ACIDENTES COM ANIMAIS PEÇONHENTOS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ACIDENTES COM ANIMAIS PEÇONHENTOS"

Transcrição

1 Urgência e Emergência Prof.ª André Rodrigues ACIDENTES COM ANIMAIS PEÇONHENTOS PROFESSOR ANDRÉ RODRIGUES 1

2 PARA COMEÇAR Veneno - Substância tóxica que causa efeitos quando ingerida. Peçonha - Substância tóxica que causa efeito quando inoculada (ferrões, dentes, etc.). Toxina - Substância de origem biológica que provoca danos à saúde. Animais Venenoso - produz veneno em seu organismo, principalmente em vísceras e órgãos (não + conseguem inocular a toxina). Toxina presente na pele, tentáculos, etc. Peçonhento - Animal que produz peçonha em glândulas especializadas e consegue inocular 2

3 Exercícios Banca: FCC Ano: De acordo com o Ministério da Saúde, são alguns exemplos de animais peçonhentos considerados de maior relevância para a saúde pública: A. cascavel, viúva negra, escorpião, taturana, abelha e arraia. B. coral, viúva negra, escorpião, taturana, besouro e arraia. C. jiboia, aranha marrom, escorpião, lagarta de pelo, abelha e tubarão. D. sucuri, viúva negra, escorpião, taturana, abelha e quimera. E. surucucu, aranha marrom, taturana, besouro, e quimera. Exercícios Banca: FUNCAB Ano: Acidentes ofídicos são envenenamentos causados pela inoculação de toxinas, por intermédio das presas de serpentes, podendo determinar alterações locais e sistêmicas. Sobre os acidentes ofídicos é correto afirmar: A. A maioria dos acidentes ofídicos no Brasil são ocasionadas por serpentes do gênero Bothrops, seguido pelo gênero Crotalus. B. A maioria dos acidentes são consideradas como graves, com necessidade de soroterapia que quando ultrapassa uma hora pode ser letal. C. Os meses de maior frequência dos acidentes são os frios e secos, períodos de maior frequência em áreas abertas. D. Os acidentes ofídicos são mais na população citadina, no sexo feminino e emfaixaetáriaeconomicamenteativa. 3

4 Exercícios Banca: AOCP Ano: Com relação ao atendimento em acidentes com animais peçonhentos, assinale a alternativa correta. A. A ficha de notificação de acidentes por animais peçonhentos do Sistema de Agravos de Notificação (SINAN) deverá ser preenchida em todos os casos. B. Em relação à gravidade, a maioria destes acidentes é considerada leve, necessitando apenas de tratamento sintomático e um período de observação, independente da idade do cliente acometido. C. O veneno das serpentes do gênero Bothrops, como a cascavel, tem ação neurotóxica, coagulante, miotóxica e hemorrágica, necessitando de reposição volêmica endovenosa imediata. D. São cuidados básicos no atendimento ao cliente: lavar o local da picada com água e sabão, fazer torniquete ou compressão local e procurar identificar o animal Exercícios Banca: AOCP Ano: No que se refere aos acidentes com animal peçonhento, é correto afirmar que: A. a primeira medida a ser adotada é a realização de torniquete. B. a realização de sangria no local da picada é um procedimento urgente. C. deve-se lavar o ferimento com álcool. D. é importante que o membro afetado seja elevado. E. o animal que provocou o acidente deve ser queimado imediatamente para não provocar novos acidentes. 4

5 Exercícios 5. Animais peçonhentos são aqueles que possuem glândulas de veneno que se comunicam com dentes ocos, ou ferrões, ou aguilhões, por onde o veneno passa ativamente. Ex.: serpentes, aranhas, escorpiões, abelhas, arraias. Muitas vezes, mesmo adotando cuidados de prevenção, podem ocorrer acidentes com os animais peçonhentos. Os cuidados que devem ser prestadas nos casos de vítimas de acidentes com animais peçonhentos são: A. dar apoio às funções vitais e administrar soros específicos quando indicado. B. sugar o local da picada, o veneno poderá ser retirado dessa maneira depois de ser injetado na corrente sanguínea. C. se possível, manter o membro afetado em nível abaixo do coração. D. utilizar garrote ou torniquete na região afetada. E. dar bebidas como álcool, querosene à vitima, assim atuará como neutralizante do veneno e poderá ajudar a vítima. Em resumo Lavar o local da picada apenas com água ou com água e sabão; Manter o paciente deitado; Manter o paciente hidratado; Procurar o serviço médico mais próximo; Se possível, levar o animal para identificação. 5

6 Em resumo Não fazer torniquete ou garrote; Não cortar o local da picada; Não perfurar ao redor do local da picada; Não colocar folhas, pó de café ou outros contaminantes; Não oferecer bebidas alcoólicas, querosene ou outros tóxicos. Serpentes BROTHROPS : Jararaca, Jararacuçu CROTALUS : Cascavel LACHESIS : Surucucu Verdadeira MICRURUS : Coral 6

7 Como reconhecer se é sogra MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS E CONDUTAS 7

8 BOTRÓPICO Ação Proteolítica: manifestações inflamatórias agudas na região da picada. Resposta inflamatória local (ex. prostaglandinas e bradicininas) que causam dor intensa, eritema, edema, equimose, bolhas e necrose. Ação Coagulante: decorrente da ativação de fatores da coagulação, formação de fibrina a partir do fibrinogênio e de alterações na função e número de plaquetas. Essas ações levam a uma depleção dos fatores de coagulação, podendo acarretar em incoagulabilidade sanguínea. Ação Hemorrágica: levam a alterações na parede dos vasos sanguíneos, provocando hemorragias em diversos locais do organismo. Manifestações sistêmicas: náuseas, vômitos, sudorese, hipotensão, sangramentos na gengiva, hematêse, hematúria CONDUTA Manter elevado e estendido o segmento picado; Emprego de analgésicos para alívio da dor; Hidratação. SBA SABC SABL 8

9 CROTÁLICO Ação neurotóxica: bloqueio neuromuscular, paralisias motoras. Ação miotóxica: lesões de fibras musculares esqueléticas. Ação coagulante: pode levar à incoagulabilidade sanguínea. Geralmente não há redução do número de plaquetas. As manifestações hemorrágicas, quando presentes, são discretas. Manifestações sistêmicas: prostração, sudorese, náuseas, vômitos, ptose palpebral, alteração pupilar, olhos estativos, diplopia, flacidez da musculatura da face. CONDUTAS Hidratação Diurese manitol (prevenção da IRA) SAC SABC 9

10 LAQUÉTICO Ação proteolítica: mesma ação brotrópica. Ação neurotóxica: estimulação vagal. Manifestações clínicas: semelhantes à botrópica. SAL CONDUTAS SABL 10

11 ELAPÍDICOS BLOQUEIO NEUROMUSCULAR Manifestações clínicas: vômitos, ptose palpebral, oftalmoplegia, dificuldade em se manter na posição ereta. CONDUTAS Manter ventilação SAE 11

12 Exercícios Órgão: Prefeitura de Fortaleza Ano: Na emergência do Instituto Dr. José Frota (IJF), uma criança de 8 anos deu entrada por picada de cobra e referiu muita dor no local. A criança não sabia descrever bem a cobra, mas disse que era marrom. Durante a anamnese, o enfermeiro observou, no pé direito, edema pouco intenso e sinais de inflamação com eritema local. Ao realizar exame para identificar o tempo de coagulação, percebeu que estava levemente alterado. Após algumas horas de internação, a criança apresentou hipotensão arterial, choque, oligoanúria e epistaxe. Assinale caracteriza o tipo de acidente ofídico. a alternativa correta, que A. Crotálico. B. Botrópico. C. Laquético. D. Latrodectus. Exercícios Banca: FCC Ano São apresentadas as principais características de acidentes ofídicos de que foram vítimas três grupos de pacientes: GRUPO I: 90% dos envenenamentos ofídicos no Brasil. Necrose em extremidade com posterior evolução para amputação, gengivorragia, equimoses e hematúria. GRUPO II: 9% dos casos. Fenômenos neuroparalizantes de aparecimento precoce: ptose palpebral, oftalmoplegia, mialgia, mioglobinúria, insuficiência renal aguda. GRUPO III: menos de 1% dos casos registrados no Brasil devido a pouca agressividade da serpente.nas formas graves há ptose palpebral, pupilas midriáticas e insuficiência respiratória aguda. Acidentes elapídico, crotálico e botrópico correspondem, respectivamente, aos grupos A. I, II e III. B. III, II e I. C. II, I e III. D. III, I e II. E. II, III e I. 12

Ofidismo: estatísticas nacionais e estaduais

Ofidismo: estatísticas nacionais e estaduais OFIDISMO Ofidismo: estatísticas nacionais e estaduais NE 13,62 CO 15,61 N 12,45 Frequência relativa (%) S 17,7 Acidentes ofídicos por região do país SE 39,88 Diagnóstico n acidentes % Bothrops 59.619 73,1

Leia mais

ANIMAIS PEÇONHENTOS DEFINIÇÃO Prof. Fabio Azevedo São acidentes provocados por picadas ou mordeduras de animais que possuem glândulas secretoras e aparelhos inoculadores de veneno, como dentes ocos e ferrões.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS SÃO GABRIEL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS SÃO GABRIEL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS SÃO GABRIEL PROJETO O Ensino de Animais Peçonhentos e Venenosos Coordenadores Analía Del Valle Garnero e Ronaldo Erichsen Supervisora: Berenice Bueno Bolsista ID: Lucas

Leia mais

Programa de Formação Complementar: Fundamentos de Toxicologia para a Prática Clínica ANIMAIS PEÇONHENTOS

Programa de Formação Complementar: Fundamentos de Toxicologia para a Prática Clínica ANIMAIS PEÇONHENTOS Programa de Formação Complementar: Fundamentos de Toxicologia para a Prática Clínica ANIMAIS PEÇONHENTOS Ana Gabriela da Silva Bonacini Farmacêutica e Residente em Análises Clínicas Londrina- 2016 OFIDISMO

Leia mais

ACIDENTES COM ANIMAIS PEÇONHENTOS

ACIDENTES COM ANIMAIS PEÇONHENTOS ACIDENTES COM ANIMAIS PEÇONHENTOS 1 ACIDENTES POR LEPDÓPTEROS Envenenamento causado pela penetração de cerdas de lagartas (larvas de lepidópteros) na pele, ocorrendo assim a inoculação de toxinas. ACIDENTES

Leia mais

ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS

ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS 10 de junho de 2016 Página 1/8 DEFINIÇÃO DE CASO ACIDENTES OFÍDICOS Envenenamento causado pela inoculação de toxinas, por intermédio das presas de serpentes (aparelho inoculador), podendo determinar alterações

Leia mais

ACIDENTES COM ANIMAIS PEÇONHENTOS

ACIDENTES COM ANIMAIS PEÇONHENTOS ACIDENTES COM ANIMAIS PEÇONHENTOS Prof. Mariana Lima Arruda ACIDENTES POR LEPDÓPTEROS Envenenamento causado pela penetração de cerdas de lagartas (larvas de lepidópteros) na pele, ocorrendo assim a inoculação

Leia mais

Faculdade Presidente Antônio Carlos de Araguari. Curso de Medicina Acidente com animais peçonhentos. Prof. Dr. Alex Miranda Rodrigues

Faculdade Presidente Antônio Carlos de Araguari. Curso de Medicina Acidente com animais peçonhentos. Prof. Dr. Alex Miranda Rodrigues Faculdade Presidente Antônio Carlos de Araguari. Curso de Medicina Acidente com animais peçonhentos Prof. Dr. Alex Miranda Rodrigues Caso clínico AB, 23 anos, lavrador, natural e procedente de Araguari.

Leia mais

Animais Peçonhentos. Priscyla C. Antunes Lauro Monteiro

Animais Peçonhentos. Priscyla C. Antunes Lauro Monteiro Animais Peçonhentos Ofídios Priscyla C. Antunes Lauro Monteiro Ofídios Os ofídios correspondem às serpentes (ou cobras), peçonhentas ou não. Entre as características do grupo estão: a presença de escamas;

Leia mais

Bula com informações ao Profissional de Saúde soro antibotrópico (pentavalente) e anticrotálico

Bula com informações ao Profissional de Saúde soro antibotrópico (pentavalente) e anticrotálico soro antibotrópico (pentavalente) e anticrotálico solução injetável IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO soro antibotrópico (pentavalente) e anticrotálico APRESENTAÇÃO O soro antibotrópico (pentavalente) e anticrotálico,

Leia mais

Aula de OFIDISMO Enfermagem em Urgência e Emergência

Aula de OFIDISMO Enfermagem em Urgência e Emergência Aula de OFIDISMO Enfermagem em Urgência e Emergência Docente Márcio Gomes da Costa Pós Graduação em Unidade de Terapia Intensiva Pós Graduação em Docência Pós Graduando em Gestão Estratégica de Negócios

Leia mais

É a aspiração de líquido não corporal causada por submersão ou imersão.

É a aspiração de líquido não corporal causada por submersão ou imersão. É a aspiração de líquido não corporal causada por submersão ou imersão. Sinais e sintomas: Em um quadro geral pode haver hipotermia, náuseas, vômito, distensão abdominal, tremores, cefaléia, mal estar,

Leia mais

NR 31. Animais Peçonhentos. Prof. Ariston Alves Afonso. Eng. Agrônomo; Eng. de Segurança do Trabalho

NR 31. Animais Peçonhentos. Prof. Ariston Alves Afonso. Eng. Agrônomo; Eng. de Segurança do Trabalho NR 31 Animais Peçonhentos Prof. Ariston Alves Afonso Eng. Agrônomo; Eng. de Segurança do Trabalho Veneno = Toxina consiste em qualquer tipo de substância tóxica, seja ela sólida, líquida ou gasosa, que

Leia mais

Aspectos clínicos e epidemiológicos relacionados a acidentes com animais peçonhentos

Aspectos clínicos e epidemiológicos relacionados a acidentes com animais peçonhentos ARTIGO ORIGINAL ISSN 1677-59 215 Revista de Ciências Médicas e Biológicas Aspectos clínicos e epidemiológicos relacionados a acidentes com animais peçonhentos Clinical and epidemiological aspects related

Leia mais

É sempre melhor previnir. Mas ao ser picado por animais peçonhentos (venenosos), aja com cautela e sem desespero. É importante não perder tempo.

É sempre melhor previnir. Mas ao ser picado por animais peçonhentos (venenosos), aja com cautela e sem desespero. É importante não perder tempo. É sempre melhor previnir. Mas ao ser picado por animais peçonhentos (venenosos), aja com cautela e sem desespero. É importante não perder tempo. Algumas orientações básicas são exatamente importantes e

Leia mais

Oliveira, ET, Cogo, JC

Oliveira, ET, Cogo, JC LEVANTAMENTO PRELIMINAR DOS ACIDENTES OFÍDICOS OCORRIDOS EM SÃO JOSÉ DOS CAMPOS (SP) E CIDADES ADJACENTES, ATEIDOS NO HOSPITAL MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS. XIV INIC / X EPG - UNIVAP 2010 Oliveira,

Leia mais

Palavras-chave: Ofidismo, Bothrops, Crotalus, Laquesis, Manifestações Clínicas, Soroterapia, Cuidados de Enfermagem, Revisão de Literatura.

Palavras-chave: Ofidismo, Bothrops, Crotalus, Laquesis, Manifestações Clínicas, Soroterapia, Cuidados de Enfermagem, Revisão de Literatura. OFIDISMO: MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS, CLASSIFICAÇÃO E SOROTERAPIA Shirlei Santos Ferreira* Ana Márcia Chiaradia Mendes Castillo** RESUMO Neste trabaho são expostas as características peculiares dos gêneros

Leia mais

CEPAP Centro de Educação Profissional em Atendimento Pré-Hospitalar Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro

CEPAP Centro de Educação Profissional em Atendimento Pré-Hospitalar Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro CEPAP Centro de Educação Profissional em Atendimento Pré-Hospitalar Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro Ensinado a salvar vidas OFIDISMO Animais Venenosos X Animais Peçonhentos Os primeiros

Leia mais

ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS

ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS Protocolo: Nº 81 Elaborado por: Manoel Emiliano Última revisão: 06/09/2011 Revisores: Samantha Vieira Maria Clara Mayrink ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS DEFINIÇÃO: Animais peçonhentos são animais que

Leia mais

ARTIGO CLÍNICA MÉDICA DE PEQUENOS ANIMAIS

ARTIGO CLÍNICA MÉDICA DE PEQUENOS ANIMAIS 27 ARTIGO CLÍNICA MÉDICA DE PEQUENOS ANIMAIS ACIDENTE OFÍDICO EM CÃES ESTUDO RETROSPECTIVO DE CASOS ATENDIDOS NO PERÍODO DE 2005 A 2015 NO HOSPITAL VETERINÁRIO DR. HALIM ATIQUE, SÃO JOSÉ DO RIO PRETO SP,

Leia mais

Assustadores e Venenosos

Assustadores e Venenosos Assustadores e Venenosos Assustado e chocado com as plantas tóxicas? Agora o temor e o choque serão ainda maiores. Nos próximos slides, os três animais peçonhentos mais famosos e perigosos que existem

Leia mais

AULA-7 PROCESSO DE HEMOSTASIA

AULA-7 PROCESSO DE HEMOSTASIA AULA-7 PROCESSO DE HEMOSTASIA Profª Tatiani UNISALESIANO PROCESSO DE HEMOSTASIA- COAGULAÇÃO DO SANGUE Toda vez que ocorre ferimento e extravasamento de sangue dos vasos, imediatamente são desencadeados

Leia mais

Aula: Acidentes com Animais Peçonhentos

Aula: Acidentes com Animais Peçonhentos Curso de Especialização em Emergências e Terapia Intensiva Aula: Acidentes com Animais Peçonhentos Prof. Enf. Fernando Ramos Gonçalves Msc 1 n ESCORPIÕES n Vivem em baixo de pedras, em casas antigas, cemitérios,

Leia mais

EPIDEMIOLOGIA DOS ACIDENTES COM ANIMAIS PEÇONHENTOS NO MUNICÍPIO DE ITAPIPOCA, CEARÁ.

EPIDEMIOLOGIA DOS ACIDENTES COM ANIMAIS PEÇONHENTOS NO MUNICÍPIO DE ITAPIPOCA, CEARÁ. EPIDEMIOLOGIA DOS ACIDENTES COM ANIMAIS PEÇONHENTOS NO MUNICÍPIO DE ITAPIPOCA, CEARÁ. Juliana Maria Rodrigues Pires¹; Maria Andreza Freitas Rodrigues²; Ana Paula da Silva Oliveira³ ¹Licencianda em Ciências

Leia mais

Programa Estadual de Vigilância de Acidentes por Animais Peçonhentos

Programa Estadual de Vigilância de Acidentes por Animais Peçonhentos Secretaria de Programa Estadual de Vigilância de Acidentes por Animais Peçonhentos Enfª Ivânia da Costa Folster Vigilância de Acidentes por Animais Peçonhentos GEZOO/DIVE/SES Secretaria de Histórico da

Leia mais

FUNASA VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA. Manual de Diagnóstico e Tratamento de Acidentes por Animais Peçonhentos

FUNASA VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA. Manual de Diagnóstico e Tratamento de Acidentes por Animais Peçonhentos FUNASA VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA Manual de Diagnóstico e Tratamento de Acidentes por Animais Peçonhentos Manual de Diagnóstico e Tratamento de Acidentes por Animais Peçonhentos Brasília, outubro de 2001

Leia mais

Universidade do Vale do Paraíba. Serpentário

Universidade do Vale do Paraíba. Serpentário Universidade do Vale do Paraíba Serpentário Estudo epidemiológico de acidentes ofídicos na cidade de São José dos Campos (SP) e municípios adjacentes Luciane Sampaio Pires Dissertação de Mestrado apresentada

Leia mais

AULA 20: ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS. No Brasil há cerca de 250 espécies de serpentes, porém cerca de 20% dessas são perigosas.

AULA 20: ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS. No Brasil há cerca de 250 espécies de serpentes, porém cerca de 20% dessas são perigosas. AULA 20: ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS 1- ACIDENTE OFÍDICO No Brasil há cerca de 250 espécies de serpentes, porém cerca de 20% dessas são perigosas. No Brasil estima-se que ocorre, anualmente, cerca

Leia mais

Não ficam longe da água. Respiram também pela pele. Ajudam a controlar a população de moscas e mosquitos. primeiras vítimas do desequilíbrio.

Não ficam longe da água. Respiram também pela pele. Ajudam a controlar a população de moscas e mosquitos. primeiras vítimas do desequilíbrio. Não ficam longe da água. Respiram também pela pele. Ajudam a controlar a população de moscas e mosquitos. primeiras vítimas do desequilíbrio. Brasil: 776 espécies no total. O Rio Grande do Sul: 95 espécies

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS HIP- HOSPITAL INFANTIL DE PALMAS

GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS HIP- HOSPITAL INFANTIL DE PALMAS PROTOCOLO DE TRATAMENTO Acidentes por animais peçonhentos Objetivos Oferecer à equipe multiprofissional um roteiro básico clínico, laboratorial e terapêutico no atendimento das crianças que buscam o HIP

Leia mais

TREINAMENTO TEÓRICO CURSO: PRIMEIROS SOCORROS - BÁSICO (40 HORAS)

TREINAMENTO TEÓRICO CURSO: PRIMEIROS SOCORROS - BÁSICO (40 HORAS) UNIDADE: 12 PARADA CARDIORRESPIRATÓRIA - PCR TREINAMENTO TEÓRICO CURSO: PRIMEIROS SOCORROS - BÁSICO (40 HORAS) MODALIDADE: ONLINE 12.0 INTRODUÇÃO Em diversos ambientes há presença de animais peçonhentos,

Leia mais

COBRAS PEÇONHENTAS E NÃO PEÇONHENTAS Prof. Evandro Marques

COBRAS PEÇONHENTAS E NÃO PEÇONHENTAS Prof. Evandro Marques COBRAS PEÇONHENTAS E NÃO PEÇONHENTAS Prof. Evandro Marques Classificar as cobras como venenosas ou não venenosas é um equívoco, já que todas apresentam veneno, sendo este sua saliva capaz de degradar a

Leia mais

ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS CID 10: X 29 ZOONOSES E ANIMAIS PEÇONHENTOS

ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS CID 10: X 29 ZOONOSES E ANIMAIS PEÇONHENTOS ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS CID 10: X 29 RODOLFO BRAGA BARROS SHIRLEY BARBOSA FEITOSA JANAÍNA MENEZES DANIELE DINIZ NEVES ZOONOSES E ANIMAIS PEÇONHENTOS CARACTERISTICAS GERAIS (resumo) DESCRIÇÃO

Leia mais

PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DOS ACIDENTES COM ANIMAIS PECONHENTOS EM TANGARÁ DA SERRA-MT, BRASIL ( )

PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DOS ACIDENTES COM ANIMAIS PECONHENTOS EM TANGARÁ DA SERRA-MT, BRASIL ( ) ARTIGO ORIGINAL PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DOS ACIDENTES COM ANIMAIS PECONHENTOS EM TANGARÁ DA SERRA-MT, BRASIL (2007-2016) EPIDEMIOLOGICAL PROFILE OF ACCIDENTS WITH PECONVING ANIMALS IN TANGARÁ DE SERRA-MT,

Leia mais

FREQUÊNCIA DE ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS OCORRIDOS NO RIO GRANDE DO SUL,

FREQUÊNCIA DE ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS OCORRIDOS NO RIO GRANDE DO SUL, UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL UFRGS FACULDADE DE MEDICINA DEPARTAMENTO DE MEDICINA SOCIAL CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE PÚBLICA Andressa Linhares Dorneles FREQUÊNCIA DE ACIDENTES POR ANIMAIS

Leia mais

CASCAVEL COBRA-DA-MORTE VÍBORA NAJA SERPENTE-TIGRE MAMBA-PRETA TAIPAN COBRA MARROM

CASCAVEL COBRA-DA-MORTE VÍBORA NAJA SERPENTE-TIGRE MAMBA-PRETA TAIPAN COBRA MARROM CASCAVEL COBRA-DA-MORTE VÍBORA NAJA SERPENTE-TIGRE MAMBA-PRETA TAIPAN COBRA MARROM A cascavel é uma serpente da América facilmente identificável pelo chocalho na ponta de sua cauda. Surpreendentemente,

Leia mais

Acidentes por animais peçonhentos

Acidentes por animais peçonhentos Acidentes por animais peçonhentos Secretaria da Saúde do Estado do Ceará Coordenadoria de Promoção e Proteção à Saúde 01 de julho de 2016. Animais Peçonhentos Animais peçonhentos são reconhecidos como

Leia mais

JAQUELINE FLORES ROHR ESTUDO CLÍNICO-EPIDEMIOLÓGICO DOS ACIDENTES BOTRÓPICOS ATENDIDOS NO HU/UFSC EM 2005 E 2006

JAQUELINE FLORES ROHR ESTUDO CLÍNICO-EPIDEMIOLÓGICO DOS ACIDENTES BOTRÓPICOS ATENDIDOS NO HU/UFSC EM 2005 E 2006 JAQUELINE FLORES ROHR ESTUDO CLÍNICO-EPIDEMIOLÓGICO DOS ACIDENTES BOTRÓPICOS ATENDIDOS NO HU/UFSC EM 2005 E 2006 Trabalho apresentado à Universidade Federal de Santa Catarina, para a conclusão do Curso

Leia mais

CARACTERÍSTICAS GERAIS

CARACTERÍSTICAS GERAIS RÉPTEIS CARACTERÍSTICAS GERAIS Répteis do latim REPTARE= RASTEJAR. Têm cerca de 7 mil espécies. Surgiram há cerca de 300 milhões de anos. Vivem em ambientes terrestres (secos) ou alguns são aquáticos.

Leia mais

ACCIDENTS CAUSED BY SNAKES (BOTHROPS SPP. AND CROTALLUS SPP.) IN CHILDREN: REPORT OF TWO CASES

ACCIDENTS CAUSED BY SNAKES (BOTHROPS SPP. AND CROTALLUS SPP.) IN CHILDREN: REPORT OF TWO CASES ACIDENTES POR SERPENTE (BOTHROPS SPP. E CROTALLUS SPP.) EM CRIANÇAS: RELATO DE DOIS CASOS ACCIDENTS CAUSED BY SNAKES (BOTHROPS SPP. AND CROTALLUS SPP.) IN CHILDREN: REPORT OF TWO CASES ACCIDENTES POR SERPIENTE

Leia mais

ANIMAIS PEÇONHENTOS ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS: ACIDENTES COM SERPENTES

ANIMAIS PEÇONHENTOS ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS: ACIDENTES COM SERPENTES ANIMAIS PEÇONHENTOS Animais peçonhentos são aqueles que possuem glândulas de veneno que se comunicam com dentes ocos, ou ferrões, ou agulhões, por onde o veneno passa ativamente. Portanto, peçonhentos

Leia mais

Acidentes por animais peçonhentos e uso racional de soros antiveneno.

Acidentes por animais peçonhentos e uso racional de soros antiveneno. Acidentes por animais peçonhentos e uso racional de soros antiveneno. Nota Técnica 1 OBJETO Uso racional de soros antivenenos e atualizações dos protocolos de manejo dos acidentes por animais peçonhentos.

Leia mais

Revista de Biologia e Ciências da Terra ISSN: Universidade Estadual da Paraíba Brasil

Revista de Biologia e Ciências da Terra ISSN: Universidade Estadual da Paraíba Brasil Revista de Biologia e Ciências da Terra ISSN: 1519-5228 revbiocieter@yahoo.com.br Universidade Estadual da Paraíba Brasil Neves de Albuquerque, Helder; Guedes da Costa, Thaís Barreto; Farias Cavalcanti,

Leia mais

Avaliação Clínica e Epidemiológica dos acidentes com animais peçonhentos atendidos no Hospital Universitário do Oeste do Paraná

Avaliação Clínica e Epidemiológica dos acidentes com animais peçonhentos atendidos no Hospital Universitário do Oeste do Paraná Avaliação Clínica e Epidemiológica dos acidentes com animais peçonhentos atendidos no Hospital Universitário do Oeste do Paraná 2008-2012 Clinical and Epidemiological Evaluation of accidents with venomous

Leia mais

Guia Prático MANEJO CLÍNICO DE PACIENTE COM SUSPEITA DE DENGUE. Estado de São Paulo Divisão de Dengue e Chikungunya

Guia Prático MANEJO CLÍNICO DE PACIENTE COM SUSPEITA DE DENGUE. Estado de São Paulo Divisão de Dengue e Chikungunya Guia Prático MANEJO CLÍNICO DE PACIENTE COM SUSPEITA DE DENGUE Divisão de Dengue e Chikungunya Centro de Vigilância Epidemiológica Prof. Alexandre Vranjac CCD COORDENADORIA DE CONTROLE DE DOENÇAS Estado

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ PRÓ-REITORA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO FACULDADE DE MEDICINA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS MÉDICAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ PRÓ-REITORA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO FACULDADE DE MEDICINA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS MÉDICAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ PRÓ-REITORA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO FACULDADE DE MEDICINA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS MÉDICAS POLIANNA LEMOS MOURA MOREIRA ALBUQUERQUE MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS

Leia mais

Urgência e emergência na atenção primária. Enfª Karin Bienemann

Urgência e emergência na atenção primária. Enfª Karin Bienemann Urgência e emergência na atenção primária Enfª Karin Bienemann ATENDIMENTO INICIAL À VÍTIMA CRÍTICA PANORAMA ATUAL: Como andam as Urgências? AS URGÊNCIAS NO PAÍS Distribuição inadequada da oferta de serviços

Leia mais

BEATRIZ ALVES DE ARAUJO CRUZ

BEATRIZ ALVES DE ARAUJO CRUZ UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CAMPUS I CAMPINA GRANDE DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM CURSO DE LICENCIATURA E BACHARELADO EM ENFERMAGEM BEATRIZ ALVES DE ARAUJO CRUZ

Leia mais

ACIDENTES OFÍDICOS CAUSADOS POR Bothrops moojeni: CORRELAÇÃO DO QUADRO CLÍNICO COM O TAMANHO DA SERPENTE

ACIDENTES OFÍDICOS CAUSADOS POR Bothrops moojeni: CORRELAÇÃO DO QUADRO CLÍNICO COM O TAMANHO DA SERPENTE Rev. Inst. Med. trop. São Paulo 31 (2): 84-90, março-abril, 1989 ACIDENTES OFÍDICOS CAUSADOS POR Bothrops moojeni: CORRELAÇÃO DO QUADRO CLÍNICO COM O TAMANHO DA SERPENTE João Aris KOUYOUMDJIAN (1) & Cristina

Leia mais

O Escorpião Marrom (TityusBahiensis) tem o tronco marrom, patas amareladas com manchas escuras e cauda marrom-avermelhado.

O Escorpião Marrom (TityusBahiensis) tem o tronco marrom, patas amareladas com manchas escuras e cauda marrom-avermelhado. ESCORPIÕES Pertencentes à classe Arachnida, os escorpiões apresentam o corpo dividido em cefalotórax e abdome, sendo que os últimos 5 segmentos do abdome formam a cauda. No final da cauda está o télson,

Leia mais

Medidas básicas de socorro aos humanos

Medidas básicas de socorro aos humanos Medidas básicas de socorro aos humanos CONCEITO TODO ANIMAL VENENOSO É PEÇONHENTO? TODO ANIMAL PEÇONHENTO É VENENOSO? Venenoso x peçonhento Brachycephalus ephippium Bothrops jararaca http://planetasustentavel.abril.com.br/album/anfibios-mata-atlantica-626497.shtml

Leia mais

OFIDISMO NO ESTADO DO ACRE BRASIL SNAKEBITES IN THE STATE OF ACRE BRAZIL

OFIDISMO NO ESTADO DO ACRE BRASIL SNAKEBITES IN THE STATE OF ACRE BRAZIL OFIDISMO NO ESTADO DO ACRE BRASIL SNAKEBITES IN THE STATE OF ACRE BRAZIL Bernarde, PS 1,Mota-da-Silva A 2, Abreu LC 3 1 Centro Multidisciplinar da Universidade Federal do Acre - Campus Floresta. 2 Instituto

Leia mais

ANÁLISE DOS CASOS DE ACIDENTES OFÍDICOS EM UM CENTRO DE CONTROLE DE INTOXICAÇÃO DA PARAÍBA - BRASIL

ANÁLISE DOS CASOS DE ACIDENTES OFÍDICOS EM UM CENTRO DE CONTROLE DE INTOXICAÇÃO DA PARAÍBA - BRASIL UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CAMPUS CAMPINA GRANDE CENTRO CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE FARMÁCIA CURSO DE BACHARELADO EM FARMÁCIA FRANCISCO ASSIS NOGUEIRA JÚNIOR ANÁLISE DOS CASOS

Leia mais

Lição 06 HEMORRAGIAS E CHOQUE. 1. Enumerar 5 sinais ou sintomas indicativos de uma hemorragia;

Lição 06 HEMORRAGIAS E CHOQUE. 1. Enumerar 5 sinais ou sintomas indicativos de uma hemorragia; Lição 06 HEMORRAGIAS E CHOQUE OBJETIVOS: Ao final desta lição os participantes serão capazes de: 1. Enumerar 5 sinais ou sintomas indicativos de uma hemorragia; 2. Citar e demonstrar 3 diferentes técnicas

Leia mais

URGÊNCIA E EMERGÊNCIA. Prof. Adélia Dalva

URGÊNCIA E EMERGÊNCIA. Prof. Adélia Dalva URGÊNCIA E EMERGÊNCIA Prof. Adélia Dalva 1. O tratamento emergencial da hipovolemia grave, em uma unidade de pronto atendimento, causada por choque hemorrágico, compreende as seguintes condutas terapêuticas,

Leia mais

Primeiros Socorros. Primeiros Socorros. Primeiros Socorros. Primeiros Socorros. Primeiros Socorros. Primeiros Socorros. Objetivos.

Primeiros Socorros. Primeiros Socorros. Primeiros Socorros. Primeiros Socorros. Primeiros Socorros. Primeiros Socorros. Objetivos. Objetivos Avaliação inicial do paciente enfermo e cuidados na abordagem Avaliação de sinais vitais Contaminação Infecção Esterelização Antissepsia Assepsia Microorganismos Contaminação Presença de microorganismos

Leia mais

Todos os direitos reservados Rui Seabra Ferreira Junior Centro de Estudos de Venenos e Animais Peçonhentos - CEVAP/UNESP

Todos os direitos reservados Rui Seabra Ferreira Junior Centro de Estudos de Venenos e Animais Peçonhentos - CEVAP/UNESP Todos os direitos reservados Rui Seabra Ferreira Junior Centro de Estudos de Venenos e Animais Peçonhentos - CEVAP/UNESP rseabra@cevap.org.br Sumário I - Serpentes 2 II - Aranhas 15 III - Escorpiões 20

Leia mais

PROFESSOR: JEAN NAVES EMERGÊNCIAS PRÉ-HOSPITALARES

PROFESSOR: JEAN NAVES EMERGÊNCIAS PRÉ-HOSPITALARES PROFESSOR: JEAN NAVES EMERGÊNCIAS PRÉ-HOSPITALARES QUESTÃO 01 O parâmetro que não faz parte do exame primário da vítima. a) é a respiração. b) é o pulso. c) é a tensão arterial. d) são as vias aéreas.

Leia mais

Nota Técnica 03/2017 CIEVS/GEEPI/GVSI. Assunto: Fluxo Assistencial de Pessoa com Suspeita de Febre Amarela na Rede SUS-BH

Nota Técnica 03/2017 CIEVS/GEEPI/GVSI. Assunto: Fluxo Assistencial de Pessoa com Suspeita de Febre Amarela na Rede SUS-BH Nota Técnica 03/2017 CIEVS/GEEPI/GVSI Assunto: Fluxo Assistencial de Pessoa com Suspeita de Febre Amarela na Rede SUS-BH Belo Horizonte, 18 de janeiro de 2017. Definição de caso suspeito de febre amarela:

Leia mais

TT-EEFEUSP TT-EEFEUSP

TT-EEFEUSP TT-EEFEUSP emergências ambientais Exposição a condições extremas de temperatura Calor EMERGÊNCIAS AMBIENTAIS Frio Prof ª. Dra. Taís Tinucci Socorros de Urgência queimadura solar Eritema e dor na pele que se inicia

Leia mais

Identificar a causa (exaustão de auto, gás, aerossóis) Remoção da cena Manter vias aéreas abertas Suporte básico de vida Ligar para o CCI Chamar

Identificar a causa (exaustão de auto, gás, aerossóis) Remoção da cena Manter vias aéreas abertas Suporte básico de vida Ligar para o CCI Chamar tóxico ou veneno Qualquer substância nociva que, quando introduzida no organismo, provoca alterações em um ou mais sistemas INTOXICAÇÕES E ENVENAMENTOS Prof ª. Dra. Taís Tinucci Socorros de Urgência fisiológicos

Leia mais

Urgência e Emergência

Urgência e Emergência Urgência e Emergência CHOQUE Choque Um estado de extrema gravidade que coloca em risco a vida do paciente. Dica: Em TODOS os tipos de choques ocorre a queda da pressão arterial e, consequentemente, um

Leia mais

ACIDENTE POR SURUCUCU (Lachesis muta muta) EM BELÉM-PARÁ: RELATO DE CASO 1

ACIDENTE POR SURUCUCU (Lachesis muta muta) EM BELÉM-PARÁ: RELATO DE CASO 1 RELATO DE CASO ACIDENTE POR SURUCUCU (Lachesis muta muta) EM BELÉM-PARÁ: RELATO DE CASO 1 SNAKEBITE BY THE BUSHMASTER (Lachesis muta muta) IN BELÉM-PARÁ: A CASE REPORT 1 Pedro Pereira de Oliveira PARDAL

Leia mais

ACIDENTE POR CASCAVEL (Crotalus sp) EM PONTA DE PEDRAS, ILHA DO MARAJÓ, PARÁ- RELATO DE CASO¹

ACIDENTE POR CASCAVEL (Crotalus sp) EM PONTA DE PEDRAS, ILHA DO MARAJÓ, PARÁ- RELATO DE CASO¹ RELATO DE CASO ACIDENTE POR CASCAVEL (Crotalus sp) EM PONTA DE PEDRAS, ILHA DO MARAJÓ, PARÁ- RELATO DE CASO¹ SNAKEBITE BY THE RATTLESNAKE (Crotalus sp) IN PONTA DE PEDRA, MARAJÓ ISLAND, PARÁ- A CASE REPORT¹

Leia mais

OFIDISMO. Aspectos Epidemiológicos

OFIDISMO. Aspectos Epidemiológicos OFIDISMO Aspectos Epidemiológicos Dentre os acidentes por animais peçonhentos, o ofidismo é o principal deles, pela sua freqüência e gravidade. Ocorre em todas as regiões e estados brasileiros e é um importante

Leia mais

VIGILÂNCIA AMBIENTAL EM SAÚDE E ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS EM URUGUAIANA - RSENTRE 2006 E 2015

VIGILÂNCIA AMBIENTAL EM SAÚDE E ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS EM URUGUAIANA - RSENTRE 2006 E 2015 1 VIGILÂNCIA AMBIENTAL EM SAÚDE E ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS EM URUGUAIANA - RSENTRE 2006 E 2015 RONIELE SANTANA VALENTE¹, LAURA ILARRAZ MASSIA²; RITA DANIELA QUEVEDO LAMADRIL²; ¹ Acadêmica do curso

Leia mais

QUALIDADE DA INFORMAÇÃO: A IMPORTÂNCIA DO DADO PRIMÁRIO, O PRINCÍPIO DE TUDO

QUALIDADE DA INFORMAÇÃO: A IMPORTÂNCIA DO DADO PRIMÁRIO, O PRINCÍPIO DE TUDO COMUNICAÇÃO ORAL QUALIDADE DA INFORMAÇÃO: A IMPORTÂNCIA DO DADO PRIMÁRIO, O PRINCÍPIO DE TUDO Rosany Bochner, Maria Cristina Soares Guimarães, Rosane Abdala Lins de Santana, Claudio Machado Resumo: A informação

Leia mais

Prof. Sabrina Cunha da Fonseca

Prof. Sabrina Cunha da Fonseca Prof. Sabrina Cunha da Fonseca E-mail: sabrina.cfonseca@hotmail.com Corpo humano: Hemorragia: É a perda de sangue através de ferimentos, pelas cavidades naturais como: nariz, boca, ouvido; ela pode ser

Leia mais

9º ano em AÇÃO. Assunção contra o mosquito!

9º ano em AÇÃO. Assunção contra o mosquito! Paz e Bem 9º ano em AÇÃO Assunção contra o mosquito! Informações sobre o mosquito Mosquito doméstico Hábitos Reprodução Transmissão vertical DENGUE Transmissão: principalmente pela picada do mosquito

Leia mais

Broncoscopia. Certificado pela Joint Commission International. Padrão Internacional de qualidade em atendimento médico e hospitalar.

Broncoscopia. Certificado pela Joint Commission International. Padrão Internacional de qualidade em atendimento médico e hospitalar. Broncoscopia Certificado pela Joint Commission International Padrão Internacional de qualidade em atendimento médico e hospitalar. Centro de Endoscopia 11 3549 1428 Agendamento de Exames 11 3549 1000 O

Leia mais

CONTROLE DA QUALIDADE DO PLASMA HIPERIMUNE EQUINO ANTIBOTRÓPICO PRODUZIDO NO INSTITUTO DE BIOLOGIA DO EXÉRCITO

CONTROLE DA QUALIDADE DO PLASMA HIPERIMUNE EQUINO ANTIBOTRÓPICO PRODUZIDO NO INSTITUTO DE BIOLOGIA DO EXÉRCITO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM CONTROLE DA QUALIDADE DE PRODUTOS, AMBIENTES E SERVIÇOS VINCULADOS À VIGILÂNCIA SANITÁRIA INSTITUTO NACIONAL DE CONTROLE DE QUALIDADE EM SAÚDE FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ Elaine Cristina

Leia mais

FATORES DE RISCO PARA GRAVIDADE E LETALIDADE DOS ACIDENTES OFÍDICOS OCORRIDOS NO ESTADO DO AMAZONAS: UM ESTUDO DE CASO E CONTROLE

FATORES DE RISCO PARA GRAVIDADE E LETALIDADE DOS ACIDENTES OFÍDICOS OCORRIDOS NO ESTADO DO AMAZONAS: UM ESTUDO DE CASO E CONTROLE UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS FUNDAÇÃO DE MEDICINA TROPICAL DR. HEITOR VIEIRA DOURADO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MEDICINA TROPICAL MESTRADO EM DOENÇAS TROPICAIS E INFECCIOSAS FATORES DE RISCO PARA

Leia mais

Resultados da Validação do Mapeamento. Administrar medicamentos vasoativos, se adequado.

Resultados da Validação do Mapeamento. Administrar medicamentos vasoativos, se adequado. Intervenções de Enfermagem da Classificação das Intervenções de Enfermagem (NIC) para o diagnóstico de Volume de líquidos deficiente em pacientes vitimas de trauma Quadro 1- Reestruturação dos níveis de

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE FARMÁCIA CURSO DE FARMÁCIA SILVIA CAVALCANTI LEAL

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE FARMÁCIA CURSO DE FARMÁCIA SILVIA CAVALCANTI LEAL UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE FARMÁCIA CURSO DE FARMÁCIA SILVIA CAVALCANTI LEAL PERFIL EPIDEMIOLÓGICO E CLÍNICO DOS ACIDENTES OFÍDICOS E ESCORPIÔNICOS

Leia mais

Urgência e Emergência

Urgência e Emergência 1/31/17 Urgência e Emergência Hemorragias e PCR 1. (AOCP EBSERH 2015) Fibrilação Ventricular, Taquicardia Ventricular sem pulso, Atividade Elétrica sem pulso e assistolia são mecanismos considerados modalidades

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE INSTITUTO BUTANTAN Av. Vital Brasil, São Paulo Brasil

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE INSTITUTO BUTANTAN Av. Vital Brasil, São Paulo Brasil DIZERES DE TEXTO DE BULA - PACIENTE soro antiaracnídico (Loxosceles, Phoneutria e Tityus) imunoglobulinas heterólogas contra venenos de: Loxosceles gaucho: 15,0 DMN/mL Phoneutria nigriventer: 1,5 DMM/mL

Leia mais

Processo Inflamatório e Lesão Celular. Professor: Vinicius Coca

Processo Inflamatório e Lesão Celular. Professor: Vinicius Coca Processo Inflamatório e Lesão Celular Professor: Vinicius Coca www.facebook.com/profviniciuscoca www.viniciuscoca.com O que é inflamação? INFLAMAÇÃO - Inflamare (latim) ação de acender, chama FLOGOSE phlogos

Leia mais

Autarquia Associada à Universidade de São Paulo

Autarquia Associada à Universidade de São Paulo Autarquia Associada à Universidade de São Paulo Avaliação da função renal pelo Clearance de Creatinina dos pacientes vítimas de acidente ofídico no Hospital de Referência de Porto Nacional Tocantins (2013-2014)

Leia mais

[ERLICHIOSE CANINA]

[ERLICHIOSE CANINA] [ERLICHIOSE CANINA] 2 Erlichiose Canina A Erlichiose Canina é uma hemoparasitose causada pela bactéria Erlichia sp. Essa bactéria parasita, geralmente, os glóbulos brancos (neste caso, Erlichia canis)

Leia mais

TREINAMENTO TEÓRICO CURSO: PRIMEIROS SOCORROS - BÁSICO (40 HORAS)

TREINAMENTO TEÓRICO CURSO: PRIMEIROS SOCORROS - BÁSICO (40 HORAS) UNIDADE: 13 CONTUSÃO TREINAMENTO TEÓRICO CURSO: PRIMEIROS SOCORROS - BÁSICO (40 HORAS) MODALIDADE: ONLINE 13.01 CONTUSÃO A contusão é uma lesão sem o rompimento da pele, tratando-se de uma forte compressão

Leia mais

Aula: Acidentes com Animais Peçonhentos

Aula: Acidentes com Animais Peçonhentos Curso de Especialização em Emergências e Terapia Intensiva Aula: Acidentes com Animais Peçonhentos Prof. Enf. Fernando Ramos Gonçalves Msc 1 Epidemiologia OFIDISMO É um dos principais acidentes devido

Leia mais

SERPENTES PEÇONHENTAS E NÃO PEÇONHENTAS: ESTUDO SOBRE AS CONCEPÇÕES DOS ALUNOS

SERPENTES PEÇONHENTAS E NÃO PEÇONHENTAS: ESTUDO SOBRE AS CONCEPÇÕES DOS ALUNOS SERPENTES PEÇONHENTAS E NÃO PEÇONHENTAS: ESTUDO SOBRE AS CONCEPÇÕES DOS ALUNOS Wanda Vianna Mury UERJ/IBRAG/DECB wandavianna@hotmail.com Erika Winagraski UERJ/IBRAG/DECB biologia.erika@gmail.com INTRODUÇÃO

Leia mais

PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DOS ACIDENTES OFÍDICOS NO MUNICÍPIO DE JUIZ DE FORA - MG NO PERÍODO DE

PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DOS ACIDENTES OFÍDICOS NO MUNICÍPIO DE JUIZ DE FORA - MG NO PERÍODO DE PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DOS ACIDENTES OFÍDICOS NO MUNICÍPIO DE JUIZ DE FORA - MG NO PERÍODO DE 2002-2007 Epidemiologic profile of snakebite in Juiz de Fora - MG Benilson Beloti Barreto 1, Priscila Larcher

Leia mais

Corpo de Bombeiros. São Paulo

Corpo de Bombeiros. São Paulo Corpo de Bombeiros São Paulo ACIDENTES COM ANIMAIS PEÇONHENTOS Será que todos nós conhecemos os animais peçonhentos comuns no Estado de São Paulo? m Dependendo da espécie, uma picada pode tornar-se extremamente

Leia mais

ATIVIDADES. Karin Scheffel

ATIVIDADES. Karin Scheffel ATIVIDADES Karin Scheffel Em seu plantão no SAMU, você recebeu um chamado para atender um acidente de trânsito, carro x carro, colisão traseira, com duas vítimas. A 1º vítima era uma mulher de 28 anos,

Leia mais

TREINAMENTO TEÓRICO CURSO: PRIMEIROS SOCORROS - BÁSICO (40 HORAS)

TREINAMENTO TEÓRICO CURSO: PRIMEIROS SOCORROS - BÁSICO (40 HORAS) UNIDADE: 10 PARADA CARDIORRESPIRATÓRIA - PCR TREINAMENTO TEÓRICO CURSO: PRIMEIROS SOCORROS - BÁSICO (40 HORAS) MODALIDADE: ONLINE 10.0 Introdução O estado de choque se caracteriza pela falta de circulação

Leia mais

ACIDENTE COM SERPENTE DO GÊNERO Bothrops EM CÃO - RELATO DE CASO

ACIDENTE COM SERPENTE DO GÊNERO Bothrops EM CÃO - RELATO DE CASO ACIDENTE COM SERPENTE DO GÊNERO Bothrops EM CÃO - RELATO DE CASO HERRERA, Mariana de Souza. E-mail: mariana_souzaherrera@hotmail.com Discente da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia de Garça/SP,

Leia mais

Alessandra Furtado Nicoleti

Alessandra Furtado Nicoleti Alessandra Furtado Nicoleti Comparação dos acidentes causados por Bothropoides jararaca (Serpentes: Viperidae) com e sem envenenamento atendidos no Hospital Vital Brazil do Instituto Butantan. Dissertação

Leia mais

IV Saúde e Sociedade

IV Saúde e Sociedade IV Saúde e Sociedade ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS NO ESTADO DO TOCANTINS: ASPECTOS CLÍNICO-EPIDEMIOLÓGICOS ACCIDENTS BY VENOMOUS ANIMALS IN TOCANTINS STATE: CLINICAL AND EPIDEMIOLOGICAL ASPECTS [269]

Leia mais

PRIMEIROS SOCORROS. Enfa Sâmela Cristine Rodrigues de Souza

PRIMEIROS SOCORROS. Enfa Sâmela Cristine Rodrigues de Souza PRIMEIROS SOCORROS Enfa Sâmela Cristine Rodrigues de Souza Primeiros socorros Noções básicas b de sinais vitais Perfil do socorrista Vias aéreas a obstrução Ressuscitação cardiopulmonar RCP Ferimentos,

Leia mais

ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS NO BRASIL NO PERÍODO DE 2009 A 2012

ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS NO BRASIL NO PERÍODO DE 2009 A 2012 Vol.3,n.1,pp.16-20 (Jun - Ago 2013) Brazilian Journal of Surgery and Clinical Research - ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS NO BRASIL NO PERÍODO DE 2009 A 2012 RISK RATING: DEPLOYMENT SYSTEM MANCHESTER

Leia mais

LONOMIA. Duas espécies estão envolvidas em acidentes humanos graves e fatais: Lonomia oblíqua e Lonomia achelous.

LONOMIA. Duas espécies estão envolvidas em acidentes humanos graves e fatais: Lonomia oblíqua e Lonomia achelous. LONOMIA Nome Popular: taturana, oruga ou ruga Nome Científico: Lonomia obliqua Ordem: Lepidópteros Família: Saturnidae Identificação: corpo marrom, espinhos em forma de pinheirinho verde folha, listra

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA E ZOOTECNIA

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA E ZOOTECNIA UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA E ZOOTECNIA QUANTIFICAÇÃO DE CITOCINAS NA INTOXICAÇÃO EXPERIMENTAL COM VENENO DE Crotalus durissus terrificus E Bothropoides jararaca EM

Leia mais

Acidente botrópico fatal

Acidente botrópico fatal RELATO DE CASO Death caused by bothrops poisoning Paula M. Luciano 1, Gyl Eanes Barros Silva 2, Marisa M. de Azevedo-Marques 3 RESUMO Os acidentes ofídicos causados pelo gênero Bothrops ocasionam manifestações

Leia mais

Acidente Vascular Encefálico

Acidente Vascular Encefálico Acidente Vascular Encefálico Gabriela de Oliveira Vitor A04DBA0 Juliana Chaves 5921040 Laís Delfes A162062 Larissa Oliveira Markewicz A219455 Mayara Raquel Durães A255818 O que é o AVE? Comprometimento

Leia mais

ENVENENAMENTO BOTRÓPICO EM BOVINOS: TRATAMENTO OPCIONAL

ENVENENAMENTO BOTRÓPICO EM BOVINOS: TRATAMENTO OPCIONAL ENVENENAMENTO BOTRÓPICO EM BOVINOS: TRATAMENTO OPCIONAL Antonio Pereira de Novaes 1, Silvia Lucas 2, Augusto Shinya Abe 3, Wilson Fernandes 2, Giusepe Puorto 2 e Irajá Loureiro de Almeida 4 RESUMO O presente

Leia mais

5. Medidas de combate a incêndio : Extinguir com pó químico seco, espuma de álcool ou dióxido de carbono, esfriar os recipientes expostos, com água.

5. Medidas de combate a incêndio : Extinguir com pó químico seco, espuma de álcool ou dióxido de carbono, esfriar os recipientes expostos, com água. Nonilfenol Página 1 de 5 1. Identificação do Produto e da Empresa Nome do produto : Nonilfenol Código do produto : 002.137 Empresa Corpo de Bombeiros : 193 Polícia Militar : 190 2. Composição e informações

Leia mais

Exercícios de Aprofundamento Biologia Trocas Gasosas

Exercícios de Aprofundamento Biologia Trocas Gasosas 1. (Unesp 2014) Os gráficos representam a concentração de três gases no sangue assim que passam pelos alvéolos pulmonares. É correto afirmar que os gráficos que representam as concentrações dos gases O

Leia mais

QUALIDADE DA INFORMAÇÃO: A IMPORTÂNCIA DO DADO PRIMÁRIO, O PRINCÍPIO DE TUDO

QUALIDADE DA INFORMAÇÃO: A IMPORTÂNCIA DO DADO PRIMÁRIO, O PRINCÍPIO DE TUDO COMUNICAÇÃO ORAL QUALIDADE DA INFORMAÇÃO: A IMPORTÂNCIA DO DADO PRIMÁRIO, O PRINCÍPIO DE TUDO Rosany Bochner, Maria Cristina Soares Guimarães, Rosane Abdala Lins de Santana, Claudio Machado Resumo: A informação

Leia mais

EPIDEMIOLOGIA DOS ACIDENTES POR SERPENTES PEÇONHENTAS NO ESTADO DO CEARÁ - BRASIL

EPIDEMIOLOGIA DOS ACIDENTES POR SERPENTES PEÇONHENTAS NO ESTADO DO CEARÁ - BRASIL Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical (4):295-, jul-ago, 997. EPIDEMIOLOGIA DOS ACIDENTES POR SERPENTES PEÇONHENTAS NO ESTADO DO CEARÁ - BRASIL Regina Fátima Gonçalves Feitosa, Iva Maria

Leia mais