SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE CONTAGEM DECADI DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO CONTINUADA, ALFABETIZAÇÃO DE ADULTOS, DIVERSIDADE E INCLUSÃO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE CONTAGEM DECADI DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO CONTINUADA, ALFABETIZAÇÃO DE ADULTOS, DIVERSIDADE E INCLUSÃO"

Transcrição

1 SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE CONTAGEM DECADI DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO CONTINUADA, ALFABETIZAÇÃO DE ADULTOS, DIVERSIDADE E INCLUSÃO

2 6º ENCONTRO DE FORMAÇÃO SÍNDROMES 24, 25 e 26/11/2014

3 QUEM SOMOS? ADRIANA EM DOMINGOS BELÉM GEIZA EM AVELINO CAMARGOS E EM HELI HORTA JOANICE EM HEITOR VILLA LOBOS JÚNIA EM JOAQUIM TEIXEIRA CAMARGOS SHIRLEY EM MARIA SILVA LUCAS VALMA EM VIRGÍLIO DE MELO FRANCO

4 Vamos entrar agora no túnel do tempo e voltar para o cursinho por 25 minutos... Miniaula : Mutações estruturais e mutações numéricas Professor Paulo Jubilut Boa aula!

5

6 Cariotipos e Mutações Cromossômicas

7 O número de cromossomos em uma espécie é constante. 23 n 23 n

8 Que dão origem a um ser humano com 46 cromossomos

9 CARIOTIPO NORMAL 44 A + 1 PAR DE CROMOSSOMOS SEXUAIS

10 Alterações nesses arranjamentos de cromossomos implicam em síndromes. Afinal, o que são SÍNDROMES???

11 Síndrome (do grego "syndromé", cujo significado é "reunião") é um termo utilizado para caracterizar o conjunto de sinais e sintomas que definem uma determinada patologia ou condição.a medicina indica que uma síndrome não deve ser classificada como uma doença.

12 Visão Geral KLINEFELTER Um cromossomo X a mais no homem (47XXY) Ocorre 1 a cada meninos Sintomas Proporções anormais do corpo Comprimento dos membros, atrofiamento genitais, causados pelas alterações hormonais. Implicações na aprendizagem e comportamento -Dificuldades de aprendizagem e comportamento

13

14 JACOBS Visão Geral Trata-se de uma trissomia XYY, aneuploidia 47,XYY ou síndrome do super-macho. Caracterizada por uma ocorrência anormal de cromossomos sexuais quando um humano do gênero masculino tem uma cópia extra do cromossomo Y em suas células. Sintomas e Aspectos Físicos Aparência normal, porém muitas vezes com estatura alta; Grande número de acne facial durante a adolescência; Volume cerebral reduzido; Dentes grandes; Glabela saliente; Mãos e pés mais compridos; Alguns problemas com habilidades motoras. Implicações na Aprendizagem A capacidade intelectual geralmente na faixa normal; Maior vulnerabilidade a problemas de comportamento; Estresse; Risco aumentado de dificuldades de aprendizagem; Atraso no desenvolvimento da fala e linguagem;

15 Diferença de altura entre um indivíduo normal e um indivíduo com síndrome de Jacobs.

16 WILLIANS Visão Geral - Doença genética que acomete ambos os sexos no primeiro ano de vida também conhecida como face do gnomo ou fadinha. Sintomas e aspectos físicos - Face característica(nariz pequeno e empinado, cabelo encaracolado,lábios grandes,dentes pequenos). Surgem problemas vasculares,neurológicos,renais e odontológicos. Implicações pedagógicas - Atraso psicomotor,dificuldade de aprendizagem,déficit de atenção, boa memória para nomes de pessoas e locais,grande sociabilidade.

17

18 SINDROME DO ALCOOLISMO FETAL Visão Geral Ocorre pela ação direta ou indireta do álcool sobre o sistema nervoso. Saúde materna é o maior fator de risco (uso de álcool, tabaco e outras drogas, depressão entre outras. Sintomas/Aspectos Físicos Baixa estatura, olhos abertos, magreza, olhos finos. Cabeça pequena, nariz curto, defeitos posturais,pálpebras curtas entre outros. Implicações Pedagógicas Déficits de linguagem, aprendizagem, memória, esquemas visuais, coordenação e aprendizado não verbal. Problemas na socialização.

19

20 CRI-DU-CHAT Visão Geral Resulta da deleção parcial do braço curto do cromossomo 5, com o indivíduo apresentando um cariótipo 46, XX, 5p- (sexo feminino) e 46, XY, 5p- (sexo masculino). Esta desordem não é herdada dos progenitores. Sintomas e Aspectos Físicos Os recém-nascidos apresentam baixo peso ao nascimento devido a um retardo de crescimento intra-uterino; Microcefalia; Face arredondada; Hipertelorismo (aumento da distância entre os olhos); Prega epicântica (presente no canto interno dos olhos); Estrabismo; Micrognatia (desenvolvimento reduzido da mandíbula); Orelhas de baixa implantação (abaixo da linha do nariz); Malformações dentárias (geralmente os dentes são projetados para frente devido a alterações no desenvolvimento crâniofacial); Luxação de quadril; Prega palmar transversal única; Podem ocorrer problemas cardíacos e/ ou renais; Pé torto congênito; Hipotonia (tônus muscular diminuído), na maioria dos casos; Apresentam frequentemente dificuldades na alimentação, como pouca força para sugar, frequente engasgo c/refluxo; São bastante suscetíveis a infecções respiratórias e gastrintestinais; Hipodesenvolvimento pondero-estatural (peso e estatura reduzidos); Implicações na Aprendizagem Déficit cognitivo; Dificuldade de concentração/atenção, agitação irritabilidade, sono agitado; Atraso no desenvolvimento da aquisição da linguagem.

21

22 HUNTER Visão Geral Distúrbio genético grave, progressivo e limitador da qualidade ou do tempo de vida. Afeta principalmente as pessoas do sexo masculino. Interfere na capacidade do organismo em quebrar e reciclar determinadas substâncias conhecidas como mucopolissacarídeos. Sintomas e Aspectos Físicos Volume da cabeça aumentado (macrocefalia) e aumento do abdômen; Perdas auditivas; Espessamento das válvulas cardíacas; Obstrução das vias aéreas, apneia do sono; Implicações na Aprendizagem Podem acontecer atrasos no desenvolvimento e problemas no sistema nervoso central.

23

24 TURNER Visão Geral Monossomia total ou parcial do cromossoma X, que se apresenta em indivíduos fenotipicamente femininos. Sintomas e Aspectos Físicos Quando adultas apresentam baixa estatura, não mais que 150 cm; Linha posterior de implantação dos cabelos baixa (na nuca) ; pescoço alado; Genitálias permanecem juvenis; ovários são atrofiados e desprovidos de folículos, (a maioria é estéril) elas não menstruam (amenorréia primária); pêlos pubianos reduzidos ou ausentes; desenvolvimento pequeno e amplamente espaçados da mamas ou mamas ausentes; pelve andróide, isto é, masculinizada; Pele frouxa devido à escassez de tecidos subcutâneos, o que lhe dá aparência senil; unhas estreitas; tórax largo em forma de barril; anomalias renais, cardiovasculares e ósseas. Implicações na Aprendizagem Deficiência intelectual de leve a severa.

25

26 SINDROME DE DOWN Trissomia do cromossoma 21 Visão Geral Alteração cromossômica (cromossomopatia) comum em humanos e principal causa de deficiência intelectual na população. Sintomas e Aspectos Físicos Olhos amendoados, única prega na palma da mão, membros mais curtos, baixo tônus muscular, língua protusa, problemas de saúde diversos (cardíacos, respiratórios, refluxo esofágico, otites, apneia, disfunção da tireoide, etc.) Implicações na Aprendizagem Afeta o sistema nervoso central, causando um atraso leve ou moderado no desenvolvimento físico e intelectual, distúrbios de aprendizagem.

27

28 Visão Geral PRADER WILLI Forma mais comum de obesidade de causa genética. Alteração no cromossomo 15 - no momento da formação dos gametas. Sintomas e Aspectos Físicos Até 8 aos 11 meses: baixo peso e estatura, leves anomalias na face, choro fraco, vitalidade reduzida, baixa temperatura corporal e acentuada diminuição da força muscular a criança é toda molinha, o que dificulta a sucção e a deglutição (hipotonia). Dos 12 aos 24 meses o bebê fica mais alerta, passa a ter mais apetite e começa a ganhar peso. A partir de 2 anos surge sensação de fome constante e interesse exagerado por comida. O atraso neurológico fica evidente, com a demora da criança para engatinhar, andar e falar e com inatividade. Fisicamente: observa-se menor pigmentação da pele, cabelos e olhos, tamanho reduzido de mãos, pés e genitais. Alterações faciais típicas, como testa estreita, olhos amendoados e estrabismo. Podem apresentar depressão, irritabilidade, mudanças repentinas de humor, desobediência ou falta de cooperação, impulsividade, agitação, obsessão por ideias, atividades ou comportamento social inapropriado. Implicações na Aprendizagem Afeta o sistema nervoso central, causando um atraso leve ou moderado no desenvolvimento físico e intelectual, distúrbios de aprendizagem e alteração no comportamento.

29

30 SINDROME DE ANGELMAN Visão Geral Ausência da contribuição materna na região SPW/SA do cromossomo 15 Não é percebida no primeiro ano de vida e é reconhecida por volta dos 3 ou 4 anos. Sintomas e Aspectos Físicos Convulsões, crises de risadas, boca grande, queixo proeminente e andar descoordenado. Face assimétrica e escoliose Ao gargalhar, costumam abanar as mãos, o que também ocorre em momentos de excitação - gostam de brincar com a água e apreciam barulho e imagens refletidas em espelhos. Têm boca grande, queixo proeminente, dentes espaçados e língua protusa. A forma de caminhar é típica: os passos são largos e o andar ocorre aos trancos (espasmódicos), com os braços flexionados e as mãos caídas. A criança começa a andar somente por volta dos 3 ou 4 anos de idade. Podem apresentar distúrbios de sono, hiperatividade, comportamento agressivo e cor da pele mais clara que a dos pais (hipopigmentação). Implicações na Aprendizagem Afeta o sistema nervoso central, causando um atraso leve ou moderado no desenvolvimento físico e intelectual, distúrbios de aprendizagem e alteração no comportamento.

31

32 ESCLEROSE TUBEROSA Visão Geral A Esclerose Tuberosa, também conhecida como Síndrome de Bourneville-Pringle ou Epilóia, é uma desordem genética e, causada por anomalias nos genes TSC1 ou TSC2, dos cromossomos 9 e 16, respectivamente. Sintomas e Aspectos Físicos Podem surgir lesões na pele, nos ossos, dentes, rins, pulmões, olhos, coração e sistema nervoso central. Tumores benignos, podem afetar diversos órgãos, como cérebro, coração, olhos, rins, pele e pulmões. Lesões dermatológicas (nódulos de cor vermelha ou cereja) na região facial. Lesões retinianas afetam as camadas superficiais da retina. Lesões cerebrais podem ser tumores e calcificações na região dos ventrículos cerebrais. Crises epiléticas, a hidrocefalia secundária. convulsões, de difícil controle, aparecem em cerca de 80%, começando antes dos 5 anos de idade. A depressão infantil desencadeia várias outras doenças tais como: anorexia, bulimia, etc. Implicações na Aprendizagem Deficiência intelectual em cerca de 70% dos casos.

33

34 CASOS DE SUCESSO

35

36 Cada um aprende de um jeito Como garantir que os estudantes com deficiência frequentem as escolas regulares e tenham efetiva participação nas atividades escolares como todas os outros?

37 Promovendo ambientes na sala de aula que favoreçam a aprendizagem, tais como: atelier, cantinhos, oficinas... Planejando estratégias que favoreçam o desenvolvimento de habilidades adaptativas: sociais, comunicação, cuidado pessoal e autonomia. oportunizando e exercitando o desenvolvimento das competências; Motivando o estudante em seus desafios. Cada progresso deve ser percebido e comemorado.

38 encorajar o estabelecimento de relações com o ambiente físico e social; estimular a atenção do estudante para as atividades escolares; utilizar instruções e sinais claros, simples e contingentes com as atividades realizadas; oferecer modelos adequados e corretos de aprendizagem; favorecer o bem-estar emocional. aproveitar os diversos espaços da escola.

39

40

41

42

43 Parcerias Trabalhar em parceria com a família e o professor de Atendimento Educacional Especializado. Convivência baseada na solidariedade e respeito. Converse com outros professores e pedagogos a respeito do que você tem observado em relação ao desenvolvimento do seu estudante. Dialogue com o professor do AEE. Pesquise ou busque informações a respeito da deficiência de seu estudante. Estabeleça um diálogo constante com a família no sentido de juntas traçarem estratégias para melhorar o desenvolvimento do estudante.

44

45

Síndromes cromossômicas. Alunos: Agnes, Amanda e Pedro Conte.

Síndromes cromossômicas. Alunos: Agnes, Amanda e Pedro Conte. Síndromes cromossômicas Alunos: Agnes, Amanda e Pedro Conte. Introdução: As anomalias cromossômicas sexuais ocorrem em virtude de meioses atípicas, durante a produção de gametas (espermatozoide e óvulo).

Leia mais

As Mutações. Aumento da biodiversidade

As Mutações. Aumento da biodiversidade As Mutações Aumento da biodiversidade Mutações As mutações são espontâneas e podem ser silenciosas, ou seja, não alterar a proteína ou sua ação. Podem ainda ser letais, quando provocam a morte, ou ainda

Leia mais

Roteiro de Aula Prática 3º ano Prática 16 Alterações Cromossômicas

Roteiro de Aula Prática 3º ano Prática 16 Alterações Cromossômicas Roteiro de Aula Prática 3º ano Prática 16 Alterações Cromossômicas Pergunta: Os cromossomos ou o conjunto deles podem ser alterados? Como isso acontece e quais são as consequências? Objetivos: Diferenciar

Leia mais

O NÚCLEO CELULAR Descoberto em 1833 pelo pesquisador escocês Robert Brown.

O NÚCLEO CELULAR Descoberto em 1833 pelo pesquisador escocês Robert Brown. O NÚCLEO CELULAR Descoberto em 1833 pelo pesquisador escocês Robert Brown. Ocorrência- células eucariontes; Características - contém o DNA da célula. Funções básicas: regular as reações químicas que ocorrem

Leia mais

Gametogênese e Aberrações cromossômicas. Profº MSc. Leandro Felício

Gametogênese e Aberrações cromossômicas. Profº MSc. Leandro Felício Gametogênese e Aberrações cromossômicas Profº MSc. Leandro Felício Gametogênese (espermatogênese) EPIDÍDIMO (armazena espermatozóides ) (em corte transversal) Ampliação de um TESTÍCULO Túbulo seminífero

Leia mais

A presentamos, a seguir, a descrição dos

A presentamos, a seguir, a descrição dos PROPOSTAS PARA DESENVOLVER EM SALA DE AULA NÚMERO 5 JULHO DE 1997 EDITORA MODERNA ANALISANDO CARIÓTIPOS HUMANOS ABERRANTES J. M. Amabis* * e G. R. Martho Este folheto complementa e amplia as atividades

Leia mais

Secretaria de Meio Ambiente - Deficiência Mental - Profa Maria Cecília Toledo

Secretaria de Meio Ambiente - Deficiência Mental - Profa Maria Cecília Toledo Secretaria de Meio Ambiente - Deficiência Mental - Profa Maria Cecília Toledo Era uma vez......há 1.600.000 anos, um pequeno antropóide que, por suas dificuldades adaptativas, realizou algumas pequenas

Leia mais

Neurociência e Saúde Mental

Neurociência e Saúde Mental 1 O QUE É DEFICIÊNCIA MENTAL OU INTELECTUAL http://www.apaesp.org.br/sobreadeficienciaintelectual A Deficiência Intelectual, segundo a Associação Americana sobre Deficiência Intelectual do Desenvolvimento

Leia mais

Definições. Classificação. Atendimento educacional especializado - Educação Especial. Escolas especializadas Escolas da rede regular de ensino

Definições. Classificação. Atendimento educacional especializado - Educação Especial. Escolas especializadas Escolas da rede regular de ensino Conteúdos abordados Prof. Ivan Lima Schonmann CREF 082406-G/SP Deficiência intelectual e motora Definição Classificação Características Estratégias de trabalho Deficiência Intelectual (DI) IBGE 2010 Censo

Leia mais

Mutações e Aberrações Cromossômicas

Mutações e Aberrações Cromossômicas Mutações e Aberrações Cromossômicas Aula 32, 33 e 34 Aspectos Conceituais e Rotas Metabólicas Prof. Antonio Márcio Teodoro Cordeiro Silva, M.Sc. Mutação Mutações são modificações casuais do material genético,

Leia mais

São alterações ou modificações súbitas em genes ou cromossomas, podendo acarretar variação hereditária.

São alterações ou modificações súbitas em genes ou cromossomas, podendo acarretar variação hereditária. MUTAÇÕES Mutações São alterações ou modificações súbitas em genes ou cromossomas, podendo acarretar variação hereditária. As mutações podem ser génicas quando alteram a estrutura do DNA ou cromossómicas

Leia mais

A síndrome ocorre em cerca de um para cada 100 a 160 mil nascimentos. Especialistas atribuem o acidente genético à idade avançada dos pais.

A síndrome ocorre em cerca de um para cada 100 a 160 mil nascimentos. Especialistas atribuem o acidente genético à idade avançada dos pais. Síndrome de Apert O que é Síndrome de Apert? A síndrome de Apert é uma desordem genética que causa desenvolvimento anormal da caixa craniana. Bebês com síndrome de Apert nascem com a cabeça e a face com

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Ministério da Saúde. Brasília DF 2012 CUIDADOS DE SAÚDE ÀS PESSOAS COM SÍNDROME DE DOWN

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Ministério da Saúde. Brasília DF 2012 CUIDADOS DE SAÚDE ÀS PESSOAS COM SÍNDROME DE DOWN MINISTÉRIO DA SAÚDE Brasília DF 2012 1 2 MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Ações Programáticas Estratégicas CUIDADOS DE SAÚDE ÀS PESSOAS COM SÍNDROME DE DOWN Série F. Comunicação

Leia mais

SÍNDROME DE DOWN Introdução

SÍNDROME DE DOWN Introdução SÍNDROME DE DOWN SÍNDROME DE DOWN Introdução Em 1959 dois pesquisadores, o francês Lejeune e a canadense Jacobson, descobriram, simultaneamente e de forma independente, que indivíduos com o então chamado

Leia mais

FOLHA DE DADOS DEFICIÊNCIA VISUAL CORTICAL O QUE É A DEFICIÊNCIA VISUAL CORTICAL?

FOLHA DE DADOS DEFICIÊNCIA VISUAL CORTICAL O QUE É A DEFICIÊNCIA VISUAL CORTICAL? FOLHA DE DADOS DEFICIÊNCIA VISUAL CORTICAL O objetivo deste folheto: Folha de Dados é: 1- Para quem ler este folheto ter um entendimento sobre: O que é a deficiência visual cortical (DVC) Causas da DVC

Leia mais

Unidade IV Ser Humano e Saúde. Aula 15.1 Conteúdo: Mutações gênicas e cromossômicas.

Unidade IV Ser Humano e Saúde. Aula 15.1 Conteúdo: Mutações gênicas e cromossômicas. Unidade IV Ser Humano e Saúde. Aula 15.1 Conteúdo: Mutações gênicas e cromossômicas. 2 Habilidade: Conceituar mutações gênicas e cromossômicas, compreendendo como podem influenciar nossas vidas. 3 REVISÃO

Leia mais

Mecanismos de Herança

Mecanismos de Herança Mecanismos de Herança Andréa Trevas Maciel Guerra Depto. De Genética Médica FCM - UNICAMP Mecanismo de Herança Conceitos básicos Herança Monogênica Herança mitocondrial Imprinting Autossomos (1 a 22) Autossomos

Leia mais

O GUIA COMPLETO TIRE TODAS SUAS DÚVIDAS SOBRE ANDROPAUSA

O GUIA COMPLETO TIRE TODAS SUAS DÚVIDAS SOBRE ANDROPAUSA O GUIA COMPLETO TIRE TODAS SUAS DÚVIDAS SOBRE ANDROPAUSA O QUE É ANDROPAUSA? Problemas hormonais surgidos em função da idade avançada não são exclusivos das mulheres. Embora a menopausa seja um termo conhecido

Leia mais

7ª série / 8º ano 2º bimestre U. E. 10

7ª série / 8º ano 2º bimestre U. E. 10 7ª série / 8º ano 2º bimestre U. E. 10 Tipos de reprodução Reprodução é a capacidade que os seres vivos têm de gerar descendentes da mesma espécie. A união dos gametas é chamada fecundação, ou fertilização,

Leia mais

O NÚCLEO E OS CROMOSSOMOS. Maximiliano Mendes - 2015 http://www.youtube.com/maxaug http://maxaug.blogspot.com

O NÚCLEO E OS CROMOSSOMOS. Maximiliano Mendes - 2015 http://www.youtube.com/maxaug http://maxaug.blogspot.com O NÚCLEO E OS CROMOSSOMOS Maximiliano Mendes - 2015 http://www.youtube.com/maxaug http://maxaug.blogspot.com O NÚCLEO Estrutura presente apenas nas células eucariontes, onde se encontra o DNA genômico

Leia mais

O Setor de Fonoaudiologia funciona sob a coordenação da Fonoaudióloga Mestra Gerissa Neiva de Moura Santos Cordeiro, conforme programa apresentado a

O Setor de Fonoaudiologia funciona sob a coordenação da Fonoaudióloga Mestra Gerissa Neiva de Moura Santos Cordeiro, conforme programa apresentado a O Setor de Fonoaudiologia funciona sob a coordenação da Fonoaudióloga Mestra Gerissa Neiva de Moura Santos Cordeiro, conforme programa apresentado a seguir. COLÉGIO NOTRE DAME FONOAUDIOLOGIA PREVENTIVA

Leia mais

Fonte: Jornal Carreira & Sucesso - 151ª Edição

Fonte: Jornal Carreira & Sucesso - 151ª Edição IDENTIFICANDO A DEPRESSÃO Querida Internauta, Lendo o que você nos escreveu, mesmo não sendo uma profissional da área de saúde, é possível identificar alguns sintomas de uma doença silenciosa - a Depressão.

Leia mais

SÍNDROME X - FRÁGIL (Síndrome Martin & Bell)

SÍNDROME X - FRÁGIL (Síndrome Martin & Bell) Avaliação, Programação e Técnicas de Intervenção SÍNDROME X - FRÁGIL (Síndrome Martin & Bell) P Ó S - G R A D U A Ç Ã O E F O RMA Ç Ã O E S P E C I A L I Z A D A EM E D U C A Ç Ã O E S P E C I A L D OMÍ

Leia mais

Atividade Física e Esporte Adaptado. Profª. Carolina Ventura Fernandes Pasetto

Atividade Física e Esporte Adaptado. Profª. Carolina Ventura Fernandes Pasetto Atividade Física e Esporte Adaptado Profª. Carolina Ventura Fernandes Pasetto Introdução No mundo: 610 milhões de pessoas deficientes No Brasil: 14,5% algum tipo de deficiência (WHO, 2003) 27% física/motora

Leia mais

Exercícios de Anomalias Cromossômicas

Exercícios de Anomalias Cromossômicas Exercícios de Anomalias Cromossômicas 1. Responda esta questão com base na figura abaixo. Nela, A representa uma célula com 2n cromossomos. Os esquemas B e C representam, respectivamente: a) Monossomia

Leia mais

Mutações Cromossômicas Estruturais

Mutações Cromossômicas Estruturais Genética Básica Mutações Cromossômicas Estruturais Aline Intorne Definição: Mudança substancial na estrutura do cromossomo, possivelmente, afetando mais do que um único gene. Segmentos de cromossomos podem

Leia mais

Assista aos vídeos e descreva os processos que ocorrem durante a meiose

Assista aos vídeos e descreva os processos que ocorrem durante a meiose http://4.bp.blogspot.com/-bl7zu4klob4/udtgfm6ygvi/aaaaaaaaamk/yomlckp4xrm/s1600/slide2.png 1 http://4.bp.blogspot.com/-bl7zu4klob4/udtgfm6ygvi/aaaaaaaaamk/yomlckp4xrm/s1600/slide2.png 2 Possibilita a reprodução

Leia mais

EXAME FÍSICO DO RN. Renata Loretti Ribeiro Enfermeira COREN/SP - 42883

EXAME FÍSICO DO RN. Renata Loretti Ribeiro Enfermeira COREN/SP - 42883 EXAME FÍSICO DO RN Enfermeira COREN/SP - 42883 Introdução! Alguns minutos depois do nascimento o exame físico é feito pelo pediatra. É uma avaliação de rotina do estado físico do bebê.! O exame físico

Leia mais

SÍNDROME DE WILLIAMS. Perturbações do Neurodesenvolvimento e do Comportamento A P R E S E N T A Ç Ã O D E :

SÍNDROME DE WILLIAMS. Perturbações do Neurodesenvolvimento e do Comportamento A P R E S E N T A Ç Ã O D E : Perturbações do Neurodesenvolvimento e do Comportamento SÍNDROME DE WILLIAMS A P R E S E N T A Ç Ã O D E : L I S A N D R A D O M I N G U E S I N Ê S L O P E S V E R A B R A N D Ã O Introdução Físico e

Leia mais

Deficiência Intelectual Síndrome de Down. Serviço de Atendimento Pedagógico às Necessidades Educacionais Especiais SEME

Deficiência Intelectual Síndrome de Down. Serviço de Atendimento Pedagógico às Necessidades Educacionais Especiais SEME Deficiência Intelectual Síndrome de Down Serviço de Atendimento Pedagógico às Necessidades Educacionais Especiais SEME A Síndrome de Down é uma deficiência de origem genética, que ocorre quando crianças

Leia mais

Disciplina de Odontologia para Pacientes Especiais. Aula do dia 27 de abril de 2012. Síndromes de interesse odontológico. Porfa Dra Marina Gallottini

Disciplina de Odontologia para Pacientes Especiais. Aula do dia 27 de abril de 2012. Síndromes de interesse odontológico. Porfa Dra Marina Gallottini Disciplina de Odontologia para Pacientes Especiais Aula do dia 27 de abril de 2012 Síndromes de interesse odontológico Porfa Dra Marina Gallottini mhcgmaga@usp.br Síndrome de Rett Encefalopatia, que afeta

Leia mais

Projeto de Acessibilidade Virtual RENAPI/NAPNE. Julho de 2010

Projeto de Acessibilidade Virtual RENAPI/NAPNE. Julho de 2010 Projeto de Acessibilidade Virtual RENAPI/NAPNE Julho de 2010 Deficiência intelectual De acordo com o Decreto nº 5.296, a deficiência mental, atualmente denominada deficiência intelectual, refere-se ao

Leia mais

Projeto de Acessibilidade Virtual RENAPI/NAPNE. Julho de 2010

Projeto de Acessibilidade Virtual RENAPI/NAPNE. Julho de 2010 Projeto de Acessibilidade Virtual RENAPI/NAPNE Julho de 2010 Deficiência Múltipla A Deficiência Múltipla refere-se à associação de duas ou mais deficiências, conforme o Decreto nº 5.296, art. 5º (BRASIL,

Leia mais

Sobre a alteração cromossômica referida no texto, afirma-se que:

Sobre a alteração cromossômica referida no texto, afirma-se que: 01 - (UEPA) Pela primeira vez, cientistas conseguiram identificar uma maneira de neutralizar a alteração genética responsável pela Síndrome de Down. Em um estudo feito com células de cultura, pesquisadores

Leia mais

O que fazemos com o que ouvimos? Danos auditivos para uma sociedade contemporânea

O que fazemos com o que ouvimos? Danos auditivos para uma sociedade contemporânea O que fazemos com o que ouvimos? Danos auditivos para uma sociedade contemporânea Ms Andréa Carla Lima Coelho Fgª Coordenadora do Núcleo de Acessibilidade e Profª nos Cursos da Escola de Saúde e Educação

Leia mais

Unidade 7. Reprodução e hereditariedade

Unidade 7. Reprodução e hereditariedade Unidade 7 Reprodução e hereditariedade O ESTUDO DA HEREDITARIEDADE Teoria da pré-formação ou Progênese: dentro de cada semente (gameta) existiam miniaturas de seres humanos, chamados homúnculos. Gregor

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: avaliação antropométrica; oficina de culinária; Síndrome de Down.

PALAVRAS-CHAVE: avaliação antropométrica; oficina de culinária; Síndrome de Down. AVALIAÇÃO NUTRICIONAL E ANTROPOMÉTRICA DE CRIANÇAS DE 06 E 36 MESES, COM SÍNDROME DE DOWN, E OFERTA DE OFICINAS DE CULINÁRIA À SUAS FAMÍLIAS FUNDAÇÃO DOM BOSCO B.H. Luciana Ramos Costa SIMÕES Centro Universitário

Leia mais

SÍNDROME DE DOWN. Resumo:

SÍNDROME DE DOWN. Resumo: SÍNDROME DE DOWN * Karina Latorre Castro Damasceno *Márcia Chaves Cunha ** Carla Streit Resumo: A síndrome de Down é uma aneuploidia¹ mais comum em nativivos com uma incidência de aproximadamente 1 entre

Leia mais

O SISTEMA GENÉTICO E AS LEIS DE MENDEL

O SISTEMA GENÉTICO E AS LEIS DE MENDEL O SISTEMA GENÉTICO E AS LEIS DE MENDEL Profa. Dra. Juliana Garcia de Oliveira Disciplina: Biologia Celular e Molecular Curso: Enfermagem, Nutrição e TO Conceitos Básicos Conceitos Básicos Conceitos Básicos

Leia mais

A seguir enumeramos algumas caracteristicas do TBH:

A seguir enumeramos algumas caracteristicas do TBH: OQUEÉOTRANSTORNOBIPOLARDO HUMOR(TBH)? O transtorno bipolar do humor (também conhecido como psicose ou doença maníaco-depressiva) é uma doença psiquiátrica caracterizada por oscilações ou mudanças de humor

Leia mais

DISTÚRBIOS ALIMENTARES

DISTÚRBIOS ALIMENTARES CLÍNICA PEDIÁTRICA VER CRESCER DISTÚRBIOS ALIMENTARES Castelo Branco DISTÚRBIOS ALIMENTARES Conjunto de doenças provocadas por alterações significativas nos hábitos alimentares diários, tanto por ingestão

Leia mais

ME DEIXA CRESCER! SOU DIFERENTE, E DAÍ? CASO

ME DEIXA CRESCER! SOU DIFERENTE, E DAÍ? CASO ME DEIXA CRESCER! SOU DIFERENTE, E DAÍ? CASO PARTE 1 D. Ruth procurou o agente comunitário Fábio, preocupada com a mudança de comportamento do filho de 16 anos, que tem síndrome de Down. Ela observou que

Leia mais

Orientações a respeito do Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade

Orientações a respeito do Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade Orientações a respeito do Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade Nathália Fernandes Andreza Aparecida Polia Ranielí Gonçalves de Souza Halessandra Medeiros O Transtorno do Déficit de Atenção

Leia mais

Escola Estadual Dr. Pedro Afonso de Medeiros

Escola Estadual Dr. Pedro Afonso de Medeiros Escola Estadual Dr. Pedro Afonso de Medeiros Professora Amara Maria Pedrosa Silva Aluno(a) nº: Aluno(a) nº: Aluno(a) nº: Série: 3ª Curso Turma: Data: / / Trabalho de Biologia 2ª Unidade QUESTÃO 001 (UFMS)

Leia mais

SISTEMA NERVOSO MOTOR

SISTEMA NERVOSO MOTOR SISTEMA NERVOSO MOTOR CÓRTEX MOTOR O cérebro é o órgão que move os músculos. sculos. Neil R. Carlson 1 CÓRTEX MOTOR ORGANIZAÇÃO DO CÓRTEX MOTOR Córtex motor primário: principal região controladora para

Leia mais

ESTADO DO RIO DE JANEIRO PREFEITURA MUNICIPAL DE CABO FRIO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

ESTADO DO RIO DE JANEIRO PREFEITURA MUNICIPAL DE CABO FRIO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO ESTADO DO RIO DE JANEIRO PREFEITURA MUNICIPAL DE CABO FRIO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO Ações realizadas pela SEME 2011 e 2012 Reunião com os diretores e equipe técnica para implementação das SRMs

Leia mais

PRONTIDÃO ESCOLAR PREVENTIVA. Primeiros Socorros ABORDAGEM PRIMÁRIA RÁPIDA. Policial BM Espínola

PRONTIDÃO ESCOLAR PREVENTIVA. Primeiros Socorros ABORDAGEM PRIMÁRIA RÁPIDA. Policial BM Espínola PRONTIDÃO ESCOLAR PREVENTIVA Primeiros Socorros ABORDAGEM PRIMÁRIA RÁPIDA Policial BM Espínola LEMBRE-SE Antes de administrar cuidados de emergência, é preciso garantir condições de SEGURANÇA primeiramente

Leia mais

Sistema nervoso Sistema Nervoso Central (SNC) Sistema Nervoso Periférico

Sistema nervoso Sistema Nervoso Central (SNC) Sistema Nervoso Periférico SISTEMA NERVOSO Sistema nervoso Funções: Coordena o funcionamento dos outros sistemas. Controla os movimentos (voluntários e involuntários). É responsável pela recepção de estímulos externos e pela resposta

Leia mais

HERANÇA E SEXO. Professora Msc Flávia Martins Agosto 2011

HERANÇA E SEXO. Professora Msc Flávia Martins Agosto 2011 HERANÇA E SEXO Professora Msc Flávia Martins Agosto 2011 1.Determinação cromossômica do sexo A característica mais fundamental da vida é a reprodução (sexuada e assexuada) Produção de gametas (óvulo e

Leia mais

RETARDO MENTAL (OLIGOFRENIAS)

RETARDO MENTAL (OLIGOFRENIAS) RETARDO MENTAL (OLIGOFRENIAS) XIII - TRATAMENTO I DEFINIÇÃO II INTELIGÊNCIA III FATORES ETIOLÓGICOS IV EPIDEMIOLOGIA V - DIAGNÓSTICO DO RETARDO MENTAL NA CRIANÇA VI - CLASSIFICAÇÃO VII - FORMAS ETIOLÓGICAS

Leia mais

A Importância do Sono

A Importância do Sono 1 A Importância do Sono Dra. Regeane Trabulsi Cronfli É um total contra-senso o fato de que, num mundo em que cerca de 16 a 40% das pessoas em geral sofrem de insônia, haja aquelas que, iludidas pelos

Leia mais

Divisão Celular: Mitose e Meiose

Divisão Celular: Mitose e Meiose 1) Conceitos Prévios Cromossomo: Estrutura que contém uma longa molécula de DNA associada a proteínas histonas, visível ao microscópio óptico em células metafásicas. Cromossomo Condensação Proteína histona

Leia mais

Aperfeiçoamento em Técnicas para Fiscalização do uso de Álcool e outras Drogas no Trânsito Brasileiro

Aperfeiçoamento em Técnicas para Fiscalização do uso de Álcool e outras Drogas no Trânsito Brasileiro Aperfeiçoamento em Técnicas para Fiscalização do uso de Álcool e outras Drogas no Trânsito Brasileiro Doenças, Sono e Trânsito ObjeBvos Relacionar sintomas de doenças e efeitos de medicamentos com o perigo

Leia mais

O que você deve saber sobre

O que você deve saber sobre O que você deve saber sobre TOC Transtorno Obsessivo Compulsivo Fênix Associação Pró-Saúde Mental 1. O que é TOC? O Transtorno Obsessivo Compulsivo é uma doença mental crônica (transtorno psiquiátrico),

Leia mais

Pediatria do Desenvolvimento e do Comportamento. Faculdade de Ciências Médicas Prof. Orlando A. Pereira Unifenas

Pediatria do Desenvolvimento e do Comportamento. Faculdade de Ciências Médicas Prof. Orlando A. Pereira Unifenas Pediatria do Desenvolvimento e do Comportamento Faculdade de Ciências Médicas Prof. Orlando A. Pereira Unifenas Genética e Ambiente A combinação de fatores ambientais e genéticos é que determina o produto

Leia mais

Conteúdo: - Puberdade e adolescência: A maturidade sexual - Os sistemas genitais masculinos e femininos - O que é menstruação CIÊNCIAS DA NATUREZA

Conteúdo: - Puberdade e adolescência: A maturidade sexual - Os sistemas genitais masculinos e femininos - O que é menstruação CIÊNCIAS DA NATUREZA CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Conteúdo: - Puberdade e adolescência: A maturidade sexual - Os sistemas genitais masculinos e femininos - O que é menstruação 2 CONTEÚDO E HABILIDADES

Leia mais

Organização e Formação de Serviços para Pessoas com Duplo Diagnóstico A Experiência do CRM

Organização e Formação de Serviços para Pessoas com Duplo Diagnóstico A Experiência do CRM Organização e Formação de Serviços para O CRM possui 120 vagas, com uma ocupação habitualmente de 100%, e destina-se a utentes menores do sexo feminino com Deficiência Intelectual; das 120 há 1 que não

Leia mais

1º Período. Subtemas Competências essenciais específicas Conceitos Estratégias Blocos. -Saúde -Esperança média de vida; -Prevenção da saúde;

1º Período. Subtemas Competências essenciais específicas Conceitos Estratégias Blocos. -Saúde -Esperança média de vida; -Prevenção da saúde; Saúde individual e comunitária 1º Período Indicadores do estado de saúde de uma população Medidas de ação para a promoção da saúde Compreender o conceito de saúde; Conhecer os indicadores do estado de

Leia mais

Autismo e Aprendizagem

Autismo e Aprendizagem Autismo e Aprendizagem O termo autismo origina-se do grego autós, que significa de si mesmo. Foi empregado pela primeira vez pelo psiquiatra suíço Bleuler, em 1911, que buscava descrever a fuga da realidade

Leia mais

COL 1414 PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DO FETO GRAVIDEZ 10 PARTES

COL 1414 PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DO FETO GRAVIDEZ 10 PARTES COL 1414 PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DO FETO GRAVIDEZ 10 PARTES O desenvolvimento do feto desde o momento da relação sexual e concepção até o nascimento. Uma vez que o espermatozóide é depositado na vagina,

Leia mais

1. o ANO ENSINO MÉDIO PROF. KIM RAONE PROF. MARCUS MELO

1. o ANO ENSINO MÉDIO PROF. KIM RAONE PROF. MARCUS MELO 1. o ANO ENSINO MÉDIO PROF. KIM RAONE PROF. MARCUS MELO Unidade IV O homem na construção do conhecimento. 2 Aula 10.1 Conteúdo Conceito de deficiência. 3 Habilidade Classificar os tipos de deficiência

Leia mais

REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE

REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE Adolescência 11 aos 20 anos Mudanças: Amadurecimento biológico Sexual Psicológico Social Características Adolescência Mudança de interesses Conflitos com a família Maior

Leia mais

Minha filha está ficando uma moça!

Minha filha está ficando uma moça! Minha filha está ficando uma moça! A UU L AL A O que faz as meninas se transformarem em mulheres? O que acontece com seu corpo? Em geral, todos nós, homens e mulheres, somos capazes de lembrar muito bem

Leia mais

Doenças do Comportamento Alimentar. Filipe Pinheiro de Campos

Doenças do Comportamento Alimentar. Filipe Pinheiro de Campos NUTRIÇÃO e PATOLOGIAS ASSOCIADAS Doenças do Comportamento Alimentar Saúde e Bem Estar ATITUDES AMBIENTE FISIOLOGIA SAÚDE HEREDITARIEDADE ECONOMIA CULTURA ALIMENTAÇÃO 2 Implicações Clínicas Doenças por

Leia mais

Hipogonadismo. O que é Hipogonadismo? Causas 25/02/ 2015. Minhavida.com.br

Hipogonadismo. O que é Hipogonadismo? Causas 25/02/ 2015. Minhavida.com.br Hipogonadismo O que é Hipogonadismo? Hipogonadismo é uma doença na qual as gônadas (testículos nos homens e ovários nas mulheres) não produzem quantidades adequadas de hormônios sexuais, como a testosterona

Leia mais

Transtornos de Aprendizagem

Transtornos de Aprendizagem Transtornos de Aprendizagem Web conferencista: Fga Maristella Abdala O ato de aprender ocorre no SNC - Complexa rede de funções: sensitivo-sensorial, motora-práxica, afetiva, cognitiva e coordenação -

Leia mais

Epilepsia e distúrbio de aprendizagem: tem relação?

Epilepsia e distúrbio de aprendizagem: tem relação? Epilepsia e distúrbio de aprendizagem: tem relação? Apresentação: Daniele Istile (2º ano) Maria Gabriela Cavalheiro (4ºano) Orientação: Doutoranda Thaís dos Santos Gonçalves Local: Anfiteatro da Biblioteca

Leia mais

DEFICIÊNCIA FÍSICA. Luciana Andrade Rodrigues Professor das Faculdades COC

DEFICIÊNCIA FÍSICA. Luciana Andrade Rodrigues Professor das Faculdades COC DEFICIÊNCIA FÍSICA Luciana Andrade Rodrigues Professor das Faculdades COC Comprometimento do aparelho locomotor que compreende o sistema osteoarticular, o sistema muscular e o sistema nervoso. As doenças

Leia mais

Mutação e Engenharia Genética

Mutação e Engenharia Genética Mutação e Engenharia Genética Aula Genética - 3º. Ano Ensino Médio - Biologia Prof a. Juliana Fabris Lima Garcia Mutações erros não programados que ocorrem durante o processo de autoduplicação do DNA e

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE CONTROLE DO TABAGISMO

PROGRAMA NACIONAL DE CONTROLE DO TABAGISMO PROGRAMA NACIONAL DE CONTROLE DO TABAGISMO Abordagem e Tratamento do Tabagismo PROGRAMA NACIONAL DE CONTROLE DO TABAGISMO Abordagem e Tratamento do Tabagismo I- Identificação do Paciente Nome: Nº do prontuário:

Leia mais

46,XY 46,XX CROMOSSOMOS HUMANOS. 23 pares. Autossomos: 22 pares Cromossomos Sexuais: 1 par. Cada Espécie: Constituição Cromossômica Específica

46,XY 46,XX CROMOSSOMOS HUMANOS. 23 pares. Autossomos: 22 pares Cromossomos Sexuais: 1 par. Cada Espécie: Constituição Cromossômica Específica CROMOSSOMOS HUMANOS 3 pares Autossomos: pares Cromossomos Sexuais: par ( pares a ) ( par XY ) 46,XX 46,XY Cada Espécie: Constituição Cromossômica Específica Número Forma Tamanho Natureza da informação

Leia mais

Karina Polezel de Sales kpolezel@yahoo.com.br Janete Costa da Silva Maia jarovil@yahoo.com.br Prefeitura Municipal de Rio Claro/ SP.

Karina Polezel de Sales kpolezel@yahoo.com.br Janete Costa da Silva Maia jarovil@yahoo.com.br Prefeitura Municipal de Rio Claro/ SP. RELATO DE EXPERIÊNCIA: UM OLHAR SOBRE A CRIANÇA COM SÍNDROME DE DOWN NAS ATIVIDADES DE EDUCAÇÃO FÍSICA EM UMA ESCOLA DA PERIFERIA DE RIO CLARO NO ESTADO DE SÃO PAULO. Karina Polezel de Sales kpolezel@yahoo.com.br

Leia mais

Tome uma injeção de informação. Diabetes

Tome uma injeção de informação. Diabetes Tome uma injeção de informação. Diabetes DIABETES O diabetes é uma doença crônica, em que o pâncreas não produz insulina em quantidade suficiente, ou o organismo não a utiliza da forma adequada. Tipos

Leia mais

GOIÂNIA, / / 2015. PROFESSOR: FreD. ALUNO(a): Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente as seguintes orientações:

GOIÂNIA, / / 2015. PROFESSOR: FreD. ALUNO(a): Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente as seguintes orientações: GOIÂNIA, / / 2015 PROFESSOR: FreD DISCIPLINA: Biologia SÉRIE: 1º ALUNO(a): Lista de Exercícios No Anhanguera você é + Enem Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente as seguintes orientações:

Leia mais

Dificuldades de aprendizagem

Dificuldades de aprendizagem Dificuldades de aprendizagem Dificuldades versus distúrbios Dificuldades escolares ou de aprendizagem Origem externa: no ambiente e no outro. Distúrbios/transtornos Origem interna: disfunção do Sistema

Leia mais

Hormônio do Crescimento

Hormônio do Crescimento Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade Física Adaptada e Saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira Hormônio do Crescimento O Hormônio do Crescimento Humano é um dos muitos hormônios que tem sua produção

Leia mais

O USO DE SOFTWARE EDUCATIVO NA EDUCAÇÃO INCLUSIVA DE CRIANÇA COM SEQUELAS DECORRENTES DE PARALISIA CEREBRAL

O USO DE SOFTWARE EDUCATIVO NA EDUCAÇÃO INCLUSIVA DE CRIANÇA COM SEQUELAS DECORRENTES DE PARALISIA CEREBRAL O USO DE SOFTWARE EDUCATIVO NA EDUCAÇÃO INCLUSIVA DE CRIANÇA COM SEQUELAS DECORRENTES DE PARALISIA CEREBRAL Introdução Com frequência as tecnologias digitais estão sendo empregadas pelos educadores em

Leia mais

Áudio. GUIA DO PROFESSOR Síndrome de Down - Parte I

Áudio. GUIA DO PROFESSOR Síndrome de Down - Parte I Síndrome de Down - Parte I Conteúdos: Tempo: Síndrome de Down 5 minutos Objetivos: Auxiliar o aluno na compreensão do que é síndrome de Down Descrição: Produções Relacionadas: Neste programa de Biologia

Leia mais