2T15. Análise do Desempenho. BB Seguridade Participações S.A

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "2T15. Análise do Desempenho. BB Seguridade Participações S.A"

Transcrição

1 2T15 Análise do Desempenho BB Seguridade Participações S.A

2 A P R E S E N T A Ç Ã O O relatório Análise do Desempenho apresenta a situação econômico-financeira da BB Seguridade Participações S.A. (BB Seguridade). Destinado aos analistas de mercado, acionistas e investidores, este documento disponibiliza análises contendo indicadores econômicos e financeiros, desempenho dos papéis da BB Seguridade, entre outros aspectos considerados relevantes para a avaliação do desempenho da Companhia com periodicidade trimestral. Em novembro de 2012 o Banco do Brasil S.A. (BB) anunciou sua intenção de criar a BB Seguridade, uma subsidiária responsável por consolidar, sob uma única sociedade, todas as suas atividades nos segmentos de seguros, previdência complementar aberta, capitalização e atividades afins. No mesmo documento, o BB informou sua intenção de promover uma oferta pública de ações de emissão da BB Seguridade na BM&FBovespa S.A. Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros. O procedimento de bookbuilding da oferta pública encerrou-se em , sendo as ações precificadas a R$17,00. O início de negociação se deu em Na oferta, o controlador vendeu 675 milhões de ações, em uma transação que movimentou aproximadamente R$11,5 bilhões, sendo 500 milhões de ações vendidas na oferta inicial, 100 milhões do lote complementar e 75 milhões do lote suplementar. O anúncio de encerramento da oferta foi publicado em As demonstrações financeiras consolidadas foram preparadas em conformidade com as normas e padrões internacionais de contabilidade (International Financial Reporting Standards IFRS). As análises constantes deste relatório baseiam-se nas demonstrações em IFRS, mas eventualmente são complementadas por dados gerenciais, além de informações apuradas com base no padrão contábil determinado pela Superintendência de Seguros Privados SUSEP. A C E S S O O N - L I N E O relatório Análise do Desempenho está disponível no site de Relações com Investidores da BB Seguridade. No mesmo endereço também são disponibilizadas maiores informações sobre a BB Seguridade, como estrutura societária, governança corporativa, séries históricas em planilhas eletrônicas, entre outros pontos de interesse de acionistas e investidores. O site pode ser acessado por meio do endereço ou Este Relatório faz referências e declarações sobre expectativas, sinergias planejadas, estimativas de crescimento, projeções de resultado e estratégias futuras sobre a BB Seguridade. Tais declarações baseiam-se nas atuais expectativas, estimativas e projeções da Administração sobre acontecimentos futuros e tendências financeiras que possam afetar os negócios do Conglomerado. Essas referências e declarações não são garantia de desempenho futuro e envolvem riscos e incertezas que podem extrapolar o controle da administração, podendo, desta forma, resultar em saldos e valores diferentes daqueles aqui antecipados e discutidos. As expectativas e projeções da administração são vinculadas às condições do mercado (mudanças tecnológicas, pressões competitivas sobre produtos, preços, entre outros), do desempenho econômico geral do país (taxa de juros e câmbio, mudanças políticas e econômicas, inflação, mudanças na legislação tributária, entre outras) e dos mercados internacionais. Expectativas futuras decorrentes da leitura deste relatório devem considerar os riscos e incertezas que envolvem os negócios da BB Seguridade. A Companhia não se responsabiliza em atualizar qualquer estimativa contida neste relatório ou períodos anteriores. As tabelas e gráficos deste relatório apresentam, além dos saldos e valores contábeis, números financeiros e gerenciais. As taxas de variação relativa são apuradas antes do procedimento de arredondamento em R$ milhões. O arredondamento utilizado segue as regras estabelecidas pela Resolução 886/66 da Fundação IBGE: caso o algarismo decimal seja igual ou superior a 0,5, aumenta-se em uma unidade; caso o algarismo decimal seja inferior a 0,5, não há acréscimo de uma unidade.

3 2T15 Teleconferência de Resultados 12 de agosto de 2015 Português Horário: 10h (Hora de Brasília) 09h (Horário de NY) Telefone no Brasil USA UK Webcast: Inglês Horário: 11h30 am (Hora de Brasília) 10h30 pm (Horário de NY) Telefone no Brasil USA UK Webcast: Índice 1. Sumário do Desempenho 5 2. Análise do Resultado Análise Patrimonial Negócios de Risco e Acumulação 31 Contatos 5. Negócios de Distribuição 101 Relações com Investidores +55 (11) Rua Manoel da Nóbrega, andar Paraíso São Paulo SP Glossário 108

4

5 1. S U M Á R I O D O D E S E M P E N H O Tabela 1 Principais indicadores F luxo T rimestral Unidade 2T 14 3T 14 4T 14 1T 15 2T 15 Sumário do s resultado s Negócios de risco e acumulação R$ mil Negócios de distribuição R$ mil Outros R$ mil (3.364) (92.917) (9.638) (8.945) 616 Lucro líquido R$ mil Lucro líquido ajustado R$ mil RSPL % 64,9 60,9 66,0 67,3 68,7 Sumário do desempenho po r segmento Seguro s - Vida, H abitacio nal e R ural Sinistralidade % 31,5 31,7 24,6 32,8 31,2 Índice de comissionamento % 26,4 26,1 26,0 26,5 26,4 Índice de despesas gerais e administrativas % 13,3 13,3 19,3 10,6 12,3 Índice combinado % 71,0 71,0 69,8 69,7 69,8 Índice combinado ampliado % 65,8 66,1 64,6 62,1 63,6 RSPL ajustado % 50,2 56,0 55,0 57,3 53,4 Índice de Solvência % 132,0 127,3 126,0 130,7 130,7 Seguro s - P atrimô nio e A uto mó vel Sinistralidade % 60,0 56,2 57,6 59,5 56,9 Índice de comissionamento % 22,4 22,3 23,6 20,6 21,9 Índice de despesas gerais e administrativas % 19,1 19,3 17,8 19,5 19,0 Índice combinado % 101,5 97,8 98,9 99,4 97,7 Índice combinado ampliado % 95,5 93,0 93,7 91,8 91,2 RSPL ajustado % 6,5 9,8 9,6 13,2 12,9 Índice de solvência % 133,6 127,4 139,0 127,4 132,4 P revidência Ativos sob gestão R$ milhões Taxa de gestão % 1,29 1,27 1,26 1,23 1,22 RSPL ajustado % 54,5 58,7 54,8 52,7 43,4 Índice de solvência % 125,0 120,8 153,8 127,4 150,5 C apitalização Reservas de capitalização R$ milhões M argem financeira de juros p.p. 5,1 3,6 3,9 5,4 5,1 RSPL ajustado % 171,0 116,4 148,7 149,3 123,1 Índice de solvência % 140,1 117,4 153,2 147,8 179,2 C o rretagem M argem operacional % 80,8 81,8 81,7 83,5 81,3 M argem líquida % 56,1 56,7 57,4 58,1 57,8 ¹O RSPL ajustado da BB Seguridade do 2T15 foi calculado considerando a divisão do lucro líquido ajustado pelo patrimônio líquido médio (PL) do período, ambos apura dos em IFRS, na forma divulgada pela Companhia em seu relatório de Análise do Desempenho. A média dos PLs foi calculada tendo como base: PL de início do período: R$7.000 milhões, calculado com base no PL de 31/03/2015, deduzido dos dividendos pagos em fevereiro/2015 (sem considerar atualização monetária); PL de fim de período: R$7.244 milhões (PL de 30/06/2015). BB Seguridade Participações S.A. Análise de Desempenho 2T15 5

6 L U C R O L Í Q U I D O A J U S T A D O Figura 1 Lucro líquido 64,9 55,8 41, ,0 67,3 68,7 60,9 49, T13 4T13 1T14 2T14 3T14 4T14 1T15 2T15 Figura 2 Lucro líquido Origem do resultado (R$ milhões)¹ T13 4T13 1T14 2T14 3T14 4T14 1T15 2T15 Resultado operacional não decorrente de juros Resultado financeiro Negócios de distribuição (R$ milhões) Negócios de risco e acumulação (R$ milhões) Outros (R$ milhões) RSPL (%) ¹Valores calculados com base na soma dos resultados operacionais não-decorrente de juros e financeiro de todas as coligadas e controladas da BB Seguridade líquidos de impostos considerando a alíquota efetiva de cada companhia para o período em análise. ANÁLISE DO TRIMESTRE No 2T15, o lucro líquido ajustado atingiu R$994,6 milhões, com crescimento de 17,7% em relação ao 2T14. A evolução do resultado no comparativo se deve: (i) (ii) ao aumento de R$79,8 milhões do resultado financeiro combinado das coligadas e controladas, líquido de efeitos tributários, justificado tanto pela expansão do volume médio de ativos rentáveis, como pelo aumento da taxa média dos recursos, decorrente em grande parte de uma maior taxa Selic e de uma performance superior dos ativos indexados a inflação; e à evolução de R$69,4 milhões do resultado operacional não decorrente de juros combinado das coligadas e controladas, líquido de efeitos tributários, decorrente principalmente da melhora operacional observada na BB Corretora, BB Mapfre SH1, Mapfre BB SH2 e Brasilprev. O retorno anualizado sobre o patrimônio líquido médio atingiu 68,7% no 2T15, com aumento de 3,7 p.p. no comparativo com o 2T14. ANÁLISE DO SEMESTRE No semestre, o lucro líquido ajustado totalizou R$1,9 bilhão, crescimento de 30,1% em relação ao 1S14, impulsionado: (i) (ii) pelo crescimento de R$248,0 milhões do resultado operacional não decorrente de juros combinado das coligadas e controladas, principalmente em função da melhora operacional observada na BB Corretora e na BB Mapfre SH1; e pela evolução de R$201,6 milhões do resultado financeiro combinado, justificado pela expansão do volume médio de ativos rentáveis e pela alta na taxa média de remuneração desses ativos. Figura 3 Lucro líquido Composição da evolução trimestral (R$ milhões) Figura 4 Lucro líquido Composição da evolução semestral (R$ milhões) Lucro líquido 2T14 Variação do resultado operacional não decorrente de juros¹ Variação do resultado financeiro¹ Lucro líquido 2T15 Lucro líquido 1S14 Variação do resultado operacional não decorrente de juros¹ Variação do resultado financeiro¹ Lucro líquido 1S15 ¹Valores calculados com base na soma dos resultados operacionais não-decorrente de juros e financeiro de todas as coligadas e controladas da BB Seguridade líquidos de impostos considerando a alíquota efetiva de cada companhia para o período em análise. BB Seguridade Participações S.A. Análise de Desempenho 2T15 6

7 N E G Ó C I O S D E R I S C O E A C U M U L A Ç Ã O Figura 5 Resultado dos negócios de risco e acumulação (R$ milhões) , ,2-0,9-0,2 3T13 4T13 1T14 2T14 3T14 4T14 1T15 2T15 Vida, Habitacional e Rural Patrimônio e Automóvel Previdência Capitalização Resseguro Plano Odontológico ANÁLISE DO TRIMESTRE O resultado advindo dos negócios de risco e acumulação (coligadas da BB Seguros Participações vide seção Análise Patrimonial para mais detalhes) somou R$605,0 milhões no 2T15, com crescimento de 19,4% em relação ao 2T14 explicado principalmente pelos resultados provenientes dos segmentos de Vida, Habitacional e Rural (BB Mapfre SH1), Previdência (Brasilprev) e Patrimônio e Automóvel (Mapfre BB SH2). ANÁLISE DO SEMESTRE No 1S15, o resultado dos negócios de risco e acumulação totalizou R$1,2 bilhão, alta de 33,7% em relação ao 1S14, impulsionado principalmente pelos resultados advindos de BB Mapfre SH1 e Brasilprev. BB Seguridade Participações S.A. Análise de Desempenho 2T15 7

8 BB Mapfre SH1 Vida, Habitacional e Rural Figura 6 SH1 Prêmios emitidos (R$ milhões) Figura 7 SH1 Lucro líquido e rentabilidade , , , ,2 56,0 55,0 57,3 53, T13 4T13 1T14 2T14 3T14 4T14 1T15 2T15 ¹ Valores líquidos de impostos considerando a alíquota efetiva da companhia 3T13 4T13 1T14 2T14 3T14 4T14 1T15 2T15 Resultado financeiro¹ (R$ milhões) Resultado operacional não decorrente de juros¹ (R$ milhões) RSPL (%) ANÁLISE DO TRIMESTRE O lucro líquido da operação de Vida, Habitacional e Rural foi de R$381,6 milhões no 2T15, crescimento de 13,3% em relação ao 2T14, explicado: (i) (ii) pelo aumento do resultado das operações de seguros, justificado em grande parte pela melhora do índice de despesas gerais e administrativas; e pela melhora do resultado financeiro, em razão do aumento da rentabilidade das aplicações financeiras. Os prêmios emitidos do segmento somaram R$1,9 bilhão, volume 13,1% menor que no 2T14. A queda observada no comparativo é justificada principalmente pelo menor volume de prêmios de seguro agrícola, parcialmente compensada pelo incremento nos prêmios emitidos de vida no canal bancário e no produto vida produtor rural. O índice combinado atingiu 69,8%, com redução de 1,2 p.p. na comparação com o 2T14, suportada pela melhora no índice de despesas gerais e administrativas, em decorrência de menores despesas com publicidade e propaganda, redução das despesas associadas à contribuição para o Fundo de Estabilidade do Seguro Rural (FESR) e de uma reversão de provisão para créditos de liquidação duvidosa. ANÁLISE DO SEMESTRE No semestre, o lucro líquido da operação de Vida, Habitacional e Rural atingiu R$773,8 milhões, 36,5% superior ao 1S14. O desempenho no comparativo é explicado: (i) (ii) pelo crescimento do resultado das operações de seguros, justificado pela queda na sinistralidade e no índice de despesas gerais e administrativas; e pelo aumento do resultado financeiro no período, justificado em grande parte por uma maior taxa Selic média e pela performance dos ativos indexados a inflação. O total de prêmios emitidos foi 8,0% menor quando comparado ao 1S14, impactado pelo menor volume de emissão de prêmios de seguro agrícola e de seguros de vida no canal corretor. A redução do volume de prêmios emitidos nestes segmentos foi parcialmente compensada pelo incremento nas modalidades de vida no canal bancário (+8,5%), prestamista (+6,0%) e habitacional (+10,7%). O índice combinado no semestre registrou queda de 5,1 p.p., justificado pela menor sinistralidade em decorrência da melhora nos indicadores dos ramos vida e prestamista, e pela redução do índice de despesas gerais e administrativas em função de menores despesas com provisão para contribuição ao Fundo de Estabilidade do Seguro Rural (FESR) e da reversão de provisão para crédito de liquidação duvidosa. BB Seguridade Participações S.A. Análise de Desempenho 2T15 8

9 Mapfre BB SH2 Patrimônio e Automóvel Figura 8 SH2 Prêmios emitidos (R$ milhões) Figura 9 SH2 Lucro líquido e rentabilidade ,2 8,5 12,6 6,5 9,8 9,6 13,2 12, T13 4T13 1T14 2T14 3T14 4T14 1T15 2T , ,0 12 3T13 4T13 1T14 2T14 3T14 4T14 1T15 2T15 ¹Valores líquidos de impostos considerando a alíquota efetiva da companhia Resultado financeiro¹ (R$ milhões) Resultado operacional não decorrente de juros¹ (R$ milhões) RSPL (%) ANÁLISE DO TRIMESTRE O lucro líquido da operação de Patrimônio e Automóvel foi de R$100,1 milhões no 2T15, crescimento de 115,8% em relação ao 2T14. O resultado é explicado: (i) (ii) pela melhora do resultado das operações de seguros, decorrente principalmente da queda na sinistralidade; e pelo crescimento do resultado financeiro, em função de uma maior taxa média Selic e de uma melhor performance dos ativos indexados a inflação. Os prêmios emitidos somaram R$2,3 bilhões, volume 3,3% superior ao 2T14, impulsionado principalmente pelo ramo de automóveis. O canal bancário foi o que mais contribuiu para o crescimento total de prêmios, com expansão de 6,6%, enquanto o canal corretor cresceu 2,0%. O índice combinado atingiu 97,7%, uma melhora de 3,8 p.p. explicada em grande parte pela melhora generalizada da sinistralidade. ANÁLISE DO SEMESTRE No 1S15, o lucro líquido da operação de Patrimônio e Automóvel alcançou R$199,0 milhões, 50,0% maior que no 1S14. O melhor desempenho no comparativo se deve principalmente a evolução do resultado financeiro, em razão do aumento da taxa média Selic e da performance dos ativos indexados a inflação. Os prêmios emitidos totalizaram R$4,4 bilhões, desempenho 3,9% superior ao 1S14 impulsionado pelas vendas de seguros de automóvel e de danos, parcialmente compensado pela queda no ramo demais. O índice combinado registrou 98,5%, uma melhora de 0,2 p.p. em relação ao mesmo período do ano anterior. BB Seguridade Participações S.A. Análise de Desempenho 2T15 9

10 Brasilprev Previdência Figura 10 Brasilprev Taxa de gestão Figura 11 Brasilprev Lucro líquido e rentabilidade 1,37 1,34 1,30 1,29 1,27 1,26 1,23 1,22 58,4 58,0 59,9 54,5 58,7 54,8 52, , T13 4T13 1T14 2T14 3T14 4T14 1T15 2T15 Receita com taxa de gestão (R$ milhões) Taxa de gestão (%) ¹ Valores líquidos de impostos considerando a alíquota efetiva da companhia 3T13 4T13 1T14 2T14 3T14 4T14 1T15 2T15 Resultado financeiro¹ (R$ milhões) Resultado operacional não decorrente de juros¹ (R$ milhões) RSPL (%) ANÁLISE DO TRIMESTRE O lucro líquido ajustado da operação de Previdência atingiu R$209,5 milhões no 2T15, crescimento de 25,9% em relação ao mesmo período do ano passado. A evolução observada no comparativo é resultante tanto da melhora do resultado operacional não decorrente de juros, em função de maiores receitas com taxa de gestão, como do crescimento do resultado financeiro, decorrente da expansão do saldo médio de ativos rentáveis. O lucro líquido contábil do segmento alcançou R$503,6 milhões, crescimento de 202,7% em relação ao 2T14 justificado pela reversão do saldo da Provisão Complementar de Cobertura (PCC), no valor total de R$514,1 milhões, que gerou impacto positivo líquido de efeitos fiscais no montante de R$294,1 milhões. Essa reversão ocorreu em função de a Brasilprev, amparada na Circular Susep nº 457/12, voltar a adotar o procedimento que vinha sendo utilizado até junho de 2014 e que consiste em considerar ganhos não realizados de ativos garantidores das provisões técnicas mantidos até o vencimento para compensar possível insuficiência de provisionamento apontada pelo Teste de Adequação de Passivos (TAP). O volume de contribuições de previdência atingiu R$10,8 bilhões no 2T15, crescimento de 15,0% em relação ao mesmo período de A captação líquida da Companhia atingiu R$7,3 bilhões, equivalente a 52,3% da captação líquida total do mercado. O volume de ativos sob gestão atingiu R$130,9 bilhões em 30 de junho de 2015, crescimento de 34,9% em 12 meses. ANÁLISE DO SEMESTRE No semestre, o lucro líquido ajustado do segmento de previdência totalizou R$429,6 milhões, crescimento de 25,8% em relação ao 1S14, impulsionado pelo incremento das receitas com taxas de gestão, decorrente da expansão no volume de recursos administrados, e pela evolução do resultado financeiro, influenciado pelo maior spread entre as taxa nominais dos ativos e passivos da Brasilprev, gerado em grande parte pelo descasamento entre os índices de inflação IPCA e IGP-M. O volume de contribuições cresceu 33,4% em relação ao 1S14, com destaque para os planos VGBL. A captação líquida cresceu 33,9%, resultante do aumento das contribuições e da melhora de 0,5 p.p. no índice de resgates. BB Seguridade Participações S.A. Análise de Desempenho 2T15 10

11 Brasilcap Capitalização Figura 12 Brasilcap Arrecadação (R$ milhões) T13 4T13 1T14 2T14 3T14 4T14 1T15 2T15 ¹ Valores líquidos de impostos considerando a alíquota efetiva da companhia Figura 13 Brasilcap Lucro líquido e rentabilidade 171,0 148,7 149,3 129,2 116,4 123,1 104, , T13 4T13 1T14 2T14 3T14 4T14 1T15 2T15 Resultado financeiro¹ (R$ milhões) Resultado operacional não decorrente de juros¹ (R$ milhões) RSPL (%) ANÁLISE DO TRIMESTRE No 2T15, o lucro líquido do segmento de Capitalização foi de R$96,9 milhões, crescimento de 8,4% em relação ao 2T14, justificado pela alta no resultado financeiro em função da expansão do saldo médio de ativos rentáveis. A arrecadação com títulos de capitalização no 2T15 se manteve praticamente estável em relação ao mesmo período de 2014, com o volume de provisões técnicas de capitalização alcançando o saldo de R$12,1 bilhões, aumento de 13,3% em 12 meses. ANÁLISE DO SEMESTRE No 1S15, o lucro líquido atingiu R$201,7 milhões, com crescimento de 32,4% em relação ao mesmo período de O desempenho no comparativo é justificado em grande parte pelo crescimento do resultado financeiro, decorrente tanto da expansão do volume de ativos rentáveis como da margem financeira, e em menor escala pelo aumento do resultado operacional não decorrente de juros, em razão principalmente da queda no índice de sorteios. O volume de arrecadação cresceu 0,6% quando comparado ao 1S14, com maior concentração em títulos de pagamento mensal. IRB Resseguros Figura 14 IRB Prêmios emitidos (R$ milhões)¹ Figura 15 IRB Lucro líquido (R$ milhões)¹ , (26) (80) (6) 3T13 4T13 1T14 2T14 3T14 4T14 1T15 2T15 3T13 4T13 1T14 2T14 3T14 4T14 1T15 2T15 Resultado operacional não decorrente de juros² Resultado financeiro² ¹ Valores do 1T14 contemplam apenas os meses de janeiro e fevereiro. O mês de março está contido no resultado do 2T14. ² Valores líquidos de impostos considerando a alíquota efetiva da companhia ANÁLISE DO TRIMESTRE No 2T15, o lucro líquido da operação de Resseguros somou R$223,9 milhões, 0,9% inferior ao registrado no mesmo período do ano passado. Cabe ressaltar que a base de comparação do 2T14 foi influenciada pelo fato de que naquele período foram considerados os meses de março, abril, maio e junho para apuração do resultado do IRB, enquanto no 2T15 foram considerados os meses de abril a junho. No período, o retorno sobre o patrimônio líquido médio atingiu 34,4%, aumento de 7,6 p.p. em relação ao 2T14. ANÁLISE DO SEMESTRE No semestre, o lucro líquido foi de R$354,1 milhões, evolução de 32,2% no comparativo com o 1S14, justificado pelo aumento do resultado financeiro. BB Seguridade Participações S.A. Análise de Desempenho 2T15 11

12 N E G Ó C I O S D E D I S T R I B U I Ç Ã O BB Corretora Corretagem Figura 16 BB Corretora Receitas de corretagem (R$ milhões) Figura 17 BB Corretora Lucro líquido , ,2 52, ,1 56,7 57,4 58,1 57, T13 4T13 1T14 2T14 3T14 4T14 1T15 2T15 3T13 4T13 1T14 2T14 3T14 4T14 1T15 2T15 Lucro líquido ajustado (R$ milhões) Margem líquida (%) ANÁLISE DO TRIMESTRE A BB Corretora apresentou lucro líquido de R$389,0 milhões no 2T15, crescimento de 13,7% na comparação com o 2T14, justificado pelo aumento de 10,3% das receitas de corretagem suportado por: (i) maiores receitas de comissões provenientes da BB Mapfre SH1, em função do aumento nas vendas de seguros de vida e da apropriação de comissões diferidas no resultado; e (ii) maiores receitas de comissões oriundas da Brasilprev, em linha com o maior volume de contribuições de previdência no período; O resultado financeiro também contribuiu para o crescimento do lucro no comparativo, com crescimento de 48,3% decorrente fundamentalmente de uma maior taxa Selic média, bem como do aumento no volume de ativos rentáveis. No período, a margem líquida da BB Corretora atingiu 57,8%, alta de 1,7 p.p. em relação ao 2T14. ANÁLISE DO SEMESTRE No acumulado do semestre, a BB Corretora obteve lucro líquido de R$743,1 milhões, 24,1% superior ao resultado obtido no 1S14, em decorrência: (i) do aumento de 16,8% nas receitas de corretagem, resultante: - do incremento de 19,6% nas receitas provenientes da SH1, em razão tanto do aumento nas vendas de produtos de vida e prestamista como da apropriação de comissões diferidas no resultado, e - do aumento de 32,2% nas receitas advindas da Brasilprev, em linha com o maior volume de contribuições de previdência no período. (ii) da melhora de 3,6 p.p. na margem operacional, em função de menores despesas administrativas; e (iii) do crescimento de 49,3% do resultado financeiro, decorrente de uma maior taxa Selic média bem como do aumento do volume de ativos rentáveis. Em linha com a melhora nos indicadores, a margem líquida da BB Corretora atingiu 58,0% no 1S15, com um aumento de 3,4 p.p. no comparativo com o 1S14. BB Seguridade Participações S.A. Análise de Desempenho 2T15 12

13 G U I D A N C E Na tabela a seguir, é apresentado o acompanhamento do desempenho da BB Seguridade em relação aos indicadores do Guidance para o exercício de As projeções são elaboradas para o exercício fiscal como um todo, de forma que o acompanhamento ao longo dos trimestres pode refletir eventos específicos de um período que podem afetar a base de comparação. Apenas para efeito de acompanhamento, o indicador lucro líquido será monitorado como variação percentual em relação ao mesmo período acumulado de 2014, ao invés do valor nominal. Considerando os resultados observados até o 1S15, a projeção de crescimento de prêmios emitidos da BB Mapfre SH1 para o ano de 2015 foi revista, conforme indicado na tabela. Tabela 2 Estimativas 2015 vs realizado (%) Indicado r R ealizado 1S15 P ro jeção 2015 anterio r P ro jeção 2015 revista BB Seguridade - Crescimento do lucro líquido ajustado¹ 30, M antido BB M apfre SH1 - Crescimento dos prêmios emitidos (8,0) Brasilprev - Crescimento das reservas PGBL e VGBL 38, M antido ¹Intervalo de crescimento equivalente a projeção de lucro líquido de R$ 3,6 a R$3,9 bilhões. a) Lucro líquido ajustado: O crescimento do lucro líquido no comparativo com o 1S14 atingiu 30,1%, superando o intervalo equivalente em termos de crescimento projetado. O desvio em relação ao estimado se deve em grande parte a uma evolução do resultado financeiro acima do previsto. b) BB Mapfre SH1 crescimento de prêmios emitidos: O volume de prêmios emitidos na BB Mapfre SH1 apresentou retração de 8,0% no 1S15 quando comparado com o 1S14, ficando abaixo do intervalo de estimativas para o ano. O desvio em relação ao projetado se deve principalmente a um desempenho inferior ao previsto na emissão de prêmios de seguros agrícolas bem como de prêmios de seguro de vida no canal corretor. Por este motivo, considerando os resultados observados até junho de 2015 e as projeções para o segundo semestre, o intervalo de crescimento de prêmios emitidos na BB Mapfre SH1 foi revisto para 5-8%. c) Brasilprev crescimento das reservas PGBL e VGBL: Ao final de junho de 2015, as reservas de P/VGBL da Brasilprev apresentaram crescimento de 38,5% em 12 meses, superando o intervalo de estimativas. O desvio em relação ao crescimento projetado se deve ao fato de que a base de comparação com o primeiro semestre de 2014 é mais fraca quando comparada ao segundo semestre de 2014, dado o cenário mais turbulento para arrecadação de previdência no início daquele ano. Neste contexto, espera-se que ao longo do segundo semestre de 2015, à medida que a base de comparação com o exercício de 2014 se torne mais forte, o crescimento de reservas P/VGBL convirja para o intervalo proposto. BB Seguridade Participações S.A. Análise de Desempenho 2T15 13

14 O U T R A S I N F O R M A Ç Õ E S Tabela 3 Posicionamento de mercado F luxo T rimestral Unidade 2T 14 3T 14 4T 14 1T 15 2T 15 Vida Prêmios emitidos R$ mil Participação de mercado % 16,3% 16,0% 15,9% 14,9% 14,7% Posição 2º 2º 2º 2º 2º P restamista Prêmios emitidos R$ mil Participação de mercado % 31,7% 29,3% 33,4% 26,7% 30,5% Posição 1º 1º 1º 1º 1º H abitacio nal Prêmios emitidos R$ mil Participação de mercado % 6,8% 6,8% 6,8% 6,3% 6,3% Posição 3º 3º 3º 3º 3º R ural Prêmios emitidos R$ mil Participação de mercado % 81,1% 76,1% 73,0% 77,2% 75,8% Posição 1º 1º 1º 1º 1º A uto mó vel Prêmios emitidos R$ mil Participação de mercado % 15,0% 15,0% 15,1% 14,5% 15,4% Posição 2º 2º 2º 2º 2º D ano s Prêmios emitidos R$ mil Participação de mercado % 13,5% 13,3% 12,8% 12,8% 13,3% Posição 2º 2º 2º 1º 1º P revidência Ativos sob gestão R$ mil Participação de mercado % 24,6% 25,2% 25,9% 26,7% 27,4% Posição 2º 2º 2º 2º 2º Contribuições R$ mil Participação de mercado % 38,6% 38,4% 37,3% 40,2% 40,3% Posição 1º 1º 1º 1º 1º C apitalização Reservas R$ mil Participação de mercado % 37,5% 38,2% 39,3% 38,7% 39,3% Posição 1º 1º 1º 1º 1º Arrecadação R$ mil Participação de mercado % 30,5% 29,1% 30,6% 27,3% 31,6% Posição 1º 1º 1º 2º 1º Fonte: Susep BB Seguridade Participações S.A. Análise de Desempenho 2T15 14

15 Tabela 4 Ações Composição acionária A cio nistas A çõ es P articipação B anco do B rasil ,25% A çõ es em teso uraria ,00% F ree F lo at ,75% Estrangeiros ,70% Pessoa Jurídica ,82% Pessoa Física ,48% T o tal ,00% Tabela 5 Ações Desempenho F luxo T rimestral Unidade 2T 14 3T 14 4T 14 1T 15 2T 15 D esempenho da ação Lucro por ação R$ 0,42 0,41 0,45 0,47 0,50 Dividendos por ação R$ - 0,60-0,79 - Valor patrimonial por ação R$ 3,64 3,63 3,96 3,88 3,62 Cotação de fechamento R$ 32,44 32,20 32,16 32,80 34,10 Dividend yield anualizado¹ % 3,95 4,36 4,16 4,78 4,16 Valor de mercado R$ milhões M últiplo s P/L (12 meses) x 23,60 21,30 19,96 18,62 18,57 P/VPA x 8,92 8,88 8,12 8,45 9,41 D ado s de nego ciação Quantidade de títulos negociados Volume médio diário R$ milhões Volume médio diário BM &FBOVESPA R$ milhões Participação no volume médio BM &FBOVESPA % 2,19 2,08 1,90 2,83 2,50 ¹ Dividend yield anualizado, calculado com base nos dividendos distribuídos nos últimos 12 meses, dividido pelo preço médio da ação no mesmo período. BB Seguridade Participações S.A. Análise de Desempenho 2T15 15

16

17 2. A N Á L I S E D O R E S U L T A D O D E M O N S T R A Ç Ã O D O R E S U L T A D O A J U S T A D A Tabela 6 Análise do Resultado Demonstração do resultado ajustada F luxo T rimestral Var. % F luxo Semestral Var. % R $ mil 2T 14 1T 15 2T 15 s/ 2T 14 s/ 1T 15 1S14 1S15 s/ 1S14 R esultado de investimento s em participaçõ es so cietárias ,9 4, ,5 Negócios de risco e acumulação ,4 0, ,7 Vida, Habitacional e Rural ,3 (2,7) ,5 Patrimônio e Automóvel ,8 1, ,0 Previdência ,0 (4,8) ,8 Resseguro ,5 81, ,7 Capitalização ,5 (7,5) ,5 Planos Odontológicos - (194) Negócios de distribuição ,7 9, ,1 Outros (1.816) (8,8) (33,5) D espesas gerais e administrativas (14.076) (11.714) (11.855) (15,8) 1,2 (22.039) (23.569) 6,9 Despesas com pessoal (8.418) (7.665) (10.137) 20,4 32,3 (14.364) (17.802) 23,9 Despesas administrativas (5.794) (3.838) (2.107) (63,6) (45,1) (6.563) (5.945) (9,4) Despesas com tributos (17) (473) (12) (26,8) (97,4) (1.265) (485) (61,6) Outras receitas e despesas operacionais ,4 53, ,6 R esultado financeiro ,0 3, ,8 Receitas financeiras ,0 (85,0) ,7 Despesas financeiras - (26.958) (18.145) (26.958) 48,6 Lucro lí quido ajustado ,7 4, ,1 BB Seguridade Participações S.A. Análise de Desempenho 2T15 17

18 C O M P O S I Ç Ã O D O R E S U L T A D O Figura 18 Análise do Resultado Composição do resultado¹ - 2T14 Figura 19 Análise do Resultado Composição do resultado¹ - 2T15 Corretagem 40,3% Resseguro 5,5% Vida, Habitacional e Rural 29,8% Previdência 14,7% Capitalização 7,0% Patrimônio e Automóvel 2,7% Corretagem 39,1% Plano Odontológico 0,0% Resseguro 4,7% Vida, Habitacional e Rural 28,8% Previdência 15,8% Capitalização 6,5% Patrimônio e Automóvel 5,0% ¹ Não inclui os resultados individuais das holdings BB Seguridade, BB Seguros, BB Cor e da operação com planos ondontológicos quando negativos. Figura 20 Análise do Resultado Composição do resultado¹ - 1S14 Figura 21 Análise do Resultado Composição do resultado¹ - 1S15 Corretagem 39,8% Vida, Habitacional e Rural 28,3% Capitalização 6,8% Corretagem 38,1% Vida, Habitacional e Rural 29,7% Capitalização 6,9% Resseguro 3,7% Previdência 17,0% Patrimônio e Automóvel 4,4% Plano Odontológico 0,0% Resseguro 3,7% Previdência 16,5% Patrimônio e Automóvel 5,1% ¹ Não inclui os resultados individuais das holdings BB Seguridade, BB Seguros, BB Cor e da operação com planos ondontológicos quando negativos. BB Seguridade Participações S.A. Análise de Desempenho 2T15 18

19 E V E N T O S E X T R A O R D I N Á R I O S Tabela 7 Eventos extraordinários F luxo T rimestral Var. % F luxo Semestral Var. % R $ mil 2T 14 1T 15 2T 15 s/ 2T 14 s/ 1T 15 1S14 1S15 s/ 1S14 Lucro lí quido ajustado ,7 4, ,1 Evento s extrao rdinário s Brasilprev: reversão de provisão Lucro lí quido co ntábil ,7 28, ,9 Brasilprev Reversão de provisão: em dezembro de 2014, em decorrência do cumprimento da resolução CNSP nº 281/13 e da circular SUSEP nº 462/13, a Brasilprev contabilizou R$1,0 bilhão em reversões referente a todo o saldo registrado em Provisão para Insuficiência de Contribuições (PIC) e em Provisão para Oscilações Financeiras (POF). De forma concomitante, a Brasilprev realizou seu Teste de Adequação de Passivos semestral com base nas demonstrações financeiras de dezembro de 2014, em cumprimento a circular SUSEP nº 457/12, e contabilizou R$514,1 milhões a título de Provisão Complementar de Cobertura (PCC). O TAP avalia as obrigações decorrentes dos contratos de previdência e, quando constatada insuficiência nas provisões técnicas, a companhia pode adotar duas alternativas: uso dos Ganhos Não Realizados (estratégia adotada até jun/2014); ou constituição da PCC (estratégia utilizada pontualmente em dez/2014). Até junho de 2014, a Brasilprev vinha utilizando os ganhos não realizados para compensar possível insuficiência de provisões técnicas apontada pelo TAP. Em dezembro de 2014, data limite para reversão das Outras Provisões Técnicas (conta onde estavam alocados os saldos de PIC e POF), a SUSEP permitiu a utilização de uma estrutura a termo de taxa de juros (ETTJ) alternativa, para minimizar a volatilidade inerente à metodologia da ETTJ original. Neste contexto, a Brasilprev optou por utilizar pontualmente a constituição de PCC para compensar insuficiência de provisões técnicas apontada pelo TAP de dezembro de Por ocasião da realização do TAP com data-base de junho/2015, e em decorrência da volatilidade da ETTJ, a Brasilprev, amparada os Parágrafos 2º e 3º, do Art.8º, da Circular SUSEP nº 457/12, voltou a adotar o procedimento anterior que consistia na utilização de ganhos não-realizados de ativos garantidores das provisões técnicas mantidos até o vencimento para compensar uma possível insuficiência de provisionamento apontada pelo TAP. Neste contexto, com base no TAP realizado com data-base junho de 2015, houve a reversão do saldo de PCC existente no montante de R$514,1 milhões, o que resultou num impacto positivo de R$294,1 milhões no lucro líquido da Brasilprev, equivalente a um efeito líquido de R$220,5 milhões no resultado da BB Seguridade. BB Seguridade Participações S.A. Análise de Desempenho 2T15 19

20 R E S U L T A D O D E I N V E S T I M E N T O E M P A R T I C I P A Ç Õ E S S O C I E T Á R I A S Figura 22 Análise do Resultado Resultado de participações (R$ milhões) , T13 4T13 1T14 2T14 3T14 4T14 1T15 2T15 Negócios de risco e acumulação Negócios de distribuição Outros ANÁLISE DO TRIMESTRE O resultado de investimentos em participações societárias da BB Seguridade atingiu R$1,0 bilhão no 2T15, com crescimento de 16,9% em relação ao 2T14 suportado pela evolução de R$98,5 milhões no resultado proveniente dos negócios de risco e acumulação (empresas coligadas da BB Seguros) e pelo crescimento de R$ 46,8 milhões nos negócios de distribuição de produtos de seguridade (BB Corretora). ANÁLISE DO SEMESTRE No 1S15, o resultado de investimentos em participações societárias foi de R$2,0 bilhões, alta de 29,5% em relação ao mesmo período de 2014, explicado por um crescimento de R$304,9 milhões no resultado proveniente dos negócios de risco e acumulação e pela evolução de R$144,4 milhões no resultado originado pelos negócios de distribuição de produtos de seguridade. N E G Ó C I O S D E R I S C O E A C U M U L A Ç Ã O Figura 23 Análise do Resultado Resultado de investimento em participações de negócios de risco e acumulação (R$ milhões) , ,2-0,9-0,2 3T13 4T13 1T14 2T14 3T14 4T14 1T15 2T15 Vida, Habitacional e Rural Patrimônio e Automóvel Previdência Capitalização Resseguro Plano Odontológico ANÁLISE DO TRIMESTRE No 2T15, o resultado proveniente dos negócios de risco e acumulação, representado pelas coligadas da BB Seguros, registrou crescimento de 19,4% em relação ao 2T14, respondendo por 60,4% do resultado total de investimento em participações societárias no período. A evolução observada no comparativo é explicada: (i) pelo aumento de 13,3% no resultado da participação societária na operação de Vida, Habitacional e Rural, decorrente da evolução observada tanto no resultado das operações de seguros como no financeiro; (ii) pelo crescimento de 26,0% do resultado proveniente do segmento de Previdência, impulsionado principalmente por maiores receitas com taxas de gestão, decorrente da expansão do saldo de ativos administrados; e (iii) pelo aumento de 115,8% do resultado proveniente da operação de seguro Auto e Patrimonial, explicado principalmente pela melhora do resultado das operações de seguros e em menor escala pelo crescimento do resultado financeiro. ANÁLISE DO SEMESTRE No 1S15, o resultado proveniente dos negócios de risco e acumulação respondeu por 61,7% do resultado total de investimento em participações societárias, apresentando crescimento de 33,7% em relação ao 1S14, justificado por: (i) crescimento de 36,5% do resultado proveniente da operação de Vida, Habitacional e Rural, decorrente da evolução de R$224,8 milhões do resultado das operações de seguros e do crescimento de R$112,2 milhões do resultado financeiro; (ii) aumento de 25,8% do resultado de participação no segmento de Previdência, impulsionado por maiores receitas com taxas de gestão, decorrente da expansão do saldo de ativos administrados, e pela alta do resultado financeiro, influenciado pelo maior spread entre os recursos próprios e as obrigações da companhia; (iii) evolução de 50,0% do resultado proveniente da operação de seguro Auto e Patrimonial, explicado pelo crescimento tanto do resultado financeiro, como do resultado das operações de seguros; e (iv) crescimento de 32,5% no resultado da operação de Capitalização, justificado principalmente pelo crescimento do resultado financeiro, decorrente do aumento da margem financeira de juros. BB Seguridade Participações S.A. Análise de Desempenho 2T15 20

21 Figura 24 Análise do Resultado Composição do resultado de investimento em participações de negócios de risco e acumulação Figura 25 Análise do Resultado Composição do resultado de investimento em participações de negócios de risco e acumulação 2T14 2T15 1S14 1S15 Patrimônio e Automóv el 4,6% Patrimônio e Automóv el 8,3% Patrimônio e Automóv el 7,3% Patrimônio e Automóv el 8,2% Vida, Habitacional e Rural 49,9% Resseguro 9,2% Prev idência 24,6% Capitalização 11,8% Vida, Habitacional e Rural 47,3% Plano Odontológico 0,1% Resseguro 7,7% Prev idência 26,0% Capitalização 10,7% Vida, Habitacional e Rural 47,0% Resseguro 6,1% Prev idência 28,3% Capitalização 11,2% Vida, Habitacional e Rural 48,0% Plano Odontológico 0,0% Prev idência 26,7% Capitalização 11,1% Resseguro 6,0% N E G Ó C I O S D E D I S T R I B U I Ç Ã O Figura 26 Análise do Resultado Resultado de investimento em participações de negócios de distribuição (R$ milhões) ANÁLISE DO TRIMESTRE O resultado proveniente dos negócios de distribuição, representado em sua totalidade pela BB Corretora, apresentou crescimento de 13,7% no 2T15 em relação ao 2T14, respondendo por 38,8% do resultado total de investimento em participações societárias. Contribuíram para o desempenho no comparativo: 3T13 4T13 1T14 2T14 3T14 4T14 1T15 2T15 (i) (ii) o aumento de 10,3% das receitas de corretagem, suportado por maiores receitas provenientes da SH1, impulsionado pelo ramo de vida e pela apropriação de comissões diferidas no resultado, e pelas comissões oriundas da Brasilprev, em linha com o maior volume de contribuições no período; e o crescimento de 48,3% no resultado financeiro. ANÁLISE DO SEMESTRE No 1S15, o resultado proveniente dos negócios de distribuição cresceu 24,1% em relação ao 1S14, passando a representar 38,0% do resultado total de investimento em participações societárias. O desempenho no comparativo é resultante: (i) do crescimento de 16,8% nas receitas de corretagem, suportado pelas receitas provenientes de SH1, em razão tanto do aumento nas vendas nos produtos de vida e prestamista como da apropriação de comissões diferidas no resultado, e pelas receitas de corretagem advindas da Brasilprev, em linha com o maior volume de contribuições de previdência no período; (ii) melhora de 3,6 p.p. na margem operacional, resultado de queda de 11,1% nas despesas administrativas; e (iii) aumento de 49,3% no resultado financeiro. BB Seguridade Participações S.A. Análise de Desempenho 2T15 21

22 R E S U L T A D O F I N A N C E I R O Figura 27 Análise do Resultado Resultado financeiro (R$ milhões) ANÁLISE DO TRIMESTRE 4,3 2,3 2,2 2,0 1,6 4,6 4,7 No 2T15, o resultado financeiro da BB Seguridade apresentou crescimento de 112,0% em relação ao 2T14. O aumento do resultado financeiro na holding é explicado: -4,6 3T13 4T13 1T14 2T14 3T14 4T14 1T15 2T15 ANÁLISE DO SEMESTRE (i) (ii) pelo aumento da taxa média Selic; e pela expansão do volume médio de ativos rentáveis, compostos por recursos em caixa e dividendos a receber. No 1S15, o resultado financeiro da BB Seguridade cresceu 103,8% em relação ao 1S14, explicado pelo aumento da taxa média Selic e pela expansão do volume médio de ativos rentáveis, compostos por recursos em caixa e dividendos a receber, compensado parcialmente pelo aumento do volume médio de passivos onerosos, compostos basicamente pelo saldo de dividendos a pagar. BB Seguridade Participações S.A. Análise de Desempenho 2T15 22

23 D E S P E S A S G E R A I S E A D M I N I S T R A T I V A S Figura 28 Análise do Resultado Despesas gerais e administrativas (R$ milhões) ANÁLISE DO TRIMESTRE No 2T15, as despesas gerais e administrativas da holding apresentaram queda de 15,8% em relação ao 2T14, explicada pela redução das despesas com taxa condominial e de outras despesas administrativas. A redução dessas despesas administrativas foi parcialmente compensada pelo crescimento das despesas com pessoal, justificado pelo dissídio de 8,5% da categoria, pelo aumento do quadro de funcionários e pela migração de parte dos funcionários da BB Corretora para a BB Seguridade. 3T13 4T13 1T14 2T14 3T14 4T14 1T15 2T15 ANÁLISE DO SEMESTRE No 1S15, as despesas gerais e administrativas cresceram 6,9% em relação ao 1S14. O aumento observado no comparativo é explicado por maiores despesas com pessoal, parcialmente compensado pela queda nas despesas administrativas com taxa condominial, comunicação e outras. Tabela 8 Análise do Resultado Despesas gerais e administrativas F luxo T rimestral Var. % F luxo Semestral Var. % R $ mil 2T 14 1T 15 2T 15 s/ 2T 14 s/ 1T 15 1S14 1S15 s/ 1S14 D espesas administrativas (5.794) (3.838) (2.107) (63,6) (45,1) (6.563) (5.945) (9,4) Serviços técnicos especializados (93) (2.050) (349) 275,3 (83,0) (543) (2.399) 341,8 Taxa condominial (2.256) (642) (388) (82,8) (39,6) (2.256) (1.030) (54,3) Gastos com comunicação (973) (207) (308) (68,3) 48,8 (1.086) (515) (52,6) Outras despesas administrativas (2.472) (939) (1.062) (57,0) 13,1 (2.678) (2.001) (25,3) D espesa co m pesso al (8.418) (7.665) (10.137) 20,4 32,3 (14.364) (17.802) 23,9 Proventos (3.995) (4.308) (5.615) 40,6 30,3 (7.348) (9.923) 35,0 Encargos sociais (2.196) (2.214) (3.103) 41,3 40,2 (4.023) (5.317) 32,2 Honorários (755) (575) (706) (6,5) 22,8 (1.377) (1.281) (7,0) Benefícios (1.472) (568) (713) (51,6) 25,5 (1.616) (1.281) (20,7) D espesas co m tributo s (17) (473) (12) (26,8) (97,4) (1.265) (485) (61,6) Cofins (13) (20) (9) (27,9) (53,1) (13) (29) 126,0 ISS PIS/Pasep (3) (4) (2) (20,7) (40,5) (3) (6) 112,6 IOF - (448) (1.248) (448) (64,1) Outras (1) (1) (1) (31,4) 34,5 (1) (2) 69,6 Outras receitas e despesas o peracio nais ,1 53, ,3 D espesas gerais e administrativas (14.076) (11.714) (11.855) (15,8) 1,2 (22.039) (23.569) 6,9 BB Seguridade Participações S.A. Análise de Desempenho 2T15 23

24 O R I G E M D O R E S U L T A D O Figura 29 Análise do Resultado Resultado operacional não decorrente de juros vs resultado financeiro (R$ milhões)¹ Figura 30 Análise do Resultado Resultado operacional não decorrente de juros vs resultado financeiro (%)¹ ,2 25,5 26,8 26,5 24,5 28,8 31,2 30,6 74,8 74,5 73,2 73,5 75,5 71,2 68,8 69,4 3T13 4T13 1T14 2T14 3T14 4T14 1T15 2T15 Resultado operacional não decorrente de juros Resultado financeiro 3T13 4T13 1T14 2T14 3T14 4T14 1T15 2T15 Resultado operacional não decorrente de juros Resultado financeiro ¹ Valores líquidos de impostos. ANÁLISE DO TRIMESTRE No 2T15, o resultado operacional não decorrente de juros combinado da BB Seguridade e de todas as suas coligadas e controladas respondeu por 69,4% do lucro líquido ajustado da companhia, com crescimento de 11,2% em relação ao 2T14. Já o resultado financeiro, utilizando o mesmo critério de combinação, apresentou crescimento de 35,6% e respondeu por 30,6% do lucro. ANÁLISE DO SEMESTRE No 1S15, o resultado operacional não decorrente de juros combinado apresentou crescimento de 22,6% em relação ao 1S14 e respondeu por 69,1% do lucro líquido da companhia. O resultado financeiro cresceu 50,6% na mesma base de comparação e respondeu por 30,9% do lucro. Tabela 9 Análise do Resultado Resultado operacional não decorrente de juros vs resultado financeiro por segmento¹ F luxo T rimestral Var. % F luxo Semestral Var. % R $ mil 2T 14 1T 15 2T 15 s/ 2T 14 s/ 1T 15 1S14 1S15 s/ 1S14 R esultado o peracio nal não deco rrente de juro s ,2 5, ,6 Vida, Habitacional e Rural ,2 3, ,9 Patrimônio e Automóvel (13.927) , ,0 Previdência ,6 7, ,3 Capitalização (5,5) (6,3) ,8 Resseguro (362) (74,8) Planos Odontológicos - (266) Holdings e corretora ,2 8, ,5 R esultado financeiro ,6 2, ,6 Vida, Habitacional e Rural ,5 (17,2) ,5 Patrimônio e Automóvel ,2 (9,5) ,7 Previdência ,6 (19,9) ,5 Capitalização ,2 (8,0) ,9 Resseguro ,3 163, ,8 Planos Odontológicos (44,7) Holdings e corretora ,5 93, ,9 Lucro lí quido ajustado ,7 4, ,1 ¹ Valores líquidos de impostos considerando a alíquota efetiva de cada companhia. BB Seguridade Participações S.A. Análise de Desempenho 2T15 24

25 R E S U L T A D O O P E R A C I O N A L N Ã O D E C O R R E N T E D E J U R O S ANÁLISE DO TRIMESTRE O resultado operacional não decorrente de juros combinado somou R$690,5 milhões no 2T15, crescimento de R$69,4 milhões em relação ao 2T14, explicado principalmente: (i) pelo crescimento de R$54,2 milhões no resultado operacional da BB Corretora, decorrente de maiores receitas de corretagem e do aumento da margem operacional; (ii) pela evolução de R$18,1 milhões no resultado operacional não decorrente de juros da operação de Vida, Habitacional e Rural, justificado principalmente pela melhora no índice de despesas gerais e administrativas; (iii) pela alta de R$19,7 milhões no resultado operacional não decorrente de juros da operação de Auto e Patrimonial, revertendo o saldo negativo de R$13,9 milhões registrado no 2T14 devido principalmente a melhora da sinistralidade; e (iv) pelo aumento de R$19,9 milhões no resultado operacional não decorrente de juros da operação de Previdência, explicada em grande parte pela alta de 28,9% das receitas com taxas de gestão em razão da expansão do volume médio de recursos administrados. ANÁLISE DO SEMESTRE No 1S15, o resultado operacional não decorrente de juros totalizou R$1,3 bilhão, crescimento de R$248,0 milhões no comparativo com o 1S14 e, explicado principalmente: (i) pelo crescimento de R$191,8 milhões no resultado operacional da BB Corretora, em função do aumento de 16,8% nas receitas de corretagem e da melhora de 3,6 p.p. na margem operacional, como consequência da queda nas despesas administrativas; (ii) pela evolução de R$102,3 milhões no resultado operacional não decorrente de juros da operação de Vida, Habitacional e Rural, justificado pela melhora nos índices de despesas gerais e administrativas (-2,7 p.p.) e de sinistralidade (-2,4 p.p.); (iii) pelo crescimento de R$31,8 milhões no resultado operacional não decorrente de juros da operação de Previdência, explicado em grande parte pelo aumento das receitas com taxa de gestão em virtude da expansão no saldo médio de recursos administrados. R E S U L T A D O F I N A N C E I R O Figura 31 Análise do Resultado Taxa média Selic (%) Figura 32 Análise do Resultado Curva de juros (%) 13,1 12,2 10,4 10,9 10,9 11,2 1T14 2T14 3T14 4T14 1T15 2T15 14,24 Jun/15 13,95 13,27 Mar/15 13,13 12,99 13,50 13,39 13,23 12,94 12,66 12,72 12,77 Mar/14 12,46 12,08 11,80 11,93 11,98 Jun/14 11,54 11,16 DI1F16 DI1F17 DI1F18 DI1F19 DI1F20 Fonte: Bacen Fonte: ValorPro ANÁLISE DO TRIMESTRE O resultado financeiro combinado da BB Seguridade e de suas controladas e coligadas somou R$304,2 milhões no 2T15, crescimento de R$79,8 milhões em relação ao 2T14. A melhora no desempenho do resultado financeiro foi um movimento comum a todas as companhias e resulta fundamentalmente do aumento tanto de taxa média, impulsionado por uma maior taxa Selic, como do volume médio de ativos rentáveis. ANÁLISE DO SEMESTRE No 1S15, o resultado financeiro combinado da BB Seguridade e de suas controladas e coligadas atingiu R$600,2 milhões, crescimento de R$201,6 milhões em relação ao 1S14. O crescimento observado no comparativo é justificado pelo aumento tanto da taxa média dos recursos, impulsionado por uma maior taxa Selic e por uma melhor performance dos ativos indexados a inflação no início do ano, como do volume médio de ativos rentáveis. BB Seguridade Participações S.A. Análise de Desempenho 2T15 25

4T14. Análise do Desempenho. BB Seguridade Participações S.A

4T14. Análise do Desempenho. BB Seguridade Participações S.A 4T14 Análise do Desempenho BB Seguridade Participações S.A Este Relatório faz referências e declarações sobre expectativas, sinergias planejadas, estimativas de crescimento, projeções de resultado e estratégias

Leia mais

Teleconferência Resultado 2T2013 13/08/2013

Teleconferência Resultado 2T2013 13/08/2013 Teleconferência Resultado 2T2013 13/08/2013 BB Seguridade S.A. Resultado do 2º Trimestre de 2013 Aviso Importante Esta apresentação faz referências e declarações sobre expectativas, sinergias planejadas,

Leia mais

1T13. Análise do Desempenho. BB Seguridade Participações S.A

1T13. Análise do Desempenho. BB Seguridade Participações S.A 1T13 Análise do Desempenho BB Seguridade Participações S.A A BB Seguridade Participações S.A. ( Companhia ) encontra-se em período de silêncio, pois ainda não foi publicado o Anúncio de Encerramento da

Leia mais

PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$110,9 MILHÕES OU R$0,48

PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$110,9 MILHÕES OU R$0,48 PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$110,9 MILHÕES OU R$0,48 POR AÇÃO ATÉ MAIO DE 2008. São Paulo, 02 de julho de 2008 Porto Seguro S.A. (BOVESPA: PSSA3), anuncia os resultados dos 5M08. As informações

Leia mais

Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006.

Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006. Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006. São Paulo, 28 de fevereiro de 2007 - A Porto Seguro S.A. (Bovespa: PSSA3) anuncia seu resultado

Leia mais

Release de Resultado Janeiro/08

Release de Resultado Janeiro/08 PORTO SEGURO anuncia lucro líquido de R$10,0 milhões ou R$0,13 por ação em janeiro de 2008 São Paulo, 17 de Março de 2008 Porto Seguro S.A. (BOVESPA: PSSA3), anuncia os resultados de janeiro de 2008. As

Leia mais

Release de Resultado 3T08

Release de Resultado 3T08 PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$75,0 MILHÕES OU R$0,33 POR AÇÃO NO E R$211,6 MILHÕES OU R$0,92 POR AÇÃO NO 9M08. São Paulo, 7 de Novembro de 2008 Porto Seguro S.A. (BOVESPA: PSSA3), anuncia os

Leia mais

Divulgação de Resultados 2T08

Divulgação de Resultados 2T08 Divulgação de Resultados 2T08 Rio de Janeiro, 14 de agosto de 2008 A Sul América S.A. (Bovespa: SULA11) anuncia hoje os resultados do segundo trimestre de 2008 (2T08). As informações operacionais e financeiras

Leia mais

Panorama e Perspectivas 2011/2012. Mercado de Seguros, Previdência Complementar Aberta e Capitalização

Panorama e Perspectivas 2011/2012. Mercado de Seguros, Previdência Complementar Aberta e Capitalização Panorama e Perspectivas / Mercado de Seguros, Previdência Complementar Aberta e Capitalização 1. Sumário Executivo... 2 2. Seguradoras do grupo de seguros gerais... 2 2.1 Ramos do grupo de seguros gerais...

Leia mais

F.Q.S. DI - Fundo de Aplicação em Quotas de Fundos de Investimento Financeiro (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de

F.Q.S. DI - Fundo de Aplicação em Quotas de Fundos de Investimento Financeiro (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de F.Q.S. DI - Fundo de Aplicação em Quotas de Fundos de Investimento Financeiro Demonstrações financeiras em 31 de março de 2004 e de 2003 e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores independentes

Leia mais

3T15. Análise do Desempenho. BB Seguridade Participações S.A

3T15. Análise do Desempenho. BB Seguridade Participações S.A 3T15 Análise do Desempenho BB Seguridade Participações S.A A P R E S E N T A Ç Ã O O relatório Análise do Desempenho apresenta a situação econômico-financeira da BB Seguridade Participações S.A. (BB Seguridade).

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 e 2008. (Em milhares de reais)

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 e 2008. (Em milhares de reais) NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 e 2008 (Em milhares de reais) NOTA 1 - CONTEXTO OPERACIONAL A Seguradora está autorizada a operar em seguros do

Leia mais

Porto Seguro Anuncia Lucro Líquido de R$ 44,2 milhões no 4T04 Crescimento de 22% dos Prêmios Auferidos em 2004

Porto Seguro Anuncia Lucro Líquido de R$ 44,2 milhões no 4T04 Crescimento de 22% dos Prêmios Auferidos em 2004 Porto Seguro Anuncia Lucro Líquido de R$ 44,2 milhões no 4T04 Crescimento de 22% dos Prêmios Auferidos em 2004 São Paulo, 25 de fevereiro de 2005 - A Porto Seguro S.A. (Bovespa: PSSA3) anuncia hoje seus

Leia mais

Resultados 1T07 10 de maio de 2007

Resultados 1T07 10 de maio de 2007 PUBLICIDADE CAIXA CRESCEU 102% BASE DE ASSINANTES BANDA LARGA CRESCEU 32% São Paulo, O UOL (BOVESPA: UOLL4) anuncia hoje os resultados do 1T07. As demonstrações financeiras da Companhia são elaboradas

Leia mais

Conferência Telefônica dos Resultados do 4T11 e 2011. 01/03/2011 às 09:30h

Conferência Telefônica dos Resultados do 4T11 e 2011. 01/03/2011 às 09:30h Conferência Telefônica dos Resultados do 4T11 e 2011 01/03/2011 às 09:30h Agenda 4T11e 2011 Principais Realizações e Destaques em 2011 Receitas, Lucro Líquido e Retorno sobre Capital Desempenho dos principais

Leia mais

A representação institucional do mercado segurador

A representação institucional do mercado segurador A representação institucional do mercado segurador A Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização CNseg é a entidade de representação

Leia mais

SOARES & ASSOCIADOS AUDITORES INDEPENDENTES

SOARES & ASSOCIADOS AUDITORES INDEPENDENTES SOARES & ASSOCIADOS AUDITORES INDEPENDENTES Ilmos. Srs. Diretores e Acionistas de BVA Seguros S/A Rio de Janeiro - RJ RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES Examinamos as demonstrações financeiras individuais

Leia mais

SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS

SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS CIRCULAR SUSEP N o 457, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2012. Institui o Teste de Adequação de Passivos para fins de elaboração das demonstrações financeiras e define regras e

Leia mais

A companhia permanece com o objetivo de investir seus recursos na participação do capital de outras sociedades.

A companhia permanece com o objetivo de investir seus recursos na participação do capital de outras sociedades. RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Apresentamos as Demonstrações Financeiras da Mehir Holdings S.A. referente ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2004 e as respectivas Notas

Leia mais

Reunião Pública de Analistas 1T11

Reunião Pública de Analistas 1T11 Reunião Pública de Analistas 1T11 Porto Seguro Inicio das atividades Mudança de Controle Líder nacional em seguro de automóvel Líder nacional em seguro de residência Empregados Diretos Porto S/A Sucursais

Leia mais

Divulgação de Resultados 1T14

Divulgação de Resultados 1T14 Divulgação de Resultados 1T14 A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private-equity ( Fundos

Leia mais

Divulgação de Resultados 1T15

Divulgação de Resultados 1T15 São Paulo - SP, 06 de Maio de 2015. A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private equity

Leia mais

Apresentação Institucional Setembro 2013

Apresentação Institucional Setembro 2013 Apresentação Institucional Setembro 2013 BB Seguridade Maior Companhia de Seguros, Previdência e Capitalização da América Latina* Rápido Crescimento com Alta Rentabilidade Maior Corretora de Seguros da

Leia mais

Safra Fundo Mútuo de Privatização FGTS Vale do Rio Doce (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30

Safra Fundo Mútuo de Privatização FGTS Vale do Rio Doce (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30 Safra Fundo Mútuo de Privatização FGTS Vale do Rio Doce Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30 de setembro de 2003 e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores independentes

Leia mais

Divulgação de Resultados 2014

Divulgação de Resultados 2014 São Paulo - SP, 10 de Fevereiro de 2015. A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private-equity

Leia mais

RESULTADOS 2T15 Teleconferência 10 de agosto de 2015

RESULTADOS 2T15 Teleconferência 10 de agosto de 2015 RESULTADOS 2T15 Teleconferência 10 de agosto de 2015 AVISO Nesta apresentação nós fazemos declarações prospectivas que estão sujeitas a riscos e incertezas. Tais declarações têm como base crenças e suposições

Leia mais

Press Release Novembro/07

Press Release Novembro/07 Press Release Novembro/07 Lucro Líquido de R$395,4 milhões ou R$ 5,14 por ação, de Janeiro a Novembro de 2007. São Paulo, 02 de janeiro de 2008 - A Porto Seguro S.A. (Bovespa: PSSA3) anuncia seu resultado

Leia mais

Release de Resultados do 1T10

Release de Resultados do 1T10 Release de Resultados do 1T10 Fale com R.I Relações com Investidores Tel: (11) 3366-5323 / 3366-5378 www.portoseguro.com.br, gri@portoseguro.com.br Porto Seguro S.A. Alameda Ribeiro da Silva, 275 1º andar

Leia mais

BICBANCO STOCK INDEX AÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO EM TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS

BICBANCO STOCK INDEX AÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO EM TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS BICBANCO STOCK INDEX AÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO EM TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS (Administrado pelo Banco Industrial e Comercial S.A.) DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS REFERENTES AO EXERCÍCIO FINDO EM 30 DE SETEMBRO

Leia mais

Apresentação Institucional Junho 2013

Apresentação Institucional Junho 2013 Apresentação Institucional Junho 2013 BB Seguridade Maior Companhia de Seguros, Previdência e Capitalização da América Latina Rápido Crescimento com Alta Rentabilidade Maior Corretora de Seguros da América

Leia mais

Reunião Pública dos Analistas 1T12

Reunião Pública dos Analistas 1T12 Reunião Pública dos Analistas Agenda Visão da Indústria de Seguros Cenário Atual Perspectivas Visão Geral da Estrutura Linhas de Negócio Estratégia e Cultura Resultados em 2011 Principais Realizações e

Leia mais

11 CIRCULANTE 111 DISPONÍVEL 1111 CAIXA 11111 CAIXA 1112 VALORES EM TRÂNSITO 11121 VALORES EM TRÂNSITO 11122 CHEQUES EMITIDOS

11 CIRCULANTE 111 DISPONÍVEL 1111 CAIXA 11111 CAIXA 1112 VALORES EM TRÂNSITO 11121 VALORES EM TRÂNSITO 11122 CHEQUES EMITIDOS 1 ATIVO 1 11 CIRCULANTE 111 DISPONÍVEL 1111 CAIXA 11111 CAIXA 1112 VALORES EM TRÂNSITO 11121 VALORES EM TRÂNSITO 11122 CHEQUES EMITIDOS 1113 BANCOS CONTA DEPÓSITOS 11131 BANCOS CONTA DEPÓSITOS - MOVIMENTO

Leia mais

Especial Lucro dos Bancos

Especial Lucro dos Bancos Boletim Econômico Edição nº 90 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Especial Lucro dos Bancos 1 Tabela dos Lucros em 2014 Ano Banco Período Lucro 2 0 1 4 Itaú Unibanco

Leia mais

Reunião Pública de Analistas 2T10

Reunião Pública de Analistas 2T10 Reunião Pública de Analistas 2T10 Porto Seguro Inicio das atividades Mudança de Controle Líder nacional em seguro de automóvel Maior seguradora do Brasil Posição Companhia `Principal Produto 1 Bradesco

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2015 - SUL AMERICA S/A Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2015 - SUL AMERICA S/A Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Apresentação Institucional 2014

Apresentação Institucional 2014 Apresentação Institucional 2014 Visão Geral Histórico 2013 IPO BB Seguridade Participação acionária no IRB Brasil RE 2012 1981 Início da operação de seguros do BB 1987 Criação da BB Corretora 1992 Criação

Leia mais

Destaques Operacionais. Desempenho Financeiro

Destaques Operacionais. Desempenho Financeiro Press Release Destaques Operacionais O Banrisul apresentou, nos nove meses de 2011, trajetória ascendente de crescimento no crédito. Os indicadores de inadimplência e de qualidade da carteira mantiveram-se

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS BRASILPREV PECÚLIO PGBL E VGBL

NOTAS EXPLICATIVAS BRASILPREV PECÚLIO PGBL E VGBL NOTAS EXPLICATIVAS BRASILPREV PECÚLIO PGBL E VGBL O que é um Plano Brasilprev Pecúlio? O plano Brasilprev Pecúlio é uma solução moderna e flexível que ajuda você a acumular recursos para a realização dos

Leia mais

SINCOR-SP 2015 OUTUBRO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 OUTUBRO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS OUTUBRO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

Demonstrativo de Preço

Demonstrativo de Preço 11:24 1/13 Demonstrativo de Preço 1. Sumário das Análises Apresentadas Nas análises apresentadas nesse documento demonstramos: (i) Como foi atingido o valor implícito da Telemig Celular (Operadora) (ii)

Leia mais

Abril Educação S.A. Informações Pro Forma em 31 de dezembro de 2011

Abril Educação S.A. Informações Pro Forma em 31 de dezembro de 2011 Informações Pro Forma em 31 de dezembro de 2011 RESULTADOS PRO FORMA NÃO AUDITADOS CONSOLIDADOS DA ABRIL EDUCAÇÃO As informações financeiras consolidadas pro forma não auditadas para 31 de dezembro de

Leia mais

Divulgação de Resultados Segundo Trimestre de 2015

Divulgação de Resultados Segundo Trimestre de 2015 Divulgação de Resultados Segundo Trimestre de 2015 Apresentação da Teleconferência 06 de agosto de 2015 Para informações adicionais, favor ler cuidadosamente o aviso ao final desta apresentação. Divulgação

Leia mais

Reunião Pública dos Analistas 4T11

Reunião Pública dos Analistas 4T11 Grjrr Reunião Pública dos Analistas 4T11 Porto Seguro Agenda Visão da Indústria de Seguros Cenário Atual Perspectivas Visão Geral da Porto Seguro Estrutura Linhas de Negócio Estratégia e Cultura Resultados

Leia mais

RELATÓRIO DE RELAÇÕES COM INVESTIDORES RESULTADOS 1T10 156.512.000,00

RELATÓRIO DE RELAÇÕES COM INVESTIDORES RESULTADOS 1T10 156.512.000,00 RELATÓRIO DE RELAÇÕES COM INVESTIDORES RESULTADOS 156.512.000,00 Resultados do RESULTADOS São Paulo, 14 de maio de 2010 A BRADESPAR [BM&FBOVESPA: BRAP3 (ON), BRAP4 (PN); LATIBEX: XBRPO (ON), XBRPP (PN)]

Leia mais

SINCOR-SP 2015 JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011

Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011 Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011 RESULTADOS PRO FORMA NÃO AUDITADOS CONSOLIDADOS DA ABRIL EDUCAÇÃO As informações financeiras consolidadas pro forma não auditadas para 30

Leia mais

Sumário do Resultado 2T09

Sumário do Resultado 2T09 Sumário do Resultado 1 BB lucra R$ 4,0 bilhões no 1º semestre de 2009 O Banco do Brasil registrou lucro líquido de R$ 4.014 milhões no 1S09, resultado que corresponde a retorno sobre Patrimônio Líquido

Leia mais

Teleconferência - Resultado 1T15 08/05/2015

Teleconferência - Resultado 1T15 08/05/2015 Teleconferência - Resultado 1T15 08/05/2015 BBSEY ADR - Level I Aviso Importante Esta apresentação faz referências e declarações sobre expectativas, sinergias planejadas, estimativas de crescimento, projeções

Leia mais

O Lucro Líquido do 1T12 foi de R$2,5 MM, superior em R$10,7 MM ao prejuízo do 1T11, de R$8,2 MM negativos.

O Lucro Líquido do 1T12 foi de R$2,5 MM, superior em R$10,7 MM ao prejuízo do 1T11, de R$8,2 MM negativos. São Paulo, 13 de maio de 2013 - A Unidas S.A. ( Companhia ou Unidas ) anuncia os seus resultados do primeiro trimestre de 2012 (). As informações financeiras são apresentadas em milhões de Reais, exceto

Leia mais

BB SEGURIDADE PARTICIPAÇÕES S.A - AGO 30.04.2014. Propostas da Administração e Demais Documentos para Informação aos Acionistas

BB SEGURIDADE PARTICIPAÇÕES S.A - AGO 30.04.2014. Propostas da Administração e Demais Documentos para Informação aos Acionistas BB SEGURIDADE PARTICIPAÇÕES S.A - AGO 30.04.2014 Propostas da Administração e Demais Documentos para Informação aos Acionistas Assembleia Geral Ordinária 1. Comentários da Administração (CVM 481, Art.

Leia mais

RESULTADOS 3T11. Grupo Pão de Açúcar e Globex Utilidades. 4 de novembro de 2011

RESULTADOS 3T11. Grupo Pão de Açúcar e Globex Utilidades. 4 de novembro de 2011 RESULTADOS 3T11 Grupo Pão de Açúcar e Globex Utilidades 4 de novembro de 2011 ELETRO GPA ALIMENTAR AGENDA RESULTADOS Supermercados Proximidade Atacarejo Postos e Drogarias Hipermercado Lojas Especializadas

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2015 - SUL AMERICA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2015 - SUL AMERICA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Apresentação Institucional Março 2013

Apresentação Institucional Março 2013 Apresentação Institucional Março 2013 BB Seguridade Maior Companhia de Seguros, Previdência e Capitalização da América Latina Rápido Crescimento com Alta Rentabilidade Maior Corretora de Seguros da América

Leia mais

Mecanismo de Ressarcimento de Prejuízos (anteriormente denominado Fundo de Garantia da Bolsa de Valores de São Paulo)

Mecanismo de Ressarcimento de Prejuízos (anteriormente denominado Fundo de Garantia da Bolsa de Valores de São Paulo) 1. Contexto operacional A Bolsa de Valores de São Paulo (BOVESPA), por força do disposto no regulamento anexo à Resolução no. 2.690, de 28 de janeiro de 2000, do Conselho Monetário Nacional, mantinha um

Leia mais

Resultados do 2T08 PSSA3

Resultados do 2T08 PSSA3 Resultados do PSSA3 Perspectivas Perspectivas para o para segundo 2008 semestre de 2008 A Aumento criação de de empregos 31,6% no formais número até de empregos junho foi o formais maior desde em relação

Leia mais

CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 2 SUMÁRIO Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita de

Leia mais

SEGUROS DIRETOS R$ 15.575.883 43,36% R$ 18.153.604 43,69% 16,55% DPVAT R$ 1.267.600 3,53% R$ 1.436.782 3,46% 13,35%

SEGUROS DIRETOS R$ 15.575.883 43,36% R$ 18.153.604 43,69% 16,55% DPVAT R$ 1.267.600 3,53% R$ 1.436.782 3,46% 13,35% MERCADO BRASILEIRO DE SEGUROS JAN A ABRIL 2011 Tomando por base os números divulgados hoje pela SUSEP através do sistema de informações SES (que tem como fonte os FIPS enviados pelas empresas) o mercado

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 998, DE 21 DE MAIO DE 2004

RESOLUÇÃO Nº 998, DE 21 DE MAIO DE 2004 CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE RESOLUÇÃO Nº 998, DE 21 DE MAIO DE 2004 Aprova a NBC T 19.2 - Tributos sobre Lucros. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais,

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01896-1 MEHIR HOLDINGS S.A. 04.310.392/0001-46 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01896-1 MEHIR HOLDINGS S.A. 04.310.392/0001-46 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/25 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Divulgação Externa O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO

Leia mais

Ao seu lado, onde você estiver, no que você precisar.

Ao seu lado, onde você estiver, no que você precisar. Ao seu lado, onde você estiver, no que você precisar. 0 0 Participação da Indústria no PIB - Internacional Prêmios/PIB em % (2004) 1 1 A Indústria de Seguros no Brasil Desde a implantação do Plano Real,

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS BRASILPREV PECÚLIO PGBL E VGBL

NOTAS EXPLICATIVAS BRASILPREV PECÚLIO PGBL E VGBL NOTAS EXPLICATIVAS BRASILPREV PECÚLIO PGBL E VGBL O que é um Plano Brasilprev Pecúlio? O plano Brasilprev Pecúlio é uma solução moderna e flexível que ajuda você a acumular recursos para a realização dos

Leia mais

SINCOR-SP 2015 JULHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 JULHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS JULHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

A Taxa Média de Retorno do Patrimônio Líquido foi equivalente a uma aplicação financeira com remuneração anual de 34,69% contra 24,94%.

A Taxa Média de Retorno do Patrimônio Líquido foi equivalente a uma aplicação financeira com remuneração anual de 34,69% contra 24,94%. 1- INTRODUÇÃO: A SUSEP liberou no dia 07/03/2015 os números do Mercado de Seguros e Previdência referente ao mês de janeiro 2015. Cabe ainda lembrar que esses números se referem ao banco de dados SES o

Leia mais

Prática - desenvolvimento de sistemas Av. Assis Brasil 1800/302 - Porto Alegre - RS - CEP:91010-001. Empresa: Plano referencial 4 - Seguradoras

Prática - desenvolvimento de sistemas Av. Assis Brasil 1800/302 - Porto Alegre - RS - CEP:91010-001. Empresa: Plano referencial 4 - Seguradoras 1 ATIVO 1.01 CIRCULANTE 1.01.01 DISPONÍVEL 1.01.01.01 Caixa 1.01.01.02 Valores em Trânsito 1.01.01.03 Bancos Conta Depósitos 1.01.01.04 Aplicações no Mercado Aberto 1.01.02 APLICAÇÕES 1.01.02.01 Títulos

Leia mais

PATACÃO DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA.

PATACÃO DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. 1. CONTEXTO OPERACIONAL A Patacão Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. ( Distribuidora ) tem como objetivo atuar no mercado de títulos e valores mobiliários em seu nome ou em nome de terceiros.

Leia mais

Ilmos. Senhores - Diretores e Acionistas da LINK S/A CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS

Ilmos. Senhores - Diretores e Acionistas da LINK S/A CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS A-PDF MERGER DEMO PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES São Paulo,04 de agosto de 2006. Ilmos. Senhores - es e Acionistas da LINK S/A CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS 1. Examinamos os balanços

Leia mais

BANCO DO BRASIL 1º Trimestre 2012

BANCO DO BRASIL 1º Trimestre 2012 BANCO DO BRASIL 1º Trimestre 2012 Aviso Importante Esta apresentação faz referências e declarações sobre expectativas, sinergias planejadas, estimativas de crescimento, projeções de resultados e estratégias

Leia mais

Demonstrações Contábeis. Exercício 2015

Demonstrações Contábeis. Exercício 2015 Demonstrações Contábeis Senhores Acionistas, Submetemos à apreciação de V.Sas. as Demonstrações Financeiras da BB Seguros Participações S.A. ( BB Seguros ), relativas ao exercício findo em 31 de dezembro

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - PORTO SEGURO SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - PORTO SEGURO SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

RESULTADOS 2T11. Grupo Pão de Açúcar e Globex Utilidades. 26 de julho de 2011

RESULTADOS 2T11. Grupo Pão de Açúcar e Globex Utilidades. 26 de julho de 2011 RESULTADOS 2T11 Grupo Pão de Açúcar e Globex Utilidades 26 de julho de 2011 DESTAQUES DO 2T11 Impacto macroeconômico > IPCA 12 meses: +6,7% > Crescimento real GPA Alimentar: +2,3% > Aumento taxa Selic

Leia mais

BRB ANUNCIA RESULTADOS DO 2T15

BRB ANUNCIA RESULTADOS DO 2T15 BRB ANUNCIA RESULTADOS DO 2T15 Brasília, 26 de agosto de 2015 O BRB - Banco de Brasília S.A., sociedade de economia mista, cujo acionista majoritário é o Governo de Brasília, anuncia seus resultados do

Leia mais

Sexta-feira 14.05.2010 Divulgação do Resultado do Primeiro Trimestre de 2010

Sexta-feira 14.05.2010 Divulgação do Resultado do Primeiro Trimestre de 2010 Press Release 9 Bovespa: BRSR3, BRSR5, BRSR6 Este Press Release pode conter informações sobre eventos futuros. Tais informações não seriam apenas fatos históricos, mas refletiriam os desejos e as expectativas

Leia mais

Porto Seguro S.A. Receitas Totais

Porto Seguro S.A. Receitas Totais Porto Seguro S.A. Porto Seguro S.A. Receitas Totais R$ m ilhões 2006 2005 Variação Receitas Totais 4.548,1 3.849,9 18,1% (R$ milhões) 4.548,1 3.849,9 2.384,6 2.758,5 3.232,4 2002 2003 2004 2005 2006 CAGR

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS BRASILPREV EXCLUSIVO PGBL E VGBL

NOTAS EXPLICATIVAS BRASILPREV EXCLUSIVO PGBL E VGBL NOTAS EXPLICATIVAS BRASILPREV EXCLUSIVO PGBL E VGBL O que é o Plano Brasilprev Exclusivo? O Brasilprev Exclusivo é uma solução moderna e flexível que ajuda você a acumular recursos para a realização dos

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Hospital da Criança (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e

Fundo de Investimento Imobiliário Hospital da Criança (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e Fundo de Investimento Imobiliário Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e parecer dos auditores independentes 2 Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo 2009 2008 Passivo e patrimônio

Leia mais

Teste de Adequação de Passivos Circular Susep nº 457/12 Perguntas e Respostas

Teste de Adequação de Passivos Circular Susep nº 457/12 Perguntas e Respostas Teste de Adequação de Passivos Circular Susep nº 457/12 Novembro/2013 1. ÁREAS RESPONSÁVEIS SUSEP/DITEC/CGSOA/COPRA SUSEP/DITEC/CGSOA/COARI 2. BASE LEGAL CIRCULAR SUSEP N 457, de 14 de dezembro de 2012.

Leia mais

Resultados 3T06 8 de novembro de 2006

Resultados 3T06 8 de novembro de 2006 PUBLICIDADE CAIXA CRESCEU 49% BASE DE ASSINANTES BANDA LARGA CRESCEU 35% MARGEM DE EBITDA ATINGIU 29% São Paulo, O UOL (BOVESPA: UOLL4) anuncia hoje os resultados do 3T06. As demonstrações financeiras

Leia mais

Posição e Desempenho da Carteira - Resumo HSBC INSTITUIDOR FUNDO MULTIPLO - MODERADA MIX 20

Posição e Desempenho da Carteira - Resumo HSBC INSTITUIDOR FUNDO MULTIPLO - MODERADA MIX 20 BENCHMARK RF:80.00% ( 100.00%CDI ) + RV:20.00% ( 100.00%IBRX 100 ) Relatório Gerencial Consolidado - Período de 01/04/2015 Posição e Desempenho da Carteira - Resumo a 30/04/2015 pg. 1 Posição Sintética

Leia mais

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas)

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas) TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas) Para maiores informações, contatar: Daniel de Andrade Gomes TELEFÔNICA

Leia mais

Porto Seguro S.A. Conferência Telefônica de Resultados 2T2007 e 1S2007

Porto Seguro S.A. Conferência Telefônica de Resultados 2T2007 e 1S2007 Porto Seguro S.A. Conferência Telefônica de Resultados 2T2007 e 1S2007 Porto Seguro 1º Semestre de 2007 Avanço de 13,5% na Receita Total*; Aumento de 12,0% no total de Prêmios Auferidos*; Melhora de 1,9

Leia mais

4T16. Análise do Desempenho. BB Seguridade Participações S.A

4T16. Análise do Desempenho. BB Seguridade Participações S.A 4T16 Análise do Desempenho BB Seguridade Participações S.A A P R E S E N T A Ç Ã O O relatório Análise do Desempenho apresenta a situação econômico-financeira da BB Seguridade Participações S.A. (BB Seguridade).

Leia mais

Evolução do lucro líquido (em milhões de reais) - jan fev mar abr mai jun jul ago set

Evolução do lucro líquido (em milhões de reais) - jan fev mar abr mai jun jul ago set DISCUSSÃO E ANÁLISE PELA ADMINISTRAÇÃO DO RESULTADO NÃO CONSOLIDADO DAS OPERACÕES: PERÍODO DE JANEIRO A SETEMBRO DE 2001 COMPARATIVO AO PERÍODO DE JANEIRO A SETEMBRO DE 2000 (em milhões de reais, exceto

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2012 - BPMB I Participações S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2012 - BPMB I Participações S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

ANEXO I MODELO DE PROJEÇÕES FINANCEIRAS BALANÇO PATRIMONIAL

ANEXO I MODELO DE PROJEÇÕES FINANCEIRAS BALANÇO PATRIMONIAL ANEXO I MODELO DE PROJEÇÕES FINANCEIRAS BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) MÊS 1 MÊS 2 MÊS 3 MÊS N ATIVO ATIVO CIRCULANTE Disponível Aplicações Aplicações Vinculadas a Provisões Técnicas Aplicações

Leia mais

Regulamento - Perfil de Investimentos

Regulamento - Perfil de Investimentos Regulamento - Perfil de Investimentos 1. Do Objeto Este documento estabelece as normas gerais aplicáveis ao Programa de Perfil de Investimentos (Multiportfólio) da CargillPrev. O programa constitui-se

Leia mais

a) Débito: Dividendos e Bonificações em Dinheiro a Receber Crédito: Rendas de Ajuste em Investimento em Coligadas e Controladas

a) Débito: Dividendos e Bonificações em Dinheiro a Receber Crédito: Rendas de Ajuste em Investimento em Coligadas e Controladas Olá, pessoal! Desta vez, trago para vocês uma coletânea de questões resolvidas da Fundação Carlos Chagas (FCC). Achei apropriado inserir esta aula neste momento em razão da proximidade da prova de Fiscal

Leia mais

Banco Santander (Brasil) S.A.

Banco Santander (Brasil) S.A. Banco Santander (Brasil) S.A. Resultados em BR GAAP 4T14 3 de Fevereiro de 2015 INFORMAÇÃO 2 Esta apresentação pode conter certas declarações prospectivas e informações relativas ao Banco Santander (Brasil)

Leia mais

Posição e Desempenho da Carteira - Resumo HSBC INSTITUIDOR FUNDO MULTIPLO - CONSERVADORA FIX

Posição e Desempenho da Carteira - Resumo HSBC INSTITUIDOR FUNDO MULTIPLO - CONSERVADORA FIX BENCHMARK 100.00%CDI Relatório Gerencial Consolidado - Período de 01/04/2015 Posição e Desempenho da Carteira - Resumo a 30/04/2015 pg. 1 Posição Sintética dos Ativos em 30/04/2015 Financeiro % PL FUNDOS

Leia mais

Brito Amoedo Imobiliária S/A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes

Brito Amoedo Imobiliária S/A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Brito Amoedo Imobiliária S/A Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Em 30 de Junho de 2007 e em 31 de Dezembro de 2006, 2005 e 2004 Parecer dos auditores independentes

Leia mais

Relatório dos auditores independentes sobre revisão especial das Informações Financeiras Trimestrais (IFTs) Trimestre findo em 30 de setembro de 2002

Relatório dos auditores independentes sobre revisão especial das Informações Financeiras Trimestrais (IFTs) Trimestre findo em 30 de setembro de 2002 kpmg Caixa Econômica Federal Relatório dos auditores independentes sobre revisão especial das Informações Financeiras Trimestrais (IFTs) Trimestre findo em 30 de setembro de 2002 KPMG Auditores Independentes

Leia mais

sumário executivo Itaú Unibanco Holding S.A. 3º trimestre de 2013 Análise Gerencial da Operação

sumário executivo Itaú Unibanco Holding S.A. 3º trimestre de 2013 Análise Gerencial da Operação sumário executivo 3º trimestre de 2013 (Esta página foi deixada em branco intencionalmente) 4 Apresentamos, abaixo, informações e indicadores financeiros do (Itaú Unibanco). Destaques (exceto onde indicado)

Leia mais

Divulgação de Resultados 3T15

Divulgação de Resultados 3T15 São Paulo - SP, 4 de Novembro de 2015. A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private equity

Leia mais

Safra Fundo Mútuo de Privatização - FGTS Vale do Rio Doce (C.N.P.J. nº 04.890.401/0001-15) (Administrado pelo Banco J. Safra S.A.

Safra Fundo Mútuo de Privatização - FGTS Vale do Rio Doce (C.N.P.J. nº 04.890.401/0001-15) (Administrado pelo Banco J. Safra S.A. Safra Fundo Mútuo de Privatização - FGTS Vale do Rio Doce (Administrado pelo Banco J. Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 30 de setembro de 2015 e relatório dos auditores independentes Relatório dos

Leia mais

Safra Vida e Previdência S.A.

Safra Vida e Previdência S.A. Safra Vida e Previdência S.A. Demonstrações Contábeis Referentes aos Períodos Findos em 30 de Junho de 2015 e Relatório dos Auditores Independentes PricewaterhouseCoopers Auditores Independentes ÍNDICE

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 e 2009. (Em milhares de reais)

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 e 2009. (Em milhares de reais) NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 e 2009 (Em milhares de reais) NOTA 1 - CONTEXTO OPERACIONAL A Seguradora está autorizada a operar em seguros do

Leia mais

SINCOR-SP 2015 AGOSTO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 AGOSTO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS AGOSTO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

BR INSURANCE CORRETORA DE SEGUROS S.A. ANUNCIA OS RESULTADOS DO 1 TRIMESTRE DE 2016.

BR INSURANCE CORRETORA DE SEGUROS S.A. ANUNCIA OS RESULTADOS DO 1 TRIMESTRE DE 2016. RELEASE DE RESULTADOS Relações com Investidores Marcelo Moojen Epperlein Diretor-Presidente e de Relações com Investidores (55 11) 3175-2900 ri@brinsurance.com.br Ana Carolina Pires Bastos Relações com

Leia mais

Seguros, Previdência e Capitalização

Seguros, Previdência e Capitalização Seguros, Previdência e Capitalização Análise das contas Patrimoniais e do Resultado Ajustado do Grupo Bradesco de Seguros, Previdência e Capitalização: Balanço Patrimonial Mar10 Dez09 Mar09 Ativo Circulante

Leia mais

1T05. Celesc apresenta lucro líquido de R$ 23 milhões no 1 o trimestre de 2005. Resultado do 1 o trimestre de 2005. Principais Destaques

1T05. Celesc apresenta lucro líquido de R$ 23 milhões no 1 o trimestre de 2005. Resultado do 1 o trimestre de 2005. Principais Destaques Celesc apresenta lucro líquido de R$ 23 milhões no 1 o trimestre de 2005 Divulgação Imediata Cot. da Ação PNB CLSC6) em 31/03/05: R$ 0,90/ação Valoriz. No 1T05: -16% Valor de Mercado R$ : 694 milhões US$

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O ALFA II AÇÕES - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES DA PETROBRAS CNPJ: 03.919.927/0001-18

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O ALFA II AÇÕES - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES DA PETROBRAS CNPJ: 03.919.927/0001-18 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O ALFA II AÇÕES - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES DA PETROBRAS Informações referentes à Dezembro de 2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre

Leia mais