QUAIS SÃO E COMO FAZER A GESTÃO DOS RECURSOS FINANCEIROS DO SUS? FINANCIAMENTO ESTADUAL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "QUAIS SÃO E COMO FAZER A GESTÃO DOS RECURSOS FINANCEIROS DO SUS? FINANCIAMENTO ESTADUAL"

Transcrição

1 QUAIS SÃO E COMO FAZER A GESTÃO DOS RECURSOS FINANCEIROS DO SUS? FINANCIAMENTO ESTADUAL

2 Financiamento Estadual Constituição de 1988: Garantia de direito à saúde; Obrigou ao Estado realizar políticas sociais e econômicas, visando à redução dos riscos de doença e de outros agravos; Acesso universal e igualitário às ações para promoção e recuperação da saúde;

3 Financiamento Estadual Constituição de 1988: Criou o Sistema Único de Saúde composto pela União, Estados e Municípios, cuja a gestão é compartilhada; O financiamento é de responsabilidade dos entes federativos;

4 Financiamento Estadual Emenda Constitucional 29/00, Lei Complementar 141/2012 e Emenda Constitucional 86/2015. Dispõe sobre os valores mínimos a serem aplicados anualmente pela União, Estados, Distrito Federal e Municípios em ações e serviços públicos de saúde; Estabelece os critérios de rateio dos recursos de transferências para a saúde e as normas de fiscalização, avaliação e controle das despesas com saúde.

5 Financiamento Estadual Cálculo do Percentual Mínimo a ser Aplicado em Ações e Serviços de Saúde União Unidade Federativa Estados Municípios % Mínimo de Aplicação 15% sobre sua Receita Corrente Líquida do respectivo exercício financeiro, com cumprimento progressivo em 5 anos. 12% sobre a arrecadação dos impostos a que se refere o art. 155 e dos recursos de que tratam o art. 157, a alínea a do inciso I e o inciso II do caput do art % da arrecadação dos impostos a que se refere o art. 156 e dos recursos de que tratam o art. 158 e a alínea b do inciso I do caput e o 3º do art Fonte: EC 29/2000, Lei Complementar 141/2012 e EC 86/2015.

6 Financiamento Estadual Formas de Gestão em Saúde: Gestão Plena do Sistema Municipal: responsável por toda rede de unidades prestadoras de serviços e da gestão das ações de saúde. Gestão Compartilhada: acordo entre entes federativos com o objetivo de organizar as relações e serviços da saúde pública.

7 Blocos de Financiamento Portaria Federal nº 204 de 29/1/2007: Bloco da Atenção Básica: Componente Piso da Atenção Básica Fixo; Componente Piso da Atenção Básica Variável. Bloco de Atenção de Média e Alta Complexidade Ambulatorial e Hospitalar: Componente Limite Financeiro da Média e Alta Complexidade Ambulatorial e Hospitalar; Componente Fundo de Ações Estratégicas e Compensação.

8 Blocos de Financiamento Bloco de Vigilância em Saúde: O Componente de Vigilância e Promoção da Saúde; O Componente da Vigilância Sanitária. Bloco de Assistência Farmacêutica: Componente Estratégico da Assistência Farmacêutica; Componente Especializado da Assistência Farmacêutica.

9 Blocos de Financiamento Bloco de Gestão do SUS: Componente para a Qualificação da Gestão do SUS; Componente para a Implantação de Ações e Serviços de Saúde. Bloco de Investimentos na Rede de Serviços de Saúde.

10 SISTEMA ESTADUAL DE SAÚDE PROJETO DE LEI ORÇAMENTÁRIA ANUAL 3.820/2016 PLOA 2017

11 COMPOSIÇÃO DOS CRÉDITOS ORÇAMENTÁRIOS 2017 PROGRAMAS VALOR R$ 1,00 FINALÍSTICOS (FES) ATIVIDADES MEIO (FES) UNIDADES VINCULADAS/OUTROS ÓRGÃOS PESSOAL E ENCARGOS SOCIAIS TOTAL

12 FUNDO ESTADUAL DE SAÚDE PROGRAMAS FINALÍSTICOS CONFORME PLOA/2017

13 Programa Vigilância em Saúde Objetivos: Desenvolver a análise permanente da situação de saúde da população; Garantir a integralidade, o que inclui tanto a abordagem individual como coletiva dos problemas de saúde.

14 Programa Vigilância em Saúde R$ 1,00 AÇÃO VALOR EMERGÊNCIAS EM SAÚDE PÚBLICA VIGILÂNCIA EM SAÚDE DO TRABALHADOR VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA E AMBIENTAL VIGILÂNCIA SANITÁRIA PROGRAMA ESTADUAL DA VIGILÂNCIA EM SAÚDE

15 Programa Vigilância em Saúde R$ 1,00 AÇÃO PREVENÇÃO E TRATAMENTO DAS DST/AIDS E HEPATITES VIRAIS PROGRAMA ESTADUAL DE VIGILÂNCIA E CONTROLE DE DOENÇAS TRANSMITIDAS PELO AEDES VALOR TOTAL

16 Programa Política Estadual de Atenção Hospitalar Objetivos: Promover a melhoria da qualidade da assistência hospitalar; Fortalecer as redes prioritárias de atenção à saúde, em consonância com a Política Nacional de Atenção Hospitalar; Implantação dos Hospitais Regionais.

17 Programa Política Estadual de Atenção Hospitalar R$ 1,00 AÇÃO VALOR IMPLANTAÇÃO DE HOSPITAIS REGIONAIS DESENVOLVIMENTO DA POLÍTICA DE ATENÇÃO HOSPITALAR TOTAL

18 Objetivos: Programa Assistência Farmacêutica Regularização da aquisição e distribuição de medicamentos; Estruturação física das farmácias comunitárias públicas; Aperfeiçoamento do Sistema Integrado de Gerenciamento da Assistência Farmacêutica (SIGAF).

19 Programa Assistência Farmacêutica AÇÃO VALOR R$ 1,00 ABASTECIMENTO DE MEDICAMENTOS BÁSICOS ABASTECIMENTO DE MEDICAMENTOS ESPECIALIZADOS FORTALECIMENTO DA ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA TOTAL

20 Programa Redes de Atenção à Saúde Objetivos: Promover, desenvolver e efetivar ações de atenção à saúde a toda população; Melhoria das condições de saúde da população; Estruturação das Redes de Atenção à Saúde.

21 Programa Redes de Atenção à Saúde AÇÃO APOIO E FORTALECIMENTO DA REDE DE CUIDADO À PESSOA COM DEFICIÊNCIA IMPLEMENTAÇÃO E APOIO À ATENÇÃO ESPECIALIZADA APOIO E FORTALECIMENTO A REDE DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA APOIO E FORTALECIMENTO DA REDE CEGONHA APOIO E FORTALECIMENTO DA REDE DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL VALOR R$ 1, TOTAL

22 Programa Gestão do Sistema Único de Saúde Objetivos: Aperfeiçoar a gestão da SES, por meio da qualificação e valorização do trabalhador; Fortalecimento da Gestão Regional; Promoção da Gestão Participativa (Intergestores e Controle Social); Maior eficiência alocativa e otimização das ações de Atenção à saúde.

23 Programa Gestão do Sistema Único de Saúde AÇÃO VALOR R$ 1,00 APOIO E FORTALECIMENTO DO PROCESSO DE REGIONALIZAÇÃO DA SAÚDE IMPLANTAÇÃO DE SISTEMA INTEGRADO DE INFORMAÇÕES EM SAÚDE FORTALECIMENTO DA ARTICULAÇÃO INTERGESTORES DE SAÚDE PROMOÇÃO E FORTALECIMENTO DA PARTICIPAÇÃO DO CONTROLE SOCIAL NA ÁREA DA SAÚDE

24 Programa Gestão do Sistema Único de Saúde AÇÃO VALOR R$ 1,00 IMPLEMENTAÇÃO DA POLÍTICA DE EDUCAÇÃO NA SAÚDE E VALORIZAÇÃO DOS TRABALHADORES DESENVOLVIMENTO E APOIO ÀS AÇÕES DE SAÚDE TOTAL

25 Programa Regulação Objetivos: Promover a regulação do acesso à assistência em saúde, em cogestão com municípios polos; Modelo de regulação assistencial através do Plano Diretor de Regionalização (PDR); Formalização e qualificação dos contratos e da programação assistencial.

26 Programa Regulação R$ 1,00 AÇÃO GESTÃO DAS CENTRAIS E DOS SISTEMAS DE REGULAÇÃO ASSISTENCIAL GESTÃO DOS RECURSOS FINANCEIROS E DOS INSTRUMENTOS DE MACRO REGULAÇÃO DA ATENÇÃO AMBULATORIAL E HOSPITALAR VALOR TOTAL

27 Programa Atenção Primária à Saúde Objetivos: Promoção da saúde, prevenção de agravos, tratamento de reabilitação (Política Nacional de Atenção Básica 2006); Universalizar a cobertura das equipes de Atenção Básica e ampliar a sua resolutividade, a qualidade do cuidado e a promoção da saúde.

28 Programa Atenção Primária à Saúde AÇÃO ATENÇÃO À SAÚDE DAS COMUNIDADES INDÍGENAS E QUILOMBOLAS FORTALECIMENTO DA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE APOIO AO DESENVOLVIMENTO DA ATENÇÃO PRIMÁRIA INTEGRAL E RESOLUTIVA IMPLEMENTAÇÃO DA POLÍTICA ESTADUAL DE PROMOÇÃO DA SAÚDE VALOR R$ 1, TOTAL

29 SIOPS Sistema de Informações sobre Orçamentos Públicos em Saúde: É um banco de dados alimentado pela União, Estados, Distrito Federal e os Municípios, por meio do preenchimento de formulário eletrônico, desenvolvido pelo Departamento de Informática do SUS (Datasus) que é transmitido via internet, gerando indicadores de forma automática.

30 SIOPS Sistema de Informações sobre Orçamentos Públicos em Saúde: Apura as Receitas Totais e as Despesas em Ações e Serviços Públicos em Saúde (ASPS); Têm natureza declaratória; Um dos indicadores gerados é o % de recursos próprios aplicados em ASPS; Preenchimento bimestral e é obrigatório.

31 SIOPS Base Legal e Conceitual do SIOPS: Constituição Federal de 1988; Emenda Constitucional nº 29 de 13 de setembro de 2000; Lei Complementar nº141 de 13 de janeiro de 2012; Decreto nº 7.827, de 16 de outubro de 2012; Portaria nº53, de 16 de janeiro de 2013.

32 SIOPS Sistema de Informações sobre Orçamentos Públicos em Saúde: Responsável por orientar os municípios no Estado: Núcleo Estadual de Apoio ao SIOPS/MG. Telefones: (31) /0195

33 CONTATOS Subsecretaria de Gestão Regional Telefones: (31) Diretoria de Orçamento e Qualidade do Gasto/SPF Telefones: (31) /0182

34 Muito Obrigado!

PORTARIA Nº DE 28 DE DEZEMBRO DE 2017 VINCULAÇÃO DAS AÇÕES ORÇAMENTÁRIA AOS BLOCOS DE FINANCIAMENTO

PORTARIA Nº DE 28 DE DEZEMBRO DE 2017 VINCULAÇÃO DAS AÇÕES ORÇAMENTÁRIA AOS BLOCOS DE FINANCIAMENTO PORTARIA Nº 3.992 DE 28 DE DEZEMBRO DE 2017 VINCULAÇÃO DAS AÇÕES ORÇAMENTÁRIA AOS BLOCOS DE FINANCIAMENTO FUNDO NACIONAL DE SAÚDE SUB SECRETARIA DE PLANEJAMENTO E ORÇAMENTO SECRETARIA EXECUTIVA MINISTÉRIO

Leia mais

Financiamento do Programa de Arboviroses desafios e possibilidades

Financiamento do Programa de Arboviroses desafios e possibilidades Financiamento do Programa de Arboviroses desafios e possibilidades BRIGINA KEMP C U R S O : V I G I L Â N C I A E M S A Ú D E - P L A N E J A M E N T O E O R G A N I Z A Ç Ã O D A G E S TÃ O M U N I C

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DO NATAL SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE ORÇAMENTO

PREFEITURA MUNICIPAL DO NATAL SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE ORÇAMENTO PREFEITURA MUNICIPAL DO NATAL SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE ORÇAMENTO ORÇAMENTO O orçamento é uma ferramenta de planejamento (aprovado por lei) contendo a previsão de receitas e estimativa de despesas

Leia mais

FINANCIAMNETO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE SUS. Salvador - Fevereiro 2017

FINANCIAMNETO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE SUS. Salvador - Fevereiro 2017 FINANCIAMNETO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE SUS Salvador - Fevereiro 2017 Moldura Jurídica do Sistema Público de Saúde Brasileiro Constituição Federal de 1988: criação do SUS Lei 8.080/1990: regulamentação do

Leia mais

Luis Correia - PI 05 set 18. Mauro Guimarães Junqueira Presidente - Conasems

Luis Correia - PI 05 set 18. Mauro Guimarães Junqueira Presidente - Conasems Luis Correia - PI 05 set 18 Mauro Guimarães Junqueira Presidente - Conasems PANORAMA SUS - SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE REFORMA SANITÁRIA HISTÓRIA DA SAÚDE NOS 30 ANOS DE SUS 8ª CONFERENCIA NACIONAL DE SAÚDE

Leia mais

Responsabilidades e Diretrizes para execução e financiamento de ações de Vigilância em Saúde

Responsabilidades e Diretrizes para execução e financiamento de ações de Vigilância em Saúde Responsabilidades e Diretrizes para execução e financiamento de ações de Vigilância em Saúde Departamento de Gestão da Vigilância em Saúde-DEGEVS Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde dagvs@saude.gov.br

Leia mais

Noções sobre o financiamento e alocação de recursos em saúde

Noções sobre o financiamento e alocação de recursos em saúde Noções sobre o financiamento e alocação de recursos em saúde Demandas e custos em saúde são crescentes tendência mundial Mudanças no perfil demográfico (envelhecimento da população e diminuição das taxas

Leia mais

ENFERMAGEM LEGISLAÇÃO EM SAÚDE

ENFERMAGEM LEGISLAÇÃO EM SAÚDE ENFERMAGEM LEGISLAÇÃO EM SAÚDE Sistema Único de Saúde - SUS: Constituição Federal, Lei Orgânica da Saúde - Lei nº 8.080 de 1990 e outras normas Parte 19 Profª. Tatianeda Silva Campos Pacto de Gestão do

Leia mais

Financiamento do Sistema Único de Saúde (SUS)

Financiamento do Sistema Único de Saúde (SUS) Financiamento do Sistema Único de Saúde (SUS) Financiamento do Sistema Único de Saúde (SUS) O Sistema Único de Saúde (Constituição Federal, 1988) consolidou à saúde um direito de todo cidadão. Compromisso

Leia mais

FINANCIAMENTO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE. Blenda Pereira Assessora Tecnica Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde

FINANCIAMENTO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE. Blenda Pereira Assessora Tecnica Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde FINANCIAMENTO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE Blenda Pereira Assessora Tecnica Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde CONSTITUIÇÃO FEDERAL CAPÍTULO DA SEGURIDADE SOCIAL Art. 194. A seguridade social

Leia mais

Gestão em Saúde Gestão do SUS Financiamento. Prof. Arruda Bastos (85)

Gestão em Saúde Gestão do SUS Financiamento. Prof. Arruda Bastos (85) Gestão em Saúde Gestão do SUS Financiamento Prof. Arruda Bastos arrudabastos@gmail.com (85) 99925.1122 Gestão em Saúde 1. Apresentação da Disciplina / Plano de Aula / Apresentação Discente e Docente; 2.

Leia mais

Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Estado de São Paulo Dr. Sebastião de Moraes - COSEMS/SP CNPJ / CARTA DE ARARAQUARA

Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Estado de São Paulo Dr. Sebastião de Moraes - COSEMS/SP CNPJ / CARTA DE ARARAQUARA CARTA DE ARARAQUARA Os Secretários Municipais de Saúde do Estado de São Paulo, reunidos em Araraquara, no X Congresso e XXI Encontro de Secretários Municipais de Saúde do Estado de São Paulo, posicionam-se

Leia mais

Antigamente... problema crônico de financiamento Elaboração da Emenda Constitucional nº 29 (EC 29) - alterou a Constituição Federal em 13 de setembro

Antigamente... problema crônico de financiamento Elaboração da Emenda Constitucional nº 29 (EC 29) - alterou a Constituição Federal em 13 de setembro FINANCIAMENTO Modelo descentralizado de gestão do SUS: a União é a responsável por distribuir a maior parte dos recursos financeiros para Estados, Municípios e Distrito Federal; Transferência fundo a fundo:

Leia mais

PORTARIA Nº 3.992, DE 28 DE DEZEMBRO DE

PORTARIA Nº 3.992, DE 28 DE DEZEMBRO DE PORTARIA Nº 3.992, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2017 NOVO MODELO DE ORGANIZAÇÃO E TRANSFERÊNCIA DE RECURSOS FEDERAIS PARA O FINANCIAMENTO DAS AÇÕES E SERVIÇOS PÚBLICOS DE SAÚDE FUNDO NACIONAL DE SAÚDE SECRETARIA

Leia mais

CONGRESSO DE SECRETÁRIOS MUNICIPAIS DE SAÚDE DE SÃO PAULO. Implicações na prática da Assistência à Saúde no SUS. Mar/2012

CONGRESSO DE SECRETÁRIOS MUNICIPAIS DE SAÚDE DE SÃO PAULO. Implicações na prática da Assistência à Saúde no SUS. Mar/2012 CONGRESSO DE SECRETÁRIOS MUNICIPAIS DE SAÚDE DE SÃO PAULO Implicações na prática da Assistência à Saúde no SUS Mar/2012 O SUS HOJE IDSUS aponta problemas de acesso e de qualidade do sistema na maioria

Leia mais

Princípios basilares da organização legal do SUS e o contexto atual

Princípios basilares da organização legal do SUS e o contexto atual Princípios basilares da organização legal do SUS e o contexto atual Tema 1: A legislação do SUS: a Lei 141/2012 e o Decreto 7.508/2011 no contexto atual Tema 3: Os Sistemas de Informação: e-sus, SIOPS,

Leia mais

Panorama das Redes de Atenção à Saúde.

Panorama das Redes de Atenção à Saúde. Panorama das Redes de Atenção à Saúde. Saúde Direito de todos e dever do Estado CONSTITUIÇÃO FEDERAL Lei 8.080 Lei 8.142 DECRETO 7.508 Lei 12.401 Lei 12.466 Lei complementar 141 1986 1988 1990 1991 1993

Leia mais

Art. 1º Este Decreto regulamenta a Lei 8.080/90, para dispor sobre a organização, o planejamento, a assistência e a articulação interfederativa.

Art. 1º Este Decreto regulamenta a Lei 8.080/90, para dispor sobre a organização, o planejamento, a assistência e a articulação interfederativa. Legislação do SUS DECRETO 7.508 de 28 de Junho de 2011 Prof.ª: Andréa Paula Art. 1º Este Decreto regulamenta a Lei 8.080/90, para dispor sobre a organização, o planejamento, a assistência e a articulação

Leia mais

CONGRESSO DAS SECRETARIAS MUNICIPAIS DE SAÚDE 2015

CONGRESSO DAS SECRETARIAS MUNICIPAIS DE SAÚDE 2015 CONGRESSO DAS SECRETARIAS MUNICIPAIS DE SAÚDE 2015 MESA Regionalização nas diferentes redes de atenção: COAP e Regulação Secretaria Estadual de Saúde Assessoria Técnica e de Planejamento ASSTEPLAN Porto

Leia mais

Pacto de Gestão do SUS. Pacto pela Vida. Pacto em Defesa do SUS

Pacto de Gestão do SUS. Pacto pela Vida. Pacto em Defesa do SUS Pacto de Gestão do SUS Pacto pela Vida Pacto em Defesa do SUS PACTO PELA SAÚDE Conjunto de reformas institucionais do SUS. Pacto entre União, Estados e Municípios. Objetivo - promover inovações nos processos

Leia mais

Carta do Rio de Janeiro

Carta do Rio de Janeiro Carta do Rio de Janeiro Os Secretários Municipais de Saúde, reunidos no III Congresso Estadual de Secretarias Municipais de Saúde do Rio de Janeiro, nos dias 17 e 18 de junho de 2011, na cidade do Rio

Leia mais

Implementação dos Dispositivos do Decreto 7508/11

Implementação dos Dispositivos do Decreto 7508/11 Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde Implementação dos Dispositivos do Decreto 7508/11 CONGRESSO COSEMS-SP Ubatuba, 02 de abril de 2014. Decreto 7.508/11 Regulamenta a Lei nº 8.080, de

Leia mais

Financiamento e transferência dos recursos federais para as ações e os serviços públicos de saúde.

Financiamento e transferência dos recursos federais para as ações e os serviços públicos de saúde. Financiamento e transferência dos recursos federais para as ações e os serviços públicos de saúde. Base legal Constituição Federal Lei Complementar n. 141/2012 Lei n. 8080/1990 Lei n. 8142 / 1990 Lei n.

Leia mais

EBSERH QUESTÕES COMENTADAS LEGISLAÇÃO APLICADA AO SUS CONCURSO EBSERH PARÁ AOCP/2016. Prof.ª Natale Souza

EBSERH QUESTÕES COMENTADAS LEGISLAÇÃO APLICADA AO SUS CONCURSO EBSERH PARÁ AOCP/2016. Prof.ª Natale Souza EBSERH QUESTÕES COMENTADAS LEGISLAÇÃO APLICADA AO SUS CONCURSO EBSERH PARÁ AOCP/2016 NÍVEL MÉDIO/TÉCNICO TARDE Prof.ª Natale Souza Olá queridos concurseiros EBSERH, vamos continuar os estudos? Vários editais

Leia mais

Regionalização e Rede de Atenção à Saúde: CONCEITOS E DESAFIOS. Jorge Harada

Regionalização e Rede de Atenção à Saúde: CONCEITOS E DESAFIOS. Jorge Harada Regionalização e Rede de Atenção à Saúde: CONCEITOS E DESAFIOS Jorge Harada Voltando no tempo... Estado autoritário, controlador, centralizador Sistema de Saúde Fragmentado Restrição de acesso Sem participação

Leia mais

FUNDO NACIONAL DE SAÚDE SECRETARIA EXECUTIVA MINISTÉRIO DA SAÚDE SÃO PAULO/SP, 14 DE MARÇO DE

FUNDO NACIONAL DE SAÚDE SECRETARIA EXECUTIVA MINISTÉRIO DA SAÚDE SÃO PAULO/SP, 14 DE MARÇO DE PORTARIA Nº 3.992 DE 28 DE DEZEMBRO DE 2017 NOVO MODELO DE ORGANIZAÇÃO E TRANSFERÊNCIA DE RECURSOS FEDERAIS PARA O FINANCIAMENTO DAS AÇÕES E SERVIÇOS PÚBLICOS DE SAÚDE FUNDO NACIONAL DE SAÚDE SECRETARIA

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DE 88/ PRINCÍPIOS E DIRETRIZES DO SUS 2º AULA

CONSTITUIÇÃO DE 88/ PRINCÍPIOS E DIRETRIZES DO SUS 2º AULA CONSTITUIÇÃO DE 88/ PRINCÍPIOS E DIRETRIZES DO SUS 2º AULA PROF. HÉLDER PACHECO CONSTITUIÇÃO FEDERAL Lei 8.080 Lei 8.142 DECRETO 7.508 LEI 141 1988 1990 1991 1993 1996 2001/2002 2006 2011 2012 NOB NOAS

Leia mais

Qualificação da Gestão

Qualificação da Gestão Qualificação da Gestão O que é o SUS Instituído pela Constituição de 1988, o Sistema Único de Saúde SUS é formado pelo conjunto das ações e serviços de saúde sob gestão pública Com direção única em cada

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 141/2012

LEI COMPLEMENTAR Nº 141/2012 LEI COMPLEMENTAR Nº 141/2012 Regulamenta o 3 o do art. 198 da Constituição Federal para dispor sobre os valores mínimos a serem aplicados anualmente pela União, estados, Distrito Federal e municípios em

Leia mais

1ª Revisão - SUS EBSERH Banca: CESPE l CEBRASPE

1ª Revisão - SUS EBSERH Banca: CESPE l CEBRASPE 1ª Revisão - SUS EBSERH 2018 Banca: CESPE l CEBRASPE 1 2 Evolução Histórica da Saúde Pública no Brasil 3 4 5 1. (TRT 8ª/CESPE/2016) Assinale a opção que apresenta a correta relação entre a legislação indicada

Leia mais

SECRETARIA DE SAÚDE SECRETARIA EXECUTIVA DE COORDENAÇÃO GERAL DIRETORIA GERAL DE PLANEJAMENTO GERÊNCIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA E PARTICIPATIVA

SECRETARIA DE SAÚDE SECRETARIA EXECUTIVA DE COORDENAÇÃO GERAL DIRETORIA GERAL DE PLANEJAMENTO GERÊNCIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA E PARTICIPATIVA NOTA TÉCNICA Nº 04 ORIENTAÇÕES GERAIS SOBRE O RELATÓRIO QUADRIMESTRAL DE ACORDO COM A LEI COMPLEMENTAR Nº141 DE 13 DE JANEIRO DE 2012 Introdução: Até 2011, a forma de prestar contas sobre as ações, recursos

Leia mais

Política Nacional de Atenção Básica. Portaria nº 648/GM de 28 de Março de 2006

Política Nacional de Atenção Básica. Portaria nº 648/GM de 28 de Março de 2006 Política Nacional de Atenção Básica Portaria nº 648/GM de 28 de Março de 2006 ! A Atenção Básica caracteriza-se por um conjunto de ações de saúde no âmbito individual e coletivo que abrangem a promoção

Leia mais

NOTA TÉCNICA 41 /2012. Institui a Rede de Atenção à Saúde das Pessoas com Doenças Crônicas, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS).

NOTA TÉCNICA 41 /2012. Institui a Rede de Atenção à Saúde das Pessoas com Doenças Crônicas, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). NOTA TÉCNICA 41 /2012 Institui a Rede de Atenção à Saúde das Pessoas com Doenças Crônicas, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). INTRODUÇÃO As doenças crônicas não transmissíveis constituem o problema

Leia mais

CURSO: Desafios da Implantação dos Dispositivos do Decreto 7.508

CURSO: Desafios da Implantação dos Dispositivos do Decreto 7.508 XXVIII Congresso de Secretários Municipais de do Estado de São Paulo CURSO: Desafios da Implantação dos Dispositivos do Decreto 7.508 CRS Coordenadoria de Regiões de da Secretaria de Estado da de São Paulo

Leia mais

PLANEJAMENTO ORÇAMENTÁRIO E FINANCEIRO E A

PLANEJAMENTO ORÇAMENTÁRIO E FINANCEIRO E A PLANEJAMENTO ORÇAMENTÁRIO E FINANCEIRO E A LEI 141/2012 Áquilas Mendes Prof. Dr. Livre-Docente de Economia da Saúde da Faculdade de Saúde Pública da USP e do Programa de Pós-Graduação de Economia Política

Leia mais

O SUS EM SÃO PAULO E OS MUNICÍPIOS

O SUS EM SÃO PAULO E OS MUNICÍPIOS O SUS EM SÃO PAULO E OS MUNICÍPIOS Audiência Pública ALESP 20/10/2015 1) FINANCIAMENTO 2) AS ATRIBUIÇÕES DOS MUNICIPIOS 3) RELAÇÕES INTERFEDERATIVAS Audiência Pública ALESP 20/10/2015 Regra de Aplicação

Leia mais

PORTARIA Nº 698/GM DE 30 DE MARÇO DE O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso de suas atribuições, e

PORTARIA Nº 698/GM DE 30 DE MARÇO DE O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso de suas atribuições, e PORTARIA Nº 698/GM DE 30 DE MARÇO DE 2006. Define que o custeio das ações de saúde é de responsabilidade das três esferas de gestão do SUS, observado o disposto na Constituição Federal e na Lei Orgânica

Leia mais

A União do Setor Saúde para Sobreviver à Crise. Agosto/2017

A União do Setor Saúde para Sobreviver à Crise. Agosto/2017 A União do Setor Saúde para Sobreviver à Crise Agosto/2017 DESDE A CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1988 OS MUNICÍPIOS VEM ASSUMINDO NOVAS RESPONSABILIDADES SEM O DEVIDO ACOMPANHAMENTO DE RECEITAS DIMENSÕES DO

Leia mais

Possibilidades e desafios

Possibilidades e desafios V Encontro Nacional IMPLEMENTAÇÃO DA POLÍTICA NACIONAL DE SAÚDE DO TRABALHADOR Possibilidades e desafios 27 a 29 Setembro 2011 Diretriz 3 - Garantia da integralidade na atenção à Saúde do Trabalhador Leticia

Leia mais

Diretrizes Aprovadas nos Grupos de Trabalho ou na Plenária Final. Por Ordem de Votação nos Eixos Temáticos

Diretrizes Aprovadas nos Grupos de Trabalho ou na Plenária Final. Por Ordem de Votação nos Eixos Temáticos Diretrizes Aprovadas nos Grupos de Trabalho ou na Plenária Final Por Ordem de nos Eixos Temáticos Brasília (DF), 1 a 4/12/2015 Eixo 1 - Direito à Saúde, Garantia de Acesso e Atenção de Qualidade Diretriz

Leia mais

Financiamento da Saúde. Fortaleza, 15 de maio de 2015.

Financiamento da Saúde. Fortaleza, 15 de maio de 2015. Financiamento da Saúde Fortaleza, 15 de maio de 2015. BASE LEGAL Constituição Federal Lei 8080 / 8142 Lei Complementar n. 141 (Regulamentação EC 29) EC 86 Linha do tempo do financiamento do SUS EC Nº 29

Leia mais

Gestão do SUS nos Municípios

Gestão do SUS nos Municípios Gestão do SUS nos Municípios Gestão do SUS Como o Município participa do SUS? - Atenção básica/primária Atenção integral à saúde - Média complexidade - Alta complexidade Atenção Básica A Atenção Básica

Leia mais

A ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA NA REDE DE ATENÇÃO A SAÚDE. Salvador 2017

A ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA NA REDE DE ATENÇÃO A SAÚDE. Salvador 2017 A ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA NA REDE DE ATENÇÃO A SAÚDE Salvador 2017 Assistência Farmacêutica no SUS Lei nº. 8080/ 1990: Art. 6, 1, Al. d Reconhece a assistência terapêutica integral, inclusive farmacêutica,

Leia mais

EVOLUÇÃO ORÇAMENTÁRIA RECENTE MINISTÉRIO DA SAÚDE. Elaborado para 3º Fórum de Debates Novo Regime Fiscal, Organizado pelo Conasems

EVOLUÇÃO ORÇAMENTÁRIA RECENTE MINISTÉRIO DA SAÚDE. Elaborado para 3º Fórum de Debates Novo Regime Fiscal, Organizado pelo Conasems EVOLUÇÃO ORÇAMENTÁRIA RECENTE MINISTÉRIO DA SAÚDE Elaborado para 3º Fórum de Debates Novo Regime Fiscal, Organizado pelo Conasems EC 29/2000 Introduziu a previsão de aplicações mínimas constitucionais

Leia mais

ATENÇÃO A SAÚDE. Seminário Nacional do Pró Saúde e PET Saúde. Brasília, 19 de outubro de 2011

ATENÇÃO A SAÚDE. Seminário Nacional do Pró Saúde e PET Saúde. Brasília, 19 de outubro de 2011 CONSOLIDANDO A INTEGRALIDADE DA ATENÇÃO A SAÚDE Seminário Nacional do Pró Saúde e PET Saúde Brasília, 19 de outubro de 2011 AGENDA PRIORITÁRIA A saúde no centro da agenda de desenvolvimento do país e o

Leia mais

III - Portas de Entrada - serviços de atendimento inicial à saúde do usuário no SUS;

III - Portas de Entrada - serviços de atendimento inicial à saúde do usuário no SUS; Decreto Nº 7508 DE 28/06/2011 (Federal) Regulamenta a Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990, para dispor sobre a organização do Sistema Único de Saúde - SUS, o planejamento da saúde, a assistência à

Leia mais

DECRETO FEDERAL REGULAMENTAÇÃO DA LEI DOU 29/6/2011

DECRETO FEDERAL REGULAMENTAÇÃO DA LEI DOU 29/6/2011 DECRETO FEDERAL REGULAMENTAÇÃO DA LEI 8080- DOU 29/6/2011 DECRETO No 7.508, DE 28 DE JUNHO DE 2011 Regulamenta a Lei no 8.080, de 19 de setembro e 1990, para dispor sobre a organização do Sistema Único

Leia mais

DECRETO 7508/11 E O PROCESSO DE PACTUAÇÃO TRIPARTITE. CONGRESSO DO COSEMS - SÃO PAULO Marília - SP. Mar/12

DECRETO 7508/11 E O PROCESSO DE PACTUAÇÃO TRIPARTITE. CONGRESSO DO COSEMS - SÃO PAULO Marília - SP. Mar/12 DECRETO 7508/11 E O PROCESSO DE PACTUAÇÃO TRIPARTITE CONGRESSO DO COSEMS - SÃO PAULO Marília - SP Mar/12 FORTALECIMENTO DO SUS Lei 8080/90 - art. 8º - As ações e serviços de saúde, executados pelo SUS,

Leia mais

SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE SUS Conjuntura do financiamento Responsabilidade de gestão

SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE SUS Conjuntura do financiamento Responsabilidade de gestão SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE SUS Conjuntura do financiamento Responsabilidade de gestão DESDE A CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1988 OS MUNICÍPIOS VEM ASSUMINDO NOVAS RESPONSABILIDADES SEM O DEVIDO ACOMPANHAMENTO DE

Leia mais

Revisão - SUS SES-PE

Revisão - SUS SES-PE Revisão - SUS SES-PE Banca AOCP garantido mediante políticas sociais e econômicas; Saúde DIREITO de todos e dever do Estado (CF/88, art.196) visa à redução do risco de doença e de outros agravos; objetiva

Leia mais

Congresso das Secretarias Municipais de Saúde 2016 COSEMS/RS. SUS: a conjuntura atual e a gestão que queremos

Congresso das Secretarias Municipais de Saúde 2016 COSEMS/RS. SUS: a conjuntura atual e a gestão que queremos Congresso das Secretarias Municipais de Saúde 2016 COSEMS/RS SUS: a conjuntura atual e a gestão que queremos 13 de julho de 2016 Gestão e Financiamento 1 - Melhorar a gestão e o financiamento da saúde,

Leia mais

NOTA TÉCNICA PROPOSTA DE ESTRUTURA PARA O RELATÓRIO DETALHADO DO QUADRIMESTRE

NOTA TÉCNICA PROPOSTA DE ESTRUTURA PARA O RELATÓRIO DETALHADO DO QUADRIMESTRE NOTA TÉCNICA 16 2012 PROPOSTA DE ESTRUTURA PARA O RELATÓRIO DETALHADO DO 1 INTRODUÇÃO Esta Nota Técnica visa apresentar Informações sobre a proposta de estrutura para o relatório de que trata o artigo

Leia mais

VII CONGRESSO BRASILEIRO E VIII CONGRESSO PAULISTA DE POLITICA MEDICA FINANCIAMENTO DO SUS. São Paulo, 21 de março de 2014.

VII CONGRESSO BRASILEIRO E VIII CONGRESSO PAULISTA DE POLITICA MEDICA FINANCIAMENTO DO SUS. São Paulo, 21 de março de 2014. VII CONGRESSO BRASILEIRO E VIII CONGRESSO PAULISTA DE POLITICA MEDICA FINANCIAMENTO DO SUS São Paulo, 21 de março de 2014. BASE LEGAL Constituição Federal Lei 8080 / 8142 Lei Complementar n. 141 (Regulamentação

Leia mais

PROPOSTA ORÇAMENTÁRIA (PLOA) 2019 DO MINISTÉRIO DA SAÚDE Grandes Números e Destaques

PROPOSTA ORÇAMENTÁRIA (PLOA) 2019 DO MINISTÉRIO DA SAÚDE Grandes Números e Destaques PROPOSTA ORÇAMENTÁRIA (PLOA) 2019 DO MINISTÉRIO DA SAÚDE Grandes Números e Destaques PLOA 2019 Piso Constitucional e aplicação em ASPS (R$ bilhões): Item RCL/Piso Apurado Aplicação em ASPS efetiva/prevista

Leia mais

ANEXO 2 TEMÁTICAS E CATEGORIAS DAS EXPERIÊNCIAS

ANEXO 2 TEMÁTICAS E CATEGORIAS DAS EXPERIÊNCIAS ANEXO 2 TEMÁTICAS E CATEGORIAS DAS EXPERIÊNCIAS TEMÁTICA CATEGORIA ESPECIFICAÇÃO DE RELATO Inclui relatos sobre práticas na elaboração e acompanhamento dos Instrumentos: 1.A FERRAMENTAS DO PLANEJAMENTO

Leia mais

Os componentes da Gestão Estratégica e Participativa do SUS

Os componentes da Gestão Estratégica e Participativa do SUS Os componentes da Gestão Estratégica e Participativa do SUS Natal/RN, agosto 2014 XIII Congresso de Prefeituras e Secretarias Municipais de Saúde do Rio Grande do Norte SUS 25 anos: avanços e enfrentamentos

Leia mais

PROF. JOSEVAL MARTINS VIANA SAÚDE PÚBLICA SUS LEI N /90 AULA 03

PROF. JOSEVAL MARTINS VIANA SAÚDE PÚBLICA SUS LEI N /90 AULA 03 SAÚDE PÚBLICA SUS LEI N. 8.080/90 AULA 03 LEI ORGÂNICA DA SAÚDE 8.080/90 8.142/90 Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços

Leia mais

PORTARIA GM N , DE 28 DE DEZEMBRO DE 2017 Altera a Portaria de Consolidação nº 6/GM/MS, de 28 de setembro de 2017, para dispor sobre o

PORTARIA GM N , DE 28 DE DEZEMBRO DE 2017 Altera a Portaria de Consolidação nº 6/GM/MS, de 28 de setembro de 2017, para dispor sobre o PORTARIA GM N. 3.992, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2017 Altera a Portaria de Consolidação nº 6/GM/MS, de 28 de setembro de 2017, para dispor sobre o financiamento e a transferência dos recursos federais para as

Leia mais

Programa de Trabalho por Função/SubFunção/Programa

Programa de Trabalho por Função/SubFunção/Programa Programa de Trabalho por //Programa 03 ESSENCIAL À JUSTIÇA 0,00 574.708,77 0,00 574.708,77 03 092 REPRESENTAÇÃO JUDICIAL E EXTRAJUDICIAL 0,00 574.708,77 0,00 574.708,77 03 092 0406 GESTÃO ADMINISTRATIVA

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE FERRAMENTAS DE GESTÃO MUNIICPAL E O PAPEL DO DEPARTAMENTO REGIONAL DE SAÚDE Adriana Ruzene Departamento Regional de Saúde de Franca/SP email: drs8@saude.sp.gov.br SECRETARIA

Leia mais

RELATÓRIO DE IDENTIFICAÇÃO DA DÍVIDA EM SAÚDE DO GOVERNO DE MINAS GERAIS POR MUNICÍPIO SEDE DO CREDOR - RESTOS A PAGAR

RELATÓRIO DE IDENTIFICAÇÃO DA DÍVIDA EM SAÚDE DO GOVERNO DE MINAS GERAIS POR MUNICÍPIO SEDE DO CREDOR - RESTOS A PAGAR RELATÓRIO DE IDENTIFICAÇÃO DA DÍVIDA EM SAÚDE DO GOVERNO DE MINAS GERAIS POR MUNICÍPIO SEDE DO CREDOR - RESTOS A PAGAR ANO ORIGEM RP 2014 EMPENHO ORIGEM RP 1180 SAUDE EM CASA AMPLIACAO DA COBERTURA POPULACIONAL

Leia mais

DEPARTAMENTO DE POLÍTICA, GESTÃO E SAÚDE FACULDADE DE SAÚDE PÚBLICA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO PROF. FERNANDO AITH SISTEMA DE SAÚDE BRASILEIRO

DEPARTAMENTO DE POLÍTICA, GESTÃO E SAÚDE FACULDADE DE SAÚDE PÚBLICA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO PROF. FERNANDO AITH SISTEMA DE SAÚDE BRASILEIRO DEPARTAMENTO DE POLÍTICA, GESTÃO E SAÚDE FACULDADE DE SAÚDE PÚBLICA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO PROF. FERNANDO AITH SISTEMA DE SAÚDE BRASILEIRO Como definir o sistema de saúde brasileiro 2 SISTEMA DE SAÚDE

Leia mais

Fundos Municipais de Saúde e a Lei Complementar Considerações. Curitiba, 03 de abril de 2013.

Fundos Municipais de Saúde e a Lei Complementar Considerações. Curitiba, 03 de abril de 2013. Fundos Municipais de Saúde e a Lei Complementar 141 - Considerações Curitiba, 03 de abril de 2013. Fundos Especiais Base legal: Arts. 71 a 74 Lei 4.320/64 Art. 71: Constitui fundo especial o produto de

Leia mais

RELATÓRIO DE IDENTIFICAÇÃO DA DÍVIDA EM SAÚDE DO GOVERNO DE MINAS GERAIS POR MUNICÍPIO SEDE DO CREDOR - RESTOS A PAGAR

RELATÓRIO DE IDENTIFICAÇÃO DA DÍVIDA EM SAÚDE DO GOVERNO DE MINAS GERAIS POR MUNICÍPIO SEDE DO CREDOR - RESTOS A PAGAR RELATÓRIO DE IDENTIFICAÇÃO DA DÍVIDA EM SAÚDE DO GOVERNO DE MINAS GERAIS POR MUNICÍPIO SEDE DO CREDOR - RESTOS A PAGAR ANO ORIGEM RP 2014 EMPENHO ORIGEM RP 1180 SAUDE EM CASA AMPLIACAO DA COBERTURA POPULACIONAL

Leia mais

O papel do controle interno na fiscalização do gasto público em Saúde

O papel do controle interno na fiscalização do gasto público em Saúde O papel do controle interno na fiscalização do gasto público em Saúde Bases Legais do Controle Interno Controle interno na Administração Pública Brasileira previsto nos artigos 75/80 da Lei 4.320/64. O

Leia mais

Direito Constitucional

Direito Constitucional Direito Constitucional Da Saúde (Art. 196 a 200) Professor André Vieira www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Constitucional Seção II DA SAÚDE Art. 196. A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido

Leia mais

PORTARIA Nº 1.535, DE 29 DE MAIO DE 2018

PORTARIA Nº 1.535, DE 29 DE MAIO DE 2018 PORTARIA Nº 1.535, DE 29 DE MAIO DE 2018 Habilita o Estado, Município ou Distrito Federal a receber recursos destinados à aquisição de equipamentos e materiais permanentes para estabelecimentos de saúde.

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE FERRAMENTAS DE GESTÃO MUNIICPAL E O PAPEL DO DEPARTAMENTO REGIONAL DE SAÚDE Adriana Ruzene Departamento Regional de Saúde de Franca/SP email: drs8@saude.sp.gov.br SECRETARIA

Leia mais

O SUS LEGAL A partir das leis que ainda não foram cumpridas e que determinam a estrutura e funcionamento do SUS: Propostas do ministério da saúde

O SUS LEGAL A partir das leis que ainda não foram cumpridas e que determinam a estrutura e funcionamento do SUS: Propostas do ministério da saúde O SUS LEGAL A partir das leis que ainda não foram cumpridas e que determinam a estrutura e funcionamento do SUS: Propostas do ministério da saúde Brasília, 25/01/2017 Lei 141 Art. 30. Os planos plurianuais,

Leia mais

Articulação das Regiões de Saúde: definição de responsabilidades e compromissos dos Entes Federados

Articulação das Regiões de Saúde: definição de responsabilidades e compromissos dos Entes Federados Jorge Harada - Diretor do Departamento de Articulação Interfederativa, unidade da Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa (DAI/SGEP/MS) Articulação das Regiões de Saúde: definição de responsabilidades

Leia mais

PORTARIA Nº 3.378, DE 11 DE DEZEMBRO DE 2017

PORTARIA Nº 3.378, DE 11 DE DEZEMBRO DE 2017 PORTARIA Nº 3.378, DE 11 DE DEZEMBRO DE 2017 Habilita o Estado, Município ou Distrito Federal a receber recursos referentes ao incremento temporário do Limite Financeiro da Assistência de Média e Alta

Leia mais

CONTROLE SOCIAL e PARTICIPAÇÃO NO SUS: O PAPEL DO CONSELHO ESTADUAL DE SAÚDE

CONTROLE SOCIAL e PARTICIPAÇÃO NO SUS: O PAPEL DO CONSELHO ESTADUAL DE SAÚDE CONTROLE SOCIAL e PARTICIPAÇÃO NO SUS: O PAPEL DO CONSELHO ESTADUAL DE SAÚDE EDERSON ALVES DA SILVA Vice-Presidente Conselho Estadual de Saúde de Minas Gerais conselhoestadualdesaudemg@gmail.com O Sistema

Leia mais

INTEGRALIDADE DA ATENÇÃO A IMPORTÂNCIA DA PACTUAÇÃO DE MEDIA E ALTA COMPLEXIDADE

INTEGRALIDADE DA ATENÇÃO A IMPORTÂNCIA DA PACTUAÇÃO DE MEDIA E ALTA COMPLEXIDADE INTEGRALIDADE DA ATENÇÃO A IMPORTÂNCIA DA PACTUAÇÃO DE MEDIA E ALTA COMPLEXIDADE REDES DE ATENÇÃO SUS. 5% 15% 80% FUNCIONAMENTO DINÂMICO PRINCÍPIOS DO SUS REDES DE ATENÇÃO Á SAÚDE INDIVÍDUO FAMÍLIA COMUNIDADE

Leia mais

SIOPS. Sistema de Informações sobre Orçamento Público em Saúde

SIOPS. Sistema de Informações sobre Orçamento Público em Saúde SIOPS Sistema de Informações sobre Orçamento Público em Saúde O que é o SIOPS? Sistema que coleta, armazena e disponibiliza informações sobre as Receitas Totais e Despesas com Ações e Serviços Públicos

Leia mais

SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE. Combinar recursos entre as três esferas de governo. Março, 2011

SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE. Combinar recursos entre as três esferas de governo. Março, 2011 1 SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE Combinar recursos entre as três esferas de governo Março, 2011 SUS Complexidade do Contexto Dimensão geográfica (8,5 milhões Km²) Estrutura econômica-social heterogênea Grandes

Leia mais

ENFERMAGEM LEGISLAÇÃO EM SAÚDE

ENFERMAGEM LEGISLAÇÃO EM SAÚDE ENFERMAGEM LEGISLAÇÃO EM SAÚDE Sistema Único de Saúde - SUS: Constituição Federal, Lei Orgânica da Saúde - Lei nº 8.080 de 1990 e outras normas Parte 16 Profª. Tatiane da Silva Campos Outras normas complementares

Leia mais

POLÍTICAS PÚBLICAS Aula 11. Prof. a Dr. a Maria das Graças Rua

POLÍTICAS PÚBLICAS Aula 11. Prof. a Dr. a Maria das Graças Rua POLÍTICAS PÚBLICAS Aula 11 Prof. a Dr. a Maria das Graças Rua O Financiamento do SUS: CF-88 art. 198: O SUS é financiado por recursos do Orçamento da Seguridade Social da União, dos estados, do Distrito

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE LIRCE LAMOUNIER

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE LIRCE LAMOUNIER SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE ESTADO DE GOIÁS ORGANIZAÇÃO DO SUS LIRCE LAMOUNIER DISCIPLINA ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA, GESTÃO PESSOAL E MULTIPROFISSIONAL (ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA NO SUS) FACULDADE DE FARMÁCIA

Leia mais

XVII CICLOS TEMÁTICOS COSEMS/CE. Ubajara, 23 de Agosto de 2018 FUNDO NACIONAL DE SAÚDE / SECRETARIA EXECUTIVA / MINISTÉRIO DA SAÚDE

XVII CICLOS TEMÁTICOS COSEMS/CE. Ubajara, 23 de Agosto de 2018 FUNDO NACIONAL DE SAÚDE / SECRETARIA EXECUTIVA / MINISTÉRIO DA SAÚDE PORTARIA Nº 3.992 DE 28 DE DEZEMBRO DE 2017 NOVO MODELO DE ORGANIZAÇÃO E TRANSFERÊNCIA DE RECURSOS FEDERAIS PARA O FINANCIAMENTO DAS AÇÕES E SERVIÇOS PÚBLICOS DE SAÚDE XVII CICLOS TEMÁTICOS COSEMS/CE Ubajara,

Leia mais

PORTARIA Nº 565, DE 9 DE MARÇO DE 2018

PORTARIA Nº 565, DE 9 DE MARÇO DE 2018 Publicado em: 12/03/2018 Edição: 48 Seção: 1 Página: 28-49 Órgão: Ministério da Saúde / Gabinete do Ministro Regulamenta a aplicação das emendas parlamentares que adicionarem recursos ao Sistema Único

Leia mais

PORTARIA Nº 1.055, DE 20 DE ABRIL DE 2018

PORTARIA Nº 1.055, DE 20 DE ABRIL DE 2018 PORTARIA Nº 1.055, DE 20 DE ABRIL DE 2018 Habilita o Estado, Município ou Distrito Federal a receber recursos referentes ao incremento temporário do Limite Financeiro da Assistência de Média e Alta Complexidade

Leia mais

Regionalização e Planejamento Regional Integrado

Regionalização e Planejamento Regional Integrado Regionalização e Planejamento Regional Integrado SUS LEGAL Processo de Planejamento ascendente Rateio dos recursos, conforme LC 141/2012 Modelo de atenção Consolidação das normas do SUS Regionalização

Leia mais

Financiamento e transferência dos recursos federais para as ações e os. públicos de saúde. Portaria n /2017

Financiamento e transferência dos recursos federais para as ações e os. públicos de saúde. Portaria n /2017 Financiamento e transferência dos recursos federais para as ações e os serviços públicos de saúde. Portaria n. 3.992/2017 Base legal Constituição Federal Lei Complementar n. 141/2012 Lei n. 8080/1990 Lei

Leia mais

O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso das atribuições que lhe confere o inciso I do parágrafo único do art. 87 da Constituição, e

O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso das atribuições que lhe confere o inciso I do parágrafo único do art. 87 da Constituição, e PORTARIA No- 2.728, DE 11 DE NOVEMBRO DE 2009 Dispõe sobre a Rede Nacional de Atenção Integral à Saúde do Trabalhador (RENAST) e dá outras providências. O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso das atribuições

Leia mais

Comissão Intergestores Tripartite - CTI. Relação Nacional de Ações e Serviços de Saúde - RENASES- Brasília 15 de dezembro 2011

Comissão Intergestores Tripartite - CTI. Relação Nacional de Ações e Serviços de Saúde - RENASES- Brasília 15 de dezembro 2011 Comissão Intergestores Tripartite - CTI Relação Nacional de Ações e Serviços de Saúde - RENASES- Brasília 15 de dezembro 2011 Seção I Decreto Nº 7508 DE 28/06/2011 CAPÍTULO IV - DA ASSISTÊNCIA À SAÚDE

Leia mais

Contrato Organizativo de Ação Pública da Saúde - COAP

Contrato Organizativo de Ação Pública da Saúde - COAP NOTA TÉCNICA 03/2015 Contrato Organizativo de Ação Pública da Saúde - COAP Brasília, 02 de março de 2015 1 INTRODUÇÃO O Contrato Organizativo da Ação Pública da Saúde é um acordo de colaboração firmado

Leia mais

Saúde Coletiva Prof (a) Responsável: Roseli Aparecida de Mello Bergamo

Saúde Coletiva Prof (a) Responsável: Roseli Aparecida de Mello Bergamo Saúde Coletiva Prof (a) Responsável: Roseli Aparecida de Mello Bergamo Conteúdo da Unidade 2.1 Organização do Sistema Único de Saúde - SUS Principais tendências na política de saúde do Brasil 1. Sanitarismo

Leia mais

A lógica da alocação de recursos federais para o SUS

A lógica da alocação de recursos federais para o SUS Ministério da Saúde A lógica da alocação de recursos federais para o SUS Julho de 2016 MARCOS FRANCO SE/MS Orçamento da Saúde - 2016 LOA 2016 (R$ milhão) Ministério da Saúde 118.682,60 Pessoal e dívida

Leia mais

ANEXO II. a) QUADRO DEMONSTRATIVO DOS CARGOS EM COMISSÃO E DAS FUNÇÕES GRATIFICA- DAS DO MINISTÉRIO DA SAÚDE. UNIDADE N o

ANEXO II. a) QUADRO DEMONSTRATIVO DOS CARGOS EM COMISSÃO E DAS FUNÇÕES GRATIFICA- DAS DO MINISTÉRIO DA SAÚDE. UNIDADE N o ANEXO II a) QUADRO DEMONSTRATIVO DOS CARGOS EM COMISSÃO E DAS FUNÇÕES GRATIFICA- DAS DO MINISTÉRIO DA SAÚDE UNIDADE CARGO DENOMINAÇÃO NE/ /FUNÇÃO CARGO/FUNÇÃO DAS N o FG 5 Assessor Especial 102.5 1 Assessor

Leia mais

Curso Especialização em Saúde Pública

Curso Especialização em Saúde Pública Curso Especialização em Saúde Pública Curso Especialização em Saúde Pública Inserido na política de saúde do Estado do Paraná/SESA Perspectiva de uma Gestão Pública voltada para resultados Consonância

Leia mais

O pacto federativo na saúde e a Política Nacional de Atenção Básica: significados e implicações das mudanças propostas

O pacto federativo na saúde e a Política Nacional de Atenção Básica: significados e implicações das mudanças propostas O pacto federativo na saúde e a Política Nacional de Atenção Básica: significados e implicações das mudanças propostas 61ª Reunião Extraordinária do Conselho Nacional de Saúde Seminário sobre a Política

Leia mais

OPERACIONALIZAÇÃO E FINANCIAMENTO

OPERACIONALIZAÇÃO E FINANCIAMENTO Universidade Federal do Paraná Setor de Ciências de Saúde Departamento de Saúde Comunitária Disciplina: Saúde Pública I Professor: Walfrido Kühl Svoboda SUS Sistema Único de Saúde OPERACIONALIZAÇÃO E FINANCIAMENTO

Leia mais

Governo do Estado do Amapá. Superintendência de Vigilância em Saúde - SVS

Governo do Estado do Amapá. Superintendência de Vigilância em Saúde - SVS Governo do Estado do Amapá Superintendência de Vigilância em Saúde - SVS DECRETO N 3708 DE 2 DE SETEMBRO DE 2017 Aprova o Estatuto da Superintendência de Vigilância em Saúde do Estado do Amapá- SVS, e

Leia mais

SUPERAR OS FALSOS DILEMAS E ENFRENTAR OS VERDADEIROS DESAFIOS JANUARIO MONTONE

SUPERAR OS FALSOS DILEMAS E ENFRENTAR OS VERDADEIROS DESAFIOS JANUARIO MONTONE SUPERAR OS FALSOS DILEMAS E ENFRENTAR OS VERDADEIROS DESAFIOS JANUARIO MONTONE 15 anos de Regulação Limites estruturais do sistema de saúde Superar os falsos dilemas e enfrentar os verdadeiros desafios

Leia mais