Contos Singulares. luca mac doiss. Contos. Conto n.o 3: Utopia : lucamacdoiss.com.br 1

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Contos Singulares. luca mac doiss. Contos. Conto n.o 3: Utopia : lucamacdoiss.com.br 1"

Transcrição

1 lucamacdoiss.com.br 1 Contos Singulares Contos luca mac doiss Conto n.o 3: Utopia : <utopia!-utopia?> Copyright by luca mac doiss (registrado na ABN) <utopia!-utopia?> Simão Bacamarte, não o alienista, mas um cientista do mundo, como costumeiramente se apresentava, um cartógrafo dos bons, desses de desbravar mato sem trilha, de entrar em rio que não dá pé, de subir em montanha sem teto, de voar em aeroplano penso, até desses de rasar plantações no meio do nada deste país ainda por terra a descobrir, por povos a se apresentar. Trinta e três anos, ainda não se firmara em parada alguma, por pura veia vibrante por aventura; quase se casara por três vezes, nenhuma delas suportou mais que duas viagens de acompanhante, de parceira, ficaram no porto mais próximo. Doutor em ciências da Terra, doutor em ciências humanas; justos títulos adquiridos aqui e em faculdades da França e Inglaterra. Viajado, experimentado, por todos os continentes, pelos lugares mais escondidos. Fazia mapas dos bons, por encomenda, por sustento, mas procurava por gente, por interesse, por prazer. Sentia-

2 lucamacdoiss.com.br 2 se bem na convivência com povos de vida primitiva, sentia-se bem com camiseta e pé no chão; sentia-se sufocado em grandes cidades, sentia-se apagado com gravata e sapatos engraxados. No terceiro dos três anos dedicados exclusivamente para trabalho e prazer no Brasil, uma encomenda que viera de encomenda mapear os rios das divisas do Pará, do Amazonas e do Mato Grosso o levou a Guarantã do Norte, a cidade escolhida como base para o estudo. No terceiro dos três dias dedicados a sobrevoar o vértice do triângulo de lados de água e base imaginária de mata, o piloto Tapajó, apelido do nascido Raimundo Tenório, filho de grande chefe Kaxinauá, mostrava-se triste, triste por ser o último dia em que voaria com o então grande amigo Simão. O aviãozinho alugado do patrão, fazendeiro da região, trouxe o piloto de experiência comprovada de horas e horas, que aprendera o ofício com o antigo piloto da família, o capataz Ferreira. Com o assassinato do Ferreira, por um marido traído poucos meses, então, fazia, assumiu o posto o aluno; piloto certificado pelo patrão em um voo a Itaituba. Saudade dos bacuris e de minha Lua, foi o que disse Tapajó, quando perguntou, preocupado, Simão, por que perdera a alegria contagiante o amigo. Saudades dos dois filhos pequenos e da índia Lua Cheia. Simão, com os olhos embaçados, lembrou-se de Mariana, a terceira, a que mais se aguentou junto a ele, deixada no porto de Santarém, dias antes. Aí ficaram os dois, por minutos, calados: um olhando para o céu, a sonhar com a Lua, castigado pelo Sol; outro olhando para o horizonte, sonhando com o brilho de Mariana, castigado pelos raios de sol. Horas depois, o avião sobrevoava o verde triângulo na direção do vértice; quando, de repente, pesadas nuvens chegaram pela esquerda e pela direita, criando um corredor iluminado pelos raios solares. Se fosse Simão um matemático, poderia medir a altura do triângulo isósceles,

3 lucamacdoiss.com.br 3 pois o avião seguiu a perpendicular traçada pelo sol, tentando escapar das nuvens que, então, uniam forças para pegar o rabo do pequeno aparelho, invasor de espaço alheio. Sem aparelhos de voo, sem condições de se guiar pelas referências cardeais, Tapajó aprumou o bico do aero para a boca do funil de nuvens, para a luz, que cada vez se tornava mais fraca. Daí em diante, somente aguardavam o pior, o desfecho fatal, os dois ocupantes do aparelho. Um rezava, suplicava ao deus da mata um milagre; outro não rezava, não acreditava em milagres. Quando os sinais de que existe um Sol para a Terra desapareceram, quando uma árvore, dentre milhares que cobriam cada centímetro do terreno abaixo deles, era o que se presumia como o destino mais provável para o fim da viagem, um grande vale surgiu no meio da densa floresta. Após uma pequena elevação do terreno, não uma montanha, um monte, o vale os engoliu, no meio da prece, no meio da surpresa. Um vale que não constava de nenhum mapa, que não devia estar ali; mas, no trago do vale, o aeroplano, por diferença de pressão atmosférica, perdeu altitude repentinamente; as asas agitavam-se desesperadamente para livrar o corpo do desastre; as hélices torciam o nariz do avião tentando levantá-lo; tudo gorava, todo o esforço dos membros era em vão. Tivera Simão experimentado quedas bruscas de altitude, não uma vez, diversas vezes em voos pelo mundo, até em céus de brigadeiro, mas dessa vez sentiu que não ia escapar. Tapajó, ainda sem perceber a profundidade do vale, acreditou que estava sendo abocanhado pela terra. Então, o avião sustentou-se a uns cinquenta metros do solo: por habilidade do piloto, pensou Simão; pela mão do deus, acreditou Tapajó. Nesse instante, como parte do pacote milagre, eles avistaram uma clareira, propositadamente no vale aberta: um retângulo de duzentos e poucos

4 lucamacdoiss.com.br 4 metros por aproximados quarenta. Antes do pouso, Simão, em um bater de olhos, estimou as dimensões do vale: uma depressão de mais de cem metros em relação ao nível da superfície que antes sobrevoavam; um terreno plano com diâmetro aproximado de três quilômetros. O avião pousou, até, com certa facilidade, incerta era a probabilidade de pousá-lo, na clareira que gentilmente se oferecera a eles. Nem bem o motor do aeroplano foi desligado, o carrancudo céu torceu todas as nuvens em cima do vale. Foi uma hora de chuva, de muita chuva, não conseguiam Simão e Tapajó ver um nariz da parte de fora do avião. No minuto seguinte à interrupção da chuva o céu abria-se em azul e o Sol, desesperado, não economizava energia para recuperar as ingratas nuvens para o acolhedor céu. Após saírem do avião, Simão e Tapajó perceberam que levantar voo seria uma tarefa das mais difíceis, das mais arriscadas. O vale, até onde se podia avistar, era cercado por um paredão de mais de noventa, de cem metros; no lado oeste havia uma extensão de mata de uns cinquenta metros, a menor distância entre o limite da menor dimensão da clareira e o paredão; na face leste a visão do paredão era coberta por uma densa mata. Então, com os pés fincados no chão e os olhos fitados no alto, Simão presenciou um fenômeno único, jamais visto por ele: a água despejada pelas nuvens era devolvida ao céu, por evaporação, em uma velocidade surpreendente; por dedução, explicada pela alta temperatura do solo e pela umidade excessiva do ambiente, formada pela torrencial chuva. E, o melhor, o mais raro: o denso vapor, quase gotículas, emergindo do solo e os raios lançados com energia pelo Sol criaram uma atmosfera

5 lucamacdoiss.com.br 5 singular, formaram uma calota de névoa esférica que cobriu todo o vale. Era como se o vale fosse protegido contra as interações ambientais externas por um material transparente, uma espécie de plasma; sim, uma camada esférica de gás rarefeito cobria todo o vale. A visão encantadora do vale totalmente coberto pela calota da pesada névoa deixou Simão extasiado, e, o fenômeno explicava a razão de o vale não existir em mapa algum, de o vale não ter sido descoberto até então, pois para isso era necessário um sobrevoo rasante pela mata da região. Decidiram: enquanto Tapajó verificava o avião, Simão atravessou a pequena extensão de mata em direção ao paredão, na tentativa de localizar um ponto mais alto para visualizar todo o vale. Descobriram: o rádio do avião não funcionava e o trem de pouso, melhor, pior, o trem de decolagem estava impossibilitado de atuar os pneus dianteiros estavam danificados, junto duas das barras do dispositivo ; e, o vale era totalmente cercado pelo paredão de altura em torno de cem metros; verificou Simão após conseguir, com muito esforço, escalar o paredão até uma altura de trinta metros após esse ponto era impossível continuar subindo sem a ajuda de equipamentos de alpinismo, e muito arriscado, mesmo para profissionais dessa área. A única boa notícia era que a mata do outro lado da clareira tinha, também, uma pequena largura; melhor, na maior parte do vale, na área central, não existia mata; infelizmente não sabia dizer que tipo de vegetação ali havia, se é que havia alguma, pois Simão somente conseguiu ver que a mata não tinha uma larga extensão. * * * * * Enquanto ouvia Tapajó, Simão notou uma movimentação dos

6 lucamacdoiss.com.br 6 arbustos da mata oposta à explorada por ele. Fixou a atenção e percebeu três rostos misturados à folhagem. Como aprendera nas aventuras por este mundo, disse em alto e pausado som: Amigos. Somos amigos. Paz. Viemos em paz. Ajuda. Precisamos de ajuda. Amigos. Disse e levantou os braços, sendo seguido pelo amigo, demonstrando não apresentarem risco algum aos curiosos olhos, prováveis habitantes da região. Em resposta ao ato, em entendimento à mensagem, do meio dos arbustos que cercavam a clareira surgiram três jovens, aparentando terem idades em torno de doze anos; temerosos, com certeza os estranhos lhe metiam medo, simplesmente por serem estranhos, mas, acima de todos os temores, curiosos, e, calados, não emitiram nenhuma palavra ao se aproximarem, com todo o cuidado, com passos medidos e pausados. Os três adolescentes vestiam-se com roupas simples: calções calça curta com comprimento até os joelhos e camisas sem botão, parecida com camisa de pagão, de mangas curtas de algodão cru; e, sandálias de couro com tiras de tecido dobrado enroladas até o meio da perna. Para não serem vistos como intrometidos, como rudes hóspedes, não fizeram os dois amigos perguntas a respeito da vida dos jovens; como apareceram ali? viviam ali? : perguntas que ficaram para um momento oportuno. Ali, naquele vale que aparentava ser de difícil acesso, até mesmo difícil de ser descoberto, um local de difícil conexão com o mundo externo. O mais provável era que ninguém vivesse naquele vale dedução baseada na experiência e capacidade de observação do Simão ; se certo estivesse, os jovens deveriam ter conhecimento de como ali chegar, de como sair do vale, e, de como achar alguém que os pudesse ajudar a consertar o avião.

7 lucamacdoiss.com.br 7 Simão, então, perguntou se eles sabiam de alguém que pudesse ajudá-los. Os jovens ficaram na resposta direta: Sim ; e começaram a caminhar em direção ao centro do vale, insinuando que os amigos os seguissem. À única pergunta, então no meio da mata, que um dos jovens fez, e fez em poucas palavras: O grande pássaro? que é?, Simão respondeu com fáceis palavras: Um avião, um aparelho para o homem voar como pássaro. À observação de outro jovem: Nós o vimos cair com a chuva, Simão completou com sábias palavras: O aparelho não sabe voar tão bem como o pássaro. Em poucos minutos eles chegavam ao fim da densa mata. Para surpresa dos amigos, a uns cinquenta metros adiante existia uma área cultivada com trigo e milho; mas a maior surpresa tiveram ao vencer o corredor de quase cem metros que separava o crescido milharal do dourado trigal: escondido, atrás dos altos pés de milho, um grupo de casas, iguais, de madeira, nem pequenas nem grandes, dispostas em linha; quinze casas para ser exato. E, perpendiculares às casas: dois galpões; a direção tomada pelos rapazes que os guiavam, calados desde a pergunta na mata. Calados, e sem menção alguma de abertura para perguntas dos estranhos. Ao tempo de percorrerem cem metros, de passarem em frente de doze das casas, não viram nenhuma pessoa; viram, sim, cabras, cachorros, galinhas; soltos, misturados; sentiram, sim, que eram observados por pessoas, por olhos escondidos às cortinas das janelas das casas. Um dos galpões era um local de convivência para reuniões, celebrações e refeições; no fundo existia uma cozinha, com uma grande mesa retangular e um fogão a lenha. O segundo galpão era dividido ao meio por uma parede; servindo, uma metade, como depósito de ferra-

8 lucamacdoiss.com.br 8 mentas e utensílios e, a outra metade, como estoque de alimentos, principalmente de grãos. Atrás das casas existia uma farta horta de verduras e legumes, e atrás dos galpões, um sortido pomar. * * * * * No Espaço de Convivência, o primeiro dos galpões a partir da fila de casas, Simão e Tapajó foram recebidos por dois homens, que mostraram rugas de preocupação, mas não marcas de estarem surpreendidos pela chegada dos estranhos. Um dos jovens foi logo dizendo: Pai, encontramos esses dois estranhos na Aurora. Eles vieram em um grande... Antes que a frase fosse completada, um dos homens respondeu que já sabia que e como haviam chegado os dois estranhos; resposta acompanhada de um forte sotaque alemão. O outro homem pediu aos jovens que os deixassem a sós com os estranhos; pedido que veio com um forte acento paulistano. Ao fundo do galpão um casal de japoneses limpava legumes e um outro casal, de italianos, armazenava cuidadosamente belas maças e graúdas laranjas em prateleiras de madeira. Ao se sentarem em bancos de madeira dispostos ao lado da entrada, Simão apressou-se em se desculpar, por atrapalhar os afazeres das pessoas daquela localidade. Não quis nesse momento, ainda, fazer as perguntas que gostaria, por ter certeza de que acabaria por ter as respostas às inúmeras indagações, que pairavam à ponta da língua, a tempo. Mas não se absteve de perguntar como podia ele se referir àquela comunidade. Ele não se conteve em usar a palavra comunidade, pois era óbvio que ali existia um grupo de pessoas vivendo dentro de uma formação social com características próprias, com regras consensuais. E, sem interrupção, disse que precisavam de ajuda, pois o trem de pouso do avião estava danificado.

9 lucamacdoiss.com.br 9 Após se apresentarem, Joseph e Fernando, disseram que os estranhos... Simão e Tapajó interrupção informativa de Simão... que eles eram bem-vindos e que iam ajudá-los, mas antes gostariam de oferecer algo para beberem e comerem. Nesse instante o italiano, Rossi, trazia água, e, uma bandeja com pães e uma fumegante broa de milho, que foram postos na mesa ao lado dos bancos. Não havia como nem por que não aceitar. Ao Simão dizer: Muito obrigado, Fernando disse: Utopia. E, após a expressão facial de não ter entendido de Simão, completou: Nossa comunidade, Utopia, é como a denominamos. Depois de haverem saciado a fome, os visitantes foram levados a uma das casas, a décima quinta, a mais próxima do Espaço de Convivência, para o asseio e para descansarem um pouco. Essa casa era a mais nova, construída havia pouco tempo, explicou Fernando, seria usada por um casal de jovens que casariam em meses; mas eles, os visitantes, podiam ficar à vontade. A casa tinha dois quartos, uma sala e um banheiro; nela somente móveis básicos, simples, artesanais, feitos basicamente de madeira e couro; não havia cozinha, visto que Utopia tinha uma só, a comunitária. Joseph havia prometido ajudar Simão e Tapajo, e que, mais tarde, ao entardecer conversariam com tempo a dispor, quando então os serviços da fazenda estariam feitos. Fazenda!?, perguntou, surpreso, Simão. Sim, Fazenda Utopia, respondeu Fernando. Nós dizemos Fazenda, quando queremos nos referir ao local físico, e Utopia, quando queremos citar a sociedade, a relação entre as pessoas, a vida em grupo, a vida como a idealizamos. Aprendeu Simão, também, que das quinze casas, treze eram habitadas e a décima quarta era usada como escola. E lá se ensinava, além de todas as matérias básicas das escolas regulares, o Inglês, o Alemão e o

10 lucamacdoiss.com.br 10 Japonês. Aqui um comentário relevante, de Fernando: O conhecimento de diferentes Línguas ajuda muito no entendimento das relações do Homem com o meio ambiente, com o mundo, comentário ao qual Simão fez questão de dizer que assinava embaixo. * * * * * Enquanto os visitantes descansavam, os três jovens que os trouxeram até a fazenda reuniam-se com Fernando, Joseph e Akira. O que vocês disseram aos estranhos? Nada! Nada? Nada não. Só perguntamos o que era o aparelho em que haviam chegado. Eles perguntaram sobre nós? Não, não fizeram nenhuma pergunta, só pediram que os levássemos a alguém que pudesse ajudá-los. Bom. Isso é bom. Pai, gostaríamos de saber como eles chegaram aqui, quero dizer, de onde eles vieram? Uma vez que nos foi ensinado que não podemos sair do vale. Se sairmos, morreremos, pois o ar fora do vale é impróprio à vida humana; à vida animal, melhor dizendo, disse Marcelo, um dos jovens, ao Akira. Sim. É verdade! Nós vamos conversar com os estranhos para descobrirmos de onde eles vieram. Filho, por favor, é importante, nós pedimos a vocês que não conversem com os outros meninos sobre esse assunto. Tudo bem, mas quem são eles? Vieram de outro planeta? Pois

11 lucamacdoiss.com.br 11 nos foi ensinado que éramos os únicos, os últimos seres humanos da Terra. Pelo visto, nesse ponto, estávamos enganados. Deve haver outros seres humanos vivendo na Terra; outras pessoas devem ter sobrevivido à destruição do Ambiente Terrestre pelo Homem. Nós vamos descobrir, amanhã. Hoje, o melhor que vocês tem a fazer é irem cuidar de seus deveres escolares. * * * * * Simão e Tapajó deduziram que a chegada deles ao vale, à Fazenda Utopia, não era um fato desejado, tampouco fora previsto, mas as pessoas que ali viviam eram pessoas civilizadas, pessoas do bem; os dois não corriam nenhum risco por ali estarem. Sabiam, no entanto, que teriam de aguardar na casa até serem convidados a sair, provavelmente para a refeição da tarde o jantar, uma vez que ali não havia rede de energia elétrica; talvez, gerador. Simão havia visto suportes com tochas na frente das casas e dos galpões; provavelmente os dali conseguiam produzir algum combustível, provavelmente do milho. Pela janela, puderam ver que teriam no máximo mais duas horas de sol. Quem são eles? Boa pergunta. O que posso dizer é que: são pessoas de bom nível de instrução, provavelmente diplomados. Eles mostram uma preocupação com a educação das crianças e dos jovens que jamais vi em canto algum deste país. É, mas uma formação superior não é garantia de boa índole. Verdade, meu dileto amigo. Mas pela recepção que tivemos, tenho certeza de que são pessoas do bem. Descanse, esteja tranquilo, em breve você estará com a Lua e com os bacuris.

12 lucamacdoiss.com.br 12 Estou tranquilo, sei perceber um perigo de longe. Ah! O que significa utopia? Um sonho. Um desejo impossível, como o de eu ter novamente a minha vida de criança; pensando bem, como qualquer criança de hoje ter a minha vida de criança; sem televisão, sem computador, sem... Não há oh gente oh não, Luar como este do sertão, cantou o índio. (2) Você aprende rápido. Considerando que o Homem acabou com o sertão... com as matas, com as palmeiras... nem os sabiás terão onde cantar... sem palmeiras, sem sabiás, sem poetas. * * * * * A conversa entre os visitantes e os comunitários, a cada momento parecia mais fácil, menos necessária de ser uma longa e cansativa sessão de indagações e explicações; pois para uma pessoa inteligente e vivida, como Simão, cada descoberta de um hábito, cada palavra ouvida, cada interação entre as pessoas, o levava a deduzir, a conhecer como viviam aquelas pessoas. O jantar, então, muito esclarecedor, para conhecerem os hábitos de Utopia: à mesa todos os membros da sociedade, treze casais e vinte e seis filhos com idades entre seis e doze anos; apenas um jovem casal aparentava idade em torno de dezessete anos; jovens que, bem juntinhos, trocavam cúmplices olhares. A comida estava posta, quando os dois convidados chegaram: vegetais diversos; legumes crus e cozidos, variados; lasanha de brócolis; suco de laranja e um delicioso pudim de sobremesa tudo que um bom vegetariano tem direito. Antes de saborearem as iguarias, cada um dos adultos se apresentou. A sociedade era formada por três médicos, dois agrônomos, dois dentistas, dois engenheiros mecânicos, um engenheiro

13 lucamacdoiss.com.br 13 civil, três economistas, dois veterinários, dois professores, um técnico e- letrônico e donas de casa, melhor, ex-donas de casa conforme elas, com refinado humor, enfatizaram. Pessoas de diversas profissões e de diversas nacionalidades: italiana, alemã, espanhola, portuguesa, japonesa, inglesa e, a maioria, brasileira. Bem, mas fizeram questão de explicar que ali todos tinham iguais obrigações, que a formação profissional do passado não dava nenhum privilégio a quem quer que fosse, apenas indicava a função certa a ser desempenhada para o bom andamento da Fazenda. Mas, não há como esconder um fato: o Tapajó só gostou da lasanha, mesmo assim gostaria que nela houvesse uma cobertura de carne ou uma camada de presunto, onde já se viu? não comem carne, nem peixe!, comentário feito ao pé do ouvido de Simão. O que ficou evidente para os visitantes foi o bom humor que reinava à mesa; um bom humor resultante da felicidade de estarem aquelas pessoas ali, do prazer por compartilhar momentos com os amigos, com os iguais. Sorrisos, risos, gargalhadas, a- té, eram oferecidos de graça. * * * * * Porém, como alegria e dor andam de braços dados, voltemos no tempo: antes de os estrangeiros chegarem, uma conversa entre os adultos da comunidade mostrou a enorme preocupação que trazia a presença dos dois ali em Utopia. Estamos em uma sinuca de bico, não existe uma boa solução: temos de deixá-los partir e corrermos o risco de falarem sobre a existência de nossa comunidade; assim, com certeza, outros virão e será o fim de nosso sonho; nossos filhos vão querer conhecer o mundo exterior. Sem nossos filhos, Utopia perde o sentido de existir. O grande risco, o que de certa forma já ocorreu, é se eles fala-

14 lucamacdoiss.com.br 14 rem a respeito da vida deles, do mundo deles a nossos filhos. As crianças vão, um dia, querer ter a experiência de viver lá fora. Isso temos de evitar a todo custo. Nossos filhos não podem ouvir as histórias desses dois. É imperativo, nós não temos opção, vamos ajudá-los a partir o mais rápido possível. E, vamos contar a eles por que estamos aqui, no que acreditamos, o que buscamos com Utopia. Quem sabe, eles se sensibilizem com a nossa causa e prometam não contar a ninguém de nossa existência. Mas, por favor, Joseph e Fernando, vocês que vão conversar com eles, não mencionem a Caverna. A Caverna, a única passagem para fora do vale, um segredo dos adultos; desconhecida pelos filhos. Localizada no lado Sul do paredão, com um amplo salão, onde estavam escondidos os dois aviões da comunidade. * * * * * Após o jantar, noite formada então, Fernando e Joseph chamaram Simão e Tapajó para um passeio em frente às casas. A lua nova e as tochas acesas deixavam o ambiente com um aspecto de um lugarejo inglês da era medieval. Você quer dizer que a única saída deste vale é pelo alto, com o uso de uma aeronave ou escalando esses altos paredões? Sim. A boa nova é que o Fabiano e o Gilberto foram examinar o avião, e, eles acreditam que possam consertar o trem de pouso em poucos dias, dois ou três. Ótimo! Muito Obrigado. Queremos, não em troca, porque de qualquer forma nós os a-

15 lucamacdoiss.com.br 15 judaremos, mas gostaríamos da compreensão de vocês a um nosso pedido... Por favor, faremos o que vocês pedirem. Pedimos que não contem nada da vida fora deste vale, da vida de vocês, a nossos filhos, aos adolescentes, principalmente, e, tomem cuidado ao conversar com os três jovens que trouxeram vocês, pois esses estão muito curiosos. E, também, que não falem aos seus que vocês nos encontraram, que não contem de nossa existência, aqui, neste local. Vocês não querem que falemos de vocês. Mas pelo menos podemos saber a razão, do que vocês têm medo? O que vocês querem preservar? Embora o que vocês querem preservar eu já saiba, basta ver a vida que vocês levam, a vida saudável, física e social, e, mental, um dia aqui e minha mente está bem mais leve. É justo. Amanhã cedo contamos a vocês toda a história, com calma, agora já está ficando tarde, é melhor eu levá-los à casa em que estão hospedados, pois em meia hora as tochas serão apagadas. * * * * * Não que tenha sido uma surpresa a história ouvida, no dia seguinte, por Simão, pois, então, ele a tinha presumida, quase toda, mas a coragem de partir para uma vida desconhecida e, principalmente, de largar tudo, família e todos os bens materiais acumulados por anos, por gerações, até, era admirável. Quantos desfalecentes, velhos, à extremaunção, agonizantes, não conseguem renunciar ao que as mãos não podem mais reter? E, a iniciativa de fazer, de construir uma vida, um lar começando do zero, invejável. Abrir mão do luxo; dispensar a facilidade em ter alimentos, roupas, moradia, serviços domésticos, e tudo mais; virar as costas para a tecnologia, cinema, televisão, Internet, celular, I...anything:

16 lucamacdoiss.com.br 16 quantos que podem ter tudo o que querem bastando somente esfregar o cartão de crédito na fuça do capitalismo e ter algumas unidades monetárias abaixadas da astronômica conta bancária, sem se fazer notar, sem fazer cócegas põem calos nas mãos? Antes da história. Ao acordarem bem cedo, sete horas da manhã, Simão e Tapajó foram surpreendidos por Thomas, o inglês, que lhes trazia dois calções e duas batas, azuis: Vamos, meus amigos, vistam estas peças. Estamos esperando por vocês para nosso exercício de toda manhã, então, os hóspedes correram os olhos até a frente do galpão principal, e, lá estavam todos, adultos e filhos, fazendo exercícios de aquecimento, uma vida sadia começa com um corpo sadio. Os comunitários haviam acordado às cinco e àquela hora tinham todos os afazeres da manhã realizados. Foi no momento em que olhou para o relógio, que trazia no pulso, que Simão realizou que nenhum membro de Utopia usava relógio, nem joia alguma, nem uma simples bijuteria, nem um simples anel, nem um singelo colar. Nesse tempo todo ali não vira nenhum deles, nem nenhuma mulher, usando algum ornato, uma simples pedra que fosse. O relógio de Simão e o de Tapajó eram os únicos da Fazenda. Motivo, até, de risos escondidos das crianças, que sabiam o que eram aqueles objetos, por livros, por lições dos mestres, mas tinham aprendido que o ornamento individual fora um dos males da extinta humanidade; um sinal de exibição, de poder. Após uma boa caminhada e alguns exercícios em aparelhos diversos espalhados pelo percurso, um reforçado café da manhã os aguardava: pães, manteiga, iogurte e leite de cabra. Então, finalmente, a tão aguardada história.

17 lucamacdoiss.com.br 17 * * * * * Sem mais delongas, a prometida história, contada por Fernando e Estevão, um ex-paulistano, outro ex-carioca: Um grupo de amigos, e amigos dos amigos, por meses discutiram a respeito da qualidade de vida que tinham e as alternativas para melhorá-la: A vida nas grandes cidades: insuportável, tempo precioso de uma curta vida jogado fora todo dia; até em dias de fim de semana, quando o tempo de lazer é espremido entre horas perdidas em estradas e em cidades, com o pesado e arrastado trânsito. A sociedade: cada dia mais individualista, mais materialista, mais desigual, mais fechada, mais etiquetada, mais tudo, mas tudo de ruim. O poder norteando o Homem, o poder da riqueza material, o poder de ter o melhor e o melhor dos carros, a maior e a maior das mansões. As dez mais invejáveis personalidades são pessoas que conseguiram o primeiro bilhão antes dos trinta, as quais fazem parte do almejado, do invejável grupo dos UB Ultimate Being. Todo poder é medido em dinheiro. Uma sociedade com poucos majoritários que retiram dela os grandes lucros e uma multidão de minoritários que fica com o prejuízo. A política: a cada palavra do fazer para o povo, o Governo mais se distancia do povo, mais pisa o povo. A classe trabalhadora e os empresários cada dia têm de contribuir com uma quantia maior para um Governo cada dia maior, mais inchado, mais pesado. Uma política feita de egos inflados e interesses privados. A religião, a educação, a saúde, a segurança, o meio ambiente... bem doentes. A inveja, a vaidade, a ostentação, a corrupção, o consumo, a hipocrisia, o interesse privado... bem fortes. Sem saída, sem alternativa... começar do zero, em um lugar

18 lucamacdoiss.com.br 18 desconhecido, sem volta, sem contato com o mundo exterior: Utopia. Fazenda Utopia: Thomas havia sobrevoado esta área havia algum tempo, e ficado deslumbrado, disse Fernando. Vendemos tudo que tínhamos, compramos dois aviões e tudo que precisávamos para começar uma nova vida aqui. Vocês, pelo que percebo, formaram uma comunidade na qual todos têm obrigações e os mesmos direitos sobre os bens. E, leis? Existem leis a serem obedecidas, ou regras? Uma única regra rege Utopia: o respeito ao outro. Respeito que começa da abdicação de valores baseados no Orgulho. Orgulho, no sentido de ser um amor-próprio exagerado; orgulho pelo dinheiro que temos, pela qualidade de vida que temos... qualidade, melhor dizendo: qualidade de vida, entre aspas... resumindo, nossa única lei é a: abdicação da felicidade buscada pelo bem estar pessoal; a qual vem, quase sempre, com a infelicidade do outro... abdicação da felicidade baseada na ostentação... negação do Orgulho que divide a sociedade em castas, em classes. Em nossas discussões, ainda na fase de planejamento, continuou Estevão, quando não raramente varávamos a noite, pensamos em formar uma sociedade baseada nas famílias de imigrantes, quando da chegada ao país, que constituíram comunidades agrícolas. Elas se fixavam em um sítio, escolhiam algumas culturas frutas, verduras, legumes, e mantinham relações com a cidade, utilizavam as facilidades dela: comércio, escola, médico... Comunidades lideradas pelos patriarcas; mas os filhos não se mantiveram na comunidade; após a formação escolar básica, a maioria seguiu profissões não ligadas à terra e constituiu uma vida independente. E, a dependência da cidade seria frustrante para nós; não é o que queremos, continuou Fernando.

19 lucamacdoiss.com.br 19 Existem, ainda, algumas comunidades americanas que vivem fechadas, com contatos esporádicos com a cidade, com a civilização, mas que tem como base a crença, a religião e são norteadas por algum tipo de fanatismo. Bem, não era isso que, também, buscávamos, completou Estevão. Então, espero que estejam entendendo o que queremos proteger, por que pedimos que mantenham nossa comunidade em segredo. Talvez, no futuro, Utopia se torne uma pequena cidade. Talvez, alguns daqui partam, e levem um embrião, uma semente que germine outras comunidades, ou cidades voltadas para o bem social, para uma vida saudável, em harmonia com a natureza, inclusive com a natureza humana. É! vocês sabem realmente o que querem; mas, penso eu, a verdadeira felicidade depende, também, do desenvolvimento de nossas faculdades mentais: o pensamento, a inteligência voltada para as ciências, para as letras, melhor, para as artes. O que deve ser restrito aqui, limitado aos membros de Utopia, e às disponibilidades da Fazenda. Concordo. Existe aqui uma limitação de criação; embora tenhamos em nossa biblioteca todos os melhores livros do mundo, pelo menos, os essenciais de cada área; obviamente, temos os já escritos, não teremos as novidades, as inovações; mas, por outro lado, não teremos as inovações, que hoje são a maioria, que levam cada vez mais o Homem ao ponto que recusamos, ao desenvolvimento baseado na aparência, no dinheiro, no orgulho exagerado, no eu-próprio. Um círculo vicioso, o mais pelo mais, completou Estevão. É evidente a generosidade, a dignidade, a elevada entrega, a abdicação de vocês; mas, pergunto se todo o conhecimento de vocês o qual, provavelmente, da maioria daqui, veio de universidades públicas, pagas pelo dinheiro de impostos, pelo dinheiro do povo, se todo o ta-

20 lucamacdoiss.com.br 20 lento de vocês, juntos ou localizados por área de interesse, não seria relevante, proveitoso para melhorar a vida de nosso povo tão sofrido?... Se o emprego das habilidades, da filosofia de vida de vocês, talvez, como assessores, conselheiros, não diminuiria a ignorância de nossos políticos? Essa atitude seria, no meu ponto de vista, um total desprendimento de egoísmo. Não deixo de ficar lisonjeado com suas palavras, dileto debatedor, mas não posso, não podemos, falo por todos daqui, aceitar essa capacidade que nos atribui, e, mesmo que mil vezes a tivéssemos, não vejo como nossos talentos possam modificar, ou ajudar a modificar esse viciado e doente sistema, disse Fernando. Se alguém quiser que algo seja feito, seja esse alguém o que decide, não um conselheiro, um assessor. Mil conselhos não valem uma iluminada cagada. Desculpe-me a expressão baixa, mas de alta verdade, completou Estevão. Além do que, hoje, e todo o sempre, o mundo está cheio de ego inflado, de amor-próprio elevado, de espelho de um só rosto, de decisões de íntimo umbigo. Certa vez, continuou Fernando, um bom conselheiro, ministro eu acho, criou um imposto para a Saúde, injusto, em cascata; bilhões entraram para o cofre do governo; bilhões que seriam de grande benefício para o povo; bilhões que foram por necessidade desviados a outras áreas de maior urgência, disseram os mandantes; bilhões que engordaram os bolsos dos governistas, disseram os jornalistas. O bom político ganhou popularidade, e, portanto votos, com a adoção do imposto e com a derrubada do imposto. Votos!, voltou Estevão. Os populistas, por esperteza, por oportunismo ou por falta de competência, perpetuaram a pobreza com um programa de ajuda aos mais necessitados em vez de dar educação de qua-

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele O Plantador e as Sementes Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele sabia plantar de tudo: plantava árvores frutíferas, plantava flores, plantava legumes... ele plantava

Leia mais

Em algum lugar de mim

Em algum lugar de mim Em algum lugar de mim (Drama em ato único) Autor: Mailson Soares A - Eu vi um homem... C - Homem? Que homem? A - Um viajante... C - Ele te viu? A - Não, ia muito longe! B - Do que vocês estão falando?

Leia mais

Não é o outro que nos

Não é o outro que nos 16º Plano de aula 1-Citação as semana: Não é o outro que nos decepciona, nós que nos decepcionamos por esperar alguma coisa do outro. 2-Meditação da semana: Floresta 3-História da semana: O piquenique

Leia mais

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar MELHORES MOMENTOS Expressão de Louvor Acordar bem cedo e ver o dia a nascer e o mato, molhado, anunciando o cuidado. Sob o brilho intenso como espelho a reluzir. Desvendando o mais profundo abismo, minha

Leia mais

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a João do Medo Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a mamãe dele. Um dia, esse menino teve um sonho ruim com um monstro bem feio e, quando ele acordou, não encontrou mais

Leia mais

Chantilly, 17 de outubro de 2020.

Chantilly, 17 de outubro de 2020. Chantilly, 17 de outubro de 2020. Capítulo 1. Há algo de errado acontecendo nos arredores dessa pequena cidade francesa. Avilly foi completamente afetada. É estranho descrever a situação, pois não encontro

Leia mais

Meninas Nhe nhe. Eu Aff Chegando lá. Eu Gente estou com um mau pressentimento

Meninas Nhe nhe. Eu Aff Chegando lá. Eu Gente estou com um mau pressentimento Eu e umas amigas íamos viajar. Um dia antes dessa viagem convidei minhas amigas para dormir na minha casa. Nós íamos para uma floresta que aparentava ser a floresta do Slender-Man mas ninguém acreditava

Leia mais

MEU TIO MATOU UM CARA

MEU TIO MATOU UM CARA MEU TIO MATOU UM CARA M eu tio matou um cara. Pelo menos foi isso que ele disse. Eu estava assistindo televisão, um programa idiota em que umas garotas muito gostosas ficavam dançando. O interfone tocou.

Leia mais

Arthur de Carvalho Jaldim Rubens de Almeida Oliveira CÃO ESTELAR. EDITORA BPA Biblioteca Popular de Afogados

Arthur de Carvalho Jaldim Rubens de Almeida Oliveira CÃO ESTELAR. EDITORA BPA Biblioteca Popular de Afogados Arthur de Carvalho Jaldim Rubens de Almeida Oliveira O CÃO ESTELAR EDITORA BPA Biblioteca Popular de Afogados Texto e Pesquisa de Imagens Arthur de Carvalho Jaldim e Rubens de Almeida Oliveira O CÃO ESTELAR

Leia mais

Não saia de seu Caminho! Sinopse: Uma Menina, indo atrasada da casa da avó para a escola. No caminho seu ônibus quebra e ela tem que tomar um caminho

Não saia de seu Caminho! Sinopse: Uma Menina, indo atrasada da casa da avó para a escola. No caminho seu ônibus quebra e ela tem que tomar um caminho Não saia de seu Caminho! Sinopse: Uma Menina, indo atrasada da casa da avó para a escola. No caminho seu ônibus quebra e ela tem que tomar um caminho alternativo, onde encontra com um sujeito estranho.

Leia mais

Atividades Lição 5 ESCOLA É LUGAR DE APRENDER

Atividades Lição 5 ESCOLA É LUGAR DE APRENDER Atividades Lição 5 NOME: N º : CLASSE: ESCOLA É LUGAR DE APRENDER 1. CANTE A MÚSICA, IDENTIFICANDO AS PALAVRAS. A PALAVRA PIRULITO APARECE DUAS VEZES. ONDE ESTÃO? PINTE-AS.. PIRULITO QUE BATE BATE PIRULITO

Leia mais

Para gostar de pensar

Para gostar de pensar Rosângela Trajano Para gostar de pensar Volume III - 3º ano Para gostar de pensar (Filosofia para crianças) Volume III 3º ano Para gostar de pensar Filosofia para crianças Volume III 3º ano Projeto editorial

Leia mais

Visite nossa biblioteca! Centenas de obras grátis a um clique! http://www.portaldetonando.com.br

Visite nossa biblioteca! Centenas de obras grátis a um clique! http://www.portaldetonando.com.br Sobre a digitalização desta obra: Esta obra foi digitalizada para proporcionar de maneira totalmente gratuita o benefício de sua leitura àqueles que não podem comprá-la ou àqueles que necessitam de meios

Leia mais

CANDIDATO BANCADO PELOS PAIS

CANDIDATO BANCADO PELOS PAIS CANDIDATO BANCADO PELOS PAIS Desânimo total Acho que minhas forças estão indo abaixo, ando meio desmotivado!!!! Não quero desanimar, mas os fatores externos estão superando minha motivação... cobrança

Leia mais

DESENGANO CENA 01 - CASA DA GAROTA - INT. QUARTO DIA

DESENGANO CENA 01 - CASA DA GAROTA - INT. QUARTO DIA DESENGANO FADE IN: CENA 01 - CASA DA GAROTA - INT. QUARTO DIA Celular modelo jovial e colorido, escovas, batons e objetos para prender os cabelos sobre móvel de madeira. A GAROTA tem 19 anos, magra, não

Leia mais

coleção Conversas #17 - DEZEMBRO 2014 - u s a r Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça.

coleção Conversas #17 - DEZEMBRO 2014 - u s a r Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. coleção Conversas #17 - DEZEMBRO 2014 - Sou so profes r a, Posso m a s n ão parar d aguento m e ai ensinar s? d a r a u la s Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. A

Leia mais

O céu. Aquela semana tinha sido uma trabalheira! www.interaulaclube.com.br

O céu. Aquela semana tinha sido uma trabalheira! www.interaulaclube.com.br A U A UL LA O céu Atenção Aquela semana tinha sido uma trabalheira! Na gráfica em que Júlio ganhava a vida como encadernador, as coisas iam bem e nunca faltava serviço. Ele gostava do trabalho, mas ficava

Leia mais

INT. BIBLIOTECA (1960) - DIANTE DO BALCãO DA BIBLIOTECáRIA

INT. BIBLIOTECA (1960) - DIANTE DO BALCãO DA BIBLIOTECáRIA INT. BIBLIOTECA (1960) - DIANTE DO BALCãO DA BIBLIOTECáRIA Carolina e, acompanhados de, estão na biblioteca, no mesmo lugar em que o segundo episódio se encerrou.os jovens estão atrás do balcão da biblioteca,

Leia mais

Unidade 4: Obedeça ao Senhor Neemias e o muro

Unidade 4: Obedeça ao Senhor Neemias e o muro Histórias do Velho Testamento 3 a 6 anos Histórias de Deus:Gênesis-Apocalipse Unidade 4: Obedeça ao Senhor Neemias e o muro O Velho Testamento está cheio de histórias que Deus nos deu, espantosas e verdadeiras.

Leia mais

Sei... Entra, Fredo, vem tomar um copo de suco, comer um biscoito. E você também, Dinho, que está parado aí atrás do muro!

Sei... Entra, Fredo, vem tomar um copo de suco, comer um biscoito. E você também, Dinho, que está parado aí atrás do muro! Capítulo 3 N o meio do caminho tinha uma casa. A casa da Laila, uma menina danada de esperta. Se bem que, de vez em quando, Fredo e Dinho achavam que ela era bastante metida. Essas coisas que acontecem

Leia mais

RECUPERAÇÃO DE IMAGEM

RECUPERAÇÃO DE IMAGEM RECUPERAÇÃO DE IMAGEM Quero que saibam que os dias que se seguiram não foram fáceis para mim. Porém, quando tornei a sair consciente, expus ao professor tudo o que estava acontecendo comigo, e como eu

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 49 Discurso no encontro com grupo

Leia mais

MARK CARVALHO. Capítulo 1

MARK CARVALHO. Capítulo 1 MARK CARVALHO Capítulo 1 Mark era um menino com altura média, pele clara, pequenos olhos verdes, cabelos com a cor de avelãs. Um dia estava em casa vendo televisão, até que ouviu: Filho, venha aqui na

Leia mais

- Você sabe que vai ter que falar comigo em algum momento, não sabe?

- Você sabe que vai ter que falar comigo em algum momento, não sabe? Trecho do romance Caleidoscópio Capítulo cinco. 05 de novembro de 2012. - Você sabe que vai ter que falar comigo em algum momento, não sabe? Caçulinha olha para mim e precisa fazer muita força para isso,

Leia mais

Tia Pri Didáticos Educação Cristã PROIBIDA REPRODUÇÃO,CÓPIA OU DISTRIBUIÇÃO POR QUALQUER MEIO tiapri@tiapri.com (47) 3365-4077 www.tiapri.

Tia Pri Didáticos Educação Cristã PROIBIDA REPRODUÇÃO,CÓPIA OU DISTRIBUIÇÃO POR QUALQUER MEIO tiapri@tiapri.com (47) 3365-4077 www.tiapri. Tia Pri Didáticos Educação Cristã PROIBIDA REPRODUÇÃO,CÓPIA OU DISTRIBUIÇÃO POR QUALQUER MEIO tiapri@tiapri.com (47) 3365-4077 www.tiapri.com Página 1 1. HISTÓRIA SUNAMITA 2. TEXTO BÍBLICO II Reis 4 3.

Leia mais

Vamos fazer um mundo melhor?

Vamos fazer um mundo melhor? Vamos fazer um mundo melhor? infanto-junvenil No mundo em que vivemos há quase 9 milhões de espécies de seres vivos, que andam, voam, nadam, vivem sobre a terra ou nos oceanos, são minúsculos ou enormes.

Leia mais

Entrevista Noemi Rodrigues (Associação dos Pescadores de Guaíba) e Mário Norberto, pescador. Por que de ter uma associação específica de pescadores?

Entrevista Noemi Rodrigues (Associação dos Pescadores de Guaíba) e Mário Norberto, pescador. Por que de ter uma associação específica de pescadores? Entrevista Noemi Rodrigues (Associação dos Pescadores de Guaíba) e Mário Norberto, pescador. Por que de ter uma associação específica de pescadores? Noemi: É a velha história, uma andorinha não faz verão,

Leia mais

LOURENÇO LOURINHO PRACIANO 1

LOURENÇO LOURINHO PRACIANO 1 LOURENÇO LOURINHO PRACIANO 1 TESOUREIRO 41 ANOS DE TRABALHO Empresa Horizonte Nascido em Itapipoca, Ceará Idade: 76 anos Esposa: Maria Pinto de Oliveira Praciano Filhos: Lucineide Eu entrei na Empresa

Leia mais

P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento.

P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento. museudapessoa.net P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento. R Eu nasci em Piúma, em primeiro lugar meu nome é Ivo, nasci

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 68 Discurso na cerimónia de lançamento

Leia mais

12/02/2010. Presidência da República Secretaria de Imprensa Discurso do Presidente da República

12/02/2010. Presidência da República Secretaria de Imprensa Discurso do Presidente da República , Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de inauguração da Escola Municipal Jornalista Jaime Câmara e alusiva à visita às unidades habitacionais do PAC - Pró-Moradia no Jardim do Cerrado e Jardim Mundo

Leia mais

Os encontros de Jesus. sede de Deus

Os encontros de Jesus. sede de Deus Os encontros de Jesus 1 Jo 4 sede de Deus 5 Ele chegou a uma cidade da Samaria, chamada Sicar, que ficava perto das terras que Jacó tinha dado ao seu filho José. 6 Ali ficava o poço de Jacó. Era mais ou

Leia mais

Titulo - VENENO. Ext Capital de São Paulo Noite (Avista-se a cidade de cima, forrada de prédios, algumas luzes ainda acesas).

Titulo - VENENO. Ext Capital de São Paulo Noite (Avista-se a cidade de cima, forrada de prédios, algumas luzes ainda acesas). Titulo - VENENO Ext Capital de São Paulo Noite (Avista-se a cidade de cima, forrada de prédios, algumas luzes ainda acesas). Corta para dentro de um apartamento (O apartamento é bem mobiliado. Estofados

Leia mais

1. Você escolhe a pessoa errada porque você espera que ela mude após o casamento.

1. Você escolhe a pessoa errada porque você espera que ela mude após o casamento. 10 Maneiras de se Casar com a Pessoa Errada O amor cego não é uma forma de escolher um parceiro. Veja algumas ferramentas práticas para manter os seus olhos bem abertos. por Rabino Dov Heller, Mestre em

Leia mais

Autor (a): Januária Alves

Autor (a): Januária Alves Nome do livro: Crescer não é perigoso Editora: Gaivota Autor (a): Januária Alves Ilustrações: Nireuda Maria Joana COMEÇO DO LIVRO Sempre no fim da tarde ela ouvia no volume máximo uma musica, pois queria

Leia mais

Lembro-me do segredo que ela prometeu me contar. - Olha, eu vou contar, mas é segredo! Não conte para ninguém. Se você contar eu vou ficar de mal.

Lembro-me do segredo que ela prometeu me contar. - Olha, eu vou contar, mas é segredo! Não conte para ninguém. Se você contar eu vou ficar de mal. -...eu nem te conto! - Conta, vai, conta! - Está bem! Mas você promete não contar para mais ninguém? - Prometo. Juro que não conto! Se eu contar quero morrer sequinha na mesma hora... - Não precisa exagerar!

Leia mais

Sinopse II. Idosos não institucionalizados (INI)

Sinopse II. Idosos não institucionalizados (INI) Sinopse II. Idosos não institucionalizados (INI) II 1 Indicadores Desqualificação Não poder fazer nada do que preciso, quero fazer as coisas e não posso ; eu senti-me velho com 80 anos. Aí é que eu já

Leia mais

MOVIMENTO FAMILIAR CRISTÃO Equipe Dia/mês/ano Reunião nº Ano: Tema: QUEM MEXEU NO MEU QUEIJO Acolhida Oração Inicial

MOVIMENTO FAMILIAR CRISTÃO Equipe Dia/mês/ano Reunião nº Ano: Tema: QUEM MEXEU NO MEU QUEIJO Acolhida Oração Inicial MOVIMENTO FAMILIAR CRISTÃO Equipe Dia/mês/ano Reunião nº Ano: Local: Tema: QUEM MEXEU NO MEU QUEIJO Acolhida Oração Inicial Esta é uma história de mudança que ocorre em um labirinto em que quatro personagens

Leia mais

Superando Seus Limites

Superando Seus Limites Superando Seus Limites Como Explorar seu Potencial para ter mais Resultados Minicurso Parte VI A fonte do sucesso ou fracasso: Valores e Crenças (continuação) Página 2 de 16 PARTE 5.2 Crenças e regras!

Leia mais

DICA 1. VENDA MAIS ACESSÓRIOS

DICA 1. VENDA MAIS ACESSÓRIOS DICA 1. VENDA MAIS ACESSÓRIOS Uma empresa sem vendas simplesmente não existe, e se você quer ter sucesso com uma loja você deve obrigatoriamente focar nas vendas. Pensando nisso começo este material com

Leia mais

Fui, não: fui e sou. Não mudei a esse respeito. Sou anarquista.

Fui, não: fui e sou. Não mudei a esse respeito. Sou anarquista. Tínhamos acabado de jantar. Defronte de mim o meu amigo, o banqueiro, grande comerciante e açambarcador notável, fumava como quem não pensa. A conversa, que fora amortecendo, jazia morta entre nós. Procurei

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 37 Discurso na cerimónia de retomada

Leia mais

A Palavra de Deus. - É na Palavra de Deus que o homem encontra o conhecimento a respeito da Vida, de onde viemos e onde vamos viver a eternidade.

A Palavra de Deus. - É na Palavra de Deus que o homem encontra o conhecimento a respeito da Vida, de onde viemos e onde vamos viver a eternidade. A Palavra de Deus 2 Timóteo 3:16-17 Pois toda a Escritura Sagrada é inspirada por Deus e é útil para ensinar a verdade, condenar o erro, corrigir as faltas e ensinar a maneira certa de viver. 17 E isso

Leia mais

Sinopse I. Idosos Institucionalizados

Sinopse I. Idosos Institucionalizados II 1 Indicadores Entrevistados Sinopse I. Idosos Institucionalizados Privação Até agora temos vivido, a partir de agora não sei Inclui médico, enfermeiro, e tudo o que for preciso de higiene somos nós

Leia mais

DANIEL EM BABILÔNIA Lição 69. 1. Objetivos: Ensinar que devemos cuidar de nossos corpos e recusar coisas que podem prejudicar nossos corpos

DANIEL EM BABILÔNIA Lição 69. 1. Objetivos: Ensinar que devemos cuidar de nossos corpos e recusar coisas que podem prejudicar nossos corpos DANIEL EM BABILÔNIA Lição 69 1 1. Objetivos: Ensinar que devemos cuidar de nossos corpos e recusar coisas que podem prejudicar nossos corpos 2. Lição Bíblica: Daniel 1-2 (Base bíblica para a história e

Leia mais

SEU GUIA DEFINITIVO PARA PLANEJAR E EXECUTAR DE UMA VEZ POR TODAS SEU SONHO ENGAVETADO

SEU GUIA DEFINITIVO PARA PLANEJAR E EXECUTAR DE UMA VEZ POR TODAS SEU SONHO ENGAVETADO FAÇA ACONTECER AGORA MISSÃO ESPECIAL SEU GUIA DEFINITIVO PARA PLANEJAR E EXECUTAR DE UMA VEZ POR TODAS SEU SONHO ENGAVETADO RENATA WERNER COACHING PARA MULHERES Página 1 Q ue Maravilha Começar algo novo

Leia mais

Unidade 04: Obedeça ao Senhor Josué obedece, o muro cai

Unidade 04: Obedeça ao Senhor Josué obedece, o muro cai Histórias do Velho Testamento Histórias de Deus:Gênesis-Apocalipse 3 a 6 anos Unidade 04: Obedeça ao Senhor Josué obedece, o muro cai O velho testamento está cheio de histórias que Deus nos deu, espantosas

Leia mais

História Para as Crianças. A menina que caçoou

História Para as Crianças. A menina que caçoou História Para as Crianças A menina que caçoou Bom dia crianças, feliz sábado! Uma vez, do outro lado do mundo, em um lugar chamado Austrália vivia uma menina. Ela não era tão alta como algumas meninas

Leia mais

Rio de Janeiro, 10 de junho de 2008

Rio de Janeiro, 10 de junho de 2008 IDENTIFICAÇÃO Rio de Janeiro, 10 de junho de 2008 Humberto Cordeiro Carvalho admitido pela companhia em 1 de julho de 1981. Eu nasci em 25 de maio de 55 em Campos do Goytacazes. FORMAÇÃO Segundo grau Escola

Leia mais

COMO INVESTIR PARA GANHAR DINHEIRO

COMO INVESTIR PARA GANHAR DINHEIRO COMO INVESTIR PARA GANHAR DINHEIRO Por que ler este livro? Você já escutou histórias de pessoas que ganharam muito dinheiro investindo, seja em imóveis ou na Bolsa de Valores? Após ter escutado todas essas

Leia mais

Unidade 2: A família de Deus cresce José perdoa

Unidade 2: A família de Deus cresce José perdoa Olhando as peças Histórias de Deus:Gênesis-Apocalipse 3 a 6 anos Unidade 2: A família de Deus cresce José perdoa História Bíblica: Gênesis 41-47:12 A história de José continua com ele saindo da prisão

Leia mais

8 Passos para o Recrutamento Eficaz. Por Tiago Simões

8 Passos para o Recrutamento Eficaz. Por Tiago Simões 8 Passos para o Recrutamento Eficaz Por Tiago Simões Uma das coisas que aprendi na indústria de marketing de rede é que se você não tem um sistema de trabalho que comprovadamente funcione, muito provavelmente

Leia mais

LC 19_1-10 OS ENCONTROS DE JESUS ZAQUEU O HOMEM QUE QUERIA VER JESUS

LC 19_1-10 OS ENCONTROS DE JESUS ZAQUEU O HOMEM QUE QUERIA VER JESUS 1 LC 19_1-10 OS ENCONTROS DE JESUS ZAQUEU O HOMEM QUE QUERIA VER JESUS Lc 19 1 Jesus entrou em Jericó e estava atravessando a cidade. 2 Morava ali um homem rico, chamado Zaqueu, que era chefe dos cobradores

Leia mais

Tudo tem um tempo. Uma hora para nascer e uma hora para morrer.

Tudo tem um tempo. Uma hora para nascer e uma hora para morrer. CAPITULO 3 Ele não é o Homem que eu pensei que era. Ele é como é. Não se julga um Homem pela sua aparência.. Tudo tem um tempo. Uma hora para nascer e uma hora para morrer. Eu costumava saber como encontrar

Leia mais

PORQUE É QUE NÃO DANÇAM?

PORQUE É QUE NÃO DANÇAM? PORQUE É QUE NÃO DANÇAM? Na cozinha, ele serviu se de mais uma bebida e olhou para a mobília de quarto de cama que estava no pátio da frente. O colchão estava a descoberto e os lençóis às riscas estavam

Leia mais

OS 4 PASSOS ALTA PERFORMANCE A PARTIR DE AGORA PARA VOCÊ COMEÇAR A VIVER EM HIGHSTAKESLIFESTYLE.

OS 4 PASSOS ALTA PERFORMANCE A PARTIR DE AGORA PARA VOCÊ COMEÇAR A VIVER EM HIGHSTAKESLIFESTYLE. OS 4 PASSOS PARA VOCÊ COMEÇAR A VIVER EM ALTA PERFORMANCE A PARTIR DE AGORA HIGHSTAKESLIFESTYLE. Hey :) Gabriel Goffi aqui. Criei esse PDF para você que assistiu e gostou do vídeo ter sempre por perto

Leia mais

A CRIAÇÃO DO MUNDO-PARTE II

A CRIAÇÃO DO MUNDO-PARTE II Meditação Crianças de 10 a 11 anos NOME: DATA: 03/03/2013 PROFESSORA: A CRIAÇÃO DO MUNDO-PARTE II Versículos para decorar: 1 - O Espírito de Deus me fez; o sopro do Todo-poderoso me dá vida. (Jó 33:4)

Leia mais

Frequentemente você utiliza certos termos que não

Frequentemente você utiliza certos termos que não 10 Não se distraia demais Frequentemente você utiliza certos termos que não dão o mínimo problema na hora da fala, mas que, na escrita, podem fazê-lo oscilar entre uma forma ou outra. Ainda há muita gente

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL AUGUSTO AIRES DA MATA MACHADO. MATÉRIA: LÍNGUA PORTUGUESA. PROF.: MARCÉLIA ALVES RANULFO ASSUNTO: PRODUÇÃO DE TEXTO.

ESCOLA ESTADUAL AUGUSTO AIRES DA MATA MACHADO. MATÉRIA: LÍNGUA PORTUGUESA. PROF.: MARCÉLIA ALVES RANULFO ASSUNTO: PRODUÇÃO DE TEXTO. PROF.: MARCÉLIA ALVES RANULFO ALUNO: Victor Maykon Oliveira Silva TURMA: 6º ANO A ÁGUA A água é muito importante para nossa vida. Não devemos desperdiçar. Se você soubesse como ela é boa! Mata a sede de

Leia mais

Olga, imigrante de leste, é empregada nessa casa. Está vestida com um uniforme de doméstica. Tem um ar atrapalhado e está nervosa.

Olga, imigrante de leste, é empregada nessa casa. Está vestida com um uniforme de doméstica. Tem um ar atrapalhado e está nervosa. A Criada Russa Sandra Pinheiro Interior. Noite. Uma sala de uma casa de família elegantemente decorada. Um sofá ao centro, virado para a boca de cena. Por detrás do sofá umas escadas que conduzem ao andar

Leia mais

Quem te fala mal de. 10º Plano de aula. 1-Citação as semana: Quem te fala mal de outra pessoa, falará mal de ti também." 2-Meditação da semana:

Quem te fala mal de. 10º Plano de aula. 1-Citação as semana: Quem te fala mal de outra pessoa, falará mal de ti também. 2-Meditação da semana: 10º Plano de aula 1-Citação as semana: Quem te fala mal de outra pessoa, falará mal de ti também." Provérbio Turco 2-Meditação da semana: Mestre conselheiro- 6:14 3-História da semana: AS três peneiras

Leia mais

Qual o Sentido do Natal?

Qual o Sentido do Natal? Qual o Sentido do Natal? Por Sulamita Ricardo Personagens: José- Maria- Rei1- Rei2- Rei3- Pastor 1- Pastor 2- Pastor 3-1ª Cena Uma música de natal toca Os personagens entram. Primeiro entram José e Maria

Leia mais

Luís Norberto Pascoal

Luís Norberto Pascoal Viver com felicidade é sucesso com harmonia e humildade. Luís Norberto Pascoal Agradecemos aos parceiros que investem em nosso projeto. ISBN 978-85-7694-131-6 9 788576 941316 Era uma vez um pássaro que

Leia mais

OS AMIGOS NÃO SE COMPRAM

OS AMIGOS NÃO SE COMPRAM OS AMIGOS NÃO SE COMPRAM Era o dia 22 de dezembro. O Natal aproximava-se e o Pai Natal estava muito atarefado a preparar os sacos com os brinquedos. Muito longe dali, em Portugal, um menino chamado João

Leia mais

R I T A FERRO RODRIGUES

R I T A FERRO RODRIGUES E N T R E V I S T A A R I T A FERRO RODRIGUES O talento e a vontade de surpreender em cada projecto deixou-me confiante no meu sexto sentido, que viu nela uma das pivôs mais simpáticas da SIC NOTÍCIAS.

Leia mais

Dormia e me remexia na cama, o coração apertado, a respiração ofegante. Pensava:

Dormia e me remexia na cama, o coração apertado, a respiração ofegante. Pensava: Não há como entender a ansiedade sem mostrar o que se passa na cabeça de uma pessoa ansiosa. Este texto será uma viagem dentro da cabeça de um ansioso. E só para constar: ansiedade não é esperar por um

Leia mais

::Seu João o Senhor sabe o que é o meio ambiente?

::Seu João o Senhor sabe o que é o meio ambiente? O Meio Ambiente ::Seu João o Senhor sabe o que é o meio ambiente? Seu João: Não sei não! Mas quero que você me diga direitinho pra eu aprender e ensinar todo mundo lá no povoado onde eu moro. : Seu João,

Leia mais

O PATINHO QUE NÃO QUERIA APRENDER A VOAR

O PATINHO QUE NÃO QUERIA APRENDER A VOAR Numa bela manhã, nasceram seis lindos patinhos que encheram de encanto seus pais. Eram amarelinhos e fofinhos. Um dos patinhos recebeu o nome de Taco. Mamãe e papai estavam muito felizes com seus filhotes.

Leia mais

A Terra gira... Nesta aula vamos aprender um pouco mais. sobre o movimento que a Terra realiza em torno do seu eixo: o movimento de

A Terra gira... Nesta aula vamos aprender um pouco mais. sobre o movimento que a Terra realiza em torno do seu eixo: o movimento de A U A U L L A A Terra gira... Nesta aula vamos aprender um pouco mais sobre o movimento que a Terra realiza em torno do seu eixo: o movimento de rotação. É esse movimento que dá origem à sucessão dos dias

Leia mais

JOÁS, O MENINO REI Lição 65. 1. Objetivos: Ensinar que devemos permanecer fiéis a Deus embora nossos amigos parem de segui-lo.

JOÁS, O MENINO REI Lição 65. 1. Objetivos: Ensinar que devemos permanecer fiéis a Deus embora nossos amigos parem de segui-lo. JOÁS, O MENINO REI Lição 65 1 1. Objetivos: Ensinar que devemos permanecer fiéis a Deus embora nossos amigos parem de segui-lo. 2. Lição Bíblica: 2 Reis 11; 2 Crônicas 24.1-24 (Base bíblica para a história

Leia mais

Material: Uma copia do fundo para escrever a cartinha pra mamãe (quebragelo) Uma copia do cartão para cada criança.

Material: Uma copia do fundo para escrever a cartinha pra mamãe (quebragelo) Uma copia do cartão para cada criança. Radicais Kids Ministério Boa Semente Igreja em células Célula Especial : Dia Das mães Honrando a Mamãe! Principio da lição: Ensinar as crianças a honrar as suas mães. Base bíblica: Ef. 6:1-2 Texto chave:

Leia mais

Bíblia para crianças. apresenta O SÁBIO REI

Bíblia para crianças. apresenta O SÁBIO REI Bíblia para crianças apresenta O SÁBIO REI SALOMÃO Escrito por: Edward Hughes Ilustradopor:Lazarus Adaptado por: Ruth Klassen O texto bíblico desta história é extraído ou adaptado da Bíblia na Linguagem

Leia mais

11 Segredos para a Construção de Riqueza Capítulo II

11 Segredos para a Construção de Riqueza Capítulo II Capítulo II Mark Ford 11 Segredos para a Construção de Riqueza Capítulo Dois Como uma nota de $10 me deixou mais rico do que todos os meus amigos Das centenas de estratégias de construção de riqueza que

Leia mais

A.JOSÉ C.COELHO JOSEPH SHAFAN. Baratas em fabelas e Filosofias fabulosas

A.JOSÉ C.COELHO JOSEPH SHAFAN. Baratas em fabelas e Filosofias fabulosas A.JOSÉ C.COELHO JOSEPH SHAFAN Baratas em fabelas e Filosofias fabulosas J OSEPH S HAFAN Baratas em fabelas e Filosofias fabulosas 2005 A.José C.Coelho. Todos os direitos reservados. E-book Caprice lelahel.aj@uol.com.br

Leia mais

Nada de telefone celular antes do sexto ano

Nada de telefone celular antes do sexto ano L e i n º1 Nada de telefone celular antes do sexto ano Nossos vizinhos da frente estão passando uma semana em um cruzeiro, então me pediram para buscar o jornal e a correspondência todos os dias, enquanto

Leia mais

Para a grande maioria das. fazer o que desejo fazer, ou o que eu tenho vontade, sem sentir nenhum tipo de peso ou condenação por aquilo.

Para a grande maioria das. fazer o que desejo fazer, ou o que eu tenho vontade, sem sentir nenhum tipo de peso ou condenação por aquilo. Sonhos Pessoas Para a grande maioria das pessoas, LIBERDADE é poder fazer o que desejo fazer, ou o que eu tenho vontade, sem sentir nenhum tipo de peso ou condenação por aquilo. Trecho da música: Ilegal,

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca Programa transmitido em 26 de fevereiro

Leia mais

30/09/2008. Entrevista do Presidente da República

30/09/2008. Entrevista do Presidente da República Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, em conjunto com o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, com perguntas respondidas pelo presidente Lula Manaus-AM,

Leia mais

Rio de Janeiro, 5 de junho de 2008

Rio de Janeiro, 5 de junho de 2008 Rio de Janeiro, 5 de junho de 2008 IDENTIFICAÇÃO Meu nome é Alexandre da Silva França. Eu nasci em 17 do sete de 1958, no Rio de Janeiro. FORMAÇÃO Eu sou tecnólogo em processamento de dados. PRIMEIRO DIA

Leia mais

Como utilizar este caderno

Como utilizar este caderno INTRODUÇÃO O objetivo deste livreto é de ajudar os grupos da Pastoral de Jovens do Meio Popular da cidade e do campo a definir a sua identidade. A consciência de classe, ou seja, a consciência de "quem

Leia mais

Tempo para tudo. (há tempo para todas as coisas por isso eu preciso ouvir meus pais)

Tempo para tudo. (há tempo para todas as coisas por isso eu preciso ouvir meus pais) Tempo para tudo (há tempo para todas as coisas por isso eu preciso ouvir meus pais) Família é ideia de Deus, geradora de personalidade, melhor lugar para a formação do caráter, da ética, da moral e da

Leia mais

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão.

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão. REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO Código Entrevista: 2 Data: 18/10/2010 Hora: 16h00 Duração: 23:43 Local: Casa de Santa Isabel DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS Idade

Leia mais

MANUAL SERVIÇOS AMBIENTAIS NO CORREDOR ETNOAMBIENTAL TUPI MONDÉ CADERNO DE ATIVIDADES

MANUAL SERVIÇOS AMBIENTAIS NO CORREDOR ETNOAMBIENTAL TUPI MONDÉ CADERNO DE ATIVIDADES MANUAL SERVIÇOS AMBIENTAIS NO CORREDOR ETNOAMBIENTAL TUPI MONDÉ CADERNO DE ATIVIDADES MÓDULO I Corredor Etnoambiental Tupi Mondé Atividade 1 Conhecendo mais sobre nosso passado, presente e futuro 1. No

Leia mais

CENTRO HISTÓRICO EMBRAER. Entrevista: Eustáquio Pereira de Oliveira. São José dos Campos SP. Abril de 2011

CENTRO HISTÓRICO EMBRAER. Entrevista: Eustáquio Pereira de Oliveira. São José dos Campos SP. Abril de 2011 CENTRO HISTÓRICO EMBRAER Entrevista: Eustáquio Pereira de Oliveira São José dos Campos SP Abril de 2011 Apresentação e Formação Acadêmica Meu nome é Eustáquio, estou com sessenta anos, nasci em Minas Gerais,

Leia mais

O que fazer em meio às turbulências

O que fazer em meio às turbulências O que fazer em meio às turbulências VERSÍCULO BÍBLICO Façam todo o possível para viver em paz com todos. Romanos 12:18 OBJETIVOS O QUÊ? (GG): As crianças assistirão a um programa de auditório chamado Geração

Leia mais

Por Tiago Bastos Quer Dinheiro Online? 1

Por Tiago Bastos Quer Dinheiro Online? 1 Por Tiago Bastos Quer Dinheiro Online? 1 Se não pode subir a montanha, torne-se uma. Por Tiago Bastos Quer Dinheiro Online? 2 ISSO ESTÁ ME GERANDO R$7.278,05 - R$10.588,38 POR SEMANA E VOCÊ PODE FAZER

Leia mais

Lucas Zanella. Collin Carter. & A Civilização Sem Memórias

Lucas Zanella. Collin Carter. & A Civilização Sem Memórias Lucas Zanella Collin Carter & A Civilização Sem Memórias Sumário O primeiro aviso...5 Se você pensa que esse livro é uma obra de ficção como outra qualquer, você está enganado, isso não é uma ficção. Não

Leia mais

I. Complete o texto seguinte com as formas correctas dos verbos ser ou estar. (5 pontos)

I. Complete o texto seguinte com as formas correctas dos verbos ser ou estar. (5 pontos) I. Complete o texto seguinte com as formas correctas dos verbos ser ou estar. Hoje. domingo e o tempo. bom. Por isso nós. todos fora de casa.. a passear à beira-mar.. agradável passar um pouco de tempo

Leia mais

HINÁRIO O APURO. Francisco Grangeiro Filho. www.hinarios.org 01 PRECISA SE TRABALHAR 02 JESUS CRISTO REDENTOR

HINÁRIO O APURO. Francisco Grangeiro Filho. www.hinarios.org 01 PRECISA SE TRABALHAR 02 JESUS CRISTO REDENTOR HINÁRIO O APURO Tema 2012: Flora Brasileira Araucária Francisco Grangeiro Filho 1 www.hinarios.org 2 01 PRECISA SE TRABALHAR 02 JESUS CRISTO REDENTOR Precisa se trabalhar Para todos aprender A virgem mãe

Leia mais

Sal, Pimenta, Alho e Noz Moscada.

Sal, Pimenta, Alho e Noz Moscada. Sal, Pimenta, Alho e Noz Moscada. Cláudia Barral (A sala é bastante comum, apenas um detalhe a difere de outras salas de apartamentos que se costuma ver ordinariamente: a presença de uma câmera de vídeo

Leia mais

PERSONAGENS DESTE CAPÍTULO.

PERSONAGENS DESTE CAPÍTULO. Roteiro de Telenovela Brasileira Central de Produção CAPÍTULO 007 O BEM OU O MAL? Uma novela de MHS. PERSONAGENS DESTE CAPÍTULO. AGENOR ALBERTO FERNANDO GABRIELE JORGE MARIA CLARA MARIA CAMILLA MARÍLIA

Leia mais

PERDOAR E PEDIR PERDÃO, UM GRANDE DESAFIO. Fome e Sede

PERDOAR E PEDIR PERDÃO, UM GRANDE DESAFIO. Fome e Sede PERDOAR E PEDIR PERDÃO, UM GRANDE DESAFIO HISTÓRIA BÍBLICA: Mateus 18:23-34 Nesta lição, as crianças vão ouvir a Parábola do Servo Que Não Perdoou. Certo rei reuniu todas as pessoas que lhe deviam dinheiro.

Leia mais

A Cura de Naamã - O Comandante do Exército da Síria

A Cura de Naamã - O Comandante do Exército da Síria A Cura de Naamã - O Comandante do Exército da Síria Samaria: Era a Capital do Reino de Israel O Reino do Norte, era formado pelas 10 tribos de Israel, 10 filhos de Jacó. Samaria ficava a 67 KM de Jerusalém,

Leia mais

Trabalhar em Casa. Um Guia para quem quer iniciar um trabalho em casa e não sabe por onde começar. 2015 bastianafutebol.com @bastianafutebol

Trabalhar em Casa. Um Guia para quem quer iniciar um trabalho em casa e não sabe por onde começar. 2015 bastianafutebol.com @bastianafutebol Trabalhar em Casa Um Guia para quem quer iniciar um trabalho em casa e não sabe por onde começar 2015 bastianafutebol.com @bastianafutebol Como Começar? Primeiro você deve escolher o tipo de trabalho que

Leia mais

Manifeste Seus Sonhos

Manifeste Seus Sonhos Manifeste Seus Sonhos Índice Introdução... 2 Isso Funciona?... 3 A Força do Pensamento Positivo... 4 A Lei da Atração... 7 Elimine a Negatividade... 11 Afirmações... 13 Manifeste Seus Sonhos Pág. 1 Introdução

Leia mais

O menino e o pássaro. Rosângela Trajano. Era uma vez um menino que criava um pássaro. Todos os dias ele colocava

O menino e o pássaro. Rosângela Trajano. Era uma vez um menino que criava um pássaro. Todos os dias ele colocava O menino e o pássaro Era uma vez um menino que criava um pássaro. Todos os dias ele colocava comida, água e limpava a gaiola do pássaro. O menino esperava o pássaro cantar enquanto contava histórias para

Leia mais

HINÁRIO O APURO. Francisco Grangeiro Filho. Tema 2012: Flora Brasileira Araucária

HINÁRIO O APURO. Francisco Grangeiro Filho. Tema 2012: Flora Brasileira Araucária HINÁRIO O APURO Tema 2012: Flora Brasileira Araucária Francisco Grangeiro Filho 1 www.hinarios.org 2 01 PRECISA SE TRABALHAR Marcha Precisa se trabalhar Para todos aprender A virgem mãe me disse Que é

Leia mais

História: Vocês querem que eu continue contando a história do Natal? Maria e José seguiam para Belém,

História: Vocês querem que eu continue contando a história do Natal? Maria e José seguiam para Belém, Data: 13/12/2015 Texto Bíblico: Lucas 2:7; 8-20 e Mateus 2:1-12 Versículo para memorizar: Porque Deus amou o mundo de tal maneira, que deu seu único Filho, para que todo aquele que Nele crê não morra,

Leia mais

Vencedores! Ideias de Negócio. Passos para criar. Descubra como criar ideias com potencial lucrativo, alinhadas com suas habilidades pessoais!

Vencedores! Ideias de Negócio. Passos para criar. Descubra como criar ideias com potencial lucrativo, alinhadas com suas habilidades pessoais! Por Rafael Piva Guia 33 Prático Passos para criar Ideias de Negócio Vencedores! Descubra como criar ideias com potencial lucrativo, alinhadas com suas habilidades pessoais! Que bom que você já deu um dos

Leia mais