Contos Singulares. luca mac doiss. Contos. Conto n.o 3: Utopia : lucamacdoiss.com.br 1

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Contos Singulares. luca mac doiss. Contos. Conto n.o 3: Utopia : lucamacdoiss.com.br 1"

Transcrição

1 lucamacdoiss.com.br 1 Contos Singulares Contos luca mac doiss Conto n.o 3: Utopia : <utopia!-utopia?> Copyright by luca mac doiss (registrado na ABN) <utopia!-utopia?> Simão Bacamarte, não o alienista, mas um cientista do mundo, como costumeiramente se apresentava, um cartógrafo dos bons, desses de desbravar mato sem trilha, de entrar em rio que não dá pé, de subir em montanha sem teto, de voar em aeroplano penso, até desses de rasar plantações no meio do nada deste país ainda por terra a descobrir, por povos a se apresentar. Trinta e três anos, ainda não se firmara em parada alguma, por pura veia vibrante por aventura; quase se casara por três vezes, nenhuma delas suportou mais que duas viagens de acompanhante, de parceira, ficaram no porto mais próximo. Doutor em ciências da Terra, doutor em ciências humanas; justos títulos adquiridos aqui e em faculdades da França e Inglaterra. Viajado, experimentado, por todos os continentes, pelos lugares mais escondidos. Fazia mapas dos bons, por encomenda, por sustento, mas procurava por gente, por interesse, por prazer. Sentia-

2 lucamacdoiss.com.br 2 se bem na convivência com povos de vida primitiva, sentia-se bem com camiseta e pé no chão; sentia-se sufocado em grandes cidades, sentia-se apagado com gravata e sapatos engraxados. No terceiro dos três anos dedicados exclusivamente para trabalho e prazer no Brasil, uma encomenda que viera de encomenda mapear os rios das divisas do Pará, do Amazonas e do Mato Grosso o levou a Guarantã do Norte, a cidade escolhida como base para o estudo. No terceiro dos três dias dedicados a sobrevoar o vértice do triângulo de lados de água e base imaginária de mata, o piloto Tapajó, apelido do nascido Raimundo Tenório, filho de grande chefe Kaxinauá, mostrava-se triste, triste por ser o último dia em que voaria com o então grande amigo Simão. O aviãozinho alugado do patrão, fazendeiro da região, trouxe o piloto de experiência comprovada de horas e horas, que aprendera o ofício com o antigo piloto da família, o capataz Ferreira. Com o assassinato do Ferreira, por um marido traído poucos meses, então, fazia, assumiu o posto o aluno; piloto certificado pelo patrão em um voo a Itaituba. Saudade dos bacuris e de minha Lua, foi o que disse Tapajó, quando perguntou, preocupado, Simão, por que perdera a alegria contagiante o amigo. Saudades dos dois filhos pequenos e da índia Lua Cheia. Simão, com os olhos embaçados, lembrou-se de Mariana, a terceira, a que mais se aguentou junto a ele, deixada no porto de Santarém, dias antes. Aí ficaram os dois, por minutos, calados: um olhando para o céu, a sonhar com a Lua, castigado pelo Sol; outro olhando para o horizonte, sonhando com o brilho de Mariana, castigado pelos raios de sol. Horas depois, o avião sobrevoava o verde triângulo na direção do vértice; quando, de repente, pesadas nuvens chegaram pela esquerda e pela direita, criando um corredor iluminado pelos raios solares. Se fosse Simão um matemático, poderia medir a altura do triângulo isósceles,

3 lucamacdoiss.com.br 3 pois o avião seguiu a perpendicular traçada pelo sol, tentando escapar das nuvens que, então, uniam forças para pegar o rabo do pequeno aparelho, invasor de espaço alheio. Sem aparelhos de voo, sem condições de se guiar pelas referências cardeais, Tapajó aprumou o bico do aero para a boca do funil de nuvens, para a luz, que cada vez se tornava mais fraca. Daí em diante, somente aguardavam o pior, o desfecho fatal, os dois ocupantes do aparelho. Um rezava, suplicava ao deus da mata um milagre; outro não rezava, não acreditava em milagres. Quando os sinais de que existe um Sol para a Terra desapareceram, quando uma árvore, dentre milhares que cobriam cada centímetro do terreno abaixo deles, era o que se presumia como o destino mais provável para o fim da viagem, um grande vale surgiu no meio da densa floresta. Após uma pequena elevação do terreno, não uma montanha, um monte, o vale os engoliu, no meio da prece, no meio da surpresa. Um vale que não constava de nenhum mapa, que não devia estar ali; mas, no trago do vale, o aeroplano, por diferença de pressão atmosférica, perdeu altitude repentinamente; as asas agitavam-se desesperadamente para livrar o corpo do desastre; as hélices torciam o nariz do avião tentando levantá-lo; tudo gorava, todo o esforço dos membros era em vão. Tivera Simão experimentado quedas bruscas de altitude, não uma vez, diversas vezes em voos pelo mundo, até em céus de brigadeiro, mas dessa vez sentiu que não ia escapar. Tapajó, ainda sem perceber a profundidade do vale, acreditou que estava sendo abocanhado pela terra. Então, o avião sustentou-se a uns cinquenta metros do solo: por habilidade do piloto, pensou Simão; pela mão do deus, acreditou Tapajó. Nesse instante, como parte do pacote milagre, eles avistaram uma clareira, propositadamente no vale aberta: um retângulo de duzentos e poucos

4 lucamacdoiss.com.br 4 metros por aproximados quarenta. Antes do pouso, Simão, em um bater de olhos, estimou as dimensões do vale: uma depressão de mais de cem metros em relação ao nível da superfície que antes sobrevoavam; um terreno plano com diâmetro aproximado de três quilômetros. O avião pousou, até, com certa facilidade, incerta era a probabilidade de pousá-lo, na clareira que gentilmente se oferecera a eles. Nem bem o motor do aeroplano foi desligado, o carrancudo céu torceu todas as nuvens em cima do vale. Foi uma hora de chuva, de muita chuva, não conseguiam Simão e Tapajó ver um nariz da parte de fora do avião. No minuto seguinte à interrupção da chuva o céu abria-se em azul e o Sol, desesperado, não economizava energia para recuperar as ingratas nuvens para o acolhedor céu. Após saírem do avião, Simão e Tapajó perceberam que levantar voo seria uma tarefa das mais difíceis, das mais arriscadas. O vale, até onde se podia avistar, era cercado por um paredão de mais de noventa, de cem metros; no lado oeste havia uma extensão de mata de uns cinquenta metros, a menor distância entre o limite da menor dimensão da clareira e o paredão; na face leste a visão do paredão era coberta por uma densa mata. Então, com os pés fincados no chão e os olhos fitados no alto, Simão presenciou um fenômeno único, jamais visto por ele: a água despejada pelas nuvens era devolvida ao céu, por evaporação, em uma velocidade surpreendente; por dedução, explicada pela alta temperatura do solo e pela umidade excessiva do ambiente, formada pela torrencial chuva. E, o melhor, o mais raro: o denso vapor, quase gotículas, emergindo do solo e os raios lançados com energia pelo Sol criaram uma atmosfera

5 lucamacdoiss.com.br 5 singular, formaram uma calota de névoa esférica que cobriu todo o vale. Era como se o vale fosse protegido contra as interações ambientais externas por um material transparente, uma espécie de plasma; sim, uma camada esférica de gás rarefeito cobria todo o vale. A visão encantadora do vale totalmente coberto pela calota da pesada névoa deixou Simão extasiado, e, o fenômeno explicava a razão de o vale não existir em mapa algum, de o vale não ter sido descoberto até então, pois para isso era necessário um sobrevoo rasante pela mata da região. Decidiram: enquanto Tapajó verificava o avião, Simão atravessou a pequena extensão de mata em direção ao paredão, na tentativa de localizar um ponto mais alto para visualizar todo o vale. Descobriram: o rádio do avião não funcionava e o trem de pouso, melhor, pior, o trem de decolagem estava impossibilitado de atuar os pneus dianteiros estavam danificados, junto duas das barras do dispositivo ; e, o vale era totalmente cercado pelo paredão de altura em torno de cem metros; verificou Simão após conseguir, com muito esforço, escalar o paredão até uma altura de trinta metros após esse ponto era impossível continuar subindo sem a ajuda de equipamentos de alpinismo, e muito arriscado, mesmo para profissionais dessa área. A única boa notícia era que a mata do outro lado da clareira tinha, também, uma pequena largura; melhor, na maior parte do vale, na área central, não existia mata; infelizmente não sabia dizer que tipo de vegetação ali havia, se é que havia alguma, pois Simão somente conseguiu ver que a mata não tinha uma larga extensão. * * * * * Enquanto ouvia Tapajó, Simão notou uma movimentação dos

6 lucamacdoiss.com.br 6 arbustos da mata oposta à explorada por ele. Fixou a atenção e percebeu três rostos misturados à folhagem. Como aprendera nas aventuras por este mundo, disse em alto e pausado som: Amigos. Somos amigos. Paz. Viemos em paz. Ajuda. Precisamos de ajuda. Amigos. Disse e levantou os braços, sendo seguido pelo amigo, demonstrando não apresentarem risco algum aos curiosos olhos, prováveis habitantes da região. Em resposta ao ato, em entendimento à mensagem, do meio dos arbustos que cercavam a clareira surgiram três jovens, aparentando terem idades em torno de doze anos; temerosos, com certeza os estranhos lhe metiam medo, simplesmente por serem estranhos, mas, acima de todos os temores, curiosos, e, calados, não emitiram nenhuma palavra ao se aproximarem, com todo o cuidado, com passos medidos e pausados. Os três adolescentes vestiam-se com roupas simples: calções calça curta com comprimento até os joelhos e camisas sem botão, parecida com camisa de pagão, de mangas curtas de algodão cru; e, sandálias de couro com tiras de tecido dobrado enroladas até o meio da perna. Para não serem vistos como intrometidos, como rudes hóspedes, não fizeram os dois amigos perguntas a respeito da vida dos jovens; como apareceram ali? viviam ali? : perguntas que ficaram para um momento oportuno. Ali, naquele vale que aparentava ser de difícil acesso, até mesmo difícil de ser descoberto, um local de difícil conexão com o mundo externo. O mais provável era que ninguém vivesse naquele vale dedução baseada na experiência e capacidade de observação do Simão ; se certo estivesse, os jovens deveriam ter conhecimento de como ali chegar, de como sair do vale, e, de como achar alguém que os pudesse ajudar a consertar o avião.

7 lucamacdoiss.com.br 7 Simão, então, perguntou se eles sabiam de alguém que pudesse ajudá-los. Os jovens ficaram na resposta direta: Sim ; e começaram a caminhar em direção ao centro do vale, insinuando que os amigos os seguissem. À única pergunta, então no meio da mata, que um dos jovens fez, e fez em poucas palavras: O grande pássaro? que é?, Simão respondeu com fáceis palavras: Um avião, um aparelho para o homem voar como pássaro. À observação de outro jovem: Nós o vimos cair com a chuva, Simão completou com sábias palavras: O aparelho não sabe voar tão bem como o pássaro. Em poucos minutos eles chegavam ao fim da densa mata. Para surpresa dos amigos, a uns cinquenta metros adiante existia uma área cultivada com trigo e milho; mas a maior surpresa tiveram ao vencer o corredor de quase cem metros que separava o crescido milharal do dourado trigal: escondido, atrás dos altos pés de milho, um grupo de casas, iguais, de madeira, nem pequenas nem grandes, dispostas em linha; quinze casas para ser exato. E, perpendiculares às casas: dois galpões; a direção tomada pelos rapazes que os guiavam, calados desde a pergunta na mata. Calados, e sem menção alguma de abertura para perguntas dos estranhos. Ao tempo de percorrerem cem metros, de passarem em frente de doze das casas, não viram nenhuma pessoa; viram, sim, cabras, cachorros, galinhas; soltos, misturados; sentiram, sim, que eram observados por pessoas, por olhos escondidos às cortinas das janelas das casas. Um dos galpões era um local de convivência para reuniões, celebrações e refeições; no fundo existia uma cozinha, com uma grande mesa retangular e um fogão a lenha. O segundo galpão era dividido ao meio por uma parede; servindo, uma metade, como depósito de ferra-

8 lucamacdoiss.com.br 8 mentas e utensílios e, a outra metade, como estoque de alimentos, principalmente de grãos. Atrás das casas existia uma farta horta de verduras e legumes, e atrás dos galpões, um sortido pomar. * * * * * No Espaço de Convivência, o primeiro dos galpões a partir da fila de casas, Simão e Tapajó foram recebidos por dois homens, que mostraram rugas de preocupação, mas não marcas de estarem surpreendidos pela chegada dos estranhos. Um dos jovens foi logo dizendo: Pai, encontramos esses dois estranhos na Aurora. Eles vieram em um grande... Antes que a frase fosse completada, um dos homens respondeu que já sabia que e como haviam chegado os dois estranhos; resposta acompanhada de um forte sotaque alemão. O outro homem pediu aos jovens que os deixassem a sós com os estranhos; pedido que veio com um forte acento paulistano. Ao fundo do galpão um casal de japoneses limpava legumes e um outro casal, de italianos, armazenava cuidadosamente belas maças e graúdas laranjas em prateleiras de madeira. Ao se sentarem em bancos de madeira dispostos ao lado da entrada, Simão apressou-se em se desculpar, por atrapalhar os afazeres das pessoas daquela localidade. Não quis nesse momento, ainda, fazer as perguntas que gostaria, por ter certeza de que acabaria por ter as respostas às inúmeras indagações, que pairavam à ponta da língua, a tempo. Mas não se absteve de perguntar como podia ele se referir àquela comunidade. Ele não se conteve em usar a palavra comunidade, pois era óbvio que ali existia um grupo de pessoas vivendo dentro de uma formação social com características próprias, com regras consensuais. E, sem interrupção, disse que precisavam de ajuda, pois o trem de pouso do avião estava danificado.

9 lucamacdoiss.com.br 9 Após se apresentarem, Joseph e Fernando, disseram que os estranhos... Simão e Tapajó interrupção informativa de Simão... que eles eram bem-vindos e que iam ajudá-los, mas antes gostariam de oferecer algo para beberem e comerem. Nesse instante o italiano, Rossi, trazia água, e, uma bandeja com pães e uma fumegante broa de milho, que foram postos na mesa ao lado dos bancos. Não havia como nem por que não aceitar. Ao Simão dizer: Muito obrigado, Fernando disse: Utopia. E, após a expressão facial de não ter entendido de Simão, completou: Nossa comunidade, Utopia, é como a denominamos. Depois de haverem saciado a fome, os visitantes foram levados a uma das casas, a décima quinta, a mais próxima do Espaço de Convivência, para o asseio e para descansarem um pouco. Essa casa era a mais nova, construída havia pouco tempo, explicou Fernando, seria usada por um casal de jovens que casariam em meses; mas eles, os visitantes, podiam ficar à vontade. A casa tinha dois quartos, uma sala e um banheiro; nela somente móveis básicos, simples, artesanais, feitos basicamente de madeira e couro; não havia cozinha, visto que Utopia tinha uma só, a comunitária. Joseph havia prometido ajudar Simão e Tapajo, e que, mais tarde, ao entardecer conversariam com tempo a dispor, quando então os serviços da fazenda estariam feitos. Fazenda!?, perguntou, surpreso, Simão. Sim, Fazenda Utopia, respondeu Fernando. Nós dizemos Fazenda, quando queremos nos referir ao local físico, e Utopia, quando queremos citar a sociedade, a relação entre as pessoas, a vida em grupo, a vida como a idealizamos. Aprendeu Simão, também, que das quinze casas, treze eram habitadas e a décima quarta era usada como escola. E lá se ensinava, além de todas as matérias básicas das escolas regulares, o Inglês, o Alemão e o

10 lucamacdoiss.com.br 10 Japonês. Aqui um comentário relevante, de Fernando: O conhecimento de diferentes Línguas ajuda muito no entendimento das relações do Homem com o meio ambiente, com o mundo, comentário ao qual Simão fez questão de dizer que assinava embaixo. * * * * * Enquanto os visitantes descansavam, os três jovens que os trouxeram até a fazenda reuniam-se com Fernando, Joseph e Akira. O que vocês disseram aos estranhos? Nada! Nada? Nada não. Só perguntamos o que era o aparelho em que haviam chegado. Eles perguntaram sobre nós? Não, não fizeram nenhuma pergunta, só pediram que os levássemos a alguém que pudesse ajudá-los. Bom. Isso é bom. Pai, gostaríamos de saber como eles chegaram aqui, quero dizer, de onde eles vieram? Uma vez que nos foi ensinado que não podemos sair do vale. Se sairmos, morreremos, pois o ar fora do vale é impróprio à vida humana; à vida animal, melhor dizendo, disse Marcelo, um dos jovens, ao Akira. Sim. É verdade! Nós vamos conversar com os estranhos para descobrirmos de onde eles vieram. Filho, por favor, é importante, nós pedimos a vocês que não conversem com os outros meninos sobre esse assunto. Tudo bem, mas quem são eles? Vieram de outro planeta? Pois

11 lucamacdoiss.com.br 11 nos foi ensinado que éramos os únicos, os últimos seres humanos da Terra. Pelo visto, nesse ponto, estávamos enganados. Deve haver outros seres humanos vivendo na Terra; outras pessoas devem ter sobrevivido à destruição do Ambiente Terrestre pelo Homem. Nós vamos descobrir, amanhã. Hoje, o melhor que vocês tem a fazer é irem cuidar de seus deveres escolares. * * * * * Simão e Tapajó deduziram que a chegada deles ao vale, à Fazenda Utopia, não era um fato desejado, tampouco fora previsto, mas as pessoas que ali viviam eram pessoas civilizadas, pessoas do bem; os dois não corriam nenhum risco por ali estarem. Sabiam, no entanto, que teriam de aguardar na casa até serem convidados a sair, provavelmente para a refeição da tarde o jantar, uma vez que ali não havia rede de energia elétrica; talvez, gerador. Simão havia visto suportes com tochas na frente das casas e dos galpões; provavelmente os dali conseguiam produzir algum combustível, provavelmente do milho. Pela janela, puderam ver que teriam no máximo mais duas horas de sol. Quem são eles? Boa pergunta. O que posso dizer é que: são pessoas de bom nível de instrução, provavelmente diplomados. Eles mostram uma preocupação com a educação das crianças e dos jovens que jamais vi em canto algum deste país. É, mas uma formação superior não é garantia de boa índole. Verdade, meu dileto amigo. Mas pela recepção que tivemos, tenho certeza de que são pessoas do bem. Descanse, esteja tranquilo, em breve você estará com a Lua e com os bacuris.

12 lucamacdoiss.com.br 12 Estou tranquilo, sei perceber um perigo de longe. Ah! O que significa utopia? Um sonho. Um desejo impossível, como o de eu ter novamente a minha vida de criança; pensando bem, como qualquer criança de hoje ter a minha vida de criança; sem televisão, sem computador, sem... Não há oh gente oh não, Luar como este do sertão, cantou o índio. (2) Você aprende rápido. Considerando que o Homem acabou com o sertão... com as matas, com as palmeiras... nem os sabiás terão onde cantar... sem palmeiras, sem sabiás, sem poetas. * * * * * A conversa entre os visitantes e os comunitários, a cada momento parecia mais fácil, menos necessária de ser uma longa e cansativa sessão de indagações e explicações; pois para uma pessoa inteligente e vivida, como Simão, cada descoberta de um hábito, cada palavra ouvida, cada interação entre as pessoas, o levava a deduzir, a conhecer como viviam aquelas pessoas. O jantar, então, muito esclarecedor, para conhecerem os hábitos de Utopia: à mesa todos os membros da sociedade, treze casais e vinte e seis filhos com idades entre seis e doze anos; apenas um jovem casal aparentava idade em torno de dezessete anos; jovens que, bem juntinhos, trocavam cúmplices olhares. A comida estava posta, quando os dois convidados chegaram: vegetais diversos; legumes crus e cozidos, variados; lasanha de brócolis; suco de laranja e um delicioso pudim de sobremesa tudo que um bom vegetariano tem direito. Antes de saborearem as iguarias, cada um dos adultos se apresentou. A sociedade era formada por três médicos, dois agrônomos, dois dentistas, dois engenheiros mecânicos, um engenheiro

13 lucamacdoiss.com.br 13 civil, três economistas, dois veterinários, dois professores, um técnico e- letrônico e donas de casa, melhor, ex-donas de casa conforme elas, com refinado humor, enfatizaram. Pessoas de diversas profissões e de diversas nacionalidades: italiana, alemã, espanhola, portuguesa, japonesa, inglesa e, a maioria, brasileira. Bem, mas fizeram questão de explicar que ali todos tinham iguais obrigações, que a formação profissional do passado não dava nenhum privilégio a quem quer que fosse, apenas indicava a função certa a ser desempenhada para o bom andamento da Fazenda. Mas, não há como esconder um fato: o Tapajó só gostou da lasanha, mesmo assim gostaria que nela houvesse uma cobertura de carne ou uma camada de presunto, onde já se viu? não comem carne, nem peixe!, comentário feito ao pé do ouvido de Simão. O que ficou evidente para os visitantes foi o bom humor que reinava à mesa; um bom humor resultante da felicidade de estarem aquelas pessoas ali, do prazer por compartilhar momentos com os amigos, com os iguais. Sorrisos, risos, gargalhadas, a- té, eram oferecidos de graça. * * * * * Porém, como alegria e dor andam de braços dados, voltemos no tempo: antes de os estrangeiros chegarem, uma conversa entre os adultos da comunidade mostrou a enorme preocupação que trazia a presença dos dois ali em Utopia. Estamos em uma sinuca de bico, não existe uma boa solução: temos de deixá-los partir e corrermos o risco de falarem sobre a existência de nossa comunidade; assim, com certeza, outros virão e será o fim de nosso sonho; nossos filhos vão querer conhecer o mundo exterior. Sem nossos filhos, Utopia perde o sentido de existir. O grande risco, o que de certa forma já ocorreu, é se eles fala-

14 lucamacdoiss.com.br 14 rem a respeito da vida deles, do mundo deles a nossos filhos. As crianças vão, um dia, querer ter a experiência de viver lá fora. Isso temos de evitar a todo custo. Nossos filhos não podem ouvir as histórias desses dois. É imperativo, nós não temos opção, vamos ajudá-los a partir o mais rápido possível. E, vamos contar a eles por que estamos aqui, no que acreditamos, o que buscamos com Utopia. Quem sabe, eles se sensibilizem com a nossa causa e prometam não contar a ninguém de nossa existência. Mas, por favor, Joseph e Fernando, vocês que vão conversar com eles, não mencionem a Caverna. A Caverna, a única passagem para fora do vale, um segredo dos adultos; desconhecida pelos filhos. Localizada no lado Sul do paredão, com um amplo salão, onde estavam escondidos os dois aviões da comunidade. * * * * * Após o jantar, noite formada então, Fernando e Joseph chamaram Simão e Tapajó para um passeio em frente às casas. A lua nova e as tochas acesas deixavam o ambiente com um aspecto de um lugarejo inglês da era medieval. Você quer dizer que a única saída deste vale é pelo alto, com o uso de uma aeronave ou escalando esses altos paredões? Sim. A boa nova é que o Fabiano e o Gilberto foram examinar o avião, e, eles acreditam que possam consertar o trem de pouso em poucos dias, dois ou três. Ótimo! Muito Obrigado. Queremos, não em troca, porque de qualquer forma nós os a-

15 lucamacdoiss.com.br 15 judaremos, mas gostaríamos da compreensão de vocês a um nosso pedido... Por favor, faremos o que vocês pedirem. Pedimos que não contem nada da vida fora deste vale, da vida de vocês, a nossos filhos, aos adolescentes, principalmente, e, tomem cuidado ao conversar com os três jovens que trouxeram vocês, pois esses estão muito curiosos. E, também, que não falem aos seus que vocês nos encontraram, que não contem de nossa existência, aqui, neste local. Vocês não querem que falemos de vocês. Mas pelo menos podemos saber a razão, do que vocês têm medo? O que vocês querem preservar? Embora o que vocês querem preservar eu já saiba, basta ver a vida que vocês levam, a vida saudável, física e social, e, mental, um dia aqui e minha mente está bem mais leve. É justo. Amanhã cedo contamos a vocês toda a história, com calma, agora já está ficando tarde, é melhor eu levá-los à casa em que estão hospedados, pois em meia hora as tochas serão apagadas. * * * * * Não que tenha sido uma surpresa a história ouvida, no dia seguinte, por Simão, pois, então, ele a tinha presumida, quase toda, mas a coragem de partir para uma vida desconhecida e, principalmente, de largar tudo, família e todos os bens materiais acumulados por anos, por gerações, até, era admirável. Quantos desfalecentes, velhos, à extremaunção, agonizantes, não conseguem renunciar ao que as mãos não podem mais reter? E, a iniciativa de fazer, de construir uma vida, um lar começando do zero, invejável. Abrir mão do luxo; dispensar a facilidade em ter alimentos, roupas, moradia, serviços domésticos, e tudo mais; virar as costas para a tecnologia, cinema, televisão, Internet, celular, I...anything:

16 lucamacdoiss.com.br 16 quantos que podem ter tudo o que querem bastando somente esfregar o cartão de crédito na fuça do capitalismo e ter algumas unidades monetárias abaixadas da astronômica conta bancária, sem se fazer notar, sem fazer cócegas põem calos nas mãos? Antes da história. Ao acordarem bem cedo, sete horas da manhã, Simão e Tapajó foram surpreendidos por Thomas, o inglês, que lhes trazia dois calções e duas batas, azuis: Vamos, meus amigos, vistam estas peças. Estamos esperando por vocês para nosso exercício de toda manhã, então, os hóspedes correram os olhos até a frente do galpão principal, e, lá estavam todos, adultos e filhos, fazendo exercícios de aquecimento, uma vida sadia começa com um corpo sadio. Os comunitários haviam acordado às cinco e àquela hora tinham todos os afazeres da manhã realizados. Foi no momento em que olhou para o relógio, que trazia no pulso, que Simão realizou que nenhum membro de Utopia usava relógio, nem joia alguma, nem uma simples bijuteria, nem um simples anel, nem um singelo colar. Nesse tempo todo ali não vira nenhum deles, nem nenhuma mulher, usando algum ornato, uma simples pedra que fosse. O relógio de Simão e o de Tapajó eram os únicos da Fazenda. Motivo, até, de risos escondidos das crianças, que sabiam o que eram aqueles objetos, por livros, por lições dos mestres, mas tinham aprendido que o ornamento individual fora um dos males da extinta humanidade; um sinal de exibição, de poder. Após uma boa caminhada e alguns exercícios em aparelhos diversos espalhados pelo percurso, um reforçado café da manhã os aguardava: pães, manteiga, iogurte e leite de cabra. Então, finalmente, a tão aguardada história.

17 lucamacdoiss.com.br 17 * * * * * Sem mais delongas, a prometida história, contada por Fernando e Estevão, um ex-paulistano, outro ex-carioca: Um grupo de amigos, e amigos dos amigos, por meses discutiram a respeito da qualidade de vida que tinham e as alternativas para melhorá-la: A vida nas grandes cidades: insuportável, tempo precioso de uma curta vida jogado fora todo dia; até em dias de fim de semana, quando o tempo de lazer é espremido entre horas perdidas em estradas e em cidades, com o pesado e arrastado trânsito. A sociedade: cada dia mais individualista, mais materialista, mais desigual, mais fechada, mais etiquetada, mais tudo, mas tudo de ruim. O poder norteando o Homem, o poder da riqueza material, o poder de ter o melhor e o melhor dos carros, a maior e a maior das mansões. As dez mais invejáveis personalidades são pessoas que conseguiram o primeiro bilhão antes dos trinta, as quais fazem parte do almejado, do invejável grupo dos UB Ultimate Being. Todo poder é medido em dinheiro. Uma sociedade com poucos majoritários que retiram dela os grandes lucros e uma multidão de minoritários que fica com o prejuízo. A política: a cada palavra do fazer para o povo, o Governo mais se distancia do povo, mais pisa o povo. A classe trabalhadora e os empresários cada dia têm de contribuir com uma quantia maior para um Governo cada dia maior, mais inchado, mais pesado. Uma política feita de egos inflados e interesses privados. A religião, a educação, a saúde, a segurança, o meio ambiente... bem doentes. A inveja, a vaidade, a ostentação, a corrupção, o consumo, a hipocrisia, o interesse privado... bem fortes. Sem saída, sem alternativa... começar do zero, em um lugar

18 lucamacdoiss.com.br 18 desconhecido, sem volta, sem contato com o mundo exterior: Utopia. Fazenda Utopia: Thomas havia sobrevoado esta área havia algum tempo, e ficado deslumbrado, disse Fernando. Vendemos tudo que tínhamos, compramos dois aviões e tudo que precisávamos para começar uma nova vida aqui. Vocês, pelo que percebo, formaram uma comunidade na qual todos têm obrigações e os mesmos direitos sobre os bens. E, leis? Existem leis a serem obedecidas, ou regras? Uma única regra rege Utopia: o respeito ao outro. Respeito que começa da abdicação de valores baseados no Orgulho. Orgulho, no sentido de ser um amor-próprio exagerado; orgulho pelo dinheiro que temos, pela qualidade de vida que temos... qualidade, melhor dizendo: qualidade de vida, entre aspas... resumindo, nossa única lei é a: abdicação da felicidade buscada pelo bem estar pessoal; a qual vem, quase sempre, com a infelicidade do outro... abdicação da felicidade baseada na ostentação... negação do Orgulho que divide a sociedade em castas, em classes. Em nossas discussões, ainda na fase de planejamento, continuou Estevão, quando não raramente varávamos a noite, pensamos em formar uma sociedade baseada nas famílias de imigrantes, quando da chegada ao país, que constituíram comunidades agrícolas. Elas se fixavam em um sítio, escolhiam algumas culturas frutas, verduras, legumes, e mantinham relações com a cidade, utilizavam as facilidades dela: comércio, escola, médico... Comunidades lideradas pelos patriarcas; mas os filhos não se mantiveram na comunidade; após a formação escolar básica, a maioria seguiu profissões não ligadas à terra e constituiu uma vida independente. E, a dependência da cidade seria frustrante para nós; não é o que queremos, continuou Fernando.

19 lucamacdoiss.com.br 19 Existem, ainda, algumas comunidades americanas que vivem fechadas, com contatos esporádicos com a cidade, com a civilização, mas que tem como base a crença, a religião e são norteadas por algum tipo de fanatismo. Bem, não era isso que, também, buscávamos, completou Estevão. Então, espero que estejam entendendo o que queremos proteger, por que pedimos que mantenham nossa comunidade em segredo. Talvez, no futuro, Utopia se torne uma pequena cidade. Talvez, alguns daqui partam, e levem um embrião, uma semente que germine outras comunidades, ou cidades voltadas para o bem social, para uma vida saudável, em harmonia com a natureza, inclusive com a natureza humana. É! vocês sabem realmente o que querem; mas, penso eu, a verdadeira felicidade depende, também, do desenvolvimento de nossas faculdades mentais: o pensamento, a inteligência voltada para as ciências, para as letras, melhor, para as artes. O que deve ser restrito aqui, limitado aos membros de Utopia, e às disponibilidades da Fazenda. Concordo. Existe aqui uma limitação de criação; embora tenhamos em nossa biblioteca todos os melhores livros do mundo, pelo menos, os essenciais de cada área; obviamente, temos os já escritos, não teremos as novidades, as inovações; mas, por outro lado, não teremos as inovações, que hoje são a maioria, que levam cada vez mais o Homem ao ponto que recusamos, ao desenvolvimento baseado na aparência, no dinheiro, no orgulho exagerado, no eu-próprio. Um círculo vicioso, o mais pelo mais, completou Estevão. É evidente a generosidade, a dignidade, a elevada entrega, a abdicação de vocês; mas, pergunto se todo o conhecimento de vocês o qual, provavelmente, da maioria daqui, veio de universidades públicas, pagas pelo dinheiro de impostos, pelo dinheiro do povo, se todo o ta-

20 lucamacdoiss.com.br 20 lento de vocês, juntos ou localizados por área de interesse, não seria relevante, proveitoso para melhorar a vida de nosso povo tão sofrido?... Se o emprego das habilidades, da filosofia de vida de vocês, talvez, como assessores, conselheiros, não diminuiria a ignorância de nossos políticos? Essa atitude seria, no meu ponto de vista, um total desprendimento de egoísmo. Não deixo de ficar lisonjeado com suas palavras, dileto debatedor, mas não posso, não podemos, falo por todos daqui, aceitar essa capacidade que nos atribui, e, mesmo que mil vezes a tivéssemos, não vejo como nossos talentos possam modificar, ou ajudar a modificar esse viciado e doente sistema, disse Fernando. Se alguém quiser que algo seja feito, seja esse alguém o que decide, não um conselheiro, um assessor. Mil conselhos não valem uma iluminada cagada. Desculpe-me a expressão baixa, mas de alta verdade, completou Estevão. Além do que, hoje, e todo o sempre, o mundo está cheio de ego inflado, de amor-próprio elevado, de espelho de um só rosto, de decisões de íntimo umbigo. Certa vez, continuou Fernando, um bom conselheiro, ministro eu acho, criou um imposto para a Saúde, injusto, em cascata; bilhões entraram para o cofre do governo; bilhões que seriam de grande benefício para o povo; bilhões que foram por necessidade desviados a outras áreas de maior urgência, disseram os mandantes; bilhões que engordaram os bolsos dos governistas, disseram os jornalistas. O bom político ganhou popularidade, e, portanto votos, com a adoção do imposto e com a derrubada do imposto. Votos!, voltou Estevão. Os populistas, por esperteza, por oportunismo ou por falta de competência, perpetuaram a pobreza com um programa de ajuda aos mais necessitados em vez de dar educação de qua-

MARK CARVALHO. Capítulo 1

MARK CARVALHO. Capítulo 1 MARK CARVALHO Capítulo 1 Mark era um menino com altura média, pele clara, pequenos olhos verdes, cabelos com a cor de avelãs. Um dia estava em casa vendo televisão, até que ouviu: Filho, venha aqui na

Leia mais

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar MELHORES MOMENTOS Expressão de Louvor Acordar bem cedo e ver o dia a nascer e o mato, molhado, anunciando o cuidado. Sob o brilho intenso como espelho a reluzir. Desvendando o mais profundo abismo, minha

Leia mais

PORQUE É QUE NÃO DANÇAM?

PORQUE É QUE NÃO DANÇAM? PORQUE É QUE NÃO DANÇAM? Na cozinha, ele serviu se de mais uma bebida e olhou para a mobília de quarto de cama que estava no pátio da frente. O colchão estava a descoberto e os lençóis às riscas estavam

Leia mais

I. Complete o texto seguinte com as formas correctas dos verbos ser ou estar. (5 pontos)

I. Complete o texto seguinte com as formas correctas dos verbos ser ou estar. (5 pontos) I. Complete o texto seguinte com as formas correctas dos verbos ser ou estar. Hoje. domingo e o tempo. bom. Por isso nós. todos fora de casa.. a passear à beira-mar.. agradável passar um pouco de tempo

Leia mais

Meninas Nhe nhe. Eu Aff Chegando lá. Eu Gente estou com um mau pressentimento

Meninas Nhe nhe. Eu Aff Chegando lá. Eu Gente estou com um mau pressentimento Eu e umas amigas íamos viajar. Um dia antes dessa viagem convidei minhas amigas para dormir na minha casa. Nós íamos para uma floresta que aparentava ser a floresta do Slender-Man mas ninguém acreditava

Leia mais

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a João do Medo Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a mamãe dele. Um dia, esse menino teve um sonho ruim com um monstro bem feio e, quando ele acordou, não encontrou mais

Leia mais

Lucas Zanella. Collin Carter. & A Civilização Sem Memórias

Lucas Zanella. Collin Carter. & A Civilização Sem Memórias Lucas Zanella Collin Carter & A Civilização Sem Memórias Sumário O primeiro aviso...5 Se você pensa que esse livro é uma obra de ficção como outra qualquer, você está enganado, isso não é uma ficção. Não

Leia mais

Em algum lugar de mim

Em algum lugar de mim Em algum lugar de mim (Drama em ato único) Autor: Mailson Soares A - Eu vi um homem... C - Homem? Que homem? A - Um viajante... C - Ele te viu? A - Não, ia muito longe! B - Do que vocês estão falando?

Leia mais

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele O Plantador e as Sementes Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele sabia plantar de tudo: plantava árvores frutíferas, plantava flores, plantava legumes... ele plantava

Leia mais

Eu, Você, Todos Pela Educação

Eu, Você, Todos Pela Educação Eu, Você, Todos Pela Educação Um domingo de outono típico em casa: eu, meu marido, nosso filho e meus pais nos visitando para almoçar. Já no final da manhã estava na sala lendo um livro para tentar relaxar

Leia mais

Não é o outro que nos

Não é o outro que nos 16º Plano de aula 1-Citação as semana: Não é o outro que nos decepciona, nós que nos decepcionamos por esperar alguma coisa do outro. 2-Meditação da semana: Floresta 3-História da semana: O piquenique

Leia mais

Titulo - VENENO. Ext Capital de São Paulo Noite (Avista-se a cidade de cima, forrada de prédios, algumas luzes ainda acesas).

Titulo - VENENO. Ext Capital de São Paulo Noite (Avista-se a cidade de cima, forrada de prédios, algumas luzes ainda acesas). Titulo - VENENO Ext Capital de São Paulo Noite (Avista-se a cidade de cima, forrada de prédios, algumas luzes ainda acesas). Corta para dentro de um apartamento (O apartamento é bem mobiliado. Estofados

Leia mais

RECADO AOS PROFESSORES

RECADO AOS PROFESSORES RECADO AOS PROFESSORES Caro professor, As aulas deste caderno não têm ano definido. Cabe a você decidir qual ano pode assimilar cada aula. Elas são fáceis, simples e às vezes os assuntos podem ser banais

Leia mais

DESENGANO CENA 01 - CASA DA GAROTA - INT. QUARTO DIA

DESENGANO CENA 01 - CASA DA GAROTA - INT. QUARTO DIA DESENGANO FADE IN: CENA 01 - CASA DA GAROTA - INT. QUARTO DIA Celular modelo jovial e colorido, escovas, batons e objetos para prender os cabelos sobre móvel de madeira. A GAROTA tem 19 anos, magra, não

Leia mais

A Terra gira... Nesta aula vamos aprender um pouco mais. sobre o movimento que a Terra realiza em torno do seu eixo: o movimento de

A Terra gira... Nesta aula vamos aprender um pouco mais. sobre o movimento que a Terra realiza em torno do seu eixo: o movimento de A U A U L L A A Terra gira... Nesta aula vamos aprender um pouco mais sobre o movimento que a Terra realiza em torno do seu eixo: o movimento de rotação. É esse movimento que dá origem à sucessão dos dias

Leia mais

Olá. Esta é minha casa em São Miguelito. São Miguelito é uma pequena cidade com cerca de 50 ou 60 famílias. A cidade tem uma escola, um campo de futebol e algumas igrejas, mas não tem um centro, como a

Leia mais

18 - A surpresa... 175 19 A fuga... 185 20 O atraso... 193 21 Vida sem máscaras... 197 22 - A viagem... 209 23 - A revelação...

18 - A surpresa... 175 19 A fuga... 185 20 O atraso... 193 21 Vida sem máscaras... 197 22 - A viagem... 209 23 - A revelação... Sumário Agradecimentos... 7 Introdução... 9 1 - Um menino fora do seu tempo... 13 2 - O bom atraso e o vestido rosa... 23 3 - O pequeno grande amigo... 35 4 - A vingança... 47 5 - O fim da dor... 55 6

Leia mais

Como uma onda no mar...

Como uma onda no mar... Como uma onda no mar... A UU L AL A Certa vez a turma passou férias numa pequena cidade do litoral. Maristela costumava ficar horas a fio admirando a imensidão azul do mar, refletindo sobre coisas da vida

Leia mais

Momento com Deus Crianças de 10 a 11 anos NOME: DATA: 14/04/2013 AULA 02: O DILÚVIO

Momento com Deus Crianças de 10 a 11 anos NOME: DATA: 14/04/2013 AULA 02: O DILÚVIO Momento com Deus Crianças de 10 a 11 anos NOME: DATA: 14/04/2013 AULA 02: O DILÚVIO Versículo para Decorar: 1 Toda vez que o arco-íris estiver nas nuvens, olharei para ele e me lembrarei da aliança eterna

Leia mais

1. Porque eu te amo nunca será suficiente 2. Porque a cada dia você me conquista mais e de um jeito novo 3. Porque a ciência não tem como explicar

1. Porque eu te amo nunca será suficiente 2. Porque a cada dia você me conquista mais e de um jeito novo 3. Porque a ciência não tem como explicar 1. Porque eu te amo nunca será suficiente 2. Porque a cada dia você me conquista mais e de um jeito novo 3. Porque a ciência não tem como explicar nosso amor 4. Porque a gente discute nossos problemas

Leia mais

Não saia de seu Caminho! Sinopse: Uma Menina, indo atrasada da casa da avó para a escola. No caminho seu ônibus quebra e ela tem que tomar um caminho

Não saia de seu Caminho! Sinopse: Uma Menina, indo atrasada da casa da avó para a escola. No caminho seu ônibus quebra e ela tem que tomar um caminho Não saia de seu Caminho! Sinopse: Uma Menina, indo atrasada da casa da avó para a escola. No caminho seu ônibus quebra e ela tem que tomar um caminho alternativo, onde encontra com um sujeito estranho.

Leia mais

MEU TIO MATOU UM CARA

MEU TIO MATOU UM CARA MEU TIO MATOU UM CARA M eu tio matou um cara. Pelo menos foi isso que ele disse. Eu estava assistindo televisão, um programa idiota em que umas garotas muito gostosas ficavam dançando. O interfone tocou.

Leia mais

56º Campeonato Brasileiro de Planadores - Etapa Planalto Central

56º Campeonato Brasileiro de Planadores - Etapa Planalto Central 56º Campeonato Brasileiro de Planadores - Etapa Planalto Central Formosa 2014 Relato André Lautert - LA Escrevo este relato como um aperitivo para que aqueles que tenham interesse em participar de um campeonato

Leia mais

Geração Graças Peça: A ressurreição da filha de Jairo

Geração Graças Peça: A ressurreição da filha de Jairo Geração Graças Peça: A ressurreição da filha de Jairo Autora: Tell Aragão Personagens: Carol (faz só uma participação rápida no começo e no final da peça) Mãe - (só uma voz ela não aparece) Gigi personagem

Leia mais

Belo reparo. capítulo um. No Japão, eles têm o kintsugi a arte de remendar porcelanas. Hoje Nova York Apartamento de Cassandra Taylor

Belo reparo. capítulo um. No Japão, eles têm o kintsugi a arte de remendar porcelanas. Hoje Nova York Apartamento de Cassandra Taylor capítulo um Belo reparo Hoje Nova York Apartamento de Cassandra Taylor No Japão, eles têm o kintsugi a arte de remendar porcelanas preciosas com ouro. O resultado é uma peça que nitidamente foi quebrada,

Leia mais

Visite nossa biblioteca! Centenas de obras grátis a um clique! http://www.portaldetonando.com.br

Visite nossa biblioteca! Centenas de obras grátis a um clique! http://www.portaldetonando.com.br Sobre a digitalização desta obra: Esta obra foi digitalizada para proporcionar de maneira totalmente gratuita o benefício de sua leitura àqueles que não podem comprá-la ou àqueles que necessitam de meios

Leia mais

copyright Todos os direitos reservados

copyright Todos os direitos reservados 1 2 Espaço das folhas 3 copyright Todos os direitos reservados 4 Autor Jorge Luiz de Moraes Minas Gerais 5 6 Introdução Folha é apenas uma folha, uma branca cor cheia de paz voltada para um querer, um

Leia mais

Arthur de Carvalho Jaldim Rubens de Almeida Oliveira CÃO ESTELAR. EDITORA BPA Biblioteca Popular de Afogados

Arthur de Carvalho Jaldim Rubens de Almeida Oliveira CÃO ESTELAR. EDITORA BPA Biblioteca Popular de Afogados Arthur de Carvalho Jaldim Rubens de Almeida Oliveira O CÃO ESTELAR EDITORA BPA Biblioteca Popular de Afogados Texto e Pesquisa de Imagens Arthur de Carvalho Jaldim e Rubens de Almeida Oliveira O CÃO ESTELAR

Leia mais

L0NGE, atrás em monte, sol cair e céu ficar em fogo. Fraco, Eu

L0NGE, atrás em monte, sol cair e céu ficar em fogo. Fraco, Eu 5 L0NGE, atrás em monte, sol cair e céu ficar em fogo. Fraco, Eu subir monte, pés d Eu molhados em erva fria. Não haver erva em cima em monte. Só haver terra, em volta, monte como cabeça de homem sem cabelo.

Leia mais

LC 19_1-10 OS ENCONTROS DE JESUS ZAQUEU O HOMEM QUE QUERIA VER JESUS

LC 19_1-10 OS ENCONTROS DE JESUS ZAQUEU O HOMEM QUE QUERIA VER JESUS 1 LC 19_1-10 OS ENCONTROS DE JESUS ZAQUEU O HOMEM QUE QUERIA VER JESUS Lc 19 1 Jesus entrou em Jericó e estava atravessando a cidade. 2 Morava ali um homem rico, chamado Zaqueu, que era chefe dos cobradores

Leia mais

Agora não posso atender. Estou no. Vou comprar o último livro do José Luís Peixoto. Posso usar a tua gravata azul? A Ana Maria vai ser nossa

Agora não posso atender. Estou no. Vou comprar o último livro do José Luís Peixoto. Posso usar a tua gravata azul? A Ana Maria vai ser nossa MODELO 1 Compreensão da Leitura e Expressão Escrita Parte 1 Questões 1 20 O Luís enviou cinco mensagens através do telemóvel. Leia as frases 1 a 5. A cada frase corresponde uma mensagem enviada pelo Luís.

Leia mais

Rios que voam. Yana Marull

Rios que voam. Yana Marull Rios que voam Yana Marull Yana Marull Drews Yana é jornalista, vive com a família em Brasília e já morou em outros países que também fazem parte da Bacia Amazônica. Ela adora escrever matérias sobre o

Leia mais

De volta ao básico O Beaba do seu negócio Mary Kay Descubra qual a sua paixão para crescer na carreira MK!

De volta ao básico O Beaba do seu negócio Mary Kay Descubra qual a sua paixão para crescer na carreira MK! Treinamento de Consultoras De volta ao básico O Beaba do seu negócio Mary Kay Descubra qual a sua paixão para crescer na carreira MK! Ferramentas de trabalho a serem desenvolvidas para crescer na Entender

Leia mais

Atividades Lição 5 ESCOLA É LUGAR DE APRENDER

Atividades Lição 5 ESCOLA É LUGAR DE APRENDER Atividades Lição 5 NOME: N º : CLASSE: ESCOLA É LUGAR DE APRENDER 1. CANTE A MÚSICA, IDENTIFICANDO AS PALAVRAS. A PALAVRA PIRULITO APARECE DUAS VEZES. ONDE ESTÃO? PINTE-AS.. PIRULITO QUE BATE BATE PIRULITO

Leia mais

Olga, imigrante de leste, é empregada nessa casa. Está vestida com um uniforme de doméstica. Tem um ar atrapalhado e está nervosa.

Olga, imigrante de leste, é empregada nessa casa. Está vestida com um uniforme de doméstica. Tem um ar atrapalhado e está nervosa. A Criada Russa Sandra Pinheiro Interior. Noite. Uma sala de uma casa de família elegantemente decorada. Um sofá ao centro, virado para a boca de cena. Por detrás do sofá umas escadas que conduzem ao andar

Leia mais

Insígnia Mundial do Meio Ambiente IMMA

Insígnia Mundial do Meio Ambiente IMMA Ficha Técnica no. 5.3 Atividade Principal no. 5.3 HISTÓRIA DE UM DESASTRE NATURAL Objetivo da : 5 Os escoteiros estão trabalhando para um mundo onde as pessoas estão preparadas para responder aos perigos

Leia mais

Charles é um ser totalmente atrasado em relação à sociedade em que vive. Veio do interior e fica admirado com a imensidão da cidade grande.

Charles é um ser totalmente atrasado em relação à sociedade em que vive. Veio do interior e fica admirado com a imensidão da cidade grande. TEMPOS MODERNOS UM FILME DE Jeander Cristian, baseado na obra original de Charlie Chaplin. Pessoas apressadas andam pela cidade grande Tempo é dinheiro! Pessoas acessam informações em tempo recorde na

Leia mais

5Passos fundamentais. Conseguir realizar todos os seus SONHOS. para. Autora: Ana Rosa. www.novavitacoaching.com

5Passos fundamentais. Conseguir realizar todos os seus SONHOS. para. Autora: Ana Rosa. www.novavitacoaching.com 5Passos fundamentais para Conseguir realizar todos os seus SONHOS Autora: Ana Rosa www.novavitacoaching.com O futuro pertence àqueles que acreditam na beleza dos seus sonhos! Eleanor Roosevelt CONSIDERA

Leia mais

Flavia Mariano. Equilíbrio. a vida não faz acordos. 1ª Edição POD

Flavia Mariano. Equilíbrio. a vida não faz acordos. 1ª Edição POD Flavia Mariano Equilíbrio a vida não faz acordos 1ª Edição POD Petrópolis KBR 2011 Edição e revisão KBR Editoração APED Capa KBR Imagem da capa fotomontagem sobre arquivo Google Copyright 2011 Flavia Mariano

Leia mais

LENDA DA COBRA GRANDE. Um roteiro de IVI SIBELI ROCHA DE BARROS DAIANE MONTEIRO POLIANA AGUIAR FERREIRA MARIA LUZIA RODRIGUES DA SILVA

LENDA DA COBRA GRANDE. Um roteiro de IVI SIBELI ROCHA DE BARROS DAIANE MONTEIRO POLIANA AGUIAR FERREIRA MARIA LUZIA RODRIGUES DA SILVA LENDA DA COBRA GRANDE Um roteiro de IVI SIBELI ROCHA DE BARROS DAIANE MONTEIRO POLIANA AGUIAR FERREIRA MARIA LUZIA RODRIGUES DA SILVA CRUZEIRO DO SUL, ACRE, 30 DE ABRIL DE 2012. OUTLINE Cena 1 Externa;

Leia mais

O Ponto entrevista Letícia Odorizi, aprovada em 1º lugar para ATRFB!

O Ponto entrevista Letícia Odorizi, aprovada em 1º lugar para ATRFB! O Ponto entrevista Letícia Odorizi, aprovada em 1º lugar para ATRFB! A história da Letícia Odorizi, aprovada em 1º lugar para Analista Tributário da Receita Federal do Brasil, é mais uma das histórias

Leia mais

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, durante visita às obras da usina hidrelétrica de Jirau

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, durante visita às obras da usina hidrelétrica de Jirau , Luiz Inácio Lula da Silva, durante visita às obras da usina hidrelétrica de Jirau Porto Velho-RO, 12 de março de 2009 Gente, uma palavra apenas, de agradecimento. Uma obra dessa envergadura não poderia

Leia mais

As 12 Vitimas do Medo.

As 12 Vitimas do Medo. As 12 Vitimas do Medo. Em 1980 no interior de São Paulo, em um pequeno sítio nasceu Willyan de Sousa Filho. Filho único de Dionizia de Sousa Millito e Willian de Sousa. Sempre rodeado de toda atenção por

Leia mais

Anderson: Bem, qual é o manete? Legge: Deve ser uma alavanca preta no centro do painel. Isso aí. Deixe a aeronave voar por si própria.

Anderson: Bem, qual é o manete? Legge: Deve ser uma alavanca preta no centro do painel. Isso aí. Deixe a aeronave voar por si própria. Bem, sejam todos muito bem-vindos aqui. E parabéns por estarem aqui neste final de semana. Porque eu acho, em minha experiência Alpha, que as duas coisas mais difíceis para as pessoas são, em primeiro

Leia mais

VALORES CULTURAIS (INDÍGENAS) KAINGANG

VALORES CULTURAIS (INDÍGENAS) KAINGANG VALORES CULTURAIS (INDÍGENAS) KAINGANG Um cacique kaingang, meu amigo, me escreveu pedindo sugestões para desenvolver, no Dia do Índio, o seguinte tema em uma palestra: "Os Valores Culturais da Etnia Kaingáng".

Leia mais

Paciência, digo paciência! Fico bem, escolho a calma e vou além. Gentileza. Com bom humor Aceito as coisas que não posso controlar

Paciência, digo paciência! Fico bem, escolho a calma e vou além. Gentileza. Com bom humor Aceito as coisas que não posso controlar Gentileza Vou ceder meu lugar para você sentar Você primeiro, o que eu quero é te animar Gentileza, Gentileza Na correria do dia a dia parar alguém e perguntar: - Está tudo bem?, - Como vai você? Naquele

Leia mais

Autor (a): Januária Alves

Autor (a): Januária Alves Nome do livro: Crescer não é perigoso Editora: Gaivota Autor (a): Januária Alves Ilustrações: Nireuda Maria Joana COMEÇO DO LIVRO Sempre no fim da tarde ela ouvia no volume máximo uma musica, pois queria

Leia mais

O homem que tinha uma árvore na cabeça

O homem que tinha uma árvore na cabeça O homem que tinha uma árvore na cabeça Era uma vez um homem que tinha uma árvore na cabeça. No princípio era apenas um arbusto com folhas esguias e acastanhadas. Depois os ramos começaram a engrossar e

Leia mais

DIANA + 3. Roteiro de Henry Grazinoli

DIANA + 3. Roteiro de Henry Grazinoli DIANA + 3 Roteiro de Henry Grazinoli EXT. CALÇADA DO PORTINHO DIA Sombra de Pablo e Dino caminhando pela calçada do portinho de Cabo Frio. A calçada típica da cidade, com suas ondinhas e peixes desenhados.

Leia mais

Palavras do autor. Escrever para jovens é uma grande alegria e, por que não dizer, uma gostosa aventura.

Palavras do autor. Escrever para jovens é uma grande alegria e, por que não dizer, uma gostosa aventura. Palavras do autor Escrever para jovens é uma grande alegria e, por que não dizer, uma gostosa aventura. Durante três anos, tornei-me um leitor voraz de histórias juvenis da literatura nacional, mergulhei

Leia mais

Meu pássaro de papel

Meu pássaro de papel ALUNO (A): ANO: 3º TURMA: (A) (C) PROFESSOR (A): VALOR DA AVALIAÇÃO: 40 pontos DATA: CENTRO EDUCACIONAL SAGRADA FAMÍLIA 22 / 08 / 2013 TRIMESTRE: 2º NOTA: COMPONENTE CURRICULAR: LÍNGUA PORTUGUESA ENSINO

Leia mais

O Tomás, que não acreditava no Pai Natal

O Tomás, que não acreditava no Pai Natal O Tomás, que não acreditava no Pai Natal Era uma vez um menino que não acreditava no Pai Natal e fazia troça de todos os outros meninos da escola, e dos irmãos e dos primos, e de qualquer pessoa que dissesse

Leia mais

Você sabia que... Alguns fatos sobre o meu país

Você sabia que... Alguns fatos sobre o meu país Brasil Você sabia que... A pobreza e a desigualdade causam a fome e a malnutrição. Os alimentos e outros bens e serviços básicos que afetam a segurança dos alimentos, a saúde e a nutrição água potável,

Leia mais

Diálogo de Lama Lhundrup com os pacientes a um Hospital em Brasília (2005)

Diálogo de Lama Lhundrup com os pacientes a um Hospital em Brasília (2005) Diálogo de Lama Lhundrup com os pacientes a um Hospital em Brasília (2005) Lhundrup: Sou um monge budista. Estou muito contente em encontrar vocês. Vocês já encontraram um monge budista antes? Uma paciente:

Leia mais

Tia Pri Didáticos Educação Cristã PROIBIDA REPRODUÇÃO,CÓPIA OU DISTRIBUIÇÃO POR QUALQUER MEIO tiapri@tiapri.com (47) 3365-4077 www.tiapri.

Tia Pri Didáticos Educação Cristã PROIBIDA REPRODUÇÃO,CÓPIA OU DISTRIBUIÇÃO POR QUALQUER MEIO tiapri@tiapri.com (47) 3365-4077 www.tiapri. Tia Pri Didáticos Educação Cristã PROIBIDA REPRODUÇÃO,CÓPIA OU DISTRIBUIÇÃO POR QUALQUER MEIO tiapri@tiapri.com (47) 3365-4077 www.tiapri.com Página 1 1. HISTÓRIA SUNAMITA 2. TEXTO BÍBLICO II Reis 4 3.

Leia mais

O PATINHO QUE NÃO QUERIA APRENDER A VOAR

O PATINHO QUE NÃO QUERIA APRENDER A VOAR Numa bela manhã, nasceram seis lindos patinhos que encheram de encanto seus pais. Eram amarelinhos e fofinhos. Um dos patinhos recebeu o nome de Taco. Mamãe e papai estavam muito felizes com seus filhotes.

Leia mais

O céu. Aquela semana tinha sido uma trabalheira! www.interaulaclube.com.br

O céu. Aquela semana tinha sido uma trabalheira! www.interaulaclube.com.br A U A UL LA O céu Atenção Aquela semana tinha sido uma trabalheira! Na gráfica em que Júlio ganhava a vida como encadernador, as coisas iam bem e nunca faltava serviço. Ele gostava do trabalho, mas ficava

Leia mais

- GUIA DO EMPRESÁRIO - Lucros Bons e Lucros Ruins

- GUIA DO EMPRESÁRIO - Lucros Bons e Lucros Ruins - GUIA DO EMPRESÁRIO - Lucros Bons e Lucros Ruins Planeta Contábil 2008 Todos os Direitos Reservados (www.planetacontabil.com.br) 1/5 Lucros Bons e Lucros Ruins Podemos pensar que lucrar é sempre bom,

Leia mais

PALESTRA DE DENISE LAWRENCE: QUANDO O AMOR É PREENCHIDO DE CORAGEM E PODER. Palmas/TO. Agosto de 2013

PALESTRA DE DENISE LAWRENCE: QUANDO O AMOR É PREENCHIDO DE CORAGEM E PODER. Palmas/TO. Agosto de 2013 PALESTRA DE DENISE LAWRENCE: QUANDO O AMOR É PREENCHIDO DE CORAGEM E PODER Palmas/TO Agosto de 2013 Boa noite! Bem-vindos ao Programa! O tema hoje é sobre o amor preenchido com poder e coragem. Existem

Leia mais

COMUNICAÇÃO COM PESSOAS USHER. Um casal descreve os efeitos de Usher na comunicação e como estes podem ser ultrapassados.

COMUNICAÇÃO COM PESSOAS USHER. Um casal descreve os efeitos de Usher na comunicação e como estes podem ser ultrapassados. COMUNICAÇÃO COM PESSOAS USHER Um casal descreve os efeitos de Usher na comunicação e como estes podem ser ultrapassados. RUSS PALMER: nasceu surdo e foi diagnosticado com síndrome de Usher aos 21 anos.

Leia mais

História: Vocês querem que eu continue contando a história do Natal? Maria e José seguiam para Belém,

História: Vocês querem que eu continue contando a história do Natal? Maria e José seguiam para Belém, Data: 13/12/2015 Texto Bíblico: Lucas 2:7; 8-20 e Mateus 2:1-12 Versículo para memorizar: Porque Deus amou o mundo de tal maneira, que deu seu único Filho, para que todo aquele que Nele crê não morra,

Leia mais

É POSSÍVEL CONVIVER COM UM LOBO? Pr. Bullón. www.sisac.org.br

É POSSÍVEL CONVIVER COM UM LOBO? Pr. Bullón. www.sisac.org.br É POSSÍVEL CONVIVER COM UM LOBO? Pr. Bullón www.sisac.org.br "No capítulo 7 da epístola aos Romanos, encontramos o grito desesperado de um homem que não conseguia viver à altura dos princípios que conhecia.

Leia mais

- Sinal de transito agora só em Angra comentou Sandrinha, minha esposa.

- Sinal de transito agora só em Angra comentou Sandrinha, minha esposa. Angra dos Reis Agosto 2013 Depois da viagem a Londres, Lisboa, Praga e Genebra, esta seria a primeira travessia marítima que eu iria participar. Como o pessoal do grupo Maratonas Aquáticas tinha conseguido

Leia mais

OS AMIGOS NÃO SE COMPRAM

OS AMIGOS NÃO SE COMPRAM OS AMIGOS NÃO SE COMPRAM Era o dia 22 de dezembro. O Natal aproximava-se e o Pai Natal estava muito atarefado a preparar os sacos com os brinquedos. Muito longe dali, em Portugal, um menino chamado João

Leia mais

"Os Emigrantes" Texto escritos por alunos do 7º ano (Professora Rute Melo e Sousa)

Os Emigrantes Texto escritos por alunos do 7º ano (Professora Rute Melo e Sousa) "Os Emigrantes" Texto escritos por alunos do 7º ano (Professora Rute Melo e Sousa) Estava um dia lindo na rua. O sol brilhava como nunca brilhou, e, no cais, havia muitas pessoas As pessoas estavam tristes

Leia mais

Page 1 of 7. Poética & Filosofia Cultural - Roberto Shinyashiki

Page 1 of 7. Poética & Filosofia Cultural - Roberto Shinyashiki Page 1 of 7 Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Ensino de Graduação Curso de Licenciatura Plena em Pedagogia Disciplina: Filosofia Cultural Educador: João Nascimento Borges Filho Poética & Filosofia

Leia mais

MARIANA: Fátima? Você tem certeza que seu pai vai gostar? Ele é meio careta, apesar de que é uma linda homenagem.

MARIANA: Fátima? Você tem certeza que seu pai vai gostar? Ele é meio careta, apesar de que é uma linda homenagem. Pais e filhos 1º cena: música ambiente (início da música pais e filhos legião urbana - duas pessoas entram com um mural e começam a confeccionar com frases para o aniversário do pai de uma delas (Fátima),

Leia mais

Shué também cantou na Festa de Natal da Escola O Gotinhas...fim 42 43

Shué também cantou na Festa de Natal da Escola O Gotinhas...fim 42 43 O Gotinhas 43 Era uma vez um País feito de nuvens. Ficava no cimo de uma enorme montanha impossível de expugnar. Lá viviam muitos meninos. Cada um tinha a sua própria nuvem. Uma enorme cegonha do espaço

Leia mais

Desenvolvimento sustentável: o que é e como alcançar? 1. Marina Silva 2

Desenvolvimento sustentável: o que é e como alcançar? 1. Marina Silva 2 Desenvolvimento sustentável: o que é e como alcançar? 1 Boa tarde a todos e a todas! Marina Silva 2 Quero dizer que é motivo de muita satisfação participar de eventos como esse porque estamos aqui para

Leia mais

A CAMINHADA DO POVO DE DEUS. Ir. KatiaRejaneSassi

A CAMINHADA DO POVO DE DEUS. Ir. KatiaRejaneSassi A CAMINHADA DO POVO DE DEUS Ir. KatiaRejaneSassi Os desafios da travessia Aqueles que viveram a maravilhosa experiência de conseguir libertar-se da dominação egípcia sentem no deserto o desamparo total.

Leia mais

Palestra 1 Mudança Organizacional. Texto base: 10 +1 Mandamentos para ter sucesso em um mundo em constantes mudanças

Palestra 1 Mudança Organizacional. Texto base: 10 +1 Mandamentos para ter sucesso em um mundo em constantes mudanças Palestra 1 Mudança Organizacional Texto base: 10 +1 Mandamentos para ter sucesso em um mundo em constantes mudanças 02 de Dezembro de 2009 10 +1 Mandamentos para ter sucesso em um mundo em constantes mudanças

Leia mais

PROJETO DE ARTICULAÇÃO HORIZONTAL DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PROFESSOR ABEL SALAZAR

PROJETO DE ARTICULAÇÃO HORIZONTAL DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PROFESSOR ABEL SALAZAR PROJETO DE ARTICULAÇÃO HORIZONTAL DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PROFESSOR ABEL SALAZAR ANO LETIVO 2012/2013 Era uma vez um peixinho azul muito pequenino, que nadava no fundo

Leia mais

Assim nasce uma empresa.

Assim nasce uma empresa. Assim nasce uma empresa. Uma história para você que tem, ou pensa em, um dia, ter seu próprio negócio. 1 "Non nobis, Domine, non nobis, sed nomini Tuo da gloriam" (Sl 115,1) 2 Sem o ar Torna-te aquilo

Leia mais

Este testemunho é muito importante para os Jovens.

Este testemunho é muito importante para os Jovens. Este testemunho é muito importante para os Jovens. Eu sempre digo que me converti na 1ª viagem missionária que fiz, porque eu tinha 14 anos e fui com os meus pais. E nós não tínhamos opção, como é o pai

Leia mais

SEGREDO NO CAIR DA TARDE

SEGREDO NO CAIR DA TARDE SEGREDO NO CAIR DA TARDE Ele chegou a galope, num alazão que eu não conhecia. Depois o alazão ergueu-se em duas patas e desapareceu e meu irmão também desapareceu. Fazia tempo que eu o chamava e ele não

Leia mais

O que trazer: Roupa do ridículo; pijama para o jantar do pijama; roupa preta; gel para cabelo (jantar do cabelo maluco); camisa de esportes (para o

O que trazer: Roupa do ridículo; pijama para o jantar do pijama; roupa preta; gel para cabelo (jantar do cabelo maluco); camisa de esportes (para o O que trazer: Roupa do ridículo; pijama para o jantar do pijama; roupa preta; gel para cabelo (jantar do cabelo maluco); camisa de esportes (para o jantar do esportista); entre outros que achar interessante

Leia mais

O dia em que ele nasceu

O dia em que ele nasceu O dia em que ele nasceu E le nasceu no verão mais seco dos últimos quarenta anos. O sol cozinhava a argila vermelha do Alabama, transformando-a em pó, e não havia água por quilômetros ao redor. A comida

Leia mais

Para gostar de pensar

Para gostar de pensar Rosângela Trajano Para gostar de pensar Volume III - 3º ano Para gostar de pensar (Filosofia para crianças) Volume III 3º ano Para gostar de pensar Filosofia para crianças Volume III 3º ano Projeto editorial

Leia mais

www.rockstarsocial.com.br

www.rockstarsocial.com.br 1 1 Todos os Direitos Reservados 2013 Todas As Fotos Usadas Aqui São Apenas Para Descrição. A Cópia Ou Distribuição Do Contéudo Deste Livro É Totalmente Proibida Sem Autorização Prévia Do Autor. AUTOR

Leia mais

Segunda-feira, dia 04 de maio de 2015

Segunda-feira, dia 04 de maio de 2015 Segunda-feira, dia 04 de maio de 2015 Pousamos no pequeno aeroporto de Katmandu um pouco depois das 6 da manhã. Apenas três aviões cargueiros estavam no aeroporto e poucas caixas com produtos para a população.

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 37 Discurso na cerimónia de retomada

Leia mais

- Papá, é hoje! É hoje, papá! Temos que montar o nosso pinheirinho de Natal. disse o rapaz, correndo na direção de seu pai.

- Papá, é hoje! É hoje, papá! Temos que montar o nosso pinheirinho de Natal. disse o rapaz, correndo na direção de seu pai. Conto de Natal Já um ano havia passado desde o último Natal. Timóteo estava em pulgas para que chegasse o deste ano. Menino com cara doce, uma tenra idade de 10 aninhos, pobre, usava roupas ou melhor,

Leia mais

Chantilly, 17 de outubro de 2020.

Chantilly, 17 de outubro de 2020. Chantilly, 17 de outubro de 2020. Capítulo 1. Há algo de errado acontecendo nos arredores dessa pequena cidade francesa. Avilly foi completamente afetada. É estranho descrever a situação, pois não encontro

Leia mais

A Palavra de Deus. - É na Palavra de Deus que o homem encontra o conhecimento a respeito da Vida, de onde viemos e onde vamos viver a eternidade.

A Palavra de Deus. - É na Palavra de Deus que o homem encontra o conhecimento a respeito da Vida, de onde viemos e onde vamos viver a eternidade. A Palavra de Deus 2 Timóteo 3:16-17 Pois toda a Escritura Sagrada é inspirada por Deus e é útil para ensinar a verdade, condenar o erro, corrigir as faltas e ensinar a maneira certa de viver. 17 E isso

Leia mais

CLÁUDIA TAVARES AMIGOS DOS AÇORES

CLÁUDIA TAVARES AMIGOS DOS AÇORES CLÁUDIA TAVARES AMIGOS DOS AÇORES FICHA TÉCNICA Título: Viagem no Tempo Autor: Cláudia Tavares Ilustração: Olga Tavares Edição: Amigos dos Açores - Associação Ecológica Ribeira Grande - 2008 Iniciativa:

Leia mais

Vamos fazer um mundo melhor?

Vamos fazer um mundo melhor? Vamos fazer um mundo melhor? infanto-junvenil No mundo em que vivemos há quase 9 milhões de espécies de seres vivos, que andam, voam, nadam, vivem sobre a terra ou nos oceanos, são minúsculos ou enormes.

Leia mais

Nada de telefone celular antes do sexto ano

Nada de telefone celular antes do sexto ano L e i n º1 Nada de telefone celular antes do sexto ano Nossos vizinhos da frente estão passando uma semana em um cruzeiro, então me pediram para buscar o jornal e a correspondência todos os dias, enquanto

Leia mais

Uma estrela subiu ao céu

Uma estrela subiu ao céu Compaixão 1 Compaixão Não desprezes aqueles a quem a vida desfavoreceu, mas ajuda-os no que estiver ao teu alcance. Cada pessoa tem em si algo de bom que é preciso fazer desabrochar. Uma estrela subiu

Leia mais

DEUS O AMA DO JEITO QUE VOCÊ É

DEUS O AMA DO JEITO QUE VOCÊ É BRENNAN MANNING & JOHN BLASE DEUS O AMA DO JEITO QUE VOCÊ É NÃO DO JEITO QUE DEVERIA SER, POIS VOCÊ NUNCA SERÁ DO JEITO QUE DEVERIA SER Tradução de A. G. MENDES Parte 1 R i c h a r d 1 Nem sempre recebemos

Leia mais

MERGULHO de Betina Toledo e Thuany Motta

MERGULHO de Betina Toledo e Thuany Motta MERGULHO de Betina Toledo e Thuany Motta Copyright Betina Toledo e Thuany Motta Todos os direitos reservados juventudecabofrio@gmail.com Os 13 Filmes 1 MERGULHO FADE IN: CENA 1 PRAIA DIA Fotografia de

Leia mais

Capítulo 1. A Família dos Mumins.indd 13 01/10/15 14:17

Capítulo 1. A Família dos Mumins.indd 13 01/10/15 14:17 Capítulo 1 No qual o Mumintroll, o Farisco e o Sniff encontram o Chapéu do Papão; como aparecem inesperadamente cinco pe quenas nuvens e como o Hemulo arranja um novo passatempo. Numa manhã de primavera

Leia mais

Superando Seus Limites

Superando Seus Limites Superando Seus Limites Como Explorar seu Potencial para ter mais Resultados Minicurso Parte VI A fonte do sucesso ou fracasso: Valores e Crenças (continuação) Página 2 de 16 PARTE 5.2 Crenças e regras!

Leia mais

Nicholas Sparks. Tradução: Marsely De Marco Martins Dantas

Nicholas Sparks. Tradução: Marsely De Marco Martins Dantas Nicholas Sparks Tradução: Marsely De Marco Martins Dantas A ÚLTIMA MÚSICA 1 Ronnie Seis meses antes Ronnie estava sentada no banco da frente do carro sem entender por que seus pais a odiavam tanto. Era

Leia mais

CABOCLO D AGUA. Por. Andre Rohling.

CABOCLO D AGUA. Por. Andre Rohling. CABOCLO D AGUA. Por Andre Rohling. (47)8818-2914. andrerohling@hotmail.com www.facebook/andre.rohling 1 CENA-EXT-CAMPO-NOITE-19H10MIN. Noite de lua cheia, era bastante claro devido à luz da lua, faróis

Leia mais

Dar de comer a quem tem fome 1º E 2º CICLOS. 3ª feira, dia 26 de abril de 2016 INTRODUÇÃO

Dar de comer a quem tem fome 1º E 2º CICLOS. 3ª feira, dia 26 de abril de 2016 INTRODUÇÃO 3ª feira, dia 26 de abril de 2016 Dar de comer a quem tem fome 1º E 2º CICLOS Bom dia a todos. Preparados para mais um dia de aulas?! Muito bem! Hoje vamos falar como é importante dar comida a quem não

Leia mais

19º Plano de Aula. 1-Citação as Semana: 2-Meditação da Semana: 3-História da Semana: 4-Música da Semana: 5-Atividade Integrada da

19º Plano de Aula. 1-Citação as Semana: 2-Meditação da Semana: 3-História da Semana: 4-Música da Semana: 5-Atividade Integrada da 19º Plano de Aula 1-Citação as Semana: Pequena é a abelha, mas produz o que de mais doce existe. 2-Meditação da Semana: Ajudar o próximo 5 47 3-História da Semana: Uma lição a aprender 4-Música da Semana:

Leia mais

E-book Internet Marketing que Funciona Página 1

E-book Internet Marketing que Funciona Página 1 E-book Internet Marketing que Funciona Página 1 Produção Este E-book é Produzido por: Sérgio Ferreira, administrador do blog: www.trabalhandoonline.net Visite o site e conheça várias outras Dicas GRÁTIS

Leia mais

APOCALIP-SE. Marcelo Ferrari. 1 f i c i n a. 2ª edição - 1 de agosto de 2015. w w w. 1 f i c i n a. c o m. b r

APOCALIP-SE. Marcelo Ferrari. 1 f i c i n a. 2ª edição - 1 de agosto de 2015. w w w. 1 f i c i n a. c o m. b r APOCALIP-SE Marcelo Ferrari 1 f i c i n a 2ª edição - 1 de agosto de 2015 w w w. 1 f i c i n a. c o m. b r APOCALIP-SE Ser humano não é ser uma pessoa, ser humano é ser um aluno. Aluno de que e de quem?

Leia mais

Ideionildo. E a Chave Azul. Pelo Espírito Vovó Amália. Robson Dias

Ideionildo. E a Chave Azul. Pelo Espírito Vovó Amália. Robson Dias Ideionildo E a Chave Azul Robson Dias Pelo Espírito Vovó Amália Livrinho da Série - As Histórias Que a Vovó Gosta de Contar (http:\www.vovoamalia.ubbi.com.br - Distribuição Gratuita) - A venda deste produto

Leia mais