A conquista do consumidor moderno. Comunicação integrada entre marketing e relações públicas 20/12/2007

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A conquista do consumidor moderno. Comunicação integrada entre marketing e relações públicas 20/12/2007"

Transcrição

1 A conquista do consumidor moderno. Comunicação integrada entre marketing e relações públicas 20/12/2007 Marcos Nicolau* Mitchell Azevedo** Resumo Em um mercado cada vez mais exigente e diante da concorrência acirrada, as empresas estão procurando rever seus conceitos e suas posturas para se manterem em pleno desenvolvimento. Somente uma ação de comunicação integrada dinâmica e eficaz pode assegurar a renovação e a reinvenção de novos processos de conquista do cliente moderno. Isso é possível através de uma reunião de esforços de estratégias de marketing e procedimentos de relações públicas capazes de desencadear relacionamentos duradouros com os consumidores. Palavras-Chave: Comunicação integrada, Responsabilidade social, Marketing, Relações públicas Introdução Desde o final da década de oitenta e início dos anos de 1990, o mercado tem sofrido mutações cada vez significativas. Aqueles consumidores que antes apenas compravam objetos fabricados em larga escala e com pouca variação tecnológica, agora se tornaram cidadãos mundiais conscientes de seus direitos, passaram a cobrar e exigir dos fabricantes novas formas de produção, desenvolvimento sustentável e produtos mais versáteis. A indústria, por sua vez, tem acompanhado essa nova tendência mundial, afinal, empreendedores que não acompanham essa curvatura estão se deparando com a possibilidade de fracasso. A concorrência nos mais variados níveis mercadológicos tem feito com que haja um significativo aumento nas opções de produtos e, ao mesmo tempo, propõem uma preocupação com a imagem institucional. Isso também é resultado das exigências do consumidor atual. O dinheiro - instrumento de relações sociais e interpessoais - vem se tornando cada vez mais valorizado, exigindo que as indústrias e fornecedores de forma geral busquem novas formas de comercialização. Hoje, o mercado aposta no crediário e formas de pagamentos em longos prazos, procurando, com isso, atingir ao consumidor dos mais variados níveis econômicos. E mais: no mercado contemporâneo, valores intangíveis afetam gradativamente as relações empresas/públicos. Tais valores se configuram em responsabilidade social, credibilidade, reputação e conceitos que a sociedade tem de determinada organização. Talvez sejam esses os maiores legados de uma empresa moderna. Diante dos fatos, acima relacionados, surge a necessidade de uma comunicação integrada que, quando bem planejada dentro das organizações, torna-se, um poderoso instrumento no desenvolvimento de estratégias que viabilizam o relacionamento entre estas organizações e os públicos de interesse. Na visão da professora Margarida Kunsch (2006, p.33), o planejamento estratégico não ocorre do nada. Ele acontece nas organizações num contexto sócio-ambiental e sociocultural amplo e complexo..

2 Por sua vez, Fábio França, (2006, p. 17) afirma que a comunicação é, na sua essência uma atividade de entendimento entre pessoas. Realiza-se de maneira estratégica quando, de fato, estabelece troca de informações dentro de um sistema organizado de inter-relações e atinge seu objetivo maior, contudo, que é persuadir.. Nesse contexto, tratamos da comunicação integrada em seu sentido mais amplo, como um conjunto de esforços, ações, estratégias e produtos de comunicação, devidamente planejados e desenvolvidos pelas organizações com o propósito de agregar valor à sua imagem, consolidando-se institucionalmente e mercadologicamente juntos aos seus públicos e a toda a sociedade. A partir dessa conjuntura socioeconômica e ambiental de mercado, trataremos neste artigo das formas e maneiras que as grandes corporações e empresas de menor porte têm usado para atuar no mercado globalizado, competitivo e voraz do mundo atual. O consumidor é beneficiado com as várias opções de produtos no mercado, ficando à vontade para escolher o melhor lugar para comprar. E todos agradecem o empenho empresarial em melhorar a qualidade de vida na terra. Responsabilidade social, um grande passo no caminho da modernização. Para Wilson Bueno (2003), a busca pela responsabilidade social tornou-se um exercício planejado e sistemático de ações, estratégias, bem como, a implantação de canais de relacionamento entre uma organização, seus públicos de interesse e a própria sociedade. Novos processos de relacionamento entre o consumidor e a empresa têm sido bastante renovados ao longo do tempo, e além de novos produtos, outros diferenciais têm sido procurados e prestigiados pelos consumidores mais atentos. Um desses processos refere-se à nova tomada de consciência por parte do consumidor com relação às mudanças ambientais ocorridas no planeta nos últimos anos. O lema de salvar o planeta tem sido muito debatido e difundido pela mídia, e as organizações, por sua vez, têm usado tal idéia como bandeira principal na hora de divulgar e vender seus produtos e serviços. A ética empresarial está deixando de ser um discurso vazio e sem consistência para ser uma regra imposta pela sociedade. Segundo Mário Ernesto Humberg (2006, p. 83), a decisão de estabelecer um programa de ética empresarial deve ser vista como um projeto estratégico de alta significação para os negócios.. De fato, a sociedade como um todo, diz Bueno (2003, p. 105) requer ética na condução dos negócios e está disposta, cada vez mais, a combater a corrupção, os lobbies ilegítimos e os monopólios. Isso tem feito com que as organizações comecem a se preocupar com sua imagem diante de seus públicos de interesse. Sabe-se que no atual cenário mercadológico atitudes como a agressão ao meio ambiente, a exploração de crianças e adultos através de trabalho escravo e a busca incessante e exclusiva do lucro não têm trazido bons frutos para as empresas. A todo o momento, os consumidores avaliam os valores intangíveis da empresa para se sentirem tentados a comprar um dos seus produtos no mercado. A responsabilidade social é um relacionamento da instituição com o mundo globalizado e não apenas com os seus stakeholders. Essa interação com o meio social e o ambiental é uma forma que a empresa tem de contribuir com a localidade onde a organização está inserida, fazendo com que a sociedade sinta sua presença em ações que tragam benefícios a todos os conviventes daquela comunidade. Para tanto, aqui entra o desempenho do bom profissional de relações públicas, com o objetivo de fazer a empresa atingir a sua meta institucional.

3 Ainda no entendimento de Bueno (2003, p. 113), "é necessário que as organizações modernas incluam nesta proposta de cultura socialmente responsável os atributos inegociáveis de ética, transparência, profissionalismo, proatividade, valorização da diversidade e da liberdade de expressão e pensamento, respeito ao meio ambiente e prática do consumo responsável, entre outros. Para que isso realmente funcione, cabe às organizações desenvolverem bons métodos de planejamento, implemento, assessoria e avaliação de cada investimento feito nessa área, pois essas ações requerem uma atenção muito especial no intuito de não gerar prejuízos e sim produzir um retorno garantido. O mundo todo se preocupa com as questões ambientais. Com relação ao Brasil, nosso país é um grande incentivador das empresas que adotam posturas de responsabilidade social em seus programas de sustentabilidade e desenvolvimento. Tanto é que, na Revista Exame, de julho de 2007, na sua seção Estudo Exame, consta a informação de que no Brasil os dados ainda não são precisos quanto aos investimentos realizados. No entanto, verifica-se na reportagem de Ana Luiza Herzog (2007), que a Ecosorb, uma empresa paulista especializada na prevenção e na remediação de desastres ambientais terá investimentos de 20 milhões de reais. Esse montante será viabilizado pela gestora de capital de risco Stratus. A referida reportagem também cita que outra empresa beneficiada é a Mar & Terra, que atua no setor de piscicultura, mantendo em seus cativeiros os peixes Pintado e Pacu, evitando a pesca predatória e mantendo as espécies preservadas. A Mar & Terra já produz 30 toneladas de Pintado por mês para o mercado interno e externo, conquistando espaço e tornando a clientela fiel. São ações como essas que o público espera de uma empresa comprometida com um futuro melhor para todos. Na mesma revista, os repórteres Cristiane Mano e José A. Gonçalves (2007), mostram outro exemplo de investimentos que visam ajudar o planeta está na criação de uma bolsa de compra e venda de créditos de carbono do mundo, com sede em Chicago (EUA). A idéia é a neutralização da emissão de gases carbônicos. Trata-se de um misto de postura ecologicamente correta e uma jogada mercadológica da empresa, uma vez que, à medida que investem em projetos que são ecologicamente corretos, divulgam suas ações nas propagandas que veiculam. O mais recente caso desse tipo de comportamento empresarial é o da distribuidora de combustível Ipiranga. O que fez essa empresa de combustível? Passou a plantar árvores na medida em que seus clientes usam o cartão Ipiranga para abastecer. Segundo a reportagem de Mano e Gonçalves (2007, p. 25), para se associar à bolsa, a empresa interessada tem de se comprometer a reduzir em 6% suas emissões de carbono até O que passar disso pode virar crédito que outras empresas podem comprar para compensar suas emissões. Resultado: no Brasil, mais de dez empresas investem na bolsa de compra e venda de carbono. O caminho para fidelizar clientes usando marketing de relacionamento O dinamismo e a agilidade imposta pela globalização expõem o mercado, seja ele global ou local, a novos desafios. O gestor da comunicação deve estar pronto a todo instante para enfrentar as mais variadas situações advindas das transformações e inovações mercadológicas. Segundo França, (2006, p.10), ao empreendedor é imprescindível conhecer a missão da organização, sua perspectiva quanto ao futuro, seu planejamento a longo, médio e curto prazo e, ainda, as estratégias corporativas e de negócios. Uma das formas mais usadas para se conhecer bem uma organização é a análise SWOT. Por meio dessa análise identificam-se internamente os pontos fortes e fracos da

4 empresa, e no cenário externo levantam-se as oportunidades e as ameaças. Trata-se de uma ferramenta de gestão utilizada como parte do planejamento estratégico de uma organização. A partir desse estudo e de pesquisas de mercado a organização pode apontar caminhos para desenvolver tecnologias, além de processos e habilidades que busquem relacionamentos duradouros com seus clientes. Porém, para entendermos a prática de relacionamentos duradouros, precisamos compreender seus conceitos básicos. Para Roberto Madruga (2004, p.20), Marketing de relacionamento definitivamente é atrair, realçar e intensificar o relacionamento com clientes finais, clientes intermediários, fornecedores, parceiros e entidades governamentais e não governamentais, através de uma visão de longo prazo na qual há benefícios mútuos.. O marketing de relacionamento é fundamental para as organizações que adotam a comunicação integrada como caminho para o êxito da empresa. Segundo Madruga (2004, p.20), Marketing de relacionamento se refere a toda atividade de marketing direcionada a estabelecer, desenvolver e manter trocas relacionadas de sucesso.. Para que haja uma maior eficácia nesse relacionamento com o cliente é interessante que a empresa disponha do CRM. Como já se sabe, o CRM, do inglês Customer Relationship Management, é uma combinação integrada de ferramentas de software, processos e pessoas que permitem a uma determinada empresa gerir todo o relacionamento com os clientes diretos e indiretos com o objetivo de obter e garantir vantagens através da personalização de serviços e marketing dirigido. Este sistema, se alimentado corretamente, fornece à empresa informações precisas, segmentadas e atualizadas sobre seus públicos, formando assim, um poderoso database que, segundo Nasch (apud MADRUGA, 2004, p. 87), é uma ferramenta atual e decisiva do marketing como segmentação, ações customizadas, geração de perfil de clientes, suporte a serviços e identificação de oportunidades. O desenvolvimento dessas estratégias, a partir de um sólido conhecimento da cultura, dos valores e da missão da empresa, traz, certamente, uma vantagem considerável para a organização na conquista duradoura de seus clientes. O mercado contemporâneo e a comunicação organizacional Falar de mercado moderno em um momento de tantas transformações globais exige certa cautela, sobretudo, no que se refere ao atendimento, satisfação de clientes e imagem institucional. O mercado deve ser compreendido, em geral, não como um fim, mas como processo contínuo e cheio de alternativas, devido ao seu ciclo sempre alimentado por um consumidor ávido por novas experiências. Eis aí os motivos dos investimentos empresariais em aperfeiçoamento e em comunicação, uma vez que esta é um instrumento fundamental nesse processo. No entendimento de Kunsch (2006, p. 38), é comum a afirmação de que a comunicação tem uma função estratégica de resultados (...) ela tem que agregar valores e ajudar as organizações a cumprirem sua missão e concretizarem sua visão. Percebe-se, desde já, a importância da comunicação integrada em uma organização com objetivos pré-estabelecidos, para proporcionar crescimento, credibilidade, transparência e reputação social em meio à comunidade ali instalada. O marketing e as relações públicas devem trabalhar conjuntamente para que a organização tenha sua imagem institucional e mercadológica voltadas para uma única direção. A comunicação organizacional deve estar em constante avaliação. Deve ser ela administrada estrategicamente por um gestor específico, tendo uma participação efetiva

5 da corporação como um todo, afinal, a comunicação não deve ser vista de forma isolada, mas sim integrada e voltada para o crescimento da organização. Segundo Kunsch (2006, p.39), planejar a comunicação para uma organização pública que disponha de um planejamento desse tipo será muito mais fácil. (...) Para cumprir a missão e todos os propósitos de ação do planejamento estratégico realizado, qualquer organização não poderá prescindir da comunicação. Partindo desse princípio, percebemos a comunicação como um instrumento de alto impacto na sociedade. Para Bueno (2003, p.33), deixa de, portanto, ser atividade que se descarta ou se relega a segundo plano, em momentos de crise e de carência de recursos, para se firmar como insumo estratégico, de que uma empresa ou uma entidade lança mão para fidelizar clientes, sensibilizar multiplicadores de opiniões ou integrar com a comunidade.. Os valores mercadológicos, uma inovação do mercado moderno O consumidor conta com um mercado muito concorrido e uma legislação mais protecionista, apoiado pelo atual Código de Defesa do Consumidor. Diante desse cenário, empresas e corporações têm recriado valores para adicioná-los a seus produtos e serviços. Em décadas passadas, os produtos e serviços não tinham diferencias que fizessem o cliente ponderar sobre sua escolha, eles simplesmente existiam. Esse quadro tem mudado muito nas últimas duas décadas; os valores intangíveis também passaram a fazer parte do cotidiano tanto das empresas como dos consumidores. Para Mauricio Gangana et ali (2003, p.19), a premissa é que eles comprarão os produtos e serviços ou adotaram os conceitos das organizações que, a seu ver, entregarem maior valor.. De fato, maximizar o produto, através de valores objetivos e subjetivos sobre determinada corporação é uma prática cada vez maior do consumidor moderno, que cria uma expectativa de valor e age de acordo com ela. Esse é um dos motivos para que a corporação sempre esteja em constante pesquisa e coleta de informações, uma vez que, calcada nessas premissas, a empresa encontrará formas de atender as demandas mercadológicas e manter relacionamentos duradouros. O livre-comércio vem eliminando distâncias e barreiras sócio-culturais. Países como China e Japão, por exemplo, não encontram dificuldades para exportar produtos e concorrer de maneira nivelada com os produtos do próprio país importador. EUA e outros países da Europa, além do Brasil, redem-se à qualidade e aos preços dos produtos chineses e japoneses, o que dá ao consumidor destes lugares a vantagem de escolher o que comprar de acordo com o seu interesse. É justamente nesse contexto que as dificuldades econômicas surgem para algumas empresas, por outro lado, surgem também as chamadas janelas estratégicas; e o gestor da comunicação, em conjunto com o empresário, deve estar pronto para aproveitar tais oportunidades. No entendimento de Gangana et ali (2003, p. 20), sempre haverá o momento certo para aproveitar as oportunidades ou superar as ameaças.. Esse é o grande trunfo que o profissional de comunicação pode apresentar à organização. Motivar a percepção, uma forma de manter o consumidor fiel à organização Manter o consumidor fiel e motivado a estar sempre comprando tem sido um exercício praticado constantemente pela comunicação da organização. Vale relembrar que tal esforço deve ser um objetivo de todos os componentes da empresa para que os seus resultados sejam alcançados. Além do marketing de relacionamento, acima citado, outros elementos podem contribuir para manter o consumidor comprando.

6 Alguns teóricos da área têm sugerido idéias e apresentado algumas diretrizes para que este caminho seja tomado. Quando falamos em motivação devemos fazer valer a máxima já consagrada que diz: ninguém comprará nada se não estiver motivado a comprar. Para que haja essa motivação surge a necessidade de estimular a percepção do consumidor. Daniel P. Serrano¹ afirma que em termos gerais, a percepção pode ser descrita como a forma como vemos o mundo à nossa volta, o modo segundo o qual o indivíduo constrói em si a representação e o conhecimento que possui das coisas, pessoas e situações, ainda que, por vezes, seja induzido em erro. Entendemos, portanto, que o marketing e as relações públicas devem trabalhar ao máximo o processo cognitivo do consumidor, afinal, a organização e seus produtos/serviços serão compreendidos com base num processo perceptivo individual segundo as necessidades, valores e expectativas de cada consumidor. É atuando dentro desse conceito que a comunicação, como instrumento de persuasão, através de planejamento estratégico e muita pesquisa, vai ao encontro do consumidor, garantindo ações pautadas na transparência e na ética. Desse modo, é essencial conhecer o cliente em profundidade, de tal forma que esse conhecimento ajude a predizer o que ele vai preferir. A pesquisa de mercado, por sua vez, é muito importante, porém, é preciso ir além, afinal, só se consegue inovar quando se sabe o que é de fato importante para os clientes. Marketing e relações públicas, parceiras de objetivos mercadológicos Em toda organização o marketing e as relações públicas têm importância significativa no desenvolvimento de um projeto voltado para a excelência da comunicação. Entretanto, a dificuldade de convívio entre os profissionais destas duas áreas de conhecimento tem gerado controvérsias e posto à prova toda fluidez da comunicação dentro e fora das organizações. Para percebermos a relação entre ambas vamos conceituar e entender um pouco sabre cada uma dessas duas disciplinas, a começar pelo marketing. O conceito clássico de Kotler (2000, p. 30), define marketing como um processo social por meio do qual as pessoas e grupos de pessoas obtêm aquilo de que necessitam e o que desejam com a criação, oferta e livre negociação de produtos e serviços de valor com outros. Ainda segundo Kotler (2001, p. 120), o maior objetivo do Marketing é fazer com que a economia se ponha em movimento, as pessoas desejem as coisas e utilizem parte de seus recursos limitados para desfrutar cada vez mais dos produtos. Partindo desse principio, entende-se que o marketing vai cuidar do terreno mercadológico da empresa. Dentro desse pensamento, Yanaze, (2006, p. 64), afirma que marketing é o composto de todas as atividades planejadas e estruturadas que visam ao mercado. Esta definição engloba todos os esforços empresariais de estudar, conhecer, estruturar e operacionalizar ações dentro do mercado.. Diferentemente de outras épocas, em que as indústrias apenas estavam preocupadas com a produção em massa, percebe-se que agora o marketing surge com uma nova face para o mercado um mercado muito mais voltado para a satisfação do consumidor. O gerenciamento de produtos é uma forma de introduzir o marketing na empresa. Tal atuação deve ser desenvolvida por um gestor de marketing responsável pela execução de todas as atividades pertinentes ao produto ou grupo de produtos. É dessa maneira que a organização passa a obter melhores resultados, usando decisões estratégicas baseadas nas informações advindas do mercado. Ao agir assim o foco passa a ser o mercado e não mais a produção.

7 O Brasil tem um mercado competitivo dentro da população vista como afluente, ou seja, aquela que tem condições de consumir produtos não essenciais a sua sobrevivência; e esse é um excelente mercado para ser explorado. Diante do consumidor desse novo mercado, o professor Yanaze (2006, p. 64) considera ainda que é imprescindível conhecer suas necessidades, seus desejos e suas motivações, a fim de permitir a definição de formas eficazes para conquistá-la com produtos e serviços. O marketing deve ser assimilado nas empresas não como uma mera prática de trabalhar o mercado, mas sim como uma filosofia de comportamento estratégico da corporação. Deve ser compreendido por todos os níveis hierárquicos da organização para que dele seja obtido o máximo em retorno mercadológico e rentabilidade dos investimentos aplicados, sejam eles em publicidade e propaganda, merchandising, promoção de vendas, entre outras. Mas, e as relações públicas? Sabemos, em principio, que as relações públicas têm como objeto as organizações e seus públicos, que são elementos distintos, mas que se relacionam mutuamente. James Grunig², um dos mais notórios estudiosos de Relações Públicas do cenário mundial, aponta o novo perfil deste profissional: Os novos profissionais de Relações Públicas participam da administração estratégica, vêem Relações Públicas como um processo simétrico, conduzem pesquisas ou extraem informações do ambiente por outros meios e são os especialistas em construção de relacionamento. Para exercer as Relações Públicas desta maneira, os novos profissionais devem ter aprendido um leque de conhecimentos da área baseado em pesquisa que os guiam na prática de suas atividades. (...) estudou Relações Públicas na universidade, mas também adquiriu conhecimento por outras fontes: leituras, participando de atividades em organizações profissionais ou realizando pesquisa como parte de seu trabalho. Compreende-se, portanto, que os profissionais de Relações Públicas são os gestores e empreendedores do processo de comunicação corporativa das empresas em que trabalham. Complementando o perfil acima apresentado, Kunsch (2003, p. 90) afirma que, contribuir para o cumprimento dos objetivos globais e da Responsabilidade Social das organizações, mediante o desempenho de funções e atividades específicas, é outro desafio constante a ser considerado como meta das Relações Públicas. Para esta autora, o relações públicas enfatiza o lado corporativo das organizações. Como atividade profissional, elas: 1) Identificam os públicos, suas reações, percepções e pensam em estratégias comunicacionais de relacionamentos de acordo com as demandas sociais e o ambiente organizacional. 2) Supervisionam e coordenam programas de comunicação com públicos- grupos de pessoas que se auto-organizam quando uma organização os afeta ou vice-versa. 3) Prevêem e gerenciam conflitos e crises que por ventura passam as organizações e podem despontar dentro de muitas categorias: empregados, consumidores, governos, sindicatos, grupos de pressão etc. (KUNSCH, 2003, p. 95) Dentro desse contexto, Yanaze (2006) estabelece a correlação entre marketing e relações públicas da seguinte forma: enquanto o marketing permite à organização localizar seus mercados para definir seus objetivos e estratégias a fim de atingí-los, as relações públicas planeja e executa ações que visam melhorar o relacionamento da empresa com seus públicos. Diante do levantamento feito ate aqui, as atribuições das relações públicas são diferentes, mas, próximas daquelas que se referem ao marketing, o que sugere não um

8 conflito de convivência dentro de uma organização, mas sim, um clima de fair play ou ajuda mútua entre as duas disciplinas. Uma organização com objetivos pré-estabelecidos e voltados sinergicamente para a obtenção de resultados positivos, certamente, encontrará na união do marketing com relações públicas o melhor caminho para a maximização de suas inovações, pretensões mercadológicas, institucionais e ambientais. Entre essas duas áreas do conhecimento não existe subalterno, o que deve prevalecer é a sinergia comportamental de todos em busca do melhor para a organização. Conclusão Como profissionais da comunicação devemos tentar compreender a dimensão de todo o processo mercadológico que envolve a sociedade. O consumidor final entendeu que ele paga por um produto/serviço e que por isso tem o direito de exigir, de conhecer os conceitos, os valores, a cultura, a visão e a missão institucional da organização da qual ele está comprando algo. As empresas modernas - sejam de grande, médio ou pequeno porte - têm a obrigação de ser transparentes, na concepção mais ampla da palavra, com este novo consumidor/cidadão. Afinal, os tempos mudaram, a concorrência é ampla e aberta, as inovações tecnológicas estão ao alcance da maioria dos cidadãos que, protegidos por lei, sabem cada vez mais prezar por sua dignidade pessoal. Em tempos de revolução mercadológica e mutações cada vez mais rápidas e eficientes, os gestores da comunicação devem se preparar, não para uma guerra entre eles mesmos, mas sim para uma união voltada para o bem da organização, tendo como maior beneficiado o meio ambiente e a sociedade de forma geral. Aos profissionais de relações públicas e marketing que estão chegando ao mercado de trabalho, fica aqui o nosso alerta: somente a comunicação integrada planejada vai trazer os resultados esperados pelos empresários que oferecem a oportunidade de atuarem na complexidade do mercado, seja ele do primeiro, segundo ou terceiro setor. Notas: 1 Disponível em: do marketing.com.br/motivação. Acesso em 13/10/ Disponível em: Acesso em 13/10/2007. Referências: BUENO, Wilson da Costa. Comunicação empresarial: teoria e pesquisa. Barueri/SP: Manole, CRISTIANE, Mano e GONÇALVES, José Alberto. In: Revista EXAME, ano 41, nº. 13, ed. 897, 18/julho/2007. FRANÇA, Fábio. Relações Públicas para o século XXI: relacionamento com pessoas. In: KUNSCH, Margarida Maria Krohling. (Org). Obtendo resultados com relações públicas. 2. ed. São Paulo/SP: Thomson Learning, GANGANA, Mauricio et ali. Gestão de marketing. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2003.

9 HERZOG, Ana Luiza. In: Revista EXAME, ano 41, nº. 13, ed. 897, de 18/julho/2007. HUMBERG, Mário Ernesto. O profissional e a ética empresarial. In: KUNSCH, Margarida Maria Krohling. (Org). Obtendo resultados com relações públicas. 2. ed. São Paulo/SP: Thomson Learning, KUNSCH, Margarida Maria Krohling. Planejamento de relações públicas na comunicação integrada. 4. ed. São Paulo/SP: Summus, (Org). Obtendo resultados com relações públicas. 2. ed. São Paulo/SP: Thomson Learning, Planejamento estratégico para excelência da comunicação. In: KUNSCH, Margarida Maria Krohling. (Org). Obtendo resultados com relações públicas. 2. ed. São Paulo/SP: Thomson Learning, MADRUGA, Roberto. Guia de implementação de marketing de relacionamento e CRM. São Paulo: Atlas, KOTLER, Philip. Marketing para o século XXI: como criar, conquistar, e dominar mercados. 7. ed. São Paulo: Futura, Do marketing móvel às lacunas de valor (Entrevista). In: HSM Management,. Nº 29, ano. 5, pp , nov./dez YANAZE, Mitsuru Higushi. Relações Públicas e Marketing. In: KUNSCH, Margarida Maria Krohling. (Org). Obtendo resultados com relações públicas. 2. ed. São Paulo/SP: Thomson Learning, Sites do marketing.com.br/motivação. * Marcos Nicolau é professor do Departamento de Comunicação da UFPB. Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Comunicação/UFPB. **Mitchell Azevedo é graduado em Relações Públicas, aluno da Especialização em Marketing e Publicidade em Varejo do IESP. Todos os direitos reservados:

Organizações de fato, Relações Públicas de direito 13/06/2007

Organizações de fato, Relações Públicas de direito 13/06/2007 Organizações de fato, Relações Públicas de direito 13/06/2007 Mitchell Figueiredo de Azevedo* Introdução A guerra travada no atual mercado globalizado impõe às organizações uma forma mais "agressiva" de

Leia mais

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO Josiane Corrêa 1 Resumo O mundo dos negócios apresenta-se intensamente competitivo e acirrado. Em diversos setores da economia, observa-se a forte

Leia mais

CRM - gestão eficiente do relacionamento com os clientes

CRM - gestão eficiente do relacionamento com os clientes CRM - gestão eficiente do relacionamento com os clientes Mais que implantação, o desafio é mudar a cultura da empresa para documentar todas as interações com o cliente e transformar essas informações em

Leia mais

Planejamento Estratégico da Comunicação Empresarial

Planejamento Estratégico da Comunicação Empresarial Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu e MBA Planejamento Estratégico da Comunicação Empresarial Prof. Dr. Luiz Alberto de Farias Março e Abril de 2014 Prof. Dr. Luiz Alberto de Farias Planejamento Estratégico

Leia mais

Planejamento Estratégico de Comunicação Institucional para o IBAMETRO: uma experiência governamental 1

Planejamento Estratégico de Comunicação Institucional para o IBAMETRO: uma experiência governamental 1 Planejamento Estratégico de Comunicação Institucional para o IBAMETRO: uma experiência governamental 1 Gustavo Figueiredo 2 Resumo O IBAMETRO - Instituto Baiano de Metrologia e Qualidade, autarquia ligada

Leia mais

O CRM e a TI como diferencial competitivo

O CRM e a TI como diferencial competitivo O CRM e a TI como diferencial competitivo Nelson Malta Callegari (UTFPR) nelson.estudo@gmail.com Profº Dr. João Luiz Kovaleski (UTFPR) kovaleski@pg.cefetpr.br Profº Dr. Luciano Scandelari (UTFPR) luciano@cefetpr.br

Leia mais

A atividade de Relações Públicas como suporte para a gestão socialmente responsável

A atividade de Relações Públicas como suporte para a gestão socialmente responsável A atividade de Relações Públicas como suporte para a gestão socialmente responsável Felipe de Oliveira Fernandes Vivemos em um mundo que está constantemente se modificando. O desenvolvimento de novas tecnologias

Leia mais

Comunicação estratégica como diferencial competitivo para as organizações Um estudo sob a ótica de Administradores e Relações Públicas

Comunicação estratégica como diferencial competitivo para as organizações Um estudo sob a ótica de Administradores e Relações Públicas Comunicação estratégica como diferencial competitivo para as organizações Um estudo sob a ótica de Administradores e Relações Públicas Ana Carolina Trindade e-mail: carolinatrindade93@hotmail.com Karen

Leia mais

CRM (CUSTOMER RELATIONSHIP MANAGEMENT) E A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI)

CRM (CUSTOMER RELATIONSHIP MANAGEMENT) E A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI) CRM (CUSTOMER RELATIONSHIP MANAGEMENT) E A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI) Nelson Malta Callegari (UTFPR) nelson.estudo@gmail.com Profº Dr. João Luiz Kovaleski (UTFPR) kovaleski@pg.cefetpr,br Profº Dr. Luciano

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing PROJETO PEDAGÓGICO Curso de Graduação Tecnológica em Marketing Porto alegre, 2011 1 1. Objetivos do Curso O projeto do curso, através de sua estrutura curricular, está organizado em módulos, com certificações

Leia mais

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS - UNISINOS CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO CURSO DE RELAÇÕES PÚBLICAS. Daniela Valdez Rodrigues

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS - UNISINOS CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO CURSO DE RELAÇÕES PÚBLICAS. Daniela Valdez Rodrigues UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS - UNISINOS CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO CURSO DE RELAÇÕES PÚBLICAS Daniela Valdez Rodrigues A RELAÇÃO DO MARKETING DE RELACIONAMENTO COM RELAÇÕES PÚBLICAS São Leopoldo

Leia mais

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes Unidade IV Marketing Profª. Daniela Menezes Comunicação (Promoção) Mais do que ter uma ideia e desenvolver um produto com qualidade superior é preciso comunicar a seus clientes que o produto e/ ou serviço

Leia mais

Conteúdo. 1. Origens e Surgimento. Origens e Surgimento

Conteúdo. 1. Origens e Surgimento. Origens e Surgimento 1 2 Planejamento Estratégico: conceitos e evolução; administração e pensamento estratégico Profª Ms Simone Carvalho simonecarvalho@usp.br Profa. Ms. Simone Carvalho Conteúdo 3 1. Origens e Surgimento 4

Leia mais

Apresentação Institucional. Metodologia com alta tecnologia para soluções sob medida

Apresentação Institucional. Metodologia com alta tecnologia para soluções sob medida Apresentação Institucional Metodologia com alta tecnologia para soluções sob medida A empresa que evolui para o seu crescimento A VCN Virtual Communication Network, é uma integradora de Soluções Convergentes

Leia mais

A Importância do Marketing nos Serviços da. Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente

A Importância do Marketing nos Serviços da. Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente A Importância do Marketing nos Serviços da Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente Hellen Souza¹ Universidade do Vale do Rio dos Sinos UNISINOS RESUMO Este artigo aborda a importância

Leia mais

RELAÇÕES PÚBLICAS E MARKETING? EIS A QUESTÃO. NA FACULDADE E NO MERCADO DE TRABALHO 1

RELAÇÕES PÚBLICAS E MARKETING? EIS A QUESTÃO. NA FACULDADE E NO MERCADO DE TRABALHO 1 RELAÇÕES PÚBLICAS E MARKETING? EIS A QUESTÃO. NA FACULDADE E NO MERCADO DE TRABALHO 1 Jeaine Cardoso Soares 2 Resumo Parafraseando a célebre indagação Shakespeariana: Ser ou não ser, eis a questão e aproveitando

Leia mais

A GESTÃO DE UM CURSO SUPERIOR: DESAFIOS OU FRUSTRAÇÕES?

A GESTÃO DE UM CURSO SUPERIOR: DESAFIOS OU FRUSTRAÇÕES? A GESTÃO DE UM CURSO SUPERIOR: DESAFIOS OU FRUSTRAÇÕES? BARREIROS, Marat Guedes Especialização em Gestão Estratégica de Recursos Humanos Coordenador de Curso, Professor Faculdade do Guarujá GODOY, Valdir

Leia mais

RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS

RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS SALVADOR 2012 1 CONTEXTUALIZAÇÃO Em 1999, a UNIJORGE iniciou suas atividades na cidade de Salvador, com a denominação de Faculdades Diplomata. O contexto

Leia mais

Programa de Comunicação Interna e Externa

Programa de Comunicação Interna e Externa Programa de Comunicação Interna e Externa Aprovado na Reunião do CONASU em 21/01/2015. O Programa de Comunicação Interna e Externa das Faculdades Integradas Ipitanga FACIIP pretende orientar a execução

Leia mais

Reflexões sobre a Ética em Empresas de Tecnologia O Caso Petrobras. Heitor Chagas de Oliveira Gerente Executivo Recursos Humanos

Reflexões sobre a Ética em Empresas de Tecnologia O Caso Petrobras. Heitor Chagas de Oliveira Gerente Executivo Recursos Humanos Reflexões sobre a Ética em Empresas de Tecnologia O Caso Petrobras Heitor Chagas de Oliveira Gerente Executivo Recursos Humanos Sustentabilidade e Competitividade SUSTENTABILIDADE pode ser entendida como

Leia mais

Formulação da Visão e da Missão

Formulação da Visão e da Missão Formulação da Visão e da Missão Zilta Marinho zilta@globo.com Os grandes navegadores sempre sabem onde fica o norte. Sabem aonde querem ir e o que fazer para chegar a seu destino. Com as grandes empresas

Leia mais

Especialização em Comunicação Organizacional e Reputação Corporativa - NOVO

Especialização em Comunicação Organizacional e Reputação Corporativa - NOVO Especialização em Comunicação Organizacional e Reputação Corporativa - NOVO Apresentação Previsão de Início Julho/2013 Inscrições em Breve - Turma 01 - Campus Stiep O curso de Comunicação Organizacional

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA DO BANCO DA AMAZÔNIA

CÓDIGO DE ÉTICA DO BANCO DA AMAZÔNIA CÓDIGO DE ÉTICA DO BANCO DA AMAZÔNIA APRESENTAÇÃO O Banco da Amazônia S.A., consciente da importância da ética nas relações com a comunidade em que atua, divulga este Código de Ética, que contém os padrões

Leia mais

Sustentabilidade nos Negócios

Sustentabilidade nos Negócios Sustentabilidade nos Negócios Apresentação O programa Gestão Estratégica para a Sustentabilidade foi oferecido pelo Uniethos por nove anos. Neste período os temas ligados à sustentabilidade começam a provocar

Leia mais

Orientadora: Profa. Dra. Sonia Aparecida Cabestré (USC)

Orientadora: Profa. Dra. Sonia Aparecida Cabestré (USC) Título (Limite de 250 caracteres incluindo os espaços) Título: Relações Públicas e Ferramentas de Comunicação um estudo abordando à realidade de Ibitinga A capital nacional do bordado 1 Autores (Incluir

Leia mais

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva.

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva. COMPREENDENDO A GESTÃO DE PESSOAS Karina Fernandes de Miranda Helenir Celme Fernandes de Miranda RESUMO: Este artigo apresenta as principais diferenças e semelhanças entre gestão de pessoas e recursos

Leia mais

Gestão de Negócios. Unidade III FUNDAMENTOS DE MARKETING

Gestão de Negócios. Unidade III FUNDAMENTOS DE MARKETING Gestão de Negócios Unidade III FUNDAMENTOS DE MARKETING 3.1- CONCEITOS DE MARKETING Para a American Marketing Association: Marketing é uma função organizacional e um Marketing é uma função organizacional

Leia mais

Sustentabilidade nos Negócios

Sustentabilidade nos Negócios Sustentabilidade nos Negócios Apresentação O programa Gestão Estratégica para a Sustentabilidade foi oferecido pelo Uniethos por nove anos. Neste período os temas ligados à sustentabilidade começam a provocar

Leia mais

Conceito de Marketing Considerações Preliminares Atendimento

Conceito de Marketing Considerações Preliminares Atendimento Conceito de Marketing Considerações Preliminares Atendimento Metodologia de Ensino 1) Noções de Marketing 2) Marketing de Serviço 3) Marketing de Relacionamento 1 2 1) Noções de Marketing 3 4 5 6 www.lacconcursos.com.br

Leia mais

ENDOMARKETING COMO FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO COM O PÚBLICO INTERNO

ENDOMARKETING COMO FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO COM O PÚBLICO INTERNO 1 ENDOMARKETING COMO FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO COM O PÚBLICO INTERNO Por Regina Stela Almeida Dias Mendes NOVEMBRO 2004 UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA 2 ENDOMARKETING COMO FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO

Leia mais

APOSTILA DE FILOSOFIA E ÉTICA NAS ORGANIZAÇÕES

APOSTILA DE FILOSOFIA E ÉTICA NAS ORGANIZAÇÕES APOSTILA DE FILOSOFIA E ÉTICA NAS ORGANIZAÇÕES 2º. Bimestre Capítulos: I Ética: noções e conceitos básicos II Processo de Decisão Ética III - Responsabilidade Social Apostila elaborada pela Profa. Ana

Leia mais

Marketing de Causas Sociais

Marketing de Causas Sociais Marketing de Causas Sociais Denilson Motta denilson.motta@yahoo.com.br AEDB Lúcia Maria Aparecido Vieira lucivie3@hotmail.com UBM Vanderléia Duarte potter_van@yahoo.com.br AEDB Rayanna Mattos Viana rayannamviana@gmail.com

Leia mais

Item 2- Marketing. Atendimento

Item 2- Marketing. Atendimento Item 2- Marketing Atendimento Item 2- Marketing Atendimento Processo usado para determinar quais produtos ou serviços poderão interessar aos consumidores e qual a melhor estratégia a ser utilizada nas

Leia mais

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida Unidade IV MERCADOLOGIA Profº. Roberto Almeida Conteúdo Aula 4: Marketing de Relacionamento A Evolução do Marketing E-marketing A Internet como ferramenta As novas regras de Mercado A Nova Era da Economia

Leia mais

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO.

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Workshop para empreendedores e empresários do Paranoá DF. SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Dias 06 e 13 de Dezembro Hotel Bela Vista Paranoá Das 08:00 às 18:00 horas Finanças: Aprenda a controlar

Leia mais

Prof: Carlos Alberto

Prof: Carlos Alberto AULA 1 Marketing Prof: Carlos Alberto Bacharel em Administração Bacharel em Comunicação Social Jornalismo Tecnólogo em Gestão Financeira MBA em Gestão de Negócios Mestrado em Administração de Empresas

Leia mais

MARKETING DE RELACIONAMENTO: UM ESTUDO DE CASO NO COMÉRCIO DE TRÊS LAGOAS

MARKETING DE RELACIONAMENTO: UM ESTUDO DE CASO NO COMÉRCIO DE TRÊS LAGOAS MARKETING DE RELACIONAMENTO: UM ESTUDO DE CASO NO COMÉRCIO DE TRÊS LAGOAS ADRIELI DA COSTA FERNANDES Aluna da Pós-Graduação em Administração Estratégica: Marketing e Recursos Humanos da AEMS PATRICIA LUCIANA

Leia mais

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado Professora Débora Dado Prof.ª Débora Dado Planejamento das aulas 7 Encontros 19/05 Contextualizando o Séc. XXI: Equipes e Competências 26/05 Competências e Processo de Comunicação 02/06 Processo de Comunicação

Leia mais

INTRODUÇÃO MARKETING

INTRODUÇÃO MARKETING Aula 2 INTRODUÇÃO AO MARKETING Prof. Fábio Guerra guerra@f12consultoria.com.br OBJETIVOS DA DISCIPLINA Objetivo da disciplina é demonstrar a importância do Marketing dentro da sociedade moderna, apresentando

Leia mais

O PAPEL DA COMUNICAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES 1. Luciana Jacomini Faculdade de Agudos - FAAG

O PAPEL DA COMUNICAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES 1. Luciana Jacomini Faculdade de Agudos - FAAG O PAPEL DA COMUNICAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES 1 Luciana Jacomini Faculdade de Agudos - FAAG RESUMO A comunicação interna é uma ferramenta fundamental para as organizações no que se refere à obtenção de excelentes

Leia mais

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS GESTÃO POR COMPETÊNCIAS STM ANALISTA/2010 ( C ) Conforme legislação específica aplicada à administração pública federal, gestão por competência e gestão da capacitação são equivalentes. Lei 5.707/2006

Leia mais

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios UNIMEP MBA em Gestão e Negócios Módulo: Sistemas de Informações Gerenciais Aula 4 TI com foco nos Negócios: Áreas envolvidas (Parte II) Flávio I. Callegari www.flaviocallegari.pro.br O perfil do profissional

Leia mais

As 6 Práticas Essenciais de Marketing para Clínicas de Exames

As 6 Práticas Essenciais de Marketing para Clínicas de Exames As 6 Práticas Essenciais de Marketing para Clínicas de Exames Introdução Fique atento aos padrões do CFM ÍNDICE As 6 práticas essenciais de marketing para clínicas de exames Aposte em uma consultoria de

Leia mais

ETEC TAKASHI MORITA - EXTENSÃO PARELHEIROS HABILITAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO DE TÉCNICO EM MARKETING

ETEC TAKASHI MORITA - EXTENSÃO PARELHEIROS HABILITAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO DE TÉCNICO EM MARKETING ETEC TAKASHI MORITA - EXTENSÃO PARELHEIROS HABILITAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO DE TÉCNICO EM MARKETING PLANO TRABALHO DOCENTE 2º SEMESTRE 2013 1 ETEC TAKASORITA - EXTENSÃO PARELHEIROS INDICE

Leia mais

Planejamento Estratégico

Planejamento Estratégico Planejamento Estratégico Análise externa Roberto César 1 A análise externa tem por finalidade estudar a relação existente entre a empresa e seu ambiente em termos de oportunidades e ameaças, bem como a

Leia mais

Marketing sustentável ferramentas eficazes para atrair e manter clientes

Marketing sustentável ferramentas eficazes para atrair e manter clientes Marketing sustentável ferramentas eficazes para atrair e manter clientes CONCEITOS: Responsabilidade Social Sustentabilidade Consumo consciente Marketing REFLEXÃO: Marketing sustentável Papel da escola

Leia mais

Perfil Caliper SUPER de Vendas The Inner Seller Report

Perfil Caliper SUPER de Vendas The Inner Seller Report Perfil Caliper SUPER de Vendas The Inner Seller Report Avaliação de: Sr. João Vendedor Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: Copyright 2012 Caliper & Tekoare. Todos os direitos

Leia mais

A Comunicação Mercadológica como Fator de Vantagem Competitiva Empresarial 1

A Comunicação Mercadológica como Fator de Vantagem Competitiva Empresarial 1 A Comunicação Mercadológica como Fator de Vantagem Competitiva Empresarial 1 Tiago Miranda RIBEIRO 2 Kenney Alves LIBERATO 3 Thays Regina Rodrigues PINHO 4 PALAVRAS-CHAVE: comunicação; marketing; estratégia.

Leia mais

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação INSTITUTO VIANNA JÚNIOR LTDA FACULDADES INTEGRADAS VIANNA JÚNIOR Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação Lúcia Helena de Magalhães 1 Teresinha Moreira de Magalhães 2 RESUMO Este artigo traz

Leia mais

Palavras-chave: comunicação interna; relacionamento, relações públicas; stakeholder

Palavras-chave: comunicação interna; relacionamento, relações públicas; stakeholder Comunicação Interna na Gestão do Relacionamento com os Funcionários 1 Mestranda Vera Elisabeth Damasceno Corrêa PPGCOM/UFRGS 2 e Professora do Curso de Relações Públicas das Faculdades Integradas de Taquara

Leia mais

MARKETING EMPRESARIAL MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO EMPRESARIAL E SUSTENTABILIDADE

MARKETING EMPRESARIAL MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO EMPRESARIAL E SUSTENTABILIDADE MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO E SUSTENTABILIDADE Marketing: uma introdução Introdução ao Marketing O que é Marketing Marketing é a área do conhecimento que engloba todas as atividades concernentes às relações

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS Versão 2.0 09/02/2015 Sumário 1 Objetivo... 3 1.1 Objetivos Específicos... 3 2 Conceitos... 4 3 Princípios... 5 4 Diretrizes... 5 4.1

Leia mais

ANEXO B CONTEXTUALIZAÇÃO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE EM MODELO DE GESTÃO ORGANIZACIONAL DE ALTO DESEMPENHO

ANEXO B CONTEXTUALIZAÇÃO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE EM MODELO DE GESTÃO ORGANIZACIONAL DE ALTO DESEMPENHO ANEXO B CONTEXTUALIZAÇÃO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE EM MODELO DE GESTÃO ORGANIZACIONAL DE ALTO DESEMPENHO Autoria: Elaine Emar Ribeiro César Fonte: Critérios Compromisso com a Excelência e Rumo à Excelência

Leia mais

A Importância do CRM nas Grandes Organizações Brasileiras

A Importância do CRM nas Grandes Organizações Brasileiras A Importância do CRM nas Grandes Organizações Brasileiras Por Marcelo Bandeira Leite Santos 13/07/2009 Resumo: Este artigo tem como tema o Customer Relationship Management (CRM) e sua importância como

Leia mais

Empreendedorismo na Comunicação: um novo olhar para o mercado

Empreendedorismo na Comunicação: um novo olhar para o mercado Empreendedorismo na Comunicação: um novo olhar para o mercado Mitchell Figueiredo de AZEVEDO 1 Resumo A atual dificuldade econômica vivenciada nos mais diversos países tem proporcionado uma revolução no

Leia mais

ANEXO 2 Estrutura Modalidade 1 ELIS PMEs PRÊMIO ECO - 2015

ANEXO 2 Estrutura Modalidade 1 ELIS PMEs PRÊMIO ECO - 2015 ANEXO 2 Estrutura Modalidade 1 ELIS PMEs PRÊMIO ECO - 2015 Critérios Descrições Pesos 1. Perfil da Organização Breve apresentação da empresa, seus principais produtos e atividades, sua estrutura operacional

Leia mais

CAPITAL INTELECTUAL COMO VANTAGEM COMPETITIVA NAS ORGANIZAÇÕES EMPRESARIAIS

CAPITAL INTELECTUAL COMO VANTAGEM COMPETITIVA NAS ORGANIZAÇÕES EMPRESARIAIS CAPITAL INTELECTUAL COMO VANTAGEM COMPETITIVA NAS ORGANIZAÇÕES EMPRESARIAIS Cesar Aparecido Silva 1 Patrícia Santos Fonseca 1 Samira Gama Silva 2 RESUMO O presente artigo trata da importância do capital

Leia mais

Relações Públicas: utilizando a ferramenta essencial para diagnosticar 1

Relações Públicas: utilizando a ferramenta essencial para diagnosticar 1 Relações Públicas: utilizando a ferramenta essencial para diagnosticar 1 Marcio José ARIAS 2 Adriana Simões ESTEVES 3 Ana Aline da SILVA 4 Aline Cristina da ROCHA 5 Mariana de Souza FIGUEIREDO 6 Natalia

Leia mais

Marketing Empresarial MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO EMPRESARIAL E SUSTENTABILIDADE

Marketing Empresarial MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO EMPRESARIAL E SUSTENTABILIDADE Marketing Empresarial Capítulo 1 Marketing: uma introdução Introdução ao Marketing O que é Marketing Marketing é a área do conhecimento que engloba todas as atividades concernentes às relações de troca,

Leia mais

As Relações Públicas no Secretariado Executivo

As Relações Públicas no Secretariado Executivo 2010 Intercom Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação As Relações Públicas no Secretariado Executivo Giovanna de Araújo LEITE 1 Universidade de Pernambuco - UPE Autarquia do Ensino

Leia mais

ÉTICA E RESPONSABILIDADE SOCIAL

ÉTICA E RESPONSABILIDADE SOCIAL ÉTICA E RESPONSABILIDADE SOCIAL Camila Cristina S. Honório 1 Maristela Perpétua Ferreira 1 Rosecleia Perpétua Gomes dos Santos 1 RESUMO O presente artigo tem por finalidade mostrar a importância de ser

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL NO CENÁRIO EMPRESARIAL ¹ JACKSON SANTOS ²

RESPONSABILIDADE SOCIAL NO CENÁRIO EMPRESARIAL ¹ JACKSON SANTOS ² RESPONSABILIDADE SOCIAL NO CENÁRIO EMPRESARIAL ¹ JACKSON SANTOS ² A Responsabilidade Social tem sido considerada, entre muitos autores, como tema de relevância crescente na formulação de estratégias empresarias

Leia mais

Palavras-chave: Comunicação Estratégica; Composto de Marketing e micro e pequenas empresas.

Palavras-chave: Comunicação Estratégica; Composto de Marketing e micro e pequenas empresas. A COMUNICAÇÃO ESTRATÉGICA E O COMPOSTO DE MARKETING: UMA INTEGRAÇÃO DE SUCESSO NA GESTÃO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DE JOÃO PESSOA Evalena Lima Cabral (1) ; Patrícia Morais da Silva (3), Mitchell Figueiredo

Leia mais

Resenha. Inovação: repensando as organizações (BAUTZER, Daise. São Paulo: Atlas, 2009.)

Resenha. Inovação: repensando as organizações (BAUTZER, Daise. São Paulo: Atlas, 2009.) Resenha Inovação: repensando as organizações (BAUTZER, Daise. São Paulo: Atlas, 2009.) Patrícia Morais da Silva 1 Superar as expectativas do mercado atendendo de forma satisfatória as demandas dos clientes

Leia mais

Mercadologia capítulo IV

Mercadologia capítulo IV Mercadologia capítulo IV Por quanto vender? Muitas empresas, especialmente as varejistas, adotam a estratégia de redução de preços para aumentar suas vendas e não perder mercado para a concorrência. Mas

Leia mais

Comunicação Estratégica

Comunicação Estratégica Comunicação Estratégica Prof. Dr. João José Azevedo Curvello COMUNICAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES UCB Brasília (DF) Agosto/Setembro de 2006 Estratégia Uma forma de pensar no futuro; integrada no processo decisório;

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA e CONDUTA GRUPO

CÓDIGO DE ÉTICA e CONDUTA GRUPO CÓDIGO DE ÉTICA e CONDUTA GRUPO invepar índice Apresentação Visão, Missão, Valores Objetivos Princípios Básicos Pág. 4 Pág. 6 Pág. 7 Pág. 8 Abrangência / Funcionários Empresas do Grupo Sociedade / Comunidade

Leia mais

Assessoria de Comunicação Empresarial: Mari Semi Jóias 1

Assessoria de Comunicação Empresarial: Mari Semi Jóias 1 Assessoria de Comunicação Empresarial: Mari Semi Jóias 1 Patricia Ferreira de BRITO 2 Ana Aline da SILVA 3 Andreia Dias PACHECO 4 Debora BISSONI 5 Mariana de Souza FIGUEIREDO 6 Maysa Belomo de PAULA 7

Leia mais

Conceitos e tarefas da administração de marketing DESENVOLVIMENTO DE ESTRATEGIAS E PLANOS DE MARKETING

Conceitos e tarefas da administração de marketing DESENVOLVIMENTO DE ESTRATEGIAS E PLANOS DE MARKETING Sumário Parte um Conceitos e tarefas da administração de marketing CAPITULO I MARKETING PARA 0 SÉCULO XXI A importância do marketing O escopo do marketing 0 que é marketing? Troca e transações A que se

Leia mais

CARLOS CAIXETA. Vendas e Gestão Estratégica

CARLOS CAIXETA. Vendas e Gestão Estratégica CARLOS CAIXETA Vendas e Gestão Estratégica PERFIL Carlos Caixeta é um palestrante de destaque nacional por convergir conceito e prática em estratégias empresariais, vendas, performance e negociação. Essa

Leia mais

MARKETING AMBIENTAL: UMA FERRAMENTA EMPRESARIAL ESTRATÉGICA

MARKETING AMBIENTAL: UMA FERRAMENTA EMPRESARIAL ESTRATÉGICA 1 MARKETING AMBIENTAL: UMA FERRAMENTA EMPRESARIAL ESTRATÉGICA Felipe Rogério Pereira (UniSALESIANO Araçatuba/SP) HerculesFarnesi Cunha ( Docente das Faculdades Integradas de Três Lagoas- AEMS e UniSALESIANO

Leia mais

Não existe sucesso ou felicidade sem o exercício pleno da cidadania e da ética global.

Não existe sucesso ou felicidade sem o exercício pleno da cidadania e da ética global. Código de Ética C 2 O conteúdo deste documento é destinado apenas a visualização, sendo expressamente proibido o uso não autorizado, reprodução, cópia, distribuição, publicação ou modificação por terceiros

Leia mais

A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL

A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL Introdução A partir da década de 90 as transformações ocorridas nos aspectos: econômico, político, social, cultural,

Leia mais

Unidade II COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL. Profa. Ma. Andrea Morás

Unidade II COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL. Profa. Ma. Andrea Morás Unidade II COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL Profa. Ma. Andrea Morás Comunicação empresarial Envolve todas as ferramentas de comunicação. Atividade multidisciplinar. Envolve conflitos, emoções, potencialidades e

Leia mais

CRM Uma ferramenta tecnológica inovadora

CRM Uma ferramenta tecnológica inovadora CRM Uma ferramenta tecnológica inovadora Nelson Malta Callegari (UTFPR) nelson.estudo@gmail.com Prof Dr. João Luiz Kovaleski (UTFPR) kovaleski@pg.cefet.br Prof Dr. Antonio Carlos de Francisco (UTFPR) acfrancisco@pg.cefetpr.br

Leia mais

EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO

EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO MÓDULO 3 - A organização O conceito fundamental para a administração é o de ORGANIZAÇÃO, uma vez que toda a aplicação administrativa vai ocorrer numa organização e

Leia mais

Apresentação. Objetivo. Conhecendo a Empresa. Visão. Missão. Princípios e Valores. Política Integrada da Qualidade

Apresentação. Objetivo. Conhecendo a Empresa. Visão. Missão. Princípios e Valores. Política Integrada da Qualidade Apresentação Conhecendo a Empresa Objetivo Visão Missão Princípios e Valores Política Integrada da Qualidade 2 P á g i n a F e r r a m e n t a s Apresentação A é uma empresa especializada em comercializar

Leia mais

Líder em consultoria no agronegócio

Líder em consultoria no agronegócio MPRADO COOPERATIVAS mprado.com.br COOPERATIVAS 15 ANOS 70 Consultores 25 Estados 300 cidade s 500 clientes Líder em consultoria no agronegócio 3. Gestão empresarial 3.1 Gestão empresarial Objetivo: prover

Leia mais

Integrada de Marketing. UNIBAN Unidade Marte Disciplina: Planejamento de Campanha Prof. Me. Francisco Leite Aulas: 31.03.11

Integrada de Marketing. UNIBAN Unidade Marte Disciplina: Planejamento de Campanha Prof. Me. Francisco Leite Aulas: 31.03.11 O Planejamento de Comunicação Integrada de Marketing UNIBAN Unidade Marte Disciplina: Planejamento de Campanha Prof. Me. Francisco Leite Aulas: 31.03.11 Agenda: Planejamento de Comunicação Integrada de

Leia mais

Aula 2. Comunicação Organizacional como ferramenta estratégica. Profa. Ms. Daniela Cartoni

Aula 2. Comunicação Organizacional como ferramenta estratégica. Profa. Ms. Daniela Cartoni Aula 2 Comunicação Organizacional como ferramenta estratégica Profa. Ms. Daniela Cartoni Conceito Comunicação Empresarial Comunicação Corporativa Comunicação Organizacional Comunicação Institucional Comunicação

Leia mais

Conceito e Processo do Planejamento Estratégico

Conceito e Processo do Planejamento Estratégico ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Estratégia de Negócios em TI (Parte 1) Conceito e Processo do Planejamento Estratégico Prof. Me. Walteno Martins Parreira Jr Origem da Estratégia: Originalmente

Leia mais

EMPREENDEDORISMO. Outubro de 2014

EMPREENDEDORISMO. Outubro de 2014 #5 EMPREENDEDORISMO Outubro de 2014 ÍNDICE 1. Apresentação 2. Definição 3. Empreendedorismo: necessidade ou oportunidade? 4. Características do comportamento empreendedor 5. Cenário brasileiro para o empreendedorismo

Leia mais

PRINCIPAIS FERRAMENTAS DE GESTÃO APLICADAS NA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS DO SUL DE MINAS - FACESM

PRINCIPAIS FERRAMENTAS DE GESTÃO APLICADAS NA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS DO SUL DE MINAS - FACESM PRINCIPAIS FERRAMENTAS DE GESTÃO APLICADAS NA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS DO SUL DE MINAS - FACESM CRISTIANE MORATTO FÉLIX DE FREITAS Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas do Sul de Minas

Leia mais

de empresas ou de organizações de todos os tipos? O que fazem os líderes eficazes que os distingue dos demais?

de empresas ou de organizações de todos os tipos? O que fazem os líderes eficazes que os distingue dos demais? TEMA - liderança 5 LEADERSHIP AGENDA O Que fazem os LÍDERES eficazes Porque é que certas pessoas têm um sucesso continuado e recorrente na liderança de empresas ou de organizações de todos os tipos? O

Leia mais

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Dimensão Social

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Dimensão Social DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Dimensão Social Por Daiane Fontes 1 A preocupação da sociedade com relação aos temas ética, cidadania, direitos humanos, desenvolvimento econômico, Desenvolvimento Sustentável

Leia mais

O PLANEJAMENTO ESTRATÉGIO EM RECURSOS HUMANOS: Um Estudo de Caso das Melhores Empresas para se Trabalhar segundo o Guia VOCÊ S/A EXAME

O PLANEJAMENTO ESTRATÉGIO EM RECURSOS HUMANOS: Um Estudo de Caso das Melhores Empresas para se Trabalhar segundo o Guia VOCÊ S/A EXAME O PLANEJAMENTO ESTRATÉGIO EM RECURSOS HUMANOS: Um Estudo de Caso das Melhores Empresas para se Trabalhar segundo o Guia VOCÊ S/A EXAME Felipe Barbetta Soares da Silva 1, Vilma da Silva Santos 2, Paulo

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL

RESPONSABILIDADE SOCIAL RESPONSABILIDADE SOCIAL Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Profa. Lillian Alvares TODO COMPORTAMENTO TEM SUAS RAZÕES. A ÉTICA É SIMPLESMENTE A RAZÃO MAIOR DAVID HUME DEFINIÇÕES

Leia mais

Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler

Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler AULA 5 - PERSPECTIVA DE APRENDIZADO E CRESCIMENTO Abertura da Aula Uma empresa é formada

Leia mais

Plano de Comunicação para o Hospital Infantil Varela Santiago¹

Plano de Comunicação para o Hospital Infantil Varela Santiago¹ Plano de Comunicação para o Hospital Infantil Varela Santiago¹ José Alves de SOUZA² Maria Stella Galvão SANTOS³ Universidade Potiguar (UnP ), Natal, RN RESUMO Este Plano de Comunicação refere-se a um estudo

Leia mais

Inteligência Competitiva e Tecnológica

Inteligência Competitiva e Tecnológica Inteligência Competitiva e Tecnológica Gilda Massari Coelho, Lúcia Regina Fernandes, Cícera Henrique da Silva, Vera Lúcia Maria Lellis A globalização constitui uma chave essencial para explicar os fenomênos

Leia mais

Metodologia gerencial que permite estabelecer a direção a ser seguida pela empresa, visando maior grau de interação com o ambiente.

Metodologia gerencial que permite estabelecer a direção a ser seguida pela empresa, visando maior grau de interação com o ambiente. Mário Sérgio Azevedo Resta CONSULTOR TÉCNICO EM NEGÓCIOS PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Metodologia gerencial que permite estabelecer a direção a ser seguida pela empresa, visando maior grau de interação com

Leia mais

Considerando que a pesquisa mercadológica é uma ferramenta de orientação para as decisões das empresas, assinale a opção correta.

Considerando que a pesquisa mercadológica é uma ferramenta de orientação para as decisões das empresas, assinale a opção correta. ESPE/Un SERE plicação: 2014 Nas questões a seguir, marque, para cada uma, a única opção correta, de acordo com o respectivo comando. Para as devidas marcações, use a Folha de Respostas, único documento

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO LATU SENSU EMENTA MBA GESTÃO DE VAREJO

PÓS-GRADUAÇÃO LATU SENSU EMENTA MBA GESTÃO DE VAREJO MBA GESTÃO DE VAREJO 1 - FORMAÇÃO DE PREÇO E ANÁLISE DE MARGEM NO VAREJO: Ementa: Conhecer o conceito de lucro na visão da precificação baseada no custo; demonstrar termos utilizados na formação de preço

Leia mais

O JORNAL DE EMPRESA COMO UMA FERRAMENTA DE MARKETING AMBIENTAL Rebeca Morato Mangualde 1, Vinícius Valim Pereira 2

O JORNAL DE EMPRESA COMO UMA FERRAMENTA DE MARKETING AMBIENTAL Rebeca Morato Mangualde 1, Vinícius Valim Pereira 2 O JORNAL DE EMPRESA COMO UMA FERRAMENTA DE MARKETING AMBIENTAL Rebeca Morato Mangualde 1, Vinícius Valim Pereira 2 1 Graduada em Comunicação Social - UFV, Gerente de Marketing da Lifesys Informática Ltda.

Leia mais

BPM - Sem Processos, Sem Nada!

BPM - Sem Processos, Sem Nada! BPM - Sem Processos, Sem Nada! Márcio Teschima email: marcio@teschima.com Cientista da Informação, Pós Graduado em Qualidade, Processos e Projetos e com MBA em Gestão Empresarial, busco a oportunidade

Leia mais

PLANO DE ENSINO 2009

PLANO DE ENSINO 2009 1 PLANO DE ENSINO 2009 Fundamental I ( ) Fundamental II ( ) Médio ( ) Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( ) Graduação ( X ) Pós-graduação ( ) I. Dados Identificadores Curso Administração

Leia mais

Sistemas de Informação Gerencial SUPPLY CHAIN MANAGEMENT

Sistemas de Informação Gerencial SUPPLY CHAIN MANAGEMENT CIÊNCIAS CONTÁBEIS e ADMINISTRAÇÃO Sistemas de Informação Gerencial SUPPLY CHAIN MANAGEMENT maio/2014 APRESENTAÇÃO Em um ambiente onde a mudança é a única certeza e o número de informações geradas é desmedido,

Leia mais

O papel educativo do gestor de comunicação no ambiente das organizações

O papel educativo do gestor de comunicação no ambiente das organizações O papel educativo do gestor de comunicação no ambiente das organizações Mariane Frascareli Lelis Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho UNESP, Bauru/SP e-mail: mariane_lelis@yahoo.com.br;

Leia mais

Planejar. De acordo com Ackoff

Planejar. De acordo com Ackoff PLANO DE COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL: IMAGEM FORTE E POSITIVA PARA EMPRESAS Por Denise Barboza Ribeiro 1 Faculdades Alves Faria - ALFA Marina RORIZ Pontifícia Universidade Católica de Goiás, PUC - Goiás

Leia mais