Os Poemas são as Crianças

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Os Poemas são as Crianças"

Transcrição

1 Os Poemas são as Crianças MT Gregório Pereira de Queiroz 1 São as ilhas afortunadas, São terras sem ter lugar... Fernando Pessoa Resumo Este trabalho traça um paralelo entre o trabalho musical e musicoterapêutico de Paul Nordoff e André Luiz Oliveira, mostrando sua musicalidade em ação, primeiro musicando poemas, a predileção do trabalho musical dos dois artistas, e depois musicando as crianças, no trabalho musicoterapêutico com crianças autistas. Palavras-chave: música, poesia, criação musical, improvisação clínicomusical com autistas. Abstract This article proposes a connection between the musical and the musictherapeutic work of Paul Nordoff and André Luiz Oliveira, showing their musicality in action, firstly doing music with poems, the artists interest, and then, musicing the children, in the therapeutic work with the autistic population. Keywords: music, poetry, musical creation, clinical-musical improvisation with autistics. Paul Nordoff era um artista, músico com sólida formação erudita e importante carreira como concertista e compositor, muitos anos antes de se dedicar à terapêutica de crianças autistas por meio da música. É conhecido que ele veio a se interessar pela utilização da música no tratamento de crianças, a partir de seu encontro com Clive Robbins na Sunfield Children s Home, na Inglaterra, em 1959 (Robbins e Robbins, 1998, p. xvii). 1 Gregório Pereira de Queiroz Arquiteto, formado pela FAUUSP; especialista em Educação Musical com área de concentração em Musicoterapia, pela Faculdade de Música Carlos Gomes; especialista em Musicoterapia, pela Faculdade Paulista de Artes.

2 2 Paul enquanto artista e compositor, antes de se tornar musicoterapeuta, musicava poemas; colocava em música as palavras de versos pré-existentes à música. Segundo Clive Robbins, Ele adorava escrever canções sobre poemas. Pegava um poema e musicava. Nunca fazia o oposto... Eu estava neste pequeno balcão, olhando para baixo e lá estava o piano e Paul. Ele primeiro lia os poemas e depois tocava a música feita. Eu nunca tinha visto um homem tão aberto e tão direto com o público. E os poemas eram maravilhosos. Eram sobre a vida, sentimentos, luta, amor, mistério e misticismo, mas lidos de uma maneira especial. E aí ele tocava sua música e eu entendia a liberdade dela: entendia porque a tinha feito; como as palavras e a música se juntavam e o poder de expressão que saía delas. (Robbins, 2002) Antes de se dedicar ao trabalho musicoterapêutico com crianças, Paul Nordoff apreciava colocar seu conhecimento e habilidade musical, assim como sua musicalidade inata, a serviço dessa arte delicada de colocar poemas em música, de extrair de um texto artístico sua musicalidade, tornando-a aparente e visível em música. Musicar poemas pressupõe reconhecer a dinâmica musical inerente ao poema e colocá-la em notas musicais. É compor uma obra musical que traga à luz a musicalidade do poema. Paul Nordoff teve especial predileção por musicar poemas do poeta estadunidense Edward Estlin Cummings, conhecido pelo uso preciso da palavra em sua espacialização escrita no papel, e um dos expoentes da moderna poesia do século XX. Dentre eles, Nordoff musicou Up into the silence, Doll s boy s asleep e (sitting in a tree) dentro do ciclo de canções que compôs: Eight Songs to Poems by e e cummings. Interessante que outro compositor que musicou poemas, e o fez com especial maestria, Robert Schumann, e utilizou poemas dos melhores poetas de seu tempo, também compôs música para crianças. Seja para elas tocarem ao piano, como no Álbum para a Juventude, op. 68, mas muito particularmente na música que retrata o universo da criança, as famosas Cenas da Infância, op. 15. Haverá alguma ligação desconhecida entre esse anseio por musicar poesia e o de se dedicar musicalmente ao universo infantil?

3 3 André Luiz Oliveira, cineasta e musicista, teve por algum tempo a direção de cinema como seu trabalho principal. Embora houvesse trabalhado como músico, compondo, cantando e tocando, seu encontro fundamental com a música, e com sua própria musicalidade, se deu ao musicar poemas do livro Mensagem, de Fernando Pessoa, no ano de Primeiro, musicou uma série deles, e atualmente colocou em música todos os 46 poemas curtos deste livro. A partir de 2007, começa a atuar junto com Clarisse Prestes, especializanda em Musicoterapia, atendendo crianças autistas. Por meio do contato com Clarisse, André tomou contato com o uso da música em terapia e foi tomado pelo entusiasmo quanto às possibilidades da música para o acesso, a comunicação e a comunhão com estas crianças de difícil relação com o mundo à volta delas. André Oliveira e Paul Nordoff têm significativos pontos em comum em suas trajetórias: o gosto por musicar poemas, por colocar em música as palavras trabalhadas poeticamente; a passagem de seu interesse, enquanto músicos, da criação e execução musical para o uso clínico da música; e que esta passagem se deu por meio do contato com um parceiro terapêutico, no cuidado com crianças especiais. Musicar poemas é diferente de escrever uma canção. A canção nasce letra e música. Se não ao mesmo tempo, nascem uma para a outra, não importando a ordem em que são feitas: se primeiro a música, para então compor uma letra para ela; ou se primeiro a letra, para depois compor a música, que completará o fato de ser uma letra nascida canção. A canção nasce como um todo, mesmo que a feitura da letra e da música se suceda no tempo. Musicar poemas parte de algo já existente, o poema escrito, e que existe não para ter relação com a música nem para ser adaptado ou transformado em outra obra artística. O poema nasce para ser o poema que é. Musicá-lo é dar a ele uma nova vida como obra de arte, uma vida que originalmente não era a dele. Se no resultado final, em ambos os casos, temos canções (isto é, música e palavra unidas indissociavelmente), o processo que levou a um e outro caso são bastante diferentes. Musicar um poema é trazer à luz a música, ou musicalidade, inerente ao poema; é criar música a partir de um estímulo definido, o poema; estímulo este a ser respeitado e honrado pela música. Esta não tem a liberdade da criação solta de uma canção

4 4 qualquer 2, mas tem o compromisso de dar voz à música contida no poema ou, mais precisamente, de dar voz a uma das talvez várias possibilidades musicais contidas no poema. Em alguns casos, ainda, o musicista dará ao poema uma voz que não estava inteiramente presente no poema, mas com a qual o poema ganha em sua própria poesia e em música. Este trabalho de trazer à música uma musicalidade inerente à obra poética em pouco ou nada difere do trabalho de trazer à música a musicalidade de uma criança e junto com sua musicalidade, trazer à música e à vida muitos de seus potenciais antes adormecidos adormecidos por diversos motivos, dentre eles, em se tratando de crianças especiais, sua própria condição física e psíquica. Produzir música, improvisar e compor, a partir do estímulo que lhes é dado por uma entidade viva, seja poema ou criança, é o ponto de convergência entre Paul Nordoff e André Oliveira. Estes dois musicistas viram, nestas duas atividades, uma mesma atividade: expressar música em nome de uma entidade viva que tocou profundamente sua sensibilidade. Se na primeira etapa de seus trabalhos, enquanto musicistas, Nordoff e Oliveira musicaram poemas, na segunda etapa, enquanto musicoterapeutas, musicaram crianças. As crianças passaram a ser seus poemas inspiradores à música. As crianças são os poemas. O exercício de musicar poemas, ou alguma outra entidade cujo cerne contenha musicalidade inerente, talvez seja um treino necessário para quem pretende se tornar musicoterapeuta em especial, dentro do espírito proposto pelo Músico-centramento. Musicar poemas é um exercício no qual nossa musicalidade desempenha sua capacidade de estabelecer relação com a musicalidade da outra entidade. Sendo o poema uma entidade sem vida biológica, pode-se deixar de lado certos cuidados e responsabilidades presentes quando nos relacionamentos com seres vivos. Isto facilita a despreocupação com fatores outros e a concentração na questão central: a relação entre as duas musicalidades, a do poema e a do musicista 3. Este treino é particularmente fecundo para quem irá trabalhar na interação entre musicalidades, como ocorre na relação entre musicoterapeuta e paciente. Deveria constar da formação dos musicoterapeutas, não apenas como um exercício de habilidade musical e verbal, mas 2 Se é que há essa liberdade, realmente, para algum trabalho verdadeiramente artístico. 3 O poema, embora não seja um ser biologicamente vivo, contém certas características vivas inerentes à obra de arte, como seu movimento interno orgânico e sua relação direta com a vida humana, sua capacidade de articular a vida.

5 5 principalmente pelo exercício de relação e pelo aprendizado de respeito à musicalidade presente na entidade com a qual nos relacionamos musicalmente. A música para um musicoterapeuta tem um sentido muito particular. Não se trata apenas de diversão, muito menos de dever; não se trata de auto-expressão, mas de meio de interação e comunhão; não se trata de requinte estético apenas, mas de humanismo no seu sentido mais pleno. Assim, mais do que apresentar execuções musicais bem feitas, ou esforços musicais pungentes por parte daqueles para quem estes são particularmente difíceis, a apresentação dos resultados de um musicoterapeuta ao trabalhar sua própria musicalidade, como no presente caso da elaboração de canções sobre poemas, talvez traga um novo sentido para a presença de uma performance musical em um evento voltado ao desenvolvimento de nossa formação e profissão. Referências Bibliográficas ROBBINS, C. & ROBBINS, C. Healing Heritage: Paul Nordoff Exploring the Tonal Language of Music. Gilsum: Barcelona Publisher, ROBBINS, C. Entrevista com Clive Robbins. Revista Brasileira de Musicoterapia. Rio de Janeiro: UBAM, nº 6 ano V, 2002.

A Arte Musical na Musicoterapia: análise de usos artísticos de Paul Nordoff em Musicoterapia 1

A Arte Musical na Musicoterapia: análise de usos artísticos de Paul Nordoff em Musicoterapia 1 A Arte Musical na Musicoterapia: análise de usos artísticos de Paul Nordoff em Musicoterapia 1 Gregório Pereira de Queiroz 2 Resumo Este trabalho ressalta um aspecto específico da contribuição de Paul

Leia mais

A LINGUAGEM MUSICAL DO MUSICOTERAPEUTA

A LINGUAGEM MUSICAL DO MUSICOTERAPEUTA A LINGUAGEM MUSICAL DO MUSICOTERAPEUTA Rita Bomfati. UNESPAR- FAP ritabomfati1@gmail.com Resumo: A importância da formação musical do musicoterapeuta (conhecimento de ritmos e instrumentos, história da

Leia mais

Reflexões sobre a Musicoterapia Músico-Centrada: caminhos pelo Brasil e pelo mundo

Reflexões sobre a Musicoterapia Músico-Centrada: caminhos pelo Brasil e pelo mundo Reflexões sobre a Musicoterapia Músico-Centrada: caminhos pelo Brasil e pelo mundo MT Gregório Pereira de Queiroz 1 Resumo O ponto de vista da filosofia de Zuckerkandl, em diálogo com as recentes descobertas

Leia mais

Musicalidade, self e personalidade *

Musicalidade, self e personalidade * Musicalidade, self e personalidade * Gregório Pereira de Queiroz 1 RESUMO A musicalidade pode ser um meio para reorganizar a relação entre personalidade e self, estimulando a manifestação deste em direção

Leia mais

Clínica é uma sala ou é um gesto? Ou: A musicalidade na formação dos alunos em Musicoterapia 1

Clínica é uma sala ou é um gesto? Ou: A musicalidade na formação dos alunos em Musicoterapia 1 Clínica é uma sala ou é um gesto? Ou: A musicalidade na formação dos alunos em Musicoterapia 1 Gregório Pereira de Queiroz 2 PALAVRAS CHAVE: setting, musicoterapia didática, formação do musicoterapeuta

Leia mais

Deutsche Welle Learning By Ear Aprender de Ouvido Empregos 08: Música

Deutsche Welle Learning By Ear Aprender de Ouvido Empregos 08: Música Deutsche Welle Learning By Ear Aprender de Ouvido Empregos 08: Música Texto: Sam Olukoya Redacção: Ulrich Neumann, Maja Dreyer Tradução: Madalena Sampaio 1 Voz para Intro e Outro (Voz 1) 1 Narrador (Voz

Leia mais

Comunicação JOGOS TEATRAIS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DO MATERNAL E EDUCAÇÃO INFANTIL

Comunicação JOGOS TEATRAIS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DO MATERNAL E EDUCAÇÃO INFANTIL Comunicação JOGOS TEATRAIS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DO MATERNAL E EDUCAÇÃO INFANTIL ROSA, Maria Célia Fernandes 1 Palavras-chave: Conscientização-Sensibilização-Transferência RESUMO A psicóloga Vanda

Leia mais

(PI): 01 - O 01 (A1):

(PI): 01 - O 01 (A1): Tema do Projeto: Composição Musical em Banda Pop/Rock em contexto extracurricular Que aprendizagens e motivações são desenvolvidas no projeto de composição de canções a partir de sequências harmónicas

Leia mais

EDUCAÇÃO MUSICAL MATERNAL II

EDUCAÇÃO MUSICAL MATERNAL II EDUCAÇÃO MUSICAL MATERNAL II Músicas infantis. Danças, músicas e personagens folclóricos. Conhecer textos e melodias folclóricos; Entoar músicas do folclore brasileiro; Dançar músicas folclóricas; Imitar

Leia mais

PROJETO COMPANHIA TEATRO ÍNTEGRO

PROJETO COMPANHIA TEATRO ÍNTEGRO PROJETO COMPANHIA TEATRO ÍNTEGRO A Musicoterapia e o Teatro: uma proposta de inserção social e profissionalizante do indivíduo com autismo [estudo e prática de Musicoterapia Músico-centrada] MT André Brandalise

Leia mais

Arquivo Público do Estado de São Paulo

Arquivo Público do Estado de São Paulo Arquivo Público do Estado de São Paulo Oficina: O(s) Uso(s) de documentos de arquivo na sala de aula Ditadura Militar e Anistia (1964 a 1985). Anos de Chumbo no Brasil. Ieda Maria Galvão dos Santos 2º

Leia mais

Versão Oficial. Locutor - A Rádio Nacional apresenta ESTUDIO F, Momentos Musicais da Funarte. Apresentação de Paulo César Soares

Versão Oficial. Locutor - A Rádio Nacional apresenta ESTUDIO F, Momentos Musicais da Funarte. Apresentação de Paulo César Soares 1 Versão Oficial Sueli Costa EF98 E S T Ú D I O F - programa número 98 Á U D I O T E X T O Música-tema entra e fica em BG; Locutor - A Rádio Nacional apresenta ESTUDIO F, Momentos Musicais da Funarte Apresentação

Leia mais

de 20, à criação do samba no Rio de Janeiro ou ao cinema novo. Ao mesmo tempo procurei levar em conta as aceleradas transformações que ocorriam nesta

de 20, à criação do samba no Rio de Janeiro ou ao cinema novo. Ao mesmo tempo procurei levar em conta as aceleradas transformações que ocorriam nesta 5 Conclusão A década de 70 foi com certeza um período de grande efervescência para a cultura brasileira e em especial para a música popular. Apesar de ser muito difícil mensurar a constituição de um termo

Leia mais

Palavras-chave: escrita musical, histórias infantis, conto sonoro. Seminário do 16 O. COLE vinculado: V Seminário Linguagens em Educação Infantil.

Palavras-chave: escrita musical, histórias infantis, conto sonoro. Seminário do 16 O. COLE vinculado: V Seminário Linguagens em Educação Infantil. O Conto Sonoro, uma forma de explorar a escrita musical. Renata de Oliveira Pavaneli Frederico, Escola de Educação Infantil Casa da Gente Campinas-SP. musicamed@directnet.com.br reoliveirafred@gmail.com

Leia mais

PROJETO BANDAS E CORAIS NAS ESCOLAS : A EXPERIÊNCIA DO CORAL ENCANTO

PROJETO BANDAS E CORAIS NAS ESCOLAS : A EXPERIÊNCIA DO CORAL ENCANTO PROJETO BANDAS E CORAIS NAS ESCOLAS : A EXPERIÊNCIA DO CORAL ENCANTO Rebeca Vieira de Queiroz Almeida Faculdade Saberes Introdução O presente texto é um relato da experiência do desenvolvimento do projeto

Leia mais

13 Como estudar Teclado - Conteúdo

13 Como estudar Teclado - Conteúdo Introdução Tempo dedicado ao estudo Alongamento e aquecimento Fatores para tornar a leitura mais ágil Fatores para tornar o estudo mais produtivo Preparação para apresentar a peça em público Prazer de

Leia mais

O PROCESSO DE MUSICALIZAÇÃO NO 1º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA ESCOLA MUNICIPAL DA CIDADE DO RECIFE

O PROCESSO DE MUSICALIZAÇÃO NO 1º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA ESCOLA MUNICIPAL DA CIDADE DO RECIFE O PROCESSO DE MUSICALIZAÇÃO NO 1º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA ESCOLA MUNICIPAL DA CIDADE DO RECIFE Romero Bomfim dos Santos 1 ; Elida Roberta Soares de Santana²; Bruno Fernandes

Leia mais

Numa recente e longa entrevista concedida para a rede de emissoras rádio via satélite AMERICAN SAT, o cantor PAULINHO BOCA lembrou dos fatos mais

Numa recente e longa entrevista concedida para a rede de emissoras rádio via satélite AMERICAN SAT, o cantor PAULINHO BOCA lembrou dos fatos mais Numa recente e longa entrevista concedida para a rede de emissoras rádio via satélite AMERICAN SAT, o cantor PAULINHO BOCA lembrou dos fatos mais importantes que marcaram a trajetória da MPB nos últimos

Leia mais

Mesa 3. Casos Clínicos Músico-centrados: Edward

Mesa 3. Casos Clínicos Músico-centrados: Edward Mesa 3 Casos Clínicos Músico-centrados: Edward MT Gregório Pereira de Queiroz 1 Resumo O artigo apresenta o caso Edward como um dos fundamentos para o Músico-centramento. O gesto clínico musicoterápico

Leia mais

musicoterapia Formação do Musicoterapeuta Musicoterapia

musicoterapia Formação do Musicoterapeuta Musicoterapia Musicoterapia A Musicoterapia é a utilização da música e/ou dos elementos musicais (som, silêncio, ritmo, melodia, harmonia) pelo musicoterapeuta e pelo paciente ou grupo, em um processo estruturado para

Leia mais

É verdade que só começo um livro quando descubro uma pluma branca. Isso é um ritual que me impus apesar se só escrever uma vez cada dois anos.

É verdade que só começo um livro quando descubro uma pluma branca. Isso é um ritual que me impus apesar se só escrever uma vez cada dois anos. 1) Como está sendo a expectativa do escritor no lançamento do livro Ser como um rio que flui? Ele foi lançado em 2006 mas ainda não tinha sido publicado na língua portuguesa, a espera do livro pelos fãs

Leia mais

virgínia rosa geraldo flach

virgínia rosa geraldo flach virgínia rosa geraldo flach virgínia rosa geraldo flach O gaúcho Geraldo e a paulista Virgínia se apresentaram juntos pela primeira vez na série Piano e Voz, da UFRGS. Quando tocou em São Paulo, no Supremo

Leia mais

ESCOLA DE ARTES SOM LIVRE

ESCOLA DE ARTES SOM LIVRE CURSOS DE MÚSICA E ARTES PARA ESCOLAS A Som Livre Escola de Artes oferece para as escolas infantis uma proposta inovadora : Cursos de Artes, especialmente voltado para crianças. Através de praticas e vivencias

Leia mais

RECIFE DE DENTRO PRA FORA Literatura e cinema desempenhando o papel de arte participante.

RECIFE DE DENTRO PRA FORA Literatura e cinema desempenhando o papel de arte participante. RECIFE DE DENTRO PRA FORA Literatura e cinema desempenhando o papel de arte participante. Elvira Mariah Ramos Silva Licenciatura em Música pela UFPE Pós- Graduanda do curso de Cultura Pernambucana FAFIRE

Leia mais

OS INSTRUMENTOS MUSICAIS COMO FORMA DE EXPRESSÃO DA

OS INSTRUMENTOS MUSICAIS COMO FORMA DE EXPRESSÃO DA 68 OS INSTRUMENTOS MUSICAIS COMO FORMA DE EXPRESSÃO DA SONORIDADE INTERNA AUTORA: ANA PAULA CHIZZOLINI CERVELLINI 4 Integrar a música à terapia é integrar o corpo, porque a música é feita, dita, tocada

Leia mais

Lembro de uma cena em especial, no Hospital Psiquiátrico Cyro Martins, que muito

Lembro de uma cena em especial, no Hospital Psiquiátrico Cyro Martins, que muito UM TÊNUE LIMIAR... 1 Graciella Leus Tomé Lembro de uma cena em especial, no Hospital Psiquiátrico Cyro Martins, que muito me chocou. Foi a internação de uma jovem senhora, mãe, casada, profissão estável,

Leia mais

A POTÊNCIA DA MÚSICA EM PACIENTES PSIQUIÁTRICOS- DO SETTING AO PALCO. * RESUMO

A POTÊNCIA DA MÚSICA EM PACIENTES PSIQUIÁTRICOS- DO SETTING AO PALCO. * RESUMO A POTÊNCIA DA MÚSICA EM PACIENTES PSIQUIÁTRICOS- DO SETTING AO PALCO. * RESUMO Kenia B. da Cruz 1. Esse trabalho tem por objetivo configurar a potência da música especificamente em pacientes psiquiátricos.

Leia mais

PROJETO DE LEITURA PRÉ-LEITURA

PROJETO DE LEITURA PRÉ-LEITURA PROJETO DE LEITURA PRÉ-LEITURA ATIVIDADES ANTERIORES À LEITURA INTENÇÃO: LEVANTAR HIPÓTESES SOBRE A AUTORA, SOBRE O LIVRO, INSTIGAR A CURIOSIDADE E AMPLIAR O REPERTÓRIO DO ALUNO Para o professor Ou isto

Leia mais

Apresentação É com muita alegria que apresento a vocês, amados leitores, esta nova edição revisada e atualizada de meu primeiro livro-filho sobre o tema da evolução humana que trata das novas gerações,

Leia mais

1 Nesta dissertação, será utilizada a sigla CDA para situar o local onde o trabalho foi desenvolvido.

1 Nesta dissertação, será utilizada a sigla CDA para situar o local onde o trabalho foi desenvolvido. 1 Introdução As demências, principalmente a do tipo Alzheimer, vêm despertando interesse no meio acadêmico. Os diferentes saberes como a Medicina, a Psicologia, a Antropologia, a Sociologia entre outros,

Leia mais

Álvaro de Campos e Ricardo Reis: convergências, divergências e importância no sistema heteronímico de Fernando Pessoa

Álvaro de Campos e Ricardo Reis: convergências, divergências e importância no sistema heteronímico de Fernando Pessoa Crátilo: Revista de Estudos Linguísticos e Literários. Patos de Minas: UNIPAM, (3):118 123, 2010 ISSN 1984 0705 Álvaro de Campos e Ricardo Reis: convergências, divergências e importância no sistema heteronímico

Leia mais

Formação de Português 2013/2014

Formação de Português 2013/2014 Formação de Português 2013/2014 Oficina de formação: Ler para compreender, interpretar, reagir e apreciar 6.ª sessão Objetivos do ensino da leitura de poesia Alimentar o gosto pela sonoridade da língua

Leia mais

REFLEXÕES CLÍNICAS SOBRE UM CASAL DE PAIS ADOTANTES

REFLEXÕES CLÍNICAS SOBRE UM CASAL DE PAIS ADOTANTES REFLEXÕES CLÍNICAS SOBRE UM CASAL DE PAIS ADOTANTES Autores: Tânia Regina Goia; José Paulo Diniz; Maria Luísa Louro de Castro Valente Instituição: Universidade Estadual Paulista Faculdade de Ciências e

Leia mais

A Música No Processo De Aprendizagem

A Música No Processo De Aprendizagem A Música No Processo De Aprendizagem Autora: Jéssica Antonia Schumann (FCSGN) * Coautor: Juliano Ciebre dos Santos (FSA) * Resumo: O presente trabalho tem por objetivo investigar sobre a importância em

Leia mais

NÚCLEO DE AÇÃO EDUCATIVA MATERIAL EDUCATIVO OFICINA ARTÍSTICA E LITERÁRIA CAFEZINHO

NÚCLEO DE AÇÃO EDUCATIVA MATERIAL EDUCATIVO OFICINA ARTÍSTICA E LITERÁRIA CAFEZINHO NÚCLEO DE AÇÃO EDUCATIVA MATERIAL EDUCATIVO OFICINA ARTÍSTICA E LITERÁRIA CAFEZINHO Foto: Flávia Violim Este material servirá como modelo para que professores de Língua Portuguesa aproximem seus alunos

Leia mais

COMPOSIÇÃO COMO RECURSO NO PROCESSO ENSINO / APRENDIZAGEM MUSICAL

COMPOSIÇÃO COMO RECURSO NO PROCESSO ENSINO / APRENDIZAGEM MUSICAL 389 COMPOSIÇÃO COMO RECURSO NO PROCESSO ENSINO / APRENDIZAGEM MUSICAL Ruth de Sousa Ferreira Silva Mestranda em Artes pela Universidade Federal de Uberlândia Introdução Este relato de experiência tem como

Leia mais

Fotos: Luís Antônio Rodrigues. No Perfil Ché & Colin

Fotos: Luís Antônio Rodrigues. No Perfil Ché & Colin Fotos: Luís Antônio Rodrigues No Perfil & Perfil Em meio às gravações no estúdio Brothers da Lua do músico, juntamente com o gravamos uma entrevista, onde eles nos contam como começou essa amizade e parceria,

Leia mais

A CANÇÃO DE NINAR EM MUSICOTERAPIA COMO FACILITADORA DA CONSTRUÇÃO E FORTALECIMENTO DO VÍNCULO MÃE-BEBÊ

A CANÇÃO DE NINAR EM MUSICOTERAPIA COMO FACILITADORA DA CONSTRUÇÃO E FORTALECIMENTO DO VÍNCULO MÃE-BEBÊ A CANÇÃO DE NINAR EM MUSICOTERAPIA COMO FACILITADORA DA CONSTRUÇÃO E FORTALECIMENTO DO VÍNCULO MÃE-BEBÊ Gláucia Tomaz Marques Pereira 1 Resumo: O presente trabalho é desenvolvido no CRASA/APAE, Anápolis-GO,

Leia mais

CABEÇA-DE-VENTO Show Musical de Bia Bedran

CABEÇA-DE-VENTO Show Musical de Bia Bedran CABEÇA-DE-VENTO Show Musical de Bia Bedran Cabeça de Vento faz um passeio pelo universo sonoro criado por Bia, numa linguagem cênica que contempla a literatura, a poesia e a ludicidade de seu jeito singular

Leia mais

A ARTE DE BRINCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Estudante de Pedagogia pela FECLESC / UECE Resumo

A ARTE DE BRINCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Estudante de Pedagogia pela FECLESC / UECE Resumo A ARTE DE BRINCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL Maria Elany Nogueira da Silva Estudante de Pedagogia pela FECLESC / UECE Resumo Este presente artigo pretende refletir idéias sobre o brincar na Educação Infantil,

Leia mais

Criação de Audiência

Criação de Audiência Criação de Audiência Data do Congresso De 14 a 20 de Dezembro 2015 Palestrantes: São 20 palestrantes, as palestras serão gravadas e disponibilizadas on-line de 20min a 40min o tempo de duração. Palestrantes

Leia mais

O ESTUDO DO HANON NA MÚSICA POPULAR: UM NOVO OLHAR PARA A SUA TÉCNICA PIANÍSTICA

O ESTUDO DO HANON NA MÚSICA POPULAR: UM NOVO OLHAR PARA A SUA TÉCNICA PIANÍSTICA O ESTUDO DO HANON NA MÚSICA POPULAR: UM NOVO OLHAR PARA A SUA TÉCNICA PIANÍSTICA Por Turi Collura Elaborado no Século XIX, o antigo livro de técnica pianística chamado Hanon - O Pianista Virtuoso resiste

Leia mais

TÍTULO: REFLEXÕES SOBRE A POESIA E A FUGA AO DIDATISMO CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: PEDAGOGIA

TÍTULO: REFLEXÕES SOBRE A POESIA E A FUGA AO DIDATISMO CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: PEDAGOGIA TÍTULO: REFLEXÕES SOBRE A POESIA E A FUGA AO DIDATISMO CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: PEDAGOGIA INSTITUIÇÃO: UNIÃO DAS FACULDADES DOS GRANDES LAGOS AUTOR(ES): STELA FERNANDES

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular MUSICOTERAPIA APLICADA Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular MUSICOTERAPIA APLICADA Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular MUSICOTERAPIA APLICADA Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Ciências Humanas e Sociais (2º Ciclo) 2. Curso Mestrado em Musicoterapia 3. Ciclo de Estudos 2º 4. Unidade

Leia mais

Interdisciplinar o design

Interdisciplinar o design Instalação sobre Jazz. Com o Presidente da República quando foi proclamado uma das Personalidades do Ano 2009/2010. Foto: site Presidência da República Lançamento da World Urban Campaign, no Rio de Janeiro.

Leia mais

A CONTRIBUIÇÃO DA MUSICOTERAPIA NO TRATAMENTO DE PACIENTES DEPRESSIVOS *

A CONTRIBUIÇÃO DA MUSICOTERAPIA NO TRATAMENTO DE PACIENTES DEPRESSIVOS * A CONTRIBUIÇÃO DA MUSICOTERAPIA NO TRATAMENTO DE PACIENTES DEPRESSIVOS * Camila Lima e Silva.. Musicoterapeuta pela Universidade Federal de Goiás.. Musicoterapeuta no Despertar Núcleo Educacional e Terapêutico.

Leia mais

instrumentos passaram a ser tocados muitas vezes de maneira diferente da regular

instrumentos passaram a ser tocados muitas vezes de maneira diferente da regular INTRODUÇÃO A música do século XX foi marcada por grandes inovações em estruturações e outros procedimentos. As estruturações passaram a ter formas cada vez mais livres como na poesia sem metro ou rima;

Leia mais

E ntrevista. Raphael Lacoste. por Alberto Andrich

E ntrevista. Raphael Lacoste. por Alberto Andrich E ntrevista por Alberto Andrich Raphael Lacoste R aphael Lacoste nasceu em Paris em 1974, onde morou até os seis anos de idade. Após ter vivido na Argélia por dois anos, acompanhando seu pai no serviço

Leia mais

PROJETO FAZENDO ARTE ESPÍRITA

PROJETO FAZENDO ARTE ESPÍRITA 1. IDENTIFICAÇÃO PROJETO FAZENDO ARTE ESPÍRITA Elaborado pelos jovens, participantes da COJEDF de 2004 Executante: Diretoria de Infância e Juventude/DIJ da Federação Espírita do Distrito Federal/FEDF Previsão

Leia mais

Uma História que cheira a Café. Não Desprezes os Provérbios. Autor Isabel Vilarinho e Vanda Novais. Autor Abel de Carvalho

Uma História que cheira a Café. Não Desprezes os Provérbios. Autor Isabel Vilarinho e Vanda Novais. Autor Abel de Carvalho Catálogo 2013 Uma História que cheira a Café Isabel Vilarinho e Vanda Novais Não Desprezes os Provérbios Abel de Carvalho Género: Romance N.º Páginas: 112 ISBN: 978-989-20-3065-4 Género: Prosa / Literatura

Leia mais

Entrevistado por Maria Augusta Silva. Entrevista realizada na ocasião em que recebeu o Prémio Nacional de Ilustração.

Entrevistado por Maria Augusta Silva. Entrevista realizada na ocasião em que recebeu o Prémio Nacional de Ilustração. ANDRÉ LETRIA Entrevistado por Maria Augusta Silva Entrevista realizada na ocasião em que recebeu o Prémio Nacional de Ilustração. Um traço sinónimo de qualidade. Desenho e cor para a infância. Aos 26 anos

Leia mais

PHELIPE AGNELLI. Baterista Percussionista Compositor. Músico Brasileiro!

PHELIPE AGNELLI. Baterista Percussionista Compositor. Músico Brasileiro! PHELIPE AGNELLI Baterista Percussionista Compositor Músico Brasileiro 1 ENTREVISTA "Inspirando e sendo inspirado" Phelipe Agnelli é músico e compositor, nascido a 50 minutos de São Paulo, na cidade de

Leia mais

CONSTRUÇÃO DO EU LÍRICO E O RETRATO NA POETICA CECÍLIA MEIRELES

CONSTRUÇÃO DO EU LÍRICO E O RETRATO NA POETICA CECÍLIA MEIRELES CONSTRUÇÃO DO EU LÍRICO E O RETRATO NA POETICA CECÍLIA MEIRELES Silvia Eula Muñoz¹ RESUMO Neste artigo pretendo compartilhar os diversos estudos e pesquisas que realizei com orientação do Prof. Me. Erion

Leia mais

Descobrindo o que a criança sabe na atividade inicial Regina Scarpa 1

Descobrindo o que a criança sabe na atividade inicial Regina Scarpa 1 1 Revista Avisa lá, nº 2 Ed. Janeiro/2000 Coluna: Conhecendo a Criança Descobrindo o que a criança sabe na atividade inicial Regina Scarpa 1 O professor deve sempre observar as crianças para conhecê-las

Leia mais

História da Música Ocidental

História da Música Ocidental História da Música Ocidental A Música na Idade Média e no Renascimento Música medieval é o nome dado à música típica do período da Idade Média. Essas práticas musicais aconteceram há quase 1500 anos atrás.

Leia mais

HISTÓRIA DA MÚSICA OCIDENTAL

HISTÓRIA DA MÚSICA OCIDENTAL HISTÓRIA DA MÚSICA OCIDENTAL A Música Barroca A palavra barroco vem da língua portuguesa e significa "pérola irregular". Foi adotada internacionalmente para caracterizar o estilo ornamentado e pomposo

Leia mais

letra de música e poesia CONSULTORAS Patrícia Corsino e Hélen A. Queiroz

letra de música e poesia CONSULTORAS Patrícia Corsino e Hélen A. Queiroz letra de música e poesia CONSULTORAS Patrícia Corsino e Hélen A. Queiroz SINOPSE geral da série Chico, 6 anos, adora passar as tardes na estamparia de fundo de quintal do seu avô. Nela, Vô Manu construiu

Leia mais

A Arte e as Crianças

A Arte e as Crianças A Arte e as Crianças A criança pequena consegue exteriorizar espontaneamente a sua personalidade e as suas experiências inter-individuais, graças aos diversos meios de expressão que estão à sua disposição.

Leia mais

Deu pra ti Baixo astral Vou pra Porto Alegre Tchau!

Deu pra ti Baixo astral Vou pra Porto Alegre Tchau! UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRNDE DO SUL FACULDADE DE EDUCAÇÃO CURSO DE PEDAGOGIA Disciplina EDU 03080 Pesquisa em Educação Professora: LILIANA MARIA PASSERINO Deu pra ti Baixo astral Vou pra Porto Alegre

Leia mais

À Procura de Mozart Resumo Canal 123 da Embratel Canal 112 da SKY,

À Procura de Mozart Resumo Canal 123 da Embratel Canal 112 da SKY, À Procura de Mozart Resumo O vídeo nos oferece um relato sobre a vida e obra de Wolfgang Amadeus Mozart. Ele nos é apresentado como único e inigualável devido à sua genialidade na música clássica do século

Leia mais

PROVA ESCRITA DE EDUCAÇÃO MUSICAL. PRIMEIRA PARTE - QUESTÕES DISCURSIVAS (70 pontos)

PROVA ESCRITA DE EDUCAÇÃO MUSICAL. PRIMEIRA PARTE - QUESTÕES DISCURSIVAS (70 pontos) COLÉGIO PEDRO II DIRETORIA GERAL SECRETARIA DE ENSINO CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSORES DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO = 2002 = PRIMEIRA PARTE - QUESTÕES DISCURSIVAS (70 pontos) 1) Escreva uma notação rítmica

Leia mais

O movimento inverso ao desenvolvimento musical no processo musicoterápico 1

O movimento inverso ao desenvolvimento musical no processo musicoterápico 1 O movimento inverso ao desenvolvimento musical no processo musicoterápico 1 José Davison da Silva Júnior Universidade Federal de Pernambuco UFPE davisonjr@click21.com.br Resumo: Este relato surgiu a partir

Leia mais

PROVA DE HABILIDADES ESPECÍFICAS MÚSICA ETAPA TEÓRICA

PROVA DE HABILIDADES ESPECÍFICAS MÚSICA ETAPA TEÓRICA PROVA DE HABILIDADES ESPECÍFICAS MÚSICA ETAPA TEÓRICA Para responder às questões de 01 a 09, consulte a obra Kanonisches Liedchen, de Robert Schumann, do Álbum Para Juventude Op. 68, que se encontra reproduzida

Leia mais

A DANÇA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

A DANÇA NA EDUCAÇÃO INFANTIL A DANÇA NA EDUCAÇÃO INFANTIL MUNHÃO, Marisa Discente do Curso de Educação Física da Faculdade de Ciências Sociais e Agrárias de Itapeva MUZEL, Andrei Alberto Docente do Curso de Educação Física da Faculdade

Leia mais

ANTONIO LOUREIRO. www.boranda.com.br/antonioloureiro

ANTONIO LOUREIRO. www.boranda.com.br/antonioloureiro ANTONIO LOUREIRO www.boranda.com.br/antonioloureiro O compositor e multi-instrumentista Antonio Loureiro chega ao segundo álbum solo apostando na liberdade do improviso e defendendo uma criação musical

Leia mais

Entrevista com Fernando Tordo

Entrevista com Fernando Tordo Entrevista com Fernando Tordo por Marcos Alexandre de Morais e Paula Cristina Rocha (UFAL/UFPB) Um dos maiores nomes da canção portuguesa moderna, Fernando Tordo, nascido em Lisboa em 1948, está prestes

Leia mais

Reflexão. A Música, as Canções e a utilização de instrumentos na Educação. Aluna: Ana Isabel Araújo Olim

Reflexão. A Música, as Canções e a utilização de instrumentos na Educação. Aluna: Ana Isabel Araújo Olim 1 Reflexão A Música, as Canções e a utilização de instrumentos na Educação Aluna: Ana Isabel Araújo Olim As escolas, ao longo do ano letivo, trabalham várias temáticas sociais. O infantário Donamina, para

Leia mais

AS TRÊS EXPERIÊNCIAS

AS TRÊS EXPERIÊNCIAS Nome: N.º: endereço: data: Telefone: E-mail: Colégio PARA QUEM CURSA O 8 Ọ ANO EM 2014 Disciplina: PoRTUGUÊs Prova: desafio nota: Texto para as questões de 1 a 7. AS TRÊS EXPERIÊNCIAS Há três coisas para

Leia mais

EDUCAÇÃO MUSICAL FORMAL X EDUCAÇÃO MUSICAL INFORMAL

EDUCAÇÃO MUSICAL FORMAL X EDUCAÇÃO MUSICAL INFORMAL EDUCAÇÃO MUSICAL FORMAL X EDUCAÇÃO MUSICAL INFORMAL Segundo Green (2000), existe uma enorme discrepância entre os tipos de aprendizagem proporcionados no âmbito da Educação Musical Formal e no contexto

Leia mais

INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE OBOÉ

INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE OBOÉ INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE OBOÉ Você vai descobrir o oboé e aprender a tocar e aperfeiçoar a técnica! O objetivo deste documento de Introdução ao Estudo de Oboé é de divulgar e esclarecer os tópicos mais

Leia mais

AULA CRIATIVA DE ORTOGRAFIA

AULA CRIATIVA DE ORTOGRAFIA AULA CRIATIVA DE ORTOGRAFIA Apenas uma experiência que pode ser recriada para outros conteúdos Glorinha Aguiar glorinhaaguiar@uol.com.br Terminada a audição, eu escrevi na lousa o título da música, o nome

Leia mais

TÍTULO: VÁRIAS VARIÁVEIS: O BRASIL DOS ANOS 80 PELAS MÚSICAS DO ENGENHEIROS DO HAWAII

TÍTULO: VÁRIAS VARIÁVEIS: O BRASIL DOS ANOS 80 PELAS MÚSICAS DO ENGENHEIROS DO HAWAII Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: VÁRIAS VARIÁVEIS: O BRASIL DOS ANOS 80 PELAS MÚSICAS DO ENGENHEIROS DO HAWAII CATEGORIA: EM

Leia mais

Musicoterapia: estudo de caso de uma criança autista

Musicoterapia: estudo de caso de uma criança autista Musicoterapia: estudo de caso de uma criança autista Clarisse Prestes clarisseprestes@gmail.com Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências da Saúde (Fepecs) Instituto Vida Una Resumo. O indivíduo autista

Leia mais

PROGRAMA DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA ANOS FINAIS / SRE - CURVELO

PROGRAMA DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA ANOS FINAIS / SRE - CURVELO 61 Poema O que é: Segundo o poeta Carlos Drummond de Andrade, entre coisas e palavras principalmente entre palavras circulamos. As palavras, entretanto, não circulam entre nós como folhas soltas no ar.

Leia mais

Cantando pelo Mundo. II - Disciplinas envolvidas no projeto: Música, Língua Portuguesa, História e Geografia.

Cantando pelo Mundo. II - Disciplinas envolvidas no projeto: Música, Língua Portuguesa, História e Geografia. Cantando pelo Mundo I - Período do projeto: 2º Bimestre de 2015 II - Disciplinas envolvidas no projeto: Música, Língua Portuguesa, História e Geografia. III Problematização Intercâmbio musical e cultural

Leia mais

Figura 1. Interface do Ambiente Virtual GenVirtual

Figura 1. Interface do Ambiente Virtual GenVirtual O ambiente virtual, denominado GenVirtual, foi desenvolvido com tecnologia de Realidade Aumentada. O GenVirtual possibilita adicionar no mundo real do usuário objetos virtuais musicais que simulam sons

Leia mais

POESIA NO ENSINO MÉDIO: ANÁLISE DE RECEITAS RESUMO

POESIA NO ENSINO MÉDIO: ANÁLISE DE RECEITAS RESUMO POESIA NO ENSINO MÉDIO: ANÁLISE DE RECEITAS Caroline Orlandini Moraes (Bolsista Fundação Araucária / G CLCA UENP/CJ) (Integrante do GP Literatura e Ensino - UENP/CJ) Rafaela Stopa (Orientadora - CLCA-UENP/CJ)

Leia mais

O ENSINO DE LITERATURA BRASILEIRA ATRAVÉS DA MÚSICA

O ENSINO DE LITERATURA BRASILEIRA ATRAVÉS DA MÚSICA 1 O ENSINO DE LITERATURA BRASILEIRA ATRAVÉS DA MÚSICA José Ozildo dos SANTOS Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba Rosélia Maria de Sousa SANTOS Instituto Federal de Educação,

Leia mais

Empreendedorismo na Escola de Música da UFMG 1. Introdução

Empreendedorismo na Escola de Música da UFMG 1. Introdução Empreendedorismo na Escola de Música da UFMG 1 Introdução A Música e as artes quando praticada como atividade profissional, não é diferente de qualquer outra área de conhecimento. A formação de um músico

Leia mais

MÃES QUE CANTAM: A CANÇÃO NA RELAÇÃO DE AJUDA PARA MÃES DE BEBÊS COM SÍNDROME DE DOWN TRANSDISCIPLINARIDADE ENTRE MUSICOTERAPIA E PSICOLOGIA

MÃES QUE CANTAM: A CANÇÃO NA RELAÇÃO DE AJUDA PARA MÃES DE BEBÊS COM SÍNDROME DE DOWN TRANSDISCIPLINARIDADE ENTRE MUSICOTERAPIA E PSICOLOGIA MÃES QUE CANTAM: A CANÇÃO NA RELAÇÃO DE AJUDA PARA MÃES DE BEBÊS COM SÍNDROME DE DOWN TRANSDISCIPLINARIDADE ENTRE MUSICOTERAPIA E PSICOLOGIA Gláucia Tomaz Marques Pereira 1 RESUMO O Projeto Mães Que Cantam,

Leia mais

INTRODUÇÃO E OBJETIVO O improviso sempre esteve presente em toda a história do jazz. Isso se dava em um

INTRODUÇÃO E OBJETIVO O improviso sempre esteve presente em toda a história do jazz. Isso se dava em um Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 1222 O JAZZ E A EDUCAÇÃO MUSICAL DO SÉCULO XX Fernando Vieira da Cruz 1, Joana Sanches Justo 2 1 Graduando do curso

Leia mais

Aulas Complementares. Música, Jogos em Movimento, Interação Ambiental e Inglês

Aulas Complementares. Música, Jogos em Movimento, Interação Ambiental e Inglês Aulas Complementares Música, Jogos em Movimento, Interação Ambiental e Inglês Música Instrumentos Experimentar e perceber o som dos instrumentos, é de grande importância na musicalização infantil. Nas

Leia mais

ESCOLA PIRLILIM / ANO 2015 PLANO DE UNIDADE PLANO DA I UNIDADE

ESCOLA PIRLILIM / ANO 2015 PLANO DE UNIDADE PLANO DA I UNIDADE ESCOLA PIRLILIM / ANO 2015 PLANO DE UNIDADE GRUPO: 7 PERÍODO: / à / ÁREA DO CONHECIMENTO: Música CARGA HORÁRIA: COMPETÊNCIAS E HABILIDADES PLANO DA I UNIDADE - Conhecer e criar novas melodias. - Desenvolver

Leia mais

AULA DE PORTUGUÊS: CRIAÇÃO DE POEMAS

AULA DE PORTUGUÊS: CRIAÇÃO DE POEMAS AULA DE PORTUGUÊS: CRIAÇÃO DE POEMAS Até onde vai a força da Motivação? Glorinha Aguiar glorinhaaguiar@uol.com.br Uma proposta criativa motivadora na sala de aula pode deixar o professor bem impressionado

Leia mais

MUSICOTERAPIA E BIOÉTICA: UM ESTUDO DA MÚSICA COMO ELEMENTO IATROGÊNICO

MUSICOTERAPIA E BIOÉTICA: UM ESTUDO DA MÚSICA COMO ELEMENTO IATROGÊNICO MUSICOTERAPIA E BIOÉTICA: UM ESTUDO DA MÚSICA COMO ELEMENTO IATROGÊNICO José Davison da Silva Júnior Leomara Craveiro de Sá RESUMO: Trata-se de uma pesquisa em desenvolvimento, vinculada a um Programa

Leia mais

Questionário Sociodemográfico e Clínico

Questionário Sociodemográfico e Clínico Questionário Sociodemográfico e Clínico dados pessoais do sujeito: data: local: contacto telef.: nome: idade: naturalidade: estado civil: S C UF D V outros: escolaridade (nº anos c/ sucesso): habilitações

Leia mais

Apostila Básica de Violão

Apostila Básica de Violão Apostila Básica de Violão Resumos para aulas MARANATA O Senhor Jesus Vem! Sumário Introdução... 2 Estrutura musical... 3 Cifras... 4 Acordes e Escalas... 4 Conhecendo o violão... 5 Enfim a prática!...

Leia mais

MOMENTOS MUSICAIS: A EXPERIÊNCIA COMO PROFESSORA EM FORMAÇÃO NO PROJETO MUSICALIZAÇÃO INFANTIL DA UFPB

MOMENTOS MUSICAIS: A EXPERIÊNCIA COMO PROFESSORA EM FORMAÇÃO NO PROJETO MUSICALIZAÇÃO INFANTIL DA UFPB MOMENTOS MUSICAIS: A EXPERIÊNCIA COMO PROFESSORA EM FORMAÇÃO NO PROJETO MUSICALIZAÇÃO INFANTIL DA UFPB SILVA 1, Ana Karenina Ferreira da Centro de Comunicação, Turismo e Artes/ Departamento de Educação

Leia mais

O KINIMBÁ, A PRIMEIRA CANÇÃO DO CICLO CINCO CANÇÕES NORDESTINAS DO FOLCLORE BRASILEIRO, HARMONIZADAS PARA CANTO E PIANO, DE ERNANI BRAGA

O KINIMBÁ, A PRIMEIRA CANÇÃO DO CICLO CINCO CANÇÕES NORDESTINAS DO FOLCLORE BRASILEIRO, HARMONIZADAS PARA CANTO E PIANO, DE ERNANI BRAGA O KINIMBÁ, A PRIMEIRA CANÇÃO DO CICLO Bacharel em Canto e licenciado em Música pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), especialista em Canção Brasileira pela Universidade do Estado de Minas Gerais

Leia mais

IV EDIPE Encontro Estadual de Didática e Prática de Ensino 2011 A IMPORTÂNCIA DAS ARTES NA FORMAÇÃO DAS CRIANÇAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL

IV EDIPE Encontro Estadual de Didática e Prática de Ensino 2011 A IMPORTÂNCIA DAS ARTES NA FORMAÇÃO DAS CRIANÇAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL A IMPORTÂNCIA DAS ARTES NA FORMAÇÃO DAS CRIANÇAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL Marília Darc Cardoso Cabral e Silva 1 Tatiane Pereira da Silva 2 RESUMO Sendo a arte uma forma do ser humano expressar seus sentimentos,

Leia mais

Michele Senra RESUMO. Palavra-chave: Inclusão. Neurodiversidade. Autismo. INTRODUÇÃO

Michele Senra RESUMO. Palavra-chave: Inclusão. Neurodiversidade. Autismo. INTRODUÇÃO Reflexões sobre a neurodiversidade, inclusão e exclusão nos sistemas educacionais do séc. XXI: uma breve discussão sobre as adaptações curriculares na inclusão de alunos com autismo em escolas regulares

Leia mais

Provas de Habilidades Específicas em Música Composição e Licenciatura

Provas de Habilidades Específicas em Música Composição e Licenciatura Provas de Habilidades Específicas em Música Composição e Licenciatura Percepção Ditado Melódico 1: Reconhecimento de notas erradas na partitura (duração da questão 01min 30s). 1. Ouviremos a seguir um

Leia mais

ENTREVISTA CONCEDIDA AO ESCRITOR FLÁVIO IZHAKI Realizada em 21.VII.08 A PROPÓSITO DE RETRATO DESNATURAL (diários 2004 a 2007) Evando Nascimento

ENTREVISTA CONCEDIDA AO ESCRITOR FLÁVIO IZHAKI Realizada em 21.VII.08 A PROPÓSITO DE RETRATO DESNATURAL (diários 2004 a 2007) Evando Nascimento ENTREVISTA CONCEDIDA AO ESCRITOR FLÁVIO IZHAKI Realizada em 21.VII.08 A PROPÓSITO DE RETRATO DESNATURAL (diários 2004 a 2007) Evando Nascimento Renomado professor universitário, autor de títulos de não

Leia mais

Musicalidade: um atributo humano

Musicalidade: um atributo humano Musicalidade: um atributo humano Marcelo S. Petraglia (Publicado originalmente no Boletim da Sociedade Antroposófica no Brasil N. 70 / 2013) Reconhece-se que o fazer musical é inerente à espécie humana.

Leia mais

Entrevistada por Maria Augusta Silva [EM 1999, NA OCASIÃO DO LANÇAMENTO DO LIVRO ROSAS DA CHINA ]

Entrevistada por Maria Augusta Silva [EM 1999, NA OCASIÃO DO LANÇAMENTO DO LIVRO ROSAS DA CHINA ] ANA MAFALDA LEITE Entrevistada por Maria Augusta Silva [EM 1999, NA OCASIÃO DO LANÇAMENTO DO LIVRO ROSAS DA CHINA ] Um dizer poético pleno. Professora e poeta luso-moçambicana encantada por Florbela Espanca,

Leia mais

PREFEITURA DO RECIFE PRONASCI GOVERNO FEDERAL

PREFEITURA DO RECIFE PRONASCI GOVERNO FEDERAL SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS E SEGURANÇA CIDADÃ PREFEITURA DO RECIFE PRONASCI GOVERNO FEDERAL RELATÓRIO DA OFICINA DE GRAFFITI NOS VIADUTOS DA CIDADE DE RECIFE/PE Períodos: Comunidade: Joana Bezerra

Leia mais

Palavras-chave: aulas coletivas; motivação; execução musical; flauta transversal; prática interpretativa.

Palavras-chave: aulas coletivas; motivação; execução musical; flauta transversal; prática interpretativa. 794 AULAS COLETIVAS DE INSTRUMENTO COMO FATOR DE MOTIVAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EXECUÇÃO MUSICAL DE FLAUTISTAS EM CURSOS DE GRADUAÇÃO. José Benedito Viana Gomes Universidade Federal do Estado do Rio

Leia mais

ANDERSON CAVALCANTE. Meu pai, meu herói

ANDERSON CAVALCANTE. Meu pai, meu herói ANDERSON CAVALCANTE Meu pai, meu herói Dedicatória Ao meu pai, Eraldo, meu herói e minha referência de vida. 5 Agradecimentos A Deus, por sempre me ajudar a cumprir minha missão. A todos os pais que são

Leia mais

2. O fato folclórico

2. O fato folclórico (...) O folclore, apesar de não percebermos, acompanha a nossa existência e tem grande influência na nossa maneira de pensar, sentir e agir. Quando crianças fomos embalados pelas cantigas de ninar e pelos

Leia mais

Competência(s) / Objetivo(s) de Aprendizagem Conhecer a vida e a obra do poeta Carlos Drummond de Andrade a partir de um documentário não tradicional;

Competência(s) / Objetivo(s) de Aprendizagem Conhecer a vida e a obra do poeta Carlos Drummond de Andrade a partir de um documentário não tradicional; Ensino Médio Cinema e Educação: O Poeta das Sete Faces Disciplinas/Áreas do Conhecimento: Língua Portuguesa; Arte; História; Sociologia; Competência(s) / Objetivo(s) de Aprendizagem Conhecer a vida e a

Leia mais