GESTÃO do DESIGN interrelacionada com GESTÃO do MARKETING

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "GESTÃO do DESIGN interrelacionada com GESTÃO do MARKETING"

Transcrição

1 1. Gestão do design e a estratégia de marketing A gestão do design tem a função de controlar a criação e desenvolvimento do produto, estando sempre atento e observando as necessidades do mercado e a promoção da coleção. A empresa deve manter uma observação constante sobre o mercado e o tipo de estratégias a adotar pelo design, correlacionadas com as mudanças do mercado e influências externas quer econômicas quer culturais. A gestão deve ser orientada e definida dentro das estratégias do design e marketing. É possível definir-se Gestão do Design como 'a organização e controle de um sistema criativo de forma a desenvolver produtos têxteis com sucesso comercial'. Este sistema envolve a integração da tecnologia com um sistema criativo. GESTÃO do DESIGN interrelacionada com GESTÃO do MARKETING C B A 8 7 Gestão Marketing D E Gestão Design F G H Pesquisa de mercado -- 1 Desenvolvimento de produtos Inovação de produtos -- 3 Preço -- 4 Distribuição -- 5 Vendas -- 6 Avaliação do mercado -- 7 Promoção & publicidade -- 8 A --Pesquisa de Design research B -- Previsões C -- Criatividade D -- Inovação de Produtos E -- Produtos novos F -- Desenvolvimento do Design G -- Avaliação do Design H -- Design de comunicação

2 Design e custos A relação entre o design e os custos tem as suas funções baseadas no estudo e determinação dos orçamentos estabelecidos para o desenvolvimento de coleções também com o orçamento disponível para a perfeita laboração do departamento de design, que necessita de informação especializada sobre moda assim como de se deslocar a reuniões de tendências de moda e visitar o mercado para o analisar. Esses orçamentos deverão cobrir as despesas previstas, algumas experiências destinadas a uma atualização constante dos produtos em produção. Inovando-os com novas misturas de fibras ou utilizando acabamentos diferentes para criar novas performances nos tecidos, respondendo dessa forma às tendências para a estação. 1.2-Design e pesquisa de mercado Em paralelo com a pesquisa de mercado feita pelo departamento de marketing, a pesquisa de design baseia-se através de encontros de designers de diversas áreas onde são discutidas tendências em geral para a estação cobrindo diferentes tipos de produtos, analisa-se constantemente o mercado e tiram-se idéias da moda de rua, recolhendo opiniões de clientes, agentes e representantes ou comissionistas. Depois de uma análise aprofundada e reuniões com o departamento de marketing, serão debatidas as melhores estratégias a serem aplicadas a cada produto em cada segmento de mercado. É apresentada a tendência geral de toda a coleção, os temas e possíveis combinações. O planejamento de estratégias para a conquista de novos mercados alvo assim como a adaptação de produtos para uma plena satisfação de cada segmento de mercado, deverão ser discutidos e planejados de forma bem atenta Design e desenvolvimento de produtos novos A primeira decisão que a empresa deverá tomar é quais os produtos que serão colocados no mercado e quando. Identificar as características que o produto deve ter para satisfazer certo nicho de mercado que a empresa procura satisfazer com encomendas suficientes de forma a que obtenha sucesso, e, com ele, lucro, que justifique o projeto. Os produtos novos são desenvolvidos por várias razões, quer econômicas quer por se ter verificado a necessidade desse produto por parte do mercado, ou solicitado por clientes. A função do design é criá-los e organizar todo o planejamento para o desenvolvimento desse produto e acompanhá-lo em todas as suas etapas, supervisionando em conjunto com cada departamento envolvido na sua produção, atendendo essencialmente a parte económica, para que sejam criados produtos comercializáveis. Quando os produtos novos são planejados, desde a seleção das matérias primas para cada tecido o designer deve considerar todas as propriedades físicas e características gerais exigidas ao tecido, para que seja de boa qualidade e de acordo com a sua finalidade, estando dentro das tendências da moda para o segmento de mercado a que o vestuário se destina. A função principal do design é criar produtos novos de alto valor estético e com todas as características que satisfaçam plenamente as funções que vai desempenhar, satisfazendo simultaneamente as necessidades do mercado.

3 3 1.4-Design e produção Após o planejamento e criação dos produtos, dever-se-á proceder ao cálculo de custos e simulações de preço no ponto de venda, para que se avalie quais os produtos e padrões que devem ser selecionados para constituir a coleção final. Dentro desses cálculos deve-se ter em conta todos os elementos que constituem os tecidos desde as matérias primas e respectivas misturas de fibras e fios, equipamentos e mão-de-obra, até a apresentação final ao cliente. Este tipo de análise deverá ser calculado para cada produto e colorido, para se encontrar o preço médio de cada produto. A empresa deve reconhecer e avaliar a relação custo/ benefício que cada produto lhe dará após a venda. Alguns processos de produção ou matérias primas usadas são mais onerosos que outros, no entanto deveram ser usados porque o produto final necessita ter as características que o mercado deseja e a moda indica, assim como conter aspectos estéticos que justifiquem a diferença de preço Produtos novos e inovação O grupo de designers deve enviar o relatório sobre o produto com todas as informações necessárias para a sua produção, desde a composição dos fios com mistura de fibras e suas características para a fiação, o debuxo do tecido para a tecelagem assim como outras informações técnicas, e finalmente os diferentes tipos de tingimento e acabamento dos produtos. Este relatório é tão necessário para os produtos novos como para a inovação de produtos já em produção, de forma a responderem às tendências de moda para a estação em referência. Na produção o relatório deve ser analisado pormenorizadamente e comparado com o já existente de forma a se detectar as inovações dos produtos já em produção, e desenvolver as alterações indicadas, assim como registar em pormenor todo o trabalho necessário devido às alterações. Em geral as funções do design é desenvolvida através dos métodos de design para se atualizar os produtos, aumentar a qualidade e tentar minimizar custos de produção Design e Preço O preço de venda final é um factor muito importante, porque vai influenciar a tomada de decisão do comprador. O preço não deve ser apenas calculado sobre os custos inerentes a todo o desenvolvimento do produto, mas também indicar e representar o valor real do produto, mais o valor representativo do seu design de forma a se encaixar no segmento de mercado a que esse produto deve satisfazer. Se tomarmos o exemplo de um tecido novo, sem competidores no mercado, e com características especiais e diferentes de todos os outros tecidos, decerto será comprado por um preço muito alto devido á novidade e comportamentos estéticos e técnicos desse produto. Para se alcançar o topo do mercado, a empresa deve apostar, na estética, estilo e exclusividade. O designer desenvolve produtos com grande valor estético tendo como referência um limite de preço em que caberá os parâmetros da qualidade pedidos pelo mercado e que este está disposto a pagar pela diferença.

4 4 Deve-se criar um estilo exclusivo que corresponda aos produtos da empresa que representa a sua capacidade de produção e que leve a empresa a ocupar um lugar de destaque, conquistando uma posição de topo no mercado e ser reconhecida pelos seus clientes e não só, como uma empresa de topo de gama com produtos distintos, com qualidade, e preços compatíveis, mas com alto valor estético dentro dos limites comerciais. 1.6 Design promoção / publicidade A função do designer na divulgação dos produtos Têxteis é muito importante. Usando o design de comunicação, o grupo de designers criam brochuras, catálogos, etiquetas, embalagens (de transporte ou de apresentação), informações técnicas e promocionais, preparam as coleções e cartazes para serem apresentados em reuniões com clientes, em feiras e desfiles. As coleções são apresentadas de várias formas como amostras em cartazes organizadas por produtos e gama de coloridos dentro de cada produto. Organizar, decorar e actualizar o showroom da empresa, assim como o stand a ser montado nas diferentes feiras onde a empresa vai expor a coleção ao mercado. Uma das principais funções do grupo de design é organizar a "Imagem Corporativa" da empresa, através de publicidade em jornais e outros meios de comunicação escritos assim como outras formas visuais. As embalagens do produto assim como todo os equipamentos que circulam devem ter o símbolo da empresa as suas cores e logo que acompanham e divulgam a sua imagem. 1.7-Design e vendas O trabalho do designer com a equipe de vendedores é acompanhá-los nos primeiros encontros com os clientes mais importantes e fornecer informações sobre a coleção para a estação que se está a vender assim como informar as inovações e adaptações feitas em produtos já no mercado. Os designers devem explicar os temas em que se basearam os produtos, a gama de coloridos e texturas que compõem toda a coleção. O departamento de vendas fornece ao design informação sobre os 'best-sellers' em cada estação e assim um melhor planejamento pode ser conseguido nas coleções vindouras. Informações sobre nichos de mercado a serem explorados, tipos de produtos e as suas características que os novos produtos devem satisfazer, para preencherem essa lacuna do segmento de mercado, obtendo-se o êxito desejado de vendas, com a utilização de padronagem, cores texturas e acabamentos mais indicados. 1.8-Design e serviço a clientes Os contactos entre a equipe de design e os clientes é feito através da necessidade de resolver problemas específicos de cada cliente, analisando e desenvolvendo tecidos exclusivos que o cliente necessita. As reuniões são organizadas pelo grupo de design, para investigar e estudar as necessidades reais do cliente e tentar resolver esses problemas, de preferência com produtos já desenvolvidos pela empresa. As tendências de moda, os produtos que compõem a coleção assim como as características especiais de cada produto, são explicadas e demonstradas com amostras de forma a que o cliente fique bem esclarecidos de todas as vantagens e propriedades de cada tecido.

5 5 A filosofia geral da coleção e os segmentos de mercado que podem ser potenciais consumidores serão indicados de acordo com os temas de moda que foram explorados na coleção. CONCLUSÕES De uma forma geral a atitude européia em relação ao trabalho do design e a sua relação entre as funções do departamento de marketing, está muito longe das necessidades reais. O design deverá estar ao mesmo nível de qualquer outro departamento dentro da empresa, o que não acontece, verificando-se que o design está junto à produção ou dentro do marketing ou setor das vendas, o que de certo modo condiciona a atitude dos designers que são meros executantes do que os chefes lhes ordenam para fazer sem terem liberdade suficiente para desenvolverem todas as etapas da criação. Quando os produtos falham no mercado a culpa é da criação, quando são 'best- sellers' o mérito é de quem produziu o tecido. O design deve criar e desenvolver produtos que o mercado deseje, e que agradem ao consumidor e sejam compatíveis com o seu poder de compra, e que a qualidade justifique o preço atribuído. Dos casos reais estudados nas empresas européias que foram questionadas, a relação entre o design e o marketing é muito restrita sendo apenas trocadas informações sobre mercados ou alguns clientes em especial. É possível concluir que a relação entre os conceitos de design e a filosofia de marketing, cria um clima harmonioso no qual o produto pode ser desenvolvido de forma a responder aos requisitos do mercado e satisfazer as necessidades do consumidor dentro das tendências de moda. Bibliografia Design Management- A handbook of issues and methods Mark Oakley Managing Product Design Mark Oakley-1984 Manual de Gestão do Design Centro Português do Design 1997 Design and Marketing for new Products development- M Graciete Silva PhD theses. Referência - Prof. Doutora M. Graciete M. da Silva Portugal R. Eng. Duarte do Amaral n.º 234- Penselo Guimarães Portugal Tel FAX:

Departamento Comercial e Marketing. Escola Secundaria de Paços de Ferreira 2009/2010. Técnicas de Secretariado

Departamento Comercial e Marketing. Escola Secundaria de Paços de Ferreira 2009/2010. Técnicas de Secretariado Escola Secundaria de Paços de Ferreira 2009/2010 Técnicas de Secretariado Departamento Comercial e Marketing Módulo 23- Departamento Comercial e Marketing Trabalho realizado por: Tânia Leão Departamento

Leia mais

As Vendas e Prestações de Serviços

As Vendas e Prestações de Serviços Disciplina: Técnicas de Secretariado Ano lectivo: 2009/2010 Prof: Adelina Silva As Vendas e Prestações de Serviços Trabalho Realizado por: Susana Carneiro 12ºS Nº18 Marketing Marketing é a parte do processo

Leia mais

Titulo Pesquisa e Criação em Moda. Autor Iara Mesquita da Silva Braga * Resumo

Titulo Pesquisa e Criação em Moda. Autor Iara Mesquita da Silva Braga * Resumo Titulo Pesquisa e Criação em Moda Autor Iara Mesquita da Silva Braga * Resumo A moda é um setor de mercado complexo, de vasta abrangência de atividades e significados. O atual profissional de moda deve

Leia mais

1- O que é um Plano de Marketing?

1- O que é um Plano de Marketing? 1- O que é um Plano de Marketing? 2.1-1ª etapa: Planejamento Um Plano de Marketing é um documento que detalha as ações necessárias para atingir um ou mais objetivos de marketing, adaptando-se a mudanças

Leia mais

DICAS DE COMO PARTICIPAR DE FEIRAS

DICAS DE COMO PARTICIPAR DE FEIRAS DICAS DE COMO PARTICIPAR DE FEIRAS VITÓRIA 2004 Dicas de como participar de feiras Introdução As feiras são eventos ricos em oportunidades de negócios. São ambientes privilegiados para o incremento das

Leia mais

INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS - Marketing Internacional

INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS - Marketing Internacional INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS - Marketing CURSO: Administração DISCIPLINA: Comércio FONTE: DIAS, Reinaldo. RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria e Gestão. Atlas. São Paulo: 2004 2.4d_ização de

Leia mais

PHC dcrm. Aumente o potencial da força de vendas da sua empresa, ao aceder remotamente à informação comercial necessária à sua actividade

PHC dcrm. Aumente o potencial da força de vendas da sua empresa, ao aceder remotamente à informação comercial necessária à sua actividade O módulo PHC dcrm permite aos comerciais da sua empresa focalizar toda a actividade no cliente, aumentando a capacidade de resposta aos potenciais negócios da empresa. PHC dcrm Aumente o potencial da força

Leia mais

Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro.

Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro. PLANO DE MARKETING Andréa Monticelli Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro. 1. CONCEITO Marketing é

Leia mais

Artigo 4º - Categorias de Prémios

Artigo 4º - Categorias de Prémios 0 Artigo 1º - Prémios Inovação Design na Fileira do Calçado Os PRÉMIOS INOVAÇÃO DESIGN NA FILEIRA DO CALÇADO-2014 são uma iniciativa conjunta do INPI Instituto Nacional da Propriedade Industrial, a APICCAPS

Leia mais

França, o centro da moda... 4

França, o centro da moda... 4 Parte I Os Fundamentos da Moda 1 A Evolução da Moda......................... 3 França, o centro da moda............................ 4 A moda ditada pela realeza..................................... 4 A

Leia mais

Somos Solução. Empresa empenhada em divulgar os seus produtos, deslocando-se para todo o país deixando de norte a sul a sua marca de qualidade.

Somos Solução. Empresa empenhada em divulgar os seus produtos, deslocando-se para todo o país deixando de norte a sul a sua marca de qualidade. Somos Solução APRESENTAÇÃO Achamos que mais importante do que captar-mos a sua atenção, é você captar a atenção dos seus futuros clientes... Através dos nossos trabalhos! Empresa empenhada em divulgar

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 136, DE 24 DE JUNHO DE 2009

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 136, DE 24 DE JUNHO DE 2009 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 136, DE 24 DE JUNHO DE 2009 O Presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais

Leia mais

ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL

ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL Diretor Geral O Diretor Geral supervisiona e coordena o funcionamento das unidades orgânicas do Comité Olímpico de Portugal, assegurando o regular desenvolvimento das suas

Leia mais

http://www.portaldaindustria.com.br/senai/iniciativas/programas/senai-cetiqt/educacao/2014/07/1,40922/cursos-de-extensao-a-distancia.

http://www.portaldaindustria.com.br/senai/iniciativas/programas/senai-cetiqt/educacao/2014/07/1,40922/cursos-de-extensao-a-distancia. www.cni.org.br http://www.portaldaindustria.com.br/senai/iniciativas/programas/senai-cetiqt/educacao/2014/07/1,40922/cursos-de-extensao-a-distancia.html Cursos de extensão a distância O SENAI CETIQT oferece

Leia mais

O aumento da força de vendas da empresa

O aumento da força de vendas da empresa PHC dcrm O aumento da força de vendas da empresa O enfoque total na actividade do cliente, através do acesso remoto à informação comercial, aumentando assim a capacidade de resposta aos potenciais negócios

Leia mais

Atividades / Funções Operacionais

Atividades / Funções Operacionais Letra Organ C Designação Diretor-Geral Adjunto; CEO Assistant Missão Gestão da Política de Sustentabilidade da Empresa em coordenação com a Direção Geral nos ramos mais significativos da sua atividade:

Leia mais

DESIGN E PRODUÇÃO DE MODA

DESIGN E PRODUÇÃO DE MODA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PADRE BARTOLOMEU DE GUSMÃO ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA JOSEFA DE ÓBIDOS CURSOS DE EMPREENDEDORISMO VOCACIONAL ATIVIDADE VOCACIONAL 3 ÁREA TÉCNICA DESIGN E PRODUÇÃO DE MODA 2014/2015

Leia mais

CURSO DE DESIGN DE MODA

CURSO DE DESIGN DE MODA 1 CURSO DE MATRIZ CURRICULAR 2016.1 EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) Consuni nº. 49/15, 2015 de 7 de outubro de 2015. SUMÁRIO 2 1ª FASE... 4 01 DESENHO DE MODA I... 4 02 HISTÓRIA: ARTE E INDUMENTÁRIA...

Leia mais

DESCRIÇÃO DO TRABALHO. Directora Nacional, WWF Moçambique

DESCRIÇÃO DO TRABALHO. Directora Nacional, WWF Moçambique DESCRIÇÃO DO TRABALHO Título de posição: Responde a: Supervisiona: Localização: Gestor de Comunicação Directora Nacional, WWF Moçambique Todo pessoal de comunicações Maputo, Moçambique Data: 19 de Agosto

Leia mais

... ... Exemplos de inovações de produto...3 Bens...3 Serviços...4

... ... Exemplos de inovações de produto...3 Bens...3 Serviços...4 E X E M P L O S D E I N O V A Ç Ã O 2 0 0 8 2 Exemplos de Inovação Apresentação de alguns exemplos relacionados com os vários tipos de inovação para ajuda no preenchimento das questões relacionadas com

Leia mais

INVENÇÃO E INOVAÇÃO INTRODUÇÃO. Desenvolvimento de Novos Produtos: Aspectos Conceituais e Critérios rios de Planejamento. Definição de Produto

INVENÇÃO E INOVAÇÃO INTRODUÇÃO. Desenvolvimento de Novos Produtos: Aspectos Conceituais e Critérios rios de Planejamento. Definição de Produto INTRODUÇÃO Cenário político e econômico da Globalização Desenvolvimento de Novos Produtos: Aspectos Conceituais e Critérios rios de Planejamento Viçosa Novembro de 2012 Ceres Mattos Della Lucia ceresnut@yahoo.com.br

Leia mais

SERVIÇOS SOLUÇÕES DE ÁGUA QUENTE

SERVIÇOS SOLUÇÕES DE ÁGUA QUENTE SERVIÇOS Índice Um grau de Inovação e Liderança tecnológica que transcende os Produtos 03 Website Vulcano: www.vulcano.pt 04 Documentação 06 Gabinete de Estudos e Dimensionamento 07 Formação 08 Contratos

Leia mais

REGULAMENTO PROGRAMA DESIGNER RESIDENTE VALE DA SEDA

REGULAMENTO PROGRAMA DESIGNER RESIDENTE VALE DA SEDA REGULAMENTO PROGRAMA DESIGNER RESIDENTE VALE DA SEDA 1. OBJETIVO Selecionar até quatro designers para atuarem profissionalmente como Designers Residentes no showroom do Vale da Seda, nas condições descritas

Leia mais

Diagnóstico de Competências para a Exportação

Diagnóstico de Competências para a Exportação Diagnóstico de Competências para a Exportação em Pequenas e Médias Empresas (PME) Guia de Utilização DIRECÇÃO DE ASSISTÊNCIA EMPRESARIAL Departamento de Promoção de Competências Empresariais Índice ENQUADRAMENTO...

Leia mais

Iniciar um negócio em Franchising

Iniciar um negócio em Franchising Iniciar um negócio em Franchising Franchising, o que é? Terminologia Vantagens e Desvantagens do Franchisado Vantagens e Desvantagens do Franchisador Dicas para potenciais Franchisados Serviços de apoio

Leia mais

GEBD aula 2 COMPRAS. Profª. Esp. Karen de Almeida

GEBD aula 2 COMPRAS. Profª. Esp. Karen de Almeida GEBD aula 2 COMPRAS Profª. Esp. Karen de Almeida Atividades típicas da Seção de Compras: a) Pesquisa; b) Aquisição; c) Administração; d) Diversos. Atividades típicas da Seção de Compras: a) Pesquisa: Estudo

Leia mais

PLANO DE MARKETING. Trabalho realizado por: Vera Valadeiro, nº20. TAG 4/2010 17 Valores

PLANO DE MARKETING. Trabalho realizado por: Vera Valadeiro, nº20. TAG 4/2010 17 Valores 0366 PLANO DE MARKETING Trabalho realizado por: Vera Valadeiro, nº20 TAG 4/2010 17 Valores Índice Introdução Diagnóstico Análise do Mercado Análise da Concorrência Análise da Empresa Análise SWOT Objectivos

Leia mais

Passo 1 - Faça um diagnóstico da comunicação

Passo 1 - Faça um diagnóstico da comunicação Manual Como elaborar uma estratégia de comunicação Índice Introdução Passo 1 - Faça um diagnóstico da comunicação. Passo 2 - Defina os alvos da comunicação Passo 3 - Estabeleça os objetivos da comunicação

Leia mais

ANEXO I ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE NEGÓCIO

ANEXO I ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE NEGÓCIO ANEXO I ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE NEGÓCIO Os itens do roteiro deverão ser redigidos seguindo as normas de formatação abaixo descritas, em folhas separadas com seus respectivos títulos e numeradas:

Leia mais

TERMOS DE REFERÊNCIA PARA CONSULTORIA EXTERNA. Título :

TERMOS DE REFERÊNCIA PARA CONSULTORIA EXTERNA. Título : TERMOS DE REFERÊNCIA PARA CONSULTORIA EXTERNA Título : Realização de formação em Qualidade de Produtos para a Associação de Mulheres de Ponte Nova (AMPN), região Bafatá, Guiné-Bissau. Nome do Projecto:

Leia mais

Departamento comercial e Marketing

Departamento comercial e Marketing Departamento comercial e Marketing Tânia Carneiro Nº20 12ºS Departamento Comercial Noção e objectivos da função comercial O departamento de vendas é considerado por muitos como mais importante da empresa,

Leia mais

Questões abordadas no capítulo

Questões abordadas no capítulo AULA 12 Marketing Questões abordadas no capítulo Qual é a função da comunicação de marketing? Como funciona a comunicação de marketing? Quais são as principais etapas do desenvolvimento de uma comunicação

Leia mais

Ementário do curso de Design de Moda Grade 2004/1

Ementário do curso de Design de Moda Grade 2004/1 1 1 ACESSÓRIOS Fase: 5ª Carga Horária: 30h/a Créditos: 02 Concepção e desenvolvimento de desenho. Modelagem. Montagem. Técnicas de aprimoramento. Fichas técnicas. Processo de padronização. Mostruário.

Leia mais

Sistemas de categorias 15 ANEXO II SISTEMAS DE CATEGORIAS

Sistemas de categorias 15 ANEXO II SISTEMAS DE CATEGORIAS Sistemas de categorias 15 ANEXO II SISTEMAS DE Sistemas de categorias 16 Sistemas de categorias 17 ÍNDICE 1. Introdução 2.Dimensão estratégica do conceito imagem interna de marca corporativa 2.1. Significados

Leia mais

» apresentação. WORKFLOW que significa?

» apresentação. WORKFLOW que significa? » apresentação WORKFLOW que significa? WORKFLOW não é mais que uma solução que permite sistematizar de forma consistente os processos ou fluxos de trabalho e informação de uma empresa, de forma a torná-los

Leia mais

Design Estratégico. Profa. Dra. Cristianne Cordeiro Nascimento criscordeiro@uel.br Universidade Estadual de Londrina

Design Estratégico. Profa. Dra. Cristianne Cordeiro Nascimento criscordeiro@uel.br Universidade Estadual de Londrina Profa. Dra. Cristianne Cordeiro Nascimento criscordeiro@uel.br Universidade Estadual de Londrina Design Estratégico Vamos ver neste final de semana... Criatividade e inovação, design e sociedade contemporânea.

Leia mais

THE NEXT GENERATION IS NOW MANAGEMENT & CONSULTING GROUP

THE NEXT GENERATION IS NOW MANAGEMENT & CONSULTING GROUP Soluções integradas para a Indústria do turismo empresarial THE NEXT GENERATION IS NOW MANAGEMENT & CONSULTING GROUP A equipa da XYM Hospitality e os seus parceiros possuem vastos conhecimentos sobre a

Leia mais

A confluência dos vídeos e a Internet

A confluência dos vídeos e a Internet WHITEPAPER A confluência dos vídeos e a Internet Por que sua empresa deveria investir em vídeos em 2013 e como a Construção Civil pode utilizar os vídeos como diferencial competitivo. 1 Saiba como os vídeos

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC PROFESSOR MASSUYUKI KAWANO EXTENSÃO E. E. INDIA VANUÍRE Código: 9136 Município: Tupã Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnica

Leia mais

Índice. rota 3. Enquadramento e benefícios 6. Comunicação Ética 8. Ética nos Negócios 11. Promoção para o Desenvolvimento Sustentável 13. Percurso 1.

Índice. rota 3. Enquadramento e benefícios 6. Comunicação Ética 8. Ética nos Negócios 11. Promoção para o Desenvolvimento Sustentável 13. Percurso 1. rota 3 CLIENTES Rota 3 Índice Enquadramento e benefícios 6 Percurso 1. Comunicação Ética 8 Percurso 2. Ética nos Negócios 11 Percurso 3. Promoção para o Desenvolvimento Sustentável 13 responsabilidade

Leia mais

CURSO DE PROCESSOS GERENCIAIS DISCIPLINA FUNDAMENTOS DA GESTÃO POR PROCESSOS UNIDADE DIDÁTICA I GUIA DE ESTUDO Nº 2 / 2015

CURSO DE PROCESSOS GERENCIAIS DISCIPLINA FUNDAMENTOS DA GESTÃO POR PROCESSOS UNIDADE DIDÁTICA I GUIA DE ESTUDO Nº 2 / 2015 CURSO DE PROCESSOS GERENCIAIS DISCIPLINA FUNDAMENTOS DA GESTÃO POR PROCESSOS UNIDADE DIDÁTICA I GUIA DE ESTUDO Nº 2 / 2015 A EMPRESA COMO UMA GRANDE COLEÇÃO DE PROCESSOS REDE DE PROCESSOS Autor: Prof.

Leia mais

Go-to-innovation. GTI program

Go-to-innovation. GTI program Go-to-innovation GTI program Jan. 15 O que é o GTI Program? O GTI Go to innovation é um programa enquadrado no âmbito dos serviços de consultoria em marketing, prestados pela Squadra. Investir na área

Leia mais

ÍNDICE. - O que lhe Propomos? ------------------------------------------------------------------- 10

ÍNDICE. - O que lhe Propomos? ------------------------------------------------------------------- 10 ÍNDICE - Quem é a ATHENAS? -------------------------------------------------------------------- 2 - O que Fazemos? -------------------------------------------------------------------------- 3 - A Equipa

Leia mais

Innovation. Management Process

Innovation. Management Process Innovation Management Process By SQUADRA Marketing & Sales Consultants Set. 14 O que é o IMP? (Innovation Management Process by Squadra) We bring ideas to your business! O IMP Innovation Management Process

Leia mais

ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS. 1. Sumário Executivo. Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso. 2. Sumário da Empresa. 2.1 Composição da Sociedade

ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS. 1. Sumário Executivo. Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso. 2. Sumário da Empresa. 2.1 Composição da Sociedade ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS 1. Sumário Executivo Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso 2. Sumário da Empresa 2.1 Composição da Sociedade Perfil Individual dos sócios, experiência, formação, responsabilidades

Leia mais

PHC dteamcontrol Interno

PHC dteamcontrol Interno O módulo PHC dteamcontrol Interno permite acompanhar a gestão de todos os projectos abertos em que um utilizador se encontra envolvido. PHC dteamcontrol Interno A solução via Internet que permite acompanhar

Leia mais

Unidade IV. Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas. Prof a. Daniela Menezes

Unidade IV. Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas. Prof a. Daniela Menezes Unidade IV Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas Prof a. Daniela Menezes Tipos de Mercado Os mercados podem ser divididos em mercado de consumo e mercado organizacional. Mercado de consumo: o consumidor

Leia mais

Plano Estratégico. 1º Caracterização da MKT Soluções, Lda. 2º Argumentação do Outsourcing. 3º Analise SWOT. 4º Objectivos. 5ºTargets.

Plano Estratégico. 1º Caracterização da MKT Soluções, Lda. 2º Argumentação do Outsourcing. 3º Analise SWOT. 4º Objectivos. 5ºTargets. Plano Estratégico 1º Caracterização da MKT Soluções, Lda 2º Argumentação do Outsourcing 3º Analise SWOT 4º Objectivos 5ºTargets. 6º Área Geográfica 7º Estudo Sobre as Empresas 8º Concorrência. 9º Serviços

Leia mais

http://www.portaldaindustria.com.br/senai/iniciativas/programas/senai-cetiqt/educacao/2014/07/1,40922/cursos-de-extensao-a-distancia.

http://www.portaldaindustria.com.br/senai/iniciativas/programas/senai-cetiqt/educacao/2014/07/1,40922/cursos-de-extensao-a-distancia. www.cni.org.br http://www.portaldaindustria.com.br/senai/iniciativas/programas/senai-cetiqt/educacao/2014/07/1,40922/cursos-de-extensao-a-distancia.html Cursos de extensão a distância O SENAI CETIQT oferece

Leia mais

Recrutamento e seleção

Recrutamento e seleção Universidade de São Paulo Escola de Enfermagem Recrutamento e seleção Fernanda Maria Togeiro Fugulin RECRUTAMENTO Fase que antecede a seleção, de divulgação, em que se deverá atrair candidatos potencialmente

Leia mais

E- Marketing - Estratégia e Plano

E- Marketing - Estratégia e Plano E- Marketing - Estratégia e Plano dossier 2 http://negocios.maiadigital.pt Indíce 1 E-MARKETING ESTRATÉGIA E PLANO 2 VANTAGENS DE UM PLANO DE MARKETING 3 FASES DO PLANO DE E-MARKETING 4 ESTRATÉGIAS DE

Leia mais

Marketing de Feiras e Eventos: Promoção para Visitantes, Expositores e Patrocinadores

Marketing de Feiras e Eventos: Promoção para Visitantes, Expositores e Patrocinadores Gestão e Organização de Conferências e Reuniões Organização de conferências e reuniões, nos mais variados formatos, tais como reuniões educativas, encontros de negócios, convenções, recepções, eventos

Leia mais

CURSO DE DESIGN DE MODA

CURSO DE DESIGN DE MODA 1 CURSO DE EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2011.1 BRUSQUE (SC) 2013 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 3 01 CRIATIVIDADE... 3 02 HISTÓRIA DA ARTE E DO DESIGN... 3 03 INTRODUÇÃO AO... 3 04 LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTO... 3

Leia mais

PROTEGER MARCAS NA ECONOMIA GLOBAL

PROTEGER MARCAS NA ECONOMIA GLOBAL PROTEGER MARCAS NA ECONOMIA GLOBAL SEMINÁRIO - SIAC 23174 (PI) ÉVORA 30-04-2014 PORTUGAL ANGOLA CABO CABO VERDE VERDE MACAU MOÇAMBIQUE SÃO SÃO TOMÉE PRÍNCIPE TIMOR PROTEGER MARCAS NA ECONOMIA GLOBAL Economia

Leia mais

MODA. HABILITAÇÃO: Bacharelado em Moda - habilitação em modelagem e desenvolvimento de produto. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 4 anos

MODA. HABILITAÇÃO: Bacharelado em Moda - habilitação em modelagem e desenvolvimento de produto. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 4 anos MODA 1. TURNO: Noturno HABILITAÇÃO: Bacharelado em Moda - habilitação em modelagem e desenvolvimento de produto GRAU ACADÊMICO: Bacharel em Moda PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 4 anos Máximo = 7 anos 2.

Leia mais

http://www.portaldaindustria.com.br/senai/iniciativas/programas/senai-cetiqt/educacao/2014/07/1,40922/cursos-de-extensao-a-distancia.

http://www.portaldaindustria.com.br/senai/iniciativas/programas/senai-cetiqt/educacao/2014/07/1,40922/cursos-de-extensao-a-distancia. www.cni.org.br http://www.portaldaindustria.com.br/senai/iniciativas/programas/senai-cetiqt/educacao/2014/07/1,40922/cursos-de-extensao-a-distancia.html Cursos de extensão a distância O SENAI CETIQT oferece

Leia mais

VII Encontro Nacional de Estudos do Consumo. III Encontro Luso-Brasileiro de Estudos do Consumo. I Encontro Latino-Americano de Estudos do Consumo

VII Encontro Nacional de Estudos do Consumo. III Encontro Luso-Brasileiro de Estudos do Consumo. I Encontro Latino-Americano de Estudos do Consumo VII Encontro Nacional de Estudos do Consumo III Encontro Luso-Brasileiro de Estudos do Consumo I Encontro Latino-Americano de Estudos do Consumo Mercados Contestados As novas fronteiras da moral, da ética,

Leia mais

Os Sistemas de Informação para as Operações das Empresas e o Comércio Eletrônico Simulado Verdadeiro ou Falso

Os Sistemas de Informação para as Operações das Empresas e o Comércio Eletrônico Simulado Verdadeiro ou Falso Os Sistemas de Informação para as Operações das Empresas e o Comércio Eletrônico Simulado Verdadeiro ou Falso 1. Muitas organizações estão utilizando tecnologia da informação para desenvolver sistemas

Leia mais

Manual de. Franquia. Fun Science

Manual de. Franquia. Fun Science Manual de Franquia Fun Science 1 Entendendo o negócio Ciência Divertida Brasil Como todo investidor, antes de apostar em um novo negócio você com certeza vai se preocupar com os detalhes, certo? Para simplificar

Leia mais

Aumente o potencial da força de vendas da empresa ao fornecer-lhe o acesso em local remoto à informação comercial necessária á à sua actividade.

Aumente o potencial da força de vendas da empresa ao fornecer-lhe o acesso em local remoto à informação comercial necessária á à sua actividade. Descritivo completo PHC dcrm Aumente o potencial da força de vendas da empresa ao fornecer-lhe o acesso em local remoto à informação comercial necessária á à sua actividade. Benefícios Acesso aos contactos

Leia mais

MBA EM DESIGN DE INTERIORES COMERCIAIS

MBA EM DESIGN DE INTERIORES COMERCIAIS MBA EM DESIGN DE INTERIORES COMERCIAIS O programa irá prepará-lo para ser um especialista em Design de Interiores Comerciais na elaboração de projetos comerciais ou de serviços. MBA EM DESIGN DE INTERIORES

Leia mais

Ana Claudia M. dos SANTOS 1 Edson Leite Lopes GIMENEZ 2

Ana Claudia M. dos SANTOS 1 Edson Leite Lopes GIMENEZ 2 O desempenho do processo de recrutamento e seleção e o papel da empresa neste acompanhamento: Um estudo de caso na Empresa Ober S/A Indústria E Comercio Ana Claudia M. dos SANTOS 1 Edson Leite Lopes GIMENEZ

Leia mais

PHC dteamcontrol Interno

PHC dteamcontrol Interno PHC dteamcontrol Interno A gestão remota de projectos em aberto A solução via Internet que permite acompanhar os projectos em aberto em que o utilizador se encontra envolvido, gerir eficazmente o seu tempo

Leia mais

Planejamento Estratégico

Planejamento Estratégico Planejamento Estratégico Análise externa Roberto César 1 A análise externa tem por finalidade estudar a relação existente entre a empresa e seu ambiente em termos de oportunidades e ameaças, bem como a

Leia mais

Soluções de análise preditiva para optimizar os processos de negócio. João Pequito. Director Geral da PSE

Soluções de análise preditiva para optimizar os processos de negócio. João Pequito. Director Geral da PSE Soluções de análise preditiva para optimizar os processos de negócio João Pequito Director Geral da PSE Soluções de análise preditiva para optimizar os processos de negócio Qualquer instituição tem hoje

Leia mais

PLANO SUCINTO DE NEGÓCIO

PLANO SUCINTO DE NEGÓCIO 1. IDENTIFICAÇÃO DO PROJECTO PLANO SUCINTO DE NEGÓCIO Título do projecto: Nome do responsável: Contacto telefónico Email: 1.1. Descrição sumária da Ideia de Negócio e suas características inovadoras (Descreva

Leia mais

Trabalho realizado por: Diogo Santos Nº3 11ºD. Escola secundária de Figueiró dos Vinhos. Disciplina de Organização de gestão desportiva

Trabalho realizado por: Diogo Santos Nº3 11ºD. Escola secundária de Figueiró dos Vinhos. Disciplina de Organização de gestão desportiva Trabalho realizado por: Diogo Santos Nº3 11ºD Escola secundária de Figueiró dos Vinhos Disciplina de Organização de gestão desportiva Data de entrega: 10/02/2015 Diogo Santos Página 1 Escola secundária

Leia mais

Auditoria interna Especialização PwC

Auditoria interna Especialização PwC www.pwc.pt/academy Especialização PwC PwC s Academy Formação de profissionais para profissionais Especialização PwC Este curso com uma forte componente prática, procura dotar os recursos afetos à função

Leia mais

Portfolio de cursos TSP2

Portfolio de cursos TSP2 2013 Portfolio de cursos TSP2 J. Purcino TSP2 Treinamentos e Sistemas de Performance 01/07/2013 Como encantar e fidelizar clientes Visa mostrar aos participantes a importância do conhecimento do cliente,

Leia mais

Sistema de Incentivos ao Desenvolvimento do Artesanato

Sistema de Incentivos ao Desenvolvimento do Artesanato Sistema de Incentivos ao Desenvolvimento do Artesanato Formulário de Candidatura Nº do Processo ( I ) O promotor, abaixo assinado solicita a concessão do incentivo previsto no Decreto Legislativo Regional

Leia mais

Gestão da Produção Planeamento

Gestão da Produção Planeamento Planeamento José Cruz Filipe IST / ISCTE / EGP JCFilipe Abril 2006 1 Tópicos O ciclo geral de planeamento O planeamento agregado O Director da Produção (PDP ou MPS) O Materials Requirement Planning (MRP)

Leia mais

Planejamento de Marketing.

Planejamento de Marketing. Planejamento de Marketing. Análise de Mercado Identificação de Riscos e Oportunidades Segmentação de mercado; Seleção de mercado alvo Objetivos de Marketing Estratégia de diferenciação de produto Estratégia

Leia mais

Caderno Sistemas Totobola II

Caderno Sistemas Totobola II J rnal 1X2 1X2 INTERNET - http://www.jornal1x2.com SEMANÁRIO DO APOSTADOR Director: Joaquim Rosa da Silva Director-adjunto: Rui Santos ANO XXXIV - EDIÇÃO ESPECIAL Caderno Sistemas Totobola II Condicionados

Leia mais

GUIÃO COMO FAZER UM TRABALHO

GUIÃO COMO FAZER UM TRABALHO GUIÃO COMO FAZER UM TRABALHO BE-CRE 2012/2013 1ª Etapa Penso sobre o tema 2ª Etapa Onde vou encontrar a informação? 3ª Etapa Seleciono os documentos 4ª Etapa Recolho a informação 5ª Etapa Trato a informação

Leia mais

Qualidade e Inovação. CONTROLO DA QUALIDADE Qualidade e Inovação Trabalho de grupo

Qualidade e Inovação. CONTROLO DA QUALIDADE Qualidade e Inovação Trabalho de grupo CONTROLO DA QUALIDADE Qualidade e Inovação Trabalho de grupo Curso de Arte e Multimédia/Design 2º Semestre 1º Ciclo Ano lectivo 2007/2008 Docente: José Carlos Marques Discentes: Ana Pedro nº 2068207/ Encarnação

Leia mais

Plano de Direcionamento. Conhecimento de Mercado

Plano de Direcionamento. Conhecimento de Mercado Plano de Direcionamento Conhecimento de Mercado Conhecimento de Mercado É necessário conhecer o mercado para que sejam desenvolvidos produtos que atendam as necessidades e expectativas dos clientes. Segmentação

Leia mais

Estratégia de negócio, segmentação e posicionamento Prof. Dr. Raul Amaral

Estratégia de negócio, segmentação e posicionamento Prof. Dr. Raul Amaral Estratégia de negócio, segmentação e posicionamento Prof. Dr. Raul Amaral Estratégia de negócio, estratégias de segmentação e posicionamento. Análise do potencial de demanda. Definição da missão. liderança.

Leia mais

O MELHOR DA CRIATIVIDADE TÊXTIL-MODA. Outono Inverno 12-13 Maio 2015. Expo Center Norte / Pav. Amarelo The Fashion Textile Show for Latin America

O MELHOR DA CRIATIVIDADE TÊXTIL-MODA. Outono Inverno 12-13 Maio 2015. Expo Center Norte / Pav. Amarelo The Fashion Textile Show for Latin America O MELHOR DA CRIATIVIDADE TÊXTIL-MODA Outono Inverno 12-13 Maio 2015 Expo Center Norte / Pav. Amarelo The Fashion Textile Show for Latin America Première Vision INSPIRAÇÃO para a MODA Com edições em Paris,

Leia mais

Missão. DOTAR AS PME s PORTUGUESAS DE CONHECIMENTO E FERRAMENTAS PARA A CONQUISTA DOS MERCADOS INTERNACIONAIS ATRAVÉS DA MARCA.

Missão. DOTAR AS PME s PORTUGUESAS DE CONHECIMENTO E FERRAMENTAS PARA A CONQUISTA DOS MERCADOS INTERNACIONAIS ATRAVÉS DA MARCA. O que é a Oficina da Marca? Serviço de gestão integrada e estratégica para o desenvolvimento de produtos e a sua promoção no mercado Global através da marca. Missão DOTAR AS PME s PORTUGUESAS DE CONHECIMENTO

Leia mais

PHC dteamcontrol Externo

PHC dteamcontrol Externo PHC dteamcontrol Externo A gestão remota de projectos e de informação A solução via Internet que permite aos seus Clientes participarem nos projectos em que estão envolvidos, interagindo na optimização

Leia mais

PROCESSO CONTATO-AGENDA

PROCESSO CONTATO-AGENDA PROCESSO CONTATO-AGENDA No CRM (Gestão de Relação com o Cliente), o cliente é colocado no centro dos processos de negócio. Então, é obrigatório e fundamental o registro de qualquer contato com o mesmo,

Leia mais

PHC dcrm. Aumente o potencial da força de vendas da sua empresa ao aceder remotamente à informação comercial necessária à sua actividade

PHC dcrm. Aumente o potencial da força de vendas da sua empresa ao aceder remotamente à informação comercial necessária à sua actividade PHC dcrm DESCRITIVO O módulo PHC dcrm permite aos comerciais da sua empresa focalizar toda a actividade no cliente, aumentando a capacidade de resposta aos potenciais negócios da empresa. PHC dcrm Aumente

Leia mais

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO(A) DE AGÊNCIAS DE VIAGENS E TRANSPORTES

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO(A) DE AGÊNCIAS DE VIAGENS E TRANSPORTES PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO(A) DE AGÊNCIAS DE VIAGENS E TRANSPORTES PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a de Agências de Viagens e Transportes Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/6 ÁREA DE ACTIVIDADE

Leia mais

Estudo - Estratégias de Diferenciação das Principais Fileiras de Produtos Agrícolas, Agro- Alimentares de Alimentação do Vale do Ave

Estudo - Estratégias de Diferenciação das Principais Fileiras de Produtos Agrícolas, Agro- Alimentares de Alimentação do Vale do Ave Estudo - Estratégias de Diferenciação das Principais Fileiras de Produtos Agrícolas, Agro- Alimentares de Alimentação do Vale do Ave NOTAS INTRODUTÓRIAS - Objetivo do estudo: Definir estratégias de atuação

Leia mais

FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES Uma nova abordagem

FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES Uma nova abordagem ICPG Instituto Catarinense de Pós-Graduação www.icpg.com.br 1 FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES Uma nova abordagem Carlos de Andrade Giancarlo Moser Professor de Metodologia da Pesquisa Curso de Pós-Graduação em

Leia mais

Desenvolver uma estratégia de marketing

Desenvolver uma estratégia de marketing Gerir - Guias práticos de suporte à gestão Desenvolver uma estratégia de marketing O principal objectivo de uma Estratégia de Marketing é o desenvolvimento do negócio, tendo em linha de conta, a análise

Leia mais

A FEIRA VERÃO. Brasileiro 26-29 JUNHO. 48ª Feira Internacional da Moda em Calçados e Acessórios. Domingo a Quarta ANHEMBI SP

A FEIRA VERÃO. Brasileiro 26-29 JUNHO. 48ª Feira Internacional da Moda em Calçados e Acessórios. Domingo a Quarta ANHEMBI SP A FEIRA VERÃO do Brasileiro 48ª Feira Internacional da Moda em Calçados e Acessórios 26-29 JUNHO Domingo a Quarta ANHEMBI SP Todo setor se encontra na Feira que é REFERÊNCIA nacional e internacional da

Leia mais

Como participar em Feiras Internacionais. 19 de Junho de 2012

Como participar em Feiras Internacionais. 19 de Junho de 2012 Como participar em Feiras Internacionais 19 de Junho de 2012 Como participar em Feiras Internacionais A - Tipologias de Feiras B -Vantagens de Participar numa Feira C - Principais fases envolvidas nas

Leia mais

ATIVIDADE CONSULTORIA ESTRATÉGICA MARKETING E COMUNICAÇÃO ESTUDOS EVENTOS PUBLICAÇÕES FORMAÇÃO

ATIVIDADE CONSULTORIA ESTRATÉGICA MARKETING E COMUNICAÇÃO ESTUDOS EVENTOS PUBLICAÇÕES FORMAÇÃO 1 ATIVIDADE 6 ATIVIDADE CONSULTORIA ESTRATÉGICA MARKETING E COMUNICAÇÃO ESTUDOS EVENTOS PUBLICAÇÕES FORMAÇÃO 7 CONSULTORIA ESTRATÉGICA CONSULTORIA ESTRATÉGICA A vasta experiência internacional no estudo

Leia mais

Oportunidades a explorar

Oportunidades a explorar Oportunidades a explorar 1. Candidatura ao reconhecimento da Dieta Mediterrânica de PORTUGAL (liderada por Tavira) 2. Notoriedade do ALGARVE nos principais mercados turísticos europeus [Reino Unido, Alemanha,

Leia mais

DESIGN DE MODA SERVIÇOS QUEM SOMOS! ...QUE FAZEMOS MUITO BEM FEITO!

DESIGN DE MODA SERVIÇOS QUEM SOMOS! ...QUE FAZEMOS MUITO BEM FEITO! QUEM SOMOS! A I-Factory é um escritório de Assessoria e Desenvolvimento de coleções voltado ao mercado de Moda sediado em São José do Rio Preto no interior de São Paulo que atua desde 2009. Temos uma estrutura

Leia mais

Reabilitação Sustentável

Reabilitação Sustentável Reabilitação Sustentável APRESENTAÇÃO 4 A empresa QUEM SOMOS 5 A nossa visão, missão e valores SOLUÇÕES 6 À sua medida REABILITAÇÃO SUSTENTÁVEL 7 O próximo desafio ARQUITETURA 8 Deixe que as suas ideias

Leia mais

MARKETING DESENVOLVIMENTO HUMANO

MARKETING DESENVOLVIMENTO HUMANO MRKETING DESENVOLVIMENTO HUMNO MRKETING rte de conquistar e manter clientes. DESENVOLVIMENTO HUMNO É a ciência e a arte de conquistar e manter clientes e desenvolver relacionamentos lucrativos entre eles.

Leia mais

PLANO DE INTERNACIONALIZAÇÃO

PLANO DE INTERNACIONALIZAÇÃO PLANO DE INTERNACIONALIZAÇÃO CURSO: Administração DISCIPLINA: Comércio Exterior FONTE: DIAS, Reinaldo. RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria e Gestão. Atlas. São Paulo: 2004 6.3b Plano de Internacionalização

Leia mais

Glossário Incub Training Curso Empreendedorismo (módulos 1 a 10)

Glossário Incub Training Curso Empreendedorismo (módulos 1 a 10) Glossário Incub Training Curso Empreendedorismo (módulos 1 a 10) Módulo 1 Empreendedorismo Inteligência emocional Liderança Plano de negócios Módulo 2 Brainstorming Empreendedorismo é a vontade de assumir

Leia mais

Estudo de Remuneração 2015

Estudo de Remuneração 2015 2015 COMMERCIAL & MARKETING Temporary & permanent recruitment www.pagepersonnel.pt Editorial Page Personnel ir ao encontro do talento A Page Personnel recruta para os seus clientes os melhores perfis qualificados,

Leia mais

CURSO DE GESTÃO DE VENDAS (15 horas)

CURSO DE GESTÃO DE VENDAS (15 horas) CURSO DE GESTÃO DE VENDAS Inedem- Apotec Outono 2007 25 e 26 de Setembro 9h00 às 18h30 Dirigido a gestores da área financeira com necessidade de ferramentas informáticas de elevada eficácia na avaliação

Leia mais

Adesivos e Fitas Adesivas Industriais 3M 3M VHB. fitas de montagem. permanente. Alternativa comprovada a parafusos, rebites e soldaduras

Adesivos e Fitas Adesivas Industriais 3M 3M VHB. fitas de montagem. permanente. Alternativa comprovada a parafusos, rebites e soldaduras Adesivos e Fitas Adesivas Industriais 3M 3M VHB fitas de montagem permanente Alternativa comprovada a parafusos, rebites e soldaduras Pode uma fita substituir realmente sistemas de fixação mecânica? Sim.

Leia mais

REGULAMENTO DE PARTICIPAÇÃO EM ACÇÕES PROMOCIONAIS

REGULAMENTO DE PARTICIPAÇÃO EM ACÇÕES PROMOCIONAIS REGULAMENTO DE PARTICIPAÇÃO EM ACÇÕES PROMOCIONAIS IPIM - 1 - REGULAMENTO DE PARTICIPAÇÃO EM ACÇÕES PROMOCIONAIS INTRODUÇÃO No exercício das atribuições que lhe foram cometidas pelo número 2 do artigo

Leia mais

A COMISSÃO DE AUDITORIA DA MOTA-ENGIL AFRICA N.V. MANDATO

A COMISSÃO DE AUDITORIA DA MOTA-ENGIL AFRICA N.V. MANDATO -1- A COMISSÃO DE AUDITORIA DA MOTA-ENGIL AFRICA N.V. MANDATO A Mota-Engil Africa N.V. (a "Empresa") adotou um modelo de governação de um nível. Nos termos do disposto no princípio III.5 (e nas disposições

Leia mais