Unidade I TÓPICOS ESPECIAIS DE. Prof. Flavio Martin

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Unidade I TÓPICOS ESPECIAIS DE. Prof. Flavio Martin"

Transcrição

1 Unidade I TÓPICOS ESPECIAIS DE ADMINISTRAÇÃO Prof. Flavio Martin

2 Objetivos Esta disciplina aborda o tema do e- commerce: Ambiente de negócios eletrônicos Comércio eletrônico Estratégia de marketing na internet Vantagem competitiva Pressupostos para vender pela internet Comunicação e interatividade Web sites Atributos para atrair e reter clientes Fatores críticos para o modelo de comércio eletrônico

3 Negócios eletrônicos Antes de falar de e-commerce, vamos definir Negócios Eletrônicos. E-business/ Negócios Eletrônicos é o conjunto de todos os processos internos do negócio, como: Produção, Administração de riscos, Finanças, Desenvolvimento de estratégias, Administração do conhecimento Recursos humanos Comércio eletrônico (e-commerce)...utilizando o ambiente eletrônico.

4 Negócios eletrônicos Ou seja, o termo Negócios Eletrônicos abrange todos os itens da cadeia de valor em um ambiente eletrônico. Exemplos: Sites de bancos Portais de compras Site da Receita Federal UNIP Interativa

5 Negócios eletrônicos Segundo Breternitz (2005): E-business, ou negócio eletrônico, pode ser entendido como o uso da Internet por uma organização para alterar seus processos, com o objetivo de aumentar o alcance e a riqueza das relações com os clientes, empregados, fornecedores, parceiros e comunidade.

6 Negócios eletrônicos Takahashi (2000) divide o ambiente de NE em sete possíveis aplicações: Government-to-Government (Governo a Governo G2G) Business-to-Government (Negócio a Governo B2G) Government-to-Consumer (Governo a Consumidor G2C) Business-to-Consumer (Negócio a Consumidor B2C) Business-to-Business (Negócio a Negócio B2B) Business-to-Employees (Negócio a Funcionários B2E) Consumer-to-Consumer (Consumidor a Consumidor C2C)

7 Negócios eletrônicos Government-to-Government (Governo a Governo G2G): Permite a integração e o acesso a informações entre governos nas esferas federal, estadual e municipal Exemplo: Ministério da Fazenda (http://www.fazenda.gov.br) permite consulta e liberação de verbas de prefeituras

8 Negócios eletrônicos Business-to-Government (Negócio a Governo B2G): Faz a integração entre empresas do setor privado e os governos e vice-versa. Exemplos: Comprasnet (www.comprasnet.gov.br), que viabiliza as compras feitas pelo Governo Federal Receita Federal (http://www.receita.fazenda.gov.br) permite emitir certidões de regularidade de impostos Esferas: Federal, Estadual e Municipal

9 Negócios eletrônicos Government-to-Consumer (Governo a Consumidor G2C): Faz a integração entre o governo e a população em geral. Exemplos: Receita Federal (http://www.receita.fazenda.gov.br) permite preencher e enviar declaração do imposto de renda SPTrans (http://www.sptrans.com.br) permite consultar código de obras, itinerário de ônibus etc Esferas: Federal, Estadual e Municipal

10 Negócios eletrônicos Business-to-Consumer (Negócio a Consumidor B2C): Modelo praticado entre empresas e consumidores Exemplos: Submarino (www.submarino.com.br) vende produtos Nestlé (www.nestle.com.br) mostra produtos, divulga receitas, apresenta promoções etc Nem sempre é venda de produtos!

11 Negócios eletrônicos Business-to-Business (Negócio a Negócio B2B): Integra o relacionamento entre empresas Exemplos: Korpex (www.korpex.com.br) vende produtos de escritório para empresas IBM (www.ibm.com.br) mostra produtos e soluções corporativas, permite downloads de softwares para empresas etc Nem sempre é venda de produtos!

12 Negócios eletrônicos Business-to-Employees (Negócio a Funcionários B2E): Viabiliza o acesso e a troca de informações entre a empresa e seus funcionários Exemplos: UNIP (www.unip.br) permite que professores lancem faltas e notas, consultem o holerith etc IBM (www.ibm.com.br) br) permite que funcionários consultem holerith, vendedores consultem detalhes técnicos de produtos etc

13 Negócios eletrônicos Consumer-to-Consumer (Consumidor a Consumidor C2C): Possibilita o acesso entre pessoas físicas em transações de compra e venda. Exemplos: Mercado Livre (www.mercadolivre.com.br) permite que pessoas físicas anunciem e vendam produtos usados ebay (www.ebay.com) permite que que pessoas físicas anunciem e vendam produtos usados

14 Negócios eletrônicos Prestação de serviços: e-auction: leilões eletrônicos e-banking: serviços bancários e-directorie: listas telefônicas e-gambling: cassinos eletrônicos e-learning: ensino a distância e-trade: bolsas de valores e-procurement: fornecedores

15 Negócios eletrônicos Aplicações em gerenciamento da informação: Inteligência de Negócios (BI ou Business Intelligence): sistemas de informações gerenciais Gerenciamento do Conhecimento (KM / Knowledge Management): gerenciamento do capital intelectual Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos (SCM ou Supply Chain Management): integração da rede de suprimentos

16 Negócios eletrônicos Aplicações em gerenciamento da informação (cont): Gerenciamento do Relacionamento com Consumidores (CRM Customer Relationship Management): gerenciamento de clientes Resposta Eficiente aos Consumidores (ECR ou Efficient Consumer Response): integração de fabricantes e consumidores

17 Interatividade Qual das alternativas é falsa? a) O termo Negócios Eletrônicos abrange todos os itens da cadeia de valor em um ambiente eletrônico. b) Sites de bancos são um exemplo de Negócios Eletrônicos de e-banking c) B2G faz a integração entre o governo e a população em geral d) UNIP Interativa é um exemplo de Negócios Eletrônicos de e-learning e) Inteligência de Negócios (BI ou Business Intelligence) é uma das aplicações em gerenciamento da informação de Negócios Eletrônicos

18 Comércio eletrônico Comércio eletrônico é uma das aplicações de Negócios eletrônicos Segundo Limeira (2003), é a realização de negócios por meio da Internet, incluindo a venda de produtos e serviços físicos, entregues on-line, nos segmentos de mercado consumidor, empresarial e governamental.

19 Modelos de negócios em Comércio eletrônico Storefront Model: modelo mais comum Catálogo on-line Shopping-cart / carrinho de compras Recebimento do pedido, Formas seguras de pagamento, Comunicação com o cliente Gerenciamento das informações A receita vem das margens de venda

20 Modelos de negócios em Comércio eletrônico On-line Shopping Malls: centros de compras que reúnem várias lojas que dividem o mesmo Shopping-cart Meios de pagamento É um shopping center com carrinho de compras e caixa únicos A receita vem do aluguel do espaço virtual com os serviços descritos

21 Modelos de negócios em Comércio eletrônico Auction Model (o e-auction já descrito anteriormente): leilão que expõe um produto por um determinado tempo e recebe lances A receita vem da comissão do leiloeiro

22 Modelos de negócios em Comércio eletrônico Portal: web site que comporta uma enorme variedade de serviços e diferentes conteúdos, inclusive vários tipos de lojas eletrônicas A receita vem de anúncios e aluguel dos espaços para sites

23 Modelos de negócios em Comércio eletrônico Peer-to-peer (C2C já descrito anteriormente): transações diretas entre duas partes, normalmente pessoas físicas. A receita vem da comissão sobre a venda

24 Precificação em Comércio eletrônico Name-Your-Price Model (ou faça o seu preço): o preço é ajustado pelo valor percebido, ou seja, neste caso, o consumidor faz uma oferta do preço a ser pago. Comparação de Preços: permite comparação de preços de um produto entre várias lojas eletrônicas associadas. Modelo de Preço Sensível à Demanda: o preço é ajustado pelo volume da demanda. À medida que mais compradores compram, maior é o desconto.

25 Precificação em Comércio eletrônico Bartering Model ou Modelo de Barganha: pessoas e organizações colocam à disposição do mercado produtos e serviços para permuta. Modelo de Descontos ou Rebates: produtos com descontos. Esse modelo pode ainda ser praticado em lojas eletrônicas que utilizam a oferta de descontos em alguns produtos como chamariz para tráfego na loja. O objetivo é fazer o consumidor entrar na loja e adquirir também outros produtos que estão sendo vendidos a preços regulares.

26 Precificação em Comércio eletrônico Oferta de produtos e serviços gratuitos: sites comerciais que oferecem serviços gratuitos ao internauta, como conteúdo e downloads. A receita desse tipo de negócio vem das empresas que pagam para estar em posição de destaque nos resultados de busca.

27 Precificação em Comércio eletrônico Outra fonte de receita é a venda de informações sobre segmentação de clientes (por perfil, hábitos de compra, etc.) Cookies permitem o rastreamento do internauta. São considerados por alguns como invasão de privacidade

28 Interatividade Na precificação em comércio eletrônico, qual é o nome do modelo em que pessoas e organizações colocam à disposição produtos e serviços para permuta? a) Bartering Model ou Modelo de Barganha b) Name-Your-Price Model (ou faça o seu preço) c) Comparação de Preços d) Modelo de Preço Sensível à Demanda e) Modelo de Descontos ou Rebates

29 Estratégia de marketing na internet Ibope/Nielsen: 67,5 milhões de pessoas no Brasil com acesso à Internet em dezembro de Benefícios do marketing na internet: Execução padronizada dos serviços: não há interpretações de como executar um serviço, portanto será a mesma todas as vezes Baixo custo: o custo da interação pessoal é maior que o custo da interação eletrônica Ampla distribuição: é possível a interação com mais de um usuário simultaneamente

30 Estratégia de marketing na internet Benefícios do marketing na internet (cont): Customização: o cliente pode escolher a configuração do produto Rápido retorno do cliente: permite maior agilidade no conhecimento sobre a satisfação do cliente e na resposta que for necessária

31 Estratégia de marketing na internet Aspectos a considerar na Estratégia Interação pessoal: como o internauta interage e como a organização gerencia a interação Nível de atividade Pessoas pulam de um site para outro. O site deve incentivar uma ação. Customização padronizada O atendimento deve ser pessoal mas com processos-padrão. padrão. Aumento da competição Baseado em preço - Buscapé Baseado em market-share ampliação geográfica

32 Estratégia de marketing na internet Aspectos a considerar na Estratégia (cont.) Dificuldade de uso navegação complexa gera frustação/ abandono Preocupação com segurança pessoas podem evitar comprar se não se sentirem seguras nos procedimentos (imagem do site).

33 Negócios eletrônicos e vantagem competitiva As características da Internet podem melhorar a comunicação entre os componentes da cadeia de valor Incorporar a Internet às atividades regulares de uma empresa é complexo: Definição de atividades e processos Interligação e subordinação tradicional/ internet Atribuição de responsabilidades Estabelecimento de pontos de comunicação que eliminem atritos Definição de operações 24x7

34 Negócios eletrônicos e vantagem competitiva Na Internet, o cliente está distante da força de vendas das organizações e age solitariamente: ele está a um clique da concorrência A atuação das organizações deixa de ser local e pode atingir qualquer ponto do planeta. A interação cliente-empresa deixa de ser pessoal. Físico: vendedores experientes podem melhorar a oferta, aumentar o ticket, oferecer alternativas etc. Virtual: depende de tecnologia

35 Negócios eletrônicos e vantagem competitiva Os estudos mostram que as operações na Internet devem estar alinhadas e integradas às operações tradicionais. Exemplo de varejo físico e online: Compartilham processos de compras, controle de estoque, entrega, meios de pagamento etc Loja física pode ter menos produtos em demonstração vendedor acessa site no atendimento ao cliente Loja online permite agendar demonstração em loja física Municípios menores são atendidos online

36 Negócios eletrônicos e vantagem competitiva Os benefícios para se fazer negócios na web provém do grande número de compradores e vendedores sobre base automatizada Ampliam as alternativas para os compradores Permitem aos vendedores o acesso a novos consumidores Reduzem custos de transação Têm o poder de escala com um investimento adicional mínimo e projetar margens atraentes à medida que o mercado cresce.

37 Negócios eletrônicos e vantagem competitiva Segundo Porter (2001) A Internet não representa uma quebra com o passado, ao contrário, é o mais recente estágio na evolução da tecnologia da informação A questão-chave não é se devemos utilizar a tecnologia da Internet as companhias não têm escolha se quiserem se manter competitivas, mas como utilizá-la.

38 Negócios eletrônicos e vantagem competitiva Quatro fontes de criação de valor segundo Amit & Zott (2001) 1. Eficiência: Reduz a assimetria de informação e de custos nas negociações Melhora o desempenho das transações ao permitir decisões mais rápidas (informações de qualidade) Redução de custos de distribuição e de estoques Simplificação das transações

39 Negócios eletrônicos e vantagem competitiva Quatro fontes de criação de valor segundo Amit & Zott (2001) 2. Complementaridades: Oferecer conjuntos de produtos traz mais valor que oferecer itens separados. Aproveitar complementaridades pela integração da cadeia de suprimentos e entre tecnologias.

40 Negócios eletrônicos e vantagem competitiva Quatro fontes de criação de valor segundo Amit & Zott (2001) 3. Aprisionamento: Motivar o engajamento dos clientes em repetidas transações aumenta o valor percebido a cada transação

41 Negócios eletrônicos e vantagem competitiva Quatro fontes de criação de valor segundo Amit & Zott (2001) 4. Novidade: Criar inovações no modelo de negócios, na interface, na oferta de produtos, na estrutura de transações etc.

42 Interatividade Qual das alternativas é falsa? a) A padronização dos procedimentos no site não permite a customização do atendimento ao cliente b) A estratégia da empresa na Internet deve levar em conta o aumento da competição c) A interação cliente-empresa deixa de ser pessoal d) Fazer negócios na internet pode reduzir custos de transação e) Motivar os clientes a repetir transações aumenta o valor percebido a cada transação

43 Pressupostos para vender pela internet Para Franco (2005), no mundo físico a função comercial está fortemente restrita ao tempo e ao espaço. Tempo: não são todas as lojas físicas que ficam abertas 24x7 (custos, segurança etc) Espaço: uma loja real tem um limite físico para estocar/ expor produtos.

44 Pressupostos para vender pela internet No comércio eletrônico é possível: Vender um número extremamente alto de itens Administrar estoques em lugares diversos Operar em 24x7 com baixo custo e boa segurança Implementar inovações como a - conta corrente virtual que permite ao cliente cancelar sua viagem até 24 horas antes do embarque, receber o seu crédito integralmente e utilizá-lo a qualquer momento.

45 Pressupostos para vender pela internet Assim, os pressupostos são: O processo de compra e venda deve ser o mais fácil possível para o cliente; É necessário que o cliente perceba o valor agregado em sua compra pela Internet; É necessário criar mecanismos que permitam ao cliente personalizar o seu produto ou serviço de maneira simples O CE deve aumentar o poder de venda de uma empresa (produtividade) O CE deve, além de vender, poder auxiliar na melhoria do gerenciamento das equipes de vendas.

46 Comunicação de marketing e interatividade A comunicação de marketing na Internet mantém as mesmas funções que no mundo físico, com o mesmo conjunto de ações integradas: Posicionamento da marca Envio de mensagem única, consistente, compreensível e convincente Construção de imagem de marca Oferta de informações e incentivos Geração de atitudes favoráveis para as iniciativas da empresa.

47 Comunicação de marketing e interatividade Antes da Internet, a comunicação de marketing era padronizada para um grande número de pessoas. No ambiente eletrônico, o cliente abandona o comportamento passivo e começa a poder interagir com a empresa. A comunicação precisa ser interativa. Assim como no meio físico, é preciso: Comunicação regular Informação de qualidade Adequação ao público-alvo.

48 Comunicação de marketing e interatividade Fator importante 1: Mecanismos de busca Permitem o site ser localizado Cadastramento da URL em sites de busca como o Google, Bing e Yahoo! O cadastramento da loja eletrônica deve obedecer a algumas regras para rápida visibilidade nos resultados das pesquisas. Palavras-chave caracterizarão a loja eletrônica e a categoria à qual pertencerá. É importante obter uma boa posição na lista de resultados do mecanismo de busca

49 Comunicação de marketing e interatividade Fator importante 2: Comunicação Integrada A uniformidade da marca por todos os canais de contato com os clientes é vital para gerar o seu reconhecimento Se de um lado a Internet facilita a expansão da marca, também permite: Disseminação de opiniões negativas. Uso não autorizado de marcas Para impedir esse tipo de ação, muitas empresas contratam serviços de rastreamento pela rede para monitorar notícias e procurar usos indevidos da marca.

50 Comunicação de marketing e interatividade Fator importante 2: Comunicação Integrada Aspectos de propaganda Off-line: publicação da URL (endereço eletrônico do web site) em anúncios, cartões de visita, outdoors, painéis e outros tipos de mídia do mundo físico Exemplo: procure anúncios em revistas e verá que várias empresas acrescentam o endereço do site

51 Comunicação de marketing e interatividade Fator importante 2: Comunicação Integrada Aspectos de propaganda On-line Banner: propaganda paga que atrai usuários para um site via link. Há várias formas de comercialização e de exibição. A apresentação é a impressão. O redirecionamento ao clicar é chamado de click through.. A taxa de click throughs mede o número de vezes que alguém clicou no banner sobre o total de vezes que o mesmo foi exibido No Brasil, varia de 0,1% a 1%

52 Comunicação de marketing e interatividade Fator importante 2: Comunicação Integrada Aspectos de propaganda On-line (cont.) Outros tipos: in-stream ads, floater, hot site, sponsoring (patrocínio), pop-up etc. Qualquer que seja o tipo, a propaganda pode ser medida com precisão: número exato de pessoas que viram e que clicaram no banner, de qual provedor veio o maior número de cliques, de qual cidade, em qual horário etc

53 Comunicação de marketing e interatividade Fator importante 2: Comunicação Integrada Aspectos de marketing direto marketing Comunicação por Inclusão no banco de dados deve ser consentida (permission marketing) Opt in Sim, eu quero... Opt out Sim, eu quero... Podem ser personalizadas e enriquecidas com áudio, vídeo e computação gráfica Podem remeter a um site / hotsite A prática excessiva diminui a efetividade (reputação) Cuidado com SPAM

54 Comunicação de marketing e interatividade Fator importante 2: Comunicação Integrada Aspectos de programas de fidelização Programas de recompensas/ milhagem Clubes de aficionados Etc

55 Reflexões finais A internet em suas várias formas de acesso é tanto meio para negócios quanto meio de comunicação Pesquise mais: Portais formatos de anúncios Sites de busca regras para eficiência Sites de concorrentes abordagens Sites de fornecedores novidades Sites de distribuidores - oportunidades

56 Interatividade O que é Opt in e Opt out? a) Mecanismos de busca tipo Google b) Opções de mídia (TV, rádio) na web c) Opções de escolha de adesão ao banco de dados de um site que seguem padrões éticos d) Cálculo do número exato de pessoas que viram e que clicaram no banner e) Tipos de Programas de fidelização

57 ATÉ A PRÓXIMA!

CLASSIFICAÇÃO DE UM COMÉRCIO ELETRÔNICO

CLASSIFICAÇÃO DE UM COMÉRCIO ELETRÔNICO CLASSIFICAÇÃO DE UM COMÉRCIO ELETRÔNICO Classificação dos Tipos de CE Consumidor Empresa Governo Consumidor Empresa Governo CLASSIFICAÇÃO DO CE Business-to-business (empresa-empresa - B2B): Modelo de CE

Leia mais

A empresa digital: comércio e negócios eletrônicos

A empresa digital: comércio e negócios eletrônicos Universidade Federal do Vale do São Francisco Curso de Administração Tecnologia e Sistemas de Informação - 06 Prof. Jorge Cavalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br www.univasf.edu.br/~jorge.cavalcanti

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO DE UM COMÉRCIO ELETRÔNICO

CLASSIFICAÇÃO DE UM COMÉRCIO ELETRÔNICO CLASSIFICAÇÃO DE UM COMÉRCIO ELETRÔNICO Classificação dos Tipos de CE Consumidor Empresa Governo Consumidor Empresa Governo CLASSIFICAÇÃO DO CE Business-to-business (empresa-empresa - B2B): Modelo de CE

Leia mais

Comércio eletrônico 05/05/15. Objetivos de estudo. Qual o papel do e- commerce nos negócios e quais as aplicações mais importantes?

Comércio eletrônico 05/05/15. Objetivos de estudo. Qual o papel do e- commerce nos negócios e quais as aplicações mais importantes? Escola Superior de Gestão e Tecnologia Comércio eletrônico Mercados digitais, mercadorias digitais Prof. Marcelo Mar3ns da Silva Objetivos de estudo Qual o papel do e- commerce nos negócios e quais as

Leia mais

Sistemas web e comércio eletrônico. Aula 02 Arquiteturas de comércio eletrônico

Sistemas web e comércio eletrônico. Aula 02 Arquiteturas de comércio eletrônico Sistemas web e comércio eletrônico Aula 02 Arquiteturas de comércio eletrônico Tópicos abordados Arquitetura do e-commerce Aspectos importantes do e-commerce Modelos de negócios Identificação do modelo

Leia mais

Tecnologia e Sistemas de Informações Empresa Digital

Tecnologia e Sistemas de Informações Empresa Digital Universidade Federal do Vale do São Francisco Tecnologia e Sistemas de Informações Empresa Digital Prof. Ricardo Argenton Ramos Aula 7 Desafios para a Administração Comercio eletrônico e negócios eletrônicos

Leia mais

Os novos usos da tecnologia da informação na empresa

Os novos usos da tecnologia da informação na empresa Os novos usos da tecnologia da informação na empresa Internet promoveu: Transformação Novos padrões de funcionamento Novas formas de comercialização. O maior exemplo desta transformação é o E- Business

Leia mais

Comércio Eletrônico. Comércio Eletrônico. Grau de digitalização. Caracteriza-se Comércio eletrônico pelo grau de digitalização:

Comércio Eletrônico. Comércio Eletrônico. Grau de digitalização. Caracteriza-se Comércio eletrônico pelo grau de digitalização: Comércio Eletrônico FTS Faculdade Taboão da Serra Curso de Administração de Sistemas de Informações Disciplina: Comércio Eletrônico Comércio Eletrônico Caracteriza-se Comércio eletrônico pelo grau de digitalização:

Leia mais

Comparativo entre os meios de comunicação para atingir 50 milhões de usuários

Comparativo entre os meios de comunicação para atingir 50 milhões de usuários Comparativo entre os meios de comunicação para atingir 50 milhões de usuários Fonte: TAKAHASHI, 2000; VEJA ONLINE, 2006 Definições de comércio eletrônico/e-business E - BUSINESS, acrônimo do termo em

Leia mais

Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 4.1

Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 4.1 Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 4.1 4 OBJETIVOS OBJETIVOS A EMPRESA DIGITAL: COMÉRCIO E NEGÓCIOS ELETRÔNICOS Como a tecnologia de Internet mudou propostas de valor e modelos de negócios

Leia mais

Tópicos Especiais de Administração

Tópicos Especiais de Administração Tópicos Especiais de Administração Professora conteudista: Cláudia Ferretto Palladino Sumário Tópicos Especiais de Administração Unidade I 1 AMBIENTE DE NEGÓCIOS ELETRÔNICOS...1 2 COMÉRCIO ELETRÔNICO...6

Leia mais

Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE. Prof. Luís Rodolfo

Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE. Prof. Luís Rodolfo Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Luís Rodolfo Vantagens e desvantagens de uma rede para a organização Maior agilidade com o uso intenso de redes de computadores; Grandes interações

Leia mais

II. Visão Geral do e-business

II. Visão Geral do e-business II. Visão Geral do e-business 1. e-commerce X e-business 2. Vantagens do e-business 3.Problemas na Internet 4. Tipos de e-business 5. Categorias de e-business 6. Ferramentas de Comércio Eletrônico 7. Dimensões

Leia mais

O comércio eletrônico (CE) é, basicamente, a realização de transações empresariais vida rede de telecomunicações, especialmente a Internet.

O comércio eletrônico (CE) é, basicamente, a realização de transações empresariais vida rede de telecomunicações, especialmente a Internet. E-commerce Prof Marcus Regenold Disciplina Negócios pela Internet O comércio eletrônico (CE) é, basicamente, a realização de transações empresariais vida rede de telecomunicações, especialmente a Internet.

Leia mais

Comércio eletrônico: mercados digitais, mercadorias digitais. slide 1

Comércio eletrônico: mercados digitais, mercadorias digitais. slide 1 Comércio eletrônico: mercados digitais, mercadorias digitais slide 1 Nexon Games: o comércio eletrônico torna-se social Problema: concorrência com outras empresas de jogos on-line e off-line; aumentar

Leia mais

Poucas inovações na história da humanidade reúnem tantos benefícios potenciais quanto o Comércio Eletrônico (também conhecido como e-commerce).

Poucas inovações na história da humanidade reúnem tantos benefícios potenciais quanto o Comércio Eletrônico (também conhecido como e-commerce). Poucas inovações na história da humanidade reúnem tantos benefícios potenciais quanto o Comércio Eletrônico (também conhecido como e-commerce). A natureza global da tecnologia, a oportunidade de atingir

Leia mais

E-Business. Parte 2. Prof. Marcílio Oliveira marcilio.oliveira@gmail.com

E-Business. Parte 2. Prof. Marcílio Oliveira marcilio.oliveira@gmail.com Parte 2 Prof. Marcílio Oliveira marcilio.oliveira@gmail.com As dimensões do E-Commerce (Comércio Eletrônico). SCM - Supply Chain Management (Gerenciamento de Cadeia de Fornecimento) ERP - Enterprise Resourse

Leia mais

A EMPRESA DIGITAL: COMÉRCIO E ELETRÔNICOS

A EMPRESA DIGITAL: COMÉRCIO E ELETRÔNICOS Capítulo 4 A EMPRESA DIGITAL: COMÉRCIO E NEGÓCIOS ELETRÔNICOS 4.1 2003 by Prentice Hall OBJETIVOS Como a tecnologia de Internet mudou propostas de valor e modelos de negócios? O que é comércio eletrônico?

Leia mais

Fundamentos do Comércio Eletrônico

Fundamentos do Comércio Eletrônico Administração e Finanças Uniban Notas de Aula Comércio (e-commerce) Prof. Amorim Fundamentos do Comércio Comércio Mais do que a mera compra e venda de produtos on-line. Engloba o processo on-line inteiro:

Leia mais

E-commerce Fundamentos

E-commerce Fundamentos E-commerce Fundamentos Flávio Augusto Martins Wanderley Professor flavio@mwan.com.br 1 / 65 Conteúdo desta aula Conceitos. Evolução do comércio eletrônico. Modalidades. O que vem no futuro. 2 / 65 Conceito

Leia mais

A EMPRESA DIGITAL: COMÉRCIO E NEGÓCIOS ELETRÔNICOS

A EMPRESA DIGITAL: COMÉRCIO E NEGÓCIOS ELETRÔNICOS A EMPRESA DIGITAL: COMÉRCIO E NEGÓCIOS ELETRÔNICOS 1 OBJETIVOS 1. Como a tecnologia de Internet mudou propostas de valor e modelos de negócios? 2. O que é comércio eletrônico?? Como esse tipo de comércio

Leia mais

*Todos os direitos reservados.

*Todos os direitos reservados. *Todos os direitos reservados. A cada ano, as grandes empresas de tecnologia criam novas ferramentas Para o novo mundo digital. Sempre temos que nos renovar para novas tecnologias, a Karmake está preparada.

Leia mais

SISTEMAS PARA INTERNET

SISTEMAS PARA INTERNET Unidade II SISTEMAS PARA INTERNET E SOFTWARE LIVRE Prof. Emanuel Matos Sumário Unidade II Comércio Eletrônico Tecnologia de Comércio Eletrônico Categorias do Comércio Eletrônico M-commerce Comércio eletrônico

Leia mais

E-BUSINESS AGENDA. Profª. Kelly Hannel

E-BUSINESS AGENDA. Profª. Kelly Hannel E-BUSINESS Profª. Kelly Hannel AGENDA Evolução da internet nos negócios Conceitos de E-BUSINESS e COMÉRCIO ELETRÔNICO Identificando tendências do E-BUSINESS Quadro das interações possíveis no meio eletrônico

Leia mais

SISTEMAS DE NEGÓCIOS. a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS

SISTEMAS DE NEGÓCIOS. a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS 1 SISTEMAS DE NEGÓCIOS a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS 1. COLABORAÇÃO NAS EMPRESAS Os sistemas colaborativos nas empresas nos oferecem ferramentas para nos ajudar a colaborar, comunicando idéias, compartilhando

Leia mais

Prof. Jean Cavaleiro. Unidade I LOGÍSTICA INTEGRADA:

Prof. Jean Cavaleiro. Unidade I LOGÍSTICA INTEGRADA: Prof. Jean Cavaleiro Unidade I LOGÍSTICA INTEGRADA: PRODUÇÃO E COMÉRCIO Introdução Entender a integração logística. A relação produção e demanda. Distribuição e demanda. Desenvolver visão sistêmica para

Leia mais

Estudo de Web Marketing para a Prova NP1 Dia da prova: 07/10/2011

Estudo de Web Marketing para a Prova NP1 Dia da prova: 07/10/2011 Curso de Marketing Disciplina: Web Marketing Professor: Roberto Marcello Estudo de Web Marketing para a Prova NP1 Dia da prova: 07/10/2011 Web Marketing Web Marketing é qualquer esforço promocional realizado

Leia mais

COMÉRCIO ELETRÔNICO UM BREVE HISTÓRICO

COMÉRCIO ELETRÔNICO UM BREVE HISTÓRICO UM BREVE HISTÓRICO COMÉRCIO ELETRÔNICO O comércio sempre existiu desde que surgiram as sociedades. Ele é dito como o processo de comprar, vender e trocar produtos e serviços. Inicialmente praticado pelos

Leia mais

Prof. Cláudio Conceitos e-commerce PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

Prof. Cláudio Conceitos e-commerce PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Cláudio Conceitos e-commerce PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Intranet e Extranet Rede privada baseada na mesma tecnologia utilizada na internet, sendo sua única diferença o objetivo por trás

Leia mais

Aula 7 Aplicações e questões do Comércio Eletrônico.

Aula 7 Aplicações e questões do Comércio Eletrônico. Aula 7 Aplicações e questões do Comércio Eletrônico. TENDÊNCIAS NO COMÉRCIO ELETRÔNICO Atualmente, muitos negócios são realizados de forma eletrônica não sendo necessário sair de casa para fazer compras

Leia mais

Objetivos. Universo. Transformação. Administração 10/10/2012. Entender as definições de e-business e e- commerce;

Objetivos. Universo. Transformação. Administração 10/10/2012. Entender as definições de e-business e e- commerce; Objetivos Administração Profª Natacha Pouget Módulo: Gestão de Inovação e Ativos Intangíveis Tema da Aula: E-Business e Tecnologia da Informação I Entender as definições de e-business e e- commerce; Conhecer

Leia mais

Comércio Eletrônico FTC FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS ADMINISTRAÇÃO IV SEMESTRE

Comércio Eletrônico FTC FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS ADMINISTRAÇÃO IV SEMESTRE Comércio Eletrônico FTC FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS ADMINISTRAÇÃO IV SEMESTRE Definição Toda atividade de compra e venda realizada com recursos eletrônicos; Uso de mecanismos eletrônicos para a

Leia mais

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida Unidade IV MERCADOLOGIA Profº. Roberto Almeida Conteúdo Aula 4: Marketing de Relacionamento A Evolução do Marketing E-marketing A Internet como ferramenta As novas regras de Mercado A Nova Era da Economia

Leia mais

Capítulo 3 Sistemas de E-Commerce

Capítulo 3 Sistemas de E-Commerce Capítulo 3 Sistemas de E-Commerce 3.1 Fundamentos do Comércio Eletrônico Introdução O comércio eletrônico é mais do que a mera compra e venda de produtos online. Em lugar disso, ele engloba o processo

Leia mais

10. Defina Sistemas Distribuídos: Um conjunto de computadores independentes que se apresenta a seus usuários como um sistema único e coerente

10. Defina Sistemas Distribuídos: Um conjunto de computadores independentes que se apresenta a seus usuários como um sistema único e coerente 1. Quais os componentes de um sistema cliente-servidor? Clientes e servidores 2. Na visão do hardware, defina o que é cliente e o que é servidor: Clientes. Qualquer computador conectado ao sistema via

Leia mais

O QUE PRECISAMOS SABER PARA IMPLANTAR UM COMÉRCIO ELETRÔNICO BEM SUCEDIDO

O QUE PRECISAMOS SABER PARA IMPLANTAR UM COMÉRCIO ELETRÔNICO BEM SUCEDIDO O QUE PRECISAMOS SABER PARA IMPLANTAR UM COMÉRCIO ELETRÔNICO BEM SUCEDIDO CONCEITUAÇÃO Comércio Eletrônico (E-Commerce provém de Electronic Commerce ) - termo usado para identificar um sistema comercial

Leia mais

Sistemas para internet e software livre

Sistemas para internet e software livre Sistemas para internet e software livre Aula 3 - Modelos de Negócios na Web Image: FreeDigitalPhotos.net Modelo de negócios Definição clássica "É um método de fazer negócios por meio do qual uma empresa

Leia mais

Marketing digital NARCISO SANTAELLA

Marketing digital NARCISO SANTAELLA Marketing digital 1 Introdução As agências de publicidade recorrem ao marketing digital para conquistar o público que hoje tem na web uma das principais fontes de informação. Utilizar todos os recursos

Leia mais

APRESENTAÇÃO COMERCIAL. www.docpix.net

APRESENTAÇÃO COMERCIAL. www.docpix.net APRESENTAÇÃO COMERCIAL www.docpix.net QUEM SOMOS Somos uma agência digital full service, especializada em desenvolvimento web, de softwares e marketing online. A Docpix existe desde 2010 e foi criada com

Leia mais

TAW Tópicos de Ambiente Web

TAW Tópicos de Ambiente Web TAW Tópicos de Ambiente Web Comércio Eletrônico rveras@unip.br Aula - 04 Agenda Comércio Eletrônico 2 Comércio Eletrônico Comércio Eletrônico 3 O que é o comércio eletrônico Evolução Transações convencionais

Leia mais

Fonte: O Brien e Eduardo L. Pareto

Fonte: O Brien e Eduardo L. Pareto E-business NEGÓCIOS ELETRÔNICOS Fonte: O Brien e Eduardo L. Pareto Transformação Internet promoveu: Novos padrões de funcionamento Novas formas de comercialização. O maior exemplo desta transformação é

Leia mais

GESTÃO. Gestão dos Processos e Operações Gestão de Sistemas e Tecnologias de Informação (dentro do capítulo 6) CLF

GESTÃO. Gestão dos Processos e Operações Gestão de Sistemas e Tecnologias de Informação (dentro do capítulo 6) CLF GESTÃO Gestão dos Processos e Operações Gestão de Sistemas e Tecnologias de Informação (dentro do capítulo 6) Informação e Decisões Gerir envolve tomar muitas e frequentes decisões Para decidir com eficácia

Leia mais

Vamos, juntos. Equipe de Atendimento.

Vamos, juntos. Equipe de Atendimento. Vamos, juntos Somos agência de publicidade e consultoria em marketing digital com a missão de atender as necessidades de comunicação da sua empresa, com serviços que abrangem desde campanhas integradas

Leia mais

Comércio Eletrônico e-commerce Aula 5. Prof. Msc. Ubirajara Junior biraifba@gmail.com

Comércio Eletrônico e-commerce Aula 5. Prof. Msc. Ubirajara Junior biraifba@gmail.com Comércio Eletrônico e-commerce Aula 5 Prof. Msc. Ubirajara Junior biraifba@gmail.com Introdução Mudança no ambiente empresarial; Ligação com o desenvolvimento de tecnologia da informação. Características

Leia mais

Unidade I MARKETING DE VAREJO E. Profa. Cláudia Palladino

Unidade I MARKETING DE VAREJO E. Profa. Cláudia Palladino Unidade I MARKETING DE VAREJO E NEGOCIAÇÃO Profa. Cláudia Palladino O que é varejo Setor do comércio que vende diretamente para os consumidores finais. Fabricantes e atacadistas quando vendem para o consumidor

Leia mais

Comércio Eletrônico E-commerce

Comércio Eletrônico E-commerce Comércio Eletrônico E-commerce Introdução Para atingir 50 milhões de pessoas: O rádio levou 38 anos; A TV aberta 16 anos; A TV a cabo 10 anos e A Web apenas 5 anos. 1 Origens do E-Commerce Transferência

Leia mais

? COMO. se posicionar na INTERNET. para atender e CAPTAR CLIENTES?

? COMO. se posicionar na INTERNET. para atender e CAPTAR CLIENTES? ? Internet é decisão de negócio: Mais clientes, menos custo. Com a Gestão Evolutiva de Mídia Web? COMO se posicionar na INTERNET? para atender e CAPTAR CLIENTES? DECISÃO de compra/adesão DECISÕES DE COMPRA

Leia mais

INFORMÁTICA PARA GESTÃO I Curso Superior de Gestão de Marketing

INFORMÁTICA PARA GESTÃO I Curso Superior de Gestão de Marketing INFORMÁTICA PARA GESTÃO I Curso Superior de Gestão de Marketing Docente (Teóricas): E-mail: vmnf@yahoo.com Web: http://www.vmnf.net/ipam Aula 13 Sumário A Internet: Modelos de Negócio, Publicidade e Meios

Leia mais

FACULDADE UNIÃO COMÉRCIO ELETRÔNICO PROFESSOR LUCIANO ROCHA

FACULDADE UNIÃO COMÉRCIO ELETRÔNICO PROFESSOR LUCIANO ROCHA 1 Conteúdo Evolução da Comunicação Entre Computadores... 2 Evolução do Processamento e Transferência Eletrônica de Informações... 2 INTERNET E COMÉRCIO ELETRÔNICO ASPECTOS... 3 PESQUISAS SOBRE O MERCADO

Leia mais

MARKETING NA INTERNET

MARKETING NA INTERNET MARKETING NA INTERNET HUGO HOCH CONSULTOR DE MARKETING ER. BAURU SEBRAE-SP hugoh@sebraesp.com.br Marketing na Internet O que é? o Marketing na Internet, também referido como: i-marketing, web marketing,

Leia mais

Estratégias em Tecnologia da Informação. Posição e Vantagem Competitiva Aplicações integradas Aplicações Web

Estratégias em Tecnologia da Informação. Posição e Vantagem Competitiva Aplicações integradas Aplicações Web Estratégias em Tecnologia da Informação Capítulo 09 Posição e Vantagem Competitiva Aplicações integradas Aplicações Web Material de apoio 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina

Leia mais

O que é comércio eletrônico?

O que é comércio eletrônico? COMÉRCIO ELETRÔNICO O que é comércio eletrônico? O comércio eletrônico ou e-commerce é a compra e venda de mercadorias ou serviços por meio da Internet, onde as chamadas Lojas Virtuais oferecem seus produtos

Leia mais

VISÃO GERAL DO CAPÍTULO

VISÃO GERAL DO CAPÍTULO CAPÍTULO 8.I Sistemas de e-commerce VISÃO GERAL DO CAPÍTULO O propósito deste capítulo é descrever e apresentar os componentes básicos do processo de sistemas de e-commerce, e explicar importantes tendências,

Leia mais

Principais Estratégias de Web Marketing

Principais Estratégias de Web Marketing Comércio Eletrônico Faculdade de Tecnologia SENAC Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Unidade Curricular: Comércio Eletrônico Edécio Fernando Iepsen (edecio@terra.com.br)

Leia mais

Comércio Eletrônico. Loja Virtual de Sucesso Profissionais de E-commerce e Marketing Digital. Ricardo Moreira

Comércio Eletrônico. Loja Virtual de Sucesso Profissionais de E-commerce e Marketing Digital. Ricardo Moreira Comércio Eletrônico Loja Virtual de Sucesso Profissionais de E-commerce e Marketing Digital Ricardo Moreira Pode Confiar! Introdução Todo mês centenas de novas lojas virtuais entram no ar! Todo mês outras

Leia mais

AULA 1 SOLUÇÕES EM NEGÓCIO ELETRÔNICOS. Prof. Adm. Paulo Adriano da Silva Carvalho

AULA 1 SOLUÇÕES EM NEGÓCIO ELETRÔNICOS. Prof. Adm. Paulo Adriano da Silva Carvalho AULA 1 SOLUÇÕES EM NEGÓCIO ELETRÔNICOS Prof. Adm. Paulo Adriano da Silva Carvalho Adm. Paulo Adriano da S. Carvalho Formado em Administração; MBA em Gestão Empresarial; Formado em Ciências da Computação;

Leia mais

Comércio Eletrônico. Aula 01. Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho

Comércio Eletrônico. Aula 01. Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Comércio Eletrônico Aula 01 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades, conteúdos multimídia

Leia mais

Ádrian da Silva Barbosa Raimunda Mônica Oliveira Correia Rosiney Costa Bezerra Silvia Leticia Tavares Suelen Castillo Coelho EMPREENDEDORISMO

Ádrian da Silva Barbosa Raimunda Mônica Oliveira Correia Rosiney Costa Bezerra Silvia Leticia Tavares Suelen Castillo Coelho EMPREENDEDORISMO Ádrian da Silva Barbosa Raimunda Mônica Oliveira Correia Rosiney Costa Bezerra Silvia Leticia Tavares Suelen Castillo Coelho EMPREENDEDORISMO MACAPÁ-AP, 04/09/13 Ádrian da Silva Barbosa Raimunda Mônica

Leia mais

Prezado Futuro Cliente

Prezado Futuro Cliente Prezado Futuro Cliente É com grade satisfação que encaminhamos nossa apresentação institucional e certos de estabelecermos uma parceria de sucesso e duradoura. Ela foi desenvolvida com objetivo de mostrar

Leia mais

NORMALIZAÇÃO Comércio Electrónico e a sua Importância na Cadeia de Distribuição 14 de Dezembro 2010 Nuno Miranda

NORMALIZAÇÃO Comércio Electrónico e a sua Importância na Cadeia de Distribuição 14 de Dezembro 2010 Nuno Miranda NORMALIZAÇÃO Comércio Electrónico e a sua Importância na Cadeia de Distribuição 14 de Dezembro 2010 Nuno Miranda The global language of business O que é ecommerce? Da perspectiva de processo de negócio,

Leia mais

Anderson L. S. Moreira

Anderson L. S. Moreira Tecnologia da Informação Aula 13 E-commerce Anderson L. S. Moreira anderson.moreira@ifpe.edu.br Instituto Federal de Pernambuco Recife PE Esta apresentação está sob licença Creative Commons 15 de Outubro

Leia mais

COMÉRCIO ELETRÔNICO: MERCADOS DIGITAIS, MERCADORIAS DIGITAIS. Capítulo 9 L&L Paulo C. Masiero 2º. Semestre 2011

COMÉRCIO ELETRÔNICO: MERCADOS DIGITAIS, MERCADORIAS DIGITAIS. Capítulo 9 L&L Paulo C. Masiero 2º. Semestre 2011 COMÉRCIO ELETRÔNICO: MERCADOS DIGITAIS, MERCADORIAS DIGITAIS Capítulo 9 L&L Paulo C. Masiero 2º. Semestre 2011 UM BANHO DE LOJA NOS SITES DA GAP Problema: Concorrência pesada, site difícil de usar (excesso

Leia mais

VISÃO GERAL DO COMÉRCIO ELETRÔNICO

VISÃO GERAL DO COMÉRCIO ELETRÔNICO VISÃO GERAL DO COMÉRCIO ELETRÔNICO Profº Celio Conrado Sumário 1.1 - Definições e conceitos do Comércio Eletrônico... 4 COMÉRCIO ELETRÔNICO... 4 E-BUSINESS... 4 ESTATÍSTICA DO DESEMPENHO DO COMÉRCIO ELETRÔNICO

Leia mais

COMÉRCIO ELETRÔNICO E MERCADO VIRTUAL - OPORTUNIDADE PARA AS MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS

COMÉRCIO ELETRÔNICO E MERCADO VIRTUAL - OPORTUNIDADE PARA AS MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS 1 COMÉRCIO ELETRÔNICO E MERCADO VIRTUAL - OPORTUNIDADE PARA AS MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS ARAÚJO, Railda, ARLINDA, Nathane, CRISTINA, Carla, LUIZ, Jorge, QUIRINO, Marcelo, SERJONE, Ludmila RESUMO

Leia mais

Trabalho Final. Apresentação do site de Comércio Eletrônico (.ppt) : Elaborar o Site de Comércio Eletrônico proposto:

Trabalho Final. Apresentação do site de Comércio Eletrônico (.ppt) : Elaborar o Site de Comércio Eletrônico proposto: Comércio Eletrônico Faculdade de Tecnologia SENAC Curso Superior de Análise e Desenvolvimento de Sistemas Unidade Curricular: Comércio Eletrônico Edécio Fernando Iepsen (edecio@terra.com.br) Apresentação

Leia mais

Wagner K. Arendt Coordenador de TI FCDL/SC

Wagner K. Arendt Coordenador de TI FCDL/SC Wagner K. Arendt Coordenador de TI FCDL/SC sua empresa na Internet A criação de um site é uma regra geral para empresas que querem sobreviver em um mercado cada vez mais agressivo e um mundo globalizado,

Leia mais

Tecnologia da Informação. Prof. Odilon Zappe Jr

Tecnologia da Informação. Prof. Odilon Zappe Jr Tecnologia da Informação Prof. Odilon Zappe Jr Vantagens e Desvantagens do Comércio Eletrônico Vantagens Aumento do número de contatos da empresa com fornecedores e com outras empresas do mesmo ramo, e

Leia mais

Competindo com Tecnologia da Informação. Objetivos do Capítulo

Competindo com Tecnologia da Informação. Objetivos do Capítulo Objetivos do Capítulo Identificar as diversas estratégias competitivas básicas e explicar como elas podem utilizar a tecnologia da informação para fazer frente às forças competitivas que as empresas enfrentam.

Leia mais

COMÉRCIO ELETRÔNICO (E-COMMERCE) Disciplina: DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO Prof. Afonso Celso M. Madeira 8º semestre

COMÉRCIO ELETRÔNICO (E-COMMERCE) Disciplina: DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO Prof. Afonso Celso M. Madeira 8º semestre COMÉRCIO ELETRÔNICO (E-COMMERCE) Disciplina: DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO Prof. Afonso Celso M. Madeira 8º semestre E-COMMERCE x E-BUSINESS E-COMMERCE processos pelos quais consumidores, fornecedores e

Leia mais

Comércio eletrônico. Conceitos:

Comércio eletrônico. Conceitos: Comércio eletrônico Conceitos: O comércio eletrônico é a transação realizada por meio eletrônico de dados, normalmente internet. Situação em que a empresa vendedora cria um site, que funciona como uma

Leia mais

IBM WebSphere Product Center

IBM WebSphere Product Center Soluções de gerenciamento de informação de produto para dar suporte aos seus objetivos de negócios IBM WebSphere Product Center Oferece uma solução abrangente de gerenciamento de informação de produto

Leia mais

Estratégia e Regras do Negócio: E-Commerce. O que é e-commerce?

Estratégia e Regras do Negócio: E-Commerce. O que é e-commerce? E-Commerce O que é e-commerce? Comércio electrónico ou e-commerce é um conceito aplicável a qualquer tipo de negócio ou transação comercial que implique a transferência de informação através da Internet.

Leia mais

Sistemas de Informação. O uso de sistemas de informações como ferramentas de gestão

Sistemas de Informação. O uso de sistemas de informações como ferramentas de gestão Sistemas de Informação O uso de sistemas de informações como ferramentas de gestão Objetivos Impactos na gestão das empresas: Macro mudanças no ambiente Novas tecnologias de comunicação e informática Macro

Leia mais

Planejamento e Gestão de Web Sites. A Web como um braço econômico no programa de Marketing da empresa. 1 - Solidificação da marca (1/5)

Planejamento e Gestão de Web Sites. A Web como um braço econômico no programa de Marketing da empresa. 1 - Solidificação da marca (1/5) Planejamento e Gestão de Web Sites Aula 2 Objetivos de Marketing na Web + Questões éticas e legais MBA em Marketing Estratégico IEC/PUC Prof. Tales Lacerda Junho 2008 MBA em Marketing Estratégico IEC/PUC

Leia mais

ALGUNS DADOS DA INTERNET NO BRASIL. (11) 3522-5338 - www.cvsweb.com.br comercial@cvsweb.com.br

ALGUNS DADOS DA INTERNET NO BRASIL. (11) 3522-5338 - www.cvsweb.com.br comercial@cvsweb.com.br ALGUNS DADOS DA INTERNET NO BRASIL 2 + 67.500.000 + 67,5 MILHÕES DE INTERNAUTAS NO BRASIL FONTE: IBOPE/NIELSEN 58.290.000 58,2 MILHOES DE INTERNAUTAS NO BRASIL ACESSAM A INTERNET SEMANALMENTE -87% FONTE:

Leia mais

Número de pessoas com acesso à internet passa de 120 milhões

Número de pessoas com acesso à internet passa de 120 milhões MÍDIA KIT INTERNET Número de pessoas com acesso à internet passa de 120 milhões Segundo pesquisa da Nielsen IBOPE, até o 1º trimestre/2014 número 18% maior que o mesmo período de 2013. É a demonstração

Leia mais

O COMÉRCIO ELETRÔNICO NO BRASIL

O COMÉRCIO ELETRÔNICO NO BRASIL O COMÉRCIO ELETRÔNICO NO BRASIL MARCOS MENDES. MBA em Tecnologia da Informação e da Comunicação na Educação (PUC-RS). Docente das Faculdades IESAP e CEAP. Professor das disciplinas Computação Gráfica,

Leia mais

7 Passos para um e- Commerce de Sucesso. André Lucena 28.nov.2013

7 Passos para um e- Commerce de Sucesso. André Lucena 28.nov.2013 7 Passos para um e- Commerce de Sucesso André Lucena 28.nov.2013 MERCADO DE E- COMMERCE PORQUE INVESTIR... E- commerce Processo de compra e venda de produtos e serviços online. Além de catálogos, carrinhos

Leia mais

Especialização em Marketing Digital - NOVO

Especialização em Marketing Digital - NOVO Especialização em Marketing Digital - NOVO Apresentação Previsão de Início Agosto/2013 Inscrições em Breve - Turma 01 - Campus Stiep O ambiente de negócios tem sido modificado pelas Novas Tecnologias da

Leia mais

Modelos de e-commerce

Modelos de e-commerce Comércio Eletrônico Faculdade de Tecnologia SENAC Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Unidade Curricular: Comércio Eletrônico Edécio Fernando Iepsen (edecio@terra.com.br)

Leia mais

Profa. Ma. Solimar Garcia. Unidade II GERENCIAMENTO DO WEB

Profa. Ma. Solimar Garcia. Unidade II GERENCIAMENTO DO WEB Profa. Ma. Solimar Garcia Unidade II GERENCIAMENTO DO WEB MARKETING Apresentação Nesta unidade abordaremos o comércio eletrônico - e-commerce, o e-business e suas ferramentas mais utilizadas, como o marketing

Leia mais

7 Passos para um e-commerce de Sucesso. André Lucena Diretor de Negócios e Operaçoes 18.Out.2013

7 Passos para um e-commerce de Sucesso. André Lucena Diretor de Negócios e Operaçoes 18.Out.2013 7 Passos para um e-commerce de Sucesso André Lucena Diretor de Negócios e Operaçoes 18.Out.2013 MERCADO DE E- COMMERCE PORQUE INVESTIR... Crescimento 20,3% Crescimento 24,4% 354% R$ 770 Milhões 117%

Leia mais

Tópicos de Ambiente Web Internet: negócios eletrônicos, novas tendencias e tecnologias

Tópicos de Ambiente Web Internet: negócios eletrônicos, novas tendencias e tecnologias Tópicos de Ambiente Web Internet: negócios eletrônicos, novas tendencias e tecnologias Professora: Sheila Cáceres Uma mensagem enviada em internet é dividida em pacotes de tamanho uniforme. Cada pacote

Leia mais

Copyright 2010, MundoClick Produtora de Internet. Todos os Direitos Reservados

Copyright 2010, MundoClick Produtora de Internet. Todos os Direitos Reservados 1 Apresentação Este manual tem o intuito de orientar a utilização da ferramenta Loja Virtual. Através de descrições, passo a passo e imagens o objetivo é facilitar o uso, oferecer dicas e mostrar os pontos

Leia mais

AULA 6 SISTEMAS DE COMÉRCIO ELETRÔNICO

AULA 6 SISTEMAS DE COMÉRCIO ELETRÔNICO AULA 6 SISTEMAS DE COMÉRCIO ELETRÔNICO Conceituação O comércio eletrônico ou e-commerce é um tipo de transação comercial feita por um equipamento eletrônico, como um computador. O comércio eletrônico (e-commerce)

Leia mais

7 Passos Para a Criação de Uma Boa Loja Virtual. Índice

7 Passos Para a Criação de Uma Boa Loja Virtual. Índice 2 Índice Introdução... 3 Passo 1 Entender o que é Venda Online e E-commerce... 4 Passo 2 Entender o Mercado de Comércio Eletrônico... 5 Passo 3 Canais de Venda... 6 Passo 4 Como identificar uma Boa Plataforma

Leia mais

Universidade Cruzeiro do Sul. Campus Virtual Unidade I: Unidade: Gerenciamento de Marketing e Vendas

Universidade Cruzeiro do Sul. Campus Virtual Unidade I: Unidade: Gerenciamento de Marketing e Vendas Universidade Cruzeiro do Sul Campus Virtual Unidade I: Unidade: Gerenciamento de Marketing e Vendas 2010 0 Unidade: Gerenciamento de Marketing e Vendas É necessário o entendimento de como os produtos chegam

Leia mais

CRM - gestão eficiente do relacionamento com os clientes

CRM - gestão eficiente do relacionamento com os clientes CRM - gestão eficiente do relacionamento com os clientes Mais que implantação, o desafio é mudar a cultura da empresa para documentar todas as interações com o cliente e transformar essas informações em

Leia mais

CEA439 - Gestão da Tecnologia da Informação

CEA439 - Gestão da Tecnologia da Informação CEA439 - Gestão da Tecnologia da Informação Janniele Aparecida Como uma empresa consegue administrar toda a informação presente nesses sistemas? Não fica caro manter tantos sistemas diferentes? Como os

Leia mais

Unidade I: Visão Geral do Comércio Eletrônico

Unidade I: Visão Geral do Comércio Eletrônico Disciplina: Negócios e Comércio Eletrônico Professora: Claudio Célio G. Conrado : Visão Geral do Comércio Eletrônico 1.1 Definições e conceitos do Comércio Eletrônico COMÉRCIO ELETRÔNICO Por comércio eletrônico

Leia mais

Vendas Coletivas e publicidade nas indústrias criativas. Laura Fragomeni

Vendas Coletivas e publicidade nas indústrias criativas. Laura Fragomeni Vendas Coletivas e publicidade nas indústrias criativas Laura Fragomeni Agenda Crescimento do E-commerce Modelos de negócio Breve histórico das Vendas Coletivas Vendas Coletivas e o Marketplace Novas Tendências

Leia mais

Ambientes de Mercado

Ambientes de Mercado INFORMAÇÃO O sucesso ou fracasso organizacional muitas vezes pode depender de se saber de qual deles precisamos, com o qual deles contamos e o que podemos ou não fazer com cada um deles PLANO DE AÇÃO Fornecedores

Leia mais

Varejo virtual ERA DIGITAL. por Tânia M. Vidigal Limeira FGV-EAESP

Varejo virtual ERA DIGITAL. por Tânia M. Vidigal Limeira FGV-EAESP ERA DIGITAL Varejo virtual Ovolume de operações registrado recentemente no âmbito do comércio eletrônico atesta que a Internet ainda não chegou às suas últimas fronteiras. Vencidas as barreiras tecnológicas

Leia mais

ORGANIZAÇÕES VIRTUAIS

ORGANIZAÇÕES VIRTUAIS Universidade do Estado de Santa Catarina UDESC Centro de Ciências Tecnológicas CCT Engenharia de Produção e Sistemas Sistemas de Informação (SIN) ORGANIZAÇÕES VIRTUAIS Profº Adalberto J. Tavares Vieira

Leia mais

INSPER INSTITUTO DE ENSINO E PESQUISA Certificate in Marketing Management CMM. Ligia Caranicola Cano

INSPER INSTITUTO DE ENSINO E PESQUISA Certificate in Marketing Management CMM. Ligia Caranicola Cano INSPER INSTITUTO DE ENSINO E PESQUISA Certificate in Marketing Management CMM Ligia Caranicola Cano Google AdWords, a plataforma de publicidade online do Google São Paulo 2012 Ligia Caranicola Cano Google

Leia mais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Capítulo 3: Sistemas de Apoio Gerenciais Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos,

Leia mais

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0. Bloco Comercial. CRM e AFV

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0. Bloco Comercial. CRM e AFV Bloco Comercial CRM e AFV Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre os Módulos CRM e AFV, que fazem parte do Bloco Comercial. Todas informações aqui disponibilizadas foram retiradas

Leia mais

Daciane de Oliveira Silva www.daciane.wordpress.com

Daciane de Oliveira Silva www.daciane.wordpress.com Daciane de Oliveira Silva www.daciane.wordpress.com Marketing direto e mediação eletrônica Como a internet criou novos meios de intermediação entre as pessoas e as organizações? O que é marketing direto?

Leia mais

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG Capítulo 3: Sistemas de Negócios Colaboração SPT SIG Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos, gerentes e profissionais de empresas.

Leia mais

Este capítulo tem por objetivo apresentar os principais modelos de aplicações de comércio eletrônico e exemplos de aplicação dos mesmos.

Este capítulo tem por objetivo apresentar os principais modelos de aplicações de comércio eletrônico e exemplos de aplicação dos mesmos. 1 2 Este capítulo tem por objetivo apresentar os principais modelos de aplicações de comércio eletrônico e exemplos de aplicação dos mesmos. O comércio eletrônico é um gigante que movimentou no comércio

Leia mais