- Fruit Bier como Cherry Bier e Lemon Bier: Cervejas similares com as produzidas na Bélgica hoje em dia, mas com um toque alemão.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "- Fruit Bier como Cherry Bier e Lemon Bier: Cervejas similares com as produzidas na Bélgica hoje em dia, mas com um toque alemão."

Transcrição

1 O uso do açúcar: Histórico Reinheitsgebot! Não poderia começar um texto sobre o uso de açúcar em cerveja sem comentar algo sobre a tão falada lei de pureza alemã. A Lei do consumidor mais antiga do mundo foi decretada por Guilherme IV em 1516 e baseia-se em uma tentativa de manter a qualidade da cerveja distribuída à população sem a adição de componentes como cinzas, cogumelos, raízes, derivados de animais, dentre outros possíveis agentes nocivos a saúde, utilizando-se apenas água, malte e lúpulo. Mas realmente ao promover a Lei, algumas empresas da atualidade tentam manter tal controle de qualidade quanto é demonstrado? A controvérsia começa ao vermos que na sua Lei original era inaceitável a utilização de Malte de Trigo para a produção de cervejas, pois como o trigo era também utilizado na produção de pães este último teve um aumento no seu preço devido à diminuição da sua produção e seu consumo por parte das cervejarias. Outro fato importante é que nos dias de hoje todas as cervejarias fazem controle e ajuste da sua água para produção de cerveja, mas essa adição de sais não era prevista na Lei de Pureza Alemã. Segundo os autores citados por Ron Pattinson: Verlag Leipzig e Franz Schönfeld falam sobre alguns estilos de cerveja antigos que possivelmente foram extintos com o auxílio da Lei de Pureza Alemã, dentre alguns podemos citar: - Fruit Bier como Cherry Bier e Lemon Bier: Cervejas similares com as produzidas na Bélgica hoje em dia, mas com um toque alemão. - Säuerliche Bier: Cervejas pálidas, levemente lupuladas e contendo ácido láctico, sendo produzidas com malte base mais malte de trigo na proporção de 3 a 4 para 1. - Grätzer Bier: Cervejas pálidas, com bastante lúpulo, produzida com malte de trigo e malte defumado. - Breyhan: Por algumas centenas de anos foi o estilo mais difundido na Alemanha do Norte. Pesquisas contemporâneas do estilo dizem ser semelhante ao estilo Gose, sendo produzida com malte de trigo. - Braunschweiger Mumme: Cervejas viscosas, quase pretas, alcoólicas, pouco atenuadas e bastante lupuladas. A consistência viscosa vinha de uma fervura longa e intensa, cerca de 1 hora e 30mints sem o lúpulo e mais 3 horas após a adição do lúpulo. A Lei de Pureza Alemã é a favor do uso de apenas Malte para produzir a cerveja, mas muitas cervejarias tomam isso como se fosse todo o processo de produção da cerveja, sem levar em consideração várias etapas que são

2 muitas vezes antecipadas e até mesmo forçadas para a produção de uma cerveja Puro Malte, conforme a Lei de Pureza Alemã. Você considera uma cerveja Puro Malte que realiza a fermentação em 7 dias, faz a maturação por mais 7 dias, força a carbonatação, filtra e pasteuriza a cerveja, tendo uma qualidade superior a uma cerveja com cerca de 5 a 10% de um produto para elevar a complexidade da cerveja? Muitas informações não nos são fornecidas pelas cervejarias, mas vale a atenção ao processo produtivo das cervejas que bebemos. O uso do Açúcar A utilização de açúcar em cerveja tem como base o aumento da complexidade fornecida pelo açúcar e aumento da digestibilidade da cerveja. Por digestibilidade entende-se como o equilíbrio da cerveja, tanto na relação amargordulçor quanto ao corpo (mouthfeel) da cerveja. Segundo John Palmer os dois constituintes mais importantes para o corpo da cerveja são: açúcares não fermentáveis e proteínas. Açúcares caramelizados como os açúcares dos maltes caramelos, e açúcares de cadeia longa como as dextrinas, são exemplos de açúcares não fermentáveis. As dextrinas são açúcares sem sabor específico que adicionam corpo/viscosidade para a cerveja. Malte Carared, Caraamber, Chocolate dentre outros, possuem uma quantidade maior de açúcares caramelizados devido ao processo de produção destes maltes. O potencial de densidade destes maltes é parecido com o malte base (Pilsen/Pale ale), mas solubilidade não significa que ele é fermentável. Os açúcares destes maltes não contribuem para a fermentação e geram dulçor residual, além de contribuir para uma densidade final mais alta. Já as proteínas mais importantes para o aumento do corpo de uma cerveja, são as chamadas de proteínas de tamanho médio. Durante a parada protéica as peptidases quebram as proteínas grandes em proteínas médias e as proteínas médias em proteínas pequenas. Nos maltes utilizados atualmente, a maioria das proteínas já foram convertidas em proteínas médias e proteínas pequenas, devido ao desenvolvimento dos maltes, e a realização de uma parada protéica iria reduzir ainda mais o corpo, por degradação das proteínas médias. Cito 4 motivos para a utilização de açúcares e seus derivados na produção de cervejas: 1. A produção de mosto com densidade superior a 1,070 apenas com malte é inviável e desnecessário, pois os sabores/aromas/gostos não são elevados colocando-se mais malte. 2. Diminuição da sensação de corpo adquirido em cervejas de alto teor alcoólico produzidas apenas com malte. 3. Evitar a utilização excessiva de maltes, principalmente referente a maltes especiais. 4. Atingir sabores fornecidos pelos açúcares caramelizados e que não são conseguidos através do uso de maltes, pois a reação de caramelização ocorrida com o açúcar é diferente da reação de Maillard ocorrida com os maltes, conforme explicado abaixo.

3 Reação de Maillard A reação de Maillard foi descrita em 1912 por Louis-Camille Maillard. Trata-se de uma reação que ocorre entre os aminoácidos ou proteínas e os açúcares (carboidratos) redutores. Neste contexto, quando o alimento é aquecido o grupo carbonila do carboidrato interage com o grupo amino do aminoácido ou proteína e, após várias etapas, produz melanoidinas, que dão a cor e o aspecto característicos dos alimentos cozidos ou assados. Segundo Strong Gordon (presidente do BJCP), melanoidinas são açúcares marrons de tamanhos e cores variados e que são formados na reação de Maillard, principalmente durante a fervura intensa, na decocção e também em alguns maltes especiais. Alguns autores citam que as melanoidinas não possuem sabor, mas Strong Gordon fala que são açúcares bastante complexos e que além de pouco caracterizados são de grande complexidade. Dependendo dos tipos de proteínas e açúcares que compõem o alimento, o processo produz resultados diferentes quanto a aspecto, cor e sabor, que são característicos para cada tipo de malte, além de variar conforme o tempo e a temperatura utilizada, produzindo os diversos tipos de maltes existentes. Reação de Caramelização A definição da reação de caramelização é curta: A caramelização envolve a conversão de açúcares em compostos coloridos pela hidrólise inicial em monossacarídeos seguida da polimerização deles pela influência do calor. Isso quer dizer que a hidrólise inicial estimula a produção de açúcares simples tornado o Candi Sugar claro mais fermentável e conforme sua cor vai escurecendo e seus compostos polimerizando, torna-se menos fermentável. Tipos de Açúcar: Açúcar Invertido É a sacarose (açúcar comum) que sofreu hidrólise em meio ácido (catalisado pela presença de calor), gerando dextrose e frutose. É assim chamado por fazer um feixe de luz polarizada se deslocar para a esquerda. Esses açúcares são de mais fácil digestão para o fermento. O sabor acrescentado por este tipo de açúcar é praticamente nenhum, pois não é caramelizado, mas deixa a cerveja com corpo mais leve e aumenta sua drinkability. Açúcar de Cana Dissacarídeo composto de glicose mais frutose, mas precisa ser quebrado pelo fermento para poder ser usado nas suas formas mais simples (glicose e frutose), além de inverter a sacarose caso ainda não tenha ocorrido, o que pode levar a um tempo de fermentação prolongado por alguns poucos dias. Um problema relatado do seu uso seria um padrão de cidra, mas que se perde com algumas semanas após o engarrafamento. Usado para diminuir o corpo da cerveja e diminuir a coloração, além de adicionar pouca complexidade final à cerveja.

4 Glicose Também chamada de dextrose ou açúcar de milho. É um monossacarídeo derivado de outros açúcares e pronto para uso do fermento. Uso para elevar o álcool, diminuir a coloração e diminuir os custos da cerveja. Não adiciona complexidade alguma a cerveja e é extremamente fermentável, sendo a maltose outro tipo de açúcar com resposta semelhante no resultado final e na utilização pelo fermento. Açúcar Mascavo Intermediário entre o açúcar de cana e o melado, tanto no sabor quanto na complexidade. Pode ser um produto bastante variável conforme o local de produção. Melado Extremamente variável. Para os americanos, pode explicar uma mistura de açúcar com impurezas, representando 90% de compostos fermentáveis. Já para os ingleses, o Treacle é um tipo de açúcar acidificado sendo o resíduo do refinamento do açúcar comum. No Brasil temos como um bom padrão em relação ao melado, sendo composto pela fervura do caldo de cana e remoção das suas impurezas. Adiciona uma complexidade única à cerveja e é relativamente bem fermentável. Mel Produto natural e complexo produzido pelas abelhas, possui o sabor relacionado a florada de origem, sendo o mel de laranjeiras e o mel silvestre os mais indicados para a produção de cervejas. Já o mel de eucalipto não é indicado, pois o sabor desenvolvido pode lembrar o aroma de desinfetantes a base de eucalipto. O sabor desenvolvido pelo mel é bastante diferenciado e único além de ser bastante fermentável. Mel de Melato Produzido pelas abelhas a cada 2 anos de abril a janeiro e é feito a partir dos excrementos (adocicados) de insetos sugadores de seiva. Não encontrei seu uso em cerveja, mas por ser bastante diferente e complexo, deve acrescentar aromas semelhantes ao mel mas com determinadas particularidades. Candi Sugar É produzido através da cristalização lenta de uma solução altamente concentrada de açúcar quente, sendo levemente acidificado (ph próximo de 5) tornando o açúcar invertido. Quando resfriado em tanques com cordas de algodão penduradas ocorre a formação dos cristais nestas que são quebrados em pedras ou rocks. Para os cervejeiros caseiros a produção de um Candi Sugar líquido é mais prático, principalmente no momento de acrescentar à cerveja. A receita de Candi Sugar é bastante simples, tendo de realizar alguns cuidados essenciais durante o processo:

5 1. Açúcar; 2. A mesma quantidade em peso de água; 3. 8 gotas de limão para cada 100ml de água (10ml de suco de limão para 1L de água); 4. Termômetro específico (até 200ºC) opcional. Modo de preparo: Adicionar tudo em uma panela e levar ao fogo alto e mexer, isso irá estimular a inversão do açúcar e não deixará o açúcar caramelizar no fundo da panela. Após a fervura se tornar intensa, o fogo deverá ser baixado (entre 110 e 120ºC), pois os açúcares simples caramelizam mais rápido, como podemos ver na tabela abaixo: Tipo de Açúcar Frutose Glicose Sacarose Caramelização 110 C 160 C 170 C O controle da temperatura é essencial para a produção de um Candi Sugar saboroso, além de se ter um controle melhor sobre a coloração do mesmo. Existem algumas tabelas que envolvem múltiplas adições de água para atingir a coloração desejada do Candi Sugar, pessoalmente já realizei ambos métodos e não notei diferença entre os dois. Alguns cuidados ao produzir o Candi Sugar Não mexer a mistura durante a fervura, pois pode transbordar Ao experimentar o açúcar, pingue uma gota em uma superfície plana e fria e AGUARDE! E Não lamba a colher, isso pode causar queimaduras graves. Depois de adquirida a coloração desejada coloque o Candi Sugar ainda quente em uma superfície de metal ou maleável (NÃO de plástico) e espere pelo menos 1 hora para desenformar, ou então faça a adição de água para o desenvolvimento do Candi Sugar líquido. Ao adicionar o Candi Sugar na panela de fervura (15 minutos finais de fervura), certificar-se de deixá-lo FRIO ou jogar as pedras quebradas na panela, e NUNCA adicionar a solução após desligar o fogo enquanto ainda quente, pois poderá causar um boil over além da possibilidade de levar a queimaduras e perda de cerveja. Coloração final do Candi Sugar: Outro ponto que devemos levar em conta ao produzir o Candi Sugar é a sua coloração e o efeito final na cerveja após pronta, segue abaixo a tradução do artigo citado anteriormente da Basic Brewing Radio (as cores não são citadas pelo autor original, sendo de autoria da Nanocervejaria drei Adler):

6 Amarelo claro (Rose): Claro, mas com uma leve tonalidade avermelhada. Não adiciona muitos sabores, semelhante ao uso de açúcar comum. Tempo de fervura: 15 a 20 minutos. Amarelo médio (Light): Coloração que lembra alperce e sabor associado com pêssego e suco de uvas brancas com leves toques de baunilha. Tempo de fervura: 20 a 35 minutos. Âmbar claro (Light Amber): mais âmbar que o anterior e com um toque avermelhado. Adiciona sabor de caramelo com leve toque de frutas (uva, resina, suave sabor de ameixa e damascos). Ligeiro sabor de baunilha e cardamomo. Tempo de fervura: 35 a 45 minutos. Âmbar médio (Medium Amber): Coloração âmbar, lembrando uma mistura de laranja com vermelho. Sabor caramelo mais pronunciado com cardamomo, ameixas com um leve toque de assado. Ligeiro sabor de café. Tempo de fervura: 45 a 50 minutos. Âmbar escuro (Deep Amber): Coloração vermelha escuro. Rico sabor resinoso e de ameixa; café tostado com rum; suave amadeirado e complexo sabor de caramelo do toffee ou do doce de caramelo. Tempo de fervura: 50 a 55 minutos. Mogno (Mahogany): Marrom na cor, tartárico e amargo no sabor. Tempo de fervura: 55 a 60 minutos. Aqui ao lado, podemos ver a roda de diferentes cores de Candi Sugar produzidos em casa. O ideal é sempre utilizar uma panela de pequeno porte, uma quantidade de açúcar que leve até o meio da panela, e uma fervura em fogo extremamente baixo. A tendência é de que o Candi Sugar demore para adquirir uma cor leve, mas para as cores mais fortes o intervalo de tempo é bem menor. É bom também que o Candi Sugar fique pronto entre 40 minutos, para os mais claros) e até 1 hora e 30 minutos para os mais escuros lembrando novamente, em fervura baixa! Açúcar em Estilos Belgas Dicas Gerais Para a produção de cervejas belgas mais secas o indicado é que a sacarificação ocorra em temperaturas mais baixas para que sejam produzidos uma maior quantidade de açúcares fermentáveis, sendo indicado entre 63º e 65 C por 60 a 80 minutos. Além da

7 utilização de lúpulos nobres para o fornecimento de um amargor mais limpo e suave, como por exemplo : Saaz, Styrian Goldings, Tettnang e Spalt. A fermentação também deve ser realizada de forma gradativa, com início próximo de 18 C no primeiro dia de fermentação seguido de um aumento de 1 C por dia, até o quinto dia que indicasse uma fermentação em temperatura ambiente (até 30 C), sendo isso mais um estímulo para a atenuação. Como calcular a adição de açúcar na cerveja Tomamos como exemplo uma brassagem de 20L de cerveja, com eficiência de 75% e 6Kg de Malte Pilsen, isso nos dará uma densidade inicial de 1,067. Tomando o uso de 10% de Candi Sugar, existem duas formas que as pessoas calculam para adicionar o Candi Sugar r na cerveja, a partir do peso de malte ( errada) e a partir da densidade ( certa ): Errada: 10% de 6Kg de malte corresponde a 600gr, então reduz-se a quantidade de malte para 5,4Kg mais 600gr de Candi Sugar. A densidade inicial da sua leva de 20L será de 1,070. Certa: 10% da densidade deverá ser de Candi Sugar. Ou seja, se a densidade final da leva é de 1,064 a quantidade de Candi Sugar deverá acrescentar 1,0064 pontos de densidade nos 20L finais de cerveja, o que é igual a acrescentar 5,25Kg de Malte Pilsen (1,060 pontos de densidade) mais 450gr de Candi Sugar (1,007 pontos de densidade) gerando uma cerveja com 1,067 pontos de densidade inicial e com 10% de Candi Sugar. Se avaliarmos a diferença entre a forma errada (OG: 1,070) e a forma certa (OG: 1,067), são apenas 3 pontos de densidade o que corresponde a 4,5% de densidade a mais, o que não e realmente relevante, mas se formos avaliar a quantidade de Candi Sugar adicionada, vemos que irá de 450gr para 600, o que equivale a 25% a mais! Sendo essa uma quantidade bastante diferente e que pode levar a surpresas na cerveja final. PS: Vários autores falam do uso a partir do peso de maltes, nós discordamos dessa idéia pois ela varia conforme a eficiência da cervejaria, e quanto mais baixa a eficiência, maior será a % de açúcar na receita. As duas formas de calcular estão ai, basta que você escolha a melhor conforme seu julgamento.

8 Os estilos relatados para uso dos diferentes Candi Sugar seguem conforme a classificação 18 do BJCP Estilos 18. Belgian Strong Ale, sendo subdividido em: 18.A Belgian Blond Ale 18.B Belgian Dubbel 18.C Belgian Tripel 18.D Belgian Golden Strong Ale 18.E Belgian Dark Strong Ale 18.A Belgian Blond Ale Um estilo de cerveja belga bastante suave e sutil apesar dos 6,5 a 7,5% ABV tolerados pelos estilo. Possui notas predominantes de fermento (fenólico, perfumado ou de mel). Sua base de ingredientes é bastante simples, usa-se Malte Pilsen como base acrescida de um toque de Malte Aromático (Melanoidina é o exemplo deste tipo de Malte fornecido pela Wyermann). Possui corpo médio, o que leva a uma adição moderada de Candi Sugar. Utilizando apenas Candi Sugar, recomendo a adição do Amarelo Claro ou Amarelo Médio de 3 a 6%, sendo esse valor variável conforme a adição de Malte Aromático, pois a cerveja não deve ser muito escura. Caso não deseje acrescentar Malte Aromático, pode-se trabalhar apenas com Malte Pilsen e Candi Sugar Amarelo Claro associado ao Candi Sugar Âmbar Claro. 18.B Belgian Dubbel Uma cerveja mais escura que a anterior, apesar da tolerância alcoólica semelhante para o estilo (6,5 a 7,6% ABV). Apresenta notas de frutas secas, associada a um frutado derivado do fermento. Bastante complexa, mas sem notas exageradas de álcool. Algumas receitas são um tanto complexas, tendo Malte Pilsen como base e adição de outros como Melanoidina, Caramunich ou Cristais Escuros e até mesmo um toque de Malte Chocolate para a adição de complexidade. Outras, relativamente mais simples têm com base o Malte Pilsen e a complexidade fica por conta do Candi Sugar de colorações mais escuras. Recomendo, quando em receitas associadas a outros Maltes Especiais, o uso de Candi Sugar de colorações mais claras e em menor quantidade como é o caso do Candi Sugar Âmbar Médio de 5 a 8%. Já em receitas mais simples, pode-se trabalhar apenas com o Candi Sugar Âmbar Escuro de 4 a 7% ou numa associação com o anterior (4% mais 3% respectivamente). Como a sensação de corpo do estilo é de Médio-alto, a

9 quantidade de Candi Sugar não deve passar os 7 a 9%, pois essa sensação pode ser diminuída. 18.C Belgian Trippel Estilo baseado nos ésteres frutados do fermento e baixa complexidade dos Maltes. Como apresenta corpo médio-baixo a médio, a quantidade de Candi Sugar adicionada por ser a mais alta para os estilos belgas aqui citados. A recomendação fica para a utilização de Malte Pilsen como base e a adição de Candi Sugar de colorações mais Claras em quantidades altas, até 15% para o Candi Sugar Amarelo Claro, 10% para o Candi Sugar Amarelo Médio e 6% para o Candi Sugar Âmbar Claro. Uma associação interessante são os três acima citados em quantidades decrescentes (5%, 4% e 3% respectivamente). Ou então a associação dos dois mais claros em 8% e 4% respectivamente. Caso deseje uma Trippel de coloração mais escura, pode-se utilizar cerca de 4% de Candi Sugar Âmbar Médio ou Escuro associado a um Candi Sugar mais claro. 18.D Belgian Golden Strong Ale A mais clara das cervejas dos estilos belgas citados, possui ésteres que remetem a peras, laranjas ou maçãs. As notas de álcool são baixas e perfumadas, então o uso de Candi Sugar deve ser moderado. No Brasil, as cervejas representantes do estilo são bastante diferentes das de Origem Belga. As Belgas são bastante secas e pouco maltadas, já as nacionais são o oposto, adocicadas e maltadas. A recomendação de Candi Sugar é mais moderada. Cerca de 12% para Candi Sugar Amarelo Claro e 6% de Amarelo Médio quando utilizados sozinhos. Para maior complexidade pode-ser mesclar estes dois na quantidade de 6% e 4% respectivamente, além da associação de 4% de Candi Sugar Âmbar Claro. 18.E Belgian Dark Strong Ale A mais alcoólica e escura dos estilos belgas aqui citados (8% a 11% ABV). O estilo possui um leve toque maltado e adocicado, sendo o aroma de malte rico e derivado do Malte Munich. Os ésteres frutados são moderadamente baixos a altos e podem conter notas de resina, ameixas, cerejas ou figo. As recomendações aos tipos de Candi Sugar são bastante amplas aqui. Podemos novamente contar com a presença de Maltes Especiais (Melanoidina, Caramunich, Cristal ou até mesmo Chocolate) e diminuir as quantidades de Candi Sugar mais escuros, ou então basear-se nos mesmos com pequeníssimas quantidades de Maltes Especiais. As versões de monastérios Trapistas possuem corpo médio baixo a médio (indicando um maior uso de Candi Sugar) enquanto as versões fora destes monastérios apresentam corpo Alto.

10 O intuito destes artigo sobre açúcar é atentar a todos sobre os benefícios das cervejas produzidas com a Lei de Pureza Alemã, mas que apenas isso não é diferencial para cervejas de qualidade e o processo de produção é tão ou mais importante quanto à própria seleção de Maltes ou Lúpulos. E o mais importante, a adição de um adjunto, no caso um produto a base de açúcar, busca acrescentar aromas, sabores e complexidade à cerveja e não diminuir seu custo de produção. Produzido por Daniel V. Ropelato Mestre Cervejeiro Nanocervejaria drei Adler Contato: Editado e Corrigido por Diogo H. Ropelato Designer Gráfico Marketing Nanocervejaria drei Adler Contato:

IRMAOS FERRARO. Rio Grande do Sul

IRMAOS FERRARO. Rio Grande do Sul IRMAOS FERRARO Rio Grande do Sul D ORO HELLES - 600ml...R$ 21,26 Tem por característica principal o toque marcante do lúpulo da região de Hallertau, na Baviera Alemã. Por ser uma cerveja fabricada em baixa

Leia mais

Edição de Abril. Aproveitando uma viagem a Buenos Aires, tive a oportunidade de conhecer algumas cervejas locais artesanais de nossos amigos hermanos.

Edição de Abril. Aproveitando uma viagem a Buenos Aires, tive a oportunidade de conhecer algumas cervejas locais artesanais de nossos amigos hermanos. Abril/12 Caros amigos cervejeiros, como havíamos divulgado na revista anterior, a OnBeer participou pela 1a. vez do Festival da Cerveja de Blumenau. Foram 4 dias muito legais, todos eles girando em torno

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE TECNOLOGIA AGROINDUSTRIAL E SOCIOECONOMIA RURAL Coisas que você gostaria de saber sobre a nossa bebida favorita mas estava

Leia mais

Decocção. Ricardo Rosa (Palestra na Biergarten da AcervA Carioca 16 de maio de 2009)

Decocção. Ricardo Rosa (Palestra na Biergarten da AcervA Carioca 16 de maio de 2009) Decocção Ricardo Rosa (Palestra na Biergarten da AcervA Carioca 16 de maio de 9) Introdução O que é decocção? Segundo o dicionário Merriam-Webster, decocção se refere ao processo de se extrair o sabor

Leia mais

Treinamento Conservas de frutas 382

Treinamento Conservas de frutas 382 Para que haja boa conservação dos alimentos é importante que os produtos conservados mantenham suas qualidades nutritivas, seu aroma, sabor e que se eliminem as causas das alterações. As várias maneiras

Leia mais

Descritivo Como Fazer Cerveja em Casa

Descritivo Como Fazer Cerveja em Casa O prazer de fazer cerveja em casa Descritivo Como Fazer Cerveja em Casa Kit de preparo para Cerveja Caseira da Alquimia da Cerveja Extrato de Malte & Grãos de Malte (Partial Malt) Alquimia da Cerveja A

Leia mais

Muitas têm sido usadas como: moeda em rituais religiosos como símbolos políticos como fonte de inspiração filosófica e artística

Muitas têm sido usadas como: moeda em rituais religiosos como símbolos políticos como fonte de inspiração filosófica e artística Chef André Leite Muitas têm sido usadas como: moeda em rituais religiosos como símbolos políticos como fonte de inspiração filosófica e artística 6 bebidas definem a história mundial: Cerveja Vinho Destilados

Leia mais

1/3 xícara de Pecorino Romano, ou parmesão ralado na hora

1/3 xícara de Pecorino Romano, ou parmesão ralado na hora Receita da Vez: Fuzile ao Ragu de Cordeiro Um toque de glamour: Alecrim Vinho para Massa: Cabernet Sauvignon Música: Concheta - Língua de trapo". Sobremesa: Quindão Vinho para Sobremesa: Moscatel de Setubal

Leia mais

As receitas aqui listadas foram idealizadas para o equipamento que vendemos na loja.

As receitas aqui listadas foram idealizadas para o equipamento que vendemos na loja. Descrito por Rodrigo Eduardo Gunha Eng. Químico Responsável As receitas aqui listadas foram idealizadas para o equipamento que vendemos na loja. Para outros equipamentos cabe análise das quantidades de

Leia mais

Sugestão de Receita American India Pale Ale

Sugestão de Receita American India Pale Ale Ingredientes 4kg de malte Pilsen 1kg de malte Munich 500g de malte Carared 200g de malte Caramunich 34 litros de água mineral 50g de lúpulo Chinook 55g de lúpulo Cascade 11,5g de levedura Fermentis US-05

Leia mais

PRODUTO ELABORADO E ENVASADO NA ESPANHA

PRODUTO ELABORADO E ENVASADO NA ESPANHA PRODUTO ELABORADO E ENVASADO NA ESPANHA PRODUCTO ELABORADO E ENVASADO EM: CERVEJA SAGRA ESPANHA (Castilha La- Mancha) PREMIUM - PILSEN Cerveja Artesana Sagra 100% Malte - Premium Pilsen CAPACIDADE: 330ml

Leia mais

Uma receita de iogurte

Uma receita de iogurte A U A UL LA Uma receita de iogurte O iogurte, um alimento comum em vários países do mundo, é produzido a partir do leite. Na industrialização desse produto empregam-se técnicas diversas para dar a consistência,

Leia mais

Bexi sem distância para seus negócios

Bexi sem distância para seus negócios Bexi sem distância para seus negócios A BEXI é uma empresa no ramo de importação, exportação e distribuição de diversos segmentos de produtos e países. Atua no comércio exterior e nacional há 9 anos. A

Leia mais

Lamas Brew Shop www.lamasbrewshop.com.br

Lamas Brew Shop www.lamasbrewshop.com.br Muntons é uma das Maltarias mais tradicionais do Mundo, produzindo além de maltes (em grãos, pó e líquido) diversos tipos de produtos alimentícios. A Muntons é baseada na Inglaterra e tornou-se famosa

Leia mais

CARTA de CERVEJAS ESPECIAIS VAREJO

CARTA de CERVEJAS ESPECIAIS VAREJO CARTA de CERVEJAS ESPECIAIS VAREJO Hoje, o mercado brasileiro de cervejas especiais está aquecido e dispõem de um universo abrangente de estilos, cores, aromas e sabores para todos os tipos de bolsos.

Leia mais

Como fazer cerveja COMO FAZER 25 LITROS DE CERVEJA ALE (ALTA FERMENTAÇÃO) Malte Château Pilsen. Lúpulo Spalt Select 5,4% Ácido Alfa

Como fazer cerveja COMO FAZER 25 LITROS DE CERVEJA ALE (ALTA FERMENTAÇÃO) Malte Château Pilsen. Lúpulo Spalt Select 5,4% Ácido Alfa Início Como fazer Kit Cervejeiro 30L Kit Cervejeiro até 60L Matérias-Primas Você está em: Página inicial > Como fazer Versão para impressão Envie por e-mail Solicite informações Fale conosco Como fazer

Leia mais

Enzimas. Reações baratas e seguras; São altamente eficientes, acelerando a velocidade das reações (10 8 a 10 11 + rápida);

Enzimas. Reações baratas e seguras; São altamente eficientes, acelerando a velocidade das reações (10 8 a 10 11 + rápida); Enzimas Enzimas Enzimas - são proteínas de alta massa molecular (MM > 15000 Da) produzidas por células vivas e que têm a capacidade de aumentar a velocidade das reações biológicas por ativação específica

Leia mais

1º CONCURSO DE CERVEJA ARTESANAL

1º CONCURSO DE CERVEJA ARTESANAL 1º CONCURSO DE CERVEJA ARTESANAL DO DISTRITO FEDERAL Regulamento Brasília-DF Janeiro, 2015 1 ÍNDICE 1. SOBRE O CONCURSO 3 2. QUEM PODE PARTICIPAR 3 3. AS DATAS DO CONCURSO 4 4. OS ESTILOS 5 5. COMISSÃO

Leia mais

de Cerveja 0 processo de maltagem é concretizado em três passos - molha, germinação e secagem. Durante

de Cerveja 0 processo de maltagem é concretizado em três passos - molha, germinação e secagem. Durante fp PRODUÇÃO Produção de Cerveja ~ 0 Processo TEXTO JOÃO PAULO MENDES {sociedade central de cervejas e bebidas) ILUSTRAÇÃO FONTE: JORNAL PÚBLICO O rei Guilherme IV da Baviera definiu em 1516, na "Reinheitsgebot"

Leia mais

Agroindústria Processamento Artesanal de Frutas - Geléias

Agroindústria Processamento Artesanal de Frutas - Geléias 1 de 7 10/16/aaaa 10:34 Agroindústria Agroindústria: Processamento Artesanal de Frutas - Geléias Processamento Nome artesanal de frutas: Geléias Produto Informação Tecnológica Data Agosto -2000 Preço -

Leia mais

ÍNDICE DE RECEITAS. Doces

ÍNDICE DE RECEITAS. Doces ÍNDICE DE RECEITAS Doces Bolo de maçã, 3 Bolo de mel, 4 Cocadinha, 5 Compota belga de maçãs, 6 Pavê de chocolate, 7 Strudel de maçã, 8 Torta de maçã quente, 9 2 BOLO DE MAÇÃ Ingredientes 4 col. (chá) cheias

Leia mais

30 B RE 1 WE RY CRAFT BEER CARDÁPIO DE CERVEJAS

30 B RE 1 WE RY CRAFT BEER CARDÁPIO DE CERVEJAS 301 B RE WE RY CRAFT BEER CARDÁPIO DE CERVEJAS Cervejas Clássicas AMERICAN IPA (INDIA PALE ALE) Descrição: Grande quantidade de lúpulo, o que confere um amargor mais elevado. Discreto aroma de caramelo

Leia mais

ÍNDICE. Fermentos. Malte Agrária. Malte Weyermann

ÍNDICE. Fermentos. Malte Agrária. Malte Weyermann 1 2 3 ÍNDICE Malte Agrária Malte Base Malte Pilsen 08 Fermentos Baixa Fermentação Fermento Diamond 30 Malte Weyermann Malte Base Malte Viena Malte Munique tipo II Malte de Trigo Malte de Trigo Claro Malte

Leia mais

Bem-Nascido de Morango

Bem-Nascido de Morango Bem-Nascido de Morango BEM-NASCIDO DE MORANGO Rendimento: 60 unidades com aproximadamente 30g cada Ingredientes Massa 200g de ovo 120g de açúcar refinado 170g de farinha de trigo peneirada 10g de fermento

Leia mais

A Água Cervejeira - Dragon Bier institute

A Água Cervejeira - Dragon Bier institute A Água Cervejeira - Dragon Bier institute Ação Ions Hidrogênio e Hidroxila, estão sempre presentes, e o valor ph é decorrente da relação entre esses ions. Predominância de H+, resultado ácido, baixo ph

Leia mais

MICROBIOLOGISTAS RESPONSÁVEIS: www.levedurasdryeast.com.br

MICROBIOLOGISTAS RESPONSÁVEIS: www.levedurasdryeast.com.br A DrYeast proporciona ao Cervejeiro Artesanal a experiência de usar leveduras de alta qualidade e capacidade fermentativa, através de um sistema tecnológico avançado, robusto e eficiente para o transporte,

Leia mais

Alimentos: diet, light, açúcar e adoçantes

Alimentos: diet, light, açúcar e adoçantes Faculdade de Gastronomia AÇÚCAR Alimentos: diet, light, açúcar e adoçantes No singular açúcar, refere-se à sacarose proveniente da cana-de-açúcar e beterraba No plural açúcares diz respeito aos vários

Leia mais

Release. Boxer do Brasil. Cervejarias e Rótulos

Release. Boxer do Brasil. Cervejarias e Rótulos Release Boxer do Brasil Cervejarias e Rótulos GREENE KING Adquirida pela Greene King em 1999, a cervejaria Morland foi fundada em 1711. Em 1979, para os 50 anos da fabricante inglesa de carros MG Cars,

Leia mais

Processo de Fabrico da Cerveja

Processo de Fabrico da Cerveja Escola Superior Agrária de Coimbra Licenciatura em Engenharia Alimentar PGA Processamento Geral de Alimentos Processo de Fabrico da Cerveja Turma 2 2009/2010 Introdução Como nos foi proposto estudar o

Leia mais

Guia American Blonde Ale. by Cervisiam

Guia American Blonde Ale. by Cervisiam Guia American Blonde Ale by Cervisiam Índice História Estilos Receita Kit Básico Bibliografia História Blonde Ale É dificil traçar a origem precisa do termo Blonde Ale, mas sabemos que ela surgiu da grande

Leia mais

CAFÉ COQUETÉIS. destruídos, restando apenas a cafeína, que não é destruída com a excessiva

CAFÉ COQUETÉIS. destruídos, restando apenas a cafeína, que não é destruída com a excessiva Café Coquetéis CAFÉ COQUETÉIS O café é uma bebida estimulante, agradável, reanimadora, que apresenta aroma e sabor característicos e é capaz de agradar aos mais variados paladares. Versátil, compõe receitas

Leia mais

O que são e para que servem os produtos Diet, Light, Zero e Cia? Tipos de açúcares e adoçantes!

O que são e para que servem os produtos Diet, Light, Zero e Cia? Tipos de açúcares e adoçantes! O que são e para que servem os produtos Diet, Light, Zero e Cia? Tipos de açúcares e adoçantes! Coordenadora e Nutricionista Felícia Bighetti Sarrassini - CRN 10664 * Alimentos Diet: Alimento dietético

Leia mais

Atividade prática Estudo das misturas: fases e componentes Parte 3

Atividade prática Estudo das misturas: fases e componentes Parte 3 Atividade prática Estudo das misturas: fases e componentes Parte 3 9º ano do Ensino Fundamental/1º ano do Ensino Médio Objetivo Vivenciar conceitos importantes sobre a classificação dos diversos tipos

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO CONCURSO

APRESENTAÇÃO DO CONCURSO APRESENTAÇÃO DO CONCURSO 1 o Concurso do Centro Oeste de Cerveja Caseira. O concurso que tem caráter meramente cultural segue as normas e padrões do BJCP, tendo como objetivo fornecer aos participantes

Leia mais

Frigideira de raviólis

Frigideira de raviólis Frigideira de raviólis (8 pessoas) 100g de bacon picado 500g de carne bovina cortada em cubos 500g de massa tipo ravióli farinha de trigo (cerca de 3 colheres) 1 cebola picada 2 dentes de alho esmagados

Leia mais

RECHEIOS E COBERTURAS PARA BOLO NO POTE

RECHEIOS E COBERTURAS PARA BOLO NO POTE [APOSTILA] RECHEIOS E COBERTURAS PARA BOLO NO POTE 32 receitas rápidas e simples de fazer para você começar hoje mesmo! WWW.CLUBEDASDOCEIRAS.COM 1 ÍNDICE Conteúdo Página 1. RECHEIO DE CREME DE COCO 2 2.

Leia mais

Cerveja de Trigo. Heffeweiss) (Heffeweiss

Cerveja de Trigo. Heffeweiss) (Heffeweiss DESCRITIVO COMO FAZER CERVEJA Cerveja de Trigo (Heffeweiss Heffeweiss) Kit de Malte em Grãos da Alquimia da Cerveja (All Grain) Este documento está descrito sobre um kit de Extrato de Malte e Grãos da

Leia mais

LIVRO DE RECEITAS. 3ª Edição

LIVRO DE RECEITAS. 3ª Edição LIVRO DE RECEITAS 3ª Edição Os produtos Purinha vêm mais uma vez presentear você com um novo livro de receitas. Esta é a terceira edição de uma coleção com sabores incríveis conseguidos a partir das combinações

Leia mais

ACASC - Associação das Microcervejarias Artesanais de SC www.acasc.com.br

ACASC - Associação das Microcervejarias Artesanais de SC www.acasc.com.br Blumenau, SC, 22 de maio de 2015. À COORDENAÇÃO GERAL DE TRIBUTAÇÃO DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL (COSIT) Ref.: Regulamentação da Lei nº 13.097/2015 (Tributação das Bebidas Frias), especialmente no Conceito

Leia mais

Receitas com farinhas e sucos de frutas

Receitas com farinhas e sucos de frutas Farofa de farinha de banana verde 150 g de farinha de mandioca 150g de farinha de banana verde 4 unidades de tomates picados em quadrados pequenos 1 unidade média de abobrinha verde picada em quadrados

Leia mais

LICORES FABRICAÇÃO CASEIRA DE LICORES

LICORES FABRICAÇÃO CASEIRA DE LICORES LICORES O licor é uma bebida alcoólica açúcarada agradável a quase todos os paladares. É usado após as refeições por ser digestivo, em virtude dos óleos esseciais e pela alta concentração de açúcar. É

Leia mais

Nem tudo que borbulha é ESPUMANTE.

Nem tudo que borbulha é ESPUMANTE. Nem tudo que borbulha é ESPUMANTE. Saiba qual a diferença entre o espumante e produtos substitutos. O que é um vinho espumante? O vinho espumante é resultante da fermentação da uva sã, fresca e madura,

Leia mais

DIÁRIO DO CHOCOLATE: Receitas

DIÁRIO DO CHOCOLATE: Receitas Chocolate &... As notas a seguir são relativas a com chocolate puro e não com sobremesas de chocolate. A busca pelo encontro perfeito com uma sobremesa de chocolate irá requerer a análise de todos os contidos,

Leia mais

O vinho mais apreciado do Brasil faz jus a uma roupa nova!

O vinho mais apreciado do Brasil faz jus a uma roupa nova! NOVA GARRAFA NOVO RÓTULO A QUALIDADE QUE VOCÊ JÁ CONHECE O vinho mais apreciado do Brasil faz jus a uma roupa nova! A LINHA DE VinhoS de Mesa MioranZa ACABA DE GANHAR UMA NOVA EMBALAGEM. MODERNA E ELEGANTE,

Leia mais

Sustentável. Alimentação: Receitas deliciosas. O seu dia a dia muito mais saboroso. Dicas orientadas pela nutricionista Miriam Abdel Latif - CRN 3152

Sustentável. Alimentação: Receitas deliciosas. O seu dia a dia muito mais saboroso. Dicas orientadas pela nutricionista Miriam Abdel Latif - CRN 3152 Alimentação: Sustentável Dicas orientadas pela nutricionista Miriam Abdel Latif - CRN 3152 Receitas deliciosas. O seu dia a dia muito mais saboroso. NÚMERO 4 Bolo de Maçã com casca 3 ovos 1 xícara (chá)

Leia mais

Tabule Rendimento 4 porções

Tabule Rendimento 4 porções Tabule Rendimento 4 porções - 4 tomates picados - 1 xícara (chá) de trigo para quibe - 1 cebola picada - 1 pepino com casca picado em cubos - 1/2 xícara (chá) de salsinha picada - 1/4 xícara (chá) de cebolinha

Leia mais

DESCRITIVO COMO FAZER CERVEJA. Stout. (All. Grain)

DESCRITIVO COMO FAZER CERVEJA. Stout. (All. Grain) DESCRITIVO COMO FAZER CERVEJA Stout (Stout Cerveja preta) Kit de Malte em Grãos da Alquimia da Cerveja (All Grain) Este documento está descrito sobre um kit de Malte em Grãos da Alquimia da Cerveja para

Leia mais

REGULAMENTO TÉCNICO MERCOSUL DE PRODUTOS DE CERVEJARIA

REGULAMENTO TÉCNICO MERCOSUL DE PRODUTOS DE CERVEJARIA MERCOSUL/GMC/RES. N 14/01 REGULAMENTO TÉCNICO MERCOSUL DE PRODUTOS DE CERVEJARIA TENDO EM VISTA : O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto, as Resoluções Nº 91/93, Nº 152/96 e Nº 38/98 do Grupo

Leia mais

Exemplos de Súmulas Muito Bem Feitas

Exemplos de Súmulas Muito Bem Feitas Exemplos de Súmulas Muito Bem Feitas Em resposta a muitos pedidos, nós estamos fornecendo alguns exemplos do que consideramos súmulas muito bem feitas, que foram preenchidas durante exames reais do BJCP.

Leia mais

Kartoffelsalat (Salada de batatas)

Kartoffelsalat (Salada de batatas) Kartoffelsalat (Salada de batatas) Rendimento: 4 porções - 1 e 1/2 kg de batata inglesa - 1 cebola roxa - 150g de presunto picado - 3 colheres (sopa) de vinagre de vinho - 2 colheres (sopa) de mostarda

Leia mais

Lista sugerida de Equipamentos e Fornecedores para Produção de Cerveja Caseira

Lista sugerida de Equipamentos e Fornecedores para Produção de Cerveja Caseira Fogareiro médio cromado 12 caulings RG 35 cm 3 UNIDADE S Usados para aquecer as panelas durante a mostura, fervura e aquecimento da água para a lavagem/sparge. Balança digital balmak easy-5 5kg graduação

Leia mais

na Forminha Bombom Para quem pensava que só os grandes chocolateiros poderiam fazer 9 Bombons 3 Bombom na Forminha 6 Bombons Moldados Banhados

na Forminha Bombom Para quem pensava que só os grandes chocolateiros poderiam fazer 9 Bombons 3 Bombom na Forminha 6 Bombons Moldados Banhados Agora que você já conhece todos os segredos do bombom, é hora de colocar em prática! E não esqueça de nos contar depois quais foram os resultados! Sem Segredos A Garoto coloca à sua disposição um Programa

Leia mais

Ingredientes: Água, malte, cereais não-maltados, carboidratos, lúpulo, antioxidante INS 316 e estabilizante INS 405.

Ingredientes: Água, malte, cereais não-maltados, carboidratos, lúpulo, antioxidante INS 316 e estabilizante INS 405. Produtos Cerveja Antarctica Cerveja Antarctica Cristal A cerveja Antarctica Cristal é a primeira cerveja brasileira com embalagem transparente, que foi especialmente desenvolvida para você legar para a

Leia mais

Atendendo a pedidos. Docinhos. para momentos inesquecíveis. Serviço Nestlé ao Consumidor

Atendendo a pedidos. Docinhos. para momentos inesquecíveis. Serviço Nestlé ao Consumidor Atendendo a pedidos Docinhos para momentos inesquecíveis Serviço Nestlé ao Consumidor Bem-estar é... Doce remete à infância, comemoração, mesa enfeitada, o momento de cortar o bolo e ir correndo para a

Leia mais

CHESTER SALTEADO DE AMEIXA E PÊSSEGO

CHESTER SALTEADO DE AMEIXA E PÊSSEGO OUTRAS RECEITAS CHESTER SALTEADO DE AMEIXA E PÊSSEGO 2 colheres (sopa) de suco de pêssego pronto para beber 2 colheres (sopa) de azeite de oliva 2 colheres (sopa) de alecrim picado 2 colheres (sopa) de

Leia mais

Regulamento. Concurso Técnico de Cerveja Caseira Sinnatrah Cervejaria-Escola. Estilos: Imperial Stout e Eisbock

Regulamento. Concurso Técnico de Cerveja Caseira Sinnatrah Cervejaria-Escola. Estilos: Imperial Stout e Eisbock Regulamento Concurso Técnico de Cerveja Caseira Sinnatrah Cervejaria-Escola Estilos: Imperial Stout e Eisbock 1. OBJETIVOS DO CONCURSO 1.1. Promover espaço e condições para o continuo aperfeiçoamento técnico

Leia mais

Alimentos e Bebidas Vinhos e Espumantes

Alimentos e Bebidas Vinhos e Espumantes Comemorativo 80 Anos Este vinho foi especialmente elaborado para comemorar os 80 anos do patriarca Laurindo Brandelli, e os 20 anos da Vinícola Don Laurindo. O cuidado com a terra, o cultivo da videira,

Leia mais

Bolo de Chocolate na Caneca Sem Glúten

Bolo de Chocolate na Caneca Sem Glúten Bolo de Chocolate na Caneca Sem Glúten Ingredientes Porcentagem () Quantidade Chocolate Meio Amargo 100 110g Ovos 100 110g Manteiga 40 60g Farinha de Arroz 37.5 35g Açúcar 30 30g Amido de Milho 25 25g

Leia mais

10 Receitas de Sobremesas Lights. www.empazcomabalanca.com.br

10 Receitas de Sobremesas Lights. www.empazcomabalanca.com.br 10 Receitas de Sobremesas Lights GELATINA COM MOUSSE DE LEITE CONDENSADO Tempo de preparo: 30 minutos; Dificuldade: Simples Mão na massa Ingredientes 3 iogurtes desnatados; 1 copo de leite desnatado; 8

Leia mais

Regulamento. 1º Concurso Nacional de Cervejas Caseiras Agrária e Weyermann

Regulamento. 1º Concurso Nacional de Cervejas Caseiras Agrária e Weyermann Regulamento 1º Concurso Nacional de Cervejas Caseiras Agrária e Weyermann 1 - ORGANIZAÇÃO 1.1 - O 1º Concurso Nacional de Cervejas Caseiras Agrária e Weyermann é um concurso aberto a todos os cervejeiros

Leia mais

Pequeno-almoço. Aveia com frutos silvestres. Sirva em copos transparentes para se poder ver as camadas.

Pequeno-almoço. Aveia com frutos silvestres. Sirva em copos transparentes para se poder ver as camadas. Aveia com frutos silvestres Pequeno-almoço Para 4 pessoas 2 chávena de aveia chávena de sumo de maçã aquecido 2 chávena de pistácios picados sem sal 2 colher de chá de canela em pó chávena de iogurte natural

Leia mais

BOLO DE MAÇÃ. 12 pessoas 20 minutos. Modo de fazer. Ingredientes. 1 Lave, descasque e corte as maçãs em cubinhos e reserve.

BOLO DE MAÇÃ. 12 pessoas 20 minutos. Modo de fazer. Ingredientes. 1 Lave, descasque e corte as maçãs em cubinhos e reserve. 20 minutos DE MAÇÃ 2 ovos inteiros 2 xícaras de açúcar 1 colher de chá de canela 1 xícara de óleo 2 xícaras de farinha de trigo 1 colher de café de bicarbonato 1 colher de chá de fermento em pó 2 maçãs

Leia mais

:: Sabão Líquido :: Em um balde ou recipiente bem grande, despejar a soda e 1 litro de água, mexendo por ceca de 5 minutos;

:: Sabão Líquido :: Em um balde ou recipiente bem grande, despejar a soda e 1 litro de água, mexendo por ceca de 5 minutos; :: Sabão Líquido :: Para fazer 30 litros Ingredientes: 1,5 litros de azeite (morno) ½ quilo de soda cáustica 1,5 litros de álcool líquido 1 litro de água (1ª etapa) 27 litros de água (2ª etapa) 2 colheres

Leia mais

Perguntas & Respostas

Perguntas & Respostas Perguntas & Respostas Perguntas & Respostas P1 Qual é a definição jurídica de saquê no Japão? Qualquer uma das seguintes bebidas alcoólicas com teor alcoólico inferior a 22%: a. O produto filtrado da fermentação

Leia mais

Seu Zé, Dona Ná e o vinho de laranja

Seu Zé, Dona Ná e o vinho de laranja Seu Zé, Dona Ná e o vinho de laranja Uma receita de várias culturas Dona Maria da Conceição Sousa de Castro e seu esposo Sr. José Resende de Castro preparam o vinho de laranja há mais de trinta anos. Ambos

Leia mais

Edição de Março. Caros amigos cervejeiros, esse mês comemoramos nosso 2o. mês do Clube com grande alegria em vista dos resultados alcançados.

Edição de Março. Caros amigos cervejeiros, esse mês comemoramos nosso 2o. mês do Clube com grande alegria em vista dos resultados alcançados. Edição de Março Caros amigos cervejeiros, esse mês comemoramos nosso 2o. mês do Clube com grande alegria em vista dos resultados alcançados. Selecionamos alguns rótulos que esperamos serem muito bem degustados

Leia mais

Regulamento 1. DO CONCURSO

Regulamento 1. DO CONCURSO Regulamento 1. DO CONCURSO 1.1. Este concurso é realizado pela Casa OLEC Insumos para Cerveja Ltda, localizada na Rua Raimundo Correia, 210, Bairro São Pedro, Belo Horizonte, Minas Gerais, inscrita sobre

Leia mais

Torta alemã. Ingredientes do creme: 200 gramas de manteiga sem sal. 1 xıćara de cha de glaçucar 1 pitada de sal. 1 colher de cha de rum

Torta alemã. Ingredientes do creme: 200 gramas de manteiga sem sal. 1 xıćara de cha de glaçucar 1 pitada de sal. 1 colher de cha de rum Livro de receitas Torta alemã Ingredientes do creme: 200 gramas de manteiga sem sal 1 xıćara de cha de glaçucar 1 pitada de sal 1 colher de cha de rum 1 colher de cafe de esse ncia de baunilha 4 colheres

Leia mais

RECEITAS SEM GLÚTEN ALERGIAS ALIMENTARES RECEITAS

RECEITAS SEM GLÚTEN ALERGIAS ALIMENTARES RECEITAS RECEITAS Souflê de brócolis (4 - Porção(ões) - 120 - Caloria(s)) Ingredientes: 100 g de queijo minas ou tofu 1 xícara de leite ou extrato de soja 2 ovos 1 colher de sopa de amido de milho (maisena) 1 pitada

Leia mais

Fabricação de Bebidas Cerveja

Fabricação de Bebidas Cerveja Fabricação de Bebidas Cerveja Processos Químicos Industriais II 01/12/2011 1 Bebidas Fermentadas & Destiladas A fabricação de bebidas fermentadas evoluiu de uma concepção artesanal para um processo contendo

Leia mais

1) Preparando a Água:

1) Preparando a Água: Descritivo Como Fazer Cerveja Com Kit de Malte em Grã os da Alquimia da Cerveja (All grain) (Observação: Este documento está descrito sobre um kit de Extrato de Malte da Alquimia da Cerveja para fazer

Leia mais

CONTROLE DE QUALIDADE CERVEJAS

CONTROLE DE QUALIDADE CERVEJAS CONTROLE DE QUALIDADE CERVEJAS PRINCIPAIS ANÁLISES FÍSICO-QUÍMICAS DA CERVEJA MATÉRIAS-PRIMAS ÁGUA MALTE CEREAIS (ARROZ E MILHO) LÚPULO EXTRATO DE ALTA MALTOSE AÇÚCAR ADITIVOS Água - Sabor - Odor - Cor

Leia mais

Com açúcar, com afeto, fiz seu waffle predileto...

Com açúcar, com afeto, fiz seu waffle predileto... Com açúcar, com afeto, fiz seu waffle predileto... Waffles * medida da xícara é de 250ml 1 1/2 xícara de farinha de trigo 2 colheres (chá) de fermento em pó 1/2 colher (chá) de sal 2 colheres (chá) de

Leia mais

Produção de Graspa. Jean Pierre Rosier. Eng. Agr. Dr. Em Enologia

Produção de Graspa. Jean Pierre Rosier. Eng. Agr. Dr. Em Enologia Produção de Graspa Jean Pierre Rosier Eng. Agr. Dr. Em Enologia Histórico Regiões montanhosas e frias Álcool >>>> medicamentos +/- 1.400 > Norte Itália >1 a produção Consumo: Com Café ou Pura Pela manhã

Leia mais

Açúcar vs adoçantes. Açúcar branco cristalizado fino Este açúcar apresenta-se na forma de cristais finos;

Açúcar vs adoçantes. Açúcar branco cristalizado fino Este açúcar apresenta-se na forma de cristais finos; Açúcar vs adoçantes Açúcar: 1. Os diferentes tipos de açúcar: O açúcar apresenta-se de diferentes formas e sabores dependendo do processo de refinação. Deste modo, temos diferentes tipos de açúcares: Açúcar

Leia mais

Receita. Fundo (caldo) 2L de água Pedaços de cebola, cenoura, salsão e outros legumes que aprecie. Risoto

Receita. Fundo (caldo) 2L de água Pedaços de cebola, cenoura, salsão e outros legumes que aprecie. Risoto s Feira Fika Risoto de calabresa com limão siciliano Fundo (caldo) 2L de água Pedaços de cebola, cenoura, salsão e outros legumes que aprecie Risoto 4 dentes de alho 1 cálice pequeno de vinho branco Azeite

Leia mais

Linhas gerais da fabricação do saquê

Linhas gerais da fabricação do saquê Resultados da aprendizagem Linhas gerais do conhecimento de como fazer saquê. Consulte o Capítulo 8 para detalhes das diferenças entre os tipos. Conhecimento de Koji e seu papel Conhecimento de shubo /

Leia mais

I Encontro sobre produção, tecnologias e estudos de cervejas caseiras e industriais

I Encontro sobre produção, tecnologias e estudos de cervejas caseiras e industriais I Encontro sobre produção, tecnologias e estudos de cervejas caseiras e industriais Palestra Legislação para o Mercado Cervejeiro Eng. e Mestre Cervejeiro Evandro L. Bertollo Piracicaba, 25/04/15 Legislação

Leia mais

EPISÓDIO 3 - CALDOS. Como preparar as diferentes bases para todos os molhos.

EPISÓDIO 3 - CALDOS. Como preparar as diferentes bases para todos os molhos. EPISÓDIO 3 - CALDOS Como preparar as diferentes bases para todos os molhos. INTRODUÇÃO Além de agregarem bastante sabor aos preparos, os caldos preparados em casa são muito mais saudáveis do que os industrializados.

Leia mais

Sua majestade o. www.evsvipmooca.com.br

Sua majestade o. www.evsvipmooca.com.br Sua majestade o www.evsvipmooca.com.br Shake Tradicional - Muito simples e delicioso! Esta é a maneira mais comum, simples e prática de preparar o seu Shake Herbalife no dia-a-dia. Serve para qualquer

Leia mais

FORMATO APERITIVOS ITALIAN GOURMET

FORMATO APERITIVOS ITALIAN GOURMET FORMATO APERITIVOS ITALIAN GOURMET TORTONEGRAN FORMATOR$ 17 - bolo de foccacia recheado com calabresa e alecrim. Gratinado com mozzarella e azeitonas a parte -CALZONINHOS 6 pequenos calzones em formato

Leia mais

NOÇÕES DE COQUETELARIA INTERNACIONAL. 1 Categorias

NOÇÕES DE COQUETELARIA INTERNACIONAL. 1 Categorias Matheus Wenzel NOÇÕES DE COQUETELARIA INTERNACIONAL 1 Categorias De acordo com a dosagem alcoólica, tamanho e temperatura dos drinques, a IBA chego a um consenso de dividi-los em Short Drinks, Long Drinks,

Leia mais

ERÓTICA #172. a literatura que nos leva a estados de suspensão e êxtase

ERÓTICA #172. a literatura que nos leva a estados de suspensão e êxtase www.revistacontinente.com.br ano XV abr/15 R$ 10,00 #172 elis Regina biógrafo toca em temas-tabu, como a Relação da artista com as drogas tecnologia músicos que criam os próprios instrumentos ERÓTICA a

Leia mais

Crie sua doce assinatura...

Crie sua doce assinatura... Crie sua doce assinatura... DUO DE CHOCOLATE DOCELLO MOUSSE DE MANJERICÃO E SÁLVIA Creme com hortelã: 200ml de NESTLÉ Ninho Integral 10g de hortelã fresca 100g de NESTLÉ DOCELLO Gianduia Semifredo 100g

Leia mais

Pequeno guia sobre bombons. equeno guia sobre bombons

Pequeno guia sobre bombons. equeno guia sobre bombons Pequeno guia sobre bombons equeno guia sobre bombons Receitas deliciosas para delícias doces Bombons apetecíveis feitos por você mesmo. Com bons ingredientes, os acessórios apropriados e alguma prática,

Leia mais

ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DA EDUCAÇÃO GERÊNCIA DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR

ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DA EDUCAÇÃO GERÊNCIA DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR AMBROSIA PRIMAVERA ARROZ DOCE ESPECIAL PVT 10g 57g 15ml 04g Canela em pó 0,5g Arroz Água 70ml 30ml Custo médio estimado: R$ 0,13 Energia:264 Kcal. Proteína:6 g. Hidratar e escorrer o PVT; Colocar o açúcar

Leia mais

VOCÊ QUER ABRIR UMA MICROCERVEJARIA? COMECE POR AQUI

VOCÊ QUER ABRIR UMA MICROCERVEJARIA? COMECE POR AQUI empreendendo com VOCÊ QUER ABRIR UMA MICROCERVEJARIA? COMECE POR AQUI ÍNDICE O MERCADO MUNDIAL 03 A SUA MARCA 05 ENTENDA A PRODUÇÃO 07 DISTRIBUIÇÃO 11 TERCEIRIZAÇÃO 13 INVESTIMENTO 14 EXIGÊNCIAS LEGAIS

Leia mais

Físico-Química Experimental II Bacharelado em Química Engenharia Química

Físico-Química Experimental II Bacharelado em Química Engenharia Química Físico-Química Experimental II Bacharelado em Química Engenharia Química Prof. Dr. Sergio Pilling Prática 12 Introdução a Polarimetria. Lei de Biot. 1) Objetivos da aula Introdução a polarimetria. Determinação

Leia mais

C A T Á L O G O D E P R O D U T O S

C A T Á L O G O D E P R O D U T O S C A T Á L O G O D E P R O D U T O S Criada para agradar aos mais exigentes olfatos, proporcionar bemestar e conforto, a Marina Machado traz um novo conceito em produtos cosméticos pessoais e para a casa.

Leia mais

FABRICAÇÃO DE PRODUTOS LÁCTEOS PROCESSAMENTO ARTESANAL

FABRICAÇÃO DE PRODUTOS LÁCTEOS PROCESSAMENTO ARTESANAL FABRICAÇÃO DE PRODUTOS LÁCTEOS PROCESSAMENTO ARTESANAL 1 - QUALIDADE DA MATÉRIA-PRIMA O leite destinado à fabricação de produtos lácteos deve ser de boa qualidade. Essa qualidade está diretamente relacionada

Leia mais

PRIMEIRA EDIÇÃO MARINA MENEZES MINI GUIA DE RECEITAS SAUDÁVEIS PARA O NATAL

PRIMEIRA EDIÇÃO MARINA MENEZES MINI GUIA DE RECEITAS SAUDÁVEIS PARA O NATAL PRIMEIRA EDIÇÃO MARINA MENEZES MINI GUIA DE RECEITAS SAUDÁVEIS PARA O NATAL PRIMEIRA EDIÇÃO MARINA MENEZES MINI GUIA DE RECEITAS SAUDÁVEIS PARA O NATAL Introdução A busca para uma alimentação mais saudável

Leia mais

ENTRADA Salada Requintada

ENTRADA Salada Requintada ENTRADA Salada Requintada Rendimento: 6 porções (1 pires = 75 g) 1 pé de alface americana pequeno lavado 1 maço pequeno de rúcula lavado 100 g de peito de peru defumado em tiras 100 g de queijo minas em

Leia mais

Páscoa Brasileira. Quem sabe faz a hora!

Páscoa Brasileira. Quem sabe faz a hora! Páscoa Brasileira Quem sabe faz a hora! Páscoa Brasileira Quem sabe faz a hora ÍNDICE Inovare - técnicas pág. 4 Inovare - receitas Ovo Tropical pág. 8 Ovo Bicolor pág. 9 MelKen - técnicas pág. 10 Melken

Leia mais

Receitas para as Festas de Fim de Ano

Receitas para as Festas de Fim de Ano Salada Agridoce 1 molho de alface americano 2 xícaras de chá de repolho roxo cortado bem fino 1 maçã vermelha, picada em quadradinhos pequenos 1 colher de sopa de uvas passas sem sementes 3 talos de aipo

Leia mais

Campanha da Rede Asbran alerta este mês sobre consumo de açúcar

Campanha da Rede Asbran alerta este mês sobre consumo de açúcar Campanha da Rede Asbran alerta este mês sobre consumo de açúcar A Rede Asbran e Filiadas lança nesta sexta-feira, dia 31, mais uma ação da campanha nacional pela redução no consumo do sal e do açúcar,

Leia mais

Gelatina é a sobremesa que previne doenças e emagrece! Lista de benefícios inclui fortalecimento dos ossos e aumento da saciedade

Gelatina é a sobremesa que previne doenças e emagrece! Lista de benefícios inclui fortalecimento dos ossos e aumento da saciedade Gelatina é a sobremesa que previne doenças e emagrece! Lista de benefícios inclui fortalecimento dos ossos e aumento da saciedade A gelatina é a sobremesa ideal para combater aquela vontade de comer doces

Leia mais

Receitas Deliciosas de Aproveitamentos APRESENTAÇÃO EVITANDO O DESPERDÍCIO. Receitas deliciosas com talos, folhas e sementes

Receitas Deliciosas de Aproveitamentos APRESENTAÇÃO EVITANDO O DESPERDÍCIO. Receitas deliciosas com talos, folhas e sementes APRESENTAÇÃO A alimentação e tão necessária ao nosso corpo quanto o ar que precisamos para a nossa sobrevivência, devem ter qualidade para garantir a nossa saúde. Quando falamos em alimentação com qualidade

Leia mais

EMAGREÇA COM CHÁ DE GENGIBRE

EMAGREÇA COM CHÁ DE GENGIBRE 1 EMAGREÇA COM CHÁ DE GENGIBRE O gengibre é um rizoma com caules retorcidos, não sendo uma raiz. Este poderoso alimento é rico em propriedades medicinais, e usado há mais de 3 mil anos como remédio para

Leia mais

FRUTAS E DERIVADOS. Profa. Flávia Meneses

FRUTAS E DERIVADOS. Profa. Flávia Meneses Maturação e metabolismo pós-colheita Fonte de vida: Fotossíntese CO 2 + H 2 O + energia solar Glicose + H 2 O + O 2 Respiração Glicose + O 2 CO 2 + H 2 O + energia Após a colheita: transformações químicas

Leia mais

Segredo do Emagrecimento Rápido http://www.coisasqueemagrecem.com.br/segredoemagrecimentorapido

Segredo do Emagrecimento Rápido http://www.coisasqueemagrecem.com.br/segredoemagrecimentorapido 1 INDICE Sanduiches Ao Acordar 2 Maça 3 Melância 4 Panquecas 5 Barra De Energia Matinal 7 Omelete 9 Muesli 11 Imformações importantes! Este Ebook não pode ser modificado / editado, vendido, mas pode ser

Leia mais