PLANO DE ENSINO. Capacitar o participante a elaborar um plano anual de marketing para ou produto ou linha de produtos.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PLANO DE ENSINO. Capacitar o participante a elaborar um plano anual de marketing para ou produto ou linha de produtos."

Transcrição

1 CURSO: MBA GESTÃO DE MARKETING DISCIPLINA: PLANO DE MARKETING PROJETO FINAL Última revisão: Abril/2015 Horas-aula - Orientação ao projeto: 30 Horas-aula - Desenvolvimento do projeto: 60 Horas-aula - preparação prévia: 15 Coordenador: Quelen Torres OBJETIVO DA DISCIPLINA: PLANO DE ENSINO Capacitar o participante a elaborar um plano anual de marketing para ou produto ou linha de produtos. METODOLOGIA GERAL: Consultorias com o professor orientador, pesquisas de campo e reuniões com a empresa. SISTEMA DE AVALIAÇÃO: - O projeto final será apresentado a uma banca de 3 professores, incluindo o orientador do módulo. A nota final do grupo será a média das 3 notas. - Grupos de 4 a 6 alunos; - Os critérios de avaliação são detalhados em formulário específico. CONCEPÇÃO E OBJETIVOS O projeto final é o momento em que o participante assume uma responsabilidade maior sobre seu aprendizado. Ao articular as diferentes dimensões da realidade, ele demonstra ser capaz de produzir, com o suporte do repertório conceitual, teórico e metodológico, utilizando as habilidades técnicas e sociais que conseguiu desenvolver ao longo do curso, que o levará a pensar e agir orientado para o mercado de Projeto. Para tanto, desenvolve-se, durante o projeto, as capacidades de compreensão, aplicação, análise e síntese. Objetivo O projeto é realizado através da formulação de um PLANO DE MARKETING, a partir de um embasamento mercadológico consistente, de acordo com os seguintes objetivos pedagógicos: estimular a visão gerencial, com ênfase na orientação para resultados, raciocínio estratégico e capacidade de tomar decisões à base de dados e opiniões de especialistas das áreas envolvidas;

2 como principal ponto focal do Projeto, estimular a busca de soluções novas e eficientes para o gerenciamento da empresa, buscando a sua excelência competitiva para seu crescimento e perpetuação. No projeto final deve prevalecer a preocupação com o rigor do processo de localização, coleta, tratamento e análise das informações, indispensáveis para o exercício de julgamentos fundamentados, e que possam dar credibilidade às descrições, análises e conclusões do grupo. IMPORTÂNCIA DO PROJETO PARA AS EMPRESAS Os benefícios às empresas que se dispõem a fornecer as informações aos alunos são os seguintes: diagnóstico aprofundado do perfil competitivo no mercado, considerando a presença institucional e/ou do produto/serviço junto aos clientes e concorrentes; elaboração de objetivos, metas e estratégias empresariais convergentes com a realidade mercadológica atual; confiabilidade técnica e estratégica, através de intenso e conjunto Projeto entre alunos e professores, com avaliação crítica de banca examinadora. Desta forma, a empresa terá um enorme benefício ao se abrir para a realização do projeto. Isso deve ser enfatizado em uma eventual reunião para propor o projeto a uma determinada empresa. O PROJETO DEVE COLABORAR INTENSIVAMENTE PARA A FORMAÇÃO DO ALUNO CONTRIBUINDO PARA QUE ELE COMPLETE SEU PERFIL DE COMPETÊNCIAS. O Aluno Perfil de competências do egresso do MBA ESAMC: Possui visão genérica da empresa e do ambiente de negócios; Possuir uma noção dinâmica do mercado da livre iniciativa; Possuir um entendimento abrangente da função de estrategista; Ter capacidade de comunicação com profissionais de outras áreas (multidisciplinar);e, Saber trabalhar com pessoas: comunicação interpessoal (oral e escrita); ação em equipes multifuncionais; compreensão das variáveis psicológicas do comportamento humano.

3 Normas gerais do projeto final: 1 O projeto tem a duração de 30h/a 2 O projeto é realizado em grupos de alunos com no mínimo 4, e no máximo 6 participantes. 3 O grupo de alunos deve ser formado já no primeiro encontro com o orientador 4 A escolha da empresa e todos os seus contatos para obtenção de informações são de total responsabilidade dos alunos integrantes dos grupos; 4.1 A empresa objeto deste Projeto deve estar aprovada pela Coordenação do PROJETO até o final da quinzena de aula. 4.2 Não são permitidas: Alteração na composição do grupo de alunos, após a aprovação do caso; Mudança de empresa já aprovada pelo orientador. 4.3 Os alunos que, por quaisquer problemas, saírem do grupo inicialmente definido, estarão automaticamente desligados do PROJETO, tendo que refazê-lo no semestre seguinte; e, 4.4 Todos os casos excepcionais, como a relação com à empresa escolhida, serão examinados individualmente pela direção da unidade junto com o professor orientador. 5 Caso a empresa objeto do Projeto assim o deseje, os dados numéricos utilizados pelo grupo poderão receber a aplicação de um coeficiente quando de sua publicação; além disto, as apresentações intermediárias e final poderão ter acesso restrito e o Projeto pode até ser interditado por 2 (dois) anos antes de estar disponível às consultas na Biblioteca ESAMC. 6 A Orientação ocorrerá durante o período de aula, conforme grade horária do semestre, podendo variar a critério do Professor Orientador, em função do andamento do Projeto 6.1 Esta orientação só será realizada com a presença do grupo completo e no horário fixado. A critério do professor, o grupo poderá ser atendido incompleto, no máximo 2 (duas) vezes durante a realização do Projeto. Neste caso, o aluno ausente receberá as faltas correspondentes; 6.3 Em toda orientação, o grupo assinará sua presença e fará o registro de orientação em seu respectivo Diário de Classe, que ficará de posse do Orientador. 6.4 Demais controles, como registros de contato com as empresas e outros levantamentos ficarão a critério de definição do Orientador, junto aos seus grupos. 7 Durante a elaboração do projeto, o grupo necessitará de disciplinas específicas que já foram ministradas durante o curso. 8 A nota média mínima exigida é 7 (sete), obedecendo aos mesmos critérios acadêmicos instituídos pela ESAMC. Caso a média final fique abaixo de 7 (sete), o grupo será considerado reprovado, devendo cursar novamente o projeto, sendo obrigatória a mudança da empresa objeto.

4 9 Forma de entrega. Impresso em computador (caso a técnica permita, pode ser impresso em frente e verso) 9.1 Tamanho referencial A4 9.2 O Projeto pode ser entregue em encadernação provisória (Espiral ou Helicoidal). 10 A não entrega do Projeto dentro dos prazos definidos pelo orientador e das especificações acima, implica na reprovação automática de todo o grupo. 11 O Projeto escrito e sua apresentação deverão ser efetuados em formato de Descritivo de Caso, com uma introdução sobre a Empresa, o Produto/ Serviço e seus ambientes, e uma apresentação mais detalhada sobre o objeto deste Projeto (Problema/ Oportunidade Solução - Resultados Esperados Controle/ Avaliação). 12 Todos os Orientadores deverão comunicar aos alunos a existência deste regulamento e deverão assinar ata confirmando o recebimento e conhecimento deste regulamento. 13 Os casos omissos serão analisados e resolvidos pela Coordenação do projeto com a diretoria da unidade. Após a elaboração dos conteúdos MÍNIMOS previstos no roteiro, o grupo deverá providenciar: - A Entrega de 2 cópias impressas (capa dura) e 1 em CD (cópia digital) do PROJETO à Secretaria da ESAMC, para encaminhamento à BANCA EXAMINADORA. - Preparação da apresentação oral do PROJETO A Entrega do Projeto Final será feita no último mês do semestre letivo em dia a ser definido pelo orientador.. Deverá ser entregue em duas vias iguais e encadernadas, que se destinam aos avaliadores da banca, até 2 semanas antes da data da apresentação oral do projeto. O professor orientador obterá sua cópia do grupo, não sendo necessário que esta esteja no formato de encadernação oficial. Deve, porém conter o mesmo conteúdo da cópia entregue aos examinadores. Os grupos devem entregar além das cópias encadernadas em conformidade com as normas deste manual, uma cópia digital em CD (preferencialmente formato PDF) que TAMBÉM será encaminhada à biblioteca. Após a entrega, somente serão aceitas indicações de erratas, não sendo permitida qualquer modificação pela adição ou eliminação de páginas anexas. Não será aceito nenhum Projeto após a data especificada. Não será aceito Projeto entregue em encadernação provisória (exceto a cópia do orientador). As 2 vias do Projeto e o CD (cópia digital) não serão devolvidas aos alunos; caso este seja aprovado e não sofra restrições, elas serão encaminhadas à biblioteca ESAMC.

5 A não entrega do Projeto dentro dos prazos e especificações acima, implica na reprovação automática de todo o grupo. O orientador divulgará a data da realização da Banca Examinadora. Os alunos que necessitarem de uma data específica para a apresentação de seu projeto deverão encaminhar requerimento solicitando a data a secretaria até a data da entrega do projeto. O Papel do professor orientador Função no Projeto: Ser um facilitador, com responsabilidade de supervisão global do projeto (através da presença constante nos horários pré - determinados de atendimento e pela leitura e indicações nos Projetos, principalmente nas avaliações individuais). Orientador de Projeto é o professor encarregado de orientar e acompanhar o PROJETO durante seu desenvolvimento, ficando responsável pelo cumprimento das atividades administrativas e pedagógicas no âmbito do projeto que orienta. O orientador é o professor especialista encarregado de apoiar o Projeto, em assuntos de sua especialidade acadêmica e profissional, aportando informações, efetuando recomendações, ou estabelecendo diretrizes que visem levar o PROJETO a bom termo. Apenas professores vinculados à ESAMC e cumprindo carga horária em sala de aula, poderão assumir as responsabilidades de professor orientador do PROJETO. Fixar cronograma de Projeto e estabelecer os controles regulares para cada grupo. Orientar e supervisionar, nas dependências da ESAMC, as atividades acadêmicas de execução do Projeto a serem realizadas pelo grupo, no último semestre. Autorizar os grupos a se submeter à avaliação da Banca Examinadora, dar suporte para os membros que comporão a Banca e comparecer na data, horário e local de sua realização, de acordo com o Calendário da ESAMC. O orientador não é membro do grupo e não irá interferir na formulação estratégica do grupo. O papel dos grupos Cumprir as atividades previstas nos dois bimestres do último semestre, momento em que ocorre o processo de realização do Projeto que resultará o PROJETO, com o apoio do professor orientador escolhido e formalizado na Secretaria da ESAMC. Cumprir os prazos estabelecidos pelo Calendário Escolar da ESAMC. Participar, das atividades de orientação, sabendo que a inobservância a este item poderá acarretar reprovação de todo o grupo no programa de PROJETO.

6 Caracterização da banca examinadora do PROJETO A defesa oral dos resultados do PROJETO em Banca Examinadora é obrigatória. A Banca Examinadora será composta por três (3) avaliadores. O professor orientador coordenará as atividades. Os demais examinadores devem ser vinculados à ESAMC. É indispensável que os examinadores convidados tenham afinidades acadêmicas e/ou profissionais com o projeto tratado no PROJETO. No dia e horário marcados, o grupo, a Banca Examinadora e demais pessoas interessadas em assistir a defesa, irão se reunir na ESAMC e a apresentação se realizará na seguinte seqüência: O Professor Orientador, na condição de mediador da Banca Examinadora, abrirá a sessão apresentando o grupo e os membros da banca e os procedimentos da atividade. O grupo fará uma apresentação de no máximo 45 minutos do conteúdo do PROJETO, atendo-se aos objetivos, estratégias utilizadas, análises que fundamentaram as ações propostas. Os dois examinadores farão, um após outro, a argüição, envolvendo, no máximo, quinze (15) minutos, cada um, fazendo perguntas sobre o projeto. O grupo disporá de tempo equivalente para responder as perguntas formuladas pelos examinadores. Os participantes da Banca Examinadora, reservadamente, definirão a nota a ser atribuída ao PROJETO apresentado pelo grupo de tal forma que o Professor Orientador seja o responsável pelo preenchimento do formulário de registro da avaliação e os demais membros da banca por um parecer escrito sobre o conteúdo do PROJETO apresentado. O Professor Orientador, na condição de coordenador da Banca Examinadora, divulgará o resultado da avaliação a média alcançada e as justificativas da média atribuída. Sobre a avaliação dos resultados do PROJETO O PROJETO será avaliado com base em notas atribuídas pelos membros da Banca Examinadora. A média final atingida pelo PROJETO pode variar de zero (0) a dez (10,0), fracionadas em décimos de meio ponto (0,5). Na banca não será permitida qualquer alteração nestes pesos de avaliação. Os comentários da banca devem anotados e registrados no formulário de registro de avaliação de forma clara e rápida. A ausência do grupo ou de qualquer integrante às apresentações orais de avaliação (aos professores orientadores ou à Banca examinadora), implica na reprovação automática de todo o Grupo naquela avaliação. Caso isso ocorra na banca o grupo deverá refazer o PROJETO no semestre seguinte.

7 As notas finais serão divulgadas após a apresentação do projeto. A banca divulgará a aprovação ou reprovação do grupo após se reunirem na seqüência da apresentação. A média final que aprovará o grupo no PROJETO não poderá ser inferior a sete pontos (7,0), nas duas avaliações de último semestre, obedecendo aos mesmos critérios acadêmicos instituídos pela ESAMC. Atenção Não deixem de olhar detalhadamente o regulamento do PROJETO antes de entregar o Projeto na secretaria. Vejam com atenção se o projeto está dentro das normas estabelecidas pela escola quanto a forma e conteúdo (encadernação, bibliografia, etc.). Verificar a correção ortográfica. Caso seja necessário recursos especiais, providenciem junto à secretaria através de requerimento ao orientador com antecedência mínima de duas (02) semanas. ROTEIRO DO PLANO Sumário Executivo (1 pág) Apresentação resumida das principais informações constantes do projeto, onde deverá estar destacado o foco da abordagem principal que o plano dará sobre o produto da empresa, bem como destacar os aspectos mais importantes a se observar, os objetivos mercadológicos, as estratégias gerais e os resultados esperados a partir da implementação efetiva do plano. 1. Apresentação da empresa 2. Apresentação do produto (Mkt Mix) 3. Sistema de informações de marketing 4. Análise do Macro ambiente 5. Análise quantitativa de mercado 6. Análise dos fornecedores 7. Análise dos Intermediários Canais de distribuição 8. Análise Clientes/Consumidores 9. Análise Concorrência 10. Fechamento do diagnóstico (SWOT+3 ferramentas) 11. Prognóstico 12. Objetivos de marketing 13. Estratégias de marketing Segmentação e posicionamento Mercado-Alvo Preço Produto / Marca

8 Distribuição Comunicação 14. Plano de Ação 15. Orçamento 16. Revisão e controle 17. Conclusão e expectativas de sucesso 18. Bibliografia 19. Anexos 1. Apresentação da empresa - Histórico da empresa - Tempo de mercado - Porte, setor de atividades - Principais produtos e serviços - Localização geográfica, filiais - Composição societária - Estrutura organizacional geral e específica de marketing - Número de funcionários - Principais clientes, fornecedores - Missão, visão e valores - Principais dados financeiros da empresa e do produto. Quadro resumo, conforme modelo abaixo: Volume de Vendas do Mercado ($) Volume de Vendas do Produto ($) Impostos ($) Vendas Líquidas do produto (R$) Custo Variável ($) Margem de Contribuição ($) Custos Fixos ($) Lucro Bruto ($) Despesas Operacionais ($) Despesas de Marketing ($) Lucro Operacional ($) Ano 1 Ano 2 Ano anterior Ano atual

9 2. Análise do Produto/Serviço (4Ps): Produto: - Cinco níveis de produto - Apresentar o portfólio da empresa e destacar onde o produto se encontra -Descrição detalhada do produto: nome, design, tamanho, embalagem, cor, odor, sabor, cheiro, rótulo, qualidade, serviços agregados etc. - Classificações de produto (durabilidade, tangibilidade e hábitos de compra) - Apresentar o ciclo de vida do produto - Análise do Portfólio de Produtos da empresa analisada (BCG), caso existam dados suficientes. - Apresentar detalhadamente o projeto da marca do produto e a arquitetura de marca da empresa - Descrever a imagem de marca pretendida Obs: No caso de serviços, descrever como são trabalhados os desafios de serviços (intangibilidade, perecibilidade, variabilidade e inseparabilidade). Preço: - Estratégia preço-qualidade utilizada para o produto - Objetivo de preço - Como o preço é estabelecido (6 passos) - Condições de pagamento - Política e adequações de preço - Iniciativas e respostas a mudanças de preço dos concorrentes - Aspectos financeiros da gestão de preço (impostos, custo etc) Distribuição do produto: - Estrutura e níveis de canais utilizados para o produto atualmente - Níveis de cobertura (intensiva, seletiva ou exclusiva) - Qual o papel que se espera destes canais - Remuneração média por canal - Vendas por canal de distribuição - Quantidade de pontos de venda por canal - Pontos fortes e fracos de cada canal utilizado pelo produto - Quem define as estratégias dos canais - Como é feito o desenvolvimento, a seleção, o gerenciamento e a avaliação dos canais de marketing - Quais são os serviços oferecidos aos canais - Como é o relacionamento com os canais - Como são resolvidos os conflitos com e entre os canais - Qual a participação da força de vendas no canal de marketing? - Qual o programa de treinamento disponível para os canais de marketing - Qual a percepção dos clientes sobre a área de vendas - Qual a profundidade de informações da empresa sobre os canais e como utiliza este conhecimento - Estoque e logística de abastecimento

10 Comunicação do produto: - Quais estágios de comunicação já foram desenvolvidos para o produto (cognitivo, afetivo e comportamental) - Quais são as ferramentas de comunicação que a empresa utiliza para promover o produto - Quais são as verbas de comunicação do produto (atual e histórico) e como este orçamento é elaborado - Como a verba é distribuída por ferramenta de comunicação - Que temas e apelos são utilizados em suas campanhas e seus resultados qualitativos e quantitativos - Como é avaliada a eficácia das ações de comunicação - Qual o desempenho da(s) agência (s) de propaganda e de promoção de vendas - Qual a imagem que a empresa deseja projetar para o produto em suas ações de comunicação Posicionamento atual - Com base em toda a análise do marketing mix do produto, o grupo deve definir qual é o posicionamento atual do mesmo. - No caso de um novo produto, descrever detalhadamente o que é o novo produto, fatos e análises que motivaram o grupo a propor o lançamento (etapas de desenvolvimento de produtos). 3. Sistema de Informações de marketing (SIM) Descrever detalhadamente como funciona o SIM para o produto escolhido. Pesquisar e demonstrar como a empresa trabalha com inteligência competitiva Registros Internos: Quais as informações disponíveis na empresa para tomada de decisões de marketing. Inteligência de Marketing: Quais as informações que a empresa utiliza em sua área de inteligência, para tomada de decisões de marketing: jornais, publicações setoriais, livros, sites, informações de fornecedores ou parceiros, comprando produtos do concorrente, comprar informações de fornecedores externos (Ex: AC Nielsen). Após analisar as fontes da empresa, o grupo deve pesquisar novas fontes de informação que eventualmente não estão sendo utilizadas pela empresa. Pesquisa de Marketing: Que pesquisas são realizadas pela empresa em relação ao produto, com que freqüência, custo, quem faz. Outras fontes de informação Descrever outras fontes (pagas ou não) de informação. 4. Análise do Macro ambiente Neste capítulo, o grupo deve fazer uma análise completa das 6 forças do macro ambiente, segundo a estrutura abaixo. - Econômico - Sócio-Cultural

11 - Político-legal - Tecnológico - Demográfico - Natural Montar a estrutura abaixo (tabela ou texto) para cada uma das 4 forças: AMBIENTE?????? Variável ambiental Crítica (VAC) Por que esta variável é crítica Histórico da variável Tendências e projeções* Possíveis conseqüências para o produto - Citar fonte das informações apresentadas. * Para o horizonte de planejamento (1 ano) 5. Análise Quantitativa do Mercado Análise Quantitativa: Evolução da demanda, evolução preços, desempenho dos concorrentes, potencial de mercado, participação de mercado, sazonalidade e vendas totais. Buscar dados setoriais e tendências. 6. Análise dos fornecedores - Descrever detalhadamente os principais fornecedores - Riscos de abastecimento - Relacionamento entre empresa e fornecedores - Nível de dependência e análise de poder de barganha 7. Análise dos intermediários - Canais de Distribuição Analisar aqui os canais disponíveis NO MERCADO para o produto em questão. Não focar na estrutura de canais de distribuição da empresa. Quais são todos os canais de distribuição disponíveis para este produto no mercado (independente da empresa trabalhar ou não com os mesmos)? Características, pontos fortes e fracos de cada canal Quantidade de pontos de venda disponíveis no mercado, por canal Remuneração média por canal

12 Vendas por canal de distribuição Perspectivas de novos canais e evolução dos atuais canais. 8. Análise dos Clientes/Consumidores Buscar nesta análise a resposta para as 3 questões-chave - Motivação de compra - Critérios de escolha - Comportamento pós-compra Desenvolver a análise com base na teoria de comportamento do consumidor, sempre embasando as afirmações. Se o grupo achar necessário, deve fazer uma pesquisa ou enquete para analisar questões mercadológicas específicas. Utilizar pesquisas realizadas pela empresa, caso existam. - Análise Qualitativa: Quem constitui o mercado (ocupantes)? O que o mercado compra (objetos)? Por quê o mercado compra (objetivos)? Quem participa da compra (comprador e influenciador)? Como o mercado compra? Quando o mercado compra (ocasiões)? Onde o mercado compra (ponto de venda)? - Comportamento de compra: 1. Definir principais fatores que influenciam - fatores culturais (cultura, subcultura e classe social); fatores sociais (grupos de referência, família, papeis e status); fatores pessoais ( Idade e estágio no ciclo de vida, ocupação e circunstâncias econômicas, estilo de vida, personalidade e auto-imagem) e fatores psicológicos (motivação, percepção, aprendizagem e crenças e atitudes). 2. Papéis do comprador: Iniciador, influenciador, decisor, comprador e usuário. 3. Comportamento de compra: Alto envolvimento Baixo envolvimento Diferenças significativas entre marcas Poucas diferenças entre marcas Comportamento de compra complexo Comportamento de compra com dissonância cognitiva reduzida Comportamento de compra em busca de variedade Comportamento de compra habitual 4. Processo de decisão de compra: Reconhecimento do problema, busca de informações, avaliação, decisão e comportamento pós-compra. - Principais Atributos de Valor para o Cliente (produto/serviço):

13 9. Análise da Concorrência RESUMO DAS INFORMAÇÕES CONTENDO: - Concorrência direta e indireta - Grupos estratégicos Análise dos concorrentes do mesmo grupo estratégico, contendo: - Objetivos de marketing - Estratégias utilizadas marketing mix - Forças e fraquezas (em relação ao produto do produto que o grupo está trabalhando) - Padrão de reação (Arrojado, omisso, imprevisível etc) 10. Fechamento do diagnóstico Matriz SWOT (PFOA) Potencialidade Fraquezas Interno Externo Oportunidades Ameaças FATORES CRÍTICOS DE SUCESSO (FCS) Com base na análise do setor, eleger os fatores críticos de sucesso (FCS) e priorizá-los conforme a tabela abaixo: FCS Peso (%) Razões e comentários Soma 100%

14 11. Prognóstico Com base em todas as análises efetuadas, sintetizar um cenário provável para o ano referente ao plano, nas seguintes variáveis: - 6 Forças do macro ambiente; - Concorrência; - Canais de distribuição; - Fornecedores - Comportamento do consumidor. 12. Objetivos de marketing: OBJETIVOS: ONDE QUEREMOS CHEGAR! Estabelecer objetivos de marketing para o ano de planejamento. Os objetivos devem ser: - Claros, não deixando dúvidas. - Orientados no tempo - Mensuráveis - Desafiantes, mas atingíveis - Os objetivos podem ser quantitativos ou qualitativos. Por exemplo, um objetivo pode ser montar um SIM para o produto, caso não tenha, ou seja, limitado em algum aspecto. 13. Estratégias de marketing ESTRATÉGIAS: COMO CHEGAREMOS LÁ! No caso de produto existente, descrever o que o grupo propõe para o marketing mix atual, entre manutenções e alterações. No caso de um novo produto, o grupo deve definir e montar todo o marketing mix, conforme capítulo 2, em função da segmentação e posicionamento. Segmentação e Mercado-Alvo - Definir e justificar o mercado-alvo do produto. Ver os 6 passos de segmentação e posicionamento de mercado. Produto: - Mudar / manter? Preço: - Mudar / manter? Distribuição: - Mudar / manter?

15 Comunicação: - Mudar / manter? Posicionamento - Mudar / manter? Checagem de consistência das estratégias 1) Esta estratégia está clara para todos que a lerem? 2) Ela é viável? 3) É compatível com os recursos atuais e potenciais? 4) Cria vantagem competitiva? 5) Aproveita oportunidades e minimiza ameaças? 6) Ela potencializa as forças e neutraliza as fraquezas? 7) Ela está circunscrita ao risco definido pela diretoria? 8) Respeita e reforça os princípios e valores da empresa? 9) Respeita a responsabilidade social da empresa? 10) Pode promover o compromisso das pessoas envolvidas? 11) É criativa e inovadora? 12) É coerente com as demais? 14. PLANOS DE AÇÃO OBJETIVO A: ESTRATÉGIA I: Ação AI-1 - Ação AI RESPONSÁVEL NOME / DEPTO DATA LIMITE ESTRATÉGIA II: Ação AII-1 - Ação AII Além da descrição detalhada dos planos de ação, é necessária a apresentação de um cronograma de todas as ações, para facilitar a visualização e o controle do Plano:

16 AÇÃO JAN FEV MA R AI-1 AI-2 ABR MAI JUN JUL AG O SET OUT NO V DEZ 15. ORÇAMENTO Tabela listando detalhadamente todas as despesas para a implementação do Plano. Caso o grupo tenha todas as informações, pode também fazer uma análise financeira do plano de marketing (TIR, VPL, pay-back, ROI etc), efetuando uma análise dos resultados e projeção com e sem o plano. PESQUISA AÇÕES $ % PRODUTO PREÇO DISTRIBUIÇÃO/VENDAS COMUNICAÇÃO TOTAL 16. Revisão e controle Descrever quais serão os indicadores de desempenho que serão utilizados para avaliar o desempenho do plano, no seguinte formato: - KPIs (Key performance indicators) - Como serão medidos o por quem - Com que freqüência serão analisados - Possíveis planos de contingência caso os resultados não aconteçam

17 17. Conclusão e expectativas de sucesso Descrever de forma sucinta uma conclusão para o plano de marketing e as expectativas do grupo para o sucesso do mesmo. 18. Bibliografia - Seguir normas ABNT. 19. Anexos Anexar todas as informações disponíveis e que foram utilizadas para embasar análises, conclusões e propostas, inclusive projeto e resultados das pesquisas de mercado. Observações finais: CONSIDERAÇÕES FINAIS SOBRE O TRABALHO ESCRITO: - Fazer revisão ortográfica. Este item pode penalizar muito a nota do grupo. - Não esquecer de citar todas as fontes de dados utilizados no projeto. - Não esquecer dos índices de tabelas e figuras - O grupo não deve, em hipótese alguma, copiar textos completos de sites ou qualquer outra fonte. Partes/citações são permitidas, desde que citadas as devidas fontes. Isto pode prejudicar a nota do grupo, além de não ser ético. - Não há um limite de páginas, mas o bom senso e a capacidade de síntese também serão avaliados. - Observar as normas ABNT para apresentação da bibliografia. Em caso de dúvida, busquem ajuda na biblioteca da escola. - O presente roteiro deve servir como um guia, sendo adaptado a cada caso; - Não esquecer de fazer o sumário executivo no final. CONSIDERAÇÕES FINAIS SOBRE A APRESENTAÇÃO - Fazer revisão ortográfica na apresentação também. - Discutir com o orientador sobre a postura perante a banca (perguntas, discordâncias etc). - Checar toda a infra-estrutura antes da apresentação. - Atenção ao tempo. Ensaiar a apresentação em local apropriado. - É permitido entregar materiais (peças, cópia da apresentação etc) à banca - Lembrem-se que a banca fará o papel de acionista da empresa e assim deve ser tratada. Um bom trabalho a vocês!!!!!!!!!!!!!!! EM TODOS OS CASOS, JAMAIS ESQUECER: ANTES DAS REGRAS E DOS ESQUEMAS, SEMPRE DESTACAR O BOM SENSO E A CRIATIVIDADE, BUSCANDO A MELHOR SOLUÇÃO, CASO-A-CASO. APOSTANDO NA INOVAÇÃO E NA PERTINÊNCIA / ADEQUAÇÃO. Os casos omissos neste manual deverão ser encaminhados, analisados e resolvidos pela diretoria da unidade, juntamente com o orientador e o coordenador da disciplina.

18 TERMO DE INSCRIÇÃO EMPRESA: PRODUTO: Os alunos abaixo relacionados declaram conhecer as regras apresentadas no programa e no contrato pedagógico da disciplina., de de Membros do grupo (Mínimo 5 e máximo 6 alunos): NOME ASSINATURA Dados cadastrais: 1- NOME TELEFONE

ROTEIRO PLANO DE MKT DIGITAL

ROTEIRO PLANO DE MKT DIGITAL ROTEIRO PLANO DE MKT DIGITAL Este é um roteiro completo, com pontos gerais e específicos. Na elaboração do plano, procure adaptar os tópicos que o compõe, à realidade da empresa-cliente. Priorize a qualidade

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Capacitar o participante a elaborar um plano anual de marketing digital para empresa ou produto ou linha de produtos.

PLANO DE ENSINO. Capacitar o participante a elaborar um plano anual de marketing digital para empresa ou produto ou linha de produtos. CURSO: MBA MARKETING DIGITAL DISCIPLINA: PLANO DE MARKETING DIGITAL PROJETO FINAL Última revisão: ABRIL/2015 Horas-aula - Orientação ao projeto: 30 Horas-aula - Desenvolvimento do projeto: 60 Horas-aula

Leia mais

Plano de Ensino. METODOLOGIA GERAL: Consultorias com o Professor Orientador, pesquisas de campo e reuniões com a empresa e pesquisa bibliográfica.

Plano de Ensino. METODOLOGIA GERAL: Consultorias com o Professor Orientador, pesquisas de campo e reuniões com a empresa e pesquisa bibliográfica. CURSO: MBA em GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DISCIPLINA: PLANO DE TI PROJETO FINAL Última revisão: Junho/2014 Horas-aula - Orientação ao projeto: 30 Horas-aula - Desenvolvimento do projeto: 60 Horas-aula

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Capacitar o participante a elaborar um plano anual de vendas para um produto ou linha de produtos.

PLANO DE ENSINO. Capacitar o participante a elaborar um plano anual de vendas para um produto ou linha de produtos. GRADUAÇÃO CURSOS: MBA Gestão de Vendas DISCIPLINA: PLANO DE VENDAS PROJETO FINAL Coordenador: Quelen Torres Última revisão: Abril/2015 Horas-aula sala de aula: 80 Horas-aula preparação prévia: 40 Eixo:

Leia mais

CURSO: MBA em GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS DISCIPLINA: PLANO DE RH PROJETO FINAL Última revisão: Abril/2015 Horas-aula: 32 Coordenador: Quelen Torres

CURSO: MBA em GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS DISCIPLINA: PLANO DE RH PROJETO FINAL Última revisão: Abril/2015 Horas-aula: 32 Coordenador: Quelen Torres CURSO: MBA em GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS DISCIPLINA: PLANO DE RH PROJETO FINAL Última revisão: Abril/2015 Horas-aula: 32 Coordenador: Quelen Torres OBJETIVO DA DISCIPLINA: PLANO DE ENSINO Ao final desta

Leia mais

Horas-aula Des. do projeto: 60 Horas-aula - preparação prévia: 30 PLANO DE ENSINO

Horas-aula Des. do projeto: 60 Horas-aula - preparação prévia: 30 PLANO DE ENSINO MBA ESPECIALIZAÇÕES CURSOS: MBA GESTÃO EMPREENDEDORA DE NEGÓCIOS DISCIPLINA: BUSINESS PLAN Coordenador: Quelen Torres Horas-aula - Orientação ao projeto: 60 Última revisão: Outubro/2014 Horas-aula Des.

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Professor Âncora: Eliane El Badouy Cecchettini

PLANO DE ENSINO. Professor Âncora: Eliane El Badouy Cecchettini CURSO: GESTÃO DA COMUNICAÇÃO DISCIPLINA: PLANO DE COMUNICAÇÃO Última revisão: ABRIL/2015 Horas-aula - Orientação ao projeto: 30 Horas-aula - Desenvolvimento do projeto: 60 Horas-aula - preparação prévia:

Leia mais

PROJETO MULTIDISCIPLINAR DE COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL - 2013 - PLANO DE COMUNICAÇÃO -

PROJETO MULTIDISCIPLINAR DE COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL - 2013 - PLANO DE COMUNICAÇÃO - PROJETO MULTIDISCIPLINAR DE COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL - 2013 - PLANO DE COMUNICAÇÃO - A estrutura a seguir foi desenvolvida com base no escopo da disciplina de Planejamento Estratégico de Comunicação,

Leia mais

O Trabalho escrito atenderá ao disposto no Manual de Normatização de Projetos Finais da ESAMC.

O Trabalho escrito atenderá ao disposto no Manual de Normatização de Projetos Finais da ESAMC. Plano de Ensino CURSO: MBA Regular - Negócios Internacionais DISCIPLINA: Plano de Internacionalização Banca Final Última revisão: Abril/2015 Horas-aula: Orientação do projeto: 30 Desenvolvimento do projeto:

Leia mais

Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso TCC

Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso TCC Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso TCC Capítulo I Das Condições Gerais 1 O aluno do curso, cuja estrutura curricular contemple o TCC, deve se matricular na disciplina conforme as normas institucionais

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING PROJETO INTEGRADOR

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING PROJETO INTEGRADOR CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING PROJETO INTEGRADOR PROJETO INTEGRADOR 1. INTRODUÇÃO Conforme as diretrizes do Projeto Pedagógico dos Cursos Superiores de Tecnologia da Faculdade Unida de Suzano

Leia mais

REGULAMENTO DO PROJETO EXPERIMENTAL I e II DO CURSO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA

REGULAMENTO DO PROJETO EXPERIMENTAL I e II DO CURSO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA REGULAMENTO DO PROJETO EXPERIMENTAL I e II DO CURSO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA CAPÍTULO I - DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º. O presente Regulamento tem por finalidade normatizar as atividades relacionadas

Leia mais

Fundação Presidente Antônio Carlos - FUPAC Faculdade Presidente Antônio Carlos de Aimorés

Fundação Presidente Antônio Carlos - FUPAC Faculdade Presidente Antônio Carlos de Aimorés REGULAMENTO DOS PROJETOS DE SOFTWARE DA FACULDADE PRESIDENTE ANTONIO CARLOS DE AIMORÉS Regulamenta o desenvolvimento dos Projetos de Software do Curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas

Leia mais

ASSOCIAÇÃO CARUARUENSE DE ENSINO SUPERIOR FACULDADE ASCES

ASSOCIAÇÃO CARUARUENSE DE ENSINO SUPERIOR FACULDADE ASCES DISPOSIÇÕES GERAIS ASSOCIAÇÃO CARUARUENSE DE ENSINO SUPERIOR FACULDADE ASCES REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO MONOGRAFIA Art. 1º. Este regulamento define os procedimentos referentes à elaboração,

Leia mais

PARTE IV Consolidação do Profissional como Consultor. Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc.

PARTE IV Consolidação do Profissional como Consultor. Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc. FATERN Faculdade de Excelência Educacional do RN Coordenação Tecnológica de Redes e Sistemas Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc.

Leia mais

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO REGULAMENTO GERAL DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO REGULAMENTO GERAL DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO REGULAMENTO GERAL DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DA CONCEITUAÇÃO E OBJETIVOS Art. 1º - O Trabalho de Conclusão de Curso

Leia mais

REGULAMENTO DA ATIVIDADE ACADÊMICA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE

REGULAMENTO DA ATIVIDADE ACADÊMICA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE REGULAMENTO DA ATIVIDADE ACADÊMICA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE CAPÍTULO I Da Natureza e dos Objetivos Art. 1. Com base no disposto no Art. 77 do Regulamento da Graduação da Universidade

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PARANÁ. Campus Paranaguá. Credenciada pelo Decreto nº 9538, de 05/12/2013 D.O.E. 05/12/2013

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PARANÁ. Campus Paranaguá. Credenciada pelo Decreto nº 9538, de 05/12/2013 D.O.E. 05/12/2013 REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS 2015. PARTE I DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Art. 1º. O Trabalho de Conclusão de Curso TCC será desenvolvido

Leia mais

Trabalho de Conclusão de Curso - TCC. Graduação em Administração

Trabalho de Conclusão de Curso - TCC. Graduação em Administração Trabalho de Conclusão de Curso - TCC Graduação em Administração Educação Presencial 2011 1 Trabalho de Conclusão de Curso - TCC O curso de Administração visa formar profissionais capacitados tanto para

Leia mais

ROTEIRO DO TRABALHO TIPO DE TRABALHO

ROTEIRO DO TRABALHO TIPO DE TRABALHO CURSO: MBA EXECUTIVO EM GESTÃO FINANCEIRA DISCIPLINA: Plano Financeiro COORDENADOR: Manuela Santin Souza de Stefano Última revisão: Abril/2015 Horas-aula - Orientação ao projeto: 30 Horas-aula - Desenvolvimento

Leia mais

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios UNIMEP MBA em Gestão e Negócios Módulo: Sistemas de Informações Gerenciais Aula 4 TI com foco nos Negócios: Áreas envolvidas (Parte II) Flávio I. Callegari www.flaviocallegari.pro.br O perfil do profissional

Leia mais

REGULAMENTAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

REGULAMENTAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO REGULAMENTAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Resolução 012/2010 da Pró-Reitoria de Graduação CAPÍTULO I - DO CONCEITO Art. 1º - O Trabalho de Conclusão de Curso

Leia mais

FACULDADE DO GUARUJÁ

FACULDADE DO GUARUJÁ FACULDADE DO GUARUJÁ INSTRUÇÃO NORMATIVA N.º 01/2011 REGULAMENTO DE TCC TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO NORMAS GERAIS Artigo 1º - O Trabalho de Conclusão de Curso TCC constitui-se em pré-requisito para

Leia mais

REGULAMENTO PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE GRADUAÇÃO DE TECNOLOGIA EM LOGÍSTICA

REGULAMENTO PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE GRADUAÇÃO DE TECNOLOGIA EM LOGÍSTICA Faculdade de Tecnologia de Americana Curso Superior de Tecnologia em Logística REGULAMENTO PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE GRADUAÇÃO DE TECNOLOGIA EM LOGÍSTICA Americana, SP 2015 SUMÁRIO 1 SOBRE O TRABALHO

Leia mais

Aula 13. Roteiro do Plano de Marketing. Profa. Daniela Cartoni

Aula 13. Roteiro do Plano de Marketing. Profa. Daniela Cartoni Aula 13 Roteiro do Plano de Marketing Profa. Daniela Cartoni Plano de Marketing: Estrutura Capa ou folha de rosto 1. Sumário Executivo 2. Situação atual de marketing 3. Análise de oportunidades 4. Objetivos

Leia mais

FDG FACULDADE DE DIREITO DE GARANHUNS REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

FDG FACULDADE DE DIREITO DE GARANHUNS REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO 1 FDG FACULDADE DE DIREITO DE GARANHUNS REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CAPÍTULO I DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO, SEUS OBJETIVOS E ESTRUTURA Art. 1º Por Trabalho de Conclusão do Curso

Leia mais

REGULAMENTO DA MONOGRAFIA. Capítulo I Da Origem e Finalidade

REGULAMENTO DA MONOGRAFIA. Capítulo I Da Origem e Finalidade REGULAMENTO DA MONOGRAFIA Capítulo I Da Origem e Finalidade Art. 1º. A monografia é exigida nos cursos de pós-graduação lato sensu, conforme resolução nº 1 de 3 de abril de 2001 do CNE/CES (Conselho Nacional

Leia mais

Regulamento de TCC do curso de Fisioterapia

Regulamento de TCC do curso de Fisioterapia Regulamento de TCC do curso de Fisioterapia A atividade de trabalho de conclusão de curso é desenvolvida em área escolhida pelo aluno, sob a orientação professor (es) orientador(es). O aluno descreverá

Leia mais

R E G U L A M E N T O da M O N O G R A F I A

R E G U L A M E N T O da M O N O G R A F I A COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA - C E C - R E G U L A M E N T O da M O N O G R A F I A Pró-Reitoria de Educação Superior e Educação Continuada 2013 1 UNIVERSIDADE DO VALE DO PARAÍBA UNIVAP PRÓ-REITORIA

Leia mais

NORMAS ESPECÍFICAS DO TFG DO CURSO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA

NORMAS ESPECÍFICAS DO TFG DO CURSO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA NORMAS ESPECÍFICAS DO TFG DO CURSO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA Art. 1º - Este regulamento disciplina o processo de elaboração, apresentação e avaliação do Trabalho Final de Graduação (TFG) do curso de

Leia mais

FACULDADE PATOS DE MINAS TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO INSTRUÇÕES PARA ORIENTADORES E ORIENTADOS

FACULDADE PATOS DE MINAS TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO INSTRUÇÕES PARA ORIENTADORES E ORIENTADOS INSTRUÇÕES PARA ORIENTADORES E ORIENTADOS Seguem abaixo informações fundamentais que devem orientar a realização do TCC (Trabalho de Conclusão de Curso) que será feito individualmente e em forma MONOGRAFIA

Leia mais

Curso de Engenharia de Computação Regulamento dos Trabalhos de Conclusão de Curso

Curso de Engenharia de Computação Regulamento dos Trabalhos de Conclusão de Curso 1 Centro Universitário de Araraquara UNIARA Departamento de Ciências da Administração e Tecnologia Curso de Engenharia de Computação Regulamento dos Trabalhos de Conclusão de Curso Capítulo I Das disposições

Leia mais

CURSO DE DIREITO REGULAMENTO PARA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC ESPECÍFICO PARA O CURSO DE DIREITO

CURSO DE DIREITO REGULAMENTO PARA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC ESPECÍFICO PARA O CURSO DE DIREITO CURSO DE DIREITO REGULAMENTO PARA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC ESPECÍFICO PARA O CURSO DE DIREITO 2 DISPOSIÇÕES PRELIMINARES ART. 1 - O presente Regulamento tem por finalidade normatizar as atividades

Leia mais

REGULAMENTO PARA ELABORAÇÃO, APRESENTAÇÃO E AVALIAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO PARA ELABORAÇÃO, APRESENTAÇÃO E AVALIAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO PARA ELABORAÇÃO, APRESENTAÇÃO E AVALIAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O Trabalho de Conclusão de Curso TCC constitui-se atividade

Leia mais

NORMAS PARA REALIZAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA.

NORMAS PARA REALIZAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CURSO DE GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA COORDENAÇÃO DE TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) NORMAS PARA REALIZAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE GRADUAÇÃO EM

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO MANUAL DE ORIENTAÇÃO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO MANUAL DE ORIENTAÇÃO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO MANUAL DE ORIENTAÇÃO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO A partir do 5º ciclo Arujá - SP 2013 1 SUMÁRIO Apresentação..... 2 1. Objetivo Geral do Estágio Supervisionado.... 3 2. Como o Estágio

Leia mais

APRESENTAÇÃO MANUAL E REGULAMENTO DE MONOGRAFIA DO CURSO DE DIREITO AINDA SUJEITO À APROVAÇÃO DO CONSEPE.

APRESENTAÇÃO MANUAL E REGULAMENTO DE MONOGRAFIA DO CURSO DE DIREITO AINDA SUJEITO À APROVAÇÃO DO CONSEPE. APRESENTAÇÃO MANUAL E REGULAMENTO DE MONOGRAFIA DO CURSO DE DIREITO AINDA SUJEITO À APROVAÇÃO DO CONSEPE. A UNISA UNIVERSIDADE CIDADE DE SANTO AMARO, a fim de propiciar aos acadêmicos de Direito os meios

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA CÉSAR LATTES Rua Marco Aurélio Gatti, nº 59 Vila Santa

FACULDADE DE TECNOLOGIA CÉSAR LATTES Rua Marco Aurélio Gatti, nº 59 Vila Santa Terezinha, Itu/SP FACULDADE DE TECNOLOGIA CÉSAR LATTES Rua Marco Aurélio Gatti, nº 59 Vila Santa Terezinha, Itu/SP FACULDADE DE TECNOLOGIA CÉSAR LATTES Rua Marco Aurélio Gatti, nº 59 Vila Santa Manual

Leia mais

Plano de marketing Um roteiro para a ação

Plano de marketing Um roteiro para a ação Plano de marketing Um roteiro para a ação 1. Planejar, planejar, planejar 2. Planejamento de marketing e plano de marketing 3. Processo de elaboração e roteiro do plano de marketing 4. Detalhamento do

Leia mais

Manual de orientação para o PROJETO INTEGRADOR DE PESQUISA - (PIP)

Manual de orientação para o PROJETO INTEGRADOR DE PESQUISA - (PIP) Manual de orientação para o PROJETO INTEGRADOR DE PESQUISA - (PIP) Manual de orientação para o PROJETO INTEGRADOR DE PESQUISA (PIP) Itu/SP 2013 SUMÁRIO 1) INTRODUÇÃO...04 A) Etapa 1: Proposta...05 B) Etapa

Leia mais

Art. 2º - Esta Instrução Normativa entra em vigor na data de sua publicação. Professora Sandra Denise Kruger Alves Chefe do DEC

Art. 2º - Esta Instrução Normativa entra em vigor na data de sua publicação. Professora Sandra Denise Kruger Alves Chefe do DEC RESOLUÇÃO DEC No 01/2013 Fixa normas para Elaboração e Apresentação dos Trabalhos de Conclusão do Curso de Graduação em Engenharia Civil. A Chefia do Departamento do Curso de Engenharia Civil, no uso de

Leia mais

Orientações Gerais para as Disciplinas de Trabalho de Conclusão do Cursos de Sistemas para Internet IFRS - Câmpus Porto Alegre

Orientações Gerais para as Disciplinas de Trabalho de Conclusão do Cursos de Sistemas para Internet IFRS - Câmpus Porto Alegre Orientações Gerais para as Disciplinas de Trabalho de Conclusão do Cursos de Sistemas para Internet IFRS - Câmpus Porto Alegre Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul -

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO EURÍPIDES DE MARÍLIA UNIVEM Mantido pela Fundação de Ensino Eurípides Soares Da Rocha

CENTRO UNIVERSITÁRIO EURÍPIDES DE MARÍLIA UNIVEM Mantido pela Fundação de Ensino Eurípides Soares Da Rocha REGULAMENTO DO TRABALHO DE CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO Art. 1º - Este regulamento fixa as normas para o Trabalho de Curso (TC) do Curso de Graduação em Direito do Centro Universitário Eurípides de Marília

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO DA MONOGRAFIA JURÍDICA DO CURSO DE DIREITO

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO DA MONOGRAFIA JURÍDICA DO CURSO DE DIREITO REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO DA MONOGRAFIA JURÍDICA DO CURSO DE DIREITO ÍNDICE TÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO, FINALIDADE E OBJETIVO TÍTULO II DA ORGANIZAÇÃO CAPÍTULO I - DA COORDENAÇÃO CAPÍTULO II -

Leia mais

CURSO: DIREITO MANUAL DE ORIENTAÇÃO DO PROJETO INTERDISCIPLINAR. TEMA: (definido pela coordenação de pesquisa) SUBTEMA (escolha do grupo)

CURSO: DIREITO MANUAL DE ORIENTAÇÃO DO PROJETO INTERDISCIPLINAR. TEMA: (definido pela coordenação de pesquisa) SUBTEMA (escolha do grupo) CURSO: DIREITO MANUAL DE ORIENTAÇÃO DO PROJETO INTERDISCIPLINAR TEMA: (definido pela coordenação de pesquisa) SUBTEMA (escolha do grupo) Coordenador de Pesquisa: Prof. Charley Teixeira Chaves Piumhi, Agosto

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º. Este Regulamento estabelece as regras e os procedimentos para

Leia mais

FACULDADE SETE DE SETEMBRO COMUNICAÇÃO SOCIAL JORNALISMO/PUBLICIDADE E PROPAGANDA COORDENAÇÃO DE TCC

FACULDADE SETE DE SETEMBRO COMUNICAÇÃO SOCIAL JORNALISMO/PUBLICIDADE E PROPAGANDA COORDENAÇÃO DE TCC REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art.1º. Este regulamento disciplina o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) de Comunicação Social (Cursos de Jornalismo

Leia mais

Regulamentação para Trabalho de Conclusão de Curso - TCC

Regulamentação para Trabalho de Conclusão de Curso - TCC Regulamentação para Trabalho de Conclusão de Curso - TCC Material elaborado pelo corpo docente da EBRAMEC / CIEFATO Para os cursos da Escola Brasileira de Medicina Chinesa Direção Geral: Reginaldo de Carvalho

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DA FACULDADES GAMMON

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DA FACULDADES GAMMON REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DA FACULDADES GAMMON 2 O presente Regulamento tem por finalidade normatizar as atividades relacionadas com o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) da

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO FINANCEIRA PROJETO INTEGRADOR. Suzano

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO FINANCEIRA PROJETO INTEGRADOR. Suzano CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO FINANCEIRA PROJETO INTEGRADOR Suzano PROJETO INTEGRADOR 1. Introdução O mercado atual de trabalho exige dos profissionais a capacidade de aplicar os conhecimentos

Leia mais

REGULAMENTO DE MONOGRAFIA

REGULAMENTO DE MONOGRAFIA REGULAMENTO DE MONOGRAFIA Lavras - 2010 Regulamento de Monografia CAPÍTULO I DA ORIGEM E FINALIDADE Art. 1º - Este regulamento disciplina a apresentação, depósito e a avaliação da Monografia de conclusão

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO BELAS ARTES DE SAO PAULO PECC - PROJETO EXPERIMENTAL DE CONCLUSÃO DE CURSO

CENTRO UNIVERSITÁRIO BELAS ARTES DE SAO PAULO PECC - PROJETO EXPERIMENTAL DE CONCLUSÃO DE CURSO CENTRO UNIVERSITÁRIO BELAS ARTES DE SAO PAULO PECC - PROJETO EXPERIMENTAL DE CONCLUSÃO DE CURSO São Paulo 2007 O PECC Denomina-se Projeto Experimental de Conclusão de Curso (PECC), a produção, realizada

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL I INTRODUÇÃO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL I INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL I INTRODUÇÃO O estágio curricular do curso de Serviço Social é uma atividade obrigatória, em consonância com as Diretrizes Curriculares Nacionais

Leia mais

REGULAMENTO DA MONOGRAFIA FINAL DA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DAS FACULDADES INTEGRADAS DE VITÓRIA

REGULAMENTO DA MONOGRAFIA FINAL DA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DAS FACULDADES INTEGRADAS DE VITÓRIA REGULAMENTO DA MONOGRAFIA FINAL DA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DAS FACULDADES INTEGRADAS DE VITÓRIA Este regulamento normatiza as atividades relacionadas com o Projeto de Monografia e a Monografia Final da

Leia mais

FAZER ESTES ITENS NO FINAL, QUANDO O TRABALHO ESTIVER PRONTO

FAZER ESTES ITENS NO FINAL, QUANDO O TRABALHO ESTIVER PRONTO 1. CAPA 2. SUMÁRIO 3. INTRODUÇÃO FAZER ESTES ITENS NO FINAL, QUANDO O TRABALHO ESTIVER PRONTO 4. DESCRIÇÃO DA EMPRESA E DO SERVIÇO 4.1 Descrever sua Visão, VISÃO DA EMPRESA COMO VOCÊS IMAGINAM A EMPRESA

Leia mais

REGULAMENTO DA DISCIPLINA ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS SUPERIORESDE GRADUAÇÃO DO CEFET-PR. Capítulo I DO ESTÁGIO E SUAS FINALIDADES

REGULAMENTO DA DISCIPLINA ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS SUPERIORESDE GRADUAÇÃO DO CEFET-PR. Capítulo I DO ESTÁGIO E SUAS FINALIDADES REGULAMENTO DA DISCIPLINA ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS SUPERIORESDE GRADUAÇÃO DO CEFET-PR Capítulo I DO ESTÁGIO E SUAS FINALIDADES Art. 1º - O Estágio Curricular, baseado na lei nº 6.494,

Leia mais

ROTEIRO PARA TREINAMENTO DO SAGRES DIÁRIO Guia do Docente

ROTEIRO PARA TREINAMENTO DO SAGRES DIÁRIO Guia do Docente Conceito ROTEIRO PARA TREINAMENTO DO SAGRES DIÁRIO Guia do Docente O Sagres Diário é uma ferramenta que disponibiliza rotinas que facilitam a comunicação entre a comunidade Docente e Discente de uma instituição,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E DE TURISMO Departamento de Administração

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E DE TURISMO Departamento de Administração MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E DE TURISMO Departamento de Administração PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU GESTÃO ESTRATÉGICA DE

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO E TCC I E II PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE CAPIVARI (FUCAP)

REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO E TCC I E II PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE CAPIVARI (FUCAP) REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO E TCC I E II PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE CAPIVARI (FUCAP) Dezembro de 2012 Dispõe sobre o Regulamento Geral dos Estágios da Faculdade Capivari,

Leia mais

REGULAMENTO TCC DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO: BACHARELADO e LICENCIATURA DA FACULDADE SÃO SEBASTIÃO

REGULAMENTO TCC DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO: BACHARELADO e LICENCIATURA DA FACULDADE SÃO SEBASTIÃO 1 REGULAMENTO TCC DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO: BACHARELADO e LICENCIATURA DA FACULDADE SÃO SEBASTIÃO 2015 2 SUMÁRIO REGULAMENTO PARA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO... 3 CAPÍTULO I GENERALIZAÇÕES... 3 CAPÍTULO

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DO CESUBE

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DO CESUBE REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DO CESUBE Considerando o significado e a importância do Estágio como parte fundamental da formação profissional, define-se

Leia mais

DO PROJETO DE MONOGRAFIA. Art. 2º. A elaboração da monografia deverá ser precedida de elaboração e aprovação de projeto de monografia.

DO PROJETO DE MONOGRAFIA. Art. 2º. A elaboração da monografia deverá ser precedida de elaboração e aprovação de projeto de monografia. Art. 1º. Este regulamento é aplicável aos cursos que em seu projeto definiram a monografia como trabalho final, conforme previsto no Regimento Interno do Instituto Superior do Ministério Público ISMP.

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 004/2011, DE 11 DE AGOSTO DE 2011.

RESOLUÇÃO Nº 004/2011, DE 11 DE AGOSTO DE 2011. RESOLUÇÃO Nº 004/2011, DE 11 DE AGOSTO DE 2011. Aprova o Manual de Procedimentos para o Projeto Integrador do Curso Superior de Tecnologia em Marketing, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia

Leia mais

Etec Paulino Botelho Rua Marechal Deodoro 3183 Vila Nery São Carlos SP (16) 3371 1027 -www.etepb.com.br. Plano de Trabalho Docente 2ºsem / 2015

Etec Paulino Botelho Rua Marechal Deodoro 3183 Vila Nery São Carlos SP (16) 3371 1027 -www.etepb.com.br. Plano de Trabalho Docente 2ºsem / 2015 Plano de Trabalho Docente 2ºsem / 2015 Ensino Técnico Etec Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de Técnico

Leia mais

REGIMENTO INTERNO PARA ELABORAÇÃO, APRESENTAÇÃO E APROVAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

REGIMENTO INTERNO PARA ELABORAÇÃO, APRESENTAÇÃO E APROVAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO REGIMENTO INTERNO PARA ELABORAÇÃO, APRESENTAÇÃO E APROVAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO 2013 1 REGIMENTO INTERNO PARA ELABORAÇÃO, APRESENTAÇÃO E APROVAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Apresentação:

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º- O presente Regulamento tem por finalidade normatizar as atividades relacionadas

Leia mais

F A C U L D A D E N A Z A R E N A D O B R A S I L REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO B A C H A R E L A D O E M T E O L O G I A

F A C U L D A D E N A Z A R E N A D O B R A S I L REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO B A C H A R E L A D O E M T E O L O G I A F A C U L D A D E N A Z A R E N A D O B R A S I L REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO B A C H A R E L A D O E M T E O L O G I A 2 CAPÍTULO I DA NATUREZA Art. 1º O Trabalho de Conclusão de Curso

Leia mais

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC REGULAMENTO

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC REGULAMENTO 1 TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC REGULAMENTO São Paulo 2015 1 2 Diretor da Faculdade de Administração Prof. Silvio Passarelli Coordenação Prof. Ms. Fernando Limongeli Gurgueira Prof Luiz Eduardo de

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FACULDADE UNIDA DE SUZANO UNISUZ

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FACULDADE UNIDA DE SUZANO UNISUZ REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FACULDADE UNIDA DE SUZANO UNISUZ O Trabalho de Conclusão de Curso - TCC é atividade obrigatória para os alunos concluintes do Curso de Pedagogia

Leia mais

MBA em Marketing Estratégico

MBA em Marketing Estratégico MBA em Marketing Estratégico Público - alvo O MBA em Marketing Estratégico é indicado para profissionais com experiência profissional mínima de três anos, com formação universitária em qualquer área e

Leia mais

REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO

REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO FACULDADE DE INFORMÁTICA CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Aprovado na 22ª reunião do Conselho de Unidade (CONSUN) da Faculdade de Informática realizada dia 30 de

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º. Este Regulamento estabelece as normas relativas às disciplinas Trabalho de Conclusão de Curso I (TCC

Leia mais

FACULDADE CAMPO REAL CURSO DE NUTRIÇÃO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

FACULDADE CAMPO REAL CURSO DE NUTRIÇÃO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO FACULDADE CAMPO REAL CURSO DE NUTRIÇÃO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Caracterização A elaboração do Trabalho de Curso fundamenta-se nas Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Nutrição,

Leia mais

GUIA PARA REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO E TCC - LOGÍSTICA

GUIA PARA REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO E TCC - LOGÍSTICA GUIA PARA REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO E TCC - LOGÍSTICA Este guia é um resumo das normas sobre Estágio e Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) contidos no Projeto Pedagógico do Curso Superior de Tecnologia em

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DO CURSO DE FARMÁCIA

REGULAMENTO ESPECÍFICO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DO CURSO DE FARMÁCIA REGULAMENTO ESPECÍFICO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DO CURSO DE FARMÁCIA Resolução 003/2007 da Pró-Reitoria de Graduação CAPÍTULO I - DO CONCEITO Art. 1º - O Trabalho de Conclusão de Curso -

Leia mais

Balanced Scorecard. Planejamento Estratégico através do. Curso e- Learning

Balanced Scorecard. Planejamento Estratégico através do. Curso e- Learning Curso e- Learning Planejamento Estratégico através do Balanced Scorecard Todos os direitos de cópia reservados. Não é permitida a distribuição física ou eletrônica deste material sem a permissão expressa

Leia mais

MBA em Marketing Estratégico

MBA em Marketing Estratégico MBA em Marketing Estratégico Público - alvo O MBA em Marketing Estratégico é indicado para profissionais com experiência profissional mínima de três anos, com formação universitária em qualquer área e

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

FACULDADES EST - PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM TEOLOGIA MESTRADO PROFISSIONAL EM TEOLOGIA ORIENTAÇÕES PARA BANCAS DE DEFESA

FACULDADES EST - PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM TEOLOGIA MESTRADO PROFISSIONAL EM TEOLOGIA ORIENTAÇÕES PARA BANCAS DE DEFESA FACULDADES EST - PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM TEOLOGIA MESTRADO PROFISSIONAL EM TEOLOGIA ORIENTAÇÕES PARA BANCAS DE DEFESA 1. Prazos Os prazos para entrega de Trabalho Final encerram em 30 de maio (1º

Leia mais

FACULDADE BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO E CULTURA FABEC BRASIL REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

FACULDADE BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO E CULTURA FABEC BRASIL REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO FABEC BRASIL REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Artigo 1º - O presente regulamento tem por finalidade normatizar as atividades relacionadas ao Trabalho

Leia mais

AGES FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS NÚCLEO DE TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO

AGES FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS NÚCLEO DE TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO AGES FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS NÚCLEO DE TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO MANUAL DE NORMATIZAÇÃO CONFORME RESOLUÇÃO 001/2010: elaboração, apresentação e avaliação de TCC PARIPIRANGA 2010 AGES

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS CURSO DE PSICOLOGIA UNIDADE SÃO GABRIEL

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS CURSO DE PSICOLOGIA UNIDADE SÃO GABRIEL 1 PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS CURSO DE PSICOLOGIA UNIDADE SÃO GABRIEL DIRETRIZES PARA O PROCESSO DE AVALIAÇÃO DAS DISCIPLINAS DE ORIENTAÇÃO DE MONOGRAFIA I E II Considerando os problemas

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO - NORMAS PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC I e II

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO - NORMAS PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC I e II CURSO DE ADMINISTRAÇÃO - NORMAS PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC I e II Santa Maria, RS, Brasil 2015 Conforme Processo Nº 253/2015, aprovado pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão

Leia mais

REGULAMENTO PROJETO EXPERIMENTAL/ TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO PR/ TCC CINEMA E AUDIOVISUAL

REGULAMENTO PROJETO EXPERIMENTAL/ TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO PR/ TCC CINEMA E AUDIOVISUAL REGULAMENTO PROJETO EXPERIMENTAL/ TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO PR/ TCC CINEMA E AUDIOVISUAL 1 - Os alunos regularmente matriculados no último ciclo do curso de Cinema e Audiovisual do Centro Universitário

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS Roteiro

PLANO DE NEGÓCIOS Roteiro Anexo 3 PLANO DE NEGÓCIOS Roteiro 1. Capa 2. Sumário 3. Sumário executivo 4. Descrição da empresa 5. Planejamento Estratégico do negócio 6. Produtos e Serviços 7. Análise de Mercado 8. Plano de Marketing

Leia mais

REGULAMENTO PARA A REALIZAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

REGULAMENTO PARA A REALIZAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Página 1 de 10 REGULAMENTO PARA A REALIZAÇÃO DO OURINHOS SP 2009/2 Página 2 de 10 1 INTRODUÇÃO A necessidade de se elaborar e apresentar um trabalho de caráter científico no final do curso faz parte do

Leia mais

FACULDADES UNIDAS DO VALE DO ARAGUAIA

FACULDADES UNIDAS DO VALE DO ARAGUAIA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC O Trabalho de Conclusão de Curso está estruturado sob a forma de elaboração de um artigo científico, sendo este resultado de um trabalho integrado entre as disciplinas

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DA FGV DIREITO RIO. Capítulo I OBJETIVOS E ATRIBUTOS

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DA FGV DIREITO RIO. Capítulo I OBJETIVOS E ATRIBUTOS REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DA FGV DIREITO RIO Capítulo I OBJETIVOS E ATRIBUTOS Art. 1º - O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) é um componente curricular obrigatório (RESOLUÇÃO CNE/CES

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS DE CASSILÂNDIA - FIC PÓS GRADUAÇÃO Lato sensu

FACULDADES INTEGRADAS DE CASSILÂNDIA - FIC PÓS GRADUAÇÃO Lato sensu FACULDADES INTEGRADAS DE CASSILÂNDIA - FIC PÓS GRADUAÇÃO Lato sensu MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA EXECUÇÃO DA MONOGRAFIA DOS CURSOS DE PÓS GRADUAÇÃO Lato sensu DA FIC Cassilândia - 2010 APRESENTAÇÃO Este

Leia mais

Univap Universidade do Vale do Paraíba

Univap Universidade do Vale do Paraíba Univap Universidade do Vale do Paraíba Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas e Comunicação FCSAC Curso de Rádio e TV Manual de Trabalho de Conclusão de Curso 2013 TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO Os trabalhos

Leia mais

GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES. Departamento de Ciências Exatas e Gerenciais

GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES. Departamento de Ciências Exatas e Gerenciais DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS E GERENCIAIS 2012 GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES Departamento de Ciências Exatas e Gerenciais CURSOS ADMINISTRAÇÃO CIÊNCIAS ATUARIAIS CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO CIÊNCIAS

Leia mais

Instituto de Economia. Curso de Graduação Bacharelado em Relações Internacionais. Regulamento para Monografia

Instituto de Economia. Curso de Graduação Bacharelado em Relações Internacionais. Regulamento para Monografia CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente regulamento visa normatizar as atividades relacionadas a Trabalho de Conclusão do Curso (TCC) de Graduação - Bacharelado em Relações Internacionais

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 03/2009, DE 5 DE JANEIRO DE 2009

RESOLUÇÃO Nº 03/2009, DE 5 DE JANEIRO DE 2009 RESOLUÇÃO Nº 03/2009, DE 5 DE JANEIRO DE 2009 Altera o Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso - TCC do Curso de Economia, na forma do Anexo. O Reitor da Universidade Regional de Blumenau, no uso

Leia mais

TCC 2013.1 _ PREMISSAS TCC 2012.2

TCC 2013.1 _ PREMISSAS TCC 2012.2 TCC 2013.1 _ PREMISSAS TCC 2012.2 SUMÁRIO _ Definição _ Abrangência _ Linhas _ Estruturação básica - Projetos de Comunicação - Cenários de Comunicação _ Equipes - Projetos de Comunicação - Cenários de

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL Faculdade de Ciências Biomédicas de Cacoal CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL Cacoal RO REGULAMENTO DE ESTÁGIOS

Leia mais

REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC DA FACULDADE ARTHUR THOMAS CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CAPÍTULO I DA NATUREZA E OBJETIVOS

REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC DA FACULDADE ARTHUR THOMAS CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CAPÍTULO I DA NATUREZA E OBJETIVOS REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC DA FACULDADE ARTHUR THOMAS CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CAPÍTULO I DA NATUREZA E OBJETIVOS Art. 1º. O Trabalho de Conclusão de Curso TCC constitui-se numa atividade

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) ITAPERUNA RJ 2010 NORMAS PARA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO I. OBJETIVOS a. GERAL: Permitir que o aluno reúna as condições satisfatórias

Leia mais

CENTRO TECNOLÓGICO UFES COLEGIADO DO CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTAL NORMAS PARA O PROJETO DE GRADUAÇÃO

CENTRO TECNOLÓGICO UFES COLEGIADO DO CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTAL NORMAS PARA O PROJETO DE GRADUAÇÃO CENTRO TECNOLÓGICO UFES COLEGIADO DO CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTAL NORMAS PARA O PROJETO DE GRADUAÇÃO O Colegiado do Curso de Engenharia Ambiental, em reunião de 26 de agosto de 2011, RESOLVE: Aprovar

Leia mais

Ações de Adaptação de Comunidades e seus Ecossistemas aos Eventos Climáticos

Ações de Adaptação de Comunidades e seus Ecossistemas aos Eventos Climáticos PROCESSO SELETIVO 2011 Ações de Adaptação de Comunidades e seus Ecossistemas aos Eventos Climáticos REGULAMENTO Prezado Gestor, Criado em 2006, o Instituto HSBC Solidariedade é responsável por gerenciar

Leia mais

PRÊMIO IEL/CE- MELHORES PRÁTICAS DE ESTÁGIO/2013 REGULAMENTO

PRÊMIO IEL/CE- MELHORES PRÁTICAS DE ESTÁGIO/2013 REGULAMENTO PRÊMIO IEL/CE- MELHORES PRÁTICAS DE ESTÁGIO/2013 REGULAMENTO 2013 Prêmio IEL/CE- Melhores Práticas de Estágio 2013 1 de 16 Sumário 1. O PRÊMIO...2 2. OBJETIVOS...3 3. CATEGORIAS DA PREMIAÇÃO...3 4. FASES

Leia mais