Câmara Municipal de Lisboa. Lisboa Interativa. Cidades Analíticas 2015

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Câmara Municipal de Lisboa. Lisboa Interativa. Cidades Analíticas 2015"

Transcrição

1 Câmara Municipal de Lisboa Lisboa Interativa Cidades Analíticas 2015 [Escreva a síntese do documento aqui. Normalmente, a síntese é um breve resumo do conteúdo do documento. Escreva a síntese do documento aqui. Normalmente, a síntese é um breve resumo do conteúdo do documento.]

2 Índice A. Apresentação do Candidato A Câmara Municipal de Lisboa Introdução Enquadramento Objetivos do Lisboa Interativa (LXI) O Lisboa Interativa Ferramentas do Mapa Módulos Módulos Acesso Geral Módulo Pesquisa de Endereços Pontos de Interesse (POIS) Temática Urbanismo Na Minha Rua A Minha Freguesia LX Plantas Mapa do Conhecimento Os Módulos Acesso Restrito Sistema de Gestão e Planeamento de Intervenções (SGPI) Módulo Cadastro Módulo Base de Dados (LXBD) Reorganização Administrativa de Lisboa (RAL) A Arquitetura da Aplicação Arquitetura Lógica Arquitetura Física O LXI em Números O ROI Próximos Passos Conclusões

3 Índice de Figuras Figura 1 - Integração de aplicações isoladas no LXI... 9 Figura 2 Esquema de acesso entre a Framework, os módulos e as ferramentas do LXI Figura 3 Símbolos dos módulos de acesso público e restrito Figura 4 Pesquisa de endereços ecrã inicial Figura 5 Pesquisa de endereços em funcionamento Figura 6 Pontos de Interesse (POI) ecrã inicial Figura 7 Pontos de Interesse em funcionamento Figura 8 Temática ecrã inicial Figura 9 Temática em funcionamento Figura 10 Urbanismo ecrã inicial Figura 11 Urbanismo em funcionamento Figura 12 Na Minha Rua ecrã inicial Figura 13 Na Minha Rua em funcionamento Figura 14 A Minha Freguesia ecrã inicial Figura 15 A Minha Freguesia em funcionamento Figura 16 LxPlantas ecrã inicial Figura 17 LxPlantas em funcionamento Figura 18 Mapa do Conhecimento ecrã inicial Figura 19 Mapa do Conhecimento em funcionamento Figura 20 SGPI ecrã inicial Figura 21 SGPI em funcionamento Figura 22 Cadastro ecrã inicial Figura 23 Cadastro em funcionamento Figura 24 Base de Dados ecrã inicial Figura 25 Base de Dados em funcionamento Figura 26 RAL ecrã inicial Figura 27 RAL em funcionamento Figura 28 Arquitectura lógica do LXI Figura 29 Arquitetura física do LXI Figura 30 Tipificação de utilizadores, Google Analytics Figura 31 Distribuição geográfica dos acessos, Google Analytics Figura 32 Distribuição dos eventos por módulo, Google Analytics

4 Lista de Acrónimos CML - Câmara Municipal de Lisboa LXI - Lisboa Interativa SGPI - Sistema de Gestão e Planeamento de Intervenções POIS - Pontos de Interesses RMOG - Roteiro de Moradas Geográfico SIG - Sistemas de Informação Geográfica DIGC - Departamento de Informação Geográfica e Cadastro ROI - Return On Investement IR - Índice de Rentabilidade BP - Banco de Portugal INE - Instituto Nacional de Estatística CPLP - Comunidade de Países de Língua Portuguesa DMZ - Demilitarized Zone API Application Programming Interface FGIS Framework - Geographic Information System 4

5 A. Apresentação do Candidato A Câmara Municipal de Lisboa A Câmara Municipal de Lisboa é o organismo público que detém a responsabilidade da gestão da cidade de Lisboa, a principal cidade da Europa ocidental e o principal centro económico do país. Dentro das suas competências, disponibiliza aos cidadãos informação e serviços em várias áreas de especialidade. De acordo com o artigo 23º da Lei nº 75/2013, publicada a 12 de Setembro, que regulamenta o Regime Jurídico das Autarquias Locais, o seu principal objetivo é ( ) a promoção e a salvaguarda da sua população, nomeadamente no que se refere a: Equipamento rural e urbano; Energia; Transportes e comunicações; Educação; Património, cultura e ciência; Saúde; Ação social; Habitação; Proteção civil; Ambiente e saneamento básico; Promoção do desenvolvimento; Ordenamento do território e urbanismo; Polícia municipal; Cooperação externa ( ). O concelho de Lisboa ocupa cerca de 8587 hectares de área emersa num total de ha onde se encontra incluída a área imersa. Encontra-se dividido em 24 freguesias. De acordo com os dados obtidos no recenseamento de 2011 CENSUS em Lisboa residem cerca de habitantes ( mulheres e homens), distribuídos por residências. Para servir este elevado número de habitantes, o Município de Lisboa conta com cerca de 8094 colaboradores, dispostos de acordo com a estrutura orgânica municipal, que se encontra dividida em três níveis fundamentais: Serviços de enquadramento e suporte: Nível transversal; Serviços de conceção e execução de políticas municipais: nível sectorial; Serviços de intervenção local: nível territorial. Estes serviços por sua vez encontram-se divididos em 13 Direções Municipais, que funcionam de acordo com as áreas temáticas de atuação do Município, entre elas: Nível Transversal Secretaria Geral; Finanças; Recursos Humanos; 5

6 Proteção Civil e Socorro; Planeamento, Reabilitação e Gestão Urbanística; Projetos e Obras. Nível Setorial Habitação e Desenvolvimento Social; Ambiente Urbano; Mobilidade e Transportes; Cultura; Nível Territorial Economia e Inovação; Educação, Juventude e Desporto. Unidade de Coordenação Territorial. O Departamento de Informação Geográfica e Cadastro, responsável por esta candidatura, está incluído na Direção Municipal de Planeamento, Reabilitação e Gestão Urbanística. Nas suas competências inclui-se a disponibilização e apoio aos serviços municipais, cidadãos e outros agentes económicos, através do fornecimento de informação técnica, produção e disseminação de informação geográfica, produção de mapas temáticos, desenvolvimento e disponibilização de aplicações geográficas, manutenção e atualização da cartografia base e execução da Carta de Cadastro do Município. 6

7 Concurso Cidades Analíticas 2015 Resumo O presente documento foi elaborado no âmbito do concurso Cidades Analíticas 2015 e pretende dar a conhecer aplicação Lisboa Interativa (LXI) - -, responsabilidade do Departamento de Informação Geográfica e Cadastro da Câmara Municipal de Lisboa, justificando a sua adequabilidade ao conceito de Cidades Analíticas inerente a este concurso. Será assim descrito e justificado ao longo deste documento que o LXI tem como principal missão integrar, centralizar e distribuir informação sobre a cidade de lisboa. Nesta dinâmica de gestão do conhecimento, o LXI pretende por um lado, monitorizar e garantir o acesso de informação válida, convertendo-se num pilar no processo de governação, e, por outro lado, ser o instrumento que possibilite a conexão entre os diversos atores da cidade: a administração local, os cidadãos e agentes socioeconómicos, levando a um incremento da responsabilização, promovendo e projetando o exercício da cidadania. Neste sentido, serão abordados e descritos de um modo amplo os principais pontos que sustentam a crescente importância do LXI enquanto ferramenta eficaz na implementação do conceito Cidades Analíticas. De facto, observa-se que os módulos do LXI e a informação que disponibilizam tem vindo a aumentar exponencialmente e, tendo por base os indicadores de desempenho, como o número de utilizadores e tempo médio por sessão, (em 2014) e 10 minutos respetivamente, não deixam dúvidas quanto à relevância e interesse no conteúdo do Site. No que diz respeito ao futuro, o LXI, dada a sua importância, deverá acompanhar os desenvolvimentos tecnológicos, tal como a aposta em mobile e a computação em nuvem. Em suma, poder-se-á concluir que o LXI tem vindo a ganhar uma importância cada vez maior como ferramenta indispensável na gestão de recursos da CML e é, simultaneamente, um veículo de difusão de informação promovendo a cidadania e o desenvolvimento de soluções que têm como base as cidades analíticas. 7

8 1. Introdução Este documento foi elaborado no âmbito do concurso Cidades Analíticas 2015 e pretende dar a conhecer a aplicação Lisboa Interativa (LXI) - -, demonstrando que a mesma se enquadra no conceito inerente ao concurso as Cidades Analíticas e que constitui uma ferramenta essencial no desenvolvimento de soluções, estudos/análises e aplicações, com base no pressuposto de que, para uma cidade e gestão urbana mais eficiente, transparente, sustentável e saudável, há que centralizar, processar e partilhar informação com quem se preocupa, vive e constrói a cidade, enquanto organismo demográfico, social, cultural, urbano, arquitetónico, patrimonial e ambiental. 1.1 Enquadramento Neste século, as cidades enfrentam um desafio comum: atingir o equilíbrio entre a sustentabilidade, o desenvolvimento urbano e o crescimento económico, a par de uma preservação do património histórico, cultural, arquitetónico e ambiental. Para alcançar este desiderato é essencial uma gestão eficiente do conhecimento, assente na obtenção, processamento e partilha de informação. Neste contexto de gestão do conhecimento, torna-se necessário o desenvolvimento de ferramentas suportadas em Sistemas de Informação Geográfica, como é o caso do Lisboa Interativa, que permitam, por um lado, monitorizar e garantir o acesso de informação válida, convertendo-se num pilar no processo de governação e, por outro lado, ser o instrumento que possibilite a conexão entre os diversos atores da cidade: a administração local, os cidadãos e agentes socioeconómicos. De facto, todos os modelos de governança assentam no princípio de uma participação efetiva dos cidadãos na construção de políticas que influenciem positivamente o meio em que estão inseridos, levando a um incremento da responsabilização e projetando o exercício da cidadania. 1.2 Objetivos do Lisboa Interativa (LXI) O Lisboa Interativa é uma aplicação da responsabilidade do Departamento de Informação Geográfica e Cadastro da Câmara Municipal de Lisboa. Surgiu com o objetivo principal de, por um lado, integrar e centralizar um conjunto de dados e ferramentas disponíveis em algumas aplicações isoladas internas (via intranet) e externas (via internet), que existiam CML, para a área dos Sistemas de Informação Geográfica e, por outro lado, dar resposta às diversas solicitações para a criação de novas aplicações. Assim, criou-se uma plataforma comum possibilitando a consulta, o cruzamento e a análise de dados numa mesma base aplicacional. O LXI alterou o paradigma de conceção das aplicações SIG até aí existentes na CML, passando a funcionar assente numa Framework que serve de base a um conjunto de módulos, ou (outrora aplicações isoladas) que, apesar de manterem autonomia no que respeita à informação disponibilizada (varia de área de negócio para área de negócio), são integrados e estão acessíveis numa única interface. Neste sentido, transformaram-se as antigas aplicações existentes (e isoladas) - LXM (atualmente Temática), Lisboa Interativa (do qual o LXI herdou o nome e é atualmente POIs), 8

9 Plantas de Localização On-Line (atualmente LX Plantas), LXBD (atualmente Base de Dados) e Licenciamento Aberto (atualmente Urbanismo), bem como novas necessidades como o SGPI (gestão e planeamento de intervenções), ou o Cadastro (gestão de cadastro), todos numa lógica de módulos integrados numa base que é comum, a Framework FGIS, que disponibiliza um conjunto de serviços comuns como o mapa-base ou as ferramentas de navegação e análise, e que permite ainda, com base no mapa, uma integração entre os conteúdos específicos de cada um dos diferentes módulos. LXI versão 1 aplicação isolada LXM aplicação isolada LXBD aplicação isolada LX Plantas aplicação isolada Licenciamento Aberto aplicação isolada LXI (versão 2) - Framework - Mapa Base - Ferramentas e navegação - Ferramentas de análise Figura 1 - Integração de aplicações isoladas no LXI A alteração do paradigma aplicacional gerou também um forte impacto positivo na partilha de informação entre os serviços autárquicos produtores de informação. De facto, a necessidade de atualização constante e consciente dos mesmos e a melhoria substancial da metodologia de trabalho utilizada, já que todos os funcionários têm acesso à aplicação e utilizam-na como ferramenta diária de trabalho. Estes fatores revelam a importância do LXI ao nível do suporte à decisão, por parte dos gestores urbanos, e na disponibilização de informação ao munícipe/cidadão. A nova lógica de módulos permitiu assim descentralizar de forma integrada o processo de aquisição e atualização de informação geográfica nas várias áreas de negócio, aumentado e melhorando a quantidade e qualidade da informação disponível, devido à aproximação às suas fontes. 2. O Lisboa Interativa Tal como referido no capítulo anterior, o Lisboa Interativa - - é uma aplicação informática, que disponibiliza informação georreferenciada sobre a Cidade de Lisboa. A aplicação é de acesso interno (funcionários autárquicos, com login e password) e externo (utilizador Internet), através de uma gestão de perfis criteriosa, que adequa o acesso à informação, de acordo com as características do utilizador. Esta sua visibilidade pública permite que haja uma maior democratização no acesso do cidadão à informação, um contacto mais direto entre os serviços de gestão autárquica e o público e, simultaneamente, impõe uma maior transparência e clareza nos dados disponibilizados, promovendo também os valores de cidadania, participação e responsabilização cívica do cidadão, que assim passa a ser agente indireto na gestão da cidade. Internamente, o Lisboa Interativa é uma ferramenta diária de trabalho, que possibilita a partilha e a reutilização da informação produzida pelos diversos serviços e é essencial na análise de dados e, consequentemente, na tomada de decisão por 9

10 parte dos gestores urbanos e na construção da cidade urbana, arquitetónica, social, cultural, tecnológica. Como é que tudo isto se processa? Como é que uma tão avultada fonte de informação se torna de fácil acesso, intuitiva e funcional? Em termos de estrutura, volta-se a salientar que a aplicação funciona com base numa Framework comum (sobre a qual se discorrerá posteriormente) o mapa e respetivas ferramentas de navegação, onde assentam os módulos/widgets, o que possibilita a integração entre os conteúdos específicos de cada um. Os módulos agrupam um conjunto de informação, que resulta da consolidação de vários projetos de recolha, sistematização, produção e disponibilização de informação geográfica, desenvolvidos em diversos serviços municipais e centralizada no DIGC da Câmara Municipal de Lisboa, bem como ferramentas específicas de consulta e análise, que têm como objetivo facilitar o acesso e o processamento de dados. Esta estrutura flexível, permite facilmente a expansão do LXI, possibilitando a introdução de novos widgets e funcionalidades, sem ser necessário reestruturar toda a aplicação. A utilização de um mapa base único para todos os módulos permite, não só, a representação de informação de diferentes áreas de negócio num mesmo suporte, o mapa, mas também utilizar geometrias de diferentes temáticas como elemento base para pesquisa espacial dentro de cada módulo. Assim, é possível filtrar informação de uma área de negócio (módulo) suportada na geometria (polígono) de outra área de negócio, obtendo-se um conjunto de dados filtrados, que à partida, não seriam possível obter diretamente da área de negócio sem o filtro espacial proporcionado pela intersecção geométrica. A ferramenta que possibilita esta análise espacial, designa-se por Selecionar e está presente em todos os módulos de forma integrada, como ferramenta de pesquisa espacial. O mapa assume-se assim como o principal meio de representação e análise de informação. LxBD Pesquisa Endereços Inquirir Mapa (...) Impressão Na Minha Rua LXI SGPI PxPlantas POI Urbanismo Temática Cadastro Acesso interno Acesso externo Figura 2 Esquema de acesso entre a Framework, os módulos e as ferramentas do LXI 10

11 A hierarquia de permissões faz-se ao nível do módulo acesso geral (utilizador internet), ou acesso restrito (utilizador interno) ou, dentro do cada módulo, da informação visível. 2.1 Ferramentas do Mapa O mapa disponibiliza as seguintes funcionalidades que são partilhadas por todos os módulos: Ferramentas de navegação Aumentar o Zoom, Diminuir o Zoom, Arrastar, Mapa Completo, Vista Anterior, Próxima Vista que dispensam apresentação, já que são comuns a qualquer mapa interativo, permitindo a navegação pela cidade através do mapa; Mapa de Enquadramento Possibilita o enquadramento na cidade da área que estamos a visualizar; Medição, Desenho e Notas Permite ao utilizador desenhar sobre o mapa e colocar notas; Legenda Imprimir Permite 2 tipos de impressão, a publica mais simples e rápida que permite imprimir o conteúdo do mapa e obter um relatório dos edifícios selecionados, de modo perfilado; permite ainda a impressão de plantas em vários formatos (desde A4 a A0) e orientações (vertical ou horizontal), sendo gerado, para o efeito, um pdf de grande qualidade; Ortofotomapa Visualização do Ortofotomapa sobre o mapa, com a possibilidade de ativar graus de transparência; Identificar Ferramenta de inquirição espacial no mapa, de acordo com a seleção dos temas ativos; Escala Captura de Ecrã Permite gerar ficheiros de imagem georreferenciada com o que está visível no mapa. 2.2 Módulos Tal como foi referido anteriormente, o LXI possui módulos de acesso externo (via Internet) e interno (funcionários autárquicos), de acordo com o esquema abaixo. Os módulos de acesso público são: Pesquisa de Endereços, Pontos de Interesse (POI), Temática, Urbanismo, Na Minha Rua, A Minha Freguesia, LX Plantas e Mapa do Conhecimento. Os módulos de acesso restrito, para utilizadores internos da CML, são: Sistema de Gestão e Planeamento de Intervenções (SGPI), Cadastro, Base de Dados e Reorganização Administrativa de Lisboa (RAL). Pesquisa de Endereços RAL Mapa do Conhecimento SGPI POI Temática Cadastro Urbanismo PxPlantas Na Minha Rua LxBD A Minha Freguesia Figura 3 Símbolos dos módulos de acesso público e restrito 11

12 2.2.1 Módulos Acesso Geral Módulo Pesquisa de Endereços Este módulo, de acesso público, é transversal a toda a aplicação e permite pesquisar e visualizar informação base relativa a edifícios e respetivas frações, ou alojamentos, (Pesquisa de Endereços) e espaços públicos (Pesquisa de Espaço Público). É o único módulo onde a informação do mesmo (exemplo o resultado de uma pesquisa) não é destruída quando o utilizador o fecha, isto porque sendo uma ferramenta assente na gestão do território da cidade de lisboa, a morada é, na maioria das vezes, o único elemento comum entre a informação distinta proveniente de diferentes módulos. A informação obtida da pesquisa de moradas, é assim possível de ser partilhada pelos módulos ativos, permitindo ao utilizador ter de imediato, para diferentes áreas de negócio, tudo o que existe para um determinado local. Figura 4 Pesquisa de endereços ecrã inicial Figura 5 Pesquisa de endereços em funcionamento A pesquisa pode ser feita através de campos alfanuméricos, nomeadamente local e nº de polícia, ou diretamente no mapa, utilizando as ferramentas de inquirição espacial disponíveis como o desenho de ponto, linha, polígono e buffer, para a pesquisa de informação dentro do módulo bem como a ferramenta de pesquisa geográfica referida atrás e designada por Selecionar, que permite selecionar um qualquer polígono carregado no mapa por outro módulo e usar essa geometria para filtrar os dados deste Pontos de Interesse (POIS) O módulo Pontos de Interesse (POIS) disponibiliza informação referente a elementos de interesse na cidade de Lisboa, de acordo com a definição prévia de uma estrutura de temas relevantes, como é o caso dos museus, jardins, escolas ou serviços públicos e de outras áreas de interesse para quem usufrui e vive a cidade. A informação produzida neste módulo está integrada com a informação existente no site da câmara (http://www.cm-lisboa.pt), sendo este modulo a fonte primária no que diz respeito aos equipamentos disponibilizados no site. É ainda fonte de informação também para o portal de dados abertos da câmara (http://www.lisboaparticipa.pt/). 12

13 Aqui encontramos as seguintes funcionalidades: Árvore de temas - Permite a visualização no mapa das categorias definidas para o POIS. Pesquisa de POI A cada POI está associada uma Ficha de Informação Detalhada com dados relevantes. Para aceder a estas fichas preenchem-se os campos de pesquisa existentes no formulário Nome, Morada e Categoria -, ou diretamente no mapa, utilizando as ferramentas de inquirição espacial disponíveis, como sejam o desenho de ponto, linha, polígono e buffer para a pesquisa de informação dentro do módulo, bem como a ferramenta de pesquisa geográfica referida atrás designada por Selecionar e que permite selecionar um qualquer polígono carregado no mapa por outro módulo e usar essa geometria para filtrar os dados deste módulo. Figura 6 Pontos de Interesse (POI) ecrã inicial Figura 7 Pontos de Interesse em funcionamento Temática O módulo Temática estrutura-se de acordo com uma árvore de temas que resulta de um trabalho de compilação, organização, normalização e sistematização de dados internos disponibilizados pelos serviços da Câmara Municipal de Lisboa. Figura 8 Temática ecrã inicial Figura 9 Temática em funcionamento 13

14 A informação disponibilizada por este módulo foi organizada por grupos temáticos a que correspondem as seguintes áreas de estudo específicas: Ambiente Cadastro Cartografia Edificado Equipamentos Espaço Público Gestão Urbanística e Reabilitação Limites Administrativos Mobilidade Património Planeamento e Reabilitação Segurança e Socorro Serviço Público Unidade de Coordenação Territorial Cada um destes grupos temáticos engloba níveis e subníveis de informação que se podem visualizar no mapa e manipular por forma a obter dados e análises espaciais. Este módulo Temática permite: Visualizar temas no mapa; Exportar dados dos temas para formatos legíveis pelos programas ArcGis e Autocad (extensões *.dwg, *.shp, *.lyr, *.gdb); Inquirir diretamente as layers de dados, de acordo com os respetivos campos de pesquisa disponíveis; Fazer análises espaciais, utilizando as ferramentas espaciais disponibilizadas para o efeito ferramentas de seleção e buffer - que permitem o cruzamento/interseção de dados; Gerar relatórios de dados para os formatos *.pdf e *.xls, de acordo com listagens prédefinidas - Relatórios Temáticos -, ou para áreas selecionadas diretamente no mapa - Relatórios Espaciais; Aceder a informação de metadados relativa a cada um dos temas. Embora o módulo Temática seja de acesso externo, possui temas com acesso restrito (tratando-se de dados confidenciais que requerem um nível de permissão no seu acesso e não podem ser do domínio público) e funcionalidades apenas disponíveis para utilizadores internos, como sejam: Exportação de dados; Acesso a relatórios temáticos e espaciais; Pesquisa espacial Urbanismo O Módulo Urbanismo disponibiliza informação sobre: Licenciamentos relativos a processos designados de Urbanização, Edificação, Publicidade e Ocupação do Espaço Público, existentes num determinado local e provenientes do programa de gestão de processos da Câmara Municipal de Lisboa - GESLIS em virtude da implementação de um sistema de integração de informação entre o GESLIS e este módulo. 14

15 Qualificações do edifício que influenciam o licenciamento de um determinado local (instrumentos de planeamento e gestão urbanística em vigor, qualificação do espaço urbano, condicionantes urbanísticas, servidões e restrições de utilidade pública, Carta Municipal do Património, planos de urbanização e de pormenor em vigor). Indicadores globais - dados relativos aos processos que se encontram no estado Entrados, Despachados e Alvarás, para as seguintes tipologias de processo Edificação, Pós-Licenciamento e Utilização, Urbanização. Árvore de temas referente ao grupo Gestão Urbanística. Figura 10 Urbanismo ecrã inicial Figura 11 Urbanismo em funcionamento Este módulo é de acesso externo, embora apenas permita a ligação direta à aplicação GESLIS enquadrado no processo, a utilizadores internos Na Minha Rua O módulo Na Minha Rua é de acesso externo e permite que o munícipe tenha uma intervenção direta na identificação de situações que necessitem da intervenção da Câmara Municipal de Lisboa e que podem ser designadas por ocorrências. Assim sendo pode: Localizar, caracterizar e pesquisar ocorrências; Aceder a indicadores globais, com dados estatísticos referentes às ocorrências registadas na aplicação. Figura 12 Na Minha Rua ecrã inicial Figura 13 Na Minha Rua em funcionamento 15

16 A aplicação Na Minha Rua, para além de ser um Widget do LXI - Lisboa Interativa também é parte integrante da aplicação GOPI - Gestão de Ocorrências e Pedidos de Intervenção -, uma vez que é através do Na Minha Rua que as ocorrências são georreferenciadas. Com esta integração Na Minha Rua + GOPI, o módulo passou a ser também uma ferramenta de trabalho interna, onde os técnicos da Câmara Municipal de Lisboa registam as situações que necessitem de intervenção. É também uma ferramenta de participação do munícipe na gestão/fiscalização urbana e de responsabilização pela sua ação na cidade enquanto principal agente e beneficiário. De realçar que o Na Minha Rua recebe em média 283 ocorrências por dia, ou seja, cerca de 280 mil desde que a aplicação entrou em produção em Estes números realçam a importância da intervenção cívica como instrumento de uma melhor gestão dos recursos do município A Minha Freguesia A facilidade de inclusão de novos dados e módulos no Lisboa Interativa possibilita a integração de informação que seja pertinente numa determinada altura. É o caso do módulo A Minha Freguesia, criado antes das eleições autárquicas de Outubro de 2013, que implementaram uma nova reorganização administrativa para Lisboa (Lei 56/2012 de 8 de Novembro). Assim sendo este módulo, de acesso geral para os utilizadores Internet, serviu de bússola de navegação para os munícipes. Figura 14 A Minha Freguesia ecrã inicial Figura 15 A Minha Freguesia em funcionamento LX Plantas O módulo Lx Plantas é de acesso geral a qualquer utilizador Internet e possibilita a criação de vários tipos de plantas de localização, que são obrigatórias aquando da submissão de um processo para avaliação pelos serviços da Câmara Municipal de Lisboa. Existem quatro categorias de Plantas disponíveis: 1. Direitos de Preferência - Direitos de Preferência; 2. Instrumentos de Planeamento - PDM em vigor (qualificação do espaço), PDM de 94 (qualificação do espaço), Área de Reabilitação Urbana, CMPEP- Carta Municipal do 16

17 Património Edificado e Paisagístico, TRIU-Regulamento de Taxas Urbanísticas, Planos de Urbanização e Planos de Pormenor; 3. Condicionantes Ruido, ANA- Servidão Aeronáutica, Condicionantes; 4. Localização - Plantas de localização. Figura 16 LxPlantas ecrã inicial Figura 17 LxPlantas em funcionamento Mapa do Conhecimento O módulo Mapa do Conhecimento, de acesso geral a qualquer utilizador Internet, identifica os centros de Inovação e Conhecimento da Cidade de Lisboa instituições de Ensino Superior, Investigação e Inovação. O módulo permite a visualização de temas, segundo um esquema em árvore, o acesso a alguns indicadores, bem como a pesquisa alfanumérica e espacial. Figura 18 Mapa do Conhecimento ecrã inicial Figura 19 Mapa do Conhecimento em funcionamento Os Módulos Acesso Restrito Sistema de Gestão e Planeamento de Intervenções (SGPI) O Módulo SGPI integra e centraliza dados de planeamento das obras da cidade de Lisboa, tanto projetadas como em execução, facilitando o acesso dos diferentes serviços municipais envolvidos na gestão e no seguimento da execução dos trabalhos. 17

18 Disponibiliza um conjunto de temas geográficos e relatórios de acesso restrito. Auxilia ainda na monitorização da implementação dos diferentes IGT da cidade de Lisboa, bem como no apoio ao processo de elaboração do orçamento municipal. Figura 20 SGPI ecrã inicial Figura 21 SGPI em funcionamento Módulo Cadastro O Cadastro é o módulo da aplicação Lisboa Interativa que fornece informação relativa ao Cadastro Predial da cidade de Lisboa. Figura 22 Cadastro ecrã inicial Figura 23 Cadastro em funcionamento Este módulo Cadastro permite: Pesquisa de Moradas, através de critérios alfanuméricos ou espaciais (diretamente sobre o mapa); Identificação da propriedade do prédio; Esboço geométrico do prédio; Identificação do nº do Registo e Matriz Predial; Existência de ónus, encargos ou compromissos sobre um determinado prédio. O módulo é perfilado e como tal, quer o tipo de pesquisa, quer a especificidade da informação resultante, difere de utilizador para utilizador, função do perfil associado. 18

19 Módulo Base de Dados (LXBD) O LXBD é o módulo da aplicação Lisboa Interativa (LXI) que fornece informação relativa à Caraterização do Edificado e Elementos do Espaço público do concelho de Lisboa. Figura 24 Base de Dados ecrã inicial Figura 25 Base de Dados em funcionamento O Módulo Base de Dados (LXBD) permite visualizar informação relativa a: Classificação Tipológica dos edifícios; Estado de Conservação, Revestimento da Fachada e Nº de Pisos; Propriedade, Ocupação e Área; Frações e sua atividade; Época de construção, elementos de valor patrimonial, classificação e eventuais prémios existentes; Caraterização Histórica; Fotos e documentos. O módulo é perfilado e como tal, quer o tipo de pesquisa, quer a especificidade da informação resultante, difere de utilizador para utilizador, função do perfil associado Reorganização Administrativa de Lisboa (RAL) O módulo Reorganização Administrativa de Lisboa (RAL) foi criado após a passagem administrativa de algumas das competências da Câmara Municipal de Lisboa para as Juntas de Freguesia, em consequência do processo de redefinição das mesmas, materializado nas Eleições Autárquicas de Este módulo permite assim gerir o fluxo de processos entrados, direcionando-os para as entidades competentes, sejam eles os serviços municipais, ou as Juntas de Freguesia. Assim sendo, e devido à sua estrutura, o RAL é de acesso exclusivamente interno e tem como base a pesquisa de um local pesquisa alfanumérica, ou espacial (inquirindo diretamente o mapa). 19

20 Figura 26 RAL ecrã inicial Figura 27 RAL em funcionamento 2.3 A Arquitetura da Aplicação Para melhor compreender a arquitetura do LXI e a sua implementação na infraestrutura da CML, optou-se por apresentá-la em dois segmentos: a arquitetura lógica, que especifica a estrutura estática do sistema e as colaborações dinâmicas entre objetos e a arquitetura física que contém a relação entre componentes e as suas sub-partes, interação hardware-software, com objetivo de colocar o sistema em operação Arquitetura Lógica A arquitetura lógica do LXI assenta sobre uma Framework, a FGIS, desenvolvida especificamente para dar suporte esta aplicação. Na Framework estão instaladas aplicações (widgets), que funcionam de forma autónoma, podendo partilhar informação entre si, e tendo acesso às funcionalidades desta via uma API de sistema. A FGIS gere os recursos necessários para a execução das aplicações como o ambiente gráfico, configurações de sistema, mecanismo de partilha de informação, acesso ao mapa, integração com serviços externos, autenticação e gestão de perfis. O modelo assenta em três infraestruturas de: Apresentação suportada em bibliotecas ESRI para ambiente Adobe Flex; Serviços, baseada em Microsoft WCF e expõem endpoints para os serviços através dos protocolos de mensagem: SOAP, AMF; Dados, com suporte da base de dados Oracle 11 g R2. De seguida, apresenta-se um esquema com a arquitetura lógica do LXI, onde se verifica que toda a estrutura assenta, como já foi referido anteriormente, na Framework FGIS que permite a integração e comunicações entre aplicações internas e externas ao LXI. 20

21 Figura 28 Arquitectura lógica do LXI Arquitetura Física Alojado na infraestrutura tecnológica da CML, no datacenter do Campo Grande, assenta num desenho clássico de dupla firewall com DMZ, onde reside a camada aplicacional (webserver), com inclusão no mesmo do webadaptor de ArcGis Server para acesso a serviços geográficos (mapa). Na Intranet da câmara residem os restantes sistemas, dois servidores ArcGis Server, em cluster, e um servidor de Base de dados Oracle. Em baixo apesenta-se o esquema simplificado da arquitetura física adotada. Figura 29 Arquitetura física do LXI 21

22 3. O LXI em Números O LXI teve, em 2014, acessos e utilizadores, o que representa um acréscimo de 70% em relação a 2012, ano de entrada em produção da aplicação. Como se pode verificar pelo próximo gráfico, a percentagem de novos utilizadores é de 28% o que, por um lado, reflete que o Site está a ter uma boa divulgação. Por outro lado, tendo em conta a elevada percentagem de utilizadores que acedem recorrentemente à aplicação e o tempo de duração médio por sessão ser de 10 minutos, leva à conclusão que os utilizadores demonstram um elevado interesse no conteúdo do Site. Novos Utilizadores Utilizadores Recorrentes 28% 72% Figura 30 Tipificação de utilizadores, Google Analytics Através de uma breve análise à origem dos utilizadores, verifica-se que, como se pode comprovar pela próxima figura, existe uma dispersão geográfica significativa por todos os continentes, com exceção de Africa onde se resume a meia dúzia de países, em particular os que pertencem à CPLP. Não pode no entanto deixar de se referir que a esmagadora maioria dos utilizadores são de Lisboa, não fosse esta uma aplicação de trabalho diário dos funcionários do município. Figura 31 Distribuição geográfica dos acessos, Google Analytics 22

23 No que diz respeito à interação dos utilizadores com LXI verifica-se que, no ano de 2014, houve cerca de um milhão de eventos distribuídos pelos diversos módulos de acordo com a figura abaixo apresentada ; 4% 36128; 4% 36969; 4% 49304; 5% ; 13% Pesquisa de endereços ; 28% Na Minha Rua LxPlantas Temática Impressão Urbanismo 72772; 7% ; 12% ; 23% Cadastro LxBd Outros Figura 32 Distribuição dos eventos por módulo, Google Analytics Através de uma análise sumária conclui-se que os widgets de pesquisa de endereços, Na Minha Rua e LxPlantas representam 63% do total de eventos, o que realça a importância do LXI como ferramenta de gestão de recursos e da importância dos cidadãos no processo de tomada de decisão. 3.1 O ROI O conceito do Retorno de Investimentos (ROI) tem vindo, ao longo das últimas décadas, a generalizar-se como um instrumento indispensável na avaliação de projetos de investimento na área de tecnologias de informação. O ROI tem por base a análise de custo/beneficio. No entanto, o seu cálculo torna-se por vezes difícil, nomeadamente no que diz respeito à contabilização de benefícios intangíveis. Neste caso concreto, esta questão é muito pertinente porque é difícil, senão impossível, contabilizar todos os benefícios que o LXI fomenta. De facto, a questão fundamental prende-se com a dificuldade de medir e valorizar os benefícios sociais gerados por um investimento público, da natureza do LXI. Apesar do exposto, optou-se por calcular o ROI numa perspetiva puramente económica, avaliando apenas as variáveis que podem ser contabilizadas, mas sem nunca perder de vista, no que diz respeito à viabilidade do projeto, os ganhos intangíveis já expostos. De seguida apresenta-se de sucintamente o cálculo ROI associado ao Lisboa interativa: No que diz respeito às despesas, verifica-se que o investimento inicial ascendeu a Euros. Em relação aos custos de exploração anuais encontram-se distribuídos por: licenciamento de software, contratos de manutenção, formação e Recursos Humanos afetos diretamente ao projeto, representando cerca de

24 Custos Desenvolvimento Hardware Software Contratos de Manutenção Formação Recursos Humanos Total Em relação aos ganhos, numa abordagem minimalista, optou-se por contabilizar apenas: o decréscimo em contractos de manutenção na ordem dos e os recursos humanos que foram que foram libertados para outras tarefas devido à entrada em produção do LXI, que se estima ser na ordem das 20 pessoas. Ganhos Recursos Humanos Contratos de Manutenção Total O cálculo da taxa de atualização pode tornar-se complexo. No entanto, dada a conjuntura macroeconómica e o facto do projeto ser da responsabilidade de um organismo público, faz sentido reduzi-la ao valor da inflação registado e previsto ao longo período em análise. Inflação ,088 % * 0,172 %* -0,266 %* 0,7%** 1%** * Fonte: INE ** Fonte: BP Como se pode ver pela próxima tabela, o ROI obtido foi de 662% o que releva a viabilidade do LXI em termos estritamente económico-financeiros sem, mais uma vez, esquecer a componente intangível associada. Cálculo do Return On Investement Fator de atualização 0, , ,007 0,01 Cach Flow atualizado Custos atualizados ROI 661,93% 4. Próximos Passos Está em fase final de desenvolvimento o novo módulo de licenciamento Comercial, que visa apoiar a gestão e licenciamento das atividades económicas na cidade. No curto prazo prevê-se que alguns módulos, nomeadamente o Na Minha Rua, tenham suporte mobile através do desenvolvimento de aplicações para Androide, IOS e Windows. A médio prazo pretende-se alterar a interface com o utilizador, abandonando a tecnologia flash 24

25 para apostar em HTML 5 e Javascript de forma a criar um site responsivo, abrangendo todas as plataformas: desktop, tablet e mobile. Num cenário mais distante e estando dependente da política global da Câmara Municipal de Lisboa, pondera-se a migração do LXI para um serviço de computação em nuvem (Web Cloud). 5. Conclusões O Lisboa Interativa é uma ferramenta de grande sucesso não apenas internamente mas também pelos serviços que disponibiliza ao cidadão e munícipes que, até à data, seriam de difícil obtenção ou na sua maioria inexistentes. Promove a centralização num interface único de diferentes áreas de negócio muitas das vezes desconexas, onde o mapa ou o território da cidade é o único fator comum que facilita e estimula o cruzamento de informação entre essas. Apesar desta centralização cada módulo assume-se como uma aplicação autónoma, valorizando as necessidades de cada área de negócio e não uma centralização cega e nefasta. Podemos mesmo afirmar que com o LXI centralizamos, respeitando e assumindo diferenças e especificidades de cada uma das áreas de negócio. O Lisboa Interativa é assim um natural candidato ao prémio Cidades Analíticas/Urban Analytics, já que promove a gestão de informação e análise, permitindo um maior planeamento e desenvolvimento de sistemas urbanos seguros, sustentáveis, eficientes, bem como a participação dos cidadãos em todo o processo, através da divulgação de informação fidedigna e transparente. 25

26 Câmara Municipal de Lisboa Lisboa Interativa Urban Analytics Award 2015 [Escreva a síntese do documento aqui. Normalmente, a síntese é um breve resumo do conteúdo do documento. Escreva a síntese do documento aqui. Normalmente, a síntese é um breve resumo do conteúdo do documento.]

27 Contents A. Candidate presentation Lisbon City Council Introduction Context Lisboa Interactiva (LXI) Objectives Lisboa Interativa Map Tools Widgets Widgets Public Access Pesquisa de Endereços Pontos de Interesse (POI) Temática Urbanismo Na Minha Rua A Minha Freguesia LX Plantas Mapa do Conhecimento The Widgets Restricted Access Sistema de Gestão e Planeamento de Intervenções (SGPI) Cadastro Base de Dados (LXBD) Reforma Administrativa de Lisboa (RAL) Application Architecture Logical Architecture Physical Architecture LXI in Numbers ROI Next Steps Conclusions... 17

28 Image Index Image 1 - Integration scheme of stand alone application in LXI... 2 Image 2 - Integration of stand alone application scheme in LXI... 3 Image 3 Widgets symbols (internal and public access)... 4 Image 4 Pesquisa de endereços initial screen... 5 Image 5 Pesquisa de endereços in operation... 5 Image 6 Pontos de Interesse (POI) initial screen... 6 Image 7 Pontos de Interesse in operation... 6 Image 8 Temática initial screen... 6 Image 9 Temática in operation... 6 Image 10 Urbanismo initial screen... 7 Image 11 Urbanismo in operation... 7 Image 12 Na Minha Rua initial screen... 8 Image 13 Na Minha Rua in operation... 8 Image 14 A Minha Freguesia initial screen... 9 Image 15 A Minha Freguesia in operation... 9 Image 16 LxPlantas initial screen... 9 Image 17 LxPlantas in operation... 9 Image 18 Mapa do Conhecimento initial screen Image 19 Mapa do Conhecimento in operation Image 20 SGPI initial screen Image 21 SGPI in operation Image 22 Cadastro initial screen Figura 23 Cadastro in operation Image 24 Base de Dados initial screen Image 25 Base de Dados in operation Image 26 RAL initial screen Image 27 RAL in operation Image 28 Logical Architecture of LXI application Image 29 Physical Architecture of LXI application Image 30 Classification of users, Google Analytics Image 31 Geographical distribution of user access, Google Analytics Image 32 Interaction event distribution by widget, Google Analytics... 15

29 Acronyms List CML- Lisbon City Hall LXI- Lisboa Interativa SGPI - System Management and Planning of urban interventions POIS Pontos de Interesses RMOG - Roteiro de Moradas Geográfico GIS Geographic Information Systems DIGC - Department of Geographic Information and Territory Register of Lisbon s City Council ROI - Return On Investement IR - Índice de Rentabilidade BP- Bank of Portugal INE- National Institute of statistics CPLP Community of Portuguese Speaking Countries IT - Information and technology API Application Programming Interface FGIS Framework - Geographic Information System

30 A. Candidate presentation Lisbon City Council Lisbon Municipality is a public entity that has as main purposes the local government of Lisbon city, western Europe s oldest city and a major economic center of Portugal. As a local authority it provides services in many areas of expertise. According to the article 23 of the 75/2013 law, published on September 12 th, which regulates local governments, Lisbon Municipality main goals are population promotion and protection in particular as regards in: Rural and urban equipment; Energy; Transports and communications; Education; Science and cultural heritage; Health; Housing; Civil Protection; Social Services; Environment and sanitation; Development promotion; Town management; Land use and urban planning; Police Security; External cooperation. Lisbon has 8587 ha of land area and a total of ha including immersed territory. It is divided into 24 smaller territory units; According to data obtained in the 2011 th population Census, Lisbon has inhabitants ( women and men), spread over households. For this large amount of population Lisbon Municipality has 8094 employees structured according to an internal organization in three main levels: Support Directorates Transversal level; Functional Directorates Sectorial Level: Local Intervention Directorates Territorial Level; These Directorates operate according the municipality s areas of intervention, and are divided into: Transversal Directorates Mayor office; Finance;

31 Human Resources; Civil Protection; Planning, Rehabilitation and Urban Management; Projects; Sectorial Directorates Housing and Social Development; Urban Environment; Mobility and Transports; Culture; Economy and Innovation; Education, Youth and Sports; Local intervention Directorates Territorial Coordination. The Territory Registry and Geographic Information Department, responsible for this application is included in the Planning, Rehabilitation and Urban Management Directorate. As main tasks this department aims to provide municipal services, citizens and economical agents technical data, production and dissemination of geographic information, production of thematic maps, development and launch geographic applications, maintenance and updating of cartographic information as well as the execution of territory registry.

32 Urban Analytics Award Abstract This document was prepared under the premises of the Urban Analytics Award 2015 and intends to show and demonstrate the suitability of the IT application Lisboa Interativa (LXI) - under the responsibility of Territory Registry and Geographic Information Department of Lisbon s City Council, to the Urban Analytics concept, inherent to this award. It will be described and justified, throughout the document, that LXI is a platform whose mission is to share, make available, visualize, intersect and analyze data concerning Lisbon. Integrated on this dynamic of knowledge management, LXI seeks to meet both situations, monitor and ensure the access to valuable and valid data, becoming central in the governance process, whilst being the instrument that enables the connection amongst the diversified agents of the city local authorities, citizens and social-economical agents, leading to an increase of citizens responsibility and projecting the exercise of citizenship. Therefore, the principal items that support the increasing importance of LXI as an effective tool on the implementation of the concept Urban Analytics, will be approached and briefly described. In fact, LXI s widgets and the data it shares, have been exponentially growing and, according with the performing indicators of 2014, such as the number of users ( ) and the average time per session (10 min.), leave no doubt as to the relevance and interest on the site s content. As for the future, LXI shall follow technological developments, such as mobile apps and cloud computing. In short, it can be concluded that LXI is becoming more important as a fundamental tool on Lisbon City s Council resources management and is, simultaneously, a way to spread data, thus promoting citizenship and the development of Urban Analytics based solutions.

33 1. Introduction This document was prepared under the "Urban Analytics 2015" award and seeks to describe the IT application Lisboa Interativa (LXI) - -, demonstrating how it fits in the concept - Urban Analytics - inherent to the competition. LXI is an essential tool for the development of solutions, studies/analysis and applications, based on the assumption that, for an efficient, transparent, sustainable, healthy city and urban management, data must be centralized, processed and shared with those who worry with, live and build the city, as a demographic, social, cultural, urban, architectonic, patrimonial and environmental organism. 1.1 Context In the XXI century, cities are facing a common challenge achieve the balance between sustainability, urban development and economic growth, whilst preserving the historical, cultural, architectonical and environmental heritage. To reach this target, it is essential to have a proper management of knowledge, based on obtaining, processing and sharing data. Therefore, it s necessary to develop Geographical Information System (GIS) tools, such as Lisboa Interativa, that enable both monitoring and accessing to valuable data, thus becoming crucial in the governance process, and the tool that will allow the connection amongst the city stakeholders local authorities, citizens and social-economical agents. In fact, all the models of governance rely on the principle of an effective citizen involvement, on the construction of policies that will positively influence their environment, leading to an increase of their level of responsibility and projecting the exercise of citizenship. 1.2 Lisboa Interactiva (LXI) Objectives Lisboa Interativa is an application maintained by the Department of Geographic Information and Territory Register of Lisbon s City Council (DIGC). It was developed on the basis of integrating and centralizing a set of data, as well as some tools, available on GIS internal (intranet users) and external (internet users) stand alone CML applications and also to solve the need to create new ones. Therefore, a common platform was designed to allow data sharing, intersection and analysis, on the same place. LXI changed the paradigm of GIS applications in the council, and started to operate based on a Framework, that aggregates a series of widgets (previously stand alone applications) that, despite keeping its autonomy in what its contents are concerned (varying from one business area to the other), are incorporated and accessible in a single interface. In this respect, the old applications LXM (currently Temática), Lisboa Interativa (that named LXI and is currently POI), Plantas de Localização On-Line (currently LX Plantas), LXBD (currently Base de Dados) and Licenciamento Aberto (currently Urbanismo) -, as well as the new, like SGPI (management and planning of interventions), or Cadastro (territory registry management), were integrated in a logic of a common base the FGIS Framework -, that provides a set of common services like the base-map, or the map and analysis tools. It also allows the integration of the specific widget contents on the map. 1

34 LXI version 1 stand alone application LXM stand alone application LXBD stand alone application LX Plantas stand alone application Licenciamento Aberto stand alone application LXI (version 2) - Framework - Base Map - Map and Navigation Tools - Query Tools Image 1 - Integration scheme of stand alone application in LXI The change on the application paradigm generated a strong positive impact on data sharing amongst the council s services, that produced data, the need to constantly and consciously update it and the substantial improve on the methodology used, since all workers access LXI and use it as a daily tool. These factors show its importance on the support to decision, for urban managers, and on making data available to citizens. The new widget concept, allowed to decentralize in an integrated way, the process of acquiring and updating geographical information in its several business areas, increasing and enhancing the quantity and quality of the available data, due to the approach to the sources. 2. Lisboa Interativa As shown on the last chapter, Lisboa Interativa is an IT application that provides georeferenced data of Lisbon. The application is of internal access (civil servants with login and password) and public access (internet users), through a strict profile management, that fits the data access, according to the user s attributes. This public visibility stimulates a bigger democratization of the citizen s access to data, enhances the contact between the council s services and the public and, simultaneously, provides a wider clearness and transparency on the data provided, whilst promoting values of citizenship, citizen involvement and civic responsibility, turning him into an indirect agent on city s management. Internally, Lisboa Interativa is a daily working tool, enabling the sharing and reuse of data produced by the council services and is vital on data analyses and, subsequently, on decision making by city s managers, as well as on the building of an urban, architectural, social, cultural and technological city. How does this all happen? How is it possible that such a vast source of information becomes so easy to access, intuitive and functional? In terms of structure, it is once again enhanced that the application operates on a shared Framework the map and its navigation tools -, where all the widgets are based, which enables contents integration and consequent analysis. The widgets group a package of data, resulting from the consolidation of several projects of collecting, organizing, producing and sharing of geographic data and developed in various council services and centralized at the Territory Registry and Geographic Information Department of Lisbon s City Council, as well as providing specific query and analysis tools, that aim to ease data s access and manipulation. This kind of structure easily allows the platform to 2

35 expand, embracing new widgets and data, without the need to restructure the whole application. Using a unique base map to all widgets enables, not only the representation of data from different business areas in the same support, but also the use of geometries of different thematic sources as a support for spatial search inside each widget, meaning that it allows the querying of data from one widget, according to the geometry (polygon) of another one, thus obtaining a set of data that wouldn t be possible if you only used the widget s filters and themes. This tool is named Select and is present in all widgets as a spatial search tool. The map assumes the part of main medium of data representation and analysis. LxBD Pesquisa Endereços Inquirir Mapa (...) Impressão Na Minha Rua LXI SGPI PxPlantas POI Urbanismo Temática Cadastro Internal access Public access Image 2 - Integration of stand alone application scheme in LXI The hierarchy of accesses is carried out on the widget universal access (internet user) or restricted access (internal user), or inside each widget according to the visible data. 2.1 Map Tools The map provides the following functionalities which are shared by all widgets: Navigation tools - Zoom In, Zoom Out, Pan, Overview, Previous Zoom, Next Zoom that don t require description, since it is common to every interactive map, enabling the browse of the city through the map: Overview Frames the area we are viewing on the totality of the city s limits; 3

36 Measure, Draw and Notes Allows the user to draw on the map and insert texts; Legend Print Provides two types of printing, the public, which is more simpler and faster, allowing the printing of the whole map content and a report of the selected buildings; the profiled printing, a much more advanced one, enables the printing of maps in several formats (from the standardized A4 to A0) and orientation (portrait and landscape), and generates a pdf file with wide quality. Orthophotomap Shows the Orthophotomap on the map and allows the setting of a transparency level; Identify Spatial tool that allows the inquiring of the map, according with the activated themes; Scale Snapshot Generates georeferenced image files with the visible contents of the map. 2.2 Widgets As mentioned before, LXI has public access widgets (internet users) and internal (council s employees), according to the structure shown below. The public widgets are Pesquisa de Endereços, Pontos de Interesse (POI), Temática, Urbanismo, Na Minha Rua, A Minha Freguesia, LX Plantas and Mapa do Conhecimento. The internal widgets, for council s users, are Sistema de Gestão e Planeamento de Intervenções (SGPI), Cadastro, Base de Dados and Reorganização Administrativa de Lisboa (RAL). Pesquisa de Endereços RAL Mapa do Conhecimento SGPI POI Temática Cadastro Urbanismo PxPlantas Na Minha Rua LxBD A Minha Freguesia Image 3 Widgets symbols (internal and public access) Widgets Public Access Pesquisa de Endereços This widget, of public access, is transversal to the whole application, allowing to search and visualize base data concerning buildings and its units (Address Search) and public spaces (Public Space Search). 4

37 This is the only widget where the data (such as a search result) isn t eliminated after closing it, since it is a territory management tool of the City of Lisbon, the address is, most of the times, the only common aggregator amongst the diverse data of the different widgets. The information thus obtained can be shared with the active widgets, enabling the user to immediately access the information for a specific location from the different widgets. Image 4 Pesquisa de endereços initial screen Image 5 Pesquisa de endereços in operation The search can be done filling in different alphanumeric fields, for instance, Address and Door Number, or directly querying the map, using the spatial search tools available, such as Draw Marker, Line, Polygon and Buffer, if you search data inside the widget, or by using the Select tool, described previously, that allows the selection of any polygon visualized on the map (whether it belongs to this widget or another) and use this geometry to filter this widget s data Pontos de Interesse (POI) The Points of Interest (POI) widget provides data concerning interesting places in Lisbon, according to a previous definition of a relevant structure of themes, such as museums, gardens/parks, schools or public services and other areas of interest for those who live and enjoy the city. The data here produced, is integrated with the one available on the council s site (http://www.cm-lisboa.pt) and this widget is the main source of information for all the equipments provided by the site, as well as the source for the council s open data site (http://www.lisboaparticipa.pt/). The widget provides the following tools: Thematic It allows the visualization of the categories defined for the POI, in the map. POI Search Each POI has an Additional Information record associated, that provides relevant data. To access these records, you must fill in some or the totality of the search field available in the form Name, Address, Category -, or directly on the map, using the spatial search tools available, such as Draw Marker, Line, Polygon and Buffer, if you 5

38 search data inside the widget, or by using the Select tool, described previously, that allows the selection of any polygon visualized on the map (whether it belongs to this widget or another) and use this geometry to filter this widget s data. Image 6 Pontos de Interesse (POI) initial screen Image 7 Pontos de Interesse in operation Temática The Thematic widget is structured according to a thematic tree that is the result of a collection, organization, normalization and systematization of internal data, provided by Lisbon City Council services. Image 8 Temática initial screen Image 9 Temática in operation The data was organized according to thematic groups that correspond to specific study fields: Environment Territory Registry Cartography Buildings Equipments Public Space Urban Management and Rehabilitation Administrative Boundaries Mobility Heritage Planning and Rehabilitation Securaty and Rescue Public Service Territorial Coordinate Unit Each one of these groups has levels and sub-levels of information that can be visualized on the map and manipulated in order to obtain data and spatial analysis. 6

39 The widget allows: View data (topics) on the map; Export data from topics to ArcGis e Autocad readable shapes (*.dwg, *.shp, *.lyr, *.gdb extensions); Query data layers, according to the search fields available; Perform spatial analysis, using the spatial search tools available Select, Point, Line, Poligon and Buffer that enable data intersection; Generate data reports to *.pdf and *xls files, according to pre-defined lists Thematic Reports -, or to selected areas/geometries on the map Spatial Reports; Access metadata information for each topic. This widget, though it is externally accessed, has some topics that are restricted (since they are not of public domain and are confidential, requiring a special level of permission to be accessed,) and features that are only available to internal users, such as: Export data Thematic and spatial reports Spatial search Urbanismo Urbanismo widget provides data concerning: Licensing of processes identified as Urbanization, Construction, Publicity and Public Space Occupation, for a specific location. These data is provided by GESLIS (the council s processes management application) and Urbanismo widget works as an integration tool amongst GESLIS and the public; Building classification that affect the licensing of a location (planning and management regulations effective, urban space classification, urban constraints, public utility restrictions, Heritage Council s Map, effective urban plans); Urban indicators numbers concerning processes that are in the condition of Entrie, Dispatched, Permit, for the following processes type Construction, Post-Licensing, Use, Urbanization; Thematic concerning the topic Urban Management. Image 10 Urbanismo initial screen Image 11 Urbanismo in operation 7

40 This widget is of public access, although it only allows the connection to GESLIS (when searching a process) to internal users Na Minha Rua The widget Na Minha Rua is accessed by internet users and enables the citizen to directly act on the identification of situations that require the intervention of the council. They are defined as events. In this widget you can: Locate, characterize and search events; Access global indicators with statistic data referring to the events registered in the widget. Image 12 Na Minha Rua initial screen Image 13 Na Minha Rua in operation The widget Na Minha Rua, is both a LXI widget and also a part of GOPI - Gestão de Ocorrências e Pedidos de Intervenção (an internal IT application for the management of the territory), since the events it manages, are created and georeferenced at Na Minha Rua. With this integration Na Minha Rua + GOPI the widget also works as an internal working tool, where the council s staff record the events that need a direct intervention of Lisbon s City Council. It is also vital on the growing of citizens intervention in urban management/supervision and show their accountability as the principal agent and beneficiary of city s improvements. It should be emphasyzed that Na Minha Rua creates an average of 283 events a day, which means since the widget started to be used in These numbers highlight the importance of civical intervention, as a powerful management tool for the council A Minha Freguesia The capacity of easily include new data and new widgets in Lisboa Interativa, allows the incorporation of any type of information, that makes sense at a specific time. The widget A Minha Freguesia is a good example of that. It was created just before the local authority 8

41 elections, on October 2013, that implemented a new administrative reorganization for Lisbon (Law 56/2012 of 8 of November), is visible on the net and helps citizens find the new parishes they re integrated in. Image 14 A Minha Freguesia initial screen Image 15 A Minha Freguesia in operation LX Plantas Lx Plantas widget is available for internet users and enables the creation of the several types of maps required when submitting a process for the council s services evaluation. There are 4 categories of maps available: 1. Preemptive Rights - Preemptive Rights; 2. Planning Regulations Master Plan effective (urban classification), 94 Master Plan urban classification), Urban Rehabilitation Area, Building and Landscape Heritage Municipal Map, Urban Taxes Regulation (TRIU), Urban Plans; 3. Constraints Sound, Aeronautic Restraints, Constraints; 4. Location Location Map. Image 16 LxPlantas initial screen Image 17 LxPlantas in operation Mapa do Conhecimento Mapa do Conhecimento widget, accessed through the internet, identifies Innovation and Knowledge centers in Lisbon Universities, Higher Education and Search and Innovation Institutes. The widget enables de visualization of themes, according to a thematic tree structure, show some indicators and provide alphanumerical and spatial search. 9

42 Image 18 Mapa do Conhecimento initial screen Image 19 Mapa do Conhecimento in operation The Widgets Restricted Access Sistema de Gestão e Planeamento de Intervenções (SGPI) The widget Sistema de Gestão e Planeamento de Intervenções (SGPI) integrates and centralizes data concerning the works occurring in Lisbon, both projected or in progress and ease the access of the different council services that are involved, in its management and on the following the works that are in progress. It provides a set of geographic themes and restricted reports and helps monitoring the set of the different IGT of Lisbon, as well as support the drawing up of the council s budget. Image 20 SGPI initial screen Image 21 SGPI in operation Cadastro Cadastro widget provides data concerning the Land Registry of Lisbon. Image 22 Cadastro initial screen Figura 23 Cadastro in operation 10

43 This widget enables: Address Search, through alphanumerical criteria or spatial search (directly on the map); Identifies the ownership of the building; Geometrical draft of the building; Identifies the Registration and Finance Matrix Existence of onus, charges or commitments concerning a certain building. The widget requires a profile and, therefore, both the search and specific data it presents, can vary between users, according with the profile associated Base de Dados (LXBD) Database is Lisboa Interativa s widget that provides information regarding the Building and Public Space characterization elements of Lisbon. Image 24 Base de Dados initial screen Image 25 Base de Dados in operation The Widget Database lets you view data regarding: Building typological classification; Conservation Status, Frontage Coating and Storey Number Ownership, Function and Area; Units and Functions; Building Date, Asset Value Elements, Classification and potential awards; Historical Description; Photographs and documents. The widget is profiled and, therefore, both the search type and the specific nature of the resulting data, differs amongst users, according to the associated profile Reforma Administrativa de Lisboa (RAL) The widget Reforma Administrativa de Lisboa (RAL) was defined and developed after the transition of some attributions from the Council to Parish Services, as a result of the 11

44 redefinition of their limits (after the local authority elections in 2013). This widget allows the management of the flow of the incoming processes, directing it to the qualified authorities, may it be the council s or the parish services. Therefore, and due to its specification and purpose, RAL is exclusively an internal widget and is based on the address search alphanumerical or spatial (querying the map). Image 26 RAL initial screen Image 27 RAL in operation 2.4 Application Architecture To better understand the architecture of LXI, and its implementation in the CML infrastructure, we decided to present it in two segments: a logical architecture, which specifies the implemented static structure and dynamic collaborations between objects, and the physical architecture, that contains the physical part and the connection between its sub-parts, hardware-software interaction, in order to put the system in operation Logical Architecture The logical architecture of LXI is based on the Framework, the FGIS, developed specifically to support this application. In the Framework are installed widgets that run independently and can share information with each other, having access to this functionality through the system API. The FGIS manages the resources needed for the implementation of applications, such as graphical environment, system settings, information sharing mechanism, access to the map, integration with external services, authentication and profile management. The model is based on three infrastructures: presentation layer, supported presentation in ESRI libraries for Adobe Flex environment; services layer, based on Microsoft WCF, and expose endpoints for services through the messaging protocols: SOAP, AMF; data access layer, with Oracle 11g R2 database support. The next figure represents the logical architecture of LXI. As mentioned above the whole structure rests in the Framework FGIS, that allows integration and communication between the internal and external applications of LXI. 12

45 Image 28 Logical Architecture of LXI application Physical Architecture Lodged in the technological infrastructure of the CML, the datacenter of Campo Grande, based on a classic design double firewall with DMZ, where lies the application-layer (webserver) with inclusion in the same webadaptor of ArcGIS Server for access to geographic (map), in CML intranet reside the remaining systems, ArcGIS server two clustered servers and an Oracle Database server. Below in a simplified drawing is visible what is mentioned above. Image 29 Physical Architecture of LXI application 13

46 3. LXI in Numbers LXI had, in 2014, 349,509 hits and 101,508 users, representing an increase of 70% compared to 2012, the year that went into production. As seen on the graph below, the percentage of new users is 28%, which, on one hand, reflects that the website is having a good spread. Moreover, given the high percentage of returning users who access the application recurrently and the average duration per session of 10 min, it can be concluded that the users demonstrate a high interest in the content of the website. New Users Returning Users 28% 72% Image 30 Classification of users, Google Analytics Analyzing the origin of users, it appears that, as is evidenced by the following figure, there is a significant geographical distribution in all continents except Africa, where it comes down to a handful of countries, particularly those belonging to the CPLP. However, it makes sense to say that the overwhelming majority of users are from Lisbon, since the application is used daily by the council s workers. Image 31 Geographical distribution of user access, Google Analytics 14

47 With regard to the interaction of the users with LXI, in 2014, there were about one million events divided by the various widgets according to the figure shown below ; 13% Pesquisa de endereços 34712; 4% ; 28% Na Minha Rua 36128; 4% 36969; 4% 49304; 5% LxPlantas Temática Impressão 72772; 7% ; 12% ; 23% Urbanismo Cadastro LxBd Others Image 32 Interaction event distribution by widget, Google Analytics In short we can conclude that Pesquisa de Endereços, Na Minha Rua and LxPlantas widgets, represent 63% of all events, which highlights the importance of LXI, as a resources management tool. 3.1 ROI The concept of Return on Investment (ROI) has become, over the past decades, widespread as an indispensable tool for the evaluation of investment projects. ROI is based on cost/benefit analysis and its calculation can sometimes be difficult, particularly in what the recognition of intangible benefits is regarded. In this case this issue is very relevant because of the difficulty, if not impossibility, to account for all the benefits LXI brings. In fact, the fundamental issue is the difficulty of measuring and valuing the social benefits generated by a public investment of this nature. In spite of all of this, it was decided to calculate ROI on a purely economic perspective and evaluate only the variables that can be counted, without loosing sight of the sustainability of the project, the intangible gains already exposed. Bellow is presented the value of ROI associated with LXI: Regarding the costs, the initial investment ascended to 124,500 Euros. The annual operating costs are distributed by software licensing, maintenance contracts, training and human resources, that directly affect the project and represent about 50,000. Costs Development Hardware Software Maintaining Contracts Trainning Human Resources Total

Participatory Map of Rio de Janeiro

Participatory Map of Rio de Janeiro Leandro Gomes Souza Geographer Luiz Roberto Arueira da Silva Director of City Information Pereira Passos Institute - City of Rio de Janeiro About us Pereira Passos Institute (IPP) is Rio de Janeiro municipal

Leia mais

Construção, Território e Ambiente. Construction, Planning and Environment. Semestre do plano de estudos 2

Construção, Território e Ambiente. Construction, Planning and Environment. Semestre do plano de estudos 2 Nome UC Construção, Território e Ambiente CU Name Código UC 11 Curso LEC Semestre do plano de estudos 2 Área científica Engenharia Civil Duração Semestral Horas de trabalho 95 ECTS 3.5 Horas de contacto

Leia mais

Integrated Network Operations Support System ISO 9001 Certified A Plataforma Integradora Integrated Platform O INOSS V2 é uma poderosa plataforma de operação e gestão centralizada de redes e serviços de

Leia mais

GeoLoulé: Plataforma SIG da C. M. Loulé. Agenda. Objectivo. Enquadramento. Historial. Equipa. Arquitectura. MuniSIG Web. Casos Práticos.

GeoLoulé: Plataforma SIG da C. M. Loulé. Agenda. Objectivo. Enquadramento. Historial. Equipa. Arquitectura. MuniSIG Web. Casos Práticos. Agenda Objectivo Enquadramento Historial Equipa Arquitectura MuniSIG Web Casos Práticos ArcGIS Mobile Futuro Objectivo Criar uma infra-estrutura de suporte a todas as aplicações de informação geográfica

Leia mais

PROTEKTO ACTFAST. Soluções para Segurança Pública. Porque todos os segundos contam

PROTEKTO ACTFAST. Soluções para Segurança Pública. Porque todos os segundos contam PROTEKTO Porque todos os segundos contam Soluções para Segurança Pública A resposta às ocorrências no âmbito da segurança pública, têm de ser imediatas, eficientes e eficazes. Cada resposta operacional,

Leia mais

Sistema Informação Geográfico

Sistema Informação Geográfico Sistema Informação Geográfico Autoridade Tributária e Aduaneira Judas Gonçalves IT Project Manager Agenda Enquadramento; Sistema de Informação Geográfico da AT: - Base de Dados Geográfica Centralizada;

Leia mais

Tese / Thesis Work Análise de desempenho de sistemas distribuídos de grande porte na plataforma Java

Tese / Thesis Work Análise de desempenho de sistemas distribuídos de grande porte na plataforma Java Licenciatura em Engenharia Informática Degree in Computer Science Engineering Análise de desempenho de sistemas distribuídos de grande porte na plataforma Java Performance analysis of large distributed

Leia mais

1. Rede de Apoio Topográfico... 2. 1.1. Características da Rede... 2. 2. Acesso e Utilização... 2. 2.1. Visualizador de mapa... 3

1. Rede de Apoio Topográfico... 2. 1.1. Características da Rede... 2. 2. Acesso e Utilização... 2. 2.1. Visualizador de mapa... 3 MANUAL DE UTILIZAÇÃO... 2 1. Rede de Apoio Topográfico... 2 1.1. Características da Rede... 2 2. Acesso e Utilização... 2 2.1. Visualizador de mapa... 3 2.1.1. Elementos do mapa... 3 2.1.2. Tarefas...

Leia mais

Transportes. Transportation. Semestre do plano de estudos 1

Transportes. Transportation. Semestre do plano de estudos 1 Nome UC Transportes CU Name Código UC 706 Curso MEC Semestre do plano de estudos 1 Área científica Engenharia Civil Duração Semestral Horas de trabalho 120 ECTS 4.5 Horas de contacto T - 22,5; TP - 22,5

Leia mais

Lisboa Interactiva Beta

Lisboa Interactiva Beta Lisboa Interactiva Beta Evolução para Web 2.0 com base na framework ExtJS Mauro Farracha GMV Portugal Sumário 3 Parte I Apresentação da GMV Portugal Quem Somos Organização Sistemas de Informação Geográfica

Leia mais

Digital Cartographic Generalization for Database of Cadastral Maps

Digital Cartographic Generalization for Database of Cadastral Maps Mariane Alves Dal Santo marianedalsanto@udesc.br Francisco Henrique de Oliveira chicoliver@yahoo.com.br Carlos Loch cloch@ecv.ufsc.br Laboratório de Geoprocessamento GeoLab Universidade do Estado de Santa

Leia mais

SIG do Município de Oeiras: um instrumento para a gestão Municipal. ORADOR 1 Maria João Bessa (CM de Oeiras) ORADOR 2 João Melo (Municípia, S.A.

SIG do Município de Oeiras: um instrumento para a gestão Municipal. ORADOR 1 Maria João Bessa (CM de Oeiras) ORADOR 2 João Melo (Municípia, S.A. SIG do Município de Oeiras: um instrumento para a gestão Municipal ORADOR 1 Maria João Bessa (CM de Oeiras) ORADOR 2 João Melo (Municípia, S.A.) Maria João Bessa Câmara Municipal de Oeiras SIG do Município

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO CENTRALIZADO (SIC) UTILIZADOR CONSUMIDOR

MANUAL DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO CENTRALIZADO (SIC) UTILIZADOR CONSUMIDOR MANUAL DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO CENTRALIZADO (SIC) UTILIZADOR CONSUMIDOR ÍNDICE Introdução e Objetivos... 7 Acesso ao SIC... 8 2.1. Página Inicial Consulta de informação... 10 2.1.1. Ícones relevantes

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DA INFORMAÇÃO NOTICIOSA EM COMUNIDADE ONLINE PARA O SÉNIOR RENATO MIGUEL SILVA COSTA. Departamento de Comunicação e Arte !!!!!!!!!

ORGANIZAÇÃO DA INFORMAÇÃO NOTICIOSA EM COMUNIDADE ONLINE PARA O SÉNIOR RENATO MIGUEL SILVA COSTA. Departamento de Comunicação e Arte !!!!!!!!! Universidade de Aveiro 2012 Departamento de Comunicação e Arte RENATO MIGUEL SILVA COSTA ORGANIZAÇÃO DA INFORMAÇÃO NOTICIOSA EM COMUNIDADE ONLINE PARA O SÉNIOR RENATO MIGUEL SILVA COSTA Universidade de

Leia mais

Normalização e interoperabilidade da informação geográfica

Normalização e interoperabilidade da informação geográfica Normalização e interoperabilidade da informação geográfica perspetivas para a formação em Engenharia Geográfica João Catalão Departamento de Engenharia Geográfica, Geofísica e Energia Faculdade de Ciências

Leia mais

Accessing the contents of the Moodle Acessando o conteúdo do Moodle

Accessing the contents of the Moodle Acessando o conteúdo do Moodle Accessing the contents of the Moodle Acessando o conteúdo do Moodle So that all the available files in the Moodle can be opened without problems, we recommend some software that will have to be installed

Leia mais

Acelerar o desenvolvimento das cidades inteligentes em Portugal. Concurso Cidades Analíticas 2015 Urban Analytics Award 2015

Acelerar o desenvolvimento das cidades inteligentes em Portugal. Concurso Cidades Analíticas 2015 Urban Analytics Award 2015 Cidades Analíticas Acelerar o desenvolvimento das cidades inteligentes em Portugal Concurso Cidades Analíticas 2015 Urban Analytics Award 2015 Apresentação da candidatura: Candidato Luis Maia Oliveira

Leia mais

PORTAL DE COMPARTILHAMENTO DE INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS DO SNIRH PORTAL TO SHARE GEOGRAFICAL INFORMATION FROM SNIRH

PORTAL DE COMPARTILHAMENTO DE INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS DO SNIRH PORTAL TO SHARE GEOGRAFICAL INFORMATION FROM SNIRH PORTAL DE COMPARTILHAMENTO DE INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS DO SNIRH Maurício Silva 1 & Marco Silva 2 & Sergio Barbosa 3 Resumo O presente artigo apresenta os desenvolvimentos criados para a construção e disponibilização

Leia mais

A utilização do MapServer como ferramenta de aprendizagem de WebSIG. Nelson Mileu 1

A utilização do MapServer como ferramenta de aprendizagem de WebSIG. Nelson Mileu 1 A utilização do MapServer como ferramenta de aprendizagem de WebSIG Nelson Mileu 1 Resumo - Este trabalho descreve a utilização do software MapServer na disciplina de WebSIG, ministrada no segundo semestre

Leia mais

Aplicações SIG como Instrumento de Ordenamento e Gestão do Território

Aplicações SIG como Instrumento de Ordenamento e Gestão do Território Aplicações SIG como Instrumento de Ordenamento e Gestão do Território Evolução da última década Manuela Sampayo Martins (Eng.ª) Sistemas de Informação Sistemas de Geográfica, Informação Lda. Geográfica,

Leia mais

SIARL Sistema de Administração do Recurso Litoral

SIARL Sistema de Administração do Recurso Litoral SIARL Sistema de Administração do Recurso Litoral João HERDEIRO 1, Marisa SILVA 1 e Paulo PATRÍCIO 1 1 Direção-Geral do Território, Portugal (ajherdeiro@dgterritorio.pt; marisas@dgterritorio.pt; ppatricio@dgterritorio.pt)

Leia mais

WebUML: Uma Ferramenta Colaborativa de Apoio ao Projeto e Análise de Sistemas Descritos em Classes UML

WebUML: Uma Ferramenta Colaborativa de Apoio ao Projeto e Análise de Sistemas Descritos em Classes UML Carlos Henrique Pereira WebUML: Uma Ferramenta Colaborativa de Apoio ao Projeto e Análise de Sistemas Descritos em Classes UML Florianópolis - SC 2007 / 2 Resumo O objetivo deste trabalho é especificar

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA. A Reputação e a Responsabilidade Social na BP Portugal: A importância da Comunicação. Por. Ana Margarida Nisa Vintém

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA. A Reputação e a Responsabilidade Social na BP Portugal: A importância da Comunicação. Por. Ana Margarida Nisa Vintém UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA A Reputação e a Responsabilidade Social na BP Portugal: A importância da Comunicação Relatório de estágio apresentado à Universidade Católica Portuguesa para obtenção do

Leia mais

A Cloud Computing Architecture for Large Scale Video Data Processing

A Cloud Computing Architecture for Large Scale Video Data Processing Marcello de Lima Azambuja A Cloud Computing Architecture for Large Scale Video Data Processing Dissertação de Mestrado Dissertation presented to the Postgraduate Program in Informatics of the Departamento

Leia mais

Easy Linux! FUNAMBOL FOR IPBRICK MANUAL. IPortalMais: a «brainware» company www.iportalmais.pt. Manual

Easy Linux! FUNAMBOL FOR IPBRICK MANUAL. IPortalMais: a «brainware» company www.iportalmais.pt. Manual IPortalMais: a «brainware» company FUNAMBOL FOR IPBRICK MANUAL Easy Linux! Title: Subject: Client: Reference: Funambol Client for Mozilla Thunderbird Doc.: Jose Lopes Author: N/Ref.: Date: 2009-04-17 Rev.:

Leia mais

Gerador de Sítios de Grupos de Pesquisa com Inclusão Automática de Conteúdo Baseada na Plataforma Lattes

Gerador de Sítios de Grupos de Pesquisa com Inclusão Automática de Conteúdo Baseada na Plataforma Lattes Gerador de Sítios de Grupos de Pesquisa com Inclusão Automática de Conteúdo Baseada na Plataforma Lattes Bruno Rego Salomé, Fátima L. S. Nunes, Marcos Lordello Chaim Escola de Artes, Ciências e Humanidades

Leia mais

egovernment The Endless Frontier

egovernment The Endless Frontier CENTRO DE GESTÃO DA REDE INFORMÁTICA DO GOVERNO (Management Center for the Electronic Government Network) egovernment The Endless Frontier Alexandre Caldas 29 th June 2010 Summary VISION AND LEADERSHIP

Leia mais

Select a single or a group of files in Windows File Explorer, right-click and select Panther Print

Select a single or a group of files in Windows File Explorer, right-click and select Panther Print Quick Start Guide SDI Panther Print Panther Print SDI Panther products make sharing information easier. Panther Print is an intuitive dialog box that provides a thumbnail view of the file to print, depicting

Leia mais

CMDB no ITIL v3. Miguel Mira da Silva. mms@ist.utl.pt 919.671.425

CMDB no ITIL v3. Miguel Mira da Silva. mms@ist.utl.pt 919.671.425 CMDB no ITIL v3 Miguel Mira da Silva mms@ist.utl.pt 919.671.425 1 CMDB v2 Configuration Management IT components and the services provided with them are known as CI (Configuration Items) Hardware, software,

Leia mais

OBTENÇÃO DE IMAGEM DO GOOGLE EARTH PARA CLASSIFICAÇÃO DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO

OBTENÇÃO DE IMAGEM DO GOOGLE EARTH PARA CLASSIFICAÇÃO DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO OBTENÇÃO DE IMAGEM DO GOOGLE EARTH PARA CLASSIFICAÇÃO DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO ROGER TORLAY 1 ; OSVALDO T. OSHIRO 2 N 10502 RESUMO O sensoriamento remoto e o geoprocessamento trouxeram importantes avanços

Leia mais

O WebSig do Município de Guimarães

O WebSig do Município de Guimarães O WebSig do Município de Guimarães Pedro Pereira A Divisão SIG O SIG do Município de Guimarães Gabinete criado em 1998 (no âmbito do PROSIG) Nos 10 anos seguintes, o SIG serviu de apoio aos diversos serviços

Leia mais

Governancia da Água. Contributo de Portugal e da PPA para o Plano Estratégico de Implementação da Parceria Europeia para a Inovação no Domínio da Água

Governancia da Água. Contributo de Portugal e da PPA para o Plano Estratégico de Implementação da Parceria Europeia para a Inovação no Domínio da Água A Água e o Programa Horizonte 2020 (8ºPQ) Contributo de Portugal e da PPA para o Plano Estratégico de Implementação da Parceria Europeia para a Inovação no Domínio da Água Governancia da Água Francisco

Leia mais

Capital Humano e Capital Social: Construir Capacidades para o Desenvolvimento dos Territórios

Capital Humano e Capital Social: Construir Capacidades para o Desenvolvimento dos Territórios UNIVERSIDADE DE LISBOA FACULDADE DE LETRAS DEPARTAMENTO DE GEOGRAFIA Capital Humano e Capital Social: Construir Capacidades para o Desenvolvimento dos Territórios Sandra Sofia Brito da Silva Dissertação

Leia mais

Aceder à plataforma do concurso Accessing the call for applications platform. Submeter documentos Upload documents. Apagar documentos Delete documents

Aceder à plataforma do concurso Accessing the call for applications platform. Submeter documentos Upload documents. Apagar documentos Delete documents DRH DIREÇÃO DE RECURSOS HUMANOS HUMAN RESOURCES DIVISION CONCURSOS PARA PESSOAL DOCENTE GUIA RÁPIDO PARA SUBMETER DOCUMENTOS CALL FOR APPLICATIONS FOR FACULTY POSITIONS 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11

Leia mais

Serviços: API REST. URL - Recurso

Serviços: API REST. URL - Recurso Serviços: API REST URL - Recurso URLs reflectem recursos Cada entidade principal deve corresponder a um recurso Cada recurso deve ter um único URL Os URLs referem em geral substantivos URLs podem reflectir

Leia mais

GT-Mconf: Sistema de Multiconferência para acesso interoperável web e dispositivos móveis

GT-Mconf: Sistema de Multiconferência para acesso interoperável web e dispositivos móveis Proposta de Serviço Piloto Grupo de Trabalho Segunda Fase GT-Mconf: Sistema de Multiconferência para acesso interoperável web e dispositivos móveis http://www.mconf.org Valter Roesler: roesler@inf.ufrgs.br

Leia mais

Globalização dos SIG. Potenciar o SIG como plataforma comum. de trabalho e conhecimento. Biliões Sociedade. Milhões. Centenas de. Milhares.

Globalização dos SIG. Potenciar o SIG como plataforma comum. de trabalho e conhecimento. Biliões Sociedade. Milhões. Centenas de. Milhares. Globalização dos SIG Potenciar o SIG como plataforma comum Biliões Sociedade Centenas de Milhares Milhões Professionais SIG Utilizadores Milhares Investigação de trabalho e conhecimento O SIG organiza

Leia mais

Por favor, antes de imprimir este e-mail, pense no meio ambiente. 1 de 82

Por favor, antes de imprimir este e-mail, pense no meio ambiente. 1 de 82 Rua Julieta Ferrão, 10-10.ºA 1600-131 Lisboa Tel.: 21 781 66 40 Fax: 21 793 15 33 info@esri-portugal.pt www.esri-portugal.pt ArcGIS Online (ArcGIS.com) Rui Santos Por favor, antes de imprimir este e-mail,

Leia mais

UNIVERSIDADE DE LISBOA FACULDADE DE LETRAS SECRETARIADO DE CIÊNCIAS DOCUMENTAIS

UNIVERSIDADE DE LISBOA FACULDADE DE LETRAS SECRETARIADO DE CIÊNCIAS DOCUMENTAIS UNIVERSIDADE DE LISBOA FACULDADE DE LETRAS SECRETARIADO DE CIÊNCIAS DOCUMENTAIS A WEB 2.0 NAS BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS PORTUGUESAS: UM ESTUDO DA IMPLEMENTAÇÃO DO PARADIGMA DA BIBLIOTECA 2.0 Helena Sofia

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO DO BRASIL

DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO DO BRASIL DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO DO BRASIL MOURA, A. L. A. 1 ; SÁ, L. A. C. M 2 RESUMO - A presente pesquisa está sendo desenvolvida com o objetivo de formular uma base de dados espaciais

Leia mais

Microsoft. Driving Better Business Performance. André Amaral aamaral@microsoft.com

Microsoft. Driving Better Business Performance. André Amaral aamaral@microsoft.com Microsoft Driving Better Business Performance André Amaral aamaral@microsoft.com Business Intelligence Improving business insight A broad category of applications and technologies for gathering, storing,

Leia mais

O SIG disponibiliza hoje uma plataforma de conhecimento do mundo Visual Integrada Sistemática Comprensiva Qualitativa Quantitativa

O SIG disponibiliza hoje uma plataforma de conhecimento do mundo Visual Integrada Sistemática Comprensiva Qualitativa Quantitativa O SIG disponibiliza hoje uma plataforma de conhecimento do mundo Visual Integrada Sistemática Comprensiva Qualitativa Quantitativa Integrando conhecimento colectivo ArcGIS ArcGIS Plataforma comum para

Leia mais

Soluções para SMART CITIES. Nuno Alves

Soluções para SMART CITIES. Nuno Alves Soluções para SMART CITIES Nuno Alves Agenda Contexto Organizacional Conceito e Objetivos Intergraph Smart Cities 12/7/2014 2014 Intergraph Corporation 2 Intergraph Corporation Intergraph Intergraph helps

Leia mais

Utilização de um banco de dados relacional no Sistema de Informações Geográfica (SIG) para o cadastro florestal

Utilização de um banco de dados relacional no Sistema de Informações Geográfica (SIG) para o cadastro florestal Utilização de um banco de dados relacional no Sistema de Informações Geográfica (SIG) para o cadastro florestal Use of relational database in a Geographical Information System (GIS) for forest register

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL NO BRASIL

DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL NO BRASIL DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL NO BRASIL Maria Cecília Bonato Brandalize maria.brandalize@pucpr.br Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curso

Leia mais

Atualização de um Simulador de Cenários Sísmicos em ambiente WebSIG

Atualização de um Simulador de Cenários Sísmicos em ambiente WebSIG Atualização de um Simulador de Cenários Sísmicos em ambiente WebSIG Nuno AFONSO 1, Alexandra CARVALHO 1 1 Laboratório Nacional de Engenharia Civil (nuno.fnvs.afonso@gmail.com; xana.carvalho@lnec.pt) Palavras-chave:

Leia mais

OVERVIEW DO EAMS. Enterprise Architecture Management System 2.0

OVERVIEW DO EAMS. Enterprise Architecture Management System 2.0 OVERVIEW DO EAMS Enterprise Architecture Management System 2.0 NETWORKS @arqcorp_br #eamsrio http://arquiteturacorporativa.wordpress.com/ WE MANAGE KNOWLEDGE, WITH YOU Arquitetura Empresarial Repositório

Leia mais

Dublin Core e MARC 21 : um estudo de correspondência de elementos de metadados

Dublin Core e MARC 21 : um estudo de correspondência de elementos de metadados Dublin Core e MARC 21 : um estudo de correspondência de elementos de metadados Maria das Dores Rosa Alves¹, Marcia Izabel Fugisawa Souza¹ ¹Embrapa Informática Agropecuária Caixa postal 6014 Campinas, SP

Leia mais

Federal Court of Accounts Brazil (TCU) Auditing Climate Change Policies

Federal Court of Accounts Brazil (TCU) Auditing Climate Change Policies Federal Court of Accounts Brazil (TCU) Auditing Climate Change Policies JUNNIUS MARQUES ARIFA Head of Department of Agriculture and Environmental Audit TCU s mandate and jurisdiction 1. Role of Supreme

Leia mais

Integração de Imigrantes

Integração de Imigrantes Integração de Imigrantes ODEMIRA INTEGRA It is a project born from the need to improve and increase support measures, reception and integration of immigrants. 47% of immigrants registered in the district

Leia mais

a emergência das tecnologias open source no SIG municipal de guimarães

a emergência das tecnologias open source no SIG municipal de guimarães a emergência das tecnologias open source no SIG municipal de guimarães processo de modernização administrativa prestação de um melhor serviço aos cidadãos utilização mais eficiente dos seus recursos no

Leia mais

Utilização da plataforma Ning para o desenvolvimento de rede social temática para o agronegócio do leite

Utilização da plataforma Ning para o desenvolvimento de rede social temática para o agronegócio do leite Utilização da plataforma Ning para o desenvolvimento de rede social temática para o agronegócio do leite Leonardo Mariano Gravina Fonseca 1, Myriam Maia Nobre 1, Denis Teixeira da Rocha 1, Elizabeth Nogueira

Leia mais

Erasmus Student Work Placement

Erasmus Student Work Placement Erasmus Student Work Placement EMPLOYER INFORMATION Name of organisation Address Post code Country SPORT LISBOA E BENFICA AV. GENERAL NORTON DE MATOS, 1500-313 LISBOA PORTUGAL Telephone 21 721 95 09 Fax

Leia mais

Utilização de informação geoespacial na gestão e apoio à decisão das empresas

Utilização de informação geoespacial na gestão e apoio à decisão das empresas Utilização de informação geoespacial na gestão e apoio à decisão das empresas A Gisgeo Alguns dados da empresa: Fundada em 2008; Integrada no UPTEC Parque de Ciência e Tecnologia da UP; 3 sócios + 2 colaboradores,

Leia mais

Plano Estratégico de Sistemas de Informação

Plano Estratégico de Sistemas de Informação Consolidation. Integration. Governance. Accountability. Plano Estratégico de Sistemas de Informação 2010 Versão resumida para web 11 de Maio de 2010 Turismo de Portugal, I.P. Hugo Sousa Departamento de

Leia mais

Geração automática de suíte de teste para GUI a partir de Rede de Petri

Geração automática de suíte de teste para GUI a partir de Rede de Petri Raquel Jauffret Guilhon Geração automática de suíte de teste para GUI a partir de Rede de Petri Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada como requisito parcial para obtenção do grau de Mestre pelo

Leia mais

O novo Regime da Política de Solos, de Ordenamento do Território e de Urbanismo. Abril, 2014

O novo Regime da Política de Solos, de Ordenamento do Território e de Urbanismo. Abril, 2014 O novo Regime da Política de Solos, de Ordenamento do Território e de Urbanismo Abril, 2014 Porquê uma nova Lei? 1. A atual Lei de Solos data de 1976, encontra-se obsoleta face à atual conjuntura socioeconómica

Leia mais

Melhorando o ambiente de negócios por meio da transparência no Estado de São Paulo Dentro do MoU (Memorando de Entendimento) que o Governo do Estado tem com o Reino Unido estão sendo promovidos vários

Leia mais

Ficha de Unidade Curricular

Ficha de Unidade Curricular 6.2.1.1. Unidade curricular: Curricular Unit: Ficha de Unidade Curricular Comunicação Multimédia (Desenvolvimento) Multimedia Communication (Development) 6.2.1.2. Docente responsável e respectivas horas

Leia mais

Perguntas & Respostas

Perguntas & Respostas Perguntas & Respostas 17 de Abril de 2008 Versão Portuguesa 1. O que é uma Certidão Permanente?...4 2. Como posso ter acesso a uma Certidão Permanente?...4 3. Onde posso pedir uma Certidão Permanente?...4

Leia mais

Frameworks para criação de Web Apps para o Ensino Mobile

Frameworks para criação de Web Apps para o Ensino Mobile 393 Frameworks para criação de Web Apps para o Ensino Mobile Lucas Zamim 1 Roberto Franciscatto 1 Evandro Preuss 1 1 Colégio Agrícola de Frederico Westphalen (CAFW) Universidade Federal de Santa Maria

Leia mais

A Modernização Tecnológica no Setor Público: a experiência de cooperação

A Modernização Tecnológica no Setor Público: a experiência de cooperação A Modernização Tecnológica no Setor Público: a experiência de cooperação Clarice Stella Porciuncula 1 Analista de Sistemas da PUC-RS Especialista em Sistemas de Informação e Telemática na UFRGS Analista

Leia mais

GIS technology for distribution networks Tecnologia GIS para redes de distribuição Ricardo Pinheiro

GIS technology for distribution networks Tecnologia GIS para redes de distribuição Ricardo Pinheiro GIS technology for distribution networks Tecnologia GIS para redes de distribuição Ricardo Pinheiro Gerenciamento de dados de rede de distribuição de energia com tecnologia GIS Ricardo Tiago Pinheiro Executivo

Leia mais

Encontro de Utilizadores Esri 2013. ArcGIS for Server 10.2 Administração Orador: João Ferreira Esri Portugal

Encontro de Utilizadores Esri 2013. ArcGIS for Server 10.2 Administração Orador: João Ferreira Esri Portugal Encontro de Utilizadores Esri 2013 ArcGIS for Server 10.2 Administração Orador: João Ferreira Esri Portugal ArcGIS Server Administração e Configuração João Ferreira Agenda Arquitectura Instalação do ArcGIS

Leia mais

SIG como uma ferramenta de análise espacial Um estudo de caso da saúde no RN

SIG como uma ferramenta de análise espacial Um estudo de caso da saúde no RN SIG como uma ferramenta de análise espacial Um estudo de caso da saúde no RN Adeline M. Maciel, Luana D. Chagas, Cláubio L. L. Bandeira Mestrado em Ciência da Computação (MCC) Universidade do Estado do

Leia mais

assumptions of that particular strengthening the participation of families and local communities in the strategic direction of schools, not taking

assumptions of that particular strengthening the participation of families and local communities in the strategic direction of schools, not taking Agradecimentos A dissertação do Mestrado que adiante se apresenta resulta na concretização de um projecto que me parecia difícil mas não impossível de alcançar. Foram meses seguidos de trabalho de investigação,

Leia mais

Análise de Sistemas I: Programação em Nuvem. Luiz Filipe Licidonio. Faculdade de Tecnologia Pastor Dohms. Porto Alegre, Rio Grande do Sul

Análise de Sistemas I: Programação em Nuvem. Luiz Filipe Licidonio. Faculdade de Tecnologia Pastor Dohms. Porto Alegre, Rio Grande do Sul 1 Análise de Sistemas I: Programação em Nuvem Luiz Filipe Licidonio Faculdade de Tecnologia Pastor Dohms Porto Alegre, Rio Grande do Sul luiz_np_poa@hotmail.com 2 Análise de Sistemas I: Programação em

Leia mais

COMO APLICAR AS NOVAS TECNOLOGIAS DE INTERFACE E INTEGRAÇÃO DENTRO DO AMBIENTE DE AUTOMAÇÃO 1

COMO APLICAR AS NOVAS TECNOLOGIAS DE INTERFACE E INTEGRAÇÃO DENTRO DO AMBIENTE DE AUTOMAÇÃO 1 COMO APLICAR AS NOVAS TECNOLOGIAS DE INTERFACE E INTEGRAÇÃO DENTRO DO AMBIENTE DE AUTOMAÇÃO 1 Wilson Laizo Filho 2 Antônio César de Araújo Freitas 3 Ludmila Rodrigues Fernandes 4 Eduardo do Carmo Silva

Leia mais

MT BOOKING SYSTEM BACKOFFICE. manual for management

MT BOOKING SYSTEM BACKOFFICE. manual for management MT BOOKING SYSTEM BACKOFFICE manual for management BACKOFFICE BACKOFFICE Últimas Reservas Latest Bookings 8 7 6 3 2 2 Configurações Configuration - pag. 3 Barcos Boats - pag.8 Pessoal Staff - pag.0 Agentes

Leia mais

Concurso Cidades Analíticas 2015

Concurso Cidades Analíticas 2015 Concurso Cidades Analíticas 2015 Dossier de Candidatura Projeto LxCADASTRO Uma visão integrada Município de Lisboa Março 2015 Divisão de Cadastro Municipal - Campo Grande, 25 4º B 1749-099 LISBOA - 21

Leia mais

EMBRAPA GADO DE LEITE SISTEMA DE INFORMAÇÃO E GESTÃO TERRITORIAL PARA SUPORTE A CADEIA PRODUTIVA DO LEITE NO ESTADO DE MINAS GERAIS

EMBRAPA GADO DE LEITE SISTEMA DE INFORMAÇÃO E GESTÃO TERRITORIAL PARA SUPORTE A CADEIA PRODUTIVA DO LEITE NO ESTADO DE MINAS GERAIS EMBRAPA GADO DE LEITE SISTEMA DE INFORMAÇÃO E GESTÃO TERRITORIAL PARA SUPORTE A CADEIA PRODUTIVA DO LEITE NO ESTADO DE MINAS GERAIS Roberto Carlos Soares Nalon Pereira Souza, Marcos Cicarini Hott, Vitor

Leia mais

BIBLIOGRAFIA. Faupel, A. & Sharp, P. (2003). Promoting emotional literacy. Guidelines for schools, local authorities and

BIBLIOGRAFIA. Faupel, A. & Sharp, P. (2003). Promoting emotional literacy. Guidelines for schools, local authorities and RESUMO EXPANDIDO Pode definir-se Literacia Emocional como a capacidade para reconhecer, compreender, expressar e gerir estados emocionais, do próprio e de outras pessoas, existindo associações entre esta

Leia mais

e-lab: a didactic interactive experiment An approach to the Boyle-Mariotte law

e-lab: a didactic interactive experiment An approach to the Boyle-Mariotte law Sérgio Leal a,b, João Paulo Leal a,c Horácio Fernandes d a Departamento de Química e Bioquímica, FCUL, Lisboa, Portugal b Escola Secundária com 3.º ciclo Padre António Vieira, Lisboa, Portugal c Unidade

Leia mais

elearning SISTEMA DE GESTÃO DE APRENDIZAGEM INFORMAÇÃO E CONHECIMENTO A QUALQUER HORA, EM QUALQUER LUGAR E EM CONTEXTO DIGITAL

elearning SISTEMA DE GESTÃO DE APRENDIZAGEM INFORMAÇÃO E CONHECIMENTO A QUALQUER HORA, EM QUALQUER LUGAR E EM CONTEXTO DIGITAL elearning SISTEMA DE GESTÃO DE APRENDIZAGEM INFORMAÇÃO E CONHECIMENTO A QUALQUER HORA, EM QUALQUER LUGAR E EM CONTEXTO DIGITAL O QUE É O FORMARE? O Formare é um Sistema de Gestão da Aprendizagem (também

Leia mais

SISTEMA INTEGRADO DE LICENCIAMENTO DO AMBIENTE

SISTEMA INTEGRADO DE LICENCIAMENTO DO AMBIENTE SISTEMA INTEGRADO DE LICENCIAMENTO DO AMBIENTE SILiAmb Felisbina Quadrado (binaq@apambiente.pt) Manuel Lacerda (manuel.lacerda@apambiente.pt) XIII CONFERENCIA DE DIRECTORES IBEROAMERICANOS DEL AGUA Foz

Leia mais

SAP BASIS O curso completo abrange dois módulos:

SAP BASIS O curso completo abrange dois módulos: SAP BASIS O curso completo abrange dois módulos: - SAP FOUNDATIONS (40 horas EAD) - BASIS (40 horas presenciais), tendo como pré requisito o módulo SAP FOUNDATIONS * Conteúdo Módulo SAP FOUNDATIONS (40

Leia mais

TUTORIA INTERCULTURAL NUM CLUBE DE PORTUGUÊS

TUTORIA INTERCULTURAL NUM CLUBE DE PORTUGUÊS UNIVERSIDADE DE LISBOA FACULDADE DE PSICOLOGIA E DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO TUTORIA INTERCULTURAL NUM CLUBE DE PORTUGUÊS SANDRA MARIA MORAIS VALENTE DISSERTAÇÃO DE MESTRADO EM CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO Área de

Leia mais

5/10/10. Implementação. Building web Apps. Server vs. client side. How to create dynamic contents?" Client side" Server side"

5/10/10. Implementação. Building web Apps. Server vs. client side. How to create dynamic contents? Client side Server side 5/10/10 Implementação Mestrado em Informática Universidade do Minho! 6! Building web Apps How to create dynamic contents?" Client side" Code runs on the client (browser)" Code runs on a virtual machine

Leia mais

Online Collaborative Learning Design

Online Collaborative Learning Design "Online Collaborative Learning Design" Course to be offered by Charlotte N. Lani Gunawardena, Ph.D. Regents Professor University of New Mexico, Albuquerque, New Mexico, USA July 7- August 14, 2014 Course

Leia mais

DPI. Núcleo de Apoio ao Desenvolvimento de Projetos e Internacionalização Project Development And Internationalization Support Office

DPI. Núcleo de Apoio ao Desenvolvimento de Projetos e Internacionalização Project Development And Internationalization Support Office DPI Núcleo de Apoio ao Desenvolvimento de Projetos e Internacionalização Project Development And Internationalization Support Office Apresentação/Presentation Criado em 1 de março de 2011, o Núcleo de

Leia mais

NORMAS PARA AUTORES. As normas a seguir descritas não dispensam a leitura do Regulamento da Revista Portuguesa de Marketing, disponível em www.rpm.pt.

NORMAS PARA AUTORES. As normas a seguir descritas não dispensam a leitura do Regulamento da Revista Portuguesa de Marketing, disponível em www.rpm.pt. NORMAS PARA AUTORES As normas a seguir descritas não dispensam a leitura do Regulamento da Revista Portuguesa de Marketing, disponível em www.rpm.pt. COPYRIGHT Um artigo submetido à Revista Portuguesa

Leia mais

SISTEMA DE INFORMAÇÕES TECNOLÓGICAS E COMERCIAIS

SISTEMA DE INFORMAÇÕES TECNOLÓGICAS E COMERCIAIS SISTEMA DE INFORMAÇÕES TECNOLÓGICAS E COMERCIAIS DA FRUTICULTURA TROPICAL Autor(es) Jose de Souza Neto Email: jsneto@cnpat.embrapa.br Vínculo: Centro Nacional de Pesquisa de Agroindústria Tropical - CNPAT/EMBRAPA

Leia mais

DOCUMENTOS DE PREVENÇÃO DE RISCOS PROFISSIONAIS NA CONSTRUÇÃO NA TRANSPOSIÇÃO DAS DIRETIVAS COMUNITÁRIAS PARA PORTUGAL

DOCUMENTOS DE PREVENÇÃO DE RISCOS PROFISSIONAIS NA CONSTRUÇÃO NA TRANSPOSIÇÃO DAS DIRETIVAS COMUNITÁRIAS PARA PORTUGAL DOCUMENTOS DE PREVENÇÃO DE RISCOS PROFISSIONAIS NA CONSTRUÇÃO NA TRANSPOSIÇÃO DAS DIRETIVAS COMUNITÁRIAS PARA PORTUGAL Susana Sousa 1 José M. Cardoso Teixeira 2 RESUMO A Diretiva Comunitária nº 92/57/CEE

Leia mais

UNIVERSIDADE DE LISBOA

UNIVERSIDADE DE LISBOA UNIVERSIDADE DE LISBOA Faculdade de Ciências Departamento de Informática SOLUÇÃO MIDDLEWARE PARA INTEGRAÇÃO COM SISTEMA LEGACY Rui Manuel Correia Sá Gonçalves TRABALHO DE PROJETO Versão Pública MESTRADO

Leia mais

CARTA DE RECOMENDAÇÃO E PRINCÍPIOS DO FORUM EMPRESARIAL RIO+20 PARA A UNCSD-2012

CARTA DE RECOMENDAÇÃO E PRINCÍPIOS DO FORUM EMPRESARIAL RIO+20 PARA A UNCSD-2012 CARTA DE RECOMENDAÇÃO E PRINCÍPIOS DO FORUM EMPRESARIAL RIO+20 PARA A UNCSD-2012 (CHARTER OF RECOMMENDATION AND PRINCIPLES OF FORUM EMPRESARIAL RIO+20 TO UNCSD-2012) Nós, membros participantes do FÓRUM

Leia mais

Going Spatial - criando e expandindo o alcance do seu Sistema de Informação Geográfica

Going Spatial - criando e expandindo o alcance do seu Sistema de Informação Geográfica Rua Julieta Ferrão, 10-10.ºA 1600-131 Lisboa Tel.: 21 781 66 40 Fax: 21 793 15 33 info@esri-portugal.pt www.esri-portugal.pt Going Spatial - criando e expandindo o alcance do seu Sistema de Informação

Leia mais

A meus pais, Ari e Célia, sempre presentes, todo o meu amor incondicional!

A meus pais, Ari e Célia, sempre presentes, todo o meu amor incondicional! ii A meus pais, Ari e Célia, sempre presentes, todo o meu amor incondicional! iii Agradeço à Deus, esta força maior, pela vida, pela sabedoria e pelo amor. Mas, sobretudo, por me ensinar saber fazer ser

Leia mais

Analysis, development and monitoring of business processes in Corporate environment

Analysis, development and monitoring of business processes in Corporate environment Analysis, development and monitoring of business processes in Corporate environment SAFIRA is an IT consulting boutique known for transforming the way organizations do business, or fulfil their missions,

Leia mais

Sistema de Gestão de Ciclo de Vida de Farmácias AVP003. Manual de Utilizador Externo - Entregas ao Domicílio e Vendas via Internet

Sistema de Gestão de Ciclo de Vida de Farmácias AVP003. Manual de Utilizador Externo - Entregas ao Domicílio e Vendas via Internet Sistema de Gestão de Ciclo de Vida de Farmácias AVP003 Manual de Utilizador Externo - Entregas ao Domicílio e Vendas via de Índice 1 Introdução... 4 1.1 Objetivo...4 1.2 Funcionalidades...5 1.3 Autenticação...5

Leia mais

Institutional Skills. Sessão informativa INSTITUTIONAL SKILLS. Passo a passo. www.britishcouncil.org.br

Institutional Skills. Sessão informativa INSTITUTIONAL SKILLS. Passo a passo. www.britishcouncil.org.br Institutional Skills Sessão informativa INSTITUTIONAL SKILLS Passo a passo 2 2 British Council e Newton Fund O British Council é a organização internacional do Reino Unido para relações culturais e oportunidades

Leia mais

GESTÃO DE RECURSOS NATURAIS. Ano letivo 2011/2012. Exercício: Sistema de apoio à decisão para eucalipto (Aplicação de Programação Linear)

GESTÃO DE RECURSOS NATURAIS. Ano letivo 2011/2012. Exercício: Sistema de apoio à decisão para eucalipto (Aplicação de Programação Linear) GESTÃO DE RECURSOS NATURAIS Ano letivo 2011/2012 Exercício: Sistema de apoio à decisão para eucalipto (Aplicação de Programação Linear) Exercise: Decision support system for eucalyptus (Linear programming

Leia mais

Going Spatial - criando e expandindo o alcance do seu Sistema de Informação Geográfica

Going Spatial - criando e expandindo o alcance do seu Sistema de Informação Geográfica Rua Julieta Ferrão, 10-10.ºA 1600-131 Lisboa Tel.: 21 781 66 40 Fax: 21 793 15 33 info@esri-portugal.pt www.esri-portugal.pt Going Spatial - criando e expandindo o alcance do seu Sistema de Informação

Leia mais

Uso de Softwares gratuitos (SPRING e EPANET) na simulação de pressão e vazão de uma rede de abastecimento de água

Uso de Softwares gratuitos (SPRING e EPANET) na simulação de pressão e vazão de uma rede de abastecimento de água Uso de Softwares gratuitos (SPRING e EPANET) na simulação de pressão e vazão de uma rede de abastecimento de água Sandro Henrique de Faria 1 Maria Lúcia Calijuri 1 Júlio César de Oliveira 1 1 Universidade

Leia mais

Cloud para o Brasil Cloud Services

Cloud para o Brasil Cloud Services Cloud para o Brasil Como as ofertas da Capgemini endereçam os principais pontos levantados pela pesquisa exclusiva We orchestrate your Cloud Services Current Market Situation with Cloud 2 Current Market

Leia mais

Problemas ambientais urbanos

Problemas ambientais urbanos MEC, 4º ano, 2º sem, 2008-09 Desafios Ambientais e de Sustentabilidade em Engenharia Problemas ambientais urbanos 3ª aula Maria do Rosário Partidário CITIES ENVIRONMENT Inputs Outputs Energy Food Water

Leia mais

ArcGIS para Developers

ArcGIS para Developers ArcGIS para Developers Introdução do SIG para programadores João Ferreira O SIG responde a tomadas de decisão Fornece uma plataforma para a compreensão Visual Integrada Quantitativa Sistemática Compreensiva

Leia mais

Tipos de Redes. Dois tipos fundamentais de redes

Tipos de Redes. Dois tipos fundamentais de redes Redes de Tipos de Redes Dois tipos fundamentais de redes LAN = Local Area Network Interliga um conjunto de computadores locais, próximos Tecnologias mais típicas: Ethernet / FastEthernet / GigabitEthernet

Leia mais

Information technology specialist (systems integration) Especialista em tecnologia da informação (integração de sistemas)

Information technology specialist (systems integration) Especialista em tecnologia da informação (integração de sistemas) Information technology specialist (systems integration) Especialista em tecnologia da informação (integração de sistemas) Professional activities/tasks Design and produce complex ICT systems by integrating

Leia mais

Sistema de Informação Geográfico para Gestão de Resíduos Sólidos da Região da Serra Catarinense GEORES

Sistema de Informação Geográfico para Gestão de Resíduos Sólidos da Região da Serra Catarinense GEORES Sistema de Informação Geográfico para Gestão de Resíduos Sólidos da Região da Serra Catarinense GEORES Daiana Petry Leite 1 Silvio Luís Rafaeli Neto 1 Leonardo Josoé Biffi 1 Adriel Neto Vieira 1 Lucas

Leia mais

INFRA-ESTRUTURAS E SERVIÇOS SIG O Exemplo nas Autarquias

INFRA-ESTRUTURAS E SERVIÇOS SIG O Exemplo nas Autarquias INFRA-ESTRUTURAS E SERVIÇOS SIG O Exemplo nas Autarquias GMV Portugal 1998: Fundação da Skysoft Génese no sector Aeronáutico Depois expansão para outros sectores 2005: Integração no Grupo GMV Novas sinergias

Leia mais