FACULDADE METROPOLITANA DE GUARAMIRIM CURSO DE ADMINISTRAÇÃO - HABILITAÇÃO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FACULDADE METROPOLITANA DE GUARAMIRIM CURSO DE ADMINISTRAÇÃO - HABILITAÇÃO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL"

Transcrição

1 FACULDADE METROPOLITANA DE GUARAMIRIM CURSO DE ADMINISTRAÇÃO - HABILITAÇÃO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL UTILIZAÇÃO DE SOFTWARES ESTRUTURADOS E MICROSOFT EXCEL EM BUSINESS INTELLIGENCE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Elemar Luiz Roters GUARAMIRIM 2005

2 2 ELEMAR LUIZ ROTERS UTILIZAÇÃO DE SOFTWARES ESTRUTURADOS E MICROSOFT EXCEL EM BUSINESS INTELLIGENCE Monografia apresentada como requisito parcial à obtenção do grau de bacharel em Administração, Habilitação em Sistemas de Informação Gerencial da Faculdade Metropolitana de Guaramirim. Orientadora: Prof.ª Biancca Nardelli Schenatz GUARAMIRIM 2005

3 3 TERMO DE APROVAÇÃO ELEMAR LUIZ ROTERS UTILIZAÇÃO DE SOFTWARES ESTRUTURADOS E MICROSOFT EXCEL EM BUSINESS INTELLIGENCE Monografia apresentada como requisito parcial à obtenção do grau de bacharel em Administração, Habilitação em Sistemas de Informação Gerencial da Faculdade Metropolitana de Guaramirim. Guaramirim, Novembro de 2005 BANCA EXAMINADORA Prof. Frank Juergen Knaesel Fameg Prof. Marcello Lucht Fameg

4 4 SUMÁRIO RESUMO INTRODUÇÃO APRESENTAÇÃO DO TEMA E JUSTIFICATIVA O PROBLEMA HIPÓTESE - RESPONDE À QUESTÃO DE INVESTIGAÇÃO/PESQUISA OBJETIVOS A METODOLOGIA O Método Científico As Técnicas de Pesquisa Os Instrumentos de Coleta de Dados O PROCEDIMENTO METODOLÓGICO A Pesquisa Bibliográfica A Pesquisa Exploratória A Pesquisa Descritiva POPULACÃO E AMOSTRA FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA ENTERPRISE RESOURCE PLANNING - ERP BUSINESS INTELLIGENCE AS CARACTERÍSTICAS DE BUSINESS INTELLIGENCE OS COMPONENTES DE BUSINESS INTELLIGENCE Origem dos dados Extração, Transformação e Carga ETL Data Warehouse Front End Acesso do Usuário AS FUNCIONALIDADES DE UM BI OLAP (On-Line Analytical Processing) Características das ferramentas OLAP DSS (Decision Support System) EIS (Executive Information System) Modelagem dos dados Modelagem Dimensional ODBC (Open DataBase Connectivity) SQL (Structured Query Language) DESENVOLVENDO BI NO MICROSOFT EXCEL Conectando-se à base de dados pelo Microsoft Excel Instruções SQL no ambiente do Microsoft Query O Front-End do Excel APRESENTAÇÃO E ANÁLISE DOS DADOS A EMPRESA APRESENTANDO AS FERRAMENTAS DE BUSINESS INTELLIGENCE O software de BI Tottal Net Data O software de BI Qlik View BI com Microsoft Excel OS DEPARTAMENTOS E O USO DAS FERREMENTAS DE BI O Planejamento de Controle da Produção PCP...58

5 3.3.2 A Expedição O Departamento Comercial Engenharia de Produto O departamento de contabilidade...64 CONCLUSÃO...67 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

6 6 LISTA DE FIGURAS FIGURA 01 COMPONENTES DE BUSINESS INTELLIGENCE...20 FIGURA 02 REPRESENTAÇÃO DE OLAP...27 FIGURA 03 PIRÂMIDE DE HIERARQUIA DSS...28 FIGURA 04 INDICADORES DE DESEMPENHO...29 FIGURA 05 MODELO DE ENTIDADE E RELACIONAMENTO...31 FIGURA 06 TABELA DE FATOS E DIMENSÕES...32 FIGURA 07 EXEMPLO DE UMA TABELA DE CLIENTES...33 FIGURA 08 INSTRUÇÃO SQL DA FIGURA FIGURA 09 EXEMPLO DE TABELAS COM JOINS...34 FIGURA 10 INSTRUÇÃO SQL COM JOINS...34 FIGURA 11 TABELA DINÂMICA NO EXCEL...37 FIGURA 12 FÓRMULA MATRICIAL...37 FIGURA 13 COMANDO AUTO-FILTRO DO EXCEL FIGURA 14 MACRO CRIADA EM VISUAL BASIC FOR APPLICATTIONS...39 FIGURA 15 GRÁFICO COM FUNÇÕES VBA...39 FIGURA 16 A PEQUENA E MODESTA SEDE, EM FIGURA 17 SENHOR ANTÍDIO E A PRIMEIRA MÁQUINA...42 FIGURA 18 PRODUÇÃO EM AUMENTO EXIGE MAIS ESPAÇO FÍSICO...43 FIGURA 19 LUNELLI IND. TÊXTIL LTDA, EM CORUPÁ...43 FIGURA 20 NOVA INSTALAÇÃO, EM GUARAMIRIM SC...44 FIGURA 21 GINÁSTICA LABORAL NA EMPRESA...45 FIGURA 22 CUBOS DE DECISÃO DO BI TOTTAL NETDATA...46 FIGURA 23 ACESSO AO BI TOTTAL NETDATA...47 FIGURA 24 TABELAS SELECIONADAS PELO USUÁRIO...47 FIGURA 25 SELEÇÕES DOS CAMPOS DO SISTEMA PELO TOTTAL NETDATA...48 FIGURA 26 TELA DE FILTROS DO BI TOTTAL NETDATA...48 FIGURA 27 OPÇÃO DE ORDENAÇÃO DOS DADOS PELO BI TOTTAL NETDATA...49 FIGURA 28 OPÇÃO DE AGRUPAMENTO DAS INFORMAÇÕES...49 FIGURA 29 RESULTADO FINAL DA EXTRAÇÃO DOS DADOS...50 FIGURA 30 METADADOS DO BI TOTAL NET DATA...51 FIGURA 31 INICIANDO O QLIK VIEW...52 FIGURA 32 NÍVEIS DOS USUÁRIOS DO QLIK VIEW...53 FIGURA 33 SCRIPT DE CONSULTA ELABORADA PELO DESENVOLVEDOR...54 FIGURA 34 CONSULTA DESENVOLVIDA PARA O USUÁRIO FINAL...54 FIGURA 35 DEFINIÇÃO DE EXPRESSÕES DOS DADOS EXTRAÍDOS...55 FIGURA 36 CONFIGURAÇÃO DE ODBC PARA ACESSO AO BD PELO EXCEL...56 FIGURA 37 INSTRUÇÕES SQL NO MS QUERY...56 FIGURA 38 TELA DE CADASTRADO DE FORNECEDORES NO ERP SYSTEXTIL...57 FIGURA 39 CONSULTA FEITA EM QLIK VIEW PARA DEPARTAMENTO DE PCP...59 FIGURA 40 PRODUÇÃO DA EXPEDIÇÃO...60 FIGURA 41 CONSULTA DO FATURAMENTO, QTDE CLIENTES E POP. POR CIDADE...63 FIGURA 42 RELATÓRIO RAZÃO CONTÁBIL GERADO NO SYSTEXTIL...65 FIGURA 43 TELA DE CONSULTA DA FICHA KARDEX PELO SYSTEXTIL...66

7 7 AGRADECIMENTOS A Deus, por ter guiado meus passos nessa trajetória e ter me concedido forças para continuar sempre em frente. A minha mãe, que sempre esteve comigo não medindo esforços para que eu vencesse mais esse desafio. A meus amigos e também os companheiros de trabalho, que sempre me auxiliaram nas mais diversas dúvidas que surgiam. A Lunender S.A., por ter acreditado em mim e ter me acolhido para que este projeto pudesse ser elaborado. A minha orientadora Biancca, que muito contribuiu para que este projeto saísse de um sonho e ter se tornado realidade.

8 8 Se seus sonhos estiverem nas nuvens, não se preocupe, pois eles estão nu lugar certo; agora construa os alicerces. Autor desconhecido

9 9 RESUMO O sucesso de BI (Business Intelligence) reside em sua vocação para o atendimento de pessoas que possuem poder de decisão e influência sobre os rumos da empresa. BI é a união de diversas tecnologias e conceitos como Data Warehouses, Data Marts e também planilhas eletrônicas. Há no mercado várias ferramentas de BI disponíveis com determinado custo de aquisição. O profissional moderno é que deverá avaliar a melhor alternativa para a organização. Vale ressaltar que o Excel é uma poderosa ferramenta de análise de informações, criação de cenários, formatação sintética de resultados e tomada de decisão, mas que ainda não é utilizada profundamente. A sua grande vantagem é o custo, pois grande parte dos usuários mundiais utilizam planilhas eletrônicas e que estão com suas licenças pagas. Adquirir um software específico de BI ou utilizar o Excel é uma decisão de grande valor para a organização, pois deverá ser levado em conta seu custo-benefício. Existem três fatores típicos de sucesso para a criação de um ambiente de suporte à decisão: um é a dificuldade de organizar, sintetizar e distribuir a informação; outro é o entendimento do processo de tomada de decisão e, por fim, o uso dessa informação. O sonho comum dos executivos é ter informação de qualidade, com garantia de abastecimento e num formato flexível e resumido. Este presente trabalho consiste em demonstrar os conceitos e a utilização de BI bem como duas ferramentas estruturadas existentes no mercado, transmitir o conhecimento de técnicas de BI com o Microsoft Excel e avaliar qual é a melhor alternativa para a organização adquirir essa tecnologia. Palavras-chave: Business Intelligence, Microsoft Excel, OLAP, Data Warehouse, ETL.

10 10 1 INTRODUÇÃO O grande problema enfrentado pelos administradores nos dias de hoje é identificar qual a decisão a tomar a respeito de assuntos envolvendo seus negócios como: Onde se encontra meu melhor cliente?, Onde estão localizadas as maiores vendas?, Quais as maiores despesas da empresa?, Que medidas estratégicas se devem tomar para diminuir custos?, etc. Muitas vezes a informação bruta não é suficiente e precisa ser trabalhada. O tema será abordado inicialmente em duas partes para se entender a definição dos dois métodos propostos e em seguida por uma análise das alternativas a serem analisadas. A primeira parte compreende o conjunto de fatores que auxiliam os administradores em suas tomadas de decisão a partir de uma abordagem definida por modelos de BI (Business Intelligence) existente no mercado, sua história, necessidades e seu funcionamento. Conforme BARBIERI (2001, p. 34) O conceito de BI Business Intelligence, de forma mais ampla, pode ser entendido como a utilização de variadas fontes de informação para se definir estratégias de competitividade nos negócios da empresa. Essas ferramentas são capazes de extrair das inúmeras tabelas do ERP (Enterprise Resource Planning) dados para se formularem relatórios específicos que auxiliem a tomada de decisão. Dentro do software gerencial da organização existe um universo enorme de dados reunidos e que o ERP muitas vezes não está preparado para uma elaboração de consultas estruturadas. O universo empresarial hoje padece de um mal clássico. Possui uma montanha de dados, mas enfrenta grande dificuldade na extração de informações a partir dela. Essa crescente inundação de informações dificulta o processo de tomada de decisão, na medida em que a alta e média gerência se sentem imponentes no processo de sua busca e recuperação. BARBIERI (2001, p. 34) A segunda parte servirá como estudo e compreensão de uma ferramenta já acoplada

11 11 dentro do pacote do Microsoft Office através de uma explanação de suas configurações de acesso ao Banco de Dados que nos fornece um serviço de BI gratuito. Essa ferramenta o Microsoft Query proporciona ao desenvolvedor uma interface amigável e fácil de se compreender. Através da linguagem SQL (Structured Query Language Linguagem Estruturada de Consultas) o resultado é uma forma simples e eficaz de se desenvolver BI pelo Microsoft Excel. A extração dos dados inseridos nas planilhas é trabalhada por fórmulas, funções e linguagem de programação para que se obtenha o resultado almejado gerando uma fonte dinâmica de relatórios. O Excel possui muito mais do que simples cálculos e as inúmeras operações que podem ser realizadas com ele demonstram as eficazes formas de desenvolvimento automatizado de sistemas de informações gerenciais. Ele seria uma escolha adequada para suprir a uma forma de visualização das informações, pois, conforme LEME FILHO (2004, p. 11) Pode-se justificar pelo poder da ferramenta, pela adaptabilidade e pelo custo. Por fim, essas informações serão concatenadas e postas em discussão para se analisar a melhor alternativa para a empresa em estudo. 1.1 APRESENTAÇÃO DO TEMA E JUSTIFICATIVA O estudo sobre softwares estruturados de Business Intelligence e a ferramenta já existente no Microsoft Excel proporciona uma abordagem de como poderão ser criadas consultas e relatórios num padrão que pode constituir um diferencial para o profissional no mercado. Para uma empresa competir no mercado ela deve dispor de uma boa estrutura de TI (Tecnologia da Informação) e de profissionais capacitados a trabalharem com ela. As ferramentas de BI vieram a agregar um novo valor à empresa, constituindo uma forte fonte de tomadas de decisão. Hoje em dia existem diversas ferramentas disponíveis no contexto organizacional, o que proporciona uma vasta lista de opções para os executivos. Cabe a eles identificar as necessidades da empresa e avaliar seu custo-benefício. A análise do uso das ferramentas já existentes é que

12 12 identifica o perfil do executivo ao efetuar um investimento. Assim, diante dessa análise, se pretende obter, além do conhecimento das duas ferramentas, a melhor estratégia a ser tomada que poderá trazer o diferencial para o profissional e, conseqüentemente, para a organização. 1.2 O PROBLEMA Qual a melhor aplicação para que o executivo tenha em mãos relatórios amplamente constituídos para sua tomada de decisões: softwares estruturados de BI (que têm um determinado custo de aquisição) ou o uso do Microsoft Excel? 1.3 HIPÓTESE - RESPONDE À QUESTÃO DE INVESTIGAÇÃO/PESQUISA Apesar do baixo custo em investimento para desenvolver BI com o uso do Excel poderá haver situações onde o uso de ferramentas específicas seja necessário para se adquirir performance, dinamismo e mais opções em suas consultas do que o Excel pode dispor. 1.4 OBJETIVOS Os objetivos desta pesquisa são: a) Geral: Verificar qual a melhor alternativa para se desenvolver projetos de BI: adquirir um software específico ou utilizar o Microsoft Excel. b) Específicos: - Estudar duas ferramentas de BI existentes no mercado, suas características e funcionalidades.

13 13 - Entender o uso do Microsoft Query existente no Excel bem como funções, fórmulas e macros que auxiliem em consultas de BI; - Demonstrar o uso de fórmulas e macros do Excel para automatizar processos de cálculos em planilhas. 1.5 A METODOLOGIA O Método Científico Neste estudo a abordagem do objeto de pesquisa demanda a utilização do Método Hipotético-Dedutivo: Consiste na adoção da seguinte linha de raciocínio: quando os conhecimentos disponíveis sobre determinado assunto são insuficientes para a explicação de um fenômeno, surge o problema. Para tentar explicar as dificuldades expressas no problema, são formuladas conjecturas ou hipóteses. Das hipóteses formuladas, deduzem-se conseqüências que deverão ser testadas ou falseadas. Falsear significa tornar falsas as conseqüências deduzidas das hipóteses. Enquanto no método dedutivo se procura a todo custo confirmar a hipótese, no método hipotético-dedutivo, ao contrário, procuram-se evidências empíricas para derrubá-la. GIL (1999, p. 30) As Técnicas de Pesquisa As seguintes técnicas de pesquisa serão utilizadas: a) Quanto a sua natureza: classifica-se como Pesquisa Aplicada, pois objetiva gerar conhecimentos na área de Business Intelligence.

14 14 b) Quanto à abordagem do problema: caracteriza-se como Pesquisa Qualitativa, pois considera a relação entre a realidade e o pesquisador. No caso específico, caracteriza-se uma pesquisa para avaliação da melhor ferramenta de BI a ser utilizada; c) Quanto aos seus objetivos, o trabalho pode ser classificado como Pesquisa Exploratória e como Pesquisa Descritiva. A Pesquisa Exploratória envolveu o levantamento bibliográfico e proporcionou maior familiaridade com o problema, a explicitação da questão de investigação e possibilitou a formulação do pressuposto. A Pesquisa Descritiva propiciou a análise de ferramentas e o conteúdo de uma área tecnológica em grande expansão: Business Intelligence Os Instrumentos de Coleta de Dados Foram efetuadas pesquisas de campo nos departamentos em que havia maior necessidade da utilização de BI. Essa pesquisa ocorreu com cada usuário dos setores envolvidos que forneceram as tarefas utilizadas na emissão dos relatórios e o objetivo de se utilizar o BI. Fez-se uma entrevista com o administrador da área de CPD para se definir o procedimento a ser adotado nessas etapas de criação das consultas. 1.6 O PROCEDIMENTO METODOLÓGICO Os materiais (equipamentos) utilizados foram: o microcomputador, a internet, a planilha eletrônica de cálculos Excel, o editor de texto Word, softwares da Microsoft e os softwares de Business Intelligence estruturados: Qlik View e Tottal Net Data A Pesquisa Bibliográfica Foram estudadas: a história de Business Intelligence, visão de mercado, expansão, conteúdos e práticas. Também foi estudada uma abordagem do Microsoft Query dentro do Excel, que é uma interface utilizada em construções de scripts SQL para a extração dos dados.

15 A Pesquisa Exploratória Foi realizado o levantamento das necessidades dos usuários em se construir consultas em BI de quatro departamentos da organização A Pesquisa Descritiva A pesquisa descritiva foi realizada através de práticas e demonstrações referentes a ferramentas estruturadas de BI e utilização do MS Excel em construções de relatórios, bem como funções, macros e fórmulas que auxiliem a automação das planilhas. 1.7 POPULACÃO E AMOSTRA Num universo de aproximadamente cinqüenta usuários do ERP da organização, entra em estudo uma amostragem de quatro departamentos para que se façam pesquisas sobre suas necessidades na elaboração das consultas em BI em cada departamento específico.

16 16 2 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA No decorrer da história o poder humano sempre foi medido pelas suas posses. Primeiro seu valor era mensurado pela quantidade de terras ou rebanhos. Com o Revolução Industrial, esses valores eram medidos pela propriedade das máquinas. Em meados dos anos 90 as empresas começaram a enxergar os homens como um bem, patrocinando-lhe reciclagens e programas de aprimoramento pessoal. Porém um novo conceito de valor chega ao mercado: a informação. O homem não é mais visto como um patrimônio para as empresas e sim as informações que ele possui. (...) pode-se concluir que a informação é o resultado de todas as ações operacionais que garantem que a empresa viva, e se for bem trabalhada, se transforma em conhecimento, que deve se configurar numa ação, como o objetivo de buscar a evolução dos negócios LEME FILHO (2004, p. 21). Os executivos de hoje se deparam diariamente com inúmeras situações problemáticas, as quais exigem sua tomada de decisão. Um desses problemas é a diferença dos acontecimentos com relação às experiências do passado, onde, por exemplo, os custos elevaram-se bruscamente, sendo que nesse caso, um bom sistema de suporte à decisão deve permitir a visualização de tais causas. Outro problema pode ser relacionado com a diferença dos resultados em comparação às estimativas, sendo um bom exemplo a quebra de um orçamento na empresa. Há ainda os conflitos, tanto externos como internos, como no caso de clientes insatisfeitos e colaboradores com baixa rentabilidade. E ainda o desempenho dos concorrentes, onde as empresas devem estar atentas quanto ao andamento deles onde, por exemplo, num lançamento de novos produtos pelo concorrente, que deve ser analisada e tomada a devida decisão. Para se ter o maior êxito possível no processo de tomada de decisão é ideal que se siga um modelo contendo cinco passos. Conforme LEME FILHO (2004, p. 28) O modelo racional é o

17 17 processo de cinco etapas, que auxilia as pessoas a quantificar e qualificar as prováveis soluções de um problema, para escolher aquela que tiver a melhor chance de sucesso, e a melhor relação custo/benefício. São elas: a) Examinar a situação, onde se deve definir o problema (muitas vezes confunde-se problema com sintoma), identificar os objetivos da decisão (uma vez diagnosticado o problema precisa-se determinar o objetivo da decisão para de agir) e diagnosticar as causas (identificação de um problema pelas suas evidências); b) Criar opções de solução, onde é elaborado um brainstorm (tempestade de idéias, técnica que estimula o raciocínio criativo, ajudando as pessoas a criarem o maior número possível de idéias, dentro de um período de tempo aceitável) por um grupo de no máximo dez pessoas participando com espontaneidade e descontração; c) Avaliar as opções de solução e escolher a melhor, onde é avaliado se há recursos suficientes para a solução proposta, se a solução atende os objetivos diagnosticados no brainstorm e as possíveis conseqüências para a organização; d) Implementar a decisão, onde se deve não somente delegar tarefas para sua implementação, mas sim avaliar orçamentos e cronogramas exigindo comprometimento e capacidade de comunicação; e) Monitorar a decisão, sendo esse um processo contínuo devendo ser encarado como um desafio. Há no mercado diversas ferramentas que auxiliam o processo de tomadas de decisão. Quanto mais complexo o problema a ser analisado, mais eficiente se torna o software para o desempenho. O poder dos softwares se torna mais evidente quando há dificuldade em analisar problemas complexos, quando é necessário organizar grandes volumes de informação, quando existe dificuldade em definir prioridades ou quando os recursos são limitados. LEME FILHO (2004, p. 35)

18 ENTERPRISE RESOURCE PLANNING - ERP Constituído por módulos (contabilidade, finanças, vendas, produção, etc.) os ERPs, ou Sistemas Integrados de Gestão, estão focados no atendimento às áreas administrativas e operacionais de uma organização, garantindo agilidade, integridade de informações e segurança. Através da inserção dos dados pelos usuários pode-se emitir relatórios referentes à suas exigências como, por exemplo, clientes inadimplentes, maiores compras, maiores vendas, gastos por insumos, etc. Mas apesar de se ter essa disponibilidade de observar a situação da empresa por relatórios, os ERPs não possuíam uma forma dinâmica de relatórios para tomadas de decisão. Conforme LEME FILHO (2004, p. 88) (...) havia a dificuldade em usar todos os dados (que não eram poucos) para a tomada de decisão. Sem um data warehouse, os ERPs foram forçados a desenvolver módulos específicos para essa finalidade. Esses módulos que constituem o ERP conversam entre si, ou seja, estão sempre interligados. Por exemplo: o usuário insere uma nota fiscal no módulo de Escrita Fiscal e esse por sua vez alimenta dados de itens de estoque no módulo de Produtos, alimenta os lançamentos contábeis no módulo de Contabilidade e também o módulo de Contas a Pagar. O ERP (Enterprise Resource Planning) é um Sistema de Informações que utiliza uma base de dados única, contendo diversos módulos que conversam entre si e trocam informações. Este sistema possibilita à empresa acesso às informações de forma integrada e com um mesmo padrão de apresentação destas informações. O ERP é o famoso Sistema de Gestão Administrativa. POLETTO (2005). Através do ERP a empresa pode relatar suas informações de forma precisa, gerando relatórios para sua tomada de decisão, uma vez que todos esses dados inseridos no ERP sejam organizados e sempre administrados para que não haja redundância ou falta de informações. Com esses dados organizados chega-se a uma solução de Business Intelligence. MYLIUS (2004, p. 28) afirma que A qualidade nas informações numa solução de BI depende fortemente no input (alimentação) e da administração dos dados nos sistemas transacionais.

19 BUSINESS INTELLIGENCE O mercado de hoje está reconhecendo a falta de opções em seus relatórios gerencias dos ERPs e por isso ele está em constante expansão. Conforme BARBIERI (2001, p. 34) Os sistemas legados e os emergentes ERP Enterprise Resource Planning, sistemas integrados corporativos, não trazem as informações gerenciais na sua forma mais palatável. O BI consiste em extrair as informações do Banco de Dados ou de outras fontes e transformá-las em informações úteis para as tomadas de decisão. Por exemplo: em determinado mês efetuou-se várias vendas emitindo-se uma certa quantia de Notas Fiscais. Um sistema de BI extrai todas as informações necessárias pertencentes às respectivas tabelas e as reúne para que se possa trabalhar com elas. No exemplo poderiam ser analisadas as vendas por UF, município, cliente, etc. Essas opções de relatório muitas vezes não estão disponíveis nos relatórios do ERP. componentes. Para melhor entender o conceito de BI é necessário observar as suas características e seus 2.3 AS CARACTERÍSTICAS DE BUSINESS INTELLIGENCE Para LEME FILHO (2004, p. 97) pode-se destacar como características de BI: a) Extrair e integrar dados de múltiplas fontes. Um BI deve ter a capacidade de extrair os dados de vários bancos de dados, arquivos, planilhas, etc. e integrá-los em suas consultas; b) Fazer uso da experiência e democratizar o capital intelectual da empresa; c) Analisar dados contextualizados, num nível de totalização e agrupamento maior, que seria ver as informações em vários níveis e agrupamentos; d) Trabalhar com hipóteses, criar simulações, cenários e estudar tendências; e) Procurar relações de causa e efeito.

20 OS COMPONENTES DE BUSINESS INTELLIGENCE Segundo MYLIUS, LEME FILHO e BARBIERI, os componentes de Business Intelligence classificam-se em origem dos dados, ferramentas ETL, Data Warehouse e Front- End. FIGURA 01 COMPONENTES DE BUSINESS INTELLIGENCE FONTE: ADAPTADO DE MYLIUS (2004, p. 26) Origem dos dados É o ambiente operacional onde estão localizados os softwares de gestão e são interagidos diretamente pelos consumidores e fornecedores. O data warehouse de um sistema de BI recebe cargas de dados de uma ou várias origens, que geralmente constituem os sistemas de gestão da empresa como contabilidade, faturamento e vendas e sistemas de produção como PCP e automação industrial. MYLIUS (2004, p. 27) A origem dos dados é todo o ambiente utilizado pelo usuário onde são inseridas as informações da empresa como notas fiscais de compra, venda, baixa de títulos, produção, etc. através do ERP bem como planilhas de cálculo, arquivos do Access e outras fontes de origem. É imprescindível que as informações inseridas na origem dos dados sejam corretas evitando redundância e omissão delas. O administrador do sistema deve estar atento à para que

21 21 essas etapas sejam concluídas corretamente. Para MYLIUS (2004, p. 28) A qualidade das informações numa solução de BI depende fortemente do input (alimentação) e da administração dos dados nos sistemas transacionais. Um exemplo de redundância nas informações é quando um cliente cadastrado possui dois CNPJs. Dessa forma o BI não poderá prever qual é o correto. O mesmo ocorre quando há a omissão de dados. No exemplo poderia estar faltando o cadastro da sua cidade. Assim, numa consulta gerada pelo BI que representasse as vendas por cidade, essa sairia incompleta Extração, Transformação e Carga ETL O ETL (Extraction, Transformation and Loading Extração, Transformação e Carga) é um processo pelo qual os dados são captados de suas origens e são transformados de acordo com as necessidades para transportá-los ao Data Warehouse sendo então disponibilizados para consultas. É a extração de dados propriamente dita onde, através comandos SQL, se trazem os dados para o ambiente em qual serão feitas as pesquisas. O processo de ETL nada mais faz do que captar os dados do(s) sistema(s) de origem, transformá-los totalizando valores, agrupando conjuntos similares de informação, padronizando elementos de dados diferentes, porém com o mesmo significado, e finalmente tornando-os disponíveis para consultas. LEME FILHO (2004, p. 123) Quanto ao seu conteúdo pode-se citar: a) Filtro de Dados: relaciona-se os procedimentos e condições para se eliminar os dados que não são necessários, onde somente serão extraídos os dados desejados, não capturando itens sem utilidade; b) Integração dos Dados: consiste em capturar os dados de múltiplas fontes e integrálos na consulta, como no uso de planilhas integrando-se os dados provenientes do ERP; c) Condensação dos Dados: os dados sofrem uma síntese, ou seja, reduz-se o volume

22 22 dos dados em sua captura, com o objetivo de se obter informações resumidas e sumarizadas; d) Conversão de Dados: define os procedimentos para se transformar dados em unidades, formatos e dimensões diferentes; e) Derivação dos Dados: define meios e fórmulas para se produzir dados virtuais, a partir de dados existentes. Nesse processo de extração deve-se padronizar os dados, ou seja, cada dado que será analisado na hora da extração em diversas fontes, deverá ser transformado para que haja concordância entre eles. Por exemplo: em um banco de dados existem as informações referentes ao sexo sendo, M para masculino e F para feminino. Em um outro banco de dados essa mesma informação está inserida como H para homem e M para mulher. Ao se extrair esses dados eles serão duplicados. Deve-se então transformá-los para um formato único com o fim de que o resultado da extração seja unificado Data Warehouse LEME FILHO (2004, p. 98) define Data Warehouse como Um grande armazém de dados. Não poderia ser mais apropriada a definição para armazenar informações e propiciar a constituição de ambientes mais estruturados para suporte à decisão. A informação extraída do banco de dados fica armazenada e de fácil acesso para quem deseja uma eventual consulta acessando-os com o uso de ferramentas OLAP (On-Line Analytic Processing) que são utilizadas pelos usuários finais. Essas ferramentas criam um micro cubo fazendo com que os dados possam ser visualizados de vários ângulos e formas diferentes. Data Warehouse, cuja tradução literal é Armazém de Dados, pode ser definido como um banco de dados, destinado a sistema de apoio à decisão e cujos dados foram armazenados em estruturas lógicas dimensionais, possibilitando o seu processamento analítico por ferramentas especiais (OLAP e Mining). BARBIERI (2001, p. 49)

23 23 Os dados que entram no Data Warehouse provém geralmente dos sistemas de gestão (ERPs) e sofrem uma transformação durante a sua carga. Essa transformação feita pelo ETL fará com que os dados inseridos no DW sejam formatados de acordo com as necessidades. Cada campo ou tabela é analisado e configurado para que seja uma informação única extraída das demais fontes de dados. Cria-se então um novo Banco de Dados, ou DW (Data Warehouse) que está pronto para ser trabalhado pelas ferramentas OLAP. Pode-se destacar dentro de um DW a existência de Data Marts, que são dados organizados em níveis, ou seja, dentro de um grande DW organizam-se dados que ficam disponíveis por assunto, departamento, etc. Por exemplo: no conteúdo de um DW pode haver um Data Mart para a análise dos clientes, outro para o departamento de Marketing e um para a área de Finanças. Essa organização facilita o acesso por parte das pessoas envolvidas com suas respectivas consultas ao Banco de Dados. No contexto dos Data Warehouses encontram-se os metadados, que podem ser definidos como um manual de utilização do DW. Quando os usuários trabalham com o ERP suas consultas acontecem em forma de navegação entre telas. Eles não têm conhecimento de como os dados estão embutidos no sistema, dificultando sua análise dos dados. Os metadados estão separados por determinados assuntos, definidas as tabelas que se relacionam e a forma com que o usuário deverá obter sua informação da origem dos dados. Os metadados são definidos como dados sobre dados. (...) são um índice dos assuntos de dados disponíveis no data warehouse, onde os usuários podem efetuar pesquisas para descobrir o significado das informações, sua origem e até mesmo a regra de transformação utilizada para produzir o conteúdo pesquisado. LEME FILHO (2004, p. 217) É uma forma de documentação utilizada para a extração dos dados. As tabelas do sistema estão informadas com seus devidos relacionamentos, cardinalidade e atributos de forma com que o usuário possa identificar como se procedeu a extração e sua origem. Por exemplo: numa consulta elaborada para o departamento de vendas onde se deseja verificar o faturamento por cliente, cidade e UF. A tabela cliente relaciona-se com a tabela cidades e esta, por sua vez, com a tabela UF. Essa informação está documentada no metadados para que se possa utilizá-la numa consulta futura em que haverá também a necessidade de atribuir novas tabelas.

Autor: Júlio Battisti www.juliobattisti.com.br

Autor: Júlio Battisti www.juliobattisti.com.br Autor: Júlio Battisti www.juliobattisti.com.br Livro: Aprenda com Júlio Battisti: Excel 2010 Avançado, Análise de Dados e Cenários, Tabelas e Gráficos Dinâmicos, Macros e Programação VBA - Através de Exemplos

Leia mais

DATA WAREHOUSE. Introdução

DATA WAREHOUSE. Introdução DATA WAREHOUSE Introdução O grande crescimento do ambiente de negócios, médias e grandes empresas armazenam também um alto volume de informações, onde que juntamente com a tecnologia da informação, a correta

Leia mais

Planejamento Estratégico de TI. Prof.: Fernando Ascani

Planejamento Estratégico de TI. Prof.: Fernando Ascani Planejamento Estratégico de TI Prof.: Fernando Ascani Data Warehouse - Conceitos Hoje em dia uma organização precisa utilizar toda informação disponível para criar e manter vantagem competitiva. Sai na

Leia mais

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO - TI Elaborado e adaptado por: Prof.Mestra Rosimeire Ayres

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO - TI Elaborado e adaptado por: Prof.Mestra Rosimeire Ayres TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO - TI Elaborado e adaptado por: Prof.Mestra Rosimeire Ayres Aula 6 Fazendo BI NO EXCEL USANDO TABELA DINÂMICA EXCEL PARA TOMADA DE DECISÕES A ferramenta é nada, o talento é tudo.

Leia mais

Interatividade aliada a Análise de Negócios

Interatividade aliada a Análise de Negócios Interatividade aliada a Análise de Negócios Na era digital, a quase totalidade das organizações necessita da análise de seus negócios de forma ágil e segura - relatórios interativos, análise de gráficos,

Leia mais

Auto Treinamento. Versão 10.05.13

Auto Treinamento. Versão 10.05.13 Auto Treinamento Versão 10.05.13 Sumário 1. OBJETIVO... 3 2. CONCEITO DE BUSINESS INTELLIGENCE... 3 3. REALIZANDO CONSULTAS NO BI-PUBLIC... 4 3.2. Abrindo uma aplicação... 4 3.3. Seleções... 6 3.4. Combinando

Leia mais

srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo

srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo CBSI Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação BI Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo Tópicos Especiais em Sistemas de Informação Faculdade de Computação Instituto

Leia mais

Fundamentos da inteligência de negócios: gestão da informação e de bancos de dados

Fundamentos da inteligência de negócios: gestão da informação e de bancos de dados Fundamentos da inteligência de negócios: gestão da informação e de bancos de dados slide 1 1 Copyright 2011 Pearson Education, Inc. publishing as Prentice Hall Objetivos de estudo Como um banco de dados

Leia mais

BUSINESS INTELLIGENCE -Inteligência nos Negócios-

BUSINESS INTELLIGENCE -Inteligência nos Negócios- UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO CENTRO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS, HUMANAS E SOCIAIS BUSINESS INTELLIGENCE -Inteligência nos Negócios- Curso: Administração Hab. Sistemas de Informações Disciplina: Gestão de Tecnologia

Leia mais

Tópicos Avançados Business Intelligence. Banco de Dados Prof. Otacílio José Pereira. Unidade 10 Tópicos Avançados Business Inteligence.

Tópicos Avançados Business Intelligence. Banco de Dados Prof. Otacílio José Pereira. Unidade 10 Tópicos Avançados Business Inteligence. Tópicos Avançados Business Intelligence Banco de Dados Prof. Otacílio José Pereira Unidade 10 Tópicos Avançados Business Inteligence Roteiro Introdução Níveis organizacionais na empresa Visão Geral das

Leia mais

IBM Cognos Business Intelligence Scorecarding

IBM Cognos Business Intelligence Scorecarding IBM Cognos Business Intelligence Scorecarding Unindo a estratégia às operações com sucesso Visão Geral O Scorecarding oferece uma abordagem comprovada para comunicar a estratégia de negócios por toda a

Leia mais

A evolução da tecnologia da informação nos últimos 45 anos

A evolução da tecnologia da informação nos últimos 45 anos A evolução da tecnologia da informação nos últimos 45 anos Denis Alcides Rezende Do processamento de dados a TI Na década de 1960, o tema tecnológico que rondava as organizações era o processamento de

Leia mais

Manual do Usuário Características e recursos básicos Enterprise Resource Planning

Manual do Usuário Características e recursos básicos Enterprise Resource Planning Manual do Usuário Características e recursos básicos Enterprise Resource Planning www.pwi.com.br 1 Volpe Enterprise Resource Planning Este manual não pode, em parte ou no seu todo, ser copiado, fotocopiado,

Leia mais

Business Intelligence

Business Intelligence 1/ 24 Business Intelligence Felipe Ferreira 1 Nossa empresa Jornal O Globo Jornais Populares Parcerias Grupo Folha Grupo Estado 2 1 Fundada em 1925 3100 funcionários 2 Parques Gráficos e SP Globo: 220

Leia mais

Data Warehousing. Leonardo da Silva Leandro. CIn.ufpe.br

Data Warehousing. Leonardo da Silva Leandro. CIn.ufpe.br Data Warehousing Leonardo da Silva Leandro Agenda Conceito Elementos básicos de um DW Arquitetura do DW Top-Down Bottom-Up Distribuído Modelo de Dados Estrela Snowflake Aplicação Conceito Em português:

Leia mais

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO @ribeirord FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Rafael D. Ribeiro, M.Sc,PMP. rafaeldiasribeiro@gmail.com http://www.rafaeldiasribeiro.com.br Lembrando... Aula 4 1 Lembrando... Aula 4 Sistemas de apoio

Leia mais

Aline França a de Abreu, Ph.D

Aline França a de Abreu, Ph.D Aline França a de Abreu, Ph.D igti.eps.ufsc.br 07 / 10/ 04 Núcleo de estudos Criado em 1997 - UFSC/EPS Equipe multidisciplinar, com aproximadamente 20 integrantes OBJETIVO Gerar uma competência e uma base

Leia mais

INDICE 3.APLICAÇÕES QUE PODEM SER DESENVOLVIDAS COM O USO DO SAXES

INDICE 3.APLICAÇÕES QUE PODEM SER DESENVOLVIDAS COM O USO DO SAXES w w w. i d e a l o g i c. c o m. b r INDICE 1.APRESENTAÇÃO 2.ESPECIFICAÇÃO DOS RECURSOS DO SOFTWARE SAXES 2.1. Funcionalidades comuns a outras ferramentas similares 2.2. Funcionalidades próprias do software

Leia mais

Planejamento Estratégico de TI. Prof.: Fernando Ascani

Planejamento Estratégico de TI. Prof.: Fernando Ascani Planejamento Estratégico de TI Prof.: Fernando Ascani BI Business Intelligence A inteligência Empresarial, ou Business Intelligence, é um termo do Gartner Group. O conceito surgiu na década de 80 e descreve

Leia mais

Introdução. Formação Informática Para Estatísticos Na DPINE. Formação Informática Para Estatísticos Na DPINE. Usar Tabelas Dinâmicas em EXCEL

Introdução. Formação Informática Para Estatísticos Na DPINE. Formação Informática Para Estatísticos Na DPINE. Usar Tabelas Dinâmicas em EXCEL Usar Tabelas Dinâmicas em EXCEL Introdução Neste Módulo aprendemos o importante recurso de Tabelas Dinâmicas e Gráficos Dinâmicos. Aprendemos a criar tabelas dinâmicas, a aplicar filtros e a fazer análise

Leia mais

TÓPICOS AVANÇADOS EM ENGENHARIA DE SOFTWARE

TÓPICOS AVANÇADOS EM ENGENHARIA DE SOFTWARE TÓPICOS AVANÇADOS EM ENGENHARIA DE SOFTWARE Engenharia de Computação Professor: Rosalvo Ferreira de Oliveira Neto OLPT x OLAP Roteiro OLTP Datawarehouse OLAP Operações OLAP Exemplo com Mondrian e Jpivot

Leia mais

Data Warehouse. Debora Marrach Renata Miwa Tsuruda

Data Warehouse. Debora Marrach Renata Miwa Tsuruda Debora Marrach Renata Miwa Tsuruda Agenda Introdução Contexto corporativo Agenda Introdução Contexto corporativo Introdução O conceito de Data Warehouse surgiu da necessidade de integrar dados corporativos

Leia mais

01/12/2009 BUSINESS INTELLIGENCE. Agenda. Conceito. Segurança da Informação. Histórico Conceito Diferencial Competitivo Investimento.

01/12/2009 BUSINESS INTELLIGENCE. Agenda. Conceito. Segurança da Informação. Histórico Conceito Diferencial Competitivo Investimento. BUSINESS INTELLIGENCE Agenda BI Histórico Conceito Diferencial Competitivo Investimento Segurança da Objetivo Áreas Conceito O conceito de Business Intelligencenão é recente: Fenícios, persas, egípcios

Leia mais

MANUAL BI- Business Intelligence

MANUAL BI- Business Intelligence 1. VISÃO GERAL 1.1 SISTEMA BI Business Intelligence: Segundo Gartner Group, a maior ameaça das empresas da atualidade é o desconhecimento... O Business Intelligence se empenha em eliminar as dúvidas e

Leia mais

Data Warehouses. Alunos: Diego Antônio Cotta Silveira Filipe Augusto Rodrigues Nepomuceno Marcos Bastos Silva Roger Rezende Ribeiro Santos

Data Warehouses. Alunos: Diego Antônio Cotta Silveira Filipe Augusto Rodrigues Nepomuceno Marcos Bastos Silva Roger Rezende Ribeiro Santos Data Warehouses Alunos: Diego Antônio Cotta Silveira Filipe Augusto Rodrigues Nepomuceno Marcos Bastos Silva Roger Rezende Ribeiro Santos Conceitos Básicos Data Warehouse(DW) Banco de Dados voltado para

Leia mais

Aplicação A. Aplicação B. Aplicação C. Aplicação D. Aplicação E. Aplicação F. Aplicação A REL 1 REL 2. Aplicação B REL 3.

Aplicação A. Aplicação B. Aplicação C. Aplicação D. Aplicação E. Aplicação F. Aplicação A REL 1 REL 2. Aplicação B REL 3. Sumário Data Warehouse Modelagem Multidimensional. Data Mining BI - Business Inteligence. 1 2 Introdução Aplicações do negócio: constituem as aplicações que dão suporte ao dia a dia do negócio da empresa,

Leia mais

SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 2 2. O QUE É DATA WAREHOUSE?... 2 3. O QUE DATA WAREHOUSE NÃO É... 4 4. IMPORTANTE SABER SOBRE DATA WAREHOUSE... 5 4.

SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 2 2. O QUE É DATA WAREHOUSE?... 2 3. O QUE DATA WAREHOUSE NÃO É... 4 4. IMPORTANTE SABER SOBRE DATA WAREHOUSE... 5 4. SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 2 2. O QUE É DATA WAREHOUSE?... 2 3. O QUE DATA WAREHOUSE NÃO É... 4 4. IMPORTANTE SABER SOBRE DATA WAREHOUSE... 5 4.1 Armazenamento... 5 4.2 Modelagem... 6 4.3 Metadado... 6 4.4

Leia mais

DATA WAREHOUSE. Rafael Ervin Hass Raphael Laércio Zago

DATA WAREHOUSE. Rafael Ervin Hass Raphael Laércio Zago DATA WAREHOUSE Rafael Ervin Hass Raphael Laércio Zago Roteiro Introdução Aplicações Arquitetura Características Desenvolvimento Estudo de Caso Conclusão Introdução O conceito de "data warehousing" data

Leia mais

Professor: Disciplina:

Professor: Disciplina: Professor: Curso: Esp. Marcos Morais de Sousa marcosmoraisdesousa@gmail.com Sistemas de informação Disciplina: Introdução a SI Noções de sistemas de informação Turma: 01º semestre Prof. Esp. Marcos Morais

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação Gerenciais UNIDADE IV: Fundamentos da Inteligência de Negócios: Gestão da Informação e de Banco de Dados Um banco de dados é um conjunto de arquivos relacionados

Leia mais

Noções de. Microsoft SQL Server. Microsoft SQL Server

Noções de. Microsoft SQL Server. Microsoft SQL Server Noções de 1 Considerações Iniciais Basicamente existem dois tipos de usuários do SQL Server: Implementadores Administradores 2 1 Implementadores Utilizam o SQL Server para criar e alterar base de dados

Leia mais

Plataforma de Business Intelligence

Plataforma de Business Intelligence Plataforma de Business Intelligence ASTEN TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO A Asten é uma empresa do ramo da tecnologia da informação (TI) que tem seu foco na busca por soluções inovadoras. Nosso slogan criando

Leia mais

Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE. Prof. Luís Rodolfo

Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE. Prof. Luís Rodolfo Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Luís Rodolfo Vantagens e desvantagens de uma rede para a organização Maior agilidade com o uso intenso de redes de computadores; Grandes interações

Leia mais

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO EMPRESARIAL E A ADMINISTRAÇÃO DE PATRIMÔNIO ALUNO: SALOMÃO DOS SANTOS NUNES MATRÍCULA: 19930057

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO EMPRESARIAL E A ADMINISTRAÇÃO DE PATRIMÔNIO ALUNO: SALOMÃO DOS SANTOS NUNES MATRÍCULA: 19930057 INTRODUÇÃO SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO EMPRESARIAL E A ADMINISTRAÇÃO DE PATRIMÔNIO ALUNO: SALOMÃO DOS SANTOS NUNES MATRÍCULA: 19930057 Há algum tempo, podemos observar diversas mudanças nas organizações,

Leia mais

Módulo 5. Implementando Cubos OLAP

Módulo 5. Implementando Cubos OLAP Módulo 5. Implementando Cubos OLAP Objetivos Compreender a importância da manipulação correta da segurança nos dados. Conhecer as operações que podem ser realizadas na consulta de um cubo. Entender o uso

Leia mais

Especificação do KAPP-PPCP

Especificação do KAPP-PPCP Especificação do KAPP-PPCP 1. ESTRUTURA DO SISTEMA... 4 1.1. Concepção... 4 2. FUNCIONALIDADE E MODO DE OPERAÇÃO... 5 3. TECNOLOGIA... 7 4. INTEGRAÇÃO E MIGRAÇÃO DE OUTROS SISTEMAS... 8 5. TELAS E RELATÓRIOS

Leia mais

Sistemas de Apoio à Decisão (SAD) - Senado

Sistemas de Apoio à Decisão (SAD) - Senado Sistemas de Apoio à Decisão (SAD) - Senado DW OLAP BI Ilka Kawashita Material preparado :Prof. Marcio Vitorino Sumário OLAP Data Warehouse (DW/ETL) Modelagem Multidimensional Data Mining BI - Business

Leia mais

Impressão e Fotolito Oficina Gráfica da EDITORA VIENA. Todos os direitos reservados pela EDITORA VIENA LTDA

Impressão e Fotolito Oficina Gráfica da EDITORA VIENA. Todos os direitos reservados pela EDITORA VIENA LTDA Autores Karina de Oliveira Wellington da Silva Rehder Consultores em Informática Editora Viena Rua Regente Feijó, 621 - Centro - Santa Cruz do Rio Pardo - SP CEP 18.900-000 Central de Atendimento (0XX14)

Leia mais

Plataformas de BI Qual é a mais adequada para o meu negócio?

Plataformas de BI Qual é a mais adequada para o meu negócio? Plataformas de BI Qual é a mais adequada para o meu negócio? Comparativo prático para escolher a ferramenta perfeita para a sua empresa Faça nosso Quiz e veja as opções que combinam com o seu perfil ÍNDICE

Leia mais

Resumo dos principais conceitos. Resumo dos principais conceitos. Business Intelligence. Business Intelligence

Resumo dos principais conceitos. Resumo dos principais conceitos. Business Intelligence. Business Intelligence É um conjunto de conceitos e metodologias que, fazem uso de acontecimentos e sistemas e apoiam a tomada de decisões. Utilização de várias fontes de informação para se definir estratégias de competividade

Leia mais

Data Warehouses Uma Introdução

Data Warehouses Uma Introdução Data Warehouses Uma Introdução Alex dos Santos Vieira, Renaldy Pereira Sousa, Ronaldo Ribeiro Goldschmidt 1. Motivação e Conceitos Básicos Com o advento da globalização, a competitividade entre as empresas

Leia mais

CONTRA CONTROLE DE ACESSOS E MODULARIZADOR DE SISTEMAS

CONTRA CONTROLE DE ACESSOS E MODULARIZADOR DE SISTEMAS MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE MODERNIZAÇÃO E INFORMÁTICA CONTRA CONTROLE DE ACESSOS E MODULARIZADOR DE SISTEMAS MANUAL

Leia mais

Chapter 3. Análise de Negócios e Visualização de Dados

Chapter 3. Análise de Negócios e Visualização de Dados Chapter 3 Análise de Negócios e Visualização de Dados Objetivos de Aprendizado Descrever a análise de negócios (BA) e sua importância par as organizações Listar e descrever brevemente os principais métodos

Leia mais

MANUAL DO ADMINISTRADOR DO MÓDULO

MANUAL DO ADMINISTRADOR DO MÓDULO MANUAL DO ADMINISTRADOR DO MÓDULO ÍNDICE Relatórios Dinâmicos... 3 Requisitos de Sistema... 4 Estrutura de Dados... 5 Operadores... 6 Tabelas... 7 Tabelas x Campos... 9 Temas... 13 Hierarquia Relacionamento...

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAIS

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAIS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAIS O PODER DA INFORMAÇÃO Tem PODER quem toma DECISÃO Toma DECISÃO correta quem tem SABEDORIA Tem SABEDORIA quem usa CONHECIMENTO Tem CONHECIMENTO quem possui INFORMAÇÃO (Sem

Leia mais

Centro de Computação - Unicamp Gerência de Atendimento ao Cliente (e-mail:apoio@turing.unicamp.br) Sumário

Centro de Computação - Unicamp Gerência de Atendimento ao Cliente (e-mail:apoio@turing.unicamp.br) Sumário Sumário Conceitos Microsoft Access 97... 01 Inicialização do Access... 02 Convertendo um Banco de Dados... 03 Criando uma Tabela... 06 Estrutura da Tabela... 07 Propriedades do Campo... 08 Chave Primária...

Leia mais

Palavras-chave: On-line Analytical Processing, Data Warehouse, Web mining.

Palavras-chave: On-line Analytical Processing, Data Warehouse, Web mining. BUSINESS INTELLIGENCE COM DADOS EXTRAÍDOS DO FACEBOOK UTILIZANDO A SUÍTE PENTAHO Francy H. Silva de Almeida 1 ; Maycon Henrique Trindade 2 ; Everton Castelão Tetila 3 UFGD/FACET Caixa Postal 364, 79.804-970

Leia mais

Trabalhando com banco de dados

Trabalhando com banco de dados Avançado Trabalhando com Aprenda a manipular dados no Excel com a ajuda de outros aplicativos da suíte Office Armazenar e organizar informações são tarefas executadas diariamente por todos nós. Desde o

Leia mais

Módulo 2. Definindo Soluções OLAP

Módulo 2. Definindo Soluções OLAP Módulo 2. Definindo Soluções OLAP Objetivos Ao finalizar este módulo o participante: Recordará os conceitos básicos de um sistema OLTP com seus exemplos. Compreenderá as características de um Data Warehouse

Leia mais

Adriano Maranhão BUSINESS INTELLIGENCE (BI),

Adriano Maranhão BUSINESS INTELLIGENCE (BI), Adriano Maranhão BUSINESS INTELLIGENCE (BI), BUSINESS INTELLIGENCE (BI) O termo Business Intelligence (BI), popularizado por Howard Dresner do Gartner Group, é utilizado para definir sistemas orientados

Leia mais

Criação de Consultas e Relatórios no Access CRIAÇÃO DE CONSULTAS E RELATÓRIOS NO ACCESS

Criação de Consultas e Relatórios no Access CRIAÇÃO DE CONSULTAS E RELATÓRIOS NO ACCESS Criação de Consultas e Relatórios no Access CRIAÇÃO DE CONSULTAS E RELATÓRIOS NO ACCESS Sumário Conceitos / Autores chave... 3 1. Introdução... 4 2. Consultas... 5 3. Relatórios... 8 4. Conclusões... 11

Leia mais

ASSUNTO DA APOSTILA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E AS DECISÕES GERENCIAIS NA ERA DA INTERNET

ASSUNTO DA APOSTILA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E AS DECISÕES GERENCIAIS NA ERA DA INTERNET AULA 06 ASSUNTO DA APOSTILA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E AS DECISÕES GERENCIAIS NA ERA DA INTERNET JAMES A. O BRIEN MÓDULO 01 Páginas 278 à 285 1 AULA 06 APOIO ÀS DECISÕES DE E BUSINESS 2 E business e Apoio

Leia mais

Thalita Moraes PPGI Novembro 2007

Thalita Moraes PPGI Novembro 2007 Thalita Moraes PPGI Novembro 2007 A capacidade dos portais corporativos em capturar, organizar e compartilhar informação e conhecimento explícito é interessante especialmente para empresas intensivas

Leia mais

Sistemas de Informações Gerenciais

Sistemas de Informações Gerenciais Sistemas de Informações Gerenciais Aula 4 Sistema de Informação SI baseado em computadores Organização, administração e estratégia Professora: Cintia Caetano INTRODUÇÃO Sistemas de Informação são parte

Leia mais

Pacotes de Relatório do IBM Cognos 8 BI MidMarket Atenda a todos os seus requisitos de relatório dentro do orçamento

Pacotes de Relatório do IBM Cognos 8 BI MidMarket Atenda a todos os seus requisitos de relatório dentro do orçamento Data Sheet Pacotes de Relatório do IBM Cognos 8 BI MidMarket Atenda a todos os seus requisitos de relatório dentro do orçamento Visão Geral Organizações de tamanho médio precisam melhorar drasticamente

Leia mais

Volpe Enterprise Resource Planning

Volpe Enterprise Resource Planning Volpe Enterprise Resource Planning Este manual não pode, em parte ou no seu todo, ser copiado, fotocopiado, reproduzido, traduzido ou reduzido a qualquer mídia eletrônica ou máquina de leitura, sem a expressa

Leia mais

Unidade III PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE. Prof. Daniel Arthur Gennari Junior

Unidade III PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE. Prof. Daniel Arthur Gennari Junior Unidade III PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Prof. Daniel Arthur Gennari Junior Sobre esta aula Gestão do conhecimento e inteligência Corporativa Conceitos fundamentais Aplicações do

Leia mais

Universidade do Estado de Santa Catarina UDESC Centro de Ciências Tecnológicas CCT Engenharia de Produção e Sistemas Sistemas de Informação (SIN)

Universidade do Estado de Santa Catarina UDESC Centro de Ciências Tecnológicas CCT Engenharia de Produção e Sistemas Sistemas de Informação (SIN) Universidade do Estado de Santa Catarina UDESC Centro de Ciências Tecnológicas CCT Engenharia de Produção e Sistemas Sistemas de Informação (SIN) SISTEMAS COM ERP Profº Adalberto J. Tavares Vieira ERP

Leia mais

Resumo de TCC Desenvolvimento de um sistema ERP com foco nas tecnologias de software livre / código aberto

Resumo de TCC Desenvolvimento de um sistema ERP com foco nas tecnologias de software livre / código aberto UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina CTC Centro Tecnológico INE Departamento de Informática e Estatística INE5631 Projetos I Prof. Renato Cislaghi Resumo de TCC Desenvolvimento de um sistema ERP

Leia mais

Identificar as mudanças que acontecem na forma e no uso de apoio à decisão em empreendimentos de e-business. Identificar o papel e alternativas de

Identificar as mudanças que acontecem na forma e no uso de apoio à decisão em empreendimentos de e-business. Identificar o papel e alternativas de 1 Identificar as mudanças que acontecem na forma e no uso de apoio à decisão em empreendimentos de e-business. Identificar o papel e alternativas de relatórios dos sistemas de informação gerencial. Descrever

Leia mais

CONSIDERAÇÕES SOBRE ATIVIDADES DE IDENTIFICAÇÃO, LOCALIZAÇÃO E TRATAMENTO DE DADOS NA CONSTRUÇÃO DE UM DATA WAREHOUSE

CONSIDERAÇÕES SOBRE ATIVIDADES DE IDENTIFICAÇÃO, LOCALIZAÇÃO E TRATAMENTO DE DADOS NA CONSTRUÇÃO DE UM DATA WAREHOUSE CONSIDERAÇÕES SOBRE ATIVIDADES DE IDENTIFICAÇÃO, LOCALIZAÇÃO E TRATAMENTO DE DADOS NA CONSTRUÇÃO DE UM DATA WAREHOUSE Fabio Favaretto Professor adjunto - Programa de Pós Graduação em Engenharia de Produção

Leia mais

Business Intelligence e ferramentas de suporte

Business Intelligence e ferramentas de suporte O modelo apresentado na figura procura enfatizar dois aspectos: o primeiro é sobre os aplicativos que cobrem os sistemas que são executados baseados no conhecimento do negócio; sendo assim, o SCM faz o

Leia mais

Sistema. Atividades. Sistema de informações. Tipos de sistemas de informação. Everson Santos Araujo everson@everson.com.br

Sistema. Atividades. Sistema de informações. Tipos de sistemas de informação. Everson Santos Araujo everson@everson.com.br Sistema Tipos de sistemas de informação Everson Santos Araujo everson@everson.com.br Um sistema pode ser definido como um complexo de elementos em interação (Ludwig Von Bertalanffy) sistema é um conjunto

Leia mais

MAIS AGILIDADE, CONTROLE E RENTABILIDADE NA SUA CONSTRUTORA E INCORPORADORA.

MAIS AGILIDADE, CONTROLE E RENTABILIDADE NA SUA CONSTRUTORA E INCORPORADORA. MAIS AGILIDADE, CONTROLE E RENTABILIDADE NA SUA CONSTRUTORA E INCORPORADORA. SANKHYA. A nova geração de ERP Inteligente. Atuando no mercado brasileiro desde 1989 e alicerçada pelos seus valores e princípios,

Leia mais

Banco de Dados - Senado

Banco de Dados - Senado Banco de Dados - Senado Exercícios OLAP - CESPE Material preparado: Prof. Marcio Vitorino OLAP Material preparado: Prof. Marcio Vitorino Soluções MOLAP promovem maior independência de fornecedores de SGBDs

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE PLUG-INS KETTLE PARA GERAÇÃO DE MONDRIAN SCHEMA A PARTIR DE BASES RELACIONAIS, UTILIZANDO A METODOLOGIA AGILE ROLAP.

DESENVOLVIMENTO DE PLUG-INS KETTLE PARA GERAÇÃO DE MONDRIAN SCHEMA A PARTIR DE BASES RELACIONAIS, UTILIZANDO A METODOLOGIA AGILE ROLAP. DESENVOLVIMENTO DE PLUG-INS KETTLE PARA GERAÇÃO DE MONDRIAN SCHEMA A PARTIR DE BASES RELACIONAIS, UTILIZANDO A METODOLOGIA AGILE ROLAP. Eduardo Cristovo de Freitas Aguiar (PIBIC/CNPq), André Luís Andrade

Leia mais

Uma visão abrangente dos negócios. Solução para superar barreiras e otimizar recursos na sua empresa

Uma visão abrangente dos negócios. Solução para superar barreiras e otimizar recursos na sua empresa Uma visão abrangente dos negócios Solução para superar barreiras e otimizar recursos na sua empresa Negócios sem barreiras O fenômeno da globalização tornou o mercado mais interconectado e rico em oportunidades.

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO PRODUTO. Mais que um software, o método mais eficaz para conciliar.

APRESENTAÇÃO DO PRODUTO. Mais que um software, o método mais eficaz para conciliar. APRESENTAÇÃO DO PRODUTO Mais que um software, o método mais eficaz para conciliar. Com Conciliac é possível conciliar automaticamente qualquer tipo de transação; Bancos, Cartões de Crédito e Débito, Contas

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO Lato Sensu. Gestão e Tecnologia da Informação

PÓS-GRADUAÇÃO Lato Sensu. Gestão e Tecnologia da Informação IETEC - INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PÓS-GRADUAÇÃO Lato Sensu Gestão e Tecnologia da Informação BAM: Analisando Negócios e Serviços em Tempo Real Daniel Leôncio Domingos Fernando Silva Guimarães Resumo

Leia mais

Dados x Informações. Os Sistemas de Informação podem ser:

Dados x Informações. Os Sistemas de Informação podem ser: CONCEITOS INICIAIS O tratamento da informação precisa ser visto como um recurso da empresa. Deve ser planejado, administrado e controlado de forma eficaz, desenvolvendo aplicações com base nos processos,

Leia mais

Modelagem de Sistemas de Informação

Modelagem de Sistemas de Informação Modelagem de Sistemas de Informação Professora conteudista: Gislaine Stachissini Sumário Modelagem de Sistemas de Informação Unidade I 1 SISTEMAS DE INFORMAÇÃO...1 1.1 Conceitos...2 1.2 Objetivo...3 1.3

Leia mais

Curso Data warehouse e Business Intelligence

Curso Data warehouse e Business Intelligence Curso Data warehouse e Business Intelligence Fundamentos, Metodologia e Arquitetura Apresentação Os projetos de Data Warehouse e Business Intelligence são dos mais interessantes e complexos de desenvolver

Leia mais

Criação e uso da Inteligência e Governança do BI

Criação e uso da Inteligência e Governança do BI Criação e uso da Inteligência e Governança do BI Criação e uso da Inteligência e Governança do BI Governança do BI O processo geral de criação de inteligência começa pela identificação e priorização de

Leia mais

ERP: Pacote Pronto versus Solução in house

ERP: Pacote Pronto versus Solução in house ERP: Pacote Pronto versus Solução in house Introdução Com a disseminação da utilidade e dos ganhos em se informatizar e integrar os diversos departamentos de uma empresa com o uso de um ERP, algumas empresas

Leia mais

Uma Ferramenta Web para BI focada no Gestor de Informação

Uma Ferramenta Web para BI focada no Gestor de Informação Uma Ferramenta Web para BI focada no Gestor de Informação Mikael de Souza Fernandes 1, Gustavo Zanini Kantorski 12 mikael@cpd.ufsm.br, gustavoz@cpd.ufsm.br 1 Curso de Sistemas de Informação, Universidade

Leia mais

IF685 Gerenciamento de Dados e Informação - Prof. Robson Fidalgo 1

IF685 Gerenciamento de Dados e Informação - Prof. Robson Fidalgo 1 IF685 Gerenciamento de Dados e Informação - Prof. Robson Fidalgo 1 Banco de Dados Introdução Por: Robson do Nascimento Fidalgo rdnf@cin.ufpe.br IF685 Gerenciamento de Dados e Informação - Prof. Robson

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Proposta de Formação Complementar: BUSINESS INTELLIGENCE E SUA APLICAÇÃO À GESTÃO Aluno: Yussif Tadeu de Barcelos Solange Teixeira

Leia mais

DELEGAÇÃO REGIONAL DO ALENTEJO CENTRO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DE ÉVORA REFLEXÃO 4

DELEGAÇÃO REGIONAL DO ALENTEJO CENTRO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DE ÉVORA REFLEXÃO 4 REFLEXÃO 4 Módulos 0776, 0780, 0781, 0786 e 0787 1/10 8-04-2013 Esta reflexão tem como objectivo partilhar e dar a conhecer o que aprendi nos módulos 0776 - Sistema de informação da empresa, 0780 - Aplicações

Leia mais

Universidade Cruzeiro do Sul. Campus Virtual Unidade I: Unidade: Processos Mercadológicos

Universidade Cruzeiro do Sul. Campus Virtual Unidade I: Unidade: Processos Mercadológicos Universidade Cruzeiro do Sul Campus Virtual Unidade I: Unidade: Processos Mercadológicos 2010 0 O Processo pode ser entendido como a sequência de atividades que começa na percepção das necessidades explícitas

Leia mais

BUSINESS INTELLIGENCE, O ELEMENTO CHAVE PARA O SUCESSO DAS ORGANIZAÇÕES.

BUSINESS INTELLIGENCE, O ELEMENTO CHAVE PARA O SUCESSO DAS ORGANIZAÇÕES. Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 88 BUSINESS INTELLIGENCE, O ELEMENTO CHAVE PARA O SUCESSO DAS ORGANIZAÇÕES. Andrios Robert Silva Pereira, Renato Zanutto

Leia mais

Sistemas de Informação I

Sistemas de Informação I + Sistemas de Informação I Tipos de SI Ricardo de Sousa Britto rbritto@ufpi.edu.br + Introdução 2 n As organizações modernas competem entre si para satisfazer as necessidades dos seus clientes de um modo

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Business Intelligence (BI)

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Business Intelligence (BI) Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Business Intelligence (BI) Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Business Intelligence Inteligência Competitiva tem por fornecer conhecimento

Leia mais

SISTEMA DE CONTROLE DE ESTOQUE MANUAL PARA REQUISITANTES

SISTEMA DE CONTROLE DE ESTOQUE MANUAL PARA REQUISITANTES UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO UNIVERSITÁRIO DIRETORIA GERAL DE ADMINISTRAÇÃO SISTEMA DE CONTROLE DE ESTOQUE MANUAL PARA REQUISITANTES SISTEMA 1ª EDIÇÃO SETEMBRO/2013

Leia mais

A importância da. nas Organizações de Saúde

A importância da. nas Organizações de Saúde A importância da Gestão por Informações nas Organizações de Saúde Jorge Antônio Pinheiro Machado Filho Consultor de Negócios www.bmpro.com.br jorge@bmpro.com.br 1. Situação nas Empresas 2. A Importância

Leia mais

Aplicação de Data Warehousing no Cadastro de Ficha Limpa do TSE

Aplicação de Data Warehousing no Cadastro de Ficha Limpa do TSE Aplicação de Data Warehousing no Cadastro de Ficha Limpa do TSE Mateus Ferreira Silva, Luís Gustavo Corrêa Lira, Marcelo Fernandes Antunes, Tatiana Escovedo, Rubens N. Melo mateusferreiras@gmail.com, gustavolira@ymail.com,

Leia mais

Uma estrutura (framework) para o Business Intelligence (BI)

Uma estrutura (framework) para o Business Intelligence (BI) Uma estrutura conceitural para suporteà decisão que combina arquitetura, bancos de dados (ou data warehouse), ferramentas analíticas e aplicações Principais objetivos: Permitir o acesso interativo aos

Leia mais

Bloco Administrativo

Bloco Administrativo Bloco Administrativo BI Business Intelligence Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre o Módulo Business Intelligence, que se encontra no Bloco Administrativo. Todas informações aqui

Leia mais

SUMÁRIO. Cursos STE SUMÁRIO... 1

SUMÁRIO. Cursos STE SUMÁRIO... 1 SUMÁRIO SUMÁRIO... 1 STEGEM - INTERFACE... 2 1 Introdução... 2 2 A interface... 2 2.1 Painel de Navegação... 3 2.2 Barra de Menus em forma de Ribbon... 4 2.3 Painel de Trabalho... 5 2.4 Barra de Status...

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional II Prof.: Fernando Hadad Zaidan

Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional II Prof.: Fernando Hadad Zaidan Faculdade INED Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional II Prof.: Fernando Hadad Zaidan 1 Unidade 4.2 2 1 BI BUSINESS INTELLIGENCE BI CARLOS BARBIERI

Leia mais

Universidade de Brasília. Faculdade de Ciência da Informação. Prof a Lillian Alvares

Universidade de Brasília. Faculdade de Ciência da Informação. Prof a Lillian Alvares Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Prof a Lillian Alvares Fóruns Comunidades de Prática Mapeamento do Conhecimento Portal Intranet Extranet Banco de Competências Memória Organizacional

Leia mais

Modelando um Data Warehouse GRIMALDO OLIVEIRA

Modelando um Data Warehouse GRIMALDO OLIVEIRA Modelando um Data Warehouse GRIMALDO OLIVEIRA Sobre Grimaldo Grimaldo Oliveira grimaldo_lopes@hotmail.com Formação Mestre em Tecnologias Aplicadas a Educação pela Universidade do Estado da Bahia. Especialização

Leia mais

Business Intelligence. Business Intelligence. Business Intelligence. Business Intelligence. Business Intelligence

Business Intelligence. Business Intelligence. Business Intelligence. Business Intelligence. Business Intelligence Juntamente com o desenvolvimento desses aplicativos surgiram os problemas: & Data Warehouse July Any Rizzo Oswaldo Filho Década de 70: alguns produtos de BI Intensa e exaustiva programação Informação em

Leia mais

versa A solução definitiva para o mercado livreiro. Aumente a eficiência de seu negócio Tenha uma solução adequada para cada segmento

versa A solução definitiva para o mercado livreiro. Aumente a eficiência de seu negócio Tenha uma solução adequada para cada segmento Aumente a eficiência de seu negócio O Versa é um poderoso software de gestão de negócios para editoras, distribuidoras e livrarias. Acessível e amigável, o sistema foi desenvolvido especificamente para

Leia mais

Sistemas de Informações

Sistemas de Informações Sistemas de Informações Prof. Marco Pozam- mpozam@gmail.com A U L A 0 3 Ementa da disciplina Sistemas de Informações Gerenciais: Conceitos e Operacionalização. Suporte ao processo decisório. ERP Sistemas

Leia mais

Laboratório de Banco de Dados

Laboratório de Banco de Dados Universidade Federal de Mato Grosso-UFMT Sistemas de Informação Laboratório de Banco de Dados Prof. Clóvis Júnior Laboratório de Banco de Dados Conteúdo Administração de Usuários de Papéis; Linguagens

Leia mais

SISTEMAS DE APOIO À DECISÃO SAD

SISTEMAS DE APOIO À DECISÃO SAD SISTEMAS DE APOIO À DECISÃO SAD Conceitos introdutórios Decisão Escolha feita entre duas ou mais alternativas. Tomada de decisão típica em organizações: Solução de problemas Exploração de oportunidades

Leia mais

Inteligência Empresarial. BI Business Intelligence. Business Intelligence 22/2/2011. Prof. Luiz A. Nascimento

Inteligência Empresarial. BI Business Intelligence. Business Intelligence 22/2/2011. Prof. Luiz A. Nascimento Inteligência Empresarial Prof. Luiz A. Nascimento BI Pode-se traduzir informalmente Business Intelligence como o uso de sistemas inteligentes em negócios. É uma forma de agregar a inteligência humana à

Leia mais