Aceitação da merenda em uma escola municipal de Barbacena-MG.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Aceitação da merenda em uma escola municipal de Barbacena-MG."

Transcrição

1 Aceitação da merenda em uma escola municipal de Barbacena-MG. Tissiane Narai de Oliveira Ferreira 1, Cristiane Aparecida Rosa 1, Nayane Aparecida Araújo Dias 2 Renata de Souza Ferreira 3 1. Bolsista de iniciação científica, graduanda em Nutrição do IF Sudeste MG Campus Barbacena; 2.. Professora co-orientadora do IF Sudeste MG Campus Barbacena; 3. Professora orientadora do IF Sudeste MG Campus Barbacena. INSTITUIÇÃO: IF Sudeste MG Campus Barbacena. INTRODUÇÃO Baseado no princípio do Direito Humano a Alimentação Adequada (DHAA), o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), foi criado em 1955 pelo Decreto n , para garantir a alimentação aos estudantes matriculados no ensino básico de escolas públicas e filantrópicas, com o objetivo de suprir as necessidades nutricionais de estudantes carentes (BRASIL, 2009) A aceitação da alimentação escolar é um fator para o atendimento dos objetivos do PNAE e, conseqüentemente, para a melhoria do estado nutricional dos alunos (BLEIL, SALAY e SILVA 2009). O teste de aceitabilidade está previsto na RESOLUÇÃO/CD/FNDE Nº 38, DE 16 DE JULHO DE 2009 e pode ser analisado por meio da Avaliação de restos ou resto ingestão ou Escala hedônica (facial, mista, verbal e lúdica). A aplicação deste deverá ser realizada sempre que houver a introdução de alimentos novos ou qualquer alteração no preparo do cardápio escolar. A pesquisa foi realizada em uma escola municipal de Barbacena, Minas Gerais, onde estão matriculados 337 alunos na faixa etária de 5 a 12 anos. Os alunos permanecem na escola em período parcial (manhã ou tarde), onde realizam apenas uma refeição. Por meio deste estudo, espera-se avaliar a aceitação da merenda, visto que a aceitação da mesma influencia no estado nutricional e no aprendizado em sala, auxilia nas políticas públicas de alimentação e saúde, envolvendo os alunos e comunidade, além de contribuir para a diminuição do desperdício, na compra de alimentos rejeitados. PALAVRA CHAVE: Escala hedônica, escolares, planejamento de cardápio. CATEGORIA: Nível Superior (BIC) ÁREA DE PESQUISA: Ciências biológicas e da saúde (b)

2 OBJETIVO Avaliar a aceitação da merenda escolar em uma escola municipal, por meio de escala hedônica; Analisar frequência semanal de consumo da merenda escolar; Treinar os discentes na aplicação e análise de escala hedônica; Apresentar resultados em evento científico. MATERIAL E MÉTODOS O município de Barbacena possui 29 escolas municipais que oferece o ensino fundamental. O cardápio é igual em todas as escolas municipais, uma vez que é feito pela nutricionista da prefeitura. A escola participante da pesquisa atende não só os estudantes que residem no bairro e que precisavam se deslocar para escolas distantes, como também estudantes de oito bairros adjacentes. A instituição possui localização central e possui alunos de diferentes condições socioeconômicas. O estudo foi submetido e aprovado pelo Comitê de Ética e Pesquisa (parecer de nº ). Para participar da pesquisa os alunos apresentaram o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido assinado pelos pais ou responsáveis e assinaram o Termo de Assentimento Livre e Esclarecido. Foram convidados a participar da pesquisa 163 alunos matriculados no 3º, 4º e 5º anos do ensino fundamental. A pesquisa foi realizada com 56 alunos do 3º ao 5º ano. Com o intuito de obter a frequência do consumo alimentar semanal, foi aplicado um questionário, no qual o aluno respondeu quantos dias consome a merenda ofertada pela escola. Os dados obtidos foram quantificados e analisados em percentual. A Escala Hedônica verbal foi realizada em 5 dias não consecutivos e sem consulta prévia ao cardápio. A ficha foi mostrada antecipadamente aos escolares que foram orientados como deveriam preencher logo após a ingestão do cardápio escolar. As crianças também foram instruídas a avaliarem a merenda individualmente. O teste de 5 pontos foi entregue aos alunos após o consumo das refeições para proceder à avaliação. O escolar marcou a resposta que melhor representasse a sua aceitação, que abrangia entre Gostei muito a desgostei muito (CECANE, 2010). As fichas de respostas foram analisadas e a classificação transformada em valores numéricos, que foram convertidos em percentual, considerando o índice de freqüência. As respostas foram convertidas em valores numéricos: 5 gostou muito; 4 - gostou moderadamente; 3 - não gostou nem desgostou; 2 - desgostou moderadamente; 1 - desgostou muito. Os valores de cada ficha foram somados e depois divididos pelo número

3 de voluntários participantes. Após isto, o valor foi multiplicado por 100 e dividido por 5 (pontuação total da escala), obtendo o percentual de aceitação da preparação da cardápio. Os resultados foram comparados com as recomendações da Resolução FNDE nº 38, de , que considera boa aceitabilidade da merenda, quando o percentual é igual ou superior a 85%. RESULTADOS E DISCUSSÕES Dentre os alunos estudados, 30 (53,57%) eram meninas e 26 (46,42%) meninos. O gráfico 1 apresenta a frequência semanal do consumo da alimentação escolar pelos participantes do projeto. Observou-se que o total de alunos que merendam é maior quando comparados aos que não merendam, sendo 46 (82,14%) e 12 (21,42%) respectivamente. Gráfico 1- Frequência semanal da alimentação escolar. Dentre os alunos pesquisados, 13 (28,26 %) merendam uma vez por semana, 8 (17,36%) se alimentam duas vezes por semana, 13 (28,26 %) ingerem a merenda três vezes na semana, já 8 (17,36%) se alimentam quatro vezes na semana e 4 (8,69 %) merendam na escola cinco vezes na semana. Os dados obtidos no estudo são bem diferentes dos encontrados por Flávio, Barcelos e Lima (2004), onde 25% dos alunos consomem a merenda oferecida diariamente, e o percentual que ingere a alimentação escolar uma vez na semana é de 15%. O gráfico 2 demonstra os resultados da aceitabilidade diária da merenda escolar. A preparação mais aceita pelos alunos foi o arroz e feijão com salada de batata e cenoura com frango desfiado, com 98% de aceitação.

4 Aceitabilidade da merenda escolar 85,00% 98,00% Merenda 92,00% 92% 92,00% 93,00% Aceitabilidade miníma recomendada pelo PNAE Arroz, feijão batata com frango e cenoura Achocolato e pão com frango Macarrão e ovo cozido Arroz com ovo, feijão e alface Arroz e moranga com frango Gráfico 2 - Aceitabilidade segundo a escala hedônica A aceitabilidade média das preparações (93,4%) e a aceitabilidade diária estão de acordo com o previsto na Resolução FNDE nº 38, de Matihara, Trevisani e Garutti (2010) encontrou em seu estudo uma boa aceitabilidade nas preparações como arroz, carne e batata. O autor mencionou que a grande aceitação dessas preparações ocorrem devido ao fato das mesmas serem cotidianas e comuns na casa dos escolares. O cardápio foi alterado por outra preparação na maioria dos dias em que a merenda foi avaliada, pois as merendeiras relataram que não haviam os gêneros necessários para a preparação e que em alguns dias houve a doação de alimentos. CONCLUSÃO A aceitação da merenda escolar em uma escola municipal de Barbacena está dentro do recomendado pelo Manual para aplicação dos testes de aceitabilidade no Programa Nacional de Alimentação Escolar- PNAE, considerando que todas as preparações analisadas obtiveram aceitação superior a 85%. Apesar do percentual de adesão à merenda escolar ser elevado entre os participantes, observa-se que a maioria dos alunos não merendam rotineiramente (todos os dias da semana). Tal fato, reforça a importância de verificar a aceitação de cada preparação do cardápio a fim de promover as substituições adequadas.

5 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS BLEIL, R. A. T.; SALAY, E.; SILVA, M. V. Adesão ao Programa de Alimentação Escolar por Alunos de Instituições Públicas de Ensino no Município de Toledo, PR, Rev Segurança Alimentar e Nutricional. 2009; 16(Supl. 1):65-82.Disponível em:< >. Acessado em: 23 de ago de CECANE-UNIFESP, Manual para aplicação dos testes de aceitabilidade no Programa Nacional de Alimentação Escolar- PNAE. Centro Colaborador em Alimentação e Nutrição Escolar-CECANE-UNIFESP/2010. FLÁVIO, E. F; BARCELOS, M. F. P; LIMA, A. L. Avaliação química e aceitação da merenda escolar de uma escola estadual de Lavras MG. Rev. Ciênc. agrotec., Lavras, v. 28, n. 4, p , jul./ago., 2004 Disponível em:< em: 24 de ago. De FNDE, Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação RESOLUÇÃO/CD/FNDE Nº 38, DE 16 DE JULHO DE Dispõe sobre o atendimento da alimentação escolar aos alunos da educação básica no Programa Nacional de Alimentação Escolar - PNAE. Disponível em:< https://www.fnde.gov.br/fndelegis/action/urlpublicasaction.php? acao=abriratopublico&sgl_tipo=res&num_ato= &seq_ato=000&vlr_ano=2009& sgl_orgao=cd/fnde/mec> Acessado em 23 de ago. de MATIHARA, A.H.; TREVISANI, T.S.; GARUTTI, G. Valor Nutricional da Merenda Escolar e sua Aceitabilidade. Revista Saúde e Pesquisa, Maringá, v. 3, n. 1, p , jan./abr, ISSN Disponível em:<http://periodicos.unicesumar.edu.br/index.php/saudpesq/article/view/1230/1052> Acessado em: 23 de ago de AGRADECIMENTOS: Aos voluntários da pesquisa e a todos colaboradores. APOIO FINANCEIRO: IF Sudeste MG Campus Barbacena

Avaliação do Índice de Massa Corporal em crianças de escola municipal de Barbacena MG, 2016.

Avaliação do Índice de Massa Corporal em crianças de escola municipal de Barbacena MG, 2016. Avaliação do Índice de Massa Corporal em crianças de escola municipal de Barbacena MG, 2016. Cristiane Aparecida Rosa 1, Tissiane Narai de Oliveira Ferreira 1, Nayane Aparecida Araújo Dias 2, Renata de

Leia mais

3. Material e Métodos

3. Material e Métodos Avaliação do estado nutricional de escolares do ensino fundamental, composição química e aceitabilidade da merenda escolar ofertada por escolas públicas do município de Barbacena, MG. Natália Cristina

Leia mais

QUALIDADE SENSORIAL E ACEITABILIDADE DA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR POR CRIANÇAS DE UMA CRECHE MUNICIPAL, PALHOÇA/SC

QUALIDADE SENSORIAL E ACEITABILIDADE DA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR POR CRIANÇAS DE UMA CRECHE MUNICIPAL, PALHOÇA/SC QUALIDADE SENSORIAL E ACEITABILIDADE DA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR POR CRIANÇAS DE UMA CRECHE MUNICIPAL, PALHOÇA/SC Acadêmica: Daiana M. Espíndola Orientadoras: Prof. Cassiani G. Tasca Pedroso, Msc. Prof. Raquel

Leia mais

AVALIAÇÃO DO DESPERDÍCIO, QUALIDADE DO CARDÁPIO E PESQUISA DE SATISFAÇÃO DE CLIENTES EM UMA UNIDADE DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO

AVALIAÇÃO DO DESPERDÍCIO, QUALIDADE DO CARDÁPIO E PESQUISA DE SATISFAÇÃO DE CLIENTES EM UMA UNIDADE DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO AVALIAÇÃO DO DESPERDÍCIO, QUALIDADE DO CARDÁPIO E PESQUISA DE SATISFAÇÃO DE CLIENTES EM UMA UNIDADE DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO NA CIDADE DE SETE LAGOAS MG Anna Luiza Fernandes de SOUZA 1 Juliana Costa LIBOREDO

Leia mais

RELATÓRIO PARCIAL DA AVALIAÇÃO DO ÍNDICE DE ACEITABILIDADE ATRAVÉS DO MÉTODO RESTO INGESTA NO SERVIÇO DE ALIMENTAÇÃO DO IFES CAMPUS SANTA TERESA

RELATÓRIO PARCIAL DA AVALIAÇÃO DO ÍNDICE DE ACEITABILIDADE ATRAVÉS DO MÉTODO RESTO INGESTA NO SERVIÇO DE ALIMENTAÇÃO DO IFES CAMPUS SANTA TERESA RELATÓRIO PARCIAL DA AVALIAÇÃO DO ÍNDICE DE ACEITABILIDADE ATRAVÉS DO MÉTODO RESTO INGESTA NO SERVIÇO DE ALIMENTAÇÃO DO IFES CAMPUS SANTA TERESA Maria do Carmo Freitas Nascimento Nutricionista Uma UAN

Leia mais

ENTENDENDO O CARDÁPIO. Centro Colaborador de Alimentação e Nutrição do Escolar (CECANE)

ENTENDENDO O CARDÁPIO. Centro Colaborador de Alimentação e Nutrição do Escolar (CECANE) ENTENDENDO O CARDÁPIO Centro Colaborador de Alimentação e Nutrição do Escolar (CECANE) O que é um cardápio? CARDÁPIO DO PNAE É a relação das preparações de alimentos a serem oferecidas em uma refeição.

Leia mais

Orientações de. Cardápios 2014

Orientações de. Cardápios 2014 Orientações de Cardápios 2014 Orientações de Cardápios 2014 Com o objetivo de atender à legislação vigente no que se refere ao valor nutricional dos cardápios da alimentação escolar, algumas preparações

Leia mais

TÍTULO: DESENVOLVIMENTO E ACEITABILIDADE DE UMA BEBIDA A BASE DE FRUTA ENRIQUECIDA COM FERRO QUELATO

TÍTULO: DESENVOLVIMENTO E ACEITABILIDADE DE UMA BEBIDA A BASE DE FRUTA ENRIQUECIDA COM FERRO QUELATO TÍTULO: DESENVOLVIMENTO E ACEITABILIDADE DE UMA BEBIDA A BASE DE FRUTA ENRIQUECIDA COM FERRO QUELATO CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: NUTRIÇÃO INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE

Leia mais

Nota Técnica nº 004 /2013 CGPAE/DIRAE/FNDE. Brasília, 11 de julho de Assunto: Inclusão de pescado na alimentação escolar

Nota Técnica nº 004 /2013 CGPAE/DIRAE/FNDE. Brasília, 11 de julho de Assunto: Inclusão de pescado na alimentação escolar Nota Técnica nº 004 /2013 CGPAE/DIRAE/FNDE Assunto: Inclusão de pescado na alimentação escolar Brasília, 11 de julho de 2013. A Coordenação de Segurança Alimentar e Nutricional COSAN, no cumprimento de

Leia mais

CARDÁPIOS DEZEMBRO NECESSIDADES ALIMENTARES ESPECIAIS LOTES: 1,3 e 5

CARDÁPIOS DEZEMBRO NECESSIDADES ALIMENTARES ESPECIAIS LOTES: 1,3 e 5 ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIAE- DIRETORIA DE APOIO AO ESTUDANTE GEALI GERÊNCIA DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR Rua Antonio Luz, 111, Centro, Fpolis/SC, 88.010-410 CARDÁPIOS DEZEMBRO

Leia mais

O comportamento alimentar e as rejeições e aversões alimentares de estudantes adolescentes de escolas públicas e privadas de Teresina-PI.

O comportamento alimentar e as rejeições e aversões alimentares de estudantes adolescentes de escolas públicas e privadas de Teresina-PI. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO COORDENADORIA GERAL DE PESQUISA Iniciação Científica Voluntária - ICV Campus Universitário Ministro Petrônio

Leia mais

Estratégias e Experiência de Santa Cruz do Sul

Estratégias e Experiência de Santa Cruz do Sul Estratégias e Experiência de Santa Cruz do Sul Alunos atendidos: 11.556 Sede: 18 EMEI s 15 EMEF s 1 CEMEJA Rural: 1 EMEI 11 EMEF s Filantrópicas/ Associações: 14 entidades FONTE: CENSO 2015 Projeto Repensando

Leia mais

Refeição Segunda Terça Quarta Quinta Sexta. LANCHE MANHÃ Leite do Aluno Leite do Aluno Leite do Aluno Leite do Aluno Leite do Aluno

Refeição Segunda Terça Quarta Quinta Sexta. LANCHE MANHÃ Leite do Aluno Leite do Aluno Leite do Aluno Leite do Aluno Leite do Aluno LANCHE MANHÃ Papa de Carne Papa Gema de Ovo Papa de Frango Papa de Carne Papa de Frango abobrinha e arroz cenoura e batata alface e macarrão vagem e fubá tomate e macarrão LANCHE DA Papinha de Fruta Papinha

Leia mais

12ª SEMANA NACIONAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA 2015 LUZ, CIÊNCIA E VIDA

12ª SEMANA NACIONAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA 2015 LUZ, CIÊNCIA E VIDA EDITAL 31/2015 NORMAS PARA PARTICIPAÇÃO NO VI SIMPÓSIO DE PESQUISA E INOVAÇÃO E V SEMINÁRIO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO INSTITUTO FEDERAL DO SUDESTE DE MINAS GERAIS - CAMPUS BARBACENA 12ª SEMANA NACIONAL

Leia mais

Elaboração de produtos a partir do aproveitamento total da batata-doce

Elaboração de produtos a partir do aproveitamento total da batata-doce Elaboração de produtos a partir do aproveitamento total da batata-doce Antonio Bruno dos Santos Pacheco 1, Pedro Lima de Souza 1, Wiviane Fonseca Ribeiro 1, Maria Kamila Cardoso Corcino 2, Verônica Nicácio

Leia mais

Escola de Educação Infantil Castelo do Saber Cardápio referente ao mês de Novembro de 2013* Refeição Segunda Terça Quarta Quinta Sexta 01/11

Escola de Educação Infantil Castelo do Saber Cardápio referente ao mês de Novembro de 2013* Refeição Segunda Terça Quarta Quinta Sexta 01/11 Refeição Segunda Terça Quarta Quinta Sexta 01/11 LANCHE MANHÃ Papa de Frango alface e macarrão Suco de Fruta LANCHE DA JANTAR Papinha de Fruta Papa de Frango cenoura e macarrão Suco de Fruta NOITE Refeição

Leia mais

ANÁLISE NUTRICIONAL E SENSORIAL DE SUPLEMENTOS ALIMENTARES

ANÁLISE NUTRICIONAL E SENSORIAL DE SUPLEMENTOS ALIMENTARES 25 a 28 de Outubro de 20 ISBN 978-85-8084-055- ANÁLISE NUTRICIONAL E SENSORIAL DE SUPLEMENTOS ALIMENTARES Hevelyse Munise Celestino dos Santos, Mariah Benine Ramos da Silva 2, Ana Flávia de Oliveira 3

Leia mais

CATEGORIA/ ÁREA DE PESQUISA: Nível Superior (BIC) / Ciências biológicas e da saúde (b) OBJETIVOS

CATEGORIA/ ÁREA DE PESQUISA: Nível Superior (BIC) / Ciências biológicas e da saúde (b) OBJETIVOS Aleitamento Materno Exclusivo e Introdução Precoce da Alimentação Complementar em Crianças menores de seis meses de vida, na cidade de Senhora dos Remédios (Minas Gerais) INTRODUÇÃO Segundo o Ministério

Leia mais

ANÁLISE SENSORIAL DE STROGONOFF VEGETARIANO ENTRE OS COMENSAIS DE UM RESTAURANTE UNIVERSITARIO DO MUNICÍPIO DE GUARAPUAVA-PR

ANÁLISE SENSORIAL DE STROGONOFF VEGETARIANO ENTRE OS COMENSAIS DE UM RESTAURANTE UNIVERSITARIO DO MUNICÍPIO DE GUARAPUAVA-PR ANÁLISE SENSORIAL DE STROGONOFF VEGETARIANO ENTRE OS COMENSAIS DE UM RESTAURANTE UNIVERSITARIO DO MUNICÍPIO DE GUARAPUAVA-PR Área Temática: Nutrição Renata Leia Demario Vieira (Coordenador da Ação de Extensão)

Leia mais

CARDÁPIO ESCOLAS MUNICIPAIS URBANAS E RURAIS Pré-escolares (4-5 anos), Escolares (6-10 anos) (11-15 anos) e Adultos (EJA)

CARDÁPIO ESCOLAS MUNICIPAIS URBANAS E RURAIS Pré-escolares (4-5 anos), Escolares (6-10 anos) (11-15 anos) e Adultos (EJA) Secretaria Municipal de Educação Superintendência de Abastecimento Alimentar CARDÁPIO ESCOLAS MUNICIPAIS URBANAS E RURAIS Pré-escolares (4-5 anos), Escolares (6-10 anos) (11-15 anos) e Adultos (EJA) DATA

Leia mais

UTILIZAÇÃO DA BATATA YACON NA ALIMENTAÇÃO HUMANA COMO FONTE DE PRÉ-BIÓTICO

UTILIZAÇÃO DA BATATA YACON NA ALIMENTAÇÃO HUMANA COMO FONTE DE PRÉ-BIÓTICO 327 UTILIZAÇÃO DA BATATA YACON NA ALIMENTAÇÃO HUMANA COMO FONTE DE PRÉ-BIÓTICO Marina Oliveira Santana ¹, Cristiane Sampaio Fonseca ², Luiza Carla Vidigal ³. Resumo: As evidências científicas sobre a relação

Leia mais

Marque a opção do tipo de trabalho que está inscrevendo: ( x ) Resumo ( ) Relato de Caso

Marque a opção do tipo de trabalho que está inscrevendo: ( x ) Resumo ( ) Relato de Caso Marque a opção do tipo de trabalho que está inscrevendo: ( x ) Resumo ( ) Relato de Caso Projeto Horta escolar e a gastronomia em uma escola Municipal de Montauri-RS. AUTOR PRINCIPAL: Ana Rita Toffoli

Leia mais

* Exemplos de Cardápios. Equipe: Divair Doneda, Vanuska Lima, Clevi Rapkiewicz, Júlia Prates

* Exemplos de Cardápios. Equipe: Divair Doneda, Vanuska Lima, Clevi Rapkiewicz, Júlia Prates * Exemplos de Cardápios Equipe: Divair Doneda, Vanuska Lima, Clevi Rapkiewicz, Júlia Prates Café da manhã típico de quatro brasileiros que consomem alimentos in natura ou minimamente processados Repare

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO - CAMPUS RIO VERDE

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO - CAMPUS RIO VERDE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO - CAMPUS RIO VERDE O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Goiano Campus Rio Verde (IF Goiano Campus Rio

Leia mais

Escola de Educação Infantil Castelo do Saber Cardápio referente ao mês de Setembro de 2014*

Escola de Educação Infantil Castelo do Saber Cardápio referente ao mês de Setembro de 2014* Escola de Educação Infantil Castelo do Saber Cardápio referente ao mês de Setembro de 2014* Refeição Segunda 01/09 Terça 02/09 Quarta 03/09 Quinta 04/09 Sexta 05/09 LANCHE MANHÃ Leite do Aluno Leite do

Leia mais

CARDÁPIO H.1. Quilombola

CARDÁPIO H.1. Quilombola Quilombola GOVERNO ESTADO DO MARANHÃO FLÁVIO DINO FLÁVIO DINO DE CASTRO E COSTA SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO ÁUREA REGINA DOS PRAZERES MACHADO SUBSECRETARIA DE SUPORTE AO SISTEMA EDUCACIONAL DALTON

Leia mais

ACEITABILIDADE DE PREPARAÇÕES COM O PEIXE ENGRAULIS ANCHOITA NA ALIMENTAÇÃO DE ESCOLAS ESTADUAIS DE PORTO ALEGRE/RS E CANOAS/RS

ACEITABILIDADE DE PREPARAÇÕES COM O PEIXE ENGRAULIS ANCHOITA NA ALIMENTAÇÃO DE ESCOLAS ESTADUAIS DE PORTO ALEGRE/RS E CANOAS/RS ACEITABILIDADE DE PREPARAÇÕES COM O PEIXE ENGRAULIS ANCHOITA NA ALIMENTAÇÃO DE ESCOLAS ESTADUAIS DE PORTO ALEGRE/RS E CANOAS/RS R. Capalonga 1, A.L.S. Scarparo 1, S. Guerra 2, L.S.P. Madureira 3,V.L. Silva

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste/Departamento de Nutrição/Guarapuava, PR.

Universidade Estadual do Centro-Oeste/Departamento de Nutrição/Guarapuava, PR. DETERMINAÇÃO DO FATOR DE CORREÇÃO E CONSEQUENTE AVALIAÇÃO DO DESPERDÍCIO DE HORTALIÇAS PREPARADAS EM UM RESTAURANTE SELF-SERVICE NA CIDADE DE GUARAPUAVA-PR Rayza Dal Molin Cortese (Acadêmica de Nutrição-UNICENTRO),

Leia mais

NAGEH NUTRIÇÃO NAGEH NUTRIÇÃO

NAGEH NUTRIÇÃO NAGEH NUTRIÇÃO UM POUCO DE SUA TRAJETÓRIA: 2007E2008 INÍCIO DAS REUNIÕES CADASTRO DOS PARTICIPANTES DEFINIÇÃO DOS DADOS APRESENTADOS NO PERFIL DOS HOSPITAIS REUNIÕES MENSAIS COM O OBJETIVO DE DEFINIR INDICADORES PARA

Leia mais

AVALIAÇÃO IMC E DE CONSUMO DE ALIMENTOS FONTE DE PROTEÍNA, VITAMINA C E MAGNÉSIO POR ESCOLARES

AVALIAÇÃO IMC E DE CONSUMO DE ALIMENTOS FONTE DE PROTEÍNA, VITAMINA C E MAGNÉSIO POR ESCOLARES AVALIAÇÃO IMC E DE CONSUMO DE ALIMENTOS FONTE DE PROTEÍNA, VITAMINA C E MAGNÉSIO POR ESCOLARES RODRIGUES, Fernanda Nunes (UNITRI) nanda-nutricao@hotmail.com ARAÚJO, Ana Cristina Tomaz (UNITRI) anacrisnutricao@yahoo.com.br

Leia mais

BERCÁRIO I LANCHE DA MANHÃ ALMOÇO LANCHE DA TARDE. Sopa com cenoura, abobrinha, vagem, arroz e carne. Suco de laranja lima

BERCÁRIO I LANCHE DA MANHÃ ALMOÇO LANCHE DA TARDE. Sopa com cenoura, abobrinha, vagem, arroz e carne. Suco de laranja lima BERCÁRIO I LANCHE DA MANHÃ ALMOÇO LANCHE DA TARDE Papinha de e Ameixa Preta Sopa com cenoura, abobrinha, vagem, arroz e carne. lima Papinha de e Laranja Suco de com menta Papinha de e Laranja Sopa com

Leia mais

ENTENDENDO O CARDÁPIO. Carolina Chagas Nutricionista CECANE UnB

ENTENDENDO O CARDÁPIO. Carolina Chagas Nutricionista CECANE UnB ENTENDENDO O CARDÁPIO Carolina Chagas Nutricionista CECANE UnB Considerações Preliminares Trajetória da formação graduação em nutrição; Contexto profissional; Inquietações da vivência profissional; Objeto

Leia mais

I CURSO DE APERFEIÇOAMENTO PARA NUTRICIONISTAS NA ÁREA DE ALIMENTAÇÃO COLETIVA - UAN

I CURSO DE APERFEIÇOAMENTO PARA NUTRICIONISTAS NA ÁREA DE ALIMENTAÇÃO COLETIVA - UAN PROJETO INTEGRADO CRN-3, SINESP E APAN I CURSO DE APERFEIÇOAMENTO PARA NUTRICIONISTAS NA ÁREA DE ALIMENTAÇÃO COLETIVA - UAN R E G U L A M E N T O CAPÍTULO I - CONSIDERAÇÕES SOBRE O PROJETO E A INSTITUIÇÃO

Leia mais

Índice de massa corporal e prevalência de doenças crônicas não transmissíveis em idosos institucionalizados

Índice de massa corporal e prevalência de doenças crônicas não transmissíveis em idosos institucionalizados Índice de massa corporal e prevalência de doenças crônicas não transmissíveis em idosos institucionalizados Cadimiel Gomes¹; Raíla Dornelas Toledo²; Rosimar Regina da Silva Araujo³ ¹ Acadêmico do Curso

Leia mais

Termo de Consentimento Livre e Esclarecido

Termo de Consentimento Livre e Esclarecido Eu, abaixo assinado, recebi informações sobre a pesquisa acima nomeada para minha participação voluntária, junto à cantina que administro na Instituição de Ensino em estudo, que tem como objetivo investigar

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE TIMBAÚBA Cardápio Merenda Escolar - Regular Secretaria de Educação Fevereiro / 2015.

PREFEITURA MUNICIPAL DE TIMBAÚBA Cardápio Merenda Escolar - Regular Secretaria de Educação Fevereiro / 2015. PREFEITURA MUNICIPAL DE TIMBAÚBA Cardápio Merenda Escolar - Regular Secretaria de Educação Fevereiro / 2015. 1ª Doce com Achocolatado Macarronada Sopa Cuscuz cm Ovos Feijão, Arroz e Carne 2ª Salgado com

Leia mais

BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO EM ESTABELECIMENTOS DE ALIMENTAÇÃO DA CIDADE DE DOURADOS-MS

BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO EM ESTABELECIMENTOS DE ALIMENTAÇÃO DA CIDADE DE DOURADOS-MS BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO EM ESTABELECIMENTOS DE ALIMENTAÇÃO DA CIDADE DE DOURADOS-MS Mônica Barreto de Lima 1 ; Thaise Maria Tobal 2 UFGD/FCS Dourados MS, E-mail: monika.barreto@hotmail.com 1 Bolsista

Leia mais

Formação de Merendeiras: análise das formações pelos Cecanes. Lorena Chaves Nutricionista/RT COTAN/FNDE Cecane UnB Mestranda Unifesp

Formação de Merendeiras: análise das formações pelos Cecanes. Lorena Chaves Nutricionista/RT COTAN/FNDE Cecane UnB Mestranda Unifesp Formação de Merendeiras: análise das formações pelos Cecanes Lorena Chaves Nutricionista/RT COTAN/FNDE Cecane UnB Mestranda Unifesp Estrutura de apresentação Levantamento bibliográfico Projeto de pesquisa

Leia mais

TÍTULO: INGESTÃO DE PRODUTOS INDUSTRIALIZADOS RICOS EM SÓDIO E ADIÇÃO DE SAL ÀS PREPARAÇÕES PRONTAS

TÍTULO: INGESTÃO DE PRODUTOS INDUSTRIALIZADOS RICOS EM SÓDIO E ADIÇÃO DE SAL ÀS PREPARAÇÕES PRONTAS TÍTULO: INGESTÃO DE PRODUTOS INDUSTRIALIZADOS RICOS EM SÓDIO E ADIÇÃO DE SAL ÀS PREPARAÇÕES PRONTAS CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: NUTRIÇÃO INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE

Leia mais

Implantação do Projeto Educando com a Horta Escolar e a Gastronomia (UnB-CET/ FNDE), no seu município/estado:

Implantação do Projeto Educando com a Horta Escolar e a Gastronomia (UnB-CET/ FNDE), no seu município/estado: Implantação do Projeto Educando com a Horta Escolar e a Gastronomia (UnB-CET/ FNDE), no seu município/estado: O presente documento se destina a orientar os multiplicadores do Projeto Educando com a Horta

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR PNAE: Cardápios na Alimentação Escolar

PROGRAMA NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR PNAE: Cardápios na Alimentação Escolar PROGRAMA NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR PNAE: Cardápios na Alimentação Escolar Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação FNDE Coordenação-Geral do Programa Nacional de Alimentação Escolar CGPAE Coordenação

Leia mais

RELATÓRIO DA APLICAÇÃO DO MÉTODO AQPC DE AVALIAÇÃO DE CARDÁPIOS DOS RESTAURANTES UNIVERSITÁRIOS - MAIO E JUNHO/2016

RELATÓRIO DA APLICAÇÃO DO MÉTODO AQPC DE AVALIAÇÃO DE CARDÁPIOS DOS RESTAURANTES UNIVERSITÁRIOS - MAIO E JUNHO/2016 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS (UFG) PRÓ-REITORIA DE ASSUNTOS DA COMUNIDADE UNIVERSITÁRIA (PROCOM) SERVIÇO DE NUTRIÇÃO RELATÓRIO DA APLICAÇÃO DO MÉTODO AQPC DE AVALIAÇÃO DE CARDÁPIOS

Leia mais

SENSOMETRIA. Adilson dos Anjos. Curitiba, PR 31 de março de Departamento de Estatística Universidade Federal do Paraná

SENSOMETRIA. Adilson dos Anjos. Curitiba, PR 31 de março de Departamento de Estatística Universidade Federal do Paraná SENSOMETRIA Adilson dos Anjos Departamento de Estatística Universidade Federal do Paraná aanjos@ufpr.br Curitiba, PR 31 de março de 2015 1 / 24 SENSOMETRIA Métodos Discriminativos Tipos de escalas 2 /

Leia mais

Informe Semanal ano XXIII n.º 1070 Campinas, 08 de fevereiro de 2017 AGENDA ESCOLAR

Informe Semanal ano XXIII n.º 1070 Campinas, 08 de fevereiro de 2017 AGENDA ESCOLAR Informe Semanal ano XXIII n.º 1070 Campinas, 08 de fevereiro de 2017 AGENDA ESCOLAR Data Horário Atividade Curso/série 09/02 5ª feira 20h Reunião de pais 4 os anos A, B, C, D e E do Ensino Fundamental

Leia mais

CENTRO COLABORADOR EM ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO ESCOLAR: SISTEMA DE MONITORAMENTO DO PROGRAMA NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR (SIM-PNAE)

CENTRO COLABORADOR EM ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO ESCOLAR: SISTEMA DE MONITORAMENTO DO PROGRAMA NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR (SIM-PNAE) CENTRO COLABORADOR EM ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO ESCOLAR: SISTEMA DE MONITORAMENTO DO PROGRAMA NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR (SIM-PNAE) Reinaldo Macedo Ferreira Agente do PNAE CECANE UNIFESP / UnB Campus

Leia mais

AVALIAÇÃO DO TEOR PROTÉICO E ACEITAÇÃO GLOBAL DE BARRAS ALIMENTÍCIAS PRODUZIDAS COM VEGETAIS DESIDRATADOS E RESÍDUO DO EXTRATO DE SOJA

AVALIAÇÃO DO TEOR PROTÉICO E ACEITAÇÃO GLOBAL DE BARRAS ALIMENTÍCIAS PRODUZIDAS COM VEGETAIS DESIDRATADOS E RESÍDUO DO EXTRATO DE SOJA AVALIAÇÃO DO TEOR PROTÉICO E ACEITAÇÃO GLOBAL DE BARRAS ALIMENTÍCIAS PRODUZIDAS COM VEGETAIS DESIDRATADOS E RESÍDUO DO EXTRATO DE SOJA PEREIRA, L.A. 1 ; MACEDO, D.C. 2 ; CIABOTTI, S. 3 FARIA, N.V. 4 1

Leia mais

INOVAÇÃO DA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR ATRAVÉS DAS PLANTAS ALIMENTÍCIAS NÃO CONVENCIONAIS (PANC)

INOVAÇÃO DA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR ATRAVÉS DAS PLANTAS ALIMENTÍCIAS NÃO CONVENCIONAIS (PANC) INOVAÇÃO DA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR ATRAVÉS DAS PLANTAS ALIMENTÍCIAS NÃO CONVENCIONAIS (PANC) Município: Harmonia RS Autores do trabalho: Monique Hans e Vanessa Backes E-mail: munique_hans@hotmail.com Telefone:

Leia mais

AUTOR(ES): LUIS FERNANDO ROCHA, ACKTISON WENZEL SOTANA, ANDRÉ LUIS GOMES, CAIO CÉSAR OLIVEIRA DE SOUZA, CLEBER CARLOS SILVA

AUTOR(ES): LUIS FERNANDO ROCHA, ACKTISON WENZEL SOTANA, ANDRÉ LUIS GOMES, CAIO CÉSAR OLIVEIRA DE SOUZA, CLEBER CARLOS SILVA 16 TÍTULO: NÍVEL DE OBESIDADE ENTRE MÃES E FILHOS ESCOLARES CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: EDUCAÇÃO FÍSICA INSTITUIÇÃO: FACULDADES INTEGRADAS PADRE ALBINO AUTOR(ES):

Leia mais

GETÚLIO BARBOSA DE SOUZA JÚNIOR

GETÚLIO BARBOSA DE SOUZA JÚNIOR DATA Secretaria Municipal de Educação Superintendência de Abastecimento Alimentar CARDÁPIO ESCOLAS MUNICIPAIS URBANAS E RURAIS Pré-escolares (4-5 anos), Escolares (6-15 anos) e EJA Período de 14/10/2014

Leia mais

ANÁLISE DA ACEITABILIDADE DE UM HAMBÚRGUER À BASE DE SOJA POR ALUNOS DE UM COLÉGIO TÉCNICO AGRÍCOLA

ANÁLISE DA ACEITABILIDADE DE UM HAMBÚRGUER À BASE DE SOJA POR ALUNOS DE UM COLÉGIO TÉCNICO AGRÍCOLA ANÁLISE DA ACEITABILIDADE DE UM HAMBÚRGUER À BASE DE SOJA POR ALUNOS DE UM COLÉGIO TÉCNICO AGRÍCOLA Mariana Abe Vicente 1, Daniela Marques Eckert 1, Juliana Echer Garçoa 1 (1- acadêmicas do curso de Nutrição

Leia mais

PORTARIA D.FCF/CAr. 12/2015

PORTARIA D.FCF/CAr. 12/2015 TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC PORTARIA D.FCF/CAr. 12/2015 Dispõe sobre o Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso - TCC do Curso de Engenharia de Bioprocessos e Biotecnologia da Faculdade de

Leia mais

EDITAL 02/2010. PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO À PESQUISA PAPq/UEMG PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA. PIBIC / UEMG / CNPq

EDITAL 02/2010. PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO À PESQUISA PAPq/UEMG PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA. PIBIC / UEMG / CNPq U IVERSIDADE DO ESTADO DE MI AS GERAIS Pró-reitoria de Pesquisa e Pós-graduação - PROPPG EDITAL 02/2010 PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO À PESQUISA PAPq/UEMG PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO DE FORTE VELHO

ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO DE FORTE VELHO ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO DE FORTE VELHO O Conselho Escolar de Forte Velho, pessoa jurídica de direito público, com sede à Rua Professor Antônio Elias S/N, fone (83) 36641107 Bairro

Leia mais

MERENDA VOLTA REDONDA

MERENDA VOLTA REDONDA MERENDA VOLTA REDONDA Cardápio Berçário de 08 a 11 meses - Fevereiro de 2013 semana Segunda Terça Quarta Quinta Sexta 1 01/fev Desjejum Férias Colação Férias Almoço Férias Lanche da Tarde Férias Pré -Jantar

Leia mais

Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Prestação de Contas

Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Prestação de Contas Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação Prestação de Contas Sistema de Gestão de Conselhos - Sigecon Programa Nacional de Alimentação Escolar Pnae Sistema de Gestão de Conselhos - Sigecon Destinado

Leia mais

EDITAL DE TUTORIA ACADÊMICA 2016/1 UNIFESP CAMPUS SÃO JOSÉ DOS CAMPOS

EDITAL DE TUTORIA ACADÊMICA 2016/1 UNIFESP CAMPUS SÃO JOSÉ DOS CAMPOS EDITAL DE TUTORIA ACADÊMICA 2016/1 UNIFESP O Instituto de Ciência e Tecnologia da UNIFESP Campus São José dos Campos TORNA PÚBLICO os requisitos, procedimentos e o funcionamento do Projeto de Tutoria Acadêmica

Leia mais

ADESÃO E ACEITABILIDADE DA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR NO MUNICIPIO DE SÃO CARLOS (SC)

ADESÃO E ACEITABILIDADE DA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR NO MUNICIPIO DE SÃO CARLOS (SC) ADESÃO E ACEITABILIDADE DA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR NO MUNICIPIO DE SÃO CARLOS (SC) ACCESSION AND ACCEPTABILITY OF SCHOOL FEDD IN THE CITY OF SÃO CARLOS (SC) Kathleen Werlang Scherer 1 Carla Rosane Paz Arruda

Leia mais

Palavras-Chave: Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). Aceitação da merenda escolar. Hábitos alimentares.

Palavras-Chave: Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). Aceitação da merenda escolar. Hábitos alimentares. AVALIAÇÃO DA ACEITABILIDADE DA MERENDA ESCOLAR E DE HÁBITOS ALIMENTARES EM ESCOLARES DE DUAS ESCOLAS DA REDE PÚBLICA DE ENSINO NO MUNICÍPIO DE AMPARO, SÃO PAULO. MARI UYEDA¹ KARINA ROBERTA PAVAM² RESUMO

Leia mais

Alimentação, saúde e qualidade de vida de escolares quilombolas

Alimentação, saúde e qualidade de vida de escolares quilombolas Alimentação, saúde e qualidade de vida de escolares quilombolas Profª Dra Estelamaris T Monego Faculdade de Nutrição UFG CECANE UFG/Centro-Oeste emonego@fanut.ufg.br Programa Nacional de Alimentação Escolar

Leia mais

EDITAL 15/2016 NORMAS PARA PARTICIPAÇÃO NO EVENTO - 1º CAFÉ COM EMPRESAS - DO INSTITUTO FEDERAL DO SUDESTE DE MINAS GERAIS - CAMPUS BARBACENA

EDITAL 15/2016 NORMAS PARA PARTICIPAÇÃO NO EVENTO - 1º CAFÉ COM EMPRESAS - DO INSTITUTO FEDERAL DO SUDESTE DE MINAS GERAIS - CAMPUS BARBACENA EDITAL 15/2016 NORMAS PARA PARTICIPAÇÃO NO EVENTO - 1º CAFÉ COM EMPRESAS - DO INSTITUTO FEDERAL DO SUDESTE DE MINAS GERAIS - CAMPUS BARBACENA O IFSUDESTEMG - Campus Barbacena, comunica a abertura do processo

Leia mais

Of. nº 39/2016. Guaporé, 06 de junho de 2016.

Of. nº 39/2016. Guaporé, 06 de junho de 2016. Of. nº 39/2016. Guaporé, 06 de junho de 2016. Senhora Presidente, Encaminho nesta Casa Legislativa, para apreciação e votação dos nobres Edis, o projeto de lei legislativa nº 08/2016, que DISPÕE SOBRE

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPO GRANDE SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DE ABASTECIMENTO ALIMENTAR CARDÁPIO CEINF 2 À 5/9/2014

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPO GRANDE SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DE ABASTECIMENTO ALIMENTAR CARDÁPIO CEINF 2 À 5/9/2014 3ª FEIRA 2/9 3/9 CARDÁPIO CEINF 2 À 5/9/2014 FRANGO ASSADO (DESOSSAR ANTES DE SERVIR) BOLO FUBÁ TORTA DE CARNE BOVINA COM ARROZ CARRETEIRO FAROFA DE RISOTO COM FRANGO DESFIADO 5ª FEIRA 4/9 PICADINHO DE

Leia mais

ANEXO I : CRITÉRIOS DE SELEÇÃO PARA O INGRESSO NO MESTRADO E DOUTORADO DIRETRIZES BÁSICAS USADAS NO PROCESSO SELETIVO DO MESTRADO

ANEXO I : CRITÉRIOS DE SELEÇÃO PARA O INGRESSO NO MESTRADO E DOUTORADO DIRETRIZES BÁSICAS USADAS NO PROCESSO SELETIVO DO MESTRADO ANEXO I : CRITÉRIOS DE SELEÇÃO PARA O INGRESSO NO MESTRADO E DOUTORADO O programa de Pós-Graduação em Engenharia Química (PPGEQ) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) aplicará os critérios

Leia mais

Universidade Federal de São Paulo PRÓ-REITORIA DE ASSUNTOS ESTUDANTIS

Universidade Federal de São Paulo PRÓ-REITORIA DE ASSUNTOS ESTUDANTIS Pesquisa de Satisfação dos Restaurantes Universitários Unifesp RU São Paulo A 1º pesquisa de satisfação dos Restaurantes Universitários (RUs) da Unifesp aplicada pela Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO MÓDULO EDITAL 2/2014

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO MÓDULO EDITAL 2/2014 PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO MÓDULO EDITAL 2/2014 Abertura de Processo Seletivo para o Programa de Iniciação Científica Voluntária do Centro Universitário Módulo/

Leia mais

DATA DESJEJUM COLAÇÃO ALMOÇO Lanche

DATA DESJEJUM COLAÇÃO ALMOÇO Lanche CARDÁPIO DA MERENDA ESCOLAR Amazonas / Mato Grosso / Maria Carraro - Abril /2015 DATA DESJEJUM COLAÇÃO ALMOÇO Lanche 01/04/2015 Quarta-Feira Iogurte / Biscoito Maria Suco de Cajú /Rosquinha de Milho/ Banana

Leia mais

SELEÇÃO DE BOLSISTAS DE GRUPO PET (Programa de Educação Tutorial) (Portaria MEC nº 976, de 27 de julho de 2010) Processo nº xxxxxxxxx

SELEÇÃO DE BOLSISTAS DE GRUPO PET (Programa de Educação Tutorial) (Portaria MEC nº 976, de 27 de julho de 2010) Processo nº xxxxxxxxx SELEÇÃO DE BOLSISTAS DE GRUPO PET (Programa de Educação Tutorial) (Portaria MEC nº 976, de 27 de julho de 2010) Processo nº xxxxxxxxx As Pró-Reitorias de Ensino e Extensão do Instituto Federal de Educação,

Leia mais

EDITAL DE MONITORIA Nº 01, de 17 de fevereiro de 2017 Processo Nº / INSCRIÇÕES PARA PROJETOS DE MONITORIA (2017 / 1º semestre)

EDITAL DE MONITORIA Nº 01, de 17 de fevereiro de 2017 Processo Nº / INSCRIÇÕES PARA PROJETOS DE MONITORIA (2017 / 1º semestre) EDITAL DE MONITORIA Nº 01, de 17 de fevereiro de 2017 Processo Nº 23232.000141/2017-51 INSCRIÇÕES PARA PROJETOS DE MONITORIA (2017 / 1º semestre) A Diretoria de Ensino do Campus Muriaé, do Instituto Federal

Leia mais

EDITAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA DA FACULDADE MULTIVIX- CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM 003/2016

EDITAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA DA FACULDADE MULTIVIX- CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM 003/2016 EDITAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA DA FACULDADE MULTIVIX- CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM 003/2016 Chamada para submissão de Projetos de Iniciação Científica e Tecnológica A Direção Geral da FACULDADE

Leia mais

Análise Sensorial frente à redução de açúcares em alimentos processados. Pineli

Análise Sensorial frente à redução de açúcares em alimentos processados. Pineli Análise Sensorial frente à redução de açúcares em alimentos processados Prof. Lívia de Lacerda de Oliveira Pineli Universidade id d de Brasília Qualidade Satisfazer os desejos e as necessidades do consumidor

Leia mais

Especificações das Ementas

Especificações das Ementas Especificações das Ementas Diariamente existe Almoço, Lanche e Reforço. É necessário e há diariamente a existência de maçã ou pera cozida, para as refeições de bebés e crianças com dificuldades em mastigar.

Leia mais

Funções e Ações do FNDE Frente ao PNAE. Gabriela T.C. Ribeiro

Funções e Ações do FNDE Frente ao PNAE. Gabriela T.C. Ribeiro Funções e Ações do FNDE Frente ao PNAE Gabriela T.C. Ribeiro Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) É uma autarquia do Ministério da Educação que tem como missão prover recursos e executar

Leia mais

Faculdade Processus REGULAMENTO DO PROJETO DAS ATIVIDADES DE MONITORIA DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE PROCESSUS

Faculdade Processus REGULAMENTO DO PROJETO DAS ATIVIDADES DE MONITORIA DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE PROCESSUS REGULAMENTO DO PROJETO DAS ATIVIDADES DE MONITORIA DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE PROCESSUS Dispõe sobre a oferta de atividades de Monitoria no curso de graduação da Faculdade Processus e dá outras providências.

Leia mais

Orientações de. Cardápios 2016 SEDUC GOVERNO DE MATO GROSSO ESTADO DE TRANSFORMAÇÃO SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO, ESPORTE E LAZER

Orientações de. Cardápios 2016 SEDUC GOVERNO DE MATO GROSSO ESTADO DE TRANSFORMAÇÃO SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO, ESPORTE E LAZER Orientações de Cardápios 2016 ORIENTAÇÕES DE CARDÁPIOS 201 6 Com o obje vo de atender a Lei nº 11.947/2009, cuja exigência é que 30% dos recursos financeiros repassados pelo FNDE se des nem à aquisição

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FACULDADE SÃO SEBASTIÃO - FASS EDITAL 2017/1

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FACULDADE SÃO SEBASTIÃO - FASS EDITAL 2017/1 PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FACULDADE SÃO SEBASTIÃO - FASS EDITAL 2017/1 Abertura de Processo Seletivo para o Programa Institucional de Iniciação Científica da Faculdade São Sebastião

Leia mais

Plano de Ação. Mandato: 11/ /2014. Ano de execução 2014

Plano de Ação. Mandato: 11/ /2014. Ano de execução 2014 MUNICIPIO DE VERA CRUZ - RS SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO CONSELHO DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR Plano de Ação Conselho de Alimentação Escolar de Vera Cruz Mandato: 11/2010 11/2014 Ano de execução 2014 Elaborado

Leia mais

TERÇA Fruta da Época 47,4 0,3 10,3 0,9 QUARTA SOPA» Sopa de Alho Francês 50,7 1,5 7,9 1,1 PRATO

TERÇA Fruta da Época 47,4 0,3 10,3 0,9 QUARTA SOPA» Sopa de Alho Francês 50,7 1,5 7,9 1,1 PRATO Energ Prot SEGUNDA 17-12-2012 Sopa de Brócolos 50,6 1,6 7,6 1,3 Bifinhos de Porco Estufados com Cogumelos e Esparguete 170,5 4,5 18,0 14,0 LADA Salada de Tomate 14,1 0,2 2,6 0,6 TERÇA 18-12-2012 Energ

Leia mais

CARDÁPIO MAIS EDUCAÇÃO ZONA RURAL - 1ª SEMANA SETEMBRO 2016

CARDÁPIO MAIS EDUCAÇÃO ZONA RURAL - 1ª SEMANA SETEMBRO 2016 CARDÁPIO MAIS EDUCAÇÃO ZONA RURAL - 1ª SEMANA SETEMBRO 2016 ESCOLAR MANHÃ OU TARDE (01/09/2016) Mingau de Creme de Milho Rosquinha de Leite Biscoito Doce Integral Frapê de Morango (02/09/2016) Biscoito

Leia mais

Análise de Aceitação da Alimentação Escolar dos alunos das escolas municipais urbanas de Itabaiana-SE

Análise de Aceitação da Alimentação Escolar dos alunos das escolas municipais urbanas de Itabaiana-SE SCIENTIA PLENA VOL. 9, NUM. 10 2013 www.scientiaplena.org.br Análise de Aceitação da Alimentação Escolar dos alunos das escolas municipais urbanas de Itabaiana-SE L. D. Cruz 1, A. J. A. O. Santos 2, A.

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR PNAE

PROGRAMA NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR PNAE PROGRAMA NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR PNAE Objetivo do Programa OFERTA DE REFEIÇÕES SAUDÁVEIS EDUCAÇÃO ALIMENTAR E NUTRICIONAL PNAE - Crescimento; - Aprendizagem; - Desenvolvimento biopsicossocial;

Leia mais

1º Festival de Receitas do Campo. Relatório de ações 1

1º Festival de Receitas do Campo. Relatório de ações 1 1º Festival de Receitas do Campo Relatório de ações 1 OBJETIVO Resgatar e divulgar a identidade da Família Rural através da Culinária Rural, demonstrando que os hábitos alimentares pertencem ao patrimônio

Leia mais

CARDÁPIO MENSAL DE REFEIÇÃO ESCOLAR

CARDÁPIO MENSAL DE REFEIÇÃO ESCOLAR CARDÁPIO MENSAL DE REFEIÇÃO ESCOLAR SEMANA DIAS PRATO BASE PRATO PROTEICO ACOMPANHAMENTO SOBREMESA SUCOS 04/02 Arroz e Feijão Fricassê de Frango Salada de Repolho Banana Limão 05/02 Macarrão penne Rocambole

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL UFRGS INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS Comissão de Graduação do Curso de Ciências Biológicas COMGRAD/BIO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL UFRGS INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS Comissão de Graduação do Curso de Ciências Biológicas COMGRAD/BIO DECISÃO 03/2015 - Altera: Decisão n o 03/2013 ESTÁGIO SUPERVISIONADO A, reunida em 18 de novembro de 2015, no uso de suas atribuições, DECIDE Regulamentar a atividade de Ensino de Estágio Supervisionado,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS ASSESSORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS REITORIA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS ASSESSORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS REITORIA PLANO DE TRABALHO Identificação Aluno (a): Bruna Beatriz da Rocha Curso: Educação Física Coordenador (a) no IF:Flaviana Alves Toledo Instituição de Destino: Instituto Politécnico da Guarda Coordenador

Leia mais

Prefeitura do Recife Secretaria de Educação Gerência de Alimentação

Prefeitura do Recife Secretaria de Educação Gerência de Alimentação REFEIÇÕES SEGUNDA TERÇA QUARTA QUINTA SEXTA CAFÉ DA MANHÃ (07:00h) PAPA DE CREMOGEMA (247 PÃO COM REQUEIJÃO E REFRESCO ACEROLA (315 CURAU COM CANELA (376 VITAMINA DE BANANA COM FARINHA LÁCTEA E BOLACHA

Leia mais

2 Festival de Teatro Estudantil do IF Sudeste de Minas Gerais/ Campus Barbacena

2 Festival de Teatro Estudantil do IF Sudeste de Minas Gerais/ Campus Barbacena 2 Festival de Teatro Estudantil do IF Sudeste de Minas Gerais/ Campus Barbacena 1. OBJETIVO REGULAMENTO 1.1. O 2 IFESTeatro Festival Estudantil de Teatro IF Sudeste de Minas Gerais / Campus Barbacena é

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO FACEX UNIFACEX CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO EDITAL SELEÇÃO DE BOLSISTA PARA O PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTIFICA (PROIC)

CENTRO UNIVERSITÁRIO FACEX UNIFACEX CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO EDITAL SELEÇÃO DE BOLSISTA PARA O PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTIFICA (PROIC) CENTRO UNIVERSITÁRIO FACEX UNIFACEX CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO EDITAL SELEÇÃO DE BOLSISTA PARA O PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTIFICA (PROIC) 2017-2018 EDITAL N.º 02/2017 I APRESENTAÇÃO: O Centro Universitário

Leia mais

Ministério da Educação

Ministério da Educação Ministério da Educação Alimentação Escolar É todo alimento oferecido no ambiente escolar, independentemente de sua origem, durante o período letivo. Ministério da Educação Você conhece o PNAE? Ministério

Leia mais

Evolução dos Cardápios na Alimentação Escolar de SP

Evolução dos Cardápios na Alimentação Escolar de SP SECRETARIA DO ESTADO DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Infraestrutura e Serviços Escolares Departamento de Alimentação e Assistência ao Aluno Evolução dos Cardápios na Alimentação Escolar de SP Viviane Piatecka

Leia mais

XI Encontro de Iniciação à Docência

XI Encontro de Iniciação à Docência 4CCADZMT1 IMPORTÂNCIA DA MONITORIA NA DISCIPLINA DE NUTRIÇÃO ANIMAL PARA O PROFISSIONAL ZOOTECNISTA Aldivan Rodrigues Alves (1), Ariosvaldo Nunes de Medeiros (2), Ludmila da Paz Gomes da Silva (3) Centro

Leia mais

CLIENTE OCULTO: TÉCNICA DE PESQUISA E AVALIAÇÃO NO ATENDIMENTO.

CLIENTE OCULTO: TÉCNICA DE PESQUISA E AVALIAÇÃO NO ATENDIMENTO. CLIENTE OCULTO: TÉCNICA DE PESQUISA E AVALIAÇÃO NO ATENDIMENTO. Rosangela Aparecida Bueno 1 Rosangela Domaneschi Neves 2 RESUMO: O presente artigo relata a grande dificuldade que chefes ou supervisores

Leia mais

Alimentação saudável

Alimentação saudável Alimentação saudável Você mais saudável do que nunca! Quem nunca ouviu falar em antioxidantes e radicais livres? Agora, basta saber quem é o vilão e o herói dessa batalha. Os antioxidantes são substâncias

Leia mais

PERSONAL DIET, INTERVENÇÃO NUTRICIONAL EM ÂMBITO DOMICILIAR: RELATO DE CASOS

PERSONAL DIET, INTERVENÇÃO NUTRICIONAL EM ÂMBITO DOMICILIAR: RELATO DE CASOS ISBN 978-85-61091-05-7 VI EPCC Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 PERSONAL DIET, INTERVENÇÃO NUTRICIONAL EM ÂMBITO DOMICILIAR: RELATO DE CASOS Denise Bertin

Leia mais

Município. 4-5 (Pré-escola) Município e Estado em colaboração. Ensino Fundamental (duração de 9 anos) Ensino Médio (duração de 3 anos)

Município. 4-5 (Pré-escola) Município e Estado em colaboração. Ensino Fundamental (duração de 9 anos) Ensino Médio (duração de 3 anos) ETAPA FAIXA ETÁRIA COMPETÊNCIA Educação Infantil 0-3 (Creche) 4-5 (Pré-escola) Município Ensino Fundamental (duração de 9 anos) 6-14 anos Município e Estado em colaboração Ensino Médio (duração de 3 anos)

Leia mais

AVALIAÇÃO DO BINÔMIO TEMPO X TEMPERATURA DE PREPAROS ALIMENTARES EM UMA UNIDADE PRODUTORA DE REFEIÇÕES DO MUNICÍPIO DE JOÃO PESSOA/PB

AVALIAÇÃO DO BINÔMIO TEMPO X TEMPERATURA DE PREPAROS ALIMENTARES EM UMA UNIDADE PRODUTORA DE REFEIÇÕES DO MUNICÍPIO DE JOÃO PESSOA/PB AVALIAÇÃO DO BINÔMIO TEMPO X TEMPERATURA DE PREPAROS ALIMENTARES EM UMA UNIDADE PRODUTORA DE REFEIÇÕES DO MUNICÍPIO DE JOÃO PESSOA/PB Yohanna de Oliveira; Keylha Querino de Farias Lima; Erika Epaminondas

Leia mais

Carta de Autorização outra instituição

Carta de Autorização outra instituição Modelos Carta de Autorização outra instituição (TIMBRE DO LOCAL DA PESQUISA) (cidade), de de 2010. Ao: Comitê de Ética em Pesquisa Envolvendo Seres Humanos MULTIVIX Vitória At. Coordenação do CEP Eu, (NOME

Leia mais

Licenciatura em Ciências Exatas Revisão 3 REGULAMENTO DE ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO

Licenciatura em Ciências Exatas Revisão 3 REGULAMENTO DE ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO REGULAMENTO DE ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO O Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Ciências Exatas do Setor Palotina da UFPR prevê a realização de estágios nas modalidades de estágio obrigatório e

Leia mais

Escola de Educação Infantil Castelo do Saber Cardápio referente aos meses de Dezembro de 2014 e Janeiro de 2015*

Escola de Educação Infantil Castelo do Saber Cardápio referente aos meses de Dezembro de 2014 e Janeiro de 2015* Escola de Educação Infantil Castelo do Saber Cardápio referente aos meses de Dezembro de 2014 e Janeiro de 2015* Refeição Segunda Terça Quarta Quinta Sexta LANCHE Bolo Simples Biscoito Maisena Pão Francês

Leia mais

METODOLOGIA RESULTADOS

METODOLOGIA RESULTADOS Popularização de Kefir no Recôncavo da Bahia: um Relato de Experiência Edleuza Oliveira Silva, i Adna de Oliveira Barbosa, Carla Alves Barbosa ii, Ferlando Lima Santos iii, INTRODUÇÃO Embora o kefir seja

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Ficha de Avaliação A. Avaliação do projeto de pesquisa (Título): 1. Capa: A capa atende todos os seguintes itens descritos a seguir? Nome da Instituição Proponente; nome (s) do (s) pesquisadores autor

Leia mais