REPELIR AS AMEAÇAS GOLPISTAS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REPELIR AS AMEAÇAS GOLPISTAS"

Transcrição

1 OPERÁRIOS DA BRAHMA COM JUSCELINO E JANGO lynswp n hílup ^. y^j^jp^,1l_wy *L*á YV H í!^;.!**!»l_?»» ÍVf_?v ** ^*fl_b_* m V? _^_d u_v_l_bp B_b k H *»* 4%f L í* í» Tl 1 Al _,/*^^_ YfmW grr^><^*«*f mn<m< INSTALADO SOLENEMENTE O CONGRESSO DO NORDESTE (TRITO NA II MOINA) "* "" «" " 1 m l^m!.»...»»». o^^,:,x,..^»?,«gt;»?>^^»v»_w>fr_ ( í MM WM, mumi _H_MM_M_r H*<_lt* K BÍÍ;\í_r lflf *^ _3_^l SSBv^H*,*f <*/ ÉSp^ ^_W_BI _r r _»»«., ^^^^^^ U, Bfl l] f^á.á ^ ANO VIII # RIO DE JANEIRO, DOMINGO, 21 DE AGOSTO DE 1955 *fc N1.580 ;d_l *_H H _FW_MH&I&<_*_*_ [ l L_l PIH ItíB:; 1p*» PS ÊXITO 00 TEATRO POPULAR BRASI LEIRO EM PRAGA lt laséuu CTK> PUAlA. O Tr.r..,pnl«Ur*. Illro Ifcu n..«mplui eom um ubtutxl «u* Utlrem ír«4»!* ml *.< ml prmer ro. um» íln d» e. l«u«ulo» quo» llíl «m Junlo drá prlnrlp rl.ln.1r. nn ro In.l.lnu..1. Trtw... lo<r*«lr.. ru (rnl»«l I» «1» ptlrln» r.cl.r»» d» Tlll. O pnllru d lr». rrdnl» hrn»sr not» v qulldd «rl.lr d* ronlnlu. Imn.furmnu. pclarul m um mftl» mnllf.uí. l nnntr rn. Ir o pnvu llnu.lu»co o bmller. HABOLHDORES UNIDOS P WÊ Os operdrto Brhm e«mo Integrs n cmpnh Movmento Nconl Populr Trblhst pel rrot s golpsts com eleção Juscelno e Jngo. N foto cm vêemse trblhres dquel empres, ã port d fábrc, com crtzes s cnddtos ntgolpe, num comíco «uo l fo relz. AO ENCERRARSE A CONFERÊNCIA DE GENEBRA MENSAGEM DE BULGÂNIN AOS CIENTISTAS ATÔMICOS APOIO DA CÂMARA DE VITÓRIA AO MNPT Vtór, o (_p> por. esmgr mor Gmr Muncpl Vltór, cptl Esprto Sn* to, provou um voto lou* vor??to MJM.P.T. pel ndl* cção s nomes dds srs. jusceüno Kubtschek* e Joã» Goulrt à Presdênc é Vce*.Presdênc d Repúblc. k propost,, que fo presen* td pelo verer Agenor Amro s Sntos, n ses* são d últm qurtfer, relembr grn convenção ros trblhres relzd nm Sãô Pulo. A moção fo provd com um únco voto contráro o verer Ruy Lòr, pto fervoroso r cnddtur golpst Jurez Távor. GENEBRA, 30 (A.F.P.) N sessão encerrmento d conferênc qu relz* d, o presnte, sr. Bhbh, representnte d Índ pro* ceu à letur d segunte mensgem mrechl Bul* gânn, chefe Governo d URSS: <A conferênc nternnl pr utlzção pcfc d energ tômc, que se encerr em Genebr, é um etp sgnfctv no est* beleclmento um coope* rção nternconl no m* portntlsslmo míno d utlzção d energ tômc pr fns pcífcos. A troc vsts e Informções, que ocorreu n conferénc, represent um vlos contrbução pr progressos centífcos c técncos ulterlores, r.esse míno. Ess conferênc servrá, sem dúvd lgum, à cus d pz, e contrburá pnr me* Ihorr nd o entendmen* w to Internconl». <0 governo sovétco feíl* ^^ N. Bulgânn Comprovd Do Comérco ct tos que tomrm pnrtc n conferênc, por su contrbução pr o sucesso obt, e exprme espernç que cooperção nternconl, no qudro d utlzção pcfc d energ tômc, Inugur* d tão felzmente ness conferêncl, prossegurá por melo reunões regulres e semelhntes, homens cênc tos os píses». COMUNICADO DA DELEGAÇÃO SOVIÉTICA GENEBRA, 20 (A.F.P.) A legção sovétc à conferênc tômc publcou hoje mnhã o seguute comunc: «No fm d sessão d conferênc nternconl pr utlzção pcfc d energ tômc legção sovétc julg Indspensável observr que conferênc relzou em f* vorável mbente cooperção e uxlo mútuo, como result d reunão s cheíes governo ds Qutro CONCLUI NA 2.» PAG. REPELIR AS AMEAÇAS GOLPISTAS Mnfesto ssn pelos drgentes sndcs to o pís e pelos trblhres ns fábrcs e outros locs tvd Attu cr e dvertênc os golpsts: clsse operár não cruzrá os brços dnte qulquer tent às lberds consttucons trblhres brsljel* OS ros, trvés seus dl* rlgentes sndcs e lres ms conhecs, vão tomr posção cdd dnte ds meçs golpe contr Consttução e o senvolv* mento norml d cmpnh eletorl pr sucessão. A prmer medd, pr este fm, será o lnçmento um mnfesto o povo concltno à vglânc e à lut em fes d Consttu* ção e por eleções lvres 3 outubro. O texto Mnfesto, elbor n úl Um sextfer, j recebeu várs centens ssnturs drgentes sndcs, só no Dstrto Ferl. O cumento será nd ss* n por dretores sndl* ctos, em to o ps, e percorrerá s fábrcs e outrs empress receben frms s trblhres. Será este um pronuncmento mcçods msss trblhrs Contr o golpsmo e um d* Estbld LesteOeste 0 expressvo umento verfc em 1954; em condções polítcs dfíces, test T excelênc: merc soclst URSS, tercero comprr crne no mun Retmento relções» slvção pr ndústr, lvour e pecuár No seu últmo nforme o Congresso mercno, o sr. Hrold Stssen ndcou que s exportções s píses Oeste pr os Leste ps* srm mlhões dólres, em 1953, pr mlhões, em As mportções subrm mlhões dólres. UM EXEMPLO CONCRETO DE LUTA CONTRA 0 GOLPE IV No.umento verfc no comérco mundl, como re* velm os ds present* s,, mlòr prcel coube ãs relções entre o Leste e o Oeste. Assm, enqunto o ncre (CONCLUI NA 2» ragina) V,;:\,r.t*íf::H,V:,«...r\.. : : 5mmXMklfãrJA,S.>, J**3x&PWM *5*?JSh_K*mP^^_ BW ^K j JB8tlWSí 3%í fjff _JH^^*eB»l_jr_Ll!*u. í.í_t VT " j^j!íí*"*j OPopulr MOVIMENTO Trblhst Nconl rellzrá hoje s grns comfeos. O prmero às 16 ho & A PRIMEIRA tenttv s golpsts levr à ru sus provocções fo rrotd pelo povo outn. Opnjjeto Bomorj s conffresssts com oferend áe trnsformr em c_rt** gttfe^tn^s^edue o ^ dg á florl o s hstércos rtgo* furoso golpst Crlos Lcerd o sfeto pelo repúdo ds msss, logo n su prmer Investd. To grn e veemente fo o protesto povo que forcou retrd s crtses provoctvos e bru FORTALECENDO A («nnho um ndgn clmor públco contr grosser urremettd s gentes golpe. Esss vgoross mnfestãoões repuls ns rus crocs concdrm com goes msss contr o golpe em So Pulo, Belo ttoronte e outros centros mportntes ps. O POVO u exemplo ção, concret, pront e efcz, contr os gentes mercnos que brr.pretenm ejhhb p os geners goldlsts por meo d ntnüdco» d chntgem. Orres populres, em trbuns ünprosds, verberrm snh golpst, nuncrm seus crünlnosos objetvos num comíco nnterrupto. Operáros ^ e populres struírm os dlzêres nsultuosos e provoctvos. O result fo extmente o contráro qoe pretendm os polcs e ntegrlsts «Clube d Lntern». p ESTES ftes monstrm que lut ptrótc contr o % golpe é tomd pels msss em sus próprs nwos. g S5o contecmentos que evncm exlstôncl um seren o frme vglânc povo, que sente meçs seus dretos e lberds pelos prtdáros d Implntção, contr» vont povo, um dtdur mltr fsclsl. p O povo fz sentr su clsto n3o xr sem respost g enhumu provocção golpst, mun dvertênc ds ms p?érls que qulquer tenttv s golpsts, pssr ds meçs e chntgens os ftos, se chocrá c se g esbororá nevtvelmente nte frme e enérgc ress* ú ténc ds msss populres. Ms que sprção crtzes s muros d cd, 6 est sgnfcção ms g monu LUTA PELAS LIBERDADES NAS AMÉRICAS Corod êxto Conferênc LtnoAme, rcn Pels Lberds, que se encerrou no çjjjjj jg d c0rente _. Q povo chleno CO Iheu _. _«entusàstcmente _. o oportuno conclve g g 20 (Correspondêrcà Roberto Blmced, que se enconblhos no d 15, no Tetro g SANTIAGO, Moren) A Conferênc trv superlot. No fo LtlnoAmercn Pels L. encerrmento fo ld berds termnou seus tr CONCLUI PA V taülna vertêncl que els não ssstrão, brços cruz* s, qulquer tent con* tr s lberds constltu* ns e sndcs. REPELIRÃO O GOLPE A pr st mnfestção coletv, sbese que, trvés seus órgãos sndcs e outrs orgnzções profs* slons, os trblhres dverss ctegors já * trm resolução entrr em greve como respost qulquer golpe Est ou mltr. Est lberção fo td por várs ssem* bléls s prncps sndctos d cptl pulst e, há pouco, refrmd pelo Conselho d Ferção Nconl s Mrítmos. A mesm dlínlção cogtm tomr muts outrs orgnzções sndcs, cso contnuem s provocções contr s lber* ds consttucons. Déste mo os trblhres pre* tenm xr perfetmente íf\ mu Al \\CRUzeRo7y llr, com luts, qulquer ten* t à legld constltu* clonl. (CONCLUI NA S» PAGINA) ROTEIRO DE JUSCELINO E JANGO JUSCELINO fcrá em ** São Pulo té terç* fer próxm, 23, vjn, 24, pr Gloãnl. De 25 28, verá percorrer, er compnh João Goulrt, s seguntes cds Rlp Grn Sul: D. Pedrllo, Qurl, Alegrete, Urugun, Rosáro, São Gbrel Bgé, Pelots, Ro Grn, Cmquâ,. Snt Cruz, C*choer. Snt Mrt, Cxs, Bento Gonçlves, Nov Hmburgo, São Leopol, Esteo e Cnos. A note 28, os cnddtos ds forçs ntgolpsts flrão num grn com em Porto AJegre, on tmbém estrá d. Srl Kubltschek, que será homenged pelo Mo* vmento Trblhst. Kubtschek e Jngo retornrão o Ro no d 29 e no d segurão pr Bh, l permnecen té clr su dsposção repe* 2 setembro. Nos ds % CONCLUI NA 2» PAGINA,. K* I j^_^ff fí^^*í B l Bnrols e crtzes dão um specto festvo o locl on será relz hoje o comíco pró JuscelnoJngo promov pelo MNPT no Morro São Cro» Comícos MNPT Hoje Nos Morros d Cd Às 15 hors, no Morro d Provdênc e, às 17 hors, no Morro São Crlos Amplse Drmente Frente Resstênc os Golpsts 0 recruscmento, est semn, ds provocções lbertcds, revelou, tmbém, grn extensão ds forçs que se colocm ém fes d Consttução últmos ds o NOS golpsro colocou seu servço um nov rm: s botos com o objetvo temorzção d opnão públc. Prtculrmeníe sex* tfer, cdcfe encheuse notcs lrmsts, tòcls hblmente explords pelos jorns servço golpe, que pretenm presentr como nevtável e ncpz encontrr qulquer ressténc postv no seo povo e ds próprs Forçs Armds. TÁTICAS DO GOLPISMO Ms. o l s botos, pose ssnlr clrmente o recruscmento d consprção, com utlzção s mnstros mltres como rm pressão sôbre prts polítcos e o Prlmento. Deste mo é que s_rm dn entrevsts em fvor d chmd cédul ofcl os mnstros d Guerr, d Aeronáutc e d Mrnh, os s últmos n lém e exgn, nd, chmd "mor bsolut." Flse em reunões polítcs s chefes mltres. Um ls está nuncd pr mnhã, no Mnstéro d Mrnh. Houve tmbém reunões clro cunho golp.st: um que se relzou, com OBJETIVOS SINISTROS DO CONGRESSO ANTICOMUNISTA. f ; M m jnr_ m m m Um Cstllo Arms Pr o Brsl e Impedr s Eleções Outubro 0 própro Pen Botto confess que um mês pos d reunão Méxco ps^b^sípsfê_sw «s"11" cèntro ft I tnh lugr nvsão nortemercn d Guteml «Fscsts lgsd durnte um d Intero. H j j _ ;/...;.,, s o golpe E4 sgosto. J_. B_L_tIDA3íB está mostrn à lus d que "««"eeete p resdstênd o golpe se po e gnh energ d WSR VÍvo e tunte trblho poütíco ds msss mjlhpes 0é..;r*ÔÍRIÍÁVO_ES g, órtád brsler ~tjcoâuütá eástnuât nu ejs íseã<íheíro3, us es unem em fes d lberds s d p Co_6tíü!í_í> e sõ prenrm pr *_eg_t_r um, retumbnte èt&í» g cándí»,. prtóplmente. tr. êlstorl os cnddtos ntígoípsts «Juscellno j vefclé frt ásàtér tsg os EuS_s_!!e_ s João Goulrt. So os prts e correntes que p jorns, ;<trelzção, 22 ste s «rgoem contr o golpe os qne exprmen neste momento ^ mês, *H Congresso Contr * vont povo. é > jrjtervenço Sovétc n AO mesmo tempo ção ds msss lert os mo g Amérc Ltn». De pssget, pos teremos voltr crts, ntgolpsts e ntlentregulsts que se encontrm nos prts que sustentm cnddtur golpst P ms tdmente o ssunto, lurez Távor ou seguem cnddtur dvsonst H que o I Congresso se tenh Amr Brros. E os convd rever e mudr su ttu queremos ressltr spectos em fce problem sucessóro. wfundments que cercm es* ss reunões, promovds pelo EXEMPLO tv vglânc ds msssindc o Deprtmento Est e O cmnho certo pr tos os ptrots e mocrts. fnncds pelos trustes e Sfo» efes mostrm prtcmente como enfrentr nsolsncl monopólos mperllsts: (Ses golpsts qun eles ousm sr * ru «csuld» que dt 9 torãm c vez ms clro oue s endd* áe, rtíôllçfo sse oongresss?*jnhn Hd" mrcd p trs Kubltschek e Qoulrí são verdcfleífesnãer ntgolpe nest cmpnh eletorl e s véspers ds eleções pre. que por sto mesmo vem receber um I encs 3 Outubro, e eonsgrnr volçlo ns urns pr» ssegumrlhot trnt vlfõr sem P que o I Congresso o tenh precentes. 1 4 relz no Méxco um r.ê» ntes d nvsão d Gute WÊÊfSgfíBmgÉm N fotogrf, o dtr Cstllo Arms, em compnh Petro Lurens, presnte "I Congresso Contr Intervenção Sovétc n Amérc Ltn", Queroz Oonzlez, d Gost Rc, r. Porto Sobrnho, "Dáros gente d Stndrd Ol, s Assocs", que medtmente o congresso fomm testemunh scldmte fntoche CWo Ams J;. prtcpção Cfé Flho, Cnrobert e o escrb Crlos Lcerd, em ds d semn pssd. A POSIÇÃO DE JUSCELINO E JANGO Isto ndc, sem dúvd, CONCLUI NA & PAG PESSOAS NO COMÍCIO DE JUSCELINO W yj^v * \ *?± ^Um\\^m^mÊÊÊÊsWfm^mrWnI^ >»fc* _? ^ *jotcjbfsl^^ rêfr^*** / <? *.s"* * _? ;4í * * **_. * _.^ff*^. " *ws^ í*lr^ rs, no Morro d Provdénc. o segun, às 17 hors, no Morro São.Crlos. J Em Jcrézlnho, séráru rur 0 Comtê MNPT, às 16 hors, à Prç Professor Atls! em Roch Mrnd, será nugur, às 17 hors, à Ru Turques, 82, um comtê femnno Clube JJ, com colborção MNPT dquel zon, comp. recerá o to sr. Srs Kubltschek.^ Em SSo João Mert, às 15 hors, os vr.. rtlmos fundrão um comtâ MNPT, à Ru Henrque Fonsec, 261, Em Petrópols. o MNPT frá relzr tmbém s comlcos no d hoje. AMANHA O MNPT s mobláros CONCLUI NA 2 PAGINA *3*j (^^Bg^_«^5S«l v^^í&^^ *5sK *._^~ ^_B_mK.^_^^^l_fl ^_l?»â^^^^f^^l^_^s^^^^k^s ^^^^mjw^swmímm ím W»M^;MÊÊ^kmfM ^ K^^^_*^. ^^me^^^ml^smsl.^fs."t_b!kbfbht j^^c_^l!ft_f k \ %,^m *:mêmwmèêmml;\l^^ j SÃO PAULOf»0 (Especl) Tnfe m«pessos pludrm ontem o cnddto ntgolpst Juscelno Kubtschek, n Prç d Lberd, em Asss. Após seu dscurso, Juscelno dlogou e bteu com o povo os seus problems. Afrmou que populção rurl não tem àtêâto, sen contrdt pelo contr d gênc locl Bnco Brs. A plvrfn fo dd pel pret velh Mr August Fernns o dzer que há m so nos trblh me pr fzenros e que há cnco nos lut sesperdmente por.òbt^ um empréstmo»0.000 eruseros pr compr dé tm «sfóto, sem qulquer êxto, IV mftfíkeésq NACONAL DOS FERROVIÁRIOS Ferrováros To Brsl Vão lllcr Sus levfo ~ WSmÊ As resoluções Congresso constturão um progrt e bnr!o«t s ferrováros Ms 200 úl trblhres estrão represents no conclve Ms 200 legs re* presentn os ferrováros to Brsl estrão reuns em Cmpns (SSo Pulo), còr* rent oo IV Couu&sfy N conl s: Ferrováros. Nes* té mportnte conclve se* rfo bts os problems que flgem os 200 ml ope* ráros e empregs ds eerds ãs feàrs9 «bssftáís,. 4 Nfo obstnte o ppel pr ponrnte que semps nhm n econom nconl eles 1 se encontrm num s tução prtculnnente dí... ) j. :....".,;.

2 ,*,#*/* * I.l» UIV à wl. 1...* <á ÜÀ>»>J Ks Bons Serão Retrs Tráfego VtotMfv Lffht frontn o crocs fm umentr os preços ds pssgens s bons Suprmds três lnhs A LfCnT, trvés sm rr «r*.. C. d Crrls. Luz e Forç Ro ds Jnero, retrou tro* go, hoje. os bons ds lul,.. 38, 39, 48, rodpecuvwmente Prç MuáLeopodn, Prt FormoPrçí Mu* Itpglpe Blfpo, Conforme núnc Jâ por nós publcd,.relerem.0» ts medds no crlm km» plno dquel empre* M ertrngclr forçr o umento ds trfs, prejtt dlcn populção croc nos seus meos trnsporte. Preen á Lljjhf elevr os preços. em 50 centovos ctltulo provbórlo», mo que posterormente venn.r solctr ms.um escorchnte umento. Os três bons que form retrs hoje trnsto. vso Juntrse queles 5. por. nós notcs e que tn> bem íorm postos ns gr> gens ĊONSEQÜÊNCIAS... Em conseqüênc sor* dt plno d Lght, em convêncl com Prefetur que fnge sconhecer o problem, mlhres " escolres e trblhres fcrão sem meos condução, A três lnhs supressw servm s regões on. há város estbelecmentos escol res e fbrs. A fm protesfrcontr o truste lnquecnnse, "socs Dplomouse, onfem, pet Escol Ultr, jovem Al:, flh nosso pros letor, sr. Clementno OH* velr, operáro d Leopoldn. que suprm Unhs e prejudc o crocs pr levr cbo seus propóstos tot, comssões ds morres Ir&o à CAmrn Muncpl lvrr seus protestos. Amplse Drmente Frente Resstênc os Golpsts CONCIUSA DA I PAG. om umento d meç golpe. Ms, por outro l, ntrg golpst u mrgem que se mnfestsse com rel clrez extensão ds íôrçs ntgolpe e termnção com que estão enfrentn conjur lbertlcd. Em prmero lugr vese stc frme posção ssumd pelos, srs. Juscelno Kubtschek e João Goulrt dnte ds meçs, repeln mposções reclonárs e pressão pr que cetssem s mnobrs u* nsts vsn tumultur, às véspers pleto, o processo eletorl. Est posção s cânddtos ds forçs ntgolpe fo extremmente fortlecd pel soldred mcç que encontrrm ntro ds bncds PSD e PTB, s qus souberm, em gerl, «fenr sobern Prlmento contr s meçs e ultmto grupos estrrüos. ENTUSIASMO PELA CAMPANHA ELEITORAL Ao mesmo psso, contrln expecttv s golpsts, sus meçs, em lugr temorzr o povo, só fzerm cenr um novo entussmo pel cmpnh eletorl. O movmento ttulos ns zons eletors tomou, nestes ds, um rtmo sconhec em pletos nterores. A dscussão polítc gnhou s rus. Um novo nteresse surgu pels eleções outubro. Pr tnto" contrbuu extrordnàr.nente o Mníesto Eletorl Prt Comunst. Em conseqüênc dsso, lut contr s meçs golpe vse trnsformn tmbém num lut msss. Surgem s prmers mnfestções populres contr s provocções golpsts, trvés coms mprovl. ss ns ruet"ou~tl(nrtos públcos e Inscrções,. Trblhres, estudntes,.. íünconáros públcos, entds sndcs tomm posção clr lul contr qulquer tent às lberds consttucons ou perturbção d cmpnh eletorl e pleto 3 outubro. O MNPT orgnz n e ms os trblhres ns empréss e nos brros, o mesmo tempo que forçs ntgopsts tods s tendêncs se unfcm nos comtês poo Jusceüno Kub* tschek e João Goulrt. * Est moblzção populr, que precs crescer rpldàmente, será grnt d vtór povo só bre o golpsmo que, sesper; tent recorrer tos os meos pr tngr ob seus snstros objetvos. : us Boto, stft fnld * gerr um Cstllo Armns pnrn o Brsl, como o fêz o I Con* gresso pr Guteml, utlzn como pretexto um ImcInArln «nfrvenco sovétc» no Brsl. Ms o povo snbe quem são os quo Intervém em nossos ssuntos Internos o volm drmente noss sobertv nl. São os gentes d Stndn 011, d Bond nd Shre, o embxd nortemo rlcn no Ro. And sextfer últm, Pen Boto mesmo compro* vvs nosss núncs sobre Intm relção entre o congresso Méxco e In* vsão nortemerlen d Guteml por mercenáros, d <Frutcr». Dsse Pen Boto <ü Globo» que «sus conseqüêncs (* I Congresso) não se fzerm esperr, e ssm íol que, um mês pos, Guteml scud o «Jugo bolchevlst», rrubn o Presnte Arbenz.» Declrou tmbém Pen Boto que s csões «congresso» nflurum n ogolpe Ml gús* to em nosso ps. Fc bem clro, ssm, que esses congressos não são ms que reunões provocres fscsts servço Imperlsmo nque. Um Cstllo Arms Pr o Brsl e Impedr s Eleções Outubro (CONCUSAO DA V fâtí.) * ml. Se folhermos lmprens d époc, vormos fftte o I Congresso teve por fnld prncpl preprr Intervenção nottomsrlen n Guteml, e crr uns clm nternconl propco pr ntur nquele ps dtdur fscst fntoche Cstllo Arms. As prncps resoluções f Congresso form um sére po vocções contr o go* vêrno mocrátco Arbcns e contr s forcs moertl. cs, d Guteml, que, em condções dfíces, levvm à relzção um progrur ptrótlco e melhormento ds condções vd povo. Os legs êsse congresso, pos vergonhosus btes que os colocvm cm fce profunds contrdções, publcrm um náo menos vergonhos pro* clmçüo, em que nunc, vm, com o seu crctertlco hstersmo, que o governo mocrátco d Guterr.l «estv vend Moscou e o bolchevtsmo», sen necessáro que os E.E. Uns «to. n ssem "me ds urgentes pr evtr o pergo ter Amérc m «governo vermelho» poucs hors vôo Texs e Cnl Pnmá», flrm muto, tmbém, sobre necessár «soldred mun lvre os ptrots gutemltecos ntlcomunsts que lotvm contr bldr moscovt entronzd n Guteml.».ATUARAM CONHECIDOS AGENTES Conhecs gentes dp lmperlsmo turm nã coméd entregust relzd no Méxco, e que fo durmente combtd pel mprens ms responsável dquele pís. Hoje convém recordr l^jm cos sôbre os «ptrots gutemltecos» que prtcprm dquel reunão, representn Unted Frut Compny. O presnte d legção d Guteml er o sr. Lus Coron Lr, tul stc membro governo fntoche CstUlo Arms, e que durnte lguns meses vver exl em Slvr. Ness époc, o peródco s unverstáros slvrenhos, «Oplnlon Estudlntl», publlcv o segunte: «Coron Lr vveu lgum tempo em nosso ps, como exl poltlco, c, busn d hospltld generos nosso povo, dcouse negócos turvos, lesrúlo econômcmente mutos trblh res slvrenhos, como o provm város processos que contr êle form nstur* s n Procurr Gerl s Pobres». Su flt equd e su concepção d Justç socl ílcm evncds nos processos trblho que város operáros lhe moverm junto à 3 Delegc Trblho st cp.tl e no Juzo Cvl Executvo». Hà nd outros processos nos rquvos d Justç d Repúblc Slvr, qu esclrecem opnão públcá sôbre o pss s prtcpntes congresso ntcomunst Méxco. Outro leg fo o dvog d Interntonl Rllwys of Centrl Amerc (monopóllo que explor tods s Unhs ferrovárs d Amárc Centrl), sr. Crlos Slzr, que durnte.lguns meses ser o Mnstro ds Relções Exterores no govêrno Cstllo Arms. De outros pses ltnomencnos, comprecerm conhecs gentes d Stndrd OU, como Antôno Pdro Sobrnho, s «Dáros Assocs». Dd composção «congresso», surgrm problems entre s legções, que querm, cd um, conqustr o prme.ro lugr nos «fvores» govêrno s E.E. Uns, sob o pretexto um «guerr snt» contr o govènu mocràtlco d Guteml. AS VÊSPEUAfcJ DO VUulTO DE OUTUBRO O U Congresso, rell* zrse no Ro, Agosto, tem, ssm, ob jetvo bem clros fer lugr, por «concdênc», às véspers ds eleções 3 Outubro, que os golpsts e entregusts querem Impe* dlr. Entros nesse esplrto, sob presdênc provocr fscsts Pen m RECIFE NA SEDE PO CLUBE POBTÜOüÊS Instlouse Onfem Solenemente o Congresso Slvção Norste Ccnlens legs e observres presentes A prtcpção d Lg d Emncpção Nconl Delegção ofcl Mnstéro d Agrcultur Contnum chegr, à Secretr Congresso, teses, comuncções e novs sões RECIFE, 20 (Especl nur IMPRENSA POPULAR) Acb ser Instl, n se Chbo Português, o Congresso Slvção Norste. Côrc 300 legs j 8«encontrm nest cptl, provenentes tos os Es* ts d reglfo, gurdm so nlnd n chegd numeross legções. Anunclso que, Integrn comtv Cerá, verá chegr qulquer momento n scnhorlnh Mr Emllln Corre Lm, oscnlhld Mss Brsl d A Secretr Congresso cus o recebmento MENSAGEM DE BULGÂNIN AOS CIENTISTAS ATÔMICOS (CONCLUSÃO DA I PAO.) Nções em Genebr. A conferéncl tômc consttu mportnte psso à frente pr o estbelecmento conts pessos entre os centsts tods ns nções. A legção sovétc esper que o trblho d conferênc constturá mportnte contrbução pr* o senvolvlmento um mpl cooperção centfc no mlno d utlzção dns grns scoberts centfcs nosso tempo, não com objetlvos guerr e sfrução, ms ten em vst um obr construtv pr o bem d humnd e pr o bem d cvlzção. A legção sovétc fz votos FORTALECIDO A LUTA PELAS LIBERDADES NAS AMÉRICAS (CONCLUSAOItA1» PAG.) Declmção Sntgo Chle os Povos d Aménc, que resume o" pehsárhénto B legs presentes Conferênc. Flrm os srs. Bulcão Vn e Bustero,.. peo Brsl e pel Argentn, Jun Vrgs Fuelb,, pelo Chle e pelo Com tê Ptròcnr, e o grn poet chrleno Pblo Nerud. Dlversos rtsts s prncps teros Sntgo representrm um sátr à dpomc mercn. Os legs e ssstentes d Conferênc sflrm pels rus Sntgo pr oostr um coro flores íunto o monumento geerl Bernrd 0HKgns. A Conferênc exmnou òs ^tents e crmes prtcos contr os dretos s povos e s cddãos e tomou medds hredts pr m. pllj e reforçr os movmentos fes ds lberds em cd pís e n Amérc. Outro result d Coníelenc fo 0 reconhecmento s orgnzções, já em.t d, como lgs, ssoc., dn à lut pels Uberds um bse rel e frme. Durnte Conferênc verfcouse um perfet und entre s legções presentes, embor cd legção ou leg expresssse lvre e frncmente o seu pensmento. Ess und fo ms centud entre s legções Chle, Argentn e Brsl, os ms numeross d Conferênc. A legção brsler, pre. sdd pelo Juz Dr. Osnt Durte Perer teve um tução stcd n Conferênc, ten o chefe d Delegção presd ms m. pôrtnte sessão plenár, on fo prov unnmemente o nforme put Pn Pdcl, Hermes Alumd Pcheco, Sec etáro Gerl d Conferênc O povo, os trblhres e os ntelectus Chle prestrm os legs ros emoconnte soldred, trbutnlhe excessvs è cloross mnfestções.ws e órgão» sqüd.red. * frternmeílfí,«, wrbv Trblhres Uns Pr Repelr s Ameçs Golpsts (CONCLUSÃO DA V PAO.) Mnfesto ds Trblhn v,j»,rr r. res, com s ssnturs w!. flraíf,?st0 dversos drgentes e lres Dmos, segur, o texto sndcs que o frmm: «Aos trblhres e o povo: Os bxo ssns, líres trblhres Dsflnf11 compnhn o senrolr s conteclmentosjoltlcos em noss pátr, não porm xr mrüíestr su ms Intrnsgente repuls tod e qulquer Ê&?tr.leg8l que Tenh» íerr à ConstltScJo S Republc e Impedr plen relzção eleções lvres eletol e * cons«ücnt«po«e s ^uddtos Neste sent, pelmos os trblhres, tos os drgentes sndcs, os cnddtos A mgstrtur ps às nosss gloross íôrçs rmds e o povo^em S?,U ^P^nd0.?US "%** ""«ntenl.m.se vgl Jtes pr tenr relzção eleções lvres em 3 outubro oró* xmo e s nsttuções mocrátcos, ^ÉrSSf mente meçds pelo grupo golpst quo tu vem tens ZnTltLtJr^ T»mo e " trbllmls " Ktturo"re,,te seus cnd,,,tos * «" s^st^^^^ 8 SeffU,DteS Udcres Vlmr Vn, verer ê drgente s trblhres em bebds; Odlon F. O. Brg, verer e lr s vjntes comercs; Ange* lo Mzel, drgente mrtmo; Mr d Grç Dutr, secretár d Ferção Nconl s Jornlsts; Sebstão Mglhães, leg d Ferção s Mrceneros; Mocr Sá Plmer, secretáro Sndcto s Aerováros; Wlmro Luís d Slv, presnte Sndcto Monhos; Frmno Comes Crso, dretor Sndcto Monhos; Enos Funsee Dór, secretáro Sndcto,.s Empregs em Hotés; Líco Huer, presnte d Unão Nconl s Servres Públcos; Edgr Lete Ferrer, secretno d UNSP; Antôno Luís Vsconcelos, dretor d UNSP; ütvno Antôno «Sntn, dretor d UNSP* Crlos Olver Cstro! dretor d UBSP; Mnoel Rodrgues Bonfm, dretor d UNSP; Erlco Fguere Alves, presnte Sndcto s Grálcos; V. mr Torres, secretáro Deprtmento Esportvo Sndcto s Gráfcos; Huberto Menezes Pnhero, pre* snte Sndcto s Bncáros; llu Mnso Ver, secretre Sndcto s Bncáros; Wlson Tvreso dretor Sndcto sbncáros; J. Jme Gomes, presnte Sndcto s Mr* ceneros; José Menezes, secretáro Sndcto s Mrceneros; José Assunção, dretor Sndcto s Mrceneros; Sebstão s Res, presnte Sndcto s Têxtes; Féüx Crso d Slv, secretáro Sndcto s Têxtes; Dl* m Pnto Pnhero, dretor Sndcto s Têxtes; Frncsco Rodrgues, dr* gente têxtl; Astrogll Pe. rer, presnte d CISCAI; Adão. Lel, drgente têxtl; Jocelyn Sntos, secretro Sndcto s Jornlsts; Crlos Alberto Cost Pnto, secretáro Sndcto s Jornlsts; João Antpno Mesple, secretáro d Comlssão Permmente V Con.gresso Nconl Jornlsts; Arlsteu Aqules, conselherod ABI; Rul Rff, dlretor d Ferção Nconl s Jornlsts; Agostnho Crvlho, drgente or. nlst; Fernn Segsmun, Conselho d ABI; Lucno Bcelr Couto, lír bncáro; Olímpo Melo, lír bncáro; Antenor Mrques, lír mrcenero; José Cstor Mrnhão, presnte d Unão Muncpl s Servres Públcos; Antôno Ç.. Vsconcelos, presnte Sndcto Crre Urbnos; Jorge d Slv Cve. ds, éecretáro Sndcto Crrls Urbnos; Mnoel Ver Ds, dretor Sndcto s Crrs; Slvéro Mnoel d Slv, presnte Sndcto s Empregs no Comérco Hotelero; Mguel Pedro d Slv, secretro Sndoto Comerco Hotelero: Alfre Alves Res, dretor Sndcto s Empregs ho Comercro Hotelero; ücnwlto Cerquer, presnte Sndcto s Metlúrgcos; Má * ro Jtetes "Uurs, dlr» tor Sndcto s Metlúrgcos; Gumrães Brto, dretor Sndcto s Metlúrgcos; Eurpes Ares Cstro, leg d Ferção s Metlúrgcos; Alcno Horáclo d Cost, presnte d Ferção Nconl s Empregs no Comérco Hoteleros; José C. Pcheco, presnte Sndcto s Spteros; Djlm Mrques, secretáro Sndcto s Alftes; Alcrno Tvres Ds, presnte d Unão s Operáros Muncps; Pedro Fernns, secretáro d Ferção Nconl s Mrtmos; Gerson d Cost Slv, dretor Sndcto s Tíeros d Mrnh Mercnte; Jorge Mour Vle, dretor Sndcto s Mrnheros; José Souz, dlretor d Ferção s Mrtmos; Slvo Ver Lm, dretor Sndcto s Tíeros; Hugo Pmentel Mennç, dretor Sndcto Arrs; João Btst Slv, dretor Sndcto s Fogults d Mrnh Mercnte; João Severno Bezerr, dretor Sndcto s Mrnheros; Juscelno Pedro s Sntos, presnte Sndcto s Crpnteros Nvs; Arln José Gonçlves, dretor Sndcto s Crpnteros Nvs; Vlmro Res Vz, dretor Sndcto s Crpntelros Nvs; Emlo Bonfnte Demr, drgente mrtmo; Mnoel Brz Eurco, dretor d Unão s Operros Muncps; Hugo Gomes d Cost, presnte Sndcto s Trblhres em Açúcr; Mnoel Roch, drgente mrítmo; Odlo Borges, drgente sptero; Aduto Rodrgues, drgente lfte; Elseu Alves Olver, drgente s trblhres em Crrs Urbnos; João Fernns, presnte Sndcto s Operáros Nvs; Irneu José Souz, put estdul e drgente s operáros nvs; Ru Alves Gumrães, leg d Ferção Nconl s Empregs no Comérco Hotelero; José Gumrães, presnte Sndcto s Aerováros; Roberto Moren, drgente mrcenero; índo Vlsbos, dretor Sndcto Arrs; Expedto Borges, 1.» te. sourero d Ferção Nconl s Mrítmos; José Almed Rego, dretor Sndcto s Professores; e centens outros dlrlgentes s trblhres crlocs. ROTEIRO DE JUSCELINOJANGO (CONCLUSÃO DA 1 PAG.) 3, 4 e 5 vstrão Sergpe e Algos. De 6 9, correrão o Est Pernmbuco Achse progrm pr Recfe comlclomonstro. Hoje, João Goulrt vstrá s cds flumnenses Rezen, Brr Mns, Volt RMond e Brr Prl. Ontem, o compnhero chpo Jusce"no este. ve, prtcpn comcos. em ítborj Ro Bonto,» Arrum, Mcé e Cnços. v^ pr que se relbcm no fu* turo semelhntes conferên* cs». PLACA COMEMORATIVA GENEBRA, 20 Será colocd no Pláco ds N* çoes, nest cd, um pc comemortv d Confe* rênc Atômc, concebd ms ou.enos nestes têr* mos: «.Neste pláco, no d 8 «gosto 1955, clentls* ts tômcos representn 73 pses, se reunrm ílm colocr em comum o seu sber pr o mor beneíco d humnd, por ocslão d prmer conferênc Internconl sobre utllzção d energ tômc em fnlds pcfcs, convocd por resolução unãnlme d Assemblé Gerl ds Nções Unds». númers teses e comunc* çôe técncos st e outrs regões ps, bor* dn os ms grves problo* ms como os d energ elé* trlc, comérco exteror, su*, educção, lmentção, reform grár, cs popu* lr, etc. BEPItESENTADA A MOA DA EMANCIPAÇÃO A legção Dretóro Centrl d Lg d Emnepeflo Nconl, um ds cn (Ids coptroclnr<; Congresso, já está cm ltecl* ío c é presdd pelo generl Edgrd Buxbum, Integrm n nd o prof. Hcnrlquo Mrnd, o verer Afonso Celso Noguer o o m Jor Npoleão Bezerr. NOVAS ADESÕES A Imprens stc são dd pelo mnstro d Agrcultur, o ptrótco conclve, sgnn tos os chefes s servços dquele Mnstéro, stus nregão norstn, pr 6ob presdênc dr. Rento Frs, comporem legção Mnstéro d Agr* cultur. Outrs sões que c* bám ser recebds, são s d Assocção Nconl Voleros e Trovres, D. Almo Mch, bspo Pesquer, sr. Modr Brto, gerente d Fábrc Pexe e Dretórlo Acdêmco d Fculd Dreto. COMÍCIOS DO MNPT HOJE NOS MORROS DA CIDADE (CONCLUSÃO DA 1» PAG.) está convocn tos os seus legs pr um reunão mp, mnhã, às 18,110 hors, n Ku fcão José, 63. A comssão executv MNPT d Zcn d Centrl reunhse4 mnhã, às 21) hors. n Assocção Democrátc Cscdur, pr trtr sus tvds n presen. te cmpnh eletorl. CONVITE AOS COMERCIA RIOS Os comercláros estão convds pr prtcpr, n próxm quntfer, às 17,;o hors, um reunão MNPT, à Ru São José. 63, n qul serão present* s os seguntes pontos; In. forme sôbe Convenção N* conl MNPT; crção um núcleo MNPT d corporção s comercs e eleção d comssão executv dn mesmo. ADIADO O comíco MNPT pró Juscelno.Jngo, que estv mrc pr o d 23, no cmpo São Crstóvão, fo d pr o d 29, às 19 hors, no mesmo locl. O Cordtvl será relz, no d 27, n Prç 13 Junho. OUTRAS NOTICIAS Relzouse ontem um comco MN.P.T., no Mor* ro Borel, que fo muto concorr. Ontem nd houve um plestr sôbre Convenção Nconl M.N.P.T., n Ru Sçú, com grn êxto. O Comtê M.N.P.T., Bngu provou o segunte progrm tvds pr semn: d 21, às IS hors, Inugurção süpcomtê d Estrd Retr. 190 sob; 23, às 20 hors, nugurção subcomtê d Estrd Engenho; 25, às 20 hors, nugu rção subcomtê Jrdm Ro d Prt. Os spteros resolverm re!u.num comlcorelâmpgó, mnhã, n fábrc cls Mtos Roch e crr corntês em outrs fábrcs, mrcn um reunão or qurtfer, n Ru Lvrmento, 20. TELETIPO EM CHINÊS HONG KONG, 20 (AFP) O prmero teletpo em língu chnes cb ser termn em Pequm, nunc est tr o rádo Pequm, cptd em Hong Kong. O rádo esclrece que s experêncs rm results excelentes, e que o novo meo trnsmssão dret ssm consegu ument efcác ds telecomuncções. Comprovd Estbüd Comérco LesteOeste (CONCLUSÃO DA l* PAG) mento comérco entre os pses ocnts íol d orm 3,5%, o vlor totl ds trocs LesteOeste, no seu conjunto, umentou cerc 15%. O COMÉRCIO COM A AMÉRICA Segun o «Boletm Informção Econômc e Comerc», edt pelo Comtê Internconl pr o Desenvolvmento Comérco, nos pses Leste coube o merc d Unão Sovétc o umento ms expressvo no que concerne o ntercâmbo com os píses occlents; cerc 38%, pr s mportções e 28%, pr s exportções. Em segud, vem Kepúblc Democrátc Alemã. A speto contnurem os píses d Europ como os prncps mercs ns*relções com os píses cmpo soclst, com um totl trocs no vlor ms 2 blhões dólres, o ms forte umento verlfc em relção 1953, se veu os pses d Amérc, Orente Médo e d Áfrc. O cso d Argentn é um exemplo frsnte: seu comérco com o Leste pssou 39 mlhões dólrés, em 1953, pr 223 mllhões em ACRÉSCIMO NA VENDA DE EQUIPAMENTOS O no pss regstrou um nít umento ds expórtções sovétcs e romens pr o petróleo e seus rvs, que tngrm um totl 4 e melo mlhões tonelds. Est quntd correspon 150 mlhões dólres, contr 1 mlhão e 700 ml, em Só Argentn comprou tonelds crvão pedr àpolônl e outros píses Leste europeu. O elemento ms sgnfctvo, porém, fo o crescmo ds vends equpmentos ndustrs, mterl trnsporte, equpmento dp mnerção e energ elétrc, bem como rnáqu ns.tdu espéce, pr.s nções morcns.. Form seus prncps fornece res, Unão Sovétc, " Tchecoslováqu e Repú* Mn DeBOfrálc Almã. Reltvmente às mportções s pses Leste, els presentrm, em 1951, um precável umento no míno s produtos grlcols e pecuáros. As com Brs crne n Argentn e rugu ( tonelds) colocrm URSS no tercero lugr entre os mportres munds. A comprs lgodão, fbrs têxtes vegets, peles, fruts ctrcs, ccu" e cfé íorm mesmo mo superores, o mesmo contecen os mneros ferro e outros mets. ENORMES AS POSSUULI* DADES O fto comérco Leste Oeste resultr esforços empreends em cond Ções polítcs nterncons, às vezes, dfíces, dálhe um cráter estbld negável, porque correspon necessd econômcs re Is. Nnguém po contestr hoje rpz senvolvmento econômco s pses cmpo soclst. Or, estes píses, que têm. um comérco exteror d orm 20 blhões dólre, prtcpm pens com 3,5 blhões no ntercâmbo qom os píses cptlsts. Vê se, pos, que s possblds res estão muto longe serem tngds. O que é lmentrse é o rdículo provetmento que fz o Brsl ste" mágnlfco merc, form. por um populção 900 mlhões hbtntes,, cujo progresso econômco é, sem dúvd, um s contec* mentos ms mportntes noss époc. Submetds por um govêrno compromet com os monopolsts mercnos, Indústr, lvour e pecuárl ncons, estolm se n contngênc um merc monopólo. A necessd sobrevver lev; no entnto os nclúsüs brsleros, 0s fzehlros e pecursts juntr sus vozes à d mor nosso povo, fm dç exgr dp sr, \ Cfé Flho ò me dto retmento relões"comercs y díplbmát :s com Unão Sovétc, Chn Populr, e os! ms píses d Democrc Populr.»J D!ü,ü 0_,y?l[Jf, PTB«t AMtmblél Bn: tste CONGRESSO é Obr Ptrotsmo" Encerrd solenemente Convenção Bn, preprtór Congresso Norste Exl* td mportânc conclve Recue **. Connção às mnobrs golpsts SALVAIMIIt. 20 (Dn cor* responnle) No mplo udtóro dn Assocção Funconáros Públcos teve lugr o encerrmento d Convenção Bn, prenrtórlu Congresso Slvção Norste, num sessão soleno e extrordnár concorrd. Sob presldêncl, reproentnto secretáro d Agrcultur, sr. Jme Culmnrflcs, contou com presenç Inúmers personlldns, entre s qus o presnte d Assocção s Funconáros Públcos, sr. Mnoel Gues Arújo; put Wnldlr Pres; sr, Luz Delrão, presnte Assocção Pernmbucn Imprens; prof. Acftclo Ferrer, dretor d Bblotec Est; cng. Luro Smpo; sr. Mnve Volenç, presnte d Assocção Femnn d Bh; put Clemens Smpo; sr. Hélo Mch, representn o prefeto d Cptl; e o prefeto ltbun. MANIFESTAÇÃO CONTRA O ÜOLPE Os orres íorm unftnmes em ressltr oportunld dà relzção Congresso, stcn Importánc ds resoluções serem provds que, como dfr clrou o prof, Acâcto Ftr rer, Irão pressonr ob ho. meus públcos e os cnd. ns crgos eletvos grem cor com os merêsses d Nção, ctjmó conteceu com vtoros cmpnh petróleo. Multo plud fo g put Clemen» Smpo que, o bordr o preblunh d energ elétrc, nuncou lrquc2 «..,. frcnle s mposções üw trustes nortcmencuos. A!u dlu nd o momento poltco, connn s tentvvs s que sejm o gupe pr nsulrem uo por dtdur repudd pelo povo. O put Wldlr Pres centuou que rclzçw vtoros d Convenção reve K que o povo bno está nmmurccendú poltcmente hbtunse reunr pr, bter seus problems, «.* te Congresso é urn obr «jt> ptrotsmo», clrou o n. r P.T.b. n Assembkw Legsltv. Desejn o ms cornp.e to êxto o Congresso w, Norste, em nome Sccêtro d Agrcultur, étcertou sessão o sr. Jme Cul mrftes, Exgem os Estudntes Verb que Lkes Pertence A Ferção s Ectudn* tes Secundáros Nteró envou telegrm o prefoto Alberto Fortes, pedn o pronto pgmento un< pnh Nconl Educndáros grtutos d verb que lhe é stnd. Des legsltur pssd, provou Câmr Muncpl nsttução um tx 20 centvos ser cobrd ns entrds e tnom, pr mnter em fun. conmento os Éducàndá ros grtutos. Embor tenh feto respectv rrecdçso, Prefetur náo proceu o pgmento d verb «os Edu.ndáos, ue estão em véspers fechmento, levn centens d» jovens trblhres, tcem sem escols. («Sucursl Nteró), Ferrováros To Brsl Vão Unícr Sus Rcvndcrjes CONCLUSÃO DA! PAG., cl. Bst dzer que n Centr Brsl, que é um ds prncps ferrovs pís, dverss ctegors trblhres nd não percebem o sláromnmo termn por le. ORGANIZAÇÃO DO CONGRESSO Congresso será nugur solenemente no Tetro Muncpl Cmpns. Além d mes dretor serão consttuíds ses eomssoes uxlres, sber: Comssão Legslção Trblhst, Prevdênc Socl, Acnte Trblho, Comssão Redção e Propgnd, Publcd e Comssão Moções, As resolu ções Congresso constturão um progrm e bnr lut s ferrovros Brsl e serão envds o presnte d Repúblc, o Prlmento e governres Ests. DEFESA DAS FERROVIAS E DAS LIBERDADES Além ds revndcções especfcs s ferrováros, o Congresso bterá tmbém ssuntos que nteressm, não pens os ferrováros, ms tod nção. Entre esses, fgur questão d entreg ds ferrovs ncons empress prtculres. Em reunão relzd em Moj ds Cruzes, os ferrováros d Centr repudrm o projeto entregust que dspõe sóbre est medd runos pr os trblhres e econom nconl. Por outro l, os ferrováros não fcrão lheos os tents e meçs à Consttução, pos eles tém nteresse vtl em fenr s lberds mocrátcs e prtculrmente s lberds sndcs e o dreto greve. Ts questões, portnto, estrão tmbém no centro ds preocupções s legs IV Congresso Nconl s Ferrováros. TEMÁRIO DO CONGRESSO ACIDENTE DO TRABALHO o) segurnç no trb. ho; 2. ) Remunerção enovro cnt. LEGISLAÇÃO TRABALHISTA* t. ) Remoções suteur. consults sobre ecfnw. errdre: 2, 1 ;.*.(., < tempo ds esoslís furí se uessoe d c*l&.. r "C" d equogêm Jstrens; 3. ) Plnl cção melhor ssrem jemuerção tos os empre^;. s dretmente H^E.; crculção trens: 4. ) Jcvnds 8 hors os vgs notumes: 5 ) Abonocompensrão por trblho prest em zon nslubre; 6.". Justfcção usênc em cpso enç "Avso Anteep: 7. ) Equ.prçào vencmentos: 8. ) Esttuto trblhr ferrovno; 9 ) Conrr plurld sndcl: 10. ) Despess ds 1enovs: 11. ) Contr trnsformção ds ferrovs em S/A. PREVIDÊNCIA SOCIAL 1.9) Aposentr cm mnutenção d le 592 (Brp Tnoco); 2. ) Computcão tods s hors trblhcls pr efeto d* posentr; 3. ) Cont Cem em bro tempo pr efeto posentr trblhn em zon nslube. FERROVIÁRIOS DA CEN TRAL ULTIMAM OS PRE PARATIVOS PARA O CONGRESSO Os ferrováros d Centr Brsl ultmm os preprtvos pr envr seus legs o "TV Cohgresso Nconl s Perrováros, relzrsé gosto em Cmpns (São Pulo). Em reunão relzd ontem n UNSP, bterm questão e mnhã voltrão relzr nov reunão n qul serão crencs os legs que representrão os ferrováros d Centrl. Dstrto Ferl no grndr* conclve em que serão, bt ds s revndcções s ferrováros to Brsl "SH0&TS" SRS 80,69 0e To os Tpos CONFECÇÕES ÁÍÍACRX Ru d Alfâng, 318 V ndr; Ru Vnte Abrl, 7, loj. E gnheum gelr Clímx T.55. &l~.$frz: «U,» ^\, SOLDADOS to mm LONDRES, 20 (AFP) «Consrse «grve» em Londres stução ns três províncs merdons Sudão», clrou hoje um portvoz Forelgn Offce O governrgerl Su dão, sr Alexnr Knox Hem, conferencou hoje mnhã com,sír Ivone Krkptrck, subsecretáro permnente Forelgn Offce respeto s contecmen tos Sudão, espernse que o governrgerl xe brevemente GrãBretnh, on se. encontr em férs, com stno Krtum. Segun nformções fonte utorzr, não se trtr um smples revolt s solds sudneses estcons om Tort, ms revolt conjunto ds íôrçs rmds d Provínc Equtór. Ter hv serções solds cm várs gurnlções d o s s Provínc e provvelmente em dus outrs Províncs Alto Nlo s d» mm B fuâzl/ ^^^^^^^^^^emmm DtUKTUlt: PEDRO MOITA LIMA UeJuolo AdmljIMreCw UUA AJ.VAH0 Al VIM. 2! 21* AM 1MB TBUSJfONKSt Cortr.,,,, 3Sso.tí (torênòlü,..,,,. ís.«32s 5.e<Lre,!rl»»«rlMf : Kel»04o...,ÍÍ85... VENHA AVUlAâ* dmerv. d d ",.». NOnwro trs.,«asuuxuus..sò l I»*> 3W.M 6 meus... ",20.01! S mee te.o 1 no. t mes*» SXTElIfOB. 8DVUBSA1SI soo.oo 200,00 1O1.00 NITERÓI: B.» Vscon o «ugul, m,»ob, / 102. PETKOPUUS: tu Alencr Lm, lj, t ndr,», 2 LAMPUü: Bus «João r;r.r. 126, sobr. SAO PAULO Bb*.5k Bsttlí «nte», d,

3 IMPRKfNSA POPULAR PAGINA 3 Interesse Mundl Pel Exposção Atômc Sovétc, _V T._.» _._:»"t»wwwww«cjõjjloj DO FESTIVAL DE VARSÓVIA Encontro Com os Jovens Portugueses OSVALDO R. GOMES.(NOSSO ISNTVTADO ESPECIAL) foorrtpondôncl retrdd) VAPBôVIA rer/t;*«</o um convte d legção portugues, numeroso grupo ãe jovens brsleros tverm o opor* funlrfn trvr relções com seus compnheros Portugl, Moçmbque e An* gol durnte um recepção festv e comovente. Apens lt leg» portugutse contegurm romper» h. relr» mpost» pel dltdur slsrst pr prtclpr d mor fest d juventu mundl. Atulmente, encontrmse pretos ns msmorrs slzrtts SO jovens portuguôscs, membros Mosmonto Und Democrá. tc Juvenlt, que o governo procur lnçr n complet legld. Dentre êle» 8 íí sen processs, nclutlve por terem prtcp Festvl Bucreste. o cso, por exemplo, jovem Vtco Cbrl, con, n s nos prsão 0 "medds segurnç", dspostvo fscst d Icgslàçâo Blzr segun o qul o» ptrots portuguêse pom ser mnt» n prsão té durnto Ií nos, sej qul fôr su pen, o rblro d polc Quse polítc. tos os membros d dreção MUDJ ctão cn* crcer». O encontro com o» joven» portuguêe» teve, ssm, o cráter um mno uo* «mont contr o reolmo Bltr que, servço» mperltt» nortemercno», oprme o povo, vol o» dreto» homem o no* g» lberd» mocrá. tc». Por ntermédo d legção brsler, o» jovens portuguêse» fzem um pelo o povo brslero e, prtculrmento à nott juventu e colôn portuguêt no Brsl, pr quo so soldreem com s vtms Jo slzrsmo, envn mens. gens protesto o r. OUvelr Blzr, o mnstro» d Justç, Interor o d Educção e o Juz Trbunl Plenáro, exgn lbertção joven e wt. ptrot presos. Ape Im tn à toldred pr êle mesmo que, volt»> * «... *. o teu po», corrm o rsco terem tmbóm encrcer! por»e uvm o» joven» to o mun n lut pel p» 0 mz entro ot povo». O relto te» ftos, polot membros d legç portugues durnte o coquetel, revelou um ntenso ot* ml»mo e um férre vont* lut s jovens portuguetes pel ps, pel mocrc e pel npendênc su pdtr. O terror fsclstu não lhes bl o esplrto, nem contegue empnr su legr juvenl, O encontro ds nosss legções crcterzouso por um nteno entulmo. Ao om pno o volão, o joven cntrm o dnçrm, pretentn nteresnte numero d crção rttc populr Portugl e Brl. Mrcouo o espírto frternd c, ã spedld, o joven flrm d tu grn epernç ver, num futuro próxmo, nosso povo mrchrem lvres e npenntes pelo cmnho d pz o d felcd. í Í2SMÍ!$/IIÍRI0Í,,OS» ***» FRAHOESES E SUECOS RECONHE ÚE?_0!_ÍÍ,J._S.ÍX_0EP0,OHAIS 0A CÍÊMCIA SOVIÉTICA NA APLICAÇÃO DA ENERGIA ATÔMICA A MEDICINA, NDÚSTRIA E AGRICULTURA S»l*NlltA, gosto (CorrcHpondnct ^* cpo c VI» ére) O corresponnte d gend Unted Press «>m Genebr, Wllllmu Sexton, screven _ prle novldllc d exposção 0bro energ tômc pr flm pcífcos, Inform quo ou sábos sovétcos Os sábos ue compurecerm á coníorôncln, prossegue Sexton, fcrm mrtvl. "Exbn seus mstrumentos tômcs, UH.S.b, mononollzou tods us glórs prlmo.ro d, _nb os s Ests Unds, Inelterrn o outros pses reconhecem «íuo u exposlefo sovétc tcbmunhu éx tos extrordnáros o Inesperns no emprego átomo nos terrenos med cln, ndústr o grcultur." A IMPRENSA SUECA OPINA O lornl "Morgen Tldnln* gen". "Por Estocolmo, escreve: ocsão d bertur d exposcão tômc, cm Gcnepr, os russos revelrm senscons scoberts, que fzerm psmr tos os vslntes. Os conttos entre os sáolos tornrmse lego multo "Os eslro.tos." sábos contnu o Jornl sueco fcrm mrvühns o chefrem sl russ d exposção o verem l. presentds com gosto, s Instlções pnr o produção energ clétr. c, rtnmento ençs cnccrcss, dreção nuí*omá COMISSÃO PARLAMENTAR DE INQUÉRITO CONSAGRADA UMA VITÓRIA DO PO» EM TRÊS ANOS TEREMOS COMPlífÃÕÃI FASECHAVE DA ECONOMIA DO PETRÓLEO utosucênc n refnção, polítc nconlst clços porá prossegur sem O per que ensn hstor d explorção petróleo Superprodução óleo, no nun ünso Azul e Cochbmb (4» um sére reportgem ALVARES DE SA) Sâo plenmente reconhecs os rscos e nsegurn* ç nos results ds pes* quss petrollíers. A s* peto s progressos fetos nos métos prospecção, té que sej loclz um cmpo petrolífero econôm* cámente explorável, nenhu* m grnt po ser dd, «pror!» em relção o su* cesso ds operções empre* endlds. Sem ess loclz* ção, tos os ds fcm no terreno espcultlvo, ns pre* vsões, ns expecttvs. Arrss nos outros rgumentos, pelos números e frmções concretos pre* eents pels testemunhs convocds, os entregusts que se nfltrrm n Coms* são Inquérto d Câmr crd pr Investgr explorção petróleo no Brsl concentrrm fo* go n questão d produção óleo nconl: se o mo* nopólò esttl está em con* dções rrncr sub* solo brslero, ntro tempo útl» d tese Jurez Távor, o petróleo necessá* ro o nosso consumo. A respost dd pelo sr. Junnuer Ares um per* gunt put Dgob>rto Sles, coloc quês* tão nos seus vs termos: «Qunto à Indgção sobre se PETROBRÁS, com os recursos que dspõe po* r vr cobrr mnd consumo brslero, fz nco est dstnção: em mter refno, ndústr refnção petróleo, sm, poroue este é um pno prevsível; gor, em mtér óleo brslero. há sem_re um mrgem erro. Acredto que Nov Olnd já tenh dmnuí muto ess mrgem, por* qunto monstr exstênc petróleo n Amzó* n. um ds mores áres gedmentres mun». REFINAÇÃO: FASE CHAVE A dstnção estbelecd pelo sr. Junquer Ares, e sempre contornd pelos entregusts em to o trns* <*urso nquérto, stu, perfetmente o problem. O que mport prmermente é grntr um prque re ínção que cubr s neces «ds ncons, pr mr «dr em segud pr pro* dução própr óleo consum. Dentro d orentção se* _ud nest reportgem, só utlzr os rgumentos oferecs pels teste* munhs convocds pel Co* mssão Inquérto, vmos trnscrever um trecho pomento engenhero Plíno Cntnhe. Após re* ferrse o fto que em menos ses nos, o r sl montou um prque refn* r cpz refnr 70% sèu consumo tul, c prtcmente totld no que se refere à gsoln, pos monstrr que pr ess fsechve d econtv m petróleo já possuímos técncos perfetmente c* pzes rcr com os seus problems, crescentou: «Chmo muto prtculr* mente tenção s srs. Deputs pr sso, por que consro que um es* forço feto nesse sent, brrmos ntro í nos refnrs petróleo, «s refnrs petróleo. representrá um elemento chve pr que polítc nconlst petróleo po» prossegur sem mlore» perclços porque, um ve ssegurd refnção, qu 4 fsechve n econom petróleo, em mãos d PETROBRÁS,... estrá fst, em grn prte, qulquer possível pergo nos outros setores... E, p* ; *»._ Brsl tng» uto* sufcênc em mtér refnção, bstm três nos». Contnu nd o expresnte C.N.P.: «Qun estudmos hstór pe* tróleo, ou o gêno ínnce* ro Rockíeller ou outro qulquer, vemos que o seu senvolvmento não se u porque eles tvessem pro* cessos tecnológcos ms purs que seus con* correntes... Fo porque eles compreenrm s logo mportânc ss ísechve, trnsporte e d ref* nção. Aproprnse então ss fsechve, fzerm * pos ntegrção tod econom petróleo». SUPERPRODUÇÃO MUNDIAL DE ÓLEO CRU And que o Brsl não possuísse em seu terrtóro, um got dè petróleo h* pótese tão persegud ou* tror pelos trustes e que o Recôncvo.Bno e Nov Olnd verm smentr mo uspcoso tl fto não mpedr que nstls* semos noss própr ndús* tr refnção, como o fêz o Urugu. A qusção óleo bruto não consttu pro* blem em fce d superpro* dução mundl. Declrou o coronel Artur Levy: «O pro* grm refnção trt d nstlção refnrs, no ps. Ess nstlção peceu, como não pod xr ser, o senvolvmento d produção óleo, o que nos prece lógco... Pomos nstlr novs refnrs on forem necessárs, usn* óleo mport, produto que exste em bundânc no mun, em regme su* perprodução. Portnto, époc é propc pr ns* rlção refnrs, buscnse o óleo on fôr ms convenente e provetnse d concorrênc que exste entre s grns compnhs pr se obter êsse óleo em melhores condções». Sobre éste ponto, é nferes, snte trnscrever s clrções sr. Plíno Cntnhe respeto ds jzds peruns d regão Gnso Azul: «A estrutur Gnso Azul, Águs Clentcs, fo um estrutur scobert vão por um geólogo que lá pssou. Estv à mostr. Perfurs ses poços tos ses form Produtores. E o Gnso Azul hoje tem um pequen refnr que refn lgum produto que mnd pr Mnus e o resto retom o poço. porque não l consumo n regão. Esse petróleo Gnso Azul economcmente é brslero, prtcmente é brsle.ro, porque su sd só por ser fet pel regão mzônc»..con:. sçobert óleo n regão mzônc Novu Olnd) êsse petróleo Gnso Azul fcou nd ms pennte, por. que o que v comndr o preço óleo nquel regão será forçosmente o Nov Olnd.» Outr observção, ntro mesmo ponto vst fcld bstecmento nconl com petróleo mport fo fet pelo Sr. Junquer Ares; «o put Dgoberto Sles fez um ndgção sobre bstecmento petróleo, Um contrbução nteressnte pr êsse bstecmento 6 petróleo bolvno. Em fns julho ve começr prmer corrente tráfego tornecmento petró:eo bolvno o Bsl, petróleo vn Cochbmb e que será dstrbu em Mto Grosso.» DENUNCIADA PELA IMPRENSA GAÚCHA A NEGOCIATA DO ARROZ O JORNAL "O PORTO ALEGRE, 20 (Correspondênc especl) O vespertno «O Clrm», que se edt nest cptl, contnu dvulgn novos tlhes d escndlos negocltà rroz que renu cerc 70 mlhões cruzeros um grupo especulres comnds por Renl Roesch. Num sus últms edções o vespertno gúcho present um retrospecto d negoct que u o título «RoX escândlo». Nest reportgem «O Clrm» stu o ge* nerl Jurez Távor, cnd* dto ds forçs golpsts, no centro d negoct e dz: «O generl Jurez Távor er o mndão bsoluto. Concentrv em sus mãos to* s os pores em mtér ssuntos econômcos e bstecmento. Colocou n COFAP o generl Pntleão, que er um homem seu. Mndv n SUMOC, n CACEX, e on preten* sse ms. Promov reunlões sobre ssuntos econômcos no seu gbnete chefe d Cs Mltr, no Pláco. Flv e dv orns pelo telefone.» Comprovn tl frm* ço «O Clrm» ct o re* Dsputs Pelo Povo os Exemplres d IMPRENSA POPULAR Senhor redtor, um f* to que cusou profund stsfção tos os p* trots Mgé fo pro* cur que IMPRENSA POPULAR teve mngo últmo, «l l, qun pu* blcou o Informe Luz Crlos Prestes sóbre s eleções. A cot remetd pr Mgé fo pouc «ltoum rpdmente. Houve letores que chttgrm _ oferecer Cr 10,00 por êsse número, tl dfculd surgd pr se obter um exemplr, ). Um letor ssíduo. CLARIM" DIVULGA UMA REPORTAGEM SOB O TÍTULO: "RAIO X DO ESCÂNDALO" ltóro ntgo presnte Insttuto Sul RoGrn* nse Arroz, sr. Joqum Mus, e que fo publc n revst «Lvour Arro* zer», zembro A NEGOCIATA A segur, o vespertno Ro Grn Sul presen* t negoct rroz, em to o seu mecnsmo. Dz «O Clrm» que o espe* culr Renl Roesch, fm comprr grns pr* tds rroz Est su* lno, veo o Dstrto Ferl entenrse com os geners Jurez Távor e Pntleão Pesso. E obteve governo um snecessár portr dn públco probção exportção rroz. A portr provocou um que* d medt preços no merc gúcho e preços vltntes Renl Roesch dquru um prtd rroz superor 500 ml scs, enqunto seus zm o mesmo 500 ml. MAIS UM COMITÊ FEMININO mgos fcom outrs Sob presdênc d. Srh Kubtschek, será nstl, hoje, em Roch Mrnd (Ru Turquez,26), ms um Comtê Femenno PróJuscelnoJngo. Além d espos cnddto ds forçs ntgolplsts à suprem mgstrtur pís, frão uso d plvr orentr Comtê, d. Nívl Ver Melo, e o put Ver Melo. A comtv d* Srh srá às 16,30 hors Comtê Centrl Femnno (Avend Ber Mr, 216. tlc usns metlúrgcs, prelhos pr contugem e "A Rrrnfs, etc" mpessflo gerl fo quo os russos couegul* rum êxtos for comum, cm purtlculr nu plcção «lu energ tômc, A medc.nn, ndústr e grlculturn. EM LONDRES Os Jorns londrnos pun! cm n prmelru págn o notcr o sobro presenç s legs sovétcos cm Genebr. O "Str" Intlíul sou not c árlo: "A U.R.S.S. ro* vel uo mun o segre dn centrl tcm!c." O "EvenlnR Stndrd" dá presentrm «um brlhnte colégo n». rolho* pr produção energ elétroo, tr* Innu nlo cancer, controle lomlndre» 0(0 e ndutvo contgem grrf* cervej». seu notcáro um ttulo «m ocup tod n extensão d pnmo.ru págn: "A u.lt.s.s. expõe os plnnos ds usn.*. nomlcns. Projetd um centrl «tus vezes ms pos» «.uu* oue Ingles." REPERCUSSÃO FRANÇA NA bllcm Os jorns frnceses un com stque os dns, pchos sobro o nforme d legção sovétc A conferínd écnlcoclcntfc.sôbre utll/.nção pcfc d oncrgl o.mc, refente A cenírnl elétrc tômc prmer mun cm funconumento n Unão Sovétc. Os jorns cen Ato Públco d UME: Refrmção Democrátc Um Ato Públco Re* flrmção Democrátc, será rcnllzlo no próxmo d 25, pel Unão Metropoltn Estudntes, em sun se, á Pr Flmengo n A mnfestção estudntl contr pregção golpst, estrão presentes os srs. Rmun Mglhães Júnor, Sobrl Pnto e Queroz Flho, entre outrs personl* ds convdds pelos unverstâros pnr quel m* nfestçâo. Dn cênc os estudntes suo cl* são, UME lnçou ontem um novo mnfesto, no qu) não só reter sus posções nterores em fes d mocrc, como pel os estudntes pr que estejm vglntes dnte ds mnobrs golpsts. O MANIFESTO DA UME Tem os seguntes termos o mnfesto lnç pel Unão Metropoltn Estudntes: «And um vez os un* verstâros crocs drgemse o povo brslero, convo. cuno cerrr flers em fes d orm leglmente consttuíd. Insstem certos grupos nfluênc poltlcomltr em zelr pel nquetção nconl, grvn sermente crse presente pelo est esprto que ocsonm. Vlemse urr Idé" mnotd pelo tempo, que o povo não está prepr pr exercer o dreto voto. Negmlhe. porém, êsse exercíco gurdn, tlvez que lgum d mnheç ted lumnd nção e pend súbto, tods s vrtus cívcs. Se o povo não tem condção eleger seu governnte, com que utord ou legtmd os tus drgentes exercem o por, qun ess mesm coletvd fo con* cesjor s mndtos em vgênc? Entenmos que má pl. cção les solds não justfc o nquümento d própr Orm, que se bse em dretos sgrs e nlenávels. A mocd unverstár não tem pretenção conselhr os ms experentes. Tem. porem, ousd exgr que os responsáves lgum form pelos stnos d pátr comum cumprm com seu ver, não confun* dn nteresses pessos com os ltos nteresses d multdão Em Que Consste o Problem Petróleo no Brsl Será relzd no próxlmo d 30, terçfer, às 19,30 hors, no Audtóro d ESCOLA DO POVO, à Av. Venezuel, 27, 9.» ndr, plestr s engenheros Eu* ro Pr Lopes e Ernesto Pouchn sóbre o tem: «EM QUE CONSISTE O PRO BLEMA DO PETRÓLEO NO BRASIL». N ocsão será nugur* d um exposção sóbre o problem petróleo, que drá o vstnte um Idé gerl d evolução "ção e d stu* tul em que se encon* trm os esforços brsleros pr explorção nconl noss mens rquez pe* trolífer. Nossos munlfcftos so es. tenrão por to o Brsl e nos unremos o sentmento comum, exgn fnção clr s que, nesse momento, mntêm o por. A 25 corrente D Sold Brslero, os unversltárlos crocs refrmrão su nblável confnç nos prncpo^ mocrátcos. Nquel oportund UNIÃO METROPOLITANA DOS ES TUDANTES, em prosegulmen. to à«cmpnh Consttuconlst», recepconrá o povo em su sídc «Cs d Resstênc Democrátc.» *m Jj Aspecto d» nstlções d prmer usn elétrco nuclet tnun, construíd pel Unão Sovétc e cujo funconmento, construção o curclcrsltcs técnc» form ntermonto revels o explcs n Conferênc Ocncbr pr plcção pcfc d energ tômc tum grn mportânc mun construr sse nforme um e s ds ccmrul elétrc mov.d nelo cont s. O "Pr energ t.n.c." s osse Intrnsgent" O corresponnte ssnl o grn ce Sor" tmbém "Frn» centu êx.to s legs sová que legção sovétc está no centro ds tenções e tos os purlcpns cos que presentrm o nforme. "Segun opnão s pertos, escreve o corresponnte sse vespertno em Genebr, os cumento*, presents pelos sovétcos compovm que Unão Sov.tt c c o prmero ps d "As conferênc e jornlsts Informções presentds pelos sáb.cs sov étcos são enorme.nterésse", escreve o corresponnte dqueo órgão prsense. NA CONVENÇÃO ESTADUAL; Fundrm os Ferrováros Bnos Ms Um Orgnzção Lut Deprtmento Estdul Ferrováro é nov orgnzção luts revndctórs Eletos os legds áo IV Congresso Nconl Ferro váro. Promete o governr pgr à CAP SALVADOR, 20 (Corres* ponnte) Os ferrováros, reuns em su Convenção Estdul, n se d Asso* cção s Aposents d Leste, fundrm o Deprl* mento Estdul Ferrováro, fl à Unão Bn s Servres Públcos Cvs, e stn lutr pels revndcções d corporção. N ocsão, ío elet dl* MANIFESTO DOS UNIVERSITÁRIOS BRASILEIROS Opomos Consttução Ameç d Dtdur Aprov o mportnte cumento no XVIII Congresso Nconl s Estudntes, em Belém Prá Lnçd vgoros cmpnh em fes ds lberds mocrátcs O Dretóro Centrl Es* tudntes d Unversd Brsl, como contrbução à «Cmpnh Consttuconlst», tomou nctv mndr mprmr e dstrbur por tods s escols su* perores Dstrto Ferl o mnfesto contr o golpe e pel fes ds lberds mocrátcs prov no últmo Congresso Nconl s Estudntes, recentemente relz em Belém Prá. _ o segunte o mportânte pronuncmento unvers* táro: «A nção vve momentos especttv e sóbre seus stnos pes snstr meç retorno à dltdu* r. Polítcos forms e jorns pregm flênc regme, mocrátco; uns e outros rqutetm e exgem «solução» extrlegl. O lr* d golpst cheg mesmo ecor no Prlmento e o Se* n Ferl prov o r* tgo 32 projeto Drlo Cr* so, que x o rbítro d polc, em últm nà* se, o dreto votr e ser vot, ssegur pel Crt Mgn tos os cddãos. As prerrogtvs e frnqus consttucons FÀÇttrr^TtSITtTDRft MENSAL QtXPRINCIf. Dft"IMPRENSA POPULAR A ESCALA DE SERVIÇO pxiste um espéce herrqu no corpo servlcls 5" Acumulm funções Iólogos, Imperlsmo. Uns se especlzm pcrets e trs. E o cso em lt polítc, um Crlos Lcerd. A vntgem stes está em mostrr ctm o trtdlst Kelsen, têm «fl fácl, olhr brlhnte o e segurnç s povo, num exemplo concreto, como o servço mpo gestos mão» que zomb o poet; esses rlsmo 6 n reld um só, sej fzem prte legções às conferêncs qul fôr «dvsão dfo entrevsts o «Globo» pnmercns, trblho» pelos dversos setores. qun h&. prtculr empenho Pensávmos nsso _ vst s crtzes e núncos em quecer guerr fr, recebem concorções ds dltdu* jorns on se fl num «segun congresso contr ntervenção sovétc n Amérc Ltn», : ter lugr rs ltnomercns, lém outrs compensções ms polpuds. Em no slão gerl mtrculm o fllhnho ntelgente n conferênc mnstéro d Fzend, com presenç Fculd Dreto e ncmno no gosto ds letrs pol* «legções ltnomercns». A relzção um tl «con* tlcs, fm que êle ms tr estej em condções gresso», evntemente, está crgo rebutlho, s sslrs menor ctegor, já que mor s outros é escreverlhes um bogrf em três volumes, nttuld, suponhmos, «Um Estdst Regme 24 Agosto». resgurdd pr servços menos grosseros. N extremd nferor d escl vmos encontrr Ms vejse como s coss se rtculm. Nestes mes* crdgem múd, encrregd dqulo que os frnceses mos ds Nção enfrent meç um golpe. N&o se chmm «sle besogné»: são os empregs pr to o trt um golpe qulquer, no estlo trdconl s «pro* servço, Incluís ou n&o u folh permnente mndmentos», pgmento. ms um golpe nortemercno, com o Executr s trefs d polc espongem, se Infltrm qul se preten mplntr um dtdur mllltrfscst que como provocre ns orgnzções suprm operárs tods e mocrátí* s lberds e governe dretmente em no» cs, ssttto sempre mqunn novs s trmós nteresses nques. Êsse pr cons*. golpe tem por molo confess gulr lguns dólres suplementres o «I Guteml, on dtdur pátro. Cstllo Arms represent snstro «new look» Bstes sfto os s mperlst cm mtér pontos extremos ntervenção. d escl servço N Imperlsmo. BA um sére propgnd golpe gtmse os grdções nterméds, geners, polítcos nturlmente. E n&o exste um lmte jornlsts rgoroso que compõem lt herrqu servço entre els. mercno. norte* Certos ndvíduos versátes crculm s s lts esfers d Enqunto poltc té oe svãos Isto, nos polclsmo e ds porões, trgem rster recebe provocção. orns pr montr um «congresso». Extmente no Brsl. wrmmmmtotmtmtí IBpBJpMJljjB^ results s memoráves embtes que smoronrm o Est Novo correm o rsco ser nulds. Ao espectro d dtdur, os unverstáros opõem Consttução d Repúblc. As gerções que fundrm Unão Nconl s Estudn* tes ns nesquecíves jorn* ds ntfscsts; s vtms d chcn Lrgo São Frncsco; os que judrm conqust d nst os presos polítcos; o sngue generoso Demócrto; os que justfcrm fosse U. N.E. cognomnd «Cs d Resstênc Democrátc» tod trdção s estu* dntes mpõe, como um * ver sgr, o combte enér* gco às «soluções» extrle* gs e fes ntrnsgente d Crt M_gn. Os unverstáros brsle* ros reuns no XVIII Con* gresso Nconl s Estu* dntes, cônscos ppel d Unversd, comprometem se, solenemente, cumprr quele ver e conclmm os colegs to o ps pr um grn cmpnh cons* ttuconlst movmento pel slvgurd d Constl* tução, núnc ds m* nobrs golpsts e pel pos* se s cnddtos eletos em 3 outubro próxmo. Não se preserv mocrc trucdn lberd* : mocrc se frm e se senvolve à medd que se exerct. Belém, julho retor encbeçd pelos sr. Nlson Arújo, presnte; Esmerldno Cnlso Crv» lho, vcepresnte; Arnl Montenegro, secretáro; «José Smões d Slv, tesou* rero. TESES E DELEGADOS Os convencons elege» rm, nd, seus legs o IV Congresso Nconl Ferrováros, lás, bs» tnte numeros e muto ex* pressv. Form precds dlven* ss teses e, pos» mord dscussão, fcrm provds dverss ls. A segur, os presentes prov» rm numeross moções, en» tre s qus um louvor o jornl populr «O Mo» mento» pel su posção combtv o l s fer» rovàros. Outr Importnte resolução fo o poo Irres» trto o Congresso Slv» ção Norste, que, tul* mente, se relz. PRESENTE O GOVERNADOR Esteve presente, entre mu. ts outrs utords, o governr Antôno Blbno, que, pos solenemente receb pelos presentes sud pelo sr. Aníbl AI» ves s Sntos, dscursou, frmn, entre outrs co» ss, que sldr em breve dvd estdul com C> x Aposentr e Pen* soes s Ferrováros. NÚCLEO 00 MNPT EM C. DO ITAPERIMIM Após dscutrem com» ferêsse e tenção o progr* m Movmento Nconl Populr Trblhst, os fer. rovàros d Estrd Fer* ro Itpemlrlm, em Cchoe* ro; Esprto Snto, lber» rm tr ntegrlmente os pontos fends por àquele movmento polítco, Após dscussão fo estru* tur o núcleo muncpl M.N.P.T., que, sob dl* reção ferrováro Pedro Aqulno, trblhrá pel vtór Juscelno e Jn* go, em fes ds lberd* s e s dretos s trb* lhres. Moár Werneck Cstro Extmente no momento culmnnte d gtção golpst., Qun se prepr bertmente ntervenção Inque no _ sll est é reld o mperlsmo mnd encher s pres e os Jorns com supersmorlzd plrnh d ntervenção... sovétc. A concdênc sses ftos n&o é bsolutmente csul. As forcs d guerr são levds um novo cesso dcnes* pêro com os results postvos d Conferênc Genebr. E como nd estão longe ter s lqüdds, contnum gn. Concentrmse em prtculr n Amérc Ltn, velh retgurd, procurn pontos poo nos r ú_í dttors Impostos por meo golpes. Nnguém se lud, pos. O nmgo quer cercr o golpe por tos os ls. Geners confbulm e meçm, poltl* cos se esflfm n procur meos pr mstfcr opnão públc, o governo stn verbs pr cmpos concen* trção e bnr esfrrpd ntsovetsmo ressu< V» ns mãos sujs s «lumpens» luguel, Tu sso está confrmn urgente necessd d unfcção ds forçs mocrátcs e ptrótcs, pelo cmnho que o Prt Comu» mst Brsl Indloo no últmo pleno át seu Cmtt Contr. N. B. M estv escrto sto rtgo qun ««Globo» publcou entrevst Pen Boto, ontem comentod neste jornl por Egído Squeff. Pen Boto, efetv» mento, u to o servço.

4 PAGINA 4 IMPWFWSA POHTf.An eclvs ~~*~~~ Pr Um Ampl Cooperção no Domíno d Energ Nucler Persp IntMu ATIVIDADES DA NOVA CHINA Pequm Feste I tuo j Aprovção F nn m,,],, D&QtJIM, M (A êtmí_no* E.f Chfns pel Inter *r**s) Comemorções lm»rovsds form renllrfns U fábrlcn, escols, fszendleoonertjvs, nu rus «tonedlcõe t..«pt..io» ÊOfPSf rflolnformr.que e I Plno Qünqüenl for prov por unnmd Assemblé Nronl Kl pulr. VIBROU TODO O POVO O ltoflntes Intfàlfo n ru. nros. escos. no páto» d fíbres tvm lns " pr r» Emssor Centrl Populr que trnsmt.seufp d«encerrmento d Assemblé Nconl Populr. Num reunão relzd Rmnrês Slrtrdco "érgénhe_ó Slhchlncshn. o e vcedlretor, Depnrtnmento Ferro. Ko Junch, tfcclnrou ue fábrc 16 ultrpssrn em 11,67%.. o plno p_rn s c melo nno s Êle e o operero vngurd Tl Hun Jln orometerom, em nome He teus compnbetors, fzer o m_xmo esforço pr UItrpssr s cc. nu d outr Betn dn oero I P o Qünqüenl. Operáros e técncos d fábrc Tecs, Clmgho, que hvm ultrpss u cot producão lulho. reunrmse em Brn mnfestção cntn e dnçn. Form ds rects e nterpretds EM 24 HORAS As forç,, polcs colo» Blllst mtrm 10 mrro» «unos em Kbcnfr e ms nos rreres Csbln» c. Numeross mnfesto» «oe form relluds cd Ves com mor frmez o po «o proteste contr o terror senc pelo governo trnces. O r. Theore Adms, presnte d Alnç Mundl d Igrejs Btsts re» fressou Nov Iorque;» pos pssr dus semfe n Unão Sovétc. De» clrou que Igrej Ortó» x bru, recentemente, ms 20 Igrejs e que estão m funconmento; n URSS, Igrejs ctólcs e 800 templos luternos. O círculos utorzs frnceses colherm com s» tlsfçso respost govar Bo sovétco à not d Ale» mnh Ocntl respeto d vgem Anuer Moscou. O retor pesqus ex» posto n Exposção Atômc Genebr fo «ced» à Suíç pelo gqyêrrjp mgrc» no por 180 ml dólres. 10 ml trblhres pn» Blclpls Sngpur, entrm no qurto d greve. Fo relzd ontem ms m sessão ds negocções Blnomerlcns, em Gene» br. Nov reunão fo mrcd pr próxm terç» fer. A produção portugues e trgo em 1055é nferor ms 50% à no n» teror. Membros dò góvêrho d Alemnh Ocntl segu» rm pr Moscou fm preprr, juntmente com representntes sovétcos, s negocções chnceler Anuer com o governo d URSS. QÜINQÜENAL cnefle voet pelos trbnlhres oue pludrm o I Plno QU noücnul. prometen relzr to os eforros pelo cu trunfo. TODO APOIO AO PRIMEI» BO PLANO QÜINQÜENAL PEQUIM, Ü0 (Agênc No v Chn pel Inter Press) A Usn Anshn pro duzlrà 3,5 mlhões tono Iods ferro bruto nulmente, em Informou o engenhero chefe ds fundlçóts ferro, LI Fengen. Su clrção está b» sed ns perspectvs cumprmento prmero plno qünqüenl e comeco segun. Em 19110, dsse Ale, Anshn contrá oom sel ltos formos u» tomntlcos em vez s qu» tro com que cont tulmente. Por su vfz o tornero Shngl. Sheng LI dsseque esper superr seu própro recor, Isto é ultrpssr su norm trblho pr trís nos, em pens 19 meses. Segun clrções sr. Tsul TUmng, Dretor Blrô Geológco Su este d Chn, os chefes equpes prospecçflo..reu» nls num conferênc, prometerm envdr tos os esforços no sent scobrr novs e vloss Jzds durnte o perío vgênc prmero plno qünqüenl. NOVA DELHI, 20 (Agên»> c Nov Chn pel n.r Press) O dretor d D» vsão Orentl M nlstér.o s Negócos Exterores d Índ, T. N. Kul, ofereceu um recepção em honr s 10 estudntes chneses envs pelo Governo d Chn pr cursr escols n» dn. Entre os presentes à receucão notvmse, lém s membros s Mn stér.os d Educção e s Negócos Exterores, o sr. K. M. P» hkkr, presm*e Executvo Nconl d Assocc&o Amz SnoHndu e exembxr nd no n Chn. stcds educres Nov Delhl e membros d embxd ch nes. FRENTE DE FUKIEN. 20 (Agênc Nov Chn pel In. er Press) Qutro mltres Chng Kl Se. bnnrm Ilh Mtsu em botes slvvds té tmgrem s costs chnoss pr se ncorporrem o Exércto Lbertção. São os tenentes Yen Chenu Ho, Wns Fu Hl e Hu S Chng e o sold prmer clsse Wn Chun col pr próxm Fer d. Industrs d Índ Entre os rfgo que serfo exbs estflo os ms re* conte nroduto d Indústr perdu chlne máquns, ferrment!, tere, guo» stes, mplementos grco Is. produtos qulmco o ds met. O rtgo» d ndas (r leve compreenm cd, cetm. crepe Bcorget.., bords, tpetes, objetos mrtm e o e equpmento médco. Os produtos crcols compreenm tbco, cunh mo, ervs medcns, chá, óleos e gordurs. Est é segund vez que Chln prtcp d Fer ds Indústrs d Índ, ten tom pr. e pel prmer vez em NOVA DELHI, 20 (Agênc Nov Chn pel Inter Press) Rumo & Chn, chegou est cptl um legção comercl egípc chefd pelo dr. Mohommed Abu Nosselr, mnstro Comérco e Indústr Egt. Fln os jornlsts, o dr. Nosselr frmou que o Egto está nsoso por ten» r s recomendções d Conferênc Bnneng por um estret cooperção comercl e econômc entre os píses d Âsl e d Afrl» c. Dsse êle que egçso egípc ft tu o que es» tvesse seu lcnce p» r mplr o comérco entre Chn e o Egto. A vst d legção à Chn concluu servrá pr dr o Egto um qudre completo ds possblds comercs no Extremo Orente. NOVOS TIPOS DE TEARES PRAGA, 20 (Inter Press) A fábrc tecs Jltek, no Sul d Boêm, cb receber três novos teres mecâncos, construís como protótpos n fábrc mqunr precsão Got» twlv. Plnejs por en» genheros e técncos tchecos» lovcos, são s prmers mquns ste tpo produ» zds n Tchecoslováqu; Os teres são tl precsão que permtem mu» dnç qulquer peç, em cso vr, npenntemente número d máqun. O trblho é t d máxm segurnç, e o rendmento s novos teres é superor o s tpos nterores, bstn dzer que num Jornd trblho, cd um les po te» cer 80 metros pno com um lrgur 90 mentlmetros, qun nos outros não se consegue ms que 55/60 metros no mesmo perío. And no corrente no, te rá nco n empres Gottwlv produção em sére s novos tpos teres. Yun, 84» dvsão Exércto Chng K Shel_. PEQUIM, 20 Agênc No» v Chn pe Inter Press) O Comtê Ch nês nel Promoção Comérco Internconl nformou que serão envs ms 2 ml produ.03 ndustrs e grí É MEIER p LOTEAMENTO VENDO, somente 30 lotes terrenos, com o mínmo 230m2, prtr Cr$ ,00, com 10 /o à vst e o restnte em 5 nos. Vends Exclusvs, com DIRCEU ABREU e GLOWER ALVIN, drmente à Áv. Ro Brnco, 120 sobreloj, sl 13 Gler s Empregs no Comérco. DISTRISA Ru Debret, 23B Tel.: S!ü2?í?_l S25 A C0MFERÊHCI» MM UTILIZAÇÃO PACIFICA S S5SP.íK",Câ C,EIIT,STA SOVIÉTICO LAVRITCHEV, S!,0»!!1!?.^!!0 FAL0Ü SÔBRE A COOPERAÇÃO INTERNACI0. NAL DOS CIENTISTAS PROPOSTAS DA DELEGAÇÃO POLONESA QENEBRA, t0 (A.F.P.) Relzouse, 7* hoje, sob presdênc leg chefe d Indl, o encerrmento d Conferênc Alômlc pr fns o objetvos exclusvmente orm pcfc. Tos os centsts estvm cm sus bn» çds,, n grn sl ds Assemblé, P» Melo dss NçOc». tddàs s trbuns estvm replet» obcervres Jornlsts, Os legs Reno Un, Méxco, d Polôn e Jpão tomrm sucedvãmente plvr, pr frlsr que os seus píses.ejvm fvorecer colbor» ção nternconl no míno d energ nucler. O representnte brtânco clrou que» lém nurcerosos cen. tst» estrngeros que In» glterr está pont pr receber em Hu_well, o estudntes estrngeros serfo bem vns às escols serem em breve crds pr o estu s ldlosútopos PROPOSTAS DA DELEGA. CAO POLONESA O Dr. Pwoll Stulkln, d Acm d Cêncs d Polôn, frmou, em segu» d, quo colnborr.ção é um ds fnlds fxds pels Repúblcs Populres, qus, grçs í jud d ÜItSS, porão senvolver s sus pequss qunto _ ener» g nucler. Depos se ter felct por hver s con. vd put vstr s Instlções Morwcll, o leg d Polôn preconzou: 1) Trocs nform» Contnum s Volêncs n Coré Sul PEQUIM, 20 (Agênc No» v Chn pel Inter Press) Nos portos dé cesso Coré Sul contnum os tques d clque Sngmn Ree contr Comssão Supervsor ds Nções Neu» trás. Des 7 gosto, tods s pssgens em dreção Ilh Yomu on o grupo nspeção Inchon se en» contr, estão sen bloqueds por «gngsters» que, bor brcos vpor, rondm lh e prtcm tents em terr. Em Pusn, os bnds tcrm s resdêncs s componentes grupo nspeção e tentrm cortr os fornecmentos águ. Um s mnfestntes N Coré Populr Inugurd^ esttu 00 mrechl km r sen PIONGIANG, 20 (Agênc Nov Chn pel Inter Press) Inugurouse em Bochu Ebo, n provínc Ynggng, um estátu bronze mrechl Km Ir Sen. O monumento fo nstl» às mrgens Ro Krmchm, on o mrechl Km Ir Sen comnu dretmente btlh Bochu Ebo contr gressão jpones há 28 nos trás. O véu que cobr está» tu fo retr pelo mlnstro d Cultur e Propgnd, Huh Hung Soolc, n presenç ms pes» sos. No mesmo d fo nugur um novo museu n ed, conten us e objetos relcons com cr» rer revoluconár mrechl Km Ir Sen. O museu está constru no locl on» outror funconv o escrtéro florest Jponês, stru pelo fogo durnte btlh Bochu Ebo pelos guerrlheros ntjponeses, drgs pelo mrechl Km Ir Sen. Kunsn fo encontr com um grnd mão. A po» líc nformou que êle pre» tend ssssnr os mem» bros poloneses e tchecos grupo nspeção. Os mnfestntes form tmbém orgnzs em Tegu e Kngnung on exsem grupos nspeção. Segun um spcho Wsnngton, trvés INS, fcou confrmd convên» c s Ests Uns ns volêncs contr Coms» são Supervsor ds Nções Neutrs. O teegrm cl» r que «nenhum medd es» tá sen tomd pelo govêr» no sulcoreno pr reprmr gtção que vs o smmemento d Comssão Supervsor ds Nções Neutrs». E prossegue o spcho: «Qunto W» shngton, ser ltmente grdável que Comssão Supervsor ds Nções Neutrs fosse dssolvd e se retrsse. Est é, precs» mente, posção que o govêrno sulcoreno está tomn». O INS observ que os Es» ts Uns estvm «cert mner grcs pel gtção» contr Co» mssão Supervsor e crescento: «Wshngton tem procur tempos tempos slgr d Comssão os go» vernos suço e sueco». qun o mesmo presnte clrem berto eessbo encerrmento, que er S. d Conferênc. Fo dd plvr o ntst sovétco Lvrltchc., que encolheu por tem coope» rção Internconl no míno d energ nucler.. Em Hguld flou o sr. Ib_y, ten s mbos multo pludds. Cfle; 2) Orgnzção vsts ps ps: 8) Posslbll d estágos no ostrngero; 4) Conferén» cs Interncons pr cs» tu lguns problems prtculres. O leg d Iugosláv ssocloue os orres ntor ores, pr frsr con* trlbucoo trzd pel con» (orênc tômc o pz s povos, ten l po.s um mensocem mrechl Tto, sejn prncplmente oue conferênc ccnsltu um prmero ps* so no sent. um col* borção no míno cenllfíco nternconl. SUCESSO DA CONFE» RÊNCIA Em segud, o sr. Homl Bhbh, presnte, tomou plvr, e resumu osprtnclps results d reu» não, nos mínos d físc pur, d químc, d bolo» g,. medcn, etc. Acres» centou prncplmente: «Um ds ms Importn» tes contrbuções st con» ferênc fo que, nesse m» portnto míno, restbeleceu os conttos entre ho» mens cênc dferen» tes píses, que tnhm s nterromps qun d clrção d segund guerr mundl. Depos encerrmento, voltremos tos os nossos trblhos, que, um mo ou ou» tro, estfo lgs à busc ds plcções pcfcs d energ tômc. Pomos fzêlo gor com stlsf» ção que, por noss con» trlbulç&o, judmos ízer st conferênc hstórc um sucesso e com conse. êncl e termnção que os nossos trblhos se» rão drgs no sent um melhor ds cond» ções vd tos os ho» mens». Depos lêr mens» gem mrechl Bulgnn, o presnte Bhbh cl» rou encerrd conferênc, Os legs tods s noções pertrmse s mãos, esvslnse grn sl lentmente. Estv termnd prmer confe» rênc pr utlzção p» cfc d energ tômc, DIEGO RIVERA VAI À URSS MÉXICO, 20 (A.F.P.) Dego Rver, um ds mores fgurs d pntur mexcn contemporâne, e que tem 68 nos d, nuncou à Imprens hver leg, por meo testmento, o seu «ptrmôno rtístco» o povo mexcno. As obrs que consttuem êsse ptrmôno estão reunds em um museu rte préhspânc pennte d propred rtst. Ms ml peçs form reunds pcentemente nesse museu por Dego Rver, que lhe dcou, conforme s sus próprs plvrs, Trtuf o Desmscr mor prte d su mo» st fortun. O rtst mexcno segu» rá pr URSS qurtfe» r próxm, v Montrel, Amsterdm e Prg, Dsse que provetrá d vgem pr consultr especlsts, prtculrmente sovétcos, respeto d enç cnceros que está tc, embor não suponh gr» ve. BURY Pr lhe servr Ur 1 I.UI.U1A AS ASAS Ut EU ÜAtUM Artgo» Poogr&flco em gerl HevelvAm, npl» (íoe*. caplu em lbortóro l*****d*á%t*m1*^0ml*mt+m++*+m*mt>*á%f%0mm+**mn*tr%**lm«*»^ 21* l *\*\jx*m*vvm Jj «Prvd» Coment Medd Redução ds Trops Sovétcs Novo e mportnte psto no sent lvr tenso nternconl e estbelecer confnç entre os Ests Profund mpres» lo nos círculos d opnão mundl ******* " VVV^vVjv) moscou, gosto (Correspondênc especl v» éreo) O Jornl «1nvl» coment em edtorl _ notc dstrbuíd pel gênc Tss, segun Govôrno qul _ sovétco tomou csão reduzr em 040 homens mu o contngente s forçs rmds d U.R s s tó 15 zembro próxmo. O Jornl centu que...u medd é um novo e Importnte psso d Unlfo Sovétc. empreend com o objetvo lvr nd ms tens» Internconl e estbelecer confnç entro os Ests. «A csão governo o» vétco lmtr o número ds forcs rmds d URSS escreve «Prvd» ol possível precsmente por» que nos últmos tempos, e em prtculr v os ro» sults d Conferênc Genebr, fo consegud um cert tenução n tensão ds relções Interncons.» O Jornl record que legção sovétc mnlfcstou cm Genebr o sejo ue se processe sem ms clongs & lmtção ds íõr» çs rmds e s rm» mcntob. Em prtculr» legoçfo sovétc propôs que rds d Áustr em 1* d* outubro, Em segud, velo novo elsfo smoblltu 640 ml homens té 15 Z zembro. Como centuou not d Tos, esses homens serfo encmnhs os seus locs resdênc, pr o trblho ns empress, cov coses e soveoses. «Os prmeros ecos n lm. prens estrnger con. dul «Prvd» testem* nhm que ess nov medd empreendd pelo Unlfo So» vétc produzu vst Int. pressão nos mplos círculos d opnão públc mundl Os prtdáros prossegue s qutro potêncs ssem o exemplo neste sent,» mento d polítc «guet> duzln seus contngentes r fr» nfo pom escon? mltres o número sold» su conusfo. Tos os s que fossem retrs d tldáros p. d consoldção ds Áustr. Agn no esprto pz vêem no novo psso d ss propost, URSS Ie» Unlfo Sovétc ms um vou cbo redução cor» prov d possbld l» reponnte às trops retl» vlr tensão ns relções Interncons. A polítc extern pcfc, lenlnlst, d Un Sovétc correspon os Interesses vts povo sovétco, os lnt_. résses fortlecmento d pz e d segurnç em to o muno. TRINTA REÚNEMSE SALVADOR, 20 (IP) Relzouse, ds trás, mportm* reunão, n Prmer Igrej Btst, nest Cpt, com presenç trln» t potoes protestnte., durnte qul o reveren Eudl d Slv Lm pronuncou um plestr sobre o que presencr n Assem PASTORES PELA PAZ blé Mundl ds Forçs Pcfcs, n qul n prtcpou quld legd. bno. Congt.se, gor relx» ção um rês rend repesentntes du dverss regóes, fm precr «problem d pz mundl. REVOLTAMSE AS Populções d Argél ASSASSINADAS MAIS DE 100 PESSOAS PELAS FORÇAS COLONIALISTAS ARGEL 20 (AFP) Um revolt se verfcou hoje, à Ur, h cptl norte d zon Contntnense. Ess notc é fornecd fonte utorzd. por Os contecmento ms grves se senrolrm nos dstrtos Constntne e Phlppevllle * dr*» e oeste Guelm. ím Plulppevlle. numerosos grupos rms tcrm os qurtés d0 «C.R.S.» e um comlssrl polc jm Constntne, explodrm vns bombs em brros dferentes. 0SEE.UÜ. DA0 AJUDA MILITAR A TAILÂNDIA PEQUIM, 20 (Agênc v No Chn pel Inter Press) Segun o jornl «Em» brgo> Bngkok, os ts Es» Uns concerm 24 mlhões dólres pr lu» d mltr à Tlând. Tl «jud» stnse cons» trução eródromos mltres, rovs estrtégcs, cmpmentos e orgnzr os chms grupos voluntáros. As utords mltres s Ests Uns, segun outro jornl, o «Kltsk». frmrm um cor com s utords exércto d Tlând. Os Ests Uns estão «ssstln» à Tlând no sent» s levntmentos no» vos mps mltres e re Justmento sus Unhs mltres. Além dsso fo conced o pessol s Ests Uns n Tlând o dreto fzer observ «fes e pesquss trvés ps. Acrescentm s nform». çoes que, o mesmo tempo. ms ou menos, monstr. se ssm ser o movmento um movmento conjug,. rmse tques em dversoj outros centros e em cert» estrds (An Abs, Oued Zent, Le Crouss, Kellermn, Con Strenu e Snt Chresj os gmpob vnçrm er lnhs cerrds, nvest.nd contr comssrs lc, po* qurtés d «gendrmr r» e dversos postos. MAIS DE 100 MORTOS PARIS. 20 (AFP) _ ento e qurent e ses. gelnos form bts, 73 cpturs «n zon tntmense, con*. n Argél, nfor. m.se fonte utorzd. _,!?mero *lttem e cv. mltres elevse s 4 qus 21 europeus ven h» 61 fers. Segue Pr Moscou Dejegção Iugoslv ^f^radc, 20 (AFP) ugoslv, w felegtcf0 «onômc chefd pelo sr. S^.Vukmnkvfc, presnte vce» Conselho cutvo Exe Fer, prtu hoje AMAURY ESTA OFERECENDO Cmss brncs em e» _^ü. mbr»j» Cr*$ lgodão. 160,00. «"euuwr. CON. lcções AMAUBt Ru o Alfâng, 318 Àu,ndr; Ru vnte Abrl, <k 7, oj. E gnhe um. gelr Clímx T.55. Terrenos Cr$ 300,00 Menss! * FOGÕES DOMICILIARES DE 3, 4 E 6 Ao l d ertcfo Jper (ntg Belém), rsnt. e t_ihes n OblI. Av. Presnte VWg^ «*». BOCAS E F0G0ES RESTAURANTES DE dsr, sl tel ou 43»7279. Sr. Plr*. à. «^! y 6,8 E 10 BOCAS ten, mngo., «o prlmcro ^ o ^ y^ ^ estção JpeA Acetmos eorretore. (M). Nott ^ Temo. «to.. châcru. p_rtlr C* WM ««^ EXCEPCIONAIS CONDIÇÕES DE PA» GAMENTO ASSISTÊNCIA TÉCNICA QUASE DE GRAÇA PRESTAÇÕES DESDE Sf R$ 300,00 Fogões Junker pr gás ru *wvw»*v^ ^5! 2 B_ yj»v 3 wl» *»"st»toc3o me... n«montr o m1mmmm^ própro Artgos Ipelru. Illjlcrlu. Armrnho, Uelojorlu em gerl Ofcn Sous Pr, segun o Dr. Aníbl Vz Melo, prúprlu proressor cledruípr conserto Ue (oglo. Arln». d Umve «Id m_ l_» Mns («to. llerls, «é um grn lvro; um gráfcos r Jot» punn, esplenddmente ducumenl, «. grn nor fltv du Humnd, «uemc rdogrf um momento século! e um rquvo BURY futob, eumento» e s, enfm; um excelente lvro, que se e com RUA MARANHÃO, 551 B przer». Mus Dus Uvrurlus. Pelo reemoftso post, u Cr? elefune:.9156 W.UU, sem umento spes. dllor UKNuvwo, Udu. Pcno fnl lolefle CMtt potul, 115 Mteról. _ln.l.to Trzenuu este núnco te» j r 10% uvg m sconto. sconu. "^"^^"^^" «_» Z Bl*SyL dh* 8tn» onlqu recurso d»~ ^ ^^^^^^fpãí^brt_j75_r7t,>~ " í ^ WlwkHHMBBMI 6 engrrf \\ tewo ^^JS**^!> es comprtmentos B»» #?, méstco», s ms»»»uí> oo Ctete. lofr % w JB* " _ T_»l_ 9 n /_? _?, Vrs tmnh» *elw # *w». DRfcS FLl Av* N< & Copcbn 99S ^ÉSf^ WWWS*rfWW\*www»nw><_»<,_,,,_ vfc^v^yyy^vm,, I»»» SMMMÉM^ 1/ _f I E MESA ARTIGOS PARA O FRIO A PREÇOS QUE Sô» MENTE QUEM FABRICA ^V PODE VENDER J ;.? Fábrc Confr Brsl KUA DA CARIOCA, 87 8 f_h CASA IMPÉRIO CASIMIRAS LINHOS BRINS RÁDIOS BUCICLETAS mua ARTIGOS AMRRICAJ.0 BTNf» P/r_n.* ^^.L P/HOll_NS E S.HORAS AC_mÍ_Sse F W JT^SS?* L7 C0OTWWB«GRANO. VENDA DE RÁDIOS A LONGO PRAZO BmPlA^ttO^^^Zt!S^ M0WüOS ~ Av Mrechl Elorno, 83 *. Tel.: Ro Jnero C N. ALMEIDA.

5 2».fl M*5 IMPRENSA POHlMIl PAGINA 5 r CAMARGO OITARNIRKI B A LIJTA PRLA PAZ CONCLAMAM M MfHI» COS A APOIAK A «II* TA DC ArtólNATIJUAM pôrto ALEGRE, 90 (L.» y p,, Eev, nwt c dt «, regen Orquestr. Sn* «nc dt Porto Aegre, conhsemo 0 oomposllor * re» gente Mozrt Cmrão pumlert. Solct pel Imprens toc, tt»» **. gulntes clrções: «Multj pesou julgm S". PtJ«0 * Wnr w* t fst, pós os restnt* s d Conferênc t>ne br, Ests pessos lborm em grn erro. Apesr lvd tensão Intern» nl, o pergo guerr dw» mnece, hj vst s d* clreoet Smrmn Rheo Fosler Dulles. E* frequen* te spreocupção qunto o pergo guerr em nos* so ps, pos mutos lulrm que estmos lvres d prt» 2558Í2 djüe, m conflto. qulquer Entretnto é prec* o compreenr que, com os recursos s tus engenhos bélcos, nenhum ps est 11» vre sofrer bombros tômcos ou sus consequen* ds drets e Indrets». e A músc é um ftor grn moblzção tor. popu* El ve ser utlzd pr levr noss mensgem e nosso lbelo contr Segudmente guer» nos co» mns ssnturs, or* tlsts populres, voleros, cntores sâo 0 prncpl f» tor moblzção fcltn populr, o trblho co* let. Empenhs hoje n grndos cmpnh por 10 mlhões ssnturs o Apelo Ven, condmo tos os prtdáros d pz, em prtculr os rtsts, empregrem sus energs pr vtór movmen* to». AS LAGRIMAS DO SR. CARPEAUX lulfíí!?,,2!í,.ue, * * " «*. n*»"» Wtts o Slnt?5 «Sr. «/*"*.* u" ""**. "nwu*, nm mn l*» d.v..e, v«r.*, tâm ou Hr«m, ler múu ser íduo «.» Mvsrt» qunto (s vlln», (VulslVwrU Juntm ds «vo. MAL çhtgou o Brsl» "notíc crocodlo; o rtgo, loros d publc morte nu 55». «omt Mnn prmer págn «Cornlo d logo o»r, Oto Mnh», Mr flse Crpeux que* cdu le verter gênero em nuo, segun lgums lágrms d» lllelk, crcunstnc ser nútl o tr rtgo. procu* ror ltertur: As Uglmts o rtculst forsm certnen» compõe ts um etpeclo tpo llt». quo Shkepere nln fne: chormng, treven* cd um lus. ss n«terr clme, engendrr um o frmr que o lluste morto encontrou. enfm, 3 NOVAS EDIÇÕES Su bblotec v fcr ms rc! Ms lguns ds e V. v por dqurr três mgnífcos lnçmentos nconfundível sucesso. Gur o nome stes lvros! U FELICIDADE» tssss&tssl usüpt Cn0r?m" " t801 *» A^ml^^ tra&woz,m t0d SfSÇ POLÔNIA 1939» yszsxtjs SSSPé ujílltínv(uã3 e mín<0 Mlertos nu»trl& W mpretson^ o Qtto vlo pon «A EDUCAÇÃO NA URSS» ft 0pT BWr»s»^^H Três edções VITÓRIA %"**~»""""««^^lss^^ Antôno Bulhões «lm, tent ludbrr o le» tr con: três coluns ptu.u* erudço pr monstrr que o grn romncst l* mão no ptv um temvel oportunst. Le.so, propósto o trecho losunte uo fmger «ouo»: tten. s ult ccmturdus sus» (lto ú, Thom Alnn) «osdluções poltlcs: ns «Medtções um ho* mem «polítco», 11117, dc íenu o esprto lulono o oruem prussn contr mocrc r.olo ocntl* em 1021, vstn»rls como POETA LAU JJEATUH d llepúbllc Worn**. I 6 mgo d Frnn fmos crt lüo Su; Unverdudtt d0 Uonn, em que 1830 lho rolrou o ttulo utor 1I0N01US CAUSA, prcdlsso eom esprto tco profó. rrotn d Alemnh nzst; fo m.go pessol Frnkln Roosovolt, nuncr, pos, pr o cspltto rcnclonro s lsts Unu s; fenu, no «Doutor usto». trdções esquec, ds, humnlsteus o ctos, su ptr. emfl, novo pr. n Europ, pôrse A dsposlfo s protgonsts out cultur lemã, d Alojntj. sovétc...» pesso mednmenlo esclrecd QUALQUER 6<*...*o, memo trvés plvrs ds sr. Oto «rpeux, Mn que o lovem Thoms Mnn, nse em e cr sombr d r* vltó* germflnlc pr nc.o dmrr s "lun» «crs, chegou conseqüentemente por Rspübl*. co Democrâtc AlemS ves rr» um processo ovolutlvo muto lógco, embor lonlo. o mgo d Frnç, ntlnzlsí, dmrr Ronsevelt e In mgo Mc crthy, o humnst por emcçüo e convcção nüo h» ver chegr necessármente ettretr com clor mflo entendd Anu bomes? On "osclcoe ltlc"/ Muío cour&o, pelo vcllnto or o rupnz quo no Inco ò» eu.o so voltv pr o prut» Mo, quo se ecepclonou e pouco e pouco ss fo: oncmlnhon pr posção ptróvlc que o humtm.smo lltoálo o flo* sotlcu ver forçosmente conduzlo: ps çfo oldr.cd í v.d nov quo ou povo está construn, um vd sudl cm que cultur tem lur hon» r. cm que o cnerltn smo nüo medr com fcld. Semelhnte ovoluçbo dc po sor muío bem obsorvd trvés d vd o prncpmcnto d obr Tho» ms Mnn, Lelnsc tenrmeníe, ousdmenle, o se possível cronologcmente o oue o emnente romncst escreveu. Percorrmos lends e os ensos, o contos o s bjokrflíb, o ro* mncos hlstór cos c os pscológcos, s fíntnslns e o pnfletos: percorrmos "As cbeçs trocds", "Desordcm". "Tonlo Kroexor", "A morte cm Venez", "O Budnbroolc", "o eleto". "Gocrle o Tolstol". "Sun lter renl". "A montnh mtrlco". "Atenção. "Schoponhuer". Alemnh!", "O no peque lenhnr Frlemnnn". "Ho ro dífcll". "O "José menno proçrío". "O e «eus Irmlos", lovem J:sè". "José nô Esto", "José. "Doutor o Prover", Fusto", percorrmos tfldn ess producho fe* cund o vost o encontrromos o flo d lnh evo» lutvn que o sr. ott^o Mr Crecux ntent sorrtolrmente negr, TONIO KROEQER, drgn»»se Llsvet Iv* novn, em um crt fmo» s, no romnce que é protgonst, frmv: «Mer» gulho os olhos em um mun» por nscer, um mun em esboço, que sej otg» nlzrse e tomr form; ve» Jo movmentds multdões MILHÕES DE PESSOAS EM TODO Q MUNP0 AGUARDAM 0 NOSSO MELHOR EMBAIXADOR tj^k^s^s* ATE? este momento nd *"* nâo se pronuncrm os homens Deprtmento Est que, lb Ju lho, prometerm consr» Cão «cuds e pront» o ped Imedt cores sâo pssporte leto po Pul Robeson. Enqunto s* so, jorrm crts e telegr» ms to o mun ss» ns pelos que se recusm receber um «não» em res» post o ped. So mens» gens nsoss, Impcentes, drgds o ms populr s nortemercnos vvos. SSo crts como d Brtlsh Workers Sport Assoc» ton, ptrocnd pelo Jongresso s Sndctos e pelo Prt Trblhst. A 19 julho, Dve Curts, SecetâroGerl d entd, escreveu Pul Robeson que «est Assocção possu ms 6 mlhões mem» bros e tos eles drm muto pr vêlo e ou«lo um vèz ms.., Agurd* mos nsosmente o d em que redqur lberd e, então, possmos colhe» lo em noss Ilh e em nos* sos lres». No d segunte, o ter conhecmento d vst Pul Robeson o Oepr* mento Est, o sr. Cur» ts escreveu novmente «pr fzerlhe um ofert g* rnttd um contrto p» r cntr pr os membros noss Assocção, em Londres, Glssgow, Mnchester ou Crdff, ou em tods es» ss cds, em bses flnncers vntjoss». Outros Ingleses envm tmbém convtes nsosos, entre eles Wlll Shnow, Se* cretárlogerl d Workers Muslc Assocton e P. L. Hxell, SecretároGerl d Electrlcl Trs Unon. Juntmente com esss mensgens drgentes grns orgnzções che» gm crts como est, um menn: «Quer Pul, espero que um d você pos» s vr Leeds. Você sbe que será bem receb qu, Êu e mnh trmâzlnh me» nor queremo? que você ve* nh. Temos város s seus dscos. Se você ver nós ou* vremos lguns les. Espe* ro que você poss me enslnr s sus cnções». D Jmc, on pessos se reunrm pr ouvr Pul Robeson, durnte últm vst cntor, em 1949, escrevelhe Ferção s Sndctos p» r «refrmr o nosso pro» * testo»; e d Frnç, Polôn, Unão Sovétc, Índ, Is* rel, Áfrc, Innés e ou* Ir. ARMANDO FERREIRA GMnfe» Médkm Mtp» oldt tuberculose e Bttço pulmonrt Pneumotôr rtfcl Consultóro resdênc: rrvess Mnoel Coelho «? m Xeleíoo; 576» ÜO GONÇALO tros pses, chegm mens» gens: «Quer Pul, venh logo!» Os pronuncmentos sole» nes fetos pelo «New York Tmes» sobre «levntr s brrers» e «promover o In» tercâmb.o culturl» têm um ressonânc profund no mun lém ds fronters que Pul Robeson está rped trnspor. Conforme «Prvd» Moscou observou recentemente: «Se os dretores «New York Tmes» flm um «cortn ferro», en» tão, verm relembrr, por exemplo, os regulmentos ntmocrátcos que tor» nm dfícl não pens os cddãos sovétcos vjrem pr os Ests Uns ms tmbém mutos norteme» rcnos vrem à Unão Sové* tc. O povo sovétco conhe» ce e m o mrvlhoso cntor nortemercno Pul Robeson. De há muto sej vêlo novmente em Moscou, ms Robeson não tem permssão pr xr os Es» ts Uns...» nortemercnos, POUCOS nclusve queles prtclpntej movmento progressst e os esquerdsts, têm um dé precs d dmrção e mor que mutos mlhões pessos sen» tem pr corr. Pul Robeson. sentmentos que se profundrm e crescerm durnte esses nos guerr fr em que Robeson fo confn os lmtes nosso ps. Ms os que tverm o prvlégo ssstr os concertos nus Pul n frohter com o Cndá, perto Bllne, Wshngton, têm um dé d fenomenl trção que o cntor exerce sobre o públco. A um fto profund sgnfcção que êste homem, ms m lém nosss fronter* que qulquer outo nortemerleono, sej um negro. Que esmug refu» tçôo d teor rcst sobre o lugr du nego no qudro noss reld! Então nâo é Importnte pur cus d complet lbertção negro em nosso ps quc pul Robeson tenhu permssão ru vjr, pu conqustn m. gos pru queles que ms que tos os ouuos necess* tm mgos? A Imprenso negr tomou s o clmor: "Um te psspor Pul Robeson" e mesmo o ms reoc.onàr.o s comentrsts st.mprenso clr que v começr hver "relxmeu o concessão n pssporte*., então queêsse relxmento sel "nterrcll." Bst cmnhr o l Pul em qulquer ru du Amerc.Negr pr sentr o crnho s sorrsos e pertos mão. Aqu é um mulher que o uetóm n dzerlhe: "Pos, se não é o meu brítono fvor.to! E como goste vèlo no ppel Otnelol" E logo» curvse pr frente e dz bxnho: "Deus o bençoe, Mr. Robeson!" E nel mner como o dz, logo que se vé; que o uslheàbcncóe nd em ver com o cnto ou com Shkespere. E o motor negro tx, recusn o pgmento corrd, dzlhe: "Pul. vo» cê é çpmo meu p: éle é um "negro" negrol" ASSIM é Pul, sem duvd, e o mesmo tem E po chegou person fcr e expr mr, trvés su lm Eulável mestr rtsltc, semelhnç essencl entre tos os povos, e evocr em seu públco rçs e nconlds dverss um sentmento prentesco próxmo com êle. Lloyd L BROWN (Escrtor nortemercno) Como se po, então, tlíjr em promover o nlercmb o cultul e negr suuorle ps êste grn rt s t. cujos cfhcertos são um monstrção fundmentl d básc und d cultur tes os *os povos? Qunrtsts exstem cpzes Interpretr mner tão rc em esprto e Ungueem s cnções folelore dns povos mun? "Pul Robeson dsse o "Lontfon Dly Worker" em recente Brgo * é um Voz d Amcr.c que o mun ; Jfflfe^, ^^mww l.íííp^ " ntero rr ouvr nov* mente." Que est voz sel ouvd. Que s brrers sejm ell*» mnds, sr. presnte. Dêm Pul Robeson O seu pssporte. E qun sto não sel no próxmo no ou rto mês que vem. ms AUORA. PUl Robeson, utst, Cm» peão d Pz e d Frternd, es. n verd, hoje, o melhor emb.xr s Ests Uns pr o mun! N. lu II, Recente telegrnu dus Estus Unldus Inform que o psupurte fo recus Pul Ro* ucsu, o que torn nd, muls oportuno e neces Burlo o pílb uqul feto escrtor Lloyd L. ÈdIo rown. * syv?9, wêêè ^^WW,;v":s»^sk* ^^^^È^^^^^^^^^^^È^^W" " V*.u. *» "\w *w,w ««^ wv^ív1*1^* l*v*v**í VSÍ^»^*** "" \L1*"1;, Pul Robeson 0 NOVO ROMANCE DE ALINA PAIM NA fcemlfcçfo problem d reld como trnsfor* mr ds conscêncs, é d grn mportânc scrção d vd que levm os persongens, pos é est qne, em últm nlse, v convencer o letor d justez ds dés utor, B por meo d smpt que o persongem spert, trvés su vd, seus sentmentos, su mner ser que o letor encontrrá fnd com s dés representds pelos persongens. Vejse o cso Mnoel Jen Joseph, persongem dmrável romnce Jscques Boumn, «Donos Orv» lho». fste negro ge tl mner, su câo revel tl sorte grnz seu cráter e sus Idés, que o letor sente crescer por êle um rresstívelsmpt e, por conse» qttêncl, tmbém pels dés por êle representds. E notese que tu Isto é consegu por Jcques Boumn, oom üm llncugem smples, lngugem que er únc possível ser fld por queles homens, nquele locl e nquel stução.. Or, sto não contece en recordr pedços su v» tod su plentu no ro* d, o flho morto n guerr e mhce Aln Plm. A quel su promess o Corção Jesus, pg, pesr mestr com que utor se houve no screver s não tendd, sentmos ções, n&o se repetu no tr» crescer noss smpt pr tmento s persongens. com el. Compreenmol como um ser humno, vemó Entretnto temos exemplos que utor é cpz I bons, sentmos estr senvolver seus persongens ntro ste plno povo brslero, trvés d dnte um mulher nos revelr sus consclêncs. El n&o o fêz porque se cs, on s folhnhs * scrção dó Interor su xou empolgr ms pe» zem s vezes qudro. E lo l objetvo d stução, sobretu comprenmos relegn segun plno ntersecção s ftos hstórcos greve, s luts conscênc s homens. Qun vemos enérgc Prt é guerr, com nblb» EU lmn íl seu t^stn srtcute».. _ Fernn Gues MUSIIA OPINIÃO, AU* NA n ver ter feto dquêle ferrováro.norto no túnel, um seus prncps persongens, em vez precer uncmente trvés referêncs nos dálogos s outros. Isto porque, se ssm o fzesse,,o letor compreenr muto melhor o sgnfc dqueles termos «explorção», «msér», que os persongens exclmm pr crcterzr sus vds, smptzr ms com os grevsts e chegr sejr greve tlvez ntes s própros persongens. Tmbém por nüo ter pene» tr n conscênc seus persongens, Aln nos ofe» rece um flso qudro s cmponeses em seu romn» ce, Com efeto, é multo es* qúemátlet quel pssgem s cmponeses que, In o cmpmento grevst pr mtr um drgente, em vr* tu um únco dscurso. ste, nüo só sstem seu ttflptflb dhwtk t) VOntft M> sombrs que mo nconnm pr quo ou s procuro o 11 berjo». O escrtor buscv nsosmente o cmnho cor to. Hver encontrálo ml tr voltn A tor» r ntl, o completr o» tent nos, sentu corod u vd, e Bontlu coro esse humnsmo sól, r* dumento lcnç, sentu. o no crnho expontâneo com que o colheu o povo lemão, nos plusos receb, s s homens que hoje em d representm o povo ulo* mão. Tlvez se lembrsse então seu persongem, o Inesquecível Settcmblnl, que nd às véspers morrer, segun o própro Thomns Mnn «flv com vos débl, porém long men» te, e com to o corção, perfeçomento socl du soced humn. Vov» lhe plvr, em ss pombs; ms qun s re» fer os povos lbertos, fo» llcd comum, hv nel lgo semelhnte o vóo d águ», O sr. Otto Mr Crpeux, conqunto so esforce, não consegurá smerecer o mérto e posção frme que o emnente escrtor tlnnu ntes morrer. O sr. Otto Mr Crpeux, lás, não merec respost como não mereceu qun fr* mou o ntlmrxsmo An* tonlo Grmscl, cujs obrs vnhm ser edtds po» lo Prt Comunst Itál* no... Fque bem clro que est réplc bsolutmente não se ve à sus «tolces lterárs», à «pros empol» d» que empreg ou às «cr» tlcs más» que perpetr; es» t réplc corre d sere» d com que precsmos en* crr, como o fr Voltlre, os processos, o honr e os veres d vd um nte» lectul porte Tloms Mnn. MENSAL DE EXPÍR% R OAlMPR^stlôtotâR *CIUME» Melodrm em grn estlo, nem pssn pe» Is íhâos sóbrs Petro Geírn o romnce perdê sts crcterístcs. Resumeso no mor volento spert em um fdlgo lt lnhgem por um cmpones n regão árd e montunhos d Scl. O tem serv então pr O drrtor presentr os costumes smples povo explor pet cupz s poròsos. A trm senvolvd não tem consstênc, porém bsmse num reld «tfl. Os cmpo Hb.bs httmüre.» que gnorânc trnsform em servo» cert clsse são os persongens centrs drm, queles oue prenm o nosso nteresse. O flme é rregulr e seu mor nteresse é d:spert pel presentção d explorção s cmponeses pelos nobres tl ponto sse llíno possuírem, lém trblho colono, o corpo tmbém. Contr êsse est cues hstór se mntêm ndferen.e, e Ptro Cer» *>l peru um bo ocsão mostrr que ê humno, nuncn tl crme. JORGE SANTOS /.*.M^^B ^m^lrtmtw m^lml^%éfy~:%^mm\ WLwuEI^LK..Kl Bjrfl :U \í «fl LfLB l* LfC^SH, &«& í Cl<V«.TlBjfl mwfz*; H"<W»ll ^KrwsLwWF" " ~&,^í*prç»»»si MILHARES DE PESSOAB têm vst o IV Blão conl N Arte Morn, no 1* ndr Mnstéro d Educção, expo»tço que congreg ml» cem rtst» com W trblho, em cnco, teçõo». N seção escultur ó centro tenção públooojbrone que vemos cm, cbeç Lut Cro» Prorett utor "" d» Uonórò Pcçnh A Reform Ortográfc "".~ uw%rasilelrob, ou colôn» les, que por ventur /ô> 1> sem procurr vd em torr» lhe», term eubmeterso o Wpm, rep.dt.l. Aqu, no è ssm. O estrngero que, qun quer,no» drge, julg, qult, crtc, orent, íeplsl, conn, cnsjte e prme vem pr o Brsl ter estrngero, flr estrngero, vver estrngero e..." Comunst! brdr ess ltur, medtmonto, o álmlrnte.pén.tdto, se tnto ler che. goso. Comunst? Quem sbtlát Tu que o cronst dntr é pod que s plvr» sped» mero estão contldus no edtorl pr*, d "Revstd Língu Portugues" ("ArquU vo estus reltvos àxáom. e"á ltertur ncons"), redg e publc, no. no 1919, "por tullno frere) cowbfon com energl ção, em 1912, pel Acm Brsler Letrs, d reform ortográfc portugues d O edtorl sencou. um respetblllsslm con trovórsl, cujo sfecho conslsíu ~n propost presentd à mesm Acm Brsler Letr», 13 novembro, 1920, sond por vnco e s cdêmcos, solctn revogção Imedt fdds s lberções reltvs o ssunto tó então tds, pos não se chvm de o cumento "bsolutmente cor com ínle nem com prosód d língu tulmente fld no Btsl". ms clro. Pospèsár.dês3es ntecentes, cheg NADA 1955 e o sr. Cfé Flho mnd o Congresso d Republc um pro)eto~vtsm~~rbvver o mlsn e esdrúxulo prncpo colonlst, que é precso ter dferencção que o dom português sofre entre nós, e termnn, conseqüentemente, unfcção ortogrf Brsl à Portugl. A IMPRENSA POPULAR, lás com honrs prmz (15 mto ste no), nuncou cumentdmente o escândlo. Tenconvse psme o letor revldr um cretole (H ), 1945, nunc chegou qu vgorr; bst dzer que própr Consttução Ferl, 1946, regeuse pelo "Pequeno Vocbuláro>.; Brslero d Língu Portugues" (cretosle 292, 1938, e 5.1S6, 1943), que o ps ntero obece. Felzmente o SenFerl, pr bem tos e fellh cd gerl d nção, resdíveú gor Jrrr s nfencõe» sr. Cfé Flho, que entenu voltr pontos vst que no prncpo século já erm retrógrs, e pretenu trelrnos ortogràfcmêntè) Ü8~0pnõe» sr, Júlo ün ts, como se fosse êste um romno vtoroso e fôssemos nó» bárbros ctvos. Arquv o cbuloso projeto mmtl, govern? fcounos conseqüentemente ssegur o exerccq gostoso dreto contnur formn noss llnguznh própr com muto Cmões e pouco, o menos possível, Olver Slzr, Vrgílo m 1 m M WtUuxjj] A Rádo Moscou TRANSMITE PROGRAMAS DIA RIOS PÁRA O BRASIL DAS 2C AS21 HORAS, Em cstelhno: ds Zí às 23 hors As trnsmssões d Rádo Centrl Moscou pr Amérc Ltr são fets ge Is onds 31 e 41 met os. O PINTOR PANGETTI FERNANDO PEDREIRA" MARINHEIRO José O Pncettl é urc ds ms sngulres fgurs nosso mun rtístco. Começou pntr j homem feto e vv, lev por um segur vocção que o tornou, em pouco tempo, um s nossos melhores psgsts. Arm um rc experênc humn, fruto d vd tumldc que levr, Pncett trouxe pr rte um rquez erroções e sentmentos que nem sempre se encontr nos pntores d crrer. Su pr dr mor vercd o epsódo. Tmbém n&o me prece justo utor levn» tr o problem relgoso, co» mo cus d seprção en» tre grevsts e não grevsts, quelm cs grn. Or, qun há um referênc se s velhs dés res» os «mrlnos, que to o peto e obedênc o ptrão mun sb, trblhvm e ã «orm» se chm tão espão no meo s comp» mpregnds n conscênc nheros, trens s cmponeses, pelos p» ponto dres.estrngeros pr ncen» Irem o cmpmento, por sr ptrão ho tempo tr» orm fzenro, pr blho e furr greve n hor mtr o grevst, hão prece movmento n estrd». crve o letor que, pós Or, não 6 sto, o que sbe* un únco dscurso, hj um mos, o que vem ocorren revrvolt tão grn, Se ns greves e não houve outros ftos prestrá que pr bons servços à cus d un» tl contrbuírm, utor d nosso povo, trtr nos ver têlos relt, d relgão nos termos em que utor o fz. Ssfes os repros que sejrímos fzer o novo romnce Aln Pm. Mes têm o sent, em prmero lugr, um homengem d utor e representm o sejo contrbur, com noss opnão, no ndspensável bte que se ve trvr entre nossos ntelectus, em torno s problems romnce brslero, nest fse em que êle se encmnh pr um nov etp relsmo soclst. O progresso romnce brslero, plcção qud méto relsmo soclst entre nós, penm muto d ntm colborção entre romncsts crítcos e letores. Penso que o novo romnce Aln Pm, ten em vst o fto que já exstem seu respeto opnxes dvergentes po ser o ponto prtd um bte com o qul muto terá lucrr noss ltertur. Êste é o sent nosso trblho. V.. Alegre. 21*755. pntur é expontâne e dre. t. Curctenzse por pm gn smplcd e por um econom meos d qul o rtst extr sempre um máxmo ntensd. Su temátc é lmtd quse exclusvmente retrtos e mrnhs: um pont pr, o mr e o céu e rr* mente um ou outr fgur, ou o perfl um brco. A estes tems prentemente pobres. Pncettl confere um ncrível vred e um pro. dgos rquez. 13 o seu ssunto. Nquels psgens, smples, conns tod poes d vd s pescres que or empolg um grndí pümero jovens pntores tlento. Em sus ps* gens, entretnto, Guttuso permnece fro e dstnte mesmo qun pnt um c* sro lumn pelo gênero* so sol d Itál. Ktlhè.; nestes momentos, forç; poétc que se mostr,~tsõ."pródgo em outrs obrs.! As psgens Pncett o j contráro, crcterzm* se quse sempre por.ujíf cendr clor humno que torn ás vozes dspensável; presenç persongens";} As obrs por êle expostíí {.oes.t.lll Benl sâo s u* e s mrnheros Brsl; Por sso, com certez, é. qu.e, toretrtos, um retrto um os seus prmeros qudros. "írtss* homem louco e dus mrlv prnepntá nd nábl,tfm "3êlãs" d fse bn. São to entussmrm 03 rcrlljcfs" grn beto. Urn vez e ofcs s brcos em"qu]c ms Pncettl nos v que pró* trblhv, levnos *es.. " conseguu mnár tmulr e por os íôd rquez cromâtc, lôdà! prmeros* pssos su crrer rçjsç». ". espntos lumnosd *ds c..~»»^~. prs dé Slvr. & nosso ver,* porém, s nov* Pncettl relz em stjjjsgg ÍS^MLpom que Bh enrlqueceu plhet pntor te o mlgre relsmo... Não será o grn relsmo, mrnhero, fzermno nem perr um pouco d nsd pntur dés romântco JpgTpológc Delcrox. 1\J^?" sus obrs lgum cos precoso e_ ^^o.émpo em que pnt*j? ntmo, lgum cos que umoutro pxon, Vcente e os recntos, d B Gu* esprs Est Rlè Vn Gogh, conseguu fêllí" nãbrã, Pncettl confer zr nos seus melhores tr» tlvez, um vvênc mláp: blhos. Há, com efeto, pelo menos dus mners ms os seus qudros que erm ntensos embor menbg,1 pntr um psgem. Um rcos no color. Não é há tos os rtsts que quem não se lembre sen. pecm pelo nturlsmo, È! { um pntur «objetv» qudro, «Ch&o», obr co«4 que procur refletr s rjelezs que obteve o prêmo vl> nturs que encntrm ger Slão Nconl, hí o uns z nos» Neste como pntor e vem encntr, tm» em outros trblhos d mes*! bém os que vrem os seus m fse, qudros. Exemplo precenos mte que sensível lm melhor tem d est, rte pntor, j tendênc nturlst, são Jòsê Pncettl, homem sm» os trblhos presents pes, pxon pel süe por Guttuso nest III Benl. terre pel su rte, cons»j E qu é necessáro brr,úm, ttu um s ms expresslí ráp prêntesls: Guttuso,..vos momentos d pntur como se sbe, é o chefe d brsler contemporâne. S6 escol neorelst Itlne, n Europ, tlvez nnguém um mesmo nsensbld como êle.o "dávbenl, júr Cosmopolt como tenh contrbuí por mntê* mner tão postv pr lo [ nd êste no usente; o renscmento relsmo d lst prensoes.,j

6 W PAÍUINA _ IMPRENSA POPIHAK TÊXTEIS DA LA DISCUTEM AUMENTO ^Ê$/ g I V^^Y;^ÍÍ I ^ I..PI Apum ou Servres Fzend Mn Únco Pel % Reunão repretentnte ds dverss ssocções, mnhf, n AMDF VddlSndcl conáros Mnstéro d Fsend Amnh, hs 18 hors, re* nunelrm tmbém o sç» Servços Públco» d C&> presentntes dverss ts» o DASP, xn o t» mr. refelro A mrgem Plno. O técnco mecnzção, BANCÁRIOS EM CAMPANHA POR NOVOS SÓCIOS tmtlnunm com grn entu M«mo O» tnftru» «rrrel» rmuur nuve» 1cluy pnr o «Indlcl d clcgorln, O línnlno d «Cnmpulo pró 4 mu _6 rl.. kv.r_ «cr lln.7 nu» su Ue» uh tr*, tomlo» e* rm tll»lrlbull< uu» Imnrftru» ãue mu»»! educrem ncm ru.pu nue lntllclxüu H mu DucArlo. AMBULANTES REUNEMSE HOJE _ Un Crolln Mnch, 93, vora rcullzre hojo reunno» vcldcdurc nmlulnte» lllo Jnero. Em reu* nno rnra d orgunlzcfto umu bmucica» prorsslnnl quo dcfvmlcr. u» Inlerc IOíwj» trlulhrc». PAGAMENTO DOS DIAS DA GREVE O Sndcto s Mctnlúrclros frá relzr um reun, d 26, s ltü lnrlcul» Tpr trtr d po»»o» novo» representnte» c prmcnto» ds d últm çreve. Tos us usorlus pom sss Ur n ísse» trnbulhos. AEROVIARIOS NO DNT SorA prumuvdu bte no próxmo dlu 25, no DNT, dus mrvlrls rom os ptrscs. VoltrAo u trt du questão umento slrlul. APRECIARÃO A RES POSTA PATRONAL OS MARCENEIROS D 23, t.rçufclru, os legs e tvsts sndcs ss ctegor prufssunol prumoverao umu reunão pnr estubeleccr norms pr um grn sscmblól, que verá so relzr n se seu slndlcto. Vs tomr novus rumos pr u componh próumento, pos uproclndn propost ptronl seu ped 40%. Blusões Des 80,00 Belos e vrs pdrões CONFECÇÕES AMAURV Ru d Alfâng, ndr; Ku Vnte. dé Abrl, 7, loj. E gntte um gelr Clmx T.55. EMPREGADOS EM ASSEIO E CONSERVAÇÃO VOTAM AMANHA Sero relzds elelc6cs, um Hh6, no Sndcto s Trblhres cm Asseo o ConservncAo. Apens um chp cn» corre S elelçoe» encbeçr r. «.. Umbelno» Klu to». ELEIÇÕES DOS TRABALHADORES EM AÇOCAR Pr» eleções te»lndl> cto vera «er uprcentl umu chup unldu pret*. u pelo r, Hugo ume» d Cutu. O pleto et& mrcu prn o dlu 0 letembro. TRABALHADORES EM CERÂMICA POR AMENTO DE SALÁRIOS "* o Sndcto» Trblhyen cm CcrAmlcs o Olr» bter com u» ptrocs, d 27 du corrente A lu hors no Trbunul Trblho, problem» reltvo» umento slrl, IRÃO A DISSÍDIO OS TRABALHADORES EM ASSEIO E CONSERVAÇÃO r pelo DASP. Como nos O Sndcto s Trblhres ss ctegor profssonl 1 DASP, técncos e outros g clrrm, n clssfcção Inform q.u» u umentu plclte n Justç du Trubulhu est A g servres responsblll» ussentu nu segunte busc: d form equprs pru os quu gunhnm t. CrS... fogulsts trens, tlferos 9.00,00, uumento dc 607o: e té mesmo lvlrs. De» Crs 5.001,00 cm dnte, umen» to ml cruzeros, MOTORISTAS, COBRADORES E DESPACHANTES Us muursus, cubrudures c spuclunlcs dus empress roduvlarlus vflu se reunr cm ussembeu cm seu sndutu, nu práxmu d 24, uuru tumur cuque turno seus representun» tes muntvrfu cum us pulrocs, sôbre u pedldu uumunlu sulárlus.,. A dlrcturln c u cumlss&o sunus du slndlcutu pem us trubulhudure» que cumprecum à suu se, Kuu ümerlnu, «6, puru buscur mterl prupgund d ussembeu. CARRIS CONTRA PERSEGUIÇÕES Unldus pru rrubr fsc Uzc&o Ilegl que vs mtr gem lnnlzuções os trblhres d Crrs rcun!rse6o em ssemblé d 26. Os condutores, prtculrmente, estão sen multo prejudcs com ess fsclzção. CRS ,00 Ven cmnhão.urd 37, frelu u óleo, mqun lutlllcd, plstues nuvus, 6 pneus semmuvus, to reform. Trtr pelo telefono DObVU. Ru Jouu Torquuto, 192. Bonsucesso. Sndcto s Trblhres ns Indústrs Trgo, Mlho, Mndoc e Msss Almentcs e Bscotos, Ro Jnero SEDE RUA CAJttERtNO, 74 SOB. FONE EDITAL DE CONVOCAÇÃO Pelo presente Edtl convocção, conv os senho» res sócos qutes cor com os nossos Esttutos, comprecerem à. Assemblé Gerl Extrordnár no d t üc gosto corrente no (segundfer), às 17,30 lorus, cm prmer convocção, e ás 18 hors, em segund convocção, com segunte ormd: 1) Letur, dscussão e provção d t nteror; 2 ) prestção conts d dretor nteror, refe» rente o jjçs julho corrente no; 3) Trtrmos.slgmento servço ns em» press, osdretores eletos. 4) Assuntos gers: Ro Jnero, 16 dé gosto WALDEMIRO LUIZ DA SILVA Presnte TICTACéotl! jrts^ CONSERTOS RÁPIDOS E GARANTIDOS PRAÇA TIRADENTES, 31 soclçoes s servres pú» bllcos, renlrh» nu n A. M. D. v Ru Senr Dn» ts 7, 0, ndr, fm es» truturor o Comn Únco que dlrglra cmpnh pe* I provção Plno Clssfcção com s crnen» ds funconlsmo e com o umento s tus níves vencmentos. Em vst d componh, noss report» gem estovo no Mnstéro d Fzend conversn com os servres, que hpotec» rm Irrestrto poo Inc» tv d UNSP. Sentem os servres necessd serem uments os níves no Plno Clssfcrão, vsto que s tbels elbo* rds pelo DASP tomrm por bso o custo vd Do então pr câ, fo vertgnoso o umento custo d vd. TÉCNICOS EQUIPARADOS A LAVADEIRAS No Mnstéro d Fzcn» d, notmos o scontent» mento s servres com o Plno Clslílcçüo elbo» CONHEÇA SEUS DIREITOS lll. Mlton Monte» Emer*» n FA Pe que se dt rel Cfo ofícos e ocupções n Indústrs confecc.es e mobluarlos cm que os menores * vem ser pgos n bse... Cr$ ,00 e no Cr 1.200,00. Dmos bxo o fnl d rel C&o ncd ontem. Lembrmos: s dferençs slrs pom e vem ser reclmds n Justlçu Trblho. Al est Enfrdr em Móves Junco, Vlme, Vssours; Engrdur em Móves Mr; Ensucr cm Olr, Tjolos; Enscr em Cmento, Cul e Gêsso; Ensucr em Cerâmc pru Construção; Entregur em Construção Cvl e Hdráulc; Entregur em. Cmento, Cul e Gêsso: Entregd»! em Ldrllhos Hdráulcos; _ntregr em Pnturs e Uecurcões; Entregr em Instlções Elétrcs; Entregur em (Serrr, Crplntrl; Entregr em Mrcenr, Móves Mr; Entregr em Móves Junco, VIme, Vssours; Entregr em Colchorl, Estofdures; Fxlnelro em Construção Cvl c IIIdráullcs; Fxnero em Cerfmlc pr Construções; Fxnero em Pnturs e Decorções; Fxlnelro em Instlções Elétrlcs; Fxnero cm Mrcenr, Móves Mr; Lmpr em Construção Cvl e Hldrulc; Lmpr em Olr, TIJolos; Lmpr em Ldrllhos Hldráullcos; Lmpr em Cermlc pr Construção; Lmpr em Pnturs e Decorções; Llmem Instlções Elétrcs; Er mpr em Serrr, Crplntrl; Lmpr em Mrcenr; Lmpr cm Móves dc Junco, Vlme, Vssours: Lmpr em Colchorl, Estofres; Penerr cm Olr, Tjolos; Penerr em Ldrllhos Hdráulcos; Rotulr em Ldrllhos Hldráullcos; Trnsportr em Construção Cvl; Trnsportr em Olr, Tjolos. Drj sus consulls IM PRENSA POPULAR, secõo fco NHECA SEUS DIREITOS», Ru Álvro Alvlm, 21, 22» ndr Ro Jnero Dstrto Ferl. O redtor st seção tenrá pessolmente os letores & Av. Ro Brnco, 120 sobreloj, sl 13 Tel.: Glerl s Empregs Comérclo ds 17 s 19 hors, drmente. Amury Tem Mes Des CrS 130,00 Dúz CONFECÇÕES AMAURY Ru d Alfâng, ndr; Ru Vnte Abrl, 7, loj. E gnhe um gelr Clmx T.55. Pnturs e Reforms em Gerl Acet» «errtoo dmnlktruço ou empretd memo rmo. Fzemos orcmento çrl». tem compro,.23231, mlsso. Trt pelu telefone 0/»r. Alcno, ou à Kuu l.vrdlo, 16». fun.». Escrtóro Av. Ersmu tr. «"66, LI» _n r. «l _. Felzmente, dl.xeno. o tro» íclro Rolfo Cunh, temo um emend utor d UNSP, leglzn os tro» ferou, emend que J\ íol provd pel Comssão offrw Goulrt, flounos d sprções d u cte* gorl. Dl.scnos o servr que os técncos mecnl».nefo servço públco form postos no Plno Cs» PROTESTO CONTRA A ATITUDE DA LIGHT UM GOLPE NA POPULAÇÃO POBRE. A SU PRESSÃO DE VARIAS LINHAS DE BONDES Em dscurso pronunc ontem, o sr. Gulherme M» lqus protestou, com vce» meelu, contr ttu d Lght, suprmn s lnhs dc bons 31, 35, 36 e 41 e InhúmClntr Vldl, bem como os bggeros e os crros segund clsse. Esss lnhs, frsou o orr, so, extmente, s que servm s populções ms pobres d cd. O representnte croc hv, respeto, procur o prefeto, que lhe Informou nso ter s Munclplld* consultd sobre med* d e que termnr fosso comuncção d empres encmnhd o Servço Ju* DESPEDIDO POR QUERER FÉRIAS Esteve em noss redç.o o trblhr Wlter Mour d Slv, que veo trzer su dcnúnc. contr rbtrred que fo v» tm. Declrou êsse trblhr que há ms ur no trblhv n Compnh Texn dc Reprção Nvl, qun requereu sus férs. O pfrüo negouse concedêls dzen pgr os ds ds férs, o que não fo ceto pelo trblhr, sen sumrmente sped e nd sem lnnzção prevltn pel le. F» nlzn, clrou que o mesmo vem contecen com os outros trblhres st empres que. se não celtm s forms proposvs pelo ptrão, são speds sem ms formlds» rdlco, ílm sber se p*» o governo d cptl ím» pedr execução d odos provdênc truste mo» rcunocnunsc. Contestou o sr. Gullhrmc Mlquls legção d Lght, que ssm gu em vst prejuízos que vnh sofren. Se o Deprtmen» to Trnsportes ss com» pnh estrnger 6 flcltárlo, não o são os seus» ms servços. Não se po seprr o estu fnncero um to em prtes. MEMORIAL CONTRA A LIGHT JfíUVA IGUAÇU, 18 (Do corresponnte). Os morres brro Moquetá, próxmo o centro d cd, es^to coletn ssnturs pr um memorl ser entregue os vereres Sebstão Ferrer. Gerson Chernchro e Nlo Ds Texer, solctn Imedts provdênds Junto o Prefeto, no sent que Lght sej compeld colocr postcmento Ilumnção públc pelo menot n ru Mr Lur, que é rtér prlncl. p. Er seu bxossn, os morres reclmm tmbém contr o fto L, ght colocr város consumtes em um só cbne (relógo), o que provoc um qued n potênc d energ fornecd lém frequente curtos crcutos. Lutm os Jornlsts Pelos Aprtmentos Leblon Os jornlsts proflsslo» ns, em reunão, n se* Sríclo, promov» d pel Comssão Jrdm Alá, tomrm dverss rosoluc.es no sent ssegu* rr o dreto que têm sobre os prtmentos, tulmen* te, em construção pelo LA.P.C no Leblon. N oc» são, ío revel que dver* ss pessos hvm já m* petr mnd segu* rnç contr o I.A.P.G,» v não terem s Inser» ts nos prtmentos. D os jornlsts terem resolv» NERVOSOS obter o ptrocíno s dvogs Herbert Moles, M. Pulo Flho e Emílo Ro* ch e senvolver cmp» nh, em que se empenhm pel obtenção s prt» mentos, gor, er colbor* ção entre o sndcto e A. B. L Fnlmente, íol resolv convocção um grn» reunão tos os jor» nlsts, n próxm segun» díelr, às 12 hors, no Au» dtóro d A.B.I., sob o p» troclno s srs. Herbert Moses e Luz Gumrães. Detánmo. An» gústt. Fobs. In _»,, «d»** tmtbtltde. Nervossmo. Sentmento» mfenun rnç. 9 msegu Idé* frcsso. Esgotmento. Ufcul» sexuuu no homem e n mulher. TRATAMENTO PEíHAUíAJJU ES UUS UlSVUBlOS NEURÓTICOS CLINICA PSICOLÓGICA W J. ürbos ( Huu. otmucnu Membro d "Sodtety u A taun. _._ \ tor th» Ptyohoogt H. ÁLVARO ALVIM, 21 _. \ c Studu ojcmu 13» AND. <MMC** ~ TEU* OS.A. Mecânco Máqun Costur tbbmsms W^w_M_tMIM ^l Consert, compr e ven mquns costur usds. Refor* m em gerl Ven* m*se mquns no» vs prestção XeL; ELETRICIDADE EM GERAL nstlções elétrcs em css comercs o resdêncs ervcos cm Gás Neon, O A 8 1 M I B O _. U B O _ Atense mclo. Recs pelo telefone Clsccão Declrções funslflccflo em stução Info* ror os mesmos proílsslo» ns ds empress prtlcu* lres. Enqunto um técnco mecnzção ns empre» ns são equprs os con» tres, os servço públl» co íorm estruturs no plno DASP em níves vencmentos Insufcentes. D. Mr Lours, tn» reíelrn hí ml 12 nos, percebo cruzero vencmentos sem contr os bonos quo sprecerão Io» go sej sncon pelo pre* sldcnto d Repúblc o P* no Clssfcção. A ser. vlr o seus colegs Ml» Hstoro dn Fzend muníestrm.sc em poo o Co» mn ünlco pro drgr cmpnh pel provção um Plno Clssfc» Cão quo tend ás res s» plrçócs funconlsmo. _P_n_7_fltK»**W. ygé Pfl Fv_S h_pf><»w(»k 7* * _P^H P ^»<*í fl ^B >» k!! <: H / H «BF v ^*Y.*^_H _L [ jh É r l O» operáros d» fábrc» tecs lã, reun» ontem em ssemblé, rejetrm contrpropost pronl umento e resolvem drgrse os ndustrs, pleten um nov tbel 7J,% umento sobro tbel preços pno Insttuíd em lolfl, Um eventul respost sso ped será precd cm próxm ssemblàl. Por outro l, os têxtes s ms setores prossoguem tmbém su lut por umento. Hoje, s 10 hors reunrseão no Sndcto os operáros ds fábrcs Crtuero, Corcov, Confnç, Monho Inglês, Impermeável, Espernç, Ronds o Bords, Tecelgem Croc e Pssmnrí Tjuc. Amnhã tocrá vet os trblhres ds mlhr». Tods ests reunões são preprtórs um grn ssemblé, so relzr em 3 setembro, qun será dscutd um propost nl ptro umento. N foto, um specto plenáro n reunão tetor d lã. A G.E. Não Cumpre o Acor d Greve PERSEGUIÇÕES E DISPENSA EM MASSA DE TIWBALHADORES O cor frm n úl* tlm greve s metlúrg* cos estbelece que nenhum operáro sofrer persegu* _.e_ ou ser mt du* rnte os ses meses quo se segussem o térmno d greve. A Generl Electrc, truste nortemercno está spe» dln em mss os seus tr» blhres. Não pgou os ds em que permnecerm em greve, consrd legl pelo Mnstéro Trb* lho e os umentos nüo es* to sen pgos à bse cor que se frmou. DISPENSA SEM INDENI» ZAÇAO A GE persegue os oper» ros pr dspensálos sem nnzções. Há ds mn» u polc prenr um trblhr porque pnhr n suct um ílo co» bre 2 metros. Assm pro» curv justfcr dspen» s sse operáro, que con» Protelm os Ptrões Solução Aumento s Fumgeros Nov mesrend no próxmo d 30 Declrções presd. sndcto s trblhres Pr trtr umento sláros s trblhres n ndústr fumo, estl* verm reuns nteontem no DNT os representntes ptrons e sndcto d ctegor. O presnte Sndcto s Trblhres em Fu* mo, sr. Joel Comes Sores, fln, propósto, à noss reportgem, clrou o segunte: Os ptrões fngrm sconhecer o ssunto. Aírmrm que estvm tomn conhecmento ds bses umento revndc pe* lo sndcto, n mesren* d. Solctrm um przo 10 ds pr fzer um estu d mesm, fm se pronuncrem respeto. F* cn então cert que se» rá relzd nov reunão no próxmo d 30, no Mnsté* ro Trblho. SUPERADAS AS BASES DO AUMENTO As bses umento que o sndcto está revndcn» crescentou o sr. Joel Sores é ml cruzeros gerl. Ess tbel ío provd em ssemblé há ms 4 meses. Nesse perío o custo vd jà se elevou form espntos que um umento nesss condções já não ten ms às nosss revndcções. D esperrmos que os empregres procurem resolver ess quês» tão ms breve possível pos os trblhres não guen* tm vver ms com os tus sláros já bsorvs REPÓRTER POPUR TELEFONE: por ess ond ncessnte umentos verfcs nestes últmos meses. tv 20 nos cs, sem Innzálo. Com os mesmos propóstos polcs sfo mnts pr revstr os operáros à hor d sld. SEIS UEDOS DECEPADOS O operáro JoSo, serr* lhero, teve s cbeçs ses s cepds em um mqun n GE. Só» pos cnte é que compnh nortemercn colocou dspostvos pr proteção. A CAUSA E O DIPERIA* LISMO NORTEAMERI* CANO A Generl Electrc é um truste nortemercno e represent penetrção Impe» rlst Inque em nosso Ps. Os métos sunnos que empreg contr os trblhres são os metos escrvzção. A noss sld é lut. Pr vencer precsmos nos unr. E o que fremos, c» d vêz com mor entus. mo, em torno nosso snd* cto. (Do corresponnte NO TEATRO GINÁSTICO Av. Grs Arnh, 187 XeL A PEÇA QUE ABALOU SÃO PAULO "SANTA MARTA FABRIL S. A." P.pJ f!vv.nj:l»_ De Abílo Perer Almed UMA SÁTIRA AMARGA A SOCIEDADE PAULISTA UM ESCÂNDALO DE 400 ANOS! Com o elenco permnente I.B.C. Dreção gerl Alfo Cel ESTRELA HOJE Assnturs tlão n 3 Blhetes à vend *»V foto (Tnfôfto l»*r Xt ffr» teu» olhos» ^^ *^34 r^teesns este emtcm ^k é^^âp * _E * Slf ríji{s ^ *&^ ^0S_5 "*3 tos e_ los e procedêncs»» Lentes cores (grus óculos CrSSOjOO r gozr _$S_ sconto em oü eoyj ÍTICA MANON RUA DO OUVIDOR, M?2 r ANDAI» UInu suu ntdur? consertos em 15 mnutos. To trtmento especlz em prótese, por preços populres. Dr. Wnrley. u, 7 1" ndr Prç d Bnr Tel DE AGOSTO DE Anversáro d Cs Cntr (Clçs só Pr Homens) PARES DE CALÇADOS PARA SEREM VENDIDOS COM PEQUENOS LUCROS SAPATARIA CINTRA RUA DO RESENDE, 51 AGUARDEM F MR

7 URSS X ALEMANHA Son8clonI P^o míi mre pr hoje. cm Moscou, entre o scloco» e^ltàttmtmu v.xjtt7 ndt sovétco o o selecon lemão, voncor últmo cmpeonto JJg^^ggPhJ?0 duv, J* Jf»»»»«««* **» mun o esportvo estão voltds pr êsse cotejo. 0 selecon bos condções, espern trunfr sobre o seu oponente. As equpes: ~ ******* lk*mk* * fe0v! Pnlonov ^«íwelkltf Sfftkov" o letto; Ttuschkín, Hlyn.$ Ivnov, Streslov, ê $thê*utumu ~ Mmm «A"*^1 NP«ft *** U**** «& " *» ««tuc, Frltz Wlter, Roehrg A * í..**j"^h BtílK EVjT í «í> 1 ll í SlálBI* JE lí"... íí? ^" _d I, T l *»*B r** 3»"»" ~~mtmff^^f r,r *.. Jft»»«. t \ _ Ftnj e Bonsucesso tom Hoje TERCEIRA pk.i.a ~ rodd «Icmpeonto um nutros» croc, Incd mttcm com entre Amérc e Portm»«*«.«, «erlo dsput* pelej phlln,. u tnfortste que vem spertn o encontro. O Flmengo enfrentr* um Hosu.ss» multo dferente n Ur hoje cnco Jogos, rmrjrnlo o nutrs «mhsuvm, gor» Flmengo *.msss, t como bom.nno esqudrflo o prncpl «o proxrnn. Oh joros prncpl» «terfto pos vem du semnls vtórs sobre Inc. í clh grudch» ln M l*t futebol croc: lurs. o Bngu o o Botfogo. Assm sen, o LUTA DB LIDERES qt* dro Flclts Sollch encontrrá O um locl contenr * ltur, cpuz dc meçr sermente d pelejn prncpl d rodd entre os o NWpWM d cld os rnbronls ser* leve fvortsmo o l tla.lt com «to Mrcnã, que so presentrá pur que ver* renr pelej. Pelo menos suo enxs s O sr. Josó Monelro drg» prevsões. ré contend n ns «lpes rto pr pelej. Os trlcclorcs vêm duos ctegórto c João Crlos. outro l, reprecerá G llnrflo os seguntes Jo* íl res: cs vtórs, lcnçds írente Portugues por 6x0 Gm Cstro drgr Cberá o árbtro Wlter FLAMENGO: Ar (Grdnj; Tomlres e PvIIo; J» e o Olr por 2 x 1, e o pelej, enqunto dr. Dcqulnhn o Jordn; Mdurer que s já expermentou equpes ssm lnhrão: Jool, Pulnho, Índo, Ev* s reveses, sen que o BOTAFOGO: Glson; Or* lsto o Zngnlo. últmo pel contgem In M, Gerson BONSUCESSO: e Rubens; Bob e Juvenl; Julrto; BI* 5x2, frente o Flmengo. bl o Gonçlo; Grrch, Pulnho, Déclo, Pcheto e Pulo; Será juz o sr. Gulter d Gto, João Nlton, Gerl, Gom Mlchcr e s equpes Vnlter, Jr Crlos e e Nlo. Qurentnh. FAVORITO CANTO O DO RIO VASCO X BANGU O Vsco d No Estádo Gm, Co Mrtns, em Nteró, outro jogrão receber lr Invcto cmpeonto, em Slo Jnuáro vst frco Sflo Crstovl\o c nflo verá encontrr mores dfculrns pr r.btcr vltólu o fnl s 00 mnutos. N equpe vscn nflo estrão postos Bcllnl e Mrm, sen, po n, provável o rewrno Amr. Entre 03 snncrlstovenses, re.precerão Cnrllnhos, n pont dret, e Dlno. n mel esquerd. Será árbtro jogo o sr. Ivn Cpelet, formn s eqünos ssm: VASCO Gonzlez; Puunho e Hrol; Lerte, Orn e Dro; Sbrá, Wlter, Vvá (Amr), Png ê Prod. S. CRISTÓVÃO Nenem; Mnfre e Jorge; Wldr, Benedto e Déco; Cdnhos, Snto Crsto, Cbro Fro, Dl 10 e Ovr. FLUMINENSE X MA DUREIRA Ns Lrnjers, o F"lumnense front rseá com representção Mdurer, surgn como frnco fvoluítvptmc UIU3UUC 1...C.T «A Dreção Ntção Clube comunc que está com dus seç«5es em funconmento: um n pscn Prque Pedregulho e outr n pscn Prquê, nos horáros S às 12 e 15 às 18 hors, drmente. Comunc tmbém que seção d Pr Flmengo fo extnt. «Estão berts s Inscrções pr o Torneo Futebol InfntoJuvenl, pr jovens enentre 14 e 16 nos, Incompletos. Os ssocs Fmengo, mednte presentção d ntd socl, terão ngresso hoje no Mrcn, por ocsão jogo Flmengo x Bon* sucesso, pelo portão «A», o l por* tão 15 n Ru Mt Mch. Os setores stns o qudro socl Flmengo são os números: e 23. *» Hoje, mngo, às 10 hors d mnhã, teremos no Estádo d Gàve, n Lgo Rodrgo Frets, o btmo novs embrcções pr flotnh rubronegr. turão ssm formds: FLUMINENSE CstIlho; Lfete e Pnhero; Clóvs, Edson e Bgo; Pnu Unho, Dldl. Vl, Wmor e Escurlnho MADUREIRA Dnton; Deuslene e Drc; Nlo, BItum e Máro; 91, Mch, TSo, Edllo e Osvl. OLARIA X BOTAFOGO Invert o mn cmpo, em fce ds um cõr frm pelos s clubes, pelej que reunrá ns equpes Botfogo e Olr, será dsputd em Brrl, prometen o seu senrolr ser s ms movments. Os ntgonsts ss contend não form felzes n rodd nteror, ten s rrots. Nest nov oportund, persegurão vtór com o máxmo empenho, tentn um mpl rebltção. O equlíbro verá ser crcterístc prncp jogo. No Botfogo não jográ Sntos, ms, por Bngu e Cnto Ro, o prrelro com um rrot e um vtór e 6 segun com du rrots. Possun um equpe mor cutegor, o clube Moç Bontít po ser pont como o vrtul gnhr jogo, não obstnte á efreunstânc seu contenr tur em seus própros mlnos. O Cnto Ro, contu, verá exgr empenho e csão s compnleros Z/.nho. Drgrá o cotejo o juz Eunápo Queroz e formçâo d;s equpes será segunte: BANGU Jorge; Joel e Tóvbs; Gvln. Zózro e Jorge II; Clzns. Déco, Zznho, Grlo e Nvo. CANTO DO RIO Lceto; Grc e Bento; Ar, Moreno e Arnóbo; Célo, Wlson, Zequnh. Bené e Jro. SULAMERICANO DE BASQUETE JUVENIL VITÓRIA DA COSTA RICA CUCUTA, 20 (AFP) O Brsl rrotou Colômb no nono jogo juvenl pel contgem fnl 73 x 44, termnn o prmelrp tempocom mrcção 37 x 15, fvorável os brsleros. A enorme supero TEGUCIGALPA (Hondurs), 20 (AFP) Cost Rc ssumu frente cmpeonto futebol centro mercno, rrotn por 4 x 0 o Slvr. Os costrrquenhos monstrrm melhor clsse e vencerm o prmero tempo por 1x0. Os slvrenhos jogrm o segun tempo com z homens, No correr um ncnte, o jogr Runo fo expulso pelo árbtro. M»* «jhhb rd em técnc ndvdul e conjunto d equpe brslelr dspens comentáros pormenorzs. Os colombnos relzrm z substtuçôes no nútl empenho conter vlnche s brsleros que. ttulo trenmento, nterclrm resorvs. Est é tercer vtór Brsl, está Invcto. que nslm PERU, 72 X CHILE, 59 CUCUTA (COLÔMBIA) 20 (AFP) O Peru rrotou o Chle por 75 x 59, no otvo encontro juvenl Sul Amercno Bsquete. Prmero tempo 41 x 37. mnsavòo mmápm. Comer to» ttmcn. Ms... Comer bem sô A Ru Ronld Crvlho, 180 * ASSEM.. E RESPEITO! ~~., Pjms "Dovers" e Cmbr Des CrS 120,00 CONllXÇÍ)lSS AMAURÍ Ru d. Alfâng, 318 1» ndr; Ru Vnte Abrl, 7, loj. E gnhe um gelr Clímx T.55. RO ESTÁDIO DO MARACANÃ, 0 PROMISSOR COTEJO ENTRE OS DOIS LÍDERES INVICTOS DO CERTAME FAVORITOS OS DICAM PEÕES DA CIDADE OS DEMAIS JOGOS PELA TERCEIRA RODADA JUIZES, HORA RIOS E QUADROS VENCEU A EQUIPE SOVIÉTICA Vôle Entre Membros ds Embxds HAYA. :>0 (AFP) conteclmento dplomátco dn rtuçüo, nest cuptl, fo o JO. go volebol orgnz, por nctv d culturl du embxd sovétc, sr. Itucv, entro membros d embxd d UJ.38 o d emhuxd s Ests Unlg. A equpe sovétc trunfou.! CXATÍRF7 PrPlT A d ^ socão xdrez como mner corrlgllus. UMA e ms noss necesst, pr ünglr Os populr. Publcmos leltoreu, loevntemente, serfto os mlotes benefcs seus objetvos, mnter Je ms um clássc correspondénel com os letores. Pre us prtd dc com lotvtnlk, st vez contr o fmnsn teórco sovétco crtc» que tlzerem, porque csmos M. sber que Impressão esturnos cusn, Tlmnov num sensconl st lonnu estrão contrlbuln pur que u su secüo xt Cmpeonto SovléUco dlspu qus süo us nosss flhs e qul melhor drez se torne cd ver. melhor 1983; SKSIIESLAV Espern mnter o míno sobre n cn».. 4R dus prets. No entnto, merec conslreo 28 DxP; 39. CSIt, TxC; 3U. M. Tlmnov,M. Bolvlnnlk 1. FUI, CSUt; *. P.\T, DxPR com sufcente compensção 1IIID. 1*311; 3. «:.llll«. poslclonl pelu quld scrfcd. Agor F41); 4. C31I, 1*311; 5. 1*311, Vtí!U; 6. D. ns brnncus levm o cvlo pr um posl Co extremmente vnlnjus. Um cunuuuuvo reltvmente pouco es» tudd, geretmente nomnd «vrnte ntmeruno>. De fto, com o lnce 6. 1)2B 3». ülll! 11311: 30. Ilv.ll, l.xll; II. s brncs KIT; 31. evtm complcd C2C, Tl( II; 33. vrnte CIU. I)!l); 34. Merno (6. B3D, PxP; 7. BxPB, P3U. P4CD). S...., BSD; 1. B2D. Aqu se Jog ms Xreqlentcmehto 7. B2K segu P3CD, e U UM. Tlmnov t outro plno, o que d Drtd vlor teórco. «fl; 8. «0.0. U Imedto roque mor dá ds prets ms dfculds que contnução 8. B3D, PxP; 9. BxPB, P4R; 10. PxP, CxP; 11. CxC, BxC; , D2R, com Jogo ms ou menos Igul, como correu n prtd TlmnovCoplov (XIX Cmpeonto SovléUco). P4B. A csão ms corret, embor lmpllen em lgum rsco. Permtn o enfrquecmento seu PD, s prets mpem o vnço P4K e ncm Jogo Uvo n l d dm. 9. 1BxP, PKxP; lfl. BIO. Multo lento. Merec tencáo 10. B1R meçn logo o PD preto. Neste cso, ser dfícl Indcr ulgo melhor pur s prets que 10 P5B, pon s brncs replcr 11. P4CR com Jugo complc, P3TD: H. H1B, VSB; IS. P4CK, CSC; 13. P3TB, TUl; 11. B3C, BSO. A lut gr em torno d cs centrl 4U ds brncs. Com 15 C2D, prepnrn eventulmente P4R, s brncs obterm um stução bem fvorável no centro. O curso d prtd por tonurse extr* mmente rrsc puru mbos os nulos. 13. (I5K, Est Invsão cvlo prece ms tv du que most retrd pr 2D. N relld, porém, o lnce texto tlvez nho mereç provção, pos mporlrá em perd tempo pr s brncs. 15. BxC; 16. l)x«, G5K. Propon um scrfíco peão (17. Bx C, PXB; 18. CxPBD, C4D1) com o objottvo celerr o Jogo no centro e conqulstur s css brncs. Provvelmente, us brncs verm cdrse pel cetção «lo scrfíco, vsto que n prtd su posção, rpdmente, se torn lrmnte. 11. D3B, C8D1 Kst retrd, prece, no for prevst pels brncs, que gor são obrgds u tur mner pssv. 18. UU, P4T1). As prets, nturlmente, ntto pom permtr u lnce B5T. Por outro l o vnço < o PTD permte preprr o tque dus prets, 19. Blll, P8B,0. C3B, B3D; 31, Tlll», B5T. Unu ser omssão, u lnce evnte , C5T, segu P4CD, dr As prets grns perspectvs um tuque eurqdq êxto. A mnobr com o blspu sò uontu pefl tempo. 33, ml, II4C; S3. B3II, C5T; ! M. Tmuuov provet oportunun que e lhe pru crr contrlnlclutlv, Se 24,... PxP) segulrse, provvelmerte, 25. C5R com meç 2ü, P4T ou lúgo 25. P4T ); *5. lxl\ I1IB+; 26. Itlt, B6D; 31. 1)1D, CxB; 38. PxC, PxP. No curso s cnco últmos lnces ns brncs mnobrrm òtlmmcnto e gor com 34. D3T (ser ms fruco 34. PÍTIt, P4B), P4B; 35. D4T1 porm conserv possbld dc um jogo tvo. O lnce feto n prtd d às prets u chnce trocr o pergoso cvlo brnco CIC; 33. TÍCD, P4C; 36. TIR, TDUt; 31. 1ITIt, CSIt; 38. CxC, TxC; 3» T4R, T(I)1B; 40. X(8)2B, PSC; 41. 1)3B pm m wm. m #%M * A A se Wb m m. * r#j m mmm :. A Nest posção prtd fo suspens. Cumpre reconhecer que no momento d sus» pensílo s prets, Indubtvelmente, consegulrum rrebtr u nlclutlv e conqustr lgum vntgem espço. Todv, posção ds brncs perfetmente üeíensvel. 41. D3K; 42. 1*511!, PCxl" Depos 42 PSC o JÔgo mnter feção ms cerrd. As prets verm esforçrse por brr Unhs n l d dum. 43 üxl», DSC; 44. DV. Um lnce duvso. Ser correto 44. DxD, PxD; 45. P1B e o PR pss e fend dr ãs brncs bos perspectvs fes. Por exemplo: 45 14B; 46. T2C11, T3TH; 17. T1T T1T; 4S. R1C. T(3)3E; 49. T3T, P6C; 50. Tt3)2T! 44. Pxr; 45. DxD., clro que não se po Jogr 45. TxP por cus D.\T+, ms se 45. PxP sel sgrdável 45 D4B com umeç lbd. 45 Pxl); 4(1. Txl. Reltvmente melhor ser 46. PxP. 40 TxT; 41. TxT" Eqüvle uo bnno u prtd, ms mesmo pos 47. PxP, R2C u vntgem estr l ds prets. Aqu o grn mestre Tlmnov propôs empte, tonn.se clro que êle lborv em erro, result nlse méstc enulvcd. 41. TxT: 48. l*jt, l*f,«. Um cso nstrutvo! As Drncs Hão lèm fes contr crção s peões ps. Sttdps Isols (es o que s bruncs nu prevrm), os qus cm lut, Conllnuouse: 48. P6B, «30; 50. PIB, USB 51. I6B. rol*; 52. R2C, IMT! As brncs bnnrm vsto que se 53. Rlll ou.rlc seguese 53.,. P6C e um s peões prôtos v duí». mtâvêí&jm» «rtw» rmo eesmttqâl NITBR0I CAMPO? &R5 FEt>ERAÍ% CONDUÇÃO. ÔNIBVS LOTAÇÃO s,e «0<W«f tíluo hmo? cd Stfp.fwdm, cb mrlc Cbo Fro v nn w d serr d* *_ 3 T***l(VS J>fARIO" Vfdmro, é um lumr sobre tnl o célebre poeto e emrlor Texer e Som já dz, em 1SHS; «O qudre,f SSrn^ r" encntr tíf e píforescp, que nctlc lugr, sbr «frvdutte Nturez, é mposuel ser vsto por lyuém c,o «lnum mgnção, nem xrse, rrebtr em fce dc tntos e tão mns encnts. Prece que n \., Nturez cprchou _. my**, ^ JÍ4tV&m propósto em embelezr çule lcoso lutjnr, on se crê, «jue o rhonho Gêno s Cumpos ssentou etern u encntr morr.» >?»» ém^mwm f/^^mm^. I N regão está sen nstld frtsctíta w V Hdro Elétrc luk S.ã João. Reservo hoje mesmo o seu Me, wvun o umento que é nevtável. *»*,...., _.,» PI SHf I % \_fâyíbé[ u!k s BlHflBf 28 /> FãVZREJRO J> f$sz S*B A/Z8 UVRO WÕÍ gju ÊMWmt&, VBJRVAS f5?ao > CR TO ~t& $9 PZGfSTKADC AS AUMtAR c? FOLHAS /í" A 18 VO CAfldlXlO «O, «íí? CMC/0 àé SILUA JA&.QJM. 7. XÍM$f W Q $m IQTÇ / Olf^TAJCENTO flu VENDAÍj Ar, erç» Artl, 36f, S«ndr «slp. 304 ~rr Telefone: Av. Mreelol Flornm, d, <> ndy Telefone: 43HP1 Ru «Jo ç.rmo, 56? ndw «*. Xelefope: Su Pc írncsco Soyz, IQ lít Benjto m Mge, Trtr com fcn Nl 2() R«n et,gfl),?* e»on,... «S AV,.»Iem le g8 103 ^,, ud, (C!«nlro) Av* Bo Pelropulü. J.osjf m?$$}_*. (Cxs)! But.. Kvrlstc ««SsllOJ. dr, Velg», s *, nj» ORGAIVIZAÇ^O WASHTNCrXQTÇ WíITE, wú\m AVENIDA «RAGA AhAftHA, 206S. ndr SALA 304 TELEFONE! 32672? ******""» "» " ^J~àemltenf»tettmftm A equpe Uotfogo voltrd cmpo pr enfrentr no cstmlnho d Ru Brlr, o Olr. No clchê o qudro botfngen form no centr etddlo Qprtco, m Prg, mmenot nte eu jogo com o Dlnmo. O Botfogo tur nu cmpeonto croc flo t mu» tuc crque u equpe, Dno e Vlrlclu, quo 10 ncorporrm n0 futebol tlno durnte excursão lv negr em grmt europeu* YM T\~~ «Í Jjt d "***^ sv *^ A ^^^^ ^^Bt^^^^^Mfr ttmm ^dfl ^^^M ^^^^^UCU^l. ^«s. V* m Oíír fose encontro Botfogo m Clnno on prece fes lvnegr durmente empenhd em resgurdr met. u (.Fotos exclusvs dstrbuíds pel INTERPRESS) ^Êm^^m&s^^m^Ê^m^, ííh flgrnte movment..encontr entre s equpes Botfogo e Dínmo Prág> no qul o clube croc sgrouse vencer pelo escore um~tnto zero. N foto, Gerson, d fes botfoguefse feçl^ç um tque Dnmo kmm o Amérc 2 x 1 Pêlo mrcr 2 xl, o Amérc trunfou sobre Por» tuguês n pelej nugurl d tecer rocd* dsputd n tr ontem, em Sã» Jnuáro, O cotejo re um mo" gerl ío frco, sense, contu, resstr á nítd e constnte super.ord. monstrd pelo conjunto «rubro», A Portugues vpítp._ cepconr, ten cumpr um tução nos mol» (.HÒíYjICÁS CLClílAS V AIU( OSAS l JCZÜMAS OOS ftlhlíkos São uluudus, cômod <* ruclíntc, e» U0% s tusos. cum uplcução, em uüiu, u qutro Atdu. uuressvs U Nâ PA«IE Reoloe e fmp^nuta» bllzse fclmente «MWlOOprçJt & vend mu bos (rmc*,, dquel frente o Flumnense. O mrcr d pelej fo construdq n prmer etp. ten mrc Ferrer e Cenmho pr o Amérc e De» non pr Portugues. O jüíz fp ò sr. Frerco Lor pes e rend somou Impor, tânc Cr$ Asegupes formrm ssm: AMÉRICA: Ucho; Rubens e Edson; Ivn, Osvldnho e Héloj íí3p, Cnáro, Cennho, Leo Alcon e Ferrer. ÜÜRTUGUESA: Antonnho; Wlter e Ccrno; Elb, ílenque e Hrol; Gudhcr,mk,, Vlerno. Mltnho, De.Ju e Bduc. CALÇAS AMERICANAS CRS 75,00 ~WWüln loucur.amaury, Ru d Alfân* g, 318 1? ndr; Ru Vnte Abrl, 7, loj. E get» nhe m gelr Cflrná.?*» Cxs Dáguí Vzmlo? * ^ Teçp ífoítos? Pr«JnD< pü o use, sem remevêí o eb«5cp, plcável por «u»l(s!or >essqfíãqspj, FABRICA J. MATTENBERGER & CIA. TDA, $* A

8 1., *,v. E:" j) 5?,^t _M_. ^*% r *4\ ü. w vl ^ r" _F»A!" SS._SI ^ _CT_Ey F * p^ V ** r"^ *"". t... **. í», * í *;/*t.,"/ ^^I_? * E f *Ê»sW >.í* _^* ; _p v ** * _^ j* 2È!_ í" í^corro, ««<H<*monf, o» jxwío mídleos «fo» /tstrufos. M» o» éoprtmcnto» medco» dquel» utrqu» receberm orn rgoros» pr quo reduzm *> máxmo» lcenç» o» trblhre» enfermo» I Ano Vm * * Bo Jnoro, mngo, 21 gosto N Problems Morro d Provdênc: Grlgern, Águ, Escol e Hgene SERÃO DEBATIDOS, HOJE» ÂS 15 B^ v.. ^^^ír^^^*^_> ^K3SW_H^*v_P"s," "* HORAS, NO COMÍCIO DO M.N. PT. t ppv _. _ d* "«T"»:* ^rof^nc 2?xr_^rres bter lojo seus MNPT, problems no comíco que será relz nquele locl. Ns fotos, D o nte d repórter UTF, fln com o vres que lhe fz um exposção sofrmentos 7So _ subd f morro, cercd mundce; S _ m grupo senhors eotzsreportgtn _*_ m_?d,ore5, Morro I dre*r<* v sen vstd Provnc bterão Alguém ho* e os brrcos nos nform à ber d je. os seus problems no conüco que o Movmento mesm, rrubs. A Igrejnh. que fc que o dr. "edros, dretor Nconl no lrgo 3. Populr dstrto " águs e esgotos, mnd encmnhr s Trblhst morro, estó tod frá dnfcd relzr, às 15 hors, pels explosões. quexs o mnobrero, nquele ms locl. Des que o Um comssão morro se fvels pos o dr. nd c resolv, tornou fvel xs que contnos morres o presnte Pedros não tem estão recl nteresse d UTF. fo o 11. mr provdêncs dp no sent melhorr sus cond* Coes hbtção. As utortüces públcs não ílze :rm nd, te hoje, ms, por ron, conservrm o nome morro. r "O GRILEIRO E A PEDREIRA" t, O erlero qu é drelr pe dsse, ontem, à re ^Síí,?!6111 d IMPRENSA POPULAR o sr. Antôno ver s Sntos, & presn,*fej,tro d Unã Trblhres s Fvels, qnele d morro. Levnos té à rbncer e mostrnos st pedrer ue sentío explord um por Empo coronés reorms Exércto. Dàmente, há quío explosões oue fzem tremer os brrcos. Pouco pouco pe dstrto reclmr provdéncs. Sbem o que conleçeu? No outro d, u polc um btd n fvel, com to o prto bélco, temorzn tos nós. CREME DA SAÚDE PUBLICA Conversmos gor com um grupo fvels. Ano* tmos os nomes n Jo* veln Conceção, brrco 417; Albertn Puln, 375; e Acclno José s Sntos, 490. Tos estão ndgns contr Sú Públc e o Deprtmento Agts e Esgotos que xm o encnmento dágu correr lvre* mente por um vl fétd. O encnmento está fur tos os ls, msturn* águ com trtos. melhorr rus que fcm sob su jursdção e, muto menos, um fvel. QUEREMOS JUSTIÇA Estmos cnss sofrer njustçs, dzem em coro. As utords sobem o morro pr espncr, brutlzr. São z ml fvels que exgem provdêncs medts governo. O posto médco, construí pelo esíôrço les própros; o drg pelo dr. Edn Allnò, ten* s qunts c sábs, cm méd Innl pessos. N mor são crnçs tc* ds por cchumb. v às péssms condções hgè* ncs em que vvem. Ests crnçs precsm tmbém escols, ms no Morro d Provnc náo ns há.. NUS FáRICAS, 0 BAL yríe 01 LUTA CONTRA 0 00LP Intens tvd s comtês MNPT ns empress metlúrgcs eleção Juscelno pró e Jngo * Reunão Comtê Profssonl n terçfer n qutro grns em* press metlúrgcs Ds* trto Ferl, propgnd Juscelno e Jngo, os cn* ddtos ntgolpsts, já es* tá sen fet com nvulgr ntensd. São els Mrvm, Ferro Mleàvel, Metlgrác Brsler e Fundção Amercn. Os metlúrgcos sts fábr* çs fzem corre mão em mão os folhetos e volntes seus cnddtos. E com eles plvr orm: «Votr contr o golpe, em Juscelno e Jngo». ; Por que tl movmentção Mests fábrcs, tornn bem dferente ds cmp* nhs eletors nterores que gor se process? Es. rzão: nels exstem, em. pleno funconmento, Com* tês Fábrc M.N.P.T. r,.; COMANDOS NAS ífc EMPRESAS»* O Comtê Profssonl Me* tlúrgco M.N.P.T., fun* ã há menos um mês, já. tomou Inctvs bstn* t elog vels. Prtcpou mbs s convenções M. :N. P. T., Regonl e N* nl, envn um bom nú* mero legs, que. yòlt São Pulo, relz* ám concorrds plestrs, rs fábrcs. O com que o trblhr Wlson Ver : fêz n Mrvn, n hor ;. lmoço, fo um exoerlênc vlos, um ponto prt* /Bã pr relzção um cmpnh eletorl vgoros no setor metlúrgco, por Isso fornj progrms os comns nos porteses ds fábrcs, n hor lmôç ;. N semn que pssou, co* mns propgnd Juscelno e Jngo " íòrm relzs, com ótm recep* tvd e grn êxto, n Generl Electrc (em s..portões), n Fundção Fe dèrl e n Mrvn. Èm tôds ests oportunds, form dstrbuís mlhres folhetos, conten o pro grm MNP.r., d ods. trto Ferl e o mnfeste em que Convenção Nconl cln s rzões seu poo Juscelno e Jn* VAIA BüfAO m> POBTANTentretnto, o bom trb* lho que os metlúrgcos vêm fzen, não é bstn* te nd _les mesmos «l* ün, *»** í_ ãme3*_ ; fk crescem ntensd frm o lír José Lels d Cost e porsso precsmos dr mor vgor à cmpnh eletorl. Não é por outr rzão que o comtê s Metlúrg* cos vse reunr n próxl* m terçfer, às 19 hors, à ru S. José, 63. Novos co* mns serão plnfcs, crção outros Comtês Fábrc será tmbém progrmd. Lels explc porque: A cmpnh eletorl precs gnhr s fábrcs. Els vem ser os blurtes d lut contr o golpe. GRÁFICOS PEDIRÃO 50% DE AUMENTO Contnun su cmpnh por umento os sláros gráfcos provrm ontem em ssemblé um tbel umento 50% SObre os sláros tus, com pens A S?^?^ ssemblé <*<«? contou <=om ms fo trblhres trnscorreu em grn nmção, ten tos os orres, pos l o sent precer me pel dretor e comssão ãe sláros, contr crest, protest mostrn necessd novos sláros. premente O ssoc Menegoto nuncou, que trrtftwntnt Crf 2.800,00.»> 9nh pens em^ês h 18 Outro orr protestou contr s empress estrngers que chegm lcnçr,.»oo% em lguns csos lucros. A tbel umento será tmbém plmted pr os trblhres em jorns è revsts. (No clchê, um.specto d ssemblé). *3* g*w_m MM^M_»B T II fl 500 RE OS DlflRIQS CONTRA INJUSTIÇAS NU PREVIDÊNCIA SOCIAL *^A*^AV\AAA,tl UM ÍNDICE DA BRUTAL OFENSIVA DOS GOLPISTAS DE 24 DE AGÔS* TO CONTRA OS DIREITOS DOS TRABALHADORES OIAPI CHEGA A DISPENDER 30 MIL CRUZEIROS EM PROCESSOS PARA NEGAR BENE* FICIOS QUE LHE CUSTARIAM APENAS 3 MIL CRUZEIROS..... ^^^^»^>^.^.^^».^^W%<W>AW.«^fc««.^.t ^ *Nt_*>r_rt._. LIO MftS PASSADO rm enlrd» no Comolho «Io Prevdênc».Socl, num só «Un nmls 600 rccrms leguidos reclumn benefícos II* quo les tcntd negs mente, méd mensl «léssen reurson duvo chegr cerc <!.«13,000 qun nteror* mente, sto 6, ntes golpo 31 gosto, ern sòncnto tes números, por s gos, monstrm ofensv sárlos exmes médcos. Esporou meses pru receb* O.ut) cuzcros! mee.,, o que lho custr uns mento bcnellclo, morreu sem rcccbôln. Três «Uns * pos enterrd, chegou n resdênc l o vso «encd pelo governo sr. Cfó Flho contr os dretos s trblhres no terreno dn Provnc Socl. INJUSTIÇAS CLAMOROSAS Ms, velmos que sc rcferem esses 500 recursos que drmente, estlo dn entrd no Conselho dc Prevdênc Socl. Suo. n su csmnnr mlorln, rccursos contr n suspensão pgmento benefícos frnblhrcs entes ou mesmo permnentemente In* váls pr o.trblho. Alegn n dfícl stucío fnncer s Insttutos (dfícl porque o própro eovêrno não lhes pgo débto que tem com élcs o oue Já sobe n cerc 20 blhões cruzeros) o Mlnlstérlo Trblho termnou redução nn concesslo tfc benefícos, nrovocn. ssm. Injustçs c» mororns. Contnumente vorl(cmse csos trblh..ros que levm város meses, fsts trbn Ito e fzen exmes sú nos Insttutos c, no fm tu. têm neg o benefíco que fzem us. Recentemente, um operár metolúnjco, nor ndccão dc médcos nròpo IAPI, bxou o Hosptl pr onerrse. Estv n mes operções qun teve conheclmenío vso Insttuto dc que lhe hv s neg o uxílo "noroue pr trtmento sú, não estv ente!" Em Petrópols. suceu f* to ms clmoroso. Um volh tecelã. j sentnse grvemente ente, procurou o Insttuto, on fêz os necos I Insttuto dc que seu ped hv s rejet, porque sc encontrv rpt pr o trbnlho>! APENAS 2 MIL DOS 12 MIL E necessáro dzer que o Conselho Superor Prevl* dôncl Socl, mesmo relzn sessões nlém ds que termlnn seu regmento, não consegue precr ms sses recuv sos que lhes são encmnhs ntulmcntc. Isto quer dzer que n esmgr mor s reclmntes, mesmo qun conseguem ver restbelecs seus d* reltos, tem esperr nos e nos Por outro In, os ssocs que encmnhm recur* sos no Conselho Superor Prevdênc consttuem um prte mínm ds vtms dc njustçs, pens quels que conseguem dvogs pr orentáls c nstrur lhes os processos. PARA NÃO PAGAR BENEFÍCIOS Jluts vezes, nformounos o sr. Benedto Cerquc, prosnte d Corssão Pcrmnente 11 Congresso Keglonql Prevdênc, o IAPI cheg dspenr,"0 10 ml cruzeros com un pocesso pr fujrr o pgrrrohto dc um benefco dc 2 ou DERROTAR OS GOLPISTAS PARA DEFENDER A PREVIDÊNCIA SÓCIA L Estes ftos mostrm o c* ráter ferozmente nntoperro governo dc 21 dc ugôs. to, cuj polítc se preten contlnuur t\és dc un golpo Est ou dn eleção generl 24 gosto. Jumez Távor. Por Isso, n lut em fes d Prevdênclu Socl e sus ms conqusts, ob trblhres unemse conlr o golpe e con Ir eleção golpst Ju. rez Távor, fortlecen s flers ds forçs ntgo!* psts que sc reunén cr torno jus cnddtur.1,juscr*íí. no Kubltsclelt.luão Cunlurt. H ã *»»* >. * «y» <. &»«_ ^? Pl. _»!*..!.1 lhüs üfl P^^< j_j & 4H & ] I y,;cl Wm I I >V *JmÈ JÊÈÈfrmt Sr1 l 6 _v6_mt^tm I >^B ü ft_t_t tr I _ ^jbtwãtwêrmê: WKflÊB,rl ^9 H,W^_^[ l "^w, l K_Pl^B,::.:^? MÍ_l l_ W r >Wl9( ÍHr[_ jí_ Hk 1 _l Doente o com c nos d, Artur Pedro» Snto» teve d voltr o trblho porquo o IAPI cdu suspen. rlho o benefco CORONEL SA DOCK DE SA: "Glã o Governo Responsbld Aprelhr o Corpo Bomberos" Reunrmse os ofcs dquel corporção 0 governo ferl não cobru os ágos pr mportção mterl Cbe o governo res* ponsbld prelhr o Corpo Bomberos, dn* lhe tos os meos, neces* sárlos.pr. o combte, os ncêndos, clrou o coronel Sdck Sá, Comn Roch Mrnd Votrá Em Juscelno e Jngo Instlse hoje um Comtê Femnno JJ, n Ru ds Turquess, 26 Obrs bnnds testm o scso governo pel populção s S_*w^wM^:MS ^:^3^Ww^í:: ;*~ subúrbos Éfl * «V" "".<. * r».»... v^mr*.. tryt :.;,...:;\::::\:::.:::v^.v.,^\v:;::y:\:::.":::"v::;; ". :V\,:.\\ *»_ :> se comtê que hoje se nugur em Roch Mrnd será um reduto d lut nquele subúrbo pl rrot s golpsts, pel eleção Juscelno e Jngo. A suburbn sento necessd dr: populção fenr lberd pr por reclmr Vêrno e obter o tendmento sus necessds gosempre esquecds (Ns fotos o l se comtê e um ponte cuj construção fo bnnd hà város nos) Será nugur hoje ás às OMKAS ABANDONADAS 17 hors, em Roch Mrnd, ATESTAM O DESCASO o Comtê Femnno locl Pró* JuescelnoJngo. O bnno Dnte d que Prefetur vot Roch se, ã Ru Mrnd ds Turquess, 26, D. Nv Ver Melo, presnte novo comtê, subrá um plnque l nstl, dn s bos vnds D. Sr Kubtschek. H* verá um comco relâmpgo, pr o qul estão sen con* vds tos os morres subúrbo e que cont com o poo Movmento Nconl Populr Trblhst. LUTAM OS MORADORES A populção Roch M* ln flrá seus problems. As ns css drão d escssez escols e, prtculrmente, d dí* culd bstecmento gêneros, o que ms s preocup. Não há l um merc* d Prefetur e nem sequer um cmnhãofer. As brrcs S.A.P.S. e d C.O.F.A.P. que o governo nstlou em lguns lugres por mgog não chegrm Roch Mrnd. Os Produtos são vends, freqüentemente, cm d tr bel. TERROR NA GUATEMALA GUATEMALA, 20 (A.F.P.) O lír comunst gutemlteco Hugo Brro Kleo fo preso ontem pel políc, que prenu smultnemente Josef Sntgo, zenove nos d, em, cuj resldênc se encontrv Brrlos Klee, bem como outro lír comunst. Bernr Lemus Ályàrdò. Este conseguu fu* gh., jp B g3_j_csksbr?llb 11lll : ft..l, ;Çg_ttE3_x flb_g. eobmb BB BS_ I colun Convte Rnh e s Prncess A fm serem trts e resolvs dverso* ssuntos relcons com Fest d Coroção, que será rel zt 4 setembro, próxmo, em Chrts. hverá no U 23. às 19 hort. Importnte em noss se, n feunl&o tu Álvro Alvlm, «ndr, pr qul encrecmos presenç d HU nh e Prncess d IMPREN SA POPULAR, MACARRONADA NA PENHA Como orêmo os comn «üets ue hoje, mngo, venrterem m«««ü«80 rn.s.emplres d IMPRENSA PO PULAR, ermtdo ACAID. por Ind su Com ssão d Penh.frá servr tos os que superrem cot eítpul, um sue.ent mc tond tln. O festvo lmoço será n Bus Lg, 255. _n Olr. COMPETIÇÕES ESPORTIVAS A prte esportv pro1 grm ds festvds d Coroção, exemplo ds ms, tmbém 6Stá mereten especl cud s rfç mnsáves pel «u >*** F C 71 I D snzço, crgo Cultur Esporte Clube. Já form conv ds os 14 coucorrentes que dsputrão o sensconl torneo, que Iechr com chve «Je ouro homengens que serão prestds à Rnh Fn» ç«_3 d mpeensa J?. PULAB; REPÓRTER POPULAR TELEFONE: já convenceu os morres, dquele subúrbo d necess* d um prefeto escolh* pelo voto populr. Mos* trm à reportgem o pon* Ulhão, n Ru s Rubs, s trlhus sóbre um cnorme vl, on um prefeto s nomes pelo Ctete, o sr. Alm Pedro, recusouse pssr. N mesm ru, fronte o número 589, um enorme áre/ sobre um lje concreto, cobert águ estgnd, crn lô e juntn mosqustos, é um test tmbém s* cso governo muncpl. PAGAM IMPOSTOS MAS NÃO SAO ATENDIDOS São númers s obrs ncds e xds pelo meo em Roch Mrnd. _ Ru ds Opls, fronte o n. 43, há um ponte ncbd. Pr tnsíl, morres estenrm um port velh que serve escd. O cnl oue corre em b.xo está entup. pelo lxo ue não é recolh pel Lmpez Urbn. A águ que se stn à populção c. ntro córretro vsn cno emssáro que, há nos, está fur. Bem no meo d ru, n confluênc Opls com Rubs, o encnmen!_ esgotos cb e os etos são spejs er plen v públc. O tm Pão vst s esgotos está berto. A lumnção noturn é quse nul e á tem hv cntes l. Às mães temem que lgum é crnç c círo es Eôto^ Sempre é leg que Câmr votou verb, ms j não há dnhero pr s obrs. Responn esse p rgumento esfrrp $ governo, o comercnte Slvr $ Luc dssenos $ que somente êle pgou recentemente 12 ml cruzeros un só _rmosto, o Indústrs e Profssões. Fo lembr que Prefetur em um sód gosto rrecu 180 mlhões cru* zeros. DERROTAR O GOLPE ARA LUTAR POR MELHO RAMENTOS Lutr pel cenelusão sss obrus públcs bnnds pel pvmentção rus como á s Rubs, on só nâo cresce o cpm no cmno "peld" tos erofos, por «cols e pel Insflção íe um merc 6 etísão s morres Roch p Mrnd. Estão con*. vencs, por sso. d necessd rrotr os golps Is, elegen Juscelno e cões, exgrem e obterem melhormentos pr o suburbo. dn te dquel corporção. Flv respeto d subscrl* ção públc «jue se lnçou pr obter meos pr os sol* ds.. fogo sempenh* rem com êxto su função. FALTAM ESCADAS DE; LONGO ALCANCE Momentos ntes relzr* se um reunão d ofcllld Corpo Bomberos em que fcou cert ser necessár compr dus escds cerc 40 me* tros pr possbltr os slvmentos em edfcos város ndres. Dspõe o Corpo Bomberos, no momento, pens dus escds grns. Entretnto, não funconrm no ncêndo Vogue, o que consttuu um ds cuss ds mortes l hvds. Um ds escds, «Mèrrye* ther», 37 metros ltu* r, está há um no quebr* d, s um cnte em que ío dnfcd por um bon d Lght. Um outr. «Metz», chegou sr Qurtel Centrl s Bombe* ros. e ter slvo s vítms quele grn ncêndo, se não houvesse enguç n* d n Prç d Repúblc. Des 4 gosto no pss u entrd n CACEX um ped mportção mterl pr o Corpo Bomberos: mnguers lon e borrch, s crros trnsporteso? corro, um utobomb tn* que, un cmonet «rápd pr mnobrs águs> e um brco pr o servço extnção ncêndo. Este e um outro ped que u entrd n CACEX no d 2 junho ste no estão penn nd d cobertur tos.ágos pelo governo ferl. O governo procur justfcrse, pós grnjç repercussão d ctástrofe Vogue, pressnse em snconr les votds pelo Congresso, em consttur comssões reprelhmento. Ms nem sso nem not d CACEX dzen que já fêz entreg ds lcençs Im* portção consegue esconr os culps. O própro govêrno não u cobertur s ágos e por sso não ío possível nd mportr o mterl consr í* prescndvel pelo Corpo Bomberos. FORO ESPECIAL PARA 0 GENERAL MENDES DE MORAIS Em sessão ontem relzd, o Superor Trbunl MS ltr julgou competente o foro especl pr precr o processo no qul se tent envolver o gen. Mens «s Mors, no tent d Ru Toneleros. A fvor d csão voto* rm os mnstros Bocüvs Cunh e Murgel Resen e os mltres geners Alen* cr Arrpe e Dnton Tel* xer, e o lmrnte Pnto Lm. Pelo voto Mnerv, fvor cus, sem* ptou o presnte, gen. C* telo Brnco. AMEAÇA CONTRA A POPULAÇÃO SOSPENSÂO PROGRESSIVA DO ABASTECIMENTO DE LEITE Represál s propretáros vcsieters à não concessão umento preços O bstecmento lete st cptl estrá séfmente compromet n próxm semn qun os pro* pretáros crrocnhs, crrospps e ms dstr* bures grnel reunrse* ão pr lberr sobre suspensão fornecmento em vrtu d csão d COFAP que negou o u* mento preços. Segun s nformções que obtvemos, os dretores Sndc* to s Propretáros CrrosPps e Crrocnhs Lete jâ convocrm um ssemblé seus ssoc* s pr que sej cdd suspensão bstec* mento, como represál _ nâo concessão umento preços. CARROS NA GARAGEM Embor o Sndcto em preço se negue fornecer qulquer confrmção, que medd será tomd e" mo progressvo. Assm, já prtr segundfer, grn número crros tnques será recolh às grgens próxms o posto Sotero s Res, d Coo* pertv Centrl Produtores Lete. Nos ds sub* sequentes, novos grupos crros tnques xrão crculr. Medd semelhnte será tomd ten em vst s crrocnhs lete. SEM LEITE A CHJADE O «lock;out» s proprle* táros. vcslelterrs, s confrm, trrá prejuízos consráves à populção, vez que est, em su mor, se bstece ch* m lete grne, vend* dó1 5 cruzeros e 80 cent* vos em ltro.o lete engàr* rf d CCPL, pelo seu lto preço (Cr$ 7,10) no po ser consum pel po. pulção pobre, sem uúvd ms rejudcd por um eventul «lockout». De resto, com mor d nugu* rção posto d CCPL em Trgem (construí pre* lmenle pelo governo) Coopertv, mesmo se po* tensse fzêlo, não consegur fornecer lete tod à cd.»^s«^ SWSMK SSSSS»;. _.» 1 "**, nl * >*. «"*. Dm Dnhero Poldk Âchcres! 1 9íOÇf BWUHA FE BEIRA, resnte _% Perer Frnco 21, e d_ v dnhero os polcs, fm que pussem prós* segnlr explorn css tolerânc. A clrção fo fet cm pomento que prestou propósto escftndlo Mngue, durnte b Inquérto que vem sen relz no 6. Dstrto. Dse que u o motorst «I Rdlntrulh, nome SU* v, 260 cruzeros, recenteme_ te. Tmbém o cbo Cstro, d Polc Utr, dv mesm qsnt, q_e_to> mente nvestg.s pre* cm _ procur propns. Tngo, or que lhes sej á Ctou, como exemplo, o tv grnt o dreto se Azs, que sejv um «l T m»srero lvremente, y, b_j ms qne ete * «_v çosnts negoulh Bvün reítero t cusçsss qun _ _ com os polcs chjres. E so tos lots no _}.? Dstrto. O SUICÍDIO DA CAN» TORA LÍRICA Lucl d Slver Pen se pren à s* tução rregulr su f* lh, nome Shel. Shele flh um estudnte ch* m RoLto e o tul cozo* pnherc sc recusv dr Bos _ crnç. Por pre<x_. to, 03 vós Shel sc Twsv permtr o r* gstro d crnç como í s nturl. O fto, juntmente com outros, levou o gesto dc sespero cntor. FOI ENCONTR ADO UM ~ * ^ÜELETO,.ceo lví_j«sr I Avelno Lemc_ r Fs I Prspnem. O lvrr I estv fzen rrubd I mts. Há tempob, erm íreqflen \ tes os choques entre trb j lhres e grleros nquel! regão. Tu ndc que Au í gusto Ferrer Letão, grlero, fo o mndnte cro, *?..;; 5 2LÍbllíS0"M PLA QRWTE, cus chn «gem, o dvog Crsnto Fr. Deu o flgrnte o te* nente Augusto Frets. O «drog confessou s fl* «trus, ssevern estr prob exercer profssão por ter s, nterermente, plh Idêntco. em crme í M l

9 ". ".: ",". ". :... m *^^*\m»»w*n\\»\jêmmw»mm^ IJH. *^*w*^b^f.tls*^*c""*í.*«!**,»~",,,«!..., ^Bv^^.*^$.v^ "r;*" *;**.; \ *" qp^lpppmpwpw*^^ 1 W^fl^T^^t^^^ Com jud povo fo possfvol á qusção ZZ ndr ste * edfíco on está nsuld redção d IMPBENSA POPULAR. í:mj 1 * "f"l I NA FABRICA: \ ^, I l(«fes comáclo e d ^ AlS l~^n: Ihdústr ncons, pel l 1^*^^}^ j lberd sndcl, por mclho T* * J \ les condções vd T~~W W e con f\ éj[ Itr o rconmento d ener. ]M^ IgU elétrc.,. 0^ /<7l ; ^; ]".. Wl/ ".._ *, r,, I J I >X \, I w B. ^^***k. ^^^B <^^*****rt^r ^1 l I jn. S??.",.." í «es*» *Kb *JA, «ÍP/TíV, *,. í*jr;.í <*»...«* \."?. *..*.;. ^{..^"VMt^r*^^^^^ ^; t^:r":v ^5 ** fc V I" >?^*t> """* ^* í."«*^ H II *>I í1* ** * JH fff ~*P^B M_ * ^IBfcTbL* H k)fek m^am^w WW ^fl É)^ kb JB S B n ^ ^ ^^^^H H.^^^**B emrmm mw mm ^rjh ^ft H f ^^. H^**>& ^n Mm vém ** w ****...^^Hr ^rm wm fl JH Bf»*t*(W*^**/. "á,k ^ " Br"** "..,>...,. >»" ",. ;"" y" *»»**..:; V,*j *» *, "S " "SHS. * j*í*t*":. ". 5*. * *; *"!...y.. :. I *..."* * ^... <~~~,..«>,.»**,*"»."*. s. B k,^ p.r^;_.l^l àwmt FM w ^w KBÉnt.*"".s!,"^v,"~""."* rwjntmbb^tjbbetjn fn ^,. Kv ^V ^l Mm Mm W M Ém * mmrw^ * * * *** v* flfl «flu>flh fj)k *.fjw * hl^*m mm Mm* Mm m\ mm Pr* âm." m W»w C Ç P% V^Kk í^ H m\mw^^ f NO LAR: Em fes d crnç* eontr guerr e crést..no 5íMPOí./C M í.r.** *. Cl. : J^P *. Contr o Utíóodlo pel p# e crédto fácl os cmponeses. *r *"v *** ^ Wí*!í55fí<:,^ Domngo. 21 dè gosto 1955 SUPLEMENTO ESPECIAL 1 ^Vf^ ^^. ^^1 Hk Rw ÈwMW// m mm Não po ser vend seprdmente J r/í " : 1., :.":í.".". * ", 3 "» v!.;...1. flfc.tf No cmpo, n fábrc e no lr tos lêem IMPRENSA POPULAR ;."!* " " *...;.:." " > V =5í>;_;.::=^r ;:."".:;,..".. &:. tf. * " " I I I frtr^ I 1 tf: l llm I» m\ ^jm :,W_*^ mb * m m\.mm m\>...«.. ^ÍVv, TECIDOS DIRETAMENT FABRICA AO CONSUMIDO m hcbbmíi 4**..», k I m," _ _ ;Vfe*,&E«rT!SÍ ^^t:.":...;v.;"v.;...:^."...:..:..,:,_. ").

10 _ PAGINA 2 SUPLEMENTO ESPECIAL DA IMPRENSA POPULAR 21/8/55 Í^LM ttm ** pb I P^^^ norte pr su mes " ^^í w SETEMBRO f MASSA DE MANDIOCA PUBA fcarima) RELAÇÃO DC PABA U DB 1» Prêmo Qutçlo totl ds prestções pgr 29 Prêmo Qutção ds 50 prestções fns lote 3 Prêmo Qutção ds 25 prestções fns lote A Vl Sgre 8. A. sorterá no prftmo At 11 Setembro ms lotes grãos. Ao Sorteo ds Qutção coneorrsrflo comprres loles Jrdm 7 Abrl. NENHUM LOTEAMENTO DO VEDBBAL REUNI TANTAS VANTAGSNSt :" /.* : \ * 100 prestções menss, sem «.._.. trd, sem jures; A 6 mnutos Cmpo 48 trens elétrcos dáros; Posse Imedt. Fornecmento plnts e «orentção técnc pr construção completmente gráts; _ Rus berts. Lotes mrcs. Meloslos. Glers águs pluvs; _r Ctsstll Mr.! hcslts _rtt_ ^JVvVIBI WW9W SSSSS^^WSS^ Wlwlf PIfVWWSl ^SVW Defes m mftp é» Mft è lme Imllrtt _t m tur tsh sssttt I MÉN OtM ItfCt* OMMtHVfll trç II dmtvmlrt. _ír* ; A*!. _lv f Hr S Tl nlvf, ^^_ ^& à^él _/ s^s *S^ 3S_ ^b P^ ^^^ " V"" ^^r^ ;.<_. ; >s*í».._* _. >\WQAAjCL 4» Prêmo Qutção ds 10 prestções fns lote Escol e Comérco em pleno funconmento. Ms SOO c* es Já edlíçds. Luz e águ brevemente; Cort pel Estrd Snt Eugên, com 32 metros lr* gur. Llgcto entre s Es trdg ds Bnrs e Ltorâne» Lt.^t., v^»m^»_rf_>^mvwvwv<. _ f.procurr MARIA JOSÉ í «ív. Mrechl Florno, 100 l9 nd. S/2 Tel.: ou n Estção Pcênc L esquer #. m Apresentn êste núnco terá um btmento crt soo fo n compr. JARDIM 7 DE ABRIL Vste*» sem compromío Verfque voe mesmo «mm vrtess? Constru su cs e lbertese s lugués 1 :, CERZIDEIRA INVISÍVEL t m entreg* e preços módcs Apnhse è e> U«s ee e r_leu!o. BBTSPHANIA 008 SANTOS Rn s Andrds. _.! peetsfl Tel..por fvor. _S_S7.t. frsed êste nunc terá 15% sconte Cv$ ASAORT EST A OFERECEIDO cmbr sswps. CONFECÇÕES AMAUBT flu d Alfcng, 318 tf::; ndn ttu vnte ds Aorfl. 7, loj. E gnhe um gelr Clímx T.55, ^^^^" ^^**""^**~,,^fc,^ W,,»,»»,,,,«««^»«.««^^IB ^»»...._, «. _^mmjsm^mwr? AJUDE A IHPftENSA PONIAI E S1SM SEO FILHO FAZENMM. OLENOIAI SELOS F8STAIS Os selos posts regstrm «lts, contecmentos, ser sonuds, etc s píses que o emtem. Instru o seu flho. dnue. presente um oom Inco pr um coteç&o. ; :._*...,>:.,>,.:.., *.".? $. ; \ Adqur ot envelope* populre* CrS cd um: Tpo "A", conten 50 selos dferentes BrsH, comuns e comemortvos. Tpo "B"t conten 20 selou sô comemortvos dò Brsl. Tpo *XT. conten» selos dps pses cmpo» dlu.urss. CHINA. fujmana, POLÔNIA, ETCJ comuns e comemoruvos. Tpo D", conten IS s comemortvo* s psss cmpo ocjlsuu Tos o selos sfto lmpos e perfetos. Enve seu «ume e enreço completo, tonto cose «te postl oorrespondffrls vlor s ^1^ ALVES S!^ py^ RUA AÍVARO ALVTK. <! BJOOEJÀNÇb. jfenefou^ envelope ou Os çw ro envelopes Junts lvn s. :,.év çj S _. A\í»í.:/j J»í l ^ > ^_H w. Sc_m». ^s l l l11 Auu^L!! * Pr.JsjP^ r ^H H IH. V [ sssm k «L Br r^ S^^ ^& _& ^L. V s_s sv!. c :: ^B fe_mss.* ^^_l! J_k V D # Stí_5 tos Pr Homens e Senhors Dus Css *?*" o Sen Dspor ^^^^*^"V r^fl b J&M AV. G OKS FRÍtRt275 JMIA oo REZE IOE.5I j Nt»...^.!.!.: ".^.. v;. í./^..^::.:.;._ * í.;:*jr,*, ).:, ;.,;;. ;.* _,.,...,...* *. j.»!..lí."v/!í.::

11 .... PAGINAS SUPLEMENTO ESPECIAL DA IMPRENSA POPULAR S «O CAMARADA» ******;» *; :> ",) *****»» *21/8/55 L^üH Nossos Mrs «O CAMARADA» Mr* eermde un» feeds e tcrlte ***» ntcfto <m t»rt. fwtjm vn«ttetos. «r em CAMARADA ; f lser Ven * vst, «n tr relteh. ««. OsvJ. íí *!*».VÉWHà* «MB I DA 8II.V.*..*&.! CAFF HARMONIA Mm Ro Mr Texer, 46 Osvl Cruz WÊm*mmmmm*fmmtmmmmmm^mmm^m^mmm^m^mmmmU^ ^^"" ^ ^^^ ^^^^^^^^^^^^^^^BjH "*"" Hl lm.ue.le * «rtocn ««Pttff» erzet «*M»«v, M. fmem LKlLOtlKO V fcllllüfcs tl ^^^^^^^^0^^^^^^^^mmrn^ "" " " "** * ^^^^^».BBBBs^r*\\\\^\\^^^cl»» mmm*mmw ^**ll»*l^lj*^r»_^^^ I lâ/l^^r, H Uév. twrrvutt. «t.. ttocftv l«no Mm» 4* %e. utu 4* Mu*.M.» re.. ** «*** W " ««. l&iotauok MuMü 1. BíDüs M*\e» cwuüu» «n err te. Çoru. c*ee Cortá» lp.mytjsrt tss^r: (Jmrtl HBh ^fcmwmpbcbg^f* 1 >»>* ; _.«*^B^^^^»^*^^!!!»*^J*^^^^^^5****^^^^&. * WW RASGOU SEU TERNO? Leveo à O* clmà «. CARMO, s. UO à Av.one Frere. ft, SSr...^.,,.í.on,M,r,tt,,l «ms. Tel. prcscntc.u UTl <p» f vr). com st terá 10% btmento. d Amury Tem Mes Des CrS 130,00 C3ONFECÇ0ES AMAUft» Ru d Alfâng, 318 V ndr: Ru Vnte dè Abrl, 7. loj. E gntoe um gelr Clímx T.55U L^_^ ^^^IHEHTOS PEDRAS I MADEIRAS SERRADAS. APARELHADAS MATERIAIS PABA CONSTRUÇÃO EM GERAL PREC0S LEILÃO A JATO su* o ds. Clc* cmss, blusões I pr torrr n fabrit A SICB3SO m,;......*;,. ^ Desconto especl ;..".,.....,""",.;:: ;... v Y.v; ; " $*&p:r$.:$:~í\#?% v.; ;* :; pr revenres n ftektnte r*fj6. «r>.»» I Tel«.t 4S..76S 4S076» I.: "íy,:" j CAMARADA :...:. :... >,.,.; ra.., ; :í. :"" : :..,...." :,\.:....,.,.:.: :".....".::...:..,.:.^^:. :? :.:: :....;,.....,,...,..: "..,,../;.!...,,... :;.:...,,.,;:..,,..,.:..,: :..; V., :."._,.;".>/;.;:..» ; :;..!:*;:&.^^. ;.: :; ^,,;;.:.,.."; "f V : 1^,^ ááv^^^^ lo ^^JBB^*****BBBK^BBBBMHBBBBBBBBBBBBBBeBlBBMBáW^. "" ~" M. mmmmê Ms^^^»»»*^^wl»fst*l «MMMsá BW IS»>T***TWV<*^^fcr»»sW BtL^BtJ»y^^yM^T*4MÍ * ^^^^^^^^^^^^^^^^^^^ **^^^^^^^^^^^^*****^*****^^ B. OFEHECESE PINTOR pm esmlt* mo» Ves. Processos mumos, (r* Cmentos sem compromssos. Trtr cou» t> sr. ntn tel. 4913SB. pel drmente. Ru Síto" * W* ~ tbôc* d0 " " ";, VENUEíSte um terren mednf. 45 x 10. «m um cs l, urto ronh e bnhe Ju. com gtjh e luz. Ru BEB ílís»""&.tg5í3 o reul Crt BSS genst. *^*wí»v»*j putrum,^ co», etc Pntmos.ulomAve, Relsrs) 9 corrento. Onjtentot ms» crwpmmm R» ürto.! tl e coznm, ore» ^noo pcquecoe repros terren er dk U «l nt WM» Xtutot pt MU rn.tm.tk 10» LOTE medn 45 x 10. cum 3 css, um 5 cômos e outr 4, com águ e luz por Gr? , sen Ur entrr e o restn. v.arst&ç6é* ^ 1k.KJHflMO VtíS 2U.(MN).uu» Vense um 10x.Hu Ru u. cr Snu Mrt. 74. Én. E* too 4u Ktú Fem luz elétrc. m estção. Trtr no e Sróxmc 1 ««m o r. Buotrz. t*e«vp urent. <o _VU«kSUANAII c oerst OwtsTssrtvt* e rfntum l»*m rfrse d unstrutors. Receou» íl, _^. noe Cstnho jjl wncm. m TH«3UA (RIO) DÜURO) T Vense, por motvo vgem, um cs com águ lu. &. Merc, 40, 2 mnutos d Estção. Lugr própro pr verneo. ótmo chm. ônbus d N. Iguçu e trens Frncsco ^^egóclo urgente. Preço: Cr* Trt,* Ru Adfo, ft. Mesqut Recs pr A* tonlo Lu.*, pey tl ) AMQQ utlze 0 reenmetute os seus mgo* e jrtmtm 1?F?.nt%?0 ** "PEQUENOS ANUNCIOU**^ * Ot9 10,00 nnr vt». Sen tmbém um mrretor dm **lornl. D>we 29J0t0 solcte nforrr * í ôhtb Gomo nuncr oom êxto o econômz MODEJTA CASA Vense 1 vst ou przo, com IS0% entrd. Sl. qurtu coz. bnerv e WC (nternos). Tnque, clx dágu cobert, terreno d tl«7..to «no metros *f^rtr»»*u» P?»Co à vst Crt : orzu combnr. Vr «trtr nu kwl com o propretáro. Brro Cnstelr. to* tts!. qudr 4. Bsfort Roxo. L<t«o UeUopott cur OURO e CAI TELA UB IOIAS «. Puese m ouc&o râo. d Ru «vrtsto Vete, 86 tl 20 orwurr Mr» ClMctttt ToU «NOn. Cm 9 «*6 borsjb cul.y&mwcéatoam águ com poço e glnhero m terreno pop Cf* menss, sem Juros. Ven t» pén» ótmos lotes. Trtr co» Josá Cunh, escrtóro d Vl Sgre Estção Pcênc ; Rml Snt Cruz. Próxmo Cmpo Grn. Recs pêlo ; tel (54)1 r TERRENO Vense lotes terr. Dstnte soo> m dé :su. Cru 12.3o x 12.40, oor Crt Vr^.r^:.Cornstune:)!r* er ogj» em t» no Informcoo o«to tl. ow m*..jp^no. ossse um mehl"^..18»* > «n d estção mnutos Nllópols, á v, sa«u.^,<ípr?,upw, serv «njbus â nort pur pr 40 cedur. mnuto? ü Pedro t Pre» S*. ^totm sen Cr» T 000,00 rns peãves n pnw pm com 4sn((fT menss, Juros. Trtr ^ém com sr. Wlter? * Ru ptâvl,, Br» t.s M*. Nllópoos sádd» e mlnos tru co» A ASTOfoS grnucoes «XfNp^B 3 totot medn x 80 cd um. eom um cs? cômos, forrd eívz olhd. RuOtâírto BÍt ctr Mesqut, e nhópoiis. ps Crf 220 ooo.oo, se Crt. V!NUE^ u n! terreno 40 to telh, etc Preço; CrS. Us entrd" :<* orrestnt *í Crf 2^SS^ÍSt ggtçoe VENUESE um encerlelr «^strtne» em perfeltu^ests Sy S IP2SL Cüm A Lul,0.!^ Ru Otávo Brg 1.31v Ntôpos nuto Edson PssóVe 40 dl D. Pedro II. Ru HerVoue Lus» g^jd, Preço: Ct» 130.ooo,oo J^Em^í^ < r» «rpntel. cum práur «o servço d ^ffrt^ ÍSSnt* D^tr«? ^««"«"r^^rsjr0^ 3*1^}^:^ H1"11 vend * 5HÍL» "?r.11 clnc*> mnutos Nllópols. Por Cr tJ.t>......,... ;r" ; ;: :...\^v>:;_;;:

12 í>:;:v.;,: *. *. ":. ( ju:>v*t. PAGINA * *w.t»j»;.v. n, " «VV V SUPLÉJ^O^^ mm f.. *.,.«DA IMPRENSA ***Ct I POPULAR,*!, *_* * 21/8/55,.,,...,._. MymmmmmmmmmmmmmmmmWmmmmmmmmmmmmmí mmfw Impr r* V I? em Gerl CNTOA!... í _< \>_ v^^^%*.*.\jsr jl^ 5.^.*** ÈÊfr*?f;>uüf * I 15>WvP Í*\\^H_Í».., Rpz * «* e Perfeção». * *,.< «** Preços Rzoáves,. f NÃO VÁ A OUTRA GRAFICAI j ~ B. LEÔNGÍO DE ALBÜROUEROUE. 62 AÚDE I j_l M6& "SHORTS" CRS 80,00 De Tos os Tpos CONFECÇÕES AMAURY Ru d Alfâng, ndr; Ru Vnte Abrl, 7, loj. E gnhe um gelr Clímx T.55 >..«V. > m, (*í> 9..*v._ 1 s 9 In *f:. _54<f»;. 10 VAGAS APRENDA â MONTAR.CAUBRAR 6 CONSCfe TAR RADIO NO r_mor CAlIZADOIMICV HOJE MESMO E COMECE A PAGAR 30 DK AS DEPOIS; AVENIDA BRAZ 08 «NA,?f«ft fraça 90 CARNO C PENHA CWÇguAl TICTAC é o tl! S"""* ^^ L ^*I É_^^^^^^^ ^^^ >Sn^"^^^^ ^^. ^^^**^ ^^^k ^^^^^_ fl ^~ ^»_ ^kv ^L. SAPATOS PARA,. V.lV..". :.\í.; e SENHORAS HOMENS Elegânc e dstnção o lcnce to» I AV. GOMES FREIRE, 275 RUA DO REZENDE, 51 "!j j^^^^^coh VIDROS DE Côft ^^^^fc HR r : jvü«"f<! H 9hH r ^H I f^êw Crí 200,00 L0L0 V f fl CíS^^ _SS^> ^ ^ í_í _oto_b_r l ^ ^_r_k l E*^ ^ P 0P~~^ ^ F F r :_ ^ #ll _S. _r v ~ P~Vl ^ P *~^ HB0 v ^^ H _á P^ ^^ ^ K^^^^!*Hl P w_. H ^ L ^ v ^_L ^^fl n^ " ^H ^9 P^ r ^ ^^^^^^_^ l l í5^ ^^B ^^^B ^^ ^^B _P*^ ^^o^^w_^b ^L ÔT1GA MACHADO _p lk RUft BUENOS A IRES, 214* RIO Jf f.^^^b^; f àv*mqpeçanüa»m Af t I < ^ t (**» *: f í ;.. f r v t «l, j ^^^^. ;. $&48* v^í^lt:\ ^ É_É ^^ ^^^ ^PfT7,;.í*...y t=c *.!" «. ;K.f!Sv.:!*! ;,. J :v:^.^^^r^tíír..] M;? V,íÍ,::í t" ; r c::v í.. Í»^**í***"«"*,****W**^^..^.^IJLL.JJL!* ;.. ~"jm*á^mmmmmm*m*mmmmf " :,:r ~~~r"~t~rmf»mmmm^ hh m»»»»»»» I."Zj«Í^"T":MÍ". _^r* r ^B!_!% J_t^ H *^ Hpf*^7SS^^r3f^_^_U l TW fâ f **"**^y«_ r«c «, Ir. t I t"5! V1 Br fl_bmhmk ~>^MsL * CONSERTOS RÁPIDOS E GARANTIDOS PRAÇA TIMDERTES, 31 ^Imoblár l<kx2él f\l0g\. ^A \..... v;»^;, í: ":../_,.J " :,:.. ^.....!., í; Vf^Fn t L **** ^^^^*""*,,,,,"»^ ^,^^^^CS l_t_r _ \m\ ^_^^ w_^ii_m tftystnyn^;*jofà*à ^m.j^./tjjdysj mmm&s: *H fsülfls.j te»* *rr:. :,....v.u., A 8oío<_ morn». montr prtmento com eçs qoftds. sem ó ntqu recurso mòv«nsf. estndnlzs. w.."... kíí_ vj N; &:*, e^«_. m^ 1 TéíU. 2Í407d ; ^ IP^^ ^^ 4 d_é mmmmjz?à7^\% f l _f_rl_fk_l CVl l f% «^V ^A UJ I ^^^^^^^ *_P_P?"*cO, 1^ l_" _Hf."..j>. «: ". :.. """; [ "" * "... ; :.; ; ;. M *" *:,".; " V". * ";.,.. *. ;...*.. V ;V:Vl".,V.../vlvrí.: ;". "~.". :""... * : *. r :V ; ^::

13 .. \ ** ;,Zl/o/OT.#. Clssfcs ADVOGADOS DU. UCTlJíA MUIUNUM» D»» L_*_r.» «tu_ Avuro *^ ll. M43* 8I.NVM. ralbujma AV. Brnc 1DU, lf.» *nü IJU2ICI. C*113_!L cuss Ifrmwsts.l 6ftr Jos, AU Urupo UOS Trone,»W7«k DB. EMMU DUARTE tscrltô* nu: Avcnldt trusmu Uru_u, 255, D» «mlu (_dílco Arurbul) Grupo «0» tel DR MILTON ÜE MU UAI t luéetk Av. trtumu rngu, u *«2u urnuneo, ú_j 10,30 s 17.3c oom* DU. tfttmi,mjo ISESttA. Hu Goncve UutM, U, $»n o«*. Ds t> bur. le.. 62tfT.l DU. ANTÔNIO ALVES JIBW l_x.»0 í.»»*» AJJVO " " GAIA). AV. W. AÜT turusmo Bug. sos,». 8/ uu. mtí. us os Dur. *" DENTISTAS CrurgãoDentst D1L OTTO UE ASSIS TuLülO. mm Hu Corrê Dútx. 14» telelone: CATETE. MÉDICOS DU. AUEIHI CObT.«UO <> fferc qunts sumtus,» 3L»í.o à I Autu Hu Avru AlVElu 31*.3.» düur. s MU_ flblt Mâô DU. AMOAlU ILb1XMO /UES* jctô N _;. > CltU.. em AV. Nlo fevuo, to, Ieí U» ndr, sls /4 Dj_menle, cxceu us sábs, ds 12 s 14 nurs. ** _» DU. LUAMILLO *UMSECA Mecucu Segund», Quru r «Mslers. Us 14 s os, Ru AlVc.ru Alvm, 31.» no. sl «JO «s., w POlü SEU COLARINHO? yf* l»w.»v».ví;; Ifl I >,.;u.v.> f n «**.. "* POPULAR lp^» ^pm _W>* ^ *J*~V / * L%pDE VENDA» _M^1*»^?^ trl. k"» ^ r tií^j V ^B^ ^^F ^ L _^F^ líl_»_. ^F JByy^F»^^y J_L P^ r<_r \^^^^^^^j^í lor.^»».^ tâfcs fr_h > ^ Fk. _k 7*>^Sv..>. d àtl T_k w^> tf*,1f^ jt jp^rv,/ v KL"! rí^ _"><_tf ^ST1.,_.ín!^_>*íí^,^_U ^ P, "" «L>^k_ A* _*Wí^ _!v_n... jsktxw SÜ****»**r 3P,»»5(s»»» tfev7^ /ST >/»JW/» f> >. *_fv ",! _ *.f ^_r^^ T l ^W >*_^^W T _l!_&«_ IV Í..l.V *:. ; Í! txv.m :.., js mm! ftto /;,;.)/»»r : vl"»1* vj^_ J ^ fl_l l_l. l l É _^ f _ H t^^^^l *r r ^_^_^r jír ^»^»_r^^r ^) ^M_Mfl óculos pr homens Cr8 J80.CMÍ» _. :..>..v _ \.... Mrtnh pr «Wrfhcro» ;;ÇpfÊ!$ 145.0». ^ ^:o^«^^?j B X*F.z*f (V r (*,." " *.r". ~: ;*v ""..:.;, V "» A<v:Vt.. ;*^.^;^ cí í;^. WW**^^.^A v^^>^v^_à:^:: 1>»:Nl t?5^?_ ^^^<»^_l ^ \fcí*><_v. V_W.F:*.»^^^ v!»,c%v: A:^;».v!;V;; >ÍS;.»^ ;\s;?v.f ^:?/*;^^»^ "::. rr Lâmpdslshos flms, fotoflu, "^pel fotográfco, trí(>é& e mtrl fotográfco em gerl. ^. (*) Os flmes comprs em noss cs são revels grtutmente. ;.?. NOTA? A Ótc coutuu dn scontos especs o» letores d^imphensa!r> l! POPULAR. _A ^^ lf _ S í *., ;V. Ofcn «ofserto 1, SA Drfce, órfã Mf ou lr Borro, tfoa Cms sob medd íu «lchcê <» % Sí... j..,.». >. >;.,, >.. " >.. v,<.*":v>w ; *:.." *.»>:.; ; ".>.....> :;. * W. ;! "... ^::V<;.:;;:;" frjsb wfe BO» _r J m ;**xç... :! (HASIMIRAS TROPICAIS B. unhos Ncons E ESTRANGEIROS. ^_>_: ^...;; *V,* 1 * ","" s,..*.." "... Ótc Mguel Lrgo Sâo Frncsco, 23»;. /> SI FERNANDES mportres :. Ru Svtsto d Velgu, 45C loj» Tletons: 4211» J.V". Accttm» eneotocn ds O»* o RcflBjMo. fc ;k;qú hâ,mís woorno... Ptos». pços be A^rnoAMeNTE Mecânco Máqun Costur I _T_A_ry_^_TA l F r _r _fc_^t_r Hr_r _^_F J^ ^ MAIS VALE QUEM CONHECE,. I. _1 ^^^jt ^ **?_IM" * \wttt >ff>..f!_* ÍV" Oonsertm, compr e Ven máqun» éortur usd». Refor u em gerl VetD*e mqulnf no> VMàpreUço Tel,:.. P^l... &.*y. A HMlhot penso 4é Oáp cten ArwI_ e fdsettp, "S^ST* t s mw/t+f.% f JÁ«^_* l ^^^^^^^^^^^! HERCAOO à DISCOS I _. W êõ 43^74^ A verládpl Mtws Pb, espcclí pr: bolos, m«neâ«_ bscotos, et Enpò.t_j>ee fc vend, ns css: 1 CASA BARCAS COMESTÍVEIS ttéaolat IB CASA! ÔAll flora RDA DA CARIOCA. RS4IINA DA RAÁAHO ORT1UAO í *?? )~.^:. *^ * S».. *>!**r"._**tísk/r;í^íy;!. «"* rf

14 " :.*»»# JF ; *. ;r% f*_ r * PAGINAS" SUPLEMENTO ESPECIAL DA IMPRENSA POPULAR 21/8/55 «_.fí** * V EZ_ I * ^^ ^^^ F ^^^^^^^^,U ^m ^.. ^^^^»".: r_\ /";, "~.*~^.".^ms_p B F/ _á sr s^ BWW»"»*._ vwrb _P"»J» >_,w \;: *; Y..* vá;,\,.?_3 ^ L f r ^_á r t I!kí*,,:v^_ á lã * B.» * _r Y*. # B r _T v»v\ _F_l_ )^y] ^ B r r//_9_a r B r _#.^ r r r r ^^ B / \í 1/ V Al / * ^^ A*MM. rjjtãrl I»j.;)0 Cft H*sr^^ M ^_H II. * _?&.» fí t ^^ K ^ = 1 l l»,,,, " ÍÉ^Im I Kl^l WH «l,_^mfn». Ir I = =+! F=r=^^^^_^,^fcr w* thu I M_^^M ljl.im Jm Tf IwèSW b >/CASIMIRAS TRO FICAIS E LINHOS NACIONAIS E ESTRANGEIROS Um grn mportr pr servr clsse trblhr. M. Fernns Importres 4 Ru Evrsto d v*eg, 45C Tel B B S B ^^ ;»»e»s «>S m ^ *«s»**^^ l»»^ ^^^^^^*. s. F^ ^^ ^2o_L l^^^^^^ ^S SS! msw^^ ^^^_> ^v vr r ^.^0*^^ ^^t kf^í^i^ 11 I II UU Ilmj HP*j**P M Economze ÍS^ ^_? cms COnftcclonn? senhor pp, wesào roupnh _<_ Hlhnho e tods s Sf^^J^ A CASA RCTROZ ov.ec. SecS *cs555sd Costur ds «*K«*SI ^^ ^ l PV^ W_^ B IW rt r^ ^*% *7 ^ ^ >» I Íg&JÍ A^^AJ ^4 UT I ^\Z_fl _I_J I w^j^^»mmwj^^mm] ^s. ^ fc^ n B _l ^ ^_r B > 1^ A^^^^ B B ^.»*k^ ^1 l B :.:j"!?!!..r:!fju::j,,":" " ".r n. *._.t f f..»» AtençSo! Aprovetem! Encerrs elétrcs prtr dt Cr V5d0.0<í ^tluxl ts trene. Stárlu^ ^> flèfeulüx. A rtt. e> n1 Recondlcond d_«. «_ flur. em ofcn dè fábrc. Estrd VksU Cr» vlho. 73 Vs Lobo.. 1 í DR. A. CAMPOS (CnrcKo Dentst) SSltüÍHÜ1 Westoo. ttwssws Slfltcls e ssttss S Mm l_ív,,f8. Af " "T" r orve«rmavh» ÍSSSu rrnz:. <on_»lt*rlo: Ro I» (Jermn B*T^ Lm_S_f» S «I» SenmdMk «mlm sestsfetfm VetofeMt 8SSSSB X 1 LOTEAMENTO VENDO, somente 30 lotes terrenos, eo^ntomo 230m2 prtr Cr$ ,00, eom 1C % vst e o restnte em ABREU eglowet ALVIN, drmente à Av. Ro Brneo, 120 sobreloj, sl 13 Gler s.empregs no Comérco :.:.. :. >»í. VÍ*. ;...:"..."::: ::..:._,....:*..: *";:,:.,,."

15 PAGINA 7 SUPLEMENTO ESPECIAL DA IMPRENSA POPULAR &wm ^^^^^ mmmmmmmmmmmmm»tt»mmwmmkmmm^^ lljf" /. M 1.1 ^,1V»j»j»Jj*Jj»jTj1 Mm ^%m\^m^r»»\^m\ B^L\ Ê*m\ m^.^mz^m\9m^ mm k^t ^^B^B. Ulll ^ ^k ^^V Vfmv ^l^fám M»mm j*m!obj^_j*,bjmm Wl t^h. M^Mr^^^^^^MJMB BM ^mww YU V R m^mr ^m^m\^.mmm^mww ^^HH^HÉIé^H HjfflP??»\m\\jj*Wk j\*\ «xibmi ^MM fl* m\y^ t^^^^p^^bmw " ^^^^T ***>>jj..lít>tj*j»j>. ^* ^^^ m«^j E 11^"»«.*»1 IBl, *^»í _>»» nêsr hl. fjvjtn Wt^m^ks.CVM n ^^Tk*N V^IL?* ^lá^r!* rfrjftjbr 1.^ V JhfJn^^. jjt"*mfc ^^JmmmWK ^m^mr*wmmw KLVTJ v X mt\^tktm^^.m^r 9^^^Mj(p*eP* «âdos város tpos e mrcs F^«* ^s^^jí querosene Ácorons Lqndflwores~ Moves Encerrs etc TUDO A CRÉDITO NO BAZAR DOS RÁDIOS _ AV. MEM DE SA, 30 LAPA.^j^BBBH***P***B****B**^^ «I W^Lm^m^+*^^*G^^ Ím\m\.^m^m*mSmk^P*m1l% EN* ** * I M.\WmmW^^ÊÊ^S^m^^S.^^P^^^mT. te^m^m^lmmszmmj ~*jj*j*èm*jt.. St^k *** *M^mWmW ^ ^R~ ^^mmmmmmmmjí**»mm*wm»m&*^0m*à^m»m^^»»m WkmWkW+wWlmmW^.fcn. * Vfllflel rmmjl fl láfkne3 U^tJ^r**] r» * **»»*>*» FwjWe)M***rf*^?2[r T^eTN* t>* ^B^.^wjrjT.>j>>.t.â>>«*«rt*e<tM **r*b *** f fjm MM ^P^P^PMfJljfrJyJ^gT^rgjj ^w4..m>*j>»j*>j).jl P^MJ SU^^tjfVkA^n»w tm /e» * * *T^fM Z^mÜM f fl R^^.»5»*fc.^,*^ *3f^*,B.l^*2 >M* jpfm»»en» *> * I j»j»j»j»j»j»j»jmi*l» ~r»»*» ~ ;~.».». *» «Ll MgV******* ^_*",j~^n, TWírH rr? ^B JBBW**^ ~ j!^^mmm^ãfm^m^mêêmmvêêttl^êêmwêm^mm^^m^^é ^^^*Wm\m^mm^m^m^*t*mm***mÊl~~*l^m^^^^^^ BBHBjK»HHlMfeHM,TH»jTHM.T.TBH^ l," * 1;>t>. ".^^Mm3&W w Pr o conforto 5P^ ^^»v 1^ s seus olhos: ^Ifev V ÓCULOS.»^ Óculos. tos os tpos e procedêncs Lentes cores e grus óculos prtr CrS 90,00.,",:.. r,. ",; ^ ^""./" ;,. y\.9 Recet Grtut \*\M.?;*.. X.1 Recorte êste núnco pr gozr It % sconto em sus comprs.. *# ÓTICA MANON 1113 RÜA DO OpDOR, ls»^r ANDAR J I 5 *5!tJ I. M :"f;>!".«!.;, Homengem JR FtttMmWrmW fã * w\fm OUE O OJtSO DE RAOtOTELEGRAIlSIA / ÊHnfÍ ^^ * CLASSE (nclunoo tscrço» w>: Bt IIII A?/M ffo 54L4.*?/0 IM PR0F6SÂ0. flu llll NU MM MIA «I IMM AftECIAmT. *WÊl ^H *^^JH ^jtjmibi IKrtttMj.ttTj<L f^zmm TMCtXA. C0WIWBlJIC0C«DO CUMO I t9* tteo rmltc omw), cmt menu SJKOf» ^> Oedt» > ohkf é pu mm O«M0QM ) N O MMo * SudMJeg. *át ét U Qcm. 0» mmo) «bb B ene ét wrttjo. o Enjpmo» d FlUnonto rjctcéonol é 4up«*» «OS 4J50O06 coe e 15 «Me ervloo * «*m QrS O ttu» Ukâd à ltldf nw 2* cb% d» ««* dh B Nlo exrtte weewp RAotttegrftH»! o «m: m tn m ummu..uj m ~"*~ Cm tedm FfoflMt?es o número d proftlonlt é muho rndt. precen qu há excesso, ms verlrmenl cp é tolcdtt Um enu trblhol PARA 0 BOM PROFISSIONAL EXISTE SUPRE LÜG Educ?*álo^k Tf ertottodc o ESCOU EDI: m} UMA»DCMAM0rotldANDO^I^ ttf «Ue t Pm» cqmmo*»dhca vm sworeoww «ROA W CARIOCA, MUt ruí.vmúm Cb hül «. I I \ _ l:.v,(!;, <;... ;;*.*.;

16 ...,...;,; ;...."...,... ;,; :.,:".:;;,; mmw< Pr* l^;í ysmw%"* W^rí:l!» Míf **,# " *. < >; àk^1*" *,,.;., «fs"..^*.^yy ^^^^^*^ *hbj ^^^HHHHh»: W MmmmW^mWm J l?l U F *] TSf* «?. 5." ;:í*ss *...rps5 C/w B5«^vf/P/f / í?\ rs tf SINDICATOS Ar ASSOCIAÇÕES XUBB8, ETC. 8*í*.,!>. * ÚNICA OBGAJfUAÇAO tf.ò 0*»l6IIÕ ARTEFATOS DB ÇOÜRÒ VftNOA «...kl ~"Z.,*,<*? "* "_. " Ir. 1:..á fc"j"v»»». * «V j."*. *, *,«"* *"* j. «*> ""*»*». " ",***. *«* V " " >.., H W.f, ^3lí^^í1<*.<;."*;*BVt fv S.^»». fe»«^ >«r}«l#!j*y *.fs*r>, r^.vví %&%*? f ler &s ^t* l".ll«wm m*m»j «MH 9 FRANKLIN. r n «MS* fkww A*t«v**^ #«Vk#wW(W... fc. WALDEMAR ARGOU.O ^^3 B SS1 S VBCNtüp, bustrlcista AUrowríus. oruux, por; HEMPHII.l SCHtKíLS l»fc LU». ANGELE CAUFôRNlL í«assistência :/ leç.lca DÉ ELETRICIDADE AUTOMÓVEIS.3íÍ : 7". Bstrd Monsenhor Felx, S25 > CRAJA RIO DE JANEIRO *. *. * Mf%««*< *«*»» >*«« % «,««d d) >. *...! hu, llll SÍW < & f\*m T =.**» s, \ f* %»»».*tjt»>»* N ft^^^v^^ MPJ*151^ XÁ ** X.1ÍÍ» IS l.âtv^j ^t^jft V..,". :".<;". I yv, ;^MM%r^ t& Ifev." :. >5 :m :* \* ^:~*í?; ". 4:V q: [,::] &tt*8lí:v 10jrj.utós Cxs, com conduções à port, pon «ètf guntes:. ônbus Wfâ\MMMjámtmPÍmnm\ * ortroxo, STçurun, Cmpos Elseos, VU PuUn e M o preço Cr;> 56 OOtf^Sendbp Sékíf? dé pm2^,0osem juros, Trtr com o corretor la TI Antôno! «, j5:&\â~,í4...,*,. : í>.. LA/ f ;.*;,* NOVO LOTEAMENTO V"; lkds As se* gà.; Terrenos o rer, e mngos DENTAD.^^ *>*>«>«*««ms «MM «wláv ^Í»W d^uwmlo**, «rtncl» tonto n» lmedut». uperlor c««o» Ufertor. ÓfWeéeâÍM n^svs lm). nf«rn»oe. mú oo»,rénl..o. Fréte* pr«prí». olv S& ^ ífíár SíS?^ ^?#^ «««Mí^KpS,:,, %,«., ".. "...:., ;..""w" v"^"" V; :v;:v?.""""^;;:v:".".,"."./", /.;;." ". v :V;. " ~",."*".. / :,v:"". "; "V.V V".:". :;.X/.V. MVJ.1* :.7V,Ü" A,,.í... :;,,... " m,..,.(... «"} *....* ".«, V "...::,!.. l.....v ;;*

Além Tejo em Bicicleta

Além Tejo em Bicicleta C mpodef ér s I t ner nt e + Al émt ej oem B c c l et Além Tejo em Bcclet Cmpo de Férs Além Tejo em Bcclet Locl: Pegões, Coruche, Mor, Avs, Estremoz e Elvs Enqudrmento Gerl: No no de 2013 Prnm nov com

Leia mais

ESPAÇO PARA EDUCAÇÃO E CIDADANIA. a k id s

ESPAÇO PARA EDUCAÇÃO E CIDADANIA. a k id s v k d s k d s Brekng Prdgms A Brekng Prdgms é um empres especzd n gestão de projetos cuturs, bem como n dmnstrção e cptção de nvestmentos socs corportvos. Rezmos produção dret ou em coprtcpção de projetos

Leia mais

(Às Co missões de Re la ções Exteriores e Defesa Na ci o nal e Comissão Diretora.)

(Às Co missões de Re la ções Exteriores e Defesa Na ci o nal e Comissão Diretora.) 32988 Quarta-feira 22 DIÁRIO DO SENADO FEDERAL Ou tu bro de 2003 Art. 3º O Gru po Parlamentar reger-se-á pelo seu regulamento in ter no ou, na falta deste, pela decisão da ma i o ria absoluta de seus mem

Leia mais

======================== ˆ_ ˆ«

======================== ˆ_ ˆ« Noss fest com Mri (Miss pr os simpes e pequenos, inspirdo em Jo 2,112) ( Liturgi I Puus) 1) eebremos n egri (bertur) Rgtime & c m m.. _ m m.. _ e e bre mos n_ e gri, nos s fes t com M ri : & _.. _ º....

Leia mais

RESOLUÇÃO Matemática APLICADA FGV Administração - 06-06-10

RESOLUÇÃO Matemática APLICADA FGV Administração - 06-06-10 QUESTÃO 1 VESTIBULAR FGV 2010 JUNHO/2010 RESOLUÇÃO DAS 10 QUESTÕES DE MATEMÁTICA DA PROVA DA TARDE - MÓDULO DISCURSIVO São curiosos os números. Às vezes é mis útil rredondá-los do que trblhr com seu vlor

Leia mais

Prgrmçã O Mu s u Év r, p r l ém f rcr s s i g ns «vi s i t s cl áss i cs» qu cri m s p nt s c nt ct nt r s di v rs s p úb l ic s qu vi s it m s c nt ú d s d s u ri c s p ó l i, p r cu r, c nc m i t nt

Leia mais

Semelhança e áreas 1,5

Semelhança e áreas 1,5 A UA UL LA Semelhnç e áres Introdução N Aul 17, estudmos o Teorem de Tles e semelhnç de triângulos. Nest ul, vmos tornr mis gerl o conceito de semelhnç e ver como se comportm s áres de figurs semelhntes.

Leia mais

Questionário sobre o Ensino de Leitura

Questionário sobre o Ensino de Leitura ANEXO 1 Questionário sobre o Ensino de Leitura 1. Sexo Masculino Feminino 2. Idade 3. Profissão 4. Ao trabalhar a leitura é melhor primeiro ensinar os fonemas (vogais, consoantes e ditongos), depois as

Leia mais

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e :

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : INSCRIÇÕES ABERTAS ATÉ 13 DE JULH DE 2015! Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : Caso vo cê nunca t e nh a pa

Leia mais

RESOLUÇÃO DA PROVA DE MATEMÁTICA UNICAMP-FASE 2. 2014 RESOLUÇÃO: PROFA. MARIA ANTÔNIA C. GOUVEIA

RESOLUÇÃO DA PROVA DE MATEMÁTICA UNICAMP-FASE 2. 2014 RESOLUÇÃO: PROFA. MARIA ANTÔNIA C. GOUVEIA RESOLUÇÃO D PROV DE MTEMÁTIC UNICMP-FSE. PROF. MRI NTÔNI C. GOUVEI. é, sem úv, o lmento refero e mutos ulsts. Estm-se que o onsumo áro no Brsl sej e, mlhão e s, seno o Esto e São Pulo resonsável or % esse

Leia mais

Relações em triângulos retângulos semelhantes

Relações em triângulos retângulos semelhantes Observe figur o ldo. Um escd com seis degrus está poid em num muro de m de ltur. distânci entre dois degrus vizinhos é 40 cm. Logo o comprimento d escd é 80 m. distânci d bse d escd () à bse do muro ()

Leia mais

Aprimorando os Conhecimentos de Mecânica Lista 7 Grandezas Cinemáticas I

Aprimorando os Conhecimentos de Mecânica Lista 7 Grandezas Cinemáticas I Aprimorndo os Conhecimentos de Mecânic List 7 Grndezs Cinemátics I 1. (PUCCAMP-98) Num birro, onde todos os qurteirões são qudrdos e s rus prlels distm 100m um d outr, um trnseunte fz o percurso de P Q

Leia mais

Kfüschiov Irá a Nova Iorque

Kfüschiov Irá a Nova Iorque A Segurnç WCJ n C& ^twsmrms m rrmüsw Polítc Exteror npennte e Pz ( lodílorl n Tercer Págn ),...*. A* SWHll^^ Mêste Mmero «.».. BBHB **"""."..**j-*»-"** *g ".: As «vs ncons» do fscsmo Artgo Plmro Togltt

Leia mais

Resolução feita pelo Intergraus! Módulo Objetivo - Matemática FGV 2010/1-13.12.2009

Resolução feita pelo Intergraus! Módulo Objetivo - Matemática FGV 2010/1-13.12.2009 FGV 010/1-13.1.009 VESTIBULAR FGV 010 DEZEMBRO 009 MÓDULO OBJETIVO PROVA TIPO A PROVA DE MATEMÁTICA QUESTÃO 1 (Prova: Tipo B Resposta E; Tipo C Resposta C; Tipo D Resposta A) O gráfico abaio fornece o

Leia mais

Comportamento de RISCO

Comportamento de RISCO Comportmento de RISCO SEXO e um responsilidde Aprtment203/1016YA FCRISKY Cred Progrm Ncionl De Lut Contr SIDA Poe seguinte list por ordem, do comportmento mis seguro pr o mis rriscdo c d Ter vários prceiros

Leia mais

O Presidente da Federação Mineira de Basketball, no uso de suas atribuições estatutárias, RESOLVE:

O Presidente da Federação Mineira de Basketball, no uso de suas atribuições estatutárias, RESOLVE: NOTA OFICIAL Nº 079.2014 O Presidente d Federção Mineir de Bsketbll, no uso de sus tribuições esttutáris, RESOLVE: DA COORDENAÇÃO TÉCNICA 1. Convocr Seleção Mineir Sub 17, Nipe Msculino, pr disput d X

Leia mais

Simbolicamente, para. e 1. a tem-se

Simbolicamente, para. e 1. a tem-se . Logritmos Inicilmente vmos trtr dos ritmos, um ferrment crid pr uilir no desenvolvimento de cálculos e que o longo do tempo mostrou-se um modelo dequdo pr vários fenômenos ns ciêncis em gerl. Os ritmos

Leia mais

======================== Œ œ»» Œ C7 ˆ_ ««G 7

======================== Œ œ»» Œ C7 ˆ_ ««G 7 1) É tã bnit n tr (ntrd) cminh cm Jesus (Miss d Temp mum cm crinçs) & 2 4 m œ É tã b ni t n_ tr me s s gr d, & œ t h brn c, ve ce s. & _ Mis s vi c me çr n ns s_i gre j; _u & j im c ris ti cm e gri, v

Leia mais

INCERTEZA. Notas complementares. Preferências de loterias espaço de escolhas é composto por loterias

INCERTEZA. Notas complementares. Preferências de loterias espaço de escolhas é composto por loterias PPGE/FRGS - Prof. Sno Porto Junor 9/0/005 INCERTEZA Nots complementres Preferêncs de loters espço de escolhs é composto por loters Pessos otém utldde de oters e não de Apples As preferêncs sore ens são

Leia mais

1 As grandezas A, B e C são tais que A é diretamente proporcional a B e inversamente proporcional a C.

1 As grandezas A, B e C são tais que A é diretamente proporcional a B e inversamente proporcional a C. As grndezs A, B e C são tis que A é diretmente proporcionl B e inversmente proporcionl C. Qundo B = 00 e C = 4 tem-se A = 5. Qul será o vlor de A qundo tivermos B = 0 e C = 5? B AC Temos, pelo enuncido,

Leia mais

TEMA CENTRAL: A interface do cuidado de enfermagem com as políticas de atenção ao idoso.

TEMA CENTRAL: A interface do cuidado de enfermagem com as políticas de atenção ao idoso. TERMO DE ADESÃO A POLITICA DE INSCRIÇÃO NOS EVENTOS DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENFERMAGEM 9ª. JORNADA BRASILEIRA DE ENFERMAGEM GERIÁTRICA E GERONTOLÓGICA TEMA CENTRAL: A interfce do cuiddo de enfermgem

Leia mais

White Paper. Datas Comemorativas. Calendário 2011 de datas comemorativas para campanhas sazonais

White Paper. Datas Comemorativas. Calendário 2011 de datas comemorativas para campanhas sazonais Datas Comemorativas White Paper Calendário 2011 de datas comemorativas para campanhas sazonais As datas comemorativas podem ser exploradas para rentabilizar o seu comércio, seja ele físico ou online. Dedique

Leia mais

Resolução de Matemática da Prova Objetiva FGV Administração - 06-06-10

Resolução de Matemática da Prova Objetiva FGV Administração - 06-06-10 QUESTÃO 1 VESTIBULAR FGV 010 JUNHO/010 RESOLUÇÃO DAS 15 QUESTÕES DE MATEMÁTICA DA PROVA DA MANHÃ MÓDULO OBJETIVO PROVA TIPO A O mon i tor de um note book tem formato retangular com a di ag o nal medindo

Leia mais

^^^K^Ê6tot9IÊB$'t*'s%ÊUÉÈtaA&f'Y*m'-,-'''^âÊÉÊKÈ^KBm ''iv"'?.'^-1-'' Senador Carlos Antônio Lis, um dos delegados colombianos ao conclave da paz.

^^^K^Ê6tot9IÊB$'t*'s%ÊUÉÈtaA&f'Y*m'-,-'''^âÊÉÊKÈ^KBm ''iv'?.'^-1-'' Senador Carlos Antônio Lis, um dos delegados colombianos ao conclave da paz. NUMERCflO INCORRET ^EGUNDO notícs ÍS m Bogotá, está obten mor repercussão em tos os setores d opnão púbüc colombn mm "Htk Conferênc Gontnentl mercn Pel Pz será levd efeto 11 16 mrço próxmo, no Ro Jne-..

Leia mais

Apostila De Matemática GEOMETRIA: REVISÃO DO ENSINO FUNDAMENTAL, PRISMAS E PIRÂMIDES

Apostila De Matemática GEOMETRIA: REVISÃO DO ENSINO FUNDAMENTAL, PRISMAS E PIRÂMIDES posti De Mtemátic GEOMETRI: REVISÃO DO ENSINO FUNDMENTL, PRISMS E PIRÂMIDES posti de Mtemátic (por Sérgio Le Jr.) GEOMETRI 1. REVISÃO DO ENSINO FUNDMENTL 1. 1. Reções métrics de um triânguo retânguo. Pr

Leia mais

Gabarito - Matemática Grupo G

Gabarito - Matemática Grupo G 1 QUESTÃO: (1,0 ponto) Avlidor Revisor Um resturnte cobr, no lmoço, té s 16 h, o preço fixo de R$ 1,00 por pesso. Após s 16h, esse vlor ci pr R$ 1,00. Em determindo di, 0 pessos lmoçrm no resturnte, sendo

Leia mais

1 3Centrs e PP esq is II DD C n MM n Astr l i Astri C h i n Re. C h e H n g K n g F i n l n i I n i F rn 0 4 C n I n n si Al e m n h E st s U n i s I

1 3Centrs e PP esq is II DD C n MM n Astr l i Astri C h i n Re. C h e H n g K n g F i n l n i I n i F rn 0 4 C n I n n si Al e m n h E st s U n i s I 1 3Mr P e re s, R e s e r h D i re t r I D C B rs i l Br 0 0metr Cis e Bn L rg n Brsil, 2005-201 0 R e s l t s P ri m e i r T ri m e s t re e 2 0 0 7 Prer r Prer r Met e Bn Lrg em 2 0 1 0 n Brs i l : 10

Leia mais

CD MOSTRA-ME TUA GLÓRIA - 1. ELE REINARÁ INTR: E B/E C#m B E/G# A9 E B A E B A IGUAL A TI JESUS OUTRO NÃO HÁ E B A CHEIO DE GLÓRIA E PODER

CD MOSTRA-ME TUA GLÓRIA - 1. ELE REINARÁ INTR: E B/E C#m B E/G# A9 E B A E B A IGUAL A TI JESUS OUTRO NÃO HÁ E B A CHEIO DE GLÓRIA E PODER CD MOSTR-ME TU LÓRI - 1. ELE REINRÁ INTR: E B/E C#m B E/# 9 E B E B IUL TI JESUS OUTRO NÃO HÁ E B CHEIO DE LÓRI E PODER C#m7 B E/# TEU REINDO NÃO VI TER FIM E B E B COM TEU OLHR DE FOO VENS PR REINR E

Leia mais

Notas de Aula de Física

Notas de Aula de Física Versão prelmnr 6 de junho de ots de ul de Físc. OMTO, TOQU MOMTO GU... OMTO... O rolmento descrto como um combnção de rotção e trnslção... O rolmento sto como um rotção pur... 3 ener cnétc... 3 TOQU...

Leia mais

Vamos Subir Nova Voz

Vamos Subir Nova Voz c c Vamos Subir Nova Voz 2 Letra e Música: Lucas Pimentel Arr: Henoch Thomas 2 5 2 to Eu-pos tem - po te-nho ou vi - do a pro- 2 g g 8 mes - sa de que vi - rás pra res -ga -tar os fi-lhos Teus Nem sem-pre

Leia mais

Seu pé direito nas melhores faculdades

Seu pé direito nas melhores faculdades Seu pé direito ns melhores fculddes IBMEC 03/junho/007 ANÁLISE QUANTITATIVA E LÓGICA DISCUSIVA 01. O dministrdor de um boliche pretende umentr os gnhos com sus pists. Atulmente, cobr $ 6,00 por um hor

Leia mais

Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março. Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março

Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março. Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março Prova Escrita de Física e Química A Prova Escrita

Leia mais

Operadores momento e energia e o Princípio da Incerteza

Operadores momento e energia e o Princípio da Incerteza Operdores momento e energi e o Princípio d Incertez A U L A 5 Mets d ul Definir os operdores quânticos do momento liner e d energi e enuncir o Princípio d Incertez de Heisenberg. objetivos clculr grndezs

Leia mais

COLÉGIO MILITAR DE BELO HORIZONTE CONCURSO DE ADMISSÃO 2006 / 2007 PROVA DE MATEMÁTICA 1ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO

COLÉGIO MILITAR DE BELO HORIZONTE CONCURSO DE ADMISSÃO 2006 / 2007 PROVA DE MATEMÁTICA 1ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO COLÉGIO MILITA DE BELO HOIZONTE CONCUSO DE ADMISSÃO 6 / 7 POVA DE MATEMÁTICA 1ª SÉIE DO ENSINO MÉDIO CONFEÊNCIA: Chefe d Sucomissão de Mtemátic Chefe d COC Dir Ens CPO / CMBH CONCUSO DE ADMISSÃO À 1ª SÉIE

Leia mais

Professores Edu Vicente e Marcos José Colégio Pedro II Departamento de Matemática Potências e Radicais

Professores Edu Vicente e Marcos José Colégio Pedro II Departamento de Matemática Potências e Radicais POTÊNCIAS A potênci de epoente n ( n nturl mior que ) do número, representd por n, é o produto de n ftores iguis. n =...... ( n ftores) é chmdo de bse n é chmdo de epoente Eemplos =... = 8 =... = PROPRIEDADES

Leia mais

6.1 Recursos de Curto Prazo ADMINISTRAÇÃO DO CAPITAL DE GIRO. Capital de giro. Capital circulante. Recursos aplicados em ativos circulantes (ativos

6.1 Recursos de Curto Prazo ADMINISTRAÇÃO DO CAPITAL DE GIRO. Capital de giro. Capital circulante. Recursos aplicados em ativos circulantes (ativos ADMINISTRAÇÃO DO CAPITAL DE GIRO 6.1 Recursos de curto przo 6.2 Administrção de disponibiliddes 6.3 Administrção de estoques 6.4 Administrção de conts 6.1 Recursos de Curto Przo Administrção Finnceir e

Leia mais

1º semestre de Engenharia Civil/Mecânica Cálculo 1 Profa Olga (1º sem de 2015) Função Exponencial

1º semestre de Engenharia Civil/Mecânica Cálculo 1 Profa Olga (1º sem de 2015) Função Exponencial º semestre de Engenhri Civil/Mecânic Cálculo Prof Olg (º sem de 05) Função Eponencil Definição: É tod função f: R R d form =, com R >0 e. Eemplos: = ; = ( ) ; = 3 ; = e Gráfico: ) Construir o gráfico d

Leia mais

Convocatòri a 2015. Pàg. 2 / 4. c) por ruas muito ruidosas. (0, 5punts)

Convocatòri a 2015. Pàg. 2 / 4. c) por ruas muito ruidosas. (0, 5punts) Convoctòri Aferru un etiquet identifictiv v999999999 de codi de brres Portuguès (més grns de 25 nys) Model 1 Not 1ª Not 2ª Aferru l cpçler d exmen un cop cbt l exercici TEXTO Um clássico lisboet O elétrico

Leia mais

Quadro de conteúdos. Eu Gosto M@is Integrado 1 o ano. Lição 1 As crianças e os lugares onde vivem

Quadro de conteúdos. Eu Gosto M@is Integrado 1 o ano. Lição 1 As crianças e os lugares onde vivem Quadro de conteúdos Eu Gosto M@is Integrado 1 o ano Língua Portuguesa Matemática História Geografia Ciências Naturais Arte Inglês ABC da passarinhada O alfabeto Quantidade A ideia de quantidade Eu, criança

Leia mais

DETERMINAÇÃO DE ELEMENTOS TERRA RARAS E OUTROS TRAÇOS EM SOLEIRAS DE DIABÁSIO DA PROVÍNCIA MAGMÁTICA DO PARANÁ POR ATIVAÇÃO NEUTRÔNICA

DETERMINAÇÃO DE ELEMENTOS TERRA RARAS E OUTROS TRAÇOS EM SOLEIRAS DE DIABÁSIO DA PROVÍNCIA MAGMÁTICA DO PARANÁ POR ATIVAÇÃO NEUTRÔNICA 2005 Interntonl Nucler Atlntc Conference - INAC 2005 Sntos, SP, Brzl, August 28 to September 2, 2005 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENERGIA NUCLEAR - ABEN ISBN: 85-99141-01-5 DETERMINAÇÃO DE ELEMENTOS TERRA

Leia mais

REGULAMENTO DE INSTALAÇÃO E FUNCIONAMENTO DOS ESTABELECIMENTOS DE HOSPEDAGEM No u s o d a c o mp e t ê n c i a p r e v i s t a al í n e a v ) d o n. º 1 d o ar t i g o 64º d o De c r e t o -Le i n. º 1

Leia mais

OUTRA BASE DE IELE6II! EM POTENGI, RIO G

OUTRA BASE DE IELE6II! EM POTENGI, RIO G t Mm & LGHT NV fssül: ÜHS 2 CRUZERS FUNDMENTD PRTEST D.R.D.D.H. CNTR T RBTRÁR DE KBTSCHECK ssocção cunho humntáro, «prtdár e poltc, fenu sempre, exclusvmente, dret homem e legld consttuconl Pel sétm vez,

Leia mais

DENÚNCIAS DE CORRUPÇÃO CONTRA O GOVERNO LULA E O PT

DENÚNCIAS DE CORRUPÇÃO CONTRA O GOVERNO LULA E O PT DENÚNCIAS DE CORRUPÇÃO CONTRA O GOVERNO LULA E O PT GOVERNO FEDERAL COM MAIS CASOS DE CORRUPÇÃO, em Mrço de 2006 - [estimuld e únic, em %] Em 1º lugr Som ds menções Bse: Totl d mostr Collor Lul FHC 11

Leia mais

1. VARIÁVEL ALEATÓRIA 2. DISTRIBUIÇÃO DE PROBABILIDADE

1. VARIÁVEL ALEATÓRIA 2. DISTRIBUIÇÃO DE PROBABILIDADE Vriáveis Aletóris 1. VARIÁVEL ALEATÓRIA Suponhmos um espço mostrl S e que cd ponto mostrl sej triuído um número. Fic, então, definid um função chmd vriável letóri 1, com vlores x i2. Assim, se o espço

Leia mais

Como a x > 0 para todo x real, segue que: a x = y y 1. Sendo f -1 a inversa de f, tem-se que f -1 (y)= log a ( y y 1 )

Como a x > 0 para todo x real, segue que: a x = y y 1. Sendo f -1 a inversa de f, tem-se que f -1 (y)= log a ( y y 1 ) .(TA - 99 osidere s firmções: - Se f: é um fução pr e g: um fução qulquer, eão composição gof é um fução pr. - Se f: é um fução pr e g: um fução ímpr, eão composição fog é um fução pr. - Se f: é um fução

Leia mais

Calculando volumes. Para pensar. Para construir um cubo cuja aresta seja o dobro de a, de quantos cubos de aresta a precisaremos?

Calculando volumes. Para pensar. Para construir um cubo cuja aresta seja o dobro de a, de quantos cubos de aresta a precisaremos? A UA UL LA 58 Clculndo volumes Pr pensr l Considere um cubo de rest : Pr construir um cubo cuj rest sej o dobro de, de quntos cubos de rest precisremos? l Pegue um cix de fósforos e um cix de sptos. Considerndo

Leia mais

Classificação Periódica dos Elementos

Classificação Periódica dos Elementos Classificação Periódica dos Elementos 1 2 3 1 Massa atômica relativa. A incerteza no último dígito é 1, exceto quando indicado entre parênteses. Os valores com * referemse Número Atômico 18 ao isótopo

Leia mais

Código PE-ACSH-2. Título:

Código PE-ACSH-2. Título: CISI Ctro Itrção Srvços Iformtc rão Excução Atv Itr o CISI Cóo Emto por: Grêc o Stor 1. Objtvo cmpo plcção Est ocumto tm como fl fr o prão brtur chmos suport o CISI. A brtur chmos é rlz o sstm hlpsk, qu

Leia mais

ABRE-SE _M K_ 0 CONGRESSO CELA EMANCIPAÇÃO OA CIDADE

ABRE-SE _M K_ 0 CONGRESSO CELA EMANCIPAÇÃO OA CIDADE B l ct rm-se Pel Prmer Vez s Seleções ílo Brsl e mm*-- -y -.. m. Portugl R_Ss PARAATÍJA ARCA A l rt.lt «.1; ll lt.l.1.1 1 com. 11..tn. nt.-. -.-..,..un.,- tn ltu» do \n u?rt».n..«t... ll «-.t, lus Cu-

Leia mais

Missa Nossa Senhora do Brasil

Missa Nossa Senhora do Brasil é%0'.m> }JÍU Pe. José Alves Mssa Nossa Senhoa do Basl PARTTURA Paa 3 vozes guas e Assebléa (*) (*) A pate paa Assebléa é edtada sepaadaente " en cha A 10. Publcado pela: Cossão Aqudocesana de Músca Saca

Leia mais

CÁLCULO DA INCERTEZA DE MEDIÇÃO NA CALIBRAÇÃO DE MEDIDAS MATERIALIZADAS DE VOLUME PELO MÉTODO GRAVIMÉTRICO

CÁLCULO DA INCERTEZA DE MEDIÇÃO NA CALIBRAÇÃO DE MEDIDAS MATERIALIZADAS DE VOLUME PELO MÉTODO GRAVIMÉTRICO CÁLCULO DA INCERTEZA DE MEDIÇÃO NA CALIRAÇÃO DE MEDIDAS MATERIALIZADAS DE VOLUME PELO MÉTODO GRAVIMÉTRICO NORMA N o NIE-DIMEL-043 APROVADA EM AGO/03 N o 00 0/09 SUMÁRIO Objetvo 2 Cmo Alcção 3 Resosbld

Leia mais

Algoritmos de Busca de Palavras em Texto

Algoritmos de Busca de Palavras em Texto Revisdo 08Nov12 A busc de pdrões dentro de um conjunto de informções tem um grnde plicção em computção. São muits s vrições deste problem, desde procurr determinds plvrs ou sentençs em um texto té procurr

Leia mais

Conheça a sua fatura da água!

Conheça a sua fatura da água! Conheç su ftur d águ! Jneiro de 20 FATURA/RECIBO N.º: 27 VALOR 8,7 Euros Município de Reguengos de Monsrz Titulr / Locl Mord ou sítio de leitur/do contdor Loclidde d mord de leitur NIF: Áre NIPC 07 040

Leia mais

ESTADO DE RONDÔNIA PREFEITURA MUNICIPAL DE MINISTRO ANDREAZZA Lei de Criação 372 13/02/92 PROGRAMA FINALÍSTICO

ESTADO DE RONDÔNIA PREFEITURA MUNICIPAL DE MINISTRO ANDREAZZA Lei de Criação 372 13/02/92 PROGRAMA FINALÍSTICO PROGRAMA FINALÍSTICO PROGRAMA: 022 - Progrm Súde d Fmíli 1. Problem: Alto índice de pcientes que visitm unidde Mist de Súde pr trtr de problems que poderim ser resolvidos com visit do médico em su cs.

Leia mais

Análise de Variância com Dois Factores

Análise de Variância com Dois Factores Análise de Vriânci com Dois Fctores Modelo sem intercção Eemplo Neste eemplo, o testrmos hipótese de s três lojs terem volumes médios de vends iguis, estmos testr se o fctor Loj tem influênci no volume

Leia mais

Eleições Diretório Acadêmico Fisioterapia

Eleições Diretório Acadêmico Fisioterapia Eleições Está berto o período de inscrição pr s novs chps do Diretório Acdêmico - Gestão 2015 Inscrições: dos dis 17 29 de gosto de 2015 somente pelo e-mil: fisioufu.d.@gmil.com A votção será relizd nos

Leia mais

COMPENSAÇÃO ANGULAR E REMOÇÃO DA COMPONENTE DE SEQÜÊNCIA ZERO NA PROTEÇÃO DIFERENCIAL

COMPENSAÇÃO ANGULAR E REMOÇÃO DA COMPONENTE DE SEQÜÊNCIA ZERO NA PROTEÇÃO DIFERENCIAL SHWETZER ENGNEERNG LORTORES, OMERL LTD OMPENSÇÃO NGULR E REMOÇÃO D OMPONENTE DE SEQÜÊN ZERO N PROTEÇÃO DFERENL RFEL RDOSO ntrodução O prinípio d proteção diferenil é de que som ds orrentes que entrm n

Leia mais

3. Cálculo integral em IR 3.1. Integral Indefinido 3.1.1. Definição, Propriedades e Exemplos

3. Cálculo integral em IR 3.1. Integral Indefinido 3.1.1. Definição, Propriedades e Exemplos 3. Cálculo integrl em IR 3.. Integrl Indefinido 3... Definição, Proprieddes e Exemplos A noção de integrl indefinido prece ssocid à de derivd de um função como se pode verificr prtir d su definição: Definição

Leia mais

Uma roda gigante tem 10m de raio e possui 12 assentos, igualmente espaçados, e gira no sentido horário.

Uma roda gigante tem 10m de raio e possui 12 assentos, igualmente espaçados, e gira no sentido horário. Questão PROVA FINAL DE MATEMÁTICA - TURMAS DO O ANO DO ENSINO MÉDIO COLÉGIO ANCHIETA-BA - OUTUBRO DE. ELABORAÇÃO: PROFESSORES OCTAMAR MARQUES E ADRIANO CARIBÉ. PROFESSORA MARIA ANTÔNIA C. GOUVEIA Um rod

Leia mais

Liberdade de expressão na mídia: seus prós e contras

Liberdade de expressão na mídia: seus prós e contras Universidde Estdul de Cmpins Fernnd Resende Serrdourd RA: 093739 Disciplin: CS101- Métodos e Técnics de Pesquis Professor: Armndo Vlente Propost de Projeto de Pesquis Liberdde de expressão n mídi: seus

Leia mais

O P a pel da M ídia no C o ntro le da s P o lític a s de S a úde

O P a pel da M ídia no C o ntro le da s P o lític a s de S a úde B ra s ília, 26 de s etem bro de 2009 C o ntro le da s P o lític a s de L uiz R ibeiro FU N Ç Ã O D O J O R N A L I S M O J o r n a lis m o é a a tiv id a d e p r o fis s io n a l q u e c o n s is te e

Leia mais

9. MODELAGEM DE CONVERSORES: MODELO DA CHAVE PWM

9. MODELAGEM DE CONVERSORES: MODELO DA CHAVE PWM Fns Chs C. 9 Mlgm nrsrs: ml h PWM J. A. Pml 9. MOEAGEM E CONERSORES: MOEO A CHAE PWM As lgs báss nrsrs CCCC ssum um h nrl ur nãnrl sss lmns lnrs nrns n m. A njun ss us hs r nm h PWM [9.]. O bj ns íul é

Leia mais

Especifique : (a) tipo de deficiência (b) organização das salas (por idades,...) (a) outro tipo de vinculo

Especifique : (a) tipo de deficiência (b) organização das salas (por idades,...) (a) outro tipo de vinculo Agrupmento Escols do Porto Alto Pré Escolr lunos Estb. De Educção Apoio Domicílios 0-1 1-2 2-3 Alunos em list lunos com NEE Alunos esper () 3 4 5 6 * 3 4 5 3 4 5 6 * Educdores sls Q. QDV único pessol não

Leia mais

Serviços de Acção Social da Universidade de Coimbra

Serviços de Acção Social da Universidade de Coimbra Serviços de Acção Socil d Universidde de Coimbr Serviço de Pessol e Recursos Humnos O que é o bono de fmíli pr crinçs e jovens? É um poio em dinheiro, pgo menslmente, pr judr s fmílis no sustento e n educção

Leia mais

REFORMA POLÍTICA. Capítulo VI

REFORMA POLÍTICA. Capítulo VI REFORMA POLÍTICA Capítulo VI REFORMA QUE O GOVERNO LULA E O CONGRESSO NACIONAL DEVEM PRIORIZAR [espontânea e única, em %] Pe so 1 0 0 % Re fe rê ncia s a re form a s Re form a Agrá ria 7 Re form a Tra

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS TAIPAS CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE COMÉRCIO. DISCIPLINA: ORGANIZAR E GERIR A EMPRESA (10º Ano Turma K)

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS TAIPAS CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE COMÉRCIO. DISCIPLINA: ORGANIZAR E GERIR A EMPRESA (10º Ano Turma K) ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS TAIPAS CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE COMÉRCIO DISCIPLINA: ORGANIZAR E GERIR A EMPRESA (10º Ano Turm K) PLANIFICAÇÃO ANUAL Diretor do Curso Celso Mnuel Lim Docente Celso Mnuel

Leia mais

ESTÁGIO PARA ESTUDANTE DA UFU

ESTÁGIO PARA ESTUDANTE DA UFU 1 ESTÁGIO PARA ESTUDANTE DA UFU EDITAL UFU/PREFE/044/2010 EDITAL DE PROCESSO SELETIVO PARA ESTAGIÁRIO(A) A Pró-reitori de Grdução d Universidde Federl de Uberlândi, mprd no rtigo 248 ds Norms de Grdução

Leia mais

RESOLUÇÃO DA PROVA DE MATEMÁTICA DA FUVEST 2016 - FASE 1. POR PROFA. MARIA ANTÔNIA CONCEICÃO GOUVEIA.

RESOLUÇÃO DA PROVA DE MATEMÁTICA DA FUVEST 2016 - FASE 1. POR PROFA. MARIA ANTÔNIA CONCEICÃO GOUVEIA. 6 ) RESOLUÇÃO DA PROVA DE MATEMÁTICA DA FUVEST 06 - FASE. POR PROFA. MARIA ANTÔNIA CONCEICÃO GOUVEIA. 0 De 869 té hoje, ocorrerm s seguintes munçs e moe no Brsil: () em 94, foi crio o cruzeiro, c cruzeiro

Leia mais

U04.6. Câmara Municipal da Amadora. Pág. 1 a. 00. Requerimento (Modelo 04.6/CMA/DAU/2009) 01. Documento comprovativo da legitimidade do requerente.

U04.6. Câmara Municipal da Amadora. Pág. 1 a. 00. Requerimento (Modelo 04.6/CMA/DAU/2009) 01. Documento comprovativo da legitimidade do requerente. Câmr Municipl d Amdor Deprtmento de Administrção U04.6 Urbnísitic EMISSÃO DE LICENÇA ESPECIAL OU COMUNICAÇÃO PRÉVIA PARA OBRAS INACABADAS LISTA DE DOCUMENTOS 00. Requerimento (Modelo 04.6/CMA/DAU/2009)

Leia mais

[ η. lim. RECAPITULANDO: Soluções diluídas de polímeros. Equação de Mark-Houwink-Sakurada: a = 0.5 (solvente θ )

[ η. lim. RECAPITULANDO: Soluções diluídas de polímeros. Equação de Mark-Houwink-Sakurada: a = 0.5 (solvente θ ) RECPITULNDO: Soluções dluíds de polímeros Vsosdde tríse do polímero: 5 N V 5 (4 / 3) R 3 v h π h N v [ η ] v 5 Pode ser obtd prtr de: [ η ] lm η 0 sp / V Equção de rk-houwk-skurd: [η] K ode K e são osttes

Leia mais

FOI ASSASSINO LAFAIETEI»

FOI ASSASSINO LAFAIETEI» *.«r..^fmtmtíx^ntxs*lv,-r(

Leia mais

!!!!!! Este programa foi desenvolvido pelo Departamento dos ministérios da Criança a partir das propostas de textos das palestras para os adultos.!

!!!!!! Este programa foi desenvolvido pelo Departamento dos ministérios da Criança a partir das propostas de textos das palestras para os adultos.! Este progrm foi desenvolvido pelo Deprtmento dos ministérios d Crinç prtir ds proposts de textos ds plestrs pr os dultos. Nots importntes pr o Monitor: Sempre que ler um texto bíblico, fç-o com Bíbli bert.

Leia mais

White Paper. Boas Práticas de E-mail Marketing

White Paper. Boas Práticas de E-mail Marketing White Paper Boas Práticas de E-mail Marketing Saiba como alguns cuidados simples podem melhorar os resultados de suas campanhas de e-mail marketing Para garantir a qualidade no mix de comunicação atual,

Leia mais

NESS-A TOUCH SCREEN 7" C/ MODEM

NESS-A TOUCH SCREEN 7 C/ MODEM 6 7 8 9 0 QUIPMNTOS ONTROLOS OMPRSSOR LTRNTIVO // LTRÇÃO LYOUT-IM MUTI PR SOPOST OTÃO MRÊNI LLN9 0 07/0/ LTRÇÃO O MOM O LYOUT LOUV 7 0 06// INLUSÃO O ORINTTIVO O LÇO OMUNIÇÃO IO V. 00 8/0/ INIIL TOS R.

Leia mais

QUARENTA MIL CfflAKÇAS AMEAÇADAS

QUARENTA MIL CfflAKÇAS AMEAÇADAS Er?JR*5,9RDNÂR REPERCUSSÃ MUNDL DJPRJETL NTERCMTNENTL SVÉTC r Rec Murco lkmm» VENH DE MÃS BNND, MS SEM GRPE... tsqund estmos nform *-**- s, o Mnstro r Sú, prof. Murco d Ntlros, em spcho hegrdflco no Mn»

Leia mais

Ilha Solteira, 17 de janeiro de 2013. OFICIO OSISA 05/2013

Ilha Solteira, 17 de janeiro de 2013. OFICIO OSISA 05/2013 Nossos prceiros Pel trnsprênci e qulidde d plicção dos recursos públicos Ilh Solteir, 17 de jneiro de 2013. OFICIO OSISA 05/2013 Ao Exmo. Sr. Alberto dos Sntos Júnior Presidente d Câmr Municipl de Ilh

Leia mais

EDITAL DE 3 DE FEVEREIRO DE 2006 CONCURSO DE ADMISSÃO À CARREIRA DE DIPLOMATA

EDITAL DE 3 DE FEVEREIRO DE 2006 CONCURSO DE ADMISSÃO À CARREIRA DE DIPLOMATA EDITAL DE 3 DE FEVEREIRO DE 2006 CONCURSO DE ADMISSÃO À CARREIRA DE DIPLOMATA O DIRETOR DO INSTITUTO RIO BRANCO, em obediênci o subitem 6.2.1 do Editl de 29 de dezembro de 2005, publicdo no Diário Oficil

Leia mais

Estratégico. III Seminário de Planejamento. Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011

Estratégico. III Seminário de Planejamento. Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011 Estratégico III Seminário de Planejamento Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011 G es tão Em pre sa rial O rie nta ção pa ra om erc ado Ino vaç ão et

Leia mais

Exame Nacional de 2006 1. a chamada

Exame Nacional de 2006 1. a chamada 1. Muitos os estuntes que usm mochils trnsportm irimente peso mis pr su ie. 1.1. Pr evitr lesões n colun verterl, o peso e um mochil e o o mteril que se trnsport entro el não evem ultrpssr 10% o peso o

Leia mais

Oferta n.º 1260. Praça do Doutor José Vieira de Carvalho 4474-006 Maia Tel. 229 408 600 Fax 229 412 047 educacao@cm-maia.pt www.cm-maia.

Oferta n.º 1260. Praça do Doutor José Vieira de Carvalho 4474-006 Maia Tel. 229 408 600 Fax 229 412 047 educacao@cm-maia.pt www.cm-maia. Procedimento de seleção pr recrutmento de Técnicos no âmbito do Progrm de Atividdes de Enriquecimento Curriculr do 1.º Ciclo de Ensino Básico Inglês Ofert n.º 1260 A Câmr Municipl Mi procede à bertur do

Leia mais

Correção da Unicamp 2009 2ª fase - Matemática feita pelo Intergraus. 14.01.2009

Correção da Unicamp 2009 2ª fase - Matemática feita pelo Intergraus. 14.01.2009 MATEMÁTICA 1. O transporte de carga ao porto de Santos é feito por meio de rodovias, ferrovias e dutovias. A tabela abaixo for ne ce al guns da dos re la ti vos ao trans por te ao por to no pri me i ro

Leia mais

Programação Linear Introdução

Programação Linear Introdução Progrmção Liner Introdução Prof. Msc. Fernndo M. A. Nogueir EPD - Deprtmento de Engenhri de Produção FE - Fculdde de Engenhri UFJF - Universidde Federl de Juiz de For Progrmção Liner - Modelgem Progrmção

Leia mais

Português. Manual de Instruções. Função USB. Transferindo padrões de bordado para a máquina Atualização fácil da sua máquina

Português. Manual de Instruções. Função USB. Transferindo padrões de bordado para a máquina Atualização fácil da sua máquina Mnul de Instruções Função USB Trnsferindo pdrões de borddo pr máquin Atulizção fácil d su máquin Português Introdução Este mnul fornece descrições sobre trnsferênci de pdrões de borddo de um mídi USB

Leia mais

Educação Ambiental na Comunidade Escolar no Entorno do Parque Natural Municipal do Paragem*

Educação Ambiental na Comunidade Escolar no Entorno do Parque Natural Municipal do Paragem* Educção Ambientl n Comunid Escolr no Entorno do Prque Nturl Municipl do Prgem* 1 ALMEIDA, Grciel Gonçlves ; ARENDT, Krine Sles; LIRA, Elinlv Silv ; MACEDO, Gbriel Zcris; VIEIRA, An Pul. Plvrs-chve: Meio

Leia mais

TRIGONOMETRIA. A trigonometria é uma parte importante da Matemática. Começaremos lembrando as relações trigonométricas num triângulo retângulo.

TRIGONOMETRIA. A trigonometria é uma parte importante da Matemática. Começaremos lembrando as relações trigonométricas num triângulo retângulo. TRIGONOMETRIA A trigonometri é um prte importnte d Mtemátic. Começremos lembrndo s relções trigonométrics num triângulo retângulo. Num triângulo ABC, retângulo em A, indicremos por Bˆ e por Ĉ s medids

Leia mais

Acoplamento. Tipos de acoplamento. Acoplamento por dados. Acoplamento por imagem. Exemplo. É o grau de dependência entre dois módulos.

Acoplamento. Tipos de acoplamento. Acoplamento por dados. Acoplamento por imagem. Exemplo. É o grau de dependência entre dois módulos. Acoplmento É o gru de dependênci entre dois módulos. Objetivo: minimizr o coplmento grndes sistems devem ser segmentdos em módulos simples A qulidde do projeto será vlid pelo gru de modulrizção do sistem.

Leia mais

Y X Baixo Alto Total Baixo 1 (0,025) 7 (0,175) 8 (0,20) Alto 19 (0,475) 13 (0,325) 32 (0,80) Total 20 (0,50) 20 (0,50) 40 (1,00)

Y X Baixo Alto Total Baixo 1 (0,025) 7 (0,175) 8 (0,20) Alto 19 (0,475) 13 (0,325) 32 (0,80) Total 20 (0,50) 20 (0,50) 40 (1,00) Bussab&Morettn Estatístca Básca Capítulo 4 Problema. (b) Grau de Instrução Procedênca º grau º grau Superor Total Interor 3 (,83) 7 (,94) (,) (,33) Captal 4 (,) (,39) (,) (,3) Outra (,39) (,7) (,) 3 (,3)

Leia mais

5ª EDIÇÃO FEIRA DE TURISMO DA BAHIA O QUE OS TURISTAS VÃO FAZER ANTES, DURANTE E DEPOIS DA COPA DE 2014? ESTÁ NA HORA DE AMARRAR AS CHUTEIRAS.

5ª EDIÇÃO FEIRA DE TURISMO DA BAHIA O QUE OS TURISTAS VÃO FAZER ANTES, DURANTE E DEPOIS DA COPA DE 2014? ESTÁ NA HORA DE AMARRAR AS CHUTEIRAS. 5ª EDIÇÃO O QUE OS TURISTAS VÃO FAZER ANTES, DURANTE E DEPOIS DA COPA DE 01? ESTÁ NA HORA DE AMARRAR AS CHUTEIRAS. FEIRA DE TURISMO DA BAHIA 01 Cpcitção Plestrs Debtes Workshops Rodd de Negócios Como se

Leia mais

Ainda há Tempo, Volta

Ainda há Tempo, Volta Ainda há empo, Volta Letra e Música: Diogo Marques oprano ontralto Intro Envolvente (q = 60) enor aixo Piano Ó Œ. R.. F m7 2 A b 2 E b.. 2 Ó Œ É 2 Ó Œ F m7 2.. 2 2 A b 2 2 Ainda há empo, Volta Estrofe

Leia mais

J u i n 2 0 0 9 L e ttr e d 'i n fo r m a ti o n n 1 9 E d i to r i al E p p u r si m u o ve «E t p o u r ta n t e l l e b o u g e» m u r m u r a G a l l i l é e s u r s o n c h a m p e s t l a r g e.

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Habilitação Profissional: Técnica de nível médio de Auxiliar de Contabilidade

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Habilitação Profissional: Técnica de nível médio de Auxiliar de Contabilidade Plno de Trblho Docente 2014 Ensino Técnico ETEC PROFESSOR MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: Tupã Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Hbilitção Profissionl: Técnic de nível médio de Auxilir de Contbilidde

Leia mais

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA #8. fonte imagem: Google Earth

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA #8. fonte imagem: Google Earth FUNCIONL ENTORNO IDENTIFICR RELÇÃO DO EDIFÍCIO COM OS ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERNDO OS TRIBUTOS DO LUGR - MSSS EDIFICDS, RELÇÕES DE PROXIMIDDE, DIÁLOGO, INTEGRÇÃO OU UTONOMI O ENTORNO D CSH #9 É COMPOSTO

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHÃO - UEMA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PPG COODERNAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO - CPG EDITAL Nº17/2014 PPG/CPG/UEMA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHÃO - UEMA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PPG COODERNAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO - CPG EDITAL Nº17/2014 PPG/CPG/UEMA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHÃO - UEMA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PPG COODERNAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO - CPG EDITAL Nº17/2014 PPG/CPG/UEMA CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS

Leia mais

a FICHA DE AVALIAÇÃO FORMATIVA 9.º ANO

a FICHA DE AVALIAÇÃO FORMATIVA 9.º ANO Cristin Antunes Mnuel Bispo Pul Guindeir FICHA DE AVALIAÇÃO FORMATIVA 9.º ANO Escol Turm N.º Dt Grupo I Documento I É um serviço de tendimento telefónico de Trigem, Aconselhmento e Encminhmento, Assistênci

Leia mais

1. A cessan do o S I G P R H

1. A cessan do o S I G P R H 1. A cessan do o S I G P R H A c esse o en de reç o w w w.si3.ufc.br e selec i o ne a o p ç ã o S I G P R H (Siste m a I n te g ra d o de P la ne ja m e n t o, G estã o e R e c u rs os H u m a n os). Se

Leia mais

VETORES. Com as noções apresentadas, é possível, de maneira simplificada, conceituar-se o

VETORES. Com as noções apresentadas, é possível, de maneira simplificada, conceituar-se o VETORES INTRODUÇÃO No módulo nterior vimos que s grndezs físics podem ser esclres e vetoriis. Esclres são quels que ficm perfeitmente definids qundo expresss por um número e um significdo físico: mss (2

Leia mais

10.1 Objetivos, Conceitos e Funções. Os obje ti vos prin ci pais do con tro le orça men tá rio são: Responsabilidade pelo Controle Orçamentário

10.1 Objetivos, Conceitos e Funções. Os obje ti vos prin ci pais do con tro le orça men tá rio são: Responsabilidade pelo Controle Orçamentário Capítulo 10 Controle Orçamentário Essa etapa acon te ce após a exe cu ção das tran sa ções dos even tos eco nô mi cos pre vis - tos no plano orça men tá rio. Não se con ce be um plano orça men tá rio sem

Leia mais

a a 3,88965 $140 7 9% 7 $187 7 9% a 5, 03295

a a 3,88965 $140 7 9% 7 $187 7 9% a 5, 03295 Anuiddes equivlentes: $480 + $113 + $149 5 9% 5 VPL A (1, 09) $56, 37 A 5 9% 3,88965 5 9% 5 9% AE = = = = $14, 49 = 3,88965 AE B $140 $620 + $120 + 7 9% 7 VPL B (1, 09) $60, 54 = = = 5, 03295 7 9% 7 9%

Leia mais