RESERVATÓRIOS DE PLACAS DE ARDÓSIA ARMADAS PARA ARMAZENAMENTO DE ÁGUA DA CHUVA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RESERVATÓRIOS DE PLACAS DE ARDÓSIA ARMADAS PARA ARMAZENAMENTO DE ÁGUA DA CHUVA"

Transcrição

1 I Congresso Baiano de Engenharia Sanitária e Ambiental - COBESA RESERVATÓRIOS DE PLACAS DE ARDÓSIA ARMADAS PARA ARMAZENAMENTO DE ÁGUA DA CHUVA Autores Marina Boldo Lisboa Marcio Andrade Henrique de Melo Lisboa Salvador, julho de

2 INTRODUÇÃO

3 O Oeste Catarinense tem sofrido com seguidos anos de escassez de água, apesar da abundância dos recursos hídricos desta Região, contemplada com altos índices de precipitação pluviométrica.

4 4

5 Região com forte atividade agropecuária Alta demanda de água para agricultura e dessedentação de animais Zona Rural 5

6 Escolas e instituições públicas têm alta demanda de água para usos não potáveis (descarga de vasos sanitários, lavagem de calçada, irrigação) e também sofrem no período de estiagem. Zona Urbana

7 7

8 Princípio de Funcionamento 8

9 OBJETIVO DO TRABALHO Desenvolver uma tecnologia inovadora para construção de reservatórios de armazenamento de água da chuva na região do Oeste Catarinense, com placas de ardósia.

10 MATERIAIS E MÉTODOS

11 Caracterização da Região de Estudo Escola Pública Instalação Suinícola 11

12 A Ardósia

13 A Ardósia Ocorrência de ardósia na região de Trombudo Central - SC

14 Usos Finais da Água da Chuva Instalação Suinícola Escola Pública 14

15 Principais Componentes reservatório de placas de ardósia; reservatório intermediário; condutores verticais e horizontais; calhas; dispositivo de descarte de sólidos; dispositivo de desvio das primeiras águas de cada chuva; Dispositivos de proteção sanitária.

16 Dimensionamento dos Reservatórios O dimensionamento dos sistemas foi realizado em estudo anterior. Sistema de Seara: capacidade de 80 m 3. Sistema de Concórdia: capacidade de 250 m 3.

17 RESULTADOS OBTIDOS Execução das instalações-piloto

18 1) Instalação-piloto de Seara Reservatório de placas de ardósia de 80 m 3

19

20 Preparação do terreno e execução da base

21 Montagem da lateral do reservatório

22 Montagem da lateral do reservatório

23 Montagem da lateral do reservatório

24 Montagem da lateral do reservatório

25 Reservatório Intermediário 25

26 Dispositivo de desvio das primeiras águas Dispositivo com bóia flutuante 26

27 Dispositivo de descarte de sólidos Filtro Volumétrico VF6 27

28 Cobertura metálica

29 Dispositivos de proteção sanitária

30 2) Instalação-piloto de Concórdia Reservatório de placas de ardósia de 250 m 3

31 Granja Superior Granja Inferior

32 Calhas e Condutores Calhas de aço galvanizado Condutores de PVC 32

33 Execução da base e da lateral do reservatório 33

34 Dispositivos de descarte de sólidos e desvio das primeiras águas de cada chuva Funil coador 34

35 Reservatório Intermediário 35

36 36

37 CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÕES A tecnologia da ardósia armada apresentou baixa complexidade na execução e rápida instalação. A ardósia, além de servir de fôrma para a camada estrutural, é um material natural abundante na região central do Estado de Santa Catarina,alémdeteraltadurabilidade,éinerte,edebaixocusto: grande potencial de aplicação para reservatórios. Para o nordeste, a ardósia poderia ser substituída por outra rocha, desde que tenha características físico-químicas semelhantes: estrutura em camadas, de fácil corte, alta durabilidade e resistência à compressão, inerte.

38 CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÕES A ardósia apesar de absorver cerca de 3,3 % de água, ela satura e fica impermeável. O silicone impermeabiliza a junta garantindo assim a proteção da armadura da camada estrutural. Os experimentos já realizados permitem concluir que, apesar de serem ainda necessários estudos adicionais, como o estudo da qualidade da água da chuva, esta tecnologia apresenta-se promissora não apenas para esta, mas também para outras aplicações como a construção de biodigestores rurais.

39 Este trabalho foi realizado no âmbito do Projeto Desenvolvimento de Tecnologias Apropriadas para Sistemas de Aproveitamento de Água de Chuva, financiado pela FAPESC e SDS, e executado pela FEPESE e UFSC.

40 FIM para contato: 40

ESTUDO DA VIABILIDADE DO APROVEITAMENTO DE ÁGUA PLUVIAL NO ESTADO DE RONDÔNIA

ESTUDO DA VIABILIDADE DO APROVEITAMENTO DE ÁGUA PLUVIAL NO ESTADO DE RONDÔNIA ISSN 1984-9354 ESTUDO DA VIABILIDADE DO APROVEITAMENTO DE ÁGUA PLUVIAL NO ESTADO DE RONDÔNIA Sérgio Luiz Souza Nazário (UNESC) Natália Sanchez Molina (UNESC) Rafael Germano Pires (UNESC) Débora Pereira

Leia mais

Viabilidade técnica e econômica da captação de

Viabilidade técnica e econômica da captação de GESTÃO INTEGRADA DA ÁGUA DE CHUVA NO SETOR URBANO Viabilidade técnica e econômica da captação de água de chuva no meio urbano Luciano Zanella aproveitamento de água de chuva simples facilmente aplicável

Leia mais

Projeto Tecnologias Sociais para a Gestão da Água

Projeto Tecnologias Sociais para a Gestão da Água Projeto Tecnologias Sociais para a Gestão da Água Projeto Tecnologias Sociais para a Gestão da Água www.tsga.ufsc.br O QUE É E COMO FUNCIONA? Trata-se de um sistema desenvolvido para captar e armazenar

Leia mais

ESTUDO DA VIABILIDADE DO USO DE CISTERNAS EM ASSENTAMENTO RURAL NO MUNICÍPIO DE VÁRZEA-PB

ESTUDO DA VIABILIDADE DO USO DE CISTERNAS EM ASSENTAMENTO RURAL NO MUNICÍPIO DE VÁRZEA-PB ESTUDO DA VIABILIDADE DO USO DE CISTERNAS EM ASSENTAMENTO RURAL NO MUNICÍPIO DE VÁRZEA-PB Jackson Silva Nóbrega 1 ; Francisco de Assis da Silva 1 ; Marcio Santos da Silva 2 ; Maria Tatiane Leonardo Chaves

Leia mais

Eixo Temático ET-08-011 - Recursos Hídricos NOVAS TECNOLOGIAS PARA MELHOR APROVEITAMENTO DA CAPTAÇÃO DA ÁGUA DE CHUVA

Eixo Temático ET-08-011 - Recursos Hídricos NOVAS TECNOLOGIAS PARA MELHOR APROVEITAMENTO DA CAPTAÇÃO DA ÁGUA DE CHUVA 413 Eixo Temático ET-08-011 - Recursos Hídricos NOVAS TECNOLOGIAS PARA MELHOR APROVEITAMENTO DA CAPTAÇÃO DA ÁGUA DE CHUVA Maria Isabel Cacimiro Xavier Estudante de Graduação em Gestão Ambiental, IFPB,

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2014

PROJETO DE LEI Nº, DE 2014 PROJETO DE LEI Nº, DE 2014 (Do Sr. Geraldo Resende) Estabelece a Política Nacional de Captação, Armazenamento e Aproveitamento de Águas Pluviais e define normas gerais para sua promoção. O Congresso Nacional

Leia mais

ESTUDOS DE CASO APROVEITAMENTO DE ÁGUA PLUVIAL PARA FINS NÃO POTÁVEIS EM INSTITUIÇÃO DE ENSINO: ESTUDO DE CASO EM FLORIANÓPOLIS - SC

ESTUDOS DE CASO APROVEITAMENTO DE ÁGUA PLUVIAL PARA FINS NÃO POTÁVEIS EM INSTITUIÇÃO DE ENSINO: ESTUDO DE CASO EM FLORIANÓPOLIS - SC ESTUDOS DE CASO APROVEITAMENTO DE ÁGUA PLUVIAL PARA FINS NÃO POTÁVEIS EM INSTITUIÇÃO DE ENSINO: ESTUDO DE CASO EM FLORIANÓPOLIS - SC ANA KELLY MARINOSKI Orientador: Prof. Enedir Ghisi, PhD INTRODUÇÃO Objetivo

Leia mais

Painel 2 - Um desafio histórico no Nordeste: escassez de água ou de soluções? Água de Chuva: alternativa para conviver com a seca

Painel 2 - Um desafio histórico no Nordeste: escassez de água ou de soluções? Água de Chuva: alternativa para conviver com a seca Painel 2 - Um desafio histórico no Nordeste: escassez de água ou de soluções? Água de Chuva: alternativa para conviver com a seca Cícero Onofre de Andrade Neto O acesso a água potável é apenas um dos problemas

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO

MANUAL DE INSTALAÇÃO MANUAL DE INSTALAÇÃO Os equipamentos do Kit Chuva atendem as exigências da norma NBR 15527: Água de chuva - Aproveitamento de coberturas em áreas urbanas para fins não potáveis Requisitos. KIT CHUVA Filtro

Leia mais

ANÁLISE DA QUALIDADE DA ÁGUA DE CHUVA ARMAZENADA, TRATAMENTOS NECESSÁRIOS E SUAS APLICAÇÕES PARA FINS NÃO POTÁVEIS PARA A CIDADE DE CATALÃO GO.

ANÁLISE DA QUALIDADE DA ÁGUA DE CHUVA ARMAZENADA, TRATAMENTOS NECESSÁRIOS E SUAS APLICAÇÕES PARA FINS NÃO POTÁVEIS PARA A CIDADE DE CATALÃO GO. ANÁLISE DA QUALIDADE DA ÁGUA DE CHUVA ARMAZENADA, TRATAMENTOS NECESSÁRIOS E SUAS APLICAÇÕES PARA FINS NÃO POTÁVEIS PARA A CIDADE DE CATALÃO GO. Pedro de Almeida Carísio¹; Heber Martins de Paula 2 Engenharia

Leia mais

II-152 AVALIAÇÃO DA POSSIBILIDADE DE USO DA ÁGUA DE CHUVA NO CAMPUS BARIGUI DA UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ

II-152 AVALIAÇÃO DA POSSIBILIDADE DE USO DA ÁGUA DE CHUVA NO CAMPUS BARIGUI DA UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ II-152 AVALIAÇÃO DA POSSIBILIDADE DE USO DA ÁGUA DE CHUVA NO CAMPUS BARIGUI DA UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ Ana Paula Matias Schatzmann (1) Graduanda em Engenharia Ambiental pela Universidade Tuiuti do

Leia mais

guia de instalação cisterna vertical

guia de instalação cisterna vertical guia de instalação cisterna vertical FORTLEV CARACTERÍSTICAS FUNÇÃO Armazenar água pluvial ou água potável à temperatura ambiente. APLICAÇÃO Residências, instalações comerciais, fazendas, escolas ou qualquer

Leia mais

Curso Aproveitamento de água de chuva em cisternas para o semi-árido 5 a 8 de maio de 2009

Curso Aproveitamento de água de chuva em cisternas para o semi-árido 5 a 8 de maio de 2009 Curso Aproveitamento de água de chuva em cisternas para o semi-árido 5 a 8 de maio de 2009 Tema 2 Projeto de sistemas de aproveitamento de água de chuva Rodolfo Luiz Bezerra Nóbrega Universidade Federal

Leia mais

HIDROGEOLOGIA DO OESTE DE SANTA CATARINA

HIDROGEOLOGIA DO OESTE DE SANTA CATARINA HIDROGEOLOGIA DO OESTE DE SANTA CATARINA PROESC Introdução O Projeto Oeste de Santa Catarina (PROESC), é o resultado de um convênio firmado entre a CPRM-Serviço Geológico do Brasil e o Governo do Estado

Leia mais

CATÁLOGO 2014. Aquah Cisternas Verticais PLUVIAIS E POTÁVEIS

CATÁLOGO 2014. Aquah Cisternas Verticais PLUVIAIS E POTÁVEIS CATÁLOGO 2014 Aquah Cisternas Verticais PLUVIAIS E POTÁVEIS CISTERNAS VERTICAIS Nossa linha de Cisternas Verticais foi desenvolvida para se adaptar às mais diversas estruturas e, atráves de vasos comunicantes,

Leia mais

DESCRIÇÃO DOS SERVIÇOS A SEREM EXECUTADOS

DESCRIÇÃO DOS SERVIÇOS A SEREM EXECUTADOS Secretaria de Transportes, Obras e Urbanismo Departamento de Engenharia DESCRIÇÃO DOS SERVIÇOS A SEREM EXECUTADOS Obra: Conclusão das obras de melhoria da infraestrutura e revitalização do Parque Ambiental

Leia mais

4. INSTALAÇÕES PREDIAIS DE ÁGUAS PLUVIAIS

4. INSTALAÇÕES PREDIAIS DE ÁGUAS PLUVIAIS 4. INSTALAÇÕES PREDIAIS DE ÁGUAS PLUVIAIS As instalações de águas pluviais devem ser projetadas de modo a obedecer às seguintes exigências: a) Recolher e conduzir a vazão de projeto até locais permitidos

Leia mais

APROVEITAMENTO DE ÁGUA DA CHUVA EM ZONAS RURAIS: CAPTAÇÃO E RESERVAÇÃO

APROVEITAMENTO DE ÁGUA DA CHUVA EM ZONAS RURAIS: CAPTAÇÃO E RESERVAÇÃO APROVEITAMENTO DE ÁGUA DA CHUVA EM ZONAS RURAIS: CAPTAÇÃO E RESERVAÇÃO Fabio Alexandre Regelmeier (1) Téc. Ambiental (IFPR) Administrador de Empresas, Especialista em Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável

Leia mais

Soluções sustentáveis para a vida.

Soluções sustentáveis para a vida. Soluções sustentáveis para a vida. A Ecoservice Uma empresa brasileira que está constantemente em busca de recursos e tecnologias sustentáveis para oferecer aos seus clientes, pessoas que têm como conceito

Leia mais

Eco Houses / Casas ecológicas. Juliana Santos Rafaela Castilho Sandra Aparecida Reis Sislene Simões Curso:Tecnologia em Gestão Ambiental

Eco Houses / Casas ecológicas. Juliana Santos Rafaela Castilho Sandra Aparecida Reis Sislene Simões Curso:Tecnologia em Gestão Ambiental Eco Houses / Casas ecológicas Juliana Santos Rafaela Castilho Sandra Aparecida Reis Sislene Simões Curso:Tecnologia em Gestão Ambiental IDHEA - INSTITUTO PARA O DESENVOLVIMENTO DA HABITAÇÃO ECOLÓGICA Conceito:

Leia mais

UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO MESTRADO EM ENGENHARIA CIVIL CAPTAÇÃO DE ÁGUAS PLUVIAIS EM ÁREAS URBANAS

UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO MESTRADO EM ENGENHARIA CIVIL CAPTAÇÃO DE ÁGUAS PLUVIAIS EM ÁREAS URBANAS UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO MESTRADO EM ENGENHARIA CIVIL CAPTAÇÃO DE ÁGUAS PLUVIAIS EM ÁREAS URBANAS Profª. Simone Rosa da Silva 2015 Torres empresariais : Isaac newton e Alfred Nobel Const.: Rio Ave Aspectos

Leia mais

Aluna do Instituto Federal Catarinense, Campus Videira. Curso técnico em Informática Integrado ao Ensino Médio. E-mail: brunaaraldi@hotmail.

Aluna do Instituto Federal Catarinense, Campus Videira. Curso técnico em Informática Integrado ao Ensino Médio. E-mail: brunaaraldi@hotmail. ANÁLISE DO APROVEITAMENTO DA ÁGUA DA CHUVA NAS ESCOLAS DO MUNICÍPIO DE VIDEIRA-SC E ESTUDO DA VIABILIDADE DA IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DE CAPTAÇÃO E APROVEITAMENTO DESSA ÁGUA NO IFC CÂMPUS VIDEIRA Bruna

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO TECNOLÓGICO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL INSTALAÇÃO PREDIAL DE ÁGUAS PLUVIAIS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO TECNOLÓGICO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL INSTALAÇÃO PREDIAL DE ÁGUAS PLUVIAIS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO TECNOLÓGICO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL INSTALAÇÃO PREDIAL DE ÁGUAS PLUVIAIS Prof. Adolar Ricardo Bohn - M. Sc. 1 A instalação predial de águas pluviais

Leia mais

DISCIPLINA: SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E SANEAMENTO PROFESSOR: CÁSSIO FERNANDO SIMIONI

DISCIPLINA: SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E SANEAMENTO PROFESSOR: CÁSSIO FERNANDO SIMIONI ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA

Leia mais

Curso: Panorama dos Recursos Hídricos no Mundo e no Brasil

Curso: Panorama dos Recursos Hídricos no Mundo e no Brasil Curso: Panorama dos Recursos Hídricos no Mundo e no Brasil Aula: A água em números Alexandre Resende Tofeti Brasília - DF 23 de Agosto de 2013 CFI Dados sobre a Água no Mundo e na América do Sul Reservas

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO

MANUAL DE INSTALAÇÃO MANUAL DE INSTALAÇÃO Os equipamentos do Kit Chuva atendem as exigências da norma NBR 15527: Água de chuva - Aproveitamento de coberturas em áreas urbanas para fins não potáveis Requisitos. KIT CHUVA VF1

Leia mais

Critérios Construtivos do Padrão de Entrada

Critérios Construtivos do Padrão de Entrada Notas: Critérios Construtivos do Padrão de Entrada A fiação do ramal de saída deve ser a mesma fiação do ramal de entrada. O padrão de entrada na zona rural deverá ficar no mínimo de 10 metros e no máximo

Leia mais

O SANEAMENTO DE PEQUENAS LOCALIDADES AGLOMERADAS E DISPERSAS NO MEIO RURAL, EM ÁREAS INDÍGENAS E EM QUILOMBOLAS

O SANEAMENTO DE PEQUENAS LOCALIDADES AGLOMERADAS E DISPERSAS NO MEIO RURAL, EM ÁREAS INDÍGENAS E EM QUILOMBOLAS Universidade de Brasília O SANEAMENTO DE PEQUENAS LOCALIDADES AGLOMERADAS E DISPERSAS NO MEIO RURAL, EM ÁREAS INDÍGENAS E EM QUILOMBOLAS I Congresso Baiano de Engenharia Sanitária e Ambiental - COBESA

Leia mais

SIMULAÇÃO DE UM SISTEMA DE ARMAZENAMENTO DE AGUA DA CHUVA RESUMO

SIMULAÇÃO DE UM SISTEMA DE ARMAZENAMENTO DE AGUA DA CHUVA RESUMO You are free: to copy, distribute and transmit the work; to adapt the work. You must attribute the work in the manner specified by the author or licensor SIMULAÇÃO DE UM SISTEMA DE ARMAZENAMENTO DE AGUA

Leia mais

Comunicado Técnico. Qualidade da água em cisternas utilizadas na dessedentação de animais. Introdução. Julio Cesar Pascale Palhares 1

Comunicado Técnico. Qualidade da água em cisternas utilizadas na dessedentação de animais. Introdução. Julio Cesar Pascale Palhares 1 Comunicado Técnico 481 ISSN 0100-8862 Versão Eletrônica Novembro, 2010 Concórdia, SC Fotos: Julio C. P. Palhares Qualidade da água em cisternas utilizadas na dessedentação de animais Julio Cesar Pascale

Leia mais

UMA PROPOSTA DE APROVEITAMENTO DA ÁGUA DE CHUVA PARA O CULTIVO DE MORANGOS NO SÍTIO CAPOROROCA, LAMI, PORTO ALEGRE/RS

UMA PROPOSTA DE APROVEITAMENTO DA ÁGUA DE CHUVA PARA O CULTIVO DE MORANGOS NO SÍTIO CAPOROROCA, LAMI, PORTO ALEGRE/RS UMA PROPOSTA DE APROVEITAMENTO DA ÁGUA DE CHUVA PARA O CULTIVO DE MORANGOS NO SÍTIO CAPOROROCA, LAMI, PORTO ALEGRE/RS Laura Rita Rui laurarui@cpovo.net Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia

Leia mais

UniVap - FEAU CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO Prof. Minoru Takatori ESTUDO PRELIMINAR

UniVap - FEAU CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO Prof. Minoru Takatori ESTUDO PRELIMINAR 1 ESTUDO PRELIMINAR OBJETIVOS Analise e avaliação de todas as informações recebidas para seleção e recomendação do partido arquitetônico, podendo eventualmente, apresentar soluções alternativas. Tem como

Leia mais

Aproveitamento de água de chuva de coberturas em áreas urbanas para fins não potáveis - Requisitos

Aproveitamento de água de chuva de coberturas em áreas urbanas para fins não potáveis - Requisitos Aproveitamento de água de chuva de coberturas em áreas urbanas para fins não potáveis - Requisitos APRESENTAÇÃO 1) Este 2º Projeto foi elaborado pela ABNT/CEET-00.001.77 - Comissão de Estudo Especial Temporária

Leia mais

P.42 Programa de Educação Ambiental - PEA. Cisterna Junho/2013

P.42 Programa de Educação Ambiental - PEA. Cisterna Junho/2013 P.42 Programa de Educação Ambiental - PEA Cisterna Junho/2013 Sendo a água doce um recurso natural escasso, as diversas questões a ela relacionadas são hoje motivo de preocupação em todo o mundo. Dentre

Leia mais

J2CAPTAÇÃO DE ÁGUA DE CHUVA EM CISTERNAS RURAIS

J2CAPTAÇÃO DE ÁGUA DE CHUVA EM CISTERNAS RURAIS J2CAPTAÇÃO DE ÁGUA DE CHUVA EM CISTERNAS RURAIS Nilton de Brito Cavalcanti 1 ; Luiza Teixeira de Lima Brito 2 RESUMO - No semi-árido do Nordeste brasileiro, a cisterna tem sido uma das principais formas

Leia mais

PALESTRA Tecnologias e processos inovadores no abastecimento de água em comunidades isoladas SEMINÁRIO

PALESTRA Tecnologias e processos inovadores no abastecimento de água em comunidades isoladas SEMINÁRIO PALESTRA Tecnologias e processos inovadores no abastecimento de água em comunidades isoladas Daniel Kuchida SEMINÁRIO Segurança da Água para Consumo Humano. Como moldar o futuro da água para as partes

Leia mais

1 de 10 04/02/2013 10:51

1 de 10 04/02/2013 10:51 1 de 10 04/02/2013 10:51 inicial produtos Água e Esgoto ETE Trat. Biológico de Esgoto Aproveitamento de água de chuva Reuso de esgoto tratado Eco Lava-Rápido Filtro Central Cisternas Sistemas de Ozônio

Leia mais

TECNOLOGIA SOCIAL E RURAL

TECNOLOGIA SOCIAL E RURAL IV Seminário Internacional de Engenharia de Saúde Pública Belo Horizonte; 18 a 22 de Março de 2013 Mesa redonda TECNOLOGIA SOCIAL E RURAL Cícero Onofre de Andrade Neto Tecnologia adequada à realidade (social,

Leia mais

Os projetos de habitação de interesse social adotados nesta pesquisa encontram-se caracterizados na tabela 1.

Os projetos de habitação de interesse social adotados nesta pesquisa encontram-se caracterizados na tabela 1. DETERMINAÇÃO DOS CUSTOS DIRETOS E DA VIABILIDADE ECONÔMICA PARA UM SISTEMA DE CAPTAÇÃO DE ÁGUA PLUVIAL E EQUIPAMENTOS SANITÁRIOS ECONOMIZADORES DE ÁGUA: ESTUDO DE CASO PARA HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL

Leia mais

SISTEMA CONSTRUTIVO EM PAREDES DE CONCRETO:

SISTEMA CONSTRUTIVO EM PAREDES DE CONCRETO: SISTEMA CONSTRUTIVO EM PAREDES DE CONCRETO: Adequações frente às s normas de desempenho. Marcelo Moacyr Diretor de Engenharia, Construção e Relacionamento 1 Escolha do Sistema Construtivo 2 Avaliações

Leia mais

MELHORIAS SANITÁRIAS E SEUS USOS EM COMUNIDADES NO ESTADO DA BAHIA

MELHORIAS SANITÁRIAS E SEUS USOS EM COMUNIDADES NO ESTADO DA BAHIA MELHORIAS SANITÁRIAS E SEUS USOS EM COMUNIDADES NO ESTADO DA BAHIA Silvio Roberto Magalhães Orrico Jennifer Conceição Carvalho Teixeira de Matos Ricardo Silveira Bernardes Patrícia Campos Borja Cristiane

Leia mais

Melhorias Construtivas. Sustentáveis

Melhorias Construtivas. Sustentáveis Melhorias Construtivas Sustentáveis O que é sustentabilidade? O Projeto Melhorias Habitacionais Sustentáveis na Bomba do Hemetério, foi criado com o objetivo de reduzir o consumo e melhor aproveitar os

Leia mais

I-115 - AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DA ÁGUA DE CHUVA DA CIDADE DE FLORIANÓPOLIS - SC.

I-115 - AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DA ÁGUA DE CHUVA DA CIDADE DE FLORIANÓPOLIS - SC. I-115 - AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DA ÁGUA DE CHUVA DA CIDADE DE FLORIANÓPOLIS - SC. Reginaldo Campolino Jaques (1) Engenheiro Sanitarista e Ambiental pela Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC. Mestre

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2012 (Do Sr. Laércio Oliveira)

PROJETO DE LEI Nº, DE 2012 (Do Sr. Laércio Oliveira) PROJETO DE LEI Nº, DE 2012 (Do Sr. Laércio Oliveira) Institui o Programa Nacional de Conservação, Uso Racional e Reaproveitamento das Águas. O Congresso Nacional decreta: Art. 1º A presente lei tem por

Leia mais

COMUNICAÇÃO TÉCNICA Nº 173535

COMUNICAÇÃO TÉCNICA Nº 173535 COMUNICAÇÃO TÉCNICA Nº 173535 Aproveitamento de água de chuva Luciano Zanella Palestra apresentado no 2.Semana de Engenharia Ambiental, Poços de Caldas, 2015 A série Comunicação Técnica compreende trabalhos

Leia mais

ADOÇÃO DE FONTES ALTERNATIVAS PARA CONSERVAÇÃO DE ÁGUA NO MEIO URBANO: APROVEITAMENTO DIRETO DE PRECIPITAÇÃO DE ÁGUA DE CHUVA EM EDIFÍCIOS ESCOLARES.

ADOÇÃO DE FONTES ALTERNATIVAS PARA CONSERVAÇÃO DE ÁGUA NO MEIO URBANO: APROVEITAMENTO DIRETO DE PRECIPITAÇÃO DE ÁGUA DE CHUVA EM EDIFÍCIOS ESCOLARES. ADOÇÃO DE FONTES ALTERNATIVAS PARA CONSERVAÇÃO DE ÁGUA NO MEIO URBANO: APROVEITAMENTO DIRETO DE PRECIPITAÇÃO DE ÁGUA DE CHUVA EM EDIFÍCIOS ESCOLARES. Jorge Alberto Cecin 1 ; Luciano Zanella 2 ; Wolney

Leia mais

3º Congresso Internacional de Tecnologias para o Meio Ambiente

3º Congresso Internacional de Tecnologias para o Meio Ambiente Eficiência no aproveitamento de água de chuva nas edificações: estado da arte Lidiane Bittencourt Barroso 1, Ronaldo Kanopf de Araújo 2, Delmira Beatriz Wolff 3 1 Colégio Técnico Industrial de Santa Maria

Leia mais

Sistema para balanceamento hídrico de empreendimento. Dentre estas medidas está a constante busca pela redução de consumo de água potável,

Sistema para balanceamento hídrico de empreendimento. Dentre estas medidas está a constante busca pela redução de consumo de água potável, Início do projeto: Em uma busca incessante por reduzir gastos com água potável, o empreendimento comercial de operação hoteleira feita com a bandeira internacional Blue Tree Premium, vem nos últimos anos

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP DEPARTAMENTO DE

ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP DEPARTAMENTO DE ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL PROJETO DE FUNDAÇÕES Todo projeto de fundações

Leia mais

ASSOCIAÇÃO TECNOLOGIA VERDE BRASIL - ATVerdeBrasil MINUTA DE PROJETO DE LEI A SER SUGERIDA AOS PODERES PÚBLICOS

ASSOCIAÇÃO TECNOLOGIA VERDE BRASIL - ATVerdeBrasil MINUTA DE PROJETO DE LEI A SER SUGERIDA AOS PODERES PÚBLICOS ASSOCIAÇÃO TECNOLOGIA VERDE BRASIL - ATVerdeBrasil MINUTA DE PROJETO DE LEI A SER SUGERIDA AOS PODERES PÚBLICOS PROJETO DE LEI DO LEGISLATIVO Dispõe sobre a obrigatoriedade da instalação de telhados verdes

Leia mais

SOLUÇÕES FORTLEV PARA CUIDAR DO MEIO AMBIENTE

SOLUÇÕES FORTLEV PARA CUIDAR DO MEIO AMBIENTE C A T Á L O G O D E P R O D U T O S SOLUÇÕES FORTLEV PARA CUIDAR DO MEIO AMBIENTE CISTERNA MUITO MAIS INOVAÇÃO E FACILIDADE PARA ARMAZENAR ÁGUA DA CHUVA A FORTLEV é a maior empresa produtora de soluções

Leia mais

APROVEITAMENTO DA ÁGUA PLUVIAL PARA FINS NÃO POTÁVEIS

APROVEITAMENTO DA ÁGUA PLUVIAL PARA FINS NÃO POTÁVEIS ISSN 1984-9354 APROVEITAMENTO DA ÁGUA PLUVIAL PARA FINS NÃO POTÁVEIS Andrea Sartori Jabur (UTFPR) Heloiza Piassa Benetti (UTFPR) Elizangela Marcelo Siliprandi (UTFPR) Resumo A utilização das águas pluviais,

Leia mais

reuso e utilização de água de chuva

reuso e utilização de água de chuva Definições Legislação sobre reuso e utilização de água de chuva FABIANO GENEROSO Biólogo Especialista em Técnicas Avançadas em Análises Clínicas - USP Especialista em Parasitologia Médica - USP Especialista

Leia mais

CISTERNAS DE PLACAS Eng.º Civil Marcos Carnaúba AL CONFEA - Registro Nacional 180160565-3 e-mail:marcarnauba@gmail.com

CISTERNAS DE PLACAS Eng.º Civil Marcos Carnaúba AL CONFEA - Registro Nacional 180160565-3 e-mail:marcarnauba@gmail.com CISTERNAS DE PLACAS Eng.º Civil Marcos Carnaúba AL CONFEA - Registro Nacional 180160565-3 e-mail:marcarnauba@gmail.com VERSÃO ORIGINAL MAIO 2008 ATUALIZADA EM MAIO 2012 1-Descrição sumária do projeto.

Leia mais

Serão distribuídos: Para os professores: Cinco módulos temáticos e um caderno de atividades. Para os alunos: um caderno de atividades.

Serão distribuídos: Para os professores: Cinco módulos temáticos e um caderno de atividades. Para os alunos: um caderno de atividades. professor Serão distribuídos: Para os professores: Cinco módulos temáticos e um caderno de atividades. Para os alunos: um caderno de atividades. Também serão produzidos, dentro de sala de aula, cartazes

Leia mais

3º Congresso Científico do Projeto SWITCH. Belo Horizonte, MG, Brasil 30 de novembro a 04 de dezembro

3º Congresso Científico do Projeto SWITCH. Belo Horizonte, MG, Brasil 30 de novembro a 04 de dezembro 3º Congresso Científico do Projeto SWITCH Belo Horizonte, MG, Brasil 30 de novembro a 04 de dezembro Gestão Integrada de Águas Urbanas em Diferentes Escalas Territoriais: a Cidade e a Bacia Hidrográfica

Leia mais

Sistemas Prediais de Águas Pluviais (SPAP)

Sistemas Prediais de Águas Pluviais (SPAP) Escola de Engenharia Civil - UFG SISTEMAS PREDIAIS Sistemas Prediais de Águas Pluviais (SPAP) Concepção de projeto Métodos de dimensionamento dos componentes e sistemas Prof. Ricardo Prado Abreu Reis Goiânia

Leia mais

ESTRUTURAS. Prof. Eliseu Figueiredo Neto

ESTRUTURAS. Prof. Eliseu Figueiredo Neto ESTRUTURAS Prof. Eliseu Figueiredo Neto PAREDES DE TIJOLO Assentamento dos tijolos: Quanto a colocação (ou dimensão das paredes) dos tijolos, podemos classificar as paredes em: cutelo, de meio tijolo,

Leia mais

MELHORIAS NO APROVEITAMENTO DE ÁGUA DA CHUVA: CONSTRUÇÃO DE FILTRO DE SÓLIDOS GROSSEIRO DE BAIXO CUSTO

MELHORIAS NO APROVEITAMENTO DE ÁGUA DA CHUVA: CONSTRUÇÃO DE FILTRO DE SÓLIDOS GROSSEIRO DE BAIXO CUSTO Eixo Temático: Inovação e Sustentabilidade MELHORIAS NO APROVEITAMENTO DE ÁGUA DA CHUVA: CONSTRUÇÃO DE FILTRO DE SÓLIDOS GROSSEIRO DE BAIXO CUSTO UTILIZATION OF RAINWATER: CONSTRUCTION OF SOLID FILTER

Leia mais

Composição. Paredes. Cobertura. Parafusos. Fundo. Betonagem da base. Juntas

Composição. Paredes. Cobertura. Parafusos. Fundo. Betonagem da base. Juntas Depósitos em Aço Composição Paredes Chapa de aço galvanizada a quente, ondulada em perfil 18/76-R18 de desenho especial que lhe confere grande resistência e capacidade forte da chapa. Isto deve-se essencialmente

Leia mais

Contextualizando... 42% do consumo de energia em edificações é destinado a operação e manutenção das edificações + promoção de conforto

Contextualizando... 42% do consumo de energia em edificações é destinado a operação e manutenção das edificações + promoção de conforto CASA EFICIENTE Edificações e consumo total de energia elétrica 42% do consumo de energia em edificações é destinado a operação e manutenção das edificações + promoção de conforto Evolução dos Consumos

Leia mais

CAPTAÇÃO DE ÁGUAS PLUVIAIS PARA ABASTECIMENTO RESIDENCIAL

CAPTAÇÃO DE ÁGUAS PLUVIAIS PARA ABASTECIMENTO RESIDENCIAL MARCOS TOZZI E JOSÉ JUNJI OTA CAPTAÇÃO DE ÁGUAS PLUVIAIS PARA ABASTECIMENTO RESIDENCIAL DEBORA SPERANCETTA Ex-aluna - Engenharia Civil - Centro Universitário Positivo / UnicenP deborasperancetta@hotmail.com

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO

MANUAL DE INSTALAÇÃO MANUAL DE INSTALAÇÃO Os equipamentos do Kit Chuva atendem as exigências da norma NBR 15527: Água de chuva - Aproveitamento de coberturas em áreas urbanas para fins não potáveis Requisitos. KIT CHUVA RAINUS

Leia mais

Durante séculos, em diversos locais ao redor do planeta, as pessoas

Durante séculos, em diversos locais ao redor do planeta, as pessoas Manejo Sustentável da água Conteúdo deste documento: I. Introdução à captação e armazenamento de água da chuva II. Vantagens da utilização de água da chuva III. Considerações sobre a qualidade da água

Leia mais

ASPECTOS CONSTRUTIVOS E AMBIENTAIS DE TELHADOS VERDES EXTENSIVOS

ASPECTOS CONSTRUTIVOS E AMBIENTAIS DE TELHADOS VERDES EXTENSIVOS I Congresso Baiano de Engenharia Sanitária e Ambiental - I COBESA ASPECTOS CONSTRUTIVOS E AMBIENTAIS DE TELHADOS VERDES EXTENSIVOS Matheus Paiva Brasil (1) Graduando em Engenharia Sanitária e Ambiental

Leia mais

SISTEMA DE APROVEITAMENTO DE ÁGUA DE CHUVA - 3P TECHNIK

SISTEMA DE APROVEITAMENTO DE ÁGUA DE CHUVA - 3P TECHNIK SISTEMA DE APROVEITAMENTO DE ÁGUA DE CHUVA - 3P TECHNIK INSTALAÇÃO: Figura 1 Para instalação e montagem das conexões, siga os seguintes passos: 1) Os tubos que descem das calhas são conectados nas entradas

Leia mais

Inst Ins alaç t ões alaç Prediais Pr de Esgot g os Sanitários Prof Pr. of Cris tiano Cris

Inst Ins alaç t ões alaç Prediais Pr de Esgot g os Sanitários Prof Pr. of Cris tiano Cris Instalações Prediais de Esgotos Sanitários Prof. Cristiano Considerações Gerais Regidas pela NBR 8160,, as instalações de esgotos sanitários têm a tem a finalidade de coletar e afastar da edificação todos

Leia mais

CISTERNA DE PLACAS DE ARDÓSIA ARMADAS

CISTERNA DE PLACAS DE ARDÓSIA ARMADAS CISTERNA DE PLACAS DE ARDÓSIA ARMADAS Marina Boldo Lisboa 1 ; Marcio Andrade 1 ; Henrique de Melo Lisboa 1 RESUMO - No contexto da crescente pressão exercida sobre os recursos hídricos, trazendo conseqüências

Leia mais

I-024 APROVEITAMENTO DE ÁGUA DE CHUVA: AVALIAÇÃO DO SEU TRATAMENTO PARA FINS POTÁVEIS

I-024 APROVEITAMENTO DE ÁGUA DE CHUVA: AVALIAÇÃO DO SEU TRATAMENTO PARA FINS POTÁVEIS I-024 APROVEITAMENTO DE ÁGUA DE CHUVA: AVALIAÇÃO DO SEU TRATAMENTO PARA FINS POTÁVEIS José Alexandre Borges Valle (1) Engenheiro Químico pela Universidade Regional de Blumenau; Mestre em Engenharia Química

Leia mais

FABRICAÇÃO DE POSTES DE CONCRETO ARMADO COM TIRAS DE BAMBU

FABRICAÇÃO DE POSTES DE CONCRETO ARMADO COM TIRAS DE BAMBU UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CURSO DE ENGENHARIA AGRÍCOLA FABRICAÇÃO DE POSTES DE CONCRETO ARMADO COM TIRAS DE BAMBU Alba Pollyana Silva Josiane

Leia mais

CONCRETOS ESPECIAIS MCC2001 AULA 7 (parte 2)

CONCRETOS ESPECIAIS MCC2001 AULA 7 (parte 2) CONCRETOS ESPECIAIS MCC2001 AULA 7 (parte 2) Disciplina: Materiais de Construção II Professora: Dr. a Carmeane Effting 1 o semestre 2014 Centro de Ciências Tecnológicas Departamento de Engenharia Civil

Leia mais

WWW.GALPAODASTELHAS.COM.BR

WWW.GALPAODASTELHAS.COM.BR Atuando no mercado de telhas, calhas, rufos e acessórios em aço galvanizado, a GALPÃO DAS TELHAS vem desenvolvendo produtos e serviços com a mais alta qualidade e tecnologia, visando proporcionar maior

Leia mais

1. Canteiro de Obra Cajazeiras 02

1. Canteiro de Obra Cajazeiras 02 1. Canteiro de Obra Cajazeiras 02 A cidade de Cajazeiras, localizada no estado da Paraíba (PB), é um dos municípios no qual dispõe de boa estrutura para implantação de um dos três canteiros de obras que

Leia mais

Manejo de irrigação Parâmetros solo-planta-clima. FEAGRI/UNICAMP - Prof. Roberto Testezlaf

Manejo de irrigação Parâmetros solo-planta-clima. FEAGRI/UNICAMP - Prof. Roberto Testezlaf Manejo de irrigação Parâmetros solo-planta-clima Relações água e solo Fases do solo Sólida Líquida (Água/Solução) Ar Fase sólida Densidades do solo e de partícula Densidade de partícula (real) Relação

Leia mais

Como Construir 1- Escavação do buraco 2- Fabricação das Placas

Como Construir 1- Escavação do buraco 2- Fabricação das Placas Como Construir Para construir uma cisterna, o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) investe R$ 1,6 mil. Além de materiais de construção, o recurso também é utilizado para a mobilização

Leia mais

Tanques Sépticos e Disposição de Efluentes de Tanques Sépticos

Tanques Sépticos e Disposição de Efluentes de Tanques Sépticos UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO DECIV DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL Tanques Sépticos e Disposição de Efluentes de Tanques Sépticos DISCIPLINA: SANEAMENTO PROF. CARLOS EDUARDO F MELLO e-mail: cefmello@gmail.com

Leia mais

PADRONIZAÇÃO DE PAINÉIS EM LIGHT STEEL FRAME

PADRONIZAÇÃO DE PAINÉIS EM LIGHT STEEL FRAME PADRONIZAÇÃO DE PAINÉIS EM LIGHT STEEL FRAME ANITA OLIVEIRA LACERDA - anitalic@terra.com.br PEDRO AUGUSTO CESAR DE OLIVEIRA SÁ - pedrosa@npd.ufes.br 1. INTRODUÇÃO O Light Steel Frame (LSF) é um sistema

Leia mais

Estruturas de Madeira. Telhados. É a parte superior das construções, destina-se a dar-lhes proteção.

Estruturas de Madeira. Telhados. É a parte superior das construções, destina-se a dar-lhes proteção. Estruturas de Madeira Telhados É a parte superior das construções, destina-se a dar-lhes proteção. Funções básicas: Proteção das partes internas da instalação, contra o sol excessivo, chuva, neve, etc.

Leia mais

COEFICIENTE DE ESCOAMENTO SUPERFICIAL EM DIFERENTES ÁREAS DE CAPTAÇÃO DE ÁGUA DE CHUVA 1

COEFICIENTE DE ESCOAMENTO SUPERFICIAL EM DIFERENTES ÁREAS DE CAPTAÇÃO DE ÁGUA DE CHUVA 1 COEFICIENTE DE ESCOAMENTO SUPERFICIAL EM DIFERENTES ÁREAS DE CAPTAÇÃO DE ÁGUA DE CHUVA 1 Luiza Teixeira de Lima Brito 2 Aderaldo de Souza Silva 3 RESUMO Técnicas de captação e armazenamento de água de

Leia mais

MEMO Nº 022/ENG/IFC/2010 Blumenau, 15 de julho de 2010. Do: Departamento de Engenharia do Instituto Federal Catarinense

MEMO Nº 022/ENG/IFC/2010 Blumenau, 15 de julho de 2010. Do: Departamento de Engenharia do Instituto Federal Catarinense MEMO Nº 022/ENG/IFC/2010 Blumenau, 15 de julho de 2010. Ao: Pró Reitor de Desenvolvimento Institucional ANTÔNIO A. RAITANI JÚNIOR Do: Departamento de Engenharia do Instituto Federal Catarinense Assunto:

Leia mais

ANÁLISE FÍSICO-QUÍMICA DA ÁGUA DE CHUVA NA CIDADE DE JOÃO PESSOA PARA USO NÃO POTÁVEL

ANÁLISE FÍSICO-QUÍMICA DA ÁGUA DE CHUVA NA CIDADE DE JOÃO PESSOA PARA USO NÃO POTÁVEL ANÁLISE FÍSICO-QUÍMICA DA ÁGUA DE CHUVA NA CIDADE DE JOÃO PESSOA PARA USO NÃO POTÁVEL Isabelle Yruska de Lucena Gomes da Costa 1 ; Celso Augusto Guimarães Santos 2 ; Rodolfo Luiz Bezerra Nóbrega 3 1 Aluna

Leia mais

INSTALAÇÕES HIDRO-SANITÁRIAS

INSTALAÇÕES HIDRO-SANITÁRIAS INSTALAÇÕES HIDRO-SANITÁRIAS Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 8º Período Turmas C01, C02 e C03 Disc. Construção Civil II ESGOTO SANITÁRIO 1 Conjunto de tubulações, conexões e

Leia mais

Rebaixamento do Lençol Freático

Rebaixamento do Lençol Freático Rebaixamento do Lençol Freático Índice 1. Rebaixamento por Poços 2. Bombas Submersas 3. Rebaixamento à Vácuo 4. Norma 5. Método construtivo 6. Equipe de trabalho 1. Rebaixamento Por Poços Rebaixamento

Leia mais

LEGISLAÇÃO SOBRE USO RACIONAL DA ÁGUA

LEGISLAÇÃO SOBRE USO RACIONAL DA ÁGUA LEGISLAÇÃO SOBRE USO RACIONAL DA ÁGUA LEGISLAÇÃO SOBRE USO RACIONAL DA ÁGUA MARÇO 2004 SUMÁRIO 1. L EI COMPLEMENTAR Nº 110/2003 - MUNICÍPIO DE PASSO FUNDO/RS...3 2. L EI Nº 5935/2002 - MUNICÍPIO DE BLUMENAL/SC...4

Leia mais

ANÁLISE PROJETUAL DA RESIDÊNCIA SMALL HOUSE TÓQUIO, JAPÃO.

ANÁLISE PROJETUAL DA RESIDÊNCIA SMALL HOUSE TÓQUIO, JAPÃO. UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE ARQUITETURA E URBANISMO E DESIGN DISCIPLINA: CONFORTO AMBIENTAL 1 ANÁLISE PROJETUAL DA RESIDÊNCIA SMALL HOUSE TÓQUIO, JAPÃO. ARQUITETOS: KAZUYO SEJIMA E

Leia mais

- DIMENSIONAMENTO DE VERTEDOUROS -

- DIMENSIONAMENTO DE VERTEDOUROS - V CONGRESSO BRASILEIRO DE MINA A CÉU C U ABERTO ASPECTOS CRÍTICOS DE PROJETO PARA FECHAMENTO DE BARRAGENS DE REJEITOS - DIMENSIONAMENTO DE VERTEDOUROS - MÁRIO CICARELI PINHEIRO Engenheiro Civil, especialidade

Leia mais

Cisternas para o aproveitamento de água da chuva: uso não potável em escolas municipais de Horizontina

Cisternas para o aproveitamento de água da chuva: uso não potável em escolas municipais de Horizontina Cisternas para o aproveitamento de água da chuva: uso não potável em escolas municipais de Horizontina Cristina Raquel Reckziegel (FAHOR) cr000900@fahor.com.br Gezebel Marcela Bencke (FAHOR) gb000888@fahor.com.br

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE VENÂNCIO AIRES

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE VENÂNCIO AIRES PROJETO ARQUITETÔNICO ADEQUAÇÕES NA USINA DE TRIAGEM DE LIXO LINHA ESTRELA MEMORIAL DESCRITIVO 1 MEMORIAL DESCRITIVO 1. OBJETIVO: USINA DE TRIAGEM DE LIXO A presente especificação tem por objetivo estabelecer

Leia mais

Documentos. ISSN 0101-6245 Dezembro, 2012. Aproveitamento da Água da Chuva na Produção de Suínos e Aves

Documentos. ISSN 0101-6245 Dezembro, 2012. Aproveitamento da Água da Chuva na Produção de Suínos e Aves Documentos ISSN 0101-6245 Dezembro, 2012 157 Aproveitamento da Água da Chuva na Produção de Suínos e Aves ISSN 0101-6245 Dezembro, 2012 Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Suínos e Aves

Leia mais

RESUMO DO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

RESUMO DO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO HIDROLOGIA I RESUMO DO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 1 - Introdução: Apresentação do Programa da Disciplina, Sistema de Avaliação; Conceito; Importância e Aplicação da Hidrologia (2h) 2 - Ciclo Hidrológico (2h);

Leia mais

III - ANEXO I e ANEXO II (Conforme Resolução CONAMA n. 273/2000)

III - ANEXO I e ANEXO II (Conforme Resolução CONAMA n. 273/2000) III - ANEXO I e ANEXO II (Conforme Resolução CONAMA n. 273/2000) 1. IDENTIFICAÇÃO DO RESPONSÁVEL PELO EMPREENDIMENTO Nome: Endereço: CEP: CPF: RG: e-mail: 2. IDENTIFICAÇÃO DO EMPREENDIMENTO Nome Fantasia:

Leia mais

B4-271 Construção participativa de sistemas individuais de esgotamento sanitário em comunidades rurais.

B4-271 Construção participativa de sistemas individuais de esgotamento sanitário em comunidades rurais. B4-271 Construção participativa de sistemas individuais de esgotamento sanitário em comunidades rurais. Machado, Diogo Faria¹; Andrade, Amanda de Oliveira²; Maia, Hérksson Mota³; Rezende, Ana Augusta Passos

Leia mais

JARDIM FILTRANTE O QUE É E COMO FUNCIONA

JARDIM FILTRANTE O QUE É E COMO FUNCIONA JARDIM FILTRANTE O QUE É E COMO FUNCIONA ÁREAS ALAGADAS NATURAIS Várzea / Brejo Pântano Manguezal As áreas alagadas exercem um importante papel nos ecosistemas, por meio da depuração fisico-química e reciclagem

Leia mais

Curso Aproveitamento de água de chuva em cisternas para o semi-árido 5 a 8 de maio de 2009. Construção de cisternas

Curso Aproveitamento de água de chuva em cisternas para o semi-árido 5 a 8 de maio de 2009. Construção de cisternas Curso Aproveitamento de água de chuva em cisternas para o semi-árido 5 a 8 de maio de 2009 Tema 3: Construção de cisternas Rodolfo Luiz Bezerra Nóbrega Universidade Federal de Campina Grande Financiadores:

Leia mais

ECOM EMPRESA DE CONSTRUÇÕES, CONSULTORIA E MEIO AMBIENTE LTDA

ECOM EMPRESA DE CONSTRUÇÕES, CONSULTORIA E MEIO AMBIENTE LTDA MEMORIAL DESCRITIVO DOS PROJETOS DE INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS, SANITÁRIAS E PLUVIAL MERCADO PÚBLICO DO SÃO JOAQUIM TERESINA PI AGOSTO/2014 IDENTIFICAÇÃO Obra: Mercado do São Joaquim Endereço: Bairro São

Leia mais

I Congresso Baiano de Engenharia Sanitária e Ambiental - COBESA

I Congresso Baiano de Engenharia Sanitária e Ambiental - COBESA I Congresso Baiano de Engenharia Sanitária e Ambiental - COBESA PLANEJAMENTO, IMPLANTAÇÃO E GESTÃO DE UMA INTERVENÇÃO EM SANEAMENTO: Uma avaliação à luz da Promoção da Saúde Aline Nogueira, Tecnóloga em

Leia mais

AMBIENTAL MS PROJETOS EQUIPAMENTOS E SISTEMAS

AMBIENTAL MS PROJETOS EQUIPAMENTOS E SISTEMAS AMBIENTAL MS PROJETOS EQUIPAMENTOS E SISTEMAS MANUAL DE OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO SISTEMA DE APROVEITAMENTO DE ÁGUA PLUVIAL MS TAC 4000 REV.02 2 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO AO SISTEMA DE TRATAMENTO PARA REUSO....

Leia mais

Internacional SOLUTIONS

Internacional SOLUTIONS Internacional SOLUTIONS SILICONE NEUTRO Silicone neutro Impermeabilizante de uso profissional. Inodoro e com fungicida. ADERE EM: Madeira, concreto, tijolo, vidro, PVC, plástico, alumínio, etc. APLICAÇÃO:

Leia mais

Sistemas de Aproveitamento de Águas Pluviais Uso eficiente da Água

Sistemas de Aproveitamento de Águas Pluviais Uso eficiente da Água Sistemas de Aproveitamento de Águas Pluviais Uso eficiente da Água Introdução Aproveitar água da chuva Áreas Urbanas Centralidade Sistémica Source Control e Local Management Alterações Climáticas Forma

Leia mais

ANÁLISE DA PRECIPITAÇÃO DA ESTAÇÃO DA EMBRAPA SEMIARIDO, PROJETO BEBEDOURO PRETOLINA/PE, ATRAVÉS DA TÉCNICA DE QUANTIS

ANÁLISE DA PRECIPITAÇÃO DA ESTAÇÃO DA EMBRAPA SEMIARIDO, PROJETO BEBEDOURO PRETOLINA/PE, ATRAVÉS DA TÉCNICA DE QUANTIS ANÁLISE DA PRECIPITAÇÃO DA ESTAÇÃO DA EMBRAPA SEMIARIDO, PROJETO BEBEDOURO PRETOLINA/PE, ATRAVÉS DA TÉCNICA DE QUANTIS Iug Lopes¹; Miguel Júlio Machado Guimarães²; Juliana Maria Medrado de Melo³. ¹Mestrando

Leia mais