3. Comportamento organizacional: Motivação, Liderança e desempenho. Administração Aula 3

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "3. Comportamento organizacional: Motivação, Liderança e desempenho. Administração Aula 3"

Transcrição

1 Administração Aula 3 3. Comportamento organizacional: Motivação, Liderança e desempenho Comportamento Organizacional O Comportamento Organizacional estuda a dinâmica das organizações e como os grupos e indivíduos se comportam dentro delas Teoria Comportamental Estuda os estilos de administração resultantes da visão que gerentes têm sobre o comportamento humano nas organizações. A mais conhecida é a teoria X e teoria Y de McGregor que descreve dois conjuntos de pressupostos que os gerentes tem sobre as pessoas. Teoria X Pressupostos: As pessoas são indolentes e preguiçosas por natureza; elas evitam o trabalho ou trabalham o mínimo possível, em troca de recompensas salariais ou materiais. Teoria X Falta-lhes ambição: elas não gostam de assumir responsabilidades e preferem ser dirigidas e sentirem-se seguras nessa dependência. A sua natureza leva-as a resistirem às mudanças; procuram segurança e preferem não assumir riscos.

2 Teoria X Essas pressuposições levam gerentes a utilizarem uma administração dura, rígida, autocrática, na qual as pessoas trabalham sob esquemas e padrões planejados e organizados apenas para o alcance dos objetivos da organização. As pessoas são consideradas como recursos ou meios de produção. Teoria Y: Pressuposto: As pessoas não são passivas por natureza, ou resistentes às necessidades da empresa. As pessoas têm motivação e potencial de desenvolvimento; Elas têm bons padrões de comportamento, capacidade e interesse para assumir responsabilidades. Teoria Y: O funcionário pode exercer autodireção e autocontrole dos objetivos que lhe são confiados. O controle externo e a ameaça de punição não são os únicos meios de obter a dedicação e esforço de alcançar os objetivos empresariais. O profissional médio aprende sob certas condições a aceitar e a procurar responsabilidades. Teoria Y: As concepções e premissas da Teoria Y refletem um estilo de administração aberto, dinâmico e democrático, baseado em valores humanos e sociais. A administração torna-se um processo que cria oportunidades, libera potenciais, remove obstáculos, encoraja o crescimento individual e proporciona orientação quanto a objetivos Liderança Liderança é a competência de influenciar pessoas. Ela é exercida numa situação determinada visando à consecução de objetivos específicos. A liderança consiste numa relação entre grupos sociais. O líder é um indivíduo no qual o grupo confia e acredita que ele é possuidor de meios para o atendimento de suas necessidades Liderança O grau em que uma pessoa demonstra qualidades de liderança depende não somente de suas próprias características individuais, mas também das características da situação na qual se encontra. Essa liderança é denominada de Liderança Situacional.

3 3.2. Liderança institucional A Liderança é realizada pelo processo da comunicação humana: No ambiente profissional é definida como a capacidade de induzir as pessoas a cumprir suas obrigações com zelo e correção. O Líder exerce influência sobre as pessoas conduzindo suas percepções de objetivos em direção às metas Liderança A Liderança visa á consecução de um ou mais objetivos específicos: O líder surge como um meio para se alcançar os objetivos desejados pelo grupo e pela empresa Estilos de liderança Existem três estilos básicos de liderança: a liderança autocrática, a liderança liberal, e a liderança democrática Estilos de liderança Na prática, o líder utiliza os três estilos de acordo com a situação, com as pessoas e com a tarefa a ser executada. O líder tanto manda cumprir ordens, como sugere aos subordinados a realização de certas tarefas, como ainda consulta aos subordinados antes de tomar alguma decisão Estilos de liderança A maneira como o líder se comporta para Influenciar seus subordinados define seu estilo de liderança. Estilos mais comuns: Autocrático Democrático Liberal Situacional Liderança a autocrática tica O líder fixa as diretrizes, sem qualquer participação do grupo. Determina as técnicas para a execução das tarefas, na medida que se tornam necessárias e de modo imprevisível para o grupo. É dominador e é pessoal nos elogios e nas críticas ao trabalho de cada membro da equipe.

4 3.2.1 Liderança a liberal Há liberdade para as decisões grupais ou individuais, com participação mínima do líder. A divisão das tarefas e a escolha dos companheiros fica totalmente a cargo do grupo. O líder não faz nenhuma tentativa de avaliar ou de regular o curso dos acontecimentos. Só faz comentários sobre as atividades dos membros do grupo quando perguntado Liderança a democrática As diretrizes são debatidas e decididas pelo grupo. O grupo estabelece as providências e as técnicas para atingir o alvo, solicitando aconselhamento técnico ao líder quando necessário. A divisão das tarefas fica a critério do grupo e cada membro tem liberdade de escolher os seus companheiros de trabalho. O líder procura ser um membro normal do grupo. Liderança Situacional Os líderes de sucesso não utilizam um único estilo. Eles praticam uma liderança situacional, adaptando o seu estilo a cada situação, principalmente às características culturais de cada grupo Teorias das Motivações Humanas Teoria da Hierarquização das Necessidades Abraham Maslow ( , psicólogo americano, propõe que as necessidades humanas estão organizadas e dispostas em níveis, numa hierarquia de importância e de influência. Na base da pirâmide estão as necessidades básicas (fisiológicas) e no topo as necessidades mais elevadas (auto-realização).

5 Pirâmide de Maslow Auto-realização Estima Sociais Segurança Fisiológicas Segundo Maslow havendo um nível inferior de necessidades não satisfeitas, esse nível monopoliza o comportamento consciente da pessoa e é o seu gerador exclusivo de fatores motivacionais. À medida que um determinado nível de necessidades é satisfeito ele vai perdendo a sua capacidade motivacional. Maslow afirma ainda que as pessoas podem subir ou descer nessa hierarquia, dependendo das variações do seu relacionamento com o ambiente onde vivam. A importância principal do estudo de Maslow foi identificar que uma necessidade já satisfeita não é capaz de motivar um determinado comportamento A teoria dos dois fatores ou teoria da Motivação/Higiene Frederick Herzberg formulou a teoria dos dois fatores ou teoria da motivação/higiene para explicar o comportamento das pessoas em situação de trabalho. Para Herzberg existem dois fatores que orientam o comportamento das pessoas:

6 Fatores internos ou motivacionais: Ligados ao conteúdo do cargo e à natureza das tarefas executadas: realização pessoal, o trabalho em si, a responsabilidade que o trabalho exige, as promoções, o crescimento pessoal e profissional, o reconhecimento. Essas são fontes de motivação de fatores motivadores no trabalho. Fatores externos ou higiênicos: abrangem as condições do ambiente de trabalho: Se forem ruins, causam insatisfação: A administração e políticas, supervisão, condições de trabalho, salário, relacionamento com os colegas, relacionamento com os subordinados. Para Herzberg satisfação e insatisfação não são extremos opostos de uma dimensão; são dimensões independentes Modelo Contingencial A grau de motivação em uma empresa, é função de três fatores dominantes: Expectativas: refere-se aos objetivos individuais (cargo, dinheiro, aceitação social, etc) e a força do desejo de atingi-los. Recompensas: trata da relação entre a sua produtividade e o alcance dos objetivos individuais. Atua de acordo com a importância estabelecida: para obter recompensa, ou para ter aceitação social Modelo Contingencial Relações entre expectativas e recompensas: é a capacidade do indivíduo de influenciar sua própria produtividade para satisfazer suas expectativas por meio de recompensas. Assim, priorizará esforços que produzam resultados Modelo de expectância O modelo de expectância é baseado em objetivos gradativos. Esse modelo considera que a motivação é um processo que escolhe comportamentos a serem adotados. O indivíduo percebe as conseqüências de cada alternativa de ação como um conjunto de possíveis resultados provenientes do comportamento escolhido Ciclo Motivacional Para essa teoria a motivação é composta de fases ou etapas ordenadas que se repetem. A meta do ser humano é o equilíbrio, no entanto esse equilíbrio se rompe quando surge uma nova necessidade, que desencadeia uma tensão, que gera um comportamento, que procura satisfazer a necessidade e assim retornar ao estado de equilíbrio.

7 3.4. Avaliação de Desempenho A Avaliação de desempenho determina quais são os critérios para: promoção, mobilidade e incentivos ao servidor. Ela pode indicar também fatores negativos do servidor como falta de comprometimento, incapacidade, falta de responsabilidade, etc. A avaliação é uma responsabilidade gerencial do chefe imediato do servidor e se baseia em critérios objetivos: pontualidade, participação no grupo, iniciativa e responsabilidade Avaliação de Desempenho A avaliação de desempenho monitora o trabalho de cada membro e da equipe, em relação aos resultados alcançados para compará-los com as metas estabelecidas. Preocupa-se com a eficiência, a eficácia, produtividade e qualidade. É uma atividade constante, contínua e abrangente que acompanha todos os passos da equipe e de cada pessoa que a integra Avaliação de Desempenho O desempenho é conseqüência do esforço individual e do estado motivacional direcionado para a realização das tarefas e do cumprimento dos objetivos. Os resultados percebidos pela pessoa provocam um determinado grau de satisfação pessoal, que realimenta positiva ou negativamente a motivação para um novo desempenho. Ou simplesmente não motiva mais Avaliação de Desempenho A medição dos resultados deve ser contínua e constante ao longo dos processos. Avalia-se os resultados finais e os resultados intermediários comparando-se com os objetivos previamente formulados, para verificar os possíveis desvios, visando corrigi-los adequadamente e em tempo real Avaliação de Desempenho A avaliação é um meio e não um fim. Ela está voltada para a melhoria, e serve como fonte de informação para os gerentes, visando melhorar o desempenho das pessoas, alavancar suas satisfações, melhorar o contexto do trabalho e a qualidade de vida das pessoas e proporcionar melhores resultados em termos de eficiência e eficácia.

8 Eficiência, Eficácia e Efetividade Para avaliar o desempenho de uma organização, é necessário analisá-la nos níveis técnico-operacional e administrativogerencial. Essa avaliação inclui os conceitos de Eficiência, Eficácia e Efetividade Eficiência, Eficácia e Efetividade Eficiência: é o uso racional e econômico dos recursos na produção de bens e serviços; é uma relação entre insumos e produtos. Insumos são recursos humanos, materiais e componentes Eficiência, Eficácia e Efetividade Eficácia: é o grau de alcance das metas. O conceito também está associado ao de qualidade de processos produtivos, no sentido de que ser eficaz pressupõe o fiel atendimento às especificações de uma dada meta, sem desvios de rota em relação ao cumprimento das intenções programadas Eficiência, Eficácia e Efetividade Efetividade: é o impacto final das ações; é o grau de satisfação das necessidades e dos desejos dos proprietários e acionistas, ou da sociedade pelos serviços prestados pela instituição. Esse conceito possui duas dimensões: uma dimensão quantitativa que verifica se a quantidade oferecida foi suficiente e outra relativa à qualidade dos serviços prestados. Questões de Concursos Página Carlos Chagas. Henry Mintzberg identificou três grandes grupos de papéis gerenciais: a) os papéis interpessoais, os papéis de informação e os papéis de coordenação e planejamento; b) papéis interpessoais, papéis aglutinadores e os papéis de decisão e negociação;

9 1. c) papéis de formação, papéis de informação e papéis de decisão e negociação; d) os papéis interpessoais, os papéis de informação e os papéis de decisão; e) papéis de formação, papéis de coordenação e papéis de liderança e decisão. 1. c) papéis de formação, papéis de informação e papéis de decisão e negociação; d) os papéis interpessoais, os papéis de informação e os papéis de decisão; e) papéis de formação, papéis de coordenação e papéis de liderança e decisão. 2. PCI/Concursos. As teorias sobre estilos de liderança estudam estilos de comportamento do líder em relação aos seus subordinados. A principal teoria que explica liderança sem se preocupar com características de personalidade é a que se refere a três estilos de liderança, a saber: a) dominante, consultiva e laissez-faire; b) autocrática, liberal e democrática; c) autocrática, democrática e circunstancial; d) liberal, moderadora e coercitiva. 2. PCI/Concursos. As teorias sobre estilos de liderança estudam estilos de comportamento do líder em relação aos seus subordinados. A principal teoria que explica liderança sem se preocupar com características de personalidade é a que se refere a três estilos de liderança, a saber: a) dominante, consultiva e laissez-faire; b) autocrática, liberal e democrática; c) autocrática, democrática e circunstancial; d) liberal, moderadora e coercitiva. 3. Julgue o item. De acordo com Maslow, o homem tem uma série de necessidades que são classificadas e expostas sob a forma de pirâmide. Considerando a teoria das necessidades de Maslow, não é necessário satisfazer um nível inferior de necessidade para que imediatamente surja um nível elevado no comportamento. 3. Julgue o item. De acordo com Maslow, o homem tem uma série de necessidades que são classificadas e expostas sob a forma de pirâmide. Considerando a teoria das necessidades de Maslow, não é necessário satisfazer um nível inferior de necessidade para que imediatamente surja um nível elevado no comportamento. Errada

10 4. ESAF. Em pesquisa destinada a compreender o papel dos administradores, Henry Mintzberg estudou um grupo de altos executivos em sua atuação diária. Quanto às suas conclusões, assinale a opção correta. a) Os resultados obtidos permitiram reforçar a perspectiva de Fayol sobre o papel dos administradores. b) A importância do papel desempenhado pêlos administradores nas organizações independe do nível hierárquico. c) O trabalho dos administradores concentrase apenas em planejar, dirigir, controlar e organizar. d) Não é papel do administrador, exceto em funções específicas, o relacionamento e troca de informações com outras organizações. e) A administração de recursos, entre os quais seu próprio tempo e a alocação de tarefas aos subordinados, são papéis decisórios típicos exercidos pelos administradores. 5. Julgue o item. Para Maslow, a motivação deixa de existir quando se satisfaz determinada necessidade a que se buscava. 5. Julgue o item. Para Maslow, a motivação deixa de existir quando se satisfaz determinada necessidade a que se buscava. Correta 6. Comperve/RN. Podemos definir liderança como: a) combinação de recursos, conhecimentos e técnicas que criam e produzem um produto ou serviço; b) influência interpessoal exercida numa dada situação e dirigida por meio do processo de comunicação humana, para a consecução de um ou mais objetivos específicos; 6. Comperve/RN. Podemos definir liderança como: c) função administrativa que define os objetivos a atingir e estabelece os meios e programas para alcançá-los; d) o processo de manutenção que as pessoas da organização utilizam para administrar suas relações com o futuro.

11 6. Podemos definir liderança como: b) influência interpessoal exercida numa dada situação e dirigida por meio do processo de comunicação humana, para a consecução de um ou mais objetivos específicos; 7. Sobre a Teoria da motivação, julgue o item: A motivação é uma função mais de expectativa de satisfação de uma necessidade do que de sua satisfação propriamente dita. 7. Sobre a Teoria da motivação, julgue o item: A motivação é uma função mais de expectativa de satisfação de uma necessidade do que de sua satisfação propriamente dita. Correta. 8. Sobre a Teoria da motivação, julgue o item: A teoria das necessidades humanas de Maslow é hierárquica porque prevê diferentes tratamentos motivacionais para diferentes escalões hierárquicos. 8. Sobre a Teoria da motivação, julgue o item: A teoria das necessidades humanas de Maslow é hierárquica porque prevê diferentes tratamentos motivacionais para diferentes escalões hierárquicos. Questão mal redigida! Para ser correta tem que informar que trata-se de hierarquia de necessidades e não hierarquia de cargos! 9. Sobre a Teoria da motivação, julgue o item: Abordagens contemporâneas de motivação enfatizam o fator sensibilidade dos gerentes motivadores para perceber necessidades de seus colaboradores.

12 9. Sobre a Teoria da motivação, julgue o item: Abordagem contemporâneas de motivação enfatizam o fator sensibilidade dos gerentes motivadores para perceber necessidades de seus colaboradores. Correta. 10. Sobre a Teoria da motivação, julgue o item: Fatores higiênicos e motivacionais, na nomenclatura de Herzberg, estão relacionados à segurança do trabalho e ao convívio com a família. Errada Fatores externos ou higiênicos: abrangem as condições do ambiente de trabalho: Se forem ruins, causam insatisfação: A administração e políticas, supervisão, condições de trabalho, salário, relacionamento com os colegas, relacionamento com os subordinados. Fatores internos ou motivacionais: Ligados ao conteúdo do cargo e à natureza das tarefas executadas: realização pessoal, o trabalho em si, a responsabilidade que o trabalho exige, as promoções, o crescimento pessoal e profissional, o reconhecimento. Essas são fontes de motivação de fatores motivadores no trabalho. 11. UFRJ. Em relação aos critérios de avaliação do desempenho das organizações, analise as seguintes conceituações. I. Qualidade de conformidade, que é representada pela razão entre resultados e objetivos. II. Produtividade, que é a razão entre resultado obtido e recursos utilizados. III. Eficiência, que é a antítese do desperdício. 11. UFRJ. Em relação aos critérios de avaliação do desempenho das organizações, analise as seguintes conceituações. IV. Eficácia, que significa a razão entre itens dentro de especificação e o total de itens produzidos. Estão corretamente conceituados somente os critérios: a) l e II; b) l e III; c) l e IV; d) II e III; e) II e IV.

13 11. UFRJ. Em relação aos critérios de avaliação do desempenho das organizações, analise as seguintes conceituações. I. Qualidade de conformidade, que é representada pela razão entre resultados e objetivos. II. Produtividade, que é a razão entre resultado obtido e recursos utilizados. III. Eficiência, que é a antítese do desperdício. 12. A respeito da teoria da motivação dos empregados para o trabalho julgue o item: A satisfação das necessidades básicas não motiva o ser humano para o trabalho, mas a não satisfação dessas necessidades constitui-se em fontes de insatisfação. 12. A respeito da teoria da motivação dos empregados para o trabalho julgue o item: A satisfação das necessidades básicas não motiva o ser humano para o trabalho, mas a não satisfação dessas necessidades constitui-se em fontes de insatisfação. Correta 13. A respeito da teoria da motivação dos empregados para o trabalho julgue o item: Embora a motivação humana se caracterize pela satisfação das necessidades básicas, ela é orientada diretamente para a realização de determinados objetivos desejáveis ou positivos ou, ainda para evitar conseqüências indesejáveis ou negativas. 13. A respeito da teoria da motivação dos empregados para o trabalho julgue o item: Embora a motivação humana se caracterize pela satisfação das necessidades básicas, ela é orientada diretamente para a realização de determinados objetivos desejáveis ou positivos ou, ainda para evitar conseqüências indesejáveis ou negativas. Errada. 14. A Teoria X e a Teoria Y de Douglas McGregor apresentam diferentes concepções a respeito da natureza humana Um dos pressupostos da Teoria Y é que as pessoas: a) Evitam responsabilidades a fim de se sentirem mais seguras. b) Precisam ser controladas e dirigidas. c) São fortemente motivadas por recompensas financeiras. d) Procuram desafios e aceitam responsabilidades. e ) São disciplinadas porque temem punições.

14 14. A Teoria X e a Teoria Y de Douglas McGregor apresentam diferentes concepções a respeito da natureza humana Um dos pressupostos da Teoria Y é que as pessoas: a) Evitam responsabilidades a fim de se sentirem mais seguras. b) Precisam ser controladas e dirigidas. c) São fortemente motivadas por recompensas financeiras. d) Procuram desafios e aceitam responsabilidades. e ) São disciplinadas porque temem punições. 15. Julgue o item. Enfrentar atividades fascinantes e desafiadoras é tão natural nas pessoas como respirar ou comer. O homem está se adaptando constantemente e adotando programas de mudanças, assumindo riscos e tomando decisões. Estes pressupostos identificam a Teoria Y de McGregor. 15. Julgue o item. Enfrentar atividades fascinantes e desafiadoras é tão natural nas pessoas como respirar ou comer. O homem está se adaptando constantemente e adotando programas de mudanças, assumindo riscos e tomando decisões. Estes pressupostos identificam a Teoria Y de McGregor. Correta Julgue os itens 16. Exercer influência sobre pessoas e grupos para realizar os objetivos da organização é um ato chamado de liderança. 17. A função de recursos humanos diz respeito às atividades relacionadas com a mão-de-obra da organização. Julgue os itens 16. Exercer influência sobre pessoas e grupos para realizar os objetivos da organização é um ato chamado de liderança. Correta 17. A função de recursos humanos diz respeito às atividades relacionadas com a mão-de-obra da organização. Correta. 18. Quando se busca uma realização ótima entre qualidade e custo dos serviços colocados à disposição do público, está se buscando: a) Eficiência. b) Eficácia. c) Efetividade. d) Racionalização. e) Produtividade.

15 18. Quando se busca uma realização ótima entre qualidade e custo dos serviços colocados à disposição do público, está se buscando: a) Eficiência. b) Eficácia. c) Efetividade. d) Racionalização. e) Produtividade. 19. Julgue os itens quanto aos diferentes estilos de liderança. ( ) O modelo democrático de liderança caracteriza-se por ordens vindas de cima para baixo. ( ) O modelo autocrático de liderança caracteriza-se pela centralização das decisões na cúpula de organização. ( ) O modelo democrático de liderança caracteriza-se pela participação dos empregados nas decisões da organização. 19. Julgue os itens quanto aos diferentes estilos de liderança. ( ) O modelo autocrático de liderança caracteriza-se pela institucionalização do processo representativo. a) V,V,F,F b) F,V,V,F c) V,F,F,V d) F,V,F,F e) F,V,F,V 20. Julgue o item. A principal teoria que explica liderança sem se preocupar com características de personalidades é a que se refere a três estilos de liderança: autocrática, liberal e democrática. 20. Julgue o item. A principal teoria que explica liderança sem se preocupar com características de personalidades é a que se refere a três estilos de liderança: autocrática, liberal e democrática. Correta Questões de Concursos Página 17

16 11. ESAF Os canais de comunicação informal, nas organizações, podem ser verticais descendentes e ascendentes ou horizontais. 11. ESAF Os canais de comunicação informal, nas organizações, podem ser verticais descendentes e ascendentes ou horizontais. Errada 12. Julgue o item. O processo de controle deve começar pela definição dos objetivos ou resultados esperados e da forma de obtenção das informações sobre a atividade em andamento. 12. Julgue o item. O processo de controle deve começar pela definição dos objetivos ou resultados esperados e da forma de obtenção das informações sobre a atividade em andamento. Correta 13. O controle estratégico tem por finalidade: a) Verificar se os produtos obedecem às especificações estabelecidas. b) Prevenir defeitos de fabricação para evitar custos elevados. c) Avaliar o desempenho das pessoas para aumento da produtividade. d) Acompanhar o desempenho da organização no contexto em que opera, para produzir informações que permitam decisões adequadas. e) Avaliar o impacto de um novo imposto sobre o preço final de um produto.

17 13. O controle estratégico tem por finalidade: a) Verificar se os produtos obedecem às especificações estabelecidas. b) Prevenir defeitos de fabricação para evitar custos elevados. c) Avaliar o desempenho das pessoas para aumento da produtividade. d) Acompanhar o desempenho da organização no contexto em que opera, para produzir informações que permitam decisões adequadas. e) Avaliar o impacto de um novo imposto sobre o preço final de um produto. 14. A comunicação pública, também chamada de comunicação cívica ou cidadã, tem por princípio informar a população sobre a situação do bem público, repassando dados de interesse do cidadão. 14. A comunicação pública, também chamada de comunicação cívica ou cidadã, tem por princípio informar a população sobre a situação do bem público, repassando dados de interesse do cidadão. Correta 15. De acordo com os autores especializados em teoria administrativa, planejamento, organização, direção e controle são consideradas funções: a) Estratégicas. b) Decisórias. c) Essenciais. d) Sistêmicas. e) Ambíguas. 15. De acordo com os autores especializados em teoria administrativa, planejamento, organização, direção e controle são consideradas funções: a) Estratégicas. b) Decisórias. c) Essenciais. d) Sistêmicas. e) Ambíguas. 16. Julgue o item. A função administrativa que permite resolver problemas de integração e ajustamento de fluxos dentro da organização denomina-se coordenação.

18 Teoria Clássica da administração, desenvolvida no início do Século XX, propõe as seguintes funções administrativas: Planejamento, Organização, Comando, Coordenação e Controle. 16. Julgue o item. A função administrativa que permite resolver problemas de integração e ajustamento de fluxos dentro da organização denomina-se coordenação. Correta. 17. Julgue o item. O planejamento tático envolve cada departamento, abrange seus recursos específicos e preocupa-se em atingir os objetivos departamentais. Planejamento Tático Adapta-se às restrições determinadas pelos métodos e procedimentos, às restrições do orçamento e às restrições de tempos para a execução. Envolve um ou apenas alguns departamentos da instituição. É elaborado pela administração média. Decisões Planejamento Estratégico Alta Direção Planejamento Tático Administração Média Planejamento Operacional Gerentes e supervisores de Campo e setoriais Informações17. Julgue o item. O planejamento tático envolve cada departamento, abrange seus recursos específicos e preocupa-se em atingir os objetivos departamentais. Correta.

19 18. Julgue o item. Na visão instrumental, a comunicação é vista como um instrumento cujo objetivo maior é o de gerar conformidade e obediência às diretrizes previamente estabelecidas pela cúpula organizacional. 18. Na visão instrumental, a comunicação é vista como um instrumento cujo objetivo maior é o de gerar conformidade e obediência às diretrizes previamente estabelecidas pela cúpula organizacional. Correta 19. Julgue o item. No planejamento operacional, a ênfase que orienta esses planos está baseada na eficiência, eficácia e efetividade. Decisões Planejamento Estratégico Alta Direção Planejamento Tático Administração Média Planejamento Operacional Gerentes e supervisores de Campo e setoriais Informações19. Julgue o item. No planejamento operacional, a ênfase que orienta esses planos está baseada na eficiência, eficácia e efetividade. Errada

20 20. Julgue o item. O papel da direção é acionar e dinamizar a empresa. A direção (liderança) está relacionada com a ação, com o colocar-se em marcha, e tem muito a ver com as pessoas. 20. Julgue o item. O papel da direção é acionar e dinamizar a empresa. A direção (liderança) está relacionada com a ação, com o colocar-se em marcha, e tem muito a ver com as pessoas. Correta. Administração Aula 1 Publicização: O governo extingue um órgão que exerce uma função pública não exclusiva e ao mesmo tempo a transfere para uma OS. Essa organização social recebe imóveis, mobiliários e servidores para o desempenho das atividades. Publicização O modelo utilizado como instrumento legal para a transferência das atividades e a cobrança dos resultados éo contrato de gestão.

21 Ainda no âmbito do PDRE (Plano Diretor da Reforma do Estado) foi também instituído pela lei a regulamentação para criação de OSCIP - Organização Social de Interesse Público. As OSCIP desempenham atividades de interesse público com fomento (auxílio) do Estado, principalmente nas áreas de saúde, educação, cultura e meio ambiente. O instrumento que estabelece essa relação é o termo de parceria. Ainda a partir do PDRE surgiram às agências executivas e reguladoras. Agências executivas são autarquias que, após assinar contrato de gestão com órgão público, recebem a qualificação de agência executiva, que lhes confere maior autonomia e flexibilidade para o desempenho de suas funções. Agências reguladoras são autarquias especialmente criadas para exercer a função de regulação e fiscalização, fora da hierarquia administrativa e da influência política, mas sujeitas à supervisão ministerial, com a finalidade de proporcionar maior garantia aos investidores (geralmente estrangeiros). Essa atuação é mais voltada aos setores que foram privatizados pelo governo: telecomunicações, energia elétrica, etc., mas também abrangem outras como a ANA, ANVISA, etc. O modelo de Administração Gerencial passou por três fases: Gerencialismo puro. A primeira fase da nova administração pública surgiu como resposta à crise fiscal do Estado e voltou-se para a busca do incremento da eficiência no setor público. Identificou-se com as idéias neoliberais, introduzindo técnicas de gerenciamento concomitantes com programas de ajuste estrutural.

22 Esses programas focaram a redução de custos, enxugamento de pessoal e aumento da eficiência, com clara definição das responsabilidades dos funcionários, dos objetivos organizacionais e maior consciência acerca do valor dos recursos públicos. Segunda etapa: Passa a direcionar suas ações com foco no cliente, o cidadão. Flexibilizou a gestão e introduziu a perspectiva da qualidade como uma estratégia voltada para a satisfação do consumidor, através de medidas que visavam tornar o poder público mais leve, ágil e competitivo: descentralização administrativa, criação de opções de atendimento, incentivo à competição entre organizações públicas e adoção do modelo contratual na prestação dos serviços. Segunda etapa: Ainda nessa etapa o programa agregou princípios mais ligados à cidadania, como accountability e equidade, buscando superar a idéia de que a administração pública deve tratar os administrados somente como clientes. Inclui a participação do cidadão e da sociedade nas decisões públicas. Accountability é um termo da em inglês, sem tradução exata para o português ] que remete à obrigação de membros de um órgão administrativo ou representativo de prestar contas a instâncias controladoras ou a seus representados. Outro termo usado uma versão aproximada para o português é responsabilização. [ O termo cliente tem sua origem no setor privado e influenciou a reforma do Estado. O termo está ligado aos resultados que a administração pública deve obter para atender o usuário dos serviços públicos, o cliente-cidadão. Mas o conceito de foco no cidadão vem sendo mais utilizado do que foco no cliente. É que na administração pública o principio da eficiência está subordinado a valores democráticos: não basta ser eficiente, é preciso também zelar pelos valores democráticos que orientam o governo.

2. Funções Administrativas: Planejamento, Organização, Direção, Controle. Administração Aula 2

2. Funções Administrativas: Planejamento, Organização, Direção, Controle. Administração Aula 2 Administração Aula 2 2. Funções Administrativas: Planejamento, Organização, Direção, Controle. O exercício das funções Planejar, Organizar, Dirigir, Controlar não ocorre isoladamente; as quatro funções

Leia mais

Unidade IV GESTÃO ESTRATÉGICA DE. Professora Ani Torres

Unidade IV GESTÃO ESTRATÉGICA DE. Professora Ani Torres Unidade IV GESTÃO ESTRATÉGICA DE RECURSOS HUMANOS Professora Ani Torres Visão estratégica Visão estratégica está relacionada com alcançar os objetivos empresariais. Considera: Tipos psicológicos, Motivação:

Leia mais

L I D E R A N Ç A (Autoria não conhecida)

L I D E R A N Ç A (Autoria não conhecida) L I D E R A N Ç A (Autoria não conhecida) Liderança é inata? Abordagem Genética - Antigamente acreditava-se que o indivíduo nascia com características, aptidões e valores próprios de um líder. Na moderna

Leia mais

Escola das relações humanas: Sociologia nas Organizações. Prof Rodrigo Legrazie

Escola das relações humanas: Sociologia nas Organizações. Prof Rodrigo Legrazie Escola das relações humanas: Sociologia nas Organizações Prof Rodrigo Legrazie Escola Neoclássica Conceitua o trabalho como atividade social. Os trabalhadores precisam muito mais de ambiente adequado e

Leia mais

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado Professora Débora Dado Prof.ª Débora Dado Planejamento das aulas 7 Encontros 19/05 Contextualizando o Séc. XXI: Equipes e Competências 26/05 Competências e Processo de Comunicação 02/06 Processo de Comunicação

Leia mais

Motivação para o Desempenho. Carlos Fracetti carlosfracetti@yahoo.com.br. Carlos Felipe carlito204@hotmail.com

Motivação para o Desempenho. Carlos Fracetti carlosfracetti@yahoo.com.br. Carlos Felipe carlito204@hotmail.com Motivação para o Desempenho Carlos Fracetti carlosfracetti@yahoo.com.br Carlos Felipe carlito204@hotmail.com Heitor Duarte asbornyduarte@hotmail.com Márcio Almeida marciobalmeid@yahoo.com.br Paulo F Mascarenhas

Leia mais

QUESTÃO 11 ENADE Administração/2009

QUESTÃO 11 ENADE Administração/2009 Universidade Federal Fluminense Oficina de Trabalho Elaboração de Provas Escritas Questões Objetivas Profª Marcia Memére Rio de Janeiro, janeiro de 2013 QUESTÃO 11 ENADE Administração/2009 Cada uma das

Leia mais

Noções de Liderança e Motivação

Noções de Liderança e Motivação Liderança A questão da liderança pode ser abordada de inúmeras formas: Liderança e Poder (recursos do poder) Liderança e Dominação (teorias da dominação legítima de Max Weber) Líder pela tradição Líder

Leia mais

ADM. GERAL E PÚBLICA Módulo Único

ADM. GERAL E PÚBLICA Módulo Único Rua Maria Tomásia, 22 Aldeota Fortaleza/CE Fone: (85) 3208.2222 www.masterconcurso.com.br 2 CONCURSO: TJ-Ce ASSUNTO: EXERCÍCIOS 01. O líder autocrático, na divisão de tarefas, determina quem vai executar

Leia mais

TEORIAS DE CONTÉUDO DA MOTIVAÇÃO:

TEORIAS DE CONTÉUDO DA MOTIVAÇÃO: Fichamento / /2011 MOTIVAÇÃO Carga horária 2 HORAS CONCEITO: É o desejo de exercer um alto nível de esforço direcionado a objetivos organizacionais, condicionados pela habilidade do esforço em satisfazer

Leia mais

GABARITO COMENTADO. A resposta correta é a opção 4, conforme consta na tabela das Necessidades Humanas Básicas, à página 65 da apostila.

GABARITO COMENTADO. A resposta correta é a opção 4, conforme consta na tabela das Necessidades Humanas Básicas, à página 65 da apostila. ADMINISTRAÇÃO SEMESTRE ESPECIAL MP2 (reposição) 18/11/2008 TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO 2008/2 GABARITO COMENTADO A. Sobre as conclusões e contribuições da experiência de Hawthorne, pode-se afirmar que:

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO GERAL LIDERANÇA

ADMINISTRAÇÃO GERAL LIDERANÇA ADMINISTRAÇÃO GERAL LIDERANÇA Publicado em 12/10/2015 LIDERANÇA A liderança é um fenômeno que ocorre exclusivamente em grupos sociais. Ela é definida como uma influência interpessoal exercida em dada situação

Leia mais

G P - AMPLITUDE DE CONTROLE E NÍVEIS HIERÁRQUICOS

G P - AMPLITUDE DE CONTROLE E NÍVEIS HIERÁRQUICOS G P - AMPLITUDE DE CONTROLE E NÍVEIS HIERÁRQUICOS Amplitude de Controle Conceito Também denominada amplitude administrativa ou ainda amplitude de supervisão, refere-se ao número de subordinados que um

Leia mais

MOTIVAÇÃO UM NOVO COMBUSTÍVEL EMPRESARIAL

MOTIVAÇÃO UM NOVO COMBUSTÍVEL EMPRESARIAL MOTIVAÇÃO UM NOVO COMBUSTÍVEL EMPRESARIAL Daniele Cristine Viana da Silva 1 Maria José Vencerlau 2 Regiane da Silva Rodrigues 3 André Rodrigues da Silva 4 Fábio Fernandes 5 RESUMO O Artigo Científico tem

Leia mais

Curso de Especialização em Gestão Pública

Curso de Especialização em Gestão Pública Universidade Federal de Santa Catarina Centro Sócio-Econômico Departamento de Ciências da Administração Curso de Especialização em Gestão Pública 1. Assinale a alternativa falsa: (A) No processo gerencial,

Leia mais

Funções Administrativas. Planejamento. Organização. Liderança. Controle. Curso de Engenharia Elétrica. Planejamento. Organização. Liderança.

Funções Administrativas. Planejamento. Organização. Liderança. Controle. Curso de Engenharia Elétrica. Planejamento. Organização. Liderança. Curso de Engenharia Elétrica Funções Administrativas Administração e Organização de Empresas de Engenharia Planejamento Organização Prof. Msc. Cláudio Márcio cmarcio@gmail.com www2.unifap.br/claudiomarcio

Leia mais

Objetivo. Apresentar uma síntese das principais teorias sobre liderança e suas implicações para a gestão.

Objetivo. Apresentar uma síntese das principais teorias sobre liderança e suas implicações para a gestão. Liderança Objetivo Apresentar uma síntese das principais teorias sobre liderança e suas implicações para a gestão. 2 Introdução O que significa ser líder? Todo gestor é um líder? E o contrário? Liderança

Leia mais

Questões de Concurso Público para estudar e se preparar... Prefeitura Olinda - Administrador. 1. Leia as afirmativas a seguir.

Questões de Concurso Público para estudar e se preparar... Prefeitura Olinda - Administrador. 1. Leia as afirmativas a seguir. Questões de Concurso Público para estudar e se preparar... Prefeitura Olinda - Administrador 1. Leia as afirmativas a seguir. I. O comportamento organizacional refere-se ao estudo de indivíduos e grupos

Leia mais

NOÇÕES DE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DE PESSOAS

NOÇÕES DE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DE PESSOAS NOÇÕES DE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DE PESSOAS Concurso para agente administrativo da Polícia Federal Profa. Renata Ferretti Central de Concursos NOÇÕES DE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DE PESSOAS 1. Organizações como

Leia mais

FACULDADE DE EDUCACAO DE COSTA RICA

FACULDADE DE EDUCACAO DE COSTA RICA FACULDADE DE EDUCACAO DE COSTA RICA DISCIPLINA: MOTIVACAO E ETICA LIDERAR PESSOAS ATRAVÉS DA MOTIVAÇÃO Por que as pessoas se comportam de certos modos? Liderar - é o processo de dirigir e influenciar as

Leia mais

Planejamento Organização Direção Controle. Termos chaves Planejamento processo de determinar os objetivos e metas organizacionais e como realiza-los.

Planejamento Organização Direção Controle. Termos chaves Planejamento processo de determinar os objetivos e metas organizacionais e como realiza-los. Decorrência da Teoria Neoclássica Processo Administrativo. A Teoria Neoclássica é também denominada Escola Operacional ou Escola do Processo Administrativo, pela sua concepção da Administração como um

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO. Fundamentos da Administração

ADMINISTRAÇÃO. Fundamentos da Administração UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA INSTITUTO DE GENÉTICA E BIOQUÍMICA CURSO DE GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA: BACHARELADO ADMINISTRAÇÃO Fundamentos da Fábio Júnio Ferreira Patos de Minas, 26 de novembro de

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO E GESTÃO ESCOLAR. Prof. Bento

ADMINISTRAÇÃO E GESTÃO ESCOLAR. Prof. Bento ADMINISTRAÇÃO E GESTÃO ESCOLAR Prof. Bento QUESTÕES Doc. # 1 Revisão Indique se é Verdadeira ou Falsa a seguinte afirmação UMA TEORIA É UMA EXPLICAÇÃO LÓGICA OU ABSTRACTA DE UM PROBLEMA OU CONJUNTO DE

Leia mais

Administração Pública

Administração Pública Administração Pública Sumário Aula 1- Características básicas das organizações formais modernas: tipos de estrutura organizacional, natureza, finalidades e critérios de departamentalização. Aula 2- Processo

Leia mais

TIPOS DE PROCESSOS Existem três categorias básicas de processos empresariais:

TIPOS DE PROCESSOS Existem três categorias básicas de processos empresariais: PROCESSOS GERENCIAIS Conceito de Processos Todo trabalho importante realizado nas empresas faz parte de algum processo (Graham e LeBaron, 1994). Não existe um produto ou um serviço oferecido por uma empresa

Leia mais

Prof. Daniel Bertoli Gonçalves UNISO - SOROCABA

Prof. Daniel Bertoli Gonçalves UNISO - SOROCABA Prof. Daniel Bertoli Gonçalves UNISO - SOROCABA Engenheiro Agrônomo CCA/UFSCar 1998 Mestre em Desenvolvimento Econômico, Espaço e Meio Ambiente IE/UNICAMP 2001 Doutor em Engenharia de Produção PPGEP/UFSCar

Leia mais

Teorias da Administração

Teorias da Administração Teorias da Administração Cronologia das teorias da administração 1903 Administração Científica 1903 Teoria Geral da Administração 1909 Teoria da Burocracia 1916 Teoria Clássica da Administração 1932 Teoria

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO PARTICIPATIVA (GESTÃO PARTICIPATIVA)

ADMINISTRAÇÃO PARTICIPATIVA (GESTÃO PARTICIPATIVA) ADMINISTRAÇÃO PARTICIPATIVA (GESTÃO PARTICIPATIVA) A administração participativa é uma filosofia ou política de administração de pessoas, que valoriza sua capacidade de tomar decisões e resolver problemas,

Leia mais

Prof. Clovis Alvarenga Netto

Prof. Clovis Alvarenga Netto Escola Politécnica da USP Departamento de Engenharia de Produção Março/2009 Prof. Clovis Alvarenga Netto Aula 05 Organização da produção e do trabalho Pessoas e sua Organização em Produção e Operações

Leia mais

LIDERANÇA SITUACIONAL E EMPREENDEDORA LIDERANÇA SITUACIONAL E EMPREENDEDORA LIDERANÇA SITUACIONAL E EMPREENDEDORA GESTÃO AMBIENTAL E DA QUALIDADE

LIDERANÇA SITUACIONAL E EMPREENDEDORA LIDERANÇA SITUACIONAL E EMPREENDEDORA LIDERANÇA SITUACIONAL E EMPREENDEDORA GESTÃO AMBIENTAL E DA QUALIDADE MUITOS DOS PROBLEMAS MAIS CRÍTICOS NÃO ESTÃO NO MUNDO DAS COISAS, MAS NO MUNDO DAS PESSOAS. DESENVOLVIMENTO: APTIDÕES TÉCNICAS >>> HABILIDADES SOCIAIS CIÊNCIAS BEM SUCEDIDAS X CIÊNCIAS MAL SUCEDIDAS. -

Leia mais

Governabilidade = Poder de Governo

Governabilidade = Poder de Governo 6. Governabilidade, Governança e Accountability 1. Governança 2. Controle por Resultados 3. Accountability Esta tríade reflete os princípios da Nova Gestão Pública e serviu de fundamento para o desenho

Leia mais

A FUNÇÃO CONTROLE. Orientação do controle

A FUNÇÃO CONTROLE. Orientação do controle A FUNÇÃO CONTROLE O controle é a ultima função da administração a ser analisadas e diz respeito aos esforços exercidos para gerar e usar informações relativas a execução das atividades nas organizações

Leia mais

USP/EACH Gestão Ambiental ACH 113 Princípios de Administração. 2/2012. Profa. Dra. Sylmara Gonçalves Dias

USP/EACH Gestão Ambiental ACH 113 Princípios de Administração. 2/2012. Profa. Dra. Sylmara Gonçalves Dias USP/EACH Gestão Ambiental ACH 113 Princípios de Administração 2/2012. Profa. Dra. Sylmara Gonçalves Dias Evolução da Administração e as Escolas Clássicas Anteriormente XVIII XIX 1895-1911 1916 1930 Tempo

Leia mais

Introdução. Uma forma comum de estabelecimento de metas usada nas organizações é a Administração por Objetivos - APO

Introdução. Uma forma comum de estabelecimento de metas usada nas organizações é a Administração por Objetivos - APO ADMINISTRAÇÃO POR OBJETIVOS 1 Introdução Uma forma comum de estabelecimento de metas usada nas organizações é a Administração por Objetivos - APO Este processo é uma tentativa de alinhar metas pessoais

Leia mais

Verônica A. Pereira Souto

Verônica A. Pereira Souto COMPORTAMENTO HUMANO NO TRABALHO Verônica A. Pereira Souto VITÓRIA-ES 11 de julho 2009 VERÔNICA APARECIDA PEREIRA SOUTO MINI-CURRÍCULO PSICÓLOGA GRADUADA EM LETRAS/INGLÊS PÓS-GRADUADA EM COMUNICAÇÃO SOCIAL

Leia mais

CONTROLE ESTRATÉGICO

CONTROLE ESTRATÉGICO CONTROLE ESTRATÉGICO RESUMO Em organizações controlar significa monitorar, avaliar e melhorar as diversas atividades que ocorrem dentro de uma organização. Controle é fazer com que algo aconteça como foi

Leia mais

Capítulo 8 Decorrências da Teoria Neoclássica: Tipos de Organização

Capítulo 8 Decorrências da Teoria Neoclássica: Tipos de Organização Capítulo 8 Decorrências da Teoria Neoclássica: Tipos de Organização ESTRUTURA LINEAR Características: 1. Autoridade linear ou única. 2. Linhas formais de comunicação. 3. Centralização das decisões. 4.

Leia mais

AS TEORIAS MOTIVACIONAIS DE MASLOW E HERZBERG

AS TEORIAS MOTIVACIONAIS DE MASLOW E HERZBERG AS TEORIAS MOTIVACIONAIS DE MASLOW E HERZBERG 1. Introdução 2. Maslow e a Hierarquia das necessidades 3. Teoria dos dois Fatores de Herzberg 1. Introdução Sabemos que considerar as atitudes e valores dos

Leia mais

Teoria Básica da Administração. Liderança e Comunicação. Professor: Roberto César

Teoria Básica da Administração. Liderança e Comunicação. Professor: Roberto César Teoria Básica da Administração Liderança e Comunicação Professor: Roberto César Liderança O líder nasce líder ou aprende a ser líder? Liderar é conhecer a motivação humana e saber conduzir as pessoas a

Leia mais

Introdução à Teoria Geral da Administração

Introdução à Teoria Geral da Administração à Teoria Geral da Administração Disciplina: Modelo de Gestão Página: 1 Aula: 01 Página: 2 O mundo em que vivemos é uma sociedade institucionalizada e composta por organizações. Todas as atividades relacionadas

Leia mais

Rotinas de DP- Professor: Robson Soares

Rotinas de DP- Professor: Robson Soares Rotinas de DP- Professor: Robson Soares Capítulo 2 Conceitos de Gestão de Pessoas - Conceitos de Gestão de Pessoas e seus objetivos Neste capítulo serão apresentados os conceitos básicos sobre a Gestão

Leia mais

O competitivo mercado de trabalho hoje

O competitivo mercado de trabalho hoje MBA MAUÁ AULA INAUGURAL TURMA 16 O competitivo mercado de trabalho hoje Prof. Helton Haddad Silva São Paulo, 04/08/2003 Conteúdo da Aula Inaugural - O mercado hoje; - O papel do administrador; - O MBA

Leia mais

Governança de TI Evolução e Conceitos de Gestão da TI. Raimir Holanda raimir@tce.ce.gov.br

Governança de TI Evolução e Conceitos de Gestão da TI. Raimir Holanda raimir@tce.ce.gov.br Governança de TI Evolução e Conceitos de Gestão da TI Raimir Holanda raimir@tce.ce.gov.br Agenda Conceitos de Governança de TI Fatores motivadores das mudanças Evolução da Gestão de TI Ciclo da Governança

Leia mais

Teorias Contemporâneas

Teorias Contemporâneas Teorias Contemporâneas 1-Teoria ERG 2-Teoria das Necessidades, de McClelland 3-Teoria da Avaliação Cognitiva 4-Teoria da Fixação dos Objetivos 5-Teoria do Reforço 6-Teoria da Equidade 7-Teoria da Expectativa

Leia mais

Gestão por Processos. Gestão por Processos Gestão por Projetos. Metodologias Aplicadas à Gestão de Processos

Gestão por Processos. Gestão por Processos Gestão por Projetos. Metodologias Aplicadas à Gestão de Processos Gestão por Processos Gestão por Projetos Gestão por Processos Gestão de Processos de Negócio ou Business Process Management (BPM) é um modelo de administração que une gestão de negócios à tecnologia da

Leia mais

Teoria Comportamental da Administração (Behaviorista)

Teoria Comportamental da Administração (Behaviorista) Génese da Teoria Comportamental Teoria Comportamental da Administração (Behaviorista) Surge na década de 40 (O Comportamento Administrativo; Simon, Herbert A.; E.U.A.; 1947); Redefinição total dos conceitos

Leia mais

Administração em Enfermagem Teorias da Administração - Aula 3

Administração em Enfermagem Teorias da Administração - Aula 3 Administração em Enfermagem Teorias da Administração - Aula 3 Teorias da Administração Aula 3 Teoria Científica Taylorismo (Continuação) Taylor observou que, ao realizar a divisão de tarefas, os operários

Leia mais

Universidade de Brasília Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Ciência da Informação e Documentação Departamento de Ciência da

Universidade de Brasília Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Ciência da Informação e Documentação Departamento de Ciência da Universidade de Brasília Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Ciência da Informação e Documentação Departamento de Ciência da Informação e Documentação Disciplina: Planejamento e Gestão

Leia mais

GESTÃO DE EQUIPE: LIDERANÇA A E COMUNICAÇÃO

GESTÃO DE EQUIPE: LIDERANÇA A E COMUNICAÇÃO PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS PRÓ-REITORIA REITORIA DE PÓS P S GRADUAÇÃO E PESQUISA COORDENAÇÃO DE PÓS P S GRADUAÇÃO GESTÃO DE EQUIPE: LIDERANÇA A E COMUNICAÇÃO PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA

Leia mais

www.concursovirtual.com.br

www.concursovirtual.com.br Questões de Gestão de Pessoas e do Atendimento ao Público ESAF - 2012 - Receita Federal - Auditor Fiscal da Receita Federal 1. O acesso à informação de que trata a Lei n. 12.527, de 18 de novembro de 2011

Leia mais

Administração e Gestão de Pessoas

Administração e Gestão de Pessoas Administração e Gestão de Pessoas Aula de Motivação Prof.ª Marcia Aires www.marcia aires.com.br mrbaires@gmail.com Teorias da Motivação? As teorias sobre a motivação, que explicam desempenho das pessoas

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO GERAL MOTIVAÇÃO

ADMINISTRAÇÃO GERAL MOTIVAÇÃO ADMINISTRAÇÃO GERAL MOTIVAÇÃO Atualizado em 11/01/2016 MOTIVAÇÃO Estar motivado é visto como uma condição necessária para que um trabalhador entregue um desempenho superior. Naturalmente, como a motivação

Leia mais

Síntese de TGA. Teoria Comportamental da Administração

Síntese de TGA. Teoria Comportamental da Administração Síntese de TGA Teoria Comportamental da Administração A Teoria Comportamental surgiu nos Estados Unidos por volta de 1950, com uma redefinição dos conceitos antigos administrativos ao criticar as teorias

Leia mais

LÍDERES DO SECULO XXI RESUMO

LÍDERES DO SECULO XXI RESUMO 1 LÍDERES DO SECULO XXI André Oliveira Angela Brasil (Docente Esp. das Faculdades Integradas de Três Lagoas-AEMS) Flávio Lopes Halex Mercante Kleber Alcantara Thiago Souza RESUMO A liderança é um processo

Leia mais

Colégio Estadual Juracy Rachel Saldanha Rocha Técnico em Administração Comportamento Organizacional Aílson José Senra Página 1

Colégio Estadual Juracy Rachel Saldanha Rocha Técnico em Administração Comportamento Organizacional Aílson José Senra Página 1 Página 1 COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL As pessoas que supervisionam as atividades das outras e que são responsáveis pelo alcance dos objetivos nessas organizações são os administradores. Eles tomam decisões,

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO. Funções administrativas ADMINISTRAÇÃO. Revisão de véspera Técnico INSS ADMINISTRAÇÃO ADMINISTRAÇÃO ADMINISTRAÇÃO ADMINISTRAÇÃO

ADMINISTRAÇÃO. Funções administrativas ADMINISTRAÇÃO. Revisão de véspera Técnico INSS ADMINISTRAÇÃO ADMINISTRAÇÃO ADMINISTRAÇÃO ADMINISTRAÇÃO Funções administrativas Revisão de véspera Técnico INSS Planejamento Organização Direção Controle 1 2 Funções administrativas Planejamento: Planejamento é a função administrativa que estabelece os objetivos

Leia mais

FACULDADE ANHANGUERA DE ITAPECERICA DA SERRA

FACULDADE ANHANGUERA DE ITAPECERICA DA SERRA FACULDADE ANHANGUERA DE ITAPECERICA DA SERRA Profº Paulo Barreto Paulo.santosi9@aedu.com www.paulobarretoi9consultoria.com.br 1 Analista da Divisão de Contratos da PRODESP Diretor de Esporte do Prodesp

Leia mais

Aperf r e f iço ç a o m a ent n o t o Ge G re r nci c al a para Supermercados

Aperf r e f iço ç a o m a ent n o t o Ge G re r nci c al a para Supermercados Aperfeiçoamento Gerencial para Supermercados Liderança Liderança é a habilidade de influenciar pessoas, por meio da comunicação, canalizando seus esforços para a consecução de um determinado objetivo.

Leia mais

45 Questões Quizz Int. Administração 1sem 2009

45 Questões Quizz Int. Administração 1sem 2009 45 Questões Quizz Int. Administração 1sem 2009 Questão 1 Entende-se por organização o conjunto de... a) técnicas que favorecem o processo de produção, cabendo a seus dirigentes encontrar métodos de trabalho

Leia mais

PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL

PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL Relatório e Análise 2005 Introdução: ``Para que a Construtora Mello Azevedo atinja seus objetivos é necessário que a equipe tenha uma atitude vencedora, busque sempre resultados

Leia mais

Organização da Aula. Motivação e Satisfação no Trabalho. Aula 1. Como adquirir motivação? Contextualização. Elementos Fundamentais. Instrumentalização

Organização da Aula. Motivação e Satisfação no Trabalho. Aula 1. Como adquirir motivação? Contextualização. Elementos Fundamentais. Instrumentalização Motivação e Satisfação no Trabalho Aula 1 Profa. Adriana Straube Organização da Aula Equívocos sobre Motivação e Recompensas Teorias da Motivação Técnicas de Motivação Papel da Gerência Como adquirir motivação?

Leia mais

O Paradigma da nova liderança

O Paradigma da nova liderança O Paradigma da nova liderança Robert B. Dilts Um dos mais importantes conjuntos de habilidades Um dos mais importantes conjuntos de habilidades necessárias num mundo em transformação são as habilidades

Leia mais

FINANÇAS EM PROJETOS DE TI

FINANÇAS EM PROJETOS DE TI FINANÇAS EM PROJETOS DE TI 2012 Material 1 Prof. Luiz Carlos Valeretto Jr. 1 E-mail valeretto@yahoo.com.br Objetivo Objetivos desta disciplina são: reconhecer as bases da administração financeira das empresas,

Leia mais

GESTÃO DE DESEMPENHO. Prof. WAGNER RABELLO JR. Conceito de desempenho. Níveis de desempenho. O di?

GESTÃO DE DESEMPENHO. Prof. WAGNER RABELLO JR. Conceito de desempenho. Níveis de desempenho. O di? GESTÃO DE DESEMPENHO Prof. WAGNER RABELLO JR Conceito de desempenho Níveis de desempenho O di? O que medir? Resultados Desempenho Competências Fatores críticos de desempenho 1 Segundo Chiavenato, existem

Leia mais

Padrão Resposta às Questões Discursivas Psicologia do Trabalho

Padrão Resposta às Questões Discursivas Psicologia do Trabalho Concurso Público 2015 Padrão Resposta às Questões Discursivas Psicologia do Trabalho Questão 1 a) Para Walton, QVT refere-se a valores ambientais e humanos, negligenciados pelas sociedades industriais

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Gestão de Conflitos Organizacionais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Gestão de Conflitos Organizacionais UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Gestão de Conflitos Organizacionais Jefferson Menezes de Oliveira Santa Maria, dezembro de 2006 INTRODUÇÃO

Leia mais

CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL POR PROVA DE ADMINISTRADORES E TECNÓLOGOS EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS ÊNFASE RECURSOS HUMANOS PROGRAMA DA PROVA

CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL POR PROVA DE ADMINISTRADORES E TECNÓLOGOS EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS ÊNFASE RECURSOS HUMANOS PROGRAMA DA PROVA CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL POR PROVA DE ADMINISTRADORES E TECNÓLOGOS EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS ÊNFASE RECURSOS HUMANOS PROGRAMA DA PROVA O exame a ser aplicado na Certificação por Prova, na ênfase Recursos

Leia mais

Amigos concurseiros, Administração Pública (Banca FGV)

Amigos concurseiros, Administração Pública (Banca FGV) 1 Amigos concurseiros, Tendo em visto a iminência da realização de mais um concurso para a Secretaria de Fazenda do Estado RJ (SEFAZ/RJ), vamos analisar as questões de Administração Pública que caíram

Leia mais

Desenvolvendo e avaliando programas de incentivos de remuneração de curto prazo

Desenvolvendo e avaliando programas de incentivos de remuneração de curto prazo Desenvolvendo e avaliando programas de incentivos de remuneração de curto prazo Com a competição por talentos e a cobrança maior por resultados financeiros, as empresas vem procurando criar ou alterar

Leia mais

A ESSENCIALIDADE DA MOTIVAÇÃO NOS PROCESSOS ORGANIZACIONAIS THE ESSENTIAL MOTIVATION IN THE ORGANIZATIONAL ENVIRONMENT

A ESSENCIALIDADE DA MOTIVAÇÃO NOS PROCESSOS ORGANIZACIONAIS THE ESSENTIAL MOTIVATION IN THE ORGANIZATIONAL ENVIRONMENT A ESSENCIALIDADE DA MOTIVAÇÃO NOS PROCESSOS ORGANIZACIONAIS THE ESSENTIAL MOTIVATION IN THE ORGANIZATIONAL ENVIRONMENT Andréia Lopes Graduanda em Administração UNISALESIANO Lins azdeia@yahoo.com.br Jessica

Leia mais

Prof. Gustavo Nascimento. Unidade I MODELOS DE LIDERANÇA

Prof. Gustavo Nascimento. Unidade I MODELOS DE LIDERANÇA Prof. Gustavo Nascimento Unidade I MODELOS DE LIDERANÇA A liderança e seus conceitos Liderança é a capacidade de influenciar um grupo para que as metas sejam alcançadas Stephen Robbins A definição de liderança

Leia mais

Sistemas de Informação e o Processo de Gerência

Sistemas de Informação e o Processo de Gerência Sistemas de Informação e o Processo de Gerência É necessário que seja feita uma visão integrada do processo de administrar, para que se possa localizar adequadamente o sistema de informação neste mesmo

Leia mais

2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Tribunais Gestão de Pessoas Questões Giovanna Carranza

2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Tribunais Gestão de Pessoas Questões Giovanna Carranza 2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Tribunais Gestão de Pessoas Questões Giovanna Carranza 01. Conceitualmente, recrutamento é: (A) Um conjunto de técnicas e procedimentos

Leia mais

Sistemas de Remuneração Tradicionais e a Remuneração Estratégica

Sistemas de Remuneração Tradicionais e a Remuneração Estratégica Sistemas de Remuneração Tradicionais e a Remuneração Estratégica por Camila Hatsumi Minamide* Vivemos em um ambiente com transformações constantes: a humanidade sofre diariamente mudanças nos aspectos

Leia mais

GESTÃO DE PESSOAS NAS ORGANIZAÇÕES MPU. Professor: Renato Lacerda QUESTÕES DO CESPE. Teorias Motivacionais

GESTÃO DE PESSOAS NAS ORGANIZAÇÕES MPU. Professor: Renato Lacerda QUESTÕES DO CESPE. Teorias Motivacionais GESTÃO DE PESSOAS NAS ORGANIZAÇÕES MPU Professor: Renato Lacerda QUESTÕES DO CESPE Teorias Motivacionais (Cespe / Detran 2009) Julgue os itens a seguir, acerca de motivação e satisfação no trabalho. 1)

Leia mais

Um novo olhar sobre o teto de vidro 1 - A perspectiva de cima

Um novo olhar sobre o teto de vidro 1 - A perspectiva de cima Um novo olhar sobre o teto de vidro 1 - A perspectiva de cima Helen Peters e Rob Kabacoff A Hewlett Packard tem uma mulher por presidente; a ex-primeira dama norte-americana [Hillary Clinton] é, hoje,

Leia mais

Gestão da Qualidade. Evolução da Gestão da Qualidade

Gestão da Qualidade. Evolução da Gestão da Qualidade Gestão da Qualidade Evolução da Gestão da Qualidade Grau de Incerteza Grau de complexidade Adm Científica Inspeção 100% CEQ Evolução da Gestão CEP CQ IA PQN PQN PQN TQM PQN MSC GEQ PQN PQN Negócio Sistema

Leia mais

ESPECÍFICO DE ENFERMAGEM PROF. CARLOS ALBERTO

ESPECÍFICO DE ENFERMAGEM PROF. CARLOS ALBERTO ESPECÍFICO DE ENFERMAGEM PROF. CARLOS ALBERTO ADMINISTRAÇÃO DE ENFERMAGEM AVALIANDO O QUE ESTUDAMOS 1. A Supervisão de Enfermagem é fundamental para o desenvolvimento dos recursos humanos, através da educação

Leia mais

Abordagem Comportamental da Administração

Abordagem Comportamental da Administração Abordagem Comportamental da Administração A partir dos trabalhos de dinâmica de grupo desenvolvidos por Kurt Lewin, ainda na sua fase de impulsionador da Teoria das Relações Humanas, com a divulgação do

Leia mais

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Avaliação de: Sr. Antônio Modelo Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: Página 1 Perfil Caliper de Especialistas The Inner

Leia mais

GABARITO TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO I

GABARITO TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO I UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI NÚCLEO DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA CURSO DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA GABARITO TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO I GRUPO: TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO I DATA:

Leia mais

Módulo 3: Gerenciamento da Qualidade, dos Recursos Humanos e das Comunicações

Módulo 3: Gerenciamento da Qualidade, dos Recursos Humanos e das Comunicações ENAP Diretoria de Desenvolvimento Gerencial Coordenação Geral de Educação a Distância Gerência de Projetos - Teoria e Prática Conteúdo para impressão Módulo 3: Gerenciamento da Qualidade, dos Recursos

Leia mais

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO HOSPITAL REGIONAL DO LITORAL PROVA ADMINISTRAÇÃO

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO HOSPITAL REGIONAL DO LITORAL PROVA ADMINISTRAÇÃO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO HOSPITAL REGIONAL DO LITORAL PROVA ADMINISTRAÇÃO 01. Assinale nas questões abaixo com falso (F) ou verdadeiro (V): ( ) A administração reconhece a importância do estudo do

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO I. 1 Elaborar cuidadosamente o planejamento da organização e assegurar que o mesmo seja executado.

ADMINISTRAÇÃO I. 1 Elaborar cuidadosamente o planejamento da organização e assegurar que o mesmo seja executado. 3 PAPEL DOS GERENTES Os gerentes são os protagonistas do processo administrativo. Eles são responsáveis por coordenar o trabalho dos outros funcionários da empresa. Não existe apenas um modelo administrativo,

Leia mais

FUNDAMENTOS DE ADMINISTRAÇÃO E LOGÍSTICA. drivanmelo@yahoo.com.br

FUNDAMENTOS DE ADMINISTRAÇÃO E LOGÍSTICA. drivanmelo@yahoo.com.br FUNDAMENTOS DE ADMINISTRAÇÃO E LOGÍSTICA drivanmelo@yahoo.com.br ADMINISTRAÇÃO AD Prefixo latino = Junto de AD MINISTRAÇÃO MINISTER Radical = Obediência, Subordinação Significa aquele que realiza uma função

Leia mais

A importância do RH na empresa

A importância do RH na empresa A importância do RH na empresa O modo pelo qual seus funcionários se sentem é o modo pelo qual os seus clientes irão se sentir." Karl Albrecht Infelizmente, muitas empresas ainda simplificam o RH à função

Leia mais

Capítulo 1. Introdução ao Gerenciamento de Projetos

Capítulo 1. Introdução ao Gerenciamento de Projetos Capítulo 1 Introdução ao Gerenciamento de Projetos 2 1.1 DEFINIÇÃO DE PROJETOS O projeto é entendido como um conjunto de ações, executadas de forma coordenada por uma organização transitória, ao qual são

Leia mais

Introdução à Administração. Prof. Adilson Mendes Ricardo Novembro de 2012

Introdução à Administração. Prof. Adilson Mendes Ricardo Novembro de 2012 Novembro de 2012 Aula baseada no livro Teoria Geral da Administração Idalberto Chiavenato 7ª edição Editora Campus - 2004 Nova ênfase Administração científica tarefas Teoria clássica estrutura organizacional

Leia mais

GRATUITO CURSO COMPLETO DO SUS 17 AULAS 500 QUESTÕES COMENTADAS. Professor Rômulo Passos Aula 08

GRATUITO CURSO COMPLETO DO SUS 17 AULAS 500 QUESTÕES COMENTADAS. Professor Rômulo Passos Aula 08 1 www.romulopassos.com.br / www.questoesnasaude.com.br GRATUITO CURSO COMPLETO DO SUS 17 AULAS 500 QUESTÕES COMENTADAS Professor Rômulo Passos Aula 08 Legislação do SUS Completo e Gratuito Página 1 2 www.romulopassos.com.br

Leia mais

liderança conceito Sumário Liderança para potenciais e novos gestores

liderança conceito Sumário Liderança para potenciais e novos gestores Sumário Liderança para potenciais e novos gestores conceito Conceito de Liderança Competências do Líder Estilos de Liderança Habilidades Básicas Equipe de alta performance Habilidade com Pessoas Autoestima

Leia mais

Psicologia Organizacional MOTIVAÇÃO HUMANA

Psicologia Organizacional MOTIVAÇÃO HUMANA Psicologia Organizacional MOTIVAÇÃO HUMANA Profa. Márcia R.Banov Teorias Motivacionais Teoria das Necessidades, A. Maslow Teoria dos dois Fatores, F. Herzberg Teoria da Eqüidade, J.S.Adams Teoria do Reforço,

Leia mais

CESPE - 2009 Julgue os próximos itens, a respeito do comportamento humano nas organizações, das teorias de motivação e do comprometimento e da

CESPE - 2009 Julgue os próximos itens, a respeito do comportamento humano nas organizações, das teorias de motivação e do comprometimento e da Gestão de Pessoas 1 CESPE - 2009 Julgue os próximos itens, a respeito do comportamento humano nas organizações, das teorias de motivação e do comprometimento e da satisfação com o trabalho. O administrador

Leia mais

EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO

EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO MÓDULO 15 - Sugestões que podem melhorar a coordenação organizacional O objetivo final da coordenação é obter a sinergia organizacional. Não existem regras mágicas

Leia mais

Administração e Gerenciamento de Enfermagem

Administração e Gerenciamento de Enfermagem Administração e Gerenciamento de Enfermagem Questão 9 A Enfermagem utiliza o gerenciamento no seu processo de trabalho e vem, ao longo dos anos, buscando meios mais eficazes de adequar modelos administrativos

Leia mais

COMPETÊNCIAS E COMPORTAMENTO DOS LÍDERES NO CENÁRIO ATUAL

COMPETÊNCIAS E COMPORTAMENTO DOS LÍDERES NO CENÁRIO ATUAL COMPETÊNCIAS E COMPORTAMENTO DOS LÍDERES NO CENÁRIO ATUAL 1.Osnei FranciscoAlves 2. Jéssica Barros 1. Professor das Faculdades Integradas Santa Cruz. Administrador, MBA Executivo em Gestão de Pessoas e

Leia mais

fagury.com.br. PMBoK 2004

fagury.com.br. PMBoK 2004 Este material é distribuído por Thiago Fagury através de uma licença Creative Commons 2.5. É permitido o uso e atribuição para fim nãocomercial. É vedada a criação de obras derivadas sem comunicação prévia

Leia mais

Capítulo II. Treinamento & Desenvolvimento

Capítulo II. Treinamento & Desenvolvimento Capítulo II Treinamento & Desenvolvimento QUESTÃO 01. (SERPRO/2005) A respeito do diagnóstico de necessidades de treinamento e desenvolvimento, julgue os itens seguintes. Avaliação de necessidades de treinamento

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ 1 CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ AULA - TURMA 2- ADN-1-1º SEMESTRE/2010 CURSO : ADMINISTRAÇÀO DISCIPLINA: TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO II PROF: NAZARÉ FERRÀO TURMA: 2ADN-1 CHIAVENATO, Idalberto. Introdução

Leia mais

Índice. A importância da comunicação nas relações interpessoais MÓDULO 1 NOTA INTRODUTÓRIA 17 COMO UTILIZAR ESTA OBRA 19

Índice. A importância da comunicação nas relações interpessoais MÓDULO 1 NOTA INTRODUTÓRIA 17 COMO UTILIZAR ESTA OBRA 19 Índice NOTA INTRODUTÓRIA 17 COMO UTILIZAR ESTA OBRA 19 MÓDULO 1 A importância da comunicação nas relações interpessoais FINALIDADES 22 PRÉ-TESTE 23 Objetivo 1. Identificar a importância do estudo da comunicação

Leia mais

Gestão Empresarial. Um Pouco de História... Administração Científica. Aula 2. Comércio Exterior. Frederick Taylor (1856-1915) Tarefa

Gestão Empresarial. Um Pouco de História... Administração Científica. Aula 2. Comércio Exterior. Frederick Taylor (1856-1915) Tarefa Gestão Empresarial Um Pouco de História... Aula 2 Prof. Elton Ivan Schneider tutoriacomercioexterior@grupouninter.com.br Comércio Exterior Administração Pré-Científica Administração Científica Maior interesse

Leia mais