SAPRI. Relatório Parcial do Projeto

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SAPRI. Relatório Parcial do Projeto"

Transcrição

1 SAPRI Sistema de Aquisição, Processamento e Reconhecimento de Imagens Relatório Parcial do Projeto Universidade Federal de Pernambuco - DI Instituto de Pesquisas da Marinha - IPqM Universidade de São Paulo em São Carlos - ICMSC Universidade Estadual de Campinas - IC Universidade Federal do Rio Grande do Sul - II Universidade de Goiás EEE Novembro de 1997

2 RELATÓRIO TÉCNICO PARCIAL 1. Identificação SAPRI - Sistema de Aquisição, Processamento e Reconhecimento de Imagens No. do Processo : /95.0. Áreas do Projeto : Redes Neurais e Processamento de Imagens Coordenador : Germano Crispim Vasconcelos Instituições Parceiras: IPqM, UFPE, USP, UFRGS, UNICAMP e UFG. 2. Apresentação Este documento descreve as atividades desenvolvidas no primeiro ano do Projeto SAPRI - Sistema de Aquisição, Processamento e Reconhecomento de Imagens. O SAPRI é um projeto cooperativo multi-institucional com financiamento do ProTeM-CC-CNPq envolvendo cinco universidades: UFPE, USP - São Carlos, UNICAMP, UFRGS, UFG e a Marinha do Brasil através do seu Instituto de Pesquisas (IPqM). O objetivo do projeto é o desenvolvimento de um sistema baseado em avançados métodos de Inteligência Computacional como Redes Neurais, Reconhecimento de Padrões e Técnicas de Processamento de Imagens para a manipulação automática e tratamento de imagens de radar. O sistema será empregado pela Marinha do Brasil em tarefas de Análise Tática e Reconhecimento Automático de Alvos. O projeto teve início oficial em setembro de 1997 e tem conclusão prevista para agosto de 1998 com possível extensão até novembro de Este relatório objetiva apresentar informações sobre o desenvolvimento atual do projeto, as tarefas técnicas e administrativas desenvolvidas entre as previstas para o primeiro ano, os trabalhos publicados e produtos gerados como resultado do projeto e um cronograma para os meses que se seguem até a conclusão do projeto. 3. Contexto O SAPRI é composto de 5 módulos fundamentais que compreendem as etapas de aquisição, processamento e reconhecimento e interpretação de imagens, despejando no último módulo referente à análise tática, além de uma base de carta náuticas eletrônicas de auxílio aos demais módulos do projeto. Um exemplo típico de imagem coletada pelo tipo de radar empregado pela Marinha, e correspondente ao utilizado no contexto do SAPRI, pode ser visto na Figura 1 abaixo. Esta corresponde a uma imagem adquirida na Baia de Guanabara no Rio de Janeiro e ilustra características visuais típicas das imagens tratadas no âmbito deste projeto. A partir de imagens como estas apresentadas em terminais gráficos de imagens,

3 objetiva-se o desenvolvimento de um sistema que possa realizar a manipulação e interpretação de objetos nas imagens. De uma maneira mais detalhada, pode-se enunciar os objetivos do SAPRI como sendo: Figura 1 Desenvolver um sistema de aquisição de imagens para computadores PC, adequando-o ao tratamento de imagens de radar do tipo especificado; desenvolver um protótipo para a aquisição de sinais que permita a coleta de imagens reais referenciadas, e com elas testar os algoritmos de processamento, reconhecimento e análise tática. Especificação e validação de uma arquitetura de processamento de imagens e algoritmos que possam implementar em tempo real filtragem, mecanismos de atenção seletiva e extração de características dos alvos. Especificação e validação de um sistema combinador de classificadores para o reconhecimento e interpretação de alvos que forneçam elementos de informação relevantes ao processo de análise tática. Automatizar em software, em apoio à tomada de decisões, o processo de análise tática através do acompanhamento do estado e predição de trajetórias dos alvos. Em adição a estes a verificação de regras de segurança e a geração de alarmes táticos. Especificação e implementação, ao menos para um trecho limitado da costa brasileira, de um servidor de informações cartográficas (Carta Náutica Eletrônica). 4. Motivação

4 Num país de dimensões continentais e ainda pouco explorado como o Brasil, o patrulhamento e supervisão do seu território é uma atividade de fundamental importância na preservação da sua riqueza e da sua soberania. Considerando o aspecto estratégico dessa atividade, é imprescindível o desenvolvimento de soluções com tecnologia nacional para assegurar a independência do país. Além disso, a importação de sistemas para esse fim é muito onerosa (veja-se o SIVAM, por exemplo), tanto na implantação quanto na manutenção e atualização dos equipamentos dado o rápido avanço tecnológico. Nos países que dominam a alta tecnologia os sistemas para apoio a essa atividade se baseiam no processamento de imagens captadas por sensores que operam em várias bandas do espectro. Redes Neurais vem-se consolidando como uma das técnicas mais utilizadas nesse processamento e é uma área na qual o Brasil tem investido muito na formação de pessoal de alto nível. Então, por que não utilizar o nosso pessoal para desenvolver uma solução nacional e de baixo custo para apoiar o patrulhamento e supervisão da nossa costa? Esses foram os principais aspectos que motivaram a conjugação de esforços da Marinha do Brasil e de 5 grupos de pesquisa de Universidades Brasileiras para o desenvolvimento do projeto SAPRI. Ainda foram considerados outros benefícios na automatização desse processo, tais como, a oferta de novos serviços (carta náutica eletrônica) e a maior velocidade de execução e a uniformidade do padrão de qualidade do serviço comparado à execução das tarefas por humanos, já que a máquina não está sujeita a cansaço, fadiga ou estresse na tomada de decisão. 5. O Sistema SAPRI O diagrama apresentado acima ilustra os módulos do sistema SAPRI, a relação entre os módulos e o fluxo do processamento da informação no sistema. São ilustradas também neste diagrama as instituições que participam particularmente do desenvolvimento de cada módulo. Nas próximas seções serão descritas as atividades desenvolvidas considerando este fluxo lógico de tratamento das imagens de radar.

5 6. Módulo de Aquisição de Imagens O módulo de aquisição de imagens do SAPRI pode ser descrito como o responsável pela montagem de uma estrutura eficiente e compacta de disponibilização das imagens de radar. Neste módulo, os sinais de radar coletados pelo sistema são convertidos para apresentação em terminais gráficos e as imagens geradas armazenadas em um servidor de dados para posterior manipulação pelos módulos seguintes do sistema. Como descrito originalmente nos documentos do projeto, as tarefas no módulo de aquisição estão a cargo dos pesquisadores do IPqM, que formam a Equipe de Trabalho para esta fase do sistema. 6.1 Equipe de Trabalho A equipe do IPqM é composta por: CF Maurício de Menezes Cordeiro (Coordenador Local) Engenheiro César Barreto CF Luiz Alberto Cardoso José Ricardo Potier Mark Matkovsky Milton Ferreira 6.2 Atividades Desenvolvidas A Marinha do Brasil, representada pelo Grupo de Sistemas Digitais do IPqM, tem enorme interesse no bom andamento deste projeto, visto que ela será o usuário final do sistema que está sendo desenvolvido. Desta forma, além das tarefas formalmente atribuídas ao grupo do IPqM, estes estão sempre dispostos a empreender esforços no sentido de fornecer os subsídios que forem solicitados, em particular, aqueles sobre áreas específicas de experiência da Marinha do Brasil, tais como: Caracterização de imagens radar; Identificação de objetos de interesse em imagens radar; e Cartas náuticas. A principal função do grupo do IPqM no desenvolvimento do SAPRI é o fornecimento de Bases de Dados com imagens radar para fins de treinamento das Redes Neurais e outras técnicas que estão sendo desenvolvidas para desempenhar diversas funções do sistema, tais como, Reconhecimento de Padrões e Extração de Características.

6 Uma outra função é o fornecimento de subsídios sobre as imagens de radar e o extrator radar empregado pela Marinha, assim como outros requisitos de alto nível, para os demais grupos de trabalho do projeto. Com este intuito, um Sistema de Captura de Imagens Radar (SCIR) foi desenvolvido no qual as imagens obtidas pela digitalização e conversão de coordenadas polares para cartesianas das imagens radar originais, no Terminal Tático Inteligente (TTI) ou no Sistema de Controle Tático (SICONTA), são copiadas para um cartão de memória especialmente desenvolvido no IPqM para este fim, que reside no barramento PCI de computadores do tipo PC. Com o SCIR, imagens radar digitalizadas com 768x768 pixels e 16 tons (4 bits por pixel) estão sendo adquiridas desde setembro de 1996, quando foram colocadas à disposição dos parceiros do SAPRI, uma seqüência inicial de imagens, juntamente com um programa para apresentação em computador PC (sobre o sistema operacional DOS). Desde então, o IPqM passou a estar capacitado a fornecer imagens de radar em abundância, utilizando o Radar Decca 1226-R, instalado no prédio principal do IPqM. Em junho do corrente ano, foi identificada a necessidade urgente de segmentação manual das imagens com o objetivo de rotulá-las o mais rápido possível, para formar uma Base de Dados para treinamento das Redes Neurais, uma vez que não seria possível esperar a implementação dos algoritmos completos de processamento e segmentação do módulo de processamento do SAPRI para a obtenção automática de imagens. A segmentação manual consiste em recortar os objetos de interesse das imagens, quadro a quadro, e a rotulação é a identificação desses recortes. Objetivando o atendimento a esta solicitação com a maior brevidade possível, foi desenvolvido um programa para copiar os pixels de uma seqüência de quadros de imagens correspondentes à área de quadrados que circunscrevem os objetos de interesse. Simultaneamente às aquisições de imagens pelo radar, foram tiradas fotografias da Baía de Guanabara para a identificação dos objetos recortados. Um conjunto de imagens rotuladas foi distribuído aos parceiros no decorrer do II Workshop do SAPRI. 6.3 Atividades em Desenvolvimento A Marinha considera extremamente importante a aquisição de imagens em outros cenários que não apenas a região que circunda a sede do IPqM e utilizando-se de outros diferentes tipos de radares, que a MB possui nos seus diversos navios. Entretanto, o SCIR, que é o sistema de aquisição de que dispomos no momento, depende do terminal TTI ou do SICONTA para fazer a captura de imagens. Como estes equipamentos possuem peso e volume consideráveis, eles são de difícil instalação a bordo. Portanto, a captura está atualmente restrita aos navios que já possuem um desses equipamentos, que são em número de dois. O sistema Radar Scan Converter (RSC), ora em desenvolvimento no IPqM, virá em breve (estimamos que em fins de outubro próximo) a solucionar este problema, pois é constituído apenas de dois cartões para computador PC e recebe diretamente os sinais do radar.

7 6.4 Metas Atingidas Considerando as atividades desenvolvidas e em desenvolvimento relatadas, acredita-se que as metas propostas para este módulo do projeto foram atingidas no primeiro ano. As metas alcançadas são apresentadas abaixo numa visão macro. Para um detalhamento do que estas classes de atividades representam, pode ser consultado o documento original do projeto. Definição de requisitos de alto nível para o sistema SAPRI como um todo São informações necessárias às instituições do projeto para o desenvolvimento dos seus algoritmos. (Atividade a ser continuada até o final do projeto). Projeto e realização do subsitema de aquisição de imagens. (Atividade finalizada com êxito). Coleta de imagens radar; projeto e realização de experimentos para formação de conjuntos de treinamento e teste em situações táticas variadas. (Atividade realizada no primeiro ano na composição de uma base de dados iniciais, a ser continuada até o final do projeto). 6.5 Atividades Futuras Além da tarefa de coleta e referenciação de imagens radar que, estima-se, deverá ser contínua ao longo do Projeto, é observada a necessidade nop segundo ano de contatos os mais freqüentes e diretos possíveis com os parceiros, visando definir da melhor maneira possível, os requisitos para os diversos módulos do sistema. De uma forma mais detalhada podemos especificar as atividades a serem continuadas ou novas atividades a serem realizadas nos próximos meses como: Aquisição de Imagens no IPqM Fornecimento de características do vídeo radar aos demais grupos Realização dos experimentos para Redes Construtivas utilizando dados da Marinha Produção do Radar Scan Converter (Concluído) Estudo do Sistema de Carta Náutica desenvolvido no primeiro ano. Rotulação de objetos através de segmentação manual Aquisição de imagens de radar a bordo de navios da Marinha Visitas técnicas aos demais grupos integrantes do projeto 6.6 Cronograma A tabela a seguir, define o cronograma associado com as tarefas futuras a serem executadas.

8 Período Atividade Equipe 09/97-08/98 Aquisição de Imagens no IPqM Maurício de Menezes Cordeiro, César Barreto, José Ricardo Potier, Mark 09/97-08/98 Fornecimento de características do vídeo radar aos demais grupos 09/97-08/98 Realização dos experimentos para Redes Construtivas utilizando dados da Marinha até 10/97 Produção do Radar Scan Converter (Concluído) 09/97-10/97 Estudo do Sistema de Carta Náutica desenvolvido no primeiro ano. 09/97-12/97 Rotulação de objetos através de segmentação manual 11/97-08/97 Aquisição de imagens de radar a bordo de navios da Marinha 12/97,01/98, 03/98,05/98, 07/98 Visitas técnicas aos demais grupos integrantes do projeto Matkovsky, Milton Ferreira Maurício de Menezes Cordeiro, César Barreto, José Ricardo Potier, Mark Matkovsky, Milton Ferreira Maurício de Menezes Cordeiro, César Barreto, José Ricardo Potier, Mark Matkovsky, Milton Ferreira Maurício de Menezes Cordeiro, César Barreto, José Ricardo Potier, Mark Matkovsky, Milton Ferreira Maurício de Menezes Cordeiro, César Barreto, José Ricardo Potier, Mark Matkovsky, Milton Ferreira Maurício de Menezes Cordeiro, César Barreto, José Ricardo Potier, Mark Matkovsky, Milton Ferreira Maurício de Menezes Cordeiro, César Barreto, José Ricardo Potier, Mark Matkovsky, Milton Ferreira Maurício de Menezes Cordeiro, César Barreto, José Ricardo Potier, Mark Matkovsky, Milton Ferreira 7. Módulo de Processamento de Imagens As imagens coletadas pela placa de aquisição de imagens são passadas para o segundo módulo do SAPRI que objetiva o tratamento inicial das imagens armazenadas. Neste módulo, as etapas a serem executadas correspondem ao pré-processamento de baixo nível e ao pré-processamento de alto nível. No processamento de baixo nível, o objetivo é realizar operações de filtragem e refinamento com o intuito de eliminar distorções e ruídos. No processamento de alto nível, o objetivo é realizar o processo de atenção seletiva, segmentação dos objetos na imagem para que possam ser passados para o módulo de reconhecimento e extração de características relevantes das imagens. O conjunto de características selecionadas deve apresentar propriedades que sejam invariantes a certas condições como rotação, translação e escala dos padrões. 7.1 Equipe de Trabalho A equipe de trabalho neste módulo é liderada pelos pesquisadores: Alejandro Frery Orgambide (DI-UFPE) Neucimar Jerônimo Leite (IC-UNICAMP)

9 contando ainda com a colaboração do Prof. Díbio Leandro Borges (EEE-UFG) que também passou a integrar a equipe do SAPRI após o início formal do projeto. 7.2 Atividades Desenvolvidas As atividades neste módulo do projeto se intensificaram de forma significativa apenas nas últimas semanas uma vez que o Prof. Neucimar Leite, um dos principais pesquisadores a atuar nesta etapa do sistema, estava desenvolvendo anteriormente atividades fortemente voltadas para o desenvolvimento da Carta Náutica Eletrônica. Com a finalização dos trabalhos com a Carta Náutica, o Prof. Neucimar junto com o Prof. Alejandro Frery, que passou a integrar a equipe do SAPRI depois do projeto ter iniciado, iniciaram os estudos para o desenvolvimento dos algoritmos de processamento das imagens. Neste sentido, as tarefas realizadas neste módulo até o momento compreendem uma análise inicial das imagens de radar objetivando o refinamento das imagens e a segmentação automática dos objetos. Com respeito ao processo de extração de características foram consideradas algumas possíveis técnicas como Momentos e Transformadas Ortogonais. 7.3 Metas Atingidas As metas alcançadas são apresentadas abaixo: Análise inicial dos dados. Considerações iniciais sobre os métodos para melhoria da qualidade das imagens e segmentação. Considerações iniciais sobre os métodos para extração de características. 7.4 Atividades Futuras Na próxima fase do trabalho serão consideradas técnicas modernas de processamento visando, entre outras, à melhoria da qualidade destas imagens (filtragem), assim como uma análise da possibilidade de reconhecimento de algumas de suas componentes a partir da sua representação original. A teoria de Morfologia Matemática será priorizada nesta abordagem e uma análise estatística das imagens está sendo iniciada. De acordo com estes objetivos, as tarefas a serem executadas podem ser assim descritas: Comparação dos resultados obtidos. Análise da teoria morfológica associada ao problema do ruído de imagens de radar

10 Desenvolvimento de operadores morfológicos visando a filtragem da imagem; implementação de alguns operadores e análise dos resultados Estudo de transformações morfológicas e sua possível aplicação na representação de imagens de radar Implementação dos algoritmos eleitos e análise geral dos resultados Análise das vantagens e desvantagens de diversas técnicas de segmentação para o problema em questão Implantação da plataforma ENVI/IDL com módulo de classificação Markoviana Geração de segmentações utilizando as abordagens propostas; refinamento morfológico das segmentações 7.5 Cronograma Abaixo é apresentado um cronograma associado com as atividades descritas acima, de forma separada para os integrantes do projeto lotados na UFPE e na UNICAMP, embora a sequência das atividades tenha sido definida de forma sincronizada. UFPE Período Atividade Equipe 11/97-2/98 Análise das vantagens e desvantagens Alejandro C. Frery de diversas técnicas de segmentação para o problema em questão 2/98 3/98 Implantação da plataforma ENVI/IDL Alejandro C. Frery com módulo de classificação Markoviana 04/98-05/98 Geração de segmentações utilizando Alejandro C. Frery, Neucimar J. Leite as abordagens propostas; refinamento morfológico das segmentações 06/98-08/98 Comparação dos resultados obtidos. Alejandro C. Frery, Neucimar J. Leite UNICAMP Período Atividade Equipe 09/97-11/97 Análise da teoria morfológica Neucimar J. Leite, Talita Borges Vicari associada ao problema do ruido de imagens de radar 11/97-02/98 Desenvolvimento de operadores Neucimar J. Leite, Talita Borges Vicari morfológicos visando a filtragem da imagem; implementação de alguns operadores e análise dos resultados 03/97-05/98 Estudo de transformações Neucimar J. Leite, Talita Borges Vicari morfológicas e sua possível aplicação na representação de imagens de radar 02/97-08/98 Implementacao dos algoritmos eleitos Neucimar J. Leite, Talita Borges Vicari

11 e analise geral dos resultados 8. Módulo de Reconhecimento O módulo de reconhecimento e interpretação de padrões é o responsável pelo reconhecimento automático de potenciais alvos a partir das imagens segmentadas no módulo de processamento. Diferentes métodos compõem o sistema de reconhecimento e interpretação de imagens, cada um com suas vantagens e desvantagens, através de uma estrutura combinadora de classificadores. Com a finalidade de extrair o máximo de cada um destes métodos, compensando as deficiências de uns para tarefas específicas com as vantagens de outros, foi definido que os métodos seriam integrados em uma arquitetura cooperativa que combina as respostas de diferentes classificadores de padrões para fornecer a decisão final do sistema. As Redes Neurais Artificiais são cada vez mais utilizadas em sistemas de reconhecimento automático de alvos (ATR - Automatic Target Recognition), sendo que o modelo mais comum é a arquitetura perceptron multi-camadas com algoritmo de treinamento backpropagation. Outras técnicas, como o reconhecimento estatístico de padrões, também são largamente empregadas. Os vetores de entrada para os métodos utilizados no Módulo de Reconhecimento são vetores de características representando padrões presentes nas imagens coletadas pelo radar. Esses vetores, podem corresponder, na verdade, à imagem bruta dos padrões segmentados ou características extraídas através de métodos tradicionais. Os padrões podem corresponder a nuvens, ilhas, pontes, embarcações, etc. A partir das imagens completas captadas pelo radar, cada objeto segmentado na imagem deve ser identificado (rotulado) pelo módulo de reconhecimento, passando a decisão de classificação para o módulo seguinte de Análise Tática. 8.1 Equipe de Trabalho O grupo de professores abaixo integram a equipe de pesquisadores do DI-UFPE, ICMSC-USP e EEE-UFG atualmente envolvidos no módulo de Reconhecimento do SAPRI. Uma parte dos professores está associada ao SAPRI desde o início da sua execução, enquanto outros (**) passaram a se envolver no projeto após o início formal do projeto. DI-UFPE Professores Prof. Germano C. Vasconcelos (Coordenador Geral do SAPRI) Prof. Edson C.B. Carvalho Filho Prof. Teresa Bernarda Ludermir

12 Prof. Alejandro Frery Orgambide (**) Prof. Paulo Jorge Adeodato (**) Pesquisadores Eduardo de Aguiar Sodré (MSc) - Bolsista DTI Fausto Dias de Oliveira Queiroz - Bolsista ITI ICMSC-USP Professores Profa. Roseli Franceli Romero (Afastada temporariamente para pós doutorado na Universidade de Carnegie Mellon, Estados Unidos) Prof. André Carlos Ponce de Leon F. de Carvalho (coordenador local) Pesquisadores Elson Felix Mendes Filho - Bolsista DTI Paulo Sérgio Prampero - Bolsista de mestrado pelo CNPq Ernesto Cuadros Vargas - Bolsista de mestrado pela CAPES Humberto Souza - Bolsista ITI Murilo - Bolsista de IC pelo CNPq/PIBIC EEE-UFG Professores Prof. Weber Martins (coordenador local) Prof. Díbio Borges (**) Pesquisadores Goaimy Póvoa Filho - Bolsista ITI Flávia Borges de Faria - Bolsista ITI 8.2 Atividades Desenvolvidas Uma das principais atividades realizadas neste módulo compreendeu o desenvolvimento de estudos para a definição mais detalhada da estrutura da arquitetura do sistema de reconhecimento de imagens, dos modelos de classificadores a serem utilizados e a forma de combiná-los para a obtenção da resposta do sistema de reconhecimento. Diante deste objetivo, identificou-se que a idéia de combinação das respostas de diferentes métodos é uma das técnicas mais empregadas atualmente em sistemas para o Reconhecimento Automático de Alvos. A vantagem de tal arquitetura é possibilitar a obtenção de taxas de classificação corretas dos objetos mais elevadas pela compensação de deficiências entre modelos de diferentes características. Neste sentido, definiu-se que os três grupos de pesquisadores envolvidos neste módulo investigariam separadamente um subconjunto de modelos de classificadores em uma fase inicial e, em uma segunda etapa, os classificadores eleitos passariam a ser integrados num combinador final.

13 Foi definido o modelo de rede neural perceptron multi-camadas (MLP) como estrutura de referência para a comparação com os demais modelos. Pelo grupo do DI- UFPE foi iniciada a investigação do MLP a ser comparado com as redes Função de Base Radial (RBF) e Time-Delay Neural Network (TDNN). Pelo grupo do ICMSC-USP iniciou-se a investigação de Redes Neurais Construtivas juntamente com dois outros classificadores : o MLP e um classificador estatístico. Por parte da equipe da EEE-UFG ficou determinada a investigação dos modelos MLP como referência, Redes Neurais Booleanas do tipo GSN e o modelo LVQ (Learning Vector Quantization). Os resultados a serem obtidos com as redes isoladamente serão então comparados com os resultados obtidos com o modelo integrado. A partir de uma base de imagens pré-segmentadas e rotuladas produzida ao IPqM foram iniciados os procedimentos para a experimentação dos modelos de redes neurais. Nesta primeira fase, um conjunto de resultados estão sendo atualmente desenvolvidos de classificação das imagens com os resultados a serem disponibilizados em breve. De uma forma mais pontual, podemos destacar as seguintes atividades realizadas dentro do módulo de reconhecimento neste primeiro ano: Definição da estrutura geral do Sistema de Reconhecimento de Imagens de Radar e dos modelos de Redes Neurais MLP, RBF e TDNN a serem implementados pelo DI-UFPE no módulo de reconhecimento. Bem como definição em conjunto com os grupos do ICMSC - USP e EEE - UFG dos modelos de Redes Neurais Construtivas e Classificador Estatístico investigados pelo grupo do ICMSC - USP e dos modelos LVQ e RBF a serem implementados pelo grupo do EEE - UFG. Os modelos que estão sendo implementados serão integrados em um modelo híbrido para o reconhecimento de imagens. Viagem no Porta Aviões NAeL Minas Gerais no trecho de Maceió a Salvador dos Profs. Germano Vasconcelos e Edson Carvalho Filho para a aquisição de informacões sobre os procedimentos de reconhecimento de imagens de radar em operação no projeto SICONTA da Marinha. Definição da estrutura, elaboração e implementação da homepage do SAPRI realizada pelo Prof. Germano Vasconcelos e do bolsista Fausto de Oliveira Queiroz. Participação do Prof. Germano Vasconcelos nas I Jornadas Latino-Americanas de Percepcion Remotas de Imagens de Radar em Buenos Aires, Argentina, de 1 a 5 de dezembro de Participação do Prof. Germano Vasconcelos no AEROSENSE 97 International Annual Symposium da International Society for Optical Engineering (SPIE) em Orlando, Estados Unidos em Abril de 1997, e nos minicursos de relevância para o projeto SAPRI na área de Reconhecimento Automático de Alvos.

14 Automatic Target Recognition Using Artificial Neural Networks Fundamentals of Automatic Target Recognition Refinamento da estrutura do sistema híbrido de reconhecimento de imagens, previamente definido, baseado em conhecimentos adquiridos no AEROSENSE 97 sobre as estratégias mais empregadas atualmente para as tarefas de processamento, segmentação, extração de características e reconhecimento de alvos. Definições sobre a plataforma integrada de hardware e software para o Sistema SAPRI pelo Prof. Edson Carvalho Filho (atividade em andamento). Discussões técnicas referentes as tarefas de processamento e segmentação das imagens de radar realizada pelos Profs. Gemano Vasconcelos e Alejandro Frery e atualmente em investigação por este último. Visita para intercâmbio técnico e discussões administrativas ao Instituto de Pesquisas da Marinha de 04 a 05 de Junho 1997 dos pesquisadores Germano Vasconcelos e Edson Carvalho Filho. Apresentação para o grupo de IPqM da necessidade de elaboração de uma base de dados de imagens rotuladas e segmentadas extraídas pelo radar da Marinha para compor um conjunto de treinamento e teste dos modelos de reconhecimento em desenvolvimento. Especificação das características da massa de dados de objetos a serem segmentados manualmente. Visita para intercâmbio técnico e discussões administrativos ao Instituto de Pesquisas da Marinha de 24 a 26 de Junho 1997 do pesquisador Germano Vasconcelos. Início do desenvolvimento de um simulador de Redes Neurais Ontogênicas (Construtivas) pelo grupo do ICMSC-USP. Investigação pelo grupo do ICMSC-USP do desempenho obtido pela combinação de diferentes classificadores para reconhecimento de padrões. Diversas técnicas de combinação foram investigadas, resultando em um relatório técnico. Investigação pelo grupo do ICMSC-USP da otimização de Redes Neurais Artificiais utilizando Algoritmos Genéticos. Defesa de uma Dissertação de Mestrado Orientada pelo Prof. André de Carvalho em julho de 1996, que investigou a Otimização de Redes Neurais Artificiais utilizando Algoritmos Genéticos.

15 8.3 Atividades em Desenvolvimento Experimentação e teste do modelo de Redes Neurais MLP pelo grupo da UFPE com arquiteturas já definidas no conjunto de imagens rotuladas de objetos gerado pelo grupo do IPqM. Estabelecimento de comparação entre os resultados obtidos com os diferentes modelos e refinamento dos modelos. Finalização pelo grupo do ICMSC-USP de um simulador ontogênico para desenvolvimento e simulação de Redes Neurais Construtivas. Orientação pelo Prof. André de Carvalho de uma Dissertação de Mestrado em Redes Neurais Construtivas. Autor: Ernesto Cuadros Vargas. Otimização de arquiteturas neurais, tanto via Redes Construtivas como via Algoritmos Genéticos pelo grupo do ICMSC-USP. Orientação pelo Prof. André de Carvalho de uma Dissertação Mestrado sobre o tema de combinação de classificadores. Paulo Sérgio Prampero. Montagem do Laboratório de Sistemas Inteligentes para sediar o desenvolvimento do projeto dentro da UFG (ainda falta acesso internet). Experimentação e teste do modelo de Redes Neurais LVQ pelo grupo da UFG com arquiteturas já definidas no conjunto de imagens rotuladas de objetos gerado pelo grupo do IPqM. Implementação de simuladores flexíveis de classificadores baseados em redes neurais booleanas (em particular, nos modelos GSN e ALN) e algoritmos genéticos na UFG. Busca por referências bibliográficas sobre os assuntos de interesse do grupo e do projeto. Pesquisa inicial sobre multi-agentes para efeito de integração dos diferentes classificadores por meio de revisão bibliográfica e implantação de simulação. 8.4 Metas Atingidas De acordo com os objetivos definidos originalmente no projeto, foram as seguintes as metas alcançadas no primeiro ano:

16 Análise da adequação de diferentes modelos de Redes Neurais, Reconhecimento Estatístico de Padrões e outras técnicas como Algoritmos Genéticos e Lógica Nebulosa. Investigação de técnicas de integração dos classificadores e definição da estrutura final do sistema combinador de classificadores. Análise e confecção da base inicial de dados para experimentação dos modelos. Início dos experimentos de classificação com modelos diferentes pela três instituições envolvidas no módulo de reconhecimento. 8.5 Atividades Futuras Realização dos experimentos para Redes Neurais do tipo RBF utilizando os dados rotulados da Marinha. Realização dos experimentos para Redes Neurais do tipo TDNN Refinamento dos experimentos com técnicas de extração de características. Testes finais e preparação da documentação do simulador de Redes Neurais Construtivas Realização dos experimentos para Redes Construtivas Realização dos experimentos com técnicas estatísticas de reconhecimento de padrões Refinamento dos experimentos com técnicas de extração de características. Implementação de modelos Booleanos de Redes Neurais em MATLAB e avaliação com os dados da Marinha Realização dos experimentos para Combinação de Estimadores utilizando dados da Marinha Preparação de Relatório sobre Combinação de Estimadores Otimização de Redes Neurais utilizando Algoritmos Genéticos utilizando dados da Marinha Integração do Módulo de Reconhecimento para o SAPRI e preparação do relatório final 8.6 Cronograma UFPE Período Atividade Equipe 08/97-11/97 Análise das imagens de radar rotuladas e confecção da base experimental Germano Vasconcelos, Paulo Adeodato, Teresa Ludermir, Eduardo Sodré, Fausto Queiroz

17 11/97-03/98 Realização dos experimentos para Redes Neurais do tipo MLP 02/98-04/98 Realização dos experimentos para Redes Neurais do tipo RBF 04/98-05/98 Realização dos experimentos para Redes Neurais do tipo TDNN 06/98-07/98 Refinamento dos experimentos com técnicas de extração de características 06/97-07/98 Realização dos experimentos para combinação dos estimadores usando dados adicionais da Marinha 08/98-08/98 Preparação de relatório sobre Combinação de Estimadores 07/98-08/98 Integração do Módulo de Reconhecimento para o SAPRI e preparação do relatório final Germano Vasconcelos, Paulo Adeodato, Teresa Ludermir, Eduardo Sodré, Fausto Queiroz Germano Vasconcelos, Paulo Adeodato, Teresa Ludermir, Eduardo Sodré, Fausto Queiroz Germano Vasconcelos, Paulo Adeodato, Teresa Ludermir, Eduardo Sodré, Fausto Queiroz Germano Vasconcelos, Paulo Adeodato, Teresa Ludermir, Eduardo Sodré, Fausto Queiroz Germano Vasconcelos, Paulo Adeodato, Teresa Ludermir, Eduardo Sodré, Fausto Queiroz Germano Vasconcelos, Paulo Adeodato, Teresa Ludermir, Eduardo Sodré, Fausto Queiroz Germano Vasconcelos, Paulo Adeodato, Teresa Ludermir, Eduardo Sodré, Fausto Queiroz USP Período Atividade Equipe 10/97-12/97 Conclusão do simulador para Redes Neurais Ontogênicas 12/97-03/98 Testes e preparação de Documentação do simulador 02/97-07/98 Realização dos experimentos para Redes Construtivas utilizando dados da Marinha 10/97-03/98 Utilização de técnicas estatísticas de Reconhecimento de Padrões com os dados da Marinha 10/97-02/98 Realização dos experimentos para Combinação de Estimadores utilizando dados da Marinha 01/97-03/98 Preparação de Relatório sobre Combinação de Estimadores 02/98-05/98 Otimização de Redes Neurais utilizando Algoritmos Genéticos utilizando dados da Marinha 06/98-08/98 Preparação do Relatório final e dos módulos de Reconhecimento de Padrões para o SAPRI UFG Ernesto Cuadro Vargas, Humberto Costa de Souza e André de Carvalho Ernesto Cuadro Vargas, Humberto Costa de Souza e André de Carvalho Ernesto Cuadro Vargas, Humberto Costa de Souza e André de Carvalho Paulo Sérgio Prampero, Murilo Machado Brizzotti, Elson Mendes Filho e André de Carvalho Paulo Sérgio Prampero, Murilo Machado Brizzotti, Elson Mendes Filho e André de Carvalho Paulo Sérgio Prampero, Murilo Machado Brizzotti, Elson Mendes Filho e André de Carvalho Elson Mendes Filho e André de Carvalho Ernesto Cuadro Vargas, Humberto Costa de Souza, Paulo Sérgio Prampero, Murilo Machado Brizzotti, Elson Mendes Filho e André de Carvalho

18 Período Atividade Equipe 10/97-12/97 Teste e Avaliação dos Algoritmos LVQ e RBF com os dados da Marinha (dados fornecidos no Workshop do Rio) 12/97-05/98 Refinamento dos Extratores de Características por Correlação e Algorítmos Genéticos 08/97-05/98 Implementação de modelos booleanos de Redes Neurais em MATLAB e avaliação com os dados da Marinha Díbio L. Borges e Weber Martins Díbio L. Borges, Weber Martins, Flávia Borges, Goiamy Póvoa Filho Díbio L. Borges, Weber Martins, Flávia Borges, Goiamy Póvoa Filho 05/98-06/98 Preparação de Relatório Parcial Díbio L. Borges, Weber Martins, Flávia Borges, Goiamy Póvoa Filho 06/98-07/98 Otimização de modelos usando dados da Marinha (versão ampliada dos dados da Marinha) Díbio L. Borges, Weber Martins, Flávia Borges, Goiamy Póvoa Filho 07/98-08/98 Preparação do Relatório final Díbio L. Borges, Weber Martins, Flávia Borges, Goiamy Póvoa Filho 9. Módulo de Carta Náutica Eletrônica Este módulo do projeto refere-se, mais precisamente, à implementação de um sistema de auxílio à navegação (carta náutica eletrônica) a ser utilizado no auxílio aos outros módulos do projeto ou para consulta de informações individualmente pelos operadores das imagens de radar. As tarefas neste módulo ficaram a cargo do IC- UNICAMP cuja equipe encontra-se abaixo relacionada. 9.1 Equipe de Trabalho A equipe do IC-UNICAMP é composta por: Prof. Neucimar J. Leite (coordenador local) O aluno de mestrado Marcus Vinícius S. Roberto (bolsista da Marinha do Brasil), A aluna de graduação Talita Borges Vicari com bolsa categoria ITI. 9.2 Atividades Desenvolvidas O trabalho realizado consistiu da implementação de um protótipo de uma carta náutica eletrônica contendo toda a funcionalidade requerida por um tal sistema. Inicialmente, foi realizado um estudo sobre estruturas e modelos de representação dos

19 dados cartográficos, bem como sobre as técnicas de processamento de imagens usadas na transformação/ representação destes dados. Foram considerados métodos voltados a aspectos de navegação e planejamento que influenciaram na especificação da interface operacional do sistema. A seguir, foram definidos o modelo dos dados e as suas operações básicas. A modelagem é feita, neste caso, considerando-se um banco de dados relacional que armazena tanto os dados geográficos quanto os operacionais. A última fase do trabalho define um sistema de processamento digital de imagens cujo objetivo é o aproveitamento de cartas náuticas impressas como fontes de dados para o sistema eletrônico. A ênfase é dada ao processamento das imagens de cartas náuticas digitalizadas e à obtenção das coordenadas geográficas dos componentes de interesse nelas representados. 9.3 Metas Atingidas Dentro da tarefas especificadas para este módulo do sistema pode-se concluir todas as atividades foram concluidas neste primeiro ano do projeto, estando o protótipo de carta náutica completamente operacional funcionando para plataformas PC. O protótipo implementado é executado em ambiente Windows. As metas atingidas podem ser enunciadas de forma mais detalhada como sendo: Análise das operações de processamento de imagens Desenvolvimento e validação de estruturas de dados Implementação protótipo (sub-módulo) do processamento de baixo nível. Implementação de fatores específicos tais como : geográficos, acompanhado, informação e cálculo, controle de pano de fundo, etc. 9.4 Atividades Futuras As atividades futuras no que diz respeito a este módulo podem ser resumidas basicamente em três atividades gerais, que compreendem: Estudo das características do protótipo desenvolvido para integração com os módulos do sistema SAPRI. Definição de um conjunto de operações básicas a serem realizadas de auxílio aos outros módulos do SAPRI. Experimentação e teste da Carta Náutica operando dentro do sistema integrado.

20 9.5 Cronograma Período Atividade Equipe 09/97-01/98 Estudo das características do protótipo desenvolvido para integração com os módulos do sistema SAPRI 01/98-02/98 Definição de um conjunto de operações básicas a serem realizadas de auxílio aos outros módulos do SAPRI. 03/97-08/98 Experimentação e teste da Carta Náutica operando dentro do sistema integrado José Ricardo Potier. Com auxílio de Neucimar Leite e Marcus Vinícius S. Roberto José Ricardo Potier. Com auxílio de Neucimar Leite e Marcus Vinícius S. Roberto José Ricardo Potier. Com auxílio de Neucimar Leite e Marcus Vinícius S. Roberto 9.6 Conclusões Neste período foi desenvolvida a base do módulo relativo à carta náutica eletrônica. Um protótipo do sistema já está sendo testado pela Marinha do Brasil com excelentes resultados. Este módulo pode ser expandido, adaptando-se às necessidades específicas da sua utilização. Algoritmos de filtragem morfológicos serão associados às imagens radar, nesta segunda etapa do projeto, considerando-se a necessidade de preservação das características essenciais do sinal. 10. Módulo de Análise Tática O módulo de análise tática é responsável por receber informação do sistema de reconhecimento como a classe a que pertence os objetos presentes na imagem de radar e por fornecer a partir deste momento informações sobre a trajetória e o acompanhamento dos objetos de interesse identificados na imagem. Esta etapa do projeto ficou destacada a cargo do grupo do Instituto de Informática da UFRGS constituído dos pesquisadores abaixo relacionados Equipe de Trabalho Prof. Dante Augusto Couto Barone (Coordenador Local) André Marcelo Schneider (Aluno Mestrado)

PLATAFORMA URBANMOB Aplicativo para captura de trajetórias urbanas de objetos móveis

PLATAFORMA URBANMOB Aplicativo para captura de trajetórias urbanas de objetos móveis PLATAFORMA URBANMOB Aplicativo para captura de trajetórias urbanas de objetos móveis Gabriel Galvão da Gama 1 ; Reginaldo Rubens da Silva 2 ; Angelo Augusto Frozza 3 RESUMO Este artigo descreve um projeto

Leia mais

Automação de Bancada Pneumática

Automação de Bancada Pneumática Instituto Federal Sul-rio-grandense Campus Pelotas - Curso de Engenharia Elétrica Automação de Bancada Pneumática Disciplina: Projeto Integrador III Professor: Renato Allemand Equipe: Vinicius Obadowski,

Leia mais

tipos de métodos, técnicas de inteligência artificial e técnicas de otimização. Por fim, concluise com as considerações finais.

tipos de métodos, técnicas de inteligência artificial e técnicas de otimização. Por fim, concluise com as considerações finais. 1. Introdução A previsão de vendas é fundamental para as organizações uma vez que permite melhorar o planejamento e a tomada de decisão sobre o futuro da empresa. Contudo toda previsão carrega consigo

Leia mais

XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil

XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil José Monteiro Lysandro Junior Light Serviços de Eletricidade S/A jose.monteiro@light.com.br

Leia mais

Título Utilização de Software Livre Terralib para o Cadastro de Redes de Água e Esgoto. Tema: Sistema de Informações Geográficas - SIG

Título Utilização de Software Livre Terralib para o Cadastro de Redes de Água e Esgoto. Tema: Sistema de Informações Geográficas - SIG Título Utilização de Software Livre Terralib para o Cadastro de Redes de Água e Esgoto Tema: Sistema de Informações Geográficas - SIG Autor/apresentador Eng. José Maria Viillac Pinheiro Currículo Sócio

Leia mais

3 Estado da arte em classificação de imagens de alta resolução

3 Estado da arte em classificação de imagens de alta resolução 37 3 Estado da arte em classificação de imagens de alta resolução Com a recente disponibilidade de imagens de alta resolução produzidas por sensores orbitais como IKONOS e QUICKBIRD se tornou-se possível

Leia mais

Nathalie Portugal Vargas

Nathalie Portugal Vargas Nathalie Portugal Vargas 1 Introdução Trabalhos Relacionados Recuperação da Informação com redes ART1 Mineração de Dados com Redes SOM RNA na extração da Informação Filtragem de Informação com Redes Hopfield

Leia mais

ANÁLISE DE PRÉ-PROCESSAMENTO NO DESEMPENHO DE PREVISÃO DE SÉRIES TEMPORAIS FINANCEIRAS

ANÁLISE DE PRÉ-PROCESSAMENTO NO DESEMPENHO DE PREVISÃO DE SÉRIES TEMPORAIS FINANCEIRAS Universidade Federal de Pernambuco Centro de Informática Graduação em Ciência da Computação ANÁLISE DE PRÉ-PROCESSAMENTO NO DESEMPENHO DE PREVISÃO DE SÉRIES TEMPORAIS FINANCEIRAS PROPOSTA DE TRABALHO DE

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO PROJETOS DIGITAIS

PÓS-GRADUAÇÃO PROJETOS DIGITAIS PÓS-GRADUAÇÃO PROJETOS DIGITAIS Coordenadora: Pedro Segreto 06/04/2015 > 09/2016 400 horas Idioma: Português Aulas: Segundas e quartas das 19h30 às 22h30 PÚBLICO-ALVO Profissionais e pesquisadores das

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Massas Nodulares, Classificação de Padrões, Redes Multi- Layer Perceptron.

PALAVRAS-CHAVE: Massas Nodulares, Classificação de Padrões, Redes Multi- Layer Perceptron. 1024 UMA ABORDAGEM BASEADA EM REDES PERCEPTRON MULTICAMADAS PARA A CLASSIFICAÇÃO DE MASSAS NODULARES EM IMAGENS MAMOGRÁFICAS Luan de Oliveira Moreira¹; Matheus Giovanni Pires² 1. Bolsista PROBIC, Graduando

Leia mais

Doenças cardiovasculares constituem um dos maiores problemas que afligem a

Doenças cardiovasculares constituem um dos maiores problemas que afligem a 18 1 INTRODUÇÃO Doenças cardiovasculares constituem um dos maiores problemas que afligem a população dos países industrializados. Essas doenças são responsáveis por mais de cinco milhões de pessoas hospitalizadas

Leia mais

1 Introdução 1.1. Segurança em Redes de Computadores

1 Introdução 1.1. Segurança em Redes de Computadores 1 Introdução 1.1. Segurança em Redes de Computadores A crescente dependência das empresas e organizações modernas a sistemas computacionais interligados em redes e a Internet tornou a proteção adequada

Leia mais

Ciências da Computação Disciplina:Computação Gráfica

Ciências da Computação Disciplina:Computação Gráfica Ciências da Computação Disciplina:Computação Gráfica Professora Andréia Freitas 2012 7 semestre Aula 02 (1)AZEVEDO, Eduardo. Computação Gráfica, Rio de Janeiro: Campus, 2005 (*0) (2) MENEZES, Marco Antonio

Leia mais

SISTEMA COMPUTACIONAL PARA ANÁLISES DE DADOS EM AGRICULTURA DE PRECISÃO

SISTEMA COMPUTACIONAL PARA ANÁLISES DE DADOS EM AGRICULTURA DE PRECISÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO INSTITUTO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA PROJETO SISTEMA COMPUTACIONAL PARA ANÁLISES DE DADOS EM AGRICULTURA DE PRECISÃO ALUNO RICARDO CARDOSO TERZELLA

Leia mais

Reconhecimento de Dados Biométricos em Larga Escala

Reconhecimento de Dados Biométricos em Larga Escala Reconhecimento de Dados Biométricos em Larga Escala Profa. Fabíola Gonçalves Pereira Greve DCC - UFBA Departamento de Ciência da Computação Grupo de Algoritmos e Computação Distribuída http:// Equipe Profa.

Leia mais

Desenvolvimento de Novos Produtos e Serviços para a Área Social

Desenvolvimento de Novos Produtos e Serviços para a Área Social Programa 0465 SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO - INTERNET II Objetivo Incrementar o grau de inserção do País na sociedade de informação e conhecimento globalizados. Público Alvo Empresas, usuários e comunidade

Leia mais

UNIVERSIDADE F EDERAL DE P ERNAMBUCO ANÁLISE DE UM MÉTODO PARA DETECÇÃO DE PEDESTRES EM IMAGENS PROPOSTA DE TRABALHO DE GRADUAÇÃO

UNIVERSIDADE F EDERAL DE P ERNAMBUCO ANÁLISE DE UM MÉTODO PARA DETECÇÃO DE PEDESTRES EM IMAGENS PROPOSTA DE TRABALHO DE GRADUAÇÃO UNIVERSIDADE F EDERAL DE P ERNAMBUCO GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CENTRO DE INFORMÁTICA 2010.2 ANÁLISE DE UM MÉTODO PARA DETECÇÃO DE PEDESTRES EM IMAGENS PROPOSTA DE TRABALHO DE GRADUAÇÃO Aluno!

Leia mais

Banco de Dados Multimídia

Banco de Dados Multimídia Banco de Dados Multimídia Nomes: Ariane Bazilio Cristiano de Deus Marcos Henrique Sidinei Souza Professor Mauricio Anderson Perecim Conteúdo Banco de Dados Multimídia... 3 Conceitos... 3 Descrição... 3

Leia mais

Avaliação de técnicas de seleção de quadros-chave na recuperação de informação por conteúdo visual

Avaliação de técnicas de seleção de quadros-chave na recuperação de informação por conteúdo visual Avaliação de técnicas de seleção de quadros-chave na recuperação de informação por conteúdo visual Shênia Salvador de Pinho, Kleber J. F. Souza Instituto de Ciências Exatas e Informática PUC Minas Guanhães,

Leia mais

P R O J E T O D E P E S Q U I S A IDENTIFICAÇÃO

P R O J E T O D E P E S Q U I S A IDENTIFICAÇÃO M I N I S T É R I O D A E D U C A Ç Ã O UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO P ró-reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Universidade Federal de Ouro Preto P R O J E T O D E P E S Q U I S A IDENTIFICAÇÃO Título:

Leia mais

SVM Support Vector Machine

SVM Support Vector Machine SVM Support Vector Machine Ø Introduction Ø Application to Indoor Localization (MLP x LVQ x SVM) Laboratório de Automação e Robótica - A. Bauchspiess Soft Computing - Neural Networks and Fuzzy Logic SVM

Leia mais

Um processo para construção de software mais transparente

Um processo para construção de software mais transparente Um processo para construção de software mais transparente Eduardo Almentero 1, and Julio Cesar Sampaio do Prado Leite 1 1 Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, PUC - Rio, Brasil {ealmentero,

Leia mais

Aprendizagem de Máquina

Aprendizagem de Máquina Aprendizagem de Máquina Alessandro L. Koerich Programa de Pós-Graduação em Informática Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) Horários Aulas Sala [quinta-feira, 7:30 12:00] Atendimento Segunda

Leia mais

OBJETIVOS. Aplicar técnicas de inteligência artificial na solução de problemas de controle e automação. EMENTA

OBJETIVOS. Aplicar técnicas de inteligência artificial na solução de problemas de controle e automação. EMENTA Curso: ENGENHARIA ELÉTRICA Unidade Curricular: INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL Professor(es): HANS ROLF KULITZ Período Letivo: OPTATIVA Carga Horária: 30 h TEÓRICAS E 30 h PRÁTICA OBJETIVOS Geral: Aplicar técnicas

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA MODALIDADE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (BOLSA PIC/FACIT/FAPEMIG)

PROJETO DE PESQUISA MODALIDADE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (BOLSA PIC/FACIT/FAPEMIG) PROJETO DE PESQUISA MODALIDADE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (BOLSA PIC/FACIT/FAPEMIG) MONTES CLAROS FEVEREIRO/2014 COORDENAÇÃO DE PESQUISA PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DISPOSITIVOS MÓVEIS INTELIGENTES ORIENTADOR:

Leia mais

Na medida em que se cria um produto, o sistema de software, que será usado e mantido, nos aproximamos da engenharia.

Na medida em que se cria um produto, o sistema de software, que será usado e mantido, nos aproximamos da engenharia. 1 Introdução aos Sistemas de Informação 2002 Aula 4 - Desenvolvimento de software e seus paradigmas Paradigmas de Desenvolvimento de Software Pode-se considerar 3 tipos de paradigmas que norteiam a atividade

Leia mais

Palavras-chave: Sistema neuro-fuzzy, Sistemas de avaliação, Sistemas Adaptativos.

Palavras-chave: Sistema neuro-fuzzy, Sistemas de avaliação, Sistemas Adaptativos. ANÁLISE DO CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA NA UERJ A PARTIR DE INDICADORES CONSTRUÍDOS BASEADOS NO EXAME NACIONAL DE CURSOS: UM SISTEMA NEBULOSO DE AVALIAÇÃO Maria Luiza F. Velloso mlfv@centroin.com.br Universidade

Leia mais

CAPITULO 4 A ARQUITETURA LÓGICA PARA O AMBIENTE

CAPITULO 4 A ARQUITETURA LÓGICA PARA O AMBIENTE CAPITULO 4 A ARQUITETURA LÓGICA PARA O AMBIENTE A proposta para o ambiente apresentada neste trabalho é baseada no conjunto de requisitos levantados no capítulo anterior. Este levantamento, sugere uma

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO - PRÓ-REITORIA PARA ASSUNTOS ACADÊMICOS CURRÍCULO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO PERFIL

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO - PRÓ-REITORIA PARA ASSUNTOS ACADÊMICOS CURRÍCULO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO PERFIL PERFIL 3001 - Válido para os alunos ingressos a partir de 2002.1 Disciplinas Obrigatórias Ciclo Geral Prát IF668 Introdução à Computação 1 2 2 45 MA530 Cálculo para Computação 5 0 5 75 MA531 Álgebra Vetorial

Leia mais

Localização de placas em imagens de veículos. Resumo

Localização de placas em imagens de veículos. Resumo Localização de placas em imagens de veículos Geovane Hilário Linzmeyer Curso de Inteligência Computacional Pontifícia Universidade Católica do Paraná Curitiba, dezembro de 2005 Resumo Um dos maiores problemas

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Design de Interiores e Decoração. Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix Belo Horizonte MG - Brasil

Curso Superior de Tecnologia em Design de Interiores e Decoração. Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix Belo Horizonte MG - Brasil Curso Superior de Tecnologia em Design de Interiores e Decoração Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix Belo Horizonte MG - Brasil Área de Interesse: Meio de divulgação via Internet Site na Web

Leia mais

Modernização do Sistema de Controle e Monitoração da Propulsão e Auxiliares das Fragatas Classe Niterói. Uma Grande Experiência de Engenharia

Modernização do Sistema de Controle e Monitoração da Propulsão e Auxiliares das Fragatas Classe Niterói. Uma Grande Experiência de Engenharia Modernização do Sistema de Controle e Monitoração da Propulsão e Auxiliares das Fragatas Classe Niterói. Uma Grande Experiência de Engenharia Autor: Leopoldo Jorge de Souza, MSEE, Capitão de Mar e Guerra

Leia mais

Fatores humanos/inteligência artificial/confiabilidade humana/engenharia de Resiliência

Fatores humanos/inteligência artificial/confiabilidade humana/engenharia de Resiliência TEMA IEN 3 1 DESCRIÇÃO. TEMA PROPOSTO: Desenvolvimento de Tecnologia para Sistemas Complexos ÁREA DE PESQUISA: Fatores humanos/inteligência artificial/confiabilidade humana/engenharia de Resiliência PROCESSO

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DE UM AMBIENTE DE ALTA DISPONIBILIDADE DE REDE E MONITORAÇÃO DINÂMICA DE INFRAESTRUTURA EM SERVIDORES WEB.

IMPLANTAÇÃO DE UM AMBIENTE DE ALTA DISPONIBILIDADE DE REDE E MONITORAÇÃO DINÂMICA DE INFRAESTRUTURA EM SERVIDORES WEB. IMPLANTAÇÃO DE UM AMBIENTE DE ALTA DISPONIBILIDADE DE REDE E MONITORAÇÃO DINÂMICA DE INFRAESTRUTURA EM SERVIDORES WEB. Marllus de Melo Lustosa (bolsista do PIBIC/UFPI), Luiz Cláudio Demes da Mata Sousa

Leia mais

Redes neurais aplicadas na identificação de variedades de soja

Redes neurais aplicadas na identificação de variedades de soja Redes neurais aplicadas na identificação de variedades de soja Fábio R. R. Padilha Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul - UNIJUÍ Rua São Francisco, 5 - Sede Acadêmica, 987-,

Leia mais

O USO DE UM SENSOR DE LUZ LINEAR COMO RECURSO DIDÁTICO PARA DEMONSTRAR PRINCÍPIOS DE DIFRAÇÃO E ESPECTROSCOPIA

O USO DE UM SENSOR DE LUZ LINEAR COMO RECURSO DIDÁTICO PARA DEMONSTRAR PRINCÍPIOS DE DIFRAÇÃO E ESPECTROSCOPIA Quim. Nova, Vol. 38, No. 3, S1-S6, 2015 O USO DE UM SENSOR DE LUZ LINEAR COMO RECURSO DIDÁTICO PARA DEMONSTRAR PRINCÍPIOS DE DIFRAÇÃO E ESPECTROSCOPIA Fernando Arruda Mendes de Oliveira a,b, Eduardo Ribeiro

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA (I)

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA (I) UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE BIOSSISTEMAS DISCIPLINA: LEB450 TOPOGRAFIA E GEOPROCESSAMENTO II PROF. DR. CARLOS ALBERTO VETTORAZZI

Leia mais

Visão computacional no reconhecimento de formas e objetos

Visão computacional no reconhecimento de formas e objetos Visão computacional no reconhecimento de formas e objetos Paula Rayane Mota Costa Pereira*, Josemar Rodrigues de Souza**, Resumo * Bolsista de Iniciação Científica da Faculdade de Tecnologia SENAI CIMATEC,

Leia mais

Projeto Integrador. Faculdade Senac

Projeto Integrador. Faculdade Senac Projeto Integrador Faculdade Senac Faculdade de Tecnologia SENAC Goiás adota o Projeto Integrador nos cursos da área de Tecnologia da Informação com o intuito de possibilitar ao aluno criação de um produto

Leia mais

Desenvolvimento do Módulo de Pré-processamento e Geração de Imagens de. Imagens de Teste do Sistema DTCOURO

Desenvolvimento do Módulo de Pré-processamento e Geração de Imagens de. Imagens de Teste do Sistema DTCOURO Desenvolvimento do Módulo de Pré-processamento e Geração de Imagens de Teste do Sistema DTCOURO Willian Paraguassu Amorim 27 de julho de 2005 1 Título Desenvolvimento do Módulo de Pré-processamento e Geração

Leia mais

SISTEMA VIRTUAL PARA GERENCIAMENTO DE OBJETOS DIDÁTICOS

SISTEMA VIRTUAL PARA GERENCIAMENTO DE OBJETOS DIDÁTICOS 769 SISTEMA VIRTUAL PARA GERENCIAMENTO DE OBJETOS DIDÁTICOS Mateus Neves de Matos 1 ; João Carlos Nunes Bittencourt 2 ; DelmarBroglio Carvalho 3 1. Bolsista PIBIC FAPESB-UEFS, Graduando em Engenharia de

Leia mais

Processamento de Imagem. Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com

Processamento de Imagem. Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Processamento de Imagem Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Visão Computacional Não existe um consenso entre os autores sobre o correto escopo do processamento de imagens, a

Leia mais

Vantagens da arquitetura LabVIEW RIO para aplicações de controle de movimento

Vantagens da arquitetura LabVIEW RIO para aplicações de controle de movimento 1 Vantagens da arquitetura LabVIEW RIO para aplicações de controle de movimento Rodrigo Schneiater Engenheiro de Vendas National Instruments Telles Soares Engenheiro de Sistemas National Instruments O

Leia mais

Pós-Graduação em Engenharia Elétrica Inteligência Artificial

Pós-Graduação em Engenharia Elétrica Inteligência Artificial Pós-Graduação em Engenharia Elétrica Inteligência Artificial João Marques Salomão Rodrigo Varejão Andreão Inteligência Artificial Definição (Fonte: AAAI ): "the scientific understanding of the mechanisms

Leia mais

VERIFICAÇÃO DE ASSINATURAS NCR APTRA

VERIFICAÇÃO DE ASSINATURAS NCR APTRA VERIFICAÇÃO DE ASSINATURAS NCR APTRA Imagem é tudo. Proteja a sua. Primeira linha de defesa contra a fraude de assinaturas Você é constantemente pressionado para reduzir custos no processamento das funções

Leia mais

FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ PROJETO NACIONAL DE AÇÕES PÚBLICO PRIVADAS PARA BIODIVERSIDADE PROBIO II

FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ PROJETO NACIONAL DE AÇÕES PÚBLICO PRIVADAS PARA BIODIVERSIDADE PROBIO II FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ PROJETO NACIONAL DE AÇÕES PÚBLICO PRIVADAS PARA BIODIVERSIDADE PROBIO II TERMO DE REFERÊNCIA BOLSA No. 009/2013/Fiocruz/ProbioII APOIO CIENTÍFICO B VALOR MENSAL: R$ 4.000,00 (Quatro

Leia mais

Análise de Requisitos para Viabilidade da Proposta de um Sistema de Gestão em EaD

Análise de Requisitos para Viabilidade da Proposta de um Sistema de Gestão em EaD Análise de Requisitos para Viabilidade da Proposta de um Sistema de Gestão em EaD Manaus - AM, Maio 2015 Neila Batista Xavier Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas/ Instituto

Leia mais

Prospecto dos projetos realizados pela EMSISTI no período 2010 à 2015

Prospecto dos projetos realizados pela EMSISTI no período 2010 à 2015 Prospecto dos projetos realizados pela EMSISTI no período 2010 à 2015 Este prospecto descreve os projetos realizados pela EMSISTI no período entre janeiro de 2010 à setembro de 2015. Os projetos compreendem

Leia mais

IW10. Rev.: 02. Especificações Técnicas

IW10. Rev.: 02. Especificações Técnicas IW10 Rev.: 02 Especificações Técnicas Sumário 1. INTRODUÇÃO... 1 2. COMPOSIÇÃO DO IW10... 2 2.1 Placa Principal... 2 2.2 Módulos de Sensores... 5 3. APLICAÇÕES... 6 3.1 Monitoramento Local... 7 3.2 Monitoramento

Leia mais

Tiago Alexandre Docusse Curriculum Vitae

Tiago Alexandre Docusse Curriculum Vitae Tiago Alexandre Docusse Curriculum Vitae Outubro/2015 Tiago Alexandre Docusse Curriculum Vitae Dados pessoais Nome Tiago Alexandre Docusse Nome em citações bibliográficas DOCUSSE, T. A.;DOCUSSE, TIAGO

Leia mais

HEALTHNET : um Sistema Integrado de Telediagnóstico e Segunda Opinião Médica

HEALTHNET : um Sistema Integrado de Telediagnóstico e Segunda Opinião Médica HEALTHNET : um Sistema Integrado de Telediagnóstico e Segunda Opinião Médica Profa. Magdala de Araújo Novaes, PhD Grupo de Tecnologias da Informação em Saúde (TIS), UFPE Email : magdala@telesaude.com.br

Leia mais

O que é a ciência de dados (data science). Discussão do conceito. Luís Borges Gouveia Universidade Fernando Pessoa Versão 1.

O que é a ciência de dados (data science). Discussão do conceito. Luís Borges Gouveia Universidade Fernando Pessoa Versão 1. O que é a ciência de dados (data science). Discussão do conceito Luís Borges Gouveia Universidade Fernando Pessoa Versão 1.3, Outubro, 2015 Nota prévia Esta apresentação tem por objetivo, proporcionar

Leia mais

Introdução ao SIG. Objetivos Específicos 18/11/2010. Competência: Apresentar: Utilidade de um SIG

Introdução ao SIG. Objetivos Específicos 18/11/2010. Competência: Apresentar: Utilidade de um SIG MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE - MMA INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE - ICMBio DIRETORIA DE PLANEJAMENTO, ADMINISTRAÇÃO E LOGÍSTICA - DIPLAN COORDENAÇÃO GERAL DE GESTÃO DE PESSOAS -

Leia mais

Redes Neurais Construtivas. Germano Crispim Vasconcelos Centro de Informática - UFPE

Redes Neurais Construtivas. Germano Crispim Vasconcelos Centro de Informática - UFPE Redes Neurais Construtivas Germano Crispim Vasconcelos Centro de Informática - UFPE Motivações Redes Feedforward têm sido bastante utilizadas em aplicações de Reconhecimento de Padrões Problemas apresentados

Leia mais

UM LABORATÓRIO WEB PARA ENSINO ORIENTADO A AUTOMAÇÃO E CONTROLE

UM LABORATÓRIO WEB PARA ENSINO ORIENTADO A AUTOMAÇÃO E CONTROLE UM LABORATÓRIO WEB PARA ENSINO ORIENTADO A AUTOMAÇÃO E CONTROLE Cleonilson Protásio de Souza 1 e José Tarcísio Costa Filho 2 Universidade Federal do Maranhão 1 Departamento de Engenharia de Eletricidade

Leia mais

ARQUITETURA E ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES. Prof. André Dutton

ARQUITETURA E ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES. Prof. André Dutton ARQUITETURA E ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES Prof. André Dutton EMENTA: Conceitos fundamentais e histórico da ciência da computação; Histórico dos computadores, evolução e tendências; Modalidades de computadores

Leia mais

XDR. Solução para Big Data.

XDR. Solução para Big Data. XDR Solução para Big Data. ObJetivo Principal O volume de informações com os quais as empresas de telecomunicações/internet têm que lidar é muito grande, e está em constante crescimento devido à franca

Leia mais

Oficina de Multimédia B. ESEQ 12º i 2009/2010

Oficina de Multimédia B. ESEQ 12º i 2009/2010 Oficina de Multimédia B ESEQ 12º i 2009/2010 Conceitos gerais Multimédia Hipertexto Hipermédia Texto Tipografia Vídeo Áudio Animação Interface Interacção Multimédia: É uma tecnologia digital de comunicação,

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores. Trabalho Interdisciplinar Semestral. 3º semestre - 2012.1

Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores. Trabalho Interdisciplinar Semestral. 3º semestre - 2012.1 Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores Trabalho Interdisciplinar Semestral 3º semestre - 2012.1 Trabalho Semestral 3º Semestre Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores Apresentação

Leia mais

REALCE DE MICROCALCIFICAÇÕES EM IMAGENS DE MAMOGRAFIA UTILIZANDO FILTROS PASSA-ALTA

REALCE DE MICROCALCIFICAÇÕES EM IMAGENS DE MAMOGRAFIA UTILIZANDO FILTROS PASSA-ALTA REALCE DE MICROCALCIFICAÇÕES EM IMAGENS DE MAMOGRAFIA UTILIZANDO FILTROS PASSA-ALTA Caio Cesar Amorim Borges e Danilo Rodrigues de Carvalho Universidade Federal de Goiás, Escola de Engenharia Elétrica

Leia mais

SEGMENTAÇÃO DE IMAGENS EM PLACAS AUTOMOTIVAS

SEGMENTAÇÃO DE IMAGENS EM PLACAS AUTOMOTIVAS SEGMENTAÇÃO DE IMAGENS EM PLACAS AUTOMOTIVAS André Zuconelli 1 ; Manassés Ribeiro 2 1. Aluno do Curso Técnico em Informática, turma 2010, Instituto Federal Catarinense, Câmpus Videira, andre_zuconelli@hotmail.com

Leia mais

Controladores Lógicos Programáveis (CLPs)

Controladores Lógicos Programáveis (CLPs) Controladores Lógicos Programáveis (CLPs) A UU L AL A Uma empresa fabrica clipes em três tamanhos: grande, médio e pequeno. Seus clientes consomem os produtos dos três tamanhos, mas a empresa nunca conseguiu

Leia mais

Um sistema de visão computacional para detecção automática de caracteres em uma linha de montagem automotiva

Um sistema de visão computacional para detecção automática de caracteres em uma linha de montagem automotiva 225 Um sistema de visão computacional para detecção automática de caracteres em uma linha de montagem automotiva Marcus V. C. Guelpeli1, Bruno S. P. de Oliveira2, Wellington C. A. Landim2 1 Curso de Sistema

Leia mais

PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE. Modelos de Processo de Desenvolvimento de Software

PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE. Modelos de Processo de Desenvolvimento de Software PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE Introdução Modelos de Processo de Desenvolvimento de Software Os modelos de processos de desenvolvimento de software surgiram pela necessidade de dar resposta às

Leia mais

Palavras chave Sistema de Informações Geográficas, Banco de Dados, Geoprocessamento

Palavras chave Sistema de Informações Geográficas, Banco de Dados, Geoprocessamento IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DE INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS PARA O MUNICÍPIO DE TERESÓPOLIS, EM LABORATÓRIO DO UNIFESO José Roberto de C. Andrade Professor do Centro de Ciências e Tecnologia, UNIFESO Sergio Santrovitsch

Leia mais

Um IDS utilizando SNMP e Lógica Difusa

Um IDS utilizando SNMP e Lógica Difusa Grupo de Trabalho em Segurança GTS2007 Um IDS utilizando SNMP e Lógica Difusa Apresentador: Émerson Virti Autores: Émerson Virti, Liane Tarouco Índice 1. Motivação 2. Conceitos 3. IDS Proposto 4. Testes

Leia mais

Universidade Federal de Pernambuco

Universidade Federal de Pernambuco Universidade Federal de Pernambuco Graduação em Engenharia da Computação Centro de Informática 2D Feature Distance Estimation for Indoor Environments using 2D laser range data Proposta de Trabalho de Graduação

Leia mais

O que é software? Software e Engenharia de Software. O que é software? Tipos de Sistemas de Software. A Evolução do Software

O que é software? Software e Engenharia de Software. O que é software? Tipos de Sistemas de Software. A Evolução do Software O que é software? Software e Engenharia de Software Programas de computador Entidade abstrata. Ferramentas (mecanismos) pelas quais: exploramos os recursos do hardware. executamos determinadas tarefas

Leia mais

Anderson Corrêa Carraro 1, Fernando Alves Rodrigues 2, Silvio Francisco dos Santos 3

Anderson Corrêa Carraro 1, Fernando Alves Rodrigues 2, Silvio Francisco dos Santos 3 DESENVOLVIMENTO E IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA INFORMATIZADO PARA O CONTROLE DE PROCESSOS DA QUALIDADE NA DIRETORIA DE METROLOGIA CIENTÍFICA E INDUSTRIAL DIMCI/INMETRO. Anderson Corrêa Carraro 1, Fernando

Leia mais

Simulação Computacional de Sistemas, ou simplesmente Simulação

Simulação Computacional de Sistemas, ou simplesmente Simulação Simulação Computacional de Sistemas, ou simplesmente Simulação Utilização de métodos matemáticos & estatísticos em programas computacionais visando imitar o comportamento de algum processo do mundo real.

Leia mais

INTRODUÇÃO AO GEOPROCESSAMENTO GEOPROCESSAMENTO. Introdução ao Geoprocessamento. Conceitos básicos 18/06/2015. Conceitos básicos

INTRODUÇÃO AO GEOPROCESSAMENTO GEOPROCESSAMENTO. Introdução ao Geoprocessamento. Conceitos básicos 18/06/2015. Conceitos básicos GEOPROCESSAMENTO INTRODUÇÃO AO GEOPROCESSAMENTO Prof. Esp. André Aparecido da Silva Introdução ao Geoprocessamento Conceitos básicos Conceitos básicos Componentes de um SIG Entrada de Dados em Geoprocessamento

Leia mais

Captura e Alinhamento de Imagens: Um Banco de Faces Brasileiro

Captura e Alinhamento de Imagens: Um Banco de Faces Brasileiro Centro Universitário da FEI Projeto de Pesquisa Relatório Final Captura e Alinhamento de Imagens: Um Banco de Faces Brasileiro Aluno: Leo Leonel de Oliveira Junior Departamento: Engenharia Elétrica Orientador:

Leia mais

Projeto Pedagógico do Bacharelado em Ciência da Computação. Comissão de Curso e NDE do BCC

Projeto Pedagógico do Bacharelado em Ciência da Computação. Comissão de Curso e NDE do BCC Projeto Pedagógico do Bacharelado em Ciência da Computação Comissão de Curso e NDE do BCC Fevereiro de 2015 Situação Legal do Curso Criação: Resolução CONSU no. 43, de 04/07/2007. Autorização: Portaria

Leia mais

7.Conclusão e Trabalhos Futuros

7.Conclusão e Trabalhos Futuros 7.Conclusão e Trabalhos Futuros 158 7.Conclusão e Trabalhos Futuros 7.1 Conclusões Finais Neste trabalho, foram apresentados novos métodos para aceleração, otimização e gerenciamento do processo de renderização

Leia mais

Sistemas Híbridos Aplicados à Filtragem de Sinais de Alarme de Proteção de uma Subestação Telecomandada

Sistemas Híbridos Aplicados à Filtragem de Sinais de Alarme de Proteção de uma Subestação Telecomandada Proceedings of the IV Brazilian Conference on Neural Networks - IV Congresso Brasileiro de Redes Neurais pp. 215-219, July 20-22, 1999 - ITA, São José dos Campos - SP - Brazil Sistemas Híbridos Aplicados

Leia mais

Ler e interpretar simbologias elétricas. Elaborar diagramas elétricos em planta baixa. Ler e interpretar Planta Baixa.

Ler e interpretar simbologias elétricas. Elaborar diagramas elétricos em planta baixa. Ler e interpretar Planta Baixa. : Técnico em Informática Descrição do Perfil Profissional: O profissional com habilitação Técnica em Microinformática, certificado pelo SENAI-MG, deverá ser capaz de: preparar ambientes para a instalação

Leia mais

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Campus Ponta Grossa ANDRÉ LUIS CORDEIRO DE FARIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Campus Ponta Grossa ANDRÉ LUIS CORDEIRO DE FARIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Ponta Grossa ANDRÉ LUIS CORDEIRO DE FARIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO Ponta Grossa 2012 ANDRÉ LUIS CORDEIRO DE FARIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO Trabalho elaborado pelo

Leia mais

Tipos de Sistemas Distribuídos (Cluster e Grid)

Tipos de Sistemas Distribuídos (Cluster e Grid) Tipos de Sistemas Distribuídos (Cluster e Grid) Sistemas Distribuídos Mauro Lopes Carvalho Silva Professor EBTT DAI Departamento de Informática Campus Monte Castelo Instituto Federal de Educação Ciência

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais Evolução Edson Moreno edson.moreno@pucrs.br http://www.inf.pucrs.br/~emoreno Sumário Introdução Componentes de um sistema computacional Conceituação Características desejáveis Organização

Leia mais

Informações para Processo de Recrutamento e Seleção de Candidatos para Bolsas RHAE e PDT-TI

Informações para Processo de Recrutamento e Seleção de Candidatos para Bolsas RHAE e PDT-TI Informações para Processo de Recrutamento e Seleção de Candidatos para Bolsas RHAE e PDT-TI 1) Quanto ao TIPOS DAS BOLSAS, seguem, abaixo, maiores detalhes sobre as bolsas que serão contratada após o processo

Leia mais

Uma Arquitetura de Controle Distribuída para um Sistema de Visão Computacional Propositada.

Uma Arquitetura de Controle Distribuída para um Sistema de Visão Computacional Propositada. Uma Arquitetura de Controle Distribuída para um Sistema de Visão Computacional Propositada. Reinaldo A. C. Bianchi 1 Anna H. R. C. Rillo 2 1 Divisão de Automação e Inteligência Artificial - Laboratório

Leia mais

Lógica Programável Aplicada em Circuito Acionador de Ordens Pirotécnicas

Lógica Programável Aplicada em Circuito Acionador de Ordens Pirotécnicas Programável Aplicada em Circuito Acionador de Ordens Pirotécnicas Francisco Carlos Parquet Bizarria,2 João Mauricio Rosário 3 José Walter Parquet Bizarria Francisco Antonio Visconti Junior 2 fcpb@iae.cta.br

Leia mais

Desenvolvimento de uma interface extratora de dados genérica e inserção automática de dados em Sistemas de Informação Geográficos

Desenvolvimento de uma interface extratora de dados genérica e inserção automática de dados em Sistemas de Informação Geográficos Desenvolvimento de uma interface extratora de dados genérica e inserção automática de dados em Sistemas de Informação Geográficos Caroline Julliê de Freitas RIBEIRO¹, Vantuil José de OLIVEIRA NETO¹, Gabriel

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Faculdade de Informática / Campus Global

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Faculdade de Informática / Campus Global Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Faculdade de Informática / Campus Global Sistema de Aproveitamento de Disciplinas da Faculdade de Informática da PUCRS: uma sistemática de gerência

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software CENTRO UNIVERSITÁRIO NOVE DE JULHO Profº. Edson T. França edson.franca@uninove.br Software Sistemas Conjunto de elementos, entre os quais haja alguma relação Disposição das partes ou dos elementos de um

Leia mais

Complemento II Noções Introdutória em Redes Neurais

Complemento II Noções Introdutória em Redes Neurais Complemento II Noções Introdutória em Redes Neurais Esse documento é parte integrante do material fornecido pela WEB para a 2ª edição do livro Data Mining: Conceitos, técnicas, algoritmos, orientações

Leia mais

SOFTWARE DE GERENCIAMENTO DOCUMENTAL PARA EMPRESAS DE PEQUENO E MÉDIO PORTE

SOFTWARE DE GERENCIAMENTO DOCUMENTAL PARA EMPRESAS DE PEQUENO E MÉDIO PORTE Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 23 a 26 de outubro de 2007 SOFTWARE DE GERENCIAMENTO DOCUMENTAL PARA EMPRESAS DE PEQUENO E MÉDIO PORTE Cláudio Leones Bazzi 1 ; Juliano Rodrigo Lamb

Leia mais

INICIAÇÃO Revista Eletrônica de Iniciação Científica, Tecnológica e Artística

INICIAÇÃO Revista Eletrônica de Iniciação Científica, Tecnológica e Artística Avaliação de softwares de rastreamento de cabeça Alunos: Filipe Kunioshi 1 Francisco Carvalho Nin Ferreira 2 Orientador: Fábio R. de Miranda 3 Laboratório de Pesquisa em Ambientes Interativos Centro Universitário

Leia mais

linguagem técnica de informática; Perceber os sinais de pontuação e identificar sua função no texto; Ler siglas e identificar seus significados;

linguagem técnica de informática; Perceber os sinais de pontuação e identificar sua função no texto; Ler siglas e identificar seus significados; PLANO DE CURSO Disciplina Competências Habilidades Bases Tecnológicas INGLÊS TÉCNICO Aumentar e consolidar o seu vocabulário ativo e passivo, através da fixação de novas palavras e expressões contidas

Leia mais

Sistemas de Informação Geográfica (SIG) para Agricultura de Precisão

Sistemas de Informação Geográfica (SIG) para Agricultura de Precisão 01 Sistemas de Informação Geográfica (SIG) para Agricultura de Precisão Rodrigo G. Trevisan¹; José P. Molin² ¹ Eng. Agrônomo, Mestrando em Engenharia de Sistemas Agrícolas (ESALQ-USP); ² Prof. Dr. Associado

Leia mais

SISTEMAS INTELIGENTES DE APOIO À DECISÃO

SISTEMAS INTELIGENTES DE APOIO À DECISÃO SISTEMAS INTELIGENTES DE APOIO À DECISÃO As organizações estão ampliando significativamente suas tentativas para auxiliar a inteligência e a produtividade de seus trabalhadores do conhecimento com ferramentas

Leia mais

Nome da Empresa Sistema digitalizado no almoxarifado do EMI

Nome da Empresa Sistema digitalizado no almoxarifado do EMI Nome da Empresa Documento Visão Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 23/02/2015 1.0 Início do projeto Anderson, Eduardo, Jessica, Sabrina, Samuel 25/02/2015 1.1 Correções Anderson e Eduardo

Leia mais

Sistemas de controle para processos de bateladas

Sistemas de controle para processos de bateladas Sistemas de controle para processos de bateladas Por Alan Liberalesso* Há algum tempo os processos de batelada deixaram de ser um mistério nas indústrias e no ambiente de automação. O cenário atual nos

Leia mais

1. O processo de desenvolvimento de soluções tecnológicas educacionais

1. O processo de desenvolvimento de soluções tecnológicas educacionais MATPAPO: FERRAMENTA DE INTERAÇÃO SÍNCRONA PARA A APRENDIZAGEM DE ÁLGEBRA LINEAR Juliana Pereira G. de Andrade Universidade Federal de Pernambuco julianaandradd@gmail.com Verônica Gitirana Universidade

Leia mais

Aplicativo Cliente/Servidor multicamadas para controle de uma rede de lojas via web utilizando Java

Aplicativo Cliente/Servidor multicamadas para controle de uma rede de lojas via web utilizando Java Aplicativo Cliente/Servidor multicamadas para controle de uma rede de lojas via web utilizando Java Aluno: Henrique Eduardo M. Oliveira Orientador: Prof. Dr. Leandro J. Komosinski Banca: Prof. M. Maria

Leia mais

INTRODUÇÃO AO GEOPROCESSAMENTO. Profª Iana Alexandra Alves Rufino [iana_alex@uol.com.br]

INTRODUÇÃO AO GEOPROCESSAMENTO. Profª Iana Alexandra Alves Rufino [iana_alex@uol.com.br] INTRODUÇÃO AO GEOPROCESSAMENTO Profª Iana Alexandra Alves Rufino [iana_alex@uol.com.br] Introdução ao Geoprocessamento Conceitos básicos Componentes de um SIG Exemplos de aplicações Conceitos Geoprocessamento

Leia mais

Table 1. Dados do trabalho

Table 1. Dados do trabalho Título: Desenvolvimento de geradores de aplicação configuráveis por linguagens de padrões Aluno: Edison Kicho Shimabukuro Junior Orientador: Prof. Dr. Paulo Cesar Masiero Co-Orientadora: Prof a. Dr. Rosana

Leia mais

Implementação de um módulo Ethernet 10/100Mbps com interface Avalon para o processador Nios II da Altera

Implementação de um módulo Ethernet 10/100Mbps com interface Avalon para o processador Nios II da Altera Implementação de um módulo Ethernet 10/100Mbps com interface Avalon para o processador Nios II da Altera Ricardo Menotti Orientador: Prof. Dr. Eduardo Marques Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação

Leia mais

TECNÓLOGO EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES I Aula 01: Conceitos Iniciais / Sistema Operacional

TECNÓLOGO EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES I Aula 01: Conceitos Iniciais / Sistema Operacional TECNÓLOGO EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES I Aula 01: Conceitos Iniciais / Sistema Operacional O conteúdo deste documento tem por objetivo apresentar uma visão geral

Leia mais

Desenvolvimento de um Sistema Híbrido para Rastreamento

Desenvolvimento de um Sistema Híbrido para Rastreamento Desenvolvimento de um Sistema Híbrido para Rastreamento de Objetos aplicado ao Futebol de Robôs Eduardo W. Basso 1, Diego M. Pereira 2, Paulo Schreiner 2 1 Laboratório de Robótica Inteligente Instituto

Leia mais