PLANO DE ESTUDOS - HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL 6º ANO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PLANO DE ESTUDOS - HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL 6º ANO"

Transcrição

1 PLANO DE ESTUDOS - HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL 6º ANO O aluno, no final do 6º ano, deve ser capaz de: Conhecer e compreender as características do império português dos séculos XVII e XVIII Conhecer e compreender as características do poder político no tempo de D. João V Conhecer a sociedade portuguesa no século XVIII Conhecer aspetos da arte no tempo de D. João V Conhecer e compreender a ação governativa do Marquês de Pombal Conhecer e compreender a revolução francesa e as invasões napoleónicas Conhecer e compreender a Revolução Liberal de 1820 Conhecer e compreender as consequências da Revolução Liberal de 1820 Conhecer o longo processo de afirmação da Monarquia Liberal Conhecer e compreender o processo de modernização das atividades produtivas portuguesas na segunda metade do século XIX Conhecer o desenvolvimento das vias de comunicação e dos meios de transporte operado pela Regeneração e os seus efeitos Conhecer e compreender o alcance das medidas tomadas pelos liberais na educação e na justiça Conhecer e compreender o aumento da população e o êxodo rural verificado na segunda metade do século XIX Conhecer e compreender as características da sociedade e a vida quotidiana nas cidades e nos campos na segunda metade do século XIX Conhecer as características da arte da segunda metade do século XIX Conhecer e compreender as razões da queda da monarquia constitucional Conhecer e compreender o funcionamento do regime da 1.ª República e os seus símbolos Conhecer as principais realizações da 1.ª República Conhecer e compreender os motivos do fim da 1.ª República e a instauração da ditadura militar em 1926 Compreender a ascensão de Salazar e a construção do Estado Novo Conhecer e compreender os mecanismos de difusão dos ideais do Estado Novo e de repressão para com os opositores Conhecer e compreender os principais movimentos de resistência ao Estado Novo Conhecer e compreender a manutenção do colonialismo português e a Guerra Colonial Conhecer e compreender as causas do golpe militar do 25 de Abril de 1974 Conhecer e compreender as consequências do 25 de Abril de 1974 ao nível da democratização do regime e da descolonização Conhecer os órgãos de poder democráticos Analisar algumas conquistas, dificuldades e desafios que Portugal enfrenta no nosso tempo Conhecer a União Europeia (UE) como uma das organizações internacionais em que Portugal se integra Conhecer outras organizações internacionais em que Portugal se integra Compreender a importância dos recenseamentos na recolha de informação sobre a população Conhecer a evolução da população em Portugal e compreender a sua relação com o crescimento natural Compreender o contributo do saldo migratório na evolução da população em Portugal Compreender a distribuição da população em Portugal Conhecer a evolução da população portuguesa por grupos etários Conhecer e compreender as consequências do duplo envelhecimento da população em Portugal Compreender as características da população rural e urbana e os seus modos de vida24 Compreender a desigual dinâmica populacional das áreas rurais e das áreas urbanas Compreender a atratividade exercida pelas áreas urbanas Conhecer a repartição das atividades económicas por setores Compreender a evolução da distribuição da população por setores de atividade em Portugal Conhecer e compreender as características da agricultura em Portugal Compreender a importância da floresta em Portugal Compreender a atividade piscatória em Portugal Compreender a evolução da indústria em Portugal Compreender a crescente importância das energias renováveis em Portugal Compreender o comércio em Portugal

2 Compreender a crescente importância dos serviços entre as atividades económicas em Portugal Compreender a importância dos transportes na sociedade atual Conhecer e compreender a importância das telecomunicações na sociedade atual Compreender a desigual distribuição da prática do lazer e do turismo a nível nacional Compreender a importância da preservação do património 1.º PERÍODO DOMÍNIO 1 - PORTUGAL NO SÉCULO XVIII E O TRIUNFO DOS LIBE- RAIS 1.1. O açúcar do Brasil Reconhecer a importância económica do açúcar, no século XVII. Relacionar o aumento da produção de açúcar no Brasil com a entrada de colonos e escravos. Identificar as diferentes tarefas dos colonos no Brasil. Identificar a origem dos escravos e as condições desumanas do tráfico negreiro. Referir as condições de vida dos escravos. Referir o papel desempenhado pelos missionários na luta contra a escravatura. 1.2 O ouro do Brasil Relacionar a procura do ouro com a exploração do interior brasileiro. Referir como as enormes quantias de ouro chegadas ao Reino aumentaram os rendimentos do rei D. João V. Relacionar a exploração das minas de ouro com a intensificação de migrações para o interior do Brasil, com o povoamento e com o alargamento das fronteiras brasileiras. Identificar a extensão do Império Português no século XVIII A sociedade no tempo de D. João V 1.4. A ação do Marquês de Pombal 2.1 As invasões francesas 2.2. A Revolução Liberal de 1820 Referir o poder absoluto do rei D. João V. Identificar manifestações de luxo na corte de D. João V. Identificar características da arte barroca, espelho do luxo da sociedade do século XVIII. Referir a influência do clero. Identificar a Inquisição e os seus métodos. Relacionar as cerimónias públicas com manifestações de poder do rei e também do clero. Identificar a monumentalidade das construções deste reinado. Identificar a dimensão destrutiva do terramoto de Referir as medidas tomadas pelo Marquês de Pombal para a reconstrução de Lisboa, após o terramoto de Identificar características da Lisboa pombalina. Interpretar e selecionar informação. Apontar as medidas drásticas tomadas pelo Marquês de Pombal para controlar o poder político. Referir algumas das medidas pombalinas para desenvolver as atividades económicas. Identificar um esbatimento nas diferenças sociais provocado pelas medidas do Marquês de Pombal. Apontar medidas para reformar o ensino. Situar no espaço e no tempo a realidade em estudo. Identificar as novas ideias políticas nascidas com a Revolução Francesa. Referir as razões que estão na origem das Invasões Francesas. Indicar a reação do príncipe regente e da corte. Identificar o itinerário e as datas das várias invasões francesas. Referir a resistência feita pelos populares aos invasores franceses. Apontar o efeito destruidor das invasões. Referir a colaboração inglesa no desfecho das invasões. Indicar as razões que conduziram à Revolução Liberal. Referir antecedentes da Revolução Liberal. Apontar mudanças trazidas pela revolução de 1820, no Porto. Caracterizar o regime liberal: o A primeira Constituição;

3 3 - PORTUGAL NA SEGUNDA METADE DO SÉCULO XIX 2.3. A guerra civil entre liberais e absolutistas 3.1 Mudanças nos transportes, nas comunicações, no ensino e na justiça 3.2. Mudanças na agricultura 3.3. Aumento da população e saída dos campos 3.4. A vida quotidiana no campo 3.5. Mudanças na indústria 3.6. A vida quotidiana na cidade o Liberdade e igualdade; o A divisão dos poderes. Apontar as implicações da abertura dos portos do Brasil. Referir o papel de D. Pedro, o liberal, na independência do Brasil. Referir a diminuição da área dominada pelos portugueses, após a independência do Brasil. Identificar as razões que estão na origem da guerra civil. Identificar situações de perseguição e resistência dos liberais. Referir o desenrolar dos acontecimentos mais importantes. Identificar as dificuldades em que se encontrava o País, nesta época. Identificar a expansão das novas vias e meios de transporte: estradas; caminhos-de-ferro. Relacionar a maior facilidade de circulação de pessoas e mercadorias com o desenvolvimento económico. Identificar progressos nos transportes marítimos. Referir as alterações provocadas pela expansão dos transportes. Identificar novos meios de comunicação. Referir as alterações provocadas pela expansão dos meios de comunicação. Identificar as principais medidas tomadas nos três graus de ensino. Apontar influências das ideias liberais na aplicação da justiça. Apontar medidas tomadas pelo governo liberal para modernizar a agricultura. Identificar as causas do aumento do número de proprietários. Inferir que as explorações agrícolas, para terem lucros, precisam de recorrer à publicidade. Relacionar o processo de ocupação dos baldios com o aumento das áreas cultivadas. Identificar as novas culturas que permitem um aproveitamento mais intenso das áreas cultivadas. Identificar algumas novas técnicas introduzidas na agricultura. Relacionar o aumento da população com a diminuição do número de mortes. Identificar o ritmo de crescimento da população no século XIX. Relacionar o êxodo rural com as transformações ocorridas no campo. Relacionar a emigração com a abolição da escravatura, a falta de mão-de-obra no Brasil e as dificuldades vividas no campo. Relacionar a emigração com o alargamento da área dominada em África. Caracterizar a alimentação da população rural. Referir a precariedade da vida e da casa dos camponeses pobres. Enumerar diferentes trabalhos dos camponeses. Identificar algumas distrações da população rural. Caracterizar o trabalho artesanal. Apontar as potencialidades da máquina a vapor. Caracterizar o modo de produção fabril. Referir a necessidade de intensificar a exploração mineira. Relacionar o número de máquinas a vapor com a evolução da indústria. Localizar os principais centros industriais do país, apontando as razões dessa localização. Identificar alterações na paisagem causadas pela instalação das fábricas. Identificar algumas atividades da burguesia e das classes populares. Apontar contrastes no modo de vida quanto a: o Vestuário o Alimentação

4 3.7. Modernização das cidades o Habitação o Distrações Identificar novas distrações urbanas. Identificar novos serviços característicos dos grandes centros urbanos modernos. Relacionar as novas necessidades da população urbana em expansão com construções desta época. Indicar algumas características da arquitetura desta época. Identificar autores e obras de pintura, cerâmica e literatura desta época. Referir a grande divulgação da imprensa. 2.º PERÍODO DOMÍNIO 4 - A REVOLUÇÃO REPUBLICANA 5 - OS ANOS DA DITADURA 6 - O 25 DE ABRIL E A CONSTRUÇÃO DA DEMOCRACIA 4.1 A queda da monarquia Distinguir regime monárquico de regime republicano. Enumerar as razões que levaram à queda da Monarquia: o Falta de medidas adequadas; o A questão africana e o Ultimato; o Promessas do Partido Republicano; o Revoltas e violência. Indicar como ficou assegurada a sucessão ao trono, após o regicídio. Apontar os principais acontecimentos que conduziram à instauração da república A 1.ª República Identificar o pendor parlamentar do regime republicano na Constituição de Identificar alterações na política de educação. Referir o aparecimento de novas leis do trabalho resultantes da pressão do movimento operário. Apontar razões que conduziram à participação de Portugal na 1.ª Guerra Mundial. Referir a importância da defesa dos direitos portugueses em África. Caracterizar o clima de instabilidade económica, social e política que conduziu ao final da 1.ª República O golpe militar de 28 de maio de Salazar e o Estado Novo 5.3. Em África, a Guerra Colonial 6.1. O 25 de abril de 1974 Identificar as características da ditadura de1926 a Apontar o papel desempenhado por Salazar no saneamento financeiro do País. Referir as grandes obras públicas empreendidas na época salazarista. Identificar as características da ditadura salazarista. o Um partido único; o A PIDE; o A censura; o A propaganda política. Referir os diferentes aspetos da ditadura salazarista. Apontar a existência de movimentos organizados de resistência ao Estado Novo, até ao fim da 2.ª Guerra Mundial. Identificar diferentes movimentos de oposição num país e num mundo em mudança. Referir a intensificação dos protestos contra a ditadura, nos anos 70. Identificar os objetivos da luta dos povos africanos. Inferir os custos materiais e humanos da guerra em África. Identificar as causas que levaram à ação militar do 25 de abril. Identificar valores éticos patentes em ações individuais e coletivas. Referir os objetivos do programa do MFA. Referir a adesão popular à democracia. Referir o desentendimento entre forças políticas e militares.

5 6.2. A independência das colónias portuguesas 6.3. A construção da democracia Relacionar o movimento do 25 de abril com o fim da ditadura. Apontar a independência das colónias portuguesas como uma consequência do 25 de abril. Referir as consequências da descolonização para Portugal. Identificar os princípios democráticos consignados na Constituição de Identificar os órgãos de poder central. o Assembleia da República; o Governo. Identificar os órgãos de poder local. 3.º PERÍODO DOMÍNIO 7 - A POPULAÇÃO PORTUGUESA NO INÍCIO DO SÉCULO XXI 8 - OS LUGARES ONDE VIVEMOS 9 - AS ATIVIDADES ECONÓMICAS 7.1 A população portuguesa no início do século XXI 7.2. Características da população portuguesa 7.3. Distribuição da população portuguesa Referir a evolução da população absoluta portuguesa ao longo do século XX. Referir os fatores que influenciam a evolução da população. Identificar o crescimento natural como resultante da relação entre o número de nascimentos e o número de mortes. Referir a diminuição da natalidade ao longo do século XX e razões dessa variação. Referir a diminuição da mortalidade ao longo do século XX e razões dessa variação. Identificar a evolução da emigração ao longo do século XX. Referir as principais razões da emigração portuguesa. Referir a evolução do número de imigrantes nas últimas décadas. Identificar os países de origem dos imigrantes. Identificar os três grupos etários da população portuguesa. Referir a variação do número de pessoas do sexo masculino e feminino nos três grupos etários. Referir o atual envelhecimento da população portuguesa. Aplicar o conceito de densidade populacional. Referir os contrastes na distribuição da população portuguesa. Justificar as diferentes densidades populacionais. Diferenciar áreas atrativas de áreas repulsivas. 8.1 A vida no campo Distinguir povoamento rural agrupado de povoamento rural disperso. Caracterizar a casa rural do Norte e a do Sul. Relacionar a existência de equipamentos coletivos com a melhoria das condições de vida das populações. Caracterizar o modo de vida no campo. Referir os principais problemas da população rural A vida na cidade e os seus problemas 9.1. Os setores de atividade Referir a concentração de centros urbanos no litoral. Distinguir diferentes tipos de habitação na cidade. Identificar os principais equipamentos coletivos que servem a população urbana. Caracterizar o modo de vida na cidade. Referir os principais problemas da população urbana. Distinguir população ativa de população não ativa. Referir as diferentes atividades dos três setores de atividade. Distinguir atividades produtivas de atividades não produtivas. Identificar as principais culturas agrícolas, espécies de gado e espécies florestais existentes em Portugal. Referir as novas apostas da agricultura portuguesa. Identificar os principais portos piscatórios e principais espécies de pescado de Portugal Continental. Identificar as principais atividades do setor secundário. Referir as principais indústrias transformadoras existentes em Portugal. Referir a maior concentração de indústrias no litoral e razões dessa localização. Referir as novas apostas das atividades do setor secundário. Identificar as principais atividades do setor terciário.

6 10 - O MUNDO MAIS PERTO DE NÓS 9.2. O turismo e as áreas de proteção da Natureza Transportes e comunicações Organizações a que Portugal pertence Referir algumas atividades dos serviços. Identificar algumas características do comércio, na atualidade. Inferir a importância da publicidade. Identificar diferentes tipos de atividades de lazer. Referir a riqueza do património natural e cultural de Portugal que o torna turisticamente atrativo. Referir as potencialidades e a diversidade turística do nosso País. Referir a necessidade de criação de áreas de proteção à Natureza. Indicar os objetivos que estão na base da criação dessas áreas. Localizar as principais áreas protegidas em Portugal e indicar a sua riqueza natural. Referir que a distância-custo depende do meio de transporte. Indicar vantagens e desvantagens do transporte rodoviário. Localizar as principais estradas que cruzam o espaço português. Referir as vantagens do transporte ferroviário. Identificar os contrastes na distribuição da rede ferroviária no espaço português. Referir a maior vocação do transporte marítimo para o transporte de mercadorias. Localizar os principais portos de Portugal Continental. Referir a maior vocação do transporte aéreo para o transporte de passageiros. Localizar os principais aeroportos de Portugal Continental. Referir o grande crescimento das telecomunicações e a sua constante modernização. Referir o progressivo alargamento que foi tendo a União Europeia. Referir os principais objetivos da União Europeia. Referir símbolos da UE. Referir os principais objetivos da ONU e alguns dos seus organismos. Identificar os países-membros da CPLP.

7 Estratégias / atividades: Motivação/introdução à unidade com análise de gravuras, mapas e texto. Aprofundamento dos conteúdos através da leitura e interpretação dos textos e documentos. Leitura e interpretação de gráficos e tabelas. Leitura de excertos de livros. Visualização de pequenos filmes. Utilização de recursos multimédia variados. Instrumentos de avaliação: Avaliação diagnóstica, formativa e sumativa. Trabalhos de investigação (individuais e coletivos). Caderno diário. Grelhas de observação direta. Critérios de avaliação: aprovados em departamento Nota Global = 85% Conhecimento + 15% Atitudes e Valores Conhecimento Testes (peso 1) Mini Testes (peso 0,5) Testes Finais (peso 1,5) Trabalho de aula e participação Oral (peso 0,5) Projetos (peso de 0,25 a 1) Trabalhos de casa (peso de 0,25) Atitudes e Valores Participação 1 Empenho 2 Comportamento 3 1 Dependerá da participação do aluno na aula, quer oralmente quer na realização das tarefas propostas no decorrer da mesma (nomeadamente do ritmo de trabalho). 2 Dependerá do esforço e interesse revelados pelo aluno, consubstanciado na realização dos trabalhos de casa, na manutenção de um bom caderno diário, no cumprimento com o material, na apresentação de trabalhos facultativos/produto de estudo, no cumprimento de prazos de entrega de trabalhos e na pontualidade. 3 Dependerá do cumprimento das regras da escola, numa postura de respeito para com os professores, funcionários e colegas.

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO ( Aprovados em Conselho Pedagógico de 15 outubro de 2013 ) No caso específico da disciplina de História e Geografia de Portugal, do 6ºano de escolaridade, a avaliação

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AGUALVA MIRA SINTRA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AGUALVA MIRA SINTRA MANUAL ADOTADO: HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL HGP 6º ANO AUTORES: ANA OLIVEIRA/ FRANCISCO CANTANHEDE EDITORA: TEXTO EDITORES 6º ANO ANO LETIVO 2013-2014 1º Período Subtema Conteúdos Conceitos Operacionalização

Leia mais

Plano Curricular de História e Geografia de Portugal - 2º Ciclo - 6º ano - Ano lectivo 2014/2015

Plano Curricular de História e Geografia de Portugal - 2º Ciclo - 6º ano - Ano lectivo 2014/2015 Plano Curricular de História e Geografia de Portugal - 2º Ciclo - 6º ano - Ano lectivo 2014/2015 Domínios Subdomínios-Objectivos Gerais Descritores Nº Aulas I.Portugal do século XVIII ao século XIX 1.

Leia mais

Escola Básica e Secundária das Lajes do Pico História e Geografia de Portugal 2º Ciclo Ano Lectivo 2007/2008

Escola Básica e Secundária das Lajes do Pico História e Geografia de Portugal 2º Ciclo Ano Lectivo 2007/2008 Escola Básica e Secundária das Lajes do Pico História e Geografia de Portugal 2º Ciclo Ano Lectivo 2007/2008 Conteúdos Ano Lectivo Período Lectivo Tema A-A península Ibérica: dos primeiros povos à formação

Leia mais

Escola Secundária com 2.º e 3.º ciclos Anselmo de Andrade. Critérios de Avaliação / Planificação 6.º Ano - HGP Grupo 400 História Ano Letivo 2014/15

Escola Secundária com 2.º e 3.º ciclos Anselmo de Andrade. Critérios de Avaliação / Planificação 6.º Ano - HGP Grupo 400 História Ano Letivo 2014/15 Domínio/ Tema/unidade História de Portugal Subdomínio/ conteúdos Compreensão da espacialidade Temporalidade Metas de aprendizagem intermédias Meta 1 O aluno traça, em diferentes representações cartográficas,

Leia mais

Agrupamento de Escolas Agualva-Mira Sintra Planificação anual 2013/2014

Agrupamento de Escolas Agualva-Mira Sintra Planificação anual 2013/2014 Agrupamento de Escolas Agualva-Mira Sintra Planificação anual 2013/2014 Departamento Curricular de Ciências Sociais e Humanas Disciplina de História Ano:8º Temas Conteúdos Conceitos E : Expansão e Mudança

Leia mais

Total aulas previstas

Total aulas previstas ESCOLA BÁSICA 2/3 DE MARTIM DE FREITAS Planificação Anual de História do 7º Ano Ano Lectivo 2011/2012 LISTAGEM DE CONTEÚDOS TURMA Tema 1.º Período Unidade Aulas Previas -tas INTRODUÇÃO À HISTÓRIA: DA ORIGEM

Leia mais

Escola Básica e secundária da Graciosa Departamento de Ciências Sociais e Humanas. Planificação anual de Geografia 8º ano

Escola Básica e secundária da Graciosa Departamento de Ciências Sociais e Humanas. Planificação anual de Geografia 8º ano Escola Básica e secundária da Graciosa Departamento de Ciências Sociais e Humanas Planificação anual de Geografia 8º ano CONTEÚDOS Aulas (45 min) Período letivo 1. a unidade Evolução da população Indicadores

Leia mais

COLÉGIO ESTADUAL CESAR STANGE EFM.

COLÉGIO ESTADUAL CESAR STANGE EFM. COLÉGIO ESTADUAL CESAR STANGE EFM. PLANO DE TRABALHO DOCENTE - 2012 Professora: Ana Claudia Martins Ribas Disciplina: História - 8º ano -Fundamental 1º BIMESTRE Conteúdos Básicos: -Povos, Movimentos e

Leia mais

ANUALIZAÇÃO 2015/2016

ANUALIZAÇÃO 2015/2016 ESCOLA EB 3,3/S DE VILA FLOR HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL 6º ANO ANUALIZAÇÃO 2015/2016 OBJETIVOS CONTEÚDOS AVALIAÇÃO GESTÃO LETIVA (POR PERÍODO) - Conhecer a sociedade portuguesa no século XVIII -

Leia mais

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL 2º CICLO HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL 5.º ANO Documento(s) Orientador(es): Programa de História e Geografia de Portugal

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO DE AMORA

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO DE AMORA ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO DE AMORA Ano Letivo 2014/2015 I - AVALIAÇÃO: Escola Secundária com 3º Ciclo do Ensino Básico de Amora 1. Domínios de avaliação, parâmetros e ponderações I Domínio dos Conhecimentos

Leia mais

1º ano. A reconquista ibérica e as grandes navegações Capítulo 10: Item 2 A revolução comercial Capítulo 12: Item 3 O Novo Mundo Capítulo 10: Item 2

1º ano. A reconquista ibérica e as grandes navegações Capítulo 10: Item 2 A revolução comercial Capítulo 12: Item 3 O Novo Mundo Capítulo 10: Item 2 1º ano O absolutismo e o Estado Moderno Capítulo 12: Todos os itens A reconquista ibérica e as grandes navegações Capítulo 10: Item 2 A revolução comercial Capítulo 12: Item 3 O Novo Mundo Capítulo 10:

Leia mais

5.1 Planificação a médio prazo. 1. A Revolução Americana, uma revolução fundadora. 28 aulas

5.1 Planificação a médio prazo. 1. A Revolução Americana, uma revolução fundadora. 28 aulas 5.1 Planificação a médio prazo 28 aulas Conteúdos programáticos Segundo o Programa Oficial (março de 2001) TH11 Parte 2 (pp.) Saberes/Aprendizagens 1. A Revolução Americana, uma revolução fundadora 1.1.

Leia mais

Cidade e desigualdades socioespaciais.

Cidade e desigualdades socioespaciais. Centro de Educação Integrada 3º ANO GEOGRAFIA DO BRASIL A Produção do Espaço Geográfico no Brasil nas economias colonial e primário exportadora. Brasil: O Espaço Industrial e impactos ambientais. O espaço

Leia mais

PLANO DE ENSINO DE HISTÓRIA 5ª. SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL 1º BIMESTRE

PLANO DE ENSINO DE HISTÓRIA 5ª. SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL 1º BIMESTRE PLANO DE ENSINO DE HISTÓRIA 5ª. SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL 1º BIMESTRE - Sistemas sociais e culturais de notação de tempo ao longo da história, - As linguagens das fontes históricas; - Os documentos escritos,

Leia mais

E GEOGRAFIA DE PORTUGAL

E GEOGRAFIA DE PORTUGAL Metas Curriculares 2.º Ciclo do Ensino Básico HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL Equipa: Ana Isabel Ribeiro Adélia Nobre Nunes João Paulo Avelãs Nunes António Campar de Almeida Pedro José Paiva da Cunha

Leia mais

8º ANO 1º PERÍODO 2012-2013 TEMA E EXPANSÃO E MUDANÇA NOS SÉCULOS XV E XVI E.1. O EXPANSIONISMO EUROPEU

8º ANO 1º PERÍODO 2012-2013 TEMA E EXPANSÃO E MUDANÇA NOS SÉCULOS XV E XVI E.1. O EXPANSIONISMO EUROPEU 8º ANO 1º PERÍODO 2012-2013 TEMA E EXPANSÃO E MUDANÇA NOS SÉCULOS XV E XVI E.1. O EXPANSIONISMO EUROPEU -Da crise económica à recuperação:. As dificuldades do séc. XIV;. A Europa no séc. XV. - Origens

Leia mais

1º ano. 1º Bimestre. Revolução Agrícola Capítulo 1: Item 5 Egito - política, economia, sociedade e cultura - antigo império

1º ano. 1º Bimestre. Revolução Agrícola Capítulo 1: Item 5 Egito - política, economia, sociedade e cultura - antigo império Introdução aos estudos de História - fontes históricas - periodização Pré-história - geral - Brasil As Civilizações da Antiguidade 1º ano Introdução Capítulo 1: Todos os itens Capítulo 2: Todos os itens

Leia mais

História. baseado nos Padrões Curriculares do Estado de São Paulo

História. baseado nos Padrões Curriculares do Estado de São Paulo História baseado nos Padrões Curriculares do Estado de São Paulo 1 PROPOSTA CURRICULAR DA DISCIPLINA DE HISTÓRIA Middle e High School 2 6 th Grade A vida na Grécia antiga: sociedade, vida cotidiana, mitos,

Leia mais

Planificação Anual. Professor: José Pinheiro Disciplina: História e Geografia de Portugal Ano: 5.º Turmas: B Ano letivo: 2014-2015

Planificação Anual. Professor: José Pinheiro Disciplina: História e Geografia de Portugal Ano: 5.º Turmas: B Ano letivo: 2014-2015 Planificação Anual Professor: José Pinheiro Disciplina: História e Geografia de Portugal Ano: 5.º Turmas: B Ano letivo: 2014-2015 UNIDADE DIDÁTICA: TEMA A: DOS PRIMEIROS POVOS À FORMAÇÃO DO REINO DE PORTUGAL.

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA ENSINO MÉDIO ÁREA CURRICULAR: CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS DISCIPLINA: HISTÓRIA SÉRIE 1.ª CH 68 ANO 2012 COMPETÊNCIAS:. Compreender

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA QUINTA DO CONDE Escola Básica Integrada/JI da Quinta do Conde. Departamento de Ciências Humanas e Sociais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA QUINTA DO CONDE Escola Básica Integrada/JI da Quinta do Conde. Departamento de Ciências Humanas e Sociais HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL Distribuição dos tempos letivos disponíveis para o 5 º ano de escolaridade 1º Período 2º Período 3º Período *Início:15-21 de setembro 2015 *Fim:17 dezembro 2015 *Início:4

Leia mais

AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE PINHEIRO ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE PINHEIRO

AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE PINHEIRO ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE PINHEIRO AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE PINHEIRO ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE PINHEIRO CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS - HISTÓRIA 8º Ano Turma A ANO LECTIVO 2011/2012 Disciplina 1º Período Nº de aulas previstas 38

Leia mais

Construção do Espaço Africano

Construção do Espaço Africano Construção do Espaço Africano Aula 2 Colonização Para melhor entender o espaço africano hoje, é necessário olhar para o passado afim de saber de que forma aconteceu a ocupação africana. E responder: O

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES. Análise de informação do manual. Filmes educativos

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES. Análise de informação do manual. Filmes educativos ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES 3º C.E.B. DISCIPLINA: História ANO: 8º ANO LECTIVO 2010/2011 COMPETÊNCIAS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS ACTIVIDADES ESTRATÉGIAS AULAS PREVISTAS INSTRUMENTOS DE

Leia mais

MINERAÇÃO E REVOLTAS NO BRASIL COLONIAL

MINERAÇÃO E REVOLTAS NO BRASIL COLONIAL MINERAÇÃO E REVOLTAS NO BRASIL COLONIAL Portugal: crises e dependências -Portugal: acordos comerciais com a Inglaterra; -Exportação de produtos brasileiros; -Tratado de Methuen: redução fiscal para os

Leia mais

FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS CURSO DE DIREITO VESTIBULAR 2009 PROVA DE HISTÓRIA. Fase 1

FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS CURSO DE DIREITO VESTIBULAR 2009 PROVA DE HISTÓRIA. Fase 1 FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS CURSO DE DIREITO VESTIBULAR 2009 PROVA DE HISTÓRIA Fase 1 Novembro 2008 INTRODUÇÃO Na prova de História de 2009 foi possível concretizar vários dos objetivos do programa do Vestibular.

Leia mais

1º ano. I. O Surgimento do Estado e a Organização de uma Sociedade de Classes

1º ano. I. O Surgimento do Estado e a Organização de uma Sociedade de Classes Africana: África como berço da humanidade Capítulo 1: Item 1 Européia Capítulo 1: Item 2 Asiática Capítulo 1: Item 2 Americana Capítulo 1: Item 3 Arqueologia Brasileira Capítulo 1: Item 4 A paisagem e

Leia mais

Prova Escrita de Geografia A

Prova Escrita de Geografia A Exame Nacional do Ensino Secundário Decreto-Lei n.º 74/004, de 6 de Março Prova Escrita de Geografia A 0.º e.º Anos de Escolaridade Prova 79/.ª Fase 0 Páginas Duração da Prova: 0 minutos. Tolerância: 30

Leia mais

PLANIFICAÇÃO - CURSO PROFISSIONAL DE NÍVEL SECUNDÁRIO

PLANIFICAÇÃO - CURSO PROFISSIONAL DE NÍVEL SECUNDÁRIO MÓDULO MOBILIDADE PESSOAS/ BENS TURISMO NO MUNDO ATUAL MÓDULO 1 PORTUGAL A POPULAÇÃO AS ÁREAS URBANAS AS ÁREAS RURAIS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOÃO DA SILVA CORREIA ANO LETIVO 201-2015 PLANIFICAÇÃO - CURSO

Leia mais

1) Em novembro de 1807, a família real portuguesa deixou Lisboa e, em março de 1808, chegou ao Rio de Janeiro. O acontecimento pode ser visto como:

1) Em novembro de 1807, a família real portuguesa deixou Lisboa e, em março de 1808, chegou ao Rio de Janeiro. O acontecimento pode ser visto como: 1) Em novembro de 1807, a família real portuguesa deixou Lisboa e, em março de 1808, chegou ao Rio de Janeiro. O acontecimento pode ser visto como: a) incapacidade dos Braganças de resistirem à pressão

Leia mais

ln\ ! ' I. i Actualidade A/462363

ln\ ! ' I. i Actualidade A/462363 ln\ 1! ' I. i A/462363 Actualidade Das Origens à Reconquista Cristã ( 1095) 3 Das Origens à Reconquista Cristã 5 A localização da Península Ibérica 5 A vegetação natural 5 Os rios 5 O clima ibérico 6 O

Leia mais

1º - Foi um movimento liderado pela BURGUESIA contra o regime absolutista. 2º - Abriu espaço para o avanço do CAPITALISMO.

1º - Foi um movimento liderado pela BURGUESIA contra o regime absolutista. 2º - Abriu espaço para o avanço do CAPITALISMO. APRESENTAÇÃO Aula 08 3B REVOLUÇÃO FRANCESA Prof. Alexandre Cardoso REVOLUÇÃO FRANCESA Marco inicial da Idade Contemporânea ( de 1789 até os dias atuais) 1º - Foi um movimento liderado pela BURGUESIA contra

Leia mais

O Mundo industrializado no século XIX

O Mundo industrializado no século XIX O Mundo industrializado no século XIX Novas fontes de energia; novos inventos técnicos: Por volta de 1870, deram-se, em alguns países, mudanças importantes na indústria. Na 2ª Revolução Industrial as indústrias

Leia mais

HISTÓRIA-2009 2ª FASE 2009

HISTÓRIA-2009 2ª FASE 2009 Questão 01 UFBA - -2009 2ª FASE 2009 Na Época Medieval, tanto no Oriente Médio, quanto no norte da África e na Península Ibérica, muçulmanos e judeus conviviam em relativa paz, fazendo comércio e expressando,

Leia mais

Projetos - Rotas de aprendizagem

Projetos - Rotas de aprendizagem Projetos - Rotas de aprendizagem Subdomínio: A dinâmica do litoral 1/2 Quinzenas (3.º período) 1) Distinguir litoral de linha de costa. 2) Distinguir costa de arriba de costa de praia e duna. 3) Explicar

Leia mais

Imperialismo dos EUA na América latina

Imperialismo dos EUA na América latina Imperialismo dos EUA na América latina 1) Histórico EUA: A. As treze colônias, colonizadas efetivamente a partir do século XVII, ficaram independentes em 1776 formando um só país. B. Foram fatores a emancipação

Leia mais

O candidato deverá demonstrar uma visão globalizante do processo transformacional

O candidato deverá demonstrar uma visão globalizante do processo transformacional CIÊNCIAS HUMANAS (HISTÓRIA/ATUALIDADES/GEOGRAFIA) O candidato deverá demonstrar uma visão globalizante do processo transformacional das sociedades através dos tempos, observando os fatores econômico, histórico,

Leia mais

FORMAÇÃO DO TERRITORIO BRASILEIRO. Prof. Israel Frois

FORMAÇÃO DO TERRITORIO BRASILEIRO. Prof. Israel Frois FORMAÇÃO DO TERRITORIO BRASILEIRO Prof. Israel Frois SÉCULO XV Território desconhecido; Era habitado por ameríndios ; Natureza praticamente intocada Riqueza imediata: Pau-Brasil (Mata Atlântica) Seus limites

Leia mais

CENTRO DE EDUCAÇÃO INTEGRADA Educando para o pensar Tema Integrador 2013 / Construindo o amanhã: nós agimos, o planeta sente CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS

CENTRO DE EDUCAÇÃO INTEGRADA Educando para o pensar Tema Integrador 2013 / Construindo o amanhã: nós agimos, o planeta sente CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS CENTRO DE EDUCAÇÃO INTEGRADA Educando para o pensar Tema Integrador 2013 / Construindo o amanhã: nós agimos, o planeta sente CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS CIÊNCIAS HUMANAS 3º ANO FILOSOFIA FILOSOFIA NA HISTÓRIA

Leia mais

Plano de Estudo da disciplina de GEOGRAFIA 2014-2015. 3º Ciclo 8º Ano. (Decreto-Lei nº 139/2012 de 5 de julho) 2014-2015

Plano de Estudo da disciplina de GEOGRAFIA 2014-2015. 3º Ciclo 8º Ano. (Decreto-Lei nº 139/2012 de 5 de julho) 2014-2015 Plano de Estudo da disciplina de GEOGRAFIA 204-205 º Ciclo 8º Ano (Decreto-Lei nº 9/202 de 5 de julho) Organização e gestão do currículo Avaliação dos conhecimentos a adquirir e das capacidades a desenvolver

Leia mais

EUROPA NO SÉCULO XIX. http://historiaonline.com.br

EUROPA NO SÉCULO XIX. http://historiaonline.com.br EUROPA NO SÉCULO XIX A INGLATERRA NO SÉCULO XIX: Era Vitoriana (1837-1901): Hegemonia marítima inglesa. Fortalecimento do poder político da burguesia. Expansão da economia industrial 2ª Revolução Industrial.

Leia mais

Tipos de migrações Causas e consequências Fluxos migratórios no mundo

Tipos de migrações Causas e consequências Fluxos migratórios no mundo Tipos de migrações Causas e consequências Fluxos migratórios no mundo As migrações populacionais remontam aos tempos pré históricos. O homem parece estar constantemente à procura de novos horizontes. O

Leia mais

2011/2012 Geografia 8º Ano de escolaridade

2011/2012 Geografia 8º Ano de escolaridade 2011/2012 Geografia 8º Ano de escolaridade O aumento da população ficará na história da Humanidade como o facto mais extraordinário do século XX. Há cerca de cinquenta anos estimava-se a população em cerca

Leia mais

OITAVO ANO ESINO FUNDAMENTAL II PROFESSORA: ROSE LIMA

OITAVO ANO ESINO FUNDAMENTAL II PROFESSORA: ROSE LIMA OITAVO ANO ESINO FUNDAMENTAL II PROFESSORA: ROSE LIMA http://plataformabrioli.xpg.uol.com.br/historiaresumo/2ano/epopeialusitana.pdf http://blog.msmacom.com.br/familia-real-portuguesa-quem-e-quem-na-monarquia/

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO 1º Ciclo Planificação Anual de 4º ano Ano Letivo 2015/2016 ESTUDO DO MEIO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO 1º Ciclo Planificação Anual de 4º ano Ano Letivo 2015/2016 ESTUDO DO MEIO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO 1º Ciclo Planificação Anual de 4º ano Ano Letivo 2015/2016 1.º Período ESTUDO DO MEIO Domínios Subdomínios Metas finais Conteúdos programáticos Avaliação natural

Leia mais

1. A Revolução Republicana e a Queda da Monarquia

1. A Revolução Republicana e a Queda da Monarquia 1. A Revolução Republicana e a Queda da Monarquia As principais razões que levaram à Revolução Republicana e queda da monarquia foram: Apesar do desenvolvimento industrial verificado na 2ª metade do século

Leia mais

Prova Escrita de História e Geografia de Portugal

Prova Escrita de História e Geografia de Portugal PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Decreto-Lei nº 139/2012, de 5 de julho Prova Escrita de História e Geografia de Portugal 6º Ano de Escolaridade Prova 05 / 2.ª Fase 12 Páginas Duração da Prova: 90 minutos.

Leia mais

Durante. Utilize os conteúdos multimídia para ilustrar a matéria de outras formas.

Durante. Utilize os conteúdos multimídia para ilustrar a matéria de outras formas. Olá, Professor! Assim como você, a Geekie também tem a missão de ajudar os alunos a atingir todo seu potencial e a realizar seus sonhos. Para isso, oferecemos recomendações personalizadas de estudo, para

Leia mais

Material de divulgação da Editora Moderna

Material de divulgação da Editora Moderna Material de divulgação da Editora Moderna Professor, nós, da Editora Moderna, temos como propósito uma educação de qualidade, que respeita as particularidades de todo o país. Desta maneira, o apoio ao

Leia mais

Espaço Geográfico (Tempo e Lugar)

Espaço Geográfico (Tempo e Lugar) Espaço Geográfico (Tempo e Lugar) Somos parte de uma sociedade, que (re)produz, consome e vive em uma determinada porção do planeta, que já passou por muitas transformações, trata-se de seu lugar, relacionando-se

Leia mais

João Paulo I O NORDESTE COLONIAL. Professor Felipe Klovan

João Paulo I O NORDESTE COLONIAL. Professor Felipe Klovan João Paulo I O NORDESTE COLONIAL Professor Felipe Klovan A ECONOMIA AÇUCAREIRA Prof. Felipe Klovan Portugal já possuía experiência no plantio da cana-de-açúcar nas Ilhas Atlânticas. Portugal possuía banqueiros

Leia mais

Planificação do Trabalho a desenvolver com a Turma Curso Vocacional

Planificação do Trabalho a desenvolver com a Turma Curso Vocacional Planificação do Trabalho a desenvolver com a Turma Curso Vocacional 2013 / 2014 Disciplinas Aulas Previstas Conteúdos / Temas a leccionar 1º 2º 3º 1º Período 2º Período 3º Período Critérios de Avaliação

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AGUALVA MIRA SINTRA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AGUALVA MIRA SINTRA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AGUALVA MIRA SINTRA código 171608 Escola Básica D. Domingos Jardo MANUAL ADOPTADO: HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL - HGP AUTORES: ANA OLIVEIRA/ FRANCISCO CANTANHEDE/ MARÍLIA GAGO

Leia mais

O Antigo Regime europeu: regra e exceção

O Antigo Regime europeu: regra e exceção PORTUGAL NO CONTEXTO EUROPEU DOS SÉCULOS XVII E XVII O Antigo Regime europeu: regra e exceção Meta: Conhecer e compreender o Antigo Regime europeu a nível político e social ANTIGO REGIME Regime político,

Leia mais

INFORMAÇÃO -PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DO ENSINO BÁSICO- 3º CEB

INFORMAÇÃO -PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DO ENSINO BÁSICO- 3º CEB 1. INTRODUÇÃO HISTÓRIA Prova 19 O presente documento visa divulgar as características da prova de equivalência à frequência do ensino básico, a realizar em 2015 pelos alunos que se encontram abrangidos

Leia mais

PORTUGAL: DO FINAL DO SÉCULO XIX A 1910

PORTUGAL: DO FINAL DO SÉCULO XIX A 1910 PORTUGAL: DO FINAL DO SÉCULO XIX A 1910 Antecedentes da implantação da República em Portugal O século XIX foi um período particularmente perturbado para Portugal. - A partir de 1870, o país sofreu, como

Leia mais

NOVA HISTORIA DE PORTUGAL. DIRECÇÃO DE JOEL SERRÃO e A. H. DE OLIVEIRA MARQUES PORTUGAL E A INSTAURAÇÃO DO LIBERALISMO

NOVA HISTORIA DE PORTUGAL. DIRECÇÃO DE JOEL SERRÃO e A. H. DE OLIVEIRA MARQUES PORTUGAL E A INSTAURAÇÃO DO LIBERALISMO NOVA HISTORIA DE PORTUGAL f, DIRECÇÃO DE JOEL SERRÃO e A. H. DE OLIVEIRA MARQUES Volume IX.....A354164 PORTUGAL E A INSTAURAÇÃO DO LIBERALISMO COORDENAÇÃO DE A. H. DE OLIVEIRA MARQUES POR A. H. DE OLIVEIRA

Leia mais

PROCESSO DE INDEPENDÊNCIA DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA

PROCESSO DE INDEPENDÊNCIA DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA PROCESSO DE INDEPENDÊNCIA DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA TREZE COLÔNIAS Base de ocupação iniciativa privada: Companhias de colonização + Grupos de imigrantes = GRUPOS DISTINTOS [excedente da metrópole;

Leia mais

REVOLUÇÃO FRANCESA 1789-1799

REVOLUÇÃO FRANCESA 1789-1799 REVOLUÇÃO FRANCESA 1789-1799 À procura de solução para a crise: 1787 Luís XVI convocação dos conselheiros para criação de novos impostos Acabar com a isenção fiscal do Primeiro e Segundo Estados CONSEQUÊNCIA

Leia mais

A Revoluções Burguesas na Inglaterra: o surgimento do Parlamentarismo

A Revoluções Burguesas na Inglaterra: o surgimento do Parlamentarismo A Revoluções Burguesas na Inglaterra: o surgimento do Parlamentarismo Parlamento Inglês -Rainha Elizabeth I (1558-1603) maior exemplo de poder absoluto na Inglaterra daquele tempo; - Maquiavélica; - Enquanto

Leia mais

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 PLANEJAMENTO ANUAL DE HISTÓRIA 8º ANO PROFESSOR: MÁRCIO AUGUSTO

Leia mais

Movimentos de Pré- Independência e Vinda da Família Real. História C Aula 08 Prof. Thiago

Movimentos de Pré- Independência e Vinda da Família Real. História C Aula 08 Prof. Thiago Movimentos de Pré- Independência e Vinda da Família Real História C Aula 08 Prof. Thiago Movimentos de Pré- Independência Século XVIII e XIX Crise do mercantilismo e do Estado Absolutista Hegemonia de

Leia mais

História B Aula 21. Os Agitados Anos da

História B Aula 21. Os Agitados Anos da História B Aula 21 Os Agitados Anos da Década de 1930 Salazarismo Português Monarquia portuguesa foi derrubada em 1910 por grupos liberais e republicanos. 1ª Guerra - participação modesta ao lado da ING

Leia mais

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL Documento(s) Orientador(es): Programa da disciplina e metas curriculares 3º CICLO HISTÓRIA 7º ANO TEMAS/DOMÍNIOS CONTEÚDOS

Leia mais

TEMA F.1 O IMPÉRIO PORTUGUÊS E A CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL

TEMA F.1 O IMPÉRIO PORTUGUÊS E A CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL TEMA F.1 O IMPÉRIO PORTUGUÊS E A CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL A partir de meados do séc. XVI, o Império Português do Oriente entrou em crise. Que fatores contribuíram para essa crise? Recuperação das rotas

Leia mais

O Turismo no Mundo Actual Uma Indústria Globalizante 28 37 4 abril 24 maio TOTAIS 114 152. Competências Sistematizar técnicometodológicas

O Turismo no Mundo Actual Uma Indústria Globalizante 28 37 4 abril 24 maio TOTAIS 114 152. Competências Sistematizar técnicometodológicas ESCOLA SECUNDÁRIA DE AMORA CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE TURISMO PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE GEOGRAFIA 11º ANO ANO 2014/2015 COMPONENTE DE FORMAÇÃO CIENTÍFICA 1- Elenco Modular Número Designação Duração

Leia mais

As regiões com maior e menor crescimento previsto para 2050

As regiões com maior e menor crescimento previsto para 2050 Introdução: O aumento da população ficará na história da Humanidade como o facto mais extraordinário do século XX. Há quarenta anos estimava-se a população em cerca de 3000 milhões de pessoas. Daí em diante

Leia mais

Planejamento. Ensino fundamental I 5 o ano. história Unidade 1. Ético Sistema de Ensino Planejamento Ensino fundamental I

Planejamento. Ensino fundamental I 5 o ano. história Unidade 1. Ético Sistema de Ensino Planejamento Ensino fundamental I história Unidade 1 A vinda da família real portuguesa para o Brasil Os desdobramentos sociais, políticos e econômicos da independência do Brasil Os aspectos históricos do início do Império brasileiro O

Leia mais

Lista de exercícios para pra final de História. 7ª série

Lista de exercícios para pra final de História. 7ª série Lista de exer PROVÍNCIA BRASILEIRA DA CONGREGAÇÃO DAS IRMÃS FILHAS DA CARIDADE DE SÃO VICENTE DE PAULO COLÉGIO VICENTINO SÃO JOSÉ Rua Pe. José Joaquim Goral, 182 Abranches Curitiba Fone (041) 3355-2200

Leia mais

REVOLUÇÃO FRANCESA Aulas 19 e 20 Pág. 15 P R O F ª C L E I D I V A I N E D A S. R E Z E N D E D I S C. H I S T Ó R I A / 8 º A N O

REVOLUÇÃO FRANCESA Aulas 19 e 20 Pág. 15 P R O F ª C L E I D I V A I N E D A S. R E Z E N D E D I S C. H I S T Ó R I A / 8 º A N O REVOLUÇÃO FRANCESA Aulas 19 e 20 Pág. 15 P R O F ª C L E I D I V A I N E D A S. R E Z E N D E D I S C. H I S T Ó R I A / 8 º A N O 1 - INTRODÇÃO 1789 a Bastilha (prisão) foi invadida pela população marca

Leia mais

O Concelho de Beja. Localização

O Concelho de Beja. Localização O Concelho de Beja Localização Beja, capital de distrito, situa-se na região do Baixo Alentejo, no coração da vasta planície alentejana. É sede de um dos maiores concelhos de Portugal, com cerca de 1150

Leia mais

FUNDACIÓN MAPFRE VOLUME 3_ 1890/1930 A crise do liberalismo

FUNDACIÓN MAPFRE VOLUME 3_ 1890/1930 A crise do liberalismo Cronologia 1890 11 de janeiro Ultimatum inglês, que exige a retirada das forças militares portuguesas dos territórios entre Angola e Moçambique, sob pena de corte de relações diplomáticas. 1891 31 de janeiro

Leia mais

A era dos impérios. A expansão colonial capitalista

A era dos impérios. A expansão colonial capitalista A era dos impérios A expansão colonial capitalista O século XIX se destacou pela criação de uma economia global única, caracterizado pelo predomínio do mundo industrializado sobre uma vasta região do planeta.

Leia mais

NAPOLEÃO BONAPARTE. Pode-se dividir seu governo em três partes: Consulado (1799-1804) Império (1804-1815) Governo dos Cem Dias (1815)

NAPOLEÃO BONAPARTE. Pode-se dividir seu governo em três partes: Consulado (1799-1804) Império (1804-1815) Governo dos Cem Dias (1815) NAPOLEÃO BONAPARTE 1 Profª Adriana Moraes Destaca-se política e militarmente no Período Jacobino. DIRETÓRIO Conquistas militares e diplomáticas na Europa defesa do novo governo contra golpes. Golpe 18

Leia mais

ACTIVIDADE 1. Relógio da População. TÉCNICO DE INFORMÁTICA - SISTEMAS OBJECTIVO GERAL. Saber interpretar indicadores demográficos.

ACTIVIDADE 1. Relógio da População. TÉCNICO DE INFORMÁTICA - SISTEMAS OBJECTIVO GERAL. Saber interpretar indicadores demográficos. TÉCNICO DE INFORMÁTICA - SISTEMAS MODELOS DE URBANISMO E MOBILIDADE OBJECTIVO GERAL Saber interpretar indicadores demográficos. Zaida Roques OBJECTIVOS ESPECIFICOS Conhecer os diferentes indicadores demográficos

Leia mais

GEOGRAFIA DA POPULAÇÃO

GEOGRAFIA DA POPULAÇÃO GEOGRAFIA DA POPULAÇÃO O que é População? População é um conjunto de pessoas que ocupam um determinado espaço em um período de tempo específico. Ela pode ser classificada segundo vários aspectos, como:

Leia mais

A Revolução Industrial, iniciada na Grà-Bretanha, mudou a maneira de trabalhar e de pensar das pessoas

A Revolução Industrial, iniciada na Grà-Bretanha, mudou a maneira de trabalhar e de pensar das pessoas A Revolução Industrial, iniciada na Grà-Bretanha, mudou a maneira de trabalhar e de pensar das pessoas A industrialização mudou a história do homem. O momento decisivo ocorreu no século XVIII com a proliferação

Leia mais

FORMAÇÃO DO TERRITÓRIO BRASILEIRO

FORMAÇÃO DO TERRITÓRIO BRASILEIRO FORMAÇÃO DO TERRITÓRIO BRASILEIRO É claro que o Brasil não brotou do chão como uma planta. O Solo que o Brasil hoje ocupa já existia, o que não existia era o seu território, a porção do espaço sob domínio,

Leia mais

Fichamento. Texto: O Terceiro Mundo

Fichamento. Texto: O Terceiro Mundo Fichamento Texto: O Terceiro Mundo I Descolonização e a revolução transformaram o mapa politico do globo. Consequência de uma espantosa explosão demográfica no mundo dependente da 2º Guerra Mundial, que

Leia mais

REVOLUÇÃO FRANCESA - Marco Histórico: Fim da Idade Moderna. Símbolo: Queda da Bastilha (1789). Lema: Liberdade, Fraternidade, Igualdade.

REVOLUÇÃO FRANCESA - Marco Histórico: Fim da Idade Moderna. Símbolo: Queda da Bastilha (1789). Lema: Liberdade, Fraternidade, Igualdade. REVOLUÇÃO FRANCESA REVOLUÇÃO FRANCESA - Marco Histórico: Fim da Idade Moderna. 1789 Símbolo: Queda da Bastilha (1789). Lema: Liberdade, Fraternidade, Igualdade. Influência: Iluminista. DIVISÃO SOCIAL 1º

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PAREDE

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PAREDE 1º Período: 21 de setembro a 17 de dezembro AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PAREDE Ano Letivo 2015/2016 Gestão de Conteúdos Ensino Básico Estudo do Meio / 4.º ano Domínios Subdomínios Conteúdos programáticos

Leia mais

O ANTIGO REGIME FRANCÊS ANCIEN REGIM

O ANTIGO REGIME FRANCÊS ANCIEN REGIM O ANTIGO REGIME FRANCÊS ANCIEN REGIM Organização social que vigorou na França, principalmente na época em que os reis eram absolutistas, ou seja, de meados do século XVII até a Revolução Francesa. Tal

Leia mais

Rei (controla poder moderador) além de indicar o primeiro ministro e dissolve a Câmara de Deputados Monarquia torna-se estável

Rei (controla poder moderador) além de indicar o primeiro ministro e dissolve a Câmara de Deputados Monarquia torna-se estável História do Brasil Professora Agnes (Cursinho Etec Popular de São Roque) Política Interna O SEGUNDO REINADO (1840-1889) * Apogeu da monarquia brasileira. * Centralização política e administrativa. * Pacificação

Leia mais

Geografia Por Tabata

Geografia Por Tabata Geografia Por Tabata População População Absoluta: total de habitantes de um dado lugar Ex.: China = maior população cerca 1 bilhão e 300 milhões de habitantes China = país populoso Populoso é o país que

Leia mais

PROFª CLEIDIVAINE DA S. REZENDE DISC. HISTÓRIA / 8º ANO

PROFª CLEIDIVAINE DA S. REZENDE DISC. HISTÓRIA / 8º ANO PROFª CLEIDIVAINE DA S. REZENDE DISC. HISTÓRIA / 8º ANO 1 CONTEXTO HISTÓRICO Crescimento econômico da Inglaterra no século XVIII: industrialização processo de colonização ficou fora. Ingleses se instalaram

Leia mais

CADERNO DE ATIVIDADES. História

CADERNO DE ATIVIDADES. História COLÉGIO ARNALDO 2015 CADERNO DE ATIVIDADES História Aluno (a): 4º ano: Turma: Professor (a): Valor: 20 pontos Conteúdo de Recuperação O que é História. Identificar a História como ciência. Reconhecer que

Leia mais

BREVE HISTÓRIA DO PAPEL MOEDA

BREVE HISTÓRIA DO PAPEL MOEDA BREVE HISTÓRIA DO PAPEL MOEDA A nível mundial, o primeiro papel moeda surgiu na China, no séc. VII, na dinastia Tang, para facilitar aos comerciantes o transporte de grandes quantidades de moeda de metal,

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL. Ensino Médio

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL. Ensino Médio Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL Ensino Médio ETEC Professora Nair Luccas Ribeiro Código: 156 Município: TEODORO SAMPAIO Área de conhecimento: Ciências Humanas Componente Curricular: Historia

Leia mais

Recursos para Estudo / Atividades

Recursos para Estudo / Atividades COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Programa de Recuperação Paralela 1ª Etapa 2014 Disciplina: HISTÓRIA Professora: ALESSANDRA PRADA Ano: 2º Turma: FG Caro aluno, você está recebendo o conteúdo de recuperação.

Leia mais

Estados Unidos da América. Aula I Da colonização ao século XIX

Estados Unidos da América. Aula I Da colonização ao século XIX Estados Unidos da América Aula I Da colonização ao século XIX As Teorias: Corrente asiática Estreito de Bering (beríngia). Malaio Polinésia Corrente australiana Ocupação do Continente Americano: Principais

Leia mais

II - Desenvolvimento. 1. O primeiro mundo. 2. Sociedades de consumo

II - Desenvolvimento. 1. O primeiro mundo. 2. Sociedades de consumo I - Introdução Consideram-se como Norte os países ricos ou industrializados: o primeiro Mundo ou países capitalistas desenvolvidos, em primeiro lugar e também os países mais industrializados do antigo

Leia mais

Aula 1a: Introdução à Administração do agronegócio. Agronegócio Brasileiro: História, Cenário atual e perspectivas futuras

Aula 1a: Introdução à Administração do agronegócio. Agronegócio Brasileiro: História, Cenário atual e perspectivas futuras Aula 1a: Introdução à Administração do agronegócio Agronegócio Brasileiro: História, Cenário atual e perspectivas futuras Prospecção do conhecimento Defina agronegócio Cite, conforme seu conhecimento e

Leia mais

MATRIZ DE EXAME (Avaliação em regime não presencial) Ano Letivo 2015/2016 Disciplina: História B Módulo(s): 1, 2 e 3

MATRIZ DE EXAME (Avaliação em regime não presencial) Ano Letivo 2015/2016 Disciplina: História B Módulo(s): 1, 2 e 3 Agrupamento de Escolas de Rio Tinto nº 3 Escola Secundária de Rio Tinto ENSINO SECUNDÁRIO RECORRENTE POR MÓDULOS MATRIZ DE EXAME (Avaliação em regime não presencial) Ano Letivo 2015/2016 Disciplina: História

Leia mais

C U R R I C U L A R E S Avaliação

C U R R I C U L A R E S Avaliação AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO Escola Básica e Secundária Dr. Vieira de Carvalho Departamento de Ciências Sociais e Humanas Planificação Anual de Geografia 8º ano Ano Letivo 2015/2016 Domínio/

Leia mais

AULA: 17 Assíncrona. TEMA: Cidadania e Movimentos Sociais DINÂMICA LOCAL INTERATIVA CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES HISTÓRIA

AULA: 17 Assíncrona. TEMA: Cidadania e Movimentos Sociais DINÂMICA LOCAL INTERATIVA CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES HISTÓRIA CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA AULA: 17 Assíncrona TEMA: Cidadania e Movimentos Sociais 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Conteúdos: China: dominação

Leia mais

O continente africano

O continente africano O continente africano ATIVIDADES Questão 04 Observe o mapa 2 MAPA 2 Continente Africano Fonte: . A região do Sahel, representada

Leia mais

DEPARTAMENTO DE 1º Ciclo - Grupo 110. Planificação Anual /Critérios de avaliação. Disciplina: Estudo do Meio 4.º ano 2015/2016

DEPARTAMENTO DE 1º Ciclo - Grupo 110. Planificação Anual /Critérios de avaliação. Disciplina: Estudo do Meio 4.º ano 2015/2016 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANSELMO DE ANDRADE DEPARTAMENTO DE 1º Ciclo - Grupo 110 Planificação Anual /Critérios de avaliação Disciplina: Estudo do Meio 4.º ano 2015/2016 Domínio (Unidade/ tema) Subdomínio/Conteúdos

Leia mais