GESTÃO PARA RENTABILIDADE NA FASE DE CRESCIMENTO. Daniel Linhares Gerente de Serviços Técnicos

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "GESTÃO PARA RENTABILIDADE NA FASE DE CRESCIMENTO. Daniel Linhares Gerente de Serviços Técnicos"

Transcrição

1 GESTÃO PARA RENTABILIDADE NA FASE DE CRESCIMENTO Daniel Linhares Gerente de Serviços Técnicos

2 JOGANDO PARA VENCER NA FASE DE CRESCIMENTO: PROPOSIÇÃO DE ESTRATÉGIA Entender o negócio Panorama geral do negócio Quais custos? Quais receitas? Aonde queremos chegar? Definição de eficiência na fase de crescimento O que precisamos saber para chegar lá? Capacitações necessárias Planejamento Como medir progresso? Indicadores-chave Pensamento no futuro: ele chegará mais cedo ou mais tarde estamos prontos?

3 JOGANDO PARA VENCER NA FASE DE CRESCIMENTO: PROPOSIÇÃO DE ESTRATÉGIA Entender o negócio Panorama geral do negócio Quais custos? Quais receitas? Aonde queremos chegar? Definição de eficiência na fase de crescimento O que precisamos saber para chegar lá? Capacitações necessárias Planejamento Como medir progresso? Indicadores-chave Pensamento no futuro: ele chegará mais cedo ou mais tarde estamos prontos?

4 Margem de Lucro Preço de Venda (Receita) Custo de Produção Custos Variáveis Custos Fixos Maior produtividade: maior diluição do custo fixo, maior margem/unidade 1 unidade 2 unidades 4 unidades

5 PRODUTIVIDADE R$ GIRO USO DE INSTALAÇÕES Isso é sempre verdade?

6 MAIS É MELHOR SEMPRE, ECONOMICAMENTE? Elevar peso de abate para 160 kg, sem potencial genético ou sem nutrição adequada, teria benefício/custo favorável? Aumentar taxa de lotação para 0,60m 2 /animal seria sustentável em termos sanitários e de desempenho de crescimento? Rodar maternidade continuamente com 18 partos/gaiola/ano seria sustentável?

7 NEGÓCIO SUÍNOS: FASE DE CRESCIMENTO Grãos ($) Quais são os custos? Suinocultura Carne ($$)

8 CUSTOS DE PRODUÇÃO DE CEVADOS R$ por Kg de cevado 1,6 1,4 1,2 1 0,8 0,6 0,4 0,2 0 1, Alimentação 47 1, Despesas com aquisição de leitões ,16 0,10 0,08 0,06 0,02 0,01 0,01 0,01 0,01 0,00 0,00 0, Gastos com transporte Rem. sobre reprodutores e animais em Mão-de-obra Eventuais Rem. do capital médio / inst. e equipto Depreciação das instalações Despesas financeiras Depreciação dos equipamentos Despesas manutenção e conservação Funrural Despesas com energia elétrica Gastos veterinários 100,0 90,0 80,0 70,0 60,0 50,0 40,0 30,0 20,0 10,0 0,0 % cumulativa dos custos CNPSA, Paraná Jan-Dez 2014

9 JOGANDO PARA VENCER NA FASE DE CRESCIMENTO: PROPOSIÇÃO DE ESTRATÉGIA Entender o negócio Panorama geral do negócio Quais custos? Quais receitas? Aonde queremos chegar? Definição de eficiência na fase de crescimento O que precisamos saber para chegar lá? Capacitações necessárias Planejamento Como medir progresso? Indicadores-chave Pensamento no futuro: ele chegará mais cedo ou mais tarde estamos prontos?

10 DEFININDO EFICIÊNCIA NA FASE DE CRESCIMENTO 1 Manter barracões cheios Aumentar número de giros/ano Entender e controlar custos Otimizar qualidade (=receitas) 5 Buscar melhoria contínua de processos Adaptado de Dr John Deen (UMN)

11 1 - MANTER BARRACÕES CHEIOS = Planejamento = Consistência = Disciplina = Mentalidade industrial de processos

12 1 - MANTER BARRACÕES CHEIOS Cenários A (ideal) B ( 5% cob) Matrizes Coberturas Semanais Partos Semanais Gaiolas Maternidade Desmamados Semanais Custo Leitão Desmamado R$60.0 R$62.9 R$5.280 Baias Creche (26 animais) Cevados/Baia (n=26) Custos Ração (abate 125 kg) R$ R$ Margem Sobre Custo Variável (R$40/cb) Perdas Totais R$ R$ R$3.952,00 R$9.232,00 maior custo unit./ leitão desmamado receitas não realizadas

13 2 - AUMENTAR GIROS/ANO: AUMENTO GPD Dias Ganho Extra (g/dia) Ganho Extra Total (kg) Ganho Total (R$)/Cevado ,75 R$ 2,25 Ração Extra Consumida pelo Cevado: Extra kg CA Preço Médio Ração Custo Extra/Cevado 0,75 2,50 R$ 0,65 R$ 1,22 Margem Adicional Por Cevado: R$1, fêmeas R$ 280 mil/ano

14 2 - AUMENTAR GIROS/ANO: AUMENTO GPD (Outra Visão) Taxa de Utilização de Terminação Período Ocupado Não-Ocupado Total Total Dias Por Ciclo Giros Terminação/Ano 3,3 3,3 Total Dias Ocupado/Ano 342,2 22,8 % Utilização Baias 93,8 Dias Fixos (Sistemas "Donos" dos Espaços) Kg/Espaço/Ano 321,7 325,1 Kg Adicionais 3,42 Margem por Fêmeas R$ A- -B- GPD Kg Feitos 98,7 99,8 Peso Fixo (Sistemas Custo Fixado /Espaço/Dia) -A- -B- GPD Dias p/ 125 kg 95,4 96,4 Diferença (Dias Perdidos/Lote) 1,0 Dias Não Produzidos/Ano (3,3 giros) 3,35 Kg Não Produzidos /Ano: Margem Não Realizada /Ano: R$

15 3 - CONTROLE DE CUSTOS Benchmarkings Com próprio sistema de produção Com histórico Com vizinhos (similares custos) Com outros sistemas de produção O que comparar? Custos com ração Custos veterinários Custo leitão desmamado (gerenciamento)

16 4 - OTIMIZAR QUALIDADE Exemplo de definição de qualidade: Produção de suínos de alto desempenho de crescimento, mínimo de variabilidade, mínimo de perdas, remunerado com preço cheio pelo frigorífico Métricas: = Suínos de Valor Total (Elanco full value pigs ) abatidos por fêmea por ano ou ao longo da vida produtiva = Conversão calórica (EM/kg) = Desvio padrão do peso do cevado

17 5 - MELHORIA CONTÍNUA Espaços cheios Máximo número de giros Controle de custos Otimizar qualidade

18 JOGANDO PARA VENCER NA FASE DE CRESCIMENTO: PROPOSIÇÃO DE ESTRATÉGIA Entender o negócio Panorama geral do negócio Quais custos? Quais receitas? Aonde queremos chegar? Definição de eficiência na fase de crescimento O que precisamos saber para chegar lá? Capacitações necessárias Planejamento Como medir progresso? Indicadores-chave Pensamento no futuro: ele chegará mais cedo ou mais tarde estamos prontos?

19 COMO FAZER SUÍNOS CRESCEREM EFICIENTEMENTE? Genética certa Nutrição balanceada Sanidade equilibrada Condições ambientais ajustadas (água, temperatura, fornecimento ração) Manejo (atitude!) Espaço adequado

20 CUSTO DO APERTO Lotação de 1,05 para 0,98 (redução de ~7%) Redução do GPD em 3% (cada 0,1m 2 = 33 g GPD) Aumento CA em 1% Aumento mortalidade 0,5% Mas, terão 7% a mais de animais alojados Qual o resultado econômico dessa conta?

21 Cenário A Cenário B Diferença - convencional - - apertado - (A - B) Dados produção Cabeças 5,000 5, Peso entrada Peso saída C.A. Terminação Mortalidade 2.5% 3.0% -0.5% GPD da fase Espaçamento (m 2 /suíno) Custo por dia na fase $ 0.10 $ 0.10 $ - Dados de mercado Valor do Kg de cevado $ 3.00 $ 3.00 $ - Custo médio Kg ração (R$/kg) $ 0.70 $ 0.70 $ - Impacto da C.A. (e mortalidade) no custo de produção Custo com ração/cevado $ $ $ (1.61) Equivalencia de CA da mortalidade $ (0.01) Valor da mortalidade em ração $ 4.11 $ 4.93 Gastos ração/ano (ajustado para mort zero) $ 2,255,453 $ 2,272,162 $ (16,709) Impacto do GPD no custo e nas receitas Dias por giro Giros por ano (10 dias entre lotes) Margem sobre ração (por cevado) $ $ $ 1.61 Margem sobre ração (anual) $ 2,987,539 $ 2,956,739 $ 30,799 Custo de alojamento $ 168,157 $ 173,768 $ (5,610) Custo fixo com mão de obra anual Custos com mão de obra 97,500 97,500 $ - Gastos totais/ano (ração, mao de obra) 2,521,110 2,543,430 $ (22,319) Margem sobre racao/ano (valor cevado-custo ração) 2,987,539 2,956,739 $ 30,799 Resultado anual 466, ,309 $ 53,119

22 JOGANDO PARA VENCER NA FASE DE CRESCIMENTO: PROPOSIÇÃO DE ESTRATÉGIA Entender o negócio Panorama geral do negócio Quais custos? Quais receitas? Aonde queremos chegar? Definição de eficiência na fase de crescimento O que precisamos saber para chegar lá? Capacitações necessárias Planejamento Como medir progresso? Indicadores-chave Pensamento no futuro: ele chegará mais cedo ou mais tarde estamos prontos?

23 INDICADORES Resultados globais anualizados Comparação Real x Potencial Diferença = Oportunidade (linguagem margem-oportunidade ou custo-oportunidade) Médias x Números Totais Médias Fácil de medir, comparar e fazer estatísticas Números totais Resposta real : compõe a linha dos balanços contábeis, representa o bolso

24 CUIDADO AO INTERPRETAR AS MÉDIAS Ideal Real Iniciados Perdas (mortalidade, descarte) - 3,00% Cevados 2,000 1,940 Peso/Cabeça (média kg) Peso Total (soma kg) Diferença: kg -R$ margem

25 EXEMPLOS DE INDICADORES Quantidade de cevados vendidos no valor total (conceito full value pigs) Exemplo (para 10 mil fêmeas): 257 mil cevados vendidos com preço cheio + 6 mil vendidos com peso 15% menor (fixando idade) Conversão calórica Ex Kcal/kg (considerando uma dieta de 3.360) por kg de cevado (25 kg a 125 kg) Custos veterinários Exemplo: R$ 10,00 /cevado

26 JOGANDO PARA VENCER NA FASE DE CRESCIMENTO: PROPOSIÇÃO DE ESTRATÉGIA Entender o negócio Panorama geral do negócio Quais custos? Quais receitas? Aonde queremos chegar? Definição de eficiência na fase de crescimento O que precisamos saber para chegar lá? Capacitações necessárias Planejamento Como medir progresso? Indicadores-chave Pensamento no futuro: ele chegará mais cedo ou mais tarde estamos prontos?

27 FUTURO PARA UNS, PRESENTE PARA OUTROS Climatização Benefícios claros na CA, GPD e consistência de qualidade Instalações para ótima eficiência, otimização de mão de obra (1:10 mil) Cochos modernos Permitem ajustes finos (gestão nível cobertura cocho) Durabilidade Não-desperdício Constante disponibilidade ração/fluxo (tempo funcionário = olhar/tratar animais, não calibrar cochos entupidos)

28 210 lotes, 227 mil cevados Conversão Alimentar 3 2,8 0,18 CA ou R$ 11,47/cevado ou R$ 1,9M nos outros 75% Piores 25%: 2,60 (56,5 mil cevados) 2,6 2,4 2,2 2 Top 25%: 2,35 (56,5 mil cevados) Média: 2,53 (102 lotes) (113 mil cevados) 0,07 CA ou R$ 4,46/cevado ou R$ 252 mil nos piores 25% 1, Impacto na CA: Peso entrada, peso desmama, integrado/lote, instalações, manejos: Respostas estão nos experimentos campo (ciência aplicada!)

29 DESEMPENHO NO BRASIL VARIA EM FUNÇÃO DO CLIMA Estudo climatizado x convencional: U$ 5.24/cb: (8 dias GPD ($0.88/cb), 15,9 kg ração ($4.55/cb), 1,7% menos descartes ($0.85/cb), 0,31% mortalidade ($0.31/cb), custo adicional de energia = 15 $0.09 = $1.35/cb) Lally et al. ISU 1998 Tunnel vs. Natural +700k Pigs ADG F:G Natural Tunnel Cull % Mortality %

30

31 COMENTÁRIOS FINAIS Desempenho produtivo nem sempre é sinônimo de desempenho econômico Alvos de produção devem ser granja-específicos De acordo com instalações existentes (para melhorar produtividade, é necessário investir ao longo do tempo para produzir de forma sustentável) Saiba aonde você pode chegar (oportunidade total), mire em números globais/anuais Cuidado com médias Eficiência pode ser aprendida, melhoria continua deve ser buscada!

32 MUITO OBRIGADO PELA SUA ATENÇÃO Veja as coisas como você gostaria que elas fossem, ao invés de como elas de fato são R. Collier Daniel Linhares

Gestão na Suinocultura Com Foco na Produtividade

Gestão na Suinocultura Com Foco na Produtividade Gestão na Suinocultura Com Foco na Produtividade Marco Lubas Cuiabá 05-05-2010 Produtividade 1. Quanto está produzindo? 2. Quanto é o potencial de sua produção? 3. Quais os Limitantes? PRODUTIVIDADE X

Leia mais

financeira na ovinocultura de corte

financeira na ovinocultura de corte Gestão e análise financeira na ovinocultura de corte Djalma de Freitas Zootecnista Doutor em Produção Animal Diretor Técnico PlanGesPec ProOvinos SENAR/FAMASUL Campo Grande/MS junho/2012 Objetivos Pensar

Leia mais

AVALIAÇÃO DOS ÍNDICES ZOOTÉCNICOS DOS INTEGRADOS DA EMPRESA FRANGO AMERICANO

AVALIAÇÃO DOS ÍNDICES ZOOTÉCNICOS DOS INTEGRADOS DA EMPRESA FRANGO AMERICANO AVALIAÇÃO DOS ÍNDICES ZOOTÉCNICOS DOS INTEGRADOS DA EMPRESA FRANGO AMERICANO INTRODUÇÃO O sistema de integração surgiu em Santa Catarina no início dos anos de 196 e é definido como uma parceria existente

Leia mais

UM NOVO FOCO NA GESTÃO DAS CENTRAIS DE INSEMINAÇÃO

UM NOVO FOCO NA GESTÃO DAS CENTRAIS DE INSEMINAÇÃO UM NOVO FOCO NA GESTÃO DAS CENTRAIS DE INSEMINAÇÃO No inicio da inseminação artificial (IA) no Brasil, em meados da década de 1970, os principais argumentos gerenciais dos técnicos e produtores para a

Leia mais

MEDIDAS DE GESTÃO QUE CONTRIBUEM PARA O RESULTADO OPERACIONAL DO NEGÓCIO SUÍNO MÁRIO FACCIN ¹

MEDIDAS DE GESTÃO QUE CONTRIBUEM PARA O RESULTADO OPERACIONAL DO NEGÓCIO SUÍNO MÁRIO FACCIN ¹ MEDIDAS DE GESTÃO QUE CONTRIBUEM PARA O RESULTADO OPERACIONAL DO NEGÓCIO SUÍNO MÁRIO FACCIN ¹ No ano de 98/99 a suinocultura americana viveu a sua pior crise que, culminou com a venda/compra de mais de

Leia mais

PROGRAMA NUTRICIONAL PARA SUÍNOS. "Seu resultado é o nosso compromisso." EXCELÊNCIA EM NUTRIÇÃO ANIMAL. www.guabi.com.

PROGRAMA NUTRICIONAL PARA SUÍNOS. Seu resultado é o nosso compromisso. EXCELÊNCIA EM NUTRIÇÃO ANIMAL. www.guabi.com. PROGRAMA NUTRICIONAL "Seu resultado é o nosso compromisso." PARA SUÍNOS EXCELÊNCIA EM NUTRIÇÃO ANIMAL www.guabi.com.br 0800 16 90 90 s para as fases de Maternidade e Creche A linha Nutriserviços para nutrição

Leia mais

CONDOMINIO DE AGROENERGIA PARA AGRICULTURA FAMILIAR. Estudo de Viabilidade Econômica e Financeira

CONDOMINIO DE AGROENERGIA PARA AGRICULTURA FAMILIAR. Estudo de Viabilidade Econômica e Financeira CONDOMINIO DE AGROENERGIA PARA AGRICULTURA FAMILIAR. Estudo de Viabilidade Econômica e Financeira Resumo do Projeto Por iniciativa conjunta, a ITAIPU Binacional, a SEAB, a EMATER e o Município de Mal.

Leia mais

RACTOPAMINA: Como ser lucrativo e produzir mais com menos. Vinícius Cantarelli

RACTOPAMINA: Como ser lucrativo e produzir mais com menos. Vinícius Cantarelli RACTOPAMINA: Como ser lucrativo e produzir mais com menos Vinícius Cantarelli Objetivo Apresentar informações e resultados econômicos, ambientais e sociais da RACTOPAMINA e seus efeitos sobre a SUSTENTABILIDADE

Leia mais

Pressão de Seleção. Touros Jovens CEIP (20%) Machos avaliados (100%)

Pressão de Seleção. Touros Jovens CEIP (20%) Machos avaliados (100%) O Qualitas Programa de melhoramento genético da raça Nelore Reconhecido, aprovado e auditado pelo Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (MAPA) Autorizado a emitir o CEIP a partir de 2002 O

Leia mais

Levantamentos do custo de produção da avicultura e suas repercussões

Levantamentos do custo de produção da avicultura e suas repercussões Levantamentos do custo de produção da avicultura e suas repercussões Celso F. D. Doliveira Médico Veterinário DTE - FAEP Brasília - 2012 1 "QUEM NÃO SABE QUANTO GASTA, NÃO SABE QUANTO GANHA" 2 Parceria

Leia mais

Sistemas de Produção em Pecuária de Corte Análise Crítica. Lívio Ribeiro Molina MSc;DSc. Escola de Veterinária - UFMG

Sistemas de Produção em Pecuária de Corte Análise Crítica. Lívio Ribeiro Molina MSc;DSc. Escola de Veterinária - UFMG Sistemas de Produção em Pecuária de Corte Análise Crítica Lívio Ribeiro Molina MSc;DSc. Escola de Veterinária - UFMG As organizações empresariais fracassam por um desses motivos: Sistema sem paixão; Paixão

Leia mais

CUSTOS DE PRODUÇÃO DE FRANGOS E SUÍNOS PARANÁ

CUSTOS DE PRODUÇÃO DE FRANGOS E SUÍNOS PARANÁ CUSTOS DE PRODUÇÃO DE FRANGOS E SUÍNOS PARANÁ Curitiba, 2007 ÍNDICE CUSTO DE PRODUÇÃO DE FRANGO DE CORTE... 1 I CARACTERÍSTICAS DA PROPRIEDADE... 1 II CARACTERÍSTICAS DA EXPLORAÇÃO... 1 III CONSTRUÇÕES...

Leia mais

Utilização de dietas de alto concentrado em confinamentos

Utilização de dietas de alto concentrado em confinamentos Utilização de dietas de alto concentrado em confinamentos FMVZ Unesp Botucatu João Ricardo Ronchesel Henrique Della Rosa Utilização de dietas de alto concentrado em confinamentos Evolução do manejo nutricional

Leia mais

O impacto do touro no rebanho de cria

O impacto do touro no rebanho de cria Algumas contas simples podem constatar que o touro de cria é um fator de produção de extrema relevância A realidade de mercado atual exige do pecuarista competência para se manter no negócio, e visão estratégica

Leia mais

CUSTO MÉDIO DE PRODUÇÃO DE SUÍNOS PARA ABATE ANEXO 33 - SETEMBRO/88

CUSTO MÉDIO DE PRODUÇÃO DE SUÍNOS PARA ABATE ANEXO 33 - SETEMBRO/88 12993 CNPSA 1988 FL-12993 ttnrrec:t 35'3 RAPA- Brasileira de Pesquisa Agropectiária Vinculado ao Ministério da Agricultura Centro Nacional de Pesquisa de Suínos e Aves - CNPSA BA 153km 110 Trecho SC Vila

Leia mais

OTIMIZAÇÃO AVÍCOLA. Mix ótimo de Venda Rendimento de Fábrica Otimização Remessa de Ração Otimização de Apanha

OTIMIZAÇÃO AVÍCOLA. Mix ótimo de Venda Rendimento de Fábrica Otimização Remessa de Ração Otimização de Apanha OTIMIZAÇÃO AVÍCOLA Mix ótimo de Venda Rendimento de Fábrica Otimização Remessa de Ração Otimização de Apanha VISÃO GERAL DA SOLUÇÃO Gestão do Desempenho Gerenciamento de indicadores BI Otimização Campo

Leia mais

MANEJO DE BOVINOS DE CORTE Confinamento. Prof : Ricardo Alexandre Silva Pessoa

MANEJO DE BOVINOS DE CORTE Confinamento. Prof : Ricardo Alexandre Silva Pessoa MANEJO DE BOVINOS DE CORTE Confinamento Prof : Ricardo Alexandre Silva Pessoa Julho/2013 1 Confinamento - sistema de criação onde lotes de animais são encerrados em piquetes ou currais com área restrita

Leia mais

Fatores de produção. Variáveis de Classificação dos SISTEMAS. Tipos de produção. Sistemas de produção em suinocultura. Suinocultura Brasileira

Fatores de produção. Variáveis de Classificação dos SISTEMAS. Tipos de produção. Sistemas de produção em suinocultura. Suinocultura Brasileira Disciplina AZ044 - Suinocultura Suinocultura Brasileira Sistemas de produção em suinocultura Prof. Marson Bruck Warpechowski Suinocultura Brasileira Fatores de produção Produtor / mão-de-obra Animais (genótipo)

Leia mais

INSTRUÇÔES PARA PREENCHIMENTO

INSTRUÇÔES PARA PREENCHIMENTO INSTRUÇÔES PARA PREENCHIMENTO PROGRAMA GESTÃO DE PROPRIEDADES DE SUCESSO DE MA T O GROSSO Qual a finalidade da planilha? Hoje em dia, e no futuro cada vez mais, a realidade econômica irá exigir uma maior

Leia mais

Características dos Touros Senepol. Benefício ao Criador Invernista Confinador. Senepol SL

Características dos Touros Senepol. Benefício ao Criador Invernista Confinador. Senepol SL Senepol SL Programa SLde Melhoramento Estância Santa Luzia SENEPOL Benefícios dos Touros Senepol Santa Luzia Venda permanente Reprodutores & Doadoras Qualidade diferenciada a preço justo Na condução, Pedro

Leia mais

Análise econômica da produção integrada de suínos nas fases de leitões e de terminação.

Análise econômica da produção integrada de suínos nas fases de leitões e de terminação. 18 Análise econômica da produção integrada de suínos nas fases de leitões e de terminação. Franco Muller Martins Mestre em Engenharia de Produção pela UFSC Instituição: Embrapa Suínos e Aves - SC. Endereço:

Leia mais

fls. 776 Se impresso, para conferncia acesse o site http://esaj.tjsc.jus.br/esaj, informe o processo 0300287-79.2015.8.24.0175 e o cdigo 353F682.

fls. 776 Se impresso, para conferncia acesse o site http://esaj.tjsc.jus.br/esaj, informe o processo 0300287-79.2015.8.24.0175 e o cdigo 353F682. fls. 776 fls. 777 fls. 778 fls. 779 fls. 780 fls. 781 fls. 782 fls. 783 1/107 LAUDODEAVALIAÇÃO ECONÔMICA fls. 784 2/107 Códigodoimóvel NomedoImóvel Endereço Bairro Cidade UF Proprietário Documento RegistrodeImóveis

Leia mais

INDICADORES FINANCEIROS NA TOMADA DE DECISÕES GERENCIAIS

INDICADORES FINANCEIROS NA TOMADA DE DECISÕES GERENCIAIS INDICADORES FINANCEIROS NA TOMADA DE DECISÕES GERENCIAIS ANA BEATRIZ DALRI BRIOSO¹, DAYANE GRAZIELE FANELLI¹, GRAZIELA BALDASSO¹, LAURIANE CARDOSO DA SILVA¹, JULIANO VARANDAS GROPPO². 1 Alunos do 8º semestre

Leia mais

Objetivos 29/09/2010 BIBLIOGRAFIA. Administração Financeira I UFRN 2010.2 Prof. Gabriel Martins de Araújo Filho. Tópicos BALANÇO DE TAMANHO COMUM

Objetivos 29/09/2010 BIBLIOGRAFIA. Administração Financeira I UFRN 2010.2 Prof. Gabriel Martins de Araújo Filho. Tópicos BALANÇO DE TAMANHO COMUM Objetivos Administração Financeira I UFRN 2010.2 Prof. Gabriel Martins de Araújo Filho A EMPRESA NO MODELO DO BALANÇO PATRIMONIAL: análise das demonstrações financeiras Compreender a importância da padronização

Leia mais

A Suinocultura Norte Americana. José Henrique Piva PIC Americas

A Suinocultura Norte Americana. José Henrique Piva PIC Americas A Suinocultura Norte Americana José Henrique Piva PIC Americas Meus objetivos com esta apresentação Dar uma visão das principais mudanças, oportunidades e desafios enfrentados pela industria suína. Mostrar

Leia mais

MÓDULO IX - CUSTOS. A gestão de custos como ferramenta de apoio a tomada de decisão

MÓDULO IX - CUSTOS. A gestão de custos como ferramenta de apoio a tomada de decisão MÓDULO IX - CUSTOS A gestão de custos como ferramenta de apoio a tomada de decisão 1 Conteúdo Objetivo do custeio Conceito de valor Gestão de Custos versus Gestão Estratégica Componentes básicos de custos

Leia mais

A SUINOCULTURA DO FUTURO: SUSTENTABILIDADE E BEM-ESTAR ANIMAL. Irenilza de Alencar Nääs

A SUINOCULTURA DO FUTURO: SUSTENTABILIDADE E BEM-ESTAR ANIMAL. Irenilza de Alencar Nääs A SUINOCULTURA DO FUTURO: SUSTENTABILIDADE E BEM-ESTAR ANIMAL Irenilza de Alencar Nääs Tópicos Introdução a indústria suinícola Desafios de sustentabilidade Bem-estar animal suas aplicações e seus desafios

Leia mais

A PRODUÇÃO DE CARNE BOVINA EM CONFINAMENTO NO BRASIL BRUNO DE JESUS ANDRADE DIRETOR EXECUTIVO DA ASSOCON

A PRODUÇÃO DE CARNE BOVINA EM CONFINAMENTO NO BRASIL BRUNO DE JESUS ANDRADE DIRETOR EXECUTIVO DA ASSOCON A PRODUÇÃO DE CARNE BOVINA EM CONFINAMENTO NO BRASIL BRUNO DE JESUS ANDRADE DIRETOR EXECUTIVO DA ASSOCON ASSOCON Associação Nacional dos Confinadores Entidade nacional com 85 membros 21% do volume confinado

Leia mais

Podemos encontrar uma figura interessante no PMBOK (Capítulo 7) sobre a necessidade de organizarmos o fluxo de caixa em um projeto.

Podemos encontrar uma figura interessante no PMBOK (Capítulo 7) sobre a necessidade de organizarmos o fluxo de caixa em um projeto. Discussão sobre Nivelamento Baseado em Fluxo de Caixa. Item aberto na lista E-Plan Podemos encontrar uma figura interessante no PMBOK (Capítulo 7) sobre a necessidade de organizarmos o fluxo de caixa em

Leia mais

ANGUS: Fábio Schuler Medeiros. Médico Veterinário, D. Sc Gerente Nacional do Programa Carne Angus Certificada Associação Brasileira de Angus

ANGUS: Fábio Schuler Medeiros. Médico Veterinário, D. Sc Gerente Nacional do Programa Carne Angus Certificada Associação Brasileira de Angus ANGUS: Rentabilidade e mercado Fábio Schuler Medeiros Médico Veterinário, D. Sc Gerente Nacional do Programa Carne Angus Certificada Associação Brasileira de Angus Nossos Questionamentos... Como está a

Leia mais

Fazenda São Francisco São Francisco de Paula-RS Proprietário: José Lauri Moreira de Lucena

Fazenda São Francisco São Francisco de Paula-RS Proprietário: José Lauri Moreira de Lucena Fazenda São Francisco São Francisco de Paula-RS Proprietário: José Lauri Moreira de Lucena Área total: 354 ha Área pastoril: 330 ha Sistema de produção: Cria de Bovinos Histórico 1982 Início da propriedade

Leia mais

7. Análise da Viabilidade Econômica de Projetos

7. Análise da Viabilidade Econômica de Projetos 7. Análise da Viabilidade Econômica de Projetos Exemplos de Aplicação de Projetos Cálculo do Valor de um Negócio ou Empresa; Avaliar Viabilidade de Projetos; Projetos para solicitação de Financiamentos.

Leia mais

PEDv. Etiologia, impacto na produção e modos de transmissão. Daniel Linhares, M.Vet, MBA, PhD

PEDv. Etiologia, impacto na produção e modos de transmissão. Daniel Linhares, M.Vet, MBA, PhD PEDv Etiologia, impacto na produção e modos de transmissão Daniel Linhares, M.Vet, MBA, PhD Gerente de Serviços Técnicos e Gestão Sanitária Agroceres PIC Agradecimentos pelas informações Dr Albert Rovira,

Leia mais

ORÇAMENTO ESTÁTICO x ORÇAMENTO FLEXÍVEL ORÇAMENTO

ORÇAMENTO ESTÁTICO x ORÇAMENTO FLEXÍVEL ORÇAMENTO ORÇAMENTO ESTÁTICO x ORÇAMENTO FLEXÍVEL ORÇAMENTO É a etapa do processo do planejamento estratégico em que se estima (projeta) e determina a melhor relação entre resultados e despesas para atender às necessidades

Leia mais

www.pwc.com.br Como melhorar a gestão da sua empresa?

www.pwc.com.br Como melhorar a gestão da sua empresa? www.pwc.com.br Como melhorar a gestão da sua empresa? Como melhorar a gestão da sua empresa? Melhorar a gestão significa aumentar a capacidade das empresas de solucionar problemas. Acreditamos que, para

Leia mais

INFLUÊNCIA DA TEMPERATURA NA PRODUÇÃO DE FRANGOS DE CORTE

INFLUÊNCIA DA TEMPERATURA NA PRODUÇÃO DE FRANGOS DE CORTE INFLUÊNCIA DA TEMPERATURA NA PRODUÇÃO DE FRANGOS DE CORTE M. K. Eckman Departamento de Ciência Avícola Universidade de Auburn Auburn, AL 36849 5416 Prioridades Influência da Temperatura na Produção de

Leia mais

SUCESSO EM ALGUMAS EM OUTRAS... XXXXX. Salário para boa condição de vida. Leva à PRODUTIVIDADE que é buscada continuamente

SUCESSO EM ALGUMAS EM OUTRAS... XXXXX. Salário para boa condição de vida. Leva à PRODUTIVIDADE que é buscada continuamente ADMINISTRAR ----- NÃO É ABSOLUTO. SUCESSO EM ALGUMAS EM OUTRAS... INTEGRAÇÃO = PESSOAS / EMPRESAS = ESSENCIAL SATISFAÇÃO FINANCEIRA RESULTANTE DA SINERGIA Leva à PRODUTIVIDADE que é buscada continuamente

Leia mais

7. Viabilidade Financeira de um Negócio

7. Viabilidade Financeira de um Negócio 7. Viabilidade Financeira de um Negócio Conteúdo 1. Viabilidade de um Negócios 2. Viabilidade Financeira de um Negócio: Pesquisa Inicial 3. Plano de Viabilidade Financeira de um Negócio Bibliografia Obrigatória

Leia mais

Diversificação, sustentabilidade e. dinheiro no bolso

Diversificação, sustentabilidade e. dinheiro no bolso Leitõezinhos se alimentam na mãe até os 22 dias de idade, quando seguem para engorda Diversificação, sustentabilidade e dinheiro no bolso Cooperativa em São Gabriel do Oeste, MS, tem faturamento quatro

Leia mais

O USO DO CREEP FEEDING NA PRODUÇÃO DE GADO DE CORTE

O USO DO CREEP FEEDING NA PRODUÇÃO DE GADO DE CORTE 1 O USO DO CREEP FEEDING NA PRODUÇÃO DE GADO DE CORTE Prof. Dr. Antonio Ferriani Branco PhD em Nutrição e Produção de Ruminantes afbranco@uem.br O SISTEMA VACA-BEZERRO Os fatores que afetam mais significativamente

Leia mais

Orçamento Empresarial

Orçamento Empresarial Orçamento Empresarial Definição Instrumento que traz a definição quantitativa dos objetivos e o detalhamento dos fatores necessários para atingi -los, assim como o controle do desempenho. Permite acompanhar

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA CÂMPUS DE JABOTICABAL FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E VETERINÁRIAS. Departamento de Patologia Veterinária

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA CÂMPUS DE JABOTICABAL FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E VETERINÁRIAS. Departamento de Patologia Veterinária CÂMPUS DE JABOTIBAL RELATÓRIO TÉCNICO I IDENTIFIÇÃO DO PROJETO A Título: Avaliação do desempenho de suínos suplementados com DBI Probiótico, fabricado por IMEVE Indústria de Medicamentos Veterinários Ltda,

Leia mais

Sistemas de produção e Índices zootécnicos. Profª.: Valdirene Zabot

Sistemas de produção e Índices zootécnicos. Profª.: Valdirene Zabot Sistemas de produção e Índices zootécnicos Profª.: Valdirene Zabot O que é uma CADEIA? É um conjunto de elos onde cada um depende dos demais. Na cadeia de produção da carne e do couro, o bovino é ó elo

Leia mais

ARTIGO TÉCNICO Minerthal Pró-águas Suplementação protéica energética no período das águas

ARTIGO TÉCNICO Minerthal Pró-águas Suplementação protéica energética no período das águas ARTIGO TÉCNICO Minerthal Pró-águas Suplementação protéica energética no período das águas A bovinocultura de corte brasileira tem sua produção concentrada em sistemas de pastejo e, portanto, dependente

Leia mais

APLICAÇÃO DA PESQUISA OPERACIONAL AVALIAÇÃO DE FORMULAÇÕES DE RAÇÃO PARA BOVINOS EM CONFINAMENTO UTILIZANDO O SOFTWARE LINGO

APLICAÇÃO DA PESQUISA OPERACIONAL AVALIAÇÃO DE FORMULAÇÕES DE RAÇÃO PARA BOVINOS EM CONFINAMENTO UTILIZANDO O SOFTWARE LINGO Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 8 APLICAÇÃO DA PESQUISA OPERACIONAL AVALIAÇÃO DE FORMULAÇÕES DE RAÇÃO PARA BOVINOS EM CONFINAMENTO UTILIZANDO O SOFTWARE

Leia mais

Modelagem e Decisão Planilhas Eletrônicas

Modelagem e Decisão Planilhas Eletrônicas Modelagem e Decisão Planilhas Eletrônicas Modelagem e Decisão (07181) Instituto de Ciências Econômicas, Administrativas e Contábeis (ICEAC) Universidade Federal do Rio Grande (FURG) Introdução Objetivo

Leia mais

CONTABILIDADE DE CUSTOS. A necessidade da análise e do controle dos gastos empresariais acentua-se à medida que cresce a competição entre as empresas.

CONTABILIDADE DE CUSTOS. A necessidade da análise e do controle dos gastos empresariais acentua-se à medida que cresce a competição entre as empresas. CONTABILIDADE DE CUSTOS A necessidade da análise e do controle dos gastos empresariais acentua-se à medida que cresce a competição entre as empresas. A Contabilidade de Custos que atende essa necessidade

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DE UM BOM PROJETO NA PECUÁRIA DE CORTE. A idéia de projeto, em qualquer atividade econômica é bastante elástica. Em geral um projeto é

A IMPORTÂNCIA DE UM BOM PROJETO NA PECUÁRIA DE CORTE. A idéia de projeto, em qualquer atividade econômica é bastante elástica. Em geral um projeto é A IMPORTÂNCIA DE UM BOM PROJETO NA PECUÁRIA DE CORTE. A idéia de projeto, em qualquer atividade econômica é bastante elástica. Em geral um projeto é resultado de um estudo minucioso do ambiente onde se

Leia mais

Sistemas de Produção de Leite Prof. Geraldo Tadeu dos Santos

Sistemas de Produção de Leite Prof. Geraldo Tadeu dos Santos Sistemas de Produção de Leite Prof. Geraldo Tadeu dos Santos É Exite uma grande diversidade dos sistemas de produção de leite praticados nos vários países produtores Argentina Austrália Nova Zelândia É

Leia mais

Daniel Latorraca Ferreira Gestor de projetos do IMEA-

Daniel Latorraca Ferreira Gestor de projetos do IMEA- Daniel Latorraca Ferreira Gestor de projetos do IMEA- Índice Sobre o diagnóstico Aspectos sociais e produtivos Aspectos econômicos e mercadológicos Mercado consumidor Análise estratégica Sobre o diagnóstico

Leia mais

COMO INICIAR UMA CRIAÇÃO DE OVINOS

COMO INICIAR UMA CRIAÇÃO DE OVINOS COMO INICIAR UMA CRIAÇÃO DE OVINOS Cristiane Otto de Sá 1 e José Luiz de Sá 2 1. QUE TIPO DE PESSOA TEM VOCAÇÃO PARA CRIAR OVINOS O ovino foi um dos primeiros animais a ser domesticado pelo homem. Após

Leia mais

Sistema de Alimentação líquida e seus pontos chaves para bons resultados no Brasil. José Vr. Machado Gerente Regional Minas Gerais

Sistema de Alimentação líquida e seus pontos chaves para bons resultados no Brasil. José Vr. Machado Gerente Regional Minas Gerais Sistema de Alimentação líquida e seus pontos chaves para bons resultados no Brasil José Vr. Machado Gerente Regional Minas Gerais Introdução - Energia Elétrica; - Água; - Espaço de cocho para alimentação;

Leia mais

A PRODUCAO LEITEIRA NOS

A PRODUCAO LEITEIRA NOS A PRODUCAO LEITEIRA NOS ESTADOS UNIDOS Estatisticas A produção leiteira durante Janeiro de 2012 superou os 7 bilhões de kg, 3.7% acima de Janeiro de 2011. A produção por vaca foi em media 842 kg em Janeiro,

Leia mais

CompuStream Plano de Negócios COMPUSTREAM CONSULTORIA LTDA.

CompuStream Plano de Negócios COMPUSTREAM CONSULTORIA LTDA. CompuStream Plano de Negócios COMPUSTREAM CONSULTORIA LTDA. A CompuStream, empresa especializada em desenvolvimento de negócios, atua em projetos de investimento em empresas brasileiras que tenham um alto

Leia mais

Nutrição e alimentação de ovinos. Profª Drª Alda Lúcia Gomes Monteiro 2013

Nutrição e alimentação de ovinos. Profª Drª Alda Lúcia Gomes Monteiro 2013 Nutrição e alimentação de ovinos Profª Drª Alda Lúcia Gomes Monteiro 2013 EXIGÊNCIAS NUTRICIONAIS PARA OVINOS Tabelas de Exigências Nutricionais: NRC 1985 Primeira tabela de exigências nutricionais para

Leia mais

Ovinocultura de Leite. Uma alternativa de renda às famílias rurais.

Ovinocultura de Leite. Uma alternativa de renda às famílias rurais. Ovinocultura de Leite Uma alternativa de renda às famílias rurais. Área de abragência Oeste, Meio Oeste, Alto Uruguai e Extremo Oeste Catarinense. 53% dos estabelecimentos rurais e 67% da área total rural.

Leia mais

P á g i n a 3 INTRODUÇÃO

P á g i n a 3 INTRODUÇÃO P á g i n a 3 INTRODUÇÃO A Administração de Materiais compreende as decisões e o controle sobre o planejamento, programação, compra, armazenamento e distribuição dos materiais indispensáveis à produção

Leia mais

Med. Vet. Avelino Murta avelino@biocampomg.com.br

Med. Vet. Avelino Murta avelino@biocampomg.com.br Med. Vet. Avelino Murta avelino@biocampomg.com.br QUEM SOMOS Localizada em Montes Claros, norte de Minas Gerais, a BIOCAMPO Assistência Veterinária foi fundada em 2010 e atua na área de Reprodução Bovina.

Leia mais

Os resultados do segundo trimestre e primeiro semestre de 2014 consolidam as Empresas BRF S.A.

Os resultados do segundo trimestre e primeiro semestre de 2014 consolidam as Empresas BRF S.A. BRF RESULTADOS 2T14 Os resultados do segundo trimestre e primeiro semestre de 2014 consolidam as Empresas BRF S.A. As declarações contidas neste relatório relativas à perspectiva dos negócios da Empresa,

Leia mais

Avaliação da Lucratividade da Rede de Unidades Lotéricas - 2009

Avaliação da Lucratividade da Rede de Unidades Lotéricas - 2009 Avaliação da Lucratividade da Rede de Unidades Lotéricas - 2009 Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada IPEA Caixa Econômica Federal Novembro/2010 Objetivos da avaliação de lucratividade das Unidades

Leia mais

ALIMENTAÇÃO DE CORDEIROS LACTENTES

ALIMENTAÇÃO DE CORDEIROS LACTENTES ALIMENTAÇÃO DE CORDEIROS LACTENTES Mauro Sartori Bueno, Eduardo Antonio da Cunha, Luis Eduardo dos Santos Pesquisadores Científicos do Instituto de Zootecnia, IZ/Apta-SAA-SP CP 60, Nova Odessa-SP, CEP

Leia mais

CONTABILIDADE E GESTÃO DE CONTROLE DE ESTOQUE NA EMPRESA

CONTABILIDADE E GESTÃO DE CONTROLE DE ESTOQUE NA EMPRESA MARCIO REIS - R.A MICHELE CRISTINE RODRIGUES DE OLIVEIRA R.A 1039074 RENATA COSTA DA SILVA SIMIÃO R.A 1039444 Ciências Contábeis CONTABILIDADE E GESTÃO DE CONTROLE DE ESTOQUE NA EMPRESA Orientador: Prof.

Leia mais

Aula 5 Técnicas de estimação causal. Aula 7. Cálculo do Retorno Econômico: Prática

Aula 5 Técnicas de estimação causal. Aula 7. Cálculo do Retorno Econômico: Prática Aula 5 Técnicas de estimação causal Aula 7 Cálculo do Retorno Econômico: Prática O Curso Aula 1: Introdução - escopo e objetivos do curso Aula 2: Como estruturar projetos sociais pela ótica da avaliação

Leia mais

A nova reprodução começou

A nova reprodução começou A nova reprodução começou Alta competitividade é a marca do nosso tempo. Na suinocultura, ela vem significando um crescente dinamismo tecnológico, exatamente para renovar as vantagens competitivas da cadeia

Leia mais

Programa Nelore Brasil e seu Impacto Econômico

Programa Nelore Brasil e seu Impacto Econômico Programa Nelore Brasil e seu Impacto Econômico II Congreso Ganadero Nacional CORFOGA 2008 Prof. Dr. Raysildo B. Lôbo ANCP, USP Crescimento da Pecuária de Corte Brasileira: produção de carne e abate 71,0%

Leia mais

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Orienta na implantação e no desenvolvimento de seu negócio de forma estratégica e inovadora. Competitividade Perenidade Sobrevivência Evolução O que são

Leia mais

Paraná - Rio Grande do Sul

Paraná - Rio Grande do Sul COMPROMETIMENTO E SATISFAÇÃO DO CLIENTE Paraná - Rio Grande do Sul Missão Oferecer as melhores soluções em serviços e produtos, visando se adequar aos altos padrões de satisfação de nossos clientes e parceiros

Leia mais

CONSIDERAÇÕES SOBRE PREÇO

CONSIDERAÇÕES SOBRE PREÇO Formação de preço CONSIDERAÇÕES SOBRE PREÇO O preço se define a partir do público a quem se dirige o produto e como a empresa se coloca em relação aos produtos e serviços dos concorrentes. Por isso, depende

Leia mais

Universidade Federal de Campina Grande Curso de Ciência da Computação Ciclo de Seminários Não Técnicos Aprenda a organizar suas finanças pessoais

Universidade Federal de Campina Grande Curso de Ciência da Computação Ciclo de Seminários Não Técnicos Aprenda a organizar suas finanças pessoais Universidade Federal de Campina Grande Curso de Ciência da Computação Ciclo de Seminários Não Técnicos Aprenda a organizar suas finanças pessoais Por Maria Isabel (isabel@dsc.ufcg.edu.br) 1 Sumário Objetivo

Leia mais

APOSTILA DE AVALIAÇÃO DE EMPRESAS POR ÍNDICES PADRONIZADOS

APOSTILA DE AVALIAÇÃO DE EMPRESAS POR ÍNDICES PADRONIZADOS UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA ESCOLA SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E GERÊNCIA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS PROGRAMA DE EXTENSÃO: CENTRO DE DESENVOLVIMENTO EM FINANÇAS PROJETO: CENTRO DE CAPACITAÇÃO

Leia mais

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Disponível em: <http://www.pubvet.com.br/texto.php?id=170>.

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Disponível em: <http://www.pubvet.com.br/texto.php?id=170>. PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Disponível em: . Efeito da taurina sobre o desempenho de leitões na fase de creche Oliveira, E. F.¹,

Leia mais

III CURSO DE GESTÃO AGROECONÔMICA. EM PECUÁRIA DE CORTE: confinamento e terceirização

III CURSO DE GESTÃO AGROECONÔMICA. EM PECUÁRIA DE CORTE: confinamento e terceirização III CURSO DE GESTÃO AGROECONÔMICA EM PECUÁRIA DE CORTE: confinamento e terceirização RESULTADOS DO CONFINAMENTO DA COPLACANA EM 2.008 E PERSPECTIVAS PARA O FUTURO Ari José Fernandes Lacôrte Engenheiro

Leia mais

Análise dos modelos de integração suína ciclo completo e terminação : um estudo de caso.

Análise dos modelos de integração suína ciclo completo e terminação : um estudo de caso. 2 Análise dos modelos de integração suína ciclo completo e terminação : um estudo de caso. Diane Aparecida Ostroski Mestre em Teoria Econômica pela Universidade estadual de Maringá-PR Instituição: Faculdade

Leia mais

Curva de Crescimento e Produtividade de Vacas Nelore

Curva de Crescimento e Produtividade de Vacas Nelore Curva de Crescimento e Produtividade de Vacas Nelore THIAGO VINÍCIUS DE SOUZA GRADUANDO EM MEDICINA VETERINÁRIA UFMT/SINOP CONTATO: THIAGOV_SOUZA@HOTMAIL.COM Produtividade Cenário atual Nelore sistema

Leia mais

FINANÇAS A B C D A R$ 24.000,00. B R$ 12.000,00. C R$ 2.000,00. D R$ 0,00.

FINANÇAS A B C D A R$ 24.000,00. B R$ 12.000,00. C R$ 2.000,00. D R$ 0,00. ESPE/Un SERE 2013 Nas questões a seguir, marque, para cada uma, a única opção correta, de acordo com o respectivo comando. Para as devidas marcações, use a Folha de Respostas, único documento válido para

Leia mais

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES SOBRE VALOR PRESENTE LÍQUIDO (VPL)

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES SOBRE VALOR PRESENTE LÍQUIDO (VPL) PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES SOBRE VALOR PRESENTE LÍQUIDO (VPL) Melhor método para avaliar investimentos 16 perguntas importantes 16 respostas que todos os executivos devem saber Francisco Cavalcante(f_c_a@uol.com.br)

Leia mais

de inverno que viraram opção para o pecuarista da região para conseguir ter pasto na época da seca.

de inverno que viraram opção para o pecuarista da região para conseguir ter pasto na época da seca. CUSTO DE PRODUÇÃO DE BOVINOCULTURA DE CORTE EM GUARAPUAVA/PR Com a iniciativa da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem (SENAR) e o Centro

Leia mais

Custos agregados da produção integrada de suínos nas fases de leitões e de terminação.

Custos agregados da produção integrada de suínos nas fases de leitões e de terminação. 64 Custos agregados da produção integrada de suínos nas fases de leitões e de terminação. Dirceu João Duarte Talamini Ph.D. Economia Rural, Oxford University Instituição: Embrapa Suínos e Aves - SC. Endereço:

Leia mais

INDÚSTRIA DE ALIMENTAÇÃO ANIMAL

INDÚSTRIA DE ALIMENTAÇÃO ANIMAL INDÚSTRIA DE ALIMENTAÇÃO ANIMAL Em 2011: Registrou incremento de 5,2% Em 2011, o setor cresceu 5,2%, movimentou R$ 40 bilhões em insumos e produziu 64,5 milhões de toneladas de ração e 2,35milhões de suplementos

Leia mais

FAZENDA SANTA LUZIA. Maurício Silveira Coelho HISTÓRICO

FAZENDA SANTA LUZIA. Maurício Silveira Coelho HISTÓRICO FAZENDA SANTA LUZIA Maurício Silveira Coelho Medico Veterinário CRMV MG 2352 Fazenda Santa Luzia PASSOS/MG E-mail mauricio@josecaboverde.com.br HISTÓRICO Proprietário: José Coelho Vítor e filhos Localização:

Leia mais

Focaliza o aspecto econômico e de formação de preços dos serviços de transporte.

Focaliza o aspecto econômico e de formação de preços dos serviços de transporte. GERENCIAMENTO DO TRANSPORTE Focaliza o aspecto econômico e de formação de preços dos serviços de transporte. Trade-off CUSTO x NÍVEL DE SERVIÇO FORMAÇÃO DO PREÇO FINAL Para elaboração de uma estratégia

Leia mais

Desafios da agroindústria na implementação de sistemas de gestações coletivas. WS Boas Práticas de Bem estar Animal Suínos 25/11/2014 Brasília/Brasil

Desafios da agroindústria na implementação de sistemas de gestações coletivas. WS Boas Práticas de Bem estar Animal Suínos 25/11/2014 Brasília/Brasil Desafios da agroindústria na implementação de sistemas de gestações coletivas WS Boas Práticas de Bem estar Animal Suínos 25/11/2014 Brasília/Brasil Introdução A BRF entende e concorda com a abordagem

Leia mais

XVI CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 22 a 26 de outubro de 2007

XVI CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 22 a 26 de outubro de 2007 SOFTWARE PARA DETERMINAÇÃO DE CUSTOS DE IMPLANTAÇÃO DE UMA GRANJA PARA CRIAÇÃO DE FRANGOS DE CORTE 1 FLÁVIO A. DAMASCENO 1 ; LEONARDO SCHIASSI 2 ; TADAYUKI YANAGI JR 3 ; GLEICE C. A. SILVA 2 ; VALCIMAR

Leia mais

PRODUÇÃO - Conceitos Iniciais

PRODUÇÃO - Conceitos Iniciais PRODUÇÃO - Conceitos Iniciais 1. Conceito - é a atividade de transformação (processo) de matéria-prima em utilidades necessárias ao consumidor. * Nenhuma organização sobrevive, a menos que produza alguma

Leia mais

DE CRIADOR PARA CRIADOR

DE CRIADOR PARA CRIADOR DE CRIADOR PARA CRIADOR No clima para a máxima produção com qualidade. Altitude e temperatura perfeitas. O resultado são rebanhos com máxima produção de sêmen com qualidade, para você vender sempre mais.

Leia mais

Teleconferência de Resultados 2T15. 31 de julho de 2015. Magazine Luiza

Teleconferência de Resultados 2T15. 31 de julho de 2015. Magazine Luiza Teleconferência de Resultados 2T15 31 de julho de 2015 Magazine Luiza Destaques do 2T15 Vendas E-commerce Ganho consistente de participação de mercado Redução na receita líquida de 10,1% para R$2,1 bilhões

Leia mais

Calf Notes.com. Calf Note #99 Mortalidade de Bezerros e Distocia. Introdução

Calf Notes.com. Calf Note #99 Mortalidade de Bezerros e Distocia. Introdução Calf Notes.com Calf Note #99 Mortalidade de Bezerros e Distocia Introdução Durante anos observamos que partos difíceis têm um efeito dramático na saúde e sobrevivência de bezerros. Quando as vacas precisam

Leia mais

ALUNA: Jorge André Cardoso de Lima PROFESSOR: Héber Lavor Moreira

ALUNA: Jorge André Cardoso de Lima PROFESSOR: Héber Lavor Moreira UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS CENTRO SÓCIO ECONÔMICO SALA HP02 MANHÃ ANÁLISE DE DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS ALUNA: Jorge André Cardoso de Lima PROFESSOR: Héber Lavor Moreira MAT-0001009101

Leia mais

Fabiano Coelho. www.precificacao.com.br

Fabiano Coelho. www.precificacao.com.br Fabiano Simões Coelho Gestão de Lucro versus Gestão de Caixa www.fabianocoelho.com.br www.precificacao.com.br Norte de nossas vidas Quando finalmente descobrimos todas as respostas... aparece a vida e

Leia mais

Plano de Negócio. (Projeto de Viabilidade Econômica) Escritório de Contabilidade na Cidade de Marialva

Plano de Negócio. (Projeto de Viabilidade Econômica) Escritório de Contabilidade na Cidade de Marialva Plano de Negócio (Projeto de Viabilidade Econômica) Escritório de Contabilidade na Cidade de Marialva Caracterização do Empreendimento Trata o presente de análise de viabilidade de mercado e de viabilidade

Leia mais

(NUTROESTE URÉIA PLUS)

(NUTROESTE URÉIA PLUS) O SEU BOI DÁ LUCRO? No Brasil, a atividade pecuária existe há centenas de anos, alternando períodos de lucratividade alta com outros de baixa rentabilidade. Há neste momento uma crise gerada por vários

Leia mais

Piscicultores discutem custos de produção da aquicultura na região central do estado do Tocantins

Piscicultores discutem custos de produção da aquicultura na região central do estado do Tocantins Edição1 2014 Piscicultores discutem custos de produção da aquicultura na região central do estado do Tocantins Piscicultores e técnicos da região central do Tocantins se reuniram no dia 24 de julho de

Leia mais

COMO ANALISAR E TOMAR DECISÕES ESTRATÉGICAS COM BASE NA ALAVANCAGEM FINANCEIRA E OPERACIONAL DAS EMPRESAS

COMO ANALISAR E TOMAR DECISÕES ESTRATÉGICAS COM BASE NA ALAVANCAGEM FINANCEIRA E OPERACIONAL DAS EMPRESAS COMO ANALISAR E TOMAR DECISÕES ESTRATÉGICAS COM BASE NA ALAVANCAGEM FINANCEIRA E OPERACIONAL DAS EMPRESAS! O que é alavacagem?! Qual a diferença entre a alavancagem financeira e operacional?! É possível

Leia mais

UWU CONSULTING - SABE QUAL A MARGEM DE LUCRO DA SUA EMPRESA? 2

UWU CONSULTING - SABE QUAL A MARGEM DE LUCRO DA SUA EMPRESA? 2 UWU CONSULTING - SABE QUAL A MARGEM DE LUCRO DA SUA EMPRESA? 2 Introdução SABE COM EXATIDÃO QUAL A MARGEM DE LUCRO DO SEU NEGÓCIO? Seja na fase de lançamento de um novo negócio, seja numa empresa já em

Leia mais

João Telles Corrêa Filho Março de 2010

João Telles Corrêa Filho Março de 2010 Administrar é medir. Esta frase dá bem a medida da importância de contarmos com bons indicadores. Mas, afinal, o que são e porque usar medidas de desempenho? Estas medidas, também chamadas de indicadores

Leia mais

FLUXO DE CAIXA. Dinâmica: O que faço de diferente ou estranho. (Objetivo: Conhecer um pouco cada participante)

FLUXO DE CAIXA. Dinâmica: O que faço de diferente ou estranho. (Objetivo: Conhecer um pouco cada participante) FLUXO DE CAIXA Dinâmica: O que faço de diferente ou estranho. (Objetivo: Conhecer um pouco cada participante) Brainstorming: Chuva de ideias ou Toró de parpite: O QUE É FLUXO DE CAIXA? (Objetivo: Saber

Leia mais