Apresentação Institucional BNDES Cadeia Fotovoltaica

Save this PDF as:
Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Apresentação Institucional BNDES Cadeia Fotovoltaica"

Transcrição

1 Apresentação Institucional BNDES Cadeia Fotovoltaica

2 Quem somos Fundado em 1952, O BNDES é uma empresa pública federal, cuja missão é o desenvolvimento sustentável e competitivo da economia brasileira, com geração de empregos e redução das desigualdades sociais e regionais. Atualmente, o BNDES se posiciona como: - Instrumento chave para implementação da política industrial de infra-estrutura e de comércio exterior - Principal fonte de crédito produtivo de longo prazo, podendo apoiar empresas de praticamente qualquer porte e setor.

3 Aonde estamos Belém Subsidiária Internacional BNDES PLC Londres (2009) Recife Brasília empregados e empregadas (em 28 de fevereiro de 2015) São Paulo Rio de Janeiro Escritórios Internacionais BNDES América Latina e Caribe (2009) BNDES África Joanesburgo (2013)

4 Como apoiamos Operações Operações Diretas Diretas Operações Operações Indiretas Indiretas Contratadas Contratadas diretamente diretamente com o com Instituições o Instituições financeiras financeiras credenciadas credenciadas pelo pelo BNDES BNDES BNDES BNDES Empresário Empresário Informação e Informação e Relacionamento Relacionamento Instituição Financeira Instituição Financeira Credenciada Credenciada Empresário Empresário Tx. de Interm. Fin.

5 Exigências à beneficiária Capacidade de pagamento Cadastro comercial satisfatório Estar em dia com obrigações fiscais, tributárias e sociais Cumprir a legislação ambiental Dispor de garantias para cobrir o risco da operação 5

6 O SETOR FOTOVOLTAICO E O BNDES

7 Segmentação interna 1. Apoio à aquisição de sistemas fotovoltaicos Departamentos responsáveis AOI/DECRED, AOI/DEMAQ Apoio: Adesão ao PNP, BNDES PSI, BNDES Finame 2. Apoio à geração de energia fotovoltaica Departamento responsável AIE/DEAL Apoio: Linha de Infraestrutura Energias Renováveis 3. Apoio aos fabricantes de equip. e serviços da cadeia fotovoltaica Departamento responsável AI/DEBK Apoio: Programa BNDES ProBK

8 PNP 1)Plano de Nacionalização Progressiva

9 I. CICLO VICIOSO PRÉ-PNP Ausência de fabricantes locais de componentes Fabricantes de módulos não conseguem atingir o índice de nacionalização mínimo Demanda insuficiente para atração de investimentos locais 9

10 II. NOVA DINÂMICA DO SETOR FOTOVOLTAICO BRASILEIRO Sinalização de oferta de leilões feita pelo governo BNDES lança a nova Metodologia e condições financeiras atrativas para o leilão Governo promove ações de incentivo à geração distribuída Nova metodologia incentiva a produção local e impulsiona a indústria 10

11 III. O PLANO DE NACIONALIZAÇÃO TECNOLOGIA DE SILÍCIO CRISTALINO Módulo Fotovoltaico Sistema Fotovoltaico Processo de fabricação do módulo

12 III. O PLANO DE NACIONALIZAÇÃO TECNOLOGIA DE FILME FINO Módulo Fotovoltaico Sistema Fotovoltaico Processo de fabricação do módulo 12

13 III. O PLANO DE NACIONALIZAÇÃO TECNOLOGIA: SILÍCIO CRISTALINO TABELA 1: MÓDULO FOTOVOLTAICO PERÍODO Dez/2017 Jan/ Dez/2019 Jan/ Componentes NÍvel de Exigência Classif. Item % de ajuste Classif. Item % de ajuste Classif. Item % de ajuste Vidro, Policarbonato ou Acrílico Fabricados no Brasil com conteúdo local 10% 10% 10% MATERIAIS Backsheet Fabricados no Brasil com conteúdo local 5% 5% 5% Encapsulante (EVA) Fabricados no Brasil com conteúdo local 5% 5% 5% Junction box Fabricados no Brasil com conteúdo local 5% MÓDULO FOTOVOLTAICO PROCESSOS Frame (Moldura) Módulo Célula Wafer Fabricados no Brasil com conteúdo local Processo de montagem do Módulo (conexão das células + sobreposição de materiais + laminação + emolduramento + conexão dos módulos + testes) Processo de Fabricação das Células (Tratameneto quimico + dopagem + tratamento antirreflexo + Impressão dos contatos + testes Processo de Fabricação dos Wafer (Fatiamento do lingote) 40% 60% 60% 30% 30% 5% 5% 5% Lingote Processo de Fabricação do Lingote (Fundição + cristalização do silício) 5% 5% 5% Silício Grau Solar Processo de Fabricação Siemens (grau eletrônico) ou Metalúrgico (grau solar) 30% 30% 30% FATOR DE NACIONALIZAÇÃO mínimo do MÓDULO - "Fator N" (%) (APENAS itens básicos) 60% 40% 60% Itens Básicos Itens Opcionais Itens Prêmio 13

14 III. O PLANO DE NACIONALIZAÇÃO TECNOLOGIA: SILÍCIO CRISTALINO TABELA 2: SISTEMA FOTOVOLTAICO (MÓDULO + COMPONENTES ELÉTRICOS + ESTRUTURAS + INVERSOR) PERÍODO Dez/2017 Jan/ Dez/2019 Jan/ Componentes NÍvel de Exigência Classif. Item % de ajuste Classif. Item % de ajuste Classif. Item % de ajuste (A') FATOR DE NACIONALIZAÇÃO mínimo do MÓDULO - "Fator N" (%) (APENAS itens básicos) Participação relativa do MÓDULO no sistema (%) 60% 40% 60% 60% 60% 60% SISTEMA FOTOVOLTAICO (A) MÓDULO (B) Componentes Elétricos (String box + cabeamento) Estrutura metálica (sustentação) Itens básicos definidos na Tabela 1 de MÓDULO Tecnologia : Silício Cristalino Processo de fabricação com conteúdo local Processo de fabricação com conteúdo local (C) Inversor Processo de fabricação com conteúdo local 20% 36% 24% 36% 20% 40% 40% FATOR DE NACIONALIZAÇÃO mínimo do SISTEMA - "Fator N" (%) (APENAS itens básicos) 56% 64% 76% FATOR DE NACIONALIZAÇÃO mínimo do SISTEMA- "Fator N" (%) (itens básicos + inversor nacional) 76% 64% 76% Será considerada uma participação adicional de 6% no percentual de financiamento alcançado quando o módulo fotovoltaico utilizado possuir CLASSIFICAÇÃO ENERGÉTICA "A" conforme TABELA DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA - SISTEMA DE ENERGIA FOTOVOLTAICA - MÓDULOS disponível no site INMETRO. Itens Básicos Itens Opcionais 14

15 III. O PLANO DE NACIONALIZAÇÃO TABELA 1: MÓDULOS FOTOVOLTAICOS TECNOLOGIA: FILME FINO PERÍODO DEZ/2018 JAN/ Componentes Nivel de Exigência Classif. Item % de ajuste Classif. Item % de ajuste Substrato Fabricados no Brasil com conteúdo local Vidro (low iron), Plástico ou metal 20% 20% MÓDULO FOTOVOLTAICO MATERIAIS PROCESSOS Compostos do filme fino Fabricados no Brasil 10% 10% Junction Box Fabricados no Brasil com conteúdo local 5% Cobertura traseira Frame (Moldura) Encapsulamento do módulo Fabricados no Brasil com conteúdo local Vidro (comum) ou metal Fabricados no Brasil com conteúdo local Processos de laminação e montagem final Definição das células Processo de marcação a laser ou outro método 10% Deposição de camadas Processos de deposição do Filme Fino 20% 60% 70% FATOR DE NACIONALIZAÇÃO mínimo do MÓDULO - "Fator N" (%) (APENAS itens básicos) Itens Básicos Itens Opcionais Itens Prêmio 60% 70% 15

16 III. O PLANO DE NACIONALIZAÇÃO TECNOLOGIA: FILME FINO TABELA 2: SISTEMA FOTOVOLTAICO (MÓDULO + COMPONENTES ELÉTRICOS + ESTRUTURAS + INVERSOR) PERÍODO DEZ/2017 JAN/ DEZ/2018 JAN/ Componentes Nivel de Exigência Classif. Item % de ajuste Classif. Item % de ajuste Classif. Item % de ajuste (A') FATOR DE NACIONALIZAÇÃO mínimo do MÓDULO - "Fator N" (%) (APENAS itens básicos) Participação relativa do MÓDULO no sistema (%) 60% 60% 70% 60% 60% 60% SISTEMA FOTOVOLTAICO (A) MÓDULO Itens básicos definidos na Tabela 1 de MÓDULO Tecnologia : Filme Fino Componentes Elétricos Processo de fabricação com conteúdo local (String box + cabeamento) (B) 20% Estrutura metálica Processo de fabricação com conteúdo local (sustentação) (C) Inversor Processo de fabricação com conteúdo local 20% 36% 36% 42% 40% 40% FATOR DE NACIONALIZAÇÃO mínimo do SISTEMA - "Fator N" (%) (APENAS itens básicos) FATOR DE NACIONALIZAÇÃO mínimo do SISTEMA- "Fator N" (%) (itens básicos + inversor nacional) 56% 76% 76% 76% 82% 82% Será considerado um percentual de ajuste de 6% adicionados ao "Fator N" quando o módulo fotovoltaico utilizado possuir CLASSIFICAÇÃO ENERGÉTICA "A" conforme TABELA DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA - SISTEMA DE ENERGIA FOTOVOLTAICA - MÓDULOS disponível no site INMETRO. Itens Básicos Itens Opcionais 16

17 Cumprimento das Regras Visão Atual Módulo Fotovoltaico SISTEMA FOTOVOLTAICO Inversores Componentes elétricos Estruturas de Sustentação 5 fabricantes credenciados 6 fabricantes credenciados 1 empresa credenciada e 2 validadas Mais de 25 empresas interessadas em fabricar módulos fotovoltaicos no país; 17 fabricantes de inversores já entraram em contato com o banco; 2 empresas de tracker credenciadas 5 fabricantes de componentes elétricos já foram indicados por fabricantes do sistema fotovoltaico; 13 fabricantes de estruturas de sustentação demonstraram interesse no setor solar; 9 fornecedores do sistema fotovoltaico já estiveram reunidos no BNDES e 5 já estão credenciados 17

18 PNP para Equipamentos Fotovoltaicos Credenciamento de fabricantes e equipamentos Financiamento aos projetos

19 Apoio à Geração 2)Fotovoltaica

20 Histórico de apoio do BNDES ao setor de infraestrutura Desembolsos BNDES (R$ bilhões) Projetos de Infraestrutura Energia elétrica; Fontes renováveis de energia; Logística e transportes.

21 Evolução dos Desembolsos Hidrelétricas Térmicas Nuclear Energias Alternativas Distribuidoras Transmissoras Ferrovias Rodovias Portos Navegação Aeroportos Outros R$ milhões Variação Anual + 80% - 23% - 10% + 111% + 21% + 85% - 5% + 23% + 31% + 16% + 5% - 2%

22 Energia: Aprovações 2003 a 2015 Segmento Capacidade Nº de Projetos Financiamento BNDES (R$ Mil) Valores em R$ mil Investimento Previsto (R$ Mil) 1. Geração MW Hidrelétricas MW Eólicas MW Termelétricas MW PCH MW Nuclear MW Biomassa 573 MW Transmissão Km Distribuição Racionalização TOTAL

23 Modalidades de Financiamento Financiamento corporativo - garantias ligadas aos acionistas Project Finance - Financiamento de um projeto específico e não de todos os negócios de uma empresa, segregando custos, receitas e riscos do projeto através de uma sociedade de propósito específico (SPE).

24 Project Finance: Estrutura do financiamento Outorga ANEEL Acionistas Licenciamento Ambiental Financiamento a Longo Prazo e Debentures SPE Comercialização da energia Seguros Consórcio Construtor EPCista Contrato de O&M

25 Project Finance: SPC Segregação do Fluxo de Caixa e dos riscos do Projeto. Fluxo de Caixa Contratos de Longo Prazo para a Venda de energia e das principais despesas. O Projeto tem que demonstrar capacidade de pagamento dos custos de operação e dos serviços da dívida. Alavancagem Dimensionamento da dívida tendo com base a capacidade de pagamento do projeto, sendo exigido um Índice de Cobertura do Serviço da Dívida (ICSD) de no mínimo 1,3.

26 Project Finance: Garantias Durante a implantação são necessárias garantias adicionais, for a do Projeto. Os direitos e ativos do Projeto são dados em garanta, recebíveis, contratos, direitos, seguros, etc. Acionista Aporte de capital prévio ao desembolso do financiamento. Até o completion do Projeto, existe a obrigação de aporte adicional, no caso de sobrecusto. Construção Necessidade de apresentação de seguro performance.

27 Holdings e SPE s Debentures de Infraestrutura Bond Equity Holding Bond Equity SPE 1 SPE 2 SPE N As garantias do Projeto são compartilhadas entre o BNDES, cofinanciadores e debenturistas

28 Apoio a cadeia de fabricantes e seus 3)fornecedores

29 Programas de Financiamento Programa BNDES ProBK Para quais clientes? Empresas da indústria de bens de capital e sua cadeia de fornecedores instalados no Brasil (fabricantes de painéis, inversores, estruturas metálicas...) Como é a modalidade de apoio? Financiamento de longo prazo na forma Direta ou Indireta Não Automática Quais empreendimentos são financiáveis? 1. Projetos de implantação, expansão ou modernização de novas unidades produtivas, 2. Projetos de Inovação 3. Projetos de Consolidação ou Internacionalização 4. Capital de Giro Isolado

30 Claudia Noel Martha Madeira Bruna Casotti 30

Setor de Energia Solar Fotovoltaica ÁREA DE OPERAÇÕES INDIRETAS DEPARTAMENTO DE CREDENCIAMENTO DE MÁQUINAS, EQUIPAMENTOS E SISTEMAS (AOI/ DECRED)

Setor de Energia Solar Fotovoltaica ÁREA DE OPERAÇÕES INDIRETAS DEPARTAMENTO DE CREDENCIAMENTO DE MÁQUINAS, EQUIPAMENTOS E SISTEMAS (AOI/ DECRED) Setor de Energia Solar Fotovoltaica ÁREA DE OPERAÇÕES INDIRETAS DEPARTAMENTO DE CREDENCIAMENTO DE MÁQUINAS, EQUIPAMENTOS E SISTEMAS (AOI/ DECRED) ÍNDICE I. CICLO VICIOSO PRÉ-PNP II. NOVA DINÂMICA DO SETOR

Leia mais

BRASIL SOLAR POWER. Apoio do BNDES ao Setor Solar Fotovoltaico 06/07/2017. Classificação: Documento Ostensivo Unidade Gestora: AOI/DECRED

BRASIL SOLAR POWER. Apoio do BNDES ao Setor Solar Fotovoltaico 06/07/2017. Classificação: Documento Ostensivo Unidade Gestora: AOI/DECRED BRASIL SOLAR POWER Apoio do BNDES ao Setor Solar Fotovoltaico 06/07/2017 Classificação: Documento Ostensivo Unidade Gestora: AOI/DECRED Como apoiamos? Operações Diretas Contratadas diretamente BNDES -

Leia mais

Brasil Solar Power 2016

Brasil Solar Power 2016 Brasil Solar Power 2016 Aprovações de Financiamento: 2003 a 2015 Segmentos Capacidade Projetos Financiamento BNDES R$ bilhões Investimentos UHEs 34.728 MW 52 66,3 107,9 Térmicas 6.578 MW 18 6,5 14,1 PCHs

Leia mais

O Apoio do BNDES ao Setor de Energia Solar Fotovoltaica

O Apoio do BNDES ao Setor de Energia Solar Fotovoltaica O Apoio do BNDES ao Setor de Energia Solar Fotovoltaica CONTEXTO REGULATÓRIO i. Contexto Regulatório Resoluções ANEEL 481/2012 e 482/2012; Instituiu o Sistema de Compensação de Energia (Net-metering);

Leia mais

Apresentação Institucional BNDES Cadeia Fotovoltaica. 19 de Junho de 2015

Apresentação Institucional BNDES Cadeia Fotovoltaica. 19 de Junho de 2015 Apresentação Institucional BNDES Cadeia Fotovoltaica 19 de Junho de 2015 Linha do Tempo 50 s 60 s 70 s 80 s 90 s 00 s Hoje Infraestrutura Indústria de Base - Bens de Consumo Desenvolvimento Tecnológico

Leia mais

O BNDES e o Setor Elétrico Jun / 2014

O BNDES e o Setor Elétrico Jun / 2014 O BNDES e o Setor Elétrico Jun / 2014 Quem somos Fundado em 20 de Junho de 1952 Empresa pública de propriedade integral da União Instrumento chave para implementação da Política Industrial, de Infraestrutura

Leia mais

Apoio do BNDES ao Setor Solar Fotovoltaico

Apoio do BNDES ao Setor Solar Fotovoltaico Apoio do BNDES ao Setor Solar Fotovoltaico 2 Congresso Brasileiro de Geração Distribuída 25/10/2017 Classificação: Documento Ostensivo Unidade Gestora: AOI/DECRED Como apoiamos? Operações Diretas Contratadas

Leia mais

Apoio do BNDES ao Setor de Energia Solar Agosto 2016

Apoio do BNDES ao Setor de Energia Solar Agosto 2016 Apoio do BNDES ao Setor de Energia Solar Agosto 2016 O Apoio do BNDES ao Setor de Energia Solar 1. Aspectos Institucionais 2. Aspectos Setoriais 3. Critérios de análise Corporate Finance Project Finance

Leia mais

Apoio do BNDES a projetos de Energia Elétrica

Apoio do BNDES a projetos de Energia Elétrica Apoio do BNDES a projetos de Energia Elétrica Eduardo Chagas Departamento de Energia Elétrica Área de Infraestrutura Maio de 2015 Papel da infraestrutura na retomada do crescimento Tendo em vista as dificuldades

Leia mais

Março de BNDES e a Energia Elétrica. Apresentação para ABRAPCH

Março de BNDES e a Energia Elétrica. Apresentação para ABRAPCH Março de 2017 BNDES e a Energia Elétrica Apresentação para ABRAPCH Sistema BNDES // 2 Financiamentos de longo prazo BNDESPAR FINAME Participações Societárias Produção e Aquisição de Máquinas e Equipamentos

Leia mais

Brasil Solar Power - Julho O Apoio do BNDES ao Setor Solar

Brasil Solar Power - Julho O Apoio do BNDES ao Setor Solar Brasil Solar Power - Julho 2017 O Apoio do BNDES ao Setor Solar Visão geral das iniciativas do BNDES de apoio ao uso da energia solar e ao desenvolvimento da indústria local de equipamentos Eixos de Ação

Leia mais

Setor Elétrico Brasileiro: Crescimento e desafios. Márcia Leal Departamento de Energia Elétrica Área de Infraestrutura

Setor Elétrico Brasileiro: Crescimento e desafios. Márcia Leal Departamento de Energia Elétrica Área de Infraestrutura Setor Elétrico Brasileiro: Crescimento e desafios Márcia Leal Departamento de Energia Elétrica Área de Infraestrutura Matriz Elétrica Brasileira (31/08/2015) 13% 23% Térmicas 29% Eólicas 5% Outros 2% Hidro

Leia mais

Apoio do BNDES a Novas Tecnologias

Apoio do BNDES a Novas Tecnologias 1 Apoio do BNDES a Novas Tecnologias Agosto de 2018 Carlos Augusto de F Carneiro Área de Energia 2 Fontes Overview de dos Recursos investimentos em Renováveis Fontes: 3 Fontes A expansão de Recursos da

Leia mais

Apoio do BNDES à Infraestrutura. Comissão de Obras Públicas, Privatização e Concessões da CBIC Brasília 17 de março de 2016

Apoio do BNDES à Infraestrutura. Comissão de Obras Públicas, Privatização e Concessões da CBIC Brasília 17 de março de 2016 Apoio do BNDES à Infraestrutura Comissão de Obras Públicas, Privatização e Concessões da CBIC Brasília 17 de março de 2016 BNDES Desembolsos do BNDES Infraestrutura representa mais de 1/3 R$ bilhões 168

Leia mais

Apoio do BNDES à Infraestrutura. Rio de Janeiro Março de 2013

Apoio do BNDES à Infraestrutura. Rio de Janeiro Março de 2013 Apoio do BNDES à Infraestrutura Rio de Janeiro Março de 2013 Aspectos Institucionais Quem somos Fundado em 20 de Junho de 1952; Empresa pública de propriedade integral da União; Instrumento chave para

Leia mais

Alternativas para Financiamento em Projetos de Energia Elétrica VIEX 13/09/ 2017

Alternativas para Financiamento em Projetos de Energia Elétrica VIEX 13/09/ 2017 1 Alternativas para Financiamento em Projetos de Energia Elétrica VIEX 13/09/ 2017 Apoio do BNDES ao Setor Elétrico 2 3 Diretrizes de Atuação do BNDES Setor Elétrico é uma das infraestruturas prioritárias

Leia mais

Apoio do BNDES à Geração Distribuída

Apoio do BNDES à Geração Distribuída 1 Apoio do BNDES à Geração Distribuída BRAZIL SOLAR POWER 2018 13 de junho de 2018 Formas de apoio Como apoiamos e atuamos 2 Operações Diretas Realizadas diretamente com o BNDES Operações Indiretas Realizadas

Leia mais

Credenciamento CFI. Critérios e Processos. Departamento de Credenciamento de Máquinas, Equipamentos e Sistemas AOI/DECRED

Credenciamento CFI. Critérios e Processos. Departamento de Credenciamento de Máquinas, Equipamentos e Sistemas AOI/DECRED Credenciamento CFI Critérios e Processos Departamento de Credenciamento de Máquinas, Equipamentos e Sistemas AOI/DECRED Sumário O Departamento de Credenciamento Fluxo de Credenciamento Critérios para Credenciamento

Leia mais

BNDES: Apresentação ABIMAQ - GAMESA

BNDES: Apresentação ABIMAQ - GAMESA BNDES: Apresentação ABIMAQ - GAMESA Fevereiro de 2016 Classificação: Documento Ostensivo Unidade Gestora: GP/DEDIV/GATE 1. Aspectos Institucionais Apoio a infraestrutura no BNDES Os vários setores são

Leia mais

BNDES e a Eficiência Energética

BNDES e a Eficiência Energética BNDES e a Eficiência Energética Maio de 2015 Alexandre Siciliano Esposito Gerente de Estudos Setoriais Departamentos de Energia Elétrica e Energia Alternativa Área de Infraestrutura Líderes Mundiais em

Leia mais

O APOIO DO BNDES AO SETOR SOLAR: PERSPECTIVAS & NOVAS FRONTEIRAS. Marilene Ramos Diretora de Infraestrutura e Sustentabilidade Outubro de 2017

O APOIO DO BNDES AO SETOR SOLAR: PERSPECTIVAS & NOVAS FRONTEIRAS. Marilene Ramos Diretora de Infraestrutura e Sustentabilidade Outubro de 2017 1 O APOIO DO BNDES AO SETOR SOLAR: PERSPECTIVAS & NOVAS FRONTEIRAS Marilene Ramos Diretora de Infraestrutura e Sustentabilidade Outubro de 2017 2 Diretrizes de Atuação do BNDES Apoiar a implantação de

Leia mais

O Apoio do BNDES ao Setor de Energias Alternativas: Fotovoltaico

O Apoio do BNDES ao Setor de Energias Alternativas: Fotovoltaico O Apoio do BNDES ao Setor de Energias Alternativas: Fotovoltaico Setembro de 2015 Classificação: Documento Ostensivo Unidade Gestora: GP/DEDIV/GATE CICLO VICIOSO 2 NOVA DINÂMICA DO SETOR FOTOVOLTAICO BRASILEIRO

Leia mais

Apresentação Institucional BNDES Departamento de Bens de Capital Programa BNDES ProBK

Apresentação Institucional BNDES Departamento de Bens de Capital Programa BNDES ProBK Apresentação Institucional BNDES Departamento de Bens de Capital Programa BNDES ProBK Fevereiro de 2016 Bruno Plattek bruno.plattek@bndes.gov.br Como apoiamos Tx. de Interm. Fin. Organização Interna Área

Leia mais

BNDES - Apoio às MPMEs

BNDES - Apoio às MPMEs BNDES - Apoio às MPMEs ABIGRAF - SP 14 de maio de 2009 Quem somos Fundado em 20 de junho de 1952; Empresa pública de propriedade integral da União Federal; Principal fonte de crédito de longo prazo; Apoio

Leia mais

CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DE AEROPORTOS

CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DE AEROPORTOS CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DE AEROPORTOS FIESP CIESP Ricardo Cunha da Costa Assessor da Área de Infraestrutura BNDES Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social 24 de Abril de 2009 1 Missão e Visão

Leia mais

ANEXO 1 AO TERMO DE ADESÃO E RESPONSABILIDADE

ANEXO 1 AO TERMO DE ADESÃO E RESPONSABILIDADE ANEXO 1 AO TERMO DE ADESÃO E RESPONSABILIDADE Metodologia para Credenciamento e Apuração de Conteúdo Local de Equipamentos Fotovoltaicos no Credenciamento de Fabricantes Informatizado CFI do BNDES ETAPAS

Leia mais

Apoio do BNDES ao Setor Elétrico

Apoio do BNDES ao Setor Elétrico Apoio do BNDES ao Setor Elétrico Márcia Leal Chefe do Departamento de Energia Elétrica Área de Infraestrutura mleal@bndes.gov.br Maio 2012 O BNDES Evolução dos desembolsos 168,4 R$ bilhão 137,4 140,0 92,2

Leia mais

Apresentação Institucional Departamento de Bens de Capital - BNDES ABIMAQ 2014

Apresentação Institucional Departamento de Bens de Capital - BNDES ABIMAQ 2014 Apresentação Institucional Departamento de Bens de Capital - BNDES ABIMAQ 2014 Prioridades BNDES Infraestrutura logística e energética Infraestrutura urbana de saneamento e mobilidade. Modernização da

Leia mais

Apoio ao Setor de Bens de Capital

Apoio ao Setor de Bens de Capital Apoio ao Setor de Bens de Capital Luciano Velasco Andrea Varela Fuchsloch Departamento de Bens de Capital - DEBK Rio de Janeiro 17 de Novembro de 2015 Prioridades BNDES Infraestrutura logística e energética

Leia mais

Junho de Modelos de Financiamento aos Projetos de Energia Renovável

Junho de Modelos de Financiamento aos Projetos de Energia Renovável Junho de 2016 Modelos de Financiamento aos Projetos de Energia Renovável Líderes em Renováveis Investimentos em 2014 3 Source: Renewables 2015 Global Status Report (year base: 2014) Participação das renováveis

Leia mais

Favereiro de BNDES Apoio à Energia Solar. Adriano Zanetti Área de Energia do BNDES

Favereiro de BNDES Apoio à Energia Solar. Adriano Zanetti Área de Energia do BNDES Favereiro de 2017 BNDES Apoio à Energia Solar Adriano Zanetti Área de Energia do BNDES O BNDES na Estrutura da União // 2 República Federativa do Brasil Poder Legislativo Poder Executivo Poder Judiciário

Leia mais

FIESP - Workshop Financiar para Crescer

FIESP - Workshop Financiar para Crescer 1 FIESP - Workshop Financiar para Crescer BNDES e o Financiamento à Infraestrutura 30 de novembro de 2016 Guilherme Montoro Conjuntura Macro Esgotamento do modelo de crescimento baseado na expansão do

Leia mais

BNDES - Apresentação Institucional. Oportunidades para Investimentos na Indústria Química Brasileira Sinproquim 23 de abril de 2014

BNDES - Apresentação Institucional. Oportunidades para Investimentos na Indústria Química Brasileira Sinproquim 23 de abril de 2014 BNDES - Apresentação Institucional Oportunidades para Investimentos na Indústria Química Brasileira Sinproquim 23 de abril de 2014 Quem somos Fundado em 20 de Junho de 1952 Empresa pública de propriedade

Leia mais

Apresentação Institucional Departamento de Bens de Capital - BNDES. ABIMAQ fevereiro de 2014

Apresentação Institucional Departamento de Bens de Capital - BNDES. ABIMAQ fevereiro de 2014 Apresentação Institucional Departamento de Bens de Capital - BNDES ABIMAQ fevereiro de 2014 Prioridades BNDES Infraestrutura logística e energética Infraestrutura urbana de saneamento e mobilidade. Modernização

Leia mais

O Apoio do BNDES ao Setor de Energias Renováveis. 05 de maio

O Apoio do BNDES ao Setor de Energias Renováveis. 05 de maio O Apoio do BNDES ao Setor de Energias Renováveis 05 de maio Agenda: A Área de Infraestrutura do BNDES Modalidades de Financiamento Linhas de financiamento a Projetos de Energia Elétrica Apoio ao setor

Leia mais

LINHAS DE FINANCANCIAMENTO DO BNDES

LINHAS DE FINANCANCIAMENTO DO BNDES LINHAS DE FINANCANCIAMENTO DO Linhas de Financiamento para Geração Distribuída O APOIO DO AO SETOR SOLAR FOTOVOLTAICO NELSON TORTOSA - Credenciamento Setor Solar Fotovoltaico EMPRESAS CREDENCIADAS NO Já

Leia mais

Viabilização de Investimentos no Setor Elétrico. ABiNEE TEC Nelson Siffert São Paulo 24 de abril de Foto: Usina Hidrelétrica Barra Grande

Viabilização de Investimentos no Setor Elétrico. ABiNEE TEC Nelson Siffert São Paulo 24 de abril de Foto: Usina Hidrelétrica Barra Grande 1 Viabilização de Investimentos no Setor Elétrico ABiNEE TEC 2007 Foto: Usina Hidrelétrica Barra Grande Nelson Siffert São Paulo 24 de abril de 2007 Agenda BNDES Financiamentos do BNDES - Setor Elétrico

Leia mais

Departamento de Bens de Capital - BNDES O Apoio do BNDES ao Setor de Bens de capital

Departamento de Bens de Capital - BNDES O Apoio do BNDES ao Setor de Bens de capital Departamento de Bens de Capital - BNDES O Apoio do BNDES ao Setor de Bens de capital 12º Encontro da Cadeia de Ferramentas, Moldes e Matrizes - MOLDES ABM Agosto de 2014 Importância do investimento na

Leia mais

Apresentação Institucional BNDES Departamento de Bens de Capital ABIMAQ

Apresentação Institucional BNDES Departamento de Bens de Capital ABIMAQ Apresentação Institucional BNDES Departamento de Bens de Capital ABIMAQ Janeiro de 2015 Os indicadores demonstram as dificuldades que as empresas de BK vêm encontrando... 2 O acirramento da concorrência

Leia mais

Financiabilidade de projetos voltados para o mercado livre

Financiabilidade de projetos voltados para o mercado livre FÓRUM ABRACEEL - CANALENERGIA Financiabilidade de projetos voltados para o mercado livre Nelson Siffert Chefe do Departamento de Energia Elétrica BNDES Rio de Janeiro, 05.10.2007 BRASIL: NOVO CICLO DE

Leia mais

Apoio do BNDES à Infraestrutura. Rio de Janeiro Junho de 2013

Apoio do BNDES à Infraestrutura. Rio de Janeiro Junho de 2013 Apoio do BNDES à Infraestrutura Rio de Janeiro Junho de 2013 Aspectos Institucionais Quem somos Fundado em 20 de Junho de 1952; Empresa pública de propriedade integral da União; Instrumento chave para

Leia mais

BNDES e o Apoio ao Setor de P&G. André Pompeo do Amaral Mendes Gerente AIB/DEGAP Novembro / 2014

BNDES e o Apoio ao Setor de P&G. André Pompeo do Amaral Mendes Gerente AIB/DEGAP Novembro / 2014 BNDES e o Apoio ao Setor de P&G André Pompeo do Amaral Mendes Gerente AIB/DEGAP Novembro / 2014 BNDES BNDES Fundado em 20 de Junho de 1952 Empresa pública de propriedade integral da União Instrumento chave

Leia mais

BNDES. 8º Lubgrax Meeting. 16 de Agosto de 2017

BNDES. 8º Lubgrax Meeting. 16 de Agosto de 2017 BNDES 8º Lubgrax Meeting 16 de Agosto de 2017 Aspectos institucionais // Quem somos!! Fundado em 20 de junho de 1952!! Empresa pública de propriedade integral da União!! Instrumento-chave para implementação

Leia mais

O BNDES Apresentação Institucional Políticas Operacionais

O BNDES Apresentação Institucional Políticas Operacionais O BNDES Apresentação Institucional Políticas Operacionais 1 Aspectos institucionais Focos de apoio financeiro Formas de atuação Novas Políticas Operacionais do BNDES Políticas Operacionais e a Indústria

Leia mais

Novas políticas OPERACIONAIS. Condições

Novas políticas OPERACIONAIS. Condições Novas políticas OPERACIONAIS Condições Destaques 02 Ampliação de ACESSO AO CRÉDITO Ampliação de ACESSO A GARANTIAS Ampliação de ACESSO A CAPITAL DE GIRO com operações diretas (sem intermediação de agente

Leia mais

Novas políticas OPERACIONAIS. Condições

Novas políticas OPERACIONAIS. Condições Novas políticas OPERACIONAIS Condições Destaques 02 Ampliação de ACESSO AO CRÉDITO Ampliação de ACESSO A GARANTIAS Ampliação de ACESSO A CAPITAL DE GIRO com operações diretas (sem intermediação de agente

Leia mais

BRDE. 1º Workshop Nacional de CGH s ABRAPCH 28/03/2017 Tatiana Henn Gerente de Planejamento PR

BRDE. 1º Workshop Nacional de CGH s ABRAPCH 28/03/2017 Tatiana Henn Gerente de Planejamento PR BRDE 1º Workshop Nacional de CGH s ABRAPCH 28/03/2017 Tatiana Henn Gerente de Planejamento PR O BRDE Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul O BRDE Fundação: 1961 562 funcionários 3 agências localizadas

Leia mais

Provedores Serviços de Comunicações e Internet (ISP) Apoio do BNDES

Provedores Serviços de Comunicações e Internet (ISP) Apoio do BNDES Provedores Serviços de Comunicações e Internet (ISP) Apoio do BNDES Encontro de Provedores Regionais Norte Bit Social / Momento Editorial Luiz Pazos Chefe do Departamento Norte BNDES Alter do Chão, 13

Leia mais

Novas Políticas Operacionais do BNDES - Apoio ao Setor de Petróleo e Gás. Luís André Sá D Oliveira Chefe de Departamento Gás e Petróleo Abril / 2017

Novas Políticas Operacionais do BNDES - Apoio ao Setor de Petróleo e Gás. Luís André Sá D Oliveira Chefe de Departamento Gás e Petróleo Abril / 2017 Novas Políticas Operacionais do BNDES - Apoio ao Setor de Petróleo e Gás Luís André Sá D Oliveira Chefe de Departamento Gás e Petróleo Abril / 2017 O BNDES na Estrutura da União República Federativa do

Leia mais

Energia renovável: financiamentos para o agronegócio, indústria e comércio. Agência do Rio Grande do Sul Alexander Leitzke Gerente Planejamento

Energia renovável: financiamentos para o agronegócio, indústria e comércio. Agência do Rio Grande do Sul Alexander Leitzke Gerente Planejamento Porto Alegre - 2017 Energia renovável: financiamentos para o agronegócio, indústria e comércio. Agência do Rio Grande do Sul Alexander Leitzke Gerente Planejamento O BRDE Programa PCS Financiamento Energia

Leia mais

Seminário de Crédito das Linhas do BNDES para Micro, Pequenas e Médias Empresas. Belo Horizonte - MG 01 de setembro de 2009

Seminário de Crédito das Linhas do BNDES para Micro, Pequenas e Médias Empresas. Belo Horizonte - MG 01 de setembro de 2009 Seminário de Crédito das Linhas do BNDES para Micro, Pequenas e Médias Empresas Belo Horizonte - MG 01 de setembro de 2009 Missão Banco do DESENVOLVIMENTO Competitividade e sustentabilidade Redução das

Leia mais

O BNDES mais perto de você. Apoio do BNDES para Biotecnologia e Indústria Farmaceútica. Belo Horizonte MG

O BNDES mais perto de você. Apoio do BNDES para Biotecnologia e Indústria Farmaceútica. Belo Horizonte MG Apoio do BNDES para Biotecnologia e Indústria Farmaceútica Belo Horizonte MG dezembro /2007 Missão do BNDES Promover o desenvolvimento econômico e social Redução das desigualdades sociais e regionais Geração

Leia mais

Novas Políticas Operacionais do BNDES - Apoio ao Setor de Petróleo e Gás

Novas Políticas Operacionais do BNDES - Apoio ao Setor de Petróleo e Gás Novas Políticas Operacionais do BNDES - Apoio ao Setor de Petróleo e Gás Mauricio dos Santos Neves Superintendente Área de Indústrias de Base Maio / 2017 Organização Interna Auditoria Interna Conselho

Leia mais

Seminário Climatização & Cogeração a Gás Natural

Seminário Climatização & Cogeração a Gás Natural Seminário Climatização & Cogeração a Gás Natural Linhas de Financiamentos - BNDES 12 de julho de 2012. Nelson Granthon Barata Gerente Departamento de Fontes Alternativas de Energia Área de Infraestrutura

Leia mais

A ABRAGEL Associação com sede em Brasília e mais de 50 Associados em seu quadro.

A ABRAGEL Associação com sede em Brasília e mais de 50 Associados em seu quadro. Fábio Sales Dias Geração Hidrelétrica na Região: Plano Oficial para o Desenvolvimento de Pequenas e Grandes Usinas na América Latina, Tendências, Desafios e Oportunidades Rio de Janeiro, 31 de janeiro

Leia mais

Seminário ABNT/BID Gestão dos Gases de Efeito Estufa. São Paulo, 04 de setembro de 2013

Seminário ABNT/BID Gestão dos Gases de Efeito Estufa. São Paulo, 04 de setembro de 2013 Seminário ABNT/BID Gestão dos Gases de Efeito Estufa São Paulo, 04 de setembro de 2013 Agenda 1. Informações Institucionais 2. Apoio às Micro, Pequenas e Médias Empresas Projetos de Investimento Aquisição

Leia mais

INSERÇÃO DE NOVAS FONTES RENOVÁVEIS NO PLANEJAMENTO ENERGÉTICO BRASILEIRO

INSERÇÃO DE NOVAS FONTES RENOVÁVEIS NO PLANEJAMENTO ENERGÉTICO BRASILEIRO INSERÇÃO DE NOVAS FONTES RENOVÁVEIS NO PLANEJAMENTO ENERGÉTICO BRASILEIRO Mecanismos de promoção das fontes renováveis RIO DE JANEIRO, 30/04/2014 COPPE/UFRJ 1 Mecanismos de promoção de renováveis TARIFA

Leia mais

BNDES e o apoio à Infraestrutura. Agosto de 2016

BNDES e o apoio à Infraestrutura. Agosto de 2016 BNDES e o apoio à Infraestrutura Agosto de 2016 Quem somos Fundado em 20 de Junho de 1952. Empresa pública de propriedade integral da União. Instrumento chave para implementação da política industrial,

Leia mais

e a Energia Elétrica Setembro de 2018 Alexandre Siciliano Esposito Gerente Setorial de Energia Elétrica

e a Energia Elétrica Setembro de 2018 Alexandre Siciliano Esposito Gerente Setorial de Energia Elétrica 1 e a Energia Elétrica Setembro de 2018 Alexandre Siciliano Esposito Gerente Setorial de Energia Elétrica 2 Histórico Fontes de Recursos e Perspectiva de Investimentos Fonte: 3 BNDES Fontes de - Visão

Leia mais

Políticas para Energias Renováveis e Nuclear. na América Latina. O Caso Brasil. Rio de Janeiro - Brasil, 28 de Agosto de 2018

Políticas para Energias Renováveis e Nuclear. na América Latina. O Caso Brasil. Rio de Janeiro - Brasil, 28 de Agosto de 2018 Políticas para Energias Renováveis e Nuclear Roberto C. A. Travassos ELET ROBRAS ELETRONUCLEAR Assistente do Diretor Técnico na América Latina O Caso Brasil Rio de Janeiro - Brasil, 28 de Agosto de 2018

Leia mais

BRASIL SOLAR POWER 2017

BRASIL SOLAR POWER 2017 BRASIL SOLAR POWER 2017 Congresso Geração Centralizada Painel: Cadeia Produtiva 6 de Julho/2017 Rio de Janeiro/RJ Brasil José Ricardo Ramos Sales Analista de Comércio Exterior Secretaria de Desenvolvimento

Leia mais

Financiamento do investimento social privado Atuação do BNDES no entorno de projetos eólicos

Financiamento do investimento social privado Atuação do BNDES no entorno de projetos eólicos Seminário Socioambiental Eólico SSE 2017 Financiamento do investimento social privado Atuação do BNDES no entorno de projetos eólicos Salvador, dezembro/2017 Agenda 1 Financiamento do BNDES ao Setor Eólico

Leia mais

8º Encontro de Logística e Transportes - FIESP. Roberto Zurli Machado

8º Encontro de Logística e Transportes - FIESP. Roberto Zurli Machado 8º Encontro de Logística e Transportes - FIESP Roberto Zurli Machado Maio, 2013 Agenda Ações do Governo Federal - Logística Atuação do BNDES Ações do Governo Federal Logística Logística e Transportes Posicionamento

Leia mais

Soluções BNDES para pequenos negócios. Belo Horizonte - MG 20/06/2017

Soluções BNDES para pequenos negócios. Belo Horizonte - MG 20/06/2017 Soluções BNDES para pequenos negócios Belo Horizonte - MG 20/06/2017 Como apoiamos? Operações Diretas Contratadas diretamente com o BNDES Operações Indiretas Instituição Financeira Credenciada Informação

Leia mais

BRASIL SOLAR POWER 2016

BRASIL SOLAR POWER 2016 BRASIL SOLAR POWER 2016 Congresso Geração Centralizada Painel 3: Cadeia Produtiva 1º de Julho/2016 Rio de Janeiro/RJ Brasil José Ricardo Ramos Sales Analista de Comércio Exterior Secretaria de Desenvolvimento

Leia mais

OPORTUNIDADES. Apresentamos nova(s) oportunidade(s) na sua Área de atuação. BNDES Fundo Clima - Energias Renováveis 2017.

OPORTUNIDADES. Apresentamos nova(s) oportunidade(s) na sua Área de atuação. BNDES Fundo Clima - Energias Renováveis 2017. Apresentamos nova(s) oportunidade(s) na sua Área de atuação. BNDES Fundo Clima - Energias Renováveis 2017 O BNDES Fundo Clima - Energias Renováveis tem como objetivo apoiar investimentos em geração e distribuição

Leia mais

Cenários para o Setor Elétrico. Energia Competitiva no Nordeste

Cenários para o Setor Elétrico. Energia Competitiva no Nordeste Cenários para o Setor Elétrico Energia Competitiva no Nordeste BAHIA Atividade Econômica Estrutura da Produção Industrial Bahia Setores % Refino de petróleo e coque 30,1 Alimentos e Bebidas 17,8 Produtos

Leia mais

Financiamento e Garantias para a Infraestrutura

Financiamento e Garantias para a Infraestrutura Seminário Financiamento e Garantias para a Infraestrutura ABDIB Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base São Paulo, 23 de maio de 2017 Claudio Coutinho Mendes 2 Atuação do BNDES: Liberações

Leia mais

Política Energética em Minas Gerais e no Brasil - oportunidades para pequenos negócios e municípios

Política Energética em Minas Gerais e no Brasil - oportunidades para pequenos negócios e municípios Política Energética em Minas Gerais e no Brasil - oportunidades para pequenos negócios e municípios Desenvolvimento do Setor Energético de MG MARCO: Conjugação de esforços entre a SEDECTES, o SEBRAE e

Leia mais

ABDE-BNDES-BID. Seminário e oficina Técnica ABDE-BNDES-BID: Políticas Ambientais como fonte de negócio para IFDs.

ABDE-BNDES-BID. Seminário e oficina Técnica ABDE-BNDES-BID: Políticas Ambientais como fonte de negócio para IFDs. ABDE-BNDES-BID Seminário e oficina Técnica ABDE-BNDES-BID: Políticas Ambientais como fonte de negócio para IFDs. Sessão V: Ampliando a atuação de IFDs no financiamento climático. Painel: O potencial na

Leia mais

Energia Solar Integração e Desenvolvimento

Energia Solar Integração e Desenvolvimento Energia Solar Integração e Desenvolvimento Eng. Civil Cristiano Augusto Trein, Ph.D. Cuiabá, 12 de Agosto de 2016 Energia Solar Integração e Desenvolvimento Energia Solar = Integração + Desenvolvimento

Leia mais

As PCHs no contexto energético futuro no Brasil

As PCHs no contexto energético futuro no Brasil As PCHs no contexto energético futuro no Brasil Belo Horizonte, 21 de Agosto de 2013. Charles Lenzi Agenda de Hoje Conjuntura Atual Desafios da Competitividade Nossas propostas Conclusões A ABRAGEL Associação

Leia mais

O Apoio do BNDES ao Setor Eólico e a Nova Metodologia para Credenciamento de Aerogeradores

O Apoio do BNDES ao Setor Eólico e a Nova Metodologia para Credenciamento de Aerogeradores O Apoio do BNDES ao Setor Eólico e a Nova Metodologia para Credenciamento de Aerogeradores 2 Apoio do BNDES às UEEs Carteira do BNDES de Projetos Eólicos Projetos contratados entre 2005 e 2010: 1.040 MW

Leia mais

LOCALIZAÇÃO. Posição ESTRATÉGICA na América do Sul Fácil acesso para o Mercosul e para os maiores mercados no Brasil

LOCALIZAÇÃO. Posição ESTRATÉGICA na América do Sul Fácil acesso para o Mercosul e para os maiores mercados no Brasil O ESTADO DO PARANÁ LOCALIZAÇÃO Posição ESTRATÉGICA na América do Sul Fácil acesso para o Mercosul e para os maiores mercados no Brasil ECONOMIA 3ª MAIOR POLO INDUSTRIAL DO BRASIL 5ª MAIOR ECONOMIA DO PAÍS

Leia mais

POLÍTICA ENERGÉTICA. Mauricio T. Tolmasquim Presidente

POLÍTICA ENERGÉTICA. Mauricio T. Tolmasquim Presidente POLÍTICA ENERGÉTICA 21 de Setembro de 2015 12 th International Conference Brazil Energy and Power BEP 12 Câmara de Comércio Americana do Rio de Janeiro -AmCham Rio Painel Energia e Política Industrial

Leia mais

Infraestrutura e Logística Reflexos na Competitividade

Infraestrutura e Logística Reflexos na Competitividade Infraestrutura e Logística Reflexos na Competitividade Enaex Agosto, 2013 Luciano Coutinho Presidente 1 Brasil apresenta fundamentos compatíveis com o crescimento sustentável de Longo Prazo País possui

Leia mais

Cenário após Finalização do Plano de Nacionalização. Dia do Fornecedor GAMESA. Fevereiro/2016

Cenário após Finalização do Plano de Nacionalização. Dia do Fornecedor GAMESA. Fevereiro/2016 Cenário após Finalização do Plano de Nacionalização Dia do Fornecedor GAMESA Fevereiro/2016 OBJETIVOS Metodologia de Credenciamento para Aerogeradores Eliminação gradativa das diferenças entre as estruturas

Leia mais

O Regime Jurídico das SPEs, Sócios Estatais e Privados, Financiamento do setor. São Paulo 30 de outubro de 2014

O Regime Jurídico das SPEs, Sócios Estatais e Privados, Financiamento do setor. São Paulo 30 de outubro de 2014 O Regime Jurídico das SPEs, Sócios Estatais e Privados, Financiamento do setor. São Paulo 30 de outubro de 2014 Sociedade de Propósito Específico Legislação Antes 2004 Lei 8.666/93 (Lei de Licitações):

Leia mais

Máquinas e Equipamentos

Máquinas e Equipamentos Máquinas e Equipamentos FINAME Financiamentos para a produção e a comercialização de máquinas, equipamentos e bens de informática e automação que sejam novos, de fabricação nacional, credenciados no BNDES.

Leia mais

BRDE ENERGIA. Linhas de financiamento para geração de energia e eficiência energética

BRDE ENERGIA. Linhas de financiamento para geração de energia e eficiência energética BRDE ENERGIA Linhas de financiamento para geração de energia e eficiência energética Felipe Castro do Couto: Gerente de Planejamento - BRDE Santa Catarina Um pouco de BRDE Banco público de fomento, criado

Leia mais

Módulo 1 Princípios Básicos do Setor de Energia Elétrica

Módulo 1 Princípios Básicos do Setor de Energia Elétrica TRIBUTAÇÃO SOBRE ENERGIA ELÉTRICA CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Módulo 1 Princípios Básicos do Setor de Energia Elétrica 1 Modelo atual do setor elétrico brasileiro a partir de 2004 2 Marcos Regulatórios do Novo

Leia mais

LIVRO VERDE DO ETANOL

LIVRO VERDE DO ETANOL III Workshop INFOSUCRO sobre Economia do Etanol e Indústria Sucroenergética O Apoio do BNDES ao Setor Sucroenergético Carlos Eduardo Cavalcanti Chefe do Dept de Biocombustíveis - BNDES Rio, 26/11/2010

Leia mais

Como posso atuar no setor de Energia Solar?

Como posso atuar no setor de Energia Solar? Como posso atuar no setor de Energia Solar? Conheça a cadeia de valor do setor FV #2 O que eu encontro neste e-book? O e-book destina-se aos profissionais que querem atuar no setor de Energia Solar Fotovoltaica,

Leia mais

Financiamentos de Projetos de Infra-Estrutura

Financiamentos de Projetos de Infra-Estrutura Financiamentos de Projetos de Infra-Estrutura BNDES Nelson Siffert Chefe do Departamento de Energia Elétrica BNDES Abril de 2004 BNDES - Histórico 1950 1960 1970 1980 1990 2000 Infra-estrutura (Energia

Leia mais

Apoio do BNDES a Pequenos e Médios Provedores de Internet

Apoio do BNDES a Pequenos e Médios Provedores de Internet Apoio do BNDES a Pequenos e Médios Provedores de Internet São José do Rio Preto - SP 29.setembro.2015 Como apoiamos? Operações Diretas Contratadas diretamente com o BNDES Como apoiamos? Operações Indiretas

Leia mais

Geração Distribuída combinando as diferentes fontes renováveis: Projetos de P&D

Geração Distribuída combinando as diferentes fontes renováveis: Projetos de P&D Geração Distribuída combinando as diferentes fontes renováveis: Projetos de P&D Dr. Gustavo Malagoli Buiatti Fortaleza, 26 de outubro de 2017. Nossa missão é prover energia elétrica, pela combinação de

Leia mais

Apoio do BNDES para a Cadeia de P&G -Programa BNDES P&G -

Apoio do BNDES para a Cadeia de P&G -Programa BNDES P&G - Apoio do BNDES para a Cadeia de P&G -Programa BNDES P&G - Departamento da Cadeia Produtiva de Petróleo e Gás - Área de Insumos Básicos Departamento Regional Sul Gabinete da Presidência (GP/DESUL) Abril

Leia mais

QUALIDADE DE PROJETOS E FINANCIAMENTO: Como alavancar o investimento em infraestrutura?

QUALIDADE DE PROJETOS E FINANCIAMENTO: Como alavancar o investimento em infraestrutura? QUALIDADE DE PROJETOS E FINANCIAMENTO: Como alavancar o investimento em infraestrutura? Edson Dalto Departamento de Transportes e Logística (DELOG) Área de Infraestrutura São Paulo, mar/16 (o conteúdo

Leia mais

BRASIL SOLAR POWER 2018

BRASIL SOLAR POWER 2018 BRASIL SOLAR POWER 2018 Financiamento a Energias Renováveis Alan Luz - aluz@bnb.gov.br Escritório de Promoção e Atração de Investimentos e Relacionamento Institucional Rio de Janeiro Junho de 2018 Banco

Leia mais

Taller de trabajo: Energía Solar Integración y despacho: desafíos para la región

Taller de trabajo: Energía Solar Integración y despacho: desafíos para la región MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA Taller de trabajo: Energía Solar Integración y despacho: desafíos para la región Ing. Cristiano Augusto Trein, Ph.D. Ministério de Minas e Energia cristiano.trein@mme.gov.br

Leia mais

Apoio do BNDES a Pequenos e Médios Provedores de Internet

Apoio do BNDES a Pequenos e Médios Provedores de Internet Apoio do BNDES a Pequenos e Médios Provedores de Internet Londrina - PR 26.janeiro.2015 Como apoiamos? Operações Diretas Contratadas diretamente com o BNDES Como apoiamos? Operações Indiretas N o de operações

Leia mais

Apoio à Inovação. São Paulo, 03 de Outubro de 2017

Apoio à Inovação. São Paulo, 03 de Outubro de 2017 Apoio à Inovação São Paulo, 03 de Outubro de 2017 Classificação de porte Porte da Empresa MPMEs Micro Pequena Média Grande Receita Operacional Bruta Até R$ 2,4 milhões Até R$ 16 milhões Até R$ 300 milhões

Leia mais

PERFIL DA ENGIE Presente em mais de. 70 países bilhões de investimento líquido entre 2016 e 2018 incluindo. bilhões 10.

PERFIL DA ENGIE Presente em mais de. 70 países bilhões de investimento líquido entre 2016 e 2018 incluindo. bilhões 10. PERFIL DA ENGIE 153.090 Presente em mais de colaboradores 70 países 66.6 bilhões em receita 10.7 bilhões EBITDA 16 bilhões de investimento líquido entre 2016 e 2018 incluindo 1 bilhão em inovação e digital

Leia mais

Encontro de Provedores Regionais Nordeste Bit Social / Momento Editorial

Encontro de Provedores Regionais Nordeste Bit Social / Momento Editorial Encontro de Provedores Regionais Nordeste Bit Social / Momento Editorial Políticas Públicas O Apoio do BNDES a Pequenas e Médias Empresas Fortaleza, 1º de Abril de 2016 Margarida Baptista BNDES O BNDES

Leia mais

CHG Meridian AG. Áreas de atuação/ramo: - Automobilístico, TI, indústria de máquinas, tecnologia médica - Serviços, financiamento, leasing

CHG Meridian AG. Áreas de atuação/ramo: - Automobilístico, TI, indústria de máquinas, tecnologia médica - Serviços, financiamento, leasing CHG Meridian AG - Automobilístico, TI, indústria de máquinas, tecnologia médica - Serviços, financiamento, leasing - Gestão integrada de aquisição e operação de infra-estrutura tecnológica nas áreas de

Leia mais

Alexander N. Leitzke Gerente de Planejamento Porto Alegre mai/2018. Linhas de crédito do BRDE para GD.

Alexander N. Leitzke Gerente de Planejamento Porto Alegre mai/2018. Linhas de crédito do BRDE para GD. Alexander N. Leitzke Gerente de Planejamento Porto Alegre mai/2018 Linhas de crédito do BRDE para GD. O BRDE no RS Financiamento para GD. Cases apoiados pelo BRDE. Exigências, Vantagens e Contatos. Economia

Leia mais

ENERGIA SOLAR, UMA BANDEIRA!!! Ações Federais, Estaduais e Municipais em prol de GD. 2º Congresso Brasileiro de Geração Distribuída

ENERGIA SOLAR, UMA BANDEIRA!!! Ações Federais, Estaduais e Municipais em prol de GD. 2º Congresso Brasileiro de Geração Distribuída ENERGIA SOLAR, UMA BANDEIRA!!! Ações Federais, Estaduais e Municipais em prol de GD 2º Congresso Brasileiro de Geração Distribuída Fortaleza/CE 25/outubro/2017 Deputado Gil Pereira: Bacharel em administração,

Leia mais

Seminário ABINEE Credenciamento no CFI do BNDES. São Paulo/SP

Seminário ABINEE Credenciamento no CFI do BNDES. São Paulo/SP Seminário ABINEE Credenciamento no CFI do BNDES São Paulo/SP 12.11.18 LINHA DO TEMPO 1964 1973 1976 1977 1983 1991 2012 2015 2016 2017 2018 Decreto nº 55.275 de 22/12/64: Fundo para financiamento de máquinas

Leia mais

III Encontro dos Municípios com o Desenvolvimento Sustentável Centro de Convenções Ulysses Guimarães Brasilia, 7 a 9 de abril de 2015.

III Encontro dos Municípios com o Desenvolvimento Sustentável Centro de Convenções Ulysses Guimarães Brasilia, 7 a 9 de abril de 2015. III Encontro dos Municípios com o Desenvolvimento Sustentável Centro de Convenções Ulysses Guimarães Brasilia, 7 a 9 de abril de 2015. Apoio Específico aos Municípios Linha de Financiamento para Modernização

Leia mais