3 Sexta-Feira 23 de Março de 2007 Edição nº 3040 D.J. ESPÍRITO SANTO AMAGES TRIBUNAL DE JUSTIÇA ATOS E DESPACHOS DO PRESIDENTE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "3 Sexta-Feira 23 de Março de 2007 Edição nº 3040 D.J. ESPÍRITO SANTO AMAGES TRIBUNAL DE JUSTIÇA ATOS E DESPACHOS DO PRESIDENTE"

Transcrição

1 3 Sexta-Feira 23 de Março de 2007 Edição nº 3040 D.J. ESPÍRITO SANTO AMAGES NOTA DE DESAGRAVO A ASSOCIAÇÃO DOS MAGISTRADOS DO ESPÍRITO SANTO, no uso de suas atribuições estatutárias, vem pela presente externar sua irresignação em face das declarações propaladas pelo Excelentíssimo Prefeito do Município de Vitória, Sr. JOÃO CARLOS COSER, em matéria veiculada pelo JORNAL A GAZETA, no último domingo, dia 18 de Março de O Ilustríssimo Prefeito, em sua declaração, taxou de "incabível" e "um péssimo exemplo de cidadania" o fato de um Magistrado, morador do Município de Vitória, buscar pelos meios legais seu direito a discutir a cobrança de um imposto, cujo reajuste tem gerado enorme insatisfação no seio da sociedade capixaba. Causa estranheza o Chefe do Poder Executivo da Capital realizar tal comentário, em especial considerando-se que a Constituição Federal traz como um de seus fundamentos o princípio da isonomia. Há que se lembrar que a ocupação de um cargo público, independente de sua remuneração, não desnatura a cidadania de um indivíduo, ressaltando que esta se manifesta, justamente, na busca pela efetivação de seus direitos, assim como no combate às arbitrariedades eventualmente cometidas pela Administração. Ressalte-se, por fim, que a AMAGES, fiel aos valores do estado democrático de direito, possui o dever de intervir na defesa de seus associados, não sendo o escopo da presente nota a discussão acerca da legalidade dos reajustes dos valores de IPTU, a qual deverá ser empreendida na seara cabível. TRIBUNAL DE JUSTIÇA ATOS E DESPACHOS DO PRESIDENTE TRIBUNAL DE JUSTIÇA CONSELHO DA MAGISTRATURA RESOLUÇÃO Nº 001/2007 O Exmo. Sr. Desembargador JORGE GOES COUTINHO, Presidente do Egrégio Tribunal de Justiça do Estado do Espírito Santo, no uso de suas atribuições legais, tendo em vista decisão unânime do Egrégio Conselho Superior da Magistratura em sessão realizada nesta data, TRIBUNAL DE JUSTIÇA ATO ESPECIAL ASSINADO PELO EXCELENTÍSSIMO SENHOR DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA. ATO E Nº 264/ TORNAR SEM EFEITO, o Ato E nº 345/03, publicado no "DJ" de 10/06/2003, que considerou licenciada a Exmª. Srª. Drª. ROSALVA NOGUEIRA SANTOS por 04 (quatro) dias, para tratamento de saúde, a partir de 26/05/03, tendo em vista a existência de ato anterior. P U B L I Q U E - S E Vitória, 21 de março de Desembargador JORGE GOES COUTINHO Presidente ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA ATO ESPECIAL ASSINADO PELO EXCELENTÍSSIMO SENHOR DESEMBARGADOR PRESIDENTE DESTE EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA. ATO E Nº 265/ CONCEDER à Exmª. Srª. Drª. JANETE PANTALEÃO ALVES, MM. Juíza de Direito da 2ª Vara Especializada da Infância e da Juventude do Juízo da Serra, Comarca da Capital, de Entrância Especial, 30 (trinta) dias de férias, relativas ao primeiro semestre de 2007, a partir de 07/05/2007. P U B L I Q U E - S E Vitória, 22 de março de 2007 Desembargador JORGE GOES COUTINHO Presidente -*********-- TRIBUNAL DE JUSTIÇA DIRETORIA JUDICIÁRIA ADMINISTRATIVA ATOS ASSINADOS PELO EXCELENTÍSSIMO SENHOR DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO. ATO Nº 188/07 - NOMEAR a Sra. KÁTIA SÁ FORTES para o exercício do cargo em comissão de Assessor Judiciário deste Egrégio Tribunal de Justiça, a partir de 16/03/07. RESOLVE: CONVOCAR a Exmª Senhora Drª DÉIA ADRIANA DUTRA BRAGANÇA para compor a 4ª Turma Recursal dos Juizados Especiais, ficando a mesma assim constituída: Quarta Turma - Região Sul - Cachoeiro de Itapemirim Presidente: Juiz MANOEL CRUZ DOVAL Membro: Juíza DÉIA ADRIANA DUTRA BRAGANÇA Membro: Juíza LÍGIA SARTO MÜLLER PUBLIQUE-SE Vitória, 19 de março de 2007 DES. JORGE GOES COUTINHO PRESIDENTE ATO Nº 189/07 - EXONERAR a pedido a Sra. CRISTIANY ALVES DE OLIVEIRA do exercício do cargo em comissão de Assessor de Juiz de Direito de 1º Grau, lotada no 1º Juizado Especial Cível do Juízo de Viana, Comarca da Capital, de Entrância Especial, a partir de 12/03/07. ATO Nº 190/07 - NOMEAR o Sr. ROBERT URSINI DOS SANTOS para o exercício do cargo em comissão de Assessor de Juiz de Direito de 1º Grau, lotado no 1º Juizado Especial Cível do Juízo de Viana, Comarca da Capital, de Entrância Especial. ATO Nº 191/07 - EXONERAR a pedido o Sr. FABRÍCIO LOMAR VIANA do exercício do cargo em comissão de Assessor de Juiz de Direito de 1º Grau, lotado na 2ª Vara Criminal da Comarca de Cachoeiro de Itapemirim, de 3ª Entrância, por ter assumido outro cargo público, a partir de 12/03/07. ATO Nº 192/07 - NOMEAR a Sra. PATRÍCIA FREITAS VELASCO FASSARELLA para o exercício do cargo em comissão de Assessor de Juiz de Direito de 1º Grau, lotada na 2ª Vara Criminal da Comarca de Cachoeiro de Itapemirim, de 3ª Entrância, a partir de 12/03/07.

2 4 Sexta-Feira 23 de Março de 2007 Edição nº 3040 D.J. ESPÍRITO SANTO P U B L I Q U E - S E Vitória-ES, 21 de março de Desembargador JORGE GOES COUTINHO Presidente TRIBUNAL DE JUSTIÇA DIRETORIA JUDICIÁRIA ADMINISTRATIVA ATO Nº 193/07 O EXMº SR. DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, USANDO DE ATRIBUIÇÃO LEGAL E CUMPRINDO DETERMINAÇÃO DEFERIDA NOS AUTOS DO MANDADO DE SEGURANÇA Nº RESOLVE: NOMEAR o Sr. PEDRO PAULO CARVALHO MARTINS, habilitado em concurso público, para exercer o cargo efetivo de Agente de Serviços Função Serviços Gerais, deste Egrégio Tribunal de Justiça (inscrição nº 23832). P U B L I Q U E - SE Vitória-ES, 21 de março de Desembargador JORGE GOES COUTINHO Presidente TRIBUNAL DE JUSTIÇA DIRETORIA JUDICIÁRIA ADMINISTRATIVA ATO Nº 194/07 O EXMº SR. DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, USANDO DE ATRIBUIÇÃO LEGAL E CUMPRINDO DETERMINAÇÃO DEFERIDA NO PROCESSO Nº DO EGRÉGIO CONSELHO DA MAGISTRATURA. RESOLVE: PERMUTAR entre si, a Sra. THEREZA CHRISTINA DAVID GUIMARÃES, Secretária de Gabinete da Comarca de Marataízes, de 3ª Entrância e a Srª. DIANA BERNARDES ROCHA, Secretária de Gabinete do Juízo de Vila Velha, Comarca da Capital, de Entrância Especial. ATO ASSINADO PELO EXCELENTÍSSIMO SENHOR DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO. ATO Nº 195/07 - CESSAR OS EFEITOS, a partir de 05/03/07, do ato nº 886/04, publicado no DJ de 26/05/04, que designou a Sra. MARGARETH SEIBEL, para responder pela titularidade do Cartório do Registro Civil e Tabelionato da Sede, Comarca de Laranja da Terra, de 1ª Entrância. P U B L I Q U E - S E Vitória-ES, 21 de março de Desembargador JORGE GOES COUTINHO Presidente ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DIRETORIA JUDICIÁRIA ADMINISTRATIVA ATO ASSINADO PELO EXCELENTÍSSIMO SENHOR DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO. ATO Nº 196/07 - CESSAR OS EFEITOS, do ato nº 710/93, publicado no DJ de 14/07/93, que designou a Sra. ELIADE TAMANINI DA COSTA, para responder, temporariamente, nos termos do art.61 do Regimento Interno do Tribunal de Justiça, pelo Cartório de Registro Civil e Tabelionato do Distrito de São Jorge de Tiradentes, município da Comarca Rio Bananal, de 1ª Entrância. P U B L I Q U E - S E Vitória-ES, 21 de março de Desembargador JORGE GOES COUTINHO Presidente ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DIRETORIA JUDICIÁRIA ADMINISTRATIVA ATO ASSINADO PELO EXMº SR. DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO. ATO Nº 197/07 - CESSAR OS EFEITOS do ato nº 66/07 publicado no DJ de 14/02/07, que designou a Sra. MARIA DA PENHA LETAIF, Escrevente Juramentado, matrícula nº , para o exercício da função gratificada de Chefe de Secretaria da 5ª Vara Cível do Juízo da Serra, Comarca da Capital, de Entrância Especial, a partir de 12/02/07. Vitória-ES, 22 de março de DESEMBARGADOR JORGE GOES COUTINHO PRESIDENTE P U B L I Q U E - SE Vitória-ES, 21 de março de Desembargador JORGE GOES COUTINHO Presidente -*********- ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DIRETORIA JUDICIÁRIA ADMINISTRATIVA -**************- -************- -************- ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DIRETORIA JUDICIÁRIA ADMINISTRATIVA ATO ASSINADO PELO EXCELENTÍSSIMO SENHOR DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO. ATO Nº 198/07 - NOMEAR o Sr. TÉRCIO JOSÉ VIEIRA FRITTOLI RANGEL para o exercício do cargo em comissão de Assessor de Nível Superior para Assuntos Jurídicos deste Egrégio Tribunal de Justiça. P U B L I Q U E - S E Vitória-ES, 22 de março de Desembargador JORGE GOES COUTINHO Presidente

3 5 Sexta-Feira 23 de Março de 2007 Edição nº 3040 D.J. ESPÍRITO SANTO ATOS E DESPACHOS DO DIRETOR-GERAL TRIBUNAL DE JUSTIÇA DIRETORIA JUDICIÁRIA ADMINISTRATIVA ATOS ADMINISTRATIVOS ASSINADOS PELO ILUSTRÍSSIMO SENHOR DIRETOR-GERAL DA SECRETARIA DESTE EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA. ATO A Nº 114/07 - PRORROGAR a licença médica para tratamento de saúde, do Sr. DEJAIR GOMES HARTUIG, Agente Judiciário Função Segurança deste Egrégio Tribunal de Justiça, por 15 (quinze) dias a partir de 09/03/07, na forma do art. 129 da Lei Complementar nº 46/94. ATO A Nº 115/07 - CONSIDERAR LICENCIADA para tratamento de saúde, a Sra. MARIA DA PENHA PINTO DA SILVA, Técnico Judiciário Função Bibliotecário deste Egrégio Tribunal de Justiça, no dia 26/02/07, na forma do art. 129 da Lei Complementar nº 46/94. ATO A Nº 116/07 - CONSIDERAR LICENCIADA para acompanhar pessoa da família, a Sra. SÔNIA MARA ZIMMER CORRÊA, Técnico Judiciário Função Taquígrafo do Judiciário deste Egrégio Tribunal de Justiça, no dia 02/03/07, na forma do art. 142 da Lei Complementar nº 46/94. ATO A Nº 117/07 - CONSIDERAR LICENCIADA para tratamento de saúde, a Sra. MARCIA CONCEIÇÃO FERREIRA, Assessor de Nível Superior de Gabinete deste Egrégio Tribunal de Justiça, por 07 (sete) dias a partir de 12/03/07, na forma do art. 129 da Lei Complementar nº 46/94. P U B L I Q U E - SE Vitória-ES, 20 de março de JOSÉ DAS GRAÇAS PEREIRA DIRETOR-GERAL ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DIRETORIA JUDICIÁRIA ADMINISTRATIVA ATOS ADMINISTRATIVOS ASSINADOS PELO ILUSTRÍSSIMO SENHOR DIRETOR-GERAL DA SECRETARIA DESTE EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA. ATO A Nº 118/07 - CONSIDERAR LICENCIADA para tratamento de saúde, a Sra. SIMONE FRAGA SALES DE SOUZA, Agente Judiciário Função Administrativa deste Egrégio Tribunal de Justiça, no dia 12/03/07, na forma do art. 129 da Lei Complementar nº 46/94. ATO A Nº 119/07 - CONSIDERAR LICENCIADA para tratamento de saúde, a Sra. MERCEDES SIQUEIRA GUILHERME, Servidor Estável deste Egrégio Tribunal de Justiça, no dia 15/03/07, na forma do art. 129 da Lei Complementar nº 46/94. ATO A Nº 120/07 - CONSIDERAR LICENCIADO para tratamento de saúde, o Sr. WLISSES DE LUCENA, Agente de Serviços Função Comunicação deste Egrégio Tribunal de Justiça, nos dias 15/03/07 e 16/03/07, na forma do art. 129 da Lei Complementar nº 46/94. ATO A Nº 121/07 - CONSIDERAR LICENCIADO para tratamento de saúde, o Sr. ARTHUR SIMÕES MONTEIRO, Assessor Judiciário deste Egrégio Tribunal de Justiça, por 15 (quinze) dias a partir de 15/03/07, na forma do art. 129 da Lei Complementar nº 46/94. ATO A Nº 123/07 - CONSIDERAR LICENCIADO para tratamento de saúde, o Sr. ROBSON ANTONIO CITTY, Agente Judiciário Função Administrativa deste Egrégio Tribunal de Justiça, por 12 (doze) dias a partir de 06/03/07, na forma do art. 129 da Lei Complementar nº 46/94. P U B L I Q U E - SE Vitória-ES, 21 de março de JOSÉ DAS GRAÇAS PEREIRA DIRETOR-GERAL -***********- TRIBUNAL DE JUSTIÇA DIRETORIA JUDICIÁRIA ADMINISTRATIVA ERRATA ASSINADA PELO ILUSTRÍSSIMO SENHOR DIRETOR-GERAL DA SECRETARIA DESTE EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA. E R R A T A : Na redação do ato A nº 586/06, publicado no DJ de 14/12/06, Republicado no DJ de 19/12/06 e Errata publicada no DJ de 26/12/06, referente a escala de férias do exercício de 2007 dos servidores da Secretaria do Egrégio Tribunal de Justiça, no que diz respeito ao servidor THIAGO ALBANI OLIVEIRA : ONDE SE LÊ: abril. LEIA-SE: março. P U B L I Q U E - SE Vitória-ES, 21 de março de JOSÉ DAS GRAÇAS PEREIRA DIRETOR - GERAL COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINETE DA PRESIDÊNCIA AVISO DE RESULTADO DE JULGAMENTO DE LICITAÇÃO EDITAL DE PREGÃO Nº 003/07 PROCESSO Nº TJ - 160/07 OBJETO: AQUISIÇÃO DE LUMINÁRIAS DE EMBUTIR PARA ATENDER A DIRETORIA JUDICIÁRIA DE ZELADORIA E MANUTENÇÃO. O PRESIDENTE DO EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, NO USO DE SUAS ATRIBUIÇÕES LEGAIS, HOMOLOGA, NA CONFORMIDADE DO DISPOSTO NO INCISO XXII DO ART. 4º DA LEI /02, O RESULTADO DO PREGÃO DE QUE TRATAM OS AUTOS DO PROCESSO EM REFERÊNCIA, EM QUE O OBJETO DE SEUS ITENS FOI ADJUDICADO PELA PREGOEIRA À SEGUINTE LICITANTE VENCEDORA: ITEM 1 - ELETRODUTO COMERCIAL LTDA, PELO VALOR TOTAL DE ,00 (DOZE MIL E SETECENTOS REAIS). ITEM 2 - DIRETA DISTRIBUIDORA LTDA, PELO VALOR TOTAL DE 5.600,00 (CINCO MIL E SEISCENTOS REAIS). ATO A Nº 122/07 - CONSIDERAR LICENCIADO para tratamento de saúde, o Sr. CLÉSIO XAVIER DA SILVA, Agente Judiciário Função Segurança deste Egrégio Tribunal de Justiça, por 15 (quinze) dias a partir de 15/03/07, na forma do art. 129 da Lei Complementar nº 46/94. VITÓRIA/ES, 15 DE MARÇO DE DES. JORGE GOES COUTINHO PRESIDENTE

4 6 Sexta-Feira 23 de Março de 2007 Edição nº 3040 D.J. ESPÍRITO SANTO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINETE DA PRESIDÊNCIA AVISO DE RESULTADO DE JULGAMENTO DE LICITAÇÃO EDITAL DE PREGÃO Nº 011/07 PROCESSO Nº TJ - 215/07 FUNEPJ 011 OBJETO: FORNECIMENTO E INSTALAÇÃO DE PISO LAMINADO E DIVISÓRIAS PARA A CORREGEDORIA DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA, COM RETIRADA E RECOLOCAÇÃO DAS DIVISÓRIAS EXISTENTES. O PRESIDENTE DO EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, NO USO DE SUAS ATRIBUIÇÕES LEGAIS, HOMOLOGA, NA CONFORMIDADE DO DISPOSTO NO INCISO XXII DO ART. 4º DA LEI /02, O RESULTADO DO PREGÃO DE QUE TRATAM OS AUTOS DO PROCESSO EM REFERÊNCIA, EM QUE O OBJETO DE SEU LOTE FOI ADJUDICADO PELA PREGOEIRA À SEGUINTE LICITANTE VENCEDORA: LOTE ÚNICO - JC DIVISÓRIAS-COMÉRCIO E DECORAÇÃO LTDA., PELO VALOR TOTAL DE R$ ,00 (SESSENTA E TRÊS MIL REAIS E QUATROCENTOS CENTAVOS). VITÓRIA/ES, 14 DE MARÇO DE DES. JORGE GOES COUTINHO PRESIDENTE TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINETE DA PRESIDÊNCIA AVISO DE RESULTADO DE JULGAMENTO DE LICITAÇÃO EDITAL DE PREGÃO Nº 012/07 PROCESSO Nº TJ - 054/07 OBJETO: AQUISIÇÃO DE 20 (VINTE) COLETES À PROVA DE BALAS PARA ATENDER ÀS NECESSIDADES DA DIRETORIA JUDICIÁRIA DE SEGURANÇA. O PRESIDENTE DO EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, NO USO DE SUAS ATRIBUIÇÕES LEGAIS, HOMOLOGA, NA CONFORMIDADE DO DISPOSTO NO INCISO XXII DO ART. 4º DA LEI /02, O RESULTADO DO PREGÃO DE QUE TRATAM OS AUTOS DO PROCESSO EM REFERÊNCIA, EM QUE O OBJETO DE SEU LOTE FOI ADJUDICADO PELA PREGOEIRA À SEGUINTE LICITANTE VENCEDORA: LOTE 1 - COMPANHIA BRASILEIRA DE CARTUCHOS, PELO VALOR TOTAL DE R$ ,00 (DEZESSEIS MIL, QUATROCENTOS E NOVENTA REAIS). VITÓRIA/ES, 14 DE MARÇO DE DES. JORGE GOES COUTINHO PRESIDENTE TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINETE DA PRESIDÊNCIA AVISO DE RESULTADO DE JULGAMENTO DE LICITAÇÃO EDITAL DE PREGÃO Nº 013/07 PROCESSO Nº TJ /06 OBJETO: CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA FORNECIMENTO PARCELADO DE PNEUS, COM INSTALAÇÃO, FORNECIMENTO DE NOVAS VÁLVULAS, BALANCEAMENTO DAS RODAS E ALINHAMENTO DA DIREÇÃO DOS VEÍCULOS DA FROTA DO TJES. O PRESIDENTE DO EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, NO USO DE SUAS ATRIBUIÇÕES LEGAIS, HOMOLOGA, NA CONFORMIDADE DO DISPOSTO NO INCISO XXII DO ART. 4º DA LEI /02, O RESULTADO DO PREGÃO DE QUE TRATAM OS AUTOS DO PROCESSO EM REFERÊNCIA, EM QUE O OBJETO DE SEU LOTE FOI ADJUDICADO PELA PREGOEIRA À SEGUINTE LICITANTE VENCEDORA: LOTE ÚNICO - RECAUCHUTADORA COLATINENSE S/A, PELO VALOR TOTAL DE R$ ,00 (VINTE E HUM MIL E QUINHENTOS REAIS). VITÓRIA/ES, 14 DE MARÇO DE DES. JORGE GOES COUTINHO PRESIDENTE TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINETE DA PRESIDÊNCIA AVISO DE RESULTADO DE JULGAMENTO DE LICITAÇÃO EDITAL DE PREGÃO Nº 014/07 PROCESSO Nº TJ - 055/07 OBJETO: AQUISIÇÃO DE 200 (DUZENTOS) GRAMPEADORES SEMI-INDUSTRIAIS PARA ATENDER A DIRETORIA JUDICIÁRIA DE PATRIMÔNIO. O PRESIDENTE DO EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, NO USO DE SUAS ATRIBUIÇÕES LEGAIS, HOMOLOGA, NA CONFORMIDADE DO DISPOSTO NO INCISO XXII DO ART. 4º DA LEI /02, O RESULTADO DO PREGÃO DE QUE TRATAM OS AUTOS DO PROCESSO EM REFERÊNCIA, EM QUE O OBJETO DE SEU ITEM ÚNICO FOI ADJUDICADO PELA PREGOEIRA À SEGUINTE LICITANTE VENCEDORA: ITEM ÚNICO - ATACADO SÃO PAULO LTDA, PELO VALOR TOTAL DE 7.740,00 (SETE MIL E SETECENTOS E QUARENTA REAIS). VITÓRIA/ES, 15 DE MARÇO DE DES. JORGE GOES COUTINHO PRESIDENTE TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINETE DA PRESIDÊNCIA AVISO DE RESULTADO DE JULGAMENTO DE LICITAÇÃO EDITAL DE PREGÃO Nº 015/07 PROCESSO Nº TJ - 216/07 FUNEPJ 013 OBJETO: AQUISIÇÃO DE TONER ORIGINAL PARA IMPRESSORA LASER LEXMARK E232 E E332N PARA ATENDER AS NECESSIDADES DO ALMOXARIFADO DO TJES. O PRESIDENTE DO EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, NO USO DE SUAS ATRIBUIÇÕES LEGAIS, HOMOLOGA, NA CONFORMIDADE DO DISPOSTO NO INCISO XXII DO ART. 4º DA LEI /02, O RESULTADO DO PREGÃO DE QUE

5 7 Sexta-Feira 23 de Março de 2007 Edição nº 3040 D.J. ESPÍRITO SANTO TRATAM OS AUTOS DO PROCESSO EM REFERÊNCIA, EM QUE O OBJETO DE SEU LOTE FOI ADJUDICADO PELA PREGOEIRA À SEGUINTE LICITANTE VENCEDORA: - LOTE ÚNICO - ITENS 01 - VS DATA COMERCIAL DE INFORMÁTICA LTDA., PELO VALOR DE R$ ,00 (QUATROCENTOS E DOZE MIL E CEM REAIS). - LOTE ÚNICO - ITEM 02 - PORT PAPELARIA ESCRITÓRIO E INFORMÁTICA LTDA., PELO VALOR TOTAL DE R$ ,00 (QUATROCENTOS E QUARENTA E DOIS MIL REAIS, NOVECENTOS E QUARENTA REAIS). VITÓRIA/ES, 19 DE MARÇO DE DES. JORGE GOES COUTINHO PRESIDENTE TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINETE DA PRESIDÊNCIA AVISO DE RESULTADO DE JULGAMENTO DE LICITAÇÃO EDITAL DE PREGÃO Nº 016/07 PROCESSO Nº TJ - 215/07 FUNEPJ 014 OBJETO:AQUISIÇÃO DE MATERIAIS PERMANENTES - ELETROELETRÔNICOS - COM INSTALAÇÃO DE AR CONDICIONADO DE JANELA. O PRESIDENTE DO EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, NO USO DE SUAS ATRIBUIÇÕES LEGAIS, HOMOLOGA, NA CONFORMIDADE DO DISPOSTO NO INCISO XXII DO ART. 4º DA LEI /02, O RESULTADO DO PREGÃO DE QUE TRATAM OS AUTOS DO PROCESSO EM REFERÊNCIA, EM QUE O OBJETO DE SEUS LOTES FOI ADJUDICADO PELA PREGOEIRA ÀS SEGUINTES LICITANTES VENCEDORAS: - LOTE 01 E 02 - DIRETA DISTRIBUIDORA LTDA., PELO VALOR GLOBAL DE R$ ,00 (VINTE E OITO MIL E SEISCENTOS E DEZ REAIS), SENDO O LOTE 01 PELO VALOR DE R$ ,00 (VINTE E TRÊS MIL QUINHENTOS E DEZ REAIS) E O LOTE 02 NO VALOR DE R$ 5.100,00 (CINCO MIL E CEM REAIS). - LOTE 03, 06, 07 E 12 - REIFASA COMERCIAL LTDA., PELO VALOR GLOBAL DE R$ ,00 (SETENTA E CINCO MIL, OITOCENTOS E TRINTA REAIS), SENDO O LOTE 03 PELO VALOR DE R$ 9.640,00 (NOVE MIL SEISCENTOS E QUARENTA REAIS), O LOTE 06 PELO VALOR DE R$ ,00 (TREZE MIL DUZENTOS E CINQUENTA REAIS), O LOTE 07 PELO VALOR DE R$ 1.100,00 (HUM MIL E CEM REAIS), E O LOTE 12 PELO VALOR DE R$ ,00 (CINQÜENTA E UM MIL, OITOCENTOS E QUARENTA REAIS). - LOTE 04 - ATA COMÉRCIO E SERVIÇOS LTDA., PELO VALOR TOTAL DE R$ ,00 (SESSENTA E NOVE MIL E NOVECENTOS). - LOTE 05 - UNISERVICE COMÉRCIO, SERVIÇOS EM REFRIGERAÇÃO LTDA., PELO VALOR DE R$ ,00 (CINQÜENTA MIL E OITOCENTOS REAIS). -LOTE 08 - AUSÂNIA APARECIDA DA SILVA REQUINTE MÓVEIS ME/MEE, PELO VALOR DE R$ 6.196,00 (SEIS MIL, CENTO E NOVENTA E SEIS REAIS). -LOTE 09 - SODIGABY COMÉRCIO, LOCAÇÃO E TRANSPORTE LTDA., PELO VALOR DE R$ 133,00 (CENTO E TRINTA E TRÊS REAIS) -LOTES 10 E 11 - EBALMAQ COMÉRCIO E INFORMÁTICA LTDA., PELO VALOR GLOBAL DE R$ 4.896,00 (QUATRO MIL, OITOCENTOS E NOVENTA E SEIS REAIS), SENDO O LOTE 10 PELO VALOR DE R$ 2.170,00 (DOIS MIL, CENTO E SETENTA REAIS) E O LOTE 11 PELO VALOR DE R$ 2.760,00 (DOIS MIL SETECENTOS E SESSENTA REAIS.) VITÓRIA/ES, 19 DE MARÇO DE DES. JORGE GOES COUTINHO PRESIDENTE SECRETARIA DO PLENO INTIMO PODER JUDICIÁRIO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO TRIBUNAL DE JUSTIÇA TRIBUNAL PLENO INTIMAÇÕES 1 NO PROCESSO Nº EMBARGOS DE DECLARAÇÃO MAND SEGURANÇA A MESTIÇA MAGAZIN LTDA., ONDE É EMBARGADO POR SEUS ADVS. DRS ES ROGERIO ALVES MOTTA PARA TOMAR CIÊNCIA DO R. DESPACHO/DECISÃO DO DESEMB. RELATOR DE FLS NO PROCESSO Nº EXCEÇÃO DE SUSPEIÇÃO SOCIEDADE EDUCACIONAL NUNES PRACA LTDA., ONDE É EXCEPTANTE POR SEUS ADVS. DRS ES GEDAIAS FREIRE DA COSTA 6445 ES ROBERTO GARCIA MERÇON PARA TOMAR CIÊNCIA DO R. DESPACHO/DECISÃO DO DESEMB. RELATOR DE FLS. 17, NO PRAZO DE 05 (CINCO) DIAS. 3 NO PROCESSO Nº MANDADO DE SEGURANÇA PRIMO SCHINCARIOL INDUSTRIA CERVEJAS REFRIG NORTENORDESTE SA, ONDE É REQUERENTE POR SEUS ADVS. DRS SP GUSTAVO ALMEIDA E DIAS DE SOUZA ES DANIELA BERNARDINA BORGES PARA TOMAR CIÊNCIA DO R. DESPACHO/DECISÃO DO DESEMB. RELATOR E OUTROS.DE FLS NO PROCESSO Nº MANDADO DE SEGURANÇA F G N (MENOR IMPUBERE), ONDE É REQUERENTE POR SEUS ADVS. DRS ES DAVID MARLON OLIVEIRA PASSOS FABIANA GRIGIO PASSAMAI, ONDE É REQUERENTE POR SEU ADV. DR ES DAVID MARLON OLIVEIRA PASSOS PARA TOMAR CIÊNCIA DO R. DESPACHO/DECISÃO DO DESEMB. RELATOR DE FLS. 27/28, NO PRAZO DE 10 (DEZ) DIAS. VITÓRIA, 21 DE MARCO DE 2007 LUCIENE VERVLOET FEU ROSA SECRETÁRIA DE CÂMARA TRIBUNAL DE JUSTIÇA SECRETARIA DO PLENO ERRATA DE INTIMAÇÃO PUBLICADA NO DIÁRIO DA JUSTIÇA DO DIA 13 DE MARÇO DE ONDE SE LÊ: NO PROCESSO Nº MANDADO DE SEGURANÇA LUIZ GONZAGA VALENTE,, ONDE É REQUERENTE POR SEUS ADVS. DRS ES GERALDO ELIAS BRUM PARA OS TOMAR CIÊNCIA DO R. DECISÃO DO DESEMB. VICE-PRESIDENTE DE FLS. 395/396.

6 8 Sexta-Feira 23 de Março de 2007 Edição nº 3040 D.J. ESPÍRITO SANTO LEIA-SE: NO PROCESSO Nº MANDADO DE SEGURANÇA LUIZ GONZAGA VALENTE,, ONDE É REQUERENTE POR SEUS ADVS. DRS ES SETEMBRINO PELISSARI PARA OS TOMAR CIÊNCIA DO R. DECISÃO DO DESEMB. VICE-PRESIDENTE DE FLS. 395/396. VITÓRIA, 20 DE MARÇO DE LUCIENE VERVLOET FEU ROSA SECRETÁRIA DE CÂMARA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL TRIBUNAL DE JUSTIÇA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL CONCLUSÃO DE ACÓRDÃOS PARA EFEITO DE RECURSO OU TRÂNSITO EM JULGADO. 1 AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº CACH ITAPEMIRIM - 2ª VARA DE FAMÍLIA AGVTE.: RICARDO DE AMORIM PORTES ADVOGADO(A): ANA PAULA PROTZNER MORBECK ADVOGADO(A): ROWENA FERREIRA TOVAR AGVDO.: R A F P (MENOR IMPUBERE) ADVOGADO(A): ERICA CARVALHO LEAL ADVOGADO(A): FLAVIA MIRANDA OLEARE ADVOGADO(A): LORENA BOTELHO DE ANDRADE ADVOGADO(A): LUCIANO RODRIGUES MACHADO AGVDO.: R A F P (MENOR IMPUBERE) ADVOGADO(A): ERICA CARVALHO LEAL ADVOGADO(A): FLAVIA MIRANDA OLEARE ADVOGADO(A): LORENA BOTELHO DE ANDRADE ADVOGADO(A): LUCIANO RODRIGUES MACHADO AGVDO.: RENATA ANDRADE FRANCA ADVOGADO(A): ERICA CARVALHO LEAL ADVOGADO(A): FLAVIA MIRANDA OLEARE ADVOGADO(A): LORENA BOTELHO DE ANDRADE ADVOGADO(A): LUCIANO RODRIGUES MACHADORELATOR: SUBS.: DAIR JOSÉ BREGUNCE DE OLIVEIRA JULGADO EM 30/01/2007 E LIDO EM 13/03/2007 PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº AGTE: RICARDO DE AMORIM PORTES AGDO: R A F P E R A F P RELATOR: DES. SUBS. DAIR JOSÉ B. DE OLIVEIRA ACÓRDÃO AGRAVO DE INSTRUMENTO - AÇÃO DE MODIFICAÇÃO DE CLÁUSULA DE ALIMENTOS - TUTELA ANTECIPADA - FIXAÇÃO DE ALIMENTOS EM 10 (DEZ) SALÁRIOS MÍNIMOS - RAZOABILIDADE - RECURSO CONHECIDO E IMPROVIDO. 1. CONSIDERANDO AS ESPECIFICIDADES DO CASO CONCRETO, REVELA-SE RAZOÁVEL E DE BOM SENSO A FIXAÇÃO DE ALIMENTOS PROVISÓRIOS EM 10 (DEZ) SALÁRIOS MÍNIMOS. DECISÃO MANTIDA; 2. RECURSO CONHECIDO E IMPROVIDO VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS OS PRESENTES AUTOS, EM QUE SÃO PARTES OS ACIMA MENCIONADOS. ACORDA A EGRÉGIA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL, NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, À UNANIMIDADE, CONHECER E NEGAR PROVIMENTO AO RECURSO, NOS TERMOS DO VOTO DO REALTOR. VITÓRIA, 30 DE JANEIRO DE RELATOR PRESIDENTE PROCURADOR DE JUSTIÇA CONCLUSÃO: ACORDA A EGRÉGIA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE, CONHECER E NEGAR PROVIMENTO AO RECURSO, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR. 2 AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº VITÓRIA - 1ª VARA DA FAZENDA PÚBLICA ESTADUAL AGVTE.: ESTADO DO ESPÍRITO SANTO ADVOGADO(A): LEONARDO GUSTAVO PASTORE DYNA AGVDO.: COMERCIAL AUTOVIDROS LTDA ADVOGADO(A): SEBASTIAO GUALTEMAR SOARES ADVOGADO(A): VALERIO RODRIGUES NUNES CRUZRELATOR: SUBS.: DAIR JOSÉ BREGUNCE DE OLIVEIRA JULGADO EM 06/02/2007 E LIDO EM 13/03/2007 ÌPRIMEIRA CÂMARA CÍVEL AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº AGTE: ESTADO DO ESPÍRITO SANTO AGDOS: COMERCIAL AUTOVIDROS LTDA RELATOR: DES. SUBS. DAIR JOSÉ B. DE OLIVEIRA ACÓRDÃO AGRAVO DE INSTRUMENTO - PROCESSO CIVIL E TRIBUTÁRIO - OFERECIMENTO DE CAUÇÃO - DÉBITO VENCIDO MAS NÃO EXECUTADO - OBTENÇÃO DE CERTIDÃO POSITIVA COM EFEITO DE NEGATIVA - POSSIBILIDADE - RECURSO CONHECIDO E IMPROVIDO. 1. "É POSSÍVEL AO CONTRIBUINTE, APÓS O VENCIMENTO DA SUA OBRIGAÇÃO E ANTES DA EXECUÇÃO, GARANTIR O JUÍZO DE FORMA ANTECIPADA, PARA O FIM DE OBTER CERTIDÃO POSITIVA COM EFEITO NEGATIVO". (ERESP /RS). 2. RECURSO CONHECIDO E IMPROVIDO. VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS OS PRESENTES AUTOS, EM QUE SÃO PARTES OS ACIMA MENCIONADOS. ACORDA A EGRÉGIA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL, NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, À UNANIMIDADE, CONHECER E NEGAR PROVIMENTO AO RECURSO, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR. VITÓRIA, 06 DE FEVEREIRO DE RELATOR PRESIDENTE PROCURADOR DE JUSTIÇA CONCLUSÃO: ACORDA A EGRÉGIA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE, CONHECER E NEGAR PROVIMENTO AO RECURSO, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR. 3 AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº VITÓRIA - 2ª VARA DA FAZENDA PÚBLICA ESTADUAL AGVTE.: DELAINE GARCIA SILVEIRA ADVOGADO(A): GILMAR LOZER PIMENTEL AGVDO.: DIRETOR PRESIDENTE DO IPAJM ADVOGADO(A): LEANDRO BARBOSA MORAISRELATOR: SUBS.: DAIR JOSÉ BREGUNCE DE OLIVEIRA JULGADO EM 30/01/2007 E LIDO EM 13/03/2007 PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº AGTE: DELAINE GARCIA SILVEIRA AGDO: DIRETOR PRESIDENTE DO IPAJM RELATOR: DES. SUBS. DAIR JOSÉ B. DE OLIVEIRA ACÓRDÃO:AGRAVO DE INSTRUMENTO - PROCESSO CIVIL - MEDIDA LIMINAR - SUPERVENIÊNCIA DE SENTENÇA JULGANDO O PROCESSO ORIGINÁRIO - PERDA DO OBJETO DO PRESENTE AGRAVO DE INSTRUMENTO. 1. UMA VEZ PROFERIDA SENTENÇA DE MÉRITO NA AÇÃO PRINCIPAL, PERDE O OBJETO O AGRAVO DE INSTRUMENTO MANEJADO CONTRA DECISÃO QUE INDEFERIU A MEDIDA LIMINAR, POIS O JULGAMENTO DA CAUSA ESGOTA A REFERIDA TUTELA DE URGÊNCIA. PRECEDENTES DO SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA. 2. RECURSO PREJUDICADO. VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS OS PRESENTES AUTOS, EM QUE SÃO PARTES OS ACIMA MENCIONADOS. ACORDA A EGRÉGIA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL, NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, À UNANIMIDADE, JULGAR PREJUDICADO O RECURSO, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR. VITÓRIA, 30 DE JANEIRO DE PRESIDENTE

7 9 Sexta-Feira 23 de Março de 2007 Edição nº 3040 D.J. ESPÍRITO SANTO RELATOR PROCURADOR DE JUSTIÇA CONCLUSÃO: ACORDA A EGRÉGIA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE, JULGAR PREJUDICADO O RECURSO, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR. 4 AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº VITÓRIA - 2ª VARA DA FAZENDA PÚBLICA ESTADUAL AGVTE.: DUDAUTO VEICULOS E PECAS LTDA ADVOGADO(A): SOLANGE FARIA MADEIRA AGVDO.: ESTADO DO ESPÍRITO SANTO ADVOGADO(A): LEONARDO GUSTAVO PASTORE DYNA RELATOR: ARNALDO SANTOS SOUZA JULGADO EM 13/02/2007 E LIDO EM 13/03/2007 EMENTA: PROCESSUAL CIVIL. AGRAVO DE INSTRUMENTO. NÃO COMUNICAÇÃO DA INTERPOSIÇÃO. INCIDÊNCIA DO ART. 526, DO CPC. RECURSO NÃO CONHECIDO. 1- A AUSÊNCIA DE COMUNICAÇÃO AO JUÍZO DE PISO, DA INTERPOSIÇÃO DO AGRAVO, GERA A INCIDÊNCIA DO ARTIGO 526, DO CPC, BEM COMO O NÃO CONHECIMENTO DO RECURSO. 2 - RECURSO NÃO CONHECIDO. VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS ESTES AUTOS, ACORDAM OS DESEMBARGADORES QUE INTEGRAM A PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL DO EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, DE CONFORMIDADE COM A ATA DO JULGAMENTO E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, À UNANIMIDADE, NÃO CONHECER DO RECURSO, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR. VITÓRIA, 13 DE FEVEREIRO DE 2007 PRESIDENTE RELATOR: PROCURADOR DE JUSTIÇA CONCLUSÃO: ACORDA A EGRÉGIA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE, NÃO CONHECER DO RECURSO, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR. 5 APELAÇÃO CÍVEL Nº CACH ITAPEMIRIM - 2ª VARA CÍVEL APTE.: VALDECY PETERLE DE JESUS ADVOGADO(A): ARY JOSE GOUVEA DERCY, DEF. PÚBLICO RELATOR: CARLOS HENRIQUE RIOS DO AMARAL REVISOR: SUBS. DAIR JOSÉ BREGUNCE DE OLIVEIRA JULGADO EM 13/02/2007 E LIDO EM 13/03/2007 PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL APELAÇÃO CÍVEL N APTE.: VALDECY PETERLE DE JESUS RELATOR: DES. CARLOS HENRIQUE RIOS DO AMARAL ACÓRDÃO EMENTA: CIVIL - APELAÇÃO - USUCAPIÃO EXTRAORDINÁRIO - APLICAÇÃO DO ANTIGO CÓDIGO CIVIL POR FORÇA DO ART DO ATUAL CÓDIGO - ACESSIO POSSESSIONIS - IMPOSSIBILIDADE - RECURSO IMPROVIDO. 1) POR INTELIGÊNCIA AO ART DO ATUAL CÓDIGO CIVIL, SERÃO OS DA LEI ANTERIOR OS PRAZOS, QUANDO REDUZIDOS POR ESTE CÓDIGO, E SE, NA DATA DE SUA ENTRADA EM VIGOR, JÁ HOUVER TRANSCORRIDO MAIS DA METADE DO TEMPO ESTABELECIDO NA LEI REVOGADA. IN CASU, APLICA-SE OS PRAZOS DA LEI ANTERIOR, JÁ QUE HAVIA TRANSCORRIDO MAIS DA METADE DO TEMPO ESTABELECIDO NA LEI REVOGADA. 2) O POSSUIDOR NÃO PODE SOMAR A SUA POSSE O TEMPO DA POSSE DE SEU ANTECESSOR, SE O MESMO FIGUROU COMO PROPRIETÁRIO, ANTE A AUSÊNCIA DE HOMOGENEIDADE DA NATUREZA DAS POSSES. PRECEDENTES. 3) RECURSO IMPROVIDO. VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS OS PRESENTES AUTOS, EM QUE SÃO AS PARTES ACIMA MENCIONADAS. ACORDA A EGRÉGIA PRIMEIRA CÂMARA NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS, À UNANIMIDADE, CONHECER E NEGAR PROVIMENTO AO RECURSO. VITÓRIA (ES), 13 DE FEVEREIRO DE PRESIDENTE RELATOR PROCURADOR CONCLUSÃO: ACORDA A EGRÉGIA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE, CONHECER E NEGAR PROVIMENTO AO RECURSO. 6 APELAÇÃO CÍVEL Nº CACH ITAPEMIRIM - 2ª VARA CÍVEL APTE.: SUL AMERICA CIA NACIONAL DE SEGUROS ADVOGADO(A): ELIAS JOSE MOSCON FERREIRA DE MATOS APDO.: BRAGA TRANSPORTE INDUSTRIAL LTDA ADVOGADO(A): DANIEL DOS SANTOS MARTINS FILHO ADVOGADO(A): MARIA JOSE ROMAGNA ADVOGADO(A): VALERIA MARIA CID PINTO RELATOR: ARNALDO SANTOS SOUZA REVISOR: CARLOS HENRIQUE RIOS DO AMARAL JULGADO EM 13/02/2007 E LIDO EM 13/03/2007 EMENTA: PROCESSO CIVIL. AÇÃO DE EXECUÇÃO DE TÍTULO EXECUTIVO EXTRAJUDICIAL. ENDOSSO E APÓLICE SEGURO. INCERTEZA E ILIQUIDEZ DO TÍTULO EXECUTIVO. AUSÊNCIA DA MANIFESTAÇÃO DE VONTADE DAS PARTES. RECURSO CONHECIDO E IMPROVIDO. SENTENÇA MANTIDA. 1 - O PROCESSO DE EXECUÇÃO EXIGE DO CREDOR A NECESSIDADE DE APRESENTAÇÃO DE TÍTULO EXECUTIVO QUE TENHA CERTEZA, LIQUIDEZ E EXIGIBILIDADE, CUMPRINDO ASSIM, REQUISITO FORMAL PARA INÍCIO DA EXECUÇÃO. 2 - NA HIPÓTESE DOS AUTOS, OS TÍTULOS APRESENTADOS NÃO ESTÃO DEVIDAMENTE FORMALIZADOS, RAZÃO PELA QUAL NÃO SERVEM COMO INSTRUMENTO HÁBIL A DESENCADEAR A EXECUÇÃO. 3 - O SIMPLES ENDOSSO E A APÓLICE NÃO CONFIGURAM TÍTULO EXECUTIVO, EIS QUE NÃO SE ENQUADRAM NAS HIPÓTESES DO ART. 585, DO CPC. 4 - INEXISTE NOS AUTOS PROVA DA MANIFESTAÇÃO DE VONTADE DAS PARTES E QUALQUER INFORMAÇÃO ACERCA DOS ENDOSSOS QUE POSSAM DEMONSTRAR DE MANEIRA INDUVIDOSA A ORIGEM E CERTEZA DO CRÉDITO CAPAZ DE FUNDAMENTAR O PROCEDIMENTO EXECUTIVO. 5 - RECURSO CONHECIDO E IMPROVIDO. SENTENÇA MANTIDA. VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS ESTES AUTOS ACORDAM OS DESEMBARGADORES QUE COMPÕEM A PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL DO EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, DE CONFORMIDADE COM A ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE, CONHECER E NEGAR PROVIMENTO AO RECURSO, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR. VITÓRIA, 13 DE FEVEREIRO DE PRESIDENTE RELATORPROCURADOR DE JUSTIÇA CONCLUSÃO: ACORDA A EGRÉGIA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE, CONHECER E NEGAR PROVIMENTO AO RECURSO, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR. 7 APELAÇÃO CÍVEL Nº CARIACICA - VARA DE ORFÃOS E SUCESSÕES APTE.: MINISTÉRIO PÚBLICO ESTADUAL APDO.: ELIANE RIGO ADVOGADO(A): ADMAR JOSE CORRÊA RELATOR: CARLOS HENRIQUE RIOS DO AMARAL REVISOR: SUBS. DAIR JOSÉ BREGUNCE DE OLIVEIRA JULGADO EM 13/02/2007 E LIDO EM 13/03/2007 APELAÇÃO: Nº APELANTE: MINISTÉRIO PÚBLICO ESTADUAL APELADO: ELAINE RIGO RELATOR: DES. CARLOS HENRIQUE RIOS DO AMARAL REVISOR: DES. DAIR JOSÉ BREGUNCE DE OLIVEIRA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL ACÓRDÃO EMENTA: APELAÇÃO - CIVIL - PROCESSO CIVIL- AÇÃO INDENIZATÓRIA- AÇÃO DE CURATELA - PRELIMINAR DE NULIDADE DE SENTENÇA REJEITADA- PRELIMINAR DE SUBSTITUIÇÃO IMPRÓPIRA DA AUTORIA REJEITADA- PRELIMINAR DE ILEGITIMIDADE POSTULATÓRIA DA CURADORA REJEITADA- PRELIMINAR DA FALTA DE CITAÇÃO DO INSS REJEITADA- APELO CONHECIDO E DESPROVIDO.

8 10 Sexta-Feira 23 de Março de 2007 Edição nº 3040 D.J. ESPÍRITO SANTO 1- O JULGADOR NÃO ESTÁ OBRIGADO A REBATER TODOS OS ARGUMENTOS TRAZIDOS PELAS PARTES, DESDE QUE OS FUNDAMENTOS UTILIZADOS SEJAM SUFICIENTES PARA EMBASAR A DECISÃO. 2- NÃO OCORRE A NULIDADE DE SENTENÇA, POR AUSÊNCIA DE FUNDAMENTAÇÃO, QUANDO A DECISÃO A DESPEITO DE SER CONCISA, APELAÇÃO: Nº EXAMINA A QUESTÃO SUB JUDICE. PRELIMINAR DE NULIDADE DE SENTENÇA REJEITADA. 3- O ROL DOS LEGITIMADOS A POSTULAREM INTERDIÇÃO NÃO É ABSOLUTO NEM TAMPOUCO INFLEXÍVEL; A IRMÃ DO INTERDITANDO, COMO PARENTE PRÓXIMO QUE É - EM NÃO SENDO O CURATELADO CASADO, NEM POSSUINDO FILHOS E SEUS GENITORES ESTANDO IMPOSSIBILITADOS DE EXERCEREM A CURATELA - TEM LEGITIMIDADE PARA REQUERER A INTERDIÇÃO, MESMO INGRESSANDO NOS AUTOS POSTERIORMENTE, UMA VEZ QUE O PROCESSO É DE JURISDIÇÃO VOLUNTÁRIA, NÃO DEVENDO SE APLICAR, IN CASU, O ARTIGO 41 DO CPC. PRELIMINAR DE SUBSTITUIÇÃO IMPRÓPRIA DA AUTORIA REJEITADA. 4- QUANDO HÁ NOS AUTOS PEDIDO DE INTERDIÇÃO, CURATELA E JUNTADA DE PROCURAÇÃO, NÃO HÁ QUE SE FALAR EM ILEGITIMIDADE POSTULATÓRIA DA CURADORA. PRELIMINAR DE ILEGITIMIDADE POSTULATÓRIA DA CURADORA REJEITADA. 5- A PRELIMINAR DE FALTA DE CITAÇÃO DO INSS NÃO MERECE RESPALDO, NA MEDIDA EM QUE A AUTARQUIA NÃO TEM RELAÇÃO COM A QUESTÃO VERSADA NOS AUTOS, QUE TRATA APENAS DE INTERDIÇÃO. PRELIMINAR DE FALTA DE CITAÇÃO REJEITADA. 6- QUANDO É DEMONSTRADA A INCONVENIÊNCIA E IMPOSSIBILIDADE DOS GENITORES EXERCEREM A CURATELA, O MAGISTRADO DEVE UTILIZAR-SE DA DISCRICIONARIEDADE, QUE É CARACTERÍSTICA PRÓPRIA DOS PROCESSOS DE JURISDIÇÃO VOLUNTÁRIA, PARA ASSEGURAR PROTEÇÃO AOS INTERESSES DO INCAPAZ. 7- APELO CONHECIDO E DESPROVIDO. VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS OS PRESENTES AUTOS DE APELAÇÃO Nº , EM QUE FIGURA COMO APELANTE MINISTÉRIO PÚBLICO ESTADUAL E APELADO ELAINE RIGO, ACORDA A COLENDA 1ª CÂMARA CÍVEL, NA CONFORMIDADE DA ATA E DAS NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, À UNANIMIDADE, REJEITAR AS PRELIMINARES ARGÜÍDAS E NO MÉRITO, POR IDÊNTICA VOTAÇÃO, NEGAR PROVIMENTO AO RECURSO, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR. VITÓRIA, 13 DE FEVEREIRO DE PRESIDENTE RELATOR PROCURADOR DE JUSTIÇA CONCLUSÃO: ACORDA A EGRÉGIA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE, REJEITAR AS PRELIMINARES ARGÜIDAS E NO MÉRITO, POR IDÊNTICA VOTAÇÃO, NEGAR PROVIMENTO AO RECURSO, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR. 8 APELAÇÃO CÍVEL Nº COLATINA - VARA REG PÚBLICO - ACIDENTES TRABALHO APTE.: MINISTÉRIO PÚBLICO ESTADUAL APDO.: JOSE DADALTO ADVOGADO(A): PAULA C PENITENTE PASSAGEM RELATOR: CARLOS HENRIQUE RIOS DO AMARAL JULGADO EM 06/02/2007 E LIDO EM 13/03/2007 APELAÇÃO CÍVEL Nº APELANTE: MINISTÉRIO PÚBLICO ESTADUAL APELADO: JOSÉ DADALTO RELATOR: DES. CARLOS HENRIQUE RIOS DO AMARAL ACÓRDÃO PROCESSO CIVIL - RETIFICAÇÃO DE REGISTRO CIVIL - AUSÊNCIA DE MANIFESTAÇÃO DO PARQUET ESTADUAL - VIOLAÇÃO AO ART. 109 DA LEI 6.015/73 - NULIDADE DOS ATOS DECISÓRIOS POSTERIORES - 1. A LEI Nº 6.015/73, QUE TRATA SOBRE REGISTROS PÚBLICOS TRAZ EM SEU ART. 109 AS EXIGÊNCIAS NECESSÁRIAS PARA QUE SE RESTAURE O ASSENTAMENTO NO REGISTRO CIVIL, DENTRE ESTAS QUE O ÓRGÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO SEJA OUVIDO APESAR DA NORMA SER CLARA AO DETERMINAR A INTIMAÇÃO DO PARQUET, O MAGISTRADO A QUO ASSIM NÃO PROCEDEU, TENDO SENTENCIADO O PROCESSO SEM ANTES OUVIR O ÓRGÃO MINISTERIAL O ART. 84 DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL É COGENTE AO DIZER QUE QUANDO A LEI CONSIDERAR OBRIGATÓRIA A INTERVENÇÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO, A PARTE PROMOVER-LHE-Á A INTIMAÇÃO SOB PENA DE NULIDADE DO PROCESSO DADO PROVIMENTO AO RECURSO, DECLARANDO NULO TODOS OS ATOS PROCESSUAIS PRATICADOS SEM A INTERVENÇÃO OBRIGATÓRIA DO MINISTÉRIO PÚBLICO. VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS OS PRESENTES AUTOS EM QUE TRATA A APELAÇÃO CÍVEL TOMBADO SOB O Nº , CUJO O APELANTE É MINISTÉRIO PÚBLICO ESTADUAL E A APELADO JOSÉ DADALTO. ACORDA A EGRÉGIA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL, EM CONFORMIDADE COM A ATA E AS NOTAS TAQUIGRÁFICAS, POR UNÂNIMIDADE, CONHECER E DAR PROVIMENTO AO RECURSO, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR. VITÓRIA/ES, 06 DE FEVEREIRO DE DESEMBARGADOR PRESIDENTE DESEMBARGADOR RELATOR PROCURADOR DE JUSTIÇA CONCLUSÃO: ACORDA A EGRÉGIA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE, CONHECER E DAR PROVIMENTO AO RECURSO, NOS TEMOS DO VOTO DO RELATOR. 9 APELAÇÃO CÍVEL Nº COLATINA - 1ª VARA CÍVEL APTE.: CENTRO EDUCACIONAL SÃO JOSE LTDA ADVOGADO(A): MARY ELLEN BONATTO ADVOGADO(A): RENATA SPERANDIO NASCIMENTO ADVOGADO(A): ROBERTA GUIMARAES AGUIAR ADVOGADO(A): RODRIGO GOBBO NASCIMENTO ADVOGADO(A): WESLEY MARGOTTO COSTA APDO.: ISAU LAUERS ADVOGADO(A): MARCOS ROGERIO BOLSANELO RELATOR: ARNALDO SANTOS SOUZA REVISOR: CARLOS HENRIQUE RIOS DO AMARAL JULGADO EM 13/02/2007 E LIDO EM 13/03/2007 EMENTA: DIREITO CIVIL E PROCESSUAL CIVIL. PRELIMINAR DE EFEITO DEVOLUTIVO E SUSPENSIVO. NÃO CONHECIMENTO. LOCAÇÃO. INADIMPLEMENTO DE ALUGUÉIS. DESPEJO CUMULADO COM COBRANÇA DE VALORES. ESTABELECIMENTO DE ENSINO. APELO IMPROVIDO. SENTENÇA MANTIDA. 1. CONSIDERANDO QUE O RECURSO DE APELAÇÃO FOI CORRETAMENTE RECEBIDO EM SEU DUPLO EFEITO, SEGUNDO A REGRA DO ART. 520, DO CPC, RESTA INÓCUA TAL PRETENSÃO DA APELANTE. PRELIMINAR NÃO CONHECIDA. 2. EM CASO DE INADIMPLEMENTO DE PAGAMENTO DE ALUGUEL ASSUMIDO EM CONTRATO DE LOCAÇÃO É POSSÍVEL CUMULAR O PEDIDO DE RESCISÃO DA LOCAÇÃO COM O DE COBRANÇA DE VALORES, CONFORME PREVISÃO DO INCISO I, DO ART. 62, DA LEI Nº 8.245/ HAVENDO CONCORDÂNCIA DE LONGA DATA POR PARTE DA APELANTE, NO QUE CONCERNE AO VALOR DO ALUGUEL, NÃO VEJO COMO PROSPERAR A ASSERTIVA DE QUE OS ÍNDICES UTILIZADOS PARA REAJUSTES NÃO DEMONSTREM CLAREZA NO DECORRER DA RELAÇÃO CONTRATUAL, ATÉ PORQUE O CONTRATO ORIGINÁRIO FOI FIRMADO EM IDOS DE TAMPOUCO HÁ QUE SE FALAR EM CARÊNCIA DE PROVAS. 4. MESMO QUE APELANTE EXERÇA ATIVIDADE DE ENSINO AUTORIZADO E FISCALIZADO PELO PODER PÚBLICO, ESSA CONDIÇÃO NÃO A EXIME DE QUALQUER OBRIGAÇÃO CONTRATUAL, DEVENDO O JULGADOR ATENTAR SOMENTE PARA A PARTICULARIDADE DE QUE TRATA O 2º, DO ART. 63, DA LEI Nº 8.245/ APELO CONHECIDO E IMPROVIDO. SENTENÇA MANTIDA. VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS ESTES AUTOS ACORDAM OS DESEMBARGADORES QUE COMPÕEM A PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL DO EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, DE CONFORMIDADE COM A ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE, REJEITAR A PRELIMINAR ARGÜIDA. NO MÉRITO, POR IDÊNTICA VOTAÇÃO, NEGAR PROVIMENTO AO RECURSO, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR.

9 11 Sexta-Feira 23 de Março de 2007 Edição nº 3040 D.J. ESPÍRITO SANTO VITÓRIA, 13 DE FEVEREIRO DE PRESIDENTE RELATORPROCURADOR DE JUSTIÇA CONCLUSÃO: ACORDA A EGRÉGIA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE, REJEITAR A PRELIMINAR ARGÜIDA. NO MÉRITO, POR IDÊNTICA VOTAÇÃO, NEGAR PROVIMENTO AO RECURSO, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR. 10 APELAÇÃO CÍVEL Nº VITÓRIA - 3ª VARA CÍVEL APTE./APDO.: JOSE WAGNER & IRMAOS LTDA ADVOGADO(A): ANTONIO TADEU DE A PEREIRA ADVOGADO(A): LEONIDAS EDUARDO F DE OLIVEIRA ADVOGADO(A): OLY EDUARDO DE OLIVEIRA APDO./APTE.: ESPÓLIO DE JOSE MILTON CHEQUER ADVOGADO(A): ALEXANDRE CAIADO R DALLA BERNADINA ADVOGADO(A): BRUNO CESAR LIMONGI HORTA ADVOGADO(A): IVAN TAUIL RODRIGUES RELATOR: CARLOS HENRIQUE RIOS DO AMARAL REVISOR: SUBS. DAIR JOSÉ BREGUNCE DE OLIVEIRA JULGADO EM 13/02/2007 E LIDO EM 13/03/2007 APELAÇÃO CÍVEL PROCESSO Nº: APELANTE/APELADO: JOSÉ WAGNER & IRMÃOS LTDA APELADO/APELANTE: ESPÓLIO DE JOSÉ MILTON CHEQUER RELATOR: DESEMBARGADOR CARLOS HENRIQUE RIOS DO AMARAL REVISOR: DESEMBARGADOR DAIR JOSÉ BREGUNCE DE OLIVEIRA ACÓRDÃO EMENTA: APELAÇÃO CÍVEL. CÍVEL E PROCESSUAL CIVIL. RECURSO INTERPOSTO PELO EXECUTADO. EMBARGOS À EXECUÇÃO. ART. 738, I, CPC. INTEMPESTIVIDADE. INTIMAÇÃO DOS DEVEDORES QUANTO À PENHORA DOS BENS. OCORRÊNCIA. CARTA PRECATÓRIA. ART. 669 CPC. RECURSO IMPROVIDO. RECURSO INTERPOSTO PELO EXEQÜENTE. PEDIDO DE SUBSTITUIÇÃO DO PÓLO PASSIVO NA AÇÃO DE EMBARGOS À EXECUÇÃO. CESSÃO DE CRÉDITO POR ATO ENTRE VIVOS. ART. 567, II, CPC. CABIMENTO. HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS. ART. 20, 4º, CPC. AUMENTO DO VALOR. CABIMENTO. MULTA PRESCRITA NO ART. 601, CAPUT, CPC. HIPÓTESE FÁTICA QUE NÃO SE SUBSUME AO ART. 600, II, CPC. INAPLICABILIDADE. RECURSO PARCIALMENTE PROVIDO. I - COM RELAÇÃO AO RECURSO INTERPOSTO PELO EXECUTADO JOSÉ WAGNER & IRMÃOS LTDA, OS ELEMENTOS DOS AUTOS PRINCIPAIS NÃO DEIXAM DÚVIDAS DE QUE A INTIMAÇÃO DO APELANTE QUANTO À REALIZAÇÃO DA PENHORA DOS SEUS BENS OCORREU NO DIA 20/01/1999 ATRAVÉS DE CARTA PRECATÓRIA (FLS. 98/VERSO), E QUE REFERIDA CARTA PRECATÓRIA FORA JUNTADA AOS AUTOS PRINCIPAIS NO DIA 31/03/1999 (FLS. 51/VERSO). PORTANTO, NOS TERMOS DO ART. 738, I, CPC, INCUMBIRIA AO APELANTE OFERECER OS EMBARGOS NO PRAZO DE 10 (DEZ) DIAS CONTADOS DA JUNTADA AOS AUTOS DA PROVA DA INTIMAÇÃO DA PENHORA, OU SEJA, ATÉ O DIA 12/04/1999 (SEGUNDA-FEIRA), ANTE A PRORROGAÇÃO DO PRAZO LEGAL DECORRENTE DO ART. 184, 1º, CPC C/C ART. 175, CPC (SÁBADO E DOMINGO). ENTRETANTO, O APELANTE OFERECEU OS EMBARGOS À EXECUÇÃO SOMENTE NO DIA 29/10/2002 (FLS. 02), OU SEJA, 03 (TRÊS) ANOS E 06 (SEIS) MESES APÓS O PRAZO FINAL PARA A REALIZAÇÃO DO ATO DE DEFESA, REVELANDO-SE, DESTARTE, FLAGRANTEMENTE INTEMPESTIVO OS EMBARGOS OFERECIDOS ÀS FLS. 02/22. APELAÇÃO CÍVEL PROCESSO Nº: APELANTE/APELADO: JOSÉ WAGNER & IRMÃOS LTDA APELADO/APELANTE: ESPÓLIO DE JOSÉ MILTON CHEQUER RELATOR: DESEMBARGADOR CARLOS HENRIQUE RIOS DO AMARAL REVISOR: DESEMBARGADOR DAIR JOSÉ BREGUNCE DE OLIVEIRA II - A TESE DE QUE NÃO TERIA HAVIDO INTIMAÇÃO DOS ADVOGADOS DO EXECUTADO PARA A PRÁTICA DO ATO DE DEFESA, REVELA-SE INSUBSISTENTE PORQUANTO A INTIMAÇÃO DOS DEVEDORES FOI REALIZADA ATRAVÉS DA CARTA PRECATÓRIA EXPEDIDA PELO MM JUÍZO A QUO, PELO QUE NÃO HÁ QUE SE FALAR EM AUSÊNCIA DE INTIMAÇÃO DOS DEVEDORES QUANTO À REALIZAÇÃO DA PENHORA, COMO IMPÕE O ART. 669 CPC. ADEMAIS, O REQUERIMENTO DE FLS. 79/80 NÃO CONTÉM PEDIDO DE INTIMAÇÃO, PARA FINS DE INTERPOSIÇÃO DOS EMBARGOS À EXECUÇÃO, ENDEREÇADO AOS ADVOGADOS DOS DEVEDORES, VALENDO REGISTRAR QUE A LEI PROCESSUAL TEM POR IMPRESCINDÍVEL A INTIMAÇÃO DOS DEVEDORES QUANTO À REALIZAÇÃO DA PENHORA E NÃO DOS SEUS RESPECTIVOS ADVOGADOS. RECURSO A QUE SE NEGA PROVIMENTO. III - QUANTO AO RECURSO INTERPOSTO PELO EXEQÜENTE JOSÉ MILTON CHEQUER, A SUBSTITUIÇÃO DO PÓLO PASSIVO NA AÇÃO DE EMBARGOS À EXECUÇÃO ADVÉM DA DICÇÃO DO ART. 567, II, CPC (CESSÃO DE CRÉDITO POR ATO ENTRE VIVOS), NOS TERMOS DA DECISÃO DE FLS. 154/158. IV - CONJUGANDO-SE AS CIRCUNSTÂNCIAS LEGAIS MENCIONADAS NO ART. 20, 3º, CPC; O VALOR ECONÔMICO DA CAUSA (R$ ,00 - CENTO E DEZ MIL REAIS) E O VALOR MÍNIMO ELENCADO NA TABELA DE HONORÁRIOS DA OAB/ES (R$ 3.600,00 - TRÊS MIL E SEISCENTOS REAIS), DEVE SER FIXADO O VALOR DOS HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS, MEDIANTE JUÍZO DE EQÜIDADE, EM R$ ,00 (DEZ MIL REAIS). V - QUANTO À PRETENSÃO DE CONDENAÇÃO DA EMPRESA APELADA AO PAGAMENTO DA MULTA PREVISTA NO ART. 601, CAPUT, CPC C/C ART. 600, II, CPC, TEM-SE QUE A POSSIBILIDADE DE INCIDÊNCIA DA MULTA FIXADA PELO JUIZ, EM MONTANTE NÃO SUPERIOR A 20% (VINTE POR CENTO) SOBRE O VALOR ATUALIZADO DO DÉBITO CONDICIONA-SE, NECESSARIAMENTE, À OCORRÊNCIA DE UMA DAS HIPÓTESES DE ATO ATENTATÓRIO À DIGNIDADE DA JUSTIÇA DESCRITAS NO ART. 600 DO CPC. ESPECIFICAMENTE QUANTO À HIPÓTESE DESCRITA NO ART. 600, II, DO CPC A DOUTRINA É PACÍFICA NO SENTIDO DE QUE A OPOSIÇÃO TEMERÁRIA DO EXECUTADO, ADMOESTADA NO INCISO ADREDE REFERIDO, "ESCAPA ÀQUELA LEGALMENTE PREVISTA (P. EX., EMBARGOS DO EXECUTADO), OU ACEITA NA JURISPRUDÊNCIA (P. EX., A EXCEÇÃO DE PRÉ-EXECUTIVIDADE) ", COMO NOS LECIONA ARAKEN DE ASSIS. PRECEDENTES DO C. STJ. APELAÇÃO CÍVEL PROCESSO Nº: APELANTE/APELADO: JOSÉ WAGNER & IRMÃOS LTDA APELADO/APELANTE: ESPÓLIO DE JOSÉ MILTON CHEQUER RELATOR: DESEMBARGADOR CARLOS HENRIQUE RIOS DO AMARAL REVISOR: DESEMBARGADOR DAIR JOSÉ BREGUNCE DE OLIVEIRA VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS OS AUTOS DO PROCESSO DE Nº , EM QUE FIGURA COMO APELANTES JOSÉ WAGNER & IRMÃOS LTDA. E ESPÓLIO DE JOSÉ MILTON CHEQUER, E APELADOS JOSÉ WAGNER & IRMÃOS LTDA. E ESPÓLIO DE JOSÉ MILTON CHEQUER, ACORDAM OS DESEMBARGADORES DA EGRÉGIA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, NA CONFORMIDADE DA ATA E DAS NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, À UNANIMIDADE, CONHECER E NEGAR PROVIMENTO AO APELO INTERPOSTO POR JOSÉ WAGNER & IRMÃOS LTDA. E, POR IDÊNTICA VOTAÇÃO, DAR PROVIMENTO PARCIAL AO RECURSO INTERPOSTO POR ESPÓLIO DE JOSÉ MILTON CHEQUER, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR. VITÓRIA/ES, 13 DE FEVEREIRO DE DESEMBARGADOR PRESIDENTE DESEMBARGADOR CARLOS HENRIQUE RIOS DO AMARAL RELATOR PROCURADOR DE JUSTIÇA CONCLUSÃO: ACORDA A EGRÉGIA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE, CONHECER E NEGAR PROVIMENTO AO APELO INTERPOSTO POR JOSÉ WAGNER E IRMÃOS LTDA. E, POR IDÊNTICA VOTAÇÃO, DAR PROVIMENTO PARCIAL AO RECURSO INTERPOSTO POR ESPÓLIO DE JOSÉ MILTON CHEQUER, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR. 11 APELAÇÃO CÍVEL Nº VITÓRIA - 6ª VARA CÍVEL APTE.: FREDERICO VASSEM ADVOGADO(A): CALEB SALOMAO PEREIRA SILVA ADVOGADO(A): FLAVIA S DALLA BERNARDINA ADVOGADO(A): LAIS SANTOS NEVES QUINTAES APTE.: FABIO MAIA LAMPERRIERE ADVOGADO(A): CALEB SALOMAO PEREIRA SILVA ADVOGADO(A): FLAVIA S DALLA BERNARDINA

10 12 Sexta-Feira 23 de Março de 2007 Edição nº 3040 D.J. ESPÍRITO SANTO ADVOGADO(A): LAIS SANTOS NEVES QUINTAES APDO.: FRANCISCO ANTONIO DOS PASSOS SOUZA ADVOGADO(A): CHRISTIANO OLIVEIRA PEREIRA ADVOGADO(A): EVANDRO SANT ANNA ADVOGADO(A): FABRICIO GUEDES TEIXEIRA ADVOGADO(A): FLAVIO DA COSTA MORAES ADVOGADO(A): JANAYNA SILVEIRA DOS SANTOS ADVOGADO(A): KATIA LEAO BORGES DE ALMEIDA ADVOGADO(A): LEONARDO FIRME LEAO BORGES ADVOGADO(A): SAMIR FURTADO NEMER RELATOR: DESIG. ARNALDO SANTOS SOUZA REVISOR: ARNALDO SANTOS SOUZA JULGADO EM 12/12/2006 E LIDO EM 13/03/2007 EMENTA: APELAÇÃO CÍVEL. PRELIMINAR DE NULIDADE. PARTE NÃO INTIMADA DA SENTENÇA. AUSÊNCIA DE PREJUÍZO. PRELIMINAR IMPROVIDA. MÉRITO. CONTRATO DE CESSÃO DE QUOTAS EMPRESARIAIS. PROPOSTA REVESTIDA DE SERIEDADE E COMPLETUDE, HÁBIL À FORMAÇÃO VÁLIDA DO CONTRATO. RECURSO IMPROVIDO. 1. A DECRETAÇÃO DE NULIDADE DO ATO PROCESSUAL DEPENDE, NOS TERMOS DO ART. 249, 1º, DO CPC, DA OCORRÊNCIA DE EFETIVO PREJUÍZO A ALGUMAS DAS PARTES, O QUE NÃO OCORREU NOS PRESENTES AUTOS. MUITO EMBORA OS APELANTES NÃO TENHAM PARTICIPADO DA AUDIÊNCIA EM QUE FOI PROFERIDA E PUBLICADA A SENTENÇA, TAL FATO NÃO OS IMPEDIU DE RECORRER DO ATO DECISÓRIO. PRELIMINAR IMPROVIDA. 2. OS APELANTES FORMULARAM PROPOSTA IRREVOGÁVEL DE AQUISIÇÃO DAS COTAS SOCIETÁRIAS DO APELADO PELO PREÇO DE R$ ,00 (CINQÜENTA MIL REAIS). O APELADO, A SEU TURNO, AJUIZOU PRETENSÃO CONDENATÓRIA CUJO OBJETO RECAI ESPECIFICAMENTE SOBRE AS OBRIGAÇÕES DECORRENTES DA INDIGITADA PROPOSTA, O QUE REVELA, DE MODO UNÍVOCO, SUA ACEITAÇÃO DA PROPOSTA, BASTANDO À CONFIGURAÇÃO DE NEGÓCIO JURÍDICO VÁLIDO. ISSO PORQUE, NOS TERMOS DO ART. 427, DO CÓDIGO CIVIL, A PROPOSTA DE CONTRATO OBRIGA O PROPONENTE, E, AINDA, PORQUE A PROPOSTA E SUA RESPECTIVA ACEITAÇÃO GOZARAM DE SERIEDADE E COMPLETUDE, O QUE BASTA, A TEOR DA DOUTRINA DE ARNALDO RIZZARDO, À FORMAÇÃO VÁLIDA DA AVENÇA (IN CONTRATOS, FORENSE, P.46). 3. A PENDÊNCIA DE CONCORDÂNCIA QUANTO ÀS CONDIÇÕES IMPOSTAS PELOS APELANTES NÃO REPRESENTA OBSTÁCULO AO APERFEIÇOAMENTO DA AVENÇA, TENDO EM VISTA QUE AS DUAS CONDIÇÕES, RELATIVAS À DENOMINADA CLÁUSULA DE NÃO-RESTABELECIMENTO (ART , DO CC) E À CO-RESPONSABILIDADE DO SÓCIO DISSIDENTE (ART , DO CC, E ART. 135, DO CTN), SÃO OBJETO DE EXPRESSA REGULAMENTAÇÃO LEGAL, ALÉM DE NÃO INTEGRAREM O ROL DE DIREITOS DISPONÍVEIS DAS PARTES, O QUE LHES OFERECE NÍTIDA EFICÁCIA COGENTE. 4. RECURSO CONHECIDO E NÃO PROVIDO. VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS ESTES AUTOS ACORDAM OS DESEMBARGADORES QUE COMPÕEM A PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL DO EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, DE CONFORMIDADE COM A ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE, REJEITAR A PRELIMINAR ARGÜIDA. NO MÉRITO, POR MAIORIA DE VOTOS, NEGAR PROVIMENTO AO RECURSO, NOS TERMOS DO VOTO DO REVISOR, DESIGNADO PARA A ELABORAÇÃO DO ACÓRDÃO. VITÓRIA, 12 DE DEZEMBRO DE PRESIDENTE RELATOR: PROCURADOR DE JUSTIÇA CONCLUSÃO: ACORDA A EGRÉGIA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE, REJEITAR A PRELIMINAR ARGÜIDA. NO MÉRITO, POR MAIORIA DE VOTOS, NEGAR PROVIMENTO AO RECURSO, NOS TERMOS DO VOTO DO REVISOR, DESIGNADO PARA A ELABORAÇÃO DO ACÓRDÃO. 12 APELAÇÃO CÍVEL Nº VITÓRIA - 5ª VARA CÍVEL APTE.: FAE E CIA LTDA. SUPERMERCADO FAE ADVOGADO(A): FERNANDO ANTONIO VERVLOET ADVOGADO(A): HENRIQUE ANGELO D JUNIOR APDO.: ECAD ESCRITORIO CENTRAL DE ARREC E DISTRIBUIÇAO ADVOGADO(A): EUCLIDES NUNO RIBEIRO NETO ADVOGADO(A): RICARDO TADEU R BICALHO RELATOR: CARLOS HENRIQUE RIOS DO AMARAL REVISOR: SUBS. DAIR JOSÉ BREGUNCE DE OLIVEIRA JULGADO EM 13/02/2007 E LIDO EM 13/03/2007 APELAÇÃO: Nº APELANTE: FAÉ E CIA LTDA. SUPERMERCADO FAÉ APELADO: ECAD- ESCRITÓRIO CENTRAL DE ARRECADAÇÃO E DISTRIBUIÇÃO RELATOR: DES. CARLOS HENRIQUE RIOS DO AMARAL REVISOR: DES. DAIR JOSÉ BREGUNCE DE OLIVEIRA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL ACÓRDÃO EMENTA: APELAÇÃO - CIVIL - PROCESSO CIVIL- AÇÃO DE COBRANÇA- DIREITOS AUTORAIS- AGRAVO RETIDO- APELO CONHECIDO E DESPROVIDO. 1- O ECAD POSTULA EM NOME PRÓPRIO A DEFESA E O INTERESSE DE SEUS ASSOCIADOS, QUE REPRESENTAM TODA UMA CATEGORIA PROFISSIONAL, NÃO ENSEJANDO A NECESSIDADE DE EXIGIR DEMONSTRAÇÃO PRÉVIA DE FILIAÇÃO DE CADA UM DOS AUTORES LESADOS, SOB PENA DE SE TORNAR INVIÁVEL SUA ATUAÇÃO. 2- NÃO HÁ NULIDADE DE CITAÇÃO QUANDO O VÍCIO RESTA SANADO PELO COMPARECIMENTO DO REQUERIDO NOS AUTOS POR OCASIÃO DE APRESENTAÇÃO DE SUA DEFESA. AGRAVO RETIDO IMPROVIDO. 3-A SÚMULA 63 DO STJ ESTABELECE A APLICAÇÃO DE DIREITOS AUTORAIS EM RETRANSMISSÃO DE SONORIZAÇÃO AMBIENTAL EM ESTABELECIMENTO COMERCIAL. 4- A LEI 9.610/98 CORROBORA O ENTENDIMENTO DE QUE SÃO DEVIDOS DIREITOS AUTORAIS POR TRANSMISSÃO, SOB QUALQUER MODALIDADE, EM REPRESENTAÇÕES E EXECUÇÕES PÚBLICAS. 5- O ECAD TEM LEGITIMIDADE, ATRAVÉS DE AÇÃO DE COBRANÇA, PARA PROCEDER A ARRECADAÇÃO RELATIVA AOS DIREITOS AUTORAIS DE SONORIZAÇÃO EM SUPERMERCADO. 6- APELO CONHECIDO E DESPROVIDO. VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS OS PRESENTES AUTOS DE APELAÇÃO Nº , EM QUE FIGURA COMO APELANTE FAÉ E CIA LTDA- SUPERMERCADO FAÉ E APELADO ECAD- ESCRITÓRIO CENTRAL DE ARRECADAÇÃO E DISTRIBUIÇÃO, ACORDA A COLENDA 1ª CÂMARA CÍVEL, NA CONFORMIDADE DA ATA E DAS NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, À UNANIMIDADE, CONHECER E NEGAR PROVIMENTO AO AGRAVO RETIDO E, NO MÉRITO, POR IDÊNTICA VOTAÇÃO, NEGAR PROVIMENTO AO APELO, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR. VITÓRIA, 13 DE FEVEREIRO DE PRESIDENTE RELATOR PROCURADOR DE JUSTIÇA CONCLUSÃO: ACORDA A EGRÉGIA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE, CONHECER E NEGAR PROVIMENTO AO AGRAVO RETIDO. NO MÉRITO, POR IDÊNTICA VOTAÇÃO, NEGAR PROVIMENTO AO APELO, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR. 13 APELAÇÃO CÍVEL Nº LINHARES - 2ª VARA CÍVEL E COMERCIAL APTE.: JUNAL JUPARANA MOTOS LTDA ADVOGADO(A): CARLOS RENATO DECOTTIGNIES ZARDINI APDO.: SERGIO CEOLIN ADVOGADO(A): KARLA CABRAL BATISTA ADVOGADO(A): KATIA LEAO BORGES DE ALMEIDA ADVOGADO(A): LEONARDO FIRME LEAO BORGES ADVOGADO(A): MICHELA COSTA RODRIGUES APDO.: ADEMIR ANTONIO CEOLIN ADVOGADO(A): KARLA CABRAL BATISTA ADVOGADO(A): KATIA LEAO BORGES DE ALMEIDA ADVOGADO(A): LEONARDO FIRME LEAO BORGES ADVOGADO(A): MICHELA COSTA RODRIGUES RELATOR: CARLOS HENRIQUE RIOS DO AMARAL REVISOR: SUBS. DAIR JOSÉ BREGUNCE DE OLIVEIRA JULGADO EM 13/02/2007 E LIDO EM 13/03/2007 PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL APELAÇÃO CÍVEL N APTE.: JUNAL - JUPARANÃ MOTOS LTDA.

11 13 Sexta-Feira 23 de Março de 2007 Edição nº 3040 D.J. ESPÍRITO SANTO APDOS.: SÉRGIO CEOLIN E ADEMIR ANTONIO CEOLIN RELATOR: DES. CARLOS HENRIQUE RIOS DO AMARAL ACÓRDÃO EMENTA: LOCAÇÃO - AÇÃO DE DESPEJO C/C COBRANÇA - PRELIMINAR DE AUSÊNCIA DE LEGITIMIDADE E INTERESSE RECURSAL - RECEBIMENTO APENAS NO EFEITO DEVOLUTIVO - ART. 58, V DA LEI 8.245/91 (LEI DE LOCAÇÃO) - IMPOSSIBILIDADE DE PURGAÇÃO DA MORA - INOCORRÊNCIA - RECURSO IMPROVIDO. 1) O STJ JÁ FIRMOU POSICIONAMENTO NO SENTIDO DE QUE O MERO EQUÍVOCO NA DESIGNAÇÃO DO NOME DA EMPRESA NÃO CONSTITUI MOTIVO PARA DEIXAR DE APRECIAR RECURSO. (RESP /RS). 2) NOS TERMOS DO ART. 58, V, DA LEI Nº 8.245/91, O RECURSO QUE ATACA DECISÃO PROFERIDA EM AÇÃO DE DESPEJO, MESMO QUE CUMULADA COM OUTROS PEDIDOS, DEVE SER RECEBIDO SOMENTE NO EFEITO DEVOLUTIVO. (AGRG NA MC 7552/SP; RELATOR(A) MINISTRO PAULO GALLOTTI; ÓRGÃO JULGADOR: SEXTA TURMA; DATA DA PUBLICAÇÃO/FONTE DJ ). 3) NÃO HÁ QUE SE FALAR EM IMPOSSIBILIDADE DE PURGAÇÃO DA MORA, POIS TEVE OPORTUNIDADE DE FAZÊ-LA, MESMO QUE PARCIALMENTE, MAS PERMANECEU INERTE. 4) RECURSO IMPROVIDO. VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS OS PRESENTES AUTOS, EM QUE SÃO AS PARTES ACIMA MENCIONADAS. ACORDA A EGRÉGIA PRIMEIRA CÂMARA NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS, À UNANIMIDADE, REJEITAR A PRELIMINAR ARGÜIDA. NO MÉRITO, POR IDÊNTICA VOTAÇÃO, NEGAR PROVIMENTO AO RECURSO. VITÓRIA (ES), 13 DE FEVEREIRO DE RELATOR: PRESIDENTE PROCURADOR CONCLUSÃO: ACORDA A EGRÉGIA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE, REJEITAR A PRELIMINAR ARGÜIDA. NO MÉRITO, POR IDÊNTICA VOTAÇÃO, NEGAR PROVIMENTO AO RECURSO, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR. 14 APELAÇÃO CÍVEL Nº VILA VELHA - 3ª VARA CÍVEL APTE.: LITTIG ENGENHARIA LTDA ADVOGADO(A): ALEXANDRE PUPPIM APDO.: PEDRO FERNANDO PINTO ADVOGADO(A): SAULO JUNGER DUARTE APDO.: CELIA CRISTINA HENRIQUE VIANA PINTO ADVOGADO(A): SAULO JUNGER DUARTERELATOR: SUBS.: DAIR JOSÉ BREGUNCE DE OLIVEIRA REVISOR: ARNALDO SANTOS SOUZA JULGADO EM 06/02/2007 E LIDO EM 13/03/2007 ÌPRIMEIRA CÂMARA CÍVEL APELAÇÃO CÍVEL Nº APTE: LITTIG ENGENHARIA LTDA. APDO: PEDRO FERNANDO PINTO E OUTRA. RELATOR:. SUBST. DAIR JOSÉ BREGUNCE DE OLIVEIRA ACÓRDÃO EMENTA: APELAÇÃO CÍVEL - PROCESSO CIVIL - ÔNUS DA PROVA - CABE AO AUTOR PROVAR OS FATOS CONSTITUTIVOS DE SEU DIREITO - ART. 333, I, DO CPC - RECURSO CONHECIDO E PROVIDO. 1. CABE AO AUTOR PROVAR OS FATOS CONSTITUTIVOS DE SEU DIREITO, NOS EXATOS TERMOS DO ART. 333, I, DO CPC. NO ENTANTO, NESTE CASO CONCRETO, OS AUTORES NÃO SE DESINCUMBIRAM DE TAL ÔNUS, RAZÃO PELA QUAL OS PLEITOS POR ELES FORMULADOS DEVEM SER JULGADOS IMPROCEDENTES. 2. RECURSO CONHECIDO E PROVIDO. VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS OS PRESENTES AUTOS, EM QUE SÃO PARTES OS ACIMA MENCIONADOS. ACORDA A EGRÉGIA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL, NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, À UNANIMIDADE, CONHECER E DAR PROVIMENTO AO RECURSO, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR. VITÓRIA (ES), 06 DE FEVEREIRO DE PRESIDENTE RELATOR PROCURADOR DE JUSTIÇA CONCLUSÃO: ACORDA A EGRÉGIA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE, CONHECER E DAR PROVIMENTO AO RECURSO, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR. 15 APELAÇÃO CÍVEL Nº VILA VELHA - 2ª VARA CÍVEL APTE.: BANESTES SEGUROS S/A ADVOGADO(A): ARNALDO ARRUDA DA SILVEIRA ADVOGADO(A): GERALDO DOS SANTOS ABREU ADVOGADO(A): KATIA GIANORDOLI MALTA ADVOGADO(A): LUIZ ALFREDO PRETTI ADVOGADO(A): LUIZ CARLOS DE ABREU ADVOGADO(A): NEUSA SCHULTHAIS ANDRADE ADVOGADO(A): OMAR DE ALBUQUERQUE MACHADO JÚNIOR ADVOGADO(A): PATRÍCIA RAGAZZI ADVOGADO(A): PAULO SA DA SILVEIRA ADVOGADO(A): SIMONE HENRIQUES PARREIRA DE CARVALHO APDO.: VINICIUS TRISTÃO GRAZZIOTTI ADVOGADO(A): IVAN NEIVA NEVES NETORELATOR: SUBS.: DAIR JOSÉ BREGUNCE DE OLIVEIRA JULGADO EM 06/02/2007 E LIDO EM 13/03/2007 PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL APELAÇÃO CÍVEL Nº APTE: BANESTES SEGUROS S/A APDO: VINÍCIUS TRISTÃO GRAZZIOTTI RELATOR: DES. SUBST. DAIR JOSÉ BREGUNCE DE OLIVEIRA ACÓRDÃO APELAÇÃO CÍVEL - SEGURO - VEÍCULO - INTERPRETAÇÃO DE CLÁSULAS CONTRATUAIS - ABUSIVIDADE DA CONDUTA DA SEGURADORA - RECURSO CONHECIDO E IMPROVIDO. 1. CONFORME O ART. 47 DO CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR, AS CLÁUSULAS CONTRATUAIS SERÃO INTERPRETADAS DE MANEIRA MAIS FAVORÁVEL AO CONSUMIDOR. 2. SINISTRO OCORRIDO DURANTE O PRAZO DE 15 DIAS PARA A ACEITAÇÃO DA PROPOSTA PELA SEGURADORA. RECUSA MANIFESTADA APÓS A OCORRÊNCIA DO SINISTRO, CONFIGURA A ABUSIVIDADE DE CONDUTA DA SEGURADORA. INTELIGÊNCIA DOS ART. 51, INC. IX, DO CDC E 115 DO CC VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS OS PRESENTES AUTOS, EM QUE SÃO PARTES OS ACIMA MENCIONADOS, ACORDA A EGRÉGIA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL, NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, À UNANIMIDADE, CONHECER E NEGAR PROVIMENTO AO RECURSO, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR. VITÓRIA (ES), 06 DE FEVEREIRO DE PRESIDENTE RELATOR PROCURADOR DE JUSTIÇA CONCLUSÃO: ACORDA A EGRÉGIA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE, CONHECER E NEGAR PROVIMENTO AO RECURSO, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR. 16 APELAÇÃO CÍVEL Nº VILA VELHA - 5ª VARA CÍVEL APTE.: LUCAS COLODETTI ADVOGADO(A): CARLOS AUGUSTO DA MOTTA LEAL APDO.: CONDOMINIO DO ED VITTORIO VENETTO ADVOGADO(A): MARCELO MIGUEL NOGUEIRA RELATOR: CARLOS HENRIQUE RIOS DO AMARAL REVISOR: SUBS. DAIR JOSÉ BREGUNCE DE OLIVEIRA JULGADO EM 06/02/2007 E LIDO EM 13/03/2007 APELAÇÃO CÍVEL PROCESSO Nº: APELANTE: LUCAS COLODETTI APELADO: CONDOMÍNIO DO EDIFÍCIO VITTORIO VENETTO RELATOR: DESEMBARGADOR CARLOS HENRIQUE RIOS DO AMARAL REVISOR: DESEMBARGADOR DAIR JOSÉ BREGUNCE DE OLIVEIRA ACÓRDÃO EMENTA: APELAÇÃO CÍVEL. LEI Nº 4591/64. CIVIL E PROCESSUAL CIVIL. CONSTRUÇÃO DE EDIFICAÇÃO EM CONDOMÍNIO. ADMINISTRAÇÃO A PREÇO DE CUSTO. ILEGALIDADE DA REVISÃO DO VALOR DO CUSTO DA OBRA. AUSÊNCIA DE ELEMENTOS

12 14 Sexta-Feira 23 de Março de 2007 Edição nº 3040 D.J. ESPÍRITO SANTO FÁTICOS-PROBATÓRIOS. VALIDADE DO CONTRATO CELEBRADO ENTRE AS PARTES. APLICAÇÃO E VIGÊNCIA DO PRINCÍPIO PACTA SUNT SERVANDA. RECURSO DE APELAÇÃO IMPROVIDO. I - A LEI Nº 4591/64, QUE DISPÕE SOBRE CONDOMÍNIO EM EDIFICAÇÕES E INCORPORAÇÕES IMOBILIÁRIAS, CONTEMPLA EM SEU CAPÍTULO III (DA CONSTRUÇÃO DE EDIFICAÇÃO EM CONDOMÍNIO), SEÇÃO III (DA CONSTRUÇÃO POR ADMINISTRAÇÃO), O REGIME DE ADMINISTRAÇÃO DENOMINADO A PREÇO DE CUSTO, EM QUE O PAGAMENTO DO CUSTO INTEGRAL DA OBRA É DE RESPONSABILIDADE DOS PROPRIETÁRIOS OU ADQUIRENTES (ART. 58, CAPUT, DA LEI Nº 4591/64). A PRÓPRIA NORMA REGULAMENTADORA DESTA MODALIDADE DE REGIME DE CONSTRUÇÃO POR ADMINISTRAÇÃO, PRESCREVE UMA HIPÓTESE EM QUE O MONTANTE DO ORÇAMENTO DO CUSTO DA OBRA DEVERÁ SER RECALCULADO, NOS TERMOS DO ART. 59 DA LEI Nº 4.591/64, OU SEJA, QUANDO OS CONTRATOS DE CONSTRUÇÃO POR ADMINISTRAÇÃO FOREM LAVRADOS ATÉ O TÉRMINO DAS FUNDAÇÕES ( 1º) OU QUANDO OS MESMOS FOREM CELEBRADOS APÓS O TÉRMINO DAS FUNDAÇÕES ( 2º). II - NÃO HÁ INFORMAÇÕES NOS AUTOS, OU MESMO SIMPLES ALEGAÇÕES, QUANTO À DATA DO TÉRMINO DAS FUNDAÇÕES DA OBRA DO CONDOMÍNIO, PARA QUE SE PUDESSE FRANQUEAR, À LUZ DO CASO CONCRETO, A ANÁLISE DA ASSERTIVA DO APELANTE NO SENTIDO DE QUE A REVISÃO DO VALOR DO CUSTO DA OBRA TERIA OCORRIDO DE FORMA ILEGAL. O D. EXPERT CONCLUIU NO LAUDO PERICIAL DE FLS. 172/184, QUE AS DIFERENÇAS ENTRE OS MONTANTES DOS CONDÔMINOS RONALDO MOYSÉS DA SILVA E ROBERTO WILLIAN DE O. RUY FOI DETERMINADA UNICAMENTE EM FUNÇÃO DAS DIFERENÇAS ENTRE OS VALORES E AS DATAS DE ADESÃO AO CONDOMÍNIO, JÁ QUE AS DEMAIS COTAS ENTRE OS CONDÔMINOS FORAM IDÊNTICAS. TODAVIA, O D. EXPERT CONCLUIU, AINDA, QUE ARGUMENTOS COMO NÍVEL DE ANDAR E O ESTADO EM QUE SE ENCONTRA A CONSTRUÇÃO, NÃO DEVERIAM CONSTAR DO VALOR DO CONTRATO. APELAÇÃO CÍVEL PROCESSO Nº: APELANTE: LUCAS COLODETTI APELADO: CONDOMÍNIO DO EDIFÍCIO VITTORIO VENETTO RELATOR: DESEMBARGADOR CARLOS HENRIQUE RIOS DO AMARAL REVISOR: DESEMBARGADOR DAIR JOSÉ BREGUNCE DE OLIVEIRA III - O LAUDO PERICIAL ACOSTADO AOS AUTOS, DATA VENIA, ALÉM DE NÃO CONSIDERAR FATOR RELEVANTE PARA O DESLINDE DA QUESTÃO (DATA DO TÉRMINO DAS FUNDAÇÕES DA OBRA), PARA FINS DE ANÁLISE DA LEGALIDADE DA INQUINADA MAJORAÇÃO DO VALOR DO CUSTO DA OBRA, AINDA CONCLUI QUE TAL FATOR NÃO DEVE SER CONSIDERADO PARA TAL FINALIDADE, RAZÃO PELA QUAL ENTENDO POR AFASTÁ-LO PARA A FORMAÇÃO DO CONVENCIMENTO DO JULGADOR, VEZ QUE DEIXOU DE CONSIDERAR FATOR LEGAL INDISPENSÁVEL AO DESLINDE DA QUESTÃO. IV - CERTO QUE O MAGISTRADO NÃO ESTÁ ADSTRITO ÀS CONCLUSÕES EMANADAS NO LAUDO PERICIAL, TEM-SE QUE O CONTRATO DE FLS. 17/29, CELEBRADO ENTRE AS PARTES, NÃO DEIXA DÚVIDAS DE QUE OS VALORES PAGOS PELO APELANTE CONSIGNADOS NAS LETRAS A, B, C E D, CONSTANTES DO PARÁGRAFO PRIMEIRO, DA CLÁUSULA QUARTA (FLS. 20), FORAM PAGOS A TÍTULO DE REEMBOLSO DAS PARCELAS PAGAS PELO APELADO DESDE O INÍCIO DAS OBRAS ATÉ O MÊS DE ABRIL DE 1995 (CLÁUSULA QUARTA, PARÁGRAFO PRIMEIRO, LETRA F). AINDA DE ACORDO COM A LETRA G DA REFERIDA CLÁUSULA QUARTA, PARÁGRAFO PRIMEIRO, AS PARTES CONTRATARAM QUE O SALDO REMANESCENTE SERIA PAGO DE ACORDO COM O REGIME DE PREÇO DE CUSTO, CONFORME AS DECISÕES TOMADAS PELA ASSEMBLÉIA DE CONDÔMINOS. ASSIM, O CONTRATO FIRMADO ENTRE AS PARTES É CLARO AO DISPOR QUE SOMENTE APÓS O PAGAMENTO DOS VALORES ESTABELECIDOS EM FAVOR DO CONDOMÍNIO, O APELANTE FARIA JUS AO REGIME PREVISTO NA LEI Nº 4.591/64, QUAL O DE REGIME DE PREÇO E CUSTO. PORTANTO, AINDA QUE O CONTRATO TENHA SIDO CELEBRADO À LUZ DO REGIME DE PREÇO E CUSTO PREVISTO NA LEI Nº 4.591/64, TEM-SE QUE O APELANTE ACEITOU LIVREMENTE AS CONDIÇÕES CONTRATUALMENTE ESTABELECIDAS PELO APELADO PARA A AQUISIÇÃO DA UNIDADE 902 DO EDIFÍCIO VITTORIO VENETTO. V - DESTARTE, E INVOCANDO O PRINCÍPIO PACTA SUNT SERVANDA, DEVE O APELANTE HONRAR OS COMPROMISSOS CONTRATUALMENTE ASSUMIDOS PERANTE O APELADO. VI - RECURSO A QUE SE NEGA PROVIMENTO. APELAÇÃO CÍVEL PROCESSO Nº: APELANTE: LUCAS COLODETTI APELADO: CONDOMÍNIO DO EDIFÍCIO VITTORIO VENETTO RELATOR: DESEMBARGADOR CARLOS HENRIQUE RIOS DO AMARAL REVISOR: DESEMBARGADOR DAIR JOSÉ BREGUNCE DE OLIVEIRA VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS OS AUTOS DO PROCESSO DE Nº , EM QUE FIGURA COMO APELANTE LUCAS COLODETTI, E APELADO CONDOMÍNIO DO EDIFÍCIO VITTORIO VENETTO, ACORDAM OS DESEMBARGADORES DA EGRÉGIA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, NA CONFORMIDADE DA ATA E DAS NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, À UNANIMIDADE, CONHECER E NEGAR PROVIMENTO AO RECURSO, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR. VITÓRIA/ES, 06 DE FEVEREIRO DE DESEMBARGADOR PRESIDENTE DESEMBARGADOR CARLOS HENRIQUE RIOS DO AMARAL RELATOR PROCURADOR DE JUSTIÇA CONCLUSÃO: ACORDA A EGRÉGIA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE, CONHECER E NEGAR PROVIMENTO AO RECURSO, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR. 17 APELAÇÃO CÍVEL Nº SERRA - 2ª VARA CÍVEL APTE.: JOSE SOUZA ADVOGADO(A): ADRIANA DA PENHA SOUZA DE ANGELI APDO.: CLUBE DE INVESTIMENTO DOS EMPREGADOS DA VALE - INVESTVALE ADVOGADO(A): MARIA APARECIDA MIRANDA TERRIGNORELATOR: SUBS.: DAIR JOSÉ BREGUNCE DE OLIVEIRA REVISOR: ARNALDO SANTOS SOUZA JULGADO EM 13/02/2007 E LIDO EM 13/03/2007 ÌPRIMEIRA CÂMARA CÍVEL APELAÇÃO CÍVEL Nº APTE: JOSE SOUZA APDO: CLUBE DE INVESTIMENTO DOS EMPREGADOS DA VALE - INVESTVALE RELATOR: DES. SUBST. DAIR JOSÉ BREGUNCE DE OLIVEIRA ACÓRDÃO EMENTA: APELAÇÃO CÍVEL - AÇÃO DE INDENIZAÇÃO POR DANOS MORAIS E MATERIAIS - INEXISTÊNCIA DE ATO ILÍCITO PRATICADO PELO CLUBE DE INVESTIMENTOS DE EMPREGADOS DA VALE DO RIO DOCE - INVESTVALE - AUSÊNCIA DE DIREITO AO RECEBIMENTO DAS COTAS - APELO CONHECIDO E IMPROVIDO - SENTENÇA MANTIDA. TENDO EM VISTA QUE O RECORRENTE NÃO DESINCUMBIU-SE EM COMPROVAR FATO ILÍCITO PRATICADO PELO RECORRIDO, BEM COMO FATO CONSTITUTIVO DO SEU DIREITO - SER EMPREGADO OU APOSENTADO DE ALGUMA DAS EMPRESAS QUE FORMAM O GRUPO CVRD, NA DATA DA PUBLICAÇÃO DO EDITAL DE DESESTATIZAÇÃO - NÃO SE DEVE DAR PROVIMENTO AO RECURSO, MEDIANTE O QUAL SE INSURGE CONTRA A SENTENÇA DE IMPROCEDÊNCIA. VISTOS, E DISCUTIDOS OS PRESENTES AUTOS, EM QUE SÃO PARTES AS ACIMA MENCIONADAS. ACORDA A EGRÉGIA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL, NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, À UNANIMIDADE, REJEITAR A PRELIMINAR ARGÜIDA. NO MÉRITO, POR IDÊNTICA VOTAÇÃO, NEGAR PROVIMENTO AO RECURSO, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR. VITÓRIA (ES), 13/02/2007. PRESIDENTE RELATOR PROCURADOR DE JUSTIÇA CONCLUSÃO: ACORDA A EGRÉGIA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE, REJEITAR A

13 15 Sexta-Feira 23 de Março de 2007 Edição nº 3040 D.J. ESPÍRITO SANTO PRELIMINAR ARGÜIDA. NO MÉRITO, POR IDÊNTICA VOTAÇÃO, NEGAR PROVIMENTO AO RECURSO, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR. 18 REMESSA EX-OFFICIO Nº VILA VELHA - VARA DA FAZENDA MUNICIPAL REMTE.: JUIZ DE DIREITO DA VARA DA FAZENDA MUNICIPAL DE VILA VELHA PARTE: MUNICÍPIO DE VILA VELHA ADVOGADO(A): JOSE DE RIBAMAR LIMA BEZERRA PARTE: TRANSAMERICAN TRANSPORTES AMERICA LTDA ADVOGADO(A): FELIPE OSORIO DOS SANTOS * APELAÇÃO VOLUNTÁRIA Nº APTE.: MUNICÍPIO DE VILA VELHA APDO.: TRANSAMERICAN TRANSPORTES AMERICA LTDA RELATOR: ARNALDO SANTOS SOUZA REVISOR: CARLOS HENRIQUE RIOS DO AMARAL JULGADO EM 06/02/2007 E LIDO EM 13/03/2007 EMENTA: CIVIL. PROCESSO CIVIL. INDENIZATÓRIA. ACIDENTE DE TRÂNSITO. AGRAVO RETIDO. INOBSERVÂNCIA AO ART. 523, DO CPC. INADMISSÃO. ILICITUDE DA CONDUTA DO APELANTE COMPROVADA NA FASE INSTRUTÓRIA. ÔNUS DA PROVA. RESPONSABILIDADE CIVIL OBJETIVA. DANOS MATERIAIS COMPROVADOS. LUCROS CESSANTES NÃO COMPROVADOS. APELO PROVIDO PARCIALMENTE. SENTENÇA REFORMADA EM PARTE. REMESSA PREJUDICADA. 1. A FORMULAÇÃO, NAS RAZÕES DE APELAÇÃO OU EM RESPOSTA AO APELO, DE PEDIDO DE APRECIAÇÃO DO AGRAVO RETIDO, É PRESSUPOSTO DE ADMISSIBILIDADE DESTA MODALIDADE RECURSAL, CONFORME PREVISÃO DO ART. 523, DO CPC. A INOBSERVÂNCIA DA EXIGÊNCIA LEGAL REDUNDA NA INADMISSÃO DO AGRAVO RETIDO. 2. UMA VEZ QUE AS PROVAS APRESENTADAS PELA APELADA SÃO SUFICIENTES PARA DEMONSTRAR QUE NÃO FOI O CONDUTOR DO VEÍCULO O AGENTE CAUSADOR DO ACIDENTE, TENHO POR SATISFEITO O REQUISITO DO ART. 333, I, DO CPC. 3. PARA QUE SE CONFIGURE A RESPONSABILIDADE OBJETIVA PREVISTA NO ART. 37, 6º, DA CF, NÃO É NECESSÁRIA A CULPABILIDADE, BASTANDO A COMPROVAÇÃO DA OMISSÃO E O DANO QUE RESULTOU EM PREJUÍZO MATERIAL OU MORAL. 4. SE O APELANTE NÃO COMPROVOU A EXISTÊNCIA DE FATO IMPEDITIVO, MODIFICATIVO OU EXTINTIVO DO DIREITO DA APELADA, A TEOR DO ART. 333, II, DO CPC, RESTA AO MESMO A OBRIGAÇÃO DE INDENIZAR OS DANOS MATERIAIS SOFRIDOS. 5. A CARACTERIZAÇÃO DE DANOS MATERIAIS, SOB O VIÉS DE LUCROS CESSANTES, CONDICIONA-SE, NECESSARIAMENTE, AO RECONHECIMENTO DA PERDA PATRIMONIAL DECORRENTE DE OBSTÁCULO À ATIVIDADE ECONÔMICA. NÃO HAVENDO NENHUMA COMPROVAÇÃO DOS LUCROS CESSANTES, TORNA-SE NECESSÁRIA A REFORMA DA SENTENÇA QUE JULGOU PROCEDENTE TAL PEDIDO FORMULADO NA INICIAL. 6. APELAÇÃO CONHECIDA E PROVIDA PARCIALMENTE. SENTENÇA REFORMADA EM PARTE. REMESSA NECESSÁRIA PREJUDICADA. VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS ESTES AUTOS ACORDAM OS DESEMBARGADORES QUE COMPÕEM A PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL DO EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, DE CONFORMIDADE COM A ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE, NÃO CONHECER DOS AGRAVOS RETIDOS E, POR IDÊNTICA VOTAÇÃO, CONHECER E DAR PROVIMENTO PARCIAL AO APELO, JULGANDO PREJUDICADA A REMESSA, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR. VITÓRIA, 06 DE FEVEREIRO DE PRESIDENTE RELATORPROCURADOR DE JUSTIÇA CONCLUSÃO: ACORDA A EGRÉGIA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE, NÃO CONHECER DOS AGRAVOS RETIDOS E, POR IDÊNTICA VOTAÇÃO, CONHECER E DAR PROVIMENTO PARCIAL AO APELO, JULGANDO PREJUDICADA A REMESSA, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR. 19 REMESSA EX-OFFICIO Nº SERRA - VARA FAZENDA PUBLICA MUNICIPAL REMTE.: JUIZ DE DIREITO DA V FAZ PUB MUNICIPAL DA SERRA PARTE: MUNICÍPIO DA SERRA ADVOGADO(A): RICARDO MOULAZ DE MACEDO PARTE: KETLEN DE SOUZA RODRIGUES ADVOGADO(A): LUIZ ROBERTO MARETO CALIL ADVOGADO(A): RAPHAEL GOBBIE MELO ADVOGADO(A): RONALDO PAVAN ADVOGADO(A): TIAGO DE SOUZA PIMENTA * APELAÇÃO VOLUNTÁRIA Nº APTE.: MUNICÍPIO DA SERRA APDO.: KETLEN DE SOUZA RODRIGUES RELATOR: ARNALDO SANTOS SOUZA REVISOR: CARLOS HENRIQUE RIOS DO AMARAL JULGADO EM 06/02/2007 E LIDO EM 13/03/2007 EMENTA: CONSTITUCIONAL E ADMINISTRATIVO. MANDADO DE SEGURANÇA. APELAÇÃO. EXONERAÇÃO DE SERVIDOR. EXAME ADMISSIONAL CONCLUSIVO DA INEXISTÊNCIA DE DEFICIÊNCIA. CANDIDATO NOMEADO EM VAGA RESERVADA. VISÃO MONOCULAR. PRELIMINARES DE AUSÊNCIA DE DIREITO LÍQUIDO E CERTO E DE AUSÊNCIA DE ATO ILEGAL. NÃO CONHECIMENTO. PRELIMINAR DE INÉPCIA DA INICIAL. REJEIÇÃO. MÉRITO. DEFICIÊNCIA CONFIGURADA. JURISPRUDÊNCIA DO STJ. APELO DESPROVIDO. 1. O EXAME RELATIVO À EXISTÊNCIA, OU NÃO, DE DIREITO LÍQUIDO E CERTO, ASSIM COMO A APRECIAÇÃO DA LEGALIDADE DO ATO ADMINISTRATIVO INQUINADO, TANGENCIA O MÉRITO DA IMPETRAÇÃO, DE MODO QUE INCABÍVEL SUA APRECIAÇÃO EM SEDE PRELIMINAR. PRELIMINARES DE AUSÊNCIA DE DIREITO LÍQUIDO E CERTO E DE AUSÊNCIA DE ATO ILEGAL NÃO CONHECIDAS. 2. NÃO HÁ QUE COGITAR DE INÉPCIA DA INICIAL, POR IMPOSSIBILIDADE JURÍDICA DO PEDIDO, EM VIRTUDE DA CONSTATAÇÃO DA COMPATIBILIDADE, EM TESE, DA PRETENSÃO FORMULADA COM O ORDENAMENTO JURÍDICO. PRELIMINAR DE INÉPCIA REJEITADA. 3. A JURISPRUDÊNCIA DO COLENDO SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA PACIFICOU, EM EXEGESE DOS ARTS. 3º E 4º, INCISO III, DO DECRETO N.º 3.298/99, QUE O PORTADOR DE VISÃO MONOCULAR ENVERGA A CONDIÇÃO DE DEFICIENTE, DE MODO QUE LEGÍTIMA SUA CONCORRÊNCIA ÀS VAGAS RESERVADAS DE CONCURSO PÚBLICO. 4. APELAÇÃO CONHECIDA MAS DESPROVIDO. SENTENÇA MANTIDA. VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS ESTES AUTOS ACORDAM OS DESEMBARGADORES QUE COMPÕEM A PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL DO EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, DE CONFORMIDADE COM A ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE NÃO CONHECER DA 1ª E 2ª PRELIMINARES E REJEITAR A 3ª PRELIMINAR. NO MÉRITO, POR IDÊNTICA VOTAÇÃO, NEGAR PROVIMENTO AO RECURSO, PREJUDICADA A REMESSA, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR. VITÓRIA, 06 DE FEVEREIRO DE PRESIDENTE RELATORPROCURADOR DE JUSTIÇA CONCLUSÃO: ACORDA A EGRÉGIA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE, NÃO CONHECER DA 1ª E 2ª PRELIMINARES E REJEITAR A 3ª. NO MÉRITO, POR IDÊNTICA VOTAÇÃO, NEGAR PROVIMENTO AO RECURSO, PREJUDICADA A REMESSA, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR. 20 AGRAVO INOMINADO AGV INSTRUMENTO Nº VITÓRIA - VARA EXECUÇÕES FISCAIS AGVTE.: JACKSON FERREIRA DOS SANTOS ADVOGADO(A): BRUNO RAPHAEL DUQUE MOTA ADVOGADO(A): CHRISTIANO OLIVEIRA PEREIRA ADVOGADO(A): DANIELLE BORGES DE ABREU ADVOGADO(A): JANAYNA SILVEIRA DOS SANTOS ADVOGADO(A): KATIA LEAO BORGES DE ALMEIDA ADVOGADO(A): MARIA ALMEIDA NASCIMENTO ADVOGADO(A): PAULA F. FERREIRA AGVDO.: ESTADO DO ESPÍRITO SANTO ADVOGADO(A): ARTÊNIO MERÇONRELATOR: SUBS.: DAIR JOSÉ BREGUNCE DE OLIVEIRA

14 16 Sexta-Feira 23 de Março de 2007 Edição nº 3040 D.J. ESPÍRITO SANTO JULGADO EM 13/02/2007 E LIDO EM 13/03/2007 PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL AGRAVO REGIMENTAL NO AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº AGTE: JACKSON FERREIRA DOS SANTOS AGVDO: ESTADO DO ESPÍRITO SANTO RELATOR: DES. SUBST. DAIR JOSÉ BREGUNCE DE OLIVEIRA ACÓRDÃO EMENTA: AGRAVO REGIMENTAL - AGRAVO DE INSTRUMENTO - IDENTIDADE DE FUNDAMENTOS - RECURSO IMPROVIDO. NEGA-SE PROVIMENTO AO AGRAVO REGIMENTAL, UMA VEZ QUE NENHUM FATO NOVO TROUXE O AGRAVANTE A FIM DE MODIFICAR OS FUNDAMENTOS DA DECISÃO AGRAVADA. VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS OS PRESENTES AUTOS, EM QUE SÃO PARTES OS ACIMA MENCIONADOS, ACORDA A EGRÉGIA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL, NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, À UNANIMIDADE, CONHECER E NEGAR PROVIMENTO AO RECURSO, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR. VITÓRIA (ES), 13 DE FEVEREIRO DE PRESIDENTE RELATOR PROCURADOR DE JUSTIÇA CONCLUSÃO: ACORDA A EGRÉGIA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE, CONHECER E NEGAR PROVIMENTO AO RECURSO, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR. 21 EMBARGOS DE DECLARAÇÃO AG INOM. AP VOLUNTÁRIA REM EX-OFF Nº COLATINA - VARA FAZ PUBL ESTADUAL/REG PÚBLICO/MEIO AMBIENTE EMGTE.: ESTADO DO ESPÍRITO SANTO ADVOGADO(A): RAFAEL INDUZZI DREWS EMGDO.: COLATINA DIESEL LTDA ADVOGADO(A): LEONARDO CARVALHO DA SILVA ADVOGADO(A): PAULO CESAR CAETANORELATOR: SUBS.: DAIR JOSÉ BREGUNCE DE OLIVEIRA JULGADO EM 13/02/2007 E LIDO EM 13/03/2007 PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL EMBARGOS DE DECLARAÇÃO NO AGRAVO INOMINADO Nº EMBTE: ESTADO DO ESPÍRITO SANTO EMBDA: COLATINA DIESEL LTDA RELATOR: DES. SUBST. DAIR JOSÉ BREGUNCE DE OLIVEIRA ACÓRDÃO EMENTA: PROCESSUAL CIVIL - EMBARGOS DE DECLARAÇÃO - OMISSÃO - INEXISTÊNCIA - MERO INCONFORMISMO - RECURSO IMPROVIDO. AUSENTES AS OMISSÕES APONTADAS NO RECURSO, DEVE-SE NEGAR PROVIMENTO AOS EMBARGOS, TENDO EM VISTA SUA IMPRESTABILIDADE NO SENTIDO DE ADEQUAR A DECISÃO AO ENTENDIMENTO DO EMBARGANTE. VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS OS PRESENTES AUTOS, EM QUE SÃO PARTES OS ACIMA MENCIONADOS. ACORDA A EGRÉGIA QUARTA CÂMARA CÍVEL, NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, À UNANIMIDADE, CONHECER E NEGAR PROVIMENTO AO RECURSO, NOS TERMOS DO VOTO. VITÓRIA (ES), 13 DE FEVEREIRO PRESIDENTE RELATOR PROCURADOR DE JUSTIÇA CONCLUSÃO: ACORDA A EGRÉGIA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE, CONHECER E NEGAR PROVIMENTO AO RECURSO, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR. 22 EMBARGOS DE DECLARAÇÃO AP CÍVEL Nº VITÓRIA - 3ª VARA CÍVEL EMGTE.: A GAZETA S/A ADVOGADO(A): ALEXANDRE CAIADO R DALLA BERNADINA ADVOGADO(A): MARIANA CABAS E BICCAS BRAGA EMGDO.: PAULO RENATO ESTRELLA MONTEIRO ADVOGADO(A): LUDMYLA SANTOS NUNESRELATOR: SUBS.: DAIR JOSÉ BREGUNCE DE OLIVEIRA JULGADO EM 13/02/2007 E LIDO EM 13/03/2007 PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL EMBARGOS DE DECLARAÇÃO NA APELAÇÃO CÍVEL Nº EMBTE: A GAZETA S/A EMBDO: PAULO RENATO ESTRELLA MONTEIRO RELATOR: DES. SUBST. DAIR JOSÉ BREGUNCE DE OLIVEIRA EMENTA: PROCESSUAL CIVIL - EMBARGOS DE DECLARAÇÃO - OMISSÃO - INEXISTÊNCIA - MERO INCONFORMISMO - RECURSO IMPROVIDO. AUSENTE A OMISSÃO APONTADA NO RECURSO, DEVE-SE NEGAR PROVIMENTO AOS EMBARGOS, TENDO EM VISTA SUA IMPRESTABILIDADE NO SENTIDO DE ADEQUAR A DECISÃO AO ENTENDIMENTO DO EMBARGANTE. VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS OS PRESENTES AUTOS, EM QUE SÃO PARTES OS ACIMA MENCIONADOS. ACORDA A EGRÉGIA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL, NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, À UNANIMIDADE, CONHECER E NEGAR PROVIMENTO AO RECURSO, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR. VITÓRIA (ES), 13 DE FEVEREIRO DE PRESIDENTE RELATOR PROCURADOR DE JUSTIÇA CONCLUSÃO: ACORDA A EGRÉGIA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE, CONHECER E NEGAR PROVIMENTO AO RECURSO, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR. 23 AGRAVO REGIMENTAL AGV INSTRUMENTO Nº VITÓRIA - VARA EXECUÇÕES FISCAIS AGVTE.: CLAUDIO ARTHUR MOUTINHO MAURICIO ADVOGADO(A): RODRIGO MOURA COELHO DA PALMA AGVDO.: ESTADO DO ESPÍRITO SANTO ADVOGADO(A): LUIZ CARLOS DE OLIVEIRARELATOR: SUBS.: DAIR JOSÉ BREGUNCE DE OLIVEIRA JULGADO EM 13/02/2007 E LIDO EM 13/03/2007 ÌPRIMEIRA CÂMARA CÍVEL AGRAVO REGIMENTAL NO AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº AGTE: CLAUDIO ARTHUR MOUTINHO MAURÍCIO AGVDO: ESTADO DO ESPÍRITO SANTO RELATOR: DES. SUBST. DAIR JOSÉ BREGUNCE DE OLIVEIRA ACÓRDÃO EMENTA: AGRAVO REGIMENTAL - AGRAVO DE INSTRUMENTO - IDENTIDADE DE FUNDAMENTOS - RECURSO IMPROVIDO. NEGA-SE PROVIMENTO AO AGRAVO REGIMENTAL, UMA VEZ QUE NENHUM FATO NOVO TROUXE O AGRAVANTE A FIM DE MODIFICAR OS FUNDAMENTOS DA DECISÃO AGRAVADA. VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS OS PRESENTES AUTOS, EM QUE SÃO PARTES OS ACIMA MENCIONADOS, ACORDA A EGRÉGIA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL, NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, À UNANIMIDADE, CONHECER E NEGAR PROVIMENTO AO RECURSO, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR. VITÓRIA (ES), 13 DE FEVEREIRO DE PRESIDENTE RELATOR PROCURADOR DE JUSTIÇA CONCLUSÃO: ACORDA A EGRÉGIA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE, CONHECER E NEGAR PROVIMENTO AO RECURSO, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR. 24 AGRAVO REGIMENTAL AGV INSTRUMENTO Nº VILA VELHA - 1ª VARA DE FAMÍLIA AGVTE.: ROSIMAR TEIXEIRA SENNA ADVOGADO(A): CLÁUDIA FARINELLI LEITE ADVOGADO(A): GUSTAVO SIPOLATTI

15 17 Sexta-Feira 23 de Março de 2007 Edição nº 3040 D.J. ESPÍRITO SANTO ADVOGADO(A): JORGE FERNANDO PETRA DE MACEDO ADVOGADO(A): MARCIO VALERIO EFFGEN AGVDO.: ANNE LISE BENINI DE ANDRADE ADVOGADO(A): LEONARDO LOIOLA GAMA ADVOGADO(A): RONALDO MARTINS MONTEIRO AGVDO.: G A S (MENOR IMPUBERE) ADVOGADO(A): LEONARDO LOIOLA GAMA ADVOGADO(A): RONALDO MARTINS MONTEIRO RELATOR: FREDERICO GUILHERME PIMENTEL JULGADO EM 13/02/2007 E LIDO EM 13/03/2007 PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL AGRAVO REGIMENTAL NO AGRAVO DE INSTRUMENTO N AGTE: ROSIMAR TEIXEIRA SENNA AGDOS: G A S (MENOR IMPÚBERE) RELATOR: DES. FREDERICO GUILHERME PIMENTEL AGRAVO REGIMENTAL NO AGRAVO DE INSTRUMENTO - FALTA DE PROVAS DAS INTIMAÇÕES DAS TESTEMUNHAS - AUDIÊNCIA REDESIGNADA - POSSIBILIDADE - RECURSO NÃO PROVIDO. 1. AS TESTEMUNHAS ESTÃO OBRIGADAS A COMPARECEREM À AUDIÊNCIAS QUANDO DEVIDAMENTE INTIMADAS (CPC: ART. 412), INTIMAÇÃO QUE NÃO PODE SER PRESUMIDA. 2. O AGRAVADO NÃO PODE SER PREJUDICADO POR ERRO DE PROCEDIMENTO QUE NÃO DEU CAUSA, POIS NÃO RESTOU COMPROVADO QUE AS TESTEMUNHAS AUSENTES FORAM INTIMADAS, BEM COMO NÃO CABIA A ESTE O ÔNUS DE TRAZÊ-LAS, INDEPENDENTEMENTE DE INTIMAÇÃO, À AUDIÊNCIA NÃO REALIZADA. 3. RECURSO NÃO PROVIDO. VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS OS PRESENTES AUTOS, EM QUE SÃO PARTES AS SUPRAMENCIONADAS. ACORDA A EGRÉGIA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL, NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, À UNANIMIDADE, CONHECER E NEGAR PROVIMENTO AO RECURSO, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR. VITÓRIA, ES, 13 DE FEVEREIRO DE PRESIDENTE/RELATOR PROCURADOR DE JUSTIÇA CONCLUSÃO: ACORDA A EGRÉGIA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE, CONHECER E NEGAR PROVIMENTO AO RECURSO, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR. VITÓRIA, 21/03/2007 LANUSSY PIMENTEL DE REZENDE SECRETÁRIO DE CÂMARA TRIBUNAL DE JUSTIÇA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL DECISÕES MONOCRÁTICAS - PARA EFEITO DE RECURSO OU TRÂNSITO EM JULGADO 1 AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº AGVTE.: EXCHANGE INFORMATICA LTDA ADVOGADO: CARLOS WAGNER SILVA CORRÊA ADVOGADA: IVONE TEREZINHA ROCHA DA SILVA ADVOGADO: RENATO VANDERLEI SCHMIDT DA VEIGA AGVDO.: BANCO BANESTES S/A ADVOGADO: DIOGO ASSAD BOECHAT ADVOGADO: ROSA MARIA ASSAD GOMEZ AGVDO.: YOWFT BRASIL INFORMATICA LTDA RELATOR: FREDERICO GUILHERME PIMENTEL RELATOR: FREDERICO GUILHERME PIMENTEL PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº AGVTE: EXCHANGE INFORMÁTICA LTDA AGVDO: BANCO BANESTES S/A E OUTRO RELATOR: DES. FREDERICO GUILHERME PIMENTEL DECISÃO TEM-SE AGRAVO MANIFESTADO EM QUE, APÓS DEFERIMENTO DA PRETENSÃO LIMINAR DEFENDIDA PELA AGRAVANTE (FLS. 148/149), O AGRAVANTE REQUEREU A DESISTÊNCIA DO FEITO ATRAVÉS DE PROCURADOR COM PODERES PARA TANTO, CONFORME PETIÇÃO PROTOCOLIZADA SOB O Nº , ÀS FLS ISTO POSTO, PARA QUE SURTA SEUS EFEITOS LEGAIS, HOMOLOGO A DESISTÊNCIA FORMULADA E, CONSEQUENTEMENTE, JULGO EXTINTO O PRESENTE FEITO, SEM JULGAMENTO DE MÉRITO, NOS TERMOS DO ART. 267, VIII, E 501 DO CPC. INTIME-SE. PUBLIQUE-SE NA ÍNTEGRA. COMUNIQUE-SE AO JUIZ DE PISO. VITÓRIA (ES), 15 DE FEVEREIRO DE DES. FREDERICO GUILHERME PIMENTEL RELATOR 2 AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº AGVTE.: MOACYR MIRANDA LANES ADVOGADO: GUSTAVO VARELLA CABRAL AGVDO.: RAPIDA HOLDING LTDA AGVDO.: JOAO FRANCISCO DE OLIVEIRA FILHO AGVDO.: FABIO OLIVEIRA LIMA RELATOR: FREDERICO GUILHERME PIMENTEL AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº AGVTE: MOACYR MIRANDA LANES AGDVO: RÁPIDA HOLDING LTDA. E OUTROS RELATOR: DES. FREDERICO GUILHERME PIMENTEL DECISÃO TRATA-SE DE AGRAVO DE INSTRUMENTO, COM PEDIDO DE EFEITO ATIVO, INTERPOSTO POR MOACYR MIRANDA LANES, EIS QUE IRRESIGNADO COM A R. DECISÃO DE FLS. 116/117 (CÓPIA), PROFERIDA NOS AUTOS DA EXECUÇÃO POR QUANTIA CERTA CONTRA DEVEDOR SOLVENTE (PROCESSO Nº ), MOVIDA EM FACE DE RÁPIDA HOLDING LTDA. E OUTROS, NA QUAL O ÍNCLITO MAGISTRADO A QUO MANTEVE SUSPENSA A EXECUÇÃO ATÉ A DECISÃO FINAL DA EXCEÇÃO DE SUSPEIÇÃO QUE LHE FORA OPOSTA. ALEGA, EM SÍNTESE, QUE A DECISÃO RECORRIDA IMPLICA NEGATIVA DE JURISDIÇÃO, UMA VEZ QUE - PROTOCOLADA A EXECUÇÃO EM 09/10/2006 -, SEQUER TERIA SIDO OPERADO O DESPACHO CITATÓRIO, BEM COMO, QUE A CADA DIA QUE PASSA AUMENTAM AS NOTÍCIAS DE QUE OS AGRAVADOS ESTÃO VALEM-SE DA DEMORA NO ANDAMENTO DO FEITO PARA DISSIPAREM OS BENS QUE AINDA POSSUEM. REQUER, POR CONSEGUINTE, SEJA DETERMINADA A EFETIVAÇÃO DA ANGULARIZAÇÃO PROCESSUAL - CITAÇÃO DOS AGRAVADOS NOS AUTOS DA EXECUÇÃO RETROCITADA -, A FIM DE EVITAR A NEGATIVA DE JURISDIÇÃO ORA SUSTENTADA. VISLUMBRO, NA ESPÉCIE, O DISPOSTO NO ART. 557, 1º-A, DO CPC, SENDO POSSÍVEL AO RELATOR DAR PROVIMENTO MONOCRATICAMENTE AO RECURSO: "ART (...). 1º-A SE A DECISÃO RECORRIDA ESTIVER EM MANIFESTO CONFRONTO COM SÚMULA OU COM JURISPRUDÊNCIA DOMINANTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, OU DE TRIBUNAL SUPERIOR, O RELATOR PODERÁ DAR PROVIMENTO AO RECURSO." (REDAÇÃO DADA PELA LEI Nº 9.756, DE ) E ASSIM O É, VEZ QUE, A TEOR DAS INFORMAÇÕES LANÇADAS NA DECISÃO RECORRIDA, A SUSPENSÃO DA EXECUÇÃO ORIGINÁRIA RESTOU MANTIDA EM FUNÇÃO DA INTERPRETAÇÃO DADA À DISPOSIÇÃO CONTIDA NO ART. 265, III, DO CPC, E A FIM DE QUE FOSSE RESGUARDADA A INCOLUMIDADE DOS ATOS PRATICADOS PELO SEU PROLATOR. O DISPOSITIVO LEGAL RETROREFERIDO TRAZ O SEGUINTE CONTEÚDO: ART SUSPENDE-SE O PROCESSO: (...) III - QUANDO FOR OPOSTA EXCEÇÃO DE INCOMPETÊNCIA DO JUÍZO, DA CÂMARA OU DO TRIBUNAL, BEM COMO DE SUSPEIÇÃO OU IMPEDIMENTO DO JUIZ. POR CERTO, TAL QUAL APONTADO NA DECISÃO RECORRIDA, A SUSPENSÃO DO PROCESSO, EM HIPÓTESES QUE TAIS, VISA EVITAR A REALIZAÇÃO DE ATOS INÚTEIS, PRATICADOS POR JUIZ DESPIDO DE CAPACIDADE, PARA O CASO DE SER CONFIRMADA A SUSPEIÇÃO. VEJA-SE:

16 18 Sexta-Feira 23 de Março de 2007 Edição nº 3040 D.J. ESPÍRITO SANTO O QUE VISA A LEI, AO MANDAR SUSPENDER O PROCESSO UMA VEZ OPOSTA A EXCEÇÃO DE SUSPEIÇÃO, É EVITAR QUE NELE ATUE JUIZ DESPIDO DE CAPACIDADE. (RMS 3880 / SP - DJ QUARTA TURMA - REL. MIN. ANTÔNIO TORREÃO BRAZ) NO ENTANTO, ATÉ POR UMA QUESTÃO DE LÓGICA E DE BOM SENSO, A SUSPENSÃO EM QUESTÃO NÃO TEM O CONDÃO DE OBSTACULIZAR, CONJUNTAMENTE, A ADOÇÃO DE MEDIDAS IMPRESCINDÍVEIS À GARANTIA DA "ORDEM JURÍDICA JUSTA" - POR MEIO DA QUAL SE CONSTATE A EFETIVIDADE DA PRESTAÇÃO JURISDICIONAL -, NEM O REGULAR ALCANCE DO ESCOPO JURÍDICO DA JURISDIÇÃO, CONSISTENTE NA ATUAÇÃO DA VONTADE CONCRETA DAS NORMAS. ESTA, TAMBÉM, A ORIENTAÇÃO QUE PODE SER EXTRAÍDA DO SEGUINTE PRECEDENTE JURISPRUDENCIAL: OPOSTA EXCEÇÃO DE SUSPEIÇÃO, SUSPENDE-SE O PROCESSO, REALIZANDO-SE APENAS ATOS URGENTES, A FIM DE EVITAR DANO IRREPARAVEL. (RMS 1992 / RJ - DJ TERCEIRA TURMA - REL. MIN. COSTA LEITE) ASSIM, SE É CERTO QUE O PROCESSO COMEÇA POR INICIATIVA DA PARTE (PRINCÍPIO DA DEMANDA), MAIS CERTO, AINDA, QUE, ENGENDRADA AQUELA PRIMEIRA INICIATIVA, DESENVOLVE-SE POR "IMPULSO OFICIAL" - MOMENTO A PARTIR DO QUAL PASSAM A SURGIR DIREITOS, DEVERES, FACULDADES E ÔNUS PARA OS PARTÍCIPES DA RELAÇÃO PROCESSUAL -, E COMPLETA-SE COM A "CONVOCAÇÃO DO DEMANDADO", QUE TAMBÉM PASSA A SOFRER OS EFEITOS MATERIAIS E PROCESSUAIS DA CITAÇÃO, INCLUSIVE COM POSSIBILIDADE DE RETROAÇÃO NO TEMPO (PROPOSITURA DA AÇÃO), A EXEMPLO DO QUE SE VERIFICA, SEGUNDO PARCELA DA JURISPRUDÊNCIA, NAS HIPÓTESES DE FRAUDE À EXECUÇÃO. NESSE SENTIDO AS ORIENTAÇÕES DO PROFESSOR LUIZ FUX (CURSO DE DIREITO PROCESSUAL CIVIL, 3ª ED., P. 416), AO ESCLARECER QUE "HÁ EFEITOS MATERIAIS E PROCESSUAIS QUE INFLUEM SOBRE A ESFERA JURÍDICA DO RÉU, APÓS A SUA CITAÇÃO, MUITO EMBORA A LEI POSSA RETROTRAÍ-LOS PARA MOMENTO ANTERIOR MESMO A ESSA CONVOCAÇÃO. ASSIM, OS EFEITOS PASSAM A DEPENDER DA CITAÇÃO MAS SE CONSIDERAM PRODUZIDOS RETROATIVAMENTE DESDE A PROPOSITURA DA AÇÃO. ASSIM, V.G., A COISA TORNA-SE LITIGIOSA APÓS A CITAÇÃO DO RÉU. MAS UMA VEZ ENCETADA A COMUNICAÇÃO PROCESSUAL, TEM-SE O OBJETO COMO LITIGIOSO DESDE A PROPOSITURA; TÊ-LO-Á FEITO JÁ AFETADO AOS FINS DO PROCESSO, CONCLUSÃO A CUJO RESPEITO NÃO HÁ UNANIMIDADE. ISTO PORQUE HÁ CORRENTES QUE EXIGEM PARA A CONFIGURAÇÃO DA FRAUDE À EXECUÇÃO A CITAÇÃO VÁLIDA, SENDO INSUFICIENTE A SIMPLES PROPOSITURA DA AÇÃO (STJ - RT, 659/196) CONTRARIAMENTE AO NOSSO ENTENDER TAMBÉM PRESTIGIADO PELA JURISPRUDÊNCIA (RT, 708/115) ". (SUBLINHEI) O ILUSTRE PROFESSOR RESSALTA, AINDA (OP. CIT., P. 230), QUE "NÃO OBSTANTE A LEI VEDE A PRÁTICA DE ATOS PROCESSUAIS DURANTE O DECURSO DO PRAZO DE SUSPENSÃO DO PROCESSO, ESSA REGRA GERAL CEDE AO PERICULUM IN MORA, RAZÃO PELA QUAL, HAVENDO DIREITO MATERIAL OU PROCESSUAL EM ESTADO DE PERICLITAÇÃO, É LÍCITO À PARTE REQUERER E AO JUÍZO DEFERIR A REALIZAÇÃO DE ATOS ACAUTELATÓRIOS". (SUBLINHEI) E MAIS: "NAS HIPÓTESES EM QUE A CAUSA DE SUSPENSÃO IMPLICA DESLOCAMENTO DO PROCESSO PARA A SUPERIOR INSTÂNCIA, COMO, V.G., NO IMPEDIMENTO DO JUIZ, O RELATOR DO INCIDENTE DETERMINA A PRÁTICA DO ATO URGENTE." ESTA, EM LINHAS GERAIS, A SITUAÇÃO QUE SE CONSTATA NOS PRESENTES AUTOS, POIS, MESMO QUE NÃO TENHA SIDO O RELATOR DESIGNADO PARA O JULGAMENTO DA EXCEÇÃO DE SUSPEIÇÃO SUSOREFERIDA (PROCESSO N.º ), NÍTIDA A PREVENÇÃO QUE DECORRE DO FATO DE TER SIDO DESIGNADO PARA A RELATORIA DE RECURSO ORIGINADO DE PROCESSO CAUTELAR FUNCIONALMENTE LIGADO À EXECUÇÃO DE ORIGEM, NOS TERMOS DO DESPACHO DE FL ASSIM, EM QUE PESE O FATO DO AGRAVANTE TER OPOSTO, JUNTAMENTE COM A EXECUÇÃO PROPOSTA NO JUÍZO DE ORIGEM, EXCEÇÃO DE SUSPEIÇÃO, O FEZ SEM DESVENCILHAR-SE DOS PERMISSIVOS LEGAIS APLICÁVEIS À ESPÉCIE, NÃO SE PODENDO ADMITIR QUE SEJA PREJUDICADO POR TER RECORRIDO AO JUDICIÁRIO, MORMENTE QUANDO VEDADA A AUTOTUTELA (MONOPÓLIO DA JURISDIÇÃO). DESTARTE, A DETERMINAÇÃO DA CITAÇÃO, TAL COMO ORA SE PRETENDE, ENCONTRA RESPALDO, COMO VISTO, NA JURISPRUDÊNCIA E NA DOUTRINA, BEM COMO, NOS PRINCÍPIOS QUE INSPIRAM A CELERIDADE E A EFETIVIDADE DA PRESTAÇÃO JURISDICIONAL, MORMENTE SE CONSIDERADA A POSSIBILIDADE DA EXECUÇÃO TORNAR-SE INFRUTÍFERA, O QUE PODE SER FACILMENTE CONSTATADO COM A SIMPLES ANÁLISE DA DOCUMENTAÇÃO COLACIONADA NOS AUTOS DA EXECUÇÃO ORIGINÁRIA (CÓPIA ÀS FLS. 16/114), A QUAL REVELA A EXISTÊNCIA DE EXPRESSIVO MONTANTE A SER SOLVIDO, CONSTITUIÇÃO EM MORA, E INÚMEROS TÍTULOS PROTESTADOS. POR ÓBVIO, A COMPLEMENTAÇÃO DA RELAÇÃO PROCESSUAL - POR INTERMÉDIO DA CITAÇÃO -, ALÉM DE POSSIBILITAR A REGULAR COMPLEMENTAÇÃO DA RELAÇÃO PROCESSUAL, TERÁ O CONDÃO DE ACARRETAR, POR SI SÓ, EFEITOS ACAUTELATÓRIOS DO RESULTADO ÚTIL DA EXECUÇÃO AJUIZADA (EX VI DO ART. 219, CAPUT, DO CPC), DE MODO A EVITAR POSSÍVEL DANO IRREPARÁVEL, INCLUSIVE NO QUE CONCERNE À POSSIBILIDADE DE FRAUDE DE EXECUÇÃO. É PACÍFICO O ENTENDIMENTO NESTA CORTE NO SENTIDO DE QUE SÓ HÁ A CONFIGURAÇÃO DE FRAUDE À EXECUÇÃO QUANDO O ATO TENDENTE A FRUSTRAR A SATISFAÇÃO DO CRÉDITO TENHA OCORRIDO APÓS A CITAÇÃO VÁLIDA DO DEVEDOR. (RESP / SP - DJ QUINTA TURMA - REL. MINISTRA LAURITA VAZ). TAIS CONSIDERAÇÕES TEM O CONDÃO DE JUSTIFICAR, DE MANEIRA INDENE DE DÚVIDAS, O PROVIMENTO DO MÉRITO RECURSAL, VEZ QUE CONSTATADA A NECESSIDADE DO ATO JURISDICIONAL PRETENDIDO (PERICULUM IN MORA), TENDENTE A AFASTAR POSSÍVEL PREJUÍZO DE DIFÍCIL REPARAÇÃO. DIANTE DO EXPOSTO, CONSTATADA A URGÊNCIA E A NECESSIDADE DA REALIZAÇÃO DO ATO PRETENDIDO, BEM COMO, A POSSIBILIDADE DE DEMORA NA CITAÇÃO POR MOTIVOS INERENTES AO MECANISMO DA JUSTIÇA - MOTIVOS QUE, CONFORME ENTENDIMENTO DO STJ E DA DOUTRINA, JUSTIFICAM A REALIZAÇÃO DE ATOS URGENTES -, CONHEÇO DO RECURSO, E LHE DOU PROVIMENTO. DETERMINO, EM CONSEQÜÊNCIA, QUE SEJA PROMOVIDA, NA FORMA DE ESTILO, A CITAÇÃO DOS ORA AGRAVADOS/EXECUTADOS - NOS AUTOS DA EXECUÇÃO POR QUANTIA CERTA CONTRA DEVEDOR SOLVENTE (PROCESSO Nº , EM CURSO NA 9ª VARA CÍVEL DE VITÓRIA/ES - COMARCA DA CAPITAL) -, OBSERVADO, PARA TANTO, O DISPOSTO NO 2º, ART. 219, DO CPC. CUMPRA-SE. INTIME-SE. COMUNIQUE-SE. PUBLIQUE-SE NA ÍNTEGRA. VITÓRIA, 28 DE FEVEREIRO DE DES. FREDERICO GUILHERME PIMENTEL RELATOR 3 AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº AGVTE.: ESTADO DO ESPÍRITO SANTO ADVOGADO: CLAUDIO PENEDO MADUREIRA AGVDO.: ABC COMERCIO DE ABRASIVOS LTDA ADVOGADO: JOSE MASSUCATI ADVOGADO: VALDIR MASSUCATTI RELATOR: FREDERICO GUILHERME PIMENTEL AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº AGVTE: ESTADO DO ESPÍRITO SANTO AGVDA: ABC COMÉRCIO DE ABRASIVOS LTDA. RELATOR: DES. FREDERICO GUILHERME PIMENTEL DECISÃO TRATA-SE DE AGRAVO DE INSTRUMENTO, COM PEDIDO DE EFEITO SUSPENSIVO, INTERPOSTO PELO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, EIS QUE IRRESIGNADO COM A R. DECISÃO DE FLS. 67/68 (CÓPIA), PROFERIDA NOS AUTOS DO MANDADO DE SEGURANÇA IMPETRADO POR ABC COMÉRCIO DE ABRASIVOS LTDA., POR MEIO DA QUAL O ÍNCLITO MAGISTRADO "A QUO" DETERMINOU, LIMINARMENTE, QUE O IMPETRADO/AGRAVANTE PROCEDESSE À ALTERAÇÃO CADASTRAL DA IMPETRANTE/AGRAVADA. ALEGA, EM SÍNTESE, QUE A AUTORIDADE APONTADA COMO COATORA É PARTE ILEGÍTIMA PARA FIGURAR NO POLO PASSIVO DO "MANDAMUS", VEZ QUE O ATO OBJURGADO TERIA SIDO PRATICADO POR AUTORIDADE HIERARQUICAMENTE SUPERIOR - SR. GERENTE FAZENDÁRIO DA REGIÃO NORDESTE -, BEM COMO, QUE NÃO HÁ DIREITO SUBJETIVO A AMPARAR A PRETENSÃO DA

17 19 Sexta-Feira 23 de Março de 2007 Edição nº 3040 D.J. ESPÍRITO SANTO IMPETRANTE/AGRAVADA, VEZ QUE A DECISÃO ESTÁ RESPALDADA PELA LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA. VISLUMBRO, NA ESPÉCIE, O DISPOSTO NO ART. 557, CAPUT, DO CPC, SENDO POSSÍVEL AO RELATOR NEGAR SEGUIMENTO (RECTIUS PROVIMENTO) MONOCRATICAMENTE AO RECURSO: "ART O RELATOR NEGARÁ SEGUIMENTO A RECURSO MANIFESTAMENTE INADMISSÍVEL, IMPROCEDENTE, PREJUDICADO OU EM CONFRONTO COM SÚMULA OU COM JURISPRUDÊNCIA DOMINANTE DO RESPECTIVO TRIBUNAL, DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, OU DE TRIBUNAL SUPERIOR." (REDAÇÃO DADA PELA LEI Nº 9.756, DE ) NÃO MERECE SER ACOLHIDA A PRESENTE PRETENSÃO RECURSAL. EM QUE PESE O FATO DE TER SUSTENTADO A EXISTÊNCIA DE DOIS MOTIVOS PARA O INDEFERIMENTO DA ALTERAÇÃO CADASTRAL PRETENDIDA (DESCOMPASSO ENTRE O PATRIMÔNIO DOS SÓCIOS E A MOVIMENTAÇÃO FINANCEIRA, E VÍCIO NA IDENTIFICAÇÃO DO ENDEREÇO DE UM DOS SÓCIOS), O CERTO É QUE A DECISÃO ADMINISTRATIVA QUE VEIO A SER OBJETO DO "MANDAMUS" ESTÁ AMPARADA, TÃO SOMENTE, NAQUELE PRIMEIRO MOTIVO, CONFORME CONSTA DO OFÍCIO DE COMUNICAÇÃO N.º 775/2006 (CÓPIA FL. 23). REFERIDO OFÍCIO, ENTRETANTO - AINDA QUE TENHA RESULTADO DA APRECIAÇÃO DE PEDIDO DE RECONSIDERAÇÃO ANALISADO PELO SR. GERENTE FAZENDÁRIO DA REGIÃO NORDESTE, TAL QUAL INFORMADO PELO AGRAVANTE -, VEIO A SER SUBSCRITO PELO CHEFE DA AGÊNCIA DA RECEITA ESTADUAL EM LINHARES, AUTORIDADE EFETIVAMENTE INDICADA COMO COATORA (CÓPIA FL. 16). NA HIPÓTESE, A LEGITIMIDADE DA AUTORIDADE APONTADA COMO COATORA ESTÁ SOMBREADA NÃO APENAS NO FATO DE EXERCER A CHEFIA DAQUELA ARE EM LINHARES, MAS, TAMBÉM, PELO FATO DE TER SIDO SUBSCRITORA DO ATO DE INDEFERIMENTO (OFÍCIO N.º 775/2006), O QUE A ENCONTRAR SINTONIA EM PRECEDENTE JURISPRUDENCIAL. VEJA-SE: OCORRE QUE AUTORIDADE COATORA É AQUELE QUE POR AÇÃO OU OMISSÃO DEU CAUSA À LESÃO JURÍDICA IMPUGNADA, DE MODO QUE NÃO SE OBSERVA A AUSÊNCIA DE LEGITIMIDADE DA AUTORIDADE ORA INDICADA, PORQUANTO SUBSCREVEU O ATO NORMATIVO IMPUGNADO, POSSUINDO, PORTANTO, LEGITIMIDADE PARA FIGURAR NO PÓLO PASSIVO DA AÇÃO MANDAMENTAL. (RESP / MG - DJ PRIMEIRA TURMA - REL. MIN. FRANCISCO FALCÃO) DA MESMA FORMA, AGORA NO QUE CONCERNE À ALEGAÇÃO DA INEXISTÊNCIA DE DIREITO SUBJETIVO, NÃO HÁ QUALQUER REPARO A SER FEITO EM RELAÇÃO AOS FUNDAMENTOS DA DECISÃO RECORRIDA, VEZ QUE CONDIZENTES COM O ORDENAMENTO PÁTRIO E COM A LEGISLAÇÃO ESPECÍFICA APLICÁVEL À ESPÉCIE (ART. 49 DO RICMS/ES, APROVADO PELO DECRETO R). VEJA-SE: DITO ISTO, NÃO VEJO MOTIVOS PLAUSÍVEIS PARA O INDEFERIMENTO, UMA VEZ QUE A INCOMPATIBILIDADE ALEGADA PARA O INDEFERIMENTO PODERÁ SER TEMA DE INVESTIGAÇÃO DO FISCO E RESPONSABILIZAÇÃO TRIBUTÁRIA OU CRIMINAL DOS RESPONSÁVEIS EM CASO DE IRREGULARIDADES. A VERDADE, NESTE MOMENTO, É QUE A INCOMPATIBILIDADE ALEGADA NÃO É CONDIÇÃO DETERMINADA PELO DECRETO R DE 25/10/2002 (ARTIGO 49) PARA A DESEJADA ALTERAÇÃO CADASTRAL. TAIS CONSTATAÇÕES REVELAM, DE MANEIRA INDENE DE DÚVIDAS, QUE A DECISÃO OBJURGADA NÃO SE MOSTRA ILEGAL, ABUSIVA, OU TERATOLÓGICA, VEZ QUE SOMBREADA PELO PODER GERAL DE CAUTELA CONFERIDO AOS MAGISTRADOS QUANDO DA APRECIAÇÃO DE LIMINARES EM MANDADOS DE SEGURANÇA, O QUE A AFASTAR A POSSIBILIDADE DE REVISÃO JUNTO A SEGUNDA INSTÂNCIA. HÁ JURISPRUDÊNCIA: À PARLA DE LIMINAR, O CONVENCIMENTO DO JUIZ NATURAL SOMENTE DEVE SER SUBSTITUÍDO NA INSTÂNCIA RECURSAL QUANDO A DECISÃO REVELAR A ILEGALIDADE OU ABUSIVIDADE, UMA VEZ QUE O SEU CONTEÚDO, COM O SINETE DA PROVISORIEDADE, ESTÁ ADSTRITO A REQUISITOS ESSENCIAIS, CONEXOS OU ADITIVOS E NÃO ALTERNATIVOS (ART. 7º, II, LEI 1533/51). (RMS / SP - DJ PRIMEIRA TURMA - REL. MIN.L MILTON LUIZ PEREIRA) E MAIS: A CONCESSÃO OU DENEGAÇÃO DE LIMINAR, INSERE-SE NO PODER GERAL DO JUIZ. INEXISTINDO VÍCIOS, ILEGALIDADE OU ABUSO DE PODER, NEM DEMONSTRADAS CIRCUNSTÂNCIAS EXCEPCIONAIS QUE FAVORECERIAM O IMEDIATO PROVIMENTO JUDICIAL, A PRETENSÃO DE OBTER LIMINAR COM RECURSO ORDINÁRIO, VIA OBLÍQUA, SUBSTITUINDO ATIVIDADE DO JUIZ NATURAL, NÃO MERECE ACOLHIMENTO. (AGRG NA MC 3950 / SP - DJ PRIMEIRA TURMA - REL. MIN. MILTON LUIZ PEREIRA) DIANTE DE TODO O EXPOSTO, CONHEÇO DO RECURSO, MAS LHE NEGO PROVIMENTO. I-SE. COMUNIQUE-SE. PUBLIQUE-SE NA ÍNTEGRA. VITÓRIA, 27 DE FEVEREIRO DE DES. FREDERICO GUILHERME PIMENTEL RELATOR 4 APELAÇÃO CÍVEL Nº APTE.: INSTITUTO DE PREV ASS JER MONTEIRO-IPAJM ADVOGADO: RODRIGO DA ROCHA RODRIGUES APDO.: GENEDI PEREIRA DA SILVA ADVOGADO: ALEXANDRE SEVERIANO DUARTE ADVOGADO: BRENO PAVAN FERREIRA ADVOGADO: BRUNO PAVAN FERREIRA ADVOGADO: JAYME FERNANDES JÚNIOR ADVOGADO: MARCEL VITOR DE MAGALHÃES E GUERRA RELATOR: FREDERICO GUILHERME PIMENTEL PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL APELAÇÃO CÍVEL Nº APTE: INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA DOS SERVIDORES DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO - IPAJM APDO: GENEDI PEREIRA DA SILVA RELATOR: DES. FREDERICO GUILHERME PIMENTEL. DECISÃO TRATA-SE DE APELAÇÃO INTERPOSTA PELO INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA DOS SERVIDORES DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO - IPAJM CONTRA A SENTENÇA DE FLS. 191/197, DE LAVRA DO JUIZ DE DIREITO DA 2ª VARA DA FAZENDA PÚBLICA ESTADUAL DA COMARCA DE VITÓRIA/ES, EXARADA NOS AUTOS DA PRESENTE AÇÃO ORDINÁRIA, A QUAL JULGOU PROCEDENTES OS PEDIDOS CONTIDOS NA INICIAL, CONDENANDO O APELANTE À RESTITUIÇÃO DAS QUANTIAS COBRADAS INDEVIDAMENTE DOS PROVENTOS DA APELADA, A TÍTULO DE CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA, COMPREENDIDAS ENTRE A DATA DA APOSENTADORIA DA MESMA - 02/05/2003 -, ATÉ 31/12/2003 (DATA DA ENTRADA EM VIGOR DA EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 41/03). INSURGE-SE O RECORRENTE CONTRA A DECISÃO ATACADA SUSTENTANDO, EM SÍNTESE, QUE NÃO DEVE PROSPERAR A PRETENSÃO DA PARTE: AUTORAL, POSTO QUE TAL SITUAÇÃO JÁ FOI SUPERADA PELA EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 41/03, BEM COMO MEDIANTE O JULGAMENTO DAS ADIN S Nº 3105 E Nº 3128, ONDE RESTOU FIRMADA A POSSIBILIDADE DE DESCONTOS DE VALORES REFERENTES À CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA. AO FINAL, REQUER A REFORMA DA SENTENÇA DE PISO, PARA JULGAR IMPROCEDENTE OS PEDIDOS CONTIDOS NA EXORDIAL. POIS BEM. A QUESTÃO DA COBRANÇA DE CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA DE INATIVOS JÁ FOI ANALISADA POR ESTE EGRÉGIO TRIBUNAL, EM DIVERSAS OPORTUNIDADES. NESSE DIAPASÃO, O JULGAMENTO DO PRESENTE RECURSO DEVE SER FEITO POR MEIO DE DECISÃO MONOCRÁTICA, NA FORMA DO ART. 557, CAPUT, DO CPC, JÁ QUE É MANIFESTAMENTE IMPROCEDENTE. RESTOU PACIFICADO QUE A EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 20/98 NÃO ADMITIA A CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA DOS INATIVOS, REVOGANDO A LEI COMPLEMENTAR ESTADUAL Nº 109/97. ASSIM, A PARTIR DA VIGÊNCIA DA REFERIDA EMENDA, A CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA PASSOU A SER INEXIGÍVEL. DESSA FORMA, A APELADA OBJETIVOU COM O PRESENTE FEITO, A DEVOLUÇÃO DA QUANTIA QUE LHE FOI INDEVIDAMENTE DESCONTADA NO PERÍODO DE VIGÊNCIA DA EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 20/98. VERIFICA-SE QUE O MAGISTRADO A QUO AGIU CORRETAMENTE AO DEFERIR OS PEDIDOS AUTORAIS, SENÃO VEJAMOS:

18 20 Sexta-Feira 23 de Março de 2007 Edição nº 3040 D.J. ESPÍRITO SANTO COMO O PAGAMANETO DAS CONTRIBUIÇÕES INDEVIDAS SE DEU MEDIANTE DESCONTO DOS VALORES DOS PROVENTOS QUE DEVERIA A AUTORA RECEBER DESDE 02/05/2003, ATÉ A PROMULGAÇÃO DA EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 41/03, QUE SE DEU EM 19/12/2003, TEM ELA DIREITO A SER RESTITUÍDA DO INDÉBITO. A EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 41/03 INSTITUIU A CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA DOS INATIVOS E PENSIONISTAS, SENDO QUE ESTA FOI DEVIDAMENTE TRATADA NO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PELA LEI COMPLEMENTAR Nº 282/04, SENDO EXIGÍVEL A PARTIR DO PRIMEIRO DIA DO MÊS SUBSEQÜENTE AOS 90 DIAS DA DATA DA PUBLICAÇÃO DA REFERIDA LEI. ENTRETANTO, MESMO COM A VIGÊNCIA DA EC Nº 41/03, NÃO HÁ RAZÃO PARA REFORMAR A SENTENÇA DE PRIMEIRO GRAU, TENDO EM VISTA QUE OS DESCONTOS REALIZADOS FORAM FEITOS À ÉPOCA DA VIGÊNCIA DA EC Nº 20/98, DEVENDO TAIS VALORES SEREM DEVOLVIDOS A APELADA, SOB PENA DE ENRIQUECIMENTO ILÍCITO DA ADMINISTRAÇÃO. ANTE AO EXPOSTO, CONFORME ME AUTORIZA O ART. 557, CAPUT, DO CPC, NEGO SEGUIMENTO AO PRESENTE RECURSO, POR CONSIDERÁ-LO MANIFESTAMENTE IMPROCEDENTE. INTIME-SE POR PUBLICAÇÃO DESTA NA ÍNTEGRA. VITÓRIA, 13 DE MARÇO DE DES. FREDERICO GUILHERME PIMENTEL RELATOR 5 AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº AGVTE.: FUNDAÇAO BENEFICIENTE RIO DOCE ADVOGADO: RODRIGO DE SOUZA GRILLO AGVDO.: ANALIA DONA RIGONI ADVOGADO: JAMILSON SERRANO PORFIRIO RELATOR: FREDERICO GUILHERME PIMENTEL AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº AGVTE: FUNDAÇÃO BENEFICENTE RIO DOCE AGVDO: ANÁLIA DONA RIGONI RELATOR: DES. FREDERICO GUILHERME PIMENTEL DECISÃO TRATA-SE DE AGRAVO DE INSTRUMENTO, COM PEDIDO DE EFEITO SUSPENSIVO, INTERPOSTO POR FUNDAÇÃO BENEFICENTE RIO DOCE, EIS QUE IRRESIGNADO COM A R. DECISÃO DE FLS. 65/66 (CÓPIA), PROFERIDA NOS AUTOS DA AÇÃO DE INDENIZAÇÃO POR DANOS MORAIS E MATERIAIS MOVIDA POR ANÁLIA DONA RIGONI, NA QUAL O ÍNCLITO MAGISTRADO A QUO, APÓS REJEITAR A ARGÜIÇÃO DE PRESCRIÇÃO, DETERMINOU O PROSSEGUIMENTO DO FEITO. ADUZ, EM SÍNTESE, QUE ENTRE A DATA DO ACIDENTE (27/08/2001), E A DATA DO AJUIZAMENTO (16/02/2006), TERIA OCORRIDO A PRESCRIÇÃO, NOS TERMOS DO ART. 206, 3º, V, DO NOVO CÓDIGO CIVIL. É A SÍNTESE DOS FATOS. PASSO A DECIDIR. A TEOR DAS DISPOSIÇÕES CONSTANTES DO ART. 527, INCISO II (PRIMEIRA PARTE), DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL, OBSERVA-SE QUE O RELATOR CONVERTERÁ O AGRAVO DE INSTRUMENTO EM AGRAVO RETIDO, SALVO QUANDO SE TRATAR DE DECISÃO SUSCETÍVEL DE CAUSAR À PARTE LESÃO GRAVE E DE DIFÍCIL REPARAÇÃO (PERICULUM IN MORA). TODAVIA, NA HIPÓTESE VERTENTE, NÃO VEJO COMO PROSPERAR A POSSIBILIDADE DA INTERPOSIÇÃO POR INSTRUMENTO, VISTO NÃO TER RESTADO ACLARADA, INDENE DE DÚVIDAS, A POSSIBILIDADE DE LESÃO GRAVE E DE DIFÍCIL REPARAÇÃO. E ASSIM O É, VEZ QUE, CASO A PRETENSÃO POSTULADA NA AÇÃO ORIGINÁRIA VENHA A SER ACOLHIDA - QUANDO DO JULGAMENTO DA CAUSA PELO JUÍZO MONOCRÁTICO -, NADA OBSTA QUE O OBJETIVO PRETENDIDO COM A PRESENTE IRRESIGNAÇÃO RECURSAL POSSA SER ALCANÇADO COM A SUA REITERAÇÃO EM EVENTUAL APELO, NOS TERMOS DO ART. 523, 1º, DO CPC. ESTA, INCLUSIVE, A RATIO ESSENDI DO INSTITUTO. NÃO HÁ QUE SE FALAR, PORTANTO, NA EXISTÊNCIA DE PREJUÍZO CONCRETO EM DECORRÊNCIA DA DECISÃO RECORRIDA, MORMENTE SE CONSIDERADO O FATO DE TER SIDO ADOTADA UMA INTERPRETAÇÃO QUE NÃO SE MOSTRA, AO MENOS EM PRINCÍPIO, DESARRAZOADA. NESSE SENTIDO, ESCLARECEDORAS AS LIÇÕES DO PROFESSOR ERNANE FIDÉLIS DOS SANTOS - AS REFORMAS DE 2005 DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL, P , NOS SEGUINTES TERMOS: LESÃO GRAVE OU DE DIFÍCIL REPARAÇÃO, NA VERDADE, TEM SENTIDO PROCESSUAL, SE BEM POSSA TER REFERÊNCIA COM O PRÓPRIO DIREITO MATERIAL, SENDO CONSIDERADA COMO TAL QUANDO A NÃO-REALIZAÇÃO DO ATO OU SUA PRÁTICA PUDEREM TRAZER PREJUÍZOS CONCRETOS AO PROCESSO OU AO EXERCÍCIO DO DIREITO MATERIAL DA PARTE. NÃO HAVERÁ, EM PRINCÍPIO, POR EXEMPLO, LESÃO GRAVE OU DE DIFÍCIL REPARAÇÃO SE A PROVA PERICIAL FOR INDEFERIDA, OU SE DETERMINADA TESTEMUNHA FOR REJEITADA, OU SE O JUIZ NEGAR A EXTINÇÃO DO PROCESSO POR ABANDONO, OU SE NÃO RECONHECER PEREMPÇÃO, LITISPENDÊNCIA OU COISA JULGADA, POR QUE, SE AFINAL PROVIDO O AGRAVO, O EFEITO DA DECISÃO SIMPLESMENTE PASSA A SER PREJUDICIAL DA SENTENÇA PROFERIDA. DIANTE DO EXPOSTO, CONSIDERANDO O ARRAZOADO RETRO, CONVERTO O PRESENTE AGRAVO DE INSTRUMENTO EM AGRAVO RETIDO, NOS TERMOS DO ART. 527, INCISO II, DO CPC. EM CONSEQÜÊNCIA, DETERMINO A REMESSA DOS AUTOS AO JUÍZO DE ORIGEM, A FIM DE QUE SEJAM APENSADOS AOS AUTOS PRINCIPAIS E EVENTUALMENTE REITERADOS POR OCASIÃO DA APELAÇÃO (ART. 523, 1º, DO CPC). INTIME-SE. DILIGENCIE-SE. PUBLIQUE-SE NA ÍNTEGRA. VITÓRIA, 14 DE MARÇO DE DES. FREDERICO GUILHERME PIMENTEL RELATOR 6 AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº AGVTE.: HONORIO NEVES RAMALHO ADVOGADO: FABRICIO PERES SALES AGVDO.: ANALIA DONA RIGONI ADVOGADO: JAMILSON SERRANO PORFIRIO RELATOR: FREDERICO GUILHERME PIMENTEL AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº AGVTE: HONÓRIO NEVES RAMALHO AGVDO: ANÁLIA DONA RIGONI RELATOR: DES. FREDERICO GUILHERME PIMENTEL DECISÃO TRATA-SE DE AGRAVO DE INSTRUMENTO, COM PEDIDO DE EFEITO SUSPENSIVO, INTERPOSTO POR HONÓRIO NEVES RAMALHO, EIS QUE IRRESIGNADO COM A R. DECISÃO DE FLS. 15/16 (CÓPIA), PROFERIDA NOS AUTOS DA AÇÃO DE INDENIZAÇÃO POR DANOS MORAIS E MATERIAIS MOVIDA POR ANÁLIA DONA RIGONI, NA QUAL O ÍNCLITO MAGISTRADO A QUO, APÓS REJEITAR A ARGÜIÇÃO DE PRESCRIÇÃO, DETERMINOU O PROSSEGUIMENTO DO FEITO. ADUZ, EM SÍNTESE, QUE ENTRE A DATA DO ACIDENTE (27/08/2001), E A DATA DO AJUIZAMENTO (16/02/2006), TERIA OCORRIDO A PRESCRIÇÃO, NOS TERMOS DO ART. 206, 3º, V, DO NOVO CÓDIGO CIVIL. É A SÍNTESE DOS FATOS. PASSO A DECIDIR. A TEOR DAS DISPOSIÇÕES CONSTANTES DO ART. 527, INCISO II (PRIMEIRA PARTE), DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL, OBSERVA-SE QUE O RELATOR CONVERTERÁ O AGRAVO DE INSTRUMENTO EM AGRAVO RETIDO, SALVO QUANDO SE TRATAR DE DECISÃO SUSCETÍVEL DE CAUSAR À PARTE LESÃO GRAVE E DE DIFÍCIL REPARAÇÃO (PERICULUM IN MORA). TODAVIA, NA HIPÓTESE VERTENTE, NÃO VEJO COMO PROSPERAR A POSSIBILIDADE DA INTERPOSIÇÃO POR INSTRUMENTO, VISTO NÃO TER RESTADO ACLARADA, INDENE DE DÚVIDAS, A POSSIBILIDADE DE LESÃO GRAVE E DE DIFÍCIL REPARAÇÃO. E ASSIM O É, VEZ QUE, CASO A PRETENSÃO POSTULADA NA AÇÃO ORIGINÁRIA VENHA A SER ACOLHIDA - QUANDO DO JULGAMENTO DA CAUSA PELO JUÍZO MONOCRÁTICO -, NADA OBSTA QUE O OBJETIVO PRETENDIDO COM A PRESENTE IRRESIGNAÇÃO RECURSAL POSSA SER ALCANÇADO COM A SUA REITERAÇÃO EM EVENTUAL APELO, NOS TERMOS DO ART. 523, 1º, DO CPC. ESTA, INCLUSIVE, A RATIO ESSENDI DO INSTITUTO. NÃO HÁ QUE SE FALAR, PORTANTO, NA EXISTÊNCIA DE PREJUÍZO CONCRETO EM DECORRÊNCIA DA DECISÃO RECORRIDA, MORMENTE SE CONSIDERADO O FATO DE TER SIDO ADOTADA UMA INTERPRETAÇÃO QUE NÃO SE MOSTRA, AO MENOS EM PRINCÍPIO, DESARRAZOADA.

19 21 Sexta-Feira 23 de Março de 2007 Edição nº 3040 D.J. ESPÍRITO SANTO NESSE SENTIDO, ESCLARECEDORAS AS LIÇÕES DO PROFESSOR ERNANE FIDÉLIS DOS SANTOS - AS REFORMAS DE 2005 DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL, P , NOS SEGUINTES TERMOS: LESÃO GRAVE OU DE DIFÍCIL REPARAÇÃO, NA VERDADE, TEM SENTIDO PROCESSUAL, SE BEM POSSA TER REFERÊNCIA COM O PRÓPRIO DIREITO MATERIAL, SENDO CONSIDERADA COMO TAL QUANDO A NÃO-REALIZAÇÃO DO ATO OU SUA PRÁTICA PUDEREM TRAZER PREJUÍZOS CONCRETOS AO PROCESSO OU AO EXERCÍCIO DO DIREITO MATERIAL DA PARTE. NÃO HAVERÁ, EM PRINCÍPIO, POR EXEMPLO, LESÃO GRAVE OU DE DIFÍCIL REPARAÇÃO SE A PROVA PERICIAL FOR INDEFERIDA, OU SE DETERMINADA TESTEMUNHA FOR REJEITADA, OU SE O JUIZ NEGAR A EXTINÇÃO DO PROCESSO POR ABANDONO, OU SE NÃO RECONHECER PEREMPÇÃO, LITISPENDÊNCIA OU COISA JULGADA, POR QUE, SE AFINAL PROVIDO O AGRAVO, O EFEITO DA DECISÃO SIMPLESMENTE PASSA A SER PREJUDICIAL DA SENTENÇA PROFERIDA. DIANTE DO EXPOSTO, CONSIDERANDO O ARRAZOADO RETRO, CONVERTO O PRESENTE AGRAVO DE INSTRUMENTO EM AGRAVO RETIDO, NOS TERMOS DO ART. 527, INCISO II, DO CPC. EM CONSEQÜÊNCIA, DETERMINO A REMESSA DOS AUTOS AO JUÍZO DE ORIGEM, A FIM DE QUE SEJAM APENSADOS AOS AUTOS PRINCIPAIS E EVENTUALMENTE REITERADOS POR OCASIÃO DA APELAÇÃO (ART. 523, 1º, DO CPC). INTIME-SE. DILIGENCIE-SE. PUBLIQUE-SE NA ÍNTEGRA. VITÓRIA, 14 DE MARÇO DE DES. FREDERICO GUILHERME PIMENTEL RELATOR 7 EMBARGOS DE DECLARAÇÃO EMB DECLARAÇÃO AGV INSTRUMENTO Nº EMGTE.: PRESTKAT PRESTADORA DE SERVIÇOS LTDA. ME ADVOGADO: KARINA KELLY PETRONETTO EMGDO.: R S B (MENOR IMPUBERE) ADVOGADO: HANDERSON LOUREIRO GONCALVES EMGDO.: ROBERTO BARBOSA ADVOGADO: HANDERSON LOUREIRO GONCALVES RELATOR: FREDERICO GUILHERME PIMENTEL RELATOR: FREDERICO GUILHERME PIMENTEL PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL EMB. DECLARAÇÃO NO AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº EMBGTE: PRESTKAT PRESTADORA DE SERVIÇOS LTDA-ME EMBDA: ROBERTO BARBOSA E OUTRO RELATOR: DES. FREDERICO GUILHERME PIMENTEL DECISÃO TRATA-SE DE EMBARGOS DE DECLARAÇÃO, OPOSTOS POR PRESTKAT PRESTADORA DE SERVIÇOS LTDA-ME, SOB A ALEGAÇÃO DE OMISSÃO NA DECISÃO DE FLS. 66/68, A QUAL NEGOU PROVIMENTO AOS EMBARGOS DE DECLARAÇÃO ANTERIORMENTE OPOSTOS. NESTE RECURSO, A EMBARGANTE ALEGA, EM SÍNTESE, QUE " (...) TEMOS QUE, APÓS LER E RELER O ACÓRDÃO IMPUGNADO, NÃO FORA LOCALIZADO EM NENHUM MOMENTO, QUALQUER MANIFESTAÇÃO ACERCA DA PRODUÇÃO DAS PROVAS PRETENDIDAS, DEFERIDAS PELO MM. JUIZ DE PISO, E QUE NÃO FORAM REALIZADAS". EM PRIMEIRO PLANO, DEVE-SE DESTACAR QUE FOI NEGADO SEGUIMENTO AO AGRAVO DE INSTRUMENTO POR AUSÊNCIA DE PEÇAS NECESSÁRIAS À COMPREENSÃO DA CONTROVÉRSIA, RAZÃO PELA QUAL ESTE RELATOR NÃO ESTÁ OBRIGADO A MANIFESTAR-SE ACERCA DE OUTROS PONTOS. TAL FATO, POR SI SÓ, JÁ É SUFICIENTE PARA FRUSTRAR AS PRETENSÕES DA AGRAVANTE. NÃO OBSTANTE A ISSO, A RECORRENTE LIMITA-SE A REPETIR OS TERMOS DOS EMBARGOS DE DECLARAÇÃO ANTERIORMENTE OPOSTOS, O QUE DEIXA EVIDENTE O CARÁTER PROTELATÓRIO DO PRESENTE RECURSO, ENQUADRANDO-SE, POIS, NA PENALIDADE ESTATUÍDA NO ART. 538, PARÁGRAFO ÚNICO DO CPC. ANTE AO EXPOSTO, CONHEÇO DO RECURSO E LHE NEGO PROVIMENTO, NA FORMA DAS RAZÕES ACIMA DELINEADAS. CONSIDERANDO QUE É O SEGUNDO EMBARGOS DE DECLARAÇÃO ATACANDO EXATAMENTE A MESMA MATÉRIA, O TENHO COMO PROCRASTINATÓRIO E, VIA DE CONSEQÜÊNCIA, APLICO MULTA NA RAZÃO DE 1% SOBRE O VALOR DADO À CAUSA EM FAVOR DOS AGRAVADOS. INTIME-SE POR PUBLICAÇÃO DESTA NA ÍNTEGRA. VITÓRIA, 13 DE MARÇO DE DES. FREDERICO GUILHERME PIMETEL RELATOR 8 APELAÇÃO CÍVEL Nº APTE.: GEISEL DELAMURA DO CARMO ADVOGADA: CINTIA DE MELO VASCONCELLOS ADVOGADO: DELI BORGES ADVOGADO: GUILHERME VIANA RANDOW ADVOGADO: MARIA IVONETE RODRIGUES PEGO APDO.: BANCO ABN AMRO REAL S/A ADVOGADO: CELSO DE LIMA BUZZONI ADVOGADO: FABIO A MORITA ADVOGADO: FERNANDA B A YAMAMOTO ADVOGADO: MARIA CATARINA DE OLIVEIRA ADVOGADO: MAURICIO IZZO LOSCO ADVOGADO: NADIA CELINA AOKI ADVOGADO: ODIVAL FONSECA JUNIOR ADVOGADA: ROBERTA ARENQUE ROSIN ADVOGADO: ROSANE ARENA MUNIZ ADVOGADO: VINICIOS CAMOS BOTELHO ADVOGADA: VIVIANE ALEXANDRA VIEIRA PEREIRA RELATOR: ANNIBAL DE REZENDE LIMA REVISOR: ARNALDO SANTOS SOUZA APELAÇÃO CÍVEL Nº APELANTE: GEISEL DELAMURA DO CARMO APELADO: BANCO ABN AMRO REAL S/A RELATOR: DES. ANNIBAL DE REZENDE LIMA DECISÃO PROCESSO CIVIL - APELAÇÃO CÍVEL - PEDIDO DE EFEITO SUSPENSIVO - DESISTÊNCIA - EFEITOS IMEDIATOS. 1. NOS TERMOS DO ART. 501, DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL, A DESISTÊNCIA DO RECURSO GERA EFEITOS IMEDIATOS, ACARRETANDO NO SEU NÃO CONHECIMENTO. 2. RECURSO INADMITIDO. CUIDAM OS AUTOS DE RECURSO DE APELAÇÃO INTERPOSTO POR GEISEL DELAMURA DO CARMO, ÀS FLS. 248/264, CONTRA A R. SENTENÇA DE FLS. 229/237, QUE JULGOU IMPROCEDENTES OS PEDIDOS FORMULADOS EM FACE DE ABN AMRO REAL S/A, ORA APELADO, NOS AUTOS DA PRESENTE AÇÃO ORDINÁRIA. EM SEU RECURSO, O APELANTE ALEGA, PRELIMINARMENTE, NULIDADE DA SENTENÇA. NO MÉRITO, PEDE A REFORMA DA SENTENÇA ORA HOSTILIZADA, REQUERENDO(A) SEJA UTILIZADA A TABELA PRICE DE MODO AMORTIZAR AS PARCELAS ANTES DE CORRIGIR O SALDO DEVEDOR;(B) A SUBSTITUIÇÃO DA TAXA REFERENCIAL (TR) PELO ÍNDICE NACIONAL DE PREÇOS AO CONSUMIDOR (INPC) ;(C) O RECONHECIMENTO DA APLICABILIDADE DO CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR;(D) EXCLUSÃO DA INCIDÊNCIA DA MORA; E(E) CONDENAÇÃO DO APELADO A RESTITUIR EM DOBRO O VALOR DO SALDO DEVEDOR EXIGIDO ABUSIVAMENTE. ÀS FLS. 281/307, O APELADO APRESENTOU CONTRA-RAZÕES RECURSAIS. É O BREVE RELATÓRIO. DECIDO. OS CONTORNOS DA DEMANDA SÃO SINGELOS, AUTORIZANDO DECISÃO MONOCRÁTICA PELO RELATOR, NA FORMA DO ART. 557, CAPUT, DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL. COMO SE OBSERVA, A APELANTE, À FL. 317, PROTOCOLOU PETIÇÃO NA QUAL REQUER, EXPRESSAMENTE, A DESISTÊNCIA DO PRESENTE RECURSO. É SABIDO QUE, NOS TERMOS DO ART. 501, DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL, A DESISTÊNCIA DO RECURSO GERA EFEITOS IMEDIATOS, ACARRETANDO NA INADMISSIBILIDADE DO ATO RECURSAL. NESSE SENTIDO DECIDIU ESTE EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA, NO JULGAMENTO DO RECURSO DE AGRAVO DE INSTRUMENTO N.º , DE QUE FOI RELATOR O EXMº SR. DES. ARNALDO SANTOS SOUZA. VEJA-SE:

20 22 Sexta-Feira 23 de Março de 2007 Edição nº 3040 D.J. ESPÍRITO SANTO AGRAVO DE INSTRUMENTO. DESISTÊNCIA RECURSAL HOMOLOGADA. RECURSO NÃO CONHECIDO. MANIFESTADA A DESISTÊNCIA RECURSAL, NA FORMA DO ART. 501, DO CPC, HOMOLOGA-SE A MESMA E NÃO SE CONHECE DO AGRAVO, POR FALTA DE INTERESSE RECURSAL SUPERVENIENTE. POR TAIS RAZÕES, HOMOLOGO O PEDIDO DE DESISTÊNCIA E INADMITO O RECURSO DE APELAÇÃO, POR CARÊNCIA DE INTERESSE RECURSAL, NOS TERMOS DO ART. 557, CAPUT, DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL. DECLARO SEM EFEITO O RELATÓRIO LANÇADO ÀS FLS. 313/314. INTIME-SE DESTA DECISÃO EM SEU INTEIRO TEOR. PRECLUSAS AS VIAS RECURSAIS, REMETAM-SE OS AUTOS AO JUÍZO DE ORIGEM. PUBLIQUE-SE. VITÓRIA, 14 DE FEVEREIRO DE DES. ANNIBAL DE REZENDE LIMARELATOR 9 APELAÇÃO CÍVEL Nº APTE.: GEISEL DALAMURA DO CARMO ADVOGADO: DELI BORGES ADVOGADO: GUILHERME VIANA RANDOW APDO.: BANCO ABN AMRO REAL SA ADVOGADO: ANTONIO VALDIR UBEDA LAMERA ADVOGADO: GERSON GARCIA CERVANTES ADVOGADO: JOSE ALVES DE MORAES FERREIRA ADVOGADO: LUIZ CARLOS M ABREU ADVOGADA: MICHELE JERONIMO ADVOGADO: ODIVAL FONSECA JUNIOR ADVOGADO: ROSANE ARENA MUNIZ ADVOGADO: SILVIA SCORSATO ADVOGADA: VERONICA FERNANDA AHNERT RELATOR: ANNIBAL DE REZENDE LIMA REVISOR: ARNALDO SANTOS SOUZA APELAÇÃO CÍVEL Nº APELANTE: GEISEL DELAMURA DO CARMO APELADO: BANCO ABN AMRO REAL S/A RELATOR: DES. ANNIBAL DE REZENDE LIMA DECISÃO PROCESSO CIVIL - RECURSO DE APELAÇÃO - MEDIDA CAUTELAR INOMINADA - DESISTÊNCIA - EFEITOS IMEDIATOS. 1. NOS TERMOS DO ART. 501, DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL, A DESISTÊNCIA DO RECURSO GERA EFEITOS IMEDIATOS, ACARRETANDO NO SEU NÃO CONHECIMENTO. 2. RECURSO INADMITIDO. CUIDAM OS PRESENTES AUTOS DE RECURSO DE APELAÇÃO (FLS. 135/149) INTERPOSTO POR GEISEL DELAMURA DO CARMO CONTRA A R. SENTENÇA DE FLS. 129/131, QUE JULGOU IMPROCEDENTE A MEDIDA CAUTELAR INOMINADA MOVIDA EM FACE DE BANCO ABN AMRO REAL S/A, ORA APELADO. PELAS RAZÕES DE FLS. 135/149, O APELANTE ALEGA, PRELIMINARMENTE, NULIDADE DA SENTENÇA. NO MÉRITO, PEDE A REFORMA DA SENTENÇA ORA HOSTILIZADA, AFIRMANDO ESTAREM PRESENTES O FUMUS BONI IURIS E O PERICULUM IN MORA. PELAS CONTRA-RAZÕES DE FLS. 152/169, O APELADO PUGNA PELA MANUTENÇÃO DA SENTENÇA VERGASTADA. É O BREVE RELATÓRIO. DECIDO. OS CONTORNOS DA DEMANDA SÃO SINGELOS, AUTORIZANDO DECISÃO MONOCRÁTICA PELO RELATOR, NA FORMA DO ART. 557, CAPUT, DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL. COMO SE OBSERVA, O APELANTE, À FL. 177, PROTOCOLOU PETIÇÃO NA QUAL REQUER, EXPRESSAMENTE, A DESISTÊNCIA DO PRESENTE RECURSO. É SABIDO QUE, NOS TERMOS DO ART. 501, DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL, A DESISTÊNCIA DO RECURSO GERA EFEITOS IMEDIATOS, ACARRETANDO NA INADMISSIBILIDADE DO ATO RECURSAL. NESSE SENTIDO DECIDIU ESTE EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA, NO JULGAMENTO DO RECURSO DE AGRAVO DE INSTRUMENTO N.º , DE QUE FOI RELATOR O EXMº SR. DES. ARNALDO SANTOS SOUZA. VEJA-SE: AGRAVO DE INSTRUMENTO. DESISTÊNCIA RECURSAL HOMOLOGADA. RECURSO NÃO CONHECIDO. MANIFESTADA A DESISTÊNCIA RECURSAL, NA FORMA DO ART. 501, DO CPC, HOMOLOGA-SE A MESMA E NÃO SE CONHECE DO AGRAVO, POR FALTA DE INTERESSE RECURSAL SUPERVENIENTE. POR TAIS RAZÕES, HOMOLOGO O PEDIDO DE DESISTÊNCIA E INADMITO O RECURSO DE APELAÇÃO, POR CARÊNCIA DE INTERESSE RECURSAL, NOS TERMOS DO ART. 557, CAPUT, DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL. DECLARO SEM EFEITO O RELATÓRIO LANÇADO À FL INTIME-SE DESTA DECISÃO EM SEU INTEIRO TEOR. PRECLUSAS AS VIAS RECURSAIS, REMETAM-SE OS AUTOS AO JUÍZO DE ORIGEM. PUBLIQUE-SE. VITÓRIA, 05 DE MARÇO DE DES. ANNIBAL DE REZENDE LIMARELATOR 10 REMESSA EX-OFFICIO Nº REMTE.: JUIZ DE DIREITO DA VARA DA FAZ PUBLICA ESTADUAL VILA VELHA PARTE: MUNICÍPIO DE VILA VELHA ES ADVOGADO: FREDERICO LUÍS SCHAIDER PIMENTEL ADVOGADO: MARCELO CRUZ PEREIRA PARTE: CRISTIANE TATAGIBA FRANCO BRANDAO RELATOR: ANNIBAL DE REZENDE LIMA APELAÇÃO CÍVEL Nº REMETENTE: MM. DR. JUIZ DE DIREITO DA VARA DOS FEITOS DA FAZENDA PÚBLICA ESTADUAL E MUNICIPAL DE VILA VELHA PARTES: MUNICÍPIO DE VILA VELHA E CRISTIANE TATAGIBA FRANCO BRANDÃO RELATOR: DES. ANNIBAL DE REZENDE LIMA DECISÃO PROCESSUAL CIVIL - AÇÃO DE NUNCIAÇÃO DE OBRA NOVA - INDEFERIMENTO - EXTINÇÃO SEM RESOLUÇÃO DE MÉRITO. 1. A AÇÃO DE NUNCIAÇÃO DE OBRA NOVA, PREVISTA PELO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL EM SEU ART. 934 E SEGUINTES, TEM COMO OBJETO IMPEDIR A EDIFICAÇÃO DE OBRA NOVA REALIZADA EM DESACORDO COM A LEGISLAÇÃO OU QUE PREJUDIQUE VIZINHOS OU CO-PROPRIETÁRIOS. TRATA-SE, COM EFEITO, DE PROCEDIMENTO ESPECIAL CUJO DEFERIMENTO DA MEDIDA DE URGÊNCIA É ESSENCIAL PARA A SUBSISTÊNCIA DO PROCESSO, TENDO EM VISTA QUE A EVENTUAL CONCLUSÃO DA OBRA TEM O CONDÃO DE CARATERIZAR A PERDA DE SEU OBJETO. 2. REMESSA DESPROVIDA. CUIDAM OS PRESENTES AUTOS DE REMESSA NECESSÁRIA PROVENIENTE DA AÇÃO DE NUNCIAÇÃO DE OBRA NOVA PROPOSTA PELO MUNICÍPIO DE VILA VELHA EM FACE DE CRISTIANE TATAGIBA FRANCO BRANDÃO. NA SENTENÇA DE FLS. 48/53, DO DR. JUIZ DE DIREITO DE PISO INDEFERIU A MEDIDA LIMINAR PLEITEADA E, POR CONSEQUÊNCIA, JULGOU EXTINTO O PROCESSO, SEM JULGAMENTO DE MÉRITO, POR CARÊNCIA DE INTERESSE PROCESSUAL. É O RELATÓRIO. DECIDO. OS CONTORNOS DA DEMANDA SÃO SINGELOS, AUTORIZANDO DECISÃO MONOCRÁTICA PELO RELATOR, NA FORMA DO ART. 557, CAPUT, DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL. COMO SE OBSERVA, A DENOMINADA AÇÃO DE NUNCIAÇÃO DE OBRA NOVA, PREVISTA PELO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL EM SEU ART. 934 E SEGUINTES, TEM COMO OBJETO IMPEDIR A EDIFICAÇÃO DE OBRA NOVA REALIZADA EM DESACORDO COM A LEGISLAÇÃO OU QUE PREJUDIQUE VIZINHOS OU CO-PROPRIETÁRIOS. TRATA-SE, COM EFEITO, DE PROCEDIMENTO ESPECIAL CUJO DEFERIMENTO DA MEDIDA DE URGÊNCIA É ESSENCIAL PARA A SUBSISTÊNCIA DO PROCESSO, TENDO EM VISTA QUE A EVENTUAL CONCLUSÃO DA OBRA TEM O CONDÃO DE CARATERIZAR A PERDA DO OBJETO DA DEMANDA. EM CASO SIMILAR AO PRESENTE DECIDIU ESTE EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA, NO JULGAMENTO DA REMESSA NECESSÁRIA N.º , DE QUE FOI RELATOR O EXMº SR. DES. RÔMULO TADDEI. VEJA-SE:

Poder Judiciário do Estado da Paraíba Tribunal de Justiça Gabinete da Desembargadora Maria das Neves do Egito de A. D. Ferreira

Poder Judiciário do Estado da Paraíba Tribunal de Justiça Gabinete da Desembargadora Maria das Neves do Egito de A. D. Ferreira AC no 035.2005.000.557-4/001 1 Poder Judiciário do Estado da Paraíba Tribunal de Justiça Gabinete da Desembargadora Maria das Neves do Egito de A. D. Ferreira ACÓRDÃO APELAÇÃO CÍVEL No 035.2005.000.5 001

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 468.333 - MS (2002/0108270-6) RELATOR : MINISTRO LUIS FELIPE SALOMÃO RECORRENTE : BANCO DO BRASIL S/A ADVOGADO : GILBERTO EIFLER MORAES E OUTRO(S) RECORRIDO : LEODARCY DA SILVA ANGELIERI

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL MARCELO NAVARRO

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL MARCELO NAVARRO APELAÇÃO CÍVEL (AC) Nº 296203/AL (2000.80.00.003296-1) APTE : INSS - INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL ADV/PROC : NATHALIE PAIVA TEIXEIRA CAMBUY SODRE VALENTIM E OUTROS APTE : PREVI - CAIXA PREVIDENCIARIA

Leia mais

ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DESEMB - WILLIAM COUTO GONÇALVES 9 de outubro de 2012

ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DESEMB - WILLIAM COUTO GONÇALVES 9 de outubro de 2012 ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DESEMB - WILLIAM COUTO GONÇALVES 9 de outubro de 2012 APELAÇÃO CIVEL Nº 0020860-15.2004.8.08.0024 (024040208605) - VITÓRIA - VARA ESPECIALIZADA

Leia mais

ACÓRDÃO. VISTOS, relatados e discutidos estes autos.

ACÓRDÃO. VISTOS, relatados e discutidos estes autos. AC no 200.2010.014.406-8/001 1 jn:idá-j Poder Judiciário do Estado da Paraíba Tribunal de Justiça Gabinete da Desembargadora Maria das Neves do Egito de A. D. Ferreira ACÓRDÃO APELAÇÃO CÍVEL No 200.2010.014.406-8/001

Leia mais

JI WrIlei. ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho

JI WrIlei. ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho ).,, JI WrIlei ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho ACÓRDÃO AGRAVO DE INSTRUMENTO n 041.2007.001993-4/001 RELATOR: Eduardo José de Carvalho Soares

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINENTE DO DESEMBARGADOR

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINENTE DO DESEMBARGADOR PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA PARAÍBA APELADO APELAÇÃO CÍVEL N 200.2006.021661-7/002 Capital RELATOR : Miguel de Britto Lyra Filho Juiz de Direito convocado. APELANTE : Indústria Reunidas F. Matarazzo

Leia mais

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR ACÓRDÃO. Instrumento nº 0099725-45.2012.8.26.0000, da Comarca de São Paulo,

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR ACÓRDÃO. Instrumento nº 0099725-45.2012.8.26.0000, da Comarca de São Paulo, Registro: 2012.0000257965 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Agravo de Instrumento nº 0099725-45.2012.8.26.0000, da Comarca de São Paulo, em que é agravante FAZENDA DO ESTADO DE SÃO

Leia mais

Vistos, relatados e discutidos estes autos de. RIBEIRÃO PRETO, em que é agravante COMPANHIA HABITACIONAL

Vistos, relatados e discutidos estes autos de. RIBEIRÃO PRETO, em que é agravante COMPANHIA HABITACIONAL TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÓRDÃO AC REG.STRADO(A)SOBN Vistos, relatados e discutidos estes autos de AGRAVO DE INSTRUMENTO n e 682.409-5/0-00, da Comarca de RIBEIRÃO PRETO, em que é agravante COMPANHIA

Leia mais

ACÓRDÃO. oes i n'ítiu v.5

ACÓRDÃO. oes i n'ítiu v.5 o AI no 037.2010.002.240-1/001, oes i n'ítiu v.5 Poder Judiciário do Estado da Paraíba Tribunal de Justiça Gabinete da Desembargadora Maria das Neves do Egito de A. D. Ferreira ACÓRDÃO AGRAVO INTERNO No

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DES. MARCOS A. SOUTO MAIOR

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DES. MARCOS A. SOUTO MAIOR , )4w.;.,, I I 1 r.,,:,,,,..:.,l, 1,111,4, lallifr.\ IWO. yno'á. s'a,,,,..,..'\,...r 1 '':. 1 411b0S TO eó Ne, ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DES. MARCOS A. SOUTO MAIOR ACÓRDÃO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 996.613 - ES (2007/0244394-3) RELATOR : MINISTRO HUMBERTO MARTINS RECORRENTE : ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PROCURADOR : RAFAEL INDUZZI DREWS E OUTRO(S) RECORRIDO : COLATINA DIESEL LTDA

Leia mais

:João Batista Barbosa - Juiz Convocado. Apelante :Unibanco AIG Seguros S/A (Adv. Vanessa Cristina de Morais Ribeiro e outros).

:João Batista Barbosa - Juiz Convocado. Apelante :Unibanco AIG Seguros S/A (Adv. Vanessa Cristina de Morais Ribeiro e outros). APELAÇÃO CÍVEL N 200.2008.032.045-61 001. Relator :João Batista Barbosa - Juiz Convocado. Apelante :Unibanco AIG Seguros S/A (Adv. Vanessa Cristina de Morais Ribeiro e outros). Apelado :Evaldo de Lima

Leia mais

Dados Básicos. Legislação. Ementa. Íntegra

Dados Básicos. Legislação. Ementa. Íntegra Dados Básicos Fonte: 1.0024.05.707278-7/001(1) Tipo: Acórdão TJMG Data de Julgamento: 27/04/2011 Data de Aprovação Data não disponível Data de Publicação:13/05/2011 Estado: Minas Gerais Cidade: Belo Horizonte

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS SECRETARIA DA FAZENDA CONTENCIOSO ADMINISTRATIVO-TRIBUTÁRIO CONSELHO DE CONTRIBUINTES E RECURSOS FISCAIS

GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS SECRETARIA DA FAZENDA CONTENCIOSO ADMINISTRATIVO-TRIBUTÁRIO CONSELHO DE CONTRIBUINTES E RECURSOS FISCAIS GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS SECRETARIA DA FAZENDA CONTENCIOSO ADMINISTRATIVO-TRIBUTÁRIO CONSELHO DE CONTRIBUINTES E RECURSOS FISCAIS ACÓRDÃO N o : 110/2011 RECURSO VOLUNTÁRIO N o : 7.968 PROCESSO N

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XV EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XV EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL Em 2003, João ingressou como sócio da sociedade D Ltda. Como já trabalhava em outro local, João preferiu não participar da administração da sociedade. Em janeiro

Leia mais

P O D E R J U D I C I Á R I O

P O D E R J U D I C I Á R I O Registro: 2013.0000791055 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 0024907-79.2012.8.26.0564, da Comarca de São Bernardo do Campo, em que é apelante CRIA SIM PRODUTOS DE HIGIENE

Leia mais

TERCEIRA CÂMARA CÍVEL RECURSO DE APELAÇÃO CÍVEL Nº 28345/2003 - CLASSE II - 23 - COMARCA CAPITAL

TERCEIRA CÂMARA CÍVEL RECURSO DE APELAÇÃO CÍVEL Nº 28345/2003 - CLASSE II - 23 - COMARCA CAPITAL APELANTE(S): APELADA(S): INFOWORLD TECNOLOGIA EM INFORMÁTICA LTDA. DATEX COMÉRCIO E SERVIÇOS LTDA. - ME Número do Protocolo: 28345/2003 Data de Julgamento: 12-11-2003 EMENTA EMBARGOS À EXECUÇÃO - CHEQUE

Leia mais

AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 0012968-93.2012.404.0000/PR

AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 0012968-93.2012.404.0000/PR AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 0012968-93.2012.404.0000/PR RELATOR : Des. Federal NÉFI CORDEIRO AGRAVANTE : MARIA JOSÉ SIERRA espólio ADVOGADO : Renata Moço AGRAVADO : INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL - INSS

Leia mais

ACÓRDÃO. Salles Rossi RELATOR Assinatura Eletrônica

ACÓRDÃO. Salles Rossi RELATOR Assinatura Eletrônica fls. 1 ACÓRDÃO Registro: 2012.0000382774 Vistos, relatados e discutidos estes autos de Apelação nº 0001561-08.2012.8.26.0562, da Comarca de Santos, em que é apelante PLANO DE SAÚDE ANA COSTA LTDA, é apelado

Leia mais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais Número do 1.0071.07.034954-4/001 Númeração 0349544- Relator: Relator do Acordão: Data do Julgamento: Data da Publicação: Des.(a) Bitencourt Marcondes Des.(a) Bitencourt Marcondes 25/03/2009 30/04/2009

Leia mais

APELAÇÃO CÍVEL COM REVISÃO n 541.479-4/5-00, da Comarca de. LIMEIRA, em que são apelantes e reciprocamente apelados RIO

APELAÇÃO CÍVEL COM REVISÃO n 541.479-4/5-00, da Comarca de. LIMEIRA, em que são apelantes e reciprocamente apelados RIO f PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÒRDÃO/DECISAOMONOCRATICA ACÓRDÃO REGISTRADO(A) SOB N Vistos, relatados e discutidos estes autos de APELAÇÃO CÍVEL COM REVISÃO n 541.479-4/5-00, da

Leia mais

- A PBPREV é autarquia previdenciária estadual

- A PBPREV é autarquia previdenciária estadual AC no 200.2010.039908-4/001 1 Poder Judiciário do Estado da Paraíba Tribunal de Justiça Gabinete da Desembargadora Maria das Neves do Egito de A. D. Ferreira ACÓRDÃO APELAÇÃO CÍVEL No 200.2 010.039908-4/001

Leia mais

VISTOS, relatados e discutidos, os autos acima

VISTOS, relatados e discutidos, os autos acima ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gab. Des. Gen ésio Gomes Pereira Filho ACÓRDÃO AGRAVO DE INSTRUMENTO N 001.2011.015750-81001 RELATOR : Dr. Aluízio Bezerra Filho, Juiz Convocado para

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça EDcl no AgRg no RECURSO ESPECIAL Nº 1.157.106 - MT (2009/0162827-3) RELATOR EMBARGANTE EMBARGADO : MINISTRO BENEDITO GONÇALVES : ROGÉRIO LUIZ GALLO E OUTRO(S) : DANIELA ALLAM GIACOMET GUSTAVO DO AMARAL

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no RECURSO ESPECIAL Nº 1.171.486 - SP (2009/0239644-0) RELATOR AGRAVANTE AGRAVADO : MINISTRO MARCO BUZZI EMENTA AGRAVO REGIMENTAL - AÇÃO DE COBRANÇA - ASSOCIAÇÃO DE MORADORES - PAGAMENTO DE TAXA DE

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 476.713 - DF (2002/0152167-8) RELATOR : MINISTRO SÁLVIO DE FIGUEIREDO TEIXEIRA RECORRENTE : LA CARNE COMÉRCIO E REPRESENTAÇÃO DE GÊNEROS ALIMENTÍCIOS LTDA ADVOGADO : DARCY MARIA GONÇALVES

Leia mais

1-9N8 Jtk"iitE. tsr 'ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA GAB. DES. MANOEL SOARES MONTEIRO

1-9N8 JtkiitE. tsr 'ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA GAB. DES. MANOEL SOARES MONTEIRO , 1-9N8 Jtk"iitE tsr 'ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA GAB. DES. MANOEL SOARES MONTEIRO DECISÃO MONOCRÁTICA RECURSO EX OFFICIO N. 032.2009.000.034-3/001 RELATOR : Des.

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO GABINETE DO DES. SAULO HENRIQUES DE SÁ E BENE VIDES

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO GABINETE DO DES. SAULO HENRIQUES DE SÁ E BENE VIDES ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO GABINETE DO DES. SAULO HENRIQUES DE SÁ E BENE VIDES DECISÃO TERMINATIVA Agravo de Instrumento 200.2011.026679-4/001 2 1' Vara Civel da Capital. Relator : Des. Saulo Henriciues

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL Nº 184.727 - DF (2012/0112646-2) RELATOR : MINISTRO HERMAN BENJAMIN : MINISTÉRIO PÚBLICO DO DISTRITO FEDERAL E TERRITÓRIOS EMENTA PROCESSUAL CIVIL. COMPETÊNCIA. PERIÓDICO

Leia mais

Nº 70033432600 COMARCA DE PORTO ALEGRE

Nº 70033432600 COMARCA DE PORTO ALEGRE APELAÇÃO CÍVEL. LICITAÇÃO E CONTRATOS ADMINISTRATIVOS. CGTEE. CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS JURÍDICOS ESPECIALIZADOS NAS ÁREAS TRABALHISTA E PREVIDENCIÁRIA. TÉRMINO DO PRAZO DE VIGÊNCIA DO CONTRATO. AUSÊNCIA

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA. Acorda a Segunda Câmara Cível do Tribunal de Justiça da Paraiba, por unanimidade, DAR PROVIMENTO AO RECURSO

ESTADO DA PARAÍBA. Acorda a Segunda Câmara Cível do Tribunal de Justiça da Paraiba, por unanimidade, DAR PROVIMENTO AO RECURSO r rtl (4:, -,iaáro ESTADO DA PARAÍBA al 4. ' PODER JUDICIARIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Desembargador 1891 iiriír7v Marcos Cavalcanti J 0-"LT-Irj de Albuquerque ri bile: ACÓRDÃO N 001 2006 028 192-8/002

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.187.146 - MT (2010/0053786-4) RECORRENTE ADVOGADO RECORRIDO ADVOGADO : ELÓI BRUNETTA : EUCLIDES RIBEIRO S JUNIOR E OUTRO(S) : BUNGE ALIMENTOS S/A : FÁBIO SCHNEIDER E OUTRO(S) RELATÓRIO

Leia mais

ACÓRDÃO PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA. Apelação Cível ri 026.2006.000553-0/001 Origem : 2 4 Vara da Comarca de naná

ACÓRDÃO PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA. Apelação Cível ri 026.2006.000553-0/001 Origem : 2 4 Vara da Comarca de naná ACÓRDÃO PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA PARAÍBA Apelação Cível ri 026.2006.000553-0/001 Origem : 2 4 Vara da Comarca de naná TRIBUNAL DE JUSTIÇA Relator : Desembargador Frederico Martinho da NObrega Coutinho

Leia mais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais Número do 1.0024.12.273016-1/001 Númeração 2730161- Relator: Relator do Acordão: Data do Julgamento: Data da Publicação: Des.(a) Marcos Lincoln Des.(a) Marcos Lincoln 11/02/2015 23/02/2015 EMENTA: APELAÇÃO

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA GAB. DES. ROMERO MARCELO DA FONSECA OLIVEIRA DECISÃO MONOCRÁTICA.

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA GAB. DES. ROMERO MARCELO DA FONSECA OLIVEIRA DECISÃO MONOCRÁTICA. DECISÃO MONOCRÁTICA. TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA GAB. DES. ROMERO MARCELO DA FONSECA OLIVEIRA REMESSA OFICIAL N. 200.2010.034-761-21001. ORIGEM : 2.a Vara da Fazenda Pública da Comarca da

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ TURMA RECURSAL ÚNICA J. S. FAGUNDES CUNHA PRESIDENTE RELATOR

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ TURMA RECURSAL ÚNICA J. S. FAGUNDES CUNHA PRESIDENTE RELATOR RECURSO INOMINADO Nº 2006.0003212-2/0, DO JUIZADO ESPECIAL CÍVEL DA COMARCA DE CRUZEIRO DO OESTE RECORRENTE...: BRADESCO SEGUROS S. A. RECORRIDO...: ALEXANDRE GONÇALVES MANFRIM RELATOR...: EMENTA RECURSO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 781.703 - RS (2005/0152790-8) RELATOR RECORRENTE RECORRIDO ADVOGADO : MINISTRO ARNALDO ESTEVES LIMA : UNIÃO : MARCOS ROBERTO SILVA DE ALMEIDA E OUTROS : WALDEMAR MARQUES E OUTRO EMENTA

Leia mais

IV - APELAÇÃO / REEXAME NECESSÁRIO 2012.50.01.001991-0

IV - APELAÇÃO / REEXAME NECESSÁRIO 2012.50.01.001991-0 Nº CNJ : 0001991-31.2012.4.02.5001 RELATORA : JUÍZA FEDERAL CONVOCADA CARMEN SILVIA LIMA DE ARRUDA APELANTE : ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL - ESPÍRITO SANTO ADVOGADOS : LUIS ROBERTO BARROSO E OUTROS APELADO

Leia mais

INSTRUMENTO. EXECUÇÃO

INSTRUMENTO. EXECUÇÃO Agravo de Instrumento nº 783847-3, da Comarca de Sengés, Vara Única. Agravante : Banco Safra S.A. Agravada : Linea Paraná Madeiras Ltda. Relator : Desembargador Paulo Cezar Bellio. AGRAVO DE INSTRUMENTO.

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 550.302 - DF (2003/0167033-6) RELATOR : MINISTRO ALDIR PASSARINHO JUNIOR AGRAVANTE : JOÃO DA SILVA CARNEIRO ADVOGADO : ADILSON RAMOS E OUTRO AGRAVADO : GISELE EVELEEN HRDINA

Leia mais

,^0; 71/3ápf. d.) ír.o.t.lra

,^0; 71/3ápf. d.) ír.o.t.lra ,^0; 71/3ápf Moto/ 2udiço, d.) ír.o.t.lra ACÓRDÃO APELAÇÃO CÍVEL N 035.2005.000.510-3/001 - Sapé RELATOR: Miguel de Britto Lyra Filho, Juiz de Direito convocado APELANTE: INTERNÁUTICA INFORMÁTICA LTDA

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ.

EXCELENTÍSSIMO SENHOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ. EXCELENTÍSSIMO SENHOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ. Assunto: Desconto da Contribuição Sindical previsto no artigo 8º da Constituição Federal, um dia de trabalho em março de 2015.

Leia mais

41,14'1 ti. tha. ojlnt. Poder Judiciário do Estado da Paraíba Tribunal de Justiça ACÓRDÃO

41,14'1 ti. tha. ojlnt. Poder Judiciário do Estado da Paraíba Tribunal de Justiça ACÓRDÃO . - - 41,14'1 ti tha ojlnt Poder Judiciário do Estado da Paraíba Tribunal de Justiça ACÓRDÃO APELAÇÃO CÍVEL N 200.2007.792.417-9/001 João Pessoa RELATOR: Miguel de Britto Lyra Filho, Juiz de Direito Convocado

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.322.914 - PR (2012/0097003-6) RELATORA RECORRENTE RECORRIDO ADVOGADA S : MINISTRA NANCY ANDRIGHI : ROBERTO GETULIO MAGGI : CARLOS FREDERICO REINA COUTINHO E OUTRO(S) : SUL AMÉRICA

Leia mais

ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DESEMB - DAIR JOSÉ BREGUNCE DE OLIVEIRA 26 de agosto de 2014

ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DESEMB - DAIR JOSÉ BREGUNCE DE OLIVEIRA 26 de agosto de 2014 ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DESEMB - DAIR JOSÉ BREGUNCE DE OLIVEIRA 26 de agosto de 2014 REEXAME NECESSÁRIO Nº 0031154-87.2008.8.08.0024 (024080311541) - VITÓRIA

Leia mais

Nº 70034654392 COMARCA DE NOVO HAMBURGO BRUNA MACHADO DE OLIVEIRA

Nº 70034654392 COMARCA DE NOVO HAMBURGO BRUNA MACHADO DE OLIVEIRA AGRAVO DE INSTRUMENTO. DECISÃO MONOCRÁTICA. AÇÃO DE COBRANÇA DE SEGURO OBRIGATÓRIO. DPVAT. LEGITIMIDADE PASSIVA. RESPONSABILIDADE DE QUALQUER SEGURADORA INTEGRANTE DO CONSÓRCIO. INCLUSÃO DA SEGURADORA

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL FRANCISCO BARROS DIAS

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL FRANCISCO BARROS DIAS AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 122610/AL (0001933-12.2012.4.05.0000) AGRTE : CRISTINA MOREIRA DE BRITO TENORIO ADV/PROC : FLÁVIO ADRIANO REBELO BRANDAO SANTOS E OUTRO AGRDO : FAZENDA NACIONAL ORIGEM: 5ª VARA

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIãO Gabinete da Desembargadora Federal Margarida Cantarelli

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIãO Gabinete da Desembargadora Federal Margarida Cantarelli APELAÇÃO CÍVEL Nº 550822-PE (2001.83.00.010096-5) APTE : INSS - INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL REPTE : PROCURADORIA REPRESENTANTE DA ENTIDADE APDO : LUZIA DOS SANTOS SANTANA ADV/PROC : SEM ADVOGADO/PROCURADOR

Leia mais

i iiiiii uni uni mil uni mil mil mil llll llll

i iiiiii uni uni mil uni mil mil mil llll llll sajfâu PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO 397 ACÓRDÃO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SAC>PAULO ACÓRDÃO/DECISÃO MONOCRATICA REGISTRADO(A) SOB N i iiiiii uni uni mil uni mil mil mil llll llll Vistos,

Leia mais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais Número do 1.0024.11.062985-4/001 Númeração 0629854- Relator: Relator do Acordão: Data do Julgamento: Data da Publicação: Des.(a) Armando Freire Des.(a) Armando Freire 28/10/2014 10/11/2014 EMENTA:

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RELATOR : MINISTRO TEORI ALBINO ZAVASCKI PROCURADORES : CLAUDIO XAVIER SEEFELDER FILHO DEYSI CRISTINA DA 'ROLT E OUTRO(S) EMENTA TRIBUTÁRIO. EXECUÇÃO FISCAL. DECLARAÇÃO DO DÉBITO PELO CONTRIBUINTE (DCTF).

Leia mais

2 FASE DIREITO CIVIL ESTUDO DIRIGIDO DE PROCESSO CIVIL 2. Prof. Darlan Barroso - GABARITO

2 FASE DIREITO CIVIL ESTUDO DIRIGIDO DE PROCESSO CIVIL 2. Prof. Darlan Barroso - GABARITO Citação 2 FASE DIREITO CIVIL ESTUDO DIRIGIDO DE PROCESSO CIVIL 2 Prof. Darlan Barroso - GABARITO 1) Quais as diferenças na elaboração da petição inicial do rito sumário e do rito ordinário? Ordinário Réu

Leia mais

RECURSO ESPECIAL Nº 502.765 - RS (2003/0023756-0)

RECURSO ESPECIAL Nº 502.765 - RS (2003/0023756-0) RECURSO ESPECIAL Nº 502.765 - RS (2003/0023756-0) RELATOR : MINISTRO JOSÉ DELGADO RECORRENTE : INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL - INSS PROCURADOR : PATRÍCIA VARGAS LOPES E OUTROS RECORRIDO : OSTRA OBRAS

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 695.205 - PB (2004/0145940-1) RELATOR RECORRENTE ADVOGADOS RECORRIDO ADVOGADO : MINISTRO CARLOS ALBERTO MENEZES DIREITO : BANCO DO BRASIL S/A : MAGDA MONTENEGRO PAULO LOPES DA SILVA

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIãO Gabinete do Desembargador Federal Ivan Lira de Carvalho (convocado)

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIãO Gabinete do Desembargador Federal Ivan Lira de Carvalho (convocado) AC569865-PE Nº 569865-PE (0000642-88.2012.4.05.8305) APTE : IBAMA - INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS REPTE : PROCURADORIA REGIONAL FEDERAL - 5ª REGIÃO APDO : MUNICÍPIO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO EM MANDADO DE SEGURANÇA Nº 26.044 - MS (2008/0000154-1) RELATORA RECORRENTE ADVOGADO RECORRIDO PROCURADOR : MINISTRA MARIA THEREZA DE ASSIS MOURA : MÁRCIA ARAÚJO LIMA : IGOR NAVARRO RODRIGUES CLAURE

Leia mais

Advogado(s): PB011003 - Luciana Pereira Almeida Diniz (REQUERENTE)

Advogado(s): PB011003 - Luciana Pereira Almeida Diniz (REQUERENTE) Page 1 of 4 PEDIDO DE PROVIDÊNCIAS - CONSELHEIRO 0005778-92.2011.2.00.0000 Requerente: Associação dos Servidores da Secretaria do Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba - Asstje/pb Requerido: Tribunal

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO fls. 1 ACÓRDÃO Registro: 2013.0000216806 Vistos, relatados e discutidos estes autos de Agravo de Instrumento nº 0196471-72.2012.8.26.0000, da Comarca de São Paulo, em que é agravante SOCIORTHO COMERCIO

Leia mais

Gabinete do Desembargador Carlos Alberto França R E L A T Ó R I O E V O T O

Gabinete do Desembargador Carlos Alberto França R E L A T Ó R I O E V O T O Agravo Regimental em Agravo Regimental em Apelação Cível 437320-59.2008.8.09.0051 (200894373200) Comarca de Goiânia Agravante : Pienge Construtora Ltda Agravada : Agência Municipal do Meio Ambiente Amma

Leia mais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais Número do 1.0024.12.351388-9/001 Númeração 3513889- Relator: Relator do Acordão: Data do Julgamento: Data da Publicação: Des.(a) Rogério Medeiros Des.(a) Rogério Medeiros 05/11/2013 14/11/2013 EMENTA:

Leia mais

APELAÇÃO CÍVEL Nº 110200-7/188 (200701442380) COMARCA GOIÂNIA APELANTE BANCO ITAÚ S/A APELADA BLANCHE DANIELLA BARBOSA BAILÃO RELATOR DES.

APELAÇÃO CÍVEL Nº 110200-7/188 (200701442380) COMARCA GOIÂNIA APELANTE BANCO ITAÚ S/A APELADA BLANCHE DANIELLA BARBOSA BAILÃO RELATOR DES. APELAÇÃO CÍVEL Nº 110200-7/188 (200701442380) COMARCA GOIÂNIA APELANTE BANCO ITAÚ S/A APELADA BLANCHE DANIELLA BARBOSA BAILÃO RELATOR DES. LUIZ EDUARDO DE SOUSA EMENTA: APELAÇÃO CÍVEL. BUSCA E APREENSÃO.

Leia mais

Vigésima Sétima Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro

Vigésima Sétima Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro APELAÇÃO CÍVEL Nº 0460569-74.2012.8.19.0001 APELANTE: ALINE ALMEIDA PERES APELADO: INSTITUTO BRASILEIRO DE MEDICINA DE REABILITAÇÃO LTDA RELATOR: DES. FERNANDO ANTONIO DE ALMEIDA APELAÇÃO CÍVEL DIREITO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 864.760 - GO (2006/0145586-0) RELATORA : MINISTRA JANE SILVA (DESEMBARGADORA CONVOCADA DO TJ/MG) RECORRENTE : UNIÃO RECORRIDO : SALVADOR LAUREANO DE ASSUNÇÃO ADVOGADO : LÁZARO SOBRINHO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.280.171 - SP (2011/0144286-3) RELATOR RECORRENTE RECORRIDO : MINISTRO MASSAMI UYEDA : A C DE A : ANNA CRISTINA BORTOLOTTO SOARES E OUTRO(S) : B L C DE A E OUTRO : CLEBER SPERI EMENTA

Leia mais

: DESEMBARGADOR FEDERAL LEOMAR BARROS AMORIM DE SOUSA : DESEMBARGADORA FEDERAL MARIA DO CARMO CARDOSO

: DESEMBARGADOR FEDERAL LEOMAR BARROS AMORIM DE SOUSA : DESEMBARGADORA FEDERAL MARIA DO CARMO CARDOSO fls.1/1 RELATOR(A) RELATORA ACÓRDÃO APELANTE ADVOGADO APELADO PROCURADOR PARA : DESEMBARGADOR FEDERAL LEOMAR BARROS AMORIM DE SOUSA : DESEMBARGADORA FEDERAL MARIA DO CARMO CARDOSO : JEOVA DE SOUSA PIMENTEL

Leia mais

VOTO. ACÓRDÃO PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA PARAI[BA TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DES. ROMERO MARCELO DA FONSECA OLIVEIRA

VOTO. ACÓRDÃO PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA PARAI[BA TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DES. ROMERO MARCELO DA FONSECA OLIVEIRA PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA PARAI[BA TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DES. ROMERO MARCELO DA FONSECA OLIVEIRA ACÓRDÃO APELAÇÃO CÍVEL N. 018.2010.000261-9/001 ORIGEM : zr Vara da Comarca de Guarabira. RELATOR

Leia mais

III - AGRAVO 148126 2006.02.01.007963-2

III - AGRAVO 148126 2006.02.01.007963-2 RELATOR : DESEMBARGADOR FEDERAL ALBERTO NOGUEIRA AGRAVANTE : INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL - INSS PROCURADOR : BIANCA SILVA FERNANDEZ DE FIGUEIREDO AGRAVADO : PAULO DA SILVA AMORIM ADVOGADO ORIGEM

Leia mais

Exposição. 1. Município de Londrina ajuizou execução fiscal em face de Alessandro

Exposição. 1. Município de Londrina ajuizou execução fiscal em face de Alessandro APELAÇÃO CÍVEL N. 638896-9, DA COMARCA DE LONDRINA 2.ª VARA CÍVEL RELATOR : DESEMBARGADOR Francisco Pinto RABELLO FILHO APELANTE : MUNICÍPIO DE LONDRINA APELADO : ALESSANDRO VICTORELLI Execução fiscal

Leia mais

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 437880-18.2012.8.09.0000 (201294378805) DE GOIÂNIA

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 437880-18.2012.8.09.0000 (201294378805) DE GOIÂNIA AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 437880-18.2012.8.09.0000 (201294378805) DE GOIÂNIA AGRAVANTE AGRAVADO RELATOR CÂMARA ELETROENGE ENGENHARIA E CONSTRUÇÕES LTDA BANCO INDUSTRIAL E COMERCIAL S/A DESEMBARGADOR CARLOS

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 447.888 - RO (2002/0084713-3) RELATORA : MINISTRA NANCY ANDRIGHI RECORRENTE : ADMINISTRADORA E CORRETORA DE SEGUROS - RONSEG ADVOGADO : ODAILTON KNORST RIBEIRO RECORRENTE : SUL AMÉRICA

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL FRANCISCO BARROS DIAS

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL FRANCISCO BARROS DIAS PROCESSO: EMBARGOS DE DECLARAÇÃO EM APELAÇÃO CÍVEL Nº 183923/RN (99.05.45463-2) APTE : POTY REFRIGERANTES LTDA ADV/PROC : MANUEL LUÍS DA ROCHA NETO E OUTROS APDO : INSS - INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL

Leia mais

TURMA RECURSAL ÚNICA J. S. Fagundes Cunha Presidente Relator

TURMA RECURSAL ÚNICA J. S. Fagundes Cunha Presidente Relator RECURSO INOMINADO nº 2006.0003375-3/0, DO JUIZADO ESPECIAL CÍVEL DA COMARCA DE APUCARANA Recorrente...: ROVIGO INDUSTRIA E COMERCIO DE CONFECÇÕES LTDA Recorrida...: FINASA LEASING ARRENDAMENTO MERCANTIL

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho ACÓRDÃO

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho ACÓRDÃO ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho ACÓRDÃO 111 AGRAVO DE INSTRUMENTO N 2 001.2008.016272-8 /002 - Capital RELATOR: Carlos Antônio Sarmento, Juiz

Leia mais

A RECUPERAÇÃO JUDICIAL DA PARMALAT.

A RECUPERAÇÃO JUDICIAL DA PARMALAT. 1 A RECUPERAÇÃO JUDICIAL DA PARMALAT. Vinicius Leal Batista de Andrade 1 RESUMO A empresa seus aspectos e características, notas breves sobre o que venha ser uma empresa, sua função. Recuperação judicial,

Leia mais

A executada PATRÍCIA DOMINGUES DOS SANTOS opôs embargos à execução às fls. 862/875 dos autos.

A executada PATRÍCIA DOMINGUES DOS SANTOS opôs embargos à execução às fls. 862/875 dos autos. PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 8ª REGIÃO 7ª VARA DO TRABALHO DE BELÉM Processo: 0000239-19.2012.5.08.0007 Exequente : ANTONIO CLAUDIO DARWICH CNPJ/CPF:044.002.007-79 BORGES LEAL Executado

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO 34 a Câmara SEÇÃO DE DIREITO PRIVADO APELAÇÃO C/ REVISÃO N 940070-0/5. Comarca de CAMPINAS Processo 872/00

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO 34 a Câmara SEÇÃO DE DIREITO PRIVADO APELAÇÃO C/ REVISÃO N 940070-0/5. Comarca de CAMPINAS Processo 872/00 34 a Câmara APELAÇÃO C/ REVISÃO N 940070-0/5 Comarca de CAMPINAS Processo 872/00 l.v.cível APTE APDO MARCELO AZEVEDO FEITOR CORRETORA DE SEGUROS LTDA OTONIEL QUEIROZ DA SILVA A C Ó R D Ã O TRIBUNAL DE

Leia mais

(ft.." 4 Án 41. sks, 4, Pus JUSTIT11 Pijj z ESTADO DA PARAIBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINETE DO DES. MÁRCIO MURILO DA CUNHA RAMOS

(ft.. 4 Án 41. sks, 4, Pus JUSTIT11 Pijj z ESTADO DA PARAIBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINETE DO DES. MÁRCIO MURILO DA CUNHA RAMOS (ft.." 4 Án 41 sks, 4, Pus JUSTIT11 Pijj z ESTADO DA PARAIBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINETE DO DES. MÁRCIO MURILO DA CUNHA RAMOS ACÓRDÃO APELAÇÃO CÍVEL N 076.2008.000525-9/001 Comarca de

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 839.877 - RJ (2006/0083341-7) RELATOR : MINISTRO CASTRO MEIRA RECORRENTE : MARCUS DA SILVA DIAS E OUTRO ADVOGADO : GUILHERME DE JESUS E OUTROS RECORRIDO : INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO

Leia mais

Poder Judiciário. Tribunal de Justiça da Paraíba Gabinete do Des. Manoel Soares Monteiro

Poder Judiciário. Tribunal de Justiça da Paraíba Gabinete do Des. Manoel Soares Monteiro Poder Judiciário Tribunal de Justiça da Paraíba Gabinete do Des. Manoel Soares Monteiro ACÓRDÃO AGRAVO DE INSTRUMENTO NQ 030.2009.000.076-8/001 RELATOR: Ricardo Vital de Almeida, Juiz-Convocado em substituição

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 966.736 - RS (2007/0152846-0) RELATOR : MINISTRO NAPOLEÃO NUNES MAIA FILHO RECORRENTE : PAULO GILBERTO ALTMANN ADVOGADO : ANDRE ROBERTO MALLMANN RECORRIDO : INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO

Leia mais

Emb. Inf. 0036569-36.2012.8.19.0014-4 1

Emb. Inf. 0036569-36.2012.8.19.0014-4 1 Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro Vigésima Câmara Cível Embargos Infringentes n.º 0036569-36.2012.8.19.0014 Embargante: JOSÉ FRANCISCO NETO CAMPINHO Embargada: ESTADO DO RIO DE JANEIRO Relatora:

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 437.853 - DF (2002/0068509-3) RELATOR : MINISTRO TEORI ALBINO ZAVASCKI RECORRENTE : FAZENDA NACIONAL PROCURADOR : DANIEL AZEREDO ALVARENGA E OUTROS RECORRIDO : ADVOCACIA BETTIOL S/C

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no RECURSO ESPECIAL Nº 1.311.383 - RS (2012/0041009-1) RELATOR : MINISTRO NAPOLEÃO NUNES MAIA FILHO AGRAVANTE : ANTONIO CHAGAS DE ANDRADE ADVOGADOS : MARCELO LIPERT E OUTRO(S) ROBERTO DE FIGUEIREDO

Leia mais

ACÓRDÃO. t: +, g+ f-/-, Poder Judiciário Estado da Paraíba Tribunal de Justiça

ACÓRDÃO. t: +, g+ f-/-, Poder Judiciário Estado da Paraíba Tribunal de Justiça t: + g+ f-/- Poder Judiciário Estado da Paraíba Tribunal de Justiça ACÓRDÃO APELAÇÃO CÍVEL N 200.2006.040340-5/001 CAPITAL RELATOR : Miguel de Britto Lyra Filho - Juiz de Direito convocado 1 APELANTE :

Leia mais

Poder Judiciário da União Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios

Poder Judiciário da União Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios Poder Judiciário da União Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios Órgão 2ª Turma Recursal dos Juizados Especiais do Distrito Federal Processo N. Apelação Cível do Juizado Especial 20110710091144ACJ

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA, Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa ACÓRDÃO APELAÇÃO CÍVEL N 2 200.2006.058.165-51001.

ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA, Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa ACÓRDÃO APELAÇÃO CÍVEL N 2 200.2006.058.165-51001. ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA, Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa ACÓRDÃO APELAÇÃO CÍVEL N 2 200.2006.058.165-51001. Relator :Dr. Marcos William de Oliveira, Juiz de Direito convocado em substituição

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÓRDÃO DECISAUW ^ N0 ACÓRDÃO \\ll\w "»"»'" lo3046968* Vistos, relatados e discutidos estes autos de Agravo de Instrumento n 990.10.048613-6, da Comarca de São Paulo, em

Leia mais

~14 - 1891,( Poder Judiciário do Estado da Parai Tribunal de Justiça Gabinete da Desembargadora Maria das Neves çigito de A. D.

~14 - 1891,( Poder Judiciário do Estado da Parai Tribunal de Justiça Gabinete da Desembargadora Maria das Neves çigito de A. D. AC no 200.2008.042.249-2/001 1 ~14-1891,( Poder Judiciário do Estado da Parai Tribunal de Justiça Gabinete da Desembargadora Maria das Neves çigito de A. D. Ferreira ACÓRDÃO APELAÇÃO CÍVEL No 200.2008.042.249-2/001

Leia mais

11è 8 3(21 . * ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DES. MANOEL SOARES MONTEIRO

11è 8 3(21 . * ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DES. MANOEL SOARES MONTEIRO 4. * 8 3(21 ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DES. MANOEL SOARES MONTEIRO ACÓRDÃO APELAÇÃO CÍVEL N. 200.2003.018359-0/001 i a Vara Cível da Comarca da Capital RELATOR : Des. MANOEL

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho si ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho ACÓRDÃO AGRAVO DE INSTRUMENTO n 2 011.2005.001579-8/003 RELATOR : Carlos Antônio Sarmento, Juiz Convocado

Leia mais

substituição ao Des. José Di Lorenzo Serpa.

substituição ao Des. José Di Lorenzo Serpa. ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa APELAÇÃO CÍVEL N. 040.2008.000891-1/001. Relator: Marcos William de Oliveira, Juiz Convocado em substituição ao Des. José Di

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 1ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 1ª REGIÃO A C Ó R D Ã O 3ª T U R M A PODER JUDICIÁRIO FEDERAL MEMBRO DE CONSELHO CONSULTIVO. ESTABILIDADE. DESCABIMENTO. Não faz jus à estabilidade sindical o empregado eleito pelo órgão consultivo da entidade,

Leia mais

GILDA MARIA DIAS CARRAPATOSO Desembargadora Relatora ACÓRDÃO

GILDA MARIA DIAS CARRAPATOSO Desembargadora Relatora ACÓRDÃO AGRAVO DE INSTRUMENTO nº 0044451-57.2013.8.19.0000 AGRAVANTE: ARTECHE EDC EQUIPAMENTOS E SISTEMAS S/A AGRAVADO: JORGE LUIZ RIBEIRO GONZALEZ AGRAVADA: PATRICIA CRUZ PEREIRA RELATORA: DES. GILDA MARIA DIAS

Leia mais

AGRAVO DE INSTRUMENTO COMPETÊNCIA AÇÃO DE RECONHECIMENTO E DISSOLUÇÃO DE SOCIEDADE DE FATO PEDIDO DE INDENIZAÇÃO.

AGRAVO DE INSTRUMENTO COMPETÊNCIA AÇÃO DE RECONHECIMENTO E DISSOLUÇÃO DE SOCIEDADE DE FATO PEDIDO DE INDENIZAÇÃO. Órgão : Quinta Turma Cível Classe : AGI Agravo de Instrumento N. Processo : 2007 00 2 003404-3 Agravante : E. C. R. Agravado : J. G. DA S. J. Relatora : Desembargadora HAYDEVALDA SAMPAIO EMENTA AGRAVO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 204.246 - MG (1999/0014944-0) RELATOR : MINISTRO SÁLVIO DE FIGUEIREDO TEIXEIRA RECORRENTE : LUCIANO DINIZ IMÓVEIS LTDA ADVOGADO : LILIANE NETO BARROSO E OUTROS RECORRIDO : ROBERTO CARLOS

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.347.693 - RS (2012/0182674-6) RELATOR RECORRENTE PROCURADOR RECORRIDO ADVOGADO : MINISTRO BENEDITO GONÇALVES : MUNICÍPIO DE PORTO ALEGRE : ANDRÉ GEORGE FREIRE DA SILVA E OUTRO(S)

Leia mais

ifri-lj "L &siada da.%"'ara0a gador fadkidrke gtounal de fa440 Ça&itete da Oev. Marco,' a &eido../itaiim

ifri-lj L &siada da.%'ara0a gador fadkidrke gtounal de fa440 Ça&itete da Oev. Marco,' a &eido../itaiim 1... -." À... l t. < - t I f ar. +. as 4 1 ifri-lj "L. ' ilt tr "'. 3.1.?' P.91. 41.41mterTbe...'.4 &siada da.%"'ara0a gador fadkidrke gtounal de fa440 Ça&itete da Oev. Marco' a &eido../itaiim ACÓRDÃO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.080.614 - SP (2008/0176494-3) RELATORA : MINISTRA NANCY ANDRIGHI EMENTA Direito de família e das sucessões. Ação de reconhecimento de sociedade de fato, proposta por ex-companheiro

Leia mais