PERSPECTIVAS PARA PRÓXIMA SAFRA E OS POSSÍVEIS REFLEXOS SOBRE O SETOR SUCROENERGETICO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PERSPECTIVAS PARA PRÓXIMA SAFRA E OS POSSÍVEIS REFLEXOS SOBRE O SETOR SUCROENERGETICO"

Transcrição

1 PERSPECTIVAS PARA PRÓXIMA SAFRA E OS POSSÍVEIS REFLEXOS SOBRE O SETOR SUCROENERGETICO Antonio de Padua Rodrigues Diretor técnico da União da Indústria de Cana-de-Açúcar 4 de dezembro de 2013

2 Considerações sobre a safra atual na região Centro-Sul

3 EXPECTATIVA PARA SAFRA 2013/2014 NA REGIÃO CENTRO-SUL Estados 2012/ /2014* A B Valores em mil toneladas Variação B/A GO ,7% MT ,2% MS ,8% MG ,9% PR ,2% SP ,2% Outros ,2% Total ,7% Fonte: UNICA. Nota: *estimativa; Outros referem-se ao Espírito Santo, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul.

4 MIX DE PRODUÇÃO DA REGIÃO CENTRO-SUL Moagem de cana-de-açúcar Mix de produção - usinas anexas 2012/2013* final de safra; 2013/2014** valor acumulado até 1ª quinzena de novembro. Fonte: UNICA.

5 MIX DE PRODUÇÃO DA REGIÃO CENTRO-SUL POR PRODUTO 2012/2013* final de safra; 2013/2014** valor acumulado até a 1ª quinzena de novembro. Fonte: UNICA.

6 PREÇO MÉDIO MENSAL DO KG DO ATR DO ESTADO DE SÃO PAULO - Comparativo entre safras 0,4746 R$/kg ATR x 135,57 kg ATR/ton* x 74,60 ton/ha* = R$/ha 0,4461 R$/kg ATR x 134,00 kg ATR/ton** x 81,30 ton/ha** = R$/ha Fonte: Consecana. Nota: *fechamento da safra 2012/2013; **estimativa para a safra 2013/2014

7 PREÇO MÉDIO MENSAL DO KG DO ATR POR PRODUTO PARA O ESTADO DE SÃO PAULO Fonte: Consecana.

8 PREÇO MÉDIO DO KG DO ATR POR PRODUTO NO ESTADO DE SÃO PAULO - Valores em R$/kg de ATR acumulados de abril a novembro de 2013 Fonte: Consecana.

9 O que podemos esperar para a próxima safra?...alguns comentários para reflexão Capacidade de moagem Disponibilidade de cana Mercado de etanol Mercado de açúcar

10 ...alguns comentários para reflexão Capacidade de moagem Disponibilidade de cana Mercado de etanol Mercado de açúcar

11 ENDIVIDAMENTO LÍQUIDO SOBRE FATURAMENTO LÍQUIDO Valores médios - amostra superior a 300 MT de cana na safra 2012/13 123,8% 112,5% Nível médio de endividamento equivale ao faturamento anual das indústrias 98,4% 104,9% Antes da crise 77,3% 73,0% 49,5% 21,4% 33,5% 25,3% 34,2% Fonte: balanço divulgado pelas empresas. Nota: endividamento líquido corresponde ao endividamento bruto abatido do valor disponível em caixa e equivalentes.

12 DESPESA FINANCEIRA LÍQUIDA SOBRE RECEITA LÍQUIDA Valores médios - amostra superior a 300 MT de cana na safra 2012/13 Despesa financeira média ficou próxima de 17 R$/ton. na safra 2012/2013 Ápice da crise Atual: quase 15% da receita é comprometida com o pagamento de juros da dívida Antes da crise Fonte: balanço divulgado pelas empresas. Nota: inclui as variações cambiais; na safra 2008/2009 a taxa de câmbio elevou-se 30%; na safra 2009/2010 essa mesma taxa recuou 20%.

13 DISTRIBUIÇÃO DAS EMPRESAS POR FAIXA DE DESPESA FINANCEIRA LÍQUIDA Valores para uma amostra superior a 300 MT de toneladas de cana na safra 12/13 Parte dessas empresas apresenta dívida elevada, pois estão expandindo a moagem Algumas empresas nesse grupo poderão passar por processo de consolidação, mas dificilmente irão fechar Perda de capacidade para o próximo ano deverá ser desprezível Fonte: balanço divulgado pelas empresas.

14 CAPACIDADE DIÁRIA DE MOAGEM MÉDIA DAS UNIDADES EM OPERAÇÃO POR QUINZENA quinzena Fonte: estimado pela UNICA.

15 NÚMERO MÉDIO DE DIAS PERDIDOS PELAS UNIDADES EM OPERAÇÃO POR QUINZENA quinzena Número de dias perdidos até 16/ / dias 2013/ dias Fonte: estimado pela UNICA.

16 UTILIZAÇÃO MÉDIA DA CAPACIDADE INSTALADA NAS UNIDADES EM OPERAÇÃO POR QUINZENA quinzena Fonte: estimado pela UNICA.

17 PROPORÇÃO DE EMPRESAS OPERANDO NAS PRIMERIAS E NAS ÚLTIMAS QUINZENAS DA SAFRA 1ªMar 2ªMar 1ªAbr 2ªAbr 2011/2012 2,3% 13,6% 36,7% 68,8% 2012/2013 1,0% 5,4% 24,4% 52,2% 2013/2014 5,2% 17,9% 51,5% 79,4% Proporção de empresas operando nas primeiras quinzenas da safra 2ªOut 1ªNov 2ªNov 1ªDez Proporção de empresas 2011/ ,5% 48,1% 22,4% 9,4% operando nas últimas 2012/ ,9% 86,1% 69,5% 28,1% quinzenas da safra 2013/ ,2% 90,0% 72,6%* 40,0%* * estimativa Fonte: estimado pela UNICA.

18 COMENTÁRIOS SOBRE A CAPACIDADE DE MOAGEM NA SAFRA 2014/2015 Capacidade de moagem para a próxima safra deverá ser similar aquela observada na safra atual: Unidades que poderão encerrar as operações no próximo ano 9 plantas Novas unidades 1 planta Unidades que deverão voltar a operar 1 planta É possível uma pequena ampliação da moagem por meio da antecipação do início de safra, já que cerca de 50% das unidades iniciaram safra esse ano após o dia 15 de abril O volume a ser processado dependerá fundamentalmente das condições climáticas em 2014

19 ...alguns comentários para reflexão Capacidade de moagem Disponibilidade de cana Mercado de etanol Mercado de açúcar

20 PERFIL DA COLHEITA (COMUNS) % por estágio de corte acumulado até outubro Fonte: Controle Mutuo - CTC.

21 ESTÁGIO MÉDIO DE CORTE DO CANAVIAL DA REGIÃO CENTRO-SUL Fonte: Controle Mutuo - CTC.

22 PRODUTIVIDADE MENSAL DO CANAVIAL DA REGIÃO CENTRO-SUL Valores em toneladas de cana/ha Fonte: Controle Mutuo - CTC.

23 ÁREA PLANTADA COM CANA-DE-AÇÚCAR NA REGIÃO CENTRO-SUL Valores incorporam apenas área própria das unidades produtoras que participam da amostra Fonte: Benchmarking CTC.

24 ÁREA PLANTADA COM CANA-DE-AÇÚCAR NA REGIÃO CENTRO-SUL Valores incorporam apenas área própria das unidades produtoras que participam da amostra Proporção Unidades que diminuíram a área plantada em % Unidades que mantiveram o ritmo de plantio em % Unidades que aumentaram a área plantada em % Total 100% Levantamento atingiu 80% da área própria das unidades produtoras do Centro-Sul (não incluí áreas de fornecedores) e indicou uma redução no índice de renovação: Em 2012, renovação representou 20% da área (colhida + plantada). Em 2013, números preliminares totalizam um índice de 17% da área cultivada. Redução se deve a diversos fatores: perda de muda com geada, dificuldade operacional para o plantio de cana de 18 meses em algumas regiões, entre outros. Entretanto, os principais motivos apontados para a retração referem-se a condição financeira de algumas unidades e ao fato de o canavial estar mais estabilizado em outras.

25 COLHEITA MECANIZADA POR TIPO DE CORTE Acumulado até outubro/2013 Fonte: CTC.

26 EFEITOS SOBRE A SAFRA 2014/2015 Base safra 2013/2014 Fonte: CTC.

27 ...alguns comentários para reflexão Capacidade de moagem Disponibilidade de cana Mercado de etanol Mercado de açúcar

28 BALANÇO MUNDIAL DE AÇÚCAR Milhões de toneladas Superávit deve ser reduzido, mas continua positivo Superávit de ~10 milhões de toneladas Fonte: LMC, FOLicht. Elaboração: UNICA. Nota: dados referentes à safra mundial (outubro/setembro) - 13/14 - estimativa.

29 BALANÇO MUNDIAL DE AÇÚCAR Expectativas para safra 2013/2014 Permanência de superávit mundial, mas inferior ao registrado na safra 2012/2013; Queda da produção global pela 1ª vez dentre os últimos 5 anos (aumento da produção na Ásia - Índia, Tailândia e Paquistão - e retração no Leste Europeu e Estados Unidos); Crescimento do consumo (usual e incentivado pelos baixos preços) em torno ~ 2% a.a., com demanda adicional de pelo menos 3 milhões de toneladas; Outros aspectos: capacidade brasileira de exportação de açúcar, alteração cambial nos países exportações, rumos da economia mundial, etc.

30 MUDANÇAS NO MANDATO AMERICANO Fonte: DOE Energy Information Agency; Gráficos não em escala proporcional.

31 PROPOSTA VS. LEI ORIGINAL DO RFS Valores em bilhões de galões Categoria Proposta EPA Na Lei original Celulósico 0,017 1,75 Diesel de biomassa Avançados 2,20 3,75 Convencional 13 14,40 Total RFS 15,21 18,15 Comentários Redução de 99% com pouca transferência para outros avançados Mantido volume de 2013; gera ~1.9 bilhões de RINs avançados Redução de 41% com potencial de ~300 milhões de galões para etanol de cana no RFS Redução de 10%, seria a primeira redução para etanol de milho 16% de redução frente a projeção da Lei

32 CONSIDERAÇÕES SOBRE EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE ETANOL Proposta de alteração no mandato americano ainda não é definitiva. Estamos participando da discussão quanto a revisão dos valores. Caso a proposta divulgada seja mantida, precisamos avaliar os seguintes itens: Demanda por etanol avançado para atendimento do RFS deverá se retrair significativamente; Demanda por etanol de cana-de-açúcar para a Califórnia e contratos de exportação já assumidos deverão ser mantidos; Brasil poderá perder alguns mercados que demandam etanol industrial; Existe risco de importação de etanol dos EUA (condição será definida pela paridade de preços para o próximo ano).

33 MERCADO INTERNO DE COMBUSTÍVEIS CICLO OTTO Contribuição do etanol para o abastecimento do mercado doméstico na safra 2013/2014: Crescimento estimado ciclo Otto 3,0 bilhões de litros gas. equiv. Oferta prevista de etanol combustível Diferença 3,4 bilhões de litros gas. equiv. 0,4 bilhão de litros gas. equiv. Contribuição para a redução da importação de gasolina: Importação de gasolina 2012/2013 4,2 bilhões de litros Oferta adicional de etanol deve ser suficiente para atender todo o crescimento da demanda de combustíveis leves no País nessa safra Crescimento estimado ciclo Otto 3,0 bilhões de litros gas. equiv. Déficit de combustíveis: estimado em 7,2 bilhões de litros caso a oferta de etanol não crescesse. O aumento da oferta de etanol deve reduzir a necessidade de importação em 3,4 bilhões de litros e o maior nível de mistura deve permitir um ganho adicional de capacidade de produção de gasolina de 2,4 bilhões de litros. Fonte: Unica e ANP.

34 MERCADO INTERNO DE COMBUSTÍVEIS CICLO OTTO Consumo de combustíveis leves no Brasil (em bilhões de litros de gas. equivalente) 2012/ /2014e Gasolina A 31,96 31,22 Etanol anidro 7,95 10,37 Etanol hidratado 8,02 9,06 GNV 1,92 1,89 Total 49,9 52,5 Demanda por combustível deverá exigir um volume adicional próximo de 3 bilhões de litros de gasolina equivalente na próxima safra. Esse volume adicional é inferior ao crescimento da produção de etanol, mesmo considerando um cenário otimista de produção. Portanto, o aumento da produção de etanol será menor que o crescimento da demanda do ciclo Otto.

35 DIFERENÇAS ENTRE OS MERCADOS BRASILEIROS DE ETANOL E GASOLINA IMPOSTOS FEDERAIS (Pis/Cofins e CIDE) Em 2002 Proporção do Pis/Cofins e CIDE sobre o preço de bomba Atual Proporção do Pis/Cofins e CIDE sobre o preço de bomba Diferenciação ~ 21% ~ 9% ~ 7% Diferenciação Gasolina C Etanol hidratado Gasolina C Etanol hidratado Diferenciação tributária para o combustível renovável Redução da diferenciação tributária para o combustível renovável + incerteza sobre a política de preços da gasolina Elaboração: UNICA.

36 VALOR LÍQUIDO RECEBIDO NA REFINARIA MÉDIA MENSAL BRASIL R$/l 2006 Dez/2013 com CIDE sem CIDE Preço de venda 1,55 1,65 1,65 CIDE 0,28 0,28 0,00 PIS/COFINS 0,26 0,26 0,26 Preço líquido 1,00 1,11 1,39 % reajuste 11,00% 39,00% Fonte: ANP.

37 Em R$/l VARIAÇÃO DOS PREÇOS DA GASOLINA NO ESTADO DE SÃO PAULO Var. (R$/l) Var. (%) Preço médio gasolina C ao consumidor 2,44 2,73 0,29 11,7% Preço médio gasolina C - venda distribuidora 2,18 2,33 0,16 7,2% Margem média de revenda gasolina C 0,27 0,40 0,13 48,9% Preço de venda refinaria gasolina A* 1,55 1,61 0,06 3,9% Preço médio do etanol anidro 0,99 1,31 0,32 32,6% Custo médio gasolina C 1,41 1,53 0,13 9,0% Variação de outros itens de custos na distribuição 0,03 Gasolina C subiu R$ 0,29/l ao consumidor: R$ 0,16/l na distribuidora R$ 0,13/l na revenda Do aumento da distribuidora (R$ 0,16/l) R$ 0,06/l aumento da gasolina A R$ 0,32/l aumento do etanol anidro R$ 0,03/l outros itens na distribuição Mistura 25% R$ 0,13/l O etanol para se manter competitivo só poderia aumentar seu valor em 11,7% Fonte: ANP. Elaboração: UNICA. Nota: * inclui a parcela especifica do Pis/Cofins que não é ajustada desde o início de 2002, de R$ 0,2616 por litro

38 VARIAÇÃO DE CUSTOS DE PRODUTIVIDADE DO ETANOL INDUSTRIAS ESTABILIZADAS 2007/ /2013 Var. (%) Custos levantados PECEGE (R$/l) 0,86 1,51 75,6% Custos levantados (desconsiderando perdas de produtividade/hectare litros/hectare) R$/l Produtividade do milho nos EUA: bushels por acre (3.026 litros de etanol/hectare) bushels por acre (4.081 litros de etanol/hectare) bushels por acre (5.247 litros de etanol por hectare) Taxa de crescimento foi de 1,5% a.a. Taxa de crescimento esperada entre será de 2,8 % a.a. 0,86 1,41 64,0% A produtividade eficiente da cana-de-açúcar (7.225 litros por hectare), crescendo nas mesmas taxas observadas para o milho seria litros/hectare Custo de produção do etanol de cana-de-açúcar, considerando o mesmo ganho de produtividade do milho R$/l Aumento do preço da gasolina na bomba entre 2006 e ,7% Crescimento do custo de produção semelhante a variação observada no preço da gasolina C R$/l 0,86 1,31 52,1% 0,86 0,96 11,7% Ganho de produtividade necessário para manter a competitividade do etanol observada em % a.a.

39 Obrigado

COLETIVA DE IMPRENSA

COLETIVA DE IMPRENSA COLETIVA DE IMPRENSA 17 de dezembro de 2013 Considerações sobre os dados Informações disponíveis a partir do sistema de benchmarking do CTC: Amostra contempla apenas cana própria Representatividade da

Leia mais

Expectativas para a safra 2017/18 e as perspectivas para o setor nos próximos anos

Expectativas para a safra 2017/18 e as perspectivas para o setor nos próximos anos 15º Seminário sobre Produtividade & Redução de Custos Expectativas para a safra 2017/18 e as perspectivas para o setor nos próximos anos Luciano Rodrigues Gerente Economia e Análise Setorial 1 - SAFRA

Leia mais

21 de maio de Coletiva de imprensa ESTIMATIVA SAFRA 2015/2016

21 de maio de Coletiva de imprensa ESTIMATIVA SAFRA 2015/2016 21 de maio de 2015 Coletiva de imprensa ESTIMATIVA SAFRA 2015/2016 ROTEIRO I. Dados finais da safra 2014/2015 na região Centro-Sul Moagem e produção Mercados de etanol e de açúcar Preços e faturamento

Leia mais

Coletiva de Imprensa REVISÃO DE SAFRA 2012/2013

Coletiva de Imprensa REVISÃO DE SAFRA 2012/2013 Coletiva de Imprensa REVISÃO DE SAFRA 2012/2013 São Paulo, 20 de setembro de 2012 ROTEIRO I. Metodologia e fonte de dados II. Aspectos climáticos e condições agrícolas III. Evolução da safra da região

Leia mais

Relatório final da safra 2013/2014. Região Centro-Sul

Relatório final da safra 2013/2014. Região Centro-Sul Relatório final da safra 2013/2014 Região Centro-Sul Tabela 1. Balanço final da safra 2013/2014 na região Centro-Sul Comparativo com a safra 2012/2013 Produtos Safra 2012/2013 2013/2014 Var. (%) Cana-de-açúcar

Leia mais

Panorama do setor sucroenergético para a safra atual e perspectivas para 2012/13

Panorama do setor sucroenergético para a safra atual e perspectivas para 2012/13 Panorama do setor sucroenergético para a safra atual e perspectivas para 2012/13 Vanessa Nardy Agribusiness Research & Knowledge Center Pricewaterhouse Coopers Situação do setor sucroenergético no Brasil

Leia mais

Acompanhamento quinzenal da safra na região Centro-Sul

Acompanhamento quinzenal da safra na região Centro-Sul Acompanhamento quinzenal da safra na região Centro-Sul Posição até 16/11/2016 Informações adicionais Safra 2016/2017 1ª quinzena de novembro A moagem pelas unidades produtoras da região Centro-Sul atingiu

Leia mais

Balanço 2016 Perspectivas Cana-de-açúcar

Balanço 2016 Perspectivas Cana-de-açúcar Cana-de-açúcar 85 86 Balanço 2016 Perspectivas 2017 Perspectivas 2017 DÉFICIT NA PRODUÇÃO MUNDIAL DE AÇÚCAR, AUMENTO DA DEMANDA E QUEDA NOS ESTOQUES MANTERÃO TENDÊNCIA DE PREÇOS ALTOS A perspectiva é de

Leia mais

DEMANDA POR AÇÚCAR: BRASIL e MUNDO

DEMANDA POR AÇÚCAR: BRASIL e MUNDO UFRJ DEMANDA POR AÇÚCAR: BRASIL e MUNDO Estimativa do consumo de açúcar no mercado brasileiro Estimativa do consumo mundial de açúcar 166 182 201 Fonte: F.O.Licht, LMC e estimativa UNICA. Nota: o volume

Leia mais

Situação atual e perspectivas para o setor sucroenergético

Situação atual e perspectivas para o setor sucroenergético 23 de julho de 2015 Situação atual e perspectivas para o setor sucroenergético Antonio de Padua Rodrigues Diretor técnico ROTEIRO I. Perspectivas para a safra 2015/2016 II. Mercados de açúcar e de etanol

Leia mais

Os Desafios do Setor Sucroenergético e o Movimento + Etanol Marcos Sawaya Jank

Os Desafios do Setor Sucroenergético e o Movimento + Etanol Marcos Sawaya Jank Os Desafios do Setor Sucroenergético e o Movimento + Etanol Marcos Sawaya Jank Presidente da União da Indústria da Cana-de-Açúcar São Paulo, 06 de fevereiro de 2012 O SETOR SUCROENERGÉTICO HOJE Estrutura

Leia mais

Situação atual do setor sucroenergético, com ênfase na geração de energia com bioeletricidade

Situação atual do setor sucroenergético, com ênfase na geração de energia com bioeletricidade Situação atual do setor sucroenergético, com ênfase na geração de energia com bioeletricidade Zilmar de Souza Bioeletricidade CIBIO - Congresso Internacional de Biomassa Curitiba PR 16 de junho de 2016

Leia mais

RENOVABIO - propostas do setor sucroenergético e agenda para 2030

RENOVABIO - propostas do setor sucroenergético e agenda para 2030 RENOVABIO - propostas do setor sucroenergético e agenda para 2030 Momento propício para a discussão de agenda de revitalização do etanol combustível: DÉFICIT DE COMBUSTÍVEIS LEVES Falta de planejamento

Leia mais

COLETIVA DE SAFRA 2017/2018. Mário Campos Presidente SIAMIG

COLETIVA DE SAFRA 2017/2018. Mário Campos Presidente SIAMIG COLETIVA DE SAFRA 2017/2018 Mário Campos Presidente SIAMIG UBERABA 28/04/2017 MOAGEM DE CANA EM MINAS GERAIS ( mil toneladas) MIX DE PRODUÇÃO SAFRA MG 2016/2017 POSIÇÃO: 01-04-2017 PRODUTOS SAFRA VAR(%)

Leia mais

EMPRESA DE PESQUISA ENERGÉTICA. Tendências da Produção de Etanol Plano Decenal de Energia

EMPRESA DE PESQUISA ENERGÉTICA. Tendências da Produção de Etanol Plano Decenal de Energia EMPRESA DE PESQUISA ENERGÉTICA Tendências da Produção de Etanol Plano Decenal de Energia 2010-2019 III Workshop INFOSUCRO INSTITUTO DE ECONOMIA UFRJ 26 de novembro de 2010 Lei 10.847 de 15 de março de

Leia mais

Energia Limpa: Viabilidade e Desafios A Bioeletricidade

Energia Limpa: Viabilidade e Desafios A Bioeletricidade Energia Limpa: Viabilidade e Desafios A Bioeletricidade Zilmar José de Souza XIV CONGRESSO BRASILEIRO DE ENERGIA Rio de Janeiro 23 de outubro de 2012 A UNICA A União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA)

Leia mais

Edição 37 (Março2014)

Edição 37 (Março2014) Edição 37 (Março2014) Cenário Econômico: PIB brasileiro cresce 2,3% em 2013 e chega a R$ 4,8 trilhões A economia brasileira cresceu 0,7% no quarto trimestre de 2013, na comparação com os três meses anteriores,

Leia mais

O Setor Brasileiro de Cana-de-açúcar Perspectivas de Crescimento por Plinio M. Nastari, Ph.D. (DATAGRO - Brasil)

O Setor Brasileiro de Cana-de-açúcar Perspectivas de Crescimento por Plinio M. Nastari, Ph.D. (DATAGRO - Brasil) O Setor Brasileiro de Cana-de-açúcar Perspectivas de Crescimento por Plinio M. Nastari, Ph.D. (DATAGRO - Brasil) São Paulo, Brasil Posição atual do Brasil em Açúcar e Álcool 2 Maior produtor e exportador

Leia mais

27 de abril de 2016. Coletiva de imprensa ESTIMATIVA SAFRA 2016/2017

27 de abril de 2016. Coletiva de imprensa ESTIMATIVA SAFRA 2016/2017 27 de abril de 2016 Coletiva de imprensa ESTIMATIVA SAFRA 2016/2017 ROTEIRO I. Considerações sobre a atual situação do setor sucroenergético II. Bioeletricidade III. Condições climáticas e agronômicas

Leia mais

Esclarecimentos e informações adicionais solicitadas na última reunião (31/07/12) Conselho da União da Indústria de Cana-de-açúcar

Esclarecimentos e informações adicionais solicitadas na última reunião (31/07/12) Conselho da União da Indústria de Cana-de-açúcar Esclarecimentos e informações adicionais solicitadas na última reunião (31/07/12) Conselho da União da Indústria de Cana-de-açúcar INFORMAÇÕES ADICIONAIS 1. Projeto greenfield a. Premissas técnicas e custos

Leia mais

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado Mês de referência: AGOSTO/2016 CEPEA AÇÚCAR & ETANOL I Análise Conjuntural II Séries Estatísticas 1. Relações de preços mercados interno e internacional (paridade

Leia mais

PROJETO AGROMINERAIS PARA BIOCOMBUSTÍVEIS

PROJETO AGROMINERAIS PARA BIOCOMBUSTÍVEIS PROJETO AGROMINERAIS PARA BIOCOMBUSTÍVEIS Potencial Agrícola e de Mercado no Brasil para Biocombustíveis e Biodiesel Centro de Tecnologia Mineral - CETEM Cia. Nacional de Abastecimento - Conab ÂNGELO BRESSAN

Leia mais

Edição 27 (Dezembro/2013) Cenário Econômico Nacional:

Edição 27 (Dezembro/2013) Cenário Econômico Nacional: Edição 27 (Dezembro/2013) Cenário Econômico Nacional: Essa semana foi marcada pelas repercussões dos dados apresentados semana passada, como de costume o Banco Bradesco revelou o resultado da sua pesquisa

Leia mais

Financiamento de longo prazo e estabilidade são importantes para o investimento no setor sucroenergético

Financiamento de longo prazo e estabilidade são importantes para o investimento no setor sucroenergético Financiamento de longo prazo e estabilidade são importantes para o investimento no setor sucroenergético Embora o BNDES ofereça financiamento de longo prazo, o ambiente instável afetou a habilidade dos

Leia mais

A evolução dos custos de produção de cana, açúcar e etanol

A evolução dos custos de produção de cana, açúcar e etanol 15º Seminário Produtividade e Redução de Custos da Agroindústria Canavieira A evolução dos custos de produção de cana, açúcar e etanol Francisco Oscar Louro Fernandes Ribeirão Preto, 30 de Novembro de

Leia mais

Associação Brasileira dos Produtores de Soja

Associação Brasileira dos Produtores de Soja Associação Brasileira dos Produtores de Soja 1. PREVISÃO DE SAFRA E DESTINAÇÃO De acordo com o 7 Levantamento de safra 2015/16, publicado em abril pela Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), a área

Leia mais

Coletiva de imprensa ESTIMATIVA DA SAFRA 2014/2015

Coletiva de imprensa ESTIMATIVA DA SAFRA 2014/2015 Coletiva de imprensa ESTIMATIVA DA SAFRA 2014/2015 São Paulo, 23 de abril de 2014 ROTEIRO I. Safra 2013/2014 na região Centro-Sul: dados finais Condições climáticas e agronômicas Moagem e produção Mercados

Leia mais

1. Evolução dos Indicadores CEPEA/ESALQ dos etanóis anidro e hidratado (valores nominais)

1. Evolução dos Indicadores CEPEA/ESALQ dos etanóis anidro e hidratado (valores nominais) AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado Mês de referência: OUTUBRO/2016 CEPEA AÇÚCAR & ETANOL I Análise Conjuntural II Séries Estatísticas 1. Relações de preços mercados interno e internacional (paridade

Leia mais

Projeções do mercado de açúcar e etanol para November 2014

Projeções do mercado de açúcar e etanol para November 2014 Projeções do mercado de açúcar e etanol para 2015 November 2014 Mercado do Açúcar Panorama geral Perspectivas de safras Conclusões Etanol Programa Panorama e expectativas 2 Açúcar Panorama do mercado nos

Leia mais

Coletiva de imprensa ESTIMATIVA DA SAFRA 2013/2014

Coletiva de imprensa ESTIMATIVA DA SAFRA 2013/2014 Coletiva de imprensa ESTIMATIVA DA SAFRA 2013/2014 São Paulo, 29 de abril de 2013 ROTEIRO I. Safra 2012/2013 na região Centro-Sul: dados finais Moagem e produção Mercados de etanol e de açúcar Preços e

Leia mais

Reunião Pública com Analistas e Investidores

Reunião Pública com Analistas e Investidores 2014 Reunião Pública com Analistas e Investidores Grupo São Martinho 300.000 Ha Área agrícola de colheita 4 usinas São Martinho, Iracema, Santa Cruz e Boa Vista 20 milhões de toneladas Capacidade de processamento

Leia mais

Impurezas e Qualidade de Cana-de-Açúcar

Impurezas e Qualidade de Cana-de-Açúcar Impurezas e Qualidade de Cana-de-Açúcar Levantamento dos níveis de impurezas nas últimas safras Luiz Antonio Dias Paes 12 de Maio de 2011 Dados Gerais da Safra 10/11 Impurezas Evolução Indicadores Impurezas

Leia mais

APRESENTAÇÃO SUMÁRIO BOLETIM MENSAL DOS COMBUSTÍVEIS RENOVÁVEIS

APRESENTAÇÃO SUMÁRIO BOLETIM MENSAL DOS COMBUSTÍVEIS RENOVÁVEIS Ministério de Minas e Energia Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Departamento de Combustíveis Renováveis EDIÇÃO N o 99 Maio/2016 BOLETIM MENSAL DOS COMBUSTÍVEIS RENOVÁVEIS SUMÁRIO

Leia mais

APIMEC - SP 16 de dezembro de 2008

APIMEC - SP 16 de dezembro de 2008 APIMEC - SP 16 de dezembro de 2008 DISCLAIMER Eventuais declarações que possam ser feitas durante esta apresentação, relativas às perspectivas de negócios da Companhia, projeções e metas operacionais e

Leia mais

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado Mês de referência: MAIO/2016 CEPEA AÇÚCAR & ETANOL I Análise Conjuntural II Séries Estatísticas 1. Relações de preços mercados interno e internacional (paridade

Leia mais

SUMÁRIO APRESENTAÇÃO BOLETIM MENSAL DOS COMBUSTÍVEIS RENOVÁVEIS

SUMÁRIO APRESENTAÇÃO BOLETIM MENSAL DOS COMBUSTÍVEIS RENOVÁVEIS Ministério de Minas e Energia Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Departamento de Combustíveis Renováveis BOLETIM MENSAL DOS COMBUSTÍVEIS RENOVÁVEIS EDIÇÃO N o 87 Abril/2015 SUMÁRIO

Leia mais

O Mercado Brasileiro de Álcool: Perspectivas. João Carlos de Figueiredo Ferraz Presidente da CRYSTALSEV

O Mercado Brasileiro de Álcool: Perspectivas. João Carlos de Figueiredo Ferraz Presidente da CRYSTALSEV O Mercado Brasileiro de Álcool: Perspectivas João Carlos de Figueiredo Ferraz Presidente da CRYSTALSEV 2º Seminário Internacional CANA & ENERGIA Agosto de 2002 Produção Mensal na Região Centro-Sul Álcool

Leia mais

Resultados FY 11 São Paulo 07 de junho de 2011

Resultados FY 11 São Paulo 07 de junho de 2011 Resultados FY 11 São Paulo 07 de junho de 2011 1 Disclaimer Considerações Futuras Esta apresentação contém estimativas e projeções relacionadas a nossa estratégia e oportunidades de crescimento futuro.

Leia mais

A evolução dos custos de produção de cana, açúcar e etanol

A evolução dos custos de produção de cana, açúcar e etanol 11º Seminário Produtividade e Redução de Custos da Agroindústria Canavieira A evolução dos custos de produção de cana, açúcar e etanol Francisco Oscar Louro Fernandes Ribeirão Preto, 28 de Novembro de

Leia mais

5 anos desde o IPO...

5 anos desde o IPO... 1 5 anos desde o IPO... 2007 2008 2009 2010 2011 2012 Moagem: 10,3 MT Moagem: 12,0 MT Moagem: 12,9 MT Moagem: 13,1 MT Moagem: 14,5 MT Moagem: 14,5 MT IPO da SMTO Aquisição Usina Santa Luiza aprox. 1MT

Leia mais

Associação Brasileira dos Produtores de Soja

Associação Brasileira dos Produtores de Soja Associação Brasileira dos Produtores de Soja De acordo com o 5 Levantamento de safra 2015/16, publicado em fevereiro pela Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), a área plantada deve crescer 3,6%

Leia mais

CEPEA ETANÓIS ANIDRO E HIDRATADO. 1. Evolução dos Indicadores CEPEA/ESALQ dos etanóis anidro e hidratado (valores nominais) I - Análise Conjuntural

CEPEA ETANÓIS ANIDRO E HIDRATADO. 1. Evolução dos Indicadores CEPEA/ESALQ dos etanóis anidro e hidratado (valores nominais) I - Análise Conjuntural AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado Mês de referência:fevereiro/2016 CEPEA - AÇÚCAR & ETANOL I - Análise Conjuntural II - Séries Estatísticas 1. Relações de preços mercados interno e internacional

Leia mais

A evolução dos custos de produção de cana, açúcar e etanol

A evolução dos custos de produção de cana, açúcar e etanol 12ºSeminário Produtividade e Redução de Custos da Agroindústria Canavieira A evolução dos custos de produção de cana, açúcar e etanol Francisco Oscar Louro Fernandes Ribeirão Preto, 04 de Dezembro de 2013

Leia mais

A evolução dos custos de produção de cana, açúcar e etanol

A evolução dos custos de produção de cana, açúcar e etanol 10º Seminário sobre Redução de Custos na Agroindústria Canavieira A evolução dos custos de produção de cana, açúcar e etanol Francisco Oscar Louro Fernandes Ribeirão Preto, 30 de Novembro de 2011 Modelo

Leia mais

Tereos Internacional Resultados do 2T 15/16. São Paulo 12 de novembro de 2015

Tereos Internacional Resultados do 2T 15/16. São Paulo 12 de novembro de 2015 Tereos Internacional Resultados do 15/16 São Paulo 12 de novembro de 2015 Principais iniciativas e destaques do 2015/16 Operacional 2 Açúcar & Energia Brasil: Aumento de 2,5% na moagem apesar do clima

Leia mais

Indústria sucroenergética: Açúcar e etanol importância e cenário atual

Indústria sucroenergética: Açúcar e etanol importância e cenário atual Universidade de São Paulo USP Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Esalq Departamento de Agroindústria, Alimentos e Nutrição - LAN AÇÚCAR E ÁLCOOL - LAN 1458 Indústria sucroenergética: Açúcar

Leia mais

Brasília,26 de novembro de SETOR SUCROALCOOLEIRO

Brasília,26 de novembro de SETOR SUCROALCOOLEIRO Brasília,26 de novembro de 2015. SETOR SUCROALCOOLEIRO Açúcar: Avaliação de Oferta e Demanda Mundial F o n t e : U S D A Superávit/Déficit Global S&D Safra 15/16 (base Out-Set) Produção / Demanda Balanço

Leia mais

Apresentação dos Resultados 2T16

Apresentação dos Resultados 2T16 Apresentação dos Resultados 2T16 O Mercado Preço das Commodities e Dólar 2 140 Queda de 9,8% do dólar no 2T16 Alta de 29,0% no preço da soja no 2T16 Alta de 7,5% no preço do algodão no 2T16 Alta de 2,1%

Leia mais

Balanço 2016 Perspectivas Café

Balanço 2016 Perspectivas Café Café 77 78 Balanço 2016 Perspectivas 2017 Perspectivas 2017 OFERTA RESTRITA PODE MANTER PREÇO DO CAFÉ FIRME PARA 2017 A demanda crescente no mercado mundial, a queda nos estoques e as incertezas climáticas

Leia mais

CTBE - Workshop Estratégico Programa RenovaBio

CTBE - Workshop Estratégico Programa RenovaBio CTBE - Workshop Estratégico Programa RenovaBio Campinas, 18 de agosto de 2017 SINDICOM Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Combustíveis e de Lubrificantes Fundado em 1941 Fórum para discussão

Leia mais

Financiamento de Projetos de P&D Produção de Etanol 2G. Elias Ramos de Souza SUPERINTENDENTE DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO

Financiamento de Projetos de P&D Produção de Etanol 2G. Elias Ramos de Souza SUPERINTENDENTE DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO Financiamento de Projetos de P&D Produção de Etanol 2G Elias Ramos de Souza SUPERINTENDENTE DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO Seminário ANP/CTC BDEP, Rio de Janeiro, 24 de Setembro de 2013 Por

Leia mais

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Secretaria de Produção e Agroenergia

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Secretaria de Produção e Agroenergia Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Secretaria de Produção e Agroenergia Brasília/DF 2010 2011 Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Todos os direitos reservados. Permitida

Leia mais

Teleconferência de Resultados 2T16

Teleconferência de Resultados 2T16 Teleconferência de Resultados 2T16 1 2 Destaques Receita Líquida de R$100,0 milhões no 6M16. Lucro Líquido de R$45,8 milhões no 6M16. EBITDA Ajustado de R$18,3 milhões no 6M16. Fornecimento de 1,0 milhão

Leia mais

Perspectivas do Mercado e a Importância da Gestão de Risco. Novembro de 2016

Perspectivas do Mercado e a Importância da Gestão de Risco. Novembro de 2016 Perspectivas do Mercado e a Importância da Gestão de Risco Novembro de 2016 A Evolução da Produção no Centro-Sul OcrescimentomédioanualdaproduçãodecananoCentro-Sulnosúltimos8anosfoide4.59%; no entanto,

Leia mais

Ultrapar Participações S.A.

Ultrapar Participações S.A. Ultrapar Participações S.A. Conference Call de Resultados Comentário sobre desempenho do e perspectivas 08.08.08 Previsões acerca de eventos futuros Este documento pode conter previsões acerca de eventos

Leia mais

Oportunidades Para o Aumento da Produtividade na Agro-Indústria de Cana-de-Açúcar

Oportunidades Para o Aumento da Produtividade na Agro-Indústria de Cana-de-Açúcar Oportunidades Para o Aumento da Produtividade na Agro-Indústria de Cana-de-Açúcar Terceiro Seminário Internacional Uso Eficiente do Etanol Manoel Regis L.V. Leal CTBE/CNPEM Laboratório Nacional de Ciência

Leia mais

EVOLUÇÃO DA COMPETITIVIDADE DO GNV: O ÁLCOOL PODE SER UMA AMEAÇA?

EVOLUÇÃO DA COMPETITIVIDADE DO GNV: O ÁLCOOL PODE SER UMA AMEAÇA? ALMEIDA, Edmar de; Macknight, Vivian. Evolução da competitividade do GNV: o álcool pode ser uma ameaça? Boletim Infopetro: Petróleo & Gás Brasil, ano 5, n. 05, p. 12-16, jun. 2004. Disponível em: http://www.ie.ufrj.br/infopetro/pdfs/petrogas-jun2004.pdf.

Leia mais

Biocombustíveis e Instrumentos Econômicos para a Gestão Ambiental no Brasil

Biocombustíveis e Instrumentos Econômicos para a Gestão Ambiental no Brasil Biocombustíveis e Instrumentos Econômicos para a Gestão Ambiental no Brasil Gerson Teixeira Diretor de Economia e Meio Ambiente Secretaria de Políticas para o Desenvolvimento Sustentável Ministério do

Leia mais

Avaliação quinzenal da Safra 2017/18 (2ª quinzena de junho) 04 de julho de 2017

Avaliação quinzenal da Safra 2017/18 (2ª quinzena de junho) 04 de julho de 2017 Avaliação quinzenal da Safra 2017/18 (2ª quinzena de junho) 04 de julho de 2017 O mercado de açúcar passou por um ponto importante na última semana, o vencimento da tela de julho. A volumosa entrega de

Leia mais

Oportunidades da Cana-de- Açúcar na região da Amazônia Legal. Biosol Agroindústria SA. Apresentação ao Congresso Nacional

Oportunidades da Cana-de- Açúcar na região da Amazônia Legal. Biosol Agroindústria SA. Apresentação ao Congresso Nacional Apresentação ao Congresso Nacional 1 Oportunidades da Cana-de- Açúcar na região da Amazônia Legal Biosol Agroindústria SA Álcool e Energia Elétrica Estado Roraima Maio de 2012 Índice 2 1. Setor Sucroalcoleiro

Leia mais

Teleconferência dos Resultados do 1T10 Ano Safra 2009/2010

Teleconferência dos Resultados do 1T10 Ano Safra 2009/2010 Teleconferência dos Resultados do 1T10 Ano Safra 2009/2010 DISCLAIMER Eventuais declarações que possam ser feitas durante esta apresentação, relativas às perspectivas de negócios da Companhia, projeções

Leia mais

APRESENTAÇÃO SUMÁRIO BOLETIM MENSAL DOS COMBUSTÍVEIS RENOVÁVEIS

APRESENTAÇÃO SUMÁRIO BOLETIM MENSAL DOS COMBUSTÍVEIS RENOVÁVEIS Ministério de Minas e Energia Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Departamento de Combustíveis Renováveis BOLETIM MENSAL DOS COMBUSTÍVEIS RENOVÁVEIS EDIÇÃO N o 43 Julho/2011 SUMÁRIO

Leia mais

APRESENTAÇÃO SUMÁRIO BOLETIM MENSAL DOS COMBUSTÍVEIS RENOVÁVEIS

APRESENTAÇÃO SUMÁRIO BOLETIM MENSAL DOS COMBUSTÍVEIS RENOVÁVEIS Ministério de Minas e Energia Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Departamento de Combustíveis Renováveis EDIÇÃO N o 95 Dezembro/2015 BOLETIM MENSAL DOS COMBUSTÍVEIS RENOVÁVEIS

Leia mais

Expectativas Relacionadas às Políticas Governamentais e Incentivos Fiscais para as Térmicas à Biomassa

Expectativas Relacionadas às Políticas Governamentais e Incentivos Fiscais para as Térmicas à Biomassa Expectativas Relacionadas às Políticas Governamentais e Incentivos Fiscais para as Térmicas à Biomassa Zilmar José de Souza Planejamento Termelétrico Brasileiro Rio de Janeiro RJ 11 de abril de 2012 A

Leia mais

Bioeletricidade - a energia elétrica da cana: Evolução e perspectivas

Bioeletricidade - a energia elétrica da cana: Evolução e perspectivas Bioeletricidade - a energia elétrica da cana: Evolução e perspectivas Zilmar José de Souza Thermal Energy LatAm 2012 Rio de Janeiro RJ 31 de janeiro de 2012 A UNICA A União da Indústria de Cana-de-Açúcar

Leia mais

Perspectivas do Etanol na Matriz de Transportes do Brasil

Perspectivas do Etanol na Matriz de Transportes do Brasil Perspectivas do Etanol na Matriz de Transportes do Brasil SEMINÁRIO INTERNACIONAL: USO EFICIENTE DO ETANOL Aurélio César Nogueira Amaral Diretor 20.09.2016 Missões da ANP REGULAR Estabelecer as normas

Leia mais

1 Lavouras. Cereais, leguminosas e oleaginosas. Área e Produção - Brasil 1980 a 2008

1 Lavouras. Cereais, leguminosas e oleaginosas. Área e Produção - Brasil 1980 a 2008 1 Lavouras 1.1 Produção de cereais, leguminosas e oleaginosas A quinta estimativa da safra nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas 1, indica uma produção da ordem de 144,3 milhões de toneladas,

Leia mais

Aquisição. Usina Santa Cruz. Maio/2014

Aquisição. Usina Santa Cruz. Maio/2014 Aquisição Usina Santa Cruz Maio/2014 Disclaimer 2 Eventuais declarações que possam ser feitas durante esta apresentação, relativas às perspectivas de negócios da Companhia, projeções e metas operacionais

Leia mais

Matheus Kfouri Marino Perspectivas e Desafios da Cadeia Produtiva da Cana Ribeirão Preto, 04 de Julho de 2013

Matheus Kfouri Marino Perspectivas e Desafios da Cadeia Produtiva da Cana Ribeirão Preto, 04 de Julho de 2013 Matheus Kfouri Marino Perspectivas e Desafios da Cadeia Produtiva da Cana Ribeirão Preto, 04 de Julho de 2013 1 UNI.BUSINESS ESTRATÉGIA Matheus Kfouri Marino > Doutor em Administração pela FEA-USP) em

Leia mais

Cadeia da Cana de Açúcar. Acadêmicos: Adriana Espinosa, Ricardo Theisen, Victor Ferreira

Cadeia da Cana de Açúcar. Acadêmicos: Adriana Espinosa, Ricardo Theisen, Victor Ferreira Cadeia da Cana de Açúcar Acadêmicos: Adriana Espinosa, Ricardo Theisen, Victor Ferreira ORIGEM DA CANA DE AÇÚCAR A cultura da cana-de-açúcar sempre foi muito importante para a economia brasileira. As primeiras

Leia mais

SUMÁRIO APRESENTAÇÃO BOLETIM MENSAL DOS COMBUSTÍVEIS RENOVÁVEIS

SUMÁRIO APRESENTAÇÃO BOLETIM MENSAL DOS COMBUSTÍVEIS RENOVÁVEIS Ministério de Minas e Energia Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Departamento de Combustíveis Renováveis EDIÇÃO N o 94 Novembro/2015 BOLETIM MENSAL DOS COMBUSTÍVEIS RENOVÁVEIS

Leia mais

COLETIVA DE IMPRENSA

COLETIVA DE IMPRENSA COLETIVA DE IMPRENSA São Paulo, 20 de dezembro de 2012 ROTEIRO I. Oferta de cana-de-açúcar na região Centro-Sul: condições agrícolas e climáticas II. Moagem e produção de açúcar e etanol na região Centro-Sul

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SOJA DEZEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SOJA DEZEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SOJA DEZEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

Cosan S/A. Reunião APIMEC Resultados 3T de novembro de 2015

Cosan S/A. Reunião APIMEC Resultados 3T de novembro de 2015 Cosan S/A Reunião APIMEC 2015 - Resultados 12 de novembro de 2015 APRESENTAÇÃO RESULTADOS 2 DISCLAIMER Esta apresentação contém estimativas e declarações sobre operações futuras a respeito de nossa estratégia

Leia mais

VENDAS DE ANIDRO CRESCEM, 5% EM MARÇO EM TENDÊNCIA DE ALTA

VENDAS DE ANIDRO CRESCEM, 5% EM MARÇO EM TENDÊNCIA DE ALTA Boletim Semanal sobre Tendências de Mercados Ano XII 18/maio/2017 n. 545 VENDAS DE ANIDRO CRESCEM, 5% EM MARÇO EM TENDÊNCIA DE ALTA A tendência de recuperação na economia esperada para o segundo semestre

Leia mais

REGIÕES DE MAIOR CONCENTRAÇÃO NA PRODUÇÃO DE SOJA NO BRASIL

REGIÕES DE MAIOR CONCENTRAÇÃO NA PRODUÇÃO DE SOJA NO BRASIL RELATÓRIO DA SAFRA DE SOJA E MILHO REGIÕES DE MAIOR CONCENTRAÇÃO NA PRODUÇÃO DE SOJA NO BRASIL Relatório do USDA traz levantamento das regiões de produção de soja no Brasil, com a concentração da produção

Leia mais

Fato Relevante. Ativos Envolvidos na Transação

Fato Relevante. Ativos Envolvidos na Transação Fato Relevante São Martinho S.A. assina memorando de entendimentos vinculante para a consolidação do controle da Santa Cruz S.A. Açúcar e Álcool e venda de participação acionária na empresa de terras Agro

Leia mais

Perspectivas para os Setores Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis

Perspectivas para os Setores Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Perspectivas para os Setores Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Marco Antônio Martins Almeida Secretário de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis spg@mme.gov.br Rio de Janeiro, 21

Leia mais

COSAN DAY 2013 VASCO DIAS

COSAN DAY 2013 VASCO DIAS COSAN DAY 2013 VASCO DIAS 2 DISCLAIMER Esta apresentação contém estimativas e declarações sobre operações futuras a respeito de nossa estratégia e oportunidades de crescimento futuro. Essas informações

Leia mais

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDICADORES CONJUNTURAIS OUTUBRO/2016 Resumo de desempenho Outubro 2016 Variáveis R$ milhões constantes Variação percentual sobre Mês No ano mês anterior

Leia mais

Balanço 2016 Perspectivas Pecuária de Leite

Balanço 2016 Perspectivas Pecuária de Leite Pecuária de Leite 121 122 Balanço 2016 Perspectivas 2017 Perspectivas 2017 TENDÊNCIA MUNDIAL É DE QUEDA NA PRODUÇÃO, MAS BRASIL PODE SER EXCEÇÃO NESTE CENÁRIO A baixa demanda de importantes países importadores

Leia mais

Balanço 2016 Perspectivas 2017

Balanço 2016 Perspectivas 2017 2203 Valor Bruto da Produção (VBP) 23 24 Balanço 2016 Perspectivas 2017 Perspectivas 2017 AGRICULTURA PUXA CRESCIMENTO DO VBP EM 2017 O cenário econômico internacional será o responsável pelo comportamento

Leia mais

Ultrapar Participações S.A. Conferência de resultados Comentários sobre desempenho no 2T16 e perspectivas

Ultrapar Participações S.A. Conferência de resultados Comentários sobre desempenho no 2T16 e perspectivas Ultrapar Participações S.A. Conferência de resultados Comentários sobre desempenho no e perspectivas 12.08.2016 Considerações iniciais Previsões acerca de eventos futuros Este documento pode conter previsões

Leia mais

Cenário e Desafios para a Expansão do Setor Sucroenergético

Cenário e Desafios para a Expansão do Setor Sucroenergético Cenário e Desafios para a Expansão do Setor Sucroenergético O SETOR SUCROENERGÉTICO HOJE Estrutura produtiva: 430 unidades produtoras Produtores de cana-de-açúcar: 70.000 Empregos diretos: 1,2 milhão PIB

Leia mais

BOLETIM DO MILHO Nº 13

BOLETIM DO MILHO Nº 13 BOLETIM DO MILHO Nº 13 COMERCIALIZAÇÃO O acompanhamento semanal de safras do DERAL indica que foram comercializadas, no Paraná, até o momento, 10,4 milhões de toneladas de milho, o que representa 73% da

Leia mais

Panorama da Inovação no Setor e Efeitos Econômicos da Paridade. Depto de Biocombustíveis BNDES Marcelo Soares Valente

Panorama da Inovação no Setor e Efeitos Econômicos da Paridade. Depto de Biocombustíveis BNDES Marcelo Soares Valente Panorama da Inovação no Setor e Efeitos Econômicos da Paridade Depto de Biocombustíveis Marcelo Soares Valente Principais Pontos Tratados Panorama e importância histórica (e para o futuro) da Inovação

Leia mais

OFERTA DE AÇÚCAR NO CENTRO-SUL CAI 11% NA SEGUNDA QUINZENA DE AGOSTO

OFERTA DE AÇÚCAR NO CENTRO-SUL CAI 11% NA SEGUNDA QUINZENA DE AGOSTO Boletim Semanal sobre Tendências de Mercados Ano XVIII 19/setembro/2016 n. 643 OFERTA DE AÇÚCAR NO CENTRO-SUL CAI 11% NA SEGUNDA QUINZENA DE AGOSTO A finalização desta semana foi marcada pela atualização

Leia mais

AGROSAFRA SETEMBRO DE 2015

AGROSAFRA SETEMBRO DE 2015 AGROSAFRA SETEMBRO DE 2015 1. Indicadores da macroeconomia brasileira. 2. Agro-cotações no PR para soja, trigo e milho - anual e mensal. 3. Agro-cotações na CBOT (bolsa de Chicago) para soja, trigo e milho

Leia mais

A Petrobras anunciou nesta quarta-feira (14) que decidiu reduzir o preço médio nas

A Petrobras anunciou nesta quarta-feira (14) que decidiu reduzir o preço médio nas Petrobras reduz preço do diesel em 5,8% e da gasolina em 2,3% Trata-se da segunda redução de preços nas refinarias em 20 dias. Empresa anuncia que reajustes serão mais frequentes Matéria publicada em 14

Leia mais

Inovar para resgatar a competividade

Inovar para resgatar a competividade LIVRO VERDE DO ETANOL Inovar para resgatar a competividade Evento de Lançamento do PAISS Agrícola São Paulo, 17 de fevereiro de 2014. 1 R$ por litro de etanol Bilhões de litros de etanol Revolução e Involução

Leia mais

Açúcar: Próxima safra de C-S Brasil em 2017/18 1º de novembro de 2016

Açúcar: Próxima safra de C-S Brasil em 2017/18 1º de novembro de 2016 Açúcar: Próxima safra de C-S Brasil em 2017/18 1º de novembro de 2016 Estamos nos encaminhando para reta final da safra brasileira e, assim, ajustamos nossas projeções da safra atual e começamos a estimar

Leia mais

Biocombustíveis em um Contexto Global. José Sérgio Gabrielli de Azevedo Presidente São Paulo 02 de junho de 2009

Biocombustíveis em um Contexto Global. José Sérgio Gabrielli de Azevedo Presidente São Paulo 02 de junho de 2009 Biocombustíveis em um Contexto Global José Sérgio Gabrielli de Azevedo Presidente São Paulo 02 de junho de 2009 MERCADO PARA BIOCOMBUSTÍVEIS A manutenção das metas dos governos para biocombustíveis, nos

Leia mais

Fato Relevante. São Martinho compra participação na Santa Cruz e Agropecuária Boa Vista

Fato Relevante. São Martinho compra participação na Santa Cruz e Agropecuária Boa Vista Fato Relevante São Martinho compra participação na Santa Cruz e Agropecuária Boa Vista São Paulo, 31 de outubro 2011 - São Martinho S.A. (BM&FBovespa: SMTO3; Reuters: SMTO3 SA e Bloomberg: SMTO3 BZ), um

Leia mais

Estrutura produtiva: 370 unidades e mais de 1000 municípios com atividade vinculadas à indústria sucroenergética no país.

Estrutura produtiva: 370 unidades e mais de 1000 municípios com atividade vinculadas à indústria sucroenergética no país. PERFIL DA PRODUÇÃO Estrutura produtiva: 370 unidades e mais de 1000 municípios com atividade vinculadas à indústria sucroenergética no país. 935 mil empregos formais (RAIS 2014). Divisas Externas: US$

Leia mais

Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Programa de Pós Graduação em Economia Aplicada

Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Programa de Pós Graduação em Economia Aplicada Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Programa de Pós Graduação em Economia Aplicada Potencial e disponibilidade de biomassa de cana-de-açúcar na região Centro-Sul do

Leia mais

DEPEC - Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos AÇÚCAR E ETANOL NOVEMBRO DE 2016

DEPEC - Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos AÇÚCAR E ETANOL NOVEMBRO DE 2016 DEPEC - Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos AÇÚCAR E ETANOL NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas

Leia mais

Monitoramento da Cultura de Cana-de-Açúcar no Estado de São Paulo

Monitoramento da Cultura de Cana-de-Açúcar no Estado de São Paulo Versão Online Boletim No: 06 Abril, 2015 Monitoramento da Cultura de Cana-de-Açúcar no Estado de São Paulo I. PANORAMA Qual a expectativa para o setor sucroenergético em 2015? Essa é a pergunta do ano.

Leia mais

Clusters de etanol de milho em Mato Grosso

Clusters de etanol de milho em Mato Grosso Realização Parceria Técnica Clusters de etanol de milho em Mato Grosso Daniel Latorraca Ferreira daniel@imea.com.br Agenda Análise de mercado Escopo do trabalho Metodologia de composição dos clusters Resultados

Leia mais

Tabela 1 - Produção brasileira de cana-de-açúcar, açúcar e etanol, por safra

Tabela 1 - Produção brasileira de cana-de-açúcar, açúcar e etanol, por safra O Boletim do Setor Sucroalcooleiro de Jun./2017 traz informações sobre produção e produtividade, nacional e por regiões do Brasil, dos itens cana-de-açúcar, açúcar e etanol. Além disso, o Boletim também

Leia mais

Desafios e Oportunidades no Setor Sucroenergético: Perspectivas para os produtos derivados da cana-de-açúcar

Desafios e Oportunidades no Setor Sucroenergético: Perspectivas para os produtos derivados da cana-de-açúcar Desafios e Oportunidades no Setor Sucroenergético: Perspectivas para os produtos derivados da cana-de-açúcar Paulo Andrés Trucco da Cunha Jales, 07 de Outubro de 2016. Índice 1ª Ciclo da Cana-de-açúcar

Leia mais