IARC. - Anexo 3 - Procedimentos de Gestão de Pedidos. Anexo à oferta de Infraestruturas Aptas ao Alojamento de Redes de Comunicações Eletrónicas

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "IARC. - Anexo 3 - Procedimentos de Gestão de Pedidos. Anexo à oferta de Infraestruturas Aptas ao Alojamento de Redes de Comunicações Eletrónicas"

Transcrição

1 IARC - Anex 3 - Anex à ferta de Infraestruturas Aptas a Aljament de Redes de Cmunicações Eletrónicas Prcediments de Gestã de Pedids

2 Índice 1. Intrduçã 3 2. Prcediments Pedids de Infrmaçã de cndutas e infraestrutura assciada Acess a infrmaçã através de frmuláris Validaçã Dispnibilizaçã da infrmaçã Flux das atividades Relacinament cm serviç de análise de viabilidade Pedids de Análise de Viabilidade de Ocupaçã Prjet Glbal Detalhad Flux das atividades Pedids de Instalaçã/Acmpanhament Validaçã Flux de atividades Trabalhs de desbstruçã Flux de atividades Cadastr de cupaçã Pedids de Remçã de Cabs d Cliente Flux das atividades Pedids de Intervençã Prgramada ns Cabs Flux das atividades Pedids de Intervençã Prgramada ns Cabs Flux das atividades Desvi de traçads e alteraçã da Ocupaçã 15 Pág. 2 / 15 Tds s direits reservads. Nenhum cnteúd deste dcument pde ser reprduzid, ftcpiad u transmitid através de meis eletrónics, sem aprvaçã da Oni, pr escrit.

3 1. Intrduçã N âmbit d serviç IARC Oni, presente Anex, descreve prcediments de acess e utilizaçã, pr parte ds clientes das cndutas e infraestruturas, cuja prpriedade u gestã pertencem à Oni. 2. Prcediments As regras apresentadas devem ser seguidas para qualquer intervençã de instalaçã, intervençã e remçã em cabs instalads nas suas cndutas Oni e infraestrutura assciada: ACESSO FÍSICO Tds s requisits técnics sã respeitads; A Oni valida a identificaçã e certificaçã ds técnics a serviç d cliente; Deverá ser garantid um planeament atempad, pr parte d cliente; Tds s trabalhs efetuads pel cliente u clabradres pr este cntratad pdem ser acmpanhads e supervisinads pr um representante da Oni, send a cnclusã ds respetivs trabalhs validada pr ambas as Partes, através da assinatura d frmulári referente a pedid; O cliente é respnsável pela supervisã de cabs pr si instalads. PEDIDOS E FORMULÁRIOS Na data de receçã ds pedids, a Oni atribui uma referência a cada pedid, cmunicand esta infrmaçã as clientes; Tds s frmuláris enviads à Oni devem ter s cntacts d cliente, assim cm um númer intern assciad a respetiv pedid (Referência Cliente); Quand um pedid de instalaçã / acmpanhament se refere a mais d que um pedid de viabilidade, é necessári clcar sempre a referência d(s) pedid)(s) de viabilidade n frmulári de acmpanhament/instalaçã; Tds s frmuláris deverã ser enviads pr para endereç: à exceçã d frmulári de pedid de intervençã urgente, que deverá ser enviad aquand d cntact cm CGO Centr de Gestã Operacinal - para endereç A data de receçã d pedid crrespnde à data de receçã d , se mesm tiver chegad antes das 17h00, desse dia. Cas cntrári, a data de receçã, crrespnde a dia útil seguinte; Tds s pedids IARC, sã validads relativamente a cnteúd e elements mínims que permitam identificar a zna/trajet para s quais é slicitad pedid; Se fr cnsiderad inválid, pedid é devlvid a cliente cm identificaçã ds mtivs da sua invalidaçã. O cliente terá que efetuar um nv pedid. 2.1 Pedids de Infrmaçã de cndutas e infraestrutura assciada Acess a infrmaçã através de frmuláris Os pedids ds clientes de identificaçã de infraestruturas, sã sempre dirigids à Oni através de um Frmulári de Pedids de Infrmaçã. Para efeit deverá ser identificad exatamente trajet em análise cm base em crdenadas (latitude, lngitude). Este prcediment pderá ser revist quand SIC entrar em funcinament. Pág. 3 / 15 Tds s direits reservads. Nenhum cnteúd deste dcument pde ser reprduzid, ftcpiad u transmitid através de meis eletrónics, sem aprvaçã da Oni, pr escrit.

4 Este tip de cnsulta deverá ter cm base : Envi para a Oni d Frmulári de Pedid de Infrmaçã de Infraestruturas (Anex 4 da IARC Oni); Envi de plantas gegráficas cm s trajets e/u znas devidamente identificads Validaçã A Gestã de Prjet assegurará uma visã única d prjet, agregand s relatóris de prgress da equipa e gerind calendári, bem cm assegurará a cmunicaçã entre s diverss stakehlders n que diz respeit a prblemas, alterações de âmbit, cntrl de riscs e as crrespndentes estratégias de respsta Dispnibilizaçã da infrmaçã Uma vez cnfirmada a validade d Pedid de Infrmaçã, a Oni irá dispnibilizar s dads de infraestruturas Oni e respetivs traçads e númers de Câmaras de Visita. Serã dispnibilizadas pela Oni, plantas (em frmat eletrónic DXF, na mair escala dispnível, até 1:1000 e frmat até A1) ds traçads que mais se aprximam d pedid d cliente. As plantas serã enviadas em Frmat DXF/DWG, pr crrei eletrónic ( ). A cada pedid, a Oni assciará um nº de pedid cm a referência tip INFaaaammddxxxxx, em que aaaa é an, mm mês, dd dia, e xxxxx nº númer sequencial únic. Será também, assciad e divulgad a cliente uma referência NCO (Númer de Cadastr Oni) para efeits de identificaçã a nível d Centr de Api Operacinal em cas de cmunicaçã de avarias Flux das atividades Pedid de Infrmaçã IARC ONI ONI CLIENTE Envi d frmulári de pedid de infrmações e Plantas Anex 4.1 Receçã e validaçã d pedid de Infrmaçã Plantas Anex 4.1 Plantas Pedid válid? Nã Receçã da devluçã d pedid de viabilidade cm indicaçã ds mtivs inviabilizaçã d pedid Ntificar pedid inválid e respetivs mtivs Receçã das plantas Elabrar Plantas cm CV e Cndutas Plantas Relacinament cm serviç de análise de viabilidade Os clientes deverã indicar n camp Observações d Frmulári 4 d Anex 4.4 Pedid de Análise de Viabilidade, em cnfrmidade cm frmat INFaaaammddxxxxx, a referência d pedid de Infrmaçã send cnsiderads inválids s pedids que nã incluam a referência. Serã dispnibilizadas pela Oni, plantas (em frmat eletrónic DXF, na mair escala dispnível, até 1:1000 e frmat até A1) ds traçads que mais se aprximam d pedid d cliente. Pág. 4 / 15 Tds s direits reservads. Nenhum cnteúd deste dcument pde ser reprduzid, ftcpiad u transmitid através de meis eletrónics, sem aprvaçã da Oni, pr escrit.

5 2.2 Pedids de Análise de Viabilidade de Ocupaçã Os pedids ds clientes de análise de viabilidade de acess a cndutas e infraestrutura assciada da Oni sã sempre dirigids à Oni através de um Frmulári de Pedid de Viabilidade de Ocupaçã (Anex 4 da IARC Oni). Para efeit deverá ser identificad exatamente trajet e/u znas em análise. Infrmaçã que deve acmpanhar pedid: Planta cm slicitad (traçad riginal); Ramais de acess a edifícis; Câmaras de visita a atravessar; Pnts de entrada e tip de fur a cnstruir; Tip de cabs a instalar; Númer de cabs a instalar; Diâmetr ds cabs a instalar; Flgas pretendidas (apenas para traçads superires a 500m) (1) Pnts de ligaçã e tip de ligaçã previst. (1) As flgas deverã ter uma extensã aprximada de 20 metrs e devem estar distribuídas n mínim de 500 em 500 metrs. Deve ser incluíd ns frmuláris de análise de viabilidade, a infrmaçã referente às flgas/enrlaments: Espaç pretendid para instalaçã ds enrlaments, pr exempl 1,30m x 0,6m; Para a interligaçã das infraestruturas d cliente cm as da Oni, cliente deverá indicar nº de tubs pretendid e respetiv diâmetr, e espaç pretendid para as flgas (exempl: 0,3 x 16m); Para que a Oni respnda à viabilidade será verificada a existência de espaçs para cabs d cliente, Pnts de Ligaçã e de Entrada e eventuais flgas, tend em cnsideraçã desenvlviment da rede da Oni e eventuais espaçs assciads a pedids de utrs clientes. Em situações que traçad pretendid esteja cupad u sem cndições para cupaçã adicinal, a Oni pderá analisar traçads alternativs para passagem de cabs, sempre que slicitad pel cliente. A Oni respnderá a pedid de viabilidade cm uma ref.ª Oni d tip VIAaaaammddxxxxx, em que aaaa é an, mm mês, dd dia, e xxxxx nº númer sequencial únic Prjet Glbal Detalhad Após a análise pela Oni de viabilidade de cupaçã, será enviad a cliente, via crrei eletrónic Prjet Glbal Detalhad (PGD) cm a seguinte infrmaçã: Ficheir DXF/DWG à escala de1/1000, cm s traçads de cndutas cm viabilidade de cupaçã; Cmpriment ds trcs de cndutas; Identificaçã d númer de Câmaras de Visita n traçad; Identificaçã de secçã pedida para cupaçã; Frmas de acess as Pnts de Entrada; Identificaçã ds tubs para instalaçã ds cabs. Pág. 5 / 15 Tds s direits reservads. Nenhum cnteúd deste dcument pde ser reprduzid, ftcpiad u transmitid através de meis eletrónics, sem aprvaçã da Oni, pr escrit.

6 2.2.2 Flux das atividades Pedid de Viabilidade de Infraestruturas de Subsl IARC ONI ONI CLIENTE Envi d frmulári de viabilidade devidamente preenchid, cm respetiva planta referind s trajets e/u znas pretendidas Anex 4.2 Receçã da infrmaçã referente a pedid de viabilidade Anex 4.2 Receçã da devluçã d pedid de viabilidade cm indicaçã ds mtivs inviabilizaçã d pedid. Deverá ser submetid nv pedid. Anex 4.2 Nã Pedid válid? Análise de viabilidade ds trçs indicads Análise de viabilidade ds trçs alternativs Nã Trçs riginais válids? Trçs viáveis? Nã Receçã da devluçã d pedid de viabilidade Ntificar pedid inválid e respetivs mtivs Anex 4.2 Receçã d Prjet Geral Detalhad Anex 4.2 Envi de Prjet Glbal Detalhad via crrei u mail Crrei Anex Pedids de Instalaçã/Acmpanhament Os pedids ds clientes de instalaçã nas cndutas e infraestrutura assciada da Oni sã sempre dirigids à mesma através de um Frmulári de Pedid de Instalaçã (Anex 4 da IARC Oni). Este pedid apenas pderá ser efetuad após receçã pel cliente de uma respsta psitiva da Oni, relativamente a um pedid de análise de viabilidade. Os pedids deverã apresentar a seguinte infrmaçã: Tds s direits reservads. Nenhum cnteúd deste dcument pde ser reprduzid, ftcpiad u transmitid através de meis eletrónics, sem aprvaçã da Oni, pr escrit.

7 Lcalizaçã e trçs de cnduta: Lcalizaçã (Regiã, Zna Gegráfica, Distrit, Cncelh, Freguesia); Câmaras de visita d trajet; Pnts de Entrada e de Saída; Identificaçã de númer de cabs as instalar; Pnts de ligaçã e tip de ligaçã prevista; Tip de cabs a instalar; Identificaçã ds cabs a instalar; Data/Hra bjetiv d estabeleciment ds Pnts de Entrada e Saída; Data/Hra bjetiv da instalaçã. Referência d (s) pedid (s) de viabilidade. Cntact técnic para acmpanhament; Após aprvaçã d pedid de acess, a instalaçã ds cabs deverá crrer num praz máxim de 4 meses, sb pena de caducidade d direit de acess. Desta frma, cliente deverá dirigir pedid de instalaçã à Oni dentr d períd anterirmente referid, cm um mínim de 7 dias de antecedência da data de iníci de instalaçã. A Oni respnderá a pedid de instalaçã cm uma refª d tip INSaaaammddxxxxx, em que aaaa é an, mm mês, dd dia, e xxxxx nº númer sequencial únic. Será também, assciad e divulgad a cliente uma referência NCO (Númer de Cadastr Oni) para identificaçã a nível d Centr de Api Operacinal, em cas de cmunicaçã de avarias, Qualquer cnstruçã d acess a Pnts de Entrada, realizada pel cliente, terá acmpanhament de uma equipa da Oni para, abertura e fech das Câmaras e fiscalizaçã ds trabalhs realizads. Será realizada uma verificaçã pós-cupaçã, na eventualidade de nã ter decrrid acmpanhament n mment da intervençã. Em cas de verificaçã, terá que ser cliente a realizar a abertura de CVPs. A instalaçã em Cndutas da Oni e respetivs equipaments sã da respnsabilidade d cliente. A Oni indicará quais s cntacts técnics para agendament d iníci ds trabalhs e indicaçã da previsã de duraçã ds mesms. Uma equipa técnica da Oni pderá acmpanhar e supervisinar tds s trabalhs realizads pel cliente, a nível da instalaçã de cabs e infraestrutura assciada da Oni. Uma vez cncluíds s trabalhs de instalaçã, ambas as Partes prcedem à frmalizaçã da assinatura d frmulári. A Oni deverá infrmar cliente, sempre que nã tenha pssibilidade de acmpanhar s trabalhs. O cliente enviará à Oni, n praz de 30 dias após términ ds trabalhs desenvlvids, um relatóri que deverá cnter a seguinte infrmaçã: Temps reais da intervençã; Cadastr da infraestrutura cupada; Data de cnclusã. Os clientes deverã fazer a marcaçã ds cabs em tdas as CVP, utilizand para efeit materiais nrmalizads e de acrd cm as seguintes regras: Identificaçã: <Nme d Cliente> - <Númer identificadr d cab>, em que: <Nme d Cliente> crrespnde à designaçã da empresa; <Númer identificadr d cab> crrespnde a nº intern d cliente. Pág. 7 / 15 Tds s direits reservads. Nenhum cnteúd deste dcument pde ser reprduzid, ftcpiad u transmitid através de meis eletrónics, sem aprvaçã da Oni, pr escrit.

8 2.3.1 Validaçã Lista de regras para validaçã ds pedids de instalaçã/acmpanhament: Após deferiment d pedid de acess, uma das brigações a carg d cliente, trata-se da apresentaçã de um crngrama para a instalaçã ds cabs. Um ds pressupsts, dita que praz máxim para finalizaçã da instalaçã, deve cincidir cm praz de 4 meses para finalizaçã ttal ds trabalhs. Os trçs d pedid de instalaçã, devem crrespnder na íntegra, as trçs validads n pedid de viabilidade. Cm frma de aprvaçã e autrizaçã da instalaçã, a Oni deverá enviar frmulári de acess e instalaçã enviad pel cliente, num praz de 5 (cinc) dias úteis. Após validaçã d pedid de viabilidade, a Oni e cliente deve agendar a realizaçã ds trabalhs (cnstruçã de acesss a Pnts de Entradas, passagem e instalaçã de cabs) cm a duraçã glbal máxima de 4 meses, e cm indicaçã das datas e iníci e finalizaçã n Frmulári de Instalaçã; Para agendament acima referid, cliente deverá dar a indicaçã d cntact d técnic respnsável para efeit. Após validaçã d Pedid de Instalaçã pr parte da Oni, cliente deverá prceder à cnfirmaçã das datas acima referidas e à indicaçã ds técnics respnsáveis pel acmpanhament ds trabalhs e respetivas instalações. PRAZOS: a) Praz para pedid de acess e instalaçã: após respsta psitiva pr parte da Oni, a pedid de análise de viabilidade, nã existe praz máxim para a clcaçã d pedid pr parte d cliente, desde que tds s trabalhs estejam cncluíds n praz máxims de 4 meses, após referid deferiment. b) Praz máxim para a respsta da Oni a pedid de acess e instalaçã: 5 dias úteis após clcaçã d pedid a); c) Praz para 1º agendament de iníci de acess de acess e instalaçã: entre 7º dia útil após clcaçã d pedid b) e uma data que permita terminar s trabalhs dentr ds 4 meses. d) Praz máxim para finalizaçã da instalaçã ds cabs referids n pedid de acess e instalaçã, a partir da data d 1º agendament até terminarem s 4 meses após deferiment da viabilidade de acess. e) Praz máxim para envi pel cliente d cadastr da instalaçã para a Oni 30 dias de calendári após a cnclusã da instalaçã. Pág. 8 / 15 Tds s direits reservads. Nenhum cnteúd deste dcument pde ser reprduzid, ftcpiad u transmitid através de meis eletrónics, sem aprvaçã da Oni, pr escrit.

9 2.3.2 Flux de atividades Pedid de Instalaçã IARC ONI ONI CLIENTE Envi d frmulári de instalaçã devidamente preenchid, cm respetiv crngrama Receçã da infrmaçã referente a pedid de instalaçã e crngrama Anex 4.3 Anex 4.3 Receçã da devluçã d pedid de instalaçã cm indicaçã ds mtivs inviabilizaçã d pedid. Deverá ser submetid nv pedid Nã Pedid válid? Anex 4.3 Receçã d Infrmaçã de Pedid Válid Anex 4.3 Ntificaçã a Cliente da validade d pedid Anex 4.3 Agendament da intervençã para a cnstruçã de acess a Pnts de Entrada e frneciment de dads d respnsável técnic da intervençã Agendament da intervençã e seleçã de técnics para a cnstruçã de acess a Pnts de Entrada Cnstruçã e instalaçã de acess a pnts de entrada Assinatura frmulári de instalaçã Anex 4.3 Assinatura frmulári de instalaçã Anex 4.3 Envi de relatóri ds trabalhs de instalaçã Receçã de infrmaçã sbre trabalhs de instalaçã Trabalhs de desbstruçã Para resluçã de questões relacinadas cm a bstruçã ds Trcs de Cndutas, cliente terá a seu dispr um frmulári para efeit (Anex 4), nde pderá slicitar uma desbstruçã de Trç u uma análise alternativa de traçad, cm bjetiv de ultrapassar as limitações existentes. Duas alternativas pssíveis: 1. Sempre que viável, será enviad para cliente, um rçament para realizaçã ds trabalhs de desbstruçã pr parte da Oni, acmpanhad quand pssível, pela indicaçã d praz previst para a execuçã ds trabalhs em causa. O cliente tem 5 dias úteis, para dar respsta a referid rçament; 2. Para além d rçament previst n pnt anterir, a Oni pderá, sempre que slicitad pel cliente, prceder à análise alternativa de um traçad devidamente identificad, cm intuit de slucinar a bstruçã identificada. Em cas de insucess de desbstruçã ds Trçs de Cndutas, a Oni nã é brigada a cnstruir um trç de cndutas alternativ, cm frma de slucinar pedid. Os Ramais de Acess a Edifícis, sã em tud idêntics as Trçs de Cndutas, n que respeita a prcediments de desbstruçã. Tds s direits reservads. Nenhum cnteúd deste dcument pde ser reprduzid, ftcpiad u transmitid através de meis eletrónics, sem aprvaçã da Oni, pr escrit.

10 Flux de atividades Pedid de Desbstruçã IARC ONI ONI CLIENTE Envi d frmulári de pedid de desbstruçã devidamente preenchid Anex 4.6 Receçã d frmulári de pedid de desbstruçã Anex 4.6 Receçã da devluçã d pedid de desbstruçã cm indicaçã ds mtivs inviabilizaçã d pedid. Deverá ser elabrad nv pedid Anex 4.6 Nã Pedid válid? Pedid é viável? Nã Aprvaçã Orçament Envi de Orçament e Prazs prevists Anex 4.7 Recepçã de ntificaçã de cnclusã ds trabalhs Trabalhs e ntificaçã de cnclusã de desbstruçã Anex Cadastr de cupaçã Após cnclusã ds trabalhs de instalaçã pr parte d cliente, este tem até 30 dias de calendári, para envi d Cadastr de Ocupaçã. Para efeit deverá incluir: Plantas cm trçs de Cndutas; Cmpriment ds trçs de cnduta; Câmaras de Visita; Pnts de Entrada e Saída Tds s direits reservads. Nenhum cnteúd deste dcument pde ser reprduzid, ftcpiad u transmitid através de meis eletrónics, sem aprvaçã da Oni, pr escrit.

11 Ramais de Acess a Edifícis; Tip e númer de cabs instalads; Secçã ds cabs instalads; Esquemas ds espelhs das câmaras de visita; Data iníci da cupaçã; Extensã em metrs de cndutas; Flgas; Material utilizad. 2.4 Pedids de Remçã de Cabs d Cliente Os pedids ds clientes de serviç de Remçã de Cabs nas cndutas e infraestrutura assciada da Oni deverã ser sempre dirigids à Oni, através de um Frmulári de Pedid de Remçã (Anex 4 da IARC Oni). Os pedids deverã apresentar a seguinte infrmaçã: Cntacts; Lcalizaçã e trçs da cnduta: Lcalizaçã (regiã, zna gegráfica, distrit, cncelh, freguesia); Câmaras de Vista que atravessa; Pnts de entrada e de saída; Pnts de ligaçã e tip de ligaçã prevista; Cabs a remver; Tip de cabs a remver; Data/Hra bjetiv da remçã; Cntact técnic para despiste e acmpanhament. É da respnsabilidade d cliente agendament e remçã ds cabs das cndutas e infraestrutura assciada. Uma vez que a Remçã também se encntra sujeita a um prcess de viabilidade (5 dias úteis para aprvaçã pr parte da Oni), uma vez aprvad pedid, cliente deverá dar à Oni, indicaçã sbre as dadas de iníci e cnclusã ds trabalhs de remçã. A partir da data de aprvaçã da viabilidade, cliente tem um praz máxim de 30 dias (trinta), para cnclusã da remçã das Cndutas e infraestrutura assciada. Após finalizaçã ds trabalhs cliente deverá infrmar da cnclusã ds trabalhs e prceder a envi d cadastr atualizad. Pág. 11 / 15 Tds s direits reservads. Nenhum cnteúd deste dcument pde ser reprduzid, ftcpiad u transmitid através de meis eletrónics, sem aprvaçã da Oni, pr escrit.

12 2.4.1 Flux das atividades Pedid de Remçã IARC ONI ONI CLIENTE Envi d frmulári de pedid de remçã de cabs devidamente preenchid Anex 4.7 Receçã d frmulári de pedid de remçã de cabs Anex 4.7 Receçã da devluçã d pedid de remçã cm indicaçã ds mtivs inviabilizaçã d pedid. Deverá ser elabrad nv pedid Anex 4.7 Nã Pedid válid? Pedid é viável? Receçã de infrmaçã de viabilidade d pedid Anex 4.7 Ntificaçã da Beneficiária de viabilidade de pedid Anex 4.7 Agendament da remçã ds cabs Agendament e indicaçã de técnics da remçã ds cabs Remçã ds cabs Envi de Cadastr atualizad após remçã cncluída Receçã de cadastr e atualizaçã de sistemas 2.5 Pedids de Intervençã Prgramada ns Cabs Os pedids ds clientes de Intervençã ns Cabs nas cndutas e Infraestrutura assciada da Oni deverã ser sempre dirigids à Oni através de um Frmulári própri (Anex 4 da IARC Oni). Os pedids deverã apresentar a seguinte infrmaçã: Identificaçã d cliente; Nº d pedid de instalaçã, refª Oni, cas tenha essa referência; Códig das CV d segment de cab, para qual é slicitada a intervençã; Sintma da avaria. O serviç de Intervençã em Cabs instalads nas cndutas e infraestrutura assciada deve ser slicitad à Oni, através d frmulári aprpriad, cnstante d Anex 4 da IARC Oni, d qual deverá cnstar a seguinte infrmaçã: Tds s direits reservads. Nenhum cnteúd deste dcument pde ser reprduzid, ftcpiad u transmitid através de meis eletrónics, sem aprvaçã da Oni, pr escrit.

13 Lcalizaçã e trçs da cnduta: Lcalizaçã (regiã, zna gegráfica, distrit, cncelh, freguesia); Identificar s trçs a intervir; Identificar s cabs a intervir; Descriçã ds sintmas em cas de avaria; Caracterizar a intervençã a efetuar; Data/Hra bjetiv da intervençã; Cntact técnic para despiste e acmpanhament. Uma vez aprvad pedid, cliente deverá dar à Oni indicaçã sbre as dadas de iníci e cnclusã da intervençã. Esta intervençã carece de agendament prévi para cnfirmaçã de presença de técnic da Oni e cliente. N final ds trabalhs cliente deverá frnecer à Oni, cadastr de cupaçã atualizad. Pág. 13 / 15 Tds s direits reservads. Nenhum cnteúd deste dcument pde ser reprduzid, ftcpiad u transmitid através de meis eletrónics, sem aprvaçã da Oni, pr escrit.

14 2.5.1 Flux das atividades Pedid de Intervençã Prgramada ns Cabs IARC ONI ONI CLIENTE Pedid de intervençã de prgramada Receçã de pedid de intervençã ds cabs Anex 4.5 Anex 4.5 Receçã da devluçã d pedid de intervençã cm indicaçã ds mtivs inviabilizaçã d pedid. Deverá ser elabrad nv pedid Anex 4.5 Nã Pedid válid? Receçã de infrmaçã de validade d pedid Anex 4.5 Ntificaçã da Beneficiária de validade d pedid Anex 4.5 Agendament da intervençã ns cabs Anex 4.5 Agendament e indicaçã de técnics credenciads Anex 4.5 Intervençã ns cabs Envi de Cadastr de cupaçã atualizad Receçã de atualizaçã de cadastr de cupaçã 2.6 Pedids de Intervençã Prgramada ns Cabs Os pedids ds clientes de Intervençã Urgente ns Cabs nas cndutas e infraestrutura assciada da Oni deverã ser dirigids à Oni através de um únic pnt de cntact, CGO - Centr de Gestã Operacinal, este centr encntra-se dispnível 24 hras pr dia e 7 dias pr semana, a lng de td an. O cntact telefónic deverá ser acmpanhad d envi de Frmulári própri (Anex 4 da IARC Oni) para endereç e deverã apresentar a mesma infrmaçã identificada n pnt prévi, 2.5., cm a pçã de tip de intervençã selecinada - Pedid de Intervençã Urgente. Para efeits de identificaçã d serviç, aquand da cmunicaçã da avaria a CGO Centr de Gestã Operacinal, cliente deverá indicar a respetiva NCO (Númer de Cadastr Oni) que lhe fi atribuíd n mment da viabilizaçã de instalaçã. Tds s direits reservads. Nenhum cnteúd deste dcument pde ser reprduzid, ftcpiad u transmitid através de meis eletrónics, sem aprvaçã da Oni, pr escrit.

15 2.6.1 Flux das atividades Pedid de Intervençã Urgente IARC ONI ONI CLIENTE Pedid de intervençã para resluçã de avarias urgentes dirigid a Centr de Gestã Operacinal (via telefne ). Envi Anex para Receçã de pedid de intervençã urgente ds cabs. Anex 4.5 Intervençã ns Cabs Agendament e indicaçã de técnics credenciads Ntificaçã de cnclusã ds trabalhs Receçã de ntificaçã Cnfirmaçã da repsiçã d serviç Pedid de cnfirmaçã da repsiçã d serviç Anex Desvi de traçads e alteraçã da Ocupaçã Em cass de frça mair u pr impsiçã de terceirs, a Oni reserva-se direit de alterar traçad e/u tip de infraestruturas dispnível na instalaçã da rede cliente. Neste cntext, sempre que a Oni pretenda prceder a alterações na rede cliente deverá: Infrmar cliente, de qualquer alteraçã e respetivas cnsequências, num praz mínim de 60 dias (sessenta), salv ns cass em que haja impediment de cumpriment d praz de pré-avis, pr mtivs de frça mair e de impsiçã de terceirs; Prestar tda a clabraçã pssível, prpnd sluções alternativas, prcurand reduzir a máxim impact das alterações das infraestruturas a nível ds temps de interrupçã d serviç. O cliente terá direit de acess as seus cabs através de acesss alternativs. Apenas quand nã fr pssível a repsiçã de cabs em bra alternativa cm repsiçã d traçad é que serã prevists e executads desvis cm substituiçã de cab. O cliente será respnsável pels seus custs de desvi de traçad, assim cm pela remçã e repsiçã de cabs. Em cas de alterações decrrentes na sequência de desvi de traçads, cliente deverá enviar para a Oni, cadastr atualizad. Pág. 15 / 15 Tds s direits reservads. Nenhum cnteúd deste dcument pde ser reprduzid, ftcpiad u transmitid através de meis eletrónics, sem aprvaçã da Oni, pr escrit.

IARC. - Anexo 1 - Anexo à oferta de Infraestruturas Aptas ao Alojamento de Redes de Comunicações Eletrónicas

IARC. - Anexo 1 - Anexo à oferta de Infraestruturas Aptas ao Alojamento de Redes de Comunicações Eletrónicas IARC - Anex 1 - Anex à ferta de Infraestruturas Aptas a Aljament de Redes de Cmunicações Eletrónicas Características Técnicas das Cndutas e Câmaras de Visita Índice 1. Intrduçã 3 2. Enquadrament Preâmbul

Leia mais

IARC Oferta de Infra-estruturas aptas ao Alojamento de Redes de Comunicações Eletrónicas

IARC Oferta de Infra-estruturas aptas ao Alojamento de Redes de Comunicações Eletrónicas IARC Oferta de Infra-estruturas aptas a Aljament de Redes de Cmunicações Eletrónicas Versã 1.1 08 de Julh de 2015 Índice 1. Intrduçã 3 2. Objet e Âmbit 3 3. Obrigações e respnsabilidades ds Clientes 3

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA REGISTO DE. Técnicos de Instalação e Manutenção de Edifícios e Sistemas. (TIMs)

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA REGISTO DE. Técnicos de Instalação e Manutenção de Edifícios e Sistemas. (TIMs) MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA REGISTO DE Técnics de Instalaçã e Manutençã de Edifícis e Sistemas (TIMs) NO SISTEMA INFORMÁTICO DO SISTEMA NACIONAL DE CERTIFICAÇÃO ENERGÉTICA NOS EDIFÍCIOS (SCE) 17/07/2014

Leia mais

Número de cédula profissional (se médico); Nome completo; 20/06/2014 1/7

Número de cédula profissional (se médico); Nome completo; 20/06/2014 1/7 Mdel de Cmunicaçã Sistema Nacinal de Vigilância Epidemilógica Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes d Sistema Nacinal de Vigilância Epidemilógica.

Leia mais

Requisitos técnicos de alto nível da URS para registros e registradores

Requisitos técnicos de alto nível da URS para registros e registradores Requisits técnics de alt nível da URS para registrs e registradres 17 de utubr de 2013 Os seguintes requisits técnics devem ser seguids pels peradres de registr e registradres para manter a cnfrmidade

Leia mais

H. Problemas/outras situações na ligação com a Segurança Social;

H. Problemas/outras situações na ligação com a Segurança Social; Mdel de Cmunicaçã Certificads de Incapacidade Temprária Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes n âmbit ds CIT Certificads de Incapacidade Temprária.

Leia mais

OBJECTIVO. Ligação segura às redes públicas de telecomunicações, sob o ponto de vista dos clientes e dos operadores;

OBJECTIVO. Ligação segura às redes públicas de telecomunicações, sob o ponto de vista dos clientes e dos operadores; Prcediments de Avaliaçã das ITED ANACOM, 1ª ediçã Julh 2004 OBJECTIVO De acrd cm dispst n nº 1, d artº 22º, d Decret Lei nº 59/2000, de 19 de Abril (adiante designad cm DL59), a cnfrmidade da instalaçã

Leia mais

Em qualquer situação, deve ser incluída toda a informação que seja relevante para a análise e resolução da questão/problema.

Em qualquer situação, deve ser incluída toda a informação que seja relevante para a análise e resolução da questão/problema. Mdel de Cmunicaçã Prescriçã Eletrónica de Medicaments Revisã 2 Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes da Prescriçã Eletrónica de Medicaments

Leia mais

INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR

INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR A pertinência e valr demnstrad das valências d Cartã de Saúde Cfre, em razã d flux de adesões e pedids de esclareciment, trnam essencial dar evidência e respsta a algumas situações

Leia mais

Processos de Apoio do Grupo Consultivo 5.5 Suporte Informático Direito de Acesso à Rede

Processos de Apoio do Grupo Consultivo 5.5 Suporte Informático Direito de Acesso à Rede Prcesss de Api d Grup Cnsultiv 5.5 Suprte Infrmátic Direit de Acess à Rede Suprte Infrmátic - Dcuments 5.5 Âmbit e Objectiv Frmuláris aplicáveis Obrigatóris Obrigatóris, se aplicável Frmulári de Mapa de

Leia mais

Procedimentos para aceitação de materiais e equipamentos fornecidos à EDP Distribuição

Procedimentos para aceitação de materiais e equipamentos fornecidos à EDP Distribuição Julh 2010 Prcediments para aceitaçã de materiais e equipaments frnecids à EDP Distribuiçã DGF/Departament Gestã de Materiais e Equipaments Prcediments para aceitaçã de materiais e equipaments frnecids

Leia mais

Modelo de Comunicação. Programa Nacional para a Promoção da Saúde Oral

Modelo de Comunicação. Programa Nacional para a Promoção da Saúde Oral Mdel de Cmunicaçã Prgrama Nacinal para a Prmçã da Saúde Oral Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e utilizadres d Sistema de Infrmaçã para a Saúde Oral

Leia mais

Âmbito do Documento. Modelo de Comunicação. Modelo de Comunicação. Prescrição Eletrónica Médica - Aplicação

Âmbito do Documento. Modelo de Comunicação. Modelo de Comunicação. Prescrição Eletrónica Médica - Aplicação Mdel de Cmunicaçã Prescriçã Eletrónica Médica - Aplicaçã Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes da aplicaçã de Prescriçã Eletrónica Médica

Leia mais

DIRETRIZES PARA APRESENTAÇÃO DE REDES E CRONOGRAMAS SUMÁRIO 1 OBJETIVO...2 2 ELABORAÇÃO...2 2.1 PLANEJAMENTO...2

DIRETRIZES PARA APRESENTAÇÃO DE REDES E CRONOGRAMAS SUMÁRIO 1 OBJETIVO...2 2 ELABORAÇÃO...2 2.1 PLANEJAMENTO...2 1 / 5 SUMÁRIO 1 OBJETIVO...2 2 ELABORAÇÃO...2 2.1 PLANEJAMENTO...2 2.1.1 CRITÉRIOS PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DO CRONOGRAMA DE BARRAS TIPO GANTT:...2 2.1.2 CRITÉRIOS PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO

Leia mais

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde Anex V Sftware de Registr Eletrônic em Saúde Implantaçã em 2 (duas) Unidades de Saúde Índice 1 INTRODUÇÃO... 3 2 ESTRATÉGIAS E PROCEDIMENTOS DE IMPLANTAÇÃO... 3 4 INFRAESTRUTURA NAS UNIDADES DE SAÚDE -

Leia mais

Manual do DEC Domicílio Eletrônico do Contribuinte

Manual do DEC Domicílio Eletrônico do Contribuinte GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA FAZENDA Crdenadria da Administraçã Tributária Diretria Executiva da Administraçã Tributária Manual d DEC Dmicíli Eletrônic d Cntribuinte Manual DEC (dezembr

Leia mais

Guia Sphinx: Instalação, Reposição e Renovação

Guia Sphinx: Instalação, Reposição e Renovação Guia Sphinx: Instalaçã, Repsiçã e Renvaçã V 5.1.0.8 Instalaçã Antes de instalar Sphinx Se vcê pssuir uma versã anterir d Sphinx (versões 1.x, 2.x, 3.x, 4.x, 5.0, 5.1.0.X) u entã a versã de Demnstraçã d

Leia mais

Em qualquer situação, deve ser incluída toda a informação que seja relevante para a análise e resolução da questão/problema.

Em qualquer situação, deve ser incluída toda a informação que seja relevante para a análise e resolução da questão/problema. Mdel de Cmunicaçã SIDC-Sistema Infrmaçã Descentralizad Cntabilidade Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes d Sistema de Infrmaçã Descentralizad

Leia mais

Novo Sistema Almoxarifado

Novo Sistema Almoxarifado Nv Sistema Almxarifad Instruções Iniciais 1. Ícnes padrões Existem ícnes espalhads pr td sistema, cada um ferece uma açã. Dentre eles sã dis s mais imprtantes: Realiza uma pesquisa para preencher s camps

Leia mais

Código: Data: Revisão: Página: SUMÁRIO

Código: Data: Revisão: Página: SUMÁRIO UC_REQ-MK_ACF-001 27/01/2015 00 1 / 12 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 2 Objetiv... 2 Públic Alv... 2 Escp... 2 Referências... 2 DESCRIÇÃO GERAL DO PRODUTO... 2 Características d Usuári... 2 Limites, Supsições e

Leia mais

MTur Sistema Artistas do Turismo. Manual do Usuário

MTur Sistema Artistas do Turismo. Manual do Usuário MTur Sistema Artistas d Turism Manual d Usuári Índice 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DESCRIÇÃO DO SISTEMA... 3 3. ACESSAR O SISTEMA... 4 4. UTILIZANDO O SISTEMA... 9 4.1. CADASTRAR REPRESENTANTE... 9 4.2. CADASTRAR

Leia mais

CTH - ALERT REFERRAL NOVAS FUNCIONALIDADES/Perfil Administrativo Centro de Saúde

CTH - ALERT REFERRAL NOVAS FUNCIONALIDADES/Perfil Administrativo Centro de Saúde Cnsulta a Temp e Hras CTH - ALERT REFERRAL NOVAS FUNCIONALIDADES/Perfil Administrativ Centr de Saúde 2013 ALERT Life Sciences Cmputing, S.A.. Tds s direits reservads. A ALERT Life Sciences Cmputing, S.A.

Leia mais

AVISO. operações urbanísticas, que evoluirá até à desmaterialização total, num curto espaço de tempo,

AVISO. operações urbanísticas, que evoluirá até à desmaterialização total, num curto espaço de tempo, AVISO NORMAS DE INSTRUÇÃO DE PROCESSOS EM FORMATO DIGITAL A Câmara Municipal de Viseu vai iniciar, n próxim dia 5 de Janeir de 2015, a implementaçã da tramitaçã eletrónica ds prcesss de licenciament/admissã

Leia mais

Operação Metalose orientações básicas à população

Operação Metalose orientações básicas à população Operaçã Metalse rientações básicas à ppulaçã 1. Quem é respnsável pel reclhiment de prduts adulterads? As empresas fabricantes e distribuidras. O Sistema Nacinal de Vigilância Sanitária (Anvisa e Vigilâncias

Leia mais

Orientações e Recomendações Orientações relativas à informação periódica a apresentar à ESMA pelas Agências de notação de risco

Orientações e Recomendações Orientações relativas à informação periódica a apresentar à ESMA pelas Agências de notação de risco Orientações e Recmendações Orientações relativas à infrmaçã periódica a apresentar à ESMA pelas Agências de ntaçã de risc 23/06/15 ESMA/2015/609 Índice 1 Âmbit de aplicaçã... 3 2 Definições... 3 3 Objetiv

Leia mais

Lista de verificação do conteúdo do Plano de Emergência Interno

Lista de verificação do conteúdo do Plano de Emergência Interno Intrduçã Lista de verificaçã d cnteúd d Plan de Emergência Intern (artig 18.º d Decret-Lei n.º 254/2007, de 12 de julh) O Decret-Lei n.º 254/2007, de 12 de julh, estabelece regime de prevençã de acidentes

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DE VISEU ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE LAMEGO EDITAL

INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DE VISEU ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE LAMEGO EDITAL EDITAL CANDIDATURA AOS CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS (CTeSP) 2015 CONDIÇÕES DE ACESSO 1. Pdem candidatar-se a acess de um Curs Técnic Superir Prfissinal (CTeSP) da ESTGL tds s que estiverem

Leia mais

SMART CONTROLE DO ESTOQUE DE GONDOLA

SMART CONTROLE DO ESTOQUE DE GONDOLA SMART CONTROLE DO ESTOQUE DE GONDOLA O prcess de cntrle de estque de gôndla fi desenvlvid cm uma prcess de auxili a cliente que deseja cntrlar a quantidade de cada item deve estar dispnível para venda

Leia mais

Excluídas as seguintes definições:

Excluídas as seguintes definições: Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações Entre PM AM.08 APLICAÇÃO DE PENALIDADE POR INSUFICIÊNCIA DE CONTRATAÇÃO E PENALIDADE POR INSUFICIÊNCIA DE LASTRO DE VENDA & PdC AM.10 MONITORAMENTO DE INFRAÇÃO

Leia mais

URGENTE AVISO DE SEGURANÇA HeartSine Technologies samaritan PAD 500P (Desfibrilhador de Acesso Público) Actualização do Software

URGENTE AVISO DE SEGURANÇA HeartSine Technologies samaritan PAD 500P (Desfibrilhador de Acesso Público) Actualização do Software URGENTE AVISO DE SEGURANÇA HeartSine Technlgies samaritan PAD 500P (Desfibrilhadr de Acess Públic) Actualizaçã d Sftware Cars Prprietáris d samaritan PAD 500P, O bjectiv desta carta é infrmar-vs sbre uma

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL Intrduçã O presente Regulament cnstitui um dcument intern d curs de Ciências Cntábeis e tem pr bjetiv reger as atividades relativas a Estági de Iniciaçã

Leia mais

PROCESSO EXTERNO DE CERTIFICAÇÃO

PROCESSO EXTERNO DE CERTIFICAÇÃO 1 de 7 1. OBJETIVO Este prcediment estabelece prcess para cncessã, manutençã, exclusã e extensã da certificaçã de sistema de segurança cnfrme ABNT NBR 15540. 2. DOCUMENTOS COMPLEMENTARES - ABNT NBR 15540:2013:

Leia mais

PROCEDIMENTO ESPECÍFICO OPERAÇÕES DE DESMATAÇÃO, DESARBORIZAÇÃO E APLICAÇÃO DE FITOFARMACÊUTICOS

PROCEDIMENTO ESPECÍFICO OPERAÇÕES DE DESMATAÇÃO, DESARBORIZAÇÃO E APLICAÇÃO DE FITOFARMACÊUTICOS Página 1 de 9 0 CONTROLO DE REVISÕES... 2 1 OBJECTIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO... 2 2 REFERÊNCIAS... 2 3 DEFINIÇÕES... 2 4 ABREVIATURAS... 3 5 PROCEDIMENTO... 3 5.1 NECESSIDADE DE DESARBORIZAÇÃO OU DESMATAÇÃO...

Leia mais

Consulta Serviços de conceção e desenvolvimento criativo, produção e montagem do Fórum PORTUGAL SOU EU

Consulta Serviços de conceção e desenvolvimento criativo, produção e montagem do Fórum PORTUGAL SOU EU Cnsulta Serviçs de cnceçã e desenvlviment criativ, prduçã e mntagem d Fórum PORTUGAL SOU EU Julh 2014 Cnteúd 1. Intrduçã... 2 2. Enquadrament... 2 3. Públic-Alv... 2 4. Objetivs da Cnsulta... 3 5. Cndições

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA Manual de Us (Para Detentres de Bens) Infrmações adicinais n Prtal da Crdenaçã de Patrimôni: www.cpa.unir.br 2013 Cnteúd O que papel Detentr de Bem pde fazer?... 2 Objetiv...

Leia mais

Legenda da Mensagem de Resposta à Verificação de Elegibilidade (respostaelegibilidade)

Legenda da Mensagem de Resposta à Verificação de Elegibilidade (respostaelegibilidade) Legenda da Mensagem de Respsta à Verificaçã de Elegibilidade (respstaelegibilidade) Mensagem : Respta à verificaçã de elegibilidade (respstaelegibilidade) - Flux : Operadra para Prestadr Códig da mensagem

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment de Mercad para Prcediment de Cmercializaçã. Inserid

Leia mais

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS OESTECIM A MINHA EMPRESA

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS OESTECIM A MINHA EMPRESA 1. Intrduçã e Objetivs a) O Cncurs de Ideias OESTECIM a minha empresa pretende ptenciar apareciment de prjets invadres na regiã d Oeste sempre numa perspetiva de desenvlviment ecnómic e scial. b) O Cncurs

Leia mais

Em qualquer caso, deve ser incluída toda a informação que seja relevante para a análise e resolução

Em qualquer caso, deve ser incluída toda a informação que seja relevante para a análise e resolução Âmbit d Dcument Mdel de Cmunicaçã Platafrma de Dads de Saúde - Prtal d Prfissinal Revisã 1 O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes da Platafrma de Dads da Saúde

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS REALIZAR MANUTENÇÃO PREDIAL

MANUAL DE PROCEDIMENTOS REALIZAR MANUTENÇÃO PREDIAL Códig: MAP-DILOG-002 Versã: 00 Data de Emissã: 01/01/2013 Elabrad pr: Gerência de Instalações Aprvad pr: Diretria de Lgística 1 OBJETIVO Estabelecer cicl d prcess para a manutençã predial crretiva e preventiva,

Leia mais

PROCESSO DE ATENDIMENTO AO CLIENTE DO GRUPO HISPASAT

PROCESSO DE ATENDIMENTO AO CLIENTE DO GRUPO HISPASAT PROCESSO DE ATENDIMENTO AO CLIENTE DO GRUPO HISPASAT GRUPO HISPASAT Mai de 2014 PRIVADO PRIVADO E CONFIDENCIAL E Dcument Dcument prpriedade prpriedade HISPASAT,S.A. da 1 Prcess de atendiment a cliente

Leia mais

MANUAL dos LABORATÓRIOS De INFORMÁTICA

MANUAL dos LABORATÓRIOS De INFORMÁTICA MANUAL ds LABORATÓRIOS De INFORMÁTICA Objetiv 1. Oferecer as aluns a infra-estrutura e suprte necessári à execuçã de tarefas práticas, slicitadas pels prfessres, bservand s prazs estabelecids. 2. Oferecer

Leia mais

Orientação Módulo: Consulta e Resposta à Notificação

Orientação Módulo: Consulta e Resposta à Notificação Ministéri d Trabalh e Previdência Scial Secretaria de Plíticas de Previdência Scial Departament ds Regimes de Previdência n Serviç Públic Crdenaçã-Geral de Atuária Cntabilidade e Investiments Orientaçã

Leia mais

ORIENTAÇÕES AOS CANDIDATOS CONTEMPLADOS NO

ORIENTAÇÕES AOS CANDIDATOS CONTEMPLADOS NO ORIENTAÇÕES AOS CANDIDATOS CONTEMPLADOS NO Prezad(a) Alun(a) A mbilidade acadêmica internacinal é uma prtunidade valisa para seu cresciment individual, acadêmic e prfissinal. Nã permita que a falta de

Leia mais

Cronograma Geral da Contabilização. PdC Versão 2 PdC Versão 3

Cronograma Geral da Contabilização. PdC Versão 2 PdC Versão 3 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações Crngrama Geral da Cntabilizaçã PdC Versã 2 PdC METODOLOGIA DO CONTROLE DE ALTERAÇÕES Text em realce refere-se à inserçã de nva redaçã. Text tachad refere-se

Leia mais

SEGURANÇA NO TRABALHO CONTRATADOS E TERCEIROS DO CLIENTE

SEGURANÇA NO TRABALHO CONTRATADOS E TERCEIROS DO CLIENTE Flha 1 de 8 Rev. Data Cnteúd Elabrad pr Aprvad pr 0 16/06/2004 Emissã inicial englband a parte técnica d GEN PSE 004 Luiz C. Sants Cmitê da Qualidade 1 31/01/2006 Revisã geral Luiz C. Sants Cmitê da Qualidade

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MANUAL DE PROCEDIMENTOS Etapa 3 Cadastr d Prcess Seletiv O Presidente da CRM cadastra s dads d prcess n sistema. O prcess seletiv é a espinha drsal d sistema, vist que pr mei dele regem-se tdas as demais

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações SAZONALIZAÇÃO DE CONTRATO INICIAL E DE ENERGIA ASSEGURADA PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment de Mercad para

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM WEB SITE PARA A BASE DE CONHECIMENTOS DO PROGRAMA DE APOIO AOS ACTORES NÃO ESTATAIS ANGOLA

DESENVOLVIMENTO DE UM WEB SITE PARA A BASE DE CONHECIMENTOS DO PROGRAMA DE APOIO AOS ACTORES NÃO ESTATAIS ANGOLA DESENVOLVIMENTO DE UM WEB SITE PARA A BASE DE CONHECIMENTOS DO PROGRAMA DE APOIO AOS ACTORES NÃO ESTATAIS ANGOLA REQUISITOS TECNICOS O Prgrama de Api as Actres Nã Estatais publica uma slicitaçã para prestaçã

Leia mais

ANEXO CONDIÇÕES OU RESTRIÇÕES RESPEITANTES À UTILIZAÇÃO SEGURA E EFICAZ DO MEDICAMENTO A SEREM IMPLEMENTADAS PELOS ESTADOS-MEMBROS

ANEXO CONDIÇÕES OU RESTRIÇÕES RESPEITANTES À UTILIZAÇÃO SEGURA E EFICAZ DO MEDICAMENTO A SEREM IMPLEMENTADAS PELOS ESTADOS-MEMBROS ANEXO CONDIÇÕES OU RESTRIÇÕES RESPEITANTES À UTILIZAÇÃO SEGURA E EFICAZ DO MEDICAMENTO A SEREM IMPLEMENTADAS PELOS ESTADOS-MEMBROS 1 Os Estads-Membrs devem garantir que tdas as cndições u restrições relativas

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE CIÊNCIAS APLICADAS Cidade Universitária de Limeira

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE CIÊNCIAS APLICADAS Cidade Universitária de Limeira DIRETRIZES PARA ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO DOS CURSOS DE GESTÃO 1 Sumári I. O Estági em Gestã...3 II. O Estági curricular...4 III. Acmpanhament e avaliaçã...5 IV. Mdels de Plan de Atividades e de Relatóri...5

Leia mais

Novas Salvaguardas Ambientais e Sociais

Novas Salvaguardas Ambientais e Sociais Nvas Salvaguardas Ambientais e Sciais Discussões Técnicas de Gvern ESS10 Acess a Infrmaçã e engajament de stakehlders 15 de utubr, 2014 Objetivs da ESS10 (1/2) Delinear uma abrdagem sistemática para engajament

Leia mais

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso Universidade Federal d Ceará Campus de Sbral Curs de Engenharia da Cmputaçã Regulament para realizaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs Intrduçã Este dcument estabelece as regras básicas para funcinament das

Leia mais

Base de Dados 2013/2014 Trabalho prático Versão 1.0 (2013-11-17)

Base de Dados 2013/2014 Trabalho prático Versão 1.0 (2013-11-17) Base de Dads 2013/2014 Trabalh prátic Versã 1.0 (2013-11-17) Embra a cmpnente prática da disciplina crrespnda a sete valres na nta final, individualmente cada alun pde ter uma classificaçã diferente. Nas

Leia mais

Integração do POPH no SIIFSE POPH

Integração do POPH no SIIFSE POPH Integraçã d POPH n SIIFSE POPH Manual de Utilizadr Execuçã Financeira -12 de Junh de 2008 - Versã 1 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 2 1.1. ENQUADRAMENTO E OBJECTIVOS...2 1.2. VISÃO GLOBAL DOS REQUISITOS FUNCIONAIS...2

Leia mais

Controle de Atendimento de Cobrança

Controle de Atendimento de Cobrança Cntrle de Atendiment de Cbrança Intrduçã Visand criar um gerenciament n prcess d cntrle de atendiment de cbrança d sistema TCar, fi aprimrad pela Tecinc Infrmática prcess de atendiment, incluind s títuls

Leia mais

CONSIDERAÇÕES DA CAPGEMINI

CONSIDERAÇÕES DA CAPGEMINI CONSIDERAÇÕES DA CAPGEMINI 6.1 Requisits de Capacidade e Experiência d Prestadr A ANEEL deveria exigir um puc mais quant a estes requisits, de frma a garantir uma melhr qualificaçã da empresa a ser cntratada.

Leia mais

MTUR Sistema FISCON. Manual do Usuário

MTUR Sistema FISCON. Manual do Usuário MTUR Sistema FISCON Manual d Usuári Índice 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DESCRIÇÃO DO SISTEMA... 3 3. ACESSAR O SISTEMA... 4 4. UTILIZANDO O SISTEMA... 5 4.1. CADASTRAR CONVENENTE... 5 4.2. INSERIR FOTOS DOS CONVÊNIOS...

Leia mais

Manual de Procedimentos

Manual de Procedimentos Manual de Prcediments Prcediments para Submissã de Prjets de MDL à Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima Secretaria Executiva Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima Prcediments para

Leia mais

Direitos e Obrigações no âmbito dos Acidentes Profissionais e Doenças Profissionais

Direitos e Obrigações no âmbito dos Acidentes Profissionais e Doenças Profissionais Cmunicaçã Direits e Obrigações n âmbit ds Acidentes Prfissinais e Denças Prfissinais Direits e Obrigações n âmbit ds Acidentes Prfissinais e Denças Prfissinais (Lei nº 98/2009 de 4 de Setembr) 1- QUEM

Leia mais

3. TIPOS DE MANUTENÇÃO:

3. TIPOS DE MANUTENÇÃO: 3. TIPOS DE MANUTENÇÃO: 3.1 MANUTENÇÃO CORRETIVA A manutençã crretiva é a frma mais óbvia e mais primária de manutençã; pde sintetizar-se pel cicl "quebra-repara", u seja, repar ds equipaments após a avaria.

Leia mais

1 Acesso ao SIIFSE. 1.1 Homepage do SIIFSE. SIIFSE - Manual do Utilizador QREN. O acesso ao Sistema é efectuado através do endereço siifse.igfse.pt.

1 Acesso ao SIIFSE. 1.1 Homepage do SIIFSE. SIIFSE - Manual do Utilizador QREN. O acesso ao Sistema é efectuado através do endereço siifse.igfse.pt. SIIFSE Manual d Utilizadr QREN Versã 1.0 21 de Dezembr de 2007 SIIFSE - Manual d Utilizadr QREN 1 Acess a SIIFSE 1.1 Hmepage d SIIFSE O acess a Sistema é efectuad através d endereç siifse.igfse.pt. Na

Leia mais

CERTIFICAÇÃO DE RESPONSABILIDADE AMBIENTAL

CERTIFICAÇÃO DE RESPONSABILIDADE AMBIENTAL Pól Mveleir de Arapngas PR Revisã: 00 Pól Mveleir de Arapngas PR Revisã: 01 TERMOS DE USO DO ECOSELO EQUIPE TÉCNICA RESPONSÁVEL PELA ELABORAÇÃO DESTE DOCUMENTO: Irineu Antni Brrasca Presidente d CETEC

Leia mais

Legenda da Guia de Tratamento Odontológico

Legenda da Guia de Tratamento Odontológico Legenda da Guia de Tratament Odntlógic Term Registr NS Nº da n prestadr Num. d Camp na Númer da principal 3 Data da autrizaçã Senha senha 1 2 4 5 6 Nme d camp na Registr NS Númer da n prestadr Númer da

Leia mais

MANUAL QUERO UM BICHO - ONG ORGANIZAÇÕES NÃO GOVERNAMENTAIS

MANUAL QUERO UM BICHO - ONG ORGANIZAÇÕES NÃO GOVERNAMENTAIS MANUAL QUERO UM BICHO - ONG ORGANIZAÇÕES NÃO GOVERNAMENTAIS 2007 1 MISSÃO A missã d Quer Um Bich é a preservaçã da vida e ds direits básics de subsistência, independentemente da espécie. Cabe as mais afrtunads,

Leia mais

Manual do Novo Pátio. Revenda. Versão 2.0

Manual do Novo Pátio. Revenda. Versão 2.0 Manual d Nv Páti Revenda Versã 2.0 1 Cnteúd INTRODUÇÃO... 3 1.LOGIN... 4 2.ANUNCIANTE... 4 2.1 Listar Usuáris... 4 2.2 Criar Usuári... 5 2.2.1 Permissões:... 6 3.SERVIÇOS... 7 3.1 Serviçs... 7 3.2 Feirã...

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações SAZONALIZAÇAO DE CONTRATO DE LEILÃO DE VENDA EDITAL DE LEILÃO Nº 001 / 2002 - MAE PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment

Leia mais

^i * aesíqn e=> ~omunícc3ç:c30

^i * aesíqn e=> ~omunícc3ç:c30 ^i * aesíqn e=> ~munícc3ç:c30 CONTRATO DE LICENÇA DE USO DO SISTEMA - SUBMIT CMS Web Site da Prefeitura de Frei Martinh - Paraíba 1. IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTE Prefeitura Municipal de Frei Martinh

Leia mais

Gestão de SHST e Ambiente. Regras de Qualidade, Ambiente e Segurança aplicáveis às entidades externas

Gestão de SHST e Ambiente. Regras de Qualidade, Ambiente e Segurança aplicáveis às entidades externas 1 / 7 I. OBJETIVO E ÂMBITO Este dcument estabelece as regras de Segurança n Trabalh e Ambiente aplicáveis a entidades que venham a desenvlver actividades dentr da RESIESTRELA, em regime de cntrat, prestaçã

Leia mais

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000 ISO 9001:2008 alterações à versã de 2000 Já passaram quase it ans desde que a versã da ISO 9001 d an 2000 fi publicada, que cnduziu à necessidade de uma grande mudança para muitas rganizações, incluind

Leia mais

MTUR Sistema FISCON. Manual do Usuário

MTUR Sistema FISCON. Manual do Usuário MTUR Sistema FISCON Manual d Usuári Índice 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DESCRIÇÃO DO SISTEMA... 3 3. ACESSAR O SISTEMA... 4 4. UTILIZANDO O SISTEMA... 5 4.1. CADASTRAR CONVENENTE... 5 4.2. INSERIR FOTOGRAFIAS/IMAGENS

Leia mais

EDITAL Nº 025 / 2015 SELEÇÃO DE SUPERVISOR DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID

EDITAL Nº 025 / 2015 SELEÇÃO DE SUPERVISOR DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas - UNIFAL-MG Pró-Reitria de Graduaçã Rua Gabriel Mnteir da Silva, 700 - Alfenas/MG - CEP 37130-000 Fne: (35) 3299-1329 Fax: (35) 3299-1078 grad@unifal-mg.edu.br

Leia mais

CTH - ALERT REFERRAL Novas funcionalidades do Software ALERT versão 2.6.1

CTH - ALERT REFERRAL Novas funcionalidades do Software ALERT versão 2.6.1 Cnsulta a Temp e Hras CTH - ALERT REFERRAL Nvas funcinalidades d Sftware ALERT versã 261 2013 ALERT Life Sciences Cmputing, SA Tds s direits reservads A ALERT Life Sciences Cmputing, SA dispnibiliza presente

Leia mais

DISSERTAÇÃO NOS MESTRADOS INTEGRADOS NORMAS PARA O SEU FUNCIONAMENTO

DISSERTAÇÃO NOS MESTRADOS INTEGRADOS NORMAS PARA O SEU FUNCIONAMENTO DISSERTAÇÃO NOS MESTRADOS INTEGRADOS NORMAS PARA O SEU FUNCIONAMENTO 1. PREÂMBULO... 1 2. NATUREZA E OBJECTIVOS... 1 3. MODO DE FUNCIONAMENTO... 2 3.1 REGIME DE ECLUSIVIDADE... 2 3.2 OCORRÊNCIAS... 2 3.3

Leia mais

Tutorial Sistema Porto Sem Papel

Tutorial Sistema Porto Sem Papel Tutrial Sistema Prt Sem Papel 8 ESTADIA CONVENCIONAL: A estadia cnvencinal é aquela em que a embarcaçã deseja executar uma peraçã de carga, descarga, carga/descarga, embarque/desembarque de passageirs

Leia mais

ÍNDICE 1 CALENDARIZAÇÃO/ROADMAP 2013 2 - ORIENTAÇÕES PARA A ESCOLA DE ACOLHIMENTO 3 - ORIENTAÇÕES PARA AS ESCOLAS DE ORIGEM E DE ACOLHIMENTO SOBRE O

ÍNDICE 1 CALENDARIZAÇÃO/ROADMAP 2013 2 - ORIENTAÇÕES PARA A ESCOLA DE ACOLHIMENTO 3 - ORIENTAÇÕES PARA AS ESCOLAS DE ORIGEM E DE ACOLHIMENTO SOBRE O MANUAL PARA A ESCOLA DE ACOLHIMENTO Reclha das rientações cnstantes n Guia da Mbilidade Individual de Aluns e de bas práticas veiculadas pelas agências nacinais mais experientes ÍNDICE 1 CALENDARIZAÇÃO/ROADMAP

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment de Mercad para Prcediment de Cmercializaçã. Alterad nme deste Prcediment

Leia mais

CRC-MG Central de Registro Civil de Minas Gerais Certidão Online - Serventia. Manual do usuário

CRC-MG Central de Registro Civil de Minas Gerais Certidão Online - Serventia. Manual do usuário CRC-MG Central de Registr Civil de Minas Gerais Certidã Online - Serventia Manual d usuári Prefáci Data: 30/01/2015 Versã dcument: 1.0 1. COMO ACESSAR O MÓDULO DA CERTIDÃO ONLINE... 04 2. OPÇÕES DE PEDIDOS

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO ANTECEDENTES CRIMINAIS

MANUAL DO USUÁRIO ANTECEDENTES CRIMINAIS SISTEMA DE INFORMAÇÃO E GESTÃO INTEGRADA POLICIAL Elabrad: Equipe SAG Revisad: Aprvad: Data: 11/09/2008 Data: 10/10/2008 Data: A autenticaçã d dcument cnsta n arquiv primári da Qualidade Referencia: Help_Online_Antecedentes_Criminais.dc

Leia mais

1. Objetivo: Lançar novo produto para bloqueio do veículo via celular GSM e rastreador GSM com localização por GPS.

1. Objetivo: Lançar novo produto para bloqueio do veículo via celular GSM e rastreador GSM com localização por GPS. Históric de Revisões Revisã Data Descriçã da Revisã Mtiv da Revisã 11 20/08/09 Ajustes de hardware dispar Sirene PST 12 14/11/09 AJUSTES SOFTWARE 13 25/11/09 Ajustes de hardware, falha n mdul GSM na trca

Leia mais

NOTA DE INFORMAÇÃO PRÉVIA VICTORIA CARTÃO DE SAÚDE

NOTA DE INFORMAÇÃO PRÉVIA VICTORIA CARTÃO DE SAÚDE QUAL A IMPORTÂNCIA DE TER UM CARTÃO DE Vivems temps de incerteza e austeridade financeira, que tem frçad Serviç Nacinal de Saúde a reduzir substancialmente as cmparticipações cm despesas de saúde e a aumentar

Leia mais

Fundo de Desenvolvimento das Nações Unidas para a Mulher E s c r i t ó r i o R e g i o n a l p a r a o B r a s i l e o C o n e S u l

Fundo de Desenvolvimento das Nações Unidas para a Mulher E s c r i t ó r i o R e g i o n a l p a r a o B r a s i l e o C o n e S u l Fund de Desenvlviment das Nações Unidas para a Mulher E s c r i t ó r i R e g i n a l p a r a B r a s i l e C n e S u l Fnd de Desarrll de las Nacines Unidas para la Mujer O f i c i n a R e g i n a l p

Leia mais

SGCT - Sistema de Gerenciamento de Conferências Tecnológicas

SGCT - Sistema de Gerenciamento de Conferências Tecnológicas SGCT - Sistema de Gerenciament de Cnferências Tecnlógicas Versã 1.0 09 de Setembr de 2009 Institut de Cmputaçã - UNICAMP Grup 02 Andre Petris Esteve - 070168 Henrique Baggi - 071139 Rafael Ghussn Can -

Leia mais

Capítulo 17. Sistema de Gestão Ambiental e Social e Plano de Gestão Ambiental e Social

Capítulo 17. Sistema de Gestão Ambiental e Social e Plano de Gestão Ambiental e Social Capítul 17 Sistema de Gestã Ambiental e Scial e Plan de Gestã Ambiental e Scial ÍNDICE 17 SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL E SOCIAL E PLANO DE GESTÃO AMBIENTAL E SOCIAL 17-1 17.1 INTRODUÇÃO 17-1 17.2 VISÃO

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUITE LIBREOFFICE: CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE TREINAMENTO

TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUITE LIBREOFFICE: CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE TREINAMENTO Term de Referência Anex I - Especificaçã técnica Cntrataçã de Empresa para prestaçã de Serviçs de Treinament na suíte Libreffice TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUITE LIBREOFFICE: CONTRATAÇÃO

Leia mais

CATÁLOGO DE APLICAÇÕES Geração de Guias para ST, DIFAL e FCP

CATÁLOGO DE APLICAÇÕES Geração de Guias para ST, DIFAL e FCP CATÁLOGO DE APLICAÇÕES Geraçã de Guias para ST, DIFAL e FCP 1. Objetivs Gerar títuls n cntas a pagar cm ttal de ICMS-ST, DIFAL e/u FCP das ntas fiscais de saída. Página 2 de 6 2. Requisits 2.1. RF01 Geraçã

Leia mais

Adesão à CCEE. Versão 1 -> Versão 2

Adesão à CCEE. Versão 1 -> Versão 2 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações Adesã à CCEE Versã 1 -> Versã 2 Versã 2 METODOLOGIA DO Text em realce refere-se à inserçã de nva redaçã Text tachad refere-se à exclusã de redaçã. Alterações

Leia mais

Aplicações Clinicas. Patologia Clínica. Luís Lito

Aplicações Clinicas. Patologia Clínica. Luís Lito 0 Aplicações Clinicas Patlgia Clínica Luís Lit 1 Evluçã 1. 1993 - Infrmatizaçã parcial d Lab. de Química Clinica 2. 1996 - Inici da infrmatizaçã d Serviç de Patlgia Clínica Clinidata (sistema UNIX/COBOL

Leia mais

Regime Escolar Fruta Escolar /

Regime Escolar Fruta Escolar / Regime Esclar Fruta Esclar / Frmuláris 2016/2017 - Índice NOTA INTRODUTÓRIA...3 Pedid de Ajuda...4 1. Pedid de Ajuda...4 A. Página de Rst d Pedid...4 B. Pedid de Ajuda Página dis...6 C. Mapa de Medidas

Leia mais

Mestrado em Sistemas de Informação

Mestrado em Sistemas de Informação U n i v e r s i d a d e d M i n h Departament de Sistemas de Infrmaçã Mestrad em Sistemas de Infrmaçã 2003/2005 Tecnlgias de Streaming em Cntexts de Aprendizagem Sb a rientaçã d Prfessr Dutr Henrique Sants

Leia mais

Inscrição do Candidato ao Processo de Credenciamento

Inscrição do Candidato ao Processo de Credenciamento Inscriçã d Candidat a Prcess de Credenciament O link de inscriçã permitirá que candidat registre suas infrmações para participar d Prcess de Credenciament, cnfrme Edital. Após tmar ciência de td cnteúd

Leia mais

GESTÃO DE PROJETOS. Uma visão geral Baseado nas diretrizes do PMI

GESTÃO DE PROJETOS. Uma visão geral Baseado nas diretrizes do PMI GESTÃO DE PROJETOS Uma visã geral Bead n diretrizes d PMI 1 Intrduçã Objetiv da Apresentaçã O bjetiv é frnecer uma visã geral ds prcesss de Gestã de Prjets aplicads à Gestã de Empreendiments. O que é Prjet?

Leia mais

TransactionCentre Guia Referência Rápida Troca de Mensagens. Cancelamento

TransactionCentre Guia Referência Rápida Troca de Mensagens. Cancelamento TransactinCentre Guia Referência Rápida Trca de Cancelament Este dcument cntém a especificaçã ds ajustes necessáris para que seu Sistema de Autmaçã cumpra as tarefas de Cancelament de Transaçã Benefíci

Leia mais

PIM TECNOLOGIA EM GERENCIAMENTO DE REDES DE COMPUTADORES (GR3P30)

PIM TECNOLOGIA EM GERENCIAMENTO DE REDES DE COMPUTADORES (GR3P30) UNIP Brasília - Crdenaçã CG/CW/GR/AD Senhres Aluns, Seguem infrmações imprtantes sbre PIM: 1. O QUE É? - Os PIM (Prjet Integrad Multidisciplinar) sã prjets brigatóris realizads els aluns ds curss de graduaçã

Leia mais

Versão 1.1.1.3. Descrição do produto, 2009. www.graycell.pt

Versão 1.1.1.3. Descrição do produto, 2009. www.graycell.pt Versã 1.1.1.3 Descriçã d prdut, 2009 www.graycell.pt 1 ENQUADRAMENTO A platafrma ask-it! é uma aplicaçã web-based que permite criar inquérits dinâmics e efectuar a sua dispnibilizaçã n-line. A facilidade

Leia mais

Mateiral de Apoio. TOP Mobilidade RM 11.83

Mateiral de Apoio. TOP Mobilidade RM 11.83 Mateiral de Api TOP Mbilidade RM 11.83 Índice 1. Mbilidade... 4 1.1. Avanç Físic... 4 1.1.1. Parâmetrs... 4 1.1.2. Cletres... 5 1.1.2.1. Cadastrs... 5 1.1.2.2. Prcesss de Desativaçã e Inativaçã de Cletres...

Leia mais

Vensis Manutenção. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br

Vensis Manutenção. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br Vensis Manutençã Vensis Manutençã É módul que permite gerenciament da manutençã de máquinas e equipaments. Prgramaçã de manutenções preventivas u registr de manutenções crretivas pdem ser feits de frma

Leia mais

Channel. Colaboradores. Tutorial. Atualizado com a versão 3.9

Channel. Colaboradores. Tutorial. Atualizado com a versão 3.9 Channel Clabradres Tutrial Atualizad cm a versã 3.9 Cpyright 2009 pr JExperts Tecnlgia Ltda. tds direits reservads. É pribida a reprduçã deste manual sem autrizaçã prévia e pr escrit da JExperts Tecnlgia

Leia mais

ORIENTAÇÕES SOBRE ESTÁGIO

ORIENTAÇÕES SOBRE ESTÁGIO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS Missã d Institut Federal de Educaçã, Ciência e Tecnlgia

Leia mais

CAE Rev_3: 47990 VENDAS AUTOMÁTICAS (VENDING)

CAE Rev_3: 47990 VENDAS AUTOMÁTICAS (VENDING) O cnteúd infrmativ dispnibilizad pela presente ficha nã substitui FUNCHAL CAE Rev_3: 47990 VENDAS AUTOMÁTICAS (VENDING) ÂMBITO A atividade de venda autmática deve bedecer à legislaçã aplicável à venda

Leia mais