ASI. Automatos Service Intelligence. management as a service

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ASI. Automatos Service Intelligence. management as a service"

Transcrição

1 ASI Automatos Service Intelligence management as a service

2 Sumário INTRODUÇÃO 3 O que é o ASI? 4 Como funciona o ASI? 4 Funcionalidades 4 Portfólio 6 IMPLANTAÇÃO 7 Cloud Automatos 8 Interno no cliente 8 Questionamentos para escopo de implantação 9 Liberações necessárias pa ra Implantação 9 GERENCIAMENTO DA FERRAMENTA 10 Editar Perfil Usuário 11 Criação de Usuários 12 Criação de Grupos 13 Criação de fontes de dados 14 Criação dos conteúdos 15 Criação de Indicadores 15 Criação de Relatórios 19 Criação de Dashboards 20 ADMINISTRAÇÃO 22 Indicadores 24 Relatórios 26 Aplicação de Filtros 26 Agrupamento de campos (Drag and Drop) 27 Função Pivot Table 28 Exportar dados 29 Dadhboards 30 CONTEÚDOS ASI 31 2

3 ASI INTRODUÇÃO AUTOMATOS SERVICE INTELLIGENCE 3

4 INTRODUÇÃO O que é o ASI? Automatos Service Intelligence (ASI) é a plataforma de gestão a vista desenvolvidos pela Automatos para gerenciamento centralizado do ambiente de TI, Negócios, Financeiro e para as diversas outras áreas da empresa. Permite conexão a diversas fontes de informação e correlacionamento de dados. Como funciona o ASI? O ASI coleta informações de diversas fontes de dados, consolida as informações em sua base de dados, realiza o processamento dos dados e apresenta de forma rápida e clara para os clientes. Funcionalidades Dentre suas principais funcionalidades estão: INTEGRAÇÃO ENTRE SISTEMAS (AUTOMATOS E NÃO AUTÔMATOS) VISÃO CENTRALIZADA DO AMBIENTE DOS CLIENTES CORRELACIONAMENTO DE DADOS CUSTOMIZAÇÃO DE VISÕES DE ACORDO COM A NECESSIDADE DO CLIENTE FUNÇÃO DRAG AND DROP (ARRASTA E SOLTA) FUNÇÃO DRILL DOWN PARA ANALISE DETALHADA DE DADOS VISUALIZAÇÃO DE INDICADORES, RELATÓRIOS E DASHBOARDS 4

5 INTRODUÇÃO As vantagens que a solução ASI pode trazer para sua empresa são: Foco nos negócios Melhora na entrega de resultados Visibilidade Mobilidade Padronização (uma única ferramenta para visualizar todo o ambiente da empresa) 5

6 INTRODUÇÃO Portfólio Com a evolução da ferramenta utilização pelos nossos cliente o ASI foi adquirindo um portfólio extenso de KPI s prontos para utilização, possuímos uma carteira grande de opções para KPI s, e também podemos customizá-los / criar novos de acordo com a necessidade do cliente. No nosso portfólio possuímos KPI s e relatórios da soluções abaixo: TI Gerenciamento de Ativos Gestão de Performance de Ativos Help Desk Gerenciamento do nível de satisfação dos clientes Gerenciamento dos SLA s atendidos Gerenciamento de performance dos funcionarios Segurança da Informação IPS (Prevenção a Intrusos) Firewall Antivírus AntiSpam Filtro de Conteúdo Gestão de Vulnerabilidades Gestão de Conformidade Auditoria de Sistema Operacional 6

7 ASI IMPLANTAÇÃO AUTOMATOS SERVICE INTELLIGENCE 7

8 IMPLANTAÇÃO A implantação do ASI é personalizada de acordo com a necessidade de cada cliente, normalmente a implantação é feita no datacenter da Automatos onde o cliente consegue acessar via Web as suas informações gerenciais sem a necessidade de instalações. Caso o ambiente do cliente seja extremamente critico e toda infra tenha que interna a Automatos pode utilizar uma replica, máquina com as mesmas configurações que nosso servidor interno porém com acesso apenas interno no ambiente do cliente. Segue abaixo o que é necessário para a instalação nos dois cenários, interno no cliente ou na cloud da Automatos 1 CLOUD AUTOMATOS Agente coletor Aplicação CLIENTE Base proprietária (exemplo) Automatos CMDB AUTOMATOS 2 INTERNO NO CLIENTE É necessário que o cliente possua um servidor com as configurações abaixo: Hardware Processador: Core 2 Due (2 processadores) 2.57GHZ (ou mais rápido é recomendável) Memória: 3GB de RAM Disco: 50GB Software SO: Sistemas Operacionais: Windows Server 2008 R2 e Windows Server 2003 R2 Microsoft SQL Server 2008 R2: Express Edition (Para réplicas que não precisarão de mais de 10GB de espaço para a base de dados) Enterprise Edition Microsoft.Net Framework 4.5 (dotnetfx45_ Full_setup.exe) Aplicação Base de Dados Base proprietária (exemplo) 8

9 IMPLANTAÇÃO 3 QUESTIONAMENTOS PARA ESCOPO DE IMPLANTAÇÃO Segue abaixo os principais questionamento a se fazer no momento da implantação: QUAIS TECNOLOGIAS / PROCESSOS GOSTARIA DE EXIBIR INDICADORES / RELATÓRIOS NO ASI? A ESTRUTURA DESEJADA É A INTERNA OU NA CLOUD DA AUTOMATOS? PRECISA TER ESSES DADOS SALVOS POR QUANTO TEMPO? QUANTAS PESSOAS UTILIZARÃO O ASI? EXISTE NECESSIDADE DE COLETA DE DADOS DE NEGOCIO? SE SIM QUAIS APLICAÇÕES? EXISTE NECESSIDADE DE COLETA DE DADOS DE NEGOCIO? SE SIM QUAIS APLICAÇÕES? ESSAS APLICAÇÕES POSSUEM BASE DE DADOS (CASO RESPOSTA DA QUESTÃO E SEJA POSITIVA) 4 LIBERAÇÕES NECESSÁRIAS PARA IMPLANTAÇÃO Segue abaixo algumas das liberações que são necessárias caso o ambiente escolhido seja o ambiente na Cloud da Automatos. Objetivo Porta Descrição Coleta de Dados via log (Segurança) Conexão a base de dados de negocio 10012, 5998, 8086, 8443 Coleta de dados será realizada pelo coletor que ficará instalado no cliente 1433, 5000, 3306, 1521 Conexão aos principais bancos de dados do mercado Portal WEB 80, 443 Acesso ao portal da cloud Automatos Obs.: Essas liberações podem mudar de acordo com o conteúdo que será criado no ASI 9

10 ASI GERENCIAMENTO DA FERRAMENTA AUTOMATOS SERVICE INTELLIGENCE 10

11 GERENCIAMENTO DA FERRAMENTA Após a instalação da ferramenta ASI que esta descrito com mais detalhes no manual de instalação do ASM Cloud é necessário realizar a criação de alguns grupos, perfis e enfim a criação dos indicadores e dashboards. 1 EDITAR PERFIL USUÁRIO A ferramenta Automatos Service Intelligence esta inclusa dentro da plataforma do ASM Cloud, porém um usuário consegue enxergar outras funções da ferramenta e não consegue enxergar a aba de Gerenciamento. Aba Gerenciamento do ASM Cloud Clique na aba Menus e deixe apenas os menus de Gerenciamento, Indicadores, Relatórios e Dashboards disponíveis e clique em Salvar. Para editar o perfil de Usuário (o perfil é criado automaticamente no momento da instalação), Vá em perfis e clique em Editar. 11

12 GERENCIAMENTO DA FERRAMENTA 2 CRIAÇÃO DE USUÁRIOS É possível ter vários grupos dentro do ASI é necessário apenas verificar se existem licenças disponíveis para sua empresa, o numero de licença é definida no momento da contratação do serviço. Assim que o ASM CLoud (ASI) é instalado apenas o usuário Administrator esta disponível, para criar novos usuário vá até o menu Usuários e clique em Novo. É necessário definir nome, , empresa, login e o perfil vamos definir como Usuário para que ele possa apenas visualizar a aba de gerenciamento. 12

13 GERENCIAMENTO DA FERRAMENTA 3 CRIAÇÃO DE GRUPOS O ASI pode ser utilizado pela empresa por diferentes áreas: negócios, TI, Segurança da Informação e etc. Para que cada área possa apenas visualizar os conteúdos que tenham direito nós criamos grupos dentro do ASI e vinculamos aos usuários que terão privilégios a esses grupo. Grupos > Novo 13

14 GERENCIAMENTO DA FERRAMENTA 4 CRIAÇÃO DE FONTES DE DADOS A maior vantagem do ASI é a possibilidade que ele possui de se conectar a múltiplas fontes de dados e se adaptar ao ambiente do cliente. Através da conexão a essas bases conseguimos criar inúmeras visões utilizando o menu de indicadores e relatórios. Para criar novas conexões a fontes de dados é necessário primeiro de tudo que a conexão entre a base dados e aplicação do ASI esteja disponível, para isso verifique com a equipe de redes se as configurações estão funcionando. Administração > Fontes de Dados > Novo Defina todas as configurações de base, usuário e senha e clique em Salvar, após salvar á possível testar a conexão. Através do teste conseguimos saber se a base consegue ser conectada com sucesso. 14

15 GERENCIAMENTO DA FERRAMENTA 5 CRIAÇÃO DOS CONTEÚDOS Após a criação de usuário, grupos, fontes de dados podemos passar finalmente para a criação de indicadores, relatórios e dashboards que serão visualizados pelos clientes finais. Para criação dos conteúdos no ASI é necessário que o administrador tenha uma conhecimento sobre a base de dados no qual esta buscando as informação, conhecimento básicos sobre linguagem SQL e o objetivo que pretende-se alcançar com o indicador / relatório criado. Criação de Indicadores Os indicadores são KPI s (gráficos) prontos que trazem a informação o mais sumarizada possível, para que possamos com base nos KPI s tomar decisões de negocio rápidas e que os indicadores sejam de rápida exibição. No exemplo abaixo será criado um indicador para monitoria de quantidade de eventos por dia da semana que esta sendo monitorado no ambiente de Segurança da Automatos. Apenas os usuários administradores conseguem criar novos indicadores, os usuários comuns tem apenas a permissão de execução dos mesmos, para que eles não danifiquem os códigos após a criação. Para criar novos indicadores vamos até a Aba... Gerenciamento > Indicadores > Novo 15

16 GERENCIAMENTO DA FERRAMENTA Nas configurações do indicadores nós podemos definir o seu tipo como Chart, Drill Down e Gauge. Chart Drill Down Gauge Essa opção permite a criação de gráficos do tipo barra, linha, 3D e etc com dados estáticos sem a possibilidade de utilizar o gráfico para chegar ao dado mais detalhado. A opção de gráficos Drill Down são utilizados para quem deseja possuir indicadores que permitam ao usuário realizar uma analise mais detalhada descendo um pouco o nível gerencial para o nível mais técnico. É um gráfico bom para analises mais profundas porém não é indicado para indicadores que serão apresentados através de um painel / televisão. Os indicadores do tipo Gauge são utilizado para uma visão rápida do ambiente, por exemplo, uma empresa quer saber a porcentagem de ativos monitorados do parque e se ela esta boa ou ruim, através do gráfico de gauge conseguimos mostrar um velocímetro que indica de acordo com os parâmetros da empresa se essa porcentagem é boa ou ruim. O exemplo abaixo trata-se de um gráfico do tipo Chart. Nele definimos a base de conexão, nome, tipo e a consulta que precisamos montar na base de dados para criação do gráfico. O gráfico sempre é feito a partir das consultas a base. Na aba de Grupos definimos quais grupos poderão visualizar o indicador. 16

17 GERENCIAMENTO DA FERRAMENTA Após o termino da criação do indicador o mesmo é apresentado na área de indicadores e pode ser executado clicando no botão de execução. A criação de indicadores do tipo Drill Down e Gauge são bem parecidos com a criação dos indicadores do tipo Chart, a diferença é que na escolha da criação de indicador do tipo Drill Down o administrador precisa criar tanto a consulta do gráfico principal quando dos demais níveis, o último nível do Drill Down sempre será a exibição de um relatório. A sintaxe para criação de um indicador do tipo Drill Down é: Primeiro Nível: O segundo campo será utilizado como legenda, caso a mesma seja mostrada. Demais níveis: select idtextoounumero, nometexto, valornumerico from tabelax select id AS ID, name AS NAME, COUNT(*) AS QUANTITY from tabelay AS QUANTITY where id = onde é o id da query principal Para especificar mais de um nível de Drill Down, separe uma query da outra por este caracter &. Ao especificar mais de uma query você pode vincular mais de um parametro onde cada nível será acrescido de 1, ou seja, o primeriro campo id da query para o primeiro nível será para o segundo nível 17

18 GERENCIAMENTO DA FERRAMENTA Segue abaixo um exemplo de gráfico Drill Down e como ele é exibido ao ser executado. Ao executar o indicador ele sempre é apresentado no formato de pizza, ao clicar em uma das informações ele vai para os próximos níveis de Drill Down até que por fim seja apresentado um relatório detalhado. 18

19 GERENCIAMENTO DA FERRAMENTA Criação de Relatórios Os relatórios possuem informações mais detalhadas sobre as bases de dados a qual os clientes estão se conectando, a sintaxe de criação de conteúdo é muito similar a criação de indicadores, é necessário conhecimentos de linguagem de banco de dados para que as consultas possam ser criadas. Para criar novos relatórios vá na aba... Gerenciamento > Relatórios > Novo É necessário definir nome, classificação, query e os grupos que tem acesso ao relatório, é possível realizar o schedule dos relatórios para que eles sejam enviado via . 19

20 GERENCIAMENTO DA FERRAMENTA Criação de Dashboards Os Dashboards do ASI tem a principal função de apresentar uma série de indicadores gerenciais prontos em uma visão centralizada e rápida. Podemos utilizar os dashboards para uma monitoria em tempo real do ambiente da empresa. Em todos os modelos de dashboards é necessário informar quais os grupos tem acesso também ao dashboard. Existem dois tipos de dashboards: 1 Tipo Slideshow Nesse tipo de dashboard os gráficos ficam alternando na tela e acordo com o tempo que estipulamos, podemos escolher também quantos gráficos serão apresentados por cada tela. (Campo quantidade por slide) Criar novo > Gerenciamento > Dashboards > Novo 20

21 GERENCIAMENTO DA FERRAMENTA 2 Tipo Estático Nesse tipo de dashboard selecionamos os indicadores que queremos apresentar de forma centralizada e conseguimos ver todos os indicadores na mesma tela, o tempo de atualização também pode ser inserido porém a atualização será do conteúdo dos gráficos e não troca de gráficos como no modelo anterior. Exemplos de dashboards: Tipo slideshow Tipo estático Obs.: Quando os dashboards são executados eles possuem um ícone preto que aparece no canto superior esquerdo da tela, é necessário clicar nesse ícone para que o dashboard seja expandido em tela cheia e para que ele continue executando. 21

22 ASI ADMINISTRAÇÃO AUTOMATOS SERVICE INTELLIGENCE 22

23 ADMINISTRAÇÃO Quando um usuário comum realiza o login na ferramenta ASI e primeira coisa que ele é requisitado a fazer é a troca da senha de acesso, para definir a senha inicial deixe o campo de senha em branco, assim que a ferramenta realizar o login ele pede ao usuário para definir qual senha será utilizada. Após o usuário alterar a senha basta clicar no botão voltar, o login do usuário conforme definimos nas configurações acima só terá permissão de visualizar a aba de gerenciamento, com as opções de Indicadores, Relatórios e Dashboards. 23

24 ADMINISTRAÇÃO 1 INDICADORES Os usuários ao abrir a aba de indicadores possuem apenas a opção de execução dos mesmos, ao executar os conteúdos é possível: Exportar os dados do indicadores e salva-los localmente Editar o layout dos indicadores Ao Executar o indicador ele sempre virá formatado com o layout padrão da ferramenta, para editar o layout e definir as configurações de cores e formato da sua empresa ou do seu gosto clique em Edite o Layout do Indicador. 24

25 ADMINISTRAÇÃO Uma nova tela é apresentada em que é possível alterar o tipo de dado (Numero, Geral, Porcentagem e etc), a aparência do gráficos (cor do fundo), a cor dos itens do gráfico (Cor da barra, cor da linha e etc), o tipo do gráfico, se será utilizado um gráfico de barras ou se linha, 3D e etc. Para os tipos de gráfico 3D é possível definir os ângulos dos eixos do gráfico (x, y e z). Obs.: Ao salvar o layout do indicador o layout é salvo por usuário, ou seja, cada usuário do ASI pode ter seu próprio padrão de layouts. Exportar dados Para exportar dados do Layout é necessário selecionar para qual basta apenas executar o indicador e clicar no ícone salvar, automaticamente será salvo o arquivo em sua máquina. 25

26 ADMINISTRAÇÃO 2 RELATÓRIOS Ao executar relatórios através do ASI o usuário tem a possibilidade de: Aplicar filtros após a execução / no momento da execução dos relatórios Realizar o agrupamento dos dados através da função de Drag and Drop ( Arrasta e Solta ) Criar KPI s apartir das informações disponíveis no relatório a partir da função Pivot Table Exportar dados Aplicação de Filtros Após executar um relatório disponível é possível aplicar filtros apenas digitando o valor que deseja procurar nos campos em branco que são apresentados em baixo de cada coluna, os filtros possuem operações lógicas para aplicação do filtro: Começa com Contém Igual Termina com Não contém Diferente Ao começar a digitar o valor que deseja-se filtrar o relatório automaticamente o relatório já é filtrado com a informação procurada. Podemos aplicar múltiplos filtros no relatório. Para limpar todos os filtros no campo inferior direto da pagina existe a opção Clear que trará todas as informações do relatório novamente. 26

27 ADMINISTRAÇÃO Agrupamento de campos (Drag and Drop) Para grupar as informações dos relatórios basta apenas segurar o campo que deseja utilizar para o agrupamento e arrasta-lo para a área do gráfico que contém o texto Drag a column here to group by that column. Para remover os agrupamentos basta segurar o campo agrupado e solta-lo no relatório novamente. 27

28 ADMINISTRAÇÃO Função Pivot Table A função PIvot Table dos relatórios permite aos usuários definir os próprios gráficos / KPI s a partir de um relatório, é necessário para conseguir montar um gráfico de forma correta que um dos campos seja um campo de valor numero (esse campo será utilizado para apresentar valores) Após clicar na opção Pivot Table, nos é apresentado um painel com um gráfico em branco, para começarmos a montar o gráfico temos que arrastar e soltar os campos que desejamos visualizar. O eixo x do gráfico devemos arrastar para a área do gráfico que contem Drop Row Fields Here, os valores que são apresentados devem ser arrastados para a área de gráfico que contem Drop Data Items Here, caso queira quebrar mais a informação é possível dividir em múltiplas legendas colocando o campo desejado na área Drop Column Fields Here. No exemplo abaixo montei um gráfico que contem quantidade de vulnerabilidades encontradas por localidade x grupo de sistema operacional. É possível após montar o gráfico alterar o tipo do gráfico exibido (linha, barra, pizza) 28

29 ADMINISTRAÇÃO Exportar dados Para Exportar dados do relatório basta clicarmos no link Exportar no canto superior direito da tela, ao clicar nos é apresentado quais os formatos possíveis para que possamos seleciona o formato desejado, o relatório será automaticamente salvo na máquina do usuário. 29

30 ADMINISTRAÇÃO 3 DASHBOARDS Referente aos dashboards usuários com privilégio de Usuário conseguem, Visualizar e Editar os dadhboards já criados. O usuário é capaz de editar o próprio dashboard para que ele possa alterar configurações como tempo de atualização, tipo (slideshow ou normal) e quais são os gráficos que ele deseja visualizar no indicador. As opção de edição dos usuários comuns são as mesmas opções para o criador, porém o usuário comum só consegue visualizar os grupos / indicadores e relatórios aos quais ele possui acesso. O botão de pesquisa de novos grupos fica desabilitado para que não se corra o risco do usuário se adicionar a outros grupos. Quando os dashboards são executados eles possuem um ícone preto que aparece no canto superior esquerdo da tela, é necessário clicar nesse ícone para que o dashboard seja expandido em tela cheia e para que ele continue executando. 30

31 ASI CONTEÚDOS ASI AUTOMATOS SERVICE INTELLIGENCE 31

32 CONTEÚDO ASI Categoria AntiSpam Antivirus epo Antivirus SEP BASELINE EXCHANGE Filtro de Conteúdo FIREEYE Compliance FW GAV Gestão de Ativos IPS GAV MACH5 UTM_DLP UTM_Filtro de Conteúdo UTM_FW ORACLE UTM_IPS VPN UTM_VPN WINDOWS WSUS Gestão de Chamados KPI s Financeiros 32

WecDB - 1 - WecDB Consulta Web Facilitada ao Banco de Dados

WecDB - 1 - WecDB Consulta Web Facilitada ao Banco de Dados WecDB - 1 - WecDB Consulta Web Facilitada ao Banco de Dados WecDB (Web Easy Consultation Database) é uma ferramenta para criação e disponibilização de consultas à Bancos de Dados na Internet. É composto

Leia mais

Tutorial do ADD Analisador de Dados Dinâmico.

Tutorial do ADD Analisador de Dados Dinâmico. Tutorial do ADD Analisador de Dados Dinâmico. Após clicarmos para entrar no Analisador de Dados Dinâmico aparecerá a tela acima. O Banco de dados já tem que estar configurado. (Ver como fazer em Como configurar

Leia mais

ASM. Automatos Service Management. management as a service

ASM. Automatos Service Management. management as a service ASM Automatos Service Management management as a service Sumário INTRODUÇÃO 4 GERENCIANDO A FERRAMENTA 6 Menu Principal 8 Resumo 9 Solicitações 11 Tarefas 13 Aprovações 15 Processos 17 Incidentes 17 Requisições

Leia mais

Neste cenário mostraremos como sincronizar o LogMeIn ao Desk Manager e fazer um acesso remoto por ele. As vantagens dessa integração são:

Neste cenário mostraremos como sincronizar o LogMeIn ao Desk Manager e fazer um acesso remoto por ele. As vantagens dessa integração são: Neste cenário mostraremos como sincronizar o LogMeIn ao Desk Manager e fazer um acesso remoto por ele. As vantagens dessa integração são: Centralização de histórico de Chat, Vídeo dos Acessos Remotos e

Leia mais

Manual do Usuário Características e recursos básicos Enterprise Resource Planning

Manual do Usuário Características e recursos básicos Enterprise Resource Planning Manual do Usuário Características e recursos básicos Enterprise Resource Planning www.pwi.com.br 1 Volpe Enterprise Resource Planning Este manual não pode, em parte ou no seu todo, ser copiado, fotocopiado,

Leia mais

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.4.1

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.4.1 Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.4.1 26 de agosto de 2015 Departamento de Engenharia de Produto (DENP) SEAT Sistemas Eletrônicos de Atendimento 1. Introdução O Teclado de Satisfação é uma

Leia mais

M a n u a l d o R e c u r s o Q m o n i t o r

M a n u a l d o R e c u r s o Q m o n i t o r M a n u a l d o R e c u r s o Q m o n i t o r i t i l advanced Todos os direitos reservados à Constat. Uso autorizado mediante licenciamento Qualitor Porto Alegre RS Av. Ceará, 1652 São João 90240-512

Leia mais

BACKUP ONLINE PASSOS PARA CONFIGURAÇÃO INICIAL DO PRODUTO

BACKUP ONLINE PASSOS PARA CONFIGURAÇÃO INICIAL DO PRODUTO BACKUP ONLINE PASSOS PARA CONFIGURAÇÃO INICIAL DO PRODUTO Criação de Conta de Usuário...03 Edição da Conta de Usuário...10 Download do Backup Online Embratel...10 Descrição dos Conjuntos de Cópia de Segurança...19

Leia mais

SERVICE DESK MANAGER SDM. Manual do Sistema - DPOI

SERVICE DESK MANAGER SDM. Manual do Sistema - DPOI SERVICE DESK MANAGER SDM Manual do Sistema - DPOI Conteúdo SERVICE DESK MANAGER SDM... 1 Manual do Sistema - DPOI... 1 INTRODUÇÃO... 4 ACESSO AO SISTEMA... 5 OPÇÕES DO SISTEMA... 6 SISTEMA... 7 Pesquisar

Leia mais

Configurando um Grupo Doméstico e Compartilhando arquivos no Windows 7

Configurando um Grupo Doméstico e Compartilhando arquivos no Windows 7 Configurando um Grupo Doméstico e Compartilhando arquivos no Windows 7 Para criar um grupo doméstico e compartilhar arquivos é necessário que tenhamos pelo menos dois computadores ligados entre si (em

Leia mais

MANUAL DO ADMINISTRADOR DO MÓDULO

MANUAL DO ADMINISTRADOR DO MÓDULO MANUAL DO ADMINISTRADOR DO MÓDULO ÍNDICE Relatórios Dinâmicos... 3 Requisitos de Sistema... 4 Estrutura de Dados... 5 Operadores... 6 Tabelas... 7 Tabelas x Campos... 9 Temas... 13 Hierarquia Relacionamento...

Leia mais

WORKSHOP Ferramenta OLAP IBM Cognos

WORKSHOP Ferramenta OLAP IBM Cognos WORKSHOP Ferramenta OLAP IBM Cognos O objetivo deste documento é orientar o usuário final na utilização das funcionalidades da ferramenta OLAP IBM Cognos, referente a licença de consumidor. Sumário 1 Query

Leia mais

TUTORIAL INSTALAÇÃO DA ROTINA 2075 NO LINUX

TUTORIAL INSTALAÇÃO DA ROTINA 2075 NO LINUX Apresentação O departamento de varejo da PC Sistemas inovou seu produto de frente de caixa, permitindo seu funcionamento no sistema operacional do Linux com a distribuição Ubuntu. O cliente poderá usar

Leia mais

Solução de gerenciamento de sistemas Dell KACE K1000 Versão 5.5. Guia de gerenciamento de ativos. Julho de 2013

Solução de gerenciamento de sistemas Dell KACE K1000 Versão 5.5. Guia de gerenciamento de ativos. Julho de 2013 Solução de gerenciamento de sistemas Dell KACE K1000 Versão 5.5 Guia de gerenciamento de ativos Julho de 2013 2004-2013 Dell, Inc. Todos os direitos reservados. Qualquer forma de reprodução deste material

Leia mais

Vamos criar uma nova Página chamada Serviços. Clique em Adicionar Nova.

Vamos criar uma nova Página chamada Serviços. Clique em Adicionar Nova. 3.5 Páginas: Ao clicar em Páginas, são exibidas todas as páginas criadas para o Blog. No nosso exemplo já existirá uma página com o Título Página de Exemplo, criada quando o WorPress foi instalado. Ao

Leia mais

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador.

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador. INTRODUÇÃO O Programa pode ser instalado em qualquer equipamento que utilize o sistema operacional Windows 95 ou superior, e seu banco de dados foi desenvolvido em MySQL, sendo necessário sua pré-instalação

Leia mais

ALBUM DE FOTOGRAFIAS NO POWER POINT

ALBUM DE FOTOGRAFIAS NO POWER POINT ALBUM DE FOTOGRAFIAS NO POWER POINT O PowerPoint é uma poderosa ferramenta que faz parte do pacote Office da Microsoft. O principal uso desse programa é a criação de apresentação de slides, para mostrar

Leia mais

Índice. Manual Backup Online. 03 Capítulo 1: Visão Geral

Índice. Manual Backup Online. 03 Capítulo 1: Visão Geral Índice 03 Capítulo 1: Visão Geral 04 Capítulo 2: Conta de Usuário 04 Criação 08 Edição 09 Grupo de Usuários 10 Informações da Conta 12 Capítulo 3: Download do Backup Online Embratel 16 Capítulo 4: Cópia

Leia mais

Procedimentos para Reinstalação do Sisloc

Procedimentos para Reinstalação do Sisloc Procedimentos para Reinstalação do Sisloc Sumário: 1. Informações Gerais... 3 2. Criação de backups importantes... 3 3. Reinstalação do Sisloc... 4 Passo a passo... 4 4. Instalação da base de dados Sisloc...

Leia mais

Trabalhando com banco de dados

Trabalhando com banco de dados Avançado Trabalhando com Aprenda a manipular dados no Excel com a ajuda de outros aplicativos da suíte Office Armazenar e organizar informações são tarefas executadas diariamente por todos nós. Desde o

Leia mais

3 Resumo de dados com Tabelas e Gráficos dinâmicos

3 Resumo de dados com Tabelas e Gráficos dinâmicos 3 Resumo de dados com Tabelas e Gráficos dinâmicos Vinicius A. de Souza va.vinicius@gmail.com São José dos Campos, 2011. 1 Sumário Tópicos em Microsoft Excel 2007 Tabela dinâmica...3 Processo de construção...3

Leia mais

Auto Treinamento. Versão 10.05.13

Auto Treinamento. Versão 10.05.13 Auto Treinamento Versão 10.05.13 Sumário 1. OBJETIVO... 3 2. CONCEITO DE BUSINESS INTELLIGENCE... 3 3. REALIZANDO CONSULTAS NO BI-PUBLIC... 4 3.2. Abrindo uma aplicação... 4 3.3. Seleções... 6 3.4. Combinando

Leia mais

Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos

Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos Neste capítulo nós iremos examinar as características da interface do gerenciador de arquivos Konqueror. Através dele realizaremos as principais operações com arquivos

Leia mais

MANUAL LOJA VIRTUAL - PORTAL PHARMA LINK

MANUAL LOJA VIRTUAL - PORTAL PHARMA LINK Data: Abril de 2014 MANUAL LOJA VIRTUAL - PORTAL PHARMA LINK ÍNDICE Objetivo:... 2 Premissas:... 2 1 CADASTRO NA LOJA VIRTUAL... 3 1.1 Acesso...3 1.2. Cadastrar Loja...3 1.3 Ativação de Cadastro...6 1.3.1

Leia mais

Manual de Instalação

Manual de Instalação Manual de Instalação Produto: n-client MSI Versão: 4.2.3 Versão do Doc.: 1.0 Autor: Aline Della Justina Data: 19/11/2010 Documento destinado à: Clientes e Parceiros Alterado por: Release Note: Detalhamento

Leia mais

ÍNDICE. Sobre o SabeTelemarketing 03. Contato. Ícones comuns à várias telas de gerenciamento. Verificar registros 09. Tela de relatórios 09

ÍNDICE. Sobre o SabeTelemarketing 03. Contato. Ícones comuns à várias telas de gerenciamento. Verificar registros 09. Tela de relatórios 09 ÍNDICE Sobre o SabeTelemarketing 03 Ícones comuns à várias telas de gerenciamento Contato Verificar registros 09 Telas de cadastro e consultas 03 Menu Atalho Nova pessoa Incluir um novo cliente 06 Novo

Leia mais

Manual do Teclado de Satisfação Online Web Opinião Versão 1.0.5

Manual do Teclado de Satisfação Online Web Opinião Versão 1.0.5 Manual do Teclado de Satisfação Online Web Opinião Versão 1.0.5 09 de julho de 2015 Departamento de Engenharia de Produto (DENP) SEAT Sistemas Eletrônicos de Atendimento 1. Introdução O Teclado de Satisfação

Leia mais

Noções de. Microsoft SQL Server. Microsoft SQL Server

Noções de. Microsoft SQL Server. Microsoft SQL Server Noções de 1 Considerações Iniciais Basicamente existem dois tipos de usuários do SQL Server: Implementadores Administradores 2 1 Implementadores Utilizam o SQL Server para criar e alterar base de dados

Leia mais

Vamos criar uma nova Página chamada Serviços. Clique em Adicionar Nova.

Vamos criar uma nova Página chamada Serviços. Clique em Adicionar Nova. 3.5 Páginas: Ao clicar em Páginas, são exibidas todas as páginas criadas para o Blog. No nosso exemplo já existirá uma página com o Título Página de Exemplo, criada quando o WorPress foi instalado. Ao

Leia mais

BI Citsmart Fornece orientações necessárias para instalação, configuração e utilização do BI Citsmart.

BI Citsmart Fornece orientações necessárias para instalação, configuração e utilização do BI Citsmart. 16/08/2013 BI Citsmart Fornece orientações necessárias para instalação, configuração e utilização do BI Citsmart. Versão 1.0 19/12/2014 Visão Resumida Data Criação 19/12/2014 Versão Documento 1.0 Projeto

Leia mais

Manual de Instalação Corporate

Manual de Instalação Corporate Manual de Instalação Corporate Sumário 1. Sobre este documento...3 2. Suporte técnico...3 3. Requisitos de hardware...3 3.1. Estação...3 3.2. Servidor...4 4. Instalação...4 4.1. Instalação do Imobiliária21

Leia mais

GERADOR DE RELATÓRIOS WINREPORT VERSÃO 2.0. Conteúdo

GERADOR DE RELATÓRIOS WINREPORT VERSÃO 2.0. Conteúdo GERADOR DE RELATÓRIOS WINREPORT VERSÃO 2.0 Este manual foi desenvolvido com o objetivo de documentar as principais funcionalidades do Gerador de Relatórios WinReport versão 2.0. Conteúdo 1. Tela Principal...

Leia mais

ArpPrintServer. Sistema de Gerenciamento de Impressão By Netsource www.netsource.com.br Rev: 02

ArpPrintServer. Sistema de Gerenciamento de Impressão By Netsource www.netsource.com.br Rev: 02 ArpPrintServer Sistema de Gerenciamento de Impressão By Netsource www.netsource.com.br Rev: 02 1 Sumário INTRODUÇÃO... 3 CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS DO SISTEMA... 3 REQUISITOS DE SISTEMA... 4 INSTALAÇÃO

Leia mais

Objetivo. Requisitos. Resumo. Processo de Instalação PS4E e PS4B

Objetivo. Requisitos. Resumo. Processo de Instalação PS4E e PS4B Objetivo Este documento tem como objetivo instruir os processos de instalação do Panda Security for Enterprise e Panda Security for Business e sua distribuição e configuração mais simples em uma rede.

Leia mais

Manual de Instalação, Configuração e Uso

Manual de Instalação, Configuração e Uso Manual de Instalação, Configuração e Uso Este Manual destina-se ao usuário do sistema Smart Manager. É proibida a duplicação ou reprodução, no todo ou em parte, sob quaisquer formas ou qualquer meio, sem

Leia mais

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Goiânia, 16/09/2013 Aluno: Rafael Vitor Prof. Kelly Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Objetivo Esse tutorial tem como objetivo demonstrar como instalar e configurar o IIS 7.0 no Windows Server

Leia mais

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Goiânia, 16/09/2013 Aluno: Rafael Vitor Prof. Kelly Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Objetivo Esse tutorial tem como objetivo demonstrar como instalar e configurar o IIS 7.0 no Windows Server

Leia mais

Treinamento de Drupal para Administradores do Site Bibliotecas UFU

Treinamento de Drupal para Administradores do Site Bibliotecas UFU Treinamento de Drupal para Administradores do Site Bibliotecas UFU 1 1. Como logar no sistema como usuário autenticado Para logar no sistema como usuário autenticado é necessário digitar /user na frente

Leia mais

CA SERVICE DESK MANAGER

CA SERVICE DESK MANAGER CA SERVICE DESK MANAGER GUIA RÁPIDO: Abertura de Chamado pelo Portal Web (Ferramenta Service Desk ) 1. CA SERVICE DESK MANAGER... 3 2. CONHECENDO AS TELAS INICIAIS... 4 2.1. SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO...

Leia mais

Novas Funcionalidades do MyABCM v.4.0

Novas Funcionalidades do MyABCM v.4.0 Novas Funcionalidades do MyABCM v.4.0 Seguem abaixo as novas funcionalidades e melhorias do MyABCM e um resumo de como utilizar essas funcionalidades. 1. Nova funcionalidade para aplicação de fatores de

Leia mais

SIGEP WEB - Gerenciador de Postagens dos Correios Manual do Usuário

SIGEP WEB - Gerenciador de Postagens dos Correios Manual do Usuário MANUAL DO USUÁRIO 2 ÍNDICE 1. PRÉ REQUISITOS PARA UTILIZAÇÃO DO SIGEP WEB 04 2. PROCEDIMENTOS PARA DOWNLOAD DO SISTEMA 04 3. INSTALANDO O SIGEP WEB 07 4. CONFIGURAÇÕES DO SISTEMA 09 COMPARTILHANDO O BANCO

Leia mais

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA Manual de Utilização Google Grupos Sumário (Clique sobre a opção desejada para ir direto à página correspondente) Utilização do Google Grupos Introdução... 3 Página

Leia mais

PORTAL DE COMPRAS SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

PORTAL DE COMPRAS SÃO JOSÉ DO RIO PRETO Compra Direta - Guia do Fornecedor PORTAL DE COMPRAS SÃO JOSÉ DO RIO PRETO Página As informações contidas neste documento, incluindo quaisquer URLs e outras possíveis referências a web sites, estão sujeitas

Leia mais

AVG Admin 2012 SQL Server 2005 Express

AVG Admin 2012 SQL Server 2005 Express AVG Admin 2012 SQL Server 2005 Express Conteúdo: 1. INSTALAÇÃO DO SQL SERVER 2005 EXPRESS... 3 1.1. Microsoft.Net Framework 2.0... 3 1.2. Microsoft SQL Server 2005 Express... 3 2. INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO

Leia mais

Presskit Guia Rápido. Release 2.0. Presskit

Presskit Guia Rápido. Release 2.0. Presskit Presskit Guia Rápido Release 2.0 Presskit 06/07/2009 Sumário 1 Login 2 Login e Senha...................................... 2 Esqueci minha senha.................................. 2 Fale Com o Suporte...................................

Leia mais

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.2.2

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.2.2 Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.2.2 18 de fevereiro de 2015 Departamento de Engenharia de Produto (DENP) SEAT Sistemas Eletrônicos de Atendimento 1. Introdução O Teclado de Satisfação é

Leia mais

PORTAL DE RELACIONAMENTO GROUP

PORTAL DE RELACIONAMENTO GROUP PORTAL DE RELACIONAMENTO GROUP MANUAL DO USUÁRIO Portal de Relacionamento - Manual do usuário... 1 SUMÁRIO 1. Informações gerais... 3 2. Sobre este documento... 3 3. Suporte técnico... 3 4. Visão Geral

Leia mais

C D. C) Coleções: é usada para organizar o conteúdo de áudio, vídeo e imagens em pastas, buscando facilitar a montagem do storyboard.

C D. C) Coleções: é usada para organizar o conteúdo de áudio, vídeo e imagens em pastas, buscando facilitar a montagem do storyboard. 1 Windows Movie Maker XP O Windows Movie Maker é um software de edição de vídeos que permite criar e editar filmes caseiros, inserindo efeitos, músicas, legendas e transições. O vídeo pode ser criado a

Leia mais

MANUAL DO AGENTE VERSÃO 001. Versão 001. Copyright - Todos os direitos reservados

MANUAL DO AGENTE VERSÃO 001. Versão 001. Copyright - Todos os direitos reservados MANUAL DO AGENTE VERSÃO 001 Versão 001 MOEBIUS ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO...3 2. PROCEDIMENTO PARA AUMENTO DA PERFORMANCE...4 3. ACESSO AO SISTEMA...5 4. PALAVRAS CHAVE...6 5. PAGINA INICIAL...7 6. STATUS DO

Leia mais

Obs: É necessário utilizar um computador com sistema operacional Windows 7.

Obs: É necessário utilizar um computador com sistema operacional Windows 7. Instalando os Pré-Requisitos Os arquivos dos 'Pré-Requisitos' estão localizados na pasta Pré-Requisitos do CD HyTracks que você recebeu. Os arquivos também podem ser encontrados no servidor. (www.hytracks.com.br/pre-requisitos.zip).

Leia mais

3UHSDUDQGRR64/([SUHVVSDUDWUDEDOKDUFRP&ODULRQ

3UHSDUDQGRR64/([SUHVVSDUDWUDEDOKDUFRP&ODULRQ 3UHSDUDQGRR64/([SUHVVSDUDWUDEDOKDUFRP&ODULRQ &RQILJXUDQGRR0664/6HUYHU([SUHVVSDUDWUDEDOKDUFRP SURJUDPDV&ODULRQHSHUPLWLUDFHVVRDWUDYpVGHFRQH[}HV UHPRWDV Para habilitar as configurações remotas, e também conexões

Leia mais

Manual da Ferramenta Metadata Editor

Manual da Ferramenta Metadata Editor 4 de março de 2010 Sumário 1 Introdução 3 2 Objetivos 3 3 Visão Geral 3 3.1 Instalação............................. 3 3.2 Legenda.............................. 4 3.3 Configuração Inicial........................

Leia mais

Copyright 2015 Mandic Cloud Solutions - Somos Especialistas em Cloud. www.mandic.com.br

Copyright 2015 Mandic Cloud Solutions - Somos Especialistas em Cloud. www.mandic.com.br Sumário 1. Boas vindas... 4 2. Dashboard... 4 3. Cloud... 5 3.1 Servidores... 5 o Contratar Novo Servidor... 5 o Detalhes do Servidor... 9 3.2 Cloud Backup... 13 o Alteração de quota... 13 o Senha do agente...

Leia mais

Procedimentos para Instalação do Sisloc

Procedimentos para Instalação do Sisloc Procedimentos para Instalação do Sisloc Sumário: 1. Informações Gerais... 3 2. Instalação do Sisloc... 3 Passo a passo... 3 3. Instalação da base de dados Sisloc... 16 Passo a passo... 16 4. Instalação

Leia mais

MANUAL PARA USO DO SISTEMA GCO Gerenciador Clínico Odontológico

MANUAL PARA USO DO SISTEMA GCO Gerenciador Clínico Odontológico MANUAL PARA USO DO SISTEMA GCO Gerenciador Clínico Odontológico O GCO é um sistema de controle de clínicas odontológicas, onde dentistas terão acesso a agendas, fichas de pacientes, controle de estoque,

Leia mais

ALTERNATIVA PARA CONEXÃO VIA INTERNET DE IP MASCARADO A IP REAL

ALTERNATIVA PARA CONEXÃO VIA INTERNET DE IP MASCARADO A IP REAL Documento: Tutorial Autor: Iuri Sonego Cardoso Data: 27/05/2005 E-mail: iuri@scripthome.cjb.net Home Page: http://www.scripthome.cjb.net ALTERNATIVA PARA CONEXÃO VIA INTERNET DE IP MASCARADO A IP REAL

Leia mais

Plataforma de Business Intelligence

Plataforma de Business Intelligence Plataforma de Business Intelligence ASTEN TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO A Asten é uma empresa do ramo da tecnologia da informação (TI) que tem seu foco na busca por soluções inovadoras. Nosso slogan criando

Leia mais

Aula 03 PowerPoint 2007

Aula 03 PowerPoint 2007 Aula 03 PowerPoint 2007 Professor: Bruno Gomes Disciplina: Informática Básica Curso: Gestão de Turismo Sumário da aula: 1. Abrindo o PowerPoint; 2. Conhecendo a Tela do PowerPoint; 3. Criando uma Nova

Leia mais

PAINEL MANDIC CLOUD. Mandic. Somos Especialistas em Cloud. Manual do Usuário

PAINEL MANDIC CLOUD. Mandic. Somos Especialistas em Cloud. Manual do Usuário Mandic. Somos Especialistas em Cloud. PAINEL MANDIC CLOUD Manual do Usuário 1 BEM-VINDO AO SEU PAINEL DE CONTROLE ESTE MANUAL É DESTINADO AO USO DOS CLIENTES DA MANDIC CLOUD SOLUTIONS COM A CONTRATAÇÃO

Leia mais

P á g i n a 1 MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO PORTAL UNIR

P á g i n a 1 MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO PORTAL UNIR P á g i n a 1 MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO PORTAL UNIR P á g i n a 2 Sumário 1. Efetuar login... 3 2. Gerenciar Notícias... 5 2.1 Cadastrar Notícias... 6 2.2 Editar Notícia... 7 2.3 Excluir Notícia... 8 3.

Leia mais

1º No módulo de Gestão Contábil é possível acessar o relatório através do menu Relatórios Razão.

1º No módulo de Gestão Contábil é possível acessar o relatório através do menu Relatórios Razão. Impairment Produto : TOTVS Gestão Contábil 12.1.1 Processo : Relatórios Subprocesso : Razão Data publicação da : 12/11/2014 O relatório razão tem a finalidade de demonstrar a movimentação analítica das

Leia mais

Requisitos do Sistema

Requisitos do Sistema PJ8D - 017 ProJuris 8 Desktop Requisitos do Sistema PJ8D - 017 P á g i n a 1 Sumario Sumario... 1 Capítulo I - Introdução... 2 1.1 - Objetivo... 2 1.2 - Quem deve ler esse documento... 2 Capítulo II -

Leia mais

Guia passo a passo de introdução ao Microsoft Windows Server Update Services

Guia passo a passo de introdução ao Microsoft Windows Server Update Services Guia passo a passo de introdução ao Microsoft Windows Server Update Services Microsoft Corporation Publicação: 14 de março de 2005 Autor: Tim Elhajj Editor: Sean Bentley Resumo Este documento fornece instruções

Leia mais

Guia do Usuário. Introdução

Guia do Usuário. Introdução Guia do Usuário Introdução Nosso objetivo ao criar o Auditorbook foi valorizar o tempo de profissionais que realizam auditorias, verificações ou inspeções. Com este aplicativo desenvolvido pela VL Corrêa

Leia mais

Aula 09 - Atualização de uma tabela dinâmica. Aula 09 - Atualização de uma tabela dinâmica. Sumário. Atualizando a tabela dinâmica

Aula 09 - Atualização de uma tabela dinâmica. Aula 09 - Atualização de uma tabela dinâmica. Sumário. Atualizando a tabela dinâmica Sumário Atualizando a tabela dinâmica Exibição de páginas em planilhas separadas Detalhando / ocultando os dados da planilha Gráfico dinâmico Gráfico dinâmico (cont.) Alterando a formatação do gráfico

Leia mais

Sistema Hospitalar - Módulo Auditoria v.1.0

Sistema Hospitalar - Módulo Auditoria v.1.0 Sistema Hospitalar - Módulo Auditoria v.1.0 Manual do usuário Versão 01.02 [Este template faz parte integrante do Processo de Desenvolvimento de Sistemas da DTI (PDS-DTI) e deve ser usado em conjunto com

Leia mais

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador.

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador. - INTRODUÇÃO O Programa pode ser instalado em qualquer equipamento que utilize o sistema operacional Windows 95 ou superior, e seu banco de dados foi desenvolvido em MySQL, sendo necessário sua pré-instalação

Leia mais

Manual do Usuário - Portal Intranet

Manual do Usuário - Portal Intranet Manual do Usuário - [usado em conjunto com as recomendações do processo. Os textos em itálico-azul representam informações para auxiliar o preenchimento do template e devem ser removidos quando da sua

Leia mais

Manual de Instalação

Manual de Instalação Manual de Instalação Produto: n-control MSI Versão: 4.6 Versão do Doc.: 1.0 Autor: Aline Della Justina Data: 17/06/2011 Público-alvo: Clientes e Parceiros NDDigital Alterado por: Release Note: Detalhamento

Leia mais

KalumaFin. Manual do Usuário

KalumaFin. Manual do Usuário KalumaFin Manual do Usuário Sumário 1. DICIONÁRIO... 4 1.1 ÍCONES... Erro! Indicador não definido. 1.2 DEFINIÇÕES... 5 2. DESCRIÇÃO DO SISTEMA... 7 3. ACESSAR O SISTEMA... 8 4. PRINCIPAL... 9 4.1 MENU

Leia mais

Manual de Instalação e Configuração do SQL Express

Manual de Instalação e Configuração do SQL Express Manual de Instalação e Configuração do SQL Express Data alteração: 19/07/11 Pré Requisitos: Acesse o seguinte endereço e faça o download gratuito do SQL SRVER EXPRESS, conforme a sua plataforma x32 ou

Leia mais

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA Compartilhamento de Arquivos no Google Drive Sumário (Clique sobre a opção desejada para ir direto à página correspondente) Utilização do Google Grupos Introdução...

Leia mais

Portal Contador Parceiro

Portal Contador Parceiro Portal Contador Parceiro Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa 1. Portal Contador Parceiro... 03 2. Acesso ao Portal... 04 3. Profissionais...11 4. Restrito...16 4.1 Perfil... 18 4.2 Artigos...

Leia mais

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA Criação de Formulários no Google Drive Sumário (Clique sobre a opção desejada para ir direto à página correspondente) Criação de Formulários no Google Drive Introdução...

Leia mais

Preparando o Ambiente e Instalando o System Center Configuration Manager 2012 R2

Preparando o Ambiente e Instalando o System Center Configuration Manager 2012 R2 Preparando o Ambiente e Instalando o System Center Configuration Manager 2012 R2 Artigo escrito por Walter Teixeira wteixeira.wordpress.com Sumário Cenário Proposto... 3 Preparação do Servidor SQL Server

Leia mais

MicrovixPOS Requisitos, Instalação e Execução

MicrovixPOS Requisitos, Instalação e Execução MicrovixPOS Requisitos, Instalação e Execução Autor Público Alvo Rodrigo Cristiano dos Santos Suporte Técnico, Consultoria e Desenvolvimento. Histórico Data 13/06/2012 Autor Rodrigo Cristiano Descrição

Leia mais

3.000.000 de registros de candidatos e respondentes de pesquisa, número que continua crescendo.

3.000.000 de registros de candidatos e respondentes de pesquisa, número que continua crescendo. SUMÁRIO 1 1 - Conceitos Gerais O CRQ é um sistema de controle de qualidade utilizado na etapa de recrutamento de estudos de natureza qualitativa. Ele é um banco de dados que tem como principal objetivo

Leia mais

Solicitação de Manutenção de Veículo. Manual SRM

Solicitação de Manutenção de Veículo. Manual SRM Manual SRM 1 Índice 1. Requerimentos Técnicos para Utilização do Sistema... 4 1.1 Hardware... 4 1.2 Software... 5 1.3 Conexão à Internet... 9 2. Desabilitação do Bloqueio Automático de Pop-ups...10 3.

Leia mais

Manual de Instalação

Manual de Instalação Manual de Instalação Sumário 1. Sobre este documento...3 2. Suporte técnico...3 3. Requisitos de hardware...3 3.1. Estação...3 3.2. Servidor...4 4. Instalação...4 4.1. Instalação do Group Folha no servidor...6

Leia mais

O serviço de Gateway Remoto é instalado em um computador, onde um ou diversos rádios móveis Hytera podem ser conectados via cabo USB e áudio.

O serviço de Gateway Remoto é instalado em um computador, onde um ou diversos rádios móveis Hytera podem ser conectados via cabo USB e áudio. Visão Geral O Gateway Remoto Hytracks tem por objetivo atuar como uma extensão do Servidor principal, visando atender regiões muito distantes do servidor através de um link IP. O serviço de Gateway Remoto

Leia mais

Manual de Uso Wordpress

Manual de Uso Wordpress Manual de Uso Wordpress Olá! Seja bem vindo ao igual. Agora você pode transmitir todas as notícias importantes da sua comunidade de forma mais simples e eficiente. Mas para que isso aconteça, primeiro

Leia mais

Manual de Instalação ProJuris8

Manual de Instalação ProJuris8 Manual de Instalação ProJuris8 Sumário 1 - Requisitos para a Instalação... 3 2 - Instalação do Firebird.... 4 3 - Instalação do Aplicativo ProJuris 8.... 8 4 - Conexão com o banco de dados.... 12 5 - Ativação

Leia mais

Di gitação de Eventos Versão 2.0 - Fevereiro/2015

Di gitação de Eventos Versão 2.0 - Fevereiro/2015 Digitação de Eventos Versão 2.0 - Fevereiro/2015 Índice 1 PLATAFORMA SAGE... 3 1.1 Primeiro Acesso... 4 1.2 Conhecendo a Plataforma... 5 1.3 Seleção da Empresa de Trabalho... 5 1.4 Sair do Sistema... 6

Leia mais

INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8

INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8 ÍNDICE INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8 ACESSO ÀS FERRAMENTAS 9 FUNÇÕES 12 MENSAGENS 14 CAMPOS OBRIGATÓRIOS

Leia mais

Construtor de sites SoftPixel GUIA RÁPIDO - 1 -

Construtor de sites SoftPixel GUIA RÁPIDO - 1 - GUIA RÁPIDO - 1 - Sumário Introdução...3 Por que utilizar o Construtor de Sites?...3 Vantagens do Construtor de Sites...3 Conceitos básicos...3 Configuração básica do site...5 Definindo o layout/template

Leia mais

Instalando software MÉDICO Online no servidor

Instalando software MÉDICO Online no servidor Instalando software MÉDICO Online no servidor A máquina denominada Servidora é a que armazenará o banco de dados do software (arquivo responsável pelas informações inseridas), compartilhando com as demais

Leia mais

TeamViewer 9 Manual Management Console

TeamViewer 9 Manual Management Console TeamViewer 9 Manual Management Console Rev 9.2-07/2014 TeamViewer GmbH Jahnstraße 30 D-73037 Göppingen www.teamviewer.com Sumário 1 Sobre o TeamViewer Management Console... 4 1.1 Sobre o Management Console...

Leia mais

Tutorial WEB CONTENT MANAGEMENT [WCM] Obtenha benefícios a partir das aplicações customizadas da ADMT.

Tutorial WEB CONTENT MANAGEMENT [WCM] Obtenha benefícios a partir das aplicações customizadas da ADMT. Tutorial WEB CONTENT MANAGEMENT [WCM] Obtenha benefícios a partir das aplicações customizadas da ADMT. PÁGINA: 2 de 21 Nenhuma parte deste documento pode ser utilizado ou reproduzido, em qualquer meio

Leia mais

1. Introdução... 5. 2. Instalação do Módulo Gerenciador de Acessos SinaGAS... 6. 3. Tipos de Autenticação... 8. 3.1. Autenticação Sinacor...

1. Introdução... 5. 2. Instalação do Módulo Gerenciador de Acessos SinaGAS... 6. 3. Tipos de Autenticação... 8. 3.1. Autenticação Sinacor... Índice 1. Introdução... 5 2. Instalação do Módulo Gerenciador de Acessos SinaGAS... 6 3. Tipos de Autenticação... 8 3.1. Autenticação Sinacor... 8 3.2. Autenticação AD... 11 4. Fluxo Operacional... 14

Leia mais

Manual Prescrição Fácil

Manual Prescrição Fácil TH Sistemas Web Manual Prescrição Fácil HTTP:// Sumário Prescrição Fácil... 3 Como cadastrar no sistema?... 3 Tela Inicial... 5 Configuração Parâmetro... 5 Configuração - Alterar Senha... 6 Prescrição

Leia mais

Requisitos Mínimos para instalação do Antivírus McAfee

Requisitos Mínimos para instalação do Antivírus McAfee Requisitos Mínimos para instalação do Antivírus McAfee Requisitos Mínimos do computador: Microsoft Windows 2000 (32 bits) com Service Pack 4 (SP4) ou superior, Windows XP (32 bits) com Service Pack 1 (SP1)

Leia mais

CONFIGURAÇÃO PARA ACESSO À FAMERPNET INTERNET WIRELESS

CONFIGURAÇÃO PARA ACESSO À FAMERPNET INTERNET WIRELESS Willian Spinola Alves dos Santos Érico Alessandro Gandolfi João Marcelo Rondina CONFIGURAÇÃO PARA ACESSO À FAMERPNET INTERNET WIRELESS São José do Rio Preto 2012 Santos, Willian Spinola Alves dos. Configuração

Leia mais

3 - Tela Principal. Itens importantes da página

3 - Tela Principal. Itens importantes da página SUMÁRIO 1 1 - Conceitos Gerais O CRQ é um sistema de controle de qualidade utilizado na etapa de recrutamento de estudos de natureza qualitativa. Ele é um banco de dados que tem como principal objetivo

Leia mais

INTRODUÇÃO. A SKA preparou este documento técnico com o objetivo de auxiliar seus clientes a realizar a instalação do SolidWorks 2010.

INTRODUÇÃO. A SKA preparou este documento técnico com o objetivo de auxiliar seus clientes a realizar a instalação do SolidWorks 2010. Guia de Instalação do SolidWorks 2010 INTRODUÇÃO A SKA preparou este documento técnico com o objetivo de auxiliar seus clientes a realizar a instalação do SolidWorks 2010. O SolidWorks pode ser instalado

Leia mais

Microsoft PowerPoint

Microsoft PowerPoint Microsoft PowerPoint Microsoft PowerPoint é utilizado para desenvolver apresentações. Os trabalhos desenvolvidos com este aplicativo normalmente são apresentados com o auxílio de um datashow. Apresentações

Leia mais

Manual UNICURITIBA VIRTUAL para Professores

Manual UNICURITIBA VIRTUAL para Professores Manual UNICURITIBA VIRTUAL para Professores 1 2 2015 Sumário 1 Texto introdutório... 3 2 Como Acessar o UNICURITIBA VIRTUAL... 3 3 Tela inicial após login... 3 3.1) Foto do perfil... 4 3.2) Campo de busca...

Leia mais

1. Introdução. 2. Funcionamento básico dos componentes do Neteye

1. Introdução. 2. Funcionamento básico dos componentes do Neteye 1. Introdução Esse guia foi criado com o propósito de ajudar na instalação do Neteye. Para ajuda na utilização do Software, solicitamos que consulte os manuais da Console [http://www.neteye.com.br/help/doku.php?id=ajuda]

Leia mais

Curso de Capacitação em Gerenciador de Conteúdo PLONE

Curso de Capacitação em Gerenciador de Conteúdo PLONE Curso de Capacitação em Gerenciador de Conteúdo PLONE 1 Índice Dicas iniciais O que é o Plone? 3 Formulário de Solicitação 6 Acesso ao Plone 6 Configurações do Site 14 Inserindo Conteúdo Inserir Pastas

Leia mais