Parte 2 - Internet. Tópicos abordados neste capítulo O que é a Internet? Como Tudo Começou Importância da Internet

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Parte 2 - Internet. Tópicos abordados neste capítulo. 2.1 - O que é a Internet? 2.2 - Como Tudo Começou. 2.3 - Importância da Internet"

Transcrição

1 Parte 2 - Internet Tópicos abordados neste capítulo O que é a Internet? Como Tudo Começou Importância da Internet Um Passeio Pelos Recursos da Internet Correio Eletrônico Listas de Discussão Grupos de Notícias FTP Login Remoto (Telnet) IRC World Wide Web

2 MOO ICQ TCP/IP O que é TCP/IP?

3 2.1 - O que é a Internet? A Internet pode ser entendida como uma rede de computadores que conecta milhões de computadores no mundo inteiro, possibilitando comunicações em nível mundial para empresas, residências, escolas e governos. Internet é o nome de um grupo de recursos de informação global. Estes recursos são tão vastos que estão além da compreensão da maioria das pessoas. Portanto, seria pouco pensar na Internet como somente uma rede de computadores, ou mesmo um grupo de redes de computadores conectados um ao outro. As redes de computadores são simplesmente um meio de transporte da informação. A beleza e a utilidade da Internet estão na informação em si. Portanto, a Internet é mais do que uma rede de computadores. A Internet é o primeiro fórum mundial e a primeira biblioteca global. A Internet permite a comunicação entre milhões de computadores em todo o mundo A Internet cresceu explosivamente na década de 90. Há atualmente mais de doze milhões de servidores na Internet, cada um fornecendo algum tipo de informação ou serviço. O número de usuários da Internet é mais difícil de se medir. Se considerarmos que cada servidor na Internet é utilizado por várias pessoas, muitos milhões de pessoas estão atualmente on-line. O número de usuários e serviços na Internet continua a crescer, assim como a variedade dos serviços.

4 O utilitário mais popular da Internet, o World Wide Web (WWW), vem contribuindo para o crescimento acelerado da Internet por fornecer uma interface gráfica fácil de usar, baseada em apontar e clicar. Os usuários se utilizam da WWW porque, além de fácil de usar, ela combina imagens, texto, som e vídeo em uma rica mídia de comunicação. Curiosidade A primeira rede experimental usando tecnologia tipo Internet envolveu quatro computadores e foi construída em Isto ocorreu 56 anos após a invenção do zíper e 12 anos antes do desenvolvimento do primeiro computador pessoal IBM.

5 2.2 - Como Tudo Começou O começo da tecnologia da Internet foi traçado no final da década de 60, quando o Departamento de Defesa dos Estados Unidos, através da Agência de Projetos de Pesquisa Avançados, começou os estudos na área de redes. Seu objetivo era possibilitar que computadores pertencentes a tipos diferentes de redes conseguissem se comunicar. Durante os anos 60 e 70, muitas tecnologias foram criadas na área de redes de computadores, cada uma baseada em um tipo de hardware. Algumas dessas tecnologias, chamadas Local Area Networks (LANs), conectavam computadores em pequenas distâncias, através de cabos e componentes instalados em seus interiores. Outras redes, de tamanho maior, conectavam computadores separados por grandes distâncias, usando linhas de transmissão similares àquelas utilizadas em linhas telefônicas. Essas redes eram chamadas Wide Area Networks (WANs). Apesar das LANs e WANs tornarem muito fácil a troca de informações entre organizações, essas informações paravam nos limites de cada rede. Cada uma delas transportava a informação de uma maneira diferente, baseada sempre no tipo de equipamento utilizado. Uma determinada tecnologia LAN só funcionava em computadores específicos e a maioria das LANs e WANs era incompatível. A Internet foi criada para interconectar os diferentes tipos de redes e possibilitar que a informação se movesse livremente através dos usuários, independentemente das máquinas ou redes que estivessem utilizando. Isso foi conseguido através da adição dos roteadores, computadores especiais para conectar LANs e WANs de tipos diferentes. Os computadores conectados precisavam, então, de um novo protocolo, um conjunto de regras de como os dados devem ser transmitidos. Essas regras seriam compartilhadas por todos. Esse novo protocolo foi chamado TCP/IP. Juntos, TCP/IP e o sistema de redes interconectadas formaram a Internet.

6 2.3 - Importância da Internet A Internet é considerada por muitos como um dos mais importantes progressos já obtidos pela humanidade. Isso se deve ao fato de ela tornar extremamente fácil e barata a comunicação através de longas distâncias. Pequenas empresas e cidadãos comuns podem obter com a utilização da rede os mesmos benefícios de grandes empresas e corporações. A Internet traz um grande auxílio para os estabelecimentos de ensino e pesquisa, criando um enorme potencial para troca de informações, desenvolvimento de projetos conjuntos, cooperação, desenvolvimento de cursos à distância e muitos outros. Isto vem afetando substancialmente toda a estrutura de disseminação de informações existente no mundo. Com a Internet uma pessoa qualquer (um jornalista, por exemplo) pode, de sua própria casa, oferecer um serviço de informação on-line, a partir de um microcomputador, sem precisar de uma estrutura onerosa e difícil de se construir. Essa perspectiva abre enormes possibilidades a todas as pessoas, principalmente aquelas que precisam de trocar informações de uma maneira rápida e barata.

7 2.4 - Um Passeio Pelos Recursos da Internet A variedade de serviços ofercidos através da Internet não pára de crescer. Nesta seção mostraremos um pouco mais detalhadamente alguns desses recursos: correio eletrônico, listas de discussão, grupos de notícias, FTP, login remoto, IRC, WWW, MOO e ICQ.

8 Correio Eletrônico Como um usuário da Internet, você pode trocar mensagens com qualquer pessoa que esteja conectada à da rede. Cada mensagem é enviada de um computador para outro até seu destino final. Nos bastidores, o serviço de correio assegura que a mensagem chegue intacta ao endereço correto. O serviço de correio eletrônico é confiável para transmitir e receber mensagens Todavia, correio não significa simplesmente mensagem pessoal. Tudo o que puder ser armazenado em um arquivo pode ser posto no correio: arquvos fonte de programas de computador, comunicados, revistas eletrônicas e assim por diante. Qualquer tipo de arquivo pode ser enviado anexado ao correio. Nesse processo, o arquivo é convertido para o formato texto (ASCII). Na outra ponta, o receptor simplesmente decodifica os dados no formato texto de volta ao seu formato original. Assim, é possível postar virtualmente qualquer tipo de dados para qualquer um. O sistema de correio da Internet é a espinha dorsal e a motivação original da rede em si. Um dos mais significativos usos deste sistema é permitir a pessoas que não estão perto umas das outras poderem trabalhar juntas em um projeto. Há muitos projetos nos quais muitas pessoas espalhadas no mundo participam. De fato, é comum alguém colaborar com outra pessoa que está a milhares de quilômetros de distância, e provavelmente nunca vir a conhecê-la pessoalmente. É natural que se indague o que faz esse sistema funcionar. A Internet conecta milhares de redes que por sua vez misturam uma grande

9 quantidade de computadores e diferentes programas. Como estes sistemas diferentes podem trabalhar juntos e trocar informação? A resposta é que a entrega de correspondência é padronizada por um sistema chamado SMTP. O SMTP - Simple Mail Transfer Protocol - faz parte da família de protocolos TCP/IP. Ele descreve o formato da mensagem de correio e como estas mensagens são manuseadas quando despachadas. Cada computador na Internet roda um programa de correio que trabalha nos bastidores garantindo que as mensagens sejam endereçadas e transportadas corretamente. Não é necessário que se conheçam todos os detalhes técnicos de como tudo isto funciona. Nossa intenção é apenas mostrar que o sistema de correio funciona porque todas as mensagens são recebidas e enviadas de acordo com um padrão.

10 Listas de discussão Uma lista de discussão (ou lista de correspondência) é um sistema organizado no qual um grupo de pessoas recebe e envia mensagens sobre um determinado assunto. As mensagens podem ser artigos, comentários ou qualquer outro tipo de assunto. Esquema de funcionamento das listas de discussão. Uma pessoa inicia uma discussão através de uma mensagem. Os demais usuários podem ler e responder à lista, dando continuidade ao processo. Toda lista de discussão - e há milhares delas - tem alguém responsável por ela, denominado gerente da lista. Você pode assinar ou cancelar a assinatura de uma lista simplesmente enviando uma mensagem ao endereço apropriado. Existem vários programas utilizados para gerenciar as listas de discussão, como o Listproc e o Majordomo. Cada um destes programas possui uma forma de interação com o usuário diferente mas, uma vez que você tenha descoberto o endereço de um servidor de listas, você pode enviar uma mensagem ao servidor com o conteúdo HELP e o servidor lhe enviará como resposta os comandos que são por ele aceitos. Por exemplo, você pode enviar um para ou com o conteúdo "help" e você receberá o conjunto de requisições suportadas pelo Listproc e pelo Majordomo. Muitas listas são moderadas, isto é, alguém decide qual material deve ser aceito. Outras listas aceitam e enviam todo e qualquer tipo de mensagem para qualquer um. As listas são muito utilizadas no Ensino à Distância, funcionando como um "ponto de encontro" entre todos aqueles que estão envolvidos com o curso.

11 Se você deseja encher de mensagens a sua caixa de correio, basta assinar várias listas. Porém, não será difícil retornar de férias e encontrar centenas de mensagens lhe aguardando em sua caixa de correio.

12 Grupos de Notícias Existem serviços semelhantes às listas de discussão, nos quais os usuários somente lêem as notícias. Esses serviços são normalmente chamados grupos de notícias ou newsgroups. Alguns tratam assuntos científicos e são de interesse particular a especialistas. Outros são de interesse geral, podendo ser assinados por qualquer um. Esquema de funcionamento dos grupos de notícias. A pessoa ou instituição responsável pelas notícias atualiza os dados e os usuários acessam para ler as mensagens. A diferença básica entre as listas de discussão e os grupos de notícias é que, no caso das listas, as mensagens chegam até você na forma de mensagens enviadas à sua caixa de correio e, no caso dos grupos de notícias, deve-se iniciar um programa e checar os grupos de notícias para saber se existe correspondência não lida. As mensagens ficam armazenadas em um servidor central e você precisa acessá-lo para ler as mensagens. Este sistema possui a grande vantagem de permitir que você participe somente quando desejar, enquanto as listas enviam as mensagens quer você queira quer não. As listas de discussão implementadas pelo servidor TopClass são muito semelhantes aos grupos de notícias. As mensagens nestas listas não são enviadas para seu endereço eletrônico, como você já deve ter percebido...

13 FTP Outro serviço bastante conhecido é o FTP - File Transfer Protocol. O FTP permite a transferência de arquivos de um computador para outro. Muitas vezes você vai usar o FTP para copiar um arquivo de um computador remoto para o seu computador. Este processo é chamado download. Entretanto, você pode transferir arquivos do seu computador para um computador remoto. Este processo é conhecido como upload. Algumas organizações desejam manter certos arquivos disponíveis para o público. Para isso existe o FTP anônimo. Você pode acessar o computador utilizando como userid (identificação do usuário) a palavra anonymous. Nos casos em que uma senha for solicitada, você deverá fornecer o seu endereço eletrônico. Entretanto, muitas vezes o usuário possui uma conta em um servidor ftp e, portanto, possui uma identificação e uma senha. Para exemplificar a utilização do ftp não anônimo, vamos estabelecer uma seção ftp com o servidor do curso (ead1.eee.ufmg.br), através do ftp nativo do Windows. Para se estabelecer uma conexão, deve-se ir ao "Prompt do MS-DOS" e digitar "ftp endereço_do_servidor". Veja o exemplo: São pedidos, então, o nome do usuário e a senha. Se os dados estiverem corretos, a conexão é estabelecida. Existem vários comandos que podem ser digitados a partir da linha de comando, cada um com uma função específica. A seguir mostraremos alguns deles.

14 Comando dir Função Lista os arquivos presentes no diretório atual do computador remoto Comando get put Função Copia um arquivo do computador remoto para o disco rígido Copia um arquivo do disco rígido para o computador remoto

15 Deve-se observar o tipo de arquivos a ser transmitido: se o arquivo é um arquivo texto (ASCII) ele será transmitido corretamente no modo default do ftp. Se for um arquivo binário, ele não será transmitido corretamente no modo default. Se você for transmitir um arquivo gif, jpg, um doc do Word com figuras, etc, use o modo binário. Para transmitir um arquivo texto puro (por exemplo, um arquivo criado pelo Notepad do Windows), você pode usar o modo ASCII. Assim, você deve modificar o modo default para binário, digitando o comando bin, antes de efetuar a transferência. Comando bin ascii Função Modifica o modo de transmissão do arquivo para o modo binário Modifica o modo de transmissão do arquivo para o modo texto (ASCII) Outros comandos importantes do ftp são: Comando cd lcd mkdir Função Muda o diretório atual do host remoto Muda o diretório atual local Cria um diretório no computador remoto

16 Comando quit Função Finaliza a seção Existem vários outros clientes ftp que possuem uma interface mais amigável e muitos deles podem ser obtidos gratuitamente na Internet. Um bom exemplo é o WSFTP, que pode ser obtido a partir de É importante frisar que o ftp funciona porque dois programas estão em ação: um servidor ftp, que está rodando no computador remoto, e o cliente ftp, que está rodando no seu computador local. Se você pretende usar o serviço, a máquina remota deve estar rodando um servidor ftp. Em máquinas com sistemas operacionais Unix (como a máquina ead1.eee.ufmg.br), os servidores ftp já vêm normalmente instalados e configurados. Em máquinas Windows, você precisa instalar e configurar um servidor ftp para oferecer este serviço. Existem alguns servidores ftp gratuitos para estes sistemas, como o WFTPD, que pode ser obtido em

17 Login remoto (Telnet) Outro grande recurso da Internet é permitir o uso de um computador do outro lado do mundo como se ele estivesse no canto da sala. O Telnet permite que se estabeleça uma seção com um computador remoto. Uma vez estabelecida a conexão, você pode logar-se normalmente naquele computador (obviamente você precisa utilizar uma conta válida e uma senha). O Telnet também permite que dois programas trabalhem cooperativamente, trocando dados através da Internet. Para exemplificar o uso to Telnet, vamos estabelecer uma seção com o servidor do curso, através do Telnet nativo do Windows. Execute o arquivo "telnet.exe" (geralmente presente no diretório do windows). Em seguida deve-se estabelecer a conexão, como indicado nas figuras. Deve-se digitar o nome do host remoto no campo adequado e clicar em "conectar". Em seguida serão solicitados o login e a senha. Se estiverem corretos, a conexão é feita e pode-se trabalhar normalmente no computador remoto como se ele estivesse à sua frente. O sistema operacional do servidor é o Unix, portanto somente comandos desta linguagem terão efeito. Como exemplo, podemos navegar pelos diretórios (comando cd), listar arquivos (comando ls) e criar um diretório (comando mkdir).

18 Para que o telnet funcione, é necessário que no computador remoto esteja sendo executado um servidor telnet, o que também normalmente é habilitado em máquinas com o sistema operacional Unix.

19 IRC Internet Relay Chat (IRC) permite que se estabeleça uma conexão entre seu computador e outros usuários deste utilitário da Internet. Esta conexão é usada para trocar mensagens entre os usuários, ao mesmo tempo. A grande vantagem deste serviço é que ele torna possível manter uma conversação com uma ou mais pessoas, não importando onde elas estejam. O IRC é bastante utilizado e oferece mais do que uma simples conversa. Podem ser realizadas conversações públicas com um grande número de pessoas. Estas seções, ou "salas", são livremente organizadas e podem abordar os mais diversos temas. Por outro lado, o IRC pode ser usado para organizar conversas particulares, quase como uma conferência via telefone. Existem vários programas que possibilitam a utilização do IRC. Um exemplo bastante popular é o mirc, que pode ser obtido em Em educação à distância, o IRC pode ser utilizado para se realizar atividades onde a comunicação síncrona seja fundamental. Um problema com o uso do IRC é que as seções tendem a ser bastante tumultuadas, sendo necessária uma grande disciplina dos usuários para que o sistema funcione como uma "sala de aula à distância".

20 "Sala" de conversação no programa mirc. As pessoas presentes na sala são listadas à direita. Com um simples clique em seus nomes é possível iniciar uma conversa particular.

21 World Wide Web A World Wide Web, também chamada de Teia Global, WWW, ou simplesmente Web, é um projeto ambicioso cujo objetivo é oferecer uma interface simples e consistente aos vastos recursos da Internet. Ao usar a Web, basta seguir em frente, ou seja, iniciar de onde quiser e saltar de um lugar para outro que lhe pareça interessante. Com apenas alguns cliques, você pode saltitar pela Internet como pulgas em exposição de cães. A WWW nos permite navegar pela Internet, utilizando navegadores. A Web é baseada em hipertextos que contêm ligações para outros documentos. O programa usado para ler os documentos na Web é chamado de navegador (browser). Ao percorrer os elos, dizemos que estamos navegando pela Web. Não há razão para nos confinarmos a textos. Por exemplo, ao seguir os vínculos (ou links) dentro do documento da árvore, podemos encontrar imagens de um determinado tipo de árvore. Ou podemos encontrar também um videoclipe de uma vista da floresta, com sons dos animais. A palavra hipermídia é utilizada para se referir a documentos que contém diversos tipos de dados, não somente texto. O que faz a Web ser tão poderosa é que um vínculo pode levar a qualquer recurso da Internet: um arquivo texto, uma sessão Telnet, um grupo de discussão e assim por diante. Além disto, os navegadores contêm recursos para executar pequenos programas (applets) criados utilizando a linguagem Java, o que introduz possibilidades ilimitadas para o seu uso. O trabalho do navegador é agir como uma

22 janela para a Internet, seguindo os vínculos escolhidos e acessando cada documento com os métodos apropriados. A utilização da Web pressupõe a comunicação entre dois programas: o navegador, que é o programa cliente utilizando os recursos oferecidos por outro programa: o servidor WWW. O protocolo utilizado para a comunicação entre cliente e servidor é o HTTP - Hyper Text Transfer Protocol. Geralmente nos referimos ao servidor como "servidor HTTP", "servidor WWW" ou "servidor Web" e ao cliente chamamos de navegador ou browser. Você, com certeza, está usando um navegador para acessar o material deste curso. Portanto não é necessário dizermos onde você pode conseguir um... Para disponibilizar material na Web, é necessário que você tenha acesso a uma máquina que esteja rodando um servidor WWW. A máquina ead1.eee.ufmg.br, por exemplo, roda um servidor HTTP disponível gratuitamente na Internet denominado "Apache". Provavelmente o seu departamento ou Escola possui uma (ou mais) máquinas configuradas para rodar um servidor Web. Também provavelmente você poderá utilizá-la para publicar seu material. Se você tiver uma conta em um provedor com sistema operacional Unix rodando um servidor HTTP, você pode publicar material imediatamente, criando um diretório com o nome public_html e colocando seu material lá. Vamos fazer uso disto nos exercícios deste módulo. Aguardem...

23 MOO O MOO (Multi-user Object-Oriented domain) é um sistema multi-usuário, programável, interativo, para criação de ambientes em realidade virtual baseada em texto, visando jogos, conferências, bate-papo on-line e outras atividades que requerem comunicação em tempo real. Um visitante que se conecta ao MOO é colocado em uma "sala", de onde é possível se mover para outras, falar para outros usuários conectados, mandar mensagens, criar e usar "objetos". As salas podem ser descritas com detalhes para as pessoas se sentirem realmente no lugar descrito. O programa moo pode ser expandido, criando novos objetos, que serão acrescentados em uma base de dados. Os usuários da Internet passam a existir virtualmente, de forma a desenvolver traços de uma personalidade, na qual eles se incorporam. Isso faz com que a maioria dos personagens associem a Internet ao seu personagem, tornando assim o MOO seu mundo virtual. A criação do MOO é atribuida a Pavel Curtis. Sua primeira experiência com este programa está em pleno funcionamento, sendo um exemplo vivo do seu potencial, pois é uma verdadeira comunidade, com milhares de habitantes, eleições e tudo mais que pode existir em uma sociedade. Mas o primeiro servidor MOO, chamado LambdaMOO, foi escrito por Stephen White. Pavel Curtis pegou o design básico, a linguagem, o código, corrigiu os erros e adicionou ferramentas à primeira versão do LambdaMOO. O primeiro programa MOO foi distribuído em fevereiro de Os personagens, que são a corporificação dos usuários no MOO (geralmente referidos como players), após terem se conectado, terão comandos on-line que serão interpretados pelo servidor. Tais comandos podem causar mudanças na realidade virtual, como o lugar onde o personagem está, ou simplesmente reportar a situação atual, tal como a aparência de algum objeto. A linguagem de programação em MOO segue os mesmo princípios de outras linguagens orientadas a objeto, como C++, Lisp e Java. Essa interface programável é a responsável pela criação da realidade virtual. Como exemplo de um ambiente MOO, analisemos o CpdeeMOO, servidor MOO da UFMG. O CpdeeMOO

24 O CpdeeMOO foi criado em setembro de O objetivo era implementar cursos à distância que necessitassem de um suporte para comunicação em tempo real (comunicação síncrona). Como um MOO educacional, o primeiro curso ministrado foi relativo à implementação de páginas em HTML. Posteriormente, foram ministrados cursos de programação em C, programação no ambiente MOO e outros. Apesar de algumas controvérsias, o CpdeeMoo é considerado o primeiro MOO brasileiro, sediado em Belo Horizonte - MG, no campus da Universidade Federal de Minas Gerais, mais precisamente no Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Engenharia Elétrica (CPDEE). Em sua criação, o CpdeeMoo contabilizava, em seu primeiro mês de vida, uma base de dados de aproximadamente 1,5MBytes, cerca de 50 usuários cadastrados e com uma média de 4 usuários conectados simultaneamente nos horários de pico. Desde então, houve a necessidade de vários upgrades de software e de hardware, sempre visando possibilitar os melhores recursos e uma melhor conexão para seus usuários. Atualmente, o CpdeeMoo conta com mais de 1500 personagens cadastrados, uma base de dados superior a 20Mbytes e uma média de 50 personagens conectados simultaneamente nos horários de pico. Objetivando uma melhor integração entre os usuários e o ambiente virtual, o CpdeeMoo conta, além da conexão via telnet, com uma interface utilizando a WWW, e recursos de cor. Além de usuários de todo o Brasil, pode-se encontrar usuários de Portugal, Paquistão, Inglaterra, França e Dinamarca, entre outros. Um ambiente rico de experiências em vários campos de estudo, o CpdeeMoo caracteríza-se como uma importante fonte de informação em diversas áreas. Através dos cursos ministrados, do diálogo e de debates, seja através das listas de discussão ou não, pode-se conseguir as mais diversas informações possíveis em um ambiente democrático e educacional. O MOO é bastante interessante para implementar diversos tipos de ambientes de interação síncrona, conforme veremos posteriormente no capítulo 4. Faça uma visita ao CpdeeMoo e conheça um pouco mais sobre ele clicando aqui: Este MOO já possui uma interface com a Web e também uma interface VRML (Virtual Reality Markup Language) que permite a criação de ambientes virtuais tridimensionais.

25 ICQ O ICQ é uma ferramenta da Internet que permite a um usuário saber quem está conectado em determinado momento e possibilita um contato entre usuários. Com o ICQ é possível conversar, enviar mensagens e arquivos, jogar jogos ou simplesmente ter uma listagem das suas pessoas de interesse que estão on-line, tudo em tempo real. Enquanto você utiliza outras aplicações, o programa trabalha em segundo plano e alerta quando amigos ou pessoas de seu interesse se conectam, permitindo a utilização de diversas funções com os demais usuários. O programa responsável pela popularização desta ferramenta é o Mirabilis ICQ, que é de fácil utilização e pode ser obtido gratuitamente em Tela do programa Mirabilis ICQ. Uma lista com seus "contatos" é mostrada e é possível saber quem está conectado naquele momento. Com um simples clique, é possível mandar mensagens, convidar para uma conversa e vários outros.

26 Ferramentas de trabalho em grupo Nos últimos anos, uma série de ferramentas para trabalho em grupo têm sido desenvolvidas. Algumas delas são de utilização simples e permitem, além da conversação em tempo real, o compartilhamento de recursos, a execução conjunta de programas, a manipulação de um white-board, etc. Duas ferramentas têm se popularizado atualmente. O Netmeeting, da Microsoft, e o Netscape Conference, da Netscape. Ambos são gratuitos e podem ser obtidos respectivamente em e A utilização estes programas é bastante simples. Existem "salas" onde são mostrados usuários atualmente conectados. Você pode optar por entrar em uma sala existente ou pode criar sua própria sala. Além disso, é possível estabelecer uma conexão direta com outra máquina, bastando conhecer seu nome ou endereço IP. A partir daí, existem várias possibilidades, desde uma conversa com áudio e vídeo (caso todos possuam os equipamentos necessários) até o compartilhamento de programas, como mostra a figura abaixo. Tela do programa Netmeeting. Uma das ferramentas é o quadro de comunicações (white-board). É possível se estabelecer uma conexão entre vários usuários de forma que tudo o que é escrito no quadro é visto por todos. Qualquer outro programa pode ser compartilhado através do Netmeeting, mesmo que só esteja instalado em uma das máquinas.

27 2.5 - TCP/IP O que é o TCP/IP? Para completar o nosso capítulo sobre a Internet, precisamos falar um pouco sobre o TCP/IP. Como você já deve saber, a Internet é estruturada sobre redes que envolvem o mundo todo. Estas redes contêm muitos tipos diferentes de computadores que, de alguma maneira, devem ter alguma coisa em comum. Essa "alguma coisa" é otcp/ip. Os detalhes técnicos do TCP/IP estão além do interesse deste curso, mas vale a pena conhecer a idéia básica. Para cuidar de que todos os computadores possam trabalhar em harmonia, os programadores escrevem seus programas usando protocolos padrões. Um protocolo é um conjunto de regras que descreve, em termos técnicos, como alguma coisa deve ser feita. Por exemplo, existe um protocolo que descreve exatamente qual formato deve ser usado para uma mensagem de correio. Todos os programas de correio da Internet seguem este protocolo ao preparar mensagens para serem enviadas. TCP/IP é o nome popular de uma coleção de mais de 100 protocolos que são usados para conectar computadores em redes. Já foram mencionados aqui alguns destes protocolos, como o Telnet, o FTP, o HTTP, o SMTP, etc. O nome real do TCP/IP vem de dois importantes protocolos: TCP (Protocolo de Controle de Transmissão) e IP (Protocolo Internet). Embora não seja necessário conhecer os detalhes, é bom que se tenha uma noção do que são estes protocolos e como são aplicados na Internet. Na Internet os dados não são transmitidos de um computador a outro como um fluxo constante. Eles são quebrados em pequenos pedaços chamados pacotes. Por exemplo, suponha que você queira enviar uma longa mensagem para um amigo do outro lado do mundo. O TCP dividirá a mensagem em pequenos pacotes. Cada pacote é marcado com uma sequência numérica e com o endereço do destinatário. Além disso, o TCP inclui alguma informação de controle de erros.

28 Os pacotes são enviados pela rede, onde o trabalho do IP é transportá-los até o destino final. Na outra ponta, o TCP recebe estes pacotes e verifica se existem erros. Se ocorrer um erro, o TCP poderá solicitar uma nova transmissão. Assim que todos os pacotes forem recebidos corretamente, o TCP usará os números da sequência para reconstruir a mensagem original. Em outras palavras, o trabalho do IP é transportar os dados no estado bruto - os pacotes - de um lado para o outro. O trabalho do TCP é cuidar do fluxo e da integridade dos dados. A melhor resposta para a pergunta "O que é TCP/IP?" seria, portanto, que a Internet depende de milhares de redes e milhões de computadores, e o TCP/IP é o cimento que une tudo.

INFORMÁTICA FUNDAMENTOS DE INTERNET. Prof. Marcondes Ribeiro Lima

INFORMÁTICA FUNDAMENTOS DE INTERNET. Prof. Marcondes Ribeiro Lima INFORMÁTICA FUNDAMENTOS DE INTERNET Prof. Marcondes Ribeiro Lima Fundamentos de Internet O que é internet? Nome dado a rede mundial de computadores, na verdade a reunião de milhares de redes conectadas

Leia mais

Desenvolvimento em Ambiente Web. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com

Desenvolvimento em Ambiente Web. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Desenvolvimento em Ambiente Web Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Internet A Internet é um conjunto de redes de computadores de domínio público interligadas pelo mundo inteiro, que tem

Leia mais

PARANÁ GOVERNO DO ESTADO

PARANÁ GOVERNO DO ESTADO PROTOCOLOS DA INTERNET FAMÍLIA TCP/IP INTRODUÇÃO É muito comum confundir o TCP/IP como um único protocolo, uma vez que, TCP e IP são dois protocolos distintos, ao mesmo tempo que, também os mais importantes

Leia mais

Era da Informação exige troca de informações entre pessoas para aperfeiçoar conhecimentos dos mais variados

Era da Informação exige troca de informações entre pessoas para aperfeiçoar conhecimentos dos mais variados O Uso da Internet e seus Recursos Ana Paula Terra Bacelo anapaula@cglobal.pucrs.br Faculdade de Informática /PUCRS Sumário Introdução Internet: conceitos básicos Serviços da Internet Trabalhos Cooperativos

Leia mais

CAPÍTULO 2. Este capítulo tratará :

CAPÍTULO 2. Este capítulo tratará : 1ª PARTE CAPÍTULO 2 Este capítulo tratará : 1. O que é necessário para se criar páginas para a Web. 2. A diferença entre páginas Web, Home Page e apresentação Web 3. Navegadores 4. O que é site, Host,

Leia mais

milenaresende@fimes.edu.br

milenaresende@fimes.edu.br Fundação Integrada Municipal de Ensino Superior Sistemas de Informação A Internet, Intranets e Extranets milenaresende@fimes.edu.br Uso e funcionamento da Internet Os dados da pesquisa de TIC reforçam

Leia mais

CONCEITOS INICIAIS. Agenda A diferença entre páginas Web, Home Page e apresentação Web;

CONCEITOS INICIAIS. Agenda A diferença entre páginas Web, Home Page e apresentação Web; CONCEITOS INICIAIS Agenda A diferença entre páginas Web, Home Page e apresentação Web; O que é necessário para se criar páginas para a Web; Navegadores; O que é site, Host, Provedor e Servidor Web; Protocolos.

Leia mais

TECNOLOGIA WEB. Principais Protocolos na Internet Aula 2. Profa. Rosemary Melo

TECNOLOGIA WEB. Principais Protocolos na Internet Aula 2. Profa. Rosemary Melo TECNOLOGIA WEB Principais Protocolos na Internet Aula 2 Profa. Rosemary Melo Tópicos abordados Compreender os conceitos básicos de protocolo. Definir as funcionalidades dos principais protocolos de Internet.

Leia mais

Desenvolvimento de Aplicações Web

Desenvolvimento de Aplicações Web Desenvolvimento de Aplicações Web André Tavares da Silva andre.silva@udesc.br Método de Avaliação Serão realizadas duas provas teóricas e dois trabalhos práticos. MF = 0,1*E + 0,2*P 1 + 0,2*T 1 + 0,2*P

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO DISTRITO FEDERAL

TRIBUNAL DE CONTAS DO DISTRITO FEDERAL TRIBUNAL DE CONTAS DO DISTRITO FEDERAL TÉCNICO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E ANALISTA (EXCETO PARA O CARGO 4 e 8) GABARITO 1. (CESPE/2013/MPU/Conhecimentos Básicos para os cargos 34 e 35) Com a cloud computing,

Leia mais

Redes de Computadores II

Redes de Computadores II Redes de Computadores II INTERNET Protocolos de Aplicação Intranet Prof: Ricardo Luís R. Peres As aplicações na arquitetura Internet, são implementadas de forma independente, ou seja, não existe um padrão

Leia mais

Capítulo 11 - Camada de Transporte TCP/IP e de Aplicação. Associação dos Instrutores NetAcademy - Julho de 2007 - Página

Capítulo 11 - Camada de Transporte TCP/IP e de Aplicação. Associação dos Instrutores NetAcademy - Julho de 2007 - Página Capítulo 11 - Camada de Transporte TCP/IP e de Aplicação 1 Introdução à Camada de Transporte Camada de Transporte: transporta e regula o fluxo de informações da origem até o destino, de forma confiável.

Leia mais

INTERNET -- NAVEGAÇÃO

INTERNET -- NAVEGAÇÃO Página 1 Acessando endereços simultaneamente Parte 2 Um recurso interessante e extremamente útil é o de abrir várias janelas ao mesmo tempo. Em cada janela você poderá acessar um endereço diferente na

Leia mais

Microsoft Internet Explorer. Browser/navegador/paginador

Microsoft Internet Explorer. Browser/navegador/paginador Microsoft Internet Explorer Browser/navegador/paginador Browser (Navegador) É um programa que habilita seus usuários a interagir com documentos HTML hospedados em um servidor web. São programas para navegar.

Leia mais

INTERNET = ARQUITETURA TCP/IP

INTERNET = ARQUITETURA TCP/IP Arquitetura TCP/IP Arquitetura TCP/IP INTERNET = ARQUITETURA TCP/IP gatewa y internet internet REDE REDE REDE REDE Arquitetura TCP/IP (Resumo) É útil conhecer os dois modelos de rede TCP/IP e OSI. Cada

Leia mais

Arquitetura de Redes. Sistemas Operacionais de Rede. Protocolos de Rede. Sistemas Distribuídos

Arquitetura de Redes. Sistemas Operacionais de Rede. Protocolos de Rede. Sistemas Distribuídos Arquitetura de Redes Marco Antonio Montebello Júnior marco.antonio@aes.edu.br Sistemas Operacionais de Rede NOS Network Operating Systems Sistemas operacionais que trazem recursos para a intercomunicação

Leia mais

Internet ou Net. É uma rede mundial de computadores ligados entre si através s de linhas telefónicas comuns.

Internet ou Net. É uma rede mundial de computadores ligados entre si através s de linhas telefónicas comuns. Internet Internet ou Net É uma rede mundial de computadores ligados entre si através s de linhas telefónicas comuns. Como Comunicam os computadores Os computadores comunicam entre si utilizando uma linguagem

Leia mais

Informática I. Aula 22. http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 22-03/07/06 1

Informática I. Aula 22. http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 22-03/07/06 1 Informática I Aula 22 http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 22-03/07/06 1 Critério de Correção do Trabalho 1 Organização: 2,0 O trabalho está bem organizado e tem uma coerência lógica. Termos

Leia mais

INTERNET CONCEITOS. Internet é a "grande rede mundial de computadores"

INTERNET CONCEITOS. Internet é a grande rede mundial de computadores INTERNET CONCEITOS O que é Internet Estamos acostumados a ouvir que Internet é a "grande rede mundial de computadores" Entretanto, essa definição não é muito simplista. Na realidade, Ela é uma coleção

Leia mais

INTERNET -- NAVEGAÇÃO

INTERNET -- NAVEGAÇÃO Página 1 INTRODUÇÃO Parte 1 O que é a Internet? A Internet é uma rede mundial de computadores, englobando redes menores distribuídas por vários países, estados e cidades. Ao contrário do que muitos pensam,

Leia mais

TECNOLOGIA WEB INTERNET PROTOCOLOS

TECNOLOGIA WEB INTERNET PROTOCOLOS INTERNET PROTOCOLOS 1 INTERNET Rede mundial de computadores. Também conhecida por Nuvem ou Teia. Uma rede que permite a comunicação de redes distintas entre os computadores conectados. Rede WAN Sistema

Leia mais

A Internet, ou apenas Net, é uma rede mundial de computadores ligados, entre si, através de linhas telefónicas comuns, linhas de comunicação

A Internet, ou apenas Net, é uma rede mundial de computadores ligados, entre si, através de linhas telefónicas comuns, linhas de comunicação A Internet, ou apenas Net, é uma rede mundial de computadores ligados, entre si, através de linhas telefónicas comuns, linhas de comunicação privadas, satélites e outros serviços de telecomunicação. Hardware

Leia mais

Internet - A rede Mundial

Internet - A rede Mundial Internet - A rede Mundial Fernando Albuquerque 061-2733589 fernando@cic.unb.br O que é? Qual a sua história? Como funciona? Como está organizada? Quais os serviços? Como acessar? Quais os cuidados? Qual

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÕES MÓDULO 16

REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÕES MÓDULO 16 REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÕES MÓDULO 16 Índice 1. SISTEMA OPERACIONAL DE REDE...3 1.1 O protocolo FTP... 3 1.2 Telnet... 4 1.3 SMTP... 4 1.4 SNMP... 5 2 1. SISTEMA OPERACIONAL DE REDE O sistema

Leia mais

Configuração de um servidor FTP. Campus Cachoeiro Curso Técnico em Informática

Configuração de um servidor FTP. Campus Cachoeiro Curso Técnico em Informática Configuração de um servidor FTP Campus Cachoeiro Curso Técnico em Informática FTP: o protocolo de transferência de arquivos transferir arquivo de/para hospedeiro remoto modelo cliente/servidor cliente:

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS. Aula 09

SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS. Aula 09 FACULDADE CAMÕES PORTARIA 4.059 PROGRAMA DE ADAPTAÇÃO DE DISCIPLINAS AO AMBIENTE ON-LINE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL DOCENTE: ANTONIO SIEMSEN MUNHOZ, MSC. ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: FEVEREIRO DE 2007. Internet,

Leia mais

1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO

1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO 1 ÍNDICE 1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO... 3 1.1 REQUISITOS BASICOS DE SOFTWARE... 3 1.2 REQUISITOS BASICOS DE HARDWARE... 3 2 EXECUTANDO O INSTALADOR... 3 2.1 PASSO 01... 3 2.2 PASSO

Leia mais

Informática Básica. Internet Intranet Extranet

Informática Básica. Internet Intranet Extranet Informática Básica Internet Intranet Extranet Para começar... O que é Internet? Como a Internet nasceu? Como funciona a Internet? Serviços da Internet Considerações finais O que é Internet? Ah, essa eu

Leia mais

TECNOLOGIA WEB Aula 1 Evolução da Internet Profa. Rosemary Melo

TECNOLOGIA WEB Aula 1 Evolução da Internet Profa. Rosemary Melo TECNOLOGIA WEB Aula 1 Evolução da Internet Profa. Rosemary Melo Tópicos abordados Surgimento da internet Expansão x Popularização da internet A World Wide Web e a Internet Funcionamento e personagens da

Leia mais

Parte 5 - Criação de cursos à distância no Modelo Fechado

Parte 5 - Criação de cursos à distância no Modelo Fechado Parte 5 - Criação de cursos à distância no Modelo Fechado Neste capítulo iremos estudar como montar um curso à distância que, embora acessível via a Internet, tenha acesso controlado. Para isto, teremos

Leia mais

Web Design Aula 11: Site na Web

Web Design Aula 11: Site na Web Web Design Aula 11: Site na Web Professora: Priscilla Suene priscilla.silverio@ifrn.edu.br Motivação Criar o site em HTML é interessante Do que adianta se até agora só eu posso vê-lo? Hora de publicar

Leia mais

Capítulo 8 - Aplicações em Redes

Capítulo 8 - Aplicações em Redes Capítulo 8 - Aplicações em Redes Prof. Othon Marcelo Nunes Batista Mestre em Informática 1 de 31 Roteiro Sistemas Operacionais em Rede Modelo Cliente-Servidor Modelo P2P (Peer-To-Peer) Aplicações e Protocolos

Leia mais

Portal Contador Parceiro

Portal Contador Parceiro Portal Contador Parceiro Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa 1. Portal Contador Parceiro... 03 2. Acesso ao Portal... 04 3. Profissionais...11 4. Restrito...16 4.1 Perfil... 18 4.2 Artigos...

Leia mais

USO GERAL DOS PROTOCOLOS SMTP, FTP, TCP, UDP E IP

USO GERAL DOS PROTOCOLOS SMTP, FTP, TCP, UDP E IP USO GERAL DOS PROTOCOLOS SMTP, FTP, TCP, UDP E IP SMTP "Protocolo de transferência de correio simples (ou em inglês Simple Mail Transfer Protocol ) é o protocolo padrão para envio de e- mails através da

Leia mais

Tecnologia da Informação. Prof Odilon Zappe Jr

Tecnologia da Informação. Prof Odilon Zappe Jr Tecnologia da Informação Prof Odilon Zappe Jr Internet Internet Internet é o conglomerado de redes, em escala mundial de milhões de computadores interligados, que permite o acesso a informações e todo

Leia mais

Configuração de Digitalizar para E-mail

Configuração de Digitalizar para E-mail Guia de Configuração de Funções de Digitalização de Rede Rápida XE3024PT0-2 Este guia inclui instruções para: Configuração de Digitalizar para E-mail na página 1 Configuração de Digitalizar para caixa

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES SERVICOS DE REDE LOCAL. Professor Carlos Muniz

SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES SERVICOS DE REDE LOCAL. Professor Carlos Muniz SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES SERVICOS DE REDE LOCAL Na internet, cada computador conectado à rede tem um endereço IP. Todos os endereços IPv4 possuem 32 bits. Os endereços IP são atribuídos à interface

Leia mais

10/07/2013. Camadas. Principais Aplicações da Internet. Camada de Aplicação. World Wide Web. World Wide Web NOÇÕES DE REDE: CAMADA DE APLICAÇÃO

10/07/2013. Camadas. Principais Aplicações da Internet. Camada de Aplicação. World Wide Web. World Wide Web NOÇÕES DE REDE: CAMADA DE APLICAÇÃO 2 Camadas NOÇÕES DE REDE: CAMADA DE APLICAÇÃO Introdução à Microinformática Prof. João Paulo Lima Universidade Federal Rural de Pernambuco Departamento de Estatística e Informática Aplicação Transporte

Leia mais

Manual do Usuário Janeiro de 2016

Manual do Usuário Janeiro de 2016 Manual do Usuário Janeiro de 2016 SOBRE CMX CMX é uma interface que dá acesso aos estudantes a milhares de atividades, exercícios e recursos todos posicionados com os padrões e conceitos curriculares.

Leia mais

Redes - Internet. Sumário 26-09-2008. Aula 3,4 e 5 9º C 2008 09 24. } Estrutura baseada em camadas. } Endereços IP. } DNS -Domain Name System

Redes - Internet. Sumário 26-09-2008. Aula 3,4 e 5 9º C 2008 09 24. } Estrutura baseada em camadas. } Endereços IP. } DNS -Domain Name System Redes - Internet 9º C 2008 09 24 Sumário } Estrutura baseada em camadas } Endereços IP } DNS -Domain Name System } Serviços, os Servidores e os Clientes } Informação Distribuída } Principais Serviços da

Leia mais

Protocolos de Internet (família TCP/IP e WWW) Primeiro Técnico. Prof. Cesar

Protocolos de Internet (família TCP/IP e WWW) Primeiro Técnico. Prof. Cesar Primeiro Técnico Protocolos de Internet (família TCP/IP e WWW) Prof. Cesar 1 TCP - Transmission Control Protocol Esse protocolo tem como principal objetivo realizar a comunicação entre aplicações de dois

Leia mais

INTERNET OUTLOOK. 1. Considerando os conceitos e os modos de navegação na Internet, assinale a opção correta.

INTERNET OUTLOOK. 1. Considerando os conceitos e os modos de navegação na Internet, assinale a opção correta. Prof. Júlio César S. Ramos P á g i n a 1 INTERNET OUTLOOK 1. Considerando os conceitos e os modos de navegação na Internet, assinale a opção correta. A O Outlook Express permite criar grupo de pessoas

Leia mais

TECNOLOGIAS WEB AULA 2 PROF. RAFAEL DIAS RIBEIRO @RIBEIRORD

TECNOLOGIAS WEB AULA 2 PROF. RAFAEL DIAS RIBEIRO @RIBEIRORD TECNOLOGIAS WEB AULA 2 PROF. RAFAEL DIAS RIBEIRO @RIBEIRORD Objetivos: Definir as funcionalidades dos principais protocolos de Internet. Compreender os conceitos básicos de protocolo. Conhecer mais a respeito

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES O QUE É PROTOCOLO? Na comunicação de dados e na interligação em rede, protocolo é um padrão que especifica o formato de dados e as regras a serem seguidas. Sem protocolos, uma rede

Leia mais

Um pouco sobre Pacotes e sobre os protocolos de Transporte

Um pouco sobre Pacotes e sobre os protocolos de Transporte Um pouco sobre Pacotes e sobre os protocolos de Transporte O TCP/IP, na verdade, é formado por um grande conjunto de diferentes protocolos e serviços de rede. O nome TCP/IP deriva dos dois protocolos mais

Leia mais

OURO MODERNO www.ouromoderno.com.br. Web Designer APOSTILA DE EXEMPLO. (Esta é só uma reprodução parcial do conteúdo)

OURO MODERNO www.ouromoderno.com.br. Web Designer APOSTILA DE EXEMPLO. (Esta é só uma reprodução parcial do conteúdo) Web Designer APOSTILA DE EXEMPLO (Esta é só uma reprodução parcial do conteúdo) 1 Índice Aula 1 FTP... 3 FTP e HTTP... 4 Exercícios... 6 2 Aula 1 FTP FTP significa File Transfer Protocol, traduzindo Protocolo

Leia mais

APOSTILA BÁSICA INFORMÁTICA: 1. PROCESSADOR DE TEXTOS 1.1 Conhecendo o aplicativo Word 2007 2.EDITOR DE PLANILHAS

APOSTILA BÁSICA INFORMÁTICA: 1. PROCESSADOR DE TEXTOS 1.1 Conhecendo o aplicativo Word 2007 2.EDITOR DE PLANILHAS APOSTILA BÁSICA INFORMÁTICA: 1. PROCESSADOR DE TEXTOS 1.1 Conhecendo o aplicativo Word 2007 2.EDITOR DE PLANILHAS 3.INTERNET 3.1. Internet: recursos e pesquisas 3.2. Conhecendo a Web 3.3. O que é um navegador?

Leia mais

Laboratório - Exploração do FTP

Laboratório - Exploração do FTP Objetivos Parte 1: Usar o FTP em um prompt de comando Parte 2: Baixar um arquivo FTP usando WS_FTP LE Parte 3: Usar o FTP em um navegador Histórico/cenário O File Transfer Protocol (FTP) faz parte do conjunto

Leia mais

Manual de Utilização Moodle

Manual de Utilização Moodle Manual de Utilização Moodle Perfil Professor Apresentação Esse manual, baseado na documentação oficial do Moodle foi elaborado pela Coordenação de Tecnologia de Informação CTI do câmpus e tem como objetivo

Leia mais

Permite o acesso remoto a um computador;

Permite o acesso remoto a um computador; Telnet Permite o acesso remoto a um computador; Modelo: Cliente/Servidor; O cliente faz um login em um servidor que esteja conectado à rede (ou à Internet); O usuário manipula o servidor como se ele estivesse

Leia mais

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA Manual de Utilização Google Grupos Sumário (Clique sobre a opção desejada para ir direto à página correspondente) Utilização do Google Grupos Introdução... 3 Página

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com - Aula Complementar - MODELO DE REFERÊNCIA OSI Este modelo se baseia em uma proposta desenvolvida pela ISO (International Standards Organization) como um primeiro passo em direção a padronização dos protocolos

Leia mais

André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Internet

André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Internet André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Internet Noções de Internet: O que é Internet; História da Internet; Recursos da Internet; Serviços não-web.

Leia mais

efagundes com Como funciona a Internet

efagundes com Como funciona a Internet Como funciona a Internet Eduardo Mayer Fagundes 1 Introdução à Internet A Internet é uma rede de computadores mundial que adota um padrão aberto de comunicação, com acesso ilimitado de pessoas, empresas

Leia mais

CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3

CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3 CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3 Este tutorial não tem como finalidade esgotar todas as funcionalidades do Ambiente, ele aborda de forma prática

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS SERVIÇOS DE ACESSO REMOTO (TELNET E TERMINAL SERVICES) Professor Carlos Muniz

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS SERVIÇOS DE ACESSO REMOTO (TELNET E TERMINAL SERVICES) Professor Carlos Muniz ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS SERVIÇOS DE ACESSO REMOTO (TELNET E O que é roteamento e acesso remoto? Roteamento Um roteador é um dispositivo que gerencia o fluxo de dados entre segmentos da rede,

Leia mais

Arquitetura de Sistemas Distribuídos. Introdução a Sistemas Distribuídos

Arquitetura de Sistemas Distribuídos. Introdução a Sistemas Distribuídos Introdução a Sistemas Distribuídos Definição: "Um sistema distribuído é uma coleção de computadores autônomos conectados por uma rede e equipados com um sistema de software distribuído." "Um sistema distribuído

Leia mais

INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA. Guia rápido

INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA. Guia rápido INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA Guia rápido A PLATAFORMA MOODLE Moodle (Modular Object Oriented Distance LEarning) é um Sistema para Gerenciamento de Cursos (SGC). Trata-se de um programa para computador

Leia mais

Curso de Informática Básica

Curso de Informática Básica Curso de Informática Básica O e-mail Primeiros Cliques 1 Curso de Informática Básica Índice Introdução...3 Receber, enviar e responder mensagens...3 Anexando arquivos...9 Cuidado com vírus...11 2 Outlook

Leia mais

GLOSSÁRIO. ActiveX Controls. É essencialmente uma interface usada para entrada e saída de dados para uma aplicação.

GLOSSÁRIO. ActiveX Controls. É essencialmente uma interface usada para entrada e saída de dados para uma aplicação. GLOSSÁRIO Este glossário contém termos e siglas utilizados para Internet. Este material foi compilado de trabalhos publicados por Plewe (1998), Enzer (2000) e outros manuais e referências localizadas na

Leia mais

// Questões para estudo

// Questões para estudo // Questões para estudo 2 // Ferramentas Básicas de Internet e Web 2.0 1. Sobre a internet, marque a opção correta: A) A internet poder ser definida como uma rede mundial, composta por mihões e milhões

Leia mais

Introdução à Informática

Introdução à Informática Introdução à Informática Aula 23 http://www.ic.uff.br/~bianca/introinfo/ Aula 23-07/12/2007 1 Histórico da Internet Início dos anos 60 Um professor do MIT (J.C.R. Licklider) propõe a idéia de uma Rede

Leia mais

Autoria Web Apresentação e Visão Geral sobre a Web

Autoria Web Apresentação e Visão Geral sobre a Web Apresentação e Visão Geral sobre a Web Apresentação Thiago Miranda Email: mirandathiago@gmail.com Site: www.thiagomiranda.net Objetivos da Disciplina Conhecer os limites de atuação profissional em Web

Leia mais

CONCEITOS BÁSICOS DE INTERNET. Disciplina: INFORMÁTICA 1º Semestre Prof. AFONSO MADEIRA

CONCEITOS BÁSICOS DE INTERNET. Disciplina: INFORMÁTICA 1º Semestre Prof. AFONSO MADEIRA CONCEITOS BÁSICOS DE INTERNET Disciplina: INFORMÁTICA 1º Semestre Prof. AFONSO MADEIRA conceito inicial Amplo sistema de comunicação Conecta muitas redes de computadores Apresenta-se de várias formas Provê

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES 08/2013 Material de apoio Conceitos Básicos de Rede Cap.1 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina e não substitui a leitura da bibliografia básica.

Leia mais

PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE INTRANETS

PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE INTRANETS PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE INTRANETS Aulas : Terças e Quintas Horário: AB Noite [18:30 20:20hs] PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE INTRANETS 1 Conteúdo O que Rede? Conceito; Como Surgiu? Objetivo; Evolução Tipos de

Leia mais

Manual do Usuário Cyber Square

Manual do Usuário Cyber Square Manual do Usuário Cyber Square Criado dia 27 de março de 2015 as 12:14 Página 1 de 48 Bem-vindo ao Cyber Square Parabéns! Você está utilizando o Cyber Square, o mais avançado sistema para gerenciamento

Leia mais

T ecnologias de I informação de C omunicação

T ecnologias de I informação de C omunicação T ecnologias de I informação de C omunicação 9º ANO Prof. Sandrina Correia TIC Prof. Sandrina Correia 1 Objectivos Aferir sobre a finalidade da Internet Identificar os componentes necessários para aceder

Leia mais

Sincronização do Catálogo de Endereços no MDaemon 6.x com o uso do ComAgent, LDAP, MAPI e WAB

Sincronização do Catálogo de Endereços no MDaemon 6.x com o uso do ComAgent, LDAP, MAPI e WAB Sincronização do Catálogo de Endereços no MDaemon 6.x com o uso do ComAgent, LDAP, MAPI e WAB Alt-N Technologies, Ltd 1179 Corporate Drive West, #103 Arlington, TX 76006 Tel: (817) 652-0204 2002 Alt-N

Leia mais

Lista de Exercício: PARTE 1

Lista de Exercício: PARTE 1 Lista de Exercício: PARTE 1 1. Questão (Cód.:10750) (sem.:2a) de 0,50 O protocolo da camada de aplicação, responsável pelo recebimento de mensagens eletrônicas é: ( ) IP ( ) TCP ( ) POP Cadastrada por:

Leia mais

INTRODUÇÃO. A Claireconference agradece pela escolha!

INTRODUÇÃO. A Claireconference agradece pela escolha! 1 ÍNDICE 1. IMPLEMENTAÇÃO 4 1.1 PAINEL DE CONTROLE 4 1.1.1 SENHA 4 1.1.2 CRIAÇÃO DE USUÁRIOS DO LYNC 5 1.1.3 REDEFINIR SENHA 7 1.1.4 COMPRAR COMPLEMENTOS 9 1.1.5 UPGRADE E DOWNGRADE 10 1.1.5.1 UPGRADE

Leia mais

INTERNET. Professor: Leandro Crescencio E-mail: leandromc@inf.ufsm.br. http://www.inf.ufsm.br/~leandromc. Colégio Politécnico 1

INTERNET. Professor: Leandro Crescencio E-mail: leandromc@inf.ufsm.br. http://www.inf.ufsm.br/~leandromc. Colégio Politécnico 1 INTERNET Professor: Leandro Crescencio E-mail: leandromc@inf.ufsm.br http://www.inf.ufsm.br/~leandromc Colégio Politécnico 1 Internet Origem: Guerra Fria DARPA (Departamento de Defesa de Pesquisas Avançadas)

Leia mais

Implementar servidores de Web/FTP e DFS. Disciplina: Serviços de Redes Microsoft Professor: Fernando Santorsula fernando.santorsula@esamc.

Implementar servidores de Web/FTP e DFS. Disciplina: Serviços de Redes Microsoft Professor: Fernando Santorsula fernando.santorsula@esamc. Implementar servidores de Web/FTP e DFS Disciplina: Serviços de Redes Microsoft Professor: Fernando Santorsula fernando.santorsula@esamc.br Conteúdo programático Introdução ao protocolo HTTP Serviço web

Leia mais

INTRODUÇÃO: 1 - Conectando na sua conta

INTRODUÇÃO: 1 - Conectando na sua conta INTRODUÇÃO: Com certeza a reação da maioria dos que lerem esse mini manual e utilizarem o servidor vão pensar: "mas porque eu tenho que usar um console se em casa eu tenho uma interface gráfica bonito

Leia mais

Manual Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle-ESPMG 2.0

Manual Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle-ESPMG 2.0 Manual Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle-ESPMG 2.0 Adriano Lima Belo Horizonte 2011 SUMÁRIO Apresentação... 3 Acesso ao Ambiente Virtual de Aprendizagem AVA ESP-MG... 3 Programação do curso no AVA-ESPMG

Leia mais

1. AULA 1 - INTRODUÇÃO À REDES DE COMPUTADORES

1. AULA 1 - INTRODUÇÃO À REDES DE COMPUTADORES 1. AULA 1 - INTRODUÇÃO À REDES DE COMPUTADORES Objetivos da Aula Aprender os conceitos básicos para compreensão das próximas aulas. Na maioria dos casos, os conceitos apresentados serão revistos com maior

Leia mais

BANCO DE DADOS CONTEÚDO INFORMÁTICA. Prof.: MARCIO HOLLWEG mhollweg@terra.com.br BANCO DE DADOS SGBD TABELA CONCEITOS BÁSICOS

BANCO DE DADOS CONTEÚDO INFORMÁTICA. Prof.: MARCIO HOLLWEG mhollweg@terra.com.br BANCO DE DADOS SGBD TABELA CONCEITOS BÁSICOS CONTEÚDO HARDWARE - 2 AULAS SISTEMA OPERACIONAL - 2 AULAS INFORMÁTICA Prof.: MARCIO HOLLWEG mhollweg@terra.com.br APLICATIVOS OFFICE - 3 AULAS INTERNET - 1 AULA REDE - 2 AULA SEGURANÇA - 1 AULA BANCO DE

Leia mais

Correio Eletrônico Outlook Express. Prof. Rafael www.facebook.com/rafampsilva rafampsilva@yahoo.com.br

Correio Eletrônico Outlook Express. Prof. Rafael www.facebook.com/rafampsilva rafampsilva@yahoo.com.br Correio Eletrônico Outlook Express Prof. Rafael www.facebook.com/rafampsilva rafampsilva@yahoo.com.br O Microsoft Outlook é o principal cliente de mensagens e colaboração para ajudá-lo a obter os melhores

Leia mais

Controlando o tráfego de saída no firewall Netdeep

Controlando o tráfego de saída no firewall Netdeep Controlando o tráfego de saída no firewall Netdeep 1. Introdução Firewall é um quesito de segurança com cada vez mais importância no mundo da computação. À medida que o uso de informações e sistemas é

Leia mais

Sistemas Distribuídos. Professora: Ana Paula Couto DCC 064

Sistemas Distribuídos. Professora: Ana Paula Couto DCC 064 Sistemas Distribuídos Professora: Ana Paula Couto DCC 064 Sistemas Distribuídos Basedos na Web Capítulo 12 Agenda Arquitetura Processos Comunicação Nomeação Sincronização Consistência e Replicação Introdução

Leia mais

Como Configurar Catálogos de Correio Eletrônico com o MDaemon 6.0

Como Configurar Catálogos de Correio Eletrônico com o MDaemon 6.0 Como Configurar Catálogos de Correio Eletrônico com o MDaemon 6.0 Alt-N Technologies, Ltd 1179 Corporate Drive West, #103 Arlington, TX 76006 Tel: (817) 652-0204 2002 Alt-N Technologies. Todos os Direitos

Leia mais

AFRE. a. ( ) Instalando um programa gerenciador de carregamento, como o LILO ou o GRUB. a. ( ) Data Werehouse ; Internet ; Linux

AFRE. a. ( ) Instalando um programa gerenciador de carregamento, como o LILO ou o GRUB. a. ( ) Data Werehouse ; Internet ; Linux 1. De que forma é possível alterar a ordem dos dispositivos nos quais o computador procura, ao ser ligado, pelo sistema operacional para ser carregado? a. ( ) Instalando um programa gerenciador de carregamento,

Leia mais

TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP

TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP HTTP (Hypertext Transfer Protocol ) Protocolo usado na Internet para transferir as páginas da WWW (WEB). HTTPS (HyperText Transfer

Leia mais

Instalação Cliente Notes 6.5

Instalação Cliente Notes 6.5 Instalação Cliente Notes 6.5 1/1 Instalação Cliente Notes 6.5 LCC.008.2005 Versão 1.0 Versão Autor ou Responsável Data 1.0 Fabiana J. Santos 18/11/2005 RESUMO Este documento apresenta um roteiro de instalação

Leia mais

Módulo 11 A Web e seus aplicativos

Módulo 11 A Web e seus aplicativos Módulo 11 A Web e seus aplicativos Até a década de 90, a internet era utilizada por acadêmicos, pesquisadores e estudantes universitários para a transferência de arquivos e o envio de correios eletrônicos.

Leia mais

Comunicando através da rede

Comunicando através da rede Comunicando através da rede Fundamentos de Rede Capítulo 2 1 Estrutura de Rede Elementos de comunicação Três elementos comuns de comunicação origem da mensagem o canal destino da mensagem Podemos definir

Leia mais

Curso Introdução à Educação Digital - Carga Horária: 40 horas (30 presenciais + 10 EaD)

Curso Introdução à Educação Digital - Carga Horária: 40 horas (30 presenciais + 10 EaD) ******* O que é Internet? Apesar de muitas vezes ser definida como a "grande rede mundial de computadores, na verdade compreende o conjunto de diversas redes de computadores que se comunicam e que permitem

Leia mais

Notas da Aula 15 - Fundamentos de Sistemas Operacionais

Notas da Aula 15 - Fundamentos de Sistemas Operacionais Notas da Aula 15 - Fundamentos de Sistemas Operacionais 1. Software de Entrada e Saída: Visão Geral Uma das tarefas do Sistema Operacional é simplificar o acesso aos dispositivos de hardware pelos processos

Leia mais

TECNÓLOGO EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES I Aula 01: Conceitos Iniciais / Sistema Operacional

TECNÓLOGO EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES I Aula 01: Conceitos Iniciais / Sistema Operacional TECNÓLOGO EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES I Aula 01: Conceitos Iniciais / Sistema Operacional O conteúdo deste documento tem por objetivo apresentar uma visão geral

Leia mais

Protocolo FTP. Professor Leonardo Larback

Protocolo FTP. Professor Leonardo Larback Protocolo FTP Professor Leonardo Larback Protocolo FTP O FTP (File Transfer Protocol) é um protocolo de transferência de arquivos. Atualmente, o FTP é definido pela RFC 959 File Transfer Protocol (FTP)

Leia mais

OneDrive: saiba como usar a nuvem da Microsoft

OneDrive: saiba como usar a nuvem da Microsoft OneDrive: saiba como usar a nuvem da Microsoft O OneDrive é um serviço de armazenamento na nuvem da Microsoft que oferece a opção de guardar até 7 GB de arquivos grátis na rede. Ou seja, o usuário pode

Leia mais

Ao ligar o equipamento, você verá a mensagem abaixo, o objetivo dela é fazer a configuração mínima para LOGAR ao servidor da Internet.

Ao ligar o equipamento, você verá a mensagem abaixo, o objetivo dela é fazer a configuração mínima para LOGAR ao servidor da Internet. MANUAL DE OPERAÇÃO DO NET MACHINE VOCÊ NÃO NECESSITA MAIS DE UM COMPUTADOR PARA CONVERSAR COM ALGUÉM QUE ESTA NO MIRC NET MACHINE É UM PLACA ELETRÔNICA DE BAIXO CUSTO A PLACA TAMBEM PODE MANDAR E LER E-MAILS

Leia mais

Pequena história da Internet

Pequena história da Internet Pequena história da Internet A Internet nasceu em 1969, nos Estados Unidos. Interligava originalmente laboratórios de pesquisa e se chamava ARPAnet (ARPA: Advanced Research Projects Agency). Era uma rede

Leia mais

Satélite. Manual de instalação e configuração. CENPECT Informática www.cenpect.com.br cenpect@cenpect.com.br

Satélite. Manual de instalação e configuração. CENPECT Informática www.cenpect.com.br cenpect@cenpect.com.br Satélite Manual de instalação e configuração CENPECT Informática www.cenpect.com.br cenpect@cenpect.com.br Índice Índice 1.Informações gerais 1.1.Sobre este manual 1.2.Visão geral do sistema 1.3.História

Leia mais

Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle

Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle No INSEP, o ambiente virtual de aprendizagem oferecido ao acadêmico é o MOODLE. A utilização dessa ferramenta é fundamental para o sucesso das atividades em EAD,

Leia mais

Qlik Sense Cloud. Qlik Sense 2.0.2 Copyright 1993-2015 QlikTech International AB. Todos os direitos reservados.

Qlik Sense Cloud. Qlik Sense 2.0.2 Copyright 1993-2015 QlikTech International AB. Todos os direitos reservados. Qlik Sense Cloud Qlik Sense 2.0.2 Copyright 1993-2015 QlikTech International AB. Todos os direitos reservados. Copyright 1993-2015 QlikTech International AB. Todos os direitos reservados. Qlik, QlikTech,

Leia mais

Aula prática. Objetivo IPCONFIG. Prof. Leandro Pykosz Leandro@sulbbs.com.br. Informa a configuração atual de rede da máquina;

Aula prática. Objetivo IPCONFIG. Prof. Leandro Pykosz Leandro@sulbbs.com.br. Informa a configuração atual de rede da máquina; Aula prática Prof. Leandro Pykosz Leandro@sulbbs.com.br Objetivo Nesta aula, você aprenderá a utilizar alguns utilitários de rede que podem ajudá-lo a identificar problemas na rede. No windows existem

Leia mais

1.264 Lição 11. Fundamentos da Web

1.264 Lição 11. Fundamentos da Web 1.264 Lição 11 Fundamentos da Web Navegadores e servidores da Web A Internet é apenas um conjunto de redes interconectadas livremente. Um conjunto de redes de área local conectado via redes de área ampla

Leia mais