SÍTIOS DE INVESTIMENTO: UM EXAME DA UTILIDADE PARA OS INTERNAUTAS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SÍTIOS DE INVESTIMENTO: UM EXAME DA UTILIDADE PARA OS INTERNAUTAS"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS COORDENAÇÃO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO SERVIÇO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ADMINISTRAÇÃO ANDERSON RAMOM DO AMARAL LEITE SÍTIOS DE INVESTIMENTO: UM EXAME DA UTILIDADE PARA OS INTERNAUTAS TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO ÁREA: ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA João Pessoa - PB Abril 2008

2 1 ANDERSON RAMOM DO AMARAL LEITE SÍTIOS DE INVESTIMENTO: UM EXAME DA UTILIDADE PARA OS INTERNAUTAS Trabalho de Conclusão de Curso Apresentado à Coordenação do Serviço de Estágio Supervisionado em Administração, do Curso de Graduação em Administração, do Centro de Ciências Sociais Aplicadas da Universidade Federal da Paraíba, em cumprimento às Exigências para a Obtenção do Grau de Bacharel em Administração. Orientador: Prof. Dr. José Antonio R. da Silva. João Pessoa - PB Abril 2008

3 2 Ao Professor Orientador José Antonio R. da Silva Solicitamos examinar e emitir parecer no Trabalho de Conclusão de Curso do aluno Anderson Ramom do Amaral Leite. João Pessoa, 18 de Abril de Prof. Rosivaldo de Lima Lucena Coordenador do SESA Parecer do Professor Orientador:

4 3 ANDERSON RAMOM DO AMARAL LEITE SÍTIOS DE INVESTIMENTO: UM EXAME DA UTILIDADE PARA OS INTERNAUTAS Trabalho de Conclusão de Curso Aprovado em: 18 de Abril de Banca Examinadora Prof. José Antonio da Silva, Doutor Orientador Prof. Jorge Oliveira Gomes, Mestre Examinador UFPB Prof. Guilherme de A.Cavalcanti, Doutor Examinador - UFPB João Pessoa - PB Abril 2008

5 A minha mãe, por todo o sacrifício e apoio durante a odisséia para concluir minha segunda graduação longe de casa e numa instituição pública, numa época tão turbulenta como é essa em que vivemos. 4

6 5 Agradecimentos, Aos meus avós maternos, José Luciolo do Amaral e Dinorath do Amaral que sempre me apoiaram em tudo que necessitei. Ao professor José Antonio por ter aceito prontamente ao meu convite para orientar-me nesse trabalho. Ao professor Rosivaldo Lucena que sempre mostrou-se acessível e prestativo em todos os momentos de sufoco. A alguns professores que sempre me incentivaram desde criança: Nena, Kaka e a Silvia (inesquecível líder do grupo roxo e cozinheira de uma canja incrivelmente ruim). Vocês sempre acreditaram em mim, desde cedo, isso foi muito significativo. E a todas as amizades construídas durante o curso que demonstraram fraternidade sincera e companheirismo.

7 6 Leite, Anderson Ramom do Amaral. Sítios de investimentos: um exame da utilidade para os internautas f. Trabalho de conclusão da graduação em Administração pela Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, Resumo: A pesquisa tem como principal objetivo identificar e testar a utilidade e a qualidade das informações veiculadas por sítios de investimento apontando as seções e as ferramentas mais interessantes destes. Para atingir o objetivo proposto, foram selecionados e analisados sete sítios de investimento que oferecessem conteúdo diversificado e completo além de acesso gratuito ou parcialmente gratuito para os usuários. A pesquisa possui características descritiva e exploratória por não procurar mostrar relações casuais e por visar prover maior conhecimento sobre o mercado de ações assim como indicar as melhores informações e ferramentas para o internauta. A navegação pelos sítios de investimento permitiu a observação e o registro de 84 itens, organizados de acordo com a natureza dos dados; acesso, informação, material educativo, comunicação, ferramentas/serviços, tecnologia, navegabilidade e problemas. Com a popularização da internet e da negociação de ações via Home Broker da BOVESPA, muitos sítios que possuem como proposta auxiliar o internauta a conhecer e entrar no mercado de ações surgiram e, conseqüentemente, o internauta pode sentir-se bombardeado por informações. A pesquisa permitiu construir um mapa dos principais sítios disponíveis apontando os serviços e as ferramentas mais úteis aos diferentes tipos de usuários, não elegendo o melhor sítio, mas mostrando o que cada um possuía de mais útil e interessante. Palavras-chave: Administração financeira. Internauta. Mercado de ações. Sítios de investimento.

8 7 LISTA DE FIGURAS Figura 1: Funcionamento da Intermediação Financeira Figura 2: Operação no mercado a termo...24 Figura 3: Tipos de negociação de opções e direitos negociado...25 Figura 4: Comportamento de uma ação no pregão...26 Figura 5: Exemplo de pregão da BOVESPA...31 Figura 6: Ferramenta de gráficos e índices da página inicial da BOVESPA...43 Figura 7: Ferramenta de busca de empresas com ações subscritas na BOVESPA...44 Figura 8: História Interativa Como Investir em ações...47 Figura 9: Ferramentas do sítio Insidernews...49 Figura 10: Ferramenta Profit Insider...51 Figura 11: Ferramenta Painel de Mercado...53 Figura 12: Ferramenta Monitor Financeiro...54 Figura 13: Ferramenta Carteira/Portfólio...55

9 8 LISTA DE TABELAS Tabela 1 Importância do Mercado de Ações na economia Mundial...11 Tabela 2 Estrutura do Sistema Financeiro Nacional...18 Tabela 3 - Acesso aos sítios de investimentos...60 Tabela 4 Informação disponibilizada pelos sitos de investimento...61 Tabela 5 Material de aprendizagem disponibilizado nos sítios de investimento...62 Tabela 6 Canais de comunicação utilizados pelos sítios de investimento...64 Tabela 7 Ferramentas, serviços e recursos existentes nos sítios de investimento...65 Tabela 8 Tecnologias utilizadas pelos sítios de investimento...66 Tabela 9 Navegabilidade dos sítios de investimento...67 Tabela 10 Problemas encontrados durante a navegação nos sítios de investimento...68

10 9 SUMÁRIO INTRODUÇÃO Delimitação do tema e Problema de pesquisa Objetivos Objetivo Geral Objetivos específicos Justificativa FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA Ambiente Financeiro Mercados Financeiros Intermediação Financeira Estrutura do Sistema Financeiro Nacional Mercado de Ações Sociedades anônimas ou companhias Ações Mercado à vista Mercado a termo Mercado de Opções Escolas de Análises de Ações Análise fundamentalista Análise Técnica Bolsas de Valores e Sociedades Corretoras A Bolsa de Valores de São Paulo Sociedades Corretoras Internet e Sítios de Investimento A Internet Sítio Sítios de Investimento Vendors da BOVESPA METODOLOGIA DA PESQUISA Tipo de Pesquisa Definições da População e da Amostra Tipos e Fontes de Dados Instrumento de Coleta de Dados Coleta e Processamento de Dados Plano de Análise de Dados APRESENTAÇÃO E DISCUSSÃO DOS RESULTADOS SINOPSES DOS SÍTIOS DE INVESTIMENTO BOVESPA (www.bovespa.com.br) Como investir (www.comoinvestir.com.br) Portal do investidor (www.portaldoinvestidor.gov.br) Insidernews (www.insidernews.com.br)... 48

11 Infomoney (www.infomoney.com.br) ADVFN (br.advfn.com) Cedro Finances (www.cedrofinances.com.br) Análise dos Sítios Acesso Informação Material Educativo Comunicação Ferramentas, Recursos e Serviços Tecnologia Navegabilidade Problemas CONCLUSÃO Considerações Finais Limitações Contribuições do trabalho GLOSSÁRIO REFERÊNCIAS APÊNDICES ANEXOS... 84

12 11 1 INTRODUÇÃO 1.1 Delimitação do Tema e Problema de Pesquisa Quanto mais desenvolvida é uma economia, mais ativo é o seu mercado de capitais, o que se traduz em mais oportunidades para as pessoas, empresas e instituições aplicarem suas poupanças. Ao abrir seu capital, uma empresa encontra uma fonte de captação de recursos financeiros permanentes. A plena abertura de capital acontece quando a empresa lança suas ações ao público, ou seja, emite ações e as negocia nas bolsas de valores. E o investidor, ao adquirir ações, passa a ser também sócio da empresa - um acionista. Mercados de ações eficazes podem impulsionar o desenvolvimento econômico de nações, pois permitem a circulação de recursos provenientes de agentes econômicos superavitários (poupadores) para os deficitários. De posse desses recursos, as organizações deficitárias executam investimentos produtivos, criam novos empregos e possibilitam a distribuição de renda que por sua vez incentiva o consumo pela população. Tabela 1 Importância do mercado de ações na economia mundial Fonte: Federação Internacional de Bolsas de Valores, FIBV (http://www.fibv.com) e FMI (International Financial Statistics) (http://www.fibv.com). Nota: (a) Inclui a American Stock Exchange (Amex), Nasdaq e NYSE. A maioria das ações e títulos negociados na Amex pertence a pequenas e médias empresas, em contraste com as ações de grandes companhias, negociadas na NYSE.

13 12 As superações de sucessivas crises, a estabilidade econômica alcançada recentemente, e a popularização da Internet vêm contribuindo para o desenvolvimento do mercado acionário brasileiro. Há quase nove anos, especificamente em março de 1999, foi lançado pela BOVESPA o Home Broker, sistema que possibilita às pessoas de qualquer lugar do país investirem diretamente em ações com o auxílio da Internet. Antes, o acesso ao mercado de ações era restrito aos moradores dos grandes centros e aos grandes investidores. À época do seu lançamento, este foi uma inovação tecnológica sem precedentes em outros países. O sistema BOVESPA permite o envio de ordens pelo investidor diretamente ao sistema de negociação eletrônico da bolsa, através dos sítios das corretoras autorizadas a prover este serviço, sem qualquer interferência humana no processo. Recentemente uma legião de brasileiros passou a utilizar a rede mundial para comprar e vender ações pela internet, por meio do home broker da Bolsa de Valores de São Paulo. O sistema começou modestamente, com participantes, e hoje tem mais de , que respondem por 8% do volume financeiro da BOVESPA. Segundo informações da própria bolsa, 43% deles têm idade inferior a 30 anos (MING, 2007). É nesse contexto de crescimento da participação de usuários domésticos e pequenos investidores, que surgiu uma modalidade de sítios que possui como proposta o esclarecimento acerca da estrutura, funcionamento, finalidade e importância do mercado de ações; educando e proporcionando ambiente favorável para que tanto novatos quanto veteranos no mercado de ações possam decidir o que fazer com o dinheiro na hora de investir. Mas será que os sítios de investimentos disponíveis na internet brasileira atendem efetivamente todas as necessidades dos internautas ajudando-os a investir melhor? Esse trabalho pretende justamente responder a essa questão por meio de um diagnóstico dos sete principais sítios de investimentos existentes que disponibilizam acesso gratuito ou parcialmente gratuito, a saber: ADVFN, BOVESPA, Cedro Finances, Como Investir, Insider News, Infomoney e Portal do investidor.

14 Objetivos Objetivo Geral Identificar e testar a utilidade, a funcionalidade e a qualidade das informações apontando as seções e as ferramentas mais interessantes de sete sítios gratuitos, ou parcialmente gratuitos, sobre investimentos utilizados no Brasil: ADVFN, BOVESPA, Cedro Finances, Como Investir, Insider News, Infomoney e Portal do investidor, observando se estes realmente cumprem seu papel e sanam todas as necessidades dos internautas Objetivos Específicos Testar o acesso aos sítios (observando a necessidade de cadastro, facilidade de acesso e necessidade de pagamento de mensalidade); Identificar as principais ferramentas utilizadas (links, agendas de eventos, simuladores de carteiras e negócios, gráficos, personalização do ambiente, dentre outras); Observar a apresentação do conteúdo (vídeos, fotos, tabelas, animações, apresentações, desenhos, programas); Identificar as principais seções presentes nestes sítios testando sua navegabilidade (menus, busca no sítio, mapa do sítio etc.) e verificando a qualidade das informações apresentadas (fontes, confiabilidade etc.); Observar a existência e qualidade do material didático e educativo; Testar os canais de comunicação com os usuários (ICQ-MSN, , newsletter, FAQ, telefone, fax dentre outros); Descrever o funcionamento do mercado de capitais e da negociação de ações; Analisar como são aplicados os recursos (cursos, tutoriais, índices financeiros, históricos da bolsa, noticias sobre o mercado financeiro, cotações de ações, dicas de investimentos, indicações) advindos destes sítios apontando as limitações existentes.

15 Justificativa O público em geral não tem noção da estrutura, do funcionamento, da finalidade e da importância do mercado acionário. Os sítios de investimento têm como proposta permitir um maior entendimento desses aspectos como também proporcionam ambiente favorável para que os internautas novatos dêem seus primeiros passos nesse mercado. Como existem muitos sítios trabalhando com essa proposta, surgiu a necessidade de diagnosticar aqueles que realmente possuem utilidade para o internauta, seja ele iniciante ou veterano no mercado de ações. Foi através da leitura de uma reportagem sobre os recordes batidos pelo volume negociado via Home Broker no Brasil e uma análise de quatro sítios de investimento produzida pela revista Isto É dinheiro, que surgiu a idéia de realizar esse projeto, como também o interesse para seguir carreira profissional no mercado financeiro. A importância do trabalho para a comunidade acadêmica está na diminuta quantidade de pesquisas científicas sobre esse tema no Brasil, em especial no estado da Paraíba. Esta pesquisa poderá despertar interesse de alunos e professores, a criarem grupos de pesquisa ou desenvolverem novos estudos na área. Já os usuários iniciantes e pequenos investidores podem contar com material criado por meio de critérios científicos, garantindo assim a isenção e a confiabilidade das informações.

16 15 2 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA 2.1 Ambiente Financeiro Mercados Financeiros A existência de agentes econômicos com superávit em seus orçamentos e de agentes deficitários, ou com projetos de investimentos que exijam recursos acima dos disponíveis, resulta em oferta e procura de dinheiro. Nesse caso, as unidades tomadoras têm de pagar um prêmio (juros ou participação nos lucros) às unidades superavitárias, para que essas apliquem tais recursos. Do encontro dessas unidades econômicas surgem diversos mercados e diferentes configurações de prazo, do volume de recursos e forma de remuneração da liquidez. Podemos definir Mercado Financeiro como o espaço onde se produz intercâmbio de ativos e se determina seus preços. Com o avanço da informática e das telecomunicações, o fechamento de negócios por telefone, Internet, correio e fax intensificou-se, tornando o mercado financeiro mais ágil e, também, mais complexo. Espera-se que no mercado financeiro (PINHEIRO, 2007): Sejam estabelecidos contatos entre os agentes superavitários e os deficitários; Ocorra uma eficiente fixação de preços para o dinheiro e demais ativos; Haja um adequado nível de liquidez permitindo a circulação dos ativos; Os prazos e custos da intermediação do dinheiro sejam adequados ao normal funcionamento da economia. Diz-se que um mercado financeiro é eficiente e eficaz quando o funcionamento da economia ocorre de forma harmônica, tanto na distribuição quanto na operacionalização dos recursos disponíveis. Essa dinâmica é entendida por (PINHEIRO, 2007): Eficiência da distribuição quando os recursos são direcionados aos setores que oferecem maiores rendimentos ao investidor em contrapartida ao risco suportado. Eficiência operacional: quando a alocação dos recursos ocorre ao mais baixo custo.

17 16 Para o estudo do mercado financeiro Brigham e Houston (1999), afirmam que a intermediação financeira desenvolve-se de forma segmentada em mercado monetário, mercado de crédito, mercado cambial, mercado de derivativos (ativos reais) e mercado de capitais (ativos financeiros), sendo este último o foco deste trabalho. O mercado monetário envolve operações de curto e curtíssimo prazos, proporcionando um rápido controle da liquidez da economia e das taxas básicas de juros, conforme as metas estabelecidas pelas autoridades monetárias para a execução da política econômica (CIMA - UNIBB, 2005). O mercado de crédito é constituído basicamente pelos bancos comerciais e sociedades financeiras, que realizam operações de financiamento de curto e médios prazos, direcionadas aos ativos permanentes e ao capital de giro das empresas. O mercado cambial contempla as operações que envolvam a troca de moeda de um país pela de outro, com a finalidade de suportar as transações. O mercado de ativos reais diferencia-se do mercado de ativos financeiros, pois o primeiro trata de ativos tangíveis ou reais como boi, soja, café, trigo, grãos e automóveis; enquanto o outro lida com títulos de crédito ou propriedade, como ações, debêntures, notas promissórias e commercial papers. O Mercado de Ações, objeto da análise desse trabalho, é o segmento do Mercado de Capitais em que ocorre a compra e a venda de participações no capital das sociedades anônimas. Sua função básica é proporcionar liquidez aos títulos emitidos pelas companhias abertas. Os mercados primários se caracterizam pela emissão de novos títulos pelas sociedades ou pelos órgãos do governo para a captação de recursos. Podemos citar como exemplos de operações realizadas nesses mercados a Oferta Pública Inicial (IPO) e as colocações fechadas. Enquanto que nos mercados secundários, os títulos são negociados entre os próprios investidores, sem a presença da sociedade ou do órgão governamental emitente e de novos títulos (BRIGHAN; HOUSTON, 1999). Ações são títulos de renda variável, nominativos, emitidos por sociedade anônima. Uma ação representa a menor parcela em que se divide o capital social da empresa. O acionista passa a ser o dono de uma parte daquela empresa, tornando-se sócio do negócio e assumindo os riscos. As ações são negociadas em Bolsa de Valores ou em mercado de balcão organizado.

18 17 Souza Neto (2004) afirma que a ausência de mercados financeiros desenvolvidos e principalmente de mercados de capitais, provoca entre outras conseqüências, a redução do montante de capital disponível para investimento, uma vez que os recursos para a realização de grandes projetos são escassos, obrigando as empresas a financiarem seus projetos com capital próprio Intermediação Financeira Na atualidade é muito difícil imaginar o mundo sem instituições financeiras. Afinal, não é por acaso que por menor que seja uma cidade, lá estará uma agência bancária. Entre outras atribuições, esta objetiva captar e aplicar recursos na região. Assim diferentemente das casas comerciais que compram e vendem produtos e das indústrias que transformam a matéria prima nos mais diversificados produtos, o intermediário financeiro tem por finalidade o comércio do dinheiro, funcionando na intermediação daqueles que possuem capital para aplicar com aqueles que necessitam do capital para ampliar ou manter suas atividades. A figura abaixo ilustra o funcionamento da intermediação financeira. Figura 1 Funcionamento da Intermediação Financeira Fonte: Assaf Neto ( 2001) Existem os mercados pessoais e os mercados de intermediação, nos mercados financeiros. A diferença básica entre os dois é que os primeiros não admitem a figura do intermediário, as

19 18 transações financeiras (captação e aplicação) são realizadas diretamente pelos interessados (poupadores e investidores). Já os mercados de intermediação admitem a figura do intermediário financeiro, responsável pela adequação de interesses dos agentes envolvidos (LEITE, 1997) Estrutura do Sistema Financeiro Nacional O Sistema Financeiro Nacional é composto de Instituições responsáveis pela captação de recursos financeiros, pela distribuição e circulação de valores e pela regulação deste processo. A estrutura apresentada a seguir mostra os principais organismos componentes do sistema Financeiro Nacional (SFN) e suas conexões, de acordo com o Banco Central do Brasil: Tabela 2 Estrutura do Sistema Financeiro Nacional Fonte: Banco Central do Brasil (2007) Segundo Pinheiro (2007), os órgãos normativos criam as normas que orientarão o funcionamento do sistema. Suas ações são regular, controlar e exercer fiscalização sobre instituições intermediadoras, disciplinar todas as modalidades de crédito, bem como emitir títulos

20 19 e valores mobiliários. As entidades supervisoras cumprem e fazem cumprir as normas expedidas pelo sistema normativo. Os operadores executam a política de moeda e do crédito, objetivando o progresso econômico e social do país. 2.2 Mercado de Ações Sociedades anônimas ou companhias As companhias ou sociedades anônimas (S/A), segundo o direito brasileiro, possuem as seguintes características (MARTINS, 2001): são formadas no mínimo por dois acionistas, impessoalidade (visa-se o capital sem considerar qualidades ou aptidões de seus detentores), divisão do capital em ações, sempre é uma instituição comercial, geralmente são grandes empreendimentos, possuem grande influência política. As sociedades anônimas ainda podem ser fechadas ou abertas. Nas sociedades abertas a subscrição do capital é pública e indiscriminada. Enquanto que nas sociedades fechadas o lançamento das ações é feito a um grupo de pessoas previamente determinado. O nome da companhia precisa vir acompanhado, antes ou depois, da expressão Sociedade Anônima, por extenso ou abreviada (S/A), ou ainda antepondo-se a expressão Companhia ou abreviadamente (MARTINS, 2001). Em princípio a responsabilidade dos acionistas é limitada, restrita ao valor integralizado das ações subscritas por cada acionista. Entretanto, os controladores e administradores podem responder individualmente por atos dolosos praticados na gestão do empreendimento. Ao abrir seu capital, uma empresa encontra uma fonte de captação de recursos financeiros permanentes. A plena abertura de capital acontece quando a empresa lança suas ações ao público, ou seja, emite ações e as negocia nas bolsas de valores. Além de ações podem emitir partes beneficiarias, debêntures e bônus de subscrição Ações Uma ação representa a menor parcela na qual o capital social de uma S/A pode ser dividido, conferindo aos seus proprietários a qualidade de sócio e são também títulos de

21 20 propriedade. Elas podem ser classificadas, quanto à natureza dos direitos, em ordinárias ou comuns e preferenciais (FUHRER, 1998). As ordinárias ou comuns proporcionam ao acionista o direito de participar na administração da S/A, por meio de voto nas assembléias gerais, como também da eleição da diretoria e dos conselhos de administração fiscal. As ações ordinárias ainda concedem ao seu portador o direito de participar nos lucros de forma residual; a responsabilidade limitada pelo valor nominal das ações; e o poder controlador sobre a administração através do voto (LEITE, 1997). As ações preferenciais recebem essa denominação por atribuir aos seus proprietários preferência na distribuição de resultados (dividendos, juros sobre capital próprio) e no reembolso de capital (no caso de dissolução da sociedade) (UNIBB, 2006). A figura a seguir ilustra o capital de uma companhia fictícia, a Aplicar.com, dividido em ações ordinárias e preferenciais: O grande investidor, no geral, com a pretensão de participar do controle acionário da empresa, se interessa pelas ações ordinárias. Enquanto que o pequeno investidor ou especulador, se interessa pelas ações preferenciais por possuírem maior liquidez no Brasil. Os principais órgãos de uma S.A. são: 1) as assembléias de caráter ordinário, extraordinário e especial; 2) a administração, composta essencialmente pelo conselho de administração e diretorias; e 3) o conselho fiscal (FÜHRER, 1998). Atualmente, as ações são escriturais: não existe a tradição física dos certificados, todas as operações de compra e venda são controladas eletronicamente pela companhia emissora (TOLEDO FILHO, 1997). O valor de uma ação pode ser determinado sob dois aspectos: o valor de mercado ou valor econômico (o qual é determinado pela lei da oferta e demanda na bolsa ou no balcão, no caso de empresas não listadas em bolsa) e o valor patrimonial da ação, que equivale ao valor do patrimônio liquido da S.A. dividido pelo total de ações emitidas Mercado à vista Segundo a BOVESPA (1999), uma operação à vista é definida como: A compra ou venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço estabelecido em pregão. Assim, quando há a realização de um negócio, ao comprador cabe arcar com

22 21 o valor financeiro envolvido na operação, sendo que o vendedor deve fazer a entrega dos títulos-objeto da transação, nos prazos estabelecidos pela Bolsa de Valores de São Paulo - BOVESPA e pela Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia - CBLC. O objeto de negociação do mercado à vista são as ações de empresas admitidas à negociação na BOVESPA pela Comissão de valores Mobiliários (CVM) e pela própria bolsa. A realização de negócios no mercado a vista requer a intermediação de uma Sociedade Corretora que poderá executar a ordem de compra ou venda de seu cliente por meio de um de seus representantes (operadores), ou ainda autorizar seu cliente a registrar suas ordens no Sistema Eletrônico de Negociação, utilizando para isso o Home Broker da Corretora (que permite ao investidor comprar e vender ações pela internet) (BOVESPA, 2005). Atualmente, a negociação na BOVESPA é totalmente eletrônica, conta com sistemas de última geração e é uma das mais rápidas do mundo, com tempo de resposta inferior a um segundo, o que amplia e torna ainda mais seguro, ágil e transparente o mercado de capitais brasileiro. O pregão à viva voz foi utilizado na BOVESPA até 30/9/2005, quando todas as operações foram centralizadas no sistema eletrônico, que a Bolsa implementou pioneiramente no Brasil em 1972 (BOVESPA, 2008). A compra e venda de ações, via bolsas, só pode ser feita através de uma corretora de títulos e valores mobiliários. Para negociar, o investidor se cadastra em uma corretora, que emitirá um boleto com as ordens de compra e venda que o aplicador desejar. Essas ordens podem ser dos seguintes tipos (BOVESPA, 2005): A. Ordem a Mercado - o investidor especifica somente a quantidade e as características dos valores mobiliários ou direitos que deseja comprar ou vender. A Corretora deverá executar a ordem a partir do momento que recebê-la. B. Ordem Administrada - o investidor especifica somente a quantidade e as características dos valores mobiliários ou direitos que deseja comprar ou vender. A execução da ordem ficará a critério da Corretora. C. Ordem Discricionária - pessoa física ou jurídica que administra carteira de títulos e valores mobiliários ou um representante de mais de um cliente estabelecem as condições de execução da ordem. D. Ordem Limitada - a operação será executada por um preço igual ou melhor que o indicado pelo investidor.

23 22 E. Ordem On-Stop - é aquela que especifica o nível de preço a partir do qual a ordem deve ser executada. F. Ordem de Financiamento - o investidor determina uma ordem de compra ou venda de um valor mobiliário ou direito em determinado mercado e, simultaneamente, a venda ou compra do mesmo valor mobiliário ou direito no mesmo ou em outro mercado, com prazo de vencimento distinto. As empresas propiciam benefícios a seus acionistas, sob a forma de proventos (dividendos, bonificações) ou de direito de preferência na aquisição de ações (subscrição) (BOVESPA, 2005): a. Dividendo - valor representativo de parte dos lucros da empresa, que é distribuído aos acionistas, em dinheiro, por ação possuída. Por lei, no mínimo 25% do lucro líquido do exercício devem ser distribuídos entre os acionistas. b. Bonificação - ação nova, proveniente de aumento de capital por incorporação de reservas, que é distribuída, gratuitamente, aos acionistas, na proporção das originalmente possuídas. Eventualmente, a empresa pode optar por distribuir essas reservas, ou parte delas, em dinheiro, gerando o que se denomina bonificação em dinheiro. c. Direito de Subscrição - preferência de que goza o acionista para adquirir ações novas lançadas para venda pela empresa, com a finalidade de obter recursos para elevar seu capital social, na quantidade proporcional às já possuídas. O acionista poderá transferir o direito de subscrição a terceiros, por meio de venda desse direito em pregão. Sobre as operações realizadas no mercado à vista incidem a taxa de corretagem pela intermediação livremente pactuada entre o cliente e a Corretora e incidente sobre o movimento financeiro total (compras mais vendas) das ordens realizadas em nome do investidor, por uma mesma Corretora e em um mesmo pregão, os emolumentos e as taxas de liquidação. As tabelas de preços aplicadas pelas corretoras e sugeridas pela BOVESPA podem ser consultadas via sítio da BOVESPA ou ainda via corretoras diversas. Para os investidores acompanharem o mercado, a BOVESPA disponibiliza alguns índices, que são medidas compreensivas da tendência do mercado. Geralmente estes índices são compostos por uma carteira teórica representada pelas ações mais representativas dos mercados

24 23 locais, ponderadas por sua liquidez ou participação no volume negociado (XP INVESTIMENTOS, 2007). Os principais índices de mercado utilizados no país são: a. IBOVESPA Índice da Bolsa de Valores de São Paulo - é formado por uma carteira teórica de ações que, em conjunto, representam 80% o volume transacionado à vista nos 12 meses anteriores à formação da carteira. As reavaliações são feitas três vezes ao ano, nos meses de janeiro, maio e setembro para redimensionamento da carteira. b. IBX Índice Brasil mede o retorno de uma carteira teórica composta por ações de cem empresas, selecionadas entre as mais negociadas na BOVESPA, em número de negócios e volume financeiro. c. IEE Índice de Energia Elétrica acompanha o desempenho das principais empresas de energia elétrica do país. d. ITEL Índice Setorial de Telecomunicações mede o comportamento das principais empresas de telecomunicações. e. IGC Índice de Ações com Governança Coorporativa Diferenciada mede o desempenho de uma carteira teórica composta por ações de empresas que apresentam bons níveis de Governança Coorporativa. As outras bolsas de valores espalhadas pelo mundo possuem também seus próprios índices. Assim a Bolsa de Nova Yorque, tem o Dow Jones Industrial; a Bolsa de Londres, tem o FTSE 100; a de Frankfurt, Alemanha, tem o DAX; a de Tóquio, Japão, tem o Nikkei 225, e a de Buenos Aires, Argentina, tem o Merval (PINHEIRO, 2007) Mercado a termo Segundo Pinheiro (2007), no Mercado a Termo: As operações tem prazos de liquidação diferidos, mínimo de 12 dias úteis e máximo de 999 dias ocorridos, em geral, de 30, 60, 90, 120, 150 e 180 dias. É uma compra ou venda, em mercado de determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado, a contar da data de sua realização em pregão, resultando em um contrato entre as partes. Para aplicações no mercado a termo são requeridos, além do registro na Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia, um limite mínimo para a transação e depósitos de valores na CBLC tanto pelo vendedor como pelo comprador -, utilizados como margem de garantia da operação. O contrato a termo pode, ainda, ser liquidado antes do seu vencimento.

25 24 O preço a termo de um contrato é determinando, a principio, somando um custo de manutenção ou custo liquido de financiamento ao preço a vista correspondente ao momento da transação. O negócio a termo se assemelha a um negócio a vista, sendo intermediado por uma sociedade corretora. O preço a termo de uma ação resulta da adição, ao valor cotado no mercado a vista, de uma parcela correspondente aos juros que são fixados livremente em mercado, em função do prazo contratado (PINHEIRO, 2007). Para Fortuna (1995), as operações contratadas poderão ser liquidadas na data do vencimento ou em data antecipada solicitada pelo comprador (VC), pelo vendedor (VV), ou por acordo mútuo das partes (AM), sendo que o tipo de antecipação do prazo de liquidação deve ser indicado no momento de realização da operação. Caso contrário, prevalecerá o tipo AM. A principal desvantagem de um contrato a termo é que, se os preços a vista movimentamse de uma direção para outra na data de liquidação, não há forma de sair do negócio. Ambas as partes estão sujeita a perdas e ganhos potenciais, que são vinculados. A figura seguinte demonstra uma operação ocorrendo no mercado a termo: Figura 2 Operação no Mercado a Termo Fonte: Assaf Neto ( 2001) Mercado de Opções O mercado de opções confere apenas direitos para o comprador e obrigações para o vendedor de opções. Para compensar a obrigação assumida, o lançador (vendedor da opção) cobrará um prêmio do titular (comprador da opção). O pagamento do prêmio, na prática, significa

26 25 um limitador de perda. O pagador da opção, ao pagar o prêmio, está limitando sua perda a este valor. Assim, caso o preço do ativo-objeto da opção não atinja o preço previamente acordado, o comprador não irá exercer a opção e arcará com o custo correspondente ao prêmio pago (UNIBB, 2006). Pode-se dizer que as opções são contratos financeiros negociados em bolsas de valores e garantem ao seu titular o direito de comprar ou vender ativos financeiros ou mobiliários. O titular das opções possui o direito de comprar ou vender um ativo ação a um preço preestabelecido, dentro de um período especificado ou numa data, mediante o pagamento de um valor (prêmio). Em geral, os investidores que operam no mercado de opções são classificados como amantes do risco, já que se trata de um mercado altamente especulativo, o qual pode gerar ganhos ou perdas significativas. O mercado de opções também é bastante utilizado pelos investidores em busca de Hedge - que traduzido livremente do inglês significa proteção o qual permite cobertura parcial ou total de riscos assumidos em outros mercados ou investimentos (Negociação On-line - Cadernos CVM, 2004). As opções de compra, chamadas call, concedem ao titular o direito de adquirir, no futuro, um determinado ativo por um preço previamente estabelecido. Para o vendedor da opção, ao contrário, há uma obrigação futura, sempre que o comprador exercer o seu direito adquirido, de entregar os ativos negociados àquele preço. Opções de vendas, chamadas put, concedem ao titular (comprador da opção) o direito de vender no futuro um ativo por um preço estabelecido. O vendedor dessa opção, por seu lado, tem a obrigação de comprar no futuro, se exigido pelo titular da opção, os ativos objeto do contrato de opção ao preço fixado. Na figura seguinte, pode-se observar os tipos de opções e direitos negociados. Figura 3: Tipos de negociação de opções e direitos negociados Fonte: Pinheiro (2007)

27 ESCOLAS DE ANÁLISES DE AÇÕES Análise fundamentalista Investir e obter sucesso no mercado de ações é uma tarefa complicada e requer muita dedicação e esforço. Esse trabalho não pretende ensinar uma fórmula mágica de como investir, portanto o que será apresentado a seguir são técnicas de análise utilizadas por investidores com as quais decidem com níveis maiores de acertos quais ações comprar, quando comprá-las e quando vendê-las (NORONHA, 2004). Na próxima figura, é apresentado o exemplo de comportamento de uma ação da empresa fictícia Aplicar.com durante um dia de pregão, para efeito de acompanhamento registraremos a evolução dos negócios através de um gráfico em que o eixo vertical representa uma escala dos preços de negociação e o eixo horizontal a seqüência temporal dos negócios, conforme representado a seguir: Figura 4: Comportamento de uma ação no pregão Fonte: Noronha (2004) Na figura acima, deparamo-nos com o problema que todo e qualquer investidor tem, ou seja, avaliar de algum modo se o preço destas ações, agora cotadas em bolsa, está caro ou barato, se vai permanecer onde está, se vai subir ou se vai cair. Existem várias maneiras de fazer esta análise, mas duas possuem mais seguidores: a análise técnica e a análise fundamentalista.

28 27 A Escola Fundamentalista enfatiza os indicadores de desempenho da empresa, sua estratégia de vendas, o mercado onde atua, a política de dividendos, a eficiência administrativa e a solidez financeira. Enfim, centra sua análise mais na empresa e menos no preço de suas ações: o analista resume e analisa a informação, parte do passado e trata de predizer o futuro, para dar sua opinião. Por isso, investimentos com perspectiva de longo prazo, que apostam no crescimento e prosperidade da empresa, costumam privilegiar os princípios da análise fundamentalista (NORONHA, 2004) Assim, na Análise Fundamentalista três passos básicos são envolvidos (PORTAL DE BOLSA, 2000): 1. Estudo da economia; 2. Estudo do setor de atividade em que a empresa está envolvida; 3. Estudo dos indicadores (ratios) da empresa. Comecemos por avaliar o primeiro ponto. Não há nenhuma empresa que possa separar a estratégia do negócio face à envolvente macro-econômica. A evolução da inflação, do índice do desemprego, das taxas de juros, do mercado cambial são indicadores que influenciam a atividade da empresa decisivamente. E note-se que não são apenas os indicadores do país onde a empresa se insere. Com a globalização, as empresas podem ser afetadas por indicadores de outros países que se encontram a milhares de quilômetros de distância da empresa e que até podem não ter qualquer relação direta com a empresa (NORONHA, 2004). Por exemplo: caso as taxas de juros aumentem, a cotação das empresas em bolsa tenderá a diminuir, pois o endividamento das empresas tenderá a aumentar. Essa é a reação típica do mercado de capitais. Segundo ponto: o setor de atividade. A empresa pode ser bem gerida, ter ótimos indicadores (ratios), mas se a envolvente no setor de atividade for negativa, o mercado de capitais geralmente reage e penaliza a empresa em Bolsa (NORONHA, 2004). Um exemplo: a indústria tabaqueira nos Estados Unidos tem sido penalizada em Bolsa pela perspectivas de que os inúmeros processos em tribunal contra empresas do setor venham a provocar a atribuição de elevadas indenizações a pessoas que sofrem de câncer. Outro aspecto decisivo na avaliação fundamental de uma empresa é a análise dos seus indicadores (ratios). Dois dos indicadores mais estudados são o PER (Price Earning Ratio) e o EPS (Earning per Share). O primeiro é obtido dividindo a cotação do título pelo resultado líquido

29 28 por ação, que é precisamente o EPS. Na Análise Fundamentalista é habitual comparar o PER da empresa com o PER de outras empresas do mesmo setor de atividade (PINHEIRO, 2007). A maior virtude da Análise Fundamentalista é que permite avaliar corretamente qualquer título no longo prazo. Habitualmente este tipo de análise premia os investidores pacientes que escolheram o setor de atividade ou a empresa através desta análise. No entanto, esta análise peca por muitas vezes estar defasada face aos valores atuais de mercado. Uma empresa pode ter excelentes indicadores (ratios) e por razões que têm a haver somente com o momento do mercado de capitais, podem ter uma cotação que difere bastante do valor que a Análise Fundamental antevê para o título em questão (FORTUNA, 95) Análise Técnica A Análise Técnica não está preocupada em analisar os fundamentos da empresa, tal como desempenho financeiro, endividamento ou expectativa de lucros, mas seu foco está centrado no comportamento dos preços das ações. Seu princípio básico é o de que a cotação de uma ação segue padrões e tendências que se repetem, ou seja, a cotação atual de uma ação é influenciada pela média histórica de cotações, sempre observando de perto o indicador de volume. A maioria dos indicadores técnicos utiliza uma combinação de médias para seu cálculo, normalmente uma média de curto prazo e uma média de longo prazo (FORTUNA, 95). A Análise Técnica é o estudo da dinâmica do mercado através dos sinais que o próprio mercado emite. O analista técnico acredita que todos os fatores que podem influir no preço de um determinado produto são descontados pelo mercado no processo contínuo de negociação que determina este preço. O analista técnico diz que mesmo que alguém tenha conhecimento de todos os fatores fundamentais que afetam o preço de uma mercadoria tais como clima, greves, decisões políticas, fatores de demanda, etc..., ele ainda assim não terá todos os dados necessários para compreender a formação dos preços, porque não são estes dados em si que os afetam, mas sim a maneira pela qual os participantes do mercado a ele reagem (FORTUNA, 95). Segundo a análise técnica, o único local em que todos os fatores, tanto os de oferta quanto os de demanda, somado à psicologia das massas com seus medos e esperanças - assim como as suas estimativas e palpites - estão reunidos, é no próprio mercado, e que este, portanto, é que

30 29 deve ser estudado. Análise Técnica é o estudo de como os preços se movimentam, não se preocupando do porque estes se movimentam. Ela parte de três princípios (PINHEIRO, 2007): 1. a ação do mercado reflete todos os fatores envolvidos neste; 2. os preços se movimentam em tendências; 3. o futuro repete o passado. Tal como a Análise Fundamental, a Análise Técnica encerra vantagens e desvantagens. A maior vantagem é que o analista técnico só se concentra na cotação do título. Ora, se a maior preocupação é prever a evolução futura da cotação, faz todo o sentido analisar a cotação histórica. Outra vantagem prende-se com a identificação de linhas de suporte e resistência que definem limites potenciais da evolução da cotação da empresa. Finalmente, a análise técnica é ótima para decidir o momento de entrada no mercado. A maior desvantagem da análise 100% técnica é que é esquecida por completo a Análise Fundamental. As cotações, além de serem influenciadas pela sua evolução passada, são igualmente afetadas pela envolvente de mercado em que se posicionam. Outra desvantagem é que a Análise Técnica geralmente não antecipa as inversões de tendência antes que elas ocorram. De fato, só após a tendência se ter começado a desenhar é que é geralmente detectada (FORTUNA, 1995). 2.4 Bolsas de Valores e Sociedades Corretoras As bolsas de valores são associações civis, sem fins lucrativos e com funções de interesse público. Atuando como delegadas do poder público, têm ampla autonomia em sua esfera de responsabilidade. Segundo a BOVESPA: Além de seu papel básico de oferecer um mercado para a negociação dos títulos nelas registrados, orientar e fiscalizar os serviços prestados por seus membros, facilitar a divulgação constante de informações sobre as empresas e sobre os negócios que se realizam sob seu controle, as bolsas de valores propiciam liquidez às aplicações de curto e longo prazos, por intermédio de um mercado contínuo, representado por seus pregões diários. É por meio das bolsas de valores que se pode viabilizar um importante objetivo do capitalismo moderno: o estímulo à poupança do grande público e ao investimento em empresas em expansão, que, diante deste apoio, poderão assegurar as condições para seu desenvolvimento (BOVESPA, 2007).

31 A Bolsa de Valores de São Paulo Segundo o sítio da BOVESPA, as origens da bolsa remetem ao ano de1890, quando um grupo de agentes liderado por Emílio Rangel Pestana inaugura a Bolsa Livre, a qual é a semente da Bolsa de Valores de São Paulo. A Bolsa Livre é fechada já em 1891, em decorrência da política do Encilhamento. Mas em 1895 é fundada a Bolsa de Fundos Públicos de São Paulo, dando continuidade à evolução do mercado de capitais brasileiro. Nessa época, as negociações de títulos públicos e de ações de bancos e de empresas eram registradas em enormes quadros negros de pedra, para que todos pudessem acompanhar. Devido a isso, esse período inicial da história da Bolsa ficou conhecido como Idade da Pedra. A Bolsa se desenvolve e, em 1934, se instala no Palácio do Café, localizado no Pátio do Colégio. No ano seguinte, ganha o nome de Bolsa Oficial de Valores de São Paulo. Na década de 1960, com as reformas sofridas pelo sistema financeiro nacional, a Bolsa passa a assumir a característica institucional, deixando de ser subordinada ao Secretário da Fazenda do Estado, com autonomia administrativa, financeira e patrimonial. Em 1967, passa a se chamar Bolsa de Valores de São Paulo (BOVESPA, 2007). Na década de 1970, os boletos que eram utilizados para realizar as negociações são substituídos por cartões perfurados e os negócios passam ser registrados de forma eletrônica. Em 1990, são iniciadas as negociações através do Sistema de Negociação Eletrônica - CATS: Computer Assisted Trading System, que operava simultaneamente com o sistema tradicional de Pregão Viva Voz. Atualmente, a BOVESPA realiza negócios apenas no sistema eletrônico. Em 1997, é implantado um novo sistema de negociação eletrônica em substituição ao CATS, o Mega Bolsa. Além de utilizar uma plataforma tecnológica altamente avançada, o Mega Bolsa amplia o volume de processamento de informações. No fim da década de 1990, são lançados o Home Broker, que permite que o investidor, por meio do site das Corretoras, transmita sua ordem de compra ou de venda diretamente ao Sistema de Negociação da Bolsa; e o After- Market, outra inovação da BOVESPA, pioneira em termos mundiais, que oferece a sessão noturna de negociação eletrônica. Ambos os meios facilitam a participação do pequeno e médio investidor no mercado (BOVESPA, 2007). A figura 5 mostra a disposição das cabines das corretoras e dos postos de negociação da BOVESPA.

32 31 Figura 5: Exemplo de pregão da BOVESPA Fonte: Pinheiro (2007) Hoje, as negociações realizadas na BOVESPA são feitas exclusivamente por meio de seu sistema eletrônico, o que proporciona maior agilidade e segurança nas transações (BOVESPA, 2007). A Bolsa é dotada de uma base tecnológica comparável à dos mercados mais desenvolvidos do mundo e o Brasil, por sua vez, é hoje um centro de excelência em infra-estrutura do mercado financeiro e de capitais, tornando-se referência mundial. Cada vez mais, novos investidores se aventuram em aplicações de maior risco para compensar a queda dos juros. Somente na BOVESPA, mais de 150 mil pessoas, segundo dados da própria instituição, já utilizam o sistema Home Broker, que permite a negociação de ações pela internet, e junto com esse número o volume de negócios e capital envolvido também tem aumentado, chegando a quase dez por cento (10%) do volume total negociado pela bolsa. A maioria dos novatos e muitos veteranos usam a internet como principal fonte de informações antes de decidir o que fazer com o dinheiro Sociedades Corretoras As sociedades corretoras são instituições financeiras membros das bolsas de valores, devidamente credenciadas pelo Banco Central do Brasil, pela Comissão de Valores Mobiliários e pelas próprias bolsas, e estão habilitadas a negociar valores mobiliários em pregão. As corretoras

33 32 podem ser definidas como intermediárias especializadas na execução de ordens e operações por conta própria e determinadas por seus clientes, além da prestação de uma série de serviços a investidores e empresas, tais como (BOVESPA, 2007): A. diretrizes para seleção de investimentos; B. intermediação de operações de câmbio; C. assessoria a empresas na abertura de capital, emissão de debêntures e debêntures conversíveis em ações, renovação do registro de capital etc. As sociedades corretoras contribuem para um fundo de garantia, mantido pelas bolsas de valores, com o propósito de assegurar a seus clientes eventual reposição de títulos e valores negociados em pregão, e atender a outros casos previstos pela legislação. São fiscalizadas pelas bolsas de valores, representando a certeza de uma boa orientação e da melhor execução dos negócios de seus investidores. 2.5 Internet e Sítios de Investimento A Internet Em 1969, foi criada uma conexão, através de um cabo, entre dois grandes centros de Informática, leia-se dois quartéis militares americanos. Estava consumada a primeira rede de computadores. Uma rede é, simplesmente, uma conexão física e lógica entre computadores no intuito de poderem trocar informações. Essa rede foi crescendo, tomando de assalto centrais de informática de Universidades e Centros de Pesquisa do País até formar o que os americanos batizaram de ARPANET, uma rede militar e de pesquisa que atingia a maioria das Escolas e quartéis dos Estados Unidos. Nesta época, o acesso a essa rede era limitado aos professores, alguns alunos e líderes militares, cada um com seus limites bem definidos. Só que alguns rebeldes (alunos, funcionários, soldados entre outros) acabaram por se tornar conhecedores muitos bons do sistema e sabiam burlar a segurança digital e ter acesso a informações antes proibidas a eles, inclusive passariam a acessar de casa, de seus pequenos computadores TK85, CP200 e outras maquinas que hoje não parecem tão poderosas. Esses burladores viriam a se tornar o que chamamos hoje de Hackers (termo que, na verdade, significa fuçador) (WIKIPEDIA, 2008).

34 33 E a rede cresceu, se tornou popular, comercial, além de divertida, variada e, por muitas vezes, perigosa. Atualmente a Internet (Rede Internacional) atende a cerca de 400 milhões de usuários atualmente. A internet apresenta-nos uma série de serviços, como uma grande loja de departamentos, que tem de tudo para vender. Podemos usar a Rede somente para comunicação, busca de informações sobre determinado tema, assistir a filmes, xavecar, tirar extratos bancários, fazer transferências, pagar cartão de crédito, jogar uma partida de xadrez com um internauta do outro lado do mundo e negociar ações. A internet está fisicamente estruturada de forma quase centralizada. Explicando: não há um computador central na rede, não há um cérebro que a controle, mas existe uma conexão de altíssima velocidade que interliga vários centros de informática e telecomunicações de várias empresas, esta rodovia é chamada Backbone (mais ou menos como Coluna Vertebral )(SOLUÇÕES APOSTILAS, 2007) Sítio O termo site, ou sítio, nomeclatura utilizada por esse trabalho, é um conjunto de páginas Web, isto é, de hipertextos acessíveis geralmente pelo protocolo HTTP na Internet. O conjunto de todos os sítios públicos existentes compõem a World Wide Web (www). As páginas num sítio são organizadas a partir de um URL básico, onde fica a página principal, e geralmente residem no mesmo diretório de um servidor. As páginas são organizadas dentro do sítio numa hierarquia observável no URL, embora as hiperligações entre elas controlem o modo como o leitor se apercebe da estrutura global, modo esse que pode ter pouco a ver com a estrutura hierárquica dos arquivos do sítios (SOLUÇÃO APOSTILAS, 2007). Alguns sítios, ou partes de sítios, exigem uma subscrição, com o pagamento de uma taxa, por exemplo, mensal, ou então apenas um registo gratuito. Os exemplos incluem muitos sítios que fornecem dados do mercado financeiro em tempo real, como é o caso de alguns sítios pesquisados neste trabalho. Há uma discussão na internet de língua portuguesa entre usar site (difundida no Brasil, apesar de ser estrangeirismo) ou sítio, por ser de comum origem latina (sítio tem origem no latim situs: "lugar demarcado, local, posição").

35 34 O termo sítio é de uso amplamente difundido apenas em Portugal. No Brasil praticamente não é usado. Isso ocorre pela confusão com o significado de sítio no português do Brasil (propriedade rural de área modesta, frequentemente usada para lazer ou lavoura). Mesmo assim a utilização desta palavra é defendida por alguns, pois segue os padrões da língua portuguesa de pronúncia da palavra escrita e será o termo utilizado na confecção deste trabalho Sítios de Investimento Os sítios de investimento se popularizaram no Brasil, a medida que também se popularizou a internet e a negociação de ações via web (Home Broker) que inciou-se em 1999 pela BOVESPA no lançamento deste sistema. Desde então, tanto o número de usuários de Home Broker cresceu como o volume de negócios e o capital envolvido viram seus números elevaremse quase em Progressão Geométrica, saíndo da marca de pouco mais de usuários na época do lançamento para mais de até fevereiro de 2008, segundo a própria BOVESPA. Os sítios de investimentos disponibilizam conteúdo diversificado para o público em geral, de cursos introdutórios passo à passo sobre o mercado de capitais para o iniciante, passando por notícias sobre o mercado financeiro para o investidor veterano, chegando a análises gráficas complexas e simuladores de negócios para o analista profissional. Integram conteúdo, oferecendo informações e ferramentas financeiras, levando o investidor a encontrar em um único lugar todas as informações e ferramentas necessárias para compreensão do mercado, análise rápida e eficiente. A gama de informações e serviços é imensa assim como a quantidade e os tipos de sítios também. Encontramos Blogs com postagens de informações do mercado de ações em geral, como é o caso do Monitor Financeiro.Net, cuja proposta é postar noticias, resenhas, artigos e toda sorte de textos publicados em vários sítios de investimentos (corretoras, bolsas, Comissão de Valores Mobiliários, jornais econômicos, revistas) selecionando o material mais essencial para o investidor. O sítio da própria BOVESPA, dententor de um conteúdo qualificado, conta com cotações quase que instantâneas do pregão, além de gráficos e históricos de mercado. Outro sítio, o Portal do Investidor, tem seu conteúdo mais direcionado ao aprendizado sobre o funcionamento do mercado de capitais com áreas distintas para acadêmicos, investidores e pessoas juridicas.

36 35 Existe até um sítio de investimento que se comporta como um simulador de carteira de ações, para que o usuário, após cadastro, receba uma quantia de dinheiro virtual e inicie sua simulação num pregão eletrônico. Além de outros sítios já consagrados no mercado financeiro como os do jornais Valor Econômico e Gazeta Mercantil, que contam com editoriais e análises financeiras de especialistas veteranos e renomados. Como já foi citado, alguns destes sítios podem cobrar uma taxa de subscrição para se conceder acesso ao seu contúdo Vendors da BOVESPA A Bolsa de Valores de São Paulo é a principal bolsa da América Latina e, além de ser a única a negociar ações no Brasil, realiza também a negociação de títulos privados de renda fixa. Por isso, seus índices, cotações e demais informações são um instrumento de consulta muito importante no mercado acionário brasileiro. O Sinal de Informações da BOVESPA é um canal de dados que permite que os interessados recebam, em tempo real e de qualquer lugar do mundo, as informações geradas pela BOVESPA, BOVESPAFIX e SOMA, além de notícias sobre o mercado acionário brasileiro. O Sinal de Informações é fornecido aos Vendors e Corretoras BOVESPA (BOVESPA, 2008). Os Vendors distribuem dados do Sinal para investidores individuais e institucionais, interessados em acompanhar o desempenho da BOVESPA por todo o tipo de mídia eletrônica como Internet, Televisão e Terminais. As Corretoras distribuem dados do Sinal para seus clientes, dando subsídios para que estes possam realizar negócios. Alguns sítios analisados neste trabalho como o Infomoney, Cedro Finances, Investnews e o ADVFN são vendors da BOVESPA, logo alguns deles podem cobrar uma taxa para se ter acesso ilimitado a determinadas áreas e utilização da totalidade das ferramentas existentes.

37 36 3 METODOLOGIA DA PESQUISA 3.1 Tipo de Pesquisa Gil (1999) afirma que a pesquisa tem caráter pragmático, visto que é um processo formal e sistemático de desenvolvimento do método cientifico. O objetivo fundamental da pesquisa é descobrir respostas para problemas mediante o emprego do procedimento científico. A presentes pesquisa possui caracteres descritivo e exploratório. Descritivo porque através de investigação isenta de julgamentos, procura-se obter informações e descrever as características dos sítios de investimentos. No método descritivo, o pesquisador propõe descobrir e observar fenômenos, procurando descrevê-los, classificá-los e interpretá-los, sem nele interferir para modificá-los (GIL, 1999). No que se refere à natureza da pesquisa, foi utilizada a integração da abordagem quantitativa e qualitativa. A pesquisa exploratória, é realizada em área na qual há pouco conhecimento acumulado e sistematizado (VERGARA, 2004). Essa pesquisa será exploratória pois compilará o referencial teórico acerca do Mercado de Capitais e do súbito interesse, por parte do público doméstico incluído digitalmente, surgido após o início da negociação de ações através da internet, via Home Broker, em uma perspectiva de análise dos sítios que se propõem a ajudar os usuários a compreenderem o funcionamento do mercado de ações chegando até a estimulá-los a que se tornem investidores em potencial, bem como sua aplicação prática no que tange ao uso destes sites para este fim. No método descritivo, o pesquisador propõe descobrir e observar fenômenos, procurando descrevê-los, classificá-los e interpretá-los, sem nele interferir para modificá-los (GIL, 1999). No que se refere à natureza da pesquisa, foi utilizada a integração da abordagem quantitativa e qualitativa. No entendimento de autores como Gil (1999) e Richardson (1999), as pesquisas qualitativas encaixam-se perfeitamente em situações como o estudo do funcionamento de estruturas organizacionais e competitivas, sendo justamente o que os sítios desejam ser ao aproximar-se do usuário doméstico iniciante ou mesmo do investidor veterano. Para Santos (1999), a pesquisa quantitativa é aquela onde é importante a coleta e a análise quantificada dos dados, e, da quantificação, resultados automaticamente apareçam.

38 37 Um dos métodos empregado na pesquisa exploratória compreende o levantamento em fontes secundárias (documentos e estatísticas). O levantamento secundário ocorreu em sítios diversos e nos próprios sitos analisados, que podem ser considerados como documentos eletrônicos tendo em vista as formas como as informações são armazenadas e restauradas. O levantamento estatístico das informações ocorreu na BOVESPA, instituição responsável por todos os dados do sistema. Segundo Mattar (2000) em levantamentos de dados secundários, como os utilizados em pesquisas exploratórias em geral, o essencial é descobrir idéias e explicações para o fato a ser investigado posteriormente, e não tomá-lo como verdade. 3.2 Definições da População e da Amostra A população pesquisada é composta pelos sítios de investimento financeiros em mercado de capitais mais populares, qualificados, funcionais e úteis existentes na internet brasileira até fevereiro de A amostra teve como base para a seleção conhecimentos empíricos sobre o tema, análise de fontes qualificadas, navegação por vários domínios, indicações de outros usuários veteranos deste tipo de sítio por meio de fóruns ou bate-papos e, principalmente, seleção de sítios que apresentam conteúdo integrado e gratuito, com completo pacote de informações e ferramentas financeiras, uma vez que para ser bem informado o usuário, seja iniciante ou veterano no mercado de capitais, precisa ser capaz de encontrar gratuitamente em um só lugar todas as informações e ferramentas necessárias para aprender sobre o tema e fazer uma análise rápida e eficiente dos mercados. Alguns sítios, apesar de serem bastante funcionais e úteis não foram incluídos na amostra por só disponibilizarem uma única espécie de serviço, como é o caso do JovenInvest, que possui uma proposta inovadora, bem elogiada no meio virtual financeiro, com uma funcionalidade e utilidade singulares para o usuário em geral, que compreende um simulador de negócios interativo que funciona como um jogo. Outros, como é o caso do Valor Econômico, um dos líderes no ramo de noticias relacionadas a finanças e economia, com comentaristas, articulistas e profissionais gabaritados, cobra por seus serviços, fugindo do objetivo deste trabalho, que é disponibilizar informação e funcionalidade a qualquer interessado gratuitamente. A qualidade da amostra é assegurada por sítios como o da BOVESPA, pioneiro em notícias e fornecimento de dados referentes ao mercado de ações no nosso país e porta voz direto

39 38 da Bolsa de Valores de Paulo; pelo Portal do Investidor (pertencente a CVM - Comissão de Valores Mobiliários) e o Como Investir (pertencente a ANBID Associação Nacional de Bancos e Instituições Financeiras) que pertencem a instituições normativas e fiscalizadoras do Sistema Financeiro Nacional e mesmos por sítios de investimentos como o Insidernews, Infomoney, ADVFN e Cedro Finances que são vendors da BOVESPA, ou seja, pagam uma taxa a Bolsa de Valores de São Paulo para receberem informações sobre os mercados e repassarem para o público em geral. Com essa amostra nos é permitido fazer inferências precisas e eficientes. A amostragem está intimamente relacionada com a essência do processo de pesquisa descritiva por levantamentos: pesquisar apenas uma parte da população para inferir conhecimento para o todo (MATTAR, 2000). 3.3 Tipos e Fontes de Dados Antes de iniciar a coleta dos dados foi preciso identificar onde eles seriam encontrados. A maior fonte de dados da pesquisa foram os próprios sítios pesquisados (sítios de investimentos com informações financeiras e econômicas e o sítio da BOVESPA) e a observação se deu através de observações e anotações. A segunda fonte foram dados já disponíveis e coletados por sítios como o da BOVESPA, o da Comissão de Valores Mobiliários, do Banco Central do Brasil, da ANBID, além de uma bibliografia variada. Os dados coletados nos sítios selecionados são tidos como primários por não terem sidos coletados anteriormente, estando ainda em posse dos pesquisados. Eles foram obtidos diretamente pelo pesquisador por meio de instrumento desenvolvido especificamente para este fim, vide apêndice 1. Já os dados estatísticos e mesmo históricos são secundários, pois já haviam sido coletados e tabulados por instituições como a CVM, a BOVESPA, a ANBID e outros autores. 3.4 Instrumento de Coleta de Dados O instrumento utilizado para se registrar os dados obtidos na pesquisa foi administrado sob a forma de formulário que tomou como modelo um utilizado em uma pesquisa similar,

40 39 focada na negociação via Home Broker e nos sítios das corretoras de valores mobiliários, em dissertação de mestrado do ano de 2004, onde foram anotadas as observações e adaptadas para o fim dessa pesquisa. Ao todo foram 84 itens observados nos sítios de investimento, organizados em oito categorias: a) Acesso: necessidade de cadastro; acesso ao conteúdo gratuitamente; cadastro desburocrático e rápido; disponibilidade em outro idioma. b) Informação: agenda econômica atualizada; noticias; comentários; informativos conjunturais; índices financeiros; boletins econômicos; resenhas sobre o comportamento do mercado; artigos; relatórios; gráficos; newsletter; busca financeira; recomendações; sinopses setoriais; qualidade da informação; cotações; FAQ (frequently asked questions) sessão com perguntas e respostas; finanças pessoais; e históricos. c) Material de aprendizado/educativo: cursos; glossários/dicionário; cartilhas; guias; linguagem do material; agenda de cursos e eventos; publicações digitais; publicações impressas; vídeos; infográficos; tira-dúvidas online; testes de conhecimentos/quiz; e animações em flash. d) Comunicação: serviço de atendimento ao usuário; telefone; fórum; ; fax; MSN/ICQ; CHAT (bate-papo); enquetes; e Skype. e) Ferramentas/Serviços/Recursos: links utilitários; lista de corretoras (contatos); links de corretoras; simulador de custos; lista de negócios do dia; lista ações mais negociadas; listas ações em baixa, lista ações em alta; gráficos interativos; simulador de negócios; demonstrativos/balanços; recomendações de carteiras; Blooberg TV; arquivos para download; centralizador de gráficos; calculadoras; editor de gráficos; e gerador de alertas. f) Tecnologia: posição de carteiras online; cotações online; índices online, atualização automática (tempo, atraso); compatibilidade; e plataforma. g) Navegabilidade: layout amigável; menus; tutorial de navegação/recursos; personalização do ambiente; facilidade de alternância de seções; mapa do site; demonstração de navegação no site; e busca no site. h) Problemas: travamento em algumas páginas; necessidade de download de softwares para prosseguir navegação; servidor indisponível; atualização falha;

41 40 canais de comunicação deficientes; cadastro deficiente; e falha na transmissão de dados. 3.5 Coleta e Processamento de Dados Antes de iniciar a coleta propriamente dita, se fez necessário o cadastramento em alguns sítios de investimentos componentes da amostra, de forma a permitir o livre acesso a todas as áreas. Os sítios nos quais, para se ter acesso ao conteúdo foi exigido o pagamento de alguma taxa ou assinatura, foram excluídos da amostra, uma vez que essa pesquisa pretende atender ao público em geral que manifeste desejo ou necessidade em aprender sobre o mercado de ações, portanto esse tipo de procedimento exclui aqueles que não podem pagar ou mesmo que não queiram ter ônus para obtenção de informação. As dúvidas e os itens não encontrados eram solucionados através de canais de atendimento, como o Guia Online do sítio da BOVESPA no qual a dúvida é enviada via ou ainda mediante chat (bate-papo) existente no sítio Insidernews onde investidores novatos e veteranos, analistas, acadêmicos ou mesmo curiosos trocam informações e esclarecem dúvidas diversas sobre o mercado de capitais. O processamento dos formulários originou dois produtos. O primeiro consiste em uma sinopse para cada sítio de investimento contendo dados gerais, histórico, produtos, serviços e destaques positivos e negativos. O segundo consiste em um mapa onde constam os sítios de investimento nas colunas e as variáveis nas linhas, organizadas por categoria da mesma forma que os formulários. Desta forma os dados foram consolidados e permitiram a realização de análises, comparações e interpretações. 3.6 Plano de Análise de Dados Roesh (1996) explica que na pesquisa de caráter quantitativo (...) a coleta antecede a análise, ao contrário da pesquisa qualitativa, em que ambos os processos se combinam (...). O método de análise utilizado nos dados coletados junto aos sítios de investimento foi a análise de conteúdo. Mister se faz ressaltar que esta pesquisa não teve como objetivo apontar o

42 41 melhor sítio de investimento, mas compará-los com o intuito de identificar as características, os diferenciais, as estratégias e os serviços oferecidos. Os métodos de análise utilizados nos dados coletados nos sítios de investimentos, como o da própria BOVESPA ou a bibliografia consultada, referentes a dados sobre o mercado de capitais foram o descritivo e o de correlação.

43 42 4 APRESENTAÇÃO E DISCUSSÃO DOS RESULTADOS 4.1 Sinopses dos Sítios de Investimento BOVESPA (www.bovespa.com.br) A BOVESPA é o maior centro de negociação com ações da América Latina, concentrando cerca de 70% do volume de negócios realizados na região e é o único centro de negociação de ações no Brasil (BOVESPA, 2008). Ao longo de sua história, a BOVESPA passou por mudanças para aperfeiçoar sua estrutura, com o seu sítio não poderia ser diferente. O acesso ao sítio da BOVESPA é totalmente livre, sem pagamento de taxa ou necessidade de cadastro, a não ser que o usuário deseje receber newsletter em seu , neste caso precisará efetuar um rápido e descomplicado cadastramento do para o qual os arquivos devem ser enviados. O layout é amigável, facilitando a navegação, os menus são apresentados tanto na horizontal (principais) quanto na vertical, as linguagens utilizadas são asp e Java (o computador precisa ter suporte para Java) e se mostrou compatível com os navegadores utilizados na pesquisa - Internet Explorer e Mozilla FireFox sendo também os mais utilizados. O mapa do sítio nos fornece todas as sessões disponíveis dispostas em menu vertical. O escopo de informações contidas no sítio da bolsa bastante amplo, encontramos desde noticias atualizadas em tempo real dos últimos fatos ocorridos no mercado até uma busca classificatória de noticias pelo período que foram publicadas ou mesmo uma busca por palavras chaves onde podemos buscar noticias de determinada empresa por exemplo. Uma nova ferramenta foi colocada a disposição daqueles que desejam receber noticias sem necessariamente acessarem ao sítio da bolsa, chama-se RSS (Really Simple Syndication) definida como uma forma simples e prática de receber notícias de diversos sites a medida que estes são atualizados (BOVESPA, 2008). Com esta ferramenta, que funciona mediante instalação de um leitor de RSS (programa agregador) no computador do usuário conectado a internet, recebe-se noticias a medidas que estas são postadas no sítio da BOVESPA. O sítio ainda apresenta agenda econômica atualizada (apresentando fatos relevantes sobre as empresas subscritas na bolsa e a conjuntura político-econômica), comentários de articulistas sobre o cenário político-financeiro (publicados anteriormente em edições da Revista da Bolsa), informativos conjunturais, cotações em tempo

44 43 real com atraso de 15 minutos, lista de negócios do dia, índices, boletins econômicos, artigos, relatórios (empresas, setores, conjuntura econômica e análise técnica), históricos, etc. Gráficos dos principais índices da BOVESPA também são fornecidos logo na página inicial do sítio, como percebemos na figura abaixo: Figura 6: Ferramenta de gráficos e índices da página inicial da BOVESPA Fonte: Sítio da BOVESPA (www.bovespa.com.br) Por meio dessa ferramenta podemos fazer uma breve leitura acerca dos índices apresentados, como a quantidade de pontos alcançados durante o pregão do dia (abertura, média, máximo, mínimo), a situação na qual a bolsa fechou (neste caso em queda de 3,46%), a data, o horário, além das cotações das ações na barra preta movendo-se da direita para a esquerda. A atualização gráfica é manual e ocorre ao pressionarmos com o mouse o botão atualizar, com um atraso de 15 minutos em relação à Bolsa de Valores de São Paulo. A ferramenta de busca do sítio é extremamente ágil e avançada, permitindo procurar por qualquer tipo de informação classificando-a por período, tipo de ativo, categoria, dentre outros. Abaixo é apresentada a ferramenta de busca de informações de empresas cujas ações são negociadas na BOVESPA, lembrando que a qualidade da informação prestada é de alto nível e extremamente confiável, pois essa instituição é responsável, juntamente com a Comissão de

45 44 Valores Mobiliários, por fiscalizar as empresas que subscrevem ações para negociação nos mercados primários e secundários do Brasil. Figura 7: Ferramenta de busca de empresas com ações subscritas na BOVESPA Fonte: Sítio da BOVESPA (www.bovespa.com.br) A seção de cunho educativo disponibiliza cursos para iniciantes com uma linguagem muito acessível, possui guias on-line (que orientam o estudo durante a navegação), apresenta infográficos (mini-apresentações interativas com animações e conteúdo dinâmico), vídeos explicativos, cartilhas, publicações digitais (disponíveis em PDF para download gratuito) e impressas, glossários de termos técnicos e agenda de cursos e eventos. Ainda disponibiliza um tira dúvidas on-line, por meio do qual é possível enviar qualquer questionamento a medida que se navega no módulo explicativo sobre o mercado de ações e obter uma resposta quase que instantânea. No quesito comunicação, o sítio possui um serviço de atendimento ao usuário composto de telefone com discagem gratuita, FAX, e ainda FAQ (frequently asked questions) seção de perguntas e respostas. Quanto às corretoras, o sítio da BOVESPA foi o único, dentre os analisados na pesquisa, que exibe lista completa das corretoras disponíveis no mercado com

46 45 endereço, números de telefone e FAX além dos respectivos links para os sítios das mesmas. Ainda apresenta links utilitários para sítios como o da Comissão de Valores Mobiliários, Câmara de Liquidação e Custódia, Ministério da Fazenda, dentre outros. Uma ferramenta bem educativa e interativa é o Simulado Folha Invest, que é um simulador de negócios que oferece aos participantes a oportunidade de conhecer o mercado de ações na prática. Para viabilizar o Folha Invest em Ação, a BOVESPA oferece todo o suporte operacional e apoio técnico quanto à elaboração das regras de funcionamento, além de acompanhamento e supervisão. O objetivo é proporcionar ao público em geral familiarização e conhecimentos básicos sobre o mercado de ações no Brasil, permitindo vivenciar o dia-a-dia das operações em bolsa de valores (BOVESPA, 2008). Por meio de aplicações virtuais, os participantes podem testar seus conhecimentos para avaliar as empresas cotadas em bolsa. Cada um recebe, ao se inscrever, um capital fictício de R$ 100 mil e mais 15 ações com melhor liquidez no pregão, visando obter a melhor rentabilidade de sua carteira, em cada período, executando operações de compra e venda de ações. Em suma: i) o sítio apresenta conteúdo informativo qualificado o suficiente para se dar os primeiros passos no mercado de capitais além de um conteúdo vasto para o investidor veterano; ii) possui um ótimo canal de comunicação; iii) destaque para o simulador de negócios Folha Invest, que permite ao usuário aprender de maneira dinâmica o funcionamento do mercado o Guia on-line de mercado com tira dúvidas em tempo real; iv) apesar do grande volume e da qualidade de informações apresenta poucas ferramentas utilitárias como calculadoras cambiais ou centralizadores de gráficos e cotações Como investir (www.comoinvestir.com.br) Pertencente à Associação Nacional de Bancos de Investimentos (ANBID), o sítio institucional Como Investir possui uma abordagem quase que totalmente educativa. Seu acesso se dá sem necessidade de qualquer cadastro e o conteúdo é totalmente livre, apresentando compatibilidade com os dois navegadores utilizados na pesquisa. No quesito informação, apesar da qualidade e confiabilidade do que é publicado em vista da sua fonte, a ANBID, o sítio peca por assumir uma linha editorial institucional, ou seja, dar ênfase a cobertura de noticias referentes aos normativos expedidos por essa instituição, ações do

47 46 Governo Federal no campo econômico-financeiro, diretrizes do Banco Central e da Comissão de Valores Mobiliários, mudanças na legislação do mercado de capitais, etc. Portanto para o usuário veterano no mercado de capitais, essas informações podem não possuir muita utilidade. Ainda encontramos boletins econômicos, resenhas sobre o comportamento do mercado e artigos assinados por integrantes da ANBID. Envia Newsletter mediante cadastro rápido e descomplicado de . No quesito aprendizagem, encontramos guias, infográficos e glossário sobre termos financeiros com uma linguagem bastante acessível, ideal para iniciantes. Quanto ao atendimento ao usuário, pode-se manter contato via telefone, FAX, além de enquetes sobre assuntos financeiros diversos das quais qualquer usuário pode participar. Quanto as ferramentas e recursos existentes, o sítio só conta com links utilitários, destes a maioria referem-se à órgãos normativos do Sistema Financeiro Nacional, pecando em não possuir qualquer ferramenta financeira utilitária e também por não utilizar nenhuma tecnologia para apresentações de cotações on-line ou posição de índices on-line, utilizando como plataforma uma das linguagens de programação de páginas de internet mais simples, a.net. No quesito navegabilidade, possui um layout agradável que facilita na alternância de sessões, mapa do sítio e não apresentou qualquer problema no carregamento das páginas nem houve necessidade de download de programa para se navegar. Ainda possui uma busca avançada, na qual podemos encontrar as noticias, artigos ou mesmo consultar qualquer item publicado anteriormente no sítio por meio de palavras-chave. Por fim: i) sítio leve (plataforma.net) com uma navegabilidade muito boa; ii) peca por não apresentar qualquer tipo de ferramenta utilitária; iii) o material educativo é bastante didático porém pouco volumoso; iv) sítio para iniciantes, veteranos não encontram utilidade em seu conteúdo Portal do investidor (www.portaldoinvestidor.gov.br) Lançado em junho de 2007 pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM), o portal do investidor fornece acesso livre ao seu conteúdo mediante cadastro rápido e desburocrático. Na categoria informação, o sítio é limitado não fornecendo noticias sobre o mercado de capitais ou de contextualização econômica. Apresenta índices financeiros e cotações on-line,

48 47 artigos, gráficos simples (não comparativos), newsletter além de sessão com perguntas e respostas (FAQ). No quesito aprendizagem, se destacou por possuir amplo material didático disponível para usuários iniciantes e avançados composto por cursos, glossário de termos econômico-financeiros, agenda de cursos e eventos, publicações digitais disponíveis para download gratuito, cartilhas, guias, testes de conhecimento, animações, vídeos e infográficos. Todo o material apresenta fácil manuseio e boa navegabilidade além de possuir o respaldo da CVM. Na figura 8, é apresentada uma das animações disponíveis no sítio que explicam o procedimento a ser tomado para investir em ações. Figura 8: História Interativa Como Investir em ações Fonte: Portal do investidor (www.portaldoinvestidor.gov.br) Possui serviço de atendimento ao usuário funcionando somente via e suas ferramentas se limitam apenas a links utilitários, gráficos interativos e sessão de arquivos para download (no caso as publicações educativas digitais). Quanto à tecnologia, exibe índices e cotações on-line com atraso (delay) de 15 minutos em relação ao pregão da Bolsa de Valores de São Paulo, trabalhando em plataforma Asp e Java. Possui uma navegabilidade excelente com menus verticais e horizontais, busca avançada no sítio, onde é possível encontrar qualquer material publicado por palavras-chave, data da

49 48 publicação, por setor ou até por empresa. Apesar da alternância entre as sessões do sítio ser um pouco confusa, existe um tutorial de navegação que consegue transpor esse obstáculo. Alguns problemas foram encontrados durante a navegação como servidor indisponível além de, no preenchimento do cadastro, ter ocorrido falha na transmissão de informações para o cadastrado, sendo necessário requisitar novo envio de dados. Em suma, o sítio é educativo, didático e esclarecedor; possui excelente material de aprendizagem e informações respaldadas pela CVM; peca por não apresentar maior volume de conteúdo informativo referente ao contexto econômico (como artigos, análises setoriais ou boletins econômicos), sendo mais útil aos usuários iniciantes e intermediários Insidernews (www.insidernews.com.br) Interativo e dinâmico são dois adjetivos que podem ser utilizados para qualificar o sítio Insidernews. Para se acessar ao conteúdo completo e aos recursos existentes faz-se necessário efetuar um cadastro descomplicado. Quanto à informação o sítio é muito bem servido: possui agenda econômica atualizada, noticias atualizadas em tempo real, boletins econômico-financeiros, índices e cotações on-line, gráficos comparativos, resenhas sobre o comportamento do mercado e newsletter. Na figura 9, podemos acompanhar a tela inicial do sítio. Note que as noticias são exibidas por meio do Centralizador de Noticias, ferramenta na qual são exibidas as noticias mais atualizadas sobre o mercado financeiro, além de o internauta ter a oportunidade de indicar uma noticia que tenha avistado em outro sítio e que ainda não esteja sendo exibida no Insidernews, postando o link de onde foi publicada. O mesmo procedimento pode ser realizado pelo internauta na ferramenta Agenda do Investidor, com informações sobre eventos que influenciam o mercado financeiro. Observa-se também que gráficos dos principais índices são exibidos ao mesmo tempo, permitindo-se realizar análises comparativas, além de se ter a opção de escolher entre gráficos comparativos dos principais ativos negociados na BOVESPA ou ainda de índices futuros.

50 49 Figura 9: Ferramentas Centralizador de Noticias, Agenda do investidor, Bate papo e gráficos com variações de índices financeiros do sítio Insidernews Fonte: Sítio Insidernews (www.insidernews.com.br) No quesito comunicação com o usuário, existe um para responder as dúvidas dos navegantes, contudo o que chama mais atenção é o chat (bate-papo) presente na página inicial, como pode ser observado na figura anterior, por sinal foi o único dentre os sítios estudados que apresentou essa ferramenta. O chat funciona 24 horas por dia, todos os dias da semana, onde qualquer usuário, mesmo não cadastrado no sítio, escolhe um apelido e inicia um papo com outros usuários compartilhando informações, dúvidas, fatos, experiências, enfim, um espaço aberto para discussão de nível entre novatos, veteranos e curiosos. O destaque vai para as discussões que ocorrem no horário do pregão da BOVESPA, os participantes do chat assemelham-se à narradores de futebol, só que em vez de narrar os gols do gramado, narram as altas e baixas das ações: cada passo que elas vão tomando é noticiado, índices e cotações acompanhados, são relatados fatos anteriores ocorridos com papéis, faz-se previsões sobre o futuro do mercado, enfim, é um bate-papo dinâmico e esclarecedor. Para os aprendizes, conta com cursos, cartilhas, guias, vídeos, publicações digitais, tudo em linguagem acessível ou técnica. Existe uma área específica onde os usuários podem indicar links e compartilhar arquivos ou publicações digitais, é o Banco de Downloads, onde são

51 50 postados os links para o download de arquivos diversos (apostilas, guias, cartilhas, livros, apresentações) sobre o mercado financeiro em geral, muitos publicados pelos próprios usuários ou visitantes em sítios de compartilhamento de arquivos como o 4shared. O layout é agradável e facilita a navegação, contando com menus verticais. Dentre os serviços prestados estão a listagem dos negócios do dia como também das ações mais negociadas. Conta ainda com links utilitários, com sessão que exibe on-line a Bloomberg TV via streming (a medida que os dados chegam ao computador o vídeo é exibido no player em tempo real) e com outro grande destaque do sítio, uma ferramenta muito útil para usuários veteranos e mais experientes: uma espécie de centralizador gráfico e informativo chamado Profit Insider (vide figura na próxima página). Essa ferramenta exibe, com interatividade, uma série de gráficos contendo cotações, índices, indicadores dos principais ativos e uma série de outras informações agrupadas em uma única janela que funciona em plataforma Java. Tudo on-line com atualização (refresh) automática permitindo uma análise comparativa e detalhada do mercado em tempo real. É importante ressaltar que essa ferramenta realiza mais funções que apenas as de um centralizador gráfico, exibindo informações sobre índices, cotações e noticias diversas, sendo carregado mediante uma nova janela que se abre à frente da janela principal do sítio, portanto o usuário não precisa sair chat, presente na página principal do sítio, para acompanhar detalhadamente o andamento do mercado apresentado no Profit Insider podendo continuar com seu papo sobre o jogo de ações.

52 51 Figura 10: Ferramenta Profit Insider Fonte: Sítio Insidernews (www.insidernews.com.br) Em suma: i) o sítio possui uma navegação interativa e dinâmica; ii) o chat oferece oportunidade de tirar dúvidas e compartilhamento de experiências de qualquer nível com todo tipo de usuário; iii) os internautas podem ajudar a construir e melhorar o sítio mediante indicações de noticias e arquivos para download; iv) a ferramenta Profit Insider tem uma utilidade sem precedentes para usuários avançados pela gama de recursos que possui; v) as ferramentas existentes facilitam o acompanhamento e análise das principais tendências de mercado, permitindo que o usuário tome decisões sobre o investimento a ser feito; vi) possui um variado material educativo para iniciantes Infomoney (www.infomoney.com.br) A InfoMoney é uma empresa independente, não vinculada ou associada a nenhuma corretora ou instituição financeira (Infomoney, 2007). Para se acessar ao conteúdo completo é necessário um cadastro longo e detalhado, que se estende através de questionário enfadonho.

53 52 No item informação, o sítio é bem completo contando com agenda econômica atualizada, noticias em tempo real classificadas (facilitando no momento da busca), comentários e artigos escritos por articulistas do sítio que possuem experiência no mercado de capitais, boletins econômicos, resenhas sobre o comportamento do mercado, relatórios (classificados por empresa, setor, conjuntura econômica e análise técnica), gráficos (simples e comparativos), índices e cotações on-line, busca financeira (índices, históricos, cotações, relatórios), recomendações de investimentos, dicas sobre finanças pessoais e Newsletter (mediante aceitação de recebimento via no ato do cadastro). Na categoria aprendizagem, conta com guias, glossário de termos econômicos e vídeos, tudo em linguagem acessível ou técnica. Uma ferramenta interativa e educativa que merece destaque é o Teste de Conhecimento (Quiz), uma espécie de jogo de perguntas no qual o usuário vai pontuando à medida que responde corretamente a questionamentos sobre o mercado de capitais, com direito a consultar o glossário de termos econômicos ou mesmo os guias sobre o mercado de capitais presentes no sítio. No quesito comunicação, o sítio conta com para atendimento a dúvidas dos usuários, com fórum para discussão e enquetes (onde os internautas opinam sobre questionamentos referentes ao mercado de capitais levantados pelo sítio para, depois, suas opiniões serem computadas e exibidas para que todos os visitantes observem as porcentagens calculadas). Esses dois últimos itens revestem o sítio de muita interatividade, pois permitem aos navegantes publicar suas opiniões ou mesmo criar discussões diversas. Quanto às ferramentas disponíveis no sítio, o destaque fica para o Painel de Mercado, como pode-se observar na figura 11. Trata-se de uma ferramenta que funciona em plataforma Java que conta com gráficos, lista de ações que sofreram altas e baixas, lista dos negócios e do volume negociado, noticias publicadas on-line, indicadores diversos, busca de ativos onde é dado um histórico sobre o comportamento da ação (preço mínimo, máximo, médio, volume negociado, quantidade de negócios, valor de abertura e fechamento), contudo, a atualização dessa ferramenta é manual devendo-se clicar no botão atualizar (canto superior esquerdo) para que o conteúdo exibido seja atualizado sem atraso (delay), segundo o sítio. Conta com calculadoras de câmbio e simulador de carteiras para simular investimentos.

54 53 Figura 11: Ferramenta Painel de Mercado Fonte: Sítio Infomoney (www.infomoney.com.br) Quanto à navegabilidade, o layout é agradável e moderno com menus horizontais e verticais, contudo a alternância de sessões do sítio não é simples, deixando o navegante um pouco confuso em alguns momentos. Para sanar esse problema, o mapa do sítio ajuda a localizar itens e sessões de maneira mais ágil, contando ainda com uma ferramenta de busca avançada e demonstração de navegação no sítio. Pode haver a necessidade de baixar plugin Java para aplicações realizadas pela ferramenta Painel de Mercado. Em suma: i) o sítio é completo é conciso; ii) apresenta análises e conseqüências sobre fatos e eventos ocorridos no mercado, integrando análise de mercado e noticias; iii) destaque para a ferramenta Painel de Mercado, que facilita o acompanhamento e análise das principais tendências de mercado, permitindo tomadas de decisão mais precisas; iv) integra ferramentas e informações úteis a usuários iniciantes e avançados.

55 ADVFN (br.advfn.com) O ADVFN (Advanced Financial Network), é um sítio financeiro que iniciou sua operações inicialmente em Londres no ano de 1999 e hoje atua em vários países, estando estabelecido na cidade de São Paulo desde 2006 (ADVFN, 2008). Este sítio apresenta uma particularidade em relação aos demais analisados neste estudo: é parcialmente gratuito, uma vez que faz-se necessário assinar um pacote de serviços para se obter acesso por tempo ilimitado a algumas ferramentas que funcionam em tempo real de atualização durante o horário em que o pregão da BOVESPA acontece. Com o cadastro gratuito, um pouco burocrático, é possível ao usuário acessar todas as sessões existentes, contudo algumas, como é o caso da Ferramenta Monitor Financeiro, só mantêm-se ativas por cerca de 25 segundos (quando acessadas durante o pregão da BOVESPA), depois é desativada e pede-se que se assine um pacote para se acessar o conteúdo por tempo ilimitado ou apenas que retorne a página anterior para se acessar por mais 25 segundos. Ao término do pregão da BOVESPA, essa ferramenta fica livre para ser acessada por qualquer usuário por tempo ilimitado uma vez que as cotações e índices são referentes ao horário de fechamento do pregão e não mais atualizadas em tempo real. Figura 12: Ferramenta Monitor Financeiro Fonte: Sítio ADVFN (www.br.advfn.com)

56 55 Na figura anterior podemos acompanhar a Ferramenta Monitor Financeiro. Observe que as cotações são apresentadas em tempo real durante o pregão da BOVESPA, com a opção de se escolher quais índices e ativos desejam-se analisar, podendo ainda classificá-los por ordem de exibição na janela como o usuário preferir. O sítio ainda conta com gráficos e outras informações referentes a papéis específicos na aba microscópico, além de noticias (com opção classificação por período de publicação) e opções configuráveis de impressão. O editor gráfico é uma outra ferramenta interativa e útil, especialmente para os usuários avançados, pois exibe um gráfico interativo (com o qual pode-se manipular com o cursor do mouse ou as setas do teclado) da carteira (ativo) que for requisitado e permite copiá-lo como figura para usá-lo onde o usuário bem entender. Pode-se ainda construir o gráfico da maneira que o usuário preferir para facilitar sua análise (candles, barras, linhas) fazendo marcações gráficas diversas com círculos e/ou retas. Com a ferramenta Carteira/Portfólio, uma espécie de simulador de carteiras, é possível criar um portfólio hipotético e realizar simulações de negócios como compra e venda de ações além de outros investimentos, calculando custos, criando gráficos e realizando análises dos investimentos simulados. Acompanhe na figura abaixo o layout dessa ferramenta. Figura 13: Ferramenta Carteira/Portfólio Fonte: Sítio ADVFN (www.br.advfn.com)

COMPRAR E VENDER AÇÕES MERCADO A VISTA

COMPRAR E VENDER AÇÕES MERCADO A VISTA COMPRAR E VENDER AÇÕES MERCADO A VISTA ATENÇÃO ESTE FOLHETO FAZ REFERÊNCIA AO PREGÃO À VIVA VOZ, FORMA DE NEGOCIAÇÃO UTILIZADA ATÉ 30/9/2005. A PARTIR DESSA DATA, TODAS AS OPERAÇÕES FORAM CENTRALIZADAS

Leia mais

COMPRAR E VENDER AÇÕES MERCADO A VISTA

COMPRAR E VENDER AÇÕES MERCADO A VISTA COMPRAR E VENDER AÇÕES MERCADO A VISTA ATENÇÃO Este texto não é uma recomendação de investimento. Para mais esclarecimentos, sugerimos a leitura de outros folhetos editados pela BOVESPA. Procure sua Corretora.

Leia mais

Holding (empresa) - aquela que possui, como atividade principal, participação acionária em uma ou mais empresas.

Holding (empresa) - aquela que possui, como atividade principal, participação acionária em uma ou mais empresas. Glossário de A a Z A Ação - título negociável, que representa a menor parcela em que se divide o capital de uma sociedade anônima. Ação listada em Bolsa - ação negociada no pregão de uma Bolsa de Valores.

Leia mais

Mercado de Ações O que são ações? Ação é um pedacinho de uma empresa Com um ou mais pedacinhos da empresa, você se torna sócio dela Sendo mais formal, podemos definir ações como títulos nominativos negociáveis

Leia mais

Mercado de capitais. Mercado Financeiro - Prof. Marco Arbex. Mercado de capitais. Comissão de Valores Mobiliários. Comissão de Valores Mobiliários

Mercado de capitais. Mercado Financeiro - Prof. Marco Arbex. Mercado de capitais. Comissão de Valores Mobiliários. Comissão de Valores Mobiliários Mercado de capitais Mercado de capitais Prof. Ms. Marco A. Arbex marco.arbex@live.estacio.br www.marcoarbex.wordpress.com O mercado de capitais está estruturado para suprir as necessidades de investimento

Leia mais

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS: - - - - - - MERCADO DE CAPITAIS

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS: - - - - - - MERCADO DE CAPITAIS CONHECIMENTOS BANCÁRIOS: - - - - - - MERCADO DE CAPITAIS Prof.Nelson Guerra Ano 2012 www.concursocec.com.br MERCADO DE CAPITAIS É um sistema de distribuição de valores mobiliários, que tem o propósito

Leia mais

Administração Financeira e Orçamentária I

Administração Financeira e Orçamentária I Administração Financeira e Orçamentária I Sistema Financeiro Brasileiro AFO 1 Conteúdo Instituições e Mercados Financeiros Principais Mercados Financeiros Sistema Financeiro Nacional Ações e Debêntures

Leia mais

Conhecimentos Bancários. Item 3.5.4 - Mercado de Capitais

Conhecimentos Bancários. Item 3.5.4 - Mercado de Capitais Conhecimentos Bancários Item 3.5.4 - Mercado de Capitais Conhecimentos Bancários Item 3.5.4 - Mercado de Capitais Sistema de distribuição de valores mobiliários, que tem o objetivo de proporcionar liquidez

Leia mais

MERCADO À VISTA. As ações, ordinárias ou preferenciais, são sempre nominativas, originando-se do fato a notação ON ou PN depois do nome da empresa.

MERCADO À VISTA. As ações, ordinárias ou preferenciais, são sempre nominativas, originando-se do fato a notação ON ou PN depois do nome da empresa. MERCADO À VISTA OPERAÇÃO À VISTA É a compra ou venda de uma determinada quantidade de ações. Quando há a realização do negócio, o comprador realiza o pagamento e o vendedor entrega as ações objeto da transação,

Leia mais

Concurso 2011. Prof. Cid Roberto. As bolsas de valores são instituições administradoras de mercados. prof.bancario@gmail.com

Concurso 2011. Prof. Cid Roberto. As bolsas de valores são instituições administradoras de mercados. prof.bancario@gmail.com Concurso 2011 Prof. Cid Roberto prof.bancario@gmail.com Bolsa de Valores As bolsas de valores são instituições administradoras de mercados. Comunidade Conhecimentos Bancários (orkut) 8ª aula Início da

Leia mais

Empresas de Capital Fechado, ou companhias fechadas, são aquelas que não podem negociar valores mobiliários no mercado.

Empresas de Capital Fechado, ou companhias fechadas, são aquelas que não podem negociar valores mobiliários no mercado. A Ação Os títulos negociáveis em Bolsa (ou no Mercado de Balcão, que é aquele em que as operações de compra e venda são fechadas via telefone ou por meio de um sistema eletrônico de negociação, e onde

Leia mais

O QUE É A CVM? II - a negociação e intermediação no mercado de valores mobiliários;

O QUE É A CVM? II - a negociação e intermediação no mercado de valores mobiliários; O QUE É A CVM? A CVM - Comissão de Valores Mobiliários é uma entidade autárquica em regime especial, vinculada ao Ministério da Fazenda, com personalidade jurídica e patrimônio próprios, dotada de autoridade

Leia mais

Relações Internacionais. Finanças Internacionais

Relações Internacionais. Finanças Internacionais Relações Internacionais Finanças Internacionais Prof. Dr. Eduardo Senra Coutinho Tópico 1: Sistema Financeiro Nacional ASSAF NETO, A. Mercado financeiro. 8ª. Ed. São Paulo: Atlas, 2008. Capítulo 3 (até

Leia mais

Aprenda a investir na Bolsa de Valores

Aprenda a investir na Bolsa de Valores Aprenda a investir na Bolsa de Valores Investimento: Curso completo: R$ 350,00 à vista ou parcelado em até 5x (c/ juros) Módulos 1 ao 5: R$ 199,00 à vista ou parcelado em até 5x (c/ juros) Módulos 6 ao

Leia mais

COMO INVESTIR NO MERCADO A TERMO MERCADOS

COMO INVESTIR NO MERCADO A TERMO MERCADOS COMO INVESTIR NO MERCADO A TERMO MERCADOS Como Investir no Mercado a Termo 1 2 Como Investir no Mercado a Termo O que é? uma OPERAÇÃO A TERMO É a compra ou a venda, em mercado, de uma determinada quantidade

Leia mais

AULA 4 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE AÇOES

AULA 4 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE AÇOES AULA 4 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE AÇOES Prof Keilla Lopes Mestre em Administração pela UFBA Especialista em Gestão Empresarial pela UEFS Graduada em Administração pela UEFS Contatos: E-mail: keillalopes@ig.com.br

Leia mais

Prof. Cid Roberto. Concurso 2012

Prof. Cid Roberto. Concurso 2012 Prof. Cid Roberto Concurso 2012 Grupo Conhecimentos Bancários no Google http://goo.gl/gbkij Comunidade Conhecimentos Bancários (orkut) http://goo.gl/4a6y7 São realizadas por bancos de investimentos e demais

Leia mais

Introdução: Mercado Financeiro

Introdução: Mercado Financeiro Introdução: Mercado Financeiro Prof. Nilton TÓPICOS Sistema Financeiro Nacional Ativos Financeiros Mercado de Ações 1 Sistema Financeiro Brasileiro Intervém e distribui recursos no mercado Advindos de

Leia mais

COMO INVESTIR NO MERCADO A TERMO MERCADOS

COMO INVESTIR NO MERCADO A TERMO MERCADOS COMO INVESTIR NO MERCADO A TERMO MERCADOS O que é? uma operação A TERMO É a compra ou a venda, em mercado, de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado,

Leia mais

O que é o Mercado de Capitais. A importância do Mercado de Capitais para a Economia. A Estrutura do Mercado de Capitais Brasileiro

O que é o Mercado de Capitais. A importância do Mercado de Capitais para a Economia. A Estrutura do Mercado de Capitais Brasileiro 1 2 O que é o Mercado de Capitais A importância do Mercado de Capitais para a Economia A Estrutura do Mercado de Capitais Brasileiro O que é Conselho Monetário Nacional (CNM) O que é Banco Central (BC)

Leia mais

MERCADO DE CAPITAIS E A ECONOMIA

MERCADO DE CAPITAIS E A ECONOMIA MERCADO DE CAPITAIS E A ECONOMIA Conceito e Características. O mercado de capitais pode ser definido como um conjunto de instituições e de instrumentos que negociam com títulos e valores mobiliários, objetivando

Leia mais

7. Mercado Financeiro

7. Mercado Financeiro 7. Mercado Financeiro 7. Mercado Financeiro Mercado Financeiro O processo onde os recursos excedentes da economia (poupança) são direcionados para o financiamento de empresas (tomadores de crédito). Investidor

Leia mais

O MERCADO DE CAPITAIS BRASILEIRO

O MERCADO DE CAPITAIS BRASILEIRO O MERCADO DE CAPITAIS BRASILEIRO Antônio Emygdio Circuito Universitário CVM 2ª Semana Nacional de Educação Financeira http://www.semanaenef.gov.br http://www.vidaedinheiro.gov.br Agenda 1. Mercado de Capitais

Leia mais

A CVM E O MERCADO DE CAPITAIS NO BRASIL

A CVM E O MERCADO DE CAPITAIS NO BRASIL A CVM E O MERCADO DE CAPITAIS NO BRASIL Leonardo B. Pupo Analista de Mercado de Capitais Gerência de Acompanhamento de Mercado 2 Superintendência de Acompanhamento de Mercado Agenda Intermediação Financeira

Leia mais

Bolsa de Mercadorias e Futuros

Bolsa de Mercadorias e Futuros Bolsa de Mercadorias e Futuros Mercado de Capitais Origens das Bolsas de mercadoria No Japão em 1730, surgiu o verdadeiro mercado futuro de arroz(que já era escritural), chamado chu-aí-mai, foi reconhecido

Leia mais

INTRODUÇÃO 3 MERCADO DE CAPITAIS 3 MERCADO DE BALCÃO 5 INTERMEDIÁRIOS 6 TÍTULOS NEGOCIADOS 7 MODALIDADES DE OPERAÇÕES E TIPOS DE ORDEM 9

INTRODUÇÃO 3 MERCADO DE CAPITAIS 3 MERCADO DE BALCÃO 5 INTERMEDIÁRIOS 6 TÍTULOS NEGOCIADOS 7 MODALIDADES DE OPERAÇÕES E TIPOS DE ORDEM 9 1 2 ÍNDICE INTRODUÇÃO 3 MERCADO DE CAPITAIS 3 MERCADO DE BALCÃO 5 INTERMEDIÁRIOS 6 TÍTULOS NEGOCIADOS 7 MODALIDADES DE OPERAÇÕES E TIPOS DE ORDEM 9 SISTEMAS DE NEGOCIAÇÃO 9 INFORMAÇÕES DIVULGADAS 10 CUSTÓDIA

Leia mais

Curso Introdução ao Mercado de Ações

Curso Introdução ao Mercado de Ações Curso Introdução ao Mercado de Ações Módulo 1 www.tradernauta.com.br I - Sistema Financeiro Nacional CMN Conselho Monetário Nacional Min. Fazenda, Min. Planej., Pres. BaCen Banco Central Mercado Cambial,

Leia mais

ENTENDENDO O MERCADO DE VALORES MOBILIÁRIOS

ENTENDENDO O MERCADO DE VALORES MOBILIÁRIOS ENTENDENDO O MERCADO DE VALORES MOBILIÁRIOS O Sistema Financeiro O sistema financeiro pode ser definido como o conjunto de instituições, produtos e instrumentos que viabiliza a transferência de recursos

Leia mais

Os fundos referenciados identificam em seu nome o indicador de desempenho que sua carteira tem por objetivo acompanhar.

Os fundos referenciados identificam em seu nome o indicador de desempenho que sua carteira tem por objetivo acompanhar. FUNDO REFERENCIADO DI Os fundos referenciados identificam em seu nome o indicador de desempenho que sua carteira tem por objetivo acompanhar. Para tal, investem no mínimo 80% em títulos públicos federais

Leia mais

Para investir em ações, você precisa ser cadastrado em uma Corretora de Valores, Distribuidora ou em um Banco.

Para investir em ações, você precisa ser cadastrado em uma Corretora de Valores, Distribuidora ou em um Banco. PERGUNTAS FREQUENTES 1. Como investir no mercado de renda variável (ações)? 2. Como é feita a transferência de recursos? 3. Qual a diferença de ações ON (Ordinária) e PN (Preferencial)? 4. Quais são os

Leia mais

PORQUE E COMO ABRIR O CAPITAL DE UMA EMPRESA

PORQUE E COMO ABRIR O CAPITAL DE UMA EMPRESA PORQUE E COMO ABRIR O CAPITAL DE UMA EMPRESA! Os custos! As vantagens! Os obstáculos! Os procedimentos Francisco Cavalcante (francisco@fcavalcante.com.br) Sócio-Diretor da Cavalcante & Associados, empresa

Leia mais

GUIA SOBRE RISCOS DE RENDA VARIÁVEL V1. 04_2012

GUIA SOBRE RISCOS DE RENDA VARIÁVEL V1. 04_2012 AO FINAL DESTE GUIA TEREMOS VISTO: GUIA SOBRE RISCOS DE RENDA VARIÁVEL V1. 04_2012 O objetivo deste material é prestar ao investidor uma formação básica de conceitos e informações que possam auxiliá-lo

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS DO SEGMENTO BOVESPA: AÇÕES, FUTUROS E DERIVATIVOS DE AÇÕES. Capítulo Revisão Data

MANUAL DE PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS DO SEGMENTO BOVESPA: AÇÕES, FUTUROS E DERIVATIVOS DE AÇÕES. Capítulo Revisão Data 4 / 106 DEFINIÇÕES AFTER-MARKET período de negociação que ocorre fora do horário regular de Pregão. AGENTE DE COMPENSAÇÃO instituição habilitada pela CBLC a liquidar operações realizadas pelas Sociedades

Leia mais

Ciências Econômicas. 4.2 Mercado de Capitais. Marcado Financeiro e de Capitais (Aula-2015/10.16) 16/10/2015. Prof. Johnny 1

Ciências Econômicas. 4.2 Mercado de Capitais. Marcado Financeiro e de Capitais (Aula-2015/10.16) 16/10/2015. Prof. Johnny 1 UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA DA REGIÃO DE CHAPECÓ Ciências Econômicas Mercado de Capitais Tributações Relatórios Professor : Johnny Luiz Grando Johnny@unochapeco.edu.br 4.2 Mercado de Capitais 4.3.1 Conceitos

Leia mais

PONTÍFICIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS CURSO DE DIREITO

PONTÍFICIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS CURSO DE DIREITO PONTÍFICIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS CURSO DE DIREITO Disciplina: Direito Empresarial II JUR 1022 Turma: C02 Prof.: Luiz Fernando Capítulo VI SOCIEDADES ANÔNIMAS 1. Evolução Legal: a) Decreto n. 575/49;

Leia mais

AULA 16. Mercado de Capitais III

AULA 16. Mercado de Capitais III AULA 16 Mercado de Capitais III FUNCIONAMENTO DO MERCADO DE AÇÕES Mercado de bolsa: as negociações são abertas e realizadas por sistema de leilão, ou seja, a venda acontece para quem oferece melhor lance.

Leia mais

AULA 10 Sociedade Anônima:

AULA 10 Sociedade Anônima: AULA 10 Sociedade Anônima: Conceito; características; nome empresarial; constituição; capital social; classificação. Capital aberto e capital fechado. Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e Bolsa de Valores.

Leia mais

Porque seus sonhos precisam de ação.

Porque seus sonhos precisam de ação. Porque seus sonhos precisam de ação. Este texto não é uma recomendação de investimento. Para esclarecimentos adicionais, sugerimos a leitura de outros folhetos editados pela BOVESPA. Procure sua Corretora.

Leia mais

INFORMAÇÕES REFERENTES À VENDA DOS PRODUTOS OFERECIDOS PELA ALFA CORRETORA DE CÂMBIO E VALORES MOBILIÁRIOS S.A. (CNPJ/MF N 62.178.

INFORMAÇÕES REFERENTES À VENDA DOS PRODUTOS OFERECIDOS PELA ALFA CORRETORA DE CÂMBIO E VALORES MOBILIÁRIOS S.A. (CNPJ/MF N 62.178. INFORMAÇÕES REFERENTES À VENDA DOS PRODUTOS OFERECIDOS PELA ALFA CORRETORA DE CÂMBIO E VALORES MOBILIÁRIOS S.A. (CNPJ/MF N 62.178.421/0001-64) O cliente, devidamente qualificado em sua ficha cadastral,

Leia mais

[CONFIDENCIAL] Aprenda com o SAGAZ. Primeiros passos para investir na Bolsa.

[CONFIDENCIAL] Aprenda com o SAGAZ. Primeiros passos para investir na Bolsa. 1 Aprenda com o SAGAZ Primeiros passos para investir na Bolsa. Está pensando em investir em ações e não sabe por onde começar? Fique tranqüilo, você está no lugar certo. Aqui você terá a melhor orientação

Leia mais

atividade a prática de operações de arrendamento As sociedades de arrendamento mercantil são

atividade a prática de operações de arrendamento As sociedades de arrendamento mercantil são Arrendamento mercantil ou leasing é uma operação em que o proprietário de um bem cede a terceiro o uso desse bem por prazo determinado, recebendo em troca uma contraprestação. No que concerne ao leasing,

Leia mais

Especulador Eletrônico. Murialdo Loch - Márcia Loch Alexandre Golin Krammes

Especulador Eletrônico. Murialdo Loch - Márcia Loch Alexandre Golin Krammes Especulador Eletrônico Murialdo Loch - Márcia Loch Alexandre Golin Krammes Apresentação Introdução Comentário de Mauro Halfeld Conceitos Bolsas de Valores no Brasil BM&F Bovespa Curiosidades Escolas de

Leia mais

GUIA BDR SANTANDER GUIA BDR SANTANDER

GUIA BDR SANTANDER GUIA BDR SANTANDER GUIA BDR SANTANDER 1 PARA QUE SERVE ESSE GUIA? Este guia se propõe a trazer os principais conceitos relacionados aos Brazilian Depositary Receipts (BDRs) e a explicar como funcionam. Ao término de sua

Leia mais

BANCO DO BRASIL ESCRITURÁRIO

BANCO DO BRASIL ESCRITURÁRIO BANCO DO BRASIL ESCRITURÁRIO CONHECIMENTOS BANCÁRIOS 1. O Sistema Financeiro Nacional (SFN) é constituído por todas as instituições financeiras públicas ou privadas existentes no país e seu órgão normativo

Leia mais

Iniciantes Home Broker

Iniciantes Home Broker Iniciantes Home Broker Para permitir que cada vez mais pessoas possam participar do mercado acionário e, ao mesmo tempo, tornar ainda mais ágil e simples a atividade de compra e venda de ações, foi criado

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO INVESTIDORES DE PERNAMBUCO

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO INVESTIDORES DE PERNAMBUCO ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO INVESTIDORES DE PERNAMBUCO I - Denominação e Objetivo Artigo 1º - O CLUBE DE INVESTIMENTO INVESTIDORES DE PERNAMBUCO, constituído por número limitado de membros

Leia mais

Simulado CPA 10 Completo

Simulado CPA 10 Completo Simulado CPA 10 Completo Question 1. O SELIC é um sistema informatizado que cuida da liquidação e custódia de: ( ) Certificado de Depósito Bancário ( ) Contratos de derivativos ( ) Ações negociadas em

Leia mais

Cadastro de clientes Conjunto de dados e informações gerais sobre a qualificação dos clientes e das sociedades corretoras.

Cadastro de clientes Conjunto de dados e informações gerais sobre a qualificação dos clientes e das sociedades corretoras. Câmbio Uma operação de câmbio envolve a negociação de moeda estrangeira através da troca da moeda de um país pela de outro. Uma pessoa que pretende viajar para o exterior precisa fazer uma operação de

Leia mais

Mercado primário e mercado secundário

Mercado primário e mercado secundário Mercado primário e mercado secundário O mercado primário compreende o lançamento de novas ações/debêntures no mercado, com aporte de recursos para a companhia. Ou seja, quando um título é lançado no mercado

Leia mais

Aplicação de recursos

Aplicação de recursos Aplicação de recursos São 3 os pilares de qualquer investimento Segurança Liquidez Rentabilidade Volatilidade - mede o risco que um fundo ou um título apresenta - maior a volatilidade, maior o risco; Aplicação

Leia mais

INTRODUÇÃO AO MERCADO FINANCEIRO. EQUIPE TRADER O mercado fala, a gente entende.

INTRODUÇÃO AO MERCADO FINANCEIRO. EQUIPE TRADER O mercado fala, a gente entende. INTRODUÇÃO AO MERCADO FINANCEIRO EQUIPE TRADER O mercado fala, a gente entende. Mercado de Renda Variável, os preços estão em constante oscilação. Pela sua liquidez não existe pechincha. A importância

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO BLUE STAR

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO BLUE STAR 1 ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO BLUE STAR I - Denominação e Objetivo Artigo 1º - O CLUBE DE INVESTIMENTO BLUE STAR constituído por número limitado de membros que têm por objetivo a aplicação

Leia mais

e$tratégia acionária p a r a v e n c e r n a bolsa de valores Rivadavila S. Malheiros Novatec

e$tratégia acionária p a r a v e n c e r n a bolsa de valores Rivadavila S. Malheiros Novatec e$tratégia acionária p a r a v e n c e r n a bolsa de valores Rivadavila S. Malheiros Novatec capítulo 1 Mercado de ações na bovespa 1.1 Mercado de ações Tudo começa com uma grande idéia que se transforma

Leia mais

MERCADO DE RENDA VARIÁVEL PRODUTOS E CARACTERÍSTICA

MERCADO DE RENDA VARIÁVEL PRODUTOS E CARACTERÍSTICA MERCADO DE RENDA VARIÁVEL PRODUTOS E CARACTERÍSTICA AÇÕES Ações são instrumentos utilizados pelas empresas para captar recursos no mercado financeiro para os mais diversos projetos (investimentos, redução

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO FIDUS

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO FIDUS ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO FIDUS I DENOMINAÇÃO E OBJETIVO ARTIGO 1º - O CLUBE DE INVESTIMENTO FIDUS constituído por número limitado de membros que têm por objetivo a aplicação de recursos

Leia mais

OFERTA PÚBLICA INICIAL DE AÇÕES NA BOVESPA: um estudo sobre o processo de abertura de capital de empresas na Bolsa de Valores de São Paulo

OFERTA PÚBLICA INICIAL DE AÇÕES NA BOVESPA: um estudo sobre o processo de abertura de capital de empresas na Bolsa de Valores de São Paulo OFERTA PÚBLICA INICIAL DE AÇÕES NA BOVESPA: um estudo sobre o processo de abertura de capital de empresas na Bolsa de Valores de São Paulo Humberto Ebram Neto, Denílson Gusmão, Edson Aparecida de Araújo

Leia mais

Administração Financeira

Administração Financeira Administração Financeira MÓDULO 11: DECISÕES DE FINANCIAMENTO A LONGO PRAZO As empresas dispõem de fontes internas e fontes externas de recursos financeiros para o financiamento de suas atividades. Com

Leia mais

BAN CO DO BRASIL. Atualizada 19/01/2011 Neste curso os melhores alunos estão sendo preparados pelos melhores Professores 1

BAN CO DO BRASIL. Atualizada 19/01/2011 Neste curso os melhores alunos estão sendo preparados pelos melhores Professores 1 41. (CAIXA/2010) Compete à Comissão de Valores Mobiliários CVM disciplinar as seguintes matérias: I. registro de companhias abertas. II. execução da política monetária. III. registro e fiscalização de

Leia mais

http://www.receita.fazenda.gov.br/pessoafisica/irpf/2008/perguntas/aplicfinanrenfi...

http://www.receita.fazenda.gov.br/pessoafisica/irpf/2008/perguntas/aplicfinanrenfi... Page 1 of 8 Aplicações Financeiras - Renda Fixa e Renda Variável 617 Quais são as operações realizadas nos mercados financeiro e de capital? Nesses mercados são negociados títulos, valores mobiliários

Leia mais

Atualidades do Mercado Financeiro

Atualidades do Mercado Financeiro Atualidades do Mercado Financeiro Sistema Financeiro Nacional Dinâmica do Mercado Mercado Bancário Conteúdo 1 Sistema Financeiro Nacional A estrutura funcional do Sistema Financeiro Nacional (SFN) é composta

Leia mais

Julho/2008. Abertura de Capital e Emissão de Debêntures

Julho/2008. Abertura de Capital e Emissão de Debêntures Julho/2008 Abertura de Capital e Emissão de Debêntures Principal instrumento de captação de recursos de médio e longo prazos, a debênture representa para muitas companhias a porta de entrada no mercado

Leia mais

ABC DO INVESTIDOR. Título em que os direitos (dividendos, bonificação e subscrição) ainda não foram exercidos.

ABC DO INVESTIDOR. Título em que os direitos (dividendos, bonificação e subscrição) ainda não foram exercidos. ABC DO INVESTIDOR Ação Título negociável, que representa a parcela do capital de uma companhia. Ação Cheia (com) Título em que os direitos (dividendos, bonificação e subscrição) ainda não foram exercidos.

Leia mais

Curso de CPA 10 CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL ANBIMA SÉRIE 10. www.eadempresarial.net.br. www.eadempresarial.net.br - 18 3303-0383

Curso de CPA 10 CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL ANBIMA SÉRIE 10. www.eadempresarial.net.br. www.eadempresarial.net.br - 18 3303-0383 Curso de CPA 10 CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL ANBIMA SÉRIE 10 www.eadempresarial.net.br SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL Uma conceituação bastante abrangente de sistema financeiro poderia ser a de um conjunto de

Leia mais

GUIA DE FUNCIONAMENTO DO MERCADO V1. 04_2012

GUIA DE FUNCIONAMENTO DO MERCADO V1. 04_2012 GUIA DE FUNCIONAMENTO DO MERCADO V1. 04_2012 O objetivo deste material é prestar ao investidor uma formação básica de conceitos e informações que possam auxiliá-lo na tomada de decisões antes da realização

Leia mais

Conhecimentos Bancários Professor Carlos Arthur

Conhecimentos Bancários Professor Carlos Arthur Conhecimentos Bancários Professor Carlos Arthur 1 - Sobre as atribuições do Banco Central do Brasil, é incorreto afirmar: a) Exerce o controle de crédito b) Estimula a formação de poupança e a sua aplicação

Leia mais

Circuito Universitário Faculdade Sumaré 10 de março de 2015. Marcos Galileu Lorena Dutra Gerência de Análise de Negócios (GMN)

Circuito Universitário Faculdade Sumaré 10 de março de 2015. Marcos Galileu Lorena Dutra Gerência de Análise de Negócios (GMN) Circuito Universitário Faculdade Sumaré 10 de março de 2015 Marcos Galileu Lorena Dutra Gerência de Análise de Negócios (GMN) As opiniões e conclusões externadas nesta apresentação são de inteira responsabilidade

Leia mais

EMPRESAS BRADESCO SEGUROS, PREVIDÊNCIA E CAPITALIZAÇÃO

EMPRESAS BRADESCO SEGUROS, PREVIDÊNCIA E CAPITALIZAÇÃO L2 0 0 6 R E L AT Ó R I O A N U A EMPRESAS BRADESCO SEGUROS, PREVIDÊNCIA E CAPITALIZAÇÃO Prêmio de Seguros Participação no Mercado (em %) Mercado 74,2% Fonte: Susep e ANS Base: Nov/2006 Bradesco 25,8%

Leia mais

O Sistema Financeiro Nacional

O Sistema Financeiro Nacional O Sistema Financeiro Nacional 1 O Sistema Financeiro Nacional Foi constituído com base nas leis: 4595 de 31-12-64 Estrutura o Sistema Financeiro Nacional 4728 de 14-7- 65 Lei do Mercado de Capitais O Sistema

Leia mais

Como comprar e vender ações pela internet

Como comprar e vender ações pela internet Programa de Formação de Investidores no Mercado de Ações Como comprar e vender ações pela internet Este material é parte da apostila do curso Como comprar e vender ações pela internet. Busque mais informações

Leia mais

Porque seus sonhos precisam de ação.

Porque seus sonhos precisam de ação. Porque seus sonhos precisam de ação. Este texto não é uma recomendação de investimento. Para esclarecimentos adicionais, sugerimos a leitura de outros folhetos editados pela BOVESPA. Procure sua Corretora.

Leia mais

Os títulos de renda fixa são caracterizados pó terem previamente definida a forma de remuneração. Esses títulos podem ser prefixados ou pós-fixados.

Os títulos de renda fixa são caracterizados pó terem previamente definida a forma de remuneração. Esses títulos podem ser prefixados ou pós-fixados. Faculdades Integradas Campos Salles Curso: Ciências Contábeis Disciplina: Contabilidade Aplicada às Instituições Financeiras Professor: Adeildo Paulino Aula: 12/05/2012 Matéria: Títulos e Valores Mobiliários

Leia mais

Atualidades do Mercado Financeiro

Atualidades do Mercado Financeiro Atualidades do Mercado Financeiro Índice Pg. Sistema Financeiro Nacional... 02 Dinâmica do Mercado... 05 Mercado Bancário... 09 1 Sistema Financeiro Nacional A estrutura funcional do Sistema Financeiro

Leia mais

UNIVERSIDADE CÂNDIDO MENDES MERCADO DE CAPITAIS. Monografia apresentada por Tales Fernandes de Souza

UNIVERSIDADE CÂNDIDO MENDES MERCADO DE CAPITAIS. Monografia apresentada por Tales Fernandes de Souza UNIVERSIDADE CÂNDIDO MENDES MERCADO DE CAPITAIS Monografia apresentada por Tales Fernandes de Souza Rio de Janeiro, 14 de fevereiro de 2002 SUMÁRIO Introdução... 1 Capítulo 1 Mercado de Capitais... 3 1.1

Leia mais

Administração Financeira

Administração Financeira Administração Financeira MÓDULO 5: Sociedades de crédito ao microempreendedor As sociedades de crédito ao microempreendedor, criadas pela Lei 10.194, de 14 de fevereiro de 2001, são entidades que têm por

Leia mais

Perguntas Freqüentes Operações em Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F)

Perguntas Freqüentes Operações em Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) 1. O que é contrato futuro? É um acordo entre duas partes, que obriga uma a vender e outra, a comprar a quantidade e o tipo estipulados de determinada commodity, pelo preço acordado, com liquidação do

Leia mais

Bovespa Supervisão de Mercados - BSM

Bovespa Supervisão de Mercados - BSM 1. C ontexto operacional A Bovespa Supervisão de Mercados BSM (BSM) criada em 16 de agosto de 2007 como uma associação civil sem finalidade lucrativa, em cumprimento ao disposto na regulamentação pertinente

Leia mais

Renda Fixa Privada Cotas de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios FIDC. Cotas de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios FIDC

Renda Fixa Privada Cotas de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios FIDC. Cotas de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios FIDC Renda Fixa Privada Cotas de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios - FIDC Uma alternativa de investimento atrelada aos créditos das empresas O produto O Fundo de Investimento em Direitos Creditórios

Leia mais

Perguntas & Respostas

Perguntas & Respostas Parte I MATEMÁTICA FINANCEIRA Perguntas & Respostas Prof. Wanderson S. Paris, M.Eng. prof@cronosquality.com.br Nas ações nomina9vas como podemos iden9ficar quem são os acionistas caso aconteça uma venda

Leia mais

MERCADO DE CAPITAIS. Sistema Financeiro Nacional

MERCADO DE CAPITAIS. Sistema Financeiro Nacional MERCADO DE CAPITAIS 1 Mercado de capitais é um sistema de distribuição de valores mobiliários que proporciona liquidez aos títulos de emissão de empresas e viabiliza o processo de capitalização. É constituído

Leia mais

Tipos de ações As ações se diferenciam basicamente pelos direitos que concedem a seus acionistas. No Brasil, elas estão divididas em dois grandes

Tipos de ações As ações se diferenciam basicamente pelos direitos que concedem a seus acionistas. No Brasil, elas estão divididas em dois grandes Tipos de ações As ações se diferenciam basicamente pelos direitos que concedem a seus acionistas. No Brasil, elas estão divididas em dois grandes grupos: as ações ordinárias e as ações preferenciais. As

Leia mais

UNIÃO DAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO DO ESTADO DE SÃO PAULO (UNIESP)

UNIÃO DAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO DO ESTADO DE SÃO PAULO (UNIESP) UNIÃO DAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO DO ESTADO DE SÃO PAULO (UNIESP) Daiane Cerencovich - RA 0106118998 Dyane Caroliny Marques - RA: 0108100863 Fernando Sousa do Nascimento - RA 0106117989 Juliana Ramos -

Leia mais

PRAZOS E RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução.

PRAZOS E RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução. Proibida a reprodução. A Planner oferece uma linha completa de produtos financeiros e nossa equipe de profissionais está preparada para explicar tudo o que você precisa saber para tomar suas decisões com

Leia mais

MERCADO DE CAPITAIS. Bolsas de Valores ou de Mercadorias. Cronologia da criação dos mercados de bolsas no mundo e no Brasil

MERCADO DE CAPITAIS. Bolsas de Valores ou de Mercadorias. Cronologia da criação dos mercados de bolsas no mundo e no Brasil MERCADO DE CAPITAIS Prof. Msc. Adm. José Carlos de Jesus Lopes Bolsas de Valores ou de Mercadorias São centros de negociação onde reúnem-se compradores e vendedores de ativos padronizados (ações, títulos

Leia mais

SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS PARA ENGENHARIA 16/04/2013. Professor: Luis Guilherme Magalhães (62) 9607-2031

SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS PARA ENGENHARIA 16/04/2013. Professor: Luis Guilherme Magalhães (62) 9607-2031 ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS PARA ENGENHARIA Professor: Luis Guilherme Magalhães (62) 9607-2031 Obs.: Para aprofundar os conhecimentos no Sistema Financeiro Nacional, consultar o livro: ASSAF NETO, Alexandre.

Leia mais

Míni de Ibovespa WEBTRADING. É acessível. É descomplicado. É para você.

Míni de Ibovespa WEBTRADING. É acessível. É descomplicado. É para você. Míni de Ibovespa WEBTRADING É acessível. É descomplicado. É para você. WEBTRADING O futuro em um clique Com apenas um clique, você pode negociar minicontratos. O acesso ao WTr é simples, rápido e seguro.

Leia mais

$ $ ETF EXCHANGE TRADED FUND $ $

$ $ ETF EXCHANGE TRADED FUND $ $ ETF EXCHANGE TRADED FUND Investimento para quem busca a possibilidade de melhores retornos, através de uma carteira diversificada e com menor custo. Confira porque os fundos de índices são a nova opção

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO PLATINUM

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO PLATINUM ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO PLATINUM I Denominação e Objetivo Artigo 1º O Clube de Investimento PLATINUM é constituído por número limitado de membros que têm por objetivo a aplicação de recursos

Leia mais

IC CLUBE DE INVESTIMENTO CNPJ n. 07.847.689/0001-33 ESTATUTO SOCIAL

IC CLUBE DE INVESTIMENTO CNPJ n. 07.847.689/0001-33 ESTATUTO SOCIAL IC CLUBE DE INVESTIMENTO CNPJ n. 07.847.689/0001-33 ESTATUTO SOCIAL I - DENOMINAÇÃO E OBJETIVO Artigo 1 - O IC Clube de Investimento é constituído por número limitado de membros que têm por objetivo a

Leia mais

Perguntas Frequentes - Tributação

Perguntas Frequentes - Tributação 1. Tributação do Ganho de Capital Perguntas Frequentes - Tributação 1.1 - Como é feita a tributação dos ganhos obtidos com a alienação de ações? A tributação é feita em bases mensais, ou seja: o ganho

Leia mais

Mercado de Capitais: técnicas para avaliação de carteira de ações para pessoa física

Mercado de Capitais: técnicas para avaliação de carteira de ações para pessoa física 1 Mercado de Capitais: técnicas para avaliação de carteira de ações para pessoa física RESUMO O assunto abordado neste artigo tem por objetivo facilitar o entendimento do mercado de ações desmistificando

Leia mais

Mirae Asset Securities (Brasil) C.T.V.M. Ltda www.miraeasset.com.br

Mirae Asset Securities (Brasil) C.T.V.M. Ltda www.miraeasset.com.br ENTIDADES AUTORREGULADORAS DO MERCADO ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO BM&FBOVESPA A BM&FBOVESPA é uma companhia de capital brasileiro formada, em 2008, a partir da integração das operações da Bolsa de Valores

Leia mais

Aula 2 Contextualização

Aula 2 Contextualização Gestão Financeira Aula 2 Contextualização Prof. Esp. Roger Luciano Francisco Segmentos do Mercado Financeiro Mercado monetário Mercado de crédito Mercado de capitais Mercado de câmbio Mercado Monetário

Leia mais

IPC Concursos CEF 2014. Questões I SFN, CMN, BCB e CVM Material com as questões incorretas justificadas.

IPC Concursos CEF 2014. Questões I SFN, CMN, BCB e CVM Material com as questões incorretas justificadas. BRB 2011 Cespe Questões I SFN, CMN, BCB e CVM Material com as questões incorretas justificadas. A respeito da estrutura do Sistema Financeiro Nacional (SFN),julgue os itens a seguir. 1. Ao Conselho Monetário

Leia mais

Curso Introdução ao Mercado de Ações

Curso Introdução ao Mercado de Ações Curso Introdução ao Mercado de Ações Módulo 2 Continuação do Módulo 1 www.tradernauta.com.br Sistema de negociação da Bovespa e Home Broker Mega Bolsa Sistema implantado em 1997, é responsável por toda

Leia mais

Definição. A sua criação baseia-se em dois princípios distintos

Definição. A sua criação baseia-se em dois princípios distintos Definição Pode ser definido como sendo um conjunto de instituições e de instrumentos que negociam com titulos e valores mobiliarios, tendo como objetivo a canalização de recursos de agentes compradores

Leia mais

2 Abertura de capital

2 Abertura de capital 2 Abertura de capital 2.1. Mercado de capitais O Sistema Financeiro pode ser segmentado, de acordo com os produtos e serviços financeiros prestados, em quatro tipos de mercado: mercado monetário, mercado

Leia mais

Investimentos em imóveis de forma moderna e inteligente.

Investimentos em imóveis de forma moderna e inteligente. Investimentos em imóveis de forma moderna e inteligente. A possibilidade de diversificar o investimento e se tornar sócio dos maiores empreendimentos imobiliários do Brasil. Este material tem o objetivo

Leia mais

Jonatam Cesar Gebing. Tesouro Direto. Passo a passo do Investimento. Versão 1.0

Jonatam Cesar Gebing. Tesouro Direto. Passo a passo do Investimento. Versão 1.0 Jonatam Cesar Gebing Tesouro Direto Passo a passo do Investimento Versão 1.0 Índice Índice 2 Sobre o autor 3 O Tesouro Direto 4 1.1 O que é? 4 1.2 O que são Títulos Públicos? 5 1.3 O que é o grau de investimento?

Leia mais

Exercício para fixação

Exercício para fixação Exercício para fixação Quando o Banco Central deseja baratear os empréstimos e possibilitar maior desenvolvimento empresarial, ele irá adotar uma Política Monetária Expansiva, valendo-se de medidas como

Leia mais

www.contratofuturo.com

www.contratofuturo.com www.contratofuturo.com www.contratofuturo.com O que é o Índice Futuro Para falar de índice futuro, primeiro precisamos falar do ÍNDICE no presente, que é o Ibovespa. O famoso índice que serve para medir

Leia mais