Conselho Abit e Sinditêxtil SP Premiére Vision São Paulo. São Paulo, 21 de janeiro de 2014

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Conselho Abit e Sinditêxtil SP Premiére Vision São Paulo. São Paulo, 21 de janeiro de 2014"

Transcrição

1 Conselho Abit e Sinditêxtil SP Premiére Vision São Paulo São Paulo, 21 de janeiro de 2014

2 ECONOMIA

3 PRODUÇÃO, VAREJO E IMPORTAÇÕES NO BRASIL EVOLUÇÃO NA QUANTIDADE EM COMPARAÇÃO AO PERÍODO ANTERIOR 39,3 41,22 Têxtil Vestuário e acessórios Varejo Importação de Vestuário 19,59 4,33 7,17 10,62 [VALOR]* 3,58 3,39 3, Jan Nov ,4 14,88 4,2 10,46 1,82 2,43 Fontes: IBGE e ALICEWEB/MDIC Elaboração: ABIT * até dezembro

4 Fonte: IBGE PRODUÇÃO FÍSICA INDUSTRIAL NOS MESES DE NOVEMBRO NÚMERO ÍNDICE, BASE: NOV 2005 = 100

5 GERAÇÃO DE EMPREGOS SALDO = ADMISSÃO DEMISSÃO Jan Nov Fonte: CAGED/MTE

6 INVESTIMENTOS EM US$ MILHÃO Desembolsos do BNDES + Aquisição de Máquinas e Equipamentos do Exterior * Fonte: IEMI

7 COMÉRCIO EXTERIOR

8 BALANÇA COMERCIAL DO SETOR TÊXTIL E DE CONFECÇÃO EXCLUÍDA A FIBRA DE ALGODÃO, EM US$ FOB MILHÕES

9 IMPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE VESTUÁRIO VALORES EM TONELADAS Participação da China nas importações brasileiras em 2013 é de 71,5%

10 IMPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE VESTUÁRIO CRESCIMENTO VALORES EM TONELADAS Fonte: Sistema Aliceweb/MDIC Var. 13/12 Código SH4 Descrição do SH4 TON TON TON Subtotal crescimento , Fatos, conjuntos, casacos, calças, jardineiras, bermudas e calções (shorts) (exceto de banho), de uso masculino , Fatos de saia casaco, conjuntos, casacos, vestidos, saias, saias calças, calças, jardineiras, bermudas e calções (shorts) (exceto de banho), de uso feminino , Camiseiros, blusas, blusas camiseiros, de malha, de uso feminino , Camisas de malha, de uso masculino , Camisolas e pulôveres, cardigans, coletes e artigos semelhantes, de malha , Camiseiros, blusas, blusas camiseiros, de uso feminino , T shirts e camisolas interiores, de malha , Vestuário confeccionado com as matérias das posições 5602, 5603, 5903, 5906 ou , Cuecas, ceroulas, camisas de noite, pijamas, roupões de banho, robes e semelhantes, de malha, de uso masculino , Fatos de saia casaco, conjuntos, casacos, vestidos, saias, saias calças, calças, jardineiras, bermudas e calções (shorts) (exceto de banho), de malha, de uso feminino , Meias calças; meias de qualquer espécie e artefactos semelhantes, incluídas as meias para varizes, de malha , Combinações, saiotes, calcinhas, camisas de noite, pijamas, déshabillés, roupões de banho, robes de quarto e semelhantes, de malha, de uso feminino , Fatos, conjuntos, casacos, calças, jardineiras, bermudas e calções (shorts) (exceto de banho), de malha, de uso masculino , Soutiens, cintas, espartilhos, suspensórios, ligas e artefactos semelhantes, e suas partes, mesmo de malha , Vestuário e seus acessórios, de malha, para bebés , Vestuário e seus acessórios, para bebés , Camisolas interiores, combinações, saiotes, calcinhas, camisas de noite, pijamas, déshabillés, roupões de banho, robes de quarto e artefactos semelhantes, de uso feminino , Gravatas, laços e plastrões , Luvas, mitenes e semelhantes , Outro vestuário de malha , Vestuário confecc.de tecidos malha c/plástico/borracha , Lenços de assoar e de bolso ,06

11 IMPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE VESTUÁRIO QUEDA VALORES EM TONELADAS Fonte: Sistema Aliceweb/MDIC Var. 13/12 Código SH4 Descrição do SH4 TON TON TON Subtotal queda , Camisas de uso masculino , Casacos compridos, capas, anoraques, blusões e semelhantes, de uso feminino, exceto os artefactos da posição , Luvas, mitenes e semelhantes, de malha , Sobretudos, japonas, gabões, capas, anoraques, blusões e semelhantes, de uso masculino, exceto os artefactos da posição , Sobretudos, japonas, gabões, capas, anoraques, blusões e semelhantes, de malha, de uso masculino, exceto os artefactos da posição , Casacos compridos, capas, anoraques, blusões e semelhantes, de malha, de uso feminino, exceto os artefactos da posição , Fatos de treino para desporto, fatos macacos e conjuntos de esqui, malhôs, biquinis, calções (shorts) e slips de banho; outro vestuário , Fatos de treino para desporto, fatos macacos e conjuntos de esqui, malhôs, biquinis, calções (shorts) e slips, de banho, de malha , Xales, écharpes, lenços de pescoço, cachenés, cachecóis, mantilhas, véus e artefactos semelhantes , Outros acessórios confeccionados de vestuário; partes de vestuário ou dos seus acessórios, exceto da posição , Outros acessórios de vestuário, confeccionados, de malha; partes de vestuário ou de seus acessórios, de malha , Camisolas interiores, cuecas, ceroulas, camisas de noite, pijamas, roupões de banho, robes e semelhantes, de uso masculino ,65 QUADRO RESUMO Var. 13/12 Código SH4 Descrição do SH4 TON TON TON Total Geral ,36 Subtotal crescimento ,35 Subtotal queda ,00

12 IMPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS TÊXTEIS EXCETO MÁQUINAS DE LAVAR E SECAR DE USO DOMÉSTICO, VALORES EM US$ 1000 FOB Variação % SH4 Descrição Jan-Dez 2011 Jan-Dez 2012 Jan-Dez / /2012 Total ,20-11, MÁQUINAS PARA EXTRUDAR, ESTIRAR, TEXTURIZAR OU CORTAR MATÉRIAS TÊXTEIS SINTÉTICAS OU ARTIFICIAIS ,59-39, MÁQUINAS PARA FIAÇÃO ,46-20, TEARES PARA TECIDOS ,67 15, TEARES PARA FABRICAR MALHAS OU MÁQUINAS DE COSTURA POR ENTRELAÇAMENTO ,49-8,94 Fonte: Sistema Aliceweb/MDIC 8448 MÁQUINAS E APARELHOS AUXILIARES PARA AS MÁQUINAS DE TEXTURIZAÇÃO, FIAÇÃO, TECELAGEM E MALHARIA ,13-2, MÁQUINAS E APARELHOS PARA FABRICAÇÃO OU ACABAMENTO DE FELTRO OU DE FALSOS TECIDOS ,23-66, MÁQUINAS DE LAVAR ROUPA, MESMO COM DISPOSITIVOS DE SECAGEM MÁQUINAS E APARELHOS PARA LAVAR, LIMPAR, ESPREMER, SECAR, PASSAR, PRENSAR, BRANQUEAR, TINGIR, PARA APRESTO E ACABAMENTO, PARA REVESTIR OU IMPREGNAR FIOS ,11-11, ,63 8, MÁQUINAS DE COSTURA ,26 4,81

13 OBRIGADO!

Capítulo 62 Vestuário e seus acessórios, exceto de malha

Capítulo 62 Vestuário e seus acessórios, exceto de malha Capítulo 62 Vestuário e seus acessórios, exceto de malha Notas. 1.- O presente Capítulo compreende apenas os artefatos confeccionados de qualquer matéria têxtil, com exclusão das pastas ("ouates") e dos

Leia mais

Colocamos a disposição para melhor orientação a tabela do IPI, onde você irá encontrar as Nomenclaturas referidas de acordo com o seu produto.

Colocamos a disposição para melhor orientação a tabela do IPI, onde você irá encontrar as Nomenclaturas referidas de acordo com o seu produto. Colocamos a disposição para melhor orientação a tabela do IPI, onde você irá encontrar as Nomenclaturas referidas de acordo com o seu produto. Observe que para as Indústrias de Confecções que trabalham

Leia mais

REQUERIMENTO DE INFORMAÇÕES Nº, DE 2011.

REQUERIMENTO DE INFORMAÇÕES Nº, DE 2011. REQUERIMENTO DE INFORMAÇÕES Nº, DE 2011. (Do Sr. PEPE VARGAS) Solicita informações ao Sr. Ministro da Fazenda sobre a arrecadação dos impostos Federais do PIS e COFINS para o setor têxtil. Senhor Presidente:

Leia mais

Tabela de Incidência do Imposto sobre Produtos Industrializados. Capítulo 61. Vestuário e seus Acessórios, de malha.

Tabela de Incidência do Imposto sobre Produtos Industrializados. Capítulo 61. Vestuário e seus Acessórios, de malha. Tabela de Incidência do Imposto sobre Produtos Industrializados Capítulo 61 Vestuário e seus Acessórios, de malha. CÓDIGO NCM DESCRIÇÃO ALÍQUOTA % 61.01 SOBRETUDOS, JAPONAS, GABÕES, CAPAS, ANORAQUES, CASACOS

Leia mais

Capítulo 62. Vestuário e seus acessórios, exceto de malha

Capítulo 62. Vestuário e seus acessórios, exceto de malha Capítulo 62 Vestuário e seus acessórios, exceto de malha Notas. 1. O presente Capítulo compreende apenas os artefatos confeccionados de qualquer matéria têxtil, com exclusão das pastas ("ouates") e dos

Leia mais

Quantum-Database RAPPORT COMERCIAL

Quantum-Database RAPPORT COMERCIAL Quantum-Database RAPPORT COMERCIAL SOCIÉTÉ EXEMPLE, LDA 1-Résumé Exécutif: RAISON SOCIALE: Empresa Exemplo, Lda SIÈGE SOCIAL: Rua Vasco da Gama, 30 Bairro Alto 1500-100 Lisboa TÉLÉPHONE: 21 531 258 FAX:

Leia mais

Roupas de cama, de malha De algodão De fibras sintéticas ou artificiais 0

Roupas de cama, de malha De algodão De fibras sintéticas ou artificiais 0 I.- OUTROS ARTEFATOS TÊXTEIS CONFECCIONADOS ALÍQUOTA 63.1 Cobertores e mantas. 631.1. -Cobertores e mantas, elétricos 631.2. -Cobertores e mantas (exceto os elétricos), de lã ou de pêlos finos 631.3. -Cobertores

Leia mais

MERCOSUL X CHILE ACE 35 APÊNDICE Nº 3 (CORRESPONDENTE AO ARTIGO 5º)

MERCOSUL X CHILE ACE 35 APÊNDICE Nº 3 (CORRESPONDENTE AO ARTIGO 5º) MERCOSUL X CHILE ACE 35 APÊNDICE Nº 3 (CORRESPONDENTE AO ARTIGO 5º) 1 - ELABORADO DIRETA OU INDIRETAMENTE A PARTIR DE LEITE FRESCO PRODUZIDO EM SUA TOTALIDADE NO TERRITÓRIO DOS PAÍSES SIGNATÁRIOS. LEITE

Leia mais

Setor Têxtil e de Confecção Brasileiro. Balanço 2009 e Perspectivas 2010

Setor Têxtil e de Confecção Brasileiro. Balanço 2009 e Perspectivas 2010 Setor Têxtil e de Confecção Brasileiro Balanço 2009 e Perspectivas 2010 Área Internacional Comércio Exterior Brasil Balança Comercial Balança Comercial Brasileira do Setor Têxtil e de Confecção (exclui

Leia mais

Capítulo 62. Vestuário e seus acessórios, exceto de malha

Capítulo 62. Vestuário e seus acessórios, exceto de malha Capítulo 62 Vestuário e seus acessórios, exceto de malha Notas. 1.- O presente Capítulo compreende apenas os artefatos confeccionados de qualquer matéria têxtil, com exclusão das pastas ("ouates") e dos

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa DECRETO Nº 50.687, DE 27 DE SETEMBRO DE 2013. (publicado no DOE n.º 188, de 30 de setembro de 2013) Modifica o Regulamento

Leia mais

Capítulo 61. Vestuário e seus acessórios, de malha

Capítulo 61. Vestuário e seus acessórios, de malha Capítulo 61 Vestuário e seus acessórios, de malha Notas. 1. O presente Capítulo compreende apenas os artefatos de malha, confeccionados. 2. Este Capítulo não compreende: a) os artefatos da posição 62.12;

Leia mais

Portaria CAT 72, de 19-07-2013

Portaria CAT 72, de 19-07-2013 Portaria CAT 72, de 19-07-2013 Estabelece a base de cálculo na saída das mercadorias que especifica, com destino a revendedores que atuam no segmento de vendas a consumidor final pelo sistema porta-aporta.

Leia mais

CAFÉ DA MANHÃ FRENTE PARLAMENTAR

CAFÉ DA MANHÃ FRENTE PARLAMENTAR CAFÉ DA MANHÃ FRENTE PARLAMENTAR Situação Atual do Setor Têxtil e de Confecção Aguinaldo Diniz Filho Presidente da Abit Brasília, 19 de junho de 2013 PERFIL DO SETOR ESTRUTURA DA CADEIA TEXTIL E DE CONFECÇÃO

Leia mais

Listagem de taxas de direitos aduaneiros e IVA cobrados na importação de produtos com origem em países terceiros (alguns exemplos)

Listagem de taxas de direitos aduaneiros e IVA cobrados na importação de produtos com origem em países terceiros (alguns exemplos) Última actualização a 05-09-2012 Listagem de taxas de direitos aduaneiros e cobrados na importação de produtos com origem em países terceiros (alguns exemplos) Designação dos produtos (ordem alfabética)

Leia mais

ENCONTRO COM O SETOR TÊXTIL DE SOROCABA E REGIÃO 28 DE ABRIL DE 2016 CONJUNTURA E PERSPECTIVAS

ENCONTRO COM O SETOR TÊXTIL DE SOROCABA E REGIÃO 28 DE ABRIL DE 2016 CONJUNTURA E PERSPECTIVAS ENCONTRO COM O SETOR TÊXTIL DE SOROCABA E REGIÃO 28 DE ABRIL DE 2016 CONJUNTURA E PERSPECTIVAS CENÁRIO MACRO BRASILEIRO PIB PIB industrial recuará 5% ao fim de 2016, totalizando 12% em 3 anos; Consumo

Leia mais

No comparativo Dez.13/ Dez.12 o setor têxtil apresentou crescimento de 2,49% e o vestuário apresentou queda de 4,9%.

No comparativo Dez.13/ Dez.12 o setor têxtil apresentou crescimento de 2,49% e o vestuário apresentou queda de 4,9%. 1- Comércio Exterior As Importações de têxteis e confeccionados em 2013 cresceram, em valor (US$), 2,4%, as exportações caíram 1,4%, enquanto o crescimento do déficit na Balança Comercial foi de 3,4% em

Leia mais

No comparativo Set.13/ Set.12 o setor têxtil apresentou crescimento de 2,47% e o vestuário apresentou queda de 8,26%.

No comparativo Set.13/ Set.12 o setor têxtil apresentou crescimento de 2,47% e o vestuário apresentou queda de 8,26%. 1- Comércio Exterior As Importações de têxteis e confeccionados em Jan-Out de 2013 cresceram, em valor (US$), 2,4%, as exportações caíram 1,7%, enquanto o crescimento do déficit na Balança Comercial foi

Leia mais

Clientes COM Serviços de Limpeza Doméstica

Clientes COM Serviços de Limpeza Doméstica Clientes COM Serviços de Limpeza Doméstica Engomadoria Lavandaria & Engomadoria Peças variadas - da peça a avulso 1,20 Peças variadas - da peça a avulso 2,00 nº Peças 24h 48h nº Peças 10 7,00 0,70 15,00

Leia mais

Setor Têxtil e de Confecção Momento Atual e Agenda de Trabalho

Setor Têxtil e de Confecção Momento Atual e Agenda de Trabalho Setor Têxtil e de Confecção Momento Atual e Agenda de Trabalho CENÁRIO E PROJEÇÕES CENÁRIO 2015 2016 PIB -3,80% -3,30% Taxa de desemprego média 6,90% 9,80% Vendas no Varejo -4,30% -5,10% Produção Industrial

Leia mais

BANGLADESH Comércio Exterior

BANGLADESH Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC BANGLADESH Comércio Exterior Fevereiro de 2015 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

CONJUNTURA DA INDÚSTRIA TÊXTIL E DE CONFECÇÃO BRASILEIRA MARÇO DE 2013 ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO 03/05/2013

CONJUNTURA DA INDÚSTRIA TÊXTIL E DE CONFECÇÃO BRASILEIRA MARÇO DE 2013 ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO 03/05/2013 CONJUNTURA DA INDÚSTRIA TÊXTIL E DE CONFECÇÃO BRASILEIRA MARÇO DE 2013 ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO 03/05/2013 1- Comércio Exterior As Importações de têxteis e confeccionados em Jan-Mar de 2013 cresceram, em valor

Leia mais

ANEXO 3 INDICADORES SETORIAIS SOBRE MODA E TÊXTIL

ANEXO 3 INDICADORES SETORIAIS SOBRE MODA E TÊXTIL ANEXO 3 INDICADORES SETORIAIS SOBRE MODA E TÊXTIL PRINCIPAIS FONTES DE DADOS: CONCLA (Comissão nacional de classificação) Órgão administrado pelo Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão criado em

Leia mais

NUPEV NÚCLEO DE PESQUISAS DO VESTUÁRIO MONITORAMENTO SÓCIOECONÔMICO DO SETOR DO VESTUÁRIO NO MUNICÍPIO DE DIVINÓPOLIS N U P E V

NUPEV NÚCLEO DE PESQUISAS DO VESTUÁRIO MONITORAMENTO SÓCIOECONÔMICO DO SETOR DO VESTUÁRIO NO MUNICÍPIO DE DIVINÓPOLIS N U P E V Divinópolis, 17 de fevereiro de 2012 MONITORAMENTO SÓCIOECONÔMICO DO SETOR DO VESTUÁRIO NO MUNICÍPIO DE DIVINÓPOLIS N U P E V O monitoramento do desempenho do setor do vestuário da cidade de Divinópolis

Leia mais

ACORDO DE COMPLEMENTAÇÃO ECONÔMICA Nº 35 CELEBRADO ENTRE OS GOVERNOS DOS ESTADOS PARTES DO MERCOSUL E O GOVERNO DA REPÚBLICA DO CHILE

ACORDO DE COMPLEMENTAÇÃO ECONÔMICA Nº 35 CELEBRADO ENTRE OS GOVERNOS DOS ESTADOS PARTES DO MERCOSUL E O GOVERNO DA REPÚBLICA DO CHILE ACORDO DE COMPLEMENTAÇÃO ECONÔMICA Nº 35 CELEBRADO ENTRE OS GOVERNOS DOS ESTADOS PARTES DO MERCOSUL E O GOVERNO DA REPÚBLICA DO CHILE Quinqüagésimo Protocolo Adicional Os Plenipotenciários da República

Leia mais

Rodada de negócios com empresários alemães do setor têxtil

Rodada de negócios com empresários alemães do setor têxtil 01 Fabricante de correias transportadoras e de a- cionamento. O programa de produtos abrange mais de 400 tipos diferentes de correias de acionamento e de transporte. Estes produtos são utilizados em muitas

Leia mais

SETOR TÊXTIL E DE CONFECÇÃO BALANÇO 2012 E PERSPECTIVAS 2013

SETOR TÊXTIL E DE CONFECÇÃO BALANÇO 2012 E PERSPECTIVAS 2013 SETOR TÊXTIL E DE CONFECÇÃO BALANÇO 2012 E PERSPECTIVAS 2013 AGUINALDO DINIZ FILHO PRESIDENTE DO CONSELHO DA ABIT JANEIRO DE 2013 ESTRUTURA DA CADEIA PRODUTIVA E DE DISTRIBUIÇÃO TÊXTIL E DE CONFECÇÃO INFOGRÁFICO

Leia mais

ANEXO 1. Critérios de origem das mercadorias de Macau que beneficiam de tarifas preferenciais do comércio de mercadorias para o ano de 2006 (I)

ANEXO 1. Critérios de origem das mercadorias de Macau que beneficiam de tarifas preferenciais do comércio de mercadorias para o ano de 2006 (I) ANEXO 1 Critérios origem das mercadorias Macau que beneficiam tarifas preferenciais do comércio mercadorias para o ano 2006 (I) Número Critérios origem 1 04100010 Ninhos andorinhas (a)tratamento molhagem

Leia mais

De superfície não superior a 0,3m2

De superfície não superior a 0,3m2 NCM Descrição 5 7 0 1. 1 0. 11 Feitos à mão 5 701 12 10 Feitos à máquina 5 701 20 10 De pêlos finos 5701.90.00 -De outras matérias têxteis 5702.10.00 -Tapetes denominados "Kelim" ou "Kilim", "Schumacks"

Leia mais

Circuito Inteligência Competitiva PERSPECTIVAS ECONOMICAS Curitiba

Circuito Inteligência Competitiva PERSPECTIVAS ECONOMICAS Curitiba Circuito Inteligência Competitiva PERSPECTIVAS ECONOMICAS 2015-2016 Curitiba 21/08/2015 Agenda 1 Apresentação do Momento Atual 2 Impactos no setor de vestuário 3 Alguns caminhos a seguir Vivemos uma grave

Leia mais

Belo Horizonte, 28 de março de 2013 ESTRUTURA DA CADEIA PRODUTIVA E DE DISTRIBUIÇÃO TÊXTIL E DE CONFECÇÃO INFOGRÁFICO DO SETOR TÊXTIL

Belo Horizonte, 28 de março de 2013 ESTRUTURA DA CADEIA PRODUTIVA E DE DISTRIBUIÇÃO TÊXTIL E DE CONFECÇÃO INFOGRÁFICO DO SETOR TÊXTIL REUNIÃO APIMEC BH BALANÇO 2012 E PERSPECTIVAS 2013 AGUINALDO DINIZ FILHO PRESIDENTE DA ABIT PRESIDENTE DA CEDRO TÊXTIL Belo Horizonte, 28 de março de 2013 ESTRUTURA DA CADEIA PRODUTIVA E DE DISTRIBUIÇÃO

Leia mais

No mês de junho em 2015 a Produção Física do setor têxtil caiu 1,1% e o vestuário apresentou recuo de 0,4%. (Comparando Jun/15 com Maio/15).

No mês de junho em 2015 a Produção Física do setor têxtil caiu 1,1% e o vestuário apresentou recuo de 0,4%. (Comparando Jun/15 com Maio/15). 1- Comércio Exterior As Importações de têxteis e confeccionados em jan-jul.15 caíram, em valor (US$), 5,93%, as exportações caíram 8,66%, enquanto a queda do déficit na Balança Comercial foi de 5,38% em

Leia mais

COMÉRCIO INTERNACIONAL 2014

COMÉRCIO INTERNACIONAL 2014 EXPORTAÇÕES (POR CAPÍTULO) 2013 2014 50 Artigos de seda 462 282-38,9% 51 Artigos de lã 60.801 63.996 5,3% 52 Artigos de algodão 145.006 154.454 6,5% 53 Outras fibras têxteis vegetais 4.839 4.169-13,8%

Leia mais

Haiti - Síntese País e Relacionamento Bilateral

Haiti - Síntese País e Relacionamento Bilateral Informação Geral sobre o Haiti Área (km 2 ): 27 750 Primeiro-Ministro: Laurent Lamothe População (milhões hab.): 10,3 () Risco de crédito : 7 (1 = risco menor; 7 = risco maior) Capital: Port-au-Prince

Leia mais

JAPÃO MODA NO JAPÃO. SBN quadra02, lote11 ED. Apex-Brasil, Brasília, Brasil / CEP 70040-020 +55 61 3426-0202

JAPÃO MODA NO JAPÃO. SBN quadra02, lote11 ED. Apex-Brasil, Brasília, Brasil / CEP 70040-020 +55 61 3426-0202 JAPÃO MODA NO JAPÃO 2015 1 APEX-BRASIL David Barioni PRESIDENTE André Marcos Favero DIRETOR DE NEGÓCIOS Antônio Carlos Villalba Codorniz DIRETOR DE GESTÃO CORPORATIVA Ana Paula Lindgren Alves Repezza GERENTE

Leia mais

DGC 1A UNIÃO EUROPEIA. Bruxelas, 25 de janeiro de 2017 (OR. en) 2016/0029 (COD) PE-CONS 54/16 STIS 8 TEXT 3 WTO 353 CODEC 1853

DGC 1A UNIÃO EUROPEIA. Bruxelas, 25 de janeiro de 2017 (OR. en) 2016/0029 (COD) PE-CONS 54/16 STIS 8 TEXT 3 WTO 353 CODEC 1853 UNIÃO EUROPEIA PARLAMENTO EUROPEU CONSELHO 2016/0029 (COD) PE-CONS 54/16 Bruxelas, 25 de janeiro de 2017 (OR. en) STIS 8 TEXT 3 WTO 353 CODEC 1853 ATOS LEGISLATIVOS E OUTROS INSTRUMENTOS Assunto: REGULAMENTO

Leia mais

II - confere nova redação ao item 23: 23. FERRAMENTAS. Fundamento normativo: Protocolos ICMS 193/09 e 77/14

II - confere nova redação ao item 23: 23. FERRAMENTAS. Fundamento normativo: Protocolos ICMS 193/09 e 77/14 DECRETO Nº 45.258 DE 22 DE MAIO DE 2015 (DOE de 25.05.2015) Altera o livro II (Substituição tributária) do regulamento do ICMS, aprovado pelo Decreto n 27.427/00 (RICMS),para incorporar á legislação tributária

Leia mais

MANUAL DO FORNECEDOR MF - 2.004 MANUAL DE QUALIDADE - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

MANUAL DO FORNECEDOR MF - 2.004 MANUAL DE QUALIDADE - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS VERSÃO 10 PAG: 1 / 24 Esta Instrução visa definir tipos, formas e locais para fixação das etiquetas de preços, uniformizando a apresentação visual dos produtos e impedindo ainda que essas etiquetas danifiquem

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE UNIFORME EXECUTIVO PARA ATENDENTE COMERCIAL

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE UNIFORME EXECUTIVO PARA ATENDENTE COMERCIAL ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE UNIFORME EXECUTIVO PARA ATENDENTE COMERCIAL 1. PALETÓ MASCULINO 30039 Paletó padrão alfaiataria, três botões, 03 (três) bolsos embutidos (externo) 01 (um) bolso embutido (interno)

Leia mais

SETOR TÊXTIL E DE CONFECÇÕES

SETOR TÊXTIL E DE CONFECÇÕES PANORAMA DO SETOR TÊXTIL E DE CONFECÇÕES PRESIDENTE DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DA ABIT AGUINALDO DINIZ FILHO BRASÍLIA, 01 DE JUNHO DE 2011 AGENDA DA APRESENTAÇÃO 2 RELEVÂNCIA DO SETOR TÊXTIL E DE CONFECÇÃO

Leia mais

CONFECÇÃO DO VESTUÁRIO SENAI, SUA CONQUISTA PROFISSIONAL

CONFECÇÃO DO VESTUÁRIO SENAI, SUA CONQUISTA PROFISSIONAL CONFECÇÃO DO VESTUÁRIO SENAI, SUA CONQUISTA ORGANIZAÇÃO CURRICULAR DOS CURSOS Catálogo de Cursos COSTUREIRO DE PRODUÇÃO INDUSTRIAL 1. TÍTULO 7632-15 Preparar profissionais para operar máquinas de costura

Leia mais

Mercados informação sectorial

Mercados informação sectorial Mercados informação sectorial EUA Vestuário Evolução Recente Maio 2010 Índice Nota Introdutória... 3 1. Sector do vestuário nos EUA... 4 2. Principais fornecedores para o mercado dos EUA... 4 3. Exportações

Leia mais

Referência: Decreto nº 45.258/15 - RJ - ICMS - Substituição tributária - MVA, prazo de recolhimento, levantamento do estoque e outros. Alterações.

Referência: Decreto nº 45.258/15 - RJ - ICMS - Substituição tributária - MVA, prazo de recolhimento, levantamento do estoque e outros. Alterações. Of. Circ. Nº 155/15 Rio de Janeiro, 27 de maio de 2015. Referência: Decreto nº 45.258/15 - RJ - ICMS - Substituição tributária -, prazo de recolhimento, levantamento do estoque e outros. Alterações. Senhor(a)

Leia mais

ESPECIAL SETORIAL CONFECÇÕES. Federação das Indústrias do Estado do Ceará - FIEC Centro Internacional de Negócios - CIN

ESPECIAL SETORIAL CONFECÇÕES. Federação das Indústrias do Estado do Ceará - FIEC Centro Internacional de Negócios - CIN CONFECÇÕES 1 2 ESPECIAL SETORIAL CONFECÇÕES Federação das Indústrias do Estado do Ceará - FIEC Centro Internacional de Negócios - CIN Superintendente do CIN: Eduardo de Castro Bezerra Neto Equipe de Coordenação:

Leia mais

Capítulo 61. Vestuário e seus acessórios, de malha. 1.- O presente Capítulo compreende apenas os artefatos de malha, confeccionados.

Capítulo 61. Vestuário e seus acessórios, de malha. 1.- O presente Capítulo compreende apenas os artefatos de malha, confeccionados. Capítulo 61 Vestuário e seus acessórios, de malha Notas. 1.- O presente Capítulo compreende apenas os artefatos de malha, confeccionados. 2.- Este Capítulo não compreende: a) Os artefatos da posição 62.12;

Leia mais

ANEXO II NCM DESCRIÇÃO

ANEXO II NCM DESCRIÇÃO ANEXO II NCM DESCRIÇÃO 1001.90.90 Outros 3917.40.10 Dos tipos utilizados em linhas de sangue para hemodiálise 3917.40.90 Outros 3926.90.50 Acessórios dos tipos utilizados em linhas de sangue para hemodiálise,

Leia mais

Foi publicado em 06/07/2015 no D.O.E./RJ, o Decreto Nº 45.304/2015, que altera a produção dos efeitos do Decreto Estadual Nº 45.258/2015.

Foi publicado em 06/07/2015 no D.O.E./RJ, o Decreto Nº 45.304/2015, que altera a produção dos efeitos do Decreto Estadual Nº 45.258/2015. Informe:01/0014/15 Rio de Janeiro, 13 de julho de 2015. Prezados, Foi publicado em 06/07/2015 no D.O.E./RJ, o Decreto Nº 45.304/2015, que altera a produção dos efeitos do Decreto Estadual Nº 45.258/2015.

Leia mais

PORTUGAL GREECE Trade Balance

PORTUGAL GREECE Trade Balance PORTUGAL GREECE Trade Balance March 2013 TRADE BALANCE PORTUGAL GREECE IMPORTS (CIF) Annual Variation % EXPORTS (FOB) Annual Variation % 10³ Euros BALANCE 2003 81.998 121.881 39.883 2004 76.487-6,72 126.685

Leia mais

Setor Têxtil e de Confecção Brasileiro. Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção. Conjuntura Econômica

Setor Têxtil e de Confecção Brasileiro. Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção. Conjuntura Econômica Setor Têxtil e de Confecção Brasileiro Conjuntura Econômica Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção Haroldo Silva Economista Chefe ABIT e SINDITÊXTIL-SP 11 de novembro de 2010 Economia

Leia mais

Mercados informação global

Mercados informação global Mercados informação global Relações Económicas Portugal-Tunísia Julho 2009 Índice 1. Relações Económicas Portugal Tunísia 3 1.1 Comércio 3 1.1.1. Importância da Tunísia nos fluxos comerciais de Portugal

Leia mais

BTE. Categoria Roupa interior e exterior Testando têxteis a substâncias nocivas. Saiba mais dê conselhos melhores. material de Treinamento

BTE. Categoria Roupa interior e exterior Testando têxteis a substâncias nocivas. Saiba mais dê conselhos melhores. material de Treinamento OEKO-TEX SalESPrO GamES 2012 Para OS PrOFISSIONaIS DE VENDaS Categoria Roupa interior e exterior Testando têxteis a substâncias nocivas Saiba mais dê conselhos melhores Inscreva-se até 15.10.2012 em www.oeko-tex.com/salespro

Leia mais

Departamento Jurídico - DEJUR COMTÊXTIL - COMCOURO 21.07.2009

Departamento Jurídico - DEJUR COMTÊXTIL - COMCOURO 21.07.2009 Departamento Jurídico - DEJUR COMTÊXTIL - COMCOURO 21.07.2009 SPED Sistema Público P de Escrituração Digital DEJUR O S.P.E.D. Sistema Público de Escrituração Digital foi instituído pelo Decreto 6.022,

Leia mais

MVA Ajustada Alíquota interestadual de 4% MVA Original. Alíquota interestadual de 12% Subitem NCM/SH Descrição

MVA Ajustada Alíquota interestadual de 4% MVA Original. Alíquota interestadual de 12% Subitem NCM/SH Descrição Âmbito de aplicação: Operações internas, interestaduais originadas nas unidades federadas signatárias do Protocolo supracitado e aquisições de mercadorias procedentes das demais unidades federadas por

Leia mais

MANUAL DO FORNECEDOR MF 02.017 OPERAÇÃO DE ALARMES PAG: 1 / 12 POSICIONAMENTO DE ETIQUETAS DE ALARME EM PRODUTO VIGÊNCIA: 01/06/2012

MANUAL DO FORNECEDOR MF 02.017 OPERAÇÃO DE ALARMES PAG: 1 / 12 POSICIONAMENTO DE ETIQUETAS DE ALARME EM PRODUTO VIGÊNCIA: 01/06/2012 OPERAÇÃO DE ALARMES PAG: 1 / 12 Esta Instrução tem por finalidade estabelecer o fluxo de operações para entrega de produtos previamente colocada etiquetas de alarme no fornecedor. A retirada das etiquetas

Leia mais

SECTOR DOS TÊXTEIS E VESTUÁRIO 1 Parte II Evolução do comércio internacional de Vestuário

SECTOR DOS TÊXTEIS E VESTUÁRIO 1 Parte II Evolução do comércio internacional de Vestuário SECTOR DOS TÊXTEIS E VESTUÁRIO 1 Parte II Evolução do comércio internacional de 4. Subsector do 4.1 Balança Comercial do A Balança Comercial do é tradicionalmente favorável a Portugal. Após um vigoroso

Leia mais

ANEXO 96 ATIVIDADES COM FORMA DE PAGAMENTO EM FUNÇÃO DA RECEITA BRUTA (a que se refere o 1º do art. 118)

ANEXO 96 ATIVIDADES COM FORMA DE PAGAMENTO EM FUNÇÃO DA RECEITA BRUTA (a que se refere o 1º do art. 118) ANEXO 96 ATIVIDADES COM FORMA DE PAGAMENTO EM FUNÇÃO DA RECEITA BRUTA (a que se refere o 1º do art. 118) Nota: A redação atual do Anexo 96 foi dada pela Alteração nº 84 (Decreto nº 10.223, de 02/02/07,

Leia mais

Workshop. 28 Fevereiro ª edição do Salão Modtissimo / Porto / Portugal

Workshop. 28 Fevereiro ª edição do Salão Modtissimo / Porto / Portugal Workshop "A ITV Brasileira e o Mercado de Moda Brasileiro" 28 Fevereiro 2012 39ª edição do Salão Modtissimo / Porto / Portugal Projeto Plataforma de Cooperação ATP ABIT (Norte 05-0227 FEDER 0000 53) A

Leia mais

ANEXO ÚNICO NOMENCLATURA SIMPLIFICADA PARA A CLASSIFICAÇÃO DE MERCADORIAS. Brinquedos, vídeo game, suas partes e acessórios

ANEXO ÚNICO NOMENCLATURA SIMPLIFICADA PARA A CLASSIFICAÇÃO DE MERCADORIAS. Brinquedos, vídeo game, suas partes e acessórios ANEXO ÚNICO NOMENCLATURA SIMPLIFICADA PARA A CLASSIFICAÇÃO DE MERCADORIAS Grupo Brinquedos 9503.9000 9501.0000 a 9504.1099 Brinquedos, vídeo game, suas partes e acessórios Grupo Artigos de Toucador e de

Leia mais

Análise da Balança Comercial

Análise da Balança Comercial Análise da Balança Comercial Produtos Transformados de Plástico Mensal Editado em: Fevereiro/2013 www.abiplast.org.br Notas Explicativas 1. Introdução A ABIPLAST tem divulgado dados estatísticos relacionados

Leia mais

O Governador do Estado do Rio de Janeiro, no uso de suas atribuições constitucionais e legais,

O Governador do Estado do Rio de Janeiro, no uso de suas atribuições constitucionais e legais, Decreto Nº 45.258 DE 22/05/2015 Publicado no DOE em 25 maio 2015 Altera o Livro II (Substituição Tributária) do Regulamento do ICMS, aprovado pelo Decreto nº 27.427/2000 (RICMS), para incorporar à legislação

Leia mais

Soul Clean Lavanderia Última Atualização em 08/08/2010

Soul Clean Lavanderia Última Atualização em 08/08/2010 Soul Clean Lavanderia Catálogo de Serviços: Processo de lavagem: Lavar BAGAGENS Mochila 13,30 - CAMA/MESA/BANHO (simples) Capa de colchão 18,00 15,20 Centro de mesa (grande) 6,65 5,60 Centro de mesa (médio)

Leia mais

Inclusão social e preservação ambiental por meio da reciclagem de resíduos têxteis RETALHO FASHION

Inclusão social e preservação ambiental por meio da reciclagem de resíduos têxteis RETALHO FASHION Inclusão social e preservação ambiental por meio da reciclagem de resíduos têxteis RETALHO FASHION Apoio: Inclusão social e preservação ambiental por meio da reciclagem de resíduos têxteis Plano de gerenciamento

Leia mais

Análise da Balança Comercial

Análise da Balança Comercial Análise da Balança Comercial Produtos Transformados de Plástico Acumulado e Mensal Editado em: Março/2015 www.abiplast.org.br Notas Explicativas 1. Introdução A ABIPLAST tem divulgado dados estatísticos

Leia mais

Produção Industrial Março de 2015

Produção Industrial Março de 2015 Produção Industrial Março de 201 PRODUÇÃO INDUSTRIAL DE SANTA CATARINA - MARÇO/1 Em março, a indústria de Santa Catarina produziu 4,0% menos na comparação com o mesmo mês do ano anterior, sexto resultado

Leia mais

China X Nordeste: Uma Qualificação das Transações Comerciais Bilaterais Recentes

China X Nordeste: Uma Qualificação das Transações Comerciais Bilaterais Recentes China X Nordeste: Uma Qualificação das Transações Comerciais Bilaterais Recentes Maria Cristina Pereira de Melo Doutora epós-doutora em Economiapela Universidade de Paris XIII Professora do Departamento

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO. ICMS/SP - Redução da base de cálculo - Produtos têxteis e confecções - Roteiro de

BOLETIM INFORMATIVO. ICMS/SP - Redução da base de cálculo - Produtos têxteis e confecções - Roteiro de BOLETIM INFORMATIVO ICMS/SP - Redução da base de cálculo - Produtos têxteis e confecções - Roteiro de Procedimentos A legislação paulista atribui tratamento fiscal diferenciado às operações com alguns

Leia mais

Feminino. Tipos de corpo. Ampulheta

Feminino. Tipos de corpo. Ampulheta O guia de tamanho será desenvolvido para auxiliar os e-consumidores, no momento da compra. O e-consumidor terá disponível um guia de auxilio a medidas, de forma que permitirá que o mesmo obtenha informações

Leia mais

VAREJO INTENSIFICA LIQUIDAÇÕES PARA MINIMIZAR PERDAS EM 2015

VAREJO INTENSIFICA LIQUIDAÇÕES PARA MINIMIZAR PERDAS EM 2015 VAREJO INTENSIFICA LIQUIDAÇÕES PARA MINIMIZAR PERDAS EM 2015 Atravessando seu pior ano em mais de uma década e necessitando reduzir estoques para vendas de final de ano, varejo reduz os preços de 41,6%

Leia mais

COLÉGIO VERITAS. Modelo da roupa Maternal I manhã e tarde

COLÉGIO VERITAS. Modelo da roupa Maternal I manhã e tarde Circ.65/2015 Modelo da roupa Maternal I manhã e tarde Meninas e Meninos: short ou bermuda jeans, blusa branca e chapéu de palhaço (qualquer modelo), sapatilha branca para meninas e tênis preto para meninos.

Leia mais

França, o centro da moda... 4

França, o centro da moda... 4 Parte I Os Fundamentos da Moda 1 A Evolução da Moda......................... 3 França, o centro da moda............................ 4 A moda ditada pela realeza..................................... 4 A

Leia mais

Correspondência NCM X CNAE Classe 2.0 dos produtos desonerados pela Lei 12.546/11/2011 - art. 8º com as alterações da MP nº 563/2012.

Correspondência NCM X CNAE Classe 2.0 dos produtos desonerados pela Lei 12.546/11/2011 - art. 8º com as alterações da MP nº 563/2012. Correspondência NCM X CNAE 2.0 dos produtos desonerados pela Lei 12.546/11/2011 - art. 8º com as alterações da MP nº 563/2012. NCM 2007 DESCRIÇÃO NCM 2007 39262000 Vestuario e seus acessorios, de plasticos,

Leia mais

IMPACTA CONTÁBIL S/S LTDA CNPJ: 07.792.378/0001-14

IMPACTA CONTÁBIL S/S LTDA CNPJ: 07.792.378/0001-14 1 2 REGULAMENTO TÉCNICO DE ETIQUETAGEM DE PRODUTOS TÊXTEIS NORMA BRASILEIRA I. Considerações Gerais 1. Para os efeitos do presente Regulamento, é considerado produto têxtil aquele que, em estado bruto,

Leia mais

MATERNAL A e B Dança: BUMBA MEU BOI. MATERNAL A e B Dança: BUMBA MEU BOI

MATERNAL A e B Dança: BUMBA MEU BOI. MATERNAL A e B Dança: BUMBA MEU BOI MATERNAL A e B Dança: BUMBA MEU BOI MATERNAL A e B Dança: BUMBA MEU BOI Chapéu de palha encapado com veludo preto, decorado com renda branca franzida na borda arabescos e acabamento feito com galão dourado,

Leia mais

JÓVENES. 29 DE 31 DE OUTUBRO A 23 DE NOVEMBRO DIAS INCRÍVEIS. www.elcorteingles.pt

JÓVENES. 29 DE 31 DE OUTUBRO A 23 DE NOVEMBRO DIAS INCRÍVEIS. www.elcorteingles.pt JÓVENES. 29 DE 31 DE OUTUBRO A 23 DE NOVEMBRO DIAS INCRÍVEIS www.elcorteingles.pt 4. MULHER 2 1 3 4 5 6 7 8 1. Mala em verniz, 50. 2. Casaco ZENDRA, 99. 3. Sapatos BALENCIAGA, 105. 4. Vestido ZENDRA,

Leia mais

PERCENTUAIS DE MARGEM DE VALOR AGREGADO PREVISTOS NO LIVRO III, ART

PERCENTUAIS DE MARGEM DE VALOR AGREGADO PREVISTOS NO LIVRO III, ART SEÇÃO III-E PERCENTUAIS DE MARGEM DE VALOR AGREGADO PREVISTOS NO LIVRO III, ART. 62, APLICÁVEIS ÀS MERCADORIAS DESTINADAS A REVENDEDORES PORTA-A-PORTA NÃO INSCRITOS ITEM I II CLASSIFICAÇÃO MARGEM DE MERCADORIAS

Leia mais

Um símbolo em que pode confiar!

Um símbolo em que pode confiar! Informação ao consumidor Comprar com segurança com o rótulo OEKO-TEX Standard 100 Um símbolo em que pode confiar! Página 2 Uma agradável sensação de segurança Durante toda a nossa vida temos contacto directo

Leia mais

SUJAR A SUA ROUPa ROUPA SERÁ SEMPRE MAIS DIVERTIDO QUE LAVÁ-LA.

SUJAR A SUA ROUPa ROUPA SERÁ SEMPRE MAIS DIVERTIDO QUE LAVÁ-LA. SUJAR A SUA ROUPa SERÁ SEMPRE MAIS DIVERTIDO QUE LAVÁ-LA. Por isso, a Zanussi oferece uma gama de máquinas de lavar, lavar e secar e secadores que o ajudam a obter óptimos resultados com menos tempo e

Leia mais

Expedições portuguesas de Têxteis e de Vestuário para a União Europeia Principais competidores

Expedições portuguesas de Têxteis e de Vestuário para a União Europeia Principais competidores Expedições portuguesas de Têxteis e de Vestuário para a União Europeia Principais competidores Walter Anatole Marques 11 Balança comercial portuguesa do Sector Têxtil A balança comercial dos têxteis e

Leia mais

MONITORAMENTO SÓCIOECONÔMICO DO SETOR DO VESTUÁRIO NO MUNICÍPIO DE DIVINÓPOLIS

MONITORAMENTO SÓCIOECONÔMICO DO SETOR DO VESTUÁRIO NO MUNICÍPIO DE DIVINÓPOLIS Divinópolis, 30 de junho de 2017 MONITORAMENTO SÓCIOECONÔMICO DO SETOR DO VESTUÁRIO NO MUNICÍPIO DE DIVINÓPOLIS O monitoramento do desempenho do setor do vestuário da cidade de Divinópolis está sendo realizado,

Leia mais

BRASIL 16.783.231 13.806.365 21,56 SANTA CATARINA 585.066 578.707 1,10 Fonte: MDIC

BRASIL 16.783.231 13.806.365 21,56 SANTA CATARINA 585.066 578.707 1,10 Fonte: MDIC BALANÇA COMERCIAL DE SC BALANÇA COMERCIAL EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES CATARINENSES 1 EXPORTAÇÕES CATARINENSES - DEZEMBRO/2015 As exportações catarinenses cresceram 1,10 no mês de dezembro de 2015 em relação

Leia mais

COMPLEXO TÊXTIL BRASILEIRO

COMPLEXO TÊXTIL BRASILEIRO Ana Paula Fontenelle Gorini Sandra Helena Gomes de Siqueira* COMPLEXO TÊXTIL BRASILEIRO Resumo A balança comercial do setor têxtil brasileiro sofreu duro impacto com a abertura comercial e, se antes apresentava

Leia mais

PRODUTOS CHINESES NA ECONOMIA NORDESTINA: UMA AVALIAÇÃO DE SETORES SELECIONADOS 1 Maria Cristina Pereira de Melo 2 RESUMO

PRODUTOS CHINESES NA ECONOMIA NORDESTINA: UMA AVALIAÇÃO DE SETORES SELECIONADOS 1 Maria Cristina Pereira de Melo 2 RESUMO PRODUTOS CHINESES NA ECONOMIA NORDESTINA: UMA AVALIAÇÃO DE SETORES SELECIONADOS 1 Maria Cristina Pereira de Melo 2 Carlos Américo Leite Moreira RESUMO A trajetória do comércio externo brasileiro no período

Leia mais

PRODUTOS CNAE- INDUSTRIA

PRODUTOS CNAE- INDUSTRIA PRODUTOS CNAE- INDUSTRIA 10 - FABRICAÇÃO DE PRODUTOS ALIMENTÍCIOS CNAE 10.11-2: Abate de reses, exceto suínos 1011.2010 - Carnes de animais das espécies cavalar, asinina e muar, frescas, refrigeradas ou

Leia mais

NEPAL Comércio Exterior

NEPAL Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC NEPAL Comércio Exterior Fevereiro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

政 府 機 關 通 告 及 公 告 AVISOS E ANÚNCIOS OFICIAIS

政 府 機 關 通 告 及 公 告 AVISOS E ANÚNCIOS OFICIAIS 11732 40 2012 10 4 政 府 機 關 通 告 及 公 告 AVISOS E ANÚNCIOS OFICIAIS 行 政 會 秘 書 處 名 單...78.56 23/2011 SECRETARIA DO CONSELHO EXECUTIVO Listas Classificativa do candidato ao concurso comum, de acesso, documental,

Leia mais

ACORDO DE COMPLEMENTAÇÃO ECONOMICA N 36 MERCOSUL X BOLIVIA

ACORDO DE COMPLEMENTAÇÃO ECONOMICA N 36 MERCOSUL X BOLIVIA ACORDO DE COMPLEMENTAÇÃO ECONOMICA N 36 MERCOSUL X BOLIVIA APÊNDICE 1 1.- Elaborado direta ou indiretamente a partir de leite fresco produzido em sua totalidade no território dos países signatários. 0401

Leia mais

TABELA DE PREÇOS Serviços Sinal de Saúde (* Materiais Não incluídos)

TABELA DE PREÇOS Serviços Sinal de Saúde (* Materiais Não incluídos) Serviços Sinal de Saúde (* Materiais Não incluídos) Acompanhamento ENFERMAGEM * Nocturno (mínimo de 4 horas/dia) Diurno (mínimo de 4 horas/dia) Sábado, Domingo e Feriado (mínimo de 4 horas/dia) Algaliação

Leia mais

Risco do país: D (A1 = risco menor; D = risco maior) Chefe de Estado: Bounnhang Vorachith Tx. câmbio (fim do período): 1 EUR = K (2015)

Risco do país: D (A1 = risco menor; D = risco maior) Chefe de Estado: Bounnhang Vorachith Tx. câmbio (fim do período): 1 EUR = K (2015) Informação Geral sobre o Laos Área (km 2 ): 236 800 Primeiro-Ministro: Thongloun Sisoulith População (milhões hab.): 7,0 (estimativa 2015) Risco de crédito: 7 (1 = risco menor; 7 = risco maior) Capital:

Leia mais

NUPEV NÚCLEO DE PESQUISAS DO VESTUÁRIO MONITORAMENTO SÓCIOECONÔMICO DO SETOR DO VESTUÁRIO NO MUNICÍPIO DE DIVINÓPOLIS N U P E V

NUPEV NÚCLEO DE PESQUISAS DO VESTUÁRIO MONITORAMENTO SÓCIOECONÔMICO DO SETOR DO VESTUÁRIO NO MUNICÍPIO DE DIVINÓPOLIS N U P E V Divinópolis, 9 de julho de 2012 MONITORAMENTO SÓCIOECONÔMICO DO SETOR DO VESTUÁRIO NO MUNICÍPIO DE DIVINÓPOLIS N U P E V O monitoramento do desempenho do setor do vestuário da cidade de Divinópolis está

Leia mais

Aplicação de Reúso na Indústria Têxtil

Aplicação de Reúso na Indústria Têxtil Aplicação de Reúso na Indústria Têxtil 1. Indústria Têxtil Uma Abordagem Geral: Indústria têxtil tem como objetivo a transformação de fibras em fios, de fios em tecidos e de tecidos em peças de vestuário,

Leia mais

EU/CENTR-AM/Anexo I/pt 2239

EU/CENTR-AM/Anexo I/pt 2239 54.01 LINHAS PARA COSTURAR DE FILAMENTOS SINTÉTICOS OU ARTIFICIAIS, MESMO ACONDICIONADAS PARA A VENDA A RETALHO: 5401.10.00 De filamentos sintéticos 5 C ISENÇÃO 5401.20.00 De filamentos artificiais 5 C

Leia mais

Cabo Verde - Síntese País

Cabo Verde - Síntese País Informação Geral sobre Cabo Verde Área (km 2 ): 4 033 Primeiro-Ministro: José Maria Neves População: 504 000 (estimativa 2014) Risco de crédito: 6 (1 = risco menor; 7 = risco maior) Capital: Praia Unidade

Leia mais

Relatório TÊXTIL E CONFECÇÃO VOLUME III. Julho de 2009

Relatório TÊXTIL E CONFECÇÃO VOLUME III. Julho de 2009 Relatório de Acompanhamento Setorial TÊXTIL E CONFECÇÃO VOLUME III Julho de 2009 RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO SETORIAL TÊXTIL E CONFECÇÃO Volume III Equipe: Célio Hiratuka Samantha Cunha Pesquisadores e

Leia mais

9 - Pai Italiano Quantidade: 1. Execução de 1 chapéu de feltro com fita de veludo e pena; 1 casaco de camurça e lã forrado de oxford com debrum em

9 - Pai Italiano Quantidade: 1. Execução de 1 chapéu de feltro com fita de veludo e pena; 1 casaco de camurça e lã forrado de oxford com debrum em 9 - Pai Italiano Quantidade: 1. Execução de 1 chapéu de feltro com fita de veludo e pena; 1 casaco de camurça e lã forrado de oxford com debrum em couro; 1 colete de veludo com galões metalizados e gregas;

Leia mais

APÊNDICE 1. 1.- Elaborado direta ou indiretamente a partir de leite fresco produzido em sua totalidade no território dos países signatários.

APÊNDICE 1. 1.- Elaborado direta ou indiretamente a partir de leite fresco produzido em sua totalidade no território dos países signatários. APÊNDICE 1 1.- Elaborado direta ou indiretamente a partir de leite fresco produzido em sua totalidade no território dos países signatários. 0401 LEITE E CREME DE LEITE, NÃO CONCENTRADOS NEM ADICIONADOS

Leia mais

DESEMPENHO DA INDÚSTRIA CATARINENSE

DESEMPENHO DA INDÚSTRIA CATARINENSE DESEMPENHO DA INDÚSTRIA CATARINENSE SANTA CATARINA e BRASIL Desempenho econômico em 2013 INDICADOR SANTA CATARINA BR % % acumulado 2013/2012 % acumulado 2012/2011 acumulado 2013/2012 Produção Ind. (jan-ago)

Leia mais

Índice de Preços ao Produtor (IPP) de setembro fica em 1,23%

Índice de Preços ao Produtor (IPP) de setembro fica em 1,23% Índice de Preços ao Produtor Fonte IBGE Base: Setembro de 2011 Por Ricardo Bergamini Índice de Preços ao Produtor (IPP) de setembro fica em 1,23% Em setembro de 2011, o Índice de Preços ao Produtor (IPP)

Leia mais

Projeto: Boletim de Conjuntura Industrial, Acompanhamento Setorial, Panorama da Indústria e Análise da Política Industrial

Projeto: Boletim de Conjuntura Industrial, Acompanhamento Setorial, Panorama da Indústria e Análise da Política Industrial Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial Universidade Estadual de Campinas Instituto de Economia Núcleo de Economia Industrial e da Tecnologia Projeto: Boletim de Conjuntura Industrial, Acompanhamento

Leia mais

Workshop Brasil Portugal Oportunidades e cooperação em inovação, tecnologia e comércio. Rafael Cervone Diretor Executivo do Programa Texbrasil

Workshop Brasil Portugal Oportunidades e cooperação em inovação, tecnologia e comércio. Rafael Cervone Diretor Executivo do Programa Texbrasil Workshop Brasil Portugal Oportunidades e cooperação em inovação, tecnologia e comércio Rafael Cervone Diretor Executivo do Programa Texbrasil Porto, fevereiro de 2012 AGENDA DA APRESENTAÇÃO PERFIL DA INDUSTRIA

Leia mais

MANUAL DO FORNECEDOR MF - 02.010 MANUAL DE QUALIDADE - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

MANUAL DO FORNECEDOR MF - 02.010 MANUAL DE QUALIDADE - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS VERSÃO 6 PAG: 1 / 7 Esta instrução tem por objetivo acrescentar especificações de conformidade aos controles atuais de rotina, estabelecendo padrões mínimos de qualidade para desenvolvimento de produtos,

Leia mais