RESULTADO DEFINITIVO DA SELEÇÃO DE PROPOSTAS Após o julgamento dos recursos administrativos segue a lista final dos projetos.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RESULTADO DEFINITIVO DA SELEÇÃO DE PROPOSTAS Após o julgamento dos recursos administrativos segue a lista final dos projetos."

Transcrição

1 RESULTADO DEFINITIVO DA SELEÇÃO DE PROPOSTAS Após o julgamento dos recursos administrativos segue a lista final dos projetos. CHAMADA PÚBLICA SENAT/TRANSPORTES Nº 001/2013 Em Ordem Alfabética A) PROPOSTAS RECUSADAS 1ª ETAPA 1. ANÁLISE DE FADIGA DE MISTURAS ASFÁLTICAS ATRAVÉS DO ENSAIO DE FLEXÃO EM VIGA QUATRO PONTOS 2. DESENVOLVIMENTO DE MÉTODOS E CONCEITOS PARA MELHORIA DA EFICIÊNCIA DA LOGÍSTICA URBANA (CITY LOGISTICS) 3. ESTRATÉGIAS DE MITIGAÇÃO DO CONSUMO ENERGÉTICO E DA EMISSÃO DE CO 2 NOS DESLOCAMENTOS DE CARGA E PASSAGEIROS 4. MOBILIDADE URBANA SUSTENTÁVEL PARA A REGIÃO METROPOLITANA DE CAMPINAS RMC 5. PLANEJAMENTO DE TERMINAIS URBANOS DE INTEGRAÇÃO: DEMANDA, DIMENSIONAMENTO E LOCALIZAÇÃO 6. PLANEJAMENTO DOS SISTEMAS DE LOGÍSTICA E TRANSPORTES EM OPERAÇÕES DE RESPOSTA A DESASTRES NATURAIS

2 RESULTADO DEFINITIVO DA SELEÇÃO DE PROPOSTAS Após o julgamento dos recursos administrativos segue a lista final dos projetos. CHAMADA PÚBLICA SENAT/TRANSPORTES Nº 001/2013 Em Ordem Alfabética B) PROPOSTAS RECUSADAS 2ª ETAPA 1. ANÁLISE DA ESTRUTURA DE CAPITAL E DE FUSÕES E/OU AQUISIÇÕES NA AVIAÇÃO CIVIL 2. ANÁLISE DE USABILIDADE DE VEÍCULOS POPULARES E DESENVOLVIMENTO DE ACESSÓRIOS E SOLUÇÕES SOB A PERSPECTIVA DE GÊNERO 3. APLICAÇÕES DA ABORDAGEM DE FLUXO MÁXIMO A PROBLEMAS PRÁTICOS DE TRANSPORTES 4. APROVEITAMENTO DO REJEITO DO BENEFICIAMENTO DE CAULIM EM CAMADAS DE PAVIMENTOS RODOVIÁRIOS 5. AVALIAÇÃO DOS FATORES QUE CONTROLAM A INTERAÇÃO DE MATERIAIS GEOSSINTÉTICOS E MISTURAS BETUMINOSAS 6. DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA DE GERÊNCIA DE PAVIMENTOS FERROVIÁRIOS 7. EFEITOS DE DIFERENTES TEMPOS DE FLUÊNCIA E RECUPERAÇÃO NAS PROPRIEDADES REOLÓGICAS DE LIGANTES ASFÁLTICOS MODIFICADOS 8. ESCALA VISUAL: UMA FERRAMENTA PARA A AVALIAÇÃO DA CONDIÇÃO DA SUPERFÍCIE DE PAVIMENTOS URBANOS 9. ESTRATÉGIAS LOGÍSTICAS PARA O AUMENTO DE EFICIÊNCIA NA EXPORTAÇÃO E IMPORTAÇÃO DE CARGAS DAS REGIÕES CENTRO-OESTE E NORTE DO BRASIL

3 10. ESTUDO DE PROPRIEDADES DE BASES CIMENTADAS DE ALTO DESEMPENHO PARA PAVIMENTOS RODOVIÁRIOS 11. FERRAMENTAS E ESTRATÉGIAS PARA A IMPLEMENTAÇÃO DO CONCEITO DE MOBILIDADE URBANA SUSTENTÁVEL 12. OTIMIZAÇÃO DA LOGÍSTICA AGROINDUSTRIAL SUSTENTÁVEL 13. SENSIBILIDADE DOS PAVIMENTOS FLEXÍVEIS A PARTIR DE ANÁLISES EMPÍRICO-MECANÍSTICAS 14. UM MODELO SISTÊMICO DE ENGENHARIA FINANCEIRA: IMPLANTAÇÃO DE INFRAESTRUTURA RODOVIÁRIA INTELIGENTE, SEM ÔNUS DE PEDÁGIO 15. UTILIZAÇÃO DE NOVAS TECNOLOGIAS PARA AUXILIAR NA DETERMINAÇÃO DE PARÂMETROS EM USAO NA RETROANÁLISE ESTRUTURAL DE PAVIMENTOS FLEXÍVEIS E SEMI-RÍGIDOS

4 RESULTADO DEFINITIVO DA SELEÇÃO DE PROPOSTAS Após o julgamento dos recursos administrativos segue a lista final dos projetos. CHAMADA PÚBLICA SENAT/TRANSPORTES Nº 001/2013 Em Ordem Alfabética C) PROPOSTAS APROVADAS 1. A SEGURANÇA VIÁRIA NO PLANEJAMENTO URBANO 2. A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO COMO FATOR CHAVE NA GESTÃO AMBIENTAL PÓS-DOUTORADO EMPRESARIAL ADAPTAÇÃO DE TÉCNICAS DE GERENCIAMENTO ATIVO DE TRÁFEGO A RODOVIAS BRASILEIRAS 4. ANÁLISE DA EFICIÊNCIA NO DIMENSIONAMENTO DA CAPACIDADE PORTUÁRIA.

5 5. ANÁLISE DOS IMPACTOS DA LEI /12 NOS PREÇOS DOS FRETES PRATICADOS PELOS TRANSPORTADORES RODOVIÁRIOS DE CARGA 6. APLICAÇÃO DE REDES NEURAIS ARTIFICIAIS PARA ESTIMAR A MATRIZ ORIGEM DESTINO DE CARGA. 7. AS CONCESSÕES FERROVIÁRIAS E O DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DO BRASIL 8. AVALIAÇÃO DA CIRCULAÇÃO DE VEÍCULOS DE CARGA EM AREAS URBANAS ADENSADAS, UMA PROPOSTA BASEADA NO CONCEITO DE SUSTENTABILIDADE

6 9. AVALIAÇÃO DA EMISSÃO DE DIÓXIDO DE CARBONO PELOS SISTEMAS DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS NO BRASIL SOB AS ABORDAGENS OPERACIONAL E DO CICLO DE VIDA. 10. AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO E DE ECOEFICIÊNCIA DOS MEIOS DE TRANSPORTE PÚBLICO DE PASSAGEIROS 11. AVALIAÇÃO DOS EFEITOS DE DIFERENTES AGREGADOS MINERAIS SOBRE O COMPORTAMENTO À FADIGA DA MATRIZ DE AGREGADO FINO DE MISTURAS ASFÁLTICAS. 12. CONCESSÕES, GOVERNANÇA E GERAÇÃO DE VALOR NO SETOR DE TRANSPORTES BRASILEIRO.

7 13. CONTRIBUIÇÕES PARA O DESENVOLVIMENTO DE UM NOVO MÉTODO DE DIMENSIONAMENTO DE PAVIMENTOS ASFÁLTICOS NO BRASIL. 14. DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIA DE PAVIMENTAÇÃO DE ELEVADA DURABILIDADE COM CONCRETO CONTINUAMENTE ARMADO PARA RODOVIAS BRASILEIRAS. 15. DESENVOLVIMENTO DE UM MODELO DE BOAS PRÁTICAS EM GESTÃO AMBIENTAL PARA PORTOS BRASILEIROS 16. DESENVOLVIMENTO DE VEÍCULOS LEVES URBANOS E SISTEMAS DE PROPULSÃO EFICIENTES

8 17. ELABORAÇÃO DE APLICATIVO MÓVEL PARA COLETA DE MATRIZES ORIGEM-DESTINO DINÂMICAS 18. EMPREGO DA SIMULAÇÃO POR EVENTOS DISCRETOS NA OTIMIZAÇÃO DE SISTEMAS FERROVIARIOS 19. ESTIMAÇÃO E MAPEAMENTO DO COMPORTAMENTO MECÂNICO DOS SOLOS DO ESTADO DO CEARÁ COMO APOIO AO DIMENSIONAMENTO EMPÍRICO-MECANÍSTICO DE PAVIMENTOS. 20. ESTIMATIVA DE DEMANDA EM FUNÇÃO DE REDUÇÕES OU ISENÇÕES TARIFÁRIAS NO TRANSPORTE PÚBLICO URBANO DE PASSAGEIROS

9 21. FERRAMENTA BASEADA EM AGENTES PARA INTEGRAÇÃO AUTÔNOMA DE PROCESSOS DE TRANSPORTE UTILIZANDO DOCUMENTOS FISCAIS ELETRÔNICOS 22. FORMAÇÃO DE PREÇOS EM MERCADOS DE TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS MESTRADO GEOPROCESSAMENTO PARA MEGACIDADES LOGÍSTICA, SUSTENTABILIDADE E O IMPACTO DO TRANSPORTE DE CARGA URBANO NA MOBILIDADE NO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO. 24. IDENTIFICANDO A CONTRIBUIÇÃO DO TRANSPORTE DE CARGA NO DESEMPENHO DE CADEIAS LOGÍSTICAS SUSTENTÁVEIS NO BRASIL.

10 25. INFRAESTRUTURA PARA O TRANSPORTE DE CARGA: MEDIÇÕES DE PESAGEM EM MOVIMENTO E EFEITOS DAS CARGAS NO COMPORTAMENTO MECÂNICO E NA DETERIORAÇÃO DE PAVIMENTOS RODOVIÁRIOS E FERROVIÁRIOS PÓS-DOUTORADO EMPRESARIAL INOVAÇÃO EM LOGÍSTICA URBANA UTILIZANDO EMERGÊNCIA, GEOGRAFIA DO TEMPO E COCRIAÇÃO PÓS-DOUTORADO EMPRESARIAL INVESTIGAÇÃO DE MODELOS PARA INSERÇÃO DA CARGA URBANA COMO ELEMENTO DE PLANEJAMENTO EM PLANOS DIRETORES E DE MOBILIDADE URBANA NO BRASIL. 28. MELHORIA DA PRÁTICA DA SEGURANÇA VIÁRIA NO BRASIL.

11 29. METODOLOGIA E MODELOS PARA ESTUDOS DE LOCALIZAÇÃO DE UNIDADES LOGÍSTICAS NO BRASIL 30. METODOLOGIAS DE GESTÃO DE SERVIÇOS E ATIVOS AEROPORTUÁRIOS. 31. METODOLOGIAS DE PLANEJAMENTO E GESTÃO DA CAPACIDADE DOS SUBSISTEMAS DA INFRAESTRUTURA AEROPORTUÁRIA. 32. MOBILIDADE SUSTENTÁVEL EM CIDADES INTELIGENTES (INTELIGÊNCIA PARA MOBILIDADE URBANA).

12 33. MODELO DE ALOCAÇÃO DE RECURSOS NATURAIS PARA A REDUÇÃO DA EMISSÃO DE GASES DE EFEITO ESTUFA PELA AVIAÇÃO CIVIL BRASILEIRA PÓS-DOUTORADO EMPRESARIAL MODELO DE OTIMIZAÇÃO PARA APOIO DA POLÍTICA DE REABASTECIMENTO PARA TRANSPORTADORES RODOVIÁRIOS DE CARGA. 35. MODELO DE USO DO SOLO E TRANSPORTES PARA PLANEJAMENTO DA MOBILIDADE URBANA EM CIDADES BRASILEIRAS DE MÉDIO PORTE 36. MODELO PARA A ESTIMATIVA DE VIAGENS A PARTIR DO USO DE REDES NEURAIS ARTIFICIAIS.

13 37. MODELOS MATEMÁTICOS PARA APOIO À MITIGAÇÃO DOS PORTOS BRASILEIROS PARA PORTOS VERDES. 38. MONITORAMENTO DE TÚNEIS URBANOS UTILIZANDO SISTEMAS EXTESOMÉTRICOS DE FIBRA ÓPTICA 39. O PLANEJAMENTO DAS PLATAFORMAS LOGÍSTICAS COMO ELEMENTO DA INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTE E DAS CADEIAS PRODUTIVAS. 40. PERSPECTIVAS DA MALHA AEROPORTUÁRIA NO BRASIL.

14 41. REDE DE LOGÍSTICA REVERSA PARA OS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS: A INCORPORAÇÃO DE ASPECTOS AMBIENTAIS, TÉCNICOS, SOCIAIS E LEGAIS. 42. ROTEAMENTO DE VEÍCULOS COMO TÉCNICA DE APOIO AO TRANSPORTE DE CARGA SUSTENTÁVEL 43. SISTEMA DE RASTREABILIDADE DE GRANÉIS SÓLIDOS AGRÍCOLAS UTILIZANDO REDES DE SENSORES SEM FIO E IDENTIFICAÇÃO POR RADIOFREQUÊNCIA SOB A ÓTICA DA INTERNET DAS COISAS 44. SISTEMA E TECNOLOGIA DE TOMADA DE DECISÃO COLABORATIVA PARA OS AEROPORTOS BRASILEIROS

15 45. TÉCNICAS GEOESTATÍSTICAS APLICADAS À DEMANDA POR TRANSPORTES 46. USO DE MODELAGEM DINÂMICA DE SISTEMAS CONECTADA A UM SIG PARA A GERÊNCIA DE PAVIMENTOS URBANOS 47. USO DE SIMULADORES DE DIREÇÃO ESTÁTICO E GEOTECNOLOGIAS APLICADAS AOS ESTUDOS INTERDISCIPLINARES SOBRE A GEOMETRIA, SEGURANÇA DAS RODOVIAS, COMPORTAMENTO DO CONDUTOR E SEU AMBIENTE DE ENTORNO.

16 RESULTADO DEFINITIVO DA SELEÇÃO DE PROPOSTAS Após o julgamento dos recursos administrativos segue a lista final dos projetos. CHAMADA PÚBLICA SENAT/TRANSPORTES Nº 001/2013 Em Ordem Alfabética D) PROPOSTAS APROVADAS COM RECOMENDAÇÕES 1. A INFLUÊNCIA DA PERCEPÇÃO DA QUALIDADE DO TRANSPORTE COLETIVO NO HÁBITO DE USAR AUTOMÓVEL 2. ALTERNATIVAS PARA REDUÇÃO DO USO DO AUTOMÓVEL PARTICULAR EM GRANDES CIDADES. MESTRADO DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA DE MODELAGEM INTEGRADA DO TRANSPORTE E USO DO SOLO (SIMTUS) COMO SUPORTE À DECISÃO NO PLANEJAMENTO DA MOBILIDADE URBANA BRASILEIRA 4. INFLUÊNCIA DA PERCEPÇÃO DO PEDESTRE SOBRE A RUA PARA A DECISÃO DO DESLOCAMENTO POR CAMINHADA

17 5. INVESTIGAÇÕES SOBRE O USO DE INTELIGÊNCIA COMPUTACIONAL NOS TRANSPORTES E NA MOBILIDADE URBANA: ABORDAGENS PARA CONTROLE ATIVO DE TRÁFEGO. 6. MABEL - MOVIMENTO E ACESSIBILIDADE PARA O BEM ESTAR E A ECONOMIA LOCAL. 7. MODELAGEM ESPACIAL DO DESEMPENHO DA SEGURANÇA VIÁRIA 8. PLANEJAMENTO E OPERAÇÃO DE REDES DE TRANSPORTE PARA MOBILIDADE URANA PÓS-DOUTORADO EMPRESARIAL 1 1

18 9. REDES DE TRANSPORTES COLETIVOS URBANOS: EFICIÊNCIA E SUSTENTABILIDADE. 10. SAMU - SIMULAÇÃO BASEADA EM AGENTES PARA MOBILIDADE URBANA. 11. VISÃO SISTEMICA DE CIDADE: INVESTIGAÇÃO DE SOLUÇÕES EFICIENTES E SUSTENTÁVEIS NO CONTEXTO DE MOBILIDADE URBANA.

DEFINIÇÃO DAS BOAS PRÁTICAS E DOS DESAFIOS DO TRANSPORTE URBANO DE CARGA.

DEFINIÇÃO DAS BOAS PRÁTICAS E DOS DESAFIOS DO TRANSPORTE URBANO DE CARGA. DEFINIÇÃO DAS BOAS PRÁTICAS E DOS DESAFIOS DO TRANSPORTE URBANO DE CARGA. Caro participante, Agradecemos a sua presença no III Megacity Logistics Workshop. Você é parte importante para o aprimoramento

Leia mais

Soluções personalizadas em engenharia de transportes

Soluções personalizadas em engenharia de transportes SOBRE Soluções personalizadas em engenharia de transportes A Partner é uma empresa que presta consultoria em engenharia de planejamento de transportes. Aliando uma constante evolução tecnológica e aperfeiçoamento

Leia mais

Workshop Internacional UN Sustainable Development Solutions Network: Rio Sustainability Initiative

Workshop Internacional UN Sustainable Development Solutions Network: Rio Sustainability Initiative Workshop Internacional UN Sustainable Development Solutions Network: Rio Sustainability Initiative 24 de Junho de 2013 Jardim Botânico do Rio de Janeiro, Auditório do Museu do Meio Ambiente Rio de Janeiro,

Leia mais

Cidade: Curitiba Data: 12 de Julho de 2012

Cidade: Curitiba Data: 12 de Julho de 2012 CONSULTA PÚBLICA Planos Setoriais de Mitigação e Adaptação à Mudança do Clima Plano de Transporte e de Mobilidade Urbana para Mitigação da Mudança do Clima - PSTM Cidade: Curitiba Data: 12 de Julho de

Leia mais

Estudo, Análise e Proposta de Soluções Para Melhoria da Mobilidade Urbana na Região Metropolitana de Florianópolis

Estudo, Análise e Proposta de Soluções Para Melhoria da Mobilidade Urbana na Região Metropolitana de Florianópolis Documento confidencial para uso e informação do cliente Estudo, Análise e Proposta de Soluções Para Melhoria da Mobilidade Urbana na Região Metropolitana de Florianópolis Apresentação Florianópolis Dezembro

Leia mais

Mobilidade Urbana: Esse Problema tem Solução? Ronaldo Balassiano Programa de Engenharia de Transportes PET/COPPE/UFRJ

Mobilidade Urbana: Esse Problema tem Solução? Ronaldo Balassiano Programa de Engenharia de Transportes PET/COPPE/UFRJ Mobilidade Urbana: Esse Problema tem Solução? Ronaldo Balassiano Programa de Engenharia de Transportes PET/COPPE/UFRJ 1 1 Introdução Sustentabilidade Mudança nos atuais modelos de produção e consumo Alternativas

Leia mais

LABORATÓRIO DE TRANSPORTES E LOGÍSTICA

LABORATÓRIO DE TRANSPORTES E LOGÍSTICA LABORATÓRIO DE TRANSPORTES E LOGÍSTICA Departamento de Engenharia Civil Universidade Federal de Santa Catarina Engenheiro André Ricardo Hadlich andre.labtrans@yahoo.com.br Maio de 2014 Engenharia Civil

Leia mais

PLANOS DE MOBILIDADE URBANA

PLANOS DE MOBILIDADE URBANA IMPLANTAÇÃO DA POLÍTICA NACIONAL DE MOBILIDADE URBANA: PLANOS DE MOBILIDADE URBANA RENATO BOARETO Brasília, 28 de novembro de 2012 Organização Não Governamental fundada em 2006 com a missão de apoiar a

Leia mais

CONSULTA PÚBLICA Planos Setoriais de Mitigação e Adaptação à Mudança do Clima

CONSULTA PÚBLICA Planos Setoriais de Mitigação e Adaptação à Mudança do Clima CONSULTA PÚBLICA Planos Setoriais de Mitigação e Adaptação à Mudança do Clima Plano Setorial de Transporte e de Mobilidade Urbana para Mitigação da Mudança do Clima PSTM - Parte 2: Mobilidade Urbana /

Leia mais

PLANO SETORIAL DE TRANSPORTE E DE MOBILIDADE URBANA PARA MITIGAÇÃO DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS - TRANSPORTE DE CARGAS

PLANO SETORIAL DE TRANSPORTE E DE MOBILIDADE URBANA PARA MITIGAÇÃO DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS - TRANSPORTE DE CARGAS PLANO SETORIAL DE TRANSPORTE E DE MOBILIDADE URBANA PARA MITIGAÇÃO DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS - TRANSPORTE DE CARGAS Rio de Janeiro 11 de Dezembro de 2012 PROCESSO DE CONSTRUÇÃO DO PSTM - Lei 12.187/2009,

Leia mais

Portugal 2020 e outros instrumentos financeiros. Dinis Rodrigues, Direção-Geral de Energia e Geologia Matosinhos, 27 de fevereiro de 2014

Portugal 2020 e outros instrumentos financeiros. Dinis Rodrigues, Direção-Geral de Energia e Geologia Matosinhos, 27 de fevereiro de 2014 Portugal 2020 e outros instrumentos financeiros Dinis Rodrigues, Direção-Geral de Energia e Geologia Matosinhos, 27 de fevereiro de 2014 O desafio Horizonte 2020 Compromissos Nacionais Metas UE-27 20%

Leia mais

QUESTÕES FUNDAMENTAIS DA LOGÍSTICA NO BRASIL. Agosto de 2013

QUESTÕES FUNDAMENTAIS DA LOGÍSTICA NO BRASIL. Agosto de 2013 QUESTÕES FUNDAMENTAIS DA LOGÍSTICA NO BRASIL Agosto de 2013 PRINCIPAIS CADEIAS PRODUTIVAS Soja, milho e bovinos AGROPECUÁRIA AÇÚCAR E ÁLCOOL Soja, milho e bovinos Cana de açúcar MINERAÇÃO E SIDERURGIA

Leia mais

Sistema de localização e bloqueio veicular por célula de comunicação Objetivo Principal

Sistema de localização e bloqueio veicular por célula de comunicação Objetivo Principal de comunicação Objetivo Principal Prover uma solução de baixo custo para Identificação, localização, bloqueio e recuperação de veículos roubados ou procurados, através de micro circuitos embarcados de

Leia mais

Portaria Inep nº 249, de 02 de junho de 2014. Publicada no Diário Oficial da União em 04 de junho de 2014.

Portaria Inep nº 249, de 02 de junho de 2014. Publicada no Diário Oficial da União em 04 de junho de 2014. Portaria Inep nº 249, de 02 de junho de 2014. Publicada no Diário Oficial da União em 04 de junho de 2014. O Presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep),

Leia mais

Infraestrutura Turística. Magaeventos Esportivos e a Promoção da Imagem do Brasil no Exterior 16 e 17 de agosto Brasília.

Infraestrutura Turística. Magaeventos Esportivos e a Promoção da Imagem do Brasil no Exterior 16 e 17 de agosto Brasília. Infraestrutura Turística. Magaeventos Esportivos e a Promoção da Imagem do Brasil no Exterior 16 e 17 de agosto Brasília Mobilidade Urbana Renato Boareto 1 Organização Não Governamental fundada em 2006

Leia mais

Uma rede que nos une

Uma rede que nos une Uma rede que nos une Uma rede que nos une O IMTT - Instituto da Mobilidade e dos Transportes Terrestres, I.P. é um organismo da Administração Central, dotado de autonomia administrativa e financeira,

Leia mais

CARTA ABERTA AO BRASIL SOBRE MUDANÇA DO CLIMA 2015

CARTA ABERTA AO BRASIL SOBRE MUDANÇA DO CLIMA 2015 ATENÇÃO: ANTES DE ASSINAR ESTA CARTA, LEIA O CONTEÚDO ATÉ O FINAL E CLIQUE NO LINK. FÓRUM DE AÇÃO EMPRESARIAL PELO CLIMA CARTA ABERTA AO BRASIL SOBRE MUDANÇA DO CLIMA 2015 O desafio da mudança do clima

Leia mais

Planejamento de cidades inteligentes: ganhando força através da colaboração NITERÓI

Planejamento de cidades inteligentes: ganhando força através da colaboração NITERÓI Planejamento de cidades inteligentes: ganhando força através da colaboração NITERÓI CIDADES INTELIGENTES Conceito ganhou impulso nos últimos 5 anos Uma nova economia: (Fonte: Pyke Research) mercado de

Leia mais

CONSULTA PÚBLICA Planos Setoriais de Mitigação e Adaptação à Mudança do Clima

CONSULTA PÚBLICA Planos Setoriais de Mitigação e Adaptação à Mudança do Clima CONSULTA PÚBLICA Planos Setoriais de Mitigação e Adaptação à Mudança do Clima Plano Setorial de Transporte e de Mobilidade Urbana para Mitigação da Mudança do Clima PSTM - Parte 2: Mobilidade Urbana /

Leia mais

SUAPE GLOBAL GT 4 PESQUISA, DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO

SUAPE GLOBAL GT 4 PESQUISA, DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO SUAPE GLOBAL GT 4 PESQUISA, DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO GRUPO DE TRABALHO INTERNO SUAPE GLOBAL - UNICAP Alcivam Paulo de Oliveira (Coordenador de Extensão) Evânia Pincovsky (Coordenadora) Hélio Pereira

Leia mais

Perspetivas de Desenvolvimento de ITS para o Transporte Rodo-Ferroviário. Infraestruturas de Portugal / Mário Alves

Perspetivas de Desenvolvimento de ITS para o Transporte Rodo-Ferroviário. Infraestruturas de Portugal / Mário Alves Perspetivas de Desenvolvimento de ITS para o Transporte Rodo-Ferroviário Infraestruturas de Portugal / Mário Alves Agenda: Sistemas de Transportes Inteligentes Uma perspetiva Rodo/Ferroviária Gestão integrada

Leia mais

SUAPE GLOBAL GT 4. Atividades de Ensino e de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação no Setor Metal Mecânico em Pernambuco

SUAPE GLOBAL GT 4. Atividades de Ensino e de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação no Setor Metal Mecânico em Pernambuco SUAPE GLOBAL GT 4 Atividades de Ensino e de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação no Setor Metal Mecânico em Pernambuco Instituição: Universidade Católica de Pernambuco Agenda Proposta para o Primeiro Semestre

Leia mais

ESPELHO DE EMENDA INICIATIVA

ESPELHO DE EMENDA INICIATIVA SISTEMA DE ELABORAÇÃO DE S ÀS LEIS ORÇAMENTÁRIAS ESPELHO DE 001 - Construção do Contorno Ferroviário de Curitiba AUTOR DA Luciano Ducci 37050001 539 0141 - Promover a expansão da malha ferroviária federal

Leia mais

Principais Serviços. Projeto. Supervisão e Gerenciamento

Principais Serviços. Projeto. Supervisão e Gerenciamento A Empresa Engespro é uma empresa de engenharia consultiva criada há 30 anos, pelo Engenheiro Civil Jeronymo Pacheco Pereira que com grande força empreendedora vislumbrou oportunidades de mercado fundando

Leia mais

Intelligent Transportation Systems

Intelligent Transportation Systems Intelligent Transportation Systems Mauricio Consulo Diretor America Latina Clever Devices - Overview Sede em Nova Iorque, EUA. Provedora de sistemas de informações digitais, Sistemas de Inteligentes de

Leia mais

Cidades e Aeroportos no Século XXI 11

Cidades e Aeroportos no Século XXI 11 Introdução Nos trabalhos sobre aeroportos e transporte aéreo predominam análises específicas que tratam, por exemplo, do interior do sítio aeroportuário, da arquitetura de aeroportos, da segurança aeroportuária,

Leia mais

Plano de Mobilidade Urbana Sustentável

Plano de Mobilidade Urbana Sustentável Viajeo Plus City Showcase in Latin America Plano de Mobilidade Urbana Sustentável Nívea Oppermann Peixoto, Ms Diretora de Desenvolvimento Urbano EMBARQ Brasil EMBARQ Brasil auxilia governos e empresas

Leia mais

SUSTENTABILIDADE: estratégia de geração de valor para a MMX. Agosto 2013

SUSTENTABILIDADE: estratégia de geração de valor para a MMX. Agosto 2013 SUSTENTABILIDADE: estratégia de geração de valor para a MMX Agosto 2013 ESTRATÉGIA EM SUSTENTABILIDADE Visão Uma estratégia de sustentabilidade eficiente deve estar alinhada com o core business da empresa

Leia mais

.2.3 HISTÓRICO... 05. MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLíTICA DE QUALIDADE... 06 OPERAÇÃO PORTUÁRIA... 08 ATIVIDADES... 08 QUALIDADE...

.2.3 HISTÓRICO... 05. MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLíTICA DE QUALIDADE... 06 OPERAÇÃO PORTUÁRIA... 08 ATIVIDADES... 08 QUALIDADE... HISTÓRICO... 05 MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLíTICA DE QUALIDADE... 06 OPERAÇÃO PORTUÁRIA... 08 ATIVIDADES... 08 QUALIDADE... 10 EVOLUIR SEMPRE... 12 ALTA TECNOLOGIA PARA GRANDES RESULTADOS... 15 EQUIPAMENTOS...

Leia mais

Caminhos para as cidades digitais no Brasil. Campinas, 26 de março de 2009

Caminhos para as cidades digitais no Brasil. Campinas, 26 de março de 2009 Caminhos para as cidades digitais no Brasil Campinas, 26 de março de 2009 Atualmente, faz-se necessário o exame de meios que estimulem a difusão de cidades digitais sustentáveis pelo país, porque, além

Leia mais

Planejamento da Mobilidade Urbana em Belo Horizonte

Planejamento da Mobilidade Urbana em Belo Horizonte Seminário de Mobilidade Urbana Planejamento da Mobilidade Urbana em Belo Horizonte Celio Bouzada 23 de Setembro de 2015 Belo Horizonte População de Belo Horizonte: 2,4 milhões de habitantes População da

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO PROGRAMAÇÃO DO EVENTO Dia 08/08 // 09h00 12h00 PLENÁRIA Nova economia: includente, verde e responsável Nesta plenária faremos uma ampla abordagem dos temas que serão discutidos ao longo de toda a conferência.

Leia mais

Perspectivas do Trem de Alta Velocidade

Perspectivas do Trem de Alta Velocidade Perspectivas do Trem de Alta Velocidade Bernardo Figueiredo Julho/2013 TRENS DE ALTA VELOCIDADE Segurança: Trem de Alta Velocidade é mais seguro. AVIÃO Número de mortes por bilhão de passageiro/km RODOVIA

Leia mais

Prefeitura Municipal do Natal

Prefeitura Municipal do Natal Prefeitura Municipal do Natal Secretaria Municipal de Planejamento, Orçamento e Finanças Plano Plurianual 2010/2013 Programa Horizonte Público Objetivo: 8 Mobilidade e Cidadania Contínuo População do município

Leia mais

Conceitos Básicos. Geoprocessamento: Uma Ferramenta Para o Desenvolvimento Regional Sustentável. Conceitos Básicos.

Conceitos Básicos. Geoprocessamento: Uma Ferramenta Para o Desenvolvimento Regional Sustentável. Conceitos Básicos. Geoprocessamento: Uma Ferramenta Para o Desenvolvimento Regional Sustentável Sistema de Informação Dados Armazenados Questão Informação Laboratório de Geoprocessamento (LAGEO) Programa de Mestrado em Ciências

Leia mais

Plano Intermunicipal de Mobilidade e Transportes da Região de Aveiro

Plano Intermunicipal de Mobilidade e Transportes da Região de Aveiro Plano Intermunicipal de Mobilidade e Transportes da Região de Aveiro www.regiaodeaveiro.pt PIMT de Aveiro, Aveiro TIS.PT Transportes Inovação e Sistemas, S.A. 1 16 Breve enquadramento A Comunidade Intermunicipal

Leia mais

Implementação da Política Nacional de Resíduos Sólidos

Implementação da Política Nacional de Resíduos Sólidos Implementação da Política Nacional de Resíduos Sólidos FIESP 07/06/11 Alexandre Comin - MDIC PNRS Instituída pela Lei 12.305, de 2 de agosto de 2010, e regulamentada pelo Decreto nº 7404, de 23 de Dezembro

Leia mais

O Papel do Governo no Transporte Ferroviário. Atuação do Ministério dos Transportes

O Papel do Governo no Transporte Ferroviário. Atuação do Ministério dos Transportes O Papel do Governo no Transporte Ferroviário Atuação do Ministério dos Transportes Brasília, 11 de agosto de 2010 Paulo Sérgio Passos Ministro dos Transportes Um momento especial 2010 tem sido um ano de

Leia mais

MOBILIDADE SUSTENTÁVEL

MOBILIDADE SUSTENTÁVEL MOBILIDADE SUSTENTÁVEL Quem somos TIS A TIS tem como missão a geração de valor na área da mobilidade e transportes para os seus clientes e acionistas, baseado em soluções sustentáveis do ponto de vista

Leia mais

A Importância da Elaboração dos Inventários de Emissões de Gases de Efeito Estufa nas Capitais Brasileiras

A Importância da Elaboração dos Inventários de Emissões de Gases de Efeito Estufa nas Capitais Brasileiras A Importância da Elaboração dos Inventários de Emissões de Gases de Efeito Estufa nas Capitais Brasileiras Emilio Lèbre La Rovere Coordenador, CentroClima/LIMA/PPE/COPPE/UFRJ 2º Encontro dos Secretários

Leia mais

GEOPROCESSAMENTO COMO INSTRUMENTO DE ANÁLISE NOS IMPACTOS AMBIENTAIS: MINERADORA CAMPO GRANDE TERENOS/MS.

GEOPROCESSAMENTO COMO INSTRUMENTO DE ANÁLISE NOS IMPACTOS AMBIENTAIS: MINERADORA CAMPO GRANDE TERENOS/MS. GEOPROCESSAMENTO COMO INSTRUMENTO DE ANÁLISE NOS IMPACTOS AMBIENTAIS: MINERADORA CAMPO GRANDE TERENOS/MS. CÁSSIO SILVEIRA BARUFFI(1) Acadêmico de Engenharia Sanitária e Ambiental, Universidade Católica

Leia mais

Ementários. Disciplina: Gestão Estratégica

Ementários. Disciplina: Gestão Estratégica Ementários Disciplina: Gestão Estratégica Ementa: Os níveis e tipos de estratégias e sua formulação. O planejamento estratégico e a competitividade empresarial. Métodos de análise estratégica do ambiente

Leia mais

Soluções em Engenharia de Tráfego, Transportes e Ambiental. Engenharia de Tráfego, Transportes e Ambiental

Soluções em Engenharia de Tráfego, Transportes e Ambiental. Engenharia de Tráfego, Transportes e Ambiental Soluções em Engenharia de Tráfego, Transportes e Ambiental. A IMTRAFF QUEM SOMOS A ImTraff é uma empresa que presta consultoria nas áreas de Engenharia de Tráfego, de Transportes e Ambiental, sempre com

Leia mais

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS CURITIBA CURSO SUPERIOR DE ENGENHARIA ELÉTRICA

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS CURITIBA CURSO SUPERIOR DE ENGENHARIA ELÉTRICA UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS CURITIBA CURSO SUPERIOR DE ENGENHARIA ELÉTRICA ANDERSON WESLLEY DA SILVA ZAMPOLI BRUNO MIGUEL ABIB FELIPE MOREIRA DAQUILA ANÁLISE DE DEMANDA DE ENERGIA

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS 1) Geração e Transferência de Tecnologia 1.1) Estudo de viabilidade técnico-econômica de projetos Princípios fundamentais de aplicação de capital. Mecanismos de aplicação. Investimentos.

Leia mais

Soluções urbanas inovadoras e financiamento de Smart Cities. São Paulo, 23 setembro 2014

Soluções urbanas inovadoras e financiamento de Smart Cities. São Paulo, 23 setembro 2014 Soluções urbanas inovadoras e financiamento de Smart Cities São Paulo, 23 setembro 2014 1 Índice 1. Fatores habilitantes da Cidade Inteligente 2. Modelos de financiamento da Cidade Inteligente 2 1. Fatores

Leia mais

Nos trilhos do progresso

Nos trilhos do progresso Nos trilhos do progresso brasil: polo internacional de investimentos e negócios. Um gigante. O quinto maior país do mundo em extensão e população e o maior da América Latina, onde se destaca como a economia

Leia mais

Etapas para a Elaboração de Planos de Mobilidade Participativos. Nívea Oppermann Peixoto, Ms Coordenadora Desenvolvimento Urbano EMBARQ Brasil

Etapas para a Elaboração de Planos de Mobilidade Participativos. Nívea Oppermann Peixoto, Ms Coordenadora Desenvolvimento Urbano EMBARQ Brasil Etapas para a Elaboração de Planos de Mobilidade Participativos Nívea Oppermann Peixoto, Ms Coordenadora Desenvolvimento Urbano EMBARQ Brasil Novo cenário da mobilidade urbana Plano de Mobilidade Urbana:

Leia mais

INTEGRAÇÃO DE DADOS PARA CONTROLE DA FISCALIZAÇÃO DE MERCADORIAS EM TRÂNSITO

INTEGRAÇÃO DE DADOS PARA CONTROLE DA FISCALIZAÇÃO DE MERCADORIAS EM TRÂNSITO INTEGRAÇÃO DE DADOS PARA CONTROLE DA FISCALIZAÇÃO DE MERCADORIAS EM TRÂNSITO Authors: LEONARDO OLIVEIRA MENESES Auditor Fiscal da Receita Estadual Secretaria da Fazenda do Estado de Goiás Realization:

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.465, DE 12 DE DEZEMBRO DE 2013

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.465, DE 12 DE DEZEMBRO DE 2013 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.465, DE 12 DE DEZEMBRO DE 2013 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Bacharelado em

Leia mais

CURSO GESTÃO DA MOBILIDADE E DESLOCAÇÕES

CURSO GESTÃO DA MOBILIDADE E DESLOCAÇÕES CURSO GESTÃO DA MOBILIDADE E DESLOCAÇÕES NAS EMPRESAS PLANEAR PARA A REDUÇÃO DE CUSTOS E OPTIMIZAÇÃO DE SOLUÇÕES 19 e 20 Fevereiro 2013 Auditório dos CTT- Correios de Portugal Lisboa Horário Laboral: 09h30

Leia mais

FORTALECIMENTO DA INDÚSTRIA BRASILEIRA

FORTALECIMENTO DA INDÚSTRIA BRASILEIRA FORTALECIMENTO DA INDÚSTRIA BRASILEIRA DE MÁQUINAS E IMPLEMENTOS AGRÍCOLAS Cooperação CSMIA-ABIMAQ/ IPT / POLI-USP 29 de Abril 2013 - AGRISHOW Desafios da Competitividade e Consolidação do Setor 1. A maioria

Leia mais

Forneça a próxima onda de inovações empresariais com o Open Network Environment

Forneça a próxima onda de inovações empresariais com o Open Network Environment Visão geral da solução Forneça a próxima onda de inovações empresariais com o Open Network Environment Visão geral À medida que tecnologias como nuvem, mobilidade, mídias sociais e vídeo assumem papéis

Leia mais

ATO DA COMISSÃO DIRETORA Nº 4, DE 2013.

ATO DA COMISSÃO DIRETORA Nº 4, DE 2013. ATO DA COMISSÃO DIRETORA Nº 4, DE 2013. Institui a Política de Responsabilidade Socioambiental do Senado Federal. A COMISSÃO DIRETORA DO SENADO FEDERAL, no uso da competência que lhe foi conferida pelo

Leia mais

A maioria da população mundial, europeia e nacional vive hoje em cidades.

A maioria da população mundial, europeia e nacional vive hoje em cidades. 1. As cidades A maioria da população mundial, europeia e nacional vive hoje em cidades. Na União Europeia, mais de 2/3 da população vive em áreas urbanas e 67% do Produto Interno Bruto (PIB) europeu é

Leia mais

Projecto REDE CICLÁVEL DO BARREIRO Síntese Descritiva

Projecto REDE CICLÁVEL DO BARREIRO Síntese Descritiva 1. INTRODUÇÃO Pretende-se com o presente trabalho, desenvolver uma rede de percursos cicláveis para todo o território do Município do Barreiro, de modo a promover a integração da bicicleta no sistema de

Leia mais

Portugal 2020. Inovação da Agricultura, Agroindústria. Pedro Cilínio pedro.cilinio@iapmei.pt

Portugal 2020. Inovação da Agricultura, Agroindústria. Pedro Cilínio pedro.cilinio@iapmei.pt Portugal 2020 Inovação da Agricultura, Agroindústria e Floresta Pedro Cilínio pedro.cilinio@iapmei.pt FEDER 2020 - Prioridades Concentração de investimentos do FEDER Eficiência energética e energias renováveis

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Identificação do Curso Nome do Curso: Sistemas de Informação Titulação: Bacharelado Modalidade de ensino: Presencial

Leia mais

IIIª Circunferência de Mobilidade Urbana de Florianópolis

IIIª Circunferência de Mobilidade Urbana de Florianópolis Documento confidencial para uso e informação do cliente IIIª Circunferência de Mobilidade Urbana de Florianópolis Dia Mundial sem Carro Divulgação Preliminar dos Resultados das Pesquisas Parte I Visão

Leia mais

Somos engenheiros especializados em Mobilidade Urbana e Transportes

Somos engenheiros especializados em Mobilidade Urbana e Transportes Somos engenheiros especializados em Mobilidade Urbana e Transportes Realizamos projetos de mobilidade para o desenvolvimento de sistemas de transporte inteligentes em pequenas, médias e grandes cidades.

Leia mais

Matriz de Especificação de Prova da Habilitação Técnica de Nível Médio

Matriz de Especificação de Prova da Habilitação Técnica de Nível Médio Matriz de Especificação de Prova da : Técnico em Design de Móveis Descrição do Perfil Profissional: Desenvolve esboços, perspectivas e desenhos normatizados de móveis. Realiza estudos volumétricos e maquetes

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS CAMPUS CATALÃO MESTRADO PROFISSIONAL EM GESTÃO ORGANIZACIONAL. Ementário

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS CAMPUS CATALÃO MESTRADO PROFISSIONAL EM GESTÃO ORGANIZACIONAL. Ementário SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS CAMPUS CATALÃO MESTRADO PROFISSIONAL EM GESTÃO ORGANIZACIONAL Ementário Metodologia de Pesquisa 64 horas Introdução; Paradigmas da investigação social.

Leia mais

Estratégias Empresariais de Adaptação

Estratégias Empresariais de Adaptação Estratégias Empresariais de Adaptação Seminário: Cenários Corporativos de Riscos Climáticos no Brasil e a Inovação Regulatória da Administração Barack Obama 29 de setembro, 2015 MISSÃO Expandir continuamente

Leia mais

NOÇÕES DE GEOPROCESSAMENTO. Módulo 3

NOÇÕES DE GEOPROCESSAMENTO. Módulo 3 NOÇÕES DE GEOPROCESSAMENTO Módulo 3 Sistema Metropolitano de Informações Georreferenciadas MetroGeo Curso Noções de Geoprocessamento Módulo 3 Oscar Ricardo M. Schmeiske Programação Curso Noções de Geoprocessamento

Leia mais

Centro de Inovação e Tecnologia SENAI FIEMG - Campus CETEC

Centro de Inovação e Tecnologia SENAI FIEMG - Campus CETEC Centro de Inovação e Tecnologia SENAI FIEMG Campus CETEC O Centro de Inovação e Tecnologia SENAI FIEMG Campus CETEC, compõe-se por um conjunto de institutos de inovação e institutos de tecnologia capazes

Leia mais

Projeto de Monitoração e Melhoria Contínua com Six-Sigma, IoT e Big Data

Projeto de Monitoração e Melhoria Contínua com Six-Sigma, IoT e Big Data Projeto de Monitoração e Melhoria Contínua com Six-Sigma, IoT e Big Data Contexto As pressões do mercado por excelência em qualidade e baixo custo obrigam as empresas a adotarem sistemas de produção automatizados

Leia mais

De Boas Ideias para Uma Gestão Baseada em Processos

De Boas Ideias para Uma Gestão Baseada em Processos De Boas Ideias para Uma Gestão Baseada em Processos O que você vai mudar em sua forma de atuação a partir do que viu hoje? Como Transformar o Conteúdo Aprendido Neste Seminário em Ação! O que debatemos

Leia mais

Cidades Inteligentes

Cidades Inteligentes Cidades Inteligentes Além das Cidades Digitais Plenas Juliano Castilho Dall Antonia CTI 15/05/14 Conceituação Publicado em 2006 Creative Commons Você pode copiar, distribuir e exibir Você pode criar obras

Leia mais

Energia e cidades. VIII CBPE Congresso Brasileiro de Planejamento energético I 2012 I Curitiba I Brasil. Vinnicius Vieira

Energia e cidades. VIII CBPE Congresso Brasileiro de Planejamento energético I 2012 I Curitiba I Brasil. Vinnicius Vieira Energia e cidades VIII CBPE Congresso Brasileiro de Planejamento energético I 2012 I Curitiba I Brasil Vinnicius Vieira 14 de agosto de 2012 Obrigado Planeta urbano Cidades inteligentes Energia e cidades

Leia mais

DOW BUSINESS SERVICES Diamond Value Chain Consulting

DOW BUSINESS SERVICES Diamond Value Chain Consulting DOW BUSINESS SERVICES Diamond Value Chain Consulting Soluções personalizadas para acelerar o crescimento do seu negócio Estratégia Operacional Projeto e Otimização de Redes Processos de Integração Eficácia

Leia mais

TREM DE ALTA VELOCIDADE - TAV

TREM DE ALTA VELOCIDADE - TAV Encontro Econômico Brasil - Alemanha 2009 Cooperação para o Crescimento e Emprego Idéias e Resultados TREM DE ALTA VELOCIDADE - TAV Secretaria de Política Nacional de Transportes / MT - Engº Marcelo Perrupato

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO SOFTWARE TRANUS COMO APOIO À ENGENHARIA DE TRÁFEGO E TRANSPORTE URBANO

UTILIZAÇÃO DO SOFTWARE TRANUS COMO APOIO À ENGENHARIA DE TRÁFEGO E TRANSPORTE URBANO UTILIZAÇÃO DO SOFTWARE TRANUS COMO APOIO À ENGENHARIA DE TRÁFEGO E TRANSPORTE URBANO 1. INTRODUÇÃO Atualmente a tecnologia vem se desenvolvendo cada vez mais rápido para suprir as necessidades da população.

Leia mais

Prof. Marcos Aurélio Vasconcelos de Freitas (mfreitas@ivig.coppe.ufrj.br) Instituto Virtual Internacional de Mudanças Globais IVIG/COPPE/UFRJ

Prof. Marcos Aurélio Vasconcelos de Freitas (mfreitas@ivig.coppe.ufrj.br) Instituto Virtual Internacional de Mudanças Globais IVIG/COPPE/UFRJ Formação e Capacitação de Recursos Humanos p/exploração de Recursos Energéticos e Geração de Energia Prof. Marcos Aurélio Vasconcelos de Freitas (mfreitas@ivig.coppe.ufrj.br) Instituto Virtual Internacional

Leia mais

CDP - SUPPLY CHAIN BRASIL DESAFIOS E CONQUISTAS - 2014 BUSINESS CASES

CDP - SUPPLY CHAIN BRASIL DESAFIOS E CONQUISTAS - 2014 BUSINESS CASES CDP - SUPPLY CHAIN BRASIL DESAFIOS E CONQUISTAS - 2014 BUSINESS CASES Profa. Dra. Priscila Borin de Oliveira Claro priscila.claro@insper.edu.br 05/02/2015 Apoio: Agenda Apresentação Parceria CDP e Insper

Leia mais

Gestão Pública em BH Programa BH Metas e Resultados e BH 2030

Gestão Pública em BH Programa BH Metas e Resultados e BH 2030 Gestão Pública em BH Programa BH Metas e Resultados e BH 2030 5º Congresso de Gerenciamento de Projetos 10 de novembro de 2010 Belo Horizonte Planejamento Estratégico Longo Prazo período 2010-2030 - planejamento

Leia mais

Plano Intermunicipal de Mobilidade e Transportes (PIMT) da Região de Aveiro. PIMT Região de Aveiro 1 16

Plano Intermunicipal de Mobilidade e Transportes (PIMT) da Região de Aveiro. PIMT Região de Aveiro 1 16 Plano Intermunicipal de Mobilidade e Transportes (PIMT) da Região de Aveiro 1 16 Breve enquadramento A Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro (CIRA) decidiu desenvolver o Plano Intermunicipal de

Leia mais

Unidade IV GERENCIAMENTO DE. Prof. Altair da Silva

Unidade IV GERENCIAMENTO DE. Prof. Altair da Silva Unidade IV GERENCIAMENTO DE TRANSPORTE Prof. Altair da Silva Transporte em area urbana Perceba o volume de caminhões que circulam nas áreas urbanas em nosso país. Quais são os resultados para as empresas

Leia mais

LINHAS TEMÁTICAS. EDITAL MCT/CNPq 066/2010 ICT 2011 Chamada coordenada UE/ Brasil. Linha temática 1: Microeletrônica/ Microssistemas

LINHAS TEMÁTICAS. EDITAL MCT/CNPq 066/2010 ICT 2011 Chamada coordenada UE/ Brasil. Linha temática 1: Microeletrônica/ Microssistemas (Anexo IV) LINHAS TEMÁTICAS EDITAL MCT/CNPq 066/2010 ICT 2011 Chamada coordenada UE/ Brasil Linha temática 1: Microeletrônica/ Microssistemas Metodologia, blocos e ferramentas específicas de projeto que

Leia mais

Ângelo Monteiro GERENCIAMENTO DE RISCOS EM TRANSPORTES

Ângelo Monteiro GERENCIAMENTO DE RISCOS EM TRANSPORTES 1 Ângelo Monteiro GERENCIAMENTO DE RISCOS EM TRANSPORTES 2 SEGURO DE TRANSPORTES NO BRASIL 3 SEGURO DE TRANSPORTES NO BRASIL POUCAS SEGURADORAS OPERANDO POUCOS CORRETORES ESPECIALIZADOS SINISTRALIDADE

Leia mais

ECONOMIA VERDE A Nova Economia Desafios e Oportunidades FACULDADE FLAMINGO

ECONOMIA VERDE A Nova Economia Desafios e Oportunidades FACULDADE FLAMINGO ECONOMIA VERDE A Nova Economia Desafios e Oportunidades FACULDADE FLAMINGO O mundo dá sinais de exaustão Mudanças Climáticas Alterações ambientais Paradoxo do consumo: Obesidade x Desnutrição Concentração

Leia mais

CUSTOS LOGÍSTICOS NO BRASIL 2014. Logística, Supply Chain e Infraestrutura. Núcleo de Logística, Supply Chain e Infraestrutura

CUSTOS LOGÍSTICOS NO BRASIL 2014. Logística, Supply Chain e Infraestrutura. Núcleo de Logística, Supply Chain e Infraestrutura CUSTOS LOGÍSTICOS NO BRASIL 2014 Logística, Supply Chain e Infraestrutura Núcleo de Logística, Supply Chain e Infraestrutura Paulo Tarso Vilela de Resende Paulo Renato de Sousa Bolsistas Fapemig Gustavo

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA 1. TÍTULO DO PROJETO

TERMO DE REFERÊNCIA 1. TÍTULO DO PROJETO 1. TÍTULO DO PROJETO TERMO DE REFERÊNCIA Elaboração de estudo de viabilidade técnica e econômica da implantação da logística reversa para resíduos de equipamentos eletroeletrônicos (REEE) 2. JUSTIFICATIVA

Leia mais

Gestão de Transporte. Gestão do Transporte: Próprio ou Terceiros? Gestão de Transporte Avaliação das modalidades. Que fatores a serem considerados?

Gestão de Transporte. Gestão do Transporte: Próprio ou Terceiros? Gestão de Transporte Avaliação das modalidades. Que fatores a serem considerados? Gestão de Transporte Que fatores a serem considerados? A Atividade de Transporte: Sua Gestão Barco Trem Caminhão Peso Morto por T transportada 350 kg 800kg 700 kg Força de Tração 4.000 kg 500 kg 150 kg

Leia mais

Mobilidade e acessibilidade na Região Metropolitana de Belo Horizonte

Mobilidade e acessibilidade na Região Metropolitana de Belo Horizonte Mobilidade e acessibilidade na Região Metropolitana de Belo Horizonte ESTRUTURA DA APRESENTAÇÃO 1. Política de Mobilidade no Plano Diretor Metropolitano PDDI-RMBH 2. Tendências recentes da mobilidade na

Leia mais

VISITA À FÁBRICA DO VLT CARIOCA TAUBATÉ - SP

VISITA À FÁBRICA DO VLT CARIOCA TAUBATÉ - SP VISITA À FÁBRICA DO VLT CARIOCA TAUBATÉ - SP Modalidade PPP Patrocinada Duração do contrato 25 anos Consórcio VLT Carioca CCR Invepar OTP RioPar RATP Benito Roggio Transporte Sociedad Anónima - BRT 2 O

Leia mais

UGP COPA Unidade Gestora do Projeto da Copa

UGP COPA Unidade Gestora do Projeto da Copa Organização da Copa 2014 PORTFÓLIOS UGPCOPA ARENA E ENTORNO INFRAESTRUTURA TURÍSTICA FAN PARKS LOC COPA DESPORTIVA EVENTOS DA FIFA GERENCIAMENTO DE PROJETOS OBRIGAÇÕES GOVERNAMENTAIS SUPRIMENTOS COPA TURÍSTICA

Leia mais

POR FAVOR, SEMPRE DESLIGUEM CELULARES e computadores!!! 2 o semestre de 2015

POR FAVOR, SEMPRE DESLIGUEM CELULARES e computadores!!! 2 o semestre de 2015 2º semestre de 2015 POR FAVOR, SEMPRE DESLIGUEM CELULARES e computadores!!! Universidade Presbiteriana Mackenzie Escola de Engenharia Depto. de Engenharia Civil 2 0 semestre de 2015 Aula 1 A Engenharia

Leia mais

As melhores oportunidades de negócios a partir de análises das novas demandas do país

As melhores oportunidades de negócios a partir de análises das novas demandas do país A nova unidade de negócios da Urban Systems Brasil APRESENTAÇÃO 5 de maio de 2009 As melhores oportunidades de negócios a partir de análises das novas demandas do país Thomaz Assumpção Marco Versiani Modelo

Leia mais

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades;

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades; POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE OBJETIVO Esta Política tem como objetivos: - Apresentar as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente as inovações

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS Versão 2.0 09/02/2015 Sumário 1 Objetivo... 3 1.1 Objetivos Específicos... 3 2 Conceitos... 4 3 Princípios... 5 4 Diretrizes... 5 4.1

Leia mais

EIXO X TEC E NOLÓ L GICO C GOIÂNIA - ANÁPOLIS

EIXO X TEC E NOLÓ L GICO C GOIÂNIA - ANÁPOLIS EIXO TECNOLÓGICO GOIÂNIA -ANÁPOLIS CONCEITO Projeto de Desenvolvimento Regional Desenvolvimento Tecnológico Indução de Estruturação do Espaço Regional Conceito CONCEITUAÇÃO DA PROPOSTA CONCEITO 1 -PROJETO

Leia mais

Veículo de Diagnóstico de Rodovias (VDR)

Veículo de Diagnóstico de Rodovias (VDR) Veículo de Diagnóstico de Rodovias (VDR) Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) Ministério dos Transportes (MT) Para cobrir os 55 mil km de rodovias federais eram precisos 18 meses

Leia mais

GRUPO DE TRABALHO DE INFRAESTRUTURA E MOBILIDADE URBANA

GRUPO DE TRABALHO DE INFRAESTRUTURA E MOBILIDADE URBANA DESENVOLVIMENTO DE LAY-OUT DE PROPOSTA ALTERNATIVA PARA O SISTEMA G DE TRANSPORTE PÚBLICO MULTIMODAL PARA A REGIÃO METROPOLITANA DA GRANDE VITÓRIA GRUPO DE TRABALHO DE INFRAESTRUTURA E MOBILIDADE URBANA

Leia mais

Tecnologias Digitais de Geoprocessamento

Tecnologias Digitais de Geoprocessamento Gilberto Pessanha Ribeiro Engenheiro Cartógrafo - UERJ Mestre em Ciências Geodésicas - UFPR Doutor em Geografia UFF Especialista em Geologia do Quaternário Museu Nacional/UFRJ gilberto@eng.uerj.br gilberto@globalgeo.com.br

Leia mais

Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 5 a 8 de outubro, 2009 131 RESUMOS EXPANDIDOS...132

Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 5 a 8 de outubro, 2009 131 RESUMOS EXPANDIDOS...132 Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 5 a 8 de outubro, 2009 131 RESUMOS EXPANDIDOS...132 Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 5 a 8 de outubro, 2009 132

Leia mais

Desafio Logístico 2013

Desafio Logístico 2013 1 Desafio Logístico 2013 Índice Introdução 3 A situação O desafio 5 5 Regras gerais 6 2 Introdução O desenvolvimento econômico do Brasil enfrenta inúmeros desafios sendo que um dos mais complexos está

Leia mais

AGO-13 CBR&C. Tarifa de Pedágio X Economia no Transporte

AGO-13 CBR&C. Tarifa de Pedágio X Economia no Transporte AGO-13 CBR&C Tarifa de Pedágio X Economia no Transporte 00. Introdução O pedágio em rodovias brasileiras 1960-70 Devido a problemas no financiamento de infraestrutura rodoviária, o Estado passou a avaliar

Leia mais

Aplicação do algoritmo genético na otimização da produção em indústrias de açúcar e álcool

Aplicação do algoritmo genético na otimização da produção em indústrias de açúcar e álcool Aplicação do algoritmo genético na otimização da produção em indústrias de açúcar e álcool Lucélia Costa Oliveira¹; Mário Luiz Viana Alvarenga² ¹ Aluna do curso de Engenharia de Produção e bolsista do

Leia mais

Brasil: Cenário Atual

Brasil: Cenário Atual Encontro ILSI Brasil São Paulo, 10 de Dezembro de 2012 Brasil: Cenário Atual 8 milhões de quilômetros quadrados 194 milhões de habitantes 84% em cidades com crescimento desordenado 6ª maior economia mundial,

Leia mais

SUSTENTÁVEL. Unidade Senac: Santa Cecília. Data: 24/08/2015. Daniela Ades, Guilherme Checco e Juliana Cibim

SUSTENTÁVEL. Unidade Senac: Santa Cecília. Data: 24/08/2015. Daniela Ades, Guilherme Checco e Juliana Cibim SUSTENTÁVEL Unidade Senac: Santa Cecília Data: 24/08/2015 Daniela Ades, Guilherme Checco e Juliana Cibim Imagem retirada de Debate de Bolso, em http://debatedebolso.com. Creative Commons BY-NC-ND 3.0 Plataforma

Leia mais