Compra de Imóvel nos EUA por Estrangeiro

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Compra de Imóvel nos EUA por Estrangeiro"

Transcrição

1 Por Pieter A. Weyts e Jackson Hwu 1 Compra de Imóvel nos EUA por Estrangeiro Acontece diariamente em Miami e nos Estados Unidos: um residente estrangeiro pronto para fechar a compra de seu primeiro imóvel nos EUA. Considerações Tributárias na Aquisição de Imóvel nos EUA. O comprador está animado e já pensando em como irá usar e decorar o lugar. E de repente o corretor de imóveis pergunta: E quem irá adquirir a propriedade? Você, em sua pessoa física, ou através de uma pessoa jurídica? E então, a confusão está armada. O comprador começa a pedir conselhos. Alguns amigos que compraram na pessoa física e outros sugerem a aquisição através de uma pessoa jurídica norte-americana. Um terceiro diz que a propriedade deve ser adquirida por pessoa jurídica estrangeira (offshore). E um advogado que o Comprador conheceu a pouco através do Admirals Clubs em Miami menciona algo sobre um Trust... 1 Pieter A. Weyts e Jackson Hwu são sócios no Private Advising Group, P.A., escritório de advocacia baseado em Miami com foco em clientes internacionais. Pieter pode ser contactado através do e Jackson no ou nos números de telefone (+1-786) ou (+55-11)

2 A boa notícia é que compradores estrangeiros de imóveis nos EUA não estão sozinhos. Estrangeiros estão comprando imóveis nos EUA em números cada vez maiores. Por exemplo, a Associação Nacional de Corretores de Imóveis (National Association of Realtors) disse que 23% das vendas de imóveis na Flórida no período de 12 meses anteriores à Março de 2014 foram realizadas por compradores estrangeiros. E a questão de como registrar o imóvel é um ponto que cada comprador estrangeiro deve considerer cuidadosamente. O registro do Imóvel envolve balancear questões como privacidade, complexidade, eficiência tributária, e custos. O objetivo deste artigo é considerar os prós e contras das alternativas mais comuns sobre a compra e o registro de imóvel nos EUA por estrangeiros. Comprar Imóvel em sua Pessoa Física Ainda é a alternativa mais fácil. Nenhuma estruturação é exigida. O comprador pode somente assinar o contrato de compra e venda, fechando o negócio. Existem, contudo, alguns inconvenientes para se atentar. Imposto de Transmissão Causa Mortis O ponto principal é o imposto de transmissão causa mortis norteamericano (U.S. Estate Tax). Caso um estrangeiro tenha um imóvel nos EUA, e venha a falecer, poderá haver a incidência de imposto de transmissão causa mortis em alíquota de até 55% do valor da propriedade (com uma isenção nos primeiros US$ sobre ativos sujeitos a tributos para residentes estrangeiros). Sim, até 55%. E caso haja uma hipoteca sobre o imóvel, o valor do financiamento não será deduzido do valor cobrado para pagar o imposto. Desta forma, o valor do imposto cobrado pode ser significativamente maior que o valor (equity) detido Causa no imóvel. Mortis Muitos clientes que estão comprando propriedade de valor inferior a US$ 1 milhão, geralmente preferem adquirir um seguro de vida ao invés de montar qualquer tipo de estrutura para a aquisição. A apólice de seguro deve ter valor suficiente para cobrir o segurado do risco de potencial incidência do imposto de transmissão causa mortis. Quando residente estrangeiro detém imóvel nos EUA em seu nome, toda a renda proveniente do aluguel será tributada nos EUA. Se a propriedade não está relacionada com atividade comercial, haverá uma retenção de 30% na renda bruta oriunda da propriedade (o locatário é responsável pela retenção do valor do tributo ao pagar o aluguel). Como alternativa, o proprietário estrangeiro pode fazer uma escolha com base no valor líquido (net basis election) e optar por apresentar uma declaração de imposto nos EUA. Em cada caso, despesas podem ser deduzidas do valor da renda do aluguel e o imposto de renda será pago com base no valor líquido auferido (após a dedução das despesas) de acordo com as alíquotas aplicáveis (de 10% a 39,6%). Geralmente uma propriedade alugada gerará despesas e depreciação suficientes para que a renda de aluguel seja relativamente baixa ou até mesmo negativa. 2 2

3 Ganho de Capital Quando a propriedade é vendida após o prazo de um ano da aquisição (ganho de capital de longo prazo), uma alíquota menor entre 0% e 20% de ganho de capital é aplicada. O comprador da propriedade é obrigado por lei, contudo, a reter 10% do valor da venda do imóvel (FIRPTA) na fonte. A retenção na fonte do imposto FIRPTA é outro ponto importante para se evitar comprar imóvel na pessoa física. Compra de Imóvel através de uma S.A. Estrangeira O maior benefício na aquisição de imóvel por S.A. estrangeira é, quando estruturada corretamente, que o sócio estrangeiro que detém participação na S.A. estrangeira não deve se sujeitar ao imposto de transmissão causa mortis quando falecer. O sócio estrangeiro também não está sujeito a apresentar qualquer declaração de imposto perante a Receita Federal dos EUA, somente a S.A. estrangeira talvez tenha de apresentar declaração de imposto nos EUA. Contudo, há algumas desvantagens, como por exemplo, a dupla tributação, a inexistência de alíquotas preferenciais de ganho de capitais, e a existência de tributo de filial (Branch Tax). Ademais, a S.A. estrangeira também esta sujeita a 10% de retenção na fonte do FIRPTA. Qualquer renda de aluguel está sujeita a retenção na fonte de 30% sobre a renda bruta do imóvel, ou a S.A. estrangeira poderá apresentar declaração de imposto de renda nos EUA, considerando as alíquotas do imposto de renda federal aplicável. Sobre US$ taxáveis, a alíquota efetiva seria 15%, sobre US$ seria 18%, sobre US$ seria 22%, e sobre US$ ou mais seria 34%. A S.A. estrangeira também estaria sujeita ao imposto de renda de pessoa jurídica estadual, cuja alíquota é 5,5% na Flórida, e dedutível sobre o imposto de renda federal. Quando a S.A. estrangeira está sujeita a imposto de renda, incidirá sobre a renda da propriedade dupla tributação: imposto de renda no nível da pessoa jurídica (S.A.) e imposto de renda retido na fonte uma vez que a empresa distribua dividendos aos sócios. O imposto de renda retido na fonte devido pelos sócios é de 30%, a não ser que alíquota menor seja aplicada devido a acordo tributário bilateral (se existente) entre EUA e o país de constituição da S.A. A melhor forma de evitar a dupla tributação é através de uma sociedade simples (partnership), discutida abaixo. Capital Gains Na revenda da propriedade, nenhum ganho de capital seria tributado às alíquotas mais favoráveis, como as de ganhos de capitais de longo prazo, mas sim sujeitos ao imposto de renda da pessoa jurídica, assim como, a renda do aluguel. U.S. Branch Tax Além do imposto de renda na pessoa jurídica, uma S.A. estrangeira também seria sujeita ao Imposto de Filial norte-americano a uma alíquota de 30%. O imposto de filial é devido no valor equivalente à distribuição de dividendo (dividend equivalent amount) e foi criado para simular o imposto devido caso a S.A. estrangeira fosse uma S.A. norte-americana, distribuindo dividendo para seus acionistas estrangeiros. Se a S.A. estrangeira não ganhar nenhuma receita até o momento de revenda de sua propriedade, ela poderá ser liquidada sem que haja nenhum imposto de filial sobre os ganhos de capital. Uma forma de evitar-se o imposto de filial sobre a renda da S.A. estrangeira é constituir uma subsidiária norte-americana da S.A. estrangeira. 3

4 Compra de imóvel por Subsidiária nos EUA de S.A. Estrangeira Ao comprar uma propriedade para fins de investimento com objetivo de obter renda de aluguel, o imposto norteamericano de filial pode ser evitado ao constituir uma subsidiária nos EUA da S.A. estrangeira. A participação da pessoa física estrangeira na S.A. estrangeira não estará sujeita ao imposto de transmissão causa mortis, quando devido. Ademais, a venda da propriedade pela subsidiária norte-americana não estaria sujeita à retenção na fonte dos 10% de FIRPTA. A subsidiária americana pode ser uma S.A. (corporation) ou uma sociedade limitada (LLC), esta última desde que escolhida para ser tratada com uma S.A. para fins tributários (ou seja, é uma LLC, mas tributada como corporation). Assumindo que a subsidiária americana retém na fonte os valores devidos sobre dividendos pagos à S.A. estrangeira, nem a S.A. estrangeira, nem estrangeiro em sua pessoa física serão obrigados a apresentar qualquer declaração de imposto nos EUA. Ganho de Capital A renda de aluguel da subsidiária localizada nos EUA seria sujeita ao imposto de renda federal e estadual, como descrito acima. Quando a subsidiária declara dividendos, estes também estarão sujeitos à retenção na fonte dos impostos devidos sobre os dividendos. Tal retenção pode ser evitada através de planejamento. Desde que a subsidiária americana retenha todos seus ganhos até o momento de venda do imóvel, e ao final seja liquidada. Como no caso do imóvel detido por S.A. estrangeira, no momento da revenda do imóvel, qualquer ganho de capital obtido será sujeito às mesmas alíquotas de impostos de renda, assim como a renda de aluguel, e tal S.A. estrangeira não teria nenhum benefício decorrente da alíquotas de ganho de capital de longo prazo. Usar Sociedade Simples (partnership) ou Sociedade Limitada (LLC) Estrangeiras A melhor forma de evitar a dupla tributação sobre os lucros de uma empresa (sendo um ao nível do imposto de renda da pessoa jurídica e o segundo a nível de retenção na fonte de imposto sobre os dividendos devidos aos sócios de tal empresa) é usar uma sociedade simples (partnership) ou sociedade limitada (LLC). Nos EUA, uma sociedade limitada com pelo menos 2 sócios, os chamados membros (members), pode ser tributada como uma sociedade simples. Uma sociedade simples não possui personalidade jurídica para efeitos tributário (flowthrough), então, seus lucros e prejuízos são tratados diretamente a nível dos sócios e, desta forma, não há cobrança de imposto de renda a nível da sociedade simples (ou se for o caso sociedade limitada). Na Flórida, por conta da ausência de imposto de renda estadual para sociedade simples ou sociedade limitada (esta última se elegida flow-through), os lucros não estão sujeitos a 5,5% de imposto de renda gerada no estado da Flórida, que seria aplicável no caso de uma S.A. Despesas e depreciação do imóvel podem reduzir significativamente o lucro líquido oriundo do aluguel do imóvel da empresa. O lucro líquido distribuído a sócio estrangeiro e sujeito a retenção na fonte no valor de 35%. Dependendo do acordo tributário bilateral entre EUA e o país em que o sócio da sociedade simples se encontra (lembrando que o Brasil não possui acordo tributário bilateral com os EUA), o sócio pode ser isento de imposto em seu país de origem sobre os lucros de sua sociedade. Entretanto, se um sócio estrangeiro apresenta declaração de imposto nos EUA, a renda de aluguel seria tributada como renda comum, mas, o sócio teria direito a créditos sobre os impostos já retidos pela sociedade simples ou limitada. Isto pode tornar-se um obstáculo para certos estrangeiros, pois alguns investidores preferem não apresentarem qualquer declaração de imposto nos EUA. 4

5 Ganho de Capital Na revenda de sua propriedade, caso haja ganho de capital alocado para sócios estrangeiros em suas pessoas físicas, estes seriam beneficiados de alíquotas de ganho de capital de longo prazo. Ainda no caso de o imóvel ser detido por sociedade simples estrangeira, em eventual venda, haverá a retenção na fonte de 10% do FIRPTA. O principal inconveniente em usar uma partnership ou uma LLC americana para adquirir o imóvel, é que a participação do sócio estrangeiro na partnership ou na LLC está sujeita ao imposto de transmissão causa mortis americano no caso de falecimento do sócio. Mesmo ao usar uma sociedade simples estrangeira, há certa incerteza jurídica se a participação do sócio estrangeiro será sujeita ao imposto de transmissão causa mortis nos EUA. Quando um comprador escolhe uma sociedade simples para deter seu imóvel nos EUA, recomenda-se a compra de uma apólice de seguro de vida para cobrir sua exposição ao imposto de transmissão causa mortis nos EUA. Usar Sociedade Limitada (LLC) Americana detida por Sociedade Simples (ou tipo similar) Estrangeira Usar uma LLC americana detida por sócio que é uma sociedade simples estrangeira usualmente resultaria no mesmo tratamento que usar sociedade simples ou limitada (americana ou estrangeira) ou onde os lucros seriam tributados diretamente na figura dos sócios, sem a existência de dupla tributação ou incidência de imposto de filial. O principal benefício em relação ao uso de sociedade simples estrangeira é a não retenção na fonte do FIRPTA, quando a LLC vende sua propriedade. Ao usar uma LLC americana para deter o imóvel nos EUA, pode também ser mais bem visto por bancos americanos, além de outras vantagens não tributárias. O mesmo inconveniente permanece como no caso da sociedade simples: a Receita Federal americana (IRS) pode entender que a participação do sócio estrangeiro em sociedade simples estrangeira é sujeita ao imposto de transmissão causa mortis nos EUA caso o sócio estrangeiro venha a falecer. Usar um Trust Estrangeiro A melhor solução é estruturar a participação em uma LLC americana, através de um Trust estrangeiro. Um Trust estrangeiro tem o benefício adicional do anonimato do seu beneficiário final. Infelizmente, esta estrutura é bem mais cara para implementar e seus custo podem ser proibitivos dependendo do tamanho do investimento. Geralmente, recomendaríamos esta alternativa somente para a compra de imóveis de valor acima de US$2 milhões. * * * A melhor forma de estruturação para um determinado caso depende do tamanho do investimento, das leis do país do comprador, incluindo acordo tributário bilateral entre o país de origem do comprador e os EUA. A boa notícia é que as alternativas de como adquirir imóveis no EUA são claras, e cada uma delas possuem suas vantagens e desvantagens. Aviso: A informação contida neste artigo é uma visão geral das alternativas de compra de imóveis nos EUA, e você não deve o usar como substituto de auxílio jurídico por advogado qualificado ou profissional do mercado imobiliário com experiência com compradores estrangeiros. Antes de tomar qualquer decisão ou compra de imóvel, você deve conversar com advogado e/ou profissional do mercado imobiliário que pode revisar seu caso específico, e orientá-lo corretamente. 5

INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO NOS EUA FLÓRIDA. 2014 - Direitos autorais reservados a Edgard Leite Advogados Associados

INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO NOS EUA FLÓRIDA. 2014 - Direitos autorais reservados a Edgard Leite Advogados Associados INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO NOS EUA FLÓRIDA 2014 - Direitos autorais reservados a Edgard Leite Advogados Associados A importância de ser confiável 2013 - Direitos autorais reservados a Edgard Leite Advogados

Leia mais

Holding. Aspectos Tributários

Holding. Aspectos Tributários Holding Aspectos Tributários Holding Holding Pura O Objeto da Holding Pura é basicamente a participação no capital de outras sociedades. Dessa forma, a fonte de receitas desta serão os dividendos das empresas

Leia mais

CARTILHA Previdência. Complementar REGIMES TRIBUTÁRIOS

CARTILHA Previdência. Complementar REGIMES TRIBUTÁRIOS CARTILHA Previdência Complementar REGIMES TRIBUTÁRIOS Índice 1. Os planos de Previdência Complementar e os Regimes Tributários... Pág. 3 2. Tratamento tributário básico... Pág. 4 3. Características próprias

Leia mais

Marcos Puglisi de Assumpção 3. PLANEJAMENTO FISCAL

Marcos Puglisi de Assumpção 3. PLANEJAMENTO FISCAL Marcos Puglisi de Assumpção 3. 2011 Planejar é antecipar. Existem determinadas situações particulares onde é possível utilizarse do planejamento fiscal visando economia de impostos. Essas situações estão

Leia mais

Perguntas Frequentes - Tributação

Perguntas Frequentes - Tributação 1. Tributação do Ganho de Capital Perguntas Frequentes - Tributação 1.1 - Como é feita a tributação dos ganhos obtidos com a alienação de ações? A tributação é feita em bases mensais, ou seja: o ganho

Leia mais

Planejamento Fiscal antes da Imigração. para os EUA

Planejamento Fiscal antes da Imigração. para os EUA Planejamento Fiscal antes da Imigração para os EUA Você deve fazer o seu planejamento fiscal antes da chegada aos Estados Unidos. Quando você faz o seu planejamento fiscal antes de imigrar para os Estados

Leia mais

DECLARAÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA 2015 DETALHES A OBSERVAR

DECLARAÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA 2015 DETALHES A OBSERVAR DECLARAÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA 2015 DETALHES A OBSERVAR Muito embora não seja uma novidade, já que a maioria das pessoas estejam obrigadas a entregar a Declaração de Imposto de Renda, trazemos aqui alguns

Leia mais

PROTEÇÃO DE ATIVOS NUMA PLATAFORMA INTERNACIONAL & SUCESSÃO

PROTEÇÃO DE ATIVOS NUMA PLATAFORMA INTERNACIONAL & SUCESSÃO PROTEÇÃO DE ATIVOS NUMA PLATAFORMA INTERNACIONAL & SUCESSÃO FICÇÃO OU REALIDADE Louis Vuittonn Dior Givenchy Moet Chandon Veuve Clicquot Bulgari Etc = 28,1 bilhão NS Bernard Arnault dono da LVMH criou

Leia mais

TRIBUTAÇÃO DE JUROS, DIVIDENDOS E MAIS-VALIAS NO CHIPRE LEIS E DECRETOS

TRIBUTAÇÃO DE JUROS, DIVIDENDOS E MAIS-VALIAS NO CHIPRE LEIS E DECRETOS TRIBUTAÇÃO DE JUROS, DIVIDENDOS E MAIS-VALIAS NO CHIPRE LEIS E DECRETOS Lei (alterada) do Imposto sobre os Rendimentos de 2005 Lei (alterada) da Contribuição Especial para a Defesa de 2004 Lei (alterada)

Leia mais

ESTABELECENDO UM NEGÓCIO NOS EUA

ESTABELECENDO UM NEGÓCIO NOS EUA ESTABELECENDO UM NEGÓCIO NOS EUA Escritórios de Advocacia Zara 111 John Street, Suite 510, New York, NY 10038 Tel: 1-212-619 45 00 Fax: 1-212-619 45 20 www.zaralawny.com 1 Introdução A recente queda do

Leia mais

Cédula de Crédito Imobiliário - CCI

Cédula de Crédito Imobiliário - CCI Títulos Imobiliários Renda Fixa Cédula de Crédito Imobiliário - CCI Títulos Imobiliários Cédula de Crédito Imobiliário Instrumento que facilita a negociabilidade e a portabilidade do crédito imobiliário

Leia mais

PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO DA PESSOA FÍSICA. José Henrique Longo. IBCPF Março, 2015 LEGITIMIDADE DO PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO:

PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO DA PESSOA FÍSICA. José Henrique Longo. IBCPF Março, 2015 LEGITIMIDADE DO PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO: PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO DA PESSOA FÍSICA José Henrique Longo IBCPF Março, 2015 LEGITIMIDADE DO PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO: Capacidade Contributiva & Solidariedade Direito de Auto Organização Planejamento

Leia mais

Guia de Declaração de IR 2014- Investimentos

Guia de Declaração de IR 2014- Investimentos Guia de Declaração de IR 2014- Investimentos BRASIL Guia de Declaração IR 2014- Investimentos O dia 30/04/2014 é último dia para entrega da declaração anual do Imposto de Renda 2014 e com o objetivo de

Leia mais

Guia Declaração Imposto de Renda 2013. Investimentos. Março de 2013. Brasil

Guia Declaração Imposto de Renda 2013. Investimentos. Março de 2013. Brasil Guia Declaração Imposto de Renda 2013 Investimentos Março de 2013 Brasil Guia de Declaração IR 2013 -Investimentos 2 O dia 30/04/2013 é último dia para entrega da declaração anual do Imposto de Renda 2013

Leia mais

Maratona Fiscal ISS Contabilidade geral

Maratona Fiscal ISS Contabilidade geral Maratona Fiscal ISS Contabilidade geral 1. Em relação ao princípio contábil da Competência, é correto afirmar que (A) o reconhecimento de despesas deve ser efetuado quando houver o efetivo desembolso financeiro

Leia mais

Guia de Declaração IR 2014. Investimentos. Março de 2014. Brasil

Guia de Declaração IR 2014. Investimentos. Março de 2014. Brasil Guia de Declaração IR 2014 Investimentos Março de 2014 Brasil Guia de Declaração IR 2014 - Investimentos O prazo de entrega da declaração anual do Imposto de Renda 2014 tem início no dia 6 de março e o

Leia mais

Obrigatoriedade na declaração

Obrigatoriedade na declaração A declaração do Imposto de Renda da Pessoa Física 2010 aparece com algumas novidades, especialmente em relação aos parâmetros que definem a obrigatoriedade da apresentação, o que deverá fazer com que diminua,

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE A COMPRA DE IMÓVEIS NOS EUA

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE A COMPRA DE IMÓVEIS NOS EUA PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE A COMPRA DE IMÓVEIS NOS EUA É normal as pessoas terem muitas dúvidas quanto ao processo de compra de um imóvel fora do país. Para ajudar, a PROFIT traz para você respostas para

Leia mais

Investimento Direto Estrangeiro e Tributação de Bens e Serviços no Brasil. Setembro 2015

Investimento Direto Estrangeiro e Tributação de Bens e Serviços no Brasil. Setembro 2015 Investimento Direto Estrangeiro e Tributação de Bens e Serviços no Brasil Setembro 2015 Investimento Direto Estrangeiro e Tributação de bens e serviços 1. Investimento Direto Estrangeiro Constituição de

Leia mais

Tributação. Mercado à Vista e Day Trade, Compensação de Perdas e Declaração no Informe do Imposto Renda

Tributação. Mercado à Vista e Day Trade, Compensação de Perdas e Declaração no Informe do Imposto Renda Tributação Mercado à Vista e Day Trade, Compensação de Perdas e Declaração no Informe do Imposto Renda Índice Quem recolhe o Imposto? 3 Prazo para Recolhimento 3 Como calcular o Imposto 3 Imposto de Renda

Leia mais

Banrisul Armazéns Gerais S.A.

Banrisul Armazéns Gerais S.A. Balanços patrimoniais 1 de dezembro de 2012 e 2011 Nota Nota explicativa 1/12/12 1/12/11 explicativa 1/12/12 1/12/11 Ativo Passivo Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 4 17.891 18.884 Contas

Leia mais

BOLETIM Novembro/2013 Extraordinário nº 56

BOLETIM Novembro/2013 Extraordinário nº 56 BOLETIM Novembro/2013 Extraordinário nº 56 Medida Provisória nº 627/13 Imposto de Renda da Pessoa Jurídica - Tributação em Bases Universais Com o advento da Lei nº 9.249, de 26 de dezembro de 1995, teve

Leia mais

NET SERVIÇOS DE COMUNICAÇÃO S.A. pela. EMPRESA BRASILEIRA DE TELECOMUNICAÇÕES S.A. -EMBRATEL uma subsidiária da EMBRATEL PARTICIPAÇÕES S.A.

NET SERVIÇOS DE COMUNICAÇÃO S.A. pela. EMPRESA BRASILEIRA DE TELECOMUNICAÇÕES S.A. -EMBRATEL uma subsidiária da EMBRATEL PARTICIPAÇÕES S.A. Anexo [ ] Oferta de Compra em Dinheiro de todas e quaisquer Ações Preferenciais (inclusive as Ações Preferenciais representadas por American Depositary Shares) ao preço de R$ 23,00 por Ação Preferencial

Leia mais

CEAD Seminário: A Lei nº 12.973/14 e a Tributação de Lucros Auferidos no Exterior

CEAD Seminário: A Lei nº 12.973/14 e a Tributação de Lucros Auferidos no Exterior CEAD Seminário: A Lei nº 12.973/14 e a Tributação de Lucros Auferidos no Exterior Crédito do Imposto Pago no Exterior 06 de Março de 2015 Contextualização Controladas (Art. 77) Equiparadas a controladas

Leia mais

Organização Hilário Corrêa Assessoria Empresarial e Contabilidade

Organização Hilário Corrêa Assessoria Empresarial e Contabilidade Desde o dia 02/03/2015 iniciamos o período de entrega da declaração de imposto de renda pessoa física de 2015 com base nos fatos ocorridos no ano de 2014, a declaração poderá ser transmitida até o dia

Leia mais

Cotas de Fundos de Investimento Imobiliário - FII

Cotas de Fundos de Investimento Imobiliário - FII Renda Variável Cotas de Fundos de Investimento Imobiliário - FII Fundo de Investimento Imobiliário Aplicação no mercado imobiliário sem investir diretamente em imóveis O produto O Fundo de Investimento

Leia mais

Medida Provisória 627/13 Giancarlo Matarazzo

Medida Provisória 627/13 Giancarlo Matarazzo Medida Provisória 627/13 Giancarlo Matarazzo 2 de Dezembro de 2013 1 Evolução Histórica Introdução no Brasil de regras contábeis compatíveis com os padrões internacionais de contabilidade IFRS Essência

Leia mais

Como se tornar residente norteamericano. do Programa de visto EB-5 de investidor (greencard EB-5). In cooperation with

Como se tornar residente norteamericano. do Programa de visto EB-5 de investidor (greencard EB-5). In cooperation with Como se tornar residente norteamericano através do Programa de visto EB-5 de investidor (greencard EB-5). In cooperation with O ESCRITÓRIO Private Advising Group é um escritório de advocacia sediado em

Leia mais

O IMPACTO DOS TRIBUTOS NA FORMAÇÃO DO PREÇO DE VENDA

O IMPACTO DOS TRIBUTOS NA FORMAÇÃO DO PREÇO DE VENDA TRIBUTOS CARGA TRIBUTÁRIA FLS. Nº 1 O IMPACTO DOS TRIBUTOS NA FORMAÇÃO DO PREÇO DE VENDA 1. - INTRODUÇÃO A fixação do preço de venda das mercadorias ou produtos é uma tarefa complexa, onde diversos fatores

Leia mais

Tributação em bases universais: pessoas jurídicas

Tributação em bases universais: pessoas jurídicas Tributação em bases universais: pessoas jurídicas A MP 627, na linha adotada pelo STF na ADI 2.588, previu a tributação automática no Brasil somente dos lucros auferidos no exterior por controladas ou

Leia mais

Tributação. Mercado de Derivativos, Fundos e Clubes de Investimentos, POP e Principais Perguntas

Tributação. Mercado de Derivativos, Fundos e Clubes de Investimentos, POP e Principais Perguntas Tributação Mercado de Derivativos, Fundos e Clubes de Investimentos, POP e Principais Perguntas 1 Índice Imposto de Renda para Mercado de Opções 03 Exemplos de Apuração dos Ganhos Líquidos - Antes do Exercício

Leia mais

Assim, integram a Categoria E os rendimentos de capitais, enumerados no artigo 5.º do CIRS.

Assim, integram a Categoria E os rendimentos de capitais, enumerados no artigo 5.º do CIRS. CATEGORIA E RENDIMENTOS DE CAPITAIS Definem-se rendimentos de capitais, todos os frutos e demais vantagens económicas, qualquer que seja a sua natureza ou denominação, pecuniários ou em espécie, procedentes,

Leia mais

CARTILHA DE INCENTIVOS FISCAIS* Nesta Cartilha, preparada a pedido da AMARRIBO, abordamos os seguintes incentivos fiscais:

CARTILHA DE INCENTIVOS FISCAIS* Nesta Cartilha, preparada a pedido da AMARRIBO, abordamos os seguintes incentivos fiscais: CARTILHA DE INCENTIVOS FISCAIS* Nesta Cartilha, preparada a pedido da AMARRIBO, abordamos os seguintes incentivos fiscais: A. Doação à AMARRIBO, que possui o título de OSCIP; B. Doação/Patrocínio de Projeto

Leia mais

CARTILHA DE INCENTIVOS FISCAIS* Nesta Cartilha, preparada a pedido da AMARRIBO, abordamos os seguintes incentivos fiscais:

CARTILHA DE INCENTIVOS FISCAIS* Nesta Cartilha, preparada a pedido da AMARRIBO, abordamos os seguintes incentivos fiscais: CARTILHA DE INCENTIVOS FISCAIS* Nesta Cartilha, preparada a pedido da AMARRIBO, abordamos os seguintes incentivos fiscais: A. Doação à AMARRIBO, que possui o título de OSCIP; B. Doação/Patrocínio de Projeto

Leia mais

Veículo: Valor Econômico Data: 11/05/2015 Seção: Finanças Pág.: 01 Assunto: Retorno imobiliário

Veículo: Valor Econômico Data: 11/05/2015 Seção: Finanças Pág.: 01 Assunto: Retorno imobiliário Veículo: Valor Econômico Data: 11/05/2015 Seção: Finanças Pág.: 01 Assunto: Retorno imobiliário Veículo: Valor Econômico Data: 11/05/2015 Seção: Finanças Pág.: http://zip.net/bfrdry Assunto: Retorno imobiliário

Leia mais

Contmatic - Escrita Fiscal

Contmatic - Escrita Fiscal Lucro Presumido: É uma forma simplificada de tributação onde os impostos são calculados com base num percentual estabelecido sobre o valor das vendas realizadas, independentemente da apuração do lucro,

Leia mais

Kinea Renda Imobiliária

Kinea Renda Imobiliária Introdução O é um fundo que busca aplicar recursos em empreendimentos corporativos e centros de distribuição de excelente padrão construtivo, de forma diversificada e preferencialmente prontos. Uma oportunidade

Leia mais

TRIBUTAÇÃO DA CARTEIRA DO FUNDO

TRIBUTAÇÃO DA CARTEIRA DO FUNDO TRIBUTAÇÃO As informações apresentadas abaixo constituem um resumo das principais considerações fiscais da legislação brasileira que afetam o Fundo e seus investidores e não têm o propósito de ser uma

Leia mais

Inferior ou igual a 2 anos 35% Superior a 2 anos e inferior ou igual a 4 anos 30% Superior a 4 anos e inferior ou igual a 6 anos 25%

Inferior ou igual a 2 anos 35% Superior a 2 anos e inferior ou igual a 4 anos 30% Superior a 4 anos e inferior ou igual a 6 anos 25% Perguntas e respostas 1- Como funciona a Tabela Regressiva dos Planos de Previdência Complementar? R A Tabela Regressiva foi prevista a partir da Lei nº 11.053, de 29 /12 /2004. Em vigor desde 01/01/2005,

Leia mais

Imposto de Renda sobre o Ganho de Capital

Imposto de Renda sobre o Ganho de Capital Imposto de Renda sobre o Ganho de Capital Formas de Redução e Isenção da Obrigação Tributária gerada pelo ganho de capital com a venda de imóveis. Lucas Calafiori Catharino de Assis Conceito de Tributo

Leia mais

Marcos Puglisi de Assumpção 10. PLANOS DE PREVIDÊNCIA

Marcos Puglisi de Assumpção 10. PLANOS DE PREVIDÊNCIA Marcos Puglisi de Assumpção 10. 2010 Uma das maiores preocupações de um indivíduo é como ele vai passar o final de sua vida quando a fase de acumulação de capital cessar. É preciso fazer, o quanto antes,

Leia mais

7. A Soc. Z efectuou, pela 1ª vez, ajustamentos em dívidas a receber ( Provisões para créditos de cobrança duvidosa), conforme quadro abaixo:

7. A Soc. Z efectuou, pela 1ª vez, ajustamentos em dívidas a receber ( Provisões para créditos de cobrança duvidosa), conforme quadro abaixo: Considere os seguintes limites fixados para os funcionários públicos (P 30-A/2008): Subsídio de Refeição (4,11 ); Transporte em automóvel próprio ( 0,39 por quilómetro). O SP A está sujeito à seguinte

Leia mais

Apresentação Select USA. Setembro 2015

Apresentação Select USA. Setembro 2015 Apresentação Select USA Setembro 2015 A Empresa Agenda Objetivo Novos negócios Oportunidades Representação, Filial e Subsidiária Estruturas Vistos Onde focar? Objetivos Esclarecer dúvidas iniciais de empresas

Leia mais

Conhecimentos Bancários. Item 3.5.4 - Mercado de Capitais

Conhecimentos Bancários. Item 3.5.4 - Mercado de Capitais Conhecimentos Bancários Item 3.5.4 - Mercado de Capitais Conhecimentos Bancários Item 3.5.4 - Mercado de Capitais Sistema de distribuição de valores mobiliários, que tem o objetivo de proporcionar liquidez

Leia mais

http://www.receita.fazenda.gov.br/pessoafisica/irpf/2008/perguntas/aplicfinanrenfi...

http://www.receita.fazenda.gov.br/pessoafisica/irpf/2008/perguntas/aplicfinanrenfi... Page 1 of 8 Aplicações Financeiras - Renda Fixa e Renda Variável 617 Quais são as operações realizadas nos mercados financeiro e de capital? Nesses mercados são negociados títulos, valores mobiliários

Leia mais

Cartilha Imposto de Renda 2014 ÍNDICE 1. OBRIGATORIEDADE DE APRESENTAÇÃO...3

Cartilha Imposto de Renda 2014 ÍNDICE 1. OBRIGATORIEDADE DE APRESENTAÇÃO...3 CARTILHA DECLARAÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA 2014 ÍNDICE 1. OBRIGATORIEDADE DE APRESENTAÇÃO...3 2. FORMA DE ELABORAR A DECLARAÇÃO DE IRPF 2014...4 2.1 FORMAS DE ENTREGA...4 2.2 PRAZO DE ENTREGA...4 2.3 MULTA

Leia mais

TRIBUTAÇÃO DO SETOR IMOBILIÁRIO E DA CONSTRUÇÃO CIVIL. Martelene Carvalhaes

TRIBUTAÇÃO DO SETOR IMOBILIÁRIO E DA CONSTRUÇÃO CIVIL. Martelene Carvalhaes TRIBUTAÇÃO DO SETOR IMOBILIÁRIO E DA CONSTRUÇÃO CIVIL Martelene Carvalhaes GESTÃO DE RISCOS O mercado de empreendimentos imobiliários é onde as empresas operam com maior nível de riscos devido às particularidades

Leia mais

IMPOSTO DE RENDA IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA

IMPOSTO DE RENDA IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA IMPOSTO DE RENDA IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA IMPOSTO l ELEMENTOS DO IMPOSTO: INCIDÊNCIA FATO GERADOR PERÍODO DE APURAÇÃO BASE DE CÁLCULO ALÍQUOTA INCIDÊNCIA l IRPF - É o imposto que incide sobre o produto

Leia mais

Guia Declaração. Investimentos. Março de 2012. Brasil

Guia Declaração. Investimentos. Março de 2012. Brasil 1 Guia Declaração Imposto de Renda 2012 Investimentos Março de 2012 Brasil Guia de Declaração IR 2012 - Investimentos 2 O dia 30/04/2012 é ultimo dia para entrega da declaração anual do Imposto de Renda

Leia mais

CONTROLE DE CÂMBIO. Laercio Pellegrino, Jr. Veirano & Advogados Associados Março 2002

CONTROLE DE CÂMBIO. Laercio Pellegrino, Jr. Veirano & Advogados Associados Março 2002 CONTROLE DE CÂMBIO Laercio Pellegrino, Jr. Veirano & Advogados Associados Março 2002 Por Que o Brasil Controla o Câmbio? Moeda forte é um item escasso no Brasil. Tanto o Governo Brasileiro como as empresas

Leia mais

CIRCULAR. Gabinete Jurídico-Fiscal

CIRCULAR. Gabinete Jurídico-Fiscal CIRCULAR Gabinete Jurídico-Fiscal N/REFª: 41/2014 DATA: 02 de Junho de 2014 Assunto: O IRC e a Reorganização das Estruturas Empresariais Exmos. Senhores, Para conhecimento, junto enviamos a Circular nº

Leia mais

Agência de Propaganda

Agência de Propaganda Agência de Propaganda Um assinante do Consultor Municipal fez a seguinte consulta: As empresas de propaganda e marketing são consideradas agências? E qual seria a base de cálculo do ISS? Por ser um assunto

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos IRRF de Locador Residente no Exterior

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos IRRF de Locador Residente no Exterior IRRF de 23/07/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 5 3.1 Incidência do Imposto de Renda Sobre Locação de Imóveis... 5 3.2

Leia mais

Principais Aspectos da Regulação da Lei 12.973/14

Principais Aspectos da Regulação da Lei 12.973/14 Principais Aspectos da Regulação da Lei 12.973/14 pela IN 1.515/14 Julio Chamarelli Sócio de Consultoria Tributária da KPMG jcepeda@kpmg.com.br Sergio André Rocha Professor Adjunto de Direito Financeiro

Leia mais

QUAL É A ESTRUTURA SOCIETÁRIA IDEAL? Vanessa Inhasz Cardoso 17/03/2015

QUAL É A ESTRUTURA SOCIETÁRIA IDEAL? Vanessa Inhasz Cardoso 17/03/2015 QUAL É A ESTRUTURA SOCIETÁRIA IDEAL? Vanessa Inhasz Cardoso 17/03/2015 2 CONSIDERAÇÕES INICIAIS Há vários tipos de estruturas societárias possíveis; Análise da realidade de cada empresa; Objetivos dos

Leia mais

Previdência Complementar

Previdência Complementar Cartilha Previdência Complementar Guia Fácil de Tributação TRATAMENTO TRIBUTÁRIO BÁSICO A primeira informação que deve ser observada na escolha de um plano de previdência que tenha como propósito a acumulação

Leia mais

Letras Financeiras - LF

Letras Financeiras - LF Renda Fixa Privada Letras Financeiras - LF Letra Financeira Captação de recursos de longo prazo com melhor rentabilidade O produto A Letra Financeira (LF) é um título de renda fixa emitido por instituições

Leia mais

Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo, Osasco e Região. Sindicato dos Químicos e Plásticos de São Paulo e Região

Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo, Osasco e Região. Sindicato dos Químicos e Plásticos de São Paulo e Região 1 Entidades proponentes: Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo, Osasco e Região Sindicato dos Metalúrgicos do ABC Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté Sindicato dos Químicos e Plásticos

Leia mais

TRIBUTAÇÃO. Atualizado em 12/2011

TRIBUTAÇÃO. Atualizado em 12/2011 TRIBUTAÇÃO Atualizado em 12/2011 1 Tributação dos Fundos de Investimento Instruções Normativas SRF nº 487 (30/12/04) e nº 489 (07/01/05) Lei nº 11.033/04 2 Base de Incidência de IR Base de incidência:

Leia mais

IMPOSTOS SOBRE O RENDIMENTO

IMPOSTOS SOBRE O RENDIMENTO hhh IMPOSTOS SOBRE O RENDIMENTO Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Singulares (IRS) O Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Singulares (IRS) é aplicável quer ao rendimento obtido por entidades residentes

Leia mais

a d en e R d sto o p e Im 20 d eclaração Cartilha D 1

a d en e R d sto o p e Im 20 d eclaração Cartilha D 1 ÍNDICE 1. Obrigatoriedades... 3 2. Forma de elaborar a declaração de IRPF 2014... 4 2.1 Formas de entrega... 4 2.2 Prazo de entrega... 4 2.3 Multa pelo atraso na entrega da declaração... 4 3. Modelos de

Leia mais

PASSAPORTE PARA ANGOLA

PASSAPORTE PARA ANGOLA PASSAPORTE PARA ANGOLA Samuel Fernandes de Almeida 17 e 18 de Fevereiro TRIBUTAÇÃO DE DIVIDENDOS TRIBUTAÇÃO DE DIVIDENDOS Distribuição de dividendos está sujeita a Imposto sobre a Aplicação de Capitais

Leia mais

Incentivo fiscal MP do Bem permite compensar débitos previdenciários

Incentivo fiscal MP do Bem permite compensar débitos previdenciários Notíci as Artigo s Página 1 de 5 @estadao.com.br :;):: ''(**. e-mail: senha: Esqueceu sua senha? Cadastre-se Artigos > Empresarial ÍNDICE IMPRIMIR ENVIAR COMENTAR aaa Incentivo fiscal MP do Bem permite

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º./XII/1.ª

PROJETO DE LEI N.º./XII/1.ª Grupo Parlamentar PROJETO DE LEI N.º./XII/1.ª INTRODUZ UM MECANISMO DE SALVAGUARDA DA EQUIDADE FISCAL PARA TODOS OS CONTRIBUINTES E ELIMINA AS ISENÇÕES DE TRIBUTAÇÃO SOBRE MAIS-VALIAS OBTIDAS POR SGPS

Leia mais

FUNDOS DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO PARA ARRENDAMENTO HABITACIONAL

FUNDOS DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO PARA ARRENDAMENTO HABITACIONAL compilações doutrinais VERBOJURIDICO FUNDOS DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO PARA ARRENDAMENTO HABITACIONAL DR. MIGUEL PRIMAZ DR. JOÃO BERNARDO GUEDES ADVOGADOS verbojuridico DEZEMBRO 2008 2 : FUNDOS DE INVESTIMENTO

Leia mais

Pessoas obrigadas a apresentar a Declaração de Ajuste Anual do IRPF 2015

Pessoas obrigadas a apresentar a Declaração de Ajuste Anual do IRPF 2015 Pessoas obrigadas a apresentar a Declaração de Ajuste Anual do IRPF 2015 Está obrigada a apresentar a Declaração de Ajuste Anual do Imposto sobre a Renda referente ao exercício de 2015, a pessoa física

Leia mais

Curso Preparatório CPA20

Curso Preparatório CPA20 Página 1 de 8 Você acessou como Flávio Pereira Lemos - (Sair) Curso Preparatório CPA20 Início Ambiente ) CPA20_130111_1_1 ) Questionários ) Passo 2: Simulado Módulo IV ) Revisão da tentativa 3 Iniciado

Leia mais

FUNDOS DE INVESTIMENTOS IMOBILIÁRIOS

FUNDOS DE INVESTIMENTOS IMOBILIÁRIOS I Curso de Férias do Grupo de Estudos de Direito Empresarial - Direito UFMG S IMOBILIÁRIOS Luis Fellipe Maia Advogado Formado pela UFMG Sócio da Vivá Capital Membro do Conselho Diretor da Júnior Achievement/MG

Leia mais

CAP. 4b INFLUÊNCIA DO IMPOSTO DE RENDA

CAP. 4b INFLUÊNCIA DO IMPOSTO DE RENDA CAP. b INFLUÊNCIA DO IMPOSTO DE RENDA A influência do Imposto de renda Do ponto de vista de um indivíduo ou de uma empresa, o que realmente importa, quando de uma Análise de investimentos, é o que se ganha

Leia mais

FORMAÇÃO DE PREÇO DE VENDA MÓDULO 9

FORMAÇÃO DE PREÇO DE VENDA MÓDULO 9 FORMAÇÃO DE PREÇO DE VENDA MÓDULO 9 Índice 1. Lucro presumido...3 2. Lucro real...4 2 Dentre os regimes tributários, os mais adotados são os seguintes: 1. LUCRO PRESUMIDO Regime de tributação colocado

Leia mais

COMPRAR E VENDER AÇÕES MERCADO A VISTA

COMPRAR E VENDER AÇÕES MERCADO A VISTA COMPRAR E VENDER AÇÕES MERCADO A VISTA ATENÇÃO Este texto não é uma recomendação de investimento. Para mais esclarecimentos, sugerimos a leitura de outros folhetos editados pela BOVESPA. Procure sua Corretora.

Leia mais

Índice 1. Obrigatoriedades... 3. 2. Forma de elaborar a declaração de IRPF 2013... 4. 2.1 Formas de entrega... 4. 2.2 Prazo de entrega...

Índice 1. Obrigatoriedades... 3. 2. Forma de elaborar a declaração de IRPF 2013... 4. 2.1 Formas de entrega... 4. 2.2 Prazo de entrega... Índice 1. Obrigatoriedades... 3 2. Forma de elaborar a declaração de IRPF 2013... 4 2.1 Formas de entrega... 4 2.2 Prazo de entrega... 4 2.3 Multa pelo atraso na entrega da declaração... 4 3. Modelos de

Leia mais

Ativos Patrimônio Líquido CAPÍTULO 2 CUSTO DE CAPITAL E CUSTOS FINANCEIROS. 1. Custo de Capital

Ativos Patrimônio Líquido CAPÍTULO 2 CUSTO DE CAPITAL E CUSTOS FINANCEIROS. 1. Custo de Capital 34 CAPÍTULO 2 CUSTO DE CAPITAL E CUSTOS FINANCEIROS 1. Custo de Capital Custo de capital é a taxa de retorno que a empresa precisa obter sobre os seus projetos de investimentos, para manter o valor de

Leia mais

Investindo nos Estados Unidos

Investindo nos Estados Unidos Investindo nos Estados Unidos Um Guia Básico Introdução Este documento fornece orientações básicas para a realização de negócios e a obtenção de visto de investidor nos Estados Unidos (EUA), auxiliando

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Come-Cotas Aplicações Financeiras

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Come-Cotas Aplicações Financeiras Parecer Consultoria Tributária Segmentos Come- 20/08/2015 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 3 3.1. Portaria MF 264/1999...

Leia mais

Proteção Patrimonial e Planejamento Sucessório

Proteção Patrimonial e Planejamento Sucessório Proteção Patrimonial e Planejamento Sucessório Introdução Pessoa Física sócio ou administrador de uma empresa operacional. Segregar o patrimônio pessoal, como proteção contra eventual problema da sociedade

Leia mais

PACIFIC RUBIALES ENERGY CORP.

PACIFIC RUBIALES ENERGY CORP. PACIFIC RUBIALES ENERGY CORP. COMUNICADO À IMPRENSA PACIFIC RUBIALES ANUNCIA DIVIDENDOS DO TERCEIRO TRIMESTRE Toronto, Canadá, segunda-feira, 8 de setembro de 2014 - Pacific Rubiales Energy Corp. (TSX:

Leia mais

BTG Fundo de Fundos. 5ª Emissão. Janeiro, 2013. Para informações adicionais, leia atentamente os Avisos Adicionais no final da apresentação.

BTG Fundo de Fundos. 5ª Emissão. Janeiro, 2013. Para informações adicionais, leia atentamente os Avisos Adicionais no final da apresentação. 5ª Emissão Janeiro, 2013 Para informações adicionais, leia atentamente os Avisos Adicionais no final da apresentação. SEÇÃO 1 Características Características Fundo Carteira Remuneração FUNDO FII fechado

Leia mais

Além da documentação acima a inscrição será efetivada com a doação de uma lata de leite em pó que será doado à uma instituição filantrópica da região.

Além da documentação acima a inscrição será efetivada com a doação de uma lata de leite em pó que será doado à uma instituição filantrópica da região. Peruíbe, 10 de março de 2013. As Faculdade Peruíbe realizará pela 1ª vez o serviço de preenchimento gratuito da declaração do imposto de renda (IRPF 2014) para pessoas físicas na atividade IRPF Social.

Leia mais

Guia Prático de Registro e Tributação do Advogado

Guia Prático de Registro e Tributação do Advogado PROCEDIMENTOS PARA REGISTRO NA OAB/MG A sociedade deve elaborar contrato atendendo à Lei 8.906/94 e ao Regulamento Geral do Estatuto da OAB, bem como ao Provimento do Conselho Federal 112/06, com as alterações

Leia mais

Empresa Júnior constitui ou não Instituição de Educação?

Empresa Júnior constitui ou não Instituição de Educação? 1 Sumário I. Introdução... 3 II. Empresa Júnior constitui ou não Instituição de Educação?... 3 III. As Imunidades Tributárias das Empresas Juniores... 4 IV. Incidência de Tributos sobre Empresas Juniores:...

Leia mais

TributAção. Novembro de 2013 Edição Extraordinária. MP 627/13 Regime tributário com o fim do RTT

TributAção. Novembro de 2013 Edição Extraordinária. MP 627/13 Regime tributário com o fim do RTT TributAção Novembro de 2013 Edição Extraordinária MP 627/13 Regime tributário com o fim do RTT Passados quase cinco anos da convergência das regras contábeis brasileiras ao padrão internacional contábil

Leia mais

ROBSON ZANETTI & ADVOGADOS ASSOCIADOS AS HOLDINGS COMO ESTRATÉGIA DE NEGÓCIOS, PROTEÇÃO PATRIMONIAL E SUCESSÃO FAMILIAR

ROBSON ZANETTI & ADVOGADOS ASSOCIADOS AS HOLDINGS COMO ESTRATÉGIA DE NEGÓCIOS, PROTEÇÃO PATRIMONIAL E SUCESSÃO FAMILIAR AS HOLDINGS COMO ESTRATÉGIA DE NEGÓCIOS, PROTEÇÃO PATRIMONIAL E SUCESSÃO FAMILIAR Robson Zanetti Advogados 1 1. Origem legal da holding no Brasil Lei nº. 6.404 (Lei das S/A s). No Brasil as holdings surgiram

Leia mais

PREVIDÊNCIA RIO BRAVO

PREVIDÊNCIA RIO BRAVO PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR RIO BRAVO Recomendações ao investidor: As informações contidas neste material são de caráter exclusivamente informativo. Fundos de investimento não contam com garantia do administrador

Leia mais

http://www.receita.fazenda.gov.br/prepararimpressao/imprimepagina.asp

http://www.receita.fazenda.gov.br/prepararimpressao/imprimepagina.asp Page 1 of 7 Instrução Normativa SRF nº 213, de 7 de outubro de 2002 DOU de 8.10.2002 Dispõe sobre a tributação de lucros, rendimentos e ganhos de capital auferidos no exterior pelas pessoas jurídicas domiciliadas

Leia mais

Construir Angola Cimentar Parcerias

Construir Angola Cimentar Parcerias Construir Cimentar Parcerias Aspectos fiscais do investimento português em Rosa Areias em AICCOPN em Tributação das pessoas colectivas principais impostos: Imposto Industrial Imposto sobre a Aplicação

Leia mais

Contabilidade Financeira

Contabilidade Financeira Contabilidade Prof. Dr. Alvaro Ricardino Módulo: Contabilidade Básica aula 04 Balanço Patrimonial: Grupo de Contas II Aula 4 Ao final desta aula você : - Conhecerá os grupos de contas do Ativo e Passivo.

Leia mais

renda fixa Certificado de Depósito Bancário

renda fixa Certificado de Depósito Bancário renda fixa Certificado de Depósito Bancário Certificado de Depósito Bancário Rentabilidade e proteção em um único investimento O produto Certificado de Depósito Bancário (CDB) é um título de renda fixa,

Leia mais

Fiscalidade em Portugal. Um primeiro olhar

Fiscalidade em Portugal. Um primeiro olhar Fiscalidade em Portugal Um primeiro olhar ÍNDICE 01 IMPOSTOS PORTUGUESES A perspectiva global 02 TRIBUTAÇÃO DO RENDIMENTO Principais regras e taxas 03 TRIBUTAÇÃO DO PATRIMÓNIO Principais regras e taxas

Leia mais

Advocacia e Cidadania

Advocacia e Cidadania REGRA GERAL: SUJEIÇÃO TRIBUTÁRIA (Art. 3.º e 48.º CIRC) IPSS não exercem a título principal uma actividade de natureza comercial, industrial ou agrícola Tributadas pelo rendimento global, o qual corresponde

Leia mais

Impacto fiscal. Depois de quase dois anos de longos debates entre empresas,

Impacto fiscal. Depois de quase dois anos de longos debates entre empresas, KPMG Business Magazine 30 TRIBUTOS Jupiterimages Stock photo/w101 Moeda funcional O artigo 58 da MP estabelece que as empresas que usam alguma moeda estrangeira para fins contábeis e demonstrações financeiras

Leia mais

O artigo 51º do CIRC estabelece que os dividendos recebidos por sociedades portuguesas são totalmente excluídos de tributação sempre que:

O artigo 51º do CIRC estabelece que os dividendos recebidos por sociedades portuguesas são totalmente excluídos de tributação sempre que: DESTAQUE Novembro de 2010 FISCAL Proposta de alterações aos mecanismos para evitar a dupla tributação económica de dividendos A Proposta de Lei do Orçamento de Estado para 2011 ( Proposta de OE 2011 )

Leia mais

Como investir em 2012 Entenda como funciona cada produto financeiro : O Globo 2/fev/2012

Como investir em 2012 Entenda como funciona cada produto financeiro : O Globo 2/fev/2012 Como investir em 2012 Entenda como funciona cada produto financeiro : O Globo 2/fev/2012 Analistas indicam quais cuidados tomar no mercado financeiro em 2012 e quais investimentos oferecem menor probabilidade

Leia mais

Renda Fixa Privada Certificado de Recebíveis Imobiliários CRI. Certificado de Recebíveis Imobiliários - CRI

Renda Fixa Privada Certificado de Recebíveis Imobiliários CRI. Certificado de Recebíveis Imobiliários - CRI Renda Fixa Privada Certificado de Recebíveis Imobiliários - CRI Certificado de Recebíveis Imobiliários Instrumento de captação de recursos e de investimentos no mercado imobiliário O produto O Certificado

Leia mais

EQUIVALÊNCIA PATRIMONIAL

EQUIVALÊNCIA PATRIMONIAL EQUIVALÊNCIA PATRIMONIAL A equivalência patrimonial é o método que consiste em atualizar o valor contábil do investimento ao valor equivalente à participação societária da sociedade investidora no patrimônio

Leia mais

PIS e COFINS. Um Estudo Comparativo entre as Sistemáticas de Apuração das Empresas Optantes pela Tributação do Lucro Real e Lucro Presumido

PIS e COFINS. Um Estudo Comparativo entre as Sistemáticas de Apuração das Empresas Optantes pela Tributação do Lucro Real e Lucro Presumido Um Estudo Comparativo entre as Sistemáticas de Apuração das Empresas Optantes pela Tributação do Lucro Real e Lucro Presumido Objetivo: Realizar um estudo comparativo entre as Sistemáticas de Apuração

Leia mais

Abertura de conta bancária nos Estados Unidos. Remessa de Divisas Brasil - Estados Unidos. Declaração de Imposto de Renda nos Estados Unidos

Abertura de conta bancária nos Estados Unidos. Remessa de Divisas Brasil - Estados Unidos. Declaração de Imposto de Renda nos Estados Unidos Manual do Comprador Abertura de conta bancária nos Estados Unidos É obrigatória a abertura de conta, caso haja interesse em comprar imóveis nos Estados Unidos. As principais vantagens em ter uma conta

Leia mais

IRPJ. Lucro Presumido

IRPJ. Lucro Presumido IRPJ Lucro Presumido 1 Características Forma simplificada; Antecipação de Receita; PJ não está obrigada ao lucro real; Opção: pagamento da primeira cota ou cota única trimestral; Trimestral; Nada impede

Leia mais

IRPF 2014 CARTILHA IR 2014

IRPF 2014 CARTILHA IR 2014 IRPF 2014 CARTILHA IR 2014 A MAPFRE Previdência desenvolveu para os participantes de plano de previdência complementar PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre), FGB Tradicional (Fundo Gerador de Benefício)

Leia mais

Texto dentro do quadro

Texto dentro do quadro Tabela comparativa antigo/novo Guia de Investimentos Partners FX Em vermelho:locais alterados ou incluídos nesta revisão Em azul:locais excluídos nesta revisão Antigo 3.Item referente ao risco de crédito

Leia mais