PROGRAMAS AMBIENTAIS PARQUES EÓLICOS LER 2009

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROGRAMAS AMBIENTAIS PARQUES EÓLICOS LER 2009"

Transcrição

1 PROGRAMAS AMBIENTAIS PARQUES EÓLICOS LER 2009 RELATÓRIO TRIMESTRAL FEVEREIRO DE 2012

2 ÍNDICE INTRODUÇÃO COMUNICAÇÃO SOCIAL 4 EDUCAÇÃO EM SAÚDE 10 3 MONITORAMENTO DE NASCENTES 13 4 VIVEIRO DE MUDAS 16

3 INTRODUÇÃO Prezado Leitor, A Renova Energia reafirmando o seu compromisso com a transparência na implantação dos seus parques eólicos, localizados nos municípios de Caetité, Guanambi e Igaporã, apresenta neste documento a evolução das suas ações referente aos Programas Ambientais de natureza socioambiental, do meio físico e do meio biótico. Desde maio de 2011, você pode acompanhar, através deste periódico trimestral, estas ações desenvolvidas pela Renova. Nesta edição, correspondente aos meses de Dezembro 2011, Janeiro e Fevereiro de 2012, compartilhamos as notícias dos Programas de Comunicação Social, Educação em Saúde, Monitoramento de Nascentes e Viveiro de Mudas. Temos a certeza de que você prosseguirá conosco até o término desta etapa e será nosso grande parceiro na comemoração dos resultados. INTRODUÇÃO 3

4 1. COMUNICAÇÃO SOCIAL

5 PROGRAMA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL No trimestre entre dezembro/11 e fevereiro/12, o trabalho de comunicação social manteve sua rotina presencial com os proprietários das terras arrendadas e comunidades do entorno dos parques eólicos, com visitas diárias, acompanhando, inclusive, as frentes de obra. Também, neste período, a Renova produziu duas edições do jornal Circulador dezembro e fevereiro. Os jornais foram amplamente distribuídos nas áreas envolvidas com o empreendimento e veicularam notícias sobre os Programas desenvolvidos nos períodos e status da obra dos parques. Esta distribuição do Circulador é realizada de forma qualificada, explicando para a população o conteúdo, sendo, a própria distribuição uma atividade de comunicação da equipe de campo. No jornal de dezembro, a Renova Energia apresentou sua nova logomarca para as comunidades. O periódico de fevereiro trouxe alertas de segurança para as comunidades que estão convivendo com a obra e também noticiou os Projetos Sociais que a Renova vai executar na região. Nos primeiros meses do ano, a empresa patrocinou várias ações na região, conforme quadro abaixo: INSTITUIÇÃO/OUTRO Projeto Esporte para todos com inclusão social Secretaria de Meio Ambiente Caetité Calendário oficial de eventos do Município Associação de Mototaxistas de Caetité UNEB UNEB UNEB Igreja São Sebastião Câmara Municipal de Vereadores Diretoria Municipal de Cultura de Igaporã Secretaria de Meio Ambiente Igaporã Secretaria Municipal de saúde PROJETO Bom de escola, bom de bola Conferência Municipal de meio ambiente Lavagem da esquina do padre Construção da sede da associação Simpósio de Meio Ambiente Projeto aula de campo Encontro grupo de pesquisa leitura, cultura e formação docente Reforma da Igreja de Morrinhos Seminário Regional de Vereadores Balé Sonho Mágico Conferência Municipal de Meio Ambiente Aquisição mosqueteiros Programa de Educação em Saúde CIDADE Caetité Caetité Caetité Caetité Caetité Caetité Caetité Guanambi Guanambi Igaporã Igaporã Igaporã PROGRAMA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL 5

6 FOTOS / Distribuição do jornal em comunidade, Patrocínio de Evento, Identificação Visual da Empresa e equipamentos PROGRAMA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL 6

7 CAPA / Edições do Jornal Circulador Outubro/2011. Acesse o conteúdo do Circulador através do link. PROGRAMA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL 7

8 CAPA / Edições do Jornal Circulador Dezembro de Acesse o conteúdo do Circulador através do link. PROGRAMA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL 8

9 CAPA / Edições do Jornal Circulador Fevereiro Acesse o conteúdo do Circulador através do link. PROGRAMA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL 9

10 2. EDUCAÇÃO EM SAÚDE

11 PROGRAMA DE EDUCAÇÃO EM SAÚDE Em dezembro de 2011, foi realizado o Diálogo Diário de Serviço no canteiro de obras, cujo tema foi a Prevenção às Parasitoses Intestinais e outras doenças de veiculação hídrica. O evento reuniu 157 trabalhadores e a ação teve o reforço de folheteria específica sobre o tema. Iniciando 2012, as ações de janeiro contemplaram a capacitação dos agentes comunitários de saúde para lidar com doenças transmitidas pela água. No período pré-carnavalesco, os trabalhadores tiveram um reforço nos conteúdos sobre as doenças sexualmente transmissíveis. O Programa de Educação em Saúde é desenvolvido nos três municípios de atuação da Renova (Caetité, Guanambi e Igaporã) e conta com a parceria dos poderes públicos locais, por meio das Secretarias Municipais de Saúde. Acompanhe o resumo das ações desenvolvidas no período: MÊS ATIVIDADE DATA PÚBLICO LOCAL Dezembro DDS Conseqüência da Deposição Inadequada das Fezes Humanas no Meio Ambiente. 13/12 Trabalhadores Obra (total de 157) Canteiro de Obras Janeiro Capacitação dos ACS de Morrinhos sobre Doenças de Veiculação Hídrica 16/01 Agentes Comunitários de Saúde de Morrinhos Sala de reuniões do Programa de Saúde da Família - PSF Fevereiro DST/AIDS Carnaval com Prevenção 14/02 Trabalhadores Obra (total de 200) Canteiro de Obras PROGRAMA DE EDUCAÇÃO EM SAÚDE 11

12 FOTOS TOPO / Atividade com trabalhadores da Obra dos Parques Eólicos. FOTOS BASE / Reunião Agente Comunitário de Saúde em Morrinhos. PROGRAMA DE EDUCAÇÃO EM SAÚDE 12

13 3. MONITORAMENTO DE NASCENTES

14 MONITORAMENTO E RECUPERAÇÃO DE NASCENTES Também como condicionante das licenças de implantação, a RENOVA ENERGIA realiza, regularmente, monitoramento da qualidade da água das nascentes. A empresa também apresentou, ao órgão ambiental, um plano para recuperação e conservação de algumas nascentes na Área Diretamente Afetada - ADA. Depois do período chuvoso, começaram os trabalhos de limpeza e reforço das contenções já existentes, com o objetivo de minimizar o carreamento de materiais ocasionado pelas chuvas. Atualmente, independente da nascente estar inserida ou não na lista apresentada ao órgão ambiental, a RENOVA ENERGIA está realizando o monitoramento de possíveis impactos causados, pela obra dos parques eólicos, em todas as nascentes da ADA. Foram realizadas limpeza e construção de filtro de pedras para contenção em seis nascentes: Olho D água (área 1A), Mato Verde (6), Santo Onofre /Martinho (área 6), Aguani (área 8), Bom Sucesso (área 8) e Brejo do Capão (8). FOTOS / Nascente Mato Verde (área 6). MONITORAMENTO E RECUPERAÇÃO DE NASCENTES 14

15 A nascente Olho D Água, área 1A, se encontrava totalmente aterrada e a área era utilizada pelo proprietário para plantação de tomates. Em comum acordo com o mesmo foi realizada a translocação da cultura para outro área da propriedade e instalada caixa d água para assegurar a viabilidade do plantio. Em seguida, foi realizada a retirada de todo material assoreado da nascente. Na sequência dos trabalhos a área será cercada e será realizado o plantio de mudas nativas. Observe as ilustrações do monitoramento da qualidade da água da nascente que abastece as comunidades - logo após o período de chuvas - Nascente Bom Sucesso (área 8). 1ª COLUNA / Nascente Olho D Água e Nascente Bom Sucesso (área 8). 2ª COLUNA / Nascente Olho D Água e Monitoramento da qualidade da água Nascente Bom Sucesso (área 8). MONITORAMENTO E RECUPERAÇÃO DE NASCENTES 15

16 4. VIVEIRO DE MUDAS

17 VIVEIRO DE MUDAS Como parte integrante do Programa de Recuperação de Áreas Degradadas PRAD, apresentados pela RENOVA ENERGIA ao órgão ambiental, para cumprimento de condicionante da licença de implantação, a empresa instalou, no município de Igaporã (área 6), um viveiro de mudas de espécies nativas da região. Esta medida, orientada pela condicionante (transcrita abaixo), prevê a utilização de espécies nativas de cada área, como medida de restauração da qualidade natural dos ambientes e conservação de espécies. Plano de Recuperação de Áreas Degradadas devendo constar no relatório Semestral ações realizadas para recuperação e um relatório consolidado final contemplando recuperação das vias de acesso e pátio de montagem (estrutura permanente) quando necessário, bem como canteiro de obras, usina de concretagem, pátio intermediário de estocagem e pátio pulmão (estrutura temporária). Deverão também ser utilizadas as espécies vegetais nativa presentes na mesma fitofisionomia para a recomposição de cada área, como proposto na lista de espécies indicadas constantes no ultimo estudo do PRAD apresentado. Para esta primeira fase de implantação nos municípios de Caetité, Guanambi e Igaporã (LER 2009) foram cultivadas mudas. Estas espécimes são provenientes de sementes coletadas em matrizes especialmente selecionadas em levantamentos nas áreas, durante programa de resgate de flora. Como os parques eólicos da RENOVA ENERGIA estão sendo instalados em ambientes caracterizadas pela vegetação de Caatinga e Cerrado, estes dois biomas são também os fornecedores das sementes que originaram as mudas. Atualmente, a empresa trabalha para o aumento de produção de mudas. O horto da RENOVA ENERGIA irá ampliar sua capacidade nos próximos meses de mudas para , com o objetivo de fornecer espécies para os próximos parques eólicos da empresa na região. VIVEIRO DE MUDAS 17

18 FOTOS / Viveiro de Mudas e sementes. VIVEIRO DE MUDAS 18

19

será ainda mais produtivo Monitoramento de ruído

será ainda mais produtivo Monitoramento de ruído Nº 15, Ano 03, Dezembro de 2013 Queimadas Técnicas Alternativas são soluções para produtores 2014 será ainda mais produtivo Faça sua parte, preserve o meio ambiente e procure técnicas alternativas que

Leia mais

ESTÁ FALTANDO POUCO! Nascentes recebem programa de monitoramento. PEAS orienta diferentes públicos. Segurança - ATENÇÃO ÀS PLACAS

ESTÁ FALTANDO POUCO! Nascentes recebem programa de monitoramento. PEAS orienta diferentes públicos. Segurança - ATENÇÃO ÀS PLACAS Nº 17, Ano 04, Abril de 2014 ESÁ FALAND PUC! Nascentes recebem programa de monitoramento rabalho de monitoramento da qualidade da água das nascentes já acontece no Alto Sertão II. 3 PEAS orienta diferentes

Leia mais

Principais ações desenvolvidas pela empresa

Principais ações desenvolvidas pela empresa AÇÕES DE SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL DESENVOLVIDAS PELA JCGONTIJO Principais ações desenvolvidas pela empresa 1. Re- uso de água 2. Adoção de tecnologias limpas em seus produtos 3. Financiamento de planos

Leia mais

5.4. Programa de Comunicação Social. Revisão 00 NOV/2013. PCH Dores de Guanhães Plano de Controle Ambiental - PCA PROGRAMAS AMBIENTAIS

5.4. Programa de Comunicação Social. Revisão 00 NOV/2013. PCH Dores de Guanhães Plano de Controle Ambiental - PCA PROGRAMAS AMBIENTAIS PCH Dores de Guanhães Plano de Controle Ambiental - PCA PROGRAMAS AMBIENTAIS 5.4 Programa de Comunicação Social Revisão 00 NOV/2013 Coordenador da Equipe Carlos Eduardo Alencar Carvalho CRBio 37538/4-D

Leia mais

MINISTERIO DO MEIO AMBIENTE DEPARTAMENTO DE FLORESTAS

MINISTERIO DO MEIO AMBIENTE DEPARTAMENTO DE FLORESTAS MINISTERIO DO MEIO AMBIENTE DEPARTAMENTO DE FLORESTAS Referência: Agenda para a criação de instrumentos de financiamentos e crédito para o setor florestal Interessado: DFLOR/SBF/MMA. 1. ANTECEDENTES: O

Leia mais

Clipping de notícias. Recife, 15 de setembro de 2015.

Clipping de notícias. Recife, 15 de setembro de 2015. Clipping de notícias Recife, 15 de setembro de 2015. Recife, 15 de setembro de 2015. Recife,15 de setembro de 2015. Recife,15 de setembro de 2015. Recife, 15 de setembro de 2015. 14/09/2015 ProRURAL DEBATE

Leia mais

FICHA PROJETO - nº383-mapp

FICHA PROJETO - nº383-mapp FICHA PROJETO - nº383-mapp Mata Atlântica Pequeno Projeto 1) TÍTULO: Restauração da Região Serrana RJ: assistência técnica para consolidar uma rede de produtores rurais e viveiros comunitários. 2) MUNICÍPIOS

Leia mais

Ecovias dos Imigrantes Concessionária Ecovias dos Imigrantes Ecovias

Ecovias dos Imigrantes Concessionária Ecovias dos Imigrantes Ecovias Em operação desde 1998, a Ecovias dos Imigrantes é a Concessionária que opera o Sistema Anchieta-Imigrantes, ligação entre a região metropolitana de São Paulo e o Porto de Santos, o Pólo Petroquímico de

Leia mais

Plataforma Ambiental para o Brasil

Plataforma Ambiental para o Brasil Plataforma Ambiental para o Brasil A Plataforma Ambiental para o Brasil é uma iniciativa da Fundação SOS Mata Atlântica e traz os princípios básicos e alguns dos temas que deverão ser enfrentados na próxima

Leia mais

ÓRGÃO: 14000 - SECRETARIA MUNICIPAL DE MEIO-AMBIENTE PROGRAMA DE TRABALHO

ÓRGÃO: 14000 - SECRETARIA MUNICIPAL DE MEIO-AMBIENTE PROGRAMA DE TRABALHO PLANO PLURIANUAL 2010-2013 CÓDIGO ESPECIFICAÇÃO - FUNCIONAL PROGRAMÁTICA 18000000 GESTÃO AMBIENTAL 18542000 CONTROLE AMBIENTAL 18542010 PROGRAMA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE 185420102.074 COORDENAÇÃO DOS

Leia mais

olímpico das 24 milhões de árvores Beto Mesquita

olímpico das 24 milhões de árvores Beto Mesquita Indução de reflorestamento no Rio de Janeiro: Das compensações ambientais ao desafio olímpico das 24 milhões de árvores Beto Mesquita Seminário Reflorestamento da Mata Atlântica no Estado do Rio de Janeiro

Leia mais

PCH CARANGOLA INFORMATIVO DA PEQUENA CENTRAL HIDRELÉTRICA CARANGOLA Edição Especial n o 2 15 Meses de Obras Setembro de 2007

PCH CARANGOLA INFORMATIVO DA PEQUENA CENTRAL HIDRELÉTRICA CARANGOLA Edição Especial n o 2 15 Meses de Obras Setembro de 2007 N 1 PCH CARANGOLA INFORMATIVO DA PEQUENA CENTRAL HIDRELÉTRICA CARANGOLA Edição Especial n o 2 15 Meses de Obras Setembro de 2007 Obras movimentam comércio de Carangola e trazem mais recursos para o município

Leia mais

Termo de Referência para Elaboração do Plano de Recuperação de Áreas Degradadas (PRAD) TR GERAL

Termo de Referência para Elaboração do Plano de Recuperação de Áreas Degradadas (PRAD) TR GERAL Termo de Referência para Elaboração do Plano de Recuperação de Áreas Degradadas (PRAD) TR GERAL ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PLANO DE RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS (PRAD) ATENÇÃO O DOCUMENTO DEVE CONTER,

Leia mais

6 - Áreas de Influência... 1. 6.1 - Delimitação das Áreas de Influência... 2. 6.1.1 - Área de Influência Direta (AID)... 2

6 - Áreas de Influência... 1. 6.1 - Delimitação das Áreas de Influência... 2. 6.1.1 - Área de Influência Direta (AID)... 2 Índice 6 -... 1 6.1 - Delimitação das... 2 6.1.1 - Área de Influência Direta (AID)... 2 6.1.2 - Área de Influência Indireta (AII)... 2 Índice de Quadros Quadro 1 - Lista dos Municípios da Área de Influência

Leia mais

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO. Prof. Dr. Israel Marinho Pereira imarinhopereira@gmail.com

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO. Prof. Dr. Israel Marinho Pereira imarinhopereira@gmail.com ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE RECUPERAÇÃO PRAD Prof. Dr. Israel Marinho Pereira imarinhopereira@gmail.com ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PRAD O Plano de Recuperação de Áreas Degradadas (PRAD), deverá

Leia mais

É a alteração no meio ambiente ou em algum de seus componentes por determinada ação ou atividade humana.

É a alteração no meio ambiente ou em algum de seus componentes por determinada ação ou atividade humana. 7. IMPACTOS AMBIENTAIS E MEDIDAS MITIGADORAS RECOMENDADAS 7.1. AVALIAÇÃO GERAL O que é Impacto Ambiental? É a alteração no meio ambiente ou em algum de seus componentes por determinada ação ou atividade

Leia mais

Crescimento global da consciência socioambiental

Crescimento global da consciência socioambiental Programa de Sustentabilidade Bunge 1. Contextualização Crescimento global da consciência socioambiental Sociedade Importância do tema Estruturação e articulação das entidades civis Pressões comerciais

Leia mais

Atuando com responsabilidade para. colher um futuro melhor. Fábrica de São José dos Campos

Atuando com responsabilidade para. colher um futuro melhor. Fábrica de São José dos Campos Atuando com responsabilidade para colher um futuro melhor. Fábrica de São José dos Campos Compromisso com um futuro melhor. Com o nosso trabalho, somos parte da solução para uma agricultura mais sustentável.

Leia mais

1.2 - Implantação do programa de habitação rural (construção de casas de qualidade nas propriedades rurais).

1.2 - Implantação do programa de habitação rural (construção de casas de qualidade nas propriedades rurais). PLANO DE GOVERNO - ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARTICIPATIVA PARA 2013/2016 COLIGAÇÃO O PRESENTE NOS PERMITE SEGUIR EM FRENTE - CANDIDATO A PREFEITO PEDRINHO DA MATA 11 Ações a serem realizadas por Secretarias:

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE PREFEITURA DE SUMARÉ SECRETARIA MUNICIPAL DE AÇÃO SOCIAL SECRETARIA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE 3M DO BRASIL

SECRETARIA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE PREFEITURA DE SUMARÉ SECRETARIA MUNICIPAL DE AÇÃO SOCIAL SECRETARIA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE 3M DO BRASIL SECRETARIA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE PREFEITURA DE SUMARÉ SECRETARIA MUNICIPAL DE AÇÃO SOCIAL SECRETARIA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE 3M DO BRASIL SOCIEDADE HUMANA DESPERTAR LABORATÓRIO DE ECOLOGIA E RESTAURAÇÃO

Leia mais

PROGRAMA DE PROSPECÇÃO E RESGATE ARQUEOLÓGICO

PROGRAMA DE PROSPECÇÃO E RESGATE ARQUEOLÓGICO PROGRAMA DE PROSPECÇÃO E RESGATE ARQUEOLÓGICO O Programa de Prospecção e Resgate Arqueológico da CSP visa atender aos requisitos legais de licenciamento ambiental, identificar e preservar o patrimônio

Leia mais

Atuação do COEP frente às mudanças climáticas. Equipe Mobilizadores Oficina Mudanças Climáticas Novembro de 2011

Atuação do COEP frente às mudanças climáticas. Equipe Mobilizadores Oficina Mudanças Climáticas Novembro de 2011 Atuação do COEP frente às mudanças climáticas Equipe Mobilizadores Oficina Mudanças Climáticas Novembro de 2011 Mudanças Climáticas e pobreza As populações mais pobres tendem a ficar mais vulneráveis diante

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA PARCELAMENTO DE SOLO: CODRAM 3414,40; CODRAM 3414,50; CODRAM 3414,60; CODRAM 3414,70; CODRAM 3415,10

TERMO DE REFERÊNCIA PARA PARCELAMENTO DE SOLO: CODRAM 3414,40; CODRAM 3414,50; CODRAM 3414,60; CODRAM 3414,70; CODRAM 3415,10 TERMO DE REFERÊNCIA PARA PARCELAMENTO DE SOLO: CODRAM 3414,40; CODRAM 3414,50; CODRAM 3414,60; CODRAM 3414,70; CODRAM 3415,10 O processo administrativo para aprovação e licenciamento de parcelamentos de

Leia mais

Escola Municipal de 1º Grau de Caeté-Açu

Escola Municipal de 1º Grau de Caeté-Açu Escola Municipal de 1º Grau de Caeté-Açu Base II Palmeiras - Bahia Antes... 2012 Hoje... 2013 Nosso Escovódromo Mutirão na escola Mutirão de limpeza e construção de canteiros, com participação de pais,

Leia mais

Novo Nordisk. Sustentabilidade. Semana de Produção e Consumo Sustentável 05.06.2014

Novo Nordisk. Sustentabilidade. Semana de Produção e Consumo Sustentável 05.06.2014 Novo Nordisk Sustentabilidade Semana de Produção e Consumo Sustentável 05.06.2014 Paulo Emílio Gomes Nobre Sup. De Meio Ambiente Mirtes Dos Reis Fonseca Queiroz Analista de Sustentabilidade Novo Nordisk

Leia mais

ANEXO DAS PRIORIDADES E METAS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

ANEXO DAS PRIORIDADES E METAS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PREFEITURA MUNICIPAL DE JOAO PESSOA Secretaria Municipal de Planejamento EXERCÍCIO: 0 ANEXO DAS PRIORIDADES E METAS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA ÓRGÃO: Projeto/Atividade Objetivo Denominação da Meta Unid.

Leia mais

Proposta de Criação da Floresta Estadual José Zago. Consulta Pública

Proposta de Criação da Floresta Estadual José Zago. Consulta Pública Proposta de Criação da Floresta Estadual José Zago Consulta Pública 2015 Base Legal Lei Federal nº 9.985 de 18 de julho de 2000 Regulamenta o artigo 225 da Constituição Federal e Institui o Sistema Nacional

Leia mais

Nossos Valores Quem Somos? Nossa Missão Nossa Visão Nossa Atuação Nossos Resultados Modelos de Ecovilas e Projetos Sustentáveis.

Nossos Valores Quem Somos? Nossa Missão Nossa Visão Nossa Atuação Nossos Resultados Modelos de Ecovilas e Projetos Sustentáveis. Nossos Valores Quem Somos? Nossa Missão Nossa Visão Nossa Atuação Nossos Resultados Modelos de Ecovilas e Projetos Sustentáveis Localização Missão, Valores e Visão Os 5 Pilares Objetivos e estratégias

Leia mais

janeiro e fevereiro 2015 COTA OFERECIMENTO

janeiro e fevereiro 2015 COTA OFERECIMENTO janeiro e fevereiro 2015 COTA OFERECIMENTO SUCESSO EM 2013 E 2014 +50 dias de ativação no total MAIS DE 8.000 Brindes dos patrocinadores distribuídos somente em 2014 O EXPRESSO DG VAI MOVIMENTAR DE NOVO

Leia mais

UHE SANTO ANTÔNIO DE JARI

UHE SANTO ANTÔNIO DE JARI UHE SANTO ANTÔNIO DE JARI PLANO DE TRABALHO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PCS Plano de Trabalho ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 1 2. OBJETIVO... 1 2.1. Objetivos Específicos... 1 3. PÚBLICO ALVO... 2 4. METAS... 2 5.

Leia mais

PROJETO DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES

PROJETO DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES TERMOS DE REFERÊNCIA PARA A CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA PARA MONITORAMENTO DE PROJETOS DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES DESENVOLVIDOS POR MEIO DE TÉCNICAS DE NUCLEAÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO DOS TERMOS

Leia mais

Programa de Educação Ambiental da Usina Hidrelétrica Passo Fundo

Programa de Educação Ambiental da Usina Hidrelétrica Passo Fundo X PRÊMIO LIF 2011 Prêmio de Sustentabilidade da Câmara de Comércio França-Brasil Programa de Educação Ambiental da Usina Hidrelétrica Passo Fundo Participante: Tractebel Energia Categoria: Apoio às comunidades

Leia mais

Orientações para o Apoio do Fundo Amazônia ao Cadastramento Ambiental Rural

Orientações para o Apoio do Fundo Amazônia ao Cadastramento Ambiental Rural Orientações para o Apoio do Fundo Amazônia ao Cadastramento Ambiental Rural 1. Apoio do Fundo Amazônia ao Cadastramento Ambiental Rural no bioma Amazônia... 2 2. Apoio do Fundo Amazônia ao Cadastramento

Leia mais

Complexos recicláveis

Complexos recicláveis Complexos recicláveis Em função da realização dos próximos megaeventos esportivos mundiais por aqui Copa de 2014 e Jogos Olímpicos de 2016, grandes obras de arquitetura voltada para os esportes (estádios,

Leia mais

FICHA PROJETO - nº 045-MA

FICHA PROJETO - nº 045-MA FICHA PROJETO - nº 045-MA Mata Atlântica Grande Projeto 1) TÍTULO: Floresta Legal corredores florestais conectando habitats e envolvendo pessoas 2) MUNICÍPIOS DE ATUAÇÃO DO PROJETO: Silva Jardim, Rio Bonito,

Leia mais

SUSTENTABILIDADE 2014

SUSTENTABILIDADE 2014 SUSTENTABILIDADE 2014 Rutivo de no CONSTRUIR, PLANTAR E TRANSFORMAR Nosso objetivo vai além de ser responsável pelo processo construtivo de nossas obras, procuramos estimular e disseminar o conceito de

Leia mais

NORMA OPERACIONAL PARA O RELATÓRIO DE MONITORAMENTO DA LAVRA, REFERENTE ÀS ATIVIDADES DE EXTRAÇÃO GRANITO - MÁRMORE ARGILA E SAIBRO.

NORMA OPERACIONAL PARA O RELATÓRIO DE MONITORAMENTO DA LAVRA, REFERENTE ÀS ATIVIDADES DE EXTRAÇÃO GRANITO - MÁRMORE ARGILA E SAIBRO. 1 OBJETIVO Estabelecer parâmetros para orientar a elaboração do relatório trimestral de monitoramento da atividade de extração mineral, referente ao avanço de lavra, as medidas mitigadoras implantadas

Leia mais

Prezados Senhores, Itacir e Marlene Feltrin e filhos. Farroupilha - RS

Prezados Senhores, Itacir e Marlene Feltrin e filhos. Farroupilha - RS Prezados Senhores, Itacir e Marlene Feltrin e filhos. Farroupilha - RS Registramos com carinho a aproximação com a família Feltrin, iniciada em 1982. Foram mais de três décadas de respeito recíproco e

Leia mais

Gerência Socioambiental

Gerência Socioambiental Gerência Socioambiental P.05 - Programa de Contratação e Desmobilização de Mão de Obra O Programa de Contratação e Desmobilização de Mão-de-Obra propõe ações específicas organizadas em dois Subprogramas:

Leia mais

Rede Brasileira de Sementes Florestais

Rede Brasileira de Sementes Florestais PLANO NACIONAL DE PRODUÇÃO DE SEMENTES E MUDAS FLORESTAIS NATIVAS Rede Brasileira de Sementes Florestais Adriana Dias Trevisan Dra. Gestão Ambiental Redes Regionais de Sementes Rede Semente Sul Rede de

Leia mais

Programa Município Verde Azul 2011

Programa Município Verde Azul 2011 Programa Município Verde Azul 2011 OBJETIVOS DO PMVA PARA O CICLO 2011 FORTALECER o planejamento ambiental no cotidiano do Município INCENTIVAR a participação da Sociedade Civil na agenda ambiental local

Leia mais

VALEC POLÍTICA AMBIENTAL. Título: POLÍTICA AMBIENTAL Identificador: POL 5.03.01.16-001. Proponente: DIPLAN. Folha: 1 / 12.

VALEC POLÍTICA AMBIENTAL. Título: POLÍTICA AMBIENTAL Identificador: POL 5.03.01.16-001. Proponente: DIPLAN. Folha: 1 / 12. POL 5.3.1.16-1 1 / 12 POL 5.3.1.16-1 2 / 12 POL 5.3.1.16-1 3 / 12 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO... 4 2. DA VALEC S.A.... 6 3. OBJETIVOS PROPOSTOS E METAS PARA O PRIMEIRO ANO... 7 4. NORMAS AMBIENTAIS PROPOSTAS...

Leia mais

ATA DA 6 REUNIÃO DO CONSELHO CONSULTIVO DO PARQUE ESTADUAL DA SERRA DO MAR NÚCLEO CARAGUATATUBA

ATA DA 6 REUNIÃO DO CONSELHO CONSULTIVO DO PARQUE ESTADUAL DA SERRA DO MAR NÚCLEO CARAGUATATUBA ATA DA 6 REUNIÃO DO CONSELHO CONSULTIVO DO PARQUE ESTADUAL DA SERRA DO MAR NÚCLEO CARAGUATATUBA REALIZADA EM 04 DE AGOSTO DE 2014. DATA, HORA E LOCAL: 04 de AGOSTO de 2014, às 13 horas, no Centro de Visitantes

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Programa Águas de Araucária

Mostra de Projetos 2011. Programa Águas de Araucária Mostra de Projetos 2011 Programa Águas de Araucária Mostra Local de: Araucária. Categoria do projeto: I - Projetos em implantação, com resultados parciais. Nome da Instituição/Empresa: Secretaria Municipal

Leia mais

5.4. Programa de Comunicação Social. Revisão 00 NOV/2013. PCH Jacaré Plano de Controle Ambiental - PCA PROGRAMAS AMBIENTAIS

5.4. Programa de Comunicação Social. Revisão 00 NOV/2013. PCH Jacaré Plano de Controle Ambiental - PCA PROGRAMAS AMBIENTAIS PROGRAMAS AMBIENTAIS 5.4 Programa de Comunicação Social NOV/2013 CAPA ÍNDICE GERAL 1. Introdução... 1 1.1. Ações já Realizadas... 2 2. Justificativa... 3 3. Objetivos... 4 4. Área de Abrangência... 4

Leia mais

Câmara Municipal de Volta Redonda RJ PROGRAMA Nº - 162

Câmara Municipal de Volta Redonda RJ PROGRAMA Nº - 162 PROGRAMA Nº - 162 Monitoramento e Fiscalização Ambiental SUB-FUNÇÃO: 542 CONTROLE AMBIENTAL Promover o monitoramento da poluição do ar, hídrica e sonora indispensável ao desenvolvimento de de controle

Leia mais

Sobre nós. Educação Ambiental. Fale Conosco

Sobre nós. Educação Ambiental. Fale Conosco Sobre nós Em 1997 com iniciativas dos proprietários da Fazenda Alegre conscientes da importância da preservação e conservação dos remanescentes da vegetação nativa da fazenda, áreas degradadas vêm sendo

Leia mais

Diálogo com a Comunidade. Um balanço das ações sustentáveis

Diálogo com a Comunidade. Um balanço das ações sustentáveis Diálogo com a Comunidade Um balanço das ações sustentáveis Veracel Celulose É uma empresa 100% baiana, presente em dez municípios do Extremo Sul do estado: Eunápolis, Porto Seguro, Santa Cruz Cabrália,

Leia mais

APPA Associação de Proteção e Preservação Ambiental de Araras A natureza, quando agredida, não se defende; porém,ela se vinga.

APPA Associação de Proteção e Preservação Ambiental de Araras A natureza, quando agredida, não se defende; porém,ela se vinga. O desmatamento, ao longo dos anos, no município de Araras, contribuiu para a redução no suprimento de água potável, devido à formação geológica local, que resulta nos aqüíferos do grupo Passa Dois e Basalto

Leia mais

5.5. Programa de Educação Ambiental. Revisão 00 NOV/2013. PCH Jacaré Plano de Controle Ambiental - PCA PROGRAMAS AMBIENTAIS

5.5. Programa de Educação Ambiental. Revisão 00 NOV/2013. PCH Jacaré Plano de Controle Ambiental - PCA PROGRAMAS AMBIENTAIS PROGRAMAS AMBIENTAIS 5.5 Programa de Educação Ambiental NOV/2013 Carlos Eduardo Alencar Carvalho CRBio 37538/4-D Carlos Eduardo Alencar Carvalho CRBio 37538/4-D CAPA 5.5. Programa de Educação Ambiental

Leia mais

Programa Mato-grossense de Municípios Sustentáveis Registro de Experiências municipais 1

Programa Mato-grossense de Municípios Sustentáveis Registro de Experiências municipais 1 Programa Mato-grossense de Municípios Sustentáveis Registro de Experiências municipais 1 Conceito de Tecnologia Social aplicada a Municípios Sustentáveis: "Compreende técnicas, metodologias e experiências

Leia mais

Semeando o Verde. Categoria do projeto: I Projetos em Andamento (projetos em execução atualmente)

Semeando o Verde. Categoria do projeto: I Projetos em Andamento (projetos em execução atualmente) Semeando o Verde Mostra Local de: Maringá PR Categoria do projeto: I Projetos em Andamento (projetos em execução atualmente) Nome da Instituição/Empresa: Usina de Açúcar Santa Terezinha Ltda. Cidade: Maringá

Leia mais

Easy PDF Creator is professional software to create PDF. If you wish to remove this line, buy it now.

Easy PDF Creator is professional software to create PDF. If you wish to remove this line, buy it now. PROGRAMA : ADMINISTRAÇÃO GERAL OBJETIVO : Manter as atividades administrativas e operacionais dos órgãos para melhoria da prestação de serviços ao público Valores (R$ 1,00) 2006 11.700,000 Manutenção das

Leia mais

TÍTULO: PRINCÍPIOS E GESTÃO DO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL GUARULHOS: SANEAMENTO AMBIENTAL E QUALIDADE DE VIDA

TÍTULO: PRINCÍPIOS E GESTÃO DO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL GUARULHOS: SANEAMENTO AMBIENTAL E QUALIDADE DE VIDA TÍTULO: PRINCÍPIOS E GESTÃO DO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL GUARULHOS: SANEAMENTO AMBIENTAL E QUALIDADE DE VIDA Autora: Erotides Lacerda Choueri Outros autores: Marcos Tsutomu Tamai, Vânia Maria Nunes

Leia mais

TOMO II SUMÁRIO DO ESTUDO DE IMPACTO AMBIENTAL EIA

TOMO II SUMÁRIO DO ESTUDO DE IMPACTO AMBIENTAL EIA TOMO II SUMÁRIO DO ESTUDO DE IMPACTO AMBIENTAL EIA 5. IDENTIFICAÇÃO E AVALIAÇÃO DOS IMPACTOS AMBIENTAIS 5.1 5.1. METODOLOGIA 5.1 5.2. IDENTIFICAÇÃO DOS IMPACTOS AMBIENTAIS 5.3 5.3. DESCRIÇÃO DOS IMPACTOS

Leia mais

III Semana de Meio Ambiente Baesa

III Semana de Meio Ambiente Baesa III Semana de Meio Ambiente Baesa 04 a 06 de junho de 2014 Capacitação para Projetos Sociais Esta atividade faz parte do Programa de Educação Ambiental conforme requerido pelo Licenciamento Ambiental Federal

Leia mais

Resolução SMA - 44, de 30-6-2008 Define critérios e procedimentos para a implantação de Sistemas Agroflorestais

Resolução SMA - 44, de 30-6-2008 Define critérios e procedimentos para a implantação de Sistemas Agroflorestais Resolução SMA - 44, de 30-6-2008 Define critérios e procedimentos para a implantação de Sistemas Agroflorestais O Secretário do Meio Ambiente, considerando: A necessidade de regulamentação da utilização

Leia mais

Levantamento Sócioambiental do Município de Vera Cruz do. Loana B. dos Santos, Daniela Mondardo, Luciane Luvizon, Patrícia P.

Levantamento Sócioambiental do Município de Vera Cruz do. Loana B. dos Santos, Daniela Mondardo, Luciane Luvizon, Patrícia P. Levantamento Sócioambiental do Município de Vera Cruz do Oeste PR Loana B. dos Santos, Daniela Mondardo, Luciane Luvizon, Patrícia P. Bellon, Cristiane C. Meinerz, Paulo S. R. Oliveira INTRODUÇÃO Nestes

Leia mais

RELATÓRIO DE PLANTIO E VISTORIA

RELATÓRIO DE PLANTIO E VISTORIA Propriedade: Parque Ecológico Rio Formoso Código: 03/2011 Número de mudas plantadas: 150 (Cento e cinquenta) Data do plantio: 22/03/ 2011 Data da vistoria 01: 15/05/ 2011 Patrocinadores: Agência Ar - Hotel

Leia mais

PROGRAMAS AMBIENTAIS COMO MEDIDAS MITIGADORAS E COMPENSATÓRIAS NO PROCESSO DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL

PROGRAMAS AMBIENTAIS COMO MEDIDAS MITIGADORAS E COMPENSATÓRIAS NO PROCESSO DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL PROGRAMAS AMBIENTAIS COMO MEDIDAS MITIGADORAS E COMPENSATÓRIAS NO PROCESSO DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL Sarah Rachel Oliveira do Amparo Furtado*, Alexandra Helena Lisboa Boldrin** * Acadêmica da Faculdade

Leia mais

Avaliação da implementação das propostas do Distrito de Tupi apresentadas no Orçamento Participativo

Avaliação da implementação das propostas do Distrito de Tupi apresentadas no Orçamento Participativo Avaliação da das propostas do Distrito de Tupi apresentadas no Orçamento Participativo Objetivo Com o objetivo de realizar uma análise e contribuir com o aprimoramento do Orçamento Participativo 12 no

Leia mais

ANEXO DAS PRIORIDADES E METAS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

ANEXO DAS PRIORIDADES E METAS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PREFEITURA MUNICIPAL DE JOAO PESSOA SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO EXERCÍCIO: 200 ANEXO DAS PRIORIDADES E METAS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA ÓRGÃO: Projeto/Atividade Objetivo Denominação da Meta Unid.

Leia mais

BOLETIM 080 PREOCUPAÇÃO AMBIENTAL PERMEIA OBRA DO DNIT. 1ª conferência Municipal de Meio Ambiente de São Miguel do Araguaia. Biodiversidade em foco

BOLETIM 080 PREOCUPAÇÃO AMBIENTAL PERMEIA OBRA DO DNIT. 1ª conferência Municipal de Meio Ambiente de São Miguel do Araguaia. Biodiversidade em foco ano I. número II. junho de 2013 PREOCUPAÇÃO AMBIENTAL PERMEIA OBRA DO DNIT 1ª conferência Municipal de Meio Ambiente de São Miguel do Araguaia Preservação e progresso não são ideias incompatíveis. É pensando

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA DE ESTADO DE MEIO AMBIENTE DIRETORIA DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL GERÊNCIA DE PROJETOS MINERÁRIOS

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA DE ESTADO DE MEIO AMBIENTE DIRETORIA DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL GERÊNCIA DE PROJETOS MINERÁRIOS GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA DE ESTADO DE MEIO AMBIENTE DIRETORIA DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL GERÊNCIA DE PROJETOS MINERÁRIOS ITAITUBA PA Junho/2012 O QUE É O LICENCIAMENTO AMBIENTAL? O Licenciamento

Leia mais

Política Ambiental das Empresas Eletrobras

Política Ambiental das Empresas Eletrobras Política Ambiental das Empresas Eletrobras Versão 2.0 16/05/2013 Sumário 1 Objetivo... 3 2 Princípios... 3 3 Diretrizes... 3 3.1 Diretrizes Gerais... 3 3.1.1 Articulação Interna... 3 3.1.2 Articulação

Leia mais

Problemas e desafios Soluções e ações propostas

Problemas e desafios Soluções e ações propostas FÓRUM DAS OFICINAS DO GRUPO DE TRABALHO DE AGRICULTURA ORGÂNICA E AGROECOLOGIA I - Introdução/Apresentações II - Comercialização III - Produção/Pesquisa/Assistência Técnica IV - Produção Animal V - Impactos

Leia mais

Anexo XIX Atualização de Site

Anexo XIX Atualização de Site Anexo XIX Atualização de Site Mês: Junho Notas 01.06.10 Avanço na implantação da UHE Jirau 09.06.10 Direto do canteiro de obras da UHE Jirau 09.06.10 Jirau inicia etapa do Programa Paleontológico 09.06.10

Leia mais

CONTEÚDO 1.1 OBJETIVOS...1.1 1.2 ESTRUTURA DO DOCUMENTO...1.2 1.3 ESTRUTURA DOS PROGRAMAS AMBIENTAIS...1.3 3.1 INTRODUÇÃO...3.1

CONTEÚDO 1.1 OBJETIVOS...1.1 1.2 ESTRUTURA DO DOCUMENTO...1.2 1.3 ESTRUTURA DOS PROGRAMAS AMBIENTAIS...1.3 3.1 INTRODUÇÃO...3.1 CONTEÚDO Pág. 1 INTRODUÇÃO...1.1 1.1 OBJETIVOS...1.1 1.2 ESTRUTURA DO DOCUMENTO...1.2 1.3 ESTRUTURA DOS PROGRAMAS AMBIENTAIS...1.3 2 CONTEXTO GEOGRÁFICO...2.1 3 CARACTERIZAÇÃO DO PROJETO MINERAL...3.1

Leia mais

Programa de Interação e Comunicação Social

Programa de Interação e Comunicação Social Comunicação Social O Programa de Interação e Comunicação Social faz parte do Projeto Básico Ambiental (PBA) da UHE Teles Pires, como parte integrante dos Programas de Apoio ao Plano de Gestão Ambiental.

Leia mais

canteiro de obras: compreendendo o conjunto de instalações dimensionadas e implantadas para o apoio às obras, podendo constar de:

canteiro de obras: compreendendo o conjunto de instalações dimensionadas e implantadas para o apoio às obras, podendo constar de: ES MA 04 CANTEIROS DE OBRAS, INSTALAÇÕES INDUSTRIAIS E EQUIPAMENTOS EM GERAL 1. Generalidades Esta Especificação estabelece os procedimentos a serem observados na instalação e na operação dos canteiros

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Curso: Gestão Ambiental campus Angra Missão O Curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental da Universidade Estácio de Sá tem por missão a formação de Gestores Ambientais

Leia mais

PROGRAMA PETROBRAS SOCIOAMBIENTAL: Desenvolvimento Sustentável e Promoção de Direitos

PROGRAMA PETROBRAS SOCIOAMBIENTAL: Desenvolvimento Sustentável e Promoção de Direitos PROGRAMA PETROBRAS SOCIOAMBIENTAL: Desenvolvimento Sustentável e Promoção de Direitos Pra começo de conversa, um video... NOVO PROGRAMA Programa Petrobras SOCIOAMBIENTAL 2014-2018 3 ELABORAÇÃO DO NOVO

Leia mais

RELATÓRIO DA SEMANA NACIONAL DO MEIO AMBIENTE 02 a 10 de junho de 2014

RELATÓRIO DA SEMANA NACIONAL DO MEIO AMBIENTE 02 a 10 de junho de 2014 RELATÓRIO DA SEMANA NACIONAL DO MEIO AMBIENTE 02 a 10 de junho de 2014 As cidades de Alagoa grande, Bananeiras, Caiçara, Cacimba de Dentro,Dona Inês, Guarabira, Sapé e Solânea participaram da Semana Nacional

Leia mais

Coalizão da sociedade civil criada em outubro de 2014 para contribuir com a construção de segurança hídrica em São Paulo

Coalizão da sociedade civil criada em outubro de 2014 para contribuir com a construção de segurança hídrica em São Paulo Coalizão da sociedade civil criada em outubro de 2014 para contribuir com a construção de segurança hídrica em São Paulo Água é um direito humano. Não uma mercadoria. Todos os níveis de governo têm responsabilidade.

Leia mais

PROGRAMA DE COMUNICAÇÃO AMBIENTAL DA ARCELORMITTAL TUBARÃO 1997-2007

PROGRAMA DE COMUNICAÇÃO AMBIENTAL DA ARCELORMITTAL TUBARÃO 1997-2007 PROGRAMA DE COMUNICAÇÃO AMBIENTAL DA ARCELORMITTAL TUBARÃO 1997-2007 OBJETIVO Estabelecer um canal de comunicação entre empresa e sociedade, contribuindo com ações sócio-ambientais na comunidade escolar,

Leia mais

Projeto: SEMENADO O BIOMA CERRADO RELATÓRIO DE VIAGEM A CRITALINA/GO

Projeto: SEMENADO O BIOMA CERRADO RELATÓRIO DE VIAGEM A CRITALINA/GO Projeto: SEMENADO O BIOMA CERRADO RELATÓRIO DE VIAGEM A CRITALINA/GO Assunto: Reuniões de Programação de Eventos. 2011. Pessoas que participaram das reuniões: Luiz Carlos Simon Coordenador Geral do Instituto

Leia mais

PROJETOS AMBIENTAIS VISANDO A PROTEÇÃO DO RIO CORUMBATAÍ NA REGIÃO DE PIRACICABA-SP ATRAVÉS DA CONTRIBUIÇÃO DOS SERVIÇOS MUNICIPAIS DE ÁGUA E ESGOTO

PROJETOS AMBIENTAIS VISANDO A PROTEÇÃO DO RIO CORUMBATAÍ NA REGIÃO DE PIRACICABA-SP ATRAVÉS DA CONTRIBUIÇÃO DOS SERVIÇOS MUNICIPAIS DE ÁGUA E ESGOTO PROJETOS AMBIENTAIS VISANDO A PROTEÇÃO DO RIO CORUMBATAÍ NA REGIÃO DE PIRACICABA-SP ATRAVÉS DA CONTRIBUIÇÃO DOS SERVIÇOS MUNICIPAIS DE ÁGUA E ESGOTO Nomes dos autores: Fernando César Vitti Tabai (Apresentador

Leia mais

Plano de Fiscalização de Unidades de Conservação - SIM

Plano de Fiscalização de Unidades de Conservação - SIM Plano de Fiscalização de Unidades de Conservação - SIM Formação Socioambiental 3º Encontro Planejando intervenções Polo 6 P.E. Serra do Mar Núcleo Caraguatatuba Algo que pode provocar ou, também, inspirar...

Leia mais

O QUE É O PROAMBIENTE?

O QUE É O PROAMBIENTE? O QUE É O PROAMBIENTE? Fruto da discussão da sociedade civil para a promoção do desenvolvimento socioambiental das populações rurais da Amazônia; Proposta de política pública com nova concepção de desenvolvimento

Leia mais

EDITAL DE MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE PARQUE AMBIENTAL: JANELAS PARA O RIO

EDITAL DE MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE PARQUE AMBIENTAL: JANELAS PARA O RIO EDITAL DE MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE PARQUE AMBIENTAL: JANELAS PARA O RIO A AGÊNCIA PERNAMBUCANA DE ÁGUAS E CLIMA APAC, de acordo com o Plano Hidroambiental da Bacia do Rio Capibaribe, está recebendo manifestações

Leia mais

A Fundação Espaço ECO

A Fundação Espaço ECO www.espacoeco.org Sustentabilidade que se mede A Fundação Espaço ECO (FEE ) é um Centro de Excelência em Educação e Gestão para a sustentabilidade, que mede e avalia a sustentabilidade por meio de metodologias

Leia mais

FICHA PROJETO - nº 066-C

FICHA PROJETO - nº 066-C FICHA PROJETO - nº 066-C CONSOLIDAÇÃO Grande Projeto LOGO Instituição Parceira 1) TÍTULO: Frutos do Cerrado - Fortalecimento Organizacional e Produção Sustentável de Agricultores Extrativistas do Tocantins

Leia mais

ESTUDO DE IMPACTO DE VIZINHANÇA EMPREENDIMENTO RESIDENCIAL SANTA CLARA

ESTUDO DE IMPACTO DE VIZINHANÇA EMPREENDIMENTO RESIDENCIAL SANTA CLARA ESTUDO DE IMPACTO DE VIZINHANÇA EMPREENDIMENTO RESIDENCIAL SANTA CLARA ARAUCÁRIA, 08 DE MARÇO DE 2013 PARCERIAS SOMA EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS LTDA ME FÓRMULA EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS LTDA URBENGE

Leia mais

19º RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DO TRABALHO TÉCNICO SOCIAL

19º RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DO TRABALHO TÉCNICO SOCIAL 19º RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DO TRABALHO TÉCNICO SOCIAL Projeto de Trabalho Técnico Social Parque Araruama e Jardim Sumaré PAC Drenagem - Ct. Nº 0292.744-42/09 1 INTRODUÇÃO Durante este período a Equipe

Leia mais

Relatório Plante Bonito Patrocinador: Colégio Palmares Ambiental Viagens e Turismo Área: Estância Mimosa Ecoturismo

Relatório Plante Bonito Patrocinador: Colégio Palmares Ambiental Viagens e Turismo Área: Estância Mimosa Ecoturismo Instituto das Águas da Serra da Bodoquena IASB Organização não governamental sem fins lucrativos, com caráter técnico, científico e ambiental, criado em Bonito/MS por proprietários rurais, empresários,

Leia mais

2.6.12-1 Implementação de Medidas de Controle de Processos Erosivos

2.6.12-1 Implementação de Medidas de Controle de Processos Erosivos 2.6.12 O PCPE foi implementado com base no Plano Ambiental para Construção PAC a fim de proteger, estabilizar e mitigar as interferências na faixa de servidão, bota-foras, acessos, canteiro de obras e

Leia mais

TERMO DE REFERENCIA PARA ELABORAÇÃO DE RELATÓRIO DE CONTROLE AMBIENTAL RCA PARA LICENCIAMENTO DE ÁREAS DE LAZER DE MÉDIO PORTE

TERMO DE REFERENCIA PARA ELABORAÇÃO DE RELATÓRIO DE CONTROLE AMBIENTAL RCA PARA LICENCIAMENTO DE ÁREAS DE LAZER DE MÉDIO PORTE TERMO DE REFERENCIA PARA ELABORAÇÃO DE RELATÓRIO DE CONTROLE AMBIENTAL RCA PARA LICENCIAMENTO DE ÁREAS DE LAZER DE MÉDIO PORTE Este Termo de Referência visa orientar na elaboração de PROJETO DE CONTROLE

Leia mais

Mobilização e Participação Social no

Mobilização e Participação Social no SECRETARIA-GERAL DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Mobilização e Participação Social no Plano Brasil Sem Miséria 2012 SUMÁRIO Introdução... 3 Participação

Leia mais

CONSELHO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL CDES GT MATRIZ ENERGÉTICA PARA O DESENVOLVIMENTO COM EQUIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL

CONSELHO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL CDES GT MATRIZ ENERGÉTICA PARA O DESENVOLVIMENTO COM EQUIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL CONSELHO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL CDES GT MATRIZ ENERGÉTICA PARA O DESENVOLVIMENTO COM EQUIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL COLÓQUIO EMPREGOS VERDES E CONSTRUÇÕES SUSTENTÁVEIS 20.08.2009

Leia mais

CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE DO AMAZONAS

CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE DO AMAZONAS RESOLUÇÃO/CEMAAM/Nº01/08 Estabelece normas e procedimentos para regularização ambiental de TANQUES, VIVEIROS, BARRAGENS, PEQUENOS RESERVATÓRIOS, CANAIS DE IGARAPÉS E TANQUES REDE DESTINADOS PARA A AQÜICULTURA

Leia mais

PROCERRADO PROJETO DE REDUÇÃO DO DESMATAMENTO E DAS QUEIMADAS NO CERRADO DO PIAUÍ TERMO DE REFERÊNCIA

PROCERRADO PROJETO DE REDUÇÃO DO DESMATAMENTO E DAS QUEIMADAS NO CERRADO DO PIAUÍ TERMO DE REFERÊNCIA PROCERRADO PROJETO DE REDUÇÃO DO DESMATAMENTO E DAS QUEIMADAS NO CERRADO DO PIAUÍ Acordo de Doação Nº TF016192 TERMO DE REFERÊNCIA TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA INDIVIDUAL DE LONGO

Leia mais

PROGRAMA DE REFLORESTAMENTO DAS MICROBACIAS HIDROGRÁFICAS DAS ÁREAS DE PROTEÇÃO AOS MANANCIAIS DA REPRESA BILLINGS NO MUNICÍPIO DE SANTO ANDRÉ SP

PROGRAMA DE REFLORESTAMENTO DAS MICROBACIAS HIDROGRÁFICAS DAS ÁREAS DE PROTEÇÃO AOS MANANCIAIS DA REPRESA BILLINGS NO MUNICÍPIO DE SANTO ANDRÉ SP PROGRAMA DE REFLORESTAMENTO DAS MICROBACIAS HIDROGRÁFICAS DAS ÁREAS DE PROTEÇÃO AOS MANANCIAIS DA REPRESA BILLINGS NO MUNICÍPIO DE SANTO ANDRÉ SP Fernanda Longhini Ferreira 1 O município de Santo André,

Leia mais

As ações do Pacto serão delineadas de acordo com as seguintes prioridades:

As ações do Pacto serão delineadas de acordo com as seguintes prioridades: Finalidade A conservação da biodiversidade e de demais atributos da Mata Atlântica depende de um conjunto articulado de estratégias, incluindo a criação e a implantação de Unidades de Conservação, Mosaicos

Leia mais

Curitiba-PR Brasil Março 2007. Prefeitura

Curitiba-PR Brasil Março 2007. Prefeitura Curitiba-PR Brasil Março 2007 Prefeitura Biodiversidade Gerenciamento da Biodiversidade Urbana e Promoção da Conscientização da Biodiversidade em Comunidades Urbanas. Curitiba-PR-Brasil Março 2007 Clarismino

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE ORÇAMENTO E CONTROLE SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE ORÇAMENTO E CONTROLE SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS PROGRAMA Nº - 034 Recuperação Geológica de Áreas de Risco Contenção de Encostas SUB-FUNÇÃO: 543 RECUPERAÇÃO DE ÁREA DEGRADADAS Identificar áreas de risco; desenvolver projetos

Leia mais

: 011 - GESTÃO PÚBLICA DA SECRETARIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE E SANEAMENTO BÁSICO JUSTIFICATIVA: A

: 011 - GESTÃO PÚBLICA DA SECRETARIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE E SANEAMENTO BÁSICO JUSTIFICATIVA: A Indicadores do Programa Unidade de Medida Índice recente LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS - ANEXO III - METAS E PRIORIDADES PROGRAMA: 011 - GESTÃO PÚBLICA DA SECRETARIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE E SANEAMENTO

Leia mais

Campanha Multimédia de Promoção e Educação

Campanha Multimédia de Promoção e Educação Campanha Multimédia de Promoção e Educação O seguinte é uma campanha anual de promoção usando variedade de táticas para alcançar grandes grupos de dentistas através de técnicas sofisticadas de publicidade,

Leia mais

Grupo Temático: Áreas de Proteção. Ambiental Natural. Coordenador: Walter Koch. Facilitador: Karla. Relator:Eloísa

Grupo Temático: Áreas de Proteção. Ambiental Natural. Coordenador: Walter Koch. Facilitador: Karla. Relator:Eloísa Grupo Temático: Áreas de Proteção Coordenador: Walter Koch Facilitador: Karla Ass.: Ass.: Ass.: Relator:Eloísa Porto Alegre, 06 e 07 de maio de 2006. No. Grupo Temático 58 Áreas de Proteção Rejeitado Proposta

Leia mais

Continua o diálogo entre população, prefeitura, consórcio e SABESP

Continua o diálogo entre população, prefeitura, consórcio e SABESP Continua o diálogo entre população, prefeitura, consórcio e SABESP Prazos e metas para o atendimento das solicitações apresentadas pela população foram pauta da reunião que aconteceu na prefeitura no início

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA A CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA PARA A REALIZAÇÃO DE CURSO DE CAPACITAÇÃO PARA GESTÃO DE PROJETOS

TERMO DE REFERÊNCIA PARA A CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA PARA A REALIZAÇÃO DE CURSO DE CAPACITAÇÃO PARA GESTÃO DE PROJETOS TERMO DE REFERÊNCIA PARA A CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA PARA A REALIZAÇÃO DE CURSO DE CAPACITAÇÃO PARA GESTÃO DE PROJETOS 1. IDENTIFICAÇÃO DOS TERMOS DE REFERÊNCIA 1.1. NÚMERO: 02/ 2010 1.2. ÁREA DE CONCENTRAÇÃO:

Leia mais