Apostila Artes Audiovisuais

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Apostila Artes Audiovisuais"

Transcrição

1 INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CAMPUS SERTÃOZINHO Apostila Artes Audiovisuais ROTEIRO Cinema,Televisão e Vídeo 3a. Revisão 2010 Prof. MS. Ricardo Stefanelli 1

2 Projeto para Roteiro Audiovisual Vídeo Artes (Filme de Curta- Duração) Vídeo Documentário (Cinema Verdade) Vídeo Publicitário ( Comercial) Vídeo Televisivo ( telejornais, reality shows, novelas, desenhos animados e seriados) 2

3 Etapas do Roteiro Storyboard Funções Sinopse Estrutura O que se Vê O que se Fala O que se Ouve Descrever as funções de todos os participantes da produção de vídeos Descrição do texto narrativo, que será relatada de formar resumida e onde será desenvolvida proposta do programa. Fatos principais da História Inicio, meio e fim, para que distribui em formas de Cena 1, 2 e 3, onde são esboçadas com/sem diálogos e sem descrição detalhadas de ambientes e personagens. Cada cena se divide em 3: Tekes 1 Tekes 2 Tekes 3 E indicam o enquadramento da ação, no plano da filmagem descrevendo a conduta do personagem e a aparência do ambiente. São os diálogos que servem para revelar as informações sentimentos e conversas entre os Personagens e narrações Música: Alegre Tristes Dramática Suspense. Ruídos: Natureza Indústria Animal Humano. 3

4 Elaboração de Roteiro O que é um roteiro: Construção. Contar uma história sobre assunto que você conheça bem; construir uma serie de imagem, cenas e sequencias, através de histórias, romances, documentário e reportagem com diálogos, narrações e descrições. Criação. Seu objetivo é criar uma ideia: Entreter ou Informar. A minha ideia entretém ou minha ideia informa? Assunto.Sobre o que se trata, quais ações acontecem, a minha historia é sobre o que, quanto mais você sabe, mais pode se comunicar. 4

5 Estrutura. Ato I : apresentação (inicio) é o espaço que segura o conteúdo da história em seu lugar. Ato II confrontação (meio) é o obstáculo que impede alcançar a necessidade de querer vencer e Ato III Resolução (fim) o que acontece com a historia, final feliz, um final aberto, ou seja a historia continua. Ponto de Virada. No fim dos Atos I e II seguram o paradigma do lugar. Eles são âncoras de seu enredo, é ação que reverte outra direção. Sinopse. Como vai desenrolar a história? Qual é objetivo da mensagem? Alertar, Combater, Promover? Quando e onde se localiza a história? (a cidade, a época) Como os conflitos aparecem? Qual reação dos personagens? Quais ações são realizadas? Qual é o final da história sem saber os detalhes? 5

6 Etapa do Vídeo Artes 1 a etapa: definir as funções. Diretor: é o responsável de dirigir a filmagem, Roterista: redige a historia dos protagonistas; Ator / Atriz e Figurante : que constroem os personagens; Diretor de arte e som: é o responsável pela criação visual e musical (logotipo, cenário, figurino do apresentador,trilha sonora); Diretor de imagem e operador de câmera: é o responsável pela gravação, fotografia e edição das cenas. 2 a etapa: criar a sinopse cinema curta duração. Sinopse é o argumento da história contada em poucas frases. Serve como ponto de partida para o autor e como cartão de visita do filme, no processo inicial de captação de recursos. 3 a etapa: escrever estrutura filme. I ato envolve o espectador com os personagens mais importantes e estabelece o conflito principal com a história; II ato elabora com mais detalhe essas dificuldades o mantém envolvido e aumenta seu comprometimento emocional para uma certa mudança; III ato Esta mudança ocorre mais intensamente quando amarra o enredo e leva o envolvimento do espectador a um final satisfatório. Em outras palavras uma história tem um começo, um meio e um fim. 6

7 4 a etapa: fazer o storyboard do documentário. Storyboard é o roteiro de filme cinematográfico ou de uma produção de vídeo ilustrado por imagens. Descreve e mostra como será feito o plano a ser filmado, a fala do narrador, o diálogo da cena, enfim, mostra a seqüência de planos que formam o filme. 5 a etapa: proceder à gravação. Realizar um checklist que será utilizado: Local tem a oferecer. Conversar com as pessoas do local, listar a sequencia onde se pretende filmar e suas tomadas-de cenas,» 6 a etapa: preparar a edição. A edição poderá ser feita de forma caseira, utilizando-se dois aparelhos de videocassete e uma televisão. Se o grupo preferir e tiver recursos para isso, poderá fazê-la em empresa especializada no assunto 7

8 Etapa do Vídeo Documentário 1 a etapa: definir as funções. Diretor: é o responsável pela equipe; Redator: redige o texto para o apresentador e para o repórter; Repórter / narrador: faz entrevistas e narra o texto; Diretor de arte: é o responsável pela criação visual e musical (logotipo, cenário, figurino do apresentador,trilha sonora); Diretor de imagem e operador de câmera: é o responsável pela gravação, fotografia, reedição de vídeos. 2 a etapa: criar a sinopse do documentário. Sinopse é apresentar determinado acontecimento ou fato, mostrando a realidade de maneira mais ampla e pela sua extensão interpretativa, cujo objetivo de voltar a atenção dos espectadores para os fatos cotidianos e estabelecer uma ligação entre os acontecimentos. 3 a etapa: escrever estrutura do documentário. Um documentário tem a mesma necessidade estrutural, que é manter o público interessado, do início ao fim do filme. O início é o ponto de seu trabalho antes do qual nada precisa ser dito. o meio: a apresentação das evidências, O final é o ponto alem do qual precisa ser resolver o conflito. 8

9 4 a etapa: fazer o storyboard do documentário. Storyboard é o roteiro de filme cinematográfico ou de uma produção de vídeo ilustrado por imagens. Descreve e mostra como será feito o plano a ser filmado, a fala do narrador, o diálogo da cena, enfim, mostra a seqüência de planos que formam o filme. 5 a etapa: proceder à gravação. Realizar um checklist que será utilizado: Local tem a oferecer. Conversar com as pessoas do local, listar a sequencia onde se pretende filmar e suas tomadas-de cenas, 6 a etapa: preparar a edição. A edição poderá ser feita de forma caseira, utilizando-se dois aparelhos de videocassete e uma televisão. Se o grupo preferir e tiver recursos para isso, poderá fazê-la em empresa especializada no assunto 9

10 Etapa do Vídeo Publicitário 1 a etapa: definir as funções. Diretor: é o responsável pela produção, Redator: redige a ideia do produto através de uma historia ; Atores / coadjuvantes: representam os personagens e sua caracterização; Diretor de arte: é o responsável pela criação visual e musical (logotipo, cenário, figurino do apresentador,trilha sonora); Diretor de imagem e operador de câmera: é o responsável pela gravação 2 a etapa: criar a sinopse publicitária. Sinopse é organizar uma vista de conjunto de cenas que serve para representar um cenário de sonho, feito para vender um produto. 3 a etapa: escrever estrutura do comercial. Roteiro publicitário inicia com a expoxição do problema/complicação/ conflito ( apresentação/ desenvolvimento); Climax (ponto de virada e a resolução (conclusão) 10

11 4 a etapa: fazer o storyboard do documentário. Storyboard é o roteiro de filme cinematográfico ou de uma produção de vídeo ilustrado por imagens. Descreve e mostra como será feito o plano a ser filmado, a fala do narrador, o diálogo da cena, enfim, mostra a seqüência de planos que formam o filme. 5 a etapa: proceder à gravação. Realizar um checklist que será utilizado: Local tem a oferecer. Conversar com as pessoas do local, listar a sequencia onde se pretende filmar e suas tomadas-de cenas, 6 a etapa: preparar a edição. A edição poderá ser feita de forma caseira, utilizando-se dois aparelhos de videocassete e uma televisão. Se o grupo preferir e tiver recursos para isso, poderá fazê-la em empresa especializada no assunto 11

12 Etapa do Vídeo Televisivo 1 a etapa: definir as funções. Diretor : é o responsável pela equipe; Produtor: redige o texto para o apresentador e para o repórter; Repórter / Apresentador: faz entrevistas e narra o texto; editor de imagem: é o responsável pela criação visual e musical (logotipo, cenário, figurino do apresentador,trilha sonora); Cenógrafo, Iluminador, operador de câmera: é o responsável pela gravação e sonoplastia 2 a etapa: criar a sinopse programa TV. Sinopse é definir o programa resumida em palavras simples que contem a ideia mais interessante e informativa e entretenimento. 3 a etapa: escrever estrutura programa TV Roteiro é o texto técnico detalhado e descritivo para se detalhar a sequencia dos blocos do programa ou seja, Bloco I apresentação o que vai ocorrer sem detalhes, só informações; Bloco II é contexto da história que irá enfocar, apresentando todos os detalhes do programa e Bloco III é desfecho final do programa. 12

13 4 a etapa: fazer o storyboard da TV. Storyboard é o roteiro de filme cinematográfico ou de uma produção de vídeo ilustrado por imagens. Descreve e mostra como será feito o plano a ser filmado, a fala do narrador, o diálogo da cena, enfim, mostra a seqüência de planos que formam o filme. 5 a etapa: proceder à gravação. Realizar um checklist que será utilizado: Local tem a oferecer. Conversar com as pessoas do local, listar a sequencia onde se pretende filmar e suas tomadas-de cenas, 6 a etapa: preparar a edição. A edição poderá ser feita de forma caseira, utilizando-se dois aparelhos de videocassete e uma televisão. Se o grupo preferir e tiver recursos para isso, poderá fazê-la em empresa especializada no assunto 13

14 Planos de Filmagem Planos: ligar a câmera no início e no final de cada tomada ou teke; Grande Plano Geral (GPG) localiza ações geográficas Plano Geral (PG) situar o personagem no cenário Plano de Conjunto (PC) mostrar um grupo de pessoas onde o cenário não é mostrado em sua totalidade Plano Americano (PA) enquadra o personagem acima dos joelhos Plano Médio (PM) enquadra o personagem da cintura para cima Plano Médio Fechado (PMF) enquadra o personagem de mais perto (a parte torácica) Primeiro Plano (PP) mostra a cabeça do personagem e parte dos ombros Primeiríssimo Primeiro Plano (PPP) mostra completamente a face do personagem Plano Detalhe (PD) mostrar em zoom pequenos detalhes de objetos e parte corpo humano 14

15 Planos de Filmagem Componentes de Planos (Tekes). Duração- filmagem quanto o tempo 1 a 2 mim Ângulo- filmagem quanto em tomadas (frontal e lateral) Câmera Fixa (pedestal), Movimento(grua) e Mão Enquadramento ponto de vista dado pelo câmera- man Tipos de Enquadramento Travellings deslocamento da câmera que passeia pelo cenário e entre os personagens. Pode ser realizado com carrinhos, trilhos. Gruas (pequenos guindastes) Panorâmicas Câmera permanece fixa nem mesmo ponto, girando em seu próprio eixo, tanto horizontal e como vertical Ponto de Vista - Câmera faz diferentes ângulos ou amostra da câmera baixa ou alta ajuda criar sensação de profundidade Close Câmera faz detalhe da imagem, serve para ocultar a pobreza do cenário 15

16 Fluxo de Edição de Vídeo Material Filmadora - Analógica ou digital Tripé fornece estabilidade nas filmagens Fita / mini-dv / DVD tipo de material da filmadora Procedimentos Filmagem filmar bastante, ao termino de cada tomada deixar um tempo para edição Capturar Vídeo transferir o vídeo para unidade de disco do computador Criação do Vídeo montar o staryboard entre as cenas pré- selecionadas para criação da edição Efeitos de Vídeo Inserir imagens gráficas (logotipo), Fade in / out, Chroma-key, Dissolve, fusão, distorções de imagem Criação de Textos o texto ajuda contar a história, fornece o local, nomes, títulos de abertura e créditos de fechamento Efeitos de Áudio mixar a trilha de áudio entre música, diálogos e sons especiais 16

17 Criação de Textos Títulos Nome da Produção- titulo do filme ou programa de TV Nome dos Produtores Diretor Geral, Roteirista, Nomes personagens Ator, Atriz principais Créditos Duble - Ator coadjuvante - Figurante Participação Especial Figurino Cenário Maquiagem Sonoplastia Editor de Imagem - Mixagem Câmera-man Operador de som Letrista Locais de Filmagem Músicas relacionar toda trilha sonora Agradecimentos Responsável pela Disciplina: Prof. Ricardo Stefanelli Realização: Disciplina de Artes de Audiovisual IFECT-SP

18 Bibliografia LEWIS, Roland. Vídeo: 101 dicas essenciais. Rio de Janeiro:Ediouro, MACHADO, Arlindo. A Televisão levada a sério. São Paulo: Senac MCLEISH, Robert. Produção de Rádio: um guia abrangente de produção radiofônica. São Paulo: Summus REY, Marcos. O roteirista profissional: Televisão e Cinema. São Paulo: Ática, SEPAC- Vídeo: da emoção à razão. São Paulo: Paulinhas, VANOYE, Francis. Ensaios sobre a análise fílmica. Campinas: Papirus

II FESTIVAL NACIONAL CURTA NO CELULAR GUIA CURTA FÁCIL

II FESTIVAL NACIONAL CURTA NO CELULAR GUIA CURTA FÁCIL II FESTIVAL NACIONAL CURTA NO CELULAR GUIA CURTA FÁCIL O FEST CURT CELU Guia Curta Fácil 2 A câmera de cinema funciona como se fosse uma máquina fotográfica que dispara milhares de foto em um espaço muito

Leia mais

Guia Curta Fácil 1 Festival Nacional Curta no Celular de Taubaté

Guia Curta Fácil 1 Festival Nacional Curta no Celular de Taubaté 1 Conteúdo TIPOS DE PLANOS... 3 PLANO GERAL... 3 PLANO MÉDIO... 3 PLANO AMERICANO... 4 PRIMEIRO PLANO OU CLOSE-UP... 4 PRIMEIRÍSSIMO PLANO... 4 MOVIMENTOS DE CÂMERA... 5 PANORÂMICAS - PANS... 5 PANORÂMICA

Leia mais

WORKSHOP DE EXPRESSÃO AUDIOVISUAL

WORKSHOP DE EXPRESSÃO AUDIOVISUAL WORKSHOP DE EXPRESSÃO AUDIOVISUAL PROGRAMA Tronco Comum SESSÃO 1 Apresentação do Workshop e Introdução à Linguagem Audiovisual 3 horas Apresentação dos intervenientes (formador e formandos). Apresentação

Leia mais

Radionovela para e com deficientes visuais 1

Radionovela para e com deficientes visuais 1 Radionovela para e com deficientes visuais 1 Gabriela Rodrigues Pereira CAPPELLINI 2 Raquel PELLEGRINI 3 Christian GODOI 4 Centro Universitário do Monte Serrat, Santos, SP RESUMO Narrar histórias a deficientes

Leia mais

UM CAMINHO DE UMA PRODUÇÃO AUDIOVISUAL

UM CAMINHO DE UMA PRODUÇÃO AUDIOVISUAL UM CAMINHO DE UMA PRODUÇÃO AUDIOVISUAL Existem infinitas maneiras de organizar, produzir e finalizar uma obra audiovisual. Cada pessoa ou produtora trabalha da sua maneira a partir de diversos fatores:

Leia mais

Produzindo e divulgando fotos e vídeos. Aula 1 Criando um vídeo

Produzindo e divulgando fotos e vídeos. Aula 1 Criando um vídeo Produzindo e divulgando fotos e vídeos Aula 1 Criando um vídeo Objetivos 1 Conhecer um pouco da história dos filmes. 2 Identificar a importância de um planejamento. 3 Entender como criar um roteiro. 4

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Centro de Comunicação e Letras Curso de Propaganda, Publicidade e Criação PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Centro de Comunicação e Letras Curso de Propaganda, Publicidade e Criação PLANO DE ENSINO PLANO DE ENSINO CÓDIGO 042 CÓD. CURSO CÓD. DISC. 12035351 CRÉDITOS UNIDADE CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS CURSO PROPAGANDA, PUBLICIDADE E CRIAÇÃO DISCIPLINA LINGUAGEM DO SOM E DA IMAGEM II (Áudio/Vídeo)

Leia mais

Projeto: O cinema vai à escola Do enredo à trilha sonora: os desafios da linguagem cinematográfica

Projeto: O cinema vai à escola Do enredo à trilha sonora: os desafios da linguagem cinematográfica Projeto: O cinema vai à escola Do enredo à trilha sonora: os desafios da linguagem cinematográfica Profª Mariana Villaça SESC-SP, 23/5/2013 Elementos da linguagem cinematográfica: identificando o enredo

Leia mais

VÍDEO. Apostila das Oficinas do Projeto Olha a Gente Aqui

VÍDEO. Apostila das Oficinas do Projeto Olha a Gente Aqui VÍDEO Apostila das Oficinas do Projeto Olha a Gente Aqui O QUE É VÍDEO? Vídeo do latim eu vejo é uma a tecnologia de processamento de sinais eletrônicos (analógicos ou digitais) para capturar, armazenar

Leia mais

AULA I: O processo de produção audiovisual. Visão geral

AULA I: O processo de produção audiovisual. Visão geral AULA I: O processo de produção audiovisual Visão geral Etapas da criação audiovisual IDEIA Roteiro Projeto Captação Preparação Pré-Produção Filmagem Desprodução Finalização A PRODUÇÃO Fases: PRÉ-PRODUÇÃO

Leia mais

Produção Eletrônica em Rádio e TV

Produção Eletrônica em Rádio e TV Produção Eletrônica em Rádio e TV Conceitos de Produção Audiovisual Etapas de Produção Sinopse, Roteiro, Análise Técnica Equipe Técnica / Produção Planos e Movimentos de Câmera Prof. Dirceu Lemos dirceulemos@yahoo.com.br

Leia mais

Roteiro. Coordenador do curso Prof. Dr. Francisco Isidro Massetto. Autor Professor Conteudista Rafael Moralez

Roteiro. Coordenador do curso Prof. Dr. Francisco Isidro Massetto. Autor Professor Conteudista Rafael Moralez Roteiro 1 Coordenador do curso Prof. Dr. Francisco Isidro Massetto Autor Professor Conteudista Rafael Moralez PACC Programa Anual de Capacitação Continuada Curso: Produção de Vídeo. de Massetto, F. I.,

Leia mais

Palavras-chave: 1. Artes; 2. Audiovisual 3. Educação; 4. Rádio; 5. Vídeo

Palavras-chave: 1. Artes; 2. Audiovisual 3. Educação; 4. Rádio; 5. Vídeo Artes Audiovisuais: Estratégia cooperativa na modalidade Educação Jovem e Adulta - EJA STEFANELLI, Ricardo 1 Instituto Federal de Educação Tecnológica de São Paulo RESUMO O presente trabalho na disciplina

Leia mais

TÍTULO / TÍTULO: A DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA AUDIOVISUAL ENTRE O TELEJORNALISMO E O CINEMA

TÍTULO / TÍTULO: A DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA AUDIOVISUAL ENTRE O TELEJORNALISMO E O CINEMA TÍTULO / TÍTULO: A DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA AUDIOVISUAL ENTRE O TELEJORNALISMO E O CINEMA AUTOR / AUTOR: Iara Cardoso INSTITUIÇÃO / INSTITUCIÓN: Laboratório de Estudos Avançados em Jornalismo (Labjor) Unicamp,

Leia mais

FACULDADE DE ARTES DO PARANÁ CURSO DE BACHARELADO EM CINEMA E VÍDEO Ano Acadêmico de 2008 MATRIZ CURRICULAR

FACULDADE DE ARTES DO PARANÁ CURSO DE BACHARELADO EM CINEMA E VÍDEO Ano Acadêmico de 2008 MATRIZ CURRICULAR MATRIZ CURRICULAR Carga Horária Semestral por Disciplina Disciplinas 1º semestre 2º semestre 3º semestre 4º semestre 5º semestre 6º semestre 7º semestre 8º semestre Total Obrigatórias Optativas Fundamentos

Leia mais

bgreen // ecological film festival

bgreen // ecological film festival bgreen // ecological film festival GUIA TÉCNICO PARA A CRIAÇÃO DE UM SPOT APRESENTAÇÃO Este guião pretende ajudar os jovens na elaboração um spot de vídeo de modo a participarem no Bgreen ecological film

Leia mais

Aula 05. CINEMA: profissões

Aula 05. CINEMA: profissões Aula 05 CINEMA: profissões Profissões do Cinema O cinema pode ser dividido em diversos processos, onde se envolvem diferentes tipos de profissionais: Roteiro Produção Realização Decupagem Decupagem de

Leia mais

A linguagem cinematográfica de planos e movimentos

A linguagem cinematográfica de planos e movimentos A linguagem cinematográfica de planos e movimentos Quando estudamos a linguagem cinematográfica de planos e movimentos, fazemos referência, em primeiro lugar, a um conjunto de sinais empregados em uma

Leia mais

Sumário. PARTE 1 A arte do cinema e a realização cinematográfica 1 CAPÍTULO O cinema como arte: Criatividade, tecnologia e negócios...

Sumário. PARTE 1 A arte do cinema e a realização cinematográfica 1 CAPÍTULO O cinema como arte: Criatividade, tecnologia e negócios... Sumário APRESENTAÇÃO DA EDIÇÃO BRASILEIRA... 13 PREFÁCIO... 19 PARTE 1 A arte do cinema e a realização cinematográfica 1 CAPÍTULO O cinema como arte: Criatividade, tecnologia e negócios... 29 Decisões

Leia mais

Regulamento das oficinas

Regulamento das oficinas Regulamento das oficinas As oficinas oferecidas pelo Cine Festival Inconfidentes Festival Nacional de Cinema e Vídeo de Mariana são gratuitas e abertas à participação da comunidade; Cada pessoa poderá

Leia mais

PROGRAMA GERAL DO COMPONENTE CURRICULAR- PGCC 1

PROGRAMA GERAL DO COMPONENTE CURRICULAR- PGCC 1 Governo do Estado do Rio Grande do Norte Secretaria de Estado da Educação e da Cultura - SEEC UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE - UERN Pró-Reitoria de Ensino de Graduação PROEG Home Page: http://www.uern.br

Leia mais

Guia Básico para Produção Audiovisual

Guia Básico para Produção Audiovisual Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home/storage/b/98/ca/mnemocine/public_html/libraries/gantry/core/gantrytemplate.class.php on line 645 Warning: array_key_exists() [function.array-key-exists]:

Leia mais

CANAL SAÚDE REDE DE PARCEIROS OFICINAS DE MULTIPLICAÇÃO

CANAL SAÚDE REDE DE PARCEIROS OFICINAS DE MULTIPLICAÇÃO 1. Oficina de Produção CANAL SAÚDE REDE DE PARCEIROS OFICINAS DE MULTIPLICAÇÃO Duração: 03 dias Público ideal: grupos de até 15 pessoas Objetivo: Capacitar indivíduos ou grupos a produzirem pequenas peças

Leia mais

Tutorial de animação quadro a quadro

Tutorial de animação quadro a quadro Tutorial de animação quadro a quadro quadro a quadro é uma técnica que consiste em utilizar imagens ou fotografias diferentes de um mesmo objeto para simular o seu movimento. Nesse caso, trata-se de relatar

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DE EDUCAÇÃO DIRETORIA DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL PORTAL DIA A DIA EDUCAÇÃO

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DE EDUCAÇÃO DIRETORIA DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL PORTAL DIA A DIA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DE EDUCAÇÃO DIRETORIA DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL PORTAL DIA A DIA EDUCAÇÃO Sequência de Aulas de Língua Portuguesa Produção de uma Fotonovela 1. Nível de

Leia mais

PRÉ-PRODUÇÃO E PRODUÇÃO Marilia Mello Pisani

PRÉ-PRODUÇÃO E PRODUÇÃO Marilia Mello Pisani O presente teto faz parte do curso de Produção de Vídeo e é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição Não Comercial 3.0. Não Adaptada. Permissões além do escopo dessa licença podem estar disponíveis

Leia mais

A essa altura, você deve estar se perguntando qual é a diferença entre cinema e vídeo, audiovisual e multimídia, não é mesmo?

A essa altura, você deve estar se perguntando qual é a diferença entre cinema e vídeo, audiovisual e multimídia, não é mesmo? Pré-Vestibular Social Grupo SOA Suporte à Orientação Acadêmica Ela faz cinema Ela faz cinema Ela é demais (Chico Buarque) CINEMA Chegou o momento de escolher um curso. Diante de tantas carreiras e faculdades

Leia mais

Guia de como elaborar um Projeto de Documentário

Guia de como elaborar um Projeto de Documentário Guia de como elaborar um Projeto de Documentário Prof. Dr. Cássio Tomaim Departamento de Ciências da Comunicação Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)/Cesnors Adaptação: Prof. Claudio Luiz Fernandes

Leia mais

Pós-Produção. Prof. Adriano Portela

Pós-Produção. Prof. Adriano Portela Pós-Produção Prof. Adriano Portela Pós-Produção A pós-produção pode ser o aspecto menos compreendido pelo produtor. É nessa fase que as cenas e o áudio são editados e mixados para criar uma obra coerente

Leia mais

Passo a passo para fazer um bom vídeo. 1. Escolher a história

Passo a passo para fazer um bom vídeo. 1. Escolher a história Passo a passo para fazer um bom vídeo 1. Escolher a história Os vídeos devem relatar histórias verídicas de cidadania vivida em função da correta aplicação das normas previstas no Estatuto da Criança e

Leia mais

Fazendo cinema na escola

Fazendo cinema na escola Fazendo cinema na escola Arte audiovisual dentro e fora da sala de aula Alex Moletta FAZENDO CINEMA NA ESCOLA Arte audiovisual dentro e fora da sala de aula Copyright 2014 by Alex Moletta Direitos desta

Leia mais

Resumo expandido CONPEEX 2011. A Construção da Narrativa Fílmica Através do Discurso Fotográfico na Obra de Chris Marker.

Resumo expandido CONPEEX 2011. A Construção da Narrativa Fílmica Através do Discurso Fotográfico na Obra de Chris Marker. Resumo expandido CONPEEX 2011 TÍTULO A Construção da Narrativa Fílmica Através do Discurso Fotográfico na Obra de Chris Marker. NOMES DOS AUTORES, UNIDADE ACADÊMICA E ENDEREÇO ELETRÔNICO Luciana Miranda

Leia mais

Prática de Leitura e Escrita

Prática de Leitura e Escrita Prática de Leitura e Escrita Oficina de Fotonovela 1 (material do aluno) 7 a e 8 a séries do Ensino Fundamental Oficina de Fotonovela Todos nós gostamos de contar histórias: de narrar acontecimentos vividos

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Centro de Comunicação e Letras Curso de Propaganda, Publicidade e Criação PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Centro de Comunicação e Letras Curso de Propaganda, Publicidade e Criação PLANO DE ENSINO PLANO DE ENSINO CÓDIGO UNIDADE 042 CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS CÓD. CURSO CURSO PROPAGANDA, PUBLICIDADE E CRIAÇÃO CÓD. DISC. DISCIPLINA 0831304 LINGUAGEM DO SOM E DA IMAGEM I (ÁUDIO/VÍDEO) CRÉDITOS

Leia mais

FUJIFILM FinePix 1 RESUMO

FUJIFILM FinePix 1 RESUMO FUJIFILM FinePix 1 Bruna Karen Theodoro de SOUZA 2 Bruna Lais SILVA 3 Daiana MÜLLER 4 Daiane Alves Vila Nova RODRIGUES 5 Marcos Sérgio da Silva SARAIVA 6 Ronaldo Santana dos SANTOS 7 Edson PAIVA 8 Centro

Leia mais

Tutorial de fotonovela

Tutorial de fotonovela Tutorial de fotonovela Registrar um experimento em fotonovela é um pouco diferente de fazer um relato fotográfico do trabalho. Elaboramos, aqui, algumas dicas técnicas para preparar, fotografar e montar

Leia mais

As diversas fases da produção publicitária e institucional

As diversas fases da produção publicitária e institucional As diversas fases da produção publicitária e institucional Roteiro Projeto Preparação Pré-produção Filmagem Desprodução Finalização Projeto Uma vez finalizado o roteiro pela agência, o produtor (da produtora)

Leia mais

APRESENTAÇÃO O CURSO

APRESENTAÇÃO O CURSO APRESENTAÇÃO A Especialização em Áudio para Rádio, TV e Cinema destina-se para quem quer trabalhar com broadcast e/ou radiodifusão, mercado em franca ascensão no Brasil. Além da microfonação, fundamental

Leia mais

Trilhando um Blues 1

Trilhando um Blues 1 Trilhando um Blues 1 Cristian Giovani Belló ROSA 2 Eduarda de Oliveira dos SANTOS 3 Francielle CARMINATTI 4 Mayara BOHNENBERGER 5 Mariana Dalpizzo DORINI 6 Robison FLEMMING 7 Arnaldo Telles FERREIRA 8

Leia mais

Vinheta Sala de Cinema 1. Felipe Bruno 2 Graciene Silva de SIQUEIRA 3 Universidade Federal do Amazonas, Parintins, AM

Vinheta Sala de Cinema 1. Felipe Bruno 2 Graciene Silva de SIQUEIRA 3 Universidade Federal do Amazonas, Parintins, AM Vinheta Sala de Cinema 1 Felipe Bruno 2 Graciene Silva de SIQUEIRA 3 Universidade Federal do Amazonas, Parintins, AM RESUMO Esse trabalho surgiu a partir das atividades de um projeto de extensão (Pibex)

Leia mais

O uso do audiovisual como ferramenta pedagógica é uma das bandeiras levantadas pela TV Escola, e a produção autoral de professores e alunos também

O uso do audiovisual como ferramenta pedagógica é uma das bandeiras levantadas pela TV Escola, e a produção autoral de professores e alunos também O F IC I NA D E PRO DUÇÃ DE V Í O DEOS O uso do audiovisual como ferramenta pedagógica é uma das bandeiras levantadas pela TV Escola, e a produção autoral de professores e alunos também faz parte dessa

Leia mais

Como produzir um. Vídeo. .com. propaganda>marketing>web

Como produzir um. Vídeo. .com. propaganda>marketing>web 1 - ROTEIRO O que é? Como fazer - exemplo. 2 - STORYBOARD O que é? Como fazer - exemplo 3 - CAPTAÇÃO DE IMAGENS Cenas, planos, modos, etc. 4 - LOCUÇÃO Abordagem dramática. 5 - EDIÇÃO DE AUDIO E VÍDEO O

Leia mais

Prêmio Respostas para o Amanhã O Vídeo na Prática Educativa

Prêmio Respostas para o Amanhã O Vídeo na Prática Educativa Prêmio Respostas para o Amanhã O Vídeo na Prática Educativa Sumário 1. Apresentação 2. O vídeo como ferramenta de transformação 3. Orientações técnicas 3.1. Roteiro: o planejamento do vídeo 3.2. Recursos

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. GINESTAL MACHADO Ano lec.2013-2014. Curso Profissional de Técnico de Multimédia. Planificação

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. GINESTAL MACHADO Ano lec.2013-2014. Curso Profissional de Técnico de Multimédia. Planificação ESCOLA SECUNDÁRIA DR. GINESTAL MACHADO Ano lec.2013-2014 Curso Profissional Técnico Multimédia Planificação Disciplina: Design, Comunicação e Audiovisuais Ano: 11º Conteúdos Objetivos Estratégias/Atividas

Leia mais

TV Analógica e TV Digital: como conviver com os dois formatos?

TV Analógica e TV Digital: como conviver com os dois formatos? 1 TV Analógica e TV Digital: como conviver com os dois formatos? Willians Cerozzi Balan Setembro/2009 Autores, pesquisadores e profissionais da área de produção em televisão reconhecem que a imagem exerce

Leia mais

SESC Petrolina 09, 10 e 11 de agosto de 2010. Marcus Ramos UNIVASF

SESC Petrolina 09, 10 e 11 de agosto de 2010. Marcus Ramos UNIVASF SESC Petrolina 09, 10 e 11 de agosto de 2010 Marcus Ramos UNIVASF Engenheiro elétrico (USP/82); Mestre em Sistemas Digitais (USP/91); Professor do curso de Engenharia de Computação da UNIVASF em Juazeiro-BA

Leia mais

COMO PARTICIPAR? GRAVE O VÍDEO EDITE O VÍDEO

COMO PARTICIPAR? GRAVE O VÍDEO EDITE O VÍDEO Tutorial Inscreva sua história COMO PARTICIPAR? VEJA O TEMA TENHA UMA IDEIA GRAVE O VÍDEO EDITE O VÍDEO COLOQUE UMA TRILHA SONORA INSCREVA-SE! Tema: Inspirando histórias Premissa conceitual: Em comemoração

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 3.958, DE 31 DE MARÇO DE 2010

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 3.958, DE 31 DE MARÇO DE 2010 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 3.958, DE 31 DE MARÇO DE 2010 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Bacharelado em Cinema

Leia mais

DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Registros Acadêmicos da Graduação. Ementas por Curso 09/05/2011 14:54

DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Registros Acadêmicos da Graduação. Ementas por Curso 09/05/2011 14:54 Curso: DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Centro de Ciências Humanas e da Comunicação Comunicação Social (Noturno) Ano/Semestre: 011/1 09/05/011 1:5 COM.0000.0.000- COM.0001.0.001-0 COM.0019.01.001-7 FIL.0051.00.00-3

Leia mais

C D. C) Coleções: é usada para organizar o conteúdo de áudio, vídeo e imagens em pastas, buscando facilitar a montagem do storyboard.

C D. C) Coleções: é usada para organizar o conteúdo de áudio, vídeo e imagens em pastas, buscando facilitar a montagem do storyboard. 1 Windows Movie Maker XP O Windows Movie Maker é um software de edição de vídeos que permite criar e editar filmes caseiros, inserindo efeitos, músicas, legendas e transições. O vídeo pode ser criado a

Leia mais

Todos os direitos reservados a Fluxo - Escola de Fotografia Expandida. por Caio Amon. Imagens Sonoras. A Expansão da Imagem pelo Som

Todos os direitos reservados a Fluxo - Escola de Fotografia Expandida. por Caio Amon. Imagens Sonoras. A Expansão da Imagem pelo Som Imagens Sonoras por Caio Amon A Expansão da Imagem pelo Som Todos os direitos reservados a Fluxo - Escola de Fotografia Expandida Aprenda a produzir som e trilha para seus projetos. Imagens Sonoras A Expansão

Leia mais

GUIA BÁSICO PARA PRODUÇÃO DE UM FILME DIGITAL

GUIA BÁSICO PARA PRODUÇÃO DE UM FILME DIGITAL A Filmagem O roteiro foi preparado, a câmera está pronta e então chegou o grande dia de se começar a filmar. Ótimo, mas antes de ligar a câmera, temos que atentar para alguns detalhes básicos. Mas espere

Leia mais

Cadê? 1. PALAVRAS-CHAVE: Cinema; curta-metragem; ficção; roteiro; visão.

Cadê? 1. PALAVRAS-CHAVE: Cinema; curta-metragem; ficção; roteiro; visão. Cadê? 1 Mirielle Katarine do Nascimento CAHUHY 2 Claudilma Marques Mendes da SILVA 3 Karen Alves de LIMA 4 Sara Raquel REIS 5 Anaelson Leandro de SOUSA 6 Universidade do Estado da Bahia, Juazeiro, BA RESUMO

Leia mais

DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL

DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL 1 TÍTULO DO PROGRAMA Balinha e Dentinho. 2 EPISÓDIO TRABALHADO Conhecendo o Rosquinha. 3 SINOPSE DO EPISÓDIO ESPECÍFICO Balinha e Dentinho encontram um cachorro perdido

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE 042 CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE 042 CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS PLANO DE ENSINO Código Unidade 042 Cód. Curso Curso 42501 COMUNICAÇÃO SOCIAL Habilitação Etapa Sem/Ano JORNALISMO 6ª 1º / 2009 Cód. Disc. Disciplina Créditos CH Sem Teoria Prática 121.3604.2 TELEJORNALISMO I 04 X X Docentes

Leia mais

PROGRAMA TRILHA SETRE NA TRILHA DAS ARTES CURSOS DE 400 HORAS. 1. Qualificação Social 100 horas

PROGRAMA TRILHA SETRE NA TRILHA DAS ARTES CURSOS DE 400 HORAS. 1. Qualificação Social 100 horas PROGRAMA TRILHA SETRE NA TRILHA DAS ARTES CURSOS DE 400 HORAS 1. Qualificação Social 100 horas INCLUSÃO DIGITAL - 30 horas (15 h de prática) Ementa: Introdução à informática, hardware e software. Descrição

Leia mais

CARGA HORÁRIA: 80 h/a PERÍODO: 5

CARGA HORÁRIA: 80 h/a PERÍODO: 5 PLANO DE ENSINO DA DISCIPLINA DISCIPLINA: CRIAÇÃO E PRODUÇÃO EM TV CÓDIGO: COS 1049 A02 CARGA HORÁRIA: 80 h/a PERÍODO: 5 CURRÍCULO: 2015/1 DOCENTE: Me. Alvaro de Melo Filho 1. EMENTA Redação, produção

Leia mais

Universidade Federal Fluminense IACS - Instituto de Arte e Comunicação Social Departamento de Comunicação Social Curso de Publicidade e Propaganda

Universidade Federal Fluminense IACS - Instituto de Arte e Comunicação Social Departamento de Comunicação Social Curso de Publicidade e Propaganda Universidade Federal Fluminense IACS - Instituto de Arte e Comunicação Social Departamento de Comunicação Social Curso de Publicidade e Propaganda Disciplinas Optativas Publicidade Carga horária total

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO FERNANDA SERRER ORIENTADOR(A): PROFESSOR(A) STOP MOTION RECURSO MIDIÁTICO NO PROCESSO DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE ARTES VISUAIS CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CULTURA VISUAL MESTRADO PLANO DE ENSINO DISCIPLINA:

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE ARTES VISUAIS CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CULTURA VISUAL MESTRADO PLANO DE ENSINO DISCIPLINA: UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE ARTES VISUAIS CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CULTURA VISUAL MESTRADO ANO: PLANO DE ENSINO DISCIPLINA: Disciplina: Tópicos Especiais em Arte e Visualidades - Imagem

Leia mais

PARA TODOS: MEU ROTEIRO DE INCLUSÃO CONCURSO ESPORTE. Regulamento

PARA TODOS: MEU ROTEIRO DE INCLUSÃO CONCURSO ESPORTE. Regulamento Regulamento O MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO, por meio da Secretaria de Educação Básica (SEB), da Diretoria de Formulação de Conteúdos Educacionais, da Coordenação Geral de Mídias e Conteúdos Digitais e da TV

Leia mais

REGULAMENTO FESTIVAL DE CINEMA ESCOLAR DE ALVORADA-RS. Alvorada - Rio Grande do Sul - Brasil. Professores Proponentes Adailton Moreira André Bozzetti

REGULAMENTO FESTIVAL DE CINEMA ESCOLAR DE ALVORADA-RS. Alvorada - Rio Grande do Sul - Brasil. Professores Proponentes Adailton Moreira André Bozzetti REGULAMENTO FESTIVAL DE CINEMA ESCOLAR DE ALVORADA-RS Alvorada - Rio Grande do Sul - Brasil Professores Proponentes Adailton Moreira André Bozzetti Alvorada, agosto de 2015. Festival de Cinema Escolar

Leia mais

Curta-metragem Se Houver Quórum 1

Curta-metragem Se Houver Quórum 1 Curta-metragem Se Houver Quórum 1 Marcelo GERNHARDT 2 Giancarlo Backes COUTO 3 Luan Menezes KONRATH 4 Lucas de Quadros POOCH 5 Leonardo COUTO 6 Fábio SCHMITZ 7 Donesca CALLIGARO 8 José Francisco Mendonça

Leia mais

TECNOLOGIAS DA COMUNICAÇÃO 9º ANO

TECNOLOGIAS DA COMUNICAÇÃO 9º ANO TECNOLOGIAS DA COMUNICAÇÃO 9º ANO Ano Lectivo 2008/2009 TECNOLOGIAS DA COMUNICAÇÃO Em nenhuma época histórica o homem teve tantas possibilidades de transportar e comunicar ideias. Francisco Gutierrez Na

Leia mais

Leia estas instruções:

Leia estas instruções: Leia estas instruções: 1 Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. Caso se identifique em qualquer outro local deste

Leia mais

CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL (Publicidade e Propaganda)

CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL (Publicidade e Propaganda) CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL (Publicidade e Propaganda) NÚCLEO DE TECNOLOGIA E COMUNICAÇÃO FACULDADE DA CIDADE DE MACEIÓ Regulamento de Funcionamento do Laboratório de Comunicação I INTRODUÇÃO: O Núcleo

Leia mais

Prefácio... 9 Introdução... 11

Prefácio... 9 Introdução... 11 SUMÁRIO Prefácio... 9 Introdução... 11 1. Um caminho para a produção em vídeo de baixo orçamento: cinema de grupo... 15 Criando um curta-metragem em vídeo...17 2. O roteiro... 20 A ideia (imagem geradora)...20

Leia mais

Aula 01. Vídeo de bolso: captação

Aula 01. Vídeo de bolso: captação Aula 01 Vídeo de bolso: captação Captação Dispositivos de Captação de Vídeo Atualmente existem muitos dispositivos que tem a capacidade de capturar imagens em movimento, como câmeras digitais de vários

Leia mais

Guerra dos Mundos em São Luís 1

Guerra dos Mundos em São Luís 1 Guerra dos Mundos em São Luís 1 Ana Paula Silva de SOUSA 2 Dara de Sousa SANTOS 3 Silvanir Fernandes da SIVA 4 Polyana AMORIM 5 Universidade Federal do Maranhão, MA RESUMO O documentário Guerra dos Mundos

Leia mais

14º PRÊMIO RBS TV HISTÓRIAS CURTAS 2014

14º PRÊMIO RBS TV HISTÓRIAS CURTAS 2014 14º PRÊMIO RBS TV HISTÓRIAS CURTAS 2014 I - DO OBJETO 1.1 - O presente regulamento tem como objeto a abertura para o 14º Prêmio RBS TV HISTÓRIAS CURTAS, que se destina a selecionar o total de 08 (oito)

Leia mais

Vídeo de divulgação do FUSCA 2014 - A Forca 1

Vídeo de divulgação do FUSCA 2014 - A Forca 1 Vídeo de divulgação do FUSCA 2014 - A Forca 1 Aryel Silva SIQUEIRA 2 Bryan José Ferreira de SOUZA 3 Adryan Kaike Fortaleza Alves MOREIRA 4 Laércio Cruz ESTEVES 5 Faculdade Estácio do Pará, Belém, PA RESUMO

Leia mais

TÉCNICO DE ARTES GRÁFICAS

TÉCNICO DE ARTES GRÁFICAS Saída Profissional 03.01 TÉCNICO DE ARTES GRÁFICAS O Técnico de Artes Gráficas é um profissional qualificado, conhecedor do fluxo de produção gráfica, e apto para o exercício de profissões ligadas à composição,

Leia mais

Pré-requisito: Conhecimentos básicos de língua inglesa.

Pré-requisito: Conhecimentos básicos de língua inglesa. Pare de assistir e comece a escrever, criar e produzir para a televisão! A arte de contar histórias é a força cultural dominante no mundo contemporâneo, e as séries televisivas são o meio mais atraente

Leia mais

Oficina de Edição Atividade Extensiva

Oficina de Edição Atividade Extensiva Oficina de Edição Atividade Extensiva 1. Introdução A oficina de edição é uma atividade extensiva, pois dá continuidade ao trabalho realizado nas oficinas básicas, onde aprendemos a fazer um vídeo passo

Leia mais

Pronac Nº 1111032 Você em Cenna é um concurso cultural que irá eleger atores e atrizes amadores de todo o país, que enviarão vídeos de suas performances para votação popular e de júri especializado. Os

Leia mais

PROGRAMAÇÃO CURRICULAR DE ARTE TEMA: CIRCO

PROGRAMAÇÃO CURRICULAR DE ARTE TEMA: CIRCO TEMA: CIRCO 1. ano Reconhecimento e análise de formas visuais presentes na natureza e nas diversas culturas Utilização de elementos da linguagem visual: linha, cor, forma Representação por meio de colagem,

Leia mais

Produção de vídeos e educação musical: uma proposta interdisciplinar

Produção de vídeos e educação musical: uma proposta interdisciplinar Produção de vídeos e educação musical: uma proposta interdisciplinar Marcus J. Vieira Universidade Estadual de Londrina Uel marcus.musico@bol.com.br Resumo. Este relato descreve uma experiência em educação

Leia mais

PLANOS CINEMATOGRÁFICOS BÁSICOS Introdução aos estudo do cinema e sua linguaguem v1.0

PLANOS CINEMATOGRÁFICOS BÁSICOS Introdução aos estudo do cinema e sua linguaguem v1.0 PLANOS CINEMATOGRÁFICOS BÁSICOS Introdução aos estudo do cinema e sua linguaguem v1.0 Os planos cinematográficos são formas de descrever a posição da câmera em relação ao foco da cena, não apenas de personagens

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS BARROS MELO PROCESSO SELETIVO PARA ALUNOS/ESTÁGIARIOS EDITAL

FACULDADES INTEGRADAS BARROS MELO PROCESSO SELETIVO PARA ALUNOS/ESTÁGIARIOS EDITAL FACULDADES INTEGRADAS BARROS MELO PROCESSO SELETIVO PARA ALUNOS/ESTÁGIARIOS EDITAL A Profª. Ivânia Maria de Barros Melo dos Anjos Dias, Diretora Geral das Faculdades Integradas Barros Melo, no uso de suas

Leia mais

Em continuação aos nossos entendimentos, formalizamos nossa proposta de opção de aquisição de direitos de adaptação cinematográfica da obra.

Em continuação aos nossos entendimentos, formalizamos nossa proposta de opção de aquisição de direitos de adaptação cinematográfica da obra. A Fulano de Tal Endereço Rio de Janeiro, de de Prezado Fulano de Tal, Em continuação aos nossos entendimentos, formalizamos nossa proposta de opção de aquisição de direitos de adaptação cinematográfica

Leia mais

Leia estas instruções:

Leia estas instruções: Leia estas instruções: 1 Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. Caso se identifique em qualquer outro local deste

Leia mais

PRODUTORA DE NOTÍCIAS VESTIBULAR 1. Letycia CARDOSO 2 João Gabriel MARQUES 3 Márcio de Oliveira GUERRA 4

PRODUTORA DE NOTÍCIAS VESTIBULAR 1. Letycia CARDOSO 2 João Gabriel MARQUES 3 Márcio de Oliveira GUERRA 4 PRODUTORA DE NOTÍCIAS VESTIBULAR 1 Letycia CARDOSO 2 João Gabriel MARQUES 3 Márcio de Oliveira GUERRA 4 Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, MG RESUMO Como forma de estimular a criatividade

Leia mais

NÚCLEO DE TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO CURSO: WINDOWS MOVIE MAKER TUTORIAL

NÚCLEO DE TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO CURSO: WINDOWS MOVIE MAKER TUTORIAL NÚCLEO DE TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO CURSO: WINDOWS MOVIE MAKER TUTORIAL O que é o Windows Movie Maker? É um programa que permite criar nossos próprios filmes com som, músicas, transição e efeito de vídeo.

Leia mais

RÁDIONOVELA ALÉM DA PRODUTORA 1

RÁDIONOVELA ALÉM DA PRODUTORA 1 RESUMO RÁDIONOVELA ALÉM DA PRODUTORA 1 Felipe Montejano da SILVA 2 Juliana de Carvalho CRAVO 3 Melina Sampaio MANFRINATTI 4 Roberta POMPERMAYER 5 Stéfani Bilibio PARNO 6 Luiz VELOSO 7 Universidade Metodista

Leia mais

10º ENCONTRO NACIONAL DE CINEMA E VÍDEO DOS SERTÕES Realização ESCALET Produções Cinematográficas Patrocínio PETROBRAS. De 04 a 08 de novembro de 2015

10º ENCONTRO NACIONAL DE CINEMA E VÍDEO DOS SERTÕES Realização ESCALET Produções Cinematográficas Patrocínio PETROBRAS. De 04 a 08 de novembro de 2015 10º ENCONTRO NACIONAL DE CINEMA E VÍDEO DOS SERTÕES Realização ESCALET Produções Cinematográficas Patrocínio PETROBRAS De 04 a 08 de novembro de 2015 REGULAMENTO I DA DATA E LOCAL Art. 1º: O 10º ENCONTRO

Leia mais

Fig. 247 Storyboard 2

Fig. 247 Storyboard 2 173 Fig. 247 Storyboard 2 174 Fig. 248 Storyboard 2 Fig. 249 Storyboard 2 175 176 3.2.5 Edição visual e sonora Foram realizadas algumas etapas: análise, seleção e edição da imagem (correção de cor, luz,

Leia mais

Cotas Pra Quê? 1. PALAVRAS-CHAVE: Documentário; Educação; Sistema de Cotas; Ensino Superior.

Cotas Pra Quê? 1. PALAVRAS-CHAVE: Documentário; Educação; Sistema de Cotas; Ensino Superior. Cotas Pra Quê? 1 Sarah Rocha MARTINS 2 Luan Barbosa OLIVEIRA 3 Camilla Alves Ribeiro PAES LEME 4 Instituto de Ensino Superior de Rio Verde, Rio Verde, Goiás RESUMO Este documentário foi planejado e desenvolvido

Leia mais

7º ENCONTRO NACIONAL DE CINEMA E VÍDEO DOS SERTÕES Realização ESCALET e Pontão de Cultura Cultura Viva ao Alcance de Todos Patrocínio - PETROBRAS

7º ENCONTRO NACIONAL DE CINEMA E VÍDEO DOS SERTÕES Realização ESCALET e Pontão de Cultura Cultura Viva ao Alcance de Todos Patrocínio - PETROBRAS 1 7º ENCONTRO NACIONAL DE CINEMA E VÍDEO DOS SERTÕES Realização ESCALET e Pontão de Cultura Cultura Viva ao Alcance de Todos Patrocínio - PETROBRAS De 07 a 11 de novembro de 2012 Floriano - PI REGULAMENTO

Leia mais

REGULAMENTO CONCURSO CULTURAL MINIMETRAGEM 2010

REGULAMENTO CONCURSO CULTURAL MINIMETRAGEM 2010 REGULAMENTO CONCURSO CULTURAL MINIMETRAGEM 2010 1. O presente regulamento tem por objeto a abertura do Concurso Cultural MiniMetragem 2010, que visa incentivar a pesquisa de idéias, conceitos, estética,

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA. Produção de Áudio. 72 5º semestre

PROGRAMA DE DISCIPLINA. Produção de Áudio. 72 5º semestre Faculdade Anísio Teixeira de Feira de Santana Autorizada pela Portaria Ministerial nº 552 de 22 de março de 2001 e publicada no Diário Oficial da União de 26 de março de 2001. Endereço: Rua Juracy Magalhães,

Leia mais

EVOLUÇÃO DA MÍDIA AUDIOVISUAL ANDRÉIA SOARES F. DE SOUZA

EVOLUÇÃO DA MÍDIA AUDIOVISUAL ANDRÉIA SOARES F. DE SOUZA EVOLUÇÃO DA MÍDIA AUDIOVISUAL ANDRÉIA SOARES F. DE SOUZA Cronograma de Evolução da Mídia Audiovisual no Brasil Gráfico representativo do desenvolvimento de mídia audiovisual no Brasil década a década A

Leia mais

Filme: Como se morre no cinema 1 de Luelane Loiola Correa. Plano de Aula: Ensino Fundamental II e Ensino Médio

Filme: Como se morre no cinema 1 de Luelane Loiola Correa. Plano de Aula: Ensino Fundamental II e Ensino Médio Filme: Como se morre no cinema 1 de Luelane Loiola Correa Plano de Aula: Ensino Fundamental II e Ensino Médio Disciplinas/Áreas do Conhecimento: Língua Portuguesa; Arte; Inglês; Projeto Interdisciplinar;

Leia mais

3ª MOSTRA DE CINEMA AMADOR DO COLÉGIO CIVITATIS (CIVIFILMES) E 3º TROFÉU GRAÇA ARANHA DE CINEMA AMADOR REGULAMENTO

3ª MOSTRA DE CINEMA AMADOR DO COLÉGIO CIVITATIS (CIVIFILMES) E 3º TROFÉU GRAÇA ARANHA DE CINEMA AMADOR REGULAMENTO 3ª MOSTRA DE CINEMA AMADOR DO COLÉGIO CIVITATIS (CIVIFILMES) E 3º TROFÉU GRAÇA ARANHA DE CINEMA AMADOR REGULAMENTO O COLÉGIO CIVITATIS sediado na Rua Falchi Gianini, 842, no bairro da Vila Prudente, CEP:

Leia mais

Missão. Objetivo Geral

Missão. Objetivo Geral SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO Curso: CINEMA E AUDIOVISUAL Missão O Curso de Cinema e Audiovisual da Universidade Estácio de Sá tem como missão formar um profissional humanista, com perfil técnico e artístico

Leia mais

experiências da sala de aula virtual do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção (PPGEP), da Universidade Federal de Santa

experiências da sala de aula virtual do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção (PPGEP), da Universidade Federal de Santa A espetacularização da sala de aula: novas tecnologias transformam o professor (e a classe) num programa de televisão Dulce Márcia Cruz -Msc 1 Ricardo Miranda Barcia - PhD 2 Resumo Este texto analisa a

Leia mais

Programa Anexo 1. Resumo

Programa Anexo 1. Resumo Programa Anexo 1 Bruno LIMA 2 Carolina RIBEIRO 3 Lara MARQUES 4 Elga MÓL 5 Elisa FRANÇA 6 Ana AMORIM 7 Michelle BASTOS 8 Soraya VIEIRA 9 Universidade Federal de Viçosa, Minas Gerais, MG Resumo Este trabalho

Leia mais

Utilização do vídeo, CD e DVD na sala de aula

Utilização do vídeo, CD e DVD na sala de aula Utilização do vídeo, CD e DVD na sala de aula José Manuel Moran A seguir são apresentadas sugestões de utilização de vídeo, CD e DVD. Vídeo como produção Como documentação, registro de eventos, de aulas,

Leia mais

ENCUENTRO LATINOAMERICANO DE DISEÑO. Universidad de Palermo. Para ser publicado en Actas de Diseño.

ENCUENTRO LATINOAMERICANO DE DISEÑO. Universidad de Palermo. Para ser publicado en Actas de Diseño. ENCUENTRO LATINOAMERICANO DE DISEÑO. Universidad de Palermo. Para ser publicado en Actas de Diseño. Autores: HOMMERDING, Tales. ; BERARD, Rafael de Moura. ; MERINO, Eugênio. Título: A contribuição do design

Leia mais

AS CRIANÇAS E SUAS NARRATIVAS AUDIOVISUAIS: UMA PESQUISA EM PROCESSO Renata Gazé UNIRIO

AS CRIANÇAS E SUAS NARRATIVAS AUDIOVISUAIS: UMA PESQUISA EM PROCESSO Renata Gazé UNIRIO AS CRIANÇAS E SUAS NARRATIVAS AUDIOVISUAIS: UMA PESQUISA EM PROCESSO Renata Gazé UNIRIO Resumo Hoje muitas crianças convivem com narrativas audiovisuais na tv, no cinema e na Internet. Como se relacionam

Leia mais

O olho que pensa, a mão que faz, o corpo que inventa

O olho que pensa, a mão que faz, o corpo que inventa Rey n ald o Fon sec a Pas t or al, 1992, s erigr af i a Fot o: Fau st o Fleur y O olho que pensa, a mão que faz, o corpo que inventa Com as proposições didáticas sugeridas, espera-se que os alunos possam

Leia mais