Em Agosto de 2014, o indicador de sentimento económico diminuiu na União Europeia (-1.2 pontos) e na Área Euro (-1.5 pontos).

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Em Agosto de 2014, o indicador de sentimento económico diminuiu na União Europeia (-1.2 pontos) e na Área Euro (-1.5 pontos)."

Transcrição

1 Ago-04 Ago-05 Ago-06 Ago-07 Ago-08 Ago-09 Ago-10 Ago-11 Ago-12 Ago-13 Ago-14 Análise de Conjuntura Setembro 2014 Indicador de Sentimento Económico Em Agosto de 2014, o indicador de sentimento económico diminuiu na União Europeia (-1.2 pontos) e na Área Euro (-1.5 pontos). Entre as economias de maior dimensão da Área Euro, o indicador diminuiu em Itália (-4.1), Alemanha (-1.9), Países Baixos (-0.8) e França (-0.6) e manteve-se em Espanha. Na Área Euro, consumidores e empresas procederam a uma avaliação menos favorável do que no mês anterior. 120 Indicador de Sentimento Económico Área Euro Portugal Fonte: Comissão Europeia Em Portugal, o indicador de sentimento económico diminuiu 1.9 pontos. Esta diminuição comum a todas as componentes do indicador, foi mais significativa nos consumidores e nas empresas da construção.

2 1ºT-12 2ºT-12 3ºT-12 4ºT-12 1ºT-13 Abr 13 Mai 13 2ºT-13 Jul 13 Ago 13 3ºT-13 Out 13 Nov 13 4ºT-13 Jan 14 Fev 14 1ºT-14 Abr 14 Mai 14 2ºT-14 Jul 14 Índice de Produção Industrial Em Julho, o índice da produção industrial registou uma variação homóloga de +3.5%. Na indústria transformadora, esta variação foi de +3.4%. IPI - Indústria Transformadora 5% 4% 3% 2% 1% +0,8% 0% -1% -2% -3% -2,4% -4% -5% Variação homóloga trimestral Variação média últimos 12 meses Índice de Produção Industrial (variação média últimos 12 meses) Jul-13 Jul-14 Bens de consumo 2,8% 1,4% Bens intermédios -4,2% 1,8% Bens de investimento -6,4% 4,2% Energia -4,2% 1,5% Indústria Transformadora -0,8% 2,6% Indústria -2,4% 2,0% Nos últimos 12 meses o IPI teve uma variação média de +2.0% (+2.6% na industria transformadora). Índice de Volume de Negócios na Indústria Em Julho, a variação homóloga do índice de volume de negócios na indústria transformadora foi de -0.4% (+0.9% no mercado nacional; -1.7% no mercado externo). No total da indústria a variação do IVN foi de -0.8% (-0.4% no mercado nacional; -1.4% no mercado externo). 2

3 Jul-12 Set-12 Nov-12 Jan-13 Mar-13 Mai-13 Jul-13 Set-13 Nov-13 Jan-14 Mar-14 Mai-14 Jul-14 Jul-12 Set-12 Nov-12 Jan-13 Mar-13 Mai-13 Jul-13 Set-13 Nov-13 Jan-14 Mar-14 Mai-14 Jul-14 IVN Indústria Transformadora - variação média nos últimos 12 meses (%) 15,0% 4,9% 3,4% 10,0% 0,3% 5,0% -1,7% -2,9% 0,0% -5,0% -7,6% ,0% Total Mercado Nacional Mercado Externo Total Mercado Nacional Mercado Externo IVN Indústria (variação média últimos 12 meses) - Jul 14 Total Mercado Nacional Mercado Externo Bens de consumo 1,4% 0,8% 2,0% Bens intermédios -0,4% -2,8% 2,0% Bens de investimento 2,6% 4,4% 1,8% Energia -2,7% -1,3% -8,9% Indústria Transformadora 0,3% -0,5% 1,1% Indústria -0,1% -0,8% 0,7% No ano terminado em Julho de 2014, a variação média do índice de volume de negócios na indústria transformadora foi +0.3% (+1.1% no mercado externo; -0.5% no mercado nacional). Índice de Produção na Construção Em julho 1, o índice de produção na construção registou uma variação de -9.7% em termos homólogos (-8.0% construção de edifícios ; -12.1% nas obras de engenharia civil ). Índice de Produção na Construção - variação média nos últimos 12 meses (%) 0, ,0-4,0-12,0-8,0-14,0-12,0-16,0-16,0-20,0-15,7-16,3-17,0-15,9-15,7-16,1-18,0 Total Construção de edifícios Engenharia civil Total Construção de edifícios Engenharia civil Média móvel de 3 meses. 3

4 Jul-12 Set-12 Nov-12 Jan-13 Mar-13 Mai-13 Jul-13 Set-13 Nov-13 Jan-14 Mar-14 Mai-14 Jul-14 A variação média do índice de produção na construção nos últimos 12 meses foi de -12.7% (-11.7% na construção de edifícios ; -14.1% nas obras de engenharia civil ). Taxa de Utilização da Capacidade Produtiva No 2º trimestre de 2014, a taxa média de utilização da capacidade produtiva da indústria transformadora foi de 75.3%, +2.0 p.p. do que a verificada no segundo trimestre de 2013 e +0.8 p.p. que a do 1º trimestre de De notar a taxa de utilização e a sua evolução nos outros bens de equipamento. A variação homóloga e em parte a variação anual na fabricação de automóveis estão influenciadas pela baixa taxa de utilização da capacidade produtiva no 2º trimestre de Taxa de Utilização da Capacidade Produtiva 2º T13 2º T14 Variação Homóloga Trimestral Variação Média Anual Bens de Consumo 76,5% 78,3% 1,8 p.p. +3,2 p.p. Bens Intermédios 70,5% 72,1% 1,6 p.p. +0,5 p.p. Bens de Investimento 77,3% 79,2% 1,9 p.p. +1,1 p.p. Fabricação de Automóveis 69,5% 75,8% 6,3 p.p. -8,9 p.p. Outros Bens de Equipamento 79,8% 82,1% 2,3 p.p. +3,8 p.p. Indústria Transformadora 73,3% 75,3% 2,0 p.p. +1,5 p.p. Índice de Volume de Negócios nos Serviços Em julho, o índice de volume de negócios nos serviços registou uma variação homóloga de -2.1%. IVN Serviços - variação média nos últimos 12 meses (%) 0,0% 0,0-2,0% -2,0-4,0% -6,0% -4,4% -4,0-6,0-8,0% -10,0% -8,9% ,0-10,0 4

5 Jul-12 Set-12 Nov-12 Jan-13 Mar-13 Mai-13 Jul-13 Set-13 Nov-13 Jan-14 Mar-14 Mai-14 Jul-14 A variação média do IVN nos serviços nos últimos 12 meses foi de -2.0%. As duas principais secções deste índice registaram uma variação de -2.2% no comércio por grosso; reparação de veículos automóveis e motociclos e de +1.8% nos transportes e armazenagem. IVN Serviços (variação média nos últimos 12 meses) Jul 13 Jul 14 Comércio por grosso; reparação de veículos automóveis e motociclos -7,8% -2,2% Transportes e armazenagem 0,4% 1,8% Alojamento, restauração e similares -7,8% x Actividades de informação e de comunicação -6,2% -3,6% Actividades imobiliárias -13,2% x Actividades de consultoria, científicas, técnicas e similares -9,2% x Actividades administrativas e dos serviços de apoio -7,7% -1,9% Serviços -6,8% -2,0% Índice de Volume de Negócios no Comércio a Retalho Em julho, o índice de volume de negócios no comércio a retalho (preços correntes) registou uma variação -2.4% em termos homólogos (-1.1% no comércio de produtos não alimentares ; -3.9% no comércio de produtos alimentares, bebidas e tabaco ). IVN Comércio a Retalho - Variação média nos últimos 12 meses (%) 2,0% 1,1% 0,0% -2,0% -1,5% -2,4% -4,0% -5,4% -5,0% -6,0% -8,2% -8,0% -10,0% Geral Prod. Alimentares, bebidas e tabaco Produtos não alimentares Geral Prod. Alimentares, bebidas e tabaco Produtos não alimentares A variação média nos últimos 12 meses do IVN do comércio a retalho (preços correntes) foi de -1.0%, com uma variação nula nos produtos alimentares, bebidas e tabaco e de -1.8% nos produtos não alimentares. Comércio Internacional Segundo os resultados preliminares das estatísticas do comércio internacional do INE, de Janeiro a Julho de 2014, comparativamente a igual período de 2013, as exportações de bens (28.3 mil 5

6 milhões de euros) aumentaram 0.9% e as importações (34.3 mil milhões de euros) cresceram +3.8% (preços correntes). As saídas para a UE atingiram 20.4 mil milhões de euros (+2.5%) e as exportações para os mercados extra-eu 7.9 mil milhões de euros (-3.1%). As entradas de bens da UE atingiram cerca de 25.5 mil milhões de euros (+8.8%) e as importações de mercados extra-ue 8.8 mil milhões de euros (-8.2%). Comércio Internacional - Principais exportações de bens NC Descrição Jan-Jul 13 Jan-Jul 14 Variação homóloga Peso no total milhões de euros milhões de euros % % 87 Automóveis e outros veículos terrestres ,3% 11,2% 85 Máquinas e aparelhos eléctricos ,5% 7,9% 27 Combustíveis e óleos mínerais ,5% 7,7% 84 Máquinas e aparelhos mecânicos ,8% 6,6% 39 Plásticos e suas obras ,3% 5,1% 64 Calçado ,5% 4,1% 61 Vestuário, de malha ,4% 4,0% 48 Papel e cartão, e suas obras ,4% 3,5% 94 Móveis, anúncios, cartazes ,9% 3,2% 73 Obras de ferro fundido, ferro e aço ,3% 3,0% 72 Ferro fundido, ferro e aço ,5% 2,5% 40 Borracha e suas obras ,7% 2,2% 22 Bebidas, líquidos alcoólicos e vinagres ,7% 2,2% 62 Vestuário, excepto de malha ,5% 2,0% 45 Cortiça e suas obras ,5% 1,9% Sub-total ,0% 67,1% Total ,9% 100,0% De acordo com as estatísticas da balança de pagamentos do Banco de Portugal, de janeiro a julho de 2014, comparativamente a período homólogo, as exportações de serviços (11.9 mil milhões de euros) cresceram 4.9% e as importações (6.8 mil milhões de euros) 10.0%. Comércio Internacional de Serviços Janeiro-Julho 2014 Exportações Importações (milhões ) Var. homóloga (milhões ) Var. homóloga Total ,9% ,0% dos quais: Transportes ,2% ,7% Viagens e Turismo ,3% ,8% Serviços fornecidos pelas empresas ,2% ,5% Fonte: Banco de Portugal Índice de Preços no Consumidor Em agosto, a variação homóloga do índice de preços no consumidor foi de -0.4%. Das 12 classes que compõem o IPC, cinco registaram variações homólogas negativas, sendo as mais significativas as relativas a produtos alimentares e bebidas não alcoólicas (-3.17%) e a lazer, recreação e cultura (-0.99%). As classes bebidas alcoólicas e tabaco (+3.38%) e habitação, água, eletricidade, gás e outros combustíveis (+2.18%) registaram os aumentos de preços mais expressivos. 6

7 Ago-12 Out-12 Dez-12 Fev-13 Abr-13 Jun-13 Ago-13 Out-13 Dez-13 Fev-14 Abr-14 Jun-14 Ago-14 Ago-12 Out-12 Dez-12 Fev-13 Abr-13 Jun-13 Ago-13 Out-13 Dez-13 Fev-14 Abr-14 Jun-14 Ago-14 4,0 IPC - Indice de Preços no Consumidor 3,0 2,0 1,0 0,0-1,0 Variação homóloga Variação últimos 12 meses A variação nos últimos 12 meses do IPC manteve-se em -0.2%. O índice sem energia e bens alimentares não transformados (inflação subjacente) registou uma variação nos últimos 12 meses de +0.1%. Índice Harmonizado de Preços no Consumidor 4,0 3,0 2,0 1,0 0,0-1,0 IHPC - Variação média últimos 12 meses (%) Portugal Área Euro 18 Fonte: Eurostat Em agosto, o IHPC registou uma variação homóloga de -0.1% em Portugal (-1.6% nos bens; +2.0% nos serviços) e na AE18 de +0.4% (-0.3% nos bens; +1.3% nos serviços). A diferença entre as taxas de inflação em Portugal e na AE18 manteve-se em -0.8 pontos percentuais, com uma variação média do IHPC nos últimos 12 meses de -0.1% em Portugal e de +0.7% na AE18. Índice de Preços na Produção Industrial Em Agosto, o índice de preços na produção industrial registou uma variação homóloga de -0.9% (-1.8% na indústria transformadora). A variação média dos preços nos últimos 12 meses foi de -1.0% na indústria em geral e de -1.9% na indústria transformadora. Todos os grandes agrupamentos industriais registaram Índice de Preços na Produção Industrial (variação média últimos 12 meses) Ago-13 Ago-14 Bens de consumo 1,4% -1,0% Bens intermédios 1,2% -1,5% Bens de investimento 1,1% 0,0% Energia 3,2% -0,9% Indústria Transformadora 0,9% -1,9% Indústria 1,8% -1,0% 7

8 Ago-12 Out-12 Dez-12 Fev-13 Abr-13 Jun-13 Ago-13 Out-13 Dez-13 Fev-14 Abr-14 Jun-14 Ago-14 1ºsem 2ºsem 1ºsem 2ºsem 1ºsem 1ºsem 2ºsem 1ºsem 2ºsem 1ºsem Ago 13 Set 13 Out 13 Nov 13 Dez 13 Jan 14 Fev 14 Mar 14 Abr 14 Mai 14 Jun 14 Jul 14 Ago 14 variações negativas excepto os bens de investimento com uma variação nula nos preços de produção. Índice de Preços na Produção Industrial (%) 5,0 (%) 8,2 9,9 3,0 1,0 1,6 2,8 0,1-1,0-0,1-1,6-1,8-1,3-0,1-3,0-5, Ind. Transf.-VM12 Energia-VM12 Ind. Transf.-VH Energia-VH Preço do Petróleo (Brent Spot) - média do período Preço do petróleo 120 Em agosto o preço médio do petróleo brent spot foi de USD/barril (76.3 /barril), 100 preço inferior em 4.8% ao registado no mês anterior e em % relativamente ao preço médio de agosto de Na primeira quinzena de 70 Setembro, a cotação diária do barril de petróleo brent spot continuou a descer, atingindo USD/barril /barril Fonte: EIA de USD/barril no dia 15 de Setembro ( USD/barril em 1 de Setembro). Euribor Média mensal Ago 13 Ago 14 Diferença em p.p. Euribor 3 meses 0,226% 0,192% -0,034 p.p. Euribor 6 meses 0,342% 0,292% -0,050 p.p. Euribor 12 meses 0,542% 0,469% -0,073 p.p. Fonte: Banco de Portugal Taxas de Juro do Mercado Monetário Em Agosto, as taxas de juro Euribor diminuíram face aos valores médios registados em Julho ( p.p. nos prazos 3 e 6 meses e p.p. no prazo 12 meses) e em mês homólogo. 8

9 Jul-12 Ago-12 Set-12 Out-12 Nov-12 Dez-12 Jan-13 Fev-13 Mar-13 Abr-13 Mai-13 Jun-13 Jul-13 Ago-13 Set-13 Out-13 Nov-13 Dez-13 Jan-14 Fev-14 Mar-14 Abr-14 Mai-14 Jun-14 Jul-14 Taxas de Juro Activas Em julho, as taxas de juro médias sobre os saldos de empréstimos a sociedades não financeiras mantiveram-se praticamente inalteradas nos prazos até um ano e entre 1 e 5 anos e desceram nos saldos de empréstimos com prazo superior a 5 anos, de 3.51% para 3.46%. Jul 13 Jul 14 Diferença Diferença em p.p. em p.p. Empréstimos até 1 ano 5,92% 5,29% -0,63 p.p. 6,33% 5,91% -0,42 p.p. Empréstimos entre 1 e 5 anos 4,97% 4,82% -0,15 p.p. 5,16% 4,99% -0,17 p.p. Empréstimos superiores a 5 anos 3,44% 3,46% 0,02 p.p. 3,87% 3,46% -0,41 p.p. Fonte: Banco de Portugal Sociedades Não Financeiras - Taxas de juro nos saldos de empréstimos Em julho, a taxa de juro média nas novas operações de empréstimos a sociedades não financeiras foi de 4.45% (5.46% nas operações de empréstimos inferiores a um milhão de euros; 4.61% nas operações acima de 1 milhão de euros). Média mensal Média anual Empréstimos a Sociedades Não Financeiras Em julho, o montante de novas operações de empréstimos concedidos pelas instituições financeiras monetárias a sociedades não financeiras foi de 3.8 mil milhões de euros (1.7 mil milhões de euros nos empréstimos até 1 milhão de euros; 2.1 mil milhões de euros nas novas operações de empréstimos acima de um milhão de euros). Empréstimos concedidos a Sociedades Não Financeiras - Novas Operações Em milhões de euros Até 1 milhão de euros Mais de 1 milhão de euros Total 9

10 Dez-03 Dez-04 Dez-05 Dez-06 Dez-07 Dez-08 Dez-09 Dez-10 Dez-11 Dez-12 Dez-13 Jan-13 Fev-13 Mar-13 Abr-13 Mai-13 Jun-13 Jul-13 Ago-13 Set-13 Out-13 Nov-13 Dez-13 Jan-14 Fev-14 Mar-14 Abr-14 Mai-14 Jun-14 Jul-14 Ago-14 Taxas de Câmbio do Euro Em agosto, a cotação média do euro face ao dólar foi de USD/EUR (+0.1% que em igual mês de 2013). Taxas de câmbio do euro Médias Anuais Médias Mensais Var. % Ago-13 Ago-14 Var. % USD/EUR 1,285 1,328 3,4% 1,331 1,332 0,1% JPY/EUR 102,5 129,7 26,5% 130,3 137,1 5,2% GBP/EUR 0,811 0,849 4,7% 0,859 0,797-7,2% BRL/EUR 2,508 2,869 14,4% 3,022 3,022 0,0% CHF/EUR 1,205 1,231 2,1% 1,234 1,212-1,8% Fonte: Banco de Portugal Comparativamente ao câmbio médio registado em Julho, o euro desvalorizou-se, em termos nominais, face ao franco suíço (-0.3%), iene (-0.4%) e dólar norte-americano (-1.6%) e valorizouse face ao real brasileiro (+0.4%) e libra esterlina (+0.5%). Taxas de Câmbio Dólar / Euro 1,70 1,60 Max - 1, Julho ,70 1,60 1,50 1,50 17 Setembro 2014: 1,3518 1,40 Min - 0, Outubro ,40 1,30 1,30 1,20 1,20 1,10 1,10 Fonte: Banco de Portugal Em agosto, o índice de taxa de câmbio efectiva nominal do euro registou uma variação homóloga de -0.3%. A variação média nos últimos 12 meses foi de +3.3%. O índice cambial efectivo nominal para Portugal registou uma variação homóloga de -0.1%. A variação média nos últimos 12 meses foi de +0.8%. Índice Bolsista Em agosto, o índice PSI-20 registou, uma desvalorização de 0.6% relativamente ao mês anterior e uma valorização de 2.3% face a mês homólogo (valores de fim de período). 10

11 Dez-03 Dez-04 Dez-05 Dez-06 Dez-07 Dez-08 Dez-09 Dez-10 Dez-11 Dez-12 Dez-13 Jan-13 Fev-13 Mar-13 Abr-13 Mai-13 Jun-13 Jul-13 Ago-13 Set-13 Out-13 Nov-13 Dez-13 Jan-14 Fev-14 Mar-14 Abr-14 Mai-14 Jun-14 Jul-14 Ago-14 Índice PSI-20 (valores em fim de período) Max Março 2000 Min Junho Setembro 2014: 5857, Fonte: Euronext Emprego Estatísticas do Emprego - Principais indicadores 2º T13 1º T14 2º T14 (milhares de pessoas) População activa 5 290, , ,5 População empregada 4 424, , População desempregada 866,3 788,1 728,9 Taxa de actividade (15 e mais anos) 59,3% 58,7% 59,0% Taxa de emprego (15 e mais anos) 49,6% 49,8% 50,8% Taxa de desemprego 16,4% 15,1% 13,9% - Estatísticas do Emprego De acordo com os dados do Inquérito ao Emprego (INE), no 2º trimestre de 2014, a população empregada, aumentou 2.0% quer face a igual trimestre de 2013 quer em relação ao 1º trimestre de No mesmo período, a população desempregada diminuiu -15.9% em termos homólogos e -7,5% face ao 1º trimestre de No 2º trimestre de 2014, a taxa de desemprego estimada foi de 13.9%, taxa inferior à do trimestre anterior (-1,2 p.p.) e à do trimestre homólogo (-2.5 p.p.). Comparativamente ao 1º trimestre de 2014, as taxas de desemprego embora com ritmos diferentes, diminuiram em todas as regiões NUTS II. Taxas de Desemprego por Regiões NUTS II 2º T13 1º T14 2º T14 Norte 17,1% 15,8% 15,0% Centro 11,4% 11,0% 10,4% Lisboa 19,2% 16,4% 15,1% Alentejo 17,3% 16,0% 14,0% Algarve 16,6% 18,3% 13,5% R. A. Açores 16,0% 18,0% 16,0% R. A. Madeira 18,4% 16,4% 15,7% Portugal 16,4% 15,1% 13,9% - Estatísticas do Emprego 11

12 Contas Nacionais Segundo as contas nacionais trimestrais do INE (base 2011) no 2º trimestre de 2014, o produto interno bruto, em volume, aumentou +0.3% relativamente ao trimestre anterior. Em preços correntes esta variação foi de -0.6%. PIB (em volume) - variação trimestral (%) 3,0 2,0 1,0 0,0-1,0-2,0-3,0-4,0-5,0 I II III IV I II III IV I II III IV I II III IV I II variação em relação ao trimestre anterior variação em relação ao mesmo trimestre do ano anterior Em comparação com o trimestre homólogo de 2013, a variação do PIB no 2º trimestre de 2014 foi de +0.9%, em volume, e de +2.0% em preços correntes. No 1º semestre de 2014 o PIB, em relação ao semestre homólogo de 2013, cresceu +0.9% em volume e +2.5% a preços correntes. No 2º trimestre de 2014 a procura interna registou uma variação homóloga, em volume, de +1.8%, com o consumo privado a aumentar 1.7% e a formação bruta de capital fixo 2.3%. A variação das exportações e das importações foi de +2.4% e +4.8%, respectivamente. PIB na óptica da despesa (em volume) Taxa de variação homóloga 2º T13 3º T13 4º T13 1º T14 2º T14 Consumo Privado -2,0% -0,8% 1,4% 2,0% 1,7% Consumo Público -2,8% 2,0% -0,1% 0,0% 0,2% FBCF -6,0% -3,5% 0,4% 1,3% 2,3% Procura Interna -2,6% -1,2% 0,5% 3,3% 1,8% Exportações bens e serviços 7,1% 7,4% 8,8% 3,1% 2,4% Importações bens e serviços 5,6% 6,8% 6,0% 9,3% 4,8% PIB -2,1% -1,0% 1,6% 1,0% 0,9% (Análise elaborada com informação disponível até 18 Setembro 2014) 12

13 PORTUGAL Indicadores de Conjuntura Short-term Indicators Produção e Volume de Negócios Production and Turnover Setembro September T 13 4T 13 1T 14 2T Índice de Produção Industrial Industry Production Index Total vh yoy -6,1 0,4-1,6 3,8 2,1 1,4 0,3 0,0 3,5 x Total 1,5 1,4 2,0 x Indústria Transformadora vh yoy -2,4 0,8 0,1 4,2 1,2 3,2 2,5 1,1 3,4 x Manufacturing Industry 2,2 2,2 2,6 x Índice de Produção na Construção Production Index in Construction Total vh 3m yoy 3m -16,3-15,9-15,4-14,0-13,1-9,9-11,3-9,9-9,7 x Total -13,7-13,2-12,7 x Construção de Edifícios vh 3m yoy 3m -15,7-16,1-14,7-14,1-11,6-8,2-9,4-8,2-8,0 x Building -12,9-12,3-11,7 x Engenharia Civil vh 3m yoy 3m -17,0-15,7-16,4-13,8-15,1-12,3-13,9-12,3-12,1 x Civil Engineering -14,8-14,5-14,1 x Índice de Volume de Negócios Turnover Index Ind. Transformadora vh yoy -1,7 0,3 1,5 3,0-0,3-1,0-5,9 6,3-0,4 x Manufacturing Industry 0,0 0,8 0,3 x Ind. Transformadora - Mercado Nacional vh yoy -7,6-2,9-1,5-0,4 0,4 0,0-4,9 6,9 0,9 x Manufacturing Industry - Domestic Market -1,4-0,4-0,5 x Ind. Transformadora - Mercado Externo vh yoy 4,9 3,4 4,6 6,6-1,0-2,0-6,9 5,8-1,7 x Manufacturing Industry - External Market 1,3 1,9 1,1 x Índice de Volume de Negócios Turnover Index Comércio a Retalho (preços correntes) vh yoy -5,4-2,4-1,2 0,4-0,6-2,0-0,7-2,7-2,4 x Retail Trade (current prices) -0,8-0,9-1,0 x Comércio a Retalho (deflacionado) vh yoy -5,8-1,7-0,9 1,7 1,6 0,3 1,7-0,5 1,0 x Retail Trade (constant prices) 0,5 0,6 0,8 x Serviços vh yoy -8,9-4,4-3,1-3,0-1,5-0,9-0,2-2,3-2,1 x Services -2,3-2,1-2,0 x - 1 -

14 Setembro September T 13 4T 13 1T 14 2T Grau de Utilização da Capacidade Produtiva Rate of capacity utilization Indústria Transformadora % 73,5 74,3 73,3 76,8 74,6 75,3 Manufacturing industry Bens de Consumo % 72,8 76,5 76,5 78,2 76,9 78,3 Consumption goods Bens Intermédios % 73,0 72,2 70,5 76,1 71,3 72,1 Intermediate goods Bens de Investimento % 76,7 77,1 77,3 76,8 78,9 79,2 Investment goods Fabricação de Automóveis % 85,4 75,2 69,5 73,6 75,0 75,8 Vehicles manufacturing Outros Bens de Equipamento % 74,7 77,5 79,8 75,7 81,0 82,1 Other equipment goods Exportações de bens vh yoy 5,7 4,7 5,9 6,6 2,2-0,5-3,5 7,2 1,3 x Exports of goods vha yoy ac -0,4 0,8 0,9 x Intracomunitárias vh yoy 0,9 3,6 6,1 6,5 3,7 1,7-1,5 7,9 1,7 x Intracommunity vha yoy ac 1,6 2,7 2,5 x Extracomunitárias vh yoy 19,6 7,4 5,3 6,7-1,5-5,5-8,1 5,5 0,1 x Extracommunity vha yoy ac -5,4-3,6-3,1 x Importações de bens vh yoy -5,2 1,0 4,0 5,2 6,4 1,7 2,1 9,9 3,0 x Imports of goods vha yoy ac 2,8 4,0 3,8 x Intracomunitárias vh yoy -7,6 1,8 6,1 7,5 14,1 5,8 5,1 6,9 3,4 x Intracommunity vha yoy ac 10,4 9,8 8,8 x Extracomunitárias vh yoy 1,5-0,9-0,6-1,3-11,8-8,5-5,3 18,1 2,2 x Extracommunity vha yoy ac -15,2-10,1-8,2 x Exportações de serviços (1) vh yoy -0,3 7,7 6,9 11,3 5,2 5,4 2,8 6,3 3,3 x Exports of services (1) vha yoy ac 5,1 5,3 4,9 x Importações de serviços (1) vh yoy -9,2 2,2 4,7 2,8 8,3 10,8 12,6 13,0 12,2 x Imports of services (1) vha yoy ac 9,0 9,6 10,0 x Taxa de Desemprego % 15,5 16,2 15,6 15,3 15,1 13,9 14,0 x Unemployment Rate Emprego vh yoy -4,1-2,6-2,1 0,7 1,7 2,0 Employment Emprego Indústria Transformadora vh yoy -5,4-4,8-4,3-1,8 3,5 5,8 Manufacturing Industry Employment Taxa de Emprego (2) % 50,8 49,7 50,2 50,2 49,8 50,8 Employment Rate (2) Comércio Externo External Trade Mercado de Trabalho Labour Market Preços e Salários Prices and Wages Índice Harmonizado de Preços no Consumidor vh yoy 2,8 0,4 0,4 0,1-0,1-0,2-0,3-0,2-0,7-0,1 Harmonized Consumer Price Index 0,2 0,0-0,1-0,1 Bens vh yoy 2,5 0,0 0,0-0,3-0,7-1,1-1,2-1,1-2,1-1,6 Goods Serviços vh yoy 3,2 1,1 0,9 0,6 0,6 1,0 1,0 0,9 1,2 2,0 Services - 2 -

15 Setembro September T 13 4T 13 1T 14 2T Índice de Preços no Consumidor vh yoy 2,8 0,3-0,1-0,1-0,3-0,6-0,4-0,4-0,9-0,4 Consumer Index Price 0,1 0,0-0,2-0,2 Índice de Preços na Produção Industrial vh yoy 3,2 0,1-0,3-1,1-1,4-0,5-0,6-0,4-0,8-0,9 Industrial Producer Price Index -0,8-0,8-1,0-1,0 Indústria Transformadora vh yoy 2,2-0,8-1,2-2,1-2,4-1,3-1,3-1,1-1,5-1,8 Manufacturing Industry -1,7-1,7-1,9-1,9 Preço do barril de petróleo Brent Spot (média) US $ 111,6 108,5 111,6 109,2 108,1 109,7 109,5 111,8 106,8 101,6 Price Brent Spot (average period) 86,8 81,8 83,6 80,3 79,0 80,0 79,8 82,3 78,9 76,3 Remunerações Regulamentação Colectiva de Trabalho vha yoy ac 1,4 1,0 1,0 1,0 0,6 0,6 0,7 0,6 0,6 0,8 Average wages in collective contracts Taxas de câmbio Exchange rate Dólar USD 1,285 1,328 1,324 1,361 1,370 1,371 1,373 1,359 1,354 1,332 Dollar Iene JPY 102,5 129,7 131,0 136,5 140,8 140,0 139,7 138,7 137,7 137,1 Iene Franco Suiço CHF 1,205 1,231 1,235 1,229 1,224 1,219 1,220 1,218 1,215 1,212 Swiss Franc Libra GBP 0,811 0,849 0,855 0,841 0,828 0,815 0,815 0,804 0,793 0,797 Sterling Pound Taxa de Câmbio Efectiva do Euro (3) vh yoy -5,3 3,8 6,2 5,3 3,1 2,9 3,3 1,4 1,0-0,3 Euro Effective Exchange Rate (3) Índice Cambial Efectivo para Portugal (3) vh yoy -1,3 0,9 1,5 1,3 0,7 0,6 0,7 0,3 0,2-0,1 Effective Exchange Rate Index for Portugal (3) PSI-20 vh fim período 2,9 16,0 14,4 16,0 30,7 22,4 19,8 22,4 4,5 2,3 PSI-20 Taxas de juro saldos de empréstimos (média) a Sociedades não Financeiras Interest Rates on Outstanding Amounts of Loans (average) to Non-financial corporations Empréstimos até 1 ano % 6,33 5,91 5,87 5,74 5,65 5,45 5,49 5,27 5,29 x Loans < 1 year Empréstimos entre 1-5 anos % 5,16 4,99 4,98 4,97 4,90 4,84 4,84 4,83 4,82 x Loans 1 to 5 years Empréstimos > 5 anos % 3,87 3,46 3,44 3,48 3,51 3,52 3,53 3,51 3,46 x Loans > 5 years Taxas de juro novas operações de empréstimos (média) a Sociedades não Financeiras Interest Rates on New Loans (average) to non-financial corporations Total % 6,16 5,52 5,40 5,30 5,22 5,00 5,28 4,45 4,45 x Total Operações até 1 milhão de euros % 7,08 6,39 6,37 6,10 6,04 5,77 5,82 5,59 5,46 x Transactions up to and including EUR 1 million Operações acima de 1 milhão de euros % 5,45 4,98 4,84 4,83 4,76 4,58 4,93 3,90 3,61 x Transactions over EUR 1 million Taxas de juro no mercado monetário (média) Money Market Interest Rates (average) Indicadores Monetários e Financeiros Monetary and Financial Indicators Eónia % 0,229 0,089 0,085 0,120 0,182 0,192 0,248 0,076 0,043 0,018 Eónia - 3 -

16 Setembro September T 13 4T 13 1T 14 2T Euribor 3 meses % 0,574 0,220 0,223 0,240 0,295 0,298 0,325 0,241 0,205 0,192 Euribor 3 months Euribor 6 meses % 0,828 0,336 0,339 0,346 0,397 0,393 0,417 0,333 0,305 0,292 Euribor 6 months Euribor 12 meses % 1,112 0,536 0,537 0,530 0,563 0,569 0,592 0,513 0,488 0,469 Euribor 12 months Taxas de Juro das OT 10 anos (média) Yield on Treasury Bonds - 10 years (average) Portugal % 10,55 6,29 6,84 6,12 4,86 3,71 3,66 3,50 3,69 3,47 Portugal Área Euro % 3,05 3,01 3,20 3,22 3,06 2,48 2,55 2,28 2,16 1,99 Euro Area USA % 1,80 2,35 2,71 2,75 2,76 2,62 2,56 2,60 2,54 2,42 EUA Taxas de juro forward Forward interest rates Euro, 3 meses % 0,30 0,28 0,21 0,20 Euro, 3 months US Dólar, 3 meses % 0,30 0,30 0,34 0,34 US Dollar, 3 months Indicador de Sentimento Económico Economic Sentiment Indicator Mínimo Minimum Máximo Maximum Total 75, , ,6 100,4 100,6 102,1 102,3 102,4 100,5 Indústria Industry -35, , ,3-6,1-5,9-6,3-7,3-7,5-7,4 Serviços Services -38, , ,9-3,1-4,4-0,1 2,8 4,0 2,6 Consumidores Consumer -60, , ,5-31,3-29,6-25,4-25,9-24,3-28,2 Comércio a retalho Retail trade -30, , ,5 3,9 3,4 4,5 2,3 1,6 1,2 Construção Construction -75, , ,1-46,8-45,1-44,1-43,4-43,9-46,2 Fontes INE BP BPI MF Eurostat CE BCE FED EIA Sources INE BP BPI MF Eurostat EC ECB FED EIA Legenda x - não disponível vh - variação homóloga vha - variação homóloga acumulada vm 12m - variação média últimos 12 meses vh 3m - médias móveis de três meses Conventions x not available yoy - year on year rate of change yoy ac - Average over accumulated months of the year 12m av - 12 month average rate yoy 3m - 3 month moving average yoy (1) Óptica da balança de pagamentos (2) Emprego / população 15 e mais anos (3) Uma variação positiva representa apreciação (1) Balance of payments approach (2) Employment / population 15 or more (3) A positive variation means an appreciation Elaborado com informação disponível até 18 Setembro 2014 Based on data available up to 18 September

Em maio de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou quer na União Europeia (+0.2 pontos) quer na Área Euro (+0.7 pontos).

Em maio de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou quer na União Europeia (+0.2 pontos) quer na Área Euro (+0.7 pontos). Mai-04 Mai-05 Mai-06 Mai-07 Mai-08 Mai-09 Mai-10 Mai-11 Mai-12 Análise de Conjuntura Junho 2014 Indicador de Sentimento Económico Em maio de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou quer na União

Leia mais

Em Abril de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou 0.9 pontos na União Europeia e diminuiu, 0.5 pontos, na Área Euro.

Em Abril de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou 0.9 pontos na União Europeia e diminuiu, 0.5 pontos, na Área Euro. Abr-04 Abr-05 Abr-06 Abr-07 Abr-08 Abr-09 Abr-10 Abr-11 Abr-12 Análise de Conjuntura Maio 2014 Indicador de Sentimento Económico Em Abril de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou 0.9 pontos

Leia mais

EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2. Atividade global... 2. Atividade setorial... 3. - Produção... 3. - Volume de negócios... 5

EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2. Atividade global... 2. Atividade setorial... 3. - Produção... 3. - Volume de negócios... 5 SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal fevereiro 2015 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 5 Comércio internacional...

Leia mais

EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2. Atividade global... 2. Atividade setorial... 3. - Produção... 3. - Volume de negócios... 4

EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2. Atividade global... 2. Atividade setorial... 3. - Produção... 3. - Volume de negócios... 4 SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal janeiro 2015 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio internacional...

Leia mais

O indicador de sentimento económico melhorou em Novembro, quer na União Europeia (+2.0 pontos), quer na Área Euro (+1.4 pontos).

O indicador de sentimento económico melhorou em Novembro, quer na União Europeia (+2.0 pontos), quer na Área Euro (+1.4 pontos). Nov-02 Nov-03 Nov-04 Nov-05 Nov-06 Nov-07 Nov-08 Nov-09 Nov-10 Nov-12 Análise de Conjuntura Dezembro 2012 Indicador de Sentimento Económico O indicador de sentimento económico melhorou em Novembro, quer

Leia mais

Em Janeiro de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou +0.9 pontos na UE e +0.5 pontos na Área Euro 1.

Em Janeiro de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou +0.9 pontos na UE e +0.5 pontos na Área Euro 1. Jan-04 Jan-05 Jan-06 Jan-07 Jan-08 Jan-09 Jan-10 Jan-11 Jan-12 Análise de Conjuntura Fevereiro 2014 Indicador de Sentimento Económico Em Janeiro de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou +0.9

Leia mais

O indicador de sentimento económico em Junho manteve-se inalterado na União Europeia e desceu 0.6 pontos na Área Euro.

O indicador de sentimento económico em Junho manteve-se inalterado na União Europeia e desceu 0.6 pontos na Área Euro. Julho 2012 Jun-02 Jun-03 Jun-04 Jun-05 Jun-06 Jun-07 Jun-08 Jun-09 Jun-10 Jun-11 Jun-12 Indicador de Sentimento Económico O indicador de sentimento económico em Junho manteve-se inalterado na União Europeia

Leia mais

ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CCI/Câmara de Comércio e Indústria

ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CCI/Câmara de Comércio e Indústria ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CCI/Câmara de Comércio e Indústria Análise de Conjuntura Abril 2012 Indicador de Sentimento Económico Após uma melhoria em Janeiro e Fevereiro, o indicador de sentimento

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal maio 2015 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 5 Comércio internacional...

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal novembro 2015 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 5 Comércio internacional...

Leia mais

EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2. Atividade global... 2. Atividade setorial... 3. - Produção... 3. - Volume de negócios... 4

EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2. Atividade global... 2. Atividade setorial... 3. - Produção... 3. - Volume de negócios... 4 SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal julho 2015 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio internacional...

Leia mais

ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CCI/Câmara de Comércio e Indústria

ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CCI/Câmara de Comércio e Indústria ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CCI/Câmara de Comércio e Indústria Análise de Conjuntura Maio 2011 Indicador de Sentimento Económico Os indicadores de sentimento económico da União Europeia e da Área

Leia mais

EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2. Atividade global... 2. Atividade setorial... 3. - Produção... 3. - Volume de negócios... 4

EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2. Atividade global... 2. Atividade setorial... 3. - Produção... 3. - Volume de negócios... 4 SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal março 2015 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio internacional...

Leia mais

Análise de Conjuntura

Análise de Conjuntura Análise de Conjuntura Novembro 2006 Associação Industrial Portuguesa Confederação Empresarial Indicador de Sentimento Económico O indicador de sentimento económico de Outubro de 2006 apresenta uma melhoria

Leia mais

Em março de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou +0.3 pontos na União Europeia e +1.2 pontos na Área Euro.

Em março de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou +0.3 pontos na União Europeia e +1.2 pontos na Área Euro. Mar-04 Mar-05 Mar-06 Mar-07 Mar-08 Mar-09 Mar-10 Mar-11 Mar-12 Análise de Conjuntura Abril 2014 Indicador de Sentimento Económico Em março de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou +0.3 pontos

Leia mais

ASSOCIAÇÃO INDU STRIAL PORTU GU ESA CONFEDERAÇÃO EMPRESARIAL. Análise de Conjuntura

ASSOCIAÇÃO INDU STRIAL PORTU GU ESA CONFEDERAÇÃO EMPRESARIAL. Análise de Conjuntura ASSOCIAÇÃO INDU STRIAL PORTU GU ESA CONFEDERAÇÃO EMPRESARIAL Análise de Conjuntura Maio 2008 Indicador de Sentimento Económico O clima económico na União Europeia volta a deteriorar-se em Abril. Comparativamente

Leia mais

Indicador de Sentimento Económico. 80 Portugal. Dez-08. Dez-07

Indicador de Sentimento Económico. 80 Portugal. Dez-08. Dez-07 Dez-03 Dez-04 Dez-05 Dez-06 Dez-07 Dez-08 Dez-09 Dez-10 Análise de Conjuntura Janeiro 2014 Indicador de Sentimento Económico O indicador de sentimento económico manteve em Dezembro, a tendência de melhoria

Leia mais

PORTUGAL Indicadores de Conjuntura Economic Short term Indicators

PORTUGAL Indicadores de Conjuntura Economic Short term Indicators PORTUGAL ndicadores de Conjuntura Produção e Volume de Negócios / Production and Turnover Índice de Produção ndustrial ndustrial Production nde vh y o y 1,5 1,9 1,6 1,9 4,4 5,6 7,0 4,7 7,4 3,1 3,4 3,8

Leia mais

PORTUGAL - INDICADORES ECONÓMICOS. Evolução 2005-2011 Actualizado em Setembro de 2011. Unid. Fonte 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Notas 2011

PORTUGAL - INDICADORES ECONÓMICOS. Evolução 2005-2011 Actualizado em Setembro de 2011. Unid. Fonte 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Notas 2011 Evolução 2005-2011 Actualizado em Setembro de 2011 Unid. Fonte 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Notas 2011 População a Milhares Hab. INE 10.563 10.586 10.604 10.623 10.638 10.636 10.643 2º Trimestre

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal dezembro 2016 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio internacional...

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal abril 2016 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio internacional...

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal abril 2017 - Newsletter ÍNDICE ÍNDICE... 1 EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal janeiro 2017 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio internacional...

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal julho 2017 - Newsletter ÍNDICE ÍNDICE... 1 EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global.......2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal março 2017 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio internacional...

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal julho 2016 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio internacional...

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal maio 2017 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 5 Comércio internacional...

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal maio 2017 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 5 Comércio internacional...

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal outubro 2016 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio internacional...

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal julho 2017 - Newsletter ÍNDICE ÍNDICE... 1 EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global.......2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal março 2016 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio internacional...

Leia mais

A taxa de variação média do IPC foi -0,3% em 2014 e a taxa de variação homóloga situou-se em -0,4% em dezembro

A taxa de variação média do IPC foi -0,3% em 2014 e a taxa de variação homóloga situou-se em -0,4% em dezembro 13 de janeiro de 2015 ÍNDICE DE PREÇOS NO CONSUMIDOR Dezembro de 2014 A taxa de variação média do IPC foi -0,3% em 2014 e a taxa de variação homóloga situou-se em -0,4% em dezembro Em 2014, o Índice de

Leia mais

Indicadores de Conjuntura 4 2009. Disponível em www.bportugal.pt Publicações

Indicadores de Conjuntura 4 2009. Disponível em www.bportugal.pt Publicações Indicadores de Conjuntura 2009 Disponível em www.bportugal.pt Publicações ENQUADRAMENTO DA ECONOMIA PORTUGUESA Na reunião de 2 de Abril, o Conselho do Banco Central Europeu (BCE) reduziu as taxas de juro

Leia mais

Em termos nominais, as exportações aumentaram 2,1% e as importações diminuíram 3,5%

Em termos nominais, as exportações aumentaram 2,1% e as importações diminuíram 3,5% Estatísticas do Comércio Internacional Fevereiro 2015 09 de abril de 2015 Em termos nominais, as exportações aumentaram 2,1% e as importações diminuíram 3,5% As exportações de bens aumentaram 2,1% e as

Leia mais

Consumo privado e investimento voltam a recuperar em setembro. Exportações e importações nominais aceleram.

Consumo privado e investimento voltam a recuperar em setembro. Exportações e importações nominais aceleram. mm3m/% 19 de novembro de 2013 SÍNTESE ECONÓMICA DE CONJUNTURA Outubro de 2013 Consumo privado e investimento voltam a recuperar em setembro. Exportações e importações nominais aceleram. Na Área Euro (AE),

Leia mais

Cenário Econômico de Curto Prazo O 2º Governo Lula

Cenário Econômico de Curto Prazo O 2º Governo Lula Cenário Econômico de Curto Prazo O 2º Governo Lula Esta apresentação foi preparada pelo Grupo Santander Banespa (GSB) e o seu conteúdo é estritamente confidencial. Essa apresentação não poderá ser reproduzida,

Leia mais

Indicadores Económicos & Financeiros Julho 2013. Banco de Cabo Verde

Indicadores Económicos & Financeiros Julho 2013. Banco de Cabo Verde Indicadores Económicos & Financeiros Julho 2013 Banco de Cabo Verde BANCO DE CABO VERDE Departamento de Estudos Económicos e Estatísticas Avenida Amílcar Cabral, 27 CP 7600-101 - Praia - Cabo Verde Tel:

Leia mais

Comércio Internacional Saídas aumentam 15,1% e Entradas diminuem 3,6%

Comércio Internacional Saídas aumentam 15,1% e Entradas diminuem 3,6% 09 de janeiro de 2012 Estatísticas do Comércio Internacional Novembro de 2011 Comércio Internacional Saídas aumentam 15,1% e Entradas diminuem 3,6% No período de setembro a novembro de 2011, as saídas

Leia mais

Em termos nominais, as exportações aumentaram 8,2% e as importações aumentaram 7,4%

Em termos nominais, as exportações aumentaram 8,2% e as importações aumentaram 7,4% Estatísticas do Comércio Internacional Abril 215 9 de junho de 215 Em termos nominais, as exportações aumentaram 8,2% e as importações aumentaram 7,4% As exportações de bens aumentaram 8,2% e as importações

Leia mais

Angola Breve Caracterização. Julho 2007

Angola Breve Caracterização. Julho 2007 Breve Caracterização Julho 2007 I. Actividade e Preços. Após o final da guerra civil em 2002, e num contexto de relativa estabilidade política, tornou-se numa das economias de mais elevado crescimento

Leia mais

Políticas Públicas. Lélio de Lima Prado

Políticas Públicas. Lélio de Lima Prado Políticas Públicas Lélio de Lima Prado Política Cambial dez/03 abr/04 ago/04 dez/04 abr/05 ago/05 Evolução das Reservas internacionais (Em US$ bilhões) dez/05 abr/06 ago/06 dez/06 abr/07 ago/07 dez/07

Leia mais

International Trade and FDI between Portugal-China Comércio Internacional e IDE entre Portugal-China. dossiers. Economic Outlook Conjuntura Económica

International Trade and FDI between Portugal-China Comércio Internacional e IDE entre Portugal-China. dossiers. Economic Outlook Conjuntura Económica dossiers Economic Outlook Conjuntura Económica International Trade and FDI between Portugal-China Comércio Internacional e IDE entre Portugal-China Last Update Última Actualização: 10-02-2015 Prepared

Leia mais

Graf. 1 - Índices de preços no consumidor e de inflação subjacente (taxa de variação homóloga e média dos últimos 12 meses) Jun-07. Mar-07.

Graf. 1 - Índices de preços no consumidor e de inflação subjacente (taxa de variação homóloga e média dos últimos 12 meses) Jun-07. Mar-07. ÍNDICE DE PREÇOS NO CONSUMIDOR Dezembro de 2009 13 de Janeiro 2010 Em 2009 a taxa de variação média diminuiu para -0,8 0,8% e em Dezembro a taxa t de variação homóloga situou-se se em -0, 0,1% Em 2009,

Leia mais

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N. Boletim Mensal de Economia Portuguesa N.º 05 Maio 2015 Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais Ministério

Leia mais

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N. Boletim Mensal de Economia Portuguesa N.º 9 setembro 211 Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia e do Emprego G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais

Leia mais

Valor médio de avaliação bancária aumentou ligeiramente

Valor médio de avaliação bancária aumentou ligeiramente 26 de junho de 2014 Inquérito à Avaliação Bancária na Habitação Maio de 2014 Valor médio de avaliação bancária aumentou ligeiramente O valor médio de avaliação bancária 1 do total do País foi de 995 euros/m

Leia mais

Índices de Volume de Negócios, Emprego, Remunerações e Horas Trabalhadas na Indústria Julho de 2014

Índices de Volume de Negócios, Emprego, Remunerações e Horas Trabalhadas na Indústria Julho de 2014 08 de setembro de 2014 Índices de Volume de Negócios, Emprego, Remunerações e Horas Trabalhadas na Indústria Julho de 2014 Diminuição homóloga do Índice de Volume de Negócios na Indústria Em termos nominais,

Leia mais

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM A ALEMANHA

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM A ALEMANHA Expedições 4.646.753 4.957.528 4.954.299 4.099.667 4.771.584 1,4 16,4 Chegadas 8.054.468 8.367.508 8.594.931 6.813.091 7.886.527 0,4 15,8 Saldo -3.407.716-3.409.980-3.640.632-2.713.423-3.114.943 -- --

Leia mais

PORTUGAL Comércio Exterior

PORTUGAL Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC PORTUGAL Comércio Exterior Abril de 2015 Principais Indicadores

Leia mais

Boletim Econômico e do Setor Portuário. Sumário

Boletim Econômico e do Setor Portuário. Sumário Boletim Econômico e do Setor Portuário Junho de 2014 Sumário Indicadores da Economia Nacional... 2 O Produto Interno Bruto PIB no primeiro trimestre de 2014... 2 Os Índices de Inflação... 3 O Mercado de

Leia mais

Portugal Forte crescimento no início do ano

Portugal Forte crescimento no início do ano 8 Abr ANÁLISE ECONÓMICA Portugal Forte crescimento no início do ano Miguel Jiménez / Agustín García / Diego Torres / Massimo Trento Nos primeiros meses do ano, a retoma do consumo privado teria impulsionado

Leia mais

Portugal Enquadramento Económico

Portugal Enquadramento Económico Portugal Enquadramento Económico Fonte: INE PIB e Procura Interna em Volume (Tvh) em % do PIB 40 35 30 25 20 15 10 5 0 Formação bruta de capital fixo (total economia) FBCF excepto Construção FBCF Construção

Leia mais

Portugal Área Euro (1) EUA 7.0 7.3 3.9 5.2 5.8 4.4 2.6 1.5 1.2 7.1 12.0 4.9 5.8 5.5 4.9 6.5 4.8 5.6. Portugal. em percentagem -10 -15.

Portugal Área Euro (1) EUA 7.0 7.3 3.9 5.2 5.8 4.4 2.6 1.5 1.2 7.1 12.0 4.9 5.8 5.5 4.9 6.5 4.8 5.6. Portugal. em percentagem -10 -15. Dezembro A. Contas nacionais Fonte: Banco de, Instituto Nacional de Estatística, Banco Central Europeu, Eurostat e Bureau of Economic Analysis Área Euro () EUA ºT - ºT - ºT - ºT - ºT - ºT - ºT - ºT - ºT

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS Alto Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural, I.P. Índice

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS Alto Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural, I.P. Índice Índice Desemprego Registado de Estrangeiros por Continente de Origem e Principais Nacionalidades - Situação no fim do mês de Dezembro, de 2003 a 2009... 2 Desemprego Registado de Estrangeiros por Continente

Leia mais

Crédito ao sector privado não financeiro (taxas de variação homóloga)

Crédito ao sector privado não financeiro (taxas de variação homóloga) G1 Crédito ao sector privado não financeiro (taxas de variação homóloga) 35 3 25 Em percentagem 2 15 1 5 Jan-91 Jan-92 Jan-93 Jan-94 Jan-95 Jan-96 Jan-97Jan-98 Jan-99 Jan- Jan-1 Sociedades não Financeiras

Leia mais

PAINEL 9,6% dez/07. out/07. ago/07 1.340 1.320 1.300 1.280 1.260 1.240 1.220 1.200. nov/06. fev/07. ago/06

PAINEL 9,6% dez/07. out/07. ago/07 1.340 1.320 1.300 1.280 1.260 1.240 1.220 1.200. nov/06. fev/07. ago/06 Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior ASSESSORIA ECONÔMICA PAINEL PRINCIPAIS INDICADORES DA ECONOMIA BRASILEIRA Número 35 15 a 30 de setembro de 2009 EMPREGO De acordo com a Pesquisa

Leia mais

Espanha - Síntese País e Relacionamento Bilateral

Espanha - Síntese País e Relacionamento Bilateral Informação Geral sobre Espanha Área (km 2 ): 504 880 Primeiro-Ministro: Mariano Rajoy População (milhões hab.): 47,1 (estimativa ) Risco de crédito: (*) Capital: Madrid Risco do país: BBB (AAA = risco

Leia mais

Espanha continuou a ser o país com maior peso nas transações comerciais de bens com o exterior (23,5% nas exportações e de 32,5% nas importações).

Espanha continuou a ser o país com maior peso nas transações comerciais de bens com o exterior (23,5% nas exportações e de 32,5% nas importações). Estatísticas do Comércio Internacional 214 7 de julho de 215 Resultados preliminares do Comércio Internacional em 214: em termos nominais, as exportações aumentaram 1,8% e as importações aumentaram 3,2%

Leia mais

França - Síntese País

França - Síntese País Informação Geral sobre França Área (km 2 ): 543 965 Primeiro-Ministro: Manuel Valls População (milhões hab.): 66,3 (estimativa janeiro ) - Insee Risco de crédito: (*) Capital: Paris Risco do país: A (AAA=risco

Leia mais

Em termos nominais, as exportações aumentaram 0,9% e as importações diminuíram 1,8%

Em termos nominais, as exportações aumentaram 0,9% e as importações diminuíram 1,8% Estatísticas do Comércio Internacional Janeiro 2015 12 de Março de 2015 Em termos nominais, as exportações aumentaram 0,9% e as importações diminuíram 1,8% As exportações de bens aumentaram 0,9% e as importações

Leia mais

PORTUGAL Economic Outlook. Carlos Almeida Andrade Chief Economist Julho 2008

PORTUGAL Economic Outlook. Carlos Almeida Andrade Chief Economist Julho 2008 PORTUGAL Economic Outlook Carlos Almeida Andrade Chief Economist Julho 2008 Portugal: Adaptação a um novo ambiente económico global A economia portuguesa enfrenta o impacto de um ambiente externo difícil,

Leia mais

Residentes no estrangeiro sustentam ligeiro aumento nas dormidas

Residentes no estrangeiro sustentam ligeiro aumento nas dormidas Atividade Turística Dezembro de 2012 14 de fevereiro de 2013 Residentes no estrangeiro sustentam ligeiro aumento nas dormidas As dormidas na hotelaria atingiram 1,7 milhões em dezembro 2012, mais 1,9%

Leia mais

CENÁRIOS 2013: PERSPECTIVAS E O SETOR DE BKs 19/03/2013

CENÁRIOS 2013: PERSPECTIVAS E O SETOR DE BKs 19/03/2013 CENÁRIOS 2013: PERSPECTIVAS E O SETOR DE BKs 19/03/2013 CENÁRIO GLOBAL Crescimento global de 3,4 % em 2013 O mundo retoma a média histórica de crescimento (3,4% a.a) Zona do Euro sai da recessão Os EEUU

Leia mais

O Setor da Construção em Portugal 2011

O Setor da Construção em Portugal 2011 O Setor da Construção em Portugal 2011 1º semestre FEVEREIRO 2012 Ficha Técnica Título: Relatório Semestral do Setor da Construção em Portugal 1º Sem. 2011 Autoria: Catarina Gil Coordenação Geral: Pedro

Leia mais

Alemanha - Síntese País

Alemanha - Síntese País Informação Geral sobre a Alemanha Área (km 2 ): 356 970 km 2 Chanceler Federal: Angela Merkel População (milhões hab.): 81 (estimativa 2014) Risco de crédito (*): Capital: Berlim Risco do país: A (AAA

Leia mais

Indicador de confiança dos Consumidores aumenta e indicador de clima económico suspende trajetória de crescimento

Indicador de confiança dos Consumidores aumenta e indicador de clima económico suspende trajetória de crescimento 29 de setembro de 2014 INQUÉRITOS DE CONJUNTURA ÀS EMPRESAS E AOS CONSUMIDORES Setembro de 2014 Indicador de confiança dos Consumidores aumenta e indicador de clima económico suspende trajetória de crescimento

Leia mais

Conjuntura da Construção n.º 77 O SETOR CONTINUA EM CRISE MAS EMPRESÁRIOS ACREDITAM NA RECUPERAÇÃO

Conjuntura da Construção n.º 77 O SETOR CONTINUA EM CRISE MAS EMPRESÁRIOS ACREDITAM NA RECUPERAÇÃO FEPICOP - FEDERAÇÃO PORTUGUESA DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO E OBRAS PÚBLICAS Associações Filiadas: AECOPS Associação de Empresas de Construção e Obras Públicas e Serviços AICCOPN Associação dos Industriais

Leia mais

Informação reportada ao segundo trimestre de 2015

Informação reportada ao segundo trimestre de 2015 27 Informação reportada ao segundo trimestre de 2015 ÍNDICE 4 Enquadramento Nacional 6 Mercado de Trabalho 10 Desemprego Registado 11 Empresas 12 Comércio Internacional de Bens 14 Turismo 15 Construção

Leia mais

Boletim de Conjuntura Econômica Outubro 2008

Boletim de Conjuntura Econômica Outubro 2008 Boletim de Conjuntura Econômica Outubro 008 PIB avança e cresce 6% Avanço do PIB no segundo trimestre foi o maior desde 00 A economia brasileira cresceu mais que o esperado no segundo trimestre, impulsionada

Leia mais

M A C R O C H I N A Ano 2 Nº 4 11 de maio de 2006

M A C R O C H I N A Ano 2 Nº 4 11 de maio de 2006 M A C R O C H I N A Ano Nº 11 de maio de 6 Síntese gráfica trimestral do comércio bilateral e do desempenho macroeconômico chinês - Primeiro trimestre de 6. Para surpresa de muitos analistas, o Banco Central

Leia mais

PORTUGAL - INDICADORES ECONÓMICOS. Evolução Actualizado em Dezembro de Unid. Fonte Notas 2010

PORTUGAL - INDICADORES ECONÓMICOS. Evolução Actualizado em Dezembro de Unid. Fonte Notas 2010 Evolução 2004-2010 Actualizado em Dezembro de 2010 Unid. Fonte 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 Notas 2010 População a Milhares Hab. INE 10.509 10.563 10.586 10.604 10.623 10.638 10.638 3º Trimestre

Leia mais

Boletim Mensal de Estatística 2014

Boletim Mensal de Estatística 2014 Boletim Mensal de Estatística 2014 2014 INE, I.P. Lisboa - Portugal, 2014 3 NOTA INTRODUTÓRIA Capítulo 5 quadro 5.4 e quadro 5.7 e Capítulo 6 quadro 6.1 Os quadros referentes aos Inquéritos Qualitativos

Leia mais

EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2. Atividade global... 2. Atividade setorial... 3. - Produção... 3. - Volume de negócios... 5

EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2. Atividade global... 2. Atividade setorial... 3. - Produção... 3. - Volume de negócios... 5 SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal fevereiro 2015 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 5 Comércio internacional...

Leia mais

O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2005

O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2005 O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2005 Elaborado por: Maria Julieta Martins Coordenado por: Teresinha Duarte Direcção de Serviços de Estudos e Estratégia Turísticos Divisão de Recolha e Análise Estatística Índice

Leia mais

Portugal As exportações no primeiro trimestre de 2016

Portugal As exportações no primeiro trimestre de 2016 Portugal As exportações no primeiro trimestre de 2016 Na análise dos dados do comércio internacional importa ter presentes dois factores: o primeiro, que estes estão sujeitos a revisões consideráveis ao

Leia mais

Nota de Crédito PJ. Janeiro 2015. Fonte: BACEN Base: Novembro de 2014

Nota de Crédito PJ. Janeiro 2015. Fonte: BACEN Base: Novembro de 2014 Nota de Crédito PJ Janeiro 2015 Fonte: BACEN Base: Novembro de 2014 mai/11 mai/11 Carteira de Crédito PJ não sustenta recuperação Após a aceleração verificada em outubro, a carteira de crédito pessoa jurídica

Leia mais

Faturamento - 1966/2008 Revenue - 1966/2008

Faturamento - 1966/2008 Revenue - 1966/2008 1.6 Faturamento 1966/008 Revenue 1966/008 1966 1967 1968 1969 1970 1971 197 1973 1974 1975 1976 1977 1978 1979 198 AUTOVEÍCULOS VEHICLES 7.991 8.11 9.971 11.796 13.031 15.9 17.793 0.78 3.947 6.851 6.64

Leia mais

Textos de política e situação económica

Textos de política e situação económica A ECONOMIA PORTUGUESA EM 1999 1. INTRODUÇÃO As previsões do Banco de Portugal apresentadas neste Boletim Económico apontam para uma desaceleração do Produto Interno Bruto (PIB) em 1999, que deverá crescer

Leia mais

Fluxos de Investimento Directo de Portugal com o Exterior

Fluxos de Investimento Directo de Portugal com o Exterior Investimento Directo de Portugal com o Exterior eiro a ho de 28 Fluxos de Investimento Directo de Portugal com o Exterior eiro a ho de 28 Informação Portugal, 21 de sto de 28 Investimento Directo de Portugal

Leia mais

Portugal: Mantém-se o ritmo de recuperação débil, mas estável, em 4T14

Portugal: Mantém-se o ritmo de recuperação débil, mas estável, em 4T14 dez 1 ANÁLISE ECONÓMICA Portugal: Mantém-se o ritmo de recuperação débil, mas estável, em T1 Miguel Jiménez / Agustín García / Diego Torres / Massimo Trento / Ana María Almeida Claudino Neste último trimestre

Leia mais

Pesquisa Mensal de Emprego. Abril 2011

Pesquisa Mensal de Emprego. Abril 2011 Diretoria de Pesquisas Coordenação de Trabalho e Rendimento Pesquisa Mensal de Emprego Abril 2011 1 1 Rio de Janeiro, 26/05/2011 Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro O Janeiro

Leia mais

Banco Central de S. Tomé e Príncipe

Banco Central de S. Tomé e Príncipe Banco Central de S. Tomé e Príncipe CONJUNTURA MACROECONÓMICA IIIº Trimestre 2015 Disponível em: www.bcstp.st/publicações 1 ÍNDICE 1. RESUMO EXECUTIVO... 5 2. CONJUNTURA ECONÓMICA INTERNACIONAL... 6 2.1

Leia mais

Bélgica - Síntese País

Bélgica - Síntese País Informação Geral sobre a Bélgica Área (km 2 ): 30 528 Primeiro-Ministro: Charles Michel População (milhões hab.): 11,1 (estimativa 2014) Risco de crédito: (*) Capital: Bruxelas Risco do país: A2 (AAA =

Leia mais

Uma das maiores áreas territoriais de Portugal, com uma fronteira terrestre internacional de 568 km e um perímetro da linha de costa de 142 km

Uma das maiores áreas territoriais de Portugal, com uma fronteira terrestre internacional de 568 km e um perímetro da linha de costa de 142 km As Regiões de - Região O Território Porquê o? Uma das maiores áreas territoriais de, com uma fronteira terrestre internacional de 568 km e um perímetro da linha de costa de 142 km Area (km 2 ): 21.286

Leia mais

Petrobras, Poupança e Inflação. 16 de Abril de 2015

Petrobras, Poupança e Inflação. 16 de Abril de 2015 Petrobras, Poupança e Inflação 16 de Abril de 2015 Tópicos Poupança e Cenário Econômico Petrobras Fundos Poupança e Cenário Econômico Caderneta de Poupança 1990: Data do confisco:16 de março de 1990. Cenário

Leia mais

ABDIB Associação Brasileira da Infra-estrutura e Indústrias de base

ABDIB Associação Brasileira da Infra-estrutura e Indústrias de base ABDIB Associação Brasileira da Infra-estrutura e Indústrias de base Cenário Econômico Internacional & Brasil Prof. Dr. Antonio Corrêa de Lacerda antonio.lacerda@siemens.com São Paulo, 14 de março de 2007

Leia mais

Comércio Externo de Bens (10 9 USD) 8,0 15,0 2009a 2010a 2011a 2012a 2013a 2014b 6,0 10,0

Comércio Externo de Bens (10 9 USD) 8,0 15,0 2009a 2010a 2011a 2012a 2013a 2014b 6,0 10,0 Informação Geral sobre a Palestina População (milhões hab.): 4,5 (estimativa 2014) Unidade monetária: Shequel de Israel (ILS) e Língua oficial: Árabe Dinar Jordano (JOD) Chefe de Estado: Mahmoud Abbas

Leia mais

ESTATÍSTICAS. Os dados publicados nesta síntese referem-se ao Continente e aos trabalhadores por conta de outrem a tempo completo.

ESTATÍSTICAS. Os dados publicados nesta síntese referem-se ao Continente e aos trabalhadores por conta de outrem a tempo completo. Inquérito aos Ganhos e Duração do Trabalho ESTATÍSTICAS STICAS em síntese O Inquérito aos Ganhos e Duração do Trabalho disponibiliza informação que permite conhecer o nível médio mensal da remuneração

Leia mais

Indicadores de Confiança...15

Indicadores de Confiança...15 1. MACROECONOMIA 1.1. Rendimento e Despesa Despesa Nacional a Preços Correntes...5 Despesa Nacional a Preços Constantes...6 PIB a preços correntes (Produto Interno Bruto)...7 PIB a preços constantes (Produto

Leia mais

Banco de Portugal divulga estatísticas de balanço e taxas de juro dos bancos relativas a 2013

Banco de Portugal divulga estatísticas de balanço e taxas de juro dos bancos relativas a 2013 N.º fevereiro Banco de Portugal divulga estatísticas de balanço e taxas de juro dos bancos relativas a Estatísticas de balanço Aplicações Crédito interno Em e pelo terceiro ano consecutivo, o crédito interno

Leia mais

SINAIS POSITIVOS TOP 20 (atualizado a 10JUL2014)

SINAIS POSITIVOS TOP 20 (atualizado a 10JUL2014) SINAIS POSITIVOS TOP 20 (atualizado a 10JUL2014) 1. Taxa de Desemprego O desemprego desceu para 14,3% em maio, o que representa um recuo de 2,6% em relação a maio de 2013. Esta é a segunda maior variação

Leia mais

Figura 38 - Resultado global do Balanço de Pagamentos (US$ bilhões acum. Em 12 meses) Dez/95-Mar/07

Figura 38 - Resultado global do Balanço de Pagamentos (US$ bilhões acum. Em 12 meses) Dez/95-Mar/07 113 6. SETOR EXTERNO Fernando Ribeiro de Leite Neto 6.1 Balanço de Pagamentos 6.1.1 Resultado Global do Balanço de Pagamentos Ao longo de 2006, o setor externo da economia brasileira logrou registrar o

Leia mais

Hotelaria com aumentos nos hóspedes, dormidas e proveitos

Hotelaria com aumentos nos hóspedes, dormidas e proveitos Atividade Turística Janeiro de 2014 19 de março de 2014 Hotelaria com aumentos nos hóspedes, dormidas e proveitos A hotelaria registou 1,7 milhões de dormidas em janeiro de 2014, valor que corresponde

Leia mais

José Manuel Cerqueira

José Manuel Cerqueira José Manuel Cerqueira A Indústria cerâmica no contexto nacional A indústria portuguesa de cerâmica representou em 2013 um volume de negócios de 897,8 milhões de euros, um valor acrescentado bruto de 327,6

Leia mais

Seminário. 12 novembro 2013. Iniciativa conjunta INE LNEC

Seminário. 12 novembro 2013. Iniciativa conjunta INE LNEC Seminário 12 novembro 2013 Iniciativa conjunta INE LNEC Casa própria ou arrendamento perfil da ocupação residencial emportugal Bárbara Veloso INE 12 novembro 2013 Iniciativa conjunta INE LNEC Sumário Aumentaram

Leia mais

MZMERCADO. 7.5% 0.52% pelo segundo mês consecutivo. 2.37% em relação ao Rand Sul Africano. Inteligência do mercado financeiro Moçambicano

MZMERCADO. 7.5% 0.52% pelo segundo mês consecutivo. 2.37% em relação ao Rand Sul Africano. Inteligência do mercado financeiro Moçambicano MZMERCADO. Inteligência do mercado financeiro Moçambicano A economia cresceu 7.5% no primeiro trimestre de 2014 A inflação reduziu 0.52% pelo segundo mês consecutivo O Metical teve apreciação de 2.37%

Leia mais

Exportações Importações Posição e Quota da Suíça no Comércio Mundial de Bens - 2014 22ª 1,3% 26ª 1,1% Fonte: WTO - World Trade Organization

Exportações Importações Posição e Quota da Suíça no Comércio Mundial de Bens - 2014 22ª 1,3% 26ª 1,1% Fonte: WTO - World Trade Organization Informação Geral sobre a Suíça Área (km 2 ): 41 285 Vice-Presidente Federal: Johann Schneider-Amman População (milhões hab.): 8,11 (estimativa 2014) Risco de crédito: (*) Capital: Berna Risco do país:

Leia mais

Relatório da Organização dos Países Exportadores de Petróleo

Relatório da Organização dos Países Exportadores de Petróleo 1 27 de Abril de 2015 Relatório da Organização dos Países Exportadores de Petróleo Foi divulgado o quarto relatório da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) em 2015, com destaque para

Leia mais

Inquérito ao Crédito. Relatório

Inquérito ao Crédito. Relatório Inquérito ao Crédito Relatório Março 2012 Destaques O crédito bancário é a fonte de financiamento mais significativa referida por cerca de 70% das empresas. O financiamento pelos sócios ou accionistas

Leia mais

PORTUGAL - INDICADORES ECONÓMICOS. Evolução Actualizado em Março Unid. Fonte Notas

PORTUGAL - INDICADORES ECONÓMICOS. Evolução Actualizado em Março Unid. Fonte Notas Evolução 2007-2013 Actualizado em Março 2013 Unid. Fonte 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 Notas População a Milhares Hab. INE 10.604 10.623 10.638 10.636 10.647 10.600 População tvh % INE 0,2 0,2 0,1

Leia mais