PROJETO SISTEMA DE PREVENÇÃO, CONTROLE E ATENDIMENTO EMERGENCIAL EM ACIDENTES COM PRODUTOS PERIGOSOS NA RODOVIA BR 101 TRECHO SUL SC

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROJETO SISTEMA DE PREVENÇÃO, CONTROLE E ATENDIMENTO EMERGENCIAL EM ACIDENTES COM PRODUTOS PERIGOSOS NA RODOVIA BR 101 TRECHO SUL SC"

Transcrição

1 PROJETO SISTEMA DE PREVENÇÃO, CONTROLE E ATENDIMENTO EMERGENCIAL EM ACIDENTES COM PRODUTOS PERIGOSOS NA RODOVIA BR 101 TRECHO SUL SC

2 INTRODUÇÃO O Projeto foi assinado em novembro de 2010, é fruto de um convênio entre o DNIT e UFSC.

3 JUSTIFICATIVA Necessidade de estruturação de um sistema integrado de primeira resposta e resposta especializada para atendimento de acidentes que envolvem produtos perigosos, na BR 101 Trecho Sul - SC, entre os municípios de Palhoça e Passo de Torres em Santa Catarina. Pretendeu executar as ações do projeto para que os órgãos envolvidos no atendimento a acidentes com produtos perigosos, possam prestar socorros e assistência às vítimas, de uma forma rápida e eficiente, e reabilitar a biota afetada pelo acidente.

4 OBJETIVO Estruturação de um Sistema Integrado de 1ª Resposta e Resposta Especializada, para atendimento de acidentes envolvendo produtos perigosos, no trecho sul da BR-101, entre os municípios de Palhoça e Passo de Torres, de modo a prestar socorro e assistência às vítimas, de uma forma rápida e eficiente

5 METAS Meta 1 Elaboração do Plano Ambiental Emergencial - PAE; Meta 2 Realização de Campanhas de Divulgação; Meta 3 Elaboração de Projetos Executivos de Engenharia; Meta 4 Desenvolvimento e Implantação de Banco de Dados; Meta 5 Aquisição de Equipamentos e Materiais; Meta 6 Construção de uma Área do Hospital Universitário para Atendimento a Queimados e Vítimas de Acidentes com Produtos Tóxicos.

6 Meta 1 Elaboração do Plano Ambiental Emergencial - PAE A elaboração do Plano Ambiental Emergencial - PAE teve como objetivo estruturar um conjunto bem planejado de atividades, informações e procedimentos destinado à coordenação da ação das diversas instâncias públicas condizentes ao tema, no atendimento e resposta aos acidentes com produtos perigosos. Equipe: Arq. Caroline Margarida Geog. Cristiane Aparecida do Nascimento Engª Civil Liseane Padilha Thives Graduanda Barbara Ferreira Graduanda Fernanda Vieira da Costa Mestranda Marinês da Silva

7 Meta 1 Elaboração do Plano Ambiental Emergencial - PAE Esta meta iniciou no mês de março de 2011, finalizando-se em novembro do mesmo ano. Atividades para atingir a Meta: Elaborar objetivo com base no Plano de Trabalho do projeto (9 meses); Definir equipe multidisciplinar para atuar na elaboração do PAE; Realizar pesquisas bibliográficas; Realizar diagnóstico do transporte rodoviário de Produtos Perigosos na BR-101 trecho sul, com base no Banco de Dados Sindec; Levantar informações com órgãos de resposta (CBMSC, PRF, FATMA, BPA, SAMU, Auto Pista), sobre recursos materiais e humanos disponíveis;

8 Meta 1 Elaboração do Plano Ambiental Emergencial - PAE Levantar informações, com a PRF, sobe acidentes com Produtos Perigosos na BR-101 trecho sul SC; Levantar informações sobre os aspectos físicos e antrópicos das regiões circunvizinhas da BR-101 trecho sul SC; Levantar com GPS os pontos vulneráveis ao longo da BR-101 trecho sul SC; Construção da Planta Retigráfica; Buscar junto aos órgãos responsáveis pelo atendimento a emergências com produtos perigosos, informações para compor o plano de chamada do PAE; Elaborar o PAE com base nos dados levantados e de acordo com metodologia previamente definida; Assistência na elaboração do Sistema de Informação previsto na Meta 4; Entregar o produto final - Plano Ambiental Emergencial PAE.

9 Meta 2 Realização de Campanhas de Divulgação Na construção do projeto, foi identificado a necessidade de desenvolvido um plano regional coordenado de difusão de informação, destinado prioritariamente aos condutores de veículos de carga, à população lindeira e aos usuários da rodovia. Este plano de difusão de informação teve ênfase nos aspectos mais técnicos voltados à prevenção de acidentes e às atitudes e procedimentos a adotar no caso da ocorrência dos mesmos. Neste sentido, se buscou realizar 3 campanhas de divulgação. Equipe: Arq. Caroline Margarida Geog. Cristiane Aparecida do Nascimento Cel. Marcos Oliveira Prof. Luiz Otávio Alvares

10 Meta 2 Realização de Campanhas de Divulgação A meta teve inicio em fevereiro e término em julho de 2012, a equipe do projeto primeiramente desenvolveu um folder explicativo sobre o projeto que conta também com orientações e recomendações ao motorista.

11 Meta 2 Realização de Campanhas de Divulgação A primeira capacitação ocorreu em Tubarão e a segunda em Criciúma, e tiveram foco na orientação aos motoristas e moradores lindeiros a rodovia. A terceira capacitação ocorreu em Florianópolis, e teve como foco os profissionais de primeira resposta e resposta especializada e que atuam no atendimento emergencial com produtos perigosos.

12 Meta 3 Elaboração de Projetos Executivos de Engenharia Projeto Básico e Executivo de Construção ou Adequação de uma área do Hospital Universitário para Atendimento a Queimados e Vitimas de Acidentes com Produtos Tóxicos; Atualmente o estado tem 14 leitos (adulto), 8 no hospital Tereza Ramos de Lages e 6 no Hospital Municipal de São José na cidade de Joinville, destinados ao atendimentos de queimados. O projeto conta com 2 (duas) unidade de terapia intensiva (UTI), 1 (um) centro cirúrgico e 5 (cinco) leitos. A proposta é que os pacientes fiquem isolados e não precisem ser removidos para outras alas do hospital, o que diminui o risco de infecções.

13 Meta 3 Elaboração de Projetos Executivos de Engenharia Projeto Básico e Executivo de Centro de Gerenciamento O projeto arquitetônico atende os requisitos de acessibilidade, flexibilidade e sustentabilidade. Foi desenvolvido com aproximadamente 623m² no térreo, 640m² no 1º pavimento e 640m² no 2º pavimento. Equipe: Engº Diane Guzi Arq. Mariana Bittencourt Projeto Arquitetônico Engª Civil Natália S. C. Flesch Projeto Preventivo de Incêndio e Hidrossanitário Engª Eletricista Alice Bittencourt Projeto Elétrico e Telecomunicações Engº Jano D Araujo Coelho Projeto Estrutural

14 Meta 3 Elaboração de Projetos Executivos de Engenharia Projeto Básico e Executivo de Centro de Gerenciamento ACESSO SAÍDA DE EMERGÊNCIA Térreo

15 Meta 3 Elaboração de Projetos Executivos de Engenharia Projeto Básico e Executivo de Centro de Gerenciamento DORMITÓRIOS ACESSO QUARTOS SALAS DE AULA 1º Pav.

16 Meta 3 Elaboração de Projetos Executivos de Engenharia Projeto Básico e Executivo de Centro de Gerenciamento DORMITÓRIOS ACESSO QUARTOS REFEITÓRIO 2º Pav.

17 Meta 4 Desenvolvimento e Implantação de Banco de Dados Objetivo desenvolver um acurado, ágil e moderno sistema de informações que permita consultas rápidas, tanto por parte de quem está na linha de frente da ação, como dos organismos externos de suporte. A meta iniciou em março e finalizou em novembro de Equipe: Prof. Carlos Vieira Prof. Luis Otavio Alvares Profª. Vania Bogorny Graduando Eduardo Polmmann Mestrando Fernando de Lucca Siqueira Graduando Vitor Fontes.

18 Meta 4 Desenvolvimento e Implantação de Banco de Dados Página Principal

19 Meta 4 Desenvolvimento e Implantação de Banco de Dados Ferramentas do Sistema Acidente: Cadastramento de novo acidente com Produtos Perigosos;

20 Meta 4 Desenvolvimento e Implantação de Banco de Dados Ferramentas do Sistema Operações PP: Engloba o cadastro, pesquisa, edição e geração de relatórios dos dados coletados nas operações de controle do transporte rodoviário de produtos perigosos; Cadastros: Área para cadastrar, consultar e atualizar dados armazenados no Banco de Dados. Relatórios: Contempla os relatórios do sistema sobre os acidentes, órgãos e produtos perigosos.

21 Meta 5 Aquisição de Equipamentos e Materiais Foi diagnosticada, no estado, a necessidade de aparelhamento para o atendimento no caso de acidentes com produtos perigosos. Assim sendo, tais demandas foram subdivididas em 03 (três) etapas: Etapa Aquisição de Materiais e Equipamentos; Etapa Aquisição de veículos leves: 2 Pick-Ups e 1 Ambulância Bombeiro; Etapa Aquisição de veículos pesados: Caminhão de Bombeiro para ações com Produtos Perigosos.

22 Meta 5 Aquisição de Equipamentos e Materiais

23 Meta 6 Construção de uma Área do hospital Universitário para Atendimento a Queimados e Vítimas de Acidentes com Produtos Tóxicos. A construção da Unidade de Queimados visa atender a população de forma adequada, em local amplo e seguro, corpo técnico qualificado, além de propiciar atividades de ensino e pesquisa nessa especialidade para a comunidade universitária.

24 CEPED UFSC Fernando Lo Feudo Ferreira Biblioteca: Imprensa:

SAU SERVIÇOS DE ATENDIMENTO A USUÁRIOS. Outubro/2008

SAU SERVIÇOS DE ATENDIMENTO A USUÁRIOS. Outubro/2008 SAU SERVIÇOS DE ATENDIMENTO A USUÁRIOS Outubro/2008 O QUE É O SAU? SERVIÇOS DE ATENDIMENTO A USUÁRIOS PROJETO PILOTO ABRANGENDO 421,2 KM DE TRECHOS DAS RODOVIAS FEDERAIS BR-040, BR- 060 E BR-153, NO DISTRITO

Leia mais

Plano de Atendimento e Remoção de Acidentados em Linhas de Transmissão PARA LT. Sylvio Ribeiro de Castro Lessa 12/08/2013

Plano de Atendimento e Remoção de Acidentados em Linhas de Transmissão PARA LT. Sylvio Ribeiro de Castro Lessa 12/08/2013 Plano de Atendimento e Remoção de Acidentados em Linhas de Transmissão PARA LT Sylvio Ribeiro de Castro Lessa 12/08/2013 Fase: Diagnóstico Eloisa Barroso de Mattos Nutricionista Raquel Leão Firmino Reis

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE (MS) - 2004

MINISTÉRIO DA SAÚDE (MS) - 2004 MINISTÉRIO DA SAÚDE (MS) - 2004 INTRODUÇÃO Última edição do Manual (revista e atualizada): 2006 Objetivo: Implantação do Serviço de Atendimento Móvel às Urgências Atende aos princípios e diretrizes do

Leia mais

1) Torres: Pronto atendimento foi acoplado ao hospital centralização superlotação. 2) Terra de Areia: Poucos recursos, atendimentos simples

1) Torres: Pronto atendimento foi acoplado ao hospital centralização superlotação. 2) Terra de Areia: Poucos recursos, atendimentos simples UNIDADES DE PRONTO ATENDIMENTO 24H 1) Torres: Pronto atendimento foi acoplado ao hospital centralização superlotação 2) Terra de Areia: Poucos recursos, atendimentos simples Hospital de referência é Capão

Leia mais

CURSO DE LIDERES CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ESTUDOS E PESQUISAS SOBRE DESASTRES - CEPED. Universidade Federal de Santa Catarina UFSC

CURSO DE LIDERES CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ESTUDOS E PESQUISAS SOBRE DESASTRES - CEPED. Universidade Federal de Santa Catarina UFSC CURSO DE LIDERES CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ESTUDOS E PESQUISAS SOBRE DESASTRES - CEPED Universidade Federal de Santa Catarina UFSC As características do CEPED Visão multidisciplinar; Interação com os problemas

Leia mais

EDITAL Nr 145-15-DE/CBMSC (Processo Nr 163-15-DE) SELEÇÃO PARA O CURSO BÁSICO DE ATENDIMENTO A EMERGÊNCIAS (CBAE)

EDITAL Nr 145-15-DE/CBMSC (Processo Nr 163-15-DE) SELEÇÃO PARA O CURSO BÁSICO DE ATENDIMENTO A EMERGÊNCIAS (CBAE) SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DE SANTA CATARINA 8º BATALHÃO DE BOMBEIRO MILITAR EDITAL Nr 145-15-DE/CBMSC (Processo Nr 163-15-DE) SELEÇÃO PARA O CURSO BÁSICO DE ATENDIMENTO

Leia mais

FUNDAÇÃO DE DIREITO PRIVADO INSTITUÍDA EM 1999.

FUNDAÇÃO DE DIREITO PRIVADO INSTITUÍDA EM 1999. Apresentação FEAM FUNDAÇÃO DE DIREITO PRIVADO INSTITUÍDA EM 1999. PROMOVER AÇÕES PREVENTIVAS NA ÁREA DE SAÚDE E MEDICINA DAS RADIAÇÕES IONIZANTES, ATUANDO COM ÉTICA E QUALIDADE, E PROPORCIONANDO BEM ESTAR

Leia mais

ÍNDICE. Foto: João Borges. 2 Hospital Universitário Cajuru - 100% SUS

ÍNDICE. Foto: João Borges. 2 Hospital Universitário Cajuru - 100% SUS ÍNDICE Apresentação...03 Hospital Universitário Cajuru...04 Estrutura...04 Especialidades Atendidas...05 Diferenças entre atendimento de urgência, emergência e eletivo...06 Protocolo de Atendimento...07

Leia mais

COORDENADORIA ESTADUAL DE DEFESA CIVIL

COORDENADORIA ESTADUAL DE DEFESA CIVIL COORDENADORIA ESTADUAL DE DEFESA CIVIL Roteiro para montagem de um Plano Preventivo de Defesa Civil Apresentamos o presente roteiro com conteúdo mínimo de um Plano Preventivo de Defesa Civil ou Plano de

Leia mais

EDITAL Nr 166-15-DE/CBMSC (Processo Nr 201-15-DE) SELEÇÃO PARA O CURSO BÁSICO DE ATENDIMENTO A EMERGÊNCIAS (CBAE) DE CAPIVARI DE BAIXO

EDITAL Nr 166-15-DE/CBMSC (Processo Nr 201-15-DE) SELEÇÃO PARA O CURSO BÁSICO DE ATENDIMENTO A EMERGÊNCIAS (CBAE) DE CAPIVARI DE BAIXO SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DE SANTA CATARINA DIRETORIA DE ENSINO EDITAL Nr 166-15-DE/CBMSC (Processo Nr 201-15-DE) SELEÇÃO PARA O CURSO BÁSICO DE ATENDIMENTO A

Leia mais

CEDRAL OBRAS E AÇÕES - GESTÃO 2011-2014

CEDRAL OBRAS E AÇÕES - GESTÃO 2011-2014 CEDRAL OBRAS E AÇÕES - GESTÃO 2011-2014 DESENVOLVIMENTO SOCIAL: Distribuição de Leite: distribuídos 22.532 litros de leite, no período de Jan/2011 a Set/2011 Custo: R$ 30 mil, beneficiando 272 famílias

Leia mais

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA COMPROVAÇÃO DOS ITENS DE VERIFICAÇÃO - UPA

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA COMPROVAÇÃO DOS ITENS DE VERIFICAÇÃO - UPA RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA COMPROVAÇÃO DOS ITENS DE VERIFICAÇÃO - UPA Quando da apresentação de protocolos, manual de normas e rotinas, procedimento operacional padrão (POP) e/ou outros documentos,

Leia mais

Elizabeth Azevedo Soares TJPE 2011

Elizabeth Azevedo Soares TJPE 2011 Elizabeth Azevedo Soares TJPE 2011 Organograma PROGRAMA Promoção de saúde em seu conceito mais amplo, ou seja, despertar nos pacientes a importância da higiene bucal, da prevenção e a associação destas

Leia mais

Fevereiro de 2014. * Taxas de Juros em 01.02.2014

Fevereiro de 2014. * Taxas de Juros em 01.02.2014 Fevereiro de 2014 * Taxas de Juros em 01.02.2014 Apresentação Agência Badesc: Nossa Missão: Fomentar o desenvolvimento econômico e social de Santa Catarina, de forma sustentável, através de financiamentos

Leia mais

Procedimento Operacional Nome do procedimento: Plano de Abandono SINER / Carapicuíba Data da Revisão 05/06/13

Procedimento Operacional Nome do procedimento: Plano de Abandono SINER / Carapicuíba Data da Revisão 05/06/13 1/ 8 Nº revisão Descrição da Revisão 00 Elaboração inicial do documento 01 Saída de alguns integrantes da Brigada 02 Alteração do item 4.5 composição da brigada e 4.7 Plano de abandono Demais envolvidos

Leia mais

ANEXO II "AÇÕES DE DESINSTITUCIONALIZAÇÃO E DE FORTALECIMENTO DA RAPS" INTEGRANTES, OU A SEREM INCLUÍDAS, NO PLANO DE AÇÃO DA RAPS

ANEXO II AÇÕES DE DESINSTITUCIONALIZAÇÃO E DE FORTALECIMENTO DA RAPS INTEGRANTES, OU A SEREM INCLUÍDAS, NO PLANO DE AÇÃO DA RAPS ANEXO II "AÇÕES DE DESINSTITUCIONALIZAÇÃO E DE FORTALECIMENTO DA RAPS" INTEGRANTES, OU A SEREM INCLUÍDAS, NO PLANO DE AÇÃO DA RAPS EQUIPE DE DESINSTITCUIONALIZAÇÃO - MODALIDADE: VALOR DO PROJETO: 1. DADOS

Leia mais

Keila Valéria Souza Spiering 1, Domingos Sávio Barbosa 2, André Marcondes Andrade Toledo 2, Carlos Caneppele 2, Caroline Silva Rezende 3

Keila Valéria Souza Spiering 1, Domingos Sávio Barbosa 2, André Marcondes Andrade Toledo 2, Carlos Caneppele 2, Caroline Silva Rezende 3 Diagnostico de riscos ambientais dos acidentes no modal Rodoviário na rodovia BR 364, no trecho entre os municípios de Alto Araguaia- MT e Diamantino-MT 88 Keila Valéria Souza Spiering 1, Domingos Sávio

Leia mais

Desenvolvimento Agrícola e Meio Ambiente

Desenvolvimento Agrícola e Meio Ambiente p Relatório Consulta Pública Região Nordeste Oficinas 334 pessoas se credenciaram para participar das oficinas na cidade de Pedro Afonso. Foi solicitado à elas que elencassem as demandas e problemas regionais.

Leia mais

SISTEMA INFORMATIZADO DE REGULAÇÃO E AVALIAÇÃO DO SAMU NO ESTADO DE SANTA CATARINA

SISTEMA INFORMATIZADO DE REGULAÇÃO E AVALIAÇÃO DO SAMU NO ESTADO DE SANTA CATARINA Centro de Ciências da Saúde Departamento de Enfermagem GIATE Grupo de Pesquisa em Tecnologias, Informações e Informática em Saúde SISTEMA INFORMATIZADO DE REGULAÇÃO E AVALIAÇÃO DO SAMU NO ESTADO DE SANTA

Leia mais

Gestão da manutenção hospitalar

Gestão da manutenção hospitalar Gestão da manutenção hospitalar Rômulo Lessa Aragão (HGF) romulolessa@gmail.com João Luis Pianco de Oliveira (UFC) jotaehli@gmail.com Resumo O artigo trata de um plano de melhorias desenvolvido no Hospital

Leia mais

PROJETO VIDA NO TRÂNSITO. Maria Audea de Lima e Sousa. Teresina Piaui RESUMO. Palavras chave. Introdução. Diagnóstico. Proposições.

PROJETO VIDA NO TRÂNSITO. Maria Audea de Lima e Sousa. Teresina Piaui RESUMO. Palavras chave. Introdução. Diagnóstico. Proposições. PROJETO VIDA NO TRÂNSITO Maria Audea de Lima e Sousa Teresina Piaui RESUMO Palavras chave Introdução Diagnóstico Proposições Resultados Introdução O projeto Vida no Trânsito está relacionado a instituições

Leia mais

Categoria: Construção de Ferrovia

Categoria: Construção de Ferrovia Projeto 015 : Construção do contorno ferroviário de São Francisco do Sul E2 Ferroviária LOCALIZAÇÃO: São Francisco do Sul - SC INTERVENÇÃO: Construção Categoria: Construção de Ferrovia EXTENSÃO/QUANTIDADE/VOLUME:

Leia mais

Resposta Hospitalar à Catástrofe Externa e Emergência Interna. Abílio Casaleiro

Resposta Hospitalar à Catástrofe Externa e Emergência Interna. Abílio Casaleiro Resposta Hospitalar à Catástrofe Externa e Emergência Interna 27.02.2015 Apresentação do Hospital de Cascais Plano de Catástrofe Externa Plano de Emergência Interna Hospital de Cascais - Caracterização

Leia mais

XII Congresso Catarinense de Municípios

XII Congresso Catarinense de Municípios XII Congresso Catarinense de Municípios Ações e Política de Investimento na Segurança Pública Florianópolis 12 de fevereiro de 2014 Ações da SSP No período 2011 a 2014 Abordagens: Efetivos Viaturas Obras

Leia mais

Redução da Morbimortalidade por Acidentes e Violências Diagnóstico do Problema em Santa Catarina

Redução da Morbimortalidade por Acidentes e Violências Diagnóstico do Problema em Santa Catarina Redução da Morbimortalidade por Acidentes e Violências Diagnóstico do Problema em Santa Catarina Heloisa Côrtes Gallotti Peixoto Introdução Os acidentes e violências passaram a figurar, no início da década

Leia mais

PORTARIA 1.600, DE 7 DE JULHO DE

PORTARIA 1.600, DE 7 DE JULHO DE PORTARIA No- 1.600, DE 7 DE JULHO DE 2011 Reformula a Política Nacional de Atenção às Urgências e institui a Rede de Atenção às Urgências no Sistema Único de Saúde (SUS). O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE,

Leia mais

1 de 5 ESPELHO DE EMENDAS DE INCLUSÃO DE META

1 de 5 ESPELHO DE EMENDAS DE INCLUSÃO DE META COMISSÃO MISTA DE PLANOS, ORÇAMENTOS E FISCALIZ S AO PLN 0001 / 2008 - LDO Página: 2726 de 2993 1 de 5 ESPELHO DE S DE INCLUSÃO DE META AUTOR DA 71260001 1220 Assistência Ambulatorial e Hospitalar Especializada

Leia mais

Faixa de Domínio Solicitação para adequação/regularização de acesso

Faixa de Domínio Solicitação para adequação/regularização de acesso Faixa de Domínio Solicitação para adequação/regularização de acesso Nos termos do Contrato de Concessão, bem como dos regulamentos administrativos impostos pelo Poder Concedente, compete à ECO101 Concessionária

Leia mais

1.PLANO AUTO STANDARD

1.PLANO AUTO STANDARD 1.PLANO AUTO STANDARD 1.1.Definições ACIDENTE/SINISTRO Colisão, abalroamento ou capotagem envolvendo direta ou indiretamente o veículo e que impeça o mesmo de se locomover por seus próprios meios. COBERTURA

Leia mais

O PAE, parte integrante do PGR, contempla também a prevenção do risco de acidentes com produtos perigosos e de combate a incêndio.

O PAE, parte integrante do PGR, contempla também a prevenção do risco de acidentes com produtos perigosos e de combate a incêndio. OBJETIVO O PGR - Programa de Gerenciamento de Risco e PAE - Plano de Ação de Emergências são parte integrante do PBA Plano Básico Ambiental da Estrada-Parque Visconde de Mauá, que compreende a identificação,

Leia mais

ITAPIRAPUÃ PAULISTA. OBRAS E AÇÕES Gestão 2007-2010 2010 R$ 2.515.600,00

ITAPIRAPUÃ PAULISTA. OBRAS E AÇÕES Gestão 2007-2010 2010 R$ 2.515.600,00 ITAPIRAPUÃ PAULISTA OBRAS E AÇÕES Gestão 2007-2010 2010 R$ 2.515.600,00 AGRICULTURA: Distribuição de Leite: distribuídos 128.532 litros de leite, no período Jan/2007 a Abr/2009 - Custo: R$ 169 mil, beneficiando

Leia mais

1.2 - Implantação do programa de habitação rural (construção de casas de qualidade nas propriedades rurais).

1.2 - Implantação do programa de habitação rural (construção de casas de qualidade nas propriedades rurais). PLANO DE GOVERNO - ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARTICIPATIVA PARA 2013/2016 COLIGAÇÃO O PRESENTE NOS PERMITE SEGUIR EM FRENTE - CANDIDATO A PREFEITO PEDRINHO DA MATA 11 Ações a serem realizadas por Secretarias:

Leia mais

SERVIÇO DE ATENDIMENTO À USUÁRIOS

SERVIÇO DE ATENDIMENTO À USUÁRIOS À SERVIÇO DE ATENDIMENTO À USUÁRIOS O QUE É O SAU? CONTRATO TT 107/07 00. PROJETO PILOTO ABRANGENDO 421,2 KM DE TRECHOS DAS RODOVIAS FEDERAIS NO DISTRITO FEDERAL E NO ESTADO DE GOIÁS BR 040 BR 060 BR 153

Leia mais

Modelo básico para Plano Diretor de Defesa Civil CASA MILITAR COORDENADORIA ESTADUAL DE DEFESA CIVIL

Modelo básico para Plano Diretor de Defesa Civil CASA MILITAR COORDENADORIA ESTADUAL DE DEFESA CIVIL Modelo básico para Plano Diretor de Defesa Civil CASA MILITAR COORDENADORIA ESTADUAL DE DEFESA CIVIL TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DIRETOR DE DEFESA CIVIL INTRODUÇÃO 1. O presente Termo

Leia mais

A TOXICOLOGIA NO SUS: EXPERIÊCIAS, DESAFIOS E PERSPECTIVAS. Sérgio Yoshimasa Okane CGMAC/DAET/SAS/MS CGUE E CGFM-SUS/DAHU/SAS/MS

A TOXICOLOGIA NO SUS: EXPERIÊCIAS, DESAFIOS E PERSPECTIVAS. Sérgio Yoshimasa Okane CGMAC/DAET/SAS/MS CGUE E CGFM-SUS/DAHU/SAS/MS A TOXICOLOGIA NO SUS: EXPERIÊCIAS, DESAFIOS E PERSPECTIVAS Sérgio Yoshimasa Okane CGMAC/DAET/SAS/MS CGUE E CGFM-SUS/DAHU/SAS/MS Sumário de Apresentação Contexto de Criação da FN-SUS Escopo de atuação,

Leia mais

Maior parte da extensão de rodovias avaliadas tem problema

Maior parte da extensão de rodovias avaliadas tem problema Mais de 100 mil km percorridos Maior parte da extensão de rodovias avaliadas tem problema Estudo da CNT mostra que 57,3% têm alguma deficiência no estado geral; 86,5% dos trechos são de pista simples e

Leia mais

PREV FIRE TREINAMENTOS PREV FIRE TREINAMENTOS. www.prevfire.com.br

PREV FIRE TREINAMENTOS PREV FIRE TREINAMENTOS. www.prevfire.com.br PREV FIRE TREINAMENTOS PREV FIRE TREINAMENTOS www.prevfire.com.br Apresentação A Prev Fire Treinamentos é uma empresa privada constituída em 2010, especializada em prestação de serviços na área de segurança,

Leia mais

Reformar o Laboratório de Entomologia e reposição de mobiliário e equipamentos;

Reformar o Laboratório de Entomologia e reposição de mobiliário e equipamentos; PLANO DE AÇÃO O presente plano de ação é parte integrante do Ofício 1.407 de 04 de dezembro do corrente ano que solicitou ao Ministério da Saúde recurso financeiro para auxiliar o Estado em decorrência

Leia mais

BRIGADA DE INCÊNDIO ORGANIZAÇÃO DA BRIGADA DE INCÊNDIO

BRIGADA DE INCÊNDIO ORGANIZAÇÃO DA BRIGADA DE INCÊNDIO BRIGADA DE INCÊNDIO Brigada de Incêndio: É um grupo organizado de pessoas voluntárias ou não, treinadas e capacitadas para atuarem dentro de uma área previamente estabelecida na prevenção, abandono e combate

Leia mais

XXVII Congresso de Secretários Municipais de Saúde do Estado de São Paulo REDE DE ATENÇÃO ÀS URGÊNCIAS E EMERGÊNCIAS RUE

XXVII Congresso de Secretários Municipais de Saúde do Estado de São Paulo REDE DE ATENÇÃO ÀS URGÊNCIAS E EMERGÊNCIAS RUE XXVII Congresso de Secretários Municipais de Saúde do Estado de São Paulo REDE DE ATENÇÃO ÀS URGÊNCIAS E EMERGÊNCIAS RUE Marcos Calvo Secretário de Saúde de Santos A organização da Rede de Atenção às Urgências

Leia mais

ANEXO II VAGAS CARGA HOR TOTAL. Ética no Trabalho 1 16 Graduação Pedagogia ou Filosofia ou Ciências Sociais ou

ANEXO II VAGAS CARGA HOR TOTAL. Ética no Trabalho 1 16 Graduação Pedagogia ou Filosofia ou Ciências Sociais ou ANEXO II 1) Professor HOR Ética no Trabalho 1 16 Graduação Pedagogia ou Filosofia ou Ciências Sociais ou Auxiliar de Biblioteca Perfis de Bibliotecas: Nacional, Pública, Universitária, Especializada, Escolar.

Leia mais

PROJETO DE ESTRUTURAÇÃO SAÚDE PÚBLICA Prefeitura Municipal de Itapeva - SP. Maio de 2014

PROJETO DE ESTRUTURAÇÃO SAÚDE PÚBLICA Prefeitura Municipal de Itapeva - SP. Maio de 2014 PROJETO DE ESTRUTURAÇÃO SAÚDE PÚBLICA Prefeitura Municipal de Itapeva - SP Maio de 2014 UMA RÁPIDA VISÃO DA SAÚDE PÚBLICA NO BRASIL HOJE Estrutura com grandes dimensões, complexa, onerosa e com falta de

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES SAMU ESTADO DE SANTA CATARINA CONTRATO DE GESTÃO 002/2012 SES/SC TRIMESTRE DE ABRIL, MAIO E JUNHO DE 2014.

RELATÓRIO DE ATIVIDADES SAMU ESTADO DE SANTA CATARINA CONTRATO DE GESTÃO 002/2012 SES/SC TRIMESTRE DE ABRIL, MAIO E JUNHO DE 2014. RELATÓRIO DE ATIVIDADES SAMU ESTADO DE SANTA CATARINA CONTRATO DE GESTÃO 002/2012 SES/SC TRIMESTRE DE ABRIL, MAIO E JUNHO DE 2014. Florianópolis Julho, 2014. 1 RELATÓRIO DE ATIVIDADES SAMU ESTADO DE SANTA

Leia mais

NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 031/DAT/CBMSC) PLANO DE EMERGÊNCIA

NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 031/DAT/CBMSC) PLANO DE EMERGÊNCIA ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DIRETORIA DE ATIVIDADES TÉCNICAS - DAT NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 031/DAT/CBMSC)

Leia mais

ORINDIÚVA OBRAS E AÇÕES - GESTÃO 2011-2014

ORINDIÚVA OBRAS E AÇÕES - GESTÃO 2011-2014 ORINDIÚVA OBRAS E AÇÕES - GESTÃO 2011-2014 CULTURA: Pólo do Projeto Guri: O Projeto Guri tem como objetivo resgatar a auto-estima dos adolescentes, utilizando a música como agente transformador. Pólo Rua

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Transportes de Produtos Perigosos, Ações Emergenciais, Produtos Perigosos, Transporte de Produtos Perigosos em Áreas de Mananciais.

PALAVRAS-CHAVE: Transportes de Produtos Perigosos, Ações Emergenciais, Produtos Perigosos, Transporte de Produtos Perigosos em Áreas de Mananciais. 22º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental 14 a 19 de Setembro 2003 - Joinville - Santa Catarina IV-012 PLANO DE AÇÃO EMERGENCIAL PARA ACIDENTES ENVOLVENDO O TRANSPORTE DE PRODUTOS PERIGOSOS

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL O SGA é parte do Sistema de Gestão da UFRGS, englobando a estrutura organizacional, as atividades de planejamento, as responsabilidades, as práticas, os procedimentos, os processos

Leia mais

A tendimento Emergencial Gerenciamento de riscos no transporte terrestre de produtos perigosos

A tendimento Emergencial Gerenciamento de riscos no transporte terrestre de produtos perigosos A tendimento Emergencial Gerenciamento de riscos no transporte terrestre de produtos perigosos Ronaldo de Oliveira Silva; Técnico ambiental do Setor de Operações de Emergência da Cetesb - Companhia de

Leia mais

Manual de Relacionamento com Fornecedor

Manual de Relacionamento com Fornecedor 1 Manual de Relacionamento com Fornecedor 2 I Introdução... 3 1. Missão, visão e valores... 4 II Relacionamento com Fornecedor... 5 1. Qualificação... 6 2. Transporte... 6 3. Veículo... 6 4. Entrega/Recebimento...

Leia mais

b. Completar a implantação da Rede com a construção de hospitais regionais para atendimentos de alta complexidade.

b. Completar a implantação da Rede com a construção de hospitais regionais para atendimentos de alta complexidade. No programa de governo do senador Roberto Requião, candidato ao governo do estado pela coligação Paraná Com Governo (PMDB/PV/PPL), consta um capítulo destinado apenas à universalização do acesso à Saúde.

Leia mais

COLETAS DE COBERTURA COLETAS DE COBERTURA

COLETAS DE COBERTURA COLETAS DE COBERTURA COLETAS DE COBERTURA Rodovias Federais Brasileiras 66.410 km (malha pavimentada) 12.795 km (malha não pavimentada) 40.731 km (planejada + estadual coincidente) Total: 119.936 km 6.738 SNV Fonte: SNV 2014

Leia mais

*Consolidado de Créditos das Contas do Dept. Saúde Incluídos os Convênios

*Consolidado de Créditos das Contas do Dept. Saúde Incluídos os Convênios São Tiago, 09 de fevereiro de 2011. PRESTAÇÃO DE CONTAS DOS RECURSOS RECEBIDOS *Consolidado de Créditos das Contas do Dept. Saúde Incluídos os Convênios De Onde Vem o Recurso? Período: ANO DE 2010 Saldo

Leia mais

COLEÇÃO BRASIL CRESCE SEGURO

COLEÇÃO BRASIL CRESCE SEGURO Programa Brasil Cresce Seguro Formulários para monitoramento e avaliação 1 COLEÇÃO BRASIL CRESCE SEGURO Proposta de Programa de Redução de Risco de Desastres nas Escolas Volume 6 Formulários para Monitoramento

Leia mais

SOCIEDADE BRASILEIRA DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA

SOCIEDADE BRASILEIRA DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA ARTIGO REGULAMENTAÇÃO DO TRANSPORTE TERRESTRE DE PRODUTOS PERIGOSOS O EXCESSO DE REGULAMENTAÇÃO CONTRIBUI EFETIVAMENTE PARA A REDUÇÃO DOS ACIDENTES NO TRANSPORTE DE PRODUTOS PERIGOSOS? Autor: Eng. Giovanni

Leia mais

Investir em segurança é sempre o melhor caminho

Investir em segurança é sempre o melhor caminho Ano 01 nº02 ABRIL de 2010 Investir em segurança é sempre o melhor caminho Atendimento da ViaRondon é bem avaliado pelos usuários pág.03 Redução de impactos ambientais... pág.06 Feriados prolongados: cuidados

Leia mais

Benefícios Advindos da Susbstituiçã. ção dos Aparelhos com Mercúrio rio do Ponto de Vista Econômico

Benefícios Advindos da Susbstituiçã. ção dos Aparelhos com Mercúrio rio do Ponto de Vista Econômico HOSPITAL SÃO S O LUIZ Benefícios Advindos da Susbstituiçã ção dos Aparelhos com Mercúrio rio do Ponto de Vista Econômico Carlos Eduardo Lima Engº Segurança a do Trabalho Hospital São Luiz Unidade Morumbi

Leia mais

REFORMA SALA DO NÚCLEO DE SEGURANÇA PROJETO PREVENTIVO CONTRA INCÊNDIO

REFORMA SALA DO NÚCLEO DE SEGURANÇA PROJETO PREVENTIVO CONTRA INCÊNDIO REFORMA SALA DO NÚCLEO DE SEGURANÇA MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO PREVENTIVO CONTRA INCÊNDIO Responsabilidade e Compromisso com o Meio Ambiente 2 110766_MEMPCI_REFORMA_SALA_MOTORISTAS_R00 MEMORIAL DESCRITIVO

Leia mais

A SUSTENTABILIDADE DA SEGURANÇA VIÁRIA ATRAVÉS DA EDUCAÇÃO

A SUSTENTABILIDADE DA SEGURANÇA VIÁRIA ATRAVÉS DA EDUCAÇÃO A SUSTENTABILIDADE DA SEGURANÇA VIÁRIA ATRAVÉS DA EDUCAÇÃO Regina de Fátima Fructuoso de Andrade Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC Fundação de Amparo à Pesquisa e Extensão Universitária Camila

Leia mais

Serviço o de Atendimento Móvel M Urgência- SAMU 192

Serviço o de Atendimento Móvel M Urgência- SAMU 192 Serviço o de Atendimento Móvel M de Urgência- SAMU 192 IV Seminário de Engenharia e Arquitetura Hospitalar 26 a 28 de março o de 2008, HUPES, Salvador-BA Lucianne Fialho Batista (Pesquisadora do GEA-hosp/Somasus,

Leia mais

ARCO METROPOLITANO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE OBRAS

ARCO METROPOLITANO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE OBRAS DO RIO DE JANEIRO HISTÓRICO 1974 - passou a integrar o Plano Rodoviário Estadual (PRE) como RJ-109, rodovia planejada do trecho entre a BR 040 e a BR 101 (Sul) 1977 e 1984 - O Estado contratou projeto

Leia mais

NORMA OPERACIONAL PARA O LICENCIAMENTO AMBIENTAL DA ATIVIDADE DE TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE PRODUTOS PERIGOSOS NO ÂMBITO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

NORMA OPERACIONAL PARA O LICENCIAMENTO AMBIENTAL DA ATIVIDADE DE TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE PRODUTOS PERIGOSOS NO ÂMBITO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO 1 OBJETIVO Estabelecer os critérios para o licenciamento ambiental das atividades de transporte rodoviário de produtos perigosos (exceto os das classes 1 e 7 da Resolução ANTT 42) que circulam apenas no

Leia mais

SECRETARIA DE SAÚDE - Pronto Socorro Municipal recebe Licença Sanitária de Funcionamento: - Mais de 12 mil atendimentos nos mutirões:

SECRETARIA DE SAÚDE - Pronto Socorro Municipal recebe Licença Sanitária de Funcionamento: - Mais de 12 mil atendimentos nos mutirões: SECRETARIA DE SAÚDE - Pronto Socorro Municipal recebe Licença Sanitária de Funcionamento: o Pronto Socorro Adulto de Taubaté teve seu funcionamento aprovado pela Vigilância Sanitária Estadual. O documento

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. ENDEREÇO Av. Beira-Mar Norte, Agronômica, Florianópolis, SC. ENTREGA DA OBRA Data: outubro de 2017

MEMORIAL DESCRITIVO. ENDEREÇO Av. Beira-Mar Norte, Agronômica, Florianópolis, SC. ENTREGA DA OBRA Data: outubro de 2017 MEMORIAL DESCRITIVO MEMORIAL DESCRITIVO ENDEREÇO Av. Beira-Mar Norte, Agronômica, Florianópolis, SC ENTREGA DA OBRA Data: outubro de 2017 DESCRIÇÃO Subsolo - 3 cisternas, sendo 1 de reaproveitamento de

Leia mais

Objetivo da Campanha. Atendimentos

Objetivo da Campanha. Atendimentos 12ª EDIÇÃO DA CAMPANHA VIVA MOTOCICLISTA Objetivo da Campanha O presente projeto foi elaborado objetivando prover a conscientização dos usuários de nossas rodovias, bem como a sociedade em geral através

Leia mais

A Secretaria Municipal de Transportes e Trânsito organiza o 1º Fórum Municipal de Educação para o Trânsito e Mobilidade.

A Secretaria Municipal de Transportes e Trânsito organiza o 1º Fórum Municipal de Educação para o Trânsito e Mobilidade. A Secretaria Municipal de Transportes e Trânsito organiza o 1º Fórum Municipal de Educação para o Trânsito e Mobilidade. A exemplo do que ocorrerá nas principais cidades do mundo, o Fórum Municipal de

Leia mais

LUIZ HENRIQUE DA SILVEIRA Governador do Estado. EDUARDO PINHO MOREIRA Vice-Governador. CARMEM EMÍLIA BONFÁ ZANOTTO Secretária de Estado da Saúde

LUIZ HENRIQUE DA SILVEIRA Governador do Estado. EDUARDO PINHO MOREIRA Vice-Governador. CARMEM EMÍLIA BONFÁ ZANOTTO Secretária de Estado da Saúde LUIZ HENRIQUE DA SILVEIRA Governador do Estado EDUARDO PINHO MOREIRA Vice-Governador CARMEM EMÍLIA BONFÁ ZANOTTO Secretária de Estado da Saúde LESTER PEREIRA Diretor Geral WINSTON LUIZ ZOMKOWSKI Superintendente

Leia mais

COMISSÃO MUNICIPAL PARA O TRANSPORTE DE CARGAS PERIGOSAS PLANO DE EMERGÊNCIA PARA O ATENDIMENTO A ACIDENTES NO TRANSPORTE DE PRODUTOS PERIGOSOS

COMISSÃO MUNICIPAL PARA O TRANSPORTE DE CARGAS PERIGOSAS PLANO DE EMERGÊNCIA PARA O ATENDIMENTO A ACIDENTES NO TRANSPORTE DE PRODUTOS PERIGOSOS COMISSÃO MUNICIPAL PARA O TRANSPORTE DE CARGAS PERIGOSAS PLANO DE EMERGÊNCIA PARA O ATENDIMENTO A ACIDENTES NO TRANSPORTE DE PRODUTOS PERIGOSOS 1. INTRODUÇÃO No município de São Paulo registra-se diariamente

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS ASSISTÊNCIA 24 HORAS AUTO/MOTO

CONDIÇÕES GERAIS ASSISTÊNCIA 24 HORAS AUTO/MOTO CONDIÇÕES GERAIS ASSISTÊNCIA 24 HORAS AUTO/MOTO ACIONAMENTO DE SERVIÇOS Os serviços de assistência serão sempre providenciados através da DELPHOS 24 horas. Para isso, o beneficiário dos serviços emergências

Leia mais

PORTO FELIZ. OBRAS E AÇÕES Gestão 2007-2010 R$ 17.420.000,00

PORTO FELIZ. OBRAS E AÇÕES Gestão 2007-2010 R$ 17.420.000,00 PORTO FELIZ OBRAS E AÇÕES Gestão 2007-2010 R$ 17.420.000,00 AGRICULTURA: Distribuição de Leite: distribuídos 116.870 litros de leite, de Jan/2007 a Mar/2009 Custo: R$ 148 mil, beneficiando 310 famílias

Leia mais

I RELATÓRIO: II ANÁLISE:

I RELATÓRIO: II ANÁLISE: INTERESSADO: ASSUNTO: CENTRO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL JOAQUIM NABUCO - RECIFE/PE AUTORIZAÇÃO DOS CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO TÉCNICA EM INSTRUMENTAÇÃO CIRÚRGICA, EM ENFERMAGEM EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº.

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº. SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº. 35/2011 Túnel rodoviário SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Referências

Leia mais

RESOLUÇÃO SMTR Nº 2578 DE 23 DE JUNHO DE 2015. O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE TRANSPORTES, no uso das atribuições legais,

RESOLUÇÃO SMTR Nº 2578 DE 23 DE JUNHO DE 2015. O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE TRANSPORTES, no uso das atribuições legais, RESOLUÇÃO SMTR Nº 2578 DE 23 DE JUNHO DE 2015. Regulamenta o treinamento dos motoristas do Serviço de Transporte Individual de Passageiros em Veículos de Aluguel a Taxímetro e a homologação de instituições

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA MINISTÉRIO DA JUSTIÇA DEPARTAMENTO DE POLÍCIA RODOVIÁRIA FEDERAL COORDENAÇÃO-GERAL DE OPERAÇÕES PORTARIA Nº 12, DE 26 DE MARÇO DE 2015 Dispõe sobre a restrição do trânsito de Combinações de Veículos de

Leia mais

INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES

INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES AÇÕES EXECUTADAS A retomada dos investimentos em transporte determinou a implantação de programas governamentais que otimizassem o gasto público por meio

Leia mais

Curriculum Vitae. Eliania Pereira da Silva Terapeuta Ocupacional CREFITO 12806-TO. Resumo. Formação Acadêmica. elianiasq@hotmail.

Curriculum Vitae. Eliania Pereira da Silva Terapeuta Ocupacional CREFITO 12806-TO. Resumo. Formação Acadêmica. elianiasq@hotmail. Curriculum Vitae Eliania Pereira da Silva Terapeuta Ocupacional CREFITO 12806-TO (98) 8850-2012 Resumo Formação Acadêmica Ensino superior MBA em Gestão da Saúde Fundação Getúlio Vargas, 2014 (previsão)

Leia mais

P.A.M. PLANO DE AUXÍLIO MÚTUO BETIM- IBIRITÉ - MG

P.A.M. PLANO DE AUXÍLIO MÚTUO BETIM- IBIRITÉ - MG P.A.M. PLANO DE AUXÍLIO MÚTUO BETIM- IBIRITÉ - MG 2º SIBRADEN - Simpósio Brasileiro de Desastres Naturais e Tecnológicos 09 a 13 de Dezembro de 2007 Santos - SP Viver é negócio muito perigoso... Guimarães

Leia mais

IV SEMINÁRIO INTERNACIONAL EM SEGURANÇA PÚBLICA RESULTADO DA AVALIAÇÃO DOS ARTIGOS/RESUMOS TRABALHOS ACEITOS

IV SEMINÁRIO INTERNACIONAL EM SEGURANÇA PÚBLICA RESULTADO DA AVALIAÇÃO DOS ARTIGOS/RESUMOS TRABALHOS ACEITOS IV SEMINÁRIO INTERNACIONAL EM SEGURANÇA PÚBLICA RESULTADO DA AVALIAÇÃO DOS ARTIGOS/RESUMOS TRABALHOS ACEITOS ART01_ CONFECÇÃO DE UMA COMUNICAÇÃO DE ESTUDO DE CASO POLICIAL ; ART05_ ASPECTOS DE GOVERNANÇA

Leia mais

Como a Tecnologia pode democratizar o acesso à saúde

Como a Tecnologia pode democratizar o acesso à saúde Como a Tecnologia pode democratizar o acesso à saúde Smartcity Business América 2015 Curitiba PR Brazil Maio de 2015 Sociedades Inteligentes e Governaça Airton Coelho, MsC, PMP Secretário de Ciência e

Leia mais

CONSULTA Nº 164.517/2013

CONSULTA Nº 164.517/2013 1 CONSULTA Nº 164.517/2013 Assunto: Sobre como SAMU deve proceder em certas situações na sala de Regulação Médica do 192, procedimentos em diversas situações, na sala de Regulação Médica do 192, devido

Leia mais

SEMAD. Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável

SEMAD. Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável SEMAD Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável OS PLANOS DE AUXÍLIO MÚTUO NO ESTADO III SEMINÁRIO TRANSPORTE DE DERIVADOS DE PETRÓLEO E OUTROS PRODUTOS PERIGOSOS/ PREVENÇÃO DE

Leia mais

Projeto Executivo de Engenharia Rodoviária para as Obras de Implantação e Pavimentação da Rodovia SC-471 (nova SC-160) Trecho: Romelândia / Anchieta

Projeto Executivo de Engenharia Rodoviária para as Obras de Implantação e Pavimentação da Rodovia SC-471 (nova SC-160) Trecho: Romelândia / Anchieta SECRETARIA DE ESTADO DA INFRAESTRUTURA DEINFRA Departamento Estadual de Infraestrutura Projeto Executivo de Engenharia Rodoviária para as Obras de Implantação e Pavimentação da Rodovia SC-471 (nova SC-160)

Leia mais

TERRA ROXA. OBRAS E AÇÕES Gestão 2007-2010 2010 R$ 6.020.000,00

TERRA ROXA. OBRAS E AÇÕES Gestão 2007-2010 2010 R$ 6.020.000,00 TERRA ROXA OBRAS E AÇÕES Gestão 2007-2010 2010 R$ 6.020.000,00 AGRICULTURA: Distribuição de leite: distribuídos 37.474 litros de leite, no período de Jan/2007 a Jul/2009 Custo: R$ 47 mil, beneficiando

Leia mais

Índice de mortes no Carnaval é o menor em dez anos

Índice de mortes no Carnaval é o menor em dez anos Índice de mortes no Carnaval é o menor em dez anos Brasília, 14 de fevereiro 2013 A Polícia Rodoviária Federal registrou queda nas estatísticas do Carnaval nos 70 mil quilômetros de rodovias federais brasileiras.

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO RETIFICAÇÃO AO EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO N 01/2014

CONCURSO PÚBLICO RETIFICAÇÃO AO EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO N 01/2014 CONCURSO PÚBLICO RETIFICAÇÃO AO EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO N 01/2014 Dispõe sobre a retificação do edital de abertura de inscrições para o provimento de cargo público do Quadro Permanente de Pessoal do

Leia mais

MANUAL DO SEGURADO RCO

MANUAL DO SEGURADO RCO MANUAL DO SEGURADO RCO A ESSOR Seguros preocupa-se em oferecer-lhe serviços exclusivos, visando sua proteção. Consulte em sua apólice se você tem direito a estes benefícios a seguir, conforme serviços

Leia mais

PROGRAMAS EDUCATIVOS DE TRÂNSITO DESENVOLVIDOS PELO DEPARTAMENTO DE ESTRADAS DE RODAGEM DO ESTADO DE MINAS GERAIS - DER/MG

PROGRAMAS EDUCATIVOS DE TRÂNSITO DESENVOLVIDOS PELO DEPARTAMENTO DE ESTRADAS DE RODAGEM DO ESTADO DE MINAS GERAIS - DER/MG 1 PROGRAMAS EDUCATIVOS DE TRÂNSITO DESENVOLVIDOS PELO DEPARTAMENTO DE ESTRADAS DE RODAGEM DO ESTADO DE MINAS GERAIS - DER/MG Elenice Fernandes de Abreu 1 Orientador Leandro Pinheiro Cintra RESUMO Diante

Leia mais

Plano de Atendimento a Emergência e Sinistro - PAES. 1. Dados da Empresa:

Plano de Atendimento a Emergência e Sinistro - PAES. 1. Dados da Empresa: Plano de Atendimento a Emergência e Sinistro - PAES 1. Dados da Empresa: Unidade: Têxtil Localização: Urbana Endereço: Rua São Pedro, 2647, Brusque (SC) Vizinhança e arredores: Baixa concentração de residências

Leia mais

Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado da Casa Civil Agência Reguladora de Energia e Saneamento Básico do Estado do Rio de Janeiro

Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado da Casa Civil Agência Reguladora de Energia e Saneamento Básico do Estado do Rio de Janeiro Processo nº.: Governo do Estado do Rio de Janeiro E-12/003/141/2014 Data de Autuação: 14/02/2014 Concessionária: Assunto: Águas de Juturnaíba Sessão Regulatória: 16 de setembro de 2014 Ocorrências registradas

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2010 Derdic / PUC-SP

RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2010 Derdic / PUC-SP RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2010 RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2010 Missão 03 Valores Institucionais 03 Escola Especial de Educação Básica 04 Clínica de Audição, Voz e Linguagem Prof. Dr. Mauro Spinelli

Leia mais

Modelo GFACH - Anexo 1 Indicadores mais Utilizados na Gestão Hospitalar no Brasil

Modelo GFACH - Anexo 1 Indicadores mais Utilizados na Gestão Hospitalar no Brasil Gestão do Relacionamento Externo Posicionamento no Sistema de Saúde Coeficiente de Mortalidade Nº de Óbitos / Nº de Indivíduos da Amostra * 1.000 Geral (toda a amostra), por idade (ex: infantil), por sexo

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DE SEMANA DE AÇÕES DA TERRA 17 A 21 DE FEVEREIRO DE 2014

PROGRAMAÇÃO DE SEMANA DE AÇÕES DA TERRA 17 A 21 DE FEVEREIRO DE 2014 PROGRAMAÇÃO DE SEMANA DE AÇÕES DA TERRA 17 A 21 DE FEVEREIRO DE 2014 PROCEDIMENTO PROFISSONAL DATA HORA LOCAL POSTO DE DRA. CLAÚDIA 08H30 AS 17 E 18 SAÚDE DAS NÓBREGA 17:H0 UMBURANAS 08H0 AS POSTO DAS

Leia mais

Sistema de Gestão de Segurança Rapel na Pedreira do DIB Serra da Cantareira PLANO DE EMERGÊNCIA

Sistema de Gestão de Segurança Rapel na Pedreira do DIB Serra da Cantareira PLANO DE EMERGÊNCIA Rapel de 40 metros nível de dificuldade baixo Perigo se ficarem muitas pessoas no local com risco de queda pequenas escoriações e quedas de pequenas pedras. Depende da época do ano há o perigo dos marimbondos

Leia mais

IBATÉ OBRAS E AÇÕES GESTÃO 2007-2010 R$ 5.816.5 6.500,00 AGRICULTURA: Distribuição de Leite:

IBATÉ OBRAS E AÇÕES GESTÃO 2007-2010 R$ 5.816.5 6.500,00 AGRICULTURA: Distribuição de Leite: IBATÉ OBRAS E AÇÕES GESTÃO 2007-2010 R$ 5.816.5 6.500,00 AGRICULTURA: Distribuição de Leite: distribuídos 31.760 litros de leite, de Jan/2007 a Mar/2009 Custo: R$ 39 mil, beneficiando 80 famílias carentes,

Leia mais

Gestão de Comunicação Assessoria de Promoção e Inteligência Competitiva

Gestão de Comunicação Assessoria de Promoção e Inteligência Competitiva Gestão de Comunicação Assessoria de Promoção e Inteligência Competitiva Monitoramento das Notícias da UNISUL Dia 04 de Setembro de 2014 Jornais Jornal: Notícias do Dia Editoria: Carlos Damião Página: 21

Leia mais

6 CONGRESSO BRASILEIRO DE RODOVIAS E CONCESSÕES

6 CONGRESSO BRASILEIRO DE RODOVIAS E CONCESSÕES 6 CONGRESSO BRASILEIRO DE RODOVIAS E CONCESSÕES Programa de Gerenciamento de Risco para administradores de rodovias para o transporte de produtos perigosos Florianópolis, SC, 21 a 23 de setembro de 2009

Leia mais

PALÁCIO PIRATINI CASA MILITAR

PALÁCIO PIRATINI CASA MILITAR PALÁCIO PIRATINI CASA MILITAR CASA MILITAR Chefe da Casa Militar e Coordenadoria Estadual de Defesa Civil Gabinete Operações Defesa Civil Administrativo DEFESA CIVIL Coordenadoria Estadual de Defesa Civil

Leia mais

Experiência Do Município De Cascavel PR Na Atenção Domiciliar ABRASAD

Experiência Do Município De Cascavel PR Na Atenção Domiciliar ABRASAD Experiência Do Município De Cascavel PR Na Atenção Domiciliar ABRASAD Histórico 2005: Início do trabalho. I Seminário de Assistência Domiciliar. 2006: Portaria GM 2529. Fundação da ABRASAD Associação Brasileira

Leia mais

MANUAL DE CONDIÇÕES GERAIS ASSISTÊNCIA EMPRESARIAL SUMÁRIO ASSISTÊNCIA EMRESARIAL...4 SINISTROS COBERTOS:...4 CONSULTORIA ORÇAMENTÁRIA:...

MANUAL DE CONDIÇÕES GERAIS ASSISTÊNCIA EMPRESARIAL SUMÁRIO ASSISTÊNCIA EMRESARIAL...4 SINISTROS COBERTOS:...4 CONSULTORIA ORÇAMENTÁRIA:... PÁG 1 SUMÁRIO ASSISTÊNCIA EMRESARIAL...4 SINISTROS COBERTOS:...4 CONSULTORIA ORÇAMENTÁRIA:...5 MANUAL DE CONDIÇÕES GERAIS COBERTURAS ADICIONAIS EM CASO DE EVENTO PREVISTO...5 Problemas Emergenciais...

Leia mais