A IMPORTÂNCIA DA AMAMENTAÇÃO EM CRIANÇAS COM FENDA LÁBIOPALATINA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A IMPORTÂNCIA DA AMAMENTAÇÃO EM CRIANÇAS COM FENDA LÁBIOPALATINA"

Transcrição

1 Artigo apresentado no II Seminário de Pesquisas e TCC da FUG no semestre Coordenação, organização e formatação final: Prof. Dr. Rodrigo Irani Medeiros A IMPORTÂNCIA DA AMAMENTAÇÃO EM CRIANÇAS COM FENDA LÁBIOPALATINA Ataíres Freitas de Souza 1 Maria do Socorro Miranda Monteiro 1 Willians Rocha Medrado 1 Prof. Esp. Denise Pinheiro Marques 2 Enf. Mest. Diego Vieira Mattos 3 RESUMO: O estudo trata se de uma revisão bibliográfica tendo como objetivo discutir a amamentação de crianças portadoras de fenda palatina e lábio leporino, e como a intervenção da enfermagem pode amenizar o impacto dessa malformação para a criança e a mãe. Sobretudo não deixando de lado a amamentação natural, a qual é muito importante para o desenvolvimento da criança. Palavras-Chave: amamentação, fenda lábio palatal, enfermagem. ABSTRACT: The study is a literature review is aiming to discuss the feeding of children with cleft lip and cleft palate, and as a nursing intervention can lessen the impact of this malformation for the child and mother. Above all, leaving aside breastfeeding, which is very important for child development. Keywords: breastfeeding, cleft lip-palate, nursing. 1 Acadêmico do curso de Enfermagem da Faculdade União de Goyazes 2 Professora orientadora da Faculdade União de Goyazes 3 Enfermeiro co-orientador

2 2 1. INTRODUÇÃO A fissura lábio-palatino é uma malformação congênita que ocorre durante o desenvolvimento fetal entre a quarta e a décima primeira semana de gestação isso pode ocorre devido à falta de fusão dos ossos faciais. (RODRIGUES, et al, 2005). Nas crianças com fissuras lábio-palatinas, o aleitamento materno é mais difícil, pois além das complicações geradas pela ausência do palato, a fenda labial impede o posicionamento correto do bico e da aréola na boca da criança, dificultando ainda mais a extração do leite. A falta de pressão negativa dificulta a remoção do leite, posicionamento e a estabilidade do bico do seio (SANCHES, 2004). A amamentação recomendada para estas criança é o leite materno devido ao autovalor nutritivo e qualidade antibacteriana, o que poderá ajudar a combater diversas infecções (SILVA; F. D. N. 2005). O aleitamento materno deve ser estimulado logo após o nascimento da criança, ou quando possível. E deve ser acompanhado por uma equipe multiprofissional; com esses cuidados aumentam-se as chances de sucesso e o alcance de melhores condições de vida. A importância do aleitamento materno é amplamente reconhecida, assim como as dificuldades de sua efetivação em crianças que nascem com malformações craniofaciais como as fissuras labiopalatinas (PIRES, 2007). Durante a história da humanidade, houve uma média de 15% a 25% de mortes em crianças chegando a 90% quando as crianças eram órfãs e não tinham mãe substituta para a amamentação. Nessa fase foram criadas as mães de leite, onde esta substituía as mães quando não podiam amamentar seus filhos. (MALFATTI, 2009).

3 3 2. OBJETIVOS Determinar a importância do aleitamento materno para crianças com fissuras lábio palatinas, e a atuação da enfermagem diante dessa realidade. 3. MATERIAIS E MÉTODOS Trata-se de um estudo do tipo bibliográfico, descritivo com análise sistematizada. Pesquisa bibliográfica é aquela desenvolvida exclusivamente a partir de fontes já elaboradas livros, artigos científicos, publicações periódicas, as chamadas fontes de papel. Tem como vantagem cobrir uma ampla gama de fenômenos que o pesquisador não poderia contemplar diretamente. Um estudo descritivo é aquele que descreve as características de uma população ou de um fenômeno, ou ainda estabelece relações entre fenômenos (variáveis). Após a definição do tema foi feita uma busca em bases de dados virtuais em saúde, especificamente na Biblioteca Virtual de Saúde - Bireme. Foram utilizadas as palavras-chave: Amamentação, Fissura Palatina, e Enfermagem. O passo seguinte foi uma leitura exploratória das publicações apresentadas no Sistema Latino- Americano e do Caribe de informação em Ciências da Saúde - LILACS, National Library of Medicine MEDLINE, Scientific Electronic Library Online Scielo, web artigos, Ministério da Saúde no período de 1988 a 2011, caracterizando assim o estudo retrospectivo, em todos os idiomas, buscando as fontes virtuais, os anos, os periódicos, os idiomas, os métodos e os resultados comuns. Realizada a leitura exploratória e seleção do material, principiou a leitura analítica, por meio da leitura das obras selecionadas, que possibilitou a organização das idéias por ordem de importância e a sintetização destas que visou à fixação das idéias essenciais para a solução do problema da pesquisa. Após a leitura analítica, iniciou-se a leitura interpretativa que tratou do comentário feito pela ligação dos dados obtidos nas fontes ao problema da pesquisa e conhecimentos prévios. Na leitura interpretativa houve uma busca mais ampla de resultados, pois ajustaram o problema da pesquisa a possíveis soluções. Feita a

4 4 leitura interpretativa se iniciou a tomada de apontamentos que se referiram a anotações que consideravam o problema da pesquisa, ressalvando as idéias principais e dados mais importantes. A seguir os dados apresentados foram submetidos à análise de conteúdo. Posteriormente, os resultados foram discutidos com o suporte de outros estudos provenientes de revistas científicas e livros, para a construção do relatório final e publicação do trabalho no formato Vancouver. 4. DESENVOLVIMENTO 4.1 Fisiologia da Lactação A mama é composta de aréola; mamilo; tecido adiposo, ducto lactífero, lóbulos e alvéolos. Desenvolvem-se a partir da puberdade, estimuladas pelo estrogênio, que promove o crescimento do estroma e do sistema de ductos onde há um depósito de gordura para dar volume a mama, durante a gravidez, é quando o tecido glandular se desenvolve preparando para a produção do leite (PARKER, WINSTON; 2007). A elevação do estrogênio que é secretado pela placenta além de hormônio do crescimento, glicocorticóide e a insulina, estimulam os ductos mamários ao crescimento. (KOEPPEN, STANTON; 2009) Após o nascimento da criança, há uma diminuição de estrogênio e de progesterona fazendo com que a prolactina da hipófise materna assuma seu papel natural de promoção da secreção de leite, e as mamas comecem progressivamente a secretar quantidade copiosa de leite, em lugar de colostro (SILVERTHORN et al 2003). O aleitamento não terá continuação se, as mamas perderem sua capacidade de produzir leite dentro de mais ou menos uma semana. E se a criança continuar sugando, a produção de leite continuará (GUYTON; HALL, 2002). Quando o lactente começa a mamar é que são inicialmente transmitidos os impulsos sensoriais pelos nervos somáticos dos mamilos para a medula espinhal da

5 5 mãe, de modo que os sinais nervosos promovem a secreção de ocitocina, e da prolactina. (KORPPEN; STANTON, 2009). 4.2 Aleitamento Materno Exclusivo Para a Organização Mundial de Saúde (OMS) aleitamento materno exclusivo (AME) é o aleitamento materno praticado até os seis meses de vida, iniciando-se nas primeiras horas, sem nenhuma adição de outro alimento ou líquido, nem água e sem o uso de chupetas ou mamadeiras e que seja por livre demanda, ou seja, todas as vezes que a criança quiser, durante o dia ou à noite (MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2002). Sabe-se que o aleitamento materno é considerado um dos elementos essenciais ao crescimento físico, funcional e mental da criança, como também uma forma de diminuir o impacto das doenças e dos óbitos infantis, especialmente ao longo do primeiro ano de vida. O Ministério da Saúde preconiza que a amamentação seja exclusiva até os seis meses, e, somente depois deste período seja complementado com outro tipo de alimento e, se possível, mantido até o segundo ano de vida da criança (ADAMS; RODRIGUES, 2010). 4.3 Fenda Palatina e Lábio Leporino As fissuras labiopalatinas são malformações congênitas, que têm como característica erros de fusão dos processos faciais embrionários (PALADE; GUEDES, 2011). Fenda palatina é quando o palato não se fecha completamente, apresentando graus variados de intensidade, que vão desde uma pequena abertura do palato mole até a sua completa separação. Acomete o terço médio da face, sendo ocasionada pela não fusão dos ossos maxilares. Já o lábio leporino refere-se a uma abertura do lábio superior, entre a boca e o nariz, ocasionada pelo não fechamento do lábio (CYMROT; et al, 2010). As fissuras labiais, com comprometimento ou não do palato, afetam mais o sexo masculino e têm uma incidência variável entre os diferentes grupos étnicos,

6 6 estando os asiáticos em maior risco. As fissuras palatinas sem o comprometimento labial apresentam incidência homogênea entre as etnias e ocorrem mais no sexo feminino (SILVA; et al,2008). Quanto à etiologia nota-se a existência de aspectos multifatoriais, tais como, hereditariedade, carência alimentar, influências psicológicas, doenças infecciosas, idade avançada dos genitores, drogas, radiação ionizante, diabetes materna e fumo. Contudo há um aumento de malformações congênitas associadas, bem como deficiência de aprendizagem secundária à deficiência da audição. (MENDES; LOPES, 2006) Quanto à classificação das fendas, a mais difundida em âmbito nacional, por ser simples e objetiva, que distingue os mecanismos independentes de formação das estruturas anteriores e posteriores ao forame Incisivo (ponto de referência). A esta classificação, para torná-la mais completa, pode-se acrescentar, no grupo da fenda transforame incisivo, são fissuras no lábio e a reborda do palato. Fissuras pré-forame incisivo: são as fissuras labiais unilateral, bilateral e mediana: Fissuras transforame incisivo: são as de maior gravidade, unilaterais ou bilaterais, atingindo lábio, arcada alveolar e todo o palato. Fissuras pós forame incisivo: são as palatinas, em geral medianas, que podem situar-se apenas a úvula, ou nas demais partes do palato duro, ou mole (CYMROT; et al ; 2010). É possível diagnosticar o lábio leporino ainda antes do nascimento, assim os pais podem ser preparados para receber a criança e também sobre o tratamento. Tão logo a criança complete 5 quilos, e apresentando boas condições de saúde a primeira cirurgia corretiva pode ser realizada. A cirurgia do palato, no entanto só pode ser realizada depois do primeiro ano de vida da criança (RODRIGUES, 2005). O tratamento da fissura labiopalatina visa alcançar uma função adequada do esfíncter velofaríngeo (quando falta tecido para estimular o fechamento do palato duro e palato mole) que permitirá um melhor desenvolvimento de fala, reduzindo a convexidade facial ao reposicionarem gradualmente a pré-maxila durante o crescimento craniofacial, 30% dos indivíduos podem continuar com alterações de fala (INGE, et al, 2009).

7 7 4.4 Amamentação em crianças portadoras de fissuras labiopalatinas O primeiro desafio que as crianças têm ao nascer com uma malformação congênita de fissura labiopalatina é de sofrer interferências em seu dia-a-dia (ARARUNA; R. C, 2000), O maior desafio é a dificuldade para alimentar-se, podendo ocasionar desnutrição, anemia, pneumonia aspirativa e infecções de repetição (RIBEIRO; E. M. 2005). O tratamento multidisciplinar é uma das condições para o sucesso na reabilitação dos pacientes com fenda lábio-palatino (FLP) (SILVA; et al., 2008). O relacionamento da família com os profissionais da saúde visa o desenvolvimento de estratégias que levem a criança com fissura conviver bem com a doença (SANTOS; DIAS, 2005). Desde o nascimento, as crianças portadoras de fissuras têm dificuldade para se alimentar como: ingestão insuficiente, sucção deficitária, escape nasal, deglutição de ar, vômitos abundantes, engasgamentos e asfixia, o grau de dificuldade relaciona se ao tipo de fissura, sendo que alguns bebês podem levar de dois a três meses para se tornarem eficazes na sucção ( CORRÊA, M. S. N. P, 1999). Para o bebê, a amamentação materna fornece alimentação adequada às suas necessidades nutricionais, auxilia no combate a infecções do ouvido médio e respiratórias. O ato da sucção permite o correto posicionamento da mandíbula para uma oclusão dentária normal e conseqüente mastigação correta, além de um equilíbrio neuromuscular dos tecidos que envolvem o aparelho mastigatório (MARQUES, M. I. V. M. MARTINELLI, A. J. 1992). O Aleitamento materno é uma forma de alimentação nutritiva para o recémnascido. A insegurança da mãe que têm uma criança com fissura labiopalatina é esperada, pois ela poderá se sentir insegura e frustrada diminuindo ou excluindo sua vontade de amamentar. Contudo é recomendável o aconselhamento a mãe que

8 8 realize o aleitamento materno em seu bebê. O método da alimentação vai depender da complexidade da fissura e das condições da criança (MENDES, et al; 2009) Como as partes mais prejudicadas são os lábios e o palato, o aleitamento materno é muito prejudicado, e logo começam a aparecer muitas dificuldades na alimentação desta criança (RIBEIRO, MOREIRA, 2005). Há casos onde é utilizada a sonda nasogástrica como alternativa para a alimentação em crianças recém nascidas (RN) que é portador de fissura, mas nas primeiras horas de vida é aconselhável o aleitamento materno, pois é um período importante para adaptação do reflexo de alimentação. Assim, se a criança fissurada for bloqueada através do uso de sonda após o nascimento, os seus mecanismos para realizar os movimentos de sucção e deglutição serão prejudicados (RAMOS; et al; 2010). É imprescinível que o RN inicie sua alimentação oral, pois a sucção realizada no seio da mãe é capaz de ajudar a preparar a fase oral da digestão; a alimentação oferecida em intervalos regulares pela sonda nasogástrica não prioriza o controle da fome, da saciedade e do volume alimentar (SILVA, et al, 2005). Há os métodos da alimentação por xícaras e mamadeiras, onde é realizada a ordenha do leite materno e oferecido para a criança. Esses métodos não são descartados já que estimula a criança a desenvolver a sucção. Lembrando que nenhum método de alimentação substitui o aleitamento materno, tanto para a criança quanto para a mãe, por se tratar de um método natural e saudável (ADAMS; RODRIGUES; et al, 2010). 4.5 Assistência de Enfermagem A assistência prestada pela enfermagem visa à manutenção da lactação e sucesso no aleitamento. Nesse contexto, o enfermeiro exerce papel relevante nos momentos de promoção do cuidado ao binômio mãe-filho, precisando interagir com ambos para propor as intervenções necessárias para obter uma lactação efetiva e fortalecer o vínculo entre eles (BARROZZINO, et. al, 2010). As Campanhas visam informar as mães sobre os benefícios da amamentação exclusiva. Capacitando os profissionais de saúde para que atuem como

9 9 incentivadores dessa prática para que estejam aptos a oferecer suporte às mães que amamentam ou que se preparam para tal ( FRANÇA, et al; 2007). Os profissionais envolvidos no diagnóstico e tratamento dessa criança devem ser preparados para fazerem o comunicado a família e essa intervenção deverá ser de maneira compreensível, sem usar termos técnicos, em um lugar de privacidade aonde não poderão ser interrompidos, para que essa família possa se sentir amparado e orientado em relação aos cuidados necessários (SILVEIRA; WEISE, 2008). Portanto, a enfermagem juntamente com essa equipe multidisciplinar, é parte atuante no processo de reabilitação, tendo como objetivo integrar o paciente para assegurar a continuidade do tratamento (SPIRI; LEITE, 1999). A interação entre os profissionais da saúde torna-se indispensável, principalmente da enfermeira, que deve ter como metas: assistir a criança e sua família, estimular o desenvolvimento e incentivar a família para enfrentarem a trajetória que está por vir (SANTOS; DIAS, 2005). O enfermeiro tem qualificação para ajudar a família e a criança com fissura lábio palatina a se restabelecer, pois muitas vezes nesses momentos de interação e cuidado, ele consegue descobrir os medos, esperanças, pensamentos e desejos desses familiares (ANDRADE; ARGERAMI, 2001). 4.6 Cuidados de Enfermagem Fazer a limpeza oro - nasal antes e após cada mamada, embebido em água fervida ou filtrada com cotonete, procedimento indicado para evitar acumulo de alimento na cavidade oro nasal evitando proliferações de bactérias (SOUSA; FLORIO; KAWAMOTO, 2001). Estimular e orientar a mãe a tentar amamentação ao seio materno (SOUSA; FLORIO; KAWAMOTO, 2001). Orientar a mãe a manter a criança em posição semi sentada para dificultar a bronco aspiração (SOUSA; FLORIO; KAWAMOTO, 2001).

10 10 Ajudar a mãe na amamentação, posicionar e estabilizar o mamilo na cavidade oral de modo que a língua se movimente facilmente e facilite a sucção do leite (WONG, 1999) Tentar alimentar a criança com bico para ajudar na necessidade de sucção e promover o desenvolvimento dos músculos para a fala (WONG, 1999). Posicionar o bico entre a língua e o palato existente para facilitar a compreensão do lactente e colocar o alimento na parte de traz da língua para o fluxo ser ajustado, de acordo com a deglutição do leite, evitando a aspiração (WONG, 1999). Estimular o eructar (quantidade de ar deglutido) (WONG, 1999). Avaliar a quantidade de alimento a ser oferecido a essa criança para que seja feito o monitoramento (WONG, 1999). o hábito de chupar chupeta ou dedo (RIBEIRO; MOREIRA, 2005). 5. CONSIDERAÇÕES FINAIS O aleitamento materno é essencial para o desenvolvimento da criança. E para a criança portadora de fissura labiopalatina ele é mais importante ainda. Não é fácil o aleitamento materno em crianças com fissura labiopalatina, pois alem das complicações geradas pela falta do palato, a fenda labial impede a extração adequada do leite. É possível diagnosticar a fissura labiopalatina ainda na gestação, facilitando com isso a aceitação da família. E cabe ao profissional da saúde que assiste a essa família, orientá-lo de forma adequada explicando suas limitações para alimentar-se. Os profissionais da saúde, principalmente o enfermeiro deve estar sempre se preparando para prestar uma assistência de qualidade e diferenciada, ao binômio mãe- filho os quais merecem um atendimento humanizado. A enfermagem é uma área que esta qualificando cada vez mais e é uma peça fundamental na assistência a criança portadora de fissura labiopalatina, e na orientação ao aleitamento materno feito de forma correta.

11 11 6. BIBLIOGRAFIA ABRÃO, A. C. F. V. Aleitamento materno. In: BARROS, S. M. O. (Org.). Enfermagem no Ciclo Gravídico-Puerperal. São Paulo: Manole, Cap. 15, p ADAMS, F.; RODRIQUES, F. C. P. Promoção e apoio ao aleitamento materno: um desafio para enfermagem. Vivencia: Revista eletrônica de extensão de URI. Vol.06 nº09, Maio, Disponível em: Acessado em: ALMEIDA, L. O. S. Conhecimento das puérperas acerca da importância do aleitamento materno exclusivo nos primeiros seis meses de vida da criança na usf viu. Disponível em: Acessado em: ANDRADE, D.; ARGERAMI, E. L. S. A auto-estima em adolescentes com e sem fissuras de lábio e/ou de palato. Revista Latino-Americana de Enfermagem, Ribeirão Preto, v. 9, n. 6,19. nov Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rlae/v9n6/7824.pdf>. Acesso em: 12 mar Acessado em: ARARUNA, R. C.; VENDRÚSCOLO, D. M. S. Alimentação da criança com fissura de lábioe/ou palato- um estudo bibliográfico. Revista Latino-America de enfermagem, Ribeirão Preto, v. 8, n. 2, abr Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rlae/v8n2/12424.pdf>.acessado em: BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Política de Saúde. Organização Pan Americana da Saúde. Guia alimentar para crianças menores de dois anos / Secretaria de Políticas de Saúde, Organização Pan Americana da Saúde. Brasília: Ministério da Saúde, Disponível em: Acessado em:

12 12 BORROZZINO, N.F; ET AL. Assistência de enfermagem ao binômio mãe - filho prematuro relacionamento à amamentação. Ciência ET Práxis, [ on line], v.03; nº 06; Disponível em: php/scientae/article/viewfile/232/110. Acessado em; CIAMPO; L. A. D; et al. Aleitamento materno exclusivo: discurso de pediatria. Disponível em: Acessado em: CYMROT, M.; et al. Prevalência dos tipos de fissura em pacientes com fissuras labiopalatinas atendidos em um Hospital Pediátrico do Nordeste brasileiro. Disponível em: Acessado em: FRANCA, Gi. V. A.; et al.determinantes da amamentação no primeiro ano de vida em Cuiabá, Mato Grosso. Rev. Saúde Pública, São Paulo, v. 41, N. 5, out Disponível em: Acessado em: GOSS, C. M. Anatomia. 29ª edição. Rio de Janeiro. Editora Guanabara, 1988 GUYTON, A. C.; HALL, J. E.Tratado de Fisiologia Médica 10ª Edição.Editora Guanabara Koogan. pag INGE, E.K.; et AL. Assessment of Internal Nasal Dimensions and Speech Resonance in Individuals With Repaired Unilateral Cleft Lip and Palate After Rhinoseptoplasty. Journal of Craniofacial Surgery. 2009; 20(2): ISAACSON, L.J. Steps successfully breastfeed the premature infant. Journal Article: Review, USA, v. 25, n.2, p , mar-abr KOLPPEN, B. M.; STANTON, B. A. Berne e Levy fisiologia, 6ª edição.rio de Janeiro. Editora Eliservier, KOUTSOUKOS; S. S. M. Amas mercenárias': o discurso dos doutores em medicina e os retratos de amas - Brasil, segunda metade do século XIX. História, Ciências, Saúde-Manguinhos.Hist. Cienc. Saude-Manguinhos vol.16 nº. 2 Rio de Janeiro Apr./June Disponível em: Acessado em:

13 13 MAGNO,.M.; et al, A importância do aleitamento materno. Disponível em :http://www.webartigos.com/articles/52052/1/a-importancia-do-aleitamento- Materno/pagina1.htm. Acessado em: MALFATTI, C. R. M.;et. A história do aleitamento materno: dos povos primitivos até a atualidade. Revista Digital - Buenos Aires - Año 13 - Nº Febrero de 2009.Disponível em: Acessado em: MARQUES, M.I.V.M., MARTINELLI, A. J. A alimentação das crianças portadoras de fissuras congênitas lábio-palatais nos dois primeiros anos de vida. Jornal de pediatria, v. 68, n. 3/4, MENDES; K. R. R.et al. Amamentação da criança portadora de fissura labiopalatina. Minas Gerais Disponível em: labiopalatina.pdf. Acessado em: OLIVA M.; Salgado, M. - Aleitamento materno aspectos práticos. Saúde Infantil. Abr 2005; Coimbra /1; Nº27; PALANDI, B. B. N; GUEDES, Z. C. F. Aspectos da fala de indivíduos com fissura palatina e labial, corrigida em diferentes idades. Rev. CEFAC vol.13 nº. 1 São Paulo Jan./Feb Epub Feb 25, (1): 8-16, jan-fev Ilus. tab. Disponível em:http://bases.bireme.br/cgibin/wxislind.exe/iah/online/?isisscript=iah/iah.xis&src=google&base=lilacs&lang=p &nextaction=lnk&exprsearch=576220&indexsearch=id.acessado em: PARKER, Stevem; Winston, Robert. O livro do corpo Humano. Editora cultural, 2007 PENIDO F. A.; et al. Correlação entre os achados do teste de emissão de ar nasal e da nasofaringoscopia em pacientes com fissura labiopalatina operada. Rev. soc. bras. Fonoaudiol. 2007; 12(2): PIRES, C.; RABAÇA, P.; SANTOS, L. LEITE MATERNO. Ultima publicação, Disponível em: Acessado em: RAMOS; et al. Prevalência do Aleitamento Materno Exclusivo e os fatores a ele associados em crianças nascidas nos Hospitais Amigos da Criança de Teresina- Piauí Disponível em:

14 14 Acessado em: RIBEIRO, E. M.; MOREIRA, A. S. C. G. Atualização sobre o tratamento multidisciplinar das fissuras labiais e palatinas. Revista Brasileira em Promoção da Saúde. Fortaleza, v. 18, nº. 1, Disponível em:<http:// /joomla/joomla/joomla/images/pdfs/pdfs_notitia/432.pdf>. Acessado em: RODRIGUES; M. R; et al. Fissura completa bilateral: características morfológicas. Rev. de Odontologia da UNESP [online]. Vol. 34, n. 2, p , SANTOS, R. S.; DIAS, I. M. V. Refletindo sobre a malformação congênita. Revista Brasileira de Enfermagem. Brasília, v. 58, n. 5, set./out Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/reben/v58n5/a17v58n5.pdf>. Acessado em: SILVEIRA, J. L. G. C.; WEISE, C. M. Representações sociais das mães de crianças portadoras de fissuras labiopalatinas sobre aleitamento. Pesquisa Brasileira em Odontopediatria e Clínica Integrada, João Pessoa, v. 8, n. 2, maio./ago, Disponível em: <http://revista.uepb.edu.br/index.php/pboci/article/view/297/215>. Acesso em: 10 jul Acessado em: SIMON, V. G. N.; et al. Pratica e duração do aleitamento materno de crianças matriculadas em escolas particulares do município de são Paulo. Rev. Brasileira Do Crescimento E Desenvolvimento Humano, 2009; 19(3): Disponível Em Acessado em: SILVA, D. P.; et al. Aspectos patofisiológicos do esfíncter velofaríngeo nas fissuras palatinas. Arquivos Internacionais de Otorrinolaringologia, São Paulo, v. 12, n. 3, ago Disponível em: <http://www.arquivosdeorl.org.br/conteudo/pdfforl/551.pdf>. Acessado em: SILVERTHORN, D. U. ; OBER, W. C.; GARRISON, C. W. Fisiologia humana: uma abordagem integrada. 2ª edição. São Paulo. Editora Manole, SOUSA, A. L. T.; FLORIO, A.; KAWAMOTO, E. E. O neonato, a criança e o adolescente. São Paulo: EPU, Disponível em; Acessado em:

15 15 SPIRI, W. C.; LEITE, M. M. J. Convivendo com o portador de fissura lábio-palatal: o vivencial da enfermeira. Revista Escola de Enfermagem USP, São Paulo, v. 33, n. 1, mar Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v33n1/v33n1a08.pdf Acessado em: TAKUSHI, S. A. M.; et al.motivação de gestantes para o aleitamento materno. Rev. Nutr., Campinas, v. 21, n. 5, out Disponível em: Acessado em: WALKER, M. Breastfeeding the late preterm infant. Journal Article; Review USA, v. 37, n. 6, p , nov-dez WONG, D. L. Whaley & Wong enfermagem prática - elementos essenciais à intervenção efetiva. 5. Ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, Disponível em; Acessado em:

Como o diagnóstico pode ser feito através do exame de ultrassonografia morfológica, é de extrema importância o encaminhamento da gestante para os

Como o diagnóstico pode ser feito através do exame de ultrassonografia morfológica, é de extrema importância o encaminhamento da gestante para os Prevalência dos Tipos de Fissuras em Pacientes atendidos no Centro de Fissurados Labiopalatal (CEFIL) do Hospital Municipal Nossa Senhora do Loreto no Rio de Janeiro. Cruz, Ana Cláudia( Ortodontista- Coordenadora

Leia mais

Reabilitação cirúrgica dos Fissurados de lábio e palato. M.Sc.Viviane Marques

Reabilitação cirúrgica dos Fissurados de lábio e palato. M.Sc.Viviane Marques Reabilitação cirúrgica dos Fissurados de lábio e palato M.Sc.Viviane Marques DIAGNÓSTICO 1º diagnóstico: Através da ultrasonografia (Entre a 12ª e 14ª semana de gestação). O diagnóstico das fissuras submucosa

Leia mais

Aleitamento materno Alimentação dos lactentes portadores de fissuras labiopalatais (FLP) M.Sc. Profª Viviane Marques

Aleitamento materno Alimentação dos lactentes portadores de fissuras labiopalatais (FLP) M.Sc. Profª Viviane Marques Aleitamento materno Alimentação dos lactentes portadores de fissuras labiopalatais (FLP) M.Sc. Profª Viviane Marques O fonoaudiólogo deve ter o primeiro contato com o portador de FLP ainda na maternidade

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA ODONTOLOGIA NO ALEITAMENTO MATERNO

A IMPORTÂNCIA DA ODONTOLOGIA NO ALEITAMENTO MATERNO A IMPORTÂNCIA DA ODONTOLOGIA NO ALEITAMENTO MATERNO FLÁVIA PEDREIRA CIRURGIÃ DENTISTA DO HOSPITAL E MATERNIDADE PÚBLICA DONA REGINA 20 DE FEVEREIRO DE 2014 Se pretendermos que as crianças tenham uma qualidade

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE FISSURAS

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE FISSURAS PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE FISSURAS Perguntas respondidas pelo Dr. Diógenes L. Rocha, cirurgião plástico, professor da Universidade de São Paulo e voluntário da Operação Sorriso. 1-O que é lábio leporino?

Leia mais

CONSULTA PUERPERAL DE ENFERMAGEM: IMPORTÂNCIA DA ORIENTAÇÃO PARA O ALEITAMENTO MATERNO

CONSULTA PUERPERAL DE ENFERMAGEM: IMPORTÂNCIA DA ORIENTAÇÃO PARA O ALEITAMENTO MATERNO 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X) SAÚDE ( ) TRABALHO (

Leia mais

Dez Passos para o Sucesso do Aleitamento Materno

Dez Passos para o Sucesso do Aleitamento Materno Dez Passos para o Sucesso do Aleitamento Materno 1 Ter uma política de aleitamento materno escrita, que seja rotineiramente transmitida a toda a equipe de cuidados da saúde. 2 Capacitar toda equipe de

Leia mais

OS ASPECTOS NUTRICIONAIS E DA ENFERMAGEM NO PROCESSO DE AMAMENTAÇÃO

OS ASPECTOS NUTRICIONAIS E DA ENFERMAGEM NO PROCESSO DE AMAMENTAÇÃO OS ASPECTOS NUTRICIONAIS E DA ENFERMAGEM NO PROCESSO DE AMAMENTAÇÃO Mari Uyeda Lilian Cristina Bremmer Martinez RESUMO O leite materno é a primeira fonte alimentar da criança e traz inúmeros benefícios,

Leia mais

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NA CONSULTA PUERPERAL DE ENFERMAGEM

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NA CONSULTA PUERPERAL DE ENFERMAGEM 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X) SAÚDE ( ) TRABALHO (X

Leia mais

ESTADO DE GOIÁS PREFEITURA MUNICIPAL DE CAVALCANTE SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE PROJETO ALEITAMENTO MATERNO

ESTADO DE GOIÁS PREFEITURA MUNICIPAL DE CAVALCANTE SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE PROJETO ALEITAMENTO MATERNO ESTADO DE GOIÁS PREFEITURA MUNICIPAL DE CAVALCANTE SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE PROJETO ALEITAMENTO MATERNO APRESENTAÇÃO O aleitamento materno exclusivo (AME) é sinônimo de sobrevivência para o recém-nascido,

Leia mais

Genética Molecular Padrões de Herança Citoplasmática e Multifatorial

Genética Molecular Padrões de Herança Citoplasmática e Multifatorial Genética Molecular Padrões de Herança Citoplasmática e Multifatorial Padrão de herança citoplasmático A mitocôndria é uma organela da célula que contém um filamento de ácido desoxiribonucléico (DNA) próprio,

Leia mais

RELATO DE EXPERIÊNCIA DA APLICAÇÃO DA SISTEMATIZAÇÃO DE ENFERMAGEM COM RECÉM-NASCIDO EM MÉTODO CANGURU

RELATO DE EXPERIÊNCIA DA APLICAÇÃO DA SISTEMATIZAÇÃO DE ENFERMAGEM COM RECÉM-NASCIDO EM MÉTODO CANGURU RELATO DE EXPERIÊNCIA DA APLICAÇÃO DA SISTEMATIZAÇÃO DE ENFERMAGEM COM RECÉM-NASCIDO EM MÉTODO CANGURU SOARES, Marília Freitas Elias 1 MOREIRA, Michele Pontes 2 SILVA, Emanuele Nascimento 3 SILVA, Eliana

Leia mais

ALEITAMENTO MATERNO. I Introdução

ALEITAMENTO MATERNO. I Introdução ALEITAMENTO MATERNO I Introdução O incentivo ao aleitamento materno continua sendo um grande desafio em saúde pública, considerando-se o alto índice de desmame precoce e o grande número de óbitos infantis

Leia mais

AS DIFICULDADES NO ALEITAMENTO MATERNO DE BEBÊS DE RISCO NA ÁREA DE ABRANGÊNCIA DA UBS PLANALTO DO MUNICÍPIO DE MARÍLIA SP

AS DIFICULDADES NO ALEITAMENTO MATERNO DE BEBÊS DE RISCO NA ÁREA DE ABRANGÊNCIA DA UBS PLANALTO DO MUNICÍPIO DE MARÍLIA SP V EPCC Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 23 a 26 de outubro de 2007 AS DIFICULDADES NO ALEITAMENTO MATERNO DE BEBÊS DE RISCO NA ÁREA DE ABRANGÊNCIA DA UBS PLANALTO DO MUNICÍPIO DE MARÍLIA

Leia mais

Breastfeeding and Baby s Oral Cavity healthy development

Breastfeeding and Baby s Oral Cavity healthy development Aleitamento Materno no Desenvolvimento e Formação Saudável da Cavidade Bucal do Bebê Breastfeeding and Baby s Oral Cavity healthy development Marila Rezende Azevedo Helio Gomes da Silva RESUMO É fundamental

Leia mais

PLANO DE CURSO 2. EMENTA:

PLANO DE CURSO 2. EMENTA: PLANO DE CURSO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Curso: Enfermagem Disciplina: ENFERMAGEM OBSTÉTRICA E NEONATAL Professor: Renata Fernandes do Nascimento Código: Carga Horária: 80 H Créditos: 05 Preceptoria: 20H

Leia mais

Anomalias craniofaciais: as faces do tratamento

Anomalias craniofaciais: as faces do tratamento Centro Pró-Sorriso Universidade José do Rosário Vellano - UNIFENAS Coordenação de Extensão Anomalias craniofaciais: as faces do tratamento UNIVERSIDADE JOSÉ DO ROSÁRIO VELLANO - UNIFENAS Reitor Prof.

Leia mais

ALEITAMENTO MATERNO 1) LACTAÇÃO

ALEITAMENTO MATERNO 1) LACTAÇÃO ALEITAMENTO MATERNO O leite materno é o alimento ideal para o recém-nascido, já que também atende às necessidades físicas e psíquicas do bebê. A Sociedade Brasileira de Pediatria e a Academia Americana

Leia mais

INGURGITAMENTO MAMÁRIO E HIPOGALACTIA. DROGAS GALACTAGOGAS.

INGURGITAMENTO MAMÁRIO E HIPOGALACTIA. DROGAS GALACTAGOGAS. 46º Congresso de Ginecologia e Obstetrícia do Distrito Federal INGURGITAMENTO MAMÁRIO E HIPOGALACTIA. DROGAS GALACTAGOGAS. CORINTIO MARIANI NETO Hospital Maternidade Leonor Mendes de Barros Universidade

Leia mais

História da Operação Sorriso do Brasil

História da Operação Sorriso do Brasil História da Operação Sorriso do Brasil A Operação Sorriso do Brasil é o braço brasileiro da Operation Smile. O primeiro programa humanitário da Operation Smile em território nacional aconteceu no ano de

Leia mais

AMAMENTAÇÃO NATURAL X ARTIFICIAL: ORIENTAÇÕES DADAS ÀS MÃES DE CRIANÇAS COM SÍNDROME DE DOWN

AMAMENTAÇÃO NATURAL X ARTIFICIAL: ORIENTAÇÕES DADAS ÀS MÃES DE CRIANÇAS COM SÍNDROME DE DOWN V Mostra Interna de Trabalhos de Iniciação Científica 26 a 29 de outubro de 2010 AMAMENTAÇÃO NATURAL X ARTIFICIAL: ORIENTAÇÕES DADAS ÀS MÃES DE CRIANÇAS COM SÍNDROME DE DOWN Caroline Maressa Alves Andrean

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM PLANO DE ENSINO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM PLANO DE ENSINO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM PLANO DE ENSINO Disciplina: Saúde da Criança e do Adolescente Código: 106209 Crédito: 04.07.00

Leia mais

Fonodialogando. Sucção Digital UM OLHAR DA FONOAUDIOLOGIA. Um hábito que poderá trazer consequências no desenvolvimento da criança

Fonodialogando. Sucção Digital UM OLHAR DA FONOAUDIOLOGIA. Um hábito que poderá trazer consequências no desenvolvimento da criança Fonodialogando Sucção Digital Um hábito que poderá trazer consequências no desenvolvimento da criança UM OLHAR DA FONOAUDIOLOGIA O que é Sucção? Asucção é um reflexo próprio da espécie adquirido na o n

Leia mais

ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM AO PACIENTE COM FISSURA LÁBIO- PALATAL

ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM AO PACIENTE COM FISSURA LÁBIO- PALATAL ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM AO PACIENTE COM FISSURA LÁBIO- PALATAL Paula Katerine Lisbôa¹, Vanessa Pereira Rocha², Regina Pini³ RESUMO A fissura lábio palatina (FLP) é uma malformação congênita, decorrente

Leia mais

Clique para adicionar texto AMBULATÓRIO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE HOSPITAL MUNICIPAL DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

Clique para adicionar texto AMBULATÓRIO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE HOSPITAL MUNICIPAL DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Clique para adicionar texto AMBULATÓRIO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE HOSPITAL MUNICIPAL DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Núcleo de Reabilitação dos Portadores de Lesões Lábio Palatais Clique para adicionar texto

Leia mais

AMAMENTAÇÃO e ALIMENTAÇÃO COMPLEMENTAR

AMAMENTAÇÃO e ALIMENTAÇÃO COMPLEMENTAR AMAMENTAÇÃO e ALIMENTAÇÃO COMPLEMENTAR Aleitamento Materno Exclusivo preferencialmente até os 6 primeiros meses de vida; Ao nascimento, os RN são colocados pele a pele Técnica canguru* Importância do AM

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SANTA CATARINA

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SANTA CATARINA PARECER COREN/SC Nº 011/CT/2013 Assunto: Solicitação de Parecer Técnico acerca da realização pela equipe de Enfermagem da técnica de sucção não nutritiva com mão enluvada I - Do Fato Trata-se de solicitação

Leia mais

ANÁLISE DO NÍVEL DE CONHECIMENTO EM PUÉRPERAS SOBRE O ALEITAMENTO MATERNO NO AMBULATÓRIO RN DE RISCO DO MUNICÍPIO DE PONTA GROSSA

ANÁLISE DO NÍVEL DE CONHECIMENTO EM PUÉRPERAS SOBRE O ALEITAMENTO MATERNO NO AMBULATÓRIO RN DE RISCO DO MUNICÍPIO DE PONTA GROSSA 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( x ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA ANÁLISE DO

Leia mais

FISSURA LÁBIO-PALATAL : UMA REVISÃO DE LITERATURA

FISSURA LÁBIO-PALATAL : UMA REVISÃO DE LITERATURA FISSURA LÁBIO-PALATAL : UMA REVISÃO DE LITERATURA Paula Katerine Lisbôa¹, Vanessa Pereira Rocha², Regina Pini³ RESUMO A fissura lábio palatina (FLP) é uma malformação congênita, decorrente da falta de

Leia mais

Centro de Referência em Aleitamento Materno Banco de Leite Humano SESAB 2 a DIRES- HGCA

Centro de Referência em Aleitamento Materno Banco de Leite Humano SESAB 2 a DIRES- HGCA Centro de Referência em Aleitamento Materno Banco de Leite Humano SESAB 2 a DIRES- HGCA APOSTILA - ALEITAMENTO MATERNO CONHECIMENTOS MÍNIMOS Autores: Graciete Oliveira Vieira Suelly Pinto Teixeira de M.

Leia mais

O USO DO COPO NA ALIMENTAÇÃO DE LACTENTES: EXISTE UM MODELO IDEAL?

O USO DO COPO NA ALIMENTAÇÃO DE LACTENTES: EXISTE UM MODELO IDEAL? 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 O USO DO COPO NA ALIMENTAÇÃO DE LACTENTES: EXISTE UM MODELO IDEAL? Priscila Amanda Ramos Galego 1 ; Cristiane Faccio Gomes 2 RESUMO: Este estudo teve como

Leia mais

PARTO NORMAL NA SAÚDE SUPLEMENTAR

PARTO NORMAL NA SAÚDE SUPLEMENTAR PROMOÇÃO DO PARTO NORMAL NA SAÚDE SUPLEMENTAR Ações já realizadas pela ANS desde 2004 Sensibilização do setor, promoção e participação ii em eventos para discussão com especialistas nacionais e internacionais

Leia mais

global child dental fund global child dental fund www.gcdfund.org Como usar este guia

global child dental fund global child dental fund www.gcdfund.org Como usar este guia Saúde Oral e o Bebê Aleitamento materno Mamadeira Chupeta Erupção dentária e primeira visita ao dentista Alimentação e dentes de leite Higiene oral Doenças orais mais frequentes Prevenção de traumatismos

Leia mais

MAMOGRAFIA: Importância e seus Métodos. Prof.ª Esp. Natália Ficagna

MAMOGRAFIA: Importância e seus Métodos. Prof.ª Esp. Natália Ficagna MAMOGRAFIA: Importância e seus Métodos Prof.ª Esp. Natália Ficagna ANATOMIA DA MAMA Tecido Glandular + Tecido Conjuntivo +Tecido Adiposo Alvéolo Lóbulo Lobo Ducto Lactífero Seio Lactífero - Mamilo As

Leia mais

46º CONGRESSO BRASILEIRO DE GINECOLOGIA E OBSTETRICIA DO DISTRITO FEDERAL. Brasília 2013, Centro de Convenções Ulysses Guimarães Brasília-DF

46º CONGRESSO BRASILEIRO DE GINECOLOGIA E OBSTETRICIA DO DISTRITO FEDERAL. Brasília 2013, Centro de Convenções Ulysses Guimarães Brasília-DF 46º CONGRESSO BRASILEIRO DE GINECOLOGIA E OBSTETRICIA DO DISTRITO FEDERAL Brasília 2013, Centro de Convenções Ulysses Guimarães Brasília-DF 24 a 26 de abril de 2013 FISSURAS MAMÁRIAS Algoritmo Prático

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC. Ensino Técnico

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC PROFESSOR MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: TUPÃ Eixo Tecnológico: AMBIENTE E SAÚDE Habilitação Profissional: Qualificação Técnica de Nível Médio

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Amamentação. Educação em Saúde. Enfermagem. Traumas Mamários

PALAVRAS-CHAVE Amamentação. Educação em Saúde. Enfermagem. Traumas Mamários 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA INFLUÊNCIA DA ESCOLARIDADE NOS TRAUMAS

Leia mais

CARTILHA DA GRÁVIDA 1

CARTILHA DA GRÁVIDA 1 CARTILHA DA GRÁVIDA 1 2 SUMÁRIO SOBRE A FEBRASGO 4 PRIMEIROS SINTOMAS 5 ETAPAS DA GESTAÇÃO 6 IMPORTÂNCIA DO PRÉ-NATAL 8 OBJETIVOS DO PRÉ-NATAL JUNTO À MÃE 9 OBJETIVOS DO PRÉ-NATAL JUNTO AO BEBÊ 10 OBJETIVOS

Leia mais

13 VASCONCELOS, Laurylene César de Souza. CCS/ Departamento de Clínica e Odontologia Social (DCOS) / PROBEX

13 VASCONCELOS, Laurylene César de Souza. CCS/ Departamento de Clínica e Odontologia Social (DCOS) / PROBEX ATENÇÃO ÀS GESTANTES E MÃES: RELATO DE ACADÊMICAS DE ENFERMAGEM E MEDICINA EM PROJETO DE EXTENSÃO MULTIDISCIPLINAR CRUZ 1, Jessika Maciel; FERNANDES 2, Amanda Melo; GHERSEL 3 Eloisa Lorenzo de Azevedo;

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº DE 2007 (Do Sr. José Eduardo Cardozo)

PROJETO DE LEI Nº DE 2007 (Do Sr. José Eduardo Cardozo) PROJETO DE LEI Nº DE 2007 (Do Sr. José Eduardo Cardozo) Institui a Semana Nacional de Educação, Conscientização e Orientação sobre a Fissura Lábio- Palatina, e dá outras providências. O Congresso Nacional

Leia mais

MELHORA NO PADRÃO DE TONICIDADE MUSCULAR DE PACIENTES COM SÍNDROME DE DOWN ESTIMULADOS PRECOCEMENTE

MELHORA NO PADRÃO DE TONICIDADE MUSCULAR DE PACIENTES COM SÍNDROME DE DOWN ESTIMULADOS PRECOCEMENTE MELHORA NO PADRÃO DE TONICIDADE MUSCULAR DE PACIENTES COM SÍNDROME DE DOWN ESTIMULADOS PRECOCEMENTE Karla Larissa Vas Estero 1, Lizzie Ramos Moretti 1, Luciana Manzotti de Marchi 2, Maria Paula Jacobucci

Leia mais

JUSTIFICATIVA DA INCLUSÃO DA DISCIPLINA NA CONSTITUIÇÃO DO CURRÍCULO

JUSTIFICATIVA DA INCLUSÃO DA DISCIPLINA NA CONSTITUIÇÃO DO CURRÍCULO FACULDADES INTEGRADAS TERESA D ÁVILA LORENA - SP Curso: Enfermagem Disciplina: Enfermagem Saúde da Criança e do Adolescente Ano letivo 2011 Série 3º Ano Carga Horária Total h/a T 90 h/a P 54 h/a En. Cl.

Leia mais

PROGRAMA DA DISCIPLINA

PROGRAMA DA DISCIPLINA Código: ENFAEN2 Disciplina: ADMINISTRAÇÃO EM ENFERMAGEM II (Enfermagem ao adulto e ao idoso em doenças tropicais) E ENFAENF (Administração em enfermagem I) Teoria: 60h Prática: 60h Teoria: 3 Prática: 3

Leia mais

1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO PLANO DE CURSO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Curso: Bacharelado em Enfermagem Disciplina: Enfermagem Obstétrica e Neonatal Professor: Renata Fernandes do Nascimento Código: SAU57 Carga Horária: 100h (Teoria:

Leia mais

INFLUÊNCIA DOS ESTADOS COMPORTAMENTAIS NA PRONTIDÃO DA MAMADA DE RECÉM-NASCIDOS PREMATUROS Leite de Sá, TP 1 ; Medeiros, AMC 2.

INFLUÊNCIA DOS ESTADOS COMPORTAMENTAIS NA PRONTIDÃO DA MAMADA DE RECÉM-NASCIDOS PREMATUROS Leite de Sá, TP 1 ; Medeiros, AMC 2. INFLUÊNCIA DOS ESTADOS COMPORTAMENTAIS NA PRONTIDÃO DA MAMADA DE RECÉM-NASCIDOS PREMATUROS Leite de Sá, TP 1 ; Medeiros, AMC 2. Resumo Objetivo: Investigar a relação entre os estados comportamentais e

Leia mais

Relatório Mesa 4. REDUZIR A MORTALIDADE INFANTIL Reduzir em dois terços, entre 1990 e 2015, a mortalidade de crianças menores de 5 anos.

Relatório Mesa 4. REDUZIR A MORTALIDADE INFANTIL Reduzir em dois terços, entre 1990 e 2015, a mortalidade de crianças menores de 5 anos. Relatório Mesa 4 OBJETIVO 4 Meta 5 REDUZIR A MORTALIDADE INFANTIL Reduzir em dois terços, entre 1990 e 2015, a mortalidade de crianças menores de 5 anos. I. Introdução Após a apresentação dos participantes

Leia mais

O que é? Causas. Incidência

O que é? Causas. Incidência O que é? As fissuras labiopalatais são malformações congênitas exteriorizadas pela ruptura da integridade do lábio e/ou palato, acarretando, frequentemente, alterações na face, no rebordo alveolar, no

Leia mais

Fissura Lábiopalatina: Alimentação

Fissura Lábiopalatina: Alimentação (ISSN 1984-8153) Fissura Lábiopalatina: Alimentação CLEFT LIP AND PALATE: FEEDING HABITS Kamila de Fátima FERREIRA 1 Patrícia MORAIS 1 Silvana Mara da SILVA 1 Suellen da Silva SANTOS 1 Renata Bianchi de

Leia mais

CONHECIMENTOS, MITOS E CRENÇAS SOBRE O ALEITAMENTO MATERNO ENTRE PRIMÍPARAS EM UM HOSPITAL GERAL NA CIDADE DE TAUBATÉ SP

CONHECIMENTOS, MITOS E CRENÇAS SOBRE O ALEITAMENTO MATERNO ENTRE PRIMÍPARAS EM UM HOSPITAL GERAL NA CIDADE DE TAUBATÉ SP CONHECIMENTOS, MITOS E CRENÇAS SOBRE O ALEITAMENTO MATERNO ENTRE PRIMÍPARAS EM UM HOSPITAL GERAL NA CIDADE DE TAUBATÉ SP Vanessa Cezaria de Faria 1, Liliane Moreira Leal 2, Luciane Alcantara de Andrade

Leia mais

OS AMIGOS DO PRÉ NATAL O pré natal é muito importante para a saúde da mãe e do bebê.

OS AMIGOS DO PRÉ NATAL O pré natal é muito importante para a saúde da mãe e do bebê. OS AMIGOS DO PRÉ NATAL O pré natal é muito importante para a saúde da mãe e do bebê. O preparo da mama durante a gestação pode ser feito a partir do 6º mês, com banho de sol que fortalece os mamilos e

Leia mais

Amamentar é vida. e também seu direito!

Amamentar é vida. e também seu direito! Amamentar é vida e também seu direito! Amamentarseéu direito Esta cartilha sobre amamentação foi criada exclusivamente para você, gestante ou futura mamãe aeroviária de Guarulhos. Essa publicação fala

Leia mais

25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1

25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 COMO ALIMENTAR LACTENTES EM ALEITAMENTO MATERNO EXCLUSIVO NO RETORNO AO TRABALHO MATERNO? CARACTERIZAÇÃO DO USO DE COPO EM INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO INFANTIL

Leia mais

Células-tronco podem ser futuro para salvar pacientes que necessitam de reconstrução óssea

Células-tronco podem ser futuro para salvar pacientes que necessitam de reconstrução óssea Ano V Edição nº 45 Dezembro de 2015 AVANÇOS Células-tronco podem ser futuro para salvar pacientes que necessitam de reconstrução óssea Estudo de brasileira já apresenta bons resultados para tratar lábio

Leia mais

Diretrizes Assistenciais

Diretrizes Assistenciais Diretrizes Assistenciais ALIMENTAÇÃO NO LACTENTE I Versão eletrônica atualizada em Maio 2009 Relatores: Adalberto Stape (stape@einstein.br) Maria Teresa Bechere Fernandes (mtbechere@einstein.br) Núcleo

Leia mais

PERFIL DA AMAMENTAÇÃO NO PRIMEIRO ANO DE VIDA NO MUNICÍPIO DE MIRANDA MS, 2012.

PERFIL DA AMAMENTAÇÃO NO PRIMEIRO ANO DE VIDA NO MUNICÍPIO DE MIRANDA MS, 2012. PERFIL DA AMAMENTAÇÃO NO PRIMEIRO ANO DE VIDA NO MUNICÍPIO DE MIRANDA MS, 2012. Dayane Marcela Carvalho da Silveira (Apresentadora) 1, Adriana Zilly (Colaboradora) 2, Marieta Fernandes (Orientadora) 3.

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: prof. Massuyuki Kawano Código: 136 Município: Tupã Eixo Tecnológico: Ambiente e Saúde Habilitação Profissional: Técnico em Enfermagem Qualificação:

Leia mais

CONSULTA PUPERPERAL DE ENFERMAGEM: REDUZINDO A INCIDÊNCIA DE PROBLEMAS MAMÁRIOS

CONSULTA PUPERPERAL DE ENFERMAGEM: REDUZINDO A INCIDÊNCIA DE PROBLEMAS MAMÁRIOS ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE (x) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA CONSULTA PUPERPERAL DE ENFERMAGEM:

Leia mais

Breast feeding in cleft lipt and palate neonates: study of dificulties and methods

Breast feeding in cleft lipt and palate neonates: study of dificulties and methods Aplicação da prancha roubo de biscoitos 21 ALEITAMENTO MATERNO EM RECÉM NASCIDOS PORTADORES DE FISSURA LABIOPALATINA: DIFICULDADES E MÉTODOS UTILIZADOS Breast feeding in cleft lipt and palate neonates:

Leia mais

Amamentar. Introdução

Amamentar. Introdução Amamentar Introdução O leite materno é o melhor alimento para o bebé. Tem um valor nutritivo equilibrado e fornece a quantidade perfeita de proteínas, hidratos de carbono, gorduras, vitaminas e ferro para

Leia mais

Perfil das gestantes adolescentes na assistência ao pré-natal na clinica materno infantil em Sarandi - PR

Perfil das gestantes adolescentes na assistência ao pré-natal na clinica materno infantil em Sarandi - PR Perfil das gestantes adolescentes na assistência ao pré-natal na clinica materno infantil em Sarandi - PR ADRIANA SANT ANA GASQUEZ (UNINGÁ)¹ SANDRA MARISA PELLOSO (UEM)² EVERTON FERNANDO ALVES (G-UNINGÁ)³

Leia mais

INCENTIVO AO ALEITAMENTO MATERNO POR MEIO DE AÇÕES DE EDUCAÇÃO EM SAÚDE: UM RELATO EXPERIÊNCIA 1

INCENTIVO AO ALEITAMENTO MATERNO POR MEIO DE AÇÕES DE EDUCAÇÃO EM SAÚDE: UM RELATO EXPERIÊNCIA 1 INCENTIVO AO ALEITAMENTO MATERNO POR MEIO DE AÇÕES DE EDUCAÇÃO EM SAÚDE: UM RELATO EXPERIÊNCIA 1 NAIDON, Ângela Maria 2 ; NEVES, Eliane Tatsch 3 ; PIESZAK, Greice Machado 4 RESUMO O Aleitamento Materno

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Prezados pais e cuidadores,

APRESENTAÇÃO. Prezados pais e cuidadores, Prezados pais e cuidadores, APRESENTAÇÃO O nascimento de um filho é um acontecimento marcante que altera a rotina familiar! Os cuidados e a atenção de que um bebê necessita exigem de vocês muita dedicação,

Leia mais

INCIDÊNCIAS DE MALFORMAÇÕES CONGÊNITAS LABIOPALATAIS THE INCIDENCE OF THELIP AND PALATE MALFORMATIONS

INCIDÊNCIAS DE MALFORMAÇÕES CONGÊNITAS LABIOPALATAIS THE INCIDENCE OF THELIP AND PALATE MALFORMATIONS Rev. Cir. Traumat. Buco-Maxilo-Facial, v.2, n.2, p. 41-46, INCIDÊNCIAS DE MALFORMAÇÕES CONGÊNITAS LABIOPALATAIS THE INCIDENCE OF THELIP AND PALATE MALFORMATIONS Belmiro Cavalcanti do Egito VASCONCELOS*

Leia mais

A Importância da Saúde Bucal. na Saúde Geral

A Importância da Saúde Bucal. na Saúde Geral PALESTRA A Importância da Saúde Bucal na Saúde Geral A saúde começa pela boca Os dentes são importantes na mastigação dos alimentos, fala, e estética, influenciando diretamente na auto-estima do indivíduo

Leia mais

UNIVERSIDADE VALE DO RIO DO RIO DOCE ÁREA DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DA SAÚDE CURSO DE ENFERMAGEM

UNIVERSIDADE VALE DO RIO DO RIO DOCE ÁREA DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DA SAÚDE CURSO DE ENFERMAGEM UNIVERSIDADE VALE DO RIO DO RIO DOCE ÁREA DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DA SAÚDE CURSO DE ENFERMAGEM Keila Renata Reis Mendes Laís Francis Dutra Assunção Marta Dias dos Santos Viviane Pereira de Oliveira AMAMENTAÇÃO

Leia mais

Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904

Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: ANALISAR COMO ESTÃO SENDO REALIZADOS OS CUIDADOS GERAIS AOS RECÉM-NASCIDOS (RN) ASSISTIDOS POR

Leia mais

Amamentação: sobrevivência infantil e. qualidade de. vida. 2 Nutricionista Materno Infantil Rejane Radunz

Amamentação: sobrevivência infantil e. qualidade de. vida. 2 Nutricionista Materno Infantil Rejane Radunz Amamentação: sobrevivência infantil e qualidade de vida 1 2 Nutricionista Materno Infantil Rejane Radunz PROMOVENDO O ALEITAMENTO MATERNO POR QUE A AMAMENTAÇÃO É IMPORTANTE? A Organização Mundial da Saúde

Leia mais

Dicas para a Amamentação. Cuidar e proteger quem mais merece. lanolina anidra pura

Dicas para a Amamentação. Cuidar e proteger quem mais merece. lanolina anidra pura Dicas para a Amamentação Material impresso e distribuído em janeiro/2013. Código: XXXX. MS 2.1087.0299. Cuidar e proteger quem mais merece Cuidar e proteger quem mais merece Para o bebê O leite materno

Leia mais

Cliente: Prontobaby Hospital da Criança Data: 02/08/2012 Dia: Qui Assunto: Aleitamento Materno

Cliente: Prontobaby Hospital da Criança Data: 02/08/2012 Dia: Qui Assunto: Aleitamento Materno Veículo: Chris Flores Seção: Saúde Site: chrisflores.net RM http://www.chrisflores.net Amamentação Mulheres com próteses de silicone podem amamentar? Saiba o que é mito ou verdade http://www.chrisflores.net/saude/3/materia/2098/amamentacao.html

Leia mais

ATENÇÃO A SAÚDE DA CRIANÇA: UMA ANÁLISE DE SUA IMPLEMENTAÇÃO NO MUNÍCIPIO DE SANTA MARIA 1

ATENÇÃO A SAÚDE DA CRIANÇA: UMA ANÁLISE DE SUA IMPLEMENTAÇÃO NO MUNÍCIPIO DE SANTA MARIA 1 ATENÇÃO A SAÚDE DA CRIANÇA: UMA ANÁLISE DE SUA IMPLEMENTAÇÃO NO MUNÍCIPIO DE SANTA MARIA 1 Cerezer, J. 2, Pozzobon, L. 2, Oliveira, N. 2, Vedoin, P. 2, Colomé, J. 3. 1 Trabalho desenvolvido na Disciplina

Leia mais

Spots para a Semana Mundial de Aleitamento Materno 2011. Amamentação: uma experiência em 3D

Spots para a Semana Mundial de Aleitamento Materno 2011. Amamentação: uma experiência em 3D Spots para a Semana Mundial de Aleitamento Materno 2011 Amamentação: uma experiência em 3D 1. Mulher trabalhadora (mais informações em www.saude.gov.br) VOCÊ, MULHER QUE TRABALHA FORA: REIVINDIQUE 6 MESES

Leia mais

Preferências alimentares individuais; Disponibilidade dos alimentos no mercado; Influência das propagandas no mercado, na televisão.

Preferências alimentares individuais; Disponibilidade dos alimentos no mercado; Influência das propagandas no mercado, na televisão. Nutrição na Infância e Adolescência A alimentação e a nutrição constituem requisitos básicos para a promoção e a proteção da saúde, possibilitando a afirmação plena do potencial de crescimento e desenvolvimento

Leia mais

FAZER EXERCÍCIOS NA GRAVIDEZ PREJUDICA O BEBÊ? QUAIS TIPOS DE EXERCÍCIO SÃO INDICADOS?

FAZER EXERCÍCIOS NA GRAVIDEZ PREJUDICA O BEBÊ? QUAIS TIPOS DE EXERCÍCIO SÃO INDICADOS? A gestação é um período em que a mulher passa por diversas emoções e é natural surgirem dúvidas principalmente quando se trata do primeiro filho. Segundo o Ginecologista e Obstetra do Hospital e Maternidade

Leia mais

Redução da mortalidade na infância no Brasil. Setembro de 2013

Redução da mortalidade na infância no Brasil. Setembro de 2013 Redução da mortalidade na infância no Brasil Setembro de 2013 Taxa de mortalidade na infância 62 Redução de 77% em 22 anos (em menores de 5 anos) 1990 33 14 2000 *Parâmetro comparado internacionalmente

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Unidade Universitária: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde Curso: Nutrição Disciplina: Nutrição da Gestação à Adolescência Professor(es): Ana Paula Bazanelli Rosana Farah Toimil Carga horária: 4 horas/semana

Leia mais

VIGILÂNCIA DO DESENVOLVIMENTO MOTOR-ORAL: O ENFOQUE FONOAUDIOLÓGICO NO DESMAME PRECOCE

VIGILÂNCIA DO DESENVOLVIMENTO MOTOR-ORAL: O ENFOQUE FONOAUDIOLÓGICO NO DESMAME PRECOCE VIGILÂNCIA DO DESENVOLVIMENTO MOTOR-ORAL: O ENFOQUE FONOAUDIOLÓGICO NO DESMAME PRECOCE Ana Paula Chuproski (IC-Voluntária), Priscilla Mayara Dal Molin (IC- Voluntária), Maíra da Silva (IC-Voluntária),

Leia mais

Aleitamento Materno Manejo da Amamentação UEFS CIAMA/BLH/HGCA Aleitamento Materno Vantagens Nutricionais: adequado crescimento e desenvolvimento Imunológico: proteção contra doenças a curto e longo prazo

Leia mais

AMAMENTAÇÃO, HÁBITOS ORAIS DELETÉRIOS E ALTERAÇÕES FONOAUDIOLÓGICAS: UM ESTUDO SOBRE SUAS RELAÇÕES

AMAMENTAÇÃO, HÁBITOS ORAIS DELETÉRIOS E ALTERAÇÕES FONOAUDIOLÓGICAS: UM ESTUDO SOBRE SUAS RELAÇÕES 26 a 29 de outubro de 2010 ISBN 978-85-61091-69-9 AMAMENTAÇÃO, HÁBITOS ORAIS DELETÉRIOS E ALTERAÇÕES FONOAUDIOLÓGICAS: UM ESTUDO SOBRE SUAS RELAÇÕES Francis Farias de Oliveira 1 ; Caroline Maressa Alves

Leia mais

FISSURA ORAL E TABAGISMO

FISSURA ORAL E TABAGISMO FISSURA ORAL E TABAGISMO Leonor de Castro Monteiro LOFFREDO* José Maria Pacheco de SOUZA** José Alberto de Souza FREITAS*** Maria Jacira Silva SIMÕES**** RESUMO: Realizou-se um estudo tipo caso-controle,

Leia mais

Requisitos mínimos para o programa de Residência em Pediatria

Requisitos mínimos para o programa de Residência em Pediatria Requisitos mínimos para o programa de Residência em Pediatria O programa de Residência em Pediatria prevê 60 horas de jornada de trabalho semanal, sendo 40 horas de atividades rotineiras e 20 horas de

Leia mais

Por isso é fundamental amamentar o bebê no seio durante os primeiros 6 meses de vida, o que irá garantir uma boa mordedura, mastigação e deglutição.

Por isso é fundamental amamentar o bebê no seio durante os primeiros 6 meses de vida, o que irá garantir uma boa mordedura, mastigação e deglutição. Guia da Dentição Por Ana Paula M. Anequini Um Sorriso lindo! Um belo dia surge uma novidade! Nasceu o primeiro dentinho! O evento é logo comunicado aos familiares! Mais uma pequena festa para a família!

Leia mais

ANEXO II ATRIBUIÇÕES DOS INTEGRANTES DO PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA

ANEXO II ATRIBUIÇÕES DOS INTEGRANTES DO PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA ANEXO II ATRIBUIÇÕES DOS INTEGRANTES DO PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA ATRIBUIÇÕES DO MÉDICO I- Realizar consultas clínicas aos usuários de sua área adstrita; II- Participar das atividades de grupos de controle

Leia mais

Momento II. ASF Região Sul. Assistência integral à saúde do recém-nascido e da criança. Prof. Dra. Ana Cecília Lins Sucupira

Momento II. ASF Região Sul. Assistência integral à saúde do recém-nascido e da criança. Prof. Dra. Ana Cecília Lins Sucupira Momento II ASF Região Sul Assistência integral à saúde do recém-nascido e da criança Prof. Dra. Ana Cecília Lins Sucupira CICLO DE VIDA DA CRIANÇA O ciclo de vida da criança compreende um ser que vivencia

Leia mais

NORMATIZAÇÃO DO FUNCIONAMENTO DO SERVIÇO DE ODONTOLOGIA HOSPITALAR

NORMATIZAÇÃO DO FUNCIONAMENTO DO SERVIÇO DE ODONTOLOGIA HOSPITALAR NORMATIZAÇÃO DO FUNCIONAMENTO DO SERVIÇO DE ODONTOLOGIA HOSPITALAR Atuação e conceitos da Odontologia Hospitalar e Medicina Oral A Odontologia exercida pela grande maioria dos dentistas brasileiros enfoca

Leia mais

NORMAS DE INCENTIVO AO ALEITAMENTO MATERNO BANCO DE LEITE HUMANO

NORMAS DE INCENTIVO AO ALEITAMENTO MATERNO BANCO DE LEITE HUMANO NORMAS DE INCENTIVO AO ALEITAMENTO MATERNO BANCO DE LEITE HUMANO Identificar a necessidade da mãe em receber orientação quanto ao aleitamento materno adequado; Orientar as mães, acompanhantes e/ou familiares,

Leia mais

12 e 13 semanas. Dia de ultrassom é sempre bom!

12 e 13 semanas. Dia de ultrassom é sempre bom! 12 e 13 semanas Dia de ultrassom é sempre bom! Agora com 12 semanas de gestação faremos um exame de ultrassonografia. Ver o bebê na barriga através da imagem me dá uma sensação de proximidade com ele.

Leia mais

APRESENTAÇÃO. A adoção de alojamento conjunto é uma das medidas consideradas facilitadoras ao início da amamentação.

APRESENTAÇÃO. A adoção de alojamento conjunto é uma das medidas consideradas facilitadoras ao início da amamentação. APRESENTAÇÃO A adoção de alojamento conjunto é uma das medidas consideradas facilitadoras ao início da amamentação. Em 1983, o hoje extinto INAMPS publicou uma portaria tornando a medida obrigatória em

Leia mais

PARECER COREN-SP 021/2013 CT. PRCI n 100.555. Ticket nº 249.826

PARECER COREN-SP 021/2013 CT. PRCI n 100.555. Ticket nº 249.826 PARECER COREN-SP 021/2013 CT PRCI n 100.555 Ticket nº 249.826 Ementa: Indicação e prescrição pelo Enfermeiro de leite artificial e outras fórmulas. 1. Do fato Enfermeira informa que colabora na formulação

Leia mais

Estimulação da sucção não-nutritiva na mama vazia em bebês prematuros

Estimulação da sucção não-nutritiva na mama vazia em bebês prematuros Estimulação da sucção não-nutritiva na mama vazia em bebês prematuros Palavras-chave: prematuro; sucção não-nutritiva; mama. INTRODUÇÃO A estimulação da sucção não-nutritiva tem sido uma prática para auxiliar

Leia mais

Informações gerais sobre Fissuras Orofaciais e o impacto das intervenções

Informações gerais sobre Fissuras Orofaciais e o impacto das intervenções Version 1.1 September 2013 Informações gerais sobre Fissuras Orofaciais e o impacto das intervenções Esse documento apresenta uma visão geral sobre a doença, sua epidemiologia e as intervenções específicas

Leia mais

Educação e Saúde Profa Vânia Vieira Costa

Educação e Saúde Profa Vânia Vieira Costa Educação e Saúde Profa Vânia Vieira Costa Aula IV 15/05/2012 AULA DE HOJE Saúde Bucal Saúde Ocular TDAH Google imagens A boca não apenas como um órgão http://www.fotosearch.com.br/ www.mesarubra.blogger.com.br/boca.jpg

Leia mais

HUMANIZAÇÃO DO PARTO

HUMANIZAÇÃO DO PARTO HUMANIZAÇÃO DO PARTO TEIXEIRA, Kátia de Cássia CBES katita.teixeira@gmail.com BASTOS, Raquel CBES Resumo Este texto apresenta os diferentes aspectos envolvidos na humanização do parto, desde sua definição,

Leia mais

EXPOSIÇÃO. Amamentação

EXPOSIÇÃO. Amamentação EXPOSIÇÃO Semana Mundial da Amamentação (1 a 7 de Agosto) 24 de Julho a 9 de Agosto de 2009 Cartazes elaborados por: Dra. Ana Mealha, Enf.ª Carina Lamego, Enf.ª Deolinda Major, Enf.ª Nélia Serrano, Enf.ª

Leia mais

Carla Eduarda da Silva Sousa. Questionário. O Conhecimento dos docentes da Faculdade de Ciências da Saúde da UFP sobre Aleitamento Materno

Carla Eduarda da Silva Sousa. Questionário. O Conhecimento dos docentes da Faculdade de Ciências da Saúde da UFP sobre Aleitamento Materno Carla Eduarda da Silva Sousa Questionário O Conhecimento dos docentes da Faculdade de Ciências da Saúde da UFP sobre Aleitamento Materno Universidade Fernando Pessoa Faculdade de Ciências da Saúde Porto,

Leia mais

HUMANIZANDO OS INDICADORES DE SÃO PAULO

HUMANIZANDO OS INDICADORES DE SÃO PAULO A Humanização no Serviço Público e seus reflexos na Mortalidade Infantil Dra. Miriam Ribeiro de Faria Silveira Maternidade Escola V. Nova Cachoeirinha HUMANIZANDO OS INDICADORES DE SÃO PAULO A Humanização

Leia mais

Prefeitura Municipal de Porto Alegre Secretaria Municipal de Saúde Coordenação da Rede de Atenção Primária em Saúde (CGRAPS) Área Técnica de Saúde

Prefeitura Municipal de Porto Alegre Secretaria Municipal de Saúde Coordenação da Rede de Atenção Primária em Saúde (CGRAPS) Área Técnica de Saúde Prefeitura Municipal de Porto Alegre Secretaria Municipal de Saúde Coordenação da Rede de Atenção Primária em Saúde (CGRAPS) Área Técnica de Saúde Bucal HIGIENE BUCAL NA PRIMEIRA INFÂNCIA A finalidade

Leia mais

2ª Turma do Curso de Pós Graduação UTI Pediátrica e Neonatal de Campinas

2ª Turma do Curso de Pós Graduação UTI Pediátrica e Neonatal de Campinas Trabalho de Conclusão de Curso 2ª Turma do Curso de Pós Graduação UTI Pediátrica e Neonatal de Campinas Instituto Terzius Faculdade Redentor Análise dos Óbitos Neonatais Ocorridos na Maternidade Municipal

Leia mais

ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM AO RECÉM-NASCIDO EM FOTOTERAPIA: UMA REVISÃO DE LITERATURA

ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM AO RECÉM-NASCIDO EM FOTOTERAPIA: UMA REVISÃO DE LITERATURA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM AO RECÉM-NASCIDO EM FOTOTERAPIA: UMA REVISÃO DE LITERATURA Flávia Teixeira Germano, Universidade Potiguar, flavinhabebezao@hotmail.com Ana Eliedna Nogueira, Universidade Potiguar,

Leia mais

TRAJETÓRIA DAS POLÍTICAS PÚBLICAS DE INCENTIVO AO ALEITAMENTO MATERNO NO BRASIL

TRAJETÓRIA DAS POLÍTICAS PÚBLICAS DE INCENTIVO AO ALEITAMENTO MATERNO NO BRASIL TRAJETÓRIA DAS POLÍTICAS PÚBLICAS DE INCENTIVO AO ALEITAMENTO MATERNO NO BRASIL Palavras-chave: Aleitamento Materno; Políticas Públicas de Saúde, Desmame Precoce Introdução A alimentação infantil deve

Leia mais

A AMAMENTAÇÃO PODE PREVENIR A OTITE EM LACTENTES?

A AMAMENTAÇÃO PODE PREVENIR A OTITE EM LACTENTES? 26 a 29 de outubro de 2010 ISBN 978-85-61091-69-9 A AMAMENTAÇÃO PODE PREVENIR A OTITE EM LACTENTES? Francis Farias de Oliveira 1 ; Raquel Colombo Tixiliski Karolkievicz 1 ; Cristiane Faccio Gomes 2 RESUMO:

Leia mais