O que é o LonWorks? Baseia-se num protocolo de comunicação criado pela empresa Echelon na década de 90, denominado LonTalk.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O que é o LonWorks? Baseia-se num protocolo de comunicação criado pela empresa Echelon na década de 90, denominado LonTalk."

Transcrição

1 O que é o LonWorks? Lonworks (Local operations network) é uma plataforma de comunicação vocacionada para os sistemas de controlo de edifícios (AVAC, Iluminação, ) Baseia-se num protocolo de comunicação criado pela empresa Echelon na década de 90, denominado LonTalk. Actualmente normalizado ISO/IEC x e ANSI 709 e 852 Mais de 4500 fabricantes utilizam LonWorks em todo o mundo Produtos aprovados por uma Organização independente, a LonMark Conceitos de Sistemas de Gestão Técnica de Edifícios

2 Definições da rede Lonworks - Hardware Router Repetidor Neuron Chip Subrede (Backbone) Segmento Subrede Segmento Transceiver Nó Nó - Dispositivo de comunicação da rede LonWorks Neuron ID - A inteligência no dispositivo (chip) Transceiver - Interface física de um meio de comunicação Subrede - O meio de comunicação Segmento - Uma subrede pode dividir-se em segmentos Conceitos de Sistemas de Gestão Técnica de Edifícios

3 Definições da rede Lonworks - Software Neuron ID, é único e identifica o produto e o fabricante Ficheiro.XIF (External Interface File), contem a lista de variáveis do equipamento SNVT s (Standard Network Variable Type), variáveis universais definidas pela Lonmark (www.lonmark.org) Software de Binding, ferramenta que permite comissionar os equipamentos e fazer a interligação das variaveis snvt Ferramenta LonMaker SNVT_Occupancy nvovalue SNVT_Occupancy nvivalue Conceitos de Sistemas de Gestão Técnica de Edifícios

4 LonWorks é independente do meio fisíco! TP/FT-10 (Twist Pair /Free Topology), é um dos mais utilizados pelos fabricantes, velocidade de comunicação 78 kbit/s. Ethernet TCP/IP, é actualmente utilizado como backbone de segmentos FT-10, 100/1000 Mbit/s. Radio, para distâncias até 3,2km, velocidades de comunicação 9.6 a 128 kbit/s Powerline, transmissão de comunicação pela linha de energia, PL-20 (5 kbit/s) e PL-30(2kbit/s)

5 LonWorks FT10 Livre Bus Comprimento Velocidade Topologia Nós/segmento Segmento máx. FT10/LPT kbit/s Livre m * FT10/LPT kbit/s Bus m * BELDEN 8471 Na topologia Bus o comprimento máximo de uma derivação é 3 metros * Comprimentos máximos, utilizando cabo par torçado não blindado, Belden 8471 (AWG16 1,3mm) ou equivalente

6 Exemplo Arquitectura Ethernet & FT10 Ethernet/TCP-IP GTC Ethernet TCP-IP Rede LonWorks EIA709 (FT10) Router TCP-IP/FTT10 Router TCP-IP/FTT10 Webserver Comando Q. Energia E/S remotas Controlo AVAC Controlo VC Variador Velocidade Consola da Manutenção Dimmer Gateway Modbus; Bacnet; KNX; DALI; Mbus; Comando cenários Unidade tratamento de Ar

7 Exemplo LonWorks FT10 / LPT10 Bus LPT-10/FTT-10 24V AC/DC Nó FT10 Nó LPT10 Nó LPT10 Os equipamentos FT10/LPT10 podem existir no mesmo segmento Em cada segmento tem que existir uma fonte de alimentação LPT10 Os nós (equipamentos) LPT10 são alimentados pelo cabo de comunicação Lon Conceitos de Sistemas de Gestão Técnica de Edifícios

8 Exemplo Controlo AVAC SGTC Ethernet TCP-IP Rede LonWorks EIA709 Terminação Terminação Terminação Terminação Ethernet/TCP-IP Router TCP-IP/FTT10 Segmento FTT10/LPT10 Segmento FTT10/LPT10 Controlador VC Controlador UTAN Actuador Válvula Controlador VC Controlador VC

9 Exemplo: Controlo Iluminação SGTC Ethernet TCP-IP Rede LonWorks EIA709 (FT10) 2200 m (Max.) Ethernet/TCP-IP Controlador Alimentação LPT10 Interruptor Comando de cenários 3m (Max.) Detector Presença/ movimento Estores Dimmer

10 Aplicação: Controlo de estores LonWorks Módulo Relé Tambor Motor Eléctrico 230V AC Tela Janela Aparelho de comando IR

11 Aplicação: Espaço com 4 divisórias amovíveis Microinterruptor Controlador LonWorks

12 Controlo Iluminação com DALI SGTC Ethernet TCP-IP Rede LonWorks EIA709 Rede DALI EN60929 E4 Terminação Terminação Ethernet/TCP-IP Router TCP-IP/FTT10 Alimentação LPT10 Segmento FTT10/LPT10 Controlador FTT10 Interruptor Balastro DALI Segmento DALI Integração transparente Solução totalmente integrada

Eng.º Domingos Salvador dos Santos. email:dss@isep.ipp.pt

Eng.º Domingos Salvador dos Santos. email:dss@isep.ipp.pt Sistemas e Planeamento Industrial DOMÓTICA REDES DE CAMPO Eng.º Domingos Salvador dos Santos email:dss@isep.ipp.pt Outubro de 2010 Outubro de 2010 2/20 REDES DE CAMPO Fieldbus Fieldbus Estrutura da Apresentação

Leia mais

Sistema LON (Conceito)

Sistema LON (Conceito) (Conceito) (Conceito) Índice 1. Descrição geral de sistemas LonWorks TM 2 2. Porque é que o LON se destaca de outros sistemas de comunicação? 2 3. Quais as vantagens que o LON oferece? 3 4. Repensar: O

Leia mais

Eng.º Domingos Salvador dos Santos. email:dss@isep.ipp.pt

Eng.º Domingos Salvador dos Santos. email:dss@isep.ipp.pt DOMÓTICA TECNOLOGIA DALI Eng.º Domingos Salvador dos Santos email:dss@isep.ipp.pt Outubro de 2012 Outubro de 2012 2/16 TECNOLOGIA DALI Estrutura da Apresentação Sistema DALI Tipos de Balastros DALI Controladores

Leia mais

Gestão Técnica de Edifícios

Gestão Técnica de Edifícios Jornadas Electrotécnicas 2006 Rui Monteiro T.A.C. Porto T.A.C. Um pouco de História... 1925 1962 1970 1977 1990 1998 2000 2003 2004 2005 Fundação da Tour Andersson Introdução de minicomputadores para o

Leia mais

Gestão Técnica de Edifícios

Gestão Técnica de Edifícios Instituto Superior de Engenharia do Porto Gestão Técnica de Edifícios Aplicação em Edifício Escolar Dissertação para obtenção do Grau de Mestre Mestrado em Engenharia Electrotécnica Sistemas Eléctricos

Leia mais

Boletim Técnico. TÍTULO: APRESENTAÇÃO DO NOVO GATEWAY MODBUS (RTU e TCP/IP) HCA64MB - SUBSTITUINDO a HARCMODBUS.

Boletim Técnico. TÍTULO: APRESENTAÇÃO DO NOVO GATEWAY MODBUS (RTU e TCP/IP) HCA64MB - SUBSTITUINDO a HARCMODBUS. Maio / 2015 Página 01/05 TÍTULO: APRESENTAÇÃO DO NOVO GATEWAY MODBUS (RTU e TCP/IP) HCA64MB - SUBSTITUINDO a HARCMODBUS. SUMÁRIO: Este tem como objetivo apresentar o novo Gateway Modbus para a linha Set

Leia mais

Gestão Técnica e Controlo de Edifícios, novos desafios face à Renovação e Reabilitação.

Gestão Técnica e Controlo de Edifícios, novos desafios face à Renovação e Reabilitação. Gestão Técnica e Controlo de Edifícios, novos desafios face à Renovação e Reabilitação. Schneider Electric Portugal Fernando Ferreira EcoBuildings Mkt Manager 1 Gestão Técnica de Edifícios A sua história.

Leia mais

DomoBus The User In Control Renato Nunes Renato.Nunes@inesc-id.pt

DomoBus The User In Control Renato Nunes Renato.Nunes@inesc-id.pt DomoBus The User In Control Renato Nunes Instituto Superior Técnico T / INESC-ID ID Renato.Nunes@inesc-id.pt Panorama Actual Grande diversidade de soluções (quer normalizadas quer proprietárias rias) X0,

Leia mais

ICORLI. INSTALAÇÃO, CONFIGURAÇÃO e OPERAÇÃO EM REDES LOCAIS e INTERNET

ICORLI. INSTALAÇÃO, CONFIGURAÇÃO e OPERAÇÃO EM REDES LOCAIS e INTERNET INSTALAÇÃO, CONFIGURAÇÃO e OPERAÇÃO EM REDES LOCAIS e INTERNET 2010/2011 1 Protocolo TCP/IP É um padrão de comunicação entre diferentes computadores e diferentes sistemas operativos. Cada computador deve

Leia mais

Apresentação de REDES DE COMUNICAÇÃO

Apresentação de REDES DE COMUNICAÇÃO Apresentação de REDES DE COMUNICAÇÃO Curso Profissional de Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos MÓDULO VI Programação de Sistemas de Comunicação Duração: 30 tempos Conteúdos 2 Construção

Leia mais

Redes e Serviços em Banda Larga

Redes e Serviços em Banda Larga Redes e Serviços em Banda Larga Redes Locais de Alta Velocidade Paulo Coelho 2002 /2003 1 Introdução Fast Ethernet Gigabit Ethernet ATM LANs 2 Características de algumas LANs de alta velocidade Fast Ethernet

Leia mais

Redes de Computadores. Sistemas de cablagem

Redes de Computadores. Sistemas de cablagem Redes de Computadores Sistemas de cablagem Sumário! Sistemas de cablagem: Normalização Estrutura Tipos de cablagem e comprimentos Dimensionamento Componentes 2 Sistemas de cablagem! Devem ser instalados

Leia mais

Capacidades do Sistema

Capacidades do Sistema Capacidades do Sistema O Interface Lonworks da Toshiba é capaz de seguir, controlar e monitorizar as funções de controlo dos sistemas de ar condicionado Toshiba a ele ligados. Função Coniguração Monitor

Leia mais

Sistemas Terciários. Hotéis, Soluções Globais Soluções KNX adaptadas a cada área do hotel. Nuno Carvalho

Sistemas Terciários. Hotéis, Soluções Globais Soluções KNX adaptadas a cada área do hotel. Nuno Carvalho Sistemas Terciários Hotéis, Soluções Globais Soluções KNX adaptadas a cada área do hotel Nuno Carvalho Introduction Desafios dos edifícios Conforto Segurança Comunicação Eficiência energética Evolutivos

Leia mais

Redes de Campo em Automação

Redes de Campo em Automação IST MEEC - API Redes de Campo em Automação Filipe Barata 5120/M API Monografia FBarata 1 Origens das Redes de Comunicação Digital Evolução a par com a dos computadores pessoais RS232, 422, 423 1969 da

Leia mais

1. Descrição do Produto

1. Descrição do Produto 1. Descrição do Produto Os repetidores óticos FOCOS/PROFIBUS AL-2431 e AL-2432 destinam-se a interligação de quaisquer dispositivos PROFIBUS, assegurando altíssima imunidade a ruídos através do uso de

Leia mais

prof.edney@superig.com.br Redes de Computadores

prof.edney@superig.com.br Redes de Computadores prof.edney@superig.com.br Redes de Computadores Apresentação do professor, da disciplina, dos métodos de avaliação, das datas de trabalhos e provas; introdução a redes de computadores; protocolo TCP /

Leia mais

sistema Com esta pode-se criar um sistema ajustado às necessidades dos clientes bem como aos seus estilos de vida.

sistema Com esta pode-se criar um sistema ajustado às necessidades dos clientes bem como aos seus estilos de vida. sistema O nosso inovador sistema utiliza a mais avançada tecnologia de inteligência distribuída, utilizando para o efeito, comunicações baseadas em CAN desenhadas para sistemas críticos. É um sistema revolucionário

Leia mais

1. MEDIDORES E ANALISADORES DE QUALIDADE DE ENERGIA JANITZA

1. MEDIDORES E ANALISADORES DE QUALIDADE DE ENERGIA JANITZA Conteúdo 1. MEDIDORES E ANALISADORES DE QUALIDADE DE ENERGIA JANITZA... 2 1.1. UMG 103... 2 1.2. UMG 104... 2 1.3. UMG 96L e UMG 96... 3 1.4. UMG 96S... 3 1.5. UMG 96RM... 4 1.6. UMG 503... 4 1.7. UMG

Leia mais

Módulo de Alimentação de Controlo do Motor LQSE-4M-D Controlador de Motor CA 4 saídas. Unidade do. Painel de parede seetouch QSR.

Módulo de Alimentação de Controlo do Motor LQSE-4M-D Controlador de Motor CA 4 saídas. Unidade do. Painel de parede seetouch QSR. LUTRON Módulo de de Controlo do Motor Controlador de Motor CA 4 saídas Módulo de de Controlo do Motor O módulo de alimentação de controlo do motor consiste numa interface que disponibiliza a integração

Leia mais

O que é um PLC (autómato)? Centro de Formação

O que é um PLC (autómato)? Centro de Formação O que é um PLC (autómato)? Centro de Formação 1 O que é um PLC (Autómato)? Sumário Histórico PLC Hardware Entrdas/Saídas Modo de Funcionamento do PLC Linguagens de programação Comunicação O que é necessário

Leia mais

Smart Homes - Novo desafio para computação móvel

Smart Homes - Novo desafio para computação móvel Smart Homes - Novo desafio para computação móvel O KNX como tecnologia facilitadora Escola Superior de Tecnologia e Gestão Instituto Politécnico da Guarda Fernando Melo Rodrigues Agenda Motivação Arquitecturas

Leia mais

índice 1. Descrição do produto 2. Pautas de planeamento 3. Instalação 4. Módulos 0. Apresentação produto SimonVIT@

índice 1. Descrição do produto 2. Pautas de planeamento 3. Instalação 4. Módulos 0. Apresentação produto SimonVIT@ 0. Apresentação. O SimonVIT@ é o fruto da contínua investigação da Simon no âmbito das novas tecnologias aplicadas a moradias, edifícios, estabelecimentos comerciais, etc., para dar uma resposta inovadora

Leia mais

O que é uma rede industrial? Redes Industriais: Princípios de Funcionamento. Padrões. Padrões. Meios físicos de transmissão

O que é uma rede industrial? Redes Industriais: Princípios de Funcionamento. Padrões. Padrões. Meios físicos de transmissão O que é uma rede industrial? Redes Industriais: Princípios de Funcionamento Romeu Reginato Julho de 2007 Rede. Estrutura de comunicação digital que permite a troca de informações entre diferentes componentes/equipamentos

Leia mais

NORMA ANSI/EIA/TIA 568 - B. Projeto Físico de Rede

NORMA ANSI/EIA/TIA 568 - B. Projeto Físico de Rede NORMA ANSI/EIA/TIA 568 - B O PADRÃO BASEIA-SE NOS SEIS PRINCIPAIS COMPONENTES DE UM SISTEMA DE CABEAMENTO ESTRUTURADO, QUE SÃO: 1 FACILIDADE DE ENTRADA (Entrance Facility) : É COMPOSTA POR HARDWARE DE

Leia mais

REDE DE COMPUTADORES

REDE DE COMPUTADORES SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL REDE DE COMPUTADORES Tecnologias de Rede Arquitetura Prof. Airton Ribeiro de Sousa E-mail: airton.ribeiros@gmail.com 1 A arquitetura de redes tem como função

Leia mais

MAPA DE PONTOS Diálogos por Protocolos. Analógica SA PRODUÇÃO DE FRIO E CALOR. kwh

MAPA DE PONTOS Diálogos por Protocolos. Analógica SA PRODUÇÃO DE FRIO E CALOR. kwh CHILLER BOMBA DE CALOR Ligação protocolo e interface Contacto seco Ordem de entrada de funcionamento Selecção de regime Contacto seco Alarme reagrupado Contacto seco Manómetro na entrada bar Manómetros

Leia mais

O Padrão Ethernet. Prof. José Gonçalves Pereira Filho Departamento de Informática/UFES zegonc@inf.ufes.br

O Padrão Ethernet. Prof. José Gonçalves Pereira Filho Departamento de Informática/UFES zegonc@inf.ufes.br O Padrão Ethernet Prof. José Gonçalves Pereira Filho Departamento de Informática/UFES zegonc@inf.ufes.br Origens O início do desenvolvimento da tecnologia Ethernet ocorreu nos laboratórios da Xerox PARC,

Leia mais

PROPOSTA DE INTERFACEAMENTO ENTRE REDE DE CONTROLE LONWORKS E RFID

PROPOSTA DE INTERFACEAMENTO ENTRE REDE DE CONTROLE LONWORKS E RFID PROPOSTA DE INTERFACEAMENTO ENTRE REDE DE CONTROLE LONWORKS E RFID Aldo Ventura da Silva * RESUMO O presente trabalho teve como objetivo desenvolver um interfaceamento entre a rede de controle, baseada

Leia mais

Building Automation. e Domótica. O futuro...hoje!

Building Automation. e Domótica. O futuro...hoje! Building Automation e Domótica O futuro...hoje! Introdução Desde as primeiras fábricas, que surgiu a necessidade de automatizar e controlar sistemas. Para quê? Para podermos produzir em grandes quantidades,

Leia mais

Palmela, 31 Outubro 2012. Schneider Electric - Eficiência Energética HAG 01/2010 1

Palmela, 31 Outubro 2012. Schneider Electric - Eficiência Energética HAG 01/2010 1 Palmela, 31 Outubro 2012 Schneider Electric - Eficiência Energética HAG 01/2010 1 O Consumo de Energia está a aumentar Schneider Electric - Eficiência Energética HAG 01/2010 2 mais rápido do que novas

Leia mais

CPs Altus PROFIBUS-DP

CPs Altus PROFIBUS-DP CPs Altus PROFIBUS-DP Programa do Workshop 1 - Redes de Campo 2 - PROFIBUS 3 - PROFIBUS-DP 4 - PROFIBUS-DP Redundante 5 - CPs Altus PROFIBUS - DP 6 - Série AL-2000 PROFIBUS-DP 7 - Série Quark PROFIBUS-DP

Leia mais

Introdução aos sistemas de cabeamento estruturado

Introdução aos sistemas de cabeamento estruturado Introdução aos sistemas de cabeamento estruturado Prof. José Maurício S. Pinheiro 2010 1 Histórico No início da década de 80 os sistemas Mainframe dominavam o mercado. Surgem os conceitos de "Networking"

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS

PERGUNTAS E RESPOSTAS Fundo de Eficiência Energética PERGUNTAS E RESPOSTAS Aviso 11 Hotelaria - Incentivo à promoção da Eficiência Energética 2015 ÍNDICE 1. O que é o FEE Fundo de Eficiência Energética?... 3 2. Qual o enquadramento

Leia mais

Objetivo do Workshop

Objetivo do Workshop Redundância Objetivo do Workshop Demonstrar aos participantes como a funcionalidade e as vantagens na utilização da Redundância agregam valor ao processo produtivo, através da sua disponibilidade, confiabilidade

Leia mais

Os Sistemas de Gestão de Energia na nova regulamentação de eficiência energética nos edificios

Os Sistemas de Gestão de Energia na nova regulamentação de eficiência energética nos edificios Os Sistemas de Gestão de Energia na nova regulamentação de eficiência energética nos edificios Luis Hagatong Energy Efficiency Manager Schneider Electric Portugal Telem: 93 540 62 70 e-mail: luis.hagatong@schneider-electric.com

Leia mais

O Servidor de impressão DP-301U atende a seguinte topologia: Com o DP-301U pode ser conectada uma impressora USB.

O Servidor de impressão DP-301U atende a seguinte topologia: Com o DP-301U pode ser conectada uma impressora USB. O Servidor de impressão DP-301U atende a seguinte topologia: Com o DP-301U pode ser conectada uma impressora USB. 1 1- Para realizar o procedimento de configuração o DP-301U deve ser conectado via cabo

Leia mais

GPON. Rede Óptica Passiva GigabitG. Leonardo F. Oliveira. Especialista Lato Sensu em Rede de Computadores Leonardo@uesb.edu.br

GPON. Rede Óptica Passiva GigabitG. Leonardo F. Oliveira. Especialista Lato Sensu em Rede de Computadores Leonardo@uesb.edu.br GPON Rede Óptica Passiva GigabitG Leonardo F. Oliveira Especialista Lato Sensu em Rede de Computadores Leonardo@uesb.edu.br GPON O que égpon? Utilização da fibra óptica para interligar pontos distantes

Leia mais

Visão Geral do Protocolo CANBus

Visão Geral do Protocolo CANBus Visão Geral do Protocolo CANBus História CAN Controller Area Network. Desenvolvido, pela BOSCH, na década de 80 para a interligação dos sistemas de controle eletrônicos nos automóveis. 1. CAN, que foi

Leia mais

Redes de Comunicação Industrial Documento técnico nº2. Edição de Setembro de 2007

Redes de Comunicação Industrial Documento técnico nº2. Edição de Setembro de 2007 Redes de Comunicação Industrial Documento técnico nº2 Edição de Setembro de 2007 A biblioteca técnica da Schneider Electric é muito vasta tendo um elevado número de publicações sobre os mais variados temas

Leia mais

Desenvolvimento de Infra-Estrutura de Comando Multifunções EIB-KNX Para Smartphone

Desenvolvimento de Infra-Estrutura de Comando Multifunções EIB-KNX Para Smartphone Desenvolvimento de Infra-Estrutura de Comando Multifunções EIB-KNX Para Smartphone Adriano Manuel Alves Ferreira Relatório Final do Trabalho de Projecto apresentado à Escola Superior de Tecnologia e Gestão

Leia mais

O Servidor de impressão DP-300U atende a seguinte topologia: Podem ser conectadas 2 impressoras Paralelas e 1 USB.

O Servidor de impressão DP-300U atende a seguinte topologia: Podem ser conectadas 2 impressoras Paralelas e 1 USB. O Servidor de impressão DP-300U atende a seguinte topologia: Podem ser conectadas 2 impressoras Paralelas e 1 USB. 1 1- Para realizar o procedimento de configuração o DP-300U deve ser conectado via cabo

Leia mais

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL REDE DE COMPUTADORES LAN MAN WAN

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL REDE DE COMPUTADORES LAN MAN WAN SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL REDE DE COMPUTADORES LAN MAN WAN - Prof. Airton / airton.ribeiros@gmail.com - Prof. Altenir / altenir.francisco@gmail.com 1 REDE LOCAL LAN - Local Area Network

Leia mais

PLANEAMENTO E PROJECTO DE REDES

PLANEAMENTO E PROJECTO DE REDES PLANEAMENTO E PROJECTO DE REDES Engenharia de Sistemas e Informática Bibliografia: Engenharia de Redes Informáticas; Edmundo Monteiro e Fernando Boavida; FCA 1 Conteúdo programático Equipamento Passivo

Leia mais

Smart Energy & Power Quality Solutions. Registrador de dados ProData. O mais compacto registrador de dados

Smart Energy & Power Quality Solutions. Registrador de dados ProData. O mais compacto registrador de dados Smart Energy & Power Quality Solutions Registrador de dados ProData O mais compacto registrador de dados Inteligente e compacto: Nosso registrador de dados universal que mais gerencia os custos de energia

Leia mais

CASA DIGITAL. www.struxi.com.br

CASA DIGITAL. www.struxi.com.br CASA DIGITAL Histórico Fundada em 2011 Formada por 12 funcionários, com mais de 10 anos de experiência no mercado de automação predial Equipe de vendas Equipe de suporte técnico Atividade Matriz Localizada

Leia mais

RELATÓRIO FINAL TRANSDUTORES DOMÓTICOS INTELIGENTES

RELATÓRIO FINAL TRANSDUTORES DOMÓTICOS INTELIGENTES RELATÓRIO FINAL TRANSDUTORES DOMÓTICOS INTELIGENTES PROJECTO REALIZADO POR: ANTÓNIO MIGUEL LISBOA DA SILVA (ee99075@fe.up.pt) JOSÉ LUIS ALVES BAPTISTA (jlbaptista@sapo.pt) ORIENTADOR: PROF. DR. ARMANDO

Leia mais

Produtos de Baixa Tensão. ABB i-bus KNX Tecnologia, flexibilidade e conforto para prédios e residências

Produtos de Baixa Tensão. ABB i-bus KNX Tecnologia, flexibilidade e conforto para prédios e residências Produtos de Baixa Tensão ABB i-bus KNX Tecnologia, flexibilidade e conforto para prédios e residências O que é KNX A norma O sistema KNX é o principal sistema de controle de edifícios inteligentes do mundo.

Leia mais

Interconexão de redes locais. Repetidores. Pontes (Bridges) Hubs. Pontes (Bridges) Pontes (Bridges) Existência de diferentes padrões de rede

Interconexão de redes locais. Repetidores. Pontes (Bridges) Hubs. Pontes (Bridges) Pontes (Bridges) Existência de diferentes padrões de rede Interconexão de redes locais Existência de diferentes padrões de rede necessidade de conectá-los Interconexão pode ocorrer em diferentes âmbitos LAN-LAN LAN: gerente de um determinado setor de uma empresa

Leia mais

António Lopes Paulo Matos

António Lopes Paulo Matos António Lopes Paulo Matos ÍNDICE 1 REDES- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 2 2 LAN - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Uma rede de computadores é um sistema de comunicação de dados constituído através da interligação de computadores e outros dispositivos, com a finalidade de trocar informação e partilhar

Leia mais

PROFINET R e d e d e c o m u n i c a ç õ e s p r e p a r a d a p a r a o f u t u r o

PROFINET R e d e d e c o m u n i c a ç õ e s p r e p a r a d a p a r a o f u t u r o PROFINET R e d e d e c o m u n i c a ç õ e s p r e p a r a d a p a r a o f u t u r o» Redundância de meio» R e d e a b e r t a» C o n f i g u ra ç ã o f á c i l PROFINET Ethernet Industrial aberta para

Leia mais

340 www.etaplighting.com REGIE DER GEBOUWEN ( PRÉDIO VICTOR HORTA), BRUSSEL BÉLGICA. webref. SA021AA2

340 www.etaplighting.com REGIE DER GEBOUWEN ( PRÉDIO VICTOR HORTA), BRUSSEL BÉLGICA. webref. SA021AA2 340 www.etaplighting.com REGIE DER GEBOUWEN ( PRÉDIO VICTOR HORTA), BRUSSEL BÉLGICA webref. SA021AA2 SAFETY MANAGER SISTEMA CENTRALIZADO DE GESTÃO E CONTROLO ESM APLICAÇÃO Programa para monitorização,

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES - I UNI-ANHANGUERA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE GOIÁS CURSO DE ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PROF.

REDES DE COMPUTADORES - I UNI-ANHANGUERA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE GOIÁS CURSO DE ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PROF. 1 REDES DE COMPUTADORES - I UNI-ANHANGUERA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE GOIÁS CURSO DE ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PROF. MARCIO BALIAN E L A B O R A Ç Ã O : M Á R C I O B A L I A N / T I A G O M A

Leia mais

Como: Como desenvolver um projecto com base no Sistema TroxNetCom. 4 x RCF FOGO, FUMO OU DESENFUMAGEM. Quadro Eléctrico TroxNetCom

Como: Como desenvolver um projecto com base no Sistema TroxNetCom. 4 x RCF FOGO, FUMO OU DESENFUMAGEM. Quadro Eléctrico TroxNetCom Dep. Ar Condicionado TroxNetCom DÊ VALOR AO SEU INVESTIMENTO EM SEGURANÇA SISTEMA INTEGRADO DE COMANDO E MONITORIZAÇÃO DE REGISTOS CORTA-FOGO, REGISTOS CORTA-FUMO, REGISTOS DE DESENFUMAGEM E VENTILADORES

Leia mais

Universidade de Aveiro 2008. Departamento de Engenharia Mecânica. Luís Filipe Gomes da Silva. Automação em Ambientes Residenciais

Universidade de Aveiro 2008. Departamento de Engenharia Mecânica. Luís Filipe Gomes da Silva. Automação em Ambientes Residenciais Universidade de Aveiro 2008 Departamento de Engenharia Mecânica Luís Filipe Gomes da Silva Automação em Ambientes Residenciais Júri Presidente: Arguente: Orientador: Co-orientador: Prof. Doutora Mónica

Leia mais

SM213, SM214 Módulo ethernet JBUS/MODBUS para SM103E Módulo ethernet + RS485 para SM103E. Instruções de instalação

SM213, SM214 Módulo ethernet JBUS/MODBUS para SM103E Módulo ethernet + RS485 para SM103E. Instruções de instalação SM213, SM214 Módulo ethernet JBUS/MODBUS para SM103E Módulo ethernet + RS485 para SM103E Instruções de instalação Indice Operacoes preliminares... 1 Informações gerais... 1 Instalação... 3 Diagnóstico

Leia mais

A nova geração de domótica

A nova geração de domótica ExpoRexel 2015 ABB A nova geração de domótica ABB Group 21 Maio, 2015 Slide 1 Domótica Agenda 1. O que é a domótica e os reais benefícios 2. A domótica e a regulamentação nacional 3. A domótica em Portugal

Leia mais

Série Connect. Switches e Conversores Industriais. www.altus.com.br

Série Connect. Switches e Conversores Industriais. www.altus.com.br Série Connect Switches e Conversores Industriais www.altus.com.br Conectividade e simplicidade Compacto: design robusto e eficiente para qualquer aplicação Intuitivo: instalação simplificada que possibilita

Leia mais

Redes de Computadores UNIDADE 2:Conhecendo os equipamentos, dispositivos e serviços de TI.

Redes de Computadores UNIDADE 2:Conhecendo os equipamentos, dispositivos e serviços de TI. UNIDADE 2:Conhecendo os equipamentos, dispositivos e serviços de TI. *Definição *Contexto Atual *Meios de Transmissão *Equipamentos de Comunicação *Arquiteturas de Redes *Tecnologias de LAN s *Protocolos

Leia mais

Gestão e Controle de Energia Building Technologies

Gestão e Controle de Energia Building Technologies Gestão e Controle de Energia Copyright Siemens Switzerland Ltd. All rights reserved. Índice Empresa e Organização 3 Performance e Sustentabilidade em Edifícios 6 Produtos, Soluções e Serviços 10 Gestão

Leia mais

Unidade de Recuperação de Energia

Unidade de Recuperação de Energia Unidade de Recuperação de Energia Com as actuais preocupações na qualidade de ar interior, o eco V é um componente essencial para uma adequada renovação de ar. O eco V, permite a remoção rápida e eficiente

Leia mais

AUTOMAÇÃO RESIDENCIAL

AUTOMAÇÃO RESIDENCIAL AUTOMAÇÃO RESIDENCIAL Automação Residencial e Predial II AR007 SUMÁRIO I. Automação Residencial... 03 II. Funções do Sistema de Automação Residencial... 04 III. Algumas Respostas... 06 IV. Padrões de Comunicação

Leia mais

ISEP. Instituto Superior de Engenharia do Porto. Análise de Sistemas Informáticos

ISEP. Instituto Superior de Engenharia do Porto. Análise de Sistemas Informáticos ISEP Instituto Superior de Engenharia do Porto Análise de Sistemas Informáticos Armazenamento de Dados em Rede A Revolução do Armazenamento Partilhado A crise económica e a crescente necessidade de armazenamento

Leia mais

Edifícios Inteligentes Soluções para gestão de climatização em instalação de Domótica KNX Estudo de um Caso

Edifícios Inteligentes Soluções para gestão de climatização em instalação de Domótica KNX Estudo de um Caso Edifícios Inteligentes Soluções para gestão de climatização em instalação de Domótica KNX Estudo de um Caso Tiago Manuel Brás de Abreu Relatório Final do Trabalho de Projeto apresentado à Escola Superior

Leia mais

Sistema de ligação para electroválvulas e distribuidores, compatíveis com bus de terreno PROFIBUS-DP, INTERBUS-S, DEVICE-NET

Sistema de ligação para electroválvulas e distribuidores, compatíveis com bus de terreno PROFIBUS-DP, INTERBUS-S, DEVICE-NET ValveConnectionSystem Sistema de ligação para electroválvulas e distribuidores, compatíveis com bus de terreno PROFIBUS-DP, INTERBUS-S, DEVICE-NET P20.PT.R0a O SISTEMA V.C.S. O sistema VCS é um conjunto

Leia mais

Cabeamento Estruturado

Cabeamento Estruturado Cabeamento Estruturado Definição Cabeamento para uso integrado em comunicações de voz, dados e imagem preparado de maneira a atender diversos layouts de instalações, por um longo período de tempo, sem

Leia mais

Técnico em Redes de Computadores. Equipamentos e Acessórios

Técnico em Redes de Computadores. Equipamentos e Acessórios Técnico em Redes de Computadores Equipamentos e Acessórios Componentes de uma Rede Uma rede é um sistema composto de um arranjo de componentes: Cabeamento Hardware Software Cabeamento Componentes de uma

Leia mais

Descrição do Produto. Dados para Compra. Itens Integrantes

Descrição do Produto. Dados para Compra. Itens Integrantes Descrição do Produto As UCPs PO3x47 são destinadas a supervisão e controle de processos. Devido a sua arquitetura, é possível obter-se um alto desempenho em relação a série anterior de UCPs PO3x42. Com

Leia mais

Infra-Estrutura de Redes

Infra-Estrutura de Redes Faculdade Anhanguera de São Caetano do Sul Infra-Estrutura de Redes Curso: Tecnologia em Redes de Computadores Prof:Eduardo M. de Araujo Site-http://www.professoreduardoaraujo.com Ementa 1 Apresentação

Leia mais

Módulo 1 Introdução às Redes

Módulo 1 Introdução às Redes CCNA 1 Conceitos Básicos de Redes Módulo 1 Introdução às Redes Ligação à Internet Ligação à Internet Uma ligação à Internet pode ser dividida em: ligação física; ligação lógica; aplicação. Ligação física

Leia mais

Nota de Aplicação Comunicação com o SmartStruxure Automation Server e Vijeo Citect utilizando protocolo BACnet/IP Versão: 1.0 Suporte Técnico Brasil

Nota de Aplicação Comunicação com o SmartStruxure Automation Server e Vijeo Citect utilizando protocolo BACnet/IP Versão: 1.0 Suporte Técnico Brasil Nota de Aplicação Comunicação com o SmartStruxure Automation Server e Vijeo Citect utilizando protocolo BACnet/IP Versão: 1.0 Suporte Técnico Brasil Especificações técnicas Hardware: SXWAUTSVR10001 (SmartStruxure

Leia mais

Arquitectura de Redes

Arquitectura de Redes Arquitectura de Redes Equipamento de rede Arq. de Redes - Pedro Brandão - 2004 1 Eq. Rede Conceitos (I) Delay tempo que demora um bit desde que parte de uma máquina até chegar a outra. Acesso tempo para

Leia mais

Redes de computadores e Internet

Redes de computadores e Internet Polo de Viseu Redes de computadores e Internet Aspectos genéricos sobre redes de computadores Redes de computadores O que são redes de computadores? Uma rede de computadores é um sistema de comunicação

Leia mais

Manual de instalação e configuração do módulo de entradas WEBER-REP

Manual de instalação e configuração do módulo de entradas WEBER-REP Manual de instalação e configuração do módulo de entradas WEBER-REP Sumário CONVENÇÕES UTILIZADAS...3 DESCRIÇÃO GERAL...4 VANTAGENS...4 CARACTERÍSTICAS ELÉTRICAS...4 ESPECIFICAÇÕES GERAIS...5 LED DE STATUS

Leia mais

A utilização das redes na disseminação das informações

A utilização das redes na disseminação das informações Internet, Internet2, Intranet e Extranet 17/03/15 PSI - Profº Wilker Bueno 1 Internet: A destruição as guerras trazem avanços tecnológicos em velocidade astronômica, foi assim também com nossa internet

Leia mais

FORMAÇÃO INTEGRADOR DOMÓTICA COM KNX

FORMAÇÃO INTEGRADOR DOMÓTICA COM KNX FORMAÇÃO INTEGRADOR DOMÓTICA COM KN Apresentação da Empresa A KN do BRASIL em parceria com Tutor Oficial KN (com mais de 15 anos de experiência na Europa) vem oferecer Cursos de Knx com o mesmo conteúdo

Leia mais

REDES INDUSTRIAIS AS-INTERFACE

REDES INDUSTRIAIS AS-INTERFACE Em 1990, na Alemanha, um consórcio de empresas elaborou um sistema de barramento para redes de sensores e atuadores, denominado Actuator Sensor Interface (AS-Interface ou na sua forma abreviada AS-i).

Leia mais

Módulo 5 Cablagem para LANs e WANs

Módulo 5 Cablagem para LANs e WANs CCNA 1 Conceitos Básicos de Redes Módulo 5 Cablagem para LANs e WANs Cablagem de LANs Nível Físico de uma Redes Local Uma rede de computadores pode ser montada utilizando vários tipos de meios físicos.

Leia mais

BMS - BUILDING MANAGEMENT SYSTEM

BMS - BUILDING MANAGEMENT SYSTEM BMS - BUILDING MANAGEMENT SYSTEM ADKL.ZELLER 18 ANOS DE EXPERIÊNCIA; SOLUÇÕES EM ENGENHARIA ELÉTRICA E AUTOMAÇÃO DE A a Z; DESENVOLVEMOS TODAS AS ETAPAS DE UM PROJETO; DIVERSAS CERTIFICAÇÕES; LONGAS PARCERIAS

Leia mais

Capítulo IV Soluções em automação residencial

Capítulo IV Soluções em automação residencial 54 Capítulo IV Soluções em automação residencial Por José Roberto Muratori e Paulo Henrique Dal Bó* Nos últimos anos temos vivenciado uma crescente evolução nos mais variados sistemas residenciais, incluindo

Leia mais

Processador HomeWorks QS

Processador HomeWorks QS O processador HomeWorksR QS oferece controle e comunicação para os componentes do sistema HomeWorksR QS. As ligações da Ethernet permitem realizar a comunicação com o software do HomeWorksR QS, integração

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação Gerenciais

Administração de Sistemas de Informação Gerenciais Administração de Sistemas de Informação Gerenciais UNIDADE V: Telecomunicações, Internet e Tecnologia Sem Fio. Tendências em Redes e Comunicações No passado, haviam dois tipos de redes: telefônicas e redes

Leia mais

Licenciatura em Engenharia Eletrotécnica e de Computadores (3 anos)

Licenciatura em Engenharia Eletrotécnica e de Computadores (3 anos) Licenciatura em Engenharia Eletrotécnica e de Computadores (3 anos) Redes de Computadores e Sistemas Distribuídos Robótica Automação Teoria de Sistemas e Controlo Sistemas Digitais Microprocessadores e

Leia mais

Por algum motivo nos encontra em todo o lado!

Por algum motivo nos encontra em todo o lado! Por algum motivo nos encontra Novidades de produto 2010 Janitza. Sempre um passo à frente! A Janitza investe cerca de 8% da facturação anual em investigação e desenvolvimento de novos produtos. Ao introdzir

Leia mais

Curso de Instalação e Gestão de Redes Informáticas

Curso de Instalação e Gestão de Redes Informáticas ESCOLA PROFISSIONAL VASCONCELLOS LEBRE Curso de Instalação e Gestão de Redes Informáticas EQUIPAMENTOS PASSIVOS DE REDES Ficha de Trabalho nº2 José Vitor Nogueira Santos FT13-0832 Mealhada, 2009 1.Diga

Leia mais

Universidade do Minho WALC-AI: Laboratório para Aprendizagem do Controlo e Automação Industrial ial endizag

Universidade do Minho WALC-AI: Laboratório para Aprendizagem do Controlo e Automação Industrial ial endizag Universidade do Minho Escola de Engenharia Nuno Daniel Carneiro de Carvalho WALC-AI: Laboratório para Aprendizagem do Controlo e Automação Industrial UMinho 2010 Nuno Daniel Carneiro de Carvalho WALC-AI:

Leia mais

Segunda Lista de Exercícios

Segunda Lista de Exercícios INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA Segunda Lista de Exercícios 1. Qual é a posição dos meios de transmissão no modelo OSI ou Internet? Os meios de transmissão estão localizados abaixo

Leia mais

Portefólio de Soluções. Sistemas de Automação de Subestações. Descrição

Portefólio de Soluções. Sistemas de Automação de Subestações. Descrição Portefólio de Soluções Sistemas de Automação de Subestações Descrição Actualmente, os requisitos dos sistemas de energia ao nível de desempenho, fiabilidade, segurança e resultados económicos, exigem não

Leia mais

Rede Profibus. Process. Manufacturing PLC PROFIBUS-PA. Internet PROFINET IEC 61158-2 RS-485/FO PROFIBUS-DP IPC. AS-Interface

Rede Profibus. Process. Manufacturing PLC PROFIBUS-PA. Internet PROFINET IEC 61158-2 RS-485/FO PROFIBUS-DP IPC. AS-Interface Rede Profibus OS OS Internet PLC Manufacturing IPC PROFINET Process RS-485/FO PROFIBUS-DP IEC 61158-2 PROFIBUS-PA AS-Interface Rede Profibus PROFIBUS desenvolvido na Alemanha, inicialmente pela Siemens

Leia mais

Cabeça de Rede de Campo PROFIBUS-DP

Cabeça de Rede de Campo PROFIBUS-DP Descrição do Produto O módulo, integrante da Série Ponto, é uma cabeça escrava para redes PROFIBUS-DP do tipo modular, podendo usar todos os módulos de E/S da série. Pode ser interligada a IHMs (visores

Leia mais

UTP Unshielded Twisted Pair - UTP ou Par Trançado sem Blindagem: é o mais usado atualmente tanto em redes domésticas quanto em grandes redes

UTP Unshielded Twisted Pair - UTP ou Par Trançado sem Blindagem: é o mais usado atualmente tanto em redes domésticas quanto em grandes redes Definição Cabeamento para uso integrado em comunicações de voz, dados e imagem preparado de maneira a atender diversos layouts de instalações, por um longo período de tempo, sem exigir modificações físicas

Leia mais

Como recuperar e mudar o endereço IP de Um ou Mais Servidores Cisco ICM NT do RateMux C6920

Como recuperar e mudar o endereço IP de Um ou Mais Servidores Cisco ICM NT do RateMux C6920 Como recuperar e mudar o endereço IP de Um ou Mais Servidores Cisco ICM NT do RateMux C6920 Índice Introdução Antes de Começar Convenções Pré-requisitos Componentes Utilizados Como se conectar ao RateMux

Leia mais

Módulo de Comunicação

Módulo de Comunicação Descrição do Produto O módulo de comunicação é a interface de comunicação da Série FBs que adiciona 2 portas de comunicação as UCPs da Série FBs. O módulo ativa as portas de comunicação PORT3 (RS-232)

Leia mais

GRUPO DISICPLINAR - Informática

GRUPO DISICPLINAR - Informática Curso: Tecnológico de Informática ANO LECTIVO: 2008/2009 p.1/8 1ª UNIDADE DE ENSINO-APRENDIZAGEM: Fundamentos de Transmissão CARGA HORÁRIA: 10 UNIDADES LECTIVAS 1º PERÍODO Noções Básicas de Transmissão

Leia mais

Este material foi baseado na apresentação de rede do Prof. Marco Aurélio Moschella

Este material foi baseado na apresentação de rede do Prof. Marco Aurélio Moschella Este material foi baseado na apresentação de rede do Prof. Marco Aurélio Moschella Prof. Engº esp Luiz Antonio Vargas Pinto 21 de abril de 2001 Atualizado em 16 de Agosto de 2015 www.vargasp.com Redes

Leia mais

Manual de utilização do módulo NSE METH-8RL/Exp

Manual de utilização do módulo NSE METH-8RL/Exp INSTALAÇÃO 1 - Baixe o arquivo Software Configurador Ethernet disponível para download em www.nse.com.br/downloads-manuais e descompacte-o em qualquer pasta de sua preferência. 2 - Conecte a fonte 12Vcc/1A

Leia mais

Trilhando o caminho para alcançar edifícios sustentáveis de alta performance e cidades inteligentes

Trilhando o caminho para alcançar edifícios sustentáveis de alta performance e cidades inteligentes Trilhando o caminho para alcançar edifícios sustentáveis de alta performance e cidades inteligentes Paradigmas modernos Relevância da eletricidade na vida / produção Mais produtos conectados Mais energia

Leia mais

PROFINET. Guilherme Magalhães de Bastos e Lucas Fernandes Sousa

PROFINET. Guilherme Magalhães de Bastos e Lucas Fernandes Sousa 1 de 5 PROFINET Guilherme Magalhães de Bastos e Lucas Fernandes Sousa Pontifícia Universidade Católica de Goiás E-mails: guilherme_12_94@hotmail.com, lucas_f.s@hotmail.com Avenida Primeira Avenida, Setor

Leia mais