VI IBERCARTO Madrid 23 e 24 de Outubro de 2014

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "VI IBERCARTO Madrid 23 e 24 de Outubro de 2014"

Transcrição

1 Madrid 23 e 24 de Outubro de 2014 DIGITALIZAÇÃO DE DOCUMENTOS CARTOGRÁFICOS DA BIBLIOTECA NACIONAL DE PORTUGAL GÉNESE, EVOLUÇÃO E CONTEXTOS Maria Joaquina Feijão Helena Patrício

2 DIGITALIZAÇÃO DE DOCUMENTOS CARTOGRÁFICOS DA BNP GÉNESE, EVOLUÇÃO E CONTEXTOS As primeiras experiências de digitalização de documentos cartográficos Coleções de Cartografia na BND: conteúdos e serviços Aplicação de regimes de Direito de Autor Acesso e reutilização de dados e conteúdos Integração em serviços coletivos de acesso

3 AS PRIMEIRAS EXPERIÊNCIAS DE DIGITALIZAÇÃO DE DOCUMENTOS CARTOGRÁFICOS Cartografia do Brasil nas coleções da Biblioteca Nacional: (desenvolvido entre 1998 e 2002) DIGMAP - Discovering our Past World with Digitized Historical Maps (desenvolvido entre 2006 e 2008) BND - Biblioteca Nacional Digital (a partir de 2002)

4 CARTOGRAFIA DO BRASIL NAS COLEÇÕES DA BIBLIOTECA NACIONAL (Projeto desenvolvido entre 1998 e 2002)

5

6 t/i

7

8

9

10 Discovering our Past World with Digitized Historical Maps Reutilização de Metadados disponíveis da Internet Registos e imagens digitalizadas (Catálogos de Bibliotecas, arquivos, etc.) Outros recursos disponíveis na Internet (mapas Google e tesauros Geográficos, etc.) Para gerar formas avançadas de pesquisa e recuperação de documentos cartográficos

11

12

13 PORTAL DIGMAP

14 BND - BIBLIOTECA NACIONAL DIGITAL Projeto BND foi lançado em 2002 projeto europeu, no âmbito da melhoria da qualidade dos serviços prestados (caracterizou-se por uma forte aposta na inovação e experimentação tecnológica) Projeto de digitalização (2004 e 2005) também com o apoio de fundos comunitários (foram digitalizados cerca de 1100 documentos cartográficos) A partir de 2007 a BND foi profundamente reestruturada criação de uma unidade orgânica, integrada e articulada com os restantes serviços da BNP, para produção e gestão de conteúdos digitais de forma sistemática e com linhas de atuação contínuas e consistentes que originou o atual serviço

15 CONTEÚDOS BND Atualmente disponibiliza um total de títulos, cerca de dois milhões de imagens 0,5% Cartografia 83,5% Livros

16 CONTEÚDOS BND imagens (1 830 títulos) 5% Atlas 3% do século XVI 17% do século XVII 40% do século XVIII 32% do século XIX 8% do século XX Mapas e plantas (em folhas soltas)

17 BND: CRITÉRIOS PARA A SELEÇÃO DE DOCUMENTOS A DIGITALIZAR TRÊS GRANDES OBJETIVOS DA ATIVIDADE DE DIGITALIZAÇÃO : Promover a divulgação das coleções da BNP Preservar os documentos originais Colaborar em atividades editoriais e exposições

18 BND: LINHAS DE AÇÃO PARA A SELEÇÃO DE DOCUMENTOS A DIGITALIZAR Coleções de obras reservadas - obras mais valiosas do Património Bibliográfico Português, consideradas no seu conjunto por forma a reunir uma massa crítica de informação, permitindo o relacionamento da coleção de documentos digitalizados, por exemplo a coleção de Alcobacenses da BNP

19 COLEÇÕES DE OBRAS RESERVADAS

20 COLEÇÕES DE OBRAS RESERVADAS

21 BND: LINHAS DE AÇÃO PARA A SELEÇÃO DE DOCUMENTOS A DIGITALIZAR Obras raras ou únicas em Portugal, ou no mundo sempre o que o seu valor intrínseco expresso na classificação como Tesouro da BNP o justifique

22 OBRAS RARAS OU ÚNICAS EM PORTUGAL, OU NO MUNDO

23 BND: LINHAS DE AÇÃO PARA A SELEÇÃO DE DOCUMENTOS A DIGITALIZAR Obras frágeis: que apresentam riscos adicionais de serem danificadas pelo manuseamento de consulta pública, quer pelo estado de conservação quer pela qualidade do suporte e formato

24 OBRAS FRÁGEIS

25 BND: LINHAS DE AÇÃO PARA A SELEÇÃO DE DOCUMENTOS A DIGITALIZAR Digitalização colaborativa ou de oportunidade: que contempla a digitalização integral e sistemática de conjuntos de documentos selecionados no âmbito de projetos de edição, ou eventos culturais e comemorativos

26 DIGITALIZAÇÃO COLABORATIVA OU DE OPORTUNIDADE Exemplo: Projeto Portuguese Culture

27 NORMAS TÉCNICAS E PROCEDIMENTOS DE DIGITALIZAÇÃO/PUBLICAÇÃO CAPTURA DE IMAGEM Controlo de qualidade de digitalização Completude Qualidade de imagem REQUISITOS GERAIS Completude de imagem Margens mínimas Respeito pelas dimensões e escalas do original Backing dos originais Cunhas de cor

28 NORMAS TÉCNICAS E PROCEDIMENTOS DE DIGITALIZAÇÃO/PUBLICAÇÃO CAPTURA DE IMAGEM REQUISITOS TÉCNICOS Imagens de arquivo, ou matrizes requisitos de elevada qualidade (salvaguarda do valor da imagem) Ficheiros em TIFF, versão 6 Resolução: 300 dpi Não compressão Profundidade : 24 bpp Sistema de cor: RGB Imagens de consulta derivadas das imagens de arquivo, em resposta às necessidades do utilizador e de acordo com a tecnologia disponível em cada momento Ficheiros: JPEG (150 dpi) e PDF (comprimido) para documentos em multipágina

29 NORMAS TÉCNICAS E PROCEDIMENTOS DE DIGITALIZAÇÃO/PUBLICAÇÃO CRIAÇÃO E ASSOCIAÇÃO DE METADADOS Metadados descritivos - descoberta e identificação do recurso - referem-se sempre ao documento analógico que foi digitalizado (apontadores para o registo bibliográfico e ficheiro que importa a informação do registo bibliográfico para o recurso digital) Metadados administrativos asseguram funções de gestão interna dos recursos digitais, sendo determinados pelas necessidades locais da organização (descrevem os próprios metadados, os esquemas adoptados, o criador e a data de criação dos metadados, etc.) Metadados técnicos - descrevem os atributos das imagens digitais, o processo e o ambiente técnico da captura (nº de pixéis, esquema e profundidade de cor, compressão, cota do documento, equipamentos e software de captura, resolução, data e hora da captura, nome da entidade que digitaliza e copyright da imagem) Metadados de direitos - permitem identificar o titular dos direitos e o estatuto legal do recurso digital, para o efeito de implementação de restrições de acesso e utilização Metadados estruturais - desempenham a dupla função de registar a informação necessária para a reconstrução de um recurso a partir das suas partes constitutivas (sequência das imagens ou paginação) e de descrever a estrutura de um recurso de forma a facilitar o acesso ao documento e a partes específicas do mesmo (a estrutura lógica ou as partes constitutivas do conteúdo de um documento)

30 NORMAS TÉCNICAS E PROCEDIMENTOS DE DIGITALIZAÇÃO/PUBLICAÇÃO ARMAZENAMENTO DIGITAL Final de Aquisição de um novo sistema de armazenamento digital (com capacidade para 36 TB de imagens de arquivo), compreendendo a renovação de uma parte substancial do hardware de suporte e a substituição das soluções de software No primeiro semestre de 2009 concluiu-se a implementação do novo sistema de arquivo digital e a redefinição das políticas de armazenamento da BND e iniciou-se a publicação de novos conteúdos no sistema e a migração dos dados arquivados no antigo sistema.

31 INTERFACES DE VISUALIZAÇÃO E FUNCIONALIDADES A partir de 2011/ ficou disponível o novo interface para a visualização que aplica a tecnologia DeepZoom da Microsoft, que permite aproximações superiores a 300%, direcionamento do zoom para detalhes de imagem utilizando apenas um clique de rato Anterior interface de visualização segmentava as imagens em matriz, muitas vezes cortava informação importante, como o nome de localidades

32 INTERFACES DE VISUALIZAÇÃO E FUNCIONALIDADES IMAGENS EM MATRIZ Anterior interface de visualização

33 INTERFACES DE VISUALIZAÇÃO E FUNCIONALIDADES TECNOLOGIA DEEPZOOM DA MICROSOFT Novo interface de visualização

34 INTERFACES DE VISUALIZAÇÃO E FUNCIONALIDADES NOVO INTERFACE DE ACESSO PARA OBRAS TEXTUAIS SIMULA O FOLHEAR UM LIVRO

35 INTERFACES DE VISUALIZAÇÃO E FUNCIONALIDADES PESQUISAR NO DOCUMENTO EM TEXTO INTEGRAL OCR reconhecimento ótico de caracteres Apresentação de resultados embebidos na imagem do documento

36 ACESSO LIVRE E GRATUITO A CÓPIAS DIGITAIS NA INTERNET: Obras no domínio público Obras para as quais a BNP possui os direitos de publicação. NA REDE INTERNA DA BNP: Todas obras incluindo as protegidas pelo Direito de Autor

37 APLICAÇÃO DE REGIMES DE DIREITO DE AUTOR TIPOLOGIA DOMÍNIO PÚBLICO CDA DISPONIBILIZAÇÃO NA INTERNET Criador é pessoa singular 70 anos após a morte Art. 31º e 32º nº1 Data de morte anterior a 1944 Criador é pessoa coletiva sem pessoas singulares identificadas AUTORES IDENTIFICADOS E COM DATA DE MORTE 70 anos após 1ª edição Art. 32º nº2 Data de edição anterior a 1944 Criador é pessoa coletiva com pessoas singulares identificadas 70 anos após a morte da pessoa singular que faleceu em último lugar Art. 32º nº3 Data de morte anterior a 1944 Edição de inéditos no domínio público ou de edições críticas /científicas de obras no domínio público 25 anos após a data de publicação Art. 39º Data de edição anterior a 1989

38 APLICAÇÃO DE REGIMES DE DIREITO DE AUTOR AUTORES IDENTIFICADOS, JÁ FALECIDOS SEM DATA DE MORTE, MAS COM DATA DE PUBLICAÇÃO TIPOLOGIA Criador é pessoa singular ou colectiva CÁLCULO PARÂMETRO TEMPORAL SEGURO 70 anos após a morte (1944) menos 80 anos (tempo de vida)=1864 DISPONIBILIZAÇÃO NA INTERNET Data de publicação anterior a 1864 OBRAS ÓRFÃS DETENTORES DE DIREITOS NÃO IDENTIFICADOS OU NÃO LOCALIZADOS (Directiva 2012/28/EU Para o material cartográfico apenas se estiver inserido em documentos textuais) TIPOLOGIA DOMÍNIO PÚBLICO DISPONIBILIZAÇÃO NA INTERNET Obras anteriores a anos após a morte (=1944 menos 80 anos - tempo de vida)=1864 Data de publicação anterior a 1864 Obras posteriores a 1864 Apenas disponíveis na rede local

39 ACESSO E REUTILIZAÇÃO DE DADOS E CONTEÚDOS SECÇÃO AUTÓNOMA DA BND (

40 SECÇÃO AUTÓNOMA DA BND (

41

42 CATÁLOGO DA BNP

43

44 ACESSO E REUTILIZAÇÃO DE DADOS E CONTEÚDOS Verificou-se uma média de cerca de 9 milhões de visitas anuais, a que correspondem 700 mil visitas mensais ou visitas diárias Principal foco tem incidido mais em disponibilizar livremente os recursos, de modo a que os mesmos possam ser reutilizados e recombinados de forma espontânea pelo público em geral, e menos em construir sítios web temáticos Pontualmente a BNP reutiliza os recursos da BND, agregando-os em projetos temáticos como são os recentes casos de reutilização no âmbito do projeto Portuguese Culture que reúne conteúdos em língua inglesa sobre Portugal ( e da A Grande Guerra que até 2018 vai disponibilizando mapas relacionados com a I Guerra Mundial (

45 INTEGRAÇÃO EM SERVIÇOS COLECTIVOS NÍVEL NACIONAL PORBASE Base Nacional de Dados Bibliográficos RNOD - Registo Nacional de Objetos Digitais NÍVEL INTERNACIONAL TEL - The European Library ( EUROPEANA - Biblioteca Digital Europeia BDPI - Biblioteca Digital do Patrimonio Iberoamericano GOOGLE

46 Madrid 23 e 24 de Outubro de 2014 MUITO OBRIGADA! Maria Joaquina Feijão Helena Patrício

GESTÃO E DIFUSÃO DE CONTEÚDOS DIGITAIS. BND RNOD Europeana. Workshop Pré-Congresso BAD

GESTÃO E DIFUSÃO DE CONTEÚDOS DIGITAIS. BND RNOD Europeana. Workshop Pré-Congresso BAD GESTÃO E DIFUSÃO DE CONTEÚDOS DIGITAIS BND RNOD Europeana Workshop Pré-Congresso BAD SUMÁRIO: BND RNOD Europeana Conteúdos Estruturas de produção Serviços Objetivos Funcionalidades Requisitos Conteúdos

Leia mais

Direitos de Autor na Biblioteca Nacional de Portugal

Direitos de Autor na Biblioteca Nacional de Portugal Direitos de Autor na Biblioteca Nacional de Portugal EXPERIÊNCIAS E PERSPECTIVAS EM 3 TEMAS FUNDAMENTAIS: Reutilização de conteúdos Reutilização de dados Digitalização em massa Helena Simões Patrício 1.

Leia mais

PARÂMETROS NORMATIVOS DE PARTICIPAÇÃO NA EUROPEANA FORNECEDORES CONTEÚDOS SUBMISSÃO DE DADOS

PARÂMETROS NORMATIVOS DE PARTICIPAÇÃO NA EUROPEANA FORNECEDORES CONTEÚDOS SUBMISSÃO DE DADOS PARÂMETROS NORMATIVOS DE PARTICIPAÇÃO NA EUROPEANA FORNECEDORES CONTEÚDOS SUBMISSÃO DE DADOS Helena Patrício Biblioteca Nacional de Portugal 1 Julho 2010 1. Fornecer conteúdos no contexto da Europeana

Leia mais

ARQUIVO DIGITAL e Gestão de Documentos

ARQUIVO DIGITAL e Gestão de Documentos ARQUIVO DIGITAL e Gestão de Documentos TECNOLOGIA INOVAÇÃO SOFTWARE SERVIÇOS A MISTER DOC foi constituída com o objectivo de se tornar uma referência no mercado de fornecimento de soluções de gestão de

Leia mais

BIBLIOTECA NACIONAL DIGITAL RENOVADA

BIBLIOTECA NACIONAL DIGITAL RENOVADA BIBLIOTECA NACIONAL DIGITAL RENOVADA NOVOS SERVIÇOS, FUNCIONALIDADES E CONTEXTOS DE COOPERAÇÃO SUMÁRIO NOVA INTERFACE GRÁFICA DA BND COOPERAÇÃO RNOD REGISTO NACIONAL DE OBJETOS DIGITAIS PROJETOS EOD EBOOKS

Leia mais

Critérios para certificação de Sites SciELO: critérios, política e procedimentos para a classificação e certificação dos sites da Rede SciELO

Critérios para certificação de Sites SciELO: critérios, política e procedimentos para a classificação e certificação dos sites da Rede SciELO Critérios para certificação de Sites SciELO: critérios, política e procedimentos para a classificação e certificação dos sites da Rede SciELO Versão Março 2008 1 Introdução Este documento tem por objetivo

Leia mais

Disciplina: Tecnologias de Informação e Comunicação Ano Letivo 2014/2015

Disciplina: Tecnologias de Informação e Comunicação Ano Letivo 2014/2015 A informação, o conhecimento e o mundo das tecnologias. (I7.1) Utilização do computador e/ou dispositivos eletrónicos similares em segurança. (I7.2) 1. Compreender a evolução das tecnologias de informação

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE T.I.C. 7.º ANO

PLANO DE ESTUDOS DE T.I.C. 7.º ANO DE T.I.C. 7.º ANO Ano Letivo 2015 2016 PERFIL DO ALUNO O aluno deve ser capaz de: - desenvolver capacidades na utilização das tecnologias de informação e comunicação que permitam uma literacia digital

Leia mais

Planificação Semestral. Informação. Planificação da Disciplina de Tecnologias da Informação e Comunicação TIC 7º Ano

Planificação Semestral. Informação. Planificação da Disciplina de Tecnologias da Informação e Comunicação TIC 7º Ano I Planificação Semestral DOMÍNIO/SUBDOMÍNIOS/ METAS Subdomínio: A, o conhecimento e o mundo das tecnologias 1. Meta: Compreender a evolução das TIC e o seu papel no mundo atual. Subdomínio: A utilização

Leia mais

A Biblioteca Digital do Senado Federal. DSpace

A Biblioteca Digital do Senado Federal. DSpace A Biblioteca Digital do Senado Federal eo DSpace André Luiz Lopes de Alcântara Chefe do Serviço de Biblioteca Digital Simone Bastos Vieira Diretora da Biblioteca do Senado Federal BIBLIOTECA DO SENADO

Leia mais

Proteção de direitos e divulgação de arquivos

Proteção de direitos e divulgação de arquivos Electrónica ISCTE 31 janeiro 2012 Proteção de direitos e divulgação de arquivos Helena Simões Patrício Sumário 1. Introdução: a proteção de direitos em ambiente digital 3. Proteção de documentos de arquivo

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. FRANCISCO SANCHES PLANIFICAÇÃO DISCIPLINA. TECNOLOGIAS da INFORMAÇÃO e COMUNICAÇÃO (TIC) 7º Ano. Ano letivo 2014-2015

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. FRANCISCO SANCHES PLANIFICAÇÃO DISCIPLINA. TECNOLOGIAS da INFORMAÇÃO e COMUNICAÇÃO (TIC) 7º Ano. Ano letivo 2014-2015 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. FRANCISCO SANCHES PLANIFICAÇÃO da DISCIPLINA de TECNOLOGIAS da INFORMAÇÃO e COMUNICAÇÃO (TIC) 7º Ano Ano letivo 2014-201 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. FRANCISCO SANCHES Desenvolvimento

Leia mais

Sistema de Informação Integrado

Sistema de Informação Integrado Sistema de Informação Integrado Relatório de Atividades Centro de Referência em Informação Ambiental, CRIA Novembro, 2005 Trabalho Realizado As atividades básicas previstas para o primeiro trimestre do

Leia mais

... Calendarização: 2 blocos de 90 m Metas/Objetivos Descritores Conceitos/Conteúdos Estratégias/Metodologias Avaliação

... Calendarização: 2 blocos de 90 m Metas/Objetivos Descritores Conceitos/Conteúdos Estratégias/Metodologias Avaliação DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E INFORMÁTICA DISCIPLINA: TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO PLANIFICAÇÃO DE 7º ANO... 1º Período Domínio INFORMAÇÃO I7 A Informação, o conhecimento e o mundo das tecnologias

Leia mais

Da referência ao conteúdo: gestão dos serviços de acesso em ambiente digital. Maria Inês Cordeiro

Da referência ao conteúdo: gestão dos serviços de acesso em ambiente digital. Maria Inês Cordeiro Da referência ao conteúdo: gestão dos serviços de acesso em ambiente digital Da referência ao conteúdo: gestão dos serviços de acesso em ambiente digital O conceito de Acesso A necessidade de pensar modelos

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. GINESTAL MACHADO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. GINESTAL MACHADO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. GINESTAL MACHADO 3º Ciclo do Ensino Básico Planificação Ano letivo: 2013/2014 Disciplina: Tecnologias de Informação e Comunicação Ano:7º Conteúdos Objectivos Estratégias/Actividades

Leia mais

DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS - Grupo 550 INFORMÁTICA Planificação Anual /Critérios de avaliação

DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS - Grupo 550 INFORMÁTICA Planificação Anual /Critérios de avaliação DOMÍNIOS (Unidades) UNIDADE 1 INTRODUÇÃO À PROGRAMAÇÃO Introdução Conteúdos Objetivos Estratégias/ recursos Conceitos fundamentais Teste e controlo de erros em algoritmia Estruturas de controlo Arrays

Leia mais

BIBLIOTECAS DIGITAIS: CONCEITOS E PLANEJAMENTO. Liliana Giusti Serra

BIBLIOTECAS DIGITAIS: CONCEITOS E PLANEJAMENTO. Liliana Giusti Serra BIBLIOTECAS DIGITAIS: CONCEITOS E PLANEJAMENTO Liliana Giusti Serra INFORMAÇÃO - NOVA ECONOMIA Ciência da Informação Ciência da Computação CONTEÚDO Tecnologia de Rede BIBLIOTECAS DIGITAIS Interoperabilidade

Leia mais

Preservação e disseminação de dados em Ciências Sociais

Preservação e disseminação de dados em Ciências Sociais Projeto de Investigação: «A construção de um arquivo de dados em Ciências Sociais» Preservação e disseminação de dados em Ciências Sociais Pedro Moura Ferreira «Infraestruturas de Recolha, Preservação

Leia mais

Tecnologias da Informação e Comunicação 7.º Ano

Tecnologias da Informação e Comunicação 7.º Ano ESCOLA SECUNDÁRIA/3 DA RAÍNHA SANTA ISABEL, ESTREMOZ Tecnologias da Informação e Comunicação 7.º Ano Planificação Anual Ano letivo 2015/2016 Professora: Maria dos Anjos Pataca Rosado Domínio: Informação

Leia mais

Planificação TIC - 7.º Ano 2012/2013

Planificação TIC - 7.º Ano 2012/2013 Agrupamento de Escolas Dr. Vieira de Carvalho Planificação TIC - 7.º Ano 2012/2013 AULAS PREVISTAS (50 minutos) 7.º A (30 aulas) (34 aulas) 7.º F (34 aulas) 1.- A Informação, o conhecimento e o mundo das

Leia mais

Da adoção de boas práticas ao Plano de Preservação Digital

Da adoção de boas práticas ao Plano de Preservação Digital Da adoção de boas práticas ao Plano de Preservação Digital Encontro Internacional de Arquivos Da Produção à Preservação Informacional: desafios e oportunidades Évora, 3 e 4 de outubro de 2014 1. Preservação

Leia mais

Participar na Europeana: Requisitos Técnicos

Participar na Europeana: Requisitos Técnicos Participar na Europeana: Requisitos Técnicos Nuno Freire Biblioteca Nacional de Portugal nuno.freire@bnportugal.pt Agenda Participar na Europeana requisitos técnicos Objectos digitais, formatos de dados,

Leia mais

PHC dcontroldoc. O acesso a diversos tipos de ficheiros

PHC dcontroldoc. O acesso a diversos tipos de ficheiros PHC dcontroldoc O acesso a diversos tipos de ficheiros A possibilidade de consultar e introduzir documentos, imagens e outro tipo de ficheiros, a partir de um local com acesso à Internet. BUSINESS AT SPEED

Leia mais

PORTARIA NORMATIVA N 3, DE 18 DE NOVEMBRO DE 2011

PORTARIA NORMATIVA N 3, DE 18 DE NOVEMBRO DE 2011 PORTARIA NORMATIVA N 3, DE 18 DE NOVEMBRO DE 2011 Cria o Assentamento Funcional Digital - AFD e estabelece orientação aos órgãos e entidades integrantes do Sistema de Pessoal Civil da Administração Publica

Leia mais

DOCBASE. 1. Conceitos gerais. 2. Estrutura da pasta de associações. 3. A área de documentos reservados. 4. Associação de Imagens

DOCBASE. 1. Conceitos gerais. 2. Estrutura da pasta de associações. 3. A área de documentos reservados. 4. Associação de Imagens Documentação, Informática e Desenvolvimento 1 DOCBASE ASSOCIAÇÔES MULTIMÉDIA 1. Conceitos gerais 2. Estrutura da pasta de associações 3. A área de documentos reservados 4. Associação de Imagens 5. Procedimentos

Leia mais

Planificação Anual TIC 8º Ano 2012/2013 1 PERÍODO

Planificação Anual TIC 8º Ano 2012/2013 1 PERÍODO Ano Letivo 2012/2013 TIC 7º ANO PLANIFICAÇÃO ANUAL DE CONTEÚDOS 1 PERÍODO 1 TEMPO- 45 MINUTOS Domínio Duração Objectivos Gerais Objectivos Específicos Estratégias/ Actividades Subdomínio 7ºA 7ºB Informação

Leia mais

Verificador de direitos de autor REDE DE BIBLIOTECAS ESCOLARES BIBLIOTECA NACIONAL DE PORTUGAL

Verificador de direitos de autor REDE DE BIBLIOTECAS ESCOLARES BIBLIOTECA NACIONAL DE PORTUGAL Verificador de REDE DE BIBLIOTECAS ESCOLARES BIBLIOTECA NACIONAL DE PORTUGAL 2014 VERIFICADOR DE DIREITOS DE AUTOR 1 2 3 4 OBRAS DE AUTORES PESSOA FÍSICA OU AUTOR NÃO IDENTIFICADO É possível identificar

Leia mais

Mesa Redonda Novas agendas de atuação e os perfis profissionais em bibliotecas universitárias

Mesa Redonda Novas agendas de atuação e os perfis profissionais em bibliotecas universitárias Mesa Redonda Novas agendas de atuação e os perfis profissionais em bibliotecas universitárias Profa. Dra. Lillian Maria Araújo de Rezende Alvares Coordenadora-Geral de Pesquisa e Manutenção de Produtos

Leia mais

Centros de documentação e informação para área de ENGENHARIA: como implantar e resultados esperados. Iza Saldanha

Centros de documentação e informação para área de ENGENHARIA: como implantar e resultados esperados. Iza Saldanha Centros de documentação e informação para área de ENGENHARIA: como implantar e resultados esperados Iza Saldanha Abordagem Conceitos Procedimentos/Ferramentas Benefícios esperados Estudo de caso Planave

Leia mais

Software PHC com MapPoint

Software PHC com MapPoint Software PHC com MapPoint A análise de informação geográfica A integração entre o Software PHC e o Microsoft Map Point permite a análise de informação geográfica, desde mapas a rotas, com base na informação

Leia mais

Pesquisa e organização de informação

Pesquisa e organização de informação Pesquisa e organização de informação Capítulo 3 A capacidade e a variedade de dispositivos de armazenamento que qualquer computador atual possui, tornam a pesquisa de informação um desafio cada vez maior

Leia mais

Este documento tem o objetivo de esclarecer alguns procedimentos e definir parâmetros para facilitar o processo.

Este documento tem o objetivo de esclarecer alguns procedimentos e definir parâmetros para facilitar o processo. Prezado Curador, Em dezembro de 2010 o INCT-HVFF (INCT-Herbário Virtual da Flora e dos Fungos) teve um projeto aprovado junto ao CNPq, no âmbito do programa Reflora, cujo objetivo é aumentar a base informacional

Leia mais

A PÁGINA DISCIPLINAR DE MATEMÁTICA DO PORTAL DIA A DIA EDUCAÇÃO

A PÁGINA DISCIPLINAR DE MATEMÁTICA DO PORTAL DIA A DIA EDUCAÇÃO A PÁGINA DISCIPLINAR DE MATEMÁTICA DO PORTAL DIA A DIA EDUCAÇÃO Resumo: Dolores Follador Secretaria de Estado da Educação do Paraná e Faculdades Integradas do Brasil - Unibrasil doloresfollador@gmail.com

Leia mais

PENSAR O LIVRO 6. Legal modelos desenvolvidos na Europa para a digitalização, armazenamento, o registo e acesso a material digital em bibliotecas

PENSAR O LIVRO 6. Legal modelos desenvolvidos na Europa para a digitalização, armazenamento, o registo e acesso a material digital em bibliotecas PENSAR O LIVRO 6 Fórum Ibero-americano sobre o livro, a leitura e as bibliotecas na sociedade do conhecimento Junho 2009 Legal modelos desenvolvidos na Europa para a digitalização, armazenamento, o registo

Leia mais

Ano Lectivo 2014/2015. Serviços de Apoio das Bibliotecas para o Desenvolvimento das Literacias da Leitura, dos Média e da Informação

Ano Lectivo 2014/2015. Serviços de Apoio das Bibliotecas para o Desenvolvimento das Literacias da Leitura, dos Média e da Informação Ano Lectivo 2014/2015 Serviços de Apoio das Bibliotecas para o Desenvolvimento das Literacias da Leitura, dos Média e da Informação O trabalho das bibliotecas escolares deve estar direcionado e contribuir

Leia mais

Projeto BVS-SP-1.9 Publicação eletrônica de textos completos em Saúde Pública (15 de outubro de 1999)

Projeto BVS-SP-1.9 Publicação eletrônica de textos completos em Saúde Pública (15 de outubro de 1999) BIREME/OPAS/OMS BVS Saúde Pública Projeto BVS-SP-1.9 Publicação eletrônica de textos completos em Saúde Pública (15 de outubro de 1999) 1. Introdução Este documento descreve o projeto para o desenvolvimento

Leia mais

TEXTO FINAL DOS PROJECTOS DE LEI N.º 389/XI (BE) E N.º 421/XI (PCP) «Estabelece a adopção de normas abertas nos sistemas informáticos do Estado»

TEXTO FINAL DOS PROJECTOS DE LEI N.º 389/XI (BE) E N.º 421/XI (PCP) «Estabelece a adopção de normas abertas nos sistemas informáticos do Estado» TEXTO FINAL DOS PROJECTOS DE LEI N.º 389/XI (BE) E N.º 421/XI (PCP) «Estabelece a adopção de normas abertas nos sistemas informáticos do Estado» Artigo 1.º Objecto A presente lei estabelece a adopção de

Leia mais

A nova solução que torna seus projetos de digitalização realmente mais simples e eficientes!

A nova solução que torna seus projetos de digitalização realmente mais simples e eficientes! Aplicativo de software completo para processar, enriquecer e converter coleções culturais em ativos digitais. A nova solução que torna seus projetos de digitalização realmente mais simples e eficientes!

Leia mais

Guia de Utilização. A consulta dos e-books não exige a instalação de nenhum programa específico.

Guia de Utilização. A consulta dos e-books não exige a instalação de nenhum programa específico. Guia de Utilização Acompanhando a tendência actual para o acesso rápido a conteúdos informativos via Web e atendendo às solicitações dos clientes internos e externos do Centro de Recursos em Conhecimento/Mediateca

Leia mais

Manual do Visualizador NF e KEY BEST

Manual do Visualizador NF e KEY BEST Manual do Visualizador NF e KEY BEST Versão 1.0 Maio/2011 INDICE SOBRE O VISUALIZADOR...................................................... 02 RISCOS POSSÍVEIS PARA O EMITENTE DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA.................

Leia mais

Relatório Técnico: B-23686/1. Flora brasiliensis On-Line

Relatório Técnico: B-23686/1. Flora brasiliensis On-Line Relatório Técnico: B-23686/1 Flora brasiliensis On-Line Introdução O projeto tem por objetivo desenvolver um sistema integrado de informação na Internet sobre a Flora brasiliesis, de C.P.F. Von Martius.

Leia mais

Manual do ContentE CONTENTE. Editor de Conteúdos. Gilberto Pedrosa gfsp@ext.bn.pt Biblioteca Nacional Digital

Manual do ContentE CONTENTE. Editor de Conteúdos. Gilberto Pedrosa gfsp@ext.bn.pt Biblioteca Nacional Digital CONTENTE Editor de Conteúdos Gilberto Pedrosa gfsp@ext.bn.pt Biblioteca Nacional Digital 2 Índice 1. Pré-requisitos...4 2. Como criar uma nova obra?...5 3. Como associar um registo bibliográfico à obra?...7

Leia mais

Pesquisa Internacional sobre Documentos Arquivísticos Autênticos Permanentes em Sistemas. CS03 REGISTROS AUDIOVISUAIS: Programas de TV

Pesquisa Internacional sobre Documentos Arquivísticos Autênticos Permanentes em Sistemas. CS03 REGISTROS AUDIOVISUAIS: Programas de TV Pesquisa Internacional sobre Documentos Arquivísticos Autênticos Permanentes em Sistemas CS03 REGISTROS AUDIOVISUAIS: Programas de TV Rádio e Televisão da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) Maria

Leia mais

Fluxo de trabalho do Capture Pro Software: Indexação de código de barras e separação de documentos

Fluxo de trabalho do Capture Pro Software: Indexação de código de barras e separação de documentos Este procedimento corresponde ao fluxo de trabalho de Indexação de código de barras e de separação de documentos no programa de treinamento do Capture Pro Software. As etapas do procedimento encontram-se

Leia mais

GED / ECM / EIM. Gerenciamento Eletrônico de Documentos ou Gestão Eletrônica de Documentos. Por: Marcelo Vasconcelos Fatudo

GED / ECM / EIM. Gerenciamento Eletrônico de Documentos ou Gestão Eletrônica de Documentos. Por: Marcelo Vasconcelos Fatudo Gerenciamento Eletrônico de Documentos ou Gestão Eletrônica de Documentos Por: Marcelo Vasconcelos Fatudo OBJETIVOS: GERAR ARMAZENAR CONTROLAR COMPARTILHAR RECUPERAR DADOS E/OU INFORMAÇÕES DADO / INFORMAÇÃO

Leia mais

COMENTÁRIOS ANATEL 2014 COMENTÁTIRIOS DA PROVA DE ARQUIVOLOGIA DA ANATEL CARGO: TÉCNICO ADMINISTRATIVO. www.grancursos.com.br

COMENTÁRIOS ANATEL 2014 COMENTÁTIRIOS DA PROVA DE ARQUIVOLOGIA DA ANATEL CARGO: TÉCNICO ADMINISTRATIVO. www.grancursos.com.br COMENTÁTIRIOS DA PROVA DE ARQUIVOLOGIA DA ANATEL CARGO: TÉCNICO ADMINISTRATIVO 91. Os mapas e as plantas encontrados nos arquivos da ANATEL pertencem ao gênero documental iconográfico, sendo classificado

Leia mais

RESUMO DE CATALOGAÇÃO

RESUMO DE CATALOGAÇÃO RESUMO DE CATALOGAÇÃO CLASSIFICAÇÃO DISTINTA Contatos: Cirineo Zenere (c.zenere@pucpr.br) Eulália M. Soares (eulalia.soares@pucpr.br) Josilaine O. Cezar (josilaine.cezar@pucpr.br) SUMÁRIO INICIANDO A CATALOGAÇÃO...2

Leia mais

Digitalização para PC

Digitalização para PC 1 Criarumperfildedigitalização... 2 Usar o utilitário ScanBack....................... 2 UseaspáginasdaWebnoMarkNet... 4 Personalizar configurações de parapc... 7 Criar um perfil de digitalização parapc

Leia mais

ESCOLA BÁSICA 2 / 3 DE MARTIM DE FREITAS TIC Tecnologias de informação e comunicação - Ano lectivo de 2014 / 2015

ESCOLA BÁSICA 2 / 3 DE MARTIM DE FREITAS TIC Tecnologias de informação e comunicação - Ano lectivo de 2014 / 2015 TIC Tecnologias de informação e comunicação - Ano lectivo de 204 / 205 SUBDOMÍNIO CC8.. CONHECIMENTO E UTILIZAÇÃO ADEQU ADA E SEGURA DE DIFERENTES TIPOS DE FERRAMENTAS DE COMUNICAÇÃO, DE ACORDO COM AS

Leia mais

ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO. 04 2 ACESSO AOS SISTEMAS. 05 3 DOCUMENTOS MANUTENÇÃO. 08 08 3.2 10 3.3 OCR. 11 4 REGISTRO DE DOCUMENTOS. 13 5 GERANDO DOCUMENTOS

ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO. 04 2 ACESSO AOS SISTEMAS. 05 3 DOCUMENTOS MANUTENÇÃO. 08 08 3.2 10 3.3 OCR. 11 4 REGISTRO DE DOCUMENTOS. 13 5 GERANDO DOCUMENTOS ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO... 04 2 ACESSO AOS SISTEMAS... 05 3 DOCUMENTOS MANUTENÇÃO... 08 3.1Tipos de Documentos... 08 3.2 Relações entre Documentos... 10 3.3 OCR... 11 4 REGISTRO DE DOCUMENTOS... 13 5 GERANDO

Leia mais

EDITAL PARA A MOSTRA DE FOTOGRAFIA HISTÓRIA E MEMÓRIA EM SAÚDE DOS TERRITÓRIOS DE VIDA

EDITAL PARA A MOSTRA DE FOTOGRAFIA HISTÓRIA E MEMÓRIA EM SAÚDE DOS TERRITÓRIOS DE VIDA EDITAL PARA A MOSTRA DE FOTOGRAFIA HISTÓRIA E MEMÓRIA EM SAÚDE DOS TERRITÓRIOS DE VIDA A Rede Unida Norte vem por meio deste, tornar público o presente Edital da Mostra de Fotografia História e Memória

Leia mais

Tutorial para utilização de imagens. Comissão de Acompanhamento e Validação de Materiais Didáticos CVMD/UFSC. Universidade Federal de Santa Catarina

Tutorial para utilização de imagens. Comissão de Acompanhamento e Validação de Materiais Didáticos CVMD/UFSC. Universidade Federal de Santa Catarina Tutorial para utilização de imagens Comissão de Acompanhamento e Validação de Materiais Didáticos CVMD/UFSC Universidade Federal de Santa Catarina Florianópolis - SC Outubro/2011 Caro Professor-autor!

Leia mais

Capture Pro Software. Guia de referência. A-61640_pt-br

Capture Pro Software. Guia de referência. A-61640_pt-br Capture Pro Software Guia de referência A-61640_pt-br Iniciando o Kodak Capture Pro Software Este guia foi projetado para fornecer instruções simples para início rápido, incluindo a instalação e a inicialização

Leia mais

O PaperPort 12 Special Edition (SE) possui uma grande variedade de novos e valiosos recursos que ajudam a gerenciar seus documentos.

O PaperPort 12 Special Edition (SE) possui uma grande variedade de novos e valiosos recursos que ajudam a gerenciar seus documentos. Bem-vindo! O Nuance PaperPort é um pacote de aplicativos para gerenciamento de documentos da área de trabalho que ajuda o usuário a digitalizar, organizar, acessar, compartilhar e gerenciar documentos

Leia mais

Etapas para Desenvolvimento de Base DevInfo 6.0

Etapas para Desenvolvimento de Base DevInfo 6.0 Etapas para Desenvolvimento de Base DevInfo 6.0 OBJETIVOS Orientar a criação de bases de dados para utilização no sistema DevInfo, semelhantes à encontrada no Portal ODM. (Disco I) Antes de iniciar o desenvolvimento

Leia mais

Preservação Digital de Património: paradigmas, estratégias e instrumentos no âmbito da DGPC

Preservação Digital de Património: paradigmas, estratégias e instrumentos no âmbito da DGPC Preservação Digital de Património: paradigmas, estratégias e instrumentos no âmbito da DGPC Paulo Ferreira da Costa Divisão do Património Imóvel, Móvel e Imaterial / Departamento dos Culturais 1.º Seminário

Leia mais

2º CONGRESSO INTERDISCIPLINAR EM SAÚDE E EDUCAÇÃO: MEIO AMBIENTE, CIÊNCIA E QUALIDADE DE VIDA

2º CONGRESSO INTERDISCIPLINAR EM SAÚDE E EDUCAÇÃO: MEIO AMBIENTE, CIÊNCIA E QUALIDADE DE VIDA 2º CONGRESSO INTERDISCIPLINAR EM SAÚDE E EDUCAÇÃO: MEIO AMBIENTE, CIÊNCIA E QUALIDADE DE VIDA ISSN 2358-2995 Normas para submissão de trabalhos Cronograma: 31/03/15 início das inscrições dos trabalhos

Leia mais

Utilizar o Microsoft Offi ce OneNote 2003: Iniciação rápida

Utilizar o Microsoft Offi ce OneNote 2003: Iniciação rápida Utilizar o Microsoft Offi ce OneNote 2003: Iniciação rápida Utilizar a iniciação ao OneNote 1 O MICROSOFT OFFICE ONENOTE 2003 OPTIMIZA A PRODUTIVIDADE AO PERMITIR QUE OS UTILIZADORES CAPTEM, ORGANIZEM

Leia mais

Portal de Dados Abertos elaborado pela Emprel lança iniciativas que aproximam Prefeitura e cidadãos no Recife

Portal de Dados Abertos elaborado pela Emprel lança iniciativas que aproximam Prefeitura e cidadãos no Recife Portal de Dados Abertos elaborado pela Emprel lança iniciativas que aproximam Prefeitura e cidadãos no Recife Perfil A Empresa Municipal de Informática Emprel é uma empresa pública, dotada de personalidade

Leia mais

Prof. Marcelo Machado Cunha www.marcelomachado.com mcelobr@yahoo.com.br

Prof. Marcelo Machado Cunha www.marcelomachado.com mcelobr@yahoo.com.br Prof. Marcelo Machado Cunha www.marcelomachado.com mcelobr@yahoo.com.br Ementa Introdução a Banco de Dados (Conceito, propriedades), Arquivos de dados x Bancos de dados, Profissionais de Banco de dados,

Leia mais

Mandato do Comité de Auditoria

Mandato do Comité de Auditoria BCE-PÚBLICO Mandato do Comité de Auditoria O Comité de Auditoria de alto nível, estabelecido pelo Conselho do Banco Central Europeu (BCE) nos termos do artigo 9.º-A do Regulamento Interno do BCE, reforça

Leia mais

BIBLIOTECA DIGITAL DA UFRGS: implementação e perspectivas

BIBLIOTECA DIGITAL DA UFRGS: implementação e perspectivas BIBLIOTECA DIGITAL DA UFRGS: implementação e perspectivas 2da. Jornada sobre la Biblioteca Digital Universitaria JBD2004 Buenos Aires, 17-18 de junio de 2004 BIBLIOTECA DIGITAL DA UFRGS: implementação

Leia mais

ADSE DIRETA MANUAL DE UTILIZAÇÃO PARA PRESTADORES DA REDE DA ADSE

ADSE DIRETA MANUAL DE UTILIZAÇÃO PARA PRESTADORES DA REDE DA ADSE ADSE DIRETA MANUAL DE UTILIZAÇÃO PARA PRESTADORES DA REDE DA ADSE 2 ÍNDICE ADSE Direta... 4 Serviços Disponíveis... 6 Atividade Convencionada... 7 Atualizar/Propor Locais de Prestação... 9 Propor Novo

Leia mais

Os sistemas de informação da Fundação para a Ciência e a Tecnologia: contributo para uma perspectiva integrada da gestão da informação

Os sistemas de informação da Fundação para a Ciência e a Tecnologia: contributo para uma perspectiva integrada da gestão da informação Os sistemas de informação da Fundação para a Ciência e a Tecnologia: contributo para uma perspectiva integrada da gestão da informação Encontro Internacional de Arquivos Universidade de Évora 3-4 de Outubro

Leia mais

Fluxo de trabalho do Capture Pro Software: Indexação de OCR e separação de documentos de código de correção

Fluxo de trabalho do Capture Pro Software: Indexação de OCR e separação de documentos de código de correção Este procedimento corresponde ao fluxo de trabalho de Indexação de OCR com separação de código de correção no programa de treinamento do Capture Pro Software. As etapas do procedimento encontram-se na

Leia mais

Coordenar investimentos numa perspectiva de serviço: a função de um registo nacional de obras digitalizadas. Maria Inês Cordeiro

Coordenar investimentos numa perspectiva de serviço: a função de um registo nacional de obras digitalizadas. Maria Inês Cordeiro Coordenar investimentos numa perspectiva de serviço: a função de um registo nacional de obras digitalizadas Coordenar investimentos numa perspectiva de serviço: a função de um registo nacional de obras

Leia mais

Contexto Planejamento Estrutura Política de funcionamento

Contexto Planejamento Estrutura Política de funcionamento Contexto Planejamento Estrutura Política de funcionamento Promoção do acesso universal Informação atualizada Facilidade de pesquisa Compartilhamento de informação Facilidade de manutenção da informação

Leia mais

Mestrado em Segurança da Informação e Direito no Ciberespaço. Segurança da informação nas organizações Gestão de Configuração

Mestrado em Segurança da Informação e Direito no Ciberespaço. Segurança da informação nas organizações Gestão de Configuração Escola Naval Mestrado em Segurança da Informação e Direito no Ciberespaço Segurança da informação nas organizações Gestão de Configuração Fernando Correia Capitão-de-fragata EN-AEL 14 de Dezembro de 2013

Leia mais

www. inf.br Outubro/2008 5www.habisp.inf.br TREINAMENTO HABISP VERBA DE ATENDIMENTO

www. inf.br Outubro/2008 5www.habisp.inf.br TREINAMENTO HABISP VERBA DE ATENDIMENTO 5 www. HABISP. inf.br Outubro/2008 TREINAMENTO HABISP MÓDULO VERBA DE ATENDIMENTO 1 INTRODUÇÃO Este documento, tem por finalidade, permitir aos usuários a utilização das ferramentas do HABISP que possibilitam

Leia mais

Simão Pedro P. Marinho, Ramon Orlando de Souza Flauzino NARRATIVAS DIGITAIS

Simão Pedro P. Marinho, Ramon Orlando de Souza Flauzino NARRATIVAS DIGITAIS Simão Pedro P. Marinho, Ramon Orlando de Souza Flauzino NARRATIVAS DIGITAIS CRIANDO VÍDEOS a partir do Microsoft PowerPoint para narrativas digitais 3 Recomenda-se a leitura do documento 14 dicas para

Leia mais

Manual de Construção de Vitrine Virtual

Manual de Construção de Vitrine Virtual Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior - MDIC Ministério das Relações Exteriores MRE Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - MAPA Manual de Construção de Vitrine Virtual

Leia mais

PLANO BÁSICO AMBIENTAL

PLANO BÁSICO AMBIENTAL ESTALEIRO ENSEADA 1/9 PROCEDIMENTO DE CONTROLE DE DOCUMENTOS 1. Objetivo Este procedimento define o processo de elaboração, revisão, aprovação, divulgação e controle de documentos do Estaleiro Enseada

Leia mais

Tecnologia para garantir qualidade e eficiência

Tecnologia para garantir qualidade e eficiência Tecnologia para garantir qualidade e eficiência 20 Fenacon em Serviços Julho/Agosto 2010 É cada vez maior o número de empresas que adotam a virtualização de documentos. Além de economia em tempo e papel,

Leia mais

SIGA-CEIVAP MANUAL DO USUÁRIO 1

SIGA-CEIVAP MANUAL DO USUÁRIO 1 SIGA-CEIVAP MANUAL DO USUÁRIO 1 SIGA-CEIVAP MANUAL DO USUÁRIO 2 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO... 3 1.1 SIGA-CEIVAP... 3 2. FUNCIONALIDADES COMUNS AOS USUÁRIOS... 3 2.1 ACESSO AO SISTEMA... 3 2.1.1 ACESSANDO

Leia mais

BRIP. Índice. I Que recursos digitais tenho à minha disposição e de que forma os posso utilizar? 05

BRIP. Índice. I Que recursos digitais tenho à minha disposição e de que forma os posso utilizar? 05 BRIP Índice I Que recursos digitais tenho à minha disposição e de que forma os posso utilizar? 05 1 Aulas interativas 05 2 E-manuais 09 Temas 09 Pesquisa global de Recursos Educativos Digitais 11.1 Pesquisa

Leia mais

GUIA PARA O PREENCHIMENTO DOS FORMULÁRIOS ENTIDADE GESTORA ERP PORTUGAL

GUIA PARA O PREENCHIMENTO DOS FORMULÁRIOS ENTIDADE GESTORA ERP PORTUGAL GUIA PARA O PREENCHIMENTO DOS FORMULÁRIOS ENTIDADE GESTORA ERP PORTUGAL Versão: 1.0 Data: 05-06-2009 Índice Acesso e estados dos Formulários... 3 Escolha do Formulário e submissão... 4 Bases para a navegação

Leia mais

T U T O R I A I S WEB OF SCIENCE TUTORIAL. Biblioteca da Escola de Engenharia da UFRGS. WEB OF SCIENCE - Tutorial

T U T O R I A I S WEB OF SCIENCE TUTORIAL. Biblioteca da Escola de Engenharia da UFRGS. WEB OF SCIENCE - Tutorial T U T O R I A I S WEB OF SCIENCE TUTORIAL Biblioteca da Escola de Engenharia da UFRGS WEB OF SCIENCE - Tutorial O que é? O Web of Science é uma base de dados que disponibiliza acesso a mais de 9.200 títulos

Leia mais

Apresentação. Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares. Oliveira de Azeméis Novembro 2007

Apresentação. Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares. Oliveira de Azeméis Novembro 2007 Apresentação Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares Oliveira de Azeméis Novembro 2007 Apresentação SABE 12-11-2007 2 Apresentação O conceito de Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares (SABE) que se

Leia mais

TUTORIAL PARA O MÉDICO PROJETO DE INTERVENÇÃO PROVAB 2014

TUTORIAL PARA O MÉDICO PROJETO DE INTERVENÇÃO PROVAB 2014 PROGRAMA DE VALORIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DA ATENÇÃO BÁSICA TUTORIAL PARA O MÉDICO PROJETO DE INTERVENÇÃO PROVAB 2014 Brasília/DF, 17 de setembro de 2014. 1 APRESENTAÇÃO Senhor (a) Médico (a) participante

Leia mais

Programação com acesso a BD. Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br

Programação com acesso a BD. Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br Programação com acesso a BD Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br 1 Introdução BD desempenha papel crítico em todas as áreas em que computadores são utilizados: Banco: Depositar ou retirar

Leia mais

Suporte Técnico de Software HP

Suporte Técnico de Software HP Suporte Técnico de Software HP Serviços Tecnológicos HP - Serviços Contratuais Dados técnicos O Suporte Técnico de Software HP fornece serviços completos de suporte de software remoto para produtos de

Leia mais

VERSÃO 1 PRELIMINAR - 2010 MÓDULO 3 - PRESENCIAL

VERSÃO 1 PRELIMINAR - 2010 MÓDULO 3 - PRESENCIAL MÓDULO 3 - PRESENCIAL CmapTools É um software para autoria de Mapas Conceituais desenvolvido pelo Institute for Human Machine Cognition da University of West Florida1, sob a supervisão do Dr. Alberto J.

Leia mais

Transferência de arquivos Gdrive para OneDrive

Transferência de arquivos Gdrive para OneDrive Transferência de arquivos Gdrive para OneDrive Tecnologia da Informação Esse manual tem como objetivo orientar aos usuários da Anhanguera dois modos de fazer a transferência dos arquivos do Gdrive para

Leia mais

Introdução ao EBSCOhost 2.0

Introdução ao EBSCOhost 2.0 Introdução ao EBSCOhost 2.0 Tutorial support.ebsco.com O que é? O EBSCO Host é um poderoso sistema de referência on-line acessível através da Internet, e oferece uma variedade de bases de dados de texto

Leia mais

ANEXO 11. Framework é um conjunto de classes que colaboram para realizar uma responsabilidade para um domínio de um subsistema da aplicação.

ANEXO 11. Framework é um conjunto de classes que colaboram para realizar uma responsabilidade para um domínio de um subsistema da aplicação. ANEXO 11 O MATRIZ Para o desenvolvimento de sites, objeto deste edital, a empresa contratada obrigatoriamente utilizará o framework MATRIZ desenvolvido pela PROCERGS e disponibilizado no início do trabalho.

Leia mais

C D. C) Coleções: é usada para organizar o conteúdo de áudio, vídeo e imagens em pastas, buscando facilitar a montagem do storyboard.

C D. C) Coleções: é usada para organizar o conteúdo de áudio, vídeo e imagens em pastas, buscando facilitar a montagem do storyboard. 1 Windows Movie Maker XP O Windows Movie Maker é um software de edição de vídeos que permite criar e editar filmes caseiros, inserindo efeitos, músicas, legendas e transições. O vídeo pode ser criado a

Leia mais

Cooperação científica e técnica e o mecanismo de intermediação de informações

Cooperação científica e técnica e o mecanismo de intermediação de informações Página 144 VIII/11. Cooperação científica e técnica e o mecanismo de intermediação de informações A Conferência das Partes, Informando-se sobre o relatório do Secretário Executivo sobre as atividades do

Leia mais

Manual do Usuário. Sumário. 1. Introdução...2. 2. Utilização do site...2. 2.1. Mapa de Vitória...3. 2.2. Aplicativos...14. 2.3. Downloads...

Manual do Usuário. Sumário. 1. Introdução...2. 2. Utilização do site...2. 2.1. Mapa de Vitória...3. 2.2. Aplicativos...14. 2.3. Downloads... GEOWEB VITÓRIA MANUAL DO USUÁRIO PREFEITURA MUNICIPAL DE VITÓRIA SECRETARIA MUNICIPAL DE FAZENDA SEMFA / SUBTI Manual do Usuário Projeto GeoWeb Vitória Analista Luiz Felipe de Lima Pinto Data 04/11/2013

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS DO BRASIL

FACULDADES INTEGRADAS DO BRASIL FACULDADES INTEGRADAS DO BRASIL Sejam bem vindos! As Faculdades Integradas do Brasil reafirmam no início desse semestre letivo, o seu compromisso divulgado no Projeto Pedagógico Institucional (PPI), com

Leia mais

Ano letivo 2014/2015. Planificação da disciplina: Tecnologias de Informação e Comunicação 7º ano. Domínio : I7 Informação. Aulas Previstas Semestre 32

Ano letivo 2014/2015. Planificação da disciplina: Tecnologias de Informação e Comunicação 7º ano. Domínio : I7 Informação. Aulas Previstas Semestre 32 Ano letivo 2014/2015 Planificação da disciplina: Tecnologias de Informação e Comunicação 7º ano Domínio : I7 Informação Aulas Previstas Semestre 32 Subdomínio: A informação, o conhecimento e o mundo das

Leia mais

gsd - Service Desk Manual do Usuário versão 1

gsd - Service Desk Manual do Usuário versão 1 gsd - Service Desk Manual do Usuário versão 1 Sumário Introdução 1 Conceitos iniciais 2 Perfis de utilização 2 Parametrização do aplicativo - configuração 2 Prazo de atendimento 2 Prazo de conclusão 3

Leia mais

Curso de Introdução ao Plone. Instrutores Carlos Alberto Alves Meira Erick Gallani

Curso de Introdução ao Plone. Instrutores Carlos Alberto Alves Meira Erick Gallani Curso de Introdução ao Plone Instrutores Carlos Alberto Alves Meira Erick Gallani Conteúdo Parte I - Conceitos básicos Parte II - Interface do Plone Parte III - Gerenciamento de usuários Parte IV - Criação

Leia mais

2 Diagrama de Caso de Uso

2 Diagrama de Caso de Uso Unified Modeling Language (UML) Universidade Federal do Maranhão UFMA Pós Graduação de Engenharia de Eletricidade Grupo de Computação Assunto: Diagrama de Caso de Uso (Use Case) Autoria:Aristófanes Corrêa

Leia mais

Concurso de Fotografia Revela o teu.pt

Concurso de Fotografia Revela o teu.pt Concurso de Fotografia Revela o teu.pt Desafio O DNS.pt, entidade responsável pelo domínio de topo de Portugal, o.pt, realiza um concurso de fotografia subordinado ao tema Revela o teu.pt. O objetivo é

Leia mais

DOMÍNIO/SUBDOMÍNIOS/ METAS Subdomínio: Conhecimento e utilização

DOMÍNIO/SUBDOMÍNIOS/ METAS Subdomínio: Conhecimento e utilização Comunicação e Colaboração Planificação da Disciplina de Planificação Semestral DOMÍNIO/SUBDOMÍNIOS/ METAS Subdomínio: Conhecimento e utilização OBJETIVOS Explorar sumariamente diferentes ferramentas e

Leia mais

OFICINA USO DO I3GEO. Levindo Cardoso Medeiros. levindocm@gmail.com

OFICINA USO DO I3GEO. Levindo Cardoso Medeiros. levindocm@gmail.com OFICINA USO DO I3GEO Levindo Cardoso Medeiros levindocm@gmail.com ESTRUTURA INTRODUÇÃO UTILIZANDO O I3GEO Aprendendo a navegar pelo I3Geo Propriedades do mapa ADICIONANDO E MANIPULANDO CAMADAS Adicionando

Leia mais

MONTAGEM DE PROCESSO VIRTUAL

MONTAGEM DE PROCESSO VIRTUAL Manual de Procedimentos - SISPREV WEB MONTAGEM DE PROCESSO VIRTUAL 1/15 O treinamento com o Manual de Procedimentos É com muita satisfação que a Agenda Assessoria prepara este manual para você que trabalha

Leia mais

BIBLIOTECA ANACOM MANUAL DO UTILIZADOR

BIBLIOTECA ANACOM MANUAL DO UTILIZADOR BIBLIOTECA ANACOM MANUAL DO UTILIZADOR ÍNDICE Biblioteca ANACOM - Manual do utilizador... 2 Página de entrada... 3 Barra de menus da Biblioteca ANACOM... 3 Tipos de pesquisa... 3 Pesquisa simples... 3

Leia mais

WordPress Institucional UFPel Guia Rápido

WordPress Institucional UFPel Guia Rápido GABINETE DO REITOR COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NÚCLEO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO SEÇÃO DE TECNOLOGIAS PARA WEBSITES WordPress Institucional UFPel Guia Rápido Versão 2.0.1 Março de 2015 Introdução

Leia mais