SUMÁRIO 01. Histórico Denominação Manutenção Regime Jurídico Cursos Direção e Coordenações...

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SUMÁRIO 01. Histórico... 05 02. Denominação... 05 03. Manutenção... 05 04. Regime Jurídico... 05 05. Cursos... 05 06. Direção e Coordenações..."

Transcrição

1 SUMÁRIO 01. Histórico Denominação Manutenção Regime Jurídico Cursos Direção e Coordenações Período de Aulas Laboratório de Informática Laboratório de Línguas Empresa Júnior Gráfica Acervo da Biblioteca Área de Esportes Auditório Inscrição I - Período, Horário e Local de Inscrição II - Documentos Necessários III Observações IV Cursos e Concorrências Provas I - Horário de Provas II - Material para Realização das Provas III Provas Classificação Natureza e Apuração das Provas Matrícula Documentos Exigidos para a Matrícula Cursos Curso de Ciências Econômicas Curso de Ciências Contábeis Curso de Administração Curso de Secretariado Executivo Trilíngüe Curso de Serviço Social Turismo Concurso Vestibular Programa por Disciplina Comunicação e Expressão Filosofia, História e Sociologia Matemática Língua Moderna... 26

2 Prezado Candidato Desejamos que você encontre aqui na FECEA um espaço para suas aptidões e seu talento. O Processo seletivo da FECEA, para o ingresso de novos alunos em 2004, constitui-se de provas que verificam os conhecimentos relativos ao Ensino Médio e neste ano, mantém as características de Concurso Vestibular, como nos anos anteriores. Assim, seu ingresso dependerá, unicamente, dos resultados que obtiver nas provas. É muito importante que você leia atentamente este manual, pois ele contém todas as informações, normas e os mecanismos para a realização das provas e, também, as datas, os procedimentos e as exigências para a matrícula dos aprovados. Desejamos que você tenha êxito no vestibular, pois estaremos aqui de braços abertos para recebê-lo. Saudações Acadêmicas! Prof. Vanderley Ceranto Diretor Prof. José Berton Presidente da Comissão do Vestibular

3 COMISSÃO ORGANIZADORA DO CONCURSO VESTIBULAR DE INVERNO 2003 Nomeada pela Portaria n.º 12/2003. PRESIDENTE: Prof. José Berton Coordenadora: Profª. Sonia Maria Guilen Zago Comissão: Profª. Francini P. Poliseli Corrêa Profª. Maria de Lourdes A. Morais Profª. Onilda R. Marchioni de Brito Prof. Rogério Ribeiro Prof. Severino Miranda de Resende

4 FACULDADE ESTADUAL DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS DE APUCARANA 1. Histórico - A Faculdade Estadual de Ciências Econômicas de Apucarana foi criada pelo decreto n.º , publicado no Diário Oficial de 18/11/1959, e autorizada a funcionar em 27 de julho de 1960, pelo Decreto Presidencial n.º 48376, de 22/06/1960, publicado no Diário Oficial da União, em 05/07/1960, página 155. Início do primeiro ano letivo: Março de Denominação: Faculdade Estadual de Ciências Econômicas de Apucarana. Localização: Rodovia do Café - BR Km 3 Fone/Fax 0xx Site: Caixa Postal, 98 - CEP Apucarana - Paraná 3. Manutenção: Governo do Estado do Paraná 4. Regime Jurídico: Autarquia - Lei /7/ Cursos: Ciências Econômicas (Reconhecido pelo Decreto n.º de 03/01/68); Ciências Contábeis (Reconhecido pelo Decreto n.º de 15/02/ 79); Administração de Empresas (Reconhecido pelo Decreto n.º de 15/02/79); Administração Hospitalar (Reconhecido pelo Decreto n.º de 15/02/79); Administração Pública (Reconhecido pelo Decreto n.º de 15/02/79); Administração em Com. Exterior (Reconhecido pelo Decreto n.º 330 de 26/07/84); Secretariado Executivo Trilíngüe (Autorizado pelo Parecer nº 519/00) do CEE de 06/12/2000; Serviço Social (Autorizado pelo Parecer nº 463/01 de 09/11/2001); Turismo (Autorizado pelo Parecer nº 541/01 de 05/12/2001). 6. Direção e Coordenações: Administração e Expediente: Diretoria: Prof. Vanderley Ceranto - Diretor Prof. Benedito Cândido da Silva -Vice-Diretor Chefe de Gabinete: Prof. José Berton Coordenadorias: Profª. Sonia Maria Guilen Zago Coordenadora de Assuntos Acadêmicos. Prof. Rogério Ribeiro Coordenador Administrativo. Prof. Ruy Barbosa Coordenador de Assuntos Comunitários Prof. Narciso Luiz Rastelli Coordenador Financeiro Secretária: Profª Deyse Aparecida Mazia Fácio Contador: Prof. Narciso Luiz Rastelli Bibliotecária: Maria Aparecida Caruzo

5 Chefe/Gráfica: Belmiro de Freitas Barbosa Subcoordenador de Informática: Dinaldo Gaspar Divisão de Extensão Acadêmica: Emilia Satico Siraisi Secretaria, Tesouraria, Biblioteca Expediente: De Segunda a Sexta-Feira Das 8h00 às 11h00, das 13h00 às 17h00 e das 19h00 às 22h30 7. Período de Aulas: Noturno - das 19h10min às 22h40min Diurno - das 07h30min às 11h45min 8. Laboratório de Informática: Laboratório de Línguas: Empresa Júnior. 11. Gráfica. 12. Acervo da Biblioteca: Área De Esportes: - 1 Campo de Futebol - 1 Quadra de Esportes Polivalente. - Vestiário Feminino e Masculino. 14. Auditório GRALHA AZUL : Área construída de 675 m 2, com 700 poltronas. 15. Museu Histórico Regional acervo 2000 objetos. Inscrição I - Período, Horário e Local de Inscrição: As inscrições dos candidatos serão realizadas, no período de 02/06/2003 a 11/07/2003, no BANCO ITAÚ de Apucarana e Região; pela Internet: de 02/06 a 11/07/2003. II - Documentos Necessários: a) 01 fotocópia da Cédula de Identidade; b) 01 foto 3x4; c) valor da inscrição: R$ 85,00 (oitenta e cinco reais) incluindo o manual do candidato. III Observações 1ª. Caso o candidato seja portador de alguma necessidade especial deverá fazer contato com a Comissão do Vestibular até dia 18/07/2003 2ª. O próprio candidato deverá efetivar sua inscrição.

6 No impedimento do candidato, a inscrição poderá ser feita por procurador legalmente habilitado, devendo, neste caso, constar da procuração o número da cédula de identidade do candidato e do procurador, bem como a opção do curso. Curso Vagas Período de Aulas Concorrência Ultimo Vestibular Ciências Econômicas 25 Noturno 10,20 Candidato/Vaga Ciências Contábeis 25 Noturno 12,04 Candidato/Vaga Administração de Empresas 45 Noturno 12,49 Candidato/Vaga Adm. Em Comércio Exterior 45 Noturno 4,12 Candidato/Vaga Administração Hospitalar 25 Noturno 7,40 Candidato/Vaga Administração Pública 25 Noturno 5,04 Candidato/Vaga Administração de Empresas 25 Diurno 4,32 Candidato/Vaga Adm. Em Comércio Exterior 25 Diurno 3,64 Candidato/Vaga Secretariado Executivo Trilíngüe 25 Noturno 8,80 Candidato/Vaga Serviço Social 25 Noturno 11,36 Candidato/Vaga Turismo 25 Noturno 7,88 Candidato/Vaga PROVAS I - Horário das Provas: Dia Hora Prova Duração 27/07/ horas Redação Comunicação e Expressão, (30 questões) 4 horas Língua Moderna (Inglês ou Espanhol-20 questões) 28/07/ horas Filosofia, História e Sociologia (30 questões), Matemática (30 questões) 4 horas II - Material para realização das provas: Os candidatos deverão trazer em todas as provas: a) Cédula de Identidade (original) ; b) Cédula de Inscrição; c) Caneta esferográfica AZUL ou PRETA, lápis preto n.º 02, borracha e régua. III - Provas As provas serão objetivas e subjetivas, e de natureza classificatórias, compreendendo uma única etapa de cinco provas, cuja aplicação obedecerá o seguinte: - Redação, será eliminatória: Valor mínimo: 06 pontos; Valor máximo: 30 pontos. - Comunicação e Expressão; 30 pontos - Língua Moderna; (Inglês ou Espanhol); 20 pontos; - Filosofia, História e Sociologia; 30 pontos; - Matemática; 30 pontos. As provas serão compostas de questões de múltipla escolha, com 05 (cinco) alternativas, das quais somente uma é correta. A opção do candidato para a prova de Língua Moderna (inglês ou espanhol) será feita no dia da respectiva prova. Será eliminado o candidato que: - zerar em qualquer matéria do Vestibular. - obter menos de 06 pontos na prova de redação. - Não comparecer a uma ou a todas as provas. - Tentar ou cometer fraude.

7 - Em caso de reincidência, prejudicar o bom andamento e a tranqüilidade do Vestibular. Todas as provas versarão sobre conhecimentos que não excedam ao nível de segundo grau de ensino, e a avaliação objetivará a formação recebida pelo candidato e a sua aptidão para estudos superiores, havendo predomínio da verificação da capacidade de raciocínio, de pensamento crítico, de compreensão, análise e síntese, sobre o conteúdo que envolva simples memorização. Lembrete: 1 - Comparecer ao local do exame meia hora antes do início das provas; 2 - Os retardatários não poderão prestar o concurso; 3 - É proibido o uso de aparelhos eletrônicos, tais como: Telefone celular, bip, walkman, relógio data bank ou outros similares, sob pena de caracterizar-se tentativa de fraude, o que implicará em desclassificação. 4 - As provas do concurso vestibular serão realizadas no prédio da faculdade, situada na rodovia do café, BR 376, saída para Curitiba, nos dias e horários indicados; 5 - Não será permitido o trânsito de candidatos nos corredores do prédio, durante o transcorrer das provas; 6 - A simples inscrição implica, por parte do candidato, no recolhimento da taxa respectiva e na aceitação de todas as condições previstas no MANUAL DO VESTIBULAR. Classificação Somente serão considerados, para fins de classificação nas vagas, os candidatos que tenham demonstrado um nível mínimo de conhecimento, como resultado da avaliação diferente de zero. A classificação será feita em ordem decrescente do total de pontos (escore) obtidos nas provas, até o limite de vagas ofertadas. Não haverá revisão de provas. Natureza e apuração das provas O uso de notas padronizadas no exame vestibular Muitas vezes, na vida acadêmica, agimos como se as notas constituíssem medidas absolutas. A noção de relatividade do significado das notas, apesar da sua simplicidade e evidência, não é amplamente difundida. Assim, por exemplo, ao saber que o indivíduo obteve nota 8 em matemática, imediatamente imaginamos que se trata de um bom aluno na matéria, sem nos lembrarmos de comparar sua nota com as de seus colegas. É possível que a nota 8 seja geralmente atribuída a bons alunos. Mas é igualmente possível que, neste caso, o professor de matemática fosse extremamente tolerante e tivesse por hábito atribuir 9 e 10 a seus alunos razoáveis e bons, atribuindo 8 apenas àqueles de desempenho medíocre. Esse exemplo mostra que, para interpretar o significado de uma nota qualquer, é necessário relacioná-la com um quadro de referência mais amplo. Um esquema de referência utilizado freqüentemente é o total de questões da prova. Assim a nota 8 pode significar 80 por cento das questões respondidas acertadamente. No entanto, esta informação ainda será obscura, enquanto nada se houver sobre o grau de dificuldade das questões utilizadas. Se a prova fosse composta de questões de operações aritméticas simples um resultado de 80 por cento de acertos seria exatamente baixo para um estudante ao término do curso de 2º grau. Por outro lado, seria altamente satisfatório se este estudante respondesse acertadamente 80 por cento de uma prova compreendendo questões de complexidade adequada ao programa de matemática do nível do 2º grau. É claro que muitas vezes temos uma idéia aproximada do nível de dificuldade da prova utilizada. No entanto os exemplos acima dramatizam o que ocorre, freqüentemente quando não temos informação sobre o grau exato de dificuldade da prova. O problema é maior quando se trata de comparar ou combinar provas de matérias diferentes. Suponhamos que um aluno tenha acertado 80 por cento das questões de matemática (nota 8) e 60 por cento das questões de português (nota 6). Podemos concluir que ele seja melhor em matemática do que em português? Dificilmente. Por mais que os professores de matemática e de português tenham se esforçado por fazer questões de grau de dificuldades idêntico nas duas matérias, nada nos garante que o tenham conseguido. É possível que a prova de português apresente tão grande dificuldade que a nota 6 seja a mais alta da classe, este aluno seria melhor em português e pior em matemática. Assim a obtenção de uma certa nota pode ter significados completamente diversos, dependendo da distribuição das notas obtidas pelos demais alunos. Ainda que a nota tivesse um significado absoluto, este não apresentaria grande interesse no vestibular, porque o exame deixou de ser de habilitação e passou a ser classificatório. Como a finalidade é selecionar os

8 melhores, o que realmente interessa é a posição relativa do indivíduo no grupo. Se, por exemplo, 90 dos candidatos obteve notas inferiores a 6, quem obteve esta nota (6) demonstrou um nível de habilidade superior ao da grande maioria e será admitido na universidade, se o número de vagas for suficiente para atender a pelo menos 10 por cento dos candidatos. Se, ao contrário, 90 por cento dos candidatos obtiver notas superiores a 6, a obtenção de 6 indica um nível de habilidade inferior ao da grande maioria do grupo, e um candidato nestas condições dificilmente será aceito na universidade. O problema fica um pouco mais complicado quando utilizamos várias notas, obtidas em provas de matérias diferentes, e que devem ser somadas numa só nota (média final ou escore global). Sabemos que dois números só podem ser somados se ambos forem números abstratos ou se ambos estiverem expressos na mesma escala de medida. Por exemplo, se quisermos somar 10 polegadas com 20 centímetros, o resultado não será 30, mas 45 centímetros, pois antes da soma temos de transformar as polegadas em centímetros: 10x2,5-25. Assim como uma polegada é maior que um centímetro, a nota 1 numa prova difícil pode significar mais conhecimento que a nota 1 numa prova fácil. Por este motivo, temos de transformar as notas de cada prova para a mesma escala, antes de somá-las. Esta transformação é realizada pela padronização das notas da seguinte forma: torna-se a nota (escore bruto, ou número de respostas certas) de um candidato e dela subtrai-se a média do grupo. Em seguida, divide-se este resultado pelo desvio padrão, que é um índice de variação entre os indivíduos. (Ver fórmula a seguir). Esta padronização das notas de cada prova tem a vantagem de permitir que a posição relativa do indivíduo, segundo sua média final, reflita sua classificação em cada prova, coadunando-se melhor com a nova filosofia do vestibular. Permite, também, que a importância relativa de cada prova para a classificação final dependa exclusivamente dos pesos que lhe são atribuídos. Um exemplo numérico pode deixar claro como a influência de uma prova pode depender da distribuição das notas dos alunos: Suponhamos que serão selecionados os candidatos que conheçam melhor matemática, português e inglês. Neste caso hipotético, as três matérias são consideradas igualmente importantes e, portanto, o peso 1 é atribuído a cada uma delas, a fim de que a classificação final seja influenciada igualmente pelas três provas. Apenas três alunos submeteram-se às provas e obtêm-se os seguintes resultados: Provas Alunos Português Matemática Inglês Nota Global Classificação Final A º B º C º indivíduo A é o melhor aluno em duas matérias: Português, Matemática. Somente em inglês ele é o pior. Apesar disto, ele é classificado em último lugar, prevalecendo a influência da prova de inglês. Poder-se-ia argumentar ( por exemplo) que a diferença entre o conhecimento de português do aluno A e o conhecimento de português do aluno B é menor que a diferença entre os conhecimentos de inglês destes dois alunos. Entretanto, como vimos anteriormente, em provas diferentes, as mesmas notas podem corresponder a diferentes graus de conhecimento. Só poderíamos fazer uma afirmação a respeito das diferenças observadas se as notas das provas estivessem transformadas para a mesma escala. Para realizar esta transformação, inicialmente calculados a média e o desvio padrão de cada prova. M é d ia X L N O n d e : X L = Nota bruta do aluno = número de alunos D e sv io padrão ( X L X ) 2 N

9 P o r tu g u ês: X (6-5) + (5-5) + (4-5) 3 0,8 Matemática: A nota é a mesma de português, tem nota 5 e desvio padrão, 0,8 In g lê s: X (2-7) + (10-7) + (9-7) 3 3,5 6 As notas são, então, transformadas para uma escala padronizada que é a mesma usada pelo College Entrance Examination Board, entidade responsável de exames de seleção de centenas de universidades americanas. X L - X Assim, a nota de português do aluno A é transformada em nota padronizada da seguinte maneira: 6-5 0, Provas Alunos Português Matemática Inglês Nota Global Classificação Final A º B º C º Com as notas padronizadas, a classificação final corresponde ao que seria de se esperar: O aluno A melhor em duas matérias, vai para o primeiro lugar. Conseguir - se portanto, evitar que a influência da prova de inglês fosse maior que a das outras provas. Qualquer que seja o tipo de prova usada (questões objetivas ou dissertação), a padronização permite que se controle com precisão a contribuição de cada prova para a classificação final.

10 Na Faculdade Estadual de Ciências Econômicas de Apucarana, a classificação final dos candidatos será realizada em função do escore global (- soma dos escores padronizados obtidos em cada prova, multiplicados pelos respectivos pesos) a fim de que a classificação final do indivíduo reflita sua classificação em cada prova. Esta fórmula assegura maior justiça na classificação final dos candidatos, uma vez que a influência de cada prova é controlada exclusivamente pelo seu peso, sendo inteiramente independente do seu grau de dificuldade ou de outros fatores. Critério de Desempate Os candidatos serão classificados pela ordem decrescente, de acordo com o total de pontos obtidos nas provas. Na hipótese de igualdade de pontos, para efeito de desempate, terá preferência na classificação o candidato que alcançar maior escore padronizado na prova de comunicação e expressão. Persistindo o empate, terá preferência: a) em MATEMÁTICA, o candidato de maior escore em matemática. b) em FILOSOFIA, HISTÓRIA e SOCIOLOGIA, o candidato com maior escore nestas disciplinas. c) em LÍNGUA MODERNA, na disciplina de inglês ou espanhol (conforme opção). Obs.: 1) Não será realizado o vestibular do curso cujas inscrições não alcançarem 50 por cento do total de vagas oferecidas. Dia 04/08/2003, no edital da secretaria, e pela internet. Matrícula Os candidatos aprovados deverão efetuar suas matrículas nos dias 06 e 07 de janeiro de 2004, das 13 às 17 horas e das 19 às 22 h30min, na Secreta- ria da Faculdade. Taxa da Matrícula: R$ 30,00 Documentos exigidos para a matrícula 1) Requerimento de matrícula, fornecido pela secretaria, no ato da matrícula; 2) Duas cópias autenticadas do histórico escolar de 2º grau ou 01 original e uma xérox ou 02 fotocópias do diploma devidamente registrado no MEC (não será aceito atestado de conclusão); 3) Duas fotocópias da certidão de nascimento ou casamento; 4) Uma fotocópia do certificado militar; 5) Uma fotocópia do título de eleitor; 6) Uma fotocópia do CPF e 7) 01 foto 3x4. Observações: 1) Não serão aceitos documentos com emendas, rasuras ou outros vícios;

11 2) É conveniente que os documentos sejam providenciados com a antecedência necessária, pois os prazos para a matrícula são, obrigatoriamente, muito curtos, podendo a falta de documento constituir impedimento definitivo para a consumação da mesma; 3) Não serão aceitas matrículas com falta de qualquer documento. CURSOS: CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS Decreto de reconhecimento do Curso nº de PERFIL DO PROFISSIONAL : O Curso de Economia visa a formação de um profissional liberal (Economista), com um perfil de executivo apto para exercer cargos de liderança junto a empresas públicas e privadas. No mundo a maioria dos cargos de direção de empresas são exercidas por Economistas. Segundo a legislação vigente, Economista é designado profissão privativa daqueles que, além de possuírem curso de graduação em Ciências Econômicas, são registrados no Conselho Regional de Economia correspondente ao Estado onde vão exercer suas atividades. O Economista possui capacidade de colocar a serviço da unidade moderna um conjunto de conhecimentos científicos, acumulados e tematizados ao longo de toda a história, tanto política como social e econômica. Portanto, Economista não é somente aquele que faz orçamentos, planejamentos, análise de investimento, etc. mas aquele profissional que exerce todas estas funções, e é capaz de pensá-las dentro de um quadro geral de todo o processo de distribuição e produção da sociedade. Por isso o Economista é profissional especial, distinguindo-se dos outros que utilizam técnicas similares. Ele encaixa a reflexão (e conseqüência prática) de cada problema ligado a estes já especificados, distribuição e produção, a um quadro mais amplo, quer dizer, dentro do Sistema Econômico. OBJETIVO DO CURSO: Formar Bacharéis em Ciências Econômicas que estejam comprometidos com a realidade brasileira e com sólida formação teórica, histórica e instrumental. O curso caracteriza-se pelo pluralismo metodológico em coerência com o caráter plural da Ciência Econômica, formada por correntes de pensamento e paradigmas diversos. No ensino das várias disciplinas do curso, enfatiza a importância fundamental das inter-relações, ligando os fenômenos econômicos ao todo social em que se inserem. CAMPOS DE ATUAÇÃO: São inerentes ao campo profissional do economista as seguintes atividades: planejamento, projeção, programação e análises econômico-financeiras de investimentos de qualquer natureza; estudos, análises e pareceres pertinentes a questões econômicas; perícias, avaliações e arbitramentos; ensino de estatística, economia e finanças em cursos técnicos e superior podendo atuar em consultoria e assessoria econômica de empresas e no desenvolvimento e análises do projeto. A profissão é regulamentada pela Lei Federal nº de 13/08/51 com nova redação dada pela Lei Federal nº 6.021, de 13/01/74. Duração do Curso 4 Anos - O título de graduação conferido é o de Bacharel em Ciências Econômicas. Integralização do Curso: Mínimo: 04 anos - Máximo: 07 anos Carga Horária Total do Curso: horas aulas CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Decreto de Reconhecimento do Curso nº de PERFIL PROFISSIONAL:

12 O curso visa formar profissional da Contabilidade com visão generalista, com amplos conhecimentos em diferentes áreas da contabilidade e de conhecimentos afins e correlatos, permitido, assim, ao contador, adaptar com maior facilidade àquela especialidade a que pretende dedicar-se. Atualmente, as atividades econômicas e empresariais crescem em complexidade, exigindo profissional contábil cada vez mais capacitado, cabendo aos cursos superiores de ciências contábeis atender à demanda de forma eficiente. Oferecendo ao mercado de trabalho contadores aptos, ou facilmente adaptáveis, às diferentes especialidades da profissão. OBJETIVO DO CURSO: Formar bacharéis em ciências contábeis dotados de conhecimentos de contabilidade geral e aplicada, capazes de assumir a responsabilidade dos serviços contábeis das empresas privadas e públicas, organizando e dirigindo os respectivos departamentos, executando e/ou supervisionando esses serviços, inclusive os serviços afins à área contábil, e por eles se responsabilizando. CAMPOS DE ATUAÇÃO: O bacharel em ciências contábeis é um profissional indispensável em todas as entidades públicas ou privadas, de fins econômicos ou não, prestando serviços na qualidade de empregado, funcionário, profissional autônomo, professor com escritório individual ou em sociedade com outros contadores ou com profissionais afins, tais como advogados, economistas, economistas administradores, atuários, estatísticos e outros. O contador pode atuar como contador geral, contador de custos, contador público, auditor interno auditor independente, analista, controler, perito judicial ou extrajudicial, consultor e outras formas mais, inclusive no serviço público como fiscal de tributos, auditor de contas de entidades públicas e serviços afins. O contador é um profissional que tem um mercado de trabalho praticamente assegurado e dos menos afetados por crise econômica. A profissão é regulamentada pelo Decreto-Lei nº 9.295, de 27/05/46, estando as prerrogativas profissionais estabelecidas na Resolução CFC nº 560/83, do Conselho Federal de Contabilidade. A auditoria externa ou independente está prevista nas Leis nº 6385/76 e 6.404/76 e regulamentada na Resolução nº 216/94, da Comissão de Valores Mobiliários. Duração: 4 anos Título : Bacharel em Ciências Contábeis Total da Carga Horária do Curso 3000 Tempo de Integralização de: Máximo 7 anos - Mínimo 4 anos - Noturno CURSO DE ADMINISTRAÇÃO a) Empresas, Pública e Hospitalar - Decreto de Reconhecimento nº de b) Comércio Exterior - Portaria de Reconhecimento nº 330 de PERFIL DO PROFISSIONAL: O curso visa formar bacharéis em Administração com perfil de liderança, visão generalista das organizações e senso prático de solucionadores de problemas empresariais. Para tanto o curso apresenta uma ampla gama de conhecimentos relacionados à ética profissional e responsabilidade social das organizações, combinados com uma cadeia de conhecimentos técnicos de complexidade crescente. Esse conjunto de conceitos e técnicas constituem-se no ferramental indispensável para a atuação profissional. OBJETIVO DO CURSO: Formar profissionais aptos a atuar numa carreira técnico-gerencial dentro de um dos setores dos negócios privados; como empreendedores e gestores de seus próprios negócios, com atenção voltada para as oportunidades de mercado e explorando atividades num enfoque inovador; como líderes, com visão ampla das necessidades da sociedade, em pontos chaves das organizações públicas e privadas, contribuindo para a melhoria da qualidade de vida das pessoas. CAMPOS DE ATUAÇÃO: Administração pública e empresarial. Administração Hospitalar, Rural, bens e serviços, etc. Comércio Exterior. Sociedade com fins lucrativos ou não. Cooperativas. Marketing. Orçamentos e finanças. Produção. Recursos Humanos. Administração de Informática. Programas e projetos de qualquer natureza. A profissão de Administrador é regulamentada pela Lei nº 4.769, de 09/09/65 e alterada pela Lei nº 7.321, de 13/07/85 e pela Lei nº 8.873, de 25/04/94.

13 Duração do Curso 4 anos O título de graduação é o de Bacharel em : - Administração de Empresas; - Administração Pública; - Administração Hospitalar; - Administração em Comércio Exterior. - Tempo de Integralização: Máximo 7 anos - Mínimo 4 anos. TOTAL DA CARGA HORÁRIA DO CURSO Curso Secretariado Executivo Trilíngüe OBJETIVO DO CURSO O objetivo do curso de Secretariado Executivo Trilíngüe é formar profissionais que desempenham a profissão de Secretariado-gerente, ou seja um profissional apto a assessorar a área administrativa das empresas, estando também instrumentalizado em termos de idiomas e comunicação geral. Isso quer dizer que deverá atender a empresa em todos os seus aspectos, interpretando objetivos, adotando a filosofia empresarial e visando obter resultados. Administração, planejamento, organização são conceitos que o Secretário-gerente deverá dominar em toda a sua extensão. Atingindo-se esses objetivos, estar-se-á eliminando uma das reclamações mais ouvidas de diretores e gerentes, que, quando analisam o baixo desempenho obtido por suas equipes de trabalho, o atribuem à falta de pessoal qualificado. O acadêmico de Secretariado Executivo Trilíngüe vem sendo preparado para ser um inovador, um criador de alternativas para os diferentes problemas. É fundamental para este profissional o desenvolvimento da habilidade no trato com as pessoas para conseguir resultados que impulsionam a empresa, além de desempenhar tarefas como interpretar maneiras e normas necessárias ao bom desempenho da função. PERFIL DO PROFISSIONAL O Secretariado Executivo Trilíngüe será um Secretário-gerente que assessorará a área administrativa das empresas. É o secretário, o agente emissor e receptor das comunicações diretas e indiretas. Como assessor administrativo utiliza as técnicas secretariais. Como agente facilitador é o elo de ligação entre a empresa, gerentes externos e internos, como coordenador de informações administra relacionamentos e conflitos. O profissional secretário trabalha para a organização e não somente para o executivo. ATRIBUIÇÕES PROFISSIONAIS a) Atuar no centro nevrálgico da empresa, instituição ou órgão público, como reciclador constante do empreendimento, assessorando o agrupamento humano envolvido para a perspectiva histórica de seu trabalho e para o bem social; b) Atuar como intermediador entre cúpula decisória e os outros níveis do organograma e hierarquia de pessoal, sendo eficiente nas relações humanas na empresa, nos métodos e técnicas de organização, bem como, conhecer dos bens de aparelhagem e maquinário necessários aos trabalhos do empreendimento; Estar instrumentalizado, em termos de idioma e comunicação geral, para as relações externas do empreendimento nacional e internacional

14 Curso Secretariado Executivo Trilíngüe Autorização de funcionamento Decreto nº 3762 de 20/03/2001 Duração: 4 anos Integralização Curricular: Mínimo de 4 anos e máximo de 7 anos CURSO: SERVIÇO SOCIAL PERFIL PROFISSIONAL De acordo com as diretrizes do curso de Serviço Social, a legislação profissional em vigor e análise da realidade particular na qual se efetiva o exercício profissional, o perfil a ser alcançado pelos egressos do Curso de Serviço Social da FECEA considera: - a necessidade de um profissional generalista em sua formação intelectual e cultural munido de um acervo de informações, capaz de apresentar propostas inovadoras e criativas em seu campo de trabalho; - a necessidade de um profissional com capacidade para promover o exercício da cidadania e a participação dos usuários do Serviço Social na definição, formulação e controle das políticas sociais; - a necessidade de um profissional capaz de elaborar, executar e avaliar planos, programas e projetos na área social, assim como capaz - de administrar benefícios e serviços sociais, prestar assessoria e consultoria a órgãos da administração pública e privada, e aos movimentos sociais; - a necessidade de um profissional imbuído da atitude investigativa, capaz de proceder a uma leitura crítica da realidade social sobre a qual atua. OBJETIVO DO CURSO Formar profissionais de Serviço Social com capacidade teórico-metodológica, ético-política e técnico-operativa para intervir nas expressões da questão social, formulando, executando e avaliando propostas e práticas interventivas para o seu enfrentamento e com condições de contribuir para a viabilização da participação dos usuários nas decisões que lhe são afetas como cidadãos. Resumo: Carga Horária Total do Curso: 2700 h/a Total de Disciplina:30 Duração: 4 anos Integralização: mínimo 4 anos e máximo 7 anos CURSO: TURISMO PERFIL PROFISSIOGRÁFICO O Bacharel em Turismo da FECEA deverá ser um profissional empreendedor, com formação superior, capacitado a atuar de forma crítica e reflexiva, em setores de planejamento estratégico, organização e administração nos diferentes setores de turismo e áreas correlatadas ao turismo como lazer, recreação e

15 cruzeiros marítimos. Esse profissional deve ter uma sólida formação interdisciplinar com conhecimentos da área de ciências humanas em geral e das ciências administrativas, além dos conhecimentos específicos dos meios do turismo. Estará apto a contribuir para os resultados dos empreendimentos que envolvam atividades turísticas com capacidade de organizar, controlar, executar ou acompanhar a execução do funcionamento de qualquer tipo de atividade dessa natureza, tanto em organizações privadas, quanto públicas, com objetivo de atingir o máximo de produtividade. Deverá determinar os princípios gerais das atividades e funções e procurar garantir a utilização eficaz da mão-de-obra, dos equipamentos, dos materiais, dos serviços e dos recursos financeiros, orientando e controlando as atividades através de planos pré-estabelecidos e políticas implementadas. Deverá adotar planos de comparação entre metas programadas e os resultados atingidos a fim de corrigir distorções, avaliar o desempenho e replanejar as atividades de acordo com os dados obtidos. Atuar nos diversos segmentos da atividade turística elaborando rotinas de trabalho e atividades, tendo em vista a implantação de sistemas que conduzam aos melhores resultados com os menores custos. Este profissional deverá ter uma visão holística do mercado e da organização, com capacidade de leitura de cenários, voltados ao Turismo no âmbito regional, estadual, nacional e internacional. Deve ter ainda como características profissionais a capacidade criativa, iniciativa, polivalência e habilidade em relações humanas. Esse profissional deverá ser capaz de: tornar-se um empreendedor no desenvolvimento dos projetos turísticos; assumir cargos de supervisão, gerência, assessoria, consultoria ou direção; atuar como gerente multiplicador; planejar e implantar roteiros turísticos; desenvolver competência para proporcionar condições de autodesenvolvimento do referido setor; desenvolver habilidades para acompanhar processos de evolução tecnológica e social dentro da área de Turismo; elaborar pareceres, planos, programas e projetos em que se exija a aplicação de conhecimentos inerentes às técnicas para o desenvolvimento das atividades turísticas; Realizar pesquisas, estudos e análises, interpretações, planejamento, implantação, coordenação e controle dos trabalhos no campo das atividades turísticas em geral, tais como administração e seleção de pessoal, organização, análise, métodos e programas de trabalho, orçamento financeiro e de material, relações públicas, bem como outras atividades correlatas, relacionadas ao turismo; identificar potenciais de empreendimentos turísticos e gerar, com recursos próprios e/ou de terceiros, atividades econômicas nesse setor; Ocupar cargos técnicos de chefia ou direção, assessoramento e consultoria e empresas privadas ou públicas, cujas atribuições envolvam especificamente a aplicação de conhecimentos inerentes às técnicas de desenvolvimento de atividades turísticas; Exercer o magistério em disciplinas que envolvam conhecimento das técnicas turísticas; Para o desenvolvimento das características descritas acima, o profissional a ser formado no curso de Turismo deverá ser capaz de : - Determinar o melhor meio de se empregar os esforços objetivando otimizar resultados e minimizar riscos; - Tomar e saber implementar decisões; - Exercer sua liderança, compreender os fenômenos da dinâmica grupal, coordenar e dinamizar reuniões; Prosseguir estudos de pós-graduação em programas de especialização (lato sensu) ou mestrado (strito sensu). OBJETIVOS Formar empreendedores aptos ao desenvolvimento no setor de Turismo no país, como atividade econômica de relação humana, convivência, lazer e intercâmbio cultural, visando à construção do respeito e da fraternidade entre os povos. Pesquisar e identificar o potencial turístico local, regional e nacional, fornecendo elementos para os segmentos interessados em empreendimentos nesse setor da Economia.

16 Assessorar na elaboração de projetos e na incubação de empreendimentos voltados para atividades turísticas; Servir como referencial na formação de empreendedores em Turismo, com excelente habilitação para atuarem e desenvolverem este setor emergente. Orientar iniciativas de empreendimentos turísticos de conformidade com as perspectivas e tendências do contexto em que se apresentarem. CURSO: TURISMO Autorizado a funcionar pelo Decreto nº 5627 de 30/04/2002 Total de Horas: 2910h/a Atividades Complementares: 90h/a Total da Carga Horária do Curso: 3000h/a Duração: 4 anos Integralização Curricular: Mínimo 4 anos e Máximo 7 anos. Concurso Vestibular Programa por Disciplina Comunicação e Expressão 1. Gramática: a) Fonética: fonema, sílaba, encontros vocálicos, consonantais e dígrafos, tonicidade, acentuação gráfica, prosódia, ortoépia, ortografia, sinais de pontuação. b) Morfologia: estrutura e formação de palavras, classes de palavras. c) Sintaxe: frase, oração e período, termos da oração, tipos de período, sintaxe de concordância e regência, crase, colocação pronominal e sintaxe especial das palavras que e se. d) Semântica: sinônimos, antônimos, homônimos, Parônimos, denotação e conotação. e) Tipos e funções de linguagem. f) Discurso Direto e Indireto. g) Coerência e Coesão Textuais. h) Figuras de linguagem. 2. Literatura: a) Romantismo; b ) Realismo c) Realismo - Naturalismo - Parnasianismo; d) Simbolismo - Impressionismo; e) Modernismo - Literatura Contemporânea. Bibliografia: 01. GONÇALVES DIAS, Antonio. Poesia, Nossos Clássicos. (18) 4 ed. Rio de Janeiro: Agir, VERÍSSIMO, Érico. Olhai os Lírios do Campo. 57 ed. Porto Alegre: Globo, ALMEIDA, José Américo de. A Bagaceira.12 ed. Rio de Janeiro: José Olympio, AZEVEDO, Aluízio. O Mulato. 9 ed. São Paulo: Ática, 1990.

17 05. NETO, João Cabral de Melo. A Educação pela Pedra. 6 ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, FILOSOFIA, HISTÓRIA E SOCIOLOGIA 01. O Brasil Colonial; 02. A Emancipação Política e a Formação do Estado Nacional Brasileiro; 03. O Brasil na Segunda Metade do Século XIX; 04. A República Brasileira; 05. O Sistema Colonial: Português, Espanhol e Inglês; 06. O Processo de Emancipação das Colônias Americanas; 07. Os Estados Unidos no Decorrer dos Séculos XIX e XX; 08. A América Latina nos Séculos XIX e XX; 09. As Civilizações Antigas (Egito, Grécia e Roma); 10. A Sociedade Feudal (alta e baixa Idade Média); 11. A Época Moderna (da crise do feudalismo às revoluções burguesas); 12. O Mundo Contemporâneo; 13. A Filosofia nas suas origens gregas; 14. História da Filosofia; 15. Epistemologia; 16. Filosofia Política; 17. Racionalismo e Empirismo; 18. Materialismo Dialético e Histórico; 19. Filosofia Moral; 20. Escola de Frankfurt; 21. Idealismo de Kant e Hegel; 22. Filosofia do Século XX. 21. Idealismo de Kant e Hegel; 22. Filosofia do Século XX. 23. Contexto Histórico que propiciou o surgimento da Sociologia. 24. A Formulação e o desenvolvimento da Sociologia. 25. Os Pioneiros da Sociologia (Comte, Durkheim, Marx, Weber). 26. Fundamentos Econômicos da Sociedade (os modos de produção). 27. Trabalho e Sociedade. 28. Processos Sociais. 29. Instituições Sociais. 30. Cultura e Ideologia. 31. As desigualdades Sociais. 32. Política e Sociedade. 33. A Dinâmica Social: Mudanças e Movimentos Sociais. MATEMÁTICA Aritmética e Álgebra:

18 01. Porcentagem; 02. Juros Simples; 03. Regra de Três Simples e Composta; 04. Conjuntos - Reunião, Intersecção Complementar. Propriedades; 05. Expressões Algébricas - Operações, Produtos Notáveis, Fatoração; 06. Equações de 1º e 2º Graus; 07. Funções - Conceito, Gráficos e Função Linear; 08. Função Quadrática. Trinômio do 2º Grau. Raízes, Variação, Relação entre Coeficientes e Raízes; Decomposição do Trinômio do 2º Grau em Fatores do 1º Grau e Gráficos; 09. Progressões Geométricas e Aritmética; 10. Conceito e Propriedades dos Logaritmos; 11. Equações Exponenciais; 12. Análise Combinatória - Noções Sobre Arranjos, Permutações e Combinações Binômio de Newton; 13. Matrizes: Classificação, Operações e propriedades; 14. Sistemas de Equações Lineares - Resolução por Determinante; 15. Polinômios - Divisão por X a; Regra de Biot - Ruffini. Equações Algébricas, Decomposição de um Polinômio em Fatores Binômios; 16. Geometria: Ângulos, Retas, Polígonos Triângulos, Quadriláteros, Circunferência e Círculos. Segmentos Proporcionais, Relações Métricas na Circunferência e Área das Figuras, Plantas e Volumes dos Sólidos Regulares. 17.Geometria Analítica - Distância Entre Dois Pontos. Equação da Reta e Equação da Circunferência. INGLÊS LÍNGUA MODERNA a) GRAMMAR 1- The sentence The simple sentence; The compound sentence; The complex sentence; Noun clauses; Relative pronouns and clauses; Adverbial clauses Participle constructions. 2- Nouns Countable and uncountable nouns; Number (singular and plural) Gender; The genitive. 3- Articles The indefinite article: a/an; The definite article: the ; The zero article 4. Pronouns Personal pronouns; One; It; Possessive adjectives/pronouns Demonstrative adjectives/pronouns; Indefinite pronouns 5. Adjectives Formation of adjectives; Types of adjectives and their uses; The comparison of adjectives 6. Adverbs The comparison of adverbs; Adverbs of manner; Adverbs of place Adverbs of time; Adverbs of frequency; Adverbs of degree; Intensifiers 7. Prepositions, adverb particles and phrasal verbs Movement and position; Time; Particular uses; Verb + prepositions/particle 8. Verbs, verb tenses, imperatives The sequence of tenses; Simple present; Present progressive; Simple past; Past Progressive; Simple present perfect; Simple past perfect; Present/past perfect

19 Progressive; Simple future; Future progressive; The going to future; Other Ways of expressing the future; The imperative 9. Modal auxiliaries and related verbs Ability; permission and prohibition; certainly and possibility; deduction; offers, Requests, suggestions; wishes; preferences; advisability, duty,necessity; lack of necessity, prohibition; habit 10. Conditional sentences Type 1,2,3 conditionals; Will and would after if; Other uses of if and similar Conjunctions 11. Direct and indirect speech Say, tell and ask; Indirect statements; reporting verb in the present; Indirect statements with tense changes; Indirect statements with mixed sequences 12.The infinitive and the-ing form The bare infinitive; The infinitive with or without to; bare infinitive oring form?; The to-infinitive; Verb (+ noun/pronoun)+ to infinitive; Verb + to-infinitive; Noun+ to infinitive; The - ing form; Verb+ ing form; Adjectives and nouns + ing form; Prepositions + ing form; To infinitive or -ing form? b) READING COMPREHENSION 1. Determining the main idea: Looking for the main idea; General and specific statements; Irrelevant sentences 2. Inferring Meaning: Making inferences; Reference 3. Restatement: Putting it in other words 4. Multiple Choice Strategies ESPANHOL 1. Textos sobre temas que tratan de economia, cultura general, actualidad. 1.1 Comprensión lectora de los textos. 1.2 Traducción de términos y frases de los textos. 2. A partir de los textos trabajados em el examen, se verificarán: 2.1 La ortografia: El abecedario. La acentuación de las palabras. 2.2 La gramática: Uso de los artículos: Determinados e Indeterminados Uso de los sustantivos: El género de los nombres. Los heterogenéricos. Formación del feminino: Formación del plural Uso de los adjetivos: Formación del feminino. Formación del plural. Concordancia: Los comparativos Uso de los demostrativos Uso de los posesivos Uso de los pronombres personales: Las formas de tratamiento: informal y formal. Los pronombres sujeto. Los pronombres complemento: directo e indirecto. Colocación en relación con el verbo Los numerales: Los cardinales. Los ordinales Los pronombres relativos Los interrogativos La apócope El verbo: La conjugación regular. La conjugación irregular. Las formas personales del verbo: Infinitivo, participio, gerundio. Tiempos del modo indicativo. Tiempos del modo subjuntivo. Modo imperativo.

20 Las particulas: El adverbio: de lugar, tiempo, cantidad, modo afirmación, duda. Uso de muy/mucho. La preposición. La conjunción.

FACULDADE DE CAMPINA GRANDE DO SUL M A N U A L D O C A N D I D A T O

FACULDADE DE CAMPINA GRANDE DO SUL M A N U A L D O C A N D I D A T O 1 FACULDADE DE CAMPINA GRANDE DO SUL M A N U A L D O C A N D I D A T O PROCESSO SELETIVO - INVERNO / 2014 Rua Profº Duílio Calderari, nº 600 Jardim Paulista CEP 83.430-000 Campina Grande do Sul PR. Fone:

Leia mais

(46) 3243-1371 EDITAL N. 041/2014 VESTIBULAR UNILAGOS 2015

(46) 3243-1371 EDITAL N. 041/2014 VESTIBULAR UNILAGOS 2015 1 Fundação de Ensino Superior de Mangueirinha Faculdade Unilagos Rua Saldanha Marinho, 85 www.unilagos.com.br CNPJ 05.428.075/0001-91 (46) 3243-1371 EDITAL N. 041/2014 VESTIBULAR UNILAGOS 2015 A Diretora

Leia mais

IV. DA CLASSIFICAÇÃO E PREENCHIMENTO DAS VAGAS

IV. DA CLASSIFICAÇÃO E PREENCHIMENTO DAS VAGAS I. A FACULDADE Caro Candidato, A Faculdade José Augusto Vieira foi credenciada pelo MEC através da portaria 3.014 de 23 de Setembro de 2004, inaugurada em 08 de Outubro do mesmo ano, é uma instituição

Leia mais

I. A FACULDADE. Caro Candidato,

I. A FACULDADE. Caro Candidato, I. A FACULDADE Caro Candidato, Seja bem vindo as Faculdades Olga Mettig! A sociedade baiana sempre reconheceu a educadora Olga Mettig pela seriedade e dignidade que imprimiu as suas atitudes pioneiras,

Leia mais

MANUAL DO CANDIDATO. EDITAL FATEC SENAI nº 02/2014, de 30 de outubro de 2014.. Prezado (a) Candidato (a)

MANUAL DO CANDIDATO. EDITAL FATEC SENAI nº 02/2014, de 30 de outubro de 2014.. Prezado (a) Candidato (a) MANUAL DO CANDIDATO EDITAL FATEC SENAI nº 02/2014, de 30 de outubro de 2014.. Prezado (a) Candidato (a) A FATEC SENAI Campo Grande disponibiliza informações para o processo seletivo dos cursos superiores

Leia mais

EDITAL N 06/2013 PROCESSO SELETIVO 2014.1

EDITAL N 06/2013 PROCESSO SELETIVO 2014.1 EDITAL N 06/2013 PROCESSO SELETIVO 2014.1 A FACULDADE TERRA NORDESTE - FATENE, credenciada pelo MEC, portaria n 1.246 de 14/10/2008, torna pública a abertura de inscrições para o processo seletivo dos

Leia mais

EDITAL N /2015 PROCESSO SELETIVO 2015.1

EDITAL N /2015 PROCESSO SELETIVO 2015.1 EDITAL N /2015 PROCESSO SELETIVO 2015.1 A FACULDADE TERRA NORDESTE - FATENE, credenciada pelo MEC, portaria n 1.246 de 14/10/2008, torna pública a abertura de inscrições para o processo seletivo dos cursos

Leia mais

Manual do Candidato PROCESSO SELETIVO DE INVERNO 2013 CURSOS:

Manual do Candidato PROCESSO SELETIVO DE INVERNO 2013 CURSOS: Manual do Candidato PROCESSO SELETIVO DE INVERNO 2013 CURSOS: Bacharelado em Sistemas de Informação (Reconhecido pela Portaria MEC nº 315 D.O.U. 31/12/2012) Bacharelado em Administração de Empresas (Reconhecido

Leia mais

PROCESSO SELETIVO/VESTIBULAR 2013.1 EDITAL

PROCESSO SELETIVO/VESTIBULAR 2013.1 EDITAL PROCESSO SELETIVO/VESTIBULAR 2013.1 EDITAL A Faculdade de Ciências Aplicadas de Limoeiro FACAL, mantida pela Autarquia de Ensino Superior do Limoeiro, reconhecida pela Portaria Ministerial n.º 024 de 08

Leia mais

DIREÇÃO GERAL EDITAL Nº 021 DE SETEMBRO DE 2015.

DIREÇÃO GERAL EDITAL Nº 021 DE SETEMBRO DE 2015. DIREÇÃO GERAL EDITAL Nº 021 DE SETEMBRO DE 2015. Dispõe sobre a publicação das normas que regulam o PROCESSO SELETIVO 2016/1 VESTIBULAR DE VERÃO para oferta do Curso de Teologia (Bacharelado) e do Curso

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS DE SERGIPE EDITAL DE PROCESSO SELETIVO 2014/1

FACULDADES INTEGRADAS DE SERGIPE EDITAL DE PROCESSO SELETIVO 2014/1 FACULDADES INTEGRADAS DE SERGIPE EDITAL DE PROCESSO SELETIVO 2014/1 A ASSOCIAÇÃO DE APOIO À EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO ESTADO DE SERGIPE APEC/SE, entidade mantenedora das FACULDADES INTEGRADAS DE

Leia mais

EDITAL N 05/2015 CCV. 1. VALIDADE O presente processo seletivo terá validade somente para o segundo semestre letivo de 2015.

EDITAL N 05/2015 CCV. 1. VALIDADE O presente processo seletivo terá validade somente para o segundo semestre letivo de 2015. EDITAL N 05/2015 CCV A FAMETRO torna público aos interessados que estão abertas as inscrições para o processo seletivo dos cursos de graduação, nas condições indicadas neste Edital. 1. VALIDADE O presente

Leia mais

EDITAL N 05/2014 CCV

EDITAL N 05/2014 CCV EDITAL N 05/2014 CCV A FAMETRO torna público aos interessados que estão abertas as inscrições para o processo seletivo dos cursos de graduação, nas condições indicadas neste Edital. 1. VALIDADE O presente

Leia mais

EDITAL N 01/2015 CCV

EDITAL N 01/2015 CCV EDITAL N 01/2015 CCV A FAMETRO torna público aos interessados que estão abertas as inscrições para o processo seletivo dos cursos de graduação, nas condições indicadas neste Edital. 1. VALIDADE O presente

Leia mais

EDITAL N 03/2015 CCV

EDITAL N 03/2015 CCV EDITAL N 03/2015 CCV A FAMETRO torna público aos interessados que estão abertas as inscrições para o processo seletivo dos cursos de graduação, nas condições indicadas neste Edital. 1. VALIDADE O presente

Leia mais

Faculdades Integradas do Vale do Ivaí UNIVALE

Faculdades Integradas do Vale do Ivaí UNIVALE Faculdades Integradas do Vale do Ivaí UNIVALE Ivaiporã - PR Faculdades Integradas do Vale do Ivaí - UNIVALE COMISSÃO DO VESTIBULAR CONCURSO VESTIBULAR 2016 MATRÍCULA DOS APROVADOS NO VESTIBULAR A matrícula

Leia mais

FACULDADE DE SÃO MARCOS Credenciada pelo MEC (Portaria 1371de 23/11/2012)

FACULDADE DE SÃO MARCOS Credenciada pelo MEC (Portaria 1371de 23/11/2012) FACULDADE DE SÃO MARCOS Credenciada pelo MEC (Portaria 1371de 23/11/2012) MANUAL DO CANDIDATO PROCESSO SELETIVO DE INVERNO 2015 Este manual tem como objetivo orientar os candidatos do vestibular nas normas

Leia mais

EDITAL N. º 001/CTPM/2015 CONCURSO DE ADMISSÃO 2016 ANEXO II CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DO EXAME INTELECTUAL

EDITAL N. º 001/CTPM/2015 CONCURSO DE ADMISSÃO 2016 ANEXO II CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DO EXAME INTELECTUAL EDITAL N. º 001/CTPM/2015 CONCURSO DE ADMISSÃO 2016 ANEXO II CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DO EXAME INTELECTUAL 1) PARA O ENSINO MÉDIO REDAÇÃO Do 1º ano ao 3º ano do ensino médio, a prova discursiva será composta

Leia mais

Prefeitura Municipal de Santo Ângelo A N E XO II. (Do Conteúdo Programático)

Prefeitura Municipal de Santo Ângelo A N E XO II. (Do Conteúdo Programático) 1 A N E XO II (Do Conteúdo Programático) 2 Cargos: CARPINTEIRO, COZINHEIRA, PADEIRO, PINTOR (LETRISTA). Português: Ortografia (escrita correta das palavras). Divisão silábica. Pontuação. Acentuação Gráfica.

Leia mais

MANUAL DO CANDIDATO. Bacharelado em Teologia. Edital Nº-3 DOU 08/11/13, Curso Autorizado pela Portaria Nº 1.019, de 30 de Março de 2005

MANUAL DO CANDIDATO. Bacharelado em Teologia. Edital Nº-3 DOU 08/11/13, Curso Autorizado pela Portaria Nº 1.019, de 30 de Março de 2005 MANUAL DO CANDIDATO Edital Nº-3 DOU 08/11/13, Bacharelado em Teologia Curso Autorizado pela Portaria Nº 1.019, de 30 de Março de 2005 Sistema de Acesso à FACULDADE TEOLÓGICA DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS

Leia mais

EDITAL N 06/2015 CCV

EDITAL N 06/2015 CCV EDITAL N 06/2015 CCV A FAMETRO torna público aos interessados que estão abertas as inscrições para o processo seletivo dos cursos de graduação, nas condições indicadas neste Edital. 1. VALIDADE O presente

Leia mais

Faculdade Politécnica de Uberlândia EDITAL DO PROCESSO SELETIVO/VESTIBULAR PARA O 2º SEMESTRE DE 2011

Faculdade Politécnica de Uberlândia EDITAL DO PROCESSO SELETIVO/VESTIBULAR PARA O 2º SEMESTRE DE 2011 Faculdade Politécnica de Uberlândia EDITAL DO PROCESSO SELETIVO/VESTIBULAR PARA O 2º SEMESTRE DE 2011 O Diretor Acadêmico da Faculdade Politécnica de Uberlândia, no uso de suas atribuições Regimentais

Leia mais

MANUAL DO CANDIDATO. Informações: Secretaria Acadêmica / Faculdade Iguaçu. Av. Botucaris, nº 1590. Telefone: (46) 3552-1464

MANUAL DO CANDIDATO. Informações: Secretaria Acadêmica / Faculdade Iguaçu. Av. Botucaris, nº 1590. Telefone: (46) 3552-1464 MANUAL DO CANDIDATO Informações: Secretaria Acadêmica / Faculdade Iguaçu Av. Botucaris, nº 1590 Telefone: (46) 3552-1464 E-mail: secretaria@faculdadeiguacu.edu.br Horário: 2ª à 6ª das 14h00 às 22h00 Capanema

Leia mais

EDITAL DO 2º PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS SUPERIORES NA MODALIDADE PRESENCIAL - VESTIBULAR 1º SEMESTRE - 2015

EDITAL DO 2º PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS SUPERIORES NA MODALIDADE PRESENCIAL - VESTIBULAR 1º SEMESTRE - 2015 EDITAL DO 2º PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS SUPERIORES NA MODALIDADE PRESENCIAL - VESTIBULAR 1º SEMESTRE - 2015 A Faculdade Panamericana de Ji Paraná (UNIJIPA), Instituição de Ensino Superior comprometida

Leia mais

EDITAL 003/2015. Processo Seletivo 2016/1

EDITAL 003/2015. Processo Seletivo 2016/1 EDITAL 003/2015 Processo Seletivo 2016/1 O Diretor Geral da FASURGS, credenciada pela Portaria do MEC. Nº 1.220 de 23 Dezembro de 2009, e publicada no DOU nº 246 de 24/12/2009, seção1, pg.95, mantida pelo

Leia mais

Saiba quais são os momentos marcantes da trajetória da ETEP

Saiba quais são os momentos marcantes da trajetória da ETEP Manual do Candidato Cursos Superiores Curta Duração 1º Semestre de 2015 Desde a sua idealização, em 1956, a ETEP visa formar, com excelência, profissionais para atender às demandas do mercado de trabalho.

Leia mais

FACULDADE DO NORDESTE DA BAHIA - FANEB

FACULDADE DO NORDESTE DA BAHIA - FANEB FACULDADE DO NORDESTE DA BAHIA - FANEB EDITAL DE PROCESSO SELETIVO 2014.2 A SOCIEDADE DE ENSINO SUPERIOR DO NORDESTE DA BAHIA LTDA - SESNEB, entidade mantenedora da FACULDADE DO NORDESTE DA BAHIA - FANEB,

Leia mais

EDITAL N.º 01/2015. Edital de Abertura de Inscrições. Curso de Educação Profissional de Nível Técnico. Noturno 2015/02

EDITAL N.º 01/2015. Edital de Abertura de Inscrições. Curso de Educação Profissional de Nível Técnico. Noturno 2015/02 EDITAL N.º 01/2015 Edital de Abertura de Inscrições Curso de Educação Profissional de Nível Técnico Noturno 2015/02 A Direção da Escola Técnica Estadual Portão Portão torna público, para o conhecimento

Leia mais

EDITAL CED/RTR N.º 003/2008, 05 de março de 2008. PROCESSO SELETIVO ESPECIAL Retificação do Edital n 002/2008 de 25 de fevereiro de 2008

EDITAL CED/RTR N.º 003/2008, 05 de março de 2008. PROCESSO SELETIVO ESPECIAL Retificação do Edital n 002/2008 de 25 de fevereiro de 2008 EDITAL CED/RTR N.º 003/2008, 05 de março de 2008. OCESSO SELETIVO ESPECIAL Retificação do Edital n 002/2008 de 25 de fevereiro de 2008 A Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, no uso de suas atribuições,

Leia mais

EDITAL N 018/2014 DG

EDITAL N 018/2014 DG EDITAL N 018/2014 DG Altera o Edital nº 016/14-DG que torna pública as normas que regem o 1º Processo Seletivo 2015 da Faculdade Cidade Verde FCV Considerando o disposto no Edital n o 016/14-DG; O Diretor

Leia mais

FACULDADE ESPECIALIZADA NA ÁREA DE SAÚDE DO RIO GRANDE DO SUL Portaria MEC nº 1.220 23/12/2009 - DOU nº 246-24/12/2009, seção 1, p.

FACULDADE ESPECIALIZADA NA ÁREA DE SAÚDE DO RIO GRANDE DO SUL Portaria MEC nº 1.220 23/12/2009 - DOU nº 246-24/12/2009, seção 1, p. EDITAL 001/2015 Processo Seletivo 2015/2 O Diretor Geral da FASURGS, credenciada pela Portaria do MEC. Nº 1.220 de 23 Dezembro de 2009, e publicada no DOU nº 246 de 24/12/2009, seção1, pg.95, mantida pelo

Leia mais

Educação, estando em conformidade com as leis que regem o mesmo; Vestibular Ibmec 2008.1 Administração, Ciências Econômicas e Relações Internacionais

Educação, estando em conformidade com as leis que regem o mesmo; Vestibular Ibmec 2008.1 Administração, Ciências Econômicas e Relações Internacionais Vestibular Ibmec 2008.1 Administração, Ciências Econômicas e Relações Internacionais A Faculdade Ibmec oferece os cursos de Administração, Ciências Econômicas e Relações Internacionais. Foi criada com

Leia mais

EDITAL N.º 001/2013-CCV CONCURSO VESTIBULAR DE INVERNO - 2013

EDITAL N.º 001/2013-CCV CONCURSO VESTIBULAR DE INVERNO - 2013 FACULDADE ESTADUAL DE FILOSOFIA, CIÊNCIAS E LETRAS UNIÃO DA VITÓRIA - ESTADO DO PARANÁ HISTÓRIA E PEDAGOGIA: Decreto Federal nº 61.120-31.07.67 - DOU 03.08.67 LETRAS/INGLÊS E GEOGRAFIA: Decreto Federal

Leia mais

EDITAL 13 de 15 de março de 2014

EDITAL 13 de 15 de março de 2014 UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO EDITAL 13 de 15 de março de 2014 PROCESSO SELETIVO PARA REINGRESSO, TRANSFÊRENCIA INTERNA E EXTERNA PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA

Leia mais

EDITAL DE VESTIBULAR FACSETE Nº 001/2015

EDITAL DE VESTIBULAR FACSETE Nº 001/2015 EDITAL DE VESTIBULAR FACSETE Nº 001/2015 A Diretora Geral da FACULDADE SETE LAGOAS - FACSETE, Professora Drª Dóris Camargo Martins de Andrade declara abertas as inscrições ao Processo Seletivo para matrículas

Leia mais

VESTIBULAR 2015.2 FACULDADE FARIAS BRITO FFB A FACULDADE DA QUALIDADE

VESTIBULAR 2015.2 FACULDADE FARIAS BRITO FFB A FACULDADE DA QUALIDADE EDITAL 01/2015 VESTIBULAR 2015.2 FACULDADE FARIAS BRITO FFB A FACULDADE DA QUALIDADE Faculdade Farias Brito FFB Rua Castro Monte, 1364 Varjota A Faculdade da Qualidade Sumário EDITAL Nº. 01/2015... 3 1.

Leia mais

MANUAL DO CANDIDATO PROCESSO SELETIVO FATEP 2016 1º SEMESTRE

MANUAL DO CANDIDATO PROCESSO SELETIVO FATEP 2016 1º SEMESTRE FATEP FACULDADE DE TECNOLOGIA DE PIRACICABA MANUAL DO CANDIDATO PROCESSO SELETIVO FATEP 2016 1º SEMESTRE DISPOSIÇÕES GERAIS A FATEP está realizando o Processo Seletivo 2016-1, para o preenchimento das

Leia mais

EDITAL Nº. 21/2015 PROCESSO SELETIVO/VESTIBULAR DE INVERNO-2015

EDITAL Nº. 21/2015 PROCESSO SELETIVO/VESTIBULAR DE INVERNO-2015 O Diretor Geral das Faculdades Integradas do Vale do Iguaçu, mantidas pela Unidade de Ensino Superior Vale do Iguaçu, no uso de suas atribuições regimentais e demais disposições legais, torna público o

Leia mais

EDITAL Nº 07/2013 - VESTIBULAR AGENDADO DE INVERNO 2013/02

EDITAL Nº 07/2013 - VESTIBULAR AGENDADO DE INVERNO 2013/02 FACULDADE SANT ANA INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO SANT ANA. EDITAL Nº 07/2013 - VESTIBULAR AGENDADO DE INVERNO 2013/02 Estabelece normas para Vestibular Agendado 2013/2 da INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR

Leia mais

Relações Internacionais

Relações Internacionais Curso de Graduação Bacharelado em Relações Internacionais O curso de Relações Internacionais está enquadrado no campo da ciência Humana e social, onde estuda-se em profundidade as políticas Internacionais

Leia mais

EDITAL Nº 005/2010 EXAME DE SELEÇÃO 2011/1 - UCEFF FACULDADES

EDITAL Nº 005/2010 EXAME DE SELEÇÃO 2011/1 - UCEFF FACULDADES EDITAL Nº 005/2010 EXAME DE SELEÇÃO 2011/1 - UCEFF FACULDADES 1. ABERTURA A Faculdade de Empresarial de Chapecó mantida pela Unidade Central de Educação FAEM Faculdade Ldta UCEFF Faculdades, de acordo

Leia mais

Faculdade Ibmec Processo Seletivo 2011-2 e 2012-1 EDITAL

Faculdade Ibmec Processo Seletivo 2011-2 e 2012-1 EDITAL Faculdade Ibmec Processo Seletivo 2011-2 e 2012-1 EDITAL I DO PROCESSO SELETIVO De ordem do Senhor Diretor e para conhecimento de todos os interessados, torno público que, no período indicado neste Edital,

Leia mais

EDITAL FMJ- 032/2011, de 21/6/2011 ABERTURA DE INSCRIÇÕES AO CONCURSO VESTIBULAR DE 2012 MEDICINA

EDITAL FMJ- 032/2011, de 21/6/2011 ABERTURA DE INSCRIÇÕES AO CONCURSO VESTIBULAR DE 2012 MEDICINA EDITAL FMJ- 032/2011, de 21/6/2011 ABERTURA DE INSCRIÇÕES AO CONCURSO VESTIBULAR DE 2012 MEDICINA O Prof. Dr. ITIBAGI ROCHA MACHADO, Diretor da Faculdade de Medicina de Jundiaí, autarquia municipal de

Leia mais

Faculdade de Tecnologia do Amapá Portaria, MEC Nº 1.956, de 06/07/2004. VESTIBULAR 1º SEMESTRE DE 2015/Edital de 07/10/2014

Faculdade de Tecnologia do Amapá Portaria, MEC Nº 1.956, de 06/07/2004. VESTIBULAR 1º SEMESTRE DE 2015/Edital de 07/10/2014 Processo Seletivo 2015.1 - EDITAL N 003-2014/COPEVE A Faculdade de Tecnologia do Amapá - META, situada na Rua Pedro Siqueira, N 333, Jardim Marco Zero Macapá AP, faz saber que estarão abertas as inscrições

Leia mais

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS DE TIMBAÚBA - FACET

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS DE TIMBAÚBA - FACET EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS DE TIMBAÚBA - FACET O Diretor da Faculdade de Ciências de Timbaúba FACET, torna públicas as normas e condições estabelecidas neste Edital aprovado pelo

Leia mais

EDITAL 05/2015 DE 16 DE MARÇO DE 2015 PROCESSO SELETIVO VESTIBULAR 2015.2

EDITAL 05/2015 DE 16 DE MARÇO DE 2015 PROCESSO SELETIVO VESTIBULAR 2015.2 EDITAL 05/2015 DE 16 DE MARÇO DE 2015 PROCESSO SELETIVO VESTIBULAR 2015.2 A Faculdade Maria Milza FAMAM torna público o Edital do Processo Seletivo Vestibular 2015.2, para os cursos de Bacharelado em Administração,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO PROJETO Cursinho da Inclusão Social

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO PROJETO Cursinho da Inclusão Social EDITAL Nº 001 - PREENCHIMENTO DE VAGAS PARA PROFESSOR-MONITOR NO PROJETO CURSINHO DA INCLUSÃO SOCIAL, DE 20 DE FEVEREIRO DE 2015. A Coordenação do Projeto Cursinho da Inclusão Social, da Universidade Federal

Leia mais

FUNDAÇÃO LUSÍADA CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA PROCESSO SELETIVO 2014 MANUAL DO CANDIDATO

FUNDAÇÃO LUSÍADA CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA PROCESSO SELETIVO 2014 MANUAL DO CANDIDATO FUNDAÇÃO LUSÍADA CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA PROCESSO SELETIVO 2014 MANUAL DO CANDIDATO MISSÃO: Promover a formação generalista dos profissionais das áreas da saúde, humanas e tecnológicas, com ensino

Leia mais

EDITAL 010/2014 DE 25 DE AGOSTO DE 2014 PROCESSO SELETIVO VESTIBULAR 2015.1 I DA DENOMINAÇÃO E RESPECTIVAS HABILITAÇÕES

EDITAL 010/2014 DE 25 DE AGOSTO DE 2014 PROCESSO SELETIVO VESTIBULAR 2015.1 I DA DENOMINAÇÃO E RESPECTIVAS HABILITAÇÕES EDITAL 010/2014 DE 25 DE AGOSTO DE 2014 PROCESSO SELETIVO VESTIBULAR 2015.1 A Faculdade Maria Milza FAMAM torna público o Edital do Processo Seletivo Vestibular 2015.1, para os cursos de Bacharelado em

Leia mais

EDITAL 09/2015 DE 16 DE MARÇO DE 2015 PROCESSO SELETIVO VESTIBULAR 2015.2 VAGAS REMANESCENTES

EDITAL 09/2015 DE 16 DE MARÇO DE 2015 PROCESSO SELETIVO VESTIBULAR 2015.2 VAGAS REMANESCENTES EDITAL 09/2015 DE 16 DE MARÇO DE 2015 PROCESSO SELETIVO VESTIBULAR 2015.2 VAGAS REMANESCENTES A Faculdade Maria Milza FAMAM torna público o Edital do Processo Seletivo Vestibular 2015.2 Vagas remanescentes,

Leia mais

EDITAL DO 1º PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS SUPERIORES NA MODALIDADE PRESENCIAL VESTIBULAR 1º SEMESTRE 2016

EDITAL DO 1º PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS SUPERIORES NA MODALIDADE PRESENCIAL VESTIBULAR 1º SEMESTRE 2016 EDITAL DO 1º PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS SUPERIORES NA MODALIDADE PRESENCIAL VESTIBULAR 1º SEMESTRE 2016 A Faculdade Panamericana de Ji Paraná (UNIJIPA), Instituição de Ensino Superior comprometida a

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PIAUÍ SECRETARIA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO ECULTURA 19ª GERÊNCIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO CEMTI JOÃO HENRIQUE DE AL MEIDA SOUSA

GOVERNO DO ESTADO DO PIAUÍ SECRETARIA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO ECULTURA 19ª GERÊNCIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO CEMTI JOÃO HENRIQUE DE AL MEIDA SOUSA O Centro de Ensino Médio de Tempo Integral João Henrique de Almeida Sousa torna público aos interessados a abertura das inscrições do Exame Classificatório para preenchimento de vagas referentes à 1ª,

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 2010/1 EDITAL Nº 9 IFRS Campus Sertão, DE 09 DE OUTUBRO DE 2009

PROCESSO SELETIVO 2010/1 EDITAL Nº 9 IFRS Campus Sertão, DE 09 DE OUTUBRO DE 2009 Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus PROCESSO SELETIVO 2010/1 EDITAL Nº 9 IFRS Campus,

Leia mais

UNI-FACEF - CONCURSO PÚBLICO EDITAL UNI-FACEF Nº 01/2005

UNI-FACEF - CONCURSO PÚBLICO EDITAL UNI-FACEF Nº 01/2005 UNI-FACEF - CONCURSO PÚBLICO EDITAL UNI-FACEF Nº 01/2005 A Reitora do Uni-FACEF Centro Universitário de Franca faz saber que fará realizar Concurso Público para formação de cadastro de reserva e preenchimento

Leia mais

EDITAL 012/2015 DE 18 DE AGOSTO DE 2015 PROCESSO SELETIVO VESTIBULAR 2016.1 I DA DENOMINAÇÃO E RESPECTIVAS HABILITAÇÕES

EDITAL 012/2015 DE 18 DE AGOSTO DE 2015 PROCESSO SELETIVO VESTIBULAR 2016.1 I DA DENOMINAÇÃO E RESPECTIVAS HABILITAÇÕES EDITAL 012/2015 DE 18 DE AGOSTO DE 2015 PROCESSO SELETIVO VESTIBULAR 2016.1 A Faculdade Maria Milza FAMAM torna público o Edital do Processo Seletivo Vestibular 2016.1, para os cursos de Bacharelado em

Leia mais

GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO Ingresso em agosto de 2009. Manual do Candidato. certificação de qualidade

GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO Ingresso em agosto de 2009. Manual do Candidato. certificação de qualidade GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO Ingresso em agosto de 2009 Manual do Candidato certificação de qualidade Prezado candidato. Ao receber este manual, você está dando início a um novo rumo em sua carreira. A ESAGS

Leia mais

VESTIBULAR 2014/2 Manual do Candidato

VESTIBULAR 2014/2 Manual do Candidato VESTIBULAR 2014/2 Manual do Candidato Teresina PI/ Brasil EDITAL Nº 02/ 2014 O Diretor Executivo da Sociedade de Ensino Superior do Médio Parnaíba LTDA SESMEP, entidade mantenedora da Faculdade do Médio

Leia mais

SERVIÇO SOCIAL DA INDÚSTRIA - CAESIAL Comissão de Avaliação da Escola SESI Industrial Abelardo Lopes

SERVIÇO SOCIAL DA INDÚSTRIA - CAESIAL Comissão de Avaliação da Escola SESI Industrial Abelardo Lopes EDITAL Nº 001/2014 EXAME DE SELEÇÃO 2014/2015 ENSINO FUNDAMENTAL ANOS FINAIS O Diretor da Escola SESI Industrial Abelardo Lopes, no uso de suas atribuições, faz saber aos interessados que estão abertas

Leia mais

UNILUS MANUAL DO CANDIDATO PROCESSO SELETIVO 2015

UNILUS MANUAL DO CANDIDATO PROCESSO SELETIVO 2015 UNILUS CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA PROCESSO SELETIVO 2015 Administração Artes Cênicas - Teatro Biomedicina Educação Física Enfermagem Fisioterapia Fonoaudiologia Nutrição Pedagogia Relações Internacionais

Leia mais

EDITAL 014/2014 DE 05 DE NOVEMBRO DE 2014 PROCESSO SELETIVO VESTIBULAR 2015.1 - ENGENHARIA CIVIL E VAGAS REMANESCENTES

EDITAL 014/2014 DE 05 DE NOVEMBRO DE 2014 PROCESSO SELETIVO VESTIBULAR 2015.1 - ENGENHARIA CIVIL E VAGAS REMANESCENTES EDITAL 014/2014 DE 05 DE NOVEMBRO DE 2014 PROCESSO SELETIVO VESTIBULAR 2015.1 - ENGENHARIA CIVIL E VAGAS REMANESCENTES A Faculdade Maria Milza FAMAM torna público o Edital do Processo Seletivo Vestibular

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNISEB

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNISEB CENTRO UNIVERSITÁRIO UNISEB Dispõe sobre as normas referentes ao Processo Seletivo 2015, para o preenchimento de vagas para os cursos de graduação, na modalidade de Ensino Educação a Distância, do CENTRO

Leia mais

EDITAL Nº. 17/2015 PROCESSO SELETIVO 2016/1

EDITAL Nº. 17/2015 PROCESSO SELETIVO 2016/1 EDITAL Nº. 17/2015 PROCESSO SELETIVO 2016/1 O Diretor Superintendente da Faculdade Autônoma de Direito FADISP, no uso de suas atribuições regimentais e em acordo com a Lei nº. 9394/1996 das Diretrizes

Leia mais

VESTIBULAR 2015 MANUAL DO CANDIDATO. História 1. CALENDÁRIO GERAL 2 2. CURSOS E VAGAS 3 3. ENDEREÇO/HORÁRIO DE ATENDIMENTO

VESTIBULAR 2015 MANUAL DO CANDIDATO. História 1. CALENDÁRIO GERAL 2 2. CURSOS E VAGAS 3 3. ENDEREÇO/HORÁRIO DE ATENDIMENTO VESTIBULAR 2015 História A Faculdade de Medicina do ABC com sede e foro na Cidade de Santo André, Estado de São Paulo, foi autorizada a funcionar pelo Decreto Federal N.64.062, de 05 de fevereiro de 1969

Leia mais

EDITAL Nº. 76/2013 PROCESSO SELETIVO 2014/1

EDITAL Nº. 76/2013 PROCESSO SELETIVO 2014/1 EDITAL Nº. 76/2013 PROCESSO SELETIVO 2014/1 O Diretor Superintendente da Faculdade Autônoma de Direito FADISP, no uso de suas atribuições regimentais e em acordo com a Lei nº. 9394/1996 das Diretrizes

Leia mais

EDITAL DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE PROFESSORES PARA O QUADRO DE CORPO DOCENTE DO CENTRO UNIVERSITÁRIO HERMINIO DA SILVEIRA - IBMR

EDITAL DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE PROFESSORES PARA O QUADRO DE CORPO DOCENTE DO CENTRO UNIVERSITÁRIO HERMINIO DA SILVEIRA - IBMR EDITAL DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE PROFESSORES PARA O QUADRO DE CORPO DOCENTE DO CENTRO UNIVERSITÁRIO HERMINIO DA SILVEIRA - IBMR A DIRETORA ACADÊMICA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO HERMÍNIO

Leia mais

PROCESSO SELETIVO N 001/2014 CONTRATAÇÃO DE JOVENS APRENDIZES

PROCESSO SELETIVO N 001/2014 CONTRATAÇÃO DE JOVENS APRENDIZES PROCESSO SELETIVO N 001/2014 CONTRATAÇÃO DE JOVENS APRENDIZES O Diretor Presidente da COMPANHIA DE DESENVOLVIMENTO DE PASSO FUNDO CODEPAS, no uso de suas atribuições legais, e conforme determina o art.

Leia mais

EDITAL DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE PROFESSORES PARA O QUADRO DE CORPO DOCENTE DO CENTRO UNIVERSITÁRIO HERMINIO DA SILVEIRA - IBMR

EDITAL DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE PROFESSORES PARA O QUADRO DE CORPO DOCENTE DO CENTRO UNIVERSITÁRIO HERMINIO DA SILVEIRA - IBMR EDITAL DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE PROFESSORES PARA O QUADRO DE CORPO DOCENTE DO CENTRO UNIVERSITÁRIO HERMINIO DA SILVEIRA - IBMR A DIRETORA ACADÊMICA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO HERMÍNIO

Leia mais

FACULDADE BATISTA DE MINAS GERAIS PROCESSO SELETIVO 1º SEMESTRE DE 2016 COMPROVANTE DE INSCRIÇÃO

FACULDADE BATISTA DE MINAS GERAIS PROCESSO SELETIVO 1º SEMESTRE DE 2016 COMPROVANTE DE INSCRIÇÃO FACULDADE BATISTA DE MINAS GERAIS PROCESSO SELETIVO 1º SEMESTRE DE 2016 COMPROVANTE DE INSCRIÇÃO CANDIDATO: IDENTIDADE: CURSO: ( ) ADMINISTRAÇÃO ( ) CIÊNCIAS CONTÁBEIS ( ) DIREITO ( ) TEOLOGIA ( ) TECNÓLOGO

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNISEB

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNISEB CENTRO UNIVERSITÁRIO UNISEB Dispõe sobre as normas referentes ao Processo Seletivo 2015, para o preenchimento de vagas para os cursos de graduação, na modalidade de Ensino Educação a Distância, do CENTRO

Leia mais

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2 SEMESTRE DE 2015 FACULDADE ÚNICA DE CONTAGEM

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2 SEMESTRE DE 2015 FACULDADE ÚNICA DE CONTAGEM EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2 SEMESTRE DE 2015 FACULDADE ÚNICA DE CONTAGEM COMISSÃO ORGANIZADORA Solange Fonseca Landéia Ávila Raquel Munis Suelen Gomes 2 SUMÁRIO 1 - CURSOS OFERECIDOS 04 2 - AGENDA DO

Leia mais

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2 SEMESTRE DE 2015 FACULDADE ÚNICA DE TIMÓTEO

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2 SEMESTRE DE 2015 FACULDADE ÚNICA DE TIMÓTEO EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2 SEMESTRE DE 2015 FACULDADE ÚNICA DE TIMÓTEO COMISSÃO ORGANIZADORA Eliane Assis Neves Júlio César Alvim Landéia Ávila Raquel Munis Suelen Gomes 2 SUMÁRIO 1 CURSOS OFERECIDOS

Leia mais

EDITAL N 002/2012 DG

EDITAL N 002/2012 DG EDITAL N 002/2012 DG O Diretor Geral da Faculdade Cidade Verde, no uso de suas atribuições regimentais, Considerando o disposto nas normas contidas no Regimento Interno da Faculdade Cidade Verde; TORNA

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 2016 / 1 Semestre

PROCESSO SELETIVO 2016 / 1 Semestre PROCESSO SELETIVO 2016 / 1 Semestre A Diretora Acadêmica do Centro Universitário Hermínio da Silveira - IBMR, no uso de suas atribuições legais e estatutárias, na conformidade do que dispõe a Legislação

Leia mais

Das 12 às 22horas (Segunda a Sexta) Das 8 às 11horas (Sábado) Internet www.unifafibe.com.br Até 24 de setembro de 2015

Das 12 às 22horas (Segunda a Sexta) Das 8 às 11horas (Sábado) Internet www.unifafibe.com.br Até 24 de setembro de 2015 Caro Estudante, A finalidade deste manual é oferecer aos candidatos as informações necessárias para uma boa preparação ao Processo Seletivo do. Além do calendário do Processo Seletivo, este manual traz

Leia mais

VESTIBULAR 2015.2 FACULDADE FARIAS BRITO FFB A FACULDADE DA QUALIDADE

VESTIBULAR 2015.2 FACULDADE FARIAS BRITO FFB A FACULDADE DA QUALIDADE EDITAL 05/2015 VESTIBULAR 2015.2 FACULDADE FARIAS BRITO FFB A FACULDADE DA QUALIDADE Faculdade Farias Brito FFB Rua Castro Monte, 1364 Varjota A Faculdade da Qualidade Sumário EDITAL Nº. 05/2015... 3 1.

Leia mais

Informações: Secretaria Acadêmica / Faculdade Catuaí Rua Bento Munhoz da Rocha Neto, nº 210

Informações: Secretaria Acadêmica / Faculdade Catuaí Rua Bento Munhoz da Rocha Neto, nº 210 MANUAL DO CANDIDATO Informações: Secretaria Acadêmica / Faculdade Catuaí Rua Bento Munhoz da Rocha Neto, nº 210 Telefones: (43) 3174-5454 ou 3174-5464 E-mail: secretaria@faculdadecatuai.com.br Horário:

Leia mais

INFORMATIVO DO CANDIDATO 2009

INFORMATIVO DO CANDIDATO 2009 INFORMATIVO DO CANDIDATO 2009 Seleção Pré Vestibular Gratuito da ONG Oficina de Cidadania 2009 A Origem A ONG Oficina de Cidadania funciona desde 1998 e agrega outros projetos, todos com ações visando

Leia mais

BREVE HISTÓRICO. Faculdade de Direito Damásio de Jesus Rua da Glória, 195 Liberdade São Paulo SP

BREVE HISTÓRICO. Faculdade de Direito Damásio de Jesus Rua da Glória, 195 Liberdade São Paulo SP BREVE HISTÓRICO Mais de 20 livros publicados e adotados como bibliografia fundamental em cursos de graduação; um Curso Preparatório para Carreiras Jurídicas que é referência no Brasil inteiro; o Patronato

Leia mais

Prezados Pais e Responsáveis,

Prezados Pais e Responsáveis, Prezados Pais e Responsáveis, Este manual contém informações sobre seleção e matrícula para novos alunos. Recebam nosso abraço de acolhida e nossos agradecimentos pela escolha do Lourenço Filho. Estejam

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DE SÃO BERNARDO DO CAMPO. EDITAL DE SELEÇÃO PARA TRANSFERÊNCIA Ano letivo de 2015

FACULDADE DE DIREITO DE SÃO BERNARDO DO CAMPO. EDITAL DE SELEÇÃO PARA TRANSFERÊNCIA Ano letivo de 2015 EDITAL DE SELEÇÃO PARA TRANSFERÊNCIA Ano letivo de 2015 O Diretor da Faculdade de Direito de São Bernardo do Campo torna público, para conhecimento dos interessados, que estarão abertas, no período de

Leia mais

CAMPANHA NACIONAL DE ESCOLAS DA COMUNIDADE

CAMPANHA NACIONAL DE ESCOLAS DA COMUNIDADE PROCESSO SELETIVO 2013/2 - Agendado Edital - Consolidado O Diretor da Faculdade Cenecista de Osório, com sede no município de Osório, Estado do Rio Grande do Sul, nos termos da Portaria nº 1.120 de 16

Leia mais

MANUAL DO CANDIDATO. VESTIBULAR 1º SEMESTRE / 2016 1ª Fase

MANUAL DO CANDIDATO. VESTIBULAR 1º SEMESTRE / 2016 1ª Fase MANUAL DO CANDIDATO VESTIBULAR 1º SEMESTRE / 2016 1ª Fase I - DAS DISPOSIÇÕES GERAIS 1 - O Processo Seletivo para candidatos aos cursos do primeiro semestre letivo do ano 2016 será composto de prova para

Leia mais

FACULDADE GUARAPUAVA CONCURSO VESTIBULAR DE INVERNO DE ARQUITETURA E URBANISMO 2014 EDITAL N. 010/2014 - DG/FG

FACULDADE GUARAPUAVA CONCURSO VESTIBULAR DE INVERNO DE ARQUITETURA E URBANISMO 2014 EDITAL N. 010/2014 - DG/FG FACULDADE GUARAPUAVA CONCURSO VESTIBULAR DE INVERNO DE ARQUITETURA E URBANISMO 2014 EDITAL N. 010/2014 - DG/FG A Faculdade Guarapuava (FG), mantida pela União de Ensino e Cultura de Guarapuava Ltda. (UNIGUA),

Leia mais

GRADUAÇÃO CIÊNCIAS CONTÁBEIS DENOMINAÇÃO: CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS

GRADUAÇÃO CIÊNCIAS CONTÁBEIS DENOMINAÇÃO: CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS GRADUAÇÃO CIÊNCIAS CONTÁBEIS CARACTERIZAÇÃO DO CURSO DENOMINAÇÃO: CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS DIPLOMA CONFERIDO: BACHAREL NÚMERO DE VAGAS: 100 VAGAS ANUAIS NÚMERO DE ALUNOS POR TURMA: 50 alunos

Leia mais

EDITAL 15 de 19 de março de 2013

EDITAL 15 de 19 de março de 2013 UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO EDITAL 15 de 19 de março de 2013 PROCESSO SELETIVO PARA REINGRESSO, TRANSFÊRENCIA INTERNA E EXTERNA PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA

Leia mais

EDITAL 01/2015 CONCURSO PARA PROGRAMA DE APRIMORAMENTO EM MEDICINA VETERINÁRIA

EDITAL 01/2015 CONCURSO PARA PROGRAMA DE APRIMORAMENTO EM MEDICINA VETERINÁRIA UNIÃO METROPOLITANA PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO E CULTURA FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E DA SAÚDE CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA PROGRAMA DE APRIMORAMENTO EM MEDICINA VETERINÁRIA EDITAL 01/2015

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO (BACHARELADO) Reconhecido pela Portaria MEC/SESu nº. 212 de 19/01/2011 - D.O.U. de 20/01/2011.

CURSO DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO (BACHARELADO) Reconhecido pela Portaria MEC/SESu nº. 212 de 19/01/2011 - D.O.U. de 20/01/2011. FACULDADE DECISION DE NEGÓCIOS Credenciada pela Portaria Ministerial nº. 1.591 de 15/09/2006, D.O.U. de 18/09/2006. Endereço: Av. Praia de Belas, 1510 Bairro Praia de Belas Porto Alegre, RS CURSO DE GRADUAÇÃO

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 2016-1º SEMESTRE Nº 008/2015

PROCESSO SELETIVO 2016-1º SEMESTRE Nº 008/2015 PROCESSO SELETIVO 2016-1º SEMESTRE Nº 008/2015 O Diretor da NOVA FACULDADE, Pablo Fernandes Bittencourt, faz saber aos interessados que estão abertas as inscrições para o Processo Seletivo do 1º Semestre

Leia mais

EDITAL Nº 20/2015 DE PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO NOS CURSOS OFERTADOS PELA FACULDADE PAULUS DE TECNOLOGIA E COMUNICAÇÃO FAPCOM

EDITAL Nº 20/2015 DE PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO NOS CURSOS OFERTADOS PELA FACULDADE PAULUS DE TECNOLOGIA E COMUNICAÇÃO FAPCOM EDITAL Nº 20/2015 DE PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO NOS CURSOS OFERTADOS PELA FACULDADE PAULUS DE TECNOLOGIA E COMUNICAÇÃO FAPCOM A Faculdade Paulus de Tecnologia e Comunicação- FAPCOM, credenciada pela

Leia mais

UPIS - UNIÃO PIONEIRA DE INTEGRAÇÃO SOCIAL ATO EDITAL N.º 133/2015

UPIS - UNIÃO PIONEIRA DE INTEGRAÇÃO SOCIAL ATO EDITAL N.º 133/2015 UPIS - UNIÃO PIONEIRA DE INTEGRAÇÃO SOCIAL ATO EDITAL N.º 133/2015 O Coordenador-Geral da Comissão Permanente de Concurso das Faculdades Integradas da UPIS torna públicas as condições do concurso para

Leia mais

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS SUPERIORES DE GRADUAÇÃO NA MODALIDADE A DISTÂNCIA - 2º SEMESTRE 2015

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS SUPERIORES DE GRADUAÇÃO NA MODALIDADE A DISTÂNCIA - 2º SEMESTRE 2015 EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS SUPERIORES DE GRADUAÇÃO NA MODALIDADE A DISTÂNCIA - 2º SEMESTRE 2015 PORTARIA N.º 015 - Reitoria da UNOESTE, de 01 de julho de 2015 A Reitora da Universidade do Oeste

Leia mais

EDITAL DO VESTIBULAR UNIFESP/EPM 2004

EDITAL DO VESTIBULAR UNIFESP/EPM 2004 EDITAL DO VESTIBULAR UNIFESP/EPM 2004 O REITOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO/ESCOLA PAULISTA DE MEDICINA (Unifesp/EPM), no uso de suas atribuições legais e tendo em vista o aprovado pelo Conselho

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE TERESINA PMT SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO E RECURSOS HUMANOS SEMA

PREFEITURA MUNICIPAL DE TERESINA PMT SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO E RECURSOS HUMANOS SEMA 0 PREFEITURA MUNICIPAL DE TERESINA PMT SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO E RECURSOS HUMANOS SEMA EDITAL DE SELEÇÃO PARA BOLSAS DO PROGRAMA SERVIDOR UNIVERSITÁRIO 2011 A Secretaria Municipal de Administração

Leia mais

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE ALÉM PARAÍBA Credenciada pelo Decreto Federal nº 78709, de 10/11/1976, DOU DE 11/11/1976

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE ALÉM PARAÍBA Credenciada pelo Decreto Federal nº 78709, de 10/11/1976, DOU DE 11/11/1976 FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE ALÉM PARAÍBA Credenciada pelo Decreto Federal nº 78709, de 10/11/1976, DOU DE 11/11/1976 EDITAL 2011 PROCESSO SELETIVO ISECC 2011 2º SEMESTRE 2 O Presidente da Fundação Educacional

Leia mais

FACULDADES SENAC PROCESSO SELETIVO UNIFICADO 1º SEMESTRE/2016 ANEXO I

FACULDADES SENAC PROCESSO SELETIVO UNIFICADO 1º SEMESTRE/2016 ANEXO I ANEXO I As Faculdades Senac Minas, com o intuito de atender às diversas demandas, oferece à comunidade dois processos vestibular: o vestibular e o vestibular agendado. Ambos os processos buscam selecionar

Leia mais