DÚVIDAS FREQUENTES. 3. Como é acompanhada a evolução do processo de apoio?

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DÚVIDAS FREQUENTES. 3. Como é acompanhada a evolução do processo de apoio?"

Transcrição

1 DÚVIDAS FREQUENTES 1. O que é o Programa Amigo de Valor? R: O Amigo de Valor pretende fortalecer programas de atendimento à criança e ao adolecente em situação de vulnerabilidade, e, em alguns casos, às suas respectivas famílias. Além disso, baseado no ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente), proporciona o envolvimento dos principais públicos com os quais o Santander se relaciona: funcionários, estagiários e clientes, que participam direcionando recursos financeiros aos fundos municipais da criança e do adolescente e acompanhando as iniciativas desenvolvidas pelos municípios. 2. Quais os objetivos do Amigo de Valor? R: O Programa tem como objetivos: Fortalecer os Conselhos e os Fundos Municipais dos Direitos da Criança e do Adolescente; Contribuir para a melhoria da qualidade de vida de crianças e adolescentes; Viabilizar o protagonismo e o exercício da cidadania dos funcionários e estagiários do Santander; Disseminar o Estatuto da Criança e do Adolescente para a sociedade e inspirar outras iniciativas. 3. Como é acompanhada a evolução do processo de apoio? R: O desenvolvimento dos projetos é acompanhado durante todo o período de apoio, por meio de oficinas, visitas e assessoria de uma consultoria especializada. As visitas são realizadas por funcionários do Santander, após receberem capacitação a respeito do ECA e a forma como ele se concretiza. 4. Qual é a abrangência dele? R: Nacional - Brasil. 5. Quanto foi arrecadado?

2 R: Desde a criação do programa, em 2002, já foram arrecadados mais de R$ 79 milhões. As iniciativas apoiadas terão como prioridade o combate a diversas violências, entre elas abuso e exploração sexual, alcoolismo e abandono. 6. O Amigo de Valor desenvolve algo que envolve o Município todo? R: Sim. O Amigo de Valor só acontece a partir do compromisso do poder público e todos os órgãos que se relaciona, Ministério Público, Judiciário, Conselho Tutelar e outros. E a relação do Amigo de Valor com os municípios se dá da seguinte forma: Durante o primeiro ano, os recursos financeiros e técnicos direcionados aos municípios são aplicados na realização de um diagnóstico sobre a situação das crianças e adolescentes locais e a rede de atendimento. No segundo e terceiro, os recursos são investidos em programas que respondam às prioridades identificadas no mapeamento realizado. 1) O diagnóstico local,que mapeia as fragilidades e potencialidades do município no que diz respeito à realidade da criança e do adolescente. Este diagnóstico possibilita a construção de um plano municipal de atendimento, que tem como objetivo o enfrentamento das violências sofridas por crianças e adolescentes. 2) Plano de Ação Municipal: Recursos financeiros e apoio técnico para implantar ou aprimorar o Plano Municipal de Atendimento, que é um conjunto integrado de programas e projetos, governamentais e não governamentais, voltados à defesa e promoção dos direitos das crianças e adolescentes. 7. Quantas são as instituições apoiadas? R: O Amigo de Valor trabalha em parceria com os Conselhos Municipais dos Direitos da Criança e do Adolescente, pois segundo o ECA, estes são os órgãos que definem as prioridades a serem trabalhadas com crianças e adolescentes. Pretendemos apoiar 60 novos municiípios para que desenvolvam o diagnóstico de acordo com o processo acima. 8. Como a empresa vê seu comprometimento com temas de responsabilidade social? R: O Santander acredita que não dá para ir bem, em um País que vai mal. Faz parte de nossos princípios contribuir com o desenvolvimento da sociedade como um todo, pois é dessa forma que garantiremos a sustentabilidade dos nossos clientes e do nosso país. Doar recursos não é o suficiente para nós, queremos criar agentes transformadores, por isso mobilizamos funcionários, estagiários, clientes e todos que, de alguma forma, se relacionam com o Banco. Trabalhando juntos, podemos causar maiores resultados e assim, conseguiremos mudar a realidade social do País. 9. Divulgar e investir em ações sociais traz quais benefícios para a empresa?

3 R: O que é bom para a sociedade, é bom para o cliente e para o Banco. Auxiliamos na disseminação do ECA, divulgamos a importância de se defender e promover os direitos da criança e do adolescente, bem como, contribuímos para a educação dos brasileiros e isso é valorizado por nossos clientes, o que fortalece o nosso relacionamento com esse público. Além disso, o interesse em práticas sustentáveis, como o Amigo de Valor, vem crescendo e aumentando o número de clientes parceiros da instituição nessa jornada. Empresas que possuem os mesmos valores estabelecem uma relação de confiança, o que promove uma relação mais saudável, duradoura e conseqüentemente rentável para todas as partes. 10. Existe limite para doação feita aos Conselhos Municipais dos Direitos da Criança e do Adolescente por meio do Programa Amigo de Valor? R: Não, apenas por razões de sua própria segurança, os canais Internet Banking e Centrais de Atendimento Telefônico, têm uma limitação de valores para as transferências bancárias, tanto para a pessoa física quanto jurídica. Vale destacar, que caso você queira deduzir do Imposto de Renda, a regra é a seguinte: Pessoa Física: Declara IR Formulário Completo: Com base no incentivo fiscal previsto em lei (ECA 8069/90), pode direcionar até 6% do imposto de renda devido. Declara IR no formulário simplificado ou é isento: Neste caso, não existe incentivo fiscal, mas é possível contribuir fazendo uma doação (a partir de R$5,00). Pessoa Jurídica: Pessoas jurídicas tributadas pelo lucro real podem direcionar até 1% do IR devido. Caso o valor que você queira doar esteja acima da limitação do canal, basta entrar em contato com seu gerente que ele poderá lhe ajudar. 11. Como posso acompanhar a utilização dos recursos do Programa Amigo de Valor? R: As informações sobre os municípios e seus resultados serão atualizadas durante o ano no Portal 12. Como é o processo de seleção dos municípios? R: O Amigo de Valor tem como critério de seleção indicadores sociais oficiais e população igual ou maior que e menor que (Censo 2010). O edital de seleção é lançado a cada 3 anos e são enviadas cartas convite para participar do processo de seleção à todos os municípios elegíveis seguindos os critérios acima. Durante o primeiro ano, os recursos financeiros e técnicos direcionados aos municípios são aplicados na realização de um diagnóstico sobre a situação das crianças e adolescentes

4 locais e a rede de atendimento. No segundo e terceiro, os recursos são investidos em programas que respondam às prioridades identificadas no mapeamento realizado. A renovação do apoio a cada município é feita a cada ano, com base nos resultados obtidos. Legislação 1. O que é o Estatuto da Criança e do Adolescente? R: Com a criação do Estatuto da Criança e do Adolescente, Lei Federal 8069/90, de 13 de julho de 1990, a população infanto-juvenil brasileira passou a contar com um importante instrumento de garantia dos seus direitos, principalmente no que diz respeito à educação, moradia, saúde, dignidade. 2. O que são os Fundos Municipais dos Direitos da Criança e do Adolescente? R: Os fundos são contas bancárias criadas por lei em um banco oficial, que recebem repasses orçamentários e depósitos de doações efetuadas por pessoas físicas ou jurídicas. No caso de doações, os recursos podem ser deduzidos do Imposto de Renda do contribuinte pessoa física - se este fizer sua declaração no formulário completo - e pessoa jurídica - se a tributação for feita pelo lucro real. As contas são gerenciadas pelos Conselhos de Direito da Criança e do Adolescente e os recursos devem ser utilizados exclusivamente na promoção de políticas públicas de atendimento à criança e ao adolescente. 3. O que são os Conselhos de Direitos da Criança e do Adolescente? R: Os Conselhos Municipais da Criança e do Adolescente foram criados pelo Estatuto da Criança e do Adolescente, nas três instâncias de governo (Federal, Estadual e Municipal). São compostos paritariamente, ou seja, 50% representantes da sociedade civil e 50% poder público. Suas atribuições estão direcionadas a promover políticas de atendimento à criança e ao adolescente. 4. A quem os Conselhos prestam contas das doações recebidas e da destinação dos recursos depositados no Fundo dos Direitos da Criança e do Adolescente? R: Por determinação do Estatuto da Criança e do Adolescente e legislação complementar, o Município deve controlar o recebimento e utilização dos recursos pelos Fundos. Os recursos dos Fundos integram a prestação de contas que os Municípios prestam ao Tribunal de Contas. As destinações /doações são controladas via DBF (Declaração Benefício Fiscal), formulário auditado pela Receita Federal junto aos doadores e destinatários.

5 Além disso, o Ministério Público é órgão que fiscaliza as atividades do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente e também que acompanha o uso dos recursos do Fundo Infância Adolescência. Os projetos apoiados pelo Amigo de Valor têm o acompanhamento na gestão e nos resultados, que trimestralmente é feito por uma consultoria especializada em educação e desenvolvimento social junto com os funcionários do Santander, integrantes do Grupo de Trabalho do Amigo de Valor. 5. Para quais finalidades são destinados os recursos do Fundo dos Direitos da Criança e do Adolescente? R: Os recursos devem ser destinados exclusivamente para execução de políticas, programas e ações voltadas para a promoção e defesa dos direitos de crianças e adolescentes, conforme deliberação do Conselho dos Direitos da Criança e do Adolescente, com foco na proteção especial daqueles em situação de maior vulnerabilidade social; na assistência daqueles em estado temporário ou permanente de necessidade e também podem ser direcionados para ações que garantam os direitos de crianças e adolescentes. Os conselhos podem aplicar os recursos dos fundos diretamente em ações ou apoiar ações promovidas por órgãos do governo ou instituições não-governamentais credenciadas no próprio conselho. 6. Qualquer pessoa pode contribuir com os Fundos Municipais dos Direitos da Criança e do Adolescente? R: Sim. Para isso, você deve entrar em contato com o Conselho dos Direitos da Criança e do Adolescente do Município que deseja contribuir, solicitar o número da conta corrente do Fundo e efetuar em nome deste um depósito identificado. Após o depósito, você deverá entrar em contato com o Conselho e informar seus dados para que a entidade possa emitir um recibo da doação, que é seu documento fiscal de comprovação. O Conselho também envia seus dados à Receita Federal via DFB (Declaração de Benefício Fiscal), com o objetivo de garantir o cruzamento das informações e doação efetuada. Dessa forma evitam eventuais questionamentos com a sua declaração de imposto de renda referente à doação feita aos Fundos de Direitos da Criança e Adolescentes. 7. De que forma a doação é deduzida do Imposto de Renda? R: O valor da doação aos Fundos de Direitos da Criança e do Adolescente, respeitados os limites legais (6% do Imposto de Renda Devido para a pessoa física e 1% do imposto a pagar para a pessoa jurídica), é integralmente deduzido do Imposto de Renda apurado na

6 Declaração Anual. Ou seja, para quem faz a doação, o valor que pagaria de imposto é exatamente igual. Se você tem IR a pagar: Resumo da declaração Não participou Destinação 6% do IR Rendimentos Tributáveis (I) Deduções (II) Cálculo do Imposto devido Base de Cálculo ( I - II ) (tabela progressiva Imposto de Renda devido 12, , Dedução de Incentivo fiscal (até 6% = 766,60) Imposto Devido considerando o direcionamento 12, , Imposto Pago Imposto retido na fonte Imposto a Restituir -3, Imposto de Renda a Pagar 3, , O limite de 6% do Imposto de Renda para pessoa física é exclusivo para a destinação aos Fundos de Direitos da Criança e do Adolescente? R: Não. O limite de 6% (seis por cento) do imposto sobre a renda apurado pelas pessoas físicas na Declaração de Ajuste Anual, inclui outros incentivos fiscais como a Lei 8.313/91, conhecida como Lei Rouanet; investimentos para o incentivo de atividades audiovisuais (Lei 8.685/93), cuja validade está prorrogada até 2016 (Lei de 2010); investimentos relativos à aquisição de quotas de Fundos de Financiamento da Indústria Cinematográfica Nacional (FUNCINES); Lei do Esporte; Fundo do Idoso e Lei nº de 2012 que institui o PRONON e o PRONAS/PCD. 9. Como se calcula o limite dedutível, ao fazer as doações, já que, neste momento, não se dispõe dos dados da Declaração de Ajuste? R: O limite dedutível só pode ser calculado com precisão no momento do preenchimento da Declaração e dispondo de todos os dados relativos a rendimentos tributáveis e despesas dedutíveis. No entanto, pode-se estimar o valor do limite utilizando os dados da Declaração do ano anterior e os comparando com a situação do ano em curso. No sistema de adesão ao Amigo de Valor, você pode fazer uma simulação deste valor acessando: Portal RH > No menu Auto atendimento Funcionários escolha a opção Amigo de Valor. 10. A Pessoa Física que utilizar o formulário simplificado para a entrega da sua declaração de imposto de renda poderá fazer a dedução dos valores doados ao Fundo? R: Não. A Secretaria da Receita Federal entende que o desconto padrão concedido à pessoa física que declara seu IR através de formulário simplificado, substitui a destinação do imposto. Até que seja mudado esse entendimento, o contribuinte não consegue fazer a dedução dos valores doados. 11. Essa doação concorre com outras deduções previstas na declaração do Imposto de Renda?

7 R: Para as Pessoas Físicas as deduções permitidas como as contribuições à previdência oficial e à previdência privada, dependentes, instrução e despesas médicas independem da doação feita aos Fundos dos Direitos da Criança e do Adolescente. 12. Qual é o limite para a dedução das doações efetuadas pela pessoa jurídica? R: As empresas tributadas pelo Lucro Real podem destinar ao Fundo até 1% do seu Imposto de Renda Devido, diminuído do adicional. 13. Além da limitação de 1% para pessoa jurídica, a destinação está sujeita a limites conjuntos com outros incentivos fiscais? R: Não. As doações aos Fundos de Direitos não estão sujeitas a limites globais previstos para outros incentivos fiscais. 14. As empresas podem deduzir esta doação também como despesa? R: Não. O valor correspondente a essas doações não é dedutível como despesa operacional na apuração do Lucro Real e deve ser adicionado ao lucro líquido. 15. E as empresas, como podem fazer a dedução do imposto de renda, dos valores doados ao Fundo dos Direitos da Criança e do Adolescente? R: As empresas podem deduzir os valores doados, subtraindo-os do imposto apurado no próprio trimestre da doação. Se optar pelo recolhimento por estimativa com base na receita mensal, a pessoa jurídica pode deduzir o valor doado no mês no imposto apurado, fazendo o ajuste na apuração do lucro anual. Com relação ao Registro contábil e a guarda de documentos para fins de comprovação, a empresa deverá registrar em sua escrituração os valores doados, bem como manter em boa guarda a documentação correspondente. 16. Se houver excesso no valor doado em relação ao limite de dedução, pode ser compensado no ano seguinte? R: Não. Somente podem ser deduzidos os valores doados no próprio exercício anual fiscal (tanto pessoa física, quanto jurídica). 17. As microempresas e as empresas tributadas pelo lucro presumido ou arbitrado também podem fazer uma doação e deduzir essa do Imposto de Renda? R: Para a pessoa jurídica, não existe acumulação com as doações feitas a projetos culturais e de audiovisual aprovados pelo Ministério da Cultura, ou seja, uma empresa poderá doar para os Conselhos de Direitos da Criança e do Adolescente e para Projetos Culturais, respeitando apenas a limitação de cada benefício fiscal. 18. Vou receber algum comprovante ao fazer minha doação por meio do Programa Amigo de Valor?

8 R: Ao participar do Programa Amigo de Valor, você receberá, até o final de fevereiro do ano seguinte, um comprovante gerado pelo Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente responsável pelo município escolhido. Esses recibos serão enviados via correio para o mesmo endereço em que são enviados os extratos bancários e devem ser conservados pelo contribuinte para eventual comprovação junto à Secretaria da Receita Federal. Este comprovante terá as seguintes informações: a) número de ordem; b) nome, CPF ou CNPJ do doador; c) data e valor efetivamente recebido em dinheiro (depósito no Fundo); d) o nome, a inscrição no CNPJ e endereço do emitente (usar o CNPJ do Município ou do Estado, conforme o caso); e) ser firmado por pessoa competente para dar quitação da operação. 19. O que significa destinar recursos? R: A pessoa que declara Imposto de Renda no formulário completo faz uma destinação e pode deduzir o equivalente até 6% do Imposto de Renda Devido na sua declaração de ajuste anual. É importante lembrar que a dedução dos 6% para quem faz destinação não prejudica as outras deduções às quais tem direito, como despesas médicas, educação, dependentes, pensão alimentícia e etc. 20. O que significa doar recursos? R: A pessoa que é isenta do Imposto de Renda ou preenche o formulário simplificado faz uma doação, porém não pode deduzir o valor doado no imposto de renda. 21. As doações efetuadas diretamente a entidades (governamentais ou não governamentais) que prestam atendimento à criança e/ou ao adolescente são passíveis de dedução fiscal? R: Não. As doações efetuadas diretamente às entidades beneficentes ou outros órgãos governamentais não podem ser deduzidas do Imposto de Renda. Para serem dedutíveis, as doações devem ser depositadas nas contas/fundo, cujos recursos são repassados pelos respectivos Conselhos às entidades credenciadas. 22. Existe um prazo para fazer a doação aos Fundos?

9 R: Para fazer a doação por meio do Amigo de Valor, é preciso participar no período da campanha anual de arrecadação que costuma acontecer no mês de outubro. Mas as doações também podem ser efetuadas aos fundos até o dia 30 de dezembro de cada ano e dedução do Imposto de Renda, na Declaração de Ajuste Anual a ser entregue no mês de abril do ano seguinte. Como contribuir 1. Como faço para contribuir com os municípios apoiados pelo Programa Amigo de Valor? R: Procure seu Gerente e faça sua adesão ao Programa. Você terá um grupo de municípios à disposição e poderá escolher entre esses o qual você deseja que receba sua contribuição. Pessoa Física: Declara IR Formulário Completo: Com base no incentivo fiscal previsto em lei (ECA 8069/90), pode direcionar até 6% do imposto de renda devido. Declara IR no formulário simplificado ou é isento: Neste caso, não existe incentivo fiscal, mas é possível contribuir fazendo uma doação (a partir de R$5,00). Pessoa Jurídica: Pessoas jurídicas tributadas pelo lucro real podem direcionar até 1% do IR devido. 2. É preciso ser correntista do Santander para fazer contribuições aos Conselhos Municipais por meio do Programa Amigo de Valor? R: Sim. Como a contribuição é feita nas agências, por meio de uma transferência entre contas, é necessário que a pessoa seja correntista do Santander. 3. Como posso acompanhar a utilização dos recursos arrecadados por meio do Programa Amigo de Valor? R: As informações sobre os municípios e seus resultados serão atualizadas no decorrer do ano, no seguinte portal: (www.santander.com.br/sustentabilidade). 4. Sou funcionário, como faço para destinar ou doar recursos? R: Durante a campanha para funcionários, será disponibilizado na intranet o sistema que possibilitará a destinação ou doação de recursos aos municípios apoiados pelo Amigo de Valor. No sistema o funcionário irá informar o valor que quer destinar, optando pelas seguintes formas de pagamento: À vista = > débito na folha de pagamento de 20 de novembro.

10 Adiantamento = > O Banco fará um crédito na folha do funcionário, que poderá optar pelo pagamento em até 6 vezes no período de janeiro a junho do ano seguinte. Importante ressaltar que o pagamento parcelado não acarretará juros aos funcionários. 5. Como calcular o valor a ser destinado? a) Usando declaração de IR como base: Pegue a Declaração do Imposto de Renda deste ano, que tem como base o exercício do ano anterior e verifique o valor do imposto (pasta "Resumo da Declaração", ficha "Cálculo do Imposto" e quadro "Imposto Devido"). Se não houver grandes alterações em seus rendimentos, aplique 6% sobre ele. b) Usando sistema de adesão ao Amigo de Valor: Para dar-lhe uma referência do valor que representa 6% do seu Imposto de Renda devido e de quanto você poderá destinar utilizando o incentivo fiscal, apresentaremos na tela de adesão ao Programa o valor estimado para sua destinação neste exercício. Lembramos que este valor não considera deduções que serão informadas apenas em sua declaração anual, tipo: despesas médicas, odontológicas, escolares etc... c) Usando simulador na intranet: Dentro do sistema de adesão, se você quiser fazer um cáculomais próximo do real, utilizar o simulador. 6. Como saberemos o resultado do Programa? R: As informações sobre os municípios e seus resultados serão atualizadas no decorrer do ano, no seguinte portal: (www.santander.com.br/sustentabilidade). 07. Existe valor mínimo para destinação e doação? R: Sim. O valor mínimo para destinar ou doar é de R$ 5, Existe limite para destinação e doação? R: Não existe limite de valor.

DE DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE?

DE DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE? 1. O que são os FUNDOS DE DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE? São recursos públicos mantidos em contas bancárias específicas. Essas contas têm a finalidade de receber repasses orçamentários e depósitos

Leia mais

CARTILHA DE DOAÇÃO PARA O FUMCAD

CARTILHA DE DOAÇÃO PARA O FUMCAD CARTILHA DE DOAÇÃO PARA O FUMCAD ÍNDICE O que é o FUMCAD 2 Conceito e Natureza Jurídica 2 Doações 3 Dedução das Doações Realizadas no Próprio Exercício Financeiro 4 Passo a Passo para a Doação 5 Principais

Leia mais

Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei nº 8.069/90): Artigos 260 a 260-L

Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei nº 8.069/90): Artigos 260 a 260-L Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei nº 8.069/90): Artigos 260 a 260-L Art. 260. Os contribuintes poderão efetuar doações aos Fundos dos Direitos da Criança e do Adolescente nacional, distrital, estaduais

Leia mais

Incentivo Fiscal Imposto de Renda sobre Pessoa Física IMPOSTO DE RENDA

Incentivo Fiscal Imposto de Renda sobre Pessoa Física IMPOSTO DE RENDA Incentivo Fiscal Imposto de Renda sobre Pessoa Física IMPOSTO DE RENDA O Imposto de Renda sobre Pessoa Física - IRPF é um tributo federal obrigatório a todos os trabalhadores brasileiros que obtiveram

Leia mais

É possível colaborar financeiramente com os projetos do Instituto Brasil Solidário* doando parte do imposto de renda.

É possível colaborar financeiramente com os projetos do Instituto Brasil Solidário* doando parte do imposto de renda. Pessoa Física III Encontro Nacional Brasil Solidário É possível colaborar financeiramente com os projetos do Instituto Brasil Solidário* doando parte do imposto de renda. Existe um benefício fiscal que

Leia mais

FIA O QUE É O FIA. Os Fundos da Infância e da Adolescência FIA. Como sua empresa pode fazer uma doação. Como as pessoas físicas podem fazer uma doação

FIA O QUE É O FIA. Os Fundos da Infância e da Adolescência FIA. Como sua empresa pode fazer uma doação. Como as pessoas físicas podem fazer uma doação FIA O QUE É O FIA De acordo com o Estatuto da Criança e do Adolescente ECA, os Conselhos Municipais, Estaduais ou Federal são órgãos ou instâncias colegiadas de caráter deliberativo, de composição paritária

Leia mais

Secretaria da Receita Federal do Brasil. Missão. Valores

Secretaria da Receita Federal do Brasil. Missão. Valores Secretaria da Receita Federal do Brasil Missão Exercer a administração tributária e o controle aduaneiro, com justiça fiscal e respeito ao cidadão, em benefício da sociedade. Respeito ao cidadão Integridade

Leia mais

Participe! vamos decolar o futuro!

Participe! vamos decolar o futuro! Participe! vamos decolar o futuro! Caro(a) colega, Estamos iniciando mais uma edição do programa Cidadãos do Amanhã, uma iniciativa de sucesso, empreendida há 15 anos pela ArcelorMittal junto aos seus

Leia mais

Programa Nacional de Educação Fiscal. Superintendência da Receita Federal do Brasil em São Paulo. Novembro de 2011.

Programa Nacional de Educação Fiscal. Superintendência da Receita Federal do Brasil em São Paulo. Novembro de 2011. DESTINAÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA PARA CRIANÇA E ADOLESCENTE: UMA FORMA DE PARTICIPAÇÃO SOCIAL Programa Nacional de Educação Fiscal Superintendência da Receita Federal do Brasil em São Paulo Novembro de 2011.

Leia mais

IRPF IR2013. Chegou a hora de declarar o. Especial

IRPF IR2013. Chegou a hora de declarar o. Especial Boletim Informativo dirigido a participantes de planos de previdência da Bradesco Vida e Previdência Março de 2013 Especial IRPF 2013 Chegou a hora de declarar o IR2013 >> Fique por dentro >> Onde informar

Leia mais

A THOMSON COMPANY. INCENTIVOS FISCAIS Doações aos Fundos dos Direitos da Criança e do Adolescente

A THOMSON COMPANY. INCENTIVOS FISCAIS Doações aos Fundos dos Direitos da Criança e do Adolescente A THOMSON COMPANY INCENTIVOS FISCAIS Doações aos Fundos dos Direitos da Criança e do Adolescente INCENTIVOS FISCAIS Doações aos Fundos dos Direitos da Criança e do Adolescente Direitos autorais cedidos

Leia mais

DOAÇÕES ao FIA. TODOS PODEM DOAR, porém...

DOAÇÕES ao FIA. TODOS PODEM DOAR, porém... DOAÇÕES ao FIA TODOS PODEM DOAR, porém... Somente AS DOAÇÕES que atendem ao disposto no artigo 260 do ECRIAD, poderão ser deduzidas na DECLARAÇÃO ANUAL DA PESSOA FÍSICA OU JURÍDICA Art. 260. Os contribuintes

Leia mais

Associação Síndrome de Down, Piracicaba (SP) VOCÊ MUDA O DESTINO DE PARTE DO SEU IMPOSTO E ACABA MUDANDO MUITOS OUTROS.

Associação Síndrome de Down, Piracicaba (SP) VOCÊ MUDA O DESTINO DE PARTE DO SEU IMPOSTO E ACABA MUDANDO MUITOS OUTROS. Associação Síndrome de Down, Piracicaba (SP) VOCÊ MUDA O DESTINO DE PARTE DO SEU IMPOSTO E ACABA MUDANDO MUITOS OUTROS. Caro(a) colega, É com muito orgulho que anunciamos uma nova edição do programa Cidadãos

Leia mais

MODALIDADES PARTICIPATIVAS DE CONTRIBUIÇÃO AO INSTITUTO COI. 1. Doação ao ICOI, que possui o título de OSCIP

MODALIDADES PARTICIPATIVAS DE CONTRIBUIÇÃO AO INSTITUTO COI. 1. Doação ao ICOI, que possui o título de OSCIP MODALIDADES PARTICIPATIVAS DE CONTRIBUIÇÃO AO INSTITUTO COI 1. Doação ao ICOI, que possui o título de OSCIP 2. Doação/Patrocínio de Projeto Cultural por pessoa jurídica (art. 18 da Lei Rouanet) e 3. Doação/Patrocínio

Leia mais

A PROPOSTA: QUEM PODE DEDUZIR A DOAÇÃO DO IR APURADO?

A PROPOSTA: QUEM PODE DEDUZIR A DOAÇÃO DO IR APURADO? PROMOVER A DOAÇÃO/DESTINAÇÃO DE PARTE DO IMPOSTO DE RENDA DAS PESSOAS FÍSICAS: UMA ÓTIMA OPORTUNIDADE PARA O IEPTB-MG AGIR, TAMBÉM, NO CONTEXTO SOCIAL! Dando continuidade a proposta apresentada no III

Leia mais

Cartilha de Informações: Doações e Patrocínios.

Cartilha de Informações: Doações e Patrocínios. Cartilha de Informações: Doações e Patrocínios. O Instituto Abramundo é uma OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público) e com isso pode receber doações e incentivos para a execução de seus

Leia mais

DESTINAÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA PARA CRIANÇA E ADOLESCENTE E IDOSO: UMA FORMA DE PARTICIPAÇÃO SOCIAL. Programa Nacional de Educação Fiscal

DESTINAÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA PARA CRIANÇA E ADOLESCENTE E IDOSO: UMA FORMA DE PARTICIPAÇÃO SOCIAL. Programa Nacional de Educação Fiscal DESTINAÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA PARA CRIANÇA E ADOLESCENTE E IDOSO: UMA FORMA DE PARTICIPAÇÃO SOCIAL Programa Nacional de Educação Fiscal Superintendência da Receita Federal do Brasil em São Paulo Outubro

Leia mais

ESPECIAL. Chegou a hora de declarar. E o que mudou para esse ano? Fique por dentro. Prazos e multas. As novidades de 2014. Tire suas dúvidas.

ESPECIAL. Chegou a hora de declarar. E o que mudou para esse ano? Fique por dentro. Prazos e multas. As novidades de 2014. Tire suas dúvidas. Chegou a hora de declarar. E o que mudou para esse ano? de 0 Boletim Informativo dirigido a participantes de planos de previdência da Vida e. Março de 0 de 0 Foi dada a largada para o acerto de contas

Leia mais

Imposto de Renda Pessoa Física 2015

Imposto de Renda Pessoa Física 2015 Imposto de Renda Pessoa Física 2015 1 IRPF É um imposto federal brasileiro que incide sobre todas as pessoas que tenham obtido um ganho acima de um determinado valor mínimo. Anualmente este contribuinte

Leia mais

Como destinar parte do seu Imposto de Renda Devido a Instituições de Apoio à Criança e ao Adolescente

Como destinar parte do seu Imposto de Renda Devido a Instituições de Apoio à Criança e ao Adolescente Como destinar parte do seu Imposto de Renda Devido a Instituições de Apoio à Criança e ao Adolescente VOCÊ PODE DOAR SEM GASTAR O SEU DINHEIRO! Você tem perfil para contribuir nesta ação? Se você tem o

Leia mais

ESTOU NESSA! Equipe de Educação Fiscal Alfândega da Receita Federal do Brasil do Porto de Santos Delegacia da Receita Federal do Brasil em Santos

ESTOU NESSA! Equipe de Educação Fiscal Alfândega da Receita Federal do Brasil do Porto de Santos Delegacia da Receita Federal do Brasil em Santos Incentivos fiscais do Imposto de Renda em benefício de Crianças e Adolescentes ESTOU NESSA! Equipe de Educação Fiscal Alfândega da Receita Federal do Brasil do Porto de Santos Delegacia da Receita Federal

Leia mais

Fundo Estadual do Idoso. Seu Imposto Amigo do Idoso

Fundo Estadual do Idoso. Seu Imposto Amigo do Idoso Fundo Estadual do Idoso Seu Imposto Amigo do Idoso GERALDO ALCKMIN Governador do Estado de São Paulo FLORIANO PESARO Secretário de Estado de Desenvolvimento Social FELIPE SARTORI SIGOLLO Secretário-Adjunto

Leia mais

Manual do adestrador de leões: Transforme a fera Em um gatinho

Manual do adestrador de leões: Transforme a fera Em um gatinho Manual do adestrador de leões: Transforme a fera Em um gatinho Veja no rosto do irmão, a Face de Deus! 1. Renúncia fiscal Em 1990, sob a inspiração democrática da Constituição de 1988, foi elaborado o

Leia mais

IMPOSTO DE RENDA Que tal doar, em vez de pagar?

IMPOSTO DE RENDA Que tal doar, em vez de pagar? IMPOSTO DE RENDA Que tal doar, em vez de pagar? A ACIS-SL está incentivando as empresas, associadas ou não, a informar seu quadro funcional a destinar parte do seu Imposto de Renda para instituições beneficentes

Leia mais

RENÚNCIA FISCAL DO IMPOSTO DE RENDA

RENÚNCIA FISCAL DO IMPOSTO DE RENDA DICAS PARA UTILIZAÇÃO DE RENÚNCIA FISCAL DO IMPOSTO DE RENDA Oportunidades e Legislação Parceria ÍNDICE EDITORIAL Uma oportunidade de contribuir com a transformação social 1. O QUE É RENÚNCIA FISCAL 1.1

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS

PERGUNTAS E RESPOSTAS PERGUNTAS E RESPOSTAS Palestra Imposto de Renda: "entenda as novas regras para os profissionais da Odontologia" Abril/2015 Palestra Imposto de Renda 2015 A Receita Federal do Brasil RFB para o exercício

Leia mais

Fundo Nacional do Idoso

Fundo Nacional do Idoso Uma iniciativa que visa contribuir com o Pacto Global SISTEMA CFA/CRAs CONSELHO FEDERAL DE ADMINISTRAÇÃO CONSELHOS REGIONAIS DE ADMINISTRAÇÃO Fundo Nacional do Idoso Como investir seu imposto de renda

Leia mais

CLUBE ATLÉTICO METROPOLITANO BLUMENAU SC

CLUBE ATLÉTICO METROPOLITANO BLUMENAU SC BLUMENAU SC PÁGINA 2 APRESENTAÇÃO É difícil de imaginar um clube com apenas 09 anos de existência conseguir seu espaço no coração dos blumenauenses e expandir suas raízes a toda uma região. Mas o Clube

Leia mais

COMO SE TORNAR UM PARCEIRO DO CORPO CIDADÃO? Junte-se a nós!

COMO SE TORNAR UM PARCEIRO DO CORPO CIDADÃO? Junte-se a nós! COMO SE TORNAR UM PARCEIRO DO CORPO CIDADÃO? O Corpo Cidadão utiliza diversos mecanismos de incentivo fiscal, fontes de financiamento, parcerias, doações, programas de voluntariado e cria ações de marketing

Leia mais

Brasília, 27 de maio de 2013.

Brasília, 27 de maio de 2013. NOTA TÉCNICA N o 20 /2013 Brasília, 27 de maio de 2013. ÁREA: Desenvolvimento Social TÍTULO: Fundo para Infância e Adolescência (FIA) REFERÊNCIAS: Lei Federal n o 4.320, de 17 de março de 1964 Constituição

Leia mais

BOTE FÉ NO FUTURO. Colabore com o FECRIANÇA. Sua doação deduzida do imposto de renda.

BOTE FÉ NO FUTURO. Colabore com o FECRIANÇA. Sua doação deduzida do imposto de renda. BOTE FÉ NO FUTURO Colabore com o FECRIANÇA. Sua doação deduzida do imposto de renda. O Fecriança convida você a colaborar para a construção de um futuro de paz e justiça social. Destine parte do seu Imposto

Leia mais

Lei Federal de Incentivo ao Esporte Lei n 11.438, de 29/12/2006 Decreto Lei n 6.180, de 3/8/2007 Portaria n 177, de 11/9/2007.

Lei Federal de Incentivo ao Esporte Lei n 11.438, de 29/12/2006 Decreto Lei n 6.180, de 3/8/2007 Portaria n 177, de 11/9/2007. Lei Federal de Incentivo ao Esporte Lei n 11.438, de 29/12/2006 Decreto Lei n 6.180, de 3/8/2007 Portaria n 177, de 11/9/2007. O QUE É A LEI DE INCENTIVO AO ESPORTE? Instrumento que permite o financiamento,

Leia mais

Programa de Voluntariado da Classe Contábil

Programa de Voluntariado da Classe Contábil Programa de Voluntariado da Classe Contábil O Programa de Voluntariado da Classe Contábil compõe o plano de metas estratégicas do Conselho Federal de Contabilidade CFC e contempla parte da sua missão de

Leia mais

Introdução... 3 Certificações da FFM... 4

Introdução... 3 Certificações da FFM... 4 MANUAL DE BENEFÍCIOS FISCAIS DOAÇÕES EFETUADAS À FFM São Paulo SP 2014 Índice Introdução... 3 Certificações da FFM... 4 1. Doações a Entidades sem Fins Lucrativos... 5 1.1. Imposto de Renda e Contribuições

Leia mais

Como destinar parte do seu Imposto de Renda devido para investimento social

Como destinar parte do seu Imposto de Renda devido para investimento social Instituto CSHG Como destinar parte do seu Imposto de Renda devido para investimento social Você sabia que pode destinar parte do seu Imposto de Renda devido para investimento social? A legislação brasileira

Leia mais

ParticiPar SEMGaStar

ParticiPar SEMGaStar Participar SEMGASTAR Parte do seu imposto de renda pode transformar sonhos em realidade Você sabia que seu Imposto de Renda pode ajudar muitas crianças e jovens? Foi pensando neste mecanismo que a Rede

Leia mais

Doações e Incentivos Fiscais Federais (DOAÇÃO SEM DOR)

Doações e Incentivos Fiscais Federais (DOAÇÃO SEM DOR) Doações e Incentivos Fiscais Federais (DOAÇÃO SEM DOR) Fundamento Legal: Lei 8069/90, art. 260 Estatuto da Criança e do Adolescente Nos próximos slides você encontrará o passo a passo de como destinar

Leia mais

Transforme seu imposto em música

Transforme seu imposto em música FUNDO DA INFÂNCIA E DA ADOLESCÊNCIA Transforme seu imposto em música Associação Cultural Casa de Música de Ouro Branco O QUE É O FUNDO DA INFÂNCIA E DA ADOLESCÊNCIA O Fundo da Infância e da Adolescência

Leia mais

INCENTIVOS FISCAIS DO IR DEVIDO

INCENTIVOS FISCAIS DO IR DEVIDO INCENTIVOS FISCAIS DO IR DEVIDO IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA IMPOSTO DE RENDA PESSOA JURÍDICA INTRODUÇÃO: Poderão utilizar os INCENTIVOS FISCAIS objetos desta apresentação: As pessoas físicas que entregarem

Leia mais

Lei Federal de Incentivo ao Esporte Lei n 11.438, de 29/12/2006 Decreto Lei n 6.180, de 3/8/2007 Portaria n 177, de 11/9/2007.

Lei Federal de Incentivo ao Esporte Lei n 11.438, de 29/12/2006 Decreto Lei n 6.180, de 3/8/2007 Portaria n 177, de 11/9/2007. Lei Federal de Incentivo ao Esporte Lei n 11.438, de 29/12/2006 Decreto Lei n 6.180, de 3/8/2007 Portaria n 177, de 11/9/2007. O QUE É A LEI DE INCENTIVO AO ESPORTE? Instrumento que permite o financiamento,

Leia mais

DOAÇÕES PARA OS FUNDOS DE AMPARO À CRIANÇA E AO ADOLESCENTE UMA ALTERNATIVA PARA A DESTINAÇÃO SOCIAL DO IMPOSTO DE RENDA

DOAÇÕES PARA OS FUNDOS DE AMPARO À CRIANÇA E AO ADOLESCENTE UMA ALTERNATIVA PARA A DESTINAÇÃO SOCIAL DO IMPOSTO DE RENDA CONAF 2000-09-08 TESE TEMÁTICA PARA CONTATO: IZABEL RUTH TAMIOZZO VIEIRA Fone: 9996.2505 E-mail: Izabel2@receitafazenda.org.br Ou DS NOVO HAMBURGO: Fone: (51)594.8203 E-mail: usindical@uol.com.br DOAÇÕES

Leia mais

CARTILHA DE INCENTIVOS FISCAIS* Nesta Cartilha, preparada a pedido da AMARRIBO, abordamos os seguintes incentivos fiscais:

CARTILHA DE INCENTIVOS FISCAIS* Nesta Cartilha, preparada a pedido da AMARRIBO, abordamos os seguintes incentivos fiscais: CARTILHA DE INCENTIVOS FISCAIS* Nesta Cartilha, preparada a pedido da AMARRIBO, abordamos os seguintes incentivos fiscais: A. Doação à AMARRIBO, que possui o título de OSCIP; B. Doação/Patrocínio de Projeto

Leia mais

Fique atento! Chegou a hora de declarar o. Especial. Não descuide do prazo de entrega e confira como declarar seus planos de previdência.

Fique atento! Chegou a hora de declarar o. Especial. Não descuide do prazo de entrega e confira como declarar seus planos de previdência. Especial IRPF 2011 Boletim Informativo dirigido a participantes de planos de previdência da Bradesco Vida e Previdência - Março de 2011 Chegou a hora de declarar o IRPF2011 Fique atento! Não descuide do

Leia mais

Curso: Reflexões sobre o papel dos conselhos estadual e municipais do idoso

Curso: Reflexões sobre o papel dos conselhos estadual e municipais do idoso Curso: Reflexões sobre o papel dos conselhos estadual e municipais do idoso Novembro de 2014 Apoio: Conselhos e Fundos dos Direitos do Idoso: Caminhos para o aprimoramento das políticas públicas no campo

Leia mais

>Lei nº 9.615, de 24 de Março de 1998 - Institui normas gerais sobre desporto e dá outras providências.

>Lei nº 9.615, de 24 de Março de 1998 - Institui normas gerais sobre desporto e dá outras providências. 1) FUNDAMENTO LEGAL: Objetivando expressar nosso Parecer Técnico sobre a legislação que fundamenta o incentivo fiscal de âmbito federal para projetos de atividades de caráter desportivo, procedemos ao

Leia mais

AABB. Esportes. Manual de Captação. Captação de Recursos. Recursos

AABB. Esportes. Manual de Captação. Captação de Recursos. Recursos AABB Esportes Manual Manual de de Captação Captação de de Recursos Recursos Parabéns! Seu projeto foi aprovado pelo Ministério do Esporte. O próximo passo é a captação de recursos. AABB Esportes COMO

Leia mais

Especial Imposto de Renda 2015

Especial Imposto de Renda 2015 Especial Imposto de Renda 2015 01. Durante o ano de 2014 contribuí para a Previdência Social como autônoma. Como devo fazer para deduzir esses valores? Qual campo preencher? Se pedirem CNPJ, qual devo

Leia mais

Responsabilidade Social e Incentivos Sociais. Fundo dos Direitos da Criança e do Adolescente e da Pessoa Idosa

Responsabilidade Social e Incentivos Sociais. Fundo dos Direitos da Criança e do Adolescente e da Pessoa Idosa Responsabilidade Social e Incentivos Sociais Fundo dos Direitos da Criança e do Adolescente e da Pessoa Idosa Nosso ponto de partida Responsabilidade Social: conceito em evolução e práticas em difusão,

Leia mais

CARTILHA DE INCENTIVOS FISCAIS* Nesta Cartilha, preparada a pedido da AMARRIBO, abordamos os seguintes incentivos fiscais:

CARTILHA DE INCENTIVOS FISCAIS* Nesta Cartilha, preparada a pedido da AMARRIBO, abordamos os seguintes incentivos fiscais: CARTILHA DE INCENTIVOS FISCAIS* Nesta Cartilha, preparada a pedido da AMARRIBO, abordamos os seguintes incentivos fiscais: A. Doação à AMARRIBO, que possui o título de OSCIP; B. Doação/Patrocínio de Projeto

Leia mais

a d en e R d sto o p e Im 20 d eclaração Cartilha D 1

a d en e R d sto o p e Im 20 d eclaração Cartilha D 1 ÍNDICE 1. Obrigatoriedades... 3 2. Forma de elaborar a declaração de IRPF 2014... 4 2.1 Formas de entrega... 4 2.2 Prazo de entrega... 4 2.3 Multa pelo atraso na entrega da declaração... 4 3. Modelos de

Leia mais

Seu imposto pode beneficiar Crianças, Adolescentes e Idosos

Seu imposto pode beneficiar Crianças, Adolescentes e Idosos Seu imposto pode beneficiar Crianças, Adolescentes e Idosos 1 Índice Apresentação...3 1 Introdução...4 2 Visão geral do funcionamento do Fundo e sua articulação com a política de atendimento de crianças

Leia mais

Guia de Declaração de IRPF 2011. Ano-calendário 2010. Previdência. IR 2010 Prev e Cp_v2

Guia de Declaração de IRPF 2011. Ano-calendário 2010. Previdência. IR 2010 Prev e Cp_v2 Guia de Declaração de IRPF 2011 Ano-calendário 2010 Previdência IR 2010 Prev e Cp_v2 Quem é obrigado a declarar? Está obrigada a apresentar a Declaração de Ajuste Anual do Imposto sobre a Renda referente

Leia mais

ESCLARECIMENTO SOBRE INCENTIVO FISCAL VIA LEI DA OSCIP

ESCLARECIMENTO SOBRE INCENTIVO FISCAL VIA LEI DA OSCIP ESCLARECIMENTO SOBRE INCENTIVO FISCAL VIA LEI DA OSCIP O que é uma OSCIP Uma OSCIP está situada no Terceiro Setor (considerando-se que o Primeiro Setor é formado pelo Estado e o Segundo Setor pelo Mercado,

Leia mais

Destinação de recursos para os Fundos dos Direitos da Criança e do Adolescente

Destinação de recursos para os Fundos dos Direitos da Criança e do Adolescente Destinação de recursos para os Fundos dos Direitos da Criança e do Adolescente Fernando Elias Gerente de Projetos Sociais Instituto Telemig Celular 2007 TÓPICOS: Visão geral dos Conselhos e FIA em MG.

Leia mais

Doações aos Fundos dos Direitos da Criança e do Adolescente

Doações aos Fundos dos Direitos da Criança e do Adolescente Doações aos Fundos dos Direitos da Criança e do Adolescente Apesar de ter sido sancionada em 13 de junho de 1990, a Lei nº 8.069, que permite às empresas e às pessoas físicas destinar parte do que pagam

Leia mais

Art. 227, Constituição Federal, 1988

Art. 227, Constituição Federal, 1988 Art. 227, Constituição Federal, 1988 É dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança e ao adolescente, com absoluta prioridade, o direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao

Leia mais

Da gestão, da aplicação, do controle e da fiscalização dos Fundos... 5

Da gestão, da aplicação, do controle e da fiscalização dos Fundos... 5 Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Participação Social e Cidadania Sedpac 2015 Apresentação Criado pela Lei nº 21.144, de 14 de janeiro de 2014, o Fundo Estadual dos Direitos do Idoso tem o objetivo

Leia mais

Seu imposto pode beneficiar Crianças, Adolescentes e Idosos

Seu imposto pode beneficiar Crianças, Adolescentes e Idosos Seu imposto pode beneficiar Crianças, Adolescentes e Idosos Índice Compromisso com o futuro... 03 Muito a avançar na garantia dos direitos das crianças e adolescentes...05 Como fazer a diferença...07 Mecanismos...

Leia mais

DECLARAÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA/2015

DECLARAÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA/2015 DECLARAÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA/2015 Regulamento para a Declaração de Ajuste Anual do Imposto de Renda, PESSOA FÍSICA, exercício de 2015, ano-calendário de 2014. DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA

Leia mais

2.3 FUNDO DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE FUNCRIANÇA

2.3 FUNDO DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE FUNCRIANÇA 2.3 FUNDO DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE FUNCRIANÇA É um fundo criado por lei federal para beneficiar a criança e o adolescente. É constituído por doações de pessoas físicas, jurídicas e do próprio

Leia mais

OPERACIONALIZAÇÃO FISCAL DAS DOAÇÕES HENRIQUE RICARDO BATISTA

OPERACIONALIZAÇÃO FISCAL DAS DOAÇÕES HENRIQUE RICARDO BATISTA OPERACIONALIZAÇÃO FISCAL DAS DOAÇÕES HENRIQUE RICARDO BATISTA Programa de Voluntariado da Classe Contábil Com o objetivo de incentivar o Contabilista a promover trabalhos sociais e, dessa forma, auxiliar

Leia mais

Boletim de Relacionamento Previdência. Imposto de Renda Sul América Previdência

Boletim de Relacionamento Previdência. Imposto de Renda Sul América Previdência Boletim de Relacionamento Previdência Imposto de Renda Sul América Previdência Prezado Participante, Desenvolvemos um guia para que você, que possui um Plano de Previdência PGBL ou Tradicional ou um Plano

Leia mais

Copyright 2015 Declarando.

Copyright 2015 Declarando. Este Guia tem como objetivo democratizar o conhecimento em relação ao Imposto de Renda Pessoa Física, trazendo informações claras mas sem perder a seriedade com as fontes e o compromisso com a construção

Leia mais

Instrução Normativa Conjunta MINC/MF n 1, de 13.06.95

Instrução Normativa Conjunta MINC/MF n 1, de 13.06.95 Instrução Normativa Conjunta MINC/MF n 1, de 13.06.95 Dispõe sobre os procedimentos de acompanhamento, controle e avaliação a serem adotados na utilização dos benefícios fiscais instituídos pela Lei n

Leia mais

IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA - 2011

IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA - 2011 IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA - 2011 Perguntas e Respostas 1. QUAL CONDIÇÃO TORNA A PESSOA FÍSICA OBRIGADA A APRESENTAR DECLARAÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA? Está obrigado a apresentar a declaração,

Leia mais

IRPF 2015 Imposto de Renda Pessoa Física

IRPF 2015 Imposto de Renda Pessoa Física CIRCULAR Nº 13/2015 São Paulo, 23 de Fevereiro de 2015. IRPF 2015 Imposto de Renda Pessoa Física Ano-Base 2014 Prezado cliente, No dia 03 de fevereiro de 2015 a Receita Federal publicou a Instrução Normativa

Leia mais

INCENTIVOS FISCAIS PARA PROJETOS SOCIAIS, CULTURAIS E ESPORTIVOS

INCENTIVOS FISCAIS PARA PROJETOS SOCIAIS, CULTURAIS E ESPORTIVOS INCENTIVOS FISCAIS PARA PROJETOS SOCIAIS, CULTURAIS E ESPORTIVOS MARCONDES WITT Auditor-Fiscal e Delegado-Adjunto da Receita Federal do Brasil em Joinville I like to pay taxes, with them I buy civilization.

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Missão Educar para a cidadania ativa, solidária e responsável, em parceria com a escola, a família e a comunidade.

APRESENTAÇÃO. Missão Educar para a cidadania ativa, solidária e responsável, em parceria com a escola, a família e a comunidade. APRESENTAÇÃO O propósito deste folheto é orientar indivíduos e empresas sobre os incentivos fiscais existentes, para que façam doações para projetos de cunho social, contribuindo, assim, para o desenvolvimento

Leia mais

IMPOSTO DE RENDA SOLIDÁRIO

IMPOSTO DE RENDA SOLIDÁRIO IMPOSTO DE RENDA SOLIDÁRIO FOCO DE ATUAÇÃO DA RMS PÚBLICO PRIORITÁRIO CONTEXTO Incentivos Fiscais FIA: Fomentar a participação da sociedade visando fortalecer os fundos das infâncias e adolescências. Pessoa

Leia mais

Como utilizar Leis de Incentivo

Como utilizar Leis de Incentivo Como utilizar Leis de Incentivo Por que doar o seu imposto? É de extrema importância que a sociedade brasileira se posicione, escolhendo e apoiando projetos que julga importantes, por meio da renúncia

Leia mais

Febraban / Pelos Direitos da Criança e do Adolescente. Fundos dos Direitos da Criança e do Adolescente

Febraban / Pelos Direitos da Criança e do Adolescente. Fundos dos Direitos da Criança e do Adolescente Febraban / Pelos Direitos da Criança e do Adolescente Fundos dos Direitos da Criança e do Adolescente Febraban / Pelos Direitos da Criança e do Adolescente Fundos dos Direitos da Criança e do Adolescente

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 297, DE 2006

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 297, DE 2006 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 297, DE 2006 Inclui as doações aos Fundos controlados pelos Conselhos de Assistência Social na permissão para dedução do imposto de renda devido pelas pessoas físicas e jurídicas.

Leia mais

INCENTIVOS FISCAIS, UMA VISÃO GERAL

INCENTIVOS FISCAIS, UMA VISÃO GERAL INCENTIVOS FISCAIS, UMA VISÃO GERAL Danilo Brandani Tiisel danilo@socialprofit.com.br MOBILIZAÇÃO DE RECURSOS Características da Atividade Atividade planejada e complexa: envolve marketing, comunicação,

Leia mais

MANUAL PARA DECLARAÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA 2015 PLANOS DE PREVIDÊNCIA PORTO SEGURO

MANUAL PARA DECLARAÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA 2015 PLANOS DE PREVIDÊNCIA PORTO SEGURO MANUAL PARA DECLARAÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA 2015 PLANOS DE PREVIDÊNCIA PORTO SEGURO MANUAL PARA DECLARAÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA 2015 PLANOS DE PREVIDÊNCIA PORTO SEGURO O Manual

Leia mais

Cartilha de Incentivo Fiscal via Lei da Oscip

Cartilha de Incentivo Fiscal via Lei da Oscip INCENTIVO FISCAL VIA LEI DA OSCIP O idestra Instituto para o Desenvolvimento dos Sistemas de Transportes é uma organização civil de direito privado, sem fins lucrativos, fundada em maio de 2012, com efetivo

Leia mais

São Paulo, 15 de fevereiro de 2012. www.prattein.com.br

São Paulo, 15 de fevereiro de 2012. www.prattein.com.br As mudanças no funcionamento do Fundo da Criança e do Adolescente trazidas pela lei nº 12.594 de 18 de janeiro de 2012, que institui o SINASE, e as implicações para diferentes atores do Sistema de Garantia

Leia mais

Incentivo à Doação ao FMDCA*

Incentivo à Doação ao FMDCA* Manual Informativo Incentivo à Doação ao FMDCA* No fundo, você pode ajudar uma criança Você doa e o leão paga a conta *. Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente. Manual Informativo Incentivo

Leia mais

IRPF 2012 Imposto de Renda Pessoa Física

IRPF 2012 Imposto de Renda Pessoa Física CIRCULAR Nº 09/2012 São Paulo, 10 de Fevereiro de 2012. IRPF 2012 Imposto de Renda Pessoa Física Ano-Base 2011 Prezado cliente, No dia 06 de Fevereiro de 2012 a Receita Federal publicou a Instrução Normativa

Leia mais

Fundos dos Direitos da Criança e do Adolescente

Fundos dos Direitos da Criança e do Adolescente Uma iniciativa que visa contribuir com o Pacto Global SISTEMA CFA/CRAs CONSELHO FEDERAL DE ADMINISTRAÇÃO CONSELHOS REGIONAIS DE ADMINISTRAÇÃO Fundos dos Direitos da Criança e do Adolescente COMO INVESTIR

Leia mais

Ministério da Fazenda Secretaria da Receita Federal do. Brasil. Delegacia da Receita Federal do Brasil em Sorocaba - DRF/Sorocaba. Receita Federal do

Ministério da Fazenda Secretaria da Receita Federal do. Brasil. Delegacia da Receita Federal do Brasil em Sorocaba - DRF/Sorocaba. Receita Federal do Receita Federal do Brasil Ministério da Fazenda Secretaria da Receita Federal do Brasil Delegacia da Receita Federal do Brasil em Sorocaba - DRF/Sorocaba Receita Federal do Brasil DELEGACIA DA RECEITA

Leia mais

Guia Declaração Imposto de Renda 2013. Investimentos. Março de 2013. Brasil

Guia Declaração Imposto de Renda 2013. Investimentos. Março de 2013. Brasil Guia Declaração Imposto de Renda 2013 Investimentos Março de 2013 Brasil Guia de Declaração IR 2013 -Investimentos 2 O dia 30/04/2013 é último dia para entrega da declaração anual do Imposto de Renda 2013

Leia mais

PROAC PROGRAMA DE AÇÃO CULTURAL

PROAC PROGRAMA DE AÇÃO CULTURAL PROAC PROGRAMA DE AÇÃO CULTURAL Permite o apoio financeiro a projetos culturais credenciados pela Secretaria de Cultura de São Paulo, alcançando todo o estado. Segundo a Secretaria, o Proac visa a: Apoiar

Leia mais

PARECER SOBRE A LEI DA SOLIDARIEDADE-RS

PARECER SOBRE A LEI DA SOLIDARIEDADE-RS PARECER SOBRE A LEI DA SOLIDARIEDADE-RS 1) FUNDAMENTO LEGAL: Objetivando expressar nosso Parecer Técnico sobre a legislação que fundamenta o programa de incentivo fiscal (Programa de Apoio à Inclusão e

Leia mais

Guia Declaração. Investimentos. Março de 2012. Brasil

Guia Declaração. Investimentos. Março de 2012. Brasil 1 Guia Declaração Imposto de Renda 2012 Investimentos Março de 2012 Brasil Guia de Declaração IR 2012 - Investimentos 2 O dia 30/04/2012 é ultimo dia para entrega da declaração anual do Imposto de Renda

Leia mais

Manual sobre uso de INCENTIVOS FISCAIS

Manual sobre uso de INCENTIVOS FISCAIS Manual sobre uso de INCENTIVOS FISCAIS 2 APRESENTAÇÃO Ciente de que os governos (seja o federal, estadual ou municipal) utilizam os incentivos fiscais como maneira de estimular as empresas ou pessoas físicas

Leia mais

Doar Faz Bem. Capa. Ações que reverberam. Manual de Doações. nazareuniluz.org.br. Nazaré Uniluz

Doar Faz Bem. Capa. Ações que reverberam. Manual de Doações. nazareuniluz.org.br. Nazaré Uniluz Capa Doar Faz Bem Ações que reverberam Manual de Doações www. - (11) 4597-7109 / 4597-7103 / 96473-2851 www. - (11) 4597-7109 / 4597-7103 / 96473-2851 Este Manual foi criado com o intuito de inspirar,

Leia mais

Incentivos Fiscais PONTOS ABORDADOS:

Incentivos Fiscais PONTOS ABORDADOS: INCENTIVOS FISCAIS PONTOS ABORDADOS: Incentivos Fiscais 1. Aspectos Gerais; 2. Doações a Entidade Cíveis; 3. Lei Rouanet; 4. Lei do Esporte; 5. Lei nº. 12.715/12 (Câncer e Deficiência); 6. Fundo Nacional

Leia mais

Guia de Declaração IR 2014. Investimentos. Março de 2014. Brasil

Guia de Declaração IR 2014. Investimentos. Março de 2014. Brasil Guia de Declaração IR 2014 Investimentos Março de 2014 Brasil Guia de Declaração IR 2014 - Investimentos O prazo de entrega da declaração anual do Imposto de Renda 2014 tem início no dia 6 de março e o

Leia mais

CONFIRA COMO ENVIAR A DECLARAÇÃO DO IR 2009

CONFIRA COMO ENVIAR A DECLARAÇÃO DO IR 2009 CONFIRA COMO ENVIAR A DECLARAÇÃO DO IR 2009 Passo 1 - Tipo de declaração Nesta tela, o contribuinte escolhe se deseja fazer a declaração de ajuste anual, para prestar conta sobre seus rendimentos e despesas

Leia mais

IRPJ. Lucro Presumido

IRPJ. Lucro Presumido IRPJ Lucro Presumido 1 Características Forma simplificada; Antecipação de Receita; PJ não está obrigada ao lucro real; Opção: pagamento da primeira cota ou cota única trimestral; Trimestral; Nada impede

Leia mais

MANUAL DO FUNDO DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE E DO FUNDO DOS DIREITOS DO IDOSO

MANUAL DO FUNDO DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE E DO FUNDO DOS DIREITOS DO IDOSO MANUAL DO FUNDO DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE E DO FUNDO DOS DIREITOS DO IDOSO Como o civismo tributário e a participação dos cidadãos e das empresas podem fortalecer políticas públicas voltadas

Leia mais

LEIS DE INCENTIVOS FISCAIS

LEIS DE INCENTIVOS FISCAIS segunda-feira, 11 de julho de 2011. LEIS DE INCENTIVOS FISCAIS Leis e Benefícios Com Responsabilidade Social Introdução Todos sabem que as instituições de Utilidade Pública Federal e as Organizações da

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 11.438, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2006. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte

Leia mais

Transforme seu imposto em música

Transforme seu imposto em música LEI FEDERAL DE INCETIVO À CULTURA LEI ROUANET Transforme seu imposto em música Associação Cultural Casa de Música de Ouro Branco O QUE É A LEI ROUANET A Lei Rouanet (Lei 8.313/1991), instituiu o Programa

Leia mais

b) receberam rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma tenha sido superior a R$ 40.

b) receberam rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma tenha sido superior a R$ 40. Vitória/ES, 23 de fevereiro de 2013. ORIENTAÇÕES PARA DECLARAÇÃO DO IRPF 2013 A partir do dia 1º março a Receita Federal começa a receber a Declaração de Ajuste Anual do Imposto de Renda Pessoa Física.

Leia mais

Alterações relativas ao livro Estatuto da Criança e do Adolescente LEI Nº 12.594, DE 18 DE JANEIRO DE 2012

Alterações relativas ao livro Estatuto da Criança e do Adolescente LEI Nº 12.594, DE 18 DE JANEIRO DE 2012 Alterações relativas ao livro Estatuto da Criança e do Adolescente LEI Nº 12.594, DE 18 DE JANEIRO DE 2012 Institui o Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (Sinase), regulamenta a execução das

Leia mais

O Fundo dos Direitos da Criança e do Adolescente

O Fundo dos Direitos da Criança e do Adolescente CURSO DE CAPACITAÇÃO PARA OS PROMOTORES DE JUSTIÇA PROGRAMA INFÂNCIA EM 1º LUGAR 2ª ETAPA O Fundo dos Direitos da Criança e do Gestão e Captação de Recursos Fernando Carlos Almeida Fernando Carlos Almeida

Leia mais

PROGRAMA DE APOIO AO INCENTIVO: P.A.I ( Lei Rouanet) Informações Importantes para o Empresário Patrocinador

PROGRAMA DE APOIO AO INCENTIVO: P.A.I ( Lei Rouanet) Informações Importantes para o Empresário Patrocinador Informações Importantes para o Empresário Patrocinador Se sua empresa deseja Patrocinar um dos projeto culturais, aprovados pelo Ministério da Cultura por meio por da Lei Rouanet. Isso significa que como

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 11.438, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2006. Texto compilado Dispõe sobre incentivos e benefícios para fomentar as atividades de caráter

Leia mais

Direcione parte do Imposto de Renda devido à uma instituição séria s e comprometida com objetivos sociais e desenvolvimento humano;

Direcione parte do Imposto de Renda devido à uma instituição séria s e comprometida com objetivos sociais e desenvolvimento humano; FUMCAD - FUNDO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA A E DO ADOLESCENTE. Associação Benção de Paz Projeto José de Anchieta. Saiba como fazer doações com incentivos de redução d0 Imposto de Renda Devido; Direcione

Leia mais