlo do Tabagismo em números 2013 Programa Nacional para a Prevenção e Controlo do Tabagismo www.dgs.pt Portugal. Direção-Geral da Saúde. Direção de Serviços de

Leia mais

COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL?

COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL? COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL? O Ministério da Saúde está lançando a versão de bolso do Guia Alimentar para a População Brasileira, em formato de Dez Passos para uma Alimentação Saudável, com o objetivo

Leia mais

Utilização da Internet cresce quase 20 por cento nos últimos dois anos nas famílias portuguesas

Utilização da Internet cresce quase 20 por cento nos últimos dois anos nas famílias portuguesas Utilização da cresce quase 20 por cento nos últimos dois anos nas famílias portuguesas Mais de metade das famílias portuguesas ainda não dispõe de computador mas o parque informático dos agregados familiares

Leia mais

PROJETO: HÁBITOS ALIMENTARES EM NOSSA ESCOLA

PROJETO: HÁBITOS ALIMENTARES EM NOSSA ESCOLA PREFEITURA MUNICIPAL DE SOBRAL ESCOLA CORONEL ARAÚJO CHAVES PROJETO: HÁBITOS ALIMENTARES EM NOSSA ESCOLA Prof. Francisco Junielison Correia Lopes (Educação Física) Colaboração: Prof. Gleidson Mendes Melo

Leia mais

Estatísticas Vitais 2014

Estatísticas Vitais 2014 Estatísticas Vitais 214 3 de abril de 215 Manteve-se o saldo natural negativo e a diminuição do número de casamentos Em 214 registaram-se 82 367 nascimentos com vida de crianças cujas mães eram residentes

Leia mais

Apresentação. Introdução. Francine Leite. Luiz Augusto Carneiro Superintendente Executivo

Apresentação. Introdução. Francine Leite. Luiz Augusto Carneiro Superintendente Executivo Evolução dos Fatores de Risco para Doenças Crônicas e da prevalência do Diabete Melito e Hipertensão Arterial na população brasileira: Resultados do VIGITEL 2006-2009 Luiz Augusto Carneiro Superintendente

Leia mais

Portugal Alimentação Saudável em números 2013

Portugal Alimentação Saudável em números 2013 ISSN: 2183-0738 Portugal Alimentação Saudável em números 2013 Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável www.dgs.pt Portugal. Direcção-Geral da Saúde. Direção de Serviços de Informação e

Leia mais

Seminário> Família: realidades e desafios. Instituto de Defesa Nacional / Lisboa - Dias 18 e 19 de Novembro de 2004

Seminário> Família: realidades e desafios. Instituto de Defesa Nacional / Lisboa - Dias 18 e 19 de Novembro de 2004 Instituto de Defesa Nacional / Lisboa - Dias 18 e 19 de Novembro de 2004 1 PADRÕES DE CONSUMO DAS FAMÍLIAS NUMEROSAS EM PORTUGAL Caracterização com base no Inquérito aos Orçamentos Familiares de 2000 >Rute

Leia mais

A taxa de desemprego foi de 11,1% no 4º trimestre de 2010

A taxa de desemprego foi de 11,1% no 4º trimestre de 2010 Estatísticas do Emprego 4º trimestre de 2010 16 de Fevereiro de 2011 A taxa de desemprego foi de 11,1% no 4º trimestre de 2010 A taxa de desemprego estimada para o 4º trimestre de 2010 foi de 11,1%. Este

Leia mais

III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família IV Seminário Internacional de Atenção Primária/ Saúde da Família. Brasília, 08 de Agosto de 2008

III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família IV Seminário Internacional de Atenção Primária/ Saúde da Família. Brasília, 08 de Agosto de 2008 Oficina de Promoção da Alimentação Saudável para Agentes Comunitários de Saúde III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família IV Seminário Internacional de Atenção Primária/ Saúde da Família Brasília,

Leia mais

MENÚ 1 SEGUNDA-FEIRA TERÇA-FEIRA QUARTA-FEIRA QUINTA-FEIRA SEXTA-FEIRA ALMOÇO ALMOÇO ALMOÇO LANCHE LANCHE LANCHE

MENÚ 1 SEGUNDA-FEIRA TERÇA-FEIRA QUARTA-FEIRA QUINTA-FEIRA SEXTA-FEIRA ALMOÇO ALMOÇO ALMOÇO LANCHE LANCHE LANCHE MENÚ 1 SEGUNDA-FEIRA TERÇA-FEIRA CRECHE Sopa de Bróculos Empadão de Carne Pêra Puré de Abóbora Massada de Peixe Sala Verde Sala Azul Sala Verde Sala Azul Cerelac Leite e Pão Pápa de Iogurte e Pão c/ Chocolate

Leia mais

"Retrato social" de Portugal na década de 90

Retrato social de Portugal na década de 90 "Retrato social" de Portugal na década de 9 Apresentam-se alguns tópicos da informação contida em cada um dos capítulos da publicação Portugal Social 1991-21, editada pelo INE em Setembro de 23. Capítulo

Leia mais

3. POPULAÇÃO E INDICADORES DEMOGRÁFICOS

3. POPULAÇÃO E INDICADORES DEMOGRÁFICOS 3. POPULAÇÃO E INDICADORES DEMOGRÁFICOS 37 38 3.1. Introdução Para a interpretação dos dados de saúde, quer de morbilidade quer de mortalidade, e nomeadamente para, com base nesses dados, se fazer o planeamento

Leia mais

ÍSTICAS ESTAT NATALIDADE, MORTALIDADE INFANTIL, FETAL E PERINATAL 2007/2011 D I R E E Ç Ã Ç Ã O - G E R G E R A L D A S A Ú D E L I S B O A

ÍSTICAS ESTAT NATALIDADE, MORTALIDADE INFANTIL, FETAL E PERINATAL 2007/2011 D I R E E Ç Ã Ç Ã O - G E R G E R A L D A S A Ú D E L I S B O A ESTATÍ ÍSTICAS NATALIDADE, MORTALIDADE INFANTIL, FETAL E PERINATAL 2007/2011 D I R E Ç Ã O - G E R A L D A S A Ú D E L I S B O A ESTATÍSTICAS NATALIDADE, MORTALIDADE INFANTIL, FETAL E PERINATAL 2007/2011

Leia mais

RESULTADOS DO INQUÉRITO AOS NOVOS ALUNOS

RESULTADOS DO INQUÉRITO AOS NOVOS ALUNOS 1. Taxas de resposta RESULTADOS DO INQUÉRITO AOS NOVOS ALUNOS 21% 29% 79% 71% Responderam Não responderam Responderam Não responderam Gráfico nº 1 - Frequência percentual de respostas dos novos alunos

Leia mais

Impacte da Lei de Prevenção do Tabagismo* na população de Portugal Continental

Impacte da Lei de Prevenção do Tabagismo* na população de Portugal Continental Impacte da Lei de Prevenção do Tabagismo* na população de Portugal Continental * Lei n.º 37/2007, de 14 de Agosto Direcção-Geral da Saúde com a colaboração do INSA Acompanhamento estatístico e epidemiológico

Leia mais

O resultado de uma boa causa. Apresentação de resultados da campanha pela Obesidade do programa Saúde mais Próxima

O resultado de uma boa causa. Apresentação de resultados da campanha pela Obesidade do programa Saúde mais Próxima O resultado de uma boa causa. Apresentação de resultados da campanha pela Obesidade do programa Saúde mais Próxima Saúde mais próxima. Por causa de quem mais precisa. Saúde mais Próxima é um programa da

Leia mais

ELEMENTOS ESTATÍSTICOS SAÚDE 2011/2012 Divisão de Estatísticas da Saúde e Monitorização Direção de Serviços de Informação e Análise

ELEMENTOS ESTATÍSTICOS SAÚDE 2011/2012 Divisão de Estatísticas da Saúde e Monitorização Direção de Serviços de Informação e Análise ELEMENTOS ESTATÍSTICOS SAÚDE 2011/2012 Divisão de Estatísticas da Saúde e Monitorização Direção de Serviços de Informação e Análise Portugal. Direcção-Geral da Saúde. Direção de Serviços de Informação

Leia mais

ATLAS DO PLANO NACIONAL DE SAÚDE

ATLAS DO PLANO NACIONAL DE SAÚDE ATLAS DO PLANO NACIONAL DE SAÚDE ALTO COMISSARIADO DA SAÚDE PORTUGAL. Alto Comissariado da Saúde Atlas do Plano Nacional de Saúde Lisboa: Alto Comissariado da Saúde, 2010. 144 p. ISBN 978-989-96263-5-5

Leia mais

LISBOA E VALE DO TEJO MINISTÉRIO DA SAÚDE. Perfil de Saúde. e Seus Determinantes da Região de Lisboa e Vale do Tejo VOLUME1

LISBOA E VALE DO TEJO MINISTÉRIO DA SAÚDE. Perfil de Saúde. e Seus Determinantes da Região de Lisboa e Vale do Tejo VOLUME1 LISBOA E VALE DO TEJO MINISTÉRIO DA SAÚDE Perfil de Saúde e Seus Determinantes da Região de Lisboa e Vale do Tejo 2015 VOLUME1 O Padrão dos Descobrimentos Elevar as nossas Crianças a horizontes mais rasgados

Leia mais

NATALIDADE, MORTALIDADE INFANTIL, FETAL E PERINATAL 2006/2010

NATALIDADE, MORTALIDADE INFANTIL, FETAL E PERINATAL 2006/2010 ESTATÍSTICAS NATALIDADE, MORTALIDADE INFANTIL, FETAL E PERINATAL 2006/2010 D I R E C Ç Ã O - G E R A L D A S A Ú D E L I S B O A ESTATÍSTICAS NATALIDADE, MORTALIDADE INFANTIL, FETAL E PERINATAL 2006/2010

Leia mais

Portugal Alimentação Saudável em números 2013

Portugal Alimentação Saudável em números 2013 ISSN: 2183-0738 Portugal Alimentação Saudável em números 2013 Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável www.dgs.pt Portugal. Direcção-Geral da Saúde. Direção de Serviços de Informação e

Leia mais

ISSN: 2183-0673. Portugal. em números 2013. Programa Nacional para as. Doenças Respiratórias. www.dgs.pt

ISSN: 2183-0673. Portugal. em números 2013. Programa Nacional para as. Doenças Respiratórias. www.dgs.pt ISSN: 2183-0673 Portugal em números 2013 Programa Nacional para as www.dgs.pt Portugal. Direcção-Geral da Saúde. Direção de Serviços de Informação e Análise Portugal em números 2013 ISSN: 2183-0673 Periodicidade:

Leia mais

EMENTA. SEMANA de 30 de Novembro a 04 de Dezembro de 2015. Ec.I-001.01 EMENTA GERAL. Fruta (pera) e pão Canja Massa à Lavrador Fruta: Banana

EMENTA. SEMANA de 30 de Novembro a 04 de Dezembro de 2015. Ec.I-001.01 EMENTA GERAL. Fruta (pera) e pão Canja Massa à Lavrador Fruta: Banana SEMANA de 30 de Novembro a 04 de Dezembro de 2015 11h e 30m 11h 30m Aprovado pela Direção em 25/11/15 Massa à Lavrador Fruta: Banana Pescada cozida com batatas, cenouras e ovo Nestum / Leite simples e

Leia mais

Estratégias para a Saúde

Estratégias para a Saúde Estratégias para a Saúde II) Perfil de Saúde em Portugal (Versão Discussão) ESTRATÉGIAS PARA A SAÚDE II) PERFIL DE SAÚDE EM PORTUGAL A) ESTADO DE SAÚDE DA POPULAÇÃO... 2 B) RECURSOS, PRESTAÇÃO DE CUIDADOS

Leia mais

HOTELARIA 2008. AEP / Gabinete de Estudos

HOTELARIA 2008. AEP / Gabinete de Estudos HOTELARIA 2008 AEP / Gabinete de Estudos Junho de 2008 1 1. INFORMAÇÃO SOBRE AS EMPRESAS Segundo os dados das Empresas em Portugal 2005, do INE, em 2005 o sector do Alojamento e Restauração compreendia

Leia mais

Registo Alimentar de 3 dias. Nota: Leia com atenção, e tente cumprir, os parâmetros de utilização.

Registo Alimentar de 3 dias. Nota: Leia com atenção, e tente cumprir, os parâmetros de utilização. Registo Alimentar de 3 dias Nota: Leia com atenção, e tente cumprir, os parâmetros de utilização. Parâmetros de Utilização: É necessário anotar tudo o que foi ingerido durante 3 dias representativos do

Leia mais

2012 Anual. Preços médios ao Balcão. Sumário Executivo

2012 Anual. Preços médios ao Balcão. Sumário Executivo Sumário Executivo Na presente informação, divulgam-se os preços médios de Aposento (b&b), Meia Pensão (h&b) e Pensão Completa (f&b) praticados ao balcão, no ano de 2012, pelos hotéis e pousadas, bem como

Leia mais

SEGUNDA 04/5 TERÇA 5/5 QUARTA 6/5 QUINTA 7/5 SEXTA 8/5 Pão de milho com geleia e creme de leite Café com leite

SEGUNDA 04/5 TERÇA 5/5 QUARTA 6/5 QUINTA 7/5 SEXTA 8/5 Pão de milho com geleia e creme de leite Café com leite CARDÁPIO ENSINO FUNDAMENTAL e PRÉ ESCOLA= MAIO DE 2015 SEGUNDA 04/5 TERÇA 5/5 QUARTA 6/5 QUINTA 7/5 SEXTA 8/5 Pão de milho com geleia e creme de leite com ao molho pomodoro* Salada de alface Bebida láctea

Leia mais

A taxa de desemprego do 3º trimestre de 2007 foi de 7,9%

A taxa de desemprego do 3º trimestre de 2007 foi de 7,9% Estatísticas do Emprego 3º trimestre de 2007 16 de Novembro de 2007 A taxa de desemprego do 3º trimestre de 2007 foi de 7,9 A taxa de desemprego estimada para o 3º trimestre de 2007 foi de 7,9. Este valor

Leia mais

Título da comunicação: A Situação Profissional de Ex-Bolseiros de Doutoramento

Título da comunicação: A Situação Profissional de Ex-Bolseiros de Doutoramento Título da comunicação: A Situação Profissional de Ex-Bolseiros de Doutoramento Evento: Local: Data: CONFERÊNCIA REGIONAL DE LISBOA E VALE DO TEJO Centro de Formação Profissional de Santarém 10 de Março

Leia mais

MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DA INOVAÇÃO

MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DA INOVAÇÃO MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DA INOVAÇÃO Índice Introdução Preço Médio por Dormida Proveito Médio de Aposento por Cama Conceitos Anexos 2 Introdução Com base em indicadores estatísticos disponibilizados pelo

Leia mais

PORTUGAL Doenças Respiratórias em números 2014

PORTUGAL Doenças Respiratórias em números 2014 PORTUGAL Doenças Respiratórias em números 2014 PORTUGAL Doenças Respiratórias em números 2014 Programa Nacional para as Doenças Respiratórias DIREÇÃO-GERAL DA SAÚDE, LISBOA Dezembro de 2014 Portugal.

Leia mais

VIGITEL 2014 Periodicidade Parceria: População monitorada 40.853 entrevistas

VIGITEL 2014 Periodicidade Parceria: População monitorada 40.853 entrevistas Ministério da Saúde Abril de 2014 VIGITEL 2014 Medir a prevalência de fatores de risco e proteção para doenças não transmissíveis na população brasileira Subsidiar ações de promoção da saúde e prevenção

Leia mais

Perfil da presença feminina no tecido empresarial português. Março 2011

Perfil da presença feminina no tecido empresarial português. Março 2011 Perfil da presença feminina no tecido empresarial português Março 2011 Sumário executivo Em Portugal : Apenas 30,1% das funções de gestão são desempenhadas por mulheres Apenas 55,3% das empresas têm participação

Leia mais

Pela primeira vez na história demográfica recente, Portugal registou em 2007 um saldo natural negativo

Pela primeira vez na história demográfica recente, Portugal registou em 2007 um saldo natural negativo Pela primeira vez na história demográfica recente, Portugal registou em 2007 um saldo natural negativo De acordo com os indicadores demográficos disponíveis relativos a 2007, a população residente em Portugal

Leia mais

Inquérito público aos Brasileiros residentes em Portugal 25 de Maio de 2006

Inquérito público aos Brasileiros residentes em Portugal 25 de Maio de 2006 Inquérito público aos Brasileiros residentes em Portugal 25 de Maio de 2006 Metodologia Dimensão da amostra Datas das entrevistas Margem de erro Idioma das entrevistas 1,000 Brasileiros adultos 23 Novembro

Leia mais

Estatísticas do Emprego 1º trimestre de 2010

Estatísticas do Emprego 1º trimestre de 2010 Estatísticas do Emprego 1º trimestre de 2010 18 de Maio de 2010 A taxa de desemprego foi de 10,6% no 1º trimestre de 2010 A taxa de desemprego estimada para o 1º trimestre de 2010 foi de 10,6%. Este valor

Leia mais

ANEXO A.1 Formulário Dietético

ANEXO A.1 Formulário Dietético ANEXO A.1 Formulário Dietético I) As dietas abaixo referidas deverão cumprir com as especificações do anexo A.2 (Capitações dos alimentos de refeições confecionadas e preparações culinárias) e do anexo

Leia mais

ISSN 0872-1114 ESTATÍSTICAS

ISSN 0872-1114 ESTATÍSTICAS ISSN 0872-1114 ESTATÍSTICAS E L E M E N T O S E S T A T Í S T I C O S INFORMAÇÃO GERAL S A Ú D E / 2 0 0 0 D I R E C Ç Ã O - G E R A L D A S A Ú D E LISBOA Junho/2003 Portugal. Direcção-Geral da Saúde.

Leia mais

Síntese dos conteúdos mais relevantes

Síntese dos conteúdos mais relevantes Síntese dos conteúdos mais relevantes Nos últimos Censos de 2001, o Concelho da Lourinhã contabilizou 23 265 habitantes, reflectindo uma evolução de + 7,7% face a 1991. Em termos demográficos, no Concelho

Leia mais

CENSOS 2001 Análise de População com Deficiência Resultados Provisórios

CENSOS 2001 Análise de População com Deficiência Resultados Provisórios Informação à Comunicação Social 4 de Fevereiro de 2002 CENSOS 2001 Análise de População com Deficiência Resultados Provisórios A disponibilização destes resultados provisórios dos Censos 2001 sobre a população

Leia mais

Briefing. Boletim Epidemiológico 2010

Briefing. Boletim Epidemiológico 2010 Briefing Boletim Epidemiológico 2010 1. HIV Estimativa de infectados pelo HIV (2006): 630.000 Prevalência da infecção (15 a 49 anos): 0,61 % Fem. 0,41% Masc. 0,82% 2. Números gerais da aids * Casos acumulados

Leia mais

E M E N T A DIA VALÊNCIAS ALMOÇOS LANCHES. Creme de legumes c/ borrego. Fruta. Fruta

E M E N T A DIA VALÊNCIAS ALMOÇOS LANCHES. Creme de legumes c/ borrego. Fruta. Fruta M N T DI VLÊNCIS LMOÇOS LNCHS S Creme de cenoura e agrião Papa * Creche c/ vitela Leite e pão U Pré-scolar Sopa de legumes N Nuggets de frango com arroz de Leite simples D 1º Ciclo cenoura e salada de

Leia mais

MINISTÉRIO DA ECONOMIA E INOVAÇÃO

MINISTÉRIO DA ECONOMIA E INOVAÇÃO MINISTÉRIO DA ECONOMIA E INOVAÇÃO Direcção de Serviços de Estudos e Estratégia Turísticos Divisão de Recolha e Análise Estatística Índice Introdução Proveito Médio de Aposento Conceitos Anexos Proveitos

Leia mais

EVOLUÇÃO DOS INDICADORES DO PNS

EVOLUÇÃO DOS INDICADORES DO PNS EVOLUÇÃO DOS INDICADORES DO PNS 2004-2010 EVOLUÇÃO DOS INDICADORES DO PNS 2004-2010 DEZEMBRO 2010 ÍNDICE NASCER COM SAÚDE 4 CRESCER COM SEGURANÇA 6 UMA JUVENTUDE À PROCURA DE UM FUTURO SAUDÁVEL 7 INDICADORES

Leia mais

treinofutebol.net treinofutebol.net

treinofutebol.net treinofutebol.net Alimentação do Desportista A alimentação pode influenciar positiva ou negativamente o rendimento dum atleta, devendo consequentemente ser orientada no sentido de não só melhorar a sua capacidade desportiva,

Leia mais

PELA PRIMEIRA VEZ, DESDE QUE HÁ REGISTOS, HOUVE MENOS DE 90 MIL NADOS VIVOS

PELA PRIMEIRA VEZ, DESDE QUE HÁ REGISTOS, HOUVE MENOS DE 90 MIL NADOS VIVOS PELA PRIMEIRA VEZ, DESDE QUE HÁ REGISTOS, HOUVE MENOS DE 90 MIL NADOS VIVOS Pela primeira vez, desde que há registos, observaram-se menos de 90 mil nados vivos em Portugal. De facto, o número de nados

Leia mais

barómetro BARÓMETRO APAV/INTERCAMPUS #2 CRIMINALIDADE E INSEGURANÇA

barómetro BARÓMETRO APAV/INTERCAMPUS #2 CRIMINALIDADE E INSEGURANÇA barómetro BARÓMETRO APAV/INTERCAMPUS #2 CRIMINALIDADE E INSEGURANÇA Índice 2 11 Enquadramento 3 2 Amostra 7 3 Resultados 9 3 1 Enquadramento Objetivos 4 No âmbito da parceria entre a APAV e a INTERCAMPUS,

Leia mais

Quadro 1 Evolução anual do stock de empresas. Stock final

Quadro 1 Evolução anual do stock de empresas. Stock final Demografia de empresas, fluxos de emprego e mobilidade dos trabalhadores em Portugal ESTATÍSTICAS STICAS em síntese 2006 A informação que se divulga tem como suporte o Sistema de Informação Longitudinal

Leia mais

ANÁLISE DA MORTE VIOLENTA SEGUNDO RAÇA /COR

ANÁLISE DA MORTE VIOLENTA SEGUNDO RAÇA /COR 8 ANÁLISE DA MORTE VIOLENTA SEGUNDO RAÇA /COR Secretaria de Vigilância em Saúde/MS 435 ANÁLISE DA MORTE VIOLENTA SEGUNDO RAÇA/COR MORTALIDADE POR CAUSAS EXTERNAS Evolução da mortalidade por causas externas

Leia mais

CRECHE CRIANÇA FELIZ SETEMBRO - 2013. Quarta-feira 04/09. Leite c/ achocolatado, Cuca simples. Vitamina de Fruta (banana) Com aveia

CRECHE CRIANÇA FELIZ SETEMBRO - 2013. Quarta-feira 04/09. Leite c/ achocolatado, Cuca simples. Vitamina de Fruta (banana) Com aveia 1ªSemana 02/09 03/09 04/09 05/09 06/09,. Bolo de milho Pão integral com ado de cana Vitamina de (banana) Com aveia Salada de (Banana, Maçã, Mamão e Laranja) Biscoito Doce Polenta com molho de frango (desfiado),

Leia mais

Programa 5 ao Dia. Um Alimentação Saudável está nas nossas mãos.

Programa 5 ao Dia. Um Alimentação Saudável está nas nossas mãos. Programa 5 ao Dia Um Alimentação Saudável está nas nossas mãos. O que é o Programa 5 ao Dia? Enquadramento Conceito Objectivos e Destinatários Associação 5 ao Dia Desenvolvimento Enquadramento Mudança

Leia mais

Plano Nacional de Saúde 2012 2016. 6. Indicadores e Metas em Saúde. (Janeiro 2012)

Plano Nacional de Saúde 2012 2016. 6. Indicadores e Metas em Saúde. (Janeiro 2012) Plano Nacional de Saúde 2012 2016 6. Indicadores e Metas em Saúde (Janeiro 2012) Plano Nacional de Saúde 2012-2016 6. INDICADORES E METAS EM SAÚDE 6.1. CONCEITOS... 2 6.2. INDICADORES DO PNS 2012-2016...

Leia mais

Caracterização das práticas contraceptivas das mulheres em Portugal

Caracterização das práticas contraceptivas das mulheres em Portugal Caracterização das práticas contraceptivas das mulheres em Portugal Apresentação de resultados do estudo Porto, 8 de Março de 2005 Objectivos Objectivo principal O objectivo principal deste estudo é a

Leia mais

A diversificação não deve ser iniciada antes dos 4 meses nem depois dos 6 meses

A diversificação não deve ser iniciada antes dos 4 meses nem depois dos 6 meses Início da Diversificação A diversificação não deve ser iniciada antes dos 4 meses nem depois dos 6 meses Substituir uma refeição de leite por: Papa sem glúten ou sopa de legumes (antes dos 6 meses) Papa

Leia mais

Amadora Sintra ALIMENTAÇÃO

Amadora Sintra ALIMENTAÇÃO Amadora Sintra ALIMENTAÇÃO no 1º ano de vida INÍCIO DA DIVERSIFICAÇÃO A diversificação pode ser iniciada após os 4 meses. Substituir uma refeição de leite por: Papa sem glúten ou caldo de legumes (antes

Leia mais

ENVELHECER COM SABEDORIA Alimente-se melhor para Manter a sua Saúde e Independência

ENVELHECER COM SABEDORIA Alimente-se melhor para Manter a sua Saúde e Independência ENVELHECER COM SABEDORIA Alimente-se melhor para Manter a sua Saúde e Independência 1. ALIMENTE-SE MELHOR Prevê-se que em 2025 1, só na Europa, o grupo etário mais idoso (acima dos 80 anos), passe de 21,4

Leia mais

ALIMENTAÇÃO E PESO SAUDÁVEL

ALIMENTAÇÃO E PESO SAUDÁVEL Formação sobre Promoção de Estilos de Vida Saudáveis em Contexto Escolar, Familiar e Envolvente Julho de 2009 ALIMENTAÇÃO E PESO SAUDÁVEL TERESA SOFIA SANCHO Gabinete de Nutrição Departamento de Saúde

Leia mais

EMENTA DE OUTUBRO. Creme de espinafres Bifinhos com massinhas

EMENTA DE OUTUBRO. Creme de espinafres Bifinhos com massinhas 1 de agrião de atum Leite, palmier, fruta 2 Bifinhos com massinhas Iogurtes, pão de mistura c/manteiga ou queijo, fruta ) 5 Canja Frango com esparguete Leite, pão de mistura c/ manteiga ou fiambre, fruta

Leia mais

Enquadramento... 106. Princípios orientadores... 54 4.4 POLÍTICAS SAUDÁVEIS... 55. Introdução... 101. 4.4.3 Princípios orientadores...

Enquadramento... 106. Princípios orientadores... 54 4.4 POLÍTICAS SAUDÁVEIS... 55. Introdução... 101. 4.4.3 Princípios orientadores... ÍNDICE 1 PREÂMBULO... 2 2 PERFIL DE SAÚDE EM PORTUGAL... 4 2.1 DETERMINANTES DA SAÚDE... 4 2.1.1 2.1.2 Contexto Social... 4 Ambiente Físico... 6 2.1.3 2.1.4 Dimensões individuais... 7 Acesso a serviços

Leia mais

Anuários Estatísticos Regionais Informação estatística à escala regional e municipal

Anuários Estatísticos Regionais Informação estatística à escala regional e municipal Anuários Estatísticos Regionais 213 19 de dezembro de 214 Anuários Estatísticos Regionais Informação estatística à escala regional e municipal O INE divulga os Anuários Estatísticos Regionais, que constituem

Leia mais

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL ISABEL MARQUES DIETISTA DO SERVIÇO DE ALIMENTAÇÃO E DIETÉTICA DO CHTV, E.P.E. 30 DE NOVEMBRO DE 2011

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL ISABEL MARQUES DIETISTA DO SERVIÇO DE ALIMENTAÇÃO E DIETÉTICA DO CHTV, E.P.E. 30 DE NOVEMBRO DE 2011 ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL ISABEL MARQUES DIETISTA DO SERVIÇO DE ALIMENTAÇÃO E DIETÉTICA DO CHTV, E.P.E. 30 DE NOVEMBRO DE 2011 ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL Uma alimentação equilibrada proporciona uma quantidade correcta

Leia mais

Tensão Arterial e Obesidade na comunidade assídua do mercado municipal de Portalegre

Tensão Arterial e Obesidade na comunidade assídua do mercado municipal de Portalegre Tensão Arterial e Obesidade na comunidade assídua do mercado municipal de Portalegre Blood Pressure and Obesity in the adult population who goes to the municipal market in Portalegre Andreia Costa António

Leia mais

2013 4º Trimestre. Preços médios ao Balcão. Sumário Executivo

2013 4º Trimestre. Preços médios ao Balcão. Sumário Executivo Sumário Executivo Na presente informação, divulgam-se os preços médios de Aposento (b&b), Meia Pensão (h&b) e Pensão Completa (f&b) praticados ao balcão, no 4.º Trimestre de 2013, pelos hotéis e pousadas,

Leia mais

Determinantes de saúde

Determinantes de saúde 1ª Conferência do Inquérito Nacional de Saúde com Exame Físico: um olhar atento à saúde dos portugueses Determinantes de saúde Eugénio Cordeiro 1 J Santos 2, L Antunes 2,S Namorado 2, AJ Santos 2, I Kislaya

Leia mais

PERFIL DO ALUNO 2008/2009

PERFIL DO ALUNO 2008/2009 PERFIL DO ALUNO 2008/2009 FICHA TÉCNICA Título Perfil do Aluno 2008/2009 Autoria Gabinete de Estatística e Planeamento da Educação (GEPE) Direcção de Serviços de Estatística Edição Gabinete de Estatística

Leia mais

O âmbito geográfico deste estudo é Portugal continental e as regiões autónomas da Madeira e dos Açores. Saidas. Entradas. Mudanças de emprego

O âmbito geográfico deste estudo é Portugal continental e as regiões autónomas da Madeira e dos Açores. Saidas. Entradas. Mudanças de emprego Mobilidade dos Trabalhadores ESTATÍSTICAS STICAS em síntese O presente estudo baseia-se nas informações que integram a base do Sistema de Informação Longitudinal de Empresas, Estabelecimentos e Trabalhadores

Leia mais

Tenha a certeza que o seu evento sera único no NEYA Lisboa Hotel.

Tenha a certeza que o seu evento sera único no NEYA Lisboa Hotel. Menus de NATAL A Gastronomia Mediterrânica é caracterizada pelos seus benefícios, e por isso, os nossos MENUS são baseados em produtos matriz como o azeite, o peixe, as ervas, o pão, o vinho e os temperos

Leia mais

EMENTAS TIPO PARA SERVIÇOS

EMENTAS TIPO PARA SERVIÇOS EMENTAS TIPO PARA SERVIÇOS TABELA DE REFEIÇÕES DO VERNEY PARA SERVIÇOS BUFFET Ementa Jaime Cortesão (Buffet Entradas + Sopa+ 1 prato+ Buffet Sobremesas) 11,00 (*) Ementa Florbela Espanca (Buffet Entradas

Leia mais

A RODA DOS ALIMENTOS... um guia para a escolha alimentar diária! 1-3 3-5 2-3 1,5-4,5 1-2 3-5 4-11 COMA BEM, VIVA MELHOR! O QUE É UMA PORÇÃO?* POR DIA quantas são necessárias? ** Cereais e derivados, tubérculos

Leia mais

2ª feira 3ª feira 4ª feira 5ª feira 6ª feira. Legumes com frango Legumes com peixe Legumes com ovo Legumes com Perú ou vitela. Maça ou Pera cozidas

2ª feira 3ª feira 4ª feira 5ª feira 6ª feira. Legumes com frango Legumes com peixe Legumes com ovo Legumes com Perú ou vitela. Maça ou Pera cozidas Sobrenesa Sopa C E N T R O S O C I A L J E S U S M A R I A J O S É 2012-2013 Ementa da Creche 2ª feira 3ª feira 4ª feira 5ª feira 6ª feira Legumes com frango Legumes com peixe Legumes com ovo Legumes com

Leia mais

Pesquisa. Consumo de Frutas e Hortaliças

Pesquisa. Consumo de Frutas e Hortaliças Pesquisa Consumo de Frutas e Hortaliças Pesquisa Quantitativa Consumo de Frutas e Hortaliças Elaborado por CONNECTION RESEARCH Maio 2011 2 Objetivos da pesquisa. Estudar os hábitos alimentares da população

Leia mais

ANÁLISE DOS INQUÉRITOS SOBRE OS HÁBITOS ALIMENTARES

ANÁLISE DOS INQUÉRITOS SOBRE OS HÁBITOS ALIMENTARES ANÁLISE DOS INQUÉRITOS SOBRE OS HÁBITOS ALIMENTARES Os inquéritos foram realizados junto de alunos do 6º ano da Escola EB 2,3 de Matosinhos, durante o mês de Novembro de 24. Responderam ao inquérito 63

Leia mais

EMENTA SEMANAL 09-11-2015 a 13-11-2015

EMENTA SEMANAL 09-11-2015 a 13-11-2015 BERÇÁRIO Creme Batata, Cenoura, Abóbora Carne: Novilho Batata, Brócolos, Courgete Peixe: Pescada Carne: Frango Batata, Abóbora, Feijão-Verde Carne: Perú Batata, Courgete e Alho- Peixe: Pescada Carne :

Leia mais

Indicadores de Confiança...15

Indicadores de Confiança...15 1. MACROECONOMIA 1.1. Rendimento e Despesa Despesa Nacional a Preços Correntes...5 Despesa Nacional a Preços Constantes...6 PIB a preços correntes (Produto Interno Bruto)...7 PIB a preços constantes (Produto

Leia mais

Pesquisa Nacional de Saúde

Pesquisa Nacional de Saúde Diretoria de Pesquisas Coordenação de Trabalho e Rendimento Pesquisa Nacional de Saúde 21/08/15 Histórico INVESTIGAÇÃO DO TEMA SAÚDE... 1998 2003 2008 2013 PNAD Características da PNS Pesquisa Domiciliar

Leia mais

Cardápio Mensal Maio 2015

Cardápio Mensal Maio 2015 1ª Semana: 01 de Maio Cardápio Mensal 01/05 Almoço Sobremesa Jantar Sobremesa 2ª Semana: de 04 a 08 de Maio 04/05 Fruta Bisnaguinha 05/05 Esfirra de Carne 06/05 Laranja 07/05 Pão Fofinho 08/05 Melão com

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE ODIVELAS

CÂMARA MUNICIPAL DE ODIVELAS Semana I - De 09 a 13 de Abril de 2012 Pq Alm Leite simples e pão com queijo 193 11,5 5,9 23,3 Sopa Creme de courgete 147 3,9 5,3 20,5 Esparguete à bolonhesa 426 34 18,7 29,7 Lombardo em juliana 57 1.5

Leia mais

Balança alimentar portuguesa evidencia desequilíbrio da roda dos alimentos. Figura 1

Balança alimentar portuguesa evidencia desequilíbrio da roda dos alimentos. Figura 1 BALANÇA ALIMENTAR PORTUGUESA 14 de Dezembro de 26 - CONSUMO DE PROTEÍNAS E GORDURAS EM PORTUGAL É TRÊS VEZES SUPERIOR AO RECOMENDADO CONSUMO DE BEBIDAS ALCOÓLICAS DIMINUI 16% EM 14 ANOS E É ULTRAPASSADO

Leia mais

ISSN 0872-1114 ESTATÍSTICAS STICAS STICOS ELEMENTOS ESTATÍSTICOS INFORMAÇÃO GERAL SAÚDE DE / 2004 D I R E C Ç Ã O - G E R A L D A S A Ú D E

ISSN 0872-1114 ESTATÍSTICAS STICAS STICOS ELEMENTOS ESTATÍSTICOS INFORMAÇÃO GERAL SAÚDE DE / 2004 D I R E C Ç Ã O - G E R A L D A S A Ú D E ESTATÍSTICAS STICAS ISSN 0872-1114 ELEMENTOS ESTATÍSTICOS STICOS INFORMAÇÃO GERAL SAÚDE DE / 2004 D I R E C Ç Ã O - G E R A L D A S A Ú D E ESTATÍSTICAS STICAS ELEMENTOS ESTATÍSTICOS STICOS INFORMAÇÃO

Leia mais

A PIRÂMIDE QUE SEGUE ABAIXO É A BRASILEIRA, ADAPTADA POR SÔNIA TUCUNDUVA PHILIPPI AOS NOSSOS HÁBITOS ALIMENTARES.

A PIRÂMIDE QUE SEGUE ABAIXO É A BRASILEIRA, ADAPTADA POR SÔNIA TUCUNDUVA PHILIPPI AOS NOSSOS HÁBITOS ALIMENTARES. PARA SABERMOS COMO A ALIMENTAÇÃO DEVE SER EQUILIBRADA, PRECISAMOS CONHECER A PIRÂMIDE ALIMENTAR, QUE É A REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DOS ALIMENTOS E SUAS QUANTIDADES QUE DEVEM ESTAR PRESENTES EM NOSSA DIETA

Leia mais

Anexo A. Descrição e especificação dos tipos de dietas de refeições confeccionadas

Anexo A. Descrição e especificação dos tipos de dietas de refeições confeccionadas Anexo A Descrição e especificação dos tipos de dietas de refeições confeccionadas I) As dietas abaixo referidas deverão cumprir com as especificações do anexo B (Capitações máximas dos alimentos de refeições

Leia mais

Ementa Almoço (Creche - 2 anos / J.I. - 3 a 5 anos / A.T.L.)

Ementa Almoço (Creche - 2 anos / J.I. - 3 a 5 anos / A.T.L.) Segunda 01-06-2015 Piquenique 1,2,3,4,5,6,7,8,9,10,11,12,13,14 Terça 02-06-2015 Sopa Sopa de nabos 1,3,5,6,7,8,9,12 220 52 1,4 0,2 8,7 0,9 1,1 0,2 Ratatouille de frango com arroz branco 838 200 5,2 0,9

Leia mais

ELEMENTOS ESTATÍSTICOS

ELEMENTOS ESTATÍSTICOS ELEMENTOS ESTATÍSTICOS SAÚDE / 2009_2010 Portugal. Direcção-Geral da Saúde. Direção de Serviços de Informação e Análise Divisão de Epidemiologia e Estatística Elementos Estatísticos: Informação Geral:

Leia mais

Ementa Creche. Ementa Berçário

Ementa Creche. Ementa Berçário De 30 de novembro a 04 de dezembro de 2015 Sopa Creme de espinafres 109 Puré de alho francês 117 Canja com massinhas e hortelã 198 Feijão com hortaliça Creme de ervilhas 214 123 com coentros Strogonoff,

Leia mais

Perfil de Saúde e Seus Determinantes da Região de Lisboa e Vale do Tejo

Perfil de Saúde e Seus Determinantes da Região de Lisboa e Vale do Tejo Perfil de Saúde e Seus Determinantes António Tavares, Ph.D., M.D. Delegado de Saúde Regional de Lisboa e Vale do Tejo Diretor do da ARSLVT, IP Fevereiro NOTA METODOLÓGICA Enquadramento Organização para

Leia mais

4ª-feira DIA 1 Sopa de grão com legumes. Escalopes de peru estufados Massa tricolor Cenoura e couve roxa

4ª-feira DIA 1 Sopa de grão com legumes. Escalopes de peru estufados Massa tricolor Cenoura e couve roxa Semana de 29 de junho a 3 de julho de 2015 DIA 29 DIA 30 Sopa de feijão-verde Creme de courgette Pataniscas de e fiambre Arroz de feijão Peixe à lagareiro com batatas e brócolos DIA 1 Sopa de grão com

Leia mais

Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2013

Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2013 Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2013 38% DAS PESSOAS COM IDADE ENTRE 16 E 74 ANOS CONTACTAM COM ORGANISMOS

Leia mais

Relevância Clínica da Síndrome Metabólica nos Indivíduos Não Obesos

Relevância Clínica da Síndrome Metabólica nos Indivíduos Não Obesos CONGRESSO PORTUGUÊS DE CARDIOLOGIA Relevância Clínica da Síndrome Metabólica nos Indivíduos Não Obesos Susana Martins, Nuno Cortez-Dias, Adriana Belo*, Manuela Fiuza Serviço de Cardiologia - Hospital de

Leia mais

Santa Casa da Misericórdia de Mértola

Santa Casa da Misericórdia de Mértola De 26-30 Novembro de 2012 Alho francês(batata,cenoura,cebola,alho francês) e carne Alho francês Alho francês(batata,cenoura,cebola,alho francês) e peixe Filetes no forno com arroz de cenoura e salada de

Leia mais

Serviço Público Federal Conselho Regional de Corretores de Imóveis Estado de São Paulo

Serviço Público Federal Conselho Regional de Corretores de Imóveis Estado de São Paulo ANEXO VII PREGÃO PRESENCIAL Nº. 031/24 Termo de Referência 1. Objeto O presente Termo de Referência tem por finalidade a Contratação de Empresa para a locação de espaço para a realização de reuniões de

Leia mais