Automação Pneumática

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Automação Pneumática"

Transcrição

1 Automação Pneumática Prof. Carlos Alberto G. Pegollo Engenharias Elétrica, Mecânica, de Produção e da Computação 1. Origem do Termo A palavra pneumática deriva do termo grego πνευµατικός (pneumatikos = pneuma), que significa fôlego, alma. 2. Definições É a ciência e a tecnologia que trata o uso do ar ou gases neutros como meio de transmissão de potência. É a ciência que estuda as propriedades físicas do ar e dos gases em geral. É o uso de um gás pressurizado na ciência e tecnologia. É a tecnologia do ar comprimido. Envolve a: Produção Preparação Distribuição Sistema Pneumático é um mecanismo que funciona com ar comprimido. Energia Pneumática é aquela advinda da compressão do ar atmosférico em um reservatório, transformando-o em ar comprimido a uma dada pressão de trabalho. 3. Propriedades Principais do Ar Comprimido Compressibilidade Um volume de ar quando submetido por uma força exterior como, por exemplo, um pistão pneumático (cilindro), terá seu volume inicial reduzido. Nestas condições o ar fica preso no seu interior com maior pressão, retraindo o pistão (figura 1) Força Aplicada e Pistão Comprimido FORÇA Figura 1 Compressibilidade pistão comprimido

2 Elasticidade A propriedade da elasticidade faz com que uma vez desfeita a força da compressibilidade, a pressão do ar faz com que ele se expanda novamente e o pistão volta ao seu ponto inicial distendido, agora sem pressão nenhuma ou pressão nula, conforma mostra a figura 2. Força Solta e Pistão Distendido Expansibilidade Figura 2 Elasticidade pistão distendido O ar ocupa o lugar onde ele é colocado. Por sua qualidade expansiva, seu volume é variável e ele facilmente se adapta a qualquer recipiente onde é colocado. Sua forma é adaptada de acordo com a pressão que nele é aplicada. Observe que ao se abrir a válvula do reservatório o ar se expande assumindo os formatos dos recipientes, conforme mostra a figura 3. Esta é a propriedade conhecida como expansibilidade. Figura 3 Expansibilidade 4. Vantagens e Desvantagens do Ar Comprimido: Existem diversas vantagens ao se implementar sistemas pneumáticos para trabalhar com o ar comprimido. Algumas delas são: abundância, robustez, facilidade de implantação, transporte, armazenamento, velocidade, segurança, limpeza, temperatura, sobrecarga e custo. Existem também algumas desvantagens ao se trabalhar com o ar comprimido e algumas delas são: necessita duma preparação adequada para sua utilização; viável para uma determinada faixa de força; escape de ar ruidoso: necessita silenciador; A velocidades dos cilindros e motores pneumáticos não são mantidas constantes (compressibilidade). 5. Fórmulas 5.1 Fórmula fundamental para os cálculos pneumáticos F = P A P = Nos projetos, para se obter maior força preferencialmente manipula-se primeiro e pressão e posteriormente a área! F A

3 5.2 Lei de Boyle-Mariotte P V1 = P2 V2 = P3 V3 1 = Para uma determinada quantidade de gás fechada num recipiente, o produto entre a pressão absoluta e o volume é constante, sob temperatura constante. 5.3 Lei de Gay-Lussac V 1 = V 2 T T 1 2 cte. V1 = volume na temperatura T1 V2 = volume na temperatura T2 5.4 Equação Geral dos Gases P V T P2 V = T = 1 2 cte. a equação geral dos gases também é válida também para o ar comprimido! 6. Escalas de Pressão A pressão do ar não é sempre constante e varia com alguns fatores tais como: a situação geográfica, como por exemplo a altitude e as condições atmosféricas. Faixa de depressão: Pe Faixa de sobre-pressão: +Pe Pressão absoluta: P abs A figura 4 mostra o gráfico das escalas de pressão e seus respectivos sinais. kpa ; bar P + P e P abs P n P e 0 Figura 4: Gráfico das escalas de pressão

4 Do gráfico, P n P amb pressão atmosférica local = P ref 7. Unidades de Pressão Unidades de Pressão mais comuns utilizadas na pneumática (SI): Jargão técnico: 500 quilos! 500 quilos = Pa Pa = 5 bar Unidades de Pressão mais comuns utilizadas na teoria e na prática: Teórico: 1 bar = 1, kgf/cm2 = 14,5 psi Prática: 1 bar = 1 kgf/cm2 8. Classificação de um Sistema Pneumático Quanto a Pressão Baixa pressão Até 1,5 bar Mais adequada para atuação em sistemas de comando Sensores pneumáticos Média pressão De 1,5 bar a 10 bar Sistemas de comando e trabalho Alta pressão Acima de 10 bar Adequada para ação em sistemas especiais Pressões de obtenção mais difícil Custo mais elevado Em geral a faixa de pressão mais comum de trabalho está situada entre 6 7 bar, enquanto a faixa máxima se situa entre bar. Logicamente, dependendo do tipo de trabalho a ser efetuado pressões bem maiores que esta podem ser produzidas.

5 9. Estudo Geral da Pneumática De uma forma geral os estudos da pneumática podem ser sintetizados de acordo com o gráfico mostrado na figura 5. Pneumátic Fundamentos Físicos: P, V, Q, T, F, φ, Produção, Preparação e Distribuição do Ar Compressores Unidades de Elementos de Redes de Ar Cilindro Válvulas Simples Ação Dupla Ação Direcionai Especiai Giratórios Sem Haste Bloqueio Fluxo Pressão Figura 5: Estudo geral da pneumática 10. Linhas de Estudo para os Sistemas Pneumáticos Pneumática Utilização do ar ou de gases neutros como meio de transmissão de potência Domínios Tecnológicos Produção, preparação, condicionamento e distribuição do ar comprimido Desenvolvimento tecnológico e dimensionamento dos componentes Processos de compressão, filtragem e secagem Circuitos pneumáticos: válvulas e cilindros Figura 6: Linhas de estudo para os sistemas pneumáticos 11. A Produção de Ar Comprimido: os Compressores 11.1 Generalidades Os compressores são elementos necessários para a produção de ar comprimido de forma a gerar a pressão de trabalho que se deseja para uma determinada instalação. Muito cuidado deve ser dedicado ao grau de pureza do ar a ser comprimido. Disto demanda a longevidade da instalação e a qualidade do ar a ser fornecido para um determinado equipamento Função Comprimem o ar para a pressão de trabalho desejada. Podem ser fixos ou móveis. Em geral compressores móveis são utilizados para máquinas que mudam de local com freqüência.

6 11.3 Tipos a) Êmbolo: trabalham baseados no princípio da redução de volume; podem ser de pistão ou membrana. São chamados compressores do tipo pulsantes. a.1) Compressor de êmbolo do tipo pistão É o modelo mais utilizado, possuem movimento linear e são apropriados para gerar todos os tipos de pressão. Podem ser de um estágio ou então possuir dois, ou mais estágios de compressão, aplicações estas para quando se deseja produzir uma pressão mais elevada. Neste caso é necessário adicionar um sistema de refrigeração extra entre os estágios de compressão, pois há a formação de calor durante estes estágios que precisa ser eliminado. Esta refrigeração pode ser a ar ou a água. O volume de uma câmara de compressão posterior neste tipo de produção de ar comprimido é sempre maior do que o da câmara anterior. Em geral, para pressões de até 4 bar se utiliza um estágio. Para pressões de até 15 bar dois estágios e para pressões superiores a 15 bar, três estágios. A figura 7 mostra alguns tipos deste compressor. Figura 7: Compressores do tipo pistão A figura 8 mostra um diagrama esquemático do funcionamento do compressor do tipo pistão. Figura 8: Diagrama de funcionamento do compressor do tipo pistão a.2) Compressor de êmbolo do tipo membrana Neste tipo de compressor o êmbolo é separado da câmara de trabalho por meio de uma membrana, não havendo o contato do ar com as peças móveis do compressor. Logo, o ar comprimido fica isento de resíduos de óleo. É o tipo de compressor ideal para as utilização em indústrias alimentícias, químicas, e farmacêuticas. A figura 9 mostra um exemplo de compressor de membrana.

7 Figura 9: Compressor do tipo membrana A figura 10 mostra o diagrama esquemático deste compressor. Figura 10: Diagrama esquemático do compressor do tipo membrana b) Rotativos: trabalham comprimindo o ar em seu interior; podem ser multicelulares, de duplo par afuso, roots ou turbo. São chamados compressores do tipo contínuos. b.1) Compressor rotativo do tipo multicelular É também chamado de compressor de palhetas. Trata-se de um rotor com palhetas alojado de forma excêntrica em um compartimento cilíndrico. As palhetas, em conjunto com as paredes do cilindro, formam compartimentos denominados células. Ao girar as palhetas são apertadas contra as paredes devido à força centrífuga. Por causa da excentricidade do rotor, há uma diminuição e aumento constante no tamanho das células, gerando assim uma pressão. Estes compressores mantêm a pressão contínua livre de pulsação. A figura 11 mostra um compressor rotativo multicelular e seu diagrama esquemático. Figura 11: Compressor do tipo multicelular e seu diagrama esquemático b.2) Compressor rotativo do tipo duplo parafuso É também chamado de compressor de dois eixos. Possuem dois rotores em forma de parafusos helicoidais que giram em sentido contrário, engrenados.

8 O ar penetra ocupando os intervalos entre os filetes dos rotores ficando encerrado entre os rotores e as paredes da carcaça. A rotação vai reduzindo o espaço e provocando a compressão do ar que flui axialmente. A figura 12 mostra dois compressores de duplo parafuso. Figura 12: Compressor do tipo duplo parafuso A figura 13 mostra um compressor duplo parafuso aberto e a identificação de alguns de seus componentes. 1. Controle de pressão e monitoramento do sistema; 2. Compressor; 2 3. Motor; 4. Correia de transmissão; 5. Separador (filtro e drenos). 4 Figura 13: Compressor 3 do tipo duplo parafuso aberto Na figura 14 pode ser visto um conjunto de parafusos de compressores rotativos de parafuso. Figura 14: Parafusos de Compressor do tipo duplo parafuso A figura 15 mostra o diagrama esquemático deste compressor. Figura 15: Diagrama esquemático do compressor do tipo duplo parafuso

9 b.3) Compressor rotativo do tipo roots Neste tipo de compressor o ar é transportado de um lado para o outro sem alteração de volume. A compressão é feita no lado da pressão pelos cantos dos êmbolos. Os rotores apenas deslocam o ar de uma região de baixa pressão para outra de alta. Por gerarem pequenos aumentos de pressão são muitas vezes denominados como sopradores roots. São também conhecidos como compressores de lóbulos. A figura 16 mostra um compressor do tipo roots e a figura 17 seu diagrama esquemático. c) Turbo Compressores Figura 16 e 17: Compressor roots Os turbo compressores, também chamados de comp ressores dinâmicos, trabalham de acordo com o princípio de fluxo e são mais utilizados quando se requer grandes vazões. São construídos em duas versões: axial e radial. O ar é colocado em movimento por uma ou mais turbinas. A energia cinética é então transform ada em energia de pressão. c.1) Turbo Compressor do tipo axial A compressão é feita pela aceleração do ar aspirado, ele se baseia na energia de movimento que é transformada em energia de pressão. Os turbo compressores são destinados para o funcionamento onde existe grande vazão. A figura 18 mostra dois turbos compressores do tipo axial. Figura 18: Turbo compressor do tipo axial A figura 19 mostra o diagrama esquemático do turbo compressor axial.

10 Figura 19: Diagrama esquemático do turbo compressor axial c.2) Turbo Compressor do tipo radial O ar é impelido para as paredes da câmara e posteriormente em direção ao eixo e daí no sentido radial para outra câm ara sucessivamente em direção à saída. A figura 20 mostra um turbo compressor do tipo radial. Figura 20: Turbo compressor do tipo radial A figura 21 mostra o diagrama esquemático do turbo compressor radial. Figura 21: Diagrama esquemático do turbo compressor do tipo radial 12. O Tratamento do Ar Comprimido O ar comprimido que vai par a uma rede de distribuição precisa ser tratado principalmente contra os seguintes problemas: Partículas sólidas Contaminação por óleo Umidade

11 Logo, o ar comprimido de uma rede pneumática precisa passar por certos processos muito importantes como a secagem e a filtragem. A seguir serão conhecidos alguns processos A Secagem do Ar Comprimido É necessária uma atenção especial para a umidade contida no ar comprimido, pois esta penetra na rede através da sucção do compressor e é devida a própria umidade relativa do ar que, por sua vez, depende da temperatura e das condições atmosféricas local. a) Secagem por absorção Trata-se de um processo puramente químico onde o ar comprimido passa sobre uma camada solta de um elemento secador. Há uma combinação química entre a umidade (água ou vapor) contida no ar comprimido e este elemento de forma que o condensado é separado do ar que vai para a rede. Este condensado deve ser, de tempo em tempo, retirado da unidade. A figura 22 mostra um secador por absorção. b) Secagem por adsorção Figura 22: Secador por absorção O termo adsorver significa admitir uma substância à superfície de outra. Trata-se, portanto, de um processo baseado num princípio físico onde o elemento secador é um material granulado do tipo sílica gel. Este tipo de secador admite uma fácil manutenção, pois quando está saturado o elemento secante pode ser seco fazendo-se, por exemplo, fluir ar quente pelo interior da câmara saturada. A figura 23 mostra dois exemplos de secadores por adsorção. Figura 23: Secadores por adsorção c) Secagem por resfriamento Este tipo de secador funciona diminuindo a temperatura do ar comprimido até o ponto de orvalho, temperatura esta onde há a condensação do vapor de água nele contido.

12 Este processo é obtido fazendo-se o ar comprimido passar por um trocador de calor do tipo arar. A figura 24 mostra este tipo de equipamento. Figura 24: Secadores por refrigeração A figura 25 mostra um diagrama esquemático deste processo. Figura 25: Diagrama esquemático do secador por refrigeração Neste diagrama: (a) entrada do ar e pré-resfriamento pelo ar que sai do sistema; (b) evaporador, onde haverá a perda do con densado; (c) eletroválvula de descarga automáticas para elim inar o condensado; (d) saída do ar seco A Filtragem do Ar Comprimido O filtro para o ar comprimido tem a função de manter as linhas de ar mais secas e isentas de impurezas sólidas (partículas) e líquidas (água e óleo). São instalados diretamente na linha de ar e normalmente o mais próximo possível dos pontos de uso. O grau de retenção de impureza será especificado de acordo com sua utilização, como por exemplo: ferramentas pneumáticas, pintura, pistões, etc. O condensado acumula no filtro e deve ser retirado através de um dispositivo apropriado para isto, manual ou automático. Alguns desses tipos de filtros são: filtro de ar comprimido filtro de ar comprimido com regulador de pressão Existem diversos outros tipos de filtros para diversos tamanhos de partículas e outros materiais. Alguns desses filtros são:

13 Cyclone Separador: para água e partículas maiores do que 50 µm Pré filtro: para água e partículas entre 5-50 µm Micro filtro: para água, óleo e partículas de até 0,01 µm Filtro de carvão ativado: para odores Filtro estéril: para vírus e bactérias Os filtros são elementos importantes para a saúde da rede de ar comprimido. Sua verificação e manutenção periódicas devem ser sempre consideradas. A figura 26 mostra alguns tipos de filtro s para ar comprimido. Figura 26: Filtros para tratamen to do ar comprimido A figura 27 mostra um filtro do tipo cyclone e seu diagrama esquemático. Figura 27: Filtro cyclone e seu diagrama esquemático A figura 28 mostra um filtro coalescente e seu diagrama esquemático. Figura 28: Filtro coalescente e seu diagrama esquemático A figura 29 mostra um filtro de carvão ativado e seu elemento filtrante.

14 2.3 A Lubrificação do Ar Comprimido Figura 29: Filtro de carvão ativo e elemento filtrante O lubrificador tem a função de lubrificar de forma suficiente os elementos pneumáticos, garantindo assim um desgaste mínimo dos elementos móveis por diminuição das forças de atrito. Além disso protege contra a corrosão. Operam em geral segundo o princípio de Venturi, por diferença de pressão entre a entrada e a saída do ar comprimido. A queda de pressão entre a pressão existente antes do bocal nebulizador e a pressão no ponto estrangulado do tubo de Venturi, onde está o bocal de saída do nebulizador, deve ser grande o suficiente para sugar óleo de um reservatório. Este óleo é misturando-o com o ar, formando uma espécie de neblina. Desta forma, o ar que atravessa o lubrificador é adicionado de óleo finalmente pulverizado. A figura 30 mostra um lubrificador de ar comprimido. 1. parafuso de ajuste 2. gabinete lubrificador 3. checagem do nível do óleo 4. reservatório do lubrificante Figura 30: Lubrificador do ar comprimido 12.4 A Unidade de Conservação do Ar Comprimido Em geral a unidade de conservação do ar comprimido agrega as três funções importantes para a conservação do ar comprimido: filtragem, regulagem de pressão e lubrificação. Por ser uma unidade que agrega tanto a filtragem quanto a lubrificação sua manutenção é sempre bastante importante. A figura 31 mostra exemplos destas unidades. Figura 31: Lubrificador do ar comprimido

15 13. O Armazenamento do Ar Comprimido O reservatório de ar comprimido é uma peça chave na instalação pela sua capacidade de armazenar ar em períodos de grande demanda e também por separar o condensado do ar comprimido. A figura 32 mostra alguns reservatórios. 14. Redes de Distribuição de Ar Comprimido Figura 32: Reservatórios de ar comprimido As redes de distribuição de ar comprimido são em geral elaboradas como um circuito aberto, circuito fechado ou circuito combinado. São montadas em geral com um declive de 1 a 2%, na direção do fluxo, para fins de purgar a água condensada nas tubulações Redes em Circuito Aberto No circuito aberto várias máquinas são colocadas na rede e no final existe um ponto final, por exemplo, um tampão. Este tipo de rede permite pontos de pressão diferentes ao longo da linha e facilidade de expansão. A figura 33 mostra um esquema de rede em circuito aberto. Figura 33: Rede de distribuição em circuito aberto O diagrama esquemático da rede em circuito aberto pode ser visto na figura 34. Figura 34: Diagrama esquemático da rede em circuito aberto

16 14.2 Redes em Circuito Fechado É a forma mais comum de montagem das redes pneumáticas. Esta configuração permite instalar ligações em derivação que partem da tubulação principal, fazendo com que o ar flua de forma bidirecional. Proporciona também uma alimentação uniforme ao longo da rede. O diagrama esquemático da rede em circuito fechado pode ser visto na figura Redes Combinadas Figura 35: Diagrama esquemático da rede em circuito fechado A rede combinada também se trata de uma rede em circuito fechado. A configuração combinada permite com que sejam isoladas partes da linha quando, por exemplo, não estão sendo utilizadas ou por motivos de manutenção (figura 36). Figura 36: Diagrama esquemático da rede combinada 15. Esquema Geral de Um Circuito Pneumático A figura 37 mostra um esquema geral de um circuito pneumático. Figura 37: Esquema geral de um circuito pneumático

4ª aula Compressores (complemento) e Sistemas de Tratamento do Ar Comprimido

4ª aula Compressores (complemento) e Sistemas de Tratamento do Ar Comprimido 4ª aula Compressores (complemento) e Sistemas de Tratamento do Ar Comprimido 3ª Aula - complemento - Como especificar um compressor corretamente Ao se estabelecer o tamanho e nº de compressores, deve se

Leia mais

Fundamentos de Automação. Pneumática 01/06/2015. Pneumática. Pneumática. Pneumática. Considerações Iniciais CURSO DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL

Fundamentos de Automação. Pneumática 01/06/2015. Pneumática. Pneumática. Pneumática. Considerações Iniciais CURSO DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL Ministério da educação - MEC Secretaria de Educação Profissional e Técnica SETEC Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Rio Grande Considerações Iniciais "PNEUMÁTICA

Leia mais

PNEUMÁTICA SENAI CETEMP

PNEUMÁTICA SENAI CETEMP PNEUMÁTICA SENAI CETEMP PNEUMÁTICA É um sistema que torna possível a utilização do ar para geração de energia mecânica. Exemplos Exemplos Comparação Energia Hidráulica Elétrica Pneumática Transmissão

Leia mais

Automação Pneumática. DIDACTIC Automação Pneumática 1

Automação Pneumática. DIDACTIC Automação Pneumática 1 Automação Pneumática DIDACTIC Automação Pneumática 1 Comparação qualitativa: força, velocidade e precisão Mecânica Boa força Ótimas velocidades Ótima precisão Hidráulica Ótima força Baixas velocidades

Leia mais

COMPRESSORES PARAFUSO

COMPRESSORES PARAFUSO COMPRESSORES PARAFUSO PARTE 1 Tradução e adaptação da Engenharia de Aplicação da Divisão de Contratos YORK REFRIGERAÇÃO. Introdução Os compressores parafuso são hoje largamente usados em refrigeração industrial

Leia mais

Fundamentos de Automação. Hidráulica 01/06/2015. Hidráulica. Hidráulica. Hidráulica. Considerações Iniciais CURSO DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL

Fundamentos de Automação. Hidráulica 01/06/2015. Hidráulica. Hidráulica. Hidráulica. Considerações Iniciais CURSO DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL Ministério da educação - MEC Secretaria de Educação Profissional e Técnica SETEC Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Rio Grande Fundamentos de Automação CURSO

Leia mais

UM OLHAR SOBRE O COMPRESSOR NOS CONSULTÓRIOS E CLÍNICAS ODONTOLÓGICAS

UM OLHAR SOBRE O COMPRESSOR NOS CONSULTÓRIOS E CLÍNICAS ODONTOLÓGICAS UM OLHAR SOBRE O COMPRESSOR NOS CONSULTÓRIOS E CLÍNICAS ODONTOLÓGICAS NAS INSPEÇÕES DE CONSULTÓRIOS E CLÍNICAS ODONTOLÓGICAS ATÉ RECENTEMENTE NÃO ERA DADA A DEVIDA ATENÇÃO AO COMPRESSOR - TIPO - LOCAL

Leia mais

ECONOMIA DE ENERGIA ELETRICA COM USO RACIONAL DE AR COMPRIMIDO

ECONOMIA DE ENERGIA ELETRICA COM USO RACIONAL DE AR COMPRIMIDO ECONOMIA DE ENERGIA ELETRICA COM USO RACIONAL DE AR COMPRIMIDO CONSUMO DE ENERGIA E AR COMPRIMIDO NA INDÚSTRIA Consumo de Energia 20% 50% 30% Fornec.de ar Refrigeração Outros Consumo de Ar Comprimido 10%

Leia mais

Secador de Ar por Refrigeração CPX. Produtos de Alta Performance. Desenvolvidos para você!

Secador de Ar por Refrigeração CPX. Produtos de Alta Performance. Desenvolvidos para você! Secador de Ar por Refrigeração CPX 2011 Produtos de Alta Performance. Desenvolvidos para você! Secador de Ar CPX 2. Condensados O ar comprimido produzido pelos compressores contém vapor de água que poderá

Leia mais

COMPRESSORES, SOPRADORES E VENTILADORES COMPRESSORES CENTRÍFUGOS (NORMA API 617)

COMPRESSORES, SOPRADORES E VENTILADORES COMPRESSORES CENTRÍFUGOS (NORMA API 617) COMPRESSORES, SOPRADORES E VENTILADORES FAIXAS MAIS USADAS ÁRA SELEÇÃO DOS COMPRESSORES. CENTRÍFUGOS: ENTRE 2.000 E 200.000 FT 3 /MIN (CFM) PRESSÃO ATÉ 5.000 PSIG ALTERNATIVOS: ATÉ 16.000 CFM PRESSÃO ATÉ

Leia mais

Universidade Paulista Unip

Universidade Paulista Unip Elementos de Produção de Ar Comprimido Compressores Definição Universidade Paulista Unip Compressores são máquinas destinadas a elevar a pressão de um certo volume de ar, admitido nas condições atmosféricas,

Leia mais

COMPRESSORES DE AR ENERGIA NA FORMA DE PRESSÃO ENERGIA NA FORMA DE PRESSÃO OBJETIVOS DO AR COMPRIMIDO 06/04/2011 FUGAS DE AR COMPRIMIDO E SEU CUSTO

COMPRESSORES DE AR ENERGIA NA FORMA DE PRESSÃO ENERGIA NA FORMA DE PRESSÃO OBJETIVOS DO AR COMPRIMIDO 06/04/2011 FUGAS DE AR COMPRIMIDO E SEU CUSTO ENERGIA NA FORMA DE PRESSÃO COMPRESSORES DE AR Transformação de energia elétrica em pressão; resulta da compressão do ar ambiente; Segunda energia na indústria transformadora; Mais cara cerca de 7 a 10

Leia mais

Compressor Parafuso. Principais tipos: Parafuso simples. Parafuso duplo (mais empregado)

Compressor Parafuso. Principais tipos: Parafuso simples. Parafuso duplo (mais empregado) Principais tipos: Parafuso simples Parafuso duplo (mais empregado) Vantagens em relação aos alternativos: Menor tamanho Número inferior de partes móveis Desvantagens em relação aos alternativos: Menor

Leia mais

AR COMPRIMIDO. Esse sistema compreende três componentes principais: o compressor, a rede de distribuição e os pontos de consumo.

AR COMPRIMIDO. Esse sistema compreende três componentes principais: o compressor, a rede de distribuição e os pontos de consumo. AR COMPRIMIDO Nos diversos processos industriais, os sistemas de ar comprimido desempenham papel fundamental na produção e representam parcela expressiva do consumo energético da instalação. Entretanto,

Leia mais

A fórmula que faz esta correção é o Nm³/h ou SCFM, que é dada pelos seguintes fatores:

A fórmula que faz esta correção é o Nm³/h ou SCFM, que é dada pelos seguintes fatores: Ar comprimido. O ar comprimido em muitas empresas é a energia que move a maioria dos equipamentos, pois o consumo de energia elétrica necessária para mover individualmente cada um dos equipamentos, se

Leia mais

Sistemas Ar Comprimido. Aplicações medicinais e de respiração. www.fargon.com.br

Sistemas Ar Comprimido. Aplicações medicinais e de respiração. www.fargon.com.br Sistemas Ar Comprimido Aplicações medicinais e de respiração www.fargon.com.br Apresentação Sistemas personalizados de ar comprimido Fabricados para atender necessidades específicas de aplicação de ar

Leia mais

Compressores. Na refrigeração industrial e no condicionamento de ar são utilizados praticamente todos os tipos e compressores:

Compressores. Na refrigeração industrial e no condicionamento de ar são utilizados praticamente todos os tipos e compressores: Compressores Na refrigeração industrial e no condicionamento de ar são utilizados praticamente todos os tipos e compressores: Alternativos Rotativos de parafusos Rotativos Scroll Rotativos de palhetas

Leia mais

Instituto Federal de São Paulo Departamento de Mecânica. Roteiro de Laboratório: Pneumática

Instituto Federal de São Paulo Departamento de Mecânica. Roteiro de Laboratório: Pneumática Instituto Federal de São Paulo Departamento de Mecânica Roteiro de Laboratório: Pneumática Prof. Engº Felipe Amélio de Lucena Catanduva, 25 de julho de 2012. Sumário 1 Objetivo... 3 2 Estrutura para elaboração

Leia mais

DRENO ECOLÓGICO. Dreno Ecológico de Condensado

DRENO ECOLÓGICO. Dreno Ecológico de Condensado DRENO ECOLÓGICO Dreno Ecológico de Condensado O problema O ar comprimido é uma fonte de energia essencial, amplamente utilizada em toda a indústria. Por ser uma ferramenta que oferece segurança, potência

Leia mais

Ar de Alta Qualidade, da Geração à Utilização

Ar de Alta Qualidade, da Geração à Utilização Ar de Alta Qualidade, da Geração à Utilização A qualidade do ar em um sistema de ar comprimido tem variações e todas elas estão contempladas no leque de opções de produtos que a hb ar comprimido oferece.

Leia mais

Propriedades Físicas do Ar Compressibilidade O ar permite reduzir o seu volume quando sujeito à ação de uma força exterior.

Propriedades Físicas do Ar Compressibilidade O ar permite reduzir o seu volume quando sujeito à ação de uma força exterior. COMPRESSORES DE AR AR COMPRIMIDO O ar comprimido necessita de uma boa preparação para realizar o trabalho proposto: remoção de impurezas, eliminação de umidade para evitar corrosão nos equipamentos, engates

Leia mais

26/08/2012 1 Agosto/2012

26/08/2012 1 Agosto/2012 26/08/2012 1 Agosto/2012 Equipamentos Estáticos e Dinâmicos A disciplina de Equipamentos Estáticos e Dinâmicos, com 40 horas/aulas, será dividida em 3 (três) partes, sendo : Equipamentos Dinâmicos 12 horas;

Leia mais

Desenho e Projeto de Tubulação Industrial

Desenho e Projeto de Tubulação Industrial Desenho e Projeto de Tubulação Industrial Módulo IV Aula 01 Bombas São máquinas acionadas que recebem energia mecânica de uma fonte motora (máquina acionadora) e a transformam em energia cinética (movimento),

Leia mais

EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM SISTEMAS E INSTALAÇÕES

EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM SISTEMAS E INSTALAÇÕES EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM SISTEMAS E INSTALAÇÕES PROF. RAMÓN SILVA Engenharia de Energia Dourados MS - 2013 2 Áreas de oportunidade para melhorar a eficiência na distribuição de frio Isolamento das tubulações

Leia mais

CURSOS DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL CALENDÁRIO 2013

CURSOS DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL CALENDÁRIO 2013 S DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL CALENDÁRIO 2013 1 - Curso de Simulação de Edificações com o EnergyPlus (Edição 1) 8 e 9 de março 15 e 16 de março 5 e 6 de abril 19 e 20 de abril 2 - Curso de Psicrometria

Leia mais

Como mostra a tabela abaixo, quanto mais frio o ar, menor será o conteúdo de água, sob a forma de vapor.

Como mostra a tabela abaixo, quanto mais frio o ar, menor será o conteúdo de água, sob a forma de vapor. O AR ATMOSFÉRICO 1 - Composição O ar puro e seco é incolor, sem gosto e sem cheiro. É formado por uma mistura de gases na seguinte proporção (aproximada) Nitrogênio = 78 % Oxigênio = 21 % Outros gases

Leia mais

Secador e filtros para ar e gases. Garantia de ar comprimido puro e seco, aumento de produtividade e melhora na qualidade do ar na linha de produção.

Secador e filtros para ar e gases. Garantia de ar comprimido puro e seco, aumento de produtividade e melhora na qualidade do ar na linha de produção. Secador e filtros para ar e gases Garantia de ar comprimido puro e seco, aumento de produtividade e melhora na qualidade do ar na linha de produção. Secador e filtros para ar e gases Garantia de ar comprimido

Leia mais

BOOSTER BOOSTER? Benefícios e vantagens PORQUE COMPRAR UM

BOOSTER BOOSTER? Benefícios e vantagens PORQUE COMPRAR UM Linha BOOSTER Agilidade, confiabilidade e eficiência BOOSTER Os compressores Schulz modelo SB, possuem como função principal elevar a pressão da rede de baixa pressão para até 40 bar (580 psi). Benefícios

Leia mais

Introdução à pneumática

Introdução à pneumática Introdução à pneumática Introdução: A palavra pneumática tem origem grega Pneuma que significa respiração, sopro e é definido como a parte da física que se ocupa dos fenômenos relacionados com os gases

Leia mais

COMPRESSOR DE AR COMPRIMIDO

COMPRESSOR DE AR COMPRIMIDO Definição: Os compressores podem ser definidos como estruturas mecânicas industriais destinadas a elevar a energia utilizável de ar pelo aumento de sua pressão. Necessita de cuidados para manter sua plena

Leia mais

Ferramentas Pneumáticas

Ferramentas Pneumáticas Ferramentas Pneumáticas Ferramentas Pneumáticas Para se tomar a decisão com relação ao uso de ferramentas pneumáticas é necessário saber as diferenças principais entre elas e outros tipos de ferramentas

Leia mais

5ª aula Composição do Circuito Pneumático e Atuadores

5ª aula Composição do Circuito Pneumático e Atuadores 5ª aula Composição do Circuito Pneumático e Atuadores 1 1) Elementos de trabalho são os executores das tarefas automatizadas. Cabe aos elementos de trabalho executar as tarefas que o circuito lógico determinar.

Leia mais

PNEUMÁTICA PNEUMÁTICA COMPARAÇÃO DESVANTAGENS VANTAGENS: Preparação; Compressibilidade; Potência; Escape de ar; Custo;

PNEUMÁTICA PNEUMÁTICA COMPARAÇÃO DESVANTAGENS VANTAGENS: Preparação; Compressibilidade; Potência; Escape de ar; Custo; PNEUMÁTICA PNEUMÁTICA É um sistema que torna possível a utilização do ar para geração de energia mecânica. SENAI CETEMP Mecânica Boa força Ótimas velocidades Ótima precisão Hidráulica Ótima força Baixas

Leia mais

Tecnologia de ar comprimido

Tecnologia de ar comprimido Tecnologia de ar comprimido Tecnologia de ar comprimido 3 Conteúdo 1. Tecnologia de ar comprimido 4 O ar comprimido...4 Benefícios do sistema...4 Fundamentos físicos...4 Símbolos de unidades e fórmula...5

Leia mais

Peter Croser, Frank Ebel. Pneumática. Nível Básico. Festo. Festo Didactic TaC - Treinamento e Consultoria

Peter Croser, Frank Ebel. Pneumática. Nível Básico. Festo. Festo Didactic TaC - Treinamento e Consultoria Peter Croser, Frank Ebel Pneumática Nível Básico Festo Festo Didactic TaC - Treinamento e Consultoria Ordem nº: 09131 Descrição: PNEUM.GS.LEHRB Designação: D.LB-TP101-1-GB Edição: 10/2002 Layout: B. Huber

Leia mais

Customers. The core of our innovation. Alimentação & Transporte Secagem Dosagem Controle de Temperatura Refrigeração. Granulação

Customers. The core of our innovation. Alimentação & Transporte Secagem Dosagem Controle de Temperatura Refrigeração. Granulação PT Customers. The core of our innovation Alimentação & Transporte Secagem Dosagem Controle de Temperatura Refrigeração Granulação Tecnologias Piovan para Refrigeração: Chillers com compressores scroll

Leia mais

AULA PRÁTICA 11 INSTALAÇÃO DE BOMBEAMENTO

AULA PRÁTICA 11 INSTALAÇÃO DE BOMBEAMENTO !" AULA PRÁTICA 11 INSTALAÇÃO DE BOMBEAMENTO 1- INTRODUÇÃO O transporte de água (ADUÇÃO) pode ser realizado das seguintes formas: a) Por GRAVIDADE Utilizando Conduto Livre (Canal) b) Por GRAVIDADE Utilizando

Leia mais

TERMODINÂMICA EXERCÍCIOS RESOLVIDOS E TABELAS DE VAPOR

TERMODINÂMICA EXERCÍCIOS RESOLVIDOS E TABELAS DE VAPOR TERMODINÂMICA EXERCÍCIOS RESOLVIDOS E TABELAS DE VAPOR Prof. Humberto A. Machado Departamento de Mecânica e Energia DME Faculdade de Tecnologia de Resende - FAT Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Leia mais

Capítulo 4 Compressores Parte 1

Capítulo 4 Compressores Parte 1 Refrigeração Capítulo 4 Pág. 1 Capítulo 4 Compressores Parte 1 4.1. Introdução O compressor é um dos quatro componentes principais de um sistema de refrigeração por compressão mecânica de vapor. O compressor

Leia mais

Motores Térmicos. 9º Semestre 5º ano

Motores Térmicos. 9º Semestre 5º ano Motores Térmicos 9º Semestre 5º ano 19 Sistema de Refrigeração - Tópicos Introdução Meios refrigerantes Tipos de Sistemas de Refrigeração Sistema de refrigeração a ar Sistema de refrigeração a água Anticongelantes

Leia mais

AR CONDICIONADO. Componentes

AR CONDICIONADO. Componentes AR CONDICIONADO AR CONDICIONADO Basicamente, a exemplo do que ocorre com um refrigerador (geladeira), a finalidade do ar condicionado é extrair o calor de uma fonte quente, transferindo-o para uma fonte

Leia mais

CONJUNTOS DE FACAS DE AR WINDJET

CONJUNTOS DE FACAS DE AR WINDJET CONJUNTOS DE FACAS WINDJET CONJUNTO DE FACAS WINDJET SOPRADORES CONJUNTOS DE FACAS WINDJET SUMÁRIO Página Visão geral dos pacotes de facas de ar Windjet 4 Soprador Regenerativo 4 Facas de ar Windjet 4

Leia mais

o O ar comprimido é uma forma de transmissão de energia o É cerca de 7 a 10 vezes mais cara do que a energia

o O ar comprimido é uma forma de transmissão de energia o É cerca de 7 a 10 vezes mais cara do que a energia Instalações, equipamentos e instrumentação Aula 10 Ar comprimido Ar comprimido 2 o O ar comprimido é uma forma de transmissão de energia o Resulta da transformação de energia eléctrica em pressão, geralmente

Leia mais

Mecânica dos Fluidos. Aula 17 Bombas Hidráulicas. Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues

Mecânica dos Fluidos. Aula 17 Bombas Hidráulicas. Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues Aula 17 Bombas Hidráulicas Tópicos Abordados Nesta Aula Características das Bombas Hidráulicas. Definição São Máquinas Hidráulicas Operatrizes, isto é, máquinas que recebem energia potencial (força motriz

Leia mais

Disciplina Higiene do Trabalho. Ventilação Industrial

Disciplina Higiene do Trabalho. Ventilação Industrial Tópicos da Aula Complementar - Ventiladores; - Ventiladores Axiais; - Ventiladores Centrífugos; - Dados necessários para a seleção correta de um ventilador; - Modelos e Aspectos Gerais de Ventiladores.

Leia mais

SUMÁRIO... 2 CAPITULO 1 - CONSIDERAÇÕES GERAIS... 5 CAPITULO 3 - ARMAZENAMENTO E DISTRIBUIÇÃO DO AR COMPRIMIDO... 20

SUMÁRIO... 2 CAPITULO 1 - CONSIDERAÇÕES GERAIS... 5 CAPITULO 3 - ARMAZENAMENTO E DISTRIBUIÇÃO DO AR COMPRIMIDO... 20 WWW.EDISONCARLOS.XPG.COM.BR PNEUMÁTICA AR COMPRIMIDO Edison Carlos 09 Sumário SUMÁRIO... 2 CAPITULO 1 - CONSIDERAÇÕES GERAIS... 5 1- PNEUMÁTICA... 5 2 - CARACTERÍSTICAS DO AR COMPRIMIDO... 5 2.1 - Vantagens...

Leia mais

EME610 - Sistemas Hidropneumáticos Pneumática 1

EME610 - Sistemas Hidropneumáticos Pneumática 1 Sistemas Pneumáticos UNIFEI EME610 - Sistemas Hidropneumáticos Pneumática 1 Aula 8 Prof. José Hamilton Chaves Gorgulho Júnior Gerador: compressores (êmbolo, palhetas, pistões, parafusos etc.); Distribuidor:

Leia mais

Atlas Copco. Secadores de ar comprimido por refrigeração. FX1-16 60 Hz

Atlas Copco. Secadores de ar comprimido por refrigeração. FX1-16 60 Hz Atlas Copco Secadores de ar comprimido por refrigeração FX1-16 60 Hz Capacidade total, responsabilidade total A Atlas Copco fornece ar comprimido de qualidade para garantir uma excelente produtividade.

Leia mais

Pulverizadores costais manuais. Prof.: Brandão

Pulverizadores costais manuais. Prof.: Brandão Pulverizadores costais manuais Prof.: Brandão PULVERIZADORES COSTAIS Operação Manutenção Regulagem da pulverização PJH O QUE É UM PULVERIZADOR COSTAL MANUAL? - Os pulverizadores Costais Manuais são equipamentos

Leia mais

Gas-Lift - Vantagens

Gas-Lift - Vantagens Gas-Lift - Vantagens Método relativamente simples para operar O equipamento necessário é relativamente barato e é flexível Podem ser produzidos baixos ou altos volumes É efetivo sob condições adversas

Leia mais

DRYPOINT M A SECAGEM ECONÔMICA, FÁCIL E CONFIÁVEL DO AR COMPRIMIDO

DRYPOINT M A SECAGEM ECONÔMICA, FÁCIL E CONFIÁVEL DO AR COMPRIMIDO Novo desenho! Novas características técnicas! Instalação em paralelo e controle eficiente do ar de purga DRYPOINT M A SECAGEM ECONÔMICA, FÁCIL E CONFIÁVEL DO AR COMPRIMIDO DESUMIDIFICAÇÃO NA MEDIDA EXATA

Leia mais

Desenho e Projeto de Tubulação Industrial Nível II

Desenho e Projeto de Tubulação Industrial Nível II Desenho e Projeto de Tubulação Industrial Nível II Módulo III Aula 02 1. Introdução O ar comprimido é um fluido limpo e que se encontra facilmente e pode ser usado como uma fonte de energia de diferentes

Leia mais

Concurso Público para Cargos Técnico-Administrativos em Educação UNIFEI 13/06/2010

Concurso Público para Cargos Técnico-Administrativos em Educação UNIFEI 13/06/2010 Questão 21 Conhecimentos Específicos - Técnico em Mecânica A respeito das bombas centrífugas é correto afirmar: A. A vazão é praticamente constante, independentemente da pressão de recalque. B. Quanto

Leia mais

Descrever o princípio de funcionamento dos motores Ciclo Otto Identificar os componentes básicos do motor.

Descrever o princípio de funcionamento dos motores Ciclo Otto Identificar os componentes básicos do motor. Objetivos Descrever o princípio de funcionamento dos motores Ciclo Otto Identificar os componentes básicos do motor. Descrição Neste módulo são abordados os princípios de funcionamento do motor Ciclo Otto,

Leia mais

Boletim da Engenharia

Boletim da Engenharia Boletim da Engenharia 28 Compressores Octagon Aplicação Sub Crítica com Dióxido de Carbono CO 2 09/08 Nesse boletim vamos abordar as instruções de operação dos compressores Octagon aplicados com o Dióxido

Leia mais

Lubrificação III. Após a visita de um vendedor de lubrificante. Outros dispositivos de lubrificação

Lubrificação III. Após a visita de um vendedor de lubrificante. Outros dispositivos de lubrificação A U A UL LA Lubrificação III Introdução Após a visita de um vendedor de lubrificante ao setor de manutenção de uma indústria, o pessoal da empresa constatou que ainda não conhecia todos os dispositivos

Leia mais

Módulo VIII - 1ª Lei da Termodinâmica Aplicada a Volume de Controle: Regime Permanente, Dispositivos de Engenharia com Escoamento e Regime Transiente.

Módulo VIII - 1ª Lei da Termodinâmica Aplicada a Volume de Controle: Regime Permanente, Dispositivos de Engenharia com Escoamento e Regime Transiente. Módulo VIII - 1ª Lei da Termodinâmica Aplicada a Volume de Controle: Regime Permanente, Dispositivos de Engenharia com Escoamento e Regime Transiente. Bocais e Difusores São normalmente utilizados em motores

Leia mais

14 ASPECTOS BÁSICOS PARA SELEÇÃO E ESPECIFICAÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE PROCESSO

14 ASPECTOS BÁSICOS PARA SELEÇÃO E ESPECIFICAÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE PROCESSO 14 ASPECTOS BÁSICOS PARA SELEÇÃO E ESPECIFICAÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE PROCESSO Há certos parâmetros que são desejados em todos os tipos de equipamentos de processo, como: FUNCIONALIDADE EFICÁCIA CONFIABILIDADE

Leia mais

w w w. h e n f e l. c o m. b r HIDROVARIADOR

w w w. h e n f e l. c o m. b r HIDROVARIADOR w w w. h e n f e l. c o m. b r HIDROVARIADOR CH-0509-BR Introdução Fundada em 1981, a HENFEL Indústria Metalúrgica Ltda. é uma tradicional empresa do setor mecânico / metalúrgico, fornecedora de Caixas

Leia mais

Sistemas de Condicionamento da Amostra para Análise de Gases

Sistemas de Condicionamento da Amostra para Análise de Gases Sistemas de Condicionamento da Amostra para Análise de Gases V1 O queéum Sistemade Condicionamento? O Que é um Sistema de Condicionamento? Amostra do Processo? Analisador Sistema de Condicionamento O sistema

Leia mais

Condensação. Ciclo de refrigeração

Condensação. Ciclo de refrigeração Condensação Ciclo de refrigeração Condensação Três fases: Fase 1 Dessuperaquecimento Redução da temperatura até a temp. de condensação Fase 2 Condensação Mudança de fase Fase 3 - Subresfriamento Redução

Leia mais

MÁQUINAS AGRÍCOLAS PROF. ELISEU FIGUEIREDO NETO

MÁQUINAS AGRÍCOLAS PROF. ELISEU FIGUEIREDO NETO MÁQUINAS AGRÍCOLAS PROF. ELISEU FIGUEIREDO NETO COLHEITA NA AUSTRALIA Hoje nós temos que preocupar não só em aprimorar as MÁQUINAS, mas também os OPERADORES que com elas trabalham. PARTES CONSTITUINTES

Leia mais

Dreno Eletrônico 1321823

Dreno Eletrônico 1321823 1321823 Dreno Eletrônico Sua empresa utiliza ar comprimido? Ar comprimido Um produto importante em todas as indústrias. Seja qual for a finalidade com que utiliza o ar comprimido, a qualidade tem de ser

Leia mais

PNEUMÁTICA E TÉCNICAS DE COMANDO

PNEUMÁTICA E TÉCNICAS DE COMANDO PNEUMÁTICA E TÉCNICAS DE COMANDO José Fernando Xavier Faraco Presidente da FIESC Sérgio Roberto Arruda Diretor Regional do SENAI/SC Antônio José Carradore Diretor de Educação e Tecnologia do SENAI/SC Marco

Leia mais

Sistema de Proporcionamento Bomba dosadora de LGE Fire Dos

Sistema de Proporcionamento Bomba dosadora de LGE Fire Dos Sistema de Proporcionamento Bomba dosadora de LGE Fire Dos Descrição A bomba dosadora de LGE FIRE DOS é o mais versátil sistema de proporcionamento existente no mercado. Este revolucionário sistema de

Leia mais

Disciplina : Hidráulica e Pneumática Aula 1: Introdução

Disciplina : Hidráulica e Pneumática Aula 1: Introdução Curso: Técnico em Mecânica Disciplina : Hidráulica e Pneumática Aula 1: Introdução Prof. Evandro Rodrigo Dário, Dr. Eng. Estrutura da aula Introdução O circuito H&P quanto ao fluido Aplicações e exemplos

Leia mais

Ar Condicionado e Refrigeração Ciclos de Refrigeração

Ar Condicionado e Refrigeração Ciclos de Refrigeração CICLOS DE REFRIGERAÇÃO Os ciclos mais usados, na seqüência, são: Ciclo de refrigeração por compressão de vapor Ciclo de refrigeração por absorção O ciclo é constituído dos seguintes processos sucessivos:

Leia mais

'HVFULomRGDSODQWD. 'HVFULomRGRSURFHVVRGHVHFDJHP

'HVFULomRGDSODQWD. 'HVFULomRGRSURFHVVRGHVHFDJHP 'HVFULomRGDSODQWD Neste capítulo, será descrita a planta de produção de vapor para secagem do fermento. Os dados desta descrição correspondem às instalações em funcionamento durante o ano de 2002 de uma

Leia mais

4 SISTEMAS E EQUIPAMENTOS DE CLIMATIZAÇÃO

4 SISTEMAS E EQUIPAMENTOS DE CLIMATIZAÇÃO 35 4 SISTEMAS E EQUIPAMENTOS DE CLIMATIZAÇÃO Em uma instalação de ar condicionado quando o circuito de refrigeração estiver desligado, teremos uma instalação de ventilação simples, onde são controlados

Leia mais

compressor de ar de parafuso 10 a 25 hp

compressor de ar de parafuso 10 a 25 hp compressor de ar de parafuso 0 a 2 hp o compressor de parafuso da pequena e média empresa SISTEMAS EFICIENTES DE AR COMPRIMIDO ISO-87 Um sistema de ar comprimido eficiente caracteriza-se por um pequeno

Leia mais

de pneumática Fuussshhhhhhh... era o característico som de A importância da pneumática

de pneumática Fuussshhhhhhh... era o característico som de A importância da pneumática A UU L AL A Noções básicas de pneumática Fuussshhhhhhh... era o característico som de vazamento de ar que o experiente ouvido de Gelásio captava. Seus olhos procuraram a fonte do vazamento na linha do

Leia mais

Atuando desde 1981 (mil novecentos e oitenta e um), a Henfel fabrica caixas para

Atuando desde 1981 (mil novecentos e oitenta e um), a Henfel fabrica caixas para Atuando desde 1981 (mil novecentos e oitenta e um), a Henfel fabrica caixas para rolamentos, acoplamentos hidrodinâmicos e flexíveis, e hidrovariadores de velocidade, produtos destinados a atender os mais

Leia mais

CLEARPOINT. A Qualidade do Ar Comprimido

CLEARPOINT. A Qualidade do Ar Comprimido CLEARPOINT CLEARPOINT A Qualidade do Ar Comprimido CARACTERÍSTICAS Meio A filtração efetiva para ar e gases comprimidos e essencial para quase todas as aplicações industriais. A linha CLEARPOINT da BEKO

Leia mais

11. Simbologia dos Componentes

11. Simbologia dos Componentes Nº Denominação Aplicação Símbolo 1.0 Geral 1.1. Símbolos Básicos 1.1.1. Linhas.1 Contínua 11. Simbologia dos Componentes.2 Interrompida Longa Linhas de fluxo..3 Interrompida Curta.4 Dupla Interligações

Leia mais

經 濟 局 DIRECÇÃO DOS SERVIÇOS DE ECONOMIA. 通 告 Aviso. 商 標 之 保 護 Protecção de Marca. 申 請 Pedido

經 濟 局 DIRECÇÃO DOS SERVIÇOS DE ECONOMIA. 通 告 Aviso. 商 標 之 保 護 Protecção de Marca. 申 請 Pedido 13092 28 2015 7 15 澳 門 特 別 行 政 區 REGIÃO ADMINISTRATIVA ESPECIAL DE MACAU 政 府 機 關 通 告 及 公 告 AVISOS E ANÚNCIOS OFICIAIS 經 濟 局 DIRECÇÃO DOS SERVIÇOS DE ECONOMIA 通 告 Aviso 商 標 之 保 護 Protecção de Marca 申 請

Leia mais

Introdução à Pneumática

Introdução à Pneumática Vantagens e desvantagens dos vários sistemas de automação Introdução à Pneumática Projecto e dimensionamento de sistemas pneumáticos. Propriedades do ar comprimido. Produção, tratamento e regulação da

Leia mais

BOLETIM de ENGENHARIA Nº 001/15

BOLETIM de ENGENHARIA Nº 001/15 BOLETIM de ENGENHARIA Nº 001/15 Este boletim de engenharia busca apresentar informações importantes para conhecimento de SISTEMAS de RECUPERAÇÃO de ENERGIA TÉRMICA - ENERGY RECOVERY aplicados a CENTRAIS

Leia mais

Ar Condicionado Central VRF Ar de Confiança

Ar Condicionado Central VRF Ar de Confiança Impression TM Ar Condicionado Central VRF Ar de Confiança Impression Ar condicionado Central VRF Perfil do Produto A linha de produtos Impression é um novo conceito de condicionador de ar inteligente VRF

Leia mais

das válvulas de vazão de líquidos e gases

das válvulas de vazão de líquidos e gases Válvulas de Vazão de Líquidos e Gases Wagner Britto Vaz de Oliveira 00/16144 Pedro Kouri Paim 00/16063 9 de Junho de 2005 1 Introdução No contexto de automação industrial, válvulas de comando são elementos

Leia mais

Sistema de Lubrificação dos Motores de Combustão Interna. Sistemas auxiliares dos motores

Sistema de Lubrificação dos Motores de Combustão Interna. Sistemas auxiliares dos motores Sistema de Lubrificação dos Motores de Combustão Interna Sistemas auxiliares dos motores SISTEMA DE LUBRIFICAÇÃO O sistema de lubrificação tem como função distribuir o óleo lubrificante entre partes móveis

Leia mais

Tecnologia Pneumática Industrial. Apresentação M1001-1 BR

Tecnologia Pneumática Industrial. Apresentação M1001-1 BR Tecnologia Pneumática Industrial Apresentação M00- BR Índice Propriedades físicas do ar... Compressibilidade do ar. 4 Difusibilidade do ar.. 4 Elasticidade do ar 4 Expansibilidade do ar.. 4 Peso do ar.

Leia mais

Pneumática aplicada. Introdução:

Pneumática aplicada. Introdução: Introdução: A palavra pneumática tem origem grega Pneuma que significa respiração, sopro e é definido como a parte da física que se ocupa dos fenômenos relacionados com os gases ou vácuos. Embora a pneumática

Leia mais

Compressores de parafuso

Compressores de parafuso Construídos para toda a vida Compressores de parafuso SÉRIE SM Capacidade: 0.45 a 1.20 m³/min Pressão: 7.5 a 13 bar Compressor de parafusos rotativos Máxima Eficiência e Confiabilidade Há anos os consumidores

Leia mais

A verdadeira qualidade do ar comprimido

A verdadeira qualidade do ar comprimido FILTRAÇÃO DO AR A verdadeira qualidade do ar comprimido Filtros de partículas, coalescentes e adsorção são os mais importantes componentes do sistema de tratamento do ar comprimido. por Sergio Geissler

Leia mais

,DISPOSITIVOS DE EXPANSÃO

,DISPOSITIVOS DE EXPANSÃO ,DISPSITIVS DE EXPASÃ Dispositivos de expansão são os componentes do sistema de refrigeração que têm por finalidades provocar a perda de pressão do refrigerante, que é acompanhada de um decréscimo de temperatura,

Leia mais

Material de Apoio INJEÇÃO ELETRÔNICA DE COMBUSTÍVEL BOSCH. Programa Especial - Injeção Eletrônica LE-Jetronic

Material de Apoio INJEÇÃO ELETRÔNICA DE COMBUSTÍVEL BOSCH. Programa Especial - Injeção Eletrônica LE-Jetronic INJEÇÃO ELETRÔNICA DE COMBUSTÍVEL BOSCH A necessidade de se reduzir o consumo de combustível dos automóveis, bem como de se manter a emissão de poluentes pelos gases de escape dentro de limites, colocou

Leia mais

4. O Ciclo das Substancias na Termoelétrica Convencional De uma maneira geral todas as substâncias envolvidas na execução do trabalho são o

4. O Ciclo das Substancias na Termoelétrica Convencional De uma maneira geral todas as substâncias envolvidas na execução do trabalho são o 1.Introdução O fenômeno da corrente elétrica é algo conhecido pelo homem desde que viu um raio no céu e não se deu conta do que era aquilo. Os efeitos de uma descarga elétrica podem ser devastadores. Há

Leia mais

Tecnologia do Vácuo 1. INTRODUÇÃO

Tecnologia do Vácuo 1. INTRODUÇÃO 1. INTRODUÇÃO A automação dos processos industriais de produção vem crescendo dia após dia e, com ela, a necessidade do emprego de novas tecnologias cujo objetivo, na maior parte das vezes, busca substituir

Leia mais

Tratamento de ar. Filtros Série Delta Exemplos de aplicação. Filtro coal. Grosso Tipo H ou Filtro coal. Fino Tipo D. Filtro Tipo G

Tratamento de ar. Filtros Série Delta Exemplos de aplicação. Filtro coal. Grosso Tipo H ou Filtro coal. Fino Tipo D. Filtro Tipo G Filtros Delta Exemplos de aplicação Qual o filtro Delta utilizado e para que aplicação? Os reservatórios de ar devem ser instalados antes e / ou depois do secador. filtro de aspiração refrigerante reservatório

Leia mais

Resfriadores Evaporativos BRISBOX

Resfriadores Evaporativos BRISBOX Características do Produto: Resfriadores Evaporativos BRISBOX BRISBOX Aplicações Resfriadores evaporativos Munters, possuem uma ótima performance energética e podem ser aplicados em: Bingos; Boates; Academias;

Leia mais

LISTA DE FIGURAS E TABELAS

LISTA DE FIGURAS E TABELAS LISTA DE FIGURAS E TABELAS Figura 1 Compressibilidade do ar... 4 Figura Elasticidade do ar... 4 Figura 3 Manômetro de Bourdon... 6 Figura 4 Pressão distribuída em uma bola... 7 Figura 5 Equivalência entre

Leia mais

DRD. Secador de ar comprimido por refrigeração 5-6000 pcm

DRD. Secador de ar comprimido por refrigeração 5-6000 pcm DRD Secador de ar comprimido por refrigeração 5-6000 pcm DRD Secador de ar por refrigeração A importância do ar comprimido como um gerador de energia para os processos industriais modernos é largamente

Leia mais

Compressores. www.iesa.com.br 2

Compressores. www.iesa.com.br 2 www.iesa.com.br 1 Compressores A pneumática utiliza o ar como fonte de energia para o acionamento de seus automatismos. Esse ar necessita de determinadas condições apropriadas para sua utilização. São

Leia mais

ANALISADORES DE GASES

ANALISADORES DE GASES BGM BOMBA DE SUCÇÃO SÉRIE COMPACTA ANALISADORES DE GASES Descrição: Gera uma depressão no processo, succionando a amostra e criando a vazão exata para atender o tempo necessário de condicionamento do gás

Leia mais

CAPÍTULO II. 2.1. Ar Condicionado, refrigeração e refrigerante utilizado.

CAPÍTULO II. 2.1. Ar Condicionado, refrigeração e refrigerante utilizado. CAPÍTULO II 2 Ar condicionado automotivo. 2.1. Ar Condicionado, refrigeração e refrigerante utilizado. O condicionamento do ar é o processo que regula, artificialmente, a temperatura, o fluxo de ar, a

Leia mais

Edital Nº. 04/2009-DIGPE 10 de maio de 2009

Edital Nº. 04/2009-DIGPE 10 de maio de 2009 Caderno de Provas REFRIGERAÇÃO E CLIMATIZAÇÃO Edital Nº. 04/2009-DIGPE 10 de maio de 2009 INSTRUÇÕES GERAIS PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA Use apenas caneta esferográfica azul ou preta. Escreva o seu nome

Leia mais

PRINCÍPIOS DE FUNCIONAMENTO DOS MOTORES DE COMBUSTÃO INTERNA

PRINCÍPIOS DE FUNCIONAMENTO DOS MOTORES DE COMBUSTÃO INTERNA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO IT Departamento de Engenharia ÁREA DE MÁQUINAS E ENERGIA NA AGRICULTURA IT 154- MOTORES E TRATORES PRINCÍPIOS DE FUNCIONAMENTO DOS MOTORES DE COMBUSTÃO INTERNA

Leia mais

EQUIPAMENTOS ROTATIVOS

EQUIPAMENTOS ROTATIVOS 1 INTRODUÇÃO EQUIPAMENTOS ROTATIVOS O objetivo da presente apostila é prestar informações mínimas, a nível técnico, sobre os principais equipamentos rotativos utilizados na indústria de petróleo e petroquímica.

Leia mais

Atlas Copco Filtros para ar comprimido DDx, PDx, QDx e QDT - simples, eficientes e confiáveis. O filtro certo para sua aplicação

Atlas Copco Filtros para ar comprimido DDx, PDx, QDx e QDT - simples, eficientes e confiáveis. O filtro certo para sua aplicação tlas Copco Filtros para ar comprimido DDx, PDx, QDx e QDT - simples, eficientes e confiáveis O filtro certo para sua aplicação Tratamento de ar - um investimento necessário O perigo oculto no ar sem tratamento

Leia mais