Caderno de Economia e Negócios AHRESP

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Caderno de Economia e Negócios AHRESP"

Transcrição

1 Caderno de Economia e Negócios AHRESP Nº5 NOVEMBRO 2017 Av. Duque de Ávila, 75, Lisboa

2 AHRESP A Sua rede de INFORMAÇÃO Nº5_NOVEMBRO ÍNDICE DESTAQUE ESTE MÊS Emprego: Setor Restauração e Alojamento Restauração e Bebidas Alojamento Turístico Pág. 03 Pág. 04 Pág. 05 RECEITAS TURÍSTICAS Pág. 06 ATIVIDADE TURÍSTICA Pág. 07 ÍNDICE DE VOLUME DE NEGÓCIOS REMUNERAÇÕES E HORAS TRABALHADAS NOS SERVIÇOS Pág. 08 INQUÉRITO DE CONJUNTURA - EMPRESAS E CONSUMIDORES Pág. 09 ÍNDICE DE PREÇOS NO CONSUMIDOR Pág. 10 SÍNTESE ECONÓMICA DE CONJUNTURA Pág. 11 EXECUÇÃO ORÇAMENTAL Pág. 12 Departamento de Investigação, Planeamento e Estudos

3 Caderno de Economia e Negócios AHRESP EMPREGO Restauração e Bebidas e Alojamento Turístico Restauração e Alojamento Turístico criam mais postos de trabalho (+18,1%) no 3º trimestre De acordo com os dados divulgados pelo INE, nos Setores da Restauração e Bebidas e do Alojamento Turístico, no final do 3º trimestre de 2017 registavam-se 345,9 mil postos de trabalho, que representam uma variação homóloga positiva de +18,1% ( postos de trabalho), este aumento referente ao terceiro trimestre é o mais elevado desde O 3º trimestre de 2017 registou um novo máximo histórico na empregabilidade do Canal HORECA, com postos de trabalho, quando no período homólogo (3º trimestre 2016) se registaram postos de trabalho. Estes novos postos de trabalho representaram 37,4% do total de novo emprego criado no 3º trimestre de Refira-se que o setor da Restauração criou, por si só, novos postos de trabalho (+19,9%) e o setor do Alojamento Turístico mais (+12,3%). Não obstante tratar-se do trimestre referente à época alta do setor do Turismo (julho a setembro), estes números demonstram o compromisso assumido pelos empresários na criação de emprego, facto que se verifica, inquestionavelmente, desde o dia 1 de julho de 2016, com a reposição parcial da taxa do IVA dos Serviços de Alimentação e Bebidas. 03

4 Caderno de Economia e Negócios AHRESP EMPREGO Restauração e Bebidas Setor da Restauração e Bebidas com um crescimento de postos de trabalho no 3º trimestre de 2017 O setor da Restauração e Bebidas registou um crescimento no 3º trimestre de 2017 de +19,9% ( postos de trabalho), este setor contribuiu de forma muito sigificativa para o aumento verificado no total do alojamento turístico, restauração e bebidas. Este acréscimo trimestral deve-se essencialmente, pelos aumentos ocorridos do emprego nos seguintes segmentos populacionais: O número de empregados para o sexo feminino destacou-se com 145,1 mil postos de trabalho (+14,4% face ao 3º trimestre de 2016); A idade compreendida entre os 45 e mais anos registaram um total 109,2 mil empregos (+19,6% de variação homóloga); Pessoas com o nível de escolaridade do ensino básico do 3º ciclo, um total de 177,0 mil postos de trabalho (+16,9% de variação homóloga); De destacar o aumento ocorrido no trabalhadores com vinculo laboral a tempo completo, que registaram um total de 237,7 mil postos de trabalho, e um aumento de +47,8% face ao período homólogo de

5 Caderno de Economia e Negócios AHRESP EMPREGO Alojamento Turístico Setor da Alojamento Turístico postos de trabalho (+12,3%) no 3º trimestre de 2017 No setor do Alojamento turístico, no 3º trimestre de 2017, a população empregada atingiu as 76,7 mil pessoas e aumentou em relação ao trimestre homólogo +12,3%, o que correspondeu a postos de trabalho. Este acréscimo trimestral deve-se essencialmente, pelos aumentos ocorridos do emprego nos seguintes segmentos populacionais: Por sexo, destacam-se as mulheres, que com um total de 48,2 mil postos de trabalho, que registaram um aumento de 23,9% em relação ao mesmo período de 2016; A idade compreendida entre 45 e mais anos, com 31,7 mil postos de trabalho (+19,6% de aumento homólogo), de destacar o aumento ocorrido no grupo etário dos anos (+18,4% de variação homóloga) o que correspondeu a 11,6 mil postos de trabalho; O nível de ecolaridade superior, num total de 18,1 mil postos de trabalho (aumentou +46%); O vinculo laboral a tempo completo, com um total de 73,4 mil postos de trabalho (+14,7% face ao trimestre homólogo). 05

6 RECEITAS TURÍSTICAS Receitas Turísticas Internacionais não param de crescer: +18,7% no acumulado a agosto de 2017 As receitas turísticas internacionais em Portugal, que representam as Exportações do Setor do Turismo, no acumulado a agosto registaram 9,9 mil milhões de, um crescimento homólogo de +18,7%, segundo dados divulgados pelo Banco de Portugal. Este crescimento representa +1,6 mil milhões de, face ao mesmo período de O saldo da balança turística foi de 6,99 mil milhões de (+21%) o que representa um excedente de 1,21 mil milhões de. Os maiores aumentos absolutos pertenceram a Espanha (+213,9 milhões de ), Reino Unido (+199,0 milhões de ), E.U.A (+148,9 milhões de ), Alemanha (+147,4 milhões de ), e França (+142,8 milhões de ). Em agosto de 2017, as receitas atingiram 2,0 mil milhões, ou seja +13,7%. Os maiores crescimentos homólogos verificaram-se nos mercados americano (+43,2%) brasileiro (+32%), e italiano (+22,7%). De referir que o valor das receitas do turismo no mês de agosto é o mais alto dos últimos 5 anos. Relembramos que o Canal HORECA representa, no Turismo, 71,9% das empresas (91.826), 79,7% dos postos de trabalho ( ) e 55,3% do volume de negócios (cerca de 10 mil milhões de euros). Só o setor da Restauração e Bebidas, no Turismo, representa 59% das empresas (75.432), 60,8% dos postos de trabalho ( ) e 37,4% do volume de negócios (mais de 6,8 mil milhões de euros). Estes resultados no turismo continuam a contribuir fortemente para impulsionar o desempenho da economia do setor dos serviços, para o crescimento do emprego e para a aceleramento registado nas exportações. 06 Fonte: Banco de Portugal

7 ATIVIDADE TURÍSTICA RevPAR cresceu 11,2% em agosto de 2017 O RevPAR assinalou um crescimento homólogo de +11,2%, tendo-se fixado nos 88,1, sendo este valor o mais alto dos últimos cinco anos. Por regiões o Algarve e a A.M. de Lisboa, superaram a média nacional, do RevPAR, com 126,0 e 91,9, respetivamente. De assinalar também os aumentos ocorridos nos Açores (+16,7%), e no Norte (+16,4%). Os proveitos totais atingiram os 502,8 milhões de e os de aposento 393,0 milhões de (com crescimentos homólogos de +12,3% e +13,2%, respetivamente). Todas as regiões assinalaram crescimentos homólogos, nos proveitos, mas destaca-se os Açores (+22,4% nos proveitos totais e +23,2% nos de aposento), o Norte (+16,0% +18,6%, respetivamente) e a A.M. Lisboa (14,4% e +14,5%, respetivamente). No mês de agosto os estabelecimentos hoteleiros alojaram 2,4 milhões de hóspedes num total de 7,8 milhões de dormidas, o que determinou aumentos homólogos de +4,6% e + 3,2%, respetivamente. As dormidas de estrangeiros com um peso de 67,1%, no total de dormidas, assinalaram um crescimento de +4,6% face ao período homólogo. O crescimento das dormidas nos hotéis foi de +4,8%, que representaram 65,1% do total. As restantes tipologias registaram maioritariamente crescimentos, face a agosto de 2016, com destaque para os hotéis-apartamentos de 5* (+13,8%), e as pousadas (+8,3%). Dos principais países emissores para Portugal, destaca-se os crescimentos do mercado americano (+43,6%), sueco (+30,6%) e brasileiro (+30,1%). Por regiões observaram-se aumentos generalizados das dormidas, de referir os crescimentos dos Açores (+15,8%), Alentejo (+6,4%) e o Centro (+6,2%). As dormidas concentraram-se principalmente no Algarve e na A.M. Lisboa com um peso conjunto de cerca de 60%. De janeiro a agosto, o mercado externo gerou 28,8 milhões de dormidas (+9,1%) e o mercado interno registou 11,2 milhões de dormidas (+3,4%), face ao período homólogo. Os parques de campismo, em agosto de 2017 registaram 593,4 mil campistas (+5,5%) que originaram 2,2 milhões de dormidas (+1,6%). O mercado interno com uma representação de 76%, no total de dormidas, contribuiu com um amento de 4,7%, já os mercados externos assinalaram um decréscimo de 7,1%. A estada média nos parques de campismo foi de (3,64 noites), o que significou um decréscimo de 3,7% em relação a agosto de Para mais informação clique aqui 07 Fonte: INE/ TP Dados provisórios

8 ÍNDICE DE VOLUME DE NEGÓCIOS, EMPREGO, REMUNERAÇÕES E HORAS TRABALHADAS NOS SERVIÇOS Índice de Emprego no Canal HORECA, registou um crescimento no mês de agosto de +7,1% de variação homóloga. Para o CANAL HORECA, o Índice de Emprego registou uma aceleração do seu crescimento a nível mensal (+2,0%), e a nível homólogo (+7,1%). O Índice de Volume de Negócios, ao nível da variação mensal foi de -2,3%, e ao nível da variação homóloga registou-se uma desaceleração de +7,1%, comparando com o mês anterior que foi de +8,6%. O Índice de Remunerações registou uma estabilização da sua evolução a nível mensal (0,0%), e uma aceleração a nível homólogo (+6,3%). Relativamente ao Índice de Horas Trabalhadas, registou-se uma queda do seu crescimento, a nível mensal (-1,3%). No que toca à variação homóloga, assinalou-se um crescimento de +5,9%, sendo o terceiro melhor valor do ano. Para mais informação clique aqui 08 Fonte: INE

9 INQUÉRITO DE CONJUNTURA - EMPRESAS E CONSUMIDORES Confiança dos consumidores aumentou 2,1%, em outubro A confiança dos consumidores aumentou de 1,5 em setembro para 2,1 em outubro, contrariando a trajetória descendente do mês anterior. O indicador de clima económico estabilizou no mesmo valor do mês anterior, sendo em outubro de 2,1%. O indicador de confiança nos serviços diminuiu em outubro para 14,8. Para o CANAL HORECA, as perspetivas de emprego nos próximos 3 meses registaram uma aceleração do crescimento para 4,8 em outubro de 2017, face ao mês anterior. As perspetivas de procura nos próximos 3 meses, revelaram um crescimento de opinião dos empresários sobre a evolução da procura, para 16,7. Relativamente à evolução do emprego nos últimos 3 meses, este indicador apresentou um decréscimo em relação ao mês anterior de 6,2 passando para 2,1 em outubro. A evolução da carteira de encomendas nos últimos 3 meses voltou a registar-se um decréscimo, passando de 14,5 no mês de setembro para 11,5 em outubro. Para mais informação clique aqui 09 Fonte: INE

10 ÍNDICE DE PREÇOS NO CONSUMIDOR Índice de Preços no Consumidor para o CANAL HORECA aumentou 4,5%, em setembro de 2017 A variação homóloga do IPC, a nível nacional fixou-se em +1,4% em setembro de 2017, sendo superior em 0,3 p.p. à registada no mês anterior. As classes com contribuições mais positivas para a variação homóloga do IPC, destacam-se a dos restaurantes e hotéis e a dos transportes. Pelo lado oposto a classe com contribuição negativa mais relevante foi a do vestuário e calçado. O Canal HORECA, em setembro de 2017, assinalou um crescimento da taxa de variação homóloga de +4,5%, que compara com +3,9% no mês anterior, o que significa um aumento de +0,6 p.p. De referir que a dinâmica de forte crescimento registada em abril de 2017 (+5,7%), foi interrompida nestes quatro últimos meses, no entanto, os valores mantém-se estáveis e a demonstrar alguma tendência de crescimento, e continuam a superar claramente os valores verificados nos primeiros três meses do ano, que não ultrapassaram os 2,0%. Para mais informação clique aqui 10 Fonte: INE

11 SÍNTESE ECONÓMICA DE CONJUNTURA Taxa de Desemprego no valor mais baixo dos últimos dois anos A taxa de desemprego de agosto de 2017 foi de 8,9%, face ao valor homólogo de 10,9%, a menor dos últimos dois anos, mantendo a tendência iniciada em novembro de O indicador de investimento (Formação Bruta de Capital Fixo) registou, em agosto de 2017, uma desaceleração da sua variação homóloga (10,1%), face ao valor registado no mês anterior (10,8%). Contudo, o valor registado continua a ser superior aos registados nos últimos dois anos. O índice de emprego nos serviços estabilizou a sua taxa de variação homóloga em agosto de 2017, mantendo-se nos 3,5%, também registados no mês de julho. Estes dados registam uma estabilização do comportamento positivo dos serviços e da generalidade da economia nacional, pois mantém-se, a tendência iniciada no 1º trimestre de 2017, de uma significativa dinâmica no mercado de trabalho e do crescimento económico. Para mais informação clique aqui 11 Fonte: INE

12 EXECUÇÃO ORÇAMENTAL Até agosto a receita do IVA registou um aumento de 4,3% face a 2016 No período de janeiro a setembro de 2017, a receita líquida do IVA registou um aumento de +5,4% (+596,1 milhões de ), em relação a igual período de A receita fiscal registou um crescimento de 1.762,6 milhões de, ou seja +6,0% face ao período homólogo. Neste sentido, a taxa de variação da receita situa-se acima da prevista para o conjunto do ano (3%), destacando-se o crescimento do IRC (+21,8%) e do IVA (+5,4%). A receita com os impostos diretos cresceu 6,5%, face ao mesmo período de O imposto sobre o rendimento das pessoas singulares (IRS) registou uma pequena diminuição de -0,7% da receita acumulada líquida. A receita da Segurança Social apresentou entre janeiro e setembro de 2017, um ligeiro aumento (+0,9%) e uma pequena diminuição da despesa (-1,8%), face ao mesmo período de Estes valores da receita permitiram atingir um grau de execução de 72,8%, e a despesa fixou-se num grau de execução de 69,4%. Para mais informação clique aqui 12 Fonte: DGO

13 FICHA TÉCNICA Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) Título: Caderno de Economia e Negócios da AHRESP Departamento de Investigação, Planeamento e Estudos Coordenação: Pedro Carvalho Equipa Técnica: Cristina Curto Publicação: Novembro de 2017 Siglas utilizadas Var. Abs. Variação absoluta Var. % - Variação relativa VCS Valores corrigidos de sazonalidade MM3M Média móvel de três observações mensais VE Valor Efetivo

14 Caderno de Economia e Negócios AHRESP Nº5 NOVEMBRO 2017 Av. Duque de Ávila, 75, Lisboa

Hotelaria com aumentos nas dormidas e proveitos

Hotelaria com aumentos nas dormidas e proveitos Atividade Turística Junho 2013 14 de agosto de 2013 Hotelaria com aumentos nas dormidas e proveitos A hotelaria registou 4,4 milhões de dormidas em junho de 2013, mais 8,6% do que em junho de 2012. Para

Leia mais

Hóspedes, dormidas e proveitos mantêm crescimento significativo

Hóspedes, dormidas e proveitos mantêm crescimento significativo Atividade Turística Julho de 20 15 de setembro de 20 Hóspedes, dormidas e proveitos mantêm crescimento significativo A hotelaria registou 5,8 milhões de dormidas em julho de 20, valor correspondente a

Leia mais

movimentos aéreos movimentos marítimos dormidas hóspedes estada média taxas ocupação proveitos médios balança turística

movimentos aéreos movimentos marítimos dormidas hóspedes estada média taxas ocupação proveitos médios balança turística Variações relativas ao 3º trimestre 2005: movimentos aéreos +3% no movimento de passageiros desembarcados de voos internacionais clássicos; +40,1%movimento de passageiros desembarcados de voos low-cost;

Leia mais

ACTIVIDADE TURÍSTICA 1999

ACTIVIDADE TURÍSTICA 1999 Informação à Comunicação Social 26 de Junho de 2000 ACTIVIDADE TURÍSTICA 1999 Em 31 de Julho de 1999, o número total de estabelecimentos na hotelaria tradicional recenseada (Hotéis, Hotéis-Apartamentos,

Leia mais

movimentos aéreos movimentos marítimos dormidas estada média taxas de ocupação proveitos médios/dormida receitas do turismo

movimentos aéreos movimentos marítimos dormidas estada média taxas de ocupação proveitos médios/dormida receitas do turismo movimentos aéreos movimentos marítimos dormidas estada média taxas de ocupação proveitos médios/dormida receitas do turismo Em Fevereiro de, o número de passageiros desembarcados de voos internacionais

Leia mais

Dormidas de não residentes continuam a aumentar

Dormidas de não residentes continuam a aumentar Actividade Turística Novembro de 2010 10 de Janeiro de 2011 Dormidas de não residentes continuam a aumentar No mês de Novembro de 2010 a hotelaria registou cerca de dois milhões de dormidas, valor muito

Leia mais

ACTIVIDADE TURÍSTICA Janeiro a Outubro de 2001

ACTIVIDADE TURÍSTICA Janeiro a Outubro de 2001 Informação à Comunicação Social 25 de Janeiro de 2002 ACTIVIDADE TURÍSTICA Janeiro a Outubro de 2001 O INE apresenta os principais resultados preliminares relativos à Oferta Turística em 31 de Julho de

Leia mais

FICHA TÉCNICA. Presidente António dos Reis Duarte

FICHA TÉCNICA. Presidente António dos Reis Duarte FICHA TÉCNICA Presidente António dos Reis Duarte Editor Instituto Nacional de Estatística Direcção de Contas Nacionais, Estatísticas Económicas e dos Serviços Divisão de Estatísticas do Turismo Av. Cidade

Leia mais

Crise da construção acentua-se, embora com quebras menos pronunciadas

Crise da construção acentua-se, embora com quebras menos pronunciadas Associações Filiadas: AECOPS Associação de Empresas de Construção e Obras Públicas e Serviços AICCOPN Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas Conjuntura da Construção n.º 70 Julho

Leia mais

Quadro 2. Dormidas por tipo e categoria de estabelecimento

Quadro 2. Dormidas por tipo e categoria de estabelecimento Atividade Turística Maio 2013 15 de julho de 2013 Residentes no estrangeiro contribuem para os resultados positivos na hotelaria A hotelaria registou 1,4 milhões de hóspedes em maio de 2013, +7,0% que

Leia mais

Hotelaria mantém resultados favoráveis em Agosto

Hotelaria mantém resultados favoráveis em Agosto 13 de Outubro de 2011 Actividade Turística Agosto de 2011 Hotelaria mantém resultados favoráveis em Agosto No mês de Agosto de 2011 os estabelecimentos hoteleiros registaram 6 milhões de dormidas, mais

Leia mais

Expectativas de crescimento do investimento empresarial em 2015

Expectativas de crescimento do investimento empresarial em 2015 Inquérito de Conjuntura ao Investimento Inquérito de abril de 2015 09 de junho de 2015 Expectativas de crescimento do investimento empresarial em 2015 De acordo com as intenções manifestadas pelas empresas

Leia mais

Dormidas e proveitos mantiveram crescimento acentuado

Dormidas e proveitos mantiveram crescimento acentuado Atividade Turística Janeiro de 2016 16 de março de 2016 Dormidas e proveitos mantiveram crescimento acentuado Os estabelecimentos hoteleiros registaram 870,7 mil hóspedes e 2,1 milhões de dormidas em janeiro

Leia mais

Valor médio de avaliação bancária acentua tendência decrescente

Valor médio de avaliação bancária acentua tendência decrescente Inquérito à Avaliação Bancária na Dezembro de 2011 26 de janeiro de 2012 Valor médio de avaliação bancária acentua tendência decrescente O valor médio de avaliação bancária de habitação 1 do total do País

Leia mais

Dormidas e proveitos com crescimentos expressivos

Dormidas e proveitos com crescimentos expressivos Atividade Turística Junho de 2016 16 de agosto de 2016 Dormidas e proveitos com crescimentos expressivos A hotelaria registou 1,9 milhões de hóspedes e 5,5 milhões de dormidas em junho de 2016, equivalendo

Leia mais

Hotelaria com melhoria expressiva nos principais indicadores

Hotelaria com melhoria expressiva nos principais indicadores Actividade Turística Abril de 2011 14 de Junho de 2011 Hotelaria com melhoria expressiva nos principais indicadores No mês de Abril de 2011 a hotelaria registou 3,5 milhões de dormidas, valor que representa

Leia mais

Hotelaria mantém crescimento mas com desaceleração no número de hóspedes e de dormidas

Hotelaria mantém crescimento mas com desaceleração no número de hóspedes e de dormidas Atividade Turística Fevereiro de 20 15 de Abril de 20 Hotelaria mantém crescimento mas com desaceleração no número de hóspedes e de dormidas Os estabelecimentos hoteleiros registaram cerca de 2 milhões

Leia mais

Nota de Informação Estatística Lisboa, 21 de outubro de 2013

Nota de Informação Estatística Lisboa, 21 de outubro de 2013 Nota de Informação Estatística Lisboa, 1 de outubro de 13 Novas estatísticas das não financeiras da Central de Balanços O Banco de Portugal passa a divulgar no Boletim Estatístico (secção A.19 e Capítulo

Leia mais

HOTELARIA RELATÓRIO DE CONJUNTURA

HOTELARIA RELATÓRIO DE CONJUNTURA HOTELARIA RELATÓRIO DE CONJUNTURA AEP / GABINETE DE ESTUDOS Julho 2007 1 O sector do turismo assume um papel relevante na economia portuguesa, confirmado pelo peso que representa no PIB e no emprego, em

Leia mais

Principais resultados do estudo de avaliação do nível de satisfação dos turistas no Município de Bragança

Principais resultados do estudo de avaliação do nível de satisfação dos turistas no Município de Bragança Principais resultados do estudo de avaliação do nível de satisfação dos turistas no Município de Bragança (Retirado do estudo promovido pela CCDR-N) Introdução A Comissão de Coordenação da Região Norte,

Leia mais

Hotelaria com aumentos nos hóspedes, dormidas e proveitos

Hotelaria com aumentos nos hóspedes, dormidas e proveitos Atividade Turística Janeiro de 2014 19 de março de 2014 Hotelaria com aumentos nos hóspedes, dormidas e proveitos A hotelaria registou 1,7 milhões de dormidas em janeiro de 2014, valor que corresponde

Leia mais

3.2 Companhias de seguros

3.2 Companhias de seguros como, por exemplo, do investimento em infra-estruturas de grande envergadura, do papel da RAEM como plataforma de serviços entre o Interior da China e os países de língua portuguesa, assim como da estratégia

Leia mais

ESTATÍSTICAS DO TURISMO ANO 2014

ESTATÍSTICAS DO TURISMO ANO 2014 24 de julho de 2015 ESTATÍSTICAS DO TURISMO ANO 2014 1. ENQUADRAMENTO INTERNACIONAL De acordo com os dados provisórios da Organização Mundial do Turismo (OMT), as chegadas de turistas internacionais em

Leia mais

Residentes no estrangeiro sustentam ligeiro aumento nas dormidas

Residentes no estrangeiro sustentam ligeiro aumento nas dormidas Atividade Turística Dezembro de 2012 14 de fevereiro de 2013 Residentes no estrangeiro sustentam ligeiro aumento nas dormidas As dormidas na hotelaria atingiram 1,7 milhões em dezembro 2012, mais 1,9%

Leia mais

ARTIGOS GPEARI-MFAP. Economia dos EUA e Comparação com os períodos de 1990-1991 e 2000 2001. Clara Synek * Resumo

ARTIGOS GPEARI-MFAP. Economia dos EUA e Comparação com os períodos de 1990-1991 e 2000 2001. Clara Synek * Resumo ARTIGOS GPEARI-MFAP Abril, ART/ Economia dos EUA e Comparação com os períodos de - e Clara Synek * Resumo O actual período de abrandamento da economia dos EUA, iniciado em e previsto acentuar-se no decurso

Leia mais

Quebras de Produção Intensificam-se

Quebras de Produção Intensificam-se Associações Filiadas: AECOPS Associação de Empresas de Construção e Obras Públicas e Serviços AICCOPN Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas ANEOP Associação Nacional dos Empreiteiros

Leia mais

O COMBATE À POBREZA E ÀS DESIGUALDADES É UM DESAFIO IMEDIATO PARA PORTUGAL

O COMBATE À POBREZA E ÀS DESIGUALDADES É UM DESAFIO IMEDIATO PARA PORTUGAL O COMBATE À POBREZA E ÀS DESIGUALDADES É UM DESAFIO IMEDIATO PARA PORTUGAL I. ENQUADRAMENTO A pobreza e a desigualdade na distribuição de rendimentos são problemas que persistem na sociedade portuguesa,

Leia mais

Tabela 1 Taxa de Crescimento do Produto Interno Bruto no Brasil e em Goiás: 2011 2013 (%)

Tabela 1 Taxa de Crescimento do Produto Interno Bruto no Brasil e em Goiás: 2011 2013 (%) 1 PANORAMA ATUAL DA ECONOMIA GOIANA A Tabela 1 mostra o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil e de Goiás no período compreendido entre 211 e 213. Nota-se que, percentualmente, o PIB goiano cresce relativamente

Leia mais

indicadores 1. Hóspedes 1.1. Número total de hóspedes 1.2. Hóspedes por tipologia de alojamento 1.3. Hóspedes por país de origem

indicadores 1. Hóspedes 1.1. Número total de hóspedes 1.2. Hóspedes por tipologia de alojamento 1.3. Hóspedes por país de origem boletim trimestral - n.º 2 - setembro 2013 algarve conjuntura turística indicadores 1. Hóspedes 1.1. Número total de hóspedes 1.2. Hóspedes por tipologia de alojamento 1.3. Hóspedes por país de origem

Leia mais

Hotelaria manteve crescimento de dois dígitos mas com desaceleração particularmente no mercado interno

Hotelaria manteve crescimento de dois dígitos mas com desaceleração particularmente no mercado interno Atividade Turística Novembro de 2014 19 de janeiro de 2015 Hotelaria manteve crescimento de dois dígitos mas com desaceleração particularmente no mercado interno As dormidas na hotelaria fixaram-se em

Leia mais

EXECUÇÃO ORÇAMENTAL JUNHO 2013 1/7

EXECUÇÃO ORÇAMENTAL JUNHO 2013 1/7 EXECUÇÃO ORÇAMENTAL JUNHO 2013 1/7 FICHA TÉCNICA Título EXECUÇÃO ORÇAMENTAL DE JANEIRO A JUNHO DE 2013 Autor/Editor INSTITUTO DE GESTÃO FINANCEIRA DA SEGURANÇA SOCIAL, I. P. Av. Manuel da Maia, n.º 58

Leia mais

Índice de Preços Turístico

Índice de Preços Turístico Índice de Preços Turístico 04 de Setembro de 2015 2º Trimestre 2015 Contacto (s): Olga Cruz Próxima edição: 16 de Outubro 2015 (3º Trim.) Olga.cruz@ine.gov.cv Raimundo Lopes Raimundo.lopes@ine.gov.cv Preços

Leia mais

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança D A T A A B E C I P A B R I L, 2 0 1 6 D E S T A Q U E S D O M Ê S São Paulo, 27 de maio de 2016 Crédito imobiliário alcança R$ 3,5 bilhões em abril

Leia mais

Indicador Trimestral de PIB do Espírito Santo

Indicador Trimestral de PIB do Espírito Santo SUMÁRIO EXECUTIVO O Produto Interno Bruto (PIB) do estado do Espírito Santo é calculado anualmente pelo Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN) em parceria com o Instituto eiro de Geografia e Estatística

Leia mais

Mercado de trabalho e Situação Financeira das Empresas em degradação acentuada

Mercado de trabalho e Situação Financeira das Empresas em degradação acentuada FEPICOP - FEDERAÇÃO PORTUGUESA DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO E OBRAS PÚBLICAS Associações Filiadas: AECOPS Associação de Empresas de Construção e Obras Públicas e Serviços AICCOPN Associação dos Industriais

Leia mais

1 a 15 de janeiro de 2015

1 a 15 de janeiro de 2015 1 a 15 de janeiro de 2015 As principais informações da economia mundial, brasileira e baiana INTRODUÇÃO Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia Diretoria de Indicadores e Estatísticas

Leia mais

Contas Económicas da Silvicultura 1990 2001

Contas Económicas da Silvicultura 1990 2001 Informação à Comunicação Social 27 de Dezembro de 22 Contas Económicas da Silvicultura 199 21 O Valor Acrescentado Bruto da Silvicultura decresceu,4% em termos reais, mas aumentou 35% em valor entre 199

Leia mais

HOTELARIA 2008. AEP / Gabinete de Estudos

HOTELARIA 2008. AEP / Gabinete de Estudos HOTELARIA 2008 AEP / Gabinete de Estudos Junho de 2008 1 1. INFORMAÇÃO SOBRE AS EMPRESAS Segundo os dados das Empresas em Portugal 2005, do INE, em 2005 o sector do Alojamento e Restauração compreendia

Leia mais

Subsistema de Incentivos para o Fomento da base económica de exportação

Subsistema de Incentivos para o Fomento da base económica de exportação Dezembro de 2015 Proposta de prestação de serviços Candidatura ao Subsistema de Incentivos para o Fomento da base económica de exportação Construção de Hotel 4 ou 5 Estrelas S. Vicente A/C: A. Machado,

Leia mais

Não residentes foram cruciais para o crescimento da atividade turística em 2013

Não residentes foram cruciais para o crescimento da atividade turística em 2013 Estatísticas do Turismo 2013 24 de junho de 2014 Não residentes foram cruciais para o crescimento da atividade turística em 2013 Em 2013, de acordo com os dados provisórios da Organização Mundial de Turismo,

Leia mais

VOLUME II Caracterização e Diagnóstico. Plano Regional de Ordenamento do Território. - Turismo Caracterização do Alojamento Hoteleiro ANEXO F2

VOLUME II Caracterização e Diagnóstico. Plano Regional de Ordenamento do Território. - Turismo Caracterização do Alojamento Hoteleiro ANEXO F2 MINISTÉRIO DO AMBIENTE, DO ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E DO DESENVOLVIMENTO REGIONAL COMISSÃO DE COORDENAÇÃO E DESENVOLVIMENTO REGIONAL DO ALGARVE Plano Regional de Ordenamento do Território - Turismo Caracterização

Leia mais

Em Abril de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou 0.9 pontos na União Europeia e diminuiu, 0.5 pontos, na Área Euro.

Em Abril de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou 0.9 pontos na União Europeia e diminuiu, 0.5 pontos, na Área Euro. Abr-04 Abr-05 Abr-06 Abr-07 Abr-08 Abr-09 Abr-10 Abr-11 Abr-12 Análise de Conjuntura Maio 2014 Indicador de Sentimento Económico Em Abril de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou 0.9 pontos

Leia mais

boletim trimestral - edição especial - n.º 0 - abril 2013 algarve conjuntura turística 2. Capacidade de alojamento na hotelaria global

boletim trimestral - edição especial - n.º 0 - abril 2013 algarve conjuntura turística 2. Capacidade de alojamento na hotelaria global boletim trimestral - edição especial - n.º 0 - abril 2013 algarve conjuntura turística indicadores 1. Movimento de passageiros no Aeroporto de Faro 1.1. Movimento total de passageiros 1.2. Movimento mensal

Leia mais

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS INFORMAÇÃO Nº 46 EVOLUÇÃO DO MERCADO DOS COMBUSTÍVEIS RODOVIÁRIOS 1º TRIMESTRE DE 2016 - COTAÇÕES E PREÇOS GASOLINA 95, GASÓLEO RODOVIÁRIO E GPL AUTO INTRODUÇÃO

Leia mais

CENÁRIO ECONÔMICO PLANO UNIFICADO 2º TRI/2015

CENÁRIO ECONÔMICO PLANO UNIFICADO 2º TRI/2015 CENÁRIO ECONÔMICO PLANO UNIFICADO 2º TRIMESTRE DE 2015 1 CENÁRIO ECONÔMICO O segundo trimestre do ano de 2015 demonstrou uma aceleração da deterioração dos fatores macroeconômicos no Brasil, com aumento

Leia mais

Pesquisa Mensal de Emprego

Pesquisa Mensal de Emprego Comunicação Social 25 de março de 2004 Pesquisa Mensal de Emprego Taxa de desocupação é de 12% em fevereiro Em fevereiro de 2004, a taxa de desocupação ficou estável tanto em relação ao mês anterior (11,7%)

Leia mais

DESEMPENHO DO TURISMO EM ALAGOAS, PARA ABRIL DE 2015

DESEMPENHO DO TURISMO EM ALAGOAS, PARA ABRIL DE 2015 DESEMPENHO DO TURISMO EM ALAGOAS, PARA ABRIL DE 2015 Superintendência de Produção da Informação e do Conhecimento (SINC) Diretoria de Estatística e Indicadores Conforme último relatório Focus do Banco

Leia mais

ANÁLISE ESTATÍSTICA j a n e i r o m a i o 2011 1

ANÁLISE ESTATÍSTICA j a n e i r o m a i o 2011 1 ANÁLISE ESTATÍSTICA j a n e i r o m a i o 2011 1 ANÁLISE DE DORMIDAS NACIONAIS E ESTRANGEIRAS Estabelecimentos Hoteleiros, Aldeamentos e Apartamentos Turísticos Acumulado Janeiro Maio 2010/2011 A Turismo

Leia mais

indicadores 1. Hóspedes 2.1. Número total de hóspedes 2.2. Hóspedes por tipologia de alojamento 2.3. Hóspedes por país de origem

indicadores 1. Hóspedes 2.1. Número total de hóspedes 2.2. Hóspedes por tipologia de alojamento 2.3. Hóspedes por país de origem boletim trimestral - n.º 6 - outubro 2014 algarve conjuntura turística indicadores 1. Hóspedes 2.1. Número total de hóspedes 2.2. Hóspedes por tipologia de alojamento 2.3. Hóspedes por país de origem 1.

Leia mais

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N. Boletim Mensal de Economia Portuguesa N.º 9 setembro 211 Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia e do Emprego G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais

Leia mais

Atividade Turística com resultados positivos em 2014

Atividade Turística com resultados positivos em 2014 Estatísticas do Turismo 2014 28 de julho de 2015 Atividade Turística com resultados positivos em 2014 Segundo os dados provisórios da Organização Mundial de Turismo, as chegadas de turistas internacionais,

Leia mais

Estudo de Inserção Profissional dos Alunos da Rede Escolar do Turismo de Portugal, I.P.

Estudo de Inserção Profissional dos Alunos da Rede Escolar do Turismo de Portugal, I.P. Estudo de Inserção Profissional dos Alunos da Rede Escolar do Turismo de Portugal, I.P. Direção de Qualificação Formativa e Certificação Departamento de Gestão Pedagógica e Certificação CONTEÚDO 1. SUMÁRIO

Leia mais

Em Janeiro de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou +0.9 pontos na UE e +0.5 pontos na Área Euro 1.

Em Janeiro de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou +0.9 pontos na UE e +0.5 pontos na Área Euro 1. Jan-04 Jan-05 Jan-06 Jan-07 Jan-08 Jan-09 Jan-10 Jan-11 Jan-12 Análise de Conjuntura Fevereiro 2014 Indicador de Sentimento Económico Em Janeiro de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou +0.9

Leia mais

PREÇOS AO BALCÃO - 2003 - ESTABELECIMENTOS HOTELEIROS, ALDEAMENTOS E APARTAMENTOS TURÍSTICOS

PREÇOS AO BALCÃO - 2003 - ESTABELECIMENTOS HOTELEIROS, ALDEAMENTOS E APARTAMENTOS TURÍSTICOS Direcção de Serviços de Estudos e Estratégia Turísticos Divisão de Recolha e Análise Estatística ESTABELECIMENTOS HOTELEIROS, ALDEAMENTOS E APARTAMENTOS TURÍSTICOS PREÇOS AO BALCÃO - 2003 - Realizado por:

Leia mais

Análise Regional dezembro 2015

Análise Regional dezembro 2015 Portugal Em, o Algarve voltou a liderar o País com 16,6 milhões de dormidas (34% de quota no País) e cresceu 2,7% face a 2014. Lisboa posicionou-se no 2.º lugar com 12,3 milhões de dormidas e assinalou,

Leia mais

A PROCURA DE EMPREGO DOS DIPLOMADOS

A PROCURA DE EMPREGO DOS DIPLOMADOS A PROCURA DE EMPREGO DOS DIPLOMADOS COM HABILITAÇÃO SUPERIOR Em Fevereiro de 2008, o GPEARI do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior publicou o segundo relatório sobre a procura de emprego

Leia mais

PREÇOS AO BALCÃO - 2004 - ESTABELECIMENTOS HOTELEIROS, ALDEAMENTOS E APARTAMENTOS TURÍSTICOS

PREÇOS AO BALCÃO - 2004 - ESTABELECIMENTOS HOTELEIROS, ALDEAMENTOS E APARTAMENTOS TURÍSTICOS ESTABELECIMENTOS HOTELEIROS, ALDEAMENTOS E APARTAMENTOS TURÍSTICOS PREÇOS AO BALCÃO - 2004 - Realizado por: Cristina Curto Caria Registo de Informação: Paula Gomes Coordenado por: Teresinha Duarte Direcção

Leia mais

SISTEMA DE INFORMAÇÃO CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL DE SINES DEMOGRAFIA E INDICADORES DEMOGRÁFICOS

SISTEMA DE INFORMAÇÃO CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL DE SINES DEMOGRAFIA E INDICADORES DEMOGRÁFICOS DEMOGRAFIA E INDICADORES DEMOGRÁFICOS 1 INDICADOR: População residente e taxa de variação, 1991 e 2001 População Variação 1991 2001 Portugal 9867147 10356117 5,0 Alentejo 782331 776585-0,7 Alentejo Litoral

Leia mais

Barómetro de Conjuntura. Estabelecimentos Hoteleiros, Aldeamentos e Apartamentos Turísticos. verão 2014

Barómetro de Conjuntura. Estabelecimentos Hoteleiros, Aldeamentos e Apartamentos Turísticos. verão 2014 verão 2014 Índice Sumário Executivo Perspetivas de evolução da procura para o verão 2014 NUTS II NUTS II por Mercados Perspetivas de evolução da procura para o inverno 2014/15 NUTS II 2 Sumário Executivo

Leia mais

boletim trimestral - n.º 1 - junho 2013 algarve conjuntura turística

boletim trimestral - n.º 1 - junho 2013 algarve conjuntura turística boletim trimestral - n.º 1 - junho 2013 algarve conjuntura turística indicadores 1. Movimento de passageiros no aeroporto de Faro 1.1. Movimento total de passageiros 1.2. Passageiros desembarcados por

Leia mais

16 a 31 de dezembro de 2014

16 a 31 de dezembro de 2014 16 a 31 de dezembro de 2014 As principais informações da economia mundial, brasileira e baiana INTRODUÇÃO Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia Diretoria de Indicadores e Estatísticas

Leia mais

ESTUDO TÉCNICO N.º 12/2014

ESTUDO TÉCNICO N.º 12/2014 ESTUDO TÉCNICO N.º 12/2014 Principais resultados da PNAD 2013 potencialmente relacionados às ações e programas do MDS MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME SECRETARIA DE AVALIAÇÃO E GESTÃO

Leia mais

MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DA INOVAÇÃO

MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DA INOVAÇÃO MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DA INOVAÇÃO Índice Introdução Preço Médio por Dormida Proveito Médio de Aposento por Cama Conceitos Anexos 2 Introdução Com base em indicadores estatísticos disponibilizados pelo

Leia mais

Manpower Employment Outlook Survey Portugal

Manpower Employment Outlook Survey Portugal Manpower Employment Outlook Survey Portugal 3T 2016 Manpower Employment Outlook Survey Portugal O Manpower Employment Outlook Survey para o terceiro trimestre de 2016 foi realizado com base num inquérito

Leia mais

EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2. Atividade global... 2. Atividade setorial... 3. - Produção... 3. - Volume de negócios... 5

EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2. Atividade global... 2. Atividade setorial... 3. - Produção... 3. - Volume de negócios... 5 SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal fevereiro 2015 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 5 Comércio internacional...

Leia mais

Barómetro de Conjuntura inverno 2014/15. Agências de Viagens

Barómetro de Conjuntura inverno 2014/15. Agências de Viagens Barómetro de Conjuntura inverno 2014/15 Agências de Viagens ÍNDICE Sumário Executivo 3 da procura - inverno 2014/15 Portugal - NUTS II Portugal - Principais NUTS II Principais 4 5 6 da procura - verão

Leia mais

Associação da Hotelaria de Portugal divulga indicadores de novembro de 2012

Associação da Hotelaria de Portugal divulga indicadores de novembro de 2012 Lisboa, 4 de fevereiro de 2013 Associação da Hotelaria de Portugal divulga indicadores de novembro de 2012 TAXA DE OCUPAÇÃO QUARTO SOBE 10,64%, NO PORTO, e 5,75% EM LISBOA COM BOM DESEMPENHO DE TODAS AS

Leia mais

O indicador de sentimento económico melhorou em Novembro, quer na União Europeia (+2.0 pontos), quer na Área Euro (+1.4 pontos).

O indicador de sentimento económico melhorou em Novembro, quer na União Europeia (+2.0 pontos), quer na Área Euro (+1.4 pontos). Nov-02 Nov-03 Nov-04 Nov-05 Nov-06 Nov-07 Nov-08 Nov-09 Nov-10 Nov-12 Análise de Conjuntura Dezembro 2012 Indicador de Sentimento Económico O indicador de sentimento económico melhorou em Novembro, quer

Leia mais

Barómetro Turismo Alentejo

Barómetro Turismo Alentejo Barómetro Turismo Alentejo Janeiro 2012 METODOLOGIA TOP DORMIDAS JANEIRO 2012 Inicia-se este ano de 2012 com alterações na metodologia do Barómetro, incluindo a sistemática comparação dos dados de 2012

Leia mais

Procura Turística dos Residentes 4º Trimestre de 2014

Procura Turística dos Residentes 4º Trimestre de 2014 Procura Turística dos Residentes 4º Trimestre de 2014 30 de abril de 2015 Viagens turísticas dos residentes com ligeiro aumento No 4º trimestre de 2014 os residentes em Portugal realizaram cerca de 4,0

Leia mais

Análise CEPLAN Clique para editar o estilo do título mestre. Recife, 26 de janeiro de 2010.

Análise CEPLAN Clique para editar o estilo do título mestre. Recife, 26 de janeiro de 2010. Análise CEPLAN Recife, 26 de janeiro de 2010. Temas que serão discutidos na Análise Ceplan A conjuntura econômica título em mestre 2010 e perspectivas para 2011 (Brasil, Nordeste, Estados); Informe especial

Leia mais

IRC opção pelo regime simplificado

IRC opção pelo regime simplificado IRC opção pelo regime simplificado Está em curso durante o presente mês de fevereiro o prazo concedido aos sujeitos passivos de IRC para procederem à opção pelo regime simplificado de determinação da matéria

Leia mais

indicadores 1. Capacidade de alojamento na Hotelaria Global

indicadores 1. Capacidade de alojamento na Hotelaria Global boletim trimestral - n.º 4 - março 2014 algarve conjuntura turística indicadores 1. Capacidade de alojamento na Hotelaria Global 2. Hóspedes 2.1. Número total de hóspedes 2.2. Hóspedes por tipologia de

Leia mais

Indicador de confiança dos Consumidores aumenta e indicador de clima económico suspende trajetória de crescimento

Indicador de confiança dos Consumidores aumenta e indicador de clima económico suspende trajetória de crescimento 29 de setembro de 2014 INQUÉRITOS DE CONJUNTURA ÀS EMPRESAS E AOS CONSUMIDORES Setembro de 2014 Indicador de confiança dos Consumidores aumenta e indicador de clima económico suspende trajetória de crescimento

Leia mais

PERFIL DOS HÓSPEDES. 3º Quadrimestre - 2011 APRESENTAÇÃO EM MEIOS DE HOSPEDAGEM

PERFIL DOS HÓSPEDES. 3º Quadrimestre - 2011 APRESENTAÇÃO EM MEIOS DE HOSPEDAGEM PERFIL DOS HÓSPEDES EM MEIOS DE HOSPEDAGEM 3º Quadrimestre - 2011 APRESENTAÇÃO O Observatório do Turismo da Cidade de Paranaguá realiza periodicamente, desde 2011, uma pesquisa junto aos meios de hospedagens

Leia mais

DIA MUNDIAL DO CANCRO: 4/2/2015 ONCOLOGIA NA RAM - RELATÓRIO INFOGRÁFICO

DIA MUNDIAL DO CANCRO: 4/2/2015 ONCOLOGIA NA RAM - RELATÓRIO INFOGRÁFICO 1. CARACTERIZAÇÃO DA MORTALIDADE 1.1 Principais causas de morte, 2010-2013, RAM 1.2 Taxa de mortalidade padronizada (/100.000 hab), Região (RAM, RAA e Portugal), 2009 a 2012 Fonte: Estatísticas da Saúde,

Leia mais

Conjuntura da Construção n.º 77 O SETOR CONTINUA EM CRISE MAS EMPRESÁRIOS ACREDITAM NA RECUPERAÇÃO

Conjuntura da Construção n.º 77 O SETOR CONTINUA EM CRISE MAS EMPRESÁRIOS ACREDITAM NA RECUPERAÇÃO FEPICOP - FEDERAÇÃO PORTUGUESA DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO E OBRAS PÚBLICAS Associações Filiadas: AECOPS Associação de Empresas de Construção e Obras Públicas e Serviços AICCOPN Associação dos Industriais

Leia mais

Maio 2004. Belo Horizonte. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE

Maio 2004. Belo Horizonte. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Pesquisa Mensal de Emprego Maio 2004 Região Metropolitana de Belo Horizonte Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE 1 PESQUISA MENSAL DE EMPREGO ESTIMATIVAS PARA O MÊS DE MAIO DE 2004 REGIÃO

Leia mais

MINISTÉRIO DA ECONOMIA E INOVAÇÃO

MINISTÉRIO DA ECONOMIA E INOVAÇÃO MINISTÉRIO DA ECONOMIA E INOVAÇÃO Direcção de Serviços de Estudos e Estratégia Turísticos Divisão de Recolha e Análise Estatística Índice Introdução Proveito Médio de Aposento Conceitos Anexos Proveitos

Leia mais

O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2006

O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2006 O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2006 Elaborado por: Ana Paula Gomes Bandeira Coordenado por: Teresinha Duarte Direcção de Serviços de Estudos e Estratégia Turísticos Divisão de Recolha e Análise Estatística

Leia mais

Situação do jovem no mercado de trabalho no Brasil: um balanço dos últimos 10 anos 1

Situação do jovem no mercado de trabalho no Brasil: um balanço dos últimos 10 anos 1 Situação do jovem no mercado de trabalho no Brasil: um balanço dos últimos 1 anos 1 Marcio Pochmann 2 São Paulo fevereiro de 2.7. 1 Texto preliminar, sujeito a modificações. Situação do jovem no mercado

Leia mais

Construção continua em queda

Construção continua em queda Construção: Obras licenciadas e concluídas 2º Trimestre de 2012 - Dados preliminares 13 de setembro de 2012 Construção continua em queda O licenciamento de obras acentuou a sua trajetória descendente,

Leia mais

PETIÇÃO PARA A REPOSIÇÃO DO IVA NOS SERVIÇOS DE ALIMENTAÇÃO E BEBIDAS. Petição N.º 428/XII/4ª

PETIÇÃO PARA A REPOSIÇÃO DO IVA NOS SERVIÇOS DE ALIMENTAÇÃO E BEBIDAS. Petição N.º 428/XII/4ª PETIÇÃO PARA A REPOSIÇÃO DO IVA NOS SERVIÇOS DE ALIMENTAÇÃO E BEBIDAS Petição N.º 428/XII/4ª IVA Médio na Europa Taxas de IVA dos Serviços de Alimentação e Bebidas na UEM - União Económica e Monetária

Leia mais

Seminário. 12 novembro 2013. Iniciativa conjunta INE LNEC

Seminário. 12 novembro 2013. Iniciativa conjunta INE LNEC Seminário 12 novembro 2013 Iniciativa conjunta INE LNEC Casa própria ou arrendamento perfil da ocupação residencial emportugal Bárbara Veloso INE 12 novembro 2013 Iniciativa conjunta INE LNEC Sumário Aumentaram

Leia mais

Representatividade das MPEs:

Representatividade das MPEs: Representatividade das MPEs: Número de Estabelecimentos Empresarias e Mercado de Trabalho 1 CONTEXTO DAS MPES NO ESTADO DA BAHIA: Estabelecimentos empresariais MPEs: O estado da Bahia possui 174.067 estabelecimentos

Leia mais

Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde Estatísticas do Turismo Movimentação de Hóspedes 1º Tr. 2015

Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde Estatísticas do Turismo Movimentação de Hóspedes 1º Tr. 2015 1 FICHA TÉCNICA Presidente António dos Reis Duarte Editor Instituto Nacional de Estatística Direcção de Método e Gestão de Informação Serviço de Conjuntura Direcção de Contas Nacionais, Estatísticas Económicas

Leia mais

O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2005

O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2005 O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2005 Elaborado por: Maria Julieta Martins Coordenado por: Teresinha Duarte Direcção de Serviços de Estudos e Estratégia Turísticos Divisão de Recolha e Análise Estatística Índice

Leia mais

Breve análise de caracterização sociodemográfica do distrito de Braga

Breve análise de caracterização sociodemográfica do distrito de Braga Breve análise de caracterização sociodemográfica do distrito de Braga Outubro de 2014 Regina Alves Socióloga Outubro 2014 Página 1 Índice Introdução... 3 1. Caracterização demográfica da população do distrito

Leia mais

Distribuição Regional dos Programas Sociais do Governo Federal

Distribuição Regional dos Programas Sociais do Governo Federal Distribuição Regional dos Programas Sociais do Governo Federal Tabela 1 Valor e participação percentual dos componentes da massa salarial ampliada Discriminação Partic. (%) R$ bilhões 24 28 24 28 Massa

Leia mais

Portugal: crescimento moderado, mas estável, no 3T14

Portugal: crescimento moderado, mas estável, no 3T14 out 1 ANÁLISE MACROECONÓMICA Portugal: crescimento moderado, mas estável, no 3T1 Miguel Jiménez / Agustín García / Diego Torres / Massimo Trento / Pablo Budde / Ana María Almeida Claudino O modelo MICA-BBVA

Leia mais

Maio 2004. São Paulo. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE

Maio 2004. São Paulo. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Pesquisa Mensal de Emprego Maio 2004 Região Metropolitana de São Paulo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE 1 I) INTRODUÇÃO PESQUISA MENSAL DE EMPREGO ESTIMATIVAS PARA O MÊS DE MAIO DE

Leia mais

TAXA DE OCUPAÇÃO HOTELEIRA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO

TAXA DE OCUPAÇÃO HOTELEIRA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO TAXA DE OCUPAÇÃO HOTELEIRA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO Levantamento da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis Rio de Janeiro, em parceria com a Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro Junho

Leia mais

CENSOS 2011: Parque habitacional (Resultados pré-provisórios)

CENSOS 2011: Parque habitacional (Resultados pré-provisórios) 08 de novembro de 2011 Censos 2011 21 de março de 2011 CENSOS 2011: Parque habitacional (Resultados pré-provisórios) Dada a importância que o tema reveste, no quadro da preparação dos resultados provisórios

Leia mais

Relatório Mercatto OABPREV RJ Fundo Multimercado

Relatório Mercatto OABPREV RJ Fundo Multimercado Relatório Mercatto OABPREV RJ Fundo Multimercado Abril/11 Sumário 1. Características do Fundo Política de Gestão Objetivo do Fundo Público Alvo Informações Diversas Patrimônio Líquido 2. Medidas Quantitativas

Leia mais

CABO VERDE INQUÉRITO

CABO VERDE INQUÉRITO INSTITUTO NACIONAL DE ESTAT TISTICA CABO VERDE INQUÉRITO DE CONJUNTURA Folha de Informação Rápida SÍNTESE ECONÓMICA 1º Trimestree 2012 Abril 2012 Ficha Técnica Presidente António Duarte Editor Instituto

Leia mais

ASSOCIAÇÃO HUMANITÁRIA DOS BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DE SANTA MARINHA DO ZÊZERE (FUNDADA EM 20 DE OUTUBRO DE 1988) APARTADO 11 4640 SANTA MARINHA DO

ASSOCIAÇÃO HUMANITÁRIA DOS BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DE SANTA MARINHA DO ZÊZERE (FUNDADA EM 20 DE OUTUBRO DE 1988) APARTADO 11 4640 SANTA MARINHA DO ASSOCIAÇÃO HUMANITÁRIA DOS BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DE SANTA MARINHA DO ZÊZERE (FUNDADA EM 20 DE OUTUBRO DE 1988) APARTADO 11 4640 SANTA MARINHA DO ZÊZERE RELATÓRIO E CONTAS No cumprimento das disposições

Leia mais

Prefeitura de Juiz de Fora Secretaria de Turismo, Indústria e Comércio

Prefeitura de Juiz de Fora Secretaria de Turismo, Indústria e Comércio Prefeitura de Juiz de Fora Secretaria de Turismo, Indústria e Comércio LEVANTAMENTO DE INDICADORES DE DESENVOLVIMENTO DA ATIVIDADE TURÍSTICA DE JUIZ DE FORA Agosto 28 o n d e emp r e g o s g e r a d o

Leia mais

Obras licenciadas e concluídas continuaram a diminuir

Obras licenciadas e concluídas continuaram a diminuir 14 de junho de 2013 Construção: Obras licenciadas e concluídas 1º Trimestre de 2013- Dados preliminares Obras licenciadas e concluídas continuaram a diminuir No 1º trimestre de 2013 foram licenciados 4,3

Leia mais

Boletim eletrônico trimestral sobre a participação das mulheres no mercado de trabalho a partir dos dados da - Pesquisa Mensal de Emprego do IBGE -

Boletim eletrônico trimestral sobre a participação das mulheres no mercado de trabalho a partir dos dados da - Pesquisa Mensal de Emprego do IBGE - Boletim eletrônico trimestral sobre a participação das mulheres no mercado de trabalho a partir dos dados da - Pesquisa Mensal de Emprego do IBGE - Elaboração: (SPM), Fundo de Desenvolvimento das Nações

Leia mais

Taxa de desemprego estimada em 11,9%

Taxa de desemprego estimada em 11,9% 4 de novembro de 215 Estatísticas do Emprego 3.º trimestre de 215 Taxa de desemprego estimada em 11,9% A taxa de desemprego no 3.º trimestre de 215 foi de 11,9%. Este valor é igual ao do trimestre anterior

Leia mais