MANUAL DO CANDIDATO VESTIBULAR 1º SEMESTRE DE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MANUAL DO CANDIDATO VESTIBULAR 1º SEMESTRE DE"

Transcrição

1 MANUAL DO CANDIDATO VESTIBULAR 1º SEMESTRE DE 2015

2 APRESENTAÇÃO Obrigado por participar do Processo Seletivo da UMC! país. A UMC é, com orgulho, uma das melhores universidades particulares do É um prazer para nós tê-lo(a) conosco. Este Manual do Candidato contém informações úteis e importantes referente ao Processo Seletivo.

3 ÍNDICE Processo Seletivo...3 Forma de Seleção...3 ENEM...4 Pontuação e Classificação...4 Empates...5 Reopção...5 Inscrição...5 Taxa de Inscrição...5 Locais e Horários de Inscrição...6 Inscrição via Internet...6 Inscrição Medicina...6 Inscrição Presencial...7 Necessidades Especiais...7 Prova...7 Segurança...8 Conteúdo Programático...9 Matrícula...22 Documentos para Matrícula Contrato de Prestação de Serviços Educacionais...22 Cursos...23 Cursos Campus Mogi das Cruzes...23 Cursos Campus Villa-Lobos/Lapa...25

4 PROCESSO SELETIVO 1º SEMESTRE DE 2015 Os candidatos participantes do Processo Seletivo da UMC 1º Semestre de 2015 deverão atender às seguintes condições: a) Ter concluído o Ensino Médio ou equivalente legal; b) Estar em vias de concluir o Ensino Médio ou equivalente legal. Neste caso, o candidato deverá concluí-lo até a data da matrícula, sob pena de se considerar nula, para todos os efeitos, sua eventual classificação para o curso escolhido; c) Estar cursando a 1ª ou 2ª série do Ensino Médio ou equivalente legal. Neste caso, o candidato não concorrerá às vagas oferecidas e será considerado "treineiro", sendo classificado em separado. OBSERVAÇÃO: Ao assinar o requerimento de inscrição, o candidato estará assumindo a responsabilidade legal pelo atendimento das condições estabelecidas, pela veracidade das informações fornecidas e aceitando as normas que regem o Processo Seletivo, constantes neste manual e no Edital do Processo Seletivo, disponível nos campi da UMC e publicado no site da UMC No caso da inscrição feita pela internet, será considerado o preenchimento da ficha eletrônica como o ato que leva o candidato a assumir tais responsabilidades, pois somente este detém o conhecimento das informações necessárias ao preenchimento da ficha. FORMA DE SELEÇÃO O Processo Seletivo da UMC Universidade de Mogi das Cruzes será unificado para os campi Mogi das Cruzes e Villa-Lobos/Lapa, utilizando-se dois critérios distintos e independentes, com períodos específicos para cada um deles. I Processo de Seleção Continuada Prova Eletrônica, com exceção do curso de Medicina. II Processo de Seleção Convencional Prova Convencional Nos dois critérios, o Processo Seletivo será composto por dois instrumentos de avaliação, exceto para o curso de Medicina Campus Mogi, que terá um terceiro instrumento. São eles: Prova Objetiva: contendo 20 questões, haverá cinco questões para cada uma das seguintes matrizes de referência: Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, Ciência da Natureza e suas Tecnologias, Ciências Humanas e suas Tecnologias e Matemática e suas Tecnologias. Redação: feita de próprio punho, a partir de tema apresentado na folha de questões. 3

5 Para os candidatos ao curso de Medicina, haverá uma terceira prova: Prova Discursiva: contendo 09 questões dissertativas, sendo três questões de cada uma das seguintes disciplinas: Química, Física e Biologia. ENEM Medicina Não é utilizada a pontuação do ENEM Exame Nacional do Ensino Médio. Demais Cursos O candidato que prestou o ENEM Exame Nacional do Ensino Médio e é portador do Boletim Individual de Desempenho, com nota igual ou superior a 450 (quatrocentos e cinquenta), equivalente a 45% (quarenta e cinco por cento) da Nota da Redação e da Prova Objetiva, poderá apresentá-lo, podendo assim, ser dispensado de prestar o Processo Seletivo UMC 2015/1. Serão aceitos os resultados do ENEM do período de 2012 a Obs.: Caso, por qualquer razão, as notas do ENEM 2014 não sejam divulgadas dentro do prazo estipulado, o candidato terá que realizar integralmente o Processo Seletivo da UMC. PROCESSO SELETIVO I Processo de Seleção Continuada Prova Eletrônica Neste Processo serão ofertadas 100% das vagas em um primeiro momento e vagas remanescentes em outros momentos, com exceção do curso de Medicina Campus Mogi da Cruzes. Os exames serão compostos por Prova Objetiva e Redação. II Processo Seletivo Convencional Prova Convencional Neste Processo será oferecida a totalidade das vagas ao curso de Medicina (Campus Mogi) e as vagas remanescentes para os Demais Cursos. Nota: Caso existam vagas remanescentes nos dois critérios de Processos Seletivos, outros poderão ser realizados por agendamento individual (Prova Eletrônica) e por meio do Processo Seletivo Convencional. Essas vagas serão oferecidas até o término do Processo Seletivo, para ingresso no 1º Semestre de PONTUAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO A pontuação corresponderá à soma dos pontos obtidos na Prova Objetiva (100 pontos), na Redação (100 pontos) e, quando do curso de Medicina (Campus Mogi), na Prova Discursiva (90 pontos). Dessa forma, a 4

6 máxima pontuação será de 290 pontos para o curso de Medicina e 200 pontos para os demais cursos. A classificação dos candidatos será feita por curso e obedecerá à ordem decrescente dos pontos obtidos. EMPATES Em caso de empate, prevalecerão, sucessivamente, para efeito de classificação, os pontos obtidos na seguinte ordem: 1º) maior número de pontos na Prova Discursiva 2º) maior número de pontos na Redação. 3º) maior número de pontos na Prova Objetiva. 4º) prevalecendo o empate, será aplicado o critério de idade, dando-se preferência ao candidato de maior idade. REOPÇÃO O candidato classificado e não convocado para a matrícula no curso e Campus escolhidos poderá optar por outro curso, desde que este possua vagas remanescentes. Para isso, o interessado deverá comparecer ao Atendimento Integrado e solicitar a reopção. Observando rigorosamente a classificação inicial, a UMC reclassificará os candidatos interessados no curso, em ordem decrescente de pontuação. Para tanto, chamará candidatos em número suficiente para preencher as vagas remanescentes. Todo candidato convocado em reopção e que tenha se matriculado no curso com vagas remanescentes, se vier a ser chamado para vaga no curso de sua escolha, poderá transferir a sua matrícula. Para tanto, basta comparecer ao Atendimento Integrado para regularizar essa nova situação acadêmica e efetuar os acertos financeiros necessários. INSCRIÇÃO É de responsabilidade exclusiva do candidato indicar, na ficha de inscrição, uma única opção de curso e o Campus onde este será ministrado. O candidato não classificado em um dos critérios poderá participar de outros processos, desde que existam vagas sendo oferecidas no curso pretendido. Nesse caso, o candidato deverá entrar em contato com o Setor de Vestibular para revalidar a sua inscrição ou pelo telefone (ligação gratuita). TAXA DE INSCRIÇÃO Os valores das Taxas de Inscrição são os seguintes: Candidatos ao curso de Medicina R$220,00. Candidatos aos Demais Cursos Processo Seletivo Convencional - Campus Mogi das Cruzes e Campus Villa-Lobos/Lapa R$25,00. Candidatos aos Demais Cursos Processo de Seleção Continuada - Campus Mogi das Cruzes e Campus Villa-Lobos/Lapa Isento. 5

7 Obs. Caso o pagamento do boleto (taxa de inscrição) não seja feito até a data do vencimento, o candidato poderá emitir outro boleto com uma nova data de vencimento. Esse procedimento poderá ser realizado pelo site até a data limite para a inscrição. Os candidatos que não efetuarem o pagamento da taxa de inscrição não poderão realizar as provas. A taxa de inscrição não será devolvida para os candidatos reprovados e ausentes em qualquer uma das provas, que compõem este Processo Seletivo. Os candidatos ausentes poderão participar de outra prova deste mesmo Processo Seletivo sem necessidade de pagamento de nova taxa de inscrição, devendo para tanto, apresentar o comprovante de pagamento devidamente quitado e preencher uma nova ficha de inscrição. LOCAIS E HORÁRIOS DE INSCRIÇÃO Campus Mogi das Cruzes Av. Dr. Cândido Xavier de Almeida Souza, 200, Centro Cívico, Mogi das Cruzes, SP. Campus Villa-Lobos/Lapa Av. Imperatriz Leopoldina, 550, Vila Leopoldina, São Paulo, SP Horário De segunda a sexta-feira das 8h às 21h. Sábado das 8h00 às 12h. (*) As inscrições também podem ser feitas pela Internet (**) Com exceção do curso de Medicina, todos os outros podem também fazer inscrição pelo telefone INSCRIÇÃO VIA INTERNET Para efetuar a inscrição pela INTERNET, o candidato deverá acessar seguir as instruções apresentadas, pagar o boleto em qualquer agência bancária até a data de vencimento e aguardar o recebimento do com a confirmação da inscrição. O candidato também receberá outro informando a sala e o prédio onde serão realizadas as provas. MEDICINA (CAMPUS MOGI) VIA INTERNET Preencher a ficha de inscrição via internet, preencher o questionário socioeconômico, conferir os dados informados, gerar e imprimir o boleto. Pagá-lo em qualquer agência bancária até a data de vencimento e aguardar o recebimento do com a confirmação da inscrição. Deve ainda enviar duas fotos 3X4, coloridas, recentes e com datas para o Setor de Vestibular (Av. Dr. Cândido Xavier de Almeida Souza, 200, Centro 6

8 Cívico, Mogi das Cruzes, SP, CEP ), escrevendo no verso da foto o nome completo e o número de inscrição do candidato. O candidato também receberá outro informando a sala e o prédio onde serão realizadas as provas. INSCRIÇÃO PRESENCIAL: O candidato que fizer a inscrição presencialmente deverá: a) apresentar documento de identificação e CPF; b) entregar a ficha de inscrição devidamente preenchida e assinada; c) preencher o questionário socioeconômico; d) entregar procuração assinada pelo candidato, em caso de a inscrição ser efetuada por terceiro; e) entregar solicitação de condições especiais para realizar a prova, se for o caso. f) No caso de inscrição para o curso de Medicina, os candidatos deverão entregar também duas fotos 3X4, coloridas, recentes e com data. NECESSIDADES ESPECIAIS Caso você necessite de alguma condição especial ou atendimento diferenciado por motivo religioso para realizar as provas, envie para informando e solicitando tal condição. Essa solicitação será analisada pelo Setor de Vestibular, desde que enviada dentro do período de inscrição, podendo ser deferida ou indeferida. PROVA O candidato deverá realizar a prova no Campus onde o curso será ministrado. Entretanto, caso tenha necessidade, ele poderá fazer em campi diferente, bastando comunicar ao Setor de Vestibular com antecedência de pelo menos três dias. (*) As provas para o curso de Medicina serão realizadas somente no Campus Mogi das Cruzes. Será desclassificado o candidato que incorrer em alguma das situações: - Ausentar-se em qualquer uma das provas; - Tiver pontuação igual ou inferior a quinze (15) pontos na Prova Discursiva; - Tiver pontuação igual ou inferior a quinze (15) pontos na Prova de Redação e/ou na Prova Objetiva; - Retirar-se da sala de provas com a folha de respostas de qualquer prova; - Utilizar, comprovadamente, métodos fraudulentos na inscrição ou na realização das provas, neste caso, ficará sujeito às penas previstas no Código Penal. ATENÇÃO: 7

9 SEGURANÇA Em hipótese alguma haverá vista, revisão ou segunda chamada de qualquer uma das provas, nem mesmo recontagem de pontos. O tempo mínimo de permanência do candidato na sala de exames será de 1h, exceto para o curso de Medicina que será no mínimo 1h30 depois do início da prova, neste caso, não será permitido levar o caderno de questões. O caderno de questões da Medicina poderá ser levado pelos candidatos que encerrarem a prova após 2h do início da prova. Não será permitida na sala de prova a posse, por parte do candidato, de calculadora, telefone celular, MP3, 4, Ipod, relógio com calculadora, fone de ouvido, chapéu, boné ou quaisquer outros materiais que não sejam: documento de identificação, lápis, borracha e caneta. A UMC não se responsabilizará pelo extravio de qualquer tipo de pertence dos candidatos. Com o objetivo de garantir idoneidade e segurança ao Processo Seletivo a UMC poderá: Coletar a impressão digital de todos os candidatos. Fotografar individualmente todos os candidatos. Filmar todos os candidatos. 8

10 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DA PROVA 1 LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS 1.1 REDAÇÃO A prova de Redação é elaborada para avaliar a capacidade de expressar-se com clareza, organizar ideias, analisar fatos e dados, sustentar argumentações, interpretar textos de diferentes gêneros, formular hipóteses e estabelecer relações. Em conjunto com prova de língua portuguesa e literaturas, possui o objetivo de avaliar se o candidato consegue identificar, analisar e empregar os mais variados recursos de expressão linguística, bem como se conhece alguns dos elementos mais representativos das literaturas em língua portuguesa. Para que um texto seja bem sucedido em seus propósitos, o autor deve ter uma experiência de leitura e delinear um projeto em função de um ou mais objetivos específicos, que deverão ser atingidos por meio da formulação escrita. A avaliação de uma redação precisa, nesse sentido, levar conta as condições que determinam a sua produção: as propriedades do gênero, os participantes da interlocução, o propósito (tendo em vista o tema, a motivação e as instruções), a leitura e a articulação entre as partes do texto. Assim, o candidato deve, no desenvolvimento, atender a requerimentos relacionados: 1) ao gênero e à interlocução: o texto elaborado pelo candidato em cada uma das tarefas deve ser representativo do gênero solicitado e considerar os interlocutores nele implicados. 2) ao propósito: o candidato deve cumprir o propósito da tarefa que está sendo solicitada, observando o tema, a motivação e as instruções de elaboração do texto. 3) à leitura: é esperado que o candidato estabeleça pontos de contato com o(s) texto(s) fornecido(s) em cada tarefa. Ele deve mostrar a relevância desses pontos para o seu projeto de escrita e não simplesmente reproduzir o(s) texto(s) ou partes do(s) mesmo(s) em forma de colagem. 4) à articulação escrita: os textos produzidos pelo candidato devem propiciar uma leitura fluida e envolvente, mostrando uma articulação sintático-semântica ancorada no emprego adequado de elementos coesivos e de outros recursos necessários à organização dos enunciados. O candidato também deve demonstrar ter habilidade na seleção de itens lexicais apropriados ao estilo dos gêneros solicitados e no emprego de regras gramaticais e ortográficas que atendem à modalidade culta da língua. A produção textual será avaliada com base nos seguintes critérios: 1- Domínio da norma culta da língua portuguesa: Neste quesito, espera-se o reconhecimento do registro linguístico adequado ao tipo de texto solicitado na proposta, ou seja, a norma culta da Língua Portuguesa. Termos coloquiais como gírias, abreviações e vícios de linguagem serão considerados na avaliação, uma vez que 9

11 inadequados a uma situação formal, exceto se estiverem sinalizados (com aspas, por exemplo). Em suma, o candidato deve demonstrar conhecimento das convenções da escrita, utilizando-se de seus recursos, sem desvios gramaticais. 2- Compreensão da proposta de redação e domínio do tipo de texto solicitado: O candidato deve apresentar compreensão do tema proposto, encadeando informações e articulando diferentes perspectivas em defesa de seu ponto de vista, sem quebrar a continuidade temática e sempre dentro dos limites estruturais do texto dissertativo/argumentativo: introdução, desenvolvimento e conclusão. Caso o tema não seja considerado, a pontuação é zero somente neste quesito, portanto, segue-se normalmente com a avaliação dos demais. 3- Seleção, organização e construção de argumentos em defesa do ponto de vista sobre o tema proposto: O candidato deve dispor de informações, fatos e opiniões relacionados ao tema proposto, organizando-os e relacionando-os de forma consistente e coerente. Espera-se, na construção de um bom texto, o uso de ao menos três argumentos. Quanto à conclusão, vale frisar que nesta é válida uma intervenção social sobre a problemática dada no tema, apontando soluções que mostrem consciência em relação à cidadania e respeito aos valores humanos. 4- Emprego de mecanismos linguísticos necessários à construção da argumentação: coerência (continuidade temática e consistência dos argumentos), coesão (sinônimos, uso de retomadas e conectivos textuais, tempos verbais, sequência temporal etc.): Neste quesito, avalia-se o desenvolvimento do candidato em relação às partes do texto, ou seja, o uso correto dos recursos coesivos, a fim de que se construa uma estrutura textual com amarrações, sequência temporal e sentido. A fuga do assunto, a ambiguidade de ideias (exceto se justificada e utilizada como recurso comparativo), dados inventivos, entre outros, afetam a consistência dos argumentos e evidenciam, assim, a incoerência, pois dificultam o entendimento do leitor e o confundem. O mau uso ou o não uso dos conectivos textuais (mas, porém, entretanto...) também afeta a compreensão do texto, além de desestruturá-lo. 5- Utilização adequada das marcas de segmentação textual: título, paragrafação, pontuação e outros sinais gráficos. Aqui é avaliado o uso dos sinais de pontuação que estruturam o texto, como ponto final, aspas, dois pontos, vírgulas, além de parágrafos e aplicação do título. É importante ressaltar que o título não é o mesmo que tema: o primeiro é dado pelo produtor do texto e o segundo é o assunto a ser abordado, dado na proposta de redação. A ausência ou o uso do tema como título acarreta na pontuação mínima neste critério. 10

12 1.2 LÍNGUA PORTUGUESA E LITERATURA A prova de Língua Portuguesa procura avaliar a capacidade do candidato em analisar a forma e o sentido das estruturas linguísticas, bem como se ele é capaz de perceber a adequação dessas estruturas a diferentes normas de uso, entre as quais se inclui a chamada norma padrão. Pressupõe-se que a análise descontextualizada de frases e palavras ou a simples memorização de regras sobre o que se considera certo ou errado no uso linguístico não revela se o candidato consegue lidar produtivamente com os fatos da linguagem oral e escrita. Para ter sucesso no exercício de profissões dentro das mais diferentes áreas de conhecimento, é necessário saber reconhecer e empregar os mais variados recursos de expressão oferecidos pela língua, sem perder de vista a pluralidade de normas que caracteriza as variedades do português. O vestibulando deverá, portanto, demonstrar ser capaz de analisar a língua em suas diversas modalidades, identificando recursos elaborados em diferentes níveis (fonológico, morfológico, sintático, semântico, lexical) na organização de enunciados e na composição de textos. O desenvolvimento dessa análise pressupõe: 1. Leitura O vestibulando deverá ler (interpretar) textos redigidos em português e ser capaz de reconhecer marcas linguísticas que permitem caracterizar um determinado texto como dissertativo, narrativo, poético, técnico, político, religioso, científico, jornalístico, comercial etc., depreendendo os efeitos desencadeados por essas marcas. 2. Formulação escrita Na sua escrita, o candidato deverá demonstrar consistência argumentativa e domínio de recursos que sirvam à clara exposição de ideias, através de descrições, explicações, análises, comentários, exemplificações, justificativas, comparações, sugestões etc. Espera-se que, ao elaborar um resumo, o candidato seja capaz de selecionar as informações relevantes e organizá-las de acordo com a sua importância dentro de um texto, bem como conhecer formas alternativas de expressão necessárias à elaboração de uma paráfrase. 3. Observação de fatos e dados da língua O candidato deve ser capaz de analisar fatos relacionados à forma e ao sentido das estruturas linguísticas, reconhecendo elementos lexicais, gramaticais e semânticos que entram em jogo na constituição dos enunciados. Também deve ser capaz de caracterizar essas estruturas quanto à sua maior ou menor adequação a diferentes normas linguísticas e dinâmicas de interlocução. 11

13 Programa Morfologia: as classes de palavras e suas características. Processos de formação de palavras. Sintaxe. O período simples. O período composto. O emprego do pronome, do artigo, do verbo. Concordância verbal e concordância nominal. Regência verbal e nominal. Crase. Colocação de pronomes oblíquos e átonos. Estilística. Figuras de linguagem. Noções de versificação. Pontuação. Ortografia. Acentuação. Verbos. Conjugação. Emprego de tempos e modos. Verbos impessoais. Literatura Portuguesa: 1. Trovadorismo. 2. Humanismo: Gil Vicente. 3. Classicismo: Camões. 4. Barroco: Padre Antônio Vieira. 5. Arcadismo: Bocage. 6. Romantismo: Almeida Garrett, Alexandre Herculano e Camilo Castelo Branco. 7. Realismo: Eça de Queirós. 8. Simbolismo: Camilo Pessanha. 9. Modernismo: Mário de Sá Carneiro, Fernando Pessoa e José Saramago. Literatura Brasileira: 1. Barroco: Gregório de Matos. 2. Arcadismo: Cláudio Manuel da Costa e Tomás Antônio Gonzaga. 3. Romantismo: Gonçalves Dias, Álvares de Azevedo, Castro Alves, José de Alencar, Manuel Antônio de Almeida, Visconde de Taunay e Martins Pena. 4. Realismo Naturalismo: Machado de Assis, Aluísio Azevedo e Raul Pompeia. 5. Parnasianismo Simbolismo: Olavo Bilac e Raimundo Correia; Cruz e Souza e Alphonsus de Guimaraens. 6. Pré-modernismo: Lima Barreto, Euclides da Cunha e Monteiro Lobato. 7. Modernismo: Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Alcântara Machado, Manuel Bandeira, José Lins do Rego, Graciliano Ramos, Jorge Amado, Clarice Lispector, Érico Veríssimo, Cyro dos Anjos, Carlos Drummond de Andrade, Cecília Meireles, Murilo Mendes, Vínícius de Moraes, Jorge de Lima, João Guimarães Rosa, Pedro Nava, Rubem Braga, Fernando Sabino, João Cabral de Melo Neto e Nélson Rodrigues. 8. Tendências contemporâneas: João Ubaldo Ribeiro, Rubem Fonseca, Dalton Trevisan, Ferreira Gullar e Chico Buarque de Holanda. 1.3 LÍNGUA INGLESA As questões de Língua Inglesa procuram avaliar a habilidade de leitura do candidato em diferentes níveis de compreensão. Para tanto, propõe-se a leitura de textos originais não simplificados, extraídos de jornais e revistas internacionalmente conhecidos, visando à compreensão geral, seleção das ideias principais e identificação de detalhes relevantes para o sentido global do texto. O entendimento do texto é, portanto, a medida do conhecimento lingüístico, lexical e estrutural, do candidato. Destacam-se, estrategicamente, itens lingüísticos importantes para a compreensão de leitura: coesão textual, identificação de cognatos, formação de palavras, elementos de referência e 12

14 dêiticos. Assim, procura-se aferir até que ponto o candidato consegue articular o seu conhecimento sistêmico acerca da língua inglesa com outros tipos de conhecimentos (sobre questões postas no mundo, sobre as diferentes formas de organização textual, sobre as marcas discursivas na linguagem, sobre a função de gráficos, de tabelas, de ilustrações, etc.) de modo a construir um significado plausível e crítico para o que lê. Dentre as competências específicas avaliadas, destacam-se as capacidades de: mobilizar conhecimentos prévios (linguísticos, textuais, discursivos e de mundo) no ato da leitura de um texto; recuperar a situação de produção de um texto; localizar e interpretar informações em um texto; sintetizar a idéia principal de um texto; distinguir e interpretar segmentos do texto que veiculam pontos de vista e/ou julgamentos de valor; localizar e interpretar argumentos e contra-argumentos inseridos em textos opinativos; perceber subentendidos, ironias e jogos de palavras; reconhecer relações ou contradições entre textos; conjugar a leitura de texto verbal e não verbal; comparar informações em diferentes linguagens e utilizar o contexto e pistas textuais para inferir significados aproximados mas pertinentes a palavras e expressões desconhecidas. 2 CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS 2.1 ATUALIDADES É fundamental a compreensão da evolução da História como um processo em constante transformação e não apenas como uma série de acontecimentos e fatos que se sucedem linearmente no tempo e no espaço. Cada realidade histórica tem sua lógica interna, a qual devemos conhecer para que nos façam sentido suas práticas, costumes, condições e transformações às quais foram ou estão sendo submetidas ao ritmo alucinante dos tempos de hoje. Assim, a prova de Atualidades tem por objetivo avaliar o nível de informação, interesse e capacidade crítica do candidato sobre os fatos e acontecimentos relevantes que compõem a complexidade da atualidade mundial e, especialmente, brasileira. 2.2 HISTÓRIA A prova de História busca avaliar o domínio de habilidades e competências específicas dessa disciplina. Entre as competências e habilidades que a prova de História pretende avaliar, merecem destaque: compreender textos escritos a partir dos quais se possa refletir sobre os diferentes contextos em que são produzidos, os diferentes objetivos e 13

15 Programa sujeitos envolvidos em sua produção, as categorias e procedimentos próprios do discurso historiográfico; perceber e expressar as especificidades de cada período histórico, bem como estabelecer relações de causalidade, continuidade ou ruptura, sucessão ou simultaneidade nos processos históricos; utilizar os conceitos de maneira pertinente, compreendendo a sua especificidade e a sua capacidade de ordenar informações relativas a um conteúdo. realizar operações de análise, como estabelecer relações entre o passado e problemáticas do presente, ou comparações entre diferentes situações e processos históricos. Evolução da antiguidade clássica. Idade Média e mundo feudal. Baixa Idade Média e origem do capitalismo. Idade Moderna e época da Renascença. Era das Revoluções: Independência dos EUA e a Revolução Francesa. Independência dos países da América Latina. Neocolonialismo e Guerras Mundiais. Temas históricos da atualidade História do Brasil. Expansão marítima e ciclo das navegações. Política colonial e ocupação territorial. Crise colonial e inconfidências. Processo de emancipação política. Período regencial do império. Segundo Império: Político e Sociedade. Economia do café e República. Temas históricos atuais. O surgimento do Estado e as formas de poder político na antiguidade. As relações entre as antigas civilizações: guerra, conquista e comércio. Economia, trabalho e organização social no mundo antigo. O lugar da religião, da arte e da cultura nas sociedades antigas. A desagregação do Império Romano do Ocidente: crise social e movimentos migratórios; formação e desenvolvimento do feudalismo europeu; o comércio e a vida urbana. A Igreja no ocidente medieval: poder político e imaginário cristão; organização social, arte e cultura; fé e razão no pensamento medieval. As relações entre o ocidente medieval, o império bizantino e o mundo árabe. A crise do feudalismo e as origens do capitalismo na Europa Ocidental. A crise do pensamento medieval: Renascimento e Reforma; seus fundamentos artísticos, científicos e religiosos; conflitos culturais e religiosos. O pensamento moderno: Maquiavel, Hobbes e o poder do Estado; racionalismo cartesiano e empirismo inglês. O Estado Moderno: a formação das monarquias nacionais, o absolutismo e o mercantilismo. Expansão marítima européia; descobrimentos e choques culturais; formação dos impérios coloniais na África, no oriente e nas Américas; a conquista da América; a economia e sociedade coloniais. A contestação do absolutismo, o Liberalismo, o Iluminismo e as revoluções burguesas. A crise dos impérios coloniais e a formação dos Estados-nações nas Américas; cultura e identidades nacionais; guerra civil e conflitos regionais. A consolidação do Estado burguês; nacionalismo e revoluções no século XIX. As transformações do mundo do trabalho: a formação do sistema fabril e do trabalhador assalariado; industrialização e urbanização; as doutrinas socialistas; a crise do escravismo; as migrações em massa; movimento operário, partidos e sindicatos. Cientificismo e positivismo no século XIX. O imperialismo europeu; expansão industrial e nova partilha colonial; a queda do Império Otomano; a Primeira Guerra Mundial. A reorganização do Estado no Brasil: desenvolvimento econômico e poder 14

16 político; crise do Império; desequilíbrios regionais; federalismo e poder local; tensões sociais no início da República; cultura operária, cultura popular e movimentos sociais. Vanguardas artísticas no Brasil e na Europa. As revoluções socialistas no século XX: Rússia, China, Cuba. A crise do liberalismo político e econômico após 1929; regimes ditatoriais e democracias na Europa e nas Américas. Totalitarismos. O desenvolvimento do populismo, do trabalhismo e do nacional-desenvolvimentismo. A Segunda Guerra Mundial e a formação de um mundo polarizado; comunismo, anticomunismo e socialdemocracia; a guerra fria e as zonas de tensão internacional; o fim do colonialismo europeu. Populismos na América Latina. Cultura e heranças indígenas, africanas e européias na formação da sociedade brasileira. Cultura de massas e movimentos alternativos; o pós-modernismo. Militarismo, ditaduras e redemocratizações na América Latina. O fim dos regimes comunistas na Europa e a nova ordem mundial. Origens históricas dos conflitos no Oriente Médio. A criação de Israel e a questão palestina. Transformações no mundo árabe. 2.3 GEOGRAFIA As questões envolvendo a disciplina de Geografia procuram avaliar em que medida o candidato tem uma visão integrada na abordagem da natureza e da sociedade, dado que o espaço geográfico é fruto desta interação. A visão global da realidade, considerada importante, não deverá comprometer o conhecimento de seus aspectos mais específicos, que podem explicar as diferenciações regionais ou locais. Para tanto, espera-se que o candidato seja capaz de compreender a espacialização dos fenômenos a partir da interpretação de textos, gráficos, tabelas, cartogramas e mapas, ou seja, que revele capacidade para utilizar os instrumentos que a geografia dispõe para compreender e interpretar o mundo. Programa Geografia física: Universo. A evolução da Terra. O relevo terrestre. Geografia humana: população, qualificação e composição. Relação população/fontes e tipos de ocupação. Distribuição populacional. Os deslocamentos populacionais intercontinentais e interpaíses. Modelos de desenvolvimento. Os megablocos econômicos. Processos de urbanização nos países desenvolvidos, subdesenvolvidos e suas relações com a industrialização. Recursos naturais. Espaço brasileiro: situação geográfica e espaço natural. Clima. Vegetação. Hidrografia. O modelo de desenvolvimento. Diferenciação regional. Deslocamentos populacionais. Regiões expulsoras e receptoras de mão-deobra. O problema da utilização dos recursos naturais. O Brasil no Mercosul. Agricultura. Pecuária. Fontes de energia. Vazios demográficos. A região Centro-Oeste: aspectos físicos, humanos e econômicos. Projeções Cartográficas. Fuso Horário. Escala. Cartografia e novas tecnologias (sensoriamento remoto). Dinâmicas geológica, geomorfológica e pedológica. Dinâmica atmosférica, a zonalidade climática e os tipos de tempo associados. Oceanos e mares. Domínios morfoclimáticos. Bacias hidrográficas. Domínios da vegetação. Recursos naturais. Riscos ambientais. Interferência do Homem na dinâmica dos processos naturais. Áreas de risco e ocupação humana. 15

17 Gestão pública dos recursos naturais. A inserção do Brasil no diálogo internacional sobre meio ambiente. As escalas de análise geográficas e sua articulação. A organização político- territorial em escala mundial. Globalização e regionalização mundial (África, América, Ásia, Europa, Oceania). Geopolítica e geoeconomia mundial: poder estatal, militar e econômico. Conflitos territoriais, étnicos, militares, ambientais e econômicos. Evolução das trocas internacionais e especialização do comércio internacional. Organizações multilaterais, regionais e a ONGs internacionais. A população no mundo: conceitos e evolução demográfica, movimentos populacionais e estrutura populacional. A urbanização mundial, as cidades globais e megacidades: condições de vida nas cidades e estruturação urbana. Os circuitos da produção mundial: indústria e agropecuária. Globalização financeira e produtiva e a divisão territorial do trabalho e da produção. Movimentos sociais mundiais e as populações tradicionais. A dimensão cultural na globalização. Geografia das redes: fluxos materiais e imateriais na globalização. O meio ambiente e os recursos naturais nas relações internacionais. Apropriação, ocupação e produção territorial do Brasil: gênese, consolidação e dinâmica territorial. Conceitos chaves: território, espaço, paisagem, região e lugar. O Brasil e sua inserção no sistema-mundo. A organização político territorial do Brasil e políticas territoriais. Divisão regional no Brasil. Economia e território: industrialização e terciarização. Agropecuária no Brasil. Urbanização e estrutura urbana: redes, hierarquias e análise intra-urbana. Infra-estrutura produtiva: energia, telecomunicações, transportes. Movimentos sociais no campo e nas cidades. Política externa brasileira e a inserção do Estado brasileiro em organizações Supranacionais. Questão ambiental no Brasil. O homem como ser social. A inserção em grupos sociais: família, escola, vizinhança, trabalho. Relações e interações sociais. Etnias; classes sociais; gênero; geração. A população brasileira: diversidade nacional e regional. O estrangeiro do ponto de vista sociológico. Migração, emigração e imigração; aculturação e assimilação. Diversidade e identidade cultural no Brasil. Cultura e comunicação de massa: música, televisão, internet, cinema, artes, literatura. Desenvolvimento, mercado de trabalho, emprego e renda. Divisão social do trabalho. Processo de trabalho e relações de trabalho. Transformações no mundo do trabalho. Emprego e desemprego na atualidade. Segregação socioespacial e violência no Brasil. Violências simbólicas, físicas e psicológicas. Reprodução da violência e da desigualdade social. Razões para a violência. Sociedade no Brasil: cidadania e democracia. Direitos civis, direitos políticos, direitos sociais e direitos humanos. Formas de participação popular na história do Brasil. Movimentos sociais contemporâneos. Estado e governo. Sistemas de governo. Organização dos poderes: Executivo, Legislativo e Judiciário. Eleições e partidos políticos. 3 MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS As questões de Matemática procuram identificar nos candidatos um conhecimento crítico e integrado da Matemática do ensino fundamental e do ensino médio. A leitura atenta dos enunciados das questões, a formulação correta dos problemas matemáticos associados, a elaboração cuidadosa dos cálculos, o uso correto das unidades, a escolha da resposta correta ou a 16

18 apresentação de respostas claras são procedimentos mínimos e indispensáveis para que o candidato seja bem sucedido. O candidato deve estar familiarizado com a nomenclatura e os símbolos matemáticos usuais. Exige-se do candidato que saiba resolver problemas matemáticos relacionados ao seu cotidiano, bem como interpretar e elaborar tabelas e gráficos, além de responder questões que tratam de forma mais abstrata o conhecimento matemático. Em geral, as questões não exigem a repetição de demonstrações de teoremas clássicos, embora o conhecimento das definições e a compreensão dos principais teoremas sejam de fundamental importância para um bom desempenho do candidato. Programa Equações e inequações. Análise combinatória. Polinômios e equações algébricas. Progressões: aritmética e geométrica. Conjuntos numéricos: representação de conjuntos, subconjuntos, união e interseção de conjuntos, números naturais e inteiros: operações fundamentais, números primos, fatoração, número de divisores, máximo divisor comum e mínimo múltiplo comum, sistema de numeração na base 10 e em outras bases, números reais (racionais e irracionais): operações, módulo, desigualdades, representação decimal, sequências numéricas, progressões aritmética e geométrica, números complexos: operações, módulo, representação geométrica Funções e gráficos, a função linear ou afim y = ax + b e seu gráfico, a função quadrática y = ax2 + bx + c e seu gráfico, as funções, e e seus gráficos, equações e inequações envolvendo funções, translação e reflexão de funções, composição de funções, função inversa Polinômios com coeficientes reais, operações com polinômios, raízes reais e complexas de equações polinomiais, fatoração e multiplicidade de raízes, teorema fundamental da álgebra, relações de Girard, contagem e probabilidade, princípios de contagem: inclusãoexclusão e multiplicativo, arranjos, combinações e permutações, espaço amostral e o conceito de probabilidade, probabilidade da união e da interseção de eventos, probabilidade condicional e binômio de Newton e suas aplicações. Sistemas lineares: matrizes e suas operações básicas (adição, multiplicação por escalar, transposição, produto), inversa de uma matriz, determinante de uma matriz, resolução e discussão de sistemas lineares, representação matricial, escalonamento. Geometria plana: congruência de figuras geométricas, congruência de triângulos, paralelas e transversais, teorema de Tales, semelhança de triângulos, triângulos retângulos, teorema de Pitágoras, relações métricas nos triângulos, quadriláteros notáveis, polígonos regulares, circunferências e círculos, perímetro, área e inscrição e circunscrição. Geometria espacial: paralelismo e perpendicularidade entre retas e planos, poliedros, prismas e pirâmides, áreas e volumes, troncos, cilindros, cones e esferas, áreas e volumes, troncos e inscrição e circunscrição de sólidos. Trigonometria: medidas de ângulos, graus e radianos, funções trigonométricas e seus gráficos, arcos notáveis, identidades trigonométricas fundamentais, transformações trigonométricas, equações e inequações trigonométricas e lei dos senos e lei dos cossenos. Geometria analítica: coordenadas no plano, distância entre dois pontos do plano, alinhamento de três pontos, equação da reta no plano, interseções de retas no plano, paralelismo e perpendicularismo, 17

19 ângulo entre duas retas, distância de um ponto a uma reta do plano e área de um triângulo, equação da circunferência, determinação de circunferências, reta e circunferência: posição relativa, e elipse, hipérbole e parábola e seus gráficos. Logaritmos e exponenciais: potências: definição e propriedades, a função exponencial e seu gráfico, logaritmos: definição e propriedades, a função logarítmica e seus gráficos, e equações e inequações logarítmicas e exponenciais. 4 CIÊNCIAS DA NATUREZA E SUAS TECNOLOGIAS 4.1 FÍSICA As questões de Física procuram apresentar aos candidatos problemas que envolvam capacidade de raciocínio com menor ou maior grau de manipulação matemática e graus de dificuldade, mas que privilegiem um leitor atento, familiarizado com os conceitos básicos de Física contidos no programa abaixo, que seja capaz de estabelecer relações a partir da interpretação dos dados e elaborar as hipóteses adequadas ao contexto, bem como de representação gráfica de grandezas físicas. Programa Descrição de movimento: cinemática, Movimento uniforme, Movimento uniformemente variado. Plano inclinado. Trabalho. Componentes da força resultante. Potência mecânica. Colisão. Interação de blocos e cordas. Termologia. Acústica. Eletrodinâmica. Fundamentos da Física: grandezas físicas e suas medidas, relações matemáticas entre grandezas escalares e vetoriais, representação gráfica de uma relação funcional entre duas grandezas e estimativa de valores. Mecânica: cinemática do movimento em uma e duas dimensões, leis de Newton, força de atrito, peso de um corpo e aceleração da gravidade, momento de uma força ou torque. Equilíbrio estático e dinâmico e lei da gravitação universal de Newton e sua verificação experimental, sistema solar, leis de Kepler, quantidade de movimento (momento linear): variação e conservação, trabalho e energia cinética. Energia potencial elástica e gravitacional, potência e hidrostática. Calorimetria e termodinâmica: temperatura e equilíbrio térmico, primeira Lei zero da Termodinâmica, trocas de calor e propriedades térmicas da matéria, Gases perfeitos, trabalho realizado por um gás em expansão e transições de fase, calor latente. Óptica e ondas: espelhos planos e esféricos, dispersão da luz, índice de refração, leis da refração, reflexão total, prismas, lentes e instrumentos ópticos, óptica da visão, pulsos, ondas planas e ondas esféricas, velocidade de propagação, difração, interferência e polarização, ondas sonoras e caráter ondulatório da luz e espectro eletromagnético. Eletricidade e magnetismo: campos e forças eletromagnéticas, potencial eletrostático e diferença de potencial, capacitores, dielétricos e associação em série e em paralelo, corrente elétrica, resistores e associação em série e em paralelo, leis de Kirchhoff, força eletromotriz e potência elétrica, campo magnético gerado por correntes e por ímãs, lei de Ampère: fio retilíneo e solenóide, força sobre carga elétrica em movimento na presença de campo magnético e indução eletromagnética: fluxo magnético e a lei de indução de Faraday, lei de Lenz. Noções de física moderna: átomo: 18

20 emissão e absorção de radiação, núcleo atômico e radioatividade, partículas elementares e propriedades Físicas da matéria. 4.2 QUÍMICA O programa de Química deve ser visto como uma forma do candidato desenvolver sua capacidade de observar e descrever fenômenos, de utilizar modelos para interpretar esses fenômenos, de usar aparelhagem básica no manuseio de materiais para obter outros materiais ou para obter informações a respeito de uma transformação. Essas capacidades são os meios que possibilitam ao candidato perceber a relevância dos conhecimentos de Química relativos ao desenvolvimento científico e tecnológico, assim como seu impacto na interação do homem com a natureza e sobre a sociedade contemporânea e seu desenvolvimento. Programa Introdução ao estudo da química. Número de oxidação. Reações químicas. Funções inorgânicas. Determinação de fórmulas. Classificação das substâncias e estados físicos da matéria. Leis das combinações químicas. Cálculo estequiométrico. Estudos das soluções. Cinética química. Termoquímica. Equilíbrio químico. Hidrólise. Propriedades dos átomos de carbono. Sinopse das funções orgânicas. Os orbitais híbridos. Isomeria (plana, geométrica e espacial). Reações orgânicas. Animais e aminoácidos. Materiais: ocorrência na natureza, processos de purificação, caracterização e identificação de substâncias, mudanças de estado, símbolos e fórmulas na representação de átomos, moléculas e íons, massas atômicas, massas molares e quantidade de substância. Gases: equação geral dos gases ideais, leis de Boyle e de Gay- Lussac, princípio de Avogadro e energia cinética média, misturas gasosas, pressão parcial e a lei de Dalton e difusão gasosa, noções de gases reais e liquefação. Líquidos e sólidos: caracterização dos estados líquido e sólido e pressão de vapor, líquidos (soluções) eletrolíticos e não eletrolíticos: ionização (dissociação), condutibilidade elétrica e propriedades coligativas, expressões de concentração: porcentagem, fração em massa, fração em mol, massa/volume, mol/volume, mol/quilograma e o estado coloidal. Estrutura atômica e classificação periódica: Subpartículas atômicas, níveis de energia e distribuição eletrônica, número atômico, número de massa, isótopos, energia de ionização, afinidade eletrônica e eletronegatividade, correlações entre propriedades das substâncias químicas e posição dos elementos na classificação periódica e radioatividade, radioisótopos: equações químicas e cinética de decaimento. Ligação química: modelo iônico, covalente e metálico, ligação química e as propriedades das substâncias; polaridade (restrito a moléculas mais simples como: água, dióxido de carbono, amônia, cloreto de sódio, metano, etc.) e interações intermoleculares: Ligações de Van der Waals e Ligação de hidrogênio. Transformações dos materiais: conservação de átomos e de cargas nas reações químicas e cálculos estequiométricos: relações ponderais e volumétricas nas reações químicas. Cinética química: reações químicas e colisões efetivas, velocidade de reação e energia de ativação, efeito do estado de agregação, da concentração, da pressão, da temperatura, e do catalisador na rapidez das transformações das substâncias. Energia nas reações químicas: reações exotérmicas e 19

estibular: (45) 3220-4224 unioeste.br/vestibular

estibular: (45) 3220-4224 unioeste.br/vestibular estibular: (45) 3220-4224 unioeste.br/vestibular SUMÁRIO SUMÁRIO... 2 ADMINISTRAÇÃO SUPERIOR... 4 DIRETORIA DE CONCURSO VESTIBULAR... 5 INSCRIÇÃO... 6 Aba nº 1 Informações Pessoais... 6 Aba nº 2 Endereçamento

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ COMISSÃO CENTRAL DO VESTIBULAR UNIFICADO PEN PRÓ-REITORIA DE ENSINO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ COMISSÃO CENTRAL DO VESTIBULAR UNIFICADO PEN PRÓ-REITORIA DE ENSINO UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ COMISSÃO CENTRAL DO VESTIBULAR UNIFICADO PEN PRÓ-REITORIA DE ENSINO PROGRAMA DAS PROVAS www.pas.uem.br PROCESSO DE AVALIAÇÃO SERIADA DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

Leia mais

ATUALIZAÇÃO DA PROPOSTA DE CURRÍCULO POR COMPETÊNCIA PARA O ENSINO MÉDIO DO CENTRO PAULA SOUZA

ATUALIZAÇÃO DA PROPOSTA DE CURRÍCULO POR COMPETÊNCIA PARA O ENSINO MÉDIO DO CENTRO PAULA SOUZA 2012 ATUALIZAÇÃO DA PROPOSTA DE CURRÍCULO POR COMPETÊNCIA PARA O ENSINO MÉDIO DO CENTRO PAULA SOUZA ATUALIZAÇÃO DA PROPOSTA DE CURRÍCULO POR COMPETÊNCIA PARA O ENSINO MÉDIO DEZ/2011 2 CENTRO ESTADUAL DE

Leia mais

MANUAL DO CANDIDATO: PROCESSO SELETIVO 2015-2

MANUAL DO CANDIDATO: PROCESSO SELETIVO 2015-2 MANUAL DO CANDIDATO: PROCESSO SELETIVO 2015-2 VAGAS PROCESSO SELETIVO 2015-2 CURSO GRAU TURNO GRUPO* VAGAS TOTAIS M1 M2 M3 M4 M5 ITUIUTABA (MG) - CAMPUS PONTAL Engenharia de Produção Bacharelado Integral

Leia mais

8. ENSINO FUNDAMENTAL

8. ENSINO FUNDAMENTAL 8. ENSINO FUNDAMENTAL 8.1 ORGANIZAÇÃO DO ENSINO FUNDAMENTAL A legislação educacional brasileira define que o ensino fundamental, com duração de oito anos, é de freqüência obrigatória e oferta gratuita

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BARREIRAS - BA

PREFEITURA MUNICIPAL DE BARREIRAS - BA 1 PREFEITURA MUNICIPAL DE BARREIRAS - BA PROCESSO SELETIVO PÚBLICO Edital Nº 001/2014, de 03 de fevereiro de 2014. A COMISSÃO ESPECIAL e PERMANENTE do CONCURSO PÚBLICO, de acordo com as atribuições que

Leia mais

PROGRAMA DE FÍSICA E QUÍMICA A 10.º e 11.º anos

PROGRAMA DE FÍSICA E QUÍMICA A 10.º e 11.º anos PROGRAMA DE FÍSICA E QUÍMICA A 10.º e 11.º anos Curso científico-humanístico de Ciências e Tecnologias Coordenadores Carlos Fiolhais (coordenação científica) Isabel Festas e Helena Damião (coordenação

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE RIO GRANDE DA SERRA EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO 01/2015

PREFEITURA MUNICIPAL DE RIO GRANDE DA SERRA EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO 01/2015 PREFEITURA MUNICIPAL DE RIO GRANDE DA SERRA EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO 01/2015 1. A PREFEITURA MUNICIPAL DE RIO GRANDE DA SERRA torna pública a abertura de inscrições para Concurso Público, objetivando

Leia mais

Equipe Técnica Diretoria de Avaliação da Educação Básica Daeb. Revisão Externa Universidade de Brasília Centro de Seleção e Promoção de Eventos Cespe

Equipe Técnica Diretoria de Avaliação da Educação Básica Daeb. Revisão Externa Universidade de Brasília Centro de Seleção e Promoção de Eventos Cespe Brasília-DF 2013 Equipe Técnica Diretoria de Avaliação da Educação Básica Daeb Revisão Externa Universidade de Brasília Centro de Seleção e Promoção de Eventos Cespe Equipe de Editoração Diretoria de Estudos

Leia mais

Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação PERFIL PROFISSIONAL DE CONCLUSÃO

Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação PERFIL PROFISSIONAL DE CONCLUSÃO Administração Central Unidade do Ensino Médio e Técnico GFAC Grupo de Formulação e Análises Curriculares Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação CAPÍTULO 3 PERFIL PROFISSIONAL DE CONCLUSÃO 3ª SÉRIE

Leia mais

PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS INTRODUÇÃO AOS PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS

PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS INTRODUÇÃO AOS PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS INTRODUÇÃO AOS PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS Secretaria de Educação Fundamental Iara Glória Areias Prado Departamento de Política da Educação Fundamental Virgínia

Leia mais

ESTADO DO PIAUI PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPO MAIOR

ESTADO DO PIAUI PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPO MAIOR CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº 001/2011 de 1º de Dezembro de 2011 O Município de Campo Maior, Estado do Piauí, no uso de suas atribuições legais, faz saber que realizará através da Associação Piauiense de

Leia mais

UnB 2011/1-2º dia - Caderno Fractal

UnB 2011/1-2º dia - Caderno Fractal UnB 0/ - º dia - Caderno Fractal PARTE III O mundo que nos cerca é caótico, mas podemos tentar limitá-lo no computador A geometria fractal é uma imagem muito versátil que nos ajuda a lidar com os fenômenos

Leia mais

EDITAL Nº 10/2013 IFPR DA BASE LEGAL

EDITAL Nº 10/2013 IFPR DA BASE LEGAL EDITAL Nº 10/2013 IFPR O MAGNÍFICO REITOR DO INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ - IFPR, nomeado pelo Decreto da Presidência da República de 13 de Junho de 2011, publicado no D.O.U. de 14 de junho de 2011, no

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ Comissão Central do Vestibular Unificado Presidente Maria Raquel Marçal Natali Mauro Luciano Baesso Reitor Júlio César Damasceno Vice-Reitor Membros Cecília Alexandre de

Leia mais

Conselho Regional de Farmácia Estado do Amazonas

Conselho Regional de Farmácia Estado do Amazonas EDITAL CONCURSO PÚBLICO N 001/2015 O Conselho Regional de Farmácia (CRF), do, no uso de suas atribuições legais e tendo em vista o disposto no artigo 37, inciso II, da Constituição Federal, resolve tornar

Leia mais

Equipe de Gestores. Colaborador. Cargo. E-mail paulogoncalves@fasam.edu.br italocastro@fasam.edu.br. Diretor-Geral Diretor Administrativo e Financeiro

Equipe de Gestores. Colaborador. Cargo. E-mail paulogoncalves@fasam.edu.br italocastro@fasam.edu.br. Diretor-Geral Diretor Administrativo e Financeiro Apresentação Com o intuito de interagir alunos e administração, a Faculdade Sul-Americana preparou este Manual do Aluno da Fasam, contendo o informações importantes sobre a Faculdade, procedimentos administrativos

Leia mais

PROGRAMA DE INTEGRAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL À EDUCAÇÃO BÁSICA NA MODALIDADE DE JOVENS E ADULTOS PROEJA CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA

PROGRAMA DE INTEGRAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL À EDUCAÇÃO BÁSICA NA MODALIDADE DE JOVENS E ADULTOS PROEJA CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SÃO VICENTE DO SUL UNIDADE DESCENTRALIZADA DE JÚLIO DE CASTILHOS DIRETORIA DE ENSINO DEPARTAMENTO DE ENSINO MÉDIO E TÉCNICO PROGRAMA DE INTEGRAÇÃO DA EDUCAÇÃO

Leia mais

2º Bimestre. Disciplina: INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO

2º Bimestre. Disciplina: INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS DIRETORIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA EM PRODUÇÃO DE MODA CAMPUS V - DIVINÓPOLIS CURSO TÉCNICO EM PRODUÇÃO

Leia mais

Curso Intensivo Pré-Vestibular UFPB 2012. Campus I (João Pessoa) Geografia. Thiago Pontes / Almir Jr. / Caio Almeida / Maurílio Silva

Curso Intensivo Pré-Vestibular UFPB 2012. Campus I (João Pessoa) Geografia. Thiago Pontes / Almir Jr. / Caio Almeida / Maurílio Silva P á g i n a 126 Curso Intensivo Pré-Vestibular UFPB 2012 Campus I (João Pessoa) Geografia Thiago Pontes / Almir Jr. / Caio Almeida / Maurílio Silva Professor Responsável: Prof. Dr. Luiz de Sousa Jr. (Chefe

Leia mais

ESTADO DO MARANHÃO PREFEITURA MUNICIPAL DE TUTÓIA Praça Getúlio Vargas, 61/Centro 65.580-000 CNPJ 06.218.572/0001-28

ESTADO DO MARANHÃO PREFEITURA MUNICIPAL DE TUTÓIA Praça Getúlio Vargas, 61/Centro 65.580-000 CNPJ 06.218.572/0001-28 Praça Getúlio Vargas, 61/Centro 65.580000 CNPJ 06.218.572/000128 EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO N.º 001/2015 Dispõe sobre Concurso Público para cargos da Administração Pública Municipal e dá outras providências.

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE DEPARTAMENTO DE PROJETOS DA PAISAGEM PROJETO DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES

SECRETARIA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE DEPARTAMENTO DE PROJETOS DA PAISAGEM PROJETO DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES SECRETARIA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE DEPARTAMENTO DE PROJETOS DA PAISAGEM PROJETO DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES Currso:: Gesttão de Prrojjettos APOSTIILA maio, 2006 Introdução Conseguir terminar o

Leia mais

Matriz dos Objetos de Avaliação do Programa de Avaliação Seriada

Matriz dos Objetos de Avaliação do Programa de Avaliação Seriada Matriz dos Objetos de Avaliação do Programa de Avaliação Seriada O Programa de Avaliação Seriada PAS é uma modalidade de ingresso existente na Universidade de Brasília desde 1996. O PAS/UnB realiza um

Leia mais

REICE. Revista Iberoamericana sobre Calidad, Eficacia y Cambio en Educación E-ISSN: 1696-4713 RINACE@uam.es

REICE. Revista Iberoamericana sobre Calidad, Eficacia y Cambio en Educación E-ISSN: 1696-4713 RINACE@uam.es REICE. Revista Iberoamericana sobre Calidad, Eficacia y Cambio en Educación E-ISSN: 1696-4713 RINACE@uam.es Red Iberoamericana de Investigación Sobre Cambio y Eficacia Escolar España Soares, José Francisco

Leia mais

PROCESSO SELETIVO EFOMM 2009 INSTRUÇÕES AO CANDIDATO (INCA) ATENÇÃO

PROCESSO SELETIVO EFOMM 2009 INSTRUÇÕES AO CANDIDATO (INCA) ATENÇÃO PROCESSO SELETIVO EFOMM 2009 INSTRUÇÕES AO CANDIDATO (INCA) ATENÇÃO O PROCESSO SELETIVO DE ADMISSÃO ÀS ESCOLAS DE FORMAÇÃO DE OFICIAIS DA MARINHA MERCANTE DO CENTRO DE INSTRUÇÃO ALMIRANTE GRAÇA ARANHA

Leia mais

PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS APRESENTAÇÃO DOS TEMAS TRANSVERSAIS ÉTICA

PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS APRESENTAÇÃO DOS TEMAS TRANSVERSAIS ÉTICA PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS APRESENTAÇÃO DOS TEMAS TRANSVERSAIS ÉTICA Secretaria de Educação Fundamental Iara Glória Areias Prado Departamento de Política da Educação Fundamental Virgínia Zélia de

Leia mais

Introdução ------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- 7

Introdução ------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- 7 Introdução ------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- 7 O quadro atual ---------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Proposta de Reformulação do Projeto Pedagógico do Curso Técnico em Informática Integrado ao Ensino Médio

Proposta de Reformulação do Projeto Pedagógico do Curso Técnico em Informática Integrado ao Ensino Médio GOVERNO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA-SETEC INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TOCANTINS CAMPUS ARAGUAÍNA Proposta de Reformulação

Leia mais

Qualidade do ensino: uma nova dimensão da luta pelo direito à educação *

Qualidade do ensino: uma nova dimensão da luta pelo direito à educação * Qualidade do ensino Qualidade do ensino: uma nova dimensão da luta pelo direito à educação * Romualdo Portela de Oliveira Universidade de São Paulo, Faculdade de Educação Gilda Cardoso de Araujo Universidade

Leia mais

REGIMENTO INTERNO FACULDADE

REGIMENTO INTERNO FACULDADE 2014 REGIMENTO INTERNO FACULDADE Este é o Regimento Interno em vigor, e tem como objetivo normatizar e disciplinar o funcionamento da FACULDADE DE ECONOMIA E FINANÇAS IBMEC - RJ. SUMÁRIO TÍTULO I... 7

Leia mais