Relatório das Metas Nacionais de 2014 Meta 4 de 2014

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Relatório das Metas Nacionais de 2014 Meta 4 de 2014"

Transcrição

1 Relatório das Metas Nacionais de 2014 Meta 4 de 2014 Relatório gerado dia 30 de Março de 2015 Identificar e julgar até 31/12/2014 as ações de improbidade administrativa e as ações penais relacionadas a crimes contra a administração pública, sendo que: na Justiça Estadual, na Justiça Militar da União e nos Tribunais de Justiça Militar Estaduais, as ações distribuídas até 31 de dezembro de 2012, e na Justiça Federal e no STJ, 100% das ações distribuídas até 31 de dezembro de 2011 e 50% das ações distribuídas em Legenda P4.1 P4.2 P4.3 P4.4 P4.5 P4.6 P4.7 P4.8 Número total de processos de conhecimento em ações de improbidade administrativa distribuídos na instância no PERÍODO DE REFERÊNCIA* e não julgados no PERÍODO DE REFERÊNCIA*, excluídos os suspensos até 31/12/2013. Número total de processos de conhecimento em ações penais relacionadas a crimes contra a administração pública distribuídos na instância no PERÍODO DE REFERÊNCIA* e não julgados no PERÍODO DE REFERÊNCIA*, excluídos os suspensos até 31/12/2013. Número total de processos de conhecimento em ações de improbidade administrativa distribuídos na instância no PERÍODO DE REFERÊNCIA* que foram julgados pela primeira ou única vez em 2012 Número total de processos de conhecimento em ações penais relacionadas a crimes contra a administração pública distribuídos na instância no PERÍODO DE REFERÊNCIA* que foram julgados pela primeira ou única vez em 2012 Número total de processos de conhecimento em ações de improbidade administrativa distribuídos na instância no PERÍODO DE REFERÊNCIA* que foram julgados pela primeira ou única vez em 2013 Número total de processos de conhecimento em ações penais relacionadas a crimes contra a administração pública distribuídos na instância no PERÍODO DE REFERÊNCIA* que foram julgados pela primeira ou única vez em 2013 Número total de processos de conhecimento em ações de improbidade administrativa distribuídos na instância no PERÍODO DE REFERÊNCIA* e não julgados até 31/12/2013 que entraram na meta por saírem de situação de suspensão ou por passarem a se enquadrar nos critérios da meta, no mês de referência. Número total de processos de conhecimento em ações penais relacionadas a crimes contra a administração pública distribuídos na instância no PERÍODO DE REFERÊNCIA* e não julgados até 31/12/2013 que entraram na meta por saírem de situação de suspensão ou por passarem a se enquadrar nos critérios da meta, no mês de referência

2 P4.9 P4.10 P4.11 P4.12 Número total de processos de conhecimento em ações de improbidade administrativa distribuídos na instância no PERÍODO DE REFERÊNCIA* e não julgados até 31/12/2013 que saíram da meta por suspensão ou não enquadramento nos critérios da meta, que não por julgamento, no mês de referência Número total de processos de conhecimento em ações penais relacionadas a crimes contra a administração pública distribuídos na instância no PERÍODO DE REFERÊNCIA* e não julgados até 31/12/2013 que saíram da meta por suspensão ou não enquadramento nos critérios da meta, que não por julgamento, no mês de referência Número total de processos de conhecimento em ações de improbidade administrativa distribuídos na instância no PERÍODO DE REFERÊNCIA* e não julgados até 31/12/2013 que, no mês de referência, foram nela julgados pela primeira ou única vez no ano de 2014 Número total de processos de conhecimento em ações penais relacionadas a crimes contra a administração pública distribuídos na instância no PERÍODO DE REFERÊNCIA* e não julgados até 31/12/2013 que, no mês de referência, foram nela julgados pela primeira ou única vez no ano de 2014 Pergunta não aplicável - Dados não informados ou instância sem processos contemplados pela meta Superior Período de referência: Processos distribuídos e não julgados até STJ P4.1 P4.2 P4.3 P4.4 P4.5 P4.6 P4.7 P4.8 P4.9 P4.10 P4.11 P4.12 Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. Tribunal ,39% ,40% ,43% Total - Janeiro a Dezembro ,39% ,40% ,43% Período de referência: Processos distribuídos e não julgados em 2012 STJ P4.1 P4.2 P4.3 P4.4 P4.5 P4.6 P4.7 P4.8 P4.9 P4.10 P4.11 P4.12 Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. Tribunal ,34% ,98% ,57% Total - Janeiro a Dezembro ,34% ,98% ,57%

3 Período de referência: Processos distribuídos e não julgados até STM P4.1 P4.2 P4.3 P4.4 P4.5 P4.6 P4.7 P4.8 P4.9 P4.10 P4.11 P4.12 Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. Tribunal ,96% ,96% Auditorias Militares ,47% ,47% Total - Janeiro a Dezembro ,08% ,08% Estadual Período de referência: Processos distribuídos e não julgados até TJAC P4.1 P4.2 P4.3 P4.4 P4.5 P4.6 P4.7 P4.8 P4.9 P4.10 P4.11 P4.12 Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. 1º Grau comum ,21% ,49% ,25% 2 Grau ,00% ,84% ,63% Juizados Especiais Criminais ,00% ,00% Total - Janeiro a Dezembro ,35% ,59% ,72% TJAM P4.1 P4.2 P4.3 P4.4 P4.5 P4.6 P4.7 P4.8 P4.9 P4.10 P4.11 P4.12 Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. 1º Grau comum ,08% ,34% ,14% 2 Grau ,67% ,83% ,42% Juizados Especiais Criminais Total - Janeiro a Dezembro ,96% ,72% ,78%

4 TJAP P4.1 P4.2 P4.3 P4.4 P4.5 P4.6 P4.7 P4.8 P4.9 P4.10 P4.11 P4.12 Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. 1º Grau comum ,23% ,18% ,83% 2 Grau ,00% ,00% ,00% Juizados Especiais Criminais ,44% ,44% Total - Janeiro a Dezembro ,64% ,07% ,95% TJPA P4.1 P4.2 P4.3 P4.4 P4.5 P4.6 P4.7 P4.8 P4.9 P4.10 P4.11 P4.12 Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. 1º Grau comum ,31% ,96% ,16% 2 Grau ,00% ,94% ,85% Juizados Especiais Criminais ,00% ,00% Total - Janeiro a Dezembro ,96% ,78% ,77% TJRO P4.1 P4.2 P4.3 P4.4 P4.5 P4.6 P4.7 P4.8 P4.9 P4.10 P4.11 P4.12 Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. 1º Grau comum ,09% ,05% ,15% 2 Grau ,12% ,43% ,00% Juizados Especiais Criminais Total - Janeiro a Dezembro ,58% ,40% ,69% TJRR P4.1 P4.2 P4.3 P4.4 P4.5 P4.6 P4.7 P4.8 P4.9 P4.10 P4.11 P4.12 Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. 1º Grau comum ,84% ,94% ,14% 2 Grau ,00% ,00% ,00% Juizados Especiais Criminais

5 Total - Janeiro a Dezembro ,24% ,14% ,84% TJTO P4.1 P4.2 P4.3 P4.4 P4.5 P4.6 P4.7 P4.8 P4.9 P4.10 P4.11 P4.12 Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. 1º Grau comum ,55% ,59% ,83% 2 Grau ,96% ,88% ,35% Juizados Especiais Criminais Total - Janeiro a Dezembro ,35% ,38% ,07% REGIÃO NORTE P4.1 P4.2 P4.3 P4.4 P4.5 P4.6 P4.7 P4.8 P4.9 P4.10 P4.11 P4.12 Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. 1º Grau comum ,93% ,33% ,35% 2 Grau ,97% ,28% ,89% Juizados Especiais Criminais ,22% ,22% Total - Janeiro a Dezembro ,53% ,11% ,11% TJAL P4.1 P4.2 P4.3 P4.4 P4.5 P4.6 P4.7 P4.8 P4.9 P4.10 P4.11 P4.12 Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. 1º Grau comum ,36% ,84% ,60% 2 Grau ,00% ,73% ,00% Juizados Especiais Criminais ,33% ,33% Total - Janeiro a Dezembro ,86% ,49% ,32% TJBA P4.1 P4.2 P4.3 P4.4 P4.5 P4.6 P4.7 P4.8 P4.9 P4.10 P4.11 P4.12 Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump.

6 1º Grau comum ,46% ,22% ,03% 2 Grau ,00% ,16% ,79% Juizados Especiais Criminais Total - Janeiro a Dezembro ,03% ,96% ,73% TJCE P4.1 P4.2 P4.3 P4.4 P4.5 P4.6 P4.7 P4.8 P4.9 P4.10 P4.11 P4.12 Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. 1º Grau comum ,62% ,31% ,86% 2 Grau ,75% ,25% ,76% Juizados Especiais Criminais ,00% ,00% Total - Janeiro a Dezembro ,69% ,11% ,70% TJMA P4.1 P4.2 P4.3 P4.4 P4.5 P4.6 P4.7 P4.8 P4.9 P4.10 P4.11 P4.12 Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. 1º Grau comum ,23% ,35% ,10% 2 Grau ,00% ,87% ,98% Juizados Especiais Criminais ,37% ,37% Total - Janeiro a Dezembro ,37% ,23% ,34% TJPB P4.1 P4.2 P4.3 P4.4 P4.5 P4.6 P4.7 P4.8 P4.9 P4.10 P4.11 P4.12 Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. 1º Grau comum ,94% ,12% ,80% 2 Grau ,00% ,71% Juizados Especiais Criminais

7 Total - Janeiro a Dezembro ,68% ,72% ,31% TJPE P4.1 P4.2 P4.3 P4.4 P4.5 P4.6 P4.7 P4.8 P4.9 P4.10 P4.11 P4.12 Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. 1º Grau comum ,53% ,89% ,19% 2 Grau ,00% ,39% ,83% Juizados Especiais Criminais Total - Janeiro a Dezembro ,93% ,59% ,43% TJPI P4.1 P4.2 P4.3 P4.4 P4.5 P4.6 P4.7 P4.8 P4.9 P4.10 P4.11 P4.12 Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. 1º Grau comum ,70% ,20% ,08% 2 Grau ,47% ,08% ,37% Juizados Especiais Criminais ,00% ,00% Total - Janeiro a Dezembro ,37% ,79% ,70% TJRN P4.1 P4.2 P4.3 P4.4 P4.5 P4.6 P4.7 P4.8 P4.9 P4.10 P4.11 P4.12 Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. 1º Grau comum ,78% ,12% ,00% 2 Grau ,27% ,71% ,40% Juizados Especiais Criminais ,00% ,00% Total - Janeiro a Dezembro ,86% ,96% ,84% TJSE P4.1 P4.2 P4.3 P4.4 P4.5 P4.6 P4.7 P4.8 P4.9 P4.10 P4.11 P4.12 Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. 1º Grau comum ,91% ,61% ,47%

8 2 Grau ,07% ,86% ,50% Juizados Especiais Criminais Total - Janeiro a Dezembro ,62% ,22% ,61% REGIÃO NORDESTE P4.1 P4.2 P4.3 P4.4 P4.5 P4.6 P4.7 P4.8 P4.9 P4.10 P4.11 P4.12 Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. 1º Grau comum ,28% ,41% ,21% 2 Grau ,13% ,68% ,43% Juizados Especiais Criminais ,24% ,24% Total - Janeiro a Dezembro ,50% ,23% ,20% TJDFT P4.1 P4.2 P4.3 P4.4 P4.5 P4.6 P4.7 P4.8 P4.9 P4.10 P4.11 P4.12 Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. 1º Grau comum ,17% ,64% ,07% 2 Grau ,00% ,00% ,00% Juizados Especiais Criminais ,67% ,67% Turmas Recursais Criminais ,00% ,00% Total - Janeiro a Dezembro ,75% ,88% ,86% TJGO P4.1 P4.2 P4.3 P4.4 P4.5 P4.6 P4.7 P4.8 P4.9 P4.10 P4.11 P4.12 Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. 1º Grau comum ,42% ,03% ,24% 2 Grau ,00% ,00% ,00% Juizados Especiais Criminais ,00% ,00% Total - Janeiro a Dezembro ,74% ,62% ,44%

9 TJMS P4.1 P4.2 P4.3 P4.4 P4.5 P4.6 P4.7 P4.8 P4.9 P4.10 P4.11 P4.12 Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. 1º Grau comum ,04% ,02% ,85% 2 Grau ,62% ,00% ,33% Juizados Especiais Criminais ,38% ,38% Total - Janeiro a Dezembro ,00% ,60% ,78% TJMT P4.1 P4.2 P4.3 P4.4 P4.5 P4.6 P4.7 P4.8 P4.9 P4.10 P4.11 P4.12 Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. 1º Grau comum ,74% ,37% ,93% 2 Grau ,00% ,29% ,22% Juizados Especiais Criminais ,86% ,86% Total - Janeiro a Dezembro ,71% ,47% ,02% REGIÃO CENTRO-OESTE P4.1 P4.2 P4.3 P4.4 P4.5 P4.6 P4.7 P4.8 P4.9 P4.10 P4.11 P4.12 Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. 1º Grau comum ,53% ,86% ,02% 2 Grau ,90% ,34% ,90% Juizados Especiais Criminais ,16% ,16% Turmas Recursais Criminais ,00% ,00% Total - Janeiro a Dezembro ,44% ,62% ,27% TJES P4.1 P4.2 P4.3 P4.4 P4.5 P4.6 P4.7 P4.8 P4.9 P4.10 P4.11 P4.12 Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. 1º Grau comum ,68% ,05% ,99% 2 Grau ,24% ,81% ,64%

10 Juizados Especiais Criminais ,00% ,00% Total - Janeiro a Dezembro ,51% ,93% ,41% TJMG P4.1 P4.2 P4.3 P4.4 P4.5 P4.6 P4.7 P4.8 P4.9 P4.10 P4.11 P4.12 Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. 1º Grau comum ,73% ,08% ,85% 2 Grau ,79% ,96% ,94% Juizados Especiais Criminais ,14% ,14% Total - Janeiro a Dezembro ,66% ,45% ,87% TJRJ P4.1 P4.2 P4.3 P4.4 P4.5 P4.6 P4.7 P4.8 P4.9 P4.10 P4.11 P4.12 Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. 1º Grau comum ,93% ,03% ,01% 2 Grau ,77% ,00% ,27% Juizados Especiais Criminais ,92% ,92% Turmas Recursais Criminais ,25% ,25% Total - Janeiro a Dezembro ,69% ,17% ,00% TJSP P4.1 P4.2 P4.3 P4.4 P4.5 P4.6 P4.7 P4.8 P4.9 P4.10 P4.11 P4.12 Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. 1º Grau comum ,35% ,92% ,04% 2 Grau ,88% ,21% ,10% Juizados Especiais Criminais Total - Janeiro a Dezembro ,10% ,04% ,90%

11 REGIÃO SUDESTE P4.1 P4.2 P4.3 P4.4 P4.5 P4.6 P4.7 P4.8 P4.9 P4.10 P4.11 P4.12 Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. 1º Grau comum ,69% ,26% ,82% 2 Grau ,62% ,12% ,22% Juizados Especiais Criminais ,33% ,33% Turmas Recursais Criminais ,25% ,25% Total - Janeiro a Dezembro ,06% ,76% ,32% TJPR P4.1 P4.2 P4.3 P4.4 P4.5 P4.6 P4.7 P4.8 P4.9 P4.10 P4.11 P4.12 Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. 1º Grau comum ,60% ,74% ,11% 2 Grau ,13% ,94% ,46% Juizados Especiais Criminais Total - Janeiro a Dezembro ,00% ,16% ,55% TJRS P4.1 P4.2 P4.3 P4.4 P4.5 P4.6 P4.7 P4.8 P4.9 P4.10 P4.11 P4.12 Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. 1º Grau comum ,83% ,38% ,55% 2 Grau ,45% ,23% ,01% Juizados Especiais Criminais ,00% ,00% Total - Janeiro a Dezembro ,24% ,42% ,21% TJSC P4.1 P4.2 P4.3 P4.4 P4.5 P4.6 P4.7 P4.8 P4.9 P4.10 P4.11 P4.12 Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. 1º Grau comum ,84% ,05% ,55% 2 Grau ,27% ,83% ,46% Juizados Especiais Criminais ,49% ,49%

12 Total - Janeiro a Dezembro ,96% ,89% ,47% REGIÃO SUL P4.1 P4.2 P4.3 P4.4 P4.5 P4.6 P4.7 P4.8 P4.9 P4.10 P4.11 P4.12 Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. 1º Grau comum ,70% ,41% ,85% 2 Grau ,66% ,26% ,58% Juizados Especiais Criminais ,33% ,33% Total - Janeiro a Dezembro ,44% ,96% ,55% JUSTIÇA ESTADUAL P4.1 P4.2 P4.3 P4.4 P4.5 P4.6 P4.7 P4.8 P4.9 P4.10 P4.11 P4.12 Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. 1º Grau comum ,36% ,95% ,38% 2 Grau ,33% ,95% ,78% Juizados Especiais Criminais ,11% ,11% Turmas Recursais Criminais ,76% ,76% Total - Janeiro a Dezembro ,67% ,24% ,44% Federal Período de referência: Processos distribuídos e não julgados até TRF1 P4.1 P4.2 P4.3 P4.4 P4.5 P4.6 P4.7 P4.8 P4.9 P4.10 P4.11 P4.12 Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. 1º Grau comum ,77% ,68% ,71% 2 Grau ,03% ,93% ,48%

13 Juizados Especiais Criminais ,00% ,00% Turmas Recursais Criminais ,00% ,00% Total - Janeiro a Dezembro ,69% ,72% ,64% TRF2 P4.1 P4.2 P4.3 P4.4 P4.5 P4.6 P4.7 P4.8 P4.9 P4.10 P4.11 P4.12 Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. 1º Grau comum ,46% ,53% ,11% 2 Grau ,25% ,34% ,30% Juizados Especiais Criminais ,00% ,00% Total - Janeiro a Dezembro ,55% ,16% ,47% TRF3 P4.1 P4.2 P4.3 P4.4 P4.5 P4.6 P4.7 P4.8 P4.9 P4.10 P4.11 P4.12 Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. 1º Grau comum ,43% ,86% ,24% 2 Grau ,80% ,94% ,10% Juizados Especiais Criminais Total - Janeiro a Dezembro ,27% ,16% ,04% TRF4 P4.1 P4.2 P4.3 P4.4 P4.5 P4.6 P4.7 P4.8 P4.9 P4.10 P4.11 P4.12 Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. 1º Grau comum ,63% ,45% ,92% 2 Grau ,55% ,59% ,31% Juizados Especiais Criminais ,44% ,44% Total - Janeiro a Dezembro ,68% ,62% ,67%

14 TRF5 P4.1 P4.2 P4.3 P4.4 P4.5 P4.6 P4.7 P4.8 P4.9 P4.10 P4.11 P4.12 Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. 1º Grau comum ,15% ,10% ,50% 2 Grau ,00% ,37% ,10% Juizados Especiais Criminais Total - Janeiro a Dezembro ,94% ,70% ,75% JUSTIÇA FEDERAL P4.1 P4.2 P4.3 P4.4 P4.5 P4.6 P4.7 P4.8 P4.9 P4.10 P4.11 P4.12 Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. 1º Grau comum ,72% ,56% ,21% 2 Grau ,61% ,03% ,33% Juizados Especiais Criminais ,59% ,59% Turmas Recursais Criminais ,00% ,00% Total - Janeiro a Dezembro ,63% ,76% ,73% Período de referência: Processos distribuídos e não julgados em 2012 TRF1 P4.1 P4.2 P4.3 P4.4 P4.5 P4.6 P4.7 P4.8 P4.9 P4.10 P4.11 P4.12 Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. 1º Grau comum ,09% ,54% ,46% 2 Grau ,67% ,90% ,00% Juizados Especiais Criminais ,33% ,33% Turmas Recursais Criminais ,00% ,00% Total - Janeiro a Dezembro ,08% ,04% ,41%

15 TRF2 P4.1 P4.2 P4.3 P4.4 P4.5 P4.6 P4.7 P4.8 P4.9 P4.10 P4.11 P4.12 Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. 1º Grau comum ,57% ,38% ,11% 2 Grau ,00% ,97% ,41% Juizados Especiais Criminais ,82% ,82% Total - Janeiro a Dezembro ,82% ,10% ,72% TRF3 P4.1 P4.2 P4.3 P4.4 P4.5 P4.6 P4.7 P4.8 P4.9 P4.10 P4.11 P4.12 Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. 1º Grau comum ,40% ,33% ,92% 2 Grau ,73% ,68% ,78% Juizados Especiais Criminais Total - Janeiro a Dezembro ,32% ,65% ,21% TRF4 P4.1 P4.2 P4.3 P4.4 P4.5 P4.6 P4.7 P4.8 P4.9 P4.10 P4.11 P4.12 Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. 1º Grau comum ,10% ,44% ,50% 2 Grau ,35% ,48% ,35% Juizados Especiais Criminais ,29% ,29% Total - Janeiro a Dezembro ,39% ,96% ,82% TRF5 P4.1 P4.2 P4.3 P4.4 P4.5 P4.6 P4.7 P4.8 P4.9 P4.10 P4.11 P4.12 Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. 1º Grau comum ,89% ,92% ,70%

16 2 Grau ,28% ,69% ,08% Juizados Especiais Criminais Total - Janeiro a Dezembro ,34% ,78% ,78% JUSTIÇA FEDERAL P4.1 P4.2 P4.3 P4.4 P4.5 P4.6 P4.7 P4.8 P4.9 P4.10 P4.11 P4.12 Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. 1º Grau comum ,37% ,84% ,55% 2 Grau ,05% ,69% ,60% Juizados Especiais Criminais ,00% ,00% Turmas Recursais Criminais ,00% ,00% Total - Janeiro a Dezembro ,15% ,48% ,09% Militar Estadual Período de referência: Processos distribuídos e não julgados até TJMMG P4.1 P4.2 P4.3 P4.4 P4.5 P4.6 P4.7 P4.8 P4.9 P4.10 P4.11 P4.12 Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. Auditorias Militares ,26% ,26% 2 Grau Total - Janeiro a Dezembro ,26% ,26% Improbidade Administrativa Crimes Contra a Adm. Pública Combate à Corrupção TJMRS P4.1 P4.2 P4.3 P4.4 P4.5 P4.6 P4.7 P4.8 P4.9 P4.10 P4.11 P4.12 Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. Passivo Julgados % Cump. Auditorias Militares ,53% ,53% 2 Grau ,00% ,00% Total - Janeiro a Dezembro ,06% ,06%

Meta 4 de 2015. Superior

Meta 4 de 2015. Superior Identificar e julgar até 31/12/2015: Meta 4 de 2015 Na Justiça Estadual, pelo menos 70% das ações de improbidade administrativa e das ações penais relacionadas a crimes contra a administração pública distribuídas

Leia mais

Reduzir em pelo menos. 2% o consumo per capita. (magistrados, servidores, terceirizados e estagiários) com energia, telefone, papel,

Reduzir em pelo menos. 2% o consumo per capita. (magistrados, servidores, terceirizados e estagiários) com energia, telefone, papel, Reduzir em pelo menos 2% o consumo per capita (magistrados, servidores, terceirizados e estagiários) com energia, telefone, papel, água e combustível (ano de referência: 2009). Dados colhidos em 24/2/2011

Leia mais

SNAP Informática. Roteiro. ISIS Consulta Processual Automatizada Módulos de atualizadores Robot Recorte Eletrônico Push Autos Intimações Captcha

SNAP Informática. Roteiro. ISIS Consulta Processual Automatizada Módulos de atualizadores Robot Recorte Eletrônico Push Autos Intimações Captcha 1 SNAP Informática Roteiro ISIS Consulta Processual Automatizada Módulos de atualizadores Robot Recorte Eletrônico Push Autos Intimações Captcha 2 SNAP Informática A SNAP Informática é especializada em

Leia mais

Roteiro. SNAP Informática ISIS Consulta Processual Automatizada Módulos Robot Recorte Push Futuro do Isis

Roteiro. SNAP Informática ISIS Consulta Processual Automatizada Módulos Robot Recorte Push Futuro do Isis 1 Roteiro SNAP Informática ISIS Consulta Processual Automatizada Módulos Robot Recorte Push Futuro do Isis 2 SNAP Informática A SNAP Informática é especializada em consulta processual automatizada. Focada

Leia mais

Malote Digital Manual de configuração. Versão 1.1

Malote Digital Manual de configuração. Versão 1.1 Malote Digital Manual de configuração Versão 1.1 Índice 1. Infraestrutura... 3 2. Configuração do ambiente... 4 3. Configuração da aplicação... 5 4. Criação e inicialização do banco de dados... 12 5. Publicação

Leia mais

RELATÓRIo. FORMAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO De SERVIDORES DO PODER JUDICIÁRIO

RELATÓRIo. FORMAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO De SERVIDORES DO PODER JUDICIÁRIO Relatório sobre FORMAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO DE SERVIDORES DO PODER JUDICIÁRIO 2015 RELATÓRIo FORMAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO De SERVIDORES DO PODER JUDICIÁRIO 2015 CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA Presidente Corregedora

Leia mais

RELATÓRIO NACIONAL DA EXECUÇÃO DAS. METAS JUDICIAIS 3 e 4

RELATÓRIO NACIONAL DA EXECUÇÃO DAS. METAS JUDICIAIS 3 e 4 RELATÓRIO NACIONAL DA EXECUÇÃO DAS METAS JUDICIAIS 3 e 4 Apresentação Este relatório apresenta, de forma estruturada e sistematizada, os resultados da mobilização de todos os tribunais de justiça do País

Leia mais

METAS NACIONAIS PARA O PODER JUDICIÁRIO - CNJ

METAS NACIONAIS PARA O PODER JUDICIÁRIO - CNJ METAS NACIONAIS PARA O PODER JUDICIÁRIO - CNJ Página 1 de 16 METAS NACIONAIS PARA O PODER JUDICIÁRIO RELATÓRIO DE DESEMPENHO Página 2 de 16 Sumário Introdução... 4 1. Situação das Metas Nacionais do Poder

Leia mais

Caminhos da transparência a Lei de Acesso à Informação e os Tribunais de Justiça

Caminhos da transparência a Lei de Acesso à Informação e os Tribunais de Justiça Caminhos da transparência a Lei de Acesso à Informação e os Tribunais de Justiça ATENÇÃO: esse não é um estudo de caso exaustivo. Novas informações e alterações poderão ser acrescentadas ou modificadas,

Leia mais

DIAGNÓSTICO DA SEGURANÇA INSTITUCIONAL DO PODER JUDICIÁRIO

DIAGNÓSTICO DA SEGURANÇA INSTITUCIONAL DO PODER JUDICIÁRIO DIAGNÓSTICO DA SEGURANÇA INSTITUCIONAL DO PODER JUDICIÁRIO COMITÊ GESTOR DO SISTEMA NACIONAL DE SEGURANÇA DO PODER JUDICIÁRIO RELATÓRIO DO GRUPO DE TRABALHO PARA DESENVOLVIMENTO DE ESTUDO VISANDO PROPOR

Leia mais

Poder Judiciário Conselho Nacional de Justiça

Poder Judiciário Conselho Nacional de Justiça Poder Judiciário Conselho Nacional de Justiça Secretário-Geral Dr. Fábio Cesar dos Santos Oliveira Coordenador Dr. Clenio Jair Schulze, Juiz Auxiliar da Presidência Organização Departamento de Gestão Estratégica

Leia mais

SUMÁRIO AGRADECIMENTOS... 17 NOTA À 2ª EDIÇÃO... 19 PREFÁCIO... 21

SUMÁRIO AGRADECIMENTOS... 17 NOTA À 2ª EDIÇÃO... 19 PREFÁCIO... 21 Sumário 7 SUMÁRIO AGRADECIMENTOS... 17 NOTA À 2ª EDIÇÃO... 19 PREFÁCIO... 21 CAPÍTULO I VOCÊ REALMENTE DESEJA INGRESSAR NA CARREIRA DA MAGISTRATURA?... 23 1. Mito do subsídio libertador... 24 2. Mito da

Leia mais

Excelentíssimo Senhor Presidente do Tribunal de Justiça de Santa Catarina REF.: CARTA ABERTA DA COMARCA DE BLUMENAU: O SENTIMENTO DOS SERVIDORES

Excelentíssimo Senhor Presidente do Tribunal de Justiça de Santa Catarina REF.: CARTA ABERTA DA COMARCA DE BLUMENAU: O SENTIMENTO DOS SERVIDORES Blumenau (SC), 13 de Fevereiro de 2014. Excelentíssimo Senhor Presidente do Tribunal de Justiça de Santa Catarina REF.: CARTA ABERTA DA : O SENTIMENTO DOS SERVIDORES Inicialmente, agradecemos profundamente

Leia mais

PESQUISA: TURMAS RECURSAIS DOS JUIZADOS ESPECIAIS DA JUSTIÇA DOS ESTADOS

PESQUISA: TURMAS RECURSAIS DOS JUIZADOS ESPECIAIS DA JUSTIÇA DOS ESTADOS PESQUISA: TURMAS RECURSAIS DOS JUIZADOS ESPECIAIS DA JUSTIÇA DOS ESTADOS PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ - PUCPR APOIO: INSTITUTO BRASILEIRO DE ADMINISTRAÇÃO DO SISTEMA JUDICIÁRIO IBRAJUS Coordenador:

Leia mais

Gestor(a): Desembargadora Maria Nailde Pinheiro Nogueira

Gestor(a): Desembargadora Maria Nailde Pinheiro Nogueira Gestor(a): Desembargadora Maria Nailde Pinheiro Nogueira Meta Meta 2 de 29 Meta 2 de 21 Meta 2 de 212 Meta 2 de 213 Descrição Identificar os processos judiciais mais antigos e adotar medidas concretas

Leia mais

ATA DO XXXVI FONAJE - FÓRUM NACIONAL DE JUIZADOS ESPECIAIS. "Inovações nos Juizados Especiais"

ATA DO XXXVI FONAJE - FÓRUM NACIONAL DE JUIZADOS ESPECIAIS. Inovações nos Juizados Especiais ATA DO XXXVI FONAJE - FÓRUM NACIONAL DE JUIZADOS ESPECIAIS "Inovações nos Juizados Especiais" Belém/PA, 26 a 28 de novembro de 2014 Às dezenove horas e quarenta minutos do dia vinte e seis de dois mil

Leia mais

Cartilha do Empregador

Cartilha do Empregador Cartilha do Empregador 2011 1ª EDIÇÃO - 2011 2011 CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA 2011 Conselho Nacional de Justiça Presidente Corregedora Nacional de Justiça Conselheiros Secretário-Geral Ministro Antonio

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DE SÃO PAULO CONSELHO SUPERVISOR DO SISTEMA DOS JUIZADOS ESPECIAIS

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DE SÃO PAULO CONSELHO SUPERVISOR DO SISTEMA DOS JUIZADOS ESPECIAIS Caros amigos fonajeanos, Essa é a lista final dos inscritos para o XXX FONAJE, que será realizado entre os dias 16 e 18 de novembro, na cidade de São Paulo. Não estamos mais recebendo inscrições. O Tribunal

Leia mais

JOSIAS PIRES FERREIRA FILHO. Interpretação e Integração da Legislação Tributária O item três da lista de serviços anexa a LC 116/03

JOSIAS PIRES FERREIRA FILHO. Interpretação e Integração da Legislação Tributária O item três da lista de serviços anexa a LC 116/03 JOSIAS PIRES FERREIRA FILHO Interpretação e Integração da Legislação Tributária O item três da lista de serviços anexa a LC 116/03 CAD CENTRO DE ATUALIZAÇÃO EM DIREITO UNIVERSIDADE GAMA FILHO Belo Horizonte

Leia mais

Relatório Metas Nacionais do Judiciário Diagnóstico Situacional TJAL

Relatório Metas Nacionais do Judiciário Diagnóstico Situacional TJAL Relatório Metas Nacionais do Judiciário Diagnóstico Situacional TJAL Assessoria de Planejamento de Modernização do Poder - APMP Divisão de Estatística do Tribunal de Justiça - DETJ Assessoria de Planejamento

Leia mais

ATA DO XXXVIII FONAJE FÓRUM NACIONAL DOS JUIZADOS ESPECIAIS. Os Juizados Especiais e o Novo CPC. Belo Horizonte-MG, de 25 a 27 de novembro de 2015

ATA DO XXXVIII FONAJE FÓRUM NACIONAL DOS JUIZADOS ESPECIAIS. Os Juizados Especiais e o Novo CPC. Belo Horizonte-MG, de 25 a 27 de novembro de 2015 ATA DO XXXVIII FONAJE FÓRUM NACIONAL DOS JUIZADOS ESPECIAIS Os Juizados Especiais e o Novo CPC. Belo Horizonte-MG, de 25 a 27 de novembro de 2015 Às dezenove horas do dia vinte e cinco de novembro de dois

Leia mais

Relatório de Auditoria nº 3/2015 Avaliação do Relatório de Gestão de 2014

Relatório de Auditoria nº 3/2015 Avaliação do Relatório de Gestão de 2014 CNJ Relatório de Auditoria nº 3/2015 Avaliação do Relatório de Gestão de 2014 Secretaria de Controle Interno Coordenadoria de Auditoria Seção de Auditoria Interna Índice Introdução... 2 Item 1 Conformidade

Leia mais

CLIPPING DE NOTÍCIAS DO PODERJUDICIÁRIO GESTÃO ESTRATÉGICA CONSELHOS TRIBUNAIS SUPERIORES

CLIPPING DE NOTÍCIAS DO PODERJUDICIÁRIO GESTÃO ESTRATÉGICA CONSELHOS TRIBUNAIS SUPERIORES CLIPPING DE NOTÍCIAS DO PODERJUDICIÁRIO GESTÃO ESTRATÉGICA CNJ CONSELHOS http://www.cnj.jus.br/ 12/08/2014 II Encontro Nacional debate formação de servidores do Judiciário (http://www.cnj.jus.br/noticias/cnj/29333-ii-encontronacional-debate-formacao-de-servidores-do-judiciario)

Leia mais

Parceria institucional acadêmico-científica

Parceria institucional acadêmico-científica Parceria institucional acadêmico-científica Comitê Brasileiro de Arbitragem (CBAr) Associação Brasileira de Estudantes de Arbitragem (ABEArb) 2ª EDIÇÃO DO PROJETO DE PESQUISA Arbitragem e Poder Judiciário

Leia mais

Institución: Brito, Campos e Torres Advogados (BCCTorres Advocacia Corporativa)

Institución: Brito, Campos e Torres Advogados (BCCTorres Advocacia Corporativa) O CHAMADO PROCESSO ELETRÔNICO BRASILEIRO E O PRINCÍPIO DO DEVIDO PROCESSO LEGAL: O EMBATE ENTRE O SISTEMA DE NORMAS JURÍDICAS E OS SISTEMAS INFORMÁTICOS Autor: Flávia N. Nou de Brito Bacharela em Direito

Leia mais

Poder Judiciário Brasileiro

Poder Judiciário Brasileiro Poder Judiciário Brasileiro TSE TST STF STJ CNJ STM TU TRE S TRT S TR TRF S TJ S TR TME JUÍZES JUNTA JUÍZES JEF JUÍZES JÚRI JUÍZES JÚRI JEC CJM CJM Poder Judiciário Brasileiro TSE TST STF STJ CNJ STM TU

Leia mais

Os desafios da magistratura para 2015

Os desafios da magistratura para 2015 Os desafios da magistratura para 2015 Chegamos a 2015, renovados pela convicção de que o CPPTJB cumpriu todas as metas estabelecidas para o ano que findou. É bem verdade que não logramos aprovar a PEC

Leia mais

JUDICIALIZAÇÃO DO DIREITO À SAÚDE FERE O PRINCÍPIO DA EQUIDADE? 1

JUDICIALIZAÇÃO DO DIREITO À SAÚDE FERE O PRINCÍPIO DA EQUIDADE? 1 1 JUDICIALIZAÇÃO DO DIREITO À SAÚDE FERE O PRINCÍPIO DA EQUIDADE? 1 Josiane de Sousa Lessa 2 RESUMO: O presente trabalho, primeiramente, realiza uma reflexão sobre como era instituído o direito à saúde

Leia mais

Os desafios da magistratura para 2015

Os desafios da magistratura para 2015 Os desafios da magistratura para 2015 Chegamos a 2015, renovados pela convicção de que o CPPTJB cumpriu todas as metas estabelecidas para o ano que findou. É bem verdade que não logramos aprovar a PEC

Leia mais

Agradeço àqueles que tiverem um pouquinho de paciência para ler, pois acredito que esse texto será um pouco longo.

Agradeço àqueles que tiverem um pouquinho de paciência para ler, pois acredito que esse texto será um pouco longo. Prezados Amigos, Tal qual o Dr. Wesley, venho acompanhando a discussão sobre o PROJUDI. Não pretendia me manifestar porque estou aprendendo muito sobre direito autoral e registro no INPI através dos profundos

Leia mais

Enunciados definem norte para ações e decisões de juízes na aplicação de alternativas penais

Enunciados definem norte para ações e decisões de juízes na aplicação de alternativas penais Enunciados definem norte para ações e decisões de juízes na aplicação de alternativas penais O cumprimento das medidas cautelares de recolhimento domiciliar noturno, a monitoração eletrônica e a internação

Leia mais

C L I P P I N G DATA: 24.10.2014

C L I P P I N G DATA: 24.10.2014 C L I P P I N G DATA: 24.10.2014 DESTAQUE: Bom dia, Não esqueça que hoje é dia de comemorar. O SEAC/DF lhe espera na festa dos 35 anos da entidade. Sua presença é muito importante, assim como tem sido

Leia mais

Metas Nacionais do Poder Judiciário 2014

Metas Nacionais do Poder Judiciário 2014 - 2014 Glossários e Esclarecimentos Versão 2 - Março / 2014 Secretaria- Geral Departamento de Gestão Estratégica Metas Nacionais do Poder Judiciário 2014 Glossários e Esclarecimentos Versão 2 Março / 2014

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br Competência da Justiça Militar Paulo Tadeu Rodrigues Rosa* A Justiça Militar é um dos órgãos do Poder Judiciário, com previsão constitucional e Lei de Organização Judiciária que

Leia mais

2ª Fase da Pesquisa Arbitragem e Poder Judiciário. Relatório do Tema: Validade, Eficácia e Existência da Convenção Arbitral

2ª Fase da Pesquisa Arbitragem e Poder Judiciário. Relatório do Tema: Validade, Eficácia e Existência da Convenção Arbitral Parceria institucional acadêmico-científica Escola de Direito de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (DIREITOGV) e Comitê Brasileiro de Arbitragem (CBAr) 2ª Fase da Pesquisa Arbitragem e Poder Judiciário

Leia mais

3 Jornal da Federação - 2012 ENCONTRO REGIONAL SUDESTE 4 Jornal da Federação - 2012 ENCONTRO REGIONAL NORDESTE Jornal da Federação - 2012 ENCONTRO REGIONAL SUL 5 Jornal da Federação - 2012 ENCONTRO REGIONAL

Leia mais

JUSTIÇA ESPECIALIZADA EM MATÉRIA TRIBUTÁRIA NA REGIÃO SUL DO BRASIL

JUSTIÇA ESPECIALIZADA EM MATÉRIA TRIBUTÁRIA NA REGIÃO SUL DO BRASIL DIREITO TRIBUTÁRIO Hélcio Corrêa JUSTIÇA ESPECIALIZADA EM MATÉRIA TRIBUTÁRIA NA REGIÃO SUL DO BRASIL TAX COURTS IN SOUTHERN BRAZIL 89 Sérgio Ricardo Ferreira Mota RESUMO Aponta o atual estágio de especialização

Leia mais

PESQUISA PLANOS DE SAÚDE

PESQUISA PLANOS DE SAÚDE 20 Junho 2013 REVISTA DO IDEC Saúde não é o que interessa Reajustes dos planos coletivos não são regulados pela ANS. Mas pesquisa inédita do Idec revela que, mesmo assim, a Justiça tem considerado abusivos

Leia mais

DETALHAMENTO CURSO TEORIA E PRÁTICA TRIBUNAL DO JÚRI E EXECUÇÃO PENAL (TJSE e TJAL)

DETALHAMENTO CURSO TEORIA E PRÁTICA TRIBUNAL DO JÚRI E EXECUÇÃO PENAL (TJSE e TJAL) DETALHAMENTO CURSO TEORIA E PRÁTICA TRIBUNAL DO JÚRI E EXECUÇÃO PENAL (TJSE e TJAL) Parceria formada por meio do Acordo de Cooperação Técnica nº 03/2013, assinado em 06 de junho de 2013. Curso teoria e

Leia mais

INFORMATIVO PJe-JT TRT DA 3ª REGIÃO Diretoria da Secretaria de Documentação, Legislação e Jurisprudência

INFORMATIVO PJe-JT TRT DA 3ª REGIÃO Diretoria da Secretaria de Documentação, Legislação e Jurisprudência INFORMATIVO PJe-JT TRT DA 3ª REGIÃO Diretoria da Secretaria de Documentação, Legislação e Jurisprudência ANO III Nº 18 27/08/2014 1) Rejeitada ação contra norma do CNJ que instituiu o Processo Judicial

Leia mais

Perfil da fixação de custas judiciais no Brasil e análise comparativa da experiência internacional

Perfil da fixação de custas judiciais no Brasil e análise comparativa da experiência internacional Perfil da fixação de custas judiciais no Brasil e análise comparativa da experiência internacional Brasília, Julho de 2010 PERFIL DA FIXAÇÃO DE CUSTAS JUDICIAIS NO BRASIL E ANÁLISE COMPARATIVA DA EXPERIÊNCIA

Leia mais

DEZ ANOS DA LEI DOS CRIMES CONTRA O MEIO AMBIENTE: QUESTÕES CONTROVERTIDAS E A JURISPRUDÊNCIA

DEZ ANOS DA LEI DOS CRIMES CONTRA O MEIO AMBIENTE: QUESTÕES CONTROVERTIDAS E A JURISPRUDÊNCIA DEZ ANOS DA LEI DOS CRIMES CONTRA O MEIO AMBIENTE: QUESTÕES CONTROVERTIDAS E A JURISPRUDÊNCIA Eladio Lecey Diretor-Presidente, Escola Nacional da Magistratura - AMB Diretor, Escola Brasileira de Direito

Leia mais

Agenda federativa (1º. trimestre de 2014) Antonio Lassance Nº 12. Brasília, abril de 2014

Agenda federativa (1º. trimestre de 2014) Antonio Lassance Nº 12. Brasília, abril de 2014 1 Agenda federativa (1º. trimestre de 2014) Antonio Lassance Nº 12 Brasília, abril de 2014 2 Agenda federativa (1º. trimestre de 2014) Antonio Lassance 1 1. Apresentação O objetivo desta nota é mapear

Leia mais

BoletimAASP. Conte com a Ouvidoria da AASP. Artigos dissecam formas de corrupção na Revista do Advogado. Atualização das custas estaduais de São Paulo

BoletimAASP. Conte com a Ouvidoria da AASP. Artigos dissecam formas de corrupção na Revista do Advogado. Atualização das custas estaduais de São Paulo BoletimAASP Editado desde 1945 nº 2922 Associação dos Advogados de São Paulo Conte com a Ouvidoria da AASP Artigos dissecam formas de corrupção na Revista do Advogado Atualização das custas estaduais de

Leia mais

Direito Processual Penal Aulão de Revisão Prof. Vicktor Melo

Direito Processual Penal Aulão de Revisão Prof. Vicktor Melo Ano: 2009 TJ-PA Prova: Analista Judiciário - Área Judiciária Ano: 2015/Órgão: TRE-SE Prova: Analista Judiciário - Área Administrativa 01. A nova lei processual penal 04. Manoel e Joaquim estão sendo processados

Leia mais

ATA DO XXXII FONAJE - FÓRUM NACIONAL DE JUIZADOS ESPECIAIS

ATA DO XXXII FONAJE - FÓRUM NACIONAL DE JUIZADOS ESPECIAIS ATA DO XXXII FONAJE - FÓRUM NACIONAL DE JUIZADOS ESPECIAIS O SISTEMA DOS JUIZADOS ESPECIAIS COMO INSTRUMENTO DE POLÍTICA JUDICIÁRIA DE GESTÃO DE CONFLITOS" Armação de Búzios-RJ, 5 a 7 de dezembro de 2012

Leia mais

FERNANDO JORGE DE PAULA

FERNANDO JORGE DE PAULA FERNANDO JORGE DE PAULA LEVANTAMENTO DAS JURISPRUDÊNCIAS DE PROCESSOS DE RESPONSABILIDADE CIVIL CONTRA O CIRURGIÃO-DENTISTA NOS TRIBUNAIS DO BRASIL POR MEIO DA INTERNET São Paulo 2007 Fernando Jorge De

Leia mais

Arquitetura e Engenharia com Direitos Autorais

Arquitetura e Engenharia com Direitos Autorais Arquitetura e Engenharia com Direitos Autorais Leandro Vanderlei Nascimento Flôres 2ª edição revista, ampliada e atualizada São Paulo SP 2013 Sumário PREFÁCIO... 7 NOTA DO AUTOR... 9 ÍNDICE DE ILUSTRAÇÕES...

Leia mais

BOLETIM DE CONCURSOS

BOLETIM DE CONCURSOS Semana de 26 de novembro a 30 de novembro de 2012. CARREIRAS JURÍDICAS POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS CADETE Inscrições: 30 de outubro a 28 de novembro de 2012. Taxa: R$ 120,00 Remuneração: R$ 3.945,24

Leia mais

ATO NORMATIVO Nº 94 DE 14 DE OUTUBRO DE 2014.

ATO NORMATIVO Nº 94 DE 14 DE OUTUBRO DE 2014. ATO NORMATIVO Nº 94 DE 14 DE OUTUBRO DE 2014. REGULAMENTA A APLICAÇÃO DOS DISPOSITIVOS PREVISTOS NAS RESOLUÇÕES TJAL Nº 02/2014 E 18/2014, REVOGA OS ATOS NORMATIVOS Nº 12, DE 19 DE MARÇO DE 2014 E Nº 19,

Leia mais

Acesso aos Tribunais Superiores. Habeas Corpus. Thiago Bottino. Conferência Nacional dos Advogados

Acesso aos Tribunais Superiores. Habeas Corpus. Thiago Bottino. Conferência Nacional dos Advogados Acesso aos Tribunais Superiores Habeas Corpus Thiago Bottino Conferência Nacional dos Advogados Rio de Janeiro, 21 de outubro de 2014 problema pesquisa propostas 2 problema 3 HC 109.956, 1ª Turma, STF

Leia mais

1ª. Reunião de Análise Estratégica - 2012. Núcleo de Gestão Estratégica. Manaus, 05 de março de 2012

1ª. Reunião de Análise Estratégica - 2012. Núcleo de Gestão Estratégica. Manaus, 05 de março de 2012 1ª. Reunião de Análise Estratégica - 2012 Núcleo de Gestão Estratégica Manaus, 05 de março de 2012 Objetivos Divulgar os resultados da Metas Nacionais de 2011 e apresentar os desafios para 2012. Calendário

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal CONFLITO DE COMPETÊNCIA 7.572 DISTRITO FEDERAL RELATORA SUSTE.(S) ADV.(A/S) : MIN. ROSA WEBER :VASP - VIAÇÃO AÉREA SÃO PAULO S/A :MARCUS VINÍCIUS DE ALMEIDA RAMOS :SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA (RECLAMAÇÃO

Leia mais

Profissões jurídicas - outras SOCIOLOGIA JURÍDICA PROF. ADRIANO DE ASSIS FERREIRA

Profissões jurídicas - outras SOCIOLOGIA JURÍDICA PROF. ADRIANO DE ASSIS FERREIRA 1 Profissões jurídicas - outras SOCIOLOGIA JURÍDICA PROF. ADRIANO DE ASSIS FERREIRA Profissões jurídicas 2 2410 : Advogados 1113 : Magistrados 2412 : Procuradores e advogados públicos 2413 : Tabeliães

Leia mais

QUESTÕES E PROCESSOS PARTE II

QUESTÕES E PROCESSOS PARTE II QUESTÕES E PROCESSOS INCIDENTES PARTE II INCOMPATIBILIDADES E IMPEDIMENTOS: ART. 112 CPP- DUAS HIPÓTESES: ABSTENÇÃO: ARGUIÇÃO PELA PARTE: PROCESSO ESTABELECIDO PARA EXCEÇÃO DE SUSPEIÇÃO. ART. 252 E 253

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS ADVOGADOS DE SÃO PAULO

ASSOCIAÇÃO DOS ADVOGADOS DE SÃO PAULO ASSOCIAÇÃO DOS ADVOGADOS DE SÃO PAULO 1 2 Conselho Diretor em 2012 Efetivos Substitutos Alberto Gosson Jorge Junior Arystóbulo de Oliveira Freitas Cibele Pinheiro Marçal Cruz e Tucci Dina Darc Ferreira

Leia mais

Formiga, Sabino de Freitas. RELATÓRIO DE JULGAMENTOS DA 75ª SESSÃO ORDINÁRIA (02 e 03 de dezembro de 2008), do CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA 1

Formiga, Sabino de Freitas. RELATÓRIO DE JULGAMENTOS DA 75ª SESSÃO ORDINÁRIA (02 e 03 de dezembro de 2008), do CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA 1 RELATÓRIO DE JULGAMENTOS DA 75ª SESSÃO ORDINÁRIA (02 e 03 de dezembro de 2008), do CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA 1 Vista Regimental 1) PROCEDIMENTO DE CONTROLE ADMINISTRATIVO Nº 2008.10.00.000569-6 Relator:

Leia mais

ESTRUTURA DO MATERIAL foi ELABORADA por: André Vieira. CURSO CETECNET. Processar e julgar, originariamente: Origem:

ESTRUTURA DO MATERIAL foi ELABORADA por: André Vieira. CURSO CETECNET. Processar e julgar, originariamente: Origem: STF MINISTROS 11 CIDADÃO +35 / - 65 N.S.J / R.I Pres. Repúb. Senado Federal Maioria absoluta NÃO POS- SUE ORI- GEM Processar e julgar, originariamente: a) a ADi de lei ou ato normativo federal ou estadual

Leia mais

Metas Nacionais do Poder Judiciário 2015

Metas Nacionais do Poder Judiciário 2015 Departamento de Gestão Estratégica Metas Nacionais do Poder Judiciário 2015 Glossários e Esclarecimentos Justiça Estadual Versão 1.1 Março / 2015 Sumário Introdução e Orientações Gerais... 3 Controle de

Leia mais

PARECERES JURÍDICOS. Para ilustrar algumas questões já analisadas, citamos abaixo apenas as ementas de Pareceres encomendados:

PARECERES JURÍDICOS. Para ilustrar algumas questões já analisadas, citamos abaixo apenas as ementas de Pareceres encomendados: PARECERES JURÍDICOS Partindo das diversas obras escritas pelo Prof.Dr. AURY LOPES JR., passamos a oferecer um produto diferenciado para os colegas Advogados de todo o Brasil: a elaboração de Pareceres

Leia mais

Prescrição da pretensão punitiva

Prescrição da pretensão punitiva PRESCRIÇÃO PENAL 1 CONCEITO É o instituto jurídico mediante o qual o Estado, por não fazer valer o seu direito de punir em determinado tempo, perde o mesmo, ocasionando a extinção da punibilidade. É um

Leia mais

Professor: Rodrigo J. Capobianco

Professor: Rodrigo J. Capobianco Professor: Rodrigo J. Capobianco 1. Critérios de Avaliação Independente dos critérios específicos de cada prova, a OAB sempre analisa os exames tendo base alguns fatores: 1. Critérios de Avaliação a)

Leia mais

Conselho Nacional de Justiça

Conselho Nacional de Justiça Memória de Reunião Grupo de Trabalho Comitê Gestor Nacional PJe (Portaria 78/2014) Data Horário Local 20/08/2015 9h 2º andar Sala de Reuniões (213) I Participantes (presencial) Telefone/e-mail Rubens Curado

Leia mais

ANTONIO FERNANDO BARROS E SILVA DE SOUZA Presidente do Conselho Nacional do Ministério Público

ANTONIO FERNANDO BARROS E SILVA DE SOUZA Presidente do Conselho Nacional do Ministério Público CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO RESOLUÇÃO Nº 33, de 15º DE DEZEMBRO DE 2008. Altera a Resolução n 25, de 03 de dezembro de 2007 O CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO, no exercício das atribuições

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA MILITAR

TRIBUNAL DE JUSTIÇA MILITAR TRIBUNAL DE JUSTIÇA MILITAR Este questionário objetiva diagnosticar a realidade dos tribunais em relação às aprovadas no II Encontro Nacional do Judiciário, bem como subsidiar medidas concretas a serem

Leia mais

COMPETÊNCIA DOS JUIZADOS ESPECIAIS DA FAZENDA PÚBLICA

COMPETÊNCIA DOS JUIZADOS ESPECIAIS DA FAZENDA PÚBLICA COMPETÊNCIA DOS JUIZADOS ESPECIAIS DA FAZENDA PÚBLICA Fabiano Samartin Fernandes * BREVE HISTÓRICO Os Juizados Especiais foram criados pela Lei n. 9.099, de 26 de setembro de 1995, inspirados diretamente

Leia mais

A PRISÃO DO DIREITO PENAL. Aurélio Wander Bastos

A PRISÃO DO DIREITO PENAL. Aurélio Wander Bastos A PRISÃO DO DIREITO PENAL Aurélio Wander Bastos O moderno Direito Penal Brasileiro tem evoluído em três grandes linhas teóricas: a do Direito Penal Comum, que trata principalmente da criminalidade comum;

Leia mais

Rogério Carlos Born. Este material é parte integrante do acervo do IESDE BRASIL S.A., mais informações www.iesde.com.br

Rogério Carlos Born. Este material é parte integrante do acervo do IESDE BRASIL S.A., mais informações www.iesde.com.br Rogério Carlos Born Mestrando em Direitos Fundamentais e Democracia pelas Faculdades Integradas do Brasil (UniBrasil). Especialista em Direito Público, Eleitoral e Militar. Professor de Direito Tributário,

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL PENAL COMPETÊNCIAS

DIREITO PROCESSUAL PENAL COMPETÊNCIAS DIREITO PROCESSUAL PENAL COMPETÊNCIAS Atualizado em 03/11/2015 4. Competência Material Ratione Materiae: Divide-se em competência da Justiça Estadual, Federal, Eleitoral e Militar (não falamos da Justiça

Leia mais

CADERNOS DIREITO GV v.6 n.6 : novembro 2009

CADERNOS DIREITO GV v.6 n.6 : novembro 2009 EDITOR DESDE 2004, JOSÉ RODRIGO RODRIGUEZ DIREITO PERIÓDICOS. I. São Paulo. DIREITO GV Todos os direitos desta edição são reservados à DIREITO GV CADERNOS DIREITO GV v.6 n.6 : novembro 2009 DISTRIBUIÇÃO

Leia mais

Coordenação Pedagógica Fiscal - Dezembro de 2014. Prof. Darlan Barroso. FUNDAMENTOS PARA RECURSOS Escrevente Técnico Judiciário TJ/SP

Coordenação Pedagógica Fiscal - Dezembro de 2014. Prof. Darlan Barroso. FUNDAMENTOS PARA RECURSOS Escrevente Técnico Judiciário TJ/SP Coordenação Pedagógica Fiscal - Dezembro de 2014 Prof. Darlan Barroso FUNDAMENTOS PARA RECURSOS Escrevente Técnico Judiciário TJ/SP Orientações de interposição do recurso O candidato poderá apresentar

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.080.614 - SP (2008/0176494-3) RELATORA : MINISTRA NANCY ANDRIGHI EMENTA Direito de família e das sucessões. Ação de reconhecimento de sociedade de fato, proposta por ex-companheiro

Leia mais

RELATÓRIO DE JULGAMENTOS DA 137ª SESSÃO ORDINÁRIA DO CNJ, REALIZADA EM 25 DE OUTUBRO DE 2011.

RELATÓRIO DE JULGAMENTOS DA 137ª SESSÃO ORDINÁRIA DO CNJ, REALIZADA EM 25 DE OUTUBRO DE 2011. RELATÓRIO DE JULGAMENTOS DA 137ª SESSÃO ORDINÁRIA DO CNJ, REALIZADA EM 25 DE OUTUBRO DE 2011. SUMÁRIO 1.1) CNJ arquiva representação contra Desembargador do Rio de Janeiro (item nº 28 da pauta); 1.2) CNJ

Leia mais

A Estratégia do Poder Judiciário

A Estratégia do Poder Judiciário RESOLUÇÃO Nº 70, DE 18 DE MARÇO DE 2009 Dispõe sobre o Planejamento e a Gestão Estratégica no âmbito do Poder Judiciário e dá outras providências. ANEXO I A Estratégia do Poder Judiciário PODER JUDICIÁRIO

Leia mais

JUSTIÇA MILITAR. ORGANIZAÇÃO E COMPETÊNCIA

JUSTIÇA MILITAR. ORGANIZAÇÃO E COMPETÊNCIA JUSTIÇA MILITAR. ORGANIZAÇÃO E COMPETÊNCIA CONFORMAÇÃO CONSTITUCIONAL Constituição Federal (OBS: o Decreto 4.346/02 exige o cumprimento do contraditório na apuração das infrações disciplinares) Art. 92.

Leia mais

Escritório Digital. Perguntas frequentes. Perguntas gerais

Escritório Digital. Perguntas frequentes. Perguntas gerais Escritório Digital Perguntas frequentes Perguntas gerais O que é o Escritório Digital? O Escritório Digital é um software desenvolvido pelo CNJ em parceria com a OAB para integrar os diferentes sistemas

Leia mais

RELATÓRIO DE DESEMPENHO DAS METAS NACIONAIS

RELATÓRIO DE DESEMPENHO DAS METAS NACIONAIS TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 14ª REGIÃO 2013 RELATÓRIO DE DESEMPENHO DAS METAS NACIONAIS Dezembro - 2013 2 RELATÓRIO DE DESEMPENHO DAS METAS NACIONAIS 2013 METAS DE NIVELAMENTO PARA AS CORREGEDORIAS

Leia mais

1 de 14 09/10/2015 11:43

1 de 14 09/10/2015 11:43 Bem vindo, Walter Carvalho Britto [Sair] Institucional Outros Serviços AASP Cultural Vitae - Rede Profissional Mapa do Site Fale Conosco E-mail 1 Senha Supremo Tribunal Federal Justiça Federal Justiça

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DESEMB. FEDERAL RELATOR 3 A TURMA DO E. TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 4 A REGIÃO

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DESEMB. FEDERAL RELATOR 3 A TURMA DO E. TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 4 A REGIÃO ADVOCACIA-GERAL DA UNIÃO PROCURADORIA-GERAL FEDERAL PROCURADORIA FEDERAL ESPECIALIZADA-INSS EXCELENTÍSSIMO SENHOR DESEMB. FEDERAL RELATOR 3 A TURMA DO E. TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 4 A REGIÃO AGRAVO

Leia mais

GRUPO: ANEXO MINISTERIO PUBLICO DO TRABALHO DESCRIÇÃO

GRUPO: ANEXO MINISTERIO PUBLICO DO TRABALHO DESCRIÇÃO Informações para o Conselho Nacional do Ministério Público Abril/2010 GRUPO: ANEXO MINISTERIO PUBLICO DO TRABALHO DESCRIÇÃO I INQUÉRITOS CIVIS/ PROCEDIMENTOS PREPARATÓRIOS 0 1. INSTAURADOS: 0 2. ARQUIVADOS:

Leia mais

PAUTA DE JULGAMENTOS DE 21 DE AGOSTO DE 2012-152ª SESSÃO ORDINÁRIA

PAUTA DE JULGAMENTOS DE 21 DE AGOSTO DE 2012-152ª SESSÃO ORDINÁRIA PAUTA DE JULGAMENTOS DE 21 DE AGOSTO DE 2012-152ª SESSÃO ORDINÁRIA (Disponibilizada no DJ-e nº 145/2012, em 13/08/2012, pág. 3-22) PAUTA DE JULGAMENTOS 152ª SESSÃO ORDINÁRIA Por determinação do Presidente

Leia mais

12. Assinale a opção correta a respeito da composição e do funcionamento das juntas eleitorais.

12. Assinale a opção correta a respeito da composição e do funcionamento das juntas eleitorais. TRE-MT ANALIS. JUD. ADM CESPE 9. Assinale a opção correta com relação aos órgãos da justiça eleitoral. a) A justiça eleitoral é composta pelo Tribunal Superior Eleitoral ( TSE ), pelo TRE, na capital de

Leia mais

GABINETE DA CORREGEDORIA SETOR DE CORREIÇÃO/2014 3º JUIZADO ESPECIAL FEDERAL DO RIO DE JANEIRO JUIZ FEDERAL TITULAR DR. MARCO FALCÃO CRITSINELIS

GABINETE DA CORREGEDORIA SETOR DE CORREIÇÃO/2014 3º JUIZADO ESPECIAL FEDERAL DO RIO DE JANEIRO JUIZ FEDERAL TITULAR DR. MARCO FALCÃO CRITSINELIS GABINETE DA CORREGEDORIA SETOR DE CORREIÇÃO/2014 3º JUIZADO ESPECIAL FEDERAL DO RIO DE JANEIRO JUIZ FEDERAL TITULAR DR. MARCO FALCÃO CRITSINELIS Partindo de levantamentos realizados no questionário da

Leia mais

Ensino Fundamental com 9 anos de duração - Idade de Ingresso

Ensino Fundamental com 9 anos de duração - Idade de Ingresso Ensino Fundamental com 9 anos de duração - Idade de Ingresso A respeito da idade de ingresso das crianças, no ensino fundamental de 9 anos de duração, ocorreram acaloradas discussões na esfera educacional

Leia mais

2015> > Metas da Justiça Federal

2015> > Metas da Justiça Federal 2015> > > Glossário das Metas da Justiça Federal. Compõe-se das Metas aprovadas no Plano Estratégico da Justiça Federal para o período 2015-2020, dentre as quais, as metas aprovadas no VIII Encontro Nacional

Leia mais

Fórum de Combate à Corrupção e lavagem de dinheiro no Estado de São Paulo FOCCOSP

Fórum de Combate à Corrupção e lavagem de dinheiro no Estado de São Paulo FOCCOSP Fórum de Combate à Corrupção e lavagem de dinheiro no Estado de São Paulo FOCCOSP Criação e objetivos O FOCCOSP foi criado por meio de protocolo de intenções assinado em 09 de dezembro de 2013 na sede

Leia mais

CURRICULUM VITAE. Salomão Taumaturgo Marques

CURRICULUM VITAE. Salomão Taumaturgo Marques CURRICULUM VITAE Salomão Taumaturgo Marques Informações Pessoais Nome: Salomão Taumaturgo Marques E- mail: staumaturgo@tlaadvogados.com.br Advogado Inscrito na OAB Seccional do Distrito Federal sob o nº

Leia mais

Anexo Tabela única de classes da 2ª Região

Anexo Tabela única de classes da 2ª Região CLASSE 01000 AÇÕES ORDINÁRIAS Anexo Tabela única de classes da 2ª Região CORRESPONDÊNCIA NA TABELA ÚNICA DE CLASSES DO DA 01001 ORDINÁRIA / TRIBUTÁRIA 29 AÇÃO ORDINÁRIA (PROCEDIMENTO COMUM 07 ORDINÁRIO)

Leia mais

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº Dispõe sobre a criação do Conselho de Ética Pública e estabelece medidas de transparência e controle de atos de agentes políticos, dirigentes, empregados e servidores públicos.

Leia mais

Alexandre Pontes Aragão Promotor de Justiça na 3ª Promotoria Auxiliar da Comarca de Maracanaú

Alexandre Pontes Aragão Promotor de Justiça na 3ª Promotoria Auxiliar da Comarca de Maracanaú Alexandre Pontes Aragão Promotor de Justiça na 3ª Promotoria Auxiliar da Comarca de Maracanaú CURSO A COMUNIDADE PELA MORALIDADE N de aulas: 05 (cinco) Período do dia e duração aproximada de cada aula:

Leia mais

331 questões sobre Recursos Cíveis

331 questões sobre Recursos Cíveis 331 questões sobre Recursos Cíveis AGRAVOS... 1 APELAÇÃO... 8 EMBARGOS... 17 GENERALIDADE SOBRE RECURSOS... 24 RECLAMAÇÃO... 41 RECURSO ADESIVO... 43 RECURSO ESPECIAL... 44 RECURSO EXTRAORDINARIO... 47

Leia mais

FACULDADE ZUMBI DOS PALMARES CURSO DE DIREITO PRÁTICA JURÍDICA

FACULDADE ZUMBI DOS PALMARES CURSO DE DIREITO PRÁTICA JURÍDICA FACULDADE ZUMBI DOS PALMARES CURSO DE DIREITO PRÁTICA JURÍDICA Regras Básicas para as Atividades de Prática Jurídica a partir do ano letivo de 2010 Visitas Orientadas 72 Horas 36 horas para atividades

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO RESOLUÇÃO Nº 25, DE 03 DE DEZEMBRO DE 2007.

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO RESOLUÇÃO Nº 25, DE 03 DE DEZEMBRO DE 2007. CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO RESOLUÇÃO Nº 25, DE 03 DE DEZEMBRO DE 2007. Cria o Núcleo de Ação Estratégica NAE, altera dispositivos da Resolução n. 12, de 2006, e dá outras providências. O CONSELHO

Leia mais

o mpf/sp e a unifesp notas para a audiência pública

o mpf/sp e a unifesp notas para a audiência pública o mpf/sp e a unifesp notas para a audiência pública unifesp, 23.04.2009 tópicos conhecendo o mpf unifesp e administração pública atuação do mpf/sp na unifesp tutela de direitos coletivos defesa do patrimônio

Leia mais

JUIZADO ESPECIAL DA FAZENDA PÚBLICA

JUIZADO ESPECIAL DA FAZENDA PÚBLICA JUIZADO ESPECIAL DA FAZENDA PÚBLICA O termo Fazenda Pública significa a presença em juízo de pessoa jurídica de direito público interno, descritas no artigo 41 do Código Civil como sendo a União, os Estados,

Leia mais

Sumário. Resumo Direito Constitucional

Sumário. Resumo Direito Constitucional Sumário 1. DIREITO CONSTITUCIONAL 1.1 Dos direitos e garantias fundamentais 1.1.1 Dos direitos e deveres individuais e coletivos 1.1.1.1 Extradição 1.1.2 Dos direitos sociais 1.1.3 Da nacionalidade 1.1.4

Leia mais

META 4. LEITURA OBRIGATÓRIA Legislação: CRFB/88, arts. 6 o 17; Doutrina: Direitos sociais; Nacionalidade; Direitos Políticos e Partidos Políticos.

META 4. LEITURA OBRIGATÓRIA Legislação: CRFB/88, arts. 6 o 17; Doutrina: Direitos sociais; Nacionalidade; Direitos Políticos e Partidos Políticos. META 4 LEITURA OBRIGATÓRIA Legislação: CRFB/88, arts. 6 o 17; Doutrina: Direitos sociais; Nacionalidade; Direitos Políticos e Partidos Políticos. EXERCÍCIO 1. (FGV - 2008 - Senado Federal - Policial Legislativo

Leia mais

- Setores da Corregedoria -

- Setores da Corregedoria - - Setores da Corregedoria - Calendário Logísitica Correições Assessoria Processo Administrativo Apoio Interno Núcleo de Apoio Corregedor Cadastro de Documentos Ouvidoria Promoções Controle do Trâmite Processual

Leia mais

Esclarecimento quanto a aplicação da pena de multa.

Esclarecimento quanto a aplicação da pena de multa. Esclarecimento quanto a aplicação da pena de multa. Conforme dito em sala, o critério para fixação da pena de multa é bifásico e como ressaltado por um colega da turma (peço desculpa por não recordar o

Leia mais

GABINETE DA CORREGEDORIA SETOR DE CORREIÇÃO/2014

GABINETE DA CORREGEDORIA SETOR DE CORREIÇÃO/2014 GABINETE DA CORREGEDORIA SETOR DE CORREIÇÃO/2014 23ª VARA FEDERAL DO RIO DE JANEIRO JUÍZA FEDERAL TITULAR DRA. MARIA AMELIA ALMEIDA SENOS DE CARVALHO JUÍZA FEDERAL SUBSTITUTA DRA. LUCIANA DA CUNHA VILLAR

Leia mais