Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti. Military Component

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti. Military Component"

Transcrição

1

2

3 SUMÁRIO 1. OPERAÇÕES DE PAZ 2. MINUSTAH 3. OPERAÇÕES DE GARANTIA DA LEI E DA ORDEM 4. CONSIDERAÇÕES FINAIS

4 PARTICIPAÇÃO EM MISSÕES DE PAZ UNEF-I Oriente Médio 47 Mis Paz Mais de militares brasileiros MINUSTAH Haiti Atualizado em Ago 2011

5 ETAPAS DE UMA MISSÃO DE PAZ CONFLITO PREVENÇÃO DO CONFLITO NEGOCIAÇÃO CESSAR-FOGO PARA A PAZ IMPOSIÇÃO DA PAZ PÓS-CONFLITO OPERAÇÃO DE PAZ CONSTRUÇÃO DA PAZ E PREVENÇÃO CONTRA O RETORNO DO CONFLITO

6 [ ATORES/ FASES ] Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti FASES E ATORES Tarefas INFRAESTRUTURA EMPREGO ESTABILIDADE ECONÔMICA ADMINISTRAÇÃO CIVIL ELEIÇÕES PROCESSO POLÍTICO SEGURANÇA DDR ESTADO DE DIREITO CONSTRUÇÃO ASSISTÊNCIA HUMANITÁRIA Estabilização Operação de Paz da ONU Instituições nacionais / ONG Transição Banco Mundial/ FMI Países contribuintes da ONU, Doadores Desenvolvimento sustentável INSTITUIÇÕES LOCAIS

7 MARCO LEGAL PARA MISSÕES DE PAZ RESOLUÇÃO DO CONSELHO DE SEGURANÇA DA ONU (MANDATO) ACORDO LEGAL DA ONU COM O PAÍS SEDE DA MISSÃO DE PAZ (SOFA) MEMORANDO DE ENTENDIMENTO PARA PARTICIPAÇÃO DE TROPAS (MOU) ORIENTAÇÕES DO REPRESENTANTE ESPECIAL DO SECRETÁRIO GERAL DA ONU E DO COMANDANTE DA FORÇA REGRAS DE ENGAJAMENTO LEIS DO PAÍS ANFITRIÃO LEIS BRASILEIRAS AUTORIZAÇÃO PRESIDENCIAL E APROVAÇÃO DO CONGRESSO NACIONAL REGULAMENTOS E DIRETRIZES DO MD E DO EB

8 Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti MINUSTAH

9 Problemas sociais, ecônomicos e políticos População abaixo da linha de pobreza

10 MAS TAMBÉM HÁ COISAS BOAS E BONITAS

11 SITUAÇÃO ANTES DA MINUSTAH Desordem política e social. Gangues e grupos de ex-militares. Deficiência enorme de prestação de serviços públicos (educação, energia, tratamento de esgoto, suprimento de água, limpeza urbana,.). Governo com baixa aprovação da população. Polícia mal preparada e equipada. Ambiente inseguro para o trabalho de agências humanitárias. Bel Air, Cité Militaire, Cité Soleil e Martissant: áreas dominadas por gangues.

12 ORGANIZAÇÃO DA MINUSTAH Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti SRSG Assuntos Políticos Com & Info Seção de Segurança JMAC Assuntos Legais FORCE COMMANDER PDSRSG DSRSG Força Militar Segurança UNPOL Assuntos Humanitários DDR Administração Assuntos Civis Gênero HIV/AIDS Direitos Humanos Assistência Eleitoral Infância Agências Justiça

13 PROVER UM AMBIENTE SEGURO E ESTÁVEL Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti MISSÕES DO COMPONENTE MILITAR APOIAR AS AÇÕES DE ASSISTÊNCIA HUMANITÁRIA

14 ORGANIZAÇÃO DAS TROPAS NA MINUSTAH (x2) - 10 Batalhões - 4 Companhias - 6 Companhias de Engenharia - 2 Unidades de Aviação - 1 Unidade Marítima - 1 Hospital Militar Total: militares 1 (x3)

15 PARTICIPAÇÃO DE TROPAS BRASILEIRAS 1. Tropas 2 Batalhões de Infantaria de Força de Paz 1 Companhia de Engenharia de Força de Paz Total: 1916 militares (MB, EB, FAB) 2. Preparo das tropas (atual) M-7 M-6 M-5 M-4 M-3 S1 S2 S3 S4 S1 S2 S3 S4 S1 S2 S3 S4 S1 S2 S3 S4 S1 S2 S3 S4 Estágios preparatórios Férias coletivas Con e Niv M-2 M-1 S1 S2 S3 S4 S1 S2 S3 S4 EBOP EAOP Reajustes Rodízio MISSÃO

16 OPERAÇÕES COMBINADAS COM A POLÍCIA NACIONAL DO HAITI E AÇÕES DE DESARMAMENTO PONTOS DE CONTROLE DE CIRCULAÇÃO E SEGURANÇA DE INSTALAÇÕES

17 ESTABELECIMENTO DE PONTOS FORTES

18 OPERAÇÕES CONTRA GANGUES E DE CONTROLE DE DISTÚRBIOS ESCOLTA DE COMBOIOS E PATRULHAS

19 TRABALHOS DE ENGENHARIA

20 APOIO À ASSISTÊNCIA HUMANITÁRIA APOIO AO PROCESSO ELEITORAL

21 RESULTADOS POSITIVOS ALCANÇADOS ANTES DO TERREMOTO - Bel Air, Cité Militaire e Cité Soleil foram pacificados. - Principais líderes de gangues foram presos. - Solução das questões relativas aos ex-militares. - Grandes apreenções de armas, munições e drogas ilegais. - Conquista da população local. - Obtenção de um ambiente favorável às agências de ajuda humanitária e ONGs. - Retorno gradual dos principais serviços públicos. - Retorno à normalidade das atividades comerciais e rotina de vida da população.

22 SEGURANÇA Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti Quadro de Segurança Op Cmb Op Polícia CIMIC Última gangue Desenvolvimento da Infra- estrutura Ponto Forte ACISO Grande Op Op Intlg CIMIC TEMPO

23 MELHORES PRÁTICAS Divisão do setor em subsetores Companhia em Bases de Combate nos subsetores Pontos fortes nas áreas-problema Operações de Inteligência Operações de Inquietação Cerco, investimento e vasculhamento Operações Tipo Polícia Operações Psicológicas Operações de Coordenação Civil-militar

24 SETOR e SUBSETORES

25 Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti EVOLUÇÃO DA MISSÃO

26 Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti TERREMOTO DEVASTADOR EM 12 JAN 10 E RÁPIDA RESPOSTA MILITAR

27 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO MILITAR 1 SEGURANÇA E ESTABILIDADE = INTIMIDAÇÃO = SEGURANÇA DOS DESLOCADOS = OPERAÇÕES CONJUNTAS = SEGURANÇA DAS FRONTEIRAS AMBIENTE SEGURO E ESTÁVEL NO HAITI 2 PROCESSO ELEITORAL SEGURO = OPERAÇÕES DE SEGURANÇA = APOIO LOGÍSTICO ELEIÇÕES LIVRES E TRANSPARENTES EM AMBIENTE SEGURO 3 RESPOSTA OPORTUNA E INTEGRADA CONTRA A CRISE = DESASTRES NATURAIS = OUTRAS AMEAÇAS RESPOSTA EFETIVA E BEM COORDENADA 4 ASSISTÊNCIA HUMANITÁRIA E RECUPERAÇÃO = APOIO A OPERAÇÕES HUMANITÁRIAS = APOIO DE ENGENHARIA = ASSISTÊNCIA HUMANITÁRIA EM TODAS AS UNIDADES DA ÁREA OPERACIONAL = ASSITÊNCIA AO RESTABELECIMENTO DOS DESLOCADOS MELHORAR A SITUAÇÃO HUMANITÁRIA

28 2005 ELEIÇÕES Presidencial Parlamentares 2006/2007 PACIFICAÇÃO DE PORTO PRÍNCIPE 2008/2009 DISTÚRBIOS FURACÕES ELEIÇÕES Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti ETAPAS DA MINUSTAH 2010 TERREMOTO 01 JUNHO 2004

29 OPERAÇÕES DE GARANTIA DA LEI E DA ORDEM Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti

30 MARCO LEGAL PARA OPERAÇÕES DE GARANTIA DA LEI E DA ORDEM NO BRASIL CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988 LEIS COMPLEMENTARES: Nº 97, DE 9 DE JUNHO DE 1999; Nº DE 2 DE SETEMBRO DE 2004; e Nº 136, DE 25 DE AGOSTO DE REGULAMENTOS E DIRETRIZES DO MD E EB REGRAS DE ENGAJAMENTO ORDEM DE OPERAÇÕES DO COMANDANTE DA TROPA

31 TROPAS DESIGNADAS PARA A OPERAÇÃO

32 OPERAÇÕES COM A POLÍCIA ESTABELECIMENTO DE PONTOS FORTES

33 INTERAÇÃO COM A POPULAÇÃO PATRULHAS

34 PONTOS DE CONTROLE DE CIRCULAÇÃO OPERAÇÕES CONTRA GANGUES E DE CONTROLE DE DISTÚRBIOS

35 OBEDIÊNCIA ÀS LEIS No Brasil Constituição Federal Leis Regulamentos Regras de engajamento - Leis - Mandato - Direitos Humanos - Valores Treinamento Militar Na ONU Leis haitianas Leis brasileiras Resolução do Conselho de Segurança da ONU Regras de Engajamento - No Exterior - No Brasil - Exercício de valores da sociedade brasileira

36 É primordial que haja a integração e coordenação dos trabalhos entre todos os atores em uma situação de crise, focando sempre o tratamento das causas mais profundas do conflito. CONSIDERAÇÕES FINAIS Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti Em qualquer missão é necessário um treinamento específico da tropa. A Força Militar é incapaz de sozinha garantir paz e estabilidade duradouras, pois só podem ser garantidas por meio do fortalecimento das estruturas políticas, sociais e econômicas.

37 Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti Em ambas operações (Op PAZ e Op GLO) o treinamento específico, seguido do emprego, permite o aprimoramento da tropa, da doutrina militar, da logística e também a aproximação com a população e todos os atores envolvidos.

A ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS E AS OPERAÇÕES DE AJUDA HUMANITÁRIA

A ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS E AS OPERAÇÕES DE AJUDA HUMANITÁRIA CENTRO CONJUNTO DE OPERAÇÕES DE PAZ DO BRASIL A ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS E AS OPERAÇÕES DE AJUDA HUMANITÁRIA Recife, 07 de maio de 2014 Cel Vendramin Cmt do CCOPAB Sumário CENTRO CONJUNTO DE OPERAÇÕES

Leia mais

BRABAT comemora Dia Internacional da Mulher

BRABAT comemora Dia Internacional da Mulher Número XV - Port-au-Prince - Haiti 1ª quinzena de março de 2014. BRABAT comemora Dia Internacional da Mulher Dia Internacional da Mulher foi celebrado pelos integrantes do BRABAT 19 no dia 8 de março,

Leia mais

Terceiro dia de jogo do Brasil em comunidade carente haitiana

Terceiro dia de jogo do Brasil em comunidade carente haitiana Porto Príncipe / Haiti, 11 de julho de 2014 Informativo Nº 07 Terceiro dia de jogo do Brasil em comunidade carente haitiana No dia 23 de junho, durante o terceiro dia de jogo do Brasil, a localidade de

Leia mais

INÍCIO DA PREPARAÇÃO DO BRABATT 2/14 BRABATT 2/14 REALIZA O EPCOEM NO CCOPAB

INÍCIO DA PREPARAÇÃO DO BRABATT 2/14 BRABATT 2/14 REALIZA O EPCOEM NO CCOPAB Pelotas, RS, 8 de janeiro de 2011 Edição Especial INÍCIO DA PREPARAÇÃO DO BRABATT 2/14 Brasília - DF. No período de 5 a 9 de julho de 2010 ocorreu, no Ministério da Defesa, o estágio para comandantes e

Leia mais

A contribuição do QCO em missões de manutenção da paz. Semana Nacional do QCO 2015 Cap QCO/Dir GODOI

A contribuição do QCO em missões de manutenção da paz. Semana Nacional do QCO 2015 Cap QCO/Dir GODOI Prólogo... A contribuição do QCO em missões de manutenção da paz Semana Nacional do QCO 2015 Cap QCO/Dir GODOI 1. INTRODUÇÃO 1. Tipos de OMP 2. OMP que o Brasil participa 3. OMP que o Brasil participa

Leia mais

Curso de Economia Aplicada Para Profissionais de Comunicação

Curso de Economia Aplicada Para Profissionais de Comunicação Curso de Economia Aplicada Para Profissionais de Comunicação Tema: A Cooperação Brasileira para o Desenvolvimento Internacional (Cobradi) João Brígido Bezerra Lima Pesquisador do Ipea Coordenador do estudo

Leia mais

O recurso da comunicação social na atuação brasileira da operação de paz MINUSTAH

O recurso da comunicação social na atuação brasileira da operação de paz MINUSTAH O recurso da comunicação social na atuação brasileira da operação de paz MINUSTAH Annelise Faustino da Costa 1 RESUMO A atual operação de paz estabelecida pela ONU no Haiti, MINUSTAH, criada em 2004, tem

Leia mais

BR/2001/PI/H/3. Declaração das ONGs Educação para Todos Consulta Internacional de ONGS (CCNGO), Dakar, 25 de Abril de 2000

BR/2001/PI/H/3. Declaração das ONGs Educação para Todos Consulta Internacional de ONGS (CCNGO), Dakar, 25 de Abril de 2000 BR/2001/PI/H/3 Declaração das ONGs Educação para Todos Consulta Internacional de ONGS (CCNGO), Dakar, 25 de Abril de 2000 2001 Declaração das ONGs Educação para Todos Consulta Internacional de ONGS (CCNGO),

Leia mais

Viagem de reconhecimento do BRABATT 2/14 ao Haiti

Viagem de reconhecimento do BRABATT 2/14 ao Haiti Porto Príncipe, Haiti, 30 de outubro de 2010 19ª Edição Viagem de reconhecimento do BRABATT 2/14 ao Haiti No período de 17 a 23 de outubro, o Comandante, o Estado-Maior e os comandantes de companhias do

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI COMPLEMENTAR Nº 97, DE 9 DE JUNHO DE 1999 Dispõe sobre as normas gerais para a organização, o preparo e o emprego das Forças Armadas.

Leia mais

A ATUAÇÃO DAS FORÇAS ARMADAS NA GARANTIA DA LEI E DA ORDEM

A ATUAÇÃO DAS FORÇAS ARMADAS NA GARANTIA DA LEI E DA ORDEM UNIVERSIDADE DA AMAZÔNIA (UNAMA) VIII CURSO DE EXTENSÃO EM DEFESA NACIONAL A ATUAÇÃO DAS FORÇAS ARMADAS NA GARANTIA DA LEI E DA ORDEM SUMÁRIO 1 - INTRODUÇÃO 2 CONSIDERAÇÕES INICIAIS 3 AS OPERAÇÕES DE GLO

Leia mais

PARLAMENTO EUROPEU. Comissão do Desenvolvimento PROJECTO DE PARECER. destinado à Comissão dos Assuntos Externos

PARLAMENTO EUROPEU. Comissão do Desenvolvimento PROJECTO DE PARECER. destinado à Comissão dos Assuntos Externos PARLAMENTO EUROPEU 2004 ««««««««««««Comissão do Desenvolvimento 2009 PROVISÓRIO 2004/2168(INI) 22.2.2005 PROJECTO DE PARECER da Comissão do Desenvolvimento destinado à Comissão dos Assuntos Externos sobre

Leia mais

Anexo 1. I. Declaração de 2012. A/CONF.192/2012/RC/CRP.3/Rev.3

Anexo 1. I. Declaração de 2012. A/CONF.192/2012/RC/CRP.3/Rev.3 Anexo 1 Documento do resultado final Programa de Ação para Prevenir, Combater e Erradicar o Comércio ilícito de Armas de Pequeno Calibre e Armas Ligeiras em Todos os seus Aspectos I. Declaração de 2012

Leia mais

Operações de Paz Multidi

Operações de Paz Multidi Coordenação Civil-Militar Operações de Paz Multidi A Experiência do BRABAT 18 no Ha Cap Bruno Soares de Cerqueira, Exército Brasileiro O Cap Bruno Soares de Cerqueira é atualmente Chefe da Célula de Assuntos

Leia mais

A ATUAÇÃO DAS FORÇAS ARMADAS NAS AÇÕES SUBSIDIÁRIAS

A ATUAÇÃO DAS FORÇAS ARMADAS NAS AÇÕES SUBSIDIÁRIAS MINISTÉRIO DA DEFESA A ATUAÇÃO DAS FORÇAS ARMADAS NAS AÇÕES SUBSIDIÁRIAS Almirante-de-Esquadra Ademir Sobrinho Chefe de Operações Conjuntas do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas MINISTÉRIO DA DEFESA

Leia mais

FELIPE CARCELIANO Nº 10 JENNIFER SANTAROZA DE SOUZA Nº 20 NATHALIA NOVAES Nº 30 GEOGRAFIA TEMA VIII HAITI E.E. DR. JOÃO THIENNE.

FELIPE CARCELIANO Nº 10 JENNIFER SANTAROZA DE SOUZA Nº 20 NATHALIA NOVAES Nº 30 GEOGRAFIA TEMA VIII HAITI E.E. DR. JOÃO THIENNE. FELIPE CARCELIANO Nº 10 JENNIFER SANTAROZA DE SOUZA Nº 20 NATHALIA NOVAES Nº 30 GEOGRAFIA TEMA VIII HAITI E.E. DR. JOÃO THIENNE Nova Odessa SP Maio / 2014 1 JENNIFER SANTAROZA DE SOUZA FELIPE CARCELIANO

Leia mais

Palavras-chave: projetos de impacto rápido; MINUSTAH; desenvolvimento.

Palavras-chave: projetos de impacto rápido; MINUSTAH; desenvolvimento. PROJETOS DE IMPACTO RÁPIDO: CREDIBILIDADE, SEGURANÇA, INTELIGÊNCIA E DESENVOLVIMENTO Henrique Siniciato Terra Garbino * RESUMO Os projetos de impacto rápido (quick impact projects ou QIPs ) são, por definição,

Leia mais

A PROTEÇÃO DOS CIVIS E DA AÇÃO HUMANITÁRIA POR MEIO DE UM TRATADO DE COMÉRCIO DE ARMAS EFICAZ

A PROTEÇÃO DOS CIVIS E DA AÇÃO HUMANITÁRIA POR MEIO DE UM TRATADO DE COMÉRCIO DE ARMAS EFICAZ A PROTEÇÃO DOS CIVIS E DA AÇÃO HUMANITÁRIA POR MEIO DE UM TRATADO DE COMÉRCIO DE ARMAS EFICAZ FOLHETO Marko Kokic/CICV DISPONIBILIDADE DE ARMAS: O CUSTO HUMANO Todos os anos, devido à disponibilidade generalizada

Leia mais

PARTICIPAÇÃO BRASILEIRA EM FORÇAS DE PAZ: EVOLUÇÃO HISTÓRICA E PERSPECTIVAS FUTURAS--UMA INSERÇÃO POSITIVA DO BRASIL NAS RELAÇÕES INTERNACIONAIS

PARTICIPAÇÃO BRASILEIRA EM FORÇAS DE PAZ: EVOLUÇÃO HISTÓRICA E PERSPECTIVAS FUTURAS--UMA INSERÇÃO POSITIVA DO BRASIL NAS RELAÇÕES INTERNACIONAIS PARTICIPAÇÃO BRASILEIRA EM FORÇAS DE PAZ: EVOLUÇÃO HISTÓRICA E PERSPECTIVAS FUTURAS--UMA INSERÇÃO POSITIVA DO BRASIL NAS RELAÇÕES INTERNACIONAIS Prof. Dr. Kai Michael Kenkel IRI/PUC-Rio XIII Ciclo de Estudos

Leia mais

Segurança e Defesa em Portugal e na Europa

Segurança e Defesa em Portugal e na Europa Palestra para a divulgação no Dia de Defesa Nacional sobre Segurança e Defesa em Portugal e na Europa Carlos R. Rodolfo, Calm (Ref.) Presidente da AFCEA Portugal Proferida no MDN em 02 Set 2011 1 AGENDA

Leia mais

NO DIA 10 de janeiro de 2010, quando

NO DIA 10 de janeiro de 2010, quando A Atuação do Batalhão Brasileiro Após o Terremoto do Haiti General-de-Brigada Ajax Porto Pinheiro, Exército Brasileiro NO DIA 10 de janeiro de 2010, quando os primeiros 130 militares do 12º Contingente

Leia mais

Relatório da visita do MPM à Brigada Brasileira de Força de Paz no Haiti

Relatório da visita do MPM à Brigada Brasileira de Força de Paz no Haiti Relatório da visita do MPM à Brigada Brasileira de Força de Paz no Haiti Adriana Lorandi e Giovanni Rattacaso MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO MINISTÉRIO PÚBLICO MILITAR VISITA À BRIGADA BRASILEIRA DE FORÇA

Leia mais

COMITÊ INTERAMERICANO CONTRA O TERRORISMO (CICTE)

COMITÊ INTERAMERICANO CONTRA O TERRORISMO (CICTE) COMITÊ INTERAMERICANO CONTRA O TERRORISMO (CICTE) DÉCIMO PERÍODO ORDINÁRIO DE SESSÕES OEA/Ser.L/X.2.10 17 a 19 de março de 2010 CICTE/DEC.1/10 Washington, D.C. 19 março 2010 Original: inglês DECLARAÇÃO

Leia mais

COMUNICADO CONJUNTO DOS PRESIDENTES DOS ESTADOS PARTES DO MERCOSUL E DOS ESTADOS ASSOCIADOS DECLARAÇÃO DE OURO PRETO

COMUNICADO CONJUNTO DOS PRESIDENTES DOS ESTADOS PARTES DO MERCOSUL E DOS ESTADOS ASSOCIADOS DECLARAÇÃO DE OURO PRETO COMUNICADO CONJUNTO DOS PRESIDENTES DOS ESTADOS PARTES DO MERCOSUL E DOS ESTADOS ASSOCIADOS DECLARAÇÃO DE OURO PRETO Os Presidentes dos Estados Partes do MERCOSUL e dos Estados Associados, reunidos na

Leia mais

Militares encerram treinamento e se preparam para embarcar para o Haiti

Militares encerram treinamento e se preparam para embarcar para o Haiti Militares encerram treinamento e se preparam para embarcar para o Haiti Durante todo o mês de outubro a tropa foi adestrada no Batalhão Carlos Camisão. Três mulheres e um aquidauanense compõem a força

Leia mais

EQUIPOMAN. Sistema de Gestão Integrada. Código de Ética

EQUIPOMAN. Sistema de Gestão Integrada. Código de Ética Sistema de Gestão Integrada Código de Ética CE-01/2012 Rev: 01 Data: 11/12/2012 1 Mensagem da Diretoria Prezados (as) Colaboradores (as), É com imensa satisfação que apresentamos o Código de Ética da EQUIPOMAN

Leia mais

Anexo I - Plano de Classificação de Documentos 33.01.01.01

Anexo I - Plano de Classificação de Documentos 33.01.01.01 Anexo I - Plano de Classificação de Documentos Secretaria de Estado de Segurança - SESEG Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro - PMERJ 33 - Competência: Exercer a polícia ostensiva e a preservação

Leia mais

INDICAÇÃO Nº DE 2005 (Do Srº Babá)

INDICAÇÃO Nº DE 2005 (Do Srº Babá) INDICAÇÃO Nº DE 2005 (Do Srº Babá) Sugere ao Poder Executivo, a imediata retirada das tropas brasileiras do Haiti, e indica a necessidade de revogar o Decreto Legislativo nº 207, de 19 de maio de 2004,

Leia mais

OBJETIVO. Conhecer a Sistemática de Planejamento Estratégico do Exército (SIPLEx)

OBJETIVO. Conhecer a Sistemática de Planejamento Estratégico do Exército (SIPLEx) 06 ABR 15 OBJETIVO Conhecer a Sistemática de Planejamento Estratégico do Exército (SIPLEx) SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 2. O CENTRO DE ESTUDOS ESTRATÉGICOS DO EXÉRCITO (CEEEx) 3. A REDE DE ESTUDOS ESTRATÉGICOS

Leia mais

RISCOS EMERGENTES NO SETOR DE SEGUROS NO CONTEXTO DA AGENDA DE DESENVOLVIMENTO PÓS-2015

RISCOS EMERGENTES NO SETOR DE SEGUROS NO CONTEXTO DA AGENDA DE DESENVOLVIMENTO PÓS-2015 RISCOS EMERGENTES NO SETOR DE SEGUROS NO CONTEXTO DA AGENDA DE DESENVOLVIMENTO PÓS-2015 Rio+20 (2012): O Futuro que Queremos Cúpula das Nações Unidas (setembro de 2015): Agenda de Desenvolvimento Pós-2015

Leia mais

Otavio Augusto Brioschi Soares 1º Tenente Médico Veterinário Hospital Veterinário Academia Militar das Agulhas Negras Exército Brasileiro

Otavio Augusto Brioschi Soares 1º Tenente Médico Veterinário Hospital Veterinário Academia Militar das Agulhas Negras Exército Brasileiro Otavio Augusto Brioschi Soares 1º Tenente Médico Veterinário Hospital Veterinário Academia Militar das Agulhas Negras Exército Brasileiro introdução Introdução Medicina Veterinária Forças Armadas Introdução

Leia mais

Presentation Title Presentation Subtitle

Presentation Title Presentation Subtitle Presentation Title Presentation Subtitle SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO 2 ASPECTOS LEGAIS 3 ASPECTOS ESTRATÉGICOS 4 SISFRON Art. 142. As Forças Armadas, constituídas pela Marinha, pelo Exército e pela Aeronáutica,

Leia mais

Relato de um sobrevivente

Relato de um sobrevivente Capa Relato de um sobrevivente Testemunha ocular do terremoto que devastou o Haiti, o capitão Leonardo Xavier Zanini narra como foi o dia em que a terra tremeu no Caribe, fala das perdas de 10 companheiros

Leia mais

SEMINÁRIO REGIONAL SOBRE DESLOCAÇÃO INTERNA NA REGIÃO DA SADC (COMUNIDADE PARA O DESENVOLVIMENTO DA ÁFRICA AUSTRAL)

SEMINÁRIO REGIONAL SOBRE DESLOCAÇÃO INTERNA NA REGIÃO DA SADC (COMUNIDADE PARA O DESENVOLVIMENTO DA ÁFRICA AUSTRAL) SEMINÁRIO REGIONAL SOBRE DESLOCAÇÃO INTERNA NA REGIÃO DA SADC (COMUNIDADE PARA O DESENVOLVIMENTO DA ÁFRICA AUSTRAL) GABORONE, BOTSWANA 24 a 26 de Agosto de 2005 Co-patrocinadores: Alto Comissariado das

Leia mais

INTRODUÇÃO. O Brasil assumiu em 2004 a liderança da MINUSTAH, com o envio do maior contingente militar e do Force Commander da Missão.

INTRODUÇÃO. O Brasil assumiu em 2004 a liderança da MINUSTAH, com o envio do maior contingente militar e do Force Commander da Missão. 1 O b r a s i l n o h a i t i 2 3 INTRODUÇÃO Os princípios que regem a participação brasileira nessa nova fase são o respeito à soberania do Haiti, a liderança do governo legítimo do Haiti e o papel central

Leia mais

Sexagésima Sexto Sessão Ordinária. do Conselho de Ministros ABUJA, 17-18 AGOSTO DE 2011

Sexagésima Sexto Sessão Ordinária. do Conselho de Ministros ABUJA, 17-18 AGOSTO DE 2011 COMMUNAUTE ECONOMIQUE DES ETATS DE L AFRIQUE DE L OUEST ECONOMIC COMMUNITY OF WEST AFRICAN STATES Sexagésima Sexto Sessão Ordinária do Conselho de Ministros ABUJA, 17-18 AGOSTO DE 2011 Projecto ACTO ADICIONAL

Leia mais

COMUNICADOS DAS DELEGAÇÕES DOS ESTADOS MEMBROS NA QUARTA CÚPULA DAS AMÉRICAS MAR DEL PLATA, ARGENTINA - 5 DE NOVEMBRO DE 2005

COMUNICADOS DAS DELEGAÇÕES DOS ESTADOS MEMBROS NA QUARTA CÚPULA DAS AMÉRICAS MAR DEL PLATA, ARGENTINA - 5 DE NOVEMBRO DE 2005 QUARTA CÚPULA DAS AMÉRICAS COMUNICADOS DAS DELEGAÇÕES DOS ESTADOS MEMBROS NA QUARTA CÚPULA DAS AMÉRICAS MAR DEL PLATA, ARGENTINA - 5 DE NOVEMBRO DE 2005 ÍNDICE COMUNICADO SOBRE A SITUAÇÃO NO HAITI...1

Leia mais

Doutrina e Estratégia Militar. Ações de Caráter Sigiloso. Emprego da Força Terrestre em Operações. Logística de Material de Aviação

Doutrina e Estratégia Militar. Ações de Caráter Sigiloso. Emprego da Força Terrestre em Operações. Logística de Material de Aviação Programa 0620 Preparo e Emprego da Força Terrestre Ações Orçamentárias Número de Ações 16 24490000 Doutrina e Estratégia Militar Produto: Evento realizado Unidade de Medida: unidade UO: 52121 Comando do

Leia mais

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, durante cerimônia de assinatura de atos e declaração à imprensa

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, durante cerimônia de assinatura de atos e declaração à imprensa , Luiz Inácio Lula da Silva, durante cerimônia de assinatura de atos e declaração à imprensa Porto Príncipe-Haiti, 28 de maio de 2008 Meu caro amigo, presidente René Préval, presidente da República do

Leia mais

O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) e o Programa para Forças Policiais

O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) e o Programa para Forças Policiais O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) e o Programa para Forças Policiais Antes de falar sobre o trabalho com as forças de segurança, acho interessante apresentar o Comitê Internacional da Cruz

Leia mais

Refúgio no Brasil Uma Análise Estatística Janeiro de 2010 a Outubro de 2014

Refúgio no Brasil Uma Análise Estatística Janeiro de 2010 a Outubro de 2014 Refúgio no Brasil Uma Análise Estatística Janeiro de 21 a Outubro de 214 O Brasil é signatário dos principais tratados internacionais de direitos humanos e é parte da Convenção das Nações Unidas de 1951

Leia mais

EM SITUAÇÕES DE catástrofes ou de. Imparcialidade e Independência em Situações de Crise: O Sucesso do Batalhão Brasileiro na MINUSTAH

EM SITUAÇÕES DE catástrofes ou de. Imparcialidade e Independência em Situações de Crise: O Sucesso do Batalhão Brasileiro na MINUSTAH Forte Nacional em escombros após o terremoto, Porto Príncipe, Haiti, 11 Ago 10. Fonte: o autor Imparcialidade e Independência em Situações de Crise: O Sucesso do Batalhão Brasileiro na MINUSTAH Tenente-Coronel

Leia mais

Cooperação Sul-Sul em População: Boas práticas da parceria entre o Governo do Brasil e o UNFPA 2 0 0 2-2 0 0 6 2 0 07-2 0 1 1

Cooperação Sul-Sul em População: Boas práticas da parceria entre o Governo do Brasil e o UNFPA 2 0 0 2-2 0 0 6 2 0 07-2 0 1 1 Cooperação Sul-Sul em População: Boas práticas da parceria entre o Governo do Brasil e o UNFPA Fundo de População das Nações Unidas 2 0 0 2-2 0 0 6 2 0 07-2 0 1 1 Ministério das Relações Exteriores Agência

Leia mais

Síntese e Resultados. III Conferência das Nações Unidas para a Redução do Risco de Desastres. 14-18 Março de 2015, Sendai, Japão

Síntese e Resultados. III Conferência das Nações Unidas para a Redução do Risco de Desastres. 14-18 Março de 2015, Sendai, Japão Síntese e Resultados III Conferência das Nações Unidas para a Redução do Risco de Desastres 14-18 Março de 2015, Sendai, Japão Resultados & Avanços Resultados Implementaçao de Hyogo revista e avaliada*

Leia mais

Na atual Polônia, como na maioria dos países europeus,

Na atual Polônia, como na maioria dos países europeus, Unidades Especializadas de Polícia do Exército Polonês General Boguslaw Pacek, Exército Polonês Na atual Polônia, como na maioria dos países europeus, não há medo de agressão armada por parte de estados

Leia mais

X CONFERÊNCIA DE MINISTROS DA DEFESA DAS AMÉRICAS PUNTA DEL ESTE - REPÚBLICA ORIENTAL DO URUGUAI 8 A 10 DE OUTUBRO DE 2012

X CONFERÊNCIA DE MINISTROS DA DEFESA DAS AMÉRICAS PUNTA DEL ESTE - REPÚBLICA ORIENTAL DO URUGUAI 8 A 10 DE OUTUBRO DE 2012 X CONFERÊNCIA DE MINISTROS DA DEFESA DAS AMÉRICAS PUNTA DEL ESTE - REPÚBLICA ORIENTAL DO URUGUAI 8 A 10 DE OUTUBRO DE 2012 DECLARAÇÃO DE PUNTA DEL ESTE (10 de outubro de 2012) Os Ministros da Defesa e

Leia mais

Viva Rio no Haiti. Ações Emergenciais 20 de março de 2010

Viva Rio no Haiti. Ações Emergenciais 20 de março de 2010 Viva Rio no Haiti Ações Emergenciais 20 de março de 2010 Pressupostos O Viva Rio estava no Haiti antes do terremoto do dia 12 de janeiro de 2010 e planeja continuar atuando no país 1. Faz-se necessário,

Leia mais

REPÚBLICA DE ANGOLA. Cimeira Mundial Sobre a Sociedade da Informação

REPÚBLICA DE ANGOLA. Cimeira Mundial Sobre a Sociedade da Informação REPÚBLICA DE ANGOLA Cimeira Mundial Sobre a Sociedade da Informação Intervenção de Sua Excelência Licínio Tavares Ribeiro, Ministro dos Correios e Telecomunicações ANGOLA (Genebra, 12 de Dezembro de 2003)

Leia mais

Charme na ofensiva de ACISO Em 02 de agosto de 2012, diversas unidades da MINUSTAH conduziram uma operações "ACISO" combinadas em Port-au-Prince que

Charme na ofensiva de ACISO Em 02 de agosto de 2012, diversas unidades da MINUSTAH conduziram uma operações ACISO combinadas em Port-au-Prince que Charme na ofensiva de ACISO Em 02 de agosto de 2012, diversas unidades da MINUSTAH conduziram uma operações "ACISO" combinadas em Port-au-Prince que esteve fora da normalidade, com o apoio de ninguém mais

Leia mais

Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org

Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org Este documento faz parte do Repositório Institucional do Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org Michael Haradom - www.shalomsalampaz.org - ssp@shalomsalampaz.org tel (11) 3031.0944 - fax (11)

Leia mais

TEMAS 1 2 3 4 TEMAS 1 2 3 4 TEMAS 1 2 3 4 TEMAS 1 2 3 4 PARTICIPAÇÃO DO BRASIL NA MINUSTAH 1. CONSELHO DE SEGURANÇA-ONU (Mandato): 1) Resolução nº 1542, de 30.04.2004 a) Período Inicial: 06 meses (Apartado

Leia mais

Operações de construção da paz: o caso do Haiti

Operações de construção da paz: o caso do Haiti Operações de construção da paz: o caso do Haiti Sérgio Luiz Cruz Aguilar (UNESP Campus de Marília/SP) FAPESP Projeto Regular Introdução As operações de paz da Organização das Nações Unidas (ONU) surgiram

Leia mais

PALESTRA OPERAÇÃO DE PAZ NO HAITI

PALESTRA OPERAÇÃO DE PAZ NO HAITI PALESTRA OPERAÇÃO DE PAZ NO HAITI Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva Vice-Presidente da República José Alencar Gomes da Silva Ministro-Chefe do Gabinete de Segurança Institucional Jorge

Leia mais

O Conselho Executivo do Fórum Parlamentar sobre Armas Ligeiras e de Pequeno Porte, realizado no dia 13 de Julho de 2008 em Nova Iorque, E.U.A.

O Conselho Executivo do Fórum Parlamentar sobre Armas Ligeiras e de Pequeno Porte, realizado no dia 13 de Julho de 2008 em Nova Iorque, E.U.A. FÓRUM PARLAMENTAR SOBRE ARMAS LIGEIRAS E DE PEQUENO PORTE Declaração da política sobre a gestão de estoque de munições convencionais O Conselho Executivo do Fórum Parlamentar sobre Armas Ligeiras e de

Leia mais

Pablo Picasso : Ciência & caridade / Science & Charity, 1897, Museo Picasso, Barcelona, Spain

Pablo Picasso : Ciência & caridade / Science & Charity, 1897, Museo Picasso, Barcelona, Spain Pablo Picasso : Ciência & caridade / Science & Charity, 1897, Museo Picasso, Barcelona, Spain Rio+20: avaliação e desdobramentos Complexidade sociedade civil funções Organizacional Focos a destacar Rio+20:

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 97, DE 9 DE JUNHO DE 1999. Dispõe sobre as normas gerais para a organização, o preparo e o emprego das Forças Armadas.

LEI COMPLEMENTAR Nº 97, DE 9 DE JUNHO DE 1999. Dispõe sobre as normas gerais para a organização, o preparo e o emprego das Forças Armadas. LEI COMPLEMENTAR Nº 97, DE 9 DE JUNHO DE 1999 Dispõe sobre as normas gerais para a organização, o preparo e o emprego das Forças Armadas. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta

Leia mais

AUTONOMIA TECNOLÓGICA E SEGURANÇA CIBERNÉTICA: DESAFIOS PARA A COOPERAÇÃO ENTRE AS FORÇAS ARMADAS E O SETOR PRIVADO NO COMPLEXO INDUSTRIAL BRASILEIRO

AUTONOMIA TECNOLÓGICA E SEGURANÇA CIBERNÉTICA: DESAFIOS PARA A COOPERAÇÃO ENTRE AS FORÇAS ARMADAS E O SETOR PRIVADO NO COMPLEXO INDUSTRIAL BRASILEIRO MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO AUTONOMIA TECNOLÓGICA E SEGURANÇA CIBERNÉTICA: DESAFIOS PARA A COOPERAÇÃO ENTRE AS FORÇAS ARMADAS E O SETOR PRIVADO NO COMPLEXO INDUSTRIAL BRASILEIRO 1 / 23 OBJETIVO

Leia mais

RELATÓRIO FINAL 1. ALCANCE

RELATÓRIO FINAL 1. ALCANCE RELATÓRIO FINAL 1. ALCANCE O Centro Conjunto de Operações de Paz do Brasil (CCOPAB) realizou um workshop sobre MINUSTAH 10 Anos de Êxito, com a participação dos militares dos países que integram esta missão

Leia mais

Operações Interagências na Faixa de Fronteira e Relações Internacionais

Operações Interagências na Faixa de Fronteira e Relações Internacionais Operações Interagências na Faixa de Fronteira e Relações Internacionais Cláudio Medeiros Leopoldino Coordenador-Geral Adjunto Brasil: 16.886 km de fronteiras terrestres 10 países vizinhos fronteiras plenamente

Leia mais

Implementação de Direitos Humanos em nível local na Noruega

Implementação de Direitos Humanos em nível local na Noruega Implementação de Direitos Humanos em nível local na Noruega Njal Hoestmaelingen, Diretor do Instituto de Direito e Política Internacional (ILPI) Discurso feito por Njaal Hoestmaelingen no Seminário de

Leia mais

No dia 3 de janeiro de 2014, foi. realizada a formatura de despedida de

No dia 3 de janeiro de 2014, foi. realizada a formatura de despedida de INFORMATIVO Nº 1-1º TRIMESTRE DE 2014 - LORENA - SP No dia 7 de janeiro de 2014, foi realizada a formatura de despedida de militares da Unidade. Na ocasião deixaram o convívio do Regimento Itororó o 1º

Leia mais

PROJETO DE RELATÓRIO

PROJETO DE RELATÓRIO Assembleia Parlamentar Paritária ACP-UE Comissão dos Assuntos Políticos 31.7.2014 PROJETO DE RELATÓRIO sobre o desafio da reconciliação nacional nos países em situação de pósconflito e de pós-crise Correlatores:

Leia mais

Analisar as iniciativas de cooperação para o enfrentamento ao tráfico de drogas e delitos conexos, ao tráfico de armas de fogo e de munições, ao

Analisar as iniciativas de cooperação para o enfrentamento ao tráfico de drogas e delitos conexos, ao tráfico de armas de fogo e de munições, ao Analisar as iniciativas de cooperação para o enfrentamento ao tráfico de drogas e delitos conexos, ao tráfico de armas de fogo e de munições, ao tráfico de pessoas e à segurança cibernética no âmbito da

Leia mais

Resolução adotada pela Assembleia Geral em 19 de dezembro de 2011. 66/121. Políticas e programas voltados à juventude

Resolução adotada pela Assembleia Geral em 19 de dezembro de 2011. 66/121. Políticas e programas voltados à juventude Organização das Nações Unidas A/RES/66/121 Assembleia Geral Distribuição: geral 2 de fevereiro de 2012 65 a sessão Item 27 (b) da pauta Resolução adotada pela Assembleia Geral em 19 de dezembro de 2011

Leia mais

PAÍS / FUNDO MÊS AÇÃO VALOR

PAÍS / FUNDO MÊS AÇÃO VALOR CGFOME. ASSISTÊNCIA HUMANITÁRIA. RELATÓRIO ORÇAMENTÁRIO. JANEIRO A AGOSTO DE 2010. OBS: Valor alocado para 2010 (Lei Orçamentária Anual) à Ação 2D28 Operações de Assistência Especial no Exterior = R$ 50

Leia mais

Junto se enviam, à atenção das delegações, as conclusões adotadas pelo Conselho Europeu na reunião em epígrafe.

Junto se enviam, à atenção das delegações, as conclusões adotadas pelo Conselho Europeu na reunião em epígrafe. Conselho Europeu Bruxelas, 30 de agosto de 2014 (OR. en) EUCO 163/14 CO EUR 11 CONCL 4 NOTA DE ENVIO de: Secretariado-Geral do Conselho para: Delegações Assunto: Reunião Extraordinária do Conselho Europeu

Leia mais

Estado do Rio Grande do Sul Secretaria da Saúde Complexo Regulador Estadual Central de Regulação das Urgências/SAMU. Nota Técnica nº 10

Estado do Rio Grande do Sul Secretaria da Saúde Complexo Regulador Estadual Central de Regulação das Urgências/SAMU. Nota Técnica nº 10 Estado do Rio Grande do Sul Secretaria da Saúde Complexo Regulador Estadual Central de Regulação das Urgências/SAMU Nota Técnica nº 10 LIBERAÇÃO E SOLICITAÇÃO DE AMBULÂNCIA DO SERVIÇO DE ATENDIMENTO MÓVEL

Leia mais

DIREITO CONSTITUCIONAL DANIELA MURARO DEFESA DO ESTADO E DAS INSTITUIÇÕES DEMOCRÁTICAS

DIREITO CONSTITUCIONAL DANIELA MURARO DEFESA DO ESTADO E DAS INSTITUIÇÕES DEMOCRÁTICAS DEFESA DO ESTADO E DAS INSTITUIÇÕES DEMOCRÁTICAS 11.1 DEFINIÇÃO A Constituição de 1988, nos arts. 136 a 141, prescreve as regras relativas ao Estado de Defesa e ao Estado Sítio. São normas que visam à

Leia mais

CURSO DE EXTENSÃO OPERAÇÕES DE PAZ E POLICIAMENTO INTERNACIONAL

CURSO DE EXTENSÃO OPERAÇÕES DE PAZ E POLICIAMENTO INTERNACIONAL CURSO DE EXTENSÃO OPERAÇÕES DE PAZ E POLICIAMENTO INTERNACIONAL 1. OBJETIVOS: 1.1. Objetivo geral: Este curso tem por objetivo criar condições para que os participanantes possam conhecer as operações de

Leia mais

CDCIBER: perspectivas em face da espionagem eletrônica

CDCIBER: perspectivas em face da espionagem eletrônica CENTRO DE DEFESA CIBERNÉTICA CDCIBER: perspectivas em face da espionagem eletrônica VIII Curso de Extensão em Defesa Nacional UNAMA Belém/PA 7 a 11 abril 2014 CENTRO DE DEFESA CIBERNÉTICA Setores de importância

Leia mais

Proposta. Projeto Brasileiro. Brasília, outubro de 2012

Proposta. Projeto Brasileiro. Brasília, outubro de 2012 Proposta Projeto Brasileiro Brasília, outubro de 2012 1 - Existe, em seu país, política pública, programa ou estratégia de acesso ao Direito, para a população em condição de vulnerabilidade (grupos vulneráveis)?

Leia mais

Ciência, Tecnologia e Inovação: Mecanismos de Transformação e Fortalecimento da Indústria de Defesa Nacional

Ciência, Tecnologia e Inovação: Mecanismos de Transformação e Fortalecimento da Indústria de Defesa Nacional Ciência, Tecnologia e Inovação: Mecanismos de Transformação e Fortalecimento da Indústria de Defesa Nacional Satoshi Yokota I Seminário Internacional Livro Branco de Defesa Nacional Transformação da Defesa

Leia mais

Comunicado Oficial Reunião de Ministros e Diretores São Paulo Brasil 8-9 de novembro de 2008

Comunicado Oficial Reunião de Ministros e Diretores São Paulo Brasil 8-9 de novembro de 2008 Comunicado Oficial Reunião de Ministros e Diretores São Paulo Brasil 8-9 de novembro de 2008 1. Nós, os Ministros da Fazenda e Diretores dos Bancos Centrais do G-20, realizamos nossa décima reunião anual

Leia mais

Brasil planeja envio de soldados para Força da ONU no Líbano

Brasil planeja envio de soldados para Força da ONU no Líbano Brasil planeja envio de soldados para Força da ONU no Líbano O Brasil planeja o envio de tropas do Exército para serem incorporadas à missão de paz das Nações Unidas no sul do Líbano, junto à fronteira

Leia mais

Resolução 1325(2000) Aprovada pelo Conselho de Segurança na sua 4213 a reunião, em 31 de Outubro de 2000. O Conselho de Segurança,

Resolução 1325(2000) Aprovada pelo Conselho de Segurança na sua 4213 a reunião, em 31 de Outubro de 2000. O Conselho de Segurança, Resolução 1325(2000) Aprovada pelo Conselho de Segurança na sua 4213 a reunião, em 31 de Outubro de 2000 O Conselho de Segurança, Tendo presentes as suas resoluções 1261(1999) de 25 de Agosto de 1999,

Leia mais

sumário executivo da Criminalidade e Seguranca Cidadã Relatório Internacional

sumário executivo da Criminalidade e Seguranca Cidadã Relatório Internacional sumário executivo PREVENcÃo da Criminalidade e Seguranca Cidadã Relatório Internacional 2012 O Relatório Internacional sobre Prevenção da Criminalidade e Segurança Cidadã 2012 do Centro Internacional para

Leia mais

RECONHECENDO a geometria variável dos sistemas de pesquisa e desenvolvimento dos países membros do BRICS; ARTIGO 1: Autoridades Competentes

RECONHECENDO a geometria variável dos sistemas de pesquisa e desenvolvimento dos países membros do BRICS; ARTIGO 1: Autoridades Competentes MEMORANDO DE ENTENDIMENTO SOBRE A COOPERAÇÃO EM CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO ENTRE OS GOVERNOS DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL, FEDERAÇÃO DA RÚSSIA, REPÚBLICA DA ÍNDIA, REPÚBLICA POPULAR DA CHINA E

Leia mais

Preparação e Resposta a Desastres

Preparação e Resposta a Desastres Sr. Perry Mansfield (Coordenador Sênior de Socorro da Equipe de Resposta Rápida global da Visão Mundial Internacional) - Bom dia. Primeiro, eu preciso pedir desculpas a você, porque eu vou falar em inglês.

Leia mais

BRABAT 1/16 embarca para a Missão de Paz

BRABAT 1/16 embarca para a Missão de Paz Informativo Eletrônico do Comando Militar do Planalto 16 a 31 de março - 2012 - ano III - edição 43 C M BRABAT 1/16 embarca para a Missão de Paz P P r o f i s s i o n a l i s m o e E n t u s i a s m o

Leia mais

VERSÃO APROVADA Tradução de cortesia ANEXO 4

VERSÃO APROVADA Tradução de cortesia ANEXO 4 ANEXO 4 RELATÓRIO PRELIMINAR DO CEED AO CONSELHO DE DEFESA SUL- AMERICANO SOBRE OS TERMOS DE REFERÊNCIA PARA OS CONCEITOS DE SEGURANÇA E DEFESA NA REGIÃO SUL- AMERICANA O é uma instância de conhecimento

Leia mais

Plano Plurianual DESENVOLVIMENTO, PRODUTIVIDADE E INCLUSÃO SOCIAL ANEXO II

Plano Plurianual DESENVOLVIMENTO, PRODUTIVIDADE E INCLUSÃO SOCIAL ANEXO II Plano Plurianual 216 219 DESENVOLVIMENTO, PRODUTIVIDADE E INCLUSÃO SOCIAL ANEXO II PROGRAMA: 21 - Aprimoramento do Ministério Público Orçamentos Fiscal e da Seguridade Social 82.71 268.863 Despesas Correntes

Leia mais

MINUSTAH e implicações para as aspirações internacionais do Brasil

MINUSTAH e implicações para as aspirações internacionais do Brasil MINUSTAH e implicações para as aspirações internacionais do Brasil Análise Segurança Bárbara Gomes Lamas 29 de junho de 2005 MINUSTAH e implicações para as aspirações internacionais do Brasil Análise Segurança

Leia mais

A preparação do Brasil para a Conferência Rio+20 Sugestões para contribuições

A preparação do Brasil para a Conferência Rio+20 Sugestões para contribuições A preparação do Brasil para a Conferência Rio+20 Sugestões para contribuições I. Informações preliminares sobre a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável ( Rio+20 ) De 28 de maio

Leia mais

A PARTICIPAÇÃO DA ENGENHARIA MILITAR BRASILEIRA NA MISSÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A ESTABILIZAÇÃO NO HAITI - MINUSTAH

A PARTICIPAÇÃO DA ENGENHARIA MILITAR BRASILEIRA NA MISSÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A ESTABILIZAÇÃO NO HAITI - MINUSTAH A PARTICIPAÇÃO DA ENGENHARIA MILITAR BRASILEIRA NA MISSÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A ESTABILIZAÇÃO NO HAITI - MINUSTAH Márcio Aparecido Pinheiro da Silva 1 RESUMO: O 9º Batalhão de Engenharia de Combate

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA GARANTIA DA LEI E DA ORDEM

MINISTÉRIO DA DEFESA GARANTIA DA LEI E DA ORDEM MINISTÉRIO DA DEFESA MD33-M-10 GARANTIA DA LEI E DA ORDEM 2013 MINISTÉRIO DA DEFESA ESTADO-MAIOR CONJUNTO DAS FORÇAS ARMADAS GARANTIA DA LEI E DA ORDEM 1 a Edição 2013 MINISTÉRIO DA DEFESA GABINETE DO

Leia mais

Os BRICS e as Operações de Paz

Os BRICS e as Operações de Paz Os BRICS e as Operações de Paz Policy Brief #3 Núcleo de Política Internacional e Agenda Multilateral BRICS Policy Center / Centro de Estudos e Pesquisa BRICS Maio de 2011 Os BRICS e as Operações de Paz

Leia mais

DEPARTAMENTO DE TAQUIGRAFIA, REVISÃO E REDAÇÃO NÚCLEO DE REDAÇÃO FINAL EM COMISSÕES TEXTO COM REDAÇÃO FINAL

DEPARTAMENTO DE TAQUIGRAFIA, REVISÃO E REDAÇÃO NÚCLEO DE REDAÇÃO FINAL EM COMISSÕES TEXTO COM REDAÇÃO FINAL CÂMARA DOS DEPUTADOS DEPARTAMENTO DE TAQUIGRAFIA, REVISÃO E REDAÇÃO NÚCLEO DE REDAÇÃO FINAL EM COMISSÕES TEXTO COMISSÃO DE RELAÇÕES EXTERIORES E DE DEFESA NACIONAL EVENTO: Audiência Pública N : 0406/07

Leia mais

Francisco Chaves, Presidente Ibolyka Elizabeth, Diretora Executiva. www.iaap.org.br Lorena-SP

Francisco Chaves, Presidente Ibolyka Elizabeth, Diretora Executiva. www.iaap.org.br Lorena-SP Diretoria Francisco Chaves, Presidente Ibolyka Elizabeth, Diretora Executiva. www.iaap.org.br Lorena-SP O Terceiro Setor no Brasil Sumário: Histórico e Legislação Bandeira: a figura da Filantropia (do

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos 1 de 9 17/10/2013 13:46 Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 7.165, DE 29 DE ABRIL DE 2010. Regulamenta o inciso I do art. 48 da Lei n o 6.450, de 14 de outubro

Leia mais

Nicole Guedj Ex-ministra Presidente da Fundação Capacetes Vermelhos

Nicole Guedj Ex-ministra Presidente da Fundação Capacetes Vermelhos 1 A GÊNESE A tradição humanitária francesa nos quatro cantos do mundo é motivo de orgulho para o nosso país. Com o passar dos anos, ela tem evoluído, principalmente graças ao engajamento das Organizações

Leia mais

O COMPONENTE DO DESENVOLVIMENTO NAS INCIATIVAS PÓS-CONFLITO

O COMPONENTE DO DESENVOLVIMENTO NAS INCIATIVAS PÓS-CONFLITO O COMPONENTE DO DESENVOLVIMENTO NAS INCIATIVAS PÓS-CONFLITO ROTEIRO 1. ONU 2. INSTRUMENTOS PARA SOLUÇÃO DE CONFLITOS 3. O BRASIL E AS OPERAÇÕES DE PAZ 4. CONCLUSÃO ANTECEDENTES ANTECEDENTES LIGA DAS NAÇÕES

Leia mais

MANUAL DE DIRETRIZES NACIONAIS PARA EXECUÇÃO DE MANDADOS JUDICIAIS DE MANUTENÇÃO E REINTEGRAÇÃO DE POSSE COLETIVA.

MANUAL DE DIRETRIZES NACIONAIS PARA EXECUÇÃO DE MANDADOS JUDICIAIS DE MANUTENÇÃO E REINTEGRAÇÃO DE POSSE COLETIVA. MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO DEPARTAMENTO DE OUVIDORIA AGRÁRIA E MEDIAÇÃO DE CONFLITOS - DOAMC MANUAL DE DIRETRIZES NACIONAIS PARA EXECUÇÃO DE MANDADOS JUDICIAIS DE MANUTENÇÃO E REINTEGRAÇÃO DE

Leia mais

//Sobre VISÃO MISSÃO. Honestidade, Responsabilidade. Respeito. Colaboração.

//Sobre VISÃO MISSÃO. Honestidade, Responsabilidade. Respeito. Colaboração. . Quem somos //Sobre A Oficina1 é uma consultoria direcionada à tecnologia da informação, com foco na implementação dos ERPs Protheus e OpenBravo, além do aplicativo de Service Desk SysAid, abrangendo

Leia mais

Plano de Metas 2010/2011 do CCS12 AISP 12 Niterói.

Plano de Metas 2010/2011 do CCS12 AISP 12 Niterói. CCS12 AISP 12 Niterói. Desafio: Conseguir um imóvel com infra-estrutura no Município de Niterói para instalação do ccs-aisp 12 Niterói. Estratégias: sensibilizar os Governos Estadual,Municipal e iniciativa

Leia mais

GRUPO III 1 o BIMESTRE PROVA A

GRUPO III 1 o BIMESTRE PROVA A A GERAÇÃO DO CONHECIMENTO Transformando conhecimentos em valores www.geracaococ.com.br Unidade Portugal Série: 6 o ano (5 a série) Período: MANHÃ Data: 22/4/2010 PROVA GRUPO GRUPO III 1 o BIMESTRE PROVA

Leia mais

Acordo-Quadro de Associação entre o MERCOSUL e a República do Suriname

Acordo-Quadro de Associação entre o MERCOSUL e a República do Suriname Acordo-Quadro de Associação entre o MERCOSUL e a República do Suriname A República Argentina, a República Federativa do Brasil, a República do Paraguai, a República Oriental do Uruguai, a República Bolivariana

Leia mais

República de Moçambique Ministério das Finanças SISTAFE

República de Moçambique Ministério das Finanças SISTAFE República de Moçambique Ministério das Finanças SISTAFE Data de Geração: 01/10/2012 Orçamento do Estado para Ano de 2013 Código Designação 0101 Presidência da República 150,000.00 0.00 150,000.00 0105

Leia mais

SUBCOMISSÃO PERMANENTE DE SEGURANÇA PÚBLICA Comissão de Constituição e Justiça - SENADO FEDERAL PLANO DE TRABALHO

SUBCOMISSÃO PERMANENTE DE SEGURANÇA PÚBLICA Comissão de Constituição e Justiça - SENADO FEDERAL PLANO DE TRABALHO SUBCOMISSÃO PERMANENTE DE SEGURANÇA PÚBLICA Comissão de Constituição e Justiça - SENADO FEDERAL PLANO DE TRABALHO 1. Contextualização e finalidades A violência, a falta de segurança e o medo da criminalidade

Leia mais

HELEN CLARK. Um mundo melhor, mais justo e seguro. A candidata neozelandesa a Secretária-Geral das Nações Unidas

HELEN CLARK. Um mundo melhor, mais justo e seguro. A candidata neozelandesa a Secretária-Geral das Nações Unidas HELEN CLARK Um mundo melhor, mais justo e seguro A candidata neozelandesa a Secretária-Geral das Nações Unidas Segunda-feira, 11 de abril de 2016 Excelentíssimo Senhor: Estou honrada por ser a candidata

Leia mais