Lista de Atividades dos Autores do ATLAS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Lista de Atividades dos Autores do ATLAS"

Transcrição

1 Lista de Atividades dos Autores do ATLAS 1. Andre Asevedo Nepomuceno (UFF) Membro do grupo de física exótica do ATLAS, em particular na busca de novas ressonâncias que decaem em um par de elétrons ou muons. validação de software de reconstrução, calculando incertezas das Pdfs, etc. Um dos responsáveis pela análise que interpreta os dados do ATLAS em termos de modelos de torção (novo campo vetorial), produzindo os primeiros limites experimentais nos parâmetros nesta teoria. Análise de torção baseada em artigos de fenomenologia elaborados pelo grupo brasileiro do ATLAS em que é um dos co-autores. Atualmente dedica-se a análise da torção via pp lépton anti-lepton com dados de Busca por sinais de torção no canal top-antitop. Esse canal torna-se importante num cenário onde a interação entre torção e léptons é muito fraca, o que faz com que o estado final topantitop seja o canal apropriado para o estudo da produção e decaimento da torção. 2. Augusto Santiago Cerqueira (UFJF) Coordenador do grupo da Universidade Federal de Juiz de Fora no cluster ATLAS/Brasil, representando a instituição junto ao CERN. No ATLAS, desempenha atividades relacionadas à calorimetria do experimento, com foco principal no calorímetro hadrônico de Telhas (TileCal) e sua interface com o sistema de filtragem on-line. É membro ativo do grupo TileCal, desenvolvendo atividades de pesquisa relacionadas a instrumentação eletrônica, detecção e estimação, inteligência computacional e desenvolvimento de algoritmos de otimização para o sistema de filtragem on-line. Junto ao TileCal, tem participado ativamente do programa de upgrade para alta luminosidade, estando envolvido principalmente na eletrônica de aquisição de dados on-line e na sua interface com o sistema de filtragem on-line.

2 Em 2012, concluiu uma orientação de mestrado pelo Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica da UFJF (PPEE-UFJF) e uma orientação de doutorado conjuntamente com o prof. José Manoel de Seixas na COPPE/UFRJ com temas relacionados ao ATLAS. 3. Carmen Lucia Lodi Maidantchik (UFRJ) Coordenadora do projeto Glance, tecnologia de acesso a banco de dados heterogêneos utilizada no desenvolvimento de 14 sistemas Web para gerenciar pessoas, equipamentos e publicações do ATLAS. Responsável pelo projeto de soluções tecnológicas para apoiar o ATLAS Management no rastreamento das peças do detector, dosagem da radioatividade, cooperação no processo de elaboração de documentos científicos, gerenciamento de atribuições e responsabilidade dos membros, etc. Coordenadora da colaboração junto aos experimentos LHCb e ALICE para o desenvolvimento de sistemas Web que utilizam o Glance para gerenciar equipamentos e colaboradores. Coordenadora dos projetos de desenvolvimento dos softwares de controle, monitoramento da operação, qualidade de dados, calibração e análise de testes do Calorímetro de Telhas do ATLAS. Responsável pelo projeto Tile-In-One do TileCal. 4. Fernando Marroquim (UFRJ/UFSJ) Coordenador do cluster ATLAS/Brasil. Membro do grupo de física exótica do ATLAS, em particular na busca de novas ressonâncias que decaem em um par de elétrons ou muons. validação de software de reconstrução, calculando incertezas das pdfs, etc. Um dos responsáveis pela análise que interpreta os dados do ATLAS em termos de modelos de torção (novo campo vetorial), produzindo os primeiros limites experimentais nos parâmetros desta teoria.

3 Atualmente dedica-se a análise da torção via pp lépton anti-lepton com dados de Busca por sinais de torção no canal top-antitop. Esse canal torna-se importante num cenário onde a interação entre torção e léptons é muito fraca, o que faz com que o estado final topantitop seja o canal apropriado para o estudo da produção e decaimento da torção. Análise de torção baseada em artigos de fenomenologia elaborados pelo grupo brasileiro do ATLAS em que é um dos co-autores. Atualmente implementa na UFSJ um sistema de monitoramento do ATLAS com auxílio da FAPEMIG que servirá tanto para plantões como para atividades de outreach, tais como vistas virtuais ao CERN, divulgação, Master Class, etc Atualmente orienta dois alunos de pós-graduação e um aluno de Iniciação Científica com atividades relacionadas ao ATLAS. 5. Jose Manoel de Seixas (UFRJ) Deputy do cluster ATLAS/Brasil. Atuação junto ao Tilecal (estimação de energia, deteção de múons, projetos de instrumentação eletrônica, trigger de primeiro nível), Projetos de upgrade para a SuperRod (reconstrução de energia) e para o trigger de primeiro nível) e à colaboração Trigger/DAq (nível um - monitoração online, calibração) e de nível 2 (canal elétron/jato, infraestrutura de configuração e teste). Participação no Steering Committee do Trigger/DAq. Trabalha junto ao ATLAS Outreach, visando a divulgação do ATLAS no Brasil, através de visitas virtuais ao ATLAS com alunos de ensino médio e de graduação. 6. Luciano Manhães Andrade Filho (UFJF) Desenvolvimento e implementação em hardware de algoritmos para estimação de energia e fase no calorímetro Hadrônico (TileCal) do ATLAS. Participação no projeto do novo sistema de leitura (Read Out Drivers - ROD) do TileCal. Processamento digital em FPGA para reconstrução de energia em ambiente com alto nível de pile-up, com projeção para o upgrade do ATLAS/LHC

4 7. Luiz Pereira Calôba (UFRJ) Participação nos projetos de instrumentação eletrônica (Tilecal) e de trigger de nível Marco Aurelio Lisboa Leite (USP) Coordenador do grupo da Universidade de São Paulo (USP) no cluster ATLAS/Brasil, representando a instituição junto ao CERN. Vice-coordenador do ZDC. Responsável pelo desenvolvimento e manutenção dos códigos de análise e monitoramento do ZDC dentro do "framework" ATHENA do ATLAS. Atua na implantação e disponibilização do primeiro gerador de eventos para dissociação eletromagnética (RELDIS) para íons pesados no ATLAS, tanto na implementação como na validação desse gerador e no desenvolvimento de algoritmos para a luminosidade "bunch by bunch" através da informação de trigger do sistema de dados "offline" e colisões Pb+Pb. Coordena a construção do sistema de testes na USP para o teste de circuitos digitalizadores do ATLAS quanto a sua tolerância à radiação para o futuro programa de upgrade do sistema de calorimetria do ATLAS. Desenvolvimento de algoritmos para análise de dados em colisões Pb+Pb no ATLAS na região dianteira do ATLAS Determinação da luminosidade e seção de choque hadrônica e de dissociação eletromagnética a partir de varreduras van der Meer em Pb+Pb Implementação e validação de geradores de eventos para dissociação eletromagnética no ATLAS (RELDIS) Estudos da implementação de alta segmentação no trigger do ATLAS utilizando SuperCells (LAr) Testes do efeito da radiação em componentes para o upgrade do sistema de calorimetria do ATLAS. Orientou uma tese de mestrado em 2012 com assunto relacionado ao ATLAS. Atualmente orienta um aluno de iniciação científica, um de mestrado e um de doutorado em temas ligados ao ATLAS

5 Trabalha junto ao ATLAS Outreach, visando a divulgação do ATLAS no Brasil, através de visitas virtuais ao ATLAS com alunos de ensino médio e de graduação. 9. Maria Aline Barros do Vale (UFSJ) Coordenador do grupo da Universidade Federal de São João del Rei no cluster ATLAS/Brasil, representando a instituição junto ao CERN. Membro do grupo de física exótica do ATLAS, em particular na busca de novas ressonâncias que decaem em um par de elétrons ou muons. validação de software de reconstrução, calculando incertezas das pdfs, etc. Um dos responsáveis pela análise que interpretou os dados do ATLAS em termos de modelos de torção (novo campo vetorial), produzindo os primeiros limites experimentais nos parâmetros desta teoria. Atualmente dedica-se a análise da torção via pp lépton anti-lepton com dados de Busca por sinais de torção no canal top-antitop. Esse canal torna-se importante num cenário onde a interação entre torção e léptons é muito fraca, o que faz com que o estado final topantitop seja o canal apropriado para o estudo da produção e decaimento da torção. Análise de torção baseada em artigos de fenomenologia elaborados pelo grupo brasileiro do ATLAS em que é um dos co-autores. Atualmente implementa na UFSJ um sistema de monitoramento do ATLAS com auxílio da FAPEMIG que servirá tanto para plantões como para atividades de outreach, tais como vistas virtuais ao CERN, divulgação, Master Class, etc Atualmente orienta um aluno de pós-graduação, coorienta um outro aluno de pós-graduação e orienta dois alunos de Iniciação Científica. Todos com atividades relacionadas ao ATLAS. 10. Marisilvia Donadelli (PosDosc, USP) Atuação no grupo de íons pesados e no subsistema de detetores dianteiros do ATLAS (ZDC - Zero Degree Calorimeter).

6 Responsável pela utilização dos dados do ZDC no estudo da determinação da seção de choque em processos hadrônicos e de dissociação eletromagnética em colisões de íons pesados a energias do LHC, envolvendo a comparação dos dados com os geradores de eventos (HIJING para processos hadrônicos e RELDIS para processos eletromagnéticos), resultando em nota de análise interna do ATLAS. Trabalhou junto ao Task Force de luminosidade do ATLAS para modificar e implantar os algoritmos utilizados em próton-próton para o caso de íons pesados. Colaborou na tomada de dados de próton-próton em 2012 e realizou atividades de divulgação do experimento em escolas secundárias. Responsável pela adaptação e preparação de material específico para a divulgação do ATLAS e o programa do LHC para o público brasileiro. 11. Yara do Amaral Coutinho (UFRJ) Finalizou a fase de qualificação junto ao TILECAL para ser autora. Esta qualificação foi concluída em Janeiro/2013. Atividade de qualificação: Analysis of the Tilecal Quality Factor Algorithms. Incluída na lista dos autores ( Y. Amaral Coutinho ) a partir de março 24a de Membro do grupo de física exótica do ATLAS em particular a procura por novas ressonâncias que decaem em dileptons de mesmo sinal de acordo com extensões do MP. validação de software de reconstrução, calculando incertezas das pdfs, etc. Colaborou na tomada de dados das colisões proton-proton em 2012 e em 2013, bem como nas colisões de íons pesados ( shifts na mesa dos calorímetros na sala de controle do ATLAS CR-1). Membro do grupo Reconstruction do Tile Calorimeter do ATLAS, dedicado à reconstrução dos sinais provenientes da deposição da energia nas células do Tilecal. As atividades atuais junto ao grupo Reconstruction: 1. O estudo da reconstrução da energia para as diferentes células do Tilecal na presença de diferentes níveis de ''pile-up``, considerando bunch spacing de 25 ns, comparando com a

7 reconstrução da energia para as mesmas células no caso particular sem pile-up. São usados tanto dados experimentais obtidos durante a operação do LHC, bem como dados simulados com nível de luminosidade maior do que o obtido antes do shutdown do LHC. 2. Estudo da matriz de auto correlações do ruído (ACM) para reduzir o ruído proveniente do ``pileup'', para os bunches spacing de 50 ns e de 25 ns. 3. Análise da deposição da energia de muons (de/dx) para as células do Tilecal. Uso de técnicas baseadas na ACM para melhorar a relação sinal/ruído para a detecção de muons. Verificação da homogeneidade espacial. Publicação e submissão de artigo teóricos: 1. Bounds on Z' from model at the LHC energies, Y. A. Coutinho, V. Salustino Guimarães, A. A. Nepomuceno. ArXiv: Aceito para publicação no Physical Review D. 2. Vector-bilepton Contribution to Four Lepton Production at the LHC, E. Ramirez Barreto, Y. A. Coutinho, J. Sá Borges, ressubmetido ao Physical Review D com correções sugeridas pelo referee. Aguardando resposta. Trabalho de divulgação científica junto ao ATLAS Outreach, realizado na sala de controle do ATLAS, visando a divulgação do ATLAS no Brasil através de visitas virtuais ao ATLAS, com alunos de ensino médio e de graduação.

Lista de Atividades Realizadas dos Autores do ATLAS (Dezembro/2011 a Novembro/2012)

Lista de Atividades Realizadas dos Autores do ATLAS (Dezembro/2011 a Novembro/2012) Lista de Atividades Realizadas dos Autores do ATLAS (Dezembro/2011 a Novembro/2012) 1. Andre Asevedo Nepomuceno (UFF) Membro do grupo de física exótica do ATLAS, em particular na busca de novas ressonâncias

Leia mais

O Experimento CMS Parte 2/2

O Experimento CMS Parte 2/2 O Experimento CMS Parte 2/2 Thiago Tomei 29/03/2007 7/5/2007 Thiago Tomei 1 Sumário Parte 1: O Experimento CMS Large Hadron Collider LHC Compact Muon Solenoid CMS Estrutura de Hardware do CMS: Detector

Leia mais

REDE NACIONAL DE FÍSICA DE ALTAS ENERIAS COMITÊ TÉCNICO CIENTÍFICO. Fomulário para apresentação de projetos à RENAFAE 2013

REDE NACIONAL DE FÍSICA DE ALTAS ENERIAS COMITÊ TÉCNICO CIENTÍFICO. Fomulário para apresentação de projetos à RENAFAE 2013 REDE NACIONAL DE FÍSICA DE ALTAS ENERIAS COMITÊ TÉCNICO CIENTÍFICO Fomulário para apresentação de projetos à RENAFAE 2013 1. Informações Gerais Título Pesquisador Proponente Instituição Executora Instituições

Leia mais

Uma Breve Introdução à Física de Partículas O DEE-UFBA na Colaboração do Detector ATLAS do LHC

Uma Breve Introdução à Física de Partículas O DEE-UFBA na Colaboração do Detector ATLAS do LHC no do do no Uma Breve à Física de Partículas O na Colaboração do Detector do LHC Prof. (eduardo.simas@ufba.br) Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica Universidade Federal da Bahia Colaboração

Leia mais

ESTUDOS SOBRE A IMPLEMENTAÇÃO ONLINE DE UMA TÉCNICA DE ESTIMAÇÃO DE ENERGIA NO CALORÍMETRO HADRÔNICO DO ATLAS

ESTUDOS SOBRE A IMPLEMENTAÇÃO ONLINE DE UMA TÉCNICA DE ESTIMAÇÃO DE ENERGIA NO CALORÍMETRO HADRÔNICO DO ATLAS UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA ESTUDOS SOBRE A IMPLEMENTAÇÃO ONLINE DE UMA TÉCNICA DE ESTIMAÇÃO DE ENERGIA NO CALORÍMETRO HADRÔNICO DO ATLAS EM CENÁRIOS DE ALTA LUMINOSIDADE ALUNO: MARCOS VINÍCIUS

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO - PRÓ-REITORIA PARA ASSUNTOS ACADÊMICOS CURRÍCULO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO PERFIL

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO - PRÓ-REITORIA PARA ASSUNTOS ACADÊMICOS CURRÍCULO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO PERFIL PERFIL 3001 - Válido para os alunos ingressos a partir de 2002.1 Disciplinas Obrigatórias Ciclo Geral Prát IF668 Introdução à Computação 1 2 2 45 MA530 Cálculo para Computação 5 0 5 75 MA531 Álgebra Vetorial

Leia mais

SISTEMA DIGITAL PARA REDUÇÃO DO EMPILHAMENTO EM MEDIÇÕES DE ENERGIA NUM DETECTOR DE PARTÍCULAS

SISTEMA DIGITAL PARA REDUÇÃO DO EMPILHAMENTO EM MEDIÇÕES DE ENERGIA NUM DETECTOR DE PARTÍCULAS SISTEMA DIGITAL PARA REDUÇÃO DO EMPILHAMENTO EM MEDIÇÕES DE ENERGIA NUM DETECTOR DE PARTÍCULAS MARCELO M. CAVALCANTI, EDUARDO F. SIMAS FILHO, PAULO C. M. A. FARIAS Laboratório de Sistemas Digitais, Departamento

Leia mais

Experimento do DZero (CMS?) Pedro Mercadante (UNESP)

Experimento do DZero (CMS?) Pedro Mercadante (UNESP) Guia para Análises Experimento do DZero (CMS?) Pedro Mercadante (UNESP) Sumário Dados Sinal Simulação por MC Definição dos objetos Físicos Background Simulação por MC Estimativa a partir dos dados Comparação

Leia mais

Aumento da Capacidade de Armazenamento do SPRACE

Aumento da Capacidade de Armazenamento do SPRACE Julho 2010 Aumento da Capacidade de Armazenamento do SPRACE São Paulo Regional Analysis Center Sergio Ferraz Novaes Sumário I. IDENTIFICAÇÃO DA PROPOSTA... 3 II. QUALIFICAÇÃO DO PROBLEMA... 3 III. OBJETIVOS

Leia mais

Localização Online do Vértice Primário de Colisão Utilizando a Transformada de Hough Adaptativa com Condição de Parada Dinâmica

Localização Online do Vértice Primário de Colisão Utilizando a Transformada de Hough Adaptativa com Condição de Parada Dinâmica CENTRO BRASILEIRO DE PESQUISAS FÍSICAS COORDENAÇÃO DE ATIVIDADES TÉCNICAS - CAT LABORATÓRIO DE PROCESSAMENTO DIGITAL DE SINAIS E IMAGENS - LPDSI Localização Online do Vértice Primário de Colisão Utilizando

Leia mais

ÁREA: CV ( ) CHSA ( ) ECET ( )

ÁREA: CV ( ) CHSA ( ) ECET ( ) ADAPTAÇÃO E INTEGRAÇÃO DO PROCESSADOR RISCO A UMA ARQUITETURA MULTI-CORE PARA SISTEMAS EMBARCADOS DE PROPOSITO GERAL Laysson Oliveira Luz (Bolsista PIBIC/CNPq), Ivan Saraiva Silva (Orientador, Departamento

Leia mais

FILTRAGEM ONLINE DE EVENTOS RAROS E/OU EXÓTICOS BASEADA EM DADOS DE CALORIMETRIA DE ALTA ENERGIA EM UM DETECTOR FINAMENTE SEGMENTADO

FILTRAGEM ONLINE DE EVENTOS RAROS E/OU EXÓTICOS BASEADA EM DADOS DE CALORIMETRIA DE ALTA ENERGIA EM UM DETECTOR FINAMENTE SEGMENTADO FILTRAGEM ONLINE DE EVENTOS RAROS E/OU EXÓTICOS BASEADA EM DADOS DE CALORIMETRIA DE ALTA ENERGIA EM UM DETECTOR FINAMENTE SEGMENTADO Danilo Lima de Souza Tese de Doutorado apresentada ao Programa de Pós-graduação

Leia mais

Thiago Ciodaro Xavier

Thiago Ciodaro Xavier IDENTIFICAÇÃO ONLINE DE SINAIS BASEADA EM CALORIMETRIA DE ALTAS ENERGIAS E COM FINA SEGMENTAÇÃO Thiago Ciodaro Xavier Tese de Doutorado apresentada ao Programa de Pós-graduação em Engenharia Elétrica,

Leia mais

Dimensões Extras Universais

Dimensões Extras Universais Dimensões Extras Universais Parte 2: Experimento do DZero Pedro Mercadante (UNESP) Sumário Detector Simulação Pythia ued DZero Monte Carlo Cafe Alguns objetos: Missing E T e Muon 2006 P. Mercadante 2 The

Leia mais

PROJETO DE UM MICRO INVERSOR INTEGRADO AOS PAINÉIS SOLARES PARA APLICAÇÃO EM CONSUMIDORES RESIDENCIAIS Solução n o 411

PROJETO DE UM MICRO INVERSOR INTEGRADO AOS PAINÉIS SOLARES PARA APLICAÇÃO EM CONSUMIDORES RESIDENCIAIS Solução n o 411 PROJETO DE UM MICRO INVERSOR INTEGRADO AOS PAINÉIS SOLARES PARA APLICAÇÃO EM CONSUMIDORES RESIDENCIAIS Solução n o 411 Eng. João Marcos Castro Soares (Diretor de P&D) São Paulo, 29 de abril de 2015 REIVAX

Leia mais

Laboratório de Processamento de Sinais (LPS), Escola Politécnica/COPPE, UFRJ 1. E-mails: {xavier,seixas}@lps.ufrj.br 2. Universidade de Wisconsin.

Laboratório de Processamento de Sinais (LPS), Escola Politécnica/COPPE, UFRJ 1. E-mails: {xavier,seixas}@lps.ufrj.br 2. Universidade de Wisconsin. DISCRIMINAÇÃO NEURAL DE PARTÍCULAS PARA UM DETECTOR SUBMETIDO A UMA ALTA TAXA DE EVENTOS Thiago Ciodaro Xavier1, José Manoel de Seixas1, André Rabello dos Anjos2 1 Laboratório de Processamento de Sinais

Leia mais

1. Tilecal 1. Receptor de Múons (L1) 2. Reconstrução de Energia 3. Qualidade de Dados 4. Manutenção Preditiva 5. Upgrade 2. Trigger 1.

1. Tilecal 1. Receptor de Múons (L1) 2. Reconstrução de Energia 3. Qualidade de Dados 4. Manutenção Preditiva 5. Upgrade 2. Trigger 1. 1. Tilecal 1. Receptor de Múons (L1) 2. Reconstrução de Energia 3. Qualidade de Dados 4. Manutenção Preditiva 5. Upgrade 2. Trigger 1. High Level Trigger Neural Ringer Leptonjets 2. Offline 3. Upgrade

Leia mais

Colaboração na experiência ATLAS (LHC)

Colaboração na experiência ATLAS (LHC) Colaboração na experiência ATLAS (LHC) em parceria com FCTUC CFNUL/FCUL e ainda UNL IDMEC/IST UCatFF UM Colaboração internacional ANL (Chicago) Barcelona Clermont-Ferrand Michigan St. Univ. Pisa Praga

Leia mais

um experimento dedicado a estudar a composição de partículas primárias de raios cósmicos e interações hadrônicas de altas energias.

um experimento dedicado a estudar a composição de partículas primárias de raios cósmicos e interações hadrônicas de altas energias. Uma análise sobre diferentes parametrizações da atmosfera em simulações de chuveiros atmosféricos extensos de raios cósmicos Stefano Castro TOGNINI; Ricardo Avelino GOMES Instituto de Física Universidade

Leia mais

DETECÇÃO DE SINAIS E ESTIMAÇÃO DE ENERGIA PARA CALORIMETRIA DE ALTAS ENERGIAS. Bernardo Sotto-Maior Peralva

DETECÇÃO DE SINAIS E ESTIMAÇÃO DE ENERGIA PARA CALORIMETRIA DE ALTAS ENERGIAS. Bernardo Sotto-Maior Peralva PPEE/UFJF DETECÇÃO DE SINAIS E ESTIMAÇÃO DE ENERGIA PARA CALORIMETRIA DE ALTAS ENERGIAS Bernardo Sotto-Maior Peralva Dissertação de Mestrado apresentada ao Programa de Pós-graduação em Engenharia Elétrica,

Leia mais

DESCRITIVO TÉCNICO INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO DE REDES

DESCRITIVO TÉCNICO INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO DE REDES DESCRITIVO TÉCNICO INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO DE REDES 39 A, por resolução do seu Comitê Técnico, em acordo com o Estatuto e as Regras da Competição, adotou as exigências mínimas que seguem no tocante a esta

Leia mais

EXPERIMENTOS DE FÍSICA DE ALTAS ENERGIAS COMO FOMENTO PARA ATRAÇÃO E PERMANÊNCIA DE ALUNOS EM CURSOS DE ENGENHARIA

EXPERIMENTOS DE FÍSICA DE ALTAS ENERGIAS COMO FOMENTO PARA ATRAÇÃO E PERMANÊNCIA DE ALUNOS EM CURSOS DE ENGENHARIA EXPERIMENTOS DE FÍSICA DE ALTAS ENERGIAS COMO FOMENTO PARA ATRAÇÃO E PERMANÊNCIA DE ALUNOS EM CURSOS DE ENGENHARIA Eduardo F. Simas Filho eduardo.simas@ufba.br Mariana Reis marianareis24@yahoo.com.br Universidade

Leia mais

Detectores de Partículas: Tiago dos Anjos

Detectores de Partículas: Tiago dos Anjos Detectores de Partículas: Uma Introdução ao CMS Tiago dos Anjos Sumário Aceleradores Circulares LHC O Detector CMS - Sistema de Trajetórias - Detector de múons - Calorímetro Eletromagnético - Calorímetro

Leia mais

Desenvolvimento de um software de gerenciamento de projetos para utilização na Web

Desenvolvimento de um software de gerenciamento de projetos para utilização na Web Resumo. Desenvolvimento de um software de gerenciamento de projetos para utilização na Web Autor: Danilo Humberto Dias Santos Orientador: Walteno Martins Parreira Júnior Bacharelado em Engenharia da Computação

Leia mais

CoNaIISI 2014 2º Congresso Nacional de Engenharia Informática / Sistemas de Informação

CoNaIISI 2014 2º Congresso Nacional de Engenharia Informática / Sistemas de Informação CoNaIISI 2014 2º Congresso Nacional de Engenharia Informática / Sistemas de Informação San Luis, 13 y 14 de Novembro de 2014 CHAMADA PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS O CoNaIISI é organizado pela rede de

Leia mais

Detectores de Partículas: Tiago dos Anjos

Detectores de Partículas: Tiago dos Anjos Detectores de Partículas: Uma Introdução ao CMS Tiago dos Anjos Sumário Aceleradores Circulares LHC O Detector CMS - Sistema de Trajetórias - Sistema de Múons - Calorímetro Eletromagnético - Calorímetro

Leia mais

RECEPÇÃO DO SINAL DE MÚONS NO CALORÍMETRO HADRÔNICO DO EXPERIMENTO ATLAS. Fernando Miranda Vieira Xavier

RECEPÇÃO DO SINAL DE MÚONS NO CALORÍMETRO HADRÔNICO DO EXPERIMENTO ATLAS. Fernando Miranda Vieira Xavier PPEE/UFJF RECEPÇÃO DO SINAL DE MÚONS NO CALORÍMETRO HADRÔNICO DO EXPERIMENTO ATLAS Fernando Miranda Vieira Xavier Dissertação de Mestrado apresentada ao Programa de Pós-graduação em Engenharia Elétrica,

Leia mais

Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Sistemas e Automação Departamento de Engenharia - Universidade Federal de Lavras

Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Sistemas e Automação Departamento de Engenharia - Universidade Federal de Lavras Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Sistemas e Automação Histórico Início 2007 com foco em modelagem biológica (Engenharias IV Capes) e característica multidisciplinar com professores da área de

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA MODALIDADE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (BOLSA PIC/FACIT/FAPEMIG)

PROJETO DE PESQUISA MODALIDADE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (BOLSA PIC/FACIT/FAPEMIG) PROJETO DE PESQUISA MODALIDADE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (BOLSA PIC/FACIT/FAPEMIG) MONTES CLAROS FEVEREIRO/2014 1 COORDENAÇÃO DE PESQUISA PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA RASTREAMENTO DE MOTOCICLETAS ORIENTADOR:

Leia mais

UM CLASSIFICADOR NEURONAL COMPACTO E EFICIENTE COM CAPACIDADE DE IDENTIFICAR CONTAMINAÇÃO EM DADOS EXPERIMENTAIS

UM CLASSIFICADOR NEURONAL COMPACTO E EFICIENTE COM CAPACIDADE DE IDENTIFICAR CONTAMINAÇÃO EM DADOS EXPERIMENTAIS UM CLASSIFICADOR NEURONAL COMPACTO E EFICIENTE COM CAPACIDADE DE IDENTIFICAR CONTAMINAÇÃO EM DADOS EXPERIMENTAIS Denis Oliveira Damazio damazio@lps.ufrj.br A. C. Soares cecilia@lps.ufrj.br José ManoeldeSeixas

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTES DO MAGISTÉRIO SUPERIOR Edital nº 1, de 1 de março de

Leia mais

DEMANDA GT SOLUÇÕES PARA AUDITORIA CONTÍNUA

DEMANDA GT SOLUÇÕES PARA AUDITORIA CONTÍNUA DEMANDA GT SOLUÇÕES PARA AUDITORIA CONTÍNUA OBJETIVOS Desenvolvimento de metodologia e sistema de automação do monitoramento de riscos e controles organizacionais para: Minimização dos riscos regulatórios

Leia mais

Computação no Alice e grid. Alexandre Suaide IF-USP

Computação no Alice e grid. Alexandre Suaide IF-USP Computação no Alice e grid Alexandre Suaide IF-USP 1 Resumo Alguns números importantes Requerimentos (dados e simulações) Processamente Armazenamento Estrutura computacional GRID Nossas necessidades 2

Leia mais

Entre os elementos desejados no perfil dos egressos podem ser citados:

Entre os elementos desejados no perfil dos egressos podem ser citados: COMPETÊNCIAS E HABILIDADES Apesar do foco do curso de Engenharia de Computação da UCDB está na área de software, o profissional formado pelo curso de Engenharia da Computação deve adquirir as seguintes

Leia mais

Aceleradores e Detectores

Aceleradores e Detectores Aceleradores e Detectores São Paulo Regional Analysis Center Como explorar o mundo sub-atômico? 1910 Rutherford α... 1995 Tevatron, Fermilab 2008 LHC, CERN 2012 ILC,?... 2 Por que altas energias? de Broglie:

Leia mais

Políticas de Qualidade em TI

Políticas de Qualidade em TI Políticas de Qualidade em TI Prof. www.edilms.eti.br edilms@yahoo.com Aula 03 CMMI Capability Maturity Model Integration Parte II Agenda sumária dos Processos em suas categorias e níveis de maturidade

Leia mais

Sistema de Rastreamento de Objetos Através de Múltiplas Câmeras

Sistema de Rastreamento de Objetos Através de Múltiplas Câmeras Sistema de Rastreamento de Objetos Através de Múltiplas Câmeras André Luís Beling da Rosa (UFRGS) prof. Dalton S. dos Reis (FURB) prof. Paulo C. R. Gomes (IFC) prof. Mauricio E. Stivanello (UFSC) Voltando

Leia mais

HARDWARE E SOFTWARE PARA MONITORAMENTO EM INSTALAÇÕES RADIOATIVAS

HARDWARE E SOFTWARE PARA MONITORAMENTO EM INSTALAÇÕES RADIOATIVAS 2005 International Nuclear Atlantic Conference - INAC 2005 Santos, SP, Brazil, August 28 to September 2, 2005 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENERGIA NUCLEAR - ABEN ISBN: 85-99141-01-5 HARDWARE E SOFTWARE PARA

Leia mais

Almir G. Santos. Sandro S. Fernandes

Almir G. Santos. Sandro S. Fernandes Almir G. Santos Sandro S. Fernandes 1 Escola de Física do CERN 2012: seleção e experiências Almir e Sandro no túnel do LHC do Microcosm do CERN Apoio 2 ÍNDICE PROCESSO SELETIVO PROFESSORES SELECIONADOS

Leia mais

HORÁRIO DE PROVAS 2º semestre 2013

HORÁRIO DE PROVAS 2º semestre 2013 1º PERÍODO 1ª Bimestrais 11/09 Cálculo Diferencial e Integral I 27/09 Física Experimental I 30/09 Física Geral I 2ª Bimestrais 23/10 Cálculo Diferencial e Integral I 25/10 Física Experimental I 31/10 Física

Leia mais

AULA 2. Aspectos Técnicos. Luciano Roberto Rocha. www.lrocha.com. MBA em Marketing Digital SOCIAL GAMES

AULA 2. Aspectos Técnicos. Luciano Roberto Rocha. www.lrocha.com. MBA em Marketing Digital SOCIAL GAMES MBA em Marketing Digital SOCIAL GAMES AULA 2 Luciano Roberto Rocha Aspectos Técnicos Ponta Grossa, 31 de agosto de 2013 ROTEIRO Papéis Processos Plataformas Ferramentas 2 PAPÉIS O desenvolvimento de um

Leia mais

Fundamentos de Sistemas de Informação I

Fundamentos de Sistemas de Informação I 16/3/2016 Componentes de um sistema 1. Entrada 2. Processamento 3. Saída 4. Realimentação (Feedback): interface com usuário, interface com outros sistemas ou subsistemas. 5. Controle Elementos de um sistema

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.640, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.640, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.640, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Bacharelado

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas

Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Síntese do Projeto Pedagógico do curso Objetivos do curso Objetivo Geral O curso em Análise e Desenvolvimento de Sistemas da ESADE,

Leia mais

SISTEMAS DE COMUNICAÇÃO ÓPTICA : INICIAR A PROPOSTA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO EM DISCIPLINA OPTATIVA, DURANTE PERÍODO DE AQUISIÇÃO DE CRÉDITOS.

SISTEMAS DE COMUNICAÇÃO ÓPTICA : INICIAR A PROPOSTA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO EM DISCIPLINA OPTATIVA, DURANTE PERÍODO DE AQUISIÇÃO DE CRÉDITOS. SISTEMAS DE COMUNICAÇÃO ÓPTICA : INICIAR A PROPOSTA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO EM DISCIPLINA OPTATIVA, DURANTE PERÍODO DE AQUISIÇÃO DE CRÉDITOS. Sandra Maria Dotto Stump sstump@mackenzie.com.br Maria Aparecida

Leia mais

xavier@lps.ufrj.br, Andre.Dos.Anjos@cern.ch, seixas@lps.ufrj.br

xavier@lps.ufrj.br, Andre.Dos.Anjos@cern.ch, seixas@lps.ufrj.br DISCRIMINADORES NEURAIS DE PARTÍCULAS PARA UM DETECTOR SUBMETIDO A UMA ALTA TAXA DE EVENTOS Thiago Ciodaro Xavier, André dos Anjos Rabello, Jose Manoel de Seixas Laboratório de Processamento de Sinais

Leia mais

MODELO. Plano de Trabalho. Estudo de Propulsores Iônicos e suas Aplicações para Propulsão de Satélites

MODELO. Plano de Trabalho. Estudo de Propulsores Iônicos e suas Aplicações para Propulsão de Satélites MODELO Plano de Trabalho Estudo de Propulsores Iônicos e suas Aplicações para Propulsão de Satélites Cooperação técnico-científica entre o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais INPE - Brasil e a Universidade

Leia mais

PROGRAMAÇÃO EM VHDL DE CIRCUITOS LÓGICOS PARA IMPLEMENTAÇÃO EM FPGA RELATÓRIO FINAL DE PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA

PROGRAMAÇÃO EM VHDL DE CIRCUITOS LÓGICOS PARA IMPLEMENTAÇÃO EM FPGA RELATÓRIO FINAL DE PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PROGRAMAÇÃO EM VHDL DE CIRCUITOS LÓGICOS PARA IMPLEMENTAÇÃO EM FPGA RELATÓRIO FINAL DE PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (PIBIC/CNPq/INPE) Yegor Gomes de Mello (UFRN, Bolsista PIBIC/CNPq) E-mail: yegor_melo@crn.inpe.br

Leia mais

FDQ-TOOL UMA FERRAMENTA PARA A ANÁLISE DA QUALIDADE DA MÉTRICA DE ESFORÇO DO PDS

FDQ-TOOL UMA FERRAMENTA PARA A ANÁLISE DA QUALIDADE DA MÉTRICA DE ESFORÇO DO PDS 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 FDQ-TOOL UMA FERRAMENTA PARA A ANÁLISE DA QUALIDADE DA MÉTRICA DE ESFORÇO DO PDS Marcos Mitsuo Ashihara 1, Nelson Tenório Jr 2, Rita Cristina Galarraga

Leia mais

SISTEMA NEURONAL RÁPIDO DE DECISÃO BASEADO EM CALORIMETRIA DE ALTAS ENERGIAS. André Rabello dos Anjos

SISTEMA NEURONAL RÁPIDO DE DECISÃO BASEADO EM CALORIMETRIA DE ALTAS ENERGIAS. André Rabello dos Anjos SISTEMA NEURONAL RÁPIDO DE DECISÃO BASEADO EM CALORIMETRIA DE ALTAS ENERGIAS André Rabello dos Anjos TESE SUBMETIDA AO CORPO DOCENTE DA COORDENAÇÃO DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO DE ENGENHARIA DA UNIVERSIDADE

Leia mais

Large Hadron Collider

Large Hadron Collider Rede Nacional de Física de Altas Energias Setembro 2008 Large Hadron Collider Participação Brasileira nos Experimentos do CERN Sumário I. CERN: BREVE HISTÓRICO...3 II. PARTICIPAÇÃO BRASILEIRA NO LHC...5

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CAMPUS DE SOBRAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CAMPUS DE SOBRAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CAMPUS DE SOBRAL INTEGRALIZAÇÃO CURRICULAR (Currículo 2006.2) Agosto de 2010 Hodiernamente não mais se concebe que a formação do futuro profissional

Leia mais

Projeto Pedagógico do Bacharelado em Ciência da Computação. Comissão de Curso e NDE do BCC

Projeto Pedagógico do Bacharelado em Ciência da Computação. Comissão de Curso e NDE do BCC Projeto Pedagógico do Bacharelado em Ciência da Computação Comissão de Curso e NDE do BCC Fevereiro de 2015 Situação Legal do Curso Criação: Resolução CONSU no. 43, de 04/07/2007. Autorização: Portaria

Leia mais

Projeto CITAR Circuitos Integrados Tolerantes à Radiação

Projeto CITAR Circuitos Integrados Tolerantes à Radiação Projeto CITAR Circuitos Integrados Tolerantes à Radiação Saulo Finco Chefe da DCSH saulo.finco@cti.gov.br Tel.: (19) 3746-6246 - Fax: (19) 3746-6028 www.cti.gov.br Projeto CITAR Circuitos Integrados Tolerantes

Leia mais

PDTI - Definição. Instrumento de diagnóstico, planejamento e

PDTI - Definição. Instrumento de diagnóstico, planejamento e PDTI - Definição Instrumento de diagnóstico, planejamento e gestão dos recursos e processos de Tecnologia da Informação que visa atender às necessidades tecnológicas e de informação de um órgão ou entidade

Leia mais

Colaboração ATLAS/Brasil. Atividades 2009-2010

Colaboração ATLAS/Brasil. Atividades 2009-2010 Colaboração ATLAS/Brasil Atividades 2009-2010 Histórico Colaboração com o CERN iniciou-se em 1988. P&D para o LHC em calorimetria hadrônica usando material plástico cintilante Membro da Colaboração ATLAS

Leia mais

ONEPROD MVX. Manutenção condicional online para máquinas críticas. Brand of ACOEM

ONEPROD MVX. Manutenção condicional online para máquinas críticas. Brand of ACOEM ONEPROD MVX Manutenção condicional online para máquinas críticas Brand of ACOEM O ONEPROD MVX é um sistema de monitoramento em tempo real multicanais, criado para a confiabilidade das máquinas industriais

Leia mais

SISTEMA NEURAL SEGMENTADO DE DETECÇÃO ONLINE DE ELÉTRONS UTILIZANDO PRÉ-PROCESSAMENTO ESTATÍSTICO

SISTEMA NEURAL SEGMENTADO DE DETECÇÃO ONLINE DE ELÉTRONS UTILIZANDO PRÉ-PROCESSAMENTO ESTATÍSTICO SISTEMA NEURAL SEGMENTADO DE DETECÇÃO ONLINE DE ELÉTRONS UTILIZANDO PRÉ-PROCESSAMENTO ESTATÍSTICO Diego C. Teles, Fabio Batista, Edmar E. P. de Souza, Eduardo F. Simas Filho, P. C. M. A. Farias, José M.

Leia mais

22º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental

22º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental 22º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental 14 a 19 de Setembro 2003 - Joinville - Santa Catarina X-015 - MONITORAMENTO VIA INTERNET DE UMA ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ESGOTO SANITÁRIO TIPO

Leia mais

UMA ABORDAGEM DE GERENCIAMENTO REMOTO DO SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA USANDO WEB SERVICES SOBRE TECNOLOGIA GPRS

UMA ABORDAGEM DE GERENCIAMENTO REMOTO DO SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA USANDO WEB SERVICES SOBRE TECNOLOGIA GPRS UMA ABORDAGEM DE GERENCIAMENTO REMOTO DO SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA USANDO WEB SERVICES SOBRE TECNOLOGIA GPRS Prof. Roberto A. Dias, Dr. Eng CEFET-SC Igor Thiago Marques Mendonça Reginaldo

Leia mais

Detector de Neutrinos para o Reator de Angra

Detector de Neutrinos para o Reator de Angra Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF) Detector de Neutrinos para o Reator de Angra Detector Central, Sistema de VETO, Eletrônica (resumo das diretivas de projeto) Laudo Barbosa (24 de Maio, 2007)

Leia mais

Sistemas Operacionais Introdução. Professora: Michelle Nery

Sistemas Operacionais Introdução. Professora: Michelle Nery Sistemas Operacionais Introdução Professora: Michelle Nery Área de Atuação do Sistema Operacional Composto de dois ou mais níveis: Tipo de Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais Monotarefas Sistemas

Leia mais

O Arquivo de Ciência e Tecnologia

O Arquivo de Ciência e Tecnologia Encontro Arquivos Científicos 3 e 4 de julho de 2014 FCSH, Lisboa O Arquivo de Ciência e Tecnologia Paula Meireles Madalena Ribeiro O Arquivo de Ciência e Tecnologia 1. Projeto de tratamento e divulgação

Leia mais

1 Instituições. 2 Pesquisadores Autores: 3 Pesquisadores Colaboradores. 4 PosDocs Colaboradores. 5 Estudantes:

1 Instituições. 2 Pesquisadores Autores: 3 Pesquisadores Colaboradores. 4 PosDocs Colaboradores. 5 Estudantes: Relatório ATLAS Janeiro a Dezembro de 2013 1 Instituições Oficialmente no ATLAS: 1.Universidade Federal do Rio de Janeiro 2.Universidade de São Paulo 3.Universidade Federal de Juiz de Fora 4.Universidade

Leia mais

Catálogo. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Faculdade de Engenharia Centro de Energia Eólica. Apoio:

Catálogo. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Faculdade de Engenharia Centro de Energia Eólica. Apoio: Catálogo Apoio: APRESENTAÇÃO O (CE-EÓLICA) se consolida como uma ação estratégica da PUCRS em função do crescimento das competências nesta área, a partir de atividades especificas realizadas pelo NUTEMA,

Leia mais

Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica PPEE/UFJF EDITAL 001/2015

Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica PPEE/UFJF EDITAL 001/2015 EDITAL 001/2015 PROCESSO SELETIVO DE BOLSISTA DE PÓS-DOUTORADO (PNPD) DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA (PPEE-UFJF) EDITAL Nº 001/2015 O Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica

Leia mais

3 Trabalhos Relacionados

3 Trabalhos Relacionados 35 3 Trabalhos Relacionados Alguns trabalhos se relacionam com o aqui proposto sob duas visões, uma sobre a visão de implementação e arquitetura, com a utilização de informações de contexto em SMA, outra

Leia mais

Projetos de P&D em Tecnologia da Informação e Telecomunicações: A Atuação do Núcleo de Aplicação em Tecnologia da Informação - NATI

Projetos de P&D em Tecnologia da Informação e Telecomunicações: A Atuação do Núcleo de Aplicação em Tecnologia da Informação - NATI Projetos de P&D em Tecnologia da Informação e Telecomunicações: A Atuação do Núcleo de Aplicação em Tecnologia da Informação - NATI Fortaleza, 21 de setembro de 2006 1 15 Universidade de Fortaleza Perfil

Leia mais

INFORMÁTIC INFORMÁ TIC INFORMÁTICA

INFORMÁTIC INFORMÁ TIC INFORMÁTICA NFORM Infra-estrutura Administrativa e Operacional da Área de Informática da UESB 9.2 A UINFOR está organizada em quatro áreas de trabalho: 9.2.1 Desenvolvimento de Sistemas: Esta área é a responsável

Leia mais

Planejamento para Implantação do GridUnesp. II Workshop GridUnesp Outubro de 2006

Planejamento para Implantação do GridUnesp. II Workshop GridUnesp Outubro de 2006 Planejamento para Implantação do GridUnesp II Workshop GridUnesp Outubro de 2006 2 Roteiro O que é Grid Porque Grid? Conceitos gerais. Componentes de um Grid. Exemplo: o SPRACE (São Paulo Regional Analysis

Leia mais

Educação além dos limites da sala de aula

Educação além dos limites da sala de aula Educação além dos limites da sala de aula Como a Brightspace passou a fazer parte da vida de 20.000 alunos da Universidade Tiradentes Visão Geral Com mais de 50 anos de tradição e reconhecido pioneirismo

Leia mais

Escola Preparatória de Cadetes do Exército 1978 a 1980. Escola Naval - Bacharel em Ciências Navais com Habilitação em Eletrônica - 1981 a 1985

Escola Preparatória de Cadetes do Exército 1978 a 1980. Escola Naval - Bacharel em Ciências Navais com Habilitação em Eletrônica - 1981 a 1985 I Dados Pessoais Nome: Cesar Bezerra Teixeira Data de Nascimento: 12 de Maio de 1963 Naturalidade: E-mail: Rio de Janeiro c_txr@yahoo.com II Formação Acadêmica Segundo Grau Graduação Pós Graduação Mestrado:

Leia mais

Fone: 55 11 2384-7736 - www.wissenconsulting.com.br - atendimento@wissenconsulting.com.br

Fone: 55 11 2384-7736 - www.wissenconsulting.com.br - atendimento@wissenconsulting.com.br Nosso método de trabalho foi criado para atender VOCÊ A WISSEN CONSULTING têm como compromisso ajudá-lo a alcançar o sucesso na implementação de ferramentas de gestão e colaboração para que você possa

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia

Universidade Federal de Uberlândia EDITAL Nº05/ PROGRAD/ DIREN/2010 ANEXO II 1 Título do Projeto: Automação de Fluxo de Trabalho Administrativo 2- Nome do Orientador: Autran Macêdo 3 Unidade: FACOM 4- Curso: Bacharelado em Ciência da Computação

Leia mais

APRESENTAÇÃO DA EMPRESA

APRESENTAÇÃO DA EMPRESA APRESENTAÇÃO DA EMPRESA Sumário 1. Quem somos 2. Nossa missão 3. O que fazemos 4. Internet 5. Service-Desk 6. Outsourcing de Impressão 7. Nossos principais Clientes 1. Quem somos Atuando a mais de 8 anos

Leia mais

esip- Sistema Integrado de Processo

esip- Sistema Integrado de Processo esip- Sistema Integrado de Processo Geração Distribuição Transmissão www.ecilenergia.com.br Integração dos dispositivos da SE na rede do esip Criação de uma Base de Dados Unificada Otimização no Deslocamento

Leia mais

Governança da Capacidade de TI

Governança da Capacidade de TI Coordenadoria de Tecnologia da Informação Documentos Formais Governança da Sumário 1 Introdução... 03 2 Políticas do Documento de Governança da... 04 3 Governança da... 05 4 Principais Serviços para Governança

Leia mais

1º PERÍODO. 07/03 2h/a Comunicação e Expressão 7h às 8h40m Geometria A. Vetores 8h40min às 10h40m. Lógica para Computação 8h40min às 10h40m

1º PERÍODO. 07/03 2h/a Comunicação e Expressão 7h às 8h40m Geometria A. Vetores 8h40min às 10h40m. Lógica para Computação 8h40min às 10h40m 1º PERÍODO semana a de carga horária Lógica para Computação Comunicação e Expressão Geometria A. Vetores in Cálculo Dif. e Integral I Física Experimental I - A Física Experimental I - B 28/03 2h/a Cálculo

Leia mais

Consultoria em TI PARA LIBERDADE, NÃO TEM PORQUÊ. TEM SOLICON.

Consultoria em TI PARA LIBERDADE, NÃO TEM PORQUÊ. TEM SOLICON. Consultoria em TI PARA LIBERDADE, NÃO TEM PORQUÊ. TEM SOLICON. Portifólio Missão Atender as necessidades de nossos clientes e garantir o retorno de seus investimentos, implementando os melhores serviços

Leia mais

Avaliação de Riscos Aplicada à Qualidade em Desenvolvimento de Software

Avaliação de Riscos Aplicada à Qualidade em Desenvolvimento de Software Rafael Espinha, Msc rafael.espinha@primeup.com.br +55 21 9470-9289 Maiores informações: http://www.primeup.com.br riskmanager@primeup.com.br +55 21 2512-6005 Avaliação de Riscos Aplicada à Qualidade em

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE CIRCUITOS CONVERSORES DIGITAL-ANALÓGICOS PARA CONTROLE DE POLARIZAÇÃO

DESENVOLVIMENTO DE CIRCUITOS CONVERSORES DIGITAL-ANALÓGICOS PARA CONTROLE DE POLARIZAÇÃO DESENVOLVIMENTO DE CIRCUITOS CONVERSORES DIGITAL-ANALÓGICOS PARA CONTROLE DE POLARIZAÇÃO Aluno: Joaquim Masset Lacombe Dias Garcia Aluna: Ana Sofia Viotti Daker Aranha Orientador: Guilherme Penello Temporão

Leia mais

DESAFIO À INTERNACIONALIZAÇÃO DE EBT S PROJETO PILOTO

DESAFIO À INTERNACIONALIZAÇÃO DE EBT S PROJETO PILOTO Autores: Beatrice Maria Zanellato Fonseca Mayer Leandro Carioni Laercio Aniceto Silva Maria Angélica Jung Marques Maria Gorete T. S. Hoffmann Alexandre M. Steinbruch XX Seminário Nacional de Parques Tecnológicos

Leia mais

Operações do SPRACE: DØD

Operações do SPRACE: DØD Operações do SPRACE: DØD Sergio M. Lietti I Workshop do SPRACE Sumário O Experimento DØ O Cluster SPRACE suas três fases Operações para o DØ durante a primeira fase Simulação de MC (mcfarm) Operações para

Leia mais

JOSÉ AUGUSTO FABRI. Uma Proposta de Modelo para a Criação e a Organização de Processos de Produção em um Contexto de Fábrica de Software

JOSÉ AUGUSTO FABRI. Uma Proposta de Modelo para a Criação e a Organização de Processos de Produção em um Contexto de Fábrica de Software JOSÉ AUGUSTO FABRI Uma Proposta de Modelo para a Criação e a Organização de Processos de Produção em um Contexto de Fábrica de Software São Paulo 2007 JOSÉ AUGUSTO FABRI Uma Proposta de Modelo para a Criação

Leia mais

SISTEMA DE INFORMAÇÃO. COORDENADORA Iris Fabiana de Barcelos Tronto irisbarcelos@ufv.br

SISTEMA DE INFORMAÇÃO. COORDENADORA Iris Fabiana de Barcelos Tronto irisbarcelos@ufv.br SISTEMA DE INFORMAÇÃO COORDENADORA Iris Fabiana de Barcelos Tronto irisbarcelos@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2010 89 Bacharelado ATUAÇÃO Sistemas de Informação é um curso da área de Informática voltado

Leia mais

VIRNA. Virtualizador Nacional

VIRNA. Virtualizador Nacional 1 VIRNA Virtualizador Nacional 2 Sumário Introdução Histórico Contextualização Visão Geral Metáfora do Videogame Termos e Conceitos Funcionamento Visão Geral do Emprego Evolução Benefícios e Necessidades

Leia mais

Permite a coleta de dados em tempo real dos processos de produção, possuindo, também, interfaces para a transferência dos dados para os sistemas

Permite a coleta de dados em tempo real dos processos de produção, possuindo, também, interfaces para a transferência dos dados para os sistemas Permite a coleta de dados em tempo real dos processos de produção, possuindo, também, interfaces para a transferência dos dados para os sistemas administrativos da empresa. Nessa configuração, o PC é a

Leia mais

Especificações da oferta Gerenciamento de dispositivos distribuídos: Gerenciamento de ativos

Especificações da oferta Gerenciamento de dispositivos distribuídos: Gerenciamento de ativos Visão geral do Serviço Especificações da oferta Gerenciamento de dispositivos distribuídos: Gerenciamento de ativos Os Serviços de gerenciamento de dispositivos distribuídos ajudam você a controlar ativos

Leia mais

Instituto de Estudos Superiores da Amazônia IESAM Curso de Bacharelado em Engenharia de Computação Turma: X1MA PROVA DE 2ª CHAMADA 1º BIMESTRE

Instituto de Estudos Superiores da Amazônia IESAM Curso de Bacharelado em Engenharia de Computação Turma: X1MA PROVA DE 2ª CHAMADA 1º BIMESTRE Curso de Bacharelado em Engenharia de Computação Turma: X1MA PROVA DE 2ª CHAMADA 1º BIMESTRE 8h às 11h40min Álgebra Linear Introdução a Eng. de Computação Cálculo 1 Probabilidade e Estatística Física 1

Leia mais

EXIN Cloud Computing Fundamentos

EXIN Cloud Computing Fundamentos Exame Simulado EXIN Cloud Computing Fundamentos Edição Maio 2013 Copyright 2013 EXIN Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser publicado, reproduzido, copiado ou armazenada

Leia mais

Segurança e Escalabilidade em WebLab no Domínio de Redes de Computadores

Segurança e Escalabilidade em WebLab no Domínio de Redes de Computadores Segurança e Escalabilidade em WebLab no Domínio de Redes de Computadores Autor: Daniel Vieira de Souza 1, Orientador: Luís Fernando Faina 1 1 Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação Universidade

Leia mais

Virtualização de Sistemas Operacionais

Virtualização de Sistemas Operacionais Virtualização de Sistemas Operacionais Felipe Antonio de Sousa 1, Júlio César Pereira 1 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil felipeantoniodesousa@gmail.com, juliocesarp@unipar.br Resumo.

Leia mais

Estratégia de Implantação do GridUNESP. II Brazilian LHC Computing Workshop - GridUNESP

Estratégia de Implantação do GridUNESP. II Brazilian LHC Computing Workshop - GridUNESP Estratégia de Implantação do GridUNESP II Brazilian LHC Computing Workshop - GridUNESP O que é Grid? Grid é um sistema que coordena recursos computacionais geograficamente distribuídos. Usa protocolos

Leia mais

ü Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação

ü Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação Nome e titulação do Coordenador: Coordenador: Prof. Wender A. Silva - Mestrado em Engenharia Elétrica (Ênfase em Processamento da Informação). Universidade

Leia mais

Sistemas de informação da rede de laboratorios da visa/sgaweb

Sistemas de informação da rede de laboratorios da visa/sgaweb 4 ENCONTRO LACENS/ 2 ENCONTRO LACENS, VISA E ANVISA SEMINARIO TEMATICO SOBRE LABORATORIOS ANALITICOS Sistemas de informação da rede de laboratorios da visa/sgaweb Eduardo C. Leal Brasilia 08 e 09 de Dezembro

Leia mais

Terceiro Simpósio Internacional de Melhoria de Processo de Software São Paulo, Brasil 17-20/09/2001 www.sp.senac.br/simpros2001 P17-1

Terceiro Simpósio Internacional de Melhoria de Processo de Software São Paulo, Brasil 17-20/09/2001 www.sp.senac.br/simpros2001 P17-1 Desenvolvimento de um Sistema de Gestão de Processo Arthur Maria do Valle Neto Robert Burnett Sandro Marcelo Melhoretto São Paulo, Brasil 17-20/09/2001 www.sp.senac.br/simpros2001 P17-1 Agenda Introdução

Leia mais

Calibração do Tilecal

Calibração do Tilecal Calibração do Tilecal J. Carvalho P. Martins Departamento de Física & LIP-Coimbra Jornadas do LIP, Braga Janeiro 8, 2009 1 Calibração do TileCal O TileCal é um sistema complexo que exige a monitorização

Leia mais

IRM- Integrated Risk Management using Risk Simulator Strategic level

IRM- Integrated Risk Management using Risk Simulator Strategic level IRM- Integrated Risk Management using Risk Simulator Strategic level O curso de Gestão Integrada de Risco (IRM), nível estratégico, desenvolvido pela ROV-Brasil (Real Options Valuation Inc.) e oferecido

Leia mais

Horário: 13:00 às 15:00 horas (hora de Brasília) IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO INSTRUÇÕES

Horário: 13:00 às 15:00 horas (hora de Brasília) IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO INSTRUÇÕES P1-MPS.BR - Prova de Introdução ao MPS.BR Data: 21 de maio de 2007 Horário: 13:00 às 15:00 horas (hora de Brasília) Nome: e-mail: Nota: INSTRUÇÕES Você deve responder a todas as questões. O total máximo

Leia mais

Herramientas inteligentes para el diagnóstico de transformadores sometidos a esfuerzos electromagnéticos severos

Herramientas inteligentes para el diagnóstico de transformadores sometidos a esfuerzos electromagnéticos severos Herramientas inteligentes para el diagnóstico de transformadores sometidos a esfuerzos electromagnéticos severos Nombre Carlos Guilherme Gonzales Correo cgonzale@cteep.com.br Empresa www.cteep.com.br Cargo

Leia mais