UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI TATIANA YAMBANIS THOMAZ. Gestão do conhecimento e o uso de sistemas de informação na valorização do capital intelectual

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI TATIANA YAMBANIS THOMAZ. Gestão do conhecimento e o uso de sistemas de informação na valorização do capital intelectual"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI TATIANA YAMBANIS THOMAZ Gestão do conhecimento e o uso de sistemas de informação na valorização do capital intelectual SÃO PAULO 2010

2 ii TATIANA YAMBANIS THOMAZ Gestão do conhecimento e o uso de sistemas de informação na valorização do capital intelectual Trabalho de Conclusão de Curso apresentado como exigência parcial para a obtenção do título de Graduação do Curso de Engenharia de Produção da Universidade Anhembi Morumbi Orientador: Prof. Dr. José Carlos Jacintho SÃO PAULO 2010

3 iii TATIANA YAMBANIS THOMAZ Gestão do conhecimento e o uso de sistemas de informação na valorização do capital intelectual Trabalho de Conclusão de Curso apresentado como exigência parcial para a obtenção do título de Graduação do Curso de Engenharia de Produção da Universidade Anhembi Morumbi Trabalho apresentado em: 06 de Dezembro de Prof. Dr. José Carlos Jacintho Prof. Dr. Marcos R. Bonfadini Comentários:

4 iv Dedico este trabalho a minha mãe, pela paciência em revisar estas páginas; a meu irmão, pela coragem na escolha da mesma profissão; a Gaia, presente em todos os momentos.

5 v Vivemos em uma sociedade em que informação é barata, conhecimento é caro e sabedoria é rara Dennis Tsichritziz Empresas são organismos vivos. Seus processos são o reflexo de um determinado momento. As melhorias ocorrem quando o contexto e a infra-estrutura evoluem, gerando grandes oportunidades. Clovis Bergamo Filho

6 vi RESUMO A partir da análise indutiva da empresa em que a autora trabalhou por cerca de 5 anos, desenvolveu-se um trabalho para identificar e melhorar os processos que permeiam a área de vendas e que colocam as práticas de gestão do conhecimento fora do foco da empresa. Buscou-se, através de pesquisa ao referencial teórico, abranger os principais autores que pudessem auxiliar no levantamento de possíveis soluções para o atual estado de gestão da informação presente no local estudado. Definições de termos como gestão e conhecimento são apresentadas, para que se compreendam os conceitos e suas aplicações, e não somente se busquem no mercado soluções de sistemas da informação que, por muitas vezes, não atendam à necessidade do negócio. O objeto de análise apresenta-se de forma desestruturada, com excesso de retrabalho pelos departamentos envolvidos no estudo e com poucas possibilidades de alteração da atual situação. Dessa forma, foi proposta uma reestruturação organizacional, para que as ações apontadas pudessem ser concretizadas. Além disso, foram apresentadas ações de modificação da cultura empresarial, interações entre os departamentos e conceitos básicos que permeariam um novo sistema. Palavras-Chave: Gestão do Conhecimento, Informação, Tecnologia, Valorização do Trabalho.

7 vii ABSTRACT The aim of this paper, which the inductive analysis was made in the company that the author worked for, around five years, is to identify and improve the sales department process that place the enterprise company focus out of the knowledge management practices. The theoretical research objective was to cover the renowned authors in order to help in the identification of possible solutions to the actual state of information management that takes place in the studied company. Definitions of terms such as knowledge and management are presented for the understanding of concepts and its applications and not only to search the market for systems solutions that, sometimes, may not meet the need of the business itself. The analised object is presented on an unstructured manner, with excessive rework in the study involved departments and with few possibilities of changing the current situation. Thus, we proposed an organisational restructure so the pointed actions would be implemented. Moreover, modifications on the corporate culture, interactions between departments and basic concepts that permeate a new system were presented. Key Words: Knowledge Management, Information, Technology, Work Valorisation

8 viii LISTA DE FIGURAS Figura 5.1 Esquema da definição de conhecimento de Platão... 7 Figura 5.2 Criação do conhecimento em administração da produção... 9 Figura 5.3 Fluxo geral de sistemas da informação Figura 5.4 Fluxo de informações para data warehouse Sistema de business intelligence Figura 5.5 Integração com ERP Figura 5.6 Ciclo de gestão do conhecimento Figura 6.1 Organograma atual da empresa Figura 6.2 Esquema dos processos da empresa, da cotação à entrega Figura 6.3 Captura da tela inicial do emulador Figura 6.4 Fluxograma de solicitação de cotação, interação de Vendas e Marketing Figura 6.5 Rotina padrão do Departamento de Logística Figura 6.6 Rotina do Departamento de Logística para o mercado B Figura 6.7 Rotina do Departamento de Logística para o mercado A Figura 6.8 Exemplo de planilha de controle de cotações gerada no Excel Figura 6.9 Rotina do processo de cotação realizado pelo vendedor Figura 6.10 Exemplo de planilha de controle de pedidos de itens novos Figura 6.11 Rotina de entrada de pedido de item novo Figura 7.1 Esquema das interações departamentais Figura 7.2 Novo organograma... 51

9 ix LISTA DE TABELAS Tabela 5.1 Modelos de conversão do conhecimento... 8 Tabela 5.2 Conceitos relacionados à informação... 13

10 x SUMÁRIO p. 1. INTRODUÇÃO OBJETIVOS Objetivo Geral Objetivo Específico MÉTODO DE TRABALHO JUSTIFICATIVA REFERENCIAL TEÓRICO Conceitos básicos Conhecimento Conhecimento Tácito e Explícito Gestão Informação Sistema Tecnologia Sistema da Informação Redes de comunicação Internet / Intranet/ Extranet EDI E-business e E-commerce Dados Data mining Data Warehouse e Business Intelligence Softwares Enterprise Resource Planning Microsoft Office... 17

11 xi Segurança Níveis de Maturidade em TI Sistemas Especialistas Novas formas de enxergar o trabalho Gestão do Conhecimento ANÁLISE INDUTIVA Estrutura da empresa Departamentos decisivos ao negócio Departamento de Tecnologia da Informação Sistemas e ferramentas padrão da empresa AS/400 - ERP EDI Pacote Microsoft Office Intranet e Rede Departamental Departamentos de Engenharia e Marketing Departamento de Logística Departamento de Vendas Gestão da Informação no Departamento de Vendas Gestão global da informação PROPOSTAS DE MELHORIA Organização, Sistemas e Métodos Padronização de procedimentos Nova cultura Planos de sucessão Valorização do trabalho... 50

12 xii 7.5 Organograma Organização do conhecimento Business Intelligence e Sistemas Especialistas aplicados ao E-business modelo de sistema Resultados esperados CONCLUSÃO REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS APÊNDICE ANEXOS... 63

13 1. INTRODUÇÃO A primeira pergunta que qualquer gestor deveria fazer a si mesmo e a seus funcionários é O que você faz nesta empresa?. Se a resposta for uma tarefa e não o produto da empresa, algo está errado. Toda empresa é um processo e, como tal, cada integrante deste, independente de seu nível hierárquico, deveria ser capacitado para entender seu papel, sua importância e, acima de tudo, como poderia melhorar o processo, seja apenas fazendo corretamente sua função, seja expandindo os horizontes da corporação quanto a possíveis mudanças em sua área. Porém, conhecer seu lugar no processo não significa conhecimento e formação suficientes para modificações no todo. Dessa forma, cada grupo de funcionários deveria ser profundo conhecedor de sua área e das interseções existentes entre sua função e as de outros grupos. O problema encontrado na maioria das empresas vem de dois fatores: a falta de cultura empresarial 1 e, por consequência a manutenção de conceitos de gestão ultrapassados, e a manutenção de cargos, não por mérito, e sim pelo fato de o funcionário ser o único que sabe como realizar determinada tarefa. A atualização dessa cultura empresarial é papel da própria empresa; ela é fruto de seu posicionamento frente ao mercado, de como ela quer ser vista (empresa inovadora, que investe em seus produtos e funcionários) e frente os concorrentes (conhecendo bem o mercado onde está inserida, a necessidade de seus clientes e funcionários). A ausência desse autoconhecimento por parte da corporação, poderá levá-la a uma gestão ineficaz ou à manutenção de hábitos outrora promissores mas que, na situação em questão, já se tornaram ultrapassados. 1 Cultura empresarial ou corporativa é a forma padrão como um determinado grupo se relaciona. Esta pode ser moldada ao passar do tempo ou ser baseado em normas e regras, comumente presentes em guias de conduta.

14 2 Essa lacuna se reflete diretamente na manutenção de funcionários que não entendem o porquê de sua existência no sistema empresarial. Esses funcionários acabam acomodando-se frente a sua carreira. Quando isso não ocorre, bons colaboradores acabam trocando de emprego na busca de um lugar que os valorize. Muitos empregados são mantidos nas empresas não por sua raridade (no sentido de alto valor agregado), e sim pela ausência de um possível substituto que possa desempenhar tal função. Nesses casos, a empresa coloca-se nas mãos de uma única pessoa, que pode, a qualquer momento e por diversos motivos, deixar seu trabalho e, possivelmente, trazer prejuízos para o grupo, mensuráveis ou não. A competência pode ser atribuída a diferentes atores; de um lado, temos a organização que possui um conjunto de competências que lhe são próprias, advindas de sua gênese e formação ao longo do tempo. Podemos defini-las como características de seu patrimônio de conhecimentos que lhe conferem vantagens competitivas no contexto em que se insere. De outro lado, temos as pessoas que possuem um conjunto de competências que podem ou não estar sendo aproveitadas pela organização Podemos defini-las como a capacidade da pessoa de agregar valor ao patrimônio de conhecimentos da organização. (DUTRA, 2008) Levando-se em conta esse cenário, é de fundamental importância que a gestão das empresas seja feita de forma lógica, objetiva, e que acompanhe as mudanças do mercado. Uma das ramificações da gestão empresarial é a gestão do conhecimento. Segundo Martins et al (2006), os recursos de uma empresa podem ser divididos em: Materiais, Patrimoniais, Capital, Tecnológicos e Humanos. Este último recurso, o humano, acaba tornando-se o mais importante e de mais difícil compreensão e manutenção, uma vez que foge dos conceitos lógicos e práticos, já que se está lidando com a diversidade humana. No tocante ao conhecimento, a enciclopédia de filosofia de Stanford apresenta os seguintes possíveis significados para conhecimento, segundo os diálogos de Platão Theaetetus (399 a.c.): Conhecimento é percepção (151e-187a); Conhecimento é o correto julgamento (187b-201c); Conhecimento é o julgamento com uma explicação (201d-210a); Conhecimento de algo é a verdadeira

15 3 crença em algo mais uma explicação de como este algo é composto. Se algo não tem composição, então algo não é conhecido, mas apenas perceptível (201d8-202d7). A mesma fonte indica, em seu estudo sobre Pós-Modernismo (Postmodernism), que Jean-François Lyotard, em sua obra La condition Postmoderne (1979), observa: Os tempos da computação transformaram conhecimento em informação, isto é, mensagem codificada dentro de um sistema de transmissão e comunicação. (...) sua transmissão e recepção, deve seguir regras para que seja aceita pelos que a julgam. O conceito de Lyotard (1979) é utilizado na atualidade, de forma consciente ou não. As empresas e os pesquisadores que fazem uso de gestão do conhecimento adotaram como axioma que o conhecimento é a informação. Desta forma, deter informações é deter o conhecimento. A gestão do conhecimento refere-se ao conjunto de processos desenvolvidos em uma organização para criar, armazenar, transferir e aplicar conhecimento. (Laudon e Laudon, 2008) Entretanto, não é qualquer tipo de conhecimento que agrega valor, e sim aquele que gera ou tem a capacidade de gerar riqueza 2. Nossa sociedade tornou-se a sociedade do conhecimento. Em paralelo ao conhecimento, a tecnologia evolui deslocando a mão-de-obra dos trabalhos físicos para os intelectuais. A gestão do conhecimento busca, portanto, socializar as ideias dos trabalhadores do conhecimento para toda empresa e que este organismo seja alimentado, gerando novo conhecimento para melhorar o processo. 2 O conceito de riqueza apresenta grande espectro de interpretação. Para cada indivíduo ele pode adquirir um sentido diferente e o mesmo ocorre nas interpretações feitas pelas empresas sobre o tópico. Cabe a cada um, seja pessoa física ou jurídica, definir o valor desta palavra, seja em termos monetários, de conhecimento, de projeção da marca ou nome, entre outros.

16 4 2. OBJETIVOS O objetivo deste trabalho foi pesquisar, analisar e compreender como a gestão do conhecimento pode auxiliar na tomada de decisões empresariais. 2.1 Objetivo Geral Como objetivo geral, foram verificadas metodologias para análise de valor, tendências frente à produção do conhecimento e soluções de sistemas de informações que integrem as diferentes áreas de uma empresa. 2.2 Objetivo Específico Através de análise indutiva buscou-se demonstrar, em uma empresa que não utiliza métodos avançados de gestão do conhecimento, como a implementação de um sistema de gestão do conhecimento viabilizaria e melhoraria a integração entre as diversas áreas produtoras de conhecimento.

17 5 3. MÉTODO DE TRABALHO Primeiramente foi realizada uma revisão bibliográfica, para posicionar os conceitos que envolvem o tema. Após, foi introduzida, em forma de análise indutiva, experiência da autora referente à atuação profissional em área correlata. Posteriormente, foram apontadas soluções para os conflitos levantados.

18 6 4. JUSTIFICATIVA Empresas investem tempo e dinheiro no treinamento de novos funcionários. Novas tecnologias são lançadas ao mercado diariamente, praticamente obrigando a reciclagem 3 constante de seus colaboradores. Porém, a maioria das empresas não adota sistemas eficientes de gestão de conhecimento. Dessa forma, o valor do investimento é reduzido drasticamente quando um funcionário deixa a empresa, quando se aposenta ou, o que acontece diariamente nessas empresas, há retrabalho. Milhares de trabalhadores do conhecimento (dos setores de Engenharia, Administrativo ou Financeiro, por exemplo), criam todos os dias novos métodos, soluções ou apenas melhores práticas de resolução de um dado problema em seu trabalho, como atender o cliente, seja ele interno ou externo, da melhor forma possível. Mas toda essa criação de conhecimento é perdida, do ponto de vista corporativo, quando não é dividida e utilizada para gerar novo conhecimento. Empresas que usam a gestão do conhecimento para tomada de decisões, para troca de experiências e para condução de projetos internos nas empresas, ganham em produtividade e tornam o meio de trabalho um ambiente fértil e desafiador para todos os níveis hierárquicos. Com a evolução e o baixo custo dos atuais sistemas de informação, vê-se claramente que a nova ordem de trabalho mundial, baseada no conhecimento, será beneficiada com a troca de informações através de novos meios e formas, e as empresas que investirem hoje na educação e atualização de suas formas de trabalho estarão um passo à frente. 3 A reciclagem é um termo utilizado para referir-se à atualização de conhecimentos de uma pessoa. Remete mais ao conceito de melhoria contínuo do que reuso.

19 7 5. REFERENCIAL TEÓRICO Este referencial teórico tem como objetivo revisar a literatura em busca dos conceitos utilizados neste documento. 5.1 Conceitos básicos Este tópico pretende abordar os principais conceitos referentes ao tema estudado, para embasar o desenvolvimento teórico Conhecimento Segundo Stewart (1998), o valor de uma empresa é mais determinado por seu capital intelectual 4 do que financeiro. Este capital, por sua vez, é representado pelo conhecimento. e justificada: A definição clássica, de Platão diz que conhecimento é a crença verdadeira Figura 5.1 Esquema da definição de conhecimento de Platão Fonte: Elaborado pela autora (2010) 4 Capital Intelectual é o conhecimento científico, tecnológico, artístico e comercial aplicável na geração de riqueza social de que dispõem um individuo organização ou comunidade. (Bernardez, 2008)

20 8 Piéron, (1969) define conhecimento como um conjunto integrado de fatos e relações que, quando aplicado em uma área, produz uma atuação competente e resultados satisfatórios. ( ) o recurso econômico básico os meios de produção, para usar uma expressão dos capitalistas não é mais o capital, nem os recursos naturais, nem a mão-de-obra. Ele será o conhecimento. ( ) Hoje o valor é criado pela produtividade e pela inovação, que são aplicações do conhecimento ao trabalho. Os principais grupos sociais da sociedade do conhecimento serão os trabalhadores do conhecimento executivos que sabem como alocar conhecimento para usos produtivos, assim como os capitalistas sabiam como alocar capital para isso, profissionais do conhecimento e empregados do conhecimento. (Drucker, 1987) Conhecimento Tácito e Explícito Segundo Nonaka e Takeuchi (1997), conhecimento tácito é o disponível das pessoas, ele não está formalizado de forma concreta. O explícito, por sua vez, pode ser armazenado na forma de dados concretos e não somente na mente do indivíduo. Ainda, segundo eles, existem 4 formas de conversão dos tipos de conhecimento, sendo a externalização e a internalização apenas conversões, já a socialização e a combinação são formas de gerar novos conhecimentos. Tabela 5.1 Modelos de conversão do conhecimento Destino Tácito Explícito Tácito Socialização Externalização Origem Explícito Internalização Combinação Fonte: Nonaka e Takeuchi, 1997 Slack, Chambers e Johnston (2008) apresentam as mesmas 4 formas, porém não apenas no sentido de conversão, mas sim de criação do conhecimento:

21 9 Tácito Aprendendo da Experiência Explícito Articulando as experiências em regras Tácito Compreendendo o contexto das operações Criando o conceito geral das operações Socialização Refinando o conhecimento pelo seu uso Externalização Combinando formalmente os resultados de análise Explícito Experimentando refinando e ajustando Planejando e operacionalizando Internalização Combinação Figura 5.2 Criação do conhecimento em administração da produção Fonte: Slack et al, Gestão A palavra gestão é amplamente utilizada nos dias de hoje. Termos como gestão da produção, gestão da qualidade e gestão de pessoas são encontrados em livros, no ambiente de trabalho, nas faculdades. Contudo, muitas vezes, são aplicados de forma incorreta. O que se vê é a substituição, equivocada, do termo administração por gestão. Segundo o Novo Dicionário Aurélio: Gestão - [Do lat. gestione.] 1. Ato de gerir; gerência, administração. Administração - [Do lat. administratione.] 1. Ação de administrar. 2. Gestão de negócios públicos ou particulares.

22 10 3. Governo, regência. 4. Conjunto de princípios, normas e funções que têm por fim ordenar a estrutura e funcionamento de uma organização (empresa, órgão público etc.). 5. Prática desses princípios, normas e funções. 6. Função de administrador; gestão, gerência. Dessa forma, poder-se-ia concluir que os termos são sinônimos, porém, segundo Dias (2002), o começo desse desencontro entre os reais significados dos termos no Brasil tem como fonte as traduções. O termo Administration (Administração) em inglês significa, segundo o dicionário Macmillan As atividades envolvidas na gestão de um negócio, organizações ou instituição. Já o termo Management (Gestão) tem como definição: 1 O controle e operação de uma empresa. 2 O processo de controle ou gestão de algo. Dias apud Drucker (1987) conclui: Managers always have to administer, ou seja, Gestores sempre têm de administrar. Dessa forma, o correto seria definir administração como o trabalho prático, atividades realizadas para organização da empresa, e gestão, por sua vez, como o controle dessas práticas. Essas diferenças, ainda segundo Dias, podem ser vistas nos trabalhos de Fayol (1960) Administration industrielle et générale e no de Taylor (1990) The Scientific Management. Fayol buscava (...) assegurar a marcha das seis funções essenciais., ao passo que Taylor procurava estudar a fundo a produção e desenvolver técnicas para melhorar seu processo Informação O termo informação é empregado de várias formas. Seu significado está intimamente atrelado ao contexto em que é utilizado. Morin (2007) aponta: A Informação é uma noção central, mas problemática. Daí toda sua ambigüidade: não se pode dizer quase nada sobre ela, mas não se pode mais deixar de levá-la em conta. Segundo Isaac Epstein (1986), Informação é uma redução de incerteza, oferecida quando se obtém reposta a uma pergunta. Fenzl e Hofkirchner (2000) defendem que o conceito de informação está intimamente relacionado com a idéia de transformação, emergência da novidade.

23 11 Entre os significados presentes no Dicionário Aurélio, vale destacar: Ação de informar ou informar-se. Fator qualitativo que designa a posição de um sistema, e eventualmente transmitido a outro. Laudon e Laudon (2007) definem como dados apresentados de forma significativa e útil (...). Dessa forma, considerar-se-á que a palavra informação pode ser aplicada tanto no sentido de troca de materiais entre sistemas ou o conteúdo presente nas mensagens, sejam elas físicas, virtuais ou mentais Sistema Algumas definições de Sistema, segundo o Dicionário Aurélio: Reunião de princípios coordenados de modo a formar uma doutrina (...) Combinação de partes, que, coordenadas, concorrem para certo fim (...) Nogas, Luz e Navarro (2002) apontam que, ao interagirem com o ambiente, os sistemas são considerados abertos. Dessa forma, uma empresa, como recebe e transmite informações com outros sistemas e com o meio, é considerada como um sistema aberto. Churchman (1972) define como um conjunto de partes coordenadas para realizar um conjunto de finalidades. Zorrinho (1991) tem como definição um conjunto organizado, composto de duas ou mais partes independentes, componentes ou subsistemas e delimitada por fronteiras identificáveis em relação ao macrossistema envolvido". Dessa forma, sistema pode ser definido com um conjunto de ações interligadas com o objetivo de organizar o todo. 5.2 Tecnologia Da mesma forma que outros termos são aplicados à vida cotidiana de forma incorreta, o mesmo ocorre com a palavra tecnologia, como por exemplo, no termo tecnologia educacional, em que a palavra substitui técnicas. Ainda aplica-se a

24 12 questões que extrapolam o sentido do termo. Isso, em certa parte, deve-se, segundo Teixeira da Silva (2002), ao uso indiscriminado da palavra tecnologia, em áreas do conhecimento relacionadas às ciências humanas e sociais, principalmente no setor de serviços e informática. O sentido que é adotado neste trabalho é o presente no dicionário Macmillan, que aponta como significado de tecnologia: conhecimento científico avançado usado para propósitos práticos, especialmente na indústria Sistema da Informação Segundo Laudon e Laudon (2007): Um sistema de informação pode ser definido tecnicamente como um conjunto de componentes inter-relacionados que coletam (ou recuperam), processam, armazenam e distribuem informações destinadas a apoiar a tomada de decisões, a coordenação e o controle de uma organização. Além de dar apoio à tomada de decisões, à coordenação e ao controle, esses sistemas também auxiliam os gerentes e trabalhadores a analisar problemas, visualizar assuntos complexos e criar novos produtos. Dessa forma, procura-se distinguir sistema da informação de tecnologia da informação (TI), que são as ferramentas (hardwares e softwares) utilizadas para que uma empresa atinja uma melhor organização. Qualquer sistema de informação pode ser apresentado segundo Figura 5.3 abaixo. Entrada Processar / Classificar / Organizar / Calcular Saída Feedback Figura 5.3 Fluxo geral de sistemas da informação (Laudon e Laudon, 2007) Segundo Rosi e Palmisano (2006), o sistema depende da informação. Dessa forma, apontam os conceitos de informação segundo Laudon & Laudon (Tabela 5.2).

25 13 Tabela 5.2 Conceitos relacionados à informação CONCEITO Frequência Intensidade Redundância Custo/ Beneficio DEFINIÇÃO Diz respeito a quantas vezes uma informação é oferecida dentro de um determinado período de tempo. Está relacionada ao número de caracteres que somos capazes de receber, compreender e retransmitir dentro de um determinado período de tempo. Ela é calculada pelo tempo necessário para se compreender uma determinada situação. É o excesso de informação que se tem por unidade de elemento de dado. É uma segurança contra erros do processo de comunicação. Para se verificar uma redundância, basta suspender drasticamente a informação e verificar o que acontece. A informação só deve ser produzida se proporcionar um resultado, pelo menos, equivalente ao custo de sua produção. É a relação entre o custo da produção da informação e o beneficio que ela oferece ao tomador de decisões, é agregar valor a um determinado processo. Disponibilidade É o local e o momento em que a informação deve estar disponível. Transmissão Deve-se fazer com que os dados sejam transmitidos de forma eficiente, passando por um mínimo de pontos de transmissão, para que a informação chegue a seu destino sem distorções, omissões ou excesso, e no tempo oportuno. Fonte: Rosi e Palmisano, Redes de comunicação O objetivo das redes de comunicação é disponibilizar aos usuários todos os dados, programas e equipamentos, sem que precisem estar ligados fisicamente ao recurso. Para que a confiabilidade do sistema seja elevada, ou seja, para que, em caso de falhas, o processo não pare, é possível a aplicação de redes secundárias, normalmente chamadas de redes de backup. As pessoas (através de suas estações de trabalho) e os computadores que se encontram conectados à rede podem fazer a troca de dados e informações sem que seja necessária a utilização de qualquer outro método de comunicação. As redes são basicamente constituídas de pontos de conexão. Antigamente, esses pontos eram apenas as estações de trabalho e os computadores; porém, com o avanço dos aparelhos eletrônicos, as redes podem ser acessadas através de celulares, PDAs (Personal Digital Assistant), desde que elas permitam acesso externo.

26 14 Segundo Laudon e Laudon: A tecnologia de comunicações e de redes, composta por dispositivos físicos e softwares, interliga os diversos equipamentos de computação e transfere dados de uma localização física para outra.(...) Uma rede liga dois ou mais computadores(...) Internet / Intranet/ Extranet A internet é a rede mundial de computadores. A Internet não se encontra em um local, pois ela está em todas as partes, já que é formada de computadores conectados entre si em diferentes localizações físicas. De forma análoga, a intranet é uma rede de computadores privada, normalmente localizada dentro de uma empresa. A extranet, dessa forma, é a interligação de duas intranets, para a troca de informações apenas entre as duas redes EDI Segundo Potter et al (2005) EDI (Eletronic Data Interchange) ou Intercâmbio eletrônico de dados é umas das mais antigas contribuições de TI para inter-organizar a troca de dados. O EDI é um padrão de comunicação que permite a transferência eletrônica de documentos de rotina, como pedidos de compra, entre parceiros comerciais. Ele formata esses documentos de acordo com padrões pré-estabelecidos E-business e E-commerce Os conceitos de E-commerce (comércio eletrônico) e E-business (negócio eletrônico) são geralmente confundidos. Potter et al (2005) faz a distinção entre os dois mas utiliza ambos em seu livro como sinônimos. (...) E-commerce descreve o processo de compra, venda, transferência ou troca de produtos, serviços ou informações via redes de computador, incluindo a Internet. (...). E-business refere-se a uma definição mais ampla de comércio eletrônico, não apenas a compra e venda de bens e serviços, mas também o atendimento a clientes, colaboração com parceiros empresariais, realização de E-learning e transações eletrônicas dentro de uma organização (grifos da autora)

27 Dados Segundo Laudon e Laudon dados são sequência de fatos brutos que representam eventos que ocorrem nas organizações ou no ambiente físico, antes de terem sido organizados e arranjados de uma forma que as pessoas possam entendê-los e usá-los. Para Angeloni (2002), dados são elementos brutos, sem significado, desvinculados da realidade. (...) São símbolos e imagens que não dissipam nossas incertezas. Eles constituem a matéria-prima da informação. Dados sem qualidade levam a informações e decisões da mesma natureza Data mining Todas as empresas são fontes inesgotáveis de dados. Todos os dias são salvas informações referentes a notas fiscais, compras, vendas, acessos a sistemas, informações sobre a produção. Mas as empresas fazem um bom uso desses dados, transformando-os em informações? Segundo Rosini e Palmisano (2003), O data mining consiste na extração automática de dados sobre padrões, tendências, associações, mudanças e anomalias previamente não-identificadas. O termo tem origem no inglês e significa mineração de dados ou prospecção de dados. Ainda segundo Rosini e Palmisano (2003), Data Mining é uma tecnologia que emergiu da intersecção de três áreas: estatística clássica, inteligência artificial e aprendizado de máquina (...). Laudon e Laudon (2007) reforçam que o data mining é mais orientado por descoberta, e que os tipos de dados e, por conseqüência, informações que podem ser obtidas, incluem associações, sequências, classificações, aglomerações e prognósticos. Eles também destacam a Análise preditiva, que poderia usar históricos de dados, DM e suposições, para prever condições futuras e prever resultados de eventos.

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAIS

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAIS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAIS O PODER DA INFORMAÇÃO Tem PODER quem toma DECISÃO Toma DECISÃO correta quem tem SABEDORIA Tem SABEDORIA quem usa CONHECIMENTO Tem CONHECIMENTO quem possui INFORMAÇÃO (Sem

Leia mais

A evolução da tecnologia da informação nos últimos 45 anos

A evolução da tecnologia da informação nos últimos 45 anos A evolução da tecnologia da informação nos últimos 45 anos Denis Alcides Rezende Do processamento de dados a TI Na década de 1960, o tema tecnológico que rondava as organizações era o processamento de

Leia mais

Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE. Prof. Luís Rodolfo

Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE. Prof. Luís Rodolfo Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Luís Rodolfo Vantagens e desvantagens de uma rede para a organização Maior agilidade com o uso intenso de redes de computadores; Grandes interações

Leia mais

CONHECENDO E CONCEITUANDO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

CONHECENDO E CONCEITUANDO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONHECENDO E CONCEITUANDO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Franco Vieira Sampaio 1 Atualmente a informática está cada vez mais inserida no dia a dia das empresas, porém, no início armazenavam-se os dados em folhas,

Leia mais

Estratégias em Tecnologia da Informação

Estratégias em Tecnologia da Informação Estratégias em Tecnologia da Informação Capítulo 6 Sistemas de Informações Estratégicas Sistemas integrados e sistemas legados Sistemas de Gerenciamento de Banco de Dados Material de apoio 2 Esclarecimentos

Leia mais

Fundamentos de Sistemas de Informações: Exercício 1

Fundamentos de Sistemas de Informações: Exercício 1 Fundamentos de Sistemas de Informações: Exercício 1 Fundação Getúlio Vargas Estudantes na Escola de Administração da FGV utilizam seu laboratório de informática, onde os microcomputadores estão em rede

Leia mais

Estratégias em Tecnologia da Informação. Posição e Vantagem Competitiva Aplicações integradas Aplicações Web

Estratégias em Tecnologia da Informação. Posição e Vantagem Competitiva Aplicações integradas Aplicações Web Estratégias em Tecnologia da Informação Capítulo 09 Posição e Vantagem Competitiva Aplicações integradas Aplicações Web Material de apoio 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina

Leia mais

Capital Intelectual. O Grande Desafio das Organizações. José Renato Sátiro Santiago Jr. José Renato Sátiro Santiago. Novatec

Capital Intelectual. O Grande Desafio das Organizações. José Renato Sátiro Santiago Jr. José Renato Sátiro Santiago. Novatec Capital Intelectual O Grande Desafio das Organizações José Renato Sátiro Santiago Jr. José Renato Sátiro Santiago Novatec 1 Tudo começa com o conhecimento A gestão do conhecimento é um assunto multidisciplinar

Leia mais

Respostas da Lista de Exercícios do Módulo 1: Fundamentos dos SI. Resposta do Exercício 1

Respostas da Lista de Exercícios do Módulo 1: Fundamentos dos SI. Resposta do Exercício 1 Respostas da Lista de Exercícios do Módulo 1: Fundamentos dos SI Resposta do Exercício 1 Fundação Getúlio Vargas Leia o texto e responda o seguinte: a) identifique os recursos de: Hardware: microcomputadores,

Leia mais

Tecnologias e Sistemas de Informação

Tecnologias e Sistemas de Informação Universidade Federal do Vale do São Francisco Curso de Administração Tecnologia e Sistemas de Informação - 02 Prof. Jorge Cavalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br www.univasf.edu.br/~jorge.cavalcanti

Leia mais

Sistemas de Informação Gerenciais Primeira Aula

Sistemas de Informação Gerenciais Primeira Aula Faculdade Pitágoras de Uberlândia Pós-graduação Sistemas de Informação Gerenciais Primeira Aula Prof. Me. Walteno Martins Parreira Júnior www.waltenomartins.com.br Maio -2013 Bibliografia básica LAUDON,

Leia mais

Aula 15. Tópicos Especiais I Sistemas de Informação. Prof. Dr. Dilermando Piva Jr.

Aula 15. Tópicos Especiais I Sistemas de Informação. Prof. Dr. Dilermando Piva Jr. 15 Aula 15 Tópicos Especiais I Sistemas de Informação Prof. Dr. Dilermando Piva Jr. Site Disciplina: http://fundti.blogspot.com.br/ Conceitos básicos sobre Sistemas de Informação Conceitos sobre Sistemas

Leia mais

Os novos usos da tecnologia da informação na empresa

Os novos usos da tecnologia da informação na empresa Os novos usos da tecnologia da informação na empresa Internet promoveu: Transformação Novos padrões de funcionamento Novas formas de comercialização. O maior exemplo desta transformação é o E- Business

Leia mais

E-Business global e colaboração

E-Business global e colaboração E-Business global e colaboração slide 1 2011 Pearson Prentice Hall. Todos os direitos reservados. 2.1 Copyright 2011 Pearson Education, Inc. publishing as Prentice Hall Objetivos de estudo Quais as principais

Leia mais

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Roberto Marcello SI Sistemas de gestão A Gestão dos Sistemas Integrados é uma forma organizada e sistemática de buscar a melhoria de resultados.

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA Capítulo 2 SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA 2.1 2003 by Prentice Hall OBJETIVOS Quais são as principais aplicações de sistemas na empresa? Que papel eles desempenham? Como os sistemas de informação apóiam

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 1.1 2003 by Prentice Hall Sistemas de Informação José Celso Freire Junior Engenheiro Eletricista (UFRJ) Mestre em Sistemas Digitais (USP) Doutor em Engenharia de Software (Universit(

Leia mais

Conceitos de Sistemas de Informação

Conceitos de Sistemas de Informação Conceitos de Sistemas de Informação Prof. Miguel Damasco AEDB 1 Objetivos da Unidade 1 Explicar por que o conhecimento dos sistemas de informação é importante para os profissionais das empresas e identificar

Leia mais

E-business: Como as Empresas Usam os Sistemas de Informação

E-business: Como as Empresas Usam os Sistemas de Informação Capítulo 2 E-business: Como as Empresas Usam os Sistemas de Informação 2.1 2007 by Prentice Hall OBJETIVOS DE ESTUDO Identificar e descrever as principais características das empresas que são importantes

Leia mais

DCC133 Introdução à Sistemas de Informação. E-business global e colaboração

DCC133 Introdução à Sistemas de Informação. E-business global e colaboração Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação DCC133 Introdução à Sistemas de Informação TÓPICO 2 E-business global e colaboração Prof. Tarcísio de Souza Lima OBJETIVOS DE ESTUDO Identificar e descrever

Leia mais

Seu dia é mais inteligente

Seu dia é mais inteligente Seu dia é mais inteligente O 2007 Microsoft Office system é uma plataforma de soluções inteligentes para tarefas operacionais, estratégicas e organizacionais. O conjunto de aplicativos e servidores e a

Leia mais

Prof. Lucas Santiago

Prof. Lucas Santiago Classificação e Tipos de Sistemas de Informação Administração de Sistemas de Informação Prof. Lucas Santiago Classificação e Tipos de Sistemas de Informação Sistemas de Informação são classificados por

Leia mais

Universidade Cruzeiro do Sul. Campus Virtual Unidade I: Unidade: Processos Mercadológicos

Universidade Cruzeiro do Sul. Campus Virtual Unidade I: Unidade: Processos Mercadológicos Universidade Cruzeiro do Sul Campus Virtual Unidade I: Unidade: Processos Mercadológicos 2010 0 O Processo pode ser entendido como a sequência de atividades que começa na percepção das necessidades explícitas

Leia mais

ERP Enterprise Resourse Planning Sistemas de Gestão Empresarial

ERP Enterprise Resourse Planning Sistemas de Gestão Empresarial ERP Enterprise Resourse Planning Sistemas de Gestão Empresarial Prof. Pedro Luiz de O. Costa Bisneto 14/09/2003 Sumário Introdução... 2 Enterprise Resourse Planning... 2 Business Inteligence... 3 Vantagens

Leia mais

Módulo 4: Gerenciamento de Dados

Módulo 4: Gerenciamento de Dados Módulo 4: Gerenciamento de Dados 1 1. CONCEITOS Os dados são um recurso organizacional decisivo que precisa ser administrado como outros importantes ativos das empresas. A maioria das organizações não

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA 1 OBJETIVOS 1. Quais são as principais aplicações de sistemas na empresa? Que papel eles desempenham? 2. Como os sistemas de informação apóiam as principais funções empresariais:

Leia mais

Engª de Produção Prof.: Jesiel Brito. Sistemas Integrados de Produção ERP. Enterprise Resources Planning

Engª de Produção Prof.: Jesiel Brito. Sistemas Integrados de Produção ERP. Enterprise Resources Planning ERP Enterprise Resources Planning A Era da Informação - TI GRI Information Resource Management -Informação Modo organizado do conhecimento para ser usado na gestão das empresas. - Sistemas de informação

Leia mais

Tecnologia da Informação e Comunicação. Douglas Farias Cordeiro

Tecnologia da Informação e Comunicação. Douglas Farias Cordeiro Tecnologia da Informação e Comunicação Douglas Farias Cordeiro Algumas coisas que vimos até aqui Qual a diferença entre as funções do analista e do projetista? Como funciona o ciclo de vida de um projeto

Leia mais

Universidade de Brasília. Faculdade de Ciência da Informação. Prof a Lillian Alvares

Universidade de Brasília. Faculdade de Ciência da Informação. Prof a Lillian Alvares Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Prof a Lillian Alvares Fóruns Comunidades de Prática Mapeamento do Conhecimento Portal Intranet Extranet Banco de Competências Memória Organizacional

Leia mais

Conceitos. - Sistema de Informação, Estruturas e Classificação. - Dados x Informações. Edson Almeida Junior www.edsonalmeidajunior.com.

Conceitos. - Sistema de Informação, Estruturas e Classificação. - Dados x Informações. Edson Almeida Junior www.edsonalmeidajunior.com. Conceitos - Sistema de Informação, Estruturas e Classificação - Dados x Informações Edson Almeida Junior www.edsonalmeidajunior.com.br Definição de Sistema Uma coleção de objetos unidos por alguma forma

Leia mais

Unidade I SISTEMAS PARA INTERNET E. Prof. Emanuel Matos

Unidade I SISTEMAS PARA INTERNET E. Prof. Emanuel Matos Unidade I SISTEMAS PARA INTERNET E SOFTWARE LIVRE Prof. Emanuel Matos Sumário Unidade I Principais tecnologias da rede digital Computação cliente/servidor Comutação de pacotes TCP/IP Sistemas de informação

Leia mais

Informação estratégica

Informação estratégica IVENS CONSULT Informação estratégica Ivan Leão diretor da Ivens Consult Introdução A revolução em andamento é que a manufatura ou produção não é mais principal centro de lucro e sim a logística, os sistemas

Leia mais

FORMAÇÃO. Algumas atividades já exercidas. Disciplina Informática Básica. Graduação: Processamento de Dados e Administração

FORMAÇÃO. Algumas atividades já exercidas. Disciplina Informática Básica. Graduação: Processamento de Dados e Administração Curso de Administração Cláudio Márcio, quem é você? Disciplina Informática Básica Prof. Msc. Cláudio Márcio cmarcio@gmail.com FORMAÇÃO Graduação: Processamento de Dados e Administração Pós-Graduação: Especialização:

Leia mais

Capítulo 13: Tecnologia da Informação. Prof.: Roberto Franciscatto

Capítulo 13: Tecnologia da Informação. Prof.: Roberto Franciscatto Capítulo 13: Tecnologia da Informação Prof.: Roberto Franciscatto Introdução Uma informação é um arranjo de dados (nomes, palavras, números, sons, imagens) capazes de dar forma ou sentido a algo do interesse

Leia mais

Sistema. Atividades. Sistema de informações. Tipos de sistemas de informação. Everson Santos Araujo everson@everson.com.br

Sistema. Atividades. Sistema de informações. Tipos de sistemas de informação. Everson Santos Araujo everson@everson.com.br Sistema Tipos de sistemas de informação Everson Santos Araujo everson@everson.com.br Um sistema pode ser definido como um complexo de elementos em interação (Ludwig Von Bertalanffy) sistema é um conjunto

Leia mais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning Planejamento de recursos empresariais O que é ERP Os ERPs em termos gerais, são uma plataforma de software desenvolvida para integrar os diversos departamentos de uma empresa,

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DA EMPRESA DIGITAL

ADMINISTRAÇÃO DA EMPRESA DIGITAL Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 1.1 Capítulo 1 ADMINISTRAÇÃO DA EMPRESA DIGITAL 1.1 2003 by Prentice Hall Sistemas de Informação Gerencial Capítulo 1 Administra,cão da Empresa Digital

Leia mais

Sistemas Integrados de Gestão História e Evolução do Conceito

Sistemas Integrados de Gestão História e Evolução do Conceito Sistemas Integrados de Gestão História e Evolução do Conceito Sistemas de Informação Prof. Gerson gerson.prando@fatec.sp.gov.br Evolução dos SI OPERACIONAL TÁTICO OPERACIONAL ESTRATÉGICO TÁTICO ESTRATÉGICO

Leia mais

Os Sistemas de Informação e a Evolução das Organizações

Os Sistemas de Informação e a Evolução das Organizações Os Sistemas de Informação e a Evolução das Organizações Leonardo C. de Oliveira1, Diogo D. S. de Oliveira1, Noemio C. Neto 1, Norberto B. de Araripe1, Thiago N. Simões1, Antônio L. M. S. Cardoso 1,2 1.Introdução

Leia mais

Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informações gerencias, editora Pearson, 2010. Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informação, editora LTC, 1999

Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informações gerencias, editora Pearson, 2010. Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informação, editora LTC, 1999 FSI capítulo 2 Referências bibliográficas: Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informações gerencias, editora Pearson, 2010 Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informação, editora LTC, 1999 Porter M., Competitive

Leia mais

ERP. Planejamento de recursos empresariais

ERP. Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning -Sistema de Gestão Empresarial -Surgimento por volta dos anos 90 -Existência de uma base de dados

Leia mais

Dados x Informações. Os Sistemas de Informação podem ser:

Dados x Informações. Os Sistemas de Informação podem ser: CONCEITOS INICIAIS O tratamento da informação precisa ser visto como um recurso da empresa. Deve ser planejado, administrado e controlado de forma eficaz, desenvolvendo aplicações com base nos processos,

Leia mais

Sistemas de Informações Gerenciais

Sistemas de Informações Gerenciais Sistemas de Informações Gerenciais Aula 4 Sistema de Informação SI baseado em computadores Organização, administração e estratégia Professora: Cintia Caetano INTRODUÇÃO Sistemas de Informação são parte

Leia mais

Capítulo 2 E-Business global e colaboração

Capítulo 2 E-Business global e colaboração Objetivos de estudo Capítulo 2 E-Business global e colaboração Quais as principais características de um negócio que são relevantes para a compreensão do papel dos sistemas de informação? Como os sistemas

Leia mais

Sistemas ERP. Conceitos Iniciais

Sistemas ERP. Conceitos Iniciais Sistemas ERP Prof. Breno Barros Telles do Carmo Conceitos Iniciais Sistema de Informação adquirido em forma de pacotes comerciais de software que permite a integração de dados de sistemas de informação

Leia mais

Sistemas de Apoio à Decisão. Ciências Contábeis Informática Aplicada

Sistemas de Apoio à Decisão. Ciências Contábeis Informática Aplicada Sistemas de Apoio à Decisão Ciências Contábeis Informática Aplicada Sistemas de Apoio à Decisão Segundo LAUDON (2004) apud SANTOS () afirma que um SAD tem por objetivo auxiliar o processo de decisão gerencial,

Leia mais

Sistemas. ções Gerenciais

Sistemas. ções Gerenciais Sistemas Como elaborar seu currículo? de Informaçõ 04/2006 ções Gerenciais Um currículo bem feito não garante sua contratação mas um currículo mal elaborado elimina-o do processo seletivo. Novas Tecnologias...

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONTÁBIL COMO FONTE DE TOMADA DE DECISÕES GERENCIAS

A IMPORTÂNCIA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONTÁBIL COMO FONTE DE TOMADA DE DECISÕES GERENCIAS A IMPORTÂNCIA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONTÁBIL COMO FONTE DE TOMADA DE DECISÕES GERENCIAS Linha de pesquisa: Sistema de informação gerencial Pâmela Adrielle da Silva Reis Graduanda do Curso de Ciências

Leia mais

RESUMO DA SOLUÇÃO CA ERwin Modeling. Como eu posso gerenciar a complexidade dos dados e aumentar a agilidade dos negócios?

RESUMO DA SOLUÇÃO CA ERwin Modeling. Como eu posso gerenciar a complexidade dos dados e aumentar a agilidade dos negócios? RESUMO DA SOLUÇÃO CA ERwin Modeling Como eu posso gerenciar a complexidade dos dados e aumentar a agilidade dos negócios? O CA ERwin Modeling fornece uma visão centralizada das principais definições de

Leia mais

ERP & BI ENTENTENDO A BUSCA CONSTANTE DAS EMPRESAS POR UM SISTEMA QUE FORNEÇA INFORMAÇÕES CONFIÁVEIS PARA TOMADA DE DECISÃO*

ERP & BI ENTENTENDO A BUSCA CONSTANTE DAS EMPRESAS POR UM SISTEMA QUE FORNEÇA INFORMAÇÕES CONFIÁVEIS PARA TOMADA DE DECISÃO* ERP & BI ENTENTENDO A BUSCA CONSTANTE DAS EMPRESAS POR UM SISTEMA QUE FORNEÇA INFORMAÇÕES CONFIÁVEIS PARA TOMADA DE DECISÃO* RESUMO Marilia Costa Machado - UEMG - Unidade Carangola Graciano Leal dos Santos

Leia mais

O QUE SÃO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO? Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.br

O QUE SÃO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO? Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.br O QUE SÃO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO? Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.br O QUE SÃO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO? Dado Informação Conhecimento Sistemas de Informação DADO O DADO consiste

Leia mais

SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL

SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL 1 SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL 1. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL (SIG) Conjunto integrado de pessoas, procedimentos, banco de dados e dispositivos que suprem os gerentes e os tomadores

Leia mais

EDITAL N 01/2014 DE 20 DE MAIO DE 2014 PROCESSO SELETIVO EXTERNO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

EDITAL N 01/2014 DE 20 DE MAIO DE 2014 PROCESSO SELETIVO EXTERNO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO ANEXO II EDITAL N 01/2014 DE 20 DE MAIO DE 2014 PROCESSO SELETIVO EXTERNO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO A-01 - ASSESSOR TECNICO III - COORDENADOR/SUPERVISOR PEDAGOGICO; A-02 - ASSESSOR TECNICO III - COORDENADOR/SUPERVISOR

Leia mais

Sistemas de Informação Empresarial. Gerencial

Sistemas de Informação Empresarial. Gerencial Sistemas de Informação Empresarial SIG Sistemas de Informação Gerencial Visão Integrada do Papel dos SI s na Empresa [ Problema Organizacional ] [ Nível Organizacional ] Estratégico SAD Gerência sênior

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA 2 SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA OBJETIVOS Quais são as principais aplicações de sistemas na empresa? Que papel eles desempenham? Como os sistemas de informação apóiam as principais funções empresariais:

Leia mais

GESTÃO DO CONHECIMENTO

GESTÃO DO CONHECIMENTO GESTÃO DO CONHECIMENTO OconceitodeGestãodoConhecimentosurgiunoinício da década de 90 e, segundo SVEIBY (1998, p. 3), a Gestão do Conhecimento não é mais uma moda de eficiência operacional. Faz parte da

Leia mais

Fundamentos do Sistema de Informação nas Empresas. Objetivos do Capítulo

Fundamentos do Sistema de Informação nas Empresas. Objetivos do Capítulo Objetivos do Capítulo Explicar por que o conhecimento dos sistemas de informação é importante para os profissionais das empresas e identificar as cinco áreas dos sistemas de informação que esses profissionais

Leia mais

ERP é um sistema de gestão empresarial que gerencia as informações relativas aos processos operacionais, administrativos e gerenciais das empresas.

ERP é um sistema de gestão empresarial que gerencia as informações relativas aos processos operacionais, administrativos e gerenciais das empresas. Introdução Sistemas de Informação é a expressão utilizada para descrever um Sistema seja ele automatizado (que pode ser denominado como Sistema Informacional Computadorizado), ou seja manual, que abrange

Leia mais

Prova INSS RJ - 2007 cargo: Fiscal de Rendas

Prova INSS RJ - 2007 cargo: Fiscal de Rendas Prova INSS RJ - 2007 cargo: Fiscal de Rendas Material de Apoio de Informática - Prof(a) Ana Lucia 53. Uma rede de microcomputadores acessa os recursos da Internet e utiliza o endereço IP 138.159.0.0/16,

Leia mais

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO EMPRESARIAL E A ADMINISTRAÇÃO DE PATRIMÔNIO ALUNO: SALOMÃO DOS SANTOS NUNES MATRÍCULA: 19930057

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO EMPRESARIAL E A ADMINISTRAÇÃO DE PATRIMÔNIO ALUNO: SALOMÃO DOS SANTOS NUNES MATRÍCULA: 19930057 INTRODUÇÃO SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO EMPRESARIAL E A ADMINISTRAÇÃO DE PATRIMÔNIO ALUNO: SALOMÃO DOS SANTOS NUNES MATRÍCULA: 19930057 Há algum tempo, podemos observar diversas mudanças nas organizações,

Leia mais

3) Descreva resumidamente a função do módulo de Compras do ERP da Microsiga e qual é a sua relação com o conceito de e-procurement.

3) Descreva resumidamente a função do módulo de Compras do ERP da Microsiga e qual é a sua relação com o conceito de e-procurement. Professor:José Alves Disciplina:SIG/ Atividade Nota Nome Aluno(a) Nºs Exercícios SIG 1) Defina, com suas palavras, o que é ERP? 2) Marque V para as afirmações verdadeiras em relação a um ERP e F para as

Leia mais

1: FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÕES

1: FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÕES 1: FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÕES 1 Os sistemas de informação (SI) utilizam hardware, software, redes de telecomunicações, técnicas de administração de dados computadorizadas e outras formas de

Leia mais

MBA Gestão da Tecnologia de Informação

MBA Gestão da Tecnologia de Informação MBA Gestão da Tecnologia de Informação Informações: Dias e horários das aulas: Segundas e Terças-feiras das 18h00 às 22h00 aulas semanais; Sábados das 08h00 às 12h00 aulas quinzenais. Carga horária: 600

Leia mais

Sistemas e Sistemas de Informação

Sistemas e Sistemas de Informação Sistemas e Sistemas de Informação 1) Defina pensamento sistêmico. É pensar na empresa como um sistema. A empresa não é vista como um conjunto de partes independentes, buscando alcançar objetivos isolados,

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação I

Administração de Sistemas de Informação I Administração de Sistemas de Informação I Prof. Farinha Aula 04 Conceito Sistema de Informação é uma série de elementos ou componentes inter-relacionados que coletam (entrada), manipulam e armazenam (processo),

Leia mais

Diferenciais do ERP TECNICON: Um caso da área de manufatura

Diferenciais do ERP TECNICON: Um caso da área de manufatura Diferenciais do ERP TECNICON: Um caso da área de manufatura Juliano Hammes (FAHOR) jh000697@fahor.com.br Gustavo Gerlach (FAHOR) gg000675@fahor.com.br Édio Polacinski (FAHOR) edio.pk@gmail.com.br Resumo

Leia mais

Introdução. Gestão do Conhecimento GC

Introdução. Gestão do Conhecimento GC Introdução A tecnologia da informação tem um aspecto muito peculiar quanto aos seus resultados, uma vez que a simples disponibilização dos recursos computacionais (banco de dados, sistemas de ERP, CRM,

Leia mais

Gestão de TI. Aula 9 - Prof. Bruno Moreno 27/06/2011

Gestão de TI. Aula 9 - Prof. Bruno Moreno 27/06/2011 Gestão de TI Aula 9 - Prof. Bruno Moreno 27/06/2011 Aula passada... CRM BI - Introdução Sistemas Interorganizacionais 17:08 2 Aula de hoje... Gestão do Conhecimento 17:08 3 85% dos ativos de conhecimento

Leia mais

Disciplina: Gestão Estratégica de TI Profº: João Carlos da Silva Junior

Disciplina: Gestão Estratégica de TI Profº: João Carlos da Silva Junior Disciplina: Gestão Estratégica de TI Profº: João Carlos da Silva Junior Conceitos Por que eu preciso deste curso? Não sou de TI Sou de TI conteúdo utilizado exclusivamente para fins didáticos 2 Não sou

Leia mais

Unidade II GESTÃO DO CONHECIMENTO. Profa. Leonor Cordeiro Brandão

Unidade II GESTÃO DO CONHECIMENTO. Profa. Leonor Cordeiro Brandão Unidade II GESTÃO DO CONHECIMENTO Profa. Leonor Cordeiro Brandão Relembrando Vimos alguns conceitos importantes: O que são dados; O que é informação; Quando uma informação se transforma em conhecimento;

Leia mais

40% dos consumidores da Copa das Confederações da FIFA 2013 consideraram a agilidade no atendimento como fator mais importante no comércio

40% dos consumidores da Copa das Confederações da FIFA 2013 consideraram a agilidade no atendimento como fator mais importante no comércio 440mil pequenos negócios no Brasil, atualmente, não utilizam nenhuma ferramenta de gestão, segundo o Sebrae Varejo 2012 27% 67% de comerciantes que não possuíam computadores dos que possuíam utilizavam

Leia mais

Prof. Rossini Monteiro

Prof. Rossini Monteiro LISTA DE EXERCÍCIOS DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO GERENCIAL-ENAD - Revisão Prof. Rossini Monteiro 1ª. O desempenho organizacional da empresa Persinex Ltda. Depende cada vez mais de um Sistema de Informações

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO (modelo )

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO (modelo ) POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO (modelo ) A Política de segurança da informação, na A EMPRESA, aplica-se a todos os funcionários, prestadores de serviços, sistemas e serviços, incluindo trabalhos executados

Leia mais

Planejamento de sistemas de informação.

Planejamento de sistemas de informação. Planejamento de sistemas de informação. O planejamento de sistemas de informação e da tecnologia da informação é o processo de identificação das aplicações baseadas em computadores para apoiar a organização

Leia mais

ADM041 / EPR806 Sistemas de Informação

ADM041 / EPR806 Sistemas de Informação ADM041 / EPR806 Sistemas de Informação UNIFEI Universidade Federal de Itajubá Prof. Dr. Alexandre Ferreira de Pinho 1 Componentes de uma empresa Organizando uma empresa: funções empresariais básicas Funções

Leia mais

Apresentação, xix Prefácio à 8a edição, xxi Prefácio à 1a edição, xxiii. Parte I - Empresa e Sistemas, 1

Apresentação, xix Prefácio à 8a edição, xxi Prefácio à 1a edição, xxiii. Parte I - Empresa e Sistemas, 1 Apresentação, xix Prefácio à 8a edição, xxi Prefácio à 1a edição, xxiii Parte I - Empresa e Sistemas, 1 1 SISTEMA EMPRESA, 3 1.1 Teoria geral de sistemas, 3 1.1.1 Introdução e pressupostos, 3 1.1.2 Premissas

Leia mais

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios UNIMEP MBA em Gestão e Negócios Módulo: Sistemas de Informações Gerenciais Aula 4 TI com foco nos Negócios: Áreas envolvidas (Parte II) Flávio I. Callegari www.flaviocallegari.pro.br O perfil do profissional

Leia mais

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida Unidade IV MERCADOLOGIA Profº. Roberto Almeida Conteúdo Aula 4: Marketing de Relacionamento A Evolução do Marketing E-marketing A Internet como ferramenta As novas regras de Mercado A Nova Era da Economia

Leia mais

Visão Geral dos Sistemas de Informação

Visão Geral dos Sistemas de Informação Visão Geral dos Sistemas de Informação Existem muitos tipos de sistemas de informação no mundo real. Todos eles utilizam recursos de hardware, software, rede e pessoas para transformar os recursos de dados

Leia mais

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO EXERCÍCIOS DO LIVRO SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS ALUNO ADRIANO RAMPINELLI FERNANDES

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO EXERCÍCIOS DO LIVRO SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS ALUNO ADRIANO RAMPINELLI FERNANDES FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO EXERCÍCIOS DO LIVRO SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS ALUNO ADRIANO RAMPINELLI FERNANDES Capítulo 1 - Página 28 - Questões de revisão 1.2 O que é exatamente um sistema

Leia mais

Utilização do SGBD PostgreSQL no Metrô São Paulo

Utilização do SGBD PostgreSQL no Metrô São Paulo Utilização do SGBD PostgreSQL no Metrô São Paulo Versão 2 Novembro /2006 1 Elaborado por: Gerência de Informática e Tecnologia da Informação Gustavo Celso de Queiroz Mazzariol - gqueiroz@metrosp.com.br

Leia mais

CEA439 - Gestão da Tecnologia da Informação

CEA439 - Gestão da Tecnologia da Informação CEA439 - Gestão da Tecnologia da Informação Janniele Aparecida Como uma empresa consegue administrar toda a informação presente nesses sistemas? Não fica caro manter tantos sistemas diferentes? Como os

Leia mais

Estratégias em Tecnologia da Informação. ERP, CRM, BI, Data mining, Data warehouse, ETL Gerenciamento de Dados e Conhecimento

Estratégias em Tecnologia da Informação. ERP, CRM, BI, Data mining, Data warehouse, ETL Gerenciamento de Dados e Conhecimento Estratégias em Tecnologia da Informação Capítulo 7 ERP, CRM, BI, Data mining, Data warehouse, ETL Gerenciamento de Dados e Conhecimento Material de apoio 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para

Leia mais

Sistema Integrado de Gestão I

Sistema Integrado de Gestão I Sistema Binário Faculdades Integradas Campos Salles Sistema Integrado de Gestão I Aulas 3 e 4 Administração da Empresa Digital Parte I Carlos Antonio José Oliviero São Paulo - 2012 Objetivos Qual é o papel

Leia mais

www.fernando.parreiras.nom.br

www.fernando.parreiras.nom.br Análise comparativa de processos de desenvolvimento de software à luz da gestão do conhecimento: um estudo de caso de empresas mineiras Fernando Silva Parreiras Gilzirene Simone Oliveira Contexto A engenharia

Leia mais

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO TIC UNIDADE 03

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO TIC UNIDADE 03 UNIDADE 03 / AULA 06 UNIDADE 03 Apostila Estácio Sociedade da Informação de Demerval L. Polizelli e Adalton M. Ozaki, 1ª Edição/2007 1 O CONHECIMENTO DIGITALIZADO 2 O que é informação? É um conjunto de

Leia mais

Governança de TI. Por que a Governança de TI é vista como fator chave para criação de valor para o Negócio? Conhecimento em Tecnologia da Informação

Governança de TI. Por que a Governança de TI é vista como fator chave para criação de valor para o Negócio? Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação Governança de TI Por que a Governança de TI é vista como fator chave para criação de valor para o Negócio? 2010 Bridge Consulting Apresentação A Governança de Tecnologia

Leia mais

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO @ribeirord FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Rafael D. Ribeiro, M.Sc,PMP. rafaeldiasribeiro@gmail.com http://www.rafaeldiasribeiro.com.br Sistemas de Informação Sistemas de Apoio às Operações Sistemas

Leia mais

Estratégias em Tecnologia da Informação. Posição e Vantagem Competitiva Aplicações integradas Aplicações Web

Estratégias em Tecnologia da Informação. Posição e Vantagem Competitiva Aplicações integradas Aplicações Web Estratégias em Tecnologia da Informação Capítulo 11 Posição e Vantagem Competitiva Aplicações integradas Aplicações Web Material de apoio 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina

Leia mais

Governança de TI Funções Gerenciais e Estrutura Organizacional. Raimir Holanda raimir@tce.ce.gov.br

Governança de TI Funções Gerenciais e Estrutura Organizacional. Raimir Holanda raimir@tce.ce.gov.br Governança de TI Funções Gerenciais e Estrutura Organizacional Raimir Holanda raimir@tce.ce.gov.br Agenda Componentes de uma empresa Objetivos Organizacionais X Processos de negócios Gerenciamento integrado

Leia mais

Uma visão abrangente dos negócios. Solução para superar barreiras e otimizar recursos na sua empresa

Uma visão abrangente dos negócios. Solução para superar barreiras e otimizar recursos na sua empresa Uma visão abrangente dos negócios Solução para superar barreiras e otimizar recursos na sua empresa Negócios sem barreiras O fenômeno da globalização tornou o mercado mais interconectado e rico em oportunidades.

Leia mais

Tecnologia da Informac aõ como aliada. PETRUS, Abril 2014

Tecnologia da Informac aõ como aliada. PETRUS, Abril 2014 Tecnologia da Informac aõ como aliada PETRUS, Abril 2014 Evolução da TI 60 70 80 90 A Era do Processamento de Dados A Era dos Sistemas de Informações A Era da Inovação e Vantagem Competitiva A Era da Integração

Leia mais

Universidade de Brasília. Faculdade de Ciência da Informação. Profa. Lillian Alvares

Universidade de Brasília. Faculdade de Ciência da Informação. Profa. Lillian Alvares Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Profa. Lillian Alvares Fóruns / Listas de discussão Espaços para discutir, homogeneizar e compartilhar informações, idéias e experiências que

Leia mais

Gerenciamento de Redes

Gerenciamento de Redes Gerenciamento de Redes As redes de computadores atuais são compostas por uma grande variedade de dispositivos que devem se comunicar e compartilhar recursos. Na maioria dos casos, a eficiência dos serviços

Leia mais

27/10/2011. Visão do Papel Integrado dos SI Dentro de uma Organização

27/10/2011. Visão do Papel Integrado dos SI Dentro de uma Organização Visão do Papel Integrado dos SI Dentro de uma Organização 1 Tipos de SI Depende do tipo de apoio a ser oferecido Deve-se levar em consideração: Usuários operações (entrada +processamento + saída) destino

Leia mais

Pós-Graduação Business Intelligence

Pós-Graduação Business Intelligence Pós-Graduação Business Intelligence Tendências de Mercado de Business Intelligence Aula 01 Negócios e Tecnologia da Informação Objetivos da Aprendizagem Discutir as pressões corporativas e as reações que

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL 2015 Sabemos que as empresas atualmente utilizam uma variedade muito grande de sistemas de informação. Se você analisar qualquer empresa que conheça, constatará que existem

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - SI

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - SI SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - SI Elaborado e adaptado por: Prof.Mestra Rosimeire Ayres Sistemas Colaborativos Empresariais (ECS) Os sistemas colaborativos nas empresas nos oferecem ferramentas para nos ajudar

Leia mais

Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Profa.:Lillian Alvares

Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Profa.:Lillian Alvares Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Profa.:Lillian Alvares Comunidades de Prática Grupos informais e interdisciplinares de pessoas unidas em torno de um interesse

Leia mais