PONTO 1: Formas de Provimento PONTO 2: Formas de Vacância 1. FORMAS DE PROVIMENTO DE CARGO: READAPTAÇÃO: Art. 24 da Lei 8.112/90.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PONTO 1: Formas de Provimento PONTO 2: Formas de Vacância 1. FORMAS DE PROVIMENTO DE CARGO: READAPTAÇÃO: Art. 24 da Lei 8.112/90."

Transcrição

1 1 DIREITO ADMINISTRATIVO PONTO 1: Formas de Provimento PONTO 2: Formas de Vacância 1. FORMAS DE PROVIMENTO DE CARGO: READAPTAÇÃO: Art. 24 da Lei 8.112/90. Readaptação envolve a troca de cargo, sem concurso público, do servidor que teve diminuída a sua capacidade de trabalho. A readaptação, assim como a promoção, é forma de provimento e vacância ao mesmo tempo. A readaptação pode ser a pedido ou de ofício. Quanto a remuneração, o servidor poderá sofrer prejuízo em virtude da diminuição de vencimentos? SIM, nos termos do próprio artigo 24 da Lei 8.112/90, pois o que não poderá ser reduzido são os vencimentos, mas nada impede que seja diminuída a sua remuneração. No caso do exemplo, ele sairá da área de execução de mandados e servirá na área judiciária, percebendo remuneração menor. E se não houver a vaga? Ele ficará na condição de EXCEDENTE, nos termos do artigo 24, 2º, do Estatuto, que não se confunde com colocação em disponibilidade. Assim, ele fica como excedente, ou seja, trabalhando no local e recebendo remuneração pela nova condição. Após a vacância, será dado provimento ao cargo, pois é necessária a vacância pra ele entrar oficialmente no cargo. Na esfera federal, a lei não fala nada em estabilidade, motivo pelo qual a readaptação pode ser concedida tanto para servidor estável como não estável. já na esfera estadual, deve ser estável. DIFERENÇA ENTRE DISPOSIÇÃO, EM DISPONIBILIDADE E EXCEDENTE: À disposição: é o mais comum e ocorre quando o sujeito não é bem quisto no local. Assim, os recursos humanos irão colocar em outra repartição. Aqui ele recebe o pagamento integral de sua atividade até que sua situação seja resolvida. Em disponibilidade: fica em casa aguardando, recebendo proporcionalmente, e volta pela porta do aproveitamento, que é forma de provimento. Excedente: fica trabalhando no local, com a remuneração da nova função, e haverá provimento a partir do momento que houver vacância no setor. O tempo na condição de excedente conta como tempo de efetivo exercício, pois embora tal possibilidade não esteja prevista expressamente no artigo 102 da Lei 8.112/90, nada impede esta hipótese. PROMOÇÃO: É forma de provimento de vacância ao mesmo tempo, sendo que não há dispositivo expresso na lei sobre este ponto, só o rol.

2 2 REVERSÃO: pode ser de duas espécies: a) De ofício (obrigatória): Ex: O servidor ficou doente e saiu de licença (art. 202), a qual poderá durar 24 meses. Ao final dos 2 anos, ele é avaliado e verifica-se que ele não está bom ainda. O que se faz? Ele será aposentado por invalidez (mesmo que faltem 8 meses, por exemplo, para melhorar), gerando vacância no cargo, nos termos do artigo 33 da Lei 8.112/90. Posteriormente, superando a invalidez, o servidor necessariamente volta ao cargo pela reversão obrigatória, sendo que deverá voltar para o seu antigo cargo, eis que não pode haver a reversão para ser readaptado. Dessa forma, o Prof. entende que a invalidez não pode permanecer nem de forma parcial, devendo ser totalmente superada. Se quando ele voltar o cargo já tiver sido ocupado, ele ficará na condição de excedente, ou seja, ficará trabalhando. b) A pedido (voluntária): Ex: sujeito que se aposenta voluntariamente, mas resolve voltar ao trabalho. Deverá, nesta hipótese, preencher os seguintes requisitos: * Ser estável no momento da aposentadoria; * Não estar aposentado a mais de 5 anos. * Além do aposentado querer voltar, a Administração deve querê-lo de volta: é o encontro de vontades; * Deve haver cargo vago, necessariamente, pois o sujeito não poderá ficar na condição de excedente. REINTEGRAÇÃO: Art. 28. A reintegração é a volta do servidor estável que foi demitido injustamente. Dessa forma, um servidor que é exonerado durante o estágio probatório e entra no judiciário, que anula a exoneração e ordena a volta do servidor ao cargo, não será reintegrado, eis que não houve demissão (mas sim exoneração) e ele não era estável (estava em estágio probatório). Na prática, o efeito será o mesmo, mas não é possível afirmar que ele foi reintegrado. Além disso, não há nome para isso, sendo resolvido o problema pela teoria geral dos atos administrativos, ou seja, pela anulação do ato, com efeitos ex tunc. A reintegração pode se dar tanto por decisão judicial como decisão administrativa, nos termos do artigo 28 do estatuto. Na hipótese de voltar para o serviço, o servidor receberá o valor correspondente a todo o tempo (através de precatório), bem como contará como tempo de efetivo exercício e promoção por antiguidade, mas não contará o prazo para promoção por merecimento (que exige produtividade).

3 Quando o servidor voltar pela reintegração, ele volta para o seu cargo, salvo na hipótese de seu cargo ter sido extinto, hipótese na qual ele ficará em disponibilidade, nos termos do 2º, voltando pelo aproveitamento. O servidor não é estável no cargo, mas sim no serviço público. Contudo, ele volta para o cargo, e quem está lá tem que sair (isso porque quando ele foi demitido houve a vacância no cargo, nos termos do artigo 33 da Lei 8.112/90). RECONDUÇÃO Art. 29 Inciso I: É o retorno do servidor ESTÁVEL para o cargo anteriormente ocupado em virtude de não aprovação em estágio probatório relativo a outro cargo. Ex: analista do TRF que passa no concurso para Procurador da Fazenda e, no momento da posse, diz que tem cargo no TRF, que deverá declarar e, por ser não acumulável, deverá se desvincular. O servidor poderá chutar o balde e se exonerar, mas se não passar no estágio probatório no novo cargo, ficará desempregado, pois não poderá voltar em virtude da exoneração. Isso seria totalmente equivocado, pois há um jeito de sair do TRF deixando a porta entreaberta : ele poderá declarar a posse em outro cargo inacumulável, desvinculando-se do TRF. Assim, na hipótese de ser reprovado no estágio probatório para Procurador da Fazenda Nacional, haverá a recondução, que é justamente o retorno do servidor estável para o cargo anteriormente ocupado em virtude de não aprovação em estágio relativo a outro cargo. Passando no concurso de Procurador da Fazenda Nacional, no momento da estabilização do servidor, a posse em cargo inacumulável transforma-se em exoneração. No caso do servidor ser demitido no estágio probatório de procurador da fazenda, ele não poderá usar a recondução, pois esta serve para o servidor estável inabilitado no estágio probatório (e não demitido), sendo que inabilitação significa falta de habilidade e falta de aptidão, mas não condutas passíveis de demissão. E se no estágio probatório no concurso da fazenda nacional o próprio servidor se exonerar durante o processo, ele pode voltar pela recondução? Pela literalidade da lei, tal hipótese não te cabimento, eis que não se enquadra no caso artigo 29 da lei 8.112/90, contudo a questão chegou até o STF que firmou entendimento no sentido da possibilidade, eis que não haveria qualquer sentido nisso, pois aí o servidor que fez tudo errado, não possui aptidão e foi reprovado poderia usar a recondução, ao contrário daquele que é ótimo, fez tudo certo, mas não quer mais, não poderia voltar pela recondução, não haveria qualquer sentido. Precedentes: STF, MS e MS EMENTA: MANDADO DE SEGURANÇA VISANDO A ASSEGURAR A REALIZAÇÃO DE DILIGÊNCIAS DE NATUREZA PROBATÓRIA EM PROCESSO INSTAURADO COM VISTA À CASSAÇÃO DE MANDATO. Interesse que se esfumou, com a ultimação do processo, na realização das providências tidas por incabíveis quando da apreciação da medida liminar requerida. Mandado de segurança prejudicado (julgado em 14/06/2000). 3

4 EMENTA: Estágio probatório. Funcionário estável da Imprensa Nacional admitido, por concurso público, ao cargo de Agente de Polícia do Distrito Federal. Natureza, inerente ao estágio, de complemento do processo seletivo, sendo, igualmente, sua finalidade a de aferir a adaptabilidade do servidor ao desempenho de suas novas funções. Conseqüente possibilidade, durante o seu curso, de desistência do estágio, com retorno ao cargo de origem (art. 20, 2º, da Lei nº ). Inocorrência de ofensa ao princípio da autonomia das Unidades da Federação, por ser mantida pela União a Polícia Civil do Distrito Federal (Constituição, art. 21, XIV). Mandado de segurança deferido (julgado em 26/06/1998). Inciso II: reintegração do anterior ocupante. O servidor demitido gera vacância. Posteriormente, o servidor demitido é reintegrado, por decisão administrativa ou judicial que anula a demissão, devendo retornar ao seu antigo cargo e quem o ocupa deve sair do mesmo. Quem sai, justamente para a entrada do servidor reintegrado, sairá pela recondução, sendo reconduzido para cargo equivalente, ou seja, para o mesmo cargo que estava. Inexistindo vaga para tanto, ele será posto em disponibilidade e, posteriormente, voltará pelo aproveitamento. Se não tiver estabilidade, ou seja, se há a reintegração e o servidor que estava ali em seu lugar não é estável ainda? Exemplo do caso do primeiro colocado no concurso, que assume justamente no lugar do servidor demitido que depois é reintegrado. Ele será exonerado? Claro que não, eis que nesta hipótese o primeiro colocado (ou perto disso) ficaria prejudicado, pois os aprovados em colocação muito pior ficarão bem e ele não. A lei não prevê este caso, ou seja, silencia, mas nesta hipótese não haverá recondução, pois para recondução é necessária a estabilidade (e ele ainda está no estágio probatório), mas, em contrapartida, a Administração dará uma nova vaga para ele. É assim que funciona na prática. APROVEITAMENTO: Aproveito é o retorno do servidor em disponibilidade para o cargo anteriormente ocupado, sendo que esta forma de provimento de cargo resulta da soma dos artigos 30, 31 e 32 da Lei 8.112/90. Enquanto o servidor estiver em disponibilidade, ele fica em casa e percebendo remuneração proporcional (contabilizando o prazo na forma do artigo 103 da Lei /90), eis que só não está trabalhando porque a Administração ainda não o inseriu em alguma repartição. Quando voltar, voltará pelo aproveitamento. No caso de ser ordenada a volta do servidor pelo aproveitamento, mas este não entrar em exercício no prazo de 15 dias, haverá a cassação da disponibilidade, que é, na verdade, a demissão do servidor em disponibilidade com outro nome. Esta cassação de disponibilidade não é forma de vacância de cargo, pois embora seja punição e esteja no artigo 127 do estatuto, não está no artigo 33, mas apenas no artigo 32 da lei 8.112/90. Da mesma forma será cassada a disponibilidade do servidor que está nesta condição e, por exemplo, roubou enquanto estava no exercício de suas funções. Ele não poderá ser demitido, pois está em disponibilidade, mas poderá haver a cassação de sua disponibilidade, que é a demissão do servidor em disponibilidade com outro nome. 4

5 5 2. FORMAS DE VACÂNCIA DE CARGO: Art. 33 da Lei 8.112/90 EXONERAÇÃO: é hipótese de vacância, mas jamais de punição, pois não está no artigo 127 da Lei 8.112/90 (acima). Hipóteses de exoneração: a) Exoneração do servidor em estágio probatório: a.1) Quando ele não quer mais continuar, ou seja, basta ele pedir, pois é voluntária: será exonerado. a.2) Reprovação no estágio probatório: será exonerado. a.3) Extinção do cargo durante o estágio probatório: será exonerado. a.4) Corte de gastos: será exonerado. b) Exoneração do estável: b.1) Voluntária, ou seja, por pedido do próprio servidor; b.2) Avaliação de desempenho do estável com direito a ampla defesa: Art. 41 da CF, que exige LC para a exoneração do estável. b.3) Extinção do cargo: b.4) Corte de gastos: Art. 169 da CF/88. c) Exoneração do cargo de confiança: c.1) Voluntária, ou seja, a pedido do CC; c.2) Quando não o querem mais, por livre exoneração; c.3) Extinção do cargo: o da rua, volta pra rua; o que é de dentro, volta para seu cargo efetivo; c.4) Se praticou ato de corrupção, será destituído após decisão exarada no PAD. Se for um CC de dentro, além de ser destituído do cargo de confiança, será demitido de seu cargo efetivo. Ver 134 e seguintes da Lei 8.112/90. Também será exonerado aquele que passou no estágio probatório, tomou posse dentro de 30 dias, mas não entrou em exercício no prazo de 15 dias.

6 6 Regra geral: quem pede exoneração a recebe. Estatuto; Exceção: respondendo a PAD, não será concedida, nos termos do artigo 172 do Outras exceções: Artigo 95 e 96-A da Lei 8.112/90. Artigos mais importantes da Lei 8.112/90: 1º ao 5º; 8º; 20; 33; 36; 49; 51; 61; 81; 102 e 103; 127 até 142;

Capítulo 12 PROVIMENTO ART. 8º

Capítulo 12 PROVIMENTO ART. 8º PROVIMENTO ART. 8º Capítulo 12 PROVIMENTO ART. 8º Significa o preenchimento de um cargo público, consubstanciado mediante ato administrativo de caráter funcional, pois o ato é que materializa ou formaliza

Leia mais

Provimentos derivados de reingresso Art. 41, 2º e 3º, CF reintegração, recondução e aproveitamento.

Provimentos derivados de reingresso Art. 41, 2º e 3º, CF reintegração, recondução e aproveitamento. Turma e Ano: Direito Público I (2013) Matéria / Aula: Direito Administrativo / Aula 23 Professor: Luiz Jungstedt Monitora: Carolina Meireles (continuação) Provimentos derivados de reingresso Art. 41, 2º

Leia mais

É o retorno do servidor posto em disponibilidade. A disponibilidade não é uma forma de punição, é uma garantia do servidor.

É o retorno do servidor posto em disponibilidade. A disponibilidade não é uma forma de punição, é uma garantia do servidor. Turma e Ano: TJ ANALISTA JUDICIÁRIO e EXECUTANTE (2014) Matéria / Aula: Estatuto dos Servidores / Aula 2 Professor: Marcelo Chaves Monitor: Juliana Louzada FORMAS DE PROVIMENTO: Recondução: Segundo a Constituição,

Leia mais

Estatuto Federal Lei n o 8.112/1990

Estatuto Federal Lei n o 8.112/1990 C a p í t u l o 5 Estatuto Federal Lei n o 8.112/1990 5.1. Cargos Públicos, Provimento e Vacância Questão 1. Questão 2. (Cespe/Analista/Anac/2009) A readaptação, a reversão e a recondução são formas de

Leia mais

Principais diferenças entre CARGO EFETIVO, CARGO EM COMISSÃO e FUNÇÃO DE CONFIANÇA:

Principais diferenças entre CARGO EFETIVO, CARGO EM COMISSÃO e FUNÇÃO DE CONFIANÇA: Prof.: Clayton Furtado LEI 8.112/90 clayton_furtado@yahoo.com.br 1ª AULA 1 - Introdução: a. Histórico: Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA

Leia mais

OAB. Direito Administrativo. Prof. Rodrigo Canda LEI 8.112/90

OAB. Direito Administrativo. Prof. Rodrigo Canda LEI 8.112/90 LEI 8.112/90 Art. 5o São requisitos básicos para investidura em cargo público: I - a nacionalidade brasileira; II - o gozo dos direitos políticos; III - a quitação com as obrigações militares e eleitorais;

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO ESQUEMATIZADO INSS FCC

DIREITO ADMINISTRATIVO ESQUEMATIZADO INSS FCC CARGOS: Técnico do INSS www.beabadoconcurso.com.br TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. - 1 - APOSTILA ESQUEMATIZADA SUMÁRIO UNIDADE 1 Regime Jurídico dos Servidores Públicos Civis da União (Lei n 8.112/90) 1.1

Leia mais

ESTATUTO DOS SERVIDORES PÚBLICOS FEDERAIS LEI 8.112/90. Profª Lana Furtado

ESTATUTO DOS SERVIDORES PÚBLICOS FEDERAIS LEI 8.112/90. Profª Lana Furtado ESTATUTO DOS SERVIDORES PÚBLICOS FEDERAIS LEI 8.112/90 Profª Lana Furtado AGENTES PÚBLICOS: Toda pessoa física que presta serviços ao Estado e às pessoas jurídicas da Administração Indireta, conforme elencado

Leia mais

Apostilas OBJETIVA - Técnico Judiciário Área Administrativa TRE Tribunal Regional Eleitoral Estado do Acre - Concurso Público 2015.

Apostilas OBJETIVA - Técnico Judiciário Área Administrativa TRE Tribunal Regional Eleitoral Estado do Acre - Concurso Público 2015. Índice PG Regime Jurídico dos Servidores Públicos Civis da União (Lei nº 8.112/90 Das disposições preliminares... 02 Provimento, vacância, remoção, redistribuição e substituição... 02 Direitos e vantagens...

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988 Emendas Constitucionais Emendas Constitucionais de Revisão Ato das Disposições

Leia mais

ERRATA SEPLAG/ SEDF PROFESSOR DE EDUCAÇÃO BÁSICA E ORIENTADOR EDUCACIONAL NOÇÕES DE DIREITO ADMINISTRATIVO AUTOR: IVAN LUCAS

ERRATA SEPLAG/ SEDF PROFESSOR DE EDUCAÇÃO BÁSICA E ORIENTADOR EDUCACIONAL NOÇÕES DE DIREITO ADMINISTRATIVO AUTOR: IVAN LUCAS ERRATA SEPLAG/ SEDF PROFESSOR DE EDUCAÇÃO BÁSICA E ORIENTADOR EDUCACIONAL NOÇÕES DE DIREITO ADMINISTRATIVO AUTOR: IVAN LUCAS Na página 115, onde se lê: 31. Pelo menos cinquenta por cento dos cargos em

Leia mais

SERVIDORES PÚBLICOS FEDERAIS Lei nº 8.112/90 Prof. Leandro Cadenas Prado

SERVIDORES PÚBLICOS FEDERAIS Lei nº 8.112/90 Prof. Leandro Cadenas Prado SERVIDORES PÚBLICOS FEDERAIS Lei nº 8.112/90 Prof. Leandro Cadenas Prado Servidores Públicos Federais Lei nº n 8.112/90. 7 Agentes Públicos Espécies - agentes políticos - agentes em delegação - servidores

Leia mais

EXERCÍCIOS PARA FIXAÇÃO EXERCÍCIOS PARTE 1

EXERCÍCIOS PARA FIXAÇÃO EXERCÍCIOS PARTE 1 EXERCÍCIOS PARA FIXAÇÃO EXERCÍCIOS PARTE 1 188- Em relação ao ato de posse do servidor público é falso afirmar que: a) a posse dar-se-á no prazo de 30 dias após a publicação do ato de provimento. b) a

Leia mais

ESTÁGIO PROBATÓRIO DEFINIÇÃO INFORMAÇÕES GERAIS INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDAMENTAÇÃO LEGAL PERGUNTAS FREQUENTES

ESTÁGIO PROBATÓRIO DEFINIÇÃO INFORMAÇÕES GERAIS INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDAMENTAÇÃO LEGAL PERGUNTAS FREQUENTES ESTÁGIO PROBATÓRIO DEFINIÇÃO INFORMAÇÕES GERAIS INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDAMENTAÇÃO LEGAL PERGUNTAS FREQUENTES DEFINIÇÃO Período de avaliação do servidor recém-nomeado para cargo efetivo, correspondente

Leia mais

AULA 02 ROTEIRO CONSTITUIÇÃO FEDERAL ART. 5º; 37-41; 205 214; 227 229 LEI 8.069 DE 13/07/1990 ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE E C A PARTE 02

AULA 02 ROTEIRO CONSTITUIÇÃO FEDERAL ART. 5º; 37-41; 205 214; 227 229 LEI 8.069 DE 13/07/1990 ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE E C A PARTE 02 AULA 02 ROTEIRO CONSTITUIÇÃO FEDERAL ART. 5º; 37-41; 205 214; 227 229 LEI 8.069 DE 13/07/1990 ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE E C A PARTE 02 CAPÍTULO VII DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA SEÇÃO I DISPOSIÇÕES

Leia mais

CARTILHA: DIREITOS E VANTAGENS DOS SERVIDORES PÚBLICOS UNIDADE ADMINISTRATIVO FINANCEIRA - UNAFIN

CARTILHA: DIREITOS E VANTAGENS DOS SERVIDORES PÚBLICOS UNIDADE ADMINISTRATIVO FINANCEIRA - UNAFIN CARTILHA: DIREITOS E VANTAGENS DOS SERVIDORES PÚBLICOS UNIDADE ADMINISTRATIVO FINANCEIRA - UNAFIN 1. Que vantagens além do vencimento podem ser pagas ao servidor? a) indenizações, que não se incorporam

Leia mais

ESTÁGIO PROBATÓRIO. Universidade Federal Fluminense

ESTÁGIO PROBATÓRIO. Universidade Federal Fluminense ESTÁGIO PROBATÓRIO Lei nº 12.772 de 28 de Dezembro de 2012 Dispõe sobre a estruturação do Plano de Carreiras e Cargos do Magistério Federal; - sobre a Carreira do Magistério Superior, de que trata a Lei

Leia mais

DECRETO Nº 1.745, DE 12 DE AGOSTO DE 2009.

DECRETO Nº 1.745, DE 12 DE AGOSTO DE 2009. DECRETO Nº 1.745, DE 12 DE AGOSTO DE 2009. Dispõe sobre os critérios de avaliação de desempenho do servidor público municipal efetivo e estável, para fins das promoções horizontais e verticais, bem como

Leia mais

VACÂNCIA 1. DEFINIÇÃO:

VACÂNCIA 1. DEFINIÇÃO: VACÂNCIA 1. DEFINIÇÃO: 1.1. É o desligamento de cargo público federal efetivo, com a geração de vaga, que possibilita o servidor aprovado em concurso público ser nomeado para outro cargo inacumulável,

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA PROVIMENTO N. 6/2013/CM

ESTADO DE MATO GROSSO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA PROVIMENTO N. 6/2013/CM PROVIMENTO N. 6/2013/CM Revoga o Provimento n. 017/2011/CM e estabelece critérios para a remoção e movimentação interna dos servidores do Poder Judiciário do Estado de Mato Grosso. O EGRÉGIO CONSELHO DA

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONCURSO PÚBLICO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONCURSO PÚBLICO UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONCURSO PÚBLICO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ALCIDES CARNEIRO DIA - 20/12/2009 CARGO: AUXILIAR ADMINISTRATIVO C O N C U R S O P Ú B L I C O - H U A C / 2 0 0 9 HUAC CONHECIMENTOS

Leia mais

LEIS EXTRAVAGANTES DE DIREITO ADMINISTRATIVO

LEIS EXTRAVAGANTES DE DIREITO ADMINISTRATIVO LEIS EXTRAVAGANTES DE DIREITO ADMINISTRATIVO SUMÁRIO UNIDADE 1 Regime Jurídico dos Servidores Públicos Civis da União (Lei n 8.112/90) 1.1 Provimento 1.2 Vacância 1.3 Regime Disciplinar UNIDADE 2 Processo

Leia mais

comissivo praticado no desempenho do cargo ou função, ou fora deles.

comissivo praticado no desempenho do cargo ou função, ou fora deles. Julgue os itens abaixo: 1. É dever do servidor público federal atender com presteza a todas as requisições realizadas pelo contribuinte. 2. É dever do servidor público federal ser leal ao chefe imediato.

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 8.112, DE 11 DE DEZEMBRO DE 1990 Vide texto compilado Mensagem de veto Dispõe sobre o regime jurídico dos servidores públicos

Leia mais

Objetivo das definições: conferir contornos à RFB, definindo o papel do órgão e a sua inserção na Administração Pública Federal.

Objetivo das definições: conferir contornos à RFB, definindo o papel do órgão e a sua inserção na Administração Pública Federal. LEI ORGÂNICA DA RFB Definição: Trata-se de projeto de lei com a finalidade de regulamentar o disposto no art. 50 da Lei nº 11.457, que criou a Receita Federal do Brasil, englobando as atividades da extinta

Leia mais

ORIENTAÇÃO NORMATIVA SRH Nº 2, DE 23 DE FEVEREIRO DE 2011. CAPÍTULO I DO DIREITO E DA CONCESSÃO

ORIENTAÇÃO NORMATIVA SRH Nº 2, DE 23 DE FEVEREIRO DE 2011. CAPÍTULO I DO DIREITO E DA CONCESSÃO ORIENTAÇÃO NORMATIVA SRH Nº 2, DE 23 DE FEVEREIRO DE 2011. Dispõe sobre as regras e procedimentos a serem adotados pelos órgãos setoriais e seccionais do Sistema de Pessoal Civil da Administração Federal

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO SECRETARIA GERAL DOS CONSELHOS DA ADMINISTRAÇÃO SUPERIOR CONSELHO UNIVERSITÁRIO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO SECRETARIA GERAL DOS CONSELHOS DA ADMINISTRAÇÃO SUPERIOR CONSELHO UNIVERSITÁRIO SECRETARIA GERAL DOS CONSELHOS DA ADMINISTRAÇÃO SUPERIOR CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 014/2014. EMENTA: Revoga Resolução nº 004/2012 do CONSU e aprova o Programa de Avaliação do Estágio Probatório

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO

DIREITO ADMINISTRATIVO ESTÁCIO-CERS DIREITO ADMINISTRATIVO PROF. JOÃO PAULO OLIVEIRA AGENTES PÚBLICOS DIREITOS E VANTAGENS AGENTES PÚBLICOS: Pessoa física que presta atividade própria de Estado. Agentes Políticos Militares Agentes

Leia mais

LEI ORDINÁRIA Nº 2.912/11 DE 6 DE MAIO DE 2011.

LEI ORDINÁRIA Nº 2.912/11 DE 6 DE MAIO DE 2011. LEI ORDINÁRIA Nº 2.912/11 DE 6 DE MAIO DE 2011. Institui o Regime Jurídico Único dos Servidores Públicos do Município de Gramado e dá outras providências TÍTULO I Das Disposições Preliminares Art. 1.º

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO ESTADO DE PERNAMBUCO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete da Presidência INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 21, DE 24 DE SETEMBRO DE 2010

PODER JUDICIÁRIO ESTADO DE PERNAMBUCO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete da Presidência INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 21, DE 24 DE SETEMBRO DE 2010 PODER JUDICIÁRIO ESTADO DE PERNAMBUCO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete da Presidência INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 21, DE 24 DE SETEMBRO DE 2010 EMENTA: Dispõe sobre a participação de servidores ocupantes de cargos

Leia mais

Prof. Gustavo Knoplock Estatuto Federal Lei nº 8.112/1990

Prof. Gustavo Knoplock Estatuto Federal Lei nº 8.112/1990 I - PROVIMENTO E VACÂNCIA 01- (CESPE TRF 1ª Região JUIZ FEDERAL/2009) Readaptação é a investidura do servidor em cargo de atribuições e responsabilidades compatíveis com a limitação que tenha sofrido em

Leia mais

DISPÕE SOBRE A AVALIAÇÃO DE ESTÁGIO PROBATÓRIO, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

DISPÕE SOBRE A AVALIAÇÃO DE ESTÁGIO PROBATÓRIO, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. LEI Nº 2001/2006 DISPÕE SOBRE A AVALIAÇÃO DE ESTÁGIO PROBATÓRIO, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. IRANI CHIES, Prefeito Municipal de Carlos Barbosa, Estado do Rio Grande do Sul, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais

LEI Nº 2198/2001. A Prefeita Municipal de Ibiraçu, Estado do Espírito Santo, no uso de suas atribuições legais;

LEI Nº 2198/2001. A Prefeita Municipal de Ibiraçu, Estado do Espírito Santo, no uso de suas atribuições legais; LEI Nº 2198/2001 INSTITUI O PROGRAMA DE INCENTIVO AO DESLIGAMENTO VOLUNTÁRIO NA PREFEITURA MUNICIPAL DE IBIRAÇU PDV A Prefeita Municipal de Ibiraçu, Estado do Espírito Santo, no uso de suas atribuições

Leia mais

Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Tocantins decreta e eu sanciono a seguinte Lei: TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Tocantins decreta e eu sanciono a seguinte Lei: TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES LEI Nº 1.818, DE 23 DE AGOSTO DE 2007. Publicada no Diário Oficial nº 2.478 Dispõe sobre o Estatuto dos Servidores Públicos Civis do Estado do Tocantins. O Governador do Estado do Tocantins Faço saber

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002 ANTAQ, DE 14 DE OUTUBRO DE 2008.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002 ANTAQ, DE 14 DE OUTUBRO DE 2008. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002 ANTAQ, DE 14 DE OUTUBRO DE 2008. Fixa os critérios e procedimentos para a realização de concursos públicos de provas e títulos, destinados ao provimento dos cargos efetivos do

Leia mais

DEVERES DOS AGENTES PÚBLICOS

DEVERES DOS AGENTES PÚBLICOS AGENTES PÚBLICOS José Carlos de Oliveira Professor de Direito Administrativo na graduação e no Programa de Pós-Graduação do Curso de Direito da Faculdade de Ciências Humanas e Sociais da Unesp/Franca No

Leia mais

Curso Avançado de Direito Administrativo em Exercícios

Curso Avançado de Direito Administrativo em Exercícios Bom, a posse é ato solene e formal mesmo. Aliás, tem normalmente uma solenidade mesmo... Parte interessante, mas já vista: a posse pode ocorrer em cargos efetivos OU NÃO. O OU NÃO abrange os cargos em

Leia mais

Aula 00 Curso: Regime Jurídico Único Técnico INSS Professor: Aroldo Carvalho

Aula 00 Curso: Regime Jurídico Único Técnico INSS Professor: Aroldo Carvalho Aula 00 Curso: Regime Jurídico Único Técnico INSS Professor: Aroldo Carvalho APRESENTAÇÃO Curso: Regime Jurídico Único Técnico INSS Olá, Meu nome é Aroldo Carvalho Jr e trataremos aqui do Regime Jurídico

Leia mais

1. Com base no disposto no Regime Jurídico Único dos Servidores Públicos do Estado do Rio Grande do Sul, assinale a assertiva correta:

1. Com base no disposto no Regime Jurídico Único dos Servidores Públicos do Estado do Rio Grande do Sul, assinale a assertiva correta: 1. Com base no disposto no Regime Jurídico Único dos Servidores Públicos do Estado do Rio Grande do Sul, assinale a assertiva correta: a) Os cargos públicos estaduais, acessíveis exclusivamente aos brasileiros,

Leia mais

Universidade Federal de Minas Gerais Pró-Reitoria de Recursos Humanos Departamento de Administração de Pessoal

Universidade Federal de Minas Gerais Pró-Reitoria de Recursos Humanos Departamento de Administração de Pessoal FÉRIAS Cód.: FER Nº: 55 Versão: 10 Data: 05/12/2014 DEFINIÇÃO Período de descanso remunerado com duração prevista em lei. REQUISITOS BÁSICOS 1. Servidor efetivo: - Possuir 12 (doze) meses de efetivo exercício

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA PROVIMENTO N. 20/2015-CM

ESTADO DE MATO GROSSO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA PROVIMENTO N. 20/2015-CM PROVIMENTO N. 20/2015-CM Regulamenta o Programa de incentivo à graduação dos servidores efetivos do Poder Judiciário do Estado de Mato Grosso. O PRESIDENTE DO CONSELHO DA MAGISTRATURA DO, no uso de suas

Leia mais

CURSO ON-LINE NORMAS APLICÁVEIS AOS SERVIDORES PÚBLICOS FEDERAIS TRE/ES - TODOS OS CARGOS TEORIA E EXERCÍCIOS PROFESSOR: ANDERSON LUIZ.

CURSO ON-LINE NORMAS APLICÁVEIS AOS SERVIDORES PÚBLICOS FEDERAIS TRE/ES - TODOS OS CARGOS TEORIA E EXERCÍCIOS PROFESSOR: ANDERSON LUIZ. Aula 04 Assunto: Exercícios 60 questões (da 81ª à 140ª) 81. (CESPE/MEC/2009) Considere a seguinte situação hipotética. Maria e seu esposo, Gabriel, residem no interior do estado de Goiás. Maria é estudante

Leia mais

Curso Avançado de Direito Administrativo em Exercícios. Profº. Cyonil Borges

Curso Avançado de Direito Administrativo em Exercícios. Profº. Cyonil Borges A remoção é deslocamento do servidor, com ou sem mudança de sede, para desempenhar suas atribuições em outra unidade do mesmo quadro. Redistribuição é o deslocamento do cargo efetivo, ocupado ou não, no

Leia mais

AULA 06 DA ADOÇÃO (ART. 1618 A 1629 CC)

AULA 06 DA ADOÇÃO (ART. 1618 A 1629 CC) AULA 06 DA ADOÇÃO (ART. 1618 A 1629 CC) DO CONCEITO A ADOÇÃO É UM ATO JURÍDICO EM SENTIDO ESTRITO, CUJA EFICACIA É DEPENDENTE DA AUTORIZAÇÃO JUDICIAL. NESSE CASO, CRIA UM VÍNCULO FICTÍCIO DE PATERNIDADE-

Leia mais

LEI Nº 7.169, DE 30 DE AGOSTO DE 1996 Republicada em 7/9/1996

LEI Nº 7.169, DE 30 DE AGOSTO DE 1996 Republicada em 7/9/1996 LEI Nº 7.169, DE 30 DE AGOSTO DE 1996 Republicada em 7/9/1996 Institui o Estatuto dos Servidores Públicos do Quadro Geral de Pessoal do Município de Belo Horizonte vinculados à administração direta, (VETADO)

Leia mais

Licença e afastamento SERVIDOR PÚBLICO V LICENÇA E AFASTAMENTO. Licenças não remuneradas: Licenças: 12/11/2012

Licença e afastamento SERVIDOR PÚBLICO V LICENÇA E AFASTAMENTO. Licenças não remuneradas: Licenças: 12/11/2012 Licença e afastamento Hipóteses em que o servidor não presta serviço, sem perder o cargo. Há 7 hipóteses de licença e 4 hipóteses de afastamento. SERVIDOR PÚBLICO V LICENÇA E AFASTAMENTO Paula Freire Licenças:

Leia mais

Execução e controle das despesas com pessoal conforme as regras da Lei de Responsabilidade Fiscal - LRF

Execução e controle das despesas com pessoal conforme as regras da Lei de Responsabilidade Fiscal - LRF Execução e controle das despesas com pessoal conforme as regras da Lei de Responsabilidade Fiscal - LRF Amigos concursandos! Desejo a todos muita paz, tranqüilidade e que seus objetivos estejam caminhando

Leia mais

ESTATUTO DOS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO

ESTATUTO DOS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO 1 / 43 ESTATUTO DOS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO LEI Nº 8.989, DE 29 DE OUTUBRO DE 1979 Dispõe sobre o Estatuto dos Funcionários Públicos do Município de São Paulo e dá providências

Leia mais

Profissionalizando da Gestão Pública

Profissionalizando da Gestão Pública Profissionalizando da Gestão Pública PROGEP GUAÍBA REVISÃO DO ESTATUTO (PARTE UM) Guaíba, em 10 de setembro de 2008. 1 ALGUMAS CONSIDERAÇÕES RELEVANTES 1. Este trabalho trata-se de apenas uma revisão e

Leia mais

MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO FEDERAL E REFORMA DO ESTADO SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS PORTARIA NORMATIVA SRH Nº 2, DE 14 DE OUTUBRO DE 1998

MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO FEDERAL E REFORMA DO ESTADO SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS PORTARIA NORMATIVA SRH Nº 2, DE 14 DE OUTUBRO DE 1998 MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO FEDERAL E REFORMA DO ESTADO SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS PORTARIA NORMATIVA SRH Nº 2, DE 14 DE OUTUBRO DE 1998 Dispõe sobre as regras e procedimentos a serem adotados pelos

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 36 DO CONSELHO SUPERIOR, DE 20 DE JULHO DE 2015.

RESOLUÇÃO Nº. 36 DO CONSELHO SUPERIOR, DE 20 DE JULHO DE 2015. RESOLUÇÃO Nº. 36 DO CONSELHO SUPERIOR, DE 20 DE JULHO DE 2015. O Presidente do Conselho Superior do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sertão Pernambucano, no uso de suas atribuições

Leia mais

RACIONALIZAÇÃO E TRANSFORMAÇÃO DE CARGOS (VIABILIDADE JURÍDICA) FASUBRA, 10 de junho de 2010 QUADRO ATUAL Cargos com atribuições desatualizadas; Cargos com denominações distintas para atribuições iguais

Leia mais

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO. Autor: Sidnei Di Bacco/Advogado

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO. Autor: Sidnei Di Bacco/Advogado AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO Autor: Sidnei Di Bacco/Advogado CONSTITUIÇÃO FEDERAL Art. 41. São estáveis após três anos de efetivo exercício os servidores nomeados para cargo de provimento efetivo em virtude

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Page 1 of 62 Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 8.112, DE 11 DE DEZEMBRO DE 1990 Texto compilado Mensagem de veto Dispõe sobre o regime jurídico dos servidores

Leia mais

ESTÁGIO PROBATÓRIO. Quadro do Magistério QM GDAE

ESTÁGIO PROBATÓRIO. Quadro do Magistério QM GDAE ESTÁGIO PROBATÓRIO Quadro do Magistério QM GDAE Decreto nº 52.344 de 09/11/2007 - Dispõe sobre o Estágio Probatório dos integrantes do Quadro do Magistério da Secretaria da Educação. Lembramos que: 1.

Leia mais

PLANOS DE CARGOS E SALÁRIOS DOS SERVIDORES MUNICIPAIS

PLANOS DE CARGOS E SALÁRIOS DOS SERVIDORES MUNICIPAIS PLANOS DE CARGOS E SALÁRIOS DOS SERVIDORES MUNICIPAIS LEI COMPLEMENTAR MUNICIPAL N. 27/99 De 12 de Novembro de 1999 Aprova o Plano de Cargos dos Servidores do Poder Executivo Municipal e contém providências

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO ATO Nº 342/DILEP.CDEP.SEGPES.GDGSET.GP, DE 25 DE JUNHO DE 2014.

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO ATO Nº 342/DILEP.CDEP.SEGPES.GDGSET.GP, DE 25 DE JUNHO DE 2014. TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO ATO Nº 342/DILEP.CDEP.SEGPES.GDGSET.GP, DE 25 DE JUNHO DE 2014. Dispõe sobre a concessão de bolsa de estudo para curso de língua estrangeira no âmbito do Tribunal Superior

Leia mais

APOSENTADORIA ESPECIAL DO SERVIDOR PÚBLICO

APOSENTADORIA ESPECIAL DO SERVIDOR PÚBLICO APOSENTADORIA ESPECIAL DO SERVIDOR PÚBLICO Dra. Thais Riedel Apresentação Palestrante Formação Acadêmica: Faculdade de Direito Faculdade de Ciências Políticas Especialização em Processo Civil Especialização

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE PRÓ-REITORIA DE GESTÃO DE PESSOAS. INSTRUÇÃO DE SERVIÇO Nº 001 de 02 de fevereiro de 2012

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE PRÓ-REITORIA DE GESTÃO DE PESSOAS. INSTRUÇÃO DE SERVIÇO Nº 001 de 02 de fevereiro de 2012 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE PRÓ-REITORIA DE GESTÃO DE PESSOAS INSTRUÇÃO DE SERVIÇO Nº 001 de 02 de fevereiro de 2012 EMENTA: Estabelece critérios e procedimentos, no âmbito

Leia mais

BOLSA DE ESTUDO PARA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO Perguntas Mais Frequentes

BOLSA DE ESTUDO PARA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO Perguntas Mais Frequentes BOLSA DE ESTUDO PARA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO Perguntas Mais Frequentes Que norma regulamenta a concessão da bolsa de estudo? A Instrução Normativa nº 104, de 25 de janeiro de 2010, regulamenta a concessão

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Secretaria de Gestão Pública Departamento de Normas e Procedimentos Judiciais de Pessoal Coordenação-Geral de Aplicação das Normas NOTA TÉCNICA Nº 140/2014/CGNOR/DENOP/SEGEP/MP

Leia mais

APOSENTADORIAS. Aposentadoria por invalidez permanente;

APOSENTADORIAS. Aposentadoria por invalidez permanente; APOSENTADORIAS Aposentadoria é o direito que o servidor tem à inatividade remunerada, em decorrência de invalidez, da idade, ou oriunda da conjugação de vários requisitos, quais sejam: tempo de exercício

Leia mais

Edital Nº 18/2015 Processo Seletivo Interno para Remoção de Servidores Técnicos Administrativos

Edital Nº 18/2015 Processo Seletivo Interno para Remoção de Servidores Técnicos Administrativos O Reitor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro, nomeado pelo Decreto de 06 de maio de 2014, publicado no Diário Oficial da União em 07 de maio de 2014, visando atender

Leia mais

NORMA DE ESTÁGIO PROBATÓRIO PARA SERVIDOR DOCENTE DA UNIFEI

NORMA DE ESTÁGIO PROBATÓRIO PARA SERVIDOR DOCENTE DA UNIFEI 1 NORMA DE ESTÁGIO PROBATÓRIO PARA SERVIDOR DOCENTE DA UNIFEI UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ Normatiza o Estágio Probatório de Docentes no âmbito da Universidade Federal de Itajubá. O CONSELHO DE ENSINO,

Leia mais

MUNICÍPIO DE INHUMAS NOVO ESTATUTO DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS LEI N. 2.032, DE 29 DE NOVEMBRO DE 1.990

MUNICÍPIO DE INHUMAS NOVO ESTATUTO DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS LEI N. 2.032, DE 29 DE NOVEMBRO DE 1.990 MUNICÍPIO DE INHUMAS NOVO ESTATUTO DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS LEI N. 2.032, DE 29 DE NOVEMBRO DE 1.990 (Institui o Regime Jurídico Único, o Estatuto dos servidores do Município de Inhumas, e dá

Leia mais

Estatuto dos Servidores Civis do Estado

Estatuto dos Servidores Civis do Estado Poder Judiciário do Estado de Mato Grosso do Sul Estatuto dos Servidores Civis do Estado Atualizado até 25 de janeiro de 2012. Tribunal de Justiça Campo Grande - MS Tribunal de Justiça do Estado de Mato

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE INDAIATUBA

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE INDAIATUBA LEI N.º 1.402 DE 30 DE DEZEMBRO DE 1975. Dispõe sobre o Estatuto dos Funcionários Públicos do Município de Indaiatuba. ROMEU ZERBINI, Prefeito Municipal de Indaiatuba, usando das atribuições que lhe são

Leia mais

www.estudodeadministrativo.com.br 1

www.estudodeadministrativo.com.br 1 DIREITO ADMINISTRATIVO AGENTES PÚBLICOS I - AGENTE PÚBLICO - Na conceituação de Maria Sylvia Di Pietro agente público seria toda pessoa física que presta serviços ao Estado e às pessoas jurídicas da Administração

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 555, DE 19 DE JUNHO DE 2015

RESOLUÇÃO Nº 555, DE 19 DE JUNHO DE 2015 Publicada no DJE/STF, n. 122, p. 1-2 em 24/6/2015. RESOLUÇÃO Nº 555, DE 19 DE JUNHO DE 2015 Dispõe sobre as férias dos servidores do Supremo Tribunal Federal. O PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL,

Leia mais

mesmo empregador recebendo

mesmo empregador recebendo AULA 6: Salário e Remuneração: a partir do art. 457, CLT Equiparação Salarial empregado que almeja ganhar um salário maior, deseja o salário de outro, que é o chamado paradigma ou modelo idêntica função

Leia mais

Questões Cespe da Lei nº 8.112/90 Para MPU

Questões Cespe da Lei nº 8.112/90 Para MPU Questões Cespe da Lei nº 8.112/90 Para MPU Olá Concursando, Hoje vamos estudar algumas questões sobre a lei nº 8.112/90 elaboradas pelo Cespe, que é responsável pela prova do MPU/2010. Eu selecionei 10

Leia mais

Regras de Aposentadorias e Pensões

Regras de Aposentadorias e Pensões Seguridade Social: A seguridade social compreende um conjunto integrado de ações de iniciativa dos Poderes Públicos e da sociedade, destinadas a assegurar os direitos relativos à saúde, à previdência e

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE PLANEJAMENTO E GESTÃO. Publicada no D.O. de 15.05.2008 RESOLUÇÃO SEPLAG Nº 109 DE 09 DE MAIO DE 2008

SECRETARIA DE ESTADO DE PLANEJAMENTO E GESTÃO. Publicada no D.O. de 15.05.2008 RESOLUÇÃO SEPLAG Nº 109 DE 09 DE MAIO DE 2008 SECRETARIA DE ESTADO DE PLANEJAMENTO E GESTÃO Publicada no D.O. de 15.05.2008 RESOLUÇÃO SEPLAG Nº 109 DE 09 DE MAIO DE 2008 INSTITUI O MANUAL PARA ANÁLISE DE ACUMULAÇÃO DE CARGOS, EMPREGOS E FUNÇÕES PÚBLICOS

Leia mais

Tribunal de Contas da União

Tribunal de Contas da União Tribunal de Contas da União Dados Materiais: Decisão 291/97 - Primeira Câmara - Ata 40/97 Processo nº TC 002.679/96-5 Interessado: Oscar Sebastião Leão Órgãos: Delegacia de Administração do MF/DF Relator:

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 943/2009 TCE/TO Pleno

RESOLUÇÃO Nº 943/2009 TCE/TO Pleno RESOLUÇÃO Nº 943/2009 TCE/TO Pleno 1. Processo nº: 03760/2009 2. Classe de Assunto: (III Plenário) Consulta 3. Entidade: Prefeitura de Arraias TO 4. Responsável: Antônio Wagner Barbosa Gentil - Prefeito

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br BuscaLegis.ccj.ufsc.Br Tutela antecipada e suspensão da exigibildade do crédito tributário Eduardo Munhoz da Cunha* Sumário:1. Introdução. 2. A possibilidade de concessão de tutela antecipada contra a

Leia mais

ORIENTAÇÃO DE SERVIÇO SCAP N.º 010/2014

ORIENTAÇÃO DE SERVIÇO SCAP N.º 010/2014 ORIENTAÇÃO DE SERVIÇO SCAP N.º 010/2014 A SCAP, no uso das atribuições conferidas pelo art. 36 do Decreto nº 46.557, de 11 de julho de 2014, e considerando o disposto nos arts. 152 a 155 e 211, da Lei

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO POVO

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO POVO LEI Nº516/2012- DE 09 DE ABRIL DE 2012 Altera a Lei Municipal nº 280, de 30 de março de 2004, que dispõe sobre o Estatuto Geral do Servidores Públicos do Município de São José do Povo. JOÃO BATISTA DE

Leia mais

Estado de Santa Catarina Prefeitura Municipal de Santa Cecília LEI COMPLEMENTAR Nº 01/93, DE 30 DE ABRIL DE 1993.

Estado de Santa Catarina Prefeitura Municipal de Santa Cecília LEI COMPLEMENTAR Nº 01/93, DE 30 DE ABRIL DE 1993. 1 INSTITUI O REGIME JURÍDICO ÚNICO PARA OS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O Prefeito Municipal de Santa Cecília, Estado de Santa Catarina, no uso das atribuições que lhes são

Leia mais

R E G I M E J U R Í D I C O SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS

R E G I M E J U R Í D I C O SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS R E G I M E J U R Í D I C O DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS ÍNDICE SISTEMÁTICO Matéria Páginas Título I - Disposições preliminares... 7 a 8 Título II - Do provimento e da vacância...8 a 10 Capítulo

Leia mais

LEI Nº 3003, de 02 de maio de 2014.

LEI Nº 3003, de 02 de maio de 2014. LEI Nº 3003, de 02 de maio de 2014. Dispõe sobre o Estatuto dos Servidores Públicos do Município de Itabirito MG. O Povo do Município de Itabirito, por seus representantes na Câmara Municipal, aprovou,

Leia mais

O REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DO MUNICÍPIO DE TAQUARITINGA

O REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DO MUNICÍPIO DE TAQUARITINGA O REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DO MUNICÍPIO DE TAQUARITINGA 1. INTRODUÇÃO A previdência social no Brasil pode ser divida em dois grandes segmentos, a saber: Regime Geral de Previdência Social (RGPS):

Leia mais

MATERIAL DE APOIO PROFESSOR. 5 a. edição (Atualizada até a MP 479/09)

MATERIAL DE APOIO PROFESSOR. 5 a. edição (Atualizada até a MP 479/09) CURSO REGULAR TRT REPRISE Disciplina: Direito Administrativo Prof. Luís Gustavo MATERIAL DE APOIO PROFESSOR NOTAS DE AULA LEI 8.112/90 (ESTATUTO DO SERVIDOR PÚBLICO FEDERAL) 5 a. edição (Atualizada até

Leia mais

CARTA AO CIDADÃO CONCESSÃO DE ANISTIA. I Descrição do serviço Concessão de Anistia

CARTA AO CIDADÃO CONCESSÃO DE ANISTIA. I Descrição do serviço Concessão de Anistia CARTA AO CIDADÃO CONCESSÃO DE ANISTIA Ministério do Planejamento Orçamento e Gestão, Bloco C, CEP: 70046-900, Sala 117 Secretaria de Relações de Trabalho no Serviço Público / SRT Comissão Especial Interministerial

Leia mais

FACULDADE ADVENTISTA DA BAHIA REGULAMENTO DE MONITORIA DO CURSO DE PEDAGOGIA

FACULDADE ADVENTISTA DA BAHIA REGULAMENTO DE MONITORIA DO CURSO DE PEDAGOGIA FACULDADE ADVENTISTA DA BAHIA REGULAMENTO DE MONITORIA DO CURSO DE PEDAGOGIA Cachoeira, março de 2011 REGULAMENTO DE MONITORIA ACADÊMICA DO CURSO DE PEDAGOGIA Capítulo I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR N.º 133 DE 12 DE NOVEMBRO DE 2013

LEI COMPLEMENTAR N.º 133 DE 12 DE NOVEMBRO DE 2013 LEI COMPLEMENTAR N.º 133 DE 12 DE NOVEMBRO DE 2013 Estatuto dos Servidores Públicos Municipais Não-Me-Toque/RS Não-Me-Toque/RS, 12 de novembro de 2013. 1 LEI COMPLEMENTAR N.º 133 DE 12 DE NOVEMBRO DE 2013

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DA BAHIA, faço saber que a Assembléia Legislativa decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

O GOVERNADOR DO ESTADO DA BAHIA, faço saber que a Assembléia Legislativa decreta e eu sanciono a seguinte Lei: Imprimir "Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial do Estado." LEI Nº 6.677 DE 26 DE SETEMBRO DE 1994 Dispõe sobre o Estatuto dos Servidores Públicos Civis do Estado da Bahia, das Autarquias

Leia mais

FÉRIAS DEFINIÇÃO INFORMAÇÕES GERAIS INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDAMENTAÇÃO LEGAL PERGUNTAS FREQUENTES

FÉRIAS DEFINIÇÃO INFORMAÇÕES GERAIS INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDAMENTAÇÃO LEGAL PERGUNTAS FREQUENTES FÉRIAS DEFINIÇÃO INFORMAÇÕES GERAIS INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDAMENTAÇÃO LEGAL PERGUNTAS FREQUENTES DEFINIÇÃO Período de descanso remunerado com duração prevista em lei (Lei 8.112/90 artigos 77 a 80).

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE TIMON GABINETE DO PREFEITO - GP

PREFEITURA MUNICIPAL DE TIMON GABINETE DO PREFEITO - GP LEI MUNICIPAL Nº 1299 DE 28 DE DEZEMBRO DE 2004 Institui o Estatuto dos Servidores Públicos do Município de Timon. O PREFEITO MUNICIPAL DE TIMON, ESTADO DO MARANHÃO: Faço saber que a Câmara Municipal de

Leia mais

Universidade Federal do Rio Grande do Sul Escola de Administração Comissão de Graduação em Administração RESOLUÇÃO Nº 04/2010

Universidade Federal do Rio Grande do Sul Escola de Administração Comissão de Graduação em Administração RESOLUÇÃO Nº 04/2010 RESOLUÇÃO Nº 04/2010 A COMISSÃO DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO Comgrad/ADM, em reunião realizada no dia 02 de junho de 2010, tendo em vista a Resolução nº 24/2006 [e 50/2009] do Conselho de Ensino, Pesquisa

Leia mais

PROVA DE DIREITO PREVIDENCIÁRIO TCE-CE FCC 2015

PROVA DE DIREITO PREVIDENCIÁRIO TCE-CE FCC 2015 PROVA DE DIREITO PREVIDENCIÁRIO TCE-CE FCC 2015 Direito Previdenciário 67. (Auditor de Controle Externo/TCE-CE/FCC/2015): O princípio constitucional estipulando que a Seguridade Social deve contemplar

Leia mais

ALTERAÇÕES NO LAYOUT DE PESSOAL PARA 2014. Samuel Guimarães Leal Superintendência de Gestão Técnica SGT

ALTERAÇÕES NO LAYOUT DE PESSOAL PARA 2014. Samuel Guimarães Leal Superintendência de Gestão Técnica SGT ALTERAÇÕES NO LAYOUT DE PESSOAL PARA 2014 Samuel Guimarães Leal Superintendência de Gestão Técnica SGT Agenda Dados Cadastrais (ADP/CAD) Quadro de Cargos (QDR) Folha de Pagamento (REM/DES) Identificação

Leia mais

TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES LEI COMPLEMENTAR Nº 107, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2006. Dispõe sobre o regime jurídico dos servidores públicos do Município de Dourados e de suas autarquias e fundações públicas. O PREFEITO MUNICIPAL DE DOURADOS,

Leia mais

CARTILHA DO ESTÁGIO PROBATÓRIO

CARTILHA DO ESTÁGIO PROBATÓRIO CARTILHA DO ESTÁGIO PROBATÓRIO Carlos Alberto Boechat Rangel Júlio Canello 1. Apresentação Nos plantões jurídicos realizados nos sindicatos e associações, o Escritório Boechat e Wagner Advogados Associados

Leia mais

CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 1 LEI COMPLEMENTAR Nº. 034/2013, DE 31 DE JULHO DE 2013. DISPÕE SOBRE O ESTATUTO DOS SERVIDORES PÚBLICOS DA ADMINISTRAÇÃO GERAL DO MUNICÍPIO DE LUZ-MG E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. A Câmara Municipal de Luz

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 032, DE 21 DE DEZEMBRO DE 2010. Estabelece normas e procedimentos para lotação, movimentação e remanejamento interno de

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 032, DE 21 DE DEZEMBRO DE 2010. Estabelece normas e procedimentos para lotação, movimentação e remanejamento interno de INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 032, DE 21 DE DEZEMBRO DE 2010. Estabelece normas e procedimentos para lotação, movimentação e remanejamento interno de servidores da Agência de Fiscalização do Distrito Federal

Leia mais

MANUAL DA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOS SERVIDORES EM ESTÁGIO PROBATÓRIO

MANUAL DA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOS SERVIDORES EM ESTÁGIO PROBATÓRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SERGIPE DIRETORIA DE GESTÃO DE PESSOAS DIVISÃO DE ALOCAÇÃO E AVALIAÇÃO MANUAL DA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOS SERVIDORES EM ESTÁGIO PROBATÓRIO APRESENTAÇÃO Este manual é

Leia mais

TITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES TITULO II DO PROVIMENTO DA DISPONIBILIDADE, DA VACÂNCIA, DA LOTAÇÃO E DA REMOÇÃO

TITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES TITULO II DO PROVIMENTO DA DISPONIBILIDADE, DA VACÂNCIA, DA LOTAÇÃO E DA REMOÇÃO TITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES TITULO II DO PROVIMENTO DA DISPONIBILIDADE, DA VACÂNCIA, DA LOTAÇÃO E DA REMOÇÃO CAP. I - DO PROVIMENTO - 5 ao 8 SEÇÃO I - DO CONCURSO PÚBLICO - 9 ao 14 SEÇÃO II -

Leia mais