CONCURSO PÚBLICO CONCURSO PÚBLICO. GRUPO MAGISTÉRIO Reservado ao CEFET-RN GRUPO MAGISTÉRIO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 14/MAIO/2006 SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CONCURSO PÚBLICO CONCURSO PÚBLICO. GRUPO MAGISTÉRIO Reservado ao CEFET-RN GRUPO MAGISTÉRIO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 14/MAIO/2006 SISTEMAS DE INFORMAÇÃO"

Transcrição

1 CONCURSO PÚBLICO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GRUPO MAGISTÉRIO Reservado ao CEFET-RN 14/MAIO/00 Use apenas caneta esferográfica azul ou preta. Escreva o seu nome e o número do seu CPF no espaço indicado nesta folha. Confira, com máxima atenção, a prova, observando se há defeito(s) de encadernação e/ou impressão que venha(m) dificultar a sua leitura. Em havendo falhas, dirija-se ao fiscal responsável dentro do prazo destinado previamente. Assine esta folha e o seu cartão de respostas. A prova terá duração máxima de quatro horas. Boa sorte! CONCURSO PÚBLICO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GRUPO MAGISTÉRIO Reservado ao CEFET-RN Nome Assinatura CPF _. _. _-

2 CEFET/RN Assinale a alternativa que corresponde ao retorno do método x em Java: public int x(){ int a=5; int b=10; if((++a<10) (--b==10)){ a+=b; return a; a) 15. b) 1. c) 17. d) 18.. Analise o programa, em Java, e assinale a alternativa correta: public class Teste { public static void main(string[] args) { System.out.println(calc()); public static int calc() { int água = 1; int básico = 40; return básico >> água; a) O programa compila normalmente e o retorno do método calc é 10. b) O programa compila normalmente e o retorno do método calc é 0. c) O programa não compila, pois o operador >> é inválido. d) O programa não compila, pois não é possível acentuar identificadores de variáveis. 3. Dadas as afirmações abaixo, assinale a resposta correta: I- A linguagem Delphi é uma linguagem de alto nível e é uma clara realização do paradigma imperativo (procedimental). II- As linguagens orientadas a objetos utilizam o conceito de mensagem para comunicação entre objetos. III- A linguagem C tem como tipos primitivos: ponteiro, int, double, byte, char, boolean e string. a) I correta. b) I e III incorretas. c) II e III incorretas. d) I, II e III corretas. 4. Sobre a visibilidade de acesso em Java, correlacione as colunas: I- public II- private III- protected IV- friendly ou default ( ) esse tipo de acesso permite que qualquer classe acesse os membros da classe. ( ) restringe o acesso apenas aos membros declarados dentro da classe. ( ) os membros são acessíveis por outras classes integrantes do mesmo pacote e não são acessíveis por nenhuma classe ou subclasse exterior ao pacote. ( ) os membros são acessíveis por outras classes que estejam no mesmo pacote e por subclasses derivadas da classe atual. A ordem correta, de cima para baixo, é a que está na opção: a) I, III,IV, II. b) I, III, II, IV. c) I, II, IV, III. d) I, II, III, IV. 5. Examine o programa abaixo em Java: public class Teste { public static void main(string[] args) { int z = 1, a = 10; Z: { Y: for (int f = 0; f < 10; ++f) { try { z += a / f; break Z; catch (Exception e) { z *= ; continue Y; finally { z *= 3; System.out.println(z); Assinale a resposta correta: a) O valor mostrado será 1. b) O valor mostrado será 30. c) O valor mostrado será 48. d) Nenhuma das respostas anteriores. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 1

3 CEFET/RN 00. Baseado na função abaixo, assinale a resposta correta: function Resultado():Real; var r:real; a:integer; begin a:=0; try r:=10/a; except on EOverflow do r:=10; else r:=0; end; result:=r; end; a) O retorno da função Resultado será 0 em alguns casos. b) O retorno da função Resultado será sempre 0. c) O retorno da função Resultado será sempre 10. d) O retorno da função Resultado será sempre Considere as seguintes afirmações: I- A Linguagem Delphi permite o recurso da herança múltipla. Esse recurso é implementado através do uso da instrução class. II- Em Delphi, atributos Published têm a mesma visibilidade que atributos Public. A principal diferença é que uma informação de tipo em tempo de execução é gerada para atributos Published. III- Em Delphi, os membros de uma classe podem ter visibilidade: private, protected, public, published ou automated. Assinale a alternativa correta: a) I e II incorretas. b) I e III corretas. c) II e III corretas. d) II e III incorretas. 8. Dada a linha de programa escrita em PHP: $teste =array{ A, B, t => C,5=> E, D ; Os índices do array $teste para acessar os elementos: A, B, C, E e D, respectivamente, são: a) 0, 1, t, 5,. b) 0, 1, t, 5, 4. c) 0, 1, t, 5,. d) Nenhuma das respostas anteriores. 9. Dado o programa escrito na linguagem C: #include <stdio.h> void main(){ int A[5] = {1,,3,4,5; int conta, f; conta = 0; for(f=1; f<=; f++) conta=conta + A[f] * A[5-f]; printf ( %d %d \n, f, conta); Os valores de saída do comando printf são: a) e 13. b) e. c) 3 e 13. d) 3 e. 10. Considere as seguintes afirmações: I- Uma variável estática em PHP é visível num escopo local, mas é inicializada apenas uma vez e seu valor não é perdido quando a execução do script deixa esse escopo. II- O PHP tem um recurso conhecido como variáveis variáveis, que consiste em variáveis cujos nomes também são variáveis. Sua utilização é feita através do uso do duplo asterisco ( ** ). III- Existe um operador de seleção que é ternário em PHP. Ele funciona assim: (expressao1)?(expressao):( expressao3) o interpretador PHP avalia a primeira expressão, se ela for verdadeira a expressão devolve o valor de expressão, senão, devolve o valor de expressão3. A soma do número de afirmações corretas é a) 0. b) 1. c). d) O conceito de ligação tardia, em linguagens orientadas a objetos, refere-se a: a) polimorfismo. b) encapsulamento. c) herança. d) classes. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

4 CEFET/RN Na linguagem de programação Delphi, o método da classe TTable que grava um registro modificado em um banco de dados, é: a) Next. b) Post. c) Prior. d) Save. 13. Segue abaixo um trecho de código PHP que cria duas funções. function alt1($x1,&$x){ $x1 += ; $x += 1; function alt(&$x1,&$x){ $x1 += ; $x += 1; Qual o resultado das variáveis $valor1 e $valor, respectivamente, após o código PHP abaixo ter sido executado? $valor1 = 10; $valor = 11; alt1($valor1,$valor); alt($valor1,$valor); a) 10 e 11. b) 1 e 11. c) 1 e 13. d) 13 e Observe o trecho de código a seguir: type TForm1 = class(tform) Button1: TButton; Label1: TLabel; Memo1: TMemo; procedure Button1Click(Sender: TObject); private { Private declarations public { Public declarations end; var Form1: TForm1; implementation {$R *.dfm procedure TForm1.Button1Click(Sender: TObject); begin Memo1.Lines.Add(Label1.Caption); end; Assinale a alternativa que está incorreta: a) Form1 é um objeto criado a partir da classe TForm1. b) TForm1 é uma herança de TForm. c) Button1Click é um método da classe TObject. d) Lines é um objeto da classe TStrings e Add é um método dessa classe. 15. Dado o programa escrito na linguagem C: #include <stdio.h> void main(){ int soma=0; int conta=0; while(conta = 0){ soma++; if(soma>5) conta=1; printf ("%d e %d \n", conta, soma); A saída do comando printf será: a) 0 e 0. b) 1 e 5. c) 1 e. d) e. 1. Considere o procedimento Sub Triplo (em VB) que triplica o valor de qualquer argumento passado a ele: Sub Triplo (Num AS Integer) Num = 3 * Num Print Num End Sub Quando o código seguinte for executado, quais são os valores impressos? Sub Form_Click () variáveis locais: Dim Quant AS Integer Quant = Print Quant Triplo Quant Print Quant End Sub a) b) c) d) SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 3

5 CEFET/RN Considere o procedimento Sub Triplo (em VB) da questão anterior: Quando o código seguinte for executado, quais são os valores impressos? Sub Form_Click () variáveis locais: Dim Quant AS Integer Quant = Print Quant Triplo (Quant) Print Quant End Sub a) b) c) d) 18. Considere as seguintes afirmações sobre CSS: I- A sintaxe das definições CSS é composta por duas partes: um seletor e uma declaração. Exemplo: H {color: red Nesse exemplo, o seletor H diz que o estilo se aplica a elementos <H> e a declaração diz que a cor do fundo desses elementos deve ser vermelha ("red"). II- Se for necessário aplicar os estilos a mais de um elemento, pode-se agrupar os seletores que partilham as mesmas definições. Para isso, devese escrever os seletores separados por vírgulas. Exemplo: H1,H,H3 {color: red III- Os chamados seletores de classe tornam possível definir estilos diferentes que podem ser aplicados ao mesmo elemento. A soma do número de afirmações corretas é a) 0. b) 1. c). d) Analise as afirmações abaixo sobre HTML: I- O <BODY> da estrutura de um documento HTML não deve conter o título do documento. II- O atributo alt de um elemento <img> serve para definir um texto alternativo à imagem. Esse texto só será mostrado, em vez da imagem, quando o browser não conseguir apresentá-la. III- <dl>, <dt> e <dd> são elementos utilizados para criação de listas de definições. IV- O elemento <button> insere um botão em um formulário. A soma do número de afirmações corretas é a) 1. b). c) 3. d) Considere as seguintes afirmações sobre JavaScript: I- A declaração with estabelece o objeto ao qual se aplica uma série de instruções. O código abaixo é um exemplo correto de sua utilização: with (Math) { y = cos(3 * PI) + sin (5 * PI) II- Os objetos Arrays têm um método chamado join. Esse método serve para criar um novo Array que é a junção de outros dois objetos Arrays. III- É obrigatório declarar o tipo de retorno para uma função. O código abaixo é um exemplo correto da utilização de funções: function boolean triplo(n) { return n*3; A soma do número de afirmações corretas é a) 0. b) 1. c). d) 3. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 4

6 CEFET/RN Quando se deseja inserir em um HTML um código JavaScript, deve-se usar: a) <language = JavaScript >...Meu Código... </language> b) <script = JavaScript >...Meu Código... </script> c) <script language = JavaScript >...Meu Código... </script> d) <script language = JavaScript >...Meu Código... </ language >. Existem muitos padrões de projeto. Com o objetivo de agrupar esses padrões, a Gangue dos Quatro agrupou-os em três categorias gerais. Das alternativas abaixo, qual padrão não pertence à categoria estrutural? a) Façade. b) Adapter. c) Strategy. d) Decorator. 3. Analise o código abaixo: public class Aplic { private static Aplic MeuAplic; private Aplic(){ public static Aplic getmeuaplic(){ if(meuaplic==null) MeuAplic=new Aplic(); return MeuAplic; Assinale a resposta que indica qual é o padrão de projeto utilizado. a) Façade. b) Adapter. c) Singleton. d) Abstract Factory. a) Utiliza o método forname da classe Class para carregar a definição de classe para o driver de banco de dados. b) Utiliza o método forname da classe Class para definir o banco de dados. c) Utiliza o método forname da classe Class para alterar o nome do banco de dados. d) Utiliza o método forname da classe Class para terminar uma conexão com o banco de dados.. Observe o diagrama de casos de uso a seguir: Ator1 <<Include>> B Assinale a alternativa que está correta: A <<Extend>> a) O caso de uso A está utilizando, obrigatoriamente, o caso de uso C e está utilizando, opcionalmente, B. b) O caso de uso A está utilizando, obrigatoriamente, o caso de uso B e está utilizando, opcionalmente, C. c) O caso de uso B está utilizando o caso de uso A, obrigatoriamente, e C está utilizando o caso de uso A opcionalmente. d) O caso de uso C está utilizando o caso de uso A, obrigatoriamente, e B está utilizando o caso de uso A opcionalmente. C Ator 4. Assinale a alternativa que não contém um dos métodos de um objeto da classe Statement (Java) para execução de comandos SQL: a) executesearch. b) execute. c) executeupdate. d) executequery. 5. Analise a linha abaixo: Class.forName( "sun.jdbc.odbc.jdbcodbcdriver" ); Assinale a alternativa correta: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 5

7 CEFET/RN Observe o diagrama de classe UML abaixo: A 1...* Assinale a alternativa correta: a) Está ocorrendo uma associação do tipo composição, a classe A armazena os objetostodo e a classe B armazena os objetos-parte. b) Está ocorrendo uma associação do tipo composição, a classe B armazena os objetostodo e a classe A armazena os objetos-parte. c) Está ocorrendo uma associação do tipo agregação, a classe A armazena os objetostodo e a classe B armazena os objetos-parte. d) Está ocorrendo uma associação do tipo agregação, a classe B armazena os objetostodo e a classe A armazena os objetos-parte. 8. Observe o diagrama de classe UML abaixo que foi codificado em Java: Animal B b) composição entre a classe Animal e AnimalImportado, sendo representado pelas classes GatoImportado e PássaroImportado. c) métodos de classe ou estáticos. d) classe abstrata. 9. Se uma tabela possui N registros e outra tabela possui M registros, em um SELECT somente com um FULL OUTER JOIN entre estas tabelas teremos, no mínimo, quantos registros como resultado? a) N / M b) N x M c) N M d) N + M 30. Se uma tabela possui N registros e outra tabela possui M registros, em um SELECT somente com um CROSS JOIN entre estas tabelas teremos, no mínimo, quantos registros como resultado? a) N x M b) N + M c) N M d) N / M 31. Observe a query abaixo: SELECT ID_PEDIDO, DATA_PEDIDO, CLIENTE_PEDIDO FROM PEDIDOS WHERE DATA_PEDIDO BETWEEN 01/01/003' AND 01/0/003' Gato Pássaro Escolha a alternativa que retorna as mesmas linhas do SELECT acima, porém sem o operador BETWEEN: GatoImportado <<interface>> AnimalImportado PássaroImportado Entre os elementos da UML, pode-se encontrar no diagrama de classe da figura: a) uma forma de herança múltipla, onde um exemplo da criação de objetos é: GatoImportado AI1=new AnimalImportado(). a) SELECT ID_PEDIDO, DATA_PEDIDO, CLIENTE_PEDIDO FROM PEDIDOS WHERE DATA_PEDIDO > 01/01/003' OR DATA_PEDIDO < 01/0/003' b) SELECT ID_PEDIDO, DATA_PEDIDO, CLIENTE_PEDIDO FROM PEDIDOS WHERE DATA_PEDIDO >= 01/01/003' AND DATA_PEDIDO =< 01/0/003' c) SELECT ID_PEDIDO, DATA_PEDIDO, CLIENTE_PEDIDO FROM PEDIDOS WHERE DATA_PEDIDO IN( 01/01/003', 01/0/003') d) SELECT ID_PEDIDO, DATA_PEDIDO, CLIENTE_PEDIDO FROM PEDIDOS WHERE DATA_PEDIDO >= 01/01/003' AND DATA_PEDIDO < 01/0/003' SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

8 CEFET/RN Considere um banco de dados com o seguinte esquema: FUNC (FNO, FNOME, CARGO) PAG (CARGO, SAL) PROJ (PNO, PNOME, ORCAMEN) DSG (FNO, PNO, RESPONSAVEL, DURACAO) A consulta de recuperação: Encontre os nomes de funcionários que trabalham no projeto CAD/CAM pode ser respondida pelo programa de álgebra relacional: π FNOME (((σ PNOME= CAD/CAM PROJ) PNO DSG ) FNO FUNC) A ordem de execução do programa de álgebra relacional acima é: a) A projeção sobre FNOME, seguida da seleção sobre PROJ, seguida pela junção com DSG e, finalmente a junção com FUNC. b) A junção com FUNC, seguida pela junção com DSG, seguida pela seleção sobre PROJ e, finalmente, a projeção sobre FNOME. c) A junção com DSG, seguida pela junção com FUNC, seguida pela seleção sobre PROJ e, finalmente, a projeção sobre FNOME. d) A seleção sobre PROJ, seguida pela junção com DSG, seguida pela junção com FUNC e, finalmente, a projeção sobre FNOME. 33. A consulta da questão anterior (em álgebra relacional), pode ser realizada por uma das consultas em cálculo relacional de tuplas abaixo. Qual delas? a) SELECT FUNC.FNOME FROM FUNC, DSG, PROJ WHERE FUNC.FNO = DSG.FNO AND DSG.PNO = PROJ.PNO AND PROJ.PNOME = CAD/CAM b) SELECT FUNC.FNOME FROM FUNC, DSG, PROJ WHERE FUNC.PNO = DSG.PNO AND DSG.FNO = PROJ.FNO AND PROJ.PNOME = CAD/CAM c) SELECT FUNC.FNOME FROM FUNC INNER JOIN DSG ON (FUNC.PNO = DSG.PNO) INNER JOIN PROJ ON (DSG.FNO = PROJ.FNO) AND PROJ.PNOME = CAD/CAM d) SELECT FUNC.FNOME FROM FUNC, DSG, PROJ WHERE FUNC.FNO = DSG.FNO AND DSG.PNO = PROJ.PNO AND FUNC.PNOME = CAD/CAM 34. A figura abaixo mostra o relacionamento entre as tabelas Employees, EmployeeTerritories, Territories e Region do banco de dados Northwind: Region RegionID RegionDescription EmployeeIDTerritories EmployeeID TerritoryID Territories TerritoryID TerritoryDescription RegionID Employees EmployeeID LastName FirstName Title TitleOfCourtesy BirthDate HireDate Address City Region PostalCode Country HomePhone Extension Photo Notes ReportsTo PhotoPath Para se obter um relatório de todos os endereços dos funcionários que moram da região Oeste (Western) de qualquer território devemos: a) Fazer vários CROSS JOIN partindo da tabela Employees, passando pela tabela EmployeeTerritories, Territories e, finalmente, chegando na tabela Region. b) Fazer vários INNER JOIN partindo da tabela Employees, passando pela tabela EmployeeTerritories, Territories e, finalmente, chegando na tabela Region. c) Fazer somente um FULL OUTER JOIN na tabela Employees e na tabela Region. d) Fazer somente um INNER JOIN entre a tabela Employees com a tabela Region. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 7

9 CEFET/RN A Figura A mostra um DER que contém um autorelacionamento, isto é, um relacionamento entre ocorrências de uma mesma entidade. Nesse caso, é necessário um conceito adicional, o de papel da entidade no relacionamento (representado na Figura A por marido e esposa ). Segundo esse DER, o banco de dados poderia conter um casamento em que uma pessoa está casada consigo mesma. O mesmo DER permite que a mesma pessoa apareça em dois casamentos diferentes, uma vez como marido e outra vez como esposa. Caso uma destas situações venha ocorrer, como o DER deveria ser modificado para impedilas? 3. Qual das alternativas abaixo está correta? a) Uma dependência (funcional) parcial ocorre quando uma coluna depende de todas as partes de uma chave primária composta. b) Diz-se que uma tabela está na primeira forma normal (1FN), quando ela contém tabelas aninhadas. c) Uma tabela encontra-se na segunda forma normal (FN), quando além de estar ma 1FN, contém dependências parciais. d) Dependência funcional em uma tabela relacional, diz-se que uma coluna C depende funcionalmente de uma coluna C 1 (ou que a coluna C 1 determina a coluna C ) quando, em todas as linhas da tabela, para cada valor de C1 que aparece na tabela, aparece o mesmo valor de C. marido esposa 37. Considere um banco de dados com o seguinte esquema: a) b) c) d) (0,1) (1,1) (1,) (,) CASAMENTO Figura A (0,1) (0,1) (0,1) (0,1) CASAMENTO CASAMENTO CASAMENTO Paciente (CodigoConvencio, NumeroPaciente, Nome) CodigoConvenio referencia Convenio Convenio (CodigoConvenio, Nome) Medico (CRM, Nome, Especialização) Consulta (CodigoConvenio, NumeroPaciente, CRM, Data_Hora) (CodigoConvenio, NumeroPaciente) referencia Paciente CRM referencia Medico Que verificações devem ser feitas pelo SGBD para garantir a integridade referencial na seguinte situação: Uma linha é incluída na tabela Consulta. a) A tabela Consulta contém duas chaves estrangeiras, (CodigoConvenio, NumeroPaciente) e CRM. Quando ocorrer uma inclusão em Consulta, é necessário verificar se estas chaves aparecem nas respectivas tabelas (Paciente e Medico). b) A tabela Consulta contém duas chaves estrangeiras, (CodigoConvenio, NumeroPaciente) e CRM. Quando ocorrer uma inclusão em Consulta, é necessário verificar se estas chaves aparecem nas respectivas tabelas (Convenio e Medico). c) A tabela Consulta contém uma chave primária, (CodigoConvenio, NumeroPaciente,CRM, Data_Hora) e CRM. Quando ocorrer uma inclusão em Consulta, é necessário verificar se estas chaves aparecem nas respectivas tabelas (Paciente e Medico). d) A tabela Consulta contém duas chaves estrangeiras, CodigoConvenio e NumeroPaciente. Quando ocorrer uma inclusão em Consulta, é necessário verificar se estas chaves aparecem nas respectivas tabelas (Paciente e Medico). SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 8

10 CEFET/RN Qual a alternativa correta? Quando fazemos um INNER JOIN: a) Podemos fazer um INNER JOIN de uma tabela para ela mesma. b) Somente os registros da tabela à esquerda da palavra INNER JOIN serão retornados. c) Somente os registros da tabela à direita da palavra INNER JOIN serão retornados. d) Todos os registros de todas as tabelas serão retornados sem nenhuma restrição. 39. Ao se trabalhar com um filtro, no Photoshop, devese estar atento às diferenças entre eles e como são seus modos de trabalho. Das afirmações abaixo, escolha a alternativa ERRADA: 40. Das afirmações abaixo, escolha a alternativa ERRADA: a) Ao girar objetos, os valores negativos fazem com que os objetos girem em sentido horário. b) Quando os objetos são alinhados pela grade, as linhas e os pontos de interseção da grade também são alinhados. c) A ferramenta Espiral permite criar caminhos circulares de forma simétrica e progressiva. d) Quando um objeto é convertido em curvas, não perde qualquer relação com seu estado original. a) Pode-se aplicar filtros a uma camada inteira ou apenas a uma parte selecionada. b) Os filtros padrões do Photoshop somente são aplicáveis a modos de Cores Indexadas ou imagens em modo Bitmap. c) Dependendo da capacidade dos filtros, pode-se aplicá-los aos modos de cor RGB, CMYK, Grayscale (Tons de cinza), ou Lab. d) Os filtros podem ajudar a retocar imagens, aplicar efeitos de altas luzes, criar formas e fundos para imagem, criar efeitos especiais digitais, dentre outros. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 9

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE VARIAÁ VEL Antes de iniciarmos os comandos referentes a Banco de Dados, precisamos de uma breve descrição técnica sobre Variáveis que serão uma constante em programação seja qual for sua forma de leitura.

Leia mais

Java. Marcio de Carvalho Victorino www.dominandoti.eng.br

Java. Marcio de Carvalho Victorino www.dominandoti.eng.br Java Marcio de Carvalho Victorino www.dominandoti.eng.br 3. Considere as instruções Java abaixo: int cont1 = 3; int cont2 = 2; int cont3 = 1; cont1 += cont3++; cont1 -= --cont2; cont3 = cont2++; Após a

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO EDITAL N o 135/2011 FUNÇÃO: ANALISTA DE INFORMÁTICA ÁREA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS (NOME COMPLETO EM LETRA DE FORMA) INSTRUÇÕES

CONCURSO PÚBLICO EDITAL N o 135/2011 FUNÇÃO: ANALISTA DE INFORMÁTICA ÁREA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS (NOME COMPLETO EM LETRA DE FORMA) INSTRUÇÕES UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA COMISSÃO PERMANENTE DE SELEÇÃO CONCURSO PÚBLICO EDITAL N o 135/2011 FUNÇÃO: ANALISTA DE INFORMÁTICA ÁREA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS (NOME COMPLETO EM LETRA DE

Leia mais

Módulo 07 Características Avançadas de Classes

Módulo 07 Características Avançadas de Classes Módulo 07 Características Avançadas de Classes Última Atualização: 15/06/2010 1 Objetivos Descrever variáveis, métodos e iniciadores static Descrever a semântica do modificador final em classes, métodos

Leia mais

Programação Orientada a Objetos em java. Polimorfismo

Programação Orientada a Objetos em java. Polimorfismo Programação Orientada a Objetos em java Polimorfismo Polimorfismo Uma característica muito importante em sistemas orientados a objetos Termo proveniente do grego, e significa muitas formas Em POO, significa

Leia mais

CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO

CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE BANCO DE DADOS II Docente: Éberton da Silva Marinho e-mail: ebertonsm@gmail.com eberton.marinho@ifrn.edu.br Curso de Tecnologia

Leia mais

Aula 2. Objetivos. Encapsulamento na linguagem Java; Utilizando a referência this.

Aula 2. Objetivos. Encapsulamento na linguagem Java; Utilizando a referência this. Aula 2 Objetivos Encapsulamento na linguagem Java; Utilizando a referência this. Encapsulamento, data hiding é um conceito bastante importante em orientação a objetos. É utilizado para restringir o acesso

Leia mais

SQL é uma linguagem de consulta que implementa as operações da álgebra relacional de forma bem amigável.

SQL é uma linguagem de consulta que implementa as operações da álgebra relacional de forma bem amigável. SQL (Structured Query Language) SQL é uma linguagem de consulta que implementa as operações da álgebra relacional de forma bem amigável. Além de permitir a realização de consultas, SQL possibilita: definição

Leia mais

Introdução. Por que um SBD? inconsistência e redundância de dados;

Introdução. Por que um SBD? inconsistência e redundância de dados; Introdução Solange N. Alves de Souza 1 Por que um SBD? inconsistência e redundância de dados; Programa 1 Descrição de dados Programa 2 Descrição de dados Programa 3 Descrição de dados Arquivo 1 Arquivo

Leia mais

Módulo 06 Desenho de Classes

Módulo 06 Desenho de Classes Módulo 06 Desenho de Classes Última Atualização: 13/06/2010 1 Objetivos Definir os conceitos de herança, polimorfismo, sobrecarga (overloading), sobreescrita(overriding) e invocação virtual de métodos.

Leia mais

Comandos de Manipulação

Comandos de Manipulação SQL - Avançado Inserção de dados; Atualização de dados; Remoção de dados; Projeção; Seleção; Junções; Operadores: aritméticos, de comparação,de agregação e lógicos; Outros comandos relacionados. SQL SQL

Leia mais

Programação por Objectos. Java

Programação por Objectos. Java Programação por Objectos Java Parte 2: Classes e objectos LEEC@IST Java 1/24 Classes (1) Sintaxe Qualif* class Ident [ extends IdentC] [ implements IdentI [,IdentI]* ] { [ Atributos Métodos ]* Qualif:

Leia mais

Oracle PL/SQL Overview

Oracle PL/SQL Overview Faculdades Network Oracle PL/SQL Overview Prof. Edinelson PL/SQL Linguagem de Programação Procedural Language / Structured Query Language Une o estilo modular de linguagens de programação à versatilidade

Leia mais

Gabarito - Banco de Dados SQL - 30/07/2013 AULA 01

Gabarito - Banco de Dados SQL - 30/07/2013 AULA 01 Gabarito - Banco de Dados SQL - 30/07/2013 AULA 01 1 1- Bancos de dados compreendem desde agendas telefônicas até sistemas computadorizados. (Sim) 2- Só podemos instalar o SQL Server Express se tivermos

Leia mais

Curso Adonai QUESTÕES Disciplina Linguagem JAVA

Curso Adonai QUESTÕES Disciplina Linguagem JAVA 1) Qual será o valor da string c, caso o programa rode com a seguinte linha de comando? > java Teste um dois tres public class Teste { public static void main(string[] args) { String a = args[0]; String

Leia mais

Neste capítulo discutiremos o que é uma DLL, seus aspectos e tipos e ainda, porquê é tão importante para as aplicações Windows

Neste capítulo discutiremos o que é uma DLL, seus aspectos e tipos e ainda, porquê é tão importante para as aplicações Windows DINAMIC LINK LIBRARIES Capítulo 7 Neste capítulo discutiremos o que é uma DLL, seus aspectos e tipos e ainda, porquê é tão importante para as aplicações Windows O QUE É UMA DLL? Dinamic Link Libraries

Leia mais

JavaScript 2.0X 1.0 3.0X 1.1 4.0 4.05 1.2 4.06 4.61 1.3 5.0 1.4 6.0 1.5

JavaScript 2.0X 1.0 3.0X 1.1 4.0 4.05 1.2 4.06 4.61 1.3 5.0 1.4 6.0 1.5 JavaScript Diego R. Frank, Leonardo Seibt FIT Faculdades de Informática de Taquara Fundação Educacional Encosta Inferior do Nordeste Av. Oscar Martins Rangel, 4500 Taquara RS Brasil difrank@terra.com.br,

Leia mais

SQL. SQL (Structured Query Language) Comando CREATE TABLE. SQL é uma linguagem de consulta que possibilita:

SQL. SQL (Structured Query Language) Comando CREATE TABLE. SQL é uma linguagem de consulta que possibilita: SQL Tópicos Especiais Modelagem de Dados Prof. Guilherme Tavares de Assis Universidade Federal de Ouro Preto UFOP Instituto de Ciências Exatas e Biológicas ICEB Mestrado Profissional em Ensino de Ciências

Leia mais

Orientação a Objetos em Java. Leonardo Gresta Paulino Murta leomurta@ic.uff.br

Orientação a Objetos em Java. Leonardo Gresta Paulino Murta leomurta@ic.uff.br Orientação a Objetos em Java Leonardo Gresta Paulino Murta leomurta@ic.uff.br Agenda Introdução; Orientação a Objetos; Orientação a Objetos em Java; Leonardo Murta Orientação a Objetos em Java 2 Agosto/2007

Leia mais

Conceitos de Linguagens de Programação

Conceitos de Linguagens de Programação Conceitos de Linguagens de Programação Aula 07 Nomes, Vinculações, Escopos e Tipos de Dados Edirlei Soares de Lima Introdução Linguagens de programação imperativas são abstrações

Leia mais

Banco de Dados. Banco de Dados. Alcides Pamplona alcides.pamplona@gmail.com. Alcides Pamplona Linguagem de Programação CESBD 2010

Banco de Dados. Banco de Dados. Alcides Pamplona alcides.pamplona@gmail.com. Alcides Pamplona Linguagem de Programação CESBD 2010 Alcides Pamplona Linguagem de Programação CESBD 2010 Alcides Pamplona alcides.pamplona@gmail.com Tópicos API JDBC Utilizando JDBC Statement PreparedStatement Mapeamento Objeto-Relacional 2 API JDBC 3 API

Leia mais

APOSTILA PHP PARTE 1

APOSTILA PHP PARTE 1 APOSTILA PHP PARTE 1 1. Introdução O que é PHP? PHP significa: PHP Hypertext Preprocessor. Realmente, o produto foi originalmente chamado de Personal Home Page Tools ; mas como se expandiu em escopo, um

Leia mais

XML e Banco de Dados. Prof. Daniela Barreiro Claro DCC/IM/UFBA

XML e Banco de Dados. Prof. Daniela Barreiro Claro DCC/IM/UFBA XML e Banco de Dados DCC/IM/UFBA Banco de Dados na Web Armazenamento de dados na Web HTML muito utilizada para formatar e estruturar documentos na Web Não é adequada para especificar dados estruturados

Leia mais

Sintaxe Geral Tipos de Dados. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc.

Sintaxe Geral Tipos de Dados. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. Sintaxe Geral Tipos de Dados Comentários Comentários: De linha: // comentário 1 // comentário 2 De bloco: /* linha 1 linha 2 linha n */ De documentação: /** linha1 * linha2 */ Programa Exemplo: ExemploComentario.java

Leia mais

Linguagem de Programação JAVA. Técnico em Informática Professora Michelle Nery

Linguagem de Programação JAVA. Técnico em Informática Professora Michelle Nery Linguagem de Programação JAVA Técnico em Informática Professora Michelle Nery Agenda Regras paravariáveis Identificadores Válidos Convenção de Nomenclatura Palavras-chaves em Java Tipos de Variáveis em

Leia mais

Técnicas de Programação II

Técnicas de Programação II Técnicas de Programação II Apresentação da Disciplina Edirlei Soares de Lima Objetivos da Disciplina Apresentar os principais conceitos da orientação a objetos; Capacitar o

Leia mais

GABARITO IDS04. Na tabela exemplo o atributo NOME_DEPARTAMENTO vai conter o nome do departamento para cada tupla cadastrada de um empregado.

GABARITO IDS04. Na tabela exemplo o atributo NOME_DEPARTAMENTO vai conter o nome do departamento para cada tupla cadastrada de um empregado. GABARITO IDS04 Questão 1 A tabela denominada na questão de AUSENTES possui uma redundância, que é definida como a situação em que ocorre o armazenamento de uma mesma informação mais de uma vez no banco

Leia mais

Programação Básica em Arduino Aula 2

Programação Básica em Arduino Aula 2 Programação Básica em Arduino Aula 2 Execução: Laboratório de Automação e Robótica Móvel Variáveis são lugares (posições) na memória principal que servem para armazenar dados. As variáveis são acessadas

Leia mais

Introdução à Programação

Introdução à Programação Introdução à Programação Introdução a Linguagem C Construções Básicas Programa em C #include int main ( ) { Palavras Reservadas } float celsius ; float farenheit ; celsius = 30; farenheit = 9.0/5

Leia mais

Universidade da Beira Interior Cursos: Matemática /Informática e Ensino da Informática

Universidade da Beira Interior Cursos: Matemática /Informática e Ensino da Informática Folha 1-1 Introdução à Linguagem de Programação JAVA 1 Usando o editor do ambiente de desenvolvimento JBUILDER pretende-se construir e executar o programa abaixo. class Primeiro { public static void main(string[]

Leia mais

Introdução à Tecnologia Web

Introdução à Tecnologia Web Introdução à Tecnologia Web JavaScript Sintaxe da Linguagem: Delimitadores e etc Profª MSc. Elizabete Munzlinger JavaScript Sintaxe da Linguagem Índice 1 SINTAXE DA LINGUAGEM... 2 1.1 Delimitadores de

Leia mais

Orientação a Objeto e UML Questões 2014 Prof. Felipe Leite

Orientação a Objeto e UML Questões 2014 Prof. Felipe Leite Orientação a Objeto e UML Questões 2014 Prof. Felipe Leite Pessoal, fiz uma coletânea das questões mais recentes de concursos públicos de TODO o Brasil de várias bancas diferentes sobre os assuntos Orientação

Leia mais

Encapsulamento de Dados

Encapsulamento de Dados Encapsulamento de Dados Universidade Católica de Pernambuco Ciência da Computação Prof. Márcio Bueno poonoite@marciobueno.com Fonte: Material da Profª Karina Oliveira Modificadores de Visibilidade Especificam

Leia mais

BSI UFRPE Prof. Gustavo Callou gcallou@gmail.com

BSI UFRPE Prof. Gustavo Callou gcallou@gmail.com BSI UFRPE Prof. Gustavo Callou gcallou@gmail.com HelloWorld.java: public class HelloWorld { public static void main (String[] args) { System.out.println( Hello, World ); } } Identificadores são usados

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE VARIAÁ VEL Antes de iniciarmos os comandos referentes a Banco de Dados, precisamos de uma breve descrição técnica sobre Variáveis que serão uma constante em programação seja qual for sua forma de leitura.

Leia mais

ESTRUTURA BÁSICA DE UM PROGRAMA JAVA

ESTRUTURA BÁSICA DE UM PROGRAMA JAVA ESTRUTURA BÁSICA DE UM PROGRAMA JAVA Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. // Primeiro programa em Java public class PrimeiroPrograma { public static void main(string [] args) { System.out.println("Programação

Leia mais

Resumo da Introdução de Prática de Programação com C. A Linguagem C

Resumo da Introdução de Prática de Programação com C. A Linguagem C Resumo da Introdução de Prática de Programação com C A Linguagem C O C nasceu na década de 70. Seu inventor, Dennis Ritchie, implementou-o pela primeira vez usando um DEC PDP-11 rodando o sistema operacional

Leia mais

Noções sobre Objetos e Classes

Noções sobre Objetos e Classes Noções sobre Objetos e Classes Prof. Marcelo Cohen 1. Elementos de programação Revisão de programação variáveis, tipos de dados expressões e operadores cadeias de caracteres escopo de variáveis Revisão

Leia mais

MÓDULOS GAVETEIROS MGI-20/MGI-40 AC MGI 2000 AC. Manual de Instruções

MÓDULOS GAVETEIROS MGI-20/MGI-40 AC MGI 2000 AC. Manual de Instruções MÓDULOS GAVETEIROS MGI-20/MGI-40 AC MGI 2000 AC Manual de Instruções Leia com Atenção Cód. Menno: 833020001 Rev.: 7 1. Apresentação A linha tradicional de módulos gaveteiros da MENNO sempre foi direcionada

Leia mais

Programação de Computadores - I. Profª Beatriz Profº Israel

Programação de Computadores - I. Profª Beatriz Profº Israel Programação de Computadores - I Profª Beatriz Profº Israel As 52 Palavras Reservadas O que são palavras reservadas São palavras que já existem na linguagem Java, e tem sua função já definida. NÃO podem

Leia mais

Capítulo 3. Programação por objectos em Java

Capítulo 3. Programação por objectos em Java Capítulo 3. Programação por objectos em Java 1/46 Índice Indice 3.1 - Qualificadores de visualização 3.2 - Classe 3.3 - Objecto 3.4 - Métodos 3.5 - Herança 3.6 - Reescrita de métodos 3.7 - Classes abstractas

Leia mais

Seminário - C# DSO II. Desenvolvimento de Sistemas Orientados a Objetos 2. Equipe: Diorges, Leonardo, Luís Fernando, Ronaldo

Seminário - C# DSO II. Desenvolvimento de Sistemas Orientados a Objetos 2. Equipe: Diorges, Leonardo, Luís Fernando, Ronaldo Seminário - C# DSO II Desenvolvimento de Sistemas Orientados a Objetos 2 Equipe: Diorges, Leonardo, Luís Fernando, Ronaldo Roteiro Breve Histórico Plataforma.NET Características da Linguagem Sintaxe Versões

Leia mais

Programação Na Web. Linguagem Java Parte II. break com o nome do bloco. Sintaxe. Nome do bloco. Termina o bloco. António Gonçalves ...

Programação Na Web. Linguagem Java Parte II. break com o nome do bloco. Sintaxe. Nome do bloco. Termina o bloco. António Gonçalves ... Programação Na Web Linguagem Java Parte II Sintaxe António Gonçalves break com o nome do bloco Nome do bloco Termina o bloco class class Matrix Matrix { private private int[][] int[][] mat; mat; public

Leia mais

INTRODUÇÃO AO C++ SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DR. EDNALDO B. PIZZOLATO

INTRODUÇÃO AO C++ SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DR. EDNALDO B. PIZZOLATO INTRODUÇÃO AO C++ SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DR. EDNALDO B. PIZZOLATO Tópicos Estrutura Básica B de Programas C e C++ Tipos de Dados Variáveis Strings Entrada e Saída de Dados no C e C++ INTRODUÇÃO O C++ aceita

Leia mais

Programação Orientada a Objetos. Encapsulamento

Programação Orientada a Objetos. Encapsulamento Programação Orientada a Objetos Encapsulamento de Dados Ocultação de dados Garante a transparência de utilização dos componentes do software, facilitando: Entendimento Reuso Manutenção Minimiza as interdependências

Leia mais

Álgebra Relacional. Conjunto de operações que usa uma ou duas relações como entrada e gera uma relação de saída. Operações básicas:

Álgebra Relacional. Conjunto de operações que usa uma ou duas relações como entrada e gera uma relação de saída. Operações básicas: Álgebra Relacional Conjunto de operações que usa uma ou duas relações como entrada e gera uma relação de saída operação (REL 1 ) REL 2 operação (REL 1,REL 2 ) REL 3 Operações básicas: seleção projeção

Leia mais

Os objetivos indicados aplicam-se a duas linguagens de programação: C e PHP

Os objetivos indicados aplicam-se a duas linguagens de programação: C e PHP AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SANTA COMBA DÃO CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE GESTÃO E PROGRAMAÇÃO DE SISTEMAS INFORMÁTICOS 2012-2015 PROGRAMAÇÃO E SISTEMAS DE INFORMAÇÃO MÓDULO 2 Mecanismos de Controlo de

Leia mais

EXERCÍCIOS SOBRE ORIENTAÇÃO A OBJETOS

EXERCÍCIOS SOBRE ORIENTAÇÃO A OBJETOS Campus Cachoeiro de Itapemirim Curso Técnico em Informática Disciplina: Análise e Projeto de Sistemas Professor: Rafael Vargas Mesquita Este exercício deve ser manuscrito e entregue na próxima aula; Valor

Leia mais

Um objeto é uma instância de uma 'classe'. Você define uma classe utilizando o trecho de código abaixo;

Um objeto é uma instância de uma 'classe'. Você define uma classe utilizando o trecho de código abaixo; um objeto; é definido; Um objeto é uma instância de uma 'classe'. Você define uma classe utilizando o trecho de código abaixo; class ClasseBase{ é instanciado; $objetobase = new ClasseBase; Caso queira,

Leia mais

PHP Profissional. Alexandre Altair de Melo Mauricio G. F. Nascimento

PHP Profissional. Alexandre Altair de Melo Mauricio G. F. Nascimento PHP Profissional APRENDA A DESENVOLVER SISTEMAS PROFISSIONAIS ORIENTADOS A OBJETOS COM PADRÕES DE PROJETO Alexandre Altair de Melo Mauricio G. F. Nascimento Novatec Sumário Agradecimentos...13 Sobre os

Leia mais

CONCEITOS DE LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO CARACTERÍSTICAS. João Gabriel Ganem Barbosa

CONCEITOS DE LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO CARACTERÍSTICAS. João Gabriel Ganem Barbosa CONCEITOS DE LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO CARACTERÍSTICAS João Gabriel Ganem Barbosa Sumário Motivação História Linha do Tempo Divisão Conceitos Paradigmas Geração Tipos de Dados Operadores Estruturada vs

Leia mais

I OLIMPÍADA DE TI PROVA DE CONHECIMENTOS GERAIS

I OLIMPÍADA DE TI PROVA DE CONHECIMENTOS GERAIS Nome: Curso: Matrícula: Turma: I OLIMPÍADA DE TI PROVA DE CONHECIMENTOS GERAIS 1. As memórias cache de nível 1 (L1) e de nível 2 (L2) são encontradas nos: a) Processadores. b) Buffers de disco. c) Buffers

Leia mais

Programação Orientada a Objetos Prof. Rone Ilídio UFSJ/CAP

Programação Orientada a Objetos Prof. Rone Ilídio UFSJ/CAP Programação Orientada a Objetos Prof. Rone Ilídio UFSJ/CAP 1) Introdução Programação Orientada a Objetos é um paradigma de programação bastante antigo. Entretanto somente nos últimos anos foi aceito realmente

Leia mais

2 Orientação a objetos na prática

2 Orientação a objetos na prática 2 Orientação a objetos na prática Aula 04 Sumário Capítulo 1 Introdução e conceitos básicos 1.4 Orientação a Objetos 1.4.1 Classe 1.4.2 Objetos 1.4.3 Métodos e atributos 1.4.4 Encapsulamento 1.4.5 Métodos

Leia mais

A Linguagem Java. Alberto Costa Neto DComp - UFS

A Linguagem Java. Alberto Costa Neto DComp - UFS A Linguagem Java Alberto Costa Neto DComp - UFS 1 Roteiro Comentários Variáveis Tipos Primitivos de Dados Casting Comandos de Entrada e Saída Operadores Constantes 2 Comentários /** Classe para impressão

Leia mais

Sobre o Professor Dr. Sylvio Barbon Junior

Sobre o Professor Dr. Sylvio Barbon Junior 5COP088 Laboratório de Programação Aula 1 Java Prof. Dr. Sylvio Barbon Junior Sylvio Barbon Jr barbon@uel.br 1 Sobre o Professor Dr. Sylvio Barbon Junior Formação: Ciência e Engenharia da Computação (2005

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA SECRETARIA MUNICIPAL DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS CONCURSO PÚBLICO PARA ANALISTA DE SUPORTE 08 DE NOVEMBRO DE 2009... (NOME COMPLETO EM LETRA DE FORMA) INSTRUÇÕES

Leia mais

INFORMÁTICA (SUBÁREA : DESENVOLVIMENTO E DESENVOLVIMENTO WEB)

INFORMÁTICA (SUBÁREA : DESENVOLVIMENTO E DESENVOLVIMENTO WEB) CONCURSO PÚBLICO DOCENTE IFMS EDITAL Nº 002/2013 CCP IFMS INFORMÁTICA (SUBÁREA : DESENVOLVIMENTO E DESENVOLVIMENTO WEB) Uso exclusivo do IFMS. GABARITO QUESTÃO 1 (Valor 4 pontos) A Lei nº 11.892, de 29

Leia mais

Curso de Java. Orientação a objetos e a Linguagem JAVA. TodososdireitosreservadosKlais

Curso de Java. Orientação a objetos e a Linguagem JAVA. TodososdireitosreservadosKlais Curso de Java Orientação a objetos e a Linguagem JAVA Roteiro A linguagem Java e a máquina virtual Objetos e Classes Encapsulamento, Herança e Polimorfismo Primeiro Exemplo A Linguagem JAVA Principais

Leia mais

Banco de Dados. Prof. Leonardo Barreto Campos 1

Banco de Dados. Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Banco de Dados Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Sumário Introdução; Banco de Dados Relacionais; SQL; MySQL; Manipulando Banco de Dados com o JDBC; Bibliografia; Prof. Leonardo Barreto Campos 2/25 Introdução

Leia mais

Para desenvolver a atividade a atividade desta aula utilizaremos o ambiente de desenvolvimento integrado NetBeans.

Para desenvolver a atividade a atividade desta aula utilizaremos o ambiente de desenvolvimento integrado NetBeans. 1 - Criando uma classe em Java Para desenvolver a atividade a atividade desta aula utilizaremos o ambiente de desenvolvimento integrado NetBeans. Antes de criarmos a(s) classe(s) é necessário criar o projeto

Leia mais

Aplicações - SQL. Banco de Dados: Teoria e Prática. André Santanchè e Luiz Celso Gomes Jr Instituto de Computação UNICAMP Agosto de 2013

Aplicações - SQL. Banco de Dados: Teoria e Prática. André Santanchè e Luiz Celso Gomes Jr Instituto de Computação UNICAMP Agosto de 2013 Aplicações - SQL Banco de Dados: Teoria e Prática André Santanchè e Luiz Celso Gomes Jr Instituto de Computação UNICAMP Agosto de 2013 Picture by Steve Kelley 2008 SQL SQL Structured Query Language Originalmente:

Leia mais

Algoritmia e Programação APROG. Linguagem JAVA. Básico. Nelson Freire (ISEP DEI-APROG 2012/13) 1/31

Algoritmia e Programação APROG. Linguagem JAVA. Básico. Nelson Freire (ISEP DEI-APROG 2012/13) 1/31 APROG Algoritmia e Programação Linguagem JAVA Básico Nelson Freire (ISEP DEI-APROG 2012/13) 1/31 Linguagem Java Estrutura de um Programa Geral Básica Estruturas de Dados Variáveis Constantes Tipos de Dados

Leia mais

SQL Linguagem de Manipulação de Dados. Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri

SQL Linguagem de Manipulação de Dados. Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri SQL Linguagem de Manipulação de Dados Banco de Dados SQL DML SELECT... FROM... WHERE... lista atributos de uma ou mais tabelas de acordo com alguma condição INSERT INTO... insere dados em uma tabela DELETE

Leia mais

SQL BANCO DE DADOS. Linguagem de consulta SQL. Linguagem de consulta SQL. Linguagem de Consulta Estruturada

SQL BANCO DE DADOS. Linguagem de consulta SQL. Linguagem de consulta SQL. Linguagem de Consulta Estruturada Revisão de tpicos anteriores BANCO DE DADOS Linguagem de consulta SQL Roberto Duarte Fontes Brasília - DF roberto@fontes.pro.br Projeto de banco de dados Modelagem Conceitual (independe da implementação)

Leia mais

Instituto Federal do Sertão-PE. Curso de PHP. Professor: Felipe Correia

Instituto Federal do Sertão-PE. Curso de PHP. Professor: Felipe Correia Instituto Federal do Sertão-PE Curso de PHP Professor: Felipe Correia Conteúdo Parte I Parte II Introdução Funções de strings Instalação Constantes Sintaxe Operadores Variáveis if else elseif Echo/Print

Leia mais

Linguagem de Programação III

Linguagem de Programação III Linguagem de Programação III Aula-3 Criando Classes em Java Prof. Esbel Tomás Valero Orellana Da Aula Anterior Classes em Java, sintaxe básica Tipos básicos de dados em Java, como escolher o tipo apropriado

Leia mais

JDBC Acessando Banco de Dados

JDBC Acessando Banco de Dados Acessando Banco de Dados Objetivos Entender o que são Drivers. Diferenciar ODBC, JDBC e DRIVERMANAGER. Desenvolver uma aplicação Java para conexão com Banco de Dados. Criar um objeto a partir da classe

Leia mais

Unified Modeling Language UML

Unified Modeling Language UML Unified Modeling Language UML Classe e Objeto Atributo Operação Associações (Delegações [SANTOS, 2003]) Dependência Simples: multiplicidade, papel, navegabilidade Com valor semântico adicional: agregação

Leia mais

15-09-2009. Membros de classe e de instância. PARTE III: Java e OO - detalhes. Exemplo 1: método. Exercício. Exemplo 1 corrigido

15-09-2009. Membros de classe e de instância. PARTE III: Java e OO - detalhes. Exemplo 1: método. Exercício. Exemplo 1 corrigido PARTE III: Java e OO - detalhes Membros de classe e instâncias Pacotes Visibilidade Classes aninhadas Membros de classe e de instância De classe Static Método não necessita de objeto para ser chamado.

Leia mais

Histórico de revisões

Histórico de revisões Apostila 3 Histórico de revisões Data Versão Descrição Autor 30/09/2011 1.0 Criação da primeira versão HEngholmJr CONTEÚDO Exclusão de registros Consultas por Dados de Resumo Group by / Having Funções

Leia mais

PHP INTEGRAÇÃO COM MYSQL PARTE 1

PHP INTEGRAÇÃO COM MYSQL PARTE 1 INTRODUÇÃO PHP INTEGRAÇÃO COM MYSQL PARTE 1 Leonardo Pereira leonardo@estudandoti.com.br Facebook: leongamerti http://www.estudandoti.com.br Informações que precisam ser manipuladas com mais segurança

Leia mais

Desenvolvimento OO com Java Orientação a objetos básica

Desenvolvimento OO com Java Orientação a objetos básica Desenvolvimento OO com Java Orientação a objetos básica Vítor E. Silva Souza (vitor.souza@ufes.br) http://www.inf.ufes.br/~vitorsouza Departamento de Informática Centro Tecnológico Universidade Federal

Leia mais

Roteiro 9 - SQL Básico: chave estrangeira, operadores de comparação e operadores booleanos

Roteiro 9 - SQL Básico: chave estrangeira, operadores de comparação e operadores booleanos Roteiro 9 - SQL Básico: chave estrangeira, operadores de comparação e operadores booleanos Objetivos: Criar restrições para atributos, chaves primárias e estrangeiras; Explorar consultas SQL com uso de

Leia mais

Acesso a Bancos de Dados em Java (JDBC)

Acesso a Bancos de Dados em Java (JDBC) Acesso a Bancos de Dados em Java (JDBC) Jomi Fred Hübner Universidade Regional de Blumenau Departamento de Sistemas e Computação Roteiro Introdução Objetivo da JDBC Vantagens Visão geral do acesso a SGBDs

Leia mais

INF 1005 Programação I

INF 1005 Programação I INF 1005 Programação I Aula 03 Introdução a Linguagem C Edirlei Soares de Lima Estrutura de um Programa C Inclusão de bibliotecas auxiliares: #include Definição de constantes:

Leia mais

Podemos agora ver no IDE do Morfik os objetos que já incorporamos ao nosso projeto :

Podemos agora ver no IDE do Morfik os objetos que já incorporamos ao nosso projeto : Podemos agora ver no IDE do Morfik os objetos que já incorporamos ao nosso projeto : O form Index A tabela Fotos A query Q_seleção_de_fotos Vide figura 46. Figura 46 O próximo passo é criar um form que

Leia mais

Desenvolvimento OO com Java 3 Estruturas de Controle e Programação Básica

Desenvolvimento OO com Java 3 Estruturas de Controle e Programação Básica Desenvolvimento OO com Java 3 Estruturas de Controle e Programação Básica Vítor E. Silva Souza (vitor.souza@ufes.br) http://www.inf.ufes.br/~vitorsouza Departamento de Informática Centro Tecnológico Universidade

Leia mais

Drive MySql de conexão para Eclipse

Drive MySql de conexão para Eclipse Drive MySql de conexão para Eclipse de Setembro de 0 Olá, neste artigo iremos focar em como utilizar o drive de conexão do Mysql na IDE eclipse. Veremos passo-a-passo como instalar, o que é uma coisa muito

Leia mais

Bases de Dados. Álgebra Relacional ou Como manipular uma BD SQL. P. Serendero, 2011-13

Bases de Dados. Álgebra Relacional ou Como manipular uma BD SQL. P. Serendero, 2011-13 Bases de Dados Álgebra Relacional ou Como manipular uma BD SQL P. Serendero, 2011-13 1 Álgebra Relacional Conjunto básico de operadores que tomam as relações como os seus operandos e devolvem uma relação

Leia mais

FEAP - Faculdade de Estudos Avançados do Pará PROFª LENA VEIGA PROJETOS DE BANCO DE DADOS UNIDADE V- SQL

FEAP - Faculdade de Estudos Avançados do Pará PROFª LENA VEIGA PROJETOS DE BANCO DE DADOS UNIDADE V- SQL Quando os Bancos de Dados Relacionais estavam sendo desenvolvidos, foram criadas linguagens destinadas à sua manipulação. O Departamento de Pesquisas da IBM desenvolveu a SQL como forma de interface para

Leia mais

Primeiro programa em Java (compilação e execução)

Primeiro programa em Java (compilação e execução) Universidade Federal do ABC Disciplina: Linguagens de Programação (BC-0501) Assunto: Primeiro programa em Java (compilação e execução) Primeiro programa em Java (compilação e execução) Introdução Este

Leia mais

Padrões de Codificação Java

Padrões de Codificação Java Padrões de Codificação Java João Carlos Pinheiro jcpinheiro@cefet-ma.br Versão: 1.0 Última Atualização: Março / 2005 1 Objetivos Apresentar os padrões de codificação Java da SUN 2 Introdução Um padrão

Leia mais

Programação por Objectos. Java

Programação por Objectos. Java Programação por Objectos Java Parte 3: Métodos LEEC@IST Java 1/45 Métodos (1) Sintaxe Qualif Tipo Ident ( [ TipoP IdentP [, TipoP IdentP]* ] ) { [ Variável_local Instrução ]* Qualif: qualificador (visibilidade,

Leia mais

JSP - ORIENTADO A OBJETOS

JSP - ORIENTADO A OBJETOS JSP Orientação a Objetos... 2 CLASSE:... 2 MÉTODOS:... 2 Método de Retorno... 2 Método de Execução... 2 Tipos de Dados... 3 Boolean... 3 Float... 3 Integer... 4 String... 4 Array... 4 Primeira:... 4 Segunda:...

Leia mais

Capítulo 2: Introdução à Linguagem C

Capítulo 2: Introdução à Linguagem C Capítulo 2: Introdução à Linguagem C INF1005 Programação 1 Pontifícia Universidade Católica Departamento de Informática Programa Programa é um algoritmo escrito em uma linguagem de programação. No nosso

Leia mais

Manipulação de Banco de Dados com Java 1. Objetivos

Manipulação de Banco de Dados com Java 1. Objetivos Manipulação de Banco de Dados com Java 1. Objetivos Demonstrar os fundamentos básicos para a manipulação de banco de dados com Java; Apresentar a sintaxe de comandos SQL usados em Java. 2. Definições A

Leia mais

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição 2009

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição 2009 CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição 2009 O curso foi especialmente planejado para os profissionais que desejam trabalhar com desenvolvimento de sistemas seguindo o paradigma Orientado a Objetos e com o uso

Leia mais

Projeto de Software Orientado a Objeto

Projeto de Software Orientado a Objeto Projeto de Software Orientado a Objeto Ciclo de Vida de Produto de Software (PLC) Analisando um problema e modelando uma solução Prof. Gilberto B. Oliveira Estágios do Ciclo de Vida de Produto de Software

Leia mais

BC0501 Linguagens de Programação

BC0501 Linguagens de Programação BC0501 Linguagens de Programação Aula Prática: 03 Assunto: Comandos de Seleção 1. Introdução Um comando de seleção define uma condição em um programa, que permite que grupos de comandos sejam executados

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALAGOAS CURSO TECNICO EM INFORMATICA DISCIPLINA:

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALAGOAS CURSO TECNICO EM INFORMATICA DISCIPLINA: INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALAGOAS CURSO TECNICO EM INFORMATICA DISCIPLINA: PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETOS PROFESSOR: REINALDO GOMES ASSUNTO: REVISÃO DA INTRODUÇÃO A ORIENTAÇÃO

Leia mais

Visual Basic e Java. À primeira vista o Java é completamente diferente do Visual Basic. Realmente as duas linguagens pertencem a mundos distintos.

Visual Basic e Java. À primeira vista o Java é completamente diferente do Visual Basic. Realmente as duas linguagens pertencem a mundos distintos. Visual Basic e Java À primeira vista o Java é completamente diferente do Visual Basic. Realmente as duas linguagens pertencem a mundos distintos. No entanto, elas compartilham uma série de funcionalidades.

Leia mais

Reuso com Herança a e Composiçã

Reuso com Herança a e Composiçã Java 2 Standard Edition Reuso com Herança a e Composiçã ção Helder da Rocha www.argonavis.com.br 1 Como aumentar as chances de reuso Separar as partes que podem mudar das partes que não mudam. Exemplo:

Leia mais

Diagrama de Classes. Um diagrama de classes descreve a visão estática do sistema em termos de classes e relacionamentos entre as classes.

Diagrama de Classes. Um diagrama de classes descreve a visão estática do sistema em termos de classes e relacionamentos entre as classes. 1 Diagrama de Classes Um diagrama de classes descreve a visão estática do sistema em termos de classes e relacionamentos entre as classes. Um dos objetivos do diagrama de classes é definir a base para

Leia mais

BANCO DE DADOS II Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com

BANCO DE DADOS II Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com - Aula 10 - PROCEDIMENTOS ARMAZENADOS - STORED PROCEDURES 1. INTRODUÇÃO Em muitas situações será necessário armazenar procedimentos escritos com a finalidade de se utilizar recursos como loop, estruturas

Leia mais

PROVA DE NÍVEL SUPERIOR. CARGO: Técnico de Nível Superior Júnior II - TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

PROVA DE NÍVEL SUPERIOR. CARGO: Técnico de Nível Superior Júnior II - TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PROVA DE NÍVEL SUPERIOR CARGO: Técnico de Nível Superior Júnior II - TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 1. O ambiente Delphi suporta o desenvolvimento de aplicações orientadas a objetos por meio da linguagem Object

Leia mais

insfcanceof new public switch transient while byte continue extends for int null

insfcanceof new public switch transient while byte continue extends for int null Palavras -chave de JAV A abstract catch do final implements long private static throw void boolean char double finally import native protected super throws volatile break class float insfcanceof new public

Leia mais

3. PARADIGMA ORIENTADO A OBJETOS

3. PARADIGMA ORIENTADO A OBJETOS Paradigmas de Linguagens I 1 3. PARADIGMA ORIENTADO A OBJETOS Este paradigma é o que mais reflete os problemas atuais. Linguagens orientada a objetos (OO) são projetadas para implementar diretamente a

Leia mais