Philippe Grandjean ( )

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Philippe Grandjean (1666-1714)"

Transcrição

1 Philippe Grandjean ( ) Nascido na cidade de Mâcon, em 1666, Grandjean foi gravador de punções e conservador da Fonderie Royale. Destacou-se pela criação da Roman du Roi. Os caracteres gravados por Grandjean foram utilizados pela primeira vez em 1702, em Paris. A Roman du Roi teve o seu uso restrito à Imprimerie Royale, mas influenciou a fundição de tipos comerciais. Os tipos desenhados por Philippe Grandjean romperam com a tradição dos caracteres criados por Jenson, Griffo e Garamond e abriram caminho para caracteres muito diferentes, baseados em construções rigorosas, nos quais passa a existir um contraste muito mais acentuado entre as hastes grossas e finas. O Grandjean ou Romain du roi, de certa maneira a primeira das Didones, foi o único tipo usado na Imprimerie Royale até Foram gravados 21 corpos entre 1693 et 1745.

2 Philippe Grandjean ( ) No século XVI, em plena Renascença, a melhor tipografia europeia vinha de França, mas já no fim do século a herança de Claude Garamond e Jannon entrou em declínio. Para ressuscitar o esplendor francês, foi fundada em 1640 a Imprimerie Royale por decreto real. No reinado do monarca absolutista Louis XIV, uma comissão real composta por dez especialistas investigou e debateu, a partir do ano de 1692, um tipo totalmente novo: o de Philippe Grandjean aprovado em Grandjean morre em 1714, em Paris. O Romain du roi, o mais belo de todos os tipos, é baseado em conceitos matemáticos, construído sobre uma malha ortogonal, rígida e já não tinha afinidade com os padrões caligráficos de outrora.

3 Grandes tipógrafos Caslon I William Caslon I Inglaterra * Designer de tipos Puncionista Impressor Editor Adobe Caslon Pro, Carol Twombly, 1990 (1725) NARDI, Curso de Identidade Visual 0 2 6

4 William Caslon I ( ) William Caslon I nasceu em Cradley, Worcestershire, no ano de Aprendeu em Londres o ofício de gravador de espingardas e de toolmaker. Na capital montou o seu negócio em 1716, e mais tarde tornou-se gravador e fornecedor de punções e ferramentas para os encadernadores de livros. Caslon teinha um ótimo tino para o marketing dos seus produtos e montou em 1720 a sua fundição ao lado da Oxford University Press. Caslon, artesão de qualidade e artista de talento, foi também um bom homem de negócios. Estas qualidades garantiram seu sucesso profissional e comercial. Foi o fundador do typeface founting britânico.

5 William Caslon I ( ) Os vários tipos de Caslon que apareceram em 1722 eram fáceis de ler e de desenho simples, e rapidamente se popularizaram no Reino Unido e nas colónias americanas. O desenho de tipos de Caslon inspirava-se nos desenhos holandeses. O forte do typeface design de Caslon não estava na habilidade de criar formas de letras perfeitas, mas em criar tipos robustos. Assim como Shakespeare deu à Inglaterra um teatro nacional, Caslon deu ao país um tipo nacional Haley, Alan. History of Type.

6 William Caslon I ( ) No início do século XVIII, os impressores ingleses compravam e utilizavam as fontes holandesas, pois a manufactura de tipos na Inglaterra era insignificante. Durante o século XVII, os tipos holandeses chamados hoje Old Style preponderaram na Europa, mas no final do século, cerca de 1692, Philippe Grandjean, gravador de punções francês, criou o tipo Roman du Roi. Caslon 540, Kingsley para ATF. Distribuida pela Bistream.

7 William Caslon I ( ) Em pouco tempo, a Caslon Letter-Foundry tornouse a mais importante fornecedora de tipos para a maioria dos impressores de qualidade em ambos os continentes (a Declaração de Independência dos EUA viria a ser composta com tipos Caslon em 1776). Em apenas dez anos, Caslon tornara-se o principal fundidor de tipos de metal em Londres. Caslon lucrou com o seu negócio de tipos; a sua Letter-Foundry estava organizada para produzir em série, com uma divisão de tarefas específica trabalhando de modo industrial, portanto.

8 William Caslon I ( ) Em 1727 Caslon teve de mudar sua oficina tipográfica para um prédio maior. Nesse ano o monarca George II agraciou-lhe com um posto de Juiz de Paz. Caslon publicou em 1734 um mostruário com 38 fontes, as quais incluíam 7 Titlings, de 16 até 60 pontos; 14 Romans e Italicks, de minúsculos 5 até 48 pontos, 2 Saxon e 2 Blackletter, além de Armenian, Coptic, Gothic, Samaritan, Syriac, Arabic, Hebrew, Greek e seis variantes de Flowers & Borders. 35 das 38 fontes mostradas tinham sido gravadas por Caslon. William Caslon I morreu em Caslon I e os três descendentes da sua estirpe (W. Caslon II, III e IV) criaram uma tradição de tipos funcionais que continuou até aos tempos da Times New Roman.

9 Grandes tipógrafos Baskerville John Baskerville Inglaterra * Designer de tipos Fundidor de tipos Impressor Entalhador de pedra ITC New Baskerville, Equipe Linotype, 1978 (1757) NARDI, Curso de Identidade Visual 0 2 6

10 John Baskerville ( ) John Baskerville nasceu em 1706 em Sion Hill, Worcester. Por volta de 1723, já trabalhava como professor de caligrafia e gravador de lápides. No ano de 1740 iniciou em Birmingham um negócio de lacas e vernizes empresa que o tornou abastado. Mas foi só em 1750 que começou a fazer experiências com a fabricação de papel, a elaboração de tintas, a fundição de tipos e a impressão uma espécie de hobby, que cada vez mais o fascinava (e mais lhe pesava no bolso). Em 1754, John Baskerville, já com uns avançados 48 anos de idade, desenhou o seu primeiro tipo, sendo as punções gravados por John Handy, artesão com o qual trabalhou 28 anos.

11 John Baskerville ( ) Em 1577, a sua primeira obra impressa, a Bucolica do poeta romano Virgílio, em formato inquarto, causou sensação na Europa. Em 1758, Baskerville é nomeado impressor oficial da Universidade de Cambridge, onde publica, em 1763, a sua obra-mestra tipográfica, uma Bíblia in-folio, impressa com os seus próprios tipos, tinta e papel. É curioso o fato de o ateu convicto Baskerville ter impresso a mais famosa das edições inglesas da Bíblia. Os livros impressos por JB eram caros, direcionados à elite. Para obter uma tiragem de exemplares, imprimia afim de selecionar folhas de cor perfeitamente uniforme. Usava os tipos móveis que fundia uma única vez.

12 John Baskerville ( ) Nas suas edições, John Baskerville usava poucos elementos decorativos, e esta tendência sóbria influenciou profundamente a evolução do design editorial, tanto nas Ilhas Britânicas, como no Continente. A paginação praticada foi radicalmente diferente. Baskerville usou nos seus layouts espaços entre linhas bem abertos e páginas com margens extremamente generosas. Ele ultrapassou a opulenta ornamentação tipográfica que então estava em moda. Elegeu a simplicidade e sobriedade, tanto na feitura dos seus tipos, como nas suas edições. As páginas elegantes e sóbrias seguem um layout enfatizando grandes margens brancas. A austera e majestosa sobriedade de Baskerville foi uma importante inspiração para os mestres Didot e Bodoni.

13 John Baskerville ( ) John Baskerville faleceu no ano de 1775 em Birmingham. Sua viúva - Mrs. Sara Eaves - manteve a oficina tipográfica operativa até Depois vendeu a maioria dos tipos ao dramaturgo Beaumarchais, que os usou para imprimir a sua edição de 70 volumes da obra de Voltaire. Em vida o abastado comerciante de lacas e vernizes, mestre calígrafo, gravador de letras, impressor e membro da Royal Society of Arts, quis superar as letras de William Caslon, dandolhes formas mais largas, redondas e leves. Foi o inventor de alguns aperfeiçoamentos na prensa tipográfica e, em conjunto com o papeleiro James Whatman, introduziu melhoramentos no papel, tornando-o mais liso. Entre 1757 e 1775, data da sua morte, Baskerville imprimiu mais de cinquenta obras.

14 Grandes tipógrafos Bodoni Giambattista Bodoni Itália * Designer de tipos Puncionista Fundidor de tipos Tipógrafo Impressor Editor Entalhador Bodoni MT, Monotype, 1999 (1798) NARDI, Curso de Identidade Visual 0 2 6

15 Giambattista Bodoni ( ) Nasceu a 16 de Fevereiro de 1740 em Saluzzo, no Piemonte. Ali aprendeu na oficina do pai o ofício de tipógrafo e a arte de gravar tipos. Com 18 anos partiu para Roma, para completar os estudos. Primeiro gravou punções e vinhetas; de 1758 a 1766 trabalhou como compositor na editora poliglota Propaganda Fide o que explica o seu interesse precoce por idiomas, letras e culturas estrangeiras. Estudou línguas orientais na uni versidade católica La Sapienza, edita publicações exóticas. Em 1762 imprimiu a sua primeira obra: um missal árabecopta e um Alfabeto Tibetano, do Padre Giorgi. Rei dos impressores, impressor dos reis. O maior impressor e tipógrafo italiano de sempre foi Bodoni.

16 Giambattista Bodoni ( ) Em 1767, Bodoni foi chamado para dirigir a imprensa do grão-duque Ferdinando di Parma. Os seus tipos e as suas elegantíssimas impressões garantem-lhe a admiração incondicional dos seus contemporâneos. Em 1771, Bodoni edita a sua primeira obra tipográfica, Fregi e Majuscole, com a qual inicia uma série de ma nuais técnicos saídos dos seus prelos. Espalha estes manuais por toda a Europa, para fazer propaganda à sua Oficina Typografica. Em 1782, Bodoni foi promovido a impressor régio por Carlos III de Espanha. A partir de 1790, o grão-duque de Parma permite-lhe a exploração de uma oficina particular. Ali são impressas magníficas edições dos clássicos gregos, romanos e italianos. No mesmo ano em que torna-se impressor régio imprime o Essai de Charactères Russes, composto quando da visita do czar russo à sua oficina.

17 Giambattista Bodoni ( ) Nos últimos anos, Bodoni trabalhou por encomenda do rei de Nápoles na edição dos clássicos da literatura fran ce sa: Fenelon, Racine, La Fontaine, Boileau. Bodoni morreu no ano de 1813 em Parma; em 1818, a sua viúva publicou em dois volumes, somando 543 páginas, o Manuale Tipografico, que Bodoni preparara ao longo de 50 anos.

18 Giambattista Bodoni ( ) Os tipos Bodoni foram o resultado de 250 anos de evolução no design do tipo romano: linhas finas e subtis contrastam fortemente com hastes mais pesadas. Os caracteres de Giambattista Bodoni também são determinados pelo seu forte acento vertical. Os caracteres criados por Bodoni caracterizam-se agora sobretudo pela passagem cuidadosamente estudada do traço fino ao traço grosso, num jogo de claro escuro que é também o jogo em que é baseada a página bodoniana. Com uma alternância estudada do corpo da letra nas linhas dos títulos e um cuidado especial na escolha dos papeis e das tintas, a página é ampla, simples, com margens e espaçamentos entre linhas generosos e grandes áreas da página em branco. A procura de clareza e luminosidade da página é reforçada pelo uso de tipos com altura-x reduzida e longos ascendentes e descendentes. Esta dialéctica do branco e negro dos caracteres é já, claramente, neo-clássica. BICKER, 2001.

19 A dinastia Didot A dinastia Didot marcou ao longo de cinco gerações de forma indelével a qualidade da tipografia francesa e europeia. Os seus membros mais destacados são, por ordem cronológica: François Didot ( ); François-Ambroise Didot ( ); Firmin Didot ( ). O fundador do clã, nasceu e morreu em Paris Entre as suas edições sobressai a Histoire générale des Voyages de l abbé Prévost, em 20 volumes in-quarto. O filho mais velho de François, foi livreiro a partir de 1753, tomou a oficina tipográfica e a imprensa do seu pai em 1757 e começou a pôr em prática várias inovações técnicas importantes: 1. Os célebres Caracteres Didot; 2. O prelo de um só movimento, que substituiu a madeira por ferro, mármore e cobre e tornou a impressão mais rápida e a pressão mais forte; 3. O ponto tipográfico que a partir de 1757 passou a ser unidade de medida dos tipos; 4. O papier vélin, que mandou fabricar pela Oficina Johannot. Este papel velino já não exibe as linhas de rede das formas dos moldes; substitui o papel avergoado.

20 Grandes tipógrafos Didot Firmin Didot França * Designer de tipos Puncionista Fundidor de tipos Tipógrafo Impressor Editor Linotype Didot, Adrian Frutiger, 1991 (1784) NARDI, Curso de Identidade Visual 0 2 6

21 Firmin Didot ( ) Firmin Didot, o segundo filho de François- Ambroise Didot, nasceu em Paris e morreu em Mesnil-sur-l Estrée. Dirigiu a partir de 1789 a fundição do seu pai, onde aperfeiçoou ainda mais a qualidade dos caracteres, aumentando ao mesmo tempo a sua variedade. Firmin Didot foi o mais notável tipógrafo da dinastia Didot, responsável por pôr em prática o mencionado sistema de pontos. De 1783 a 1784 produziu a primeira romana classicista e imprimiu Gerusalemme Liberata, de Tasso. Este tipos já não eram os que usara o seu avô François Didot, mas um tipo novo, a primeira verdadeira romana classicista, austera, imperial.

22 Firmin Didot ( ) De 1783 a 1784, a Fundição Didot produziu a primeira romana neo-classicista e usou-a para imprimir a obra Gerusalemme Liberata de Tasso. Já não era a letra que usara François Didot (avô de Firmin) para vários trabalhos de encomenda, mas uma romana nova, fácil de ler, apesar de levar traços e remates muito finos, contrastando com hastes grossas e apesar da sua pronunciada modulação vertical. O papier vélin proporcionava uma melhor superfície de impressão necessária aos tipos de Didot, caracterizados por remates e terminais ultra-finos detalhes distintivos das romanas neo-classicistas francesas e italianas. Firmin Didot gravou vários corpos e um corte cursivo deste tipo quando contava apenas 19 anos de idade.

23 Firmin Didot ( ) Nos anos seguintes a 1786, Firmin Didot forçou ainda mais os contrastes do seu tipo e decidiu gravar pela primeira e última vez na história da tipografia um jogo de tipos com incrementos de apenas meio ponto (10,0 / 10,5 / 11,0 pontos, etc). O tipo moderno de Firmin Didot converteu-se nos seguintes anos no tipo francês por excelência, padrão nacional para as publicações francesas. Firmin Didot passou a ser a suma autoridade tipográfica em França, e em consequência desta notoriedade Napoleão Bonaparte nomeou-o Director da Fundição Imperial, título que ostentaria até à sua morte, em 1836.

24 O que são pontos e como medir caracteres? Os tipos da tipografia em metal eram elementos físicos e como tal era impossível não percebe-los como um conjunto de blocos. A idéia de relacionar os diferentes corpos de um mesmo conjunto de desenhos de uma maneira lógica entre si foi proposta inicialmente pelo impressor Joseph Moxon em seu Mechanick exercises de Todavia, a primeira ação para sistematizar os tamanhos dos corpos foi de Jean Truchet da Real Academia de Ciências Francesa, em Um sistema duodecimal baseado na terminologia e divisões de uma unidade de medida vigente na época (O Pé do Rei) foi usado pela Imprensa Real. Em 1783 François Ambroise Didot (pai do Firmin Didot) revisou este sistema e batizou sua menor unidade de points (pontos) e a utilizou para medir tamanhos de corpos de tipos. Britânicos e Norte Americanos demoraram para adotar o sistema de pontos e ao fazerem promoveram algumas alterações. Em 1872 este novo sistema foi introduzido pela Marder, Luse & Co. em Chicago depois de um incêndio que os obrigou a re-estruturar a fábrica. Em 1985 com a adoção do formato Adobe de página pelos softwares Apple o tamanho do ponto foi estabelecido em exatamente 1/72 poelgadas. Curso de Identidade Visual 0 2 6

25 O que são pontos e como medir caracteres? 12 pontos Didot = 1 cícero (utilizado para medir linhas de texto) 1 ponto Anglo/Americano = polegadas 12 pontos Anglo/Americanos = 1 paica 1 ponto Anglo/Americano = (em 1886) 1 ponto Adobe/Apple = 1/72 polegadas Existem 12 pontos em 1 paica e aproximadamente 6 picas em 1 polegada. Logo 1 polegada tem aproximadamente 72 pontos. 1 polegada = 2.54 centímetros 1 ponto Adobe/Apple = centímetros Curso de Identidade Visual 0 2 6

26 fatos importantes até Paul Renner 1796/97 Litografia Alois Senefelder, Alemanha ª Fat Face, por Robert Thorne 1815 Aparição da Slab-Serif (Two Lines Pica) e das letras tridimensionais (Five Lines Pica, In Shade) de Vincent Figgins 1816 Introdução do 1º tipo sem serifa. Two-line English Egyptian, William Caslon IV NARDI, Curso de Identidade Visual 0 2 6

27 fatos importantes até Paul Renner 1821 Jean François Champollion decifra os hieroglifos da Pedra Roseta ª fotografia Joseph Niepce, França Tipos display de madeira Darius Wells, New York Pantógrafo por William Leavenworth, New York Fotos reproduzidas por reticulagem Henry Talbot, Inglaterra Fotolitografia, Alphonse Louis Poitevin, químico françes. NARDI, Curso de Identidade Visual 0 2 6

28 fatos importantes até Paul Renner 1873 Máquina de escrever manufaturada da Remington. Fontes monoespaçadas 1886 Linotype, Ottmar Mergenthaler 1887 Monotype, Tolbert Lanston NARDI, Curso de Identidade Visual 0 2 6

A largura das colunas

A largura das colunas A largura das colunas Largura ideal: As pessoas leem mais depressa se não precisarem mover a cabeça, mas apenas correr ligeiramente os olhos da esquerda para direita, da direita para esquerda. Os olhos

Leia mais

Classificação Tipografia segundo Períodos Históricos

Classificação Tipografia segundo Períodos Históricos Classificação da Tipografia segundo Períodos Históricos (baseado na obra de Robert Bringhurst) Material de apoio às aulas de Tipografia II Docente: Joana Lessa Introdução Histórica A impressão feita a

Leia mais

Os sistemas de classificação de fontes mais aceitados são: Classificação de Maximilien Vox (1954)

Os sistemas de classificação de fontes mais aceitados são: Classificação de Maximilien Vox (1954) Uma família tipográfica é um grupo de signos escriturais que compartilham traços de desenho comuns, conformando todas elas uma unidade tipográfica. Os membros de uma família (os tipos) se parecem entre

Leia mais

TIPOLOGIA. Tipografia e sistemas de composição Prof. André Wander 1

TIPOLOGIA. Tipografia e sistemas de composição Prof. André Wander 1 TIPOLOGIA O estudo da evolução da tipologia se confunde com a história da humanidade, visto que, enquanto o homem buscava o aperfeiçoamento da comunicação através da escrita, grandes mudanças tecnológicas

Leia mais

O surgimento da escrita, a invenção e a evolução das artes gráficas

O surgimento da escrita, a invenção e a evolução das artes gráficas O surgimento da escrita, a invenção e a evolução das artes gráficas A humanidade sempre dependeu de se comunicar para poder sobreviver melhor, transmitir os conhecimentos acumulados sempre foi algo muito

Leia mais

Referências bibliográficas:

Referências bibliográficas: Referências bibliográficas: - Tipos. Desenho e utilização de letras no projeto gráfico - Aldemar Pereira - Tipografia Digital - Priscila Farias - Planejamento Visual Gráfico - Milton Ribeiro - Projeto

Leia mais

22/04/2015. Publicidade Gráfica. Tipografia. Você sabe qual a importância da Tipografia no mundo em que vivemos?

22/04/2015. Publicidade Gráfica. Tipografia. Você sabe qual a importância da Tipografia no mundo em que vivemos? Publicidade Gráfica Tipografia Você sabe qual a importância da Tipografia no mundo em que vivemos? 1 Capa de Livro Capa de Revista 2 Cartaz Pôster de Filme 3 Grafitte 4 A tipografia do grego typos = forma

Leia mais

Xilogravura. Gravura em Metal

Xilogravura. Gravura em Metal As Artes Gráficas http://commons.wikimedia.org/wiki/file:formschneider.jpg Xilogravura de Jost Amman mostrando um gravador do século 16 em sua mesa de trabalho, 1568. Arte Gráfica é o processo de reprodução

Leia mais

Neoclássico. França: Panteão de Paris (Soufflot) Brasil: Casa França (Montigny) Bruno Maxwel 5715682 Franciele Santana 5935510 Lucas Calixto 5847264

Neoclássico. França: Panteão de Paris (Soufflot) Brasil: Casa França (Montigny) Bruno Maxwel 5715682 Franciele Santana 5935510 Lucas Calixto 5847264 Neoclássico França: Panteão de Paris (Soufflot) Brasil: Casa França (Montigny) Bruno Maxwel 5715682 Franciele Santana 5935510 Lucas Calixto 5847264 Definição Neoclássico Movimento cultural dado no século

Leia mais

Centro Universitário Senac Bacharelado em Design. Programa de Disciplina. Tipografia. Profa. Dra. Anna Paula Silva Gouveia

Centro Universitário Senac Bacharelado em Design. Programa de Disciplina. Tipografia. Profa. Dra. Anna Paula Silva Gouveia Centro Universitário Senac Bacharelado em Design Programa de Disciplina Tipografia Profa. Dra. Anna Paula Silva Gouveia Ementa A história da tipografia sob uma perspectiva ampla, que vai desde a concepção

Leia mais

Letras de amor. Introdução

Letras de amor. Introdução Letras de amor N o dia 12 de junho de 2005, um homem de cinquenta anos se apresentou diante de uma multidão de alunos na Universidade Stanford e falou de seus dias de universitário em uma instituição menor,

Leia mais

TIPOGRAFIA LEVE PESADO

TIPOGRAFIA LEVE PESADO TIPOGRAFIA Tipografia é o emprego de elementos gráficos que podem ser utilizados na escrita (letras, números, rabiscos, símbolos) para se construir uma mensagem visual - seja ela compreensível ou não.

Leia mais

Porque Vale o que Está Escrito, ou as Letras e Seusl Estilos

Porque Vale o que Está Escrito, ou as Letras e Seusl Estilos Porque Vale o que Está Escrito, ou as Letras e Seusl Estilos 1 Um simples olhar ao mundo da escrita nos mostra tanta variação na forma gráfica que, por um instante, surge a dúvida: como é possível que

Leia mais

«O TEMPO DA MÁQUINA DE ESCREVER»

«O TEMPO DA MÁQUINA DE ESCREVER» «O TEMPO DA MÁQUINA DE ESCREVER» Sobre a coleção de máquinas de escrever da Caixa Geral de Depósitos A Máquina de Escrever marcou um período importante na história da tecnologia e a sua evolução foi uma

Leia mais

Para muitos autores como Richard Hollis (2000), quando ocorre a transição

Para muitos autores como Richard Hollis (2000), quando ocorre a transição Para muitos autores como Richard Hollis (2000), quando ocorre a transição da composição gráfica por partes separadas e isoladas para a criação única do artista de texto e ilustração, houve então o início

Leia mais

Notas para um encontro sobre Tipografia

Notas para um encontro sobre Tipografia Priscila Farias Notas para um encontro sobre Tipografia [Criação (design de tipos) e/ou utilização (design com tipos) de símbolos visíveis relacionados aos caracteres ortográficos e para-ortográficos da

Leia mais

Tipo assim... elias bitencourt unifacs 2007

Tipo assim... elias bitencourt unifacs 2007 Tipo assim... elias bitencourt unifacs 2007 2007 elias bitencourt Material didático de suporte para as aulas da disciplina tipografia, oferecidas no segundo semestre de 2007, no curso de design gráfico

Leia mais

serifa inclinada TIMES serifa

serifa inclinada TIMES serifa TIPOLOGIA NA WEB CLASSIFICAÇÃO DOS TIPOS Com Serifa Serifa é uma haste perpendicular que termina os principais traços de algumas letras. Este recurso facilita a leitura de textos impressos, aglutiando

Leia mais

Com a Fotografia foi assim também. Ela nasce movida pela curiosidade, em um processo que envolveu estudo, observação e muita experimentação.

Com a Fotografia foi assim também. Ela nasce movida pela curiosidade, em um processo que envolveu estudo, observação e muita experimentação. Capítulo I. História da Fotografia As leis da Física Ao longo de sua evolução o Homem foi descobrindo e inventando coisas, desenvolvendo conhecimento, tecnologia e instrumentos para suprir suas necessidades.

Leia mais

Renascimento Cultural

Renascimento Cultural Renascimento Cultural Séculos XIV ao XVII Prof. Dieikson de Carvalho Renascimento Cultural Contexto histórico Transição da Idade Média para Idade Moderna. Século XIV ao XVII. Resultado do Renascimento

Leia mais

Um guia para você conhecer o que nós temos de melhor para a sua empresa! A melhor definição em impressos. Portifólio. Objetivos Produtos.

Um guia para você conhecer o que nós temos de melhor para a sua empresa! A melhor definição em impressos. Portifólio. Objetivos Produtos. Um guia para você conhecer o que nós temos de melhor para a sua empresa! A melhor definição em impressos. Portifólio Objetivos Produtos Criações A Empresa A Infotec tem como objetivo a excelência de seus

Leia mais

Século XIX na Europa as inovações na arte. Predomínio do neoclassicismo ou academicismo

Século XIX na Europa as inovações na arte. Predomínio do neoclassicismo ou academicismo Século XIX na Europa as inovações na arte { Predomínio do neoclassicismo ou academicismo ANTIGUIDADE CLÁSSICA IDADE MÉDIA NEOCLASSICISMO OU ACADEMICISMO ROMANTISMO RENASCIMENTO BARROCO ROCOCÓ NEOCLÁSSICO

Leia mais

Pinart e Balonchard, Fundidores de Tipo no Rio de Janeiro Oitocentista Pinart and Balonchard, Type Founders in Rio de Janeiro during the 19th century

Pinart e Balonchard, Fundidores de Tipo no Rio de Janeiro Oitocentista Pinart and Balonchard, Type Founders in Rio de Janeiro during the 19th century Pinart e Balonchard, Fundidores de Tipo no Rio de Janeiro Oitocentista Pinart and Balonchard, Type Founders in Rio de Janeiro during the 19th century Edna Lucia Cunha Lima historia do design, design gráfico,

Leia mais

1 Representação de texto

1 Representação de texto O texto é uma das principais formas de comunicação assíncrona entre seres humanos. São exemplo os livros, os jornais, as revistas, etc. Mais recentemente, podemos dar como exemplo as mensagens SMS (Short

Leia mais

Moda & jóias masculinas: do barroco século XVII, ao cyberpunk século XXI. por Lula Rodrigues

Moda & jóias masculinas: do barroco século XVII, ao cyberpunk século XXI. por Lula Rodrigues Moda & jóias masculinas: do barroco século XVII, ao cyberpunk século XXI por Lula Rodrigues L État c est moi (o Estado sou eu) Luis XIV O Rei Sol(1638/1715) o primeiro pavão da moda masculina. Luis XIV

Leia mais

2 Editoração Eletrônica

2 Editoração Eletrônica 8 2 Editoração Eletrônica A década de 80 foi um marco na história da computação. Foi quando a maioria dos esforços dos desenvolvedores, tanto de equipamentos, quanto de programas, foram direcionados para

Leia mais

Aula 4 - Design Moderno e Contemporâneo 1920-Atualmente. professor Rafael Hoffmann

Aula 4 - Design Moderno e Contemporâneo 1920-Atualmente. professor Rafael Hoffmann Aula 4 - Design Moderno e Contemporâneo 1920-Atualmente professor Rafael Hoffmann Art Déco (1923-1938) Art Déco - Fim da Primeira Guerra. - Retorno a normalidade. - Tempos de paz e prosperidade. - Celebra

Leia mais

Legibilidade. Buracos brancos. Entrelinhas

Legibilidade. Buracos brancos. Entrelinhas A única coisa capaz de atrair o leitor é uma informação transmitida de maneira clara, pertinente e envolvente. A ilustração e o título atraem sua atenção, mas é o texto que encerra toda a informação que

Leia mais

XiloBoletim. Boletim do Museu Casa da Xilogravura. Junho de 2010. (N 2, ano 1, série digital) GRANDE ARTISTA FRANCÊS NA TEMPORADA DE INVERNO 2010

XiloBoletim. Boletim do Museu Casa da Xilogravura. Junho de 2010. (N 2, ano 1, série digital) GRANDE ARTISTA FRANCÊS NA TEMPORADA DE INVERNO 2010 XiloBoletim Boletim do Museu Casa da Xilogravura Junho de 2010 (N 2, ano 1, série digital) GRANDE ARTISTA FRANCÊS NA TEMPORADA DE INVERNO 2010 De 1 de julho a 27 de setembro de 2010, o Museu Casa da Xilogravura

Leia mais

A arte na Grécia. Capítulo 3

A arte na Grécia. Capítulo 3 A arte na Grécia Capítulo 3 Por volta do século X a. C, os habitantes da Grécia continental e das ilhas do mar Egeu formavam pequenas comunidades, distantes umas das outras, e falavam diversos dialetos.

Leia mais

5.1 MEIOS DE PRODUÇÃO E REPRODUÇÃO

5.1 MEIOS DE PRODUÇÃO E REPRODUÇÃO 5.1 MEIOS DE PRODUÇÃO E REPRODUÇÃO Gravura Gravura é a arte de transformar a superfície plana de um material resistente num condutor de imagem, isto é, na matriz de uma forma criada para ser reproduzida

Leia mais

DESIGN GRÁFICO E ARTE PUBLICITÁRIA

DESIGN GRÁFICO E ARTE PUBLICITÁRIA DESIGN GRÁFICO E ARTE PUBLICITÁRIA PÔSTER - FINAL DO SÉCULO XIX O pôster fala sobre as tendências estéticas de uma geração. Jules Cherét - desenvolveu sistema de litografia em 3 a 4 cores. PÔSTER - FINAL

Leia mais

Este foi o título que dei a um primeiro importante trabalho em serigrafia.

Este foi o título que dei a um primeiro importante trabalho em serigrafia. [ensaio de imagem] Mônica Schoenacker 1967. Artista plástica, Mestre em Printmaking (gravura) no Royal College of Art (RCA) em Londres como bolsista da Capes (1999), quando foi agraciada com o Tim Mara

Leia mais

A origem da rotogravura

A origem da rotogravura A origem da rotogravura Início Iniciada pelos artistas da renascença italiano nos anos 1300 A primeira impressão foi feita a partir de uma chapa metálica em 1446 na Alemanha As chapas metálicas eram entalhadas

Leia mais

O EGITO É UMA DÁDIVA DO NILO

O EGITO É UMA DÁDIVA DO NILO CIVILIZAÇÃO EGÍPCIA PARA O HISTORIADOR GREGO HERÓDOTO: O EGITO É UMA DÁDIVA DO NILO DÁDIVA = PRESENTE SIGNIFICADO = Sem as cheias do Nilo, o Egito seria um grande deserto PARA O HISTORIADOR FRANCÊS JEAN

Leia mais

EXERCÍCIOS SOBRE RENASCIMENTO

EXERCÍCIOS SOBRE RENASCIMENTO EXERCÍCIOS SOBRE RENASCIMENTO TEXTO O termo Renascimento é comumente aplicado à civilização européia que se desenvolveu entre 1300 e 1650. Além de reviver a antiga cultura greco-romana, ocorreram nesse

Leia mais

Correspondência Internacional de Negócios. Manual prático para elaborar textos com êxito em sete idiomas

Correspondência Internacional de Negócios. Manual prático para elaborar textos com êxito em sete idiomas Sandro Schroevers Correspondência Internacional de Negócios Manual prático para elaborar textos com êxito em sete idiomas Proposta de Edição Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação

Leia mais

GRAVURA. www.galeriadegravura.com.br. Compartilhe:

GRAVURA. www.galeriadegravura.com.br. Compartilhe: GRAVURA ÍNDICE 1 - Sobre Gravura 2 Xilogravura 3 Gravura em metal 4 Litogravura 5 Serigrafia 6 Fine Art / Giclée 7-8 Tiragem da gravura 9 História do Papel 10 Papéis de Gravura 11 Estúdio de Gravura GRAVURA

Leia mais

DIREÇÃO DE ARTE Prof. Breno Brito

DIREÇÃO DE ARTE Prof. Breno Brito CURSO: COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA TURMA: CS2/CS3 DIREÇÃO DE ARTE Apostila 4 A TIPOLOGIA APLICADA À PROPAGANDA MARÇO 2009 k A TIPOLOGIA APLICADA À PROPAGANDA Conceitos: Tipologia: Consiste

Leia mais

Comércio Eletrônico Curso de Especialização SEBRAE

Comércio Eletrônico Curso de Especialização SEBRAE Comércio Eletrônico Curso de Especialização A N A L I S T A DE N E G Ó C I O Apoio Realização SEBRAE 1 WEB DESIGN Módulo 2 NatãMorais de Oliveira 2 Objetivo Treinar o Analista de Negócio no planejamento

Leia mais

Formatação de documentos: mais qualidade e produtividade

Formatação de documentos: mais qualidade e produtividade Formatação de documentos: mais qualidade e produtividade Judith Adler Levacov Diretora da JAL Design, pós-graduada em Design de Interfaces pela Unicarioca judith@jaldesign.com.br Introdução Com a informatização

Leia mais

A LETRA CAROLINA. O projeto de implementação da Carolina no reino franco foi dirigido pelo abade Alcuíno do Mosteiro de York na Inglaterra.

A LETRA CAROLINA. O projeto de implementação da Carolina no reino franco foi dirigido pelo abade Alcuíno do Mosteiro de York na Inglaterra. A LETRA CAROLINA KAROLINGISCHE MINUSKEL A Carolina foi introduzida pelo imperador Carlos Magno (768-814), propagou-se rapidamente não só no reino franco, mas também por todo o Ocidente cristão. Alcuino

Leia mais

10 MULHERES PODEROSAS DA HISTÓRIA. No mês em que se comemora o Dia Internacional da Mulher, uma seleção com aquelas que governaram com mãos de ferro.

10 MULHERES PODEROSAS DA HISTÓRIA. No mês em que se comemora o Dia Internacional da Mulher, uma seleção com aquelas que governaram com mãos de ferro. 10 MULHERES PODEROSAS DA HISTÓRIA No mês em que se comemora o Dia Internacional da Mulher, uma seleção com aquelas que governaram com mãos de ferro. 10. Maria Stuart País que governou Escócia Período 1542-1567

Leia mais

Palácio de Versailles. Amanda Mantovani Douglas Gallo Gilberto Nino Julia Coleti

Palácio de Versailles. Amanda Mantovani Douglas Gallo Gilberto Nino Julia Coleti Palácio de Versailles Amanda Mantovani Douglas Gallo Gilberto Nino Julia Coleti O Palácio de Versalhes (em francês Château de Versailles) é um château real localizado na cidade de Versalhes, uma aldeia

Leia mais

Seminários de Ensino de Matemática

Seminários de Ensino de Matemática Introdução Seminários de Ensino de Matemática A matemática do papel (5/03/0) José Luiz Pastore Mello O formato do papel que usamos rotineiramente nos serviços de impressão ou fotocópia possui uma história

Leia mais

UFSM- Universidade Federal de Santa Maria Colégio Agrícola de Frederico Westphalen ERGONOMIA. Elisa Maria Pivetta. Ir p/ primeira página

UFSM- Universidade Federal de Santa Maria Colégio Agrícola de Frederico Westphalen ERGONOMIA. Elisa Maria Pivetta. Ir p/ primeira página UFSM- Universidade Federal de Santa Maria Colégio Agrícola de Frederico Westphalen ERGONOMIA Elisa Maria Pivetta Ergonomia Ergonomia vem do grego: "ergos" que significa trabalho, "nomos", que significa

Leia mais

Artesãos de Sorocaba resistem à época em que as imagens davam significado ao silêncio

Artesãos de Sorocaba resistem à época em que as imagens davam significado ao silêncio Artesãos de Sorocaba resistem à época em que as imagens davam significado ao silêncio Daniela Jacinto Fotos: Bruno Cecim A Wikipedia define bem o tema desta reportagem: arte tumular ou arte funerária é

Leia mais

A Revolução Inglesa. Monarquia britânica - (1603 1727)

A Revolução Inglesa. Monarquia britânica - (1603 1727) A Revolução Inglesa A Revolução inglesa foi um momento significativo na história do capitalismo, na medida em que, ela contribuiu para abrir definitivamente o caminho para a superação dos resquícios feudais,

Leia mais

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL FACULDADE SENAC GOIÂNIA FERNANDO CARDOSO DE MORAIS MYCHEL MARCOS MOREIRA MARTINS CLASSIFICAÇÃO TIPOGRÁFICA

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL FACULDADE SENAC GOIÂNIA FERNANDO CARDOSO DE MORAIS MYCHEL MARCOS MOREIRA MARTINS CLASSIFICAÇÃO TIPOGRÁFICA SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL FACULDADE SENAC GOIÂNIA FERNANDO CARDOSO DE MORAIS MYCHEL MARCOS MOREIRA MARTINS CLASSIFICAÇÃO TIPOGRÁFICA GOIÂNIA 2014 SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL

Leia mais

UNIVERSITY PREPARATORY TOUR

UNIVERSITY PREPARATORY TOUR ST. PAUL S SCHOOL UNIVERSITY PREPARATORY TOUR 8 DIAS FEVEREIRO 2015 O STB 1.000 FUNCIONÁRIOS + 70 LOJAS + 60 MIL PASSAGEIROS TRANSPORTADOS EM 2013 + 40 ANOS EM TURISMO JOVEM E EDUCAÇÃO INTERNACIONAL RECRUTADOR

Leia mais

Design de Comunicação III

Design de Comunicação III Design de Comunicação III Curso de Design de Comunicação Escola Superior de Educação e Comunicação Universidade do Algarve Docente Joana Lessa * Princípios Tipográficos (A partir da obra "The Elements

Leia mais

Arte 1º. Ano do Ensino Médio. Linha do Tempo da História da Arte (Períodos/ Movimentos Artísticos/ Contexto Histórico).

Arte 1º. Ano do Ensino Médio. Linha do Tempo da História da Arte (Períodos/ Movimentos Artísticos/ Contexto Histórico). Arte 1º. Ano do Ensino Médio 1º. Trimestre - Conteúdo Avaliativo: Linha do Tempo da História da Arte (Períodos/ Movimentos Artísticos/ Contexto Histórico). Períodos Artísticos: Pré-História/Idade Antiga

Leia mais

Ricardo Morais SCATENA

Ricardo Morais SCATENA SCHWARCZ, Lilia Moritz. O sol do Brasil: Nicolas-Antoine Taunay e as desventuras dos artistas franceses na corte de D. João. São Paulo: Companhia das Letras, 2008. Ricardo Morais SCATENA Professora titular

Leia mais

Introdução à Produção Gráfica

Introdução à Produção Gráfica Introdução à Produção Gráfica Flávio Gomes 1 - Sistemas de Cores Atualmente boa parte dos layouts desenvolvidos para impressão são elaborados em softwares gráficos, esses softwares utilizam um processo

Leia mais

UMA NOVA DIMENSÃO À VOLTA DA SUA MESA

UMA NOVA DIMENSÃO À VOLTA DA SUA MESA SERVIÇOS DE MESA E FAQUEIRO UMA NOVA DIMENSÃO À VOLTA DA SUA MESA HÁ UM BANCO QUE AJUDA A DAR CERTEZAS AO FUTURO. A CAIXA, COM CERTEZA. VISTA ALEGRE Acrescente uma nova dimensão de elegância e prestígio

Leia mais

A próxima geração da impressão doméstica, com mais versatilidade

A próxima geração da impressão doméstica, com mais versatilidade A próxima geração da impressão doméstica, com mais versatilidade Ao início de 2009, a HP lançou sua nova geração de tecnologia de impressão: um inovador sistema de 4 ou 5 tintas que oferece melhor qualidade

Leia mais

O RELÓGIO CLÁSSICO SEGUNDO A ROLEX

O RELÓGIO CLÁSSICO SEGUNDO A ROLEX 2 O RELÓGIO CLÁSSICO SEGUNDO A ROLEX A Rolex apresenta a nova coleção Cellini, celebração contemporânea do estilo clássico e da elegância eterna dos relógios tradicionais. Composta de doze modelos de inspiração

Leia mais

aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaa Art Nouveau Art Nouveau Profª Adalgiza

aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaa Art Nouveau Art Nouveau Profª Adalgiza aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaa Art Nouveau Movimento das Artes e Ofícios Movimento nascido na Inglaterra, na segunda metade do século XIX; Conhecido como Movimento

Leia mais

Customização de Interface - Página Inicial

Customização de Interface - Página Inicial Customização de Interface - Página Inicial Sumário 1. Logo... 4 1.1. Edição... 4 2. Inputs - formulários... 4 2.1. Busca... 4 2.2. Novidades... 4 3. Fontes... 5 3.1. Cores (color)... 5 3.2. Tamanho (font-size)...

Leia mais

HISTÓRIA DA MÚSICA OCIDENTAL

HISTÓRIA DA MÚSICA OCIDENTAL HISTÓRIA DA MÚSICA OCIDENTAL A Música Barroca A palavra barroco vem da língua portuguesa e significa "pérola irregular". Foi adotada internacionalmente para caracterizar o estilo ornamentado e pomposo

Leia mais

1º Ano Artes 4ª Aula 2015 Prof. Juventino

1º Ano Artes 4ª Aula 2015 Prof. Juventino 1º Ano Artes 4ª Aula 2015 Prof. Juventino Contrapondo-se a Egípcia vida pósmortem. Arte grega fundamenta-se na inteligência Os governantes não eram deuses, mas seres mortais Usavam a razão e o senso de

Leia mais

gestão do design: projeto final professor: rodrigo a. gianello aluno: wellington v. amarante jr. curso técnico de design gráfico: turma 01

gestão do design: projeto final professor: rodrigo a. gianello aluno: wellington v. amarante jr. curso técnico de design gráfico: turma 01 : projeto final professor: rodrigo a. gianello aluno: wellington v. amarante jr. curso técnico de design gráfico: turma 01 Cronograma de desenvolvimento do projeto Fases Período Março Abril Maio Junho

Leia mais

João Canijo e a Tragédia Grega: adaptação da trilogia Oresteia ao cinema português contemporâneo 1 Daniel Ribas

João Canijo e a Tragédia Grega: adaptação da trilogia Oresteia ao cinema português contemporâneo 1 Daniel Ribas João Canijo e a Tragédia Grega: adaptação da trilogia Oresteia ao cinema português contemporâneo 1 Daniel Ribas Nas entrevistas que se sucederam à estreia nacional de Noite Escura, em 2004, João Canijo

Leia mais

Manual de uso da marca do Governo Federal

Manual de uso da marca do Governo Federal Manual de uso da marca do Governo Federal SECOM / PR - 2011 Manual de uso da marca do Governo Federal 1.1 2.2 Introdução Logomarca Governo Federal 2.1.1 Reduções Mínimas 2.1.2 Variantes do Logo 2.1.3 Cores

Leia mais

Art Nouveau/ Secessão de Viena

Art Nouveau/ Secessão de Viena 1760 Revolução Francesa 1789 Revolução Industrial 1819 Rainha Vitória 1840 1901 1874 Arts and Crafts 1880 1890 Primeira Guerra Mundial 1914 1918 1924 Art Déco Impressionismo 1925 Art Nouveau/ Secessão

Leia mais

Benjamin Franklin (1706-1790)

Benjamin Franklin (1706-1790) Benjamin Franklin (1706-1790) Benjamin Franklin nasceu em Boston, Estados Unidos da América, foi jornalista, editor, autor, filantropo, abolicionista, funcionário público, cientista, diplomata e inventor.

Leia mais

Centro Regional das Beiras. Licenciatura em Arquitectura

Centro Regional das Beiras. Licenciatura em Arquitectura UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA Centro Regional das Beiras Licenciatura em Arquitectura ANO LECTIVO 2009-2010 HISTÓRIA DO URBANISMO DE PARIS BARROCO E PLAN DES ARTISTES VICTOR MANUEL LOPES JUSTINO DISCIPLINA:

Leia mais

Notas para uma normatização da nomenclatura tipográfica Notes for a standardization of typeface nomenclature

Notas para uma normatização da nomenclatura tipográfica Notes for a standardization of typeface nomenclature Notas para uma normatização da nomenclatura tipográfica Notes for a standardization of typeface nomenclature FARIAS, Priscila Lena Doutora em Comunicação e Semiótica, PUC-SP e Faculdade SENAC de Comunicação

Leia mais

ARTES: A TRANSIÇÃO DO SÉCULO XVIII PARA O SÉCULO XIX

ARTES: A TRANSIÇÃO DO SÉCULO XVIII PARA O SÉCULO XIX ARTES: A TRANSIÇÃO DO SÉCULO XVIII PARA O SÉCULO XIX Neoclassicismo ou Academicismo: * Últimas décadas do século XVIII e primeiras do XIX; * Retoma os princípios da arte da Antiguidade grecoromana; * A

Leia mais

MANUAL COMPARATIVO TURABIAN / ABNT

MANUAL COMPARATIVO TURABIAN / ABNT UNIVERSIDADE FEDERALDA AHIA ESCOLA DE MÚSICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MÚSICA VANILDO MOUSINHO MARINHO MANUAL COMPARATIVO / NORMAS DE FORMATAÇÃO DE TEXTOS, CITAÇÕES E REFERÊNCIAS EM TRAALHOS ACADÊMICOS

Leia mais

Papel dos Bacharéis na formação do Estado nacional (slides) sobre texto de José Murilo de Carvalho

Papel dos Bacharéis na formação do Estado nacional (slides) sobre texto de José Murilo de Carvalho Papel dos Bacharéis na formação do Estado nacional (slides) sobre texto de José Murilo de Carvalho Diferença verificada na libertação das colônias espanhola e portuguesa. 1) Manutenção da unidade política

Leia mais

Esportes de Rebatida. Aula 3. Golfe e hóquei sobre grama Rio 2016 Versão 1.0

Esportes de Rebatida. Aula 3. Golfe e hóquei sobre grama Rio 2016 Versão 1.0 Esportes de Rebatida Aula 3 Golfe e Rio 2016 Versão 1.0 Objetivos 1 Apresentar dois esportes da categoria de REBATIDA e suas principais regras. 2 Conhecer a história do surgimento desses esportes e sua

Leia mais

Parâmetros Gerais para Tipografia Vernacular? A verificação da hipótese em Fortaleza 1

Parâmetros Gerais para Tipografia Vernacular? A verificação da hipótese em Fortaleza 1 Parâmetros Gerais para Tipografia Vernacular? A verificação da hipótese em Fortaleza 1 Juliana LOTIF 2 Tarcísio MARTINS FILHO 3 Universidade de Fortaleza, Fortaleza, CE RESUMO O presente trabalho propôs,

Leia mais

HISTÓRIA INSTRUMENTOS DOS POR

HISTÓRIA INSTRUMENTOS DOS POR HISTÓRIA DOS INSTRUMENTOS POR 1 HISTÓRIA DOS INSTRUMENTOS FLAUTA A flauta faz parte da família dos instrumentos de madeira, mesmo, ao longo dos anos, tendo sido feita de madeira ou metal. Sabemos que já

Leia mais

Memorial Descritivo. Faculdade de Tecnologia Senac Goiás Larissa Rocha Suriani Produção Multimídia. Goiânia, 09 de Junho de 2014.

Memorial Descritivo. Faculdade de Tecnologia Senac Goiás Larissa Rocha Suriani Produção Multimídia. Goiânia, 09 de Junho de 2014. Memorial Descritivo Faculdade de Tecnologia Senac Goiás Larissa Rocha Suriani Produção Multimídia Goiânia, 09 de Junho de 2014. Introdução Ao longo do semestre, nos foram apresentadas carga e mais carga

Leia mais

EGITO PA P SSADO E PR P ESENT N E T

EGITO PA P SSADO E PR P ESENT N E T EGITO PASSADO E PRESENTE VOCÊ SABE ONDE ESTÁ O EGITO? ÁFRICA O EGITO É UM PAÍS DO CONTINENTE AFRICANO NO PASSADO O EGITO ERA ASSIM... ATUALMENTE, O EGITO CHAMA-SE REPÚBLICA ÁRABE DO EGITO. SUA CAPITAL

Leia mais

Fundamentos de design

Fundamentos de design Fundamentos de design gordongroup Sobre o gordongroup gordongroup é uma agência de marketing e comunicação de tempo integral e de balcão único, que oferece um conjunto exclusivo de serviços criativos,

Leia mais

Romantismo. Questão 01 Sobre a Arte no Romantismo, julgue os itens a seguir em (C) CERTOS ou (E) ERRADOS:

Romantismo. Questão 01 Sobre a Arte no Romantismo, julgue os itens a seguir em (C) CERTOS ou (E) ERRADOS: Romantismo Questão 01 Sobre a Arte no Romantismo, julgue os itens a seguir em (C) CERTOS ou (E) ERRADOS: 1. ( C ) Foi a primeira e forte reação ao Neoclassicismo. 2. ( E ) O romantismo não valorizava a

Leia mais

7 th CIDI 7 th Information Design International Conference. 7 th CONGIC. Student Conference

7 th CIDI 7 th Information Design International Conference. 7 th CONGIC. Student Conference 7 th CIDI 7 th Information Design International Conference 7 th CONGIC 7 th Information Design Student Conference Blucher Design Proceedings Setembro, 2015 num. 2, vol.2 proceedings.blucher.com.br Catalogação

Leia mais

Os diferentes modos de registro imagético expressam. o espírito de seu tempo utilizando materiais. e meios que são produtos próprios da época.

Os diferentes modos de registro imagético expressam. o espírito de seu tempo utilizando materiais. e meios que são produtos próprios da época. IMAGEM E HISTÓRIA Os diferentes modos de registro imagético expressam o espírito de seu tempo utilizando materiais e meios que são produtos próprios da época. Pintura Rupestre mãos pincéis de penas e pêlos

Leia mais

Em que dia da semana você nasceu?

Em que dia da semana você nasceu? Em que dia da semana você nasceu? Miguel Vinícius Santini Frasson frasson@icmc.usp.br ICMC-USP Em que dia da semana você nasceu? Miguel Frasson p. 1/22 1582... No séc. XVI, observou-se que o equinócio

Leia mais

DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I (SEM 0564) Notas de Aulas v.2015. Aula 01 Introdução

DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I (SEM 0564) Notas de Aulas v.2015. Aula 01 Introdução DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I (SEM 0564) Notas de Aulas v.2015 Aula 01 Introdução DEFINIÇÃO Desenho Técnico é a linguagem técnica e gráfica empregada para expressar e documentar formas, dimensões, acabamento,

Leia mais

Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc

Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Diálogos - Revista do Departamento de História e do Programa de Pós-Graduação em História ISSN: 1415-9945 rev-dialogos@uem.br Universidade Estadual de Maringá Brasil de Almeida Santos, Antonio Cesar Absolutismo,

Leia mais

alcuni blog e siti di tipografia algum blog e dominios da tipográfia

alcuni blog e siti di tipografia algum blog e dominios da tipográfia alcuni blog e siti di tipografia algum blog e dominios da tipográfia Italiano: Giò Fuga Type blog http://blog.giofugatype.com Progetto Italic http://www.progetto-italic.org/?feed=atom Type Tour Italia

Leia mais

Os Móveis da Casa Reis

Os Móveis da Casa Reis Os Móveis da Casa Reis 1 Este texto tem como objectivo dar a conhecer os móveis que fazem parte da riqueza da Ourivesaria Reis, no Porto. Foi fundada em 1880 por António Alves dos Reis, pai de Seraphim

Leia mais

Manual de Uso da Marca do Governo Federal. SECOM / PR Novembro de 2011

Manual de Uso da Marca do Governo Federal. SECOM / PR Novembro de 2011 SECOM / PR 1.1 Introdução 3 1.2 Logomarca do Governo Federal 4 1.3 Proporções e medições 5 1.4 Zona de eclusão 6 1.5 Reduções mínimas 7 1.6 Variantes de cor 8 1.7 Cores da logomarca 9 1.8 Aplicação sobre

Leia mais

Guerra Civil (1642-1648)

Guerra Civil (1642-1648) Prof. Thiago Revolução Inglesa Governo Despótico de Carlos I (1625-1648) Petição de Direitos (1628) Exigência do Parlamento Cobrança do ship money em cidades do interior desobediência ao Parlamento Guerra

Leia mais

Aula 02. Histórico da Evolução dos Computadores. Prof. Dr. Dilermando Piva Jr.

Aula 02. Histórico da Evolução dos Computadores. Prof. Dr. Dilermando Piva Jr. 02 Aula 02 Histórico da Evolução dos Computadores Prof. Dr. Dilermando Piva Jr. Site Disciplina: http://fundti.blogspot.com.br/ Ao IBM zenterprise 196 ou TRexx 2000 dc. Do Ábaco 3500 ac. A Primeira forma

Leia mais

Centro Educacional Juscelino Kubitschek

Centro Educacional Juscelino Kubitschek Centro Educacional Juscelino Kubitschek ALUNO: N.º: DATA: / / ENSINO: Fundamental II 8ª série) DISCIPLINA: Artes PROFESSOR (A): Equipe de Artes TURMA: TURNO: Roteiro e Lista de estudo para recuperação

Leia mais

O desafio: A vantagem da Videojet:

O desafio: A vantagem da Videojet: Nota de aplicação Tinta Tintas coloridas para embalagens de ponto de venda O desafio: O ambiente de varejo é um mercado em constante evolução, com maior ênfase na embalagem, que não só protege os produtos

Leia mais

neoclassicismo Arquitetura Pintura Escultura

neoclassicismo Arquitetura Pintura Escultura neoclassicismo Arquitetura Pintura Escultura A arquitectura neoclássica De acordo com os ideais iluministas, os arquitectos neoclássicos responderam às necessidades do seu tempo com originalidade e engenho,

Leia mais

Capítulo 1 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO DESENHO TÉCNICO

Capítulo 1 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO DESENHO TÉCNICO Capítulo 1 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO DESENHO TÉCNICO Definição de Desenho Técnico O desenho técnico é uma forma de expressão gráfica que tem por finalidade a representação de forma, dimensão e posição de

Leia mais

[Projecto «Olisipo»] Fernando Pessoa. [Projecto «Olisipo»]

[Projecto «Olisipo»] Fernando Pessoa. [Projecto «Olisipo»] Fernando Pessoa [Projecto «Olisipo»] [Projecto «Olisipo»] Mau grado o desenvolvimento, sobretudo recente, do comércio e da indústria portugueses, Portugal não existe ainda como colectividade comercial

Leia mais

Métodos de marcação direta de peças. Identificação legível de máquina para indústrias automotivas e aeroespaciais

Métodos de marcação direta de peças. Identificação legível de máquina para indústrias automotivas e aeroespaciais Guia técnico Métodos de marcação direta de peças Identificação legível de máquina para indústrias automotivas e aeroespaciais A prática da Marcação Direta de Peças (DPM) é utilizada em muitas indústrias

Leia mais

HISTÓRIA DA ARTE II. Século XIX

HISTÓRIA DA ARTE II. Século XIX HISTÓRIA DA ARTE II Século XIX O Neoclassicismo na Europa Contexto Histórico - Século XVIII: Idade das Luzes - Descoberta de Herculano (1713) e Pompéia (1748) - Na Europa: guerras (esgotamento das riquezas)

Leia mais

OFICINA DE CULTURA E VARIAÇÃO LINGUÍSTICA NO ENSINO FUNDAMENTAL: INGLÊS BRITÂNICO OU INGLÊS AMERICANO?

OFICINA DE CULTURA E VARIAÇÃO LINGUÍSTICA NO ENSINO FUNDAMENTAL: INGLÊS BRITÂNICO OU INGLÊS AMERICANO? OFICINA DE CULTURA E VARIAÇÃO LINGUÍSTICA NO ENSINO FUNDAMENTAL: INGLÊS BRITÂNICO OU INGLÊS AMERICANO? Ewerton Felix da Silva Antônio Fernandes Dias Júnior Cristiane Vieira Falcão Maria Glayce Kelly Oliveira

Leia mais

~i~tlguiade Sites --- miperiódicos relacionados à Moda. W\NW.estadao.com.br. http://oglobo.globo.com. www.elle.com. www.vogue.com

~i~tlguiade Sites --- miperiódicos relacionados à Moda. W\NW.estadao.com.br. http://oglobo.globo.com. www.elle.com. www.vogue.com itlguiade Sites :::::::{Jornais e Periódicos www.iht.com (Herald Tribune) www.lernonde.fr www.nytimes.com (Le Monde) (New York Times) http://news.ft.comlhome/us (The Financial Times) wwwtfolha.uol.corn.br

Leia mais

Catálogo de Produtos

Catálogo de Produtos Catálogo de Produtos A Empresa Empresa atuante no mercado de impressão digital, a DigiPrint se especializou no mercado têxtil, atualmente conta com o apoio de grandes empresas como Roland, Brother, Sawgrass,

Leia mais

Programa de formaça o de Power Point Nível 1 (482)

Programa de formaça o de Power Point Nível 1 (482) Programa de formaça o de Power Point Nível 1 (482) Conteúdo Denominação do curso de formação:... 1 Objetivo Geral... 1 Destinatários... 1 Requisitos... 1 Critérios de seleção dos formandos... 1 Modalidade

Leia mais

História dos Direitos Humanos

História dos Direitos Humanos História dos Direitos Humanos Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. Os direitos humanos são o resultado de uma longa história, foram debatidos ao longo dos séculos por filósofos e juristas. O início

Leia mais